Issuu on Google+

PUB

6 de Janeiro de 2011 N.º 303 ano 9 | 0,50 euros

Director Hermano Martins

PUB

Solidariedade página 3

Recolhadedonativos para pagar cadeira de rodas Tribunal pág. 5

Assaltantes de ourives vão a julgamento Gangue suspeito de assalto a ourives, em Guidões, e à Ourivesaria da Estação, em S. Romão do Coronado, julgados em Fevereiro Acessibilidade pág. 6

300 assinaturas para reabrir passagem de peões

Transportes pág. 4 e 9

Metro na Trofa só depois de 2014 Comissão de defesa do Metro reúne no Muro


2 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

Batida às raposas na Trofa A Zona de Caça Municipal da Trofa vai acolher os caçadores para duas batidas às raposas. A primeira vai acontecer no dia 9 de Janeiro, com concentração às oito horas, na sede do Grupo Desportivo de Covelas - junto à Capela de S. Gonçalo. Já em Fevereiro, no dia 6, os caçadores podem participar em nova con-

centração, desta vez junto ao Hotel Santiago, em Santiago de Bougado, também às oito horas. As inscrições têm um custo de cinco euros e devem ser feitas no dia e local da concentração. Os caçadores interessados em participar devem fazer-se acompanhar de todos os documentos exigidos pela Lei da Caça. R.M.

Agenda

das assinaturas anuais. O pre-

Se pretende receber pela

ço da assinatura em Portugal

primeira vez O Notícias da

passará assim de 18,20 euros

Trofa em sua casa, em qual-

para 20 euros. No caso dos

quer um destes formatos, faça

leitores que recebem o jornal

a assinatura na redacção do

fora da Europa vão passar a

jornal, na Rua Aldeias de

Dia 8 16 horas - AA Coimbra x CAT, no Pavilhão nº 2 Estádio Universitário (Coimbra) 20.30 horas - Apresentação da Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai, na Quinta Zé Emílio 21 horas - Comédia Musical “Alto Mar Louco”, no Salão Paroquial de Alvarelhos Dia 9 8 horas - Batida às raposas, junto à Capela de S. Gonçalo, em Covelas 9 horas - 1ª Caminhada Solidária em Guidões, partida junto à Igreja de Guidões 11.15 horas - Trofense x Arouca, no Estádio do Clube Desportivo Trofense 15 horas - Paradela x Crestuma, no Complexo Desportivo de Paradela Canidelo x Bougadense, no Parque de Jogos Manuel Marques Gomes Os Lusitamos x S. Romão, no Campo do Gatões FC 15.30 horas - “Cantares das Janeiras”, no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado 17 horas - CAT x Clube K, no Pavilhão da EB 2/3 de S. Romão do Coronado

pagar 59,30 euros e para os

Cima, 280, rés-do-chão, em

Informações úteis

assinantes que se encontram

Santiago de Bougado, perto

na Europa, o custo anual pas-

do Pingo Doce e do Modelo,

sará a ser de 42,40 euros. Nos

ou através do site do jornal,

diferentes casos, os assinan-

em www.onoticiasdatrofa.pt,

tes passarão a pagar apenas

na secção “Assinatura”. De-

mais 1,80 euros e o IVA já se

pois só tem que fazer o regis-

encontra incluído nestes pre-

to gratuito no site. Na barra

ços. Estas actualizações de-

direita, no espaço para o

vem-se apenas às alterações

“Login”, carregue em “Regis-

dos preços no mercado, pelo

tar”. Concretizado o paga-

que agradecemos a compre-

mento da assinatura, que

ensão de todos os leitores.

pode ser feito através de

Batida às raposas está agendada para domingo

Novo preço para assinatura anual do NT O Notícias da Trofa procedeu à actualização dos preços

Casa da Cultura da Trofa instalou rede wireless Os visitantes da Casa da Cultura da Trofa já podem aceder à Internet, de forma gratuita, através da rede de wireless instalada no espaço. “A Internet sem fios será uma mais-valia para todos os visitantes que poderão aceder mais facilmente a toda a informação podendo utilizar os próprios computadores ou outras ferramentas que se adaptem e o serviço estará disponível para todos os in-

teressados”, anunciou a autarquia em comunicado. Para além deste novo serviço, os utentes podem ainda usufruir das restantes valências desta estrutura municipal, nomeadamente do espaço Internet, da Biblioteca Municipal, da Sala Multimédia e das Salas de Exposições. A Casa da Cultura da Trofa está situada na Avenida D. Diogo Mourato, na freguesia de Santiago de Bougado. I.M.P.

|O Notícias da Trofa

to de apenas 15 euros, em qualquer parte do mundo.

E se é adepto das novas

transferência bancária, che-

tecnologias e prefere ler O

que ou dinheiro, passará a

Notícias da Trofa no seu com-

receber o jornal O Notícias da

putador, subscreva a nossa

Trofa todas as semanas às

edição online, que tem o cus-

quintas-feiras.

