Page 1

Assembleia Municipal equaciona mudar modelo das comemorações

Empresa de Vilarinho compra SPAL

Deputados e autarcas ausentes no 25 de Abril

A empresa Ângelo Mesquita, de Vilarinho das Cambas, adquiriu a quase totalidade do capital da SPAL, produtora de uma das mais conhecidas marcas de porcelanas e que o ano passado facturou cerca de 20 milhões. O negócio concretizou-se há cerca de um mês. A Ângelo Mesquita é detentora da marca “Cup & Saucer”. p.10

P. 8

ANO 18 • Nº 938 DE 28 DE ABRIL A 4 DE MAIO DE 2010 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

www.opiniaopublica.pt

opiniãoespecial

PS confrontou Armindo Costa, mas este reafirmou a sua independência face aos partidos

Beleza e Dia da Mãe

DEMISSÕES NO PSD AQUECEM ASSEMBLEIA MUNICIPAL A recente demissão em bloco da Comissão Política Concelhia do PSD levou os deputados do PS na Assembleia Municipal a questionar o presidente Armindo Costa sobre o seu envolvimento, provocando, de imediato, protestos na bancada socialdemocrata. O presidente da Assembleia, Nuno Melo, considerou

Desemprego sobe no distrito mas desce em Famalicão

que o assunto não cabia naquele plenário, mas, após insistência dos socialistas, acabou por deixar a decisão ao critério do presidente da Câmara. Armindo Costa respondeu para reafirmar a sua independência face aos partidos políticos, assegurando que não interfere na vida interna dos mesmos.p.6

Manuel Pinto e Paulo Marques triunfam na 21ª edição

p. 4

PJ detém homem por tentativa de homicídio em Famalicão Bombeiros de Famalicão celebram 120 anos com várias actividades p. 7

Emoção e espectáculo no Rallye de Famalicão

Foto cedida por: www.dpi.com.pt

p. 4

Op iniãoSp ort

Governo vai alterar lei para permitir acesso a estrangeiros

Ângelo Guimarães levou um soco em partida da fase da subida

BE e Câmara trocam acusações por causa da habitação social

Presidente da Oliveirense agredido por jogador do Fafe

p. 4

Op inião Sp ort


02

pública: 28 de Abril de 2010

espaço aberto

Conhece situações que podem ser retratadas na Objectiva Pública? Envie as suas fotografi fia as, acompanhadas de um pequeno texto com o local e a descrição, para o e-mail: informacao@opiniaopublica.pt ou entregue nas instalações do Opinião Pública, na Rua 8 de Dezembro, nº 214, em Antas.

Objectiva Pública

Agenda Quarta-feira, 28 Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência (AFPAD) celebra o “Dia da Porta Aberta”, com demonstração de massagens para bebés e crianças, exposição e venda de trabalhos realizados pelos jovens, e demonstração de Capoeira.

Quinta-feira, 29 A Universidade Sénior de Famalicão promove um passeio convívio à histórica vila de Sintra, que termina na sexta-feira, dia 30.

Sábado, 1 9h-12h30 Associação de Dadores de Sangue de Famalicão promove uma dádiva de sangue na sede da Junta de Freguesia de Jesufrei, com o apoio dos escuteiros. 20h00 Grupo Folclórico de Nine organiza um festival internacional de folclore, no Loteamento do Bacelo, para assinalar o seu 30º aniversário.

Muitos condutores são multados por não respeitarem a sinalização, entre outras contra-ordenações, mas há também casos em que os condutores não conseguem ver a sinalização existente. Ou porque os sinais de trânsito estão degradados ou porque, como retrata a fotografia, estão mal colocados. Nesta situação, este “STOP” está virado para o lado errado. Trata-se de uma nova rua que desemboca na Rua de Talvai, perto do Supermercado E. Leclerc, e com o “STOP” virado para outro lado poderão surgir acidentes, faltando depois saber a quem deverão ser atribuídas as culpas.

Questão Pública Concorda com a introdução de portagens nas três SCUTS do norte e centro do país?

Custódio Oliveira

Maria Augusta Santos dirigente associativo

Era uma vez uma aldeia rural. Bonita! Como todas as aldeias são para os urbanos. A aldeia tinha uma vaca que dava leite que chegava para os poucos habitantes. Todos queriam e tinham direito ao leite que é um alimento com forte valor nutritivo. Ninguém queria disponibilizar terreno para a erva! Ninguém queria comprar e semear a erva! Ninguém queria trabalhar o campo! Ninguém queria levar a vaca a pastar! Perante o Estado todos temos direitos legítimos. Numa lógica mais ao menos egoísta ninguém quer cuidar do Estado. Ninguém quer contribuir para o que Estado tenha meios para satisfazer as necessidades públicas. Impostos! Nem pensar. Portagens! Não pode ser. Taxas reguladoras! Enorme injustiça! E sabem uma coisa? Não sou diferente de quase todos. Eu também não concordo com as portagens nas SCUTS. Morra a vaca! Destruam-se as SCUTS e todas as estradas! Nem mais um cêntimo para o Estado!

FICHA TÉCNICA CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

professora Defendo, na generalidade, o princípio “utilizador - pagador”. Considero que o acesso a determinados bens e a prestação de certos serviços, mesmo de carácter público, deve pressupor um pagamento, mesmo que muitas vezes possa ser quase simbólico. Contudo, este princípio tem de ser aplicado com “conta, peso e medida”, ou seja, com coerência e segundo critérios conducentes à redução das assimetrias regionais e, fundamentalmente, à promoção da igualdade social que permanece, apesar do caminho já percorrido, ainda distante de alcançar. Nesta perspectiva, considero que a decisão de introduzir portagens em três SCUTS das regiões norte e centro, não pode ser dissociada da discussão da situação económica do País e do desequilíbrio das nossas contas públicas. Limitá-la ou centrá-la, exclusivamente, nos impactos que recaem sobre “os orçamentos das famílias que normalmente utilizam estas SCUTS”, não passa de uma discussão demagógica e cheia de retórica e, convenientemente, populista. Porque, na realidade, o não pagamento das portagens pelos seus utilizadores implica um encargo indirecto, através dos impostos, para todos os não - utilizadores, o que constitui, isto sim, uma medida de profunda injusta social. Contudo, defendo que uma medida desta natureza não pode ser tomada de uma forma cega, devendo ser precedida de muita ponderação e diálogo, designadamente em relação às vias alternativas, pesando os prós e os contras e os impactos que poderão advir para as respectivas regiões e, particularmente, para o seu tecido económico. Poderá ser necessário introduzir mecanismos de excepção, acautelando eventuais inconvenientes, em termos económicos e sociais. É fundamental que impere o bom senso, e que a decisão seja compreensivelmente “justa, equitativa e solidária”.

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

INTERNET

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

Francisco Araújo

www.opiniaopublica.pt

CONTACTOS Redacção:

APOIO À REDACÇÃO: Jorge Alexandre

REDACÇÃO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

TÉCNICOS DE VENDAS:

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt

informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

CHEFE DE REDACÇÃO:

DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022),

GERÊNCIA: João Fernandes

PROPRIEDADE E EDITOR:

Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros.

comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

20.000 exemplares, nº 938

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673

Serviços Administrativos:

DEPÓSITO LEGAL: 48925/91

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia


pública: 28 de Abril de 2010 03

cidade

Escola secundária Camilo Castelo Branco

Famalicenses caminharam até ao Seminário Comboniano

Peregrinação arciprestal juntou cerca de 1300 pessoas

Peregrinação contou com a participação de muitos jovens

Foi no passado sábado, dia 24, que se realizou a Peregrinação Arciprestal Vocacional Sacerdotal em Famalicão, intitulada de “Nos Trilhos da Vocação… Atreve-te mais”. Pelas 16h30 teve lugar a concentração dos peregrinos em cinco pontos diferentes: igrejas Nova Matriz de Famalicão, Gavião, Esmeriz, Requião e Lagoa. Meia hora depois iniciou-se a peregrinação com todos os grupos a dirigirem-se para o Seminário Comboniano em Antas. O percurso foi sendo intercalado por momentos de oração, reflexão e

realização de dinâmicas alusivas às vocações. Ao longo desse tempo, em qualquer um dos grupos era notória a satisfação dos peregrinos, na sua maioria jovens e adolescentes provenientes das diversas comunidades do arciprestado, que caminhavam testemunhando e partilhando a sua alegria. Após a chegada ao Seminário, e estando nesse momento reunidas cerca de 1300 pessoas que se uniram para rezar e reflectir pelas vocações, chegou-se ao ponto alto desta actividade: Vigília

de Oração pelas Vocações, presidida pelo bispo auxiliar de Braga, D. António Couto, que, durante a homília, debruçando-se na mensagem do Papa Bento XVI para a Semana de Oração pelas Vocações, desafiou todos os presentes a fazerem da “sua vida e da sua vocação uma chama sempre acesa, atrevendo-se a alumiar cada vez mais e mais, na medida em que a vocação não pode ser uma luz que fica escondida, devendo antes ser comunicada a todos”. Terminada a Vigília, seguiu-se o jantar partilha, terminando o dia com um concerto promovido pelo grupo “Missio”, ligado à congregação religiosa dos Combonianos. No final, o arcipreste de Famalicão, padre Mário Martins, destacou “o elevado número de sacerdotes presentes na celebração – 35 – o que confirma o empenho de todos na divulgação e realização da caminhada por jovens de todo o arciprestado”, assim como “o elevado número de pessoas participantes”.

Alunos vencem 1ª etapa das Olimpíadas da Química

2 mil alunos participam a nível nacional

A Escola Secundária de Camilo Castelo Branco foi premiada nas Olimpíadas da Química júnior. A Sociedade Portuguesa de Química, entidade promotora das “Olimpíadas de Química”, diz que nesta edição de 2010 estão inscritos, a nível nacional, cerca de 2 mil alunos, em representação de 304 Escolas Básicas. Na manhã de sábado, dia 17, os alunos Gonçalo Bem, Luís Campo e Paulo Ribeiro, no âmbito da disciplina de Ciências FísicoQuímicas, realizaram as provas de laboratório e anfiteatro na Universidade do Minho. Assistiram a de-

monstrações de “Química e Materiais” e responderam a “Questões de Ver e Mexer”, tendo conseguido alcançar o primeiro lugar. De entre as 304 escolas que participaram a nível nacional, os alunos acima referidos ficaram apurados nas vinte primeiras equipas e irão agora representar a escola na final nacional que se realizará no dia 8 de Maio na Universidade de Coimbra. Visita aos centros so ciais do conce lho No âmbito de um projecto de solidariedade, dinamizado pelo Serviço de

Psicologia e Orientação, as turmas de 10º ano dos Cursos Profissionais da Escola Secundária Camilo Castelo Branco visitaram alguns Centros Sociais desta cidade. Especificamente, os alunos de Design e os alunos de Processamento e Controlo de Qualidade Alimentar visitaram, na passada sextafeira, o Centro Social de Castelões; os alunos de Informática de Gestão, visitaram o Centro Social S. Pedro do Bairro; os de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos a Instituição “Mundos de Vida”, em Lousado. Por fim, os alunos de Audiovisuais foram à Instituição Mais plural - Cooperativa de Solidariedade Social em Gavião. “Este projecto teve por objectivo criar a oportunidade para que os nossos jovens pudessem interagir com uma população de gerações diferentes (crianças e idosos), dando-lhes a possibilidade de desenvolverem valores psicossociais e morais, tais como a partilha, a empatia, o espírito de solidariedade e o respeito pelos mais idosos”, diz a escola em nota à imprensa. pub.


