Page 1

pub.

Assalto armado em casa de Brufe

Sacramento Têxteis despede 80 trabalhadores

P. 7

p. 9

ANO 18 • Nº 953 DE 11 A 17 DE AGOSTO DE 2010 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

www.opiniaopublica.pt

opiniãoespecial Carpintarias e Serralharias

Anuncia representar os 7.500 utentes e exige que edifício continue na freguesia

COMISSÃO RECLAMA NOVA EXTENSÃO DE SAÚDE EM S. COSME Preocupada com a degradação do edifício da Extensão de Saúde de Vale S. Cosme, foi criada recentemente uma Comissão de Utentes, que se anuncia mandatada para representar os 7.500 utentes das freguesias de Portela, Telhado, Vale S. Cosme, Cruz e parte de Vale S. Martinho, que são servidos por aquela estrutura. A Comissão reclama melhores

condições e, sobretudo, a construção dum novo edifício, mostrando intransigência quanto à sua localização, que só admitem na freguesia de S. Cosme. Um facto que parece não recolher unanimidade, sendo que o OP apurou que há a possibilidade de a extensão ser instalada em Vale S. Martinho. p.7

Primeira instituição do país a obter marca ISS

Recreio do João certificado pela Segurança Social

p. 9

Pais satisfeitos com decisão da DREN

Escola de Nine vai ter duas turmas do 1º ano p. 8

opiniãosport: GD Joane vence AD Oliveirense (4-1) na apresentação aos sócios

João Gomes triunfa na Volta a Portugal de cadetes

Concelho visitado por mais de 200 europeus numa semana, em iniciativas da PASEC e da YUPI

Falta acolhimento para jovens estrangeiros

pp. 4 e 6


02

pública: 11 de Agosto de 2010

espaço aberto

Conhece situações que podem ser retratadas na Objectiva Pública? Envie as suas fotografi fia as, acompanhadas de um pequeno texto com o local e a descrição, para o e-mail: informacao@opiniaopublica.pt ou entregue nas instalações do Opinião Pública, na Rua 8 de Dezembro, nº 214, em Antas.

Objectiva Pública

Bruno Marques

A situação que damos conta nesta edição situa-se na passagem pedonal aérea junto à Rotunda de Santo António, em Famalicão. A dita passagem não está nas melhores condições para todos aqueles que a utilizam, nomeadamente na conservação das tábuas de madeira que a constituem e numa das rampas de subida. A nossa atenção centra-se no referido acesso que mais parece atravessar uma densa mata, tal é a enorme quantidade de vegetação dos dois lados. Ora, esta passagem pedonal tem como principal intuito facilitar a vida aos peões, mas neste caso dificulta a entrada de todos os utilizadores pelo que a situação carece de maior atenção na sua manutenção por parte dos responsáveis.

Agenda

Questão Pública

Sexta-feira, 13 22h00 Concerto de Renata Braga, na Avenida Rio Veirão, em Ribeirão, no âmbito da iniciativa municipal “Animação na Praça”.

Sábado, 1 22h00 Hosei actua na Praça D. Maria II, na cidade, no âmbito da iniciativa municipal “Animação na Praça”. Realizam-se as eleições no Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria

FICHA TÉCNICA CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

Acha que o procurador-geral da República tem condições para continuar no cargo?” Maria Augusta Santos professora Acerca da continuidade no cargo do Procurador-Geral da República, a minha opinião não se alterou desde que aqui me pronunciei sobre esta mesma matéria. Como se sabe, segundo a Constituição, o mandato do Procurador-Geral da República tem a duração de seis anos e a sua nomeação ou exoneração é da competência do Presidente da República, sob proposta do Governo. Ora, ainda há poucos dias, o Ministro da Justiça manifestou publicamente a confiança do Governo no Procurador-Geral, legitimando, assim, a sua continuidade. Todos temos plena consciência da exigência que este cargo acarreta e, fundamentalmente, à mediatização a que está exposto, o que se traduz, normalmente, em dificuldades acrescidas quer para o PGR, quer para todos os actores da justiça. Não me parece que a discussão que se tem gerado à volta deste caso, continuada e persistentemente por parte de alguns meios, nomeadamente políticos e até mesmo judiciais, por vezes de forma desabrida e vilipendiando a figura do Procurador, dignifique quem assim procede e, pior do que isso, sirva o País. Admito que o Procurador possa ter errado, aqui ou ali (quem não erra?), mas não é por esse facto que deixei de o admirar, fundamentalmente pela postura simples, aberta e frontal que, correntemente, adopta, quando quer assumir uma posição, recusando recorrer a discursos refinados ou linguagens rebuscadas, tantas vezes usadas por outras “personalidades”, quando não são capazes de ter coragem e frontalidade para se afirmarem. Reitero o que há algum tempo afirmei sobre a continuidade no cargo do actual PGR: é necessário e urgente que todas as instituições democráticas e órgãos de soberania ajam com responsabilidade e com a serenidade necessárias e, fundamentalmente, cooperem entre si, na medida em que constitui um desgaste para o País e para as instituições democráticas continuar-se nesta autêntica balbúrdia, que apenas serve interesses políticos de alguns mas fere os princípios básicos da nossa democracia.

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

INTERNET

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

Francisco Araújo

www.opiniaopublica.pt

CONTACTOS Redacção:

APOIO À REDACÇÃO: Jorge Alexandre

REDACÇÃO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

TÉCNICOS DE VENDAS:

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt

informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

CHEFE DE REDACÇÃO:

DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022),

GERÊNCIA: João Fernandes

PROPRIEDADE E EDITOR:

Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros.

comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

20.000 exemplares, nº 953

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673

Serviços Administrativos:

DEPÓSITO LEGAL: 48925/91

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia


publicidade

pĂşblica: 11 de Agosto de 2010 03


04

pública: 11 de Agosto de 2010

cidade

Novidade avançada durante o seminário “Democracia e Interculturalidade”

ADRAVE promove formação sobre novo Código dos Contratos Públicos mitado por prévia qualificação e procedimento de negociação. Para além disso será abordada a problemática do Ajuste Directo, do controlo de prazos, garantias administrativas, regime contra-ordenacional, recursos e contencioso dos contratos, fiscalização prévia, concomitante e sucessiva e tutela jurisdicional. O curso tem a duração 35 horas e contempla sessões de Formação Teórica (23 a 24 de Setembro) e sessões de Formação Prática (29 e 30 de Setembro de 2010, e 1 Outubro) das 9h30 às 12h30 e das 14 às 18 horas, e terá lugar na sede da ADRAVE, na Rua Ana Plácido – Edifício Europa nº 1, em Famalicão. As inscrições são limitadas e podem ser feitas através do email: silvia.costa@adrave.pt ou pelo telefone 252302600.

Pedro Alexandre Silva

A Adrave – Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave vai levar a efeito, a partir do dia 23 de Setembro, uma acção de formação sobre o novo CCP (Código dos Contratos Públicos), destinada a empresas, funcionários da administração local, regional e central, comunidades intermunicipais, associações de municípios e empresas municipais. Luís dos Anjos Corado, um dos maiores especialistas do país em termos do novo CCP, será o formador. Os principais conteúdos programáticos da acção são: Aplicação do Código dos Contratos Públicos (Generalidades e âmbito de aplicação); As mudanças no Regime Jurídico das Empreitadas de Obras Púbicas; Principais formas concursais e procedimentais; Tramitação do procedimento: ajuste directo, concurso público, concurso li-

PASEC cria plataforma de animadores em Itália

Seminário Internacional juntou, durante 5 dias, muitos jovens na região

Pedro Alexandre Silva Está oficialmente criada em Itália a plataforma de animadores da associação famalicense PASEC (Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais). A novidade foi avançada na apresentação pública que decorreu na passada quartafeira, dia 4, nos Paços do Concelho, no âmbito do seminário internacional “Democracia e Interculturalidade”. Segundo Abraão Costa, responsável da PASEC, os objectivos passavam por formar a rede europeia de grupos informais e alargar a estrutura da PASEC à escala europeia, por isso, referiu que “é com alegria que podemos formalizar a PASEC em Itália, pois é sempre importante ver uma organização que nasceu em Famalicão em três anos atingir tal dimensão”. “Mas mais significativo foi a criação de 18 novos animadores que formaram pelo menos 20 novos grupos”, referiu ainda, adiantando que o mesmo poderá acontecer noutros países. Em parceria com a TOTEM (Agencia Italiana para o Desenvol-

vimento Social), a EGEA Polónia, os municípios de Famalicão e de Gorla Maggiore (Itália), a Rede Europeia de Grupos informais, o Instituto Português da Juventude e a Agência Nacional do Programa Juventude em Acção, a PASEC organizou, entre os dias 2 e 5 de Agosto, o seminário internacional “Democracia e Interculturalidade”, que contou com a participação de mais de 200 jovens e agentes educativos provenientes de várias organizações europeias. “Além de finalizar o projecto Nova Fórmula 2, que envolveu mais de 500 jovens e 300 agentes, o objectivo do seminário era discutir medidas daquilo que podem ser os futuros campos de acção da participação juvenil no contexto democrático e no contexto da interculturalidade nestes três países em concreto: Polónia, Portugal, e Itália”, frisou Abraão. O grupo que participou neste seminário foi também recebeido nos Paços do Concelho, numa cerimónia onde marcaram presença o presidente do município de Gorla Maggiore, Fabrizio Caprioli; o presidente da TOTEM de Itália, Ste-

fano Bottelli; e a coordenadora da EGEA, Joanna Wawrynowycz, entre outras individualidades. Estiveram representados no seminário 8 distritos de Portugal Continental, sendo que cada elemento envolvido representava um grupo juvenil em concreto. Neste encontro, as actividades dividiram-se entre Famalicão e Vilarinho das Furnas, e contou com uma recriação histórica da Citânia de Briteiros, em Guimarães; a participação numa viagem medieval, em Santa Maria da Feira; oficinas de artes de combate orientais em Vila do Conde; entre outras sessões de trabalho. Na ocasião, Abraão Costa anunciou que agora segue-se o projecto Nova Fórmula 2.0, que vai trabalhar concretamente a rede e tem como base uma espécie de concurso chamado “Democracy Challenge”, ou seja, “nós agora vamos investir na qualidade das práticas destes grupos, uma vez que o programa pretende divulgar as melhores experiências por várias áreas”. “O objectivo é mais do que ampliar a rede, é consolidála”, sublinhou. Na recepção às delegações estrangeiras, Ricardo Mendes, vicepresidente da autarquia, frisou que com a desestruturação da família e com algumas alterações sociais importantes torna-se muito importante a vertente da educação não formal, para além das questões relacionadas com a educação formal. “Por isso, é muito importante estas organizações estrangeiras terem-se deslocado a Portugal para discutirem algumas temáticas importantes para a juventude. Eu julgo que irá condicionar a actuação destes jovens, permitindo que se tornem eles próprios educadores quer de mentalidades quer de pessoas mais adultas”, referiu, acrescentando que para além de ser “um orgulho para Famalicão receber este tipo de seminários, é quase uma obrigação moral a autarquia apoiar estas actividades”.

pub.

