Page 1

Câmara já abriu o concurso público

Tesco de Ribeirão arranca em Setembro

Estrada Esmeriz-Lousado vai sofrer obras

A multinacional Tesco já avançou com a construção da fábrica de Ribeirão e deverá iniciar a laboração em Setembro deste ano. A data foi avançada pela própria empresa, subsidiária da marca Honda. A nova fábrica deverá criar 50 postos de trabalho e representa um investimento de 10 milhões de euros. p. 13

p.17

ANO 16 • Nº 826 • Gratuito 5 a 11 DE MARÇO DE 2008 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

Eleições devem ser a 5 de Abril e com lista única

opiniãoespecial:

Com a Primavera à porta apetece renovar a imagem. Conheça as tendências de moda e beleza da próxima estação. pp. 23 a 226

FERNANDO MONIZ AVANÇA PARA O PS Fernando Moniz diz estarem reunidas as condições para encabeçar uma lista de consenso nas próximas eleições internas do PS de Famalicão. O actual governador civil diz querer ouvir ainda algumas pessoas antes de formalizar a sua candidatura. Moniz fala em “última oportunidade para o partido ganhar credibilidade”, adiantando que os famalicenses “já

não têm pachorra para os desentendimentos” no partido. O actual líder, Nuno Sá, fala em lista “abrangente e pacificadora” e o autarca de Joane, Sá Machado, espera que Moniz chame “as várias sensibilidades”. O acto eleitoral já foi marcado pela Concelhia para o dia 5 de Abril, faltando apenas a aprovação da Distrital. p.4

Carneiro da Silva demite-se

Futuro incerto no FC de Famalicão

p.12

A Assembleia Geral do FC Famalicão, da passada sextafeira, prometia ser decisiva mas tudo continua na mesma. Carneiro da Silva, presidente da Comissão Administrativa, pediu a demissão, porém, não surgiram alternativas. Foram marcadas mais duas reuniões: uma a 14 de Março, para apresentação das contas, e outra a 11 de Abril para marcar eleições. Quem não gostou deste impasse foram os jogadores que retardaram a entrada em campo no jogo do passado domingo. Opiniao Sport

Sentença da morte de André é no dia 12

p.3

Ministério Público pede 11 anos de prisão Loteamento de Rebordelo de novo a concurso O Loteamento Habitacional de Rebordelo, em Ruivães, vai ser sujeito a novo concurso público. O primeiro foi aberto há precisamente três anos mas vários problemas afectaram o processo. Agora o executivo camarário decidiu anular a adjudicação anterior da obra e começar tudo de novo. p.13

Câmara de Famalicão implanta medida p.3

p.10

Primeiros vales entregues a bebés de Landim p.13

Sinalização horizontal para reduzir velocidade Famalicão pode ter Unidade de Cirurgia de Ambulatório

Porfírio Carvalho vence eleições no PSD de Joane

O hospital de Famalicão pode vir a receber uma Unidade de Cirurgia de Ambulatório, semelhante à que foi criada recentemente em Santo Tirso. O anúncio foi feito pelo responsável do Centro Hospitalar do Médio Ave, no decorrer de uma visita da Comissão Nacional para o Desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório. p.4

Porfírio Carvalho é o novo líder do núcleo do PSD de Joane. As eleições realizaram-se no sábado e Porfírio obteve 86 votos, contra 68 conseguidos pela lista de Miguel Azevedo, num acto bastante concorrido. O presidente do núcleo promete “muito trabalho e unidade”, com olhos postos nas próximas autárquicas. p.17


02

pública: 5 de Março de 2008

Agenda

espaço aberto

Objectiva Pública

Hoje, 5 09h45 Matinés do Conto, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide, com os contos “Branca de Neve” e “O Príncipe Sapo”. 10h00 e 14h30 Biblioteca Municipal é palco de um atelier de leitura orientada do conto “O Gato e o Escuro”, de Mia Couto. É na sala infanto-juvenil e a entrada é livre.

Sexta, 7 10h00 e 14h30 Encontro com a escritora/ilustradora Carla Pott, seguido de uma oficina de ilustração, na Biblioteca Municipal. Tem como público-alvo os alunos do 1º e 2º ciclo. 21h30 A “Antologia Jovens Poetas do Baixo Minho” apresenta um recital de poesia com os autores famalicenses, na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco. 22h00 O Teatro Construção de Joane apresenta a peça “As mulheres de Atenas”, de Augusto Boal. A interpretação é do Teatro de Ensaio Raul Brandão, com adaptação e encenação de Gil Filipe.

Domingo, 9 10h30 Bombeiros Voluntários Famalicenses celebram a habitual Comunhão Pascal, confraternização que reúne todos os elementos do corpo de bombeiros, corpos sociais e amigos.

E do dia para a noite nasce uma rotunda. Foi isso que aconteceu no centro de Delães, junto à igreja, na Estrada Nacional 204-5 (agora municipalizada). A rotunda ‘nasceu’ na passada segunda-feira e surpreendeu quem ali passa diariamente, porque o perigo é visível. Vê-se que a rotunda, tal como está, tem carácter provisório, mas a probabilidade de haver acidentes é real. Se não vejamos: a estrada principal asfaltada é repentinamente cortada pela rotunda que está localizada, parte no asfalto e parte na zona de paralelo. Quem vem de Riba d’Ave, sai do asfalto, entra no paralelo e coloca-se novamente no asfalto para seguir para Famalicão. Quem segue em sentido contrário tem que ter bastante cuidado. Quem conhece o local sabe que antes da nova rotunda há uma curva apertada que retira toda e qualquer visibilidade, pelo que a nova barreira (rotunda) aparece repentinamente. Que o provisório seja mesmo provisório e rapidamente se transforme em definitivo com a necessária sinalização horizontal.

Questão Pública Como analisa a polémica em torno da avaliação dos professores?" Ana Maria Oliveira

Custódio Oliveira

autarca

A avaliação é um instrumento essencial de gestão quer no sector privado, quer no público. Deve ser encarada como um elemento incentivador de melhoria e de maior eficiência. É normal que quem nunca passou por um sistema de avaliação sinta algum receio do mesmo. Existem vários modelos de avaliação, cada um deles tem pontos fortes e pontos fracos. Não existe o modelo de avaliação óptimo ou perfeito. Qualquer processo de avaliação pode e deve ser criticado para que possa ser melhorado. Com base nestas considerações concluo que a polémica em curso é pouco serena e menos racional. É uma polémica político-sindical. Parou a agitação na saúde porque mudou o Ministro, impunha-se começar outra… As dinâmicas do sistema democrático são assim mesmo. Importa aceitá-las e compreendê-las na sua verdadeira dimensão!

FICHA TÉCNICA

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

CONSELHO EDITORIAL:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO:

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO ADJUNTO: Celso Campos (CPJ 4668) ccampos@opiniaopublica.pt

Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

APOIO À REDACÇÃO: Jorge Alexandre

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Arcindo Guimarães (CICR-56), Carla Alexandra Soares (CICR-248), Celso Campos (CPJ 4668), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR320) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952). DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

professora

dirigente associativo

Penso que na base da polémica e da resistência a esta reforma não reside o factor avaliação. Em minha opinião os professores não receiam ser avaliados, a polémica nasce da forma desastrada como este processo tem sido gerido. A meu ver, o processo de avaliação deve começar no início do ano lectivo e não a meio, esta reforma atinge várias sensibilidades e altera as carreiras dos docentes. Não pode ser implementada a correr. No que diz respeito aos critérios de avaliação, estou em profundo desacordo com aqueles relacionados com as notas que os professores atribuem aos alunos. Não podemos condicionar a carreira de um professor por causa das notas negativas que ele atribui. Isto é colocar o docente num dilema, ou prejudica a sua carreira, ou inflaciona as notas dos alunos. Por outro lado, se não houver um regime de exames nacionais, como é que os pais e os próprios alunos avaliam os conhecimentos adquiridos ao longo de uma etapa de aprendizagem? Não devemos percorrer o caminho fácil das estatísticas, lembro que este Governo já permitiu que os alunos não reprovassem por faltas. Temo por um ensino sem assiduidade, sem exames, sem mérito.

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

Maria Augusta Santos

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

GERÊNCIA: João Fernandes

PROPRIEDADE:

Serviços Administrativos:

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

Francisco Araújo

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

www.opiniaopublica.pt

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

É consensual que a avaliação dos professores é indispensável e que não existem modelos de avaliação ideais. Por isso, considero que o processo de avaliação deve resultar de um trabalho conjunto de todos os intervenientes para que se encontre a melhor metodologia para o seu aperfeiçoamento e aplicação, permitindo que se desenvolva uma confiança na avaliação e se acredite nos seus benefícios. Ao considerarse que a avaliação de desempenho dos professores deve ter como referência os objectivos e as metas que cada escola ou agrupamento define no âmbito do seu projecto educativo, do seu plano de actividades e mesmo do projecto curricular de cada turma, não a podemos entender como uma ameaça mas como um meio de reconhecimento, entre outros aspectos, do mérito e da excelência do trabalho desenvolvido pelos professores. A avaliação de desempenho dos professores, como qualquer avaliação, é uma forma de julgar, mas deve constituir, preferencialmente, uma legitimação do trabalho que os professores desenvolvem e um estímulo para a definição dos seus objectivos.

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

15.000 exemplares, nº 826

CONTACTOS Redacção: Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


pública: 5 de Março de 2008 03

cidade

Ministério Público pede 11 anos e meio para autor confesso das facadas

Sentença da morte de André no dia 12 O Tribunal Judicial de Famalicão marcou para 12 de Março a leitura da sentença do julgamento da morte, por esfaqueamento, do jovem André Gomes, há cerca de um ano, em Joane. Dois irmãos, que na altura tinham de 16 e 18 anos, estão a ser julgados por homicídio qualificado e ainda por homicídio na forma tentada de um outro jovem, que também foi ferido na noite dos acontecimentos. Na manhã de quarta-feira da semana passada produziram-se as alegações finais deste processo. O Ministério Público (MP) entende que têm que ser dados como provados os crimes de homicídio qualificado e de posse de arma ilegal, no que ao arguido mais novo se refere. Por isso, pediu uma pena de 11 anos e meio de cadeia para o jovem, que durante o julgamento confessou ter dado as facadas em André Gomes. O procurador António Vinagre considera que o rapaz tem que ser condenado pelo homicídio qualificado, que cometeu por um “motivo fútil”, e pela posse ilegal de arma, mas aconselhou a aplicação do regime jurídico especial para jovens. Isto porque, entre outras coisas, o arguido, agora com 17 anos, não tem antecedentes criminais e “apesar de ser de etnia cigana, parece estar perfeitamente integrado na sociedade”. Já no que respeita ao irmão mais velho, o MP sugeriu a sua absolvição de todos os crimes de que estava acusado, por considerar que há “dúvidas inultrapassáveis” no que se refere à sua actuação durante os acontecimentos. Nomeadamente, o magistrado entende que “não resulta seguro” que o jovem sabia que o irmão tinha consigo uma navalha, nem que estava a atacar o André com intenção de o matar. Quanto ao que se passou dentro do bar Mil Cafés, na Avenida Padre Silva Rego, em Joane, na mesma noite, e que antecedeu a morte daquele rapaz de Pousada de Saramagos, na noite de 3 para 4 de Março do ano passado, o MP entende que não ficou provada a tentativa de homicídio de Tiago Marcelo, que também foi golpeado. Recorde-se que tudo começou com uma briga de dois grupos de rapazes, que culminou com

Magda Ferreira

Magda Ferreira

Arrobas da Silva pediu absolvição do irmão mais velho

Tiago Marcelo a fugir para o exterior do bar depois de ter sido golpeado no abdómen. Os dois irmãos terão vindo atrás dele e o rapaz fugiu para a Via Intermunicipal, tendo sido ajudado por um automobilista que ali passava. O André surgiu depois e ao ouvir o nome do seu amigo Marcelo procurou saber o que aconteceu e terminou morto na rua, com

18 golpes de navalha. A acusação não concordou, defendendo que esses acontecimentos têm relação com o que sucedeu a seguir, ou seja, o homicídio de André Gomes, pedindo, pelo menos, a condenação de ambos pelo crime de ofensas à integridade física. De resto, a acusação sustenta que os

Regime especial para jovens O regime jurídico especial para jovens é aplicável a jovens entre os 16 e os 21 anos que tenham cumprido crimes e foi criado na perspectiva de “um direito mais reeducador do que sancionador”. Aprovado pelo Decreto-Lei n.º 401/82, de 23 de Setembro, este regime prevê que, em caso de aplicação de pena de prisão, o juiz deve atenuar especialmente a pena, quando tiver sérias razões para crer que da atenuação resultem vantagens para a reinserção social do jovem condenado. Por seu turno, o regime da atenuação especial da pena, previsto nos art.os 73.º e 74.º do Código Penal, implica a redução de um terço do limite máximo da moldura penal prevista para o tipo de crime e a redução do limite mínimo a um quinto se for igual ou superior a 3 anos e ao mínimo legal se for inferior.

dois irmãos “agiram sempre em co-autoria” e, portanto, ambos deveriam ser acusados da morte do jovem, pedindo uma “pena exemplar”, tendo em conta aquilo que classifica como “desprezo total pela vida humana” demonstrado pelos arguidos e os motivos “torpes” que levaram ao assassinato de André. Por seu lado, o conhecido advogado Arrobas da Silva, que defende os dois irmãos, disse concordar com a tese do Ministério Público, manifestando certeza quanto à actuação do arguido mais velho e afirmando mesmo que seria “uma tremenda injustiça” se ele fosse também condenado. Já no que se refere ao mais novo, concorda que deve ser “castigado” pelos seus actos, mas não com a pena máxima, admitindo o regime especial para jovens. Antes de marcar a sentença, o juiz deu novamente a palavra aos arguidos e o mais novo aproveitou para “pedir desculpas” à família de André Gomes “pelo sofrimento que lhe causou”. “Sei que não perdoam, mas queria pedir desculpas…”, disse.

Quadro eléctrico destruído Uma fuga de água provocou um curto-circuito num quadro eléctrico, e consequente explosão, no edifício Aro, na cidade de Famalicão, na passada sexta-feira. O curto-circuito aconteceu cerca das nove da manhã, no nono andar do prédio, na caixa de escadas. Na sequência da explosão, a fuga de água aumentou e provocou uma inundação até às caves, através da caixa de escadas, não tendo, no entanto, danificado o interior dos apartamentos e das lojas. Os Bombeiros Famalicenses mobilizaram para o local um dispositivo considerável: 18 homens e quatro viaturas, incluindo a autoescada que, no entanto, não precisou de ser accionada. Sem fumo à vista foi o aparato dos bombeiros e das forças policiais que chamou a atenção e que assustou algumas pessoas do prédio. Os serviços camarários e a EDP foram entretanto chamados ao lo-

Celso Campos

Curto-circuito e fuga de água no edifício Aro

Bombeiros mobilizaram dispositivo considerável

cal para proceder às necessárias reparações e para retomar o fornecimento de água e energia eléctrica ao Aro. Já não é a primeira vez que este edifício é afectado por problemas do género, sobretudo na cave, no entanto, segundo Manuel

Alves, adjunto do comando dos Bombeiros Famalicenses, actualmente “tudo estará mais ordenado e não temos tido problemas ultimamente”, vincando que este prédio “não é foco de preocupação” diferente dos demais da cidade.