04

pública: 28 de Abril de 2010

cidade

Depois das acusações de xenofobia do BE à Câmara de Famalicão

Governo vai alterar lei de acesso à habitação social Magda Ferreira O Governo vai alterar a lei que limita a portugueses acesso a casas sociais. A decisão foi tomada a semana passada e surgiu na sequência das acusações de discriminação e xenofobia que o Bloco de Esquerda dirigiu à Câmara de Famalicão, por restringir a compra dessas habitações a cidadãos nacionais. Entretanto, o CDS-PP já exigiu que o BE peça desculpas à autarquia famalicense [Ver caixa]. Na quinta-feira, a secretária de Estado do Ordenamento do Território anunciou que vai propor, no próximo Conselho de Ministros, a alteração da lei. Em declarações à agência Lusa, Fernanda do Carmo destacou que esta lei é de 1976 e que depois dela já saíram várias directivas, incluindo directivas comunitárias transpostas para o direito interno, que proíbem essa discriminação, pelo que o “Governo pensou que o assunto estava esclarecido”. No entanto, a governante considerou que a lei de 1976 continua a prever que apenas cidadãos na-

cionais possam concorrer a habitações de custos controlados e que “há um ou dois municípios que transpuseram para os seus regulamentos” essa norma. “Não queremos que haja aqui alguma dúvida”, afirmou. Neste sentido, o Governo está a “preparar um diploma que altera este conceito e clarifica definitivamente, na letra da lei, o assunto. Este diploma irá já ao próximo Conselho de Ministros e ficará sanada, de vez, esta dúvida”, adiantou a secretária de Estado. Em causa está uma norma do Decreto-Lei n.º 797, de 6 de Novembro de 1976, que define o regime de atribuição das habitações sociais e que confere apenas o direito a “cidadãos nacionais que não residam em habitação adequada à satisfação das necessidades do seu agregado e pretendam domiciliar-se na área de jurisdição do serviço municipal de habitação onde tiver sido aberto concurso”. Câmara refuta acusações A polémica começou quando o

Bloco de Esquerda acusou a Câmara de Famalicão de “xenofobia” e “discriminação” por restringir a cidadãos portugueses o acesso a casas de custo controlado, nos loteamentos municipais Joaquim Malvar, em Pinheiral, Antas, e Quinta do Passal, em Avidos. Em comunicado de imprensa, emitido na quarta-feira da semana passada, a Câmara refutou as acusações do BE e veio afirmar o que já havia dito antes ao OP. “A Câmara Municipal está a cumprir o único dispositivo legal que determina a política municipal de habitação social em Portugal”, frisou o município, contrapondo ainda com o investimento realizado em habitação social nos últimos oito anos: “10 milhões de euros na construção e reabilitação de um total superior a 500 casas sociais”, além das 30 casas destinadas a cidadãos de etnia cigana que estão em construção. Sucede, porém, que, segundo o jornal Público, as regras contestadas são também aplicadas em Salvaterra de Magos, a única câmara em que o BE está em maioria. A

Paulo Cunha eleito para a distrital do PSD

VENDO T2+1

pub.

Virado para o futuro Parque da Cidade

75.000€ Telem. 915 441 080

que os cidadãos sejam maiores ou emancipados e que vivam uma situação de carência das condições económicas e habitacionais.

Nuno Melo quer desculpas do BE Nuno Melo exige que o BE se desculpe por ter acusado a Câmara de Famalicão de xenofobia. O famalicense Nuno Melo, dirigente do CDS-PP, eurodeputado e presidente da Assembleia Municipal de Famalicão, exigiu, na quintafeira, que o BE peça desculpa por ter acusado os autarcas de Famalicão de xenofobia por causa de um regulamento que se limita a aplicar uma lei geral. Nuno Melo acusou ainda os bloquistas de hipocrisia, assinalando que a Câmara de Salvaterra de Magos, governada pelo BE, tem um regulamento equivalente ao de Famalicão. Na resposta, o BE acusou Nuno Melo de vir “a correr de Bruxelas para tentar salvar a Câmara de Famalicão” e de “faltar à verdade”, salientando que a autarquia de Salvaterra de Magos possui legislação que “coloca em pé de igualdade” imigrantes e cidadãos portugueses no acesso à habitação social. “A atitude do senhor eurodeputado é algo injusto e incorrecto. Ele é que devia pedir desculpa aos imigrantes do seu concelho porque está a discriminá-los e, em segundo lugar, devia pedir desculpas à Câmara de Salvaterra”, concluiu Pedro Soares, deputado bloquista.

Desemprego sobe no distrito mas desce em Famalicão

Tal como se esperava, o famalicense Paulo Cunha foi eleito, na passada sextafeira, presidente da Comissão Distrital de Braga do PSD, com cerca de 2.300 votos. Paulo Cunha, vereador na Câmara Municipal de Famalicão, encabeçou uma lista única, e, no final da eleição, reafirmou algumas das prioridades que tem para o mandato: a afirmação do distrito na região do Noroeste peninsular e a criação um Observatório de Emprego na região. Em declarações à Agência Lusa, Paulo Cunha, disse ainda que vai começar por “tomar o pulso” às forças vivas da região, empresas, sindicatos, universidades e instituições de solidariedade para, depois, apresentar ao Governo as respectivas propostas de investimento. Para a Mesa da Assembleia Distrital foi eleito o líder parlamentar do PSD, Miguel Macedo, enquanto o militante de Guimarães, Vítor Borges, encabeçou a lista para o Conselho de Jurisdição Distrital. pub.

autarquia de Salvaterra contesta a notícia e, em defesa, apresentou o regulamento, que foi aprovado a 17 de Fevereiro, onde apenas exige

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego voltou a subir no distrito de Braga, em Março, mas diminuiu ligeiramente no concelho de Famalicão. Segundo os últimos dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), em Março voltou a ser ultrapassada a barreira histórica dos 55 mil desempregados no distrito de Braga. No total, nos centros de emprego estavam inscritos 55 128 trabalhadores, mais 529 que no mês de Fevereiro. Mesmo assim, em alguns concelhos o número de pessoas sem emprego diminuiu, caso de Famalicão que registou uma descida de 9.269 desempregados em Fevereiro para os 9.203 em Março. Fafe, Esposende e Vila Verde foram outros

concelhos que registaram um decréscimo no número de inscritos nos respectivos centros de emprego. Em sentido inverso, houve aumento de desempregados em Braga (que registou a subida mais significativa, passando de 10.073 para 10.346), Amares, Barcelos, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Guimarães, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vizela. O concelho vimaranense continua a ser aquele que apresenta maior número de pessoas sem emprego, 13.425. Em termos nacionais, em Março estavam inscritos nos centros de emprego de todo o país 571.754 pessoas, um máximo histórico desde o final dos anos 70.

Rotary promoveu palestra sobre contabilidade pub

O Rotary Club de Famalicão organizou, a semana passada, mais uma palestra, desta vez com a presença do bastonário Domingues Azevedo, que recentemente assumiu os destinos da recémcriada Ordem dos TOC, tendo dissertado sobre o “Sistema de Normalização Contabilística – Impacto na vida das Empresas”. Domingues Azevedo defendeu este novo sistema

contabilístico, afirmando que o SNC vem questionar a forma de organização das empresas, entidades humanizadas, com responsabilidades colectivas e também sociais. Com este novo modelo, a gestão duma empresa não se poderá resumir ao lançamento de receitas e despesas, feita pelo contabilista; preconizase uma maior participação e implicação dos empresários na administração e gestão da

empresa, numa perspectiva mais real e humanizada, defendeu. O bastonário disse ainda que, com este paradigma, é determinante uma parceria estratégica e uma coresponsabilização entre o profissional de contabilidade e o empresário. A palestra terminou com o Domingues Azevedo a responder às questões e comentários colocados pelos presentes.

PSP detém condutor sob efeito de álcool A PSP de Famalicão deteve, no passado dia 22, um indivíduo por conduzir sob o efeito de álcool. A detenção aconteceu pelas 17h15, na Avenida José Manuel Marques, na cidade. O homem, de 67 anos, residente em Famalicão, foi

interceptado a conduzir um veículo automóvel com uma taxa de alcoolemia de 1,79 g/l. O detido foi notificado para comparecer, no dia seguinte, nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal de Famalicão.


pública: 28 de Abril de 2010 05

cidade

Para enfrentarem melhor o mercado de trabalho

ESSVA alerta alunos para as competências transversais Alertar os alunos para a necessidade de saber estar e saber fazer para melhor enfrentar o mercado de trabalho. Foi este o principal objectivo de uma sessão que decorreu, na passada sexta-feira, na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave (ESSVA), em Famalicão. A sessão foi organizada pelos alunos do 2º ano do curso de Marketing Farmacêutico, no âmbito da unidade curricular de Organização de Eventos, e teve como tema “As Competências Transversais”, ou seja, aquelas competências que não se aprendem nas aulas mas que são fundamentais para enfrentar o mercado de trabalho. “Nos contactos que temos com os empregadores, notamos que, muitas vezes, os alunos são excelentes em termos de conhecimentos técnicos e científicos, mas têm dificuldades no saber estar e no saber ser, ou seja as tais competências transversais”, explica Carla Guerreiro, regente da unidade curricular do curso de Marketing Farmacêutico. Nesta sessão foram apenas abordadas, por especialistas na área, duas dessas competências – a gestão de conflitos e a tomada de decisão – algo que, segundo Carla Guerreiro, “não faz parte da matéria curricular das instituições de en-

Câmara e instituições definem políticas de dinamização cultural Reuniu, no passado 20, o Conselho Municipal de Cultura (CMC) de Famalicão, um órgão que senta à mesma mesa responsáveis camarários e dirigentes associativos e culturais. O encontro, que decorreu no Centro de Estudos Camilianos, em Seide, foi o primeiro deste mandato e serviu, sobretudo, para lançar as bases de um projecto de dinamização cultural para o concelho. “Nós, Câmara Municipal, vamos apresentar um projecto com algumas ideias em termos de dinamização futura da cultura no concelho, projecto esse que será depois submetido à apreciação de cada um dos membros para que, posteriormente, numa nova reunião, possamos avaliar as sugestões que nos forem apresentadas”, disse ao OP o vereador da Cultura, Paulo Cunha. O responsável camarário não quer, para já, avançar muito mais sobre esse projecto. Diz apenas que o mesmo terá como objectivo fazer com que os agentes culturais sejam mais interventivos. “Da reunião retive a forma motivação dos agentes culturais em interagir com a Câmara Municipal para que, em conjunto, consigamos atingir os nossos objectivos, isto é, a dinamização cultural do concelho”, diz o vereador No total, o Conselho Municipal da Cultura é composto por 35 membros, que representam as diversas valências culturais do município e também instituições como ranchos folclóricos, bandas de música ou grupos de teatro.

PJ detém acusado de tentativa de homicídio em Famalicão Ricardo Damas foi um dos oradores

sino”. Assim, com este colóquio, procurou-se alertar os alunos participantes, da ESSVA e também da Universidade Lusíada, para a importância destas competências que se vão “aprendendo no dia-a-dia e que é necessário desenvolver”. “São coisas tão naturais como saber trabalhar em equipa, saber evitar conflitos ou ter uma atitude proactiva no

emprego, requisito muito valorizado hoje em dia pelos empregadores”, sublinha Carla Guerreiro. Para ajudar os jovens nessa reflexão, o colóquio contou com as participações de Marco da Silva, gestor comercial da Sonaecom, e de Ricardo Damas, gestor de produto na Bristol Myers Squibb. C.A .

