Issuu on Google+

Duas mulheres atropeladas em Riba d’Ave

Candidato socialista apresentou-se num jantar em Ribeirão

Reis Campos confiante na vitória

Duas mulheres foram atropeladas na sexta-feira passada, em Riba d’Ave, quando atravessavam a passadeira. Uma delas foi arrastada em cerca de 150 metros e ficou ferida com gravidade; a outra sofreu ferimentos ligeiros. Ao passar pelas vítimas, um dos ocupantes do carro roubou a carteira de uma delas. p. 9

p. 7

ANO 17 • Nº 874• Gratuito 4 A 10 DE FEVEREIRO DE 2009 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

opiniãoespecial

Parceria abrangerá também novas piscinas, multiusos e pavilhões desportivos

CÂMARA QUER PARTICIPAÇÃO DOS PRIVADOS NA CIDADE DESPORTIVA Fique a saber o que fazer para ter um casamento perfeito PP. 13 a 15

A Câmara de Famalicão avançou com o processo de criação de uma parceria público-privada para a construção e manutenção de novos equipamentos desportivos no concelho. É o caso da cidade desportiva, das piscinas do Louro e de S. Cosme e de mais três pavilhões desportivos. A decisão foi tomada na última reunião do

Primeira pedra lançada

executivo e abrange também um multiusos e um novo pavilhão municipal que a autarquia quer construir nos terreno do actual estádio. Os vereadores do PS votaram contra, considerando que a parceria vai “hipotecar as gerações vindouras”, não acreditando, contudo, que a mesma se vá concretizar. p.4

Autarca defendeu criação das regiões, na apresentação do Plano Estratégico do município

Centro Social Armindo Costa confessa-se de S. Cosme pronto em 2010 rendido à regionalização p. 4

p. 8

Gondifelos espera arranjo do centro cívico p. 1 0

Ribeirão: operárias com salários atrasados p. 9

opiniãosport: Hóquei: Riba d’Ave segue na liderança da 2ª divisão Jorge Paulo Oliveira faz balanço do ano desportivo


02

pública: 4 de Fevereiro de 2009

espaço aberto

Conhece situações que podem ser retratadas na Objectiva Pública? Envie as suas fotografi fia as, acompanhadas de um pequeno texto com o local e a descrição, para o e-mail: informacao@opiniaopublica.pt ou entregue nas instalações do Opinião Pública, na Rua 8 de Dezembro, nº 214, em Antas.

Agenda

Objectiva Pública

Quinta-feira, 5 18h45 Recital por Jela Spitkova, em violino, no Auditório Padre António Vieira, nas Caldas da Saúde, promovido pela Artave. 21h30 O Cineclube exibe o filme “A Rapariga Cortada em Dois”, de Claude Chabrol. No pequeno auditório da Casa das Artes.

Sexta-feira, 30 18h45 A Artave promove mais um recital, desta feita de trombone, por Ximo Vicedo Davó. No Auditório Padre António Vieira, nas Caldas da Saúde. 21h00 Orfeão Famalicense organiza um “Concerto de Música Coral”, no Auditório da Fundação Cupertino de Miranda, com a participação do Coral de Nossa Senhora da Conceição de Antas.

Domingo, 8 Pedro Alexandre Silva

9h00/12h30 Associação de Dadores de Sangue promove colheita de sangue no salão paroquial de Gavião, com o apoio dos escuteiros e do grupo de jovens da freguesia. 9h00/12h30 Colheita de sangue no Centro Paroquial de Bairro, promovida pelo Agrupamento de Escuteiros da Freguesia, em colaboração com o Instituto Português do Sangue.

Há quatro semanas atrás, chamamos a atenção para algumas passadeiras existentes no Lago Discount, em Ribeirão, cuja colocação não tinha sido acompanhada do rebaixamento dos passeios e do separador central. Verificamos, agora, com satisfação, que esse rebaixamento já está a ser feito. Os clientes e visitantes daquele empreendimento comercial, certamente, agradecem… e nós também!

Questão Pública “Concorda com a criação de uma parceria público-privada para a construção e gestão de equipamentos desportivos no concelho?”

Custódio Oliveira

Ana Maria Oliveira

Maria Augusta Santos

dirigente associativo A partir dos anos 80/90 do século passado, surgiram na Europa novos conceitos relacionados com as políticas públicas. A complexidade e diversidade dos problemas exigem respostas diferentes e inovadoras que passam pelo estabelecimento de parcerias e por respostas em rede. As parcerias do Estado (autarquias e administração central) com o sector privado são aceitáveis desde que daí resultem vantagens públicas claras e não só lucros seguros ou fáceis para os privados. Quanto à construção de equipamentos em parceria público-privada é fácil detectar vantagens para o sector público. Já quanto à gestão em parceria são muitas as dúvidas. Sabemos que o objectivo mais comum ou natural na gestão privada é de garantir o lucro… E os equipamentos públicos desportivos ou outros devem ser para servir as pessoas e não para o lucro de alguém.

Defendo que as autarquias devem e têm de estar abertas à sociedade civil, nomeadamente através da criação de parcerias público - privadas, desde que não seja posta em causa, entre outras, a dimensão social das autarquias. Num país que queremos moderno e numa sociedade que pretendemos aberta à inovação, o sector privado constitui um parceiro indispensável. Contudo, a constituição de uma “sociedade” de capital minoritariamente público, com fins lucrativos, para construir e gerir equipamentos desportivos no nosso Concelho, suscita-me sérias reservas. Não gostaria de olhar para esta parceria como estratégia da Câmara para concretizar obras que terão de ser pagas pela geração vindoura a custos excessivamente mais elevados e muito menos a aceitarei como uma habilidade de campanha eleitoral. Os Famalicenses pouco ou nada sabem sobre este assunto. É, pois, necessário um amplo debate sobre tão importante matéria que deverá ser claramente explicada e discutida, nomeadamente a construção da “Cidade Desportiva” e o destino que será dado à actual zona desportiva. Face a tanta falta de informações e esclarecimentos, considero que esta parceria, nos moldes que até agora conhecemos, não terá como objectivos o desenvolvimento de Famalicão e o bem-estar dos Famalicenses.

FICHA TÉCNICA

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

CONSELHO EDITORIAL:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO:

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

autarca

professora

Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

APOIO À REDACÇÃO:

REDACÇÃO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino

informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR-320) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

Jorge Alexandre

GERÊNCIA: João Fernandes DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

As parcerias público-privadas são utilizadas por muitos países da União Europeia. Em Inglaterra, por exemplo, Margaret Tatcher nos anos 80 recorreu frequentemente a este modelo para envolver os privados na construção e gestão de equipamentos. A nossa realidade é diferente, o progresso chegou mais tarde à nossa região, lembro que só agora, e após um esforço significativo deste executivo, foi possível estender a rede de água e saneamento a praticamente todo o Concelho. Numa lógica de desenvolvimento sustentável, é altura para dar outros passos importantes para nos afirmarmos como Concelho moderno e com qualidade de vida. Para isso, não devemos ter preconceitos em relação a modelos já experimentados com sucesso. Recordo que estamos a falar de vários equipamentos: pavilhões desportivos em Nine, Avidos e Cavalões; piscinas em Vale S. Cosme e Louro; um pavilhão multiusos e todo o novo projecto da cidade desportiva. Investimentos importantes para Famalicão, que as parcerias publico-privadas permitem em tempo útil e com menor esforço financeiro para a Autarquia.

PROPRIEDADE E EDITOR:

Serviços Administrativos:

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

www.opiniaopublica.pt

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

CONTACTOS Redacção:

15.000 exemplares, nº 874

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS: Francisco Araújo

IMPRESSÃO:

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


pública: 4 de Fevereiro de 2009 03

cidade

PS votou contra, discordando do método seguido pela maioria

Câmara aprova compra de 20 hectares para o Parque da Cidade A Câmara Municipal aprovou, na passada quinta-feira, a aquisição de 20 hectares de terreno, na Quinta da Devesa, destinados à criação do futuro Parque da Cidade, que irá englobar o Museu do Surrealismo. A proposta, analisada na reunião do executivo, não foi, porém, consensual e mereceu o chumbo dos vereadores do Partido Socialista. Para o presidente Armindo Costa, está “lançada a semente” para a “concretização destes dois grandes projectos que irão transformar Famalicão num exemplo de desenvolvimento e qualidade de vida”. Já a oposição continua a acusar a maioria PSD/PP de apresentar

“propostas avulsas” para a Devesa, “sem ter noção do que efectivamente quer lá fazer”. Na reunião foram aprovadas pela maioria propostas de aquisição de terrenos a dois proprietários, o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário (Citeve) e um privado que detém a maioria do espaço da quinta. No total, passam para a alçada do município 20 hectares, de um total de 30 que constituirão o futuro parque. A compra foi aprovada por um montante de 310 mil euros, sendo que uma parte dos terrenos adquiridos será financiada mediante contrapartidas urbanísticas que serão

Pesar pelo falecimento de Mário de Sá Oliveira A Câmara Municipal de Famalicão aprovou, a semana passada, por unanimidade, um voto de pesar pelo falecimento de Mário de Sá Oliveira, pai do vereador Jorge Paulo Oliveira. Mário de Sá Oliveira faleceu no passado dia 27 de Janeiro, vítima de doença. Era natural de Calendário, “localidade com a qual manteve fortes laços de pertença ao longo da sua vida”, lê-se no voto de pesar. E continua: Homem de “personalidade forte, com um estilo de liderança consensual e um forte espírito empreendedor na concretização das suas convicções”, Mário de Sá Oliveira “foi um lutador incansável pelo desenvolvimento da comunidade famalicense”. Empresário de profissão na fábrica Malhas do Minhoto, que herdou dos seus pais e geriu com os seus irmãos, Mário de Sá Oliveira foi também presidente da Junta de Freguesia de Calendário entre 1981 e 1989 e era deputado à Assembleia Municipal desde 2002. Foi ainda fundador e dirigente da Associação de Caça e Pesca de Famalicão e do Núcleo de Caçadores e Proprietários de Famalicão, bem como presidente da Direcção e da Assembleia Geral do GD Lagense. Em 1990 e 1992 integrou, como vogal, a direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Famalicão.