Da parte do condomínio do prédio, Glória Oliveira garante que o Aro “é seguro, é até dos mais seguros da cidade”, lamentando a ocorrência, uma vez que diz haver um “grande zelo pelo prédio”. C.C.

Na sequência da explosão, a fuga de água aumentou e provocou uma inundação até às caves, através da caixa de escadas, não tendo, no entanto, danifificcado o interior dos apartamentos e das lojas.


pública: 5 de Março de 2008

cidade

Novo incentivo ao arrendamento jovem elogiado pelos socialistas

JS avança com campanha sobre o Porta 65 A Juventude Socialista (JS) de Famalicão vai avançar com uma campanha de esclarecimento sobre o Porta 65, o novo regime de inc entivo ao arrendamento jovem. O anúncio foi feito segunda-feira, em conferência de imprensa. Ao contrário do que já foi veiculado por outras juventudes partidárias, concretamente a JSD, os jovens socialistas entendem que as alterações aprovadas ao Porta 65, no último conselho de ministros, beneficiam os jovens portugueses e, por isso, saem em defesa do programa de incentivo. Nuno Vieira, líder da JS famalicense, sublinhou que na elaboração deste novo programa, o Governo teve em conta sete ideias basilares: “alargar o âmbito de beneficiários, existência de um concurso para obtenção do benefício, proporcionar aos jovens condições para eles próprios criarem a sua independência, equidade e coesão territorial, coesão social e igualdade de oportunidades”. “O Estado deve apoiar quem arrende uma casa por 2.000 euros? Será Justo?”, questiona Nuno Vieira em jeito de resposta às críticas e àqueles que defendem a extinção do Porta 65. E continua: “Será justo que quem viva em regime de co-habitação não tenha direito ao apoio? Um jovem que alugue um T6 para si só, deve ter apoio do Estado? Um jovem que arrenda uma casa em Lisboa tem rendas iguais às de Bragança?”. Para a JS de Famalicão, o actual regime “é mais justo e mais abrangente”, mas é preciso que todos os jovens saibam disso. Assim, vai avançar, esta semana, com uma campanha de informação, que inclui a distribuição de panfletos e a publicação de notícias na página da Internet da JS. “Queremos informar os jovens do que se passa realmente com o novo Porta 65, quem são os seus destinatários e como poderão usufruir desse programa”, conclui Nuno Vieira. C.A.

Eleições realizam-se a 5 de Abril, com lista única

Moniz avança no PS Celso Campos O actual governador civil de Braga deve ser o próximo líder do PS de Famalicão. É o próprio Fernando Moniz quem o admite em declarações ao OPINIÃO PÚBLICA. “Quero ouvir ainda algumas pessoas e alguns militantes e só depois anunciar oficialmente a candidatura”, diz Fernando Moniz, assegurando que “estão criadas as condições para avançar”, mas apenas na condição de “haver uma lista de consenso”. O actual inquilino do Palácio dos Falcões diz que tem recebido inúmeros apoios e ouvido muitos destacados militantes dizer que ele é o único capaz de dar unidade à estrutura, tendo em conta os desafios eleitorais que a nova Comissão Política terá de enfrentar em 2009, sobretudo as autárquicas. As eleições já têm data marcada. O secretariado socialista concelhio, reunido segundafeira, agendou o acto eleitoral para 5 de Abril, faltando agora apenas o aval da Federação Distrital. A ideia da necessidade de consenso tem sido repetidamente veiculada por diversos militantes neste período préeleitoral, sendo subscrita, como revelou já o OPINIÃO PÚBLICA, quer pela actual liderança do partido, quer pela facção afecta a Maria José Gonçalves. “Esta é a última oportunidade para o partido ganhar credibilidade perante os famalicenses”, vinca Fernando Moniz, tendo a consciência de que se o

Arquivo

04

Fernando Moniz quer fazer política “para o exterior”

PS “voltar a falhar será um suicídio colectivo”. Incisivo o actual governador civil diz que os famalicenses “já não têm pachorra para os desentendimentos” no PS de Famalicão. Em discurso já em estilo de projecto de candidatura, Moniz mostra-se apostado “em fazer política mais virada para o exterior”. O socialista avança mesmo com o propósito de avançar com uma “forma inovadora de fazer política, sem ligar a questões pessoais e sem ataques”, adiantando que não quer ninguém da sua equipa a entrar por estes caminhos. Fernando

Moniz diz ter percebido que as pessoas “não estão interessadas em discussões político-partidárias e na disputa de questões pessoais, querem desenvolvimento e não protesto”. Consenso e união são palavras de ordem Por seu lado, Nuno Sá, o actual líder do PS, diz que foi feito um apurado trabalho de auscultação de militantes, “no sentido de conseguir um partido mais forte e mais unido, com todas as condições para disputar o ciclo de embate eleitorais que se avizinha, com destaque

para as autárquicas”. Nesse contexto, diz que foram criadas as condições para a existência de uma única lista “abrangente e pacificadora”, entendendo que, “neste momento, Fernando Moniz, pode protagonizar a liderança dessa lista e estratégia política”. Sá sai para se dedicar mais ao trabalho de deputado na Assembleia da República, uma vez que, como o próprio diz, “os desafios que se vão colocar ao próximo líder da concelhia são exigentes e exigem grande disponibilidade pessoal de permanência no terreno”, entendendo que Moniz está em melhores condições, mesmo acumulando o cargo de governador civil. Sá Machado, o autarca de Joane e outro destacado militante do PS (em tempos ligado à facção de Maria José Gonçalves) regista “com agrado” o avanço de Fernando Moniz. “As pessoas perceberam que o rumo só passa pelo entendimento, pode-se divergir nalgumas matérias, mas nunca no essencial”, vinca. Espera que Moniz “chame as várias sensibilidades”, acreditando que “as pessoas, de parte a parte, tenham aprendido alguma coisa com o passado”. “Não podem ser todos deputados e vereadores”, assevera Sá Machado, esperando que “as pessoas estejam despidas de interesses”. Ele próprio diz não ter interesse em estar no secretariado ou na Comissão Política, alegando falta de disponibilidade pelo facto de ser presidente de Junta e professor.

Na visita da Comissão Nacional para o Desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório

Famalicão pode receber Unidade de Cirurgia de Ambulatório Pedro Alexandre Silva A nova Unidade de Cirurgia de Ambulatório do Hospital de Santo Tirso, que já está em funcionamento, recebeu na passada sextafeira a visita de responsáveis da Comissão Nacional para o Desenvolvimento da Cirurgia de Ambulatório, cuja missão visa estudar e propor a estratégia e as correspondentes medidas para o desenvolvimento deste tipo de cirurgia no Serviço Nacional de Saúde. Estas novas instalações, criadas em Santo Tirso, têm uma área de 550 metros quadrados, custaram cerca de dois milhões de euros e estão em funcionamento há cerca de quinze dias. Aliás, Famalicão poderá receber, no futuro, uma unidade idêntica tal como adiantou, neste encontro, o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Ave, que agrega as unidades de Famalicão e Santo Tirso. José Dias explicou que, ape-

sar de Famalicão já dispor de uma estrutura onde se fazem as cirurgias de ambulatório, a criação de uma unidade deste género é uma possibilidade que ainda está em discussão. “Muito provavelmente a unidade de Santo Tirso pode, dentro de dois ou três anos, não ter condições para abarcar todas as possibilidades que a abrangência do Centro Hospitalar tem que são duzentos e cinquenta mil habitantes”, mencionou o responsável. Cirurgias de ambulatórias para reduzir listas de espera Este encontro com responsáveis do Centro Hospitalar do Médio Ave surgiu no âmbito da nova política de saúde do governo e pretendeu analisar a actual situação da Cirurgia de Ambulatório, nomeadamente no que diz respeito a racionalização da despesa, uma vez que este tipo de cirurgia não implica um internamento, à redução da lista e do tempo de espera. Neste sentido, os respon-

Sala da nova unidade de cirurgia de ambulatório

sáveis da comissão nacional estão apostados em promover a cirurgia de ambulatório como fundamental no combate às listas de espera cirúrgica, sobretudo quando “este tipo de programa se desenvolve em unidades espe-

cialmente desenhadas para esse fim, resultando no melhoramento do processo de agendamento operatório”, refere Fernando Araújo, presidente desta comissão que avança ainda que “neste tipo de cirurgia a dor pós-opera-

tória é, em geral, mais reduzida, sendo de assinalar uma diminuição do risco de tromboembolismo e o risco de infecções”. O facto do doente poder regressar a casa no próprio dia de intervenção é uma mais-valia, pois permite que o doente possa recuperar da sua operação num ambiente familiar. No entanto o responsável lembrou que “após a vinda para casa o doente precisa de sentir que tem uma retaguarda de assistência, o que já acontece em alguns hospitais que disponibilizam uma linha telefónica de apoio, mas outros ainda não o fazem. Por isso, esta comissão acha que é necessário uniformizar essa questão”. Neste sentido, o Centro Hospitalar do Médio Ave foi apontado como um bom exemplo, já que tem vindo a registar um aumento de cirurgias com especial destaque para as de ambulatório, onde se prevê para este ano um crescimento na ordem dos dez por cento.


publicidade

pública: 5 de Março de 2008 05


06

pública: 5 de Março de 2008

cidade

ALF aposta na “Educação para a Saúde”

A Associação de Ludotecas de Famalicão (ALF) vai desenvolver, até 2009, um projecto no âmbito da Educação para a Saúde. A iniciativa envolve parcerias com entidades públicas, designadamente com a Delegação de Saúde, e integra-se no Plano Nacional de Saúde Escolar. Em paralelo, desenvolve-se o projecto “Sorrisos a Brilhar – Concelho de Vila Nova de Famalicão”, ao nível da saúde oral. A participação em actividades promovidas pela Biblioteca Camilo Castelo Branco é outra das vertentes desta iniciativa. O envolvimento dos encarregados de educação neste processo é uma das prioridades da ALF e integra actividades e acções muito diversas, como a edição de desdobráveis com informações úteis sobre “doenças das crianças” (como a varicela, por exemplo)

ou sobre os cuidados a ter com o sol e folhetos relativos aos cuidados a ter com a alimentação das crianças. Aliás, o desenvolvimento deste projecto implicou já a revisão trimestral das ementas das refeições e levou à reestruturação do refeitório da instituição, de forma a cumprir todas as normas de higiene e segurança alimentar. Em nota à imprensa, a ALF diz ainda que motivar as crianças para a “Educação para a Saúde” é, naturalmente, outra componente essencial deste projecto. Nesse sentido, a associação procedeu à exploração da profissão do médico, decompondo alguns medos apresentados pelas crianças quando tinham que ir a uma consulta, enraizou-se o hábito de lavar as mãos e fez-se a caracterização do que deve ser uma alimentação saudável, com a ajuda da “Roda dos alimentos”.

No âmbito da revisão do PDM

Concelho sujeito a estudo de avaliação ambiental Decorrente de nova legis- visão do PDM”, lamenO socialista argumenlação, datada de Setem- tando que o decreto-lei tou ainda que “não está bro do ano passado, em causa seja “posterior definido o critério de adtorna-se obrigatório, no ao Simplex”, salientando judicação”, pelo que suâmbito da revisão do que neste caso foi criado geriu que a proposta Plano Director Municipal “um complex”. fosse retirada e melhor re(PDM), a obtenção de um O PS votou contra esta formulada, para evitar estudo de impacte am- proposta porque, embora “atropelos desta natubiental concelhio. Nesse considere este estudo “re- reza”. sentido, o executivo ca- levante”, a forma como a O presidente da Câmarário aprovou, a se- proposta é apresentada mara é que não esteve pemana passada, a realiza- “peca por defeito”, disse los ajustes, registou a ção dessa avaliação, o socialista Rubim Santos. opinião socialista, mas prevendo uma despesa O vereador diz que “fal- sustentou que não ia para o efeito “atrasar mais de 45 mil eueste proros. cesso”, aleO PS votou contra porque, embora gando ainda Essa avaliação amter perconsidere este estudo “relevante”, não biental deverá cebido o moacompanhar o a forma como a proposta é apresentada tivo do “pronovo PDM, blema de “peca por defeito” através de um consciência” relatório onde em os sociase identifica, listas votar descrevem e avaliam tam elementos” na pro- favoravelmente a proeventuais efeitos no am- posta e que, por isso, posta. biente resultantes da apli- “não a poderiam votar em Armindo explicou ainda cação do plano director. consciência”. Concreta- que o valor de 45 mil euros Este trabalho será feito mente, Rubim revelou não foi encontrado, questioatravés de consulta pré- ter elementos para apurar nando outros municípios via, mediante proposta a se a verba prevista de 45 que já solicitaram idêntico fazer junto de cinco gabi- mil euros para este es- trabalho e que a autarquia netes especializados na tudo “é muito ou pouco” está à procura de gabinerealização deste tipo de e sem saber qual o ca- tes “com experiência na tarefas. derno de encargos e as matéria”. “Este é um camiA propósito, Armindo especificações técnicas a nho transparente”, conCosta, diz que este proce- que terá de obedecer o cluiu o edil. dimento “vai originar um gabinete que irá produzir atraso ainda maior na re- a avaliação ambiental. C .C .


publicidade

pública: 5 de Março de 2008 07


pública: 5 de Março de 2008

cidade

Várias pistas deram em nada

Assembleia da República aprova petição para as doenças raras

Mãe do “menino azul” consegue comparticipação a 100% A partir desta semana o “Menino Azul” e todas as crianças que sofrem de doenças raras já vão receber uma comparticipação a 100 por cento no tratamento das suas doenças. A petição sobre doenças raras foi aprovada, a semana passada, na Assembleia da República, por todos os partidos com assento parlamentar. Impulsionada pela mãe do Emanuel, conhecido por menino azul devido à cor azulada que a doença rara de que sofre lhe dá, a petição visava o pagamento a 100 por cento dos custos com os medicamentos e tratamentos hospitalares das crianças com doenças raras, o que foi aprovado. Helena Silva, a residir em Famalicão há já alguns anos, contactada pelo OP, não escondeu a sua satisfação e também o alívio por uma luta de anos, que chegou ao fim. “O meu pedido foi para todos e não apenas para o Emanuel. Por isso, disse aos deputados: eu não venci, vencemos”. Lutadora, Helena Silva nunca desistiu de

lutar pelo filho, mesmo quando os médicos não lhe davam esperanças. Quando ficou sozinha, sem emprego e sem dinheiro, iniciou nova batalha no sentido de ter maior apoio do Estado, concretamente na comparticipação dos medicamentos e tratamentos que o Emanuel necessitava. Mas não reivindicou apenas para o si e para o filho, mas para todas as crianças portadoras de doença grave, de tal forma que quando soube que o Hospital de S. João, por ordem do anterior ministro da Saúde, Correia de Campos, proporcionava ao Emanuel os tratamentos sem custos, recusou. Mesmo assim, Helena Silva diz que esteve sempre sozinha nesta luta. A ela nunca se juntaram outros pais, nas mesmas circunstâncias, algo que lamenta. “Isso entristeceme porque quando temos filhos, não devemos ter medo nem vergonha de abordar a outra pessoa que está a lutar, devíamo-nos unir”, comenta. C.A.

