Page 1

PUB

Semanário | 22 de dezembro de 2016 | Nº 602 Ano 15 | Diretor Hermano Martins | 0,60 €

Está lançada a primeira pedra do Centro de Saúde de Santiago //PÁG. 13

//PÁG. 3

//PÁG. 4

Frigorífico com alimentos “solidários”

//PÁG. 11

Mulher encontrada sem vida

//PÁG. 9 //PÁG. 24

Cross Stars com campeões nacionais

CTT encerram distribuição na Trofa pub


2

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Atualidade

BIAL na Rota do Empreendedorismo da JS

Sweet Dolly abriu na Trofa e garante presentes de Natal É homem e ainda não sabe o que oferecer à filha, namorada, esposa ou amiga neste Natal? Esse problema pode ser facilmente resolvido com uma visita à Sweet Dolly, a nova loja de vestuário para senhora que abriu a 17 de dezembro, no Edifício Infante, na Rua Infante D. Henrique, ao lado do antigo Bazar Desportivo.

um ano através da venda online via, uma vez que foi neste concepara custear o Curso de Design de lho que surgiu a ideia e porque, seModa. E foi na internet que a mar- gundo Juliana Azevedo, a cidade ca Sweet Dolly foi ganhando pro- “precisava de uma loja jovem com jeção, também graças às parcerias peças novas todas as semanas”. firmadas com bloggers e persona- A juntar a isto, a Trofa está perto lidades da televisão, como Patrícia de muitas outras cidades onde se Pereira, que participa no progra- encontra já parte do público da ma Você na Tv, da TVI. Nas redes Sweet Dolly: Vila Nova de Famasociais como o Facebook e Insta- licão, Porto, Matosinhos e Paços gram, a Sweet Dolly é seguida por de Ferreira. mais de 70 mil pessoas. Juliana Azevedo garante que Concluído o curso, Juliana Aze- quem já comprou tornou-se clienconceito foi criado pela jo- vedo decidiu dar o próximo passo te fiel, porque diversidade a preços vem trofense Juliana Azevedo, que e abrir a própria loja. A Trofa sur- acessíveis é o lema da Sweet Dolly. começou o negócio há cerca de giu como a localização mais ób- Os preços medeiam entre os 15 e os 30 euros, sendo que as peças mais caras não ultrapassam os 50 euros. Além de vestuário, a loja comercializa ainda calçado para todas as idades. O público-alvo da Sweet Dolly é a mulher, dos 16 aos 45 anos, com personalidade forte e decidida, que goste de ter um apontamento que diferencie o outfit. A Sweet Dolly está aberta durante a semana, das 11 às 11.30 horas e das 14.30 às 19.30 horas. Mais informações podem ser encontradas na página de Facebook (facebook.com/sweet.dolly.fashion) ou através do contacto telefónico 913 748 404. Patrícia Pereira é uma das personalidades que veste Sweet Dolly

O

Amadeu Dias mostrou-se “raEm mais uma ação integrada na Rota do Empreendedoris- diante” no final da visita: “Foi mo, uma delegação da Juventu- gratificante ter a oportunidade Socialista da Trofa visitou as de de apresentar o projeto soinstalações da BIAL, em S. Ma- cialista a esta referência munmede do Coronado, no dia 16 de dial da indústria farmacêutica, sediada no concelho da Trofa. dezembro. Os jovens socialistas reuniram A Juventude Socialista da Trocom o diretor do departamento fa sente-se honrada por poder financeiro, Branco da Costa, du- contar com a BIAL como parceirante três horas, e perceberam ra no nosso projeto. Este é o caque a BIAL “é uma empresa que minho que iremos continuar a se evidencia pelo rigor e exce- trilhar no próximo ano”, salienlência com que presta os seus tou o líder da JS, que aproveitou serviços” e que assume como para “desejar a todos os trofengrande aposta “a procura de no- ses um feliz Natal e um próspero vas soluções terapêuticas”, ao Ano Novo, recheado de sucesso investir 20 por cento da fatura- e muita saúde para todos”. C.V. ção anual em Investigação & Desenvolvimento.

JS com visitas “essenciais” para as escolas A Juventude Socialista (JS) da cleo da Trofa do CENFIM, “uma esTrofa desenvolveu “esforços” para cola profissional de excelência do conseguir “mais dois parceiros concelho”, que “confirmou o intefundamentais para colocar em resse em estabelecer uma parceprática um dos seus grandes pro- ria com a JS”. Anualmente, o CENjetos para o ano de 2017”. O anún- FIM forma “400 alunos”, sendo que cio foi feito pela estrutura parti- “cerca de 200” são encaminhados dária, que visitou as instalações para o mercado de trabalho. do CENFIM e esteve reunido com O presidente da JS Trofa, Amao diretor do Agrupamento de Es- deu Dias, afirmou que estas visicolas da Trofa. tas foram “essenciais” para que a A 9 de dezembro, a comitiva da estrutura socialista “tenha condiJS esteve reunida com Paulino Ma- ções de avançar para a realização cedo, diretor do Agrupamento de do projeto, que tem vindo a ser deEscolas da Trofa, para “conhecer senvolvido ao longo dos últimos a realidade do funcionamento do meses”. “Perceber as necessidaAgrupamento, conhecer porme- des, conhecer as realidades das norizadamente o projeto de re- escolas e discutir o melhor forqualificação da EB 2/3 Professor mato foram os objetivos proposNapoleão Sousa Marques”. A ses- tos aquando destas visitas”, comsão foi aproveitada para “apresen- pletou, adiantando que “até meatar o projeto que a JS tem vindo a dos de fevereiro/março será posdesenvolver”. sível apresentar os moldes da iniMas antes, a comitiva socialista ciativa”. foi conhecer as instalações do NúP.P.


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

3

Atualidade

Secretário de Estado veio a Santiago lançar primeira pedra do novo Centro de Saúde

Um dos projetos mais ambicionados pelo concelho da Trofa parece, finalmente, ter visto a luz do dia. Com honras de presença do secretário de Estado da Saúde, Fernando Araújo, foi lançada a primeira pedra para o novo Centro de Saúde de Santiago de Bougado, na manhã de segunda-feira, 19 de dezembro. CÁTIA VELOSO

S

ituado na Travessa dos Carvalhinhos, na Lagoa, este equipamento, que vai custar ao Governo 2,4 milhões de euros, contempla um edifício com área bruta de 2800 metros quadrados, com dois pisos e uma cave, que vai acolher duas Unidades de Saúde Familiar e duas unidades de cuidados primários. Fernando Araújo, que se recusou prestar declarações ao NT, referiu durante a cerimónia que o edifício estará equipado com “15 gabinetes médicos, cinco de enfermagem, salas de tratamento, gabinetes de saúde infantil, de enfermagem, de saúde materna e todas as áreas de apoio necessárias ao funcionamento desta unidade, com qualidade e também criando condições para o ensino e para a formação”. O governante sabe que estas “são instalações muito ansiadas pelas populações e pelos profissionais”, advogando que, no plano nacional, “vêm consolidar o princípio da defesa na resposta à melhoria contínua no âmbito do Serviço Nacional de Saúde, adequando os recursos disponíveis a necessidades crescentes das populações”. “As fu-

turas instalações desta unidade de saúde aqui na Trofa vêm substituir as atuais que além de exíguas há muito manifestavam um estado de degradação e deficiências ao nível do circuito do utente e da própria acessibilidade para pessoas de mobilidade condicionada”, acrescentou. O novo Centro de Saúde está incluído num pacote de investimento do Governo na área da saúde, no valor de “15 milhões de euros” e que prevê a construção e regulação de 30 unidades em todo o País. No distrito do Porto, junta-se a Vilar do Andorinho (Vila Nova de Gaia), Baguim do Monte (Gondomar) e Campo (Valongo). “É muito necessário para dar dignidade aos utentes e aos profissionais” Se havia pessoa que na manhã de segunda-feira irradiava felicidade era Ana Maria Tato. A diretora executiva do Agrupamento dos Centros de Saúde (ACeS) de Santo Tirso e Trofa sente todos os dias os efeitos da carência de equipamentos de saúde no concelho. “(O novo Centro de Saúde) é necessário para o tamanho da população, para pub

Padre Bruno Ferreira benzeu primeira pedra do Centro de Saúde

darmos, com toda a dignidade, os cuidados de saúde e condições de trabalho aos profissionais”, assinalou Ana Maria Tato, em declarações ao NT. Este equipamento vai permitir, segundo a diretora executiva do ACeS, “ter outra unidade de saúde familiar, algo que era impossível nas atuais instalações” e permitir que “a outra Unidade de Saúde Familiar (USF) passe para a acreditação, uma vez que neste momento está quartada de concluir o processo por não ter as condições físicas mínimas necessárias, e dar o acesso a todos os utentes com mobilidade condicionada”. “Há ainda a possibilidade de a outra unidade, que está na cave do edifício, poder constituir-se em USF”, explicou.

em instalações cedidas pela Câmara Municipal da Trofa. Por outro lado, o “ideal” seria deslocalizar “as duas unidades de saúde” que funcionam atualmente no edifício antigo para o novo. Mas tal cenário não é certo e poderá sofrer alterações aquando da conclusão da construção do novo Centro de Saúde.

Processo marcado por episódio caricato Este processo ficará, inevitavelmente, marcado pelo episódio caricato relacionado com o terreno para a construção do Centro de Saúde. O dado foi conhecido durante o mandato de Joana Lima na Câmara Municipal da Trofa, que anunciou que o projeto tinha sido projetado para um terreno na Travessa dos Carvalhinhos, cuja área era inUnidades de Saúde podem ferior ao necessário para instalar o edifício. instalar-se no novo edifício A solução para este imbróglio foi encontraSegundo Ana Maria Tato, há o “interes- da graças ao apoio dos Escuteiros de Sanse” de instalar, no edifício antigo, a Unida- tiago de Bougado, que tinham um terreno de de Cuidados Continuados e as consul- contíguo e cederam-no à autarquia, por tas do IDT, que neste momento funcionam troca por outro. pub


4

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Atualidade

Alimentos acessíveis a quem mais precisa 24 horas por dia

Frigorífico solidário já funciona no Muro Uma resposta social acessível a todos, a qualquer hora do dia. O frigorífico solidário é o mais recente projeto da delegação da Trofa da Cruz Vermelha e funciona, desde a manhã de sábado, 17 de dezembro, junto ao edifício da Junta de Freguesia do Muro. CÁTIA VELOSO

A

partir dele, a instituição espera que a solidariedade chegue a quem mais precisa. “Na Cruz Vermelha, sentimos que era muito necessário chegar àqueles que não nos procuram. À questão de como poderíamos chegar a mais pessoas 24 horas por dia, 365 dias por ano, surgiu esta ideia do frigorífico, que pode estar disponível a toda a comunidade e não tem fronteiras”, explicou Daniela Esteves, presidente da delegação, após a cerimónia de apresentação desta resposta social. Todos são convidados a colaborar na colocação de alimentos que, por exemplo, estejam em excesso em casa, como iogurtes a chegar ao limite do prazo, fruta e legumes em bom estado, queijo e fiambre devidamente embalados ou leite. As refeições que sobrem não são uma opção válida, uma vez que “não se sabe quando serão retira-

dos do frigorífico e podem estragar-se”, explicou Daniela Esteves. A associação Montanha de Afectos também vai colaborar com o projeto. O presidente, Nuno de Almeida Nunes, explicou que ao abrigo do protocolo assinado durante a apresentação do projeto, a Delegação e Junta de Freguesia ergueram projeto pioneiro Montanha de Afectos apoiará “no outros há que levantam algumas abastecimento alimentar” e “con- deste “projeto-piloto”. Mas a ideia já foi apresentada dúvidas sobre o possível aproveitactará as empresas locais e superfícies comerciais para também a todos os presidentes de junta tamento daqueles que, mesmo que, segundo a presidente da de- não precisando, podem levantar elas serem solidárias”. legação, “se mostraram interes- os alimentos. Daniela Esteves confirma que sados e disponíveis para acolher Objetivo é chegar a delegação pensou em todas as esta iniciativa”. a todas as freguesias Carlos Martins, presidente da hipóteses. “Noutros países tamA “disponibilidade imediata” demonstrada pela Junta de Fregue- Junta de Freguesia do Muro, con- bém existem iniciativas como esta sia do Muro ajudou à escolha do lo- sidera o frigorífico solidário “um e, por isso, durante muito tempo cal para o primeiro frigorífico. Da- projeto interessante” e com con- estudamos as grandes dificuldaniela Esteves explicou que a “di- dições para vingar. “Penso que des desta matéria, mas percebemensão da freguesia” e “a certe- vai funcionar bem”, acrescentou. mos que ela era muito simples. Se E quem for buscar alimentos é uma resposta que não tem fronza de que a comunidade ia acoteiras nem limites, se é para dar a lher bem esta iniciativa e contri- sem precisar? Se uns aplaudem a iniciativa, quem mais precisa o que, para albuir” pesaram na implementação

guns é supérfluo, então por que não colocá-la à disposição da comunidade? Esperamos que as pessoas tenham essa consciência e estes valores enraizados. Se de facto vandalizarem o frigorífico, estamos preparados para ser persistentes, mas também para mostrar a nossa humildade para assumir se a iniciativa não funcionar”, respondeu. O frigorífico será visto todos os dias pelos responsáveis das juntas que aderirem ao projeto, bem como duas a três vezes por semana pela Cruz Vermelha. pub


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

5

Atualidade

João Mendes

CRÓNICA

A Circular, o Centro de Saúde e a Geringonça

P

or mais que uma vez, o autarca Sérgio Humberto disparou sobre o governo nacional, lançando autênticos anátemas contra o acordo parlamentar entre os partidos de esquerda. Nada que espante ou choque, é certo, porque estes ataques, que não são um exclusivo do presidente ou do seu partido, fazem parte da permanente novela em que os agentes políticos participam. Não é à toa que a política portuguesa está mergulhada no descrédito em que está. Importa, contudo, fazer uma curta retrospectiva, no que a grandes obras públicas diz respeito, e perceber o que vem acontecendo no território diamante na era da Geringonça. Não me alongarei sobre a questão do metro, essa eterna arma de arremesso político que gera silêncios e protestos de ocasião, consoante quem está ou não no poder, e que, mais do que qualquer questão, é reveladora da postura camaleónica dos partidos do chamado arco da governação, algo que, ao invés de os envergonhar, continua a ser usado estrategicamente, numa permanente demonstração de absoluta falta de respeito pelos trofenses, que instrumentalizam de tal forma que, houvesse vergonha na cara, estariam todos caladinhos. Falemos, então, sobre duas outras obras, estruturais para o nosso concelho, que estão na ordem do dia: a Circular à Trofa e o Centro de Saúde de Bougado. A Circular, uma espécie de alternativa low cost-remendo à tão prometida variante, foi apresentada aos trofenses, com toda a pompa e circunstância que estas coisas exigem, e com a presença do então primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Nessa apresentação pública, governo e autarquia comprometeram-se com uma calendarização do projecto que deveria ter arrancado no terceiro trimestre de 2015, portanto entre Julho e Setembro, estava Passos Coelho ainda no poder. O terceiro trimestre passou, o governo da

cor da autarquia manteve-se em funções durante mais dois meses, mas nada aconteceu. Com a mudança do governo em Lisboa, o silêncio sobre este facto cessou e iniciou-se uma narrativa que procurou culpabilizar a Geringonça pelo sucedido. Como se o governo PSD/CDS-PP tivesse feito mais do que participar numa engenhosa manobra eleitoralista, a pouco mais de meio ano das Legislativas. Entretanto, foi esta semana lançada a primeira pedra para a construção do novo centro de Saúde da Trofa. A presidir á cerimónia esteve o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, membro da infame Geringonça, que veio à Trofa garantir que esta obra, ao contrário dos embustes do metro ou da circular, é mesmo para avançar. Importa recordar que foi em meados de 2014 que um grupo de deputados do PSD veio à Trofa afirmar que estavam reunidas as condições para a obra avançar. E quanto avançou esta obra, no ano e três meses que se seguiram à dita visita, enquanto o seu partido se manteve no poder? Nada. Rigorosamente nada. O mesmo nada que aconteceu, durante o consulado de Passos Coelho, no que diz respeito ao metro e à variante. Sugiro que tenham isto em mente, da próxima vez que vos vierem dizer que o anterior executivo nada fez em termos de grandes obras públicas, apesar de ter governado quando o seu partido era poder em Lisboa. Perguntem-lhes: e o que fez o actual, quando o país era governado pelos mesmos dois partidos? Um acordo de treta para o metro, sem aval de Bruxelas? Uma apresentação de treta, de uma pseudo-variante que não saiu do papel? Quão irónico é perceber que, até à data, a única grande obra pública do consulado de Sérgio Humberto nos tenha chegado pela mão da Geringonça? Aproveito para desejar um Feliz Natal e um próspero ano de 2017 a todos os leitores d’O Notícias da Trofa! Sejam felizes!

Colégio e Secundária são as escolas mais bem posicionadas na Trofa Colégio da Trofa, Escola Secundária e Escola Básica Professor Napoleão Sousa Marques são, segundo o Ranking do jornal Público/ Católica Porto Business School, as escolas mais bem posicionadas no concelho da Trofa. O Notícias da Trofa foi tentar perceber junto dos diretores a avaliação que fazem do ensino nas suas instituições para as tornar as melhores do concelho. Liliana Oliveira/ Cátia Veloso

N

o Ranking do Público/ Católica Porto Business School, que avalia as médias escolares, tendo em conta os resultados obtidos pelos estudantes nos exames nacionais, o Colégio da Trofa aparece como a instituição de ensino melhor classificada a nível concelhio. Ao nível do ensino básico, o Colégio aparece na posição número 56, com uma média de 3,55, e no ensino secundário surge em 54.º lugar, com 11,90 de média. Estes resultados “mais não são do que a confirmação do trabalho que se tem vindo a desenvolver” no Colégio da Trofa, afirmou o diretor da instituição, Manuel Pinheiro, que se mostrou “muito satisfeito” com as classificações do Colégio. “Só nos responsabiliza e motiva para fazer mais e melhor, que é o nosso grande objetivo”, acrescentou. Os bons resultados são “a resposta que (o Colégio) tem que dar, porque, de outra maneira, não havia razão para que os pais optassem pelo ensino particular”. “O grande profissionalismo, em termos de gestão dos professores e dos funcionários, e uma dedicação muito grande” são a chave do sucesso. Estes rankings escolares “não são o único indicador para o trabalho que as escolas fazem, sejam públicas ou privadas, mas são um elemento importante e permitem modificar as estratégias, atitudes e trabalho, no sentido de obter melhores resultados. Isto é bom para todos”, concluiu o diretor. Apesar dos bons resultados, o Colégio da Trofa quer “fazer melhor”. No que ao ensino público diz respeito, a Escola Secundária da Tro-

fa ficou em 64.º lugar (com média acompanhamento dos seus edude 11,79) e a Escola Básica Profes- candos”. Ainda assim, “o posiciosor Napoleão Sousa Marques, com namento das escolas do Agrupauma média de 2,93, ficou na 309.ª mento de Escolas da Trofa, no 1.º terço do ranking nacional, não o posição. A Secundária da Trofa “está no deixa “satisfeito” mas serve de “inbom caminho, consolidando o tra- centivo para continuar um trababalho de anos anteriores”, afirmou lho de melhoria constante em fao diretor do Agrupamento de Esco- vor dos alunos”. O diretor do Agrupamento de las da Trofa, Paulino Macedo. O diretor do Agrupamento, onde tam- Escolas da Trofa não se preocupa bém se inclui a Escola Básica Na- “demasiado com os rankings” mas poleão Sousa Marques, considera antes com “qualidade do ensino”, que “os resultados dos alunos si- servindo estes rankings para “metuam-se acima das médias nacio- dir alguns parâmetros”. Paulino nais”, falando de “taxas de suces- Macedo afirma não ser “possível so positivamente acentuadas, aci- medir a qualidade de uma escola ma do esperado para as escolas e do ensino que lá se ministra atrasituadas em contextos sociais e vés de um instrumento quantitatieconómicos idênticos”. Para Pau- vo apenas”, evidenciando a ausênlino Macedo estes resultados são cia de aspetos como “os índices “fruto do trabalho diário dos alu- de indisciplina ou as condições fínos, do profissionalismo dos pro- sicas da escola, o número de alufessores, do empenho e dedica- nos apoiados pela ação social ou ção dos funcionários, sem esque- o contexto cultural e socioeconócer a envolvência das famílias no mico em que a escola se insere”.