Famalicão assinala Dia Internacional da Juventude Os jovens famalicenses com idades entre os 12 e os 30 anos têm entrada livre nos Museus da Rede Municipal de Famalicão e nas Piscinas Municipais, amanhã, dia 12 de Agosto, Dia Internacional da Juventude. A efeméride assinalada pela Câmara Municipal, através do pelouro da Juventude, conta ainda com um conjunto diversificado de iniciativas, nomeadamente a realização de actividades radicais e insufláveis, ao longo do dia, junto à Igreja da freguesia de Delães. Pelas 21h30, há cinema na Galeria Municipal da antiga Casa Malheiro, sita na Rua Adriano Pinto Basto, com o filme “Corto Maltese na Sibéria” (2002) de Pascal Morelli pelo Cineclube de Joane. Entretanto, entre 12 e 14 de Agosto, as Associações Juvenis que constituem a Rede Associativa Jovem dão a conhecer as suas actividades, na Galeria Municipal.


pública: 11 de Agosto de 2010 05

cidade

Noites de Agosto com “Animação na Praça”

pub.

Marsenu em Famalicão aposta em novos serviços A bem conhecida empresa Marsenu está no centro da cidade de Famalicão há 16 anos, no ramo de acessórios industriais. Entretanto, recentemente, a loja Marsenu tem uma nova secção dedicada às peças Auto. No fundo, trata-se de um serviço que completa os que já existiam. E porque a satisfação do cliente é o mais relevante, recentemente a Marsenu renovou as suas instalações. Na Marsenu, os clientes encontram uma oferta abrangente de equipamentos da área automóvel, desde peças para automóveis, máquinas agrícolas, camiões e material para automóveis de competição. Marsenu, na Rua Alves Roçadas, n.º 77 e também no n.º 83, VN Famalicão.

As noites de Agosto prometem muita animação em Famalicão, com a música a ocupar um lugar de destaque. Através da iniciativa “Animação na Praça”, promovida pela Câmara Municipal, a música invade as principais praças do concelho, desafiando os famalicenses a sair para a rua e a aproveitar as noites quentes de Verão para se divertirem e usufruírem dos espaços públicos. Assim, aos sábados (dias 14, 21 e 28), a iniciativa decorre na Praça D. Maria II, no centro da cidade, com os espectáculos a terem início pelas 22 horas. Hosei, Room40 e Mortos Vivos são os nomes das bandas que vão animar a Praça. Entretanto, no passado sábado, dia 7, já actuaram os Folc d’Ave. Na sexta-feira, dia 13, também pelas 22 horas, Renata Braga actua na Avenida do Rio Veirão, na vila de Ribeirão. No dia 20, é a vez de Hosei animar o Mercado Municipal em Riba d’Ave, enquanto no dia 27, o Parque da Ribeira, em Joane, recebe Renata Braga. “Para além de promover o bem-estar dos famalicenses e valorizar os espaços públicos, a iniciativa representa também a aposta do município na promoção dos artistas e talentos da terra, tendo em conta que todas as bandas são famalicenses”, sublinha o município em nota à imprensa.

Tutti Scarpa: lojas de calçado com requinte A marca Tutti Scarpa está em Famalicão para ficar. A Tutti Scarpa tem duas lojas que se distinguem pela qualidade e requinte. São dois espaços, uma na Avenida 25 de Abril, 111/113, e a segunda no Centro Comercial Bezerra, ambas no centro da cidade. Aqui, encontra calçado casual, moda de homem e senhora, dentro do segmento médio, médio/alto, com marcas espanholas, italianas e portuguesas. Na Tutti Scarpa encontra calçado actual e acima de tudo muito confortável. Na verdade, o projecto Tutti Scarpa está a ser um sucesso junto dos seus clientes e brevemente os responsáveis pretendem mesmo abrir uma terceira loja em Famalicão e uma quarta em Guimarães, sendo que o projecto de expansão delineado está a decorrer de forma muito positiva. pub


06

pública: 11 de Agosto de 2010

cidade

Presidente da associação lembra que concelho é alvo de muitos intercâmbios internacionais

Responsável da Protecção Civil reúne com câmaras

YUPI reclama mais condições para acolher jovens Carla Alexandra Soares

O secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco, esteve presente, no dia 30 de Julho, no Governo Civil de Braga, para uma reunião de trabalho com os presidentes das Câmaras Municipais do distrito. O governante manifestou o reconhecimento do Governo pelo esforço desenvolvido e competência que têm demonstrado na coordenação do combate aos incêndios florestais, salientando que, num só dia, o número de incêndios quase chegou aos 500. O secretário de Estado

É urgente criar em Famalicão infraestruturas para acolher jovens que visitem a cidade em intercâmbios. A chamada de atenção surge da presidente da YUPI, que promoveu mais uma iniciativa. A associação juvenil famalicense desenvolveu, na segunda-feira à tarde, a apresentação final do projecto “Green’R’us”, na Praça D. Maria II, integrada na realização do Intercâmbio Europeu de Jovens com o mesmo nome. Estiveram presentes os 45 jovens europeus que estiveram em Famalicão de 3 a 10 de Agosto, para a realização de uma série de actividades conjuntas de carácter ambiental. A apresentação final do “Green’R’us” foi o último desafio lançado aos jovens antes de terminar este intercâmbio. Em jeito de balanço, Mariana Barbosa, presidente da YUPI em Famalicão, sublinhou as diversas iniciativas desenvolvidas nos dias em que os jovens estiveram de visita ao nosso país, sendo que, antes de mais, foi necessário compreender as grandes diferenças nesta matéria. “Cada país preparou uma apresentação sobre como os lixos e resíduos são tratados em cada país e é impressionante ver as diferenças que existem no seu tratamento. Quando, por exemplo, falámos da Áustria, é um país com boas práticas, mas se vamos a países como a Roménia, as coisas ainda estão menos desenvolvidas. É, por isso, uma aprendizagem para todos”, contou. Para que se entendesse o processo do tratamento do lixo em Portugal, foi organizada uma visita à LIPOR (Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto). Por outro lado, os jovens limparam ainda, durante uma manhã, quatro lixeiras em Cavalões.

teve oportunidade de ouvir os autarcas, que fizeram uma avaliação do que pode ser feito para melhorar a coordenação e alguns aspectos de capacidade de resposta. Vasco Franco sublinhou ainda que uma grande parte dos incêndios são causados por acção criminosa, mas com o empenho das forças de segurança e das entidades responsáveis pela investigação, os criminosos irão ser responsabilizados pelos seus actos. Recorde-se que no Distrito de Braga o número de ignições nocturnas está a chegar quase aos 40%.

Clube Sénior da ALF foi à praia

Jovens desenvolveram actividades na Praça D. Maria II

Neste intercâmbio em Famalicão marcaram presença 45 jovens da Polónia, Itália, Áustria, Hungria, Estónia e Roménia, que estiveram instalados na Quinta da Costa, na freguesia de Mouquim. A este propósito, Mariana Barbosa lembrou que, cada vez mais, o concelho é alvo de intercâmbios internacionais e, por isso, é urgente que se criem condições para o seu acolhimento, defendendo que em termos de turismo ainda muito existe para desenvolver no concelho famalicense. “Nós gostávamos que fossem criados mais espaços em que os jovens fossem recebidos e acolhidos em Famalicão. Existe esta necessidade porque, cada vez mais jovens vêm cá e não sabemos onde os instalar. Um parque de campismo com todas as condições, um albergue ou pousada juvenil. Algum sítio em que pudéssemos acolher este potencial que tem a mobilidade dos jovens na União Europeia”, referiu a responsável, apontando que os jovens gostam

muito de Famalicão, nomeadamente pela conciliação entre o desenvolvimento e os espaços verdes. “Por exemplo, os jovens da Estónia disseram-me que nunca tinham visto uma cidade com tanto verde”, evidenciou. Por outro lado, os jovens gostam dos famalicenses que, segundo eles, são simpáticos e acolhedores e ficaram surpreendidos com a qualidade do inglês das pessoas na rua. Mário Passos, o vereador da Juventude na Câmara de Famalicão, que também esteve na Praça D. Maria II, sublinhou a vertente cívica do projecto “Green’R’us”. Por outro lado, o responsável sublinhou o aumento de jovens estrangeiros que têm visitado o concelho e que há uma preocupação em criar condições para os acolher. “Obviamente que com a presença destes jovens, o nome, características e cultura de Famalicão chegará a um conjunto muito alargado de países da Europa e isso também é o que tentamos e queremos promover”, referiu.

pub.

A Associação de Ludotecas de Famalicão (ALF) dinamizou, de 26 a 30 de Julho, uma semana de praia para os seniores que frequentam o Clube Sénior. Este programa decorreu na praia da Apúlia e teve como objectivo promover o convívio, a saúde e o bemestar dos seniores, informa a ALF em nota à imprensa. Ao longo dessa semana realizaram-se actividades que foram de encontro aos interesses dos seniores, como caminhadas pela praia, e actividades inter-geracionais com crianças e jovens de outras instituições, “permitindo assim a aproximação e troca de experiências entre estas gerações.” De referir que estão abertas as inscrições para o novo ano lectivo 2010/2011 do Clube Sénior, que funcionará a partir de Setembro com várias actividades: pintura, artes plásticas, artes florais, inglês, francês, informática, hidroginástica, danças, yoga, visitas culturais, terapia do riso, entre outras. As inscrições podem ser realizadas previamente na sede da ALF, através dos telefones 252374480 e 932886644 ou pelo endereço de e-mail alf_cristianaoliveira@iol.pt.

