Page 1

Opções para todos eocupações

Aquecer a casa sem derreter a carteira Os dias mais frios começam a chegar e para maior conforto é necessário aquecer as diferentes divisões para o bem-estar da família. É por esta altura que aumenta também o consumo energético com os aparelhos de aquecimento, mas termos a nossa casa quente e agradável é uma questão de qualidade de vida. No que toca a opções, segundo a Associação de Defesa do Consumidor, Deco, o ar condicionado e aquecimento central a gás natural são as soluções mais poupadas para aquecer a casa, se apenas considerarmos o consumo de energia, embora tenha que ser feito um investimento inicial ainda significativo. Aquecedores a gás butano Em tempos era uma opção económica, mas a subida dos preços da energia tornou o aquecedor a gás menos atrativo. Para a Deco/Proteste, esta solução soma custos anuais de 90 euros, embora o preço inicial não seja dos mais elevados. Por outro lado, tanto os aquecedores a gás como a parafina libertam dióxido de carbono e vapor de água no local onde estão a ser usados. Não se esqueça que aquecedores a gás butano só podem ser usados em divisões com mais de seis metros quadrados. Aquecedores elétricos Os aquecedores móveis elétricos incluem radiadores a óleo, convectores e termoventiladores. No

primeiro caso, o ar frio entra por baixo e sai quente por cima; são silenciosos, mas pesados e lentos a aquecer. Alerta-se para o risco de queimadura quanto se toca a parte superior. Isto já não existe nos termoventiladores, os mais baratos e simples: uma ventoinha, resistência elétrica e caixa de plástico. São ruidosos, mas tornam-se indicados para a casa de banho. Já o radiador a óleo é bom para uso prolongado. Ao escolher um radiador a óleo considere o tamanho da divisão onde o vai colocar. Para uma sala com mais de 30 m2, bem isolada, opte por um modelo de 2500 watts ou dois aparelhos menos potentes. Para um quarto de 15 m2, prefira um de 2000 watts, mas evite

Tome nota: Por muito eficaz e económico que seja um sistema, não consegue obter a poupança desejada se a casa estiver mal isolada. Para reduzir o consumo, regule a temperatura dos radiadores ou do aquecimento central para 20°C. Baixar a temperatura ou desligar o aquecimento durante a noite e em períodos de ausência também ajuda a poupar na fatura de eletricidade. Caso tenha um termóstato programável, a regulação pode ser automática.

usá-lo no máximo. Como são silenciosos podem ficar ligados durante a noite sem incomodar. Aquecimento central Se for de gás natural, é uma das opções mais económicas. Ainda assim, trata-se de um sistema conveniente, silencioso, que não liberta cheiros nem seca o ar, como acontece com os tradicionais sistemas de ar condicionado. Além disso, pode ser programado para ligar ou desligar conforme as suas necessidades e horários – um dos maiores benefícios. Ar condicionado Continua a ser uma das melhores soluções a longo prazo e, nas contas da DECO, a mais económica. A melhor opção é um sistema de inverter, que evita flutuações de energia e modera o consumo. É também sugerido que os filtros sejam limpos de 15 em 15 dias, para garantir a eficiência e deixar espaço livre à sua volta. Aquecimento do chão: é uma das opções possíveis para conseguir uma temperatura mais equilibrada no lar. Este sistema permite que a temperatura ao nível do soalho seja maior, perdendo gradualmente intensidade em níveis superiores. Supondo que a temperatura no solo é de 25º, ao nível da cintura será de 23º e acima da cabeça será de 18º. O chão radiante, assim se chama a este tipo de aquecimento, pode ser conseguido por água ou por eletricidade. Em ambos os casos obriga a uma instalação sob o soalho, sendo essa instalação mais difícil no caso da opção por aquecimento a água. Neste caso, recomenda-se que seja feita na altura da construção da casa.