6

www.ONOTICIASDATROFA.pt

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

Atualidade

Projetos para renovar jardim de infância e criar sala de estudo na AEBA vencem OPJ

A Associação de Pais de Giesta e a Juventude Sem Fronteiras do Muro venceram a edição de 2016 do Orçamento Participativo Jovem da Trofa. CÁTIA VELOSO

O

s meninos de Giesta, Alvarelhos, vão ter um jardim de infância renovado. A Associação de Pais decidiu participar no Orçamento Participativo Jovem (OPJ) para conseguir dar às crianças computadores novos, assim como substituir o chão em tijoleira por um em madeira e melhorar as casinhas das bonecas e a mobília da cozinha de brincar, que apresentam algum desgaste. Ao vencer o OPJ, a Associação de Pais poderá executar o projeto com 7500 euros, que é o va-

lor atribuído pela autarquia. “O OPJ não está muito bem divulgado, mas tivemos conhecimento a tempo e decidimos participar, porque a escola está a necessitar de algumas melhorias e achamos que isto seria uma forma fácil de conseguirmos, aproveitando esta verba, que é muito boa e que a Associação de Pais não consegue ter no todo, para utilizar nos espaços que necessitamos”, explicou Mariana Silva, representante da Associação de Pais. Este era um dos dois projetos escolares que foram a votos na As-

Associação de Pais de Giesta com projeto de âmbito escolar vencedor

Juventude Sem Fronteiras do Muro propôs a criação de uma sala de estudo na AEBA

sembleia Municipal Jovem, que se realizou a 17 de dezembro. O outro pertencia aos alunos da Escola Básica de Paranho e da Escola Secundária da Trofa, que se propunham a modernizar as bibliotecas daqueles estabelecimentos, através da aquisição de computadores, e-books, tablet, DVD, livros e revistas digitais e em papel. Acabou por perder para o projeto de Giesta por 44 votos. Já quanto aos projetos de âmbito geral, que se candidataram a 17.500 euros, o vencedor foi o apresentado pela Juventude Sem Fronteiras do Muro. Depois de terem vencido o OPJ em 2014, para a renovação do Salão Paroquial

da freguesia, os jovens murenses repetiram o feito, com um projeto que consiste em criar uma sala de estudo nas instalações da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA). “Esta parceria consiste em dar um carácter empresarial ao espaço, porque achamos fulcral prepararmos os jovens não só para estudar, mas também para o futuro, para o mundo empresarial”, explicou Juliana Sá, uma das autoras do projeto. O “Poloi9”, como foi denominado o projeto, vai permitir aos estudantes autonomia no processo de estudo e um local aberto diariamente até à meia-noite. “Estamos convictos que o nosso projeto

tem fundamento e que vai ter sucesso”, sublinhou a jovem. Em 2.º lugar, com menos quatro pontos que o vencedor, ficou o “Agarra Trofa”, projeto apresentado pela Escolinha de Rugby da Trofa, que consistia na aquisição de uma carrinha, acessível a todas as coletividades do concelho, para que os jovens tivessem acesso à pratica de desporto e apoio ao estudo gratuitamente. O outro projeto foi apresentado pela Quebra Sentidos – Associação Cultural e visava o desenvolvimento do SMED Fest 2017, festival de música e artes modernas na Vila do Coronado.

“Estudar na Napoleão é bom” foi inaugurado “Estudar na Napoleão é Bom”, o projeto vencedor no âmbito escolar do Orçamento Participativo Jovem 2015, foi inaugurado no dia 14 de dezembro, na Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques. ANA MIRANDA/CÁTIA VELOSO Tomás Ferreira, Sofia Costa e Nuno Cruz estudavam na Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques e, perante necessidades da escola, decidiram desenvolver o projeto que visava dotar

a escola de novos equipamentos, desde televisões a jogos e também um computador para o ensino especial. Através do Orçamento Participativo Jovem, a Câmara Munici-

pal da Trofa disponibilizou 7500 euros para a execução do projeto. “Conseguimos ganhar tantas coisas que nós não tivemos, mas que os alunos que estão aqui vão conseguir ter e vão adorar”, informou Sofia Costa, que já não estuda na escola, mas sem esconder a alegria de ver o trabalho realizado beneficiar outros jovens. Para Paulino Macedo, diretor do Agrupamento das Escolas da Trofa, este tipo de iniciativas é importante para envolver a comunidade escolar e para resolver alguns problemas que as escolas têm. “Nós temos alguns equipamentos que não podemos comprar, porque não há dinheiro, pois o Ministério da Educação dá um orçamento curto e porque também não cabem nos equipamentos a adquirir pela própria escola com o Orçamento de Estado. Então, temos de recorrer a estes projetos”, explicou.

Projeto vai beneficiar alunos da EB 2/3 Prof. Napoleão Sousa Marques

Ainda assim, o diretor do agrupamento lamenta que o Orçamento Participativo Jovem ainda não tenha uma grande divulgação nas escolas. “Isto precisava de ser repensado enquanto projeto educativo. Primeiro, os projetos deviam nascer e ser produzidos, fabricados e trabalhados no seio interno e só depois, os melhores, é que subiriam. Este processo ainda

não está assimilado por nós professores, por nós direção e por nós pais. Daí que nós só nos apercebemos dele quando ele está numa fase final”, concluiu. Paulino Macedo advertiu ainda que muitas lacunas das escolas poderiam ser diagnosticadas e resolvidas se estes projetos tivessem mais impacto no meio escolar.


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

Junta conseguiu terreno para alargar cemitério de S. Martinho

7

Atualidade

A situação no cemitério de S. Martinho de Bougado era “grave” e exigia uma solução “urgente”. Quem o diz é Luís Paulo, presidente da Junta de Freguesia de Bougado, que em sessão de Assembleia de Freguesia, na noite de 19 de dezembro, anunciou a compra de uma parcela de terreno que vai permitir o alargamento do cemitério e a construção de “80 novas sepulturas”. CÁTIA VELOSO

P

erante “a falta de alternativas”, restou ao executivo da Junta de Freguesia insistir com os proprietários de um terreno contíguo, que após resistência de anos, cederam e aceitaram vender. Segundo Luís Paulo, “em condições normais”, há sepulturas para “assegurar os próximos cinco anos” e para o futuro colocou a hipótese de “se acautelar no Plano Diretor Municipal” a criação de um “cemitério municipal”. Luís Paulo não revelou o valor da aquisição do terreno que vai permitir alargamento do cemitério O autarca quis fazer um “reconhecimento público” aos proprie- para dizer que “foi uma vergonha rir a rúbrica 0.3 ou 0.4 e ninguém Luís Paulo respondeu que o “intários do terreno, mas não disse o que fizeram, pois construíam iria perceber coisa nenhuma”. “O quérito foi feito pela DGAL (Direção quanto custou a aquisição, quan- (sepulturas) para vender” e usar Mário na assembleia anterior dis- Geral das Autarquias Locais)”, mas do questionado por Mário Morei- o dinheiro para “pagar a quem de- se que íamos fazer um orçamento escusou-se a revelar quais foram ra, elemento eleito pelo Partido viam”. “Aqui não há negócios. Os eleitoralista e ele até baixou. as respostas dadas em nome da Socialista. “Depois posso infor- negócios acabaram quando este Eu já disse que começamos a Junta. “É nossa interpretação que má-lo, mas não havia necessida- executivo chegou”, sublinhou. trabalhar no primeiro dia e, por quando a pessoa é inquirida não de de estar aqui a falar”, responisso, não precisamos de deixar cabe à pessoa revelar o que lá indeu Luís Paulo. para o fim. Eu é que fiz questão de dicou, até porque não foi feita neOrçamento aprovado Mário Moreira quis saber “qual O orçamento e o plano de ativi- ter um orçamento mais baixo. Este nhuma pergunta à Assembleia. A o critério da Junta para conside- dades para 2017 foi aprovado, com é um orçamento realista, respon- resposta está dada”, afirmou, sem rar, em 2017, somente a venda de a abstenção dos elementos eleitos sável e tem o objetivo servir os tro- deixar de sugerir que os elementos nove sepulturas”, quando este ano pelo Partido Socialista. da Assembleia de Freguesia pofenses”, assinalou o autarca. fez um grande investimento para dem solicitar as respostas à DGAL. Mário Moreira questionou a raa construção de 180, cem em San- zão pela diminuição global de reO presidente da Junta aproveiLuís Paulo não divulgou tiago e S. Martinho. Luís Paulo ar- ceitas e despesas orçamentais, as- respostas da Junta a inquérito tou a questão de Vera Araújo para gumentou que o “objetivo da Jun- sim como os motivos para que as responder aos argumentos da sobre desagregação ta não é vender”, mas sim “acau- transferências de capital de subVera Araújo, elemento indepen- oposição noutras sessões da Astelar o futuro, deixando para os sídios provenientes da Câmara dente eleito pelo PS, quis saber sembleia de Freguesia, que consivindouros”. Municipal “diminuírem de 215 mil “quais foram as respostas dadas dera que, com a agregação, SanO autarca voltou a referir-se ao para 110 mil euros”. pela Junta de Freguesia de Bou- tiago de Bougado saiu prejudicado. anterior executivo da Junta de FreLuís Paulo escusou-se a porme- gado ao questionário que recebeu Luís Paulo contrapôs a crítica com guesia de S, Martinho de Bougado, norizar, com o argumento de que para remeter ao Governo sobre o “números”. “No ano de 2016, gastaliderado pelo socialista José Sá, “para responder tinha que refe- mapa das freguesias”. mos em Santiago 250 mil euros. O

investimento foi feito nos passeios em Bairros (junto à EN 104), no Largo António Barreto e na aquisição do terreno para a Casa Mortuária. E a soma das receitas de S. Martinho com Santiago não aumentaram com a agregação. Tem é a ver com poupança. E só para comparar, em 2012, Santiago tinha como receita corrente 208 mil euros de receita bruta, sendo que 48 mil euros eram capital”, advogou, concluindo que estes valores comprovam que este ano a Junta de Freguesia “investiu mais que o mandato de quatro anos de uma Junta de Freguesia de Santiago”. Luís Paulo continuou e considerou que “só pessoas mal informadas ou que agem por má-fé é que dizem que Santiago está prejudicado”. “É feio mentir, mas em dez ou cem pessoas quatro são capazes de acreditar”. Vera Araújo interveio para questionar quais eram as “pessoas mal informadas ou que agem por má-fé”, mas Luís Paulo não respondeu. No período de intervenção do público, Manuel Silva lamentou o facto de o presidente da Junta não ter respondido a algumas questões da oposição, considerando que “toda a informação deve ser partilhada e pública”. Sobre a agregação, defende: “Eu acredito que a maioria dos bougadenses está com a ideia de que não estamos bem”.

Junta de Covelas altera projeto do cemitério Em julho de 2015, anunciava-se um “novo estudo” para o alargamento do cemitério de Covelas, uma vez que o existente “era de 2007”. Dois meses depois, era apresentado o ambicionado novo projeto, mas eis que um ano depois, a Junta de Freguesia decide deixá-lo de parte por motivos orçamentais. Na sessão da Assembleia de Freguesia, realizada a 19 de dezembro, Feliciano Castro, presidente do executivo covelense, afirmou que “ao pedir orçamentos, só para muros de suporte ao cemitério existente, os valores eram exagerados”. Por isso, acrescentou o autarca, “optou-se por prolongar ao cemitério existente”, sen-

O projeto, feito pela Câmara, foi do que “o aumento seria ao mesmo nível do que já existe, garan- apresentado na Assembleia, com tindo mais 54 sepulturas”. E quan- Feliciano Castro a argumentar que, do concluída essa parte, é intenção “apesar de haver pessoas que esda Junta de Freguesia “ir requalifi- tão contra, desde o momento em cando o cemitério e dar-lhe outro que foi atribuído o nome à rotunda, pensou-se dar alguma dignialinhamento”. O autarca considera que esta so- dade ao local e perpetuar o nome lução valerá por “longos anos, até de uma pessoa (Fernando Moreiporque o que se tem vindo a veri- ra, antigo presidente de Junta) que ficar é que há pessoas que preten- trabalhou em prol do desenvolvidem ser cremadas em vez de se- mento de Covelas”. rem enterradas”. Esta Assembleia ficou ainda marOutra das obras que vai arran- cada pela aprovação do orçamencar é a requalificação da Rotunda to e plano de atividades para 2017, Fernando Moreira. Feliciano Cas- com votos a favor dos elementos tro anunciou que “a obra está en- eleitos pela coligação PSD/CDStregue” e é expectável que come- -PP e votos contra dos membros do ce “ainda em 2016”. Partido Socialista. C.V./H.M.

Presidente da Junta anunciou a construção de 54 sepulturas no cemitério


8

www.ONOTICIASDATROFA.pt

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

Atualidade

Carlos Martins anuncia que Câmara e empresários CRÓNICA VERDE equacionam “bloquear o concelho” Coronado, a terra do Pai Natal O

“A forma de luta já não pode ser paroquiana”. A convicção é de Carlos Martins, presidente da Europa. É deste percurso do temJunta de Freguesia do Muro, que na sessão da Assembleia de Freguesia, a 13 de dezembro, anunNatal já vem a caminho. po, que queremos deixar elemenciou que está a ser preparada uma ação de protesto que visa “bloquear o concelho”. CÁTIA VELOSO Com livros. Em papel. Adeus, “e- tos singelos da história da Vila de

“O

que se está a fazer, segundo disse o presidente da Câmara, é pegar no processo do metro e da variante e, juntamente com os empresários da Trofa, Maia e Famalicão, bloquearmos o concelho para chamarmos à atenção”, referiu Carlos Martins. O autarca deu conta que, em reunião com o presidente da Câmara, Sérgio Humberto, foi-lhe Jovens da freguesia foram cantar boas festas “transmitido que o ministro disNuma sessão que ficou marcase que o metro não vinha para a estarão concluídas. Trofa”. “Sabemos que há dinheiAs obras no cemitério também da pela visita da Juventude Sem ro, cerca de 300 milhões de eu- “vão começar”, depois de o fi- Fronteiras do Muro para cantar as ros do Orçamento de Estado que nanciamento camarário ter sido boas festas, foi ainda aprovado o vão para Gaia e Gondomar. E sa- aprovado na Assembleia Muni- regulamento do Polo Cultural Probemos que o ministro disse que cipal. “Vamos começar pela co- fessor Moutinho Duarte, um proo metro na Trofa dava 600 mil eu- locação da pérgula em frente à jeto muito elogiado pelos elemenros de prejuízo, mas o mesmo mi- Capela Mortuária. Principalmen- tos da Assembleia. Também o grunistro deu os transportes públicos te no inverno, as pessoas que es- po de jovens mereceu palavras de de Lisboa à Câmara e assumiu o tão no exterior da Capela sofrem apreço pela participação no Orçapassivo de 850 milhões de euros”, com o frio e com a cobertura en- mento Participativo Jovem, com o afirmou Carlos Martins, que não quadrada com a Capela, será pos- projeto que acabou por sair vendeixa de ter “esperança” de que sível estarem mais resguardadas”, cedor e que visa a criação de uma a extensão da linha seja uma rea- sublinhou. sala de estudo na AEBA, no centro lidade no concelho. Segue-se “a colocação da veda- da cidade da Trofa. Na Assembleia, o presidente ção da parte nova” do cemitério e Foi ainda aprovado, por unanida Junta anunciou ainda que “as depois a aprovação, por parte dos midade, o orçamento para 2017, obras no S. Pantaleão vão arran- técnicos da CCDRN (Comissão de sendo que o destaque vai para car”, uma vez que “já estão entre- Coordenação e Desenvolvimen- um valor “extra” de financiamengues ao empreiteiro” e as perspe- to Regional do Norte), do terre- to oriundo da Câmara Municipal tivas são de que “na primavera” no para dar início ao alargamento. de “116 mil euros”.

Altronix entre as “100 Melhores Empresas” A Altronix foi, pelo terceiro ano consecutivo, considerada uma das “100 Melhores Empresas para Trabalhar em Portugal”. Mas as boas notícias não ficam por aqui para a empresa que está sediada na Trofa. De acordo com Rui Fonseca, diretor-executivo da Altronix, “estar na lista das melhores empresas para trabalhar é o resultado e o reconhecimento de todo o trabalho encetado ao longo dos anos”. O responsável afirma que “manter a equipa motivada e com um elevado grau de compromisso é e continuará a ser um dos principais desafios assumidos” pela empresa. A par da distinção, vão arrancar as obras para a construção da nova sede, que deve estar concluída no final do próximo ano. A obra envolve um investimento

de cerca de um milhão e meio de vimento e as relações interpessoeuros e pretende “reforçar ainda ais”. Em 2015, a Altronix apresenmais as condições de trabalho de tou um volume de negócios no totoda a equipa”, adiantou fonte da tal de mais de três milhões e meio empresa. “À semelhança do que de euros. Em 2016, a empresa deu acontece nas atuais instalações, emprego a mais de uma dezena a nova sede terá espaços direcio- de pessoas, contando atualmennados para o lazer, a interação e o te com quase 40 colaboradores. E convívio social. É intenção da em- 2017, prevêem, “vai ser um ano de presa preservar um ambiente de crescimento em Portugal e no estrabalho saudável e harmonioso trageiro”, uma vez que a empresa, e continuar a apostar nas pesso- que conta com uma filial em Lisas enquanto ‘motor’ do sucesso”, boa, tem ainda presença mundial em Espanha, Cabo Verde, Moçamacrescentou a mesma fonte. Reconhecida “pelas suas boas bique, Angola e Timor-Leste. Além de estar entre as “100 Mepráticas de gestão, ao nível do capital humano, valorizando a criati- lhores Empresas para Trabalhar vidade, o espírito de equipa, a ini- em Portugal”, a Altronix já foi disciativa e a determinação profissio- tinguida como “PME Excelência” nal”, a empresa trofense envolve e “PME líder” em diversas edições, os seus colaboradores “em pro- tendo sido incluída no Top 10 das jetos de responsabilidade social, “Empresas mais Felizes de Portufavorecendo o seu autodesenvol- gal”. L.O./P.P.

