Issuu on Google+

25 de outubro de 2012 N.º 394 ano 10 | 0,50 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Bombeiros pág. 3

Perdeu a vida em acidente com camião Atualidade págs. 8 e 9

Padre Armindo comemorou 50 anos em Santiago

Moda pág. 20

Rita Pereira desfila coleção de Júlio Torcato


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Mudança de hora ACRABE promoveu Desfolhada à Moda Antiga A hora de inverno vai começar este domingo, dia 28 de outubro, devendo os relógios em Portugal ser atrasados 60 minutos em todo o País, de acordo com o Observatório Astronómico de Lisboa. Em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, os relógios devem ser atrasados 60 minutos às 2 horas da madrugada de domingo, passando para a uma hora.

A mudança ocorre mais cedo na Região Autónoma dos Açores, onde, à uma hora da madrugada de domingo, os relógios deverão ser atrasados uma hora. A mudança da hora prende-se com a necessidade de não haver desfasamento solar, aproveitando-se o melhor possível a luz nas diversas atividades e como vem acontecendo todos os anos, muda no último domingo de outubro.

Detido suspeito de roubos

Desfolhada contou com a participação de muitas pessoas Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Associação Cultural e Recreativa da Abelheira – ACRABE promoveu, no dia 20 de outubro, sábado, uma desfolhada tradicional à moda antiga. “Assegurar e preservar a cultura das nossas tradições, usos e costumes da época antiga da nossa região” foi o que motivou a Associação Cultural e Recreativa da Abelheira – ACRABE a organizar uma desfolhada tradicional à moda antiga, que contou com a participação do Rancho das Lavradeiras da Trofa. Associados, moradores e visitantes juntaram-se, no sábado, numa roda composta “por novos e velhos” onde a alegria foi “uma

constante”, sempre com a expectativa de alguém encontrar o milho “Rei”. A acompanhar a desfolhada ouvia-se a música tradicional portuguesa, havendo ainda à disposição de todos os participantes os “bons petiscos e vinhos da região”. Ainda no mesmo dia, pelas 11horas, a ACRABE organizou uma missa na igreja matriz de S. Martinho de Bougado, em homenagem a todos os sócios e moradores da aldeia da Abelheira já falecidos. No final, seguiram ao cemitério da freguesia, onde foi depositada uma coroa de flores. A ACRABE agradece a todos os presentes, esperando contar com os mesmos em futuras atividades a realizar pela a associação.

62 dádivas a favor do Hospital de S. João Sessenta e duas. Este foi o número de dádivas que o Lions Clube da Trofa conseguiu na colheita de sangue, que se realizou no sábado, dia 20 de outubro, no infantário da Associação

Mundos de Vida, em Lousado, e que contou com 66 presenças. Uma recolha a favor dos doentes do Hospital de S. João, do Porto. P.P.

Um indivíduo foi detido pela Polícia de Segurança Pública (PSP), por suspeita de prática de “inúmeros roubos”, estando referenciado pela práticas de roubos em estabelecimentos de compra e venda de ouro e prata na área da Trofa. A detenção decorreu no âmbito do combate ao crime de roubo em estabelecimentos de comércio de metais preciosos, pelo Dispositivo da Polícia de Segurança Pública do Comando Metropolitano do Porto, através da Divisão de Investigação Criminal, que concluiu uma ação policial. No decurso de diligências policiais relacionadas com a referida prática ilícita, resultou, no dia 23 de outubro, terça-feira, a detenção de um homem, de 29

Três feridos em atropelamento O desrespeito pelo sinal vermelho poderá estar na origem de um atropelamento, que ocorreu na estrada nacional 104, na Rua Dona Goncinha, na Abelheira, S. Martinho de Bougado, cerca das 14.15 horas de quinta-feira, dia 18 de outubro. O acidente, que envolveu um motociclo, provocou três feridos ligeiros. Segundo testemunhas, o peão passou na passadeira quando o sinal se encontrava vermelho, tendo sido atropelado por um motociclo, onde seguiam duas

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (T.P. 1639) Editor: O Notícias da Trofa, Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (T.P. 1637), Cátia Veloso Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864),

Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso, Ana Assunção (T.P.E 155) Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 22,50 euros; Extra europa: 88,50 euros; Europa: 69,50 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684 Avulso: 0,50 Euros

anos, na Rua António Carneiro, no Porto. O indivíduo, motorista e residente em Vila Nova de Famalicão, é suspeito “da prática reiterada de inúmeros roubos”, encontrando-se referenciado pela PSP pela prática de “seis roubos em estabelecimentos de compra e venda de ouro e prata, perpetrados nas áreas do Porto, Ermesinde e Trofa”. A PSP apurou que sobre o motorista pendia um mandado de captura para cumprimento de pena de prisão efetiva. O detido foi presente ao Ministério Público, junto do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, na quarta-feira, dia 24, não sendo conhecidas, até ao fecho da edição, as medidas de coação aplicadas. P.P

E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

pessoas, no sentido Santo TirsoTrofa. O condutor do veículo motorizado não conseguiu travar a tempo, acabando por colher o homem. O casal que seguia na motorizada acabou por cair. Os Bombeiros Voluntários da Trofa receberam o alerta cerca das 14.15 horas, tendo deslocado para o local três ambulâncias de socorro, com seis elementos, que transportaram os feridos ligeiros para a unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar Médio Ave. P.P.

Nota de redação Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Agenda Dia 27 21 horas: Concerto do Coro Polifónico da Lapa, na Igreja Matriz de Santiago de Bougado 21.30 horas: 5º Aniversário da Orquestra Ritmos Ligeiros, no salão paroquial de Alvarelhos Dia 28 9-15 horas: Manhã Desportiva Solidária, no Parque Nossa Senhora das Dores 15 horas: Arouca-Trofense, no Estádio Municipal de Arouca FC Foz-Bougadense, no Soccerade Arena Foz Dia 30 9-12.30 horas: Sessão de empregabilidade, no Espaço Internet, Edifício Terraços do Infante – FIJE

Farmácias de Serviço Dia 25 Farmácia Sanches Dia 26 Farmácia Trofense Dia 27 Farmácia Barreto Dia 28 Farmácia Nova Dia 29 Farmácia Moreira Padrão Dia 30 Farmácia Sanches Dia 31 Farmácia Trofense

Telefones úteis Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10


Atualidade 3

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Sairam ilesos de acidentes e acusaram taxa-crime de álcool

Condutor saiu ileso do acidente

Homem com taxa de álcool de 2,12 gr/l foi detido depois de ter tido um acidente em S. Romão, do qual saiu ileso. Quem viu o cenário não iria acreditar que o condutor do Audi que capotou na Rua das Carvoeiras, em S. Romão do Coronado, na madrugada de quinta-feira, 18 de outubro, saísse ileso do acidente. Mas, a verdade é que o homem de 28 anos saiu do veículo pelo próprio pé antes de ter sido auxiliado por dois bombeiros que passavam pelo local, fora de serviço. Uma ambulância da corporação, com três elementos, foi mobilizada para o sinistro e, apesar das recomendações, o indivíduo recusou-se a ser transportado para o hospital. No entanto, acabou detido pela Guarda Nacional Republicana da Trofa, por apresentar uma taxa de alcoolemia de 2,11 gramas por litros de sangue (é crime a partir dos 1,2 gr/l de sangue). O indivíduo foi presente a tribunal na sexta-feira, sendo desconhecidas, até ao fecho desta edição as medidas de coação aplicadas.

Já no sábado, dia 20 de outubro, um despiste de uma viatura ligeira de passageiros na Rua 25 de Abril, em Guidões, condicionou o fornecimento de eletricidade para aquele lugar, tendo sido chamada a EDP para a repor. Tudo terá acontecido cerca das 20 horas, quando um veículo ligeiro se despistou, embateu no poste de eletricidade, que terá caído para a via pública, condicionando o abastecimento de eletricidade naquele lugar. O condutor, com 55 anos, aparentava estar alcoolizado e recusou ser transportado para um centro hospitalar, por três elementos dos Bombeiros Voluntários da Trofa, que se deslocaram numa ambulância de socorro. O homem foi detido pela Guarda Nacional Republicana da Trofa, por apresentar uma taxa de alcoolemia de 2,55 gramas por litros de sangue, tendo sido presente a tribunal na segundafeira, dia 22 de outubro. Até ao fecho da edição, não eram conhecidas as medidas de coação aplicadas ao infrator. A EDP teve que ser chamada ao local para repor o abastecimento de energia elétrica. C.V. / P.P.

Morreu em acidente com camião Catia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Homem de 71 anos faleceu no Hospital de S. João depois de acidente na EN 104. Um homem de 71 anos não resistiu aos ferimentos provocados pelo acidente que sofreu na manhã de quinta-feira, na Estrada Nacional 104, em Bairros, Santiago de Bougado. O condutor do veículo ligeiro de mercadorias, de marca Fiat, chocou com um camião e ficou encarcerado, sofrendo ferimentos graves. Depois de socorrido pelos Bombeiros Voluntários da Trofa,

o homem foi assistido pela equipa do INEM da VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação) e da SIV (Suporte Imediato de Vida), das unidades de Famalicão e Santo Tirso, do Centro Hospitalar do Médio Ave. A VMER ficou, inclusive, estacionada no local do acidente enquanto a equipa médica acompanhou o ferido até ao Hospital de S. João, já que apresentava traumatismo craniano, lesões nas costas entre outros ferimentos. Já na unidade hospitalar foi sujeito a várias cirurgias, mas não resistiu aos ferimentos, acabando por falecer. A senhora que seguia com ele

na carrinha foi transportada para a unidade de Famalicão do CHMA, com ferimentos ligeiros. O condutor do camião não sofreu ferimentos e contou que o condutor da carrinha, que circulava na Rua Bairros, “não parou” antes de entrar na Estrada Nacional. Os Bombeiros Voluntários da Trofa foram alertados cerca das 10 horas e para o local deslocaram duas ambulâncias e um veículo de desencarceramento, com nove elementos. A GNR da Trofa também esteve no local a registar a ocorrência e a regular o trânsito que esteve condicionado por mais de uma hora.

Agentes da polícia municipal agredidos vão receber indemnização damente, dois indivíduos terão agredido dois agentes da Polícia Municipal da Trofa, na Rua José Os indivíduos que agredi- Moura Coutinho, na freguesia do ram, em janeiro de 2009, dois Muro, junto à Estrada Nacional agentes da Polícia Municipal 14. da Trofa foram Segundo informações apuracondenados a das na altura, os agentes terão pagar 7500 eu- interpelado os indivíduos por esros de indemni- tarem alegadamente em infração. zação. Estes não terão reagido da melhor forma e da troca de palavras Dois homens resultaram várias agressões. Os foram condena- dois agentes foram transportados dos a pagar uma pelos Bombeiros Voluntários da indemnização de Trofa para a unidade de Santo 7500 euros a Tirso do Centro Hospitalar do dois agentes da Médio Ave, um com uma fratura polícia Municipal no nariz e o outro com uma frada Trofa. O caso tura no braço. O agente com a remonta à ma- fratura no nariz teve mesmo que nhã do dia 21 de ser transferido para o Hospital de janeiro de 2009, S. João no Porto, para ser subquando, alega- metido a uma intervenção cirúrPatrícia Pereira Hermano Martins

gica. Só passados três anos é que o caso transitou em julgado. Apesar de a condenação já ter sido sentenciada em setembro deste ano, só agora foi tornada pública. Os agressores foram condenados a nove e cinco meses de prisão, respetivamente, estando a pena suspensa durante um ano. Além disso, os indivíduos vão ter que dar aos agentes uma Garantia Patrimonial de indemnização no valor de 7500 euros, sob pena de terem de cumprir pena efetiva em estabelecimento prisional, estando a mesma já a ser liquidada. Atualmente, um dos agentes continua a exercer funções na Polícia Municipal, enquanto que o outro é agente da Polícia de Segurança Pública (PSP).


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Fado Solidário angariou alimentos para refeitório social

António Moreira Organizador

Patrícia Pereira Cátia Veloso

O auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado foi o palco escolhido para acolher, no dia 20 de outubro, sábado, o Fado Solidário. Cerca de 200 pessoas participaram neste evento solidário, tendo sido angariados 399 géneros alimentares a favor da Porta de Sabores. “O balanço é super positivo, conseguimos ultrapassar aquilo que estávamos à espera”. Este era o sentimento de António Moreira no final do evento Fado Solidário, que se realizou no sábado, com o intuito de angariar bens alimentares a favor do refeitório social Porta de Sabores. Cerca de 200 pessoas aceitaram contribuir para esta causa solidária, tendo-se conseguido angariar 399 géneros alimentares. O auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado foi o palco escolhido para esta causa solidária. Pelo palco, decorado bem ao estilo de um bar de fado, passaram seis fadistas, que ao som da guitarra e viola portuguesa, exaltaram o Patrimó-

“A reação das pessoas foi super positiva, não houve uma voz discordante, toda a gente gostou e chegaram a perguntar quando é que há mais. Ficaram muito satisfeitas. Não contava que atingisse o ponto que atingiu. Foi das melhores coisas que fiz até hoje e já fiz muito para ajudar os outros.”