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem acusado do crime de homicídio na forma tentada, praticado no passado dia 1 de Abril, na zona de Famalicão. A PJ anunciou, na sexta-feira, a detenção de um automobilista que terá esfaqueado outro por causa de um acidente de viação em que ambos se envolverem, ocorrido em Famalicão dois meses antes. O sinistro ocorreu em Fevereiro e o crime foi cometido no dia 1 de Abril, altura em que o suspeito atingiu o outro auto-

mobilista no pescoço com uma faca de mato, “provocando-lhe ferimentos que o puseram em perigo de vida”, adianta um comunicado da Directoria do Norte da PJ. A PJ não adiantou se o crime foi ou não consumado por divergências na assunção de responsabilidades quanto ao acidente de viação. O detido é um vigilante de 26 anos a quem a polícia apreendeu a arma do crime, o que consubstancia, também, um crime de posse de arma proibida. pub.


06

pública: 28 de Abril de 2010

cidade

Sessão ordinária decorreu na passada segunda-feira

O caminho é curto: para se candidatar a estas e outras ofertas de emprego, basta dirigir-se ao Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão.

Carla Alexandra Soares Tal como se esperava, o Bloco de Esquerda (BE) reiterou, na passada segunda-feira, as acusações de discriminação e xenofobia à Câmara Municipal, tendo em conta a limitação do acesso a portugueses a casas sociais. A discussão foi uma das que marcou a sessão ordinária da Assembleia Municipal, que tinha como principal objectivo a discussão e a votação do relatório e contas de 2009 da Câmara Municipal. Mas, no período antes da ordem do dia, Adelino Mota, do Bloco de Esquerda, disse que a Câmara teve uma reacção politicamente infantil e errada à conferência do BE. Para além de insistir nas acusações de discriminação e xenofobia, o bloquista acusou o executivo de mentir aos famalicenses. “Tentaram convencer meio mundo de que apenas aplicavam uma lei, é falso e não passou de uma desculpa. E estiveram mal os membros do executivo, insistiram e insistem num erro óbvio e acabaram por prejudicar o município quando bastaria terem corrigido o erro”. Adelino Mota apontou ainda o dedo aos serviços da Câmara “que colocaram no site camarário, uma notícia tendenciosa cujo objectivo é confundir os famalicenses”. Nuno Melo também não foi esquecido e, sublinhou o deputado do BE, “veio de Bruxelas para tentar salvar desta embrulhada a incompetência da coligação que governa o município, mas como a pressa é má conselheira, não falou verdade sobre este caso e falou do que não sabia”. Em defesa da Câmara Municipal saiu o líder da bancada do CDS/PP que começou logo por dizer que não entende o que é que o Bloco de Esquerda trouxe à política nacional, falando em demagogia e oportunismo. Durval Tiago Ferreira, defendendo a posição da Câmara Municipal no assunto, numa intervenção cáustica, lançou diversas acusações ao Bloco de Esquerda, questionando a postura do partido e lembrando a

Carla Alexandra Soares

Mais de 50% dos estudantes do Ensino Secundário Europeu estão matriculados no Ensino Profissional, mas persistem diferenças consideráveis entre os vários países. Recentes desenvolvimentos sócio-económicos como a globalização, a reestruturação das empresas, a inovação e a transição para uma economia baseada no conhecimento implicaram uma força de trabalho mais qualificada. Educação e Formação Profissional inicial são de capital importância para a preparação de novos profissionais e um meio importante para melhorar a competitividade. Com base em dados de 2007, 51,5% (cerca de 11,4 milhões) de estudantes do Ensino Secundário Europeu estão matriculados em vias profissionalizantes. Os dados revelam diferenças que persistem entre os países da União Europeia. A percentagem de estudantes do Ensino Secundário inscritos em vias profissionalizantes varia entre 77,3% e 13,0%. As percentagens mais elevadas surgem na Áustria, República Checa e Eslováquia, onde a componente profissional conta para mais de 70% de todos os estudantes do Ensino Secundário. As percentagens mais baixas surgem no Chipre, Hungria e Lituânia, todos com percentagem situada abaixo de 30%. Quanto a ofertas de emprego para esta semana, seleccionámos as seguintes: A oferta nº 587694994 selecciona um director de produção industrial com experiência no sector automóvel e domínio da língua japonesa. A oferta nº 587695000 procura um operador de máquinas de acabamentos de produtos têxteis. Oferta nº 587695244 que procura um cardador para operar cardas e ajudar na embalagem. Oferta nº 587695268 que deseja recrutar um abastecedor de combustíveis e atendimento a clientes. Oferta nº 587695342 que procura um marceneiro com experiência. A oferta nº 587695347 procura um carpinteiro de limpos com experiência em fábrica. A oferta nº 587695493 selecciona um ajudante de cozinha com ou sem experiência. Oferta nº 587695599 selecciona um maquinista de malhas na área de fabricação de peúgas. A oferta nº 587695673 procura costureiras para malhas e tecidos exteriores. A oferta nº 587695702 procura um afinador de máquinas de malhas, para manutenção a máquinas de produzir peúgas. Oferta nº 587695735 que procura um planificador com experiência para malheiro, tinturaria, confecção e planeamento.

Acusações de xenofobia e demissões no PSD aqueceram Assembleia Municipal

Durval Tiago Ferreira defendeu a Câmara na questão da xenofobia

questão de Salvaterra de Magos. “Já estamos habituados à hipocrisia do Bloco de Esquerda, sobre uma aparente modernidade dessa esquerda caviar. Afinal escusavam de fazer essa fraca figura de vir contestar o Regulamento Municipal”. Depois disto, Adelino Mota disse que não ia aceder a provocações e insistiu na sua posição. Mas outra discussão viria a marcar a Assembleia Municipal de segunda-feira. O Partido Socialista tentou questionar Armindo Costa, sobre o seu alegado envolvimento na demissão em bloco da Comissão Política do PSD. Luís Moniz queria saber se, enquanto presidente da Câmara, Armindo esteve ou não envolvido nesta polémica. Mas o deputado socialista acabou por não completar a sua questão já que os protestos da bancada do PSD não se fizeram es-

perar. O presidente da AM, Nuno Melo, baseando-se nos regulamentos, também considerou que esse assunto não cabia naquele plenário. Nuno Sá não aceitou as explicações e acabou por pedir a palavra. Apelando à serenidade nos trabalhos, o deputado socialista explicou o que se pretendia com questão levantada: “Foram feitas perguntas sobre acontecimentos, factos, afirmações, declarações da própria Câmara Municipal que não foram esclarecidos ou desmentidos previamente. Eu não entendo o nervosismo da bancada do PSD que, qual guarda pretoriana, salta em defesa”, apontou o deputado socialista citando duas notícias publicadas a esse propósito no jornal Público e no OPINIÃO PÚBLICA em que era referenciado Armindo Costa enquanto

presidente da Câmara Municipal. Ora, depois desta explicação, Nuno Melo, apesar de insistir que aquela questão não cabia na Assembleia Municipal, acabou por deixar a explicação ao critério do presidente da Câmara. Armindo Costa acabou por falar no assunto e respondeu de forma sucinta à questão levantada pelos socialistas. “Eu sou apoiado por dois partidos, o CDS e PSD. O problema dos partidos é deles, eu não tenho nada com isso, eu sou independente, disso não tenha dúvidas”, sublinhou o edil, garantindo que não interfere na vida de nenhum partido político. “Não me meta nessa trapalhada porque eu não vou nessa e quando vocês estão preocupados com aquilo que se está a passar – que não é nada – dentro de um partido é porque vocês estão muito satisfeitos com o trabalho que a Câmara está a fazer”, atirou. Já depois da Assembleia Municipal, a concelhia socialista enviou uma nota de imprensa sobre o assunto, onde diz que na AM impera a “lei da rolha” e que se assistiu “a uma nova tentativa de silenciamento do PS”. Por outro lado, consideram que ficou por esclarecer se o presidente da Câmara se envolve em questões partidárias. No período antes da ordem do dia, foram apresentadas, pela CDU, duas moções: uma de solidariedade para com os famalicenses que sofrem por não acesso à saúde e outra de saudação ao 1º de Maio e a todos os trabalhadores. A primeira foi aprovada com a abstenção da bancada socialista e a segunda com a abstenção do PSD e PS, sendo que o CDS votou favoravelmente nas duas. Já o Partido Socialista apresentou um voto de congratulação pelos resultados da atleta Rosa Oliveira. Foi aprovado por unanimidade. Devido à falta de tempo, o relatório de actividades e as contas da autarquia de 2009 tiveram apenas uns minutos de discussão pelo que a Assembleia Municipal prossegue na próxima sexta-feira.

Na Queima das Fitas de Famalicão

JSD distribuiu preservativos e alertou para consumo de álcool A Juventude Social Democrata (JSD) de Famalicão, considerando pertinente o início da Queima das Fitas, colocou em marcha uma campanha sobre as consequências do consumo excessivo de álcool e sobre a importância dos métodos contraceptivos, na actividade sexual dos jovens. Assim, no passado sábado, primeiro dia da Queima das Fitas, a JSD distribuiu preservativos nos bares do centro da cidade e na entrada do recinto da queima, com o objectivo de prevenir os jovens para o perigo das relações sexuais desprotegidas, e um flyer, alertando para as consequências do consumo ex-

cessivo de álcool, intitulado “ Não Queimes o Teu Futuro, Diverte-te!”. No panfleto era lembrado que o álcool é a 4ª maior causa de morte, é das maiores causas de infertilidade e impotência sexual e causa cerca de 10 mil mortes de inocentes em acidentes de viação. Para além, de querer despertar a consciência dos jovens para os malefícios irremediáveis, que estes comportamentos podem ter nas suas vidas, quando vividos de forma irresponsável, a JSD pretendeu também “demonstrar que dentro da sua agenda política, os comportamentos de risco da juventude são uma preocupação e uma prioridade”.

Segundo a jota, a actividade “decorreu de forma muito positiva, sendo de realçar a enorme receptividade e interesse que os estudantes e visitantes da Queima tiveram com esta iniciativa”. Entretanto, a JSD procedeu também ao lançamento de um outdoor no centro da cidade, “por acreditar que esta mensagem é transversal a toda a sociedade, pretendendo sensibilizar os famalicenses para uma atitude mais responsável e pedagógica, não só com os seus filhos, como com eles próprios, no que concerne aos hábitos do consumo de álcool”.

Musical sobre S. Paulo em Famalicão Na próxima sexta-feira, dia 30, é apresentado em Famalicão, um musical sobre o apóstolo S. Paulo, pelas 21h15 no Centro Pastoral.

