Page 1

20 de junho de 2014 N.º 478 ano 12 | 0,60 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Atualidade pág. 11

Atualidade pág. 11

GNR detém 12 pessoas por tráfico de droga Política págs. 8 e 9 Atualidade pág. 04 e 05

Homem sofre acidente na linha de comboio

Escolas terminaram ano letivo em festa Atualidade pág. 09

Atualidade pág. 10

Ninho de vespas asiáticas encontrado na Trofa


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Eduardo Pinheiro é o presidente do Rotary Club Patrícia Pereira A.Costa

Eduardo Pinheiro sucede a Joaquim Vilela de Araújo na presidência do Rotary Club da Trofa. Uma vez mais, o Restaurante Julinha, em Santiago de Bougado, foi o local escolhido pelo Rotary para a transmissão de tarefas, na noite de segunda-feira, 16 de junho. O agora presidente Eduardo Pinheiro afirmou que vai “dar continuidade aos projetos que até agora foram empreendidos pelo Rotary, nomeadamente o apoio à Liga Portuguesa Contra o Cancro, à Universidade Sénior – bandeira do Club - e projetos ao nível da saúde e da educação”. Apesar de já ter em mente alguns projetos para implementar neste ano rotário, Eduardo Pinheiro referiu que primeiro vai reunir-se com o conselho diretor e posteriormente com o Club, onde “será decidido”. Já Joaquim Vilela de Araújo, past presidente, denotou que a transmissão de tarefas é “uma das mais simples, mais marcantes e mais profundas cerimónias rotárias”, em que “as lideranças mudam a cada ano que passa”, demonstrando “eficazmente que somos todos, sem qualquer exceção, um conjunto de pesso-

Joaquim Vilela de Araújo transmite tarefas a Eduardo Pinheiro

as, profissionais e lideres capazes de liderar um clube rotário, fazendo-o com a maior tranquilidade”. Em jeito de balanço, o past presidente enumerou as iniciativas dinamizadas ao longo do seu ano rotário, onde deu “ênfase à aproximação dos grupos mais jovens, tendo-se realizado várias reuniões e atividades conjuntas” e “continuidade a algumas práticas reforçadoras de companheiros, como a ceia de Natal e passeios de convívio”. “Realizamos um grande evento

“Francesinha Solidária” angaria verbas para a Fundação Rotária “Francesinha Solidária” é a próxima “atividade conjunta” do Rotary, Rotaract e Interact Clubes da Trofa, que se realiza este sábado, 21 de junho, a partir das 20 horas, no restaurante La Bodeguita, localizado no Trofa-

shopping. A participação tem “um custo de dez euros por pessoa, cinco dos quais revertem a favor da Fundação Rotária Portuguesa”. O preço “inclui francesinha, bebida e café”. P.P.

a favor da erradicação da Poliomielite com a ajuda particular do Rotaract”, acrescentou, salientando que fez “um bom ano rotário e sempre e só com o propósito único de transformar pessoas e viver Roraty”. O que “muito o agradou” foi ter conseguido “recuperar uma companheira” e recebido “uma menção honrosa atribuída pelo presidente internacional sob proposta da querida Governadora”. Quem também marcou presença nesta transmissão foi

Goreti Machado, Governadora do Distrito 1970, que afiançou que não marca presença nestes atos nos restantes “90 clubes”, mas que esta foi “uma exceção” pelo “reconhecimento do trabalho realizado pelo Club pela população”. “É um ótimo clube e foi uma felicidade para a sua comunidade a criação deste clube, porque cumpre todos os objetivos que é ‘dar de si antes de pensar em si’”, complementou. Atualmente, o Rotary Club da Trofa conta com “25 companheiros”.

O Notícias da Trofa agora nas bancas à sexta-feira

Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extra europa: 88,50 euros; Europa: 69,50 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684 Avulso: 0,60 Euros Email: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax:

Dia 20 14-16 horas: Torneio de Futsal Adaptado, no campo de jogos da APPACDM, em Valdeirigo Dia 21 “CAT’S em festa”, na Rua Dr Carneiro Pacheco, em Santo Tirso 17 horas: Reunião da Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes, no restaurante panorâmico Rochedo dos Leitões, em Santiago de Bougado 20 horas: Francesinha Solidária, no La Bodeguita, no Trofashoping 20.30 horas: Arraial de S. João, em Cidai, em Santiago de Bougado 21 horas: Marchas Populares de S. João Baptista, junto à Igreja de Guidões Dia 24 17 horas: Procissão em honra de S. João Baptista, em Guidões Dia 26 21.30 horas: Assembleia de Freguesia de Bougado, no auditório do polo 2 da Junta, em Santiago - Assembleia de Freguesia do Muro, na Junta Dia 27 20.30 horas: Assembleia do Atlético Clube Bougadense, na sede 21 horas: Assembleia Municipal, no salão paroquial do Muro Até às 23 horas: “Sextas com Vida”, comércio aberto nas ruas Conde S. Bento, Camilo Castelo Branco, Dr. Adriano Fernandes Azevedo, Praceta S. Bento, Galerias Catulo e Centro Comercial da Vinha

Farmácias de Serviço Dia 20 Farmácia Nova Dia 21 Farmácia Moreira Padrão Dia 22 Farmácia de Ribeirão Dia 23 Farmácia Trofense Dia 24 Farmácia Barreto Dia 25 Farmácia Nova Dia 26 Farmácia Moreira Padrão Dia 27 Farmácia de Ribeirão

Telefones úteis

Ficha Técnica Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (9699) Editor: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (9687), Cátia Veloso (9699) Setor desportivo: Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Diana Azevedo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864), Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva, Gualter Costa

Agenda

252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 | Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo Nota de redação: Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a

opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. É totalmente proibida a cópia e reprodução de fotografias, textos e demais conteúdos, sem autorização escrita.

Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10 Jornal O Notícias da Trofa 252 414 714


Publireportagem 3

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

D´Vino - Tapas & Wine Bar As melhores tapas e excelente garrafeira As tapas, os petiscos e os enchidos no D´VINO parecem ter conquistado muitos apreciadores. O espaço D´VINO, no centro da cidade da Trofa, apresenta uma excecional combinação das cozinhas portuguesa e espanhola. O segredo passa por congregar no mesmo espaço as melhores iguarias da cozinha regional do norte de Portugal com a especialidade das melhores tapas de Espanha. A abertura deste espaço na Trofa surge como resultado de vários fatores como a “inexistência de espaço similar na cidade, que foi determinante na hora de avançar, pois chegar em primeiro é sempre importante, conjugado com o facto de termos encontrado um espaço físico disponível onde em tempos já havia funcionado uma taberna, situado numa rua de acesso e estacionamento fácil, o que é um aspeto importante neste ramo”, adiantou Hélder Ramos, responsável pelo D´VINO. A ementa foi preparada para

As tapas, os petiscos e enchidos

ser “reflexo do nosso dia a dia” e cuidadosamente pensada para aqueles dias mais agitados, sem tempo para em casa se preparar refeição diferente, mas que não tem tempo para a preparar” afiançou. Várias tapas com influências espanholas e os petiscos portugueses tem papel de destaque, “como é o caso das moelinhas, rojões, as bifanas, a chouriça assada, alheira de caça e a famosa Tábua de queijos e fumeiros são igualmente produtos do agrado dos nossos clientes”, garantiu o responsável. A decoração e as cores sóbrias dão um ar de modernidade e bom gosto, num ambiente simultaneamente elegante e descomprometido. À entrada fica um espaço mais dedicado a provar tapas e petiscos acompanhados de um bom copo de vinho, com um balcão e poucas mesas. Hélder Ramos descreve que na casa “existe uma área mais ampla mas igualmente acolhedora, onde ao degustar uma tapa poderá, dependendo do dia, usufruir

D’Vino tem uma excelente garrafeira

de música ao vivo”. A “excelente garrafeira disponível no D´VINO é outro aspeto diferenciador desta nova casa de restauração. “Disponibilizamos vinho de todas as regiões portuguesas, alguns dos quais poderão ser servidos a copo”, exemplificou. E como um bom repasto não ficaria completo sem uma sobremesa à altura a mousse de chocolate divinal é a sugestão. D’Vino abriu as portas na véspera dos 40 anos da Revolução de Abril, “numa data importante para Portugal e que espera que seja igualmente para a nossa casa”. Situados na Rua Américo Moreira da Silva 168 (Rua da Antiga estação CP), junto ao Largo Costa Ferreira, o espaço está aberto de terça a domingo das 16 às 2 horas. Hélder Ramos adiantou ainda que “ este projeto foi iniciado

tendo em mente um espaço de vinhos Wine Bar, mas logo orientamos a nossa estratégia para a oferta gastronómica, aproveitando o “boom” de tapearias em Portugal e em boa hora o fizemos, pois estamos situados numa região com cultura de mesa”. O D´Vino – Tapas & Wine Bar tem disponíveis duas salas, sen-

do uma de fumadores e outra para não fumadores. “Estamos preparados para festas de grupo até 25 pessoas e a próxima data importante será a noitada de S. João, com churrasco e sardinha assada”. Para fazer a sua reserva pode contactar a D´Vino – Tapas & Wine Bar através do número de telefone 252 049 230 ou via facebook.com/dvinobar.


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Seniores de S. Mamede passaram tarde diferente “Tenho ouvido dizer, fora da bouça; Cantigas não vão à feira, fora da bouça que a bouça é nossa. Canto bem e canto mal, fora da bouça; Canto de toda a maneira, fora da bouça que a bouça é nossa”. A música tradicional portuguesa, interpretada por um animado grupo de seniores, animou a festa dedicada “aos idosos e aos doentes”, que a Conferência Vicentina de S. Mamede de Coronado organiza “todos os anos”. Segundo a presidente Maria Otília Ferreira, esta festa serve de “convívio e para saírem dos seus ambientes de solidão”. “Há missa um bocadinho cerimoniosa, com coro, e no fim um pequeno lanche, onde as pessoas que já não se veem há muito tempo se encontram. Como gostam, este é o segundo ano que fazemos com lanche. É gratificante que este ano ainda tivemos mais gente que o ano passado”, acrescentou, enumerando que estiveram presentes “à volta de 200 pessoas”. A festa esteve “muito animada”, em que as pessoas estavam “muito contentes”, porque “gostam de se verem” e de estarem com “pessoas que já não viam há muito tempo”, o que “é muito bom para eles”. Para Maria Otília Ferreira este tipo de iniciativas “é muito importante”, sendo para “repetir”. P.P.