-book”! E esta crónica é verde, pelo que a pasta de papel é oriunda de florestas sustentáveis. Nestes últimos tempos, alguns acontecimentos literários têm contribuído para a história e identidade do concelho da Trofa. O arranque do Pólo Cultural Professor Moutinho Duarte, na Junta de Junta de Freguesia do Muro, com um assinalável espólio bibliográfico. José Maria Moreira da Silva, sempre com um admirável sentido de solidariedade, acaba de lançar “A História da criação do Concelho da Trofa – Contributos”, numa salutar parceria com o blogue E A Trofa É Minha. Também de destacar os autores Luís Moura Serra, no âmbito cultural e da genealogia, e José Manuel Cunha, com importantes registos sobre o património e a memória que urge reavivar. Assim, de repente, enumeram-se alguns autores que, nesta terra, fervilham. Fazem-nos os dias felizes! A estes e a tantos outros, junto António Maia, do Coronado, que tem estudado as raízes, as memórias, o património da zona mais a sul do concelho e, ao qual, agradeço as “aulas” que me tem proporcionado – quanto a isso, pode ser que, em 2017, esta coluna da Associação para a Protecção do Vale do Coronado (APVC) traga boas novidades… Fresquinho, fresquinho, o recente lançamento do livro "A Vila de Coronado – São Mamede e São Romão de Coronado – elementos da sua história antiga e moderna", da autoria de Adalberto Costa, caro associado e antigo presidente da assembleia-geral da APVC, que já assinou mais de vinte publicações nas áreas do direito de trabalho, industrial, entre outros. O prefácio é do escultor Alberto Carneiro e a chancela é da editora SCRIBE. Este livro é uma importante achega para conhecer o processo histórico da região, a evolução política, de tempos há muito idos até à passagem pelas Terras da Maia e Santo Tirso. E tal como diz o autor, “As voltas sem revoltas alimentam assim a história do povo de Coronado, agora mais unido no que começaram por chamar Vila (Villa) e depois, de União – quão prenúncio de uma União Federativa da

Coronado – S. Mamede e S. Romão para que no futuro alguém possa fazer uma verdadeira monografia de Coronado enquanto povoação humana que no séc. XXI está a ser dormitório da grande metrópole que a cada dia expulsa os homens para o seu Termo”. Natal, época de festa(s). E até de alguns exageros – muitos! Tome lá um regaço de dicas com a sustentabilidade ao alto. Seja original, criativo e lembre-se que a simplicidade é a maior sofisticação humana. Repense a sua pegada ecológica. Árvores de Natal, preferencialmente, artificiais. Iluminação, com lâmpadas LED. Sabia que o comércio tradicional é já ali? Evite a febre das grandes superfícies. Seja original também nos embrulhos. Reduzir, Reutilizar, Reciclar, a elementar máxima dos 3-R’s, mas junte-lhe um quarto R, o de Retorno: tudo o que semear, vai colher! Seja solidário e pró-activo. Se ainda não faz voluntariado, aqui está uma boa altura para se juntar à causa ou, desde já, meta na cabecinha que, com 2017 à janela, é desta que vai deixar de ser um mero treteiro – e amorfo ‘tuga –, na mesa do café e no sofá facebookiano. Localmente, intervenha. Por exemplo, seja voluntário na AUAUA - Associação Um Animal Um Amigo, em prol dos animais do concelho da Trofa. Visite as seis-sete-quiçá-oito dezenas de amigos de quatro patas do Canil Municipal da Trofa, todos com muita Raça, à procura de Adopção Responsável. Também poderá contribuir para uma sociedade ecologicamente mais sustentável: junte-se à APVC, a resiliente associação ambientalista do Coronado. A um familiar ou amigo, ofereça uma anuidade de associado. Uma prenda assim a modos para lhe custar cinco euritos, cruzes credo! A Natureza também agradece. Contacte-nos. Já agora, a APVC deseja-lhe Boas Festas – pelo corpo todo, especialmente, ali pelas zonas da glândula da atitude, do hemisfério da tolerância e do músculo da solidariedade! Vítor Assunção e Sá | APVC + https://facebook.com/valedocoronado + http://valedocoronado.blogspot.pt valedocoronado@gmail.com


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

9

Atualidade

Serviço de distribuição dos CTT passa para Santo Tirso O

Jovens do Muro dão as boas festas à população

novo ano traz novidades no que diz respeito ao Centro de Distribuição Postal da Trofa. A partir de janeiro de 2017, os carteiros serão relocalizados “para uma unidade logística no concelho de Santo Tirso onde já se encontram os carteiros daquele concelho”, informou fonte oficial dos CTT. Ou seja, o serviço de distribuição será transferido para o concelho de Santo Tirso, de onde tem início a distribuição dos carteiros. As alterações surgem “no âmbito do processo de melhoria operacional e alargamento de serviços logísticos e postais, nomeadamente na área do expresso e enco-

mendas, e considerando ainda que as condições físicas das instalações postais da Trofa não são suficientes para a dimensão de volumetria de tráfego hoje existente na rede CTT”. No entanto a mudança diz respeito apenas aos carteiros, uma vez que a Loja CTT “permanecerá no mesmo local”. “Na prática, os CTT somam sinergias operacionais existentes nos concelhos da Trofa e de Santo Tirso e passam a oferecer mais atividades a partir desta nova localização a todos os munícipes de ambos os concelhos”, acrescentou a mesma fonte. O ano começa com novidades mas sem constrangimentos para

os utilizadores, garante fonte oficial dos CTT, uma vez que estão “assegurados todos os processos necessários para que a alteração ocorra sem qualquer impacto para os clientes da Trofa e de Santo Tirso”, afirmando ainda que “nenhuma alteração será feita aos padrões de serviço e que os carteiros que hoje fazem a sua distribuição na Trofa continuarão a fazê-lo”. A nova unidade operacional dos CTT passa assim “a ser uma das maiores da região norte e passa a estar instalada em modernas instalações logísticas e postais que permitirão melhor servir o mercado local”, finalizou fonte oficial dos CTT. L.O./C.V.

Pais Natais chegaram à Trofa de bicicleta e fizeram solidariedade

Mudam-se os tempos, mantêm-se as tradições. Pelo menos, é esse o objetivo do grupo Juventude Sem Fronteiras do Muro que, mesmo com frio ou chuva, percorrem as ruas da fregueCerca de 40 pais natais chegasia para dar as boas festas à população. CÁTIA VELOSO ram à Trofa, na tarde de dominQuem abre a porta não se arrepende e até incentiva os mais resistentes. É o caso de Manuel Marques, que até cita Miguel Torga para evidenciar a importância desta ação dos jovens: “Todos os dias deixamos um bocado de nós no caminho. E estes jovens levam alegria à casa das pessoas e nesta altura que se fala tanto de afetos é uma oportunidade de ouro abrir a porta a esta gente”, sublinhou. Quem também tem sempre as portas abertas para o grupo Juventude Sem Fronteiras é Lídia Rosa, que recordar “o tempo” em que era mais nova. “Acho muito importante, eles estarem unidos e fazerem coisas boas para a freguesia”, acrescentou. Alexandra Freitas, segunda animadora do Grupo, afirmou que os murenses agraciam os jovens “com muitos bons comen-

tários” e “incentivam para que esta atividade não acabe”. “É muito bom darmos as boas festas às pessoas, que gostam muito de nos receber. Esta é a oportunidade que temos de falar com elas na sua zona de conforto, que é a sua casa”, acrescentou. Enquanto desejam feliz Natal e bom ano novo, a Juventude Sem Fronteiras aproveita para angariar verbas para as próximas atividades. Dois mil e dezassete vai ficar marcado pelo 21.º aniversário do grupo, assim como pela realização do “Beatices”, um “ciclo de conferências de formação a nível cristão”, explicou Alexandra Freitas.

go, 18 de dezembro, de bicicleta para animar as principais ruas do concelho e distribuíram surpresas por todos os que andavam às compras. A iniciativa ficou ainda marcada por um momento de solidariedade, pois os vários Pais Natais visitaram o Lar da Santa Casa da Misericórdia e o Lar Padre Joaquim Ribeiro. “O Natal é aqui – Trofa” é a campanha da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA) e que pretende levar as pessoas até ao comércio local. Para tal, em conjunto com a Câmara Municipal da Trofa, organizou várias atividades para animar as principais ruas do concelho. Um dos momentos altos foi a chegada dos Pais Natais, em bicicleta, que se reuniram, pelas 14 horas, no Parque Nossa Senhora das Dores e Parque Dr. Lima Carneiro e daí partiram para vários pontos da cidade. Muitas foram as pessoas que

Cerca de 40 pais natais pedalaram pela Trofa

disseram sim ao desafio de se vestirem a rigor, lançado pela AEBA, e foram animar o Natal dos trofenses. O momento contou ainda com a visita ao Lar da Santa Casa da Misericórdia e ao Lar Padre Joaquim Ribeiro, animando assim o dia dos

utentes e contribuindo para um Natal mais feliz. O Parque Nossa Senhora das Dores e Parque Dr. Lima Carneiro tiveram ainda, na tarde de domingo, insufláveis e muita animação. A.M./C.V.


10

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Atualidade pub

Falual levou funcionários a Lindoso e a Arcos de Valdevez

T

gueiros e fomos almoçar a Arcos de Valdeomé Carvalho, proprietário da Falu- vez”, descreveu Tomé Carvalho. No total, 85 al, decidiu organizar “um passeio com to- funcionários da Falual passaram um dia de dos os trabalhadores da empresa” por ter convívio “muito bonito”, asseverou o prosido “um bom ano, com muito trabalho e prietário da empresa trofense e, continuou, que correu muito bem”. “Decidi alugar dois “na segunda-feira de trabalho toda a gente autocarros, que saíram da Trofa às 8 ho- estava contente”. Uma forma de terminar ras da manhã, em direção à barragem do mais um ano de trabalho e de incentivar Lindoso, onde estavam dois funcionários para outro que já bate à porta, esperando da EDP para nos mostrar o interior da bar- que 2017 seja um ano de “muito trabalho”, ragem, que é muito bonito, vimos os espi- finalizou Tomé Carvalho. L.O./C.V.

Secundária entregou diplomas do 12.º ano

A cerimónia de entrega de diplomas da conclusão do 12.º ano, do ano letivo 2015/2016, marcou o fim de mais um ciclo para 174 alunos da Escola Secundária da Trofa. O momento foi assinalado a 16 de dezembro e “representa uma série de anos, de esforço e dedicação, trabalho e tarefa cumprida mas ao mesmo tempo uma porta aberta para gerações futuras, que às vezes não se tornam fáceis”, afirmou Paulino Macedo, diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa. “A escola ensina, educa mas sentimo-nos satisfeitos quando temos o nosso trabalho visivelmente exposto e termi-

nado. A nossa missão terminou aqui com estes alunos”, acrescentou o diretor. Sobre o futuro há desafios mas também há esperança e muitas opções a tomar. Uns optam por prosseguir os estudos, outros por enveredar pelo mundo do trabalho. Por isso, na Escola Secundária da Trofa há o ensino secundário regular ou profissionalizante, sendo os cursos profissionais “uma tendência que se verifica”. “Nós temos muitos alunos que neste momento já estão a trabalhar”, adiantou Paulino Macedo, que considera que “uma licenciatura não é por si só sinal de ter emprego”. L.O./C.V.


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

11

Atualidade

Mulher encontrada sem vida Uma mulher de 79 anos foi encontrada sem vida, ao início da tarde desta segunda-feira, numa habitação no terceiro andar de um prédio na Rua Infante D. Henrique, no centro da cidade da Trofa. CÁTIA VELOSO

F

oram familiares da idosa que deram o alerta, cerca das 12 horas, quando a foram visitar e ela não

lhes abriu a porta. Chegados ao local, os Bombeiros Voluntários da Trofa, que mobilizaram quatro veículos e oito elementos, socorreram-se da autoescada para entrar por uma janela da habitação, encontrando Preciosa Costa deitada no chão do quarto sem vida. Segundo fonte da corporação, o estado do corpo indicava que a idosa terá falecido há vários dias. Ao NT, vizinhos afirmaram que

já não viam a senhora “há muitos dias”. No local, esteve também uma equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, que declarou o óbito. O corpo da mulher foi transportado para o Gabinete Médico Legal de Guimarães. A Guarda Nacional Republicana da Trofa registou a ocorrência.


12

www.ONOTICIASDATROFA.pt

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

Desporto

Treinador faz minuto de silêncio por “todos os que sabem andar no futebol”

Foi com um minuto de silêncio que Bruno Pereira, treinador do Clube Desportivo Trofense, começou a conferência de imprensa de análise ao jogo com o Camacha, no domingo, que terminou com um empate sem golos. CÁTIA VELOSO

A

rios lances polémicos dentro da tilante. Num dos lances, Ricardo pós a primeira pergunta do grande área do adversário, que o Fernandes lançou longo para Alejornalista do NT, o técnico cum- árbitro Quitério Almeida não as- xandre que, já dentro da grande área adversária cruzou para João priu, religiosamente, o silêncio sinalou. durante 60 segundos. Depois, exNa segunda parte, a equipa da Santos encostar, mas o guarda-replicou que a atitude serviu para Trofa queixou-se de, pelo menos, des do Camacha, Marco Jesus, an“prestar homenagem a todos os três grandes penalidades, por fal- tecipou-se. Firmino, de cabeça, também agentes que sabem andar no fu- tas sobre Diogo Firmino, mas neteve oportunidade para inaugutebol e que são dignos”. “Infeliz- nhuma foi assinalada. mente para todos nós, há quem Quanto ao jogo, apesar de não rar o marcador a favor do Trofennão saiba andar no futebol e eu ter havido golos, houve várias se, mas mais uma vez Marco Jeacho que tinha o dever, sobretudo oportunidades para ambas as sus agigantou-se com uma excelente defesa. depois de tudo o que passou, de equipas colorir o marcador. Cumprida a 14.ª jornada da séprestar também a minha homenaO Trofense, com um “onze” com gem às pessoas que dignificam o várias alterações relativamente à rie B do Campeonato de Portugal, futebol porque é dessas pessoas partida anterior, fruto dos casti- o Trofense diminuiu em um ponque o futebol precisa”, sublinhou. gos aplicados aos jogadores ex- to a distância para o 2.º lugar, ocuBruno Pereira escusou-se a fa- pulsos, não criou muito perigo na pado pelo Marítimo B. A formação zer mais comentários e ficou por primeira parte. Por sua vez, o Ca- da Trofa segue na 6.ª posição, com saber se o desabafo do técnico macha dispôs da melhor oportu- 20 pontos, enquanto Amarante liainda tem a ver com os aconteci- nidade do jogo para marcar, mas a dera, com 29 pontos. Marítimo B mentos do jogo com o Amarante bola que já se encaminhava para a e Felgueiras somam 26 pontos e o – em que os jogadores abandona- baliza deserta foi travada por um Aliança de Gandra é 4.º classificaram o relvado aos 75 minutos em defesa do Trofense, que aliviou do, com 23 pontos. Segue-se o S. Martinho, com 21. protesto com a conduta do árbitro quase em cima da linha de golo. A próxima jornada está marca– ou se se referiu às incidências da Na etapa complementar, viupartida com o Camacha, com vá- -se um ataque trofense mais acu- da para 8 de janeiro, com o Trofen-

Equipa da Trofa não conseguiu desfazer o nulo

se a viajar ao terreno do Caniçal. Castigos O abandono da equipa do jogo com o Amarante, aos 75 minutos, e as incidências que levaram à expulsão de quatro jogadores e do delegado levaram o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a abrir um processo disciplinar ao Trofense. O clube foi punido com uma multa de 510 euros, mas por mau comportamento do público, enquanto o

jogador Mika foi castigado com três jogos de suspensão e 204 euros de multa. Carter e Kadu foram afastados por dois jogos e multas de 102 euros, enquanto Cléber Prado foi castigado com um jogo de suspensão. Já o delegado ao jogo, Pedro Araújo Carvalho, recebeu uma pena de um mês de suspensão, por “ameaças, injúrias e ofensas à reputação”, além de uma multa de 306 euros. pub


PUB

www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

1

Semanário 22 de dezembro de 2016 Nº 64 Ano 3 | Diretora Magda Machado de Araújo | 0,70 € //PÁG. 4

PS tem candidato para Famalicão //PÁG. 2

//PÁG. 3

Ambulância despista-se na EN 104 //PÁG. 10

1,4 milhões em notas falsas para comprar fábrica em Santo Tirso

//PÁG. 4

//PÁG. 6

Padre Celestino faleceu aos 95 anos

//PÁG. 8

Comissário Europeu elogia Centro de Competências de Famalicão

Encontro de Gerações animou Vila Nova do Campo

pub PUB


2

JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Santo Tirso

// Vila Nova de Famalicão

Assaltaram e agrediram idosos dentro de casa Um casal de idosos de 81 e 82 anos viveu durante cerca de 15 minutos um verdadeiro pesadelo. O ponteiro do relógio apontava para a meia-noite de 16 de dezembro quando, segundo avançou o Jornal de Notícias, o casal, já deitado, ouviu barulho. O senhor dirigiu-se à porta da cozinha e quando a abriu foi surpreendido por dois assaltantes que de imediato invadiram a propriedade, localizada em Avidos, concelho de Vila Nova de Famalicão. Os larápios arrancaram o fio de lar do Médio Ave (CHMA). ouro que o idoso tinha ao pescoço, A vítima foi transportada para pediram-lhe dinheiro, obrigandoa unidade de Vila Nova de Famali- -o a abrir o cofre, e roubaram recão do CHMA. A GNR, a PSP e Polícia Municipal também estiveram no local a registar a ocorrência e a orientar o trânsito. C.V.

Condutor de ambulância ferido em despiste na EN 104 U

dutor, que era o único ocupante ma ambulância de trans- da viatura. porte de doentes de Moreira da Nas operações de socorro estiMaia despistou-se, na manhã de veram os Bombeiros Voluntários terça-feira, 20 de dezembro, na Tirsenses, de Santo Tirso, da Trofa, Estrada Nacional 104, em Santo e ainda as equipas da Viatura MéTirso. Depois do despiste, a via- dica de Emergência e Reanimação tura acabou por capotar, provo- e da ambulância de Suporte Imecando ferimentos ligeiros no con- diato de Vida do Centro Hospita-

Idoso morre atingido por árvore que estava a cortar Alberto Sá Machado, de 80 anos, campo perto de sua casa. Foi a sido transportado para o Gabimorreu, na segunda-feira, 19 de idosa que acabou por o encon- nete Médico-Legal de Guimarães, dezembro, atingido por uma ár- trar estendido no chão e debaixo para ser autopsiado. vore que estaria a cortar com uma da árvore, que tinha um tronco de Alberto Machado era antigo emmotosserra, num campo, perto da 2,5 metros. pregado de armazém da CP e coscasa onde vivia com a esposa, em Passava pouco das 15 horas tumava passar os seus dias no Palmeira, concelho de Santo Tirso. quando os Bombeiros Voluntá- campo, como forma de passar o Apesar das recomendações que rios de Santo Tirso foram alerta- tempo. O funeral realiza-se esta a esposa lhe fizera para não ir cor- dos pela senhora. Quando che- quinta-feira, 22 de dezembro, às tar a árvore sozinho, o idoso fez garam ao local, Alberto Machado 11 horas, na Igreja da Palmeira, o que era um hábito e foi para o já se encontrava sem vida, tendo em Santo Tirso. A.M./C.V. // Vila Nova de Famalicão

Fins de semana de prisão para homem que ameaçou outro Foi confirmada, pelo Tribunal falsificação de documentos, vioPor ameaça agravada, o Tribuda Relação de Guimarães, a con- lação de domicílio e condução em nal de Famalicão condenou-o a denação a 18 fins-de-semana ao estado de embriaguez. três meses de prisão, pena a cumhomem que ameaçou outro, em Os factos ocorreram a 11 de ou- prir em 18 fins de semana, com a outubro de 2014, numa rua em Vila tubro de 2014, quando o arguido duração de 48 horas cada. O arguiNova de Famalicão. seguia de automóvel e “imprimiu do recorreu por considerar a pena O tribunal considerou que esta grande aceleração” no momento “manifestamente exagerada”, mas era a medida mais adequada, uma em que o ofendido atravessava o Tribunal da Relação de Guimavez que o arguido já tinha sido na passadeira. O arguido travou, rães confirmou a pena, considecondenado por crimes de ameaça, parou e saiu do carro, dirigindo- rando o recurso “totalmente imcoação, três vezes por crimes de -se ao ofendido e dizendo “quan- procedente”. ofensa à integridade física, burla, do te apanhar, mato-te”. A.M./C.V.

lógios, um medalhão e 300 euros. Enquanto furtavam os objetos de valor avultado, agrediam o casal com empurrões e murros. À saída deixaram cair o fio que haviam roubado ao idoso e entraram num carro, onde se encontrava outra pessoa, colocando-se em fuga pela Estrada Nacional 204. O homem sofreu escoriações na cara e a esposa apresentava hematomas na cabeça e no tórax, com necessidade de tratamento hospitalar. No local esteve a GNR de Vila Nova de Famalicão e a investigação está a cargo da Polícia Judiciária do Porto. L.O./C.V.

A DECO aconselha... Conheça os seus direitos caso necessite de trocar um presente de Natal

As lojas são ou não obrigadas a trocar os artigos? Essa troca tem de ser por outro produto ou poder-se-á exigir a devolução do dinheiro? Ter-se-á que aceitar um vale, se for caso disso? A DECO esclarece. Por norma, o comerciante não é obrigado a trocar os artigos vendidos. A maior parte dos comerciantes fá-lo por mera cortesia comercial, para fidelizar os clientes, pelo que a política de trocas é variável. Assim, os comerciantes devem informar os consumidores da sua política de trocas, incluindo o prazo atribuído, as condições exigidas e eventuais exceções, situações que poderão ser divulgadas na própria fatura ou no balcão. As lojas podem exigir, por exemplo, que o produto esteja nas condições originais, mesmo de embalamento. Há ainda exceções, ou seja, produtos que não podem ser trocados por razões de higiene, segurança, etc. Para efetuar a troca, em regra, as lojas exigem a apresentação do talão de compra/ fatura, que deve ser guardado e conservado pelo consumidor. A obrigatoriedade de trocar o bem adquirido por outro artigo que esteja à venda na loja ou a possibilidade de devolução do valor pago, depende também da política de trocas do comerciante. Em muitas lojas, apenas existe a possibilidade de ser emitido um vale. Contudo, esta política de trocas não deve ser confundida com a garantia legal, sendo que os direitos dos consumidores em caso de defeito dentro do prazo de garantia (bens móveis novos, no mínimo, dois anos) estão salvaguardados na lei e determinam a reparação, substituição, redução do preço ou resolução contratual com reembolso de valor, conforme as situações. Nestes casos, de defeito, não se aplica a política de trocas nem o consumidor é obrigado a aceitar vales. Para qualquer esclarecimento adicional, por favor dirija-se à DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Delegação Regional do Norte – Rua da Torrinha, n.º 228-H, 5.º andar, 4050-610 Porto ou através do e-mail deco.norte@deco.pt


www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

3

Atualidade

Grupo assalta café para roubar tabaco O alarme do café de Carlos Martins, localizado perto do centro de S. Martinho do Campo, concelho de Santo Tirso, ouviu-se na madrugada de sábado, 17 de dezembro, cerca das 4 horas. Os larápios arrombaram as duas portas “com um pé de cabra”, afirmou o proprietário do café ao Jornal de Notícias. A máquina do tabaco era o alvo do grupo. “Levaram pouco tabaco e ainda deixaram muito lá dentro. Só o dinheiro foi todo. Mas ainda deixaram moedas e tabaco pelo chão”, descreveu Carlos Martins. “Dentro do balcão não mexeram em nada”, acrescentou. “Abri a janela da sala e vi pelo menos cinco, todos com a cara tapada”, disse a irmã de Carlos Martins. Segundo esta testemunha, “um ficou à beira do carro, com uma arma, e outro andava de um lado para o outro, a vigiar o trânsito. Três vieram cá dentro. Vi-os sair”. Rosa Martins não sabe ao certo se dentro da viatura, “um Rover bordô”, se encontrava mais algum elemento do gang. “Depois fugiram para S. Tomé de Negrelos”, acrescentou Rosa Martins. Os estragos provocados pelos amigos do alheio rondam “os 200 euros”, afirmou o proprietário do café. No local estiveram a GNR de Vila das Aves e a Polícia Judiciária.

