Page 1

23 de fevereiro de 2012 N.º 361 ano 10 | 0,50 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Incêndio pág. 3

Bombeiros salvam jovem das chamas

Especial Casamentos

ACRESCI e Portela vencemCarnaval

Atualidade pág. 20

Educação págs. 4 e 5


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Traficantes de droga na Escola Secundária

Agenda

Começa o julgamento do gangue de traficantes Patrícia Pereira

O gangue que, em 2010, foi capturado pela prática de crime de tráfico de droga e que se dedicava à venda do produto estupefaciente a alunos da Escola Secundária da Trofa começa esta quinta-feira a ser julgado no Tribunal de Santo Tirso. Uma das maiores redes de tráfico de droga desmantelada em 2010 pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Santo Tirso, da Guarda Nacional Republicana começa esta quinta feira a ser julgada. No dia 24 de julho de 2010, o NIC de Santo Tirso efetuou 30 buscas, tendo detido 11 indivíduos. Nesta operação foram apreendidos mais de um

Gangue foi desmantelado no dia 24 de julho de 2010

quilo de cocaína, com elevado estado de pureza, oito viaturas topo de gama, uma mota de água, dez computadores, três armas brancas e 15 mil euros em notas. Destes elementos, três, um português e dois de nacionalidade brasileira, foram detidos em Santiago de Bougado, por suspeita de serem distribuidores de droga no concelho, mais pre-

cisamente no Parque Nossa Senhora das Dores . Na mesma freguesia houve buscas a três casas, onde foram encontradas algumas quantidades de drogas duras e sintéticas, e a uma rulote, que estava estacionada nas traseiras de um restaurante na Maganha, onde morava um dos cidadãos brasileiros que foi detido. Aqui encontraram

Dia 24 21.30 horas: “Vou ao café ouvir poesia...”, na Junta de Freguesia de Covelas vários materiais para transformação de droga. De relembrar que nove dos arguidos atuavam no concelho da Trofa, através de venda de droga a alunos da Secundária. Além disso, foram acusados de incentivarem os alunos a venderem aos restantes colegas, uma situação que preocupou a associação de pais que, de imediato, alertou as autoridades competentes, pedindo uma maior presença da Guarda Nacional Republicana nas imediações. Os arguidos, dos concelhos da Trofa, Famalicão, Braga, Santo Tirso, Paços de Ferreira, Fafe, Lousada, Esposende, Gaia e Felgueiras vendiam haxixe, marijuana, ecstasy, e traficavam heroína e cocaína, mas em menor escala.

GNR apreende DVD na Feira A Guarda Nacional Republicana da Trofa desencadeou no sábado uma operação de fiscalização de trânsito, na rotunda do Bombeiro, na entrada da cidade da Trofa. Os militares da guarda vistoriaram cerca de 40 viaturas, na sua maioria de feirantes e ven-

dedores que se dirigiam para a Feira da Trofa tendo levantado um auto de contra-ordenação grave a um condutor que conduzia sob efeito de álcool com uma taxa de 0,64 gramas por litro de sangue. Foram ainda levantados 3 autos de contra ordenação por

falta de cinto de segurança, dois por excederem o limite fixado para transporte de pessoas e um por falta de inspeção do veículo. Mas o trabalho da GNR não se ficou por aqui. Os dez militares do Posto Territorial da Trofa envolvidos na operação de fisca-

lização de trânsito apreenderam na Feira Semanal da Trofa 602 exemplares de DVD contrafeitos que estavam na posse de um cidadão de nacionalidade marroquina que conseguiu porse em fuga.

Tentaram furtar barras metálicas no complexo do Trofense Dois homens entraram esta

tar um dos homens chegando

sexta-feira no Complexo do Clu- mesmo a detê-lo. be Desportivo Trofense, em ParaNo entanto como o material, dela e tentaram furtar três barras metálicas.

avaliado em cerca de 390 euros, foi recuperado e não foi apresen-

Alertada a Guarda Nacional Republicana conseguiu intercep-

tada queixa o indivíduo acabou por ser libertado. H.M.

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (T.P. 1639) Editor: O Notícias da Trofa, Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (T.P. 1637), Cátia Veloso Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Afonso Paixão, Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José

Moreira da Silva (C.O. 864), Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso, Ana Assunção (T.P.E 155) Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 20 euros; Extra europa: 59,30 euros; Europa: 42,40 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684

Avulso: 0,50 Euros E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação:Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

Nota de redação Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Dia 26 08.30 horas: I Maratona de Spinning, no Aquaplace 15 horas: Trofense x União Madeira, no Clube Desportivo Trofense Bougadense x Ermesinde, no Parque de Jogos da Ribeira Cristelo x S. Romão, no Campo Carvalho Maia 17 horas: CAT x Castêlo da Maia, no pavilhão gimnodesportivo da EB 2/3 S. Romão do Coronado

Farmácias de Serviço Dia 23 Farmácia Sanches Dia 24 Farmácia Trofense Dia 25 Farmácia Barreto Dia 26 Farmácia Nova Dia 27 Farmácia Moreira Padrão Dia 28 Farmácia Sanches Dia 29 Farmácia Trofense

Telefones úteis Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10


Atualidade 3

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Autista terá sido deixado sozinho em casa

Jovem sofre queimaduras graves em incêndio Patrícia Pereira Hermano Martins

Um incêndio numa habitação junto à Estrada Nacional 104, pôs a vida de um jovem em perigo, na quinta-feira. José Miguel, que fará 18 anos em julho, quase não anda, foi deixado sozinho em casa e sofreu queimaduras graves. “Já tinha avisado muitas vezes que o miúdo ficava sempre sozinho em casa. Isto foi um perigo para o miúdo, já sabíamos que, mais tarde ou mais cedo, isto acabaria por acontecer.” Estas eram as palavras da revolta da maioria das pessoas que se encontravam na Rua Marquês Pombal, na Esprela. Um incêndio, que deflagrou numa habitação, pelas 19.25 horas de quinta-feira, no dia 16 de fevereiro, pôs em perigo a vida de um jovem. José Miguel, que fará 18 anos em julho, é autista, tem problemas de locomoção e terá ficado sozinho em casa. O alerta foi dado por uma vizinha, que ao avistar o fumo que saía de casa, contactou de imediato os Bombeiros Voluntários

da Trofa (BVT). Quando chegaram ao local, foram mesmo os soldados da paz que retiraram o rapaz do interior da habitação em chamas mas não foram a tempo de o poupar das graves queimaduras de segundo e terceiro grau que sofreu nos pés, nas mãos e na face. Carlos Martins, que estava perto do local, foi o primeiro bombeiro a chegar. Contactado por um familiar, que o alertou para o facto de na habitação poder estar um jovem, o bombeiro ligou de imediato para a central dos BVT, para saber se os elementos já estariam a chegar. Tendo recebido uma resposta positiva, dirigiu-se para a habitação. “A minha missão foi arrombar a porta, para me certificar se o miúdo estaria lá dentro. Entretanto o meu colega (Simão Veloso) chegou e juntos conseguimos tirálo a tempo”, informou Carlos Martins. Simão Veloso asseverou que tiveram que o tirar pela janela, depois de removerem vários sacos de lixo, que aí se encontravam. “Tentei remover outro saco, que me estava a obstruir ainda a

Lixo acumulado foi o principal obstáculo no combate às chamas

visão, e pus a mão lá dentro, para saber o que havia à volta, e foi aí que ouvi um gemido. Consegui detetá-lo e, com a ajuda do meu colega, conseguimos tirá-lo a tempo, pois, além de as chamas já se encontrarem muito próximas dele, o jovem tinha várias queimaduras pelo corpo”, contou. Segundo fonte do INEM, o jovem, com queimaduras na sua maioria de segundo grau, nos pés, face, mãos e anca, foi transportado para a Pediatria do Hospital de S. João no Porto, onde deu entrada em estado grave, com problemas respiratórios.

Para os elementos dos Bombeiros Voluntários da Trofa, o lixo acumulado por toda a casa, foi a principal dificuldade do combate ao incêndio, pois dificultava o acesso à habitação. “Encontramos bastantes sacos de tecido, desde o chão até ao telhado. O ataque ao fogo foi feito pela janela do quarto e só quando o telhado aluiu, é que conseguimos ter mais um acesso”, afirmou Joaquim Mendes, sub-chefe dos BVT. Segundo informações recolhidas no local, era frequente José Miguel ficar sozinho em

casa. E, por essa razão, estava a ser acompanhado pelos Serviços Sociais da autarquia trofense e pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), desde 2003, e já em 2006 a mãe do jovem “decidiu impedir este acompanhamento”, tendo a Câmara Municipal “remetido este caso para o Tribunal de Santo Tirso”, afirmou Joana Lima, presidente da Câmara e responsável pela Proteção Civil Municipal que fez questão de se deslocar ao local do incêndio para acompanhar de perto a operação. “A Câmara Municipal irá dar conhecimento de tudo o que se passou às instâncias, que neste momento têm responsabilidades sobre o processo, para verem que efetivamente a criança não estava bem à guarda da mãe e que se podia ter feito algo mais para o bem da mãe e do jovem”, acrescentou. No rescaldo do incêndio equacionou-se a demolição do resto da habitação, mas a Policia Judiciária não autorizou a demolição já que na sexta-feira de manhã esteve na casa a recolher indícios que ajudem a esclarecer as causas deste incêndio.

Salvo por dois bombeiros Carlos Martins e Simão Veloso são os nomes dos dois bombeiros que, sem hesitar, apesar da incerteza e do perigo, entraram na casa em chamas para salvar o José Miguel. Movidos apenas pelo espírito de solidariedade estes dois homens do Corpo de Bombeiros Voluntários da Trofa não pensaram duas vezes quando lhes foi dito que dentro da casa em chamas poderia estar o jovem. “Consegui detetá-lo e, com a ajuda do meu colega, conseguimos tirá-lo a tempo, pois, além de as chamas já se encontrarem muito próximas dele, o jovem tinha várias queimaduras pelo corpo já que o fogo estaria por cima da cama onde

te Imediato de Vida do Centro Hospitalar do Médio Ave. A Guarda Nacional Republicana da Trofa registou a ocorrência e accionou a equipa de investigação de incêndios da Polícia Judiciária do Porto. Já a Câmara Municipal da Trofa fez deslocar para o local uma máquina para ajudar na reMeios envolvidos tirada dos resíduos, uma equipa na operação Os Bombeiros Voluntários da para avaliação das estruturas das Trofa mobilizaram cinco viaturas habitações afetadas e a equipa da ação social municipal, que de combate a incêndio, uma ambulância e 22 homens que acompanhou o processo do joparticiparam no salvamento e vem. combate às chamas. Também envolvida na operação de socorJovem continua internado ro esteve uma viatura médica de José Miguel continua internaemergência e a viatura de Supor- do no Hospital de S.João e em estava o rapaz”, afirmou Simão Veloso. Este bombeiro sente-se orgulhoso por ter conseguido salvar mais uma vida e mostrava-se até um pouco comovido adiantando que “sem apoio de todos os bombeiros não teria sido possível salvar o jovem”.

