Page 1

Feliz Páscoa Cristãos celebram este domingo a Ressurreição de Cristo com festa em família

Aleluia! Aleluia! É já neste domingo que se celebra o Dia de Páscoa. Para os cristãos a celebração da Ressurreição de Cristo e, igualmente, a celebração da vida. Segundo documentam alguns livros, antes de ser uma festa cristã, a Páscoa era celebrada com o fim do Inverno e a chegada da Primavera. Com efeito, apesar de não se saber muito bem a origem da Páscoa, este tempo foi sempre um símbolo de alegria e da passagem de um tempo mais frio e cinzento para um mundo mais quente e iluminado. Podemos chamar a isto de renascer, ou seja, o fenómeno da vida, que vence sempre a morte. A palavra Páscoa vem do hebraico Pessach, que significa passagem. Os antigos hebreus foram os primeiros a comemorar a Páscoa, que possui diversos significados. Em termos históricos, celebra-se a libertação dos hebreus da escravidão no Egipto e a passagem através do Mar Vermelho. É com esse sentido de libertação que, até hoje, os judeus celebram esta festa. No Cristianismo, celebra-se a ressurreição de Jesus Cristo que, segundo a bíblia, teria ocorrido três dias depois da sua crucificação. Ainda que todos os domingos do ano

sejam destinados pelas igrejas cristãs de todo o mundo à celebração da ressurreição de Cristo, no domingo de Páscoa, esse acontecimento é maior e ganha também mais destaque com a participação na eucaristia, com o compasso e com o convívio entre família. A vi s i t a d o c o m p a s s o Com forte tradição na nossa região, a visita do Compasso é o momento alto do Domingo de Páscoa. São muitas as pessoas que abrem a porta de suas casas para beijar Jesus ressuscitado. A preparação começa muitos dias antas, com a limpeza e decoração das casas. Em muitos lares é também tradição preparar uma mesa com doces e outras iguarias desta quadra, onde não podem faltar as amêndoas e o pão-de-ló, bem como o Vinho do Porto. No dia, fazem-se tapetes de flores pelas ruas e à porta das casas e espera-se pelo soar da campainha, sinal de que o Compasso está a chegar. Entrando em cada casa, estabelece-se um pequeno diálogo celebrativo, em que todos entoam: “Cristo Ressuscitou, Aleluia, Aleluia!”. Dá-se, depois, a Cruz a beijar a todos os presentes. pub


II

pública: 20 de Abril de 2011

Páscoa nas Lameiras assinala 28 anos do edifício Os moradores do Edifício das Lameiras celebram, no próximo Domingo de Páscoa, 28 anos de residência e convivência naquele espaço habitacional. Para assinalar a efeméride, a direcção da Associação de Moradores das Lameiras (AML), em colaboração com a paróquia de Antas e a Câmara Municipal, prepararam um programa alusivo à data, que inclui as celebrações pascais Pelas 9 horas inicia-se a visita pascal de quatro compassos às famílias do complexo habitacional, seguindo-se, às 10h45, a visita aos idosos residentes do Centro Social das Lameiras. Às 11horas, haverá missa de acção de graças nas instalações do Centro Social aberta a toda a população e presidida pelo pároco de An-

Feliz Páscoa Milhares enchem ruas da cidade na quinta e sexta-feira especial

tas, padre Agostinho Alves. No final, os compassos concentram-se na Capela de Santo António, de onde partirão, com os restantes da paróquia, em cortejo, até ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Famalicão onde, pelas 12h30, será celebrada a eucaristia que encerrará as cerimónias pascais. Recorde-se que foi no dia de Páscoa de 1983, que um grupo de moradores, que mais tarde contribuiu para a criação da AML, se organizou e pediu ao então pároco de Antas para, naquele dia, celebrar uma missa campal, que assinalasse a inauguração do edifício e a bênção das suas 290 casas. Desde essa data, o Dia de Páscoa é sempre aproveitado para assinalar o aniversário do complexo.