Trata-se de um musical totalmente construído, preparado, realizado e apresentado pelo Seminário Arquidiocesano de Braga. A entrada é gratuita.


cidade

pública: 28 de Abril de 2010 07

Actividades comemorativas decorrem durante o ano

Bombeiros de Famalicão comemoram 120 anos de existência Pedro Marques Foi no dia 6 de Maio de 1890 que, oficialmente, nasceram os Bombeiros Voluntários de Famalicão. 120 anos depois, a Associação Humanitária comemora a data com um programa vasto e diverso, com actividades direccionadas aos bombeiros e também ao público em geral. "Todos os anos se comemora o aniversário mas este é especial pela marca bonita que são 120 anos", confidenciou ao OPINIÃO PÚBLICA um dos voluntários de Famalicão. Por tal facto, a associação programou diversas actividades, algumas já concretizadas outras ainda a realizar mas todas com objectivos bem definidos, segundo Vítor Azevedo, comandante da corporação: "Temos a nossa secção desportiva e cultural, recém-criada, que está a trabalhar muito bem e que tem alguns projectos futuros em mente mas que para as festividades do aniversário organizaram já o campeonato de futsal entre as corporações do concelho, que ainda não terminou, e o II Raid BTT que acontecerá em Junho." O mesmo responsável acrescentou ainda que "irá decorrer, no fim-de-semana de 8 e 9 de Maio, o 1º Encontro Nacional de Carros Clássicos de Bombeiros, actividade que irá suscitar grande interesse da população famalicense pela beleza das viaturas que estarão presentes." E n c o n t r o p r o m o ve u f o r m a ç ã o e t r o ca d e co n h e ci me n t os Outra actividade que já se realizou e que integrou também as comemorações do 120º aniversário foi o 1º Encontro Internacional de Equipas de Busca e Salvamento com cães. Decorreu no fim-de-semana de 17 e 18 de deste mês, nas antigas instalações da têxtil ATMA, em Avidos, e teve um balanço "extremamente positivo", segundo a organização. Estiveram presentes em formação e exercícios práticos os Bombeiros de Famalicão, Albergaria-a-Velha, Vila das Aves, Amarante, Pombal, Beja, Sapadores de Coimbra, Sapadores de Lisboa, Municipais Figueira da Foz, Portalegre e Viatodos. Também fizeram parte deste encontro um grupo de Pára-quedistas do Exército Português, uma organização não-governamental da Póvoa Varzim, a Associação Portuguesa de Cães de Busca e Salvamento, núcleo de Vila do Conde, o Grupo Operacional Resgate Canino de Lisboa e o K9 Rodrigues de Matosinhos, num total de 80 operacionais. O ponto alto do encontro foi o simulacro final em cenário de catástrofe em que todos os meios estiveram envolvidos. “Tivemos uma interacção e coordenação quase perfeita relativamente aos meios. Tivemos a intervenção da equipa de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas que teve de criar acessos para as vítimas utilizando equipamento técnico pesado; Equipas de Emergência Médica para socorro primário aos feridos; Equipa de Salvamento em Grande Ângulo para efectuar o resgate dos locais de difícil acesso e as equipas cinotécnicas que percorreram o espaço para identificar os locais com vítimas. Toda esta gestão é complicada mas são estes treinos e formações que permitem melhorar para num cenário real tudo correr pelo melhor”, referiu um dos organizadores do encontro. Criado em 2005, o Grupo Especial de Busca e Salvamento dos Bombeiros de Famalicão (GEBS) culminou a sua formação neste exercício e estão agora operacionais para intervir em qualquer cenário, segundo António Costa, responsável pelo grupo: “O binómio nunca está parado, evolui sempre na sua formação e ne-

cessita de treino constante. Depois deste encontro, podemos dizer que estamos preparados e operacionais, após cinco anos a treinar e a formar.” O GEBS dos Bombeiros de Famalicão é constituído por nove elementos e possui 12 cães de busca e salvamento.

Momento de trabalho durante o exercício pub.


08

pública: 28 de Abril de 2010

cidade

Durante a sessão comemorativa do 36º aniversário do 25 de Abril

Alunos EFA promovem palestra sobre Língua Gestual

Armindo Costa deixa recados em dia da Liberdade

Os formandos da turma TAG 1, dos cursos EFA da Escola Secundária D. Sancho I, concretizaram no passado dia 22, a sua actividade integradora relativa ao núcleo gerador Cultura, Comunicação e Média. Escolheram como temática central a Língua Gestual e organizaram uma palestra sobre o este tema, denominada “Um gesto, uma palavra”. A palestrante convidada foi Sara Barbosa, intérprete de Língua Gestual numa escola de referência para alunos surdos. Uma plateia atenta e participativa foi sensibilizada para o problema que os surdos-mudos têm de enfrentar, a começar pela aprendizagem de uma língua própria.

Culpas & Desculpas Por lapso, na última edição do OPINIÃO PÚBLICA foi referido que a empresa Fernando & Silva fechou o ano de 2009 com um volume de negócios na ordem dos 900 milhões de euros, quando na realidade se queria dizer 900 mil euros. Aos leitores e visados, apresentamos as nossas desculpas. pub

“Pela ética, Portugal precisaria de um novo 25 de Abril”. Esta é a frase forte da sessão comemorativa do 36º aniversário da revolução de 25 de Abril de 1974, proferida pelo presidente da Câmara Municipal. Como já é habitual, no domingo, dia 25 de Abril, decorreu, no salão nobre, a sessão solene da Assembleia Municipal com os representantes dos partidos eleitos, precedida pelo hastear da bandeira ao som do Hino Nacional nos jardins dos Paços do Concelho. Armindo Costa foi quem abriu o leque de intervenções e, num discurso emotivo e com frases fortes, sublinhou o período de grande incerteza e a gravidade da situação económica em que o país está mergulhado. Nesta linha, e completamente comovido, o edil disse que, pela ética, Portugal precisaria de um novo 25 de Abril. “Infelizmente muitos são aqueles que trocam a ética na acção política por cinco minutos de fama e mediatismo. São muitos os que criticam tudo e todos, não porque se preocupam com todos, mas porque apenas procuram palco político. São muitos os que apontam aos outros os erros que eles próprios cometem”. Depois disto o edil defendeu que Portugal precisa de ética na acção política, nas decisões, serviços públicos e nos negócios. “O futuro do nosso país, o futuro do nosso concelho, o futuro das nossas famílias e da vida de cada um de nós, não pode ser construído diante dos microfones e dos holofotes mediáticos”. De resto, e como era de esperar, em todas as intervenções foi dado destaque ao período de fragilidade económica que vive o país e às medidas a tomar, ou ausência delas. Da parte do Bloco de Esquerda falou Ana Rute Marcelino que abordando “posturas xenófobas” pediu que se celebre Abril com dignidade. “Temos que abandonar esta postura xenófoba que muitas ve-

António Freitas

Carla Alexandra Soares

Antes das intervenções, foram hasteadas as bandeiras e entoado o Hino Nacional

zes pauta o nosso comportamento, mesmo que inconscientemente. A recente polémica em torno da política de habitação da Câmara Municipal mostrou quanta resistência existe à inclusão dos imigrantes”. Seguiu-se Carlos Azevedo, deputado da CDU na Assembleia Municipal, que deixando críticas ao estado das coisas, falou no país que deveria ter resultado depois da revolução de Abril. “Permitam-me que lhes fale de um Portugal onde todos têm direito à protecção da saúde, onde todos têm direito à educação. Permitamme que lhes fale de um Portugal onde a todos é assegurado o acesso aos tribunais”. Da parte do CDS/PP falou André Saldanha que abordou também o extenso caminho a percorrer, referindo-se a regras básicas e valores que ainda faltam em Portugal. Considerando que não vivemos numa democracia limpa, apontou um exemplo: “Quando somos atingidos todos os dias por notícias a denunciar certas e determinadas pessoas que tomam por abuso o poder e a confiança que a elas é cedido”. Ana Paula Costa deu a voz ao

Partido Socialista. Numa intervenção mais focada no âmbito nacional, a deputada falou em leis que mudaram uma época dando destaque à da paridade e da legalização do aborto, que “lhe dizem muito”. “Que louvam os homens e as mulheres que as votaram, que, decididamente, consagram a natureza humana e os valores e direitos que lhes são inerentes. O rol de intervenções terminou com Carla Patrícia Vieira, do Partido Social Democrata. Lembrando a inconformidade que levou à revolução dos cravos, deixou um apelo aos jovens. “O inconformismo é timbre da juventude, quero, por isso, dirigir-me directamente às novas gerações e fazerlhes um apelo, em palavras simples, não se resignem, é tempo de actuar. Agora tudo depende de vós e do vosso inconformismo”. A sessão fechou com a intervenção do presidente da Assembleia Municipal em exercício. Cerejeira Leitão abordou a qualidade da democracia que deve ser exigida e praticada por todos e lembrou que se há 36 anos havia um país para mudar, hoje há um país para regenerar.

Mesa da Assembleia pondera efectuar mudanças

Ausência de deputados e autarcas sentida no 25 de Abril Poucos deputados da Assembleia Municipal (AM) e presidentes da Junta marcaram presença na sessão celebrativa do 25 de Abril, em Famalicão. Aliás, ao contrário de outros anos, o Salão Nobre não ficou completo para assistir à sessão da Assembleia Municipal. No final, questionado pelos jornalistas, Cerejeira Leitão admitiu que, passados 36 anos, o modelo de celebração do 25 de Abril em Famalicão poderá ser alterado. Para além da provável alteração do espaço, todo o conteúdo será renovado e serão mobilizados outros participantes. “Este ano ainda não conseguimos concretizar, mas queremos, por exemplo, que seja feito um documentário, que os jovens das escolas participem. Nós temos que estar, naturalmente, abertos a novas formas de celebração desta data, novas formas de participação e de mobilização”.

Segundo o responsável, este ano o tempo das intervenções já foi reduzido para mobilizar a participação de outras pessoas. No futuro, o responsável gostaria de ver a participação de mais populares e de jovens, para quem as celebrações vão ser mais dirigidas. Aliás, outro aspecto destacado por Cerejeira Leitão é a pedagogia que deve estar aliada às celebrações e, mais do que uma celebração rotineira “é a exaltação de um conjunto de valores da democracia da participação cívica que é importante fazer-se sobressair nesta data”. Sobre a ausência dos deputados municipais, Cerejeira Leitão lembrou que esta sessão da AM é especial e não há a obrigatoriedade da sua presença. Sobre o futuro, com novos conteúdos, o responsável espera despertar a sua atenção. C.A.S.


pública: 28 de Abril de 2010 09

freguesias

Escuteiros realizam Feira das Sopinhas

AF de Requião reúne sexta-feira A Assembleia de Freguesia de Requião reúne em sessão ordinária, na próxima sexta-feira, dia 30 de Abril, pelas 21 horas, no Salão Nobre da Junta de Freguesia. Da ordem de trabalhos constam cinco pontos: a informação do presidente da Junta à Assembleia de Freguesia; uma proposta da Junta de Freguesia para dar continuidade à postura de trânsito; a discussão e votação da prestação de contas relativas ao exercício de 2009; a 1.ª Revisão Orçamental; e, por último, outros assuntos de interesse para a freguesia.

Danças de salão em Requião A população de Requião tem, a partir de agora, acesso a aulas de danças de salão a preços mais convidativos, através de uma iniciativa que conta com o apoio da Junta de Freguesia. Assim, têm vindo a decorrer, a título experimental e gratuito, aulas de dança de salão ministradas por professores habilitados. A última sessão está agendada

para sexta-feira, dia 30 de Abril, entre as 21 e as 23 horas, no salão de festas de Requião. A partir do início de Maio as aulas serão pagas, mas onde os eleitores de Requião ou os seus filhos menores terão benefícios nas mensalidades. As aulas vão ter lugar sempre às sextas-feiras, no horário atrás referido e no mesmo local.

Concerto da Primavera em Requião No passado dia 17 de Abril, foi realizada a Feira das Sopinhas de Avidos, com o objectivo de angariar fundos para suportar as despesas dos escuteiros inscritos no acampamento da região de Braga, que decorrerá de 4 a 8 de Agosto em S. Pedro de Rates – Póvoa de Varzim. Numa exibição em que foi possível provar 11 sopas diferentes, entre “tantos outros petiscos sempre regados com um bom vinho”, a população avidense, e não só, aderiu “com entusiasmo”. Na preparação e realização da actividade destaca-se o empenho de todos os escuteiros, pais e amigos. “Agradecemos a todos os que contribuíram de alguma forma para o sucesso da Feira das Sopinhas”, esclarece o Agrupamento.

