Issuu on Google+

SEMANÁRIO REGIONAL

05 JAN 07 Sexta-Feira

Ano 15 • nº 765 0,50 € (IVA incluído)

5 a 11 de Janeiro de 2007

Director: João Fernandes Director adjunto: Feliz Pereira PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS 4760 VNF - TAXA PAGA

Vila Nova de Famalicão

Casa das Artes

Gene Loves Jezebel em Janeiro

Os Gene Loves Jezebel, uma das bandas de música alternativa de maior sucesso, actuam na Casa das Artes de Famalicão, no próximo dia 19. Esta é uma das novidades da programação de Janeiro. p. 14

CÂMARA OBRIGADA A ALTERAR PROJECTO PARA CIGANOS DA ESTAÇÃO

Por imposição do Instituto Nacional de Habitação

Foi apresentado como inovador e arrojado, mas deixou de o ser. O projecto de arquitectura para as casas destinadas às famílias ciganas da Estação teve de sofrer várias alterações por imposição do INH. O vereador da Habitação diz que o projec-

Socialistas abandonaram Assembleia de Freguesia alegando ilegalidades

Plano e Orçamento de Riba d’Ave adiados

A Assembleia de Freguesia de Riba d’Ave destinada a discutir e votar o Plano de Actividades e Orçamento da vila não chegou ao fim. Os eleitos do PS abandonaram os trabalhos e a sessão ficou sem quórum. Dizem os socialistas que o regimento não é cumprido. A presidente do órgão fala em "atitude precipitada" de "outras motivações", que promete apurar na próxima sessão marcada para dia 12. p.11

Assembleia

Vermoim e Pousada

A oposição votou contra as Grandes Opções do Plano e Orçamento da Câmara para 2007. A maioria PSD/PP fez passar os documentos, justificando o "ano difícil" com a contenção imposta pelo Governo e com a “herança socialista". Já a oposição acusou o executivo de não cumprir promessas eleitorais. p. 3

O ano é de contenção, mas os presidentes de Junta de Vermoim e Pousada de Saramagos dizem que não têm razões de queixa, esperando um forte investimento camarário em 2007. Em Vermoim, Xavier Forte aponta mesmo obras que totalizam dois milhões de euros. p. 12

Orçamento aprovado sob chuva de críticas

to foi "completamente desvirtuado". Essas alterações acabaram também por atrasar o início da obra, algo que só deverá acontecer em Setembro próximo. Já o realojamento, propriamente dito, deverá processar-se em finais de 2008. p. 7

IGAT exige demolição de edifício

Em causa a alegada violação do PDM em Cavalões

Autarcas satisfeitos com investimento

ESPECIAL Café: a bebida social

pp. 17 a 21 PUB.

A Inspecção-Geral da Administração do Território entende que houve violação do Plano Director Municipal no licenciamento de um edifício em Cavalões (na foto), considerando que deve ser demolido. A Câmara discorda do parecer da entidade inspectora e aguarda agora pela notificação do Tribunal Administrativo para apresentar a sua defesa. p. 9

Tónau, Tulipa e Soeiro fazem balanço do campeonato


2

CIDADE

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Juventude

Entram representantes de mais nove associações

CMJ ganha novos membros

O Conselho Municipal da Juventude (CMJ) tem novos membros. A entrada de nove novos elementos foi aprovada por unanimidade, numa reunião daquele órgão realizada a semana passada, no dia 27 de Dezembro. Assim, em vez de ter representantes de 32 associações, o Conselho vai passar a integrar 41 elementos. A proposta apresentada na sessão foi subscrita pelo vereador da Juventude, Jorge Paulo Oliveira, e prevê a entrada no CMJ do Académico Voleibol Clube, da Associação Desportiva Unificada Famalicense, da Associação Portuguesa de Karaté Alex-RyuJitsu, da Associação de Artes Marciais de Famalicão, da Associação de Moradores das Lameiras, da Escola de Karaté Shotokan de Delães, da Federação de Karaté e Desporto de Combate, do Grupo Desportivo de Natação de Famalicão e do Ténis Clube de Famalicão. De acordo com o vereador, a adesão de novos elementos "justifica-se pela necessidade do CMJ procurar ser o mais representativo possível do universo das associações recreativas, desportivas e culturais existentes no município". Além do mais, recorda Jorge Paulo Oliveira, "constitui um dos objectivos deste órgão estimular a participação dos jovens na vida cívica, cultural, política, desportiva, e proporcionar-lhes meios para o estudo e o debate sobre as diversas temáticas que dizem respeito a toda a Juventude". Por outro lado, este responsável autárquico considera que a entrada de represen-

Natal

Incentivos para o Comércio Projectos de Modernização do Comércio - MODCOM Candidaturas de 02 de Janeiro a 05 de Março de 2007 Criado no âmbito do Fundo de Modernização do Comércio, o MODCOM é um sistema de incentivo, que para além de outras tipologias, apoia projectos individuais autónomos, de pequena dimensão, que visem aumentar a competitividade empresarial e demonstrem satisfazer adequadamente os objectivos definidos. Assim sendo, podem beneficiar dos incentivos financiados pelo MODCOM: As micro e pequenas empresas de comércio, independentemente da sua forma jurídica, cuja actividade se insira nas CAE 50, 51 e 52 (521, 522, 524,525, 526 e 527; 5232 e 5233); nas seguintes condições: 1. Investimento mínimo elegível de 10 000€; 2. Assegurar que o investimento elegível seja financiado em pelo menos 20% de Capitais Próprios; 3. Prazo de execução até 12 meses a contar da data de notif cação da aprovação do incentivo; 4. Não incluir despesas anteriores à data da candidatra; Jorge Paulo Oliveira

tantes daquelas associações, praticamente todas elas votadas para a actividade desportiva, vem dar "outra representatividade do associativismo juvenil no nosso concelho" e promoverá, "estamos certos e seguros", o enriquecimento do CMJ. Até porque, a proposta agora aprovada resulta de um prévio levantamento em torno do movimen-

Foto: Arquivo

to associativo concelhio, "sendo publicamente reconhecido o trabalho efectivo com e a favor dos jovens das novas associações aderentes, constituindo-se assim uma mais valia para o CMJ, enriquecendo o seu papel e a missão que desempenha na procura da satisfação das aspirações dos jovens famalicenses".

Acção de Solidariedade

Interact Clube distribuiu roupa e brinquedos por famílias carenciadas

O Interact Club de Famalicão realizou, durante o mês de Dezembro, uma campanha de angariação de brinquedos e roupa, para oferecer neste Natal às pessoas mais carenciadas do concelho. Durante a semana de 18 a 23 de Dezembro, aquele clube teve a seu cuidado a distribuição dos bens a famílias "a quem a vida ainda não sorriu", diz em nota de imprensa, acrescentando que "são estes gestos, talvez os mais visíveis, que mantêm o espírito de Natal". O Interact "investiu muito tempo na realização desta ac-

tividade", desde a recolha dos brinquedos e roupa até à selecção dos mesmos. "Mas foi bastante positivo investir o nosso tempo para tornar melhor os dias daqueles a quem a vida não tem corrido nada bem", afirmam os seus membros. Nos dias 18, 19 e 20 distribuíram brinquedos a famílias da instituição Mundos de Vida, percorrendo várias freguesias, desde Sezures, Vale S. Martinho, Vale S. Cosme, Ribeirão e Lousado. "Esta foi, sem dúvida, a actividade que marcou os 'interactistas', pois oferecer brinquedos a crian-

ças desfavorecidas, que pensavam que o Pai Natal este ano não iria aparecer, por não existir possibilidades financeiras, foi muito comovente, e sorrisos nunca faltaram", contam. No dia 21, a tarde foi passada na Mundos de Vida, onde o Interact promoveu um lanche e animação, com a presença do Pai Natal e de um palhaço. Já no dia 22, a distribuição continuou no Complexo Habitacional de Lousado, enquanto no dia 23 foram oferecidos à Cruz vermelha de Ribeirão roupa e brinquedos.

5. Para efeitos de cálculo do incentivo financeiro, consideram-se elegíveis as despesas relativas às seguintes acções: • Realização de obras, na fachada ou no interior, incluindo as destinadas a melhorar as condições de segurança, higiene e saúde; • Aquisição ou alteração de toldos e reclamos exteriores; • Aquisição de equipamentos de exposição, visando a melhoria da imagem e animação dos estabelecimentos e a adequada identificação, localização e apresentação de produtos; • Aquisição de máquinas e equipamentos, incluindo hardware/software, introdução e comunicação, investimentos em serviços pós-venda e outros que se mostrem necessários ao exercício da actividade nas diversas áreas da empresa; • Elaboração de estudos, diagnósticos, projectos de arquitectura, engenharia, design e processo de candidatura; • Aquisição e registo de marcas; • Intervenção de TOC ou ROC. Outros requisitos: O incentivo financeiro a conceder assume a natureza de incentivo não reembolsável, correspondente a 35% das despesas elegíveis (com um limite de € 35 000); Autonomia Financeira de pelo menos 20%; Ter a situação contributiva regularizada perante o Esta do e Segurança Social; Ter concluído, à data da apresentação da candidatura, os investimentos previstos para o mesmo estabelecimento, quando estes tenham sido apoiados em projectos anteriores no âmbito do PRIME ou do MODCOM; Evidenciamos, contudo, que a criação de postos de trabalho, é um dos critérios a ponderar para a pontuação final das candidaturas.

A apresentação de candidaturas é efectuada através de suporte electrónico junto do IAPMEI, a partir de 02 de Janeiro até 05 de Março de 2007 Tendo sido atribuído para o Norte o montante de € 7 600 000, correspondendo a: • Acção A – € 3 800 000; • Acção B - € 3 040 000; • Acção C - € 760 000. Caso estejam interessados em apresentar candidatura a este projecto de investimento, solicitamos o contacto com os nossos serviços. Aproveitamos para desejar um BOM ANO DE 2007!!!


Orçamento

CIDADE

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Oposição chumba, maioria sublinha herança socialista Assembleia aprova grandes opções da Câmara para 2007

A Assembleia Municipal, da passada sexta-feira, aprovou as Grandes Opções do Plano e Orçamento da Câmara para 2007 com os votos contra de toda a oposição. A maioria fez passar este documento que prevê maiores gastos para as áreas da Presidência e Solidariedade Social.

“Não tem risco, não tem criatividade, não tem sonho”, salientou.

Marta Isabel Marques

Os documentos foram aprovados pela maioria PSD/PP, recebendo os votos contra do PS, CDU e Bloco de Esquerda. De registar a abstenção do até há pouco tempo socialista e agora independente, Fernando Salgado. Na sessão, marcada também pela ausência do presidente da Câmara, Armindo Costa, coube ao vice-presidente, José Santos, apresentar os documentos aos deputados municipais. O Orçamento da edilidade é de 82,3 milhões de euros, sendo que a Presidência e a Solidariedade Social absorvem a maior parte do bolo, com 39,2% do total. Seguem-se as Obras Municipais e as Freguesias, com 20,5%; o Ambiente e a Protecção Civil, com 16,7%, ao passo que a Educação e Cultura recebem 16,2%. Como já se esperava, as opções do executivo para o ano que agora se inicia receberam uma chuva de críticas por parte da oposição. O Partido Socialista, pela voz de Domingues Azevedo, apelidou, ironicamente, o documento de um “copy past” de anos anteriores. O socialista foi ainda mais longe ao afirmar que “as denominadas

Desemprego

3

Domingues Azevedo

grandes opções são, na verdade, um desastre para Famalicão”. “Não tem uma estratégia clara e objectiva para o concelho, tem um conjunto de banalidades reveladoras da falta de conhecimento da

realidade concelhia, procurando desviar as atenções para factos e fenómenos que nada interessam”, justificou. Para Domingues Azevedo, este plano é também “um documento de manutenção”.