Restaurantes com ementa especial Os restaurantes que participaram na Quinzena Gastronómica de Famalicão associaram-se às celebrações da Páscoa e apresentam uma ementa especial nesta época, constituída por rojões à moda do Minho e pão-de-ló como sobremesa. Este participação surgiu a convite da Câmara Municipal que, com esta iniciativa, pretende potenciar a vertente turística das celebrações da Semana Santa e da Páscoa levadas a cabo na cidade, aproveitando aquilo que de melhor a nossa gastronomia tem para oferecer.

Procissões são ponto alto da Semana Santa Cristina Azevedo Esta quinta e sexta-feira santas, as celebrações da Semana Santa em Famalicão têm um dos seus pontos altos com a realização das procissões do Ecce Homo e do Enterro do Senhor, que trazem às ruas da cidade milhares de pessoas de todas as freguesias do concelho, numa grande manifestação de fé. Assim, amanhã, Quinta-feira Santa, pelas 21h30, sai a Procissão do Ecce Homo, da antiga Igreja Matriz, que será presidida pelo arcebispo primaz D. Jorge Ortiga. Esta procissão evoca o julgamento de Jesus. A imagem do Senhor Ecce Homo representa o Cristo tal como Pilatos o apresentou à multidão, dizendo “Eis o homem!”. Na procissão serão apresentados14 quadros que representarão: a casa da Palavra, Cristo Triunfante, última Ceia e instituição da Sagrada Eucaristia, prisão de Jesus, Jesus interrogado por Caifás, Pilatos interroga Jesus, Jesus condenado à morte, Jesus flagelado no pretório de Pilatos, Jesus carrega a cruz aos ombros, Simão de Cirene leva a cruz de Jesus, Verónica limpa o rosto de Jesus, Jesus encontra sua mãe, mulheres de Jerusalém choram por Jesus e Jesus é crucificado. Já a Procissão do Enterro do Senhor realiza-se na Sexta-feira Santa, também pelas 21h30, sendo presidida pelo bispo auxiliar de Braga. Esta procissão leva pelas ruas da cipub.

dade o esquife do Senhor morto e o andor da Senhora das Dores. Serão representados os mesmos quadros da procissão do dia anterior mas, em sinal de luto, os membros das confrarias vão de cabeça coberta e as bandeiras e estandartes, com tarja de luto, arras-

tam-se pelo chão. Este ano, a abrir as duas procissões surgirão os farricocos segurando grandes fogaréus e o som característico das tréculas, recuperando-se assim a tradição das antigas procissões da Semana Santa em Famalicão.

Missa da Ceia do Senhor na antiga Matriz Na Quinta-feira Santa celebra-se também a missa da Ceia do Senhor, que no caso de Famalicão terá lugar na antiga Igreja Matriz, pelas 18h30. A missa da Ceia do Senhor é a celebração durante a qual se unem três grandes acontecimentos que Jesus, na Última Ceia, realizou: A instituição da Eucaristia, o Ministério Sacerdotal e o Mandamento Novo do Amor. Durante a missa, o celebrante que a preside lava os pés a 12 crianças da catequese, que representam os 12 apóstolos. Terminada a missa, o Cristo vivo, presente na hóstia consagrada, é conduzido em procissão, dentro da igreja para um altar lateral onde permanecerá em adoração até ser dali retirado, também em procissão, no dia seguinte, para o sepulcro. Em sinal de luto, o altar é desnudado. pub