Burros de Miranda recebidos no Vale do Coronado Dóceis, amistosos e muito peludos. Estes são três dos adjetivos que caraterizam os exemplares do Burro de Miranda que sábado e domingo estiveram em S. Mamede do Coronado, na Trofa, para serem as estrelas da “Zurra – Festa do Burro”. Patrícia Pereira

Numa organização conjunta entre APVC– Associação para a Proteção do Vale do Coronado e a AEPGA– Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino foi possível trazer “o Cinza e o Russo”, dois exemplares já com alguma idade, para serem apresentados e admirados pelos visitantes, ficando assim a “valorizar este animal que sempre ajudou o homem e que tem muita

docilidade e paciência. Com esta iniciativa as pessoas ficaram a conhecer melhor os cuidados a ter com esta espécie, em vias de extinção assim como saber como adquirir animais desta raça”, adiantou Joana Braga, presidente da AEPGA. Durante os dias 14 e 15 de junho decorreu a apresentação de diversos projetos e atividades pensadas para todas as idades, como a Aula do Burro, que pretende proporcionar a aproximação e o conhecimento da raça asinina de Miranda, através da realização de atividades lúdicodidáticas. O principal objetivo destas atividades não é mais do que dar a conhecer a raça asinina de Miranda – Burro de Miranda, o seu ciclo de vida, cuidados, características e usos, assim como promover e divulgar os va-

lores culturais e naturais do Planalto Mirandês. “Esta foi uma aula singular, pois não é todos os dias que podemos aprender mais sobre o ciclo de vida do Burro de Miranda”, adiantou Joana Braga. Decorreram ainda sessões de cinema ao ar livre, exposição de fotografia, oficina de orelhas de Burro, jogos populares entre muitas outras atividades. Atualmente, a APVC tem uma parceria com a AEPGA, resultando assim no acolhimento de burros transmontanos em pleno Vale do Coronado. André Tomé, presidente da APVC, fez um balanço muito positivo dos dois dias de certame, “considerando-o como a festa das famílias e das crianças já que estes Burros são raros e tiveram a oportunidade de fazer o passeio do Burro, contando com a presença de onze animais. O presidente garante que vai repetir esta atividade, pois as pessoas aderiram e esta parceria com a AEPGA tem o objetivo de divulgar e proteger” esta raça. O responsável agradeceu a todos quantos ajudaram a realizar e divulgar esta iniciativa e outras que temos vindo a levar a cabo”. Durante a tarde de domingo o pároco Rui Alves benzeu os animais.

Festa decorreu domingo na residência

Alunos do Paranho despediram-se das aulas em festa “Cerca de 225 alunos” animaram a festa de final de ano letivo, realizada pela Associação de Pais (AP) da EB1/JI do Paranho, na escola, em S. Martinho, no dia 13 de junho. A iniciativa ficou marcada pelas “cerca de 15 atuações” de dança, instrumentos musicais e teatro, protagonizados pelos alunos e professores. “Como habitualmente, as famílias dos alunos - cerca de 500 pessoas - associaram-se a esta animada festa e ao convívio entre toda a comunidade escolar”, contou Duarte Araújo, presidente da AP. Um dos momentos altos e que marcou a festa, foi a entrega de diplomas “aos alunos finalistas do Jardim de Infância e do 4.º ano”. P.P.

Cerca de 500 pessoas associaram-se à festa


Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Arraial juntou EB 2/3 e Secundária Patrícia Pereira

Um arraial animado pelas atuações dos alunos, juntou toda a comunidade escolar da EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques e Secundária da Trofa num só espaço para assinalar o término do ano letivo. Durante a noite de sexta-feira, 13 de junho, o campo da EB 2/3 acolheu a festa de encerramento do ano letivo, que contou com a apresentação de “vários espetáculos” com música, dança e passagem de modelos pelos alunos, encerrando a festa com dois grupos trofenses, sendo que um deles pertencia a Joaquim Cunha. Para reconfortar o estômago, o recinto dispunha de várias tasquinhas com “uma variedade gastronómica”. Segundo os presidentes das associações de pais das duas escolas, António Ferreira (EB 3/ 3) e Edgar Silva (Secundária), o

Alunos e familiares uniram-se em festa

arraial teve “uma adesão bastante interessante”, estando as coisas “a correr minimamente bem”. A ideia de organizar uma festa conjunta surgiu a “pedido de Paulino Macedo”, diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa, que “pretendia fazer o Dia do

Agrupamento”, com a “entrega de prémios mérito e Eurico Ferreira”, que “infelizmente não foi possível” por “todas as escolas terem marcado as festas para o mesmo dia, impossibilitando ter presente os alunos”. “Esperemos que não se volte a repetir e que

seja possível fazer uma grande festa para todo o Agrupamento”, contaram. António Ferreira elucidou que “já há dois anos” que anda “a tentar que esta união aconteça”, pois, na sua opinião, “faz todo o sentido”, uma vez que “hoje (sex-

Festa final de ano de Bairros teve muita animação As atuações dos alunos da escola, números de circo – magia, palhaços, malabarismos e animais exóticos – assim como a cantora Maria do Sameiro animaram a festa de final do ano, organizada pela Associação de Pais ( AP) da EB1/JI de Bairros, em Santiago de Bougado,no dia 13 de junho.

No recinto da escola “todos os alunos e respetivas famílias puderam conviver todos juntos”, assim como assistir à entrega dos diplomas de finalistas, pelos professores, às crianças do Jardim de infância e do 4.º ano do 1.º ciclo. “Este ano passaram pela nossa festa cerca 450 pessoas, entre alunos, famílias, pro-

fessores e restante comunidade. O balanço foi extremamente positivo a julgar pelas opiniões dos meninos e pais, que fizeram questão de dizer que estavam muito satisfeitos com a festa e surpreendidos com o que a AP preparou”, contou António Ramalhete, presidente da AP da EB1/ JI de Bairros. P.P.

Finalistas receberam diplomas

ta-feira) há um número imenso de festas pelo concelho, havendo alguma dificuldade por parte dos pais de estar em todas elas”. “Faz sentido as associações de pais das outras escolas uniremse e fazer uma festa de final de ano para a comunidade, para que se mostre aquilo que se faz nas salas de aulas das escolas. Não é só aprender a ler e a escrever, mas há inúmeras atividades, quer de música, quer de dança, que se pode mostrar à comunidade”, apontou. Já para Paulino Macedo esta “iniciativa é de louvar e que deve ser repetida, não só com estas duas associações de pais, mas com todas do Agrupamento”, para que se possa “fazer uma festa do Agrupamento, o que, na sua perspetiva, tinha muito mais sentido”. “Temos de incentivar as outras associações de pais a juntarem-se a nós, porque só assim é que constituímos o verdadeiro Agrupamento”, complementou.


6 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Universidade Sénior encerra ano letivo em festa Patrícia Pereira A.Costa

Com espetáculos apresentados pelos alunos, a Universidade Sénior do Rotary Club da Trofa encerrou o ano letivo em festa, juntando familiares e alunos na noite de sextafeira, dia 13 de junho. Com “84 anos”, Maria Costa é “a aluna mais idosa da Universidade” e está a frequentar aulas de “cavaquinho, psicologia, inglês, internet e informática”. Há dois anos a frequentar a Universidade, Maria Costa contou que “está a correr bem” e até teve “nota máxima” e recebeu um certificado. O tempo que tem estado pela Universidade “é bom pela convivência”, adiantou. Em representação do Rotary Club da Trofa, Eduardo Pinheiro, presidente empossado para este

ano rotário, afirmou que como Universidade faz “tudo aquilo que as outras universidades, não sendo no entanto equiparada às universidades no ativo”. Sendo uma Universidade Sénior, está aberta a pessoas com mais de 65 anos, que podem “ter disciplinas de várias temáticas, desde Escrita Criativa, Música, Artes e Desporto”. “Na qualidade, isto é um projeto que tem por base o voluntariado ao nível dos professores e como puderam ver pelo espetáculo que foi feito, a qualidade dos alunos e o que demonstraram ao nível de música e teatro tem vindo a melhorar ano após ano”, acrescentou. Quanto ao número de alunos, Eduardo Pinheiro asseverou que tem “vindo ano após ano a aumentar”, sendo que neste ano letivo tiveram “quase 200 alunos nas várias disciplinas”, o que, “para uma universidade recente,

Festa contou com peça de teatro

é muito bom”. Ao longo do ano letivo, a Universidade Sénior vem desenvolvendo “diversas atividades”, estando presente no “Encontro Nacional de Universidades

Seniores em Sever do Vouga”. Também o Coro tem atuado em “diversos eventos”, sendo “atualmente bastante requisitado”. “Quem esteve aqui pôde comprovar a qualidade que o nos-

so coro tem. Já não se pode dizer que é propriamente um coro amador, uma vez que temos ali vozes fora de série”, concluiu.

Centros de acolhimento da ASAS em festa

Meninos Cantores encerram ano letivo a cantar Os Meninos Cantores do Município da Trofa subiram ao palco do auditório do edifício sede da Junta de Freguesia de Bougado, polo de S. Martinho, para apresentar “Música no Coração” de Richard Rodgers e “Les Choristes” de Bruno Coulais. Este foi o concerto de enceramento do ano letivo dos Meninos Cantores, que decorreu na noite de sábado, 14 de junho. Um dos momentos “importantes”

foi a “estreia de dez meninos, dos quais oito tinha entre três a cinco anos”. “Portaram-se muito bem, de maneira que tenho tudo para me sentir muito feliz pelo coro”, referiu Antónia Serra, maestrina do Coro. Segundo confidenciou Antónia Serra, o dia de sábado foi “um bocado dificil”, porque como “havia eventos por todo o lado estava com algum receio”, contudo a “sala estava lotada e os meninos

estiveram muito bem”. “Pelo menos as pessoas foram muito carinhosas nas palmas, por isso acho que o público adorou”, denotou. Embora este tenha sido o concerto de encerramento, esta quinta-feira os Meninos Cantores, cantaram “no comboio na linha Trofa-Porto e Porto-Braga, como forma de promoção da ExpoTrofa que decorre de 5 a 13 de julho. P.P.

