Page 1

Operação da Polícia Municipal já começou

Viaturas abandonadas na cidade recolhidas

Minipreço de Calendário assaltado O supermercado Minipreço de Calendário foi assaltado à mão armada por três indivíduos encapuzados, ao início da noite de sábado. Os três entraram no estabelecimento, enquanto um quarto suspeito ficou à espera no carro, e ameaçaram com armas os funcionários e os clientes. Levaram o dinheiro de uma das caixas. p.10

p. 3

ANO 17 • Nº 861 • Gratuito 5 A 11 DE NOVEMBRO DE 2008 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

opiniãoespecial

Governante visitou instalações da GNR e prometeu solução a curto prazo

SECRETÁRIO DE ESTADO CHOCADO COM QUARTEL DE RIBA D’AVE Ruivanense Atlético Clube Suplemento

O secretário de Estado da Administração Interna visitou o degradado quartel da GNR de Riba d’Ave na semana passada. Rui Sá Gomes disse que vinha preparado para o pior e, no final, reconheceu que o que viu “é mesmo muito mau”. O governante não trouxe

Eleições são a 22 de Novembro

Gabinete responsável pelo projecto já encetou processo de licenciamento

Dadores de Sangue em risco de vazio directivo

p. 5

A Associação de Dadores de Sangue vai a eleições no dia 22 e ainda não se perfilam candidatos à sucessão de Carlos Silva. O actual presidente, no cargo desde 2000, não quer continuar e a colectividade, que conta com mil associados, corre o risco de cair em vazio directivo. p.4

Casa de Camilo em rede de espaços memória

Nuno Melo questiona atraso de subsídio

p. 1 5

p. 8

opiniãosport: Desportivo S. Cosme travou FC Famalicão na taça distrital GD Joane de regresso às vitórias no campeonato

Tito Paris na Casa das Artes

nenhuma solução, mas prometeu que ela terá que ser encontrada a curto prazo. Porém, nada garantiu quanto à loja que lhe foi apresentada para possível instalação provisória da Guarda, adiantando apenas que é algo a “ser estudado”. p.10

p. 13

Jazigo de Joane embargado A obra do polémico jazigo de Joane acabou por ser embargada, mas a empresa responsável pelo projecto de arquitectura já entrou com o processo de licenciamento na Câmara Municipal. A ZapGun lamenta que se tenham lançado boatos sem conhecer o projecto . Na foto uma maquete do edifício. p.7


pública: 5 de Novembro de 2008

espaço aberto

Agenda

Conhece situações que podem ser retratadas na Objectiva Pública? Envie as suas fotografi fia as, acompanhadas de um pequeno texto com o local e a descrição, para o e-mail: informacao@opiniaopublica.pt ou entregue nas instalações do Opinião Pública, na Rua 8 de Dezembro, nº 214, em Antas.

Quinta-feira, 6 21h30 Cineclube de Joane exibe na Casa das Artes os filmes premiados na 6ª edição do DOCLISBOA, Festival Internacional de Cinema Documental de Lisboa.

Sexta-feira, 7 19h15 O auditório do colégio das Caldinhas é palco de mais um recital da série “35 minutos com…”, promovida pela Artave. Actuam Hugo Ribeiro (corne inglês) e Isolda Rubio (piano). 21h30 Beatriz Silva lança, no café concerto da Casa das Artes, o livro “À Mesa Com o Universo – Receitas Macrobióticas”.

Sábado, 8 14h00 Núcleo do PSD de Bairro elege nova Comissão Política, num acto que decorre até às 16 horas, na sua sede.

Objectiva Pública Já sabemos que nos feriados há sempre quem insista em colocar o lixo na rua, apesar de não haver recolha. Foi isso que aconteceu no passado sábado, 1 de Novembro, e depois o cenário era este na segunda-feira de manhã na freguesia de S. Tiago de Antas. O lixo, depois de três dias na rua, acabou por ser remexido pelos cães e quem vive por perto não ficou nada satisfeito, porque afinal a recolha era apenas feita na terça. Era bom que as pessoas tivessem mais atentas aos feriados ou quando verificassem que não houve recolha, levassem o seu lixo novamente para casa. Afinal os funcionários que fazem a recolha merecem respeito e não são obrigados a limpar ruas.

Questão Pública

Centro Social de Bairro realiza uma Festa da Castanha com tarde recreativa e um juntar animado com música típica. 18h30 Liberdade FC realiza o seu tradicional magusto no Salão de Festas de Fernando Martins, em Calendário. 19h00 Agrupamento de escuteiros da Carreira e de S. Simão realiza uma festa de S. Martinho, na Junta de Freguesia da Carreira. Haverá tasquinhas de comes e bebes e cantares ao desafio. 20h00 A Casa do FC do Porto de Famalicão realiza um magusto, que, além das castanhas, inclui churrasco, caldo verde e o bom vinho da região. A Comissão de Festas de Santa Marinha, em Landim, realiza um magusto, na tasquinha da comissão. Haverá oferta de castanhas e na tasquinha são também servidas refeições e petiscos. No domingo, terá também lugar um campeonato de sueca.

Domingo, 9 9h00 Associação de Dadores de Sangue de Famalicão promove dádiva de sangue na residência paroquial de Cabeçudos. Até às 12h30.

Terça, 11 Associação Pais e Encarregados de Educação e Jardim-de-infância de Nine organiza um magusto, onde serão oferecidas castanhas e sumos aos mais pequenos da escola do 1º ciclo e do jardim-de-infância daquela freguesia.

Sofia Abreu Silva

02

O Governo português está a gerir bem a crise no sector financeiro? Custódio Oliveira dirigente associativo O Governo tem reagido bem às situações mais graves provocadas pela crise. Veja-se o caso da nacionalização do BPN, que evita a penalização dos depositantes naquele banco. Parece-me contudo, que à actuação do Governo podem ser apontadas duas fragilidades. A primeira tem a ver com um aparente fechar de olhos ou esquecer as ilegalidades graves cometidas por aqueles que têm responsabilidades na criação da crise. Que diabo, será aceitável que os responsáveis por um buraco de 700 milhões de euros no BPN não sejam investigados e levados a Tribunal? A segunda tem a ver com a necessidade de combater as causas da crise. Não é suficiente reagir e tapar buracos, é preciso criar as condições para que situações destas não se repitam no futuro. A actual crise internacional deve ser encarada como uma oportunidade para se criar uma nova ordem económica mundial, em que o sector financeiro seja transparente e devidamente controlado ou regulado.

Maria Augusta Santos

Ana Maria Oliveira As medidas que o Governo está a tomar para combater a crise vão na linha do que tem sido feito por essa Europa fora, esta crise financeira é global e não pode nem deve ser encarada de outra forma. Nesse sentido, o Governo age da forma possível e concertado com o resto da União. Mas há em Portugal um dado novo, o Governo vai nacionalizar o BPN. Vários analistas já tinham alertado para a fragilidade desta instituição enquanto Teixeira dos Santos afirmava: “A actividade bancária em Portugal mostra sinais de consolidação face à crise económica mundial”. No dia seguinte acordamos e verificamos que afinal é necessário nacionalizar um banco e que as coisas não correm tão bem como querem fazer parecer. O ministro das Finanças tem revelado sucessivamente dados económicos favoráveis que em pouco tempo são desmentidos pela inevitável frieza dos números. A crise está instalada no sistema financeiro mundial e começa agora a atingir as economias reais. O Governo tenta esbater a realidade, mas na minha humilde opinião acho que a crise está para ficar e temos, inevitavelmente, que encará-la de frente.

FICHA TÉCNICA

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

CONSELHO EDITORIAL:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO:

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

professora

autarca

Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

APOIO À REDACÇÃO:

REDACÇÃO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino

informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR-320) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

Jorge Alexandre

GERÊNCIA: João Fernandes DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

Esta crise financeira, cuja dimensão surpreendeu muitos economistas e outros especialistas da matéria, deu os primeiros sinais nos Estados Unidos e, rapidamente, se alastrou pelo mundo inteiro, tendo chegado também à Europa. E são bem conhecidas as dificuldades que muitos países europeus têm enfrentado, alguns dos quais com economias teoricamente mais fortes que a portuguesa. O Governo português tem demonstrado estar muito atento à situação, evidenciando um grande cuidado no acompanhamento desta conjuntura internacional de crise e tendo já tomado uma série de medidas que são do conhecimento público e que se destinam a debelar internamente as consequências da crise, nomeadamente, garantir a estabilidade da economia e do sistema financeiro e proteger as poupanças dos portugueses. Interessa registar que há um grande consenso ao nível da União Europeia sobre este tipo de medidas, consenso que parece revelar-se também internamente, a avaliar pelas reacções dos principais partidos políticos ao anúncio feito pelo Governo sobre as medidas que tomou. É legítimo pensar que o Governo português está a gerir bem a crise, mostrando determinação na adopção de medidas de salvaguarda do sistema económico e financeiro e dos interesses dos portugueses.

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

PROPRIEDADE E EDITOR:

Serviços Administrativos:

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

www.opiniaopublica.pt

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

CONTACTOS Redacção:

15.000 exemplares, nº 861

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS: Francisco Araújo

IMPRESSÃO:

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


pública: 5 de Novembro de 2008 03

cidade

Ideia vincada por Agostinho Lopes na sexta-feira em Famalicão

PCP diz que o Orçamento de Estado é “péssimo” Sofifiaa Abreu Silva* O Orçamento de Estado (OE) para 2009 não evita, nem trava a recessão económica, para onde o país caminha. É esta a posição do PCP face ao Orçamento de Estado do Governo. Na passada sexta-feira, em conferência de imprensa, Agostinho Lopes, deputado comunista na Assembleia da Republica, deixou em Famalicão críticas face a um orçamento, que segundo este, não propõe um plano agressivo de investimento público. Segundo o deputado bastaria admitir o défice de 3%, ainda dentro do Pacto, para se poder avançar num acréscimo de investimento de mais de um milhão e 381 euros, o que “permitira criar alguns milhares de postos de trabalho”. “Bem necessários seriam no contexto de estagnação económica que se perspectiva, com a taxa de desemprego a agravar-se, contrariamente ao que o Governo prevê no Orçamento”. Na visão de Agostinho Lopes, o OE não responde à recuperação do poder de compra perdido nos últimos anos. “A par do investimento público, um dos elementos cen-

trais é o reforço da capacidade económica da generalidade dos trabalhadores portugueses. A via do crescimento através de crédito está esgotada e a injecção deve ser feita através do aumento das pensões e dos salários”, defende. No capítulo das medidas fiscais previstas, Agostinho Lopes diz que estas não respondem ao principal problemas das Pequenas e Médias Empresas ao nível da Tesouraria, enquanto o Governo prefere disponibilizar 20 milhões de euros aos bancos e benefícios fiscais ao grande capital. Os únicos aspectos positivos que o PCP vê neste Orçamento são mesmo o facto haver a correcção do cálculo das pensões atribuídas depois da saída da Lei 187/2007 (redução entre 10 e 15%). “O Governo dá assim razão ao PCP que confrontou o Primeiro-ministro e ministro do Trabalho várias vezes com o problema, negando-o”, diz Agostinho Lopes. Distrito e o concelho Para o PCP o OE é “aparentemente generoso para o distrito”, “se nos esquecermos que o valor agora proposto, 100 milhões, representa 50% do Orçamento de

2004, que se situou nos 241 milhões”. De resto, para o PCP, é necessário que se diga que o aumento verificado no PIDDAC, 37,8 milhões, corresponde no fundamental a dois projectos: Laboratório Internacional de Nonotecnologia (10 milhões de euros) e Guimarães, Capital da Cultura (12,3 milhões). Agostinho Lopes lembra ainda que 6 dos 14 concelhos do Distrito continuam com “dotações ridículas” e aponta casos como Amares, Celorico de Basto, V. Minho, V. Verde e Vizela e ainda Póvoa de Lanhoso que, pelo segundo ano consecutivo, não tem qualquer verba. Concretamente em relação a Famalicão, Agostinho Lopes enumerou os projectos que ficam por fazer. “É o caso da variante poente, para resolver a via de estrangulamento da ligação de Famalicão à Trofa. A mesma coisa para a construção do pavilhão gimnodesportivo da Secundária Camilo Castelo Branco, um projecto que já constou de PIDDAC e em Orçamento de Estado e que desapareceu; além de carências ao nível da saúde e de forças de segurança, como o posto da GNR de Riba d’Ave. * com Jorge Humberto Bastos

Operação tem referenciadas dezenas de veículos

Polícia Municipal recolhe viaturas abandonadas

PM reboca um dos veículos para o seu parque

A Polícia Municipal (PM) de Famalicão iniciou, na passada quinta-feira, uma operação de recolha de veículos abandonados na via pública, no núcleo urbano da cidade. A acção vai continuar nos próximos dias, envolvendo a remoção de algumas dezenas de veículos já referenciados e que se encontram há longo tempo estacionados em várias ruas da cidade, em alguns casos em locais de estacionamento pago, abrangidos por parquímetros. Algumas dessas viaturas foram identificadas como estando envolvidas em possíveis furtos ou alvo de roubo e, “aí, o processo será encaminhado pela parte judicial e eventualmente também poderá ser rebocada”, explica António Magalhães, comandante da PM de Famalicão. Outras viaturas (a grande parte) foram abandonadas pelos proprietários, “que não se dão ao trabalho de as abater, sendo que algumas já se encontram na via

pública há longos meses”. Um comportamento reprovável, mas que não é alvo de qualquer coima ou multa. “Nestes casos, o que as pessoas pagam é o reboque, que custa 50 euros, mais dez euros por cada dia que permaneça no nosso parque, o que já não é um custo pequeno”, informa. O comandante reconhece que os automóveis abandonados “contribuem para uma má imagem da cidade e são potenciadores de gerar actos de vandalismo, até porque alguns já se encontram bastante degradados”, e esse foi também um dos motivos que levou a PM a actuar, a par dos alertas manifestados por outras forças de segurança, concretamente a PSP e a GNR. Depois de recolhidas as viaturas, os proprietários a que correspondem as matrículas serão notificados. Caso essa notificação não seja possível ou os proprietários não reclamem os veículos, estes serão vendidos em hasta pública, para abate.

