Issuu on Google+

pub

pub

Câmara não quis continuar a gerir Actividades de Enriquecimento Curricular

AEC passam para agrupamentos em Famalicão p. 5

ANO 18 • Nº 1004 DE 3 A 9 DE AGOSTO DE 2011 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

www.opiniaopublica.pt

Incêndios em Calendário e Ribeirão

Decisão abrange docentes do quadro e contratados nas duas escolas da cooperativa

DIDÁXIS DISPENSA 70 PROFESSORES

p. 9

Centro Social Paroquial de Ribeirão recebe certificação p. 8

A direcção da Didáxis – Cooperativa de Ensino diz que a medida é dolorosa, mas só assim é possível garantir a sobrevivência da instituição depois dos cortes no financiamento do Estado. A semana passada, a direcção da cooperativa reuniu com cerca de 50 professores do quadro, a quem comunicou que a partir de Setembro deixa

de contar com os seus serviços. A estes juntam-se mais 20 contratados com quem não foi renovado o vínculo. Os professores ficaram desesperados, dizendo que não contavam com um cenário destes e falando em critérios pouco claros. A direcção diz que, em cada grupo disciplinar, pretende rescindir contrato com os mais novos. p.7

Armindo Costa questionou o Governo depois de receios manifestados por cidadãos

Estradas de Portugal garante que ponte sobre o Ave é segura P. 4

opiniãosport: Especial: plantéis da AD Oliveirense e FC Famalicão para a época 2011/2012 GD Joane já tem direcção

Equipamentos em Joane, Ribeirão, Telhado e Luís de Camões (ex-Sede nº 2)

Quatro centros escolares abertos já em Setembro

P. 6 pub.


02

pública: 03 de Agosto de 2011

cidade

Mário Martins é o presidente

Dia dos Avós comemorado em Oliveira S. Mateus

Órgãos sociais da AFPAD tomaram posse

Avós e netos participaram em mega convívio “Ser avô é ser pai duas vezes”. A afirmação é do avô e presidente de Câmara Municipal de Famalicão, Armindo Costa. O autarca participou, na terça-feira da semana passada, dia 26 de Julho, nas celebrações do Dia dos Avós, que juntaram mais de um milhar de idosos de todo o concelho no Largo de Santa Ana, em Oliveira S. Mateus. Para Armindo Costa, “os avós desempenham um papel fundamental na sociedade e na família”. “Os avós são o pilar da família e, neste momento difícil para o país, desempenham um papel muito importante na transmissão dos valores da vida”, destacou. O edil aproveitou ainda a oportunidade para salientar o trabalho desenvolvido pela autarquia em prol do bem-estar de todos os avós do concelho. As celebrações iniciaram com uma missa campal, presidida pelo arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga. Na eucaristia, o arcebispo chamou a atenção para as carências dos avós, actualmente. “A grande maioria dos avós foram pessoas que viveram com muito trabalho, com muita dedicação e também com muitos sacrifícios e, apesar disso, hoje são pessoas que não dispõem de apoio social, nem de ajudas para viverem com dignidade”, lamentou. “Muitos avós são desconsiderados e marginalizados”, referiu ainda, confessando

D. Jorge Ortiga e Armindo Costa, participaram no convívio do Dia dos Avós

“sentir mágoa por ver filhos que não dão a devida atenção e apoio aos pais, deixando esses encargos para as instituições e para o Estado”. O prelado sublinhou ainda que as crianças e os jovens de hoje necessitam de uma formação fundada em “determinados valores que se vão apagando na sociedade portuguesa, por falta de elucidação” e que os avós podem e devem desempenhar a função de educadores numa ligação com os pais, sem nunca os substituir. Na Eucaristia, solenizada pelo Grupo Coral de Oliveira S. Mateus, foi também lembrado o pároco local e presidente do Instituto de S. José, o padre Eduardo Abreu, que esteve ausente por motivos de

doença. Numa mensagem lida por uma das colaboradoras do Instituto de S. José, o sacerdote pediu aos avós que ajudem a sociedade a “ser melhor”, pondo o saber acumulado em prática todos os dias. O dia foi de festa e no final da eucaristia seguiu-se um lanche e um mega convívio, com muita música para avós e netos. A iniciativa foi promovida pela Câmara Municipal de Famalicão, através dos pelouros da Cultura, Família e Acção Social, em parceria com o arciprestado famalicense, diversas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) concelhias e com o apoio do agrupamento 144 de Oliveira S. Mateus do Corpo Nacional de Escutas e dos Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave.

Palestra promovida pela LIPAC

O papel da comunidade em debate “Erigir Uma Comunidade” foi o tema da segunda palestra que a LIPAC promoveu, num total de cinco, no passado dia 23 de Julho. Um dos objectivos principais desta palestra era apresentar a experiência do complexo habitacional das Lameiras por alguém que, em todos estes anos, está a trabalhar e a exercer a missão de técnico e dirigente da AML: José Maria Carneiro Costa. O orador começou a conferência a dizer que, nas Lameiras, hoje apenas vivem 50% das pessoas que para lá foram viver em 1983. De seguida falou do trabalho realizado ao longo da vida, apostando numa dinâmica com pequenos grupos de crianças, jovens e adultos, por acreditar que são os pequenos grupos os embriões de uma sociedade nova e multiplicadora de pequenas comunidades. Sobre o tema, referiu que não pode falar da forma de erigir uma comunidade, sem primeiro tecer algumas considerações sobre a realidade que predominava nesse meio. Mais adiante declarou que “todos sabemos que não pode haver comunidade se não existirem pes-

FICHA TÉCNICA CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95)

soas”. “E as pessoas para viverem têm que ter um lugar e nesse lugar deve dispor de habitações”, completou. José Maria Costa sublinhou ainda que “a maioria da população vivia, antes, em grandes aglomerados habitacionais, alguns deles descaracterizados, por vezes sem nome, que proliferavam um pouco por todo o lado, servindo de dormitórios, sem uma relação com os vizinhos, o que levava as pessoas a não se conhecerem onde, cada uma destas pessoas, tentava tratar da sua vida pessoal, como se as outras que partilhavam o mesmo local habitacional não existissem”. Falando mais especificamente na realidade Lameiras, o orador apontou um sem número de anomalias que eram motivo de conflitos e discussões e só um número restrito se preocupava por ajudar a melhorar o seu habitat, referindo que “isto quer dizer que as pessoas estão de tal forma mecanizadas que nem tão pouco conseguem ver a beleza do prédio onde vivem, o seu enquadramento urbanístico, os seus jardins, as árvores, um lindo nascer ou pôr-do-sol e outras coisas mais”, concluiu José Maria Costa.

CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

Trinta empresas vão beneficiar do Programa Formação PME da AEBA A AEBA – Associação Empresarial do Baixo Ave apresentou, no passado dia 26 de Julho, o Programa Formação PME. Trata-se de um projecto que apoia, gratuitamente, a melhoria dos processos de gestão das micro, pequenas e médias empresas e promove a qualificação dos seus colaboradores. Em nota à imprensa, a AEBA conta que a sessão pública de apresentação do Programa Formação PME juntou, no Centro Empresarial EGESP, na Trofa, dezenas de empresários, consultores e formadores, interessados em perceber melhor como funciona o projecto e as mais-valias que pode originar nas empresas participantes. A mesa foi presidida por Ma-

nuel Pontes, presidente da direcção da AEBA, que aproveitou para realçar a importância da formação dos colaboradores para o desenvolvimento empresarial, enaltecendo a eficácia já demonstrada da metodologia de formação-acção subjacente a este programa. Mafalda Cunha, directora-geral da AEBA e coordenadora do programa, recordou que a associação tem vindo a desenvolver o Programa Formação PME desde 2002, com intervenção em mais de 170 empresas, 26.026 horas de consultoria, 339 acções de formação, 2402 colaboradores abrangidos, o que totaliza um volume de formação de 48.700 horas.