Deputado do PCP visitou Palácio da Justiça de Famalicão

“Um edifício novo mas com muitos problemas”

Sem o Rui Pereira há nove anos O jovem Rui Pereira está desaparecido há precisamente nove anos. No passado domingo, 2 de Março, completou-se mais um aniversário do desaparecimento do jovem, então com 13 anos, e agora já maior de idade, terá 22 anos. Nove anos depois, a Polícia Judiciária (PJ) do Porto continua sem pistas sobre o paradeiro do rapaz, colocando a investigação num beco sem saída, segundo relatou, a semana passada, o jornal Correio da Manhã, que diz ter consultado o processo, adiantando que “pode ser arquivado a qualquer momento”. Há registo de várias pessoas que terão visto Rui Pereira ao longo destes nove anos, mas as investigações entretanto desencadeadas pela PJ não produziram efeitos práticos. Olhão, Espanha, França e mais recentemente a Suíça são alguns dos locais onde o jovem das Lameiras terá sido visto, no entanto, segundo o jornal “as informações acabaram por nunca revelar factos consistentes”. Um mês após o desaparecimento, a família recebeu um bilhete anónimo a exigir dinheiro em troca de informação, seguidamente há um telefonema que coloca o filho em Amiens, no Norte de

Arquivo

08

Rui Pereira

França. A PJ solicitou a colaboração da polícia francesa, mas das diligências feitas nada resultou. Três anos depois, em Dezembro de 2002, um emigrante na Suíça diz ter visto o famalicense em Abril de 2001, num salão de jogos em Lugano. Em Fevereiro de 2003, dois inspectores da PJ foram à Suíça, mas não conseguiram obter qualquer informação que conduzisse ao paradeiro do Rui. Em Outubro de 2004, Vítor Tavares, apontou ter visto características semelhantes às do Rui, em Olhão, mas as averiguações da PJ deram novamente em nada. A última pista é datada de Maio do

ano passado e conduz novamente a Lugano, na Suíça. José Lages viu a foto de Rui Pereira, num programa de televisão sobre desaparecidos e recordouse de uma conversa num café onde um rapaz disse ter sido raptado em Famalicão e que ninguém o procurava ao contrário do caso de Madeleine Mcann. A família do Rui Pereira foi alertada e esta deu conhecimento à PJ, mas da conversa com a polícia, José Lages disse que o cabelo do rapaz “era aloirado”. O emigrante comprometeu-se em tentar identificar os ditos portugueses no consulado, mas, segundo o processo, não o fez até hoje.

PCP comemora aniversário e Dia da Mulher A Concelhia de Famalicão do Partido Comunista Português (PCP) comemora no próximo sábado, dia 8, o 87º aniversário do partido, com um debate e um convívio na sua sede. Aproveitando a coincidência de datas, irá também assinalar o Dia Internacional da Mulher, data que os comunistas consideram “marcante para a emancipação feminina”.

Fórum Educação para a Saúde em Março

Agostinho Lopes diz que tribunal tem erros de concepção

Um edifício novo e caro, mas que não responde às necessidades. É desta forma que o deputado do PCP na Assembleia da República, Agostinho Lopes, classifica o Palácio da Justiça de Famalicão. Na quarta-feira da semana passada, o deputado eleito pelo Círculo de Braga visitou o novo tribunal e reuniu com a juíza-presidente, que lhe deu conta de problemas já conhecidos, como a falta de espaço para instalação das conservatórias, a inexistência de uma sala de audiências para grandes julgamentos e os constrangimentos nas imediações do edifício, concretamente os relacionados com o estacionamento automóvel. Agostinho Lopes subli-

nhou, entretanto, o facto de o tribunal não apresentar soluções de eficiência energética, questão que “não tem vindo a lume”, mas que considera “gritante”. “Quando tanto se fala em poupança de energia, é incompreensível que este edifício não tenha tido esse aspecto em consideração e tenha optado pelas soluções clássicas”, lamenta o parlamentar, acrescentando que “hoje existem no nosso país soluções e conhecimento técnico que permitem poupanças de energia na ordem dos 20 a 25%”. Quando às conservatórias, já existe uma solução para a sua instalação, contudo, vai “obrigar a cortes na zona destinada ao arquivo e nas garagens,

criando dificuldades graves, sobretudo ao nível do espaço para arquivo”. Todas estas questões “já foram colocadas pelo grupo parlamentar do PCP ao Ministério da Justiça”, pelo que com a visita da semana passada Agostinho Lopes quis, sobretudo, “chamar mais uma vez a atenção para o que se passa no Tribunal de Famalicão, de forma a que sirva de lição para o desenvolvimento de novos projectos de edifícios públicos”. Da reunião com a juízapresidente o deputado comunista ficou ainda a saber da necessidade de serem criados mais dois juízos em Famalicão: um no criminal e outro no cível. C.A .

O município de Famalicão, em articulação com o Centro de Saúde do concelho, vai promover um fórum de “Educação para a Saúde” no próximo dia 20 de Março, na Casa das Artes. O objectivo é promover a troca de experiências entre os diversos projectos de promoção para a Saúde realizados junto da população estudantil do concelho. Estes programas destinam-se a evitar comporta-

mentos de risco, pelo que através deste encontro se pretende também dar a conhecer os vários suportes que regulam a actividade de saúde escolar, ajudando os responsáveis a desenhar estratégias de promoção da saúde. O programa do fórum foi aprovado pelo executivo camarário na passada quarta-feira, juntamente com uma autorização de despesa até 7.500 euros para a realização do evento.


pública: 5 de Março de 2008 09

cidade

Plano de acção do SIRVA inclui campanha pela reciclagem

Vale do Ave a reciclar Pôr o “Vale do Ave a reciclar”. É isso que pretende o plano de acção do Sistema Intermunicipal de Resíduos do Vale do Ave (SIRVA) até 2016. O documento foi recentemente apresentado na Associação de Municípios do Vale do Ave (Amave) e está agora a ser divulgado nos concelhos que integram a associação. Na quinta-feira de manhã foi apresentado na Casa das Artes de Famalicão, perante uma plateia composta, essencialmente, por presidentes de Junta, alunos e professores. O plano de acção do SIRVA vai vigorar até 2016 e o principal desafio é a redução dos custos do tratamento dos resíduos e a optimização da recolha. Aqui, a reciclagem tem um papel preponderante. Nesse sentido, foi desenvolvido um plano de comunicação e imagem, cujo ponto de partida se baseia na campanha “Vale do Ave a reciclar”. Inclui um conjunto de acções assentes na comunicação, informação e formação, de modo a potenciar a implementação de diversas práticas

Magda Ferreira

Magda Ferreira

Vários presidentes de Junta e muitos estudantes assistiram à apresentação

relacionadas com a selecção e acondicionamento de resíduos e com a protecção do ambiente, em geral. Assim, serão desenvolvidas várias campanhas de sensibilização, algumas dirigidas à população em geral, nomeadamente um veículo/exposição itinerante, visitas de sensibilização porta-a-porta, e uma peça de teatro sobre a temática do ambiente. Mas há também uma acção direccionada, especificamente, à comunidade educativa, que tem como

mascote o “Reciclas”, um camaleão que, como os ecopontos, muda de cor. “O Reciclas recicla. E tu, reciclas?” é o slogan desta campanha, que abrange uma série de actividades distribuídas ao longo do ano lectivo e dirigidas aos diferentes níveis de ensino. O objectivo é que todos participem, porque “isto não pode ser só uma tarefa das câmaras, nem da Amave, tem que ser uma tarefa destas entidades mas também, e principalmente, com as pessoas”, sublinhou o vereador do Am-

biente na Câmara de Famalicão, José Santos, na abertura da sessão. “Famalicão tem 140 mil habitantes e todos vão ser extremamente importantes para conseguirmos atingir os objectivos”, acrescentou, frisando a importância dos presidentes de Junta para fazer passar a mensagem às suas populações e dos jovens que estavam na plateia, porque é com eles que se conta para “educar os mais velhos”. Este plano de acção prevê a construção de um aterro em Fafe e de cinco

novos ecocentros, dois dos quais em Famalicão, como o OP noticiou na edição de 6 de Fevereiro. Serão também implantados mais ecopontos, sendo que aqui o objectivo é passar de um ecoponto por cada 500 habitantes, para um equipamento por 250 habitantes. Só assim será possível que as pessoas separem cada vez mais o lixo, sendo que as expectativas da Amave em relação a esta campanha “são elevadas”, nas palavras do técnico António Quintão. Em relação ao vidro, é objectivo superar as metas já atingidas, mas será necessário “fazer um esforço suplementar relativamente ao papel e um esforço tremendo no que se refere às embalagens de plástico e metal”, referiu aquele técnico, salientando que a campanha pretende também acabar com o hábito de deixar o lixo junto aos ecopontos. Depois, este plano de acção vai também actuar directamente junto do sector do comércio, grande produtor de resíduos, sobretudo papel e embalagens. “Vamos ter agentes de sensibilização no terreno, que vão porta-a-porta sensibilizar as pessoas”, explicou António Quintão.

Curso de português para imigrantes em Famalicão A Civitas Braga, Associação para a Promoção e Defesa dos Direitos dos Cidadãos, e a delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa, através do Centro Local de Apoio e Integração de Imigrantes, promovem um curso de Cidadania e de Língua Portuguesa para imigrantes residentes em Famalicão. O curso decorrerá na Escola Secundária D. Sancho I. Os interessados poderão inscrever-se através do telefone 253271185.

Famalicão debate a cidade educativa A Câmara de Famalicão e a Escola Secundária D. Sancho I promovem, no próximo dia 11, às 21h30, no auditório do Centro de Estudos Camilianos, em Seide, uma conferência denominada “Olhando o futuro: a cidade educadora”, proferida Joaquim Machado, da Universidade do Minho. A palestra surge numa altura em que o município famalicense se encontra a desenvolver o processo de adesão à rede das cidades educadoras e numa altura em que as políticas educativas têm vindo a indicar a necessidade de uma abertura da Escola à comunidade, também ela educadora e agente de mudanças sociais.


10

pública: 5 de Março de 2008

cidade

Medida partiu da autarquia famalicense

Sinalização horizontal para diminuir velocidade A Câmara Municipal de Famalicão tem vindo a colocar sinalização horizontal em algumas das principais ruas do centro da cidade, como é o caso da Avenida Marechal Humberto Delgado, além das zonas junto às escolas. Jorge Paulo Oliveira, vereador do trânsito em Famalicão, fala neste reforço de sinalização como uma forma de travar a velocidade com que muitos automobilistas passam por aquelas vias. Num programa da Rádio Digital sobre Prevenção Rodoviária, o vereador explicou esta acção com base em trabalhos de alguns técnicos que lidam com sinalização que referem que os condutores não prestam muita atenção aos sinais verticais, enquanto a sinalização no chão tem um efeito positivo. “O condutor não está tão habituado e este tipo de sinalização. É quase impossível não reparar num limite de velocidade”, confia. Jorge Paulo Oliveira admite que alguns condutores até continuem a infringir a lei, mas haverá sempre uma desaceleração. “Com o aviso de limitação a 40 os condutores reduzem para 55 ou 60, quando antes passavam a 70. Não deixa de ser uma infracção, mas nota-se uma redução drástica

Jorge Humberto Bastos

Jorge Humberto Bastos

Sinalização horizontal já é visível na Avenida Marechal Humberto Delgado

na velocidade”, observa, justificando a medida de prevenção. Sobre a questão da sinalização horizontal, Jorge Paulo lembrou que as antigas lombas foram retiradas porque os camiões quando passavam trepidavam os prédios, além que o próprio INEM tinha alguns problemas no transporte de

doentes que têm de ser transportados com muito cuidado, mas com a maior rapidez. Estradas municipais “passadas a pente fi fin no” Jorge Paulo Oliveira anunciou ainda aos microfones da Digital que a autarquia famalicense está

a fazer um levantamento exaustivo de todas as vias que estão sob a sua tutela. A intenção é estudar algumas medidas que devem ser adoptadas em termos de drenagem, de segurança de peões e ciclistas, além de verificar os equipamentos de segurança e a própria iluminação. “Não se trata

apenas de sinalizar uma via, tratase de ver se a sinalização com nevoeiro ou com determinada iluminação é visível”, exemplifica. Na verdade, o vereador do trânsito reconhece que Famalicão apresenta elevados índices de sinistralidade, mas frisa também que o concelho tem cumprido integralmente o Plano Nacional de Prevenção Rodoviária que prevê, até 2009, uma redução em 50%. “Já reduzimos os acidentes, infelizmente não reduzimos em número de mortes, mas diminuímos o número de feridos graves e leves porque temos feito várias intervenções, mesmo em estradas nacionais, pelas quais não somos responsáveis”. De resto, a ideia não é nova, mas Jorge Paulo Oliveira reiterou a intenção da Câmara Municipal colocar radares limitadores de velocidade. Não serão equipamentos que apenas limitem a velocidade, mas que também que fiscalizem automaticamente todas as contraordenações. Este é um projecto para implementar na Avenida de França, na Rua 3 de Julho, Avenida Marechal Humberto Delgado e Carlos Bacelar. “Não vamos desistir, apenas ainda não temos autorização da Direcção Geral de Viação”.


pública: 5 de Março de 2008 11

freguesias

Temor manifestado pela CDU na Assembleia Municipal

Avança rede de água em quatro freguesias

Riba d’Ave pode perder a GNR

O executivo camarário aprovou a adjudicação da empreitada de construção da rede de distribuição de água nas freguesias de Avidos, Seide S. Miguel e Seide S. Paio e ainda da zona sul da Lagoa. Foi na passada quarta-feira, na reunião da vereação municipal. A obra está orçada em perto de 1,2 milhões de euros e tem um prazo de execução de perto de dois anos, tendo sido entregue à empresa Dacop. A empreitada vai prolongar-se por este ano e também por 2009, sendo que para o presente ano está prevista uma despesa de cerca de 470 mil euros.