Bombeiros Voluntários da Trofa – 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10

Farmácias de Serviço Dia 6 Farmácia Barreto Dia 7 Farmácia Nova Dia 8 Farmácia Sanches

Nota de redacção Na edição número 302 deste jornal, na notícia com o título “Alvarelhos aprova orçamento e PPI para 2011”, onde se lê “Joaquim Oliveira referiu que ainda não conseguiu entendimento com os proprietários dos terrenos junto à escola (…)” deveria estar escrito “Joaquim Oliveira referiu que existe entendimento com os proprietários dos terrenos junto à escola (…)” e onde se lê “Eu chamei-lhe (ao novo proprietário) à atenção para o aspecto moral (…)” deveria estar escrito “Eu chamei à atenção do anterior proprietário para o aspecto moral (…)”. Pelos lapsos, pedimos desculpa.

Dia 9 Farmácia Moreira Padrão Dia 10 Farmácia Trofense Dia 11 Farmácia Barreto Dia 6 Farmácia Nova


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

www.onoticiasdatrofa.pt

Actualidade 3

Comissão Social de Freguesia de Guidões precisa de ajuda

Recolha de donativos para pagar cadeira de rodas Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

José Manuel Silva recebeu uma nova cadeira de rodas. A ajuda chegou da Comissão Social de Freguesia de Guidões, que, desta forma, concretizou um objectivo antigo. Consegue imaginar uma realidade em que não pudesse deslocar-se ao café para estar com amigos, nem tão pouco ir à igreja ou visitar a campa de um ente querido no cemitério? Este era o dia-adia de José Manuel Silva, que ficou preso a uma cadeira de rodas há quase duas décadas. A 26 de Setembro de 1992, ao final da tarde, José Manuel estava no quintal de sua casa e depois de se baixar duas vezes nao voltou a andar. De acordo com a filha, Linda Maia, “os médicos explicaram que teria sido uma hérnia discal a estrangular a coluna”. José tinha 39 anos e a sua vida transformou-se para sempre, já que grande parte do seu corpo ficou paralisada. A inclinação acentuada da rua de sua casa e do lugar do PUB

Cerro, em Guidões, dificultava a locomoção na cadeira de rodas manual. E esta “era” a realidade, porque desde terça-feira que este guidoense de 58 anos pode “sair de casa” e “conviver com amigos”, uma vez que a Comissão Social de Freguesia (CSF) de Guidões lhe entregou uma cadeira eléctrica, que vai “mudar” a sua vida. Na terça-feira à noite, José Manuel Silva experimentou pela primeira vez a cadeira e percorreu o interior da sua casa com um brilho especial nos olhos. Linda Maia acompanhava o pai com o olhar e confessava a alguns elementos da Comissão que José Manuel “não falava de outra coisa” naquele dia. As palavras de José Manuel não escondem a importância do momento que viveu na terça-feira: “Não tenho palavras. É um sonho antigo. Ainda bem que estes grandes amigos meteram pés ao caminho e alcançaram o objectivo que eu tanto desejava”. Agora José Manuel vai poder frequentar a igreja e visitar a campa da esposa: “Infelizmente a minha mulher já faleceu, mas pelo menos agora posso

ir ao cemitério”. A aquisição da cadeira era o “maior desejo” deste guidoense. “Se tivesse possibilidades há muito que tinha esta nova cadeira, mas...” confessou, incapaz de completar a frase. José Manuel não esquece quem o ajudou e os responsáveis pela concretização do sonho: “Se não fossem estes amigos (CSF), os empresários de Guidões e várias pessoas de outras freguesias isto não seria possível. A todas as pessoas que contribuiram e que estão a contribuir o meu muito obrigado”. Manuel Araújo, que acompanha de perto o trabalho da CSF, não esconde que este foi “um dia especial”. Sem esquecer “outras necessidades que possam existir em Guidões”, garantiu que “este era o principal objectivo”, mas que a CSF “vai continuar a trabalhar”. O responsável explicou que “esta cadeira já havia sido prometida há algum tempo” e que “ninguém ficou indiferente à necessidade” de José Manuel Silva. A cadeira já foi testada no local e está preparada para dar alguma “normalidade” à vida deste guidoense. A nova cadeira de rodas PUB

José Manuel Silva já tem a nova cadeira de rodas

custa 4.980 euros e “ainda não está toda paga, nem coisa que se pareça”. Foi dado um valor de entrada e o restante foi dividido em quatro prestações. Para angariar fundos, a CSF vai realizar uma caminhada no domingo, com concentração às 9 horas, junto à Igreja Paroquial de Guidões. “O objectivo em questão está aqui, está à vista de todos e é para ele que pretendemos trabalhar”, garantiu Manuel Araújo. Os interessados em juntarse a esta causa podem ins-

crever-se numa das Juntas de Freguesia do concelho, no comércio local de Guidões ou no próprio dia, no local da partida. A participação terá um custo mínimo de cinco euros, com a oferta de uma camisola. Para mais informações contacte um membro da Comissão através do número 915 990 293. Se quiser ajudar, mas não tiver oportunidade de participar na caminhada, pode contactar a CSF para o mesmo número para encontrar uma forma de dar o seu contributo.