Boa Páscoa pub


Feliz Páscoa

publicidade

pública: 20 de Abril de 2011 III


IV

pública: 20 de Abril de 2011

Feliz Páscoa

especial

Procissão do Senhor dos Santos Passos em Joane Decorreu no passado domingo, dia 17, na paróquia de Joane, a procissão do Senhor dos Santos Passos. Com início às 14h30, na Igreja Paroquial de Joane, a procissão percorreu algumas ruas, desde o centro da vila em direcção à Capela de Santos Passos no alto do monte de Celorico. A celebração teve como ponto alto o sermão alusivo à época da Quaresma com o pedido de reflexão sobre o papel de todos nós perante a nossa sociedade e com uma chamada de atenção para uma cada vez melhor e mais exigente educação que todos têm o dever de proporcionar aos mais novos. Por fim apelou-se à solidariedade de todos para com os mais necessitados, terminando com um pedido de reflexão e oração para com o momento que o pais atravessa. A procissão contou com a presença de muitos fiéis e do Coro Litúrgico de Joane e foi presidida pelo pároco de Joane, padre Manuel de Sousa e Silva. O sermão foi celebrado pelo padre Manuel Magalhães pároco da paróquia de Requião. O evento teve a colaboração e coordenação da Fraternidade Nuno Álvares, onde contou com a presença da Fanfarra do CNE de Joane, CNE e Guias de Portugal. pub

Queima do Judas em S. Cosme A tradição vai cumprir-se e a freguesia de Vale S. Cosme vai ser palco da Queima do Judas, no próximo fim-de-semana pascal, numa organização da Associação Recreativa e Cultural. O espectáculo promete animar a noite de sábado, com o corpo de Judas a percorrer a freguesia num “sentido adeus aos seus conterrâneos”, como anuncia a organização. Já no Domingo de Páscoa terá lugar o cortejo fúnebre, que sairá da escola Didáxis, pelas 18h30, a caminho da sua morada final, no lugar da Lamela.


Feliz Páscoa

especial

A lenda do folar da Páscoa A lenda do folar da Páscoa é tão antiga que se desconhece a sua data de origem. Reza a lenda que, numa aldeia portuguesa, vivia uma jovem chamada Mariana que tinha um único desejo na vida: casar cedo. Tanto rezou a Santa Catarina que logo lhe surgiram dois pretendentes: um fidalgo rico e um lavrador pobre. Mariana voltou a pedir ajuda a Santa Catarina para fazer a escolha certa. Enquanto estava concentrada na sua oração, bateu à porta Amaro, o lavrador pobre, a pedir-lhe uma resposta e marcando-lhe como data limite o Domingo de Ramos. Passado pouco tempo, naquele mesmo dia, apareceu o fidalgo a pedir-lhe também uma decisão. Chegado o Domingo de Ramos, uma vizinha foi muito aflita

avisar Mariana que o fidalgo e o lavrador se tinham encontrado a caminho da sua casa e que, naquele momento, travavam uma luta de morte. Mariana correu até ao lugar onde os dois se defrontavam. Foi então que, depois de pedir ajuda a Santa Catarina, Mariana soltou o nome de Amaro, o lavrador pobre. Na véspera do Domingo de Páscoa, Mariana andava atormentada, porque lhe tinham dito que o fidalgo apareceria no dia do casamento para matar Amaro. Mariana rezou a Santa Catarina e a imagem da Santa, ao que parece, sorriu-lhe. No dia seguinte, Mariana foi pôr flores no altar da Santa e, quando chegou a casa, verificou que, em cima da mesa, estava um grande bolo com ovos inteiros, rodeado de flores, as

pública: 20 de Abril de 2011 V

A Simbologia da Páscoa mesmas que Mariana tinha posto no altar. Correu para casa de Amaro, mas encontrou-o no caminho e este contou-lhe que também tinha recebido um bolo semelhante. Pensando ter sido ideia do fidalgo, dirigiram-se a sua casa para lhe agradecer, mas este também tinha recebido o mesmo tipo de bolo. Mariana ficou convencida de que tudo tinha sido obra de Santa Catarina. O bolo veio, com o tempo, a ficar conhecido como folar e tornou-se numa tradição que celebra a amizade e a reconciliação. Durante as festividades cristãs da Páscoa, o afilhado costuma levar, no Domingo de Ramos, um ramo de flores à madrinha de baptismo e esta, no Domingo de Páscoa, oferece-lhe em retribuição um folar.

