Issuu on Google+

Exposição famalicense vai correr o país

Chuva prejudicou Feira das Cebolas

A exposição evocativa do centenário da Revolta Académica de 1907 concebida pelo Museu Bernardino Machado está a ser requisitada por diversas escolas e universidades. O facto é apreciado pelos responsáveis do museu. p. 19

p. 8

ANO 16 • Nº 799 • Gratuito 29 DE AGOSTO A 4 DE SETEMBRO DE 2007 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES DIRECTOR ADJUNTO: FELIZ PEREIRA

opiniãoespecial:

Adaptação de antiga escola para instalação provisória custa 60 mil euros

CASA DA JUVENTUDE EM SETEMBRO Com um bebé nas mãos são muitas as novidades e também as dúvidas. Nesta edição, o OP dá-lhe sugestões e ouviu especialistas. pp. 15 a 17

As instalações provisórias da Casa da Juventude deverão ficar concluídas no final de Setembro ou, o mais tardar, em Outubro. O equipamento vai ocupar a antiga escola primária do Castanhal, em Brufe, e as obras custaram cerca de 60 mil euros. Será dotada de um centro

Três fogos contrastam com calmaria do ano

Sexta foi o pior dia de incêndios

de documentação e de informação juvenil, videoteca, audioteca, espaço para Internet e salas polivalentes para reuniões. No entanto, a Câmara assegura que não desiste do projecto definitivo previsto para o centro da cidade, na rua Adriano Pinto Basto. p. 7

Jovens famalicenses aderem ao Programa de Ocupação de Tempos Livres

Três fogos de dimensões consideráveis fustigaram, na passada sexta-feira, as freguesias famalicenses de Oliveira Santa Maria, Calendário e Outiz. Estas ocorrências, que mobilizaram várias corporações de bombeiros, inclusive de fora do concelho, contrastam com a calmaria que tem sido a actual época de incêndios. p. 13

opiniãosport:

Aumento é sobretudo de galegos

AD Oliveirense foi a única equipa a vencer no arranque dos campeonatos

Mais turistas em Agosto

Famalicense Berto Gomes vai treinar Santa Maria

O mês de Agosto registou um aumento do número de turistas em Famalicão, comparativamente com o mesmo período do ano passado. O aumento é sobretudo de galegos, segundo o vereador do pelouro. Ricardo Mendes entende ainda que o novo Posto de Turismo, com maior visibilidade, ajudou as pessoas a recorrerem mais a este serviço. p. 4

Férias ao serviço da comunidade p. 3

Presidente da Junta queixa-se de falta de investimento

"Gondifelos está na cauda do concelho" O presidente da Junta de Gondifelos diz que a sua freguesia "está na cauda do concelho". Entrevistado, domingo, pela Rádio Digital FM, Manuel Santos queixou-se de falta de investimento. Sustenta que enquanto a maioria das freguesias já está apostar na área social, em Gondifelos ainda surge a rede viária como prioridade. p. 9


02 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

espaço aberto

Objectiva Pública Já foi um local aprazível repleto de flores. Nesta espécie de quiosque localizado mesmo em frente da Matriz Velha já existiu uma florista. Deixou de existir e a degradação aumenta de dia para dia. Toldos esfarrapados, vidros partidos representam um perigo em plena via pública. Fica o aviso a quem de direito para reabilitar ou remover o dito quiosque.

Questão Pública Desdramatiza ou preocupa-se com o consumo de alimentos transgénicos? Custódio Oliveira

Maria Augusta Santos

dirigente associativo

professora "Acha Famalicão uma cidade turística?"

Os homens, ao longo da história, sempre mostraram respeito e medo perante aquilo que é novo e significa alteração da natureza. Existe um conjunto de argumentos a favor e contra os alimentos geneticamente modificados, nomeadamente as frutas, os legumes e os cereais. Parece-me que ainda não há certezas absolutas sobre esta matéria. A discussão ainda vai no adro… Pela minha parte, neste campo, não alinho em fundamentalismos. Admito que alterar geneticamente os alimentos trará alguns problemas novos, que importa conhecer e resolver. Mas também creio que existem vantagens significativas quanto à duração e à qualidade nutritiva dos mesmos.

FICHA TÉCNICA

CHEFE DE REDACÇÃO ADJUNTO:

CONSELHO EDITORIAL:

EDITOR DE TURNO:

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt DIRECTOR-ADJUNTO: Feliz Manuel Pereira (CIEJ TE-81) felizmp@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

Celso Campos (CPJ 4668) ccampos@opiniaopublica.pt Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Alimentos transgénicos são alimentos cujas sementes foram modificadas em laboratório para que, entre outros objectivos: aumente a produção e o valor nutricional dos alimentos; se desenvolvam espécies mais resistentes e com as características desejáveis. Esta manipulação genética faz-se há já muitos anos e certos alimentos transgénicos são consumidos, regularmente, em alguns países, nomeadamente nos EUA. Portugal apresenta um baixo conhecimento sobre esta matéria. Entendo, por este facto, que é urgente investir na pesquisa para que se conheça, com todo o rigor, as consequências positivas e negativas da utilização e consumo dos alimentos transgénicos. Embora não rejeite liminarmente estes alimentos, entendo que as entidades competentes devem assegurar a todos os cidadãos o direito a uma informação precisa da composição e qualidade dos alimentos, para que cada um possa decidir conscientemente sobre o seu consumo.

DESPORTO: Abílio Moreira (CNID 1844), Aristides Ferreira (CNID 1194), Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Carlos Fernandes (CNID 685), José Clemente (CNID 297), José Marques (CNID 731), Pedro Sá (CNID 1905) e Pedro Silva (CICR-220).

EDITOR DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Arcindo Guimarães (CICR-56), Carla Alexandra Soares (CICR-248), Celso Campos (CPJ 4668), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR320), Raquel Barbosa (CPJ 6924) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

FOTOGRAFIA: Andrade Lobo (CNID 1194) e Carlos Alberto Silva (CNID 1042).

GRAFISMO: Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva. INFORMÁTICA: Filipe Fragoso

Não considero Famalicão uma "cidade turística", embora apresente potencialidades turísticas em termos patrimoniais, culturais e ambientais. A proximidade e centralidade de Famalicão relativamente a outras cidades com maiores ofertas turísticas exigem da Câmara Municipal uma dinâmica mais activa, inovadora e criativa, nomeadamente: 1 – a implementação de uma política de turismo capaz de desenvolver Famalicão como "cidade-âncora", em termos de coesão económica, social e territorial; 2 – a integração de Famalicão em rotas turísticas regionais, desenvolvendo uma cooperação, articulação e complementaridade com outras cidades; 3 – a aposta numa dinâmica de competitividade dos serviços turísticos, através do aumento da sua diversidade, qualidade e excelência; 4 – a aposta, se necessário, em novas formas de turismo, nomeadamente o "turismo sustentável".

Nota: O OP, por motivos externos, não conseguiu receber rea tempo para publicação na última edição, a sposta a esta questão pública, por parte de Maria Augusta Santos. Por esse motivo, publicamos agora a sua resposta, com o devido pedido de desculpas a esta nossa colaboradora.

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino

TÉCNICOS DE VENDAS:

Serviços Administrativos:

Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

GERÊNCIA: Feliz Manuel Pereira CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

IMPRESSÃO:

PROPRIEDADE:

Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

www.opiniaopublica.pt

15.000 exemplares, nº 799

NÚMERO DE REGISTO: 115673

APOIO À REDACÇÃO:

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

CONTACTOS Redacção:

Jorge Alexandre

Francisco Araújo

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


opinião pública: 29 de Agosto de 2007 03

espaço aberto

Jovens famalicenses fazem balanço de participação no programa OTL

“É o nosso dever para com a Juventude”

Celso Campos

“Estar em casa é aborrecido”

18 jovens fizeram escavações arqueológicas

Celso Campos “Venho para aqui para ocupar os tempos livres, porque estar em casa o tempo todo é aborrecido”. É o que diz a Daniela Sousa, de 17 anos, em plena escavação arqueológica no Castro da Boca, em Vale S. Cosme. Ela foi um dos 42 jovens famalicenses que integrou o programa Ocupação de Tempos Livres (OTL), promovido pelo Instituto Português da Juventude (IPJ) e ao qual a Câmara de Famalicão aderiu. Proporcionar aos jovens umas férias diferentes e úteis à comunidade é, sinteticamente, o objectivo do

programa que decorreu durante o mês de Julho e Agosto. Dependente do município, os 42 jovens puderam escolher entre quatro actividades diferentes. 18 jovens fizeram escavações arqueológicas e outros 16 apoiaram a protecção civil na vigilância florestal. No âmbito do desporto, quatro jovens deram apoio nas Piscinas Municipais da cidade e outros tantos fizeram animação sócio-cultural, na colónia de férias das crianças do bairro da CAL. A Daniela Sousa é a segunda vez que participa no OTL. No ano anterior esteve na área do entretenimento e reconhe-

ce que, desta vez, “teve o tempo mais ocupado”. Enquanto enchia mais um balde de terra, vai dizendo que “esperava mais acção e descobrir mais coisas”, acabando por admitir que “é um trabalho duro”. Também Diogo Lemos, de 17 anos, antevia “maior dinamismo” na escavação arqueológica. Na sua terra e argumentando que já conhecia o Castro da Boca, admite que só agora percebeu melhor o que ali existe”. “Estamos a contribuir para o país” Estes dois jovens gostaram da experiência e Diogo Lemos

