Page 1

Especial Aniversário

Todos os dias cumpre-se a magia da rádio

Digital FM: há 20 anos “no ar” Sofifiaa Abreu Silva Foi há 20 anos que passámos a primeira música. Foi há 20 anos que lançámos a primeira notícia. Foi há 20 anos que começámos a comunicar. Nascia, assim, um sonho… 20 anos depois, cumpre-se, todos os dias, a magia da rádio. Foi a 9 de Novembro de 1989 que as emissões regulares da Rádio Digital, na altura designada de Vila Nova, se iniciaram, após concluído o processo de legalização das rádios locais. Ainda cá estamos, contrariando a previsão daqueles que, talvez, nunca acreditaram. A Digital FM mantém-se no “ar” com uma programação que privilegia a proximidade em tudo o que faz. Todos os dias, uma equipa multidisciplinar organiza-se para lhe dar a melhor informação, a melhor música e o melhor entretenimento. Será verdade dizer que a Digital assume, a cada dia que passa, uma posição privilegiada no panorama da informação. Todas as horas, temos noticiários, em formato alargado ou síntese, sobre o concelho, a região e o país. Aliás, a informação da Rádio Digital é realizada pelos mesmos profissionais do jornal Opinião Pública e da Famatv. A divulgação da boa música é também a nossa prioridade, quer estrangeira, quer portuguesa. Ao longo do dia, temos programas diferentes que abrangem diferentes propostas musicais, porque, afinal, a vida não é a preto e a branco e o auditório da Digital vai dos mais pequenos aos seniores. Do d esper tar ao anoitecer O dia na Digital começa logo com Jorge Humberto que, nas “Manhãs da Digital”, nos dá as principais novidades da

O sr. Augusto da Bom Gosto ofereceu o Bolo de Aniversário à Digital

actualidade e nos faz o retrato do mundo louco. Há ainda boa música e muita informação, sempre com boa disposição. Entramos depois no “Clube da Rádio”, com Carla Soares, onde a rádio é feita pelos ouvintes, que pedem a música da

sua preferência e deixam as suas dedicatórias. A “Selecção Nacional” chega-nos entre as 13 e 14 horas, novamente com Jorge Humberto, que vira o disco e toca música nova portuguesa, além de sugestões cul-

turais que vale a pena aproveitar. Exceptuando às segundas e sextas, quando avança a informação desportiva alargada, com o Bruno Marques e o José Clemente. Das 14 às 17 horas, a voz é de Pedro Silva que nos continua a dar ritmo nas “Tardes da Digital”, até chegar o Nuno Barbosa com o “Serviço Público” que se completa com informação e música. Entre as 20 e 21 horas, há a segunda edição de “Selecção Nacional”, até que Paulo Couto, nas “Noites da Digital”, nos adormeça com serenidade. A partir da meia-noite há ainda muito para ouvir. As “Madrugadas da Digital” ganham mais musicalidade com Jorge Humberto e também com Pedro Silva. Ao fim-de-semana, a programação é variada, com destaque para o programa “Povo e Saber”, com Pedro Silva, direccionado para o folclore aos sábados e aos domingos, a partir das 7 horas. Ao sábado de manhã, às 9, começa o programa mais antigo da rádio Digital: “Gente Gira” com Abílio Moreira. Aos sábados, entre as 12 e as 13, temos a Agenda Cultural, com sugestões para aproveitar dadas pelo Jorge Humberto. Porque o fim-de-semana é para relaxar, a tarde é preenchida com muita música. Já as músicas mais tocadas estão no Top da Digital, entre as 18 e as 20 horas, com Jorge Humberto. A segunda edição acontece no domingo. Já o domingo de manhã é, há muitos anos, reservado às “Gentes da Terra” e a tarde ao desporto com Nuno Barbosa, Aristides Ferreira, José Clemente, José Carlos Fernandes e Bruno Marques. No fim de contas, todos os dias, todas as horas e todos os segundos fazemos rádio… a pensar em si. Em 96.4 FM e em 105 FM e também em www.digitalfm.pt. pub.


II

pública: 18 de Novembro de 2009

Inquérito de Rua

especial António Torrinha, Joane, Reformado “Ao domingo, das três às cinco da tarde, estou a ouvir os relatos do concelho”

São muitos os que todos os dias sintonizam a Digital FM para ouvir música, informação, para sorrir, rir e até chorar. Fomos à rua e ficamos a conhecer alguns dos nossos ouvintes e as suas preferências. Isaura Oliveira, Riba d’Ave, Desempregada “Gosto de ouvir aquele programa que começa às sete horas e dá até às dez, adoro esse programa.”