“Venham conhecer o nosso dia a dia. Gostávamos que no próximo dia 21 de junho partilhassem connosco esta grande animação”. O convite é das crianças da ASAS – Associação de Solidariedade e Ação Social de Santo Tirso para participar no evento “CAT’S em Festa”, que vai decorrer durante o próximo sábado, na zona envolvente às instalações da coletividade, na Rua Dr. Carneiro Pacheco, em Santo Tirso. “Um dia de atividades e animação de rua, com o objetivo de abrir os Centros de Acolhimento à vizinhança e à comunidade local. Vamos fechar o trânsito e enfeitar a rua com trabalhos e “VIDA” dos nossos meninos”, contou Gilda Torrão, diretora geral da ASAS, acrescentando que a festa “prolonga-se até às 00 horas” havendo “uma barraquinha com salgados e doces”. A atividade começa com a fanfarra dos bombeiros e uma missa campal, pelas 10 horas”, celebrada pelo padre João Pedro e “ajudada pelo agrupamento de escuteiros”. P.P.

Arraial de S. João em Cidai “Venha jantar ao Arraial//E participar na festa.//Venha ver as nossas marchas//Não há noite como esta”. Este é o convite lançado pela ACRESCI – Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai para o Arraial de S. João, que está a organizar para a noite deste sábado, 21 de junho, no Largo Manuel Caneijo, junto à imagem de Nossa Senhora de Fátima, em Santiago de Bougado. A iniciativa começa pelas 20 horas com uma sardinhada e churrasco, começando, pelas 21.30 horas as marchas populares. O arraial será animado com música tradicional portuguesa ao vivo, havendo ainda lugar para uma cascata e a fogueira. Para reconfortar o estômago, há barraquinhas com comida, bebida e caipirinha. P.P.


Atualidade 7

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Tribunal de Santo Tirso com novas competências na área da Família e do Comércio que vão servir a Trofa

Obras vão custar 250 mil euros O Tribunal de Santo Tirso vai integrar as instâncias Comércio e Família, no âmbito do novo mapa judiciário, alteração que obrigará a realizar obras no atual edifício com um custo de 250 mil euros, informou hoje a autarquia tirsense. A secção do Comércio abrangerá os concelhos de Trofa, Santo Tirso,Gondomar, Valongo, Maia, Matosinhos, Vila do Conde e Póvoa de Varzim, enquanto a de Família e Menores agrega os municípios da Trofa e de Santo Tirso, sendo uma medida inserida no novo mapa judiciário, que entra em vigor a 1 de setembro. De acordo com o comunicado da Câmara de Santo Tirso o “reforço da abrangência do Tribunal de Santo Tirso vai implicar a realização de obras de reabilitação do edifício, construído na década de 50, num investimento de cerca de 250 mil euros”. A autarquia já “avançou com as despesas relativas ao projeto

técnico”, estando por definir qual será, na fase de execução, a percentagem de investimento de cada um dos responsáveis: Câmara e Ministério da Justiça. “A reforma judiciária foi muito vantajosa para Santo Tirso. Permitiu manter e reforçar duas instâncias importantes sob o ponto de vista da proximidade para as pessoas” adiantou o edil tirsense, salientando que “a Câmara manifestou sempre disponibilidade para fazer parte de uma solução que salvaguardasse os interesses da população do concelho”. Os pormenores financeiros estão a ser definidos após uma reunião que, na sexta-feira, reuniu à mesma mesa o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, com responsáveis do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, e representantes da delegação da Ordem dos Advogados. MMA

Novas competências vigoram a partir de 1 de setembro

Visita à Unidade Industrial da Trofa do Grupo Cerealis Patrícia Pereira

A Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA) e o Gabinete de arquitetura ad quadratum promoveram uma visita à Unidade Industrial da Trofa do Grupo Cerealis, que em 2009 foi sujeito a uma remodelação e ampliação, dotando-o de “novas áreas de produção, embalamento e de armazenagem”. O sócio gerente do gabinete de arquitetura e autor da obra, José António Lopes, explicou que a visita surgiu de “uma solicitação feita pela AEBA” pelo facto de “vários diretores industriais e administradores associados terem demonstrado o interesse para fazer esta visita” pela “relevância e pioneirismo” que a unidade empresarial representa em termos de “sistemas industriais, como a singularidade do projeto de arquitetura”. Ao longo de “12 anos”, a unidade industrial foi sujeita a “muitas e diversas in-

tervenções”, desde a “completa eliminação dos sistemas industriais pré-existentes à dotação de novos sistemas industriais, reabilitação de um edifício antigo e ampliação”, que, segundo José António Lopes contou dispõe “do dobro do que era a área primordial”. À data nasceu um grande armazém automático, “ponta de lança nas soluções de armazenagem e uma solução totalmente inovadora”. “É uma área de projeto muito gratificante, porque há dez anos, quando foi executado, era pioneiro neste sistemas e ainda hoje é uma referência para os instaladores da maquinaria que fazem a honra e questão de vir mostrar este edifício automático a outros clientes”, mencionou. Já José Manuel Fernandes, presidente AEBA, referiu que esta foi “uma visita de reconhecimento e ao mesmo tempo de expansão que representa estrategicamente para o concelho e a região do baixo ave”, sendo a

Visita à Cerealis reuniu empresários

unidade da Cerealis “bastante avançada e um exemplo na reorganização da gestão de operações” e “um exemplo na questão de rentabilidade dos play outs, com aplicações bastante avançadas em termos robóticas, armazenagem automática e res-

peito pelas regras do ambiente”. Para Rui Amorim de Sousa, administrador Delegado do grupo Cerealis SGPS, o objetivo desta visita era “dar a conhecer a outros empresários da zona como foi este processo, e, eventualmente, ressuscitar zonas de

responsabilidade mútua, fazer perguntas, interagir uns com os outros, saber como os podemos ajudar no futuro, cooperar e usufruir das experiências que cada um vai tendo no seus projetos empresariais”.


8 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Joaquim Cunha eliminado do programa “Rising Star” DR

“O Circo de Feras”, do Xutos e Pontapés, foi a última música interpretada pelo trofense Joaquim Cunha no palco do programa “Rising Star – A Próxima Estrela”. Num duelo com Bruno Correia, o preferido a ganhar o programa, Joaquim Cunha não conseguiu ultrapassar os 82 por cento. Segundo o trofense, “a atuação correu bem e estava feliz por estar mais uma vez naquele palPub. Inst.

co”, sabendo que “iria ser difícil” vencer o duelo. Contudo, Joaquim Cunha denota que saiu do programa de “cabeça erguida”. “Não estava à espera de passar, pois o Bruno é o favorito a ganhar. Senti-me triste, porque sei que faço falta ao programa e sei o valor do meu talento”, referiu, assegurando que vai “continuar a crescer e quem sabe se daqui a três anos não irá ser uma referência para Portugal”.

DR

Bruno Correia “levou a melhor” sobre Joaquim Cunha

A importância de usar sistema de retenção no transporte de crianças “Até aos três ou quatro anos

morte e de lesão temporária ou

deve usar a cadeirinha virada para trás, uma vez que, em caso

permanente na idade pediátrica, ou seja, dos zero aos 18 anos”.

de acidente, pode salvar a vida de nove em cada dez crianças”.

“De vez em quando, (os pais) estão dispersos para a gravida-

Esta foi uma das recomendações dada pelas enfermeira do

de e para o risco sem um sistema de retenção devidamente

ACeS - Agrupamento dos Centros de Saúde de Santo Tirso/

adequado ao peso e à altura da criança, devidamente usado se-

Trofa, durante uma sessão na Escola Básica e Jardim de In-

gundo as instruções do fabricante. Ficam iludidos com pequenos

fância de Finzes, que se realizou na tarde de 5 de junho.

trajetos e é nesses trajetos que os acidentes graves ocorrem”,

A sessão, que contou com a presença de um elemento da

salientou. O projeto promove essencial-

Guarda Nacional Republicana, está inserida no projeto “Crescer

mente “a segurança infantil nas várias vertentes”, como “nos afo-

em Segurança” que o ACeS tem desenvolvido com o objetivo de

gamentos”, situações de “insolações com o tempo quente” ou

“promover o uso mais sistemático e consistente do sistema de

o facto de “uma criança não poder ficar fechada num carro nem

retenção do transporte de crianças e jovens”, segundo contou a

por pouco tempo que seja pois corre o risco de asfixia e desi-

enfermeira Elsa Silva. A enfermeira salientou que a

dratação grave”. Elsa Silva contou ainda que o projeto “vai cres-

ausência do sistema de retenção do transporte de crianças e

cer” funcionando “muito no âmbito comunitário”. P.P.

jovens é “a principal causa de Pub.


Atualidade 9

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Jovem de vinte anos perdeu a vida em acidente

Vespas asiáticas chegaram à Trofa

Magda Machado de Araújo

O que parecia ser um ninho de pássaro, rapidamente foi identificado como um enxame de vespas asiáticas, instalado numa árvore, num quintal, na Rua do Cruzeiro, em Santiago de Bougado. O ninho foi queimado na noite de quinta-feira, 12 de junho.