Animal House: um novo espaço em Famalicão

pub

RECRUTA-SE: Professores de todas as disciplinas para Centro de Estudo em Joane Os interessados devem enviar CV, com disponibilidade para: centrodeestudo@portugalmail.pt

Abriu uma nova loja em Famalicão dedicada aos animais. Animal House está no Mercado Municipal, loja 6, e tem no seu espaço os mais variados animais para os apaixonados destes bichinhos tão especiais. Para que nada falte ao seu animal, a loja Animal House dispõe de todo o tipo de acessórios e rações. Já para quem não tem grande disponibilidade horária, os profissionais da Animal House levam o seu amiguinho ao veterinário, ao banho e à tosquia. Não se esqueça também que a Animal House propõe no primeiro fim-de-semana de cada mês promoções especiais para surpreender os seus clientes. Na Animal House, você encontra todo o tipo de animais de companhia. Animal House, no Mercado Municipal, loja 6, com o telefone 252 314 201. Faça uma visita e escolha o seu animal preferido!


freguesias

pública: 11 de Agosto de 2010 07 pub. pub

Recém-criada, diz representar 7.500 utentes e Juntas de Freguesia

Comissão de utentes quer nova extensão em S. Cosme Carla Alexandra Soares Criada no passado dia 26 de Julho, a Comissão de Utentes da Extensão de Saúde de Vale S. Cosme trouxe a lume um problema que se arrasta há mais de dez anos, que continua por resolver e que ainda promete gerar alguma discordância. A degradação do edifício da extensão de saúde é visível e preocupa os 7.500 utentes que serve e que residem nas freguesias de Portela, Telhado, Vale S. Cosme, Cruz e parte da freguesia de Vale S. Martinho. Depois de anos de indecisões, a recente Comissão de Utentes vem agora reclamar melhores condições e, sobretudo, a construção dum novo edifício, mostrando intransigência quanto à sua localização, que só admitem na freguesia de S. Cosme. Ao OPINIÃO PÚBLICA, a coordenadora dessa Comissão explicou que a sua criação foi motivada pelas informações que circulavam na freguesia de que a extensão iria, no mês de Agosto, encerrar da parte da tarde. “Penso que esse foi o rastilho e a pólvora, que acabou por obrigar as pessoas a tomarem atitudes. Foi convocada uma Assembleia Geral e daí saiu uma Comissão mandatada para defender os interesses dos 7.500 utentes que durante muitos anos têm sido esquecidos”, explicou Elisabete Morais, que garantiu ter carta branca para representar todas as pessoas que são atendidas nesta extensão de saúde e que a única e exclusiva motivação desta Comissão é o bem estar das populações. Refira-se que o documento saído dessa Assembleia foi assinado, até ao momento, por 450 utentes. As instalações apresentam graves problemas de ordem estrutural, nomeadamente barreiras arquitectónicas. É um edifício antigo, com dois pisos, áreas reduzidas e insuficientes para a prestação de serviços e cuidados. Como não têm sido permitidas obras de recuperação, a coordenadora critica a inoperância das diversas entidades que já visitaram o espaço, tal como a Câmara Municipal, a ARS, o Agrupamento dos Centros de Saúde de Famalicão (ACES) e o Governo Civil de Braga.

Localização da nova extensão não é unânime Reiterando que a construção do novo edifício só tem sentido em Vale S. Cosme, Elisabete Morais avança que, em articulação com a Junta de Freguesia, um particular cedeu uma área de oito mil metros quadrados para a construção do novo centro de saúde. Em 2008, o terreno já obteve uma Declaração de Interesse Público e Municipal aprovada por unanimidade em reunião camarária, bem como um parecer favorável expresso pela Administração Regional de Saúde. “A nossa posição é que a centralidade do terreno que está a ser oferecido é inquestionável. Caso haja outra decisão teremos que falar com todas as partes envolvidas até que se gerem consensos. Nunca iremos desistir, de maneira nenhuma”, avisa. Reconhecendo que o apoio das autarquias locais que fazem parte da extensão de saúde é vital, Elisabete Morais garantiu que isso foi tido em consideração: “Solicitamos que todos registassem esse apoio de forma formal para que pudéssemos representar as Juntas de Freguesia e para podermos falar com

justiça”, sublinhou. Tendo em conta uma recente reorganização, juntou-se no mesmo agrupamento as freguesias de Portela, Telhado, Vale S. Cosme, S. Tiago da Cruz, Vale S. Martinho e Requião. E é aqui que os problemas surgem, já que a escolha da nova localização não é unânime (ver caixa). A responsável garante já ter o consenso de cinco das seis freguesias do agrupamento, sendo que falta apenas Requião, “que tem mostrado algumas reticências”. “Penso que o que estará em causa serão questões políticas e que não devemos ser nós a chegar a um consenso com o autarca de Requião. Esse consenso deve ser promovido pela ARS e pela Câmara”, defendeu. Na sexta-feira passada, a Comissão reuniu com Paulo Oliveira, director do ACES. Segundo Elisabete Morais, o responsável concorda com a urgência da construção da nova extensão, “mas sublinhou que teria que haver consenso entre as freguesias envolvidas”. Por outro lado, o director terá avançado que a equipa médica que tem disponível para este agrupamento trabalhará em qualquer uma das freguesias.

Nova extensão poderá ir para Vale S. Martinho Depois de alguns contactos, o OP conseguiu apurar que existe uma forte probabilidade da nova extensão de saúde ser construída em Vale S. Martinho, tendo em conta a sua posição geográfica central. Contactado pelo OP, o autarca de Requião não quis adiantar grandes pormenores referindo apenas que “o que a Comissão está a dizer não é verdade”. “Ouvi falar dessa Comissão mas nada sei e não estou nada preocupado com isso. Há negociações a decorrer e há questões que estão a ser conversadas desde há longo tempo. Nós temos um problema para resolver e é isso que se está a tentar”, explicou João Pereira. Sobre a possibilidade da extensão de saúde ficar em Vale S. Martinho, o autarca disse que “concorda com tudo o que seja melhor para a população em geral”. Por seu lado, o presidente da Junta de Vale S. Martinho, e ao contrário do que afirmou a coordenadora da Comissão, garantiu que nunca foi contactado pela mesma e que soube da sua existência através da comunicação social. “Não estou a favor nem contra ninguém. Só quero o melhor para as pessoas”, assegura. Tal como o autarca de Requião não quis tecer comentários, avançando, no entanto, que há outras soluções intermédias, sem querer avançar mais pormenores. O OP sabe também que dentro de dias serão prestados esclarecimentos sobre este assunto pela Câmara Municipal e pelo director do ACES, Paulo Oliveira. Depois deste comunicado, o autarca de Requião garantiu uma reacção.

Duo armado assalta residência em Brufe Dois homens encapuzados e armados assaltaram, na terça-feira da semana passada, uma casa em Brufe. Os ladrões apontaram uma pistola à proprietária e levaram várias peças em ouro, cujo valor não foi possível apurar. Os assaltantes, que usavam luvas e tinham a cara tapada, aproveitaram o facto de a porta da casa, situada na Rua Fernão Mendes Pinto, se encontrar aberta, para entrar, por volta das 11 horas da manhã desse dia. Já no interior da habitação, os larápios aperceberam-se de que a proprietária se encontrava sozinha em casa, tendo de imediato ameaçado a vítima com uma pistola. De seguida, obrigaram a mulher a entregar todo o ouro que possuía em casa. Segundo as autoridades, os ladrões aparentavam

ter conhecimento da existência na habitação de várias peças em ouro e pediram-nas especificamente à vítima. Levaram um cordão com três voltas e medalhão, uma pulseira com pedras preciosas, dois relógios em ouro e anéis. Amedrontada, a senhora, com 62 anos de idade, não ofereceu resistência e entregou todos os bens aos ladrões, que aparentavam ter entre 25 e 30 anos e se presume serem cidadãos de países de leste. Uma presunção baseada, sobretudo, no sotaque denunciado pelos assaltantes quando deram ordem à vítima para que cumprisse o que lhe era exigido. Após consumar o roubo, a dupla fugiu a pé sem deixar rasto. A Polícia Judiciária do Porto está a investigar o caso.


08

pública: 11 de Agosto de 2010

freguesias

Escuteiros de Brufe juntam 1.500 kg de tampas A secção de exploradores do agrupamento de escuteiros de Brufe conseguiu angariar, no passado fim-de-semana, 1.500 quilos de tampas de plástico para ajudar o João André, um jovem de Brufe que se desloca em cadeira de rodas e precisa de um aparelho para o ajudar a subir escadas. Os escuteiros daquela freguesia participaram no acampamento regional que se realizou durante cinco dias, em S. Pedro de Rates, e que juntou cerca de 4.500 escuteiros. Aproveitando a iniciativa, os exploradores pediram a todos os participantes para levarem um garrafão com tampas e conseguiram, assim, juntar 1.815 garrafões, que totalizou 1.500 quilos, e que foram entregues à família do jovem no sábado. Maria do Rosário, uma famalicense conhecida por “Senhora Tampinhas”, está a ajudar o João e já entregou as tampas recolhidas na empresa CEINOP, na Póvoa de Varzim. O João André tem 22 anos e nasceu com espinha bífida, o que o obriga a depender de uma cadeira de rodas para se deslocar e precisa de um aparelho para o ajudar a subir as escadas da casa onde reside. Precisa de 11 toneladas de tampas, sendo que já foram conseguidas 3.

JS Delães realiza acampamento convívio

A JS de Delães realizou, no fimde-semana de 31 de Julho e 1 de Agosto, no Rio Alto, mais um acampamento, onde estiveram presentes mais de 30 militantes. Tal como em anos anteriores, a iniciativa pretendeu promover o convívio entre os jotas do núcleo de Delães, a fim de fomentar a coesão, espírito de grupo e inter-ajuda do núcleo através de pequenas actividades lúdicas. “Aproveitando as

excelentes condições atmosféricas e ambiente envolvente, foram realizadas actividades na praia, na piscina, karaoke e ainda uma tertúlia”, adianta a JS de Delães em nota à imprensa. Na tertúlia esteve presente o Secretário Coordenador Concelhio, Nuno Vieira, “que orientou e abordou vários temas da actualidade, sempre num ambiente de descontracção e boa disposição”.