Noémia Moreira, Ribeirão, Desempregada “Gosto de música e gosto das notícias também. Sobretudo, gosto de música portuguesa.”

A n a Cr i s t i n a , R on f e , A u x i l i a r E d u c a t i va “Gosto de ouvir de tudo, no que diz respeito à informação e à música.”

Paulo Costa, Ribeirão, Estudante “Acho que deverá melhorar ao nível da música, mais música estrangeira, principalmente para os jovens, que é o que eles gostam mais.”

Am é li a M ato s , F a m a l ic ã o , Lo j i s t a “Informação e música, as duas coisas fazem falta.”

Paulo Carvalho, Joane, Estudante “Costumo ouvir música fixe, cool… um pouco de tudo” António Costa, Riba d’Ave, Reformado “O Rio Ave está numa situação má, tanto a Câmara, como a Junta ou até o Ministério do Ambiente, não querem saber disto. Gostaria que a Rádio Digital, que é uma rádio do nosso concelho, desse alguma atenção a este problema.”

José Carlos, Riba d’Ave, Taxista “Não vou dizer que me dou muito ao trabalho de ouvir rádio, também ouço CD. Mas quando ouço rádio, é a Digital, não vou dizer o contrário.”

J o ã o Fa r i a , J oan e , E stu d an te “Música e informação, mas mais o desporto”

J úl i o F re i ta s , B r u fe , R e f o r ma d o “As pessoas são bem tratadas e a informação é vantajosa, pois estamos na zona em que precisamos de saber o que se passa.”

C ar lo s F o ns e c a, F am a li c ão , Ve n d e d o r “Eu acho que a rádio está muito boa, mas o que realmente gosto mais é de ouvir o desporto”

A m é l ia S a n to s , R ib e ir ã o , L o j ista “Gosto muito de ouvir discos pedidos, acho que é um passatempo que ajuda quem está sozinho em casa”

Jorge Costa, Vila Verde, Lojista “Gosto de música e informação. Aliás, informação gosto de ouvir sempre.”

Maria Celeste Costa, Ribeirão, Reformada “Ouço música pop… mas portuguesa, porque eu compreendo mal os portugueses quanto mais os estrangeiros”

A na L e m o s , F amal i cão, Co s t u r e i r a “O tipo de música que mais gosto é do género de Tony Carreira, portuguesa.”

pub


publicidade

pĂşblica: 18 de Novembro de 2009 III


IV

pública: 18 de Novembro de 2009

especial pub.

Foram muitos os profissionais que passaram pela Digital FM ao longo destes anos. Alguns já cá estão há 20 anos, outros já saíram e percorreram outros caminhos. O OPINIÃO PÚBLICA falou com três profissionais que se ligaram à Digital…. para sempre.

Sílvia Costa

pub.

Sílvia Costa começou na rádio aos 18 anos e saiu 11 anos depois. Foi através de um programa do Centro de Emprego, que surgiu a possibilidade de fazer uma experiência profissional no Jornal Vila Nova, na altura ligado à Rádio Vila Nova (actual Digital Fm). Duas semanas depois foi convidada para integrar a equipa da rádio. Começou por aprender a parte técnica, mas muito rapidamente despertou o interesse pelo jornalismo e desejava o quanto antes experimentar o microfone. “Ainda hoje, cultivo uma certa ‘adoração’ pelo microfone”, diz. Um dia, alguém lhe disse que tinha uma voz "agradável" e que poderia ler noticiários. E assim foi. Um dia Sílvia Costa aventurou-se a fazer um programa em directo. Era o Totodisco, um programa de discos pedidos que tinha a participação em directo dos ouvintes e um bom prémio no final de cada semana. “Havia emissões em que a conversa com eles era tanta que quase não havia tempo para as músicas programadas”, lembra. Entrou para a rádio alguns meses depois da sua abertura e a equipa era constituída, essencialmente, por jovens e tinha alguns colaboradores mais velhos que faziam rádio como hobby. “Recordo-me que tínhamos muitas rubricas de opinião, crónicas e isso fazia da rádio um meio de comunicação muito participativo. Nos primeiros tempos das rádios locais os conteúdos eram muito preparados e exigiam bastante pesquisa. Nunca fui muito dada a tecnologia, mas confesso que até foi fácil aprender a trabalhar com a Revox, as cassetes, os decks, o skipper e coisas assim”. Sílvia conta que a rádio lhe proporcionou momentos que a marcaram para a vida inteira. “Foi aqui que conheci o meu marido, o Arcindo. Dizíamos a brincar que a Vila Nova era a rádio casamenteira. E na verdade, foram vários os casais que se conheceram e casaram na rádio”.