Torne a sua casa mais acolhedora  Divida um grande espaço em vários espaços mais pequenos, com a ajuda de conjuntos de móveis. Faça uma área de convívio em frente à lareira com duas cadeiras confortáveis.  Num canto da sala coloque a televisão e um sofá, criando assim um bom espaço de entretenimento. Crie depois um outro espaço de decoração interior perto de uma janela, onde pode incluir uma poltrona e um pufe para desfrutar da leitura de um bom livro.  Use tapetes para separar zonas distintas da sala, por exemplo entre a sala de estar e a sala de jantar. Coloque também estantes com livros, criando assim um recanto de leitura.  Decore a sala com grandes peças, incluindo estantes altas, grandes sofás e cadeiras cobertas de veludo, tapeçarias e outros tecidos pesados.  As almofadas devem ter uma cor diferente dos sofás, e dentro das cores vivas ou mais suaves, em função da sua decoração.  Para tornar as diferentes divisões mais aconchegantes tenha muitas almofadas. As almofadas devem ter uma cor diferente dos sofás. Se o sofá for estampado, a melhor solução é usar almofadas lisas, de duas ou três cores usadas na estampa. Os tecidos devem ser macios. Mantas por cima dos sofás, em cores contrastantes, também dão um toque especial.  Decore a sua casa com flores da época e plantas em vasos. Rosas, jasmins, violetas e flores do campo são as ideais.  Se gostar de velas, aposte em velas coloridas e com diferentes cheiros. pub


26

pública: 21 de novembro de 2012

especial

Solução económica e funcional

Lareiras e salamandras: Ar condicionado: como opções quentes comprar A primeira decisão a tomar quando se pretende instalar uma lareira é escolher o tipo: aberta ou fechada, convencional ou com recuperador. As lareiras fechadas estão na sua grande maioria associadas a recuperadores de calor. As lareiras abertas clássicas, as que são construídas por medida, possuem uma grande vantagem: são a expressão do nosso sonho. As desvantagens são os custos de construção e os custos de consumo. Mesmo as lareiras clássicas podem incluir recuperadores de ar, bastando que, na altura da construção, se adapte na estrutura uma caixa de ar em chapa de aço, a partir da qual, por meio de condutas, se distribua o ar aquecido para os compartimentos contíguos. As lareiras com porta, ou fogões de sala, associadas a recuperadores de calor são, atualmente, as mais procuradas. Quem usa a lareira com regularidade e aproveita o calor produzido para aquecer o resto da casa obterá uma solução eficaz e mais económica que as lareiras normais. Já as salamandras são uma opção cada vez mais escolhida para aquecer casas. O combustível a utilizar nas salamandras pode ser de três tipos: lenha, carvão ou pelets. As salamandras de lenha e carvão obrigam a uma conduta de fumos vertical, de saída acima do telhado e com secção suficiente para uma boa exaustão. As salamandras alimentadas a pelets (argamassa prensada de aparas de madeira e serradura) são de alimentação au-

tomática, permitem uma conduta de fumos horizontal através da parede e a produção de fumo é mínima. Além disso, a armazenagem do combustível é mais fácil, uma vez que é vendido em sacos. Cuidados com as lareiras e salamandras Com as lareiras, fogões de sala e salamandras há que observar algumas regras. A colocação da chaminé da lareira ou da salamandra, e respetivas condutas, são dos elementos mais importantes para o seu bom funcionamento. Se a conduta for estreita, estrangula a saída de fumos e estes serão reenviados para dentro de casa. Se a chaminé estiver próxima de um elemento mais alto (casa ou árvore), poderá também provocar a reentrada de fumo. Ao acender uma lareira, os gases e fumos que sobem pela chaminé deixam nas paredes uma substância cristalizada chamada creosoto. Com a utilização frequente da lareira, essa substância altamente combustível acumula-se, criando o ambiente ideal para um incêndio na chaminé. A melhor forma de evitar qualquer risco é proceder a uma limpeza anual da chaminé. No caso das salamandras e dos recuperadores, nunca se deve apagar o fogo com água sob pena de fissurar o ferro fundido. No caso de serem de chapa de aço, utilizar água para apagar o fogo leva a que se criem pontos de ferrugem e um envelhecimento precoce dos materiais.

