Page 1

Casas de Requião e Gavião entregues em breve

Armindo Costa visitou freguesia

Parque do Quinteiro arranca em S. Mateus

A Câmara Municipal está convencida de que está para breve o realojamento das famílias nas urbanizações construídas em Requião e Gavião. O vereador da Habitação diz que tem indicações de que a conclusão do processo burocrático no Instituto de Habitação “poderá ocorrer nos próximos dias”, sendo que a autarquia avançará com a instalação das famílias logo de seguida. p. 12

p. 1 0

ANO 16 • Nº 843 • Gratuito 2 A 8 DE JUlHO DE 2008 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

opiniãoespecial:

Famalicão vai festejar o 23º aniversário de elevação a cidade. Já Ribeirão e Joane celebram 22 anos de vila. pp 17 a 22

Na Assembleia Municipal, vice-presidente disse que vai levar subscritores a tribunal

PS APRESENTA MOÇÃO DE CENSURA A DURVAL Os deputados do Partido Socialista apresentaram, na última Assembleia Municipal, uma moção de censura ao vice-presidente. A proposta não chegou a ser votada, mas gerou muita discussão, com toda a oposição a alinhar nas críticas a Durval Tiago Ferreira. Por

Corporação diz que a Câmara deve dar mais a quem mais trabalha

Corrida solidária em Lousado p. 7

Famalicenses defendem subsídios diferenciados p. 6

p. 7

Câmara entre as dez 15 dias de greve com melhor gestão na Oliveira Ferreira A Câmara de Famalicão surgiu em 10º lugar no ranking de 50 autarquias com gestão financeira equilibrada, elaborado pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas. Armindo Costa congratula-se com esta posição. p.6

opiniãosport: GD Ribeirão assina protocolo com Sp. Braga CA no Famalicão até Janeiro de 2009

Dura há 15 dias a mais recente greve dos trabalhadores da têxtil Oliveira Ferreira. Os operários ainda não receberam o salário do mês de Maio e, apesar de serem pressionados para regressar ao trabalho, só prometem fazê-lo quando receberem o ordenado.p.12

Não há planeamento na Câmara diz o PS A propósito dos avanços e recuos no processo de construção da VIM até à Trofa, o PS veio a público acusar a Câmara de “agir ao sabor do acaso”. Diz que esta obra não passou de “mais uma falsa promessa”, que “morreu à nascença”. p.6

causa daquele que ficou conhecido como o “caso dos telefonemas anónimos”, o PS censurou a conduta do vereador. Este, na resposta, pediu a identificação dos subscritores da moção “para proceder criminalmente” contra eles. p.4


02

pública: 2 de Julho de 2008

Agenda

espaço aberto

Objectiva Pública Os automobilistas estão seguros, já os peões que se cuidem, pois podem sofrer uma queda de vários metros. Esta Objectiva Pública foi captada à entrada de Landim, pela Estrada Municipal 573, junto do acesso à A7. Esta estrada beneficiou de obras recentemente e os automobilistas ficaram com maior segurança com a colocação dos ‘rails’ de protecção, mas os peões ficam desprotegidos. Gradeamento só existe na ponte sobre o rio Pele, porque, de um lado e do outro da estrada, a seguir ao passeio há o abismo.

Amanhã, 3 A ma n h ã , 3 2 1 h3 0 Cineclube de Joane exibe o filme “Sedução, Conspiração”, de Ang Lee, no pequeno auditório da Casa das Artes.

Sexta-feira, 4 21h00 A Escola Profissional Bento de Jesus Caraça, de Pedome, promove uma palestra no Centro de Estudos Camilianos, em Seide S. Miguel, sobre o tema “O desemprego: da realidade nacional à realidade local. Que Oportunidades para os nosso jovens?”. 21h30 Cineclube de Joane exibe os filmes “Microcosmos: Margens” e “Elogio ao ½” de Pedro Sena Nunes, uma sessão com a presença do realizador, a ter lugar no pequeno auditório da Casa das Artes.

Sábado, 5 10h00 Cineclube de Joane organiza uma masterclass em cinema documental, com entrada livre, mas com inscrição.

Celso Campos

Noite A Junta de Freguesia de Landim, no âmbito da iniciativa “Sensações de Verão em Landim”, organiza uma festa da caipirinha.

Questão Pública O Governo aponta o arranque da variante poente em 2009. Acredita ou acha que é anúncio demagógico? Custódio Oliveira

Maria Augusta Santos dirigente associativo

Os poderes quando fazem uma declaração de intenções têm, por regra, a convicção de que irão cumprir. A credibilidade é o elemento mais relevante na imagem de um líder político. É, por ventura, o seu bem mais precioso. A obra é necessária. Existem verbas dos fundos comunitários. Há sempre imprevistos, nomeadamente nos processos dos concursos e por vezes os prazos anunciados e previstos não são cumpridos. Nesta perspectiva, salvo grandes imprevistos, acredito que a obra avançará em 2009

professora Claro que acredito num trabalho sério e persistente do governo e a comprová-lo está o facto de este ter pleno conhecimento e consciência da importância da construção da Variante Poente e entender a necessidade e urgência da construção desta infra-estrutura para o eixo económico Porto – Famalicão – Braga e, particularmente, para os municípios de Famalicão e Trofa, embora desconheça qualquer compromisso temporal. Por essa razão, através do Ministro das Obras Públicas, o governo tomou a iniciativa de reunir com os presidentes das Câmaras Municipais de V.N. Famalicão e Trofa, reunião em que foi apresentado um novo traçado desta via e que foi consensual. Contudo, este novo traçado tem de ser objecto de um novo estudo de impacte ambiental, tendo o ministério decidido abrir de imediato o concurso para a sua realização e que terá de ser submetido a aprovação do Instituto do Ambiente. Naturalmente que outros passos terão de ser percorridos para a obra poder ser executada. Será imperioso que a Câmara Municipal coopere com o governo e demais municípios, seja dinâmica e tenha capacidade de planear, na medida em que determinados estudos, documentos, informações e financiamento para infra-estruturas da variante e complementares à variante serão da responsabilidade da Câmara. Se a Câmara Municipal quer assumir politicamente o arranque da obra para o ano de 2009 terá de assumir este projecto como prioritário e dedicar-se em absoluto a esse objectivo, disponibilizando entre outros, os recursos humanos e financeiros necessários.

FICHA TÉCNICA

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

CONSELHO EDITORIAL:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO:

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO ADJUNTO: Celso Campos (CPJ 4668) ccampos@opiniaopublica.pt

Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

APOIO À REDACÇÃO: Jorge Alexandre

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Arcindo Guimarães (CICR-56), Carla Alexandra Soares (CICR-248), Celso Campos (CPJ 4668), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR320) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952). DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

GERÊNCIA: João Fernandes

Serviços Administrativos:

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

Francisco Araújo

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

www.opiniaopublica.pt

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

PROPRIEDADE:

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

15.000 exemplares, nº 843

CONTACTOS Redacção: Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


publicidade

pĂşblica: 2 de Julho de 2008 03


04

pública: 2 de Julho de 2008

Lameiras encerra ano lectivo com festa popular

cidade

Vereador vai apresentar queixa judicial contra os subscritores

PS lançou moção de censura contra Durval

Muitas pessoas da festa da AML

Milhares de pessoas concentraram-se no recinto do Complexo Habitacional das Lameiras para participarem na festa popular de encerramento das actividades lectivas. Pelo palco desfilaram centenas de crianças e alguns idosos, que frequentam as diferentes valências sociais que a Associação de Moradores das Lameiras (AML) disponibiliza à população da cidade e freguesias circunvizinhas. Para Jorge Faria, presidente da direcção da AML, esta festa é “o culminar de um ano de trabalho, que teve como pano de fundo o novo projecto educativo da instituição, voltado para princípios fundamentais como a construção da igualdade e a promoção da diversidade”. Jorge Faria manifestou ainda o desejo de que a população residente, os pais, encarregados de educação, familiares das crianças e idosos “se mantenham unidos sobretudo nos momentos difíceis como o que estamos a viver, procurando encontrar novas respostas para o emergir de novos desafios sociais”. Jorge Paulo Oliveira, vereador da Habitação, Desporto e Juventude, enalteceu o trabalho desenvolvido pela AML, considerando-a “um exemplo abrangente para o associativismo, sobretudo pelas diferentes áreas onde actua”. Na primeira parte da festa os utentes da instituição apresentaram um espectáculo que incluiu dança, música e pequenos trechos teatrais, terminando o momento com a entrega de diplomas aos finalistas do pré-escolar e do 4º ano. Seguiu-se a “Festa dos Sabores”, onde não faltou a sardinha assada e o caldo verde, entre outras iguarias próprias das festas populares. Depois, o recinto foi iluminado com um colorido de arraial popular, terminando a festa com a actuação do artista Henrique Pereira.

Câmara alerta crianças e pais para os perigos da Internet A insegurança da Internet e os perigos a que as crianças e jovens estão expostos enquanto navegam é o tema de um conjunto de conferências que a Câmara de Famalicão está a promover em diversas escolas do concelho, envolvendo pais e professores. O tema é actual e do conhecimento de todos, no entanto, pais e educadores ainda não estão conscientes dos riscos envolvidos, como ficou provado na primeira conferência realizada no passado dia 17 de Junho, na Didáxis de Vale S. Cosme, informa a autarquia, em nota à imprensa. Perante uma assistência composta por cerca de 150 pessoas, entre pais, familiares e professores, Tito de Morais, fundador do projecto “MiúdosSegurosNa.Net” e orador convidado explicou que a segurança da Internet deve ser

cada vez mais uma preocupação e prioridade para os encarregados de educação. A maioria das crianças e adolescentes que acedem à Internet fazem-no, muitas vezes, para contactar com outros utilizadores nomeadamente através de chats, fóruns, serviços de mensagens, filmes ou jogos. Nestes sites, acabam por revelar os seus dados pessoais, não se apercebendo dos perigos inerentes, e mais grave ainda, acabam muitas vezes por marcar encontros. Neste sentido, Tito de Morais explicou que os encarregados de educação devem estar atentos aos sinais de alerta no comportamento das crianças.As conferências regressam no próximo ano lectivo, estando já agendadas mais quatro, em outros tantos estabelecimentos de ensino do concelho.

PSP de Famalicão na nova divisão de Guimarães A esquadra da PSP de Famalicão foi integrada na nova divisão desta força policial do distrito, sedeada em Guimarães. O distrito passa a ter duas divisões, sendo que a vimaranense integra as esquadras de Guimarães e de Famalicão, além da esquadra de Trânsito também da cidade berço e da Esquadra de Investigação Criminal da 2ª Divisão Policial. A nova divisão decorre do processo de reestruturação da PSP e da complexidade de comando do distrito. A mudança está inscrita numa portaria do Ministério da Administração Interna, recentemente publicada em Diário da República.