Festas do Divino Salvador em Bente

Pais satisfeitos com decisão

DREN autoriza duas turmas do 1º ano em Nine Magda Ferreira A Direcção Regional de Educação do Norte (DREN) autorizou a abertura de duas turmas do 1º ano na Escola Básica (EB) do 1º ciclo de Nine. A decisão foi comunicada na quinta-feira passada aos pais, que ficaram bastante aliviados com o desfecho. Em Nine havia 34 alunos matriculados para o 1º ano, mas as novas regras para a constituição de turmas no 1º ciclo só permitiam turmas com o máximo de 24 alunos, pelo que os restantes 10 ou tinham que ir para outra escola ou que aguardar mais um ano. O Agrupamento de Escolas do Vale do Este, ao qual pertence a EB 1 de Nine, ainda propôs a abertura de outra turma do 1º ano,

mas a DREN não autorizou. De fora iam ficar os alunos mais novos, ou seja que só completam seis anos de idade entre 16 de Setembro e 31 de Dezembro. Esta situação foi comunicada aos pais e encarregados de educação na primeira semana do mês de Julho e estes não ficaram agradados com o sucedido, até porque já tinham dito aos filhos que iam para a escola primária. Decidiram, então, lutar de todas as formas até encontrarem uma solução, o que veio a acontecer agora. Ricardo Barbosa, um dos pais cujo filho tinha que aguardar mais um ano para entrar para o 1º ciclo, contou ao OPINIÃO PÚBLICA que na quintafeira passada receberam um telefonema da

responsável do Agrupamento de Escolas do Vale do Este, “a dizer que viabilizaram a abertura da sexta turma em Nine, o que vai de encontro às nossas pretensões”, afirmou satisfeito. A DREN autorizou, segundo o mesmo pai, a abertura de duas turmas do 1º ano, com 17 alunos cada, mediante a colocação de um contentor na escola de Nine para aí instalar a biblioteca escolar, disponibilizando, assim, a sala de aula para a sexta turma. “A Junta e a Câmara já se tinham comprometido connosco que, se a DREN autorizasse a abertura da turma, o contentor vinha para Nine”, acrescenta Ricardo Barbosa. Assim, na EB 1 de Nine vão existir duas turmas para o 1º ano, uma

para o 2º, duas para o 3º ano e uma para o 4º ano. “É um alívio muito grande, a nossa angústia já era grande. Isto já se arrastava há 3 semanas, deu muito trabalho, foram três semanas de luta, de reuniões quase diárias, mas estamos contentes com o resultado que alcançámos”, declarou Ricardo Barbosa. Este pai contou ainda que quando disse ao filho que, afinal, ele sempre ia para a EB 1 de Nine, o menino “ficou todo contente”. “Ontem à noite [na quinta-feira] estivemos todos reunidos, a confraternizar um pouco, e ele esteve lá com os colegas todos, está todo contente”, disse Ricardo Barbosa, visivelmente satisfeito.

Incêndio em Calendário consome 7 hectares de floresta Um incêndio consumiu 7 hectares de área de floresta em Calendário na passada sexta-feira e sábado. Os Bombeiros começaram por ser chamados na sextafeira de manhã, pelas 9 horas, ao local, mas rapidamente resolveram a situação. Entretanto, da parte da tarde, por volta das 15h50, a corporação voltou a ser solicitada e seguiram-se muitas horas de trabalho. 15 homens, auxiliados por 5 viaturas, dos Bombeiros de Famalicão estiveram a combater as chamas que foram extintas já na madrugada de sábado, pela uma

da manhã. Entretanto, os bombeiros só regressaram ao quartel às 7 horas, depois dos trabalhos de rescaldo. Vítor Azevedo, comandante dos Voluntários de Famalicão, explicou ao OPINIÃO PÚBLICA que as maiores dificuldades prenderam-se sobretudo com o acesso aos diferentes locais do incêndio, que chegou a ter “três frentes activas”. “As acessibilidades são diminutas e não permitiram o acesso das viaturas pesadas, apenas os jipes”, explicou. As frentes evoluíram no sen-

tido do Bairro da CAL, S. Miguelo-Anjo e escola Dr. Nuno Simões, havendo apenas na tarde de sexta-feira uma situação mais complicada, onde as chamas estiveram próximas das habitações, mas que “foi de imediato resolvida”. Entretanto, no sábado, por volta do meio-dia, houve um reacendimento, sendo chamados ao local os Bombeiros Voluntários de Famalicão, bem como os Voluntários Famalicenses, num total de 15 homens e 5 viaturas que resolveram a situação ao fim da tarde.

Centro Social de Avidos aberto até às 24 horas

A freguesia de Bente viveu, no passado fim-de-semana, as festas em honra do Divino Salvador, o padroeiro da freguesia. Do programa das festividades destaca-se, no sábado, a actuação de dois grupos musicais: “Réplica 7 e as suas bailarinas” e “Ti Maria da Peida”. Já no domingo o destaque foi para as cerimónias religiosas, com a missa solene a realizar-se pelas 10 horas e a oração mariana, seguida de procissão, à tarde. A comissão de festas informa que o sorteio ditou os seguintes resultados: 1º prémio (uma vitela) saiu ao número 4626; o 2º prémio (um cabrito) foi atribuído ao número 2117; e o 3º prémio (um borrego) ao número 1567.

O Centro Social Paroquial (CSP) de Avidos vai alargar, no próximo ano lectivo, o horário de prolongamento das valências de Creche, ATL, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário até às 24 horas. A instituição diz que pretende, com esta medida, “oferecer uma oportunidade aos familiares que têm horários de trabalho distintos e extraordinários”. “Com este prolongamento de horário, as crianças e os idosos podem ter um apoio específico de acordo com a sua realidade”, acrescenta o centro social, em nota à imprensa. Entretanto, no passado dia 27 de Julho, o CSP Avidos entregou a 12 formandos o certificado de dupla qualificação: 9º ano de escolaridade e a formação em Acompanhante de Crianças. “É com imensa alegria que assistimos à requalificação de desempregados, com as novas competências e capacidades, podem enfrentar o mercado de trabalho com uma esperança renovada”, diz o CSP Avidos.


pública: 11 de Agosto de 2010 09

freguesias

Foi a primeira instituição a certificar Apoio Domiciliário pelos manuais da Segurança Social

Recreio do João certifi ficcado com a marca ISS

Operários informados verbalmente

Sacramento Têxteis despede 80 trabalhadores

Sacramento Têxteis fica em Oliveira S. Mateus

Colaboradoras do “Avós do João” procuram passar tempo com os utentes

Magda Ferreira A cooperativa de solidariedade social Recreio do João, sedeada em Vermoim, foi a primeira instituição do país a receber a certificação pela Marca do Instituto da Segurança Social (ISS) no âmbito do Serviço de Apoio Domiciliário. A Associação Portuguesa de Certificação (APCER) disponibiliza a Certificação de Respostas Sociais, com base nos Modelos de Avaliação da Qualidade desenvolvidos pelo ISS. O Recreio do João deu início ao processo em 2009, tendo terminado em Junho deste ano com o pedido da certificação. Depois de uma auditoria realizada no dia 8 de Junho, a instituição recebeu a certificação pela Marca ISS, sendo, então, a primeira instituição do país a alcançá-la. “É um presente que agarramos de bom grado. É sempre bom receber a notícia que fomos os primeiros, mas também é verdade que lutamos para ser os primeiros”, declara Helena Correia, directora da cooperativa. A entrega do certificado está agendada para o dia 28 de Setembro, numa cerimónia que irá realizar-se em Famalicão e que contará com a presença do director do ISS, Edmundo Martinho. O “Avós do João”, assim se designa o SAD desta instituição, nasceu em 2007 e um ano depois a direcção já sentia a vontade de avançar para uma certificação, uma vez que a outra valência que possui, a creche, já tinha certificação de qualidade pela APCER. Assim, decidiram embrenhar-se nos manuais da Segurança Social e avançar a partir daí, tendo começado com uma espécie de teste piloto em 2008. “Queríamos ver a receptividade que tínhamos do nosso público, o que foi extremamente importante, pois conseguimos também definir, internamente, com a equipa qual era a formação eficaz para que todos possamos responder da mesma forma”, explica a responsável. Dois anos depois, o processo está concluído e Helena Correia reconhece o percurso “não foi fácil”. “Foi complicado porque não tínhamos com quem partilhar, fizemos o percurso sozinhos”, aponta, afirmando que os manuais da Segurança So-

cial, apesar de “exaustivos”, “são uma óptima ferramenta”. Mas não tem dúvidas de que foi um investimento positivo, sobretudo porque permitiu melhorar os procedimentos e, assim, “possibilitar às colaboradoras mais tempo para dar atenção ao cliente”. Prioridade é passar tempo com cliente O “Avós do João” serve, actualmente, 42 utentes, tendo visto, recentemente, alargada a sua capacidade para 48, o que vai permitir dar resposta à lista de espera que a valência possui. Com cinco colaboradoras, presta os serviços básicos de alimentação (7 dias por semana) e higiene pessoal, da habitação e da roupa. “Somos um apoio domiciliário um bocadinho diferente, porque trabalhamos muito com a família e trabalhamos muito a presença do colaborador em casa do cliente”, assegura, com orgulho, a directora, sublinhando a forma pioneira como procedem à limpeza da roupa: em casa do cliente. Se o utente possuir máquinas, usam as dele; quando isso não acontece, a instituição adquire-as e coloca-as em casa do cliente. “Isto obriga a que o colaborador passe mais tempo com o cliente. Enquanto trata da roupa ou passa a ferro, conversa com o cliente. Temos situações em que têm um simples pano e mesmo assim querem que se ligue o ferro e sentam-se ao lado da colaboradora para conversar. Sem dúvida que foi uma aposta ganha”, afirma Helena Correia. De resto, esta é também uma forma de combater um dos problemas que, segundo a instituição, afecta os seus utentes, que é a solidão. Além disso, os “Avós do João” têm também acesso a actividades desportivas, encontros, festas temáticas. Tudo actividades que cabem dentro da designada “hora social” que cada utente pode usar da forma como bem entender, desde uma ida ao médico, até uma deslocação ao cabeleireiro. Entretanto, o Recreio do João vai entrar numa nova fase, com a extensão dos seus serviços para o concelho da Maia, onde vai arrancar com a valência de SAD. As obras devem começar em Setembro e estar concluídas até final do ano.