Simão Veloso e Carlos Martis salvaram José Miguel

estado que inspira muitos cuidados. O rapaz sofreu queimaduras graves nas mãos, nos pés e na cara e terá sofrido complicações respiratórias chegando a equacionar-se a possibilidade de ser transferido para uma outra unidade hospitalar, o que não

chegou a acontecer. Quando tiver alta, o jovem deverá ser retirado à mãe e colocado numa instituição por ordem do Tribunal de Santo Tirso, que estaria a acompanhar o caso desde 2006. A mãe do jovem incorre em crime de exposição ou abandono.


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Sarau Cultural encerra Semana da Leitura Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

O Agrupamento de Escolas da Trofa promoveu, na sextafeira à noite, um Sarau Cultural para a encerrar a Semana da Leitura, aproveitando o momento solene para premiar os melhores alunos. Foi numa cerimónia solene com música, dança e muita cor, que o Agrupamento Vertical de Escolas da Trofa comemorou o encerramento da Semana da Leitura. Os alunos das escolas, acompanhados pela Orquestra Ritmos Ligeiros, entoaram vários cânticos, sem esquecer de homenagear o rei da pop: Michael Jackson. Com o principal objetivo de reconhecer o mérito, o Agrupamento premiou os alunos, de todas as escolas, pertencentes aos quadros de valor e de excelência. Para Paulino Macedo, diretor do Agrupamento da Trofa, este reconhecimento, além de ser bom para os alunos, serve de “modelo e exemplo para os restantes”. “As escolas não podem ter medo de distinguir a excelência, claro que os alunos que não estão nestes quadros também devem ser nossa preocupação, mas é com estes que temos que ir sempre um pouco mais à frente”, afirmou. Segundo Paulino Macedo, os alunos que estão nos quadros de valor foram distinguidos “pelo comportamento, pela solidariedade, pela ajuda dada aos colegas e professores”. “São os capitães de equipas que estão

sempre presentes e que assumem a escola, como se fosse um compromisso. Podem não ser os melhores alunos da escola, isto é, podem ter dificuldades na aprendizagem, mas que no seu trato social se distinguem”, explicou. Já nos quadros de excelência estão presentes os melhores alunos, “em termos de notas ou em termos de níveis”. Fazem parte deste quadro, todos os alunos que, durante os três períodos escolares, tenham obtido, nas várias disciplinas, nota cinco, distinguindo, desta forma, a aprendizagem dos alunos. Relativamente aos premiados do quadro de valor, são os professores, que em conselho de turma, propõem os alunos, tendo sempre que apresentar uma justificação. Para fazer parte deste quadro, o jovem, tem que se “distinguir em algo, mostrando evidências de iniciativa, solidariedade e de compromisso, para se validar neste quadro”, podendo ser mais do que um aluno por turma. Cada um recebeu “um diploma personalizado e, dentro do embrulho, uma esferográfica e lapiseira, com a gravação do respetivo quadro”. Filipa Santos, da EB1 de Esprela, e José Couto, da EB1 da Lagoa, ficaram agradados pela distinção. Enquanto Filipa Santos estuda com uma semana de antecedência, José Santos afirma, timidamente, que não é de estudar muito, frisando que está sempre atento nas aulas. Diana Serra, que recebeu o prémio de melhor aluna do 9º ano, salientou que estes prémios são importantes, porque reconhe-

Alguns alunos que receberam o Prémio Bial

cem “o mérito dos alunos que trabalham, se esforçam e estudam”. Para a jovem, o segredo para alcançar o sucesso é “estar atento nas aulas”. A novidade deste ano foi o Prémio Bial. Este é um prémio monetário, entregue aos nove alunos, de cada ano letivo, recomendados, em conselho de turma, pelo “compromisso, iniciativa, dedicação à escola e pelo intercâmbio que fazem da escola com as famílias”. António Branco da Costa, diretor financeiro e representante da Bial junto das entidades oficiais da Trofa, faz parte do conselho-geral do Agrupamento Vertical de Escolas da Trofa, há cerca de três anos. Este ano, a Bial decidiu associar-se a esta iniciativa, distinguindo “não só os melhores alunos, mas também aqueles com boas práticas”, ou seja, “os que partilhem o seu conhecimento e a sua forma de estar, de uma forma positiva, com os seus colegas”. Cada aluno recebeu 200 euros. “Trata-se es-

sencialmente de um valor simbólico, porque, para nós, o importante é distinguir não só o trabalho, o empenho e o sentido de comunidade dos alunos, mas, também, indiretamente os próprios pais. Nós achamos que é muito difícil, para não dizer que talvez será impossível, que existam bons alunos sem existirem bons pais”, asseverou António Branco da Costa. João Pereira, além de ter recebido o prémio de excelência, recebeu também o Prémio Bial, relativamente ao seu 7º ano. Um aluno de cinco a tudo, que sempre valorizou “a atenção nas aulas”, não precisando de estudar muito. Para João Pereira, que recebeu com orgulho este prémio, esta atribuição resulta “de um esforço e de um sacrifício muito grande, porque são muitas aulas e disciplinas”, frisando a importância de “saber melhor as bases”, para que não haja dificuldades no futuro. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, es-

tava satisfeita com a festa de encerramento da Semana da Leitura, pois denotou a “envolvência de todos os alunos na comunidade educativa”. Relativamente à iniciativa, a presidente fez um balanço positivo, considerando-a como uma mais-valia, pois “incute uma prática nos jovens e crianças para, que no futuro, mantenham a leitura”. “Sem ler, não se aprende, sem ler não há sabedoria”, declarou. A presidente aproveitou para felicitar todos os premiados da noite, pois “sem trabalho, dedicação e empenho”, não há resultados. Agradeceu e congratulou, ainda, a empresa Bial pela colaboração na comunidade educativa. “Os parabéns, porque percebe que sem conhecimento, não há formação e por estar a dar o seu contributo aos jovens e às crianças da Trofa”, realçou. Nesta cerimónia houve ainda entrega de um diploma aos cinco alunos, que no ano anterior, leram o maior número de livros, entre 80 a 100 obras.

Bial investe 40 milhões em Espanha A Bial quer entrar no “top 5” mundial na área da imunoterapia alérgica, por isso, está a investir numa plataforma em Espanha. Quarenta milhões de euros é o montante que a Bial está a investir numa plataforma localizada no parque tecnológico da Biscaia, Bilbau, Espanha. Deste valor, 70 por cento é para o desenvolvimento de vacinas anti-alérgicas para estar no “top 5” mundial na área da imunoterapia alérgica até ao final da década. De acordo com António Por-

tela, CEO (diretor executivo) da Bial, empresa sediada em S. Mamede do Coronado, na Trofa, “existem poucas empresas no mundo, umas 15 ou 20, que têm este tipo de vacinas”, pelo que se trata “de um mercado que vale cerca de 750 milhões de euros a nível mundial e onde não há grande aposta por parte das multinacionais”. O responsável da empresa afirmou ainda que “a Bial gostava de ser um dos principais players neste mercado” e acredita que “tem todas as condições para o fazer”.

“Centralizar em Espanha a produção e a investigação na área da imunoterapia alérgica” é o objetivo deste investimento. A maior fatia do investimento, de acordo com o gestor, será aplicada em I&D (Investigação e Desenvolvimento) das nove vacinas que a Bial tem em diferentes fases de desenvolvimento, sendo que duas devem chegar ao mercado em 2014 e 2015. As restantes têm target date (data prevista) para os próximos oito anos. No ano passado, o mercado espanhol gerou 30 dos 140 mi-

lhões de euros de vendas da Bial e destes, 15 por cento estão na área da imunoterapia. António Portela afirma: “Com o investimento que estamos a realizar, o nosso objetivo é fazer crescer a dois dígitos anuais a faturação nesta área”. O gestor acrescentou que “conjuntamente com a asma, a doença do foro alérgico constitui a doença crónica de maior prevalência a nível mundial. Estimase que 150 milhões de pessoas na Europa sofram de doenças alérgicas, perspetivando-se que a prevalência destas patologias

continue a aumentar e que em menos de 15 anos mais de metade da população europeia tenha doença alérgica”. A Bial mantém ainda um investimento de 40 milhões de euros no desenvolvimento de seis medicamentos de raiz e novas soluções terapêuticas, nas áreas dos sistemas nervoso central e cardiovascular. A empresa comercializa medicamentos para cerca de 50 países e emprega 800 pessoas. Detém ainda instalações em Itália, Suiça, Moçambique, Angola, Costa do Marfim e no Panamá. C.V.


Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Escola Secundária da Trofa - Prémios Eurico Ferreira

Melhores alunos distinguidos Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Com o intuito de reconhecer o empenho dos alunos mais dedicados, a empresa Eurico Ferreira, numa parceria com a Escola Secundária da Trofa, premiou, no dia 17 de fevereiro, os alunos do quadro de mérito. O novo auditório da Escola Secundária da Trofa foi o local escolhido para receber alunos, professores e encarregados de educação, que quiseram estar presentes na cerimónia dos “Prémios de Mérito Eurico Ferreira”, que decorreu na sexta-feira, pelas 18.30 horas. A entrega dos prémios foi realizada em duas partes, primeiro foram premiados os dois melhores alunos do 10º, 11º e 12º ano do Curso Cientifico e Humanístico e, de seguida, os dois melhores, do 11º e 12º ano, dos Cursos Profissionais. Há 30 anos a lecionar na Escola Secundária da Trofa, Mário Pinto, presidente do conselhogeral, afirma que este prémio ser-

ve como “um incentivo para que os alunos apostem mais na sua formação, não só no estudo, mas também na formação humana”. A partir do momento que o grupo Eurico Ferreira começou a apoiar os melhores alunos da escola, há já vários anos, Mário Pinto tem a certeza que os premiados começaram a serem vistos “como uma referência para os outros alunos”, dando-lhes mais vontade para vencer. O que, na sua opinião, “é o mais importante”. “O grupo Eurico Ferreira está a desenvolver um trabalho muito importante, na medida que está a apoiar a principal escola do concelho da Trofa, que é a Escola Secundária”, afirmou. Carina Duarte arrecadou o primeiro prémio, no valor de 350 euros, correspondente ao seu 12º ano no Curso Profissional Técnico de Secretariado. Com média de 18,3 valores, a aluna garante que “só estudava no dia antes dos testes”, estando atenta durante as aulas. Na sua opinião, os Prémios de Mérito Eurico Ferreira são importantes, pois são “uma forma de ver reconhecidos o empenho e dedicação, duran-

Eurico Ferreira entregou prémio a alunos

te o ano inteiro”. Já Mariana Marques, aluna do Curso de Ciências e Tecnologias, recebeu 200 euros, correspondente ao seu 10º ano. Apesar de ser preciso estudar para os testes, salienta que “ajuda muito, se estivermos interessados e atentos nas aulas.” Com média de 18,5, a aluna afirmou que estes prémios são importantes, pois, desta forma,

são reconhecidos pelo trabalho que desempenharam, aproveitando para agradecer aos professores, Eurico Ferreira, pais, família e amigos, por contribuírem para o seu sucesso. À margem do Sarau Cultural, que se realizou na EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, Joana Lima, edil trofense, realçou a atribuição dos Prémios Eurico Ferreira e pelo grupo

Proef, pois, na sua opinião, “demonstra que a comunidade está ao lado da comunidade educativa”. “Quero dar os meus parabéns à Proef, na pessoa de Eurico Ferreira, por ter uma visão com um alcance muito longo. Os parabéns, porque percebe que sem conhecimento, não há formação e por estar a dar o seu contributo aos jovens e às crianças da Trofa”, congratulou.