Câmara vai distinguir empresas envolvidas nos CNO A Câmara Municipal vai criar o Prémio de Mérito Empresarial “Novas Oportunidades” de Famalicão, destinado a distinguir empresas “que tenham contribuído, de forma significativa, para a consolidação dos objectivos de certificação de competências da população activa”. A medida foi aprovada na última reunião do executivo, quinta-feira passada, e surge de uma ideia manifestada no âmbito da equipa concelhia de acompanhamento aos Centros Novas Oportunidades (CNO) existentes no município. Este prémio, meramente simbólico, passa pela atribuição de um “selo”, que será uma espécie de certificado, às empresas que se empenharam na formação dos seus colaboradores ou dos formandos que estão nas escolas, chamando-os para estágios profissionais.

dadas ao Citeve e ao outro proprietário, o que implicará uma revisão do Plano Director Municipal. Com as decisões agora tomadas, Armindo Costa diz que a Câmara fica em condições de avançar com as obras de construção do futuro Museu do Surrealismo, bem como com a construção dos arruamentos que vão infra-estruturar as acessibilidades ao parque. O edil anunciou ainda que até ao final do ano o plano urbanístico da Devesa deverá ficar concluído. Estes argumentos não convenceram os vereadores da oposição, que defendem o parque, mas discordam do método seguido pelo

executivo. “Uma vez trata-se de uma via, outra vez de um terreno para o museu do surrealismo, mais adiante do problema da capacidade construtiva de um particular… Sem se ter uma ideia de conjunto para toda a zona de intervenção, não se deve andar a fazer as cosias à peça”, sustenta Rubim Santos, desafiando o executivo a apresentar um plano de pormenor para a Devesa. Em resposta, Armindo Costa acusou os socialistas de estarem a “tentar boicotar a construção do parque porque não gostam de Famalicão”. C.A.

Subsídio para as corporações de bombeiros Foi aprovado, na reunião de Câmara da passada quintafeira, o habitual subsídio anual às corporações de bombeiros do concelho e ao núcleo da Cruz Vermelha de Ribeirão. A cada uma das três corporações (BV Famalicão, BV Famalicenses e BV de Riba d’Ave) será atribuído um apoio de 90 mil euros. Já o núcleo da Cruz Vermelha receberá 42 mil euros, uma vez que não realiza combate e prevenção a fogos florestais.


04

pública: 4 de Fevereiro de 2009

cidade

Maioria quer parceria público-privada para cidade desportiva, PS diz que é propaganda

Câmara vai construir multiusos no actual Estádio Municipal Cristina Azevedo A Câmara Municipal de Famalicão vai construir um pavilhão multiusos e um novo pavilhão desportivo nos terrenos do actual Estádio Municipal. A novidade foi avançada por Armindo Costa, na passada quinta-feira, no decorrer da reunião do executivo camarário, a propósito do lançamento de um concurso público internacional para a criação de uma parceria público-privada destinada a construir e gerir equipamentos desportivos no concelho. O objectivo é criar um sociedade comercial, de capitais minoritariamente públicos, para a construção e manutenção da cidade desportiva e de outros equipamentos, nomeadamente, um pavilhão multiusos, um pavilhão desportivo municipal as piscinas do Louro e de S. Cosme e dos pavilhões de Nine, Avidos e Cavalões. No total, o investimento rondará os 50 milhões de euros e Armindo Costa acredita

Maqueta da futura cidade desportiva

que possa arrancar dentro de dois anos, algo que não seria possível “se fossem executados com o orçamento da Câmara”. “Nesse caso só seria possível daqui a 12 ou 13 anos, e não faz sentido ter-

mos todos os concelhos aqui à volta equipados e Famalicão ficar para trás”, justificou aos jornalistas, no final da reunião. De resto, o presidente da Câmara diz que parcerias

deste género já foram feitas noutros municípios, “algo que Famalicão observou e estudou tendo, agora, adoptado aquele que lhe parece ser o melhor modelo”. “Nós queremos fazer estes equipamen-

tos todos, de uma vez só”, acrescenta, afirmando ainda que este investimento servirá também de resposta à crise que o país atravessa, já que os privados “vão ter obra para fazer” e essa será “a contrapartida que irão ter ao entrar nesta parceria”. Na cidade desportiva, como já foi anunciado, será construído um novo estádio Municipal, enquanto no actual e nos campos de treino serão edificados o pavilhão multiusos e um novo pavilhão desportivo municipal. Assim sendo, o actual pavilhão deixará de ser necessário e “o mais provável é que vá abaixo”, mas Armindo Costa assegura que os terrenos, que já estão em nome da autarquia, não são para vender nem para construção urbanística. “Esse terreno será absorvido ou pelas piscinas, que ficam ali ao lado, ou pelo projecto do multiusos”, garante. PS não acredita que as obras se façam A proposta foi aprovada

apenas pela maioria PSD/PP, já que os vereadores do PS votaram contra. Por um lado, não concordam com a mudança de local do Estádio Municipal e, por outro, entendem que esta parceria público-privada vai “hipotecar as gerações vindouras”. “Quem faria aqueles equipamentos desportivos seria uma empresa privada, que tem um fim lucrativo e que vai querer retorno, forçosamente, o que significa que vão ser os famalicenses a pagar”, afirma Rubim Santos. Para o vereador do PS “esta ideia é aterradora para os munícipes”, que só não deixa o PS mais preocupado porque “nada disto é para ser feito”. “Isto é para anunciar em época de eleições, é anunciado um pavilhão aqui e outro acolá, é feito um processo de parceria à pressa, visando unicamente a propaganda. Depois das eleições, fica tudo como dantes”, concluiu Rubim Santos.

Autarca falava na apresentação do Plano Estratégico para o município

Carla Alexandra Soares “É urgente a existência dum Governo Regional para melhorar a administração pública”. A afirmação é de Armindo Costa que, na terçafeira da semana passada, voltou a defender a regionalização na apresentação do Plano Estratégico do Município de Famalicão 20072013. O documento define as opções e propostas que auxiliam e potenciam o posicionamento do concelho face às exigências e oportunidades do novo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). O plano estratégico foi desenvolvido pela Câmara, em associação com entidades e actores representativos do tecido empresarial, social e cultural do concelho.

O edil famalicense classificou o plano apresentado como o documento mais importante para o concelho, depois do Plano Director Municipal. Nele são traçados quatro grandes compromissos, que passam pela qualificação das pessoas e do território, pelo desenvolvimento, bem como pela coesão social e económica. “Temos o compromisso de defender, de modo firme e intransigente, os interesses do concelho de Famalicão nos organismos regionais, nacionais e comunitários”, enumerou o autarca, garantindo que é com base nestes princípios que está a trabalhar. Aproveitando os projectos que tem para o concelho e perante o grande auditório da Casa das Artes lotado, Armindo Costa voltou a de-

fender a regionalização. Disse que apesar das auto-estradas e das novas tecnologias, Portugal continua a ser um país centrado nas suas decisões e que, nos últimos anos, o distrito de Braga perdeu centros de decisão para o Porto, estando cada vez mais longe de Lisboa e do Terreiro do Paço. Assim, para o autarca torna-se urgente encontrar um caminho que transfira os centros de decisão para um lugar mais próximo das autarquias e das populações. “Confesso que já fui contra a criação das regiões administrativas. Mas a experiência de 11 anos como autarca, sete dos quais como presidente da Câmara, despistou todas as dúvidas. Hoje, estou plenamente convencido de que a existência de um Governo Regional é essencial para melhorar a administração pública portuguesa e combater as teias do centralismo”, explicou. Armindo Costa defendeu ainda que a criação das regiões administrativas, legitimadas pelo voto popular, é essencial para que o poder político que esteja acima das autarquias seja dotado de uma sensibilidade regional que promova o desenvolvimento dos municípios. Grandes projectos para o concelho De resto, sobre o Plano Estratégico para Famalicão, Armindo Costa avançou com os grandes projectos que, segundo ele, serão decisivos para a qualificação do concelho. Referiu-se ao Parque da

António Freitas

Armindo Costa volta a defender a regionalização

Grande auditório encheu para conhecer o Plano Estratégico para Famalicão

Cidade, a nova Cidade Desportiva e àquele que apelidou de alavanca de promoção e qualificação da nossa indústria alimentar: o Centro Tecnológico da Carne. “São projectos grandiosos que vão qualificar Famalicão e determinar o nosso desenvolvimento nos anos que se avizinham. São esses e outros projectos que ajudarão a fazer de Famalicão um dos melhores concelhos do país para viver e investir”. Para além de muitos presidentes de Junta das freguesias famalicenses e deputados na Assembleia Municipal, também esteve presente na cerimónia o vice-presidente da Comissão de Coorde-

nação de Desenvolvimento Regional do Norte. Paulo Gomes, na mesma linha de Armindo Costa, defendeu acerrimamente a regionalização tendo em conta a preparação dos intervenientes, que podem dizer o que querem e porquê para a sua região: “Não precisamos do Terreiro do Paço para poder dar a nota das prioridades que condicionam o desenvolvimento do território”, declarou. Por outro lado, a regionalização vai permitir que responsabilidades que hoje se exercem à escala nacional sejam exercidas à escala regional e por isso não haverá só o Porto, haverá uma rede de cidades”.


pública: 4 de Fevereiro de 2009 05

cidade

JSD acusa JS de falta de honestidade intelectual A Juventude Social Democrata (JSD) de Famalicão acusa a Juventude Socialista (JS) de “falta de honestidade intelectual”, a propósito das sete medidas de combate ao desemprego que apresentou a semana passada, dirigidas à Câmara Municipal. Esta semana, em comunicado, a JSD diz que partilha com a JS de alguns pontos de vista a propósito de medidas locais de promoção de emprego, algumas das quais já vem defendendo há bastante tempo. Porém, a jota laranja lamenta aquilo que diz ser “a falta de honestidade intelectual” da jota socialista ao “limitar-se a atirar para o governo local, no caso de Famalicão liderado pela coligação PSD/PP, as responsabilidade da promoção de emprego”, quando sabe que essa matéria “é da inteira responsabilidade do governo socialista”. Considerando que “os jovens portugueses vivem hoje a pior situação de falta de emprego de sempre”, a JSD diz que “a grande responsabilidade em encontrar soluções e respostas, criar condições de acesso, facilitar o empreendedorismo cabe a este governo, liderado pelo PS e por José Sócrates”. Por isso, a JSD diz que espera do governo, como a JS espera da Câmara, “maior empenho” na busca de soluções e medidas para este flagelo. A jota laranja aproveita também para lançar um desafio, neste caso ao socialista Mário Martins, novo director do centro de emprego de Famalicão, para que “promova a qualidade e criação de emprego e não se limite a emitir e a tratar dados estatísticos”.