4 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Metro na Trofa “dependente de estudos” e só depois de 2014 Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Milhares de linhas de tinta ainda não conseguiram fazer desbloquear a linha que trará o Metro ao concelho da Trofa. Presidente da Metro diz que só depois de 2014. Joana Lima lamenta este adiamento. Metro até à Trofa só depois de 2014. Esta foi a garantia dada pelo presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto (MP), em declarações à Sic Notícias, na segunda-feira. Ricardo Fonseca afirmou que, mesmo assim, o lançamento da empreitada está dependente “de estudos”. “Este é um projecto que ainda integra a primeira fase, teve que ser adiado apesar de termos lançado o concurso para a sua execução, para atingirmos os limites de endividamento que o Governo nos impôs. É uma linha que um dia poderá ser desenvolvida, não em regime de subconcessão, mas em regime de empreitada. Será certamente numa data posterior a 2014. Até lá não será construída, numa fase posterior, os estudos dirão”, referiu. O responsável pela MP atestou que a Linha da Trofa “é um caso especial”, porque apesar de integrar a primeira fase do projecto – já concluída – “não integra o processo de subconcessão que será lançado em concurso para a segunda fase”. E, quando questionado se as linhas que integram a segunda fase poderão avançar primeiro que a da Trofa, Ricardo Fonseca respondeu: “Podem e oxalá que assim seja”. Confrontada com estas declarações, Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, começou por “lamentar o facto de o concurso para a construção da Linha da Trofa ter sido adiado para depois de 2014, infelizmente para todos os trofenses”. A autarca considerou que as afirmações de Ricardo Fonseca, sobre a prioridade das linhas da segunda fase em relação à da Trofa, “o mais normais possíveis”, no contexto de “crise em que o país está” uma vez que “não há certezas quanto ao avanço da segunda fase”. Joana Lima acredita que as declara-

arquivo

Ricardo Fonseca esteve na Trofa em 2009, na inauguração de uma exposição sobre o Metro na Trofa

ções de Ricardo Fonseca são “sinal que o projecto do Metro vai ficar todo concluído”. “Ou seja, vamos ter a linha da Trofa mais a segunda fase que fecha o projecto global do Metro do Porto”, atestou. Sem “nunca duvidar” que este era o contexto das declarações proferidas por Ricardo Fonseca, Joana Lima “confirmou o que pensava” depois de falar com o presidente da Metro. Relativamente à possibilidade de a obra estar dependente de estudos, Joana Lima referiu que a “preocupa qualquer passo que seja ou não dado”. “Estamos muito atentos a tudo o que a Metro está a fazer em relação à Linha da Trofa”, frisou. A presidente da autarquia sublinhou que “a Metro está disponível para participar na empreitada da regeneração urbana, gastando milhões de euros no Parque Nossa Senhora das Dores” e que “esta é uma prova que a Metro do Porto está de boa-fé e que quer fazer a obra, como está projectada desde a primeira fase e que é um direito de todos os trofenses”. Sem deixar de sublinhar que este impasse no projecto “é uma injustiça para a Trofa”, Joana Lima acredita que “o Governo e a MP só não fazem a obra, porque, efectivamente, do ponto de vista financeiro é impossível”. Depois de o garantir na Assembleia Municipal, Joana Lima assinou a petição online “Metro até à Trofa” que pretende reunir duas mil assinaturas para ser entregue na Assembleia da República. E

quanto à criação de uma comissão de defesa da vinda do transporte, Joana Lima foi peremptória: “Estarei sempre ao lado da população do Muro e de todos os trofenses na defesa dos interesses de qualquer freguesia e de todo o concelho”. Concurso foi adiado a 3 de Dezembro Depois de ter sido lançado a 22 de Dezembro de 2009, o concurso para o lançamento da extensão da Linha Verde entre o ISMAI e a Trofa acabou por ser adiado, devido a “uma significativa e progressiva degradação da conjuntura económica e financeira do país”. A anulação, publicada a 3 de Dezembro de 2010 em Diário da República, a pedido da Metro do Porto, é também sustentada pelas “apertadas e urgentes medidas determinadas pelo Governo que assumem o objectivo de reduzir drasticamente o

défice público e de controlar o crescimento da dívida pública”, que “impõem a supressão de alguns investimentos e adiamento temporal de outros”. “Neste contexto, a Metro do Porto S.A. foi obrigada a rever os seus orçamentos e plano de actividades para o ano em curso e até ao ano de 2013, de modo a cumprir as metas determinadas e impostas pelo Governo para os próximos anos”, pode ler-se no documento. Ministro afirma que avanço das obras da MP “será analisado” “O Metro do Porto é uma obra importante, é um projecto que tem que ser acarinhado e seguramente vai ter o seu desenvolvimento, com compreensão e diálogo”, afirmou António Mendonça, ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, na inauguração da Linha Laranja, no domingo. O governante refe-