Julgamento de China adiado Agostinho Lopes veio a Famalicão apontar os defeitos do OE 2009

Organigráfi ficca abre portas a Escola das Caldas da Rainha No passado dia 30 de Outubro, um grupo de alunos da Escola Técnica Empresarial do Oeste, das Caldas da Rainha, esteve de visita às instalações da empresa famalicense Organigráfica. Constituído por 46 alunos e 4 professores de uma turma do 10º ano e outra do 12º, o grupo acompanhou o processo gráfico de um desdobrável, desde a pré-impressão, à impressão e acabamento. Em concreto, pôde observar o processo computorizado da passagem à chapa, através de CTP, e à máquina de impressão offset. Os alunos visualizaram ainda diversos trabalhos que se encontravam na impressão e acabamento e alguns ficaram surpreendidos com o processo offset e com os cuidados que se devem ter em conta quando se elabora um trabalho gráfico. No final, a professora Sofia Martins salientou a importância destas visitas de estudo, “porque os alunos não têm noção do que é que acontece ao trabalho elaborado no computador e só no terreno é possível tomarem conhecimento do processo gráfico”. No final foi oferecido a todos os visitantes o desdobrável que acompanharam, desde a pré-impressão ao acabamento, e a brochura “Reciclagem dos Produtos Impressos” cedida pela Associação Portuguesa das Indústrias Gráficas (APIGRAF).

O Tribunal de Guimarães adiou, quinta-feira passada, mais um julgamento do jovem joanense conhecido pela alcunha de “China”. Segundo a agência Lusa, o julgamento do Sérgio, com 19 anos, foi adiado para 27 de Novembro e prende-se com um outro anteriormente realizado no mesmo Tribunal e no qual o arguido foi condenado por assalto a uma bomba de gasolina. O Tribunal de Guimarães aplicou-lhe a pena de obrigatoriedade de prestação de trabalho comunitário em substituição de dois anos de prisão, mas o Ministério Público recorreu para a Relação de Guimarães, pelo que a medida

não entrou em vigor O julgamento vai ser repetido, por ordem do Tribunal da Relação e na sequência do recurso do Ministério Público, mas apenas na parte que se prende com a determinação das condições socioeconómicas do arguido. “China” está preso preventivamente numa ala de segurança da prisão de Paços de Ferreira já que tem de enfrentar, pelo menos, mais quatro julgamentos, um por se ter evadido da prisão de Guimarães em Agosto de 2007 e os restantes pendentes na comarca de Famalicão, onde terá realizado diversos roubos.

Termas das Caldas promovem encontro clínico No próximo sábado, dia 8, decorre o 10º Encontro Clínico das Termas das Caldas da Saúde, cujo convidado é o neurocirurgião António Reis, que irá abordar o tema “Lesões vértebro-musculares: presente e futuro”. O trabalho que a equipa António Reis tem desenvolvido e que consiste numa técnica de tratamento específica para lesões na coluna, com bons resultados, desde logo ao nível da qualidade de vida dos doentes, foi merecedor do prémio Personalidade do Ano 2006. Os trabalhos começam às 9h30, sendo que a entrada é livre, mas necessita de inscrição prévia.


pública: 5 de Novembro de 2008

Hospital de Famalicão arranca com informatização das Urgências Arrancou hoje, quarta-feira, a informatização dos Serviços de Urgência das duas unidades – de Santo Tirso e de Famalicão – do Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA). A partir de hoje todos os registos administrativos e clínicos passam a ser tratados por via electrónica, “reduzindo drasticamente o uso do papel e permitindo uma informação mais correcta, mais legível e imediatamente acessível a todos os profissionais envolvidos na cadeia de prestação de serviços nos serviços de urgência”, diz o CHMA em nota à imprensa. A interligação entre os dois serviços será completa, facilitando a deslocação entre as duas unidades dos doentes urgentes. A informatização dos Serviços de Urgência constitui, segundo a administração do CHMA, “uma importante ferramenta de gestão ao serviço do doente, cujos ganhos serão visíveis, gradualmente, a partir desta semana”. No entanto, “apesar de todos os cuidados colocados na preparação do arranque”, o CHMA solicita a melhor compreensão de todos para qualquer dificuldade inesperada que possa ocorrer nos primeiros dias de utilização do novo sistema.

cidade

Cerimónia pública decorreu na Casa das Artes

Adrave assinala décimo aniversário a pensar no futuro Carla Alexandra Soares A Adrave – Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave festejou, na semana passada, dez anos de existência. Na cerimónia, que decorreu na Casa das Artes e que encheu o pequeno auditório, foi feita uma retrospectiva do percurso da Adrave e foram ainda apresentados os novos desafios em que a agência está envolvida. Armindo Costa foi o primeiro a intervir como presidente do Conselho de Administração da Agência. O, também, autarca de Famalicão traçou as linhas mestras de intervenção da Adrave, referindo que esta tem sabido afirmar-se com projectos inovadores e diferenciados para a região. “Estes resultados são fruto de uma acção concertada dos parceiros envolvidos dum modo exemplar, fazendo da união e da dedicação o grande segredo para o sucesso da agência”. Armindo lembrou que o Vale do Ave, apesar de garantir uma boa fatia das exportações do país, continua com uma imagem negativa, mas que o resultado de dez anos de trabalho traduz-se em números objectivos: “São mais de dez milhões de euros aplicados em pro-

António Freitas

04

Armindo Costa à conversa com Rui Baleiras no final da cerimónia

jectos de desenvolvimento. Qualificámos e aproximamos do mercado de trabalho cerca de 3.500 pessoas, muitas delas jovens à procura do primeiro emprego”. Para além destas, a intervenção da Adrave projectou-se ainda na inventariação, na organização e promoção do património cultural da região, bem como no turismo, gastronomia e rota industrial do Vale do Ave. Para Armindo Costa, a passagem pelos dez anos marca a viragem de actuação da Agência, que deve centrar-se prioritariamente em projectos de desenvolvimento económico. “Deve-

mos focar-nos ao nível do investimento e do turismo capazes de mobilizar recursos e qualificações dando origem a novas estratégias empresariais, a novas tipologias de emprego, em suma, à inovação assente no factor conhecimento”, referiu o presidente do conselho de administração da Adrave, que sublinhou ainda a importância de se investir em projectos e acções de qualificação de recursos humanos, “numa altura a que a região ainda assiste a um processo de destruição e reconversão do emprego, fruto da globalização, da nova economia e da abertura dos

mercados”. Assim, dentro dos novos domínios destacam-se a inovação, o conhecimento e as novas tecnologias. Armindo Costa finalizou a sua intervenção realçando que nos últimos dez anos, a Adrave poderia ter chegado muito mais longe, se para isso tivessem existido outros e mais meios. A sessão contou com a presença do secretário de Estado do Desenvolvimento Regional. Num discurso longo, Rui Baleiras deixou elogios à Adrave, apontando-a como exemplo para outras do país. “Ultimamente falamos muito de cooperação e ainda bem. Temos é que fazer mais em cooperação, tenho consciência que o Vale do Ave é, infelizmente, um território de excepção no contexto nacional. Estamos num espaço privilegiado onde os actores, e a começar pelos municipais, souberam há já bastante tempo encetar um trabalho de cooperação promovendo uma visão de desenvolvimento territorial conjunta”, referiu o responsável lamentando que esta prática tenha poucos seguidores no país e que a cooperação nem sempre tenha sido tida em conta na zona do Vale do Ave.

Caso não surja ninguém para formar uma lista

Dadores de Sangue em risco de vazio directivo Jorge Humberto Bastos A Associação de Dadores de Sangue de Vila Nova de Famalicão (ADSVNF) corre o risco de cair em vazio directivo, se não aparecer sucessão. A afirmação foi deixada por Carlos Silva, presidente da ADSF, em entrevista ao programa “Roteiro Associativo” na Rádio Digital FM, na passada quarta-feira. A dificuldade prende-se com a dificuldade em arranjar “sangue novo” para substituir a actual direcção. “Toda esta direcção está no cargo desde 2000 e isto cansa. As eleições estão marcadas para este mês e não creio que aconteçam, porque ainda não apareceu nenhuma lista a candidatar-se” lamentou Carlos Silva. Perante o impasse, os actuais responsáveis não sabem o que vai acontecer daqui para a frente: “não sabemos se continua com uma comissão administrativa”, apontou o presidente da ADSVNF. Precisamente por este motivo os projectos da associação para o futuro encontram-se por definir. No entanto, Carlos Silva disse que se, eventualmente, aparecerem pessoas da sua confiança, voltará a agarrar o leme da associação, mas

Carlos Silva e Manuel Sanches da actual direcção da Associação de Dadores de Sangue

para já não sabe o que irá acontecer e a “resposta só vai ser dada no próximo dia 22 de Novembro”, a data marcada para a realização das eleições. Recorde-se que a Associação de Dadores de Sangue está a comemorar este ano oito de actividade e conta com mil associados, isentos de quota, e que não estão obrigados à dádiva de sangue. Os sócios colaboram no apoio à associação, ou seja, nos dias de colheita de sangue nas diferentes freguesias. Além das acções que se relacionam com a colheita de sangue e medula óssea, a Associação tem distribuído

um pouco por todo o concelho, e não só, algum material ortopédico para beneficiar pessoas com problemas de mobilidade, nomeadamente deficientes e idosos. Em Outubro entregou oito cadeiras de rodas normais, duas cadeiras de rodas eléctricas, uma cadeira de apoio de banho e cinco andarilhos a pessoas individuais e a diversas instituições de Famalicão. Já no próximo mês, os Dadores de Sangue irão entregar mais bens no dia 6 na freguesia do Louro. Também neste domingo, dia 9, está marcada mais uma colheita de sangue. Desta feita será no Salão Paroquial de Cabeçudos, entre as 9 horas e as 12h30.


pública: 5 de Novembro de 2008 05

cidade

Ideia defendida no 1º Simpósio Nacional sobre este tema

Defi ficciência social precisa de trabalho em rede Sofifiaa Abreu Silva O trabalho em rede social é muito importante no âmbito da deficiência social. Esta foi uma das principais ideias deixadas, na passada sexta-feira à tarde, no 1º Simpósio Nacional Sobre Deficiência Social, organizado pela Lipac – Liga de Profilaxia e Ajuda Comunitária, na biblioteca municipal. Silva Marques, presidente da Liga, na sua intervenção, indicou que é necessário um trabalho de equipa face à deficiência social, defendendo, assim, a figura de um interventor/mediador comunitário. Recorde-se que, desde 1978, o psiquiatra se preocupa em perceber o porquê de tanto insucesso de muitos alcoólicos e toxicodependentes. No entender de Silva Marques é preciso a figura do interventor comunitário, como alguém de consenso, com larga experiência a trabalhar na comunidade, e vinculado a uma entidade-chave, como, por exemplo, a Junta de Freguesia. “Isto não é novidade, porque nos Estados Unidos já há muito tempo que é feito. Há 8 anos fiquei surpreendido ao saber que quem tratava dos