Cruz Vermelha da Trofa comemorou dia de S. Valentim

“Hoje vou ao café ouvir poesia...” em Covelas De forma a promover a oferta cultural a Câmara Municipal da Trofa leva, todos os meses, “um café e um poema” a uma freguesia diferente. “Hoje vou ao café...ouvir poesia” estará no auditório da Junta de Freguesia de Covelas, na sexta-feira, dia 24 de fevereiro, pelas 21.30 horas. Com esta iniciativa a autarquia trofense pretende levar a cultura e a poesia portuguesa ao encontro da população, promovendo a descentralização e a proximidade. Espera-se assim, uma noite animada evocando a obra e a herança de poetas como António Gedeão, Miguel Torga, Florbela Espanca, Almeida Garrett, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Carlos Ary dos Santos, Luís de Camões, Bocage, Fernando Pessoa, Cesário Verde, Mário Cesariny de Vasconcelos, António Ramos Rosa, Sebastião da Gama, Eugénio de Andrade, Irondino Teixeira Aguiar, Maria Alberta Menéres. Alexandre O’Neill, entre muitos outros. P.P.

“Cantinho dos Afetos” foi o nome dado ao evento organizado pela Cruz Vermelha Portuguesa (CVP)- Delegação da Trofa, para comemorar o Dia dos Namorados, que se realizou no dia 14 de fevereiro, na escola EB 2/ 3 de S. Romão do Coronado. Um mural de mensagens alusivas à data, um jogo de cadeiras, uma pista de mini-golfe e um jogo tradicional, foram os projetos desenvolvidos pelas turmas. Esta iniciativa, realizada no âmbito do Projeto TER Prevenção e do Plano Municipal de Prevenção Primária das Toxicodependências (PMPPT), contou com a participação de muitas crianças e jovens, em diferentes atividades, onde “a partilha de sentimentos, de mensagens positivas, em suma dos afetos, foi uma possibilidade”. A CVP- Delegação da Trofa acredita que os projetos, desenvolvidos na área da prevenção, que “têm como princípio base a

A relação próxima e afetiva é importante na formação dos jovens

relação próxima e afetiva”, são “importantes nas formações de todos os jovens, já que mudam as suas vidas”. “Quando muitas das notícias falam de solidão, nós queremos mostrar que os afetos devem manter-se vivos e ser cultivados todos os dias”, afirmou Carla

Lima, da Delegação da Trofa da CVP. A turma CEF de Serviço de Mesa e Hotelaria, da EB 2/3 de S. Romão do Coronado, abrilhantou esta atividade, com a oferta de variadas iguarias, confecionadas pelos alunos. P.P.


6 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Foliões desfilaram pelas ruas de S. Romão Diana Azevedo

Conforme a tradição, as Comissões de Festas de S. Bartolomeu e Santa Eulália realizam todos os anos o Cortejo de Carnaval. Com ou sem feriado, com mais ou menos foliões, as ruas de S. Romão encheram-se de cor e muita diversão. A Comissão de Festas em Honra de S. Bartolomeu realizou, na terça-feira, o tradicional Cortejo de Carnaval, desde a Escola de Fonteleite até à Capela de S. Bartolomeu, seguido do leilão de oferendas. Com menos foliões, mas não menos animados, as duas dezenas de participantes desfilaram e comemoraram o dia, sem nunca esquecerem a sátira, que nestes dias de Carnaval ninguém leva a mal. “Tivemos algum receio com a data, porque este Cortejo sai à rua no Domingo, contudo com a

Cortejo foi promovido pela Comissão de Festas de S. Bartolomeu

retirada do feriado de terça-feira a Câmara Municipal antecipou o seu Cortejo para Domingo e então mudamos o nosso para hoje, pelo que ficamos com algum receio que as pessoas não pudessem vir, mas estamos com uma boa adesão, felizmente”, adiantou o Juiz da Comissão. As colectividades da freguesia também aderiram em menor

número, devido aos constrangimentos da data, contando apenas com a participação das escolas locais. Nesta categoria, a Escola de Portela foi a vencedora, ficando em segundo classificado a Escola de Fonteleite e em terceiro a E.B.2/3 de S.Romão do Coronado. O pódio dos vencedores individuais foi encabeçado pela “La-

Grupo Jovens Unidos promoveu Concurso de Máscaras O Salão Paroquial São José, em S. Mamede do Coronado, recebeu a 11ª edição do Concurso de Máscaras organizado pelo Grupo Jovens Unidos. Os dezoito participantes, nove da categoria de juniores e seniores, desfilaram no palco, representando e dançando, perante uma grande plateia “repleta de sorrisos”. O júri, composto por Teresa Fernandes, Vereadora da Câmara Municipal da Trofa, José Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de S. Mamede do Coronado e Rui Miguel, Vigário Paroquial, premiaram, na categoria de juniores, o “Leãozinho”, que também recebeu o prémio

vadeira”. O “Canil de S. Romão”, além de tentar consciencializar a população, conseguiu ser o segundo classificado e por último, mas não menos cómico, o “Juiz Decide”. Se o desfile anima, as doações dos romanenses ajudaram a encher o leilão e amealhar mais algumas receitas para a festa de agosto. “Fazemos isto pelos romanenses em particular,

mas também para todos os trofenses, porque em tempos de crise como estes é importante termos momentos de diversão e as festas servem para isso mesmo”. Além deste evento, a comissão tem intervindo a outros níveis: “Já organizamos a Festa de S. Romão, a Festa da Desfolhada e teremos um Sarrabulho no dia 25 de março em Barcelos. Teremos ainda outras iniciativas, mas ainda estamos a estudar opções, porque temos que adequar as atividades ao contexto atual de crise e sabemos que nem sempre é fácil para as pessoas aderirem”. Juiz da Comissão, Ricardo Faria, aproveitou para agradecer aos patrocinadores, “nomeadamente a Óptica Rocha, que nos deu uma importante ajuda, numa altura em que as empresas têm mais dificuldade em contribuir, à Junta de Freguesia e Câmara Municipal, que apesar das restrições financeiras conseguem ajudar-nos de variadas formas”.

Clube de Caçadores da Trofa CONVOCATÓRIA José de Campos Reis Areal, Presidente da Assembleia Geral do Clube de Caçadores da Trofa, vem nos termos do art.º 27 dos Estatutos do Clube, convocar os associados para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, no dia 24 de fevereiro de 2012, pelas 21 horas, na sede da Coletividade, sita na rua D.ª Maria II da cidade da Trofa, com a seguinte ordem de trabalhos.

Concurso contou com 18 participantes

de Simpatia, atribuído pelo público, pela “sua presença adorá-

vel”, que os enterneceu. Já nos seniores, os LMFAO foram os grandes vencedores. “Quero agradecer ao público presente, ao júri, que teve certamente um trabalho árduo devido à qualidade e originalidade dos mascarados, e também a todos os que ajudaram a realizar esta iniciativa que já é uma tradição”, asseverou Vítor Correia, presidente do Grupo de Jovens, não esquecendo a Câmara Municipal da Trofa e a Junta de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que patrocinaram os prémios. P.P.

1-Leitura e votação da ata da Assembleia anterior. 2-Discussão e votação do relatório e contas do exercício do ano de 2011. 3-Eleições gerais dos corpos Diretivos do Clube para o biénio 2012/2013. 4-Outros assuntos de interesse geral para a coletividade, nomeadamente; repovoamentos de caça na Zona de Caça Municipal e nos campos de treino; datas de aberturas dos campos de treino. Definir como atribuir as candidaturas e as autorizações de caça na época venatória 2012/2013. -Se à hora designada não se registar a maioria dos associados, esta realizar-se-á, 30 minutos mais tarde com qualquer número de associados. -Se algum dos assuntos da ordem de trabalhos não ficar concluído nesta Assembleia, terá lugar uma outra, no dia 9 de março de 2012, pelas 21 horas, apenas para tratar os assuntos não concluídos. (não há nova convocatória). Trofa, 10 de Fevereiro de 2012 O Presidente da Assembleia Geral José de Campos Reis Areal


23 de fevereiro de 2012

Atualidade 7

www.onoticiasdatrofa.pt

PUB

Assembleia Municipal da Trofa EDITAL SESSÃO ORDINÁRIA DE 29 DE FEVEREIRO DE 2012 JOÃO LUÍS FERNANDES, Presidente da Assembleia Municipal da Trofa TORNA PÚBLICO, que no uso da competência que lhe é conferida pelo disposto na alínea b), n.º 1, do artigo 54º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro, conjugado com a alínea) b, do artigo 14º, do REGIMENTO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL se encontra convocado o Plenário desta Assembleia Municipal da Trofa, para uma Sessão Ordinária, que se realizará nesta cidade, no próximo dia 29 de fevereiro de 2012, pelas 21.30 horas, no Salão Nobre da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa, com a seguinte Ordem de Trabalhos: PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA 1. Votação da ata número quinze da reunião Ordinária de Assembleia Municipal de 23 de dezembro de 2011. 2. Leitura do expediente. 3. Outros assuntos de interesse geral para o Município. PERÍODO DA ORDEM DO DIA 1. Apreciação da Informação escrita da Senhora Presidente da Câmara Municipal da Trofa, acerca da atividade municipal, bem como, da situação financeira do Município; 2. Discussão e Votação da 1ª alteração à Tabela de Taxas Municipais Anexa ao Regulamento Municipal de Taxas; 3. Discussão e Votação do Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município da Trofa; 4. Discussão e Votação da Adesão à RIACIM – Rede IberoAmericana de Cidades Médias. PERÍODO DE INTERVENÇÃO DO PÚBLICO Em conformidade com o disposto no n.º 1 e n.º 4, do Artigo 27º, do REGIMENTO, uma vez encerrada a Ordem do Dia, será aberto ao público, um período de tempo até 30 minutos, destinado a eventuais intervenções para solicitação de esclarecimentos. Mais se publica e de acordo com o artigo 13º do REGIMENTO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL, de que na impossibilidade de terminar os trabalhos nesta data, os mesmos prosseguem no dia 01 de março de 2012, pelas 21:30 horas. Para constar, se publica este e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos habituais. Assembleia Municipal da Trofa, 20 de fevereiro de 2012 O Presidente da Assembleia Municipal, João Luís Fernandes