Centro Social de Ribeirão realizou feira do livro

A Junta de Freguesia de Requião vai promover um “Concerto de Primavera”. O espectáculo vai ter lugar no próximo dia 1 de Maio, pelas 21horas, na Capela de Santa Luzia, naquela freguesia. Vão participar no concerto o Coral da Didáxis, dirigido pela maestrina e cantora lírica Mónica Paes, bem como o Grupo Juvenil de Requião, que actuará sob a direcção de Pedro Rodrigues.

JS de Delães assinalou 25 de Abril A Juventude Socialista (JS) de Delães associou-se aos festejos dos 36 anos sobre o 25 de Abril de 1974 e elaborou um cartaz com ilustrações e alguns textos onde se faz uma pequena descrição e comparação entre o antes e pós Revolução dos Cravos. O objectivo foi “não deixar cair no esquecimento todos os direitos, liberdades e garantias que foram conquistados pelos nossos não

tão longínquos antepassados, dando o devido valor àquilo que o ser humano tem de mais precioso, e que os portugueses reconquistaram à força de uma pacífica revolução: a liberdade”, diz a JS em nota à imprensa. Os cartazes foram afixados pelos vários cafés e lugares de referência da freguesia e os panfletos entregues de mão em mão à população. pub.

De 14 a 16 de Abril realizou-se a oitava feira do livro no Centro Social Paroquial de Ribeirão. Este certame, que é já uma tradição na instituição, tem como finalidade levar a toda comunidade escolar e famílias o contacto com o livro.

A feira intitulou-se “Doce olhar sobre os livros” e, segundo o centro social, “a adesão tem vindo a aumentar de ano para ano, ultrapassando todas as nossas expectativas este ano, exaltando o gosto pela leitura desde a tenra idade”.

PS de Avidos preocupado com onda de assaltos O Partido Socialista (PS) de Avidos está preocupado com aquilo que diz ser a onda de assaltos que assola a freguesia e, no passado dia 22, levou o assunto à sessão da Assembleia de Freguesia (AF). “É com grande preocupação que o PS Avidos tem recebido as frequentes notícias de assaltos ocorridos na freguesia. Casas, carros, até cabos de electricidade têm sido alvo dos larápios”, diz o partido em nota à imprensa. Aproveitando a sessão da AF, Rui Carvalho, eleito pelo PS, apresentou uma proposta à Assembleia para marcação de uma reunião, com carácter de urgência, com o governador civil de Braga, com o objectivo de lhe expor estes aconteci-

mentos e pedir a sua colaboração no combate a esta “praga”. A proposta foi votada favoravelmente e por unanimidade e seguirá para o executivo para que sejam tomadas as necessárias diligências. De acordo com o PS de Avidos, “esta é mais uma das muitas propostas” que o partido pretende apresentar, “sempre que assim haja necessidade, inserida numa política em que promove soluções e não simplesmente criticar por criticar”. Relativamente à sessão de Assembleia, destaca-se ainda a apresentação do Relatório e Contas do ano 2009, que acabou por ser aprovado com oito votos favoráveis e uma abstenção.


10

pública: 28 de Abril de 2010

freguesias

Formandos da Benjamim Salgado conhecem biblioteca da escola

“CCup & Saucer”, de Vilarinho das Cambas, dedica-se ao fabrico de chávenas

Empresa famalicense compra SPAL Magda Ferreira

Os formandos do curso EFA B3 da Escola Secundária Benjamim Salgado, de Joane, deslocaram-se à biblioteca da escola, no dia 21, com o objectivo de conhecerem o seu funcionamento, organização e recursos existentes naquele espaço. A primeira parte da sessão decorreu no anfiteatro, onde foi apresentado o guião do utilizador e o blogue da biblioteca e o visionado um filme, produzido pela mediadora, com o objectivo de promover a leitura. A segunda parte incluiu uma visita guiada à biblioteca e a requisição de livros para leitura domiciliária. A mediadora da turma B3 C, Lúcia Sousa, está a desenvolver, com esta turma, o projecto “EFAcil Ler… Ler, é para já!”, dirigido a jovens e adultos com poucos hábitos de leitura que necessitam de aumentar os níveis de literacia e de consolidar as aprendizagens necessárias à qualificação profissional.

A empresa famalicense Ângelo Mesquita adquiriu a quase totalidade do capital da SPAL (Sociedade de Porcelanas de Alcobaça). O negócio foi consumado há cerca de um mês. Sedeada em Vilarinho das Cambas, a Ângelo Mesquita especializou-se no fabrico de chávenas com a marca “Cup & Saucer”, cujos clientes são, maioritariamente, as marcas de café. Esta empresa adquiriu, agora, a totalidade da sociedade Acções Mais, que controla cerca de 90% do capital social do Grupo SPAL, com sede na Nazaré e proprietário de uma das mais conhecidas marcas de porcelanas. Segundo adiantou à Lusa o presidente do conselho de administração do grupo SPAL, José António Paiva, o negócio reuniu o consenso dos cerca de 20 accionistas da fábrica de porcelana e foi motivado pela dispersão de capital e visões diferentes quanto ao futuro da empresa, fundada há 45 anos. “O capital estava muito dis-

perso e houve algumas vezes dificuldades em manter um grupo de liderança”, disse, esclarecendo ainda que “não foi a crise” a motivar a venda, embora tenha reconhecido que “as dificuldades de mercado que a SPAL tem sentido podem, de algum modo, levar a estas situações”. Sem adiantar os valores implicados no negócio, o administrador assegurou que a dimensão e o nome da SPAL estão garantidos, admitindo, contudo, que haverá “pontuais ajustes” nos planos de negócios. A empresa, que fabrica e comercializa porcelana para uso doméstico e de hotelaria, deixa, no entanto, de pertencer a diversas famílias de Alcobaça e Valado dos Frades, que acompanhavam o seu crescimento desde que foi fundada, em 1965. Num contexto de crise a SPAL tinha já reduzido o número de trabalhadores, que agora ronda os 500. Mas o mais difícil era enfrentar a falta de encomendas dos seus maiores clientes, nos Estados Unidos da América, Reino Unido, Alemanha,

França e Itália, entre outros países para onde era exportada cerca de 70% da produção. De acordo com o sítio na Internet da empresa, o grupo tem duas unidades de produção de porcelana, outra de produção de decalcomanias e duas empresas de distribuição, uma em Portugal e outra em Espanha, além de 12 lojas próprias. Com capacidade para produzir 14 milhões de peças por ano, o ano passado obteve uma facturação de cerca de 20 milhões de euros. O OP contactou a empresa Ângelo Mesquita, mas esta não respondeu às questões colocadas até ao fecho desta edição. Refirase, todavia, que aquela fábrica instalada em Vilarinho das Cambas nasceu em 1988. Actualmente, é conhecida pela marca “Cup & Saucer” que, de acordo com a página da empresa na Internet, destaca-se pela sua capacidade de produzir bens de porcelana de elevada qualidade, apostando fortemente na criatividade e na inovação.

pub.

Oposição criticou entrega tardia dos documentos

No centro da cidade. Cozinha mobilada, tem placa e exaustor. Uma casa de banho completa.

Com garagem e arrumos Terraço nas traseiras. Jardim na frente.

Sala de jantar com uma varanda. Dois armários embutidos.

Fica perto do Hospital. Valor: 185.000,00 €

Valor: 72.000,00 €

Tem a área de 145 m2 com dois lugares de garagem e arrumos. Cozinha mobilada e equipada. Sala com lareira. Tem duas varandas. Ar condicionado e aquecimento central. Iluminação em focos. Valor: 150.000 €

T2 – Como novo. Tem duas frentes. Garagem para um carro. Cozinha mobilada e equipada com electrodomésticos.Lavandaria e arrumos. Valor: 125.000,00 € T2 – Dois quartos com armários embutidos. Uma casa de banho completa. Sala de jantar e estar com lareira. Cozinha mobilada, lavandaria. Uma varanda. E ar condicionado. Valor: 85.000,00 € T 2 – Com garagem. (Em frente à Câmara) Tem a área de 95 m2. Dois quartos com armários embutidos. Uma suite mais uma casa de banho completa. Cozinha, lavandaria e arrumos. Tem iluminação em focos. E tem ar condicionado.Uma varanda. Valor: 90.000,00 €

Com garagem. Tem a área de 102 m2. Uma suite mais duas casas de banho, uma com banheira de hidromassagens. Cozinha mobilada e equipada com electrodomésticos. Lavandaria.Caldeira para aquecimento central, aspiração central, radiadores. Excelente localização. Valor: 135.200,00 €

T3 – No Vinhal. Com lugar de garagem. Tem a área de 130 m2. Com uma frente. Uma suite, mais duas casas de banho. Armários embutidos. Aquecimento central. Uma varanda com 33 m2 Valor: 155.000,00 € T3 – Novo. No centro. Tem a área de 122 m2. Com aquecimento central. E com garagem e arrumos. Valor: 100.000,00 €

Como nova. Garagem para dois carros. Cozinha mobilada e equipada, sala de jantar e estar com lareira. Casa de banho com banheira de hidromassagens. Aquec. e aspiração central, ar condicionado. Valor: 180.000 € (negociável).

No Covêlo Garagem fechada para um carro. Cozinha mobilada e equipada. Tem um grande terraço. Aquecimento central. Soalho flutuante. Boa exposição solar e óptimas áreas. Valor: 95.000,00 €

Tem três quartos com armários embutidos. Duas casas de banho. Cozinha mobilada. Sala com varanda. Valor: 75.500,00 € Terreno com a área de 1.450 m2. Aprovado para construção industrial. Já tem as infra-estruturas. Valor: 65.000,00 € Loja 90 m2, no centro da cidade, frente de rua – 90.000,00 €

T3 – Novo. Em frente às Finanças de Calendário Com óptimos acabamentos. Quartos com armários embutidos Duas casas de banho. Sala com varanda. E com aparcamento para um carro. Valor: 150.000,00 €

Apartamento T3+1 – No centro da cidade. Condomínio incluído. 375,00 €

T3 – Com óptimas áreas no centro (Perto do Hospital)

Apartamento T 2 com garagem. Perto do centro. Condomínio incluído.