Maioria justifica com “herança socialista” A resposta dos social-democratas não se fez esperar. Pela voz de Correia Araújo, o PSD afirmou que o orçamento é condicionado pelas verbas vindas do Governo e, acima de tudo, pela herança deixada pela Câmara socialista. “Noutros tempos foi possível recorrer a financiamentos, e outros executivos utilizaram tal fonte de receita cuja factura nos encontrarmos todos a pagar”, afirmou o deputado. E concluiu: “não nos podemos esquecer que este executivo sucede a outro executivo, que geriu o município durante 20 anos e que nos deixou um passivo que nós assumimos e que ainda hoje nos vemos condicionados por ele”. Por seu lado a CDU, pelo deputado José Santos justificou o seu voto contra, lembrando “os inúmeros projectos do programa eleitoral da coligação no poder que não foram concretizados”, nomeadamente “a criação do parque da Ribeira, a construção de um pavilhão multiusos, a construção da Casa da Juventude, a revisão do PDM, a despoluição do rio Pelhe, a Pousada da Juventude, a variante a poente, a VIM de Joane a Braga, o ensino secundário em Ribeirão e a ecopista”. José Santos deixou mesmo um aviso ao executivo: “não se lancem em mais projectos sem primeiro concluir o que prometeram. Já Sílvio Sousa, aquando da sua intervenção, salientou que “não é possível continuar a fechar os olhos a esta instabilidade governativa”. E acrescentou: “a CDU teme

que, a continuar assim, o futuro ainda nos trará fracas surpresas”. Da bancada do Bloco de Esquerda, Adelino Mota chamou a atenção para as “escassas” verbas destinadas às freguesias, questionando “ como é possível destinar a algumas freguesias verbas tão pequenas”. A mesma opinião foi emitida pelo socialista Eliseu Pimentel, para quem o executivo trata as freguesias como um “apêndice”. E deu como exemplo a freguesia de Gondifelos que “não recebeu um tostão no anterior mandato”.

Salgado lança indirecta a Moniz O agora independente Fernando Salgado também interveio para justificar as razões que o levaram a optar pela abstenção. Considerou que Plano de Actividades “pouco ambicioso, que não eleva Famalicão à categoria de um concelho atractivo e potenciador de riqueza”, afirmando que “há falta de ideias para colocar Famalicão no mapa pela positiva”. Mesmo assim, o deputado advertiu que “não basta analisar o Plano de Actividades em singelo, necessário é avaliar a política enfatizada pela Câmara”. “Este Plano é o seguimento de uma política que está em curso, politica essa que foi recentemente elogiada por um alto dirigente socialista”, atirou Salgado, numa clara indirecta a Fernando Moniz. Já no final da sessão, o presidente da Junta de Joane, Ivo Sá Machado, questionou a Câmara sobre a data de arranque das obras no campo da feira e no cemitério da vila. A resposta do executivo não trouxe nada de novo, apenas a referência de que as negociações estão em curso.

53 famalicenses ganham trabalho

Descida em Novembro apesar das poucas colocações

O desemprego continua a descer em Famalicão, apesar de ter subido no distrito de Braga. De acordo com o boletim do desemprego elaborado mensalmente pelo Governo Civil de Braga, o mês de Novembro encerrou com 8.692 famalicenses sem trabalho, ou seja, menos 53 que em Outubro. Mesmo assim, continua a ser o terceiro concelho do distrito com mais desempregados, numa lista que é liderada por Guimarães (11.970) e Braga (9.246). Em termos homólogos, ou seja, quando comparamos com o mesmo

mês de 2005, a descida é superior, chegando aos 10%. Famalicão foi o terceiro concelho do distrito a registar maior quebra no número de desempregados, logo atrás de Fafe e Póvoa de Lanhoso (ambos com 14%) e Vieira do Minho (13%). De resto, a descida homóloga aconteceu em praticamente todos os municípios do distrito, com excepção de Esposende, que se manteve com 1.146 desempregados, e Amares e Terras de Bouro, que registaram ambos subidas de 3% em relação a Novembro de 2005. Na totalidade, o desemprego caiu 6% no

distrito. Contudo, se compararmos com o mês de Outubro, o distrito de Braga registou uma subida, passando de 47.476 pessoas sem trabalho em Outubro para 48.274 (mais 798). Em Famalicão, as maiores descidas homólogas ocorreram no número de desempregados inscritos no centro de emprego há menos de um ano (19%) e daqueles que têm menos de 25 anos (-18%). Esta última diminuição ocorre também no total do distrito, mas já no que respeita ao tempo de inscrição a maior quebra aconteceu

nas pessoas desempregadas há mais de um ano (-14%). Preocupação continua a ser o grande fosso entre o número de ofertas de emprego e o de colocações, que voltou a agravar-se no mês de Novembro. No distrito, houve 1321 ofertas, mas apenas 290 pessoas foram colocadas num emprego. Uma diferença que se estende a Famalicão, onde de 221 ofertas apenas 33 foram preenchidas, o que coloca o Centro de Emprego famalicense na quarta posição, atrás de Braga (91), Guimarães (69) e Barcelos (59).


4

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Inauguração

CI DA D E

Lameiras tem novo parque infantil Investimento de quase 40 mil euros

O complexo habitacional das Lameiras dispõe de um novo parque infantil. Na verdade, trata-se da remodelação do que já existia, mas na prática é um “novo” equipamento. Celso Campos

O investimento de 38.700 euros foi inaugurado na quinta-feira da semana passada e a cerimónia foi presidida pelo vereador da Habitação, na ausência do presidente da Câmara. Os trabalhos envolveram a colocação de um novo piso, a reparação e pintura dos equipamentos e a colocação de novos baloiços. O sistema de drenagem de águas pluviais também foi renovado e foram ainda plantados alguns pinheiros para embelezar o espaço. O parque infantil representou a segunda inauguração de 2006 (a primeira foi relativa aos melhoramentos feitos na zona circundante ao complexo, a 9 de Julho), como fez questão de evidenciar o presidente da Associação de Moradores das Lameiras (AML). Jorge Faria lembrou que o parque infantil antigo estava “degradado” e representava mesmo “algum perigo para as crianças”, tendo apelado à colaboração de todos na conservação do novo equipamento. “É uma prenda para as crianças que andavam tristes. Agora, já

se vêem sorrisos”, referiu, apontando a alegria patenteada pelos mais pequenos que estavam desejosos que a cerimónia de inauguração terminasse para poderem experimentar os novos baloiços, escorregas e outras brincadeiras. A obra foi feita ao abrigo do acordo de colaboração entre a edilidade famalicense e a AML, algo também salientado por Jorge Faria e pelo vereador da Habitação. Jorge Paulo Oliveira lembrou que desde 20 de Maio de 2004, quando a Câmara assumiu a tutela do complexo das Lameiras, foi também celebrado esse acordo. Graças a isso tem sido possível fazer obras de reparação urgente em algumas fracções habitacionais, bem como as obras de recuperação e reabilitação de espaços exteriores, caso do recinto desportivo, dos arranjos exteriores do complexo e do novo parque infantil. Além destas acções, Jorge Paulo Oliveira salienta o “acompanhamento social”, tornado possível com a contratação de uma assistente social e de um escriturário a meio tempo que presta todo o apoio social às cerca de 1.500 pessoas que moram neste complexo. Ao todo, desde que foi firmado o acordo de colaboração, a Câmara já investiu nas Lameiras 350 mil euros, algo que é a “demonstração de que o caminho que traçamos para a gestão do património habitacional público é uma aposta acertada”, vincou o vereador da Habitação, que fala ainda em “melhoria da qualidade de vida” e em “satisfação” dos residentes no complexo.

Novos investimentos

A Associação de Moradores das Lameiras tem como meta, para este ano de 2007, a transformação das antigas instalações do centro social em 15 habitações T0 e a transferência dos serviços instalados nos pré-fabricados para a zona onde funcionava a administração da AML. A direcção da AML diz estar à espera da luz verde da Câmara para avançar. Da parte da edilidade, Jorge Paulo Oliveira diz que os projectos de arquitectura estão prontos, bem como as verbas destinadas pelo município para este projecto. Em causa está o eventual financiamento do Instituto Nacional de Habitação (INH). “Tudo o que temos feito a nível de habitações tem tido o financiamento do INH e também queremos que este tenha, embora ainda não esteja garantido”, apontou o vereador, que fala em “empenho” na busca desse financiamento.

Hospital

Crianças experimentaram novos equipamentos

Hugo nasceu de parto normal no São João de Deus

Primeiro bebé do ano é tirsense

Pais do primeiro bebé do ano estavam radiantes

Chama-se Hugo, nasceu na passada segunda-feira, dia 1 de Janeiro, de parto normal às 11h02, com 2.940 quilogramas de peso. Foi, assim, o primeiro bebé do ano 2007 a nascer no Hospital São João de Deus, em Famalicão. Curiosamente, os pais são naturais de Santo Tirso. A mãe, Cláudia Pereira, de 33 anos, deu à luz pela primeira vez e disse que “o parto em si custou um pouco”, até porque não pôde usufruir da anestesia epidural. “Mas, apesar disso, a sensação de ver o bebé nos meus braços é fantástica”, adiantou ao OPINIÃO PÚBLICA poucos minutos após o nascimento. Os pais esperavam a chegada do Hugo na quinta-feira, mas ele resolveu vir ao mundo no primeiro dia do ano. Um facto que nada altera, referiu Cláudia Pereira, pois “é uma alegria quer fosse o primeiro do ano ou não, de qualquer forma não deixa de ser engraçado, até porque nós

brincávamos muito com essa questão e acabou mesmo por acontecer”, frisou, com um enorme sorriso nos lábios. Agora com uma criança, a rotina diária deste casal irá certamente mudar. “As minhas expectativas é que seja uma vida ainda mais preenchida e mais feliz”, espera a mãe. Já o pai, André Brito, de 31 anos, que acompanhou a mãe durante o parto, disse estar muito feliz apesar de não ter muitas palavras que conseguissem descrever o momento. “Era algo que ansiávamos muito e, por isso, resta salientar que felizmente correu tudo bem com o bebé e com a mãe e estamos muito contentes”, concluiu. Por ser o primeiro bebé do ano, o Hugo recebeu uma pulseira em ouro oferecida pelo Hospital São João de Deus. P.A.S


PU BLICIDADE

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

5


6

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Columbofilia Famalicão acolheu exposição

Mais de cem pombos expostos

Mais de uma centena de pombos pôde ser admirada em Famalicão, na exposição distrital de columbofilia, que decorreu no passado fim-de-semana. A 34ª exposição distrital de Braga de columbofilia decorreu na antiga Casa Malheiro, numa organização da Sociedade Columbófila de Famalicão. O seu presidente, Aires Mesquita, mostrou-se satisfeito com a adesão dos columbófilos ao certame, bem como do público em geral, salientando a escolha acertada que foi o local da exposição. De resto, Aires Mesquita, considera que a columbofilia no concelho “está de boa saúde”, com oito colectividades, um terço do total do distrito. Por seu lado, Abel Lopes, presidente da Associação Columbófila do Distrito de Braga, salientou a qualidade da candidatura apresentada pela associação famalicense à realização da exposição. No final da mostra foram entregues os prémios aos vencedores nas diversas categorias, numa cerimónia presidida pelo vereador do Desporto, Jorge Paulo Oliveira.

Premiados Entre os premiados, na classe standard, o famalicense Inocêncio Mendes ganhou todos os prémios na categoria de borrachos machos e os quatro primeiros nas fêmeas. O quinto lugar foi para Pedro e Miguel, de Famalicão. Na categoria livre fêmeas, o primeiro lugar foi para Perliteiro e Ferreira; o segundo para Pedro e Miguel; o 3º para a Escola G. Sampaio; o 4º para José Magalhães e o 5º para Moreira e Mo-

reira. Todos os premiados são famalicenses, à excepção do terceiro, que é da Póvoa de Lanhoso. Na categoria de livres machos, o 1º e 3º lugares foram para a Escola G. Sampaio; o segundo foi para Damião Oliveira, o 4º para Cunha Ferreira e o 5º para Eduardo Costa, todos de Famalicão. Já na categoria olímpica, machos, o primeiro prémio foi também para a Escola G. Sampaio e o segundo para Sérgio Rebelo, ambos da Póvoa de Lanhoso e o terceiro posto foi para Renato Silva, de Braga. Nas fêmeas, o vencedor foi Abílio Ferreira, do Ninense, o 2º para Joel Vieira, de Dume, o 3º para Sérgio Rebelo, da Póvoa de Lanhoso e o 4º para Renato Silva, de Braga. Na classe Sport e na categoria de velocidade, o primeiro prémio foi para Adelino Sá e o segundo para Álvaro Frutuoso, ambos do Ninense, ao passo que o terceiro posto foi para Pedro e Miguel, de Famalicão. No meio fundo, o primeiro posto foi para Silvestre Pereira, do Prado, o 2º para Henrique Ribeiro, de Gondar, o 3º para Abílio Ferreira e o 4º para Álvaro Frutuoso, ambos do Ninense, e o 5º para Pereira e Anjo, do Barcelense. Na categoria de fundo, o primeiro prémio foi para Manuel Faria, do Ninense, o segundo e o terceiro foram para os Irmãos Alves, de Famalicão. Finalmente na categoria absoluta, o vencedor foi Renato Silva, de Braga, seguido de Joel Vieira, de Dume, e de Pedro e Miguel, de Famalicão. O quarto e o quinto classificado foram a Escola G. Sampaio. C.C.