Poderá acabar em tribunal a proposta de moção de censura ao vice-presidente da Câmara, Durval Tiago Ferreira, apresentada sexta-feira na Assembleia Municipal (AM), pelo Partido Socialista. A proposta foi apresentada no período antes da ordem do dia e motivou uma discussão acalorada por parte dos vários grupos municipais. A moção de censura à conduta do vereador tem na base o caso conhecido como dos telefonemas anónimos e que foi objecto de queixa pelos lesados acabando por haver um acordo em tribunal em que Durval Tiago Ferreira pediu desculpas. Ora, o PS veio, entretanto, a terreiro pedir a demissão do vereador, mas a maioria no poder desvalorizou as críticas socialistas. Na sexta-feira, através de Nuno Sá, o PS apresentou uma moção de censura sobre a matéria, baseada nos autos de acareação do processo. Entende o PS que o vereador, ao pedir desculpas, estava a reconhecer “ter sido autor das chamadas telefónicas anónimas realizadas durante várias noites, com um telemóvel pertencente ao município e, por esse meio, ter molestado pessoas que estavam envolvidas num conflito em que também eram interessados familiares do senhor vereador”. A moção fala em “conduta criminalmente reprovável e qualificável como peculato de uso” e lembra ainda o episódio ocorrido ainda no mandato anterior com um cidadão de Cavalões envolvendo Durval Ferreira, ameaçado em plena reunião camarária. A resposta do visado foi pronta e curta, pedindo aos elementos da mesa da AM, a identificação dos subscritores da moção “para proceder criminalmente porque esta conduta é passível de condenação e em tribunal veremos quem tem razão”. Durval Tiago Ferreira nada mais disse, acrescentando mais tarde, um comunicado sobre o assunto [Ver notícia nesta página]. Os partidos que suportam a maioria repudiaram a moção. “Não em-

Celso Campos

Celso Campos

Nuno Sá “atirou-se” a Durval Tiago Ferreira

barcámos em julgamentos sumários”, avançou Correia Araújo (PSD), alegando não ter sido feita prova do aludido. “Não sei se é verdade, nem vamos ver se é”, disse, lamentando que o PS tenha trazido para a praça pública questões “particulares e pessoais”. “Isto é um chorrilho de falsidades, não podem provar nada disto” evidenciou, por seu lado, Manuel Nascimento (CDS/PP), considerando a moção como algo “vergonhoso e escandaloso”. A favor da iniciativa socialista apresentou-se a restante oposição. A CDU lembrou que “já é a segunda vez” que Durval Tiago Ferreira “é protagonista de um episódio pouco feliz”. Sílvio Sousa entende que este caso “é mais grave pois é premeditado”, criticando a postura dos partidos da maioria: “Diz que nada sabe e nada aconteceu, o que é extremamente errado”. Do Bloco de Esquerda, Adelino Mota, também criticou a postura da maioria e ainda a ameaça de recurso judicial entretanto feita pelo vice-presidente. A moção, apesar de ter gerado discussão, não foi admitida a votação pela maioria por razões regimentais. O PS, a CDU e o BE mostraram-se a favor da sua votação. Evidenciados retrocessos da Câmara A sessão – que aprovou todas as

propostas da ordem de trabalhos – ficou ainda marcada pelas críticas da CDU e do PS à inversão de pensamento do presidente da Câmara sobre duas matérias: a VIM Famalicão/Trofa e a via da Devesa. Em ambos os casos, a oposição criticou, em tempo, as opções da autarquia por insistir nestes projectos, considerando-os maus e irrealistas. Nos últimos tempos soube-se da desistência camarária da VIM a ligar à Trofa e ainda da via que iria rasgar a Devesa. “É política palpiteira”, vincou o socialista Acácio Silva. Já Sílvio Sousa (CDU) aconselhou a maioria “a não desvalorizar de imediato as opiniões da oposição”. Na resposta, Armindo Costa vincou que a coligação “não vive agarrada a um projecto, temos de evoluir”, lembrando que é uma “virtude ser capaz de aceitar ideias melhores em nome do interesse público”. De registar ainda a aprovação de uma moção de solidariedade, apresentada pelo BE, para com os trabalhadores em greve da Oliveira Ferreira. Foi ainda aprovado um voto de pesar pela morte de Soledade Malvar, iniciativa do PSD, que apresentou ainda um voto de congratulação pela forma como a autarquia gere as suas contas, também aprovado.

Vice-presidente fala do caso em comunicado

Durval queixa-se de campanha contra si Durval Tiago Ferreira acusa o PS de tentativa de “assassinato político” à sua pessoa. Em comunicado divulgado segunda-feira, o vice-presidente da Câmara de Famalicão toma posição pública sobre o caso que ficou conhecido como dos telefonemas anónimos. Tal acontece depois dos pedidos de demissão feitos pelo PS e da moção de censura apresentada contra si na sessão da Assembleia Municipal (AM) de sexta-feira. Logo na ocasião, Durval Tiago Ferreira revelou que iria apresentar queixa judicial contra os subscritores [Ver notícia nesta página], uma decisão reiterada no comunicado. O vereador do CDS/PP diz que aguentou a campanha “mentirosa e difamatória” nas últimas 3 semanas, até à moção de censura, que “obriga a recorrer” à via judicial. Considera que foi feita em termos que considera “ofensivos, mentirosos e atentatórios dos mais elementares princípios de convivência social e partidária”.

A falar pela primeira vez sobre o caso, Durval Tiago Ferreira conta a sua versão do caso. Em causa está a denúncia de um particular, “relativa a chamadas telefónicas que alegadamente terão sido feitas por um número sob a minha responsabilidade, para o seu domicílio”, escreve o vereador. Na sequência do inquérito, a 12 de Fevereiro acontece uma acareação entre as partes, “tendo-se concluído que não houve qualquer intenção de prejudicar o denunciante, nem que fosse possível apurar o autor ou o motivo dessas chamadas; nas quais nunca houve sequer qualquer conversa”. “Assim, e por minha sugestão e concordância da Senhora Procuradora do Ministério Público – prossegue o comunicado – lamentei o sucedido, o participante desistiu da denúncia e o processo foi de imediato arquivado”. “Os factos são só estes e nada mais”, conclui. C.C.


publicidade

pĂşblica: 2 de Julho de 2008 05


pública: 2 de Julho de 2008

Alunos de arqueologia voltam a trabalhar em Famalicão A Câmara de Famalicão volta a colaborar com a Escola Profissional de Arqueologia de Marco de Canaveses na Campanha de Escavações Arqueológicas 2008. À semelhança do que vem acontecendo, este ano vários alunos daquele estabelecimento de ensino vão poder trabalhar em contexto real ao participarem em escavações no concelho de Famalicão, acompanhados pelo Gabinete Municipal de Arqueologia. A campanha vai acontecer entre 1 e 31 de Julho e 1 e 30 de Setembro. A Câmara entende que esta colaboração permite realizar “escavações que só são possíveis devido à presença dos alunos”, além de funcionarem como “uma forma de divulgar todo o nosso património”. Nesse sentido, o executivo camarário aprovou, na reunião do passado dia 25 de Junho, a realização de despesa até ao montante de 6.300 euros para alojamento e alimentação dos referidos alunos.

Câmara aceita transferência de cinco casas Como já havia feito anteriormente, a Câmara Municipal aceitou a transferência de mais património do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS) para a autarquia. Em causa estão, desta vez, cinco fracções habitacionais: duas no antigo edifício de Frederic Ulrich, na Avenida Marechal Humberto Delgado; e três na Rua S. João Baptista, no bairro S. Vicente, em Gavião. De acordo com as informações prestadas ao município pelo IGFSS, em relação a estas casas não existem rendas vencidas e não pagas, acordos de regularização de dívidas ou indemnizações devidas por ex-moradores, nem acções judiciais pendentes. Por isso, e “plenamente consciente que a transferência de património é sinónimo de vantagem”, o vereador da Habitação, Jorge Paulo Oliveira, propôs, na reunião camarária do dia 25 de Junho, a aceitação da transferência destas cinco casas. Apontou ainda que, atento o reduzido número de fracções em causa, esta transferência “não apresenta qualquer dificuldade do ponto de vista dos recursos humanos e técnicos já disponíveis, nem acarreta encargos significativos no que concerne às questões da sua conservação”. A proposta foi aprovada por unanimidade.

cidade

Anuário analisou os dados financeiros de 2006 dos municípios portugueses

Famalicão entre as dez câmaras com melhor gestão Magda Ferreira A gestão financeira do município de Famalicão está entre as dez melhores do país. O concelho ocupa o décimo lugar no ranking das 50 autarquias do país com a gestão financeira, económica e patrimonial mais equilibrada, segundo consta do Anuário Financeiro de 2006 dos municípios portugueses elaborado pela Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC). Uma das tabelas do anuário apresenta o ranking global de 50 autarquias, sendo liderado pela de Mafra, e que foi elaborado com base na ponderação de dez indicadores: dívidas a terceiros por habitante; liquidez; endividamento líquido por habitante; resultado líquido nos últimos dois anos, por habitante; peso das despesas com pessoal nas despesas totais; arrecadação de impostos e taxas por habitante; diminuição dos passivos financeiros; grau de execução de receita nos últimos dois anos; investimentos por habitante nos últimos dois anos e grau de cumprimento do Programa Oficial de Contabilidade da Administração Lo-

O presidente da Câmara sublinhou a pontuação de Famalicão

cal (POCAL). A Câmara de Famalicão aparece em 10º lugar neste ranking, com 75%, os mesmos pontos que os municípios de Amarante, Odemira e Palmela, que ocupam o 7º, 8º e 9º lugar, respectivamente. Este ranking global é “largamente dominado” pelos municípios de média dimensão (com população superior a 20 mil habitantes e inferior a 100 mil) que ocupam 30 dos 50 lugares da

tabela. Os de grande dimensão (mais de 100 mil habitantes), onde se inclui Famalicão, são 12 e os de pequena dimensão (menos de 20 mil habitantes) são apenas 8. Do grupo dos municípios de grande dimensão, apenas quatro se encontram no ‘top ten’, sendo que Famalicão regista a quarta melhor gestão financeira deste grupo de autarquias, que é liderado por Cascais. Segundo o anuário fi-