O futuro da GNR na vila de Riba d’Ave pode estar comprometido. O temor foi afirmado na sexta-feira, na sessão da Assembleia Municipal, que decorreu em Castelões, pela CDU. Sílvio Sousa baseou-se em informações recolhidas na vila junto da população e de pessoas “que lidam directamente com estas áreas” para dizer que “há o risco, que foi apontado como bastante certo, do encerramento do posto da GNR de Riba d’Ave, com a transferência dos seus efectivos para Joane”. Em causa está o elevado estado de degradação das actuais instalações daquela força policial e o facto de a solução preconizada por várias entidades – de instalação da GNR no actual quartel dos bombeiros, após a construção da nova ‘casa’ da corporação – não poder ser concretizada num curto prazo. “O novo quartel dos bombeiros só deverá estar pronto em 2012, o que implicará que a deslocação do quartel da GNR para o actual dos bombeiros só se verificará nesta data”, aponta Sílvio Sousa, como razão para o hipotético encerramento da força policial na vila. “É fundamental que o quartel da GNR lá permaneça”, asseverou ainda o deputado municipal da CDU. O assunto foi levantado durante o período das informações do presidente da Câmara, que esteve ausente, fazendose representar pelo vice-presidente, acompanhado por todos os vereadores da maioria. A propósito, Durval Tiago Ferreira disse que a edilidade “está a fazer tudo para que a GNR fique em Riba d’Ave”, adiantando que tem havido pressão municipal junto da GNR e do Ministério da Administração Internar para que opte pela solução apresentada. De resto, o também vereador da Protecção Civil informou que o novo quartel dos bombeiros foi englobado numa candidatura comum com outras corporações, numa sugestão do Governador Civil. Revelou ainda que “o projecto está

Celso Campos

Celso Campos

Francisco Sá agradeceu a realização da sessão na sua freguesia

pronto e está a ser apreciado pela Amave porque envolve uma alteração na Via Intermunicipal”. Continental Mabor As críticas da administração da Continental Mabor à burocracia e aos entraves ao desenvolvimento por parte da Câmara de Famalicão também estiveram em

discussão. Aqui, foi o Partido Socialista quem levantou o assunto para dizer que os famalicenses “não perdoarão” a um presidente (Armindo Costa) que “contribui, com a inércia e burocracia, para o afastamento do investimento do concelho, com implicações ao nível do emprego e da sustentabilidade do tecido empresarial”. Luís Moniz ques-

Sessão de Castelões repleta de votos Na segunda sessão descentralizada da Assembleia Municipal registou-se a congratulação geral pela iniciativa que teve sala cheia no Centro Social de Castelões. Muitos populares assistiram à aprovação de todos os pontos da ordem de trabalhos, sendo que o único a gerar discussão foi o da contracção de um empréstimo de dois milhões de euros para obras, pela Câmara. Foi aprovado pela maioria, mas teve as abstenções da CDU e do Bloco de Esquerda e o voto contra do PS que uma vez mais criticou o facto de se ter de recorrer a um empréstimo para fazer obras que deveriam ser executadas a partir do orçamento camarário. Foi ainda aprovada uma proposta sobre as urbanizações municipais em Requião e Gavião, necessária para a futura transmissão de propriedade aos futuros proprietários e para envio imediato para o Tribunal de Contas, para obter o seu visto. O período antes da ordem do dia ficou marcado pela apresentação de 11 votos ou moções, entre os quais dois de pesar: um pela morte do autarca de S. Cosme, José Faria, e outro pelo falecimento de Maria Cândida Vidal Pinheiro, uma médica de Delães que foi deputada municipal e presidente deste órgão em 1979. Em memória de ambos foi feito um minuto de silêncio. Como está regulamentado, os assuntos da freguesia não puderam ser debatidos, mas o autarca local, Francisco Sá, saudou e agradeceu a realização da sessão na sua freguesia.

tionou que se a maior empresa do concelho é tratada desta forma imagine-se a generalidade das pequenas e médias empresas e os pequenos investidores. O socialista disse ainda que através das críticas da empresa de Lousado “transparece a imagem de um concelho onde a liderança autárquica parece presa a ideia retrógradas e medíocres”, desafiando Armindo a mudar de actuação. Sobre este assunto, o vicepresidente informou que o executivo reuniu propositadamente para analisar as críticas da Continental Mabor, mas Durval Tiago Ferreira diz que a maioria concluiu que a empresa não tem razão nas críticas que fez, informando que a autarquia tem “tentado responder com celeridade às solicitações que a Continental Mabor tem feito” e, por isso, “não vemos onde possamos ter falhado”. Apesar de ser uma grande empresa, o vereador disse que “não pode com isso querer ter um comportamento que lhe permita fugir ao que a lei manda, porque ela não pode ser aplicada melhor ou pior consoante a grandeza ou riqueza do sujeito em causa”, recordando ainda que a única vez que o PDM foi suspenso, foi para resolver um problema desta empresa. De resto, Durval informou estar já agendado um encontro entre Armindo Costa e o administrador Lopes Seabra.

Saneamento para S. Martinho e Requião em concurso A Câmara de Famalicão aprovou, na última quarta-feira, o projecto e a abertura de concurso público para a ampliação da rede de saneamento em Vale S. Martinho e Requião. A empreitada está orçada em cerca de 170 mil euros e tem um prazo de execução de 190 dias. A rede em causa tem uma extensão de 3,6 quilómetros e vai ligar cerca de 150 casas. O vereador do Ambiente, José Santos, frisou na ocasião que esta empreitada não vai cobrir a totalidade destas freguesias, destinando-se a colocar a funcionar algumas pequenas redes já construídas, mas que ainda não estão em actividade por falta de ligação com o resto do sistema.

Adjudicadas obras para urbanização de Antas A Câmara de Famalicão procedeu, na passada quarta-feira, à aprovação da adjudicação das obras de conclusão da Urbanização de Real, em Antas. Em causa está um investimento de cerca de 184 mil euros, sendo que o vencedor do concurso foi a empresa Terramac, que vai executar a empreitada.

Obras na escola de Bente A Junta de Freguesia de Bente pretende substituir o tecto falso existente na escola básica. Em causa está a colocação de placas de gesso semi-perfuradas e alterar as armaduras de iluminação. Para esses trabalhos, a autarquia prevê investir 5.800 euros, tendo solicitado a celebração de um protocolo com a Câmara para ajudar a custear este investimento. A edilidade, por sua vez, aprovou, na passada quarta-feira, a celebração do protocolo solicitado no valor de cinco mil euros.


12

pública: 5 de Março de 2008

publicidade


pública: 5 de Março de 2008 13

freguesias

Atraso é já de três anos para projecto habitacional em Ruivães

Loteamento de Rebordelo sujeito a novo concurso O Loteamento Habitacional previsto para a Quinta de Rebordelo, em Ruivães, vai ser sujeito a novo concurso público. O executivo camarário aprovou, na passada quarta-feira, por unanimidade, a anulação da adjudicação anterior, tendo em vista a construção das infra-estruturas do loteamento, e autorizou a abertura de novo concurso. O primeiro foi aberto há precisamente três anos, em Fevereiro de 2005, mas vários problemas afectaram o processo que culminaram agora na sua anulação. “Isto correu tão mal, que agora é altura de começar a correr bem”, disse, a propósito, o presidente da Câmara, Armindo Costa, perante os jornalistas, no final da reunião do executivo. De facto, o primeiro concurso foi objecto de inúmeras vicissitudes. Em primeiro lugar, um dos concorrentes excluído do concurso recorreu da decisão. A edilidade não aceitou a argumentação e adjudicou a obra pelo valor de 950 mil euros (abaixo da base de licitação

Celso Campos

Celso Campos

Loteamento abrange uma área de 60 mil metros quadrados

que era de 1,3 milhões de euros), sendo que o pagamento seria feito um ano após a sua conclusão. Inconformado, o concorrente excluído recorreu para o Tribunal Administrativo, o que suspendeu a adjudicação, sendo que aquela instância judicial acabaria por dar razão à Câmara, em última análise, em Janeiro de 2006.

Resolvido este problema, a empresa adjudicatária pediu, entretanto, que o pagamento da obra fosse feito cinco dias após a entrega da mesma e não um ano depois, como constava do caderno de encargos, algo incomportável para o empreiteiro. A autarquia não aceitou e no dia da assinatura do contrato (17 de Agosto de 2006) a

empresa não compareceu. A autarquia analisou a questão e mediante parecer jurídico optou por anular aquela adjudicação e proceder a uma nova para o concorrente que ficou em segundo lugar no concurso, que aceitou a obra em Novembro desse ano. A adjudicação seria feita, em reunião de Câmara de 6 de Dezembro, pelo

Já avançou a construção da fábrica em Ribeirão

Junta e E.Leclerc entregaram primeiros vales do incentivo à natalidade

Bebés de Landim já recebem apoio

Tesco começa laborar em Setembro Celso Campos

Celso Campos A Lara Filipa, o Luís Daniel e a Inês Pereira são três dos seis bebés que já beneficiaram do incentivo à natalidade lançado pela Junta de Freguesia de Landim. Eles estiveram acompanhados dos respectivos pais, sexta-feira, nas instalações do hipermercado E. Leclerc e receberam os vales de compras no valor de 250 euros, o montante da ajuda proporcionada pela autarquia landinense, em parceria com aquele estabelecimento comercial. O valor, suportado em 200 euros pelo E.Leclerc e em 50 euros pela Junta, pode ser descontado em compras naquele hipermercado em artigos destinados ao bebé. O estabelecimento desta parceria foi rubricado, através de protocolo, também na sexta-feira, numa cerimónia apadrinhada pelo presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa. O incentivo à natalidade, uma medida inédita ao nível nacional, tendo como origem uma Junta de Freguesia, vigora para os nascimentos ocorridos desde Setembro do ano passado e prolonga-se, pelo menos, até ao final deste ano. “Qualquer ajuda que venha quando se tem um bebé é bem-vinda”, diz Marta Veloso, a mãe da Lara Filipa. Estes pais só tiveram de se deslocar à autarquia landinense mostrar a certidão de nascimento da filha e demonstraram estar a residir na freguesia há mais de dois anos. “É uma grande ajuda para todas as famílias”, vinca também Carla Arantes, mãe da Inês, entendendo que a iniciativa “deveria abranger mais freguesias”. O dinheiro vai “para o que for preciso”, diz, por seu lado Ricardo Baltar, pai do Luís. “Vai para bens

As primeiras famílias contempladas com os 250 euros

alimentares, porque a Inês vai começar a comer papinha, e também para fraldas e produtos de higiene”, explicita, por seu lado, Carla Arantes. Entre 1991 e 2001, a população no concelho de Famalicão cresceu 12%, ao passo que em Landim a subida foi de apenas 3,6%. “Não estamos numa situação extrema, mas quisemos lançar um alerta”, explicou Carlos Ferreira, o autarca desta freguesia, justificando o lançamento do incentivo à natalidade. Reconhecendo que a medida “está a ter impacto”, espera que 2008 seja o ano em que surjam “resultados concretos e satisfatórios”, com a “afirmação da iniciativa”. Se assim for, “quiçá se em 2009 poderemos aumentar o valor do subsídio a atribuir”, espera Carlos Ferreira. Nascimentos no concelho cresceram 13% em dois anos Para o E. Leclerc, a adesão a esta iniciativa insere-se na política da empresa de apoiar acções locais de índole social, cultural ou desportiva. Pedro Páscoa, di-

rector de expansão do E. Leclerc, diz que quando foi confrontado com a acção da Junta de Landim, “a iniciativa foi desde logo acarinhada”. Armindo Costa, por seu lado, felicitou a Junta de Landim pelo lançamento do apoio à natalidade. Diz que “felizmente”, Famalicão não é um concelho problemático a este nível, tendo registado até um crescimento de nascimentos de 13% nos últimos dois anos. Apesar deste dado positivo, garante que a autarquia está atenta “para evitar um decréscimo de população”, garantindo que “se for necessário, futuramente, a Câmara intervir a este nível, fálo-á, entretanto exortamos outras freguesias a fazer o mesmo que Landim”. “Queremos um concelho com crescimento sustentado – apontou ainda Armindo – queremos que as pessoas venham para cá naturalmente, sem pressões e beneficiar da nossa centralidade e daquilo que de bom temos, nomeadamente a nível cultural e da solidariedade”.

valor de um milhão de euros. O contrato foi assinado em Abril do ano passado, mas não passou pelo crivo do Tribunal de Contas (TC), alegando que os pagamentos têm de ser feito em 44 dias após a conclusão da empreitada, mediante acórdão de Outubro passado. “Contestamos a decisão do TC, mas as coisas foram até um ponto em que decidimos anular o primeiro concurso e fazer um novo para avançar com a obra”, explicou a semana passada, o presidente da Câmara. Armindo acredita que agora o TC “não irá colocar mais problemas porque este concurso é normalíssimo”. O novo concurso para as obras de infra-estruturas do loteamento de Rebordelo têm uma base de licitação de 1,4 milhões de euros e um prazo de execução de 365 dias. O loteamento abrange uma área total de 60 mil metros quadrados e prevê a criação de 73 lotes destinados à construção de 70 moradias unifamiliares isoladas (com cave, rés-do-chão e andar) e de três edifícios multifamiliares (prédios), com rés-do-chão e mais dois pisos.

A fábrica que a multinacional Tesco vai instalar em Ribeirão deverá iniciar a laboração em Setembro deste ano. A data foi avançada pela própria empresa, na passada quarta-feira, em comunicado à imprensa. A Tesco informa que já está a construir a nova unidade fabril em Ribeirão, destinada ao fabrico de componentes automóveis e que vai criar 50 postos de trabalho. A empresa, subsidiária da marca Honda, espera que as obras fiquem concluídas em Agosto deste ano e que a laboração arranque em Setembro. No comunicado, a multinacional reafirma a intenção de continuar a manter a unidade da Trofa, bem como os seus 250 postos de trabalho. “Esta nova unidade é adicional em relação à actualmente existente na Trofa”, afinca. A fábrica de Ribeirão ocupará uma área de sete mil metros qua-

drados e resulta de um investimento na ordem dos 10 milhões de euros, que inclui a compra de terreno, construção, instalação e equipamentos novos. “Permitirá à Tesco aumentar a sua capacidade global e consolidar os processos actuais de fundição em alumínio para a indústria automóvel”, diz a empresa. No comunicado, a Tesco anuncia ainda algumas preocupações ambientais. Em Ribeirão será “usada tecnologia que permitirá reutilizar água das chuvas e usados filtros especiais de limpeza de ar no interior das instalações, bem como luz natural sempre que possível de forma a diminuir o consumo energético”. Em jeito de conclusão, a multinacional afirma que o investimento que será realizado na vila ribeirense “é resultado da elevada performance em termos de qualidade, custo e entrega e promoverá o desenvolvimento local e regional”.