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

APOIO À REDACÇÃO:

mente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR220).

A ADAR – Associação de Doentes Alcoólicos Recuperados reúne em assembleia-geral extraordinária no próximo domingo, dia 7 de Agosto, pelas 15 horas, na sede da instituição, em Calendário. Da ordem de trabalhos consta a eleição dos corpos sociais da ADAR, bem como a apresentação do relatório de contas, terminando a sessão com a tomada de posse dos órgãos eleitos. As listas podem ser entregues até meia hora antes do início da reunião.

Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL

DESPORTO: Jorge Humberto, José Cle-

Associação de Alcoólicos Recuperados vai a eleições

Estrada Nacional, 14 - Maia

Carla Alexandra Soares, Pedro Silva.

jfernandes@opiniaopublica.pt

Mário Martins é o novo presidente

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

GRAFISMO:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

informacao@opiniaopublica.pt Carla Alexandra Soares (CICR-248), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952).

ciona em Vermoim e que acolhe em permanência 12 jovens e adultos com deficiência. “A festa foi simples, mas sentida”, conta a associação em nota à imprensa, mencionado a presença dos utentes, de muitos familiares e amigos, e de dirigentes, técnicos e funcionários da AFPAD.

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

EDITOR DE TURNO:

REDACÇÃO:

Os novos membros dos órgãos sociais da Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência (AFPAD), eleitos no passado dia 15 de Julho, tomaram posse na sexta-feira, dia 29, onde anunciaram a vontade de dar continuidade aos projectos da instituição. A presidir à direcção está Mário Martins, que tem como vicepresidente Paula Virgínia Couto; Natália Machado é a secretária; o tesoureiro é Rui Jorge Paulos e o primeiro vogal, Rui Manuel Fernandes. Como suplentes tomaram posse António Carvalho e Andreia Lidânia Faria. A Assembleia Geral tem como presidente Maria Augusta Fontes e o Conselho Fiscal é presidido por Constantino Castro. A tomada de posse dos novos órgãos sociais da AFPAD coincidiu com uma data festiva para a instituição. Com efeito, no dia seguinte, comemoraram-se os dez anos de funcionamento do Lar “A Minha Casa”, valência que fun-

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

INTERNET

OPINIÃO: Adelino Mota, Barbosa da Silva,

Francisco Araújo

www.opiniaopublica.pt

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Mário Teixeira, Joaquim Loureiro, José Luís Araújo, Sílvio Sousa, Vítor Pereira.

TÉCNICOS DE VENDAS:

CONTACTOS Redacção:

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

20.000 exemplares, nº 1000

Jorge Alexandre

GERÊNCIA: João Fernandes CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros.

comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

PROPRIEDADE E EDITOR: EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Serviços Administrativos: Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673

IMPRESSÃO:

DEPÓSITO LEGAL: 48925/91

Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA


publicidade

pĂşblica: 03 de Agosto de 2011 3


4

pública: 03 de Agosto de 2011

cidade

Actividades incluíram escavações no Castro das Eiras

Armindo Costa questionou o Governo depois de receios manifestados por cidadãos

Caminhada encerrou campo de voluntariado da YUPI

EP garante que ponte sobre o Ave é segura A Estradas de Portugal, S.A. (EP) diz que a ponte sobre o Rio Ave, na Nacional 14, entre Ribeirão e Trofa tem sido alvo de inspecções periódicas e que estas indicam que a referida travessia rodoviária oferece condições de segurança. Esta posição da EP foi transmitida à Câmara Municipal de Famalicão, depois do presidente Armindo Costa ter questionado o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações sobre o estado de conservação da ponte face a receios manifestados por alguns utentes. Há muito que se fala da construção de uma nova ponte sobre o Ave, estando essa obra prevista no projecto da variante poente, alternativa à N14, que, também, é aguardada há vários anos, sobretudo pelas populações dos concelho de Famalicão e da Trofa. No passado dia 30 de Abril, Armindo Costa recebeu uma carta de

um grupo de engenheiros da Trofa alertando para uma alegada degradação do estado de conservação da ponte, que o fez endereçar, a 16 de Maio, uma carta ao, então, ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, questionando-o sobre o assunto. A resposta chegou há dias, não pelo Ministério, mas por parte da EP, que procura tranquilizar o autarca sobre os receios manifestados. Na missiva de 30 de Abril, à qual o OP teve acesso, o grupo de engenheiros que escreveu ao edil dá conta que a ponte foi “analisada a título particular por uma equipa de técnicos em temos de segurança e, analisada a resistência em carga, verificouse que esta é péssima”. Os subscritores da carta dizem mesmo que “a partir de 35 toneladas ela [a ponte] pode ruir”, considerando “urgentíssimo uma nova ponte próximo desta”. Face a este alerta, Armindo Costa escreveu ao ministro da tu-

tela, dando-lhe conta das preocupações manifestadas por aquele grupo de cidadãos e pedindo para serem “averiguadas com profundo rigor as condições de segurança da ponte”.

Caminhada reuniu dezenas de participantes

Uma caminhada com mais de 70 pessoas marcou o encerramento do Campo de Voluntariado Jovem “Iron Age” que a associação YUPI promoveu, na semana de 16 a 23 de Julho, no Castro das Eiras, em Pousada de Saramagos. Dezoito jovens, incluindo uma jovem galega, juntaramse em Famalicão para realizarem inúmeras actividades, nomeadamente trabalhos no campo de arqueologia do Castro das Eiras, limpeza florestal e elaboração de uma exposição sobre a valorização do património do município, sempre em coordenação com o Departamento Municipal de Arqueologia.

Inspecções em 2007 e 2008 Porém, a resposta da EP contraria o alarmismo manifestado pelos engenheiros trofenses. A empresa que gere as estradas do país informa que a travessia sobre o Ave “encontra-se inserida no âmbito da observação sistemática do sistema de gestão e conservação de obras de arte” e que “até à data não se observaram indícios dos factos reportados pelo grupo de cidadãos”, adiantando que a ponte foi objecto de uma inspecção subaquática em 18 de Outubro de 2007 e de uma inspecção principal em 16 de Junho de 2008. A EP diz ainda que a ponte foi “globalmente avaliada” em 2010, tendo sido proposta a sua reavaliação na próxima inspecção principal prevista para 2013.

Para além das escavações realizadas na área circundante da “Pedra Formosa” (Pousada de Saramagos, Telhado, Joane e Vermoim), os voluntários aprenderam também a fazer a documentação de todos os objectos encontrados e das mudanças de terra ao longo da escavação. Quanto à limpeza florestal, que ficou reservada para o dia 20 de Julho de manhã, conseguiu-se recolher três carrinhas de resíduos poluentes. Contaram, para tal, com o apoio da Protecção Civil, que para além de os ter orientado durante o dia, também prestou formação para

preparação dos jovens. Os jovens elaboraram também uma exposição subordinada ao tema “Os Voluntários da Idade do Ferro”, que inclui fotografias e material arqueológico encontrado no Castro das Eiras e que ficará patente durante todo o mês de Agosto, na entrada da Biblioteca Municipal. Para além do trabalho, os jovens usufruíram ainda de momentos de lazer, com visitas ao Museu Ferroviário de Lousado e à Casa de Camilo. Também visitaram “Perrelos”, uma zona arqueológica mais avançada, e as noites eram animadas com jantares temáticos.