Mas também houve coisas menos boas: “uma vez, fui interrompida nas notícias por um colega com uma notícia de última hora. O Filipe entrou no estúdio e disse "tens aqui uma notícia importante, tem que passar". Só que a notícia estava escrita à mão e, para meu azar, com uma caligrafia terrível. Mas enfim, era importante, teria de ler. Arrisquei e o resultado não foi muito bom”, revela. Sílvia Costa admite que nunca conseguiu romper com a Rádio Digital. “Continuo a dizer que é a nossa rádio”. Enquanto jornalista sempre gostou de tratar temas da educação e terceira idade. Assim, depois de 11 anos na Digital, Sílvia Costa ingressou na instituição social Mundos de Vida, onde actualmente é técnica de relações públicas e responsável pelo Gabinete de Recursos. Entretanto, mantém actividade na área dos audiovisuais. Enquanto locutora, vai participando em anúncios televisivos, videojogos e dobragens.

José Clemente

Horário: Terça e Sexta das 19h às 20h

José Clemente tinha 28 anos quando fundou, nos anos das rádios “pirata”, a Rádio Lemenhe. Quando se deu a atribuição de alvarás de frequência, a rádio de Lemenhe acabaria por não ser contemplada, ditando, assim, o encerramento. Entretanto, à Rádio Vila Nova era atribuída uma frequência e José Clemente era, também, convidado para fazer parte da equipa: “não hesitei em aceitar”. E assim, já lá vão 20 anos a trabalhar na área da comunicação. Os primeiros tempos eram difíceis e de

“aprendizagem”. “Com o tempo as coisas foram melhorando, mas guardo memórias de uma ocasião incrível… o ambiente era excelente”. Ligado ao desporto desde sempre, José Clemente recorda um dos momentos mais marcantes do seu percurso profissional. “Houve um acontecimento que parou o concelho. Foi quando se falou do alegado suborno do FC Famalicão à equipa do Macedo de Cavaleiros”. José Clemente deslocou-se a Lisboa, à sede Federação Portuguesa de Futebol, para cobrir a decisão do Conselho de Disciplina. “A Federação anunciou que não tinha ficado provado o suborno e que o FC Famalicão regressaria à I Divisão Nacional”, conta. “Quando saiu o resultado, à 1h25 da manhã, anunciei, em directo, para todos os famalicenses. Era a única rádio famalicense presente”. Na verdade, a decisão anunciada pelo repórter da Vila Nova acabaria por se traduzir em festa no concelho de Famalicão, com todos os famalicenses a festejar. No álbum da saudade de José Clemente constam as reportagens que eram realizadas: “fazia-se de tudo e ao mesmo tempo inventava-se alguma coisa, isto no que diz respeito a material técnico”. Sobre a evolução da Digital FM, José Clemente fala num percurso de excelência e, por isso, “excelente”. Actualmente, José Clemente prossegue ligado ao desporto na Rádio Digital, Jornal Opinião Pública e na Famatv.


especial

Cristina Azevedo

Joaquim Forte

Começou a trabalhar na então Rádio Vila Nova (agora Digital), com 19 anos e hoje é a responsável máxima pela informação quer na rádio, quer no jornal Opinião Pública e ainda Famatv - os três órgãos de comunicação detidos pela empresa Editave Multimédia. “Tinha começado a trabalhar como jornalista no jornal Vila Nova, numa situação de part-time, porque ainda estudava, e surgiu uma vaga na rádio. Convidaramme e eu aceitei”. Os primeiros tempos, recorda Cristina, eram os tempos do vinil, dos gravadores de cassete, na revox. “Um tempo onde não havia internet, nem telemóveis. Um tempo em que todos estávamos ainda a aprender o que era a rádio e, sobretudo como fazer rádio. Foram bons tempos”, assevera. Cristina Azevedo diz que as primeiras reportagens e os primeiros os directos são momentos que não se esquecem. “O nervosismo, mas sobretudo a emoção. Há 20 anos, ‘cobrir’ em directo um acontecimento marcante para o concelho, como a questão, por exemplo, da ETRSU de Riba d’Ave, tinha uma emoção e uma importância diferente das dos dias de hoje”. A chefe de redacção do OP diz que a informação não era tão instantânea como agora e a rádio local acabava por ser o meio privilegiado para se estar informado. Com saudade recorda a camaradagem e a inter-ajuda. “O sabor de cada conquista, de cada impacto que a notícia tinha na comunidade. O feed-back dos ouvintes fosse para o bem ou para o