Bens angariados Cerca de 200 pessoas contribuíram com 399 bens alimentares

nio Imaterial da Humanidade. António Moreira estava “muito contente” pelo evento, tendo recebido um feedback positivo da comunidade que “aderiu muito bem”, comparticipando e ajudando a Porta de Sabores com bens alimentares. “Ainda há pessoas que têm mais sacos para dar, não será muita coisa, mas é mais um bo-

Seis fadistas exaltaram o Património Imaterial da Humanidade

cadinho”, afirmou, acrescentando que a “reação das pessoas foi super positiva”, tendo havido pessoas a questionar quando haveria mais atividades destas. O organizador não esperava que o evento “atingisse o ponto que atingiu”, referindo que foi das “melhores coisas” que fez para ajudar os outros e que as pessoas ficaram “muito satisfeitas”. No final, António Moreira agradeceu a todos os que contribuíram de alguma forma, para o sucesso deste Fado Solidário, nomeadamente aos fadistas, guitarristas, padres Luciano Lagoa e Bruno Ferreira, bem como José Sá, presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, e José Magalhães Moreira, vice-presidente da autarquia. “Ao grande coração de todos e àqueles que estiveram nesta grande noite de fados, o meu muito obrigado”, frisou. Um sen-

timento partilhado pelos utentes do refeitório social que ficaram “muito contentes” e agradecidos pelo gesto. Carla Lima, da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, contou que decidiram agarrar esta proposta de António Moreira, devido à necessidade que têm quanto aos géneros alimentares para a Porta de Sabores. Quanto ao evento, a responsável achou “uma ideia brilhante”, pois, além de ser “um evento cultural que faz sempre falta em qualquer cidade”, está aliado a uma causa solidária. Devido à crise económico-financeira que se instalou no País, Carla Lima garante que tem notado “uma maior solidariedade”, porque “as pessoas começam a perceber que tudo pode acontecer e que se nós ajudarmos o próximo, quando precisarmos também teremos o próximo para nos ajudar”.

57 embalagens de massa variada 40 embalagens de esparguete 71 embalagens de arroz 5 garrafas de azeite 11 garrafas de óleo 1 garrafão de óleo 7 sacos de farinha 6 embalagens de leite 4 sacos de sal 27 enlatados de feijão 19 enlatados de salsicha 16 embalagens de bolachas 118 enlatados de atum e sardinha 1 embalagem de 2,5 quilos de chouriço 2 garrafas de vinho 1 embalagem de pão de forma 1 embalagem de iogurtes 1 enlatado de pêssego 1 abóbora 7 chuchu 1 embalagem de cenouras 1 embalagem de maçãs 2 sacos de 15 quilos de batatas

Manhã Desportiva Solidária no Parque Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Comissão Social de Freguesia de S. Martinho de Bougado está a organizar, para o dia 28 de outubro, uma manhã desportiva solidária no Parque Nossa Senhora das Dores. A criação de um Fundo de Emergência Social é o principal objetivo da Comissão Social de

Freguesia de S. Martinho de Bougado ao organizar uma Manhã Desportiva Solidária, com o apoio da Câmara Municipal da Trofa. Será no dia 28 de outubro, domingo, que a Trofa vai acordar para esta iniciativa desportiva, que conta com muitas atividades preparadas para toda a comunidade, no Parque Nossa Senhora das Dores e no Aquaplace. A manhã começa pelas 9.25

horas com a concentração dos amantes de bicicletas, que vão percorrer o concelho, celebrando o aniversário do Clube Cicloturismo da Trofa, que também se associa a esta festa da solidariedade. José António Silva, presidente do clube, espera contar com a presença “dos amigos” e de quem se queira juntar nesta atividade, que o cicloturismo organiza anualmente.

O programa continua, pelas 9.30 horas, com o início da caminhada de cinco quilómetros, e, ao longo da manhã, o Parque Nossa Senhora das Dores vai receber demonstrações de várias modalidades onde se destaca o atletismo, kickboxing, mini basquete e prova de orientação. Os interessados em participar nesta Manhã Desportiva Solidária, podem fazer a sua inscrição na Junta de Freguesia de S.

Martinho de Bougado, nas associações parceiras da Comissão Social ou no próprio dia do evento. Cada inscrição tem o valor de dois euros e, no ato de inscrição, cada participante receberá um kit, ficando habilitado a um prémio a sortear no final da manhã, no Parque Nossa Senhora das Dores. Uma atividade que conta com a colaboração de várias associações e empresas do concelho.


Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Debate sobre papel do associativismo pouco concorrido O debate sobre o papel do associativismo numa comunidade, promovido pela Comissão Social de Freguesia de Guidões, não atraiu as associações do concelho. Apesar das dificuldades que as associações atravessam hoje em dia com a crise, poucas foram aquelas que quiseram ter a oportunidade de debater o papel do associativismo na comunidade e articular soluções para resistir em tempos de austeridade. As que não faltaram à chamada da Comissão Social de Freguesia (CSF) de Guidões ouviram oradores a contar experiências pessoais, a desvalorizar a crise e a sublinhar a pertinência de criar projetos, sem contar com os apoios do passado. “Isso já lá vai”, garantia António Baptista, considerando que “crise são pessoas sem projeto” e que “gerar riqueza não é só comprar e vender ações”. “Então quem trata de uma criança e a ensina não está a gerar riqueza?”, questionou, justificando que a solução passa pelas pessoas “se juntarem, analisarem o território e construírem um projeto para ele”. E foi isso mesmo que propôs ao auditório, criando grupos entre o público presente para dialogarem e criarem um projeto para Guidões. O debate seguiu-se com propostas como a do Grupo de Jovens de Guidões, que sugeriu a dinamização das microempresas. Mas antes da componente prática, o público ouviu a história de vida de Elisa Ferraz, autarca de Vila do Conde, que foi uma

das fundadoras da associação MADI (Movimento de Apoio ao Diminuído Intelectual), que ajuda pessoas com deficiência mental desde 1976. Elisa Ferraz, que tem um filho deficiente mental, deixou uma mensagem otimista, garantindo que “todos nós podemos fazer alguma coisa”, mesmo sem apoios estatais. “O MADI tem um âmbito de ação enorme e surgiu, exclusivamente, de um grupo de pessoas que tinha um problema e não havia a resposta para esse problema ao nível das estruturas estatais. Sem retaguarda financeira, conseguiram criar uma obra ímpar, que já tem o seu lugar no concelho e no país”, contou. Também Elisa Ferraz afirmou que a postura das associações, hoje em dia, tem de ser diferente, não escondendo, porém, o “receio pelo futuro”. “Seja qual for o momento, temos que acreditar, tentar dar à volta às coisas e resolver os problemas. Foram as instituições que se sobrepuseram àquilo que eram as obrigações do Estado e criaram esta rede enorme de respostas sociais que tem um papel primordial e foi sempre resultado da vontade das pessoas”, evidenciou. Magalhães Moreira, vice-presidente da autarquia da Trofa e presidente do CLAS (Conselho Local da Ação Social) participou no colóquio, sublinhando o papel das instituições sociais “no amortecimento das consequências da crise”. “São as IPSS, os centros paroquiais, as conferências vicentinas e outras organizações da sociedade civil de na-

O salão paroquial teve pouco público para assistir ao colóquio

tureza social, que se têm assumido a expressão da força solidária dos portugueses. O que seria a situação social de centenas de milhares de pessoas se não fosse o trabalho das associações e dos milhares de voluntários?”, anotou. O autarca falou ainda da “urgência” de “olhar em frente para construir uma esperança fundamentada”, para “apontar caminhos de futuro” e definir “uma linha de orientação estratégica”. Magalhães Moreira apelou à “exigência” na “análise comparada” para “identificar os exemplos e as boas práticas” no domínio do apoio social. “Posso testemunhar e destacar da rede social da Trofa, constituída em 2000, como fórum de articulação e congregação de esforços, incidindo na planificação estratégica da intervenção social local, abarcando atores sociais de diferentes naturezas e áreas de intervenção”, afirmou, destacando o trabalho das comissões sociais de freguesia que “ocupam uma posição de primeira linha ao grupo dos mais carenciados” e “têm um papel significativo no apoio à pri-

meira infância, integração social, qualificação e valorização profissional dos jovens, promoção do empreendedorismo social dirigido a estratos mais vulneráveis, às situações de desemprego e exclusão social”. O autarca não deixou de frisar a realização deste colóquio, louvando a iniciativa da CSF de Guidões: “Isto significa que esta CSF funciona e funciona bem”. “Este é um tema emergente” A realização do colóquio serviu para a CSF de Guidões encerrar mais um ano de atividade. O objetivo da iniciativa era “perceber aquilo que foi feito pela CSF e tentar com que outras pessoas percebam que devem participar na ação social e ajudar os que mais precisam”, explicou Manuel Araújo. Outras das metas alcançadas era alargar o debate à realidade do concelho. “É um tema emergente numa altura como esta. Todos precisamos de todos, por isso tentamos desenvolver este tema para que as pessoas percebam que são úteis para participar na comunidade e como podem ser voluntárias”, frisou.

Gota d’Água disponibiliza balneários públicos A associação Gota d’Água, num protocolo de colaboração com a Junta de Freguesia de S. Romão do Coronado, vai disponibilizar a toda a comunidade trofense um balneário público. Promover a higiene pessoal e motivar para mudança ou alteração de comportamentos são os principais objetivos da associação Gota d’Água ao criar um balneário público, na Quinta de S. Romão, aberto, inicialmente, das terças às quintas-feira, entre as 14.30 e as 17.30 horas. Devido a “situações precári-

as em que a comunidade se encontra em termos de carência de infraestrutura na habitação”, a associação Gota d’Água realizou um “Protocolo de Cooperação” com a Junta de Freguesia de S. Romão do Coronado, em que esta cede “um espaço com infraestruturas adequadas” para a realização de banhos públicos para pessoas que sejam encaminhadas pelas diversas instituições locais do concelho, nomeadamente as freguesias mais próximas, como é o caso de S. Romão e S. Mamede do Coronado e Covelas. O balneário público destina-

se a “toda a população que não dispõe de instalações sanitárias nas suas habitações”, bem como às “várias populações de risco existente”, como os sem-abrigo, toxicodependentes, entre outras. Caso o utente necessite de qualquer tipo de roupa, pode adquirir na loja Pronto-a-vestir Social. Um trabalho que está a ser realizado em articulação com a Rede Local. “Com esta iniciativa muitos utentes no inverno poderão sentir-se mais confortáveis a tomar um banho com água bem quentinha e principalmente com mais conforto e qualidade de vida”,

contou a responsável Lindomar Santos, referindo que estão “flexíveis a continuar a dar apoio de acordo com as nossas competências”. As pessoas vão ser encaminhadas pelas várias instituições do concelho, bem como por Projetos/Equipamentos da própria instituição. Nestes espaços estão disponibilizadas diversas informações relativas aos serviços existentes na associação, bem como outras instituições, procedendo-se ao encaminhamento dos indivíduos para respostas que possibilitem minimizar as suas dificuldades. P.P.


6 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Presépios em Barro em exposição Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Olga Marques inaugurou no dia 13 de outubro, a exposição Presépios em Barro, na sala de exposições temporárias da Casa da Cultura da Trofa, que estará patente até ao dia 10 de novembro. Ao som do violino e de versos poéticos, a ceramista e escultora Olga Marques inaugurou a obra “Presépios em Barro”, onde as pessoas puderam ver as diversas peças de barro, ligadas ao tema da família. A escultora, natural de Vila Nova de Famalicão, trouxe até à Trofa a sua maior paixão, os presépios, que retratam os diferentes momentos da natalidade. “Uma exposição diferente com presépios completamente diferentes, que acho que vale a pena ver”, afirmou a artista. Para Olga Marques “é muito difícil” avançar com o tempo que demora a fazer cada peça, pois, na sua construção, cada uma passa por “várias fases”. Depois de idealizar o desenho, a artista pegou nas “diferentes cores de barro” e misturou-o, fazendo assim as várias peças sem o uso de “qualquer tipo de pintura”. Depois de o corpo ter “uma certa consistência”, a ceramista

Casa da Cultura com “presépios completamente diferentes”

começa a “vesti-los” e no final, depois da secagem, vai ao forno durante, “mais ao menos, um dia e meio”. É desta forma que do barro nascem naturalmente as diversas obras de arte que estão expostas na Casa da Cultura da Trofa, até ao dia 10 de novembro, podendo visitar de segundafeira a sábado, entre as 10 e as 18 horas. Olga Marques tem ainda uma loja nos Carvalhais, Santo Tirso, onde tem à venda os diversos trabalhos que faz, desde peças decorativas à “parte figurativa”. Em representação do pelouro da cultura, a cargo de Assis Ser-

Casa da Cultura da Trofa celebra aniversário A Casa da Cultura da Trofa está a festejar o seu 11º aniversário e, tal como nos anos anteriores, não vai deixar passar em branco esta data, estando já a preparar um programa dedicado a todos os seus visitantes. Ao longo do dia e como forma de presentear todos os visitantes da Casa da Cultura, vão ser oferecidos alguns dos livros publicados pela Câmara Municipal da Trofa, onde se destacam os Cadernos Culturais do número I ao número XII, bem como outros livros publicados como “Concelho da Trofa”, “Senhora das Dores”, “Ponte Pênsil da Barca da Trofa”, “Uma Rosa para Timor”, e ainda dois dos livros publicados dos contos vencedores do Concurso Lusófono da Trofa – Conto Infantil, Prémio Matilde Rosa Araújo, “Psst, psst, em cima ou em baixo” e “Quase”.