Muita diversão para crianças, jovens e seniores

Julho em pleno para Centro das Lameiras

António Freitas

Cristina Azevedo

Para a Associação de Moradores das Lameiras, o mês de Julho terminou com resultados “espectaculares”. De 4 a 29 de Julho decorreu na Praia do Forno, em Vila do Conde, a 28ª Colónia Balnear organizada por esta associação. Durante um mês, cerca de 220 crianças, jovens e alguns idosos desfrutaram de tudo o que de bom a praia permite: “iodo, água, areia, sol, caminhadas, jogos de água e outras actividades que proporcionaram momentos únicos”, afirma, em comunicado, a associação. Entretanto, nos passados dias 18 e 19 de Julho, as crianças do Centro de Actividades dos Tempos Livres e do Centro de Estudos e Animação Juvenil deslocaram-se à Diverlanhoso, na Póvoa de Lanhoso, para desfrutarem de novas actividades e jogos de montanha e água. Também no passado dia 19 de Julho, um grupo de idosos do Centro Social das Lameiras participou nas celebrações dos 25 anos da empresa ENIF, Comunicação e Publicidade, do Louro, numa festa/piquenique oferecida por esta empresa. Idosos e crianças, portadoras de Necessidades Educativa Especiais, foram os anfitriões deste convívio de aniversário. Com alegria e intimidade, no passado 26 de Julho, realizou-se também a Festa Intergeracional dos avós e netos do Centro Social das La-

Crianças das Lameiras divertiram-se na Póvoa de Lanhoso

meiras. De acordo com a associação, foram muitos os familiares que se associaram a este acontecimento, reforçando os laços afectivos entre gerações. A festa terminou com um lanche partilhado, oferecido pela instituição. De resto, e para os interessados, está já em distribuição o número 98 do “Lameiras – Boletim Cultural e Informativo da Associação de Moradores das Lameiras”, referente aos meses de Abril a Junho de 2011.

Ponte sobre o Rio Ave na Nacional 14 pub


pública: 03 de Agosto de 2011 5

cidade

Contratação dos professores já não é feita pela Câmara Municipal

Agrupamentos tomam conta das Actividades Enriquecimento Curricular Em Famalicão, as Actividades Enriquecimento Curricular (AEC) vão passar a ser geridas pelos agrupamentos de escolas. Até ao ano lectivo passado, as AEC eram geridas pela Câmara Municipal, sendo que a verba era transferida directamente do Ministério da Educação para as autarquias. Mas para o próximo ano lectivo e, apesar das Câmaras poderem continuar a ter a preferência para candidatar os professores para as AEC, em Famalicão as regras vão mudar. Tal como explicou o vereador da Educação ao OPINIÃO PÚBLICA, “a Câmara de Famalicão não quis essa tarefa”. Para Leonel Rocha, tendo em conta que tudo já é feito pelas escolas, como os horários, o acompanhamento pedagógico das disciplinas, o controlo dos professores e a planificação das actividades, “não faz sentido a Câmara estar como intermediário”. O responsável sublinha que, até agora, a única coisa que a Câmara Municipal fez foi receber o dinheiro do Ministério e pagar

aos professores. “Os professores, na prática, eram funcionários da Câmara, contavam para o nosso rol de funcionários, mas na teoria eram da escola”, explica. Assim, a partir de agora, a contratação dos professores para as Actividades de Enriquecimento Curricular vai ser feita pelos agrupamentos num concurso de escolas normal. Segundo o vereador, esta decisão da autarquia prende-se, essencialmente, porque as escolas já estão devidamente apetrechadas e já fazem a contratação de professores para outras disciplinas e porque a Câmara estava a fazer um processo intermediário que apenas contratava os professores e lhes pagava, quando todo o processo das AEC era administrado pelas escolas. “Quando acontecia alguma coisa menos boa, as culpas caíam sempre na Câmara, quando não tinha culpa nenhuma”, acrescenta. C . A. S.

Autarca do Porto foi homenageado

Rui Rio recebe escultura do famalicense Manuel Cruz Prada A Associação de Escultura e Arte Contemporânea divulgou, no passado dia 25 de Julho, a 1ª homenagem efectuada, na área da Política, tendo sido entregue a Rui Rio, presidente da Câmara Municipal do Porto, uma escultura em aço niquelado da autoria do escultor famalicense Manuel Cruz Prada, presidente da direcção da Associação de Escultura e Arte Contemporânea, acompanhada de um certificado autenticado. A cerimónia de entrega deste galardão decorreu na Sala Dª Maria II do edifício dos Paços do Concelho do Porto. O objectivo da Associação de Escultura e Arte Contemporânea é o de homenagear cinco personalidades em cinco áreas distintas: política, arquitectura, desporto, moda e empresarial. Para cada uma deles é apontado um exemplo de tudo aquilo que se faz, em prol de uma sociedade, proporcionando a qualidade de vida essencial. A Associação de Escultura e Arte Contemporânea tem como objecto social desenvolver as artes plásticas no seu todo, dada especial relevânpub

Escultor Manuel Cruz Prada entrega peça a Rui Rio

cia à divulgação da escultura contemporânea e instalação. A divulgação e projecção, quer a nível nacional, e internacional dos seus sócios artistas e/ou editores e/ou gestores de carreira e/ou relações públicas. A criação de intercâmbio de ideias e ideais entre os

agentes nacionais e estrangeiros, a promoção de eventos, feiras, exposições, conferências, concursos, colóquios e outras actividades de formação e difusão artística da escultura e de temáticas contemporâneas, são algumas das actividades que promove. pub.


6

pública: 03 de Agosto de 2011

cidade

Presidente da Câmara visitou os das vilas de Joane e Ribeirão

Quatro centros escolares abertos já em Setembro Carla Alexandra Soares

António Freitas

Cerca de 1.200 crianças do 1º ciclo e préescolar vão inaugurar, já em Setembro, quatro novas escolas. Trata-se dos centros escolares de Joane, Ribeirão, Luís de Camões (ex-escola Sede nº 2, na cidade) e Telhado, que estão prontos a entrar em funcionamento já neste ano lectivo. Os novos equipamentos fazem parte de um plano de modernização do parque escolar do concelho, que inclui ainda os centros escolares de Louro e Antas, que deverão ficar concluídos em 2012. Ao todo, a construção dos seis centros escolares implica um investimento de 15 milhões de euros. O presidente da Câmara Municipal visitou, na quarta-feira da semana passada, os centros escolares de Joane e Ribeirão, tendo-se mostrado muito satisfeito com o andamento das obras. Armindo Costa realçou que este é um

investimento histórico em matéria de educação no concelho. “Tenho passado por cá com alguma frequência, mas quis certificar-me que esteja tudo pronto. Por aquilo que vi não falta nada, é preciso um bocado de limpeza, um pormenor ou outro, por exemplo colocar um corrimão nas escadas exteriores”, apontou. Segundo o que o OP apurou, a inauguração oficial deverá acontecer no feriado de 5 de Outubro, altura em que deverá marcar presença algum membro do governo. “Podemos, a partir de hoje, falar com membros do governo se querem ou não vir cá para a inauguração. Se tal não for possível, avançamos nós, porque não vamos ter um equipamento parado, pago com o esforço muito grande do município, para não ser utilizado”, garantiu o edil. Para além das salas de aula equipadas com materiais didácticos, as escolas terão

Armindo Costa ficou satisfeito com o que viu nos centros escolares

biblioteca, ciberteca, área de música, teatro, laboratórios, entre outros espaços multifuncionais. Na maioria dos casos, as crianças do ensino pré-escolar e 1º ciclo ficam na mesma escola, o que é encarado como um factor de qualidade de vida para as famílias e para o desenvolvimento das próprias crianças. Alfredo Lima, director do agrupamento de escolas Bernardino Machado, lembra este anseio de toda a população de Joane e sublinha o acréscimo da responsabilidade para todos: “Temos que ver estas coisas sempre nas duas faces da medalha. Se uma delas é criar uma infra-estrutura com a qualidade, também aumenta a responsabilidade de quem aqui vai trabalhar, porque se vai exigir mais em termos de trabalho e dos resultados”. Entretanto todos os alunos já visitaram o novo espaço e plantaram as árvores que estão no recreio. A mesma mudança também vai ser sentida na vila de Ribeirão. “É uma mudança radical, a mais de 100%. As escolas donde estes alunos vêm são muito diferentes e, por isso, já vieram cá visitar o novo espaço e saíram daqui fascinados e sempre a perguntar quando vêm para cá”, adiantou a sub-directora do agrupamento de escolas de Ribeirão. Elsa Carneiro adianta que, agora, o grande desafio é fazer horários e organizar as turmas pelas 22 novas salas. Recorde-se que foram encerradas três escolas (Portela, Aldeia Nova e Santa Ana), num universo de cerca de 450 alunos da vila ribeirense.

pub.