Joaquim Forte tinha 17 anos quando começou a “trabalhar” na Rádio Jovem de Joane. O bichinho vinha de trás, quando seguia com devoção religiosa os programas do António Sérgio (que desapareceu há dias) e do Adelino Gonçalves na Rádio Comercial. A possibilidade surgiu na onda das rádios locais “piratas” que marcou o país nos anos 80. Um grupo de jovens, do qual fazia parte, fundou em Joane a Rádio Jovem, sem meios (comprou-se o emissor com dinheiro de um sorteio), mas com muita vontade. Já em termos profissionais, ou seja, a rádio como profissão, começou, efectivamente, em 1987, na Rádio Fundação de Guimarães. Joaquim Forte conta que naqueles longos dias dos inícios imperava o disco de vinil; predominavam as cassetes como meio de registo; não havia telemóveis, o que tornava qualquer transmissão em directo numa aventura. “Ainda sou do tempo em que usar o telemóvel para uma intervenção em directo implicava levar um “tijolo” de cinco quilos com uma antena de um metro!”, descreve “Lembro-me, por exemplo, o caso de uma transmissão, na Rádio Jovem, de um jogo de futebol do GD de Joane: na véspera estendemos um fio eléctrico entre o salão paroquial, onde estava o estúdio minúsculo, e o campo de futebol, a cerca de 400 metros, por entre campos agrícolas e caminhos de terra para podermos ter a transmissão”. Ao longo dos muitos anos de ligação que manteve com o mundo da rádio houve muitos episódios positivos. Ter sido considerado, em 1989, por uma revista de âmbito nacional, uma das melhores vozes das rádios locais a nível nacional foi sem dúvida um deles. Pela negativa, além do fecho da Rádio Jovem, em 1988, preterida no âmbito do concurso nacional de atribuição de frequências, entristece-o o facto de hoje se verificar uma certa uniformização/standardização das rá-

mal. As amizades… algumas ainda perduram”. Na Rádio Digital, ao longo de duas décadas, Cristina Azevedo considera que em termos técnicos, a evolução foi gigantesca, graças à informática. “A rádio Digital não se limitou a acompanhar os tempos, em meu entender, esteve sempre um passo à frente. Hoje, faz-se rádio com mais rigor, mas profissionalismo, mas sem perder o mais importante que marcou o seu início: a magia… a magia da rádio. Mas, naturalmente, sou suspeita porque continuo cá…”.

pub.

pública: 18 de Novembro de 2009 V

dios. Talvez seja por isso que o que recorda com mais saudade é mesmo a rádio: “de dar voz, da edição de som, da edição de noticiários… E da rádio de autor, inteligente, adulta, não resumida a critérios de playlist”. Sobre a Rádio Digital, Joaquim Forte entende que esta se tornou mais profissional, mais perfeita, parte de um projecto mais global que integra outros órgãos de comunicação. Da rádio, Joaquim Forte desliga-se em 1998. Entretanto, passa também pelos jornais Correio do Minho e Jornal de Notícias. Actualmente está ligado a Consultoria de Comunicação e dirige o jornal Repórter Local, com sede em Joane. pub.


VI

pública: 18 de Novembro de 2009

especial

Cristina Azevedo, Luisa Monteiro, Paula Oliveira e Emilia Monteiro

Equipa da Digital foi júri no Festival da Canção da RTP

Marta Marques

Primeira mesa da Régie

Legenda para fotografia

Joaquim Martins, José Manuel, Adelaide Ferreira, Alexandrino Cosme e Eduardo Macieira

Primeiro estúdio

Primeira equipa de vendas

Relatos da Digital com comentários de José Costa

Estúdio de Gravação

Luís Santos

Alexandrino Cosme

Estúdio principal de emissão

Eduardo Macieira e José Luis Menezes

Abilio Moreira e Pedro Maia (Pedrito)