Detido por posse ilegal de armas Um comerciante famalicense, de 60 anos, foi detido pela PSP do Porto, a 15 de dezembro, por posse ilegal de armas. Foi-lhe apreendida, segundo avançou a PSP em comunicado, uma arma de fogo, pistola de calibre 6,35 milímetros, uma caneta adaptada a arma de fogo de calibre 22, 41 munições de diferentes calibres, um veículo automóvel , diversos documentos e matrículas de viaturas furtadas, chaves de veículos automóveis e comandos de abertura de portas de garagem. A apreensão decorreu na sequência de seis buscas domiciliárias e 11 não domiciliárias, na zona de Vila Nova de Famalicão e Barcelos.

Queriam negócio com dinheiro falso

// Santo Tirso

Foram detidos três homens, com idades compreendidas entre os 16 e os 34 anos, por “presumível autoria de uma tentativa de burla qualificada, numa freguesia do concelho de Santo Tirso”, informou em comunicado a Polícia Judiciária. Liliana Oliveira/ Cátia Veloso

A

hi s tó r ia co m e ç a quando um industrial de Santo Tirso foi contactado pelo grupo, na sequência Polícia Judiciária apreendeu notas falsas de um anúncio de venda de uma unidade fabril, em caria registado em nome entanto, as notas pareceVila das Aves, fechada des- de uma terceira pessoa, de ram-lhe falsas e ficou alerde o ano passado. nacionalidade estrangei- ta com a possibilidade de Os indivíduos, alegada- ra, e um dos arguidos rece- se tratar de uma tentatimente, fizeram-se passar beria do dono da empresa va de burla. Além disso, os por empresários e repre- uma comissão de 300 mil italianos pretendiam que sentantes de um grande euros pela mediação do ne- “a comissão de 300 mil euinvestidor indiano, “com gócio. Se o industrial tives- ros lhe fosse paga antes de interesse no negócio dos se levado o ‘negócio’ até ao receber os 1,4 milhões de diamantes, que estaria à fim teria ficado com uma euros, como prova de ‘boa procura de oportunidades mala cheia de notas falsas fé’”, afirma o JN. O emprepara lavagem de dinheiro em mãos, mas o tirsense sário alertou a PJ do Porto, no imobiliário”, avançou o “apercebeu-se de porme- que se manteve por perto JN, e que pretendia, por um nores estranhos e alertou a do local onde seria fechado 1,4 milhões de euros, com- PJ do Porto”. Segundo noti- o negócio, um hotel do Porprar as instalações, pagan- ciou o JN, “o empresário de to. O objetivo era que o emdo a quantia em dinheiro e Santo Tirso chegou a des- presário lhes entregasse os em maços de notas de 200 locar-se com os intermedi- 300 mil euros e “no mesmo euros. ários a Bruxelas, na Bélgi- dia, e posteriormente,” seA PJ fez ainda saber que ca, onde se encontrou com ria entregue os 1,4 milhõessupostamente o imóvel fi- o alegado investidor”. No de euros em notas.

A PJ deteve os três indivíduos, que se faziam acompanhar por um menor de 16 anos, e apreendeu objetos e documentos, a mala das notas falsas, uma máquina de contar notas com carregador e bolsa condicionante, rolos de película aderente e diversas tiras de notas abertas. Os detidos, com antecedentes criminais em Itália pelo mesmo tipo de crime, havendo já suspeitas de várias burlas em Portugal e Espanha, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.


4

JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Vila Nova de Famalicão

Nuno Sá é o candidato do PS à Câmara N

uno Sá foi o nome apresentado pela concelhia do Partido Socialista de Vila Nova de Famalicão para a corrida à Câmara Municipal nas eleições autárquicas de 2017. Em nota de imprensa, a Concelhia do PS de Vila Nova de Famalicão apresentou Nuno Sá como candidato à Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, salientando que “é uma personalidade famalicense com provas dadas por um percurso cívico, profissional e político de excelência”. Aos 40 anos, Nuno Sá conta com 11 anos como Deputado à Assembleia da República “com responsabilidades máximas em várias áreas, como a do Trabalho e Segurança Social” e ainda uma vasta experiência de autarca e político no concelho. A concelhia de Famalicão do PS sublinhou ainda que “elegeu um candidato” que “é uma referência dos Socialistas”, acrescentando que “Nuno Sá dá-nos as garantias de, acima de tudo, servir Famalicão”. A concelhia do PS está em “sintonia” com o “projeto Socialista para a sociedade portuguesa”, “podendo Famalicão beneficiar do trabalho conjunto de

JSD Famalicão quer horário da Biblioteca Municipal alargado Nuno Sá é o candidato socialista à autarquia famalicense

Nuno Sá e António Costa que, aliás, já bem de perto colaboraram e trabalharam conjuntamente” aquando do seu mandato de Deputado com António Costa a Secretário-Geral. “Estamos hoje capazes de protagonizar uma ver-

dadeira alternativa para Famalicão, com a máxima ambição e responsabilidade, capaz de conquistar e merecer a confiança dos famalicenses”, podia ainda ler-se na nota de imprensa. A.M./C.V.

A estrutura jovem social-demo- parar o futuro dos jovens e consicrata pertencente à JSD Famali- dera necessário o ajuste do horácão, tem em vista o alargamen- rio da biblioteca para satisfazer as to do horário de funcionamento necessidades dos estudantes do da Biblioteca Municipal da cidade concelho, “quanto melhores fono decorrer do período de exames rem as condições para os nossos do ensino secundário e superior. jovens atingirem o sucesso acaA Câmara Municipal tomou co- démico, mais garantido estará o nhecimento desta proposta ainda futuro” afirmou o presidente da esta semana numa reunião com o JSD Famalicão. O Executivo Municipal mostrouvereador para a educação Leonel Rocha. As características positi- -se recetivo à proposta e pronto vas do espaço foram fatores a fa- para a concretizar. vor. Para a JSD é importante pre-

Líder da JS é a primeira mulher na Comissão Nacional Bloco de Esquerda

Sofia Andrade, líder da Juventude Socialista (JS) tirsense desde outubro de 2015, foi eleita, no XX Congresso Nacional da JS, para a Comissão Nacional desta juventude partidária, tornando-se assim a primeira mulher a assumir um lugar na Comissão Nacional da Juventude Socialista. “A presença de Sofia Andrade num lugar cimeiro da Comissão Nacional mostra a vitalidade e a força da estrutura socialista de Santo Tirso, empenhada em afirmar-se cada vez mais no contexto regional e nacional”, informou através de comunicado a Sofia Andrade foi eleita para a Comissão Nacional da JS JS Santo Tirso. A JS de Santo Tirso “quer ter um “está orgulhosa do lugar e do voto das expetativas dos jovens”. O papel ativo na construção de um de confiança do novo secretário- Congresso da Juventude SociaPaís mais solidário, mais coeso e geral da JS nacional porque acre- lista serviu ainda para empossar mais justo, o que só será concre- dita que, fazendo parte daquele Ivan Gonçalves, que sucedeu a tizado não apenas por ação do importante órgão decisório,tem João Torres como secretário-gePartido Socialista, mas também oportunidade de contribuir para ral da JS. da Juventude Socialista” por isso políticas que vão ao encontro L.O./C.V.

quer mais apoios a famílias carenciadas O Bloco de Esquerda pretende criar um pelouro de solidariedade social na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão com vista ao melhoramento das condições do município nas problemáticas sociais oriundas da crise que se faz sentir no país. Já 8482 famílias beneficiaram da proposta do partido na tarifa social de energia que passa a ser atribuída automaticamente a famílias com dificuldades económicas, bem como a todos os que possuem o complemento solidário para idosos, rendimento social de inserção, subsídio social de desemprego, abono de família, pen-

são social de invalidez e da pensão social de velhice. Como já é tradição, no Natal, a Câmara Municipal distribuiu 3600 cabazes a famílias mais necessitadas, pois estamos numa quadra de solidariedade e o apoio social deve-se fazer notar por parte das entidades públicas. No entanto, o Bloco de Esquerda não deixa de realçar a importância de pôr em prática os apoios e medidas necessárias para o bem-estar das famílias carenciadas do concelho, durante todo o ano, e não apenas na quadra natalícia.


www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

5

Atualidade

Diretores das melhores escolas não sobrevalorizam resultados dos rankings

De acordo com os resultados do Ranking do Público/ Católica Porto Business School, que tem em conta as notas dos exames nacionais, as escolas dos concelhos da Trofa, Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso continuam a obter bons resultados. O Jornal do Ave foi à procura de algumas respostas dos diretores das melhores escolas, públicas e privadas, dos três concelhos. LILIANA OLIVEIRA/CÁTIA VELOSO

Vila Nova de Famalicão

Santo Tirso

A melhor escola pública, no que to de Escolas Padre Benjamim No concelho de Santo Tirso o ao ensino básico diz respeito, do Salgado, afirmou que “o êxito se destaque vai para o Colégio Santa concelho famalicense é a Esco- deve primordialmente ao empe- Teresa de Jesus que conseguiu, no la Básica D. Maria II, que aparece nho, dedicação e esforço dos alu- ensino básico privado, uma média em 110.º lugar do Ranking, com nos e das suas famílias, à dedica- de 4,00, alcançando os lugares ciuma média de 3,26. A diretora do ção e ao trabalho dos professores meiros do Ranking (11.º lugar). Agrupamento de Escolas D. Maria e por fim à escola como organiA diretora da instituição de enII, Cândida Pinto, considera que zação”. As posições cimeiras no sino, Maria da Conceição Marques, este resultado “é fruto de mui- concelho de Vila Nova de Fama- avalia o resultado do Ranking “de to trabalho em sintonia com alu- licão não são uma novidade para forma muita positiva, como um renos, pais, professores e direção”. esta escola de Joane. Para este conhecimento do trabalho contí“Curiosamente, a grande maioria sucesso contribuem, de acordo nuo, consistente e sistemático”. A dos alunos do 9.º ano, o ano pas- com o diretor, o “corpo docente chave do sucesso, para a diretora, sado, estava envolvida em proje- muito estável, experiente e de- tem que ver com “o projeto edutos, como o desporto escolar ou dicado, as boas condições ma- cativo centrar-se na aprendizao projeto da Biblioteca, que os teriais de apoio às atividades le- gem e na pessoa que é cada alucativa muito e lhes dá muitas re- tivas, e o conjunto de atividades no” e com a “equipa educativa, ferências em termos de metodo- e projetos que permitem conso- composta por um grupo estável logias de estudo”, informou a di- lidar as aprendizagens realiza- de profissionais comprometidos retora. Nesta escola famalicense das e a sua aplicação à realida- com a realização do projeto eduhá ainda a preocupação de traba- de”. Além disso, a ESPBS “dispõe cativo, numa dinâmica de ação-relhar em parceria com os encarre- de um conjunto de medidas de flexão-ação”. Para Maria da Congados de educação, envolvendo- reforço das aprendizagens e da ceição Marques os rankings “têm -os na vida escolar e pedindo su- sua qualidade, através do refor- a importância que lhes quisermos gestões. O segredo deste suces- ço dos tempos semanais de vá- dar”. Para o Colégio Santa Tereso, para Cândida Pinto, pode es- rias disciplinas e de outras medi- sa de Jesus “são, essencialmente, tar na “proximidade e laços afe- das de promoção do sucesso es- um indicador do posicionamento tivos” entre alunos e professores. colar”. José Alfredo Mendes disse a nível do sistema educativo porA partir de agora a palavra “tra- ao JA que “a comunidade educa- tuguês e a confirmação de que as balhar” faz ainda mais sentido tiva não trabalha para os rankin- linhas mestras da ação educativa neste estabelecimento de ensino, gs” mas antes para o sucesso dos promovem pessoas equilibradas, uma vez que o objetivo é mante- estudantes. integradas e, academicamente rem-se “nos lugares cimeiros do O Jornal do Ave tentou até ao bem-sucedidas”, concluiu. Ranking”, finalizou a diretora do fecho da edição chegar à fala O Instituto Nun’Alvres (INA) conAgrupamento. com a diretora do Externato Del- seguiu o melhor lugar do conceNo ensino secundário público, fim Ferreira, que foi a melhor a Escola Padre Benjamim Salga- escola privada, no ensino básido (ESPBS), já no limite do con- co (137.º lugar, com uma média celho, foi quem conseguiu o me- de 3,16) e secundário (97.º lugar, Trofa lhor lugar (147.ª posição), com com uma média de 11,35), do conuma média de 10,92. José Alfredo celho, mas não obteve qualquer O Colégio da Trofa aparece em Mendes, diretor do Agrupamen- resposta. destaque no que ao concelho da Trofa diz respeito. No ensino básico ocupa a posição 56 (com uma média de 3,55) e no secundário aparece em 54.º lugar (com uma média de 11,90). Para Manuel Pinheiro, diretor do Colégio, estes resultados “mais não são do que a confirmação do trabalho que se tem vindo a desenvolver”. Os bons resultados são “a resposta que (o Colégio) tem que dar, porque, de outra maneira, não havia razão para que os pais optassem pelo ensino particular”, considerou Manuel Pinheiro, que destaca “o grande profissionalismo, em termos de

lho (95.ª posição), a nível do ensino secundário privado, com uma média de 11,37. Para a diretora pedagógica, Francisca Moreira Dias, o resultado avançado pelo jornal Público é “muito positivo”. Apesar de considerar que “os rankings valem o que valem”, a posição do INA “reflete a dedicação e o trabalho de toda a comunidade”. A diretora pedagógica realça ainda o facto de as avaliações em causa terem decorrido “numa altura de grande instabilidade do INA, quando o Ministério da Educação anunciou não autorizar, para o presente ano letivo, a frequência gratuita aos alunos em início de ciclo” mas “mesmo assim, todos foram capazes de viver o profissionalismo, que é característico” da instituição. No INA, adiantou a diretora, “não se trabalha centrado no objetivo de ser a melhor do concelho no ranking” mas sim com a preocupação “de formar homens e mulheres”. O corpo de docentes e não docentes “competente, experiente e muito comprometido” bem como “as atividades de complemento curricular” são alguns fatores que justificam o sucesso. Francisca Moreira Dias considera “a avaliação ex-

terna necessária e mais um indicador na reflexão sobre as práticas pedagógicas”, contribuindo para uma “constante inovação das práticas pedagógicas”. A Escola Secundária Tomaz Pelayo destacou-se nos dois níveis de ensino. No secundário conseguiu atingir uma média de 11,32 (103.º lugar) e no básico 3,04 (213.º lugar), resultado “do trabalho de proximidade junto dos alunos e famílias”. “Temos no terreno respostas diferenciadas, em função das dificuldades dos alunos, com uma generosa cobertura de apoios educativos. Apostamos na continuidade pedagógica dos nossos docentes (maioritariamente do quadro do Agrupamento), principalmente dos Diretores de Turma”, explicou Fernando Almeida, diretor do Agrupamento de Escolas. Para o diretor “os rankings reforçam a responsabilidade perante a comunidade educativa, procurando ir de encontro às expectativas dos pais e alunos” mas os resultados “ não são um fim em si mesmo, dado que refletem um trabalho sistemático e práticas continuadas orientadas para o reforço de conhecimentos e de competências”, finalizou.

gestão dos professores e dos funcionários, e uma dedicação muito grande”. Os rankings não são, para o diretor do Colégio, “o único indicador para o trabalho que as escolas fazem, sejam públicas ou privadas, mas são um elemento importante e permitem modificar as estratégias, atitudes e trabalho no sentido de obter melhores resultados. Isto é bom para todos e para a sociedade portuguesa em geral”, concluiu o diretor. Quanto ao ensino público, a Escola Secundária da Trofa é a melhor escola do concelho do ensino secundário (64.º lugar), com média de 11,79, e, no ensino básico, o destaque vai para a Escola

Básica Napoleão Sousa Marques (309.º lugar), com média de 2,93. O diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa, Paulino Macedo, considera que os resultados são “fruto do trabalho diário dos alunos, do profissionalismo dos professores, do empenho e dedicação dos funcionários, sem esquecer a envolvência das famílias no acompanhamento dos seus educandos”. A Secundária da Trofa “está no bom caminho, consolidando o trabalho de anos anteriores”, afirmou Paulino Macedo, que não se preocupa “demasiado com os rankings”, mas antes com “ qualidade do ensino”.


6

JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Santo Tirso

// Vila Nova de Famalicão

Faleceu Padre Celestino Ramos O Padre Celestino Ramos faleceu, na madrugada de terça-feira, 20 de dezembro, vítima de doença prolongada. ANA MIRANDA/CÁTIA VELOSO

Celestino Ramos faleceu aos 95 anos

D

tos, co-adjuvado por três bispos urante mais de 50 anos, es- amigos do Porto e algumas deteve à frente da paróquia de San- zenas de sacerdotes. A Igreja enta Maria Madalena, em Santo Tirso. cheu-se de fieis, muitos paroquiaO funeral realizou-se esta quarta- nos e amigos de Celestino Ramos. Celestino Ramos nasceu a 5 de -feira, 21 de dezembro, às 11 horas, na Igreja do Mosteiro de S. Bento, agosto de 1921, em S. Mamede do em Santo Tirso, cujas exéquias fo- Coronado, na Trofa. Frequentou ram presididas pelo Bispo do Por- os Seminários diocesanos, onde to, D. António Francisco dos San- concluiu o curso superior de Te-

Funeral realizou-se na Igreja do Mosteiro de S. Bento

ologia. A 5 de agosto de 1945, foi ordenado presbítero por D. Agostinho de Jesus e Sousa. Nesse ano, foi ainda nomeado co-adjutor da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Porto. Em 1947, iniciou a sua atividade como pároco na paróquia de Gôve e de S. João de Coril, na vigararia de Baião; em 1955, foi nomeado pároco na paróquia do Bustelo, em Penafiel. Em setembro de 1963, Celestino Ramos foi nomeado pároco de Santo Tirso, onde passado algum tempo acumulou as mesmas funções nas paróquias de Burgães e mais tarde em S. Miguel do Couto. Foi durante vários anos vigário da vigararia de Santo Tirso e delegado episcopal da região Norte. Em 28 de abril de 2012, foi nomeado pelo Papa Bento XVI seu prelado de honra com o título de Monsenhor. O concelho tirsense deve ao pároco várias iniciativas, como o restauro da Igreja Matriz e Celestino Ramos foi ainda o principal impulsionador da criação da Ultreia de Santo Tirso. A Câmara Municipal de Santo Tirso atribuiu-lhe uma medalha de honra em ouro e foi construído um busto em sua homenagem, em frente ao Mosteiro de S. Bento, como reconhecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos em Santo Tirso. Tal como tinha solicitado ainda em vida, o corpo do sacerdote foi sepultado no cemitério de Santo Tirso.

Paróquias de Famalicão constroem presépios natalícios As paróquias de São Mamede de Sezures, Santa Maria de Arnoso, São Miguel de Jesufrei e o Arciprestado de Vila Nova de Famalicão uniram-se para a construção de presépios inspirados em S. Francisco de Assis. Foram jovens que com o apoio de mais velhos meteram mãos à obra e construíram estes presépios nas paróquias. Neles está re-

presentado o nascimento de Jesus Cristo que é o elemento que merece mais destaque e que segundo o pároco José Pedro Novais o presépio “mostra bem que o Menino, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, deseja visitar e habitar nestas queridas e amadas terras.”. Estas obras da comunidade podem ser visitadas nos dias: 25 de dezembro, 1 e 8 de Janeiro.