O 11º aniversário da Casa da Cultura ficará ainda assinalado com um momento musical interpretado pela Fanfarra dos Escuteiros de Santiago de Bougado e o cantar dos Parabéns, pelas 16 horas. Recorde-se que a Casa da Cultura da Trofa oferece diariamente aos seus visitantes acesso à internet, wireless, consulta de livros, de publicações periódicas, jogos multimédia e ainda filmes lúdico-pedagógicos, tudo de forma gratuita. Paralelamente, apresenta, mensalmente, novas exposições e tem ao dispor informações sobre a história local e roteiros turísticos do concelho. A Câmara Municipal da Trofa convida todos os munícipes para se juntarem a esta festa, no dia 3 de novembro, e para apagar as velas do 11º aniversário deste espaço cultural.

ra Neves, esteve José Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, que afirmou que esta foi “mais uma tarde excelente e de cultura”, onde se puderam visualizar obras que representam o Natal nas “diferentes cambiantes”, que fazem recordar o que para si é “o momento supremo da Humanidade”. “Estão muito bonitas, há aqui arte mesmo. Com expressão de sentimentos nas imagens que sinceramente nunca tinha visto. Muitas vezes as representações do presépio parecem-nos com as figuras inexpressivas, aqui não. É de facto um pico de cul-

tura que está aqui presente”, frisou, lamentando a pouca adesão da comunidade. No final, o vice-presidente da Câmara Municipal deixou um convite à comunidade, para que apareça na Casa da Cultura e visite esta exposição que “vale a pena ver”. Esta foi mais uma iniciativa da autarquia trofense, através do pelouro da Cultura, que proporcionou “um momento muito importante de promoção de cultura e de artistas” do concelho da Trofa e de concelhos limítrofes. A ceramista foi premiada, por diversas vezes, nomeadamente num concurso nos Estados Unidos e tem dois dos seus presépios expostos num museu em Salvador da Baía, Brasil. Já recebeu o 3º prémio Nacional de Artesanato, de Artesanato Criativo da Delegação Regional, foi contemplada com uma menção honrosa, Prémio Nacional de Artesanato Tradicional, Especial Cerâmica, venceu o 1º prémio num concurso promovido pela autarquia famalicense, com a Peça Camilo Castelo Branco, participou ainda na Feira Internacional de Lisboa, onde ganhou o 1º prémio da Feira de Artesanato, com a peça Ceia de Cristo. Em 2000 recebeu o 2º prémio num concurso de presépios nos Estados Unidos da América.

Atlético Clube Bougadense Assembleia Geral Convocatória Ao abrigo dos estatutos do A.C. Bougadense, convoca-se a Assembleia Geral para reunir na sede do clube, sita no Parque de Jogos da Ribeira, no próximo dia 26 de Outubro, Sexta-feira, pelas 21.30 horas, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS 1. Apreciação e votação do Relatório e Conta de Gerência do clube relativos à época desportiva 2011/2012. 2. Assuntos de interesse para o clube Se à hora marcada não existir quórum de sócios do A.C. Bougadense, a reunião terá início meia hora depois. Santiago de Bougado, 12 de Outubro de 2012 O Presidente da Assembleia Geral António Pontes (Engº) Nota: Chama-se a atenção dos sócios que para participarem na Assembleia Geral com direito a voto, é necessário terem as quotas em dia.


Atualidade 7

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Poesia em Santiago

“Pretérito Imperfeito” no Espaço t da Trofa Patrícia pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Galeria Itinerante do Espaço t da Trofa acolhe até ao dia 7 de dezembro, a Exposição Individual de Pintura e Gravura de Céu Costa, denominada Pretérito Imperfeito.

Público foi convidado a declamar poesia

O café “O Forninho da Avenida”, no lugar de Lantemil, em Santiago de Bougado, foi palco de mais uma iniciativa do “Hoje vou ao café...ouvir poesia”. Na noite de sexta-feira, dia 19 de outubro, os participantes foram convidados a relembrar a poesia de autores como António Nobre, Fausto Guedes de Carvalho e Alberto de Serpa. Muitos voluntários declamaram ainda poemas da sua escolha, destes e de outros autores nacionais. Mais uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal da

Trofa, que uma vez mais, permitiu aos frequentadores habituais de um café do concelho “um serão de poesia, bom humor e boa disposição”. Um evento cultural que visita, a cada mês, uma das oito freguesias do concelho, com o intuito de valorizar e promover a atividade cultural, a formação de novos públicos e a criação e reforço de hábitos culturais, assentando assim numa estratégia de descentralização cultural e na fidelização do público trofense nas atividades culturais do município.

Relatório de ponderação da 2ª discussão do PDM Depois de terem sido recebidas e analisadas as 182 participações/sugestões relativas ao Plano Diretor Municipal (PDM), a Câmara Municipal da Trofa acaba de publicar o relatório de ponderação do 2º período, que decorreu entre 9 de janeiro de 2012 e 17 de fevereiro de 2012. Num comunicado enviado à comunicação social, pode ler-se que estas participações/sugestões “não constituíram uma alteração substancial ao projeto do plano, em resultado da ponderação efetuada e constante no relatório de ponderação disponível”. O relatório está disponível para consulta no website da autarquia, em www.mun-trofa.pt, ou, presencialmente, na Divisão de Planeamento e Urbanismo, no Pólo II do Município da Trofa, sito na Rua Imaculada Conceição, de segunda-feira a quinta-

feira das 9 às 17 horas e à sexta-feira das 9 às 12.30 horas. Para a Câmara Municipal da Trofa, o PDM é “o instrumento básico de ordenamento do território municipal e do desenvolvimento económico e sociocultural da população, assumindo-se como um instrumento fundamental para a harmonização do processo de crescimento, salvaguardando o bem-estar social, o ambiente e o património natural e paisagístico do concelho”. Desta forma, os objetivos de desenvolvimento do concelho definidos no Plano Diretor Municipal da Trofa, “assentam em orientações como a minimização de eventuais problemas de natureza ambiental, criação de emprego com base na mobilização de recursos endógenos e satisfação das necessidades da população”. P.P.

“Há quem diga, investigadores e científicos, que o Tempo não existe. // Não há passado nem futuro. Tudo é presente e está acontecendo continuamente. // O Tempo sucede infinitamente definindo um lugar, a memória, o conhecimento e o esquecimento. // A história. A Vida. // O passado não existe, porque é imperfeito. O presente é sempre um recomeço, um caminho que se percorre a partir de algo que ficou imperfeito. Há que continuar. Repetição. Tempo. Repetição. Tempo. // Imperfeito. Continuar. // Se o Tempo não existe, para que o queremos nós? // Isto pode ser incompreensível. // Penso que o Cosmos que conhecemos existiu sempre e sempre existirá. E é Infinito. // Há quem diga que o Tempo e o Infinito não são nada. São apenas conceitos necessários para tornar inteligível o mundo em que vivemos. // De outro

foto: Nuno Ferreira/Espaço t

Pretérito Imperfeito estará em exposição até ao dia 7 de dezembro

modo não o compreenderíamos. // Será assim?”. Estas foram palavras que inspiraram a artista Céu Costa na sua Exposição Individual de Pintura e Gravura, denominada Pretérito Imperfeito. A exposição foi inaugurada na sexta-feira, dia 19 de outubro, na Galeria Itinerante do Espaço t da Trofa, onde ficará patente até ao dia 7 de dezembro. Uma obra que pode visitar de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas, nas lojas número 246/248 da Rua Infante

D. Henrique. Céu Costa, natural de Barreiro, vive no Porto desde 1970. A artista fez a sua formação em Pintura e Gravura na Cooperativa Artística Árvore, Porto, com Estágio na Academia de Belas Artes em Liège, Bélgica, entre 1990 e 1994. Em 2000, recebeu a Aquisição Banco de Portugal e, em 2008, o Prémio Cidade de Évora. Além de já ter exposto em vários pontos do País, Céu Costa já esteve com exposições em Itália, Japão, França e Espanha.

Cinco anos de Ritmos Ligeiros em concerto A Orquestra Ritmos Ligeiros Associação Cultural da Trofa está a comemorar o seu 5º aniversário. De forma a assinalar esta data, o grupo está a preparar um concerto para o dia 27 de outubro, sábado. Depois de no ano passado ter realizado o concerto comemorativo no auditório da Jun-

ta de Freguesia de Santiago de Bougado, este ano o mesmo decorre no salão paroquial de Alvarelhos a partir das 21.30 horas. O espetáculo, além da Orquestra Ritmos Ligeiros da Trofa, contará com a banda convidada MG Big Band, de Gondomar. Segundo Vítor Dias, presidente da Associ-

ação Cultural da Trofa, os espetáculos comemorativos têm sido realizados nas diferentes freguesias, por ser “uma orquestra do concelho”. O presidente aproveita para convidar toda a comunidade trofense a assistir a este “bom concerto”, prometendo “um bom espetáculo”. P.P.

Workshop Agricultura Biológica em S. Mamede Depois da realização do workshop sobre as orquídeas, que contou com 71 participantes, a Associação para a Proteção do Vale do Coronado (APVC) está a preparar mais uma atividade, desta vez, relacionada com a Agricultura Biológica. O workshop realiza-se no dia 3 de novembro,

sábado, entre as 15 e as 17 horas, na antiga Pesafil (escultor Thedim), em S. Mamede do Coronado, e terá como formadores Jaime Vieira, fitopatologista e paisagista, e “dois castiços Burros Transmontanos”, prevendo-se uma batalha de “conhecimentos”, “nunca antes realizada no Mun-

do”, entre “um doutor e dois burros”. Mesmo sendo uma atividade gratuita, esta requer uma inscrição prévia através do email (valedocoronado@gmail.com) ou do número do telemóvel ( 917 040 207), onde deve indicar o seu nome, localidade, e-mail e número de telemóvel. P.P.


8 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Padre Armindo Gomes comemora jubileu paroquial

50 anos de dedicação a Santiago Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Armindo Gomes completou 50 anos de sacerdócio em Santiago de Bougado. Comunidade agradeceu-lhe trabalho desenvolvido na paróquia. Cinquenta anos passaram desde o dia em que o pároco Armindo Gomes chegou à paróquia de Santiago de Bougado. Na altura, a população não imaginava a evolução que a freguesia ia sofrer ao longo de meio século, graças ao trabalho do sacerdote… Cinquenta anos depois, a paróquia não esquece a obra que Armindo Gomes edificou e faz questão de reconhecer o trabalho desenvolvido em prol de “um Bougado grande”. Foi alimentado por este lema que o padre criou património a favor da sua “esposa”, metáfora utilizada pelo próprio para classificar a população da paróquia: “O padre casase com a sua família e não vive para mais ninguém”. Aliado ao vasto trabalho que desenvolveu, Armindo Gomes alcançou um feito histórico, conse-

Luciano Lagoa Vigário da Vigararia da Trofa/Vila do Conde “Sempre foi uma pessoa profundamente dedicada à Igreja, com um amor extraordinário a esta nossa mãe, que é a Igreja. Por isso, nós padres, queremos reafirmar o seu valor e pedir-lhe para ser sempre um exemplo. Saliento as suas qualidades, para além da austeridade, o grande amor que tem dentro de si, a sua verticalidade e honestidade” Joana Lima Presidente da CM Trofa

Cerca de 600 pessoas encheram a Quinta d’Alegria, em Ribeirão

guido por poucos: o jubileu paroquial. Dezenas de pessoas, ligadas a diversos movimentos paroquiais, sob a batuta do padre Bruno Ferreira, prepararam um programa de comemorações que começou no dia 1 de julho, data do 89º aniversário de Armindo Gomes e termina este sábado, 27 de outubro, com um concerto do Coro da Lapa.

Padre Armindo Gomes partiu o bolo

Mas o momento alto aconteceu no domingo, com a eucaristia comemorativa e um jantar convívio na Quinta d’Alegria, em Ribeirão, Vila Nova de Famalicão. Perante uma igreja matriz cheia, Armindo Gomes presidiu a uma missa de duas horas, na qual foi agraciado pela paróquia, com um paramento dourado. Do Vaticano veio um pergaminho com saudações do papa Bento XVI. Também a sobrinha do pároco, carinhosamente tratada por Rosinha, foi presenteada pelo apoio dedicado ao longo dos anos. Fora da igreja, ao som estridente dos foguetes e em cima de um tapete onde estavam escritas as datas do seu percurso em Santiago, desde 1962, Armindo Gomes descerrou uma placa de homenagem da paróquia, que acompanha o busto em sua honra, lá colocado em 2009, na comemoração dos 60 anos de sacerdócio. A festa prolongou-se com um

jantar-convívio que juntou cerca de 600 pessoas na Quinta d’Alegria, que não deixaram de mostrar carinho pelo pároco. A Câmara Municipal da Trofa e os presidentes das Juntas de Freguesias de Santiago de Bougado, S. Martinho, Covelas e S. Romão do Coronado também quiseram presentear o sacerdote, que foi alvo de muitos elogios. Frei Hermano da Câmara abrilhantou a noite com um espetáculo intimista com temas religiosos, alguns cantarolados pelo público. Com o sucesso da comemoração, os responsáveis pela organização da festa não escondiam a satisfação por ver a alegria do pároco. Para além da homenagem, para a posteridade fica um livro com notas bibliográficas redigido por José Gregório Torres sobre os 50 anos de dedicação de Armindo Gomes à paróquia de Santiago de Bougado e uma medalha comemorativa.

“Ser grande é abraçar uma grande causa. A Câmara Municipal da Trofa felicita o senhor padre Armindo Gomes por este jubileu sacerdotal, enaltecendo e agradecendo o seu trabalho e dedicação ao longo dos últimos 50 anos: a grande causa que é a missão pastoral da Trofa”. António Azevedo Presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado “Como presidente de Junta, convivi com o senhor padre Armindo durante 11 anos e posso dizer que tive um pároco colaborante, sempre atento, com uma cordialidade tremenda. Trabalhamos por causas diferentes, mas tendo sempre em conta o bem comum de Santiago de Bougado”. José Sá Presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado “Foram 50 anos que fazem história. Foi meio século que trabalhou para preparar os caminhos que vão em direção a Deus, por isso a Junta de S. Martinho e a sua população presta-lhe a maior gratidão”. Guilherme Ramos Presidente da Junta de Freguesia de S. Romão do Coronado “É uma honra tê-lo conhecido e não me canso de dizer que é um homem que é um exemplo de empenhamento e dedicação. Assim vale a pena colaborar com um homem desta grandeza”.