Lipac organizou o 1º Simpósio Nacional Sobre Deficiência Social

doentes era a comunidade, mas aqui trabalhamos para o umbigo. Estamos em boa hora para darmos as mãos e este Governo tem capacidade e legitimidade para o fazer”, disse. “A Junta de freguesia tem uma assistente social e uma psicóloga, o Centro de Saúde tem outra psicóloga, depois são as associações que têm técnicos, imensos técnicos, mas tudo trabalha individualmente para si. Não há rede, não há sinergismo, não há parceria”, acrescentou. Já Idália Moniz, secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação, que encerrou o simpósio, discordou de Silva Marques quanto à questão da

ausência de uma Rede Social. A governante garantiu que nunca se trabalhou tanto em rede como actualmente. “Temos 308 municípios no nosso país e uma rede social que se tem vindo a consolidar e Famalicão é um bom exemplo disso. O grande desafio que se nos coloca é a forma como vamos gerir estas parcerias”, afirma. Idália Moniz referiu ainda que a nível nacional há um conjunto de instrumentos de combate à exclusão social, como o novo Plano Nacional de Acção para a Inclusão de 2008-2010. Para a secretária de Estado, a universalidade da protecção social é inquestio-

nável nas sociedades desenvolvidas e apresentou o Rendimento Mínimo de Inserção como um bom exemplo de resposta. “Esta medida tem feito o seu caminho, apesar da controvérsia, na minha opinião muito injusta para aquelas pessoas para quem o facto de ver garantidos um conjunto de mínimos sociais possibilitou sair de ciclos de pobreza e de exclusão em que se viram, de repente, envolvidos”, sustenta. Na mesma linha, Leonel Rocha, vice-presidente da Câmara Municipal de Famalicão, garantiu que para o município a Acção Social é uma prioridade e que o conceito de deficiência social é recente, mas muito importante. Leonel Rocha perspectiva que a única cura para estas enfermidades sociais passa pela prevenção, tratamento e dissuasão. “Este é um trabalho feito, na maioria das vezes, pelas instituições de solidariedade social sem fins lucrativos. É o caso da LIPAC que tem vindo a desenvolver um trabalho exemplar em Famalicão, no combate à exclusão social e aos fenómenos de dependência”.

PS diz que coligação quer Parque da Cidade “aos quadradrinhos” O Partido Socialista de Famalicão considera que é “escandaloso e uma aberração” aquilo que se está a passar com a construção do Parque da Devesa, “uma promessa eleitoral da coligação PSD/PP, em 2000, mas o Parque da Cidade continua perdido por entre contradições insanáveis, já lá vão sete anos”. Em comunicado, os socialistas criticam a “falta de um projecto global e devidamente estruturado” para o Parque da Cidade, acusando a Câmara de o ter “divido em ‘tranches’, entregando a várias instituições pequenas ‘parcelas’, no contexto de uma candidatura que ninguém sabe bem onde começa e muito menos onde vai acabar”. Uma posição que, de resto, vai de encontro à assumida pelos vereadores do PS no executivo na última reunião camarária, em que o presidente apresentou

uma proposta para ratificação de uma parceria que autarquia fez com outras entidades para candidatar o Parque da Cidade ao programa Polis XXI. O PS aponta ainda o dedo à postura de Armindo Costa em relação ao Citeve, uma das instituições envolvidas nesta candidatura e que detém uma pequena parte dos terrenos que integrarão o futuro parque. Dizem que edil “logo foi ameaçando, dizendo que não estaria disponível para comprar aquilo que foi dado ao Citeve, esquecendo que esses terrenos são propriedade legítima desta entidade”. Lamentam ainda que o presidente da Câmara tenha atirado “as culpas” desta situação “para a Câmara Socialista que mais não fez que a sua obrigação, garantido a instalação, em Famalicão, de uma estrutura da importância do Citeve”.


06

pública: 5 de Novembro de 2008

cidade

É a terceira obra do presidente da Pasec

Abraão Costa lança livro sobre animação sócio cultural

Abraão Costa

“Animação Sócio Cultural e Protagonismo Juvenil” é o título de um livro que é apresentado hoje, dia 5, e que resulta do projecto “Nova Fórmula” desenvolvido pela associação famalicense Pasec – Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais, em colaboração com outras instituições. Da autoria de Abraão Costa, coordenador do projecto, o livro é lançado publicamente no auditório da Didáxis de Riba d’Ave, pelas 15h30. A obra trata a importância do trabalho do Animador Sócio Cultural na pro-

moção do protagonismo juvenil. Conta com depoimentos de Animadores no activo em Portugal e na Europa e de jovens líderes de estruturas grupais locais e nacionais. Ao mesmo tempo, esta obra dá a conhecer, no âmbito da Animação, o primeiro modelo promotor de processos de protagonismo juvenil, partindo de uma dimensão intercultural. É o primeiro modelo do género na Europa. Esta primeira edição contará com uma tiragem de 1000 exemplares e será difundida em Portugal, Itália e Espanha. A cerimónia contará com a presença do director da Agência Nacional para a Gestão do Programa Juventude em Acção, Pompeu Martins; do director do Instituto Português da Juventude, Vítor Dias; dos grupos envolvidos no projecto e das delegações estrangeiras, principais parceiros e organismos públicos e não governamentais que suportaram esta acção. Depois de “Cavaleiros do Poder” e de “Laboratório de Jogos”, Abraão Costa vê assim publicado o seu terceiro livro. Mestre em Associativismo e Animação Sócio Cultural e licenciado em Animação Socioeducativa, Abraão Costa é, actualmente, director e docente dos Cursos de Animação Sócio Cultural e Apoio Psicossocial da Didáxis de Riba d’Ave. Preside ainda à Pasec e coordenou diversos projectos nos âmbitos da Animação Comunitária, Juvenil e Infantil em contexto nacional e europeu.

Projecto implica mudança visual da instituição

AFPAD quer “Mudar de Pele” A AFPAD – Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência está a dar início ao projecto “Mudar de Pele”, que assenta na ideia de reestruturar o aspecto visual da sede da instituição, localizada em frente à esquadra da PSP, sendo que a mudança vai começar pelo Serviço de Intervenção Precoce. Essa mudança de visual consiste em pintar as paredes do edifício, “tornando o espaço mais acolhedor e mais alegre”. “Em cada parede será realizado um esboço a lápis que posteriormente vai ganhar vida com inúmeras cores e formas”, explica. Este trabalho vai ficar a cargo dos artistas plásticos Joana Brito e Ricardo Miranda, fundadores e professores da Escola de Artes Plásticas A Casa ao Lado, e conta com o apoio das empresas Argacol, Tintas e Vernizes, S.A., e das Tintas Anar. Noutra vertente, a AFPAD implementou o sistema de gestão da qualidade nos serviços de apoio que disponibiliza à comunidade. Em comunicado, a instituição anuncia que é seu “principal objectivo usar boas práticas e ter em funcionamento um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) eficaz”. “Uma das estratégias mais relevantes para atingir este fim é aumentar a eficiência dos recursos humanos, investindo na

formação e melhoria contínua”, acrescenta a direcção da AFPAD. Neste contexto, a associação está a realizar, com a colaboração do projecto Equalidade, uma formação para a qualidade que arrancou em Outubro e se prolonga por este mês de Novembro e cujo objectivo é sensibilizar os dirigentes, técnicos e colaboradores para a importância da implementação de um SGQ. Entretanto, a AFPAD celebrou, no passado dia 14 de Outubro, um contrato de cooperação com a Rede Europeia Anti-Pobreza/Portugal (REAPN), no âmbito do Projecto QUAL_IS Norte – Qualificar a Intervenção Social. Trata-se de um projecto, ao qual a Instituição se candidatou em Setembro deste ano e que foi aprovado, que tem como objectivo melhorar a qualidade da AFPAD através do apoio à implementação de um SGQ e do desenvolvimento de processos de qualificação organizacional que visem melhorar a eficácia da intervenção e a promoção de respostas sociais mais adequadas. Este projecto termina em Dezembro de 2009 e durante este tempo a AFPAD vai beneficiar de 228 horas de formação padronizada, e de formação individualizada e consultadoria de acordo com as necessidades da instituição.

Residente em Famalicão detido em Aveiro Um jovem de 19 anos, de nacionalidade estrangeira e residente no concelho de Famalicão, foi detido sexta-feira da semana passada pela PSP de Aveiro, por suspeita de furto no interior de um hipermercado naquela cidade. Segundo um comunicado da PSP, o jovem “ocultou 8 jogos para PlayStation 3 dentro de um saco [com dispositivo próprio para iludir a detecção electrónica] e, de seguida,

tentou abandonar o estabelecimento, sem efectuar o pagamento dos referidos artigos”. A Polícia recuperou os jogos, no valor total de 555,60 euros e restituiu-os ao responsável da loja. O detido, que se encontra desempregado e era já suspeito de ter praticado o mesmo tipo de crime em Castelo Branco e Figueira da Foz, foi presente ao Tribunal Judicial Aveiro.

Pub.

HTH com exposição no Guimarães Shoping

No intuito de divulgar os mais recentes modelos e dar a conhecer as novas tendências em mobiliário de cozinhas, a HTH Cozinhas Dinamarquesas e Nobilia Werke, aliaram-se ao Grupo Sonae-Serra (Administração dos Centros Comercias do Grupo Sonae), ao utilizar os espaços comerciais dos diversos Shopping’s do Grupo para expor seus produtos. Não é a primeira vez que a HTH e o Grupo Sonae se juntam, pois tal já aconteceu num dos empreendimentos habitacionais do Grupo Sonae, Quinta das Sedas, localizado junto ao Norte-Shopping, em Matosinhos. O objectivo da HTH/Nobilia é promover o seu design inovador, divulgando os mais recentes modelos e tendências em mobiliário de cozinhas e impulsionar, simultaneamente, um maior dinamismo aos espaços comercias do Grupo Sonae. A Santos & Hansen, representante da HTH/Nobilia, irá estrear-se com esta iniciativa no Guimarães-Shopping já no próximo fim-de-semana, dias 7, 8 e 9 de Novembro, e continuará em 2009, passando por todos os restantes espaços da Sonae-Serra no continente e ilhas. Para mais informações visite os sites www.hth.dk / www.nobilia.de.


freguesias

Empresa responsável pelo projecto já entrou com processo de licenciamento

Fonte: www.zupgan.pt

Jazigo de Joane embargado pela Câmara

Maqueta virtual do jazigo

Cristina Azevedo Foi embargada a obra do polémico jazigo que está a ser construído no cemitério de Joane. A obra foi embargada a 21 de Outubro, segundo anuncia o próprio gabinete de arquitectura responsável pelo projecto, o ZapGun, do Porto, na sua página na Internet. Segundo informou o presidente da Junta, Ivo Sá Machado (ver OPINIÃO PÚBLICA de 22 de Outubro), dias antes dessa data, técnicos da Câ-

mara Municipal estiveram de visita ao local, pelo que a decisão de embargo poderá ter sido tomada após essa vistoria. Entretanto, o ZapGun já entregou um Projecto de Licenciamento na Câmara, aguardando por uma decisão. Contactados pelo OP, os responsáveis pelo gabinete de arquitectura recusaram-se a tecer, para já, qualquer comentário, afirmando que o projecto “será objecto de apreciação nas secções compe-

tentes”. Não deixam, porém, de lamentar a politização deste processo (que levou à troca de acusações entre o líder do PSD Joane e o presidente da Junta eleito pelo PS) e que tenham sido “lançados boatos sem o conhecimento do projecto”. Já na sua página na Internet, o gabinete tem publicado um comunicado onde, em tom irónico, tenta desmistificar algumas das acusações e considerações que foram feitas à obra. Concretamente, afirmase que o terreno foi adquirido, nos termos de “Concessão Sepultura Perpétua”, para construção de uma capela/jazigo com 3 por 3 metros em planta, mostrando-se estupefacção pela polémica então criada, até porque “a altura final desta capela/jazigo é inferior à maioria das capelas construídas no cemitério de Joane”, lê-se no comunicado. No texto é também referido que “quem concedeu a ‘Concessão Sepultura Perpétua’ para a construção foi a Junta de Freguesia, na figura do seu presidente, que conhecia o projecto e marcou, in loco, no cemitério, os limites

da construção”. Por outro lado, referem que a obra foi embargada ao abrigo de um regulamento que obrigava todas as construções com mais de dois metros de altura a ser objecto de licenciamento por parte da Câmara. Em face disso, questionam se existe alguma capela/jazigo no concelho com menos de dois metros de altura e se a autarquia estará disposta a embargar ou a exigir o processo de legalização dessas capelas. Na página da Web, em www.zapgun.pt/wiki, pode-se também ter acesso ao projecto da capela, bem como às respectivas maquetas e plantas. O edifício apresenta uma arquitectura moderna, dotando o volume dos quatro alçados com o mesmo valor e de forma prismática, ao contrário da habitual configuração das capelas que apresentam uma fachada principal, duas laterais e traseiras. Para o seu interior está previsto um pátio descoberto onde se plantará uma árvore conífera. A capela terá capacidade para 12 urnas, com acesso tipo “gaveta”, do exterior.

pública: 5 de Novembro de 2008 07

ACIP entrega certificados do curso de Serviço de Mesa

No âmbito do Curso de Educação e Formação de Adultos de Serviço de Mesa, promovido pela ACIP, Ave Cooperativa de Intervenção Psico-Social, realizou-se no passado dia 30 de Outubro, a sessão solene de entrega de Diplomas/Certificados aos formandos. A sessão decorreu na Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, e contou com as presenças, entre outros, da directora do Centro de Emprego de Famalicão, do vicepresidente da Câmara Municipal e vereador da Educação, Leonel Rocha, e de um representante da Equipa Regional de Educação e Formação de Adultos. Participaram ainda vários parceiros da ACIP, nomeadamente representantes de Juntas de Freguesias, da Unidade Familiar de Saúde, Instituições Particulares Solidariedade Social e elementos da comunidade. Em nota à imprensa a ACIP afirma que a entrega dos Diplomas/Certificados aos formandos “revestiu-se de grande importância para o futuro e percurso pessoal e profissional dos mesmos, ficando motivadas para as Novas Oportunidades”.


