Page 1

20 de dezembro de 2012 N.º 402 ano 11 | 0,50 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Atualidade pág. 4

Atualidade pág. 12

Parque geriátrico inaugurado em Bairros

Mau tempo provocou inundações Atualidade pág. 3

Atualidade págs. 13-15

Natal festejado nas escolas Desporto pág. 18

Escola do Muro Micael Sequeira “orgulhoso” inaugurada portreinarTrofense


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Cooperativa dos Agricultores

Mensagens de parabéns ao NT A 12 de dezembro, o jornal O Notícias da Trofa assinalou dez anos de existência. Durante esse e os dias seguintes, muitas foram as mensagens de parabéns que recebemos dos leitores, quer através do correio eletrónico ou das redes sociais. Publicamos algumas delas, como forma de agradecimento a todos quantos contribuem para que este semanário trabalhe, diariamente, por uma informação clara, isenta e sem tabus. “A Comissão Concelhia da Trofa do PCP deseja ao vosso jornal a continuação de um jornalismo ao serviço dos trofenses e de uma “informação clara, isenta e sem tabus”. O bom tratamento das nossas notas de imprensa são um caso raro no panorama dos media locais e nacionais e por isso mesmo nos congratulamos por termos, na Trofa, um espaço verdadeiramente democrático no vosso jornal. Em nome da Comissão Concelhia da Trofa do PCP desejamos muitos anos de vida para o vosso jornal e os nossos sinceros parabéns!” Comissão Concelhia da Trofa do PCP

“Parabéns! A todos quantos fazem parte desse Jornal e Tv pelo trabalho que tem desenvolvido ao serviço das populações não só da TROFA como dos Municípios vizinhos pondo sempre ao serviço do povo a isenção e profissionalismo de jornalistas- Um GRANDE BEM-HAJA. Abílio Cardoso (Empresa Artesana)

“Parabéns pela década que se realiza hoje e por nos manter sempre informados” Sandra Vale (via Facebook)

“Este está a ser o meu ano de ouro graças a’O Notícias da Trofa, que sem a sua isenção eu nunca conseguiria tudo aquilo que consegui. Obrigado por tudo. Continuem assim.” António Moreira (via Facebook)

AEBA esclarece associados sobre as novas regras de faturação Está informado sobre as novas regras de faturação que entram em vigor a partir de 1 de janeiro de 2013? Se não está e é associado da AEBA - Associação Empresarial do Baixo Ave, esta tem a solução para si. Com vista a “esclarecer todas as dúvidas” dos seus associados e tornar “mais clara esta transição legislativa”, a AEBA está a orga-

nizar uma sessão de esclarecimento, que terá lugar na quintafeira, dia 27 de dezembro, pelas 18.30 horas, nas instalações da associação. A participação nesta sessão é gratuita para associados, mas sujeita a confirmação junto dos serviços da AEBA, visto que “as inscrições são limitadas”. P.P.

Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extra europa: 88,50 euros; Europa: 69,50 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684 Avulso: 0,50 Euros

Agenda

Serviços dos armazéns encerram para inventário De forma a proceder ao “inventário anual de mercadorias”, a Cooperativa dos Agricultores dos Concelhos de Santo Tirso e Trofa informa que vai encerrar, aleatoriamente, os serviços dos armazéns. O armazém sede, em Santo Tirso, vai encerrar nos dias 27 e 28 de dezembro. Já a de Posto Leite encerra no dia 2 de janeiro

de 2013, e os armazéns centrais da Giesteira, em S. Cristina do Couto, entre os dias 2 e 4 de janeiro. A Cooperativa dos Agricultores tem à disposição de todos os seus associados, árvores de fruto, videiras e plantas florestais, estando a aceitar encomendas de batata de semente. P.P.

Assinatura anual Informamos os nossos assinantes que, devido aos constantes aumentos das matérias primas e dos custos de distribuição, somos forçados, já a partir de janeiro de 2013, a cobrar 22,50

euros pela assinatura anual do jornal, na versão papel. Pedimos desde já a melhor compreensão dos nossos assinantes.

Dia 20 21 horas: Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, no auditório da Junta Dia 23 12 horas: Missa de aniversário do Grupo Danças e Cantares de Santiago de Bougado, na Igreja Matriz,da freguesia, seguido de um almoço convívio na sede 15 horas: Trofense-Feirense S. Romão-Clube Desportivo Portugal Dia 27 21 horas: Assembleia Municipal da Trofa, no salão nobre dos Bombeiros Voluntários da Trofa 21 horas: Assembleia de Freguesia de Guidões, no auditório da Junta

A Gerência

76 dádivas na colheita de sangue do Lions da Trofa “Uma manhã pela vida” foi o slogan da última colheita de sangue deste ano, promovida pelo Lions Clube da Trofa. Oitenta pessoas corresponderam ao apelo da instituição, das quais 76 contribuíram com dádivas a favor dos doentes do Hospital de

S. João, do Porto. A colheita de sangue, que se realizou no sábado, dia 15 de dezembro, no salão polivalente dos Bombeiros Voluntários da Trofa destinava-se aos dadores de Santiago de Bougado. P.P.

Farmácias de Serviço

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (T.P. 1639) Editor: O Notícias da Trofa, Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (T.P. 1637), Cátia Veloso Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864),

20 de dezembro de 2012

E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

Nota de redação Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Dia 20 Farmácia Trofense Dia 21 Farmácia Barreto Dia 22 Farmácia Nova Dia 23 Farmácia Moreira Padrão Dia 24 Farmácia Trofense Dia 25 Farmácia Moreira Padrão Dia 26 Farmácia Barreto Dia 27 Farmácia Nova

Telefones úteis Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10


Atualidade 3

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Inauguração das obras de ampliação e requalificação

Escola do Muro custou mais de um milhão Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Câmara Municipal inaugurou ampliação e requalificação da EB 1 e JI do Muro. Empreitada custou um milhão e 200 mil euros. “Bem-vindos à Escola Básica do Muro. Obrigada por terem vindo. É com muita alegria que vos recebemos”. O discurso do pequeno André Antunes bem podia ser o de um político, mas este espelha a felicidade vivida de perto, todos os dias, com os amigos, na nova escola. Ele e os colegas receberam com orgulho os visitantes que participaram na cerimónia de inauguração da ampliação e requalificação da Escola Básica e Jardim de infância de Estação, no Muro, durante a tarde de sábado. Depois de cumprido o protocolo, com o hastear das bandeiras, bênção e descerramento da

placa evocativa da inauguração, seguiu-se uma visita aos três edifícios guiada pelos alunos. Esta empreitada custou um milhão e 200 mil euros, com comparticipação de fundos comunitários em cerca de 800 mil. “Nós temos uma grande estratégia para o nosso concelho que é a Educação. Tratam-se de projetos que se iniciaram no início do meu mandato, com muitas dificuldades ao nível procedimental e do ponto de vista financeiro. Com muito trabalho e habilidade, conseguimos ultrapassar alguns constrangimentos que tínhamos, nomeadamente os financeiros, e hoje todos os centros escolares em obra estão praticamente concluídos”, frisou Joana Lima, presidente da Câmara Municipal. Pais e professores salientam a importância da intervenção para a qualidade de ensino das crianças. Carolina Silva, coordenadora da escola, afirmou que “tudo

chama a atenção das crianças e quanto melhor estiver apetrechada, melhor será o ensino”. “As crianças vêm mais motivadas e interessadas. Gostam de ir para escola e isso faz com que o processo de ensino-aprendizagem se processe de maneira diferente”, argumentou. Já José Martins, presidente da Associação de Pais, considera que este era “um equipamento que fazia falta à comunidade escolar”. Os encarregados de educação, acrescentou, sentemse “gratos” por as crianças “disporem destas instalações e terem melhores condições para aprender”. Esta é a terceira escola inaugurada, depois de Querelêdo e Paradela. Faltam Paranho e Finzes para que se conclua um projeto que envolveu um investimento de mais de sete milhões de euros, comparticipados por fundos comunitários e com um investimento da Câmara Municipal da Trofa de mais de 2 milhões de euros. Requalificar a EB 2/3 da Trofa e lutar pela conclusão da Secundária O próximo grande passo é tentar a requalificação da EB 2/ 3 Professor Napoleão Sousa Marques que Joana Lima admitiu ser “um problema” que “aflige”. E sobre este assunto, a autarca deixou um recado aos opositores: “Este problema já foi discutido muitas vezes. Não fi-

Crianças acompanharam Joana Lima na visita à escola

zemos a candidatura anteriormente, porque as candidaturas das escolas estão a cair ao nível da Área Metropolitana do Porto e iríamos gastar dinheiro no projeto, sem conseguir que ele fosse aprovado. Gostávamos que quem diz que se a candidatura fosse feita seria uma realidade nos ajudasse com vontade e verdade. Não venham dizer que é possível fazer quando sabem que é impossível e eu provo com documentos”. A edil garantiu que “quando abrir um aviso para (a requalificação) das escolas”, a

autarquia estará “na primeira linha” para avançar com esse projeto. Joana Lima garante ainda estar a pressionar o Governo para concluir as obras na Escola Secundária. “Não é, de todo, a melhor solução ter uma escola como esta que tem metade pronta e outra metade completamente degradada. Tenho feito contactos aos mais variados níveis e tenho feedback de que as coisas se vão começar a resolver a partir do início do ano que vem”, anunciou.

Câmara da Trofa entrega 500 cabazes De forma a proporcionar às famílias trofenses mais carenciadas “a possibilidade de viverem a consoada de forma mais condizente com o espírito natalício, que deve estar presente em todos os lares do concelho”, a Câmara Municipal da Trofa entregou, entre os dias 17 e 19 de dezembro, 500 cabazes de Na-

tal. A autarquia entregou os cabazes às famílias das oito freguesias do concelho, cujos elementos se encontram em situação precária, sem emprego e sem outras fontes de rendimento, pelo que este projeto da autarquia é, para a maioria destes agregados familiares, o “único recurso para

que este Natal possa ser vivido da melhor forma”. Os cabazes são constituídos por “bens de primeira necessidade e por alguns produtos que habitualmente fazem parte da consoada nesta época festiva”. P.P.


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Câmara e Escuteiros inauguram Parque Geriátrico em Bairros Cátia Veloso catia@onoticiasdastrofa.pt

A partir de agora, a população pode fazer exercício físico no Souto de Bairros, com apoio de equipamentos geriátricos. Foi inaugurado o parque “Trofa Ativa”, projeto dos escuteiros vencedor do OPJ da Trofa de 2011 e financiado pela Câmara da Trofa Nem o descontentamento de uns, transposto numa larga tarja, colocada na fachada de uma casa, que exigia a Joana Lima “mais respeito” pelos bougadenses, nem mesmo a chuva que caiu copiosamente durante a manhã, demoveram a autarquia na inauguração do primeiro projeto oriundo do Orçamento Participativo Jovem. “Trofa Ativa” é o epíteto do parque geriátrico no Souto de Bairros, em Santiago de Bougado, que convida a população a trabalhar para uma boa forma física e uma vida saudável. Apesar da água que caia dos céus, o equipamento foi benzido

Com parque geriátrico, população pode fazer exercício físico

pelo diácono João Sousa e tem a assinatura do Agrupamento dos Escuteiros de Santiago de Bougado, vencedor da primeira edição OPJ. O responsável, Luís Dias, relembrou que o parque geriátrico “acabou por vingar” entre outras ideias que o Agrupamento equacionou quando resolveu participar. Hoje, sente-se “orgulhoso” de ver o projeto no terreno, aquele que ajudou os escu-

teiros “a serem cidadãos ativos”. “Valeu mesmo a pena participar no OPJ”, sublinhou. Também para Luís Neves Dias, chefe do Agrupamento, foi um motivo de “satisfação” ver o projeto no terreno, pois “é uma prova de que teve pernas para andar e que a cidadania compensa”. Apesar da intempérie que atrapalhou, e acabou por apressar, a cerimónia de inauguração,

Joana Lima, acompanhada por algumas crianças, quis experimentar os equipamentos. Para a presidente da Câmara Municipal este foi “um momento histórico” pois o “percurso de dois anos” culminou “com a execução deste projeto”. “O OPJ tem teoria, mas também tem prática. Fazemos ponto de honra de implementarmos a obra escolhida pelos jovens e que ficará, para sem-

pre ligada a todos os que estiveram envolvidos no projeto”, frisou. O OPJ da Trofa tem sido solicitado por vários investigadores e já foi protagonista em fóruns nacionais e na Suécia. “Sentir que o nosso trabalho é reconhecido por parte de entidades externas, é uma honra para nós e para os jovens, que acompanham todo o trabalho de projeção e implementação”, salientou a autarca. Dado o sucesso do OPJ e a participação massiva dos jovens, a autarquia decidiu aumentar a comparticipação no valor dos projetos vencedores de 20 mil para 25 mil euros, para a próxima edição. O laboratório de ciências, projeto escolar que venceu na edição de 2011, “está quase concluído” e será inaugurado “brevemente”, anunciou. Já o parque de skate, junto à nova estação da CP e o circuito de manutenção na EB 2/3 de Alvarelhos, que foram os vencedores de 2012, estarão integrados no orçamento para 2013.


Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Assembleia de Covelas aprova orçamento Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Numa assembleia em que faltaram três elementos, Domingos Faria, do PS, foi o único que votou contra o orçamento e PPI de Covelas para 2013. PSD viabilizou documentos. Numa assembleia que visava a aprovação do orçamento e Plano Plurianual de Investimentos (PPI), só seis dos nove elementos que devem compor a Assembleia de Freguesia de Covelas marcaram presença. Com a au-

sência de Nicolau Silva, o CDS não teve representação, enquanto o PS só contou com um elemento, Domingos Faria. “Apresento este plano, mas digo já que não vou conseguir cumpri-lo”. Foi desta forma que Fernando Moreira, presidente da Junta de Freguesia de Covelas, anunciou as obras projetadas para 2013. “Vou falar sério. Não há dinheiro e sem ovos não se fazem omeletas. Estas obras são as essenciais e se as fizer todas será muito bom”, complementou. O orçamento, que foi aprovado com cinco votos favorá-

veis do PSD e um voto contra do PS, prevê arrecadar 114.773 euros de receitas correntes e 46.657 mil euros de receitas de capital. O executivo prevê poupar cerca de 30 mil euros em despesas correntes e canalizá-los nas despesas de capital. Domingos Faria explicou o voto desfavorável no orçamento e PPI por discordar com uma obra que o autarca incluiu para 2013: a execução do muro de suporte do cemitério e arranjo da zona envolvente. Para o socialista, com esta empreitada, “este executivo pretende esconder uma ilegalidade com outra ilegalidade”, alegando que esta está “incluída nas obras de ampliação do cemitério, que faz parte de um processo que decorre em tribunal”. “Recorde-se que essas obras arrancaram em finais de 2009, já foram gastos indevidamente mais de 30 mil euros sem qualquer projeto, violando assim o PDM e ignorando a lei”, afirmou. O presidente da Junta incluiu no PPI o arranjo no Largo da Carreira, o arranjo do passeio no Largo Senhora dos Caminhos, alargamento da ponte, no lugar do Castanhal, e o arranjo da Rua dos Campos.

Presidente da Junta não crê no cumprimento integral do PPI

Numa assembleia curta, outro dos momentos que suscitaram mais discórdia foi no período de intervenção do público, no qual Paulo Maia, ex-membro da Assembleia pelo PS, acusou o presidente da junta de “perseguição política”. Já Sérgio Correia invocou vários aspetos ligados à freguesia, solicitando intervenção para melhorar a drenagem de água, colocar sinais na rotunda junto ao campo de futebol, limpar as ruas e colocar rails de proteção no fim da reta de Outeirô, junto ao rio, onde recentemente um carro

caiu. O presidente da Junta acusou-o de ser “mesquinho” e de “pensar que a Junta tem dinheiro para tudo”. Sérgio Correia questionou ainda o executivo sobre se é necessário pagar alguma taxa para utilizar o auditório da Junta, desde que a atividade seja para o benefício da freguesia, já que fez “o pedido para utilizar para a iniciativa do Limpar Portugal, ao qual foi dito que, supostamente, teria custos”. O executivo aconselhou a verificação da tabela das taxas a aplicar, na qual contempla também “as exceções”.

Artesãos desafiados a participar no Prémio de Artesanato Dado o “elevado número e qualidade” dos artesãos trofenses, a Câmara Municipal da Trofa desafia-os a participar na edição 2013 do Prémio Nacional de Artesanato, que procura “distinguir os artesãos portugueses, privilegiando as suas competências técnicas e profissionais, bem como a sua capacidade estética”. Instituído pelo Ministério da Economia e do Emprego, através do Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P., o concurso realiza-se de dois em dois anos e este tem como tema o “Entrelaçar – as artes de trabalhar e entrelaçar fibras vegetais”, reconhecendo um “subsetor artesanal profundamente ameaçado”, pela “concorrência de produtos similares e carenciado de projetos inovadores, que permitam uma nova afirmação dos mesmos no mercado”. Os artesãos interessados em concorrer devem formalizar a sua candidatura,

até ao dia 28 de fevereiro de 2013, podendo optar pelas modalidades de “Artesanato Tradicional” e “Artesanato Contemporâneo”, ou então participar em ambas. O prémio é aberto a “todos os artesãos que exerçam a atividade em nome individual, sob forma associada ou por conta de outrem, com residência em território nacional e que, à data de candidatura, sejam portadores da carta de artesão em qualquer uma das atividades artesanais”. O formulário da candidatura deve ser entregue nos Centros de Emprego do IEFP, do Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira (IVBAM) e do Centro Regional de Apoio ao Artesanato dos Açores (CRAA). Para obter mais informações, basta visitar o seguinte sítio da Internet: http:/ /ppart.gov.pt/principal.aspx?pagina=mostr a_eventos&tipo=1&cod=34. P.P.


6 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Agregação de Santiago “inflama”Assembleia Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Assembleia de Santiago de Bougado ficou marcada pela discussão sobre a possível agregação da freguesia com S. Martinho de Bougado. Orçamento e Plano para 2013 aprovados com abstenção do PS. Na última sessão do ano, que serviu para discutir o orçamento e plano de atividades para 2013, o tema que “inflamou” a Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado foi a reforma administrativa. Carlos Portela, do PS, foi quem introduziu o tema, ainda antes da ordem do dia, anunciando que, perante a proposta da Unidade Técnica da Reorganização Administrativa do Território (UTRAT), que contempla a fusão de Santiago com S. Martinho de Bougado, o PS de Santiago, “apoiado por um grupo de bougadenses, encarregou uma sociedade de advogados de iniciar, de imediato, e por todos os meios legais ao seu dispor, a defesa dos legítimos interesses da freguesia”. Os socialistas contratam uma empresa do Porto e ainda ponderam se vão avançar com uma providência cautelar ou com uma intimação judicial. Esta é uma “outra fase da luta pela autonomia e independência de Santiago”, afirmou o socialista que justificou a posição do partido com o facto de a lei “agredir e cortar as raízes das freguesias, a ligação democrática das populações e, no que diz respeito a Santiago, é penosa e agressiva”. “Nós não somos o pai desta monstruosa lei”, sublinhou. Para contrapor, Filipe Couto Reis, do PSD considera que “o PS de Santiago não pode sacudir a água do capote”, responsabilizando “os elementos que representam Santiago na Assembleia Municipal” pela “dita agregação”, já que votaram contra as propostas de agregação do

PSD, que “defendia os interesses do povo desta freguesia”. Recorde-se que, na Assembleia Municipal, o PSD apresentou uma proposta de agregação de Alvarelhos com Muro e de S. Mamede com S. Romão e outra em que sugeria a agregação de Alvarelhos com Guidões e S. Mamede com S. Romão. António Quelhas, do PS, justificou a sua posição com o desacordo pela fusão dos territórios das freguesias, salvaguardando que apoia a redução de juntas de freguesia, pois “é preciso otimizar as coisas e racionalizar os custos”. JáAntónio Azevedo, presidente da Junta de Freguesia, não se quis alongar no tema por considerar que até ser votada na especialidade (no dia 21 de dezembro) “a lei ainda não é um facto concretizado”. No entanto, anunciou que, dias depois de a Assembleia Municipal ter aprovado a proposta do PS de não agregação das freguesias, enviou um email para o presidente da UTRAT a solicitar que Santiago “seja enquadrada nos parâmetros de agregação como localizada em lugar não urbano” para que não tenha que se agregar a S. Martinho. A reta final da sessão ficou marcada pela indignação dos elementos socialistas Vasco Torres e Carlos Portela, que saíram do auditório em protesto depois de o presidente da Assembleia, Manuel Carneiro, não ter permitido que o segundo interviesse para contrapor as declarações proferidas por Manuel Campos, no período de intervenção do público. Para este bougadense, se Santiago de Bougado for agregado a S. Martinho de Bougado, “os dois responsáveis são Carlos Portela e o senhor (António) Quelhas”, que, assim como todos os elementos do PS, votaram contra as propostas de agregação que o PSD apresentou na Assembleia Municipal e nas quais Santiago de Bougado se manti-

Assembleia marcada pela discussão sobre a fusão das freguesias

nha isolada. Centro Cívico e ringue levantam discórdia Durante a assembleia, entre elementos do mesmo partido como do PS, muitos foram os que elogiaram o executivo de Santiago de Bougado pela recente requalificação que fez na Casa Mortuária. No entanto, noutros assuntos não houve sintonia entre executivo e oposição. Filipe Portela, do PS, invocou o projeto para o novo edifício da Casa Mortuária - pendente por problemas na aquisição do terreno no lugar da Lagoa, que é privado – considerando que o processo “vai arrastar-se no tempo por conflitos passados”. “Existe muito que deve ser tratado e na procura de soluções, disseram-me que o processo não está parado. Foi assegurado pelo advogado dos proprietários que, após a resolução de todos os problemas jurídicos que tem com o terreno, este irá ser entregue a Joana Lima (presidente da Câmara) e nunca ao presidente da Junta”, atirou. Em resposta, António Azevedo afirmou que “o que interessa é que a Câmara resolva esta situação” para poder começar a construir a Casa Mortuária. Outro dos temas levantados pelo socialista foi o Centro Cívico, inicialmente projetado para ser construído no mesmo terreno que a Casa Mortuária e depois para o lado da Escola de Bairros, que atualmente não tem localização definida. Filipe Portela considerou que o presidente da Junta “podia ter feito mais”, criticando o facto de na discussão pública do PDM (Plano Diretor Municipal) “ter pedido a desafetação do terreno ao lado da escola e não ter suspendido o pedido de desafetação para a localização inicialmente pretendida”, fator que, segundo o socialista,

levou a autarquia a recusar. “Se eu vou pedir um novo terreno, tenho que cancelar o anterior”, acrescentou. Mais, o socialista referiu ainda que o executivo de António Azevedo usou “pouca argumentação” para pedir a desafetação do terreno em Bairros, afirmando que a fundamentação ganharia “credibilidade” se a ela fosse anexada “o pedido do PS para que o Centro Cívico fosse construído nesse local”, assim como “faltou dizer que ficou decidido por maioria, membros do PS e PSD, que aquele era o melhor local”. António Azevedo defendeuse, afirmando que “para bom entendedor, meia palavra basta”. “Na altura, eu disse que ia pedir a desafetação do terreno em Bairros e todos perceberam muito bem o que a gente queria”, sublinhou, mostrando de seguida um documento no qual consta o argumento apresentado pela Câmara para indeferir o pedido de desafetação: “O terreno ao lado da EB 1 deve manter-se em área verde de utilização coletiva, pois ao nível local considera-se fundamental a manutenção e preservação de zona verde de recreio e lazer, não obstante se considerar que a instalação de um equipamento social seria uma maisvalia para aquele local”. A deslocalização do ringue de Bairros para o interior da escola também levantou a discórdia entre Filipe Portela e o presidente da Junta. O socialista, que fez um “balanço” da atuação do executivo, lamentou o facto de não haver resposta da Junta quanto ao pedido feito junto da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para a deslocalização do equipamento, afirmando que esta entidade já tinha autorizado a operação. Para sustentar a acusação, apresentou um documento, alegadamente, da autarquia de

“19 de julho de 2011”, que “confirma” a licença da FPF e solicita a comunicação à Junta. Em resposta, António Azevedo acusou Portela de ter “pouca experiência política”, porque só isso justifica o facto de “trazer uma cópia de uma informação interna dos serviços da Câmara”, assumindo-se “perplexo” com esta situação. Por outro lado, contrapôs, afirmando que aquele documento “não é uma resposta dada à Junta de Freguesia”, que soube “através da Associação de Pais da Escola de Bairros”. “Em agosto, estava na Junta e apareceu-me a Associação de Pais a dizer que já tinha autorização da Federação para meter o campo na escola”, frisou, salientando que “para a Câmara, a freguesia de Santiago de Bougado não existe”. Orçamento e Plano de Atividades aprovados Na apresentação do Plano de Atividades, António Azevedo anunciou que vai votar contra o PDM na Assembleia Municipal, pois se, por um lado, “a autarquia acedeu ao pedido de alterar o Estádio do Trofense de zona de construção para zona de equipamentos”, por outro, no documento “não está definido o terreno para a construção da EB 1/2/3 de Santiago de Bougado”. Como linhas orientadoras para 2013, o autarca definiu a continuação do projeto “Bougado Solidário”, do apoio ao movimento associativo e associações de pais. Ainda ao nível da despesa, o executivo de Santiago de Bougado pretende “dar início à construção da Casa Mortuária logo que a Câmara resolva o problema do terreno” e “solicitar à autarquia outra localização” para o Centro Cívico, já que o pedido de desafetação do terreno atrás da EB1 de Bairros foi indeferido em sede de PDM. O orçamento, que contempla 187 mil euros de despesas correntes e 480 mil despesas de capital, foi aprovado com sete votos do PSD e abstenção do PS e CDS. Votação igual para o Plano Plurianual de Investimentos, para a autorização da contratação de empréstimo, a curto prazo, para acorrer a dificuldades de tesouraria e para autorizar que a Junta assuma compromissos de que resultem encargos financeiros repartidos por vários anos económicos, em conformidade com as opções do plano previstas.