Feira Anual começa a 2 de março Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Durante três dias, o espaço da Feira e Mercado da Trofa vai transformar-se no palco da maior mostra agropecuária e equestre do Norte de Portugal. A Feira Anual da Trofa regressa, cumprindo uma tradição que coloca o concelho na rota dos profissionais do setor primário. Este ano, o certame decorre entre 2 e 4 de março. O primeiro dia, como habitual, é dedicado às crianças do concelho, que visitam o espaço para contactarem com os animais e aprenderem um pouco mais sobre a agricultura. Os colóquios também preenchem grande parte do programa desse dia, que abordarão temas como “Índices técnicos e económicos em explorações leiteiras”, “Novas ferramentas da Plataforma BovInfor”, “PAC após 2013” e “Recria de Vitelos e Novilhas”, entre outros.

A noite está reservada para o setor equídeo, com as Cavalhadas, pelas 21 horas, e a tradicional e muito concorrida garraiada, onde qualquer um pode fazer a pega ao touro…ou vitelo. Certo é que este é um dos momentos mais animados da Feira Anual. No sábado, para além da prossecução dos colóquios, realiza-se, pelas 9 horas, no picadeiro, o Concurso de Modelo e Andamentos (fêmeas), que prossegue, para os machos, às 13.30 horas. Do outro lado da feira, às 10 horas, começa o Concurso Pecuário da raça Minhota. Às 14 horas, é a vez dos proprietários da raça Arouquesa mostrarem os seus exemplares ao júri e tentar arrecadar prémios. Numa das tendas montadas, também as concorrentes da raça Holstein Frísia começam a ser avaliadas, pelas 14.30 horas. Sábado também é dia de festival de folclore, no qual partici-

pam o Rancho Folclórico da Trofa, o Rancho de Santa Eulália Constance (Marco de Canaveses) e o Rancho de S. Mamede de Seroa (Paços de Ferreira). Começa às 15 horas. Pelas 19 horas, o picadeiro é palco do campeonato regional do Norte de Equitação de Trabalho (prova de ensino). À noite, realizam-se o Desfile e a Gala da Confraria do Cavalo. A Equitação de Trabalho (prova de maneabilidade), o concurso da raça Holstein Frísia, o concerto da Banda de Música da Trofa, o concurso da raça Barrosã e o Horse Paper preenchem o programa da manhã de domingo. O último dia do certame completa-se com a atrelagem, o concerto da Orquestra Ritmos Ligeiros, as distinções no concurso Modelo e Andamentos e na Equitação de Trabalho (prova de velocidade). A Corrida de Cavalos a Galope está marcada para o dia 29 de abril.


8 Casamento

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Casamento de sonho

Siga as sugestões para ter um casamento de sonho

Chegada à altura em que um casal decide casar, há muitas tarefas para cumprir até ao grande dia. O NT reuniu algumas sugestões para ajudar a tornar o dia do seu casamento o melhor da

sua vida. Para isso, contamos com o apoio dos nossos patrocinadores, que disponibilizam os melhores serviços para a cerimónia. Ora espreite.

Tendências para casamentos 2012 Se são adeptos de tendências ou querem, simplesmente, ter um casamento diferente, atentem nas sugestões que se seguem. O NT pesquisou quais são as tendências para os casamentos deste ano. Aposte em ideias frescas e originais, que tornem o seu dia de sonho inesquecível. De acordo com o site “O Nosso Casamento”, os vestidos de noiva para este ano contam com decotes assimétricos. O noivo também pode adotar um estilo cool, apostando em detalhes especiais como meias coloridas, laços da cor dos ténis, suspensórios, boné, etc. Uma das tendências é o casamento vintage, com elementos que recordam a infância dos noivos, como brinquedos, objetos, cores e ideias.

A sessão de noivado é uma atividade cada vez mais utilizada, até para estabelecer contacto e confiança com o fotógrafo do casamento. Nesta sessão, podem adotar um tema e aproveitar para contar uma história. Não pense que o casamento pequeno é desprovido de valor. Cada vez, os noivos optam por uma cerimónia mais contida, que permite gastar mais em pequenos detalhes e criar um ambiente mais caseiro. A mesa onde está o bolo de casamento passa a assumir um papel ainda mais importante, pois também terá os outros doces, alinhados e delineados, permitindo um jogo de cores e formas interessante. Se quer tornar a sua boda ainda mais única e especial, que tal inverter a tradição e apostar na nova tendência de ver o noivo

antes da cerimónia? Surpreendam-se a sós e troquem um beijinho de despedida de solteiros, com o fotógrafo a registar o momento, é claro. Aliada à ideia de casamento pequeno, pode ainda escolher uma decoração rústico-chique, com a festa no exterior, como um cenário campestre. Se não quer apenas ter um vídeo típico de casamento, opte por uma espécie de “curtametragem”, em que os noivos contam uma história. Afinal, eles são os protagonistas. O filme pode ter qualidade de um filme de tela ou dos anos 70. Elabore você mesmo as lembranças para oferecer aos convidados, pois, para além de poupar, dá um toque personalizado e único à vossa festa.


23 de fevereiro de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Casamento 9

Que tipos de vestidos de noiva usar Na hora de escolher um vestido, saiba qual é o melhor que se adequa ao seu corpo. Se está a tratar do seu casamento, certamente que as silhuetas linha A, baile, império, sereia ou tubo, não lhe são desconhecidas. A linha A é um tipo de vestido de noiva, que favorece a maioria dos corpos femininos. Este é de silhueta simples, que vai abrindo, formando um A. Já o de baile é o mais aconselhado caso queira disfarçar a sua anca. É constituído por uma parte superior justa, ao tronco, sendo que a parte inferior, a saia, poderá ter mais ou menos roda. Império é o nome dado aos vestidos, que dão ênfase à parte superior do corpo, sendo a partir daí que o vestido se vai abrindo. Este, que é mais indicado

para quem tem um peito grande ou uma silhueta menos perfeita, pode ser com manga cava ou sem mangas, existindo grandes variedades de decotes. Quando o vestido é justo ao corpo, em que abre a partir da zona de joelho, está perante um do tipo sereia. Caso tenha um corpo curvilíneo, parecido à Jennifer Lopez, este pode ser o ideal para si. Caso o seu corpo seja bem tonificado, o estilo tubo pode ser uma das suas opções, uma vez que pode ser usado justo, ou não, ao corpo, evidenciando as suas formas. Para este ano, são várias as tendências de vestidos de noiva. Se gosta de fugir ao tradicional, porque não optar por vestidos de noiva curtos? Já os vestidos de noiva românticos

Saiba que vestido escolher

Vestidos assimétricos são outra das de baile, com rufados, são intemporais. Outro estilo que, este ano, é consi- grandes tendências, onde a sua originaderado como uma tendência, são os ves- lidade faz com que os acessórios não tidos com tecidos leves. sejam necessários.

Showroom para noivos na Quinta d’Alegria No fim de semana de 3 e 4 de março, a Quinta d’Alegria, em Ribeirão, concelho de Vila Nova de Famalicão, vai promover umshowroom para noivos. Na iniciativa, vão marcar presença outras empresas, que apresentarão as melhores ofertas para um matrimónio de sonho. A Noivíssima é uma das lojas que estará representada, com exibição de vestidos de noiva, fatos de noivo, vestidos de cerimónia e ainda a apresentação da nova coleção de comunhão. No dia 3 de março, o showroom abre às 17 horas, seguindo-se a atuação de um grupo musical e de um espetáculo de danças de salão. A noite termina com uma sessão de fogo de artifício. No domingo, os noivos podem visitar a quinta a partir das 15 horas. Dj, dança do ventre e música ao vivo são alguns dos aperitivos da tarde, que ficará marcada pelo sorteio de um fim de semana romântico. A entrada é livre.


10 Publicidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012


23 de fevereiro de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 11


12 Casamento

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Alianças de casamento A escolha das alianças deve ser feita com uma antecedência de, pelo menos, dois meses. Saiba o que escolher! Sendo uma peça que usará o resto da sua vida, é importante que faça uma escolha acertada. A procura deve começar com uma antecedência de, pelo menos, dois meses, para que tenha tempo de averiguar, em vários locais, os preços e para ter tempo para procederem às gravações na mesma. Na hora de escolher, muitos são os aspetos a ter em atenção, desde o estilo

de vida, tipos de mão e alianças com várias pedras e texturas. A melhor altura para a escolha da aliança é quando estejam mais calmos ou a temperatura normal, pois, caso os vossos dedos estejam inchados, a largura dos vossos dedos variam. A aliança de casamento deve ser escolhida pelos dois, sendo que deve estar de acordo com o vosso estilo de vida. Por exemplo, para quem trabalha mais com as mãos, deve optar por alianças lisas e mais espessas, evitando as pedras. Outra solução é escolher uma aliança

Escolha a aliança que mais se adequa ao seu estilo de vida

de platina lisa, incrustando um pequeno diamante na comemoração de cada ano do vosso aniversário de casamento. Há ainda quem opte por alianças distintas, sendo que o material base é o mesmo, sendo os feitios e ornamentos distintos. Para quem tem dedos finos, uma aliança achatada é a melhor escolha. Já para quem tem mãos grandes, o ideal é optar por uma aliança de largura média, com um design apelativo. Caso os seus dedos sejam compridos, o ideal é usar uma aliança com um

design diagonal, pois dá a ilusão de que a largura é maior. Se os seus dedos forem mais grossos, use uma aliança mais larga, com os cantos arredondados, para não fazer tanta pressão sobre os mesmos. Já numa mão pequena fica melhor uma aliança com diversas pedras, colocadas em linha. O peso das alianças também deve ser considerado na altura da escolha. Uma aliança adornada por diamantes, deve ser escolhida consoante a forma da mão e dos dedos.