Supermercado Bandeirinha celebra 35º aniversário

Será verdade afirmar que é um momento muito especial celebrar mais um aniversário. Mais especial será assinalar 35 anos, como aconteceu com o Supermercado Bandeirinha. Porque com os tempos que correm, só com muito trabalho, dedicação e profissionalismo é possível alcançar os objectivos de uma empresa que serve a população de Famalicão. Como não podia deixar de ser, o Supermercado Bandeirinha ofereceu aos seus clientes bolo, de fabrico próprio, e ainda champanhe. Na memória ficará a alegria e muita satisfação em mais um aniversário. A gerência do Supermercado Bandeirinha agradece aos clientes, colaboradores e amigos. O Supermercado Bandeirinha fica no centro da cidade, na Rua Conselheiro Santos Viegas. pub.


pública: 03 de Agosto de 2011 7

cidade

Direcção da cooperativa justifica medida com cortes no financiamento do Estado

Didáxis dispensa 70 professores Magda Ferreira A Didáxis – Cooperativa de Ensino vai rescindir o contrato com cerca de 50 professores do seu quadro pedagógico. Os docentes foram informados a semana passada dessa decisão, justificada pela direcção da instituição com os cortes no financiamento do Estado. A esses, juntam-se mais cerca de 20 professores contratados a termo, cujos vínculos não foram renovados. A Didáxis tem duas escolas, uma em Riba d’ Ave e outra em S. Cosme do Vale, que empregam mais de 500 pessoas. É, aliás, a maior cooperativa de ensino não superior em Portugal. Os despedimentos abrangem os dois complexos escolares, sendo que vão deixar de fora o pessoal não docente. A direcção da cooperativa afirma que estas rescisões são motivadas pelos cortes nos financiamentos às escolas com contrato de associação (como é o caso da Didáxis) anunciados pelo Governo socialista no final do ano passado e que vigoram desde Janeiro. No caso da cooperativa famalicense, o corte ascende a cerca de 25%, o que, segundo a direcção, impossibilita que seja mantido o mesmo número de funcionários. “Fizemos um acordo com os trabalhadores para manter os postos de trabalho até final do ano lectivo. No próximo ano não vamos continuar com esse esforço e vamos organizar-nos de acordo com o financiamento que

está previsto ser pago pelo Ministério da Educação”, explicou ao OPINIÃO PÚBLICA, José Fernandes, presidente da direcção da Didáxis. O dirigente afirma que os despedimentos só não aconteceram no início deste ano, quando foram reduzidos os financiamentos, porque os professores se disponibilizaram a trabalhar sem receber horas extraordinárias. “Mas já sabíamos que agora teríamos que tomar estas medidas dolorosas”, lamenta José Fernandes, afirmando que para a cooperativa “é inadmissível montar o seu funcionamento” sem pagar o serviço extra. Professores desesperados Na semana passada, a direcção da cooperativa reuniu com os cerca de 50 professores com quem prevê rescindir amigavelmente os contratos de trabalho. Um processo que deverá ser concluído ao longo do próximo mês de Agosto. Quanto aos contratados, cerca de duas dezenas, foram informados de que os seus contratos não serão renovados. José Fernandes diz que está a ser seguido o “critério da antiguidade”, isto é, dentro de cada grupo disciplinar serão dispensados os professores que trabalham há menos tempo na escola. Mas, na sexta-feira de manhã, à porta da escola, os professores queixavam-se de critérios “pouco claros”. Por exemplo, uma docente disse ao OP ser a terceira mais antiga na escola,

não percebendo, por isso, o motivo de ter sido chamada. E diziam já saber que iriam acontecer despedimentos, mas não contavam “com um cenário destes”. Os professores estavam revoltados por terem sido chamados para a reunião por mensagem de telemóvel e mostravam-se angustiados por esta situação acontecer num momento em que terão dificuldade em entrar noutra escola, pois o concurso nacional de professores está fechado. “Percebo que é um drama para as pessoas, mas se não fizermos assim não temos possibilidades de sobreviver”, garantiu José Fernandes, lamentando “toda esta situação, porque não é desejada por nós”. “Em 36 anos, nunca a Didáxis teve uma situação desta grandeza”, continua. De resto, José Fernandes é crítico ao novo Governo, lembrando que quando estava na oposição defendeu o contrário do que está a fazer agora, “porque está a manter o preço que o Governo anterior estipulou, 80.080, e aumentou o currículo das disciplinas e não quer rever esse preço”. “É inconcebível”, afirma. Apesar destes cortes e dos despedimentos a que se diz obrigada, a Didáxis garante que “continuará a prestar um bom serviço”. “O lançamento do próximo ano está asseguradíssimo, a Didáxis vai continuar a funcionar da mesma maneira”, afiança.

Utentes desagradados com o funcionamento da unidade da freguesia

Comissão de utentes de Gondifelos reúne com Jorge Paulo Oliveira

Comissão de Utentes de Gondifelos com Jorge Paulo Oliveira

O descontentamento foi manifestado na passada segundafeira, dia 25 de Julho, pela respectiva comissão de utentes e Junta de Freguesia, ao deputado da Assembleia da República, Jorge Paulo Oliveira. A única médica que até ali prestava serviço permanente, em todos os dias úteis da semana, encontra-se desde Fevereiro em licença de maternidade, revelando-se insatisfatória a solução encontrada para responder à ausência. A comissão de utentes alega que a médica substituta apenas dá consulta às quintasfeiras, o que nem sempre acontece, um horário insuficiente para responder às necessidades dos utentes da extensão de saúde que serve ainda as freguesias de Cavalões e Outiz. Os representantes da Comissão e da Junta de Freguesia de Gondifelos, não deixaram de criticar o comportamento do Director do ACES, Agrupamentos de Centro de Saúde, a quem acusam de ter-se comprometido a resol-

ver rapidamente o problema. Com mais de 60 anos de existência, a Extensão de Saúde de Gondifelos atravessa grandes dificuldades desde 2007, altura em que dispunha de dois médicos em regime de permanência. Dos seus 2700 utentes, 1500 não têm médico de família, não dispondo a unidade de uma enfermeira em permanência como acontecera num passado recente. Segundo a Comissão, que alerta para o facto de a população ter subido perto de 10%, de acordo com os resultados preliminares dos Censos 2011, o número de utentes não é superior porque o deficitário funcionamento da Extensão de Saúde de Gondifelos conduz a que os novos residentes na freguesia optam por manter a ligação às unidades de saúde da sua anterior residência. Jorge Paulo Oliveira comprometeu-se a acompanhar de perto o assunto e de obter os devidos esclarecimentos junto do Ministério da Saúde.