PCP reúne em assembleia para eleger nova comissão A Organização Concelhia do PCP de Famalicão organiza, no próximo sábado, dia 7 de Fevereiro, a X Assembleia. O evento começa às 14h30, no auditório da Associação Teatro Construção, em Joane. “Num ano de importantes lutas políticas e sociais, a realização da X Assembleia irá analisar a actividade do PCP no concelho desde a IX Assembleia (Abril de 2006), bem como delinear a intervenção do partido nos próximos actos”, informa o PCP em nota à imprensa. Os objectivos do partido vão constar do projecto de resolução política com o lema “Agitar, mobilizar, intervir”, que será apresentado na assembleia. Além disso, esta reunião servirá também para eleger uma nova Comissão Concelhia do PCP de Famalicão. Esta assembleia realiza-se um dia antes da vinda de Jerónimo de Sousa ao distrito. O líder comunista vai participar num comício pelas 16h30 do próximo domingo, em Pevidém (Guimarães).

PASEC na campanha “Jovens activos na Democracia” A semana passada, entre 24 e 31 de Janeiro, foi lançada a campanha “Jovens Activos na Democracia”, integrada no projecto “Dimensão Cosmos” e na qual participou a PASEC – Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais, de Famalicão. Entre as principais iniciativas realizadas, destacamse as acções realizadas pelos Clubes Cosmos (Espaços de Ocupação de Tempos Livres orientados pelos animadores do projecto) e o intercâmbio realizado com jovens das Oficinas de S. José, de Braga, e dos restantes Clubes Cosmos. Nos Clubes Cosmos realizaram-se Oficinas de Ex-

pressão Plástica e Escrita (duas em Braga e duas em Famalicão) com o tema “O meu Parlamento, as minhas ideias”. A partir dos melhores desenhos e frases será lançada uma t-shirt alusiva à campanha. Participaram 79 crianças e adolescentes entre os 10 e os 14 anos. Já o intercâmbio teve lugar na Serra da Estrela, nos dias 24 e 25 de Janeiro. Incluiu uma visita aos museus e ao castelo de Belmonte, bem como à aldeia de Sortelha. A noite foi passada na Pousada da Juventude da Serra da Estrela, onde se realizou uma noite de reflexão sobre o tema da campanha. No domingo, os grupos passaram pelo Mu-

Os participantes que estiveram no intercâmbio

seu do Pão, em Seia. Depois destas iniciativas, a campanha contará com mais de uma dezena

de iniciativas, atingindo mais de mil crianças, adolescentes e jovens na Bulgária, Portugal e Hungria.


06

pública: 4 de Fevereiro de 2009

Clubes Interact e Rotaract do norte reuniram em Famalicão

O Interact e o Rotaract Club de Famalicão organizaram, pela primeira vez, a reunião de todos os clubes do Norte do país. Do programa, que se teve lugar no Centro de Estudos Camilianos, constou uma sessão de trabalhos que serviu para debater os projectos já realizados e aqueles que os diferentes clubes querem levar a efeito durante este ano. O dia incluiu ainda uma visita à Casa de Camilo. Não em Famalicão, mas em Braga os jovens formaram o símbolo deste ano rotário sob o signo “Realizemos os sonhos” através de um cordão de cachecóis. Recorde-se que o Rotaract Club de Famalicão já existe há

alguns anos, mas esteve parado devido à falta de elementos, estando há dois anos reactivado. Entretanto, foi também criado o Interact, um clube com jovens mais novos, e nos últimos anos ambos têm trabalhado juntos em muitas actividades, nomeadamente algumas com cariz solidário. Recentemente, participaram numa festa em Sezures no sentido de angariar fundos para uma cadeira de rodas eléctrica para dar a uma criança. Participaram também na Feira da Juventude, em Setembro, com o objectivo de reunir verbas para o Pedro Miguel, de Riba d’Ave, uma criança com paralisia cerebral e que precisa de alguns tratamentos médicos.

Congresso defende mais educação para a deficiência

A necessidade de se trabalhar mais o problema da deficiência social ao nível da educação, promovendo a prevenção primária, foi uma das conclusões saídas do I Congresso Internacional Sobre Deficiência, que a LIPAC – Liga de Profilaxia e Ajuda Comunitária, com sede em Famalicão, promoveu na última sexta-feira e sábado, em Braga. A ideia foi aprofundada pelo presidente da LIPAC, Manuel Silva Marques, que referiu que “quem de direito condicionou todo um trabalho da LIPAC, dificultando-nos a concretização de um projecto totalmente inovador, iniciado em Outubro de 2007 em quatro escolas e sete turmas no concelho de Famalicão, onde esperávamos trabalhar competências com jovens dos 11/12 até aos 16/17 anos”. De destacar também a intervenção do presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, Armando Leandro, que defendeu que nenhum jovem com menos de 16 anos possa ser criminalizado. “Há um aumento da participação de jovens em crimes graves mas isso não significa que se deve diminuir a idade da imputabilidade em Portugal”, disse. Nas conclusões do congresso pode também ler-se que a organização considera que “os objectivos propostos foram largamente alcançados”, lamentando a existência de “críticas vindas de onde não se esperavam” mas que, garantem, “não foram capazes de denegrir tudo quanto enriqueceu este congresso”.

cidade

Desejo foi manifestado pela coligação PSD /CDS-PP

Juntos e com Armindo Costa no poder

Ricardo Mendes do CDS-PP e Paulo Cunha do PSD

Pedro Alexandre Silva As Comissões Políticas do PSD e do CDS-PP anunciaram, na passada quinta-feira em conferência de imprensa, que é sua vontade voltar a ir a votos juntas e com Armindo Costa como candidato. Esta foi a ideia deixada pela coligação de Famalicão no encontro com os jornalistas que serviu para fazer a análise da situação política actual e da conjuntura económica famalicense. Na ocasião Paulo Cunha, líder da concelhia laranja, elencou várias medidas cumpridas pelo actual executivo, sublinhando aquilo que considera ser uma política de rigor em gestão autárquica. O dirigente salientou que “os famalicenses têm cada vez mais razões para se sentirem orgulhosos do concelho que escolheram para viver”, referindo que “enquanto a coligação for poder em Famalicão, não irá ser preciso viver na cidade para ter acesso a uma escola, piscina ou pavilhão desportivo”. “Connosco não existirão famalicenses de primeira e de segunda”, afirmou. A coligação elencou um conjunto de considerações sobre actual executivo a quem elogiam o trabalho efectuado nos últimos oito anos. NoCerca de 180 alunos do 9º ano da Externado Delfim Ferreira, de Riba d’Ave, visitaram, na passada sexta-feira, as instalações da Editave Multimédia. Numa manhã bastante animada, os estudantes, acompanhados pelos respectivos professores, começaram por visitar a Redacção e ver como se preparam as notícias para a Rádio Digital, Jornal Opinião Pública e Fama TV. Depois, foram guiados aos estúdios da Rádio Digital, onde acompanharam a emissão em directo. Já na Fama TV, surpreenderam-se com as explicações de como se prepara e faz a montagem de uma peça para televisão. Ao Externato Delfim Ferreira, a Editave Multimédia agradece a visita, reafirmando a sua disponibilidade para outras iniciativas do género.

meadamente, a apresentação do Plano Estratégico do Município 2007/2013, os projectos conjuntos do quadrilátero que une os concelhos de Famalicão, Barcelos, Braga e Guimarães, a confiança dos privados e o reconhecimento de várias entidades sobre a gestão financeira do município. No entanto, a coligação frisou que “a conferência não serve como voto de confiança, nem uma palavra simpática, é uma constatação objectiva”. “Hoje qualquer famalicense, ainda que politicamente não simpatiza com Armindo Costa ou com esta coligação, fará o favor de reconhecer que rigor e correcção na gestão autárquica existiram” adiantou Paulo Cunha. “O que nós pretendemos dizer é que não houvesse esse rigor, essa capacidade de boa gestão dos dinheiros públicos e não poderíamos estar aqui a elogiar este trabalho, por isso, é vontade do PSD e do PP irem novamente a eleições coligados, e com Armindo Costa como candidato”, vincou, lembrando que nunca o negaram. De resto, a coligação voltou a defender o dinamismo, o arrojo e a capacidade empreendedora do actual executivo, lembrando as iniciativas e

as obras que irão avançar através do quadrilátero e aquelas contempladas no Plano Estratégico do Município, tais como, o Parque da Cidade, o Pavilhão Municipal, a Cidade Desportiva, um conjunto de polidesportivos, piscinas e centros escolares”. Obras que avançam devido às parcerias público-privadas, já criticadas pela oposição e que também foram defendidas pela coligação. Segundo Paulo Cunha, “agora somos merecedores da confiança dos privados. Não fosse a grande capacidade de endividamento, a contenção orçamental e o rigor nas políticas financeiras e não seriamos merecedores do crédito exigido à intervenção de privados na construção e gestão de infra-estruturas públicas”. E acrescentou: “Só assim é possível dotar os famalicenses das infra-estruturas de que precisam”. De resto, o responsável do PSD salientou que “é com grande regozijo e satisfação que a coligação vê todas estas obras avançarem no concelho, no entanto, lembram que, esta realidade está retratada pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas que coloca Famalicão como o décimo concelho do país com melhor gestão financeira”.