Os aparelhos de ar condicionado do tipo inverter são cada vez mais procurados para substituir os clássicos. Arrefecem e aquecem com menos flutuações de temperatura, e desumidificam o ar, o que também favorece o conforto. Podem ser usados apenas como ventoinha. Além disso, são eficientes e bastante económicos. No entanto, segundo a Associação de Defesa do Consumidor, Deco, devemos ter cuidado com a disparidade de preços. Na ocasião de comprar, tenha ainda em conta o custo da instalação. Os valores variam com o tipo de construção da casa, a maior ou menor dificuldade de montagem e a distância face à loja. Por isso, é aconselhável que compre o aparelho em lojas que assegurem a instalação ou indiquem o instalador. Na instalação feita pelo vendedor ou alguém ao seu serviço, os defeitos são abrangidos pela garantia do aparelho, em geral de 2 anos. Se a instalação for executada por terceiros, não propostos pelo vendedor, o instalador responde pelos problemas. Em caso de defeito na entrega, rejeite a instalação ou aceitea sob reserva. Estes direitos mantêm-se para os defeitos detetáveis até 2 anos. Não se esqueça que o aparelho de ar condicionado requer cuidados periódicos, para um bom funcionamento. Limpe os filtros e as grelhas seguindo as instruções. Operações mais complexas, como procurar fugas, proceder à recarga e verificar o sistema elétrico, devem ser feitas por técnicos. Pode pedir o ser-

viço pontual a uma empresa ou contratar manutenção a longo prazo para um acompanhamento mais frequente, mas antes sonde as condições e o preço Funções úteis do ar condicionado  O modo turbo ativa por instantes a potência máxima no início do aquecimento ou arrefecimento da divisão para obter rapidamente a temperatura de conforto.  O modo económico permite reduzir a potência de funcionamento quando a temperatura é estabilizada, poupando energia.  O modo noturno reduz gradualmente a temperatura ao longo da noite até desligar o aparelho.  Programar o aparelho para funcionar 30 minutos antes de chegar a casa ou desligar à noite é prático e permite poupar energia.  O modo inteligente deteta a presença de utilizadores e aciona o funcionamento automático. Se sair da sala, desliga-se.  O alerta para limpar ou mudar o filtro é útil: a limpeza melhora a qualidade do ar e a eficiência. pub


especial

pública: 21 de novembro de 2012 27 pub

Luz e ar fresco criam ambientes de conforto em casa

Mais conforto? Mude as suas janelas Luz e ar fresco fluem pelas janelas para criarem ambientes de conforto na nossa casa. Mas estas aberturas são também responsáveis por grandes perdas de calor no Inverno e ganhos no Verão. A primeira opção para melhorar o desempenho das suas janelas é colocar fita isoladora, que custa 1,30 euros por metro. Também pode intervir nas caixas dos estores, ao aplicar um material no interior, como lã de rocha com 45 mm de espessura, com preço a rondar 3,80 por metro quadrado. Para mais conforto, pode mudar os caixilhos das suas janelas. Os caixilhos de madeira conferem bom isolamento e, com uma manutenção cuidada, podem durar muito. Os de alumínio, mais leves e sem exigirem grande tratamento, são os mais usados em Portugal. Pouco estéticos no passado, os acabamentos têm agora mais opções, algumas a imitar madeira. Também os caixilhos em PVC, plástico com boa rigidez, são estáveis e pouco sujeitos a dilatações. Proporcionam bom isolamento térmico e acústico. A eficiência na transmissão do calor pode até ser superior à da madeira se o interior do caixilho for composto por câmaras com material isolante. Se não prescinde de um acabamento em madeira no interior, opte por modelos híbridos. A madeira é combinada com alumínio ou PVC no exterior. Uma excelente forma de obter maior conforto térmico passa pela substituição dos seus vidros simples pelos duplos. O

vidro duplo incolor deixa passar a radiação infravermelha, o que provoca aquecimento na divisão. Assim, o calor fica retido no interior devido ao efeito isolante do vidro, sendo extremamente benéfico no inverno, embora, no verão, sejam essenciais estores ou persianas.