Metro inaugurado em Gondomar, mas na Trofa continua a ser miragem

riu, porém, que a prossecução do projecto do Metro do Porto “será analisada, à luz das circunstâncias actuais”. “Temos que aceitar o adiamento de projectos que correspondem a anseios das populações”, afiançou. O ministro afirmou ainda que “será dada prioridade aos projectos com mais impacto económico do país e com mais condições para criar emprego”. Rui Rio, presidente da Câmara do Porto, que também preside a Junta Metropolitana do Porto (JMP), alertou para o facto de Mário Lino, antecessor de António Mendonça, ter imposto “uma série de condicionamentos que não foram justos, para que a obra (projecto do Metro) avançasse”. “Cumprimos. Neste momento, a Administração Central está em falta”, asseverou. O autarca lembrou o Memorando de Entendimento celebrado entre os accionistas da Metro do Porto (Estado e JMP), em Maio de 2007, com vista a fixar a nova estrutura societária da empresa, em que o Estado seria accionista maioritário, e a estabelecer as bases para o desenvolvimento do projecto. Valentim Loureiro também não ficou calado na defesa da segunda linha para Gondomar, inserida no pacote da segunda fase: “Se não vier a concretizar-se, os gondomarenses têm de sentir-se enganados e eu tenho de sentir alguma culpa por ter permitido que a linha fosse encurtada, porque acreditei no ministro Mário Lino”. Mas nem só os investimentos na Metro do Porto podem estar comprometidos. Quando questionado sobre que projectos estariam em causa, António Mendonça enumerou o Metro do Porto, o Metro de Lisboa, a CP, a REFER e o aeroporto de Lisboa. “Temos que aumentar a selectividade e a exigência no investimento em novas infra-estruturas e melhorar a gestão das infraestruturas criadas”. O governante apresentou ainda três critérios para essa selecção: racionalidade e sustentabilidade dos investimentos, efeitos sobre a competitividade e ainda criação de emprego. Joana Lima não esteve presente na inauguração da Linha Laranja, mas garantiu que a Câmara da Trofa “esteve representada”.


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

Polícia 5

www.onoticiasdatrofa.pt

Gangue que assaltou Ourivesaria da Estação vai a julgamento Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Doze arguidos, acusados de vários assaltos, alguns deles na Trofa, vão a julgamento em Fevereiro, no Tribunal de Santo Tirso. O gangue suspeito de assaltar um casal de ourives em Guidões, a 16 de Maio de 2009, e a Ourivesaria da Estação, em S. Romão, um mês depois, vai começar a ser julgado em Fevereiro no Tribunal de Santo Tirso. O grupo criminoso é composto por 12 arguidos e terá roubado perto de 150 mil euros a ourives e vendedores de tabaco. São ainda acusados de vários carjackings e assaltos. Os seis principais suspeitos, que aguardam julgamento em prisão preventiva, são familiares e beneficiários do rendimento social de inserção. São acusados de

associação criminosa, roubos qualificados, agressão e furto. A onda de assaltos terá começado em Maio de 2009, num carjacking em Guidões. O grupo, composto por cinco elementos encapuzados, disparou alguns tiros junto do restaurante, onde um feirante de ouro e a esposa costumavam almoçar todas as semanas, tendo-lhe exigido as chaves da carrinha. Ao resistir, o feirante foi agredido. Os ladrões conseguiram as chaves e colocaram-se em fuga na carrinha, que foi bloqueada alguns quilómetros depois, na Avenida Humberto Delgado, na mesma freguesia, devido a um sistema de bloqueio por telecomunicações. Os indivíduos levaram todo o ouro que estava na viatura, no valor de 200 mil euros. Na Trofa, os assaltantes roubaram ainda ouro na Ourivesaria da Estação, em S. Romão do arquivo

Ourivesaria da Estação foi assaltada em Junho de 2009

arquivo

Ourives tinha acabado de almoçar em Guidões quando foi vítima de carjacking

Coronado, a 12 de Junho de 2009, furtaram um Peugeot 206, a 3 de Setembro do mesmo ano, e assaltaram uma mulher em plena rua, no dia seguinte. Mas um dos assaltos mais lucrativos foi no início de Agosto do mesmo ano, em Moreira da Maia, em que o gangue conseguiu levar três malas com peças em ouro, de um ourives vindo da feira de Custóias. Parte da restante carreira criminosa deste grupo visou cafés, comerciantes de tabaco e ainda um posto de abastecimento de combustível, num supermercado, em Santo Tirso. O núcleo duro do grupo era

constituído por cadastrados ligados ao clã que fugiu de um estabelecimento prisional. Mas o que dificultou a investigação da Polícia Judiciária (PJ) do Porto foi o facto de outros elementos estarem integrados no gangue. Foram colocados em escuta vários telemóveis, todavia, as comunicações interceptadas não eram claras, porque os suspeitos falavam em código. No entanto, foi possível estabelecer a sua ligação a vários roubos, assim como encontrar algumas armas usadas nos ataques, que eram guardadas por elementos menos importantes do gangue. Nas mesmas buscas, uma prova que surpreendeu os in-

vestigadores foi um bilhete contendo a morada do ourives assaltado em Moreira da Maia, acompanhado da descrição da matrícula da sua viatura. Ainda na mesma casa, em Famalicão, foram apreendidas várias armas, que foram associadas aos crimes depois de perícias de comparação com projécteis encontrados em locais de vários assaltos. Outro elemento importante de prova foi um saco desportivo, utilizado por um dos suspeitos, encontrado na Maia, que ainda continha armas, munições, gorros e luvas utilizados em crimes.