14

pública: 5 de Março de 2008

publicidade

ARRENDA-SE APARTAMENTO T3 Localizado em VNF Av. Marechal H. Delgado

Postos de Distribui ção Abade de Vermoim Restaurante Costa e Silva Rua 25 de Abril Antas Quiosque Capões Lugar da Portela Quiosque Central Central Camionagem Sede do A.R.C.A. Lugar da Portela Quiosque Espaço Verde Rua 8 de De zembro Anta’s Café Edif. Jardins do Lago Retiro da Mariquinhas Lugar da Igreja Arnoso Santa Eulália Café Santo Amaro Rua Dr. Agost. Fernandes Café Bastos Rua da Car valheira, 111 Arnoso Santa Maria Café do Altinho Rua do Altinho Posto de Abastecimento Junto à Engenho Supermerc. Diamantino Lugar de Lages Casa Bola d’ouro Av. Conde Arnoso Mini Mercado Costa Rua 8 de De zembro Restaurante do Altinho Lugar do Altinho Foto Look Av. dos Moinhos Avidos Café-Restaurante Amaury Estrada Nacional 204/5 Fatipão Tra vessaQuinta da Ponte Pão & Companhia Estrada Nacional 204/5 Churrascão Sousa Rua Estrada Nacional 204/5 Bairro Papelaria Compasso Avenida Sil va Pereira Café Pastelaria Sonho Azul Av. Joaquim Leite Pastelaria Pão Quente Rosa Celeste Av. Joaquim Leite Bente Supermercados Belita Lugar de Cardal Churrasqueira O Toneco Avenida dos Emigrantes Café Sampaio Rua da Praça, 385 Brufe Electrokioske Rua Joaquim Pereira Supermercado Azevedo Rua D. Jorge Ortiga Mini-mercado Né Rua Manuel Moreira Maia Supermercado Teresinha Av. dos Emigrantes, nº 1707 Cabeçudos Bricoonda Rua Estrada Nacional 204 Quiosque Central Lugar do Souto Casa Carlos Rua 25 de Abril, 145 Calendário Casa Magote Rua de Rorigo Eugénios Health Club R. P. Avis de Brito Quiosque das Oliveiras Rotunda das Oli veiras Restaurante D. Antónia Ribaínho Sede Barrimau R. José Elísio G. Cerejeira Bodyline - Training Center Rua Visconde de Gemunde Casa FC Porto de Famalicão Rua S. Julião - Ed. Jardins Penedo Talho Morado Rua José Gonçal ves Cerejeira, 61 Supermercado Horácio & Sousa Av. D. Afonso Henriques, nº 3680 Dom Marco – Padaria Pastelaria R. Saint Fargeau Ponthierry - Ed. Eurofama Diogo Snack-Bar Rua José Oliveira Menezes - Recta Sr. dos Perdões Intermarché Rua S. Julião Carreira Mini Mercado Bezerra Rua do Monte

Café Santiago Rua da Estrada 204/5 Cafetaria Franlu Rua do Fojo, 152 Cabeleireiro Novo Visual Rua do Fojo, 152 Castelões Casa Chico Rua Ál varode Castelões Pastelaria Flôr da Ribeira Prta Ál varo de Castelões Pastelaria P. Quente Castelões Rua Georgiana Neto Pastelaria Sta Catarina Rua Vera Cruz Café Tocano Rua de S. josé, 152 Cavalões P. Repsol Os Emigrantes R. Dr. José A. Carneiro Cruz Mercearia Rego Av. S. Tiago da Cruz Peluche - Pastelaria Largo Sr. dos Aflitos Delães Papelaria Marques Avenida da Portela (Posto Galp) Papyrus Av. Albino Marques, Ed. Europa Pavilhão Delães Bairro Augusto Correia Quiosque junto à igreja Supermercados Belita Rua da Igreja Pastelaria Carmita Av. Albino Marques, nº 366 Pastelaria Doce Marco Zona Industrial Pocinhos Peixoto Sport Junto aos Correios Sapataria Peixoto Junto aos Correios Esmeriz Café Principal Avenida Carlos Bacelar Café Jota Largo do Souto, 86 Livraria e Papelaria Grafiarjo Junto às escolas primárias Fradelos Posto Galp Junto à Junta de Freguesia Quiosque Reis Rua Sta. Leocádia TF Gest - Posto Combustíveis Lugar da Quinta Gavião Estrela da Sorte Lotarias Junto à Rot. Stº António Posto Repsol Estrada N14 Mini-Mercado S. Vicente Rua 20 de Junho Gondifelos Casa das Prendas Parque das Tílias P. Abastecimento Sopor Av. São Félix Joane Bar ATC Biblioteca ATC Rua Dr. Agostinho Fernandes Café Central Lugar de Telhado Petro Joane Rua S. Bento Mercearia Olivia Lopes Lugar Rui vos Piscinas Rua de Leognan Quiosque da Feira Largo da Feira Quiosque Central de Joane Largo da República Snack-Bar O Rei dos Cachorros R. dos Laburins - Ed. Pérola do Vau Supermercados Dá-Cá Tv. Padre Sil va Rego, Lj.11 Supermercado Henrique Avenida dos Laborins Informarbelo Tra vessa de Barreiros, nº 105 Churrasco da Ponte Labruge Posto de Combustível de Joane Av. Dr. Mário Soares Snack Bar O Rei dos Cachorros II Labruje Jesufrei Café Mercearia Ramos Rua da Igreja Café S. Miguel Rua P. Domingos A. Pereira

Lagoa Casa Carvalho Rua EN 204 Café Europa Av. dos Lamosos Landim Lucyland Rua da Estrada Nacional Mercado Stª Marinha Rua Santa Marinha, 273 Quiosque Landinense Junto ao Mosteiro Cervejaria das Campas Rua do Sobreiral, nº 12 Junta Freguesia de Landim Alameda do Mosteiro, nº 62 Café Carvalhal Largo da Senhora das Dores, nº2 Café Vida Nova Lugar de Segures Café França Avenida da Tílias Lemenhe Café Avenida R. P. Domingos A. Pereira Café Costa Verde Aldeia No va Restaurante Fervenças Rua Papa João Paulo II Louro Taberna Ilha do Fogo Barradas Café Central Tra vassos Bar do GD Louro Rua Martires do Ultramar Carfoto R. Padre Domingos J. Pereira , 1155 Lousado Quiosque do Souto R. Cardeal Cerejeira Restaurante Linha Lugar do Souto Café Tae-Kwon-Do Loteamento Mabor, 52 Café Atalaia Rua do Carvalhinho, nº 503 Mogege Café Boavista Lugar da Boa vista Pastelaria Celiana Av. Padre António Ferreira, 470 Café Águia Rua da Liberdade, 166 Mouquim Adega Reg. Stª Filomena Ançariz Mini Mercado Igreja Largo da Igreja Nine Estação Serviço Cepsa Lugar da Estação Café Santos Quintães CP Quiosque Edifício Estação Caminhos Ferro Nine Novais Mini Mercado Azevedo Largo S. Simão Café Reguila Rua das Almas Oliveira Santa Maria Café Riera São Cristo vão Delnet, Lda Av. 25 de Abril Scam- Posto Gasolina Rua do Sestêlo Oliveira São Mateus Café Esplanada R. Estrada Municipal 574 Mini Mercado Vieira Lugar do Quinteiro Piscinas Lugar do Quinteiro Pizzaria Topo Gigio Rua S. José Mini Mercado das Casas Rua 1º De zembro, 64 Papelaria Andrade Rua da Santana Outiz Papelaria Fernandes Av. Jorge Reis Pedome Café S. Cristovão Rua da Bemposta Café Centro Av. S. Pedro Portela Café Snack-Bar Nova Era Rua da Igreja

Pousada Saramagos Pap. Carlos Carvalho Av. Stª Justa Quiosque Pousada Avenida da Riopele Papelaria Livraria Nove Av. do Cru zeiro, 171 Associação Família Benfiquista Rua de Espanha, nº 128 Requião Bar do Salão de Festas Lugar do Mosteiro Estação Serviço Portela Estrada 206 Mini-Bazar da Portela Lugar da Portela Talho Ribeirais Rua de Ribeirais Restaurante Zé Costa Avenida S. Sil vestre Riba d’ Ave Café Latitude Trav. Camilo Cast. Branco Café Para Pedro Rua Joaquim Ferreira Junta de Freguesia de Riba d’Ave A. Tílias, nº 39 Parque das Tílias Pa vilhão Riba d’Ave Papelaria Riscos e Rabiscos Av. Narciso Ferreira Papelaria Maria Aurora Silva R. 25 de Abril - R/C - Dir Azoria - P. de Combustiveis Av. Cidade Abreu & Lima, nº2 Café Central Rua 25 de Abril Ribeirão Bar do GD Ribeirao Campo do Passal Quiosque Central Frente à Junta de Freguesia Restaurante Colina do Ave Rua do Vau, 11 Mercado Azevedo Av. 3 de Julho Café Paris Compl. Hab. Bragadela, Loja 28 Charly Pastelaria e Padaria Rua da Bragadela, nº3 Ruivães Café Juventude Rua Domingos Monteiro Café Sede Ruivanense Rua do Pereiró Livraria Pap. Campos Rua do Pereiró nº 68 Pastelaria Pão do Monte Rua Domingos Monteiro Vinha Super Lugar da Vinha JM Café Pastelaria Rua da Vinha Café Arco-Íris Rua Vasco da Gama, 209 Supermercado Rosa de Fátima Rua do Souto, 243 Seide S. Paio Café Snack-Bar Novo Milénio Edf. Agrinha, 879 Associação Juventude Alegre Largo Nossa Sra. Parto Seide S. Miguel Café Snack-Bar Camiliano Largo Dona Plácido Café Popular Covas Café São Miguel Rua Santo Amaro Sezures Café Mercearia Central Rua N. Srª Fátima Telhado Posto de Abastecimento Carneiro Araújo Avenida Principal Mercearia Barbosa Rua do Azideiro Vale S. Cosme Café da Pedra Rua da Pedra Pastelaria Miga Doce Avenida Central Café Restaurante Veiga Av Tibães Talho S. Cosme Av. Tibães Café Pão Quente Lamela Doce R. Sr. dos Bons Caminhos, 644 Junta de Freguesia Vale S. Cosme Rua da Igreja, 151 Café Tulipa R. Conde Vale S. Cosme Vale S. Martinho Auto – Mercado Minda Lugar do Outeiro

Koppus Caffe Rua do Passo Vermoim Avelino Lomba Pimenta Junto à Capela Café Floresta Lugar da Floresta Café FM Rua António Oli veira Costa Estação Serviço Esso Av. João XXI Café Zé Ringo Av. Monte dos Combros Café Breia Av. Breia de Cima, 90 Infor Bit Av. D. João XXI, 1820 Supermercado Flor de Liz Rua de Penelas Restaurante Rony Av. João XXI Arriva Central Camionagem Vila Nova Famalicão A Mascotinha da Sorte Praça D. Maria II Bar Pavilhão Municipal Av de França Casa Voga R. Adriano Pinto Basto Quiosque Abanca Av. Dr Carlos Bacelar Quiosque Avenida Centro Comercial Aro Quiosque E. Leclerc Hipermercado E. Leclerc Quiosque Hospital Junto ao Hospital Quiosque Kalifa Av. Rebelo Mesquita Tabacaria Fernandes Rua Santo António Tabacaria França Rua Ernesto Car valho Tabacaria Sampaio Rua Narciso Ferreira Quiosque Sagres Parque da Juventude Café Sousa Balaída - Mões Vida Sá Rua Barão da Tro visqueira Papelaria Armanda Lima Rua Cons. Santos Viegas, 58 Supermercado Bandeirinha Rua Cons. Santos Viegas, 162 Café Snack-Bar Luso Brasileira Av. 25 de Abril Café D. Sancho I Rua Augusto Corrreia Parque Estacionamento Sagres Rua Luís Barroso Casa Benfica de Famalicão Praça D. Maria II Versentido, Lda Rua Camilo Castelo Branco Cartercombe - P. Abastecimento Rua S. João de Deus Papelaria Quinta do Vinhal R. P. Freitas reis, Ed. Vénus Lj 12 Latino’s Bar Restaurante Av. do Brasil Salão de Jogos Sttropez Tras. Shopping Twon Fagricoop Rua Sr. da Agonia, 372 Quiosque da Estação Estação CP Famalicão Fagricoop Rua Sr. da Agonia, 372 Restaurante Lua Cheia Avª Barão Trovisqueira Casa Salora Rua Vasconcelos e Castro Vilarinho Cambas Café Castanhal Lugar de Castanhal Café Millénium Rua do Monte, 400 Junta Freguesia Vilarinho Rua da Saudade, 45 Pastelaria S. Paulo Rua da Roederstein 5 Café Snack-Bar Barreiras Rua da Cumieira, 659 Trofa Quiosque do Pedro Rua Conde S. Bento Bazar Tina Rua Júlio Dinis Quiosque Desporto 2004 Rua D. Pedro V Santo Tirso Pão Quente Areias Junto à igreja de Areias Pizzaria Snack-Bar Noddy Areias Viatodos P. Abastecimento Galp Viatodos R. S. Pedro, 201 - Monte Fralães

Contacto: 91 922 02 34

EMPRESA PROCURA 6 PESSOAS PARA ÁREA COMERCIAL 8 PESSOAS PARA ÁREA DISTRIBUIÇÃO BEM REMUNERADO Contacto: 963368581 - 914258486

VENDE-SE Quinta A cerca de 2km do centro da cidade Cerca de 40.000 m2 Telefone: 919 672 674

AR CONDICIONADO ORÇAMENTOS Superclima, Lda TLM: 917 337 391 Indústria Carpintaria

PRECISA Comercial / Engº Gestão Industrial ou Madeira Resposta ao jornal ao nº 826 E-mail: recengcom@gmail.com

Empresa Multinacional Alemã sediada em Vila Nova de Famalicão

Procura Colaboradores Venha conhecer a nossa proposta! Marque entrevista Telm.: 914 145 046 ou E-mail: boa_vida@sapo.pt

ALUGA-SE T1 Mobilado C/ Cozinha Nova No centro da Cidade Contacto: 919 967 109


pública: 5 de Março de 2008 15

freguesias

Espaço localizado na freguesia de Brufe alcança objectivos

Casa da Juventude afirma-se Aberta há quatro meses, a Casa da Juventude começa a afirmarse perante os jovens que, cada vez mais, frequentam o espaço. Localizada na antiga escola primária do Carvalhal, a Casa da Juventude alcançou os objectivos que levaram à criação deste espaço. Esta é pelo menos a convicção de Jorge Paulo Oliveira, o vereador da juventude na Câmara de Famalicão, que avança com números para comprovar a sua afirmação. Há uma média de 400 jovens por mês a frequentar aquele espaço, o que perfaz, ao fim de quatro meses, um total de 1.600. Com três objectivos claros aquando da sua criação, o responsável garante que todos eles foram alcançados, sendo que o primeiro era criar mais uma infra-estrutura para os jovens e para as associações juvenis que têm um espaço que as serve num horário mais alargado, como o fim-de-semana e pela noite dentro, facto, que de resto, Jorge Paulo Oliveira destaca: “É importante que todas as associações juvenis, formais ou não, saibam que podem desenvolver aqui todas as suas actividades e em qualquer horário”. Aliás, todos os jovens,