pub

Todos sabemos que a quadra festiva da Páscoa, traz consigo múltiplos símbolos como é o caso dos ovos da Páscoa, dos coelhinhos, da sonoridade dos sinos que se fazem ouvir neste dia, bem como a imagem do cordeiro bem presente nesta quadra, entre outros símbolos. Mas alguma vez se questionou do que isso significa, no dia em que se comemora a Ressurreição de Cristo? Milhares de pessoas em todo o mundo festejam a Páscoa, na sua maioria sem conhecerem o verdadeiro significado dos símbolos que embelezam e dão cor a esta quadra. Os Ovos da Páscoa, que fazem especialmente a delícia dos mais novos, simbolizam o nascimento, a vida e o ressurgimento de Cristo. Os tão conhecidos coelhinhos da Páscoa surgiram como representação da fecundidade e da reprodução constante da vida, tornando-se no símbolo mais popular da Páscoa. Os sinos que se vão fazer ouvir no Domingo de Páscoa pelas ruas do concelho de Famalicão, anunciam, com alegria, a celebração da ressurreição de Cristo. O cordeiro personifica Cristo, que é o filho e cordeiro de Deus, sacrificado em prol de todo o rebanho. Já o Pão e o Vinho representam o corpo e sangue de Jesus. pub


VI

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa


Feliz Páscoa

pública: 20 de Abril de 2011 VII

especial

“A alegria triunfante da Páscoa está no dar-se como Jesus Cristo e com Jesus Cristo!” Aleluia! Cristo Vive! Eis o grito de gáudio que canta a Páscoa, a grande festa que estamos prestes a celebrar! No entanto, por detrás deste eco de alegria, ressoam as palavras que traduzem uma entrega radical e sem precedentes, que marca profundamente o espírito desta Semana Maior, a Semana Santa: “Tomai e comei: isto é o Meu Corpo; Tomai e bebei: isto é o Meu Sangue” (cf 1 Cor 11, 24-25)! Esta oferta que Cristo faz de Si mesmo é rasgadamente esclarecedora! Não há Páscoa sem Cruz, não há vida nova sem dor e renúncia! Para alcançar a alegria perene da Ressurreição é preciso fazer como Jesus, colocar a toalha à cintura e servir, despojado de todo e qualquer orgulho, tal como Ele próprio o fez na Última Ceia, celebrada em dia de Quinta-feira Santa, interpelando-nos com inequívocas palavras - “dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também” (Jo 13, 15)! Esta provocação é-nos hoje dirigida! Não fechemos os nossos corações a esta Palavra que implora a urgência de abraçar a Cruz, pois é na Cruz assumida e amada que somos salvos! Logo, para que também nós possamos celebrar a verdadeira Páscoa e com Cristo passar da morte à vida, precisamos de nos dar sem espe-

rar nada em troca… precisamos de morrer para nós mesmos, deixando-nos pregar na Cruz do amor! Este dar-se assume particular importância no presente contexto social. Olhamos hoje para o mundo e o que vemos? Inúmeros sinais de morte… famílias que carregam pesadas situações de desemprego e pobreza envergonhada, sufocadas por compromissos bancários, desorientadas por instabilidades politicas e sociais e minadas por critérios e opções que em muito desrespeitam a vida humana; um mundo que vive assustado pelos conflitos nos países árabes e tolhido pela atrofiante crise mundial! No entanto, quando parece que estamos prestes a descer ao túmulo, eis que na Cruz se abre um novo rasgo de esperança! Logo, é missão de todos nós, baptizados, abrir os braços, sem medo, e abraçar na Cruz cada irmão que sofre! Aliás, a Quaresma, enquanto caminho de perdão e renúncia, preparou-nos precisamente para essa entrega. Como refere o Papa Bento XVI na sua mensagem para este tempo que antecede a Páscoa, “através das práticas tradicionais do jejum, da esmola e da oração, expressões de empenho e conver-