Atualidade 9

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Um “Bougado grande” com fé, humildade e valentia Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

paróquias pela sua colaboração connosco e ao senhor Frei Hermano por ter vindo aqui de graça”, frisou. No sábado, 20 de outubro, realizou-se uma celebração solene da eucaristia sobre o “Ano Fé” com a presença do bispo auxiliar do Porto, D. Pio Alves.

Armindo Gomes deixou uma mensagem à paróquia, apelando à fé, humildade e valentia para “conter a enxurrada de crime e corrupção” e continuar a construir um “Bougado grande”. “Bougado fé. Bougado humildade. Bougado valentia. Bougado perseverança. Se assim fordes, continuais a ter o direito a ser chamados de Bougado grande, que há-de ser, e oxalá que seja, ainda maior”. Foi desta forma que o pároco Armindo Gomes encerrou o discurso na noite em que assinalou 50 anos de sacerdócio ao serviço de Santiago de Bougado. No fim do jantar, o pároco não quis deixar de enviar “uma palavra” à população, apelando para que seja “valente, diante do raio do demónio que tenta entrar nesta região”. “É preciso ser valente para conter essa enxurrada de crime e corrupção”, preveniu. Armindo Gomes considera que “se a paróquia não tivesse

Padre Bruno Ferreira leu pergaminho com saudações do Papa Bento XVI

tradição de fé, com tolerância, muito diálogo e muito perdão, naturalmente não teria aguentado 50 anos”. A eucaristia comemorativa do jubileu serviu para “agradecer a Deus que tudo fez para que um pobre sacerdote aguentasse uma paróquia durante 50 anos”. “Esta paróquia colaborou e, sobretudo, desde que começou

a confiar plenamente na minha pessoa, nas minhas contas, nas nossas obras, elas fizeram-se e de que maneira. Sempre chegou e nunca sobrou. Bougado grande tem o seu significado e a sua razão de ser. Que continue a ser assim, que continuará a avançar”, afirmou. O pároco não deixou de agradecer ao padre Bruno Ferreira,

coordenador da organização das comemorações do jubileu paroquial, a quem apelidou de “jovem cheio de fé e entusiasmo”, que “colocou o seu empenho nesta festa”. Os agradecimentos alargaram-se a “toda a comissão, que foi valente e a outras pessoas que se empenharam e sacrificaram”. “Também queria louvar as autoridades concelhias e das

Meio século a fazer obra Armindo Gomes é visto pela sua paróquia como um homem “muito responsável e atento”, pelos diversos restauros que realizou na Igreja Matriz de Santiago de Bougado e pelas recuperações das capelas de Nossa Senhora do Desterro, de Nossa Senhora da Livração e de S. Gens, a imagem do Cristo Rei em Lantemil, entre muitas outras intervenções em toda a paróquia. O monumento em homenagem a Nossa Senhora da Alegria e o escadório de S. Gens são duas das muitas outras obras que confirmam o trabalho do pároco em prol de Santiago de Bougado. O sacerdote celebrou 89 anos em julho, e já completou 63 anos de sacerdócio. No discurso, anunciou que “quase se despede da vida paroquial”.

Padre Armindo apelidado de “benemérito” de Santiago Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

julia padrao

Organização estava satisfeita com adesão da paróquia às comemorações do jubileu paroquial de Armindo Gomes. Desde julho que o padre Bruno Ferreira e os representantes de vários movimentos paroquiais desdobram-se em esforços para que o jubileu paroquial de Armindo Gomes seja assinalado com a grandeza que o feito merece. Desde julho que a paróquia promoveu iniciativas mensais, como concertos e pregações, onde se abordou a temática do “Ano da Fé”. Mas o jantar que envolveu cerca de 600 pessoas foi “o sinal positivo” que a paróquia deu de carinho por Armindo Gomes, que não escondeu a alegria pelo reconhecimento do trabalho que desenvolveu ao longo de cinco

décadas. “Puderam ver pelas suas expressões e pelas suas palavras que ficou muito enternecido e agradecido, percebendo que os seus paroquianos gostam dele e estão com ele, mesmo neste momento auge na sua vida com quase 90 anos”, afirmou Bruno Ferreira. O padre foi uma das pessoas que mais se empenharam para que a festa fosse um sucesso: “Eu acho que a nossa grandeza está em fazermos aquilo que nos compete e não nos orgulharmos disso. A minha missão é estar ao lado dele e se a minha juventude e boa disposição nos podem ajudar nisso, então o meu objetivo é que todos colaboremos com o pároco nesta união. E ele também percebeu que eu estive sempre do lado dele. Ele esteve sempre a par de tudo, deu sempre a sua opinião, por isso foi uma festa ao seu gosto”, explicou. Bruno Ferreira não deixou de

apelar à participação da paróquia no encerramento das comemorações, no dia 27, sábado, com o concerto do Coro Polifónico da Lapa, com orquestra e solistas, pelas 21 horas. Outra das pessoas que arregaçaram as mangas para prestar o tributo a Armindo Gomes foi Manuel Ramalho. Há 50 anos, relembrou, contactou pela primeira vez com o pároco quando foi à primeira comunhão e desde aí tem-no acompanhado na obra por Santiago de Bougado. “Foi um bom apóstolo, trabalhou com afinco, interessava-se por tudo o que dizia respeito à paróquia e sempre foi muito responsável e sério”, afirmou. Manuel Ramalho chegou mesmo a assemelhá-lo a Santiago, pela vasta obra que edificou na paróquia. “O nosso pároco foi de facto um benemérito em Santiago de Bougado”, sublinhou, completando que “as obras estão à vista”.


10 Publireportagem

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

AEBA apresenta soluções que permitem poupança imediata

Reduzir custos operacionais das empresas é prioridade máxima Num momento em que, mais do que nunca, é necessário reduzir os custos operacionais das empresas, o NT procurou saber junto da Associação Empresarial do Baixo Ave, de que forma é possível auxiliar as empresas a ultrapassarem os desafios da atual conjuntura económica, tornarem-se mais competitivas e até fomentar o criação de postos de trabalho. Criada em Abril de 2000, a AEBA – Associação Empresarial do Baixo Ave foi reconhecida como entidade de Utilidade Pública, em junho passado, por despacho publicado em Diário da República. Os 17 empresários fundadores pretenderam com este projeto associativo criar uma estrutura capaz de apoiar e representar as empresas e os empresários, de todos os setores de atividade (Comércio, Indústria e Serviços), provenientes da região denominada de Baixo Ave, abrangendo os concelhos da Trofa, Maia, Santo Tirso, Vila do Conde e Vila Nova de Famalicão. Dada a conjuntura económica atual, a AEBA tem vindo a aumentar gradualmente o leque de serviços disponíveis, desenvolvendo serviços de qualidade e sobretudo de grande utilidade para as empresas, que visem ser uma vantagem efetiva, possibilitando a redução dos custos operacionais. Ao ser associada da AEBA, qualquer empresa passa a beneficiar de apoio administrativo e fiscal; consulta jurídica; consulta médica; medicina no trabalho; envio de informação atualizada sobre o setor de atividade da em-

presa e de sistema de incentivos existentes; formação profissional; reconhecimento e certificação de competências; licenciamentos; consultoria; auditorias preventivas; apoio na seleção e recrutamento de recursos humanos; benefícios e descontos nas entidades protocoladas com a associação; comunicação e relações públicas; e ainda facilitação de negócios e parcerias através do AEBA Trading e o AEBA International Trading. O NT procurou perceber melhor de que forma os serviços que são disponibilizados, ao tecido empresarial local, permitem uma redução efetiva nos custos ope- Empresários juntaram-se num pequeno-almoço de negócios racionais das empresas. Veja- cina no Trabalho, pelo que só por empresas associadas, e respetiisso se torna extremamente van- vos familiares diretos (cônjuge, mos alguns exemplos: tajoso”. ascendentes e descendentes), beneficiar de um conjunto de soMEDICINA NO TRABALHO CONSULTA MÉDICA luções e vantagens exclusivas e A AEBA disponibiliza gratuiAlém dos exames previstos extremamente competitivas. O tamente aos seus associados o no serviço de Medicina no TrabaCartão AEBA Saúde garante o serviço de Saúde no Trabalho, lho, os empresários e seu agre- acesso a uma tabela de preços com a realização, através de entidade devidamente credencia- gado familiar, podem usufruir, gra- especial, com descontos que da para o efeito, de Exames de tuitamente, de consulta médica chegam aos 60 por cento, nos Admissão. Exames Periódicos, de clínica geral e respetivo recei- serviços de cuidados de saúde Exames Ocasionais, Exames tuário. Os colaboradores da em- das unidades do Grupo Trofa Complementares, para comple- presa podem ainda usufruir des- Saúde, nomeadamente no Hostar a observação e o parecer mé- te serviço, mediante pagamento pital Privado da Trofa, da Boa Node uma taxa simbólica. va, de Braga e de Alfena, no Hosdico. pital de Dia de V.N. de FamaliEste serviço permite, segunPROTOCOLOS cão, da Maia e do Porto, na Clída a diretora geral da AEBA, MaAinda na área da saúde, a nica de Paços de Ferreira e no falda Cunha, “uma poupança efeAEBA possui um protocolo com Instituto de Radiologia Dr. Pinto tiva e imediata das empresas, que assim deixam de ter este en- o Grupo Trofa Saúde, permitindo Leite. a todos os colaboradores das Pela influência que detém na cargo, que em muitos casos é bastando elevado, usufruindo de um serviço de qualidade e livre de qualquer custo adicional. Pelo que temos constatado, o valor que as empresas pagam de quota por serem associadas da AEBA é muito menor comparativamente ao custo que anualmente pagavam pelo serviço da Medi-

“A participação em programas de formação e de consultoria formativa organizados pela AEBA, nestes últimos anos, tem permitido à nossa empresa evoluir, através do desenvolvimento e melhoria dos procedimentos internos de organização e gestão a todos os níveis, bem como das competências dos nossos colaboradores. Esta melhoria contínua tem tornado a nossa empresa cada vez mais organizada, competitiva e capaz de actuar nos mercados externos, dando resposta a clientes cada vez mais exigentes, o que se tem traduzido em crescimento”. AEBA tem 12 anos de existência

M. António Silva, Lda.

região em que se insere, a AEBA conseguiu negociar condições privilegiadas com entidades parceiras de diversas áreas, como a Banca, Seguros, Alojamento, Restauração, entre outros. AEBA TRADING – Tendo em conta a diversidade de empresas associadas, provenientes de vários setores de atividade, a AEBA construiu o serviço “AEBA Trading”, que visa optimizar as sinergias entre as empresas, integrando-as numa rede de negócios, constituída pelas associadas da AEBA, fomentando que comprem e vendam entre si. Isto tem permitido às empresas um acrescento direto no volume de negócios da empresa, que assim consegue concretizar novos negócios e aumentar as vendas. Com o mesmo objetivo, mas num âmbito internacional, a AEBA lançou o serviço AEBA International Trading, com o qual pretende disponibilizar as ferramentas necessárias à exportação e efetiva internacionalização das empresas, para mercados como a Europa Central e de Leste (Rússia, Polónia, Ucrânia, Países Bálticos, Roménia, Bulgária, República Checa e Hungria); o Norte de África e Médio Oriente (Marrocos, Irão, Turquia e Egito); a África Subsaariana (Gana, Angola e Moçambique); a Ásia (China e Cazaquistão) e a América Latina (México, Colômbia, Peru, Brasil e em breve no Chile). CONSULTORIA A AEBA disponibiliza às empresas as ferramentas necessárias para ajudar a desenvolver e


www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

“O contributo da AEBA para com a Inapal Metal, SA, através de protocolos estabelecidos ao longo dos anos, tem sido de valor acentuado, não apenas naquilo que diz respeito à relação patenteada entre Associação e empresa associada, mas também como veículo de troca de conhecimentos, tão essenciais à progressão e desenvolvimento dos nossos serviços. Realçamos, com efeito, e de maneira substancialmente positiva, os protocolos relativos a Formação Profissional, nos quais a AEBA se tem pautado por uma qualidade de excelência, na relação estabelecida com o apoio à Medicina no Trabalho e, não menos importante, no acesso ao protocolo com o Grupo Trofa Saúde a todo o nosso pessoal, através do cartão aebasaúde”. Inapal Metal, S.A.

consolidar os negócios. Com o apoio de especialistas, a empresa poderá construir, implementar e controlar os planos e estratégias que auxiliem a expandir-se, nomeadamente em áreas como Sistemas de Gestão, Gestão da Produção, da Mudança; de Recursos Humanos; da Formação; Financeira; e Administrativa, entre outras. Um projeto, que a AEBA tem vindo a desenvolver desde 2002, com intervenções realizadas em mais de 200 empresas, e que apoia gratuitamente a melhoria dos processos de gestão das micro, pequenas e médias empresas, e promove a qualificação dos seus colaboradores, é o Programa Formação PME. A implementação deste programa, completamente gratuito para as empresas, é feita através da disponibilização, durante um período de 6 a 12 meses, de uma equipa de consultores e formadores, devidamente qualificados para o efeito. As horas de formação realizadas podem ser igualmente

AEBA visita JMR Resíduos

contabilizadas para o cumprimento do requisito legal de 35 horas anuais de formação certificada por colaborador. O Programa Formação PME procura contribuir para a melhoria da organização e gestão das empresas, através da aplicação de metodologia de formação-ação, que consiste na combinação de ações de consultoria, com a realização de ações de formação profissional, direcionada a colaboradores e respetiva chefia. Através deste apoio, as empresas beneficiam gratuitamente de um Diagnóstico Estratégico, de um Plano de Desenvolvimento, com a implementação das medidas de Consultoria Especializada e Formação para empresários e colaboradores.

incentivos às empresas. Através deste serviço, é possível auxiliar as empresas no enquadramento do respetivo projeto, na definição do plano estratégico e de negócios, na elaboração da candidatura e, sendo esta aprovada, na implementação do projeto. Na passada segunda-feira, a AEBA viu mais uma candidatura aprovada desta vez ao SIAC – Sistema de Incentivos a Ações Coletivas, que visa estimular e apoiar a participação de empresas nacionais em consórcios internacionais de investigação, desenvolvimento tecnológico e inovação financiados pela União Europeia, nomeadamente através do 7.º Programa-Quadro de I&DT e assegurar a ligação às iniciativas, projetos e medidas internacionais nestas áreas. CANDIDATURAS A Além das vantagens, anteriSISTEMAS DE INCENTIVOS ormente enumeradas, que permiE PROJETOS tem uma redução imediata nos A AEBA apoia as associadas encargos das empresas e favona elaboração de candidaturas a recem o aumento do volume de financiamentos comunitários, vendas das empresas associanomeadamente a sistemas de das, a AEBA presta outros serviços já sobejamente conhecidos como é o caso da formação profissional. Neste momento, a AEBA tem disponível um conjunto de ações de formação modulares e diversas áreas, nomeadamente línguas estrangeiras (espanhol e inglês), Aplicações Informática de Gestão, Recursos Humanos, Organização e Manutenção de Arquivo, Gestão da Produção, Controlo e Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e HST, Desenho Técnico, Sistema HACCP, Higiene e Segurança Alimentar, Atendimento, Técnicas de Socorrismo, Tecnologias de Informação e Comunicação, Técnicas de Marketing, Comunicação Interpessoal, entre muitas outras, que permitem às empresas cumprirem, de forma gratuita, com o requisito legal das 35 horas anuais de formação certificada por colaborador.