José Clemente

Carla Alexandra Soares

Antiga escola primária do Carvalhal, em Brufe, recebe 400 jovens por mês

sendo do concelho ou não, podem frequentar a Casa da Juventude que tem acesso ilimitado e livre e onde podem encontrar um espaço Internet, livros para consulta, panfletos, jogos didácticos e um espaço de lazer com tv e dvd. Actividades intensifi ficcam-se Para além do espaço físico,

agora existem mais actividades viradas para os jovens. Duas acções de formação, uma visita do piloto Paulo Marques e uma acção de astronomia e astrologia são exemplos disso. “Já este ano estamos a dar uma nova dinâmica e estamos a tentar que todos os meses se promovam iniciativas temáticas”, explica o vereador. Em Fevereiro desen-

Didáxis de Riba d’Ave no Rivoli

Quase 700 alunos assistiram ao “Principezinho”

de Projecto – que está sob alçada deste departamento desde o ano lectivo 2005/2006. Denominado “Viagem à volta do Livro”, o projecto surge “como uma resposta às necessidades dos alunos, tendo como preocupação fundamental colmatar, a médio prazo, as lacunas diagnosticadas ao nível das competências estruturantes da língua materna, no que se acredita venha a ser um contributo essencial à superação das dificuldades diagnosticadas aos vários níveis, por todos os departamentos curriculares”, explica a coordenadora do DLP, Ana Paula Abreu. Todos os alunos do Ensino Básico dedicam parte da componente

Última fase do Centro Social de Brufe no terreno Começaram as obras da terceira e última fase do Centro Social e Paroquial de S. Martinho de Brufe. A instituição candidatou-se ao programa PARES (Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais) e depois de ver aprovada a candidatura avançou com as obras que devem estar concluídas dentro de dois anos. Esta é pelo menos a esperança do presidente do Centro Social, o padre Paulino que lembra que o projecto já existe há sete anos e espera ver “este sonho tornar-se numa realidade”. “Numa fase inicial construímos a residência paroquial e o complexo polidesportivo. O

que tem acontecido ao longo dos anos e com a mudança dos governos é que o processo tem sempre voltado à estaca zero e atrasado a construção do edifício”, explica o também pároco da freguesia de Brufe. Para dar uma resposta às necessidades da população da freguesia, algumas valências começaram a funcionar, provisoriamente, em instalações cedidas pela Junta de Freguesia e que deverão continuar até à conclusão da obra. Nas futuras instalações, os utentes vão poder usufruir de apoio domiciliário, creche, centro de dia e lar para idosos.

Florista Paraíso das Flores

Turma do 1º ciclo com o Principezinho

Centenas de mãozinhas aplaudiram de pé o pequeno Principezinho do Teatro Rivoli. Os cerca de 700 alunos do Ensino Básico da Didáxis-Cooperativa de Ensino de Riba de Ave – desde o 1º ao 9º ano – que estiveram no Rivoli no dia 20 de Fevereiro ficaram impressionados com a adaptação de Filipe La Féria e garantiram que perceberam a mensagem de Antoine de Saint-Exupéry: “só se vê bem com o coração; o essencial é invisível para os olhos”. Esta actividade faz parte do Plano de Actividades do Departamento de Língua Portuguesa (DLP) para dar cumprimento aos objectivos do Plano Nacional de Leitura e da área curricular não disciplinar Área

volveu-se o mês das Matemáticas, em Março vão ser explorados temas relacionados com o Movimento Europeu contra o Racismo, Abril vai ser o mês das adivinhas e o de Maio o do diálogo-intercultural. Para além destas actividades, há outras datas específicas que vão ser assinaladas como por exemplo o dia 23 de Março, Dia Interna-

cional dos Surdos, em que a Casa da Juventude vai acolher uma oficina de Linguagem Gestual. Colhido daqui o exemplo e experiência para a futura e definitiva Casa da Juventude, a nascer na Rua Adriano Pinto Basto, Jorge Paulo Oliveira aponta o terceiro objectivo do espaço de Brufe que serve também para aprimorar aquilo que deve ser a tendência e o caminho. “Mas ainda é muito cedo para dizer que já o encontrámos”, alerta. Convicto de que o sucesso do equipamento no centro da cidade seria maior, o vereador insiste na validade da solução provisória em Brufe: “Aqui não temos o ideal, mas justificou plenamente a nossa aposta. Além de termos recuperado uma escola que hoje serve para a Casa da Juventude, amanhã servirá para outra coisa qualquer”. Precisamente sobre o futuro do espaço, o responsável diz que já foi desafiado pela Associação de Escultura urbana, recentemente criada, para que a antiga escola do Carvalhal pudesse servir para a sua sede. “Mas isto ainda não passa duma possibilidade e com isto quero dizer que não faltarão alternativas para a sua ocupação futura”, conclui.

horária da Área de Projecto à leitura/estudo de uma obra literária e a outra componente à leitura/análise de outros tipos de texto (informativo, científico…) para que desenvolvam competências ao nível da leitura, da interpretação e da escrita. Como o Projecto Educativo da escola se denomina “Bom Dia Europa – igualdade e diversidade”, os textos escolhidos para este ano procuram, essencialmente, promover a cidadania e aumentar o conhecimento dos alunos nesta área. Com a visita ao Rivoli pretendeuse que os alunos contactassem com duas realidades artísticas: o texto literário de Exupery e a encenação de La Féria.

Para dar mais vida à sua casa e também à sua vida, nasceu a Florista Paraíso das Flores, no edifício Jardins do Penedo, na freguesia de Calendário. Para ocasiões especiais, escolha as suas flores preferidas e viste a Paraíso Flores, junto ao campo de futebol do Famalicão.


16

pública: 5 de Março de 2008

publicidade

P U B L I C I D A D E

PEQUENOS

ANÚNCIOS

PA R A G R A N D E S

LEI DO TABACO - ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS Foi aprovado pela Direcção Geral de Saúde (DGS) o procedimento designado “teste de fumo”, o qual visa verificar a eficácia dos sistemas de ventilação e extracção, e a consequente disseminação do fumo para as áreas contíguas. Tal teste passará pela libertação intencional de grande quantidade de fumo branco acinzentado com densidade idêntica à do ar para constatar o seu trajecto. Segundo recomendações da DGS à ASAE são “recintos prioritariamente seleccionados para a realização do teste de fumo os estabelecimentos que não optarem por separação física”. A ACIF já solicitou à DGS “testes do fumo” para disponibilizar aos associados interessados em testar os sistemas de exaustão e extracção existentes nos seus estabelecimentos.

ACÇÕES DE FORMAÇÃO 1.º TRIMESTRE 2008

Semanário regional de Informação Geral

Valor da Publicidade:

ADMITE-SE Vendedores

NEGÓCIOS

€ 6,00

IVA INCLUÍDO A 21%

TITULO TEX TO

Com ou sem experiência Contacto: 252 916 192

PRECISA-SE Preencha este cupão, devidamente, e envie para a nossa morada

Cabeleireira com experiência

DIAS DE PUBLICAÇÃO

Morada: __________________________________________ ___/___/____ e ___/___/____ e ___/___/____ 1 Mês ___

Centro da Cidade

Tel.: 969 787 801

Nome: ____________________________________________

2 Mês ____

Localidade: ____________________ Cód. P.: _______-____ Tel.: ________________ Nº Contrib.: _______________ Valor a pagar: € _____ Cheque sob o banco:____________

ENVIAR PARA A SEGUINTE MORADA: Jornal OPINIÃO PÚBLICA Rua 8 de Dezembro, nº 214 4760-016 Antas S. Tiago ou Apartado 410 VN Famalicão ATENÇÃO: O Jornal OPINIÃO PÚBLICA reserva-se o direito da não publicação desse anúncio caso o cupão não esteja correctamente preenchido com o nome, morada e telefone do anunciante, e viole o Código da Publicidade.

´ FUTEBOL CLUBE DE FAMALICÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA CONVOCATÓRIA De acordo com o disposto no artº 39 Alíneas (c) dos Estatutos, CONVOCO UMA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA deste Clube, que terá lugar no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários Famalicenses, pelas 21.30 horas do dia 14 de Março de 2008, com a seguinte:

ORDEM DE TRABALHOS PONTO 1 - Discutir e votar o relatório e as contas referentes ao ano social findo. Inscrições Abertas Centro de Formação ACIF Rua Senador Sousa Fernandes, n.º 19 - 1º 4760-164 Vila Nova de Famalicão Tel / Fax: 252 315 095 E-Mail: formacao@acif.pt

PONTO 2 - Trinta minutos para tratar de assuntos de interesse para o Clube. OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Se à hora marcada (21.30 horas) não estiver presente o número de sócios exigido pelos Estatutos, a Assembleia Geral funcionará TRINTA MINUTOS DEPOIS, Artº 42 parágrafo único com o número de sócios presentes. Informo os associados que só poderão participar nos trabalhos desta Assembleia, desde que tenham as quotas em dia. V. N. Famalicão, 03 de Março de 2008 O Presidente da Assembleia Geral Dr. António José Santos Oliveira


pública: 5 de Março de 2008 17

freguesias

Derrotou Miguel Azevedo nas eleições de sábado para o núcleo

Aberto concurso para ligação Esmeriz/Lousado O executivo camarário, reunido na passada quarta-feira, decidiu, por unanimidade, aprovar o projecto e abrir o concurso público para as obras de beneficiação da estrada que liga Esmeriz, Cabeçudos e Lousado. Nesta empreitada estão abrangidas as Estradas Municipais (EM) 508, 509 e 509-1. A empreitada prevê a execução da rede de águas pluviais, passeios, pavimentação e sinalização, numa extensão de 2,5 quilómetros. Está orçada em 350 mil euros e tem um prazo de execução de um ano. Esta via apresenta, segundo a informação dos serviços municipais, “falta de segurança, dada a irregularidade do piso e várias deficiências provocadas pela falta de drenagem”. No final da reunião camarária, Armindo Costa sublinhou a importância desta obra, “sobretudo para Lousado, porque em Esmeriz e Cabeçudos parte do piso está em estado razoável, mas em Lousado aquilo está muito mau”. “É uma obra absolutamente necessária e só peca por ser lançada tardiamente”, reconhece o edil. Com esta empreitada, juntamente com a ligação que está a ser feita entre Santa Catarina (Cabeçudos) e a parte Norte de Lousado, o autarca acredita que irá “permitir uma maior aproximação entre estas duas freguesias que estiveram praticamente de costas voltadas devido às más vias de comunicação que as ligam”.

Porfírio Carvalho

fala da redefinição da localização da nova sede da Junta: “Fazem projectos, indicam terrenos e depois já não servem. Andamos nisto sempre, não decidem e não fazem”. “Queremos fazer diferente e melhor, queremos qualidade de vida, projectos urbanísticos de qualidade, que se cuide do ambiente, dos nossos rios e áreas naturais”, exemplifica o social-democrata. Depois de derrotar Miguel Azevedo, vice-presidente na anterior Comissão Política liderada por Fernanda Faria, Porfírio Carvalho tem na sua equipa nomes como José Machado e Miguel Coelho.

Agora vai também começar a discussão interna para escolha do candidato à Junta de Joane em 2009. Porfírio Carvalho promete que os militantes serão envolvidos nessa discussão e que “todos os nomes” serão analisados, num processo que “será totalmente transparente”. O novo líder já foi candidato à Junta em 1997 e 2001 e diz estar “sempre disponível para todos os combates”, mas refreia os ânimos reiterando que “os militantes é que vão decidir quem será o candidato”. M.F./C.C.

Celso Campos

Porfírio Carvalho é o novo líder do núcleo do PSD de Joane, na sequência das eleições de sábado, na estrutura. O vencedor obteve 86 votos, contra 68 conseguidos pela lista de Miguel Azevedo. No acto eleitoral participaram 87% dos militantes inscritos no núcleo de Joane, o que é considerado pelo PSD de Famalicão “uma afluência às urnas ímpar”. A concelhia atesta, em comunicado, que com este resultado “ganhou, acima de tudo, a freguesia de Joane”, porque “com a participação maciça nas eleições, os militantes quiseram demonstrar o seu apoio ao PSD e às soluções políticas que é capaz de apresentar”. Uma opinião partilhada pelo novo líder do PSD de Joane, uma vez que “não é em qualquer sítio que votam mais de 80% dos militantes”. A participação massiva “demonstra a pujança do PSD de Joane” e Porfírio Carvalho admite mesmo que evidencia “uma vontade dos militantes do PSD e até dos joanenses em geral para que haja uma mudança séria de políticas em Joane”. Agora, o novo líder promete “muito trabalho e unidade”, dizendo que vai envolver todos os militantes e simpatizantes do partido na apresentação de alternativas políticas à Junta socialista. De resto, Porfírio acusa a Junta de estar constantemente a mudar de opinião, falando mesmo em “trapalhadas” de Sá Machado. A título de exemplo

Arquivo

Porfírio Carvalho ganha PSD de Joane


18

pública: 5 de Março de 2008

freguesias

Falecimentos

Ana Cristina Dias Santos Almeida Fernandes

António da Costa Faria, no dia 4 de Março, com 84 anos, solteiro, da freguesia de Arnoso Stº Maria. Armando Augusto Ribeiro da Silva, no dia 3 de Março, com 72 anos , casado com Maria Emília Pereira Faria, da freguesia de Couto Cambeses (Barcelos).

Agradecimento e Missa de 7º Dia

António Gomes Arantes, no dia 27 de Fevereiro, com 60 anos, casado com Maria Filomena Azevedo Barbosa, da freguesia de Lemenhe. Agência Funerária Armando Cunha Pereira Arnoso Santa Eulália – Telf.; 252 961 428

Sua Família agradece a todas as pessoas que participaram no funeral do seu ente querido e aproveita para comunicar que a

Joaquim da Costa Dias, no dia 2 de Março, com 48 anos, casado com Maria Elvira da Costa Gomes Dias, da freguesia de Delães. Belmiro Manuel Pereira Arandas, no dia 3 de Março, com 47 anos, solteiro, da freguesia de Bairro. Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Rosa Augusta Ferreira Leal, no dia 1 de Março, com 69 anos, casada com Domingos Morais Ribeiro, da freguesia da Carreira. José Pereira Dias, no dia 1 de Março, com 79 anos, casado com Maria Inês Pereira da Silva, da freguesia de Carreira. Armando Manuel Carvalho dos Santos, no dia 3 Março, com 70 anos, casado com Maria de Sousa Martins da freguesia de Bente. Irene Augusta de Carvalho, no dia 4 de Março, com 94 anos, viúva de António Oliveira da Fonseca, da freguesia de Areias (Santo Tirso). Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Júlio Rodrigues, no dia 1 de Março, com 93 anos, viúvo de Lucrécia Machado, da freguesia de Riba d’ Ave. Agência Funerária de Riba D’ Ave Riba D’Ave – Tel.: 252 982 032

Missa de 7º Dia será celebrada Sábado, dia 8, pelas 18 horas na Igreja Paroquial da Freguesia de Lousado, o que desde já antecipadamente agradece a quem se digne estar presente.