são, a Quaresma educa para viver de modo cada vez mais radical o amor de Cristo”. Por isso, caros cristãos, darse é “apenas” Viver no Amor, ou seja, é Viver da Palavra em tudo, como nos sugere o programa da nossa Arquidiocese para este ano pastoral. Somos, por isso, convidados a ser “Casa da Palavra”, isto é, a fazer da Igreja que somos a “Casa onde a Palavra habita para ser acolhida, vivida e anunciada como libertação do humano ferido”, segundo palavras de D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, na sua mensagem para a Quaresma deste ano. No fundo, dar-se é ser uma Casa aberta, escancarada, é colocarse nos caminhos da Palavra, nos caminhos do outro, para amar até ao fim, pois, na mesma mensagem, D. Jorge enfatiza ainda que “neste Ano Europeu do Voluntariado a Palavra vivida leva à entrega de si no amor ao próximo e suscita a alegria de servir as comunidades e as pessoas mais vulneráveis da nossa sociedade”. Por sua vez, o Santo Padre, na sua recente Exortação Apostólica, “Verbum Domini”, ao lembrar que a missão da Igreja é anunciar a Palavra de Deus ao mundo, tal como tivemos oportunidade de escutar nas Conferências Quares-

mais realizadas no nosso Arciprestado, refere no nº 123 que “o anúncio da Palavra cria comunhão e gera alegria”. Assim, o serviço aos irmãos, particularmente aos que mais sofrem, enquanto testemunho vivo e fiel do Evangelho, gera alegria... só pode gerar alegria… uma alegria sem fim! Não uma alegria banal, oca, fácil e aparente, resultado de uma vida sem preocupações ou dores, que o mundo utopicamente tanto procura! Mas antes uma alegria genuína, verdadeira, profunda, interiormente conquistada, pura e inabalável, que não depende dos problemas e dores de cada um, pois está muito para além desses condicionalismos! Esta é a alegria que o mundo não nos pode dar, mas que nós podemos dar ao mundo, a alegria triunfante da

Páscoa que está no dar-se como Jesus Cristo e com Jesus Cristo. Detidos na certeza de que a Páscoa nos transforma e convoca a todos, quer sacerdotes, quer leigos, à extraordinária missão de anunciadores entusiasmados desta alegria, façamos da nossa vida uma oferenda de amor, para que, saídos do sepulcro, percorrendo os novos caminhos que a Palavra Viva e Ressuscitada suscita em nós, todos rejubilem e entoem com o salmista: “este é o dia que o Senhor fez, exultemos e cantemos de alegria” (Sl 118, 24). Assim, poderemos todos viver desta vibrante e alegre verdade pascal: Aleluia! Cristo vive! Uma Feliz e Santa Páscoa para todos! P.e Mário Martins (Arcipreste de Famalicão) pub