Atualidade 7

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Alvarelhos

Fonte do Escarigo foi tema central da Assembleia Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A ação em tribunal sobre a Fonte do Escarrigo, no lugar da Grova, e a aprovação do Plano de Atividades e Orçamento foram os pontos discutidos na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de Alvarelhos. Nas duas últimas Assembleias de Freguesia de Alvarelhos, o ponto de divergência estava relacionado com o depoimento de Francisco Sá, ex-presidente da Junta, sobre a Fonte do Escarigo, no lugar de Grova. Na sessão ordinária de setembro, Francisco Sá pediu a palavra para fazer um esclarecimento acerca do que foi dito na sessão do dia 26 de junho, onde foi acusado pelo atual presidente de “mentir” em tribunal, no processo contra a Junta de Freguesia, desde 2008. Em causa está a realização de “obras de beneficiação no caminho e na fonte do Escarigo”, no lugar da Grova, contígua a uma propriedade privada, no qual o dono reclama serem também do domínio privado. Francisco Sá contou que, em tribunal, os advogados interrogaram-no “só sobre os terrenos, só sobre a propriedade”, tendo proferido que “a água é pública” e o “terreno privado”. Na altura, Joaquim Oliveira, presidente da Junta de Freguesia, remeteu a resposta para mais tarde, quando a “Junta de Freguesia tiver a certidão” do tribunal “ do que foi dito”. E foi o que aconteceu na segunda-feira, dia 17 de dezembro, durante a sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia. Nos assuntos de interesse para a freguesia, Joaquim Oliveira começou por ler “a transcrição do depoimento de Francisco Sá”, dado durante a sessão em tribunal, que foi gravada a pedido da “Junta de Freguesia”, para que “não houvesse qualquer tipo de dúvidas”. Durante o depoimento, Francisco Sá confirmou que tinha sido presidente da Junta de Freguesia “durante oito

anos, de 1989 a 1997”, e negou que, durante o seu mandato, a Junta de Freguesia tenha feito “alguma obra de intervenção na Poça/Lavadouro ou caminho de acesso”, que tenha sido solicitado “qualquer intervenção” ou que tenha “reivindicado” o “tanque, a fonte e infraestruturas” como “sua propriedade”, negando ainda que, nestes “últimos 58 anos” tenha “ouvido dizer” que a Junta de Freguesia tenha feito “alguma ligação, limpeza e intervenção”. Mas a divergência entre Joaquim Oliveira e Francisco Sá estava na resposta proferida pelo ex-autarca durante a sessão do julgamento acerca do proprietário do terreno e da água. Quando o advogado Moreira Torres questionou Francisco Sá sobre a quem pertencia “aquela presa e aquele tanque, este respondeu que: “No meu entendimento, o terreno onde está essa bica de água, é privada, aquilo era da Quinta do Paiço. Relativamente à agua penso que a propriedade é privada, e que a Quinta do Paiço devia ter dado direito às pessoas irem lá buscar água. É o meu entendimento, embora não tenho prova nenhuma que seja assim”. Já o advogado Ribas Moura questionou em que se baseou Francisco Sá, para afirmar que “aquele sítio, a presa, o espaço é privado”.A testemunha respondeu que, no “entendimento geral” que tinha de “determinadas fontes deAlvarelhos”, era “permitido as pessoas irem buscar água”. Contudo “não” tem “documento algum”, onde tivesse ido buscar esse entendimento, nem perguntou ao “anterior proprietário e donos da Quinta do Paiço”. Adriano Teixeira, membro do Partido Socialista (PS), “não põe em causa” o que foi lido, mas “põe em causa” o que Joaquim Oliveira disse que, quando tivesse “uma solução de quem era a culpa ou de quem tinha a razão ou não”, “iria pedir desculpa a essa pessoa”. Uma situação que, segundo o membro do PS, “não aconteceu”, querendo “saber a quem pertence a razão” e “quem é o dono da fonte”.

Assembleia aprovou Plano de Atividades e orçamento

Em resposta, Joaquim Oliveira declarou que se Adriano Teixeira “não entendeu o documento”, não será ele que o vai “explicar”, salientando que não tem que “pedir desculpa a quem faz este tipo de declarações”. O autarca fez “um desenho da Rua de Santa Maria”, onde é possível ver o “fontanário, o tanque, a poça e a localização onde tinha a cancela”, que estava localizada “cá em baixo onde acabava a poça”. “O terreno privado terminava onde acabava a poça e o público era da cancela para cima. O lavadouro da poça ficava em terreno público”, frisou. Como José Júlio conhece o local “como ninguém”, pois “nasceu ali”, foi observar o desenho e reconheceu o que lá estava, mencionando que passou ali “muitas vezes”. Para Joaquim Oliveira “alguém tem que pedir desculpa à Junta de Freguesia”, pois, devido às “declarações em contrário”, proferidas por “testemunhas com responsabilidade e cidadãos desta terra”, o “senhor Jaime ganhou a questão em tribunal” e a “Junta de Freguesia ficou lesada no seu património”. No período de intervenção do público, Francisco Sá usou da palavra, para dizer que o que está no “depoimento é verdade”, à “exceção de uma coisa: a água não é privada”. Para o ex-autarca deve ter existido “um erro de tradução”, no entanto vai saber se, como testemunha, tem “acesso a essas informações”, pois, aquilo que “disse em tribunal” é que o terreno é privado e a água é pública”. “Hoje vou ser eu a adiar o problema. Não foi isso que eu disse, mas também tenho que ter resultados concretos daquilo que eu disse em tribunal”, concluiu. Em resposta, Joaquim Oliveira informou que, quando leu o documento, questionou “se era verdade” o que lá estava escrito, tendo tido “o cuidado” de ouvir

“três vezes a gravação”, sendo que, neste momento, não tem “dúvidas nenhumas do que está escrito”. No final, aconselhou-o, através do advogado, a “pedir uma cópia ao tribunal”. Para encerrar a Assembleia de Freguesia, esteve presente o Rancho Folclórico de Alvarelhos a cantar as boas festas aos presentes, desejando um bom Natal e prospero Ano Novo. Plano de Atividades e Orçamento aprovados por unanimidade O Plano de Atividades e Orçamento para o ano de 2013 também estiveram em discussão. O membro do PS, José Júlio, foi o primeiro a intervir, onde salientou o facto de o orçamento ter vindo “a baixar”, em função “daquilo que correm os tempos”, recordando que, em 2012, o orçamento era de “165 mil euros” e agora, para 2013, passou para “146 mil”.Aproveitando a palavra, José Júlio questionou o executivo sobre “o que é que vai fazer” no “alargamento e pavimentação da Rua 25 de Abril” e nas “acessibilidades na EB1 Giesta 1”, com “500 euros”, e na Rua das Mimosas, com “mil euros”. Já nas receitas correntes, “gostava de saber” o que era a venda de bens e serviços correntes, no valor de “150 euros” e nas “outras receitas correntes” de que eram os “seis mil euros”. Na “receita do cemitério” constatou que a “venda dos terrenos” rendeu “cinco mil euros”, mas que tinha “uma despesa de 20 mil”, perguntando ao executivo, onde se vai “buscar as restantes verbas”. Além disso, “gostava de saber do que era” a rubrica para o cemitério de “1500 euros”, que está no “orçamento de despesas corrente”. As últimas questões estavam relacionadas com as rubricas do “comércio e

turismo” na sinalização de trânsito e na reabilitação de fontanário, ambos definidos com uma verba de “cinco mil euros”. Em resposta, Joaquim Oliveira começou por dizer que o “orçamento vai baixando”, fruto “dos tempos em que vivemos”, onde a Junta de Freguesia “tentou que o orçamento fosse mais ou menos realista”. Relativamente às ruas 25 de Abril e das Mimosas, o autarca explicou que mesmo tendo “verbas pouco significativas”, deviam estar “inscritas no orçamento”, pois, se “houver possibilidade de executar essa obra”, estando “inscrita no orçamento”, a Junta de Freguesia, em reunião, pode “fazer alterações de cabimentos”. Já na rubrica “venda de bens e serviços”, os “150 euros” estão como “receita corrente”, porque “tem a ver com pequenos serviços que são solicitados à Junta de Freguesia”. Relativamente às “outras receitas correntes de seis mil euros” é a totalidade de “duas verbas importantes”, em que uma corresponde à “venda de terrenos de cemitério de cinco mil euros e outras não definidas de mil euros”. Quanto ao cemitério, o executivo da Junta prevê gastar “1500 euros” de despesas de manutenção, estando os “20 mil euros”, mencionados em despesa de capital, relacionados com “as obras que a Junta tenciona fazer durante o ano de 2013”. Já o valor de “cinco mil euros” definidos para a sinalização de trânsito, Joaquim Oliveira afirmou que se tratava das “placas indicativas”, há “muito reclamadas à Junta”. No que diz respeito à verba do fontanário, o autarca declarou que “não está especificado” nenhum, mas que apenas existe “uma verba previsível para fazer a reabilitação”, caso seja necessário “intervir a qualquer momento”. “Os fontanários são situações que, por vezes, ocorrem problemas que nos obrigam a ter que agir no imediato. Exemplo do Fontanário da Costa que tem dado montes de problemas, estamos sujeitos que dê problemas a qualquer momento. Se houver necessidade de intervir a qualquer momento, tem que se ter verbas inscritas”, concluiu. No fim da discussão, o Plano de Atividades e Orçamento para 2013 foi posto à votação aos membros da Assembleia de Freguesia, que o aprovaram por unanimidade.


8 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

30 percorreram Rota dos Anfíbios A ADAPTA – Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa organizou, durante a manhã de domingo, a Rota dos Anfíbios em Covelas, que contou com a participação de 30 pessoas. O “mau tempo” não demoveu os 30 participantes, das “diversas faixas etárias”, de percorreremaRotadosAnfíbiosemCovelas. Durante o percurso, que começou na Capela de S. Gonçalo, foi possível verificar “uma represa de água”, nos montes de Covelas, que serve para “o combate a incêndios florestais, passando pelo antigo complexo Lar do Emigrante e por “um

ribeiro com características únicas no concelho”, que serve de “'casa' a uma fauna ainda abundante e que é preciso preservar”. Segundo Pedro Daniel Costa, presidente da ADAPTA, apesar das “condições climatéricas”, a atividade teve uma balanço “positivo”, realçando “ a boa disposição e o interesse dos participantes” em conhecer uma das freguesias. “Foi engraçado verificar os participantes a superar os diversos obstáculos impostos pela natureza bem como alguns feitos pela ação do homem. Estes montes de Covelas proporcionam uma caminhada agradável onde foi possível admirar as paisagens bem como praticar um

Mau tempo não demoveu participantes

pouco de exercício, dado ao relevo local, que foram descodificados pela geóloga Ana Araújo”, contou. Segundo a geóloga, a biodiversidade que o nosso concelho apresenta “não é o único tesouro natural a apreciar nestes passeios”, “o património geológico” também se mostra, embora que “de uma forma mais tímida”, podendo “passar-nos despercebido”. “A bio e a geo unem-se numa simbiose perfeita, influenciando os processos inerentes a ambas as esferas”, salientou. O presidente da associação salientou ainda “a presença de nove espécies de anfíbios”, que estão catalogados pela ADAPTA e que vai servir de “laboratório natural” nos próximos workshops noturnos. A bióloga Joana Torres explicou a “importância destes seres vivos”, mostrando “alguns destes exemplares”, mencionando que, na nossa região, ainda podemos encontrar “um grande número de espéci-

es de anfíbios”, como por exemplo a salamandra-de-pintas-amarelas, o tritão-deventre-laranja, a rã-verde e o sapo-comum. Nas “águas limpas de alguns ribeiros de Covelas” é possível encontrar a Rã-ibérica (Rana ibérica) e a salamandra-lusitânica (Chioglossa lusitânica). “Os anfíbios são animais que, durante o seu ciclo de vida, alternam fases aquáticas e terrestres, caracterizam-se por ter pele nua que como função respiração, regulação e proteção. Em Portugal podemos encontrar duas ordens de anfíbios os anuros (rãs, sapos e tritões) e urodelos (tritões e salamandras)”, explicou. Para Pedro Daniel Costa foi “pena o tempo” que se fez sentir nesse dia, pois “não trouxe mais gente ao evento”. A próxima atividade vai ser realizada em Santiago de Bougado, onde vai ser possível “verificar espécies de vegetação autóctone e alertar para a sua importância no nosso ecossistema”. P.P.


20 de dezembro de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 9


10 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Assembleia de S. Martinho viabiliza orçamento Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Orçamento e plano de atividades para 2013 foram aprovados na Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado. José Sá anunciou a intenção de fazer um novo alargamento no cemitério. A Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado aprovou o orçamento da Junta para 2013, com os votos contra do PSD. A maioria dos elementos socialistas viabilizou um documento mais comedido no orçamento corrente e mais ambicioso no orçamento de capital, relativamente ao projetado para 2012. Dos 285 mil euros que o executivo liderado por José Sá prevê gastar em despesas de capital, a maior fatia vai para os viadutos, arruamentos e obras complementares: 206.500 euros. Ao apresentar o plano de atividades para o próximo ano – que mereceu os votos a favor do PS e abstenção do PSD - o presidente da Junta de Freguesia anunciou a pretensão de proceder a um novo alargamento do cemitério, já que depois da última obra de ampliação em 2010, das “170 sepulturas que foram criadas, apenas cerca de 50 estão livres”. “Temos uma verba para aquisição de uma área de terreno para alargamento, que resolverá o problema para muitas décadas”, afirmou, ressalvando que “os anos de crise” que se

aproximam “talvez não possibilitem pensar na construção de um cemitério de raiz”. Considerando o plano de atividades “o mais ambicioso”, porque 2013 “será ano de eleições”, o social-democrata Jorge Campos ripostou um novo alargamento do cemitério, considerando que com ele o executivo está a “encher os terrenos mais nobres da freguesia”. “Com o dinheiro que vamos gastando às pingas para os alargamentos já tínhamos juntado dinheiro para comprar um terreno noutro lado, se calhar bem maior do que no centro da Trofa”, frisou, acrescentando que José Sá “teve muitos anos para resolver esta situação” e que “é preciso ambição”. Em resposta, o autarca afirmou que foi ele próprio quem “se empenhou para resolver este problema”. “Passaram por cá vários presidentes de Junta, mas não conheço um que, neste interregno desde 1990 até hoje, se empenhasse em resolver esta situação. Acho que estamos a atuar bem, da forma mais económica”, asseverou. Outras das obras anunciadas para 2013 foram a ligação da Rua Conde S. Bento à Rua Costa Ferreira e a demolição do pontilhão junto à Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques. Depois de questionado por Renato Faria, do PSD, José Sá esclareceu que estas intervenções são possíveis graças a “uma autorização da REFER mediante o pagamento de uma renda de 150 euros por ano”.