A propósito da suspensão do projecto da VIM até à Trofa

PS diz que não há planeamento na Câmara “Para a coligação PSD/PP e para o presidente da Câmara de Famalicão, planeamento é coisa que não existe”. É desta forma que o Partido Socialista (PS) de Famalicão reage aos recentes desenvolvimentos referentes à variante poente e à Via Intermunicipal (VIM) FamalicãoTrofa. No passado dia 20, o ministro das Obras Públicas garantiu o arranque da variante em 2009 e, já antes, a autarquia tinha anunciado que a VIM para a Trofa ficaria suspensa, tendo em conta que se perspectivava o avanço do processo de construção da circular a poente. O PS vem agora recordar que quando o projecto da VIM foi apresentado em reunião de Câmara, em Novembro de 2007, os vereadores do partido mostraram, desde logo, sérias reservas, discordando da forma como foi apresentado. “Como sempre, o presidente da Câmara fez ouvidos de mercador aos alertas do PS, refugiando-se na sua orgulhosa auto-suficiência de que ‘de tudo sou capaz’”, comenta o secretariado socialista, para quem “bastaram oito meses para tudo ruir e para o tempo dar razão do PS”. Para os socialistas, “a variante

Famalicão-Trofa morreu no período de gestação e já é um nado-morto”, não passou de “mais uma falsa promessa e de um estudo preliminar do estudo prévio”. E concluem: “Resta saber quanto dinheiro público se gastou em estudos inúteis para uma obra que, como alertou o PS, morreu à nascença”. No comunicado, o PS aproveita para elogiar a actuação do Governo, afirmando que “enquanto o presidente da Câmara e a coligação PSD/PP se divertem a vender promessas e a enganar os famalicenses, o Governo de José Sócrates trabalha para resolver os problemas”, recordando a garantia dada por Mário Lino de que as obras da variante poente iniciam-se em 2009. Para Mário Martins, porta-voz do partido, estes acontecimentos poderão também significar que a Câmara “desconhecia o desenvolvimento do processo da variante poente”, algo que, em seu entender, “é muito grave em termos de planeamento”, pois “é um indicador objectivo de que as coisas na autarquia funcionam ao sabor do acaso, sem qualquer envolvimento dos parceiros e das entidades activas nestes processos”.

nanceiro, em 2006 eram 71 os municípios que enfrentavam uma situação de ruptura financeira ou desequilíbrio financeiro estrutural. Outra das conclusões “preocupantes” retiradas do documento tem a ver com o facto de, à data de 31 de Dezembro de 2006, o sector autárquico só dispor de meios financeiros para “pagar menos de metade da sua dívida a terceiros”. As dívidas totais dos municípios ultrapassaram os 6.637 milhões de euros. No ranking dos 35 concelhos com maior passivo exigível, ou seja, dívidas, Famalicão aparece em penúltimo lugar, com quase 45,7 milhões de euros, o que representa um aumento em relação a 2005 (38 milhões). Já na tabela dos municípios com maior liquidez, Famalicão surge na 23ª posição, com 4,7 milhões de euros. Armindo desafi fia a Domingues Azevedo Instado a comentar estes dados, o presidente da Câmara partiu para o ataque ao famalicense Domingues Azevedo, que além de deputado socialista na Assembleia Municipal (AM) de

Famalicão é também presidente da CTOC, a entidade que elaborou o Anuário, dizendo que “deve ser ele a ler o relatório”, referindose às diversas intervenções críticas feitas pelo socialista na AM. Por isso, Armindo desafia Domingues Azevedo a ter “a coragem de na Assembleia dar um voto de louvor à gestão da Câmara, em vez de passar o tempo a dizer que isto é uma falência total, o que não é verdade porque ou o organismo que ele preside é credível ou então as palavras que ele diz na Assembleia não são credíveis”. Quando ao facto da dívida do município ter subido em 2006, comparativamente a 2005, Armindo Costa diz que “não é preocupante”. O edil aponta que 2006 “não foi um ano positivo” para a Câmara de Famalicão, tendo as receitas descido 5 milhões de euros, um valor que, diz, foi recuperado e até ultrapassado em 2007. “Os rácios ditaram Famalicão em 10º lugar, com a mesma pontuação do 7º, num ano difícil. Portanto, se o ranking de 2007 fosse feito, nós estaríamos melhor posicionados”, calcula.

Iniciativa decorreu durante três dias na Praça D. Maria II

Expofama Saúde acolheu 1.200 famalicenses Cerca de 1.200 famalicenses visitaram a Expofama Saúde-2008 que decorreu na Praça D. Maria II na passada semana. A iniciativa decorreu durante três dias, organizada pela Câmara Municipal, através da Unidade de Gestão do Centro Urbano. O certame contou com cerca de 100 profissionais de Saúde que a Escola Superior de Saúde do Vale do Ave (ESSVA) disponibilizou para efectuar gratuitamente exames de rotina, nomeadamente à tensão arterial, diabetes, colesterol, electrocardiogramas, saúde oral, oftalmologia, podologia, e índice de massa corporal. No final destes exames e rastreios as pessoas puderam ainda ouvir aconselhamento pelos técnicos de saúde presentes. Em comunicado enviado à imprensa, e em jeito de balanço, o Gestor Urbano, Jorge Pinto e o presidente da Associação Académica dos Estudantes da ESSVA referem que não esperavam uma adesão tão significativa. “Estamos dispostos a repetir a iniciativa em mais oportunidades”, adiantaram. Esta é já uma iniciativa com

tradição em Famalicão e segundo Ricardo Mendes o vereador para a saúde pública é uma forma das pessoas fazerem este tipo de rastreios sem sair da sua rotina normal devido à localização da exposição. “Esta iniciativa decorre em pleno centro da cidade e as pessoas que passam por aqui podem fazer este check up rapidamente”, explicou o responsável no dia da abertura do certame. Para além dos rastreios, a iniciativa contou ainda com a presença de prestigiados clínicos nacionais para debater temas relacionados com a saúde, com as palestras a realizarem-se no auditório da Fundação Cupertino de Miranda. M.I.M.

António Freitas

06


pública: 2 de Julho de 2008 07

cidade

Proposta lançada no encerramento das comemorações dos 80 anos

Balanço positivo da 1ª edição

BV Famalicenses querem repartição diferenciada dos subsídios

1500 ‘abraços’ na caminhada Continental Jorge Humberto Bastos

Os Bombeiros Famalicenses querem que o subsídio anual atribuído pelo município às corporações do concelho deixe de ser equitativo, passando a ser dado em função do trabalho de cada uma. A proposta foi lançada domingo pelo presidente da direcção no encerramento das comemorações dos 80 anos da corporação. António Meireles defende uma avaliação anual “ quantitativa e qualitativa” às corporações “para que a subsidiação seja repartida de forma justa e não segundo critérios paritários”. Mais tarde, perante os jornalistas, Meireles reconheceu que se trata de uma matéria sensível em termos políticos, mas desafia a Câmara de Famalicão – que tem dado 90 mil euros a cada associação – a abandonar aquilo que é “politicamente fácil, passando a premiar quem mais trabalha”. O presidente da direcção entende que o trabalho de todas as corporações é meritório, mas “para cada trabalho a sua remuneração”. “Não estou a dizer que os Famalicenses é que devem receber mais, mas há corporações que fazem menos que nós por várias razões, territoriais, porque não necessitam de o fazer, porque a maior parte dos seus serviços são

Celso Campos

Celso Campos

A primeira ambulância, a “pombinha branca”, apareceu restaurada

feitos fora do concelho”, no entanto, “recebem o mesmo que os Bombeiros Famalicenses e os de Famalicão”. Meireles dá ainda o exemplo da Cruz Vermelha de Ribeirão que “recebe cerca de 50% do valor que cabe a cada corporação quando não faz serviço de protecção civil. Será justo?”, pergunta. Transversal a vários discursos – incluindo o do comandante João Castro Faria – foi o apelo para que o Governo avance com a regulamentação de diversos diplomas legais, necessários para o trabalho dos bombeiros. A todos estes pedidos respondeu o governador civil de Braga, Fernando Moniz, com a certeza de que os fará chegar à tutela. H o m e n a ge n s À parte estas questões, a cerimónia ficou

marcada por três homenagens a pessoas ligadas aos órgãos sociais da associação. João Manuel Leitão foi agraciado com a medalha de ouro da corporação e viu ainda descerrada uma imagem sua a colocar no quartel. “É gratificante dar a esta casa”, disse, embora considere ser “cedo demais” receber estas condecorações. Já Carlos Vieira de Castro, ex-presidente da corporação, e Amândio Carvalho, presidente da Assembleia Geral, foram agraciados com o crachá de ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses, mediante proposta prévia da direcção dos Bombeiros Famalicenses. “A homenagem quem a merece é o povo que me ajudou a fazer esta casa dos Famalicenses”, disse Carlos Vieira de Castro. Amândio Carvalho ma-

nifestou-se “surpreso” com a distinção. “É um reconhecimento, mas penso ter havido exagero na atribuição deste galardão”, apontou, prometendo guardá-lo “com carinho”. Além das homenagens a festa dos Bombeiros Famalicenses ficou ainda marcada pela apresentação do restauro da primeira ambulância da corporação, datada de 1928, carinhosamente chamada de “pombinha branca”. A operação de restauro demorou 10 anos e foi feita graças à intervenção de Carlos Vieira de Castro. No encerramento das comemorações dos 80 anos, nota ainda para a primeira apresentação do novo coro da corporação, que entoou pela primeira vez o hino da associação, musicado agora, mas cuja letra é de Maria Natália Carvalho, escrito em 1935.

Foram cerca de 1500 as pessoas que participaram, no passado domingo, na 1ª Grande Corrida/Caminhada organizada pela empresa Continental, em Lousado. Tendo como lema “Passo a Passo por um Abraço”, a acção teve sobretudo uma finalidade social, além da vertente desportiva. Recorde-se que as receitas do evento (2 euros por inscrição) reverteram na totalidade para as instituições Mundos de Vida, de Lousado, Centro Social de Ribeirão e ASAS – Associação de Solidariedade de Santo Tirso. Apesar do limite de inscrições ter sido de 2000 participantes, a Caminhada contou com cerca de 1500. Lopes Seabra, administrador da Continental, mostrou-se muito satisfeito na hora do balanço da primeira edição dado que “esta foi a primeira vez que a empresa organizou um evento deste género”. Assim, o administrador da Continental manifestou vontade de repetir a iniciativa: “depois desta adesão, eu diria que é proibido não dar continuidade”, afirmou. Por seu turno, Manuel Araújo, presidente da direcção da Mundos de Vida, realçou, no

domingo, a união de várias entidades para um bem comum, lembrando que a acção da Continental vem, no fundo “reconhecer o trabalho que estas instituições de solidariedade social realizam”. Quem também se associou à iniciativa foi a Câmara Municipal. Jorge Paulo Oliveira, vereador do desporto, foi um dos participantes da caminhada e, no final, elogiou a Continental, realçando o facto desta iniciativa ser um “bom cartaz” para a promoção do desporto, mas também porque agrega um objectivo social. De resto, esta 1ª Grande Corrida/Caminhada Continental comportou também uma prova de estrada, que contou com a presença de atletas federados, divididos por várias categorias. Nos veteranos, o vencedor foi Casimiro Galhardo (AR Estrela do Sul). Em seniores masculinos, o vencedor foi Manuel Magalhães (Conforlimpa), seguido por Daniel Pinheiro (NAJ) e Marco Morgado (CAOV). Nos seniores femininos, Elisabete Lopes (Maratona) venceu, no segundo posto ficou Patrícia Pereira (NAJ) e a terceira foi Rosa Oliveira (Açoreana Seguros). Por equipas, o Núcleo de Atletismo de Joane (NAJ) foi o vencedor.

