Page 1

32

sport: 29 de Junho de 2011

motores

Equipa Amob Racing

Luís Barros e César Machado em bom nível no Circuito da Boavista A cidade do Porto recebeu no passado fim-de-semana prova de corrida, no conceituado Circuito da Boavista, onde a Amob Racing marcou presença com os pilotos Luís Barros, em Porsche 3.0 Turbo, e César Machado, em Ford Escort MKI. Foi um fim-de-semana em cheio para a formação de Famalicão, uma vez que Luís Barros sai da invicta como o grande vencedor e o jovem César como piloto revelação principalmente na primeira corrida. Começando por Luís Barros, nos treinos cronometrados, o Porsche não foi além do quarto posto, obrigando o piloto a largar para a primeira corrida da segunda fila da grelha de partida. A experiência de Luís Barros neste tipo de corridas veio ao de cima logo na largada, e com um arranque audaz, o líder da Amob Racing chega a fim da primeira curva do circuito logo na liderança da prova, cimentando esse lugar até final da prova. Na segunda corrida, Luís arrancou da primeira fila e foi só acender a luz verde para que o Porsche 3.0 Turbo levasse o piloto a mais uma vitória na ANPAC Cup. “Esta é uma prova ao meu estilo, sempre gostei de correr em circuitos citadinos e infelizmente em Portugal estão a desaparecer. O Circuito da Boavista

tem a particularidade de ter partes muito técnicas que se misturam com zonas muito rápidas, o que para nós pilotos nos dá um gozo na condução muito grande”, confessava Luís Barros que em relação à prova acrescentou, “apesar de ter saído de quarto, sabia que tinha uma palavra a dizer na discussão pela vitória, e depois de alcançar a liderança apenas tive que gerir os acontecimentos até ao final para cortar a linha da meta em primeiro”. Já César Machado não teve um bom início, uma vez que no decorrer dos treinos cronometrados um toque com o Escort MKI devido a óleo derramado na pista, não deixa o piloto realizar um bom crono, largando para a primeira corrida do 15º posto da grelha. A má qualificação do jovem famalicense obrigou-o a uma concentração extra, pois tinha a tarefa de realizar uma corrida de trás para a frente. E assim foi, o campeão júnior da temporada passada puxa dos galões e deliciou o muito público presente em redor do circuito com momentos de grande condução e bonitas ultrapassagens que os deixou por diversas vezes ao rubro. César Machado recupera até à quarta posição da geral, sendo

Luís Barros, em Porsche 3.0 Turbo

segundo da sua categoria. Na segunda corrida, o piloto da Amob Racing arrancou da quarta posição, mas na largada cai para 6º. Sem nunca perder o contacto com os homens da frente, César vê os dois adversários que o antecediam em pista desentenderem e aproveita para recuperar a quarta

Numa corrida em Albacete (Espanha)

Azar condiciona prestação da Rodrive

Não foi uma jornada fácil aquela que a Rodrive Competições teve no Circuito de Albacete, em Espanha, onde no passado fim-de-semana se desenrolou mais uma etapa do Campeonato de Espanha de GT. Rui Lapa e o estreante David Saraiva não tiveram a sorte pelo seu lado, com o Ginetta G50 GT4 a não colaborar por inteiro. Um problema com a caixa de velocidades do protótipo inglês impediu os pilotos de fazer mais do que algumas voltas nos treinos livres, forçando mesmo a sua ausência nos treinos cronometrados. A equipa técnica da Rodrive conseguiu recuperar a caixa de velocidades para a corrida de domingo, permitindo a presença dos dois pilotos na última posição da grelha de partida. “Apesar de todos os azares que tivemos aqui em Albacete, saio desta prova com uma impressão muito positiva, valeu a pena todo o esforço da equipa para nos conseguir arranjar o carro, de forma a podermos fazer a prova, ou no caso, parte dela”, começou por dizer o piloto. “Em relação à corrida, consegui fazer uma boa largada e fui ganhando lugares na primeira parte da prova, entreguei o

carro ao David na terceira posição, mas como tínhamos um handicap alto perdemos uma posição nas boxes. Depois fomos forçados a desistir devido a um princípio de incêndio quando paramos para trocar de pneus”, acrescentou. Quanto ao estreante David Saraiva, considerou a estreia “muito positiva”, referindo que “foi pena termos tido algum azar, mas as corridas são assim e não há nada a fazer”. “Na primeira parte da corrida, ainda poderia ter chegado ao terceiro lugar, mas para além do handicap muito grande tive de parar em pista por causa de um acidente entre outros concorrente e perdi algum tempo com isso”, afirmou David Saraiva. Classificação corrida – 1ª hora: 1º Miguel Castro/Manuel Gião (Porsche 911); 2º Celso Miguez/Hugo Godinho (Ferrari 430); 3º Brain Lavio/Alan Sicart (Ferrari 430); 13º Rui Lapa/David Saraiva (Ginetta G50); classificação corrida – final: 1º Miguel Castro/Manuel Gião (Porsche 911); 2º César Campaniço/João Figueiredo (Audi R8); 3º Celso Miguez/Hugo Godinho (Ferrari 430); N.C. - Rui Lapa/David Saraiva (Ginetta G50).

posição, lugar que manteve até final da corrida. “Esta foi a primeira vez que corri neste circuito e estou muito satisfeito com o meu desempenho. Foi pena ter arrancado muito de traz na primeira corrida mas são corridas, e tenho que estar preparado para tudo”, disse o jovem famalicense

que foi considerado a grande revelação deste circuito. A Amob Racing regressa com os seus pilotos ao mesmo circuito dentro de duas semanas, com a realização do Circuito da Boavista, inseridos na Taça de Portugal de Clássicos, no fim-de-semana de 1, 2 e 3 de Julho.

Areal foi terceiro na Rampa de Bragança António Areal subiu ao pódio da jornada transmontana do Nacional de Montanha e pontuável para a Copa Ibérica, numa organização do Nordeste Automóvel Clube, conservando a liderança no Campeonato Portugal de Montanha (Grupo 1). A Rampa de Bragança/MCoutinho disputada no sentido ascendente da Estrada Nacional 206 que liga Bragança a Torre de D. Chama, numa extensão de 5 km, ficou um pouco aquém das expectativas de António Areal, mesmo cumprindo com a presença no pódio. A terceira posição entre os participantes do Grupo 1 foi suficiente para manter a liderança do campeonato, ainda assim “à partida para esta jornada pensei que fosse possível fazer um pouco melhor, sem querer tirar o mérito aos meus adversários que são de facto muito fortes e possuem excelentes viaturas”, começou por adiantar António Areal que não fez para esta jornada a melhor escolha dos pneumáticos utilizados no BMW M3, assistido e preparado pelos irmãos Mon-

teiro. “O BMW, a exemplo das provas anteriores, esteve impecável, o principal handicap foi mesmo a menos acertada escolha dos pneumáticos que nos fez perder alguns preciosos segundos, reflectindo-se no final do somatório das duas melhores subidas”, confidenciou o piloto. A próxima jornada do Campeonato Portugal Montanha será a “Rampa Capital do Móvel” disputada a 23 e 24 de Julho, em Paços de Ferreira. pub

32  

teiro. “O BMW, a exemplo das provas an- teriores, esteve impecável, o principal handicap foi mesmo a menos acertada escolha dos pneumáticos...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you