“Devemos proporcionar aos jovens de Famalicão durante as suas férias de Verão uma forma diferente, divertida e didáctica de ocupar os tempos livres”, atesta Jorge Paulo Oliveira, vereador da Juventude do município de Famalicão. Com o programa OTL, este responsável evidencia que os jovens “adquirem novos conhecimentos, contactam com novas realidades e experimentam novas sensações”, isto, “em projectos úteis à comunidade”. “É o nosso dever para com a Juventude de Famalicão”, frisa Jorge Paulo Oliveira.Para a autarquia famalicense o programa OTL continuará a ser uma aposta. Prova disso mesmo é o facto de, este ano, ter sido feita, pela primeira vez uma candidatura extra e de longa duração. Está ligada à arqueologia e será desenvolvida junto do gabinete de arqueologia do município. “Pretende reforçar a nossa aposta no programa OTL”, acentua o responsável pelo pelouro. Esta candidatura extra iniciou-se neste mês de Agosto e vai prolongar-se até Novembro. A vertente de apoio comunitário foi também uma inovação no quadro das candidaturas apresentadas pelo município junto do IPJ.

aconselha mesmo o programa OTL a qualquer jovem. A Eva Fonseca é uma veterana neste programa. Já experimentou outras áreas mas a sua paixão é a protecção da floresta. Conhece as três torres de vigia do concelho e com os seus 17 anos sobe e desce a torre de Calendário com uma facilidade assinalável. Já em terra firme diz ao OP que participar neste programa é quase uma “obrigação”. “Gosto muito disto porque permite o contacto com a natureza”, refere. Num discurso de ambientalista diz estar a fazer a sua parte. “Se os outros fizerem a sua, tudo fica melhor”, vinca. Também o André Amorim, de apenas 13 anos, foi para a área da protecção civil porque gosta do ambiente. “Inscrevi-me no OTL porque queria vir para as torres fazer vigilância”, diz este jovem escuteiro, garantindo que no próximo ano volta a inscrever-se. O José Duarte também é escuteiro e também ele optou pelas torres de vigia. “É bom saber que estamos a contribuir para o país e para a protecção da natureza”, diz este jovem de 17 anos. Todos garantem ser fácil passar o tempo a algumas dezenas de metros do chão e num espaço exíguo. “Temos uma paisagem fantástica na torre”, acentua a Eva Fonseca. “Vemos o mar, até os navios a navegar e todas as cidades aqui à volta”, explica.

Palavra de ordem é sensibilizar

OTL ajuda a definir profissão

Celso Campos

Há casos de jovens que descobrem no programa do IPJ a sua vocação profissional. É o caso de João Machado, hoje arqueólogo e que teve no OTL a pedra de toque para enveredar por esta profissão. Tem 24 anos e é natural de Pousada de Saramagos. Foi a descoberta de importantes achados arqueológicos na sua freguesia que o fez despertar, mas além disso, a participação neste programa “ajudou muito a virar-me para a arqueologia”. “Não só escavei como fiz também desenho arqueológico e essas foram algumas ferramentas básicas que me ajudaram na minha formação e a aumentar o apetite de escavar e de investigar”, revelou ao OP, enquanto escavava no castro da Bóca, juntamente com os jovens do OTL. A protecção da floresta leva muitos jovens às torres de vigia do concelho

Nas suas várias vertentes, o programa OTL pretende sensibilizar para questões importantes da sociedade. Por exemplo, na área da arqueologia, os participantes neste programa “ficam sensibilizados para a preservação do património do seu concelho”, refere Felisbela Leite, responsável pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara, que há anos acompanha jovens no OTL. O balanço que faz é positivo, até porque “a maior parte deles volta no ano seguinte”. Este programa é também “muito importante” para Aires Barroso, que coordena a Protecção Civil em Famalicão, sobretudo “pela vontade que os jovens demonstram em defender a floresta”. “Eles quanto mais tempo cá estão, mais querem estar”, evidencia.


04 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

cidade

Posto de Turismo recebeu maior procura este ano

Famalicão com mais turistas Ricardo Ribeiro

atracção turística", sublinha o responsável, acrescentando que tem "sido feito um esforço grande para promover Famalicão como produto turístico". Uma tarefa que não é fácil, reconhece Ricardo Mendes, lembrando a forte concorrência do sector, "mas também o facto de não se poder comparar a oferta do concelho com cidades consideradas de primeira linha no sector". Mesmo assim, o vereador assegura que o concelho tem variados pontos de interesse turístico, arriscando mesmo dizer que são muito poucos os famalicenses que os conhecem todos. Ricardo Mendes defende que o novo posto de turismo "veio ajudar ao crescimento do número de turistas no concelho, sobretudo porque está bem situado e tem, por isso, maior visibilidade, proporcionando também uma oferta com maior qualidade". Respondendo a algumas vozes que reivindicam um alargamento do horário de funcionamento do Posto de Turismo, o ve-

A cidade de Famalicão recebeu este ano um maior número de turistas durante o mês de Agosto, comparativamente ao mesmo período do ano transacto. A novidade foi avançada em entrevista ao Opinião Pública pelo vereador do Turismo, Ricardo Mendes, que está convencido que este aumento está directamente ligado à adesão de Famalicão ao Eixo Atlântico, bem como pelo facto da casa da escritora galega Rosalía de Castro estar geminada com a Casa-Museu Camilo Castelo Branco e pelo protocolo estabelecido com a Fundação Luso-Galaica. Ricardo Mendes, que assumiu o pelouro do Turismo há cerca de dois anos atrás, diz que o segredo de Famalicão estar a receber um maior número de turistas se prende com o "bom trabalho" que tem sido feito ao longo dos anos. "Famalicão sempre soube explorar o filão da gastronomia minhota como factor de

Posto de Turismo recebe mais visitas à semana

reador adianta que "contrariamente a alguns destinos de primeira categoria, o posto de Famalicão está aberto ao sábado", estando inclusivamente a ser estudada a hipótese da infra-estrutura "abrir portas, a título experimental, durante todo o fim-de-se-

mana". Para já, Ricardo Mendes discursa com base nos dados disponíveis, que revelam que ao sábado o Posto "recebe uma ou duas visitas, e às vezes nenhuma", contrariamente ao que acontece durante a semana. Segundo este responsável,

este ano "houve uma grande procura de gente vinda da Galiza, que no Posto de Turismo buscava informação sobre onde pernoitar, sobretudo em casas de Turismo Rural". Espaços que, apesar de alguns não estarem muito divulgados, "conseguem estar lotados" durante o mês de Agosto. Ricardo Mendes defende ainda que o aumento da procura de Famalicão como destino cultural acontece desde 2001e deve-se a um conjunto de iniciativas e infra-estruturas, apontando como exemplo a Casa das Artes, "que em alguns casos se tornou na terceira maior casa do país". "Famalicão fica a ganhar nome também no estrangeiro, porque muito do público que visita a Casa das Artes vem da Galiza", ajudando desta forma à expansão do turismo na cidade. Ainda assim, o vereador assegura que o destino que os turistas mais procuram em Famalicão continua a ser a Casa-Museu de Camilo Castelo Branco.

FORMAÇÃO 2007 Nos próximos meses de Setembro e Outubro a ACIF irá dar início às seguintes Acções de Formação: Windows Microsoft Word Excel Iniciação

90 horas

230.00 €

Windows Microsoft Word Excel Avançado

90 horas

230.00 €

Microsoft Excel

50 horas

150.00 €

Atendimento e Venda na Loja

30 horas

110.00 €

Enologia

8 horas

80.00 €

Segurança Higiene e Saúde no Trabalho

50 horas

150.00 €

Contabilidade e Gestão

36 horas

120.00 €

Gerir e Motivar Equipas

20 horas

90.00 €

Espanhol Iniciação

30 horas

110.00 €

Alemão Iniciação

40 horas

120.00 €

Serviço de Bar

90 horas

250.00 €

Segurança Alimentar

40 horas

120.00 €

Higiene e Segurança Alimentar (sector das carnes)

15 horas

70.00 €

Formação Pedagógica de Formadores

114 horas

600.00 €

J.M. COSTA & FLS, LDA

10% desconto para associados

Todos os cursos podem ser pagos em duas ou três prestações, dependendo do curso, funcionam em horário pós-laboral, duas a três vezes por semana DESTINATÁRIOS: PÚBLICO EM GERAL

ELECTRICISTAS

Técnico Superior de Segurança, Higiene do Trabalho – 540 horas Destinatários: Nível V – Licenciados ou Bacharéis 1520,00 Euros – Associados

ADMITE:

(ENTRADA IMEDIATA)

1600,00 Euros – Não Associados

Este curso dá acesso ao CAP de Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho

INSCRIÇÕES ABERTAS ATRAVÉS DOS SEGUINTES CONTACTOS: TELF: 252 315095/252 315409 EMAIL: geral@acif.pt

INSCREVA-SE JÁ!