Cerca de 80 trabalhadores da “Sacramento – Têxteis S.A.” foram despedidos a semana passada. A administração daquela empresa têxtil, situada em Oliveira S. Mateus, terá despedido verbalmente e de um dia para o outro, cerca de 80 trabalhadores, avançou o Jornal de Notícias na edição de sexta-feira. O OP tentou contactar a administração da firma para confirmar a informação, nas foi-nos dito que esta não prestava declarações. Na quarta-feira da semana passada, a administração informou os operários que iam ficar sem emprego a partir desse dia. No dia se-

guinte deslocaram-se à empresa para levantar a declaração com os créditos a reclamar e o modelo a entregar no centro de emprego. A documentação declarava a cessação do contrato de trabalho por despedimento colectivo. Porém, os documentos foram considerados inválidos pelo centro de emprego, o que obrigou os funcionários a voltar à empresa por forma a poderem validar o acesso ao subsídio de desemprego. Os operários ficaram sem receber o subsídio de férias, parte do subsídio de Natal e o salário do mês de Julho. Apesar disso, dizem

ter sido apanhados de surpresa com esta decisão dos patrões. A sindicalista Fátima Coelho, do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, declarou ao JN que nenhuma formalidade foi cumprida para que a empresa pudesse proceder aos despedimentos, pois os trabalhadores foram informados verbalmente. A “Sacramento – Têxteis, S. A” iniciou a sua actividade em 1965, dedicando-se ao acabamento de malhas, tinturaria de fios e estamparia. Já empregou aproximadamente 600 funcionários e agora vai ficar apenas com cerca de 40.

Louro Ópticas assaltada de novo Uma óptica no Louro foi assaltada na noite de segunda para terça-feira da semana passada e os ladrões levaram todos os óculos de sol lá existentes. É o segundo assalto no espaço de quatro meses de que é alvo a Louro Ópticas, situada na Rua Padre Domingos Joaquim Pereira. Quando os proprietários chegaram à loja na manhã de terça-feira da semana passada, encontraram a porta arrombada. Entraram e verificaram que todos os óculos de sol tinham sido furtados. “Levaram tudo o que era de sol, à volta de 120, 130 pares”, contou Leonel Viana, proprietário da Louro Ópticas. Este foi o segundo assalto em quatro

meses e nem o facto de a loja ter alarme afasta os larápios. “Quando as autoridades chegaram lá, já não conseguiram nada”, relatou Leonel Viana, acrescentando que as informações sobre os assaltantes são poucas: “Segundo a polícia nos informou, uma senhora viu que seguiam num Ford preto, mas mais nada que isso”. Este é o segundo assalto de que a Louro Ópticas é alvo no período de quatro meses. “É mais um prejuízo elevado”, lamenta Leonel Viana, referindo que assim começa a ser difícil manter o negócio. “É preciso ter alguma capacidade financeira, mas chegamos a uma altura que… não sei”, declara. pub.


10

pública: 11 de Agosto de 2010

Juízos de Competência Cível de Vila Nova de Famalicão 3º Juízo Cível Av. Eng. Pinheiro Braga, nº 1000 - 4764-501 Vila Nova de Famalicão Telef.: 252303510 Fax: 252322002 Mail: vnfamalicao.civ@tribunais.org.pt

ANÚNCIO Processo: 2144/08.1TJVNF Acção de Processo Ordinário N/Referência: 2944256 Data: 19-07-2010 Autor: Irmãos Vila Nova, S.A. Réu: Maria Helena Proença Serralheiro Marques Machado e outro(s)... Nos autos acima identificados, correm éditos de 30 dias, contados da data da segunda e última publicação deste anúncio, citando: Réu: Clarence Augusto Pereira Machado, filho(a) de, estado civil: Divorciado, domicilio: Rua António Maia, 9, 3º Dtº, Vendeira - Amadora, 2720-044 Amadora. Com última residência conhecida na(s) morada(s) indicada(s) para, no prazo de 30 dias, decorrido que seja o dos éditos, contestar, querendo, a acção, com a cominação de que a falta de contestação importa a confissão dos factos articulados pelo(s) autor(es) e que em substância o pedido consiste tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial que se encontra nesta Secretaria, à disposição do citando. O prazo acima indicado suspende-se, no entanto, nas férias judiciais e durante o periodo de 15 a 31 de Julho. Fica advertido de que Não é obrigatória a constituição de mandatário judicial. O Juiz de Direito Dr. Manuel Alexandre Gonçalves Ferreira O oficial de justiça, Ricardo Nuno Dias Notas: -Solicita-se que na resposta seja indicada a referência a este documento. - As férias judiciais decorrem de 22 de Dezembro a 3 de Janeiro; de domingo de Ramos à segunda-feira de Páscoa e de 1 a 31 de Agosto. - Nos termos do art.º 32.º do CPC. é obrigatória a constituição de advogado nas causas da competência de tribunais com alçada, em que seja admissível recurso ordinário; nas causas em que seja admissível recurso, independentemente do valor, nos recursos e nas causas propostas nos tribunais superiores.

Acção de Processo Ordinário n.º 2144/08.1TJVNF 2944256 REM. Electrónica 19-07-2010, de édito(s) e cópia à Secção de Serviço Externo O oficial de justiça, Ricardo Nuno Dias 1ª Publicação - Jornal Opinão Publica, 11 de Agosto de 2010

OLGA MARIA DA COSTA OLIVEIRA COELHO LIMA NOTÁRIA NIF 156 396 785 OLGA MARIA DA COSTA OLIVEIRA COELHO LIMA, NOTÁRIA com cartório na Rua D. Sancho I, n.º 1 525, 1.º andar esquerdo, na cidade de Vila Nova de Famalicão, CERTIFICA, para efeitos de publicação, que no livro de notas para “ Escrituras Diversas” número 88-A, iniciada a folhas trinta e uma, foi lavrada, em dez de Agosto de dois mil e dez, uma escritura de JUSTIFICAÇÃO tendo nela intervindo como justificante MARIA BEATRIZ FERREIRA DA SILVA, NIF 149191030, natural da freguesia de Brufe deste concelho, residente na Rua Agostinho Neto, n.º 44, segundo B, na cidade de Lisboa, casada na comunhão de adquiridos com José das Neves Duarte Prior, escritura essa pela qual declarou ser dona e legítima possuidora, com exclusão de outrem, do prédio rústico, terreno a cultura, situado no lugar de Barradas, freguesia de Brufe do concelho de Vila Nova de Famalicão, com a área de nove mil cento e trinta metros quadrados, a confrontar do norte com caminho rural no seguimento da Rua Caetano de Faria, de sul com Edificações de Aldeia Nova, de nascente com herdeiros de Joaquim Ferreira de Carvalho e outros e de poente com Rosa da Conceição Ferreira da Silva, OMISSO na Conservatória do Registo Predial, mas inscrito na matriz, em seu nome, sob o artigo 455. Que o identificado prédio veio à sua posse, no ano de mil novecentos e setenta e seis, por lhe haver sido adjudicado em partilha extrajudicial da herança aberta por óbito de seus pais Artur Barbosa da Silva e Angelina da Costa Ferreira, não tendo sido, contudo, no respectivo título, bem identificado o citado imóvel no que concerne às referências registrais e sendo inviável a sua rectificação. Que, porém, desde aquela data, possui efectivamente o dito prédio, cultivando-o, colhendo os respectivos produtos e frutos, sempre pagando as contribuições e impostos respeitantes, sem qualquer interrupção, à vista de toda a gente, sem qualquer oposição, posse que assim exerceu como verdadeira propriétaria que sempre se julgou, era e é do dito imóvel e que por todos é considerada como tal, pelo que o adiquiriu por USUCAPIÃO, que invoca, fundada nessa posse, que exerceu em seu próprio nome de boa fé, de modo pacífico, contínua e publicamente, por período superior a vinte anos, estando ela justificante impossibilitada de comprovar pelos meios extrajudiciais normais a aquisição do seu direito sobre aquele prédio, atento o alegado erro de título. Está conforme ao original. Vila Nova de Famalicão, 10 de Agosto de 2010 A Notária Publicação única - Jornal Opinão Publica, 11 de Agosto de 2010

freguesias

Escola pretende criar incubadora de empresas

Forave forma futuros empresários No passado dia 23 de Julho, a Escola Profissional Forave realizou uma sessão pública subordinada ao tema “Empreender Compensa: Rumo a Novas Oportunidades”, com vista à apresentação de 8 projectos empreendedores apoiados pela equipa técnico-pedagógica do Centro Novas Oportunidades, no âmbito do projecto Rumos, que visa promover a qualificação, a iniciativa empresarial e a criação do próprio emprego. Os oito projectos resultam de um trabalho de 4 meses, em que os empreendedores desenvolveram os seus planos de negócios e, paralelamente, aprofundaram os seus conhecimentos através da frequência de uma formação na área de Marketing. A sessão culminou com as intervenções do vereador da Cultura de Famalicão, Paulo Cunha, da responsável pelo Departamento de Qualificação Profissional do BIC Minho-Oficina da Inovação, Telma Almeida, da chefe de serviços do Centro de Emprego de Famalicão, Paula Ferreira, da representante do IAPMEI, Ana Rosas Almeida e do subdirector do departamento de Municípios e Institucionais do Banco Espírito Santo, Jorge Pinto Ferreira, que de forma unânime valorizaram o empenho e a dedicação dos empreendedores. Nesta sessão foi também tornado público a intenção da escola Forave criar uma incubadora de empresas no Lago Discount, em Ribeirão, que terá como principal objectivo servir a população do concelho fama-

license. De acordo com o coordenador deste projecto, Carlos Paiva, “a criação de uma incubadora de empresas no Lago Discount contribuirá para o fomento de iniciativas empresariais inovadoras em Famalicão e será manifestamente uma maisvalia para um concelho que em si mesmo se tem revelado empreendedor”. Te r túl ia c ultural Entretanto, foi num ambiente descontraído e informal que se realizou a Tertúlia Cultural organizada pelos formandos dos Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) de Instalação e Reparação de Áudio, Rádio, TV e Vídeo e de Técnicas da Qualidade, no passado dia 30 de Julho, no Café Concerto da Casa das Artes de Famalicão. De acordo com os mediadores destes cursos EFA, esta ini-

Juízos de Competência Cível de Vila Nova de Famalicão 3º Juízo Cível Av. Eng. Pinheiro Braga, nº 1000 - 4764-501 Vila Nova de Famalicão Telef.: 252303510 Fax: 252322002 Mail: vnfamalicao.civ@tribunais.org.pt

ANÚNCIO Processo: 2144/08.1TJVNF Acção de Processo Ordinário N/Referência: 2944348 Data: 19-07-2010 Autor: Irmãos Vila Nova, S.A. Réu: Maria Helena Proença Serralheiro Marques Machado e outro(s)... Nos autos acima identificados, correm éditos de 30 dias, contados da data da segunda e última publicação deste anúncio, citando: Réu: Maria Helena Proença Serralheiro Marques Machado, filho(a) de José Marques e de Maria Piedade Proença Serralheiro, estado civil: Divorciado, nascido(a) em 02-03-1962, freguesia de Barco (Covilhã), nacional de Portugal, BI - 04382782, domicilio: Rua dos Operarios Agricolas, Edific. Panorámicos, Lt.1-1º esq., 2135-322 Samora Correia com última residência conhecida na(s) morada(s) indicada(s) para, no prazo de 30 dias, decorrido que seja o dos éditos, contestar, querendo, a acção, com a cominação de que a falta de contestação importa a confissão dos factos articulados pelo(s) autor(es) e que em substância o pedido consiste tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial que se encontra nesta Secretaria, à disposição do citando. O prazo acima indicado suspende-se, no entanto, nas férias judiciais e durante o periodo de 15 a 31 de Julho. Fica advertido de que Não é obrigatória a constituição de mandatário judicial. O Juiz de Direito Dr. Manuel Alexandre Gonçalves Ferreira O oficial de justiça, Ricardo Nuno Dias Notas: -Solicita-se que na resposta seja indicada a referência a este documento. - As férias judiciais decorrem de 22 de Dezembro a 3 de Janeiro; de domingo de Ramos à segunda-feira de Páscoa e de 1 a 31 de Agosto. - Nos termos do art.º 32.º do CPC. é obrigatória a constituição de advogado nas causas da competência de tribunais com alçada, em que seja admissível recurso ordinário; nas causas em que seja admissível recurso, independentemente do valor, nos recursos e nas causas propostas nos tribunais superiores.