JSD de Bairro organizou rally paper

Professores aguardavam reuniões com ansiedade

No passado dia 16 de Julho, teve lugar o III Rally Paper da JSD de S. Pedro de Bairro. O dia, segundo a organização, ficou marcado pela “alegria, convívio e boa disposição”. A terceira edição contou com a participação de 27 carros e o primeiro prémio, no valor de 250 euros, foi para o carro 23, de Jorge Lopes e Carla Ferreira. O segundo prémio, no valor de 100 euros, coube à equipa constituída por César Batista e Rui Machado. O terceiro prémio, no valor de 50 euros, foi para o carro 25, com Michael Rocha e André Rocha. Já no capítulo da criatividade, o carro com a melhor decoração foi o da equipa de Ana Isabel e Miguel Silva, a quem foi atribuído um prémio de 50 euros.

O rali contou também com uma prova de perícia, realizada no campo de futebol do CRP Delães, onde a equipa vencedora foi novamente a de Jorge Lopes e Carla Ferreira. A iniciativa terminou com um lanche convívio para todos os participantes, militantes e patrocinadores na sede do PSD/JSD de S. Pedro de Bairro, onde esteve presente o presidente da concelhia social-democrata de Famalicão, Vítor Moreira, e o deputado à Assembleia da República, Jorge Paulo Oliveira. Em síntese, o núcleo da JSD de S. Pedro de Bairro deixa elogios à participação, manifestando “regozijo por mais uma vez o Rally Paper ter decorrido com enorme brilhantismo”.


8

pública: 03 de Agosto de 2011

cidade

D. Jorge Ortiga falava na entrega de certificados ao CSP Ribeirão

Grupo aposta na formação dos colaboradores

“Instituições da Igreja não devem ter medo de ser avaliadas”

Riopele apresenta bons resultados no primeiro semestre

Magda Ferreira “As instituições ligadas à Igreja não devem ter medo de ser avaliadas”, desafiou o arcebispo primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, na quartafeira da semana passada, durante a sessão solene em que foram entregues os certificados de qualidade ao Centro Social Paroquial de Ribeirão (CSPR). Mostrando orgulho no trabalho da instituição ribeirense, o prelado defendeu que as organizações ligada à Igreja, como é o caso da de Ribeirão, “deveriam sentir-se permanentemente em avaliação pelo trabalho que fazem, pela qualidade que colocam naquilo que fazem, na vida do dia-a-dia”. “Se este é o primeiro, que sirva de exemplo para outros, para que também trabalhem para que esta certificação aconteça”, declarou, embora sublinhando que “há muitos centros sociais paroquiais que não têm certificação, mas também têm qualidade e também não receiam a avaliação”. Na mesma linha foi a intervenção do presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, o padre Lino Maia, que também mostrou satisfação por este trabalho ser realizado por um centro social paroquial. “Às vezes, estas instituições da Igreja são

vistas com alguma reserva, como se fossem apenas assistencialistas e se desinteressassem da qualidade. Não é verdade, são mais do que isto, são instituições para a promoção integral das pessoas”, afiançou. Numa sessão solene, realizada no auditório da instituição repleto de público, o CSPR recebeu dois certificados de qualidade, referentes às valências de creche (65 crianças) e centro de dia (40 utentes), tendo como referencial os manuais da Segurança Social. O presidente da direcção do centro, o monsenhor Manuel Joaquim Fernandes, disse que esta é “a melhor prenda” no ano em que a instituição comemora 25 anos de existência. O Centro Social Paroquial de Ribeirão nasceu em Outubro de 1986, no salão paroquial, e hoje possui instalações próprias, com várias valências. A implementação deste sistema de qualidade foi, segundo o dirigente, “um desafio exigente”, tendo sido necessário “percorrer um longo caminho e vencer muitos obstáculos”. Alcançado o objectivo, o CSPR já pensa em novos desafios: “Continuar a tarefa, já iniciada, de conseguir a certificação das restantes respostas sociais do centro. E, animados com o que os auditores nos disseram, caminhar

para o nível A, em todas as respostas sociais”. A instituição está também empenhada em iniciar a construção do lar residencial, centro de actividades ocupacionais e apoio domiciliário para pessoas com deficiência e incapacidades. A obra, que foi a concurso por mais de 2 milhões de euros, será adjudicada em breve. Os certificados foram entregues por Joana dos Guimarães Sá, da Associação Portuguesa de Certificação, a entidade que auditou todo o processo. A responsável sublinhou o facto do Centro de Ribeirão ser a primeira instituição a receber da APCER o certificado para a valência de centro de dia e a sexta a ter a creche certificada. Um facto também evidenciado pela directora do centro distrital da Segurança Social de Braga, Maria do Carmo Antunes, que fez questão de dizer que “não era preciso que a APCER o dissesse e que houvesse o certificado de qualidade, pois eu sei que há qualidade nesta instituição”. Presente esteve também Ademar Carvalho, adjunto do presidente da Câmara para a Acção Social, que considerou que esta certificação “é uma prova do empenho com que esta instituição é dirigida”.

Riopele entregou diplomas a 45 colaboradores que frequentaram as Novas Oportunidades

Na tarde da passada quinta-feira, 28 de Julho, a administração da têxtil Riopele reuniu com os seus colaboradores para comunicar os bons resultados alcançados no primeiro semestre do ano e entregar os diplomas a 45 colaboradores que concluíram o 9º ou o 12º anos, ao abrigo do Programa Novas Oportunidades. De acordo com uma nota de imprensa, a iniciativa ficou marcada pela projecção, no showroom da empresa, de mais de mil fotografias inéditas da Riopele, desde a sua criação, em 1927, até aos dias de hoje. A projecção foi realizada no espaço onde estão patentes pinturas e esculturas da autoria de quatro colaboradores do grupo de Pousada de Saramagos. Recorde-se que mais de metade dos colaboradores da Riopele trabalha na empresa há mais de 20 anos pelo que José Alexandre Oliveira, presidente do Conselho de Administração do grupo, utiliza a expressão “família Riopele” para se referir a todo o grupo. “Não obstante as dificuldades externas de variada índole, como o aumento dos factores de produção

e a conjuntura económica e financeira delicada, a Riopele está a conseguir reagir com sucesso”, declarou Bernardino Carneiro, director financeiro do grupo Riopele, que acrescentou “que os bons resultados alcançados no primeiro semestre de ano indicam que estamos no bom caminho”. Também José Alexandre Oliveira dirigiu-se aos colaboradores com optimismo: “A Riopele é uma marca forte, ambiciosa e credível, claramente considerada uma referência de moda na cena nacional e internacional”. O presidente insistiu, igualmente, “que há muito trabalho pela frente, pois a crise na economia, em geral, e no têxtil, em particular, coloca constantemente novos desafios, mas a Riopele tem provado e continuará a provar que está à altura de os vencer”. De resto, os 45 colaboradores da empresa receberam os seus diplomas pelas mãos de José Alexandre Oliveira e José Alfredo Marques, director da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, parceira da Riopele na realização deste projecto.

Ribeirão celebrou Dia dos Avós Momento da entrega dos certificados

“Dia dos Avós” em S. Martinho de Brufe No passado sábado, dia 30 de Julho, a comunidade de S. Martinho de Brufe dedicou o dia aos avós e fê-lo no local mais apropriado, no átrio interior do Centro Social e Paroquial, com uma homilia celebrada pelo padre Francisco. Este evento organizado pela Pastoral Familiar da paróquia, contou com a ajuda, na sua preparação, dos colaboradores do Centro Social. Teve um momento de elevada grandeza com a entrega de lembranças a todos os avós presentes na celebração da Eucaristia, lembranças que foram executadas pelos utentes da instituição, do centro de dia e do lar.