GNR regista contra-ordenações na quadra natalícia Entre os dias 23 e 26 de Dezembro e 31 de Dezembro e 2 de Janeiro a Guarda Nacional Republicana da Trofa fiscalizou os condutores que circularam nas estradas do concelho. Durante as Operações de Natal e Ano Novo, a GNR registou 11 acidentes dos quais resultaram três feridos ligeiros. Foram ainda levantados 21 autos de contra-ordenação, mais um do que na ac-

ção anterior. De acordo com fonte policial, as infracções detectadas com maior frequência foram a condução com uso de telemóvel, a falta de inspecção no veículo e o excesso de álcool. Durante estes dias foi também detido um cidadão português por conduzir com taxa de álcool superior à permitida por lei. Mesmo depois desta quadra ter terminado, o sargento Emídio Rodrigues, da GNR da

Trofa, aconselha a que os condutores “não abusem do álcool” e que tenham “sempre atenção às condições meteorológicas, adequando a condução ao piso”. O “respeito pela sinalização existente” é igualmente importante, mas “acima de tudo”, os condutores “devem ter civismo”, para que todas as situações se resolvam de forma calma e correcta. I.M.P.


6 Actualidade 4 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Bombeiros fazem balanço de 2010 Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

Comandante dos Bombeiros e presidente da AHBVT fizeram balanço do trabalho desenvolvido em 2010. Para o próximo ano a ambição continua “a ser grande”. Comando e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa (AHBVT) querem ver colmatadas algumas “necessidades” da corporação trofense ao longo de 2011. Os objectivos passam pela aquisição de uma nova viatura e instalação do sistema de comunicações. João Pedro Goulart, comandante dos Bombeiros, reconhece que existem “algumas necessidades identificadas”, mas garante que se tem “socorrido das instâncias competentes”. Exemplo disso é a recente oferta de Eurico Ferreira e da família de uma viatura, com um kit adaptado para combate a incêndios florestais e outro para situações de inundações. Esta oferta é “fruto do trabalho da actual direcção”, garantiu. Para o ano que se avizinha, o comandante quer ver satisfeito o “anseio” de adquirir um “veículo florestal de combate a incêndios”. “Esta é a nossa prioridade em termos de equipamentos e já fizemos

Arquivo Número de fogos diminuiu em 2010

chegar essa informação junto da direcção, que, no fundo, tem a seu cargo a elaboração do orçamento e do plano de actividades”, acrescentou. No balanço de 2010, Goulart falou da “fase Charlie”, o período crítico da época de fogos: “Felizmente o concelho da Trofa teve um número de incêndios e fogachos (chama súbita e pouco duradoura) inferior ao de outros anos, mas as horas de combate e o número de efectivos foram praticamente os mesmos, portan-

to há um grande trabalho ainda a ser desenvolvido”. A diminuição da área ardida é importante para “conseguir manter os objectivos definidos pela Comissão Municipal da Defesa da Floresta”. Nas restantes “ocorrências para as quais os bombeiros são solicitados, como a prestação de socorro”, deve existir “algum trabalho de prevenção, nomeadamente ao nível dos acidentes rodoviários, já que o risco deste tipo de ocorrências resulta quer dos sinais de perigo existentes (si-

nalização das vias rodoviárias e a forma como elas são construídas), quer do factor humano”. “Temos de continuar com as campanhas de sensibilização e de educação para assim reduzir a sinistralidade rodoviária e o número de vítimas”, garantiu o comandante. Num “contexto difícil económica e financeiramente”, Pedro Ortiga, presidente da AHBVT, faz um “balanço positivo” de 2010. “Conseguimos aquilo que eram os principais objectivos e fizemos investi-

mentos avultados com a ajuda de muitos sócios beneméritos da Associação. Para além da viatura referida pelo senhor comandante, inaugurámos no nosso aniversário uma viatura de transporte de doentes e equipámos o quartel com um gerador que permite a auto-suficiência em caso de catástrofe ou corte de energia, que era uma lacuna que punha em causa a resposta do corpo de Bombeiros”, enumerou o presidente. Ainda assim, “muito mais há a fazer e a ambição é grande”. “Nós estamos muito em linha com o comando e, nesse sentido, temos como prioridade a aquisição de uma viatura que é dispendiosa e só com parceiros institucionais é que podemos concretizar este objectivo”, atestou Pedro Ortiga. A “nova central de comunicações” é também um “projecto para 2011”: “Já temos um primeiro apoio e agora falta-nos o restante, até porque aquilo que foi a comparticipação da Câmara Municipal (cerca de dez mil euros) faz parte de um investimento que ronda os 40 ou 50 mil euros”. No início do próximo ano, Pedro Ortiga prevê a chegada de “um lote de equipamentos de protecção individual”, que é “fundamental para a segurança dos bombeiros”.