Barrete Azul para ajudar Centro Social de Ribeirão A campanha solidária do Barrete Azul, promovida pela Associação Salvador, veio dar uma nova cor ao Natal. Entre mais de meia centena de instituições, ligadas a todo o tipo de deficiência, que pode ajudar ao adquirir um barrete azul, com o custo de dois euros, está o Centro Social Paroquial de Ribeirão (CSPR). Os barretes es-

tão à venda até esta sexta-feira, 23 de dezembro, no Centro Social Paroquial de Ribeirão, Escola Secundária Camilo Castelo Branco, Junta de Freguesia de Ribeirão, entre outros locais na proximidade do CSPR. Numa época em que se fala de partilha, este barrete pode ajuda a colorir a vida de muita gente portadora de deficiência. L.O./C.V.


www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

7

Atualidade // Santo Tirso

Gierlings-Velpor vendida a empresa suiça

Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

A empresa têxtil suiça Lantal, por e a todos os seus ‘stakehol“líder na conceção, produção e ders’, devido à perspetiva de fordistribuição de têxteis, peças e te crescimento esperado para a serviços para interiores de es- empresa”, fez saber em comucritórios, aviões, comboios, au- nicado o grupo Amorim, que se tocarros, com forte presença in- “mantém como acionista, com ternacional”, adquiriu o contro- um membro não executivo no lo do capital da empresa tirsen- conselho de administração, asse, do grupo Amorim, Gierlings- segurando uma transição bem-Velpor, um dos principais produ- -sucedida”. tores europeus de veludos e de A empresa tirsense conta nespeles sintéticas para a área de te momento com 120 trabalhamoda, tecidos técnicos, estofos dores, e, em 2015, o volume de e transporte. faturação foi de cerca de oito “A Lantal Textiles e a Amorim milhões de euros, dos quais 90 estão convictas que esta opera- por cento dizem respeito a exção trará um valor acrescenta- portações. do significativo à Gierlings-VelL.O./C.V. // Vila Nova de Famalicão

Vale Incubação com candidaturas até 30 de dezembro O período de apresentação de candidaturas para o Vale Incubação já está a decorrer e prolonga-se até ao dia 30 de dezembro. Esta é uma medida de apoio ao empreendedorismo da StartUP Portugal, para as empresas criadas há menos de um ano e que disponibiliza cinco mil euros por candidatura aprovada. O Vale Incubação apoia projetos de serviços de incubação na área do empreendedorismo, como serviços de gestão, marketing, assessoria jurídica, desenvolvimento de produtos e de financiamento. Vila Nova de Famalicão, através da Incubadora Famalicão Made IN, que integra a Rede Nacional de Incubadoras, é uma entidade acreditada pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação para a prestação de serviços de incubação. As startups que estejam interessadas em desenvolver a sua atividade no concelho devem escolher o município de Vila Nova de Famalicão como entidade acreditada. A autarquia tem

como objetivo atrair novas startups para os polos da Incubadora Famalicão Made IN, Riopele, em Pousada de Saramagos, e Edifício Globus, em Vilarinho das Cambas. Para a apresentação das candidaturas, os interessados devem aceder ao site do IAPMEI, www. iapmei.pt. Quem quiser receber apoio para a formalização da candidatura deve dirigir-se ao Gabinete de Apoio ao Empreendedor do Famalicão Made IN, na Rua Camilo Castelo Branco. “Vila Nova de Famalicão oferece às startups o ambiente propício para que possam crescer, em estreita colaboração com o mais experiente tecido empresarial e a reconhecida competência dos centros de investigação, a par do apoio facilitador do município, que está interessado em criar condições para o surgimento de uma nova geração de empresários que mantenha o concelho no topo dos mais dinâmicos e exportadores do país”, explicou a autarquia em nota de imprensa. A.M./C.V.

Campo de Futebol de Areias vai ter relvado sintético O

neários e as infraestruturas anexas Campo de Futebol de também remodeladas”, afirmou Areias vai ser requalificado. A in- o presidente da Câmara Municitervenção havia sido “uma pro- pal de Santo Tirso, Joaquim Couto. messa eleitoral da Junta de FrePara o presidente da União de guesia e da Câmara Municipal” e Freguesias de Areias, Sequeirô, vai mesmo avançar. Orçada em Lama e Palmeira, Eurico Tavares, “225 mil euros”, a obra inclui a apli- esta intervenção “vem fomentar cação de relvado sintético, banco o desporto até ao nível da formade suplentes com cabine coberta ção e de outras áreas, como o fupara 12 lugares e balizas. “Prova- tebol feminino”. Sobre a formação, velmente vamos ter de fazer uma o edil tirsense não esquece “a polavagem da cara dos balneários, pulação mais jovem” que desertou, porque não ficará muito bem ten- “nos últimos anos, para concelhos do o sintético novo não ter os bal- vizinhos, para formação em des-

porto, nomeadamente no futebol”. Esperando que com esta melhoria, “eles regressem”. “É uma obra muito importante para a união de freguesias porque é uma justa reivindicação de muitos anos”, afirmou Joaquim Couto. De acordo com as informações avançadas na apresentação do projeto da requalificação do Campo de Futebol de Areias que decorreu, a 14 de dezembro, na sede da junta de freguesia, a obra deverá estar concluída em meados de 2017. L.O./C.V.

“Programa Mimar” volta a Santo Tirso Santo Tirso aposta novamente na edição do “Programa Mimar” de Natal, destinado aos alunos do 1º ciclo das escolas do concelho em período de férias escolares, com “o objetivo de dar resposta às necessidades dos pais e encarregados de educação no acompanhamento e formação dos seus educandos”, adiantou fonte do município. De 27 a 30 de dezembro, a iniciativa é gratuita e conta com atividades desportivas, culturais, artísticas e até algumas visitas a locais do concelho. “O Mimar é um dos primeiros programas que implementámos e é para nós simbólico, na medida em que encerra em si aquele que pretende ser o nosso posicionamento enquanto Câmara, junta duas das nossas apostas, coe-

Crianças com atividades desportivas, culturais e artísticas

são social e educação, para ir ao No leque das muitas atividades encontro das necessidades dos está também a oportunidade de pais e encarregados de educação aprenderem a fazer patchwork, no acompanhamento e formação oficinas de culinária, jogos de dos seus educandos nos períodos mesa, caça ao tesouro, sessões de interrupção letiva”, explicou o de cinema, aulas de karaté,uma presidente da Câmara Municipal ida ao Circo e até uma visita ao de Santo Tirso, Joaquim Couto. “Natal na Praça”.


8

JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Santo Tirso

Casa do Pai Natal está em Santo Tirso O trenó estacionado denuncia a presença da figura mais idolatrada pelas crianças. E nem é difícil encontrá-lo… a Casa do Pai Natal mudou-se temporariamente para a Praça 25 de Abril, em Santo Tirso, e é aí que os mais pequenos o podem encontrar para lhe transmitirem o que desejam receber no sapatinho. CÁTIA VELOSO

M

as além da visita ao homem das barbas, muito mais há para distrair as crianças. Como por exemplo, a Cozinha da Maria, onde os mais pequenos podem confecionar biscoitos e bolachas. O Pátio das Oficinas convida os mais pequenos a pôr mãos à obra e dar aso à imaginação, a zona de recreio está aberta para brincadeiras nos insufláveis e o Cantinho dos Reis Magos está reservado para diversas atividades como dança, cinema, teatro e magia. O ambiente natalício de Santo Tirso está ainda representado numa Cascata de Natal. “Esta é uma iniciativa que está a fazer o seu caminho. Cada vez mais vêm pessoas de fora do concelho ver o Natal na Praça. Este ano, optamos por uma organização para cobrir toda a Praça, para maior facilidade de circulação e distribuição das iniciativas que vão acontecendo”, afirmou Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso. Além de possibilitar momentos de lazer, o Natal na Praça tem como vantagem “a dinamização

Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

Famílias carenciadas recebem cabazes

Executivo municipal também visitou o Natal na Praça

do comércio local”, destacou o autarca. Até 23 de dezembro e de 26 a 30 de dezembro, as diferentes atividades do Natal na Praça decor-

rem entre as 10 e as 19 horas. Na véspera de Natal, os locais mágicos estão ao dispor dos visitantes entre as 10 e as 16 horas, estando encerrados no dia de Natal.

No último dia do ano, o “Natal na Praça” funciona entre as 10 e as 16 horas, reabrindo no dia 1 de janeiro entre as 14 e as 19 horas.

O Natal vai chegar com mais alegria às famílias mais carenciadas de Santo Tirso. A Câmara Municipal vai entregar cabazes de Natal a 1100 famílias da cidade. As famílias vão encontrar neste cabaz bens essenciais como, “bacalhau, arroz, massa, leite, açúcar, óleo, azeite, bolachas, aletria e bolo-rei”. Para diferenciar dos anos anteriores, onde todos estes artigos eram comprados nas grandes superfícies, este ano, a autarquia apostou na aquisição destes bens em mercearias do concelho. A Câmara investiu “cerca de 27500 euros” para tornar o Natal destas famílias mais feliz.

Encontro de Gerações animou miúdos e graúdos Envolver a comunidade num convívio e partilhar momentos de animação foi o que impulsionou a Junta de Freguesia de Vila Nova do Campo a promover o Encontro de Gerações. Com participantes dos oito aos 80, o dia 18 de dezembro começou com “um almoço com os seniores e, durante a tarde, juntaram-se as crianças numa Festa de Natal”, explicou o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova do Campo, Marco Cunha. “Foi uma forma que encontramos para proporcionarmos um dia animado e que as famílias estivessem juntas”, acrescentou o autarca. O desejo de ter começado esta iniciativa há quatro anos não foi esquecido por Marco Cunha que explicou que “por dificuldades que não estavam a contar” não foi possível concretizar mas deixou o seu desejo de Natal: “A maior prenda que estamos a pedir ao Pai

Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

Atividade foi promovida pela Junta de Freguesia de Vila Nova do Campo

Natal é que nos dê mais quatro anos para realizarmos mais eventos destes”. Na generalidade a iniciativa foi bem acolhida por miúdos e graúdos que a consideraram um “momento bonito”. A prata da casa animou o convívio, desde Zédico, o Desporto Sénior da freguesia, as crianças do Centro de Apoio Família, Grupo da Alegria, aos palhaços, ilusionismo e pinturas faciais, foram muitos os momentos de diversão para todas as gerações. O autarca de Vila Nova do Campo aproveitou para “desejar um Santo e Feliz Natal” e relembrou que com este Encontro de Gerações pretendeu-se mostrar que “as famílias conseguiam estar juntas e conviver com crianças de 18 até aos idosos de 80” e a geração intermédia deve “transmitir bons exemplos para que se consiga ter um Natal à mesa, recheado de paz e de amor”. L.O./C.V.


www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

9

Atualidade // Santo Tirso

150 Pais Natais pedalaram por causa solidária Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

Cerca de 150 Pais Natais invadiram as ruas do concelho tirsense e de S. Tomé de Negrelos até à Praça do Município, na cidade de Santo Tirso, pedalaram por uma boa causa. ANA MIRANDA/CÁTIA VELOSO

A

toda a população o espírito nataAssociação Abram Alas BTT lício e também incentivar à prátiorganizou, no domingo, 18 de de- ca desportiva”, explicou em declazembro, a 6.ª edição do Natal Bike, rações ao JA. num passeio que contou com cerA juntar ao cariz solidário, o Naca de “150” Pais Natais, que peda- tal Bike pretendeu também anilaram cerca de oito quilómetros. mar a população. “Hoje em dia, A iniciativa, que contou com o andamos cabisbaixos e esta iniciaapoio da Câmara Municipal de tiva faz com que, pelo menos duSanto Tirso e Junta de Freguesia rante duas ou três horas, as pesde S. Tomé de Negrelos, teve ca- soas se esqueçam dos problemas riz solidário. O objetivo era anga- e se envolvam no espírito”, acresriar bens alimentares para serem centou o autarca. distribuídos a várias famílias caO padrinho da prova foi o ciclisrenciadas, através da Conferência ta profissional, Tiago Machado, Vicentina de S. Tomé de Negrelos. que considerou que esta “é uma Vestido de Pai Natal e também iniciativa muito bonita”. a pedalar por esta causa, RoberA Conferência Vicentina de S. to Figueiredo, presidente da Junta Tomé de Negrelos é gerida por de Freguesia de S. Tomé de Negre- donativos e consegue manter-se los, realçou a importância deste graças a este tipo de eventos e de tipo de iniciativas. “Com os cons- apoios sociais. “É uma ajuda muitrangimentos de cariz social que to grande que nos vai permitir fanós temos hoje em dia, faz todo zer face às dificuldades de uma o sentido associarmo-nos. A Jun- maneira mais fácil”, esclareceu ta de Freguesia quer incutir em Ana Grosso, presidente da Confe-

Esta foi a 6.ª edição do Natal Bike

rência Vicentina. Esta instituição ram oferecidas duas bicicletas, não se esquece das famílias du- um capacete e lanche a todos os rante o ano e, por isso, todos os participantes. Leonel Coelho, da meses oferece cabazes, mas nes- Associação Abram Alas BTT, reveta época “alarga a mais famílias lou que a ideia surgiu entre amipara que todos possam ter um Na- gos, com o sentido de ajudar as pessoas mais necessitadas da tal melhor”. A 6.ª edição do Natal Bike con- freguesia. tou com uma pequena alteração O Natal Bike tem também como no percurso, tendo passado pelo ponto forte a capacidade de “fazer centro do Parque da Rabada. Fo- as pessoas sairem de casa, trazê-

Utentes foram as estrelas da festa de Natal da CAID

-las para o centro da cidade e pô-las a confraternizar”, destacou José Pedro Machado, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Santo Tirso. No próximo Natal, os homens de vermelho esperam regressar às ruas de Santo Tirso para que a população necessitada possa ter um Natal mais feliz.

Márcio Rocha

pub

As grandes estrelas da festa foram os utentes da CAID

Na festa de Natal da Cooperativa de nha entrada gratuita e as grandes estrelas Apoio à Integração do Deficiente (CAID), foram os utentes da instituição que apreas estrelas foram os utentes e houve ain- sentaram várias atividades performativas. da tempo para um momento de solidarieA “Estrela Prateada”, que contou com a didade, marcado pela turma ERM-A (3.º e 4.º namização dos Ritmo'CAID, e o “Natal Gelaano) do Centro Escolar da Ermida. do” foram algumas das atuações represenA Festa de Natal da CAID já é uma tra- tadas. A Festa de Natal ficou ainda marcadição e pretende assinalar as comemora- da pela visita dos alunos da turma ERM-A ções festivas da época natalícia, juntando (3.º e 4.º ano) do Centro Escolar da Ermida. parceiros, amigos, família e toda a comu- No âmbito do mini-projeto “Roda da Solinidade em geral. A iniciativa realizou-se a dariedade”, os alunos escolheram a CAID e 16 de dezembro e várias foram as pessoas outras instituições para receber uma recoque quiseram marcar presença. A festa ti- lha de fundos que eles efetuaram. A.M./C.V.


10 JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Vila Nova de Famalicão

Carlos Moedas impressionado com Centro de Competências para o Agroalimentar Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

Boletim Municipal dá a conhecer novos investimentos na cidade

É na nova edição do Boletim Municipal de Vila Nova de Famalicão que está em destaque o Orçamento Municipal e os investimentos planeados para o próximo ano. É na água, saneamento, melhoria das vias, modernização e requalificação do parque escolar que o concelho centra os investimentos, Carlos Moedas considerou Centro de Competências “um projeto extraordinário” com o intuito de melhorar o quo“É um projeto extraordiná- este Centro de Competências do instaladas nesta rede de parceiros, tidiano da população. No editorial do Boletim, o presirio”. As palavras são do Comis- Agroalimentar é assentar a ativi- sermos inovadores, criativos e desário Europeu da Investigação, dade “numa dimensão colabora- senvolver um conjunto de compe- dente da Câmara Municipal, PauCiência e Inovação, Carlos Mo- tiva e criativa, em torno das insti- tências com o propósito de acres- lo Cunha sublinha que “em 2017 edas, e dizem respeito ao Cen- tuições” que se juntaram ao proje- centar valor à produção que hoje manteremos a ambição e o rigor tro de Competências do Agroa- to, em protocolo assinado no pas- já se faz no país inteiro, para que a nossa vocação exportadora aulimentar para o setor das car- sado mês de setembro. nes, que a autarquia famali- “Habituamo-nos a ver centros mente”, acrescentou. O Roteiro da Ciência que teve tecnológicos com edifícios criados cense projetou. de raiz, grandes e bonitos labo- como ponto de partida a cidade Liliana Oliveira/ Cátia Veloso ratórios e um conjunto de outras famalicense “foi uma boa forma competências que serviam única e de começar esta jornada”, assuarlos Moedas esteve de pas- exclusivamente aquele Centro de miu Carlos Moedas. O agro-alimentar foi definida, sagem pela cidade de Vila Nova de Competências. Temos a ambição Famalicão, a 19 de dezembro, a de fazer diferente e também esta- “na política de ciência”, como “uma propósito do terceiro Roteiro da mos conscientes daquelas que são das quatro áreas prioritárias para Ciência, que procura “fazer uma as novas linhas do ponto de vis- a Europa” e “este Centro pode ser viagem através das universidades ta do financiamento comunitário um exemplo daquilo que de mee das empresas em Portugal para mas também a realidade do país”, lhor se faz na Europa”. “Esta é uma valorizar a importância de se in- exemplificou o autarca. Assim, o das melhores ideias que já vi e vestir cada vez mais em ciência e que se pretende com este proje- pode ter muito futuro no setor do to é, acima de tudo, “aproveitar o agroalimentar”, afirmou o Comisinovação”. sário, que se disponibiliza a ser “o O presidente da Câmara Munici- que já está instalado”. “ pal de Vila Nova de Famalicão ex- “A nossa ambição é aproveitar embaixador deste projeto em ouplicou que o que se pretende com todas as competências que estão tras partes da Europa”.

FC Famalicão unido à ReFood em projeto solidário

C

Câmara celebra acordo com Fundação de Serralves A autarquia de Vila Nova de Famalicão aderiu ao Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves. Este acordo permite a promoção e a divulgação cultural e ambiental, nomeadamente, Famalicão ter acesso às exposições da coleção de Serralves.

que nos são característicos. Será, pois, um ano de mais afirmação territorial, de mais obra infraestrutural, de mais dinâmica multidisciplinar”. O Boletim Municipal em nome da autarquia leva até aos famalicenses de forma gratuita as informações de todas as apostas e dinâmicas da cidade. Na edição deste mês podem ser também encontradas informações referentes à autarquia, às freguesias, bem como à cultura e ao desporto, entre outras.

O presidente da Câmara, Paulo Cunha refere que “o estatuto de fundador Serralves proporciona um conjunto de benefícios destinados a promover uma participação ativa num projeto de objetivos ambiciosos, cujo sucesso é reconhecido nacional e interna-

O FC Famalicão Solidário, juntamente com o projeto de voluntariado ReFood, angariou 425,51 cionalmente”. euros para a aquisição de uma Com este acordo, a população carrinha de recolha e distribuifamalicense “está mais próxima ção de refeições. da arte, da cultura contemporâAs recolhas de donativos foram nea e da importância de inovar e feitas por voluntários da Refood desenvolver toda a área do conce- que, em conjunto com os jogadolho de Famalicão”. res do clube, recolheram também J.L./C.V. alimentos.

“É fundamental ajudar e nós ficamos sensibilizados com o trabalho que a ReFood faz. Foi um gosto e saímos daqui de coração cheio por poder contribuir”, afirmou Vitor Lima, um dos capitães da equipa do FC Famalicão. A equipa deixou um agradecimento aos sócios e adeptos pelo contributo prestado.