Casamento 13

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Dicas para as melhores fotografias O álbum de fotografias é muito importante num casamento. Por isso, não hesite em investir neste aspeto. Já todos sabemos que o casamento é um dos momentos mais importantes na vida de duas pessoas. E como tal, tem que ser recordado da melhor maneira. E se na memória, to-

dos os minutos serão guardados para sempre, na gaveta o “testemunho” da felicidade dos noivos deve estar guardado para a posteridade. Ou seja, o álbum de fotografias é um dos aspetos mais importantes a preparar na cerimónia, porque é com ele que o casal mostrará aos descendentes, à família e amigos o quanto estava feliz nesse dia.

O NT dá algumas dicas para que, junto do fotógrafo, possa preparar da melhor forma este passo. Se o copo-d’água se realizar num espaço fechado, combine um local com luz natural onde podem tirar algumas fotografias, entre a cerimónia na igreja e a receção aos convidados. É certo e sabido que a luz natural dá uma força às imagens que a artificial não consegue. Não caiam na rotina de se fotografarem com os convidados no mesmo plano. Variem de cenário, para não tornar as fotografias entediantes. Por exemplo, dividam os cenários por família, amigos do noivo e amigas da noiva. Apostem nas fotografias que captem momentos simpáticos e engraçados dos convidados e não só as típicas em volta das mesas. As fotografias espontâneas são as que têm mais valor num álbum. As imagens de pormenor também têm importância. Por isso, não se esqueçam daque-

Fotografias com momentos espontâneos são as mais valiosas

les momentos em que uma mão pega no ramo, outra passa na cara de uma criança, os olhos fixam-se nos do outro, etc. Aproveitem os elementos da

natureza, ou seja, o vento que abana o cabelo ou até a chuva pode ser um ótimo aliado para um casamento “abençoado” e bem fotografado.

Planear o casamento 8 meses antes - Defina a data; - Veja em que cartório vai casar e decida a igreja para a boda - Decida em que local será o copo-d’água e, caso seja numa quinta, agende o dia - Faça uma pré-lista dos convidados - Convide os padrinhos e madrinhas da cerimónia - Defina as damas e os pajens, caso necessário - Comece a montar seu enxoval - Organize um jantar com ambas as famílias para acertarem detalhes - Decidam os trajes 6 meses antes - Procure serviços de foto e vídeo - Defina o buffet e o menu - Pesquise preços e roteiros para lua de mel - Pesquise decoração para a cerimónia e a festa e floricultura - Defina o repertório das músicas, a banda ou Dj 4 meses antes - Defina toda a decoração - Defina seu bouquet

- Defina as roupas da madrinha - Encontre o seu vestido ou fato, no caso do noivo - Defina a lista de convidados - Faça ou encomende os convites - Defina todos os acessórios que irá colocar no dia (brincos, colar, sapato, luva, meias) e defina a grinalda - Escolha como vai para a igreja. 2 meses antes - Defina se quer lista de presentes e veja em que lojas; - Defina as lembranças para os convidados - Distribua os convites da cerimónia e da festa - Defina qual regime de bens que será escolhido - Escolha as alianças - Prove o vestido e o noivo também deverá comprar o seu fato por esta data 1 mês antes - Defina as músicas da festa juntamente com o DJ ou com a banda; - Faça testes de maquilhagem,

cabelo e o que for necessário; - Defina a reserva para a noite de núpcias; - Faça um ensaio da cerimónia, de preferência no próprio local; 1 semana antes - Defina quem a acompanhará no dia da noiva com os preparativos e quem pegará o vestido e outras coisas - Verifique todos os serviços (decoração, buffet, foto, filmagem, músicos, etc) - Faça a despedida de solteira e de solteiro 2 dias antes - Defina juntamente com o buffet, os lugares dos convidados na festa; - Faça as malas da lua de mel; - Vá à esteticista cuidar de si No dia do casamento - Faça maquilhagem - Arranje o cabelo - Coma alimentos leves - Relaxe e boa festa! Fonte: www.casamento.sapo.pt


14 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Ano Europeu do Envelhecimento Ativo

Trofense O homem dos sete ofícios na Missão Dulombi Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Vera Costa é da Trofa e integra o grupo de 20 pessoas que viajou para a Guiné-Bissau para distribuir bens nas aldeias de Dulombi e Galomaro. Em 2010, Gil Ramos decidiu viajar com o primo e conhecer a aldeia onde o pai esteve durante dois anos no Ultramar, há quatro décadas, na Guiné-Bissau. Os dois aventureiros percorreram Dulombi num carro citadino e encontraram uma terra “parada no tempo”. No pequeno automóvel levaram alguns bens para distribuir, mas a receção calorosa da população motivaram-nos a realizar uma missão de ajuda humanitária. Esta quarta-feira, um grupo de 20 pessoas, entre voluntários e ex-combatentes, partiu de Vila do Conde rumo a essa aldeia guineense. Entre a comitiva está uma trofense: Vera Costa sensi-

bilizou-se com o relato de Gil e do namorado e fez questão de “integrar a outra parte do processo” da ajuda humanitária. Ou seja: “Já recolhi o material, já dei o que era meu e agora vou entregá-lo em mãos”. Durante 12 dias, Vera vai distribuir, juntamente com o grupo, “material escolar, material hospitalar (camas e uma incubadora), consumíveis, material desportivo, jogos didáticos e brinquedos”. O grupo vai percorrer algumas escolas e em Dulombi vão entregar uma mochila a cada uma das 80 crianças em idade escolar, contendo cadernos, lápis, canetas, lápis de cor, afias e borrachas. As escolas também serão dotadas de outros materiais. No dia 13 de fevereiro, já foi enviado um contentor com 11 toneladas de bens para distribuir em Dulombi e também na aldeia de Galomaro. A Líder Seguros, empresa trofense, associou-se a esta causa, vendendo os seguros de acidentes pessoais e das carrinhas a preços reduzidos.

Vera Costa (segunda à direita) é da Trofa e integra o grupo

Dois mil e doze foi escolhido como o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre as Gerações. Ao longo do ano, o NT vai dar a conhecer histórias de pessoas que mantêm um dia a dia dinâmico, mesmo numa idade mais avançada. António Moreira é um dos melhores exemplos de que “parar é morrer”. De café em café, António Moreira lá passeava a sua fatiota com um misto de cores que chamavam a atenção. Intitulava-se um “quatro em um”: Pai Natal dos Ricos, Ceguinho da Europa, Palhaço da Troika e Carrasco dos Pobres. Esta personagem, com múltiplas personalidades, combina com o mentor que, na Trofa, é conhecido por ser o “homem dos sete ofícios”. Prestes a completar 63 anos, António Moreira viu a sua criatividade ser premiada no Entrudo, em pleno Concurso de Mascarados, em S. Martinho de Bougado. Mas desengane-se quem pensa que a aparição só é feita no Carnaval. Durante todo o ano, multiplicam-se as atividades deste homem, que é apologista de que “parar é morrer”. Depois de uma infância difícil, que mesmo assim não lhe retira o sorriso dos lábios, António Moreira escreveu a sua história, trabalhando e constituindo família. A Trofa serviu de “meio-termo” quando casou há 37 anos, por ser ponto intermédio entre a sua casa e a da esposa. Natural de Rio Tinto, António já se sente trofense e é neste concelho que dá outro significado à palavra reformado: “Não achas que, se uma pessoa depois da reforma estiver sentada a ver passar os carros, não morrerá mais depressa?”, questionava-me, enquanto retirava de uma sacola os “testemunhos” da vida dinâmica que leva em forma de DVD, CD e até um livro onde escreveu as suas “tolices”. Durante a entrevista deu para perceber que, na memória, António Moreira guarda um sem número de participações nas mais diversas áreas, como teatro, cinema, voluntariado e música, e continua a enriquecer o “currículo”. Durante os 20 anos em que foi vendedor, saía de casa à se-

António Moreira defende que “parar é morrer”

gunda-feira e regressava à sexta. Ao fim de semana aproveitava para fazer teatro de revista e alimentou esta paixão durante quase 15 anos. “Fui ator, encenador e também escrevi teatro”, contou. No início deste ano, chefiou uma pequena peça na Santa Casa da Misericórdia com os utentes desta instituição sobre a lendária história da Sopa de Pedra. “Quando vou a algum centro comunitário, sei que as pessoas dão muito valor quando se vai cantar ou fazer alguma brincadeira. Para eles é muito importante, porque lhes alegra”, afirma. Nos três anos que leva como reformado, António Moreira já colaborou com “sete associações” e tem “um gosto especial” em trabalhar com idosos. É voluntário na Associação de Solidariedade e Acção Social, na Muro de Abrigo, elemento no Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado”, entre outros. Mas também gosta de trabalhar junto das crianças. Durante o mês de dezembro de 2011 espalhou a magia do Natal, ao encarnar o “homem das barbas brancas” nalgumas escolas do concelho. “As crianças são mais frontais. Uma vez, um miúdo perguntou-me ‘Pai Natal, posso levar-te para casa durante duas semanas? Assim não aturava nem o meu pai nem a minha mãe”, recordou. Uma das atividades recentes que o marcou foi na APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) da Trofa: “É muito gratificante ver aqueles meninos tão contentes”, desabafa. É um dos alunos da nova Universidade Sénior do Rotary Clube da Trofa, onde está inscrito nas disciplinas de Teatro e Pintu-

ra, mas nesta, António Moreira reconhece não ter arte nem engenho. Mas, este homem só se sente preenchido se estiver ocupado: “À segunda-feira estou na Universidade, à terça estou na Muro de Abrigo, à quarta estou pela Cruz Vermelha, porque a minha esposa ajuda a dar comida aos carenciados, à quinta vou para a pintura…enfim, eu tenho necessidade de estar ligado a qualquer coisa”. Todas as iniciativas que faz é por gosto e não para ser recompensado. Nunca aceita “dinheiro” em troca das suas participações. Para além de ter sido campeão concelhio de boccia, e de ter contribuído para levar o concelho aos quartos-de-final do campeonato nacional, António Moreira também participa na iniciativa da autarquia “Vou ao café… ouvir poesia”, na qual declama poemas da sua autoria. Alguns estão reunidos num livro que ele próprio imprimiu, porque “publicá-lo é caro”. Na extinta TDM (Televisão de Entre Douro e Minho), um canal “pirata”, António Moreira apresentava um programa para crianças, onde organizava jogos para os mais pequenos, ao sábado à tarde. Ainda hoje, guarda gravações desse tempo, em que pode ver a filha quando era mais nova. Também fez cinema, onde filmou em Viana do Castelo, na estação de Barroselas, uma curtametragem baseada na época salazarista. Hoje, ambiciona fazer um filme sobre algumas lendas da Trofa. António Moreira promete não parar enquanto a vida o permitir, pois com quase 63 anos ainda se sente um “jovem de espírito”. Ninguém duvida.