VIII

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa


Feliz Páscoa Ideias simples e originais

especial

pública: 20 de Abril de 2011 IX pub

Prepare a casa para receber a Páscoa À semelhança do Natal, a Páscoa é também uma festa da família, que se reúne à mesa no almoço de domingo de Páscoa. É também altura de abrir a porta a familiares e amigos e de receber o tradicional Compasso para o acto de beijar da Cruz. Para que possa fazê-lo com estilo, inspire-se nestas ideias e faça da Páscoa algo muito especial na sua casa. - Na divisão onde irá servir o almoço ou jantar de Páscoa pendure, no candeeiro de tecto, pequenos ovos de plástico, de chocolate ou pintados por si, utilizando fitas de cores diferente. Se optar por dois ou três tons pasteis (azul, rosa, amarelo ou verde claro) criará, simultaneamente, um ambiente de Primavera. Se utilizar ovos cozidos lembre-se que estes devem ser cozidos em lume brando durante cerca de 10 minutos para evitar que rachem. - Aproveite uma simples coroa de ráfia (já comprada ou confeccionada por si) e cole nela pequenos elementos decorativos ligados à Páscoa, que pode facilmente encontrar numa loja de decoração – ovos, pássaros, pintainhos ou coelhos – e, se quiser, adicione algumas flores artificiais para um visual primaveril. Pendure na porta de entrada para dar as boasvindas a todos os seus convidados! -Encha uma jarra ou pequenos potinhos de vidro com amêndoas coloridas ou pequenos ovos de chocolate de muitas cores e disponha no hall de entrada, na sala e na cozinha. -Se fizer um buffet, procure uma imagem de um coelho ou outro motivo de Páscoa, imprima vários exemplares e recorte. Cole em pauzinhos de madeira ou palitos e espete em cada prato, aproveitando o papel para identificar cada delícia. Pode utilizar o mesmo processo para criar divertidos marcadores de mesa. -Tire dos armários todos os cestos que tem guardados – em plástico, verga ou estanho – e enfeite-os com ráfia colorida, ovos pintados e, claro, coelhinhos de chocolate. Retire estes últimos do papel de alumínio onde normalmente vêm embrulhados e exponhaos “ao natural” – são mais bonitos assim! Disperse os cestos pela casa. - Encha pequenos cestos com ráfia e guloseimas da Páscoa; ate um grande laço condizente à volta, colocando na cadeira de cada convidado, como lembrança. Em alternativa, adquira pequenos sacos de oferta com motivos pascais ou primaveris; encha-os com ráfia colorida, coelhos de chocolate e amêndoas! F o n t e: w w w .e u d eco r o .co m

pub


X

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa


especial Feliz Páscoa Reservas para o estrangeiro na Páscoa aumentam 10%

pública: 20 de Abril de 2011 XI pub

EN GI RA MA

Portugueses viajam mais mas gastam menos dinheiro

Projectos de Construção, Lda.

Boa Páscoa

• Engenharia • Arquitectura • Decoração • Urbanização • Fiscalização O número de portugueses que vai gozar as férias da Páscoa no estrangeiro aumentou este ano 10%, face a 2010, mas por causa da crise económica a procura incidiu principalmente nos pacotes de viagens mais baratos, revelou a associação do sector. “Com a crise não há propriamente uma redução no número de pessoas que estão a viajar, bem pelo contrário. O que há é uma crescente preocupação por opções mais económicas dentro das viagens que fazem”, afirmou à Lusa fonte da Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT). A redução dos orçamentos das famílias, nomeadamente o corte nos salários dos funcionários públicos, que são uma grande fatia de turistas nesta altura do ano, também se reflecte num aumento da procura do mercado interno. “Mas o mais barato não é necessariamente cá dentro e cada vez surgem mais opções de viagens, mesmo para destinos

longínquos, que são cada vez mais competitivas”, adiantou o porta-voz da APAVT. Cabo Verde continua a ser um destino muito procurado para estas férias, estando já algumas partidas esgotadas, assim como as Caraíbas, algumas capitais europeias e as ilhas espanholas, destinos mais baratos. “O Brasil, que há uns anos atrás era um destino muito procurado pelos turistas nacionais, não está a registar a mesma procura estas férias da Páscoa, porque se tornou mais caro nomeadamente por causa do crescimento do turismo interno”, adiantou aquela fonte. A crise também provocou uma maior aposta dos portugueses nas reservas antecipadas de viagens, por causa das promoções atractivas, assim como na procura de estabelecimentos hoteleiros mais baratos: “Há dois ou três anos os turistas iam mais para os hotéis de cinco estrelas e agora optam mais pelos de quatro ou três estrelas”, diz a APAVT.

pub

Associação de Solidariedade Social ARIAN-VIDA

Convocatória

Operação Páscoa 2011

PSP quer redução de acidentes e furtos a residências Reduzir os acidentes graves, os furtos a casas particulares e a carros e controlar os carteiristas são alguns dos objectivos da Operação Páscoa da Polícia de Segurança Pública (PSP), que começou esta segundafeira, em todo o país. Durante oito dias, os agentes vão intensificar algumas acções para conseguir “manter a tendência de descida da criminalidade”, refere o gabinete de imprensa da PSP em comunicado. Para atingir esta finalidade, a PSP vai manter uma “visibilidade permanente e dedicada às zonas habitacionais mais sensíveis”, destacar agentes para estarem atentos aos carteiristas e intensificar a vigilância nos locais mais propícios a assaltos a carros. Desde o início do ano e até ao dia 6 de Abril, registaram-se 39 mortos, mais oito do que em igual período do ano passado, nas estradas nacionais, e agora a PSP quer “inverter a tendência de subida da gravidade de acidentes de trânsito”. Para isso, a polícia vai estar mais presente também nas principais saídas e en-