CIDADE

Bombeiros

Simulacro testa acidente com camião cisterna Promovido pelos BV Famalicenses em Outiz

Possibilidade de deflagração foi prevenida com o uso de espuma

Os Bombeiros Famalicenses realizaram, no passado sábado, um simulacro de acidente de viação, a envolver um camião cisterna de transporte de combustíveis. O exercício obrigou ao corte da EN 206, em Outiz, durante duas horas. O exercício começou às dez da manhã e consistiu numa situação de acidente, uma colisão entre um veículo ligeiro e um camião cisterna de transporte de combustíveis, da empresa “Transportes Nogueira”, que colaborou no simulacro. O local escolhido foi a Estrada Nacional 206, em Outiz, tendo havido necessidade de cortar a via ao trânsito durante cerca de duas horas. A corporação envolveu no exercício 24 homens e oito viaturas, acrescentando ainda três viaturas dos “Transportes Nogueira”, além do dispositivo policial da GNR e da PSP e ainda da Polícia Municipal, que esteve a coordenar o trânsito na zona. O exercício previu que do acidente resultou, no veículo ligeiro, um ferido encarcerado com fractura exposta numa das pernas. Quanto ao camião, na sequência do acidente, foi provocada uma fissura num dos tanques, com derrame de combustível para o pavimento. Após a chegada dos bombeiros, a primeira acção desencadeada foi usar espuma no camião, de modo a prevenir uma eventual deflagração. Depois disso é iniciado o desencarcera-

Incidente

mento da vítima, uma operação que se prolongou por 35 minutos. Com o transporte da vítima para o hospital é iniciada a operação de trasfega do combustível para outro camião, terminando o exercício com a remoção dos veículos envolvidos no sinistro e a limpeza da via. “Os ‘timings’ do exercício foram razoáveis”, apontou, no final, o comandante da corporação, João Castro Faria. “Nestas coisas não há exercícios perfeitos”, acrescentou o mesmo responsável, evidenciando que a operação de desencarceramento “demorou um pouco mais do que o tempo provável”, embora lembre que tal “tem a ver com os imponderáveis que acontecem”. De qualquer modo, “globalmente temos razões para estar satisfeitos”, disse Castro Faria, que entende estes exercícios como benéficos para reflectir sobre o modo de actuar dos bombeiros em determinadas situações, evidenciando que ajudam a “corrigir e a rotinar comportamentos”. O comandante compreende o transtorno que é para os automobilistas encontrar uma via, no caso a estrada nacional que liga Famalicão à Póvoa, cortada ao trânsito por causa de um exercício, no entanto, vinca que “as desvantagens de hoje são as vantagens de amanhã”. C.C.

Ardeu uma máquina da cozinha

Pequeno incêndio no Hotel Moutados

Pombos atraíram muita gente à exposição

A cozinha do Hotel Moutados de Famalicão foi afectada por um pequeno incêndio. Ao fim da manhã de sábado, dia 30 de Dezembro, um pequeno foco de incêndio na cozinha daquela unidade hoteleira, situada em Gavião, junto à Estrada Nacional 206, causou algum alarme, mas acabaria por resultar apenas no susto, com os prejuízos praticamente a circunscreverem-se a uma máquina que se incendiou e sem afectar o funcionamento do hotel. De qualquer forma, do exterior do edifício foi visível algum fumo negro a sair das instalações, o que fez temer algo de mais grave. Algo que foi impedido pela rápida actuação dos bombeiros, que chegaram ao local antes que o fogo tomasse proporções maiores. O facto de parte considerável dos meios da Protecção Civil estar de prontidão, pois estavam ainda a regressar de um simulacro

realizado na manhã do mesmo dia [Ver notícia nesta página], permitiu que chegassem rapidamente ao hotel. Os Bombeiros Voluntários Famalicenses mobilizaram para o local cinco viaturas e 18 homens. Foi também necessário controlar a circulação automóvel na EN 206, uma operação que coube à Polícia Municipal (PM) de Famalicão. As operações foram dadas como concluídas ao fim de 45 minutos. Não houve necessidade de evacuar o hotel nem de "cuidados maiores", disse o comandante dos Famalicenses, Castro Faria. Apenas os funcionários da cozinha receberam ordens para se deslocar para o exterior do edifício. A PM ainda deslocou um reboque para o local, caso houvesse necessidade de retirar alguma viatura do parque de estacionamento do hotel, o que não aconteceu.


Habitação

CID AD E

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Projecto para ciganos da estação foi desvirtuado

7

Por exigência do Instituto Nacional de Habitação

O projecto de arquitectura, apresentado como inovador e arrojado, foi afinal "completamente desvirtuado", por imposição do INH e do cumprimento dos seus normativos legais.

Celso Campos

O projecto das 35 casas destinadas às famílias de etnia cigana que vivem junto à estação da CP de Famalicão não será executado tal como foi apresentado em Março de 2005, uma vez que o Instituto Nacional de Habitação (INH) não o aceitou. "Apresentamos um projecto de arquitectura que, na nossa opinião, era aquilo que melhor satisfazia o ‘modus vivendi’ das famílias de etnia cigana, mas assim não foi entendido pelo INH", evidenciou ao OP, o vereador da Habitação. Para financiar o projecto, o INH tem de o aprovar, mas para isso a Câmara foi obrigada a fazer "múltiplas alterações" ao desenho inicial, pelo que Jorge Paulo Oliveira reconhece que esse "foi completamente desvirtuado". "Hoje, o projecto para aquele local é muito diferente do que tínhamos apresentado publicamente", especifica. Desde logo, a denominada Urbanização das Bétulas apontava a construção de três edifícios, um para cada uma das três famílias que vive junto à estação. No entanto, em virtude da alterações entretanto feitas, serão construídos quatro edifícios, pelo que "mesmo em termos estéticos e de implantação o projecto é substancialmente diferente", tendo conduzido ainda a mudanças em termos de materiais e de métodos de construção. No interior das habitações, a alteração mais profunda verificou-se na dimensão dos vários

compartimentos de cada casa. Inicialmente estava previsto que a sala e a cozinha fossem espaços bastante amplos, ao passo que os quartos eram mais pequenos que o normal, "porque as famílias de etnia cigana usam os quartos apenas para dormir, dando muita importância à sala e à cozinha grandes para o encontro com a família". "As dimensões da sala e da cozinha tiveram de ser reduzidas, aumentando-se aos quartos para dar cumprimento aos normativos", explicitou Jorge Paulo Oliveira. "O INH, pese embora toda a flexibilidade e boa vontade, entendia que não poderia, em circunstância alguma, ultrapassar os normativos legais", ressalva ainda o vereador da Habitação.

Se tudo correr bem, realojamento é em Setembro de 2008 Embora ainda não oficial-

Os ciganos da estação vão continuar à espera das casas novas

mente, o projecto de arquitectura está agora aprovado pelo INH. Agora e durante os próximos três meses, a Câmara vai avançar com os projectos de especialidade e o caderno de encargos, de modo a preparar o concurso público. "Prevemos terminar estes trabalhos no próximo mês de Março, altura em que será lançado o concurso", aponta o vereador. Socorrendo-se da sua experiência enquanto gestor público, Jorge Paulo Oliveira aponta entre quatro a seis meses para a realização do concurso público. Se tal acontecer, a adjudicação e o arranque da obra poderá acontecer em Setembro próximo. Isto, "se tudo correr dentro da normalidade e não formos surpreendidos por acções judiciais como já aconteceu noutros projectos, como foi o caso de Rebordelo, que atrasou a obra em 21 meses sem qualquer culpa da autarquia",

alerta o responsável. Se a construção arrancar em Setembro, a obra tem um prazo de execução de um ano, pelo que, na melhor das hipóteses, o realojamento das famílias ciganas da estação acontecerá em Setembro de 2008. Recorde-se que a data avançada em Março de 2005 apontava a conclusão do concur-

Foto: Arquivo

so em Junho desse ano e a inauguração das casas para Abril de 2006. De qualquer modo, o vereador reitera que "este é um dos compromissos eleitorais assumidos em 2001, que mais gostaríamos de ver concretizados e colocamos mesmo entre os doze principais objectivos do mandato".

Viaduto

Homem atropelado

Um homem de 55 anos foi atropelado, no passado dia 29, junto ao viaduto sob a sob a Avenida Marechal Humberto Delgado, na cidade. O homem foi apanhado por um veículo ligeiro, na entrada norte do viaduto, quando tentava atravessar a via a pé, mas sofreu apenas ferimentos ligeiros. No local estiveram os Bombeiros Famalicenses com uma viatura e quatro homens, que encaminharam a vítima para o Hospital de Famalicão.


8

FREGUESIAS

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Gavião

Associação Milho d’Oiro volta-se para o Ambiente Plano de Actividades aponta para construção de sede

A Associação Milho d’Oiro, de Gavião, vai voltar-se este ano para as questões ambientais. Isso mesmo disse o presidente da colectividade, Sérgio Marques, na Assembleia Geral realizada em Dezembro, para votação do Plano de Actividades e Orçamento (PAO) para este ano.

Cristina Azevedo

A Milho d’Oiro, "para além de estar a tornar-se numa associação sem fronteiras quer fazer também de Gavião uma freguesia amiga do ambiente", disse o presidente, aquando da apresentação dos documentos. Sérgio Marques esclareceu que todas as actividades em 2007 terão uma componente ambiental, prevendo-se ainda o desenvolvimento de acções de sensibilização dos habitantes para os comportamentos a adoptar. Os sonhos da direcção vão, entretanto, mais longe, sendo que a construção de uma sede passou a ser uma das prioridades para o ano que agora se inicia. No PAO não é dito de que forma a direcção irá conseguir a tão desejada sede, mas adianta-se que, esta, "se há um ano não era prioridade, a dinâmica que a associação, entretanto, ganhou fez com que se pensasse a sério nessa possibilidade". Um projecto que já está em curso é a criação de uma página na Internet, para que "ao longo de 2007 a Milho d’Oiro seja uma associação sem fronteiras". Esta iniciativa visa "aproximar e colocar a associação cada vez mais ao serviço de toda a população e levá-la a todos os portugueses espalhados pelo mundo", diz a associação em nota à imprensa. Em simultâneo, continuar-se-á a promover intercâmbios com associações de outras regiões, "tendo sempre em vista a promoção

da nossa terra e o enriquecimento dos nosso conhecimentos". Na área da música estão previstos novos projectos para crianças e jovens, enquanto a secção do ambiente previstas a já referidas actividades de educação Ambiental. A secção de Letras e Artes vai prosseguir com o curso de alfabetização de adultos para que "nos primeiros meses do ano os ‘alunos’ possam requerer e assinar um novo Bilhete de Identidade". A direcção diz ainda que "os artistas da região continuarão a ter na associação uma aliada para mostrarem o seu talento, tanto a nível local como regional", estando também previsto a criação de ateliers de pintura, escultura, decoração e artesanato, mantendo-se ainda o projecto de um jornal tal como estava previsto em 2006. Continuidade terá também a iniciativa "Gavião ao Serão", que, segundo a associação, "já se tornou uma referência". Mercados estão já o "Serão de Contadores de Histórias e de Sonhos" e o "Serão dos Talentos". Já a iniciativa "Pelos Caminhos da Fundação" terá a cidade de Guimarães como destino em 2007. No que concerne às crianças, o "Dia dos Miúdos" vai designar-se, este ano, "Voando Com os Miúdos". "Queremos envolver as crianças da freguesia nos nossos projectos e, para isso, promoveremos algumas actividades só para elas, entre as quais um concurso de ilustração e conto, para que elas possam dar asas à sua imaginação, para que possam voar nas asas dos seus sonhos", diz a direcção. A primeira actividade de 2007 acontecerá já este mês de Janeiro, com o lançamento do livro "Na Cronologia do Sonho", da autoria do associado Augusto Canetas e que é prefaciada pelo professor Vasco Moreira. Para o desenvolvimento destas actividades, a Milho d’Oiro apresenta "um orçamento de rigor", na ordem dos 18 mil euros.