Publireportagem 11

“A AEBA tem sido uma mais valia para a Formefeitos na área do Programa Formação PME e na Prestação de Serviços de Saúde e Segurança, onde foram incutidos, essencialmente, regras e valores necessários ao bom funcionamento de uma empresa. Deparamo-nos com profissionais competentes, que conseguiram transmitir aos formandos uma vontade de progredir e rentabilizar a sua área de trabalho”. FormEfeitos – Comércio de Mobiliário e Decoração, Lda.

“A BLACKSPIDER – MODAS, LDA realça o trabalho prestado pela AEBA no crescimento/desenvolvimento das PME, nomeadamente através de projetos direcionados para a criação, implementação e reforço de técnicas capazes de potenciar as capacidades produtivas das empresas, desde os processos de produção até ao aperfeiçoamento de práticas direcionadas aos recursos humanos. A BLACKSPIDER – MODAS, LDA teve o privilégio de usufruir de um desses programas, mais concretamente o Programa Formação PME 2011-2012”. BlackSpider – Modas, Lda.

“Durante todos estes anos de trabalho entre a ElectrumTrofa e AEBA tem-se obtido resultados fantásticos no âmbito da formação e consultoria. Podemos dizer que alguns passos marcantes da nossa empresa se devem ao conhecimento adquirido nessas acções que nos ajudaram a melhorar, a inovar e a criar. A AEBA tem sido, sem dúvida alguma, uma mais-valia para a nossa empresa ”. ElectrumTrofa

“O vinculo da “ARMACO” e “TROFAMALHA” como associados da AEBA é ainda relativamente recente, mas já permitiu obter mais valias dessa parceria, nomeadamente ao nível do apoio jurídico e formação profissional, entre outros de menor relevância. No que respeita ao apoio jurídico temos a referir que o mesmo foi rápido e eficiente ao nível de reclamação efetuada e elucidativa em informação prestada. Relativamente à formação profissional, sem dúvida a bandeira desta parceria até ao momento, temos a referir que foi excecional. Num processo conjunto ao abrigo do programa “Formação PME”, foi possível realizar um trabalho muito gratificante ao nível de formação e consultoria. Permitiu, não só cumprir com o estipulado no código de trabalho em termos de formação do pessoal, dotando-os de conhecimentos técnicos sobre várias matérias de interesse para o seu desempenho, como também foram criados mecanismos e formas de controle nas áreas produtivas e administrativas. Tudo isto só foi possível em primeiro lugar com o papel da AEBA através dos seus colaboradores na parte burocrática e na seleção do painel de formadores/consultores e em segundo lugar, pelos formadores/consultores que foram exemplares tanto pelo trabalho afincado, como pelas ideias construtivas que nos concederam. Desde já o nosso agradecimento público”. Armaco / Trofamalha


12 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

FlorestaAutóctone em destaque na Trofa Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Câmara Municipal da Trofa dedica o mês de novembro à Floresta Autóctone com um programa diverso e onde as espécies autóctones estarão em destaque.

Caminhada “por montes e vales” Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A ADAPTA - Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa realizou na manhã de domingo, dia 21 de outubro, uma caminhada “por montes e vales” de Paradela. “Foi gratificante mais uma vez ver a adesão dos sócios e não só em mais uma caminhada”. Foi desta forma que Pedro Daniel Costa, presidente da ADAPTA (Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa), fez um balanço “muito positivo” da caminhada “Por Montes e Vales”, realizado no domingo, pelos montes do lugar de Paradela, em S. Martinho de Bougado, e que teve como guia Armando Pinto, secretario da ADAPTA, uma vez que, além de ser habitante deste lugar, é “um importante mem-

bro na realização do atual parque de merendas”, designado como “parque presa val do meio”. Esta atividade tinha como principais objetivos mostrar aos 51 caminheiros participantes “um património muito antigo existente nos montes de Paradela, mais concretamente um sistema rudimentar de canais que outrora serviam para o regadio de campos de quase toda a aldeia de Paradela, bem como as lagoas de onde emergem as águas que faziam esse regadio”. Para o presidente os objetivos foram “cumpridos”, tendo as pessoas achado “interessante este sistema de regadio, bem como a arte em que foi construido ao longo de alguns quilómetros”. Além da parte patrimonial da caminhada é de destacar a prática de exercício físico, uma vez que os caminheiros tiveram que percorrer dez quilómetros por montes e vales com passagem inclusive “num ponto de maior altitu-

de da Trofa” o “meco da guerra de Paradela”, como é conhecido pelos habitantes da Trofa. “Os participantes gostaram e pediram mais. Este tipo de atividades, concretamente estas caminhadas, têm sempre grande adesão, pois quem as faz fica a conhecer melhor a Trofa e passa uma manhã tranquila no seio da natureza”, afirmou, informando que a associação está “a ponderar realizar outra caminhada, mas agora noutra freguesia do concelho”. Neste momento, a ADAPTA está com as sinergias direcionadas para “a fase final da horta biológica”. Um projeto que em breve será “uma realidade”. Além disso, a associação está a preparar “mais uns workshops relacionados com os Anfíbios da nossa terra”, que vão ser dinamizados em todas as freguesias do concelho e que está “virado para a vertente ambiental”.

Durante o mês de novembro, a Câmara Municipal da Trofa está a preparar diversas atividades dedicadas à Floresta Autóctone. O programa vai ficar marcado pela nova edição de plantação de árvores, que vai decorrer entre o dia 2 e 30 de novembro, tendo a autarquia trofense aderido ao projeto 100 mil árvores, promovido pelo Centro Regional de Excelência em Educação para o desenvolvimento sustentável da Área Metropolitana do Porto (CRE.PORTO). Recorde-se que desde o início deste programa já foram plantadas na Trofa mais de 1200 árvores em zonas devastadas por incêndios. Desta forma, a Câmara Municipal da Trofa lança o desafio a toda a sua comunidade, para juntos começarem a reflorestar o concelho ao longo do mês de novembro. As áreas abrangidas serão a Quinta da Sardoeira, o Monte de Paradela e em Almoinhas. Em simultâneo, a autarquia, através da Divisão de Ambiente e Espaços Urbanos, continua as comemorações dedicadas à Floresta Autóctone, com a participação de toda a população escolar trofense (JI, EB1, EB2/3 e Secundário). “Vamos apanhar bolotas” é o desafio lançado a todos os níveis de ensino, e que consiste em apanhar o maior número de bolotas de carvalho nacional, nas zonas envolvente às escolas. Uma iniciativa que procura promover uma coleta de bolotas saudáveis para serem entregues na Quercus, que se responsabilizará pela germinação das sementes. Já no dia 5 de novembro, será inaugurada a exposição interativa “Floresta Viva”, que ficará patente na Academia Municipal da Trofa – Aquaplace até ao dia 30. A exposição promovida pela Quercus, que tem como público-alvo a comunidade escolar, é constituída por 17 painéis, onde será possível ouvir os sons da floresta e aprender a contar os anéis das árvores. Com esta exposição a autarquia trofense procura promover a valorização de todos os serviços ambientais, económicos e sociais que a floresta presta, informar/educar a população em geral sobre a importância da floresta no ecossistema, sensibilizar para a proteção e conservação da floresta autóctone bem como procurar alertar para os impactos associados à falta de cuidado e consumo excessivo das matérias-primas e ocupação do solo. Esta é mais uma ação de “promoção e educação ambiental e de fomento de um desenvolvimento sustentado” protagonizada pela Câmara Municipal da Trofa que “aposta assim, na sensibilização, na formação e no envolvimento dos mais novos”.

Seniores da Trofa aprendem informática A Câmara Municipal da Trofa tem vindo a realizar ações de formação na área de informática, destinada a todos os seniores do concelho, no Centro Comunitário Municipal. “Potenciar a participação e a valorização da população sénior, estimulando a vida ativa e quebrando o ciclo de solidão e isolamento que tantas vezes acompanha o idoso no seu quotidiano” são os principais objetivos da

Câmara Municipal da Trofa que, através do Centro Comunitário Municipal, tem vindo a realizar ações de formação na área da informática. Uma iniciativa que tem sido desenvolvida no âmbito de atuação do projeto Integr@r, e numa parceria entre a autarquia trofense e a CAID – Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente. O curso de informática, que tem como público-alvo adultos ativos, desempregados e adultos em situação de reforma, decorre

nas manhãs de segundas, terças e sextas-feiras, no Centro Comunitário e Municipal da Trofa. Este aborda primeiramente os passos num computador e a utilização básica do programa “Word”, enquanto que no segundo nível aprofunda conhecimentos no programa “Word” e introduz os participantes na utilização da Internet. Desta forma, a autarquia pretende envolver todos os que se encontram desempregados ou reformados, desenvolvendo, de

“uma forma saudável e enriquecedora”, as suas competências sociais, promovendo “a aquisição de conhecimentos em áreas ainda não exploradas pelos próprios”. Além disso, a realização destes cursos promove “oportunidades para que o idoso desempenhe um papel ativo e cultive as relações interpessoais, estimulando novos ciclos e dando conteúdo ao chamado envelhecimento ativo”. “Mais uma das valências” da

Câmara Municipal da Trofa que a desenvolve especialmente para os seniores, que em paralelo têm ainda ações como os ateliers de canto ou cerâmica, a hidroginástica, a ginástica, as colónias balneares, a festa anual de convívio e encerramento das colónias, o acompanhamento permanente da tele-assistência domiciliária e o Cartão Sénior +, que proporciona descontos nos estabelecimentos aderentes e acesso às valências municipais.


Publireportagem 13

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Nova clínica de medicina dentária e fisioterapia abriu na Trofa

Dentalfisis garante acesso a saúde de qualidade Serviços de qualidade, atendimento de excelência e acesso a uma saúde de qualidade são os compromissos da equipa de profissionais da Dentalfisis. A nova clínica dentária e de fisioterapia abriu para dar “o melhor tratamento que a população merece”.

se evidenciar o “local ideal”. “Tentamos conhecer melhor a região e ficamos bastante satisfeitos com a localização e com os habitantes, pelo que resolvemos arriscar”, frisaram os gerentes, que consideram que fizeram a “escolha acertada”. A Dentalfisis disponibiliza vários serviços dentro das áreas de medicina dentária e fisioterapia. A Trofa foi a cidade escolhida Na primeira, a população terá para receber a nova clínica, por acesso a cirurgia oral, implantolo-

Dentalfisis está sediada no edifício Ferreirinha I

gia, odontopediatria, prótese fixa e removível, endodontia, dentisteria, periodontologia, oclusão e ortodontia. Já na fisioterapia, a Dentalfisis disponibiliza a fisioterapia ortopédica/músculo-esquelética (dores musculares, articulares, degenerativas-artroses), fisioterapia neurológica, fisioterapia respiratória, pilates clínico, mesoterapia, fisioterapia dermato-funcional (redução de medidas), osteopatia, fisioterapia na saúde da mulher (pré e pós-parto), patologias da ATM (articulação temporo-mandibular), correção postural, recuperação de pós-cirúrgico de cirurgias plásticas (abdominoplastia, mamoplastia, lipoaspiração, entre outras). Nesta área, a clínica também presta serviço ao domicílio. Os profissionais da Dentalfisis garantem um atendimento personalizado, adequado a cada caso, auxiliando cada paciente na melhor solução para o seu problema.

Equipa da Dentalfisis garante cuidados de saúde de qualidade

A clínica está sediada na loja 8 do edifício Ferreirinha I, na Rua Infante D. Henrique, em S. Martinho de Bougado. Para marcação de consultas ou mais in-

formações pode contactar a Dentalfisis através do número de telefone 252 053 831 ou 962 255 632. Pode ainda consultar o site http://www.dentalfisis.pt/.

Ganhe uma mudança de visual grátis Participe e habilite-se a ganhar uma mudança de visual grátis, com tratamento capilar e aconselhamento de moda. Está cansada do seu visual e gostaria de mudar? Gostava de parecer mais nova? Então, está na hora de fazer alguma coisa por si. Antes de mais, sorria, porque a vida são dois dias. Nesta rubrica, os problemas não têm lugar e a sua satisfação é o objetivo final. O NT, em parceria com o salão Style Cabeleireiro’s vai sortear uma transformação de

visual grátis, com tratamento capilar e aconselhamento de moda. Para participar, basta preencher o cupão, que está no fim da página e entregá-lo no salão de cabeleireiro, situado na Rua Dr. Adriano Fernandes Azevedo, loja 153, em S. Martinho de Bougado. Se for a feliz contemplada, terá tratamento vip assegurado da equipa da Style Cabeleireiro’s, que vai evidenciar os seus pontos fortes. Se quer dar uma “machadada” na crise e aumentar a sua autoestima a custo zero, não Habilite-se a ganhar uma mudança de look grátis hesite em participar.