Armindo Ferreira Gomes, no dia 28 de Fevereiro, com 81 anos, divorciado, da freguesia de Calendário. Agência Funerária Calendário Calendário - Telf. 252 377 207

Rosalina Lopes, no dia 29 de Fevereiro, com 79 anos, viúva de Casimiro da Silva, da freguesia de Riba d’ Ave.

A família Lousado - 5 de Março de 2008

Alfredo de Araújo, no dia 23 de Fevereiro, com 78 anos, viúvo de Clementina Machado do Carmo, da freguesia de Oliveira Stª Maria. Maria Ribeiro, no dia 27 de Fevereiro, com 99 anos, viúva de João Azevedo, da freguesia de Oliveira S. Mateus. Maria Conceição Ferreira, no dia 27 de Fevereiro, 91 anos, viúva de Manuel Rocha de Araújo, da freguesia de Oliveira S. Mateus.

Funerária Ribeirense. Telef. 252 491 433 Ana Leite Dinis, no dia 28 de Fevereiro, com 81 anos solteira, da freguesia de Riba d’Ave.

Joaquim Oliveira Salgado Machado

Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Maria Augusta Moreira da Costa, no dia 29 de Fevereiro, com 83 anos, viúva de José Maria da Costa Gomes, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa).

Agradecimento e Missa de 7º Dia

Alberto Magalhães Teixeira, no dia 1 de Março, com 64 anos, casado com Maria Lucinda Araújo Pacheco, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Maria de Lurdes da Silva Ferreira, no dia 2 de Março, com 70 anos, casado com Armindo Ferreira Maia, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa – Tel.: 252 412 727

Sua Família agradece a todas as pessoas que participaram no funeral do seu ente querido e aproveita para comunicar que a Missa de 7º Dia será celebrada Sábado, dia 8, pelas 17:30 horas na Capela de Santa Marinha da Freguesia de Landim, o que desde já antecipadamente agradece a quem se digne estar presente.

A família Landim - 5 de Março de 2008

Funerária Ribeirense. Telef. 252 491 433

Américo Couto da Rocha, no dia 23 de Fevereiro, com 71 anos, casada com Olinda Moreira Dias, da freguesia de Ribeirão. Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

Ademar Sousa da Silva, no dia 22 de Fevereiro, com 40 anos, solteiro, filho de Camilo Moreira da Silva, da freguesia de Ribeirão. Olinda da Costa Oliveira, no dia 28 de Fevereiro, com 88 anos, casada com Cristino da Cruz Reis, da freguesia de Ribeirão. Blandina da Costa Cunha, no dia 15 de Fevereiro, com 81 anos, viúva de Benjamin dos Santos, da freguesia de Lousado. Ana Cristina Dias dos Santos de Almeida Fernandes, no dia 1 de Março, com 39 anos, casada com Manuel Almeida Fernandes, da freguesia de Lousado. Amélia Macedo Pinto, no dia 28 de Fevereiro, com 92 anos, viúva de Joaquim Alves, da freguesia de Requião. Joaquim da Silva Araújo, no dia 1 de Março, com 83 anos, viúvo de Maria Rosa da Costa, da freguesia de Cabeçudos. Joaquim de Oliveira Salgado Machado, no dia 29 de Fevereiro, com 76 anos, casado com Deolinda Pinheiro Barbosa, da freguesia de Landim. Manuel José Coelho, no dia 1 de Março, com 85 anos, casado com Casimira Dias da Costa, da freguesia de Santiago de Bougado (Trofa). Manuel da Costa Araújo, no dia 3 de Março, com 84 anos, casado com Maria da Conceição Ferreira Neves, da freguesia de Santiago de Bougado (Trofa). Funerária Ribeirense Paiva & Irmão Lda Ribeirão – Telf. 252 491 433

Horácio Paulo da Silva, no dia 26 de Fevereiro, com 48 anos, casado com Maria Luísa de Silva Araújo, da freguesia de Antas. Maria Alice Valongo Terroso de Macedo, no dia 3 de Março, com 72 anos, casada com José Manuel Macedo de Rocha, da freguesia de Famalicão. Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176


pública: 5 de Março de 2008 19

freguesias

Rusga de Joane tem nova direcção

Câmara ajuda “Nascer do Sol”, de Mogege, a comprar terreno A Câmara de Famalicão deliberou, quarta-feira passada, por unanimidade, atribuir um subsídio à Associação “Nascer do Sol”, de Mogege, de 50 mil euros, para comparticipar a compra de um terreno para aí criar um centro social. O terreno em causa tem cerca de 12 mil metros quadrados e o valor total da compra ronda os 150 mil euros. Actualmente instalada no piso térreo da sede da Junta de Freguesia, a Nascer do Sol entende que o espaço que ocupa é insuficientes para responder às necessidades sociais da população, pelo que pretende construir um novo equipamento, de modo a poder alargar a sua intervenção social, criando novas valências.

Aprovado interesse municipal para Centro Social de Landim

O Grupo Etnográfico Rusga de Joane tem uma nova direcção, presidida por Camilo Alves. A eleição aconteceu no decorrer de uma AssembleiaGeral, realizada no passado dia 23 de Fevereiro, depois do pedido de demissão do então presidente Raul Vieira. A sufrágio apresentou-se apenas uma lista. Além de Camilo Alves, para presidente da Direcção, foram também eleitos Lázaro Ferreira, para presidente da Assembleia Geral, e Ricardo Azevedo, para presidente do Conselho

Fiscal. Na reunião, a nova direcção apresentou também o Plano de Actividades para 2008, que foi igualmente aprovado. Entre os objectivos para este ano está o pedido de declaração de utilidade pública para a colectividade e dar continuidade ao trabalho desenvolvido até aqui. A nova direcção promete, também, continuar a lutar pela aquisição de uma sede, “com o objectivo de a tornar num espaço multi-sectorial, aberto à comunidade, com local para en-

saios, para guardaroupa dos trajes e para formação das tradições musicais e de dança”, pode ler-se em nota enviada à imprensa. A liderança de Camilo Alves aponta ainda como objectivo para 2008 a regularização do registo de sócios, que “até à data é constituído apenas pelos fundadores da associação e elementos activos no grupo”. O que se pretende é que esse registo seja alargado à comunidade local e a todos aqueles que pretendam ser associados.

A vereação do executivo camarário aprovou, por unanimidade, na passada quarta-feira, a proposta de declaração de interesse municipal do projecto do Centro Social da Paróquia de Landim. Esse investimento está previsto implantar em zona classificada como Reserva Agrícola Nacional, pelo que para a sua desafectação se torna necessária a declaração de interesse municipal. Além disso, a sua implantação colide ainda com o raio

de influência do Mosteiro de Landim, pelo que o projecto está a ser acompanhado pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR, antigo IPPAR), informou, na reunião, o presidente, Armindo Costa. O novo edifício do Centro Social de Landim prevê uma creche para 45 crianças, um centro de dia para 20 idosos, um lar de idosos para 40 utentes e apoio domiciliário para 90 pessoas.

Junta de Gondifelos assume gestão de equipamentos A Junta de Freguesia de Gondifelos vai passar a gerir as instalações desportivas e de lazer do loteamento de Miradouro. A delegação de competências foi aprovada, por unanimidade, pelo executivo camarário reunido na passada quarta-feira. A transferência da gestão, administração e manutenção das estruturas em causa – um campo polidesportivo ao ar livre, um balneário, um parque infantil e uma zona verde – será feita mediante protocolo a rubricar entre a Junta e a Câmara. O loteamento em causa envolve um total de cerca de 120 lotes unifamiliares.


20

pública: 5 de Março de 2008

freguesias

Padaria e Pastelaria Desejos

Depois do centro da cidade de Famalicão, da freguesia de Brufe e de Calendário, a Padaria e Pastelaria Desejos está agora também na Trofa, junto à Escola Secundária. A qualidade é a mesma de sempre e os sabores também. Pode contar com doces sortidos e pastelaria variada, além de todo o tipo de pão para o seu dia-a-dia. Aproveite para tornar esta Páscoa mais doce em qualquer espaço Desejos.

Ligação Landim/Seide pavimentada A estrada que liga a freguesia de Landim a Seide S. Miguel (Caminho Municipal 1521) vai ser pavimentada, mediante protocolo a celebrar entre a Câmara de Famalicão e a Junta de Freguesia de Landim. A aprovação foi deliberada na passada quarta-feira, em sede do executivo camarário, e implica a transferência do município para a Junta landinense de 45 mil euros. A empreitada está no entanto orçada em 74 mil euros, sendo a restante verba suportada pela autarquia de Landim. Esta estrada foi recentemente infra-estruturada com a rede de água e de saneamento, havendo necessidade de ser repavimentada.

Em Abade Vermoim

Aprovadas 15 actas da Junta em atraso A Junta de Freguesia de Abade Vermoim aprovou um conjunto de 15 actas de reuniões do órgão que estavam em atraso. Foi na reunião da passada quintafeira, tendo o secretário, Celestino Oliveira, tal como havia anunciado anteriormente, votado contra. A reunião contou com a presença de alguns populares, mobilizados pelo próprio secretário que fez questão de informar cada residência da freguesia da dita reunião, colocando uma missiva na respectiva caixa de correio. Celestino Oliveira justificou o voto contra com o facto de ter informado o presidente da Junta, já em Abril de 2007, que a legislação impunha a obrigatoriedade da aprovação das actas das reuniões no final das mesmas ou no início da seguinte. Disse ainda que, nessa altura, mostrou-se disponível “para suprir a ilegalidade”, mas “o senhor [presidente da Junta] preferiu seguir para a frente

com a sua estratégia de assassinato político do seu secretário”. Celestino Oliveira diz que Costa e Silva agiu desta forma por “receio” de que o secretário “pudesse ser o escolhido pelo partido para as eleições de 2009”. O secretário revelou ainda que a convocatória da reunião da semana passada “é o reconhecimento público que o senhor deixou a Junta funcionar à margem da lei durante, pelo menos, um ano”, tendo aconselhado Costa Silva a “renunciar já” ao mandato, sustentando que tal acontecerá por imposição da Inspecção Geral da Administração Local (IGAL). É que o secretário continua a afirmar que a Junta não fez qualquer reunião entre Abril de 2006 e Abril de 2007. O secretário disse ao OP que, entretanto, Costa e Silva lhe cortou a palavra. Afirmou ainda que, no período antes da ordem do dia colocou várias questões ao autarca, mas não

obteve qualquer resposta. “Funcionou a lei da rolha”, diz Celestino Oliveira. Costa e Silva, contactado pelo OP, mantém a postura já assumida de não se pronunciar sobre o seu relacionamento com o secretário, uma vez que a questão será dirimida em sede do tribunal. De referir ainda que, no período destinado à intervenção do público, foram colocadas diversas questões, quer ao presidente, quer ao secretário, mas entretanto, Costa e Silva terá dado a reunião por concluída. Voltou atrás na decisão por pressão de alguns populares, mas nessa altura Celestino Oliveira teve em conta apenas as palavras do presidente que tinha a reunião por concluída, abandonando a sessão sem responder a qualquer questão. Agora o secretário diz que pretende esperar o resultado do inquérito que a IGAL está a realizar e só depois deverá pronunciar-se novamente. C .C .

Já abriu a Top Sport

Dia da Mulher em Esmeriz As mulheres da paróquia de Esmeriz assinalam, no próximo sábado, o Dia Internacional da Mulher com um jantar que tem lugar no salão paroquial, pelas 20h30. A ani-

mar a festa estará o grupo famalicense Hozei, prometendose ainda muitas surpresas e prémios. Os lucros reverterão para a reparação do telhado do salão paroquial.

Padre Salvador Cabral lança livro O mais recente livro do padre Salvador Cabral, pároco de Nine e Arnoso Santa Eulália, intitulado “O Canto na Festa Litúrgica”, é apresentado no próximo domingo, dia 9, no Mosteiro de Santa Eulália. O lançamento acontecerá no decorrer de uma sessão cultural, marcada para as 15 horas, que contará com a participação de todos os coros daquelas duas paróquias.

Narciso Silva preside aos Bombeiros de Riba d’Ave Narciso Silva é o novo presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave. As eleições para os novos corpos sociais realizaram-se na passada sextafeira, apresentando-se a sufrágio apenas uma lista. Narciso Silva, tinha já exercido o cargo do vice-pre-

sidente da Direcção no mandato anterior, sendo agora eleito para a presidência, substituindo o padre Avelino Mendes que passa a exercer o cargo de vice-presidente da Assembleia Geral. Esta é presidida por José Serqueira enquanto para o Conselho Fiscal foi eleito Joaquim Machado.

Abriu, na passada sexta-feira, no centro da cidade de Famalicão, na Rua D. Sancho I, a loja Top Sport. A abertura aconteceu na passada sexta-feira e ficou marcada pelos artigos desportivos de grandes marcas a preços atractivos. Das 10h00 às 22h00, todos os dias, pode visitar a Top Sport e encontrar tudo o que precisa para desporto. Depois de Penafiel, Felgueiras, Trofa, V.N. Gaia e Póvoa de Varzim, a Top Sport está, agora, em Famalicão.

António da Costa Faria Falecimento Seus familiares, cumprem o doloroso dever de participar a todas as pessoas de suas relações e amizade, o falecimento do seu ente querido, António, de 84 anos de idade. O corpo do saudoso falecido encontra-se em câmara ardente na Igreja Paroquial da freguesia de Arnoso Stª Maria. O funeral será realizado, hoje dia 05 de Março, pelas 17:30 horas, com celebração de missa de corpo presente, finda a qual irá a sepultar no cemitério local. A família muito sensibilizada antecipadamente agradece a todos quantos se dignem assistir a este piedoso acto.