A animação reinou entre os participantes da Caminhada Continental


08

pública: 2 de Julho de 2008

cidade

Protocolo entre as duas entidades assinado a semana passada

O Notícias da Trofa

Associados da ACIF com descontos no Hospital da Trofa

José Vila Nova e António Peixoto assinaram protocolo

Carla Alexandra Soares Os mais de 1.500 associados da Associação Comercial e Industrial de Famalicão (ACIF) já podem usufruir de vantagens e descontos no Hospital da Trofa. A ACIF e o Hospital da Trofa assinaram, na passada quintafeira, um protocolo de parceria. O protocolo permite à ACIF oferecer vantagens aos seus associados e familiares, nomeadamente descontos em todo o género de serviços hospitalares.

Um dos principais factores que levou a ACIF, de quem partiu a ideia, a assinar este documento é o facto de estar prevista a abertura de uma unidade do Hospital da Trofa em Famalicão, sendo a data mais provável o próximo mês de Outubro. Mas outros aspectos foram sublinhados pelo presidente da ACIF que lembrou que a qualidade do hospital foi tida em linha de conta. “Analisando à nossa volta a dinâmica e a qualidade desta instituição fizeram com que tivéssemos a

capacidade de nos aproximar e demonstrar um resultado benéfico que resulta da cooperação entre partes”. António Peixoto explicou ainda que não existem custos directos para a ACIF, antes a prioridade de oferecer qualidade e prioridade nos serviços de saúde. “Com este protocolo, o hospital da Trofa poderá alavancar o seu número de utilizadores pelo universo de conhecimento a outras entidades que a ACIF fará chegar”, explicou o responsável, lembrando que para além dos 1.500 associados, existem ainda as famílias que a eles estão associados. “Poderemos estar a falar no mínimo de 3 mil utentes”. Este protocolo não foi o primeiro, nem será o último protocolo a ser assinado pela ACIF com outros parceiros. Peixoto deu o exemplo doutra parceria que existe com a CP (Comboios de Portugal) em que existe uma redução de custos de 25% no uso dos seus transportes. P r o t o co l o s com out ras assoc iaç õ e s Reconhecendo que este é o caminho a seguir para saúde de qualidade, José Vila Nova, o presidente do Hospital da Trofa, sublinhou que existe uma rela-

ção de parceria com a ACIF já há muito tempo. Assim, lembrou que a política do grupo Trofa Saúde será sempre a de facilitar a vida às associações na zona de influência e por isso estão abertos a discutir protocolos com outras entidades que se mostrem interessadas e apresentem algo concreto. “No fundo é a prática duma tabela mais favorável porque sabemos que muitas vezes os serviços públicos não correspondem com a rapidez ou eficiência necessária. A alternativa privada, para a maioria das pessoas,

ainda tem um peso significativo”. Para o responsável existe cada vez mais espaço para a iniciativa privada e a prova disso é que num triângulo entre Famalicão, Santo Tirso e Famalicão, onde existem dois hospitais públicos e em que o Porto está relativamente perto, verificou-se a viabilidade económica de um hospital privado. “Significa que havia um espaço que não estava a ser ocupado”. A médio prazo está também prevista a abertura de um novo hospital do Grupo Trofa em Braga.

ACIF promove seminário A comunicação, a promoção e a imagem das empresas foram os temas dum seminário promovido pela ACIF na passada quartafeira. O orador convidado foi Nuno Santos, jornalista, consultor em comunicação e marketing, para além de responsável pela comunicação e imagem de câmaras municipais e candidaturas políticas, que abordou as melhores estratégias e ferramentas de comunicação a utilizar por uma empresa. Nuno Santos sublinhou ainda a importância de traçar um plano acertado de comunicação e de definir objectivos concretos para a obtenção de resultados práticos. A utilidade de averiguar não só as queixas mas principalmente a satisfação do cliente foi também mencionada, para garantir a qualidade dos serviços oferecidos. No final os presentes no seminário colocaram questões ao orador.


pública: 2 de Julho de 2008 09

cidade

110 mil euros para a APPACDM A Câmara Municipal aprovou a atribuição de um subsídio de 110 mil euros à APPACDM (Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) de Famalicão. A verba visa apoiar as obras de construção do novo edifício da instituição, sediada na Avenida 25 de Abril, e que custou 705 mil euros. O edifício está pronto e, segundo adiantou o presidente da APPACDM, António Melo, recentemente ao OP, os utentes vão mudar-se em Setembro. Depois dessa mudança, a Câmara pode proceder à demolição de alguns dos pré-fabricados até agora usados pela instituição, para depois rasgar a via de prolongamento da Avenida de França.

LIPAC organiza gala de fado A Liga de Profilaxia e Ajuda Comunitária (LIPAC) inicia este sábado as comemorações do seu XXIV aniversário, que se prolongam até 13 de Julho. Pelas 16 horas, no edifício da ADAR, há a abertura das actividades desportivas nas modalidades de dominó, xadrez, ténis de mesa, matraquilhos e sueca. Às 22 horas há uma gala de fado com oferta de caldo verde e bar aberto.

Ludotecas organizam festival lúdico A Associação de Ludotecas de Famalicão (ALF) realiza, no próximo sábado, na sua sede na Quinta das Lameiras, em Famalicão, um “Festival de Actividades Lúdicas”, aberto a todas as famílias e à comunidade. O evento terá início às 10 horas e prolonga-se por todo o dia, com um programa de animação, divertimento, jogo, imaginação e fantasia, para todas as idades. “A grande avenida do jogo e da brincadeira pode ser percorrida por todos, proporcionando momentos que certamente não serão esquecidos tão cedo”, refere a instituição em nota à imprensa.

Três equipas permanentes de bombeiros no concelho O concelho de Famalicão deverá ter três equipas permanentes de bombeiros. O processo de criação destas equipas ainda não está decidido, mas tudo aponta para que seja criada uma em cada corporação de bombeiros. Essa convicção foi afirmada, domingo, pelo governador civil de Braga, Fernando Moniz, em declarações ao OP, à margem das comemorações dos 80 anos dos Bombeiros Famalicenses. Moniz aguarda pela posição da Câmara de Famalicão, porque o “governo deu sinais para criar equipas nas três corporações”, algo que “seria uma mais valia”, pelo que “todos deverão fazer um esforço para que tal aconteça”. As equipas permanentes de bombeiros são uma iniciativa tripartida que envolve o Governo, as câmaras municipais e as corporações de bombeiros, sendo que o financiamento é assegurado em partes iguais pela administração central e pelas autarquias. No distrito de Braga já há vários concelhos com estas forças no terreno, algo que ainda não acontece em Famalicão. De resto, o governador civil admite que tal possa acontecer ainda neste Verão, desde que a autarquia aceite a criação das três equipas.

Nuno Sá lidera grupo municipal do PS O PS tem uma nova liderança no grupo municipal da Assembleia Municipal (AM). Nuno Sá é o novo líder, tendo como vice-presidentes Jorge Costa e Paulo Folhadela. A mudança ocorreu na sessão da passada sexta-feira. Como representante do PS na comissão permanente de apoio à mesa da AM mantém-se Daniel Silva. Em comunicado, Nuno Sá diz que pretende “prestigiar o funcionamento da AM e valorizar, aprofundando, o papel e responsabilidades que este órgão tem na qualificação da democracia do poder local”. “Pretende-se uma acção dinâmica, atenta e interventiva para o desenvolvimento do município”, aponta ainda Nuno Sá, que refere ainda o objectivo de “demonstrar a capacidade e o valor do PS em beneficio de Famalicão e dos famalicenses”.

Distrito preparado para incêndios O distrito de Braga está melhor preparado para o combate aos incêndios neste Verão. A convicção foi manifestada, a semana passada, pelo governador civil de Braga, durante a visita ao Centro de Meios Aéreos Contra Incêndios Florestais, instalado no aeródromo de Palmeira, em Braga. Fernando Moniz esteve acompanhado pelo autarca de Braga, pelo comandante operacional distrital da Protecção Civil, além do comandante dos Bombeiros Voluntários de Braga e do GIPS. A visita teve como finalidade conhecer as condições de funcionamento do centro, bem como o novo helibombardeiro pesado russo “Kamov32”, aí sedeado. Depois de, em 2007, se ter registado menos fogos e menos área ardida, Moniz mostrou-se esperançado relativamente a este ano. Em termos de meios, o governador civil salientou

a criação de sete Equipas de Intervenção Permanente e de duas novas brigadas de sapadores florestais,

além do reforço dos meios aéreos e a colocação de um novo veículo de comando e comunicações.


10

pública: 2 de Julho de 2008

freguesias

Escola de Bente promoveu semana aberta

Garantia de Armindo Costa em visita freguesia de Oliveira S. Mateus

Parque do Quinteiro é para avançar

Os alunos da escola do 1º ciclo e jardim-de-infância de Bente protagonizaram, entre 18 e 20 de Junho, uma semana aberta. Dela fez parte uma exposição de trabalhos realizados ao longo do ano lectivo, que agora terminou. Foi uma iniciativa inédita na freguesia realizada através da própria escola, da associação de pais e com o apoio

da Junta de Freguesia. A iniciativa culminou, no dia 21, com a festa de final de ano, que incluiu entrega de diplomas e livros aos finalistas. Houve ainda entrega de lembranças pelas crianças aos professores. Elisa Ribeiro, da associação de pais, realça a “elevada adesão e participação” de toda a comunidade em todas as actividades.

Alunos de Nine fazem a festa

Os alunos da Escola de Estrada de Nine realizaram, no passado dia 20, a sua festa de final de ano lectivo, numa organização da Associação de Pais. A festa começou ao final da tarde e prolongou-se já noite dentro. Os alunos organizaram um espectáculo cheio de cor e alegria, a que os encarregados de educação assistiram. Já os

alunos do 4º ano, que vão ingressar no 5º ano, receberam cartolas e as bengalas e ainda um diploma para assinalar o fim de mais um ciclo. No local houve ainda uma tasquinha de comes e bebes para que todos petiscassem à hora de jantar. O balanço de mais um ano lectivo foi muito positivo. Em Setembro há mais!