Alunos do Colégio de Riba d’Ave visitam Editave Multimédia


cidade

pública: 4 de Fevereiro de 2009 07

Mensagem foi deixada num jantar que reuniu mais de 1000 pessoas

PS confiante na conquista da Câmara O Partido Socialista voltará a ganhar a Câmara de Famalicão em Outubro. A mensagem foi deixada por Reis Campos, candidato do PS às próximas eleições autárquicas, num jantar que decorreu no passado sábado e que juntou militantes e apoiantes da sua candidatura. No jantar, que reuniu cerca de 1.200 pessoas em Ribeirão, Reis Campos aproveitou para lançar fortes críticas ao actual executivo camarário, em especial ao seu presidente, a quem chamou de “egocêntrico”. Por outro lado, prometeu tudo fazer para continuar a merecer a confiança de todos os socialistas, lembrando que só a união levará este projecto a bom porto. “Somos melhores do os que nos governam há quase oito anos. Temos o saber, a experiência, a vontade e a dimensão intelectual e humana para podermos ter um melhor concelho”, atirou o socialista, dizendo que não faz sentido nem se justifica que Armindo Costa governe por mais quatro anos. Ainda na linha das críticas, o candidato socialista acusou Armindo Costa de falta de visão e dimensão política para o exercício do cargo. Reis Campos disse mesmo que a Câmara de Famalicão se apropria do que os outros fazem para aparecer na fotografia. “Diz que o concelho está em movimento, mas quem toma a iniciativa são os empresários. Diz que tem uma das melhores redes sociais do país, mas quem constrói os equipamentos são as instituições. Não estou a dizer que o presidente não se interessa, estou mesmo a dizer que ele não sabe. Afinal, quem é que não tem estofo para gerir a Câmara de Famali-

1.200 pessoas estiveram em Ribeirão para apoiar Reis Campos

cão?”, questionou. Voltando a dar destaque ao desemprego, Reis Campos deixou algumas das medidas que tomará se for eleito, sendo que a sua primeira preocupação é criar emprego, “o primeiro pilar para a estabilidade familiar e social”. “Utilizarei e accionarei todos os mecanismos e instrumentos possíveis para que haja investimento público e privado em Famalicão, tornando o concelho efectivamente e definitivamente competitivo. Farei pactos sociais com os empresários, apoiarei o micro crédito, o

auto-emprego, criarei condições fiscais favoráveis à implantação de indústrias em Famalicão. Implementarei celeridade nos licenciamentos e baixarei a taxa do IMI”, apontou. Neste jantar marcaram presença várias figuras do PS, entre elas Fernando Moniz, presidente da Comissão Concelhia, que usou da palavra para agradecer o facto de Reis Campos ter aceite o convite para ser o candidato à Câmara, destacando o facto de ser uma pessoa prestigiada e qualificada. “Estou convencido que se o PS voltar a ser poder em Fama-

licão, com uma liderança forte, competente e capaz, o nosso concelho voltará a ocupar um lugar cimeiro na cena política, económica e social do nosso país”, referiu Moniz, que sublinhou ainda a importância do empenho e humildade de todos para se obter um bom resultado. Nuno Vieira, líder da Juventude Socialista de Famalicão, também esteve presente e fez questão de demonstrar todo o apoio da sua estrutura ao candidato, frisando que a JS está totalmente disponível para colaborar no projecto político de Reis Campos.


08

pública: 4 de Fevereiro de 2009

freguesias

Obra custa cerca de 1,5 milhões de euros

Centro Social de S. Cosme pronto em 2010 Sofifiaa Abreu Silva O Centro Social e Paroquial de Vale S. Cosme estará concluído em Novembro de 2010 e a primeira pedra foi lançada no passado sábado. O novo equipamento custará cerca de 1 milhão e meio de euros e será financiado em 842 mil euros pelo PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais. O Centro Social terá uma creche para 66 crianças; Serviço de Apoio Domiciliário para 40 utentes; Centro de Dia para 16 e Lar de Idosos para 24. Na cerimónia, que decorreu na igreja paroquial, junto da qual nascerá o novo espaço, estiveram diversas entidades e também a população da freguesia, que ficaram a conhecer o projecto da obra. O presidente da instituição, o padre António Machado, começou por lembrar que o Centro é um sonho que nasceu já em 2001. “Para nós, comunidade de S. Cosme do Vale, é um dia histórico. Chegamos até aqui depois de muito esforço e de muita dedicação e contando com a ajuda de muita gente. Mesmo nos tempos em que vivemos, com dificuldades económicas, não desistimos deste projecto, de ajudar o próximo e os que mais precisam”, disse. Por seu turno, Leonel Rocha, vice-presidente da autarquia, vin-

Padre António Machado, D. Jorge Ortiga e Secretária de Estado Idália Moniz

cou o dinamismo da freguesia de S. Cosme e prometeu o apoio da Câmara ao novo equipamento. “Com isto vamos conseguir uma melhoria das condições de vida de Famalicão, mais particularmente desta zona do concelho”, frisou, adicionando que, apesar do financiamento do Governo central, será verdade que a instituição “só por si terá muitas di-

ficuldades para concluir a obra, uma vez que aquilo que lhe compete comparticipar é um valor ainda elevado”. Assim, apesar de ainda não estar definido o valor da ajuda, Leonel Rocha avançou que além de financeiramente, a autarquia irá ajudar ao nível dos arranjos exteriores. Na cerimónia esteve também a secretária de Estado Adjunta e da

Reabilitação, Idália Moniz, que anunciou que a Segurança Social irá reforçar a ajuda a este projecto em mais 10%. A governante disse que é necessário fazer face a alguns constrangimentos, nomeadamente a subida de preços de alguns materiais de construção, que estavam a causar grande preocupação a Instituições Particulares de Solidariedade Social,

por isso saiu uma portaria que diz que todas as obras que forem consignadas até Abril de 2009 terão um aumento na comparticipação de mais 10%. “Esta é a nossa contribuição, para além daquilo que já estava contratado. Vem trazer, não a solução dos problemas para a construção deste centro comunitário, mas um reforço financeiro que nós consideramos de grande importância”, contabilizou. Já o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, afirmou que, em períodos de crise, este é um projecto ousado e não é dominado “pelos pensamentos negativos que vamos alcançar qualquer coisa, daí que proceder à bênção de uma primeira pedra de um centro social e paroquial não é nenhuma loucura”. D. Jorge referiu ainda que “necessitamos de não olhar tanto àquilo que se chama crise, mas situarmo-nos em projectos, na ousadia, no acreditar que é possível”. Xavier Guerreiro, presidente da Assembleia de Freguesia de Vale S. Cosme, interveio em nome da presidente da Junta, Manuela Costa, que não pode estar presente e deixou o compromisso de “colaboração e empenho”. Segundo a autarquia de S. Cosme esta será uma “obra de grande projecção, com impacto no bem-estar da comunidade, desde infância até à terceira idade”.


freguesias

Salários em atraso na confecção de Ribeirão são o motivo

Operárias da Conjuli pedem suspensão dos contratos Vinte e cinco operárias da empresa Conjuli, de Ribeirão, pediram a suspensão dos contratos de trabalho, na quarta-feira da semana passada, alegando o não pagamento dos salários. Em declarações à Agência Lusa, José Araújo, do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-osMontes, disse que as trabalhadoras pediram a suspensão dos contratos de trabalho e vão requerer o subsídio de desemprego. A empresa “Conjuli – Sociedade de Confecções”, está sedeada em Ribeirão e empregava 25 mulheres. Com os salários de Novembro e Dezembro e o subsídio de Natal em atraso, as funcionárias decidiram, na manhã desse dia, parar a laboração da empresa. “Quase não tínhamos trabalho e, sem trabalho, também não há dinheiro para nos pa-

gar os salários”, referiu uma operária da fábrica, citada pela Lusa, acrescentando que a administração já tinha avisado que “também não havia dinheiro para pagar o salário de Janeiro”. Com cerca de 20 anos de actividade, a empresa de confecções mudou de nome e de administração várias vezes mas manteve as funcionárias. José Araújo sublinha, a propósito, que “há mulheres que sempre trabalharam ali e que agora não sabem o que fazer… se vão conseguir outro emprego”. De qualquer forma, as operárias ponderavam pedir a insolvência da empresa se não forem pagos os salários em atraso, nos próximos dias. A Lusa contactou a administração da Conjuli que decidiu não prestar declarações à imprensa.