TELEFONE: 252

301 160


publicidade

opiniĂŁo pĂşblica: 29 de Agosto de 2007 05


06 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

cidade

Deslocação causa incómodo ao Governo de José Sócrates

Mãe do “menino azul” expõe pintura na Madeira

Mário Lino, em Faro, com a mãe e o “menino azul”

A mãe do “menino azul” foi convidada para expor pintura na Madeira. Helena Silva aceitou o convite para se deslocar à ilha madeirense para participar na Expo Porto Santo. Trata-se de um “desafio muito grande”, até porque Helena vai levar até à ilha quase 300 telas que ficou de concluir na úl-

tima semana. No âmbito desta exposição, que começa no final desta semana, o presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, marcou um encontro com Helena Silva para o dia 1 de Setembro. O certo é que o mesmo já causou incómodo ao Governo de José Sócrates.

Helena Silva não aponta nomes, mas diz que houve “mais do que uma pessoa” do executivo que tentou convencê-la a não ir à Madeira com receio de que Alberto João Jardim possa criticar o Governo por causa da atenção dada ao caso do “menino azul”. “Essas pessoas não estão a ver com bom olhos este nosso encontro”,

afirma, adiantando: “Recebi no meu telemóvel uma chamada de uma entidade a dizer-me para pensar melhor naquilo que iria fazer, que se eu não fosse à Madeira podia ser que as coisas me corressem bem”. A mãe do “menino azul” diz que Alberto João Jardim já teve acesso ao livro que escreveu recentemente, “O meu menino azul – querer é poder”, onde fala sobre o filho e a sua história, e é com base nele que o líder madeirense poderá esgrimir argumentos contra os socialistas do Continente. “É que vai ficar a saber o que foi feito e que a petição ainda continua pendente, o que é de lamentar”, nota. Helena Silva refere-se à luta que construiu há já algum tempo no sentido do Estado comparticipar a 100 por cento os medicamentos e os tratamentos do filho Emanuel e de todas as crianças com problemas semelhantes. O dinheiro angariado na exposição na Madeira será muito útil à mãe do “menino azul” para amortecer a dívida que contraiu para poder tratar o filho. Nos últimos dias, Helena expôs em Faro num certame que recebeu a visita do ministro das Obras Públicas. Mário Lino cumprimentou a mãe e o “menino azul”.


cidade

opinião pública: 29 de Agosto de 2007 07

Espaço provisório na antiga escola do Castanhal

Casa da Juventude pronta em Setembro

Celso Campos

periência e o know-how necessários para aprimorar aquilo que será a gestão da Casa de Juventude definitiva". Por outro, "foi uma oportunidade de recuperar uma antiga escola, com algum valor patrimonial, que de futuro, quando deixar de ser Casa de Juventude, poderá ser convertida para outros fins a favor do município ou da freguesia de

Obras estão na fase de acabamentos

Celso Campos*

ainda capacidade para receber workshops, acções de formação e exposições, além de poder vir a acolher as reuniões do Conselho Municipal de Juventude. São, contudo, instalações provisórias, vinca Jorge Paulo Oliveira, garantindo que a Câmara Municipal "não desistiu nem vai desistir da sua primeira intenção, ou seja, a construção de uma casa definitiva no centro

etários de um estabelecimento comercial localizado no rés-do-chão não A Casa da Juventude de chegaram a acordo com a Famalicão, a instalar proautarquia e esta decidiu visoriamente na antiga avançar para um procesescola primária do Castaso de expropriação por nhal, em Brufe, deverá fiutilidade pública. "Não car pronta em Setembro. sendo possível saber Neste momento, as obras quando teremos resultade adaptação do edifício dos dessa expropriação estão em fase de conclu– porque está dependensão, pelo que o vereador te das decisões dos trida Juventude, Jorge Paubunais e sabemos que, lo Oliveira, acredita que nestes casos a justiça é o novo equipamento poslenta – achamos que sesa entrar em funcionaria proveitoso mento pleno em para os jovens finais de SetemO novo equipamento será de Famalicão cribro ou início de dotado de alguns serviços e ar uma estrutura Outubro. que A Casa da Juespaços destinados aos jovens provisória pudesse receber ventude, se um conjunto de bem que proviequipamentos e sória, será dotada de um centro de documentação da cidade", mais concre- serviços dirigidos a e de informação juvenil, tamente no edifício da fa- eles", justifica o vereador videoteca, audioteca, es- mília Sousa Fernandes, da Juventude. O responsável aponta paço para Internet e sa- sito na Rua Adriano Pinto ainda duas outras vantalas polivalentes para reu- Basto. A desocupação desse gens do espaço provisóniões de associações juvenis do concelho que imóvel não tem sido um rio. Por um lado, permitinão possuam sede. Terá processo fácil. Os propri- rá à Câmara "colher a ex-

Debate "Ibéria, o país de Saramago" O Rotary Club de Famalicão promove esta quinta-feira o debate subordinado ao tema "Ibéria, o país de Saramago". A iniciativa terá lugar no Restaurante Confeitaria Miranda, na Praça D. Maria II, em Famalicão.

Brufe". O investimento global ronda os 60 mil euros e, na altura em que o projecto foi apresentado em reunião do executivo camarário, recebeu fortes críticas do Partido Socialista e da Juventude Socialista, que não concordaram com a opção temendo, concretamente, que o provisório se torne em definitivo e acrescentan-

do que não foi este modelo de Casa da Juventude que a coligação PSD/PP prometeu aos famalicenses. Jorge Paulo Oliveira desvaloriza as críticas, entendendo que "entre não ter nada e ter alguma coisa, é sempre preferível ter alguma coisa". *Com Cristina Azevedo


08 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

freguesias

Gondifelos realizou mais uma feira das cebolas

Mau tempo não afastou a clientela Marta Isabel Marques

Os cabos de cebolas expostos no certame

Apesar do tempo o negócio até correu bem

Gondifelos realizou no passado domingo a tradicional feira das cebolas. Apesar do mau tempo que se fez sentir durante a manhã, a feira não deixou de se fazer. A chuva da manhã afastou um pouco a clientela, mas durante a tarde o movimento cresceu, até porque se realizou o festival de folclore do Rancho Folclórico de Gondifelos que comemorou 26 anos de existência. Aliás, este ano, a feira foi organizada pelo rancho da freguesia. Com preços a variar entre os 3 e os 5 euros por cabo, as cebolas iam-se vendendo bem. José Costa, um comerciante da freguesia, falou ao OPINIÃO PÚBLICA sobre a qualidade da cebola deste ano, dizendo que “quem dela cuidou teve-a boa”. “O tempo não foi muito bom este ano, mas que teve cuidado com as cebolas teve sorte. Há aqui cebolas de muito boa qualidade”, reforçou. No meio de todos os expositores a dificuldade era mesmo escolher. Entre a cebola vermelha e a branca os entendidos es-

Pediatria Médica

Dr. J. M. Gonçalves de Oliveira Dr. J. M. Guimarães Dinis Drª Fernanda Carvalho

Imunoalergologia Pediátrica

Dr. J.M. Gonçalves de Oliveira Drª Fernanda Carvalho

Cirurgia Pediátrica Obstetrícia e Ginecologia Otorrinolaringologia Medicina Interna Urologia Ortopedia Psicologia Nutrição Fisioterapia Análises Clínicas Psiquiatria

clareciam os menos informados sobre as qualidades da cebola. José Costa comparava a cebola vermelha a algumas mulheres: “A vermelha é mais brava como algumas mulheres bravas e faz chorar mais, mas é a que se aguenta mais tempo”. Em relação à branca, disse, “é muito boa, mas já não aguenta tanto tempo. Lá para Fevereiro ou Março começa a espigar, mas é muito saborosa”. Foram muitas as pessoas que passaram por Gondifelos não só para visitar a feira, mas também comprar cebolas para consumo doméstico. Depois de um período de interregno, a realização do certame foi retomada há poucos anos por iniciativa do Rancho Folclórico de Gondifelos que assim fez cumprir a tradição. Ano após ano vale a pena ver os expositores trazer e mostrar as cebolas como se de uma peça de artesanato se tratasse. Aliás, o desfile das crianças com os cabos de cebolas também é um dos pontos altos da feira. Este ano ficou marcado pelo mau tempo, mas, mesmo assim, os comerciantes não se queixaram do negócio.

Tudo indica que é o mesmo que violou jovem de Joane

PJ detém alegado violador de duas jovens A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, na quinta-feira da semana passada, a detenção de um homem de 27 anos suspeito de ter violado duas jovens em Braga e Fafe, em Julho e Agosto, respectivamente. Tudo indica que o jovem agora detido é o mesmo que abusou sexualmente de uma rapariga de Joane, de 24 anos, que disse ter sido vítima de violação, há cerca de duas semanas, num monte em Fafe. Em comunicado, a PJ refere que o detido, Luís, residente na Póvoa de Lanhoso, conhecia as raparigas através da Internet, combinava depois encontros com as mesmas e “conduzi-as na sua viatura para locais ermos, onde consumava, por meio de violência, a violação”. A PJ afirma que, na sequência das investigações, foi possível recolher indícios da prática

do crime de violação sobre as duas jovens, de 25 e 24 anos. E define o suspeito, solteiro e desempregado, como um “predador”, que usava cibercafés para caçar raparigas que violava, usando da força. Em declarações ao jornal Correio do Manhã, o alegado violador negou todas as acusações que lhe foram imputadas e justificou o que diz serem “as mentiras das raparigas” como forma de conseguirem “indemnizações”. “Aconteceu há cerca de um mês e meio, mas as relações sexuais foram consentidas”, afirmou. O jovem foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicadas como medidas de coacção a proibição de se ausentar da área de residência e a obrigação de se apresentar duas vezes por semana num posto policial.