Acção de Processo Ordinário n.º 2144/08.1TJVNF 2944348 REM. Electrónica 19-07-2010, de édito(s) e cópia à Secção de Serviço Externo O oficial de justiça, Ricardo Nuno Dias 1ª Publicação - Jornal Opinão Publica, 11 de Agosto de 2010

ciativa inseriu-se no âmbito do tema de vida, “Nosso país, a nossa cultura” e teve como objectivo criar um espaço de discussão em torno da história de diferentes objectos típicos do nosso país. Cada convidado fez-se, assim, acompanhar de um objecto de uma determinada região de Portugal, que fosse considerado um símbolo da cultura, apresentando-o a cada um dos convidados. Com música de fundo do guitarrista Carlos Paredes, os formandos tiveram a oportunidade de debater algumas ideias com algumas individualidades de Famalicão, nomeadamente, o vereador da Cultura, Paulo Cunha, o director da Casa das Artes, Álvaro Santos, o músico e cantor Ivo Machado e o responsável do Greculeme - Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe, Joaquim Carvalho.

Faleceu o piloto Miguel Veloso Miguel Veloso faleceu no passado sábado, vítima de um acidente de viação em Outiz, pelas 16h30. Após uma colisão frontal com um carro, o piloto foi projectado da moto em que seguia e não resistiu aos graves ferimentos, já depois de ter sido transportado ao Hospital de Braga, pelos Bombeiros Voluntários de Famalicão. Recorde-se que este ano, o piloto famalicense de 34 anos estava a cumprir mais uma temporada no Campeonato de Portugal de Todo-Terreno, ao volante da Nissan Navara, tendo já vencido por duas ocasiões a categoria T8, na qual tinha como objectivo a conquista do título nacional. O "Americano" era o nome da sua equipa, bem como do stand que possuía em Cavalões. O funeral de Miguel Veloso realizou-se em Calendário ontem, terça-feira.


Carpintarias & Serralharias

Ferro, aço e alumínio estão em todo o lado

Serralharia: útil e bonita Todos os dias facilmente encontrará muitos trabalhos que foram realizados por profissionais de serralharia. Janelas, portas, marquises, coberturas, varandas, portões, gradeamentos, corrimões, vitrinas são, por norma, executados por empresas de serralharia. Trabalhos realizados em ferro, alumínio ou em aço inoxidável podem ser encontrados em espaços interiores e exteriores, em nome da construção, mas também em nome da decoração. Na verdade, a serralharia é uma velha arte que actualmente vai muito mais além da actividade tradicional de fazer grades e portões, assumindo-se como uma actividade importante e, cada vez, mais procurada. Os trabalhos de serralharia sempre foram muito utilizados na construção, quer pela sua composição, quer pela resistência que apresentam face ao desgaste, à corrosão e às diferenças atmosféricas. A isto aliase ainda uma boa relação qualidade/preço. Comecemos por um dos materiais mais clássicos: o ferro. Pela sua robustez e perenidade, é utilizado na construção como parte estrutural de uma obra. Mas também é uma fonte inspiradora para decoração de exteriores, como seja, em grades, portões, varandas, bancos de jardim, entre outros. Para a decoração interior, o ferro também é uma preferência muito comum, nomeadamente, em corrimões, candeeiros, camas e outros móveis. A boa resistência mecânica, o preço apelativo e facilidade de manuseamento estão entre as maiores

força decorativa, pois trata-se de um material que vai muito bem com madeira e pedra. No que respeita a inconvenientes, podemos apontar o preço elevado e a pouca resistência superficial, pois risca com alguma facilidade. Por fim, temos o alumínio, que é um material leve e maleável. O alumínio apresenta uma excelente resistência à corrosão e é durável devido à camada protectora de óxido. O baixo peso, maior resistência a ambientes agressivos e pouca manutenção são os pontos a favor deste material, enquanto de negativo fica a fraca resistência ao impacto. O alumínio é usado nas habitações das mais variadas formas, como em utensílios de cozinha, ferramentas, portas, janelas, corrimões, entre outros.

vantagens. Porém, é um material pesado e necessita de algum trabalho de manutenção. Já o aço é um material mais macio, permitindo o fácil processamento, sendo que existem mais de 2.500 tipos de aço em todo o mundo.

O aço inoxidável é cada vez mais usado, pois oferece propriedades físico-químicas superiores aos aços comuns e alta resistência à oxidação atmosférica. Dados os seus componentes, o aço inox confere uma excelente resistência à corrosão. Uma das grandes vantagens é a sua

Prefi firra caixilharia de qualidade As janelas e portas são as causadoras de 30% das perdas de calor de uma habitação, devido às suas folgas e à fraca resistência térmica do vidro simples. Assim, um bom trabalho de caixilharia é essencial para evitar perdas de calor. No caso das janelas, as serralharias fazem a instalação de caixilharia em alumínio ou em PVC. Relativamente ao alumínio, as caixilharias conseguem boas prestações quanto ao isolamento térmico e acústico quando associadas ao vidro duplo. O alumínio apresenta óptimos ganhos energéticos e financeiros, elevada durabilidade e não há custos de manutenção. Já o PVC é um poli cloreto de vinil modificado obtido do sal comum

e do petróleo, altamente resistente ao impacto, que se destina principalmente a aplicações exteriores. A resistência do PVC a acções químicas e biológicas (maresia, sol, fungos, corrosão), bem como à propagação de chamas em caso de incêndio, conferem-lhe propriedades muito interessantes. Além disso, este é considerado um produto ecológico totalmente reciclável, não tóxico, não sendo, portanto, prejudicial ao ambiente. As caixilharias em PVC possuem excelente coeficiente de isolamento térmico possibilitando grande economia de energia e, associadas ao vidro duplo, proporcionam alta resistência à chuva, ventos, calor, poluição, correntes de ar e ruídos. Portas e janelas: correr ou batente Podemos colocar portas e janelas de correr ou batentes. Nos caixilhos de correr, as portas e janelas correm todas dentro do aro, não retiram espaço à sua área disponível e permitem desfrutar do máximo de espaço e de vãos mais amplos. Raramente permitem infiltrações de águas e são, acima de tudo, económicas, uma vez que precisam de muito pouca manutenção durante a sua vida. Do lado das desvantagens, um dos pontos menos fortes deste tipo de caixilhos é a sua permeabilidade ao vento e ao ruído. Por outro lado, pode optar pelas janelas e portas de batente. Os caixilhos de batente são, pela sua natureza, menos económicos do que os de correr. No entanto, têm vantagens que se revelam pub.


12

pública: 11 de Agosto de 2010

especial pub

Material de nobreza e qualidade intemporal

A versatilidade da madeira Usado e em óptimo estado. Tem a área de 150 m2. Com ar condicionado. Fica perto da Universidade Lusíada.

Com a área de 145 m2, dois lugares de garagem e arrumos. Cozinha mobilada, sala com lareira, uma casa de banho completa e uma suite, tem seis armários embutidos, soalho em carvalho, ar condicionado e aquecimento central, tectos falsos com iluminação em focos e com duas varandas. Valor: 150.000,00 €

No centro da cidade, com óptimas áreas, Fica no 3º andar, tem um sótão, excelente negócio. Valor: 65.000,00 €

Valor: 94.500,00 €

Como nova – Em Antas.Equipada com ar condicionado e aquecimento central, Cozinha mobilada e equipada, alarme, sistema de som em toda a casa, Janelas eléctricas, três quartos, duas casas de banho, uma suite com quarto de Vestir e armários embutidos. Garagem para dois carros. Valor: 175.000,00 €

Tem a área de 95 m2, garagem fechada para um carro, quartos com armários embutidos, uma casa de banho e uma suite, cozinha, lavandaria e despensa, iluminação em focos, tem ar condicionado, uma varanda, pavimento em cerâmica e taco e garagem fechada para um carro.

Centro da cidade. Cozinha mobilada, com placa e exaustor, uma casa de banho completa, Sala de jantar com uma varanda, dois armários embutidos.

Apartamento T2 – Como novo Com duas frentes. Garagem para um carro. Cozinha mobilada e equipada com electrodomésticos. Lavandaria e arrumos. Valor: 125.000,00 €

Apartamento T3 – Novo. No centro. Tem a área de 122 m2. Com aquecimento central. E com garagem e arrumos. Valor: 100.000,00 €

Escritório junto aos correios. Para arrendar: 225,00 € Tem a área de 40 m2, fica no 1º andar, em muito bom estado.

Apartamento T3 – Novo. Em frente às Finanças de Calendário Com óptimos acabamentos. Quartos com armários embutidos Duas casas de banho. Sala com varanda. E com aparcamento para um carro. Valor: 150.000,00 €

Escritório na Rua de Sto. António. Para arrendar: 1.250,00 € Com dois pisos e um recuado. Com possibilidade de lugar de estacionamento privado. Está como novo, uma casa de banho remodelada e com sensores. Varanda na frente da rua principal.