No plano de atividades, a Junta de Freguesia pretende, entre outros, requalificar as ruas António Reis Areal, Aires Bandaria, S. João de Brito, S. Sebastião, António Sérgio, da Barca (serve a zona industrial do Vau) e a da Guiné. José Sá anunciou para “o início de 2013” a requalificação do parque infantil da Urbanização da Barca. Aí, o executivo quer ainda construir balneários, mas salienta a necessidade de ter “a colaboração da Câmara Municipal”. Em 2013, os cortes financeiros vão-se sentir na Feira Anual da Trofa cujo orçamento de 2013 vai sofrer um corte de 43 por cento, relativamente a 2012. Também com os votos favoráveis do PS e contra do PSD, foi aprovado o Plano Plurianual de Investimentos. A questão social e a execução orçamental Na discussão do orçamento para 2013, Jorge Campos quis ver discriminadas as entidades que estariam integradas na rubrica “outros” na atribuição de subsídios, na qual constavam 9500 euros. Vasco Pereira, tesoureiro da Junta de Freguesia, explicou que, atualmente, “há dois protocolos”, um com a Cruz Vermelha (500 euros) e outro com os Escuteiros (5 mil euros), para estes conseguirem construir a sede. Sobre a rubrica “outros”, o tesoureiro afirmou que se trata de uma verba a atribuir “às instituições que apresentem um plano de atividades relevante”. A questão sobre se o subsídio de 120 mil euros a ser atribuído pela Câmara Municipal está contratualizado, Vasco Pereira respondeu que não, mas que se trata de um valor “que tem por base a colaboração em alguns investimentos, como a ligação das ruas Conde S. Bento e Costa Ferreira e a demolição do pontilhão”. Mas, a execução orçamental, sobretudo no que às verbas correntes diz respeito, não convence Jorge Campos, que considera que “para 2012, a Junta esperava gastar 403 mil euros e para o próximo prevê gastar 498”, ou seja, “mais dinheiro em despesas correntes”. “Faltou explicar por que é que relativamente ao que estava previsto (para 2012), já gastamos 120 por cento e até ao fim do ano vamos chegar aos 130. Isto assusta, porque mostra que não têm capacidade de previsão para o que é gastar o dinheiro público e o mais fácil é controlar as despesas correntes.

Assembleia durou três horas e meia

Tem que haver um esforço para diminuir os gastos”, sublinhou. Vasco Pereira contrapôs, justificando que o executivo “não atira o dinheiro ao ar” e que estas são “despesas necessárias”. O social-democrata viu ainda as explicações sobre a execução orçamental de 2012 ser adiada para abril de 2013, na assembleia dedicada a essa discussão, quando afirmou ser “preocupante” o facto de a Junta, até 30 de novembro deste ano, ter executado 43 por cento das despesas de capital, ou seja, verbas gastas para obras. O elemento “laranja” criticou ainda o facto de um terreno na Gandra que, inicialmente, foi a leilão com base de licitação de 50 mil euros, esteja neste momento com preço mínimo de 25 mil euros: “Com este valor estamos a dar o terreno. Estamo-nos a desfazer de património da freguesia por tuta e meia e não faltam associações que queiram fazer lá a sua sede”. Aprovada cedência de terreno à APPACDM Há anos que a direção da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) da Trofa se deparava com um obstáculo difícil de ultrapassar. Com parte dos edifícios construídos instalados num terreno da propriedade da Junta de Freguesia, era impossível requerer licença de habitabilidade e outros documentos. No entanto, este problema está prestes a ser resolvido, já que a Assembleia de Freguesia aprovou, por unanimidade, a cedência do terreno à instituição. A contrapartida que os dois partidos sugeriram é a de que caso a APPACDM cesse atividade ou ultrapasse os limites da legalidade o terreno deverá ser devolvido à Junta de Freguesia. No período de intervenção do público, António Leitão, presidente da instituição, afirmou que essa cláusula “não aflige, porque a intenção é boa e é para a APPACDM continuar a dar apoio

conforme tem feito até hoje”. “Quando construímos, conseguíamos fazer acordos com a Segurança Social e o Ministério da Educação, mas agora não. Precisamos da licença de habitabilidade e outros documentos e esbarramo-nos neste problema. Entretanto, compramos um terreno onde construímos a residência, que há dez anos foi inaugurada, mas que está fechada porque não tem licença”, explicou. António Leitão referiu ainda que a direção da APPACDM “pediu a um topógrafo para fazer um levantamento exaustivo do terreno e construção para fazer um novo projeto e pedir à Câmara para licenciar”. “Assim teremos tudo legalizado e a residência poderá abrir”, sublinhou. Também Jorge Guilherme, “sócio e um dos elementos fundadores” da APPACDM, interveio para “agradecer à Junta de Freguesia a atitude que tomou, assim como ao PS e PSD”. Voto de louvor a Isabel Cruz aprovado Antes da ordem do dia, foi aprovado um voto de louvor apresentado pelo PSD ao membro da própria bancada, Isabel Cruz, que foi nomeada pelo Governo para ocupar o cargo máximo da Direção Regional de Educação do Norte, que foi aprovado com a abstenção da própria. Foi ainda apresentada uma moção de protesto, assinada pelos membros do PSD, na qual condenaram a “quebra de protocolo e regras institucionais aos convidados com funções de representação das altas instâncias da nação, nomeadamente do Governo” e a “desconsideração” de que Isabel Cruz “foi alvo por parte da Câmara Municipal” ao “ser ignorada nos discursos oficiais e descerramento da placa comemorativa” da inauguração da EB 1 de Paradela. O documento foi rejeitado pelos votos contra do PS que, pela voz de Daniel Lourenço, considera que essa é uma matéria que tem que ser tratada com a Câmara Municipal.


20 de dezembro de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 11


12 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Mau tempo provoca inundações

EN 14 esteve cortada num sentido devido ao volume de água Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Chuva intensa provocou inundações em vários pontos do concelho e causou o caos nas estradas. A chuva intensa que caiu no Norte do País provocou várias inundações um pouco por todo o concelho, durante o dia de sexta-feira, 14 de dezembro. Quer Bombeiros, quer Proteção Civil Municipal não tiveram mãos a medir para acorrer ao número de situações registadas. Durante a

tarde, a Estrada Nacional 14, junto à Câmara Municipal da Trofa esteve cortada no sentido Porto/ Vila Nova de Famalicão, devido ao volume de água na via. Na mesma altura, em Santiago de Bougado, a Estrada Nacional 104, junto à ponte da Vigenta, foi cortada ao trânsito, assim como na Rua Avelino Padrão, onde a água chegou a ter cerca de um metro de altura, inundando algumas casas. Os técnicos da Ação Social da autarquia estiveram no local para garantir o realojamento das pes-

soas afetadas, enquanto a situação não ficou resolvida. Cenário igual na Rua de Santiago, na Lagoa, onde as águas do rio Trofa transbordaram e tornaram a rua intransitável. Aí, a Polícia Municipal teve que retirar uma viatura que ficou presa. De manhã, na zona da antiga linha de comboio, no centro da cidade da Trofa, as águas escorreram para algumas casas e prédios, provocando inúmeros estragos. Também a Escola Secundária da Trofa teve de ser evacuada e encerrada devido à água que entrou para a cantina e outras divisões do edifício novo. A zona da nova Estação esteve mais uma vez inundada, assim como junto à Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques. Noutras ruas, algumas árvores e cabos de eletricidade caíram. Registou-se ainda a falta de eletricidade em algumas freguesias, nomeadamente S. Romão e S. Mamede do Coronado. Os Bombeiros Voluntários da Trofa foram chamados a intervir em cerca de dezena e meia de ocorrências, tais como quedas de árvores e inundações em habitações e empresas.

Arranjos exteriores na escola da Lagoa são presente de Natal Na Festa de Natal, os alunos da Escola Básica da Lagoa contaram com um presente no sapatinho. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, esteve presente na atividade e anunciou o início dos arranjos exteriores do estabelecimento de ensino, que devem começar durante as férias de Natal. Trata-se de uma intervenção que visa a colocação de um piso e uma cobertura, que vão permitir às crianças brincarem e praticarem desporto com mais comodidade. “Há muito tempo que esperamos por estas obras”, asseverou Pedro Carvalho, presidente da Associação de Pais, que espera que “o tempo ajude”. Joana Lima afirmou que “depois de anos de reivindicação por parte dos pais, foi possível aceder a este pedido”. “Sempre que nos é possível, sempre que tenhamos verbas disponíveis, canalizamo-las para criar o maior conforto e qualidade de vida às crianças”, frisou. A intervenção terá o custo de “cerca de 30 mil euros”. Com o mau tempo que se fez sentir na sexta-feira, 14 de dezembro, a festa de Natal acabou por não correr como a Associação de Pais esperava, com a suspensão do presépio preparado para o exterior da escola. No entanto, o balanço da atividade acabou por ser satisfatório, já que os pais aderiram e contribuíram para a angariação de fundos para a viagem de finalistas do 4º ano.


Atualidade 13

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Uma aldeia de Natal na Escola de Finzes Escola de Finzes transformou-se numa Aldeia de Natal, graças ao empenho dos pais, que trabalharam durante um mês para que “as crianças continuem a sonhar”. Por todas as escolas do concelho da Trofa, o sentimento das crianças era o mesmo. Para além de significar a aproximação do Natal, o último dia de aulas do primeiro período também trouxe os primeiros presentes. Apesar de demorado, o Pai Natal, ou melhor, os pais natais lá chegaram à Escola Básica e Jardim de Infância de Finzes, para entregar os presentes aos meninos. Apesar de assinalar que o Pai Natal demorou a chegar, Bruna Sá estava feliz por ter recebido

Meninos receberam a visita dos pais natais

um kit de maquilhagem. “Eu gosto muito de pinturas”, contou. JáAlexandre Rodrigues e Daniel Sá não demoraram para ex-

perimentar as pistolas, “de brincar” como frisou o segundo, que o Pai Natal oferecera. O cenário da escola asseme-

lha-se a uma aldeia de Natal. Para além das casas com neve, também não faltam as figuras alusivas à quadra. Tudo isto foi preparado pela Associação de Pais. “Esta festa foi preparada com muito trabalho, mas também com muito prazer, desde há um mês. Trabalhamos todos os dias, e dois fins de semana, para podermos dar esta alegria às crianças e criar uma aldeia de Natal. Eles saíram de cá numa sexta-feira e não havia cá nada. Na segunda-feira seguinte chegaram cá com isto tudo montado. Foi uma euforia”, descreveu António Ferreira, presidente da Associação de Pais. Este trabalho justifica-se “numa altura de crise”, pois os pais querem que, pelo menos, as crianças “continuem a sonhar”. C.V.

EB1 de Bairros Sessão de Curtas Associação de Pais na EB 2/3 de S. Romão promoveu Almoço de Natal Para comemorar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o projeto TER Prevenção da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa organizou, no dia 10 de dezembro, uma sessão de apresentação de curtas-metragens, elaboradas pelos alunos das turmas CEF (Curso de Educação e Formação) de Hotelaria e Restauração, CEF de Pastelaria e Panificação, ambas da EB 2/3 de S. Romão do Coronado, e a turma CEF de Operador de CAD (Desenho Assistido por Computador) da EB 2/3 de Alvarelhos. Bullying e gravidez na adolescência foram os temas abordados pelos alunos, que, ao longo das aulas de cidadania e mundo atual, elaboraram e filmaram curtas-metragens, que transmitem “a sua perceção sobre estas problemáticas, alertando para os perigos e soluções”. A esta iniciativa também se juntou um grupo de alunos da Oficina – Escola

Profissional do INA, que apresentou um vídeo de sensibilização para a solidariedade. Esta atividade, que foi o “culminar do trabalho realizado pelo projeto TER Prevenção junto das turmas”, foi “muito enriquecedora”, pois, além de mostrar a “perspetiva dos alunos face às problemáticas existentes na escola”, promoveu as “diferentes capacidades que possuem”. Os vídeos elaborados vão servir como “material de apoio” para “novas sessões de sensibilização/informação do projeto TER Prevenção” e como “apoio ao trabalho de outros técnicos da área”. Nesta sessão de apresentação, que decorreu na EB 2/3 de S. Romão do Coronado, marcaram presença Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, e os professores envolvidos neste projeto: Fernanda Santos, Ester Brandão, António Pereira e Abel Paulo. P.P.

“Cerca de 300 pessoas”, entre alunos e familiares da Escola Básica de Bairros, Santiago de Bougado, juntaramse num “almoço-convívio”, no domingo, dia 16 de dezembro. Pais e Mães Natais 'invadiram' o almoço de Natal da Escola Básica de Bairros, Santiago de Bougado, para espalharem o espírito natalício com músicas adequadas à quadra festiva. Também S . José, Maria e o recémnascido Menino Jesus estiveram no local, através de uma estrela brilhante que os guiou até aí. Estas foram as apresentações que os alunos da EB1 de Bairros fizeram no almoço de Natal, na Casa da Agra, na Maia, dinamizado pela Associação de Pais, com o intuito de promover “um momento de confraterniza-

ção” de “cerca de 300 pessoas”, entre alunos e seus familiares, que festejaram, assim, esta quadra natalícia. Mas festa de Natal que se preze, não pode faltar a figura tão emblemática desta época. O verdadeiro Pai Natal chegou, ao final da tarde, e distribuiu presentes por todas as crianças. O almoço foi ainda animado por um “espetáculo de circo”, onde foi proporcionado aos presentes momentos de magia e puro divertimento dos palhaços. António Ramalhete, presidente da Associação de Pais, afirmou que, pelo feedback que recebeu dos pais, estes estavam “contentes” pelo almoço de Natal. Como o ano passado a atividade “correu bem” e teve uma boa adesão, este ano, a associação decidiu organizar mais um almoço, que “correu muito bem”.