Foi um início de manhã trágico o que se viveu no dia 15 de junho, quando às seis horas, um acidente entre duas viaturas ligeiras resultou na morte de uma jovem de 20 anos de idade, em Santa Cristina do Couto, Santo Tirso. Ana Moreira terá festejado os 24 anos do namorado na noite de sábado, numa discoteca, em Santo Tirso, entre vários amigos. De acordo com informação avançada pelo CM, “uma ultrapassagem mal calculada, na variante à EN104, junto ao cruzamento com a Rua José Cardoso Miranda, fez o carro capotar”. O rail de proteção entrou pelo vidro do carro e decapitou a jovem, que seguia no lugar do pendura. “Tanto a ajudámos e a vida foi tirada num ápice”, disse ao CM o avô da vítima mortal, Francisco Moreira. Os amigos que partilharam a noite de festa com o casal de namorados estavam em estado de choque e não conseguiram conter as lágrimas enquanto os bombeiros realizavam os trabalhos de desencarceramento. A jovem de 20 anos estaria a estagiar na Câmara de San-

Acidente foi fatal para jovem de 20 anos

to Tirso. O namorado terá tentado ultrapassar um Renault Clio, que se preparava para virar no cruzamento. As viaturas embateram, o Audi capotou e o rail de proteção foi fatal para Ana Moreira. O condutor do Audi ficou em estado de choque e sofreu ferimentos ligeiros, assim como as duas passageiras do Clio, que foram transportados pelos Bombeiros de Santo Tirso para o Hospital de Famalicão. O cadáver de Ana Moreira foi transportado para a morgue do Gabinete de

Medicina Legal de Guimarães onde foi autopsiado. A prestar socorro às vítimas estiveram 15 bombeiros da Corporação dos Voluntários de Santo Tirso e nove da Corporação dos Voluntários Tirsenses. No local estiveram as duas viaturas de desencarceramento das duas corporações da cidade, assim como uma viatura SIV do INEM e a VMER, cujo médico acabou por declarar o óbito. A circulação automóvel esteve cortada naquela via até cerca das 8.30 horas da manhã.

Tentativa de roubo falhada em Santiago A noite de domingo e madrugada de segunda-feira foi de sobressalto na Rua de Santiago, em Santiago de Bougado. Eram cerca das 1.30 horas, quando

alertados pelo latir dos cães, os moradores se aperceberam que “três indivíduos estavam a entrar numa casa que se encontra desabitada”.

Debaixo dessa árvore, um grupo de amigos tinha por hábito jogar à malha, acabando por descobrir o achado. Um dos homens terá alertado José Silva, que é apicultor há muitos anos e costuma frequentar o café das proximidades, que identificou o achado como sendo um ninho de vespas asiáticas. “Estes animais, são vespas asiáticas, que destroem as colmeias todas, matam as abelhas e também atacam as pessoas, meia dúzia de vespas destas acabam por matar uma pessoa”, explicou. Quando questionado sobre se tinha conhecimento de outros ninhos como este, José Silva confessou “que é o primeiro”, sendo que na zona da Maia já apareceu um, mas tem sido mais frequentes em Viana, Ponte de Lima”. Com o apoio da auto-escada dos Bombeiros Voluntários da Trofa o enxame acabou por ser queimado pelo apicultor com recurso a palha e a um maçarico na noite de quintafeira,12 de junho. Por seu lado a Câmara Municipal da Trofa, questionada pelo NT, adiantou em comunicado que “contactadas as autoridades competentes nesta matéria, nomeadamente o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana (SEPNA), que remeteu este assunto para o serviço de Proteção Civil da Câmara Municipal da Trofa, a autarquia interveio no processo e, depois de avaliar a situação, e tendo contado com a disponibilidade e a colaboração de um Apicultor do Concelho detentor do equipamento necessário e de experiência na matéria, organizou-se o processo de extermínio do ninho das vespas asiáticas, sendo que a Câmara Municipal acompanhou todo o procedimento, solicitando junto da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, a auto-escada que foi utilizada para a ação”. Um pouco por todo o Alto Minho, as vespas asiáticas são uma ameaça séria que parece estar agora a chegar à região do Ave. Um ninho tem por norma centenas de vespas que podem ser mortíferas para pessoas e animais.

Como não tinham o contacto da GNR da Trofa os moradores ligaram para um café das imediações e pediram para chamar as autoridades que rapidamente se deslocaram para o local, assim como vários populares A casa foi cercada por militares e populares e foi revistada tendo sido descoberto um homem “deitado no quintal alegando que estaria a descansar”, mas os outros dois colocaram-se em fuga, apesar de a zona ter sido passada “a pente fino por policias e populares munidos de lanternas”. MMA

Estes animais destroem as colmeias todas


10 Polícia

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Homem sofre acidente na linha de comboio Um homem, de 71 anos, esteve na manhã desta quinta-feira envolvido num acidente com um comboio, junto à estação de S. Romão do Coronado, no concelho da Trofa. O comboio tinha acabado de partir, cerca das 6.57 horas, quando se registou o acidente. Ao que tudo indica, a queda da vítima, que ficou com ferimentos ligeiros, ter-se-á ficado a dever ou à deslocação do ar ou ao estado debilitado do septuagenário. Depois de ter sido assistido no local, o septuagenário foi transportado ao Hospital de Fa-

malicão pelos Bombeiros da Trofa. Contactado, o gabinete de comunicação do INEM adiantou que “o homem de 71 anos de idade à chegada da equipa da VMER estava consciente e apresentava escoriações na região dorsal”. Desconhece-se as circunstâncias que levaram o homem a estar naquele local assim como as circunstâncias do acidente. O abalroamento provocou esta manhã atrasos de cerca de uma hora nos comboios da Linha de Guimarães.

Linha esteve interrompida cerca de uma hora

Colisão entre motociclo e carro provoca ferido grave Foi na Rua das Indústrias, em Lantemil, Santiago de Bougado, que um motociclo, com dois ocupantes, e um veículo ligeiro colidiram, cerca das 15.27 horas de sábado. O acidente teve lugar junto ao Parque Industrial Ibacoc e não foi possível, no local, apurar as

Motociclo ficou destruído

causas do acidente. O condutor do motociclo sofreu ferimentos ligeiros e foi transportado para a Unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, enquanto que o outro ocupante do mesmo veículo, sofreu ferimentos graves, com traumatismo cranioencefálico

grave e foi transportado para o Hospital de S. João do Porto. No local estiveram os Bombeiros Voluntários da Trofa com seis elementos, apoiados por duas viaturas, assim como a equipa médica da VMER de Vila Nova de Famalicão.

GNR deteve suspeitos de furtos em residências e de metais não preciosos A GNR deteve 11 indivíduos nos concelhos da Trofa, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho e Guimarães, no âmbito de uma investigação relacionada com crimes de furto em residências e de metais não preciosos. Os detidos, sete homens e quatro mulheres, têm entre os 20 e os 35 anos, “ todos sem profissão definida”, e foram levados, esta quinta-feira, ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das respetivas medidas de coação. As detenções resultaram de nove buscas domiciliárias e uma em sucateira, realizadas entre as 22.30 horas de terçafeira e as 17 horas desta quarta-feira. Na operação, liderada pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Póvoa de Lanhoso e em que estiveram envolvidos 130 militares, apoiados por duas equipas de inspetores da Autoridade Tributária, foram apreendidos 6.350 quilos de fio de cobre e mais de 103 mil euros. A GNR apreendeu também 11 automóveis, seis motociclos, quatro armas de fogo e uma catana, três televisores, 12 telemóveis, dois computadores, uma motosserra e quatro rebarbadoras para corte de metais.Entre o material apreendido contam-se ainda 45 discos para rebarbadora, uma máquina de polir, uma máquina para corte de metais, um frigorífico, um esquentador e dois compressores. A investigação, que decorre há oito meses, está relacionada com furtos nos concelhos de Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Fafe, Cabeceiras de Basto e Montalegre.


Polícia 11

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Doze detidos por alegadamente estarem envolvidos em grupo de tráfico de droga

GNR desmantelou grupo organizado de tráfico de droga Magda Machado de Araújo Patrícia Pereira

Foram detidas doze pessoas, com idades entre os 25 e os 35 anos, numa operação realizada entre as 10 e as 20 horas deste sábado, 14 de junho, pelos militares do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento da Guarda Nacional Republicana de Santo Tirso e 90 militares do Comando do Porto da GNR. Na operação foram realizadas 12 buscas domiciliárias na Trofa, uma em Braga e outra em Vila Nova de Gaia. Os militares efetuaram também buscas em dois estabelecimentos comerciais na Trofa e, em pelo menos um deles, foram detidos dois clientes, na posse de estupefaci-

entes. Fonte ligada ao processo adiantou que não há indícios de que os proprietários dos estabelecimentos tivessem qualquer ligação ao tráfico. Durante a operação, a GNR apreendeu quatro quilogramas de haxixe, 100 plantas de canabis em cinco estufas em residências no concelho da Trofa e sete viaturas. No âmbito desta operação foi ainda intercetada uma viatura naA3 junto à saída da Trofa, que transportava estupefacientes, que foram lançados pela janela do veículo quando o alegado traficante se apercebeu da presença dos militares, que acabaram por recuperá-la na mata ao longo da A3. A ação já estaria a ser preparada desde janeiro de 2013 com base em denúncias e num abaixo assinado efetuado por

DR

Alegado traficante detido na A3

DR

GNR realizou buscas na A3

populares a solicitar a intervenção das autoridades. Os 12 detidos foram na manhã de segunda-feira, 16 de junho, presentes no Tribunal de Santo Tirso para primeiro interrogatório, que decorria ainda ao final da tarde desta quinta-feira. No entanto o NT sabe que há

alguns arguidos a quem foi aplicada como medida de coação termo de identidade e residência, um dos quais terá de fazer apresentações diárias no posto da GNR da Trofa e outros dois ficaram sujeitos a apresentações todas as terças, quintas-feira e sábados no mesmo

posto. Fonte ligada à investigação adiantou que foram detidos desde o cabecilha do grupo da Trofa até aos distribuidores que vendiam haxixe e drogas sintéticas em vários locais, inclusive à porta de algumas escolas da Trofa.