Delães

Assalto à mão armada num minimercado

Um minimercado de Delães foi alvo de um assalto à mão armada, no passado dia 27. Cerca das 19 horas, dois indivíduos encapuzados entraram no estabelecimento e, sob ameaça de uma faca, conseguiram roubar uma determinada quantia de dinheiro. O OP tentou o contacto com o proprietário do estabelecimento, localizado na Rua da Portela, mas ele mostrou-se indisponível para qualquer comentário. O caso está a ser investigado pela GNR de Riba d’Ave, que tomou conta da ocorrência.

Vale S. Martinho

Fogo destrói quarto de uma habitação

Um incêndio numa habitação, em Vale S. Martinho, destruiu por completo um dos quartos da residência, na noite do passado dia 30. Os Bombeiros Famalicenses foram chamados por volta das 21 horas para combater as chamas numa habitação no lugar do Outeiro. O fogo, cuja origem é ainda desconhecida, acabou por circunscrever-se ao quarto, que ficou completamente destruído. Os bombeiros tiveram ainda que transportar ao hospital um homem que vivia na casa e que apresentava sintomas de intoxicação por fumo. No local estiveram 25 homens e cinco viaturas. Foram necessárias duas horas para resolver a situação.

Café Pinho assinala 20 anos

Foi no passado dia 1 de Janeiro de 2007 que o Café Pinho, em Calendário, comemorou duas décadas de existência. Ao longo dos anos a gerência tem apostado num bom atendimento aos clientes e na qualidade dos seus produtos. O Café Pinho tem um serviço de snack-bar variado e é bem conhecido pelas suas francesinhas e cachorros que sempre foram especialidades muito apreciadas pelos clientes deste espaço. Em tempo de aniversário, e depois de 20 anos de existência, a gerência deixa um obrigado a todos os clientes que ajudaram a tornar o Café Pinho num espaço especial.


Relatório

FREGUESIAS

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

IGAT diz que a Câmara de Famalicão violou o PDM

9

Em causa o licenciamento de um edifício em Cavalões

A IGAT entende que houve violação do Plano Director Municipal no licenciamento de um edifício em Cavalões, considerando que deve ser demolido. A Câmara discorda do parecer da entidade inspectora.

Celso Campos

A Inspecção-Geral da Administração do Território (IGAT) atesta que há um imóvel, alvo de um licenciamento pela Câmara de Famalicão, na freguesia de Cavalões que terá de ser demolido de modo a repor a legalidade, noticiou, sábado, o jornal Público. A IGAT diz que a construção do edifício, com três pisos, violou algumas normas legais e regulamentares, nomeadamente o Plano Director Municipal (PDM). Este organismo propôs agora o envio do seu relatório para o Ministério Público junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, entendendo que deve ser declarada a "nulidade" do despacho de licenciamento e ordenada a consequente demolição do imóvel. Na origem deste caso está a queixa apresentada à IGAT por um vizinho do imóvel em causa. Trata-se de Manuel Pinheiro, um cidadão que ficou conhecido pelas suas frequentes presenças nas reuniões do executivo camarário. Foi ele quem foi alvo, em plena reunião, de uma ameaça do vereador Durval Tiago Ferreira. Manuel Pinheiro é, no entanto, também alvo de processos por difamação movidos pelo presidente da Câmara, por

Jorge Paulo Oliveira e por Durval Tiago Ferreira. A queixa daquele munícipe baseou-se no facto de o imóvel ter um piso a mais e de estar licenciado para armazém mas ter a funcionar uma fábrica de bordados e uma serralharia, factos confirmados pela IGAT.

IGAT diz não ter constatado ‘culpa’ na actuação de Armindo e Jorge Paulo Oliveira Ao contrário de outros casos, noutros municípios, em que a IGAT pede, no seu relatório, a perda de mandato dos responsáveis políticos, nesta situação tal não acontece. A inspecção considera que o presidente da Câmara, Armindo Costa, e o vereador do Urbanismo de então, Jorge Paulo Oliveira, tomaram as decisões sustentados em pareceres técnicos e jurídicos, não tendo sido "recolhidos indícios suficientes que permitam a integração do elemento ‘culpa’". Na reacção, Jorge Paulo Oliveira, contactado pelo OP, salienta este aspecto, mas diz continuar a entender que "não há nenhuma violação do PDM", apontando que o entendimento que a Câmara teve na apreciação deste caso "é o que sempre teve". "Desde 1994, data da publicação do nosso PDM, até à presente data, em situações iguais, a interpretação que foi dada para os artigos em causa foi exactamente a mesma", evidencia aquele que era vereador do Urbanismo aquando do licenciamento do prédio em causa, adiantando ainda que "poderia citar dezenas, ou mesmo centenas, de processos que tiveram o mesmo despacho", quer, consigo a tutelar o Urba-

ADMITE-SE Comercial, com experiência, para reforço de equipa de vendas de empresa líder na distribuição de bebidas Resposta aa este jornal ao anuncio 765/1

PRECISA-SE Jovem com conhecimentos de informática

Empregado de escritório • Área Seguros • Zona Ribeirão/Trofa Admissão imediata (urgente) Resposta a este jornal ao nº 765 enviando o curriculum vitae

Edifício com três pisos violou algumas normas legais e regulamentares

nismo, quer com os seus antecessores. Agora a Câmara aguarda a notificação do tribunal administrativo para apresentar a sua defesa. De qualquer modo, Jorge Paulo Oliveira garante que se o tribunal decidir na linha do relatório da IGAT, a Câmara vai aceitar e "cumprir essa decisão".

Manuel Pinheiro fala em contradições do vereador Já Manuel Pinheiro, também ouvido pelo OP, mostrase "confiante na Justiça", mas não deixa de estranhar as declarações do antigo vereador

Vermoim

do Urbanismo. Este cidadão de Cavalões diz mesmo que Jorge Paulo Oliveira "está a contradizer-se", alegando que alguns dos artigos que mereceram a reprovação da IGAT já tinha merecido idêntico entendimento da parte do vereador. Manuel Pinheiro lembra a existência de um despacho de Jorge Paulo Oliveira onde é requerida a cassação do alvará do edifício em causa e o embargo das obras, por violação de diversos artigos do PDM, tal como agora a IGAT diz no seu relatório. O reclamante diz mesmo que Jorge Paulo Oliveira mandou demolir o terceiro piso, por violação do

PDM no mesmo despacho. Esse despacho foi, no entanto, anulado mais tarde pelo departamento do Jurídico e do Contencioso da autarquia, referiu ainda Manuel Pinheiro. De resto, o cidadão diz que vai "carrear mais elementos para o processo que vai correr" no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga. Além disso diz estar a equacionar exigir o "ressarcimento dos danos que lhe foram causados, não só à Câmara Municipal, mas também aos técnicos que deram as informações que levaram a que fosse praticado um acto de licenciamento ilegal".

Indivíduo ficou em prisão preventiva

Detido suspeito de tráfico de droga

Um homem de 28 anos foi detido, sábado, dia 30 de Dezembro, em Vermoim no âmbito de uma operação de combate ao tráfico de droga levada a cabo pela Guarda Nacional Republicana (GNR). Há muito referenciado pelo tráfico de droga, o indivíduo é natural da Póvoa do Lanhoso mas encontrava-se a viver actualmente em Vermoim, estando a ser investigado há já algum tempo pela GNR de Joane por suspeitas de tráfico de estupefacientes. Uma investigação que culminou ao início da noite de sábado, com a relização de duas buscas: uma à residência do suspeito e outra num veículo, ambas desencadeadas pelo Núcleo de Investigação de Crimes de Droga (NIC-D) de Braga, envolvendo um total de 20 militares. As duas buscas permitiram apreender elevadas quantidades de produto estupefaciente: 1,815 quilo-

gramas de haxixe (equivalente a 9.075 doses individuais); 19,44 gramas de MDMA; 2,34 gramas de liamba; 35 sementes de liamba; e 4 plantas de cannabis. Indiciando que o indivíduo detido se dedicava à produção de droga, a Guarda apreendeu ainda 15 vasos, uma estufa, uma balança digital e um moinho. Foram ainda confiscadas duas armas brancas e 750 euros em dinheiro, e identificados vários indivíduos no interior e no exterior da habitação, alegadamente consumidores de droga. O indivíduo foi presente ao Tribunal Judicial de Famalicão na terça-feira e o juiz decretou-lhe a medida de prisão preventiva, tendo sido enviado para o Estabelecimento Prisional de Custóias, no Porto, onde aguardará a realização do julgamento. M.F.


10

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

PU B LIC ID AD E

Centro de Inglês de Famalicão

ONDE A QUALIDADE ESTÁ PRIMEIRO!

NOVAS INSCRIÇÕES Aceitam-se inscrições para o segundo trimestre nos seguintes níveis:

• Curso de Adultos • Curso de Crinças

INFORMAÇÕES Centro de Inglês de Famalicão Edifício dos Correios Telefone/Fax: 252 374 233 INSCRIÇÕES ABERTAS DAS 14H ÀS 21H RECONHECIDO PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO


Habitação

FR EG U ES IA S

Atrasada entrega das chaves a 16 famílias Câmara tinha anunciado entrega no Natal

Riba d’Ave

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007 11

Plano de actividades e orçamento adiados

Assembleia não se realizou

A sessão da Assembleia de Freguesia de Riba d'Ave destinada a aprovar o plano de actividades e o orçamento da freguesia para 2007 foi adiada. Isto porque, depois dos eleitos do PS terem abandonado a reunião em sinal de protesto, o órgão ficou sem quórum para funcionar. Nova sessão está marcada para o dia 12.

Magda Ferreira

Para a Urbanização das Austrálias, em Requião, vão 12 famílias

Dezasseis casas de habitação social em Requião e Gavião estão prontas mas ainda não foram entregues às respectivas famílias. A Câmara está à espera de processos que estão no INH, embora tenha anunciado a entrega das casas no Natal.

Celso Campos

A Câmara de Famalicão informou, no último Boletim Municipal, que as quatro habitações que compõem a Urbanização da Gábila, em Gavião, e as doze casas que constituem a Urbanização das Austrálias, seriam ocupadas no período do Natal, com a entrega das chaves, naquilo que se deveria tornar numa prenda do município para as famílias em causa. Tal não aconteceu porque a autarquia decidiu que a en-

trega das casas "será para a totalidade dos fogos e das famílias indicadas para o realojamento", apontou o vereador da Habitação, Jorge Paulo Oliveira, ao OPINIÃO PÚBLICA. Tendo em conta que estes investimentos tiveram o apoio do Instituto Nacional de Habitação (INH), cabe também a este dar parecer positivo às famílias indicadas pelo município para ocupar as respectivas habitações. Acontece que se na Urbanização da Gábila, em Gavião, as famílias escolhidas foram aceites pelo INH, já em Requião, "das doze famílias sugeridas pela Câmara Municipal para serem realojadas na Urbanização das Austrálias, oito têm os seus processos aprovados e estão em apreciação os processos das outras quatro". "Queremos entregar as chaves às 16 famílias e não entregar hoje a quatro, depois a mais oito e mais tarde às restantes", atesta o vereador. Apesar deste contratempo, Jorge Paulo Oliveira es-

clarece que as 16 famílias estão devidamente realojadas. Umas estão em casa de familiares, outras em habitações do município e outras em fracções alugadas, mas com a renda paga pela autarquia. O autarca diz não estar em condições de apontar qualquer data para a entrega das chaves, adianta apenas que pode acontecer dentro de dias ou dentro de um mês. Ressalvando que a Câmara "não quer endossar responsabilidades a ninguém", uma vez que o INH nunca se comprometeu com prazos, estando a apreciar os processos "dentro da normalidade", Jorge Paulo Oliveira diz que "só resta esperar". O titular do pelouro da Habitação diz ainda que resta à Câmara "assumir a responsabilidade por um anúncio que não se veio a verificar", embora garanta que o mesmo "não foi feito com o intuito de enganar, foi feito com boa fé". "Era nossa intenção entregar as casas na altura do Natal, mas não foi possível", lamenta.