Dr. José Luís Carvalho Drª Saritta Nápoles Drª Goreti Saldanha

Controle nesta Farmácia

Dr. António Araújo Dr. Lemos Ferreira

• Glicose

Dr. Álvaro Gil Drª Sandra Santos

• Colesterol

Drª Sandra Lourenço Márcia Oliveira

• Triglicerídeos

Lab. de Patologia Clínica Dr. Hilário de Lima Dra. Danielle Oliveira

Rua Conselheiro Santos Viegas, nº 48 - 1º 4760-129 VILA NOVA DE FAMALICÃO Telefone: 252 316 061/252 310 008 Telem. 919 512 211 • Fax: 252 310 008

Rua Adriano Pinto Basto, 54 4760 VN FAMALICÃO Telef.: 252 323 294


opinião pública: 29 de Agosto de 2007 09

freguesias

Seis feridos em acidente em Gavião Seis feridos foi o resultado de um acidente de viação ocorrido na tarde de segundafeira, na Estrada Nacional 206, em Gavião. Uma colisão entre dois veículos ligeiros, por volta das 15h15, em Gavião, junto ao cemitério de Moço Morto, provocou seis

feridos, mas nenhum com gravidade. As vítimas foram assistidas no local pelos Bombeiros Voluntários Famalicenses e depois transportadas ao Hospital de Famalicão. O socorro às vítimas envolveu três viaturas e oito homens.

Quem o diz é o presidente da Junta, Manuel Santos

“Gondifelos está na cauda de Famalicão”

Festas de S. Bento em Joane... Prosseguem esta sexta-feira as festas em honra de S. Bento, em Joane. Às 21h30 actua o grupo Cantares Origens, de Fradelos, Braga. No sábado haverá missa e sermão às 7 horas e às 19h30, seguindo-se às 22h30 a actuação da orquestra Novo Espaço. A noite termina com fogo de artifício. O domingo reserva a celebração da eucaristia, pelas 10h30, com transmissão pela Rádio Digital, seguida de procissão. Para as 14h30 está marcado o início do espectáculo do grupo Sorrisos Latinos, da Póvoa de Varzim, seguido do Grupo Etnográfico Rusga de Joane que encerrará as festividades deste ano.

...e Sta Catarina em Cabeçudos A freguesia de Cabeçudos é palco este fim-de-semana das festas em honra de Santa Catarina. Na sexta-feira actuam, às 22 horas, dos Irmãos Ferreira. No sábado, pelas 8 horas, dará entrada no recinto o grupo de Zés P'reiras, da Trofa, que irá percorrer toda a freguesia. Pelas 17 horas é celebrada a eucaristia e às 22 horas a actua a banda Coração Sertanejo e

da dupla Rennan & Renato. Segue-se uma sessão de fogo de artifício. No domingo destaque para a procissão, pelas 17 horas, que percorrerá a rua das Alminhas, a avenida S. Cristóvão, a rua Entre Paredes e a rua Santa Catarina. Segue-se um “despique” entre as bandas Flor da Mocidade de Junqueirense e União Musical Paramense. As festas encerram com fogo de artifício.

Sorteio das Festas A comissão Festas da Senhora da Abadia, em Abade Vermoim, divulga os números premiados do sorteio das referidas festas. O 1º prémio coube ao número 4306, o 2º ao número 3089 e o 3º prémio foi para o número 9466.

G ond if el os foi anexada a Famalicão há 130 anos

Manuel Santos, Presidente da Junta

A cumprir o primeiro mandato como presidente da Junta de Gondifelos, Manuel Santos considera que a freguesia está mais atrasada relativamente a outras do concelho. Gondifelos ainda procura desenvolver as suas vias de comunicação, situação pela qual o presidente considera que a freguesia está “na cauda de Famalicão” em termos de desenvolvimento. As declarações foram proferidas no passado domingo, no âmbito do programa “Gentes da Terra”, da rádio Digital FM. Gondifelos apresenta algumas carências estruturais e sociais, no entanto, a construção tem aumentado nos últimos tempos e esse facto, associado à tranquilidade do lugar, tem cativado muitas famílias que aí se têm fixado. A construção da Escola de Ensino Básico foi também uma mais-valia para a freguesia. No entanto, Manuel Santos refere que enquanto noutras freguesias as preocupações são, sobretudo, com questões sociais, em Gondifelos procura-se melhorar as vias de comunicação. “Continuo a conside-

rar-nos na cauda de Famalicão, juntamente com outras freguesias, porque em algumas já só se pensa em apoios para as associações e na construção de gimnodesportivos e piscinas”, declarou. Esse tipo de pensamento ainda não pode ser privilegiado na freguesia de Gondifelos, uma vez que “é preciso pensar primeiramente nas vias de comunicação e na criação de algumas infraestruturas importantes para a população desta localidade”. O principal sector de actividade dos habitantes continua a ser a agricultura, naquela que é uma das maiores freguesias do concelho. O executivo da Junta não vira as costas ao trabalho e previstas estão obras na Igreja e no cemitério de Gondifelos, bem como melhorias nas principais ruas e vias de acesso. “Estamos a trabalhar nos alargamentos e pavimentação das principais ruas e que estão bastante danificadas e vamos continuar a tratar da melhoria das vias de comunicação”, contou Manuel Santos. Para além disso, “existe já um projecto elaborado para o arranjo urbanístico no espaço envolvente à Igreja”, adianta o presidente, sendo que está a ser realizado o levantamento para se proceder ao alargamento do cemitério. Outro grande desejo de Manuel Santos é adquirir ou passar para a gerência da Junta as instalações da antiga escola primária. O objectivo é instalar nessa estrutura as associações de Gondifelos, bem como os idosos da freguesia. B .M .

Dados Ár e a T ot a l : 853 hectares Habitantes: 2118 (Censos 2001) Fogos: 463 Eleitores: 1653 Padroeiro: S. Félix Festas: Espírito Santo (domingo seguinte à Páscoa), S. Sebastião e Feira das Cebolas (15 Agosto) Integrada em Vila Nova de Famalicão em Dezembro de 1872, Gondifelos localiza-se no extremo oeste do concelho. A origem do topónimo deverá ser germânica, uma vez que alguém de nome Gonti ter-se-á apossado da terra nessa altura e deu-lhe o nome. No entanto, o povoamento aconteceu muito antes. O Castro de Penices, no lugar com o mesmo nome, confirma a precoce origem da actual freguesia como povoado. Está situado num pequeno relevo rochoso, orientado na direcção noroeste/sudeste, interrompido pelo trajecto do rio Este que rodeia o castro em cerca de metade do seu perímetro. Até ao dia 9 de Dezembro de 1872, São Félix de Gondifelos pertenceu ao concelho de Barcelos, dia em que por decreto real passou para o de Vila Nova de Famalicão. Em relação ao património edificado em Gondifelos, merece especial realce a Ponte de Gravateira, uma ponte românica construída com toda a técnica e saber do povo. A Igreja Paroquial tem mantido o seu estilo original, apesar das reconstruções que sofreu em 1951-54 e em 1981. Tem três naves, uma maior e duas mais pequenas. Numa delas há um altar de talha dourada com a figura de Cristo a caminho do Calvário. Além do altar-mor existem outros seis altares mais pequenos, assim como órgão de tubos e o púlpito, de estilo renascentista. Actualmente, a freguesia ainda apresenta algumas carências estruturais e sociais, no entanto, a construção tem proliferado e este facto associado à tranquilidade do lugar tem cativado muitas famílias. A construção da Escola de Ensino Básico de Gondifelos foi também uma mais-valia para a freguesia. As referências documentais a Gondifelos surgem-nos pela primeira vez nas Inquirições de 1220. A freguesia aparece aí como "Sancto Felice de Gundefelos", e nos anos seguintes iria ter outras designações, conforme a evolução fonética: "Gonderelos, Gundofelos, Gondofelos". Nas Inquirições de 1258, era Gondoferus.


10 opiniĂŁo pĂşblica: 29 de Agosto de 2007

publicidade


opinião pública: 29 de Agosto de 2007

freguesias

Oliveira Santa Maria e Calendário foram as freguesias fustigadas

Famalicão viveu o pior dia da época de incêndios Raquel Barbosa O número significativo de incêndios fez com que a sexta-feira da semana passada, dia 24 de Agosto, seja, até ao momento, o pior dia desta época de incêndios para Famalicão. Oliveira Santa Maria e Calendário foram as freguesias fustigadas pelas chamas, tendo sido afectadas por um total de quatro incêndios. Ao início da tarde, um incêndio florestal de grandes dimensões, em Oliveira Santa Maria, chegou a assustar. A população temeu que algumas habitações iriam ser afectadas pelas chamas, mas tal não chegou a acontecer dada a rápida intervenção dos bombeiros. “Se não tivessem sido tão rápidos, as chamas teriam chegado a algumas casas”, conta Alberto Rodrigues, morador que deu o alerta aos Bombeiros Voluntários (BV) de Riba d'Ave, assim que se apercebeu dos primeiros sinais de fumo. O fogo deflagrou cerca das 12h45 e depressa ganhou três

frentes. Devido ao vento forte e ao difícil domínio que o incêndio estava a ter, uma vez que o terreno tinha inclinação acentuada, a corporação ribadavense decidiu pedir auxílio às duas da cidade, sendo que para o combate às chamas foi também chamado o helicóptero destacado para o distrito. O incêndio acabaria por ser dado como circunscrito duas horas depois, cerca das 14h30, e consumiu cinco hectares de floresta, sobretudo eucaliptal. O comandante dos Bombeiros de Riba d'Ave, Manuel Antunes, num balanço provisório, disse tratar-se de um incêndio de dimensões significativas que “ficou rapidamente resolvido” graças ao dispositivo envolvido. Calendário e Outiz: fogos pequenos Cerca das 14 horas, os bombeiros tiveram também de se deslocar para o lugar da Lage, em Calendário, para combater um incêndio que foi rapidamente circunscrito, tendo consumido uma pequena área de floresta. Foram cha-

Em Oliveira, o fogo depressa ganhou três frentes

mados ao local os BV de Famalicão que, segundo o comandante, Vitor Azevedo, por uma questão de precaução, pediram auxílio aos BV Famalicenses, Viatodos, Esposende e Barcelinhos. Este dispositivo era constituído por um total de 40 homens e 10 viaturas. Quase à mesma hora, a cerca de dois quilómetros de distância, em Gemunde, na freguesia de Ou-

tiz, ficaram activos mais dois focos de incêndio. Além das corporações presentes no combate ao incêndio em Lage, estiveram também aqui os Bombeiros de Vizela. Juvenal Campos, comandante dos BV de Esposende, estranha as causas destes casos em Gemunde, suspeitando de origem criminosa.