Rua Vasconcelos e Castro, nº 58 - 2º 4760 VILA NOVA DE FAMALICÃO Telefone e Fax - 252 316 483

tradas das cidades, nos “pontos negros” e nas zonas onde habitualmente se registam acidentes. Ao mesmo tempo, os agentes vão promover uma operação em 18 distritos do continente, Açores e Madeira no âmbito de uma parceria com a Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas para os condutores “100 por cento cool”. No ano passado, a PSP realizou mais de 640 operações e este ano espera “manter os níveis operacionais da Páscoa 2010”, refere o comunicado de imprensa. Apesar das equipas que vão estar no terreno nos próximos dias, a PSP volta a apelar aos portugueses que vão viajar para que conduzam com “a máxima precaução” e “responsabilidade”. Trancar as portas, janelas e limpar a caixa do correio para reduzir o risco de assalto às residências e guardar todos os objectos na mala do carro para não seduzir os assaltantes são outros dos conselhos da PSP, que pede ainda aos cidadãos para que “nunca transportem grandes quantidades de dinheiro”.

Paulo César Azevedo Dias, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Associação de Solidariedade Social ARIAN-VIDA, nos termos do artigo 19º, nº1 dos estatutos, convoca todos os sócios para a Assembleia-Geral Extraordinária a realizar no próximo dia 21 de Abril de 2011, pelas 21 horas, na sede desta Associação, sita na Rua das Alminhas, Imóvel das Boucinhas, Loja 7, freguesia da Ribeirão, concelho de Vila Nova de Famalicão, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto 1 – Aprovação das contas de 2010; Ponto 2 – Alteração dos estatutos da associação, consoante recomendações da Direcção-Geral da Segurança Social; Ponto 3 – Apresentação de listas concorrentes à eleição para o Conselho Fiscal e Assembleia-Geral da Associação; Ponto 4 – Eleição, por voto secreto, do Conselho Fiscal e Assembleia-Geral da Associação; Ponto 5 – Apresentação dos resultados eleitorais e tomada de posse do Conselho Fiscal e Assembleia-Geral da Associação; Ponto 6 – Outros assuntos. Obs.: A Assembleia Geral terá início à hora marcada caso estejam presentes mais de metade dos associados com direito a voto, ou, em segunda convocação, uma hora mais tarde com qualquer número presenças, de acordo com o artigo 31º, nº1. Ribeirão, 07 de Abril de 2011 O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral Paulo Dias, Dr.


XII

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa


Feliz Páscoa

Ovos apimentados à moda cajun Ingredientes: 6 Ovos 2 Colheres (sopa) de maioneses 1 Colher (chá) de mostarda de Dijon ½ Colher (chá) de sal ¼ Colher (chá) de pimenta do reino ¼ Colher (chá) de pimenta Caiena

pública: 20 de Abril de 2011 XIII

especial

Borrego de Páscoa Ingredientes Borrego: uma perna Sal: q.b. Azeite: q.b. Cravinho: q.b. Vinho branco: q.b. Margarina (vaqueiro): q.b. Colorau: q.b. Salsa: q.b. Batata: q.b. Cebola: 2 Folha de louro: 1

Mod o d e Preparação:

M o d o d e p r e pa r a ç ã o : 1. Ponha os ovos numa panela grande, com água até os cobrir e ponha a ferver. Assim que a água ferver, retire a panela da chama, tampe e deixe descansar por 10 a 12 minutos. Retire os ovos da água, deixe esfriar e descasque. 2. Corte os ovos a meio. Remova cuidadosamente as gemas, amasse-as com um garfo e misture-as com a maionese, a mostarda Dijon, o sal e a pimenta do reino. Não se esqueça de deixar as claras cozidas separadas. 3. Encha as metades das claras com a pasta feita com as gemas. Polvilhe pimenta Caiena a gosto. Cubra e leve à geladeira até à hora de servir.