Mouquim

Homem enforcou-se

Um homem enforcou-se, na tarde da passada quarta-feira, em Mouquim. O caso aconteceu cerca das 16h45, numa residência perto da igreja de Mouquim. O homem foi ainda visto a enforcar-se, pelo que foram chamados os Bombeiros Famalicenses para tentar socorrer o homem, bem como a Viatura Médica de Emergência de Guimarães, no entanto, as tentativas de reanimação não resultaram e acabou por falecer. Trata-se de um homem com 53 anos e engenheiro de profissão. Foram ainda alertadas as autoridades, nomeadamente a GNR e o delegado de saúde que confirmou o óbito. O cadáver foi, cerca das 17h30, transportado para a morgue do Hospital de Famalicão, onde iria ser sujeito a autópsia.

Os eleitos do Partido Socialista (PS) na Assembleia de Freguesia (AF) de Riba d'Ave abandonaram a última sessão daquele órgão, realizada no sábado, dia 30 de Dezembro, em sinal de protesto contra aquilo que dizem ser ilegalidades cometidas naquele órgão. Depois da saída dos dois deputados socialistas (um outro esteve ausente) e dada a chegada tardia de dois outros deputados da coligação PSD/PP, deixou de haver quórum para a realização da sessão, que se destinava à discussão e votação do plano de actividades e do orçamento para 2007. Em comunicado de imprensa, os eleitos do PS vieram depois justificar a atitude tomada, alegando não poder “continuar a pactuar com algumas ilegalidades que se têm verificado” na AF de Riba d'Ave. Em primeiro lugar, apontam o envio tardio da documentação de informação, quando, lembram, o Regimento da Assembleia de Freguesia diz que as sessões devem ser convocadas com o mínimo de oito dias de antecedência e por meio de carta registrada. Os deputados do PS entendem que a convocação por carta registada “não será necessária”, mas “exigem” ser avisados com o mínimo de oito dias de antecedência, “algo que não tem vindo a acontecer”. Por outro lado, queixam-se da não apresentação das actas das sessões, quando o mesmo regimento diz que deve ser lavrada uma acta de cada reunião. “Desde a tomada de posse, à excepção desta última reunião, nunca foram apresentadas as actas, o que implica que as deliberações tomadas em reunião não possam produzir qualquer efeito”, denunciam, acrescentando que na sessão de sábado foram apresentadas apenas duas actas, a da primeira e a da última sessão. Subli-

nhando que estas não foram apresentadas na totalidade, os socialistas dizem estranhar “o critério utilizado para a elaboração e apresentação apenas” daquelas duas actas. Os eleitos socialistas, bem como o secretariado do PS de Riba d'Ave, consideram que tais actos representam “uma falta de responsabilidade para com os ribadavenses”, pelo que asseguram que tomarão esta mesma atitude “sempre que os procedimentos normais de funcionamento das assembleias forem postos em causa”.

Irene Alferes: “Atitude precipitada” Contactada pelo OPINIÃO PÚBLICA, a presidente da AF, Irene Alferes, classificou de “precipitada” a atitude dos socialistas, apontando que poderia ter sido “delimitativa da actividade da Junta de Freguesia”. “E é isso que me preocupa, tenho receio que existam outras razões ocultas, pois isto não era motivo para fazerem uma coisa daquelas, porque já noutros mandatos houve actas que não puderam ser apresentadas e nunca isto aconteceu. Penso que foi uma tempestade num copo de água”, declarou. Mostrando-se preocupada com as motivações desta atitude dos deputados do PS, Irene Alferes garante que as pretende “escalpelizar” na próxima assembleia, que ficou marcada para o dia 12, de hoje a oito dias. “Vou querer saber se existem outras razões por trás disto tudo”, avisa. Quanto às ilegalidades apontadas pelos socialistas, Irene Alferes, eleita pela coligação PSD/PP, desvaloriza. “Penso que não era razão para emitir um comunicado daqueles”, declara, argumentando que as assembleias podem decorrer sem as actas anteriores estarem feitas. Porém, lembra que a competência de elaboração das actas cabe ao 1º secretário da Mesa da Assembleia, pelo que disse não ser a ela que cabe justificar tal lacuna, uma explicação que, de resto, anunciou que irá exigir na próxima sessão. Depois, a presidente garante ter convocado a reunião de sábado dentro do prazo, mas diz que o atraso no envio da documentação não é da sua responsabilidade. “O plano de actividades e o orçamento foi enviado juntamente com a convocatória, foi assim que eu recebi e certamente que foi assim que eles receberam. As informações da Junta, essas de facto recebi-as mais tarde, mas isso acontece aqui e noutras assembleias de freguesia e noutros organismos”, afirma.


12

FREGUESIAS

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Saneamento arranca este ano

Pousada

Plano e Orçamento aprovados

Vermoim espera investimento de dois milhões

Plano e Orçamento Estradas, saneamento e ensino

Com um Orçamento de 181 mil euros, a Junta de Freguesia de Vermoim elege a rede viária como prioridade para 2007. Mas é, sobretudo, o investimento camarário, que ronda os dois milhões de euros, que deixa o autarca local satisfeito.

Cristina Azevedo

António Sousa está satisfeito com os investimentos previstos

Saneamento, rede viária e ensino são as áreas privilegiadas no Plano de Actividades e Orçamento (PAO) da Junta de Freguesia de Pousada de Saramagos para 2007. Os documentos foram aprovados a semana passada, pela maioria PSD/PP na Assembleia de Freguesia, tendo recebido a abstenção dos eleitos do PS. O valor global do orçamento é de 68 mil euros, “o que não é muito”, no entender do autarca pousadense, que, no entanto, acaba por se mostrar satisfeito face ao que a Câmara pretende investir na freguesia. A instalação da rede de saneamento será, no entender de António Sousa, a grande obra do ano e também uma das mais aguardadas. A rede avançará em Pousada e Vermoim, totalizando para este ano um investimento de 400 mil euros. Nas Grandes Opções do Plano da Câmara está também a construção de uma cantina na escola do 1º ciclo de Matinhos, com uma dotação de 60 mil euros. “São obras muito necessárias e é com satisfação que as vemos avançar”, afirma o presidente da Junta que destaca ainda os benefícios que a população de Pousada vai ter também com a conclusão do Pavilhão de Vermoim e com o novo quartel da GNR de Joane. “São equipamentos que, segundo o prometido, se vão concretizar em 2007 e que vão servir também a nossa fregue-

sia”. O autarca não esquece também os melhoramentos previstos para a Escola Secundária Benjamim Salgado, com a construção de mais um bloco, “que vai também beneficiar os nossos jovens”. Relativamente ao Plano de Actividades da Junta propriamente dito, a aposta do executivo continua a ser a rede viária. Apesar de não poder contar com os habituais protocolos da Câmara, António Sousa espera, com o orçamento da Junta, pavimentar algumas ruas ao longo deste ano, concretamente a travessa da Costa e as ruas de Areal, padre João Ferreira e dos Moinhos. Outros dos objectivos passa por dar continuidade à política cultural iniciada em 2006, com a manutenção das iniciativas “Noites em Movimento” e “Dia da Freguesia”. Relativamente à ausência já anunciada por Armindo Costa de protocolos com as Juntas de Freguesia, no capítulo das obras municipais, o autarca de Pousada reconhece que “há carências que gostaria de ver colmatadas”, porém, compreende esta decisão “tendo em conta que 2007 é um ano de contenção financeira”. Por outro lado, considera que o investimento directo que a Câmara previu no seu orçamento para a freguesia acaba por compensar a falta dos protocolos. C.A.

Do valor orçamentado, 68 mil euros destinam-se a despesas correntes, enquanto 112 mil são para investimento. Aqui, a autarquia espera pavimentar algumas ruas, uma delas, a Rua de S. João, já está em obras. Mas é, sobretudo, o investimento camarário previsto para a freguesia, que ronda os dois milhões de euros, que satisfaz o presidente da Junta, Xavier Forte. Este ano, a Câmara Municipal prevê concluir o pavilhão gimnodesportivo e avançar com a rede de saneamento, em simultâneo com a freguesia vizinha de Pousada de Saramagos. Nas vias de comunicação, estão previstas obras de beneficiação do Caminho Municipal 510, que começa na EN 206 e passa por Vermoim, Ruivães e Bente. No orçamento camarário estão também dotados 60 mil euros para obras na Escola do 1º ciclo de Agra Maior, onde será construída uma biblioteca, um refeitório, uma sala para os professores e outra para as actividades extracurriculares. A Junta pensa também aproveitar esta beneficiação para instalar aquecimento na escola. Finalmente, Xavier Forte espera que se concretize também a conclusão do arranjo do adro da capela de Vermoim, para a qual está igualmente prevista uma verba no Plano de Actividades da Câmara. "Num ano de crise e de contenção, ficamos satisfeitos por ver que a nossa freguesia foi

Opinião Pública Redacção 252 308 145 Publicidade 252 308 147

Fax: 252 308 144 252 308 149

Em 2007 deverá ficar concluído o arranjo do adro da capela

contemplada com uma verba que considero generosa", comenta o autarca.

Falta de protocolos não preocupa autarca À semelhança das outras freguesias, Vermoim não tem previsto a celebração de qualquer protocolo com a Câmara. Porém, isso não preocupa Xavier Forte. Para ele, o investimento que a Câmara vai realizar na freguesia acaba por compensar a falta de protocolos. "O que eu quero é que as obras sejam feitas e as condições de vida da população sejam melhoradas. Se é através de protocolo com a junta ou através de investimento directo da Câmara, isso, para mim, é irrelevante", afirma. Xavier Forte reconhece que "se tivesse protocolos para arranjar mais dois ou três caminhos, ficaria com o problema da rede viária resolvido", porém,

compreende que "face ao que a Câmara prevê fazer, não poderia exigir muito mais, sobretudo em ano de crise". E continua: "Acho que o senhor presidente da Câmara esteve muito bem quando convidou todos os presidentes de Junta para uma reunião e nos disse que não haveria protocolos para ninguém", disse, concluindo que "foi uma atitude corajosa, face a um ano de contenção financeira". O Plano de Actividades e o Orçamento da Junta de Vermoim foram a aprovados, por maioria, pela Assembleia de Freguesia, no passado fim-de-semana. Mereceram os votos favoráveis dos eleitos da coligação PSD/PP e da CDU e o voto contra dos membros do PS. Além da beneficiação da rede viária, o plano contempla ainda o apoio às associações da freguesia e a continuação da entrega de um prémio aos melhores alunos do 1º ciclo.