Celso Campos

José Carlos Fernande

Primeiro Fórum dos Media

Terceiro Fórum dos Media

Primeira equipa desportiva da Rádio Vila Nova

Programa Escola na Rádio... um marco importante

Vitor Martins


es

especial

pública: 18 de Novembro de 2009 VII

Há 20 anos a comunicar

Ricardo Ribeiro

Adriana Lopes

Jorge Humberto em directo

Actual estúdio de emissão

Redacção da Digital FM

Sofia Silva

Jorge Humberto e Bruno Marques

Paulo Couto

Pedro Silva

Abilio Moreira

Jorge Alexandre, departamento técncico

Carla Soares e Nuno Barbosa

Magda Ferreira

Actual departamento de vendas

Arcindo Guimarães

Raquel Barbosa

Legenda para fotografia

José Marques

Cátia Castro

Aristides Ferreira

Pedro Reis Sá


VIII

pública: 18 de Novembro de 2009

especial

Momentos que marcaram a emissão da rádio Miguel e André

Cristina Azevedo entrevista Agostinho Fernandes

Armindo Costa, actual presidente da Câmara

Anjos

Silvino, ex-guarda redes do Benfica e actual adjunto de Mourinho

Mónica Sintra

Candidatos à Câmara de Famalicão no ano de 1993

Os Malucos do Riso

Paneira, ex-jogador do Benfica, e Mário Monteiro, actual preparador físico

Lula, ex jogador do Famalicão

José Malhoa

Quim Barreiros

Entrevista a Marçal Grilo, ex Ministro da Educação

D’ Zrt Hélio, ponta de lança brasileiro, ex-atleta do Famalicão

Quim, actual guarda-redes do Benfica

Careca, jogador que já passou pelo Famalicão

Mozer e Bento falando para a rádio na Suiça

A rádio sempre contou com os seus ouvintes...


publicidade

pĂşblica: 18 de Novembro de 2009 IX


X

pública: 18 de Novembro de 2009

especial pub.

A palavra aos ouvintes Neste 20º aniversário foram muitos os ouvintes que se associaram a esta data especial e que enviaram à Digital FM uma mensagem de parabéns. Aqui ficam as mensagens. Já agora Muito Obrigada.

“Obrigado a todos da Rádio Digital pelos 20 anos. A Rádio Digital dá uma grande canção e uma linda lição de amizade. Ensina e ajuda a dividir problemas, a multiplicar alegrias, a diminuir tristezas e a somar sorrisos. É, talvez, a forma mais bela de ajudar, porque é gratuita e não requer promessa”. António Ricardo, Riba d’Ave.

“Olá Digital, muitos parabéns pelos teus 20 aninhos. Obrigado pelos teus maravilhosos locutores. Ligo o rádio às seis da manhã. Vocês são a minha companhia. Adoro ouvir-vos, porque são uma simpatia. Continuem assim por mais 20 anos”. Esperança Rodrigues, Joane

pub.

“Para a Digital FM os meus parabéns pelos seus 20 anos e um futuro cheio de sucesso. Mas a rádio é feita por pessoas. E aos profissionais da Digital o meu obrigado não só pelos seus programas, mas pela simpatia que, quer no estúdio, quer pessoalmente, mostram uma grande amizade pelos seus ouvintes. Para vocês tudo o que a vida tem de melhor e continuem a serem assim, animados, solidários, imparciais e também, por vezes, grandes ouvintes dos seus próprios ouvintes. Para todos vocês 'meninos e meninas da rádio' muito obrigado”. SP e Paula Silva, S. João da Ponte

Olá Digital! Muitos parabéns pelos 20 anos de grande sucesso. Esperamos mais 20 anos de alegria, companhia e dedicação. Um grande BEM-HAJA”. Rogério Simões, Joane

Digital: 20 anos!...Esta rádio eu vi nascer. É para mim uma grande alegria continuares a ser a minha melhor companhia! Beijos para toda a equipa. Parabéns! Patrícia, Famalicão Muitos parabéns à Digital por estes 20 anos de sucesso. Continuem assim com essa equipa genial por muitos mais anos e eu, com toda a certeza, vou continuar a ser fiel a esta rádio maravilhosa. Raquel, S. Tiago de Antas

O que eu quero dizer em relação a essa rádio maravilhosa resume-se a uma só palavra: Família. Clara Rodrigues, Gavião Olá Rádio Digital. És a minha companhia, eu quero-te felicitar pela tua simpatia. De manhã ao acordar, gosto de ver o dia, o Rádio eu vou ligar, fico logo em sintonia. Sois uma simpatia, não existe igual à Rádio Digital. Estou convosco todo o dia e noite. A Carla, o Jorge e o Pedrito são pessoas especiais. O Abílio e o Nunito são lindos demais. Acordo todos os dias com a Rádio Digital e é ela que me dá energia para eu da cama saltar. Goreti Carvalho, Ribeirão