08

pública: 5 de Novembro de 2008

freguesias

Adelino Campos tomou posse como presidente do núcleo

Pousada de Saramagos

PSD de Ribeirão quer mais investimento

Adelino Campos na cerimónia de tomada de posse

O investimento não pode parar em Ribeirão. Esta foi uma das principais mensagens deixadas por Adelino Campos, no jantar de tomada de posse como presidente do núcleo ribeirense do Partido Social Democrata (PSD), que se realizou no passado dia 24 de Outubro. Adelino Campos atirouse aos “vários executivos PS que, ao longo de anos, não deram ouvidos nem respeitaram as necessidades e reivindicações dos ribeirenses”, para elogiar depois o trabalho da coligação PSD/PP. “Com a entrada da nova maioria algumas obras importantes foram realiza-

das, como as piscinas, a requalificação do parque escolar, a água, o saneamento e muitas estradas pavimentadas, com destaque para Av. 3 de Julho”, frisou. Mas Adelino Campos deixou também alguns alertas, sublinhando que o investimento não pode parar. “Não se pense que uma obra como as piscinas basta para satisfazer as necessidades de uma terra com tantas pessoas, com tanto potencial de crescimento empresarial e com uma dinâmica associação desportiva, que é das mais representativas do concelho”, avisou.

Vincando que o núcleo do PSD de Ribeirão existe desde a fundação do partido, Adelino Campos manifestou ao líder concelhio, Paulo Cunha, também presente na cerimónia, a sua disponibilidade para trabalhar na preparação dos próximos actos eleitorais, com destaque para as autárquicas do próximo ano. Neste contexto fez questão de lembrar aos responsáveis concelhios do partido que “o núcleo de Ribeirão, com cerca de 400 militantes, é não só o maior do concelho como provavelmente um dos maiores do país e que este facto tem de ser tido em conta em tomadas de decisões”. E completa: “Ninguém se pode esquecer que Ribeirão, com cerca de 10% da população, dispõe de quadros em número e qualidade suficientes para contribuir para o enriquecimento do concelho”. Adelino Campos entrou para o partido como militante da JSD, passando para o PSD há cerca de 10 anos. Nos últimos seis anos presidiu ao núcleo de Ribeirão, tendo renovado agora o mandato.

Nuno Melo questiona Governo sobre subsídio não pago O deputado famalicense Nuno Melo questionou, a semana passada, o Governo sobre um subsídio atribuído à Junta de Freguesia de Pousada de Saramagos, que se encontra por liquidar desde 2001. O parlamentar do CDS/PP, eleito pelo círculo eleitoral de Braga, apresentou, na Assembleia da República, um requerimento exigindo explicações sobre o atraso do pagamento de uma verba de 7.500 euros à autarquia de Pousada se Saramagos, no âmbito da candidatura que apresentou e que foi aprovada pela Direcção Geral das Autarquias Locais, destinada à construção da sede da Junta. Segundo Nuno Melo, esse montante deveria ter sido pago em 2001. Entretanto, a nova sede da Junta foi concluída e até hoje o subsídio não foi liquidado, “sob pretexto, tanto quanto se sabe, de falta de cabimento fi-

nanceiro”, diz o deputado no requerimento. Melo acrescenta que a 25 de Maio deste ano foi enviada uma reclamação ao gabinete da directora-geral das Autarquias Locais, “não tendo a Junta de Freguesia recebido, até hoje, algum tipo de resposta”. Uma situação que o parlamentar classifica de “inadmissível e chocante”, argumentando que “Pousada de Saramagos é uma freguesia de dimensão média, sem outro tipo de fontes de financiamento, pelo que o valor em dívida é fundamental para o equilíbrio da contabilidade, bem como para permitir que outras pequenas obras tão prementes para a freguesia sejam concretizadas. O requerimento foi endereçado ao secretário de Estado da Administração Local. Agora, Nuno Melo espera que o governante diga por que razão ainda não foi pago o subsídio e qual a data programada par a sua transferência.

Colocação de funcionária não se deveu a fecho da escola O Conselho Executivo do Agrupamento de Escolas de Ribeirão veio, esta semana, esclarecer, através de uma nota à imprensa, que a apresentação de uma auxiliar de acção educativa na escola do 1º ciclo da Portela “não se deveu ao encerramento da escola, mas sim, à conclusão de um processo iniciado em Julho entre o Conselho Executivo do agrupamento e as respectivas instituições”. A semana passada, um grupo de pais de alunos da EB1 da Portela fechou a escola a cadeado em protesto pela falta de uma auxiliar de

acção educativa. O protesto durou até às 10 horas da manhã, altura em que os portões da escola foram reabertos, e deu-se à margem da própria Associação de Pais e Encarregados de Educação. No dia seguinte a funcionária apresentou-se ao serviço, mas o Agrupamento de Escolas garante que tal não se ficou a dever ao protesto, mas sim a diligências efectuadas, sendo que a primeira foi a 23 de Julho, com um fax enviado à EAE e à Direcção Regional de Educação do Norte a pedir autorização para requisição de funcionários ao

Instituto de Emprego. A 28 de Julho seguiu um ofício para a coordenadora de Educação Especial/Apoios Educativos a pedir autorização para contratar tarefeiras, enquanto a 9 de Setembro foi enviado novo fax à EAE a pedir a requisição de funcionários para várias escolas do agrupamento. O Conselho Executivo diz que o processo ficou concluído a 23 de Outubro, dias antes de a escola ter sido fechada a cadeado, com a colocação pelo Instituto de Emprego de sete trabalhadores na área daquele agrupamento.

Da Weasel actuam no Lago Discount Os Da Weasel são o principal destaque do programa da Recepção ao Caloiro de Famalicão, que decorre de hoje e até sexta-feira, no Lago Discount, em Ribeirão. Actuam na sexta-feira, dia 7 de Novembro. A banda de Almada promete reviver alguns dos temas que consagraram o grupo como um dos mentores da nova vaga de hip-hop nacional. No alinhamento estará certamente uma incursão pelo último álbum – “Amor, Escárnio e Maldizer” – que conquistou os tops de música nacionais. Para assinalar a passagem dos Da Weasel, o Lago Discount oferecerá bilhetes grátis para o concerto. Por cada compra efectuada no espaço comercial de valor superior a 30 euros, os visitantes do Lago ficam automaticamente ha-

bilitados a um bilhete grátis para o concerto dos Da Weasel. No que toca ao restante cartaz, hoje à noite a animação fica a cargo de Quim Barreiros. O músico já é um ícone das festas estudantis e promete atrair muitos caloiros e doutores ao Lago Discount. Após a actuação de Quim Barreiros, a música electrónica invade o espaço comercial com o set dos United Soul Brohters. Amanhã, as sonoridades são da responsabilidade de Dj’s convidados, contando com a presença na cabine de Fernando Alvim (Antena 3). Os concertos têm início às 22h00, sendo que a organização coloca à disposição autocarros gratuitos entre as 23 e as 2 horas e as 4 e as 6 horas, com saídas do Parque da Juventude.

Acidente em Fradelos provoca quatro feridos Um acidente de viação, no sábado, em Fradelos provocou quatro feridos. Tratou-se de um despiste seguido de colisão, ocorrido por volta das 14h35 de sábado. Do acidente resultaram quatro feridos, mas apenas um foi transportado ao Hospital de Famalicão pela Cruz Vermelha de Ribeirão. No local estiveram ainda os Bombeiros Famalicenses, que mobilizaram uma ambulância mas não chegaram a transportar nenhum ferido.


freguesias

Acção para pais e filhos na EBI de Arnoso Santa Maria

PJ esclarece sobre “Internet e Segurança” Sofifiaa Abreu Silva Porque a internet não tem só vantagens, a EBI de Arnoso Santa Maria organizou, na passada quarta-feira, à tarde e depois à noite, uma palestra subordinada ao tema “Internet e Segurança”. A acção inserida no Projecto “Inovar para Crescer” contou com a presença de dois inspectores do Departamento de Braga da Polícia Judiciária: Carlos Alves e Nuno Roque. À noite, num auditório completamente cheio, foram muitos os que ouviram os elementos da PJ a alertar para a utilização descuidada dos meios informáticos e da internet. “Ninguém pensa hoje em dia viver sem utilizar os meios informáticos e a internet, aquilo que nós aconselhamos é que a sua utilização se revista de alguns cuidados”, disse o inspector Carlos Alves, evocando que nem tudo o que existe na internet, existe com boas intenções. “Há que fazer uma utilização crítica, consciente e ponderada”, alerta. O inspector da Judiciária afirma que em relação aos adultos, pela lacuna da formação, estes são alvo fácil de actividades criminosas. Já as crianças e jovens, que já crescem com estes meios técnicos, “não estão devidamente alertadas para os perigos”. Para Laura Palma, presidente do Conselho Executivo da EBI, a acção foi muito útil, uma vez que foi endereçada a pais e filhos. “A internet é utilizada por todos os nossos alunos e estes ainda não têm muita consciência dos perigos que podem estar associados à internet, porque, às vezes, não há em casa um acompanhamento parental”, sublinhou. Com os alertas deixados pelos inspectores da Judiciária, a responsável acredita que todos “quando se liga-

Inspectores da Judiciária deixaram conselhos sobre a utilização da Internet

rem à Internet pensarão duas vezes onde estão a navegar”. Laura Palma afirma que o desejado é responsabilizar todos: “encarregados de educação, alunos e professores”. “Estamos muito empenhados no Projecto Inovar a Crescer que, para além de ser

um projecto de combate ao insucesso escolar, inclui outra vertente que visa chamar os encarregados de educação à escola, para que eles possam ajudar os seus filhos, sem que estes se sintam presos, mas antes seguros com a vigilância dos pais”.

Recomendações da Polícia Judiciária Jovens: - Não devem revelar, na internet, nome, idade, residência e outros dados pessoais. - Confiem nos pais e professores e aceitem os conselhos destes. - Desconfiem sempre de quem vos pede para manter segredo ou não contar a ninguém algum facto ou situação. - Relatar a pais e professores qualquer situação estranha ou conteúdos de cariz obsceno, agressivo ou que pareça ilícito. - Não abrir mensagens de remetentes desconhecido, nem reencaminhem mensagens antes de apagar os endereços que delas constam. - Refrear a curiosidade. Não fazer experiências que podem causar prejuízo a outrem ou invadir a sua privacidade. Professores e pais: - Acompanhar os jovens cibernautas e, sem invadir demasiado a privacidade, manterem-se informados. - Desenvolver um trabalho de consciencialização e estar atentos a mudanças de comportamento. - Estar atentos ao histórico de consultas e implementar meios de restrição ou bloqueio no acesso a conteúdos. - Analisar o conteúdo das páginas visitadas (incitamento à violência, publicidade encoberta).