Desporto 15

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Juvenis A do Trofense

Trofense venceu e “respira” no 12º lugar Cátia Veloso Patrícia Pereira

Trofense venceu o Atlético por 1-0, com um tento do goleador Reguila, e subiu ao 12º lugar. Depois da goleada frente à Oliveirense (5-0), era premente que a equipa da Trofa mostrasse uma performance muito diferente. E até conseguiu esboçar uma reação nos primeiros momentos do jogo contra o Atlético, no domingo. Aos oito minutos, o primeiro aviso veio dos pés de Edu. O médio do Trofense voltou a criar perigo, mas a pontaria esteve sempre desafinada. O Atlético esteve inconsequente no ataque e a prova foi dada por um remate de longe e desenquadrado de Barry. A formação da casa chegou mais vezes à baliza adversária na primeira parte e sempre com finalização de Edu. Do outro lado, o Atlético respondia com timidez, mas, a pou-

co e pouco, foi-se instalando no terreno do Trofense, com um remate que o guardião defendeu. Para contrariar a tendência, foi Crivellaro que apontou armas à baliza de Caleb, mas à semelhança de Edu, também não acertou na baliza. Reguila foi o primeiro a dar trabalho ao guardião do Atlético. Perto do intervalo, o Atlético intensificou o ataque e quase inaugurava o marcador, mas Marco evitou males maiores para a sua baliza, afastando a bola com uma excelente defesa. A etapa complementar começou com o Atlético ao ataque mas, rapidamente, o Trofense intensificou as ações ofensivas. Reguila, inicialmente, testou os reflexos de Caleb, para depois fazer o 1-0, após assistência de Tiago. A vencer, a equipa da Trofa ganhou confiança e quase ampliava a vantagem, numa grande jogada coletiva que terminou com o remate de Edu, que saiu ao lado da baliza. Depois de um lance duvido-

so na área do Trofense, no qual o Atlético reclamou penálti, a formação liderada por João Eusébio voltou a criar perigo pelos pés de Reguila, mas a bola bateu nas malhas laterais. À equipa da casa bastou segurar a preciosa vantagem até ao apito final do árbitro para garantir uma escalada na tabela classificativa até ao 12º lugar, com 22 pontos. No final da partida, João Eusébio considerou que a equipa trofense mostrou “empenho”, “determinação” e “caráter”, conseguindo “uma boa reação” depois da goleada na jornada anterior. “Esta equipa mostrou atitude, garra e capacidade para sofrer nalguns momentos. Os jogadores mereceram a vitória”, frisou. Já João Deus acredita que “a ineficácia” acabou por “penalizar” o Atlético. “No futebol não há justiça. Ganha quem marca e o Trofense fez um golo e só. Houve várias partes do jogo em que o Atlético esteve bem e a verdade é que, não tirando mérito à equipa do Trofense, este jogo deveria, com um pouco de mais eficácia da nossa parte, ter ficado resolvido na primeira parte”, afiançou. O Trofense volta a jogar em casa na próxima jornada, no domingo, 26 de fevereiro, às 15 horas, diante do União da Madeira, 13º classificado, com 21 pontos.

Os resultados menos conseguidos nos últimos dois jogos (uma derrota e um empate) não fizeram com que a equipa de juvenis A do Clube Desportivo Trofense saísse da liderança da série 2 da 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto, com 58 pontos. A formação trofense já cumpriu 24 jornadas, num total de 30, e soma 18 triunfos, quatro empates e dois desaires. Tem, de longe, o melhor ataque (97 golos marcados) e a melhor defesa (18 golos sofridos) no campeonato composto por 16 equipas. Na próxima jornada, no domingo, a equipa viaja ao reduto do Rebordosa, 11º classificado. C.V.

Iniciados em 2º lugar No escalão de iniciados, a formação A somou uma igualdade a dois golos com o Alpendorada e manteve o 2º posto, com 63 pontos. Já os infantis 11 A bateram o Sousense por 2-0 e subiram à 4ª posição, com 41 pontos. Em escolas, a formação A foi goleada pelo Salgueiros por 0-5 e desceu ao 11º lugar, com 11 pontos. Já a equipa C perdeu com o Tirsense por 2-7, mas “segurou” o 10º posto, com sete pontos. Melhor esteve o grupo B, que venceu o Macieira da Maia por 2-8 e cimentou o 4º posto, com 28 pontos. C.V.

Juniores e juvenis do Bougadense goleiam A formação de juniores do Atlético Clube Bougadense venceu a Aliança de Gandra por um expressivo 1-4, mas manteve o 7º posto do campeonato distrital, com 31 pontos. Já os juvenis bateram o Ermesinde B por 2-5, segurando o 8º lugar, com 19 pontos. C.V.

Futsal federado

Equipas da Trofa não vencem O empate a duas bolas no jogo contra o S. Sebastião fez com que a formação de seniores masculinos da Associação Recreativa Juventude do Muro descesse uma posição, para a 6ª, na série 1 da 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto (AFP). Os juniores da mesma coletividade, a militar na série 1 da 2ª Divisão distrital perderam com o Sandim por 2-3 e desceu ao 14º lugar, com 14 pontos. Na 1ª Divisão de seniores femininos da AFP, o FC S. Romão perdeu com o Alfenense por 3-1 e também não evitou a descida ao 6º posto, com 31 pontos. Só o GD Covelas conseguiu “segurar” o 8º posto, mesmo perdendo com o Malta por 1-3. C.V.


16 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Dois jogos, três pontos para o S. Romão Diana Azevedo

Uma derrota em Vila Boa de Quires no domingo e uma vitória na receção ao Salvadorense na terça-feira de Carnaval deram três pontos à equipa do S. Romão. A equipa encontra-se agora em 9º lugar, a um ponto do próximo adversário, o Cristelo. Na 22ª jornada da 2ª Divisão da Associação de Futebol do Porto, diante do Vila Boa de Quires, o S. Romão esteve inseguro e, apesar de ter entrado confiante em campo, ameaçando nos primeiros minutos com uma bola ao poste, acabou por se desorientar ao longo da partida. A caminho da meia hora de jogo, os forasteiros cometeram o erro mais flagrante da partida, com a linha defensiva a perder a bola na sua área, aproveitando a equipa de Quires para, num contra-ataque rápido, fazer o primeiro e único golo. O intervalo ajudou os romanenses, que, na etapa complementar, mostraram ser “uma equipa lutadora e unida, com vontade em fazer o seu melhor e ganhar”, garantiu o treinador, Pedro Ribeiro. As finalizações aumentaram no segundo tempo, mas os remates não eram certeiros, ou então eram intercetados pelo guardião da casa, o que impediu o S. Romão de pontuar neste jogo.

S. Romão venceu em dia de Carnaval

A receção ao Salvadorense foi bem diferente. “Simples e eficaz” definem a atuação do onze romanense, segundo Pedro Ribeiro, o que garantiu um bom resultado para a formação da casa. O S. Romão começou desde início a pressionar a equipa visitante e, logo aos dois minutos, Paulinho progrediu pelo flanco direito até a bandeirinha de canto e centrou para Tiago Barbosa, mas o número 20 não finalizou com perigo. Araújo foi ambicioso e fez dois golos antes que o cronómetro marcasse dez minutos, um aproveitando a perda de bola dos forasteiros em frente à própria baliza

e outro em resposta à assistência de Paulinho. Em cima da meia hora de jogo o S. Romão voltou a marcar, desta vez com a assinatura de Gil. Antes do apito para o intervalo, Paulinho tentou ser o protagonista de mais um golo, aproveitando a falta de contenção para rematar, mas a pronta atuação do guardião Paulo impediu a ampliação do resultado. O desenrolar da partida estava suficientemente inglório para os visitantes e na segunda parte piorou. Logo após a reentrada em campo, o Salvadorense ficou

desfalcado, com a expulsão de Viriato. A margem de golos e vantagem numérica acalmou o S. Romão, o que equilibrou a segunda parte, mas já no final os vermelhos voltaram a elevar-se e Mário fechou o resultado, fechando o resultado em 40. Pedro Ribeiro, treinador da casa, referiu que “foram dois jogos muito seguidos, pelo que se viu o valor desta equipa, que se portou muito bem hoje (terça-feira), inclusive os jogadores que foram lançados neste jogo pela primeira vez”. “Entramos simples, simplificamos processos e ao não complicar tornamos o jogo fácil. Fomos simples e eficazes”, sintetizou. O treinador Filipe Carvalho, que não pôde ocupar o banco da equipa por estar castigado, mostrou-se descontente e desiludido com o resultado. “Logo aos dez minutos já perdíamos por duas bolas a zero e até em dias de Carnaval é difícil digerir uma arbitragem destas, que foi tão má para as duas equipas. De resto, foram dois adversários que se encaixaram muito bem e o S. Romão acabou por ser um justo vencedor, há que dizê-lo”. O S. Romão, que está no 9º lugar, com 26 pontos, viaja a Paredes na próxima jornada, no domingo, onde vai defrontar o Cristelo, que se encontra na posição acima, com apenas um ponto de diferença.

Bougadense soma terceira derrota consecutiva Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Bougadense perdeu com as Águias de Eiriz, de Paços de Ferreira, por 2-0 na 23ª jornada da série 1 da 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. Não fosse o Bougadense dar 45 minutos de avanço ao adversário e poderia contar uma história diferente daquela que foi o jogo de domingo diante das Águias de Eiriz. A formação de Santiago de Bougado teve “muitas dificuldades” em adaptar-se ao campo pelado, facto que foi aproveitado pelo adversário que, ao intervalo já vencia pela margem mínima. Segundo Pedro Pontes, treinador bougadense, este jogo “teve duas partes muito distintas”, pois se na primeira a sua equipa deixou o opositor “jogar demais”, já na etapa complementar “entrou decidida a vencer”, mas logo aos 48 minutos, num “grave erro” defensivo numa saída de

bola, sofreu o segundo golo da partida, gorando as possibilidades de dar a volta ao resultado. Se a tarefa ficou difícil, ainda mais se complicou com a expulsão de Ricardinho, aos 73 minutos, que colocou o Bougadense a lutar com menos um jogador. O Bougadense não soma pontos há três jogos consecutivos e já desceu ao 15º lugar, com 21 pontos. Pedro Pontes sabia que “ia ter uma fase de quatro ou cinco jogos complicados, que vai acabar no domingo com o Ermesinde”. “A equipa vai fazendo o que pode. Não temos muitos recursos, mas temos feito os possíveis. Às vezes tenho 14 jogadores para treinar e muitos estão lesionados. Mesmo assim conseguimos dar boa réplica nos jogos, apesar das derrotas”, frisou. Domingo é dia de enfrentar o 3º classificado, que tem 47 pontos. “Será um jogo muito difícil, mas é um daqueles que qualquer um quer jogar. Deve haver muita gente a assistir”, frisou.