11

www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

Atualidade

// Santo Tirso

Centro de Wellness & Healthcare para potenciar o bem-estar físico e mental

Espaço Chi abriu em Santo Tirso só espaço, as soluções para garantir saúde, bem-estar e confiança. Situado na rua da Encosta Nascente, junto do pavilhão desportivo municipal, o Espaço Chi abriu portas a 18 de dezembro, disponibilizando excelentes condições físicas e uma experiente equipa de profissionais. Na massoterapia, o Espaço Chi disponibiliza um extenso leque de técnicas de massagem e o mes-

Veja a reportagem vídeo em www.jornaldoave.pt

Radu Sticlea

s estudos são cada vez mais frequentes e aprofundados e apontam para a premissa de que não há plano, carreira ou projeto que possa ser bem executado se não houver um equilíbrio entre bem-estar físico e mental. Assente nesta ideia, o Espaço Chi nasceu em Santo Tirso para melhorar a vida de todas as pessoas que pretendem encontrar, num

Radu Sticlea

O

mo acontece na estética, com diversos tratamentos. A diferenciação destaca-se pelas respostas ao nível da manutenção de saúde, com assessoria médica, e do equilíbrio do corpo e mente, com várias terapias. No que respeita à saúde física, pub

no Espaço Chi existe uma área com condições para a prática de diversas modalidades, como o cross training, pilates e cardioftiness. Santo Tirso não surgiu por acaso no momento de escolher onde instalar este espaço. Carla Mendes,

gerente do espaço, afirmou que a cidade tem como pontos fortes “o ambiente” e “a luz” e que “a recetividade das pessoas” ao conceito “foi muito positiva”. O Espaço Chi está aberto de segunda a sexta-feira das 8 às 22 horas e aos sábados das 9 às 20 horas. pub


12 JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Atualidade

// Vila Nova de Famalicão

Festa de Natal dos filhos de Dadores de Sangue

Bênção do cemitério de Gavião assinalou conclusão da 1.º fase da requalificação A

primeira fase das obras de cipal de cerca de “30 mil euros”. alargamento e modernização do Paulo Cunha salientou que foi cemitério de Gavião já está con- “uma intervenção complexa, que cluída e Paulo Cunha, presidente precisou de algum tempo para ser da Câmara Municipal de Vila Nova concluída” e disse que “o mais dide Famalicão, participou na ceri- fícil foi conseguir arranjar o espamónia da bênção, que se realizou ço necessário para fazer a obra”. O no domingo, 18 de dezembro. autarca destacou ainda a imporAs obras de requalificação do tância da ajuda de várias instituicemitério de Gavião inserem-se ções e o papel da Junta de Fregueno Plano Municipal de Alargamen- sia. Joaquim Rodrigues, presidento e Modernização dos Cemitérios te da Junta de Freguesia de Gavião, e tiveram um investimento muni- ficou satisfeito com a conclusão

desta primeira fase da obra. “Esta é uma obra que deve ser aumentada, é a primeira etapa de um grande projeto”, referiu, acrescentando que com esta intervenção “estão criadas as respostas para as próximas gerações”. Paulo Cunha lembrou que o objetivo principal da obra é “honrar a memória de quem parte e dar condições às populações para viver esses momentos com dignidade”. A.M./C.V.

CHMA assinalou Dia pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres O Centro Hospitalar do Médio seja reconhecido, “não é por vezes Ave (CHMA) assinalou o Dia Inter- identificado e denunciado com o nacional pela Eliminação da Vio- devido rigor, o que o torna sublência Contra as Mulheres, com -diagnosticado”. a tertúlia “Ação da saúde na vioManuel Albano, delegado regiolência contra as mulheres”. O ob- nal norte para a Comissão para a jetivo era sensibilizar os profissio- Igualdade de Género, esteve prenais para “um dos tipos de violên- sente e esclareceu sobre o tracia mais frequente”, que embora tamento a dar aos utentes “que

recorrem ao CHMA, por alegada agressão decorrente da prática de violência doméstica”. É assim importante ter Equipas para a Prevenção da Violência em Adultos, como acontece no CHMA, que é constituída por profissionais de várias áreas. A.M./C.V.

www. jornaldoave. pt

A habitual Festa de Natal da As- da tempo para o sorteio de um sociação de Dadores de Sangue LCD entre os dadores presentes, de Vila Nova de Famalicão (ADS- tendo ganho Manuel Carvalho, VNF) dedicada aos filhos dos da- da freguesia de Vermoim, e entre dores realizou-se a 18 de dezem- as crianças foi sorteada uma bicibro e juntou cerca de “duas cente- cleta e um capacete, que foram nas de crianças”. entregues ao Martin da Costa, da O grande auditório da Casa das Trofa. Entre os convidados estiveArtes de Vila Nova de Famalicão ram Sofia Fernandes, responsável encheu-se de pais e filhos que do Pelouro da Família, em reprejuntos se deliciaram com o filme sentação do presidente da Câmada “Ovelha Shoné”, com o Pai Na- ra Municipal de Vila Nova de Fatal e a sua bonequinha de Natal e malicão, Luís Moniz, administraainda com a dança de cinco pares dor do Centro Hospitalar do Médio de crianças da Gindança, orienta- Ave - EPE, Carlos Silva, presidente das pela professora Rita Almeida. da direção da ADSVNF entre 2000 As crianças receberam uma e 2013 e ainda todos os órgãos soprenda e um lanche e houve ain- ciais da ADSVNF. A.M./C.V.

Portugal representado nas Olimpíadas da Ciência Em 2017, Marco António Ribei- tição destinada a estudantes com ro, aluno do Externato Delfim Fer- idade inferior a 16 anos. reira, vai representar Portugal na O aluno do Externato vai aingrande final das Olimpíadas Euro- da elevar o nome de Riba de Ave peias da Ciência, de 7 a 14 de maio. e os concelhos de Famalicão e de Na Olimpíada vão participar 25 Santo Tirso. países, naquela que é uma compeJ.L./C.V.

Paulo Cunha desejou Boas Festas aos utentes do Hospital “Espero que, acima de tudo, pos- readora da Família da autarquia, sam voltar para casa com saúde Sofia Fernandes, o autarca famae assim viver junto dos vossos fa- license percorreu as várias enfermiliares esta quadra tão especial”. marias, distribuiu lembranças às Esta foi a mensagem transmitida crianças da Pediatria e às mães por Paulo Cunha, presidente da da Maternidade e deixou votos Câmara Municipal de Vila Nova de de Boas Festas a todos os utenFamalicão, aquando da “tradicio- tes da instituição, deixando-lhes nal visita de Natal ao Centro Hos- uma mensagem de esperança e pitalar do Médio Ave (CHMA)”, que conforto. Sem esquecer o pessoal decorreu a 14 de dezembro. médico e auxiliar do hospital, PauAcompanhado pelo presidente lo Cunha agradeceu ainda a forma do Conselho de Administração do dedicada com que toda a equipa CHMA, António Barbosa, e pela ve- desenvolve a sua atividade. P.P.


13

www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

Atualidade

// Vila Nova de Famalicão

Exposição mostra caminhos do desenvolvimento desde 1976

Neto e esposa de Bernardino Machado homenageados nos 15 anos do Museu A “concretização do sonho” de netos e o sonho transformou-se Bernardino Machado faz 15 anos. em realidade”, acrescentou. A cePara assinalar o aniversário do rimónia ficou ainda marcada pela Museu Bernardino Machado, a atribuição do nome de Júlio Maneta, Elzira Machado Rosa entrou chado Vaz à sala de conferências e na máquina do tempo e lembrou a exposições temporárias e de Elzipreocupação do antigo presiden- ra Dantas Machado à praceta conte da República Portuguesa do tígua ao Museu. “Temos a ambição de que o muque seria feito ao seu legado depois da sua partida. Júlio Macha- seu não se limite a ser um depódo Vaz, neto de Bernardino Ma- sito onde se guardam de forma chado, terá sido um dos grandes cautelosa esse acervo e memóimpulsionadores do espaço que rias, mas que se vá mais longe e agora é dedicado ao avô. A 15 de se produza atividade e, é por isso, dezembro assinalou-se o 15.º ani- que temos concebido e publicado versário do Museu e Elzira Macha- muitas obras, conferências, colódo Rosa salientou que “a Câmara quios que nos permitem continuMunicipal tem correspondido exa- ar a construir conhecimento”, afirtamente à personalidade do avô mou o presidente da Câmara Mue àquilo que ele gostaria que fos- nicipal de Vila Nova de Famalicão, se feito com o seu espólio”. “O so- Paulo Cunha, que considera que o nho era dele mas que foi descen- “museu honra e dignifica Bernardidendo até aos filhos, netos e bis- no Machado”. L.O./C.V.

Mais de 2000 jovens na Assembleia Internacional “NODM 2030 - Os Novos Objeti- decorre essencialmente em Vila vos do Milénio 2030” é o tema da Nova de Famalicão, Alfeizerão e edição de 2016 da Assembleia In- São Martinho do Porto. Só o roternacional Juvenil, que está a ser teiro “Envolver para decidir…”, organizada pela PASEC (Platafor- promovido nas “últimas três sema Animadores SE Culturais - Pla- manas”, reuniu “mais de 2200 jotaforma de Ação SocioEducativa vens”. Mas “a grande abertura ofie Cultural). A decorrer entre 26 de cial” está marcada para as 21 hodezembro de 2016 e 7 de janeiro ras do dia 22 dezembro, com o “esde 2017, a iniciativa tem como ob- petáculo em forma Circuito Cénico jetivo “refletir os novos objetivos e Conferência Internacional ‘Vozes do desenvolvimento sustentável do Futuro 2030’, a decorrer na Es2030, nomeadamente o papel dos cola Secundária Camilo Castelo jovens na concretização dos mes- Branco, em Vila Nova de Famalimos”, adiantou a Equipa de Ação cão, que envolverá “mais de duas centenas de jovens de quatro paíSocioeducativa. “Nove países, 37 eventos e 11 lo- ses”. A iniciativa está ao abrigo do calidades” dão corpo à Assem- Programa Erasmus + da União Eubleia Internacional Juvenil, que ropeia. P.P.

Mais de 40 painéis recordam alguns dos principais passos dados pelo Município de Vila Nova de Famalicão, no âmbito do desenvolvimento do território, ao longo dos 40 anos de poder local democrático. PATRÍCIA PEREIRA

O

s painéis “dão corpo” à exposição “40 anos de Poder Local Democrático em Portugal, 19762016”, que mostra “os caminhos que Vila Nova de Famalicão percorreu desde o dia 12 de dezem- Exposição está patente até 30 de abril de 2017 bro de 1976 – em que decorreram as primeiras eleições autárquicas elevação a cidade (1985) e a inau- território”. que instituíram o poder local de- guração de vários equipamentos, Para o período de 2016 a 2025, mocrático em Portugal – até aos como o Citeve (1994), a Casa das no centro da sala estão postais em dias de hoje”. A exposição está pa- Artes (2001), o Palácio da Justiça branco, que convidam as pessoas tente nos Paços do Concelho, até (2007) e o Parque da Devesa (2012). a deixar o seu contributo, ilustraao dia 30 de abril de 2017. Para além dos painéis, está paten- do ou escrito. Também podem leOs vários caminhos, representa- te nesta exposição um vídeo sobre var e enviar por correio. Pretendedos através de fios coloridos, con- a história de Vila Nova de Famali- -se assim fomentar a partilha e a duzem a exposição identificando cão e três vitrines com documen- participação pública. as várias ações das políticas lo- tos originais. A iniciativa insere-se no progracais seguidas ao longo dos anos Para o presidente da Câmara ma comemorativo da “Conquista nos domínios do planeamento, Municipal, Paulo Cunha, esta ex- e consolidação da democracia em habitação, infraestruturas, equi- posição visa sobretudo “propor- Portugal”, promovido pelo Munipamentos, espaços verdes, par- cionar uma reflexão, sobre o pas- cípio ao longo do ano de 2016. A ticipação pública, etc. De realçar sado, o presente e o futuro do con- mostra pode ser visitada de seo Plano Geral de Urbanização de celho e da comunidade famalicen- gunda a sexta-feira, no horário Famalicão (1978), o plano da rede se através de leituras partilhadas de funcionamento dos Paços do de saneamento da vila (1981), a sobre a transformação do nosso Concelho.

“A Branca de Neve e os Sete Anões” foi um sucesso

Espetáculo recebeu “as melhores críticas”

A turma da secção de Patina- Sete Anões”. Um espetáculo abergem Artística do Riba d´Ave Hó- to para toda a comunidade, que quei Clube realizou um espetácu- contou com cenários adequados lo de Natal inspirado na obra em- e personagens vestidos a rigor. O blemática “A Branca de Neve e os espetáculo dividiu-se em três ses-

sões com plateia esgotada e com as melhores críticas por parte da comunidade. J.L./C.V.


14 JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt

Desporto

// Modalidades

// Campeonato de Portugal

Desp. Aves vence Cova da Piedade

Trofense e Oliveirense empatam, S. Martinho vence

Vasco Oliveira

U

m golo na própria baliza de Ricardo Barros bastou ao Desportivo das Aves para vencer em casa o Cova da Piedade, por 1-0, na 20.ª jornada da Segunda Liga e manter-se na perseguição ao líder. Com este resultado, a equipa de Ivo Vieira mantém-se no segundo posto agora com 45 pontos, menos quatro do que o líder, o Portimonense, que venceu o Olhanense por 0-1. Já o conjunto orientado por Sérgio Boris fica em quarto, com 32 pontos. Na primeira parte, a equipa de Vila das Aves procurou o golo com Avenses somam e seguem maior afinco, mas sem clareza no último terço do terreno, prova dis- rumo à bola, após cruzamento de so foram as oportunidades perdi- João Pedro, aos 30, e Pedró teve das por Femi que, isolado aos 29 um golo certo ao seu alcance mas e 43 minutos, primeiro não acer- deixou que Pedro Alves ‘salvasse' tou com a baliza e depois permi- com os pés (32 minutos). tiu que o guarda-redes visitante À entrada para o segundo temse antecipasse. po o Desportivo das Aves colocouMas, a primeira oportunidade -se em vantagem que ainda que do jogo até pertenceu ao Cova muito procurada só foi possível da Piedade com André Carvalhas, graças a um autogolo de Ricardo na sequência de livre, a atirar por Barros, que deu o último toque à cima, aos 14 minutos. bola depois de Nélson Pedroso Tiago Valente deu o mesmo tentar o remate (49 minutos).

Com o marcador inaugurado, o jogo ganhou intensidade e foi mais repartido, sempre com a equipa da casa a procurar o golo do conforto e a visitante a tentar suster os ataques dos avenses. O Cova da Piedade também não desistiu do empate, mas quase nunca conseguiu fazer um contra-ataque eficaz e só nas bolas paradas gerou real perigo como foi o caso num livre de André Carvalhas aos 65. Lusa

Ac. Viseu falha dois penáltis e empata com Famalicão Académico de Viseu e Famalicão empataram 1-1, em jogo da 20.ª jornada da Segunda Liga em que a equipa da casa desperdiçou, por Bura, duas grandes penalidades. Se, na primeira ocasião, aos 23 minutos, Bura ainda recargou vitoriosamente para a baliza, na segunda, em cima dos 45 minutos, atirou muito por alto, enquanto o Famalicão reagiu rapidamente à situação de desvantagem e, aos 26 minutos, Feliz anotou o golo da igualdade. Um jogo entre duas equipas em posição pouco confortável na classificação e em que a vontade de pontuar condicionou o futebol praticado, que esteve longe de ser de boa qualidade, com a história do jogo a resumir-se aos golos e aos lances das grandes penalidades. O Académico de Viseu adiantou-se no marcador aos 23 minutos, num lance em que o árbitro Artur Soares Dias considerou

Depois de ter abandonado o 14, e Torre Moncorvo, com um, jogo com o Amarante aos 75 mi- são as equipas que ocupam os nutos, quando perdia por 3-0, em últimos quatro lugares da tabeprotesto com a conduta do árbi- la classificativa. Na próxima jornada, a equipa tro, a equipa do Trofense recebeu o Camacha para a 14.ª jornada da da Trofa viaja ao reduto do Canisérie B do Campeonato de Portu- çal, enquanto o S. Martinho degal e não foi além de um empa- fronta, também fora de portas, o último classificado. te sem golos. Já na série A, a Associação DesCom este resultado, o Trofense desceu ao 6.º lugar, com 20 pon- portiva Oliveirense empatou a tos, afastando-se do primeiro zero com o Mirandela, mas selugar, agora ocupado pelo Ama- gurou o 2.º lugar, com 31 ponrante, que soma 29 pontos, mas tos. O Merelinense é líder, com aproximou-se do 2.º lugar, ocu- 36 pontos. O Vilaverdense aproveitou o pado pelo Marítimo B e Felgueiempate da AD Oliveirense para ras, com 26 pontos. Por sua vez, o S. Martinho ba- se aproximar da zona de promoteu o Caniçal por 2-0 e ascen- ção, vencendo o último, Ponte da deu ao 5.º lugar, com 21 pontos, Barca, e garantindo o 26.º ponto. O Bragança, 4.º classificado, é com menos dois que o Aliança o próximo adversário da AD Olida Gandra. Camacha, com 16 pontos, Cani- veirense. çal, com 15, Pedras Rubras, com

// Bilhar

FAC empata a dois pontos com o Leça FC Na primeira jornada do campe- equipa famalicense em vantagem. onato nacional da primeira divi- Artur Figueiredo perdeu a partida são de bilhar, o FAC foi a Leça de- e Jorge Bastos não esteve na disfrontar o Leça FC, conseguindo o cussão da sua partida. O FAC esempate a dois pontos. Carlos Ve- treia-se em casa na próxima jorloso e Adolfo Pereira, do FAC, ven- nada, em jogo com o Leixões CS. A.M./C.V. ceram os opositores e colocaram a // Basquetebol

Equipa famalicense somou um ponto

faltosa uma carga na área sobre Moses. Bura, encarregue da marcação, permitiu a defesa de Vítor Braga, mas, na recarga, não desperdiçou e colocou o Académico na frente. Foi curta a vantagem da equipa de Francisco Chaló, já que, aos 26 minutos, Feliz aproveitou uma saída em falso do guarda-redes Rodolfo e limitou-se a empurrar para o fundo da baliza deserta. Já nos instantes finais da primei-

ra parte, nova grande penalidade, a punir mão na área do Famalicão. Bura, na conversão, atirou forte, mas muito por cima da baliza. Na segunda parte, o jogo praticamente não teve oportunidades de golo com apenas duas situações para o Famalicão, aos 73 minutos, através de um remate perigoso de Mendes, e aos 90+3 minutos, num livre que passou perto da barra da baliza de Rodolfo.

FAC vence CB Viana a 1,2 segundos do fim O Famalicense Atlético Clube/ Crédito Agrícola (FAC) recebeu o CB Viana, no arranque da segunda volta do campeonato nacional da primeira divisão de basquetebol, vencendo por 56-53. O FAC acabou o primeiro período a vencer por 10-5 e no segundo período por 20-19, indo para o intervalo a vencer por 30-24. O Viana empatou a sete minutos do fim

da partida, conseguindo o empate, a 53 pontos, a 25 segundos do fim. A 1,2 segundos do fim, Hugo Mendes conseguiu o triplo desejado, dando a vitória ao FAC. O Famalicense fica assim isolado na segunda posição. O próximo jogo realiza-se a 7 de janeiro frente ao CD José Régio (Vila do Conde), no Pavilhão Municipal. A.M./C.V.


15

www.jornaldoave.pt

22 DEZEMBRO 2016 JORNAL DO AVE

Desporto // Modalidades

// Voleibol

AVC e Aves vencem 14.ª S. Silvestre de Castelões e GCST cede derrota reuniu cerca de 400 atletas frente ao Vitória SC A

O Famalicão AVC venceu pela pa vitoriana levou a melhor venmargem máxima o Castelo Maia cendo por 25-20. GC, em partida a contar para a Já a equipa feminina do Aves, ronda 10 do campeonato nacio- em jogo a contar para a jornada nal da 1.ª Divisão de voleibol fe- 9 da 3.ª Divisão da série A, venceu minino, a 17 de dezembro. No pri- o CD IPP, por 3-1. meiro set, o AVC venceu por 25-20, As meninas do Aves entraram resultado que se repetiu no se- com ‘a mão direita’ na partida, gundo set. No último set da par- vencendo o primeiro set por 25tida, o AVC destacou-se e venceu 13. A equipa “entrou muito forte por 25-17. e concentrada, com a determiEm fim de semana de jornada nação e atitude, para com todo dupla, o Famalicão AVC voltou a o merecimento e facilidade chelevar a melhor, desta vez frente gar a 2-0”, com igual resultado, ao GDC Gueifães por 3-1. As me- pode ler-se na página de Faceninas do AVC entraram a perder book da equipa. Um deslize no (24-26) mas logo deram a volta terceiro set permitiu ao CD IPP ao resultado, vencendo os três vencer por 19-25 sets que se seguiram (25-11; 25No set seguinte, o o CD Aves re11 e 25-17). cuperou e venceu. As meninas do voleibol do GiUma vitória importante para násio Clube de Santo Tirso não as meninas do Aves que, com um levaram a melhor frente ao Vitó- jogo por disputar, garantiram o ria SC. Entraram a perder nos dois primeiro lugar da tabela classifiprimeiros sets (25-20), ainda con- cativa, estando com mais quatro seguiram reduzir a margem para pontos do que o segundo classi2-1, ao vencer o terceiro set por ficado, o CD IPP. 15-25 mas no set decisivo a equi-

Mestre de Xadrez lança DVD sobre a modalidade O Mestre de Xadrez famalicense Luís Silva juntou-se à Ichess para criar um DVD sobre a modalidade, com conteúdos interativos totalmente em português. A Ichess já tem DVD em inglês e decidiu agora investir no mercado nacional. A empresa contactou Luís Silva, natural de Vila Nova de Famalicão, que em conjunto com o Mestre Jorge Ferreira, desenvolveu um DVD com conteúdos em português para o mercado nacional e para os outros mercados de língua portuguesa. Este DVD surge da fraca divulgação da modalidade em português e da dificuldade em apren-

Ficha Técnica

der a jogar xadrez. “Essa dificuldade advém também do facto de haver poucos jogadores fortes em Portugal. Este DVD vem no sentido de um jogador mais forte, o mestre, apresentar a modalidade em língua portuguesa. Por exemplo, um rapaz de dez anos, que não sabe inglês ou espanhol, ouve em português e já consegue aprender”, explicou Luís Silva, em declarações ao Porto Canal. Luís Silva é bicampeão nacional de semi-rápidas e é Mestre de Xadrez desde 2014. O DVD está à venda no site da Ichess e é compatível com PC, MAC e Smartphone. A.M./C.V.