Comissão de Festas da Lagoa angaria fundos A Comissão de Festas da Lagoa vai organizar, no próximo dia 15 de Novembro, sábado, a partir das 20 horas, um conjunto de actividades que têm como objectivo animar a freguesia e angariar fundos para as festividades em honra do Divino Espírito Santo da Lagoa que acontecem no próximo ano. A noite começa pelas 20 horas com a realização de um torneio de malha no adro da igreja da Lagoa. Segue-se depois um jantar e um magusto. Caberá, entretanto, aos cantores ao desafio animar a noite, que se pretende que seja de festa. Na ementa, além de castanhas, haverá ainda porco no espeto que será servido pela noite dentro. Saliente-se ainda um serviço de refeições económicas. O destaque da noite vai para um leilão de lenha rachada com o objectivo também de para angariar fundos para as festividades. Para os interessados, mais se informa que se aceitam encomendas de lenha para qualquer zona. Contacto: 96 46 13 429.

pública: 5 de Novembro de 2008 09


pública: 5 de Novembro de 2008

Centro de dia e lar de idosos nos projectos futuros de Bente A Junta de Bente espera concretizar a segunda fase da reabilitação da zona envolvente à igreja e ao cemitério no próximo ano. O desejo é do presidente da Junta de Bente, Francisco Ferreira, e foi manifestado numa entrevista concedida no passado domingo ao programa “Gentes da Terra” da Rádio Digital FM. O autarca vai já no seu terceiro mandato à frente da freguesia de Bente e diz que este está a ser o melhor mandato, mostrando-se muito satisfeito com as obras efectuadas. Francisco Ferreira enumera a conclusão da rede de abastecimento de água e os avanços na rede de saneamento, bem como as intervenções na rede viária e a construção da préprimária. Importante foi também o arranjo da zona junto à Igreja. Uma obra que Francisco Ferreira quer ver continuada no próximo ano. “Esta foi uma primeira fase e agora a próxima fase irá consistir num arranjo junto ao cemitério, que aquela zona está a precisar. O cemitério já não tem obras desde 1983”, comenta. Depois de concluída esta obra, o autarca de Bente quer dar seguimento à sua preocupação com a terceira idade. A freguesia chegou a ter elaborado um projecto social em conjunto com a freguesia vizinha de Landim, mas o projecto acabou por não avançar. Francisco Ferreira mantém essa preocupação e já tem algumas ideias. Se se recandidatar, o que diz ainda não ter decidido, vai “avançar para o centro dia e lar para idosos, a freguesia está muito necessitada disso e já temos terreno”.

freguesias

Secretário de Estado visitou o quartel mas não apontou solução

“GNR de Riba d’Ave precisa de ser reinstalada rapidamente” Cristina Azevedo É preciso encontrar rapidamente uma solução para instalar, ainda que provisoriamente, a GNR de Riba d’Ave. Isso mesmo reconheceu o secretário de Estado da Administração Interna, Rui Sá Gomes, que esteve de visita ao quartel da Guarda Nacional Republicana ribadavense, na quarta-feira da semana passada. Rui Sá Gomes, acompanhado pelo governador civil de Braga e pelo presidente da Câmara de Famalicão, classificou o actual quartel de “muito mau” e afiançou que o Governo está empenhado em resolver o problema, com ajuda da Câmara Municipal e do Governo Civil. Porém recusou-se a adiantar prazos. “Eu quero a solução o mais rápido possível porque acho que os cidadãos e a GNR merecem um serviço diferente, mas não me peçam datas, porque não estava a ser honesto. O tempo dependerá da solução que for encontrada”, disse no final da visita, quando questionados pelos jornalistas. Na deslocação a Riba d’Ave

Grupo Etnográfico Rusga de Joane ambiciona um espaço próprio

Fundado desde 1991, o Grupo Etnográfico Rusga de Joane debate-se neste momento com um problema que é a falta de sede própria. O grupo, que esteve presente no passado sábado na Rádio DIGITAL FM, é composto actualmente por cerca de 50 elementos, dos quais 11 pares a dançar. Realizam diversas actuações por ano das quais se destacam as visitas ao estrangeiro, nomeadamente, a Israel, Estados Unidos da América, França, Mónaco e Alemanha.O Grupo Etnográfico Rusga de Joane tem resolvido o problema da falta de sede utilizando para os ensaios o salão das piscinas de Joane. “Esperamos que com a construção do novo agrupamento de escolas de Joane sejam libertados espaços nessas escolas e num desses espaços possamos instalar a nossa sede”, referiu Camilo Alves, responsável do grupo. Outro dos projectos a realizar a curto prazo é a criação de mais um trabalho discográfico onde possam ser incluídas nas novas cantigas do grupo.

Carro roubado em Delães Três indivíduos encapuzados e armados roubaram um carro, em Delães, na quinta-feira passada. Segundo a edição de sábado do jornal Correio do Minho, a condutora tinha acabado de levantar dinheiro numa caixa multibanco, pelas 22h30, e quando se dirigia para a sua viatura, na Avenida da Portela, foi abordada por três indivíduos encapuzados e armados com uma caçadeira. Sob ameaça da arma, os assaltantes roubaram-lhe o carro, um Audi A4 cinzento. Os indivíduos traziam uma viatura Citröen e fugiram nas duas viaturas, em direcção a Riba d’Ave. A Polícia Judiciária do Porto está a investigar o caso.

Cristina Azevedo

10

: Rui Sá Gomes à conversa com o comandante da GNR de Riba d’Ave

o governante visitou ainda um espaço apontado como possível solução para instalar provisoriamente a GNR. Trata-se uma loja com dois pisos, localizada na Rua Camilo Castelo Branco, não muito longe do actual quartel. Porém, também esta solução irá ainda ser estudada. “Muito brevemente, ficaram de me dizer se, com obras ou outras intervenções, será possível ultrapassar as deficiências, porque é um espaço que não foi pensado de raiz para um quartel e, portanto, tem de haver adaptações”, diz Rui Sá Gomes.

No decorrer da visita à referida loja, foram colocadas algumas reticências ao espaço, sobretudo pelo facto de ser muito envidraçado. De qualquer forma, o secretário de Estado diz que “os técnicos da GNR vão analisar essas questões”, completando que, “todas as decisões são tomadas em conjugação com as forças de segurança”. O actual quartel, além de exíguo, está em avançado estado de degradação. Há buracos no chão, as portas e janelas estão a desfazer-se e o atendimento às pessoas é feito num

minúsculo corredor logo à entrada do posto. Rui Sá Gomes disse que “vinha preparado para o pior” e, in loco, constatou que “a situação é mesmo muito má”. “Temos que dignificar as forças de segurança, temos de prestar um bom serviço aos cidadãos que se dirigem a um posto e que têm de ter condições para serem recebidos, para formular as suas queixas”, acrescentou, para concluir que o quartel ribadavense “não corresponde sequer a mínimos”. O governante finalizou a deslocação com uma visita ao quartel dos Bombeiros, mostrando-se agradado com a proposta defendida pela Câmara de instalar definitivamente ali a GNR quando os bombeiros construírem também o novo quartel, para o qual já existe terreno. Quem tem instalações novas e construídas de raiz é a GNR de Joane, que já está a proceder à mudança para o novo espaço. Rui Sá Gomes não apontou, porém, qualquer data para a entrada em funcionamento do novo quartel, nem para a sua inauguração oficial.

Investimento municipal programado até fifinnais de 2009

Ampliação e modernização de 20 cemitérios custa 1,3 milhões O presidente da Câmara, Armindo Costa, efectuou, a semana passada, uma visita de trabalho-surpresa aos cemitérios de Abade de Vermoim e Sezures. Na ocasião, o edil revelou que está a levar a cabo um pacote de investimentos que prevê intervenções num total de 20 cemitérios do concelho e inclui aquisição de terrenos e obras de modernização. Desde 2007 e até finais de 2009, o investimento da autarquia na ampliação e modernização dos cemitérios do concelho ronda o montante de 1,3 milhões de euros. De acordo com o autarca, que se encontrou com os presidentes das Juntas das duas freguesias, José Costa e Silva e José Torres, respectivamente, “estamos pe-

rante um grande investimento, que resolve problemas de sobrelotação de cemitérios por muitos anos”. Das obras já realizadas, entre 2007 e 2008, a Câmara de Famalicão investiu perto de 860 mil euros na ampliação e modernização de 16 cemitérios de outras tantas freguesias. Só na compra de terrenos para alargamento de cemitérios foram investidos 446 mil euros, enquanto 368 mil euros foram investidos em obras de reabilitação e reparações diversas. A autarquia investiu ainda 45 mil euros em capelas mortuárias, nas freguesias de Avidos e Vilarinho das Cambas. Depois de obras e de aquisição de terrenos em Fradelos, Joane, Riba d’ Ave, Delães, Calen-

dário, Bairro, Abade de Vermoim, Lagoa, Sezures, Jesufrei, Oliveira Santa Maria e S. Mateus, a Câmara já arrancou também com as obras de alargamento do cemitério da freguesia de Antas, uma obra onde já foram investidos 45 mil euros. Entretanto, até aos finais de 2009, a autarquia prevê investir ainda cerca de 450 mil euros. Neste investimento está já inserida a aquisição de um terreno para o alargamento do cemitério de Requião, que deverá implicar o valor de 150 mil euros. Por outro lado, a autarquia pretende ainda investir no alargamento e em obras de modernização dos cemitérios de Brufe, Delães, Landim, Riba d’ Ave, Sezures, Vale S. Cosme e Vermoim.

Assalto armado ao Minipreço Três indivíduos armados e encapuzados assaltaram o supermercado Minipreço, em Calendário, na noite de sábado. Eram cerca das 20h30, quando os três homens entraram no estabelecimento, ameaçando funcionários e clientes que se encontravam no interior da loja. Sob ameaça de arma levaram o dinheiro que estava numa caixa registadora que se encontrava aberta.

Cá fora estava outro suspeito, ao volante de um Honda Civic preto, onde os quatro fugiram. As autoridades suspeitam que a viatura seja roubada. As informações de que as autoridades dispõem são ainda poucas, sabendo-se apenas que se trata de quatro homens, com idades entre os 20 e os 25 anos. A ocorrência foi registada pela PSP de Famalicão, mas o caso deve ser investigado pela Polícia Judiciária.

Fraternidade promove Festa do Patrono A Fraternidade Nuno Álvares, associação dos antigos filiados do Corpo Nacional de Escutas de Joane, realiza, no próximo domingo, a Festa do Patrono Beato Nuno, no âmbito das comemorações do seu 25º aniversário. O programa inicia-se às 8h30, com a recepção aos núcleos, agrupamentos e guias, na Escola Secundária Padre Benjamim Salgado. Pelas 10h20 tem lugar uma romagem ao cemitério, seguindo-se a missa, pelas 11h15, com bênção da bandeira e renovação de promessas.


pública: 5 de Novembro de 2008 11

praça pública

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

Consultório Veterinário Paula Romão

Domingos Peixoto

Devesa I, II, III, IV… Em sete anos, uma das principais promessas de Armindo Costa continua envolta nisso mesmo… Não anda nem desanda. Ou melhor, andam com a Devesa às voltas mas do Parque nada se vê! No princípio era um corredor verde desde a zona do agora novo Tribunal de Comarca até à entrada para Fontelo. Depois era uma Via Canal, ladeada de torres de luxo, hotel, uns pólos de investigação e integração especial de uma quintinha a nascente. Logo de seguida a dita via dava lugar à manutenção da actual rua que circunda a Devesa a nascente, desde a avenida do Brasil até à Igreja de Antas. Agora o “negócio” é com instituições e empresas de construção civil, para “regenerar um espaço verde junto à Central de Camionagem”! A uma das Instituições a Câmara quer retirar o que outrora lhe foi doado. Outra cede terrenos contra autorização de alargamento das

suas instalações; pois não haveria de ser! Uma imobiliária quer construir na zona a troco de cedências ao “domínio público”; pudera não ceder! Acresce que, “ameaça” Armindo, uma parte do terreno detido pelo CITEVE é reserva agrícola e ecológica. Sim! E os outros terrenos pertencentes aos demais parceiros e construtores civis? Pronto. Aqui chegados – já uma vez se disse que a coligação não tinha estratégia e, não fora o aparecimento do tão criticado QREN, nem sete anos chegavam para serem “obrigados a pegar” no assunto – nova cambalhota à retaguarda é dada ao prometido Parque da Devesa, dando-se agora um “ar de pureza” com a tentativa de “coligação” a instituições que terão todas as vocações menos as de construtores de parques verdes. Porém, ninguém conhece projectos, – conhecê-los-ão os Senhores Vereadores da Maioria? – estudos e

custos, pelo que, em face de tão “curtas vistas” cumpre à oposição – ao PS em especial – estar absolutamente contra, denunciando este tipo de “negóciozinhos caseiros” e de areia para os olhos dos menos precavidos. E tendo o PS, de facto, denunciado este emaranhado de indecisões, incongruências e incapacidades da maioria, eis que, a “cortar à direita” vem lançar anátemas sobre este partido atribuindo-lhe a não prossecução do interesse público – quando, como todos sabemos, a decisão de avançar ou não nunca estaria em causa – mas, outro sim, é precisamente porque a coligação não dá mostras de perseguir aquele interesse público, como o provam a dilação de sete anos no caso, que os Vereadores da oposição não podem confundir-se com os demais. PS: O Sistema Financeiro Português foi abalado pela notícia, abrupta, da nacionalização do BPN!