Festa de Finalistas no infantário do Louro

A Creche e Jardim Infantil D. Elzira Cupertino de Miranda, do Louro, realizou, no passado dia 20 de Junho, a sua festa de finalistas do ano lectivo que agora terminou. Cerca de 40 crianças terminaram o seu percurso na instituição e foram brindados com uma cartola, bengala e o respectivo diploma de finalista. Apesar de finalistas, algumas destas crianças vão permanecer na instituição pois vão integrar o serviço de acolhimento aos alunos do 1º ciclo. A festa iniciou-se com uma pequena actuação de todas as crianças finalistas, seguida da cerimónia individual da entrega dos diplomas. Em jeito de agradecimento às educadoras e auxiliares, os pais entregaram uma flor a cada uma delas. Seguiu-se um jantar convívio no jardim da instituição, com acompanhamento musical para animar todos os presentes. Este ano, a direcção decidiu estampar nas camisolas dos finalistas a imagem de Elzira Cupertino de Miranda, como homenagem ao comendador Cupertino de Miranda e esposa, pois foi por sua vontade expressa que a instituição foi criada.

O projecto de reabilitação do Parque do Quinteiro, em Oliveira S. Mateus vai arrancar. A garantia foi dada por Armindo Costa, que na quinta-feira de manhã visitou aquela freguesia do concelho, embora o edil não tenha indicado uma data para o início das obras. Como é habitual, a jornada de trabalho começou com uma reunião entre o presidente da Câmara e o presidente da Junta, Carlos Alberto Pereira. No encontro foram debatidos os investimentos em Oliveira S. Mateus, sendo que um dos principais é o projecto previsto para o Parque do Quinteiro, junto ao complexo municipal de piscinas. Esta é uma obra há muitos anos ansiada pela população de S. Mateus, sublinhou o autarca local, mostrando, por isso, “muita satisfação” pelo anúncio de que o projecto vai avançar. A Câmara decidiu enveredar por um novo projecto, porque, explicou Armindo Costa, o anterior tinha “um custo exagerado” e “as opções não eram as mais adequadas”. “Decidimos, por isso, colocar os pés na terra e vamos criar uma estrutura que seja usufruída por todos”, acrescentou o edil. O Parque do Quinteiro vai representar um investimento na ordem dos 200 mil euros. Está prevista a construção de um polidesportivo para a prática de futebol; recinto para a prática de outros desportos; campo de ténis e circuito de manutenção. De-

António Freitas

Magda Ferreira

O Parque do Qinteiro tornar-se-á a zona de excelência da freguesia

pois, será também criada, a Norte, uma zona de lazer, com árvores e mesas, e instalado um parque infantil. De resto, o equipamento vai, ainda, aproveitar algumas das valências já criadas com a construção das piscinas municipais, nomeadamente os balneários e o bar, que nunca funcionaram. De fora ficou a criação de um espelho de água, que além de ser uma solução cara, apontou Armindo Costa, “é um perigo para as crianças”. “Penso que com este arranjo vamos colocar a cereja em cima do bolo nesta freguesia”, declarou o presidente da Câmara, anunciando que a obra já está contemplada no orçamento deste ano (com 50 mil euros) e do próximo (com 100 mil). “Depois te-

mos que ir acrescentando alguma coisa conforme a obra vai andando”, acrescentou, sem, porém, responder à questão de quando vão avançar as obras. Armindo Costa disse ainda que, executada esta obra, a freguesia de Oliveira S. Mateus fica “com todos os problemas resolvidos”, defendendo que “tem uma rede viária que é invejável” e que as redes de água e saneamento a 99%. Embora ressalvando que “há sempre alguma coisa que irá ser necessária no futuro”, o presidente da Junta de S. Mateus mostrou-se satisfeito por poder ver esta obra concretizada no seu mandato, até porque foi uma das suas promessas eleitorais desde que se candidatou à Junta pela primeira vez há 14 anos.

Caldas da Saúde acolheu encontro nacional de termalismo As Termas das Caldas da Saúde acolheram, nos passados dias 19 e 20, O I Encontro nacional sobre o Curso Profissional de Técnico de Termalismo. O evento foi organizado pelas termas em parceria com a Escola Secundária de Tomaz Pelayo, de Santo Tirso, e contou com cerca de oitenta participantes, entre os quais estudantes do curso profissional de técnico de termalismo de diversas escolas do país, formadores, professores, enfermeiros e fisioterapeutas. Este curso visa dar resposta formativa num subsector da saúde, com oferta particularmente rica na zona norte do país, dada a abundância e excelência de diversas águas minerais naturais. Ao longo dos dois dias foram apresentados temas ligados aos recursos hidrominerais de Portugal continental, à qualidade num balneário termal, à importância da hidrocinesioterapia na qualidade de vida. Para além destes assuntos, foram tratados temas ligados à organização do curso profissional de técnico de termalismo nas diferentes escolas presentes, bem como o aspecto profissional e social dos técnicos.

Escola Oficina trabalha em prol da língua portuguesa A Oficina - Escola Profissional do Instituto Nuno Álvares apresentou, no passado dia 21, no auditório Padre António Vieira do Colégio das Caldinhas, um programa didáctico sobre a língua portuguesa, realizado pelo aluno António Leite, no contexto do Projecto (Con)textos, e uma reportagem sobre o mesmo projecto, realizada pelo aluno João Castro, ambos do curso de audiovisuais da Oficina. Esta apresentação foi o culminar de uma série de actividades levadas a cabo pela Escola Básica 2, 3 d’ Agrela (Santo Tirso) e pela Oficina. A produção tem como principal objectivo a constituição de uma escola de referência no âmbito da língua portuguesa. São ainda objectivos deste projecto, a melhoria da qualidade do ensino da língua portuguesa, a alteração de práticas pedagógicas e a criação de materiais didácticos. Este projecto contou com o apoio da Universidade do Minho e com a aprovação institucional da Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular e da Direcção Regional de Educação do Norte.


publicidade

pĂşblica: 2 de Julho de 2008 11


12

pública: 2 de Julho de 2008

Associação de Pais de Nine legaliza-se A Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas e Jardim-deInfância de Nine legalizouse como instituição. Para apoiar as despesas de criação da associação, a Câmara atribuiu-lhe um subsídio de 400 euros. A associação é presidida por José António Campos.

Junta de Novais recebe 15 mil euros Como comparticipação na repavimentação da Rua 25 de Abril, em Novais, o executivo camarário aprovou, na última reunião, a celebração de um contrato de financiamento, no valor de 15 mil euros, com a junta daquela freguesia.

Rua da Quinta, em Telhado, recebe 15 mil euros A pavimentação da Rua da Quinta, na freguesia de Telhado, está orçada em cerca de 17 mil euros. A Junta pediu apoio à Câmara para a realização da obra e a autarquia, na reunião do executivo do dia 25 de Junho, aprovou a atribuição de um subsídio de 15 mil euros, que será entregue mediante a celebração de um contrato de financiamento.

Aprovada verba para parque de Sezures A Junta de Freguesia de Sezures solicitou o apoio da Câmara para terminar os trabalhos de pavimentação do Parque Nº 2 do Monte de S. Vicente e zonas contíguas. Os trabalhos estão orçados em cerca de 25 mil euros, tendo a autarquia aprovado, na última reunião do executivo, um subsídio no valor de 18 mil euros.

Subsídio para Seide S. Miguel A Câmara Municipal deliberou, na sua última reunião ordinária, a atribuição de um subsídio de 5.865 euros à Junta de Seide S. Miguel. A verba, que será atribuída através de um contrato de financiamento, visa apoiar as obras de alargamento da Rua Nossa Senhora de Fátima, orçadas no valor do subsídio.

ALUGA-SE Loja em Ribeirão Edif. das Oliveiras (frente às escolas / Piscinas) Contacto. 966 448 871

freguesias

Estão prontas há ano e meio

Na Oliveira Ferreira, de Riba d’Ave

Casas de Requião e Gavião g r e v e Nova já entregues em breve leva 15 dias Magda Ferreira

O realojamento das famílias nas urbanizações das Austrálias e da Gábila, nas freguesias de Requião e Gavião, respectivamente, deve acontecer em breve. Essa é, pelo menos, a convicção do vereador da Habitação, Jorge Paulo Oliveira. As empreitadas receberam, há cerca de dois meses, o visto do Tribunal de Contas, que era a única burocracia em falta para a Câmara poder encaminhar o processo para o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), antigo Instituto Nacional de Habitação. Aquele responsável diz que esse passo foi dado de imediato, estando a Câmara a aguardar uma resposta daquele organismo. Questionado pelos jornalistas à margem da última reunião de Câmara, no dia 25 de Junho, Jorge Paulo Oliveira contou ter recebido do IHRU, nesse mesmo dia, a indicação de que “a libertação do dinheiro, quer do financiamento a fundo perdido quer do financiamento a 20 anos, poderá ocorrer nos próximos dias”. O vereador afirmou ainda que tem constatado que “as pessoas do Instituto estão empenhadas e têm feito todas as diligências de forma a ultrapassar a trama burocrática a que estão sujeitos nos termos da lei”. Jorge Paulo assegura que, assim que o dinheiro

Realojamento está para breve

do IHRU for libertado permitindo à Câmara adquirir as casas, a autarquia avançará “em simultâneo” com a entrega das casas às famílias previamente aprovadas por aquele organismo. “Não posso adiantar que temos uma cerimónia ou que a entrega das chaves acontecerá no dia seguinte ou dois dias depois, ainda não planeamos isso. A intenção da Câmara é que isso ocorra o mais rapidamente possível”, salvaguarda, cuidadoso, o vereador, até porque o realojamento já chegou a estar anunciado para o Natal de 2006. Aliás, o responsável diz que o município quer fazer esse realojamento “com carácter de urgência” por duas razões: “a primeira é porque temos gente a viver em situações miseráveis; e depois porque temos um património construído, que

está desocupado, sujeito a actos de vandalismo e que se vai deteorando porque não está habitado”. Segundo Jorge Paulo Oliveira, a lista de famílias a realojar é praticamente a mesma, com umas ligeiras alterações, originadas pela transformação dos agregados familiares que, neste compasso de espera de cerca de ano e meio, viram diminuir o número dos seus elementos. Refira-se ainda que estas 16 habitações – 12 em Requião e 4 em Gavião – foram construídas através de um Contrato de Desenvolvimento de Habitação celebrado entre a Câmara de Famalicão, o IHRU e o construtor, e que determina que aquele organismo estatal comparticipa a obra em 50% a fundo perdido e empresta à autarquia os restantes 50%, que serão pagos em 20 anos.