Coloque a perna de borrego previamente lavada, retirada a gordura e untada só com sal num pirex onde deverá estar um bocado de azeite. Numa frigideira faça um refogado com bastante salsa, azeite, folha de louro e duas cebolas inteiras e só apague quando as cebolas estiverem a ficar louras. Deve colocar este refogado em cima do borrego. Entretanto descasque as batatas em quartos e frite-as ligeiramente, depois deve juntá-las ao borrego. Finalmente deve regar o borrego com vinho branco, colocar 3 cravinhos dentro da carne e salpicar com colorau. Deve colocar-se por cima de tudo umas lascas de margarina e levar ao forno durante cerca de 40 minutos a 200ºC.

pub

pub


XIV

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa


Feliz Páscoa

pública: 20 de Abril de 2011 XV

especial

Ninho de Páscoa com Chocolate Laminado

Pão de Amêndoas Ingredientes: Açúcar mascavado: 1 Chávena Açúcar branco: 1 Chávena Ovos: 4 Farinha com fermento: 2 Chávena Fermento: 1 Colher de chá Margarina: 3 Colher de sopa Amêndoas: 200 g Cobertura:: chocolate p/ culinária: 1 Tablete Margarina: 1 Colher de sopa Leite: 1 Colher de sopa

Ingredientes: 5 Ovos 125g de Açúcar 125g de Farinha raspa de Limão 125g de Margarina 60g de Açúcar em Pó 100g de Fios de Ovos (pode ser de compra) 250g de Chocolate de Culinária 100g de Amêndoas lisas e coloridas

M o d o d e p r ep a r a ç ã o :

M o d o de p r e p a r a ç ã o :

1. Misture 4 ovos com 125 de açúcar e a raspa de limão, até obter um creme fofo. Misture a farinha cuidadosamente. 2. Unte e polvilhe uma forma de buraco e leve a cozer em forno médio durante cerca de 30 minutos. 3. Entretanto, derreta 125 gr de chocolate em banho-maria. 4. À parte, amasse a margarina com o açúcar em pó até estarem amolecidos. Junte o chocolate, batendo sempre até obter um creme agradável. 5. Desenforme o bolo e apare-o um pouco na parte inferior, de modo a que se assemelhe com um ninho. Coloque as aparas que retirar a tapar o fundo, no centro. 6. Barre o bolo com o creme de chocolate. 7. Raspe os restantes 125 gr de chocolate, de modo a obter uma espécie de lâminas. 8. Espalhe estas lâminas à volta de todo o bolo, segurando-as no creme. 9. Polvilhe ligeiramente com açúcar em pó. Coloque os fios de ovos e as amêndoas em cima, dando um aspecto de um ninho com ovos. À volta do bolo também pode enfeitar com amêndoas e fios de ovos.

Numa tigela, misture a margarina com os 2 tipos de açúcares e acrescente os ovos um a um batendo bem cada ovo. Junte a farinha, o fermento e as amêndoas raladas. Unte a forma com margarina, forre com papel vegetal e torne a untar o papel. Asse em forno médio durante cerca de 1 hora. Depois de frio cubra com uma tablete de chocolate derretido em banho-maria à qual juntou uma colher de margarina e uma de leite. Enfeite a gosto com amêndoas de Páscoa.

pub


XVI

pública: 20 de Abril de 2011

publicidade

Feliz Páscoa

OE989  

Cristãoscelebramestedomingoa RessurreiçãodeCristocomfestaemfamília sejamdestinadospelasigrejas cristãsdetodoomundoàcele- bração da ressurrei...