Almoço contou com atuações das crianças


14 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Presépios “recicláveis” na Escola de Portela Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

120 presépios feitos por materiais recicláveis embelezam um dos espaços da Escola de Portela, em S. Romão do Coronado. Pais foram desafiados a participar. A Nossa Senhora das Dores “saiu” do altar da Capela para fazer parte dos cerca de 120 presépios que estão em exposição na Escola Básica de Portela, em S. Romão do Coronado. Os alunos foram desafiados a dar largas à imaginação e com a família construíram presépios com materiais

recicláveis. O resultado não podia ser mais diversificado… entre cápsulas de café, a garrafas e papel, tudo o que se utiliza no dia a dia serviu para colocar a criatividade à prova. Beatriz Moreira assegurou que trabalhou “muito” na sua obra de arte, cuja criação passou pela utilização de “rolos de papel higiénico, uma bolota e uma caixa de sapatos”. Já Gonçalo Sá admitiu que “foi um bocadinho difícil” fazer o presépio com a ajuda da mãe, porque calhou-lhe a responsabilidade de “fazer a vaca”. David Silva mostrou, pela descrição, que teve uma participação ativa no processo de construCrianças apresentaram os seus presépios

ção do presépio: “Usei uma rede, caixas de vários tamanhos, papéis, fita-cola e palitos”. Já Fábio Dias utilizou “esferovite, um pacote de iogurte e de gelado” para construir o presépio, no qual os pais tiveram uma participação ativa e comandaram a operação. Os pais também aceitaram o desafio com entusiasmo e puseram mãos à obra. O caso de Caroline Silva é a prova do em-

penho dos progenitores, pois quando chegou a casa, já tinha o seu presépio feito. Para Filomena Silva, elemento da Associação de Pais, esta ideia é “muito interessante”. “Foi muito importante as crianças fazerem o presépio, mas mais ainda fazer com que toda a família participasse. Todos juntos conseguiram fazer os presépios que aqui estão. São todos diferentes, mas todos bonitos”, afirmou.

A ideia de fazer uma exposição de presépios nasceu na sala de professores e teve como objetivos “envolver a comunidade educativa no trabalho da escola e sensibilizar os alunos para a prática da reciclagem e boas práticas na conservação do ambiente”, referiu Pedro Vinhais, coordenador da Escola. A exposição está patente para os familiares dos alunos até ao dia 7 de janeiro. pub


Atualidade 15

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Savinor junta crianças em Festa de Natal Patrícia Pereira Hermano Martins

Centenas de crianças do Agrupamento de Escolas de Coronado e Covelas festejaram na quarta-feira, dia 12 de dezembro a quadra natalícia, na companhia do Pai Natal e do Duende.

O Pai Natal e o seu fiel companheiro Duende visitaram, uma vez mais, a Escola Básica 2/3 de S. Romão do Coronado para festejar a quadra natalícia junto das centenas de crianças dos jardins de infância e escolas básicas do Agrupamento de Escolas do Coronado e Covelas. O momento alto da festa para as crianças foi quando o Pai

Pai Natal e Duende entregaram lembranças às crianças

Natal apareceu e, com a ajuda do Duende, começou a distribuir lembranças. Esta é já a quarta edição da Festa de Natal organizada pela empresa Savinor, com o objetivo de proporcionar um “dia especial às crianças”, juntando “a parte lúdica com alguma aprendizagem adequada a estas idades”. Uma iniciativa que, segundo João Pedro Azevedo, presidente do Conselho de Administração da empresa Savinor, é realizado no âmbito do “programa de educação ambiental e do protocolo” que

têm com a escola. Relativamente a anos anteriores, o presidente acredita que esta festa contou com “mais crianças”, uma vez que a EB 1 de Vila, de S. Mamede do Coronado, também marcou presença. “Se todos os anos conseguirmos aumentar o número de crianças, cada vez mais a festa é maior”, afirmou. Mesmo o “contexto atual” do País não se prever para o melhor, João Pedro Azevedo informa que pretende manter “o apoio que tem dado” ao Agrupamento de Escolas de Coronado e

Covelas, mas com “algum equilíbrio”, pois é nestes momentos que se tem que estar “mais presentes”. “Exige que também tenhamos soluções criativas, para não se ter que resolver os problemas, única e exclusivamente, gastando mais dinheiro. Não queremos gastar mais dinheiro, mas vamos continuar a apoiar e a reforçar o nosso apoio com presença física, utilizando um bocadinho a criatividade e a inteligência”, concluiu mencionando que, se for necessário, veste-se de Pai Natal.


16 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Serviços de recolha de resíduos com alterações na quadra festiva

Danças e Cantares completam 27 anos

A Trofáguas – Serviços Ambientais, EEM informa os munícipes trofenses sobre a alteração no serviço de recolha de resíduos na Quadra de Natal e Ano Novo.

Decorria o ano de 1985, quando um grupo de jovens, “desejoso de corporizar um projeto que desse cobertura, em termos etnográficos, aos usos, aos costumes e tradições das gentes da região dos Bougados”, decidiu criar o que é hoje o Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado. No dia 20 de dezembro, a coletividade faz 27 anos de atividade, continuando a divulgar, de norte a sul do País, as tradi-

O serviço de recolha de resíduos da Trofáguas – Serviços Ambientais EEM, vai sofrer alterações durante o Natal e o Ano Novo. Nos dias 25 de dezembro e 1 de janeiro não haverá recolha de resíduos em nenhuma das freguesias do concelho. Nos dias 24 e 31 de dezembro, nas freguesias de Covelas, S. Romão e S. Mamede do Coronado, Santiago e S. Martinho de Bougado, também não há recolha, porque esta se realiza normalmente durante a noite. Nas freguesias de Guidões, Alvarelhos e Muro, a recolha de resíduos será feita excecionalmente da parte da manhã, nos dias 24, 26, 31 de dezembro e 2 de janeiro. Já nos dias 26 de dezembro e 2 de janeiro, os circuitos de recolha, excecional-

ções de Santiago de Bougado. De forma a festejar mais um ano, a direção do Danças e Cantares preparou uma “festa simples”, para o dia 23 de dezembro, domingo, que vai contar com individualidades, sócios, elementos e familiares. A festa começa, pelas 12 horas, com uma missa solene na Igreja Matriz de Santiago de Bougado, seguido de um almoço na sede da coletividade. P.P.

Associação com pronto-a-vestir solidário Nos dias 25 de dezembro e 1 de janeiro não há recolha

mente, serão efetuados a totalidade das duas freguesias. A partir do dia 3 janeiro de 2013, os serviços de recolha de resíduos retomam a normalidade. Durante esta quadra, a Trofáguas – Serviços Ambientais EEM pede a todos os munícipes que “adotem comportamentos

amigos do ambiente e depositem os resíduos nos contentores apenas nos dias em que haja recolha”. “A deposição dos resíduos fora dos contentores para além de prejudicar o ambiente e a imagem do concelho, é punível com coima até 350 euros”, concluiu fonte da empresa municipal.

“Contamos com a vossa solidariedade e apoio”. O pedido é da direção da Associação Gota d'Água, que, neste Natal, convida a comunidade a participar na criação de um “fundo de emergência” social. Para isso, basta dirigir-se ao pronto-a-vestir da instituição e adquirir peças que estão à venda a “preços significativos e atraentes”, a partir de

50 cêntimos. A loja social, instalada na Quinta de S. Romão, dispõe de peças novas, usadas e semiusadas, em “bom estado”, que foram doadas pela população e empresas privadas locais. “Até ao Ano Novo”, o pronto-a-vestir está aberto na parte da tarde, de segunda-feira a sábado. P.P.


20 de dezembro de 2012

Atualidade 17

www.onoticiasdatrofa.pt

Operação Natal arranca no dia 21 Vinte e cinco militares da Guarda Nacional Republicana da Trofa vão estar pelas ruas do concelho a realizar ações de fiscalização e de sensibilização, no âmbito da Operação Natal. A ação começa pelas 00 horas dia 21 de dezembro e termina às 00 horas do dia 26. Com a Operação de Natal, os militares pretendem fiscalizar e sensibilizar os condutores para a utilização do cinto de segurança, a não ingestão de bebidas alcoólicas e a não utilização do telemóvel ao volante, sendo ainda realizado o controlo de velocidade. Viatura furta em S. Martinho Uma viatura de marca MG estava estacionada na via pública, quando foi furtada. O furto que ocorreu na Rua Jornal da Trofa, em S. Martinho de Bougado, terá sido perpetrado entre as 15 horas do dia 13 e as 8 horas do dia 14 de dezembro. O caso foi entregue à Guarda Nacional Republicana da Trofa. Furto a residência rende 20 mil O interior de uma residência em construção foi alvo de furto durante a madrugada do dia 14 de dezembro.

Os amigos do alheio visitaram uma residência em construção, situada na Avenida de S. Gens, na freguesia do Muro, de onde furtaram alguns eletrodomésticos, nomeadamente máquina de lavar louça, exaustor e placa vitrocerâmica. O roubo está avaliado em aproximadamente 20 mil euros. A Guarda Nacional Republicana da Trofa, que ficou a cargo da ocorrência, não encontrou indícios de arrombamento. Detido em flagrante a furtar alumínio Um homem foi detido em flagrante, na manhã de quarta-feira, dia 19 de dezembro, quando estava a furtar várias peças de alumínio, na antiga estação da CP da Trofa. A patrulha da Guarda Nacional Republicana da Trofa estava a passar no local, quando, apercebendo-se de movimentações anormais, se dirigiu às antigas instalações da estação da CP e deteve um homem em flagrante a furtar várias peças de alumínio, cujo o valor ainda não foi apurado. O indivíduo, de 26 anos e natural de Ribeirão, foi notificado para comparecer em tribunal pelas 14 horas de quarta-feira no entanto não o fez. P.P.

Jantar daAssociação Humanitária une famílias Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa cumpriu a tradição e promoveu o jantar de Natal, onde as famílias de voluntários e colaboradores se uniram para confraternizar. “Há tradições que são para se manter e esta festa da família é uma das que se deve manter”. É desta forma que Pedro Ortiga defende a continuidade do jantar de Natal da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa (AHBVT), a que preside. No sábado à noite, cerca de 280 pessoas encheram um salão do edifício sede da associação para unir as famílias de voluntários e colaboradores. “Este é um momento em que conseguimos reunir a família e uma forma de lhes dizermos obrigado por todas as horas, muitas e muitas horas ao longo do ano, que estas pessoas trabalham em prol desta associação e desta comunidade”, afirmou durante o jantar em declarações ao NT.

Para além do bacalhau, que segundo o feedback de alguns convidados “estava muito bom”, houve presentes para as crianças e música para animar a noite, com um convite para contemplar o fado ou para dar um pezinho de dança. É desta forma que a corporação e equipa da creche e jardim de infância se despedem de mais um ano de trabalho em prol da AHBVT. Dois mil e treze adivinha-se “um ano bastante difícil”, mas Pedro Ortiga e a restante equipa mantêm “a esperança, a tranquilidade e a força de vontade para o vencer e continuar a cumprir a missão da associação”. Os projetos para o próximo ano passam pela “beneficiação de algumas das nossas instalações, aquisição de uma nova viatura e reforço da formação do corpo de bombeiros e a sua operacionalidade”. Pedro Ortiga considera que “2012 foi um ano solidário”, pois “a população continua a reconhecer esta associação e a sua missão dentro e fora do município”, mas espera que “em 2013 a AHBVT continue a ter esse apoio, pois o objetivo é beneficiar todos”.


18 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Trofense perde com Benfica B Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Trofense perdeu com Benfica B, este domingo, e permanece no penúltimo lugar da Liga de Honra. Na 18ª jornada da Liga de Honra, o Trofense foi ao Estádio da Luz defrontar o Benfica B. A equipa da casa começou mais perigosa e logo aos cinco minutos, podia ter marcado não fosse a atenção de Marco Gonçalves e, depois, de Tiago Lopes. Perto dos dez minutos, o defesa do Trofense esteve envolvido no primeiro lance duvidoso do jogo, mas o árbitro Jorge Tavares mandou seguir. Marco Gonçalves teve uma tarde de trabalho e várias vezes foi colocado à prova. Depois de Sidney ter cabeceado perto da

baliza, o Trofense lá deu o ar da sua graça, com um remate de João Amorim, ao qual o guardião Mika respondeu com prontidão. Para fechar a primeira parte, Ivan Cavaleiro também testou a pontaria, mas o remate saiu ao lado. No regresso ao relvado, o Benfica voltou a estar melhor no jogo e prova disso foram os remates de Cláudio Correia e Luís Martins. Mas o golo encarnado parecia inevitável. Depois de segurar o empate, o Trofense acabou por sofrer num lance caricato, no qual Marco Gonçalves e Tiago Lopes foram protagonistas. Luís Martins cobrou o livre e quando tudo indicava que Marco Gonçalves tinha segurado a bola, esta acabou por escapar por entre as pernas. Na tentativa de a afastar da linha de golo, o guarda-redes acabou por fazer a bola bater nas pernas de

Marco Gonçalves estava inconsolável com o golo sofrido

Tiago Lopes, acabando por entrar na baliza. A equipa da Trofa mostrou incapacidade para responder ao golo sofrido, enquanto o Benfica, ao cair do pano, podia ter ampliado por Ivan Cavaleiro, mas sem sucesso.

Na análise à partida, o técnico-adjunto Vítor Oliveira considera que o resultado mais justo “seria o empate”. “Por aquilo que fizemos não merecíamos perder e custa-me perder desta maneira. Estes jogadores tudo fizeram para inverter a situação. De qual-

quer forma, acho que deixamos uma boa imagem e acreditamos que vamos sair desta situação”, frisou. Já Luís Norton de Matos sublinhou o triunfo “suado” conseguido, mesmo “com várias ocasiões para conseguir marcar mais cedo”. “As equipas que estão na cauda da classificação, lutam desesperadamente pelos pontos, pelo que não há muita diferença entre uma equipa que está em penúltimo ou em 7º lugar”, afirmou. Depois de acordar um contrato até ao fim da época, Micael Sequeira, o novo treinador do Trofense, percebeu que tem muito que trabalhar para tirar a equipa do penúltimo lugar, onde permanece com 14 pontos, menos um que o “lanterna vermelha” Freamunde. Na próxima jornada, a disputar a 23 de dezembro, o Trofense recebe o Feirense.