Em Riba d’Ave, em pleno centro da vila

Mulheres atropeladas por carro roubado Uma mulher ficou com ferimentos graves e outra com ferimentos ligeiros em virtude de uma tentativa de assalto e posterior atropelamento. Tudo aconteceu em pleno centro da vila de Riba d’Ave, na passada sexta-feira, pelas 19h30, quando duas mulheres que atravessavam a passadeira, na Avenida Narciso Ferreira, foram surpreendidas por um automóvel branco, em que os ocupantes agarraram a mala de uma delas. Uma das mulheres, de 64 anos, foi arrastada em cerca de 150 metros e acabou por ser transportada ao Hospital

de Guimarães dada a gravidade dos ferimentos, pelos Bombeiros de Riba d’Ave, cujo quartel fica naquela rua. A outra, de 48 anos, também atropelada, teve apenas ferimentos ligeiros. A mulher de 64 anos ficou com hematomas em todo o corpo e fez um golpe na cabeça, mas acabou por ter alta. Depois do atropelamento e roubo, os condutores puseram-se em fuga. Segundo a edição do Jornal de Notícias da passada segunda-feira, o carro que atropelou as duas mulheres

era roubado e possuía matrícula falsa. De acordo com o JN, suspeita-se que os ocupantes da viatura possam ter, ainda, roubado a carteira de uma das vítimas. Tinha cartões Multibanco, cheques, dinheiro, vários documentos e óculos. Entretanto, alguns documentos foram encontrados na via pública, em Oliveira de S. Mateus. Também a viatura foi encontrada, pelas autoridades, abandonada em Delães. Ao que tudo indica, o carro tinha sido furtado em meados de Janeiro em Santo Tirso. A GNR de Riba d’Ave esteve no local.

EB 2,3 Dr. Nuno Simões comemorou dia do Patrono

A EB 2, 3 Dr. Nuno Simões, de Calendário, comemorou, na passada sexta-feira, dia 30 de Janeiro, o aniversário do seu patrono, Nuno Simões. Nuno Simões foi um “insigne advogado, político e jornalista, tendo nascido na freguesia de Calendário em 1894”, indica a escola em nota à imprensa, acrescentando ainda que exerceu vários cargos ao serviço do Estado, entre os quais o de governador civil de Vila Real, o de secretário-geral do Supremo Tribunal Administrativo e foi ministro do comércio e comunicações. Ao longo de todo o dia, professores, alunos e funcionários promoveram um festival de actividades culturais, recreativas e musicais, que decorreu no pavilhão gimnodesportivo da escola. Paralelamente, a biblioteca escolar apresentou uma exposição sobre a vida e obra do Dr. Nuno Simões e duas palestras.

pública: 4 de Fevereiro de 2009 09


10

pública: 4 de Fevereiro de 2009

SCAM distinguida pela Goodyear

freguesias

Estava prometida para 2008, mas burocracias atrasaram a obra

Reabilitação do centro cívico de Gondifelos vai arrancar

O galardão foi entregue a Adelino Moreira em representação da SCAM

No passado dia 28 de Janeiro, o director da Goodyear/Dunlop para a Península Ibérica, Henri Dumortier, acompanhado por Miguel Morais, Paulo Lira e Pedro Almeida, responsáveis da marca em Portugal, visitaram a sede da SCAM em São Martinho do Campo e, ao mesmo tempo, distinguiram a empresa com o galardão "50 Anos da Goodyear em Portugal". Os representantes das duas empresas estabelecerem ainda um acordo quanto à nomeação da SCAM para a rede europeia de oficinas autorizadas para frotas e renting "Four Fleet Europe". Ou seja, as pessoas ou empresas, que tiverem adquirido viaturas no sistema renting e frotas podem utilizar os serviços da SCAM em São Martinho do Campo, Santo Tirso; em Oliveira de Santa Maria, Famalicão; em Infias, Vizela; e em Moreira de Cónegos, Guimarães.

Na visita às instalações Henri Dumortier destacou a imagem moderna da empresa e o equipamento de apoio ao serviço de pneus. Enalteceu ainda as diversas iniciativas de fidelização do cliente à SCAM, e em especial à Goodyear/Dunlop, considerando a SCAM no top dos concessionários da marca na Península Ibérica. Por sua vez, Adelino Moreira, da SCAM, agradeceu a visita, os elogios e a distinção, vincando que ficou bem patente que esta "aliança" com mais de 20 anos saiu reforçada ao nomear a SCAM para pertencer à rede Europeia "Four Fleet Europe" das marcas Goodyear/Dunlop. A SCAM completou 27 anos de existência no passado mês de Janeiro e no ano de 2008 atingiu o seu maior volume de vendas, isto é, 14.716.874 euros.

Seis mil pessoas já experimentaram as piscinas de Ribeirão

O arranjo urbanístico junto à igreja de Gondifelos vai avançar dentro de dias. Pelo menos assim o espera o presidente da Junta de Freguesia. Em entrevista ao programa “Gentes da Terra” da Rádio Digital FM, domingo, Manuel Santos falou sobre as várias obras previstas no plano de actividades da freguesia para este ano de 2009, em que a Junta vai gerir um orçamento na ordem dos 150 mil euros. O autarca espera que as principais intervenções sejam executadas directamente pela Câmara Municipal, nomeadamente a requalificação do centro cívico, a reabilitação do edifício da antiga escola primária e a repavimentação da Estrada Municipal 570. O arranjo do centro cívico de Gondifelos é uma obra há muito aguardada. Depois de quase três décadas, finalmente em 2007 a Junta e a Fábrica da Igreja chegaram a um acordo, uma vez que a intervenção abrange terrenos da freguesia e da Igreja. Na assinatura do protocolo, no final desse ano, entre as duas entidades, a Câmara prometeu que a requalificação era para concretizar em 2008. Contudo, a obra ainda não arrancou. “Para desgosto nosso não aconteceu, não porque a Câmara não estivesse interessada em realizar a obra, mas porque tudo isto dá muito trabalho, são burocracias… e a

Magda Ferreira

Magda Ferreira

Obras vão remodelar por completo o centro cívico de Gondifelos

obra tem-se atrasado”, explicou Manuel Santos, acrescentando que “a obra está adjudicada e arrancará muito brevemente, penso que nos próximos 15 dias”. Esta intervenção deverá custar cerca de 400 mil euros e contempla a reabilitação da zona envolvente à igreja e ao cemitério, incluindo uma rectificação do traçado da estrada que atravessa a zona. Reparação da antiga primária Outra intervenção aguardada este ano é a reparação da antiga escola primária. O edifício está em muito más condições, diz o autarca, pelo que é preciso intervir. Depois de concluídas as obras de reparação, o jardim-de-infância vai concentrar-se todo naquele edifício, deixando livre o

espaço do ‘antigo ciclo’ para aí serem instaladas todas as turmas do 1º ciclo. Assim, a Escola Básica Integrada de Gondifelos deixará de albergar também o primeiro ciclo, passando a designar-se de EB 2,3. Estas alterações já têm, segundo Manuel Santos, a aprovação da Direcção Regional de Educação do Norte e deverão entrar em vigor no início do próximo ano lectivo. O autarca diz que, assim, todos os problemas da freguesia ao nível do ensino ficarão resolvidos. Além disso, a Junta quer também alargar a rua em frente à antiga escola do 1º ciclo, para eliminar “a confusão” que se cria nas horas de entrada e saída de crianças. De resto, a rede viária ainda continua a ser uma das prioridades da Junta de Gondifelos. Em 2009,

uma das principais intervenções contempla a Estrada Municipal 570, que faz a ligação entre a Nacional 206 e Minhotães, no vizinho concelho de Barcelos. Trata-se da repavimentação e colocação de saneamento, numa via “muito importante para a freguesia”. Está ainda previsto o reforço e alargamento do tabuleiro da ponte sobre o rio Este, na zona da Ribeira e Lamela. Manuel Santos está a cumprir o primeiro mandato à frente da Junta de Gondifelos, embora tenha exercido o cargo de secretário durante quase 20 anos. “Estou satisfeito. A relação entre os elementos da Junta é do melhor que há, temos feito um bom trabalho, dentro das nossas limitações”, resume, declarando que ainda não pensou na recandidatura.

Crianças do Recreio do João vão ao teatro Cerca de seis mil pessoas já usufruíram das novas Piscinas Municipais de Ribeirão, desde a data da sua inauguração em 13 de Dezembro passado. Segundo os dados fornecidos pelos serviços das Piscinas Municipais, em apenas um mês, mais de 2.000 seniores participaram nas aulas de hidroginástica, hidroterapia e ginástica adaptada, no âmbito do programa municipal “Mais e Melhores Anos”. O novo equipamento recebeu igualmente perto de 1500 crianças provenientes das escolas e jardins-de-infância. As aulas da escola de natação acolheram mais de mil utentes e outros tantos utilizaram as piscinas em regime livre.

“São números que demonstram bem a excelência deste equipamento”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa, em nota à imprensa, salientando que “as piscinas de Ribeirão beneficiam de condições únicas de utilização servindo toda a família, dos mais novos aos mais velhos”. Implantado num espaço com mais de 10.500 metros quadrados, o complexo está equipado com piscinas para aprendizagem infantil, destinada a bebés dos 6 meses aos 3 anos, para competição e manutenção e para idosos e pessoas com deficiência, representando um novo conceito de piscina pública destinada a toda a família.