14.ª S. Silvestre da Juventude de Castelões juntou quase 400 pessoas, no dia 17 de dezembro. A iniciativa contou com as principais equipas e coletividades de toda a região e resultou de uma parceria da Associação Desportiva de Castelões com a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, a Associação de Atletismo de Braga e a Junta de Freguesia de Castelões. A prova sofreu algumas alterações, como a data, passando de domingo de manhã, para a tarde de sábado e ainda a atribuição de classificação aos vários escalões da corrida popular. “As alterações foram feitas no sentido de melhorar e cativar mais atletas e isso foi conseguido. Ter 400 atletas numa prova de freguesia continua a deixar-nos honrados”, afirmou João Martins, presidente da direção da Associação Desportiva de Castelões. O atleta olímpico Rui Pedro Silva, do Sporting Clube de Portugal, foi o padrinho da prova, juntamente com a madrinha residente, a atleta famalicense Rosa Oliveira, e ainda esteve presente o atleta da terra, André Silva. O foco da S. Silvestre de Castelões são os escalões de formação, com corridas desde os escalões de Benjamins até aos Juvenis. A prova principal, a corrida de Juvenis, com cerca de três mil metros, foi vencida, em femininos, por Mariana Machado, do Sporting Clube de Braga, seguindo-se Mónica Silva, do Grupo Desportivo Unidos do Cano e Ana Ribeiro, da NBA. Em masculinos, Diogo Ro-

Prova foi organizada pela Associação Desportiva de Castelões

sário, do Sporting Clube de Braga, alcançou o primeiro lugar e o segundo e terceiro lugar foram para os atletas da Escola de Atletismo Rosa Oliveira (EARO), Miguel Torres e Diogo Silva, respetivamente. Já a prova popular, que reuniu Juniores, Seniores e Veteranos, com uma extensão de cerca de oito quilómetros, contou com a presença de Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. O atleta júnior Duarte Pinto, da A. R. C. Vale São Cosme, ficou em segundo lugar no seu escalão. Também da A. R. C. Vale São Cosme participaram os atletas seniores Ricardo Campos (6.º lugar) Roberto Machado (10.º lugar) e Hélder Faria (21.º lugar). Coletivamente, a Escola de Atletismo Rosa Oliveira venceu em Benjamins e Juvenis femininos e masculinos. Individualmente destacaram-se os atletas: João Oliveira (1.º lugar masculino Benjamins A), Ana Faria (1.º lugar feminino Benjamins B), João Azevedo

(1.º lugar masculino Benjamins B), Beatriz Fernandes (1.º lugar feminino Iniciados), Bruna Ortiga (2.º lugar feminino Iniciados), Rui Oliveira (3.º lugar masculino Iniciados), Miguel Torres (2.º lugar masculino Juvenis) e Diogo Silva (3.º lugar masculino Juvenis). A EARO também participou na 23.ª S. Silvestre Cidade do Porto, no dia 18 de dezembro, com 30 atletas. Em Juniores destacaram-se os atletas Nuno Fernandes (2.º lugar), Rui Fernandes (3.º lugar), Bruno Sampaio (6.º lugar), Rafael Silva (9.º lugar), João Silva (10.º lugar), António Sousa (11.º lugar) e Sara Oliveira (7.º lugar). Em Veteranos, Henrique Paredes conseguiu o 4.º lugar, em M50, José Araújo o 5.º lugar e Rosa Oliveira o 6.º lugar, em M40. A atleta infantil da EARO, Ana Marinho, bateu, no dia 17 de dezembro, o recorde regional de Braga de 600 metros, no Campeonato do Norte de Pista Coberta. A atleta conseguiu o tempo de 1.43.46 minutos. A.M./C.V.

FAC empata com Académica de Espinho A décima jornada do campeonato nacional da 2.ª Divisão de hóquei em patins levou o FAC a defrontar a Académica de Espinho, num jogo que ficou empatado a quatro golos. A Académica marcou ao segundo minuto e o FAC manteve-se sempre atrás no marcador. Gabi conseguiu o empate,

com um penalty, mas a Académi- mica de Espinho manteve-se em ca voltou à liderança logo a seguir, 2.º. A 7 de janeiro, o FAC defronta chegando ao intervalo a vencer a Juventude Pacense, em Paços por 1-2. Na segunda parte, o visi- de Ferreira. tante aumentou ainda mais a vanO sorteio da Taça de Portugal, tagem. Diogo Silva conseguiu re- ditou que o FAC vai receber o Hóduzir a desvantagem e André Fer- quei Académico de Cambra, a 14 reira fez o empate. O FAC baixou de janeiro, às 18 horas, num enassim para o 9.º lugar e a Acadé- contro da segunda eliminatória.

Próxima edição do JA é publicada a 29 de dezembro

Diretora: Magda Machado de Araújo (TE 1022) Sub-diretora: Patrícia Pereira (9687) Editor: Justbrands – Consultoria e Comunicação Unipessoal, Lda | e-mail: geral@jornaldoave.pt; publicidade@jornaldoave.pt | Redação: Cátia Veloso (9699), Patrícia Pereira (9687), Hermano Martins (TE 774), Liliana Oliveira (TP 2436) | Colaboração: António Costa, Rui Couto (CO 1403) | Composição: Cátia Veloso | Impressão: Gráfica do Diário do Minho | Assinatura Anual: Continente 22,5 €; Europa: 34,75 €; Extra europa: 44,25 €; PDF 16 € (IVA Incluído) | Avulso: 0,70 € | Nib: PT 50 0038 0000 39909808771 50 | Telefone: 252 414 714 | Sede e Redação: Rua Aldeias de Cima, 280 Trofa | Telm. 969848258 | Redação 925 496 905 | Propriedade: Justbrands – Consultoria e Comunicação Unipessoal, Lda | Nif. 510170269 | ERC: 126524 | ISSN 2183-4601 | Nota de redação: Os artigos publicados nesta edição do Jornal do Ave são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Jornal do Ave respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. É totalmente proibida a cópia e reprodução de fotografias, textos e demais conteúdos, sem autorização escrita.


16 JORNAL DO AVE 22 DEZEMBRO 2016

www.jornaldoave.pt www.jornaldoave.pt


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

Rui Ferreira estreia-se na Seleção Nacional A

Seleção Nacional sub-15 realizou o último estágio de observação do ano 2016 e no seio da comitiva esteve um trofense. Rui Ferreira, jogador que transitou das camadas jovens do Clube Desportivo Trofense para o Vitória Sport Club esta temporada, chamou a atenção do selecionador Edgar Borges, que o chamou para integrar o estágio, que se realizou na Cidade do Futebol, em Oeiras. Em declarações ao NT, Rui Ferreira mostrou-se “muito feliz” por se estrear nas con-

13

Desporto

vocatórias da Seleção. “É sempre bom ver reconhecido o meu trabalho. É o sonho de qualquer jogador de futebol, mas sei que tenho de continuar a trabalho como até agora, com dedicação e humildade, para voltar a ser chamado”, acrescentou. A experiência na Seleção “foi muito boa”, confessou, até porque aprendeu “muito com aquilo que foi transmitido pela equipa técnica”. “Fez-me crescer a nível pessoal e como jogador”, admitiu. Ao longo deste estágio, o selecionador Edgar Borges não ficou indiferente ao “enpub

Rui Ferreira mostrou-se “muito feliz” por se estrear na seleção

tusiasmo” dos jovens que contactaram pela primeira vez com a Seleção. “Sentimo-nos satisfeitos porque os jogadores estão a corresponder, estão entusiasmados e sentimos que estão a criar a paixão por representar

a Seleção Nacional”, afirmou em declarações ao site da Federação Portuguesa de Futebol. Edgar Borges considera que os jovens chamados “são o futuro do futebol e do País”. C.V. pub


14

www.ONOTICIASDATROFA.pt

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

Desporto

Bougadense vence em Arcozelo e “está na luta”

O Atlético Clube Bougadense levou a melhor sobre o Arcozelo, em partida a contar para a 11.ª jornada da série 1 da 1.ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. Liliana Oliveira/ Cátia Veloso

Arquivo

A formação de Santiago de Bougado deslocou-se a Gaia com a vontade de mostrar que quer “ganhar todos os jogos”. “Fomos com determinação e organização e conseguimos dominar uma equipa que estava a dois pontos de nós e passamos para a frente”, afirmou Agostinho Lima, treinador do Bougadense. O Bougadense entrou melhor na partida e já em cima do tempo de Bougadense pelo lugares de subida intervalo, Dani, aos 43 minutos, inaugura o marcador. O Arcozelo regressou do bal- recer agora, com muita raça e a melhorar neário com vontade de mudar o resultado de dia para dia”. e aos 49 minutos iguala o marcador, com “Estamos agora a sete pontos do primeigolo assinado por Pedro Gil. Aos 73 minu- ro lugar e foi a isso que eu me propus a gatos, Esquerda volta a colocar em vantagem nhar os jogos, tanto fora como em casa”, o Bougadense, e já prestes a ouvir-se o api- asseverou o técnico de Bougado que, “apeto final, aos 92 minutos, Pontes garante a sar de algumas ausências”, considera que vitória da formação de Santiago de Bouga- “têm correspondido e têm-se portado muido, por 1-3. O técnico do Bougadense desta- to bem”. “A equipa está na luta e com uma ca “a jogada fantástica de Pontes. “Estava raça tremenda”, finalizou Agostinho Lima. a merecer. É um miúdo que trabalha muito O Atlético Clube Bougadense ocupa o mas que estava com alguma infelicidade na sexto lugar da tabela classificativa, estanfinalização e conseguiu fazer o golo”, consi- do a sete pontos do primeiro classificado, derou Agostinho Lima, que realça também o Balasar, com 27 pontos, equipa que vai “a estreia do Pisco que era júnior e está a pa- defrontar em casa, a 8 de janeiro.


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

15

Desporto

Bougadense B há quatro jogos sem perder A equipa B do Atlético Clube Bougadense recebeu e venceu o Parada, por 2-1, em jogo a contar para a 11.ª jornada da série 2 da 2.ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. Liliana Oliveira/ Cátia Veloso

O

Iluminação do complexo de Paradela melhorada Para melhorar as condições de treino aos atletas das camadas jovens, o departamento de formação do Clube Desportivo Trofense procedeu à substituição de toda a iluminação do complexo desportivo, em Paradela. “Esta iniciativa irá proporcionar aos nossos atletas melhores condições nos seus treinos. Contamos com o contributo

precioso dos nossos atletas com a venda de rifas e também das empresas Confeitaria Torres e Abel Pinheiro dos Santos, Lda. que deram um enorme apoio na concretização deste objetivo”, explicou fonte do departamento, que “deseja boas festas aos atletas, aos familiares e a todos que colaboram com as camadas de formação”. C.V.

Bougadense B entrou melhor no jogo e marcou, por Márcio Gomes, logo no início da partida, o primeiro golo. Só na segunda parte se voltou a gritar golo no campo de Santiago de Bougado, desta vez foi Luís Padrão a assinar o golo que deixava a equipa da casa mais à vontade. O Parada reduzia a vantagem do Bougadense, através da marcação de gran- Bougadense B venceu mais uma vez de penalidade, que, para José Ma- de Bougado. A equipa B do Bounuel, treinador do Bougadense B, gadense “voltou a marcar cedo” “é um lance duvidoso”. Ainda hou- o que, para José Manuel, “por veve possibilidade de, já perto do zes é perigoso, mas importante”. final do encontro, o Bougaden- “A equipa está muito bem em terse B aumentar a vantagem, mas mos defensivos” conseguindo ter não conseguiu concretizar. “Foi a “uma das melhores defesas da sénossa terceira vitória consecuti- rie”, acrescentou o técnico que va, quatro jogos sem perder”, re- considera que “o fator psicológilembrou o técnico da formação co está forte”. “Terminamos da

Arquivo

melhor maneira”, finalizou. A equipa B do Atlético Clube Bougadense está assim na sexta posição da tabela classificativa, com 17 pontos, menos oito pontos que o líder M. Sangemil. Depois da interrupção de Natal, o Bougadense B regressa para defrontar o Raimonda.


16 Pub

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

17

Desporto

Rui Pedro Silva reconquista S. Silvestre do Porto Convocatória Mário Rui de Sousa Rodrigues Costa, na qualidade de presidente da Assembleia-Geral do Clube Slotcar da Trofa vem, de acordo com artigo 24º, alínea c) dos Estatutos da Associação, convocar Vª Exª a estar presente na sede do Clube, na Rua António Sá Couto de Araújo (instalações do Aquaplace), Bougado (S. Martinho e Santiago), no próximo dia 30 de dezembro pelas 19 horas, para realização de uma Assembleia-geral ordinária, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação e votação do Orçamento e Plano de Atividades para 2017; 2. Outros assuntos de interesse e relacionados com o ponto anterior. Se à hora marcada não estiverem presentes os associados que perfaçam o quórum necessário, a assembleia realizar-se-á em 2ª convocatória, no mesmo local, pelas 19 horas e 30 minutos, com a mesma ordem de trabalhos. O exercício de direito de voto pressupõe ter a quota regularizada. Trofa, 19 de dezembro de 2016

Rui Pedro Silva conquistou a oitava vitória na S. Silvestre do Porto, no domingo. O atleta da Trofa, que representa o Sporting CP, voltou a conquistar o lugar mais alto do pódio depois de, no ano passado, Rui Teixeira lhe ter interrompido uma série de seis triunfos consecutivos nesta competição. No domingo, o corredor sportinguista superou a concorrência, terminando a corrida de dez quilómetros com o tempo de 30 minutos e 21 segundos. Com mais dez segundos ficou o 2.º classificado, Hélder Santos (Sporting CP), enquanto Miguel Ribeiro (Olímpico Vianense), com 30.32 minutos, completou o pódio. No final da prova, Rui Pedro Silva reconheceu que o triunfo “teve um sabor especial”. “Foi uma vitória muito dura, porque não me sinto no meu melhor, mas tinha que vir e dar tudo. Era a minha primeira prova com o equipamento do Sporting e tinha de a vencer. A partir do meio da prova entrei num ritmo forte”, relatou. Já Catarina Ribeiro foi a ven-

Atleta trofense vence mais uma vez a S. Silvestre

cedora feminina, completando a prova em 33.13 minutos, à frente de Karolina Nadolska, com 33.15 minutos, e Salomé Rocha, com 34.08. Dividida por corrida de dez quilómetros e caminhada de cinco, a S. Silvestre do Porto reuniu cerca

de 16 mil pessoas. Da Trofa participou também António Neto, que representa a Trifritrofa, classificando-se em 26.º lugar no escalão de veteranos M60. No dia anterior, o atleta tinha marcado presença na S. Silvestre de Ovar, conquistando o 10.º posto do escalão. C.V.


18

www.ONOTICIASDATROFA.pt

O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

Desporto Escola de Atletismo da Trofa

Uma associação com campeões à procura de ajuda para dar condições de treino

Uma época recheada de pódios e troféus, que contribuíram para o engrandecimento de uma coletividade que nasceu há pouco mais de um ano e cujo trabalho já mereceu elogios da Associação de Atletismo do Porto. CÁTIA VELOSO

A

Escola de Atletismo da Trofa “colecionou” campeões regionais e nacionais de pista coberta e ao ar livre, já esteve representado na seleção nacional no Campeonato da Europa de veteranos e ganhou expressão a nível associativo, ao colaborar na organização das Trofíadas. “Foi uma época bastante positiva. A época passada, fomos campeões regionais coletivos femininos de corta-mato, o nosso primeiro troféu coletivo. Iniciamos a nova temporada em novembro com a defesa desse título, mas fomos vice-campeões, com a particularidade de ter a Alice Oliveira vice-campeã individual, uma atleta juvenil a competir com seniores. Esta época, temos atletas Treinos da Escola de Atletismo da Trofa com mínimos para os campeonatos nacionais de pista coberta e argumentaram os responsáveis. ao ar livre, o caso da Alice e Sara, A acrescer está a falta de transe mais dois atletas à porta dos mí- porte próprio. A Câmara Municinimos na velocidade, só que como pal, salientou Pedro Sá, “cede o sabemos, trabalhar velocidade transporte na medida do possína Trofa não é muito fácil”, rela- vel e de acordo com o protocotou Pedro Sá, elemento da dire- lo, mas temos muitos mais que ção da associação, que foi criada 12 provas num ano”. “Neste mocom o intuito de se afirmar como mento, em escalões de formação estandarte do atletismo no con- até aos iniciados temos 40 atlecelho e conta, atualmente, com tas. Já aconteceu fazermos uma procissão de carros para ir a uma “60 atletas”. Se a nível competitivo os resul- prova”, contou. Os atletas pagam uma cota tados envaidecem os responsáveis da coletividade, quando se mental, que contribui para pafala nas condições de treino, a sa- gar inscrições, exames médicos tisfação dá lugar a algum desalen- e equipamentos, mas há outras to. O espaço da feira e mercado despesas com a aquisição de mada Trofa é usado pela maior par- terial de treino e renda da sede – te dos atletas, enquanto os velo- localizada perto do Edifício Nova cistas continuam a treinar no po- Trofa - que “pesam na carteira” da lidesportivo junto ao edifício Nova coletividade. Trofa. Condições muito abaixo das Escola de Atletismo necessárias para conseguir possiapela a apoio bilitar um treino digno para os jovens. “Não conseguimos colocar Para esta época, a Escola de blocos de partida num espaço daqueles, porque não temos meios. Atletismo pretende colocar atleDepois, uma das dificuldades que tas nos campeonatos nacionais e se nota nos atletas nas provas é a dar-lhes condições de treino. Mas perda de tempo exatamente nos esta “luta” tem sido difícil, por blocos de partida, uma vez que isso, Pedro Sá apela por apoio finão estão habituados a treinar nanceiro: “Gostava que as empresas e toda a população do concecom eles”, explicou Pedro Sá. A Escola Básica 2/3 Professor lho olhasse para a nossa coletiviNapoleão Sousa Marques e a Es- dade e nela reconhecesse valor cola Secundária constituíam boas merecedor de apoio. Percorremos opções para o treino mas se uma o país de norte a sul e elevamos o já está ocupada com os treinos do nome da Trofa e quando trabalhaClube de Ténis, na outra “os pre- mos com os atletas não olhamos ços de aluguer são proibitivos”, só para os resultados, mas sim

para a formação deles enquanto cidadãos”, referiu Pedro Sá. A coletividade realiza, pelas 21 horas do dia 27 de dezembro, uma assembleia-geral, no auditório do polo de Santiago da Junta de Freguesia de Bougado. Alice Oliveira campeã do Norte dos 3000 metros Um dos últimos resultados de relevo da Escola Atletismo da Trofa foi obtido por Alice Oliveira, que se sagrou Campeã do Norte dos 3000 metros em pista coberta no Torneio Juvenil do Norte, atingindo os mínimos para os Campeonatos Nacionais de Juvenis e de Juniores.Já este sábado, nas Provas de Preparação

de Pista Coberta, em Braga, a atleta obteve os mínimos para participar na corrida dos 1500 metros, ao classificar-se em 2.º lugar. No Meeting Jovem de Matosinhos Cup2016, a benjamim Isabel Martins obteve o 8.º lugar, em salto em comprimento, enquanto Carolina Martins, Ana Duarte, Mariana Sá, Isabel Martins conquistaram o 6.º posto na estafeta 4x60 metros. Em benjamins masculinos, Pedro Arantes terminou na 7.ª posição, nos 50 metros barreiras. No escalão de infantis, Vânia Sousa conquistou o 2.º lugar em lançamento do peso, enquanto Tatiana Soares foi 3.ª classificada em salto em comprimento. Na estafeta 4x60 metros, Mariana Costa, Vânia Sousa, Sofia Alves, Tatiana Soares

Alice Oliveira sagrou-se campeã do Norte dos 3000 metros

alcançaram a 7.ª posição. Rúben Pinto obteve o 4.º lugar nos mil metros, enquanto a equipa composta por Rúben Pinto, Eduardo Campos, Nuno Costa, Luís Oliveira terminou em 6.º lugar na estafeta 4x60 metros. No Torneio Juvenil do Norte, Joana Santos foi 4.ª classificada, no lançamento do peso, enquanto Sandra Sá terminou em 6.º lugar, nos 300 metros planos. Na S. Silvestre de Castelões, destaque para os resultados obtidos por Pedro Arantes (3.º benjamins A), Bruno Sá (5.º benjamins A), Katarina Strucov (6.ª benjamins B), Sofia Santos (6.ª infantis), Sandra Sá (3.ª iniciados), Rosália Silva (3.ª seniores), Deolinda Oliveira (1.ª veteranos M40) e Helena Mourão (1.ª veteranos M50). Nas Provas de Preparação de Pista Coberta, em Braga, a júnior Catarina Ribeiro foi 2.ª classificada nos 1500 metros. Nos 60 metros barreiras, a benjamim B Vânia Sousa obteve o 3.º lugar, enquanto a iniciada Mónica Rodriges foi 6.ª. Jantar de Natal Na noite de 10 de dezembro, a família da Escola de Atletismo da Trofa reuniu-se num jantar de Natal, que se realizou na Pipa do Alemão, em Santiago de Bougado. Cerca de 110 pessoas, entre atletas, treinadores, diretores, familiares e amigos celebraram a época festiva e formularam votos para o próximo ano: continuar a colecionar vitórias.