Micael Sequeira sente “orgulho” por treinar Trofense Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Micael Sequeira fez o primeiro treino no comando do Trofense na terça-feira. António Freitas, Vítor Oliveira e Tiago Veiga completam a equipa técnica. Depois da primeira e única experiência no futebol profissional ao comando do Desportivo das Aves, entre 2009 e 2011, Micael Sequeira abandonou o cargo que ocupava no Famalicão para abraçar um novo desafio: treinar a equipa do Clube Desportivo Trofense. O técnico de 39 anos orientou o primeiro treino na terça-feira e no final garantiu aos jornalistas ter ficado “bastante agradado” com os atletas. Sequeira começa esta nova fase da carreira com “entusiasmo” e sente-se “orgulhoso por estar neste

clube”. O treinador, que assinou contrato até ao final da temporada, encarou o convite da direção do Trofense como o rumo natural na carreira de um treinador, propondo-se a fazer “o melhor possível”, que passa já “por ganhar o próximo jogo”. Prefere não rotular a vinda para o Trofense como o maior desafio da carreira, pelo trabalho que tem ela frente para retirar a equipa dos lugares da despromoção, mas sim “encarar o presente e pensar no futuro”. Apesar de “para já” contar com o plantel atual, Micael Sequeira não fechou a porta a possíveis contratações durante o mercado de inverno. “São questões que iremos tratar futuramente. Neste momento, o que me interessa é o próximo jogo, que é muito importante e, desde já, apelo a que toda a gente da

Trofa, que gosta do clube, que venha apoiar-nos, porque de facto sempre que vinha cá, sentia bastante entusiasmo e era um campo muito difícil de jogar”, sublinhou. E, quanto ao valor dos atletas, acrescentou: “Os jogadores são excelentes profissionais”. Micael Sequeira não deixou de “elogiar” o ex-treinador do clube, Neca, que é “uma referência”. O treinador adiantou que vai “aproveitar tudo de bom que foi feito” e “implementar, aos poucos, outras ideias”. A acompanhá-lo neste projeto, Micael Sequeira terá António Freitas (adjunto), Vítor Oliveira (treinador de guarda-redes), que orientou o grupo depois da saída de Neca, e Tiago Veiga (preparador físico). Em declarações ao site oficial do clube, Paulo Melro, presidente do Trofense, afirmou que

Micael Sequeira (2º à dir.) lidera equipa técnica

a escolha de Micael Sequeira prendeu-se com o facto de “desde a primeira hora, ter mostrado disponibilidade e vontade de agarrar este projeto” e tendo em conta o “rigor financeiro” com que

o clube tem que trabalhar. “Era alguém que nos dava garantias de ter aquilo que nós precisamos de trabalhar no campo e na equipa”, asseverou. Veja a entrevista do treinador na íntegra em www.trofa.tv.


www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Bougadense empata com Crestuma Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Bougadense empatou a três golos com o Crestuma e, com 13 pontos, ocupa o 14º lugar da série 1 da 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. À entrada para a 13ª jornada, o treinador do Bougadense, Pedro Pontes, tinha trabalho redobrado para motivar uma equipa que tinha sido goleada na última ronda. Diante do Crestuma, a formação de Santiago de Bougado entrou receosa e acabou por sofrer um golo, mas a reação foi imediata. Tó Maia, com dois golos, e Fábio Moura, com um, colocaram o Bougadense na frente do marcador ainda na primeira parte, dando a entender a vontade do plantel em inverter a série negra de resultados, com cinco desaires consecutivos. No entanto, na etapa complementar, ou por subestimação ou por receio de perder os três pontos, a equipa bougadense acabou por recuar no terreno e ceder o domínio da partida ao Crestuma, que não se fez rogado e aproveitou para empatar, com dois golos, que estabeleceu o resul-

tado final em 3-3. No final do jogo, Pedro Pontes afirmou que foi “o resultado possível”. “Acho que acaba por ser justo o empate, pelo que as equipas fizeram. É um resultado aceitável, devido às contrariedades que temos tido. Vínhamos de cinco derrotas consecutivas e hoje (domingo) conseguimos interromper esta tendência”, afirmou. O técnico salientou que tem tido dificuldades na gestão do plantel, devido às lesões e castigos. Para a partida com o Crestuma, Pedro Pontes tinha um guarda-redes “equipado” como jogador de campo. “Vamos passar o Natal e pode ser que alguns atletas fiquem melhores e daqui a 15 dias temos mais um jogo fora de portas, que queremos vencer”, frisou. Por seu lado, António Oliveira, treinador do Crestuma, considerou o empate ajustado, no entanto “sabe a pouco” pelo que a equipa produziu na segunda parte. “Contudo é de louvar que o Bougadense tenha uma equipa muito jovem, mas forte, e neste campo só com o S. Félix e o Valadares é que perderão pontos”, salientou. O Bougadense está na 14ª posição, com 13 pontos, e volta a jogar a 30 de dezembro, no reduto do Leverense.

Desporto 19

Romanenses sofreram pesada derrota

Equipa romanense sofreu cinco golos Diana Azevedo

Cinco golos contra apenas um dos romanenses, foi o resultado da partida disputada em Melres. Os visitantes tiveram uma primeira parte mais forte, contudo a desmotivação traçou o infortúnio da equipa de Pedro Ribeiro. Em Melres, o Futebol Clube de S. Romão entrou em campo algo melindrado e a insegurança deu azo a um golo rápido da casa, logo aos dois minutos da partida, num pontapé de Santos.Apesar da entrada triunfante da casa, a equipa de Pedro Ribeiro concentrou-se e começou a tomar um ascendente do jogo. O 1-1 chegou na meia-hora de jogo, através de um cruzamento de Araújo para o segundo poste, onde Renato deu o toque final. Volvidos alguns minutos, a árbitra Sandra Nogueira decidiu uma grande penalidade a favor do Melres, que David defendeu com grande empenho. Pouco antes do intervalo, Vítor Moreira conseguiu fazer o 2-1, num lance que os romanenses alegam ser fora de jogo. Se durante a primeira parte o S. Romão conseguiu evidenciar-se, no segundo tempo a equipa foi perdendo o rumo e a desmotivação passou a ser vidente a

partir do terceiro golo sofrido, aos 50 minutos, resultado da progressão de Vítor Moreira. O sector ofensivo do Melres era bastante dinâmico e surpreendia os romanenses, pelo que, entre os 60 e os 70 minutos, mais dois golos de bola corrida surgiram. Primeiro foi Santos a bisar e depois Igor Lopes assinalou o último tento. O treinador do S. Romão referiu que, na primeira parte, viu-se “uma equipa desinibida e com vontade de ganhar”, mas o trio de arbitragem “desmotivou”. “Tivemos duas oportunidades flagrantes para concretizar o golo na primeira parte, além de defendermos um penalti que foi injusto”, afirmou. Para Pedro Ribeiro, a equipa entrou “bem” na segunda, mas, ao sofrerem o terceiro golo, “a equipa desintegrou-se”. “O Renato ainda teve a possibilidade de marca, mas não fomos felizes”, salientou. De uma forma geral, o treinador romanense mostrou confiança na atitude da sua equipa, contudo “há sectores que precisam de mais atenção e para isso os treinos são fundamentais”. A próxima jornada realiza-se no próximo domingo, dia 15 de dezembro, pelas 15 horas, onde a equipa de S. Romão recebe o Clube Desportivo de Portugal.

Camadas Jovens CD Trofense Juniores A 2ª Divisão Nacional Sp. Espinho 2-3 Trofense (3º lugar, com 27 pontos) Juvenis A 1ª Divisão Nacional AD Barroselas 2-2 Trofense (8º lugar, com 13 pontos) Iniciados A 1ª Divisão Nacional Varzim 4-2 Trofense (5º lugar, com 20 pontos) Iniciados B Des. Aves 7-0 Trofense (11º lugar, com 15 pontos) Infantis 11 Trofense 4-0 Avintes (8º lugar, com 22 pontos)

Infantis 7 AMCH Ringue 2-6 Trofense (2º lugar, com 16 pontos) Escolas FC Foz 1-4 Trofense (2º lugar, com 23 pontos) Trofense B 3-1 Arcozelo (8º lugar, com 11 pontos) Trofense 3-3 UD Valonguense (6º lugar, com 10 pontos) AC Bougadense Juniores Gondim-Maia 1-3 Bougadense (6º lugar, com 12 pontos)


20 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Celestino Pinho termina carreira de ciclista O atleta trofense Celestino Pinho terminou a carreira de ciclista profissional, aos 28 anos de idade. Decisão prende-se com “o atual panorama do ciclismo português”, que “não se coaduna com uma vida familiar estável”. “Não é fácil deixar uma coisa que sempre foi aquilo que mais gostei de fazer, sobretudo sabendo que tenho apenas 28 anos e poderia ainda ter algo mais para dar na modalidade”. Estas foram as palavras de Celestino Pinho que, em comunicado enviado à imprensa, anunciou, no sábado, dia 15 de dezembro, o fim da carreira de ciclista profissional.

O atleta trofense mencionou que foi uma decisão “muito ponderada”, tendo chegado à conclusão que, mesmo tendo em conta “os esforços de muitas pessoas ligadas à modalidade”, o “atual panorama do ciclismo português não se coaduna com uma vida familiar estável”. “Mesmo assim saio com a cabeça erguida e com muitas recordações boas destes nove anos de ciclista, recordações essas que devo às pessoas que sempre acreditaram em mim e me apoiaram, e às quais deixo o meu sincero agradecimento”, afirmou. O ciclista, que este ano competiu com as cores do Louletano-Dunas Douradas,

ainda não tem “planos imediatos” para o futuro, mas “pensa poder ficar ligado à modalidade”, uma vez que, apesar deste “abandono algo prematuro”, não sai “magoado” com o ciclismo. “Tinão”, como é conhecido no seio do pelotão nacional, é o atual campeão nacional de ciclocross e estreou-se como ciclista profissional, na temporada de 2003, com apenas 19 anos de idade, pelas mãos de Carlos Pereira na equipa Barbot, onde permaneceu durante três anos e na qual, segundo o próprio, “aprendeu muito com os ciclistas mais velhos da equipa”. Em 2007, passou pela equipa do Paredes, onde mereceu “um voto de confiança de Mário Rocha”. No ano seguinte, passou para a equipa algarvia, Louletano-Duras Douradas, onde se man“Tinão” é atual campeão nacional teve até ao presente ano.P.P.

DR

Sueca no Clube Slotcar da Trofa “Aproximar gerações num jogo de cariz tradicional e sobejamente conhecido” foi o principal objetivo da direção do Clube Slotcar da Trofa ao organizar um Torneio de Sueca. A atividade, “muito popular entre os mais velhos mas, simultaneamente, bem aceite pelos mais novos”, decorreu nas noites de sexta-feira e sábado, dias 14 e 15 de dezembro, na sede da coletividade. O torneio contou com a participação de “oito duplas”, entre associados e sim-

patizantes, e consagrou Bruno Oliveira e Nelson Rodrigues, que venceram a final frente a João Serra e José Fonseca. Segundo João Pedro Costa, presidente do Clube Slotcar da Trofa, a competição desenrolou-se num “ambiente de descontração e convívio”, ficando, no final, a “promessa de repetição de eventos similares”, onde possam “não só ser utilizadas as cartas, mas também outros jogos tradicionais como as damas ou o dominó”. P.P.


Desporto 21

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Equipa de Alvarelhos “é a mais forte do País”

Alvarelhos recebe prova nacional de powerlifting Onze equipas participaram na prova nacional de powerlifting, que decorreu em Alvarelhos. Equipa trofense soma títulos “há seis anos consecutivos”, diz presidente da WPC. A Academia Corpos, em Alvarelhos, já foi palco de inúmeras provas nacionais de powerlifting. Para isso, em muito contribui o facto de o gerente, Sandro Eusébio, ser presidente da WPC Portugal e organizador da competição. No domingo, realizou-se mais uma prova naquele local, que visa “eleger a melhor equipa nacional”. Cada equipa é composta por um máximo de quatro atletas, que competem nas diferentes categorias de peso. Mediante a sua participação, cada atleta vai arrecadando pontos que são somados na equipa. A que tiver mais pontos vence a prova. Na prova participaram 11 equi-

pas, num total de 39 participantes. Desengane-se quem pensa que esta é uma modalidade de homens, pois também as mulheres – e mesmo meninas – representaram o sexo feminino na competição. “Organizamos esta prova há 12 anos e todos os anos, pelo menos uma ou duas provas, são realizadas aqui no concelho”, afirmou Sandro Eusébio, salientando que “a equipa de Alvarelhos é a mais forte do País”, com “títulos consecutivos desde há seis anos”. O atleta e selecionador nacional, que destacou as “grandes prestações” dos portugueses no estrangeiro, lamentou o facto de a modalidade não ser valorizada em Portugal. “No último campeonato do mundo, em Las Vegas, mandei oito atletas que trouxeram três ouros, três pratas, um 3º e um 4º lugar. Os apoios são zero. Dizem que está mau, mas não es-

tá assim tanto, por que se assim fosse o futebol também estava. Acho que estamos no País errado”, frisou. Paulo Vilas Boas, de Guilhabreu, Vila do Conde, é atleta da Academia Corpos há nove anos e detém o título de campeão nacional há seis anos consecutivos. Contactou com a modalidade com 17 anos e oito meses depois participou numa prova ibérica, na qual arrecadou o 2º lugar. Hoje soma recordes em todas as categorias até aos 75 quilos. A “pedra no sapato” foi a participação no Europeu, na República Checa, onde foi desclassificado. “Para o ano, em junho, vou voltar participar, pois é em Portugal e espero ser apurado para o campeonato do mundo, na República Checa, em novembro”, contou. O atleta complementou a opinião do treinador no que respeita aos apoios à modalidade: “Ninguém nos dá nada. Temos que fazer um esforço, fazer poupan-

Sexo feminino esteve representado na prova

ças para comprar os equipamen- em dezembro de 2010 e tem cotos que são caros e fazer as mo objetivo “proporcionar compedeslocações”. tições de powerlifting, promovendo a competitividade, a expansão deste desporto e a formação O que é a WPC Portugal? e qualificação de atletas para as A WPC (World Powerlifting Congress) Portugal, presidida por competições internacionais orgaSandro Eusébio, é uma filial da nizadas pela WPC”. O Powerlifting é uma modalientidade fundada em 1986, por Ernie Frantz. É composta por 30 dade de peso que cruza os exercícios de halterofilismo e culturispaíses, que participam anualmente nos campeonatos do mun- mo e é composta por três provas: agachamento, supino e ledo. A WPC Portugal foi fundada vantamento terra.