Vinte e três crianças que frequentam a sala dos 2/3 anos e o ATL no Recreio do João, uma Instituição Particular de Solidariedade Social sedeada em Vermoim, foram ver, no sábado, a peça de teatro “Alice no País das Maravilhas”, de Filipe La Feria, em exibição no Teatro Rivoli, no Porto. Acompanhadas por cinco adultos, a viagem fez-se num autocarro da Arriva. Foi um dia muito especial para todas as crianças, mas em particular para aqueles para quem esta foi a primeira ida ao teatro. Os pequenotes adoraram os vários personagens, sobretudo o coelho, muito animado por andar sempre atrasado. No final, estavam entusiasmadas por contar o que visualizaram, tentando mesmo imitar algumas das situações passadas durante a peça. O Recreio do João vai procurar implementar mais saídas deste tipo para oferecer às crianças novas experiências.


pública: 4 deFevereiro de 2009 11

freguesias

Presidente do órgão afirma que foi um mal-entendido

Cidadão de Seide S. Paio diz que foi expulso da Assembleia Um episódio ocorrido na última Assembleia de Freguesia (AF) de Seide S. Paio, realizada a 25 de Janeiro, está agitar aquela freguesia. Manuel da Silva Oliveira diz que foi expulso “injusta e ilegalmente” da sessão pelo presidente da Assembleia de Freguesia, enquanto este afirma que tudo não passou de “um mal-entendido, por parte do cidadão”. Entretanto, os eleitos do PS, que fazem parte da oposição, também já vieram a público criticar o comportamento do presidente da AF. Manuel Oliveira conta que nesse domingo de manhã, dia 25 de Janeiro, foi à Junta de Freguesia “para levantar a vacina do cão”. Apercebeu-se que havia uma sessão da AF, “que decorria há pouco tempo”, e resolveu assistir. “Para não perturbar os trabalhos, visto que estava a falar um eleito”, Manuel Oliveira diz que levantou uma mão para pedir autorização para entrar, ao que “os dois secretários da Assembleia e o pre-

sidente da Junta disseram que sim”. Nessa altura, o presidente da AF estaria de cabeça baixada a analisar “uns papéis”. Este cidadão diz que entrou “silenciosamente na sala” e que se sentou ao lado do secretário da Junta de Freguesia. “Mas nem cheguei a aquecer o lugar, porque o senhor presidente viu-me e disse com voz autoritária: ‘o senhor não pode estar cá dentro’”. Manuel Oliveira diz que ficou surpreendido, até porque fez parte da AF durante 12 anos. “Perguntei se era para mim que estava a falar, ao que o senhor presidente disse que sim e eu disse-lhe que saía para não perturbar a Assembleia, mas que tinha todo o direito em ali estar, porque o público pode assistir, mesmo que seja uma assembleia extraordinária, como era o caso”, afirma. O presidente da Junta ainda terá dito a Manuel Oliveira que ficasse, mas este acabou por sair, denunciando agora a situação que diz ter

sido “ilegal e humilhante” e que vai exigir que fique registada na acta da sessão. Contactado pelo OP, o presidente da AF, António Ribeiro, desvaloriza o episódio, afirmando que tudo não passou de um mal-entendido. António Ribeiro confirma que estava a “ler uns documentos” e que quando viu Manuel Oliveira com o dedo no ar, pensou que ele queria intervir. “Como a Assembleia era extraordinária, o que lhe disse foi que ele não podia falar, nunca lhe dei ordem de expulsão. Só que ele entendeu mal. O próprio presidente da Junta chamou por ele, mas ele acabou por sair”, concluiu o presidente. Entretanto, os eleitos do PS, em comunicado à imprensa, já vieram acusar o presidente da AF de “praticar actos irresponsáveis” ao “expulsar da sala um cidadão que no uso de pleno direito assistia à mesma”. C.A.

Joane e Lemenhe de fora do protocolo para as escolas A Junta de Freguesia de Joane não aderiu, este ano, ao protocolo com a Câmara Municipal referente à valorização e manutenção das escolas do 1º ciclo e jardinsde-infância. No início deste mandato, o executivo liderado por Armindo Costa decidiu delegar competências nas Juntas de Freguesia no que concerne à manutenção dos edifícios escolares, transferindo, para o efeito, uma verba a cada autarquia local. Desde o início, a Junta de Freguesia de Lemenhe, liderada pelo PS, opôs-se à medida e nunca aderiu ao protocolo. Este ano, também a Junta de Freguesia de Joane, liderada igualmente pelo PS, escreveu à Câmara para dizer que não queria ser contemplada, sugerindo que o protocolo fosse celebrado di-

rectamente com o agrupamento de escolas. “Em vez de a Junta funcionar aqui como intermediário – porque as escolas comunicavam à Junta a necessidade dos trabalhos e a Junta tinha de tratar das coisas – é preferível que a Câmara transfira directamente as verbas para o agrupamento”, disse ao OP o autarca joanense Ivo Sá Machado, assegurando que esta decisão “nada tem de polémico ou de contestatário”, mas visa apenas “dar alguma celeridade e funcionalidade” a todo o processo que envolve as pequenas reparações. O protocolo para este ano, aprovado na última reunião de Câmara, prevê uma transferência global de 137 mil euros a distribuir pelas 47 Juntas de Freguesia que aceitaram a transferência de competências.

Rancho Divino Salvador de Delães quer ensaiar num espaço próprio O Rancho Folclórico Divino Salvador de Delães foi o grupo convidado para o programa “Povo e Saber” da Digital FM. Apesar da sua ainda curta carreira, porque foi fundado em Janeiro de 2003, os elementos que compõem o rancho, agora cerca de 50, afirmam que o grupo tem muito ainda que caminhar. O rancho de Delães apresentam muito dinamismo até porque tem nas suas fileiras gente dos 2 aos 70 anos e este ano decidiram participar na organização das festas do Divino Salvador de Delães, que vai acontecer nos dias 7, 8 e 9 de Agosto. Neste momento, o grupo famalicense tem um espaço no “Café 25” que está emprestado para os ensaios do grupo, no entanto ambicionam criar um espaço próprio até porque assim poderiam explorar um bar do grupo e, dessa forma, angariar fundos para o rancho, referiu João Batista, secretário do grupo.

Angariação de fundos em Avidos A Comissão de Festas em honra de Santo Ovídio, em Avidos, vai realizar, no próximo domingo, uma iniciativa para angariação de fundos para a organização da referida festa. Assim, nesse dia, quem quiser ajudar pode comparecer no salão da Junta de Avidos para almoçar ou levar a refeição para casa. Haverá também bolos caseiros, vários petiscos e bebidas. Os interessados podem fazer as suas reservas pelos números: 252866277 e 912482819 (Fátima) ou 252327521 e 962644094 (Abílio).

Assalto a minimercado em Fradelos Um homem encapuzado e armado com uma pistola assaltou, ao final da tarde de sexta-feira, um minimercado na freguesia de Fradelos. Segundo o Correio da Manhã de domingo, o homem ameaçou a funcionária do estabelecimento comercial e as clientes que ali se encontravam com a arma, obrigando-as a entregar o dinheiro

que tinham nas carteiras. O ladrão levou ainda um computador portátil e todo o dinheiro que havia na caixa registadora, fugindo, depois, sem deixar rasto num carro que tinha estacionado a alguns metros de distância da loja. A GNR foi chamada ao local, mas a investigação está cargo da Polícia Judiciária.

Mulher atropelada em Calendário Na passada sexta-feira, uma mulher de 50 anos ficou gravemente ferida em Calendário, depois de ter sido vítima de atropelamento, na Rotunda do Outeiro, pelas 19h30. A vítima foi transportada ao Hospital de Famalicão pelos Bombeiros Famalicenses.


12

pĂşblica: 4 de Fevereiro de 2009

publicidade


16

pública: 4 de Fevereiro de 2009

publicidade

Falecimentos

Alfredo Correia Dias Missa de 1º Aniversário de Falecimento

Palmira Teixeira Marques, no dia 30 de Janeiro, com 62 anos, casada com António Faria Santos, da freguesia de Areias (Santo Tirso).

Sua Família, ao recordar o seu ente querido, pela passagem do 1º Aniversário do seu falecimento, manda celebrar missas pelo seu eterno descanso no, Sábado, Dia 07, pelas 19:15 Horas, na Igreja Nova de Famalicão e no Domingo, Dia 08, pelas 10:30 horas, no Salão Paroquial de Calendário. Antecipadamente renova sinceros agradecimentos à comparência nas santas eucaristias.

A Família Calendário, 4 de Fevereiro de 2009

Eugénia da Silva Moreira, no dia 31 de Janeiro, com 94 anos, viúva de Silvério Lopes Monteiro, da freguesia de Areias (Santo Tirso).

Man uel Moreira da Costa, no dia 31 de Janeiro, com 45 anos, casado com Maria José Oliveira Carvalho Costa, da freguesia de Gavião. Agência Funerária Armando Cunha Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 252 961 428

Colácia Salazar, no dia 31 de Janeiro, com 75 anos, solteira, da freguesia de Calendário. Maria Alice da Silva Vieira, no dia 31 de Janeiro, com 80 anos, viúva de Manuel Ferreira Araújo, da freguesia de Pousada de Saramagos.

Cândida de Faria, no dia 1 de Fevereiro, com 89 anos, casada com Amadeu Pereira Marques, da freguesia de Oliveira Santa Maria.

Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Tel.: 91 755 32 05

Funerária Carneiro e Gomes - 917 553 205

António Pinheiro da Silva Germano da Silva Andrade AGRADECIMENTO E MISSA DO 30º DIA A Família muito sensibilizada, vem por este meio, agradecer a todas as pessoas que se dignaram participar na missa de 7º dia do seu ente querido e aproveitam para anunciar que será celebrada missa de 30º dia, sábado, dia 7 , pelas 18,30 horas, na Igreja Paroquial de Avidos. Agradecendo desde já a todos quantos participem nesta eucaristia.

Seus Familiares Funerária da Lagoa - 252321594

Fe r n a n d o A r a ú j o d e Fa r i a (1948 -2009) Missa de 30.º Dia

18º Aniversário de Falecimento A família vem por este meio comunicar a Missa 18º Aniversário de falecimento que se irá realizar no dia 7 de Fevereito, sábado, pelas 18h, na Igreja Paroquial de Antas S. Tiago. Antecipadamente agradecem a quantos se dignarem assistir a este acto religioso.