Grupo detentor da marca Salsa entrou directamente para a posição 52

Irmãos Vila Nova entre os 100 mais ricos do país O grupo empresarial Irmãos Vila Nova, detentor da marca de jeans Salsa, figura na lista dos 100 mais ricos de Portugal, divulgada recentemente pela revista Exame, na sua edição especial "Bilionários 2007". Os Vila Nova entraram directamente para a posição 52 da lista dos 100 mais ricos, com uma fortuna avaliada em 208,7 milhões de euros. O ranking é liderado por Belmiro de Azevedo, que duplicou o valor da sua fortuna, agora de 2.989,3 milhões de euros. A Irmãos Vila Nova (IVN) foi fundada em 1987 e concebe, produz, compra e comercializa vestuário e acessórios de moda. A designação da empresa, sedeada na Zona Industrial de Sam, em Ribeirão, tem por base o apelido dos seus sócios fundadores, dois irmãos. Iniciou a sua actividade com enfoque na área de acabamentos têxteis, avançando em 1990 a actividade na área de confecção a feitio. Quatro anos

Vendas externas dos Irmãos Vila Nova cresceram 300%

mais tarde criou a sua marca própria – a Salsa –, que inicialmente foi comercializada através de lojas multimarca. Só em 1998 abriu a sua primeira loja própria, no Porto. Actualmente, a Salsa tem 118 pontos de venda, espalhados por 14 países, nomeadamente na Espanha, no Leste da Europa e no Médio Oriente. Factura 90 milhões de euros por ano, 30% dos quais em mercados externos, sobretudo em Espanha. Por isso, há cerca de dois meses, aquando da visita do Ministro da Economia e Inovação às instalações da empresa, o gestor da Salsa, Filipe Vila Nova, adiantou que a marca pretende continuar a "aposta forte na internacionalização". "A Salsa cresceu 300% em termos de vendas externas no último ano. É um número interessante, faz parte de uma estratégia, de uma caminhada da Salsa, que vamos fazer para que a marca tenha sucesso, sobretudo, fora de portas", afirmou na ocasião.

11

Inscrições para Escola de Música em Lousado A Casa do Povo de Lousado tem abertas as inscrições para a sua Escola de Música. Funcionará nas instalações da Casa do Povo e iniciará a actividade no mês de Outubro. Os instrumentos musicais disponíveis serão, nomeadamente, viola, guitarra eléctrica e piano. As inscrições podem ser feita directamente no local ou pelo e-mail casapovolousado@gmail.com, até 15 de Setembro. Os sócios ou filhos menores da Casa do Povo de Lousado terão uma redução no custo de inscrição e frequência.

Cursos bíblicos Ruivães e Nine Frei Luís Gonçalves, da Comunidade dos Padres Capuchinhos de Barcelos, vai orientar dois cursos bíblicos no concelho de Famalicão. Segundo o sítio na Internet do Secretariado Nacional de Dinamização Bíblica (www.difusorabiblica.com), entre 2 a 6 de Outubro, haverá em Ruivães um curso centrado no livro dos Actos dos Apóstolos. O frade, pároco de Arcozelo (Barcelos), dará mais tarde, entre 11 e 16 de Dezembro, um outro curso centrado no livro do Apocalipse, em Nine.

Incêndio em habitação em Ribeirão Um pequeno incêndio atingiu na manhã da passada sexta-feira uma habitação, no lugar de Ferreiro, em Ribeirão. O fogo afectou apenas o anexo da moradia e foi circunscrito cerca do meio-dia, uma hora depois do alerta. Ao local acorreram os BV de Famalicão com 11 homens, auxiliados por três viaturas.


12 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

região

Distrito precisa de mais pontos de água P o st o s d e D is t rib u i ç ã o Abade de Vermoim Restaurante Costa e Silva Rua 25 de Abril Antas Quiosque Capões Lugar da Portela Quiosque Central Central Camionagem Sede do A.R.C.A. Lugar da Portela Q ui o s q u e E s p a ço V er d e Rua 8 de Dezembro Anta’s Café Edif. Jardins do Lago Arnoso Santa Eulália Café Santo Amaro Rua Dr. Agost. Fernandes Café Bastos Rua da Carvalheira, 111 Arnoso Santa Maria Café do Altinho Rua do Altinho Posto de Abastecimento Junto à Engenho Supermerc. Diamantino Lugar de Lages Casa Bola d’ouro Av. Conde Arnoso Mini Mercado Costa Rua 8 de Dezembro Restaurante do Altinho Lugar do Altinho Avidos Café-Restaurante Amaury Estrada Nacional 204/5 Fatipão Travessa Quinta da Ponte Pão & Companhia Estrada Nacional 204/5 Churrascão Sousa Rua Estrada Nacional 204/5 Bairro Papelaria Compasso Avenida Silva Pereira Café Pastelaria Sonho Azul Av. Joaquim Leite Bente Supermercado Belita Lugar de Cardal Churrasqueira O Toneco Avenida dos Emigrantes Café Sampaio Rua da Praça, 385 Brufe Electrokioske Rua Joaquim Pereira Supermercado Azevedo Rua D. Jorge Ortiga Mini-mercado Né Rua Manuel Moreira Maia Cabeçudos Quiosque Central Lugar do Souto Calendário Casa Magote Rua de Rorigo Eugénios Health Club R. P. Avis de Brito Quiosque das Oliveiras Rotunda das Oliveiras Restaurante D. Antónia Ribaínho Sede Barrimau R. José Elísio G. Cerejeira Bodyline - Training Center Rua Visconde de Gemunde Casa FC Porto de Famalicão Rua S. Julião - Ed. Jardins Penedo Talho Morado Rua José Gonçalves Cerejeira, 61 Supermercado Horácio & Sousa Av. D. Afonso Henriques, nº 3680 Carreira Mini Mercado Bezerra Rua do Monte Café Santiago Rua da Estrada 204/5 Cafetaria Franlu Rua do Fojo, 152 Castelões Casa Chico Rua Álvaro de Castelões P a s t e l ar i a F l ô r d a R i b e i r a Prta Álvaro de Castelões Pastelaria P. Quente Castelões Rua Georgiana Neto Pastelaria Sta Catarina Rua Vera Cruz Café Tocano Rua de S. josé, 152 Cavalões P . R e p s o l O s E m i g ra n t e s R. Dr. José A. Carneiro Cruz Mercearia Rego Av. S. Tiago da Cruz Peluche - Pastelaria Largo Sr. dos Aflitos

Delães Papelaria Marques Avenida da Portela (Posto Galp) Pavilhão Delães Bairro Augusto Correia Quiosque junto à igreja Supermercado Belita Rua da Igreja Pastelaria Carmita Av. Albino Marques, nº 366 Pastelaria Doce Marco Zona Industrial Pocinhos Esmeriz Café Principal Avenida Carlos Bacelar Café Jota Largo do Souto, 86 Livraria e Papelaria Grafiarjo Junto às escolas primárias Fradelos Posto Galp Junto à Junta de Freguesia Quiosque Reis Rua Sta. Leocádia TF Gest - Posto Combustíveis Lugar da Quinta Gavião Estrela da Sorte Lotarias Junto à Rot. Stº António Posto Repsol Estrada N14 Mini-Mercado S. Vicente Rua 20 de Junho Gondifelos Casa das Prendas Parque das Tílias P. Abastecimento Sopor Av. São Félix Joane Bar ATC Biblioteca ATC Rua Dr. Agostinho Fernandes Café Central Lugar de Telhado Mercearia Olivia Lopes Lugar Ruivos Petro Joane Rua S. Bento Piscinas Rua de Leognan Quiosque da Feira Largo da Feira Quiosque Central de Joane Largo da República Snack-Bar O Rei dos Cachorros R. dos Laburins - Ed. Pérola do Vau Supermercados Dá-Cá Tv. Padre Silva Rego, Lj.11 Supermercado Henriques Avenida dos Laborins Jesufrei Café Mercearia Ramos Rua da Igreja Café S. Miguel Rua P. Domingos A. Pereira Lagoa Casa Carvalho Rua EN 204 Café Europa Av. dos Lamosos Landim Lucyland Rua da Estrada Nacional Mercado Stª Marinha Rua Santa Marinha, 273 Quiosque Landinense Junto ao Mosteiro Lemenhe Café Avenida R. P. Domingos A. Pereira Café Costa Verde Aldeia Nova Restaurante Fervenças Rua Papa João Paulo II Louro Taberna Ilha do Fogo Barradas Café Central Travassos Bar do GD Louro Rua Martires do Ultramar Lousado Quiosque do Souto R. Cardeal Cerejeira Restaurante Linha Lugar do Souto Café Tae-Kwon-Do Loteamento Mabor, 52 Mogege Café Boavista Lugar da Boavista C af é S n a c k - B a r C r u z e i r o Av. Bernardo Guimarães Pastelaria Celiana Av. Padre António Ferreira, 470 Mouquim Adega Reg. Stª Filomena Ançariz