NACIONALIZAÇÃO…!? Pois bem, o PPD, pela voz de um ex-ministro, veio dizer que não é bem assim, é apenas um encaixe de dinheiro, pelo que está de acordo com a medida. Para mal de todos nós, a verdade é que, quando os “poderosos” estão mal o Estado nacionaliza ficando com os encargos de quem andou a “ludibriar” os incautos. Porém, quando as instituições estão de “saúde” e apetecíveis, eis que os vorazes investidores privados se arrogam no direito de lhes acederem e… O Estado entrega! Está a ser assim com o banco das metalomecânicas, dos construtores civis, dos produtores de rações e outros, que lá deviam injectar dinheiro… Mas ele, o pilim, está muito bem aplicado nos exorbitantes e luxuosos bens, que não demonstram sinais exteriores de riqueza. E lá se vai a produtividade. Isto dava pano para mangas…

Carta ao Director

A verdade sobre o cemitério de Ruivães - É lamentável que o actual presidente da Junta, há falta de obra feita e preocupado com as próximas eleições, ande agora a acusar a oposição PS (com mais incidência na minha pessoa), eleita por metade dos Ruivanenses, por estes denunciarem publicamente e com verdade as promessas feitas e não cumpridas e ainda outros actos que em devido tempo serão tornados públicos. - Quanto ao cemitério, em que eu sou o principal visado, devo esclarecer publicamente que o terreno ao lado foi aprovado para construção muito antes de eu exercer qualquer cargo político na freguesia. Segundo informações e documentos existentes, há muitos anos atrás houve necessidade em ampliar o cemitério, tendo a então Junta de Freguesia, Câmara Municipal e o então proprietário do terreno chegado ao acordo seguinte: o proprietário cedia gratuitamente a área necessária para ampliação e, como contrapartida, a Câmara aprovava para construção o terreno restante. Perante um facto consumado o terreno foi vendido ao actual proprietário, que agora não pretende aí construir mas sim vender. - Os membros do PS, ao terem conhecimento que o actual proprietário colocou à venda o terreno e sendo esta uma oportunidade única para ampliação do cemitério, apresentou na Assembleia de Freguesia uma proposta para que a Junta reivindicasse junto da Câmara a aquisição do mesmo tal como tem acontecido em outras freguesias. Por mais incrível que pareça, a maioria PSD votou contra a proposta do PS. - Também, e segundo as últimas informações, a Câ-

mara não está interessada em investir dinheiro na compra e pretende tão só trocar o terreno que a Câmara socialista pagou para habitações de vivos na Quinta de Rebordêlo e em troca conseguir terrenos para mortos. Esta solução vai levar anos a concretizar-se mas irá servir pelo menos para aproveitamento político na campanha eleitoral. - O actual presidente da Junta afirma que o cemitério está lotado. Entende-se por lotado quando não há terreno para sepultar. Felizmente em Ruivães ainda há terreno disponível para dezenas de anos, dado que a população infelizmente tem diminuído. Acresce ainda o facto de 90% das famílias terem jazigo próprio e os que não têm dinheiro ou não querem comprar, têm terreno assegurado. Há pessoas que há 15 anos ainda veneram sepulturas dos seus entes queridos por haver disponibilidade de terreno. Se não há terreno para concessão (venda), então a Câmara deve adquirir de imediato o que está à venda. Não entendo esta política baixa e desonesta por parte do presidente da Junta, que a todo o custo pretende manter-se no poder. - Peço ao Sr. Presidente da Junta que ganhe juízo e não enxovalhe o nome de um filho da terra que ao longo de 12 anos, e ao contrário do citado, tem muita obra feita e muito trabalhou para melhorar a qualidade de vida dos Ruivanenses. Se há pessoas com memória curta essa outra questão. Ruivães, 31 de Outubro de 2008 José Menezes Membro da Assembleia de Freguesia

O aumento da esperança média de vida na população humana é bem visível e deve-se a inúmeros factores, como a alimentação equilibrada, os cuidados gerais de saúde, a melhoria nas condições gerais de habitação, etc. Da mesma forma, a idade que os nossos animais de companhia atingem é hoje muito maior, precisamente pelas mesmas razões. É cada vez mais comum observarmos cães e gatos “idosos”. Nos animais de estimação era comum estabelecer uma relação de idade com o ser humano de 1 para 7, ou seja um ano de um animal doméstico correspondia a 7 dos “nossos”. Na verdade, essa relação não é correcta, pois nos primeiros anos de vida um cão ou gato crescem mais rapidamente, um animal com 8 meses já é considerado adolescente – terá no mínimo 13 anos dos nossos! Essa diferença vai diminuindo com o crescimento do animal e pode corresponder a bem menos do que os tais 7 anos na sua idade adulta. A “3ª idade” nos cães depende do seu porte e raça, estabelecendose que um cão de raça pequena é geriátrico com 9-13 anos e um cão de raça gigante atinge esta fase logo aos 6-9 anos. Um gato é sénior a partir dos 10 anos. Com este aumento, começam também a surgir os problemas e doenças da idade avançada, que quase nunca chegávamos a observar nos nossos animais! As doenças cardíacas, renais, articulares e ósseas são cada vez mais frequentes, assim como as doenças degenera-

Bom Para Nacionalizar Já lá vão mais de 30 anos sobre a interrupção do PREC, agora retomado pela mão dos mais lídimos representantes do ocidental sistema de organização política e administrativa das nações: os governantes da democracia. Difícil foi começar. Agora, mais banco menos banco, mais falida menos falida, tudo voltará a ser nacionalizável, desde que haja perigo de contágio e o supra sumo da economia, constantemente denominado Vítor, não tenha dado pela rebaldaria institucional. As amaldiçoadas nacionalizações, que antecederam a bênção de muita privatização de sectores económicos determinantes e rentáveis, transformaram-se, três décadas depois, no galináceo dos

1=7???

tivas do sistema nervoso central. É de extrema importância o acompanhamento dos animais de estimação nesta etapa das suas vidas, através de consultas e exames de rotina, onde muitos destes problemas podem ser precocemente diagnosticados, prevenidos e mais eficazmente tratados. Problemas físicos como a dor crónica podem transformar o carácter de um animal, ao ponto de se tornar impaciente e mesmo agressivo! Uma disfunção renal ou cardíaca pode provocar um aumento substancial na ingestão de água e na frequência da micção, fazendo com que o animal deixe de ser “limpinho” como quando era jovem… É importante identificar as alterações físicas que provocam distúrbios nos nossos animais e que estão na origem de alterações comportamentais, como os hábitos de sono e higiene, para depois podermos resolver os verdadeiros problemas de degenerescência do sistema nervoso, como as alterações do comportamento por senilidade. Os nossos animais de companhia vivem cada vez mais tempo e a sua qualidade de vida enquanto idosos depende muito do cuidado dos seus proprietários. Antes de se conformar com as alterações que observa no seu velho cão ou gato, leve-o ao seu médico veterinário assistente e vai ver que ainda poderá fazer muito por ele!!! paularromao@iol.pt

D’Esguelha Gouveia Ferreira

ovos de euros, ao permitirem a impunidade de magnânimos gestores, para quem a reversão fiscal é inaplicável. Os “pelintras”, que pululam nas pequenas e médias empresas, longe das intimidades bancárias e do grupelho de gestores, que se tem governado à sombra dos partidos do centrão, na sua inocente pelintrice, apenas servem de meros destinatários, justificativos da intransigência de alguma fiscalidade. Que se saiba, ainda não aconteceu nada aos responsáveis das inúmeras derrapagens na gestão da coisa pública. Vai acontecer aos das privadas?! O quê?


12

pública: 5 de Novembro de 2008

publicidade

Falecimentos

Armindo da Costa Ribeiro (70 anos) Missa do 30º Dia

David Carlos Vieira Ribeiro, no dia 30 de Outubro, com 41 anos, solteiro, da freguesia de Arnoso St.ª Eulália.

Seus filhos, netas, genro e nora, renovam o seu agradecimento a todas as pessoas que se associaram à sua dor aquando do falecimento e missa do 7º Dia, vêm por este meio participar que a missa do 30º Dia será celebrada quinta-feira dia 6 de Novembro pelas 18 horas na Igreja Paroquial de Mouquim - V.N. de Famalicão. Desde já o seu profundo reconhecimento a quantas se dignarem assistir a este piedoso acto. Vila Nova de Famalicão, 5 de Novembro de 2008 A Família

Funerária Rodrigo Silva - 252323176

Alfredo Bernardino Ferreira, no dia 1 de Novembro, com 65 anos, viúvo de Aurora Mendes Fernandes, da freguesia de S. Tiago da Cruz. Maria Júlia de Sousa Leal, no dia 2 de Novembro, com 80 anos, casado com Domingos Dias Pereira, da freguesia de Sequeirô (Santo Tirso). Joaquim Saldanha da Silva Soares, no dia 23 de Outubro, com 62 anos, casado com Maria da Glória Gonçalves da Cunha, da freguesia de Bairro. Alberto Lima, no dia 4 de Novembro, com 91 anos, viúvo de Casimira da Silva Braga, da freguesia de Roriz (Santo Tirso). Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

José Ribeiro (84 anos) Missa do 7º Dia

Funerária Rodrigo Silva - 252323176

Emília Ferreira da Costa, no dia 28 de Outubro, com 79 anos, viúva de Augusto Fernandes da Silva, da freguesia de Vila Nova de Famalicão. Maria Glória de Carvalho, no dia 29 de Outubro, com 86 anos, viúva de Mário da Costa Marques, da freguesia de Telhado. Frankelin Gonçalves de Sousa, no dia 1de Novembro, com 76 anos, viúvo de Maria Madalena da Silva, da freguesia da Lama (Santo Tirso).

Jo a qu im da S ilva Ol ivei ra , no dia 1 de Novembro, com 56 anos, casado com Laurinda Oliveira, da freguesia de L and im . Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Alberto Pereira da Costa, no dia 1 de Novembro, com 55 anos, casado com Maria da Glória Pereira Ribeiro Costa, da freguesia de Riba d’Ave.

Emília Lopes Garcia Ribeiro, no dia 29 de Outubro, com 74 anos, casada com Américo Charters Ribeiro, da freguesia de Vila Nova de Famalicão.

Ermelinda Veloso Carvalho, no dia 2 de Novembro, com 93 anos, viúva de Alberto Ferreira da Costa, da freguesia de Vila Nova de Famalicão. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Seus filhos, netos, bisnetos e demais família vem por este meio agradecer a todos aqueles que se dignaram a participar no seu funeral, mais informa que as missas de 7º Dia pelo seu eterno descanso, serão celebradas dia 8 Sábado pelas 19:15 horas na Igreja Matriz (Nova), outra no Domingo dia 9 pelas 12:30 horas na Igreja São Francisco em Guimarães. Desde já seu profundo reconhecimento a quantos se dignarem assistir a este piedoso acto. Vila Nova de Famalicão, 5 de Novembro de 2008 A Família

Funerária Rodrigo Silva - 252323176

Antón io Ferrei ra da Costa Or tiga Agradecimento e Missa de 7º Dia Sua esposa e restante família agradecem muito reconhecidamente a todas as pessoas que tomaram parte no funeral do saudoso familiar e do mesmo modo a todas as que de alguma forma lhes made

pesar.

Aproveitam para comunicar que mandam celebrar missa do 7º Dia, Domingo, dia 09, pelas 10 horas na Igreja Paroquial de Brufe. Brufe, 5 de Novembro de 2008 Desde já, antecipadamente agradece A Família

Mar ia Mada lena da Cos ta e S ilva, no dia 30 de Outubro, com 80 anos, casada com Joaquim Pereira da Silva, da freguesia de Vilar inho das Cam bas. A ntó nio Fe rre ira da Cos ta Or t iga, no dia 2 de Novembro, com 65 anos, casado com Maria dos Santos Oliveira Ortiga, da freguesia de Bru fe . Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

Manuel Fernando da Silva Costa, no dia 28 de Outubro, com 70 anos, casado com Sofia Fonseca Mesquita, da freguesia de Brufe.