23 de fevereiro de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Terça de Carnaval Feriado ou não? Escrevo este artigo de opinião após o dia de terça-feira de Carnaval. Antigo feriado? Atual feriado? Feriado futuro? Grande confusão. Foi daqueles dias que “nem foi carne, nem foi peixe”. Uns trabalharam, outros não e alguns fizeram de conta. Fui daqueles que não trabalharam. Como administrador de empresas, sempre acordei com os colaboradores que as pontes seriam gozadas e o dia considerado de férias. Isto é, se o feriado for à terça ou quinta-feira, a segunda ou a sexta-feira é gozado como férias. Sempre foi a prática das empresas onde trabalhei, independentemente da função ocupada. Mais, sou daqueles que gostava que os feriados fossem todos à segunda ou sexta-feira. Na realidade, a terça-feira de Carnaval nunca foi feriado. Mas todos – Estado, empresas e profissionais – consideram o dia de Carnaval como feriado. Aliás, desde que me conheço que a terça-feira de Carnaval é dia de festa e de não trabalho, a não ser para aqueles que ganham dinheiro com isso ou têm de assegurar os serviços mínimos de segurança, saúde e transportes. O Governo pode afirmar que o dia não é feriado. O Governo pode proclamar que o dia é de tolerância de ponto. Pode. Pode e fala verdade. Mas, é uma tolerância de ponto que perdura há décadas. Quase apetece dizer que a terça-feira de Carnaval é feriado por usucapião. Ao Governo assiste o poder legitimado pelo voto de tomar essa decisão. Mais, o Governo está a ser coerente com a sua linha de ação, que está condicionada pela Troika. Mais ainda, a Troika encontra-se em Portugal a trabalhar e seria um mau sinal. Mas o Governo podia ter anunciado mais cedo a decisão de não dar a tolerância de ponto. Seria bom para todos. Com honestidade intelectual, não tenho dados que me permitam afirmar se o PIB do país ganha mais com o feriado ou sem o feriado. Não sei se a receita da atividade económica motivada pelo evento é superior à sua realização ao sábado ou domingo. Agora, é importante saber se no próximo ano é feriado ou não. Seria bom esclarecer às empresas e famílias, para todos fazerem o planeamento das suas vidas de forma diferente. Por mim, não há problema. Para a maioria dos portugueses não haverá problema. Para as localidades onde o Carnaval é fonte de receita, encontrarão a forma de festejar o Carnaval ao sábado ou domingo. Resumindo, estou de acordo com o Governo de acabar com o feriado de Carnaval, mas que avisem com antecedência.

Trofense foi vice-campeã regionaldekickboxing

Apesar de estar há seis meses nesta modalidade, Arminda Araújo foi vice-campeã, na categoria de -55kg, no Campeonato Regional de Kickboxing, no dia 11 de fevereiro, em Ermesinde. A atleta trofense, que faz parte do Grupo Kickboxing da Academia Municipal da Trofa, ficou “muito feliz” por ter conseguido obter a medalha de prata. Adelino Ferreira, mestre do grupo, mostrou-se “orgulhoso” pelo trabalho desenvolvido pela atleta, que desde cedo “mostrou potencial para a modalidade”. “Tenho de estar orgulhoso desta nossa atleta, pois apesar de estar há pouco tempo na modalidade, mostrou a determinação e a vontade de uma campeã”, afirmou. Apesar de já ter participado no Torneio de Natal 2011 com o jovem Pedro Simão Azevedo, de 17 anos, esta foi a primeira prova oficial em que o grupo participou. P.P.

Atualidade/Opinião 17

Desemprego: uma calamidade nacional O país já passou por muitas e variadas dificuldades ao longo da sua história, guerras, peste negra, ditaduras, instabilidade política -, mas nada semelhante à atual crise que os portugueses estão a viver, nesta segunda década do século XXI. Mais de um milhão de portugueses, vive uma vida sem precedentes. A taxa de desemprego em Portugal continua, imparável, a bater recordes. Os números, avançados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), são “arrepiantes”, surpreendem pela negativa e excedem tudo quanto era expectável. A taxa de desemprego já ultrapassa os 14% e “bateu à porta” de 771 mil pessoas. Desde o final do ano, que ainda há pouco findou, até ao momento, esta taxa representa um acréscimo de quase 12%. Um acréscimo muito significativo em tão pouco espaço de tempo. Esta subida da taxa do desemprego, nos últimos 3 meses, foi a subida trimestral mais acentuada de que há memória. A realidade não pode, nem deve, ser escamoteada. Provavelmente, esta subida é reflexo da atual recessão económica provocada pelas medidas de austeridade que estão a ser aplicadas no país, em troca de muitos milhões de euros que tivemos de pedir emprestados. A atual situação, que o país está a viver, também está a provar que a recessão está a ter um impacto muito negativo no mercado de trabalho. Portugal, só no ano passado, perdeu 213,4 mil empregos. O país perdeu em pouco mais de três anos mais de 400 mil postos de trabalho. A situação é grave e tende a agravar-se ainda mais, nos próximos tempos. A economia estagnada não pode criar emprego e com a recessão esperada para este ano, advinha-se a continuação da eliminação de postos de trabalho. Neste momento, a taxa real de desemprego, no sentido mais lato, está perto dos 23%. Contabilizando os 190 mil subempregados, os cerca de 203 mil inativos disponíveis, os mais de 83 mil inativos desencorajados (que estavam aptos mas não fizeram diligências para encontrar emprego), mais os 771 mil inscritos nos centros de emprego, o desemprego já atinge mais de 1,2 milhões de pessoas. Perante a mutação constante da sociedade e as grandes transformações tecnológicas, quanto mais tempo as pessoas estão no desemprego mais difícil é o regresso ao mundo laboral. A taxa de desemprego de longa duração (mais de 25 meses) atingiu os 7,4%. São já quase 250 mil pessoas que estão à procura de trabalho há mais de 2 anos. São, em muitos casos, pessoas com idade acima de 45 anos e que terão enorme dificuldade em regressar ao mercado de trabalho. Também os jovens estão numa situação calamitosa, o mercado está fechado para os mais novos que procuram o primeiro emprego. A taxa de desemprego dos 15 aos 24 anos já ultrapassou os 35% e é a taxa que mais tem aumentado nos últimos tempos. Há 156 mil jovens sem trabalho. Os jovens licenciados desempregados são já mais de 108 mil. O país fez um esforço violento para formar os seus jovens para depois “empurrá-los” para o desemprego. São desaproveitados! Para combater esta calamidade nacional, que é o desemprego, não bastam palavras bonitas. São precisas políticas não conformistas com as medidas recessivas impostas pela «troika», ou seja, políticas concretas de crescimento da economia. É preciso fazer a economia crescer. O desemprego em Portugal é mesmo uma calamidade nacional que é preciso atacar. O tempo urge! moreira.da.silva@sapo.pt www.moreiradasilva.pt


18 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Trofa na BTL 2012 em Lisboa

A autarquia trofense aceitou o convite para marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa 2012 (BTL), a realizar-se no dia 3 de março, pelas 16.30 horas. Na Bolsa de Turismo, que decorrerá na FIL, Parque das Nações em Lisboa de 29 de fevereiro a 4 de março, a Câmara Municipal da Trofa apresentará o célebre Bolo da Trofa, as tradicionais rabanadas, que são já protagonistas de um concurso anual da Festa da Rabanada, o Vinho Verde Castro Trofa e ainda o mel de produção tradicional. Este ano, também o artesanato, no que diz respeito à produção dos tradicionais brinquedos de madeira, merecerá destaque através da oficina trofense Artesana, do artesão Abílio Cardoso. Simultaneamente, e de forma a animar o momento reservado à apresentação do Município da Trofa, a autarquia convidou a Banda de Música da Trofa, que levará um grupo de cerca de oito instrumentistas que assumirá a parte musical. A Câmara Municipal da Trofa aceitou, assim, uma vez mais o convite para marcar presença na BTL, para promover o Município da Trofa, dando a conhecer o que de melhor o concelho tem para oferecer a todos os seus visitantes.

Necrologia

Trofa/Miranda do Douro Maria Isilda Martins Faleceu no dia 15 de fevereiro, com 84 anos. Casada com Diamantino Augusto Domingues. S. Martinho de Bougado Maria Adelaide de Costa e Silva. Faleceu no dia 15 de fevereiro, com 89 anos. Viúva de José da Costa Dias. Edite Augusta Escalda Faleceu no dia 19 de fevereiro, com 79 anos. Viúva de Agostinho de Oliveira Torres. Augusto António Ferreira Machado. Fale-

ceu no dia 20 de fevereiro, com 79 anos Casado com Arminda de Oliveira Miranda. Manuel Luís de Azevedo. Faleceu no dia 21 de fevereiro, com 82 anos. Casado com Maria Amélia Moreira dos Santos. Caxinas – Vila do Conde Manuel da Agonia Fernandes Castiço.Faleceu no dia 16 de fevereiro, com 60 anos. Casado com Maria do Alívio Maia Gavina. Funerais realizados por Agência Funerária Trofense, Lda. Gerência de João Silva

23 de fevereiro de 2012


Atualidade 19

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Mascarados espalham folia em S. Martinho Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Sábado à noite foi dia de Concurso de Máscaras na freguesia de S. Martinho de Bougado. Mais uma vez, os mascarados aproveitaram a ocasião para criticarem a atual situação do país. A tradição já não é o que era, por isso, os mascarados que participaram no concurso da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, dispensaram a caminhada e preferiram...a boleia. Durante a prova, a maioria dos participantes utilizaram o automóvel, para se deslocarem entre os cafés, em vez de espalharem a folia da época pelas ruas da freguesia, que tiveram poucos curiosos. Mas dentro dos cafés, a animação contagiou as pessoas, que se divertiram com a sátira feita pelos participantes, que de várias formas criticaram a crise que assola o país. Um voluntário do Banco Alimentar andou pelos cafés a recolher alimentos “para as pessoas pobres que precisam”, sem nunca esquecer o nosso Presi-

dente da República que, segundo o mesmo, não prescinde da ajuda desta instituição solidária. Também a troika andou pela freguesia a averiguar se estava tudo bem. Depois de visitar os locais, garantiu que apenas falta iniciar as obras no Parque Nossa Senhora das Dores e a limpeza no Rio Ave. Já a “Jéssica”, mulher da vida, queixou-se da crise que tem assolado o país, pois, devido a isso, teve que fazer reduções nos preços. “O Passos Coelho sobe tudo e depois os homens andam com tudo murcho”, lamentou. E no meio do concurso, houve quem quisesse dar eco ao possível investimento de árabes no Clube Desportivo Trofense e nem o jornal O Notícias da Trofa livrou-se da sátira com uma jornalista e um fotógrafo a acompanharem a visita dos “investidores”. “Trofense grande, é o melhor clube do mundo. Nós salvar Trofense com 25 euros e meio”, informou um dos “árabes”. Outro dos concorrentes, que envergou um traje denominado “Habitat das Borboletas”, aproveitou para apelar à preservação das espécies ameaçadas. Apesar da originalidade de vá-