Mini Mercado Igreja Largo da Igreja Nine Estação Serviço Cepsa Lugar da Estação Café Santos Quintães CP Quiosque Edifício Estação Caminhos Ferro Nine Novais Mini Mercado Azevedo Largo S. Simão Café Reguila Rua das Almas Oliveira Santa Maria Café Riera São Cristovão Delnet, Lda Av. 25 de Abril Scam- Posto Gasolina Rua do Sestêlo Oliveira São Mateus Café Esplanada R. Estrada Municipal 574 Mini Mercado Vieira Lugar do Quinteiro Piscinas Lugar do Quinteiro Pizzaria Topo Gigio Rua S. José M i n i M e r c a d o d a s C as a s Rua 1º Dezembro, 64 Papelaria Andrade Rua da Santana Outiz Papelaria Fernandes Av. Jorge Reis Pedome Café S. Cristovão Rua da Bemposta Café Centro Av. S. Pedro Portela C a f é S n a c k - B ar N o v a E r a Rua da Igreja Pousada Saramagos Pap. Carlos Carvalho Av. Stª Justa Quiosque Pousada Avenida da Riopele Requião Bar do Salão de Festas Lugar do Mosteiro Estação Serviço Portela Estrada 206 Mini-Bazar da Portela Lugar da Portela Talho Ribeirais Rua de Ribeirais Restaurante Zé Costa Avenida S. Silvestre Riba de Ave Café Latitude Trav. Camilo Cast. Branco Café Para Pedro Rua Joaquim Ferreira Parque das Tílias Pavilhão Riba D’Ave Papelaria Riscos e Rabiscos Av. Narciso Ferreira Papelaria Maria Aurora Silva R. 25 de Abril - R/C - Dir Azoria - P. de Combustiveis Av. Cidade Abreu & Lima, nº2 Café Central Rua 25 de Abril Ribeirão Bar do GD Ribeirao Campo do Passal Quiosque Central Frente à Junta de Freguesia Restaurante Colina do Ave Rua do Vau, 11 Ruivães Café Juventude Rua Domingos Monteiro Café Sede Ruivanense Rua do Pereiró Livraria Pap. Campos Rua do Pereiró nº 68 Pastelaria Pão do Monte Rua Domingos Monteiro Vinha Super Lugar da Vinha JM Café Pastelaria Rua da Vinha Café Arco-Íris Rua Vasco da Gama, 209 Seide S. Paio Café Snack-Bar Novo Milénio Edf. Agrinha, 879 Associação Juventude Alegre Largo Nossa Sra. Parto Seide S. Miguel C a f é S n a c k - B a r C a m i li a n o Largo Dona Plácido Café Popular Covas Café São Miguel Rua Santo Amaro

Sezures Café Mercearia Central Rua N. Srª Fátima Telhado Posto de Abastecimento Carneiro Araújo Avenida Principal Mercearia Barbosa Rua do Azideiro Vale S. Cosme Café da Pedra Rua da Pedra Pastelaria Miga Doce Avenida Central Café Restaurante Veiga Av Tibães Talho S. Cosme Av. Tibães Vale S. Martinho Auto – Mercado Minda Lugar do Outeiro Koppus Caffe Rua do Passo Vermoim Avelino Lomba Pimenta Junto à Capela Café Floresta Lugar da Floresta Café FM Rua António Oliveira Costa Estação Serviço Esso Av. João XXI Café Zé Ringo Av. Monte dos Combros Café Breia Av. Breia de Cima, 90 Infor Bit Av. D. João XXI, 1820 Supermercado Flor de Liz Rua de Penelas Vila Nova Famalicão A Mascotinha da Sorte Praça D. Maria II Bar Pavilhão Municipal Av de França Casa Voga R. Adriano Pinto Basto Quiosque Abanca Av. Dr Carlos Bacelar Quiosque Avenida Centro Comercial Aro Quiosque E. Leclerc Hipermercado E. Leclerc Quiosque Hospital Junto ao Hospital Quiosque Kalifa Av. Rebelo Mesquita Tabacaria Fernandes Rua Santo António Tabacaria França Rua Ernesto Carvalho Tabacaria Sampaio Rua Narciso Ferreira Quiosque Sagres Parque da Juventude Café Sousa Balaída - Mões Vida Sá Rua Barão da Trovisqueira Papelaria Armanda Lima Rua Cons. Santos Viegas, 58 Supermercado Bandeirinha Rua Cons. Santos Viegas, 162 Café Snack-Bar Luso Brasileira Av. 25 de Abril Café D. Sancho I Rua Augusto Corrreia Parque Estacionamento Sagres Rua Luís Barroso Casa Benfica de Famalicão Praça D. Maria II Versentido, Lda Rua Camilo Castelo Branco Cartercombe - P. Abastecimento Rua S. João de Deus Papelaria Quinta do Vinhal R. P. Freitas reis, Ed. Vénus Lj 12 Vilarinho Cambas Café Castanhal Lugar de Castanhal Café Millénium Rua do Monte, 400 J u n t a F r e g u e s ia V i l a r i n h o Rua da Saudade, 45 Pastelaria S. Paulo Rua da Roederstein 5

C a f é S n a c k - B a r B a rr e i r a s Rua da Cumieira, 659

Trofa Quiosque do Pedro Rua Conde S. Bento Bazar Tina Rua Júlio Dinis Quiosque Desporto 2004 Rua D. Pedro V Santo Tirso Pão Quente Areias junto à igreja de Areias Viatodos P. Abastecimento Galp Viatodos R. S. Pedro, 201 - Monte Fralães

Fernando Moniz vai chamar a atenção de algumas autarquias do distrito de Braga para que haja “o mais depressa possível uma cobertura adequada de pontos de água e, perante a cada vez maior exigência dos problemas, uma articulação municipal mais agilizada e eficaz”. O governador civil de Braga prometeu isso mesmo, segunda-feira, durante a visita ao Dispositivo de Vigilância e Ataque Inicial contra incêndios florestais do distrito, após o comandante do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), Vitor Lima, ter apontado como principais lacunas a necessidade de mais pontos de água no distrito e uma melhor e maior coordenação entre as vá-

rias entidades destacadas para o combate aos incêndios. Os concelhos com menor número de pontos de água são Famalicão, Vieira do Minho e Terras de Bouro, o que faz com que o GIPS tenha de “trabalhar mais para que a eficácia no combate aos incêndios seja maximizada”. Vitor Lima fez ainda um balanço dos dois comandos de meios aéreos existentes pela primeira vez no distrito, em Braga e em Fafe. “Só em Braga houve 187 intervenções em incêndios e foram feitas 243 patrulhas para dissuasão de comportamentos de risco”, disse, reconhecendo, porém, que “este foi um ano atípico” no que respeita às condições climáticas.

29 detidos em operação de busca de armas ilegais A GNR deteve, na quinta-feira da semana passada, 29 pessoas numa operação de busca de armas ilegais em cinco concelhos da região do Minho, que culminou ainda com a constituição de outros 21 arguidos, todos de nacionalidade portuguesa. A operação, desenvolvida pelo Comando do Destacamento Territorial de Arcos de Valdevez, envolveu 210 efectivos da GNR, que realizaram 57 buscas domiciliárias em diversas localidades da região minhota. As buscas desenrolaram-se nos concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço, Paredes de Coura, Ponte de Lima e Fafe. Na sequência desta operação, foram apreendidos 25 revólveres, 20 armas de caça e 5 pistolas, além de 20 facas, 25 velas de gelamonite (material explosivo) e uma quantidade não especificada de munições de vários calibres. Os detidos foram presentes, no dia seguinte à detenção, ao Tribunal de Arcos de Valdevez para interrogatório.