Logo pela manhã bem cedo sintonizo a Digital ouço com atenção o locutor Jorge Humberto que nos dá tanta informação Depois ouço o Clube da Rádio feito pela Carla Soares com a sua grande experiência conseguiu formar uma grande família com a sua inteligência De todos os locutores qual o melhor afinal? gosto muito do Pedro Silva nas Tardes da Digital Depois ouço o Nuno Barbosa com a sua grande energia com as suas gargalhadas dá-nos tanta alegria O programa Gente Gira é um programa de primeira feito por um grande locutor, o nosso Abílio Moreira O técnico Jorge Alexandre que está sempre na companhia do Abílio e da Carla para nos pôr em sintonia Para dar as boas respostas Paulo Couto é o ideal responde a todas as perguntas com a sua voz sensual 20 anos já passaram e muitos mais hão-de passar com a nossa Rádio Digital nós estamos sempre a ganhar Feliz aniversário!!! Teresa Carvalho, Cavalões Parabéns a você nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida, são os desejos desta vossa ouvinte de todos os dias. Vocês são espectaculares. São do melhor que há. Foram escolhidos a dedo, porque todos os que aí trabalham têm um coração e uma dedicação ao trabalho enorme. Fazem-nos rir e chorar nos momentos certos. Adoro a Digital… estão cá dentro. Beijinhos desta vossa ouvinte, não de sempre, mas para sempre. Tânia Campos, Lousado Mais um aniversário a Digital festejou e mais um grupo de amigos e ouvintes à nossa família se juntou. Se fosse a dizer tudo sobre a Digital, precisava de um missal. Acho que duas palavras resumem "Família Digital”. João Carlos, Joane.

A rádio Digital é a melhor companhia para todas as manhãs, tardes e todas as noites. Passar um dia sem ouvir a Digital é complicado, pois parece que o dia é uma eternidade. Sois a minha companhia. Sois a minha segunda família. Beijinhos. Cátia Araújo, Vilarinho das Cambas Porque a Rádio Digital está de aniversário, muitos parabéns! Sabe sempre bem acordar ao som da boa música e de tantas vozes amigas. Para todos vocês. “Abreijos” da vossa amiga. Maria do Sameiro, Famalicão


especial

pública: 18 de Novembro de 2009 XI

Ouvintes ganham muitos prémios Durante quatro dias a Digital FM, a propósito do seu 20º aniversário, ofereceu 21 presentes aos seus ouvintes. Foram dias recheados de muita emoção, bom humor e interacção entre a Família Digital. A Digital FM aproveita esta oportunidade para agradecer a todos os clientes que se quiseram associar ao nosso aniversário. Muito Obrigada!

Bricoonda ofereceu dois serviços de jantar

Bragajav ofereceu um televisor de 37cm à ouvinte Teresa Carvalho

A ouvinte Ana Raquel ganhou um telemóvel oferecido pela Telenova

A Electro Camões ofereceu uma cafeteira e um fogareiro eléctrico

A Pastelaria Charly ofereceu seis bolos-rei

O Diogo Snack-Bar presenteou um ouvinte com um jantar para duas pessoas

A Decoratti ofereceu um colchão

O Restaurante Moutados de Baixo ofereceu um jantar para duas pessoas

A Rosário Florista ofereceu um arranjo floral

O Talho Minipreço ofereceu um presunto

A loja Lúcia Rodrigues Interiores ofereceu dois vales de 20 euros em compras

O Belita Supermercados ofereceu dois vales de 25 euros em compras

A Liliana Cabeleireiros presenteou uma ouvinte com uma coloração

A Filomena Cabeleireiros presenteou três ouvintes com um brushing

A Ourivesaria Satierf Feira do Ouro ofereceu um Passpartout de Prata

A Livraria e Papelaria Fontenova ofereceu um vale de 20 euros em compras

As Termas Caldas da Saúde ofereceu seis packs

Fatipão Pastelaria ofereceu um bolo-rei

O Restaurante Casa Pêga ofereceu um jantar para duas pessoas


XII

pĂşblica: 18 de Novembro de 2009

publicidade


OE915  

sua preferência e deixam as suas dedica- tórias. A “Selecção Nacional” chega-nos entre as 13 e 14 horas, novamente com Jorge Humberto, que v...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you