ACEITO INVESTIDOR PARA PARCERIA NUM NEGÓCIO Livre de prejuízo e com bom rendimento garantido Pode ser emigrante Trata só pessoalmente

Telem. 918 089 775 Comissão de Festas de Santa Marinha 2008 Mogege LEILÃO DE OFERENDAS A Comissão de Festas em Honra de Santa Marinha e Santíssimo Sacramento realiza, no próximo dia 6 de Julho de 2008, pelas 15 horas, junto à Igreja Paroquial, um leilão de oferendas a reverter para a realização das festividades.

Comparece e Participa Ajuda a Comissão de Festas

Os cerca de 210 trabalhadores da empresa têxtil Oliveira Ferreira de Riba d’Ave continuam em greve. Era pelo menos essa a informação, ontem, à hora do fecho da edição. Assim já tem 15 dias a mais recente paralisação na empresa. Os trabalhadores da têxtil retomaram a greve no passado dia 18 de Junho, por falta de pagamento do salário do mês de Maio. Desde então, os funcionários têm sido pressionados para regressar à laboração como condição para receberem o salário. “A administração já propôs trabalhar sábado, domingo, até o feriado, para nós, de 24 de Junho, alegando que só regressando ao trabalho haveria pagamento do mês de Maio”, revelou Alberto Oliveira ao OP, delegado sindical na empresa. Este responsável diz ainda que os trabalhadores receberam uma proposta da administração “inaceitável”. Ela apontava o pagamento de salários dos próximos seis meses além do dia 20 de cada mês e o pagamento do subsídio de férias em duas partes. Mas o motivo de maior indignação foi para uma cláusula em concreto, que “previa que em caso de incumprimento por parte da empresa não poderia haver penalização por parte dos trabalhadores”, relata Alberto Oliveira, considerando algo “inacreditável”. De referir que, a semana passada, em reportagem televisiva da RTP, o administrador da empresa, Lima Gomes, apontava o pagamento para o final da semana, ou seja, sextafeira, mas tal não foi cumprido. A situação está cada vez mais precária na empresa Oliveira Ferreira de Riba d’Ave. Desde Abril que os trabalhadores vivem em instabilidade recebendo quase sempre com um mês de atraso e sempre depois de entrarem em greve. A empresa tem já também um administrador de insolvência, na sequência de um processo que deu entrada no tribunal. Foi feita uma primeira assembleia de credores em Março, mas, desde então, que uma nova assembleia está para agendamento. C.C.


freguesias

Posição dada a conhecer em conferência de imprensa

PSD de Joane não quer lojas no Largo 3 de Julho Sofifiaa Abreu Silva O executivo socialista de Joane está desmotivado e desleixado. É pelo menos esta a avaliação que o PSD de Joane faz aos três anos de mandato do Partido Socialista naquela freguesia. Em conferência de imprensa, ao final da tarde da passada sexta-feira, a Comissão Política do núcleo laranja começou por elogiar algumas obras em Joane, como o novo quartel da GNR que irá traduzirse num aumento de “efectivos de profissionais e também em maior segurança para a freguesia e zonas envolventes”. Porfírio Carvalho, presidente da Comissão Política do PSD de Joane, lembrou ainda, no capítulo dos elogios, a conclusão das redes de água e saneamento, bem como os melhoramentos na rede viária, nomeadamente a estrada Joane- Airão. No entanto, Porfírio Carvalho sublinhou que estas obras resultam do empenho da Junta de Freguesia, mas essencialmente da vontade do Governo central, no caso do quartel, e da Câmara Municipal, nas restantes infra-estruturas. Já no ataque à postura do executivo liderado por Ivo Sá Machado, Porfírio Carvalho falou concretamente do projecto que a Junta tem para o actual espaço da feira, no centro da vila, onde o PSD gostava de ver uma área de lazer e não um espaço cheio de lojas. Recorde-se que o

Porfírio Carvalho diz que o PSD é alternativa em Joane

projecto para a reabilitação do Largo 3 de Julho está aprovado e já se encontra em fase de concurso público. “O PSD discorda da solução apresentada, porque além de actualmente os comerciantes estarem em barracas, o que é uma situação inaceitável, o projecto inclui a construção de novas lojas no centro da actual feira”, declarou o líder do PSD joanense. Assim, o partido defende que o actual Largo 3 de Julho seja aproveitado para uma praça central com um espaço para as pessoas estarem e onde até podia nascer uma esplanada. Já as lojas seriam transferidas para alguns espaços comerciais que se “encontram devolutos” na freguesia. No encontro com os jornalistas, Porfírio Carvalho lembrou outros assuntos, como o caso do Parque de Cima de Pele que a

autarquia local perdeu para o proprietário porque, diz o PSD, “não fez os devidos arranjos”. As diferentes localizações para a nova Junta de Freguesia foram também comentadas pelo PSD. “O edifício começou por ser anunciado para o Parque da Ribeira, mas depois a Junta lembrou-se que não era proprietária do parque, porque este pertence a um particular. E numa solução atrapalhada, é indicado o actual quartel que, modificado, receberá os serviços autárquicos. Além de que a actual sede encontra-se com mau aspecto, o que mostra algum desleixo e falta de brio. Uma pintura tornaria o espaço mais agradável”, afirmou. Porfírio Carvalho garantiu, por isso, que o PSD está disponível para se afirmar como alternativa e diz que até ao final do ano será apresentado o candidato social-democrata por Joane.

Obras na Junta de S. Martinho A Junta de Freguesia de Vale S. Martinho quer realizar obras de beneficiação do edifício da sede da Junta. Os trabalhos estão orçados em cerca de 15 mil euros, tendo aquela autarquia solicitado o apoio da Câmara. Nesse sentido, na última reunião do executivo camarário foi aprovado um subsídio de 10 mil euros. A intervenção contempla a realização, essencialmente, de arranjos exte-

riores, com a implantação de uma rampa de acesso a pessoas com mobilidade reduzida, construção de passeio e muro, e ainda a substituição de estores, reparação do telhado e pintura das paredes exteriores. Na mesma reunião foi também aprovado um subsídio de 32 mil euros para a Junta de S. Martinho, como comparticipação das obras de pavimentação da Rua de Campo Grande.

Novo acordo com moradores de Lousado A Câmara Municipal deliberou celebrar um novo acordo de colaboração dom a Associação de Moradores do Complexo Habitacional de Lousado. Além de prever, como o anterior, a cooperação no que respeita à gestão daquele complexo, o novo acordo, aprovado por unanimidade na reunião camarária do dia 25 de Junho, contempla também a transferência de 12 mil euros, a título de subsídio, como compensação dos encargos advindos dessa gestão.

pública: 2 de Julho de 2008 13


14

pública: 2 de Julho de 2008

publicidade

ALUGA-SE T2 Para férias ALBUFEIRA (ALGARVE) Julho e Setembro 1ª semana Agosto Telf. 914 172 182

CURIOSIDADES

REUNIÃO COM O GOVERNADOR CIVIL DO DISTRITO DE BRAGA

CANETAS DE TINTA PERMANENTE CANDEEIROS A PETRÓLEO TELEFONES E BALANÇAS ANTIGAS AZULEJOS DO SÉC. XIX MÁQUINAS FOTOGRÁFICAS

96 - 532 94 60

VENDE-SE Andar Modelo T1+1 em Delães, 100 m2 área, cozinha equipada e mobilada, ar condicionado, recuperador de calor, aquecimento central, banheira hidromassagem

70.000€ Contacto: 916 647 952

Transportes de Mercadorias Mudanças ALVARÁ N.º 14030/2007

Em resposta aos assaltos ocorridos em alguns estabelecimentos comerciais da cidade, a ACIF reuniu na semana passada com as entidades competentes, como o caso do Governo Civil do distrito de Braga, com o intuito de pedir uma vigilância mais cuidada e de manifestar a sua preocupação neste assunto. O Governador Civil, Dr. Fernando Moniz, ficou sensibilizado nesta questão e demonstrou receptividade face ao exposto pela Associação Comercial, que assim concedeu voz aos empresários do concelho. PETIÇÃO CONTRA A LIBERALIZAÇÃO TOTAL DOS HORÁRIOS DE ABERTURA DO COMÉRCIO A ACIF, em defesa do comércio tradicional, associou-se a uma petição que decorreu a nível nacional contra a liberalização total dos horários de abertura do comércio e a transferência para os municípios da competência para a sua definição. Foram recolhidas assinaturas dos empresários interessados nas instalações da ACIF e pela cidade de V.N. Famalicão. VENCEDORES DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA Na semana passada, um júri constituído por quatro fotógrafos profissionais decidiu que, apesar de toda a boa vontade dos concorrentes em ir ao encontro do tema proposto, não serão atribuídos os prémios da forma anteriormente estipulada, e que serão, em vez, entregues três menções honrosas ex-quo aos seguintes trabalhos: - “Também quero uns Óculos”, de José Manuel Pereira; - “Pequeno-almoço”, de João Paulo Araújo; - “Rua Adriano Pinto Basto”, de Rui José Araújo; Estes trabalhos pelo enquadramento no tema, pela originalidade e efeito, foram premiados com 100 euros em material fotográfico. O júri decidiu ainda atribuir menções honrosas (com um prémio de 70 euros em material) aos seguintes trabalhos: - “Reparação Auto”, de João Paulo Araújo; - “Um quarteirão delas, quentinhas”, de Maria João Barbosa; A vontade de concorrer e o dinamismo demonstrado nesta iniciativa são de louvar, sendo que, oportunamente, se realizará uma exposição com os melhores trabalhos apresentados a concurso em local e data a divulgar. FORMAÇÃO – INSCRIÇÕES ABERTAS A ACIF abriu inscrições para os cursos de Educação e Formação de Jovens: • Floristas • Operador/a de preparação e transformação de produtos cárneos É uma excelente oportunidade para os jovens concluírem o 9º ano e para obterem uma profissão. É ainda oferecido um subsídio de alimentação e transporte. Os jovens entre os 15 e os 23 anos, sem o 8º ano completo, podem-se inscrever pelos seguintes contactos: Centro Formação ACIF Rua Senador Sousa Fernandes, nº19, 1º 4760-164 V. N. Famalicão Tel/Fax 252 315 095 e-mail: formacao@acif.pt

Tlm. 968 380 719 - 916 938 215 E-mail: franciscopinto_@hotmail.com

Empresa sediada em Ribeirão (Junto à Cruz Vermelha)

procura: Operador de Telemarketing em Part-time Contacto: 252494441/914150234 E-mail:fimicom@gmail.com

CONVOCATÓRIA A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária D. Sancho I, de Vila Nova de Famalicão convoca todos os Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária D. Sancho I para uma Assembleia Geral Extraordinária, por força do determinado no nº2 do arti.º 14º Decreto-Lei 75/2008 de 22 de Abril (que aprova o regime de autonomia e gestão das escolas) e ao abrigo do nº 2 do artigo 17º dos estatutos da associação (publicados no Diário da República nº 273, de 23Nov1999III Série), a realizar no dia 09 de Julho de 2008, pelas 18:00 horas, nas instalações da Escola, e cuja ordem de trabalhos será a seguinte: 1. Eleição dos Representantes dos Pais/Encarregados de Educação, para o Conselho Geral Transitório da Escola D. Sancho I, conforme previsto no art.º 60º do Decreto-lei 75/2008 de 22 de Abril; 2. Outros Assuntos.