Trespassa-se ATL com Alvará Centro da cidade de Famalicão Bem localizado. Aceitam-se propostas Ref.ª 799 Enviar proposta para a morada do Jornal Opinião Pública indicando a referência do anúncio

PARA CONSTRUÇÃO

VENDE-SE

14.000 m2 com Viabilidade Perto da Casa Camilo Infraestruturado

Centro da Cidade

T4 Só a particulares

Telm. 96 957 54 00

Contacto: 968 067 433 - 913 218 240

PRECISA-SE

PROCURO

COZINHEIRO / A

UM PART-TIME

CHURRASQUEIRO

De Motorista Pesados CE+DE

Contacto: 912

553 035

Contacto: 939

190 386


opinião pública: 29 de Agosto de 2007 13

praça pública Pelos quatro cantos da ca(u)sa

Chão Autárquico

Domingos Peixoto

Vieira Pinto

O regresso

Ambientalismo 1. Os noticiários televisivos abrem, desde há dias, com uma catástrofe ambiental na Grécia causada por muitos e descontrolados incêndios. A esta acrescem com maior importância as perdas humanas. Enfim, um terror… Noutros pontos do globo tais como na Ásia ou na América do Norte e Central são as cheias a causar enormes prejuízos materiais e a perda de muitas vidas humanas. Outro terror… Em Portugal, umas “chuvadas” a Norte com “pedregulhos gelados” que causaram enormes prejuízos na agricultura atingida, nomeadamente em Trás-os-Montes, levaram os proprietários atingidos a pedir ajudas às entidades responsáveis. Uma chuva mais intensa no Algarve provocou algumas inundações que causaram algumas arrelias. Um susto… No actual mundo globalizado, em que tanto se fala das alterações climatéricas e da urgência de lhes por termo para atenuar os seus nefastos efeitos, parece tratar-se de retóricas de quem tem a obrigação de decidir sobre muitas das causas de

tantos males, ao que se percebe, apenas, por questões de lucro fácil. No Concelho de Famalicão, como um pouco por todo o país, infelizmente, vão acontecendo alguns ataques ao ambiente a que importa por cobro, sob pena de, mais tarde ou mais cedo, virmos a sofrer as consequências nefastas de tanta “agressão”: São leitos de cheias aterrados, linhas de água entubadas, aterros descontrolados e, ou ilegais, matas e zonas agrícolas destruídas, saneamentos ilegais instalados desde terrenos privados, passando por estradas camarárias até descarregarem directamente nos ribeiros mais próximos, tudo para dar lugar a mais uns loteamentozitos que o “novo PDM há-de vir a consagrar como legais”. São ainda descargas poluentes que umas vezes “pintam” os rios e ribeiros de um vermelho escuro, outras de um branco leitoso e outras ainda que os cobrem de uma espuma encastelada e aquecida que só podem destruir a sua fauna. Há profissões, ou pelo menos atitudes e tomadas de posição de alguns profissionais, que não são

coindicentes com a sua propalada defesa do ambiente. 2. Quase no fim de férias, após a festa do Pontal, o PSD “arde em lume que já não é brando”, tanto pela guerrilha interna como pelo alegado financiamento ilegal na campanha de 2005! Não seria nada de importante não fora dar-se o caso de a Concelhia Social-democrata e a sua Maioria Municipal não “sentirem” necessidade de tomar posição sobre o assunto, ao contrário do que aconteceu com a ida de socialistas a Lisboa apoiar a vitória de um socialista na Câmara da dita. 3. Os comerciantes famalicenses sentiram-se prejudicados com a decisão “unilateral” da Câmara do encerramento temporário de três das ruas mais movimentadas da cidade. Lavraram os seus protestos e esperaram que a Edilidade agendasse o assunto para nova reunião, o que lhes terá sido prometido. Tendo comparecido, saíram frustrados pois o assunto não foi abordado. Resposta de quem diz que há liberdade: Ninguém levantou o assunto na reunião… Estamos entendidos LPR.

Quase todos estão a regressar de férias, nestes últimos dias de Agosto. Então chegados, arrumam as agitadas malas que transportaram os haveres pessoais de veraneio. Nas ruas dos bairros citadinos já se começam a ouvir os incontidos gritos das crianças que dão composição à melodia infantil. E, daqui por uns dias, estamos em Setembro. Ora, aqui chegados, eis-nos de novo no misto da vida doméstica com o curso normal das actividades profissionais. As amas, as creches, as escolas infantis, as escolas EB”s e as universidades, retomam as suas actividades. Os pais e demais encarregados de educação, vão para as filas das livrarias, para comprarem os livros (agora bem mais caros) para a aprendizagem dos filhos e outros. As mães e os pais, logo de manhã, levam as crianças

às amas, aos infantários e às primárias. Terminou o limbo dos afectos, reforçados pela “família a tempo inteiro” neste tempo de Verão. Agora, a vida exige e impõe este corte quotidiano mas temporário dos afectos. “Logo, venho buscar-te, filho” – diz lacrimosa a mãe para o filhinho, “choroso” ao mesmo tempo que o entrega no infantário. Enfim, recomeça aqui a dupla obrigação de mãe (e de pai), a saber: dar cumprimento à obrigação de pais no sentido de proporcionar o “Crescer a Aprender” de seus filhos tal como, dar cumprimento às suas obrigaçõs profissionais. Porém, aqui na sua profissão, aquela mãe passa o dia com o “cordão” ligado àquele infantário. A jornada chegou ao fim e, subida a calçada, aquele longínquo “logo”, é “agora.” Venho buscar-te, filho”. É o regresso do quotidiano. Já não regesso da ilusão de Verão.

Carta ao director

Uma saudação aos primeiros médicos formados na UM Por várias vezes temos reforçado a ideia de que Braga se evidencia, cada vez mais, de uma forma progressiva, como um verdadeiro centro de tecnologia, sabendo acompanhar o rumo traçado para o futuro e dando passos firmes e decisivos em diversas áreas. E também no sector da Saúde existem todas as condições para que Braga se afirme verdadeiramente como um importante “cluster”. Daí que não possa deixar de se saudar, nesta altura, os primeiros médicos saídos do curso da Universidade do Minho – um curso que, recorde-se, foi implementado por um dos governos do Partido Socialista. A importância destes novos médicos – os primeiros a serem formados na UM, repete-se – para o Minho é por demais evidente. Também eles poderão – sendo-lhes dadas as condições e os incentivos imprescindíveis – fazer de Braga uma cidade que transforme a Saúde numa das principais actividades da região em termos de inova-

ção e tecnologias. Estes jovens que há poucos anos chegaram a Braga como estudantes ainda caloiros foram bem recebidos, bem tratados e por aqui passaram uma parte importante das suas vidas. E será também importante criar condições para que fiquem por estas bandas. Em Lisboa e Porto, com boas faculdades, mais antigas, isto acontece, sendo que Coimbra é dos casos mais flagrantes, com um médico em média por 120 habitantes, quando a média nacional anda em um médico por 330 habitantes. Já hoje em Braga existem bons cuidados de saúde. O Hospital de S. Marcos tem feito nos últimos tempos um esforço notável para se modernizar, o mesmo acontece com o Hospital da Senhora da Oliveira em Guimarães e outros congéneres. Já é possível marcar consultas entre o Centro de Saúde e o Hospital através da Internet, as novas tecnologias estão cada vez mais ao serviço dos médicos e dos pacientes. E há ain-

da as Unidades de Saúde Familiares, como exemplo dos cuidados primários modernos no âmbito da política do actual Governo. Para já não falar no novo hospital privado de Braga em fase de arranque, no novo Hospital de Barcelos (com a implementação de operações em ambulatório e tecnologia de ponta) ou nos Centros Hospitalares. Por outro lado, é inquestionável que a “Faculdade de Medicina” na Universidade do Minho já há muito ganhou prestígio, além de se constituir como um exemplo de modernidade e de beleza arquitectónica. Se pensarmos que para alguns destes novos médicos este curso não era o de primeira escolha mas que hoje se sentem perfeitamente satisfeitos e integrados, temos de convir que tal se deve à dinâmica desta Escola Superior de Ciências da Saúde, qualificada, já, como das melhores da Europa. Pode mesmo dizer-se que o humanismo de Braga, impregnado há séculos, foi absorvi-

do pela Escola. Ali o que se faz é estudar o doente, mais do que as doenças e o trabalho começa logo com as pessoas no terreno, colmatando, assim, uma lacuna que se verifica em muitos outros estabelecimentos do género e projectando, para o futuro, um melhor atendimento e um incremento das relações humanas, criando as condições para uma maior e profícua proximidade entre o médico e o paciente. A partir de agora, estes recém-formados entrarão em especialidade. O que se pretende aqui deixar bem expresso é o desejo de que gostem do seu trabalho e que fiquem, porque fazem falta à região. E que os belos tempos passados em Braga tenham não menos belo prolongamento. Porque, como dizia um antigo aluno, “não há como o tempo do estudante prolongado no tempo”... Ricardo Gonçalves, deputado do PS eleito por Braga


14 opinião pública: 29 de Agosto de 2007

publicidade

Falecimentos

Anselmo de Oliveira Agradecimento e Missa de 7º Dia

Ferna ndo dos Sa ntos Costa , no dia 24 de Agosto, com 86 anos, solteiro, da freguesia de Mouquim. Ma ri a Amél ia de Jesus Mo rei ra , no dia 26 de Agosto, com 89 anos, viúva de João Gomes da Costa Faria, da freguesia de A rnoso Stª Ma ri a .