Apartamento T2 Dois quartos com armários embutidos. Uma casa de banho completa. Sala de jantar e estar com lareira. Cozinha mobilada, lavandaria. Uma varanda. E ar condicionado. Valor: 85.000,00 € T2 – Com garagem. (Em frente à Câmara) Tem a área de 95 m2. Dois quartos com armários embutidos. Uma suite mais uma casa de banho completa. Cozinha, lavandaria e arrumos. Com iluminação em focos e com ar condicionado. Uma varanda. Valor: 90.000,00 €

Valor: 72.000,00 €

Apartamento T3 – Com óptimas áreas no centro (Perto do Hospital) Tem três quartos com armários embutidos. Duas casas de banho. Cozinha mobilada. Sala com varanda. Valor: 75.500,00 € Loja no Edifício Sagres. Para arrendar: 500,00 € Com a área de 106 m2, tem duas casas de banho.

Apartamento T3+1 – No centro da cidade. Condomínio incluído. 375,00 € Apartamento T1+1 – No centro da cidade. 250,00 € Apartamento T2 com garagem. Perto do centro. Condomínio incluído.

pub.

CAMPOS, CARVALHO & FERNANDES, LDA.

Ser ralharia

A carpintaria é uma arte muito nobre. Trata-se de uma área onde se executa os mais diversos trabalhos em madeira, desde móveis, ferramentas, artigos para construção civil, construção naval, entre outros. Um profissional deve ter noções de geometria e um vasto conhecimento sobre como lidar com a madeira no seu estado natural e as suas especificidades e aplicações. A madeira é um material versátil e será por isso que esteve, está e estará sempre na moda. A madeira transmite sofisticação, tranquilidade e segurança. Os especialistas de decoração e construção asseguram que a madeira é a protagonista no campo dos materiais. Assim, é tempo de olhar de novo para a madeira e apreciar a sua beleza natu-

ral. A madeira brilha sozinha, no seu estado puro, mas resplandece em união com outros materiais, como vidro, aço ou ferro. A madeira pode ser clara ou escura, mas pode também ganhar cor. Na verdade, a cor que desejar, porque pode ser pintada, mas também porque, actualmente, existem processos de lacagem que dão aos produtos de madeira um acabamento envernizado ou de qualquer cor, dando ao cliente a possibilidade de escolher até ao último pormenor o acabamento do seu produto, permitindo ter em cada caso um produto exclusivo. É, igualmente, um material que pode ser usado em todas as divisões, da cozinha à casa de banho. Aliás, em termos de tendências, além das aplicações habituais, ve-

mos a madeira em locais menos prováveis. Por exemplo, os mais arrojados já apostam na madeira no que diz respeito ao pavimento de uma cozinha e de casas de banho. O piso flutuante apropriado para estas divisões tem uma tira de borracha em cada encaixe para evitar possíveis infiltrações. Na cozinha, actualmente é ainda possível ter uma bancada de madeira. Desde que bem tratada, com produtos específicos para este tipo de material, a superfície será muito resistente e duradoura. Já no caso do mobiliário não há nada como a nobreza intemporal da madeira. O impacto estético é sempre positivo e ganha-se em longevidade, porque este material é, de facto, muito bom em qualidade. S.A.S.

Laminado, parquet, taco e assoalhos

O chão que piso

• Serralharias Metálicas • Revestimentos • Tectos Falsos e Coberturas • Montagens industriais R u a Tr á s - d o - P o m a r, n º 1 - B r a g a d e l a R I B E I R Ã O Te l f . 2 5 2 4 9 2 5 5 4 4 7 6 0 V. N . F a m a l i c ã o

O piso é, com certeza, uma parte muito importante da sua casa. Os tipos disponíveis no mercado podem, além do conforto, conferir glamour à decoração. Antes de escolher o piso é necessário pensar no ambiente que deseja para a sua casa ou concretamente para uma divisão. Tons delicados trazem uma atmosfera mais suave, enquanto materiais mais coloridos e brilhantes agradam a quem gosta de ambientes modernos. Para divisões mais frias como a casa de banho ou a cozinha, aconselha-se, na maioria dos casos, a utilização de materiais cerâmicos, embora a madeira comece também a ser uma opção. Aqui, o melhor é falar com um profissional da área ou o arquitecto se estiver a construir ou a remodelar a sua casa. Já nos quartos e nas salas, é consensual dar preferência aos pisos de madeira. No campo dos materiais em madeira, as opções são várias, tendo em conta os gostos e a capacidade financeira de cada família. Temos, por exemplo, o laminado. A diferença entre a madeira e o laminado está na composição. Enquanto no primeiro o piso é feito com várias lâminas de madeira natural compensada, o piso laminado é artificial e o seu miolo é

aglomerado (feito com pedacinhos de madeira). O laminado agrega a aparência da madeira, mas também a sua durabilidade. Ambos são instalados da mesma forma. Quanto ao taco e ao parquet, a diferença entre um e outro está na espessura: o taco tem 2cm e o parquet é de de 1 cm. Uma das vantagens destes pisos é a liberdade de colocação, na vertical ou na horizontal, possibilitando ainda variar desenhos e tons. A aplicação de um verniz adequado garante um bom resultado. Os dois podem ser colocados sobre uma base de cimento ou madeira, desde que esteja firme e seca. Outra das vantagens é se alguma peça ficar danificada, é possível trocá-la sem mexer nas demais. Por último, temos os assoalhos que representam uma forma simples e eficiente de conferir ao piso melhor aparência. É, na verdade, um clássico, onde o piso é criado com tábuas encaixadas de madeira maciça com 2cm de espessura e com comprimentos que podem chegar até aos 6m, encaixadas umas nas outras. No mercado, há uma grande variedade de cores e a durabilidade é óptima. Também aqui, se o piso estiver gasto, pode facilmente restaurá-lo.


pública: 11 de Agosto de 2010 13

especial

Cada vez mais escolhida em diferentes ambientes

Madeira: o material do conforto

Segundo Miguel Simões, da empresa famalicense, em Vilarinho das Cambas, a A.M. Simões Lda., mobiliário e decoração, a madeira é um material que no seu estado mais puro é “revelador de uma personalidade incontestável”, sendo, igualmente, um material

através do qual se conseguem “ambientes mais confortáveis visualmente”. Miguel Simões explica que a madeira é toda diferente e cada variedade apresenta características únicas. “As fibras que a constituem seguem diferentes direc-

ções, oferecendo distintos pormenores”, mas é pela textura, superfície, durabilidade e resistência, tanto o esforço de compressão, como a tracção, que é tão apreciada. Sendo um material naturalmente resistente e relativamente leve é frequentemente utilizado para fins estruturais e de sustentação de construções. “Pela sua disponibilidade e características, a madeira foi um dos primeiros materiais a ser utilizado pela humanidade, mantendo uma imensidade de usos directos e servindo de matériaprima para múltiplos outros produtos”, aponta este profissional. Nas últimas décadas, verificase que o mercado oferece um vasto leque de produtos, desde a madeira lacada à apresentação no seu estado e beleza natural. Porém, diz Miguel Simões, “a madeira de wengué, cerejeira, bétula, pau rosa, sucupira, faia e nogueira são das mais apreciadas”. “A madeira tem inúmeras aplicações, desde o fabrico de carpintarias de interior e exterior, em mobiliário diverso, na construção de casas, no fabrico de ferramentas, até em jogos didácticos, brinquedos e acessórios de moda”, elenca. Miguel Simões diz-nos que as madeiras utilizadas maioritariamente no nosso país vêm do Brasil e África. Madeiras como o ipê, jatobá, tatajuba, sapeli e afizélia são alguns exemplos. No capítulo pub.

das madeiras nacionais, bastante importantes pela sua beleza e comportamento, pode referenciar-se a madeira de castanho, nogueira e até mesmo o pinho. A madeira é, actualmente, um dos materiais mais vistos em espaços comerciais, como lojas e restaurantes, por exemplo. Questionado sobre essa escolha, Mi-

guel Simões justifica que este é um material que apresenta boas condições naturais de isolamento térmico e absorção acústica, “duas condições de relevada importância em espaços públicos e porque o seu estado natural apresenta grande variedade de padrões, proporcionando assim, espaços únicos de beleza”.

Conselhos para escolher bons profissionais Se precisar de um serviço de carpintaria ou serralharia deve escolher bem porque uma má opção poderá implicar alguns problemas no futuro. Se quiser pesquisar, escolha por exemplo o jornal, as páginas amarelas ou sites com boa reputação. Por norma, as imobiliárias também costumam ter uma carteira de profissionais pré-verificados e que já prestaram serviços sem gerar problemas. Arquitectos e engenheiros também têm, em geral, indicações de confiança. Pode escolher através de referências. Ou seja, procure indicações junto de pessoas conhecidas para saber como correu o serviço prestado, nomeadamente o que acharam sobre a qualidade do trabalho e também sobre o relacionamento com o profissional, se este cumpriu os horários, se é organizado, entre outros. Após a escolha feita, marque uma reunião com o profissional escolhido para transmitir o que quer exactamente quanto ao resultado final e ouça também as opiniões que este tem para lhe dar. Às vezes, alguns pormenores fazem a diferença. É importante estabelecer o orçamento com tudo incluído, bem como o prazo da obra. Por mais simples ou complexo que seja o serviço, um bom profissional saberá dizer-lhe quanto tempo durará um trabalho. Sempre que fizer um contrato, verifique que está tudo incluído e no fim do pagamento fique com um recibo do que foi colocado, para mais tarde, e caso tenha algum problema, possa solicitar a reparação. pub.


14

pública: 11 de Agosto de 2010

publicidade

Falecimentos

António Fernandes Freitas (Rua Santo Ovídio nº 37 Louro) (79 anos)

Missa 7º dia Sua família vêm por este meio agradecer a todos aqueles que se dignaram a participar no seu funeral, aproveitam também para comunicar que a missa de 7º Dia pelo seu eterno descanso, será celebrada, Sábado dia 14 de Agosto pelas 19:15 horas, na Igreja Paroquial do Louro, Vila Nova de Famalicão. Desde já seu profundo reconhecimento a quantos se dignarem assistir a este piedoso acto.

A Família Louro - Vila Nova de Famalicão, 11 de Agosto de 2010

Maria Ferreira Miranda, no dia 26 de Julho, com 66 anos, viúva de José Gomes de Oliveira, da freguesia de Arentim (Braga).

Francisca de Almeida, no dia 28 de Julho, com 79 anos, viúva de António de Azevedo, da freguesia de Oliveira Santa Maria.

Maria da Costa Morais, no dia 26 de Julho, com 84 anos, casada com Manuel Joaquim da Silva Oliveira, da freguesia de Jesufrei.

Ana Pereira de Magalhães Trocado, no dia 30 de Julho, com 49 anos, casada com João Francisco Maia Vieira Trocado, da freguesia de Vila das Aves.