14 Região

www.onoticiasdatrofa.pt

Três anos de VMER em Trofa, Santo Tirso e Famalicão

25 de outubro de 2012

Médico Pinto da Costa foi um dos oradores

Jornadas assinalam aniversário da VMER

ASAS coloca profissionais a debater práticas na saúde mental Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Jornadas debateram vários temas relacionados com prestação de socorro Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

A viatura médica de emergência e reanimação da unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, mais conhecida na população como “a carrinha amarela do INEM”, completou três anos de atividade. Desde outubro de 2009, a viatura médica de emergência e reanimação foi ativada para cerca de 3800 situações de socorro. A carrinha, que está na unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave, veio revolucionar a prestação de cuidados às populações dos concelhos de Famalicão, Trofa e Santo Tirso. Mas para continuar a manter a qualidade do serviço, é necessário aumentar o número de operacionais. Francisco Sampaio, médico coordenador da VMER, afirmou que já “decorrem cursos e ações de formação” para médicos, no sentido de garantir “a escala operacional a cem por cen-

to”. Neste âmbito, está no horizonte a possibilidade de a equipa da VMER integrar as estruturas hospitalares do Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA). Este será o último passo para cumprir “todos os propósitos” que foram delineados aquando da criação da rede de diferenciação das urgências. Segundo José Dias, presidente do conselho de administração do CHMA, a integração poderá estar resolvida “nos próximos meses”. Ao integrar as estruturas hospitalares do centro hospitalar, a equipa da VMER passa a estar disponível para acorrer ao serviço médico, enquanto não é solicitada para situações de emergência, no exterior. O anúncio foi feito na abertura das primeiras jornadas da VMER, que serviram para assinalar o 3º aniversário do funcionamento da viatura na região. Na mesma altura, Armindo Costa, presidente da autarquia de Vila Nova de Famalicão, sublinhou que a atividade da VMER “é um

serviço de valor incalculável”, por ter “apressado a prestação de cuidados médico-hospitalares de acidentes ou doenças súbitas, salvando-se muitas vidas humanas”. Ao contrário do ano passado, em que o aniversário da VMER foi assinalado com um simulacro, desta vez, os coordenadores preferiram fomentar o aspeto formativo, com jornadas que decorreram na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave da CESPU, em Famalicão, com cinco mesas redondas. De acordo com Francisco Sampaio, a Trofa pode ser palco de uma das próximas atividades. Desde o ano passado, as ativações da VMER sofreram um ligeiro aumento e a média situase nas quatro solicitações por dia. O tempo de resposta também melhorou, mas Francisco Sampaio também conhece bem a dificuldade que é passar pelo centro da cidade da Trofa, na rotunda do Catulo, em “situações pontuais”. E a construção da variante à Estrada Nacional 14 seria uma boa solução? “Todos os meios que nos possam colocar à disposição para andarmos mais rápido são bem-vindos”, respondeu. As jornadas trataram de vários temas como assistência intrahospitalar, ciências forenses em emergências, intervenção em catástrofe e parceria com a comunidade. A VMER de Famalicão conta com cerca de 45 elementos, entre médicos e enfermeiros.

ASAS promoveu 1º Encontro sobre “Boas Práticas na Área da Saúde Mental”, em Santo Tirso. Painel de oradores ajudou a desmitificar o conceito de doença mental. Foi com o estilo próprio já conhecido por muitos, que Pinto da Costa falou da relação da doença mental com a violência. O perito de medicina legal foi um dos oradores do 1º Encontro sobre “Boas Práticas na Área da Saúde Mental”, promovido pela ASAS (Associação de Solidariedade e Ação Social), no dia 19 de outubro. Segundo Pinto da Costa, a insanidade mental não tem uma relação direta com os crimes violentos. Um dos exemplos utilizados foi o homicídio de Carlos Castro, em janeiro de 2011, do qual Renato Seabra é acusado e o facto de “o advogado de defesa fazer a apologia da insanidade mental” do jovem. Mas, segundo o médico, “um indivíduo dito normal pode merecer ou desmerecer de uma impulsividade incontrolada para praticar crimes violentos de uma violência extrema”. “Ao tentarmos dimensionar a responsabilidade da doença mental em relação ao homicídio temos um desgosto, porque estávamos convencidos que os criminosos são uns doentes mentais e não são. A amostragem da população dita ‘normal’ equipara-se aos doentes mentais”, evidenciou, afirmando que as causas da violência podem estar ligadas “do ponto de vista biológico, psicológico, sociológico, antropológico, político e cultural”.

Para além deste tema, muitos outros ligados à saúde mental foram aflorados durante um dia no auditório Eurico de Melo, em Santo Tirso. A terapeuta familiar Sandra Borges falou da importância da prevenção para reduzir os problemas de saúde mental das populações, principalmente na infância, enquanto António Pacheco Palha, presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, deu o mote para o início do colóquio ao classificar os transtornos mentais e desmitificar o conceito de doença mental. Pela natureza do tema abordado, a realização deste seminário foi um “desafio” abraçado pela ASAS, que quis quebrar o “estigma” na abordagem da saúde mental. “A saúde mental trata-se do bem-estar físico e psicológico de uma pessoa e sendo a ASAS uma associação que trabalha com crianças e jovens em risco, assim como com a população carenciada, achamos que seria pertinente adquirir conhecimento sobre como tratar bem a saúde mental”, explicou Helena Oliveira, presidente da ASAS. O balanço da iniciativa foi “muito positivo”, até porque ajudou a desmitificar algumas convicções: “Demos conta de que coisas tão simples como fobias, como medo de estar sozinho ou das alturas, passam pela doença mental, ao contrário do que pensamos que aí só se integram os atrasos ou deficiências”. Na plateia podiam ver-se profissionais da saúde, da segurança social e alunos, que no fim participaram numa sessão de risoterapia, técnica comprovada que melhora o bem-estar físico e mental.


Forave celebrou Dia da Alimentação “Kombat- Kombate a Obesidade Mantendo uma Boa Alimentação, Topas!?” Este foi o lema da campanha da escola profissional Forave dirigida aos alunos, com o intuito de assinalar o Dia da Alimentação, 16 de outubro. As atividades estiveram a cargo da turma do 2º ano do curso profissional Técnico de Processamento e Controlo da Qualidade Alimentar que, em colaboração com os alunos da turma CEF de Apoio Familiar e à Comunidade bem como do Gabinete de Saúde Escolar, alertou alunos, professores e não docentes

para a “necessidade de fazerem uma alimentação saudável e de praticarem exercício físico”. Através do visionamento de um pequeno filme, da realização de jogos didáticos, da distribuição de um folheto informativo e da exposição de uma Roda dos Alimentos “viva”, os alunos responsáveis pela atividade partilharam conhecimentos adquiridos nas aulas das disciplinas da componente técnica dos cursos e “contribuíram para uma mudança de atitude dos participantes, face às regras a seguir para manter uma vida saudável”. P.P.

“Um Livro, Um Filme” sugerido por Vitorino de Almeida na Casa de Camilo “As Luzes da Ribalta” é o filme proposto por António Vitorino de Almeida para animar a noite de sexta-feira, dia 26 de outubro, pelas 21.30 horas, na Casa de Camilo em Vila Nova de Famalicão. O compositor, maestro, pianista e escritor português é o próximo convidado da sessão “Um Livro, Um Filme”, promovida pela Casa de Camilo, de S. Miguel de Seide. Apesar de ser entrada livre, esta está sujeita a marcação prévia. O filme americano foi escrito, dirigido e interpretado por Charles Chaplin, tendo tido a sua estreia em 23 de outubro de 1952 e lançamento público em 6 de

Região 15

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

fevereiro de 1953. Este foi o antepenúltimo filme do cineasta britânico. Na Casa de Camilo, António Vitorino de Almeida irá explicar as razões que o levaram a escolher esta película, debatendo com o público factos do filme. Refira-se que para além da música e da escrita, Vitorino destacou-se também como realizador de cinema, sendo autor de “A Culpa”, o primeiro filme português a receber um 1.º Prémio num Festival Internacional do estrangeiro (Huelva, 1980), de “As Mesas de Mármore” e do documentário “Gemeinsam”, encomendado pela ORF. P.P.

Cior reconheceu mérito dos alunos Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A escola profissional Cior celebrou na sexta-feira, dia 19 de outubro, o Dia do Diploma, ao reconhecer o mérito dos alunos. A escola profissional Cior comemorou o Dia do Diploma, reconhecendo os alunos que, nos diferentes cursos, destacaramse pelo “trabalho, esforço, zelo, dedicação, sentido de responsabilidade e mérito no processo de aprendizagem”. A cerimónia teve início de manhã com uma mensagem de boas vindas dos diretores da escola aos alunos, sem esquecer os que terminaram com “êxito o ciclo de formação” e que agora prosseguem com as suas vidas académicas ou laborais. Ao longo da manhã, foram entregues cerca de cem diplomas aos alunos finalistas, 15 prémios de assiduidade e de aproveitamento, e quatro prémios de mérito, aos diplomados que obtiveram mais de 17 valores. Durante a cerimónia houve momentos de

Foram entregues cerca de cem diplomas aos finalistas

animação cultural e recreativa. Após o almoço, a tarde foi preenchida com uma série de atividades e iniciativas de caráter desportivo, no âmbito da “receção aos caloiros”. “Foram momentos de animação, convívio e confraternização, facilitadores das boas práticas e de bons modos de relacionamento interpes-

soal, envolvendo todos os membros da comunidade escolar”, afirmou fonte da escola. Esta iniciativa foi planificada, organizada e realizada por um grupo de alunos de animação, no âmbito de um exame à disciplina de Animação Sociocultural. Uma cerimónia “simples, mas altamente simbólica”.

Escuteiros de Ribeirão iniciam atividades O Agrupamento de Escuteiros de Ribeirão recebeu as primeiras crianças candidatas a escuteiras, no arranque das suas atividades. Na primeira secção (Lobitos), participaram cerca de 40 crianças, com idades entre os seis e os dez anos, enquanto que na secção dos Exploradores, que engloba as idades dos dez aos 14 anos, participaram cerca de 70 crianças. Depois do acolhimento realizado por Leonel Rocha, Chefe do Agrupamento, no exterior da sede do agrupamento, as crianças tiveram a oportunidade de viver, pela primeira vez, “o espírito escutista” na sua respetiva secção. Através de um jogo pedagógico, as crianças puderam conhecer-se melhor e aprenderam a interagir em grupo. Além disso, os escuteiros visitaram a Capela de Santa Ana, onde conheceram os padroeiros do Agrupamento: Santa Ana e São Joaquim, avós de Jesus, onde, através de uma encenação, ficaram a conhecer a vida dos pais de Nossa Senhora e aprenderam, ainda, alguns cânticos escutistas. Uma semana antes, no dia

7 de outubro, reuniu-se o primeiro Conselho de Agrupamento, que teve como assunto principal a apresentação e aprovação do Plano de Atividades para 2012/ 2013. Do plano aprovado destaca-se a realização da Exposição de Presépios (dezembro), a cerimónia das Promessas dos Dirigentes e dos Escuteiros (14 de abril) e a realização do evento “Jardins dos Avós” (julho). Os candidatos a dirigentes participaram, ainda, no dia 14 de outubro, em Braga, na Abertura Regional do Ano Escutista, momento aproveitado pela Diocese de Braga para assinalar a abertura do Ano da Fé. Os membros do agrupamen-

to relembram a comunidade que caso tenha material que possa ser útil e dispensado aos escuteiros o favor de informar, para que os candidatos a chefes façam a recolha, ou, “se preferir e puder”, que entregue na sede (antigas escolas de Santa Ana de baixo), aos sábados, entre as 16 e as 17.30 horas. Fogão industrial, tendas, utensílios de cozinha, como travessa ou terrinas em inox ou alumínio e talheres, ou ferramentas de campo, como tesouras de poda, machados, marretas, serras, sacholas, sachos, engaços, ancinhos, pás e catanas são alguns exemplos de material que interessa aos escuteiros. P.P.

Jovens começam atividades nos Escuteiros de Ribeirão


16 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Marítimo B vence na Trofa por 0-1

Resultados Camadas Jovens CD Trofense

Um golo de Gonçalo Abreu, aos 80 minutos, permitiu esta quarta-feira ao Marítimo B conquistar a primeira vitória (1-0) fora, na deslocação a casa do Trofense, em encontro da 10ª jornada da 2ª Liga de futebol. Separados por cinco pontos, Trofense e Marítimo B proporcionaram uma tarde de futebol pobre e sem grande ritmo, perante um estádio muito despido de público. Os insulares, que nunca tinham vencido fora, vinham de duas vitórias caseiras (1-0 com o Portimonense e 3-0 sobre o Arouca). Já os trofenses, que não vencem desde a terceira jornada, na deslocação ao terreno do Tondela (2-1), mantêm-se sem vitórias caseiras.