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

19

Desporto

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA DA ABELHEIRA Rua Martins Sarmento, 654 Abelheira 4785-116 Trofa Telemóvel: 963 759 331 E-mail: acr.abelheira@gmail.com Contribuinte nr. 504 995 758 Fundada: 30 de Maio de 2000

Assembleia Geral Convocatória Em conformidade com as disposições legais aplicáveis e os estatutos da associação, convoco todos os sócios para se reunirem em Assembleia Geral, que terá lugar na sede da Associação, sita na Rua Martins Sarmento, no lugar da Abelheira, pelas 21.30 horas do dia 17 de Janeiro de 2017, com a seguinte Ordem de Trabalhos. 1 – Apresentação e votação do Relatório de Contas do ano de 2016 2 – Eleição dos novos corpos gerentes para o biénio 2017/2018 3 – Outros assuntos de interesse para a Associação. Se à hora indicada não houver quórum, a Assembleia funcionará meia hora depois, no mesmo local, com qualquer número de sócios, e a mesma ordem de trabalhos: Abelheira, 14 de Dezembro de 2016 José Areal O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Clube de Campismo da Trofa Assembleia Geral Convocatória Nos termos legais e estatutários o Clube de Campismo da Trofa convoca os seus associados para uma Assembleia Geral Ordinária a realizar no próximo dia 14 de Janeiro de 2016 pelas 21 horas, na sua sede social, sita na Rau Jaime Cortesão nº 96 na cidade da Trofa, com a seguinte ordem de trabalhos; 1. Discussão do relatório e contas do exercício de 2013, 2014, e 2015 2. Eleição dos corpos sociais para o trienio de 2015 a 2017 3. Outros assuntos de interesse para a colectividade Se à hora marcada não houver quórum, a assembleia terá o seu inicio uma hora depois com qualquer número de associados presentes. Trofa, 16 de Dezembro de 2016 O presidente da Assembleia Geral (Eurico Manuel Silva Ferreira)

O Notícias da Trofa deseja-lhe Festas Felizes e um 2017 repleto de sucessos

Núcleo representou Portugal no Europeu de Kyokushin O

Núcleo da Trofa representou a Nacional da Associação Kyokushinkai Portugal no 30.º Campeonato Europeu de Karate Kyokushin, que decorreu em Papendal, na Holanda. Com dojos em Alvarelhos e no Aquaplace, o Núcleo teve Shihan António Pereira como representante nacional e Sensei Luís Silva e Ricardo Viana na arbitragem. Já em prova, Sensei Jorge Ferreira, Sempai Paulo Castro e Marlene Dias participaram em Kata,

onde, segundo fonte do Núcleo, titivos”, adiantou. revelaram, “mais uma vez, as suas No Europeu participaram “mais capacidades técnicas, garantindo de 400” karatecas, oriundos de as suas marcas a meio das tabelas todos os países da Europa, onde qualificativas”. Em Kumité, Ricar- se encontram os melhores atledo Faria e Rui Cardoso demons- tas desta arte marcial”. Para a traram “todo o trabalho e esfor- Associação Kyokushinkai Portuço desenvolvido nos treinos, sen- gal, que “apoia os seus atletas na do patente a extraordinária qua- participação deste tipo de evenlidade das suas prestações”. “Em- tos competitivos”, mencionou que bora não tenham atingido o pó- “o esforço pessoal dos atletas, a tídio, os atletas sentem-se concre- tulo emocional, físico e económitizados face à experiência adqui- co deve merecer o reconhecimenrida e encontram-se já em prepa- to de todos”. ração para novos desafios compeP.P.


20 O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Desporto

Clube de Ténis da Trofa organizou “ATTACK TÉNIS 2016”

O Clube de Ténis da Trofa organizou o torneio “ATTACK TÉNIS 2016”, a 18 dezembro. O “torneio realizado e estruturado de forma diferente do habitual” reuniu sócios, atletas, pais e amigos que se “divertiram” e mostraram que o “ténis é para todas as idades”. A iniciativa contou com “três níveis de Gladiadores”, que demonstraram a sua valentia em nove campos 13x6, com bolas e raquetes adaptadas, contando com a realização de mais de 70 jogos. O Clube de Ténis da Trofa

Iniciativa continha 3 níveis de gladiadores

deixou a promessa de mais iniciativas para fomentar o cresci-

mento do ténis e do clube. A.M./C.V.

Resultados Departamento de Formação Atlético Clube Bougadense Juniores 2.ª Divisão distrital – série 4 Balasar 3-1 Bougadense (2.º lugar, 25 pontos) Juvenis B 2.ª Divisão distrital – série 6 Trofense 3-1 Bougadense (5.º lugar, 26 pontos) Iniciados 2.ª Divisão distrital – série 5 Bougadense 0-6 Castêlo da Maia (8.º lugar, 9 pontos) Infantis 2.ª Divisão distrital – série 3 Bougadense 0-1 FC Pedras Rubras (11.º lugar, 4 pontos) Benjamins Campeonato Distrital Fut.7 – série 3 AMCH Ringe 1-3 Bougadense (7.º lugar, 10 pontos) Escola Sub10 Campeonato Distrital Fut.7 – série 4 Bougadense 0-5 Desp. Aves (10.º lugar, 6 pontos) Clube Desportivo Trofense Juniores 1.ª Divisão distrital – série 2 Macieira 0-6 Trofense (3.º lugar, 29 pontos) Juvenis A 1.º Divisão distrital – série 2 Trofense 3-0 Aliados Lordelo (5.º lugar, 30 pontos) Juvenis B 2.º Divisão distrital – série 6 Trofense 3-1 Bougadense (5.º lugar, 26 pontos) Iniciados A 1.º divisão distrital – série 2 Trofense 1-1 Paredes (8.º lugar, 21 pontos) Iniciados B 2.º divisão distrital – série 2 Trofense 0-0 Sousense (8.º lugar, 9 pontos) Infantis 7 Campeonato Distrital Futebol 7 – série 2 Trofense 9-2 SC Porto (6.º lugar, 14 pontos) Campeonato Distrital Futebol 7 – série 4 Rebordosa 3-1 Trofense (5.º lugar, 15 pontos) Escolas Sub 10 Campeonato Distrital Fut.7 – série 4 Alfenense 11-0 Trofense (9.º lugar, 6 pontos) Futebol Clube S. Romão Juniores 2.ª Divisão distrital – série 4 Macieira da Maia 3-0 S. Romão (10.º lugar, 6 pontos)


www.ONOTICIASDATROFA.pt

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

21

Desporto

Trofenses no pódio do CAM Rali Festival C

umpriu-se mais um CAM Rali Festival, uma prova do Clube Automóvel do Minho, que se realizou em Braga, nos dias 17 e 18 de dezembro. A dupla trofense Sérgio Ramalho e Joaquim Maia, num Ford Fiesta XR2, conseguiu o 1.º lugar na Divisão 10, classificando-se em 30.º na geral. No final da prova, Sérgio Ramalho foi anunciado como 2.º classificado, mas a classificação oficial confirmou-o como 1.º. Já Nuno Freitas, navegado por Jorge Moreira e ao volante de um BMW 325, alcançou o 2.º lugar na categoria X6 e Divisão Freitas ficou-se pelo 14.º lugar. 19. Na classificação geral, Nuno O trofense Pedro Freitas tamPub

Pub

bém tinha alcançado o pódio, mas acabou desclassificado

pelo facto de o capacete não gidos. ter cumprido os requisitos exi-

C.V.


22 O NOTÍCIAS DA TROFA 22 DEZEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Desporto

Juvenis do CR Bougado no caminho da manutenção A equipa de juvenis do Centro Recreativo Bougado deu um passo importante rumo à manutenção na 1.ª Divisão da Associação de Futebol do Porto (AFP). Na 18.ª jornada, a formação bougadense venceu o Retorta por 1-0, cimentando a 8.ª posição, com 23 pontos. O próximo jogo frente ao Modicus de Sandim é para cumprir uma jornada em atraso. Por sua vez, a equipa de juvenis do Futebol Clube S. Romão conquistou a primeira vitória da época, na 14.ª jornada série 2 da 2.ª Divisão da AFP. Os romanenses bateram o Aliviada por 6-4, somando os primeiros três pon-

tos. O Escolas de Arreigada é o adversário que se segue. Já a formação de infantis do S. Romão, a militar na série 2 da 2.ª Divisão da AFP, goleou o CSRC S. Pedro de Avioso, por 14-0. Ao fim de 13 jornadas, a equipa ocupa o 3.º lugar, com 21 pontos, e no próximo jogo defronta o Arsenal Parada. No escalão de juniores, o CR Bougado empatou a duas bolas com o Magrelos, na 14.ª jornada da série 2 da 2.ª Divisão da AFP. Com 20 pontos, a equipa ocupa o 7.º posto e na próxima ronda mede forças com o União SC Paredes.

Na mesma coletividade, a equipa de iniciados atravessa uma série de maus resultados. Na 13.ª jornada, somou o quarto jogo sem vencer, ao perder com o Escolas Modelos por 4-3. Os bougadenses ocupam o 5.º lugar, com 28 pontos. O Penafiel é o próximo adversário. Em benjamins, na 13.ª jornada da série 2 do Campeonato Distrital, o FC S. Romão perdeu com o Boavista por 21-1, mantendo o último lugar, sem pontos. Na próxima ronda, os romanenses defrontam o Póvoa Futsal. No escalão de seniores, o Centro Recreativo Bougado segurou

o 2.º lugar da série 2 da 1.ª Divisão da AFP ao vencer o Aliviada por 4-2, na 11.ª jornada. No mesmo campeonato, o Grupo Desportivo Covelas bateu o Escolas Modelos por 6-3, ocupando a 8.ª posição, com 15 pontos. Na próxima ronda, o CR Bougado viaja ao reduto do Santa Cruz, enquanto os covelenses medem forças com o Aliviada. Na 11.ª jornada da 2.ª Divisão da AFP, os seniores do FC S. Romão foram derrotados pelo Penafiel por 1-3. Com nove pontos, que o permitem estar no 8.º lugar, o FC S. Romão defronta, na próxima jornada, a Urbanização

de Areias. No feminino, a equipa sénior do FC S. Romão, a militar na 1.ª Divisão da AFP, foi goleada pela Juventus Triana por 6-0. Quando estão cumpridas 15 jornadas, as romanenses ocupam o último lugar, com dois pontos. O Alfenense é o adversário que se segue. Já no Campeonato Interdistrital, a equipa júnior feminina do FC S. Romão perdeu com a Casa do FCP de Rio Tinto por 9-1, ocupando o 7.º posto, com 21 pontos. No próximo jogo, as romanenses defrontam o Restauradores Brás Oleiro.

Pub


www.ONOTICIASDATROFA.pt

Agenda 22 de dezembro 18.15 horas: Conferência “Treino de Guarda-redes”, Fórum Trofa XXI 21 horas: Assembleia do Coronado, no salão nobre da Junta de Freguesia, em S. Romão 24 de dezembro 10 horas: Festa de Natal do AC Bougadense, no Parque de Jogos da Ribeira

Farmácias Dia 22 Farmácia Moreira Padrão Dia 23 Farmácia Ribeirão Dia 24 Farmácia Nova Dia 25 Farmácia Barreto Dia 26 Farmácia Nova Dia 27 Farmácia Moreira Padrão Dia 28 Farmácia Ribeirão

22 DEZEMBRO 2016 O NOTÍCIAS DA TROFA

Telefones úteis Bombeiros Voluntários Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10 Jornal O Notícias da Trofa 252 414 714 Centro de Saúde da Trofa 252 416 763 // 252 415 520 Centro de Saúde S. Romão 229 825 429 Centro de Saúde Alvarelhos 229 867 060

Necrologia Lousado – Vila Nova de Famalicão

Calendário – Vila Nova de Famalicão

Fernando Dias Moreira Faleceu no dia 16 de dezembro, com 74 anos Casado com Augusta da Conceição Ferreira Pinheiro Moreira

António da Costa Cruz Faleceu no dia 14 de dezembro, com 78 anos Casado com Maria Azevedo da Silva Cruz

S. Martinho de Bougado

Lousado

Iolanda Elisabete Pereira de Faria Faleceu no dia 17 de dezembro, com 86 anos Viúva de Francisco José Pereira Pinto

Joaquim da Silva Oliveira Faleceu no dia 14 de dezembro, com 77 anos Casado com Irene Monteiro Vaz

Maria Teresa Lopes de Sousa Faleceu no dia 17 de dezembro, com 87 anos Viúva de Manuel da Silva Oliveira Preciosa Ribeiro da Costa Faleceu no dia 19 de dezembro, com 79 anos Divorciada Funerais realizados por Agência Funerária Trofense, Lda. Gerência de João Silva

Ficha Técnica

José da Silva e Sá Faleceu no dia 19 de dezembro, com 67 anos Casado com Maria do Céu Soares da Silva Santiago de Bougado Joaquim Francisco de Sá Faleceu no dia 18 de dezembro, com 95 anos Viúvo de Maria Glória Ferreira Funerais realizados por Funerária Ribeirense, Paiva & Irmão, Lda.

Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (9699) Editor: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas Lda. Redação: Patrícia Pereira (9687), Cátia Veloso (9699), Magda Machado de Araújo (TE1022) , Liliana Oliveira (TP 2436) | Setor desportivo: Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864), João Pedro Costa, João Mendes | Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Cátia Veloso | Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda. | Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extra europa: 88,50 euros; Europa: 69,50 euros; | Assinatura em formato digital PDF: 15 euros IBAN: PT50 0007 0605 0039952000684 | Avulso: 0,60 Euros | E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt | Sede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa - Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 | Nº Exemplares: 5000 | Depósito legal: 324719/11 | ISSN 2183-4598 | Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo | Estatuto Editorial pode ser consultado em www.onoticiasdatrofa.pt | Nota de redação: Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. É totalmente proibida a cópia e reprodução de fotografias, textos e demais conteúdos, sem autorização escrita.

23


24 O NOTÍCIAS DA TROFA 18 NOVEMBRO 2016

www.ONOTICIASDATROFA.pt

Desporto

Cross Stars com 14 medalhas Dezasseis atletas, 14 medalhas: seis medalhas de ouro, cinco de prata e três de bronze. É este o sumário dos Campeonatos Nacionais de Kickboxing, realizados a 17 e 18 de dezembro, em Guimarães. LILIANA OLIVEIRA/CÁTIA VELOSO

M

ais uma vez, os jovens inseridos no projeto Cross Stars – Inclusão pelo Desporto, fruto da parceria entre a Delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa e a Escola de Kickboxing Life Combat, deram nas vistas e trouxeram, além das 14 medalhas, a Taça de 1.º lugar por equipas. “Um motivo de orgulho e que reforça a aposta que a Cruz Vermelha tem vindo a fazer no projeto”, afirmou Carla Lima, coordenadora do CDLS – Motor de Oportunidades Trofa 3G, que considera “que vale a pena acreditar mesmo com muitas contrariedades e perceber que é um sucesso não só desportivo mas também social e pessoal para os jovens que participam no projeto. Estamos aqui para formar ainda

mais campeões”, assegurou Carla Lima. Recorde-se que o projeto Cross Stars permite que os jovens, entre os 7 e os 18 anos, pratiquem “uma modalidade, neste caso o kickboxing, de forma gratuita”. “Tentamos pagar os seguros e a inscrição da Federação, e os professores da Escola Life Combat são voluntários”, explicou a coordenadora. Para a professora Nádia Barbosa “este ano foi uma época em grande”. “Ganhamos praticamente tudo o que havia para ganhar”, afirmou. Uma época que terminou com chave de ouro. “Foi um Atletas do projeto Cross Stars trouxeram a Taça de 1º lugar por equipas motivo muito grande de orgulho”, assumiu Nádia. Um fim de sema- safio (trabalhar com jovens), mas Atletas do Aquaplace na “muito cansativo mas recom- no fim recebemos a recompensa. também conquistaram títulos pensador”. Os jovens do projeto Eles cresceram e evoluíram como O atleta sénior João Soares (-79 Cross Stars partem para as com- pessoas e na modalidade e isso é kg) e o veterano Mário Barbosa (-74 petições sempre com “a esperan- sempre gratificante”, finalizou a kg) subiram ao lugar mais alto do ça de trazer bons resultados”, ape- professora. Já para Carla Lima, a pódio nos Campeonatos Nacionais sar de irem “sem pressão”. Mas, à par dos títulos, perceberem que de 17 e 18 de dezembro, em Guimaparte a educação desportiva, Ná- eles “estão felizes, mesmo que rães. O sénior Paulo Martins (-94 kg) dia Barbosa e Luís Ferreira, profes- não subam ao pódio, também é sagrou-se vice-campeão da compesores voluntários da Life Combat, um orgulho e uma vitória”. tição na sua categoria. Somando às tentam “incutir-lhes o respeito e a A ‘prateleira’ dos troféus está 14 medalhas dos atletas do Cross humildade” e “talvez por isso che- agora mais composta sendo um Stars, no total os desportistas trouguem onde chegam”. “É um de- incentivo para a próxima época. xeram para a Trofa 17 medalhas.

Resultados do Campeonato Nacional Flávia Gomes – Juvenil (-65 quilogramas) – Campeã Artur Karlov – Juvenil (-63 quilogramas ) – Campeão João Pereira – Sénior (-84 quilogramas) – Campeão Alexandre Barbosa – Júnior (-69 quilogramas) – Campeão Miguel Moreira - Juvenil (-69 quilogramas) - Campeão Carina Semchenko – Cadete (-35 quilogramas) – Campeã Bruno Oliveira – Cadete (-25 quilogramas) –Vice-Campeão Miguel Areal – Iniciado (-42 quilogramas) - Vice-Campeão André Serra – Juvenil (+69 quilogramas) – Vice-Campeão Sofia Penouço – Sénior (-65 quilogramas) – Vice-Campeã Américo Silva – Juvenil (-52 quilogramas) – Vice-Campeão Gonçalo Matos – Iniciado (+ 47 quilogramas) – 3.º lugar Tiago Serra – Iniciado (+47 quilogramas) – 3.º lugar João Leite – Iniciado (-47 quilogramas) – 3.º lugar Marco Pinto – Iniciado (+ 47 quilogramas) – 4.º lugar Luís Serra – Iniciado (+47 quilogramas) - 4.º lugar

Edição 602 do Jornal O Notícias da Trofa  

Edição de 22 de dezembro de 2016

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you