PRECISA-SE Funcionário /a para escritório Zona de Famalicão Contacto: 252 319 451 ou 916 135 005

PRECISA-SE Engº Electrotécnico Enviar curriculum p/

rh.depart@gmail.com

A Presidente da Assembleia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA BARRIMAU F.C. Calendário Esta Associação vai levar a cabo treinos de captação de Futebol de Salão para as suas camadas jovens. Nos dias 07,09 e 11 Julho às 19H, terão lugar as captações para atletas nascidos nos anos de 1994, 1995 e 1996 (Iniciados), no campo da sede do clube. Os atletas devem fazer-se acompanhar de equipamento de treino e bilhete de Identidade A Direcção


pública: 2 de Julho de 2008 15

freguesias

Falecimentos

Festival de fanfarras animou Joane Decorreu no passado sábado, no estádio de Barreiros, em Joane, o festival de fanfarras, comemorativo do 25º aniversário da Fraternidade Nuno Álvares da vila. O certame contemplou o desfile dos grupos de Delães, Pedome, Sande S. Martinho, S. Cristóvão Selho, Marinhas, Pinheiro, S. Romão do Neiva, além do grupo anfitrião. A iniciativa incluiu lançamento de pára-quedistas e acrobacias de avião. A festa terminou com a entrega de lembranças aos participantes.

Festas em Pedome A freguesia de Pedome assinala este fimde-semana as festas em honra de S. Pedro e S. Sebastião. Na sexta-feira, às 22 horas, actua o grupo Lokapala, ao passo que no dia seguinte, logo pelas 9h30, há um desfile de charretes. O programa prossegue de tarde com uma prova de derby atrelagem. A animação da noite tem como cabeça de cartaz José Cid que actua a partir

das 23 horas, antes actua ainda o grupo Alvorada Musical. A noite fecha com fogode-artifício. No domingo, a missa solene é às 9h30, ao passo que a procissão tem início marcado para as 15 horas. A partir das 17h30 actuam os ranchos folclóricos de Santo André de Sobrado, de Vila das Aves, de Joane e de Bairro. A festa encerra às 20 horas com fogo-de-artifício.

Fim-de-semana animado em Esmeriz Na passada sexta feira, realizou-se no salão paroquial de Esmeriz a 2ª audição da escola de música desta paróquia. Os cerca de 50 alunos deram “um ar da sua graça” enquanto futuros músicos, apresentando a todos os presentes o que aprenderam durante este ano lectivo. Entretanto, no próximo dia 10 de Julho a escola de música vai realizar um passeio de fim de ano a Curvos, em Esposende. Em nota à imprensa, a paróquia aproveita para felicitar todos aqueles que durante este ano fre-

quentaram a escola. A animação em Esmeriz prosseguiu no sábado, dia 28, com a realização, no adro da igreja, de um arraial em honra do padroeiro desta terra, S. Pedro, numa organização do grupo de jovens. Do programa da festa constou com um grande churrasco, bom vinho, boa música e surpresas. A população com o seu habitual ar “festeiro” embelezou ainda mais este arraial dançando, cantando e divertindo-se ao som da música.

Continua rede de água em Fradelos A Câmara Municipal aprovou o projecto, e ao mesmo tempo a abertura do concurso público, da segunda fase da rede de distribuição de água à freguesia de Fradelos. A empreitada tem uma estimativa orçamental superior a 321 mil euros, sendo o prazo de execução de 270 dias.

Adjudicado jardim-de-infância de Telhado A construção do jardim-de-infância de Telhado foi adjudicada ao consórcio das firmas Alves Rodrigues & Rodrigues SA e João Matos & Ribeiro 2, Lda., pelo valor de mais de 383 mil euros. A adjudicação foi autorizada pelo executivo municipal na reunião da passada

quarta-feira. Segundo adiantou, na ocasião, o vereador das Obras Municipais, José Santos, a obra deve arrancar no próximo mês de Setembro, sendo que para 2008 está prevista a realização de trabalhos no valor de mais de 195 mil euros.

Aberto concurso público para pavimentação da EM 571 A Estrada Municipal 571 vai ser reabilitada em breve. O executivo camarário aprovou, na reunião do dia 25 de Junho, o projecto e a abertura do concurso público da primeira fase da obra, que contempla a repavimentação da via nas freguesias de Arnoso Santa Maria, Arnoso Santa Eulália e Nine. Esta estrada municipal funciona como ligação entre as Nacionais 14 e 204, funcionando como interligações fundamentais entre as freguesias de Mouquim, Lemenhe, Louro, Nine, Arnoso Santa Eulália e Santa Maria. Esta primeira fase tem um preço base de licitação superior a 636 mil euros, sendo o prazo de execução de um ano.

Câmara cede quartel da GNR à Junta de Joane A Câmara Municipal deliberou, na reunião camarária da última quarta-feira, a cedência do actual quartel da GNR (Guarda Nacional Republicana) à Junta de Freguesia de Joane, conforme o solicitado pela autarquia joanense. Aquela força policial deve mudar-se em breve para o novo quartel, já construído, desocupando assim o edifício onde funciona actualmente, na Rua Doutor Bernardino Machado. Ivo Sá Machado propõe instalar ali os serviços da Junta de Freguesia,

porque foi, entretanto, adiada a construção da nova sede, que deverá nascer no Largo 3 de Julho, mas só quando estiver solucionado o imbróglio jurídico que envolve os terrenos em causa. É uma solução provisória que permite à Junta deixar as actuais instalações da autarquia, exíguas e sem condições para albergar todos os seus serviços. A cedência do edifício da GNR à Junta foi aprovada por unanimidade e é feita pelo período de 51 anos, em regime de direito de superfície.

Maria da Assunção Maia, no dia 24 de Junho, com 80 anos, viúva de Manuel Barbosa Machado, da freguesia de Bairro.

António Silva Pereira, no dia 27 de Junho, com 72 anos, casado com Odete Costa Araújo Pereira, da freguesia de Viatodos (Barcelos).

José Matias Martins de Oliveira, no dia 24 de Junho, com 67 anos, casado com Felicidade de Sousa Coelho, da freguesia de Rebordões (Santo Tirso).

Agência Funerária Armando Cunha Pereira Arnoso Santa Eulália - Telf. 252 961 428

Frei José Lopes Baranjeira, no dia 24 de Junho, com 83 anos, solteiro, da freguesia de Roriz (Santo Tirso).

José Carneiro da Silva, no dia 26 de Junho, com 64 anos, divorciado, da freguesia de Cabeçudos.

Eduardo Carreira, no dia 28 de Junho, com 84 anos, casado com Aniceta da Silva, da freguesia de Avidos. Maria Cândida Ferreira de Brito, no dia 29 de Junho, com 53 anos, casada com Fausto de Almeida Taveira, da freguesia de Monte Córdova (Santo Tirso). Rosa da Silva Gomes, no dia 29 de Junho, com 94 anos, viúva de António de Freitas Martins, da freguesia de Burgães (Santo Tirso). Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Ma n ue l G on ç a lve s da S il va , no dia 26 de Ju-nho, com 82 anos, casado com Olinda Sequeira, da freguesia de Vil a N ova de Fa ma l ic ã o . Alz ira d a S ilva R ei s Di as da Costa , no dia 28 de Junho, com 89 anos, viúva de António Garcia Dias da Costa, da freguesia de Vi la N ova d e Fa ma l ic ã o. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Maria da Costa Machado, no dia 30 de Junho, com 78 anos, viúva de Manuel Dinis, da freguesia de Palmeira (Santo Tirso). Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Cidálio Dias Pereira, no dia 24 de Junho, com 60 anos, viúvo de Maria Marcelina de Araújo Carvalho, da freguesia de S. Tiago de Bougado (Trofa). Germano Vicente de Almeida, no dia 28 de Junho, com 83 anos, casado com Maria Arminda da Costa Maia, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Irmã Rainha Januário Francisco Dias, no dia 29 de Junho, com 31 anos, solteira, da freguesia de Santo Tirso. Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727

Domingos José Pinto Machado, no dia 29 de Junho, com 81 anos, viúvo de Olívia Pereira Ribeiro, da freguesia de Riba d’Ave. Agência Funerária de Riba D’ Ave Riba D’Ave – Tel.: 252 982 032

Alzira da Silva Reis Dias da Costa (89 Anos) Missa 7º dia Sua filha, neta e demais família, vêm por este meio agradecer a todos aqueles que se dignaram a participar no seu funeral, mais informam que a missa de 7º Dia pelo seu eterno descanso, será celebrada Sábado dia 5 pelas 19:15 horas na Igreja Matriz (Nova) V. N. de Famalicão. Desde já seu profundo reconhecimento a quantos se dignarem a assistir a este piedoso acto. Vila Nova de Famalicão, 2 de Julho de 2008 A Família Rodrigo Silva Lda - telf. 252323176