Trofense não conseguiu evitar vitória do Marítimo B

A primeira oportunidade de perigo pertenceu ao Marítimo B, com Gonçalo Abreu, aos 10 minutos, a por à prova o guardião trofense. Só aos 23 minutos se viu a equipa da Trofa a rondar a baliza adversária, com Rateira a

obrigar Ricardo Ferreira a socar a bola para a frente. E a principal oportunidade de golo da primeira esteve nos pés de Amar, que viu o guarda-redes trofense Marco Gonçalves agarrar a bola em cima da linha de

golo, aos 29 minutos. Após o intervalo, o Trofense assegurou o domínio do meiocampo, enquanto o Marítimo B preferiu fechar melhor a sua defensiva, mas raramente a bola chegou com perigo a qualquer uma das balizas, exceção para o minuto 77, quando, na sequência de um livre apontado na esquerda por Rateira, Herbert Santos cabeceou para defesa apertada do guarda-redes insular. Na resposta, o Marítimo B marcou por Gonçalo Abreu, através de um remate de livre rasteiro e lento que passou aos pés da barreira trofense e iludiu o guardião trofense (80 minutos). Já nos descontos, o Trofense reclamou grande penalidade a castigar alegada mão de Patrick, mas Paulo Baptista mandou seguir o lance. Lusa

Vigorosa no Grande Prémio de Pousada de Saramagos masculinos, Sérgio Silva e Filipe Teixeira terminaram em 9º e 12º, respetivamente. Numa prova que abrangeu os escalões de juniores, seniores e veteranos femininos e que contou com a participação de Conceição Correia (12º), Paula Rodrigues (14º), Manuela Rodrigues (20º), Joaquina Gonçalves (21º) e Goreti Sá 29º), Deolinda Oliveira subiu ao pódio para receber a medalha de ouro. Com estes resultados, a equipa do Vigorosa conseguiu o 2º posto coletivo. Nos mesmos escalões mas em masculino, a equipa conseguiu um 14º lugar coletivo, através dos resultados de Joaquim Figueiredo (8º), Francisco Rodrigues (56º), António Neto (64º), Pedro Sá (84º), José Rodrigues (85º) e João Lopes (97º). P.P.

Juniores Sub-17 A Trofense 2-1 AD Barroselas Próxima Jornada Os Sandinenses-Trofense Juniores Sub-17 B Trofense 3-0 Gondim-Maia Próxima jornada Inter Milheirós-Trofense Juniores Sub-15 A FC. Porto 4-1 Trofense Próxima jornada Trofense-Moreirense Juniores Sub-15 B Trofense 1-4 FC Felgueiras Próxima Jornada Paredes-Trofense Juniores Sub-13 Trofense 4-1 FC Pedroso Próxima Jornada Candal-Trofense AC Bougadense Juniores Sub-19 Bougadense 4–2 FC Foz Próxima Jornada Candal B-Bougadense Juniores Sub-17 Sousense B 2-2 Bougadense Próxima Jornada Bougadense-Folgosa da Maia

arquivo

A Associação Cultural e Recreativa Vigorosa esteve representada no Grande Prémio de Atletismo de Pousada de Saramagos, em Vila Nova de Famalicão, no dia 21 de outubro, domingo. Joana Martins representou a equipa nos benjamins femininos tendo conseguido o 22º lugar. Também Alice Oliveira (2º), Ana Lopes (12º), Patrícia Oliveira (17º), Jéssica Faria (19º), Maria Maia (20º) e Ana Soares (21º) participaram no escalão infantis feminino, tendo conseguido o 2º lugar coletivo. Já em infantis masculinos, Rui Rocha e Tiago Sá alcançaram o 2º e 7º posto, respetivamente. Sara Faria (9º) participou nos iniciados femininos, assim como Alexandre Sá (23º) nos masculinos. Em juvenis femininos, Adriana Oliveira terminou a prova em 8º lugar e, em juvenis

Juniores Sub-19 Feirense 3-0 CD Trofense Próxima Jornada Trofense-Tirsense

Futsal

Juniores do Muro golearam Juventude de Gondomar A equipa sub-19 da Associação Recreativa Juventude do Muro (ARJM) defrontou no sábado, dia 20, a Juventude de Gondmar, num jogo a contar para a 3ª jornada, tendo-a goleado por 7-1. A equipa murense ascende assim ao 6º posto da tabela classificativa da série 2 da 2ª divisão do Campeonato Distrital da Associação de Futebol do Porto (AFP) com quatro pontos. Na próxima jornada, dia 27 de outubro, a equipa desloca-se a Lousada para um jogo contra o Desportivo da Ordem. Já a equipa sénior do Muro perdeu a 3ª jornada da série 1 da 1ª divisão do Campeonato Distrital, frente ao Alfa AC, por 42, mantendo-se no último lugar da tabela. Na próxima jornada, a ARJM vai receber, no dia 26 de outubro, pelas 21.30 horas, a Amanhã Criança. A equipa feminina de S.

Romão perdeu, no dia 20 de outubro, a 2ª jornada da 1ª Divisão do Campeonato Distrital da AFP, por 3-2, contra o AC Alfenense. A próxima jornada, que se realiza no dia 28 de outubro, a equipa romanense desloca-se ao reduto de S. Salvador de Campo. Já a equipa feminina de Covelas empatou o jogo frente ao Sporting C. Canidelo, por 1-1. Na próxima jornada, a equipa covelense vai receber, no dia 27 de outubro, pelas 20 horas, os Restauradores Avintenses. A equipa infantil do CR Bougado jogou este fim de semana a 3ª jornada da série 2 da 2ª Divisão do Campeonato Distrital da AFP. A equipa bougandense perdeu pela margem mínima (1-0) contra o Núcleo CR Valongo. Na 4ª jornada, a equipa desloca-se, no sábado, dia 27, a Gondomar para defrontar a Juventude Desportiva de Gondomar. P.P.

Juniores Sub-15 Bougadense 4-0 Ermesinde Bougadense 1-2 FC Caldas Próxima Jornada Sobrado-Bougadense UD Roriz-Bougadense FC S. Romão Juniores Sub-17 Gondim-Maia -S. Romão

Basquetebol ACR Vigorosa Sub-16 femininos Próxima Jornada 28/10/2012 | 09 horas ACR Vigorosa-GD Bolacesto Sub-14 femininos Vigorosa 18-82 CDJ Régio Guifões SC 92-37 ACR Vigorosa Próxima Jornada 28/10/2012 | 11.00 horas ACR Vigorosa-Académico FC Sub-18 masculinos Vigorosa 80-68 CB Penafiel Próxima Jornada Salesianos-ACR Vigorosa Sub 16 masculinos Próxima Jornada 27/10/2012 | 17 horas EB 2/3 S. Romão do Coronado ACR Vigorosa-GD Bolacesto Sub 14 masculinos Próxima Jornada 28/10/2012 | 15 horas ACR Vigorosa-CLIP


Desporto 17

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Bougadense vence Senhora da Hora Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

O Bougadense venceu o Senhora da Hora por 2-1. Equipa de Santiago de Bougado marcou na primeira parte, deixou-se empatar na etapa complementar, mas terminou em vantagem. Na época passada, Fábio Moura era profissional pelo Clube Desportivo Trofense, mas acabou por ser dispensado no fim do campeonato. Esta temporada, continua a jogar no concelho mas com a camisola do Atlético Clube Bougadense, no qual já se estreou a marcar. Foi no domingo, no jogo diante do Senhora da Hora, que acabou com uma vitória do Bougadense por 2-1. A partida, a contar para a 6ª jornada da série 1 da 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto, começou de forma atípica, a combinar com o tempo cinzento e chuvoso. Só aos 21 minutos se vislumbrou um lance de perigo: na sequência de uma jogada pela esquerda, Fábio Moura cruzou para Tó Maia rematar ao lado da baliza.

Casa do Benfica da Trofa em período eleitoral A Casa do Benfica da Trofa está em processo eleitoral e os interessados podem apresentar candidaturas para liderar a próxima direção. Ao que o NT apurou, José Cardoso, até então presidente da coletividade, pediu demissão por motivos profissionais, abrindo vaga a que outro benfiquista se candidate para gerir os destinos da associação. Segundo fonte da direção, os benfiquistas interessados deverão apresentar candidatura para que a atividade da coletividade prossiga, caso contrário poderá cair num vazio diretivo. As candidaturas podem ser apresentadas na sede da associação, na Rua António Augusto Pires Lima, junto à Escola Secundária da Trofa, em S. Martinho de Bougado. C.V.

Joca disputa a bola com o adversário

Seis minutos volvidos, novamente a partir de um cruzamento do lado esquerdo, Ricardinho cabeceou para grande defesa do guarda-redes do Senhora da Hora. O jogador do Bougadense voltou a estar em destaque pouco tempo depois, mas o remate saiu por cima. O golo inaugural surgiu aos 38 minutos, pela cabeça de Fábio Moura, que penalizava a apatia do adversário durante os primeiros 45 minutos. Na etapa complementar, o Bougadense reentrou forte e com

vontade de ampliar a vantagem. Aos 46 minutos, num livre bombeado para a área, Renato, júnior promovido à equipa principal, obrigou o guardião do Senhora da Hora a uma boa defesa. Logo a seguir, o guarda-redes forasteiro voltou a estar em evidência ao fazer a mancha ao desvio no livre com Tó Maia. Depois de Ricardinho ter falhado por pouco o desvio para o segundo do Bougadense, o Senhora da Hora conseguiu chegar ao empate, na sequência de um

livre direto, aos 64 minutos. A equipa da casa correu atrás do prejuízo e nove minutos volvidos selou a vitória, com um tento de Oliveira, que aproveitou uma confusão na área para atirar para o fundo das redes. Na análise à partida, Pedro Pontes, treinador do Bougadense, considerou a vitória “escassa” pelo “domínio” que a equipa teve “durante o jogo”, em que o guarda-redes Jonas “não fez uma defesa digna de registo”. O técnico salvaguardou, porém, que a

formação bougadense voltou a sofrer na sequência de uma bola parada: “Em nove golos sofridos, seis são de bola parada”. “Poderíamos ter ampliado a vantagem, mas acabamos um pouco a sofrer. Vínhamos de uma derrota da semana passada em que não demos uma boa imagem e desta vez demos uma grande imagem e penso que está mais um passo dado, com mais três pontos”, frisou. O treinador quis realçar o facto de ter lançado no onze inicial dois jogadores oriundos das camadas jovens do Bougadense, Renato e Daniel. Por seu lado, Joca, técnico do Senhora da Hora, admitiu que este “é um mau resultado” para a equipa, considerando que “o mais justo seria o empate”. “Foi um jogo bem disputado de parte a parte, mas os dois golos foram muito consentidos”, frisou. O treinador afirmou ainda que ficou uma grande penalidade por marcar na primeira parte, uma “decisão” que “podia ter mexido com o jogo”. O Bougadense ocupa o 10º lugar, com oito pontos, e no domingo defronta o Foz.

Desmotivação penalizada com goleada Diana Azevedo

Depois de três jornadas com excelentes exibições, a equipa do FC S. Romão mostrou-se desorientada e pouco motivada, sendo penalizada com uma goleada por 4-0 diante do SC Campo. Em casa, o S. Romão tinha já marcado território, sempre a somar pontos, mas faltava invadir o terreno adversário onde ainda não tinha conseguido outro resultado senão a derrota. Por isso, diante do SC Campo, a equipa queria mudar o panorama, mas não conseguiu. Desorientada, a formação romanense deixou que o oponente tomasse as rédeas do jogo e revelou-se presa fácil, principalmente, nos lances de bola parada, num dos quais nasceu o primeiro golo do Campo, aos 18 minutos. O S. Romão tentou responder e Esquerdinha ameaçou as redes adversárias, com um forte remate, volvidos três minutos, mas o guarda-redes adversário evitou o golo ao desviar a bola

para a trave. A defesa do S. Romão teve algumas falhas na marcação e o 2-0 surgiu como uma repetição do primeiro golo. A segunda parte não trouxe grandes alterações ao jogo. Apesar das substituições que se verificaram nas duas formações, o rumo dos acontecimentos foi o mesmo com o ascendente da equipa da casa. Em dois minutos o Campo fez mais dois golos. China conduziu a bola em direção a Cláudio, ultrapassando o defensor romanense e concretizando o remate para dentro das redes. Logo depois, novamente a defesa pouca atenta abriu muito espaço, permitindo que Nelson dominasse o esférico e sem qualquer contenção fizesse o remate e o 4-0 final. Aos 73 minutos assistiu-se ao lance de maior perigo do S. Romão na segunda parte, com um remate forte de Brandão que passou a alguns centímetros acima da trave. Pedro Ribeiro, técnico do S. Romão, mostrou-se desiludido com a derrota: “Vínhamos de uma série de três jogos muito

motivantes e contra as nossas expectativas este não foi o resultado desejado. Não que tenhamos entrado mal em jogo, mas talvez por ter havido excesso de confiança e a descrença dos jogadores à medida que os golos foram acontecendo. As bolas paradas foram o nosso maior problema. Foi um dia mau para a equipa do S. Romão, mas espero que voltemos à atitude que já habituamos os nossos adeptos e assim acredito que vamos conseguir proporcionar um bom jogo no próximo domingo”.

Já Vítor Rocha, treinador do SC Campo, considerou a vitória justa, uma vez que a equipa “trabalha durante a semana para dar o máximo e conseguir vencer os jogos”. Com os mesmos quatro pontos, o S. Romão encontra-se em 12º lugar da 2ª Divisão da Associação de Futebol do Porto, mas a manter-se o histórico de jogos sem derrotas e casa, esperamse mais pontos na receção ao Águas Santas, agendada para o próximo domingo.