300 trofenses pedem reabertura de passagem de peões Isabel Moreira Pereira isabel@onoticiasdatrofa.pt

Mais de 300 trofenses pedem a reabertura da passagem de peões existente entre a Rua Camilo Castelo Branco e a Rua Dr. Serafim Lima, em S. Martinho de Bougado. Abaixoassinado foi entregue à edil Joana Lima que promete fazer tudo “para ajudar estes trofenses a verem satisfeito o seu anseio”. O “muro” que divide a Rua Camilo Castelo Branco e a Rua Dr. Serafim Lima está a afectar os moradores, comércio e as empresas de serviços. Mais de 300 trofenses

concordam que o encerramento da passagem de peões, que era feita pela linha de caminho-de-ferro, entre estas duas ruas, “contribui para o pouco desenvolvimento económico e social desta zona da cidade”. “Com o encerramento da passagem em 2006, algumas empresas tiveram uma drástica redução de clientes”, explicou um dos mentores do abaixo-assinado, Mário Reis. “Permitir uma maior segurança aos cidadãos, já que o acesso pela ponte não apresenta as melhores condições de segurança” e “melhorar a acessibilidade aos moradores, ao comércio e às empresas de serviços de ambos os lados da linha férrea” são as princi-

pais vantagens apresentadas no documento e que, de acordo com os signatários, justificam a reabertura desta passagem. A ideia de reunir assinaturas surgiu “no início de Dezembro”, quando “estavam a terminar o desmantelamento da linha férrea” e Mário Reis e José Lima decidiram pôr mãos à obra. Começaram por recolher as assinaturas e na segundafeira entregaram os documentos na sede da autarquia: “Optámos por entregar a petição só na Câmara Municipal, onde apelámos à senhora presidente para interferir junto das entidades competentes, já que no nosso entender é a Câmara Municipal o organismo lo-

cal com mais poder e meios para defender os interesses dos trofenses”. Contactada, Joana Lima, presidente da autarquia, fez saber que, “apesar da responsabilidade da gestão do espa-

ço do canal ferroviário, que foi desactivado, e da reabertura ou não desta passagem de peões ser da REFER”, tudo fará “para ajudar os trofenses a verem satisfeito este seu anseio”.

Passagem de peões foi encerrada em 2006


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

Actualidade 7

www.onoticiasdatrofa.pt

Governador do Rotary elogiou trabalho social na Trofa Isabel Moreira Pereira isabel@onoticiasdatrofa.pt

Governador do Distrito de 1970 do Rotary Internacional esteve na Trofa e elogiou o trabalho desenvolvido na área social. Autarquia aproveitou para apresentar o projecto “Trofa Solidária”, que em breve estará em funcionamento. “Dar de si, antes de pensar em si”. Este é o lema do Rotary, que esta segunda-feira foi mais uma vez reforçado com a visita do Governador do Distrito de 1970 à Trofa. Armindo Carolino, a convite do presidente do Rotary Club da Trofa, António Charro, conheceu os projectos da Loja Social e da “Trofa Solidária”, fruto do trabalho do pelouro da Acção Social da Câmara Municipal. De acordo com António Charro, “o governador visita mais de 80 clubes por ano” e muitas vezes vê “coisas repetidas”, por isso, decidiu mostrar-lhe a inovação feita na Trofa no que toca à área social. “Se existe um projecto como este, há que dar a conhecer, porque também ele

será uma boa fonte de divulgação da Trofa e daquilo que é feito pela comunidade, na área social”, explicou. E de facto, com esta visita à Loja Social, Armindo Carolino esteve a “aprender” que “é possível em Portugal” juntar “as mais-valias e os meios disponíveis” das instituições de protecção social para ajudar as famílias mais carenciadas. “É unir os meios que têm disponíveis e potenciá-los a favor daqueles que mais precisam”, resumiu. Satisfeito com todos os elogios tecidos ao serviço prestado na área social, José Magalhães Moreira, vereador da Acção Social da Câmara Municipal da Trofa, relembrou que este é “um trabalho do executivo anterior”, que “está muito bem feito e que é digno de menção”. “Já assisti a uma situação em que tentaram copiar o modelo, e está mal copiado, por isso ainda mais me importa realçar o que aqui está feito”, acrescentou. Depois desta visita, o Governador seguiu para uma reunião onde ficou a conhecer todos os projectos em que está envolvido o Rotary Club da Trofa.