Apartamento T1+1 – No centro da cidade. 250,00 €

Arnoso Santa Eulália aprova Plano e Orçamento A Assembleia de Freguesia (AF) de Arnoso Santa Eulália reuniu-se no passado dia 25 de Abril, para comemorar a Revolução dos Cravos e também discutir e votar o Plano e orçamento para 2010 e o relatório e contas de gerência de 2009 da Junta de Freguesia. Os documentos foram aprovados pela maioria CDU, já a coligação PSD/CDS votou contra o Plano e Orçamento e absteve-se no Relatório e Contas. Os eleitos na oposição criticaram o facto de os documentos lhes terem sido entregues no dia 24, a menos de 24 horas da sessão, alegando não terem tido tempo

de os analisar convenientemente. Os eleitos do PSD/CDS chegaram a pedir o adiamento daqueles dois pontos da ordem de trabalhos, mas o presidente da AF não aceitou, pelo que os documentos acabaram por ser aprovados pelos restantes eleitos. Em dia de aniversário da Revolução dos Cravos, evocou-se Abril. Assim, antes de se iniciar a sessão, procedeuse ao hastear das bandeiras e ao lançamento de 36 morteiros. Após ser cumprida a ordem de trabalhos, alguns membros Assembleia e da Junta de Freguesia, tendo a canção "Grândola Vila Mo-

rena" como som de fundo, fizeram intervenções sobre o 25 de Abril. Nesta sessão foi ainda aprovado um voto de pesar pelo falecimento, no dia 1 de Abril, de Armando da Cunha Pereira, também ele um homem ligado aos ideais de Abril, uma vez que após a Revolução de 1974 integrou a Comissão Administrativa desta freguesia, sendo um dos timoneiros do Poder Local em Arnoso Santa Eulália, onde traçou linhas mestras para o desenvolvimento e progresso da freguesia, relevando, entre outros aspectos, a importância do movimento associativo.


pública: 28 de Abril de 2010 11

freguesias

Delães acolhe mais dois interventores comunitários A comunidade famalicense conta, desde o passado dia 16 de Abril, com mais dois interventores comunitários. Trata-se de um exadicto ao álcool e da sua esposa, residentes em Delães, e que conseguiram recuperar a sua vida com a ajuda da LIPAC – Liga de Profilaxia e Ajuda Comunitária e da ADAR – Associação de Doentes Alcoólicos Recuperados. A cerimónia realizou-se no salão paroquial de Delães, onde Paulo deu o seu testemunho de normalização de adicto ao álcool, após um contrato de três anos de abstinência total. Nesse dia, Paulo e a sua esposa receberam o diploma de mediadores comunitários. Em nota à imprensa, a LIPAC relata que

Paulo, como ex-adicto ao álcool, e a sua esposa, como terceira pessoa, apresentaramse à comunidade “como capazes de prosseguir o caminho que os leve a uma total normalização, apelando à comunidade que ajude a ir ao encontro de tantos jovens que, como eles, estão a precisar destas ajudas e de uma cada vez maior preocupação de que todos possam ser ajudados, para mais tarde, poderem ajudar”. A cerimónia contou com a presença do presidente da LIPAC, Silva Marques; do presidente da ADAR, António Campos; de Paulo Gonçalves, como responsável técnico dos Núcleos de Intervenção Comunitária; e ainda de um médico de Delães, dr. Machado; e do presidente da Junta, Manuel Silva.

PS obriga ao adiamento da AF em Oliveira S. Mateus A Assembleia de Freguesia (AF) de Oliveira S. Mateus, que devia realizar-se na passada sexta-feira, dia 23, foi adiada para o próximo dia 30, por imposição dos eleitos do Partido Socialista “que, desta forma, repuseram a legalidade na convocação do órgão”, diz o PS em nota à imprensa. No comunicado, os eleitos socialistas dizem ter recebido no dia 20 de Abril a convocatória para a Assembleia de Freguesia que ia realizar-se a 23. Isto quando a lei estabelece que, tanto a

convocatória como os documentos anexos, têm que ser enviados com pelo menos oito dias de antecedência sobre a data de realização da Assembleia de Freguesia, aos respectivos membros. Perguntam, assim, os eleitos do PS “como se pode pedir a um membro da Assembleia de Freguesia que discuta, analise e vote um documento de que não tem conhecimento atempado, para mais, tratando-se de documentos com alguma complexidade”. Em desacordo com o

atraso na convocatória e com a entrega também tardia dos documentos anexos, os eleitos socialistas, antes do início dos trabalhos, propuseram que a Assembleia de Freguesia fosse convocada de novo com a antecedência legal, ameaçando que se a lei não fosse respeitada nesta matéria, “abandonariam os trabalhos, dando conhecimento dos factos às entidades da tutela”. Perante isto, a sessão da AF foi de novo convocada para o próximo dia 30 de Abril.

Agrupamento de Pedome doa mil euros à Madeira Os alunos do pré-escolar e do 1º ciclo do Agrupamento Vertical de Escolas de Pedome participaram num projecto de solidariedade para com o povo da Madeira, intitulado: “Vamos dar as mãos à Madeira”. No âmbito desta iniciativa foram angariados mais de mil euros. Os responsáveis do agrupamento contam que, durante o mês de Março, foram trabalhados os afectos e a solidariedade e, deste modo, surgiu a ideia de transformar uma garrafa de plástico num mealheiro. Assim, as garrafas das respectivas escolas circularam por todas as salas, de modo a que alunos, professores, funcionários, pais e comunidade depositassem o dinheiro nas mesmas. A cerimónia de entrega do valor angariado realizou-se no passado dia 14 de Abril, e contou com a presença do representante da Cruz Vermelha de Braga, que admitiu “não estar à espera de ver e sentir tanto humanismo, empenho, solidariedade e afecto”.

Exposição de pintura em Delães “Chá com Arte” é o título de uma exposição de pintura que é inaugurada no próximo sábado, dia 1, pelas 16 horas, na sede da associação Organismo Vivo, em Delães. A mostra, que estará patente até dia 9 de Maio, reúne trabalhos dos alunos do ateliê “Elisabete Pinto”. A entrada é livre.

GNR detém dois jovens suspeitos de furto A GNR de Famalicão deteve dois homens, de 20 e 27 anos, conhecidos pelas alcunhas de “Frango” e “Xixa”, suspeitos de furto. Os dois homens foram detidos na segunda-feira, depois de mais de 15 qui-

lómetros de perseguição. Os suspeitos seguiam num carro roubado e confessaram ter realizado furtos no interior de viaturas em Famalicão, Avidos, Taipas, Guimarães, Riba d’Ave e Póvoa de Varzim. pub.


12

pública: 28 de Abril de 2010

25 de Abril celebrado em Lousado

A Casa do Povo de Lousado assinalou, mais uma vez, as Comemorações do 25 de Abril. Os torneios de sueca contaram com 16 equipas inscritas, de bilhar livre com 12 participantes, snooker com 28 inscrições e a Caminhada pela Liberdade teve mais mais de uma centena de caminhantes. No final, o também habitual jantar-convívio juntou todos os intervenientes e foi com muita animação que se fez a entrega dos troféus e lembranças. Na sueca venceu o par Gaspar Araújo e José António, no bilhar livre Raul Dias não deixou os seus créditos por tacada alheia e no snooker Joaquim Pereira foi o que teve a melhor performance. A iniciativa foi possível com o apoio da Câmara Municipal que esteve representada por Hugo Mesquita, da área do Desporto; da Junta de Freguesia de Lousado, representada pelo seu presidente, Manuel Martins, pelo tesoureiro, António Gomes, e pelo presidente da Assembleia de Freguesia, Vítor Pereira. Entretanto, em Maio, a Casa do Povo de Lousado organizará mais uma prova de Damas, no dia 15, coorganizada com a Federação Portuguesa de Damas.

freguesias

No Externado Delfim Ferreira

Alunos levaram à cena peça de Shakespeare No passado dia 16, o Externato Delfim Ferreira, de Riba d’Ave, abriu as portas do seu auditório para a estreia de mais uma peça de teatro dos alunos do curso Profissional de Artes do Espectáculo – Interpretação. O encenador/actor e professor João Cardoso decidiu enfrentar, com o seu elenco de actores composto pela turma do 11º ano do referido curso, o desafio de levar a palco, um grande clássico da dramaturgia europeia: “O Sonho de Uma Noite de Verão” de William Shakespeare. Para tal, juntou a equipa habitual, com a qual trabalha nas produções da Assédio, tais como Sissa Afonso para os figurinos e a cenografia; Nuno Meira, para o desenho de luzes, e Nuno Aragão, para a sonoplastia. Pôde ainda contar com a colaboração dos professores da parte técnica do Curso, além da coordenadora do curso, Alzira Teresa Pereira. Após dois meses e meio de trabalho, a peça foi apresentada. A Casa esteve cheia e a partilha foi total, já que, num engenhoso jogo barroco, bem ao gosto do teatro de Shakespeare, a encenação fez com que o público

2 de Maio.

A encenação fez com que o público integrasse o espectáculo

fizesse parte integrante do espectáculo. Assim, espectadores e actores partilharam o mesmo sonho e “foi com grande gozo que se ouvia a plateia a rir e a suspirar de surpresa quando de repente era surpreendida pela presença de um actor no seu meio”, diz a escola em nota à imprensa. E continua: “foi com grande mestria que “os nossos alunos conseguiram, através deste belíssimo texto, pleno de emoções, pôr o público a vibrar”. Na plateia, a aplaudir os

alunos estiveram Nuno Carinhas, director Artístico do Teatro Nacional S. João; Álvaro Santos, director artístico da Casa das Artes; os vereadores da Cultura, Paulo Cunha, e da Educação, Leonel Rocha, bem como de pais, amigos, alunos, professores e directores. Entretanto, o próximo espectáculo já está marcado, será a reposição da “História do Soldado”, desta vez na Casa das Artes, nos próximos dias 1 e

Altino Bessa falou da República Para celebrar o centenário da República, o externato foi palco, no passado dia 19, de uma palestra por Altino Bessa, deputado do CDS/PP à Assembleia da República. Altino Bessa abordou temas como o significado de se ser deputado da nação; a importância do órgão político como é a Assembleia da República; a responsabilidade de todos na defesa do regime democrático; a consciencialização de que o Estado somos todos nós; o trabalho desenvolvido pelos deputados enquanto representantes dos eleitores. O deputado sensibilizou ainda e os jovens presentes para a necessidade de uma permanente e consciente participação na vida política, salientando que a educação e a instrução, com responsabilidade, são os alicerces fundamentais para o exercício da cidadania. Altino Bessa louvou o estatuto do aluno em vigor no externato considerandoo como “uma mais-valia para o ensino de excelência” que considera ser praticado na instituição.

pub.

Medida abrange 115 escolas e 7.500 crianças

Câmara distribui frutas pelas escolas do concelho A Câmara Municipal de Famalicão iniciou, este mês, a distribuição de fruta (maças, peras e bananas) a todas as crianças que frequentam o ensino pré-escolar e do 1.º ciclo do concelho. A iniciativa surge no âmbito da candidatura ao Regime de Fruta Escolar (RFE) do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP). O programa prevê a distribuição gratuita de fruta, duas vezes por semana, a

todos os alunos do 1.º ciclo. No entanto, consciente da importância desta medida para a saúde de todas as crianças, a autarquia famalicense decidiu alargar esta distribuição a todos os jardins-de-infância do concelho, procurando, desta forma, aumentar o número de crianças que beneficiarão da inclusão destes alimentos nas suas merendas e incentivar o consumo de fruta, nos mais novos.

A medida abrange 115 escolas e perto de 7.500 crianças, num investimento de de 22.400 euros. Paralelamente, o município está a fornecer materiais didácticos (livros, cadernos de actividades, concursos, jogos, cartões ou fichas técnicas com as designações dos frutos ou hortícolas, CD ROM informativo), para ensino às crianças de hábitos de alimentação saudáveis.