16

pública: 2 de Julho de 2008

praça pública

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

Consultório Veterinário

Domingos Peixoto

Paula Romão

Não prestas Quando uma relação é interrompida é vulgar as partes acusarem-se da responsabilidade da ruptura. Quer se trate de questões sentimentais, de sociedade comercial, de associativismo e, até, de cidadania, em regra o fim da união chega com um “não prestas”! Então as cumplicidades, as vantagens, o trabalho solidário ou o empenho cívico do intervalo de tempo, muitas vezes de anos a fio, podem terminar assim? Não foi possível detectar a tempo se a outra “parte prestava”? Claro que foi. Só que o nosso egoísmo leva-nos, quando as coisas não correm a nosso jeito, a impelir para outros a (parte da) culpa que também nos cabe. Se alguém acha que “não presto”, haverá quem ache que presto muito ou presto assim, assim. E quem pensa que não presto pode desconhecer que muitos pensam o mesmo de si. Não me embrenhei por este raciocínio em vão, pelo que questiono: Um cidadão livre, com direitos, vai a uma Assembleia de Freguesia e, no momento certo para o efeito, pede a palavra. O presidente concede-lha e avisa: - Logo se vê se dão ou não informação às suas

questões! - Mas, então não tenho direito a receber uma resposta? - Fale, e já fica a saber se a pessoa a quem se dirigir lhe quer responder… Civicamente, este presidente presta? E se o mesmo for presidente de um movimento e membro de um Organismo Cristãos Católicos, moral e cristãmente falando ele presta? Bem sei que Cristo nos ensina a não julgar os outros… Se dois cidadãos, de género diferente, vão a uma Assembleia Municipal e são regulamentarmente autorizados a colocar as suas questões, que fazem por escrito, e o presidente da Câmara dá ao homem a informação “que pode” e ignora a mulher, levando um membro da AM a exclamar, ah! Ele não responde à senhora! Cívica e politicamente falando, este presidente presta? Se um membro de um órgão executivo tem para com dois anciãos uma conduta alegadamente reprovável e, em sede de acareação, no Ministério público, reconhece o seu erro, pede desculpas pelo sucedido, assume pagar as custas do processo em troca da retirada da queixa e perante a apresentação de uma moção de censura, sendo-lhe “ofere-

cida” a possibilidade de defesa da honra, a única coisa que diz é que vai processar judicialmente os autores da censura, politica e civicamente falando este presta? Tenho opinião, mas deixo a reflexão a cada um que eventualmente leia esta prosa, que, se tem alguma semelhança com a realidade é pura coincidência. PS: Quem esperava ver o PS em dificuldades na Assembleia Municipal saiu de lá com a convicção de que este tem “combatentes”. E se Armindo Costa parecia confiante ao entrar, atrasado, logo quebrou o sorriso ao ser-lhe indicado o tema em discussão. E como não se quer “queimar” nada melhor que, aliás na linha de seguimento do que fez na Câmara, passar a “bola” ao visado, para que se defendesse. Não para explicar à Assembleia a sua conduta. Ficamos todos a saber o mesmo, ou seja: O PS sabe o que se passou pelo relato que se encontra no Ministério Público; Armindo Costa, o visado e a maioria sabem que todas as condutas são boas desde que dêem os frutos desejados. Quanto mais contidos e mal informados forem os cidadãos mais facilitada fica a gestão do PSD/CDS.

Novas Regras As Leis que regulam a identificação electrónica nos animais de companhia tem despertado curiosidade e muitas dúvidas nos proprietários de cães, uma vez que, a partir do início do mês de Julho, serão aplicadas novas regras no que diz respeito a esta questão. Assim, a identificação electrónica, mais vulgarmente designada por “microchip”, que consta da implantação debaixo da pele da zona lateral esquerda do pescoço, através de uma “seringa” modificada, de uma cápsula contendo um dispositivo electrónico (o microchip), passa a ser obrigatória em todos os cães nascidos após o dia 01de Julho de 2008. Assim, pretende-se que todos os cães

num futuro próximo estejam identificados, juntando-se desta forma a todos aqueles animais cuja identificação era já obrigatória desde 2004, ou seja, os cães das raças incluídas na lista de raças consideradas perigosas e seus cruzamentos, os cães utilizados na caça, os cães expostos em estabelecimentos comerciais, em locais de criação e os cães usados em publicidade ou concursos. Este Decreto-Lei (nº 313/2003) de 17 de Dezembro, não determina a data a partir da qual será também obrigatória a identificação dos gatos. A idade a que este procedimento deverá ser realizado situa-se entre os 3 e os 6 meses e só poderá ser realizada por um

Médico Veterinário. O animal deverá ser posteriormente registado na Junta de Freguesia da área de residência do proprietário, para que seja nessa altura incluído na base de dados nacional criada para esse fim. Este método de identificação é sem dúvida alguma o mais eficaz e tem diversas vantagens, incluindo a localização e identificação dos proprietários de animais perdidos, a responsabilização dos proprietários dos animais abandonados e a relacionação inequívoca de um animal ao seu proprietário em caso de dúvidas ou litígios causados pelo animal. D ú vi d a s e s u g e s t õ e s p o d e m s e r e nviad as para: c li v e tsa n tia g o @ io l. p t

Carta ao Director

O Portugal em que deixei de acreditar!... Há uns meses publiquei um artigo de opinião, sob este mesmo título. Nas minhas leituras, encontrei o texto que reproduzo a seguir, que penso ser oportuno colocar à reflexão dos leitores. Guerra Junqueiro é o seu autor e foi escrito em 1896!!!... Reparem como ainda continua actual. Há coisas que não mudam em Portugal... Porque será???? "Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e

guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. [.] Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro. Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País. A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas. Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento...” Nuno Carvalho, advogado


pública: 2 de Julho de 2008 23

cultura

Grupo infantil de Gavião promoveu festival de folclore

António Freitas

Wainwright inimitável em Famalicão

Dois espectáculos na Casa das Artes, no passado fim-desemana, marcaram o regresso ao nosso país de Rufus Wainwright. O compositor e intérprete arrasta atrás de si uma legião de admiradores, de todas as idades. Com cinco álbuns de originais editados, o último dos quais “Release the stars”, Wainwright tocou músicas de todos os seus álbuns deixando ainda algumas novidades em Famalicão. Esteve sozinho em palco, sozinho mas com o seu piano e com sobriedade assinalável, a contrastar com a irreverência com que é normalmente rotulado.

Mário Zambujal esteve em Seide

Integrado nas comemorações do dia da freguesia de Gavião, realizou-se na noite de sábado, 21 de Junho, o XXII Festival Internacional de Folclore do Grupo Infantil e Juvenil Santiago de Gavião. Participaram neste evento cultural, para além do grupo organizador, outros grupos de Alenquer, Rio Tinto, Paços de Ferreira e ainda um espanhol de Marin. Depois de um jantar convívio que decorreu nas instalações da Escola D. Maria II, os participantes desfilaram desde a sede da Junta de Freguesia até ao adro, onde se perfilaram em frente do palco, para assistirem à cerimónia do içar das bandeiras de Portugal e Espanha, acompanhado da entoação dos respectivos hinos nacionais. Seguiu-se a cerimónia de entrega de flores e lembranças a to-

dos os participantes, seguindose depois o festival propriamente dito. Destaque para a homenagem ao secretário do Grupo Infantil, Joaquim Passos Tinoco, a quem o director artístico, Miguel Ribeiro, entregou um troféu, assinado por todos os elementos do grupo, com uma dedicatória, atitude que aquele dirigente agradeceu comovido e surpreen-

dido com o gesto que o sensibilizou. Todos os grupos presentes apresentaram em palco diversos números do seu folclore, representativo das diversas regiões do país, bem como da vizinha Galiza, tendo os representantes do país irmão deliciado os presentes com o som dos seus bombos e das suas gaitas de foles.

Arte inspirada em Camilo em exposição A Câmara de Famalicão, através da Casa Museu de Camilo, em colaboração com a Associação de Escultura e Arte Contemporânea de Famalicão desafiou diversos artistas nacionais a criarem arte, tendo como ponto de partida a vida e obra do escritor Camilo Castelo Branco. Vinte e sete artistas provenientes de todo o país responderam ao desafio apresentando uma variedade enorme de trabalhos, da escultura à

pintura.Os trabalhos estão agora reunidos numa exposição colectiva, intitulada “Arte na Rota de Camilo” que será inaugurada no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide, no próximo sábado, pelas 17 horas. A mostra pode ser visitada até 26 de Outubro, de segunda a sexta das 10 às 17h30 e aos sábados e domingos das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30. A entrada é livre.

O jornalista e escritor Mário Zambujal esteve, na passada sexta-feira, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide S. Miguel, a apresentar o filme “Por quem os sinos dobram”, baseado no controverso best-seller de Ernest Hemingway. Esta foi a película escolhida por Zambujal para apresentar no âmbito da iniciativa “Um Livro, Um Filme”.

Mário Zambujal, que ficou conhecido dos portugueses como jornalista desportivo na RTP, colaborou ainda em vários programas de rádio, tendo sido também director do jornal Se7e. Com 72 anos, Mário Zambujal tem cinco livros publicados: “Histórias do Fim da Rua”, “À Noite Logo se Vê”, “Fora de Mão”, “Primeiro as Senhoras” e a “Crónica dos Bons Malandros”.

Joana Machado ganha prémio jovem escritor infantil A famalicense Joana Machado foi contemplada com o prémio Jovem Escritor atribuído no âmbito do Prémio Nacional Literário Conto Infantil Matilde Rosa Araújo, instituído pelo município da Trofa. A jovem famalicense vai ganhar um prémio monetário de 500 euros relativo ao conto “O príncipe com medo”. O primeiro prémio foi atribuído a Elisabete Nunes pela narrativa "Psst, psst, cima ou baixo? A Trofa no grande

livro dos relatos secretos das pestanas". A vencedora residente na Amadora, além da edição da obra, receberá um cheque no valor de 2.400 euros. O júri era constituído por quatro escritores (Matilde Rosa Araújo, Armandina Maia, Pedro Teixeira Neves e Rui Grácio) e pelo vereador da Cultura da Câmara de Trofa. Segundo nota da autarquia trofense concorreram cerca de 200 contos infantis.

Artave inicia série de recitais jovens socialistas O Centro de Cultura Musical e a Artave realizam neste mês de Julho a XV série de recitais de jovens socialistas 2008. Nestes espectáculos actuam os melhores alunos finalistas das duas escolas no ano lectivo que agora terminou. No âmbito do curso instrumentista de cordas, o arranque acontece esta Sexta-feira, às 21 horas, na Fundação Cupertino de Miranda com a actuação de Emídio Ribeiro, em viola d’arco, e de Eliana Magalhães e Ana Catarina Pinto, em violino. Os espectáculos prosseguem no sábado, às 11 horas, com Marco Mendes, Nelson Gomes e Vânia Fontão, em violino. Às 18h30 há novo recital com Cláudia Carneiro, em Contrabaixo, e Ricardo Ferreira, violoncelo. O dia fecha, pelas 21h30, com as actuações de Cláudia Araújo, Adriana Esteves e Íris Gonçalves, todas em violoncelo.

António Freitas

Dança na Casa das Artes Esta sexta-feira e sábado, pelas 22 horas, no grande auditório da Casa das Artes, há dança contemporânea para apreciar com a Edge - London Contemporary Dance School. A entrada custa 7 euros. A escola "Edge" estará presente ainda com a realização de workshops únicos em Famalicão, até domingo, para participantes entre os 11 e os 25 anos. No final dessas sessões, no domingo, pelas 18 horas, será apresentado ao público, juntamente com a companhia inglesa, o resultado dos workshops. A entrada custa 2 euros.


24

pĂşblica: 2 de Julho de 2008

publicidade

OP 5C  

opi ni ã oespecial: 15 dias de g gr re ev ve e na Oliveira Ferreira Na Assembleia Municipal, vice-presidente disse que vai levar subscritore...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you