Domingos Barbosa Ferreira, no dia 29 de Julho, com 61 anos, casado com Maria Emília Rodrigues Barbosa Ferreira, da freguesia de Priscos (Braga). Lucinda Inácia da Costa, no dia 5 de Agosto, com 82 anos, casada com Carlos Martins Carvalho, da freguesia Couto de Cambeses (Barcelos).

Avelino da Silva, no dia 28 de Julho, com 84 anos, casado com Teresa Pereira Machado, da freguesia de Oliveira Santa Maria. Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Domingos Ferreira Vilaça, no dia 5 de Agosto, com 73 anos, casado com Ana da Costa e Sá, da freguesia de Priscos (Braga). Maria da Silva Faria, no dia 9 de Agosto, com 81 anos, viúva de Daniel Silva Araújo, da freguesia de Lemenhe. Agência Funerária Arnoso - José Daniel Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 252 961 428

Rosa Ribeiro, no dia 6 de Agosto, com 88 anos, casada com Domingos José da Silva, da freguesia de Pedome. Agência Funerária S. Jorge Pevidém– Tel.: 253 533 396

José Agostinho da Costa Peixoto, no dia 5 de Agosto, com 45 anos, casado com Rosa de Jesus Souto Maior Carvalho, da freguesia de Calendário. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

Maria de Conceição Pereira, no dia 7 de Agosto, com 79 anos, viúva de Luís Ferreira da Silva, da freguesia de Gavião. José da Rocha Alves, no dia 10 de Agosto, com 79 anos, casado com Emília Ferreira de Azevedo, da freguesia de Vale S. Cosme. Agência Funerária das Quintães Vale S. Cosme – Tel.: 252 911 290

Manuel Joaquim de Freitas, no dia 7 de Agosto, com 85 anos, viúvo de Maria de Lurdes Lourenço, da freguesia de Santo Tirso. Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Elvira de Sousa Azevedo, no dia 4 de Agosto, com 70 anos, da freguesia de Cruz.

Miguel Alexandre Silva Veloso (Stand Americano) (Rua Vasco da Gama n.º 1132 Calendário) (34 anos)

Missa 7º dia Sua família vêm por este meio agradecer a todos aqueles que se dignaram a participar no seu funeral, aproveitam também para comunicar que a missa de 7º Dia pelo seu eterno descanso, será celebrada, Sexta-feira dia 13 de Agosto pelas 19 horas, no Salão Paroquial de Calendário, Vila Nova de Famalicão. Desde já seu profundo reconhecimento a quantos se dignarem assistir a este piedoso acto. A Família Calendário - Vila Nova de Famalicão, 11 de Agosto de 2010

A r tu r Ca r n e i r o (Artur do Vinhal) 50º Aniversário do seu falecimento Seus filhos e restante família vem por este meio participar que a missa de sufrágio do 50º aniversário de falecimento irá realizar-se no dia 18 de Agosto, Quarta-feira, pelas 9 horas na Igreja Matriz Velha de Famalicão. Igualmente aqui deixam o seu agradecimento a todos aqueles que participarem neste piedoso acto, pelo seu eterno descanso. Seus filhos e restante Família 11 de Agosto de 2010

JMaria Garrido da Cunha, no dia 3 de Agosto, com 94 anos, viúva de João Alves da Cunha, da freguesia de Vila Nova de Famalicão.

José Fernandes da Silva, no dia 3 de Agosto, com 82 anos, viúvo de Emília Lopes da Costa, da freguesia de Landim. José de Oliveira Almeida, no dia 5 de Agosto, com 82 anos, viúvo de Angelina da Silva, da freguesia da Lagoa.

Maria Orisia Oliveira Valentim, no dia 5 de Agosto, com 72 anos, solteira, da freguesia de Antas. António Fernandes Freitas, no dia 8 de Agosto, com 79 anos, casado com Maria Amélia Pereira da Silva, da freguesia do Louro.

Maria Elisa dos Santos Carvalho, no dia 8 de Agosto, com 72 anos, viúva de Américo Sá Fernandes, da freguesia da Palmeira (Santo Tirso)..

Miguel Alexandre Silva Veloso, no dia 8 de Agosto, com 34 anos, casado com Maria Helena Gomes Ferreira, da freguesia de Calendário.

Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176


praça pública

pública: 11 de Agosto de 2010 15 pub.

Pelos quatro cantos da ca(u)sa Domingos Peixoto

Variante II Para além das intervenções em debates tomo posição, pela terceira vez, sobre a Variante Poente. Assunto que parece “adormecido” mas mexe, e muito, por dentro, ao nível das influências, dos interesses, dos negócios, quiçá das vinganças! Devo dizer que estudei com algum cuidado o seu traçado, na área mais próxima da minha residência. Uma alternativa a qualquer itinerário é susceptível, sempre, de gerar controvérsias mas não pode, ou não deve, desde que devidamente enquadrada com os verdadeiros interesses de uma região (serviço público), ser posta em causa com argumentos de interesses pouco mais que pessoais. É normal verificarmos os principais utilizadores a defenderem a sua existência e a protestarem por um certo trajecto “prejudicar” investimentos de índole industrial, turística, agrícola, etc. Sendo legítimos, parece-me, porém, que deviam ser acompanhados de propostas alternativas que não fossem, simplesmente, o “empurrar” do problema, que muitas vezes se prende apenas com aspectos estéticos, para longe das suas propriedades, “ignorando” que o seu “bem-estar vai ser o mal-estar de outros” que, na maior parte dos

casos, até não têm nenhum interesse no assunto, a não ser, claro, o de também serem onerados com o seu custo. Na última reunião da Assembleia de Freguesia do Louro, o senhor presidente da Junta informou que o trajecto de Cruz até entroncar com a via vinda da rotunda de Gavião ficava suspenso, por agora, e que a rotunda de ligação à EN204 se deslocava um “bocado”, ainda que fosse preciso deitar abaixo uma casa! Mais, que tinham negociado com outro proprietário vizinho e, assim, a via passava um pouco mais abaixo no Santo do Monte em relação ao traçado inicial! Surgem agora notícias que um outro investimento, situado ao lado do trajecto actual (?), no Louro, está posto em causa! Dáse a conhecer que todas as diligências já foram encetadas junto da EP e que a Junta também já tomou posição. Não pretendendo eu tomar posição sobre um conjunto de questões relacionadas com a afectação do dito investimento, direi, apenas, que há “investimentos” das juntas de freguesia que deveriam ser melhor ponderados e, em concreto, não me queria no papel de presidente da junta do Louro. Já quanto à Variante, a partir

da rotunda de Gavião, depois de atravessar a Linha do Minho, devia seguir a Norte da área residencial do lugar da Balaída em direcção à antiga Linha da Póvoa (actual ciclovia) e acompanhar esta até às Lajes, onde seria criado um único nó de ligação às EN204 e EN206, retomando o trajecto inicial para Vilarinho/Ribeirão. Claro que também tem um ou dois problemas para resolver. Estes, com o muito menor custo (que também é essencial para o interesse público) da obra, podiam ser resolvidos com justas e adequadas indemnizações; a ciclovia não precisa de ser posta em causa; podia até resolver-se um problema premente e antigo, qual seja o de permitir a construção de uma ligação rodoviária ao Louro, para os habitantes desta freguesia no lugar de Lagarinhos, sem terem de passar por Brufe! Tem prós e contras. Tem essencialmente menos algumas centenas de metros, sobretudo em via aérea, tendo o condão de a transformar numa obra com um custo muito inferior ao de outro traçado, e com enormes ganhos para o impacto ambiental, não pondo em causa quaisquer investimentos efectivos ou em curso, se houver boa vontade negocial e prevalência do interesse público.

pub.

Modus Vivendi J. Mário Teixeira

Corre mais um dia de Verão Escrevo “corre”, porque é assim que os dias vão passando: a correr. O calor espalha-se pelas ruas, pelas roupas e pelos corpos, ao longo do dia, para à noite nos aguardar, sorrateiramente, em nossas casas. O calor corre. Os corpos desembaraçam-se da roupa, revelam-se, ostentam-se. Os óculos de lentes escuras ocultam olhares e disputam o destaque nos acessórios da época. Nada disto deveria bater certo com o cinzento que domina o céu. O Verão não deveria ser cinzento. Mas é. O céu não é azul, uma das três coresluz primárias, que exala harmonia. É, antes, cinzento, cor intermédia entre o preto e o branco, que nos transmite tristeza. O país está de novo a arder: não só pelas dívidas ou pelos “ratings. O que arde, agora, são, também, as florestas, um dos nossos últimos redutos

de património, e com elas a réstia de confiança que um dia tudo será diferente. No céu, a mantilha cinza espalha-se e adensase. A cor de que são feitos tantos dias neste país domina as alturas, como se reflectisse o nosso triste modo de vida, a nossa alma talhada de saudade e de destino. Até no Verão, em que as cores mais exuberantes despontam um pouco por toda a parte, somos dominados pelo cinzento das alturas, irónica e cinicamente alimentado pela combustão de áreas verdes. Um cinzento pintado por mãos negligentes, criminosas, incompetentes e demagógicas, que parecem combinar na perfeição. Neste país até o Verão se tornou triste, deprimente, degradante e revoltante. Como tantas outras coisas que por cá acontecem. pub.

Famalicão

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 302 120 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Av. Eng. Pinheiro Braga, 72 - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Largo de Bragadela - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300

Famalicão

S e r vi ç o

R e f o rç o

Vale do Ave

Ser viço

Q u ar t a, 1 1

Calendário

Barbosa Oliveira Monteiro

Q u i n t a, 1 2

Nogueira Ribeirão

Cameira Oliveira Monteiro

S e x t a, 1 3

Gavião

Central Oliveira Monteiro

Q u ar t a, 1 1 Q u i n t a, 1 2 S ex ta, 13 S áb ad o , 1 4 Do m i ngo , 1 5 S e g u n d a, 1 6 Terç a , 17

Riba d’Ave Faria Almeida e Sousa Bairro Delães Riba d’Ave Faria

S á ba d o , 1 4

Barbosa

Do m i ngo , 1 5

Cameira

S e g u n d a, 1 6

Central

Valongo Joane

Terç a , 17

Calendário Ribeirão

Gavião Joane

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124 Faria: Estrada Nacional 310 - Serzedelo - Telf. 252 532 346

Serviço de disponibilidade

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 Santiago da Cruz: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612


16

pĂşblica: 11 de Agosto de 2010

publicidade

Opiniao Publica  

opiniao publica

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you