JS de Telhado distribuiu cravos A Juventude Socialista de Telhado distribuiu, no passado domingo, 500 cravos, símbolo da Revolução do 25 de Abril, conjuntamente com 50 panfletos alusivos a esta data. O objectivo desta campanha foi ensinar aos jovens como era Portugal antes desse dia e como se tornou após esta data, bem como fazer recordar no Dia da Liberdade, o

antes e o após 25 de Abril. “A JS de Telhado quis lembrar que a revolução foi feita também pelos jovens. Muitos dos militares que saíram para a rua tinham idades compreendidas entre os 19 e os 20 anos e os Capitais de Abril que tinham entre os 28, 29 anos, como é o caso de Salgueiro Maia”, diz a jota em comunicado.


pública: 28 de Abril de 2010 17

praça pública

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

Maré Alta

Domingos Peixoto

Luciano Silva

Pensam que nos enganam Preocupado em acompanhar pessoa amiga na urgência hospitalar, até me esqueci que era véspera de “Abril”. Já era tarde quando me deitei, e, na insónia que se seguiu, revi a “revolução”! Revi a euforia dos primeiros dias de Abril, as canções à liberdade, o povo unido, a chegada dos exilados, o fim da guerra fratricida das colónias… Revi o primeiro Dia do Trabalhador em Liberdade no Estádio da FNAT a abarrotar de gente ávida da dita, onde, alegadamente, se exteriorizaram as divergências Soares Cunhal. Recordei o entusiasmo e o cheiro a liberdade das muitas noitadas populares de Abril, com a Praça da República e a Avenida dos Aliados repletas de povo com cravos vermelhos ao peito. Recordei as noites de festa e luta das classes trabalhadoras do Norte, nos Primeiros de Maio em liberdade, que enchiam os mesmos espaços 7 dias depois. Recordei o famigerado aparecimento “dos amarelos” e a hipocrisia da sua reivindicação em celebrar o 1.º de Maio naquele “nobre espaço dos trabalhadores nortenhos”. Recordei as “consequen-

tes” cenas de violência, as cargas policiais desmesuradas e desproporcionadas e as mortes de trabalhadores inocentes no mesmo espaço e nas suas redondezas, tudo para tentarem destruir a “muralha de aço” que era, como ainda hoje, felizmente, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses, Intersindical Nacional! Recordei a resistência da PIDE, o 11 de Março – com as mortes causadas por estes dois acontecimentos em contraste com o não derramamento de sangue no “golpe libertador” –, a “maioria silenciosa” do 28 de Setembro, o sequestro do Governo e da AR pelos Trabalhadores da Construção Civil – com as famosas frases de Pinheiro de Azevedo: “é só fumaça, ninguém arreda pé” e “não gosto de ser sequestrado, é uma coisa que me chateia…” –, o 25 de Novembro, os crimes de roubo e morte na Reforma Agrária e sua consequente destruição. Recordei, na sequência lógica destes factos, a progressiva viragem à direita, alegadamente com a influência decisiva de Frank Carlucci e a supervisão do FMI, impositiva de medidas económicas restritivas e gravosas para os Trabalhadores.

Eis, pois, como, na minha óptica se foi esvaindo, até ao estado em que hoje nos encontramos, a democracia, a liberdade, a justiça, a saúde, a segurança, o emprego enfim, uma vida com dignidade e igualdade de oportunidades! E assim se passou da “ambição” que todos cultivávamos em exercer as funções autárquicas de forma altruísta, para o exercício “açambarcador” das mesmas por parte de um restrito grupo, que se eterniza no seu desempenho, à custa de chorudas condições; e ainda há os que vêm reclamar de estar a perder dinheiro… Há por aí uns tantos – que já tiveram o seu tempo de protagonismo – que enchem a boca com afirmações do género: “eu não quero nada para mim”; “agora só quero travar o combate da regionalização”; “não tenho feitio para andar a arranjar votos”, que estão sempre ao lado do “chefe” e, em consequência, no escalonamento hierárquico de todos os actos electivos aparecem em destacadíssimos lugares, parecendo querer afirmar que a democracia e a liberdade é só com eles! Ah! Como se enganam ao pensarem que andamos enganados!

Modus Vivendi J. Mário Teixeira

Presente e futuro da Advocacia (13) A actividade legislativa tem, ao longo dos últimos 30 anos (com especial enfoque nos últimos 15), violado, reiteradamente, os princípios basilares da lógica de codificação das leis, com relevo para o Princípio da Estabilidade. A codificação das leis assenta no pressuposto da existência de uma sistematização num só corpo, num só texto, de modo durável e estável, um dado regime legal. E o que tem acontecido é exactamente o inverso, com códigos a serem sucessivamente alterados, a maior parte das vezes por meras razões conjunturais ou de circunstância, com regimes jurídicos, processuais, a espalharem-se por leis avulsas. A título de exemplo, veja-se o caso do Código de Processo Civil, aprovado pelo Decreto-Lei 44129 de 28/12/1961: - Até 1973 (12 anos após ter sido aprovado) foi alterado 3 vezes; - De 1974 a 1995 (durante 22 anos) foi alterado 27 vezes; - De 1996 a até à presente data (ao fim de 14 anos e 4 meses) foi já alterado 26 vezes (com a última, Lei 29/2009 de 29/06, a entrar em vigor apenas a 18 de Julho próximo, por força de um outro diploma ainda – Lei 1/2010, de 15/01). Este voraz apetite por legislar, cria acrescidas dificuldades a Advogados, e também Magistrados, no sentido de enquadrar juridicamente as matérias. As dúvidas são permanentes, e as certezas meras réstias do passado. Antes de Abril de 1974, havia um legislador monocromático, monocórdico, que se

guiava por uma doutrina ideológica comum. Hoje, o legislador é doutrinária e ideologicamente muito mais rico e diverso, e, assim susceptível de maior número de mudanças. E o próprio ritmo de vida, por força da evolução da sociedade de hoje cada vez mais rápida em todos os seus sectores, pressiona o Direito a acompanhar tal ritmo frenético. Assim, naturalmente, a necessidade legislativa cresceu. Outra coisa é o exagero de se alterar constantemente as mesmas leis, sem qualquer ideia de conjunto ou de harmonização: mudase, rectifica-se e enxerta-se, provocando complexas aplicações no tempo. Legisla-se à vista e sem se ouvir, verdadeiramente, quem deve. Funcionalmente, existem audições prévias antes da redacção final de muitas leis. Mas, na prática, são em tempos tão curtos que os ouvidos não têm tempo sequer de estudar as propostas, quanto mais pronunciarem-se sobre elas. Ou, pior, os seus contributos são deitados ao lixo, arrogantemente ignorados. Legisla-se muito e mal. Com má redacção e má pontuação, indutoras de erros e de dificuldades de interpretação. A falta de certeza é, hoje em dia, uma das maiores dificuldades do exercício da Advocacia. Urge voltar aos princípios basilares da codificação: unificação, simplificação, harmonização e estabilidade. Doutra forma, a dúvida, inimiga da paz porque motivadora de incerteza e de instabilidade, continuará a prejudicar a administração da Justiça e, assim, a justa resolução dos litígios.

A ditadura do século XXI Um dos vectores que deve caracterizar uma democracia como espaço de liberdade, é precisamente a existência de espaços livres de direito. Que quer isto dizer? Quer dizer que nem todos os aspectos da vida devem estar juridicamente regulados. Nem todos os aspectos da vida são juridicamente reguláveis. Uma sociedade que sente necessidade de regulação até ao mais ínfimo pormenor, até ao paroxismo, não será uma sociedade doente? Digamos que o fenómeno não é exclusivo da regulação estadual. Antes perpassa todas as esferas sociais onde as normas se podem exprimir. Nos locais de trabalho, nos locais de lazer, até nas relações pessoais. Todas as épocas sofrem das suas obsessões, e estou certo que, no futuro, quando alguém se dispuser a reflectir sobre o quanto descemos e o quanto aceitamos, quando se apaziguar na mente dos homens a loucura do comércio, compreenderão mais claramente todo este

absurdo. O exemplo mais fulgurante parte logo de cima, das instâncias de decisão europeia. Os regulamentos e directivas chegam aos magotes. Cada vez mais pormenorizados. Cada vez mais expansivos. Ignoram deliberadamente as especificidades nacionais e absorvem, quando transportados para a realidade nacional, os vícios atávicos de cada sociedade, aqueles que nunca passam... Em Portugal, por exemplo, a criação da ASAE ou, como lhe quiseram chamar, a PIDE dos comes e bebes, incorporou a obsessão pela assepticémia norte-europeia e a tradição inquisitorial lusitana. O pior de dois mundos... Os conflitos que tradicionalmente se resolviam à chapada à porta do café ou, nos casos mais felizes, com um gentelman-agreement, resolvem-se agora em tribunal com pedidos de indemnização chorudos. Quem se habituará à nova ditadura, aquela por quem ninguém dá a cara?

pub.


pública: 28 de Abril de 2010

18

publicidade/cultura

J o a q u i m A r a ú j o d e A ze v e d o Missa do 1º Aniversário Sua esposa, filhos e demais família, vêm por este meio participar que a missa do 1º Aniversário do seu falecimento será celebrada dia 01 de Maio de 2010 (Sábado), pelas 19 H na Igreja de S. Miguel-O-Anjo em Calendário e dia 8 de Maio de 2010 (Sábado), pelas 19h15 na Igreja Paroquial do Louro.

Desde já o seu profundo reconhecimento a quantas se dignarem assistir a este piedoso acto. Calendário, 28 de Abril de 2010 A Família

Jo aqui m Mo rei ra Agradecimento No passado dia 21 do mês de Abril faleceu o Sr.

Carlos Macedo lança novo trabalho O fadista lousadense Carlos Macedo lançou, no passado dia 22, no Museu do Fado, em Lisboa, o seu novo trabalho “Entre nós e o Fado”, acompanhado por Carlos Garcia à viola, Carlos Menezes à viola baixo e Custodio Castelo à guitarra portuguesa. Contando com a presença de diversas individualidades do mundo do espectáculo e da televisão, a apresentação do fadista ficou a cargo do seu amigo Custodio Castelo que não poupou elogios a Carlos Macedo, descrevendo-o como um grande fadista da história, um “homem dotado de sensibilidade, cujo talento se tem destacado pela diferença enquanto autor, compositor, interprete e construtor do seu próprio instrumento, a Guitarra Portuguesa” Neste novo trabalho, Carlos Macedo engloba os fados “Avé Maria fadista”, “Quero ser o teu velhote”, “Ser peregrino”, entre outros. Entretanto, no próximo dia 26 de Maio, Carlos Macedo apresenta o novo trabalho, na Casa das Artes de Famalicão, pelas 21h30.

Joaquim Moreira, que residia na freguesia de Santiago de Bougado. Sua esposa D. Rosa de Jesus Maia Reis, filhos, noras, genros, netos e demais família, vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se incorporaram no funeral do seu ente querido e comunicar que a missa de 7º Dia será celebrada Quarta-Feira, dia 28, pelas 19:30 horas na Igreja Paroquial da freguesia Santiago de Bougado. Desde já agradecem a todas as pessoas que se associaram à sua dor. Santiago de Bougado, 28 de Abril de 2010

ArtEduca promove recital de violoncelo e piano A ArtEduca promove um Recital de Violoncelo e Piano de Fernando Gomes e Tiffanny Butt, no seu auditório, na próxima sexta-feira, dia 30, pelas 21 horas. Este recital abre o Ciclo de Concertos dos Associados da ArtEduca e está integrado nas comemorações do 5° Aniversário do Conservatório. O programa contará com obras dos românticos R. Schumann, C. Debussy e E. Grieg. A entrada é livre.

Fundação promove oficina para o Dia da Mãe “O Retrato da minha Mãe” é o tema de mais uma oficina de expressão plástica dirigida aos mais novos que a Fundação Cupertino de Miranda promove no próximo sábado, dia 1 de Maio, entre as 14h30 e as 17h30. Tal como o nome indica, a actividade destina-se a assinalar do Dia da Mãe, convidando os mais pequenos a realizar um retrato imaginário da sua mãe, através de recortes e colagens com diversos materiais.