Como arejar a casa

 As janelas fixas não são usadas para ventilar, mas úteis na iluminação de uma cave ou garagem.  As de correr, muito frequentes, poupam espaço e são versáteis na escolha de estores e cortinas. Porém, sobretudo as antigas, têm folgas por onde passa o ar.  Os modelos de guilhotina têm a parte superior fixa e a inferior móvel. Ao nível de infiltrações, são idênticas às de correr.  Com as janelas de batentes, a abrir para o interior, pode usar toda a abertura para ventilar. Contudo, ocupam mais espaço e podem limitar a escolha dos móveis.  As janelas oscilo-batentes são as mais versáteis. O eixo vertical permite abrir na totalidade, como as normais janelas de batente. Com o horizontal, a parte inferior fica fixa e a superior abre. Este sistema areja de forma intensiva sem a janela fechar de repente e originar um acidente.

Eletrodomésticos: grandes ajudas Não conseguimos viver sem eles. É um facto. Os electrodomésticos mudaram o nosso dia-a-dia. É possível aquecer uma refeição em três minutos, fazer um café em segundos, lavar peças de roupa em 15 minutos, seca-la em outros tantos. Os diversos equipamentos foram criados para nos facilitar a vida e auxiliam em muito porque as diferentes marcas vão lançando diferentes electrodomésticos cada vez mais rápidos, autónomos, eficientes e mais amigos da natureza. Aquando da escolha de um novo electrodoméstico não deve descurar a sua classe energética, optando sempre pela classificação Classe A ou Classe A+. A verdade é que os eletrodomésticos desta gama são sempre mais caros quando comparados com eletrodomésticos que apresentam uma eficiência energética mais baixa. No entanto, o investimento inicial é rapidamente recuperado quando se tem em conta as poupanças a longo prazo em termos de água, eletricidade e gás. Quando comprar um eletrodoméstico, prefira aparelhos com uma etiqueta energética de classe A, A+ ou A++. O consumo de energia é bastante inferior ao dos modelos de classes mais baixas. Cozinhe com as panelas e tachos tapados para reduzir as perdas de calor e o tempo de preparação. Prefira a panela de pressão: é mais rápida e gasta menos energia do que o tacho normal. Desligue o lume alguns mi-

nutos antes do tempo de confeção e deixe-a tapada. É suficiente para terminar a cozedura. Escolha o bico do fogão adequado ao tamanho do tacho. Uma chama demasiado forte implica desperdício de energia. Prefira um forno com ventilação: como faz circular o ar quente no interior, mantém a temperatura homogénea e reduz o consumo. Para evitar perdas de temperatura e maior consumo de energia, abra a porta do forno apenas se for preciso. Desligue o forno alguns minutos antes de terminar a cozedura, para aproveitar o calor residual. Para um menor consumo de energia, o frigorífico deve ter uma temperatura entre 4 e 7°C e o congelador entre -18 e 24°C. Quanto às máquinas de lavar roupa e loiça, reduza o consumo de energia evitando programas com temperaturas elevadas. Só use estes aparelhos quando estiverem cheios. Duas lavagens a meia carga gastam mais do que uma cheia. Sempre que possível, prefira o estendal à máquina de secar. O sol e o vento secam de forma gratuita e ecológica. Se estiver bom tempo, reduza a velocidade da centrifugação da máquina de lavar. Quase todas as máquinas têm um seletor para o efeito. Apanhe a roupa do estendal ainda um pouco húmida, para gastar menos energia a engomá-la.

pub

OE1072