Rui Pedro Silva tetracampeão da S. Silvestre O benfiquista Rui Pedro Silva foi o primeiro atleta a terminar os dez quilómetros de percurso da 19ª edição da corrida S. Silvestre do Porto. A corrida, que se realizou no dia 16 de dezembro, contou com cerca de dez mil participantes. A prova, com partidas e chegadas junto à Câmara Municipal do Porto, teve apenas uma volta. Vinte e nove minutos e 16 segundos foi quanto o cronómetro apontava no final da prova de Rui Pedro Silva, que lhe valeu a vitória. Para o atleta trofense, esta prova foi “a mais difícil de todas”, tendo que ir buscar “as poucas forças que tinha”, para terminar em 1º lugar. “Estive lesionado e entrar logo numa prova forte não é fácil. Tive que sofrer muito nos últimos três quilómetros para

Rui Pedro Silva regressou de uma lesão em grande nível

conseguir ganhar”, afirmou. Esta foi a quarta vitória consecutiva do atleta na S. Silvestre do Porto, o que, para si, é “bom” e um “orgulho”, considerando que esta prova é “uma das melhores” a nível nacional. O pódio completou-se com os dois atletas do Benfica, Alberto Paulo e Bruno Jesus, que se classificaram a dois e a nove segundos depois, respetivamente. Já em femininos, a sportin-

guista Catarina Ribeiro foi a vencedora, terminando a prova aos 33.40 minutos, derrotando as atletas individuais Inês Monteiro (33.57) e Sara Pinho (34.00). À semelhança do que aconteceu o ano passado, a prova não contou com a presença de atletas estrangeiros. Contudo, segundo Jorge Teixeira, organizador do evento, “esta edição bateu recordes de participações”.


22 Publicidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012


Anúncio 23

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Assembleia Municipal da Trofa EDITAL SESSÃO ORDINÁRIA DE 27 DEZEMBRO DE 2012 JOÃO LUÍS FERNANDES, Presidente da Assembleia Municipal da Trofa TORNA PÚBLICO, que no uso da competência que lhe é conferida pelo disposto na alínea b), n.º 1, do artigo 54º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro, conjugado com a alínea) b, do artigo 14º, do REGIMENTO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL se encontra convocado o Plenário desta Assembleia Municipal da Trofa, para uma Sessão Ordinária, que se realizará nesta Cidade, no próximo dia 27 de DEZEMBRO de 2012, pelas 21 horas, no Salão Nobre da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, com a seguinte Ordem de Trabalhos: PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA 1. Votação da ata número vinte e um, relativa à Sessão Ordinária de Assembleia Municipal, de 27 de setembro de 2012; 2. Votação da ata número vinte e dois, relativa à Sessão Extraordinária de Assembleia Municipal, de 03 de outubro de 2012; 3. Votação da ata número vinte e três, relativa à Sessão Ordinária de Assembleia Municipal de 27 de setembro de 2012 (2.ª reunião). 4. Leitura do expediente; 5. “Autorização genérica para dispensa de autorização prévia da Assembleia Municipal para compromissos plurianuais” (Lei n.º 8/2012, de 21 de fevereiro), informação reportada ao ano de 2012. 6. Outros assuntos de interesse geral para o Município PERÍODO DA ORDEM DO DIA 1. Apreciação da Informação escrita da Senhora Presidente da Câmara, acerca da atividade municipal, bem como, da situação financeira do Município; 2. Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) – Candidatura – Reformulação do Plano de Ajustamento Financeiro; 3. Contratação de empréstimo de reequilíbrio financeiro/PAEL, até ao montante de €13.758.048,39; 4. Plano Plurianual de Investimentos, Plano de Atividades Municipais, Orçamento, Proposta de Autorizações relativas à Execução Orçamental e Mapa de Pessoal para o Ano 2013; 5. Proposta para celebração de contrato de parceria pública entre o Estado e os Municípios da Região do Noroeste; 6. Proposta de Plano Diretor Municipal (PDM) da Trofa e respetiva alteração; 7. Estrutura Orgânica da Câmara Municipal da Trofa – Reorganização dos Serviços Municipais; 8. Contrato-Programa entre a Câmara Municipal da Trofa e a Trofáguas - Serviços Ambientais, E.E.M., para o Exercício de 2013; 9. Contrato-Programa entre a Câmara Municipal da Trofa e a Trofa-Park – Empresa de Reabilitação Urbana, Desenvolvimento Económico, Inovação Empresarial e Gestão de Equipamentos, E.E.M., para o ano 2013; 10. Aumento temporário de fundos – antecipação de receitas; 11. Autorização genérica para dispensa de autorização prévia da Assembleia Municipal para compromissos plurianuais (Lei n.º 8/2012, de 21 de fevereiro e Decreto-Lei n.º 127/2012, de 21 de junho) – ano económico de 2013; 12. Autorização prévia para a assunção de compromisso plurianual relativo à abertura de concurso público para aquisição de combustíveis, pelo prazo de 36 meses; 13. Concessão de exploração do estacionamento público de superfície, de utilização onerosa e de duração limitada, na cidade da Trofa; 14. Atribuição de despesas de representação aos titulares de cargos de direção intermédia de 2.º grau (Chefes de Divisão); 15. Pedido de Emissão de Declaração de Interesse Económico para o Concelho. Requerente: Quinta da Azenha – Atividades Hoteleiras, Lda.; 16. Pedido de Emissão de Declaração de Interesse Económico para o Concelho. Requerente: TUBEMBAL – Transformação de Papel, Comércio e Embalagens, S.A.;

17. Proposta de Protocolo de Delegação de Competências ente a Câmara Municipal da Trofa e a Junta de Freguesia de Alvarelhos – Repavimentação da Rua Santa Maria; 18. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada junto à Escola EB1 e JI de Paranho; 19. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de lugar de estacionamento para pessoa portadora de deficiência na Rua Raul Brandão, n.º 95; 20. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de lugar de estacionamento para pessoa portadora de deficiência na Rua António Fonseca Sampaio; 21. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de placa adicional indicativa do número de lugares reservados a pessoas portadoras de deficiência na Rua António Augusto Ferreira junto ao entroncamento com a Rua Júlio Dinis; 22. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de lugares de estacionamento para pessoas portadoras de deficiência, grávidas e acompanhantes de crianças de colo junto à Farmácia Moreira Padrão; 23. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de Sinalização nas Ruas António Augusto Ferreira, Infante D. Henrique (sentido vila do Conde/Trofa) e Júlio Dinis; 24. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de sinalização na Rua Vale do Coronado, na freguesia de São Mamede do Coronado; 25. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de sinalização no cruzamento entre as Ruas Eng. António Dias da Costa Serra, Alberto Pimentel e Abade António Gonçalves de Azevedo, na freguesia de São Martinho de Bougado; 26. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de sinalização na Rua Manuel Amorim, na freguesia de Santiago de Bougado; 27. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de sinalização na Rua Júlio Dinis, na freguesia de São Martinho de Bougado; 28. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de sinalização na Rua das Novas Empresas, na freguesia de Santiago de Bougado; 29. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito – Colocação de sinalização de regulação de Estacionamento na Rua Poeta António Nobre, na freguesia de São Martinho de Bougado; 30. Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa – Ordenamento do Trânsito - Colocação de sinalização na Rua do Passal, na freguesia de São Romão do Coronado; 31. Regulação de Estacionamento – Rua Vasco da Gama, na freguesia de S. Martinho de Bougado – Colocação de sinalização; 32. Sinalização contraditória na Alameda do Parque Dr. Lima Carneiro na freguesia de S. Martinho de Bougado – Retirada de sinalização; 33. Regulação de Trânsito – Rua e Travessa de Covêlos, na freguesia de Covelas – Colocação de sinalização; 34. Regulamento de Estacionamento – Rua da Lagoa, na freguesia de Santiago de Bougado – Colocação de sinalização; 35. Ordenamento do Trânsito do Município da Trofa Colocação de sinalização (passagem de peões) na Rua Central e na Rua do Outeiral, na freguesia de Covelas. PERÍODO DE INTERVENÇÃO DO PÚBLICO Em conformidade com o disposto no n.º 1 e n.º 4, do Artigo 27º, do REGIMENTO, uma vez encerrada a Ordem do Dia, será aberto ao público, um período de tempo até 30 minutos, destinado a eventuais intervenções para solicitação de esclarecimentos. Mais se publicita e de acordo com o artigo 13º do REGIMENTO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL que, na impossibilidade de terminar os trabalhos nesta data, os mesmos prosseguem no dia 03 de janeiro de 2013, pelas 21 horas. Para constar, se publica este e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos habituais. Assembleia Municipal da Trofa, 18 de dezembro de 2012 O Presidente da Assembleia Municipal, João Luís Fernandes


24 Anúncio

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

EXPROPRIAÇÃO DAS PARCELAS NECESSÁRIAS À EXECUÇÃO DO PROJETO DE “REQUALIFICAÇÃO DAS MARGENS RIBEIRINHAS DO RIO AVE – PARQUE DAS AZENHAS” - CÂMARA MUNICIPAL DA TROFA

EDITAL Nos termos e para os efeitos previstos na parte final do n.º1 e no n.º2 do artigo 17.º do Código das Expropriações (Lei n.º 168/99, de 18 de setembro), ficam notificados os proprietários e demais interessados de que Sua Excelência o Secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, por despacho de 17 de outubro de 2012, a pedido da Câmara Municipal da Trofa, aprovou a expropriação, com caráter de urgência, das parcelas a seguir identificadas:

A expropriação destina-se à execução do projecto de “Requalificação das Margens Ribeirinhas do Rio Ave – Parque das Azenhas”. Aquele despacho foi publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 210, de 30 de outubro de 2012. DIREÇÃO-GERAL DAS AUTARQUIAS LOCAIS (06/12/2012) O Subdiretor Geral, Paulo Mauritti


www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Necrologia Lousado Marília Rodrigues Pinto Faleceu no dia 7 de dezembro, com 78 anos. Ribeirão Bernardino da Costa e Silva Faleceu no dia 12 de dezembro, com 89 anos. Casado com Maria Guiomar Moreira da Silva. Maria dos Santos Azevedo Faleceu no dia 16 de dezembro, com 78 anos. Viúva de Fernando Moreira Dias Zulmira Dias da Costa Pereira Faleceu no dia 17 de dezembro, com 80 anos. Casada comAntónio Olímpio Gonçalves da Costa. Santiago de Bougado Maria Amélia Carneiro dos Santos Faleceu no dia 16 de dezembro, com 82 anos. Casada com José de Oliveira Torres. Funerais realizados por Funerária Ribeirense, Paiva e Irmão, Lda.

Santiago de Bougado

Rosa Peneda Dias Faleceu no dia 12 de dezembro, com 77 anos. Casada com António Pereira da Costa. S. Martinho de Bougado José Maria Lopes Marques Faleceu no dia 13 de dezembro, com 70 anos. Casado com Francisca Machado da Silva. Aurora da Costa Correia Faleceu no dia 14 de dezembro, com 77 anos. Casada com Manuel de Sá Calheiros. Santo Tirso Clarinda do Vale Dinis Faleceu no dia 15 de dezembro, com 78 anos. Viúva de José Carneiro Lousado-Vila Nova de Famalicão José Afonso Santos Faleceu no dia 16 de dezembro, com 56 anos. Casado com Albertina dos Anjos Martins Ferreira Funerais realizados por Agência Funerária Trofense, Lda. Gerência de João Silva

Necrologia 25


26 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Governo “aperta” com novas regras na emissão de faturação É já a partir de 1 de janeiro que passa a ser obrigatório a emissão de fatura em todas as transmissões de bens e prestações de serviços. Com esta medida, espera a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) alargar a base de imposto em cerca de 300 milhões de euros, por diminuição da fraude e evasão fiscal. São muitas as alterações introduzidas pelos Decretos-lei nº 197 e 198 de 2012, que definem novas regras e formas de procedimento na emissão de alguns documentos fiscais, dos quais desde logo se destaca a obrigatoriedade de emissão de fatura sempre que exista uma transmissão de bens e prestação de serviços, incluindo-se ainda os pagamentos antecipados. Ao mesmo tempo, limitam-se a 3, os tipos de documentos que podem ser legalmente emitidos para titular as operações tributáveis: fatura, fatura simplificada e documentos retificativos (notas de débito e de crédito). Com esta limitação, chegam assim ao fim algumas designações extremamente usadas, como as vendas a dinheiro ou até mesmo os talões de venda, estando mesmo previsto um quadro sancionatório para os infratores, que pode chegar aos 3.750 euros. No fundo, parece claro que o legislador pretende, não só uniformizar as designações utilizadas, limitando o uso de múltiplas terminologias, que por vezes eram incorretamente utilizadas potenciando fraude e evasão fiscal mas, acima de tudo, apostou numa redução que facilite a transferência de informação através de plataformas informáticas. As empresas veem-se, assim, obrigadas a comunicar os elementos da fatura à AT, quer por meio do envio do ficheiro norma-