Foram apreendidos 100 pés de canabis em cinco estufas


12 Política

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Documentos da Junta pecam pela “simplicidade” Patrícia Pereira

Numa sessão mais para cumprir o calendário, a Assembleia de Alvarelhos e Guidões reuniu-se na noite de segunda-feira, 16 de junho. Ainda antes do período da ordem do dia, Rosário Carvalho, eleita pelo Partido Socialista, enunciou que a “ata é um documento que fica para a posteridade para ser consultado”, e que por essa razão deviam de ter “mais pormenores que são importantes para complementar” a informação. É que, na sua opinião, estas atas “pecam pela simplicidade”, existindo algumas situações em que “faltam assuntos e um maior desenvolvimento dos mesmos”, assim como “algumas incorreções”. “Na ata do dia 28 de abril (...) diz que o membro Vítor Rocha sugeriu o alargamento da via. O membro não sugeriu o alargamento da Rua Central de Cidoi, ele questionou o senhor presidente da Junta se esteve atento ao facto de que a casa em frente ao palacete iria entrar em obras e se já teria tomado alguma iniciativa no sentido de falar com o proprietário

para recuar um bocadinho. Quem lê esta ata vê que o membro Vítor Rocha pediu para alargar a rua e não foi isso que foi sugerido”, exemplificou, apontando ainda outras situações. O presidente Assembleia de Freguesia, Ricardo Moreira, declarou que a mesa vai “fazer as correções que foram apontadas”, enunciando que “fazer as atas, sem gravação, é um bocado complicado saber ao pormenor o que foi dito”. Já sobre a informação escrita do presidente da Junta, Adelino Maia, o membro Francisco Sá (PS) elucidou que esta é vaga e que são gastas muitas folhas “a não dizer nada”. No caso do “resumo diário da tesouraria”, o membro socialista declarou que “podia ter mais pormenores”, sugerindo a colocação de “ao menos três ou quatro rubricas a dizer onde gastou e recebeu o dinheiro”. Em resposta, Adelino Maia confessou que “é muito tempo sem obra feita”, mas que, em “oito meses”, o executivo já fez a Rua 1.º de Maio que “foi abaixo com intempérie” e aplicou “cem metros de tubo” no seguimento da nascente para ver se não inunda

Assembleia realizou-se dia 16 de junho

mais as casas”. Tratou do “largo em frente ao antigo café do Costa, que é útil a todos, colocou “um muro em betão e calçada” e “fez e retificou ruas”, entre outras coisas. “Fizemos o melhor possível. Em Alvarelhos fizemos pouco, porque felizmente não houve tragédias. Fizemos um muro de cerca de 60 metros na Travessa de S. João, porque naquela zona já caiu um carro. Penso que foi bem feita, na medida que protegemos as pessoas. Aplicamos

cerca de 40 toneladas de alcatrão para tentar tapar buracos”, enumerou ainda, apelando às “pessoas que não tenham receio” de falar com ele “quando houver obstáculos”, porque está “sempre disposto a colaborar”. Ainda sobre o alcatrão, José Júlio interviu no período do público para mencionar que está a ser “desperdiça matéria-prima e que o trabalho é muito mal feito”, uma vez que os funcionários colocam o alcatrão, “dão duas pazadas e não há nenhum aperto”. O presidente da Junta concordou, adiantando que “o ideal seria comprar uma máquina de prensar o alcatrão, para que possa ser mais aproveitado”. Na sessão, foi ainda aprovado por unanimidade o Regulamento dos cemitérios da freguesia. Mas antes, o membro socialista, Vítor Rocha, denotou que “havia uns pormenores que não têm interesse nenhum e que este já deve de vir de há 16 anos atrás”, alertando que “as leis mudaram” porque “o antigo estava obsoleto” e, por isso, existem “situações que se deveriam ter alterado”. “Quanto ao comprimento das sepulturas, dois metros é pouco, devia de ser de 2,10 metros. Se este é um regulamento para 2014 deviam ter esse cuidado, uma vez que há construções novas”, apontou. Adelino Maia respondeu que quer que “haja dignidade e um cemitério igual em Alvarelhos e Guidões” e que este regulamento “é novo”. “Penso que está adequado aos nossos cemitérios. Concordo que possam haver coisas que se possam adaptar se

for do interesse de ambas as partes”, concluiu. Alvarelhos regressa à ExpoTrofa Já no período de intervenção do público, Nuno Moreira parabenizou o presidente da Junta pela “participação na ExpoTrofa”, por achar que “as freguesias devem aproveitar esse evento para divulgar o que há na terra”. Como Adelino Maia “fazia parte do executivo anterior” de Alvarelhos, questionou-o “o que é que mudou na organização da ExpoTrofa deste ano para que Alvarelhos participe”, após dois anos de ausência. Como “responsável de Alvarelhos” naquele mandato, Joaquim Oliveira denotou que a razão de a Junta não ter participado no certame estava relacionada com o facto de “as associações pagarem uma verba de 500 euros para as tasquinhas” financiando assim “as festas de S. Martinho”, o que para si não era correto, uma vez que esta participação era aproveitada para as associações “se autofinanciarem”. Essa situação foi, segundo Joaquim Oliveira, alterada pelo atual executivo, passando as associações a “pagar zero” para usufruirem do espaço. Já Adelino Maia respondeu que Nuno “já foi esclarecido”, acrescentado que a União de Freguesias vai estar representada em dois dias, em que cada um será dedicado a Alvarelhos e Guidões e contando com atuações de grupos das duas freguesias.


Região 13

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Jantar anual da CAID juntou “mais de 800 pessoas” Patrícia Pereira

“Mais de 800 pessoas” lançaram balões com as cores da CAID – Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente, que, no dia 13 de junho, promoveu o Jantar Anual na Nave Cultural da Fábrica de Santo Thyrso. O jantar anual ficou ainda marcado pelo sorteio de 15 “balonas”, mascote deste ano da iniciativa de beneficência, e pelas atuações dos utentes da cooperativa. A diretora técnica da CAID, Guida Neto, contou que o motivo da realização deste jantar tem “duas razões fundamentais” como a “divulgação da instituição e dar a conhecer uma resposta que existe no concelho” e que “muitas vezes” parece que “ainda não é conhecida”, e pela “questão económica” que é “muito importante e faz parte da qualidade que a CAID pretende dar aos seus utentes e utilizadores”. “Estes jantares são uma grande e efetiva fonte de angariação de fundos, porque há muitos mecenas, principalmente a Câmara Municipal de Santo Tirso, o que nos permite angariar quase na totalidade o custo dos bilhetes que são vendidos. Este é o terceiro e espero que venham a ser muito mais”, asseverou, confidenciando que desde o pri-

Jantar realizou-se na Fábrica de Santo Thyrso

meiro jantar tem havido um aumento no número de participantes, o que “supera todas as expectativas”. Guida Neto contou que a CAID apoia, neste momento, “jovens a partir dos 18 anos”, tendo como serviços “o Centro de Atividades Ocupacionais e a Formação Profissional”, a “residência autónoma, que apoia jovens sem retaguarda familiar, e uma loja social”. A CAID quer “criar mais uma resposta que é a Bolsa de Serviços”, na qual incluem “a jardinagem e a cozinha”, para “prestar serviços de qualidade e com qualidade e, às vezes, com

um preço mas económico do que se fosse fornecido por uma empresa”. No discurso oficial, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, defendeu a necessidade da “criação de um novo equipamento como o da CAID na zona nascente do concelho e lançou o desafio a empresários e particulares para, em conjunto com a autarquia, porem em marcha o projeto destinado ao apoio à deficiência”. Joaquim Couto também se manifestou “disponível para, juntamente com as forças vivas de Santo Tirso, envidar es-

forços no sentido da instalação de uma unidade de atendimento para crianças autistas no concelho”. Quanto às duas medidas anunciadas pelo autarca tirsense, a diretora geral da CAID considerou que são de “extrema importância e bem-vindas, porque há ainda muita gente com deficiência no concelho que ainda não tem resposta”. “Esta medida vem colmatar uma lacuna gravíssima e que se for criado na zona nascente do concelho vai responder a quase mais de metade do concelho que não tem neste momento resposta na CAID”, completou.

Competição de Boccia em Famalicão envolveu duas centenas Magda Machado de Araújo

A Liga Inclusiva, promovida pelo Município de Vila Nova de Famalicão, envolveu a participação de 201 atletas provenientes de lares, centros de dia, instituições de apoio à deficiência e agrupamentos de escolas do concelho, num total de 67 equipas. A dinamização da Liga Inclusiva surgiu na sequência do “sucesso dos programas Boccia Sénior e Boccia Escola”, promovidos pela autarquia, mediante

protocolo celebrado com a Associação de Boccia Luís Silva, atleta famalicense paralímpico e campeão nacional da modalidade. Para o vereador do Desporto, Mário Passos, a competição saldou-se num “êxito não só porque conseguiu ampliar a vertente social do desporto, mas também porque promoveu o convívio e a competição saudável entre utentes de diferentes instituições”. “A Câmara Municipal conseguiu generalizar o acesso ao desporto, algo que é tão importante para a sociedade, com

uma iniciativa que pretendeu ser o mais inclusiva possível”, afirmou. Os programas “Boccia Sénior” e “Boccia Escola” incentivam à prática da modalidade junto dos mais idosos e de cidadãos portadores de deficiência e com mobilidade reduzida, entre os quais, crianças e jovens. Neste momento estão envolvidas 21 instituições de apoio à terceira idade e 16 instituições de apoio à deficiência. Semanalmente usufruem da prática da modalidade 515 utentes, sendo que 130 são pessoas com deficiência.

Quanto às classificações finais da Liga Inclusiva, cujos jogos decorreram no Pavilhão Municipal e no Pavilhão das Lameiras, os primeiros três classificados na vertente Boccia Adaptado são a APPACDM 1, a APPACDM 2 e o Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco. Já os primeiros três classificados na vertente Boccia Sénior são o Centro Social e Paroquial de Castelões (Polo de Pedome), a Engenho e o Centro Social e Paroquial de Avidos. Todos os participantes tiveram direito a um prémio de participação.