Na passada terça-feira, dia 26 de Julho, a paróquia de Ribeirão, através da equipa da Pastoral Familiar, em colaboração com os aspirantes a dirigentes do agrupamento de escuteiros de Ribeirão e do grupo coral, solenizou a festa de Santa Anta e S. Joaquim, instituída como “Dia dos Avós”. Perante uma assembleia repleta de fiéis, o pároco, Monsenhor Manuel Joaquim, exaltou os pais e os avós a, em plena sintonia, ensinarem as crianças a rezar, desde tenra idade. Para o prelado, “é desde o berço que se deve fazer a primeira catequese e dar a conhecer o amor de Deus encarnado em seu filho Jesus”. Alertou também para os problemas de solidão que afectam os mais idosos, incentivando as famílias a tornarem-se presentes na vida dos seus queridos familiares mais velhos. Os avós presentes, em grande número, receberam, no momento de acção de graças, uma estampa comemorativa da efeméride.


pública: 03 de Agosto de 2011 9

freguesias

Equipamento beneficia da paisagem natural

Alunos da Didáxis de Riba de Ave foram à Lituânia

António Freitas

Avidos inaugurou Parque de Lazer

Foram muitos os populares que estiveram na cerimónia de sábado

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão inaugurou, na tarde do passado sábado, o Parque de Lazer de Avidos. A cerimónia contou com a presença do presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa, do presidente da Junta de Freguesia, António Gomes e de diversos autarcas, para além de muitos populares. O novo equipamento beneficia de uma paisagem natural, com várias espécies de árvores e o rio Pelhe, mas conta ainda com um parque infantil, mesas para piquenique, churrasqueira, bar, um palco com cobertura, casas de banho e espaços ajardinados. Em breve, segundo o

autarca de Avidos, será ainda criado um parque geriátrico. O Parque de Lazer fica perto da igreja paroquial e foi construído num terreno cedido pela autarquia famalicense, como sublinhou, na sua intervenção o presidente da Junta de Avidos. Porém, os maiores elogios foram endereçados à população daquela freguesia. Segundo António Gomes, “não há povo como o de Avidos, porque parte deste parque é patrocinada pela população” que tem sofrido com o encerramento de muitas empresas. “Não há presidente de Junta que esteja mais feliz do que eu”, afirmou.

Por seu turno, Armindo Costa, presidente da Câmara de Famalicão, elogiou o trabalho desenvolvido pela Junta de freguesia e mostrou-se “muito satisfeito com o espaço”. “É um local excelente para as famílias aproveitarem estes dias de Verão para conviverem e passarem momentos agradáveis”, disse. O edil referiu-se ainda à construção do Parque da Cidade que está em construção, apontando que o “concelho de Famalicão, dentro de 20, 30 ou 40 anos, estará no topo do distrito de Braga”. “Nós merecemos”, concluiu. S .A .S ./ J . C.

Rancho Folclórico de Oliveira Stª Maria em Montemor Com ranchos oriundos de regiões do Minho, centro e litoral, coube ao Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria representar o folclore e a etnografia do Minho numa região em que as danças e cantares, bem como a etnografia local possuem outras características e outras referências etnográficas. O Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria, na sua deslocação a terras de Meães, em Montemor-o-Velho, teve oportunidade de conviver e partilhar saberes culturais, etnográficos e tradições entre os cinco ranchos presentes. O inicio do festival ficou marcado para as 21h com entrega de lembranças aos ranchos presentes e convidados, sendo que a representação da Federação de Folclore Português esteve a cargo de Manuel Ferreira, membro do rancho famalicense, que foi incumbido de representar a Federação neste festival. Seguiram-se as actuações de danças e cantares do rancho organizador, Grupo Folclórico da Associação Cultural Desportiva e Recreativa de Meãos, o Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria, Rancho Folclórico da Linhaceira, Rancho Folclórico A juventude em Marcha de Crestuma e a encerrar este festival esteve o Grupo Folclórico e Etnográfico de Recardães. Na passada semana, o Rancho Folclórico de Oliveira Santa Maria já esteve na Feira de artesanato de Vila do Conde.

Na semana de 23 a 30 de Julho, um grupo de alunos dos cursos técnico profissionais de Apoio Psicossocial, Multimédia e Electrotecnia da Didáxis de Riba de Ave, acompanhados pela professora de Inglês, Joana Fernandes, deslocou-se à Lituânia, juntamente com grupos da Roménia, República Checa, Itália, Turquia para desenvolverem actividades no âmbito do projecto “Juventude em Acção” sob o tema Dramaterapia. Para além das apresentações dos países, da cultura e tradições, cada grupo apresentou uma lenda tradicional através de dança, música, mímica e desenho. O objectivo desta actividade foi de aproximar culturas através da representação. Os alunos presentes, Joana Pereira, Joana Bastos, Patrícia Oliveira, João Machado, José Berbereia e Mauro Esteves puderam, com este projecto, conhecer e interagir com novas culturas, melhorar a comunicação em língua estrangeira e tiveram a oportunidade de apresentar a cultura portuguesa a povos tão diferentes.

Incêndios em Calendário e Ribeirão Um incêndio que ardeu durante dias queimou cerca de 40 hectares no Monte de Santa Catarina, em Calendário, e a encosta virada para as freguesias de Outiz e Vilarinho das Cambas. As chamas queimaram aquela zona de floresta durante quase uma semana e foram combatidas por quase uma centena de bombeiros. Há suspeitas de fogo posto, pelo que a Polícia Judiciária está a investigar. O fogo começou no dia 22 de Julho, uma sexta-feira, e só foi dado como extinto na quinta-feira da semana passada. Ao longo deste período, foi dado como controlado e extinto por várias vezes, mas os reacendimentos sucediam-se. No combate às chamas estiveram mais de 90 homens, auxiliados por 15 veículos, de quatro corporações de bombeiros: Famalicenses (que coordenaram as operações), Famalicão, Riba d’Ave e Viatodos. Entretanto, na madrugada do passado domingo, perto das 4 horas da manhã, deflagrou um incêndio no lugar de Beleco, em Ribeirão, que foi dominado cerca das 7 horas, revelou a Autoridade Nacional de Protecção Civil. Segundo a mesma fonte, com uma frente activa, o fogo consumiu uma área de mato, sendo combatido por 35 bombeiros, apoiados por 10 viaturas, das duas corporações de bombeiros da cidade.

Divino Salvador em Ruivães A freguesia de Bente comemora, no próximo fim-de-semana, as festas em honra do Divino Salvador. Na sexta-feira, dia 5 de Agosto, pelas 21 horas, realiza-se uma missa em honra do padroeiro, seguida de procissão de velas em honra de Nossa Senhora de Fátima. No sábado, a partir das 13 horas há música gravada durante todo o dia. À noite, pelas 21h30, actuam “Os 4 Mens” e sua banda, seguindo-se, às 23 horas, o espectáculo da artista Tucha e suas bailarinas. Nesse dia, as festividades encerram com uma sessão de fogo-deartifício, pela meia-noite. As festas continuam no domingo, com uma missa solene às 10h30. À tarde, a partir das 16h30, reza-se a oração mariana, seguida de procissão. Às 18 horas entra em palco um grupo surpresa, terminando assim as festividades.

Encontro de concertinas em Gavião A escola de concertinas do Grupo Amigos da Borga, de Gavião, vai realizar, no próximo domingo, dia 7 de Agosto, o seu primeiro encontro de concertinas. O evento vai ter lugar a partir das 14 horas, no Polidesportivo das Ribeiras, em Gavião.