José Ribeiro, no dia 1 de Novembro, com 84 anos, casado com Maria Cândida de Campos Moreira, da freguesia de Antas S. Tiago.

Ermelinda Veloso Carvalho (93 anos) Missa do 7º Dia

sentimentos

Em ília G uilh er mina d e A z eved o Ma c had o , no dia 1 de Novembro, com 48 anos, casada com Jaime Luís da Costa Almeida, da freguesia de Be nte .

Carminda da Silva, no dia 28 de Novembro, com 91 anos, solteira, da freguesia de Vila Nova de Famalicão.

Antas - Vila Nova de Famalicão, 5 de Novembro de 2008 A Família

nifestaram

Jo s é L uí s P er eir a d a Cos ta, no dia 28 de Outubro, com 54 anos, divorciado, da freguesia de S ant o T i rso .

Agência Funerária de Riba d’ Ave Riba D’Ave – Tel.: 252 982 032

Sua esposa, filhos, netos, bisnetos e demais família vem por este meio agradecer a todos aqueles que se dignaram a participar no seu funeral, mais informa que a missa de 7º Dia pelo seu eterno descanso, será celebrada dia 7 Sexta - Feira pelas 19:00 horas na Igreja Paroquial de Antas V. N. de Famalicão. Desde já seu profundo reconhecimento a quantos se dignarem assistir a este piedoso acto.

Funerária Palhares - 252 951 147

Agência Funerária Armando Cunha Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 252 961 428

Ma ria d o Céu Go m es de Oli veir a, no dia 28 de Outubro, com 80 anos, casada com Luís Fontes de Almeida, da freguesia de A re ias ( Sa nt o T ir so ) .

Ma ria Ro sa d a Co sta Ma ce do , no dia 28 de Outubro, com 80 anos, viúva de José da Silva Barros, da freguesia de S . Mar t inh o de B o ugad o ( Tro fa) . Jú lio d a S ilva Pe re ira , no dia 31 de Outubro, com 81 anos, casado com Deolinda Rodrigues Costa, da freguesia de S . T ia go de Bo uga do ( Tro fa) . A ntó n io d e Oli veir a Ro dr igue s, no dia 3 de Novembro, com 74 anos, casado com Maria de Lurdes Machado, da freguesia de S . Mar t inh o d e B o ugad o (Tr o fa) . Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727


pública: 5 de Novembro de 2008 13

cultura

Primeira apresentação a nível nacional foi em Famalicão

Concerto é no dia 29 de Novembro

Tito Paris actua na Casa das Artes O cabo-verdiano Tito Paris é uma das grandes atracções de Novembro da Casa das Artes. O cantor vai actuar no grande auditório às 21h30 do dia 29 de Novembro, com a entrada a custar 12 euros. Tito Paris nasceu numa casa da música, absorveu desde menino os sons e os ritmos de Cabo Verde. O pai tocava banjo e baixo, a avó cantava mornas e coladeras, e o avô, além de construtor de instrumentos musicais, tocava violino. A sua música está profundamente enraizada na tradição musical cabo-verdiana mas respirando outras sonoridades, sempre arrebatada pela saudade insular que se sente quando interpreta um funaná ou uma coladera mas também com ânsia de um som novo, da descoberta de novas harmonias. Este cantor de música cabo-verdiana e de morna foi um dos convidados no espectáculo de Mariza no Royal Albert Hall, Londres, em Novembro de 2006, tendo, depois desse espectáculo, actuado várias vezes com a mesma cantora. “Beijo de saudade” é um dos grandes temas resultantes desta cumplicidade. Nesse mesmo sábado, mas às 23h30, no café-concerto, actuam também os T3 + UNS, um projecto independente baseado no Porto, com fortes ligações ao Brasil e cujo primeito CD se chama “Músicas de apartamento”. Outro nome que vai passar pela Casa das Artes é Viviane, vocalista dos Entre Aspas. Considerada uma das

Daniel Sampaio apresentou A Razão dos Avós” “A Sofifiaa Abreu Silva

Viviane vem à Casa das Artes na próxima sexta-feira

vozes mais carismáticas da música portuguesa, Viviane lançou, em Abril de 2007, o seu segundo álbum a solo, de nome “Viviane”, e prepara para 2008 a sua segunda tour de auditórios e teatros. Na próxima sexta-feira, pelas 21h30, vai passar pelo grande auditório, com a entrada do concerto a custar oito euros. Já no sábado, às 22h30, no café-concerto, a banda Puzzle apresenta o seu álbum de estreia “Ritmo da Pulsação Tour”. Os Puzzle são uma banda eclética, com influências do funk, da soul e do hiphop. No fim-de-semana seguinte actuam os Plastica que, com quase 10 anos de carreira, estão de volta com um novo disco, intitulado “Lovers”. O concerto é a 15 de Novembro, às 22h30, no caféconcerto. Teatro e dança Em termos teatrais, o destaque vai para a peça “As Viagens de Gulliver”, que será levada ao palco do grande auditório pelo Teatro do Bulhão nos dias 20 e 21 de Novembro, às 10 e às 15 horas, e

no dia 22 às 21h30. Trata-se de uma adaptação livre de “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift, que Luísa Ducla Soares faz, dedicada aos mais novos e procurando uma relação directa entre a herói da história e os espectadores. A encenação é de Joana Providência e o elenco é composto por Lilibel Valente, Carlos Peixoto, Inês Lua e Pedro Damião. Antes, a 14 e 15 de Novembro, é levada à cena “A Festa”, que conta com interpretações de Cátia Pinheiro, Cláudia Gaiolas, Fernando Luís, Joaquim Horta, Marcello Urgeghe, Rita Blanco e Tónan Quito. A peça conta a história de sete amigos que se juntam na casa de um deles para celebrar uma passagem de ano. Novembro traz também dança à Casa das Artes, nos dias 27 e 28, com o espectáculo “Tokonoma”, de Ludgers Lamers. “Tokonoma” é um tríptico, que utiliza a ondulação e a co-existência de 3 elementos, em várias dimensões, focalizando a sua pureza na fisicalidade. A dança começa às 21h30 nos dois dias, com a entrada a custar sete euros.

Carvalho da Silva diz que “O Padrinho” é um filme extraordinário

“A Razão dos Avós” é o mais novo livro de Daniel Sampaio e foi segunda-feira, ao final da tarde, apresentado, em Famalicão. O conhecido psiquiatra esteve na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e perante uma plateia de jovens e avós comentou os capítulos da sua mais recente publicação, editada pela Editorial Caminho. A partir de uma pesquisa profunda sobre as suas próprias raízes familiares, relatadas nos primeiros dois capítulos, Daniel Sampaio sustenta nesta obra a importância dos avós. “Eu acho que os avós de hoje são muito importantes, porque ajudam os pais de diversas maneiras: às vezes financeiramente; a tomar conta dos netos pequenos; e funcionam como referência para os jovens”, defende. O escritor fala também daquilo que se transmite através de gerações, porque é essencial “saber como é que no passado a família resolveu os seus problemas, porque em todas houve zangas, doenças, mortes”. No livro, há ainda um capítulo que se debruça sobre

Primeira apresentação do novo livro de Daniel Sampaio aconteceu em Famalicão

os avós e o divórcio. Nestes casos, explica Daniel Sampaio, os avós são muito importantes, porque são aqueles que transmitem a continuidade da família e dizem aos mais novos ‘eu estou aqui e tu podes contar comigo’, “porque uma criança ou adolescente que vê os pais a separem-se fica a perguntar o que se vai passar, quem vai tomar conta dele e como vai ficar a família?”. O psiquiatra vincou que os avós são o futuro, porque trazem experiência e vivem mais tempo. “Conto neste livro uma história de um adolescente de 17 anos que vai com o avô de 75 anos para todo o lado. Até o pai protesta a dizer que o filho vai comprar os ténis e fazer des-

porto com o avô”, contou. Quem esteve também presente na cerimónia foi Leonel Rocha, vereador da Cultura de Famalicão, que disse esperar que a nova publicação de Daniel Sampaio sirva, uma vez mais, para ajudar educadores, na vertente pessoal e profissional. Zeferino Coelho, responsável da Editorial Caminho e a primeira pessoa a ler o livro, considerou que aprendeu “imenso”. “Na relação com o meu filho, neto e nora, já me porto de maneira diferente. É um livro em que todos podem ganhar”, evidenciou. No final, Daniel Sampaio disponibilizou-se para responder a algumas questões do público e dar autógrafos.

ASSOCIAÇÃO DE LUDOTECAS DE FAMALICÃO Assembleia-Geral Nos termos da Lei e do artigo 30.º dos Estatutos, convoco todos os associados da Associação de Ludotecas de Famalicão para a reunião da Assembleia-Geral ordinária, que terá lugar nas instalações da Instituição, sita na Avenida Marechal Humberto Delgado, n.º 515-499 em Vila Nova de Famalicão, pelas 17h30 horas no dia 14 de Novembro de 2008, com a seguinte

ORDEM DE TRABALHOS: 1. Informações da Direcção;

António Freitas

2. Apresentação, discussão e votação do plano de actividades e orçamento para 2009;

As semelhanças históricas existentes entre a época vivida na década de 1970, altura em que foi rodado o filme “O Padrinho”, de Francis Ford Coppola, e os dias de hoje, foi uma das principais razões que levaram o secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, a escolher este filme para apresentar na iniciativa “Um Livro, Um Filme”, que se realizou sexta-feira, no auditório do Centro de Estudos Camilianos, em Seide. A primeira grande crise petrolífera e a recessão dos Estados Unidos foram algumas das semelhanças apontadas por Carvalho da Silva, que considera a obra-prima de Coppola “um filme extraordinário” pela variedade de conteúdos abordados.

3.Outros assuntos de interesse para a Associação. Nota: Se à hora marcada não houver a presença da maioria absoluta dos sócios efectivos, a Assembleia funcionará em segunda convocatória, uma hora depois, com qualquer número de presenças, com a mesma ordem de trabalhos e local.

Vila Nova de Famalicão, 29 de Outubro de 2008 A Presidente da Mesa da Assembleia – Geral (Luísa Maria Alves de Oliveira, Dra.)


14

pública: 5 de Novembro de 2008

publicidade

Procuro

senhora viúva, entre 60 e 65 anos. Que seja meiga para fazer companhia e para ambos sermos felizes. Tenho carro e casa própria, sou muito honesto. Trata-se de assunto sério. Quero sinceridade. Tenho 66 anos.

Telefone: 938 672 213

TÉCNICO DE VENDAS A empresa Nutricarnes opera no sector das carnes (transformação) pretende recrutar colaboradores para desenvolver a gestão da carteira de clientes.