14 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Clitrofa apoia trofenses na saúde oral Patrícia Pereira

O projeto “Trofa a Sorrir” surgiu com a assinatura de um protocolo entre a Clitrofa – Centro Médico, Dentário e Cirúrgico, Lda e a Câmara da Trofa e que foi assinado no sábado, 14 de junho, nas instalações da clínica, em S. Martinho de Bougado. Fernando Duarte, administrador da Clitrofa, afirmou que “a ação social para com a população carenciada foi fulcral” para avançar com este projeto. No decorrer do projeto, a Clitrofa tem sido “cada vez mais solicitada para formação pôs-graduada nas áreas da medicina dentária, da implantologia e de cirurgia” direcionada a “profissionais nacionais e europeus”, o que vai “permitir utilizar pacientes carenciados da Trofa” nas “reabilitações orais”, para terem “uma vida mais saudável do ponto de vista de higiene oral, de mastigação, de fonética e no caráter pessoal e estético, que é tão importante para a aquisição de emprego, para inserção na sociedade, para as relações familiares e pessoais”.

O administrador mencionou que o “protocolo não é somente de medicina dentária”, mas “inclui várias valências”, como “implantologia, ou seja, para colocar dentes fixos às pessoas”. “Muitas vezes existe uma compensação ou uma redução dos preços das consultas, mas este projeto é de uma dimensão completamente diferente em que o paciente não paga nem um cêntimo e os tratamentos são de topo”, denotou, enumerando que a estes tratamentos estão associados outros cuidados como “a prótese, a enfermagem e por vezes a terapia da fala, ou seja, a reabilitação de pessoas na cavidade oral” vistas de “uma forma integrada por parte da nossa instituição”. No protocolo existem “dois níveis de pacientes”, como o de tratamento clássico e de reabilitação. O de tratamento clássico vão ser tratados “até dez pacientes por mês”, enquanto que os de reabitação vão “ser incluídos nos cursos de formação, nomeadamente para profissionais já com experiência a nível europeu e mundial”. Fernando Duarte estima que tenham “120 consultas” mensais no âmbito do tratamen-

Entidades assinaram protocolo

to clássico. Para Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal da Trofa, com este protocolo “quem ganha é essencialmente a população da Trofa”, que vai passar a “ter acesso a um tratamento especializado, profissional e de grande qualidade feito pelos técnicos e profissionais da Clitrofa”.

Em contrapartida, a autarquia teve que colocar umas placas a indicar a clínica e “elencar os critérios para definir a atribuição das pessoas e dos tratamentos que vão realizar”. O edil trofense acrescentou que o protocolo será destinado a “pessoas que tenham necessidade e que nunca possam ter implante”, crian-

do para isso “um conjunto de critérios sem rosto” pela divisão da Ação Social e que posteriormente será “definido em executivo”. O projeto será “divulgado” para que as pessoas possam se inscrever e, depois, serão “selecionados os pacientes para fazer esse tipo de intervenção”. Veja a reportagem www.trofa.tv

“Nesse tempo era assim” revive tempos de há “200 anos” Patrícia Pereira A.Costa

“Nesse tempo era assim” é uma história romântica que remonta há 200 anos, no tempo das Invasões Francesas, que mostra como eram “os tempos antigos”, os “trabalhos no campo”, a “maneira de namorar” e a “diferente forma de viver”. Este é o “terceiro livro” publicado por Maria Lurdes Monteiro, residente em S. Martinho de Bougado, que o apresentou no sábado, 14 de junho, na Casa da Cultura. A ideia de escrever este livro surgiu devido às vivências de Maria de Lurdes Monteiro, que contou que o seu trisavô, bisavô e avô eram “lavradores” e que “desde pequenina ia pelas mãos das suas tias a casa da sua avó”, onde via “as malhadas e as ce-

gadas e ouvia as canções e as falas das mulheres”. “Tudo isso vivido por mim e embora esteja escrito como passado a mais anos, a situação que se vive é a mesma coisa”, esclareceu, adiantando que “quer que a Trofa reviva esses tempos”. Maria Lurdes Monteiro garante que “a geração de agora gosta de um amor bonito, de um romance e de uma história bonita”, esperando que quem “ler o livro vai gostar desta história”. Já Artur Costa, chefe da Divisão de cultura e responsável da Casa da Cultura, referiu que a escritora trofense tinha apresentado “as duas primeiras obras em 2003”, sendo para si com “muita satisfação” que vê este espaço com “gente dedicada à escrita” e que também o utiliza como “rampa de lançamento de mais um livro”. “É um motivo de satisfação ainda maior, porque se trata

Maria de Lurdes Monteiro apresentou histórias de há “200 anos”

de uma trofense que no seu livro narra coisas do tempo de anti-

gamente, em que muita gente ao ler o livro vai rever muitos factos

e muitos lugares do concelho da Trofa”, concluiu.


20 de junho de 2014

www.onoticiasdatrofa.pt

Atualidade 15

“Lavradeiras” homenageia Augusta Reis Patrícia Pereira A.Costa

De forma a “homenagear ainda em vida” Maria Augusta Reis, o Rancho das Lavradeiras da Trofa decidiu atribuir o seu nome ao festival de folclore que organiza anualmente. Luís Elias, presidente da direção do Rancho, explicou que a “razão foi simples”, uma vez que Maria Augusta Reis “é a pessoa mais importante do folclore da nossa terra e ainda por cima foi fundadora do Lavradeiras da Trofa”. “Entendemos que este evento precisava de um nome e, por bem, de futuro o festival chamar-se-á Augusta Reis para permanecer para todo o sempre como uma homenagem. Maria Augusta Reis foi realmente fundamental para o folclore na Trofa”, garantiu. A 1.ª edição do Festival Augusta Reis realizou-se na noite deste sábado, 14 de junho, na estação de comboios da Trofa, contando com a participação, além do grupo organizador, do Grupo Folclórico Os Camponeses de Vila Nova (Coimbra), Grupo Folclórico e Etnográfico de Vila Cova à Coelheira (Viseu), Rancho Folclórico da Casa do Minho (Lisboa) e Rancho Folclórico de Sã Miguel do Milharado (Mafra). Quanto ao espetáculo, Luís Elias

Pub

garantiu que “na linha dos anteriores teve muito nível, uma boa cobertura geográfica, uma diversidade muito grande e com grupos de qualidade reconhecida a nível nacional”. “Sentimos que valeu a pena fazê-lo num lugar tão bonito como este, associado à comissão de festas de Nos-

sa Senhora das Dores, que também está de parabéns. Vamos ter a possibilidade, em conjunto com a comissão de festas de Nossa Senhora das Dores, de organizar o festival das festas, no dia 10 de agosto, com grupos de grande qualidade”, contou.

Relativamente às saídas, o presidente enumerou que o Rancho tem “muitas saídas de qualidade”, considerando que se no final da época estiver com “o nível que tem exibido, será um ano perfeitamente conseguido em termos exibicionais”.

“Maria Augusta foi realmente fundamental para o folclore na Trofa”

Festas de S. João Baptista começam este sábado As Marchas Populares de S.João Batista saem à rua na noite deste sábado, pelas 21 horas, numa festa já com muitos anos de história e que os guidoenses fazem questão de manter. O colorido das roupas, os arcos enfeitados, as músicas alegres e o fogo de artifício vão marcar a noitada antecipada de S.João e com muitos martelinhos e alho porro à mistura. No dia seguinte, pelas 8 horas, o Grupo de Bombos Os Galhofas vão percorrer Guidões a anunciar as festividades. Já à tarde há a atuação do Rancho Folclórico de Alvarelhos (17 horas) e a chegada das cestas dos mordomos (18 horas). No dia 23 de junho, além do embelezamento da típica cascata de S. João Baptista, pelas 8 horas, há a atuação do Grupo Arco Íris, pelas 21 horas, e uma sessão de fogo de

artificio. O programa do dia seguinte começa com uma Eucaristia, pelas 8 horas, seguida da entrada da Banda de Música de S. Pedro da Cova (9 horas), missa solene com sermão em honra de S. João Batista (11 horas) e a procissão em honra do padroeiro (17 horas). A comissão espera que “as pessoas venham à festa e se divirtam, pois a essência da festa de S. João são os guidoenses, familiares e amigos na rua”. A festa conta, entre outros, com apoio da Junta de Freguesia deAlvarelhos e Guidões, que de acordo com o presidente Adelino Maia “tudo vai fazer para que esta tradição não se perca pois é importante para a identidade dos guidoenses”. P.P.


16 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

Trofense venceu Trofintas Cup Patrícia Pereira

Desde a meia-final, que ficou esclarecedor que seria o Trofense a vencer o Torneio de Escolas de Futebol de 7, Trofintas Cup. A razão não está relacionada com a qualidade das equipas que foram apuradas, mas sim pelo facto de terem disputado a final as equipas A e B do Trofense. Durante o duelo de 50 minutos, a formação B superiorizou-se, conseguindo ganhar a partida. O treinador da equipa B,António Campos, “já contava que saísse vencedora”, porque no Trofense existe “o espírito de conseguir o melhor resultado possível de todas as equipas”. “Reflexo disso foi que as nossas duas equipas conseguiram chegar à final. Nós fomos melhores e se calhar mais um bocadinho experientes, o que faz a diferença nestes momentos decisivos”, denotou. O capitão Rúben Martins, eleito o Melhor Marcador, decla-

Equipas A e B disputaram a final

rou que a equipa teve que “trabalhar muito para chegar” à final, tendo o “trabalho de toda a equipa” sido o trunfo para vencer o torneio. Manuel Wilson, responsável pelo Departamento de Formação

do Clube Desportivo Trofense, estava satisfeito por “duas das equipas estarem na final”, demonstrando que mesmo que estivessem “a disputar o 14.º ou 15.º, o clube também seria vencedor”, pois “o objetivo deste tor-

Mais Confiança

Clube Ténis subiu ao pódio no Smashtour de Lousada

Miguel Mascarenhas Marco Monteiro

Salvador Serra Monteiro e Martim Calheiros Maia, do Clube de Ténis da Trofa (CCT), alcançaram o 1.º e 3.º lugares, respetivamente, da 12ª etapa do Circuito Smashtour 2014 – zona norte, no Escalão Vermelho (sub 7 anos). Promovida a nível nacional pela Federação Portuguesa de Ténis e destinada a atletas com idades inferiores a dez anos, a prova realizou-se no domingo, 15 de junho, no Lousada Ténis Atlântico. Em “três partidas”, Salvador venceu a final frente a Gonçalo Santos (SC Porto), enquanto Martim conseguiu a 3.ª posição diante de Martim Bernardo (E Vigorosa Sport). “Debaixo de um calor intenso, os pequenos jogadores do CTT foram, mais uma vez, enormes no seu esforço para conseguir mais um pódio”, adiantou o diretor técnico Tozé Monteiro, parabenizando “os atletas pelas brilhantes prestações, esperando que estas vitórias sejam um sinal muito positivo para o crescimento do ténis na Trofa”. P.P.