10

pública: 03 de Agosto de 2011

freguesias

Antas em festa em honra de S. Tiago

Falecimentos Deolinda da Conceição Moreira, no dia 28 de Julho, com 89 anos, viúva de João Vieira Gomes, da freguesia de Gavião. Rodrigo Francisco da Costa, no dia 29 de Julho, com 85 anos, casado com Adília Rosa Martins, da freguesia de Antas. Alice Rosa de Sousa, no dia 27 de Julho, com 88 anos, solteira, da freguesia de Calendário. Manuel Teixeira de Castro, no dia 27 de Julho, com 68 anos, casado com Maria Irene Ribeiro Carneiro Castro, da freguesia de Famalicão.

No passado domingo, dia 31 de Julho, realizou-se o almoço convívio da festa de S. Tiago de Antas, no qual foram servidos 350 almoço, que foi o caminho certo para uma tarde animada. O ponto alto deste dia foi a procissão em honra de Santiago de Antas, uma festa que já não se realizava há mais de 10 anos. A festa prolongou-se pela noite e a zona envolvente à igreja foi mesma pequena para tanta gente que assistiu ao espectáculo. No que toca às rifas, os números sorteados são o 4990 para o 1.º prémio, o 2.º prémio foi sorteado para o número 2680 e o 3.º prémio saiu ao 186, o número do prémio surpresa é o 6493.

Outiz celebrou padroeiro S. Tiago No passado fim-de-semana realizou-se, na freguesia de Outiz, a festa em honra de S.Tiago. A comemoração do padroeiro da freguesia decorreu no sábado e domingo, tendo como artista, no sábado, Manuel Sousa e Amigos. Como é habitual, à meia-noite teve lugar a grandiosa sessão de fogode-artifício. No domingo, pelas 11 horas, realizou-se a missa em honra de S. Tiago e às 17 horas teve lugar a procissão com seis andores. A comissão, unicamente constituída por mulheres, realizou esta festa e desde já agradece “a todos os que de alguma forma ajudaram na sua execução”. De resto, no sorteio dos prémios, o 1º lugar saiu ao número 461, o 2º ao 175, o 3º ao 1275, o número 185 ficou com o 4º prémio e por fim o 5º prémio saiu ao 2547.

Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Agostinho da Silva Gonçalves, no dia 26 de Julho, com 70 anos, casado com Maria Helena Pereira da Silva, da freguesia de Calendário. Abílio Fernandes Araújo, no dia 27 de Julho, com 80 anos, viúvo de Maria Alice Sousa Lopes, da freguesia de Brufe. Bernardino Alves da Silva, no dia 28 de Julho, com 71 anos, casado com casado Rosa Conceição Ferreira de Azevedo, da freguesia de Esmeriz. José Vaz, no dia 29 de Julho, com 74 anos, casado com Balbina da Silva Andrade, da freguesia de Bente. Maria Gomes Ferreira, no dia 30 de Julho, com 91 anos, viúva de José da Costa Pinheiro, da freguesia de Cruz. Manuel da Silva Teixeira, no dia 31 de Julho, com 76 anos, casado com Maria Alcina da Silva Gonçalves Teixeira, da freguesia de Palme ira (Santo Tirso). Irene Dinis Ribeiro, no dia 1 de Agosto, com 80 anos, casada com Maurício de Araújo, da freguesia da Carreira. Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Direcção da pastoral juvenil de Cabeçudos renovada Os movimentos juvenis da paróquia de Cabeçudos elegeram novos líderes, que já preparam o novo ano pastoral. No passado dia 24 de Julho, o grupo de jovens de Cabeçudos elegeu os coordenadores para o próximo ano pastoral, que conta agora com Simão Faria como coordenador, Isabel Cunha como secretária e Hugo Borges como tesoureiro. Em nota à imprensa, o grupo que agora cessa funções “deseja à nova coordenação força para manter a espiritualidade e dinamismo característicos deste grupo”. Ainda na freguesia, o movimento juvenil de escuteiros desta paróquia elegeu, no passado domingo, o novo chefe de agrupamento. Assim, a eleita chefe Angélica Ferreira, que será a primeira mulher, em 36 anos de existência deste agrupamento, a exercer este cargo, e prometeu, desde já, “empenho e dedicação nesta missão de três anos”. De resto, ao chefe Rui Osório, que termina agora o seu mandato, os cerca de 90 elementos “agradecem os três anos de vitórias”.

Divino Salvador em Bente A freguesia de Bente comemora, no próximo fim-de-semana, as festas em honra do Divino Salvador. Na sexta-feira, dia 5 de Agosto, pelas 21 horas, realiza-se uma missa em honra do padroeiro, seguida de procissão de velas em honra de Nossa Senhora de Fátima. No sábado, a partir das 13 horas há música gravada durante todo o dia. À noite, pelas 21h30, actuam “Os 4 Mens” e sua banda, seguindo-se, às 23 horas, o espectáculo da artista Tucha e suas bailarinas. Nesse dia, as festividades encerram com uma sessão de fogo-de-artifício, pela meia-noite. As festas continuam no domingo, com uma missa solene às 10h30. À tarde, a partir das 16h30, reza-se a oração mariana, seguida de procissão. Às 18 horas entra em palco um grupo surpresa, terminando assim as festividades.

Rodrigo Pinheiro de Abreu, no dia 27 de Julho, com 52 anos, casado com Rosalina Gonçalves Carneiro de Abreu, da freguesia de Rebordões (Santo Tirso). Laurinda da Silva, no dia 28 de Julho, com 87 anos, viúva de José Alves, da freguesia de Moreira de Cónegos (Guimarães). Lino Lopes Dinis, no dia 31 de Julho, 73 anos, casado com Ana Ferreira Dinis, da freguesia de Oliveira Santa Maria. Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Manuel Joaquim Gomes Machado, no dia 27 de Julho, com 51 anos, solteiro, da freguesia de Burgães (Santo Tirso). José Pereira, no dia 27 de Julho, com 77 anos, casado com Arminda de Amorim Ribeiro, da freguesia de Bairro. Margarida de Jesus Moreira, no dia 2 de Agosto, com 97 anos, viúva de Firmo Alves da Silva, da freguesia de Rebordões (Santo Tirso). Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Gravinda Araújo da Silva, no dia 28 de Julho, com 58 anos, casada com Alexandre da Silva Ferreira, da freguesia de Santo Tirso. Silvaninha de Jesus Maia do Couto, no dia 2 de Agosto, com 52 anos, casado com Ismael de Sousa Moreira, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727

Laurinda Rosa Gonçalves, no dia 29 de Julho, com 79 anos, casada com Rogério Mendes, da freguesia de Calendário. Agência Funerária do Calendário Calendário – Tel.: 252 377 207


pública: 03 de Agosto de 2011 11

cultura/praça pública

Organização da Fundação Cupertino de Miranda

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

Festival de Polifonia Portuguesa com balanço positivo A primeira edição do Festival Internacional de Polifonia Portuguesa terminou este fim-desemana com mais “três concertos memoráveis”, apresentados pela Cappella Musical Cupertino de Miranda. Em nota à imprensa, a Fundação Cupertino de Miranda, que organizou o I Festival Internacional de Polifonia Portuguesa, aponta que o evento chegou ao fim na cidade de Guimarães, onde a Cappella Musical Cupertino de Miranda, sob direcção artística de Luís Toscano e com as vozes de Gabriela Braga Simões, Eva Braga Simões, Pedro Rodrigues da Silva, Pedro Lopes, Vítor Sousa, Joana Pereira, Brígida Silva e do próprio Luís Toscano, deu o último concerto. Este último fim-de-semana começou com um concerto na Igreja de Santa Maria de Landim, em Famalicão, na sexta-feira, dia 29. No sábado realizou-se outro concerto na Igreja San Martín de Pinario, em Santiago de Compostela, finalizando-se no domingo, dia 31, com um concerto na Igreja Nª Sra. da Oliveira, em Guimarães. Com um total de 8 concertos, “quase todos com lotação completa e um programa de notável qualidade”, a Cappella Musical Cupertino de Miranda apresentou um reportório dos composi-