Governador do Distrito de 1970 (ao centro) elogiou os projectos na área social

“Trofa Solidária” “Na direcção certa” no que toca ao trabalho na área de acção social, o executivo municipal decidiu avançar com um novo projecto – “Trofa Solidária”. “E como se caracteriza este projecto?” O vereador explicou: “É encabeçado pela Loja Social, que faz o diagnóstico de todos os carenciados e depois trabalhando em rede com todas as instituições que a isso estejam dispostas,

podemos canalizar para cada agregado em dificuldade aquilo que de facto ele necessita”. Os bens serão recolhidos por todas as instituições e grupos de voluntariado que se quiserem associar a este projecto e serão mais tarde armazenados nas sedes das instituições com mais espaço disponível. O Rotary Club da Trofa prometeu continuar a “arregaçar as mangas” para “ajudar aqueles que mais precisam” e por isso também se envolveu

neste projecto. “O nosso trabalho será a recolha dos géneros e é essa a nossa missão”, adiantou António Charro. “O Rotary Club da Trofa está ao lado deste projecto e eu fico muito satisfeito que seja um dos parceiros que vai estar no terreno a pô-lo em prática”, completou Armindo Carolino. “Trofa Solidária” ainda não está no terreno, mas dentro de alguns meses a autarquia espera ver reunidas todas as condições.

o grupo dividiu-se para fazer visitas a estas pessoas, revelando que este acto é compensador tanto para quem recebe como para quem dá. “No feedback que recebi dessas pessoas que fizeram as visitas, disseram-me que ficaram muito contentes e que se sentiram muito bem”, contou. O grupo pretende ter uma “barraquinha” na festa de S. Gonçalo, que se realiza no último fim-de-semana de Janeiro, para angariar fundos. A ideia passa por vender rifas e oferecer brindes em troca.

Mas para isso, o Caridade de S. Martinho precisa de apoios e já começou a contactar algumas empresas. “Se alguém quiser colaborar pode fazê-lo independentemente de ser de Covelas ou não”, frisou. O grupo vai ainda distribuir um desdobrável para informar a população da freguesia da sua actividade e quer promover uma noite de música ao vivo, em Fevereiro, perto do Dia dos Namorados, para angariar fundos.

Caridade é dar e receber Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Grupo Caridade de S. Martinho, em Covelas, quer dar pão, agasalho e medicamentos a quem sofre de solidão na freguesia. Acto de dar é compensador, revelam voluntários. Laurinda Martins não precisou de sair de casa para fazer um levantamento das pessoas que sofrem de solidão na freguesia de Covelas. Desde que nasceu que “alimenta” este “dom de Deus” que não a deixa “ficar indiferente” a esta realidade. Por isso, e por estar “muito ligada” à índole social da freguesia, aceitou o desafio que o pároco José Ramos e o Bispo Auxiliar do Porto, D. João Miranda, lhe lançaram há dois anos: criar o Grupo Caridade de S. Martinho. “A inexistência deste grupo era uma lacuna a nível paroquial. Procurei amadurecer a ideia e fez-se luz quan-

do num passeio de mulheres, vi que estas podiam ser pedras preciosas para a organização do grupo”, explicou. Feito o convite a toda a população nas eucaristias de um fim-de-semana, fez-se a primeira reunião com a presença do pároco e de 20 pessoas (18 mulheres e dois homens). A nomenclatura do grupo sustenta o nome do padroeiro da freguesia, “que foi um bom exemplo de caridade”, explicou Laurinda Martins. A filosofia do grupo assenta nas obras de misericórdia, tendo como objectivo “chegar a todos sem excepção, para que em Covelas ninguém fique sem comida, agasalhos, medicamentos e uma presença amiga, particularmente os que estão impossibilitados de saír de casa, quer pela doença quer pela idade”. O grupo “não quer estar sujeito a papéis” e por isso não tem estatutos. No entanto, os elementos “elegeram” Laurinda Martins como presi-

dente do projecto, assim como um secretário e um tesoureiro, que reúnem uma vez por mês. Actualmente, o grupo não tem fundo de maneio, mas já conseguiu “uma sala”, na residência paroquial, para reunir os géneros alimentícios e roupa que conseguir angariar. Na paróquia, o peditório das missas que se realizem no primeiro fim-de-semana de cada mês vai reverter a favor do grupo, que “não quer aplausos”. “A solidariedade quer um pouco de visibilidade, enquanto a caridade passa pelo silêncio e pelo anonimato, trabalha na gratuitidade e na entrega aos outros”, sustentou Laurinda Martins. Apesar de constatar que na freguesia “ainda não há pessoas a viver muito mal”, a responsável sabe que o problema, em Covelas, assenta na solidão: “Temos cerca de 50 pessoas que estão impossibilitadas de sair de casa”. Para dar uma palavra amiga,

Bens doados serão armazenados numa sala da residência paroquial


8 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

LIAM recolhe roupa e medicamentos Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