Sua família agradece a todas as pessoas que participaram no Funeral do seu ente querido e aproveita para comunicar que a Missa de 7º Dia será celebrada Segunda-Feira, dia 3, pelas 19 horas, no Salão Paroquial da freguesia de Calendário, o que desde já antecipadamente agradece a quem se digne estar presente. Calendário, 29 de Agosto de 2007 Desde já, antecipadamente agradece A Família

Funerária Ribeirense Paiva & Irmão Lda – Telf. 252 491 433

Ma ri a A d ela id e d a C o sta Mo rei ra , no dia 26 de Agosto, com 80 anos, solteira, da freguesia de A r no so Sa nt a Ma ria . Agência Funerária Armando Cunha Pereira

D omin g os da Costa M onteir o , no dia 23 de Agosto, com 72 anos, viúvo de Florinda Gomes de Almeida, da freguesia de Ba irro. P o r fí r i o Pa c h ec o , no dia 26 de Agosto, com 67 anos, casado, com Maria José Rodrigues da Silva Brás, da freguesia de S. Ti ag o da Ca rr eira ( Stº T irso ). Jos é Mor eir a B a rbosa , no dia 28 de Agosto, viúvo de Clementina Ferreira da Cunha, da freguesia de Ba irro. Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Ma ria S il va M ac ha do , no dia 23 de Agosto, com 73 anos, casada com Guilhermino dos Anjos, da freguesia de A vidos. Antóni o do Re go Go nç al ves , no dia 27 de Agosto, com 84 anos, viúvo de Maria da Conçeicão Dias, da freguesia de Gav ião. Ma ri a A lic e P i m e n t a Ve los o Ma l he i ro , no dia 27 de Agosto, com 89 anos, viúva de António Pinto Malheiro, da freguesia de B ente. Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Maria Goreti da Costa Pereira, no dia 1 de Agosto, com 56 anos, solteira, da freguesia de Ribeirão. Aires Manuel Pinto Martins, no dia 3 de Agosto, com 35 anos, solteiro, da freguesia de Ribeirão. Maria Zulmira da Costa Santos, no dia 26 de Agosto, com 84 anos, viúva de Armando Dias da Cruz, da freguesia de Ribeirão. Olívia Gonçalves Correia do Couto, no dia 26 de Agosto, com 46 anos, casada com Armando Campos Oliveira, da freguesia de Ribeirão. Lino da Silva Araújo, no dia 24 de Agosto, com 41 anos, casado com Maria Ermelinda Brito da Silva Araújo, da freguesia de Santiago de Bougado (Trofa). Anselmo de Oliveira, no dia 28 de Agosto, com 82 anos, casado com Maria da Glória Domingues da Costa, da freguesia de Calendário. Funerária Ribeirense Paiva & Irmão Lda Ribeirão – Telf. 252 491 433

Joaquina Machado, no dia 23 de Agosto, com 83 anos, viúva de José da Cunha Mendes, da freguesia de Brufe. Amélia de Andrade Azevedo, no dia 23 de Agosto, com 93 anos, viúva de Carlos Ferreira da Silva, da freguesia de Antas S. Tiago. Rodrigo Freitas Araújo, no dia 24 de Agosto, com 57 anos, divorciado de Maria Luísa da Costa Paiva, da freguesia de Vila Nova de Famalicão. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Palmira Pereira dos Santos, no dia 25 de Agosto, com 89 anos, viúva de Joaquim Pereira da Costa, da freguesia de S. Tiago de Bougado (Trofa). Paulina da Silva Pereira, no dia 25 de Agosto, com 99 anos, viúva de Benardo Costa Pontes, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412

A Rádio DIGITAL FM vai transmitir o programa

GENTES DA TERRA da freguesia de Cabeçudos

Festas em Honra de Santa Catarina Domingo, dia 2 de Setembro, a par tir das 9H00


opinião pública: 29 de Agosto de 2007 19

cultura

Mostra sobre Revolta Académica de 1907 requisitada por escolas e universidades

Exposição vai correr o país Diversas escolas e universidades já solicitaram o interesse, junto do Museu Bernardino Machado, de receber a exposição evocativa da Revolta Académica de 1907. A mostra foi produzida pelo museu famalicense, encontrando-se patente apenas até ao próximo domingo, 2 de Setembro. Concebida, desde o início, de modo a poder ser itinerante, não têm faltado as demonstrações de interesse pela exposição. “Neste momento, já estamos a ter alguns pedidos para a exposição estar patente noutros locais do país porque esse foi o objectivo desta exposição”, revelou ao OP, Emília Nóvoa, do Museu Bernardino Machado. A mostra é evocativa do centenário da revolta académica de 1907, que se iniciou na Universidade de Coimbra, mas que alastraria mais tarde a todo o país e envolvendo toda a sociedade portuguesa marcou o início do século XX e, de certa forma, ajudou à consolidação e desenvolvimento do movimento republicano que acabaria por derrubar a monarquia, três anos depois, em 1910. O interesse manifestado por escolas e universidades para acolher esta mostra é importante na óptica do museu famalicense, porque ajuda a divulgar a iniciativa produzida pelo próprio museu. “Um trabalho de tantos meses de empenhamento, se ficasse circunscrito apenas a dois ou três meses de exposição apenas aqui seria algo redutor”, aponta Emília Nóvoa. Com a itinerância da exposição “estamos a divulgar o nosso trabalho e a divulgar também o Museu Bernardino Machado”. “Quando as pessoas forem ver a exposição vão associá-la ao museu e a Famalicão, o que poderá ser uma mais valia, no sentido de trazer visitantes ao Museu Bernardino Machado e ao concelho”, vinca ainda a responsável museológica. A construção da exposição Depois de definida a ideia de produzir esta exposição, procedeu-se a um

Esculturas ao ar livre para ver e comprar

“moroso” trabalho de pesquisa, sobretudo, em bibliotecas e arquivos. Foram analisados documentos do fundo particular de Bernardino Machado e do Arquivo da Universidade de Coimbra. Houve ainda a pesquisa e selecção de um conjunto de fotografias, caricaturas e recortes de imprensa. Recolhido o material, a fase seguinte consistiu em “montar as peças do puzzle”. “Há que fazer a leitura e tentar integrar todas as peças, de forma que resulte na exposição que hoje podemos ver. É um trabalho de meses”, explica Emília Nóvoa. “Creio que vale a pena porque conseguimos reunir todas estas peças e dar uma visão o mais abrangente possível de um acontecimento tão importante para o ano de 1907 e não só”, evidencia, referindo-se à tese, que subscreve, que afirma que foi este movimento estudantil que “ditou o princípio do fim da monarquia”.

O papel de Bernardino Machado “Se não fosse a Revolta Académica de 1907 quem sabe se Bernardino Machado não teria feito uma carreira universitária em vez de política”. A dúvida pertence a um dos netos do patrono do museu e é evidenciada por Emília Nóvoa para destacar também a importância que a revolta estudantil representou na vida de Bernardino Machado. Ele era, à altura, professor catedrático em Coimbra e ao solidarizar-se com os estudantes viu-se obrigado a pedir a demissão e a ser exonerado. É a partir desse momento que Bernardino Machado inicia a carreira política e que levaria este famalicense ao cargo de Presidente da República, anos mais tarde.

facto de quem for sócio da Associação de Escultura e Arte Contemporânea – o que poderá fazer durante a exposição – irá dispor de um desconto de 20%.

Celso Campos

Celso Campos

Exposição estará patente no parque de Sinçães durante dois meses

Organizadores da mostra com o vereador da Cultura

O parque de Sinçães, na cidade de Famalicão, vai acolher durante dois meses uma exposição colectiva de escultura ao ar livre. A organização é da Associação de Escultura e Arte Contemporânea com a colaboração da Câmara de Famalicão. A apresentação do evento – que decorre entre 24 de Setembro e 24 de Novembro – aconteceu segunda-feira, em pleno parque de Sinçães, junto à Casa das Artes. Ao todo serão exibidas 31 peças de outros tantos escultores, alguns dos quais com um curriculum vasto nesta arte. Destacam-se nomes como os de Alberto Vieira, Beatriz Cunha e Maria Leal da Costa. Serão peças de média dimensão (a maior terá cer-

ca de três metros de altura). Os materiais são diversos e vão desde o mármore ao aço. Este não é um evento inédito no país, mas "teve boa receptividade por parte dos escultores convidados", frisa Manuel Cruz, o escultor famalicense que preside à Associação de Escultura e Arte Contemporânea. Ele constitui, de resto, a primeira iniciativa da nova colectividade famalicense, criada há cerca de quatro meses. Os visitantes, além de apreciar as peças de arte, poderão também comprálas, com preços que podem ir dos três aos 15 mil euros. "São preços acessíveis para quem quer ter alguma arte em casa ou no seu jardim", atesta Manuel Cruz. Relevante é o

Es b o ço de f u tu r o mu s eu Esta mostra "é uma forma de trazer famalicenses, e não só, até ao confronto com a arte contemporânea e a escultura e proporcionar a possibilidade de compra", destacou, na ocasião, o vereador da Cultura na edilidade famalicense. Leonel Rocha avançou ainda que esta mostra será uma espécie de "esboço" do futuro museu de escultura e arte contemporânea ao ar livre, a instalar no futuro parque da Devesa. Esse projecto será desenvolvido em conjunto pela autarquia e esta associação, que demonstra "uma dinâmica pouco comum", dada a sua recente criação, evidenciou. De resto, o vereador vincou que esta mostra é mais um exemplo da "diversidade cultural" que existe no concelho, sendo que a meta da autarquia é a de "trabalhar para todos os famalicenses, porque a cultura não é de elites, não é de alguns, mas para todos". Leonel Rocha atesta ainda que no mês em que Famalicão assinala as tradições (com a Feira de Artesanato e Gastronomia e a Feira de S. Miguel) "não descura outras formas de cultura". C.C.


20 opiniĂŁo pĂşblica: 29 de Agosto de 2007

publicidade


OP799