Funerária de Arnoso, V. N. Famalicão 919375800 / 917246703

Arnoso, 5 de Março de 2008 A Família


publicidade

pública: 5 de Março de 2008 21

NOVO CENTRO EMPRESARIAL DE TELECOMUNICAÇÕES AVETEL

A AVETEL TELECOMUNICAÇÕES mudará brevemente de sede para servir cada vez melhor os seus clientes! Depois da remodelação de um número significativo de lojas no ano passado, este ano a AVETEL passará a dispor de uma nova sede revestida da mais elevada tecnologia e elegante construção arquitectónica, denominada por Centro Empresarial de Telecomunicações AVETEL, situado no Lugar da Portela, Zona Industrial (S. Tiago de Antas), 4760-880 Vila Nova de Famalicão. Serviços Globais de Telecomunicações

Visite-nos em: www.avetel.pt


22

pública: 5 de Março de 2008

praça pública

Maré Alta

Pelos quatro cantos da ca(u)sa Domingos Peixoto

José Luís Araújo

Estranha forma de democracia A situação de maioria absoluta que se verifica na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal em V. N. de Famalicão tem sido propícia à ocorrência de diversas situações de abusos e de atropelos ao normal desenvolvimento da democracia. As ausências frequentes dos respectivos presidentes nas reuniões da Assembleia Municipal são um exemplo evidente da importância dada à democracia representativa no nosso concelho. Mas esse até nem seria o pior dos males, pois verifica-se que a Câmara se recusa, com a mesma frequência, a não responder às perguntas que lhe são colocadas pelos deputados, quando as mesmas lhe são incómodas, remetendo-se a um comprometedor silêncio. Mais grave ainda é a ausência de respostas a requerimentos apresentados pelo grupo municipal do Bloco de Esquerda ou então com respostas evasivas e de teor meramente político, como já aconteceu. Quando ilegalidades no urbanismo saltam à vista de qualquer famalicense e os responsáveis camarários se remetem ao silêncio, a credibilidade da Câmara fica definitivamente comprometida e com isso, todo o tipo de suspeição fica legitimado. É que a credibilidade é como a virgindade, só se perde uma vez. A pouco mais de um ano das próximas eleições autárquicas, já nada de positivo se pode esperar desta maioria PSD/PP que governa V.N. de Famalicão. É extenso o rol de argumentos que justificam o fracasso desta gestão, desde as assustadoras desigualdades entre freguesias em que a cor partidária das respectivas juntas é o principal factor de desenvolvimento ou estagnação; as situações de perseguição

D’Esguelha Gouveia Ferreira

Ontem, terça-feira, vi a ministra da educação, Lurdes Rodrigues, a emendar para canto. Perante o ataque continuado do adversário à baliza da avaliação, a conventual governante disse que cada escola escolheria o tempo próprio de pôr em prática o sistema de avaliação, adaptando-o, da melhor maneira, às características do estabelecimento de ensino. Eis, pois, o exemplo mais acabado de como é, efectivamente, pior a emenda que o soneto. Se o sistema já era zurzido por permitir uma valoração desigual para trabalho igual, em turmas diferentes, agora, perante a emenda ministerial, mais razão assiste aos professores contestantes. Não se vislumbra como poderá uniformizarse uma grelha de avaliação do desempenho dos professores, quando, das últimas palavras da responsável do sector, se

de funcionários municipais, os jogos de bastidores para tentar afastar os vereadores que em tempos foram úteis e que porventura o deixaram de ser ou que interesses partidários assim o obrigam; o evidente desperdício em propaganda e promoção da imagem do presidente com dinheiros públicos enquanto se aumentam as tarifas de água e saneamento e se recorre a sucessivos empréstimos que irão comprometer a gestão da Câmara nos próximos anos para fazer obras indispensáveis. Perante isto só nos resta uma opção, apresentarmo-nos como alternativa a este tipo de gestão. Os partidos que agora estão na oposição devem ser capazes de fazer melhor, não apenas em termos de propaganda, mas principalmente em serem mais credíveis junto dos famalicenses para que o futuro deixe de ser um extenso vale onde os interesses de alguns se sobrepõem a todos os demais, mas seja um espaço de cidadania responsável onde todos e cada um tenha um papel activo, permanente e construtivo na edificação de uma sociedade equilibrada. Naquilo que ao Bloco de Esquerda diz respeito, não tenho dúvidas que esse trabalho em prol de um futuro melhor para todos os famalicenses e não apenas para alguns, continuará a ser promovido e estimulado. Resta esperar pelo principal factor de desenvolvimento que é a participação principal dos cidadãos através do seu voto para que decidam acabar com este tipo de situações e permitam que haja a necessária pluralidade democrática. http://sezuresvnf.blogspot.com

Os Prof’s

pode concluir pela eventualidade de, numa escola de Cascais, se avaliar a um ritmo mais conveniente que em Alfândega da Fé, obviamente, também divergente do que se passa na escola de S. Romão do Coronado e da secundária Camilo Castelo Branco. Contrariamente à opinião de alguns comentadores governamentalizados, onde se inclui o Prof. Vital Moreira, não me parece (deixem-me lá dizer isto) que haja uma “oposição global à reforma da escola pública” (1). Quanto mais a reforma baila, mais me convenço que a invenção dos professores titulares perseguiu a máxima, “dividir para reinar”. Todavia, como há titulares sem se saber a que título, e, por outro lado, professores sem título, fartos de ser titulares, tornou-se absolutamente patética a figura de muitos potenciais avaliadores, perante a incomen-

surável estatura dos avaliados. Fundamentalmente, entendo as recentes manifestações dos “profes” no sentido de contrariar a precipitada aplicação daquela parte da reforma educativa, que lhes diz directamente respeito, para obstar à injusta diferenciação, que se adivinha iminente, no seio de profissionais do mesmo ofício. E, caros amigos, companheiros e camaradas, é mesmo cansativo ver a malta simpatizante dizer sempre ámen com o governo, na hora da verdade, da mesma maneira que também mete fastio parecer obrigatório, para certos “engagés”, malhar a torto e a direito em tudo quanto é obra dos poderes instituídos. Para isso, como bem sabem, há os órgãos oficiais dos partidos. Está bem! Militem lá! (1) - Vital Moreira, in “Público”, ontem.

Pagar os erros 1. O PSD foi condenado a devolver ao Estado o valor de cerca 230.000 €, proveniente de uma dádiva de uma empresa privada, alegadamente para a campanha das legislativas/2005, para além de ser multado em mais de 30.000 €. Tudo não passaria de uma “mera irregularidade” – tanto mais que a generalidade dos partidos incorre, ao que parece, na mesma – não fora darse o caso de, face ao problema, a actual direcção informar que vai mandar auditar as contas do partido, argumentando que vai pagar! Ora, mas não se trata do mesmo PSD? Ou, como no caso dos “pactos” políticos anteriores, este PSD não é o mesmo de José Manuel Barroso; Santana Lopes ou Marques Mendes? Já começou a caça às “bruxas” no partido, parece-me. 2. Armindo Costa exibiu relatório que reprovava as contas autárquicas de 2000. Em resposta aos vereadores socialistas – afinal sabem fazer oposição? –, que pediam a divulgação de todos os relató-

rios que tivessem a ver com a tutela, o Presidente retirou a proposta e veio, na reunião seguinte, negar o pedido daqueles. Relacionada com a pista de Fradelos foi a vereação informada do arquivamento do processo instaurado à Câmara Socialista de então, por prescrição. Este assunto está a ficar caro (custas processuais) à autarquia. Acresce o pedido de indemnização do proprietário do terreno. Será que Armindo vai pagar o que vier a ser decretado, ou não se tratará do mesmo Município? Não, esta maioria de direita vai mandar auditar novamente as contas para “caçar as suas bruxas”, responsáveis por tão nefasta gestão do erário público. Mas vai, também, não tenhamos quaisquer dúvidas, divulgar, só para se tomar conhecimento, o despacho do Ministério Público que arquiva o procedimento contra Agostinho Fernandes! 3. As contas de Lisboa são

um bom exemplo para o nosso Município. Não nos deixemos “levar” por facilidades, pois um dia é preciso pôr cada coisa no seu devido lugar. As lágrimas de crocodilo de muitos que lá meteram obras não apareceram na altura de iniciar as empreitadas; depois recebe-se… 4. A gestão do BCP tem dado muito que falar. A oposição, procurando encontrar suporte para as suas acusações ao governo, passa por cima dos responsáveis pelas irregularidades e ilegalidades e procura encontra-los nos fiscalizadores! É caso para dizer: se a polícia não encontra o criminoso condena-se o responsável daquela. Ainda não ouvi ou li nada dos responsáveis da oposição a acusarem os responsáveis pela gestão do BCP, a exigirem a sua condenação! Mas, admitindo que os órgãos de fiscalização não terão feito o melhor trabalho, as alegadas ilegalidades ou irregularidades foram praticadas apenas no período do Governo PS?

De vez em quando Silvío Sousa

Os 500 e os 1000 Um estudo recente (Junho de 2007) indicava que o salário médio na região Norte de Portugal se situava nos 635€, o que quer dizer que muita gente ganha menos do que os 635€, e que poucos, muito poucos, ganham acima dos 635€ (em termos estatísticos posso avançar que a moda, isto é, o valor que detém o maior número de observações, ou seja, o valor ou valores mais frequentes é de cerca de 450€). Esta é uma realidade familiar para todos os trabalhadores por conta de outrem, que ganham normalmente apenas o salário mínimo (ou um pouco mais) enquanto que os quadros médios e altos da mesma empresa (em numero muito inferior) ganham acima dos 1000€, para não falar dos administradores (privados ou públicos) que num mês ganham mais do que a maioria em vários anos, por isso é que a média ascende aos tais 635€. Estes dados permitem assim perceber as reais dificuldades da economia portuguesa, pois não é possível gerar riqueza quando a maioria da população, tendo em conta o elevado custo de vida, ganha apenas o suficiente para sobreviver. Analisemos então a questão, uma família de duas pessoas (considerando que estão os dois empregados, que só por si é cada vez mais raro), com 2 filhos (que também é a média nacional), aufere no final do mês cerca de 1000€. Com este dinheiro tem de fazer face às despesas mensais (casa, água, electricidade, telecomunicações, carro, etc. etc.), bem como na esmagadora maioria dos casos, suportar as despesas dos filhos com a educação (jardim de infância, escola, universidade, etc. etc.). Ou seja, com apenas aproximadamente 1000 euros/casal,

têm de enfrentar as suas despesas mensais e rezar para que não surjam complicações de maior, como por exemplo um problema de saúde, não sobrando qualquer margem de manobra para, por exemplo, efectuar poupanças ou acautelar o futuro. É esta a realidade da maioria dos portugueses, trabalhar a vida toda, para no final e com sorte limitarem-se a sobreviver com a corda na garganta. Esta questão assume uma importância decisiva, pois, se analisarmos friamente a realidade politica portuguesa, verificamos que a esmagadora maioria dos decisores auferem bem mais do que 1000€ mensais, e nunca, mesmo nunca, se viram na situação de apenas auferirem a média nacional, logo as politicas são pensadas e realizadas a pensar na sua experiência pessoal de vida e nunca, na realidade dos portugueses. Assim se entende os apelos para a poupança (com que dinheiro?), para o investimento (como?), para o aumento da natalidade (mais filhos?), para o consumismo desenfreado (carros, telemóveis, roupa, etc.) que constantemente vemos, enquanto os serviços básicos ficam cada vez mais caros (saúde, educação, justiça, etc.). Afinal, para quem governa este governo (e os outros que por cá passaram) para os portugueses, ou para uma minoria que enriquece de dia para dia? No fundo somos um país de contradições, os trabalhadores ganham muito abaixo da média europeia, mas os administradores, ganham o mesmo (ou até mesmo mais) que um qualquer administrador alemão, francês ou inglês.


cultura

Até à próxima quinta-feira

Cineclube promove ciclo dedicado aos ícones do rock

“Control” é exibido na quinta-feira

O Cineclube de Joane está a promover até quinta-feira, dia 6, um ciclo de cinema dedicado aos ícones do rock, com as sessões acontecerem pelas 21h30, no pequeno auditório da Casa das Artes. O ciclo iniciou-se ontem, terça-feira, com o filme de Martin Scorsese “No Direction Home”, sobre o cantor Bob Dylan. Hoje, dia 5, passa “Velvet Goldmine”, visão singularíssima sobre o percurso de vários músicos, mas principalmente de David Bowie, no

período do Glam Rock, e a sua ligação com outros personagens, nomeadamente Iggy Pop. Apesar de Haynes, um dos autores do cinema americano contemporâneo com várias obras importantes das quais se destaca Safe (1995), não ter obtido a autorização de Bowie, nem ter podido utilizar músicas suas na banda sonora, conseguiu concretizar um dos filmes mais marcantes dos últimos 10 anos. Já na quinta-feira, dia 6, é exibido o filme “Control”, estreado recentemente sobre os

Joy Division e, principalmente, sobre o seu malogrado líder Ian Curtis. Contra todas as previsões, Anton Corbijn, fotógrafo da banda, utilizando o livro “Touching from a Distance" escrito por Deborah Curtis, viúva de Ian, constrói um filme irrepreensível, enxuto, retractando o mártir Curtis, os que o rodeavam e a sua Manchester, no início de um período em que se tornaria a capital do rock em Inglaterra. “Temos assistido, nos últimos anos, à estreia de um conjunto de filmes sobre as figuras principais da música popular dos últimos 40 anos. Até aqui nada de novo, pois o cinema sempre soube utilizar e capitalizar as figuras marcantes da cultura popular. O mais interessante é que os autores de alguns dos filmes conseguiram obras relevantes e com um olhar original e privilegiado sobre estes personagens, fugindo ao mero registo biográfico”, afirma o cineclube em nota à imprensa, para justificar este novo ciclo cinematográfico. Aliás, os três filmes em exibição esta semana representam apenas a primeira deste ciclo, estando o cineclube a prepara já uma segunda edição que incluirá “I’m Not There”, novo filme sobre Bob Dylan; “The Doors “, de Oliver Stone, e “Sympathy For The Devil”, sobre os Rolling Stones.

Obra de Camilo adquirida por 6.500 euros Uma obra rara de Camilo Castelo Branco foi arrematada em leilão realizado no Brasil. Segundo a Agência Lusa, o livro “A Infanta Capelista”, da autoria de Camilo, de que se conhecem apenas três ou quatro exemplares, foi vendida em leilão por 6.500 euros na casa de leilões Renascimento, no Brasil. A obra, que foi a leilão com uma estimativa de licitação de 3.500 a 5.000 euros, foi adquirida por um coleccionador particular. Segundo a casa de leilões, são conhecidos apenas “três ou quatro exemplares” daquele romance porque “D. Pedro II pediu ao autor para não a publicar, uma vez que versava sobre um familiar da família real portuguesa e da família imperial brasileira”.

Alberto Sampaio em itinerância pelas escolas A exposição “Os frutos da terra em Alberto Sampaio”, que esteve patente no Museu Bernardino Machado, está em itinerância pelas escolas do concelho. Na terça-feira a mostra foi inaugurada na Escola EB 2,3 Júlio Brandão onde estará patente até dia 28 de Março. Com esta itinerância, a Câmara Municipal pretende “levar a figura de Alberto Sampaio o mais próximo possível da comunidade escolar, aguçando-lhes

a curiosidade pela nossa história e pelas nossas personalidades históricas”, pode ler-se em nota da autarquia à imprensa.A exposição dá a conhecer a atenção e o carinho que o historiador dedicava à agricultura e à vitivinicultura reunindo diplomas e medalhas de concursos, catálogos de viveiros nacionais e internacionais, livros especializados sobre os diversos assuntos agrícolas e cartas trocadas com os amigos.

Mariza abre Famafest no sábado Um concerto da fadista Mariza assinala, no próximo sábado, dia 8, a abertura da edição 2008 do Famafest, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Famalicão. O espectáculo está marcado para as 21h30, no grande auditório da Casa das Artes. A entrada custa 15 euros.

pública: 5 de Março de 2008 27


28

pública: 5 de Março de 2008

publicidade

OP 5C  

Sentença da m mo or rt te e d de e A An nd dr ré é é no dia 12 Câmara já abriu o concurso público Eleições devem ser a 5 de Abril e com list...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you