PRAÇA PÚBLICA

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Pelos quatro cantos da ca(u)sa

SEMANÁRIO REGIONAL DE INFORMAÇÃO GERAL

CONSELHO EDITORIAL: Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes

DIRECTOR: João Fernandes (jfernandes@opiniaopublica.pt)

DIRECTOR-ADJUNTO: Feliz Manuel Pereira (felizmp@opiniaopublica.pt)

CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (cristina@opiniaopublica.pt)

CHEFE DE REDACÇÃO ADJUNTO: Celso Campos (ccampos@opiniaopublica.pt)

EDITOR DE TURNO: Magda Ferreira (magda@opiniaopublica.pt)

EDITOR DESPORTO: Arcindo Guimarães (arcindo@opiniaopublica.pt)

REDACÇÃO: Arcindo Guimarães, Carla Alexandra Soares, Celso Campos, Cristina Azevedo, Magda Ferreira, Marta Marques, Raquel Barbosa, Ricardo Ribeiro e Sofia Abreu Silva. (informacao@opiniaopublica.pt)

APOIO À REDACÇÃO: Abílio Moreira e Jorge Alexandre

DESPORTO: Aristides Ferreira, Bruno Guimarães, Bruno Marques, Jorge Humberto, José Carlos Fernandes, José Clemente, José Costa, José Marques, Luís Santos, Pedro Sá, Pedro Silva e Vítor Martins

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, José Luís Araújo, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Costa, Paulo Cunha, Vieira Pinto,

FOTOGRAFIA: Andrade Lobo, Carlos Alberto e Leonel Ribeiro

GRAFISMO: Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

INFORMÁTICA: Filipe Fragoso GERÊNCIA: Feliz Manuel Pereira CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

TÉCNICOS DE VENDAS: Agostinha Bairrinho, Luís Ribeiro, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra (comercial@opiniaopublica.pt)

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS: Francisco Araújo

ASSINATURA ANUAL: 16 Euros (IVA incluído)

PROPRIEDADE: EDITAVE - Comunicação, Publicidade e Promoções, Lda. NIPC 502 575 387

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE: Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

CONTACTOS Redacção: Tel.:252 308145 • Fax 252 308149

Serviços Administrativos: Tel.: 252 308146 / 252 308147 Fax 252 308149

INTERNET www.opiniaopublica.pt

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM: Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

TIRAGEM DESTE NÚMERO: 4.000 exemplares, nº 765

NÚMERO DE REGISTO: 115673

Atitudes

As peripécias deste mundo são tidas, consoante a óptica de quem as “percebe”, por “boas” se com elas estamos de acordo e por “más” se das mesmas discordamos. É o dia a dia da vida em sociedade. Este é um aspecto, o de quem olha para as peripécias; outro é o dos protagonistas e a forma como agem no decurso das mesmas. A forma como foi “julgado” e como enfrentou o “julgamento”, mostrou o ditador Saddam ser um homem “crente”, não convencido dos “crimes” de que estava acusado. Não fosse trágica, a situação apresentava-nos um homem “de grande personalidade”. Já a sua “atitude” perante a forca – pelo menos a colocação do laço à volta do pescoço – demonstrou um homem de “enorme dignidade”! Ao ver as imagens da aproximação deste ditador ao cadafalso e a forma como se comportou, no curto espaço de tempo que fui capaz de o fazer, ocorreram-me de imediato as imagens de um outro ditador, este do ex-leste europeu. Aquele homem, Ceausesco, ex-presidente da Roménia, – País que hoje passa a integrar a União Europeia a 27 – então todo-poderoso, encontrava-se no canto de uma sala, na presença da sua mulher,

13

Domingos Peixoto sentados em simples cadeiras, aterrorizado perante a iminente execução. Se o que se “sabe” da sua vida política é verdadeiro, a imagem que deixou é totalmente oposta à que me deixou Saddam. Ao que nos diz a “história conhecida” – ou a que interessa divulgar – destas duas figuras da vida política recente, o seu exercício do poder terá sido simplesmente sanguinário, destituído de qualquer princ��pio de respeito pelos mais elementares direitos humanos e de justiça. Logo, as penas até parecem justas… Mas sobre esse assunto deixo a interpretação para cada um. Duas vidas similares, duas mortes por condenação idêntica das suas condutas para com as pessoas que dominavam, duas atitudes diferentes perante a iminência da morte! Embora “pareça” que Saddam foi sujeito a um julgamento justo, num palco adequado ao acto, na verdade Ceausesco foi “retirado do seu palácio” – de ouro dizia-se – e imediatamente sujeito a “interrogatório, condenação e execução”. Um e outro – e os seus regimes – foram usados por potências estrangeiras para levarem por diante a política e as acções pelas quais haveriam

de ser condenados à morte! Se no caso da Roménia a potência dominante também viria a ser “desmembrada e destruída” no seu “estilo político”, no caso do Iraque a potência dominante mantém-se e continua a “dar cartas ao mundo”! As notícias mais recentes

sabor dos interesses capitalistas de alguns poucos. São estas e outras atitudes que levam a que uns sejam a favor e outros contra, numa dualidade de critérios sobre os mesmos assuntos e problemas, que promovem a divisão da sociedade em bons e maus,

Ao ver as imagens da aproximação deste ditador ao cadafalso e a forma como se comportou, no curto espaço de tempo que fui capaz de o fazer, ocorreram-me de imediato as imagens de um outro ditador, este do ex-leste europeu. Aquele homem, Ceausesco, ex-presidente da Roménia... dão-nos conta de situações dramáticas e atrozes de milhões de pessoas, vítimas de guerras e de perseguições políticas, com as quais parece ninguém se incomodar, a não ser o Alto-comissário da ONU para os Refugiados, o português António Guterres! Aliás, sabe-se também que as potências mais ricas querem retirar meios à ONU, inviabilizando cada vez mais a sua capacidade de intervenção, ficando o mundo e os povos ao

consoante o ponto de vista de cada um. A propósito, muitos dos que recentemente têm vindo “dar a cara” pela paz, pela segurança e pela vida, que posição tomaram ou tomam perante os milhões de crimes que ocorreram e continuam a ocorrer precisamente contra a paz, a segurança e a vida e que nunca são ou vão ser julgados. Acabemos com a hipocrisia! Louro, 2007.01.01

Maré Alta

Opções para o futuro Na passada semana foi aprovado em Assembleia Municipal o Plano e Orçamento da Câmara de V. N. de Famalicão para 2007, pomposamente chamado de Grandes Opções do Plano. Este documento reveste-se de primordial importância para o nosso concelho, na medida em que todas as actividades da Câmara Municipal deverão enquadrar-se neste Plano e Orçamento. Elaborado pelo executivo, sem qualquer colaboração dos restantes partidos e mesmo sem considerar as propostas apresentadas pelo BE, num claro desrespeito pela legislação, este Plano contou com os votos contra de toda a oposição, quer na Câmara Municipal quer na Assembleia Municipal. Já ninguém tem dúvidas de que este é um mau orçamento para V. N. de Famalicão, apesar das tentativas dos partidos da coligação em tentarem elogiar o Plano. Nesse debate, foi curioso assistir às sucessivas acusações entre os partidos da coligação e os socialistas de que tudo o que é mau é culpa dos outros, num caso do Governo e dos executivos PS anteriores e no outro da falta de ambição e dos problemas internos deste executivo. Podemos concluir que, com este Orçamento, a Câmara Mu-

nicipal vai funcionar muito próximo da mera gestão corrente, com as consequências daí decorrentes para o concelho. Continuando a serem privilegiadas as festas, a propa-

José Luís Araújo nas últimas autárquicas terem originado uma maioria absoluta onde impera a teoria do “quero, posso e mando”, agravada por divisões e lutas de poder internas que condicionam o

Já ninguém tem dúvidas de que este é um mau orçamento para V. N. de Famalicão, apesar das tentativas dos partidos da coligação em tentarem elogiar o Plano. Nesse debate, foi curioso assistir às sucessivas acusações entre os partidos da coligação e os socialistas de que tudo o que é mau é culpa dos outros... ganda, os passeios e os assessores. O mais grave de isto tudo é que faltam ainda três anos até ao final deste mandato e não há forma de mudar este estado de coisas, adivinhando-se um resto de mandato profundamente angustiante, uma vez que esta coligação no poder se está a dilacerar internamente e o Partido Socialista manifesta que não está a ser capaz de se afirmar como uma verdadeira e credível alternativa de governação para o município. Isto acontece como consequência da maioria dos famalicenses que votaram

cumprimento dos sucessivos planos e orçamentos. Está na altura de os famalicenses se convencerem da importância de acabar com a maioria absoluta na Assembleia Municipal, de forma a que se torne num verdadeiro órgão de poder e não num mero protocolo onde se legitimam ideias e planos unilaterais (por consequência limitadas), numa completa ausência de pluralidade em termos de gestão autárquica. Não menos importante é que haja na Câmara Municipal vereadores que não pertençam

aos partidos da coligação nem ao PS e que originem novas alternativas, pois só dessa forma será possível uma verdadeira democracia participativa e mais benéfica para os famalicenses. O desenvolvimento não é compatível com eternas acusações mútuas nem com alternadas maiorias absolutas, geradores de desigualdades e de uma noção de democracia manifestamente totalitária. Não é cedo demais para os famalicenses pensarem no futuro que querem para o concelho. É tempo de compreender que o voto de cada um é extremamente importante e que não deve ser condicionado por promessas demagógicas de grandes projectos nem por falinhas mansas em época de campanha. Este é o tempo de nos empenharmos no futuro, porque o futuro é já amanhã. sezuresvnf.blogspot.com

PASSA-SE Restaurante em Ribeirão A trabalhar bem Contacto:966 507 360


14

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Programação

CULTURA

Gene Loves Jezebel em Famalicão Janeiro com novidades na Casa das Artes

Os Gene Loves Jezebel, uma das bandas de música alternativa de maior sucesso de sempre, estão de regresso aos palcos e actuarão na Casa das Artes de Famalicão, no próximo dia 19 de Janeiro, pelas 21h30.

O concerto dos Gene Loves Jezebel é o grande destaque musical na programação de Janeiro. A banda dos gémeos Jay e Michael Aston tornou-se objecto de culto entre a comunidade britânica de rock gótico, tendo, no entanto, alcançado maior sucesso nos EUA. Com um estilo musical e postura dramáticas que influenciaram uma geração, foi pioneira na alternativa da cena musical dos anos 80, reatando agora a centelha criativa e a musicalidade que se tornou na sua imagem de marca. Da discografia dos Gene Loves Jezebel fazem parte álbuns como "Promise"; "Discover", "Kiss of Live", "In the Afterglow", entre muitos outros, que certamente serão recordados em Famalicão. O espectáculo terá lugar no grande auditório e entrada a custar 15 euros. Mas o concerto desta banda é apenas uma das muitas propostas do cartaz da Casa das Artes para o mês de Janeiro. Outro dos destaques é o espectáculo infantil "A Carochinha – Concerto no Ervilhal", a realizar-se no dia

A banda dos gémeos Jay e Michael Aston tornou-se famosa nos anos 80

20, pelas 18h30, no grande auditório, com o bilhete a custar sete euros. Com a duração de cerca de uma hora, este espectáculo é um musical que vai apaixonar crianças e adultos. Numa hora mágica serão reinventadas

inesquecíveis canções infantis num universo fantástico onde todos perdem a idade e reaprendem a ver o mundo com outras cores. As canções do espectáculo são de autoria popular e os textos de Rute Moreira, sendo as personagens interpretadas por Pedro Mimoso, Ricardo Velho, Paula Prades e Aurora Heleno. A dança também marcará presença, com o espectáculo "Alémdadança", no dia 14 de Janeiro, no grande auditório, numa co-produção entre a Casa das Artes e a Escola Neusa Rodrigues. Com esta iniciativa pretende-se fomentar a criação artística e cultural no concelho, motivando e envolvendo todos, num grande espectáculo. O bilhete custa cinco euros. Também no âmbito da dança, a Casa das Artes apresenta, no dia 27, o espectáculo "As Semente + Tachakare Kanyembe", a realizar-se no grande auditório. Com experiências diversifi-

rárias numa perspectiva de entretenimento, terá o sugestivo tema de "Deixei-me comer isto". Terá lugar no caféconcerto, a partir das 21h30, com a entrada a custar cinco euros. No campo musical destaque para a música pop e electrónica dos "Balla – A Grande Mentira", que actuarão no dia 6 de Janeiro, no café-concerto, num espectáculo com bilhete a custar cinco euros, e para os "High Flying Bird", de Bruno Lopes, no dia 11, um projecto que é uma mistura simples de voz, poesia, guitarra e harmónica. O local deste concerto e o preço dos bilhetes são os mesmos. O projecto de Rock Sinfónico "The SymphOnyx" irá subir ao palco do grande auditório, no dia 18, pelas 21h30. A entrada custa também cinco euros. Destaque ainda para o concerto de Fatucha Overacting Quartet, no dia 25 de Janeiro, a realizar-se no grande au-