tores Pedro de Cristo, Filipe de Magalhães e Manuel Cardoso, tendo a participação especial em 2 concertos dos organistas de renome internacional Pierre Thimus e Pieter van Dijk. O Festival promoveu ainda um seminário do Barroco e ofereceu aos espectadores duas provas de vinhos verdes, da Região Norte, “proporcionando momentos únicos aos participantes”. Efectuaram-se, também, em cada monumento, visitas guiadas que permitiram aos visitantes obter um conhecimento aprofundado da arquitectura e história dos mesmos. “O I Festival Internacional de Polifonia Portuguesa encerrou com um balanço bastante positivo. Calcula-se que passaram pelos diferentes locais dos concertos mais de 2.500 espectadores, entre os quais se destacaram os turistas nacionais e internacionais (franceses, ingleses, alemães, italianos, espanhóis, entre outros). Criou-se um centro de turismo cultural regional, pois houve repetição de espectadores quer nas visitas guiadas, quer nos concertos”, resume a Fundação, avançando que a segunda edição do evento, em 2012, “terá, certamente, um programa que mantenha e reforce a qualidade alcançada nesta primeira edição”.

Domingos Peixoto

Patifarias na democracia Estamos habituados a ver, escutar e ler mas, ao contrário da canção, procuramos ignorar, cenas, comentários e afirmações soezes, torpes e malignas de certas personalidades. Em consequência e para ser benevolente, é razoável que considere que praticam patifarias: actos dos patifes, de acordo com o meu Torrinha de 1960! Jardim, no seu chão da Lagoa, abriu a boca, desbragada mais uma vez, para acusar de não morrerem (os socialistas) e chamar patifes aos de Lisboa; como fez ao “Senhor Silva” não poupou o CDS. Quanto ao seu despesismo à custa do dinheiro de todos nós é que nem uma palavra… Mas deixou uma ameaça: - Se perder as eleições abandono a política. Só ficava a ganhar a democracia, digo eu. Alguns jornalistas parecem subscrever Jardim ao comentarem as suas patifarias: Continua em forma! Quanto aos banqueiros não estão com meias medidas: da ajuda externa uma boa fatia

deve destinar-se a capitalizar os bancos! Pudera: não pagam impostos na proporção dos pobres; emprestam dinheiro a peso de ouro sempre com a faca e o queijo na mão; debitam aos clientes todo o tipo de despesas que só fazem engordar os cofres dos accionistas; quando há “problemas”, para garantir o sistema financeiro, vem o Estado e nacionaliza, como no caso do BPN, assumindo astronómicos custos da má gestão; agora, Troika incluída, exigem a reprivatização por uma bagatela! Mais patifarias. Tomada a decisão de privatizar as Águas de Portugal, a promessa “caseira” e de Jorge Paulo – que agora faz o percurso de Durval Tiago em périplo por tudo quanto possa dar imagem nos jornais e rádios – de que as Águas Famalicenses, nessas condições não seriam concessionadas, cai por terra! Os famalicenses é que vão pagar com “língua de palmo”. Nova patifaria. Sempre que por cá se plan-

tam umas árvores, ainda que seja à dezena – se por cada ano da promessa tivessem plantado outras tantas já iríamos na centena, note-se que quase sem custos – faz-se um ribombar a festa. Porém, quando se matam outras dezenas, na ânsia de deixar marca, como na rua S. António, no logradouro do C. C. Barreiro, em Montezelo ou em Riba D’Ave, todas as justificações servem, mesmo as mais inverosímeis. Outra patifaria. Um candidato partidário denunciou que, ao iniciar-se a votação para o novo líder, uma urna já lá tinha alguns boletins de voto do outro candidato. Reagiu a minha amiga: já lá tem um e-mail a dizer que estes assuntos devem ser tratados intra-muros e não na praça pública! Já reflectiram, pergunto eu, o que seria cada uma dessas eleições sem a propaganda, os debates e a divulgação das várias propostas na Comunicação Social? Não se preocuparam em desmentir… Ainda mais patifarias.

Modus Vivendi J. Mário Teixeira

Assim se delapida um país Infelizmente neste país não faltam exemplos de delapidação do erário público no interesse de grupos privados. O caso do BPN é apenas mais um, mas possivelmente um dos mais escandalosos de sempre, sendo um dos melhores exemplos da maior degenerescência da nossa democracia: a promiscuidade entre a política e os negócios privados. Um grupo económico cria um banco por onde passam muitos milhões de Euros em negócios ruinosos para a própria instituição bancária. Dir-se-ia que o banco se assaltou a si mesmo. O que não é difícil pois a história já provou que os maiores assaltos não se fazem de arma de fogo em punho, mas sim com uma simples caneta. O Banco de Portugal falhou na supervisão ao longo de anos, mas não teve dúvidas em aconselhar a nacionalização do BPN, invocando o risco de contágio. Nacionalizado que foi, sorveu seguramente milhares de milhões de Euros e agora é ven-

dido por 40 milhões de Euros ao BIC, que dos 1.580 colaboradores do BPN para já só assegura a manutenção de 750. Os restantes certamente serão provavelmente indemnizados pelo Estado. Por fim, antes do banco ser entregue ao comprador BIC, vai ainda beneficiar de uma injecção final de capital de 550 milhões de Euros paga por todos nós. Ou seja, tudo à custa dos famosos sacrifícios que são precisos fazer. Na prática, foi criado um banco que só serviu para enriquecer meia dúzia à força da sua própria ruína. Depois a restante população portuguesa injectou dinheiro aos milhares de milhões até tirar o banco da penúria, e agora vende-o aos privados por dez reis de mel coado, e ainda fica com encargo de pagar indemnizações a centenas de funcionários de que o comprador prescinde. Assim vale a pena fazer sacrifícios. Ao menos sabemos para onde vai o dinheiro. Não vai para onde devia ir, é certo, mas sabemos para onde vai.

Um dos concertos desta primeira edição do festival pub.

Famalicão

Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 302 120 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294 Gavião - Av. Eng. Pinheiro Braga, 72 - Telef. 252 317 301 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Martins Ventura: R. C. Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Largo de Bragadela - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Joane: Rua S. Bento, nº 217 - Telf. 252 996 300

Famalicão

S e r vi ç o

R e f o rç o

Valongo

Vale do Ave

Ser viço

Q u ar t a, 3

Barbosa Marinho-Vermoim

Q u i n t a, 4

Gavião

Calendário Marinho-Vermoim

S e x t a, 5

Cameira Ribeirão

Valongo Marinho-Vermoim

Q u ar t a, 3 Q u i n t a, 4 S e x t a, 5 S áb ad o , 6 Do m i ngo , 7 S e g u n d a, 8 Terç a , 9

Riba de Ave Faria Almeida e Sousa Bairro Delães Riba de Ave Faria

S á ba d o , 6

Central

Do m i ngo , 7

Calendário

S e g u n d a, 8

Nogueira

Barbosa

Terç a , 9

Valongo

Cameira

Vale do Ave

Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 932 678 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124 Faria: Estrada Nacional 310 - Serzedelo - Telf. 252 532 346

Serviço de disponibilidade

Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 Calendário - Tel. 252 378 057 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Oliveira Monteiro: Largo Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 Santiago da Cruz: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Arnoso: Av. Joaq. Azevedo - Arnoso Sta. Maria - Telf. 252 916 612

pub.


12

pĂşblica: 03 de Agosto de 2011

publicidade


OP1004