Os “investidores” do Clube Desportivo Trofense venceram o 1º prémio coletivo

rios trajes, só um poderia ser vencedor. “Jéssica” arrebatou os corações dos elementos do júri, mas fica a dúvida se não lhe valeu o assédio junto dos promotores. A vencedora, do prémio individual, aproveitou para afirmar que esta tradição “nunca deve acabar”, pois é “uma festa muito bonita”. O pódio dos participantes individuais, ficou completo com o “Habitat das Borboletas” e com o “Passos de Coelho”, que obteve o 3º lugar. Já nos prémios de grupo, as “Galinhas” ficaram em 3º lugar, logo atrás do “Serviço Nacional

de Saúde”. Os “árabes” do Clube Desportivo Trofense viram o seu investimento dar lucro e arrecadaram o 1º lugar. Com o objetivo de se divertirem, o grupo decidiu “falar um bocado sobre este tema, que é atual, pelo menos no concelho da Trofa”, aproveitando para deixar uma sugestão à organização. “Esta iniciativa era capaz de ser mais vantajosa para todos, se se realizasse na segunda-feira. Notamos que em relação aos outros anos as ruas estavam muito mais despidas de pessoas”, alertaram. Para José Sá, presidente da Junta de Freguesia de S. Marti-

nho de Bougado, referiu que a antecipação do concurso, para sábado, não o prejudicou, garantindo que “decorreu com muito sucesso, talvez o mesmo ou superior aos anos anteriores”. “Já se está a tornar numa tradição e como acabamos de analisar, traz muita gente, mascarados e muitos concorrentes. Enquanto for presidente da Junta, quero continuar com esta iniciativa”, asseverou. Os vencedores da noite ganharam prémios monetários e alguns vales-oferta para utilizarem no comércio local.

Serra Neves, vereador do pelouro da cultura, por os ter acompanhado nesta visita. César Campos, diretor do sindicato dos bancários do norte, referiu que além de defenderem “os interesses e direitos dos trabalhadores”, o Sindicato desenvolve uma componente social para com os seus associados e família. Por essa razão, ao longo do ano, promove vários eventos,

com o intuito de “preservarem o património e a história viva do sindicato, que são os seus reformados”. “Esta iniciativa, em parceria com a TrofaSénior, tem o objetivo de proporcionar aos nossos sócios, nomeadamente aos mais idosos, convívio, momentos de alegria e de confraternização”, afirmou. Isolina Montenegro, residente há seis meses, e Fernanda Bastos, há cinco meses nas residências, partilham a opinião de que esta atividade estava “muito agradável”. Já Ilídio Machado, morador nas residências há três anos, ficou bastante agradado com esta festa “muito íntima”, tendo reencontrado colegas de profissão, que já não via há cerca de 30 anos. “Ambientes como estes são sempre bem-vindos e, felizmente, nesta casa são realizados com muita frequência”, realçou. No final do almoço, houve ainda um baile e um concurso de máscaras, onde os vencedores receberam prémios simbólicos.

TrofaSénior celebrou o Carnaval Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A TrofaSénior Residências, em parceria com o Sindicato dos Bancários do Norte, promoveu, no sábado, uma festa de Carnaval.

cerias” com o sindicato, foi “concretizada com muito êxito”. “A TrofaSénior não faz nada sozinha. Contamos com o nosso conjunto de amigos, que temos e vamos tendo, e conseguimos fazer esta maravilhosa festa com muita alegria e muito dinamismo, que é o espírito que queremos implementar nesta casa”, asseverou. Já José Silva, administrador

da TrofaSénior no pelouro da cultura e eventos, aproveitou para agradecer às entidades que, de alguma forma, colaboraram na visita do Sindicato dos Bancários do Norte à Trofa. Especialmente à Câmara Municipal da Trofa, por ter disponibilizado a Polícia Municipal e por abrir as portas da Casa da Cultura, para que a pudessem visitar, ao Museu Batista Andrade e a Assis

A TrofaSénior Residências continua a apostar no envelhecimento ativo e, prova disso, foi a festa de carnaval, realizada no dia 18 de fevereiro, que contou com um almoço, dança e concurso de máscaras. Para Marta Paulino, diretora técnica da TrofaSénior, o convívio, organizado com o sindicato dos bancários do Norte, “é muito importante”, pois conseguem dinamizar o espaço, ao mesmo tempo que trazem “os bancários a esta casa”. “Esta casa precisa de convívios e de proporcionar o bem-estar e a alegria a quem não é tão jovem como nós, mas que viveu e faz parte da nossa história atual”, referiu. A iniciativa, considerada como “um pontapé de muitas par- Almoço foi organizado pela TrofaSénior Residências em parceria com o Sindicato dos Bancários do Norte


20 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

23 de fevereiro de 2012

Desfile das profissões no Carnaval Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A zona envolvente da Estação da CP, em Paradela, serviu de palco para os pequenos agricultores, serventes, polícias, enfermeiros, entre outras profissões, num desfile de carnaval, que juntou escolas centenas de alunos das escolas e muitos foliões. Apesar da antecipação do desfile para a tarde de domingo, o corso contou com milhares de pessoas a assistir. Médicos, jornaleiros, marinheiros, pescadores, malabaristas. Podia ser um encontro de profissões, mas não, era o desfile de carnaval da Câmara Municipal da Trofa, que este ano teve como tema “As profissões”. Já passava das 15 horas, quando o desfile teve início com atuação do Grupo Popular Zés Pereiras da Trofa. Depois de as escolas terem representado as várias profissões, chegou a vez de os foliões aproveitarem o momento, para fazer algumas sátiras. O grupo Aldeias do Nascente, da freguesia de Alvarelhos, satirizou as suas ambições, que rapidamente se tornaram em desilusões e alertaram para a necessidade de acabar o que havia sido começado, o projeto do Centro de Dia da freguesia.

No mesmo grupo podia-se ver, ainda, uma representação da Câmara Municipal da Trofa, sem faltar a presidente, que recebeu visitas importantes, tais como da Troika, Angela Merkel e Nicolas Sarkozy. Uma reunião, que na opinião de “Joana Lima”, “correu bem”, e serviu para no futuro tentarem “equilibrar a situação para obter melhores resultados”, sem nunca esquecer que é preciso “apertar o cinto”, segundo indicações da Troika. Ainda não tinha terminado o desfile e já se chamava pelos participantes, para se dar início à cerimónia da entrega de prémios às três melhores escolas e grupos de foliões. Em terceiro lugar ficou a Escola Básica de Finzes, logo atrás da EB1/JI da Lagoa. A escola vencedora, que recebeu 450 euros, foi a EB1/JI de Portela, que interpretou uma Corte, onde não faltaram malabaristas e personagens do circo. A Olinda Monteiro, presidente da Associação de Pais de Portela, ainda lhe custava acreditar que tinham ganho, salientando que as crianças e a professora de educação física estavam de parabéns. A docente, Marta Couto, frisou que, como estavam indecisos entre malabarismo e circo, acharam melhor fazer a “Corte da Portela”, pois poderiam incluir os dois temas. “Os miúdos é que são os verdadeiros vencedores, porque foram eles que trabalharam imenso para este prémio. Fica-

EB 1/JI da Portela representou uma corte

ram um mês, sem intervalos, para ir treinar”, afirmou. Também Pedro Carvalho, presidente da Associação de Pais da EB1/JI da Lagoa, salientou o bom trabalho desenvolvido na sua escola, onde pais e professores fizeram “um trabalho notável”. Por seu lado António Ferreira, presidente da Associação de Pais da EB1/JI de Finzes, considera que só é possível apresentarem este trabalho, devido à “participação de toda a gente na criação do material, desde pessoal docente a nãodocente”. O presidente da associação salientou ainda: “São muitas escolas e a qualidade está a melhorar consideravelmente”. Depois chegou a vez da entrega de prémios aos foliões. O terceiro lugar foi entregue ao grupo de dança Starkids, sendo que o “Hospital em Crise” conseguiu obter o segundo lugar. O grupo EDP, recriado pela Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai (ACRESCI) foi o vencedor deste corso. Segundo José Carlos Costa, presidente da ACRESCI, decidiram fazer sobre este tema, por ser “uma notícia muito criticada, pela vinda dos chineses”, “é um bocado sentido crítico achar que estão cá os chineses e nós é que estamos a trabalhar”, asseverou. Já Mário Pereira, representante do grupo Hospital em Crise, afirma que além de ter sido a primeira vez que participam, a

escolha do tema foi “resolvido à pressa”. Devido à crise e ao “exagero dos 20 euros de taxas de urgência”, acharam que seria uma boa crítica. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, estava “muito surpreendida pela forte participação quer das escolas, quer de alguns foliões”. “Sem dúvida alguma que tivemos milhares de pessoas, o Carnaval da Trofa está a ganhar muita força, muito nome e é graças a uma organização da Câmara Municipal da Trofa, das associações de pais, com o patrocínio da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado”, salientou. Apesar da antecipação da data do desfile do carnaval para domingo, muitas foram as pessoas que marcaram presença na zona envolvente da Estação da CP, para comemorar esta quadra de folia. Abílio Araújo, morador na Trofa, nunca tinha visto um desfile “tão bonito”, como o deste ano, sendo que a representação dos campinos, toureiros e touros, foi os que mais gostou. Para Maria Silva o seu favorito é o “carro da Câmara Municipal da Trofa e da EDP”. “Além das escolas, que também estavam muito bonitas, apesar de achar que não estavam todas representadas, os carros alusivos à crise são os mais interessantes na altura deste nosso Portugal, estando ele em crise”, afirmou. O tema para o próximo ano já está escolhido: preservação ambiental.

EDP-Made in China foi a sátira escolhida pela ACRESCI


Edição 361  

Edição de 23 de fevereiro de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you