A banda dos gémeos Jay e Michael Aston tornou-se objecto de culto entre a comunidade britânica de rock gótico, tendo, no entanto, alcançado maior sucesso nos EUA. cadas na área da música, dança, capoeira, teatro, vídeo, entre outras áreas, o grupo Semente surgiu no ano de 2001 e tem raízes artísticas de inspiração étnica. Por sua vez, os Tachakare Kanyembe (nomes de dois instrumentos tradicionais africanos) são um projecto afrobreat, com influências jazz, funk e rock. O preço dos bilhetes é de sete euros. Francisco José Viegas em Noites de Escritura O escritor, jornalista e actual director da Casa Fernando Pessoa, Francisco José Viegas, é o convidado especial da sessão das Noites de Escritura Pública / Depósito Legal, que regressam à Casa das Artes, no dia 10 de Janeiro. A iniciativa, que consiste na promoção de um ciclo de leituras, performances e conversas em torno de temáticas lite-

ditório, a partir das 21h30. Voz feminina com uma performance de grande valor estético, a dança, o guarda-roupa "retro", e a expressividade levada ao limite são características deste espectáculo tímbrico fora do comum, com entrada a custar cinco euros. A música erudita também irá marcar presença na Casa das Artes, no dia 26, com o recital de Flauta transversal e piano, com o duo Luís Meireles e Maria José Souza Guedes. Terá lugar no grande auditório, a partir das 21h30, e cada bilhete custa cinco euros. Entretanto, entre 5 e 31 de Janeiro, estará patente no foyer da Casa das Artes a exposição de Regina Silva, intitulada "Descalça na calçada". A mostra, de entrada livre, pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10 às 19 horas, e durante os dias em que haja espectáculos.


PUBLICIDADE

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Falecimentos

15

António Correia Machado, no dia 30 de Dezembro, com 93 anos, viúvo de Maria Joaquina Machado, da freguesia de Castelões. Maria Silva Freitas Ribeiro, no dia 3 de Janeiro, com 72 anos, casada com Bernardino Gomes Ribeiro, da freguesia de Lagoa.

Joaquim Alves da Silva, no dia 3 de Janeiro, com 77 anos, casado com Izaura Rodrigues Carneiro da Silva, da freguesia de Cabeçudos. Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594 Avelino Sá, no dia 31 de Dezembro, com 84 anos, casado com Rosalina Dias Santos, da freguesia de Antas. Maria Amélia Guimarães, no dia 2 de Janeiro, com 91 anos, solteira, da freguesia de Gemunde. Maria Celeste Freitas Mendes, no dia 2 de Janeiro, com 54 anos casada com Manuel Carlos Ferreira Azevedo, da freguesia de Calendário. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176 Manuel da Fonseca e Sousa, no dia 23 de Dezembro, com 86 anos, viúvo de Joaquina Pereira da Silva, da freguesia de S. Martinho do Bougado. José Manuel Moreira de Azevedo, no dia 23 de Dezembro, com 37 anos, solteiro, da freguesia de S. Tiago de Bougado. José Fernando da Silva Calçada, no dia 24 de Dezembro, com 34 anos, casado com Maria José de Oliveira Martins Calçada, da freguesia de S. Tiago Bougado. Maria de Lurdes Serra de Lemos, no dia 26 de Dezembro, com 88 anos, solteira, da freguesia de S. Martinho do Bougado. Alcida da Silva Magalhães, no dia 1 de Janeiro, com 87 anos, viúva de Mário da Silva Moreira, da freguesia de S. Martinho do Bougado. Agência Funerária Trofense, Lda Trofa – Tel.: 252 411 381

PEQUENOS

PARA GRANDES

ANÚNCIOS

NEGÓCIOS

P U B L I C I D A D E Semanário regional de Informação Geral

TITULO TEXTO

Valor da Publicidade:

€ 4,00 IVA INCLUÍDO A 21% Preencha este cupão, devidamente, e envie para a nossa morada

DIAS DE PUBLICAÇÃO

Nome: _______________________________________________________________________________ Morada: ______________________________________________________________________________

____/____/_______ e ____/____/______ e ____/____/______ 1 Mês ____

2 Mês _____

Localidade: _________________________________________ Cód. Postal: _____________-________ Tel.: ________________________________________________ Nº Contribuinte: __________________ Valor a pagar: € __________________ Cheque sob o banco:__________________________________

ATENÇÃO: O Jornal OPINIÃO PÚBLICA reservase o direito da não publicação desse anúncio caso o cupão não esteja correctamente preenchido com o nome, morada e telefone do anunciante, e viole o Código da Publicidade.

ENVIAR PARA A SEGUINTE MORADA: Jornal OPINIÃO PÚBLICA Rua 8 de Dezembro, nº 214 4760-016 Antas S. Tiago ou Apartado 410 VN Famalicão


16

ÁREA METROP OLI TANA

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Ruílhe

No âmbito do projecto “Ciência em Acção”

Externato leva aulas experimentais ao 1º ciclo

Alunos do 1º ciclo têm aulas experimentais

O Externato Infante D. Henrique (Alfacoop), em Ruílhe, Braga, continua a desenvolver o projecto “Ciência em Acção” nas escolas do 1º ciclo do Agrupamento Horizontes do Este. Trata-se de um projecto que vai de encontro à aplicação nos currículos de uma metodologia CTSA (Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente) que implica o desenvolvimento de actividades experimentais, se possível ao nível do ensino pré-escolar e do 1º ciclo.

É nestas circunstâncias que um grupo de professores do Externato Infante D. Henrique continua a desenvolver este projecto desde há vários anos. Os objectivos são proporcionar aos alunos experiências que permitam criar hábitos positivos, no âmbito de uma intervenção consciente na sociedade em que se inserem; fomentar a aquisição e aplicação de um saber mais aprofundado, assente na reflexão crítica e na observação; e promover a inovação no processo de

ensino-aprendizagem ao nível do 1º ciclo. Este ano lectivo, o projecto “Ciência em Acção” vai mais longe do que o habitual e os coordenadores disponibilizaram-se a planificar aulas experimentais propostas pelos professores do 1º ciclo, baseadas nos programas homologados do 4º ano, e a leccioná-las duas vezes por período, em cada escola do 1º ciclo. Assim, neste primeiro período planificaram-se aulas experimentais sobre a segurança do corpo humano e prepararam-se os materiais necessários, tendo sido leccionadas duas aulas em cada escola do agrupamento aos alunos do 4º ano, de modo a que desenvolvam as competências já referidas e em simultâneo a preparar os docentes para os próximos anos lectivos. Estas actividades decorreram entre 4 de Outubro e 22 de Novembro: a 4 de Outubro e 15 de Novembro realizaram-se nas escolas do 1º ciclo de Ruílhe, Tebosa e Arentim; a 11 de Outubro e 8 de Novembro nas escolas primárias de Bastuço S. João, Bastuço Sto Estêvão e Sequeade; e a 18 de Outubro e 22 de Novembro em Nine, Cambeses e Cunha. Em nota à imprensa, a Alfacoop diz que das aulas experimentais já realizadas, os professores dinamizadores do projecto obtiveram reacções muito positivas que comprovam, na sua perspectiva, o êxito da acção.

Política

Hugo Pires vence eleições para Distrital da JS

Hugo Pires é o novo presidente da Federação Distrital de Braga da Juventude Socialista. Foi eleito no sábado, 30 de Dezembro, durante a Convenção de Braga da JS. De acordo com nota à imprensa da JS de Famalicão, a sufrágio apresentaram-se duas listas: uma encabeçada por Hugo Pires, da Concelhia de Braga; e outra por Frederico Castro, da Póvoa de Lanhoso. Venceu a primeira, com 68 votos dos delegados à Convenção, contra 67 do seu oponente. Na sua declaração depois de ter sido eleito, Hugo Pires reafirmou a sua vontade de construir uma Federação forte, com a participação de todos, almejando assim concretizar a meta a que se propôs de criar "14 em rede", ou seja, 14 concelhias em todo o distrito, mas uma só JS. Agradecendo a todos os que, a seu lado, trabalharam nesta candidatura, o novo presidente da Distrital ressalvou, diz a nota da JS famalicense, o trabalho de Luís Moniz e do Secretariado Concelhio da JS de Famalicão, "que em muito contribuíram para esta vitória". Com esta eleição, passam a fazer parte da Comissão Política Distrital de Braga da JS cinco jovens famalicenses: o líder Luís Moniz, por inerência, tendo sido agora eleitos André Costa, André Oliveira, Filipe Soutinho e Tomé Barreiro. Para representantes da JS na Comissão Política da Federação de Braga do PS foi eleito Hilário Campos, enquanto Pedro Silva foi eleito para o Conselho Federativo de Jurisdição.


22

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

Opinião

PU BLICIDADE

Telefone úteis

Pública

1º Cartório Notarial 2º Cartório Notarial

2ª Repartição de Finanças 252 323919 Acção Social

252 301233

Biblioteca Municipal

252 319684

ACIF

Bombeiros V. Famalicenses Bombeiros V. Riba de Ave

Redacção

Câmara Municipal

252 308 145

Geral

Número Verde

252 327186

252 319888

252 373464

252 313645

CITEVE

252 300300

C. de Saúde Delães

Conservatória Reg, Civil Correios de Portugal Delães

Riba de Ave

252 900420

ESSVA

Extensões de Saúde

252 493491

252 990090

252 490080 252 374323

252 301720

Arnoso Santa Maria

252 916226

Gondifelos

252 952139

PRECISA-SE

ADMITE-SE

FUNCIONÁRIO/A para AGÊNCIA DE VIAGENS

Fradelos

Trolhas com a categoria de 1ª e 2ª Zona de Famalicão Contacto: 252 374 676

Landim

Tel.: 252 928 800 joane@euroviagens.com Entrada Imediata

252 900410

252 960070

EN - Electricidade do Norte

JOANE

252 322560

Nine

Ribeirão

252 308 149

252 373336

252 309710

Pousada Saramagos

252 308 144

252 907030

Famalicão

Lousado

Fax:

Joane

Louro

Lousado Requião

Ribeirão

Ruivães

Seide S. Miguel

Vale São Cosme

252 458061

252 990580 252 321462

252 330220

252 493209

252 323954

252 492707

252 993150

252 323880

252 912624

Fund. Cupertino Miranda 252 301650

GNR de Famalicão

252 501360

GNR de Riba de Ave

252 982385

Hospital Narciso Ferreira

252 900800

GNR de Joane

Hospital S. João de Deus Inspecção de Trabalho IEFP

Jornal Opinião Pública Ludoteca

Polícia Municipal

Posto de Turismo

252 996514

252 300800

252 323041

252 501100

252 308145

252 319684 252 320999

252 312564

Protecção Civil

252 317336

Rádio Cidade Hoje

252 301780

PSP

Rádio Digital

Contacto: 917 578 792

252 371297

C.de Saúde Famalicão

Conservatória Reg. Predial

Loja em Braga bem situada (junto ao Feira Nova) Com alvará de licença e devidamente equipada para actividade de Restauração

252 320900

800 292827

Centro Inf. Aut. Consumidor 252 312564

252 308 147

VENDE-SE OU TRESPASSA-SE

252 322055

252 900200

Casa de Camilo

Central de Camionagem

Publicidade

CONTACTO: 252 312 014

252 301112

252 323289

Cemitério Municipal

FUNCIONARIA PARA SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS

252 315409

Caminhos de Ferro Casa das Artes

ADMITE

252 322559

1ª Repartição de Finanças 252 322483

Bombeiros V. Famalicão

Imobiliária situada em Vila Nova de Famalicão

252 309780

Segurança Social

252 373375

252 308141

252 301230

Serviço Águas - Avarias

252 322971

Taxitel

252 372724

Táxis: Famalicense TUF

Tribunal Cível

252 311642 252 310004

252 501400

Tribunal de Trabalho

252 311691

Universidade Lusiada

252 309200

Tribunal Judicial

252 302950


Signos

F A MÍL IA Previsões de Maria Helena - Centro Português de Esoterismo para o período de 5 a 11 de Janeiro de 2007