J o s é da Si l va B a r b o s a Agradecimento No passado dia 26 do mês de Janeiro faleceu o Sr. José da Silva Barbosa, que residia na freguesia de Vilarinho das Cambas. Sua esposa, filhos, filhas, noras, genros, netos e demais família, vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que se incorporaram no funeral do seu ente querido e que participaram na missa de 7º Dia. Desde já agradecem a todas as pessoas que se associaram à sua dor. Vilarinho das Cambas, 4 de Fevereiro de 2009

A família participa a todas as pessoas de suas relações e amizade que, em sufrágio de sua alma, manda celebrar missas de trigésimo dia de seu falecimento, no dia 09, SEGUNDA-FEIRA, pelas 19,30 horas, na Igreja Paroquial de Viatodos, e no dia 10, TERÇA-FEIRA, pelas 19 horas, na Igreja Matriz de Santo André de Barcelinhos. “A Sua lembrança nunca se apagará da nossa memória, O seu nome será repetido com saudade”.

Viatodos , 4 de Fevereiro de 2009 Desde já antecipadamente agradece, D. Rosa dos Prazeres Nascimento da Costa Faria – (Esposa) Filhos, Nora, Neta, Sogros, Irmãos, Cunhados, Sobrinhos e mais Família Funerária Stº André - 252 832 697

Esposa: D. Olívia Rosa Carneiro de Oliveira Filhos: Maria Alzira de Oliveira Barbosa

Maria Isabel de Oliveira Barbosa

José António de Oliveira Barbosa

Fernando de Oliveira Barbosa

José Alberto de Oliveira Barbosa

Maria Filomena de Oliveira Barbosa


pública: 4 de Fevereiro de 2009 17

praça pública

Falecimentos Pelos quatro cantos da ca(u)sa Maria da Conceição Moreira, no dia 2 de Fevereiro, com 87 anos, casada com Valentim Ferreira dos Santos, da freguesia de Monte Córdova (Santo Tirso). Guilherme Bernardino Alves, no dia 2 de Fevereiro, com 81 anos, viúvo de Maria Edite Alves, da freguesia de Burgães (Santo Tirso). Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Maria da Conceição de Sousa Mendes, no dia 28 de Janeiro, com 73 anos, solteira, da freguesia de Gavião. Ana Ferreira da Costa, no dia 27 de Janeiro, com 94 anos, viúva de Albino da Silva, da freguesia de Brufe. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Maria de Araújo Rodrigues, no dia 26 de Janeiro, com 82 anos, casada com Manuel Gomes Ferreira, da freguesia de Gavião. Manuel Pinto de Carvalho, no dia 28 de Janeiro, com 78 anos, casado com Ana Pereira da Silva, da freguesia de Cavalões. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

António da Silva Reis, no dia 27 de Janeiro, com 74 anos, casado com Elisa da Costa Carvalho, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). António Martins da Costa, no dia 25 de Janeiro, com 92 anos, viúvo de Maria Ferreira de Sousa, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Maria José Pereira Serra, no dia 25 de Janeiro, com 87 anos, viúva de António Torcato Pereira Cruz, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). José Luís Barbosa da Silva, no dia 22 de Janeiro, com 51 anos, casado com Arminda Rodrigues Lemos da Silva, da freguesia de Lousado. Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727

Lucinda Dias Araújo, no dia 30 de Janeiro, com 75 anos, casada com Francisco da Silva Moreira, da freguesia de Calendário. Agência Funerária do Calendário Calendário – Tel.: 252 377 207

Domingos Peixoto

Bons os privados É recorrente a referência à direccionados. Da rapidez dicam a gestão do Aerobondade – e à excelência – com que certas obras são porto Sá Carneiro? E por dos privados por contra implementadas. Do “inte- que será que um dos prinponto ao sector público. resse público” de muitas cipais gestores públicos do Por vezes a opinião é de alterações dos PDMs, REN Norte vem defender tal gesquem, quando nada tem e RAN. tão? Acho que a resposta para fazer, entra de “cuLestos, os detentores estará para breve se a prenha” para funções públi- do capital reivindicam do tendida Regionalização cas, desleixando com a sua Estado a criação e a me- avançar como está a ser incompetência a nobre fun- lhoria de certas infra-estru- programada! ção do estado de a todos turas que precisam de utiTenho para mim, pelo servir com justiça e equi- lizar. O Estado, que estou de acordo com o dade. Muitos destes “cére- subserviente, lá aplica os Governo Socialista, que o bros” deamLestos, os detentores do capital reivindicam funcionabulam entre mento da do Estado a criação e a melhoria de certas economia EPs, IPs, Governo, Comisinfra-estruturas que precisam de utilizar. –tudosobresões de Coornum d e n a ç ã o … O Estado, subserviente, lá aplica os milhões país sem Após o que, matériasem luxuosas instalações. passam a geprimas de “Agora” os patrões querem mais! rir ou a ser dorelevo, à nos de Bancos e outras Em- milhões em luxuosas ins- excepção do turismo, sem presas, acumulando talações. “Agora” os pa- indústria e tecnologia de riquezas fabulosas que, di- trões querem mais! Que- ponta originária, como é o zem, apenas se geraram no rem gerir de acordo com os caso de Portugal – se alidesempenho da sua fun- seus interesses o que to- cerça essencialmente no ção privada. dos pagamos, embolsando investimento público em Todos nos recordamos a riqueza que não produ- infra-estruturas de utilidos imensos casos em que ziram! Com tais investi- dade e fins gerais, como a gestão se talha pelo des- mentos e a não utilização habitação, vias de comunipautério e desprezo do pública da riqueza produ- cação, educação, justiça e bem público. Da “ruína a zida, são carências básicas meios de segurança. que são conduzidas” mui- da população que deixam Neste sentido há duas tas dessas instituições. Do de ser satisfeitas como es- obras em curso, em Aveiro, enriquecimento sem causa colas, hospitais e segu- de primordial importância a que muitos ascendem. rança. para a manutenção e criaDos programas de investiPor que será, leitores, ção de postos de trabalho: mento “selectivamente” que os capitalistas reivin- Porto de Aveiro e seu Ra-

mal Ferroviário a partir de Cacia, onde está criado um enorme entreposto de mercadorias. Tais estruturas, para serem rentáveis para o país, devem ter como objectivo fundamental as exportações e não me parece que assim seja. Por dever de ofício, quando por ali passo, é costume ver navios a descarregar torres eólicas, madeira, julgo que para a celulose e aço para a construção civil! Fácil é, pois, concluir que tais investimentos servem sobretudo os importadores. Entretanto, a fábrica de Viana, quando produzir torres eólicas já não terá muito mercado, as nossas florestas são destruídas pelo fogo e as “nossas” siderurgias acumulam stocks de material bem melhor que o importado! Assim, justo seria que os bons gestores privados participassem desde logo nos investimentos e depois na gestão da coisa. E o âmago daquela Ria assim dragada produz muita riqueza inerte, para “engorda” de muito poucos privados.

D’Esguelha Gouveia Ferreira

Garfadas Ora jantas tu, ora janto eu. O incremento económico, que o ano eleitoral deixa adivinhar, vai reflectir-se não só no sector do design, das artes gráficas e da indústria do papel, mas também no da carecida hotelaria e comércio de beberricagem, com o óbvio arrasto da alta costura. Ora jantas tu, ora janto eu. Se o candidato A levou mais de 3000 pessoas ao comício maxilar de Ribeirão, o candidato B tinha a obrigação de replicar com mais de 5000 manobradores de talher, na mesma localidade, e, se possível, nas mesmíssimas salas onde o opositor se bateu. Ora jantas tu, ora janto eu. Aguarda-se que, pelo menos, duas vezes por mês, até à taina final de Outubro, os números de pernas comicieiras, debaixo de tábuas atoalhadas, triplique, para equilibrar o desemprego galopante da região. Ora jantas tu, ora janto eu. Neste imparável combate ideológico, onde reluzem as ferragens das dentaduras das jotas, convinha que se estabelecesse um pacto territorial, quanto à realização das futuras jornadas eleitorais, por forma a contemplar as restantes freguesias do concelho, onde também existem notáveis arenas, para a prática maxilar. Será a verdadeira divisão do mal pelas aldeias, sabendo-se que, hoje, o desemprego não escolhe lugar. E assim vai o debate. Ora jantas tu, ora janto eu.


18

pública: 4 de Fevereiro de 2009

praça pública

Consultório Veterinário Paula Romão

Vieira Pinto

Novos Tempos Nos últimos anos, temos vindo a observar em Portugal uma evolução muito significativa no panorama da medicina e clínica dos animais de companhia. Há tão-somente 15-20 anos atrás, o tipo de clínica veterinária das pequenas espécies que se praticava no nosso país consistia principalmente em tratar os sintomas e sinais das doenças que se observavam, quase sempre em pequenos consultórios que só abriam ao final da tarde. Os médicos veterinários acumulavam sempre as funções principais que desempenhavam nos matadouros, câmaras municipais, cooperativas ou empresas da área animal com o exercício clínico, por hobby ou complemento financeiro. Os animais domésticos eram tratados de uma forma muito precária, em consultórios que dispunham de uma simples marquesa e alguns medicamentos, nunca se investigando, por falta de meios de diagnóstico, as verdadeiras causas das patologias. Nos dias de hoje a realidade é totalmente diferente. Assiste-se a uma verdadeira explosão no número de centros de atendimento de animais de companhia e nas grandes cidades os hospitais veterinários são já comuns. Muitas clínicas veterinárias dispõem de instalações adequadas, com espaços independentes para o internamento de animais, salas de cirurgia completamente equipadas e aparelhos de imagiologia, como RX, endoscopia ou ecografia. São cada vez mais numerosos os profissionais exclusivamente dedicados a áreas como a ecografia, a cirurgia, a ecocardiografia, a oftalmologia ou a clínica de ani-