Diogo Gago e o trofense Jorge Carvalho conquistaram um excelente 5º lugar na Copa Suzuki Swift no Rally de Ourense, que se disputou no sábado, 14 de junho, perante o olhar de milhares de aficionados, que se deslocaram aos troços para assistir a um rally emocionante, que teve como vencedor Ene Fuster num Ford Fiesta R5. Foi sob um calor abrasador, a convidar mais uma ida às excelentes praias fluviais na zona termal de Ourense, - que se disputou a 47ª edição do Rally de Ourense. Diogo Gago e Jorge Carvalho enfrentavam mais um enorme desafio. Um rally completamente novo com troços muito complicados a exigir atenção redobrada face à muita sujidade presente nas especiais. Com um início prometedor ao realizarem o 3º melhor tempo na especial de abertura, Gago e

neio é divulgar o futebol de 7”, que considera ser “o mais interessante para crianças desta faixa etária”. Ao mesmo tempo, o departamento pretende “chamar crianças para o clube”. “Temos 15 equipas participantes, em que

tivemos imensa preocupação em ter equipas do concelho”, como foi o caso da FAPTROFA – Federação das Associações de Pais da Trofa, a Associação Recreativa New Team, a Escola de Futebol Rolandinhos e o Colégio da Trofa, envolvendo “cerca de 250 atletas”. Este ano, o torneio decorreu no estádio do Trofense em vez de ser no Complexo de Paradela, para “ter mais espaço”, mas mesmo assim foi necessário “limitar a participação a 15 equipas”, pois o estádio deu “para fazer dois campos mas não mais do que isso”. O responsável pelo Departamento garantiu que o Trofintas Cup e “este sucesso só foi possível graças ao esforço de todo o Departamento de Formação”, agradecendo “a todos os colegas de direção, aos patrocinadores, a todos os pais dos meninos das camadas jovens, ao coordenador Jorge Maia e à sua equipa técnica e aos atletas que fizeram de guias e árbitros”.

Diogo Gago e Jorge Carvalho no Rally de Ourense

Carvalho rodaram sempre entre os seis primeiros da Copa Suzuki, denotando mais confiança no carro e uma evolução natural face à última prova, comprovando o enorme valor desta dupla jovem. Sempre com o objetivo em mente de acumular mais experiência e “calo”, Gago e Carvalho foram ultrapassando todas as

dificuldades que a prova galega apresentou e conquistaram um excelente 5.º lugar na Copa e foram 17.º na geral. O vencedor da prova foi Fuster, que travou uma luta gigantesca com Sergio Vallejo (Porsche 911 GT3 CUP), que terminou em 2.º, tendo Pedro Burgo, também num Porsche, terminado a prova no lugar mais baixo do pódio.

Trofenses no pódio do Smashtour de Lousada


20 de junho de 2014

Solstício de verão no castro de Alvarelhos “Um serão diferente na noite de Solstício de verão” é a promessa da Secção de Pedestrianismo do Clube de Campismo da Trofa, que vai dinamizar uma visita ao Castro de Alvarelhos e uma caminhada, na noite deste sábado, dia 21 de junho. O programa começa pelas 22 horas com uma visita guiada ao Castro de Alvarelhos, começando, pelas 23.30 horas, uma marcha de “cerca de oito quilómetros” com a duração de “cerca de duas horas”. O percurso, que será “circular e de pequena rota”, realiza-se entre Alvarelhos e Guidões. Para “uma boa marcha”, a secção aconselha “calçado cómodo e já habituado ao pé - preferência botas de marcha - meias macias e sem costuras, impermeável e agasalho - conforme o tempo -, roupa clara de forma a ser visível e lanterna”. Apesar de ser “gratuita”, deve inscrever-se através de Serafim Teixeira (914 163 951), António Sá (917 531 913) ou pelo email (ccampismotrofa@gmail.com) A organização deste percurso pedestre conta com a colaboração da Junta de Freguesia de Alvarelhos e Guidões, Agrupamento de Escuteiros de Alvarelhos e Secção de Pedestrianismo dos Restauradores da Granja Fafe e com a colaboração da Divisão do Turismo e Património Cultural da Câmara Municipal da Trofa. P.P.

Passeios de BTT e Caminhada para ajudar os Vicentinos Ajudar as conferências S. Vicente de Paulo de S. Martinho e Santiago de Bougado com a entrega de géneros alimentares é o principal objetivo do grupo de amigos Bike4Life, que está a preparar um evento solidário para o dia 6 de julho. Em declarações ao NT, os responsáveis Hélder Castro, Miguel Santos e Flávio Moreira contaram que têm “tentado reunir o máximo de ajudas para fazer o evento sem custos financeiros”, para que, no fim tenham “algo para oferecer aos Vicentinos”, contando com “várias ajudas de empresas e da Câmara Municipal da Trofa”. O evento solidário tem início pelas 9 horas da estação de comboios da Trofa. “Para as pessoas que não têm o hábito de andar de bicicleta há um passeio mais pequeno com cerca de 10 quilómetros, um de 25 quilómetros para as pessoas que já tem mais resistência e uma caminhada de 10 quilómetros, para crianças, mulheres, homens poderem fazer. O essencial é ajudar de qualquer maneira”, enumerou a organização. A inscrição tem que ser feita através do número de telemóvel (912 972 077) ou do email (bike4life@sapo.pt), onde devem indicar “o nome, número de Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão, a data de nascimento e a modalidade pretendida”. O valor da inscrição é “no mínimo de dois géneros alimentares que vão reverter para as conferências S. Vicente de Paulo de Santiago e S. Martinho de Bougado”, que têm que ser entregues no dia da prova, para que estes sejam entregues à noite, durante a ExpoTrofa. As “primeiras 150 inscrições” têm “a oferta de t-shirts”. “Todas as pessoas inscritas terão seguro desportivo – daí pedir o nome completo, data de nascimento e bilhete de identidade - e direito a um reforço em cada uma das atividade. Penso que teremos também sorteios, pois já arranjamos patrocínios para conseguir sortear umas camisolas, para animar a malta”, contaram. P.P.

Atualize a sua assinatura anual

Desporto 17

www.onoticiasdatrofa.pt

Bougadense continua a arrecadar bons resultados no Atletismo

Alice Oliveira foi 4.ª no Olímpico Jovem Nacional Na Pista de Atletismo do Estádio Universitário de Lisboa, realizou-se, no dia 14 de junho, a prova de 1500 metros obstáculos do Olímpico Jovem Nacional, onde Alice Oliveira – do Atlético Clube Bougadense – obteve o 4º lugar, contribuindo com nove pontos para o 5.º lugar da classificação final da Seleção do Porto a nível Nacional. “Destaco que a nossa atleta tem neste momento uma das três melhores marcas de Portugal desta época, nesta prova”, asseverou Pedro Sá, responsável pela secção de Atletismo do Bougadense. Também no sábado, mas em Braga, na Pista do Estádio 1º de Maio, Sara Faria obteve os mínimos de participação na prova de cem metros planos para o Campeonato Nacional de Juvenis, que se realiza nos dias 28 e 29 de junho, em Abrantes, juntando-se a Catarina Ribeiro, que participa nos dois mil metros obstáculos.

Alice tem uma das melhores marcas de Portugal

Em benjamins B, Ana Mota foi a 1.ª classificada nos 60 metros e salto em comprimento. Já em juvenis, João Gomes foi 2.º nos 100 metros e Alexandre Sá foi 3.º em salto de comprimento e altura, e o sénior António Costa foi 3.º no salto em altura e comprimento. Já no domingo, o Bougadense esteve presente no Grande Prémio de Atletismo da Cruz, em Santiago da Cruz, Vila Nova de

Famalicão. Nesta prova participaram os benjamins Joana Martins (6.º) e Rúben Pinto (7.º), os iniciados Ana Lopes (2.º), Rui Rocha (1.º) e Tiago Sá (4.º) e a juvenil Catarina Ribeiro (1.º). Já em veteranos, Deolinda Oliveira alcançou a 1.ª posição, enquanto Goreti Sá, Pedro Sá e João Lopes conquistaram o 4.º, 14.º e 18.º postos, respetivamente. P.P.

Rui Pedro Silva vence Corrida de S. João O “forte vento que se fez sentir” foi um adversário suplementar que os atletas tiveram que vencer para conseguirem terminar a 15.ª edição da Corrida de S. João, que decorreu no domingo, 15 de junho, com partida e chegada da Esplanada do Castelo, na Foz, na cidade do Porto. Apesar destas condições atmosféricas, o trofense Rui Pedro Silva (SL Benfica) foi o primeiro a terminar o percurso de 15 quilómetros em 46.47 minutos, seguido de Licínio Pimentel, que pela primeira vez envergou a camisola do Sporting CP, com 46.53 e Ricardo Ribas (SL Benfica) com 47.15. A prova masculina foi mais bem disputada, sendo que só depois dos 10 quilómetros é que os lugares do pódio começaram a ficar definidos, depois de um ataque de Rui Pedro Silva. O único que o conseguiu aguentar mais tempo, foi o sportinguista Licínio Pimentel, embora o seu esforço não tivesse impedido o segundo triunfo do

benfiquista que já tinha ganho em 2012. Em femininos venceu Filomena Costa, atleta do Jardim da Serra, com 53.21 minutos, à frente de Doroteia Peixoto, com

54.40, e de Anália Rosa, com 55.39, ambas do Maratona. A Corrida de S. João teve um “número recorde de 3696 concorrentes, mais 25 que há um ano”. P.P.