Falecimentos Hermano Correia Lobo, no dia 26 de Abril, com 79 anos, casado com Rosa da Conceição Ferreira Silva, da freguesia de Bairro.

Rosa de Fr eit as Sil va , no dia 21 de Abril, com 87 anos, viúva de Manuel de Gouveia, da freguesia de Ga viã o .

Manuel Neto Machado, no dia 22 de Abril, com 75 anos, casado com Ermelinda Amorim de Miranda, da freguesia de Sequeirô (Santo Tirso).

Jos é L u ís da Co sta Pa iva , no dia 25 de Abril, com 42 anos, casado com Laurinda da Purificação Couto Magalhães, da freguesia de Ar e ias ( Sa n to T ir so )

Ermelinda Neto Correia, no dia 22 de Abril, com 96 anos, viúva de Alberto Pereira da Cunha, da freguesia de Monte Côrdova (Santo Tirso).

Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Alberto da Costa Vila Verde, no dia 25 de Abril, com 83 anos, casado com Utília Augusta, da freguesia de Vila Nova de Famalicão.

Ma ria L u ísa R od ri gu es So to Ma io r, no dia 26 de Abril, com 64 anos, divorciada, da freguesia de Via t odo s. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

Joaquim Campos Ferreira, no dia 23 de Abril, com 65 anos, casado com Balbina Campos Seara Ferreira, da freguesia da Cruz. Ermelinda Rosa de Sousa, no dia 21 de Abril, com 85 anos, casada com Arlindo Machado dos Santos, da freguesia de Calendário. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Paulina Oliveira da Costa, no dia 12 de Abril, com 77 anos, viúva de António Rodrigues Costa, da freguesia de Ribeirão. Maria Glória da Costa, no dia 15 de Abril, com 84 anos, viúva de Avelino da Costa Vila Verde, da freguesia de Lousado. Francisco Gonçalves Festa, no dia 17 de Abril, com 79 anos, casado com Rosa Gonçalves de Matos, da freguesia de Santo Tirso (Várzea do Monte). Joaquim Moreira, no dia 21 de Abril, com 85 anos, casado com Rosa de Jesus Maia Reis, da freguesia de Santiago de Bougado (Trofa). Ana Ferreira, no dia 23 de Abril, com 80 anos, viúva de Fernando da Silva Gonçalves, da freguesia de Lousado. Funerária Ribeirense Paiva & Irmão Lda Ribeirão – Telf. 252 491 433

Joa q u im Ma r q ue s Ca r dos o, no dia 26 de Abril, com 75 anos, casado com Maria Conceição Miranda da Silva Cardoso, da freguesia de Ga viã o Agência Funerária do Calendário Calendário – Tel.: 252 377 207

Ma ria Jos é de Car va l h o, no dia 24 de Abril, com 85 anos, viúva, da freguesia de O l i v e i r a S . M a t eu s . Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Ma r i a M e n e z e s d e Fa r i a , no dia 23 de Abril, com 80 anos, viúva de José Luís Rodrigues Araújo, da freguesia de J e s u f r e i. Agência Funerária Arnoso - José Daniel Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 252 961 428


pública: 28 de Abril de 2010 19

cultura

Grande Prémio do ensaísta foi entregue na passada sexta-feira

ficca” Obra vencedora“dignifi Eduardo Prado Coelho O vencedor do Grande Prémio Ensaio Eduardo Prado Coelho, criado pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) e pela Câmara Municipal de Famalicão, foi o investigador Vítor Aguiar e Silva. O galardão foi entregue, na sexta-feira, dia 23 de Abril, na Biblioteca Municipal. Vítor Aguiar foi distinguido pela obra “Jorge de Sena e Camões – Trinta Anos de Amor e Melancolia”, que mereceu a unanimidade do júri, constituído por António Pedro Pita, José Cândido Martins e Paula Cristina Costa. Na sua intervenção, Vítor Aguiar e Silva disse que a sua obra foi escrita para dignificar a figura de Eduardo Prado Coelho. Depois de muitos louvores ao ensaísta e amigo, deixou elogios à forma como a cultura é dinamizada no município: “Este espaço e este prémio demonstram a forma como a cidade de Famalicão sabe ser grata e sabe acolher e alimentar os valo-

António Freitas

Carla Alexandra Soares

Vítor Aguiar e Silva durante a sua intervenção

res e práticas culturais”. Para o investigador, nos últimos anos, Famalicão tornou-se um exemplo da cidade moderna em que as actividades económicas convivem com a cultura, sendo que “a Câmara tem tido uma intervenção importantíssima neste domínio”. Recordo que é a Biblioteca Municipal que, desde 2008, acolhe o espólio bibliográfico de Eduardo Prado Coelho, composto por mais de 12 mil títulos, por doação da sua família. Foi, precisamente, este

intelectual da cultura portuguesa que o presidente da Câmara destacou na sua intervenção. Para Armindo Costa o prémio entregue é uma eternização do ensaísta, recordando a sua importância no debate de ideias e na promoção da cultura e, ao mesmo tempo, “incentiva a criação de trabalhos na área do ensaio literário”. Já José Manuel Mendes, presidente da APE, numa intervenção emotiva e cheia de experiências pessoais, lembrou a sua relação de amizade com Eduardo Prado Coelho.

Sobre Vítor Aguiar e Silva disse ser óbvia a sua consagração. “É uma conjugação feliz, a circunstância de ter existido neste acervo um livro com a revisitação dos estudos de Jorge de Sena em torno de Camões. Era previsível porque a conjugação de que eu falava tem a ver com a possibilidade de um prémio chamado Eduardo Prado Coelho começar com a distinção de alguém que tem um nome Vítor Aguiar e Silva, ou seja, nome maior, nome único, no universo dos estudos literários”, declarou O galardão foi entregue no âmbito de um colóquio internacional dedicado a Eduardo Prado Coelho, sob o tema “Um Pensador Multifacetado”. O colóquio, que decorreu durante toda a tarde, foi moderado por Sérgio Sousa e Eunice Cabral, professores das universidades do Minho e de Évora, respectivamente, e contou ainda com a presença de outros académicos portugueses e espanhóis.

Famalicão apresenta obra pedagógica de Bernardino Machado A Câmara Municipal de Famalicão, o Museu Bernardino Machado e a Edições Húmus apresentam na próxima sexta-feira, dia 30, sob a coordenação científica de Norberto Cunha, o II Tomo da Pedagogia, da colecção “Obras de Bernardino Machado”. Este II Tomo é composto pelas “Notas Dum Pai”, cujo texto foi publicado inicialmente em fascículos na revista “O Instituto”, de Coimbra, entre 1896 até 1903. A iniciativa insere-se nas comemorações do Centenário da I República, que a Câmara está a promover ao longo de 2010. Elaborando e desenvolvendo três grandes temas, a educação feminina, a filosofia política e a educação social (conforme os textos já publicados no I Tomo), esta última postura teórica seria posteriormente continuada por António Sérgio.

Cineclube exibe ciclo dedicado a Agnès Varda O Cineclube de Joane promove amanhã, dia 29, na Casa das Artes de Famalicão um ciclo dedicado à cineasta francesa Agnès Varda, com entrada livre. Agnès Varda é uma das mais importantes cineastas da actualidade. Foi a autora de “Duas Horas da Vida de Uma Mulher” (1961), um dos porta-estandartes da Nouvelle Vague, e desde aí vem flutuando livremente entre a ficção e o documentário, entre a curta e a longa-metragem. A realizadora que esteve recentemente em Portugal para participar numa série de iniciativas em torno da sua obra, no âmbito da Festa do Cinema Francês, tem sido alvo de uma atenção crescente do público em Portugal, evidenciado em duas das suas mais recentes obras, de carácter documental: “Os Respigadores e a Respigadora” (2000) e “As Praias de Agnès” (2008), já exibidas pelo Cineclube de Joane. Neste ciclo serão exibidas todas as suas curtas-metragens, realizadas entre 1954 e 2004 e divididas em blocos temáticos. Começa às 21h30.

Ciclo “As Grandes Questões da República” prossegue em Famalicão

Artur Coimbra abordou a contra-revolução monárquica

Museu Bernardino Machado

“Paiva Couceiro foi um dos poucos monárquicos que não se conformou com a implantação da República e combateua pelas armas. Foi este general monárquico/conservador que liderou a contra-revolução monárquica a partir da Galiza, onde se exilou com outros monárquicos”. Foi desta forma que Artur Coimbra, mestre em História, expôs, no passado dia16, no Museu Bernardino Machado, a contra-revolução monárquica, nos anos a seguir à implantação da República em Portugal. O orador falava em mais uma conferência no âmbito do ciclo “As Grandes Questões da República”. De acordo com Artur Coimbra, Paiva Couceiro exigiu aos governantes republicanos a realização de um voto expresso (plebiscito) e a restauração da Carta Constitucional de 1926, pretendendo mostrar que existia uma alternativa monárquica ao regime republicano. Para o conseguir organizou um pequeno exército e fez duas incursões pelo norte transmontano. Apesar disso, foram rapidamente neutralizados pelas forças republicanas. Mas os ataques à República persistiram, com o en-

volvimento activo de parte do clero. O mais importante ocorreu em 1918, com a proclamação da Monarquia do Porto, pela Junta Militar do Norte. O país ficou dividido em dois: acima do rio Vouga mandava a monarquia, e o sul, fiel à República, nunca elevou a bandeira azul da monarquia. O sonho do regresso à monarquia durou 25 dias, que o exército republicano derrotou. Foi um período de grande terror e violência, que ficou conhecido “pelo Reino da Traulitânia”. Os monárquicos aproveitaram o momento para fazer ajustes de contas e desencadear vinganças pessoais, com grande crueldade e violência. Porém, a Monarquia do Norte, como ficou conhecido este pequeno período de dominação monárquica, falhou. Dificilmente poderia ter outro desfecho, porque não contou com o apoio do rei D. Manuel, exilado em Inglaterra, nem teve o reconhecimento de Espanha e Inglaterra. A próxima conferência está agendada para 21 de Maio e será dedicada ao tema “A resistência operária à I República”, contando com a presença de Paulo Guimarães. pub.

Famalicão

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 302 120 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Av. Eng. Pinheiro Braga, 72 - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Largo de Bragadela - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300

Famalicão

S e r vi ç o

R e f o rç o

Vale do Ave

Ser viço

Q u ar t a, 2 8

Central

Nogueira Oliveira Monteiro

Q ui nta, 29

Calendário Riberião

Barbosa Oliveira Monteiro

S e x t a, 3 0

Valongo

Cameira Oliveira Monteiro

Q u ar t a, 2 8 Q ui nta, 29 S e x t a, 3 0 S áb ad o , 1 Do m i ngo , 2 S e g u n d a, 3 Terç a , 4

Riba d’Ave Faria Almeida e Sousa Riba d’Ave Delães Bairro Faria

S á ba d o , 1

Gavião

Do m i ngo , 2

Barbosa

S e g u n d a, 3

Cameira

Nogueira Joane

Terç a , 4

Central Ribeirão

Gavião Joane

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124 Faria: Estrada Nacional 310 - Serzedelo - Telf. 252 532 346

Serviço de disponibilidade

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 Santiago da Cruz: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612


20

pĂşblica: 28 de Abril de 2010

publicidade

OP938  

PJ detém homem por tentativa de homicídio em Famalicão Governo vai alterar lei para permitir acesso a estrangeiros Beleza e Dia da Mãe www.o...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you