Colégio “A Torre dos Pequeninos” assiste ao “Aladino - O Musical no Gelo” São muitas as alterações introduzidas

lizado “SAF-T” para quem é obrigado a ter programa certificado ou já tem sistemas de faturação preparados, quer por transmissão eletrónica através de inserção direta no portal das finanças para os restantes (incluindo-se aqui os que ainda utilizem suporte de papel), nos primeiros oito dias do mês seguinte à sua emissão - passa assim a AT a ter conhecimento do conteúdo das faturas, sem ter de recorrer a inspeções. Os mesmos decretos estabelecem adicionalmente um dever de cidadania, incentivando os adquirentes a “exigir” o cumprimento da emissão da fatura em “troca” de pequenos incentivos fiscais, permitindo deduções em sede de IRS (que podem chegar no máximo a 250 euros), correspondente a uma parte do IVA (5 por cento) suportado por qualquer membro do agregado familiar. Na prática, na aquisição de serviços e produtos sujeitos à taxa de IVA de 23 por cento, será preciso “juntar” com o número fiscal devidamente mencionado, 26.637 euros em faturas para se atingir tal benefício ou, dito de outra forma, por cada 100 euros de gastos podemos deduzir 94 cêntimos do IVA no IRS. O legislador optou por integrar esta medida de forma progressiva, dado o seu carácter inovador, abarcando

aquilo que entendeu ser os setores onde existe mais “economia informal” (não declarada): manutenção e reparação de automóveis e motociclos, alojamento, restauração, cabeleireiros e esteticistas, prevendo-se, no entanto, o alargamento em 2014, à generalidade dos setores. Para aliviar um pouco a medida para as empresas, é introduzida a “fatura simplificada”, sempre que se esteja perante uma venda efetuado por retalhistas e vendedores ambulantes a particulares de valor inferior a 1000 euros (IVAincluído) ou uma prestação de serviços que não ultrapasse os 100 euros, sendo no fundo muito idêntica aos extintos “talões”. Também está prevista a alteração ao regime dos bens em circulação, que entrará em vigor apenas em 1 de maio e que vem impor obrigatoriedade de comunicação prévia à AT dos elementos dos documentos de transporte, quer por transmissão eletrónica de dados, quer por telefone, passando assim a AT a ter conhecimento dos bens que estão em circulação a cada momento, facilitando a inspeção dos agentes e impedindo a destruição posterior de documentos. Ficam dispensados deste procedimento as empresas que no ano anterior não registem um volume de negócios superior a 100.000 euros, ou que, façam acompanhar os bens de emissão imediata de fatura. Na fiscalidade não existem “certezas absolutas”, pelo que imperam ainda muitas dúvidas interpretativas dos decretos, que já foram, e certamente serão ainda mais esclarecidas por parte da AT, pela emissão de ofícios, à medida que se vão levantando questões em concreto, pois cada empresa e ramo de atividade têm as suas especificidades. Fonte: JPC-Contabilidades

Uma iniciativa inserida no programa de celebração do Natal Nos dias 5 e 6 de dezembro, o “Colégio ATorre dos Pequeninos” presenteou os alunos do Jardim de Infância e 1º Ciclo com a peça de teatro musical “Aladino e a Gruta Mágica” que decorreu no Teatro Rivoli, no Porto. A peça, além de assentar num dos mais belos e preferidos contos infantis, teve a particularidade de se realizar no gelo. A aventura do Aladino, da princesa Jasmin (interpretado pela atriz Luciana Abreu), do feiticeiro malvado e do génio da lâmpada ganhou nova forma devido às diversas áreas artísticas que estiveram presentes ao longo de todo o espetáculo, como são exemplo a patinagem no gelo, a ginástica, a dança, o canto ao vivo e a magia. Tratou-se de um espetáculo único e dinâmico, que ultrapassou as fronteiras da imaginação e transportou as crianças pa-

ra um ambiente de sonho, emoção e fantasia. Todo este cenário proporcionou uma experiência mágica, que os alunos recordarão por muito tempo. “Foi um espetáculo incrível e diferente, pois o palco era uma pista de gelo... uma história de amor e magia contado com muita dança, luz e fantasia”, afirmou o aluno João Magalhães, do 3º ano. Ainda inserido no programa de atividades deste Natal, os alunos do Jardim de Infância visitaram a fábrica de chocolates Imperial, em Vila do Conde. A Creche reuniu-se num convívio familiar e os alunos do 1º, 3º e 4º ano do 1º ciclo apresentaram-se aos pais com um concerto de Natal de música erudita. Estas três turmas formaram um coro infantil que, com a participação especial de uma cantora lírica (Inês Sofia, professora de canto na Gulbenkian em Braga), interpretou peças de John W. Morgan, Berlin, Gounod, John W. Peterson e Leonard Cohen.

Desporto

Covelas vence S. Romão As equipas femininas do Futebol Clube de S. Romão e do Grupo Desportivo de Covelas, a militar na 1ª Divisão distrital, defrontaram-se para a 11ª jornada, no dia 15 de dezembro. As covelenses acabaram por ser mais fortes, vencendo o jogo por 2-1. Com este triunfo, a equipa de Covelas está na 7ª posição da tabela classificativa, com 13 pontos, enquanto a de S. Romão está no 10º posto, com três. Os infantis do Centro Recreativo de Bougado empataram a duas bolas com as Escolas Arreigada, num jogo a contar para a 12ª jornada da 2ª Divisão distrital. A equipa bougadense, que

está em 15º lugar com quatro pontos, desloca-se na próxima jornada ao reduto de Modicus Sandim, num jogo marcado para domingo. Os seniores da Associação Recreativa Juventude do Muro (ARJM) venceram a 11ª jornada, por 4-3, frente ao Grupo Desportivo Cem Paus. A equipa está no 9º posto da tabela classificativa da série 1 da 1ª Divisão distrital, com 15 pontos. Resultado diferente tiveram os juniores da mesma associação, que perderam, por 1-0, com a Associação Desportiva de Penafiel. A militar na 2ª Divisão Distrital, a equipa murense está na 7ª posição com 14 pontos. P.P.


20 de dezembro de 2012

Atletas do Vigorosa representam AAP no Campeonato do Norte Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Alice Oliveira, Ana Lopes, Jéssica Faria e Alexandre Sá apuraram-se, no sábado, dia 15 de dezembro, para o Campeonato do Norte de Triatlo Técnico de Pista Coberta, onde vão representar a Associação de Atletismo do Porto (AAP). A equipa de atletismo da Associação Cultural e Recreativa do Vigorosa participou, neste sábado, no Triatlo Técnico Jovem Regional, que se realizou no Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho, na Maia. O Triatlo Técnico é composto por três disciplinas de Atletismo: 60 metros barreiras, salto em comprimento e lançamento do peso. A classificação é obtida através do somatório dos resultados obtidos pelos atletas nas três modalidades. Em infantis, participaram Alice Oliveira, Ana Lopes e Jéssica Faria, que, no geral, se classificaram em 2º, 3º e 6º lugar, respetivamente, conseguindo o apuramento para representarem a Associação de Atletismo do Porto no Campeonato do Norte de Triatlo Técnico de Pista Coberta. Nos 60 metros barreiras, salto em comprimento e lançamento do peso, Alice Oliveira ficou em 3º, 3º e 2º lugar, respetivamente. Nas mesmas modalidades, Ana Lopes alcançou o 2º, 4º e 3º posto. Já Jéssica conseguiu a 7ª, 2ª e 11ª posição. Também Alexandre Sá, no escalão de iniciados, ficou apurado para o Campeonato do Norte de Triatlo Técnico de Pista Coberta, com o somatório do 6º lugar, em 60 metros barreiras, 7º em salto em comprimento, e 5º no lançamento de peso. No geral, ficou-se pela 4ª posição. No mesmo escalão, participou ainda Tiago Sá, que alcançou o 10º posto, através dos somatórios dos resultados nas três disciplinas. Já em juvenis, participaram Ana Oliveira e Sérgio Silva, que, no geral, classifi-

Opinião 27

www.onoticiasdatrofa.pt

caram-se em 10º e 16º posto, respetivamente. O Campeonato do Norte de Triatlo Técnico de Pista Coberta realiza-se em fevereiro, na pista de atletismo do Pavilhão do Parque de Exposições Municipal de Braga. Já Joaquim Figueiredo competiu na milha, no escalão de júnior, obtendo o 3º posto. Também na sexta-feira, dia 14 de dezembro, Deolinda Oliveira, Conceição Correia e António Neto participaram na S. Silvestre de Braga, no escalão de veteranos, onde se classificaram em 4º, 12º e 42º lugar, respetivamente. Ginásio da Trofa com bons resultados Também os atletas do Ginásio da Trofa deslocaram-se, no sábado, dia 15 de dezembro, à pista da Maia, Estádio Professor Dr. José Vieira de Carvalho, para participarem nos 600 metros e na milha. Em juvenis femininos, na prova dos 600 metros, Elsa Maia sagrou-se vencedora, com o tempo de 1,39 minutos. No mesmo escalão, mas na milha, Andreia Rodrigues e Ana Catarina Ribeiro alcançaram o 1º e 3º posto, respetivamente, com os tempos de 5,17 e de 6,01 minutos. Já em juvenis masculinos Tiago Silva conseguiu o 8º lugar nos 600 metros, com o tempo de 1,39 minutos, e Fábio Rodrigues a 5ª posição na milha, com o tempo de 5,10 minutos. No escalão de juniores masculinos, João Ferreira destacou-se com o 1º lugar na milha, com um tempo de 4,43 minutos. Já no domingo, os atletas deslocaramse à Foz, para participarem numa prova, onde, em infantis, José Silva ficou-se em 1º lugar e Filipa Sá em 5º. Também Bruno Sá (5º) participou pelo escalão pinguim masculino. Já em iniciadas femininas, Sara Teixeira e Khrystina conseguiram o 3º e 11º lugar, respetivamente.

Mensagem de Natal 2012 Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho. Quem acredita n’Ele tem a vida eterna (Jo. 3, 16) Só quem oferece Natal aos outros pode ter Natal para si. (Bispos de Portugal) Queridos amigos/as e irmãos/ás d’O Notícias da Trofa. No ambiente natalício que vivemos desejo estar presente na vida dos muitos, amigos e conhecidos, que de múltiplas maneiras partilham comigo a Missão em Ribaué, Nampula Moçambique. Quero que no meio das várias cartas, cartões, SMS, mensagens, e e-mails, apareça também a minha presença como sinal da amizade e gratidão que tenho por todos/as vós. Digo isto porque experimento no quotidiano da Missão a vossa presença: na oração, na solidariedade e na partilha de vida. Asseguro-vos que no meio do mundo em crise, no qual estamos a maior parte, tenho-vos presente diante do “Emanuel” o Príncipe da Paz! Comunico-vos mais um episódio da vida missionária, nesta quadre de Natal, com um abraço fraterno extensivo a todos os que mais amais. Santo Natal 2012 cheio de Deus e novo ano 2013 com todas as graças do Emanuel. Vosso irmão Alberto Vieira Na necessidade de caminhar diariamente por motivos de saúde estão a surgir novas oportunidades de evangelização. Eis mais uma: Ontem durante a caminhada matinal apareceu um cristão que descia a avenida do hospital. Dirigia-se a mim. Vinha eufórico e contente! Parei para o ouvir, como manda a cultura e como sinal de atenção e acolhimento. Porém, ele mesmo me disse: “pode continuar a andar. Eu caminho também para não fazer perder tempo ao meu padre”. Extravasou então o seu contentamento. A esposa estava na “casa mãe-espera” (como aqui se chama) mesmo ao lado da maternidade, aqui, no hospital de Ribaué, esperando dar à luz uma criança. Esperava, de novo, ser mãe. Dei-lhe também a ele os parabéns com o seguinte conselho: “se nascer menino o seu nome será Teófilo”. “Muito bem padre não esqueço: Teófilo” disse ele. Todos sabemos que Teófilo significa amigo de Deus. E continuei: “mas se for menina será Maria”. “Muito bem meu padre: Maria”, concluiu ele. Depois perguntei-lhe qual era a sua comunidade pois não me estava a lembrar dele e do local onde rezava. Respondeu-me: “Sou do bairro de Mulipiha e a minha comunidade é da Igreja União Batista”. Aí vi que não era católico e que tinha errado ao sugerir-lhe o nome de Maria para o caso de nascer uma menina. Na verdade aqui as igrejas protestantes não têm muito apreço por Nossa Senhora. Mas o conselho já estava dado. P. Alberto Vieira (bertovieira@gmail.com) Missionários Combonianos C. P. 821 3100 NAMPULA Moçambique Telm 00 258 825 899 587


28 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

20 de dezembro de 2012

Luzes de Natal para dinamizar comércio local

Iluminação custou 11.500 euros Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Câmara Municipal da Trofa reduziu o investimento na iluminação de Natal em 1050 euros, mas continua aposta na dinamização do comércio local, com animação natalícia. O espírito de Natal invadiu as pub

ruas do concelho da Trofa, que já se encontram iluminadas com os símbolos da época. Dourado e azul são as cores que imperam na árvore de Natal, que está situada na rotunda do centro da cidade. É também em dourado, que a Câmara Municipal da Trofa deseja as Boas Festas a todos os seus munícipes. Devido à “situação de conten-

ção económica” em que a autarquia trofense se encontra, este ano, o investimento da iluminação de Natal foi reduzido em 1050 euros, tendo sido investido 11.500 euros nas diversas decorações, espalhadas pelos “pontos estratégicos do concelho”. Em paralelo com a iluminação natalícia, a Câmara Municipal da Trofa preparou uma programação de animação, que inclui a Feira de Stocks, para dinamizar o comércio local, a programação cultural com a realização de vários concertos, a distribuição de cabazes de natal às famílias menos favorecidas, as Férias de Natal ocupadas no Centro Comunitário Municipal e na Casa da Cultura da Trofa e as férias desportivas na Academia Municipal Aquaplace. Aproveitando esta época do ano, Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, desafia a população a “fazer as suas compras de Natal no comércio local, de maneira a potenciar o comércio trofense”.

Árvore ilumina rotunda do Catulo

pub

nt serviços

Edição 402  

edição de 20 de dezembro de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you