Rui Pedro Silva ganha a 2.ª Corrida de S. João


18 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014

“Cerca de 50 na Cãominhada” presidente da AUAUA. Com a chegada do verão, muitas famílias acabam por abandonarem os animais para poderem ir de férias. Em vez de o fazerem, Sílvia Coutinho aconselha as famílias a deixarem o seu amigo “num hotel canino”, que “neste momento há em quase todas as clínicas veterinárias da Trofa e que não é uma despesa muito grande”, ou então com o funcionário do Canil, que “tem um hotel em casa”. “Não abandonem, porque o animal é para toda a vida e é um membro da família. Tivemos caso de animais que morreram com saudades dos donos”, adiantou.

Patrícia Pereira

De pequenos ou grandes portes, de diferentes raças, pelagem e cores. O melhor amigo do homem, o cão, foi a figura de destaque do programa de domingo, 15 de junho, apresentado pela comissão de festas em honra de Nossa Senhora das Dores. A manhã começou com uma “cãominhada” a partir da estação de comboios da Trofa, percorrendo a Avenida de Paradela até à rotunda e regressando ao ponto de partida. O dia ficou completo com palestras sobre Socialização e Cuidados Veterinários, assim como entrega de prémios aos melhores exemplares da “Cãominhada” e das provas, existindo ainda uma tenda com alguns animais para adoção. Pedro Andrade, acompanhado do seu seu companheiro Nick, decidiu participar na “cãominhada” por a achar “muito bem feita” e para “o cão poder andar e conviver com outros animais”, uma vez que este “está habituado a estar praticamente sozinho em casa”. “Acho que isto é mesmo muito bom para os animais”, garantiu, considerando que terem aproveitado esta iniciativa para apelar à adoção de animais foi “muito boa” e que “as pessoas não devem abandonar os animais”. Aproveitando a iniciativa, a jovem

“Cãominhada” contava com uma prova de obstáculos

Tatiana Pereira adotou uma cadela a quem apelidou de Linda, participando com a mesma nesta “cãominhada”, que foi “giro, mas muito cansativo para os cães”. Como já teve “duas cadelas – uma fugiu e a outra morreu” - Tatiana “quis adotar outra”, sensibilizando as “pessoas que querem um cão para não o abandonarem”. O presidente da comissão de festas, Alfredo Gomes, explicou que como “os animais são amigos do homem não podiam ser esquecidos” e daí “este evento dedicado aos cães”. Também Luísa

Osório, do Departamento de Animação da comissão de festas, referiu que houve “um concurso da Escola de Treino com cães da Trofa e de fora, com a possibilidade de participarem mesmo que o animal não tivesse treino”. “Tem sido positivo e temos tido bastante adesão. A parte que está a faltar é mesmo as pessoas adotarem os cães”, completou. Quem marcou presença nesta iniciativa foi a Associação Um Animal Um Amigo (AUAUA), que, “a pedido da Câmara” Municipal da Trofa, levou “os animais” com o objetivo de “os mostrar para que eventualmente se faça uma adoção ou fazer uma mínima divulgação”. “Já fiz uma adoção hoje, por isso já ganhamos o dia. Temos o canil superlotado e, por isso, peço imenso às pessoas para não abandonarem os animais, mas que falem com o Departamento do Ambiente da Câmara quando precisarem de fazer um abandono de um animal, para fazer a requisição para depois quando houver sítio se puder ir buscar o animal”, pediu Sílvia Coutinho,

Inscrições abertas para figurante da Procissão O presidente da comissão de festas, Alfredo Gomes, fez “um balanço positivo” destes primeiros meses de iniciativa, que tem tido “muita gente envolvida, até de fora do lugar de Valdeirigo”, estando a equipa “empenhada em fazer melhor e cada vez mais para dignificar esta festa de Nossa Senhora das Dores”. “No primeiro mês tem sido fantástico e não temos nada a apontar, só a elogiar. Esperemos que até ao ponto alto das festas continuem a correr como tem corrido. Só tenho que agradecer a todos aqueles que estão empenhados nas mais diversas atividades que temos”, declarou. A comissão de festas em honra de Nossa Senhora das Dores informa ainda que estão abertas as inscrições para a procissão em honra da padroeira, que se realiza na tarde do dia 17 de agosto. Quem estiver interessado em ser figurante da procissão, deve inscrever-se no Bar da comissão de festas, no Cartório Paroquial de S. Martinho de Bougado (horário de expediente) e no Tecidos Pinheirinhos (horário de expediente”. “Há brindes e cinco euros de oferta”, avançou.

“Trofa ponha-se a Andar” Visto “as anteriores edições terem sido um sucesso a todos os níveis”, a ARJM resolveu “dar continuidade” a esta caminhada, que “pretende ser um meio de envolver toda a comunidade numa atividade diferente e de convívio saudável”. A caminhada, com um percurso de “aproximadamente seis quilómetros”, terá início pelas 9 horas com uma aula de aquecimento e depois partirá pela “Grova, por caminhos florestais, até ao Castro de Alvarelhos”, onde será feita “uma paragem”. Depois será feita “uma descida pela zona de Sá, atravessando em direção à EB2/3 de Alvarelhos, subindo ao Monte de S. Roque, descendo em direção à Escola de Giesta 1, passando pela Aldeia Nova e antiga linha do comboio até ao ponto de partida”. O presidente da associação, José Pedro Lima, avançou que “estão inscritas 241 pessoas entre os quatro e os 70 anos de idade”, continuando,

contudo, “a receber, junto das diversas pessoas que organizaram listas e também por telefone e email, pedidos para mais inscrições”. “Estamos a desenvolver esforços para que seja possível aumentar o número de participantes oficiais com direito a t-shirt e água. Conforme formos sendo contactados, informaremos as pessoas das condições de participação”, explicou. Para José Pedro Lima, a caminhada turística traz “mais visibilidade” à associação, “dentro e fora da freguesia”, mostrando que esta tem “capacidade de dinamizar e organizar diferentes atividades e que estão vivos e continuam a lutar por algo melhor para todos”. Com a caminhada pretende-se ainda comemorar o 36.º aniversário da associação, “não” estando, “até ao momento agendada mais nenhuma atividade comemorativa”, devido “à escassez de recursos humanos”. P.P.


20 de junho de 2014

www.onoticiasdatrofa.pt

Opinião 19

Crónica Jurídica O Crime de Violência Doméstica «No princípio de casados (…) levei uma coça (…). Como essa nunca levei mais nenhuma, agora uma bofetada, um murro já levei muitas vezes (…).ISABEL DIAS, Violência na Família, Uma abordagem sociológica, Porto, Edições Afrontamento, 2010, pp.157-159. É impossível ficarmos alheios às notícias dos últimos dias, uma dentista foi morta pelo marido no passado dia 29 de maio, e o Tribunal de Ílhavo condenou uma empresária por violência doméstica contra o ex-companheiro. Quando falamos de Violência Doméstica, falamos de homens, mulheres, crianças e idosos cuja dignidade enquanto pessoa humana é posta em causa. Enquanto frequente e grave violação dos direitos humanos, a violência doméstica, afecta milhares de pessoas em Portugal. Os cenários de violência doméstica têm aumentado exponencialmente, ou pelo menos, tem havido uma transformação da consciência das pessoas que leva as vítimas a queixarem-se mais e a tornarem os números conhecidos. Mas muitas delas ainda continuam no silêncio, ou então acabam muitas vezes por se reconciliar com o cônjuge ou companheiro agressor, acreditando que ele vai mudar, e permanecem num ciclo de violência que se pode repetir por toda a vida. Depois da violência, o agressor pode pedir desculpa e admitir que errou e a vítima como mecanismo de defesa psicológica, é levada a acreditar e a dar mais uma oportunidade ao companheiro. Outras vezes ela não vê como pode sair da situação e aceita uma vez mais a submissão e se o conflito chegar ao conhecimento de terceiros, o agressor culpabiliza a vítima de ter dado origem à agressão e minimiza o acontecimento alegando que as coisas não foram assim tão graves. O Relatório Anual de Estatística de 2013 da Associação de Apoio à Vítima (APAV), diz-nos que os crimes praticados no âmbito da violência doméstica, representam mais de 80% dos crimes registados pela associação. Em 2013, foram registados 8733 casos, em que a maioria das vítimas eram do sexo feminino, entre os 25 e 54 anos de idade, com especial destaque para o intervalo de idades entre os 35 e os 44 anos. Em termos familiares a maioria das vítimas são casadas, com filhos, e por incrível que pareça, detêm diplomas de ensino superior e encontram-se empregadas. Já quanto ao autor do crime, a maioria é do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 25 e os 64 anos, com especial destaque para o intervalo de idades dos 35 aos 44 anos. São normalmente casados, e encontram-se empregados. Relativamente aos menores, pois os filhos também são vítimas de alguma forma (direta ou indiretamente), a faixa etária mais significativa situa-se entre os 11 e os 17 anos de idade, e registaram-se cerca de 974 crimes contra crianças e jovens vítimas. Na lei penal, o crime de violência doméstica tem natureza pública, isto quer dizer que basta que o Ministério Público tenha conhecimento da sua ocorrência para instaurar o procedimento criminal, não sendo necessária uma queixa do lesado para dar início ao processo, podendo qualquer cidadão dar conhecimento de uma situação de violência doméstica a uma de várias entidades competentes. Sendo de natureza pública, este tipo de crime não admite desistência, embora a vítima possa requerer a suspensão do processo. A lei da violência doméstica declara a possibilidade de proteção da vítima, utilizando mecanismos adequados a assegurar a proteção de bens jurídicos essenciais. E para além disto, os processos de violência doméstica têm natureza urgente, ou seja os atos processuais correm mesmo fora dos dias úteis, das horas de trabalho e nas férias judiciais. Muito mais haveria para dizer, mas a verdade é que, cabe a todos nós a responsabilidade na prevenção e combate a este tipo de crime!

Isaura Ramalho


20 Publicidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de junho de 2014


Edição 478  

Edição de 20 de junho de 2014

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you