21/03 a 20/04

21/04 a 21/05

22/05 a 21/06

22/06 a 22/07

23/07 a 23/08

24/08 a 23/09

Carneiro Carta da Semana: O Mundo, que significa Fertilidade. Amor: Tente conviver mais com os seus amigos e faça esforços para travar novos conhecimentos. Saúde: Período propício a uma consulta de oftalmologia. Não descure da sua visão. Dinheiro: Evite faltar a reuniões de trabalho. A sua presença será importante para desenvolver um projecto. Número da Sorte: 21 Números da Semana: 1, 18, 22, 40, 44, 49

Touro Carta da Semana: 9 de Ouros, que significa Prudência. Amor: Cuidado para não magoar os sentimentos de uma pessoa que lhe é querida. Meça as suas palavras. Saúde: Tendência para andar um pouco descontrolado. Dinheiro: O seu esforço no trabalho poderá vir a ser recompensado. Acredite mais nas suas potencialidades. Número da Sorte: 73 Números da Semana: 3, 11, 19, 25, 29, 30 Gémeos Carta da Semana: 2 de Ouros, que significa Dificuldade/ Indolência. Amor: Poderá ter de enfrentar um desentendimento com um amigo muito especial. Mantenha a calma! Saúde: Controle as suas emoções e procure ser racional. Dinheiro: O seu orçamento poderá sofrer um acréscimo significativo. Seja contido nos gastos. Número da Sorte: 66 Números da Semana: 19, 26, 30, 32, 36, 39

Caranguejo Carta da Semana: Cavaleiro de Espadas, que significa Guerreiro, Cuidado. Amor: Modere as suas palavras pois pode magoar a pessoa amada. Seja mais cuidadoso. Saúde: Procure não exagerar no exercício físico, pois poderá magoar os seus músculos. Dinheiro: É possível que durante esta semana se sinta um pouco desmotivado. Tente delinear um plano de trabalho. Número da Sorte: 62 Números da Semana: 5, 9, 17, 33, 42, 47 Leão Carta da Semana: 10 de Copas, que significa Felicidade. Amor: Lute pelo seu verdadeiro amor, não se deixe influenciar por terceiros. Saúde: Vigie a sua tensão arterial e controle muito bem a sua alimentação. Dinheiro: Procure não ser muito impulsivo nas suas compras, pois poderá gastar mais do que as suas possibilidades. Número da Sorte: 46 Números da Semana: 8, 9, 22, 31, 44, 49

Virgem Carta da Semana: 2 de Copas, que significa Amor. Amor: Seja mais carinhoso com a sua cara-metade. Saúde: Poderá sentir-se mais cansado do que o habitual. Tente tomar um banho relaxante. Dinheiro: Cuidado com os gastos supérfluos. Seja mais comedido para não ter surpresas desagradáveis. Número da Sorte: 38 Números da Semana: 2, 8, 11, 28, 40, 42

24/09 a 23/10

24/10 a 22/11

23/11 a 22/12

23/12 a 20/01

21/01 a 19/02

20/02 a 20/03

Balança Carta da Semana: 3 de Copas, que significa Conclusão. Amor: Confie mais na pessoa que tem a seu lado. A confiança e o respeito são essenciais. Saúde: Tendência para apanhar uma grande constipação. Agasalhe-se bem. Dinheiro: Não se deixe abater por uma maré menos positiva nesta área da sua vida. Analise as suas poupanças. Número da Sorte: 39 Números da Semana: 7, 19, 23, 42, 43, 48 Escorpião Carta da Semana: 8 de Copas, que significa Concretização, Felicidade. Amor: A felicidade e a paixão poderão marcar a sua semana. Aproveite muito bem esta fase. Saúde: Cuidado com as correntes de ar; durante esta semana poderá constipar-se facilmente. Dinheiro: Poderá precisar da ajuda de um colega para finalizar uma tarefa importante. Não tema pedir apoio. Número da Sorte: 44 Números da Semana: 2, 4, 22, 36, 47, 48

Sagitário Carta da Semana: Valete de Ouros, que significa Reflexão, Novidades. Amor: Poderá encontrar um amigo que já não via há muito tempo. Coloque a conversa em dia. Saúde: Procure não abusar em refeições muito condimentadas. Dinheiro: Aproximam-se despesas inesperadas. Procure fazer um plano de investimento. Número da Sorte: 75 Números da Semana: 3, 24, 29, 33, 38, 40

Capricórnio Carta da Semana: Ás de Ouros, que significa Harmonia e Prosperidade. Amor: Período marcado pela harmonia familiar. Organize um serão divertido em sua casa. Saúde: Tendência para problemas de estômago. Cuide de si. Dinheiro: Semana propícia ao investimento. Número da Sorte: 65 Números da Semana: 4, 11, 17, 19, 25, 29

Aquário Carta da Semana: Ás de Copas, que significa Principio do Amor, Grande Alegria. Amor: Esteja alerta, o amor poderá surgir em qualquer lugar. Deixe-se ser amado. Saúde: Pratique uma actividade física que lhe dê bastante prazer. Dinheiro: A sua vida profissional tende a melhorar significativamente. Continue a demonstrar o seu dinamismo. Número da Sorte: 37 Números da Semana: 5, 17, 22, 33, 45, 49

Peixes Carta da Semana: 9 de Copas, que significa Vitória. Amor: Período favorável à conquista. Encha-se de coragem e diga aquilo que sente. Saúde: Cuidado com o frio, pois o seu sistema respiratório poderá estar muito frágil. Dinheiro: Seja ousado e revele as suas ideias criativas. Poderá ser útil para o seu desenvolvimento profissional. Número da Sorte: 45 Números da Semana: 2, 8, 11, 25, 29, 33

Cinema

O P I N I Ã O P Ú B L I C A , 5 de Janeiro de 2007

23

Apocalypto

Quando o fim chega nem todos estão dispostos a desistir. Do realizador galardoado pela Academia, Mel Gibson ("A Paixão de Cristo", "Braveheart") chega agora "Apocalypto". Uma empolgante e mítica aventura de acção de parar a respiração no turbulento fim dos tempos de outrora – a grande civilização Maia. Quando a sua idílica existência é brutalmente posta em causa por uma violenta força invasora, um homem é levado numa perigosa viagem por um mundo governado pelo medo e opressão onde um fim agonizante o espera. Porém, através de um assomo de esperança e impelido pelo poder do amor que tem pela sua mulher e família, ele iniciará uma fuga desesperada para voltar a casa e, por fim, conservar o seu modo de vida. Para os críticos, Gibson criou um filme de uma inesperada provocação e de uma beleza marcante e que vem revelar a sua originalidade como realizador. "É pura adrenalina, um tremendo e emocionante filme de acção filmado no México, na antiga civilização Maia, com diálogos em Yucatec Maia…", Peter Travers, Rolling Stone.

Literatura

“Neve” de Orhan Pamuk

Ohran Pamuk define este livro como seu primeiro e último romance político, que conta à história de Ka, poeta exilado na Alemanha, que viaja a uma pequena cidade turca sob o pretexto de investigar a onda de suicídios entre jovens muçulmanas. Durante essa visita, uma nevasca bloqueia todas as estradas, isolando a cidade do resto do mundo. É nesse clima de isolamento que um veterano actor e sua mulher aproveitam para liderar um golpe militar. Embora tenha se distanciado da política há muitos anos, Ka é o protagonista involuntário dessa revolução, que vê a cidade a tornar-se um microcosmo dos conflitos raciais, políticos e étnicos da Turquia, além de palco da sua tragédia pessoal.

Música Corvus Corax - Cantus Buranus

Tudo começou nos anos 80 quando um conjunto de homens estranhos surgiu no cenário alemão a vagabundear pelas terras, sem casa ou trabalho, lutando pela vida a tocar gaitade-foles e tambores e fazendo truques. Em 1989, dois deles actuaram sob o nome de Corvus Corax pela primeira vez. A sua interpretação individual das melodias medievais não só começaram a sua incrível história enquanto banda como também marcou o começo dum estilo de música completamente novo que se estabeleceu e inspirou um activo cenário de rock medieval. As gaitas de fole são a marca dos Corvus Corax. Actuam meio nus e os seus fatos extravagantes são baseados em imagens medievais. Corvus Corax já editaram até agora 15 discos. É agora lançado "Cantus Buranos" que terá duas edições diferentes: CD audio; e CD audio + DVD que irá incluir um EPK com 9 minutos e o tema "Rustica Puella" ao vivo.

Farmácias: FAMALICÃO Barbosa: Rua Santo António, Tel. 252 311 265 Calendário: Rua da Liberdade, Tel. 252 378 400/1 Cameira: C. Mouzinho Albuquerque, Tel. 252 323 819 Central: Praça D. Maria II, Tel. 252 323 214 Nogueira: Av. Marechal H. Delgado, Tel. 252 310 607 Valongo: Rua Adriano Pinto Basto, Tel. 252 323 294

JANEIRO Sexta, 5 Sábado,6 Domingo, 7 Segunda,8 Terça, 9 Quarta, 10 Quinta, 11

SERVIÇO Valongo Cameira Calendário Calendário Nogueira Barbosa Valongo

REFORÇO Calendário

Valongo Cameira Central Calendário

Em serviço de disponibilidade Gavião - Ed.S. Vicente - Picoto - Telef. 252 317 301 9h00 às 20h30 - Dom. e feriados - 10h00 às 12h30 Paula Reis: R. José Elisio Gonçalves Cerejeira, nº 629 - Calendário - Telef. 252 378 057 8h30 às 20h00 - Sábados: 8h30 às 19h00

Farmácias: VALE DO AVE Almeida e Sousa: Covas - Oliv. Stª Maria - Telf. 252 931 365 Riba de Ave: Av. Narciso Ferreira, Telf. 252 982 124 Bairro: Av. Silva Pereira, Telf. 252 923 678 Faria: Estrada Nacional 310 - Serzedelo - Telf. 252 532 346 Delães: Portela - Delães - Telf. 252 931 216

Farmácias do Concelho Estação: Largo da Estação - Nine - Telf. 252 961 118 Ribeirão: Largo de Bragadela - Ribeirão - Telf. 252 416 482 Marinho: Edif. S. José - Estalagem - Telf. 252 921 182 Santiago da Cruz: Vale S. Cosme - Telf. 252 911 123 Pratinha: Largo do Cruzeiro - Cavalões - Telf. 252 375 423 Marques: Largo da Igreja - Fradelos - Telf. 252 458 440 Maceiras: Louro - Telf. 252 310 425 Olv. Monteiro: Largo da Igreja - Cabeçudos - Telf. 252 331 885 Martins Ventura: R. Cardeal Cerejeira - Lousado - Telf. 252 493 142 Pedome: Av. S. Pedro, 1139 - Pedome - Telf. 252 900 930

JANEIRO Sexta, 5 Sábado,6 Domingo, 7 Segunda,8 Terça, 9 Quarta, 10 Quinta, 11

SERVIÇO Bairro Faria Delães Almeida e Sousa Riba de Ave Bairro Faria

HORÁRIOS 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 21h00 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 20h00 - Sáb. 9h00 às 13h00 9h00 às 21h00 - Sáb. 9h00 às 20h30 - Dom. 10h00 às 12h00 8h30 às 23h00 - Sáb. e Dom. 9h00 às 22h00 9h00 às 20h00 - Sáb. e Dom. 9h00 às 19h00 9h00 às 21h00 - Sáb. e Dom. 9h00 às 20h00 9h00 às 20h00 - Sáb. 9h00 às 19h00 9h00 às 20h00 - Sáb. 9h00 às 17h30 9h00 às 21h00 - Sáb. 9h00 às 20h00 - Dom. 9h30 às 13h00 9h00/13h00 e das 14h00/20h00 - Sáb. 9h00/13h00 e das 14h00/19h00


SEMANÁRIO REGIONAL DE INFORMAÇÃO GERAL

Rua 8 de Dezembro, 214 - 4760-016 Antas S. Tiago - Vila Nova Famalicão


OP-1008-P 01 Primeira