PERFIL DO CANDIDATO: PRÉMIO MERCÚRIO – O MELHOR DO COMÉRCIO O “Prémio Mercúrio – o Melhor do Comércio” é uma iniciativa da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) e da Escola de Comércio de Lisboa (ECL), que visa reconhecer e galardoar o que de melhor se faz no sector do Comércio e Serviços, e nas profissões ligadas a ele. Mercúrio, o deus romano do comércio, foi então o nome escolhido para o prémio que vai apadrinhar os melhores deste sector dentro de três categorias subdivididas: • Empresas (Lojas com História, Comércio Alimentar, Comércio Não Alimentar, Comércio Online, Novos Conceitos); • Personalidades (Formação & Carreira Profissional, Jovem Empresário, Personalidade do Ano); • Prestígio; As candidaturas abriram a 1 de Outubro e terminam a 31 de Janeiro de 2009, sendo feitas pelo site: www.premiomercurio.com onde se encontram também o regulamento e muitas informações sobre o prémio. As candidaturas serão sujeitas a uma comissão de pré-selecção integrada pela CCP, pela ECL, pelo Instituto Superior de Novas Profissões e pelo Instituto Superior de Gestão. Os interessados serão contactados de forma a assegurar os requisitos necessários ao processo de selecção e avaliação. Os vencedores serão conhecidos em Maio, numa gala a decorrer em Lisboa. INICIATIVA MERCA – LINHA DE CRÉDITO PME INVEST II O Governo, em parceria com a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), lançou um pacote de apoios específicos para o sector do Comércio, designado de Iniciativa MERCA, que será concretizado no âmbito do QREN, no período 20082013. Esta iniciativa contempla quatro medidas, das quais destacase a Linha de Crédito PME Invest, uma linha de crédito bancário para o financiamento de investimentos de criação, renovação e modernização de empresas, que poderá ser utilizada por Pequenas e Médias Empresas (PME) dos sectores do Comércio e da Restauração. O objectivo passa por facilitar o acesso ao crédito às PME, através das bonificações de taxas de juro e da minimização do risco das operações bancárias. Esta linha terá um valor de 200 milhões de euros, disponíveis a partir do 4º trimestre de 2008, e terá como valor máximo por operação 250 mil euros, ou, caso se tratem de PME Líder, um total de 300 mil. Está prevista a aplicação em capital fixo e fundo de maneio (neste caso limitado a 35%). A taxa de juro é Euribor a 3 meses, menos 0,5%, com uma taxa mínima de 3%. A garantia prestada pelo Estado (através do Sistema de Garantia Mútua) vai até 50% do montante contratado. A PME deve contactar um dos diversos bancos protocolados para apresentar a sua candidatura à Linha de Crédito. Para mais informações contacte a ACIF (252 315 409). ACIF INICIA FORMAÇÕES MODULARES CERTIFICADAS A ACIF vai avançar com FORMAÇÕES MODULARES CERTIFICADAS, que constituem uma oferta de Unidades de Formação de Curta Duração com a duração de 25 ou 50 horas, que pretendem elevar os níveis de qualificação escolar e profissional dos adultos, numa perspectiva de aprendizagem ao longo da vida. Estas Formações Modulares, a realizar em V. N. Famalicão, nas instalações da ACIF (em horário laboral e pós-laboral), permitem a aquisição de conhecimentos em determinadas áreas consideradas fulcrais, e destinam-se aos activos que possuam idade igual ou superior a 16 anos e baixas qualificações escolares e/ou profissionais (6º ano e 9º ano de escolaridade). Aos formandos (15 por cada acção) são disponibilizados subsídios de alimentação e seguros de acidentes pessoais. As áreas de formação englobadas são: - Comércio - Marketing e Publicidade - Contabilidade e Fiscalidade - Secretariado e Trabalho Administrativo - Cuidados e Beleza - Saúde - Ciências Informáticas - Hotelaria e Restauração - Enquadramento na Organização/Empresa - Indústrias Alimentares

- Com ou sem Licenciatura (preferencial); - 2/3 anos de experiência em funções similares; - Domínio de ferramentas informáticas na óptica do utilizador; - Espírtio compreendedor, boa capacidade de liderança e apresentração cuidada; - Boas competências de comunicação; -Experiência em ambientes industrial (preferencial) - Idade entre os 25 e os 40 anos; Os interessados devem enviar o seu Curriculum Viate para aalopes@mail.telepac.pt ou dirigirem-se às nossas instalações NUTRICARNES SA LOPES E FERNANDES OLIVEIRA LDA Travessa de Santo Amaro nº 65 4470-207 Joane Vila Nova de Famalicão Telefone: 913 747 922

Restaurante Cacioli

Ajudante de Cozinha com experiência, sexo feminino, 25 a 40 anos Contacto: 931 747 283

Contacto: 916 043 349

A ACIF dispõe ainda, além destas acções de formação, dos mais variados cursos de formação não subsidiada, que pode consultar no site da Associação (www.acif.pt). Informe-se e inscreva-se já pelos contactos: Centro Formação ACIF Rua Senador Sousa Fernandes, nº19, 1º 4760-164 V. N. Famalicão Tel/Fax 252 315 095 e-mail: formacao@acif.pt

Engº de Produção ou Encarregado Geral Pretende-se: - Grande sentido de responsabilidade - Com experiência de liderança - Disponibilidade imediata Resposta ao anúncio nº 861

VENDO

ALUGA-SE 3 Salões à face da Estrada N206 em Requião 2 com àrea de 120m² e um com 700m² Contacto: 969 929 909 Trata o Próprio

ANÚNCIOS

PA R A G R A N D E S

NEGÓCIOS

€ 6,00

IVA INCLUÍDO A 20%

TITULO TEX TO

Preencha este cupão, devidamente, e envie para a nossa morada Nome: ____________________________________________ Morada: __________________________________________

2 Mês ____

ADMITE

Bouça c/ área de 40.000m² Em Requião Contacto: 969 929 909 Trata o Próprio

P U B L I C I D A D E

PEQUENOS

1 Mês ___

Estamparia Têxtil à peça (V.N. Famalicão)

Contacto: 252 310 384 | 962 079 311 | 964 722 656

Ajudante de Pasteleiro com experiência, Centro da Cidade Vila Nova de Famalicão

___/___/____ e ___/___/____ e ___/___/____

Contacto. 966 133 107

ENTRADA IMEDIATA

PRECISA-SE

DIAS DE PUBLICAÇÃO

C/ experiência centro da cidade de V.N. Famalicão

PRECISA-SE DE FUNCIONÁRIO P/ EMPRESA DE GRANITOS

PRECISA-SE

Valor da Publicidade:

PRECISA-SE PASTELEIRO/A

Localidade: ____________________ Cód. P.: _______-____ Tel.: ________________ Nº Contrib.: _______________ Valor a pagar: € _____ Cheque sob o banco:____________

ENVIAR PARA A SEGUINTE MORADA: Jornal OPINIÃO PÚBLICA Rua 8 de Dezembro, nº 214 4760-016 Antas S. Tiago ou Apartado 410 VN Famalicão ATENÇÃO: O Jornal OPINIÃO PÚBLICA reserva-se o direito da não publicação desse anúncio caso o cupão não esteja correctamente preenchido com o nome, morada e telefone do anunciante, e viole o Código da Publicidade.

ALUGA-SE T1 Mobilado, cozinha nova No centro da cidade Tel.: 919 967 109


pública: 5 de Novembro de 2008 15

freguesias

Opinião é de Vasco Graça Moura referindo-se à Casa-Museu de Camilo

Elogios no I Encontro Internacional de Casas-Museu

Casa de Camilo pode integrar rede de espaços memória

António Freitas

“Este espaço tem grande dinâmica”

A mesa que presidiu à sessão de abertura do encontro

Magda Ferreira A Casa-Museu de Camilo Castelo Branco vai fazer parte de uma rede de espaços de memória que poderá vir a ser criada na região Norte. Trata-se de um projecto que pretende ligar em rede os espaços, físicos e não só, relacionados com vários escritores. Este foi um dos pontos da intervenção da delegada regional da Cultura do Norte, Helena Gil, durante a sessão de abertura do I Encontro Internacional de Casas-Museu, que decorreu quinta e sexta-feira no Centro de Estudos Camilianos, em Seide, numa organização da Câmara de Famalicão. A iniciativa, pioneira em Portugal, reuniu perto de 30 especialistas entre directores e representantes de casas-museu de Portugal, Brasil, França e Espanha. Helena Gil começou por mencionar um projecto realizado pelo organismo que tutela, que integrou 10 instituições da região Norte ligadas à memória de escritores, nomeadamente a Casa de Camilo. A partir desse projecto editaram-se novos roteiros que, segundo a delegada regional, “pretendem colar a palavra do escritor à paisagem e aos lugares a que ele está associado”. “O que gostaríamos agora de voltar a reintroduzir era a ideia de pôr a casa de Camilo a conversar com a de Régio, ou com a de Eça, ou com a de Pascoais, tecendo uma teia de cumplicidades entre esses escritores”, explicou He-

lena Gil, acrescentando que a forma de constituir essa rede ainda vai ser estudada por um grupo de trabalho, do qual faz parte também o director do Centro de Estudos Camilianos, José Manuel Oliveira. Esses espaços de memória não serão, naturalmente, colocados todos no mesmo patamar, sublinha a delegada regional, indicando que “a Casa de Camilo é um exemplo singular do que deve ser uma casa-museu, com um espólio, uma dinâmica, uma capacidade de desenvolver actividades que tragam as pessoas a este espaço, não apenas as escolas, mas também o leitor comum”. E l o gi o s a o t r a b a l h o d a C â m a ra Também o director do Instituto dos Museus e da Conservação, Manuel Oleiro, elogiou o trabalho da Câmara de Famalicão na área museológica, sobretudo no que respeita à Casa de Camilo, defendendo que vai de encontro aos desafios que, em seu entender, se colocam às casas-museu nos dias de hoje, ou seja, “ultrapassarem uma imagem que é muito focada numa pessoa, alargando o âmbito da sua intervenção”. “O Centro de Estudos Camilianos é uma oportunidade bem aproveitada de alargar as capacidades de reflexão sobre Camilo, de ligar Camilo aos seus ambientes e à sua época, no fundo, de sair para fora da própria casa-museu”, justificou.

O presidente da Câmara de Famalicão encerrou a sessão, sublinhando esse mesmo trabalho feito pela autarquia. “Camilo estará satisfeito porque sabe perfeitamente que temos preservado e promovido o seu legado literário”, começou por afirmar Armindo Costa, apontando que a Câmara “não se tem ficado pela conservação das paredes da casa-museu e dos móveis ou livros que Camilo nos deixou”. Depois da construção do Centro de Estudos Camilianos, “os projectos de valorização da Casa de Camilo vão prosseguir em breve”, acrescentou o edil, referindo-se ao projecto de criação de uma quinta pedagógica em volta daquela casa, tendo os terrenos sido já adquiridos pela Câmara. Este I Encontro Internacional de Casas-Museu pretendeu, segundo o director da Casa de Camilo, “promover o intercâmbio de experiências e de conhecimentos” nesta área. Aníbal Pinto de Castro declarou que a revitalização das casas-museu passa, também, pelas acções que elas possam desenvolver para “dar a conhecer melhor a língua portuguesa”. O director defende mesmo que estas instituições devem também fomentar a leitura e uma melhor utilização da língua. “Camilo se cá viesse agora ficava bué de aflito com a linguagem que a gente nova por aí usa e com certeza que corria a estadulho quem cometesse esses atropelos”, declarou, motivando a gargalhada geral da plateia.

O Encontro Internacional de CasasMuseu deverá repetir-se. Esta é a opinião de Aníbal Pinto de Castro e foi proferida no encerramento da primeira edição da iniciativa, que decorreu quinta e sextafeira, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide (ver peça acima). Na sessão de encerramento, o director da Casa de Camilo defendeu que deve haver um segundo encontro. Para Aníbal Pinto de Castro esse encontro deverá decorrer noutro local e ser organizado por outras pessoas: “Não é lógico que seja aqui outra vez. Penso que existem instituições com igual capacidade e até porventura com melhores meios que podem assumir a organização duma segunda edição do encontro”. Para o responsável, o balanço da iniciativa é altamente positivo já que foram atingidos todos os objectivos delineados à partida. Já o escritor Vasco Graça Moura, convidado para encerrar o encontro, leu um texto da sua autoria onde explanava a sua opinião sobre as mais

diversas casas-museu. Sobre a Casa de Camilo Castelo Branco, o escritor tem a melhor impressão. “Estive aqui há muitos anos. Sei que houve profundas obras de remodelação e há, sobretudo, um programa com uma enorme dinâmica. Há ainda este novo Centro de Estudos Camilianos que também não conhecia. A opinião que tenho só pode ser favorável”, referiu o escritor. Vasco Graça Moura defende a existência, a nível local, de focos culturais, principalmente aqueles que se ancoram em figuras da criação literária nacional, como é o caso de Seide S. Miguel. “Isso é uma mais-valia para a localidade e é, sobretudo, um instrumento de formação e fruição espiritual absolutamente fora de série. Este tipo de equipamentos, ligados aos grandes escritores dum país, devem desenvolver-se a nível nacional, e mesmo europeu. Isso tem a ver com a nossa identidade e, por isso, são uma mais-valia extraordinária”, declarou. C.A .S.

O Surrealismo na Fundação Está patente ao público só até à próxima sexta-feira a exposição “O Surrealismo na Colecção Fundação Cupertino de Miranda III”. Inaugurada a 20 de Setembro, no Centro de Estudos do Surrealismo/Fundação Cupertino de Miranda, a mostra é de livre acesso e está patente ao público até 7 de Novembro, das 10h00 às 12h30 e das 14 às 18horas. Expostas estão mais de 100 obras que constituem parte do acervo da Fundação.


16

pĂşblica: 5 de Novembro de 2008

publicidade

OP 5C  

opi ni ã os port: Eleições são a 22 de Novembro opi ni ã oespecial GD Joane de regresso às vitórias no campeonato ANO 17 • Nº 861 • Gratuito...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you