Defesa romanense pouco atenta permitiu goleada


18 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

CARTÓRIO NOTARIAL - MARIA CLARA CARDOSO FIGUEIREDO DA CRUZ PRACETA HENRIQUE MOREIRA, Nº 38 SÃO PEDRO DA AFURADA | 4400-346 VILA NOVA DE GAIA

JUSTIFICAÇÃO

Mais uma para Moura Depois de ter assegurado a conquista do título nacional no Rali do Centro, Ricardo Moura não deixou os seus créditos por mãos alheias e venceu mais uma edição do Rali de Mortágua, que se disputou no fim de semana. Com o Mitsubishi Lancer Evo 9 a funcionar na perfeição Moura venceu todas as especiais da prova organizada pelo Clube Automóvel do Centro, que ficou marcada pela escassa lista de inscritos. O famalicense Miguel Barbosa (Mitsubishi Evo 9), apesar de alguns problemas no início do rali, garantiu o 2º lugar na prova e assim arrecadou a viceliderança do campeonato. O jovem Ivo Nogueira num Citröen DS3 R3T conseguiu um excelente 3º lugar o que foi suficiente para vencer na categoria destinada a viaturas de apenas duas rodas motrizes bem como o campeonato referente a esta classe. Na Taça de Portugal de Ralis um 7º lugar chegava a Vítor Pascoal

(Mitsubishi Evo 7) para garantir o título. O piloto de Amarante adotou uma toada calma e assim conquistou o 3º lugar final que foi mais do que suficiente para finalmente conquistar um título nacional, ele que era apelidado de eterno 2º pelo facto de durante anos a fio ter terminado o Campeonato de Portugal de Ralis na posição intermédia. Daniel Nunes em Mitsubishi Evo 6 efetuou uma prova soberba com uma condução sempre exuberante, venceu entre os concorrentes da Taça apesar da enorme pressão do local Raul Aguiar num Mitsubishi Evo 4 que terminou em 2º. Com a vitória na prova, Nunes sagrou-se campeão do Regional Centro. O trofense Jorge Carvalho, que na Taça de Portugal navega Daniel Ribeiro, teve um rali uns furos abaixo do esperado. Alguns problemas de jovialidade do Opel Corsa OPC não permitiram a esta dupla irem além do 8º lugar final. Os ralis prosseguem já no próximo fim de semana com a realização do Rali de Gondomar.M.M.

CERTIFICO, narrativamente para efeitos de publicação que, neste Cartório, de folhas noventa e dois a folhas noventa e quatro verso do Livro de Notas Para Escrituras Diversas Trinta e Cinco - A, se encontra exarada uma escritura de justificação, com data de dezasseis de outubro de dois mil e doze, na qual a sociedade comercial por quotas com a firma “GARAGEM JOMAGUI LDA”, com sede na Rua da Cerca, 399, freguesia da Foz do Douro, concelho do Porto, matriculada na Conservatória do Registo Comercial sob o número único de matrícula e de identificação fiscal 500 124 647, com o capital social de cinco mil euros, declarou ser dona e legítima possuidora e com exclusão de outrem de um Veículo automóvel, matrícula FO, traço, QUARENTA E OITO, traço, ZERO DOIS, marca JEEP, com o valor atribuído de CEM EUROS, registado na Conservatória do Registo de Automóveis desde dezanove de julho de mil novecentos e oitenta e oito, a favor de Júlio Serra da Cruz, com última residência conhecida no Parque Residencial Trofense, 4785 Trofa. Que o referido veículo foi adquirido pela dita“GARAGEM JOMAGUI LDA”, há cerca de vinte anos, por dação em pagamento meramente verbal, daquele Júlio Serra da Cruz, por conta de reparações e depósito daquela mesma viatura, sem que tenha entregue a documentação referente ao veículo. Que por esses factos a dita“GARAGEM JOMAGUI LDA” não possui título de propriedade do veículo em causa, não dispondo por isso de título formal para a dedução do trato sucessivo a partir do titular inscrito, mas o certo é que, a partir da data em que este lhe foi dado em pagamento, sempre o possuiu em nome próprio, à vista de toda a gente e sem a menor oposição, exercendo essa posse por mais de dez anos, sem interrupção, traduzida em atos materiais de fruição, e com a consciência de estar a agir como verdadeira dona do mesmo, o que confere a tal posse a natureza de pública, pacífica, de boa fé e também de contínua, fundamentando assim a aquisição do direito de propriedade do veículo por usucapião, o que, dado o modo de aquisição, impede a demonstração documental do seu direito e inscrição, que se pretende, no registo automóvel. Está conforme o original. Cartório Notarial - Vila Nova de Gaia, em dezasseis de Outubro de dois mil e doze. A notária, Maria Clara Cardoso Figueiredo da Cruz


www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Opinião 19

O Notícias da Trofa_ 25/10/2012 _ n.º 394_ 1ª Publicação

TRIBUNAL JUDICIAL DA COMARCA DE SANTO TIRSO 1º JUÍZO CÍVEL Pr. General Humberto Delgado 4780 – 376 Santo Tirso

ANÚNCIO VENDA POR PROPOSTA EM CARTA FECHADA Administrador de Insolvência: Dr. José da Costa Araújo, com escritório na Rua José António P. P. Machado, nº 369 1º Esqº, 4750 – 309 Barcelos Telefone: 253 824116 / Fax: 253 821065 Processo nº: 1736/12.9TBSTS – 1º Juízo Cível Insolventes: José Fernandes Cruz Azevedo e Carla Maria Quelhas da Costa Nos autos acima identificados procede-se à venda por propostas em carta fechada dos bens, apreendidos para a massa insolvente, e infra identificados, os quais serão adjudicados a quem oferecer o maior preço acima do abaixo anunciado. Foi designado o próximo dia 03 de Dezembro de 2012 pelas 14,00 horas para a abertura de propostas em carta fechada , presidida pelo Mmo. Juiz do processo, devendo as propostas ser apresentadas na Secretaria Judicial do referido Tribunal, até à hora da abertura das propostas (14,00 horas),acompanhadas de um cheque visado no montante de 20% do valor proposto para a aquisição, ou garantia bancária, no mesmo valor . - BEM IMÓVEL – VERBA N.º 1 Prédio urbano, composto por casa de cave e rés-do-chão, sito na Rua da Coelha, 96, freguesia de Santiago Bougado, concelho da Trofa, descrito na Conservatória do Registo Predial da Trofa sob o n.º 2578/20021212 e inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 3611. VERBA Nº 1 – Valor mínimo a anunciar para venda é de ( € 275.000,00 x 70%) - € 192.500,00 - BENS MÓVEIS VERBA N.º 2 Diverso mobiliário, composto por um dispensário, 1 móvel com placa vidro-cerâmica, 1 cristaleira com duas divisórias, uma cama em madeira, espelho e cadeira, uma cama com duas mesinhas cabeceiras, um móvel em madeira com espelho, 1 cadeira, 1 televisão de marca “Grunding”, estúdio em madeira com cama e estantes VERBA Nº 2 – Valor mínimo a anunciar para venda é de€( 1.600,00 x 70%) - € 1.120,00 Os bens serão mostrados a quem o pretender, pelo Administrador de Insolvência, no próximo dia 19 de Novembro de 2012, das 10,30h às 12,30 horas ou em qualquer outro dia, mediante, marcação prévia, pelo telefone acima indicado. Ao valor proposto dos móveis acresce IVA à taxa legal. O Administrador de Insolvência José da Costa Araújo

Necrologia Lousado Maria Guiomar Ferreira Rodrigues Fernandes. Faleceu no dia 13 de outubro, com 73 anos. Viúva de Hermínio Teixeira Fernandes Cabeçudos José Pereira da Silva Nogueira . Faleceu no dia 15 de outubro, com 59 anos. Casado com Maria Beatriz Sousa Pereira Ribeirão Adélio Batista Leiras. Faleceu no dia 19 de outubro, com 71 anos. Casado com Maria da Conceição Amorim Santiago de Bougado Joaquim Mário de Sousa Dias. Faleceu no dia 20 de outubro, com 69

anos. Casado com Felisbela Moreira Sá Dias Funerais realizados por Funerária Ribeirense, Paiva e Irmão, Lda.

S. Martinho de Bougado Maria Celeste da Silva. Faleceu no dia 16 de outubro, com 71 anos. Casada com Rogério Anacleto de Carvalho Alexandre José Ferreira. Faleceu no dia 20 de outubro, com 78 anos. Casado com Maria Amélia da Silva Costa Funerais realizados por Agência Funerária Trofense, Lda. Gerência de João Silva

Pôr fim ao desastre

Ao longo deste ano e meio de aplicação do Pacto de Agressão ao povo e ao país, os seus promotores (PS, PSD e CDS, apoiados pelo Presidente da República) contaram sempre com o apoio da generalidade dos comentadores dos diversos órgãos da comunicação social. Durante muito tempo, apenas o PCP denunciava que este rumo levaria o país ao afundamento, como agora se comprova. Hoje, é muito vasta a consciência de que este rumo não resolve os problemas do país. A situação é de tal forma que, já ninguém quer ser responsável pelas políticas do governo, nem pelo Orçamento de Estado recentemente apresentado. Os próprios dirigentes e governantes do PSD e do CDS ensaiam demarcações, parecendo que este orçamento não tem autores. Os comentadores de serviço, agora alteram ligeiramente o discurso. Já não prometem o oásis, apenas dizem que não há alternativas. Nada mais falso! O PCP tem insistido na necessidade e na possibilidade de uma outra política, que rompa com 36 anos de política de direita, rejeite o pacto de agressão e assuma os valores da Constituição da República. Estes que apelam à resignação e dizem que não há alternativas, afirmam que o país não tem dinheiro, mas não mexem a sério nas negociatas das PPP‘s, pagam mais de 35 mil milhões de euros de juros pelo tal “empréstimo” da troika, enterram mais de 8 mil milhões no BPN para tapar as negociatas dos amigos. Sim, há alternativa. Se o país exigir a imediata renegociação da dívida pública – nos seus prazos, juros e montantes. Um processo que envolve: o apuramento e a renúncia da componente ilegítima da dívida; a diversificação das fontes de financiamento do Estado; a anulação ou renegociação de contractos das chamadas Parcerias Público-Privadas; a assunção de um serviço da dívida compatível com as necessidades de crescimento económico e criação de emprego. Sim, há alternativa se houver justiça fiscal com uma alteração radical da política fiscal, rompendo com o escandaloso favorecimento da banca, da especulação financeira, dos lucros dos grupos económicos nacionais e estrangeiros e aliviando a carga fiscal sobre as massas laboriosas. Uma política que promova a diminuição do IVA, o combate à fraude e evasão fiscais, o fim dosoffshores, a efetiva tributação dos ganhos mobiliários, do património de luxo e da especulação bolsista. Sim, há alternativa ao desemprego e ao afundamento do país. Portugal não é um país pobre, tem recursos que têm vindo a ser destruídos. Precisamos produzir mais para sermos menos dependentes dos outros. Precisamos apoiar as PME‘s, diminuindo os custos da energia e dos combustíveis (afrontando os interesses dos acionistas da EDP e da GALP). Sim, há alternativa ao empobrecimento dos trabalhadores e do povo. É possível distribuir melhor a riqueza, valorizar salários e pensões, aumentar o poder de compra e, por essa via, dinamizar o mercado interno. No passado, muito foram os profetas da desgraça. Durante 48 anos o país viveu sob uma ditadura que oprimia o povo. Foi possível dar a volta. Antes como hoje, o PCP não vira as costas ao povo e ao país. Também agora, quando os sucessivos governos roubam quem trabalha e afundam o país, será possível dar a volta a isto. Pela luta de quem é atingido por estas políticas, não baixando os braços, não aceitando que prossiga este desastre, aderindo à Greve Geral de 14 de novembro, fazendo desse dia uma grande jornada de confiança e luta por um país com futuro.


20 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

25 de outubro de 2012

Estilista trofense no Portugal Fashion

Júlio Torcato mostra tendências para o verão 2013 Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

O estilista trofense Júlio Torcato mostrou as tendências de roupa masculina para o verão 2013. Atriz Rita Pereira ajudou a tornar desfile irreverente. A elegância clássica e o lifestyle urbano das ruas de Londres serviram de pano de fundo de uma coleção que privilegia a combinação de azul-marinho, branco e cinza com o verde-esmeralda, verde Amazónia e o ver-

de flúor. As tendências de Júlio Torcato para o verão de 2013 fizeram as honras de abertura do 2º dia do Portugal Fashion, por entre as quatro paredes da Alfândega do Porto. A escolha de uma banda sonora poderosa combinou com a “irreverência do estilo urbano” londrino “muito forte e criativo”, revelou o estilista trofense em entrevista ao NT e à TrofaTv. As cores utilizadas na coleção serviram como “notas musicais”, nas quais os verdes seriam os “sons dissonantes”, semelhantes a “guitarras eletrónicas, com

Júlio Torcato apresentou as tendências para o verão 2013

acordes vibrantes”. Esta coleção tem uma componente clássica, de fatos de homem muito bem cortados, porque Londres também tem a tradição da alfaiataria”, contou. E criador que se preze tem que ser provocador. Para isso, para além de utilizar gravatas de cabelo, Júlio Torcato fez desfilar uma mulher numa coleção masculina: a atriz Rita Pereira. Júlio Torcato tem ombreado com grandes nomes da moda portuguesa e é um dos embaixadores do concelho na indústria do vestuário que sofre com a crise europeia. Mas o estilista acredita que as dificuldades devem servir de pontes para novas oportunidades, sem também deixar um recado para quem governa. “O negócio de moda, como em várias áreas, está com algumas dificuldades. Mas, nós portugueses, temos a capacidade de descobrir novos caminhos e a moda, que trabalha com seis meses de antecedência, é dinâmica e tem que viver da esperança, mas o País não depende só de nós, mas de quem nos di-

Rita Pereira marcou diferença num desfile masculino

rige, que tem que ser mais rigoroso”, frisou. Júlio Torcato foi muito assediado pela imprensa no final do desfile, comprovando que o trabalho desenvolvido tem eco no

mundo da moda. O Portugal Fashion contou ainda com desfiles de vários criadores e estilistas como Katty Xiomara, Miguel Vieira, Luís Buchinho, Storytailors e Fátima Lopes.


edição 394