Chão Autárquico

mais exóticos, que prestam serviços aos centros de atendimento, permitindo assim uma resposta clínica de grande qualidade. Os laboratórios de medicina veterinária são já uma realidade, é possível hoje realizar qualquer tipo de análise a um cão ou gato, desde hemogramas a avaliações de qualquer parâmetro bioquímico, endócrino, bacteriológico, etc. Podemos fazer citologias, análises de tumores ou biopsias nos laboratórios de anatomia patológica veterinária. Nos hospitais veterinários, os serviços são ainda mais diversos, desde o funcionamento contínuo com equipas médicas multidisciplinares e numerosas, com internamento em cuidados intensivos, onde os animais são constantemente monitorizados, até à realização de Tac’s! Portanto, é hoje impensável deixar de tratar um animal de companhia por falta de meios técnicos. Se gostamos do nosso cão ou gato e temos a disponibilidade financeira e afectiva, podemos fazer com este quase tudo o que fazemos por um ser humano, em termos médicos. Da mesma forma, os exames e análises de rotina são cada vez mais importantes para os nossos animais de companhia. Permitem prevenir e evitar muitas situações graves, alem de fornecerem ao médico veterinário assistente uma informação preciosa no momento de realizar uma cirurgia ou anestesia, especialmente nos animais menos jovens. Assim como com as pessoas, prevenir e vigiar é cada vez mais a solução de muitas doenças! Informe-se no seu médico veterinário! c l iv e tsa nti a g o @ i o l . p t

Do investimento do governo ao plano estratégico Muito falaram os partidos que suportam este governo municipal e, sobretudo, o Sr. Presidente da Câmara, acerca do investimento da Administração Central no concelho de Vila Nova de Famalicão. De tal ordem falaram, sobretudo em Outubro e Novembro passados, que aqueles agentes políticos, numa atitude demagógica e de hipocrisia descarada, pretenderam passar a mensagem de que o governo não fazia investimento público na nossa terra famalicense. Porém, os factos vêm agora provar precisamente o contrário. Assim, vejamos por agora um só exemplo. Ei-lo: foi há dias inaugurada a nova urgência do Hospital de Vila Nova de Famalicão, onde o próprio governo investiu muitos milhões de euros, para melhor servir os famalicenses nos seus cuidados de saúde. Ora, efectuada, assim, aquela obra da responsabilidade da Administração Central, impunhase que a Câmara Municipal fizesse o seu trabalho de casa ou pelo menos o trabalho de rua. Mas não fez. Senão vejamos, perante a alteração estrutural de melhoria dos Serviços de Urgência impunha-se, tal como é da competência da Câmara, realizar minimamente as infra-estruturas de acesso rodoviário àqueles Serviços Hospitalares. Porém, a Câmara não fez praticamente nada, como era da sua competência. Com efeito, a Câmara deveria, desde logo, ter procedido a um planeamento rodoviário que dotasse o acesso ao hospital com vias que não viessem provocar o caos à volta do próprio hospital. Mais, a Câmara tem condições para realizar óptimos acessos, a norte do hospital, com poucos custos. (Afinal, para onde vão as verbas dos mais que noventa milhões do Orçamento

municipal?) Para tal, torna-se necessário planeamento dos espaços. Afinal de contas, o hospital que é um dos melhores hospitais da zona norte, não coube no tal plano estratégico do concelho tão apregoado pela Câmara?… Foi pena! De facto, esta Câmara não governa para as pessoas,

PEQUENOS

mas sim para a fotografia. P.S. Como tem havido muito frio e muita chuva, os senhores da câmara municipal ainda não puderam vir constatar o caos rodoviário em volta do hospital, designadamente, na rua Amadeu de Freitas. Fica-se à espera. Que…não chova!

ANÚNCIOS

P U B L I C I D A D E

PA R A G R A N D E S Valor da Publicidade:

NEGÓCIOS

€ 6,00

IVA INCLUÍDO A 20%

TITULO TEX TO

Preencha este cupão, devidamente, e envie para a nossa morada DIAS DE PUBLICAÇÃO

Nome: ____________________________________________ Morada: __________________________________________

___/___/____ e ___/___/____ e ___/___/____ 1 Mês ___

2 Mês ____

Localidade: ____________________ Cód. P.: _______-____ Tel.: ________________ Nº Contrib.: _______________ Valor a pagar: € _____ Cheque sob o banco:____________

ENVIAR PARA A SEGUINTE MORADA: Jornal OPINIÃO PÚBLICA Rua 8 de Dezembro, nº 214 4760-016 Antas S. Tiago ou Apartado 410 VN Famalicão ATENÇÃO: O Jornal OPINIÃO PÚBLICA reserva-se o direito da não publicação desse anúncio caso o cupão não esteja correctamente preenchido com o nome, morada e telefone do anunciante, e viole o Código da Publicidade.


pública: 4 de Fevereiro de 2009 19

cultura

Pianista dá concerto no dia 28 de Fevereiro

António Pinho Vargas regressa aos palcos na Casa das Artes

António Pinho Vargas vai actuar na Casa das Artes

O regresso do pianista de jazz António Pinho Vargas aos palcos e a apresentação do projecto Nova Vaga do Roque Português são dois dos grandes espectáculos que passarão pela Casa das Artes de Famalicão durante o mês de Fevereiro. António Pinho Vargas regravou as suas obras para piano solo 25 anos depois da edição do primeiro álbum de originais e está de regresso aos palcos. Promete um espectáculo memorável no dia 28 de Fevereiro, pelas 22 horas, no grande auditório da Casa das Artes. Recordado pela maior parte do público como o pianista de jazz autor de temas de êxito como Tom Waits ou Dança dos Pássaros,

Famalicão

António Pinho Vargas é um músico com uma experiência riquíssima e um interesse por novas linguagens musicais. No dia 14 de Fevereiro, dia dos Namorados, também pelas 22 horas, a Casa das Artes propõe um concerto com os nomes da nova vaga do roque português: FlorCaveira e Amor Fúria. Tiago Guillul é o fundador da FlorCaveira, a editora que tem como mote “religião e panque roque” e que é casa de artistas como Samuel Úria ou João Coração. Tiago Guillul vai apresentar em Famalicão o seu último trabalho: “IV”. Mas o teatro e a dança também vão marcar presença na programação de Fevereiro da Casa das Artes. Neste âmbito, referência para a entrada em

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 311 265 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Ed.S. Vicente - Picoto - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Largo de Bragadela - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300

Famalicão

S e r vi ç o

R e f o rç o

Vale do Ave

Ser viço

Q u ar t a, 4

Cameira

Calendário Joane

Q u i n t a, 5

Central

Barbosa Joane

S e x t a, 6

Calendário

Valongo Joane

Quarta, 4 Quinta, 5 Sexta, 6 Sábado, 7 Domingo, 8 Segunda, 9 Terça, 10

Almeida e Sousa Bairro Delães Riba D’Ave Faria Almeida e Sousa Bairro

S á ba d o , 7

Nogueira

Do m i ngo , 8

Valongo Ribeirão

S e g u n d a, 9

Barbosa

Nogueira Marinho

Terç a , 10

Cameira

Gavião Marinho

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124 Faria: Estrada Nacional 310 - Serzedelo - Telf. 252 532 346

cena das peças de teatro “A.V.C. – Aragão vai Cismar”, da Jangada Teatro, na próxima sexta-feira, dia 6 de Fevereiro, pelas 21h30. “A.V.C.” é um inédito de Fernando Moreira, com encenação do próprio, inspirado em e com fragmentos de “De Profundis, Valsa Lenta” de José Cardoso Pires e “O Doente Imaginário” de Moliére. É um espectáculo cómico, que conta a interpretação de Faria Martins, Luiz Oliveira, Patrícia Ferreira e Xico Alves. Já nos dias 12 e 13, igualmente às 21h30, pode ver “O Ensaio” do Atelier Baú dos Segredos. A peça retrata um estranho e bizarro ensaio, em que sucedem coisas inexplicáveis para a maioria, e que marcam o crescimento dos elementos do grupo. No dia 20 de Fevereiro, às 22 horas, é a vez da dança “Aquarium”, um espectáculo apresentado pela Vortice Dance Company. O espectáculo conta a história de uma praia deliciosa, onde todos se cruzam em acções paralelas. É uma história de paixões intensas escritas na areia. A música regressa à Casa das Artes nos dias 21 e 27 de Fevereiro. Primeiro com um concerto dos Don Cavalli, que trarão o seu álbum “Cry Land”, considerado o 12º melhor do ano pela revista Mojo. Depois com um concerto dos “The Profilers”, vencedores do Super Bock Super Rock Preload 2008, entre outros prémios em festivais. Entretanto, a Casa das Artes terá patente, no Foyer, até ao final do mês de Março, uma exposição de pintura e escultura da autoria do artista plástico Francisco Gomes Machado. Premiado no Grande Prémio Internacional de Pintura do Carnaval de Nice (89) e no Prémio de Arte Contemporânea em Estrasburgo (89), Francisco Gomes Machado realizou várias exposições individuais e colectivas em diversas cidades, de países como França, Portugal e Inglaterra.

Serviço de disponibilidade

Dança no Centro Cultural da ATC O Centro Cultural da Juventude (CCJ), da Associação Teatro Construção, em Joane, será palco de diversas actividades de dança e expressão corporal durante o mês de Fevereiro. Do programa previsto destacase a realização, já no próximo fimde-semana, de uma formação (sexta e sábado) e de um espectáculo de dança oriental pelo grupo “Shemoves”, às 21h30 de sábado, dia 7 de Fevereiro. No dia 14 deste mês realizarse-á um debate sobre dança e

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 Santiago da Cruz: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612

uma semana mais tarde, a 21 de Fevereiro, tem lugar o espectáculo “7ª Arte, a irreverência do real”, pela Ruídos – Laboratório Humano de Artes. Outro destaque do mês é um workshop de dança contemporânea com a bailarina e coreógrafa Ana Sofia Albuquerque, de 11 a 27 de Fevereiro, das 20 às 22h30. A acção terá a duração de 18 horas e é aberta ao público em geral, num máximo de 25 participantes. A apresentação final está agendada para as 21h30 do dia 28.


20

pĂşblica: 4 de Fevereiro de 2009

publicidade


OP 5C