LIAM de Guidões está a desenvolver campanha de recolha de roupas e de medicamentos dentro do prazo de validade para ajudar o CEPAC. Quem não tem peças de roupa praticamente novas que não usa esquecidas no fundo de armários e gavetas? E quantas pessoas não têm medicamentos que não vão voltar a usar em caixas quase cheias e dentro do prazo de PUB

validade? Pois bem, o núcleo da LIAM (Liga Intensificadora de Acção Missionária) de Guidões lançou uma campanha de recolha destes bens com o objectivo de ajudar o CEPAC (Centro Padre Alves Correia). O grupo aceita roupas que ainda possam ser utilizadas e também medicamentos dentro do prazo de validade. Para isso, basta deixar os bens na Junta de Freguesia, na Igreja Paroquial ou na casa dos elementos do núcleo. Quem não tiver essa possibilidade, pode contactar o grupo através do telemóvel 965 771 283 e um

dos elementos fará a recolha. O CEPAC é uma Instituição Particular de Solidariedade Social do foro canónico e civil, com sede em Lisboa. Nasceu da iniciativa dos Missionários do Espírito Santo, em 1992. De acordo com o site do centro, “no início, o apoio era dirigido aos imigrantes africanos, provindos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP)”. No entanto, hoje a sua intervenção é “dirigida a todos os imigrantes” que procuram os serviços do CEPAC. Um dos membros do nú-

cleo explica que esta é uma forma de “ajudar a ajudar aqueles que mais precisam e

que procuram Portugal para tentar melhorar a sua vida e a das suas famílias”.

Núcleo da LIAM está a fazer recolha de vestuário e medicamentos

Incubadora de empresas no Vale do Ave Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

Incubadora de Empresas do Vale do Ave vai ser inaugurada em Ribeirão no dia 11 de Janeiro. Projecto prentende captar investimentos para o concelho de Famalicão. A Start Business – Incubadora de Empresas do Vale do Ave vai ser inaugurada na terçafeira, 11 de Janeiro. O objectivo do projecto é “a captação de novos investimentos empresariais para o concelho de Vila Nova de Famalicão”, explica Carlos Paiva, coordenador do Centro Novas Oportunidades (CNO) da escola profissional Forave, no site do Clube de Cultura e Desporto de Ribeirão. “A criação de uma incubadora de empresas no Parque Comercial Lago Discount é um sério contributo para o desenvolvimento económico e social da região, configurando uma resposta adaptada às necessidades dos adultos integrados num projecto já existente no CNO da Forave, intitulado Rumos e que tem como objectivo fomentar o empreendedorismo, promover a qualificação, a iniciativa empresarial e a criação do próprio emprego”, acrescentou. A cerimónia tem início previsto às 17 horas, no Edifício A3, 1º piso, no Lago Discount, em Ribeirão. A sessão de abertura vai ser da responsabilidade de Pinto da Fonseca, presidente da Direcção da Forave. Depois, os formandos do CNO vão apresentar os “planos de negócios” que sestão a desenvolver, com o intuito de incubarem as suas empresas na Start Business. Carla Martins vai falar da ideia de criar uma empresa de apoio domiciliáio a idosos, enquanto Daniel Rodrigues vai dar a conhecer uma agência imobiliária. Maria Fátima Gonçalves vai apresentar um ateliê de costura e Tiago Almeida vai abordar o projecto Quick Massage – Massagens de Relaxamento em Contexto Laboral. Finalmente, Sara Sampaio vai apresentar a ideia de um café/bar lounge. Este será também o momento em que vai ter lugar a validação e reconhecimento dos projectos pelas entidades convidadas.


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

www.onoticiasdatrofa.pt

Actualidade 9

Câmara Municipal da Trofa EDITAL Nº 101/2010 JOSÉ MAGALHÃES MOREIRA, Vereador da Câmara Municipal da Trofa, no uso de competência delegada, por despacho n.º 19/P/2009, da Senhora Presidente da Câmara, de 10 de Novembro de 2009: Torna público, nos termos do disposto no n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento Municipal de Taxas, conjugado com a alínea e) do n.º 1 do artigo 49.º da Lei n.º 2/2007, de 15 de Janeiro, que se encontra disponível, para consulta, na Divisão Administrativa e de Pessoal da Câmara Municipal da Trofa, bem como na página da Internet, no sítio www.muntrofa.pt, a Tabela de Taxas anexa ao referido Regulamento, para vigorar a partir do início do ano de 2011, depois de actualizada, em função do índice de inflação no valor de 1,8%. Para constar e para os devidos efeitos legais, publicase o presente edital, e outros com igual teor, que vão ser afixados no átrio dos Paços do Município e demais lugares de estilo, pelo período de 15 dias, publicado nos Jornais Regionais editados na área deste Município, bem como enviado às Juntas de Freguesia deste concelho. E eu, Manuela Amaral da Silva Espojeira, Chefe da Divisão Administrativa e de Pessoal, o subscrevo. Sede do Município, 29 de Dezembro de 2010. O Vereador, Com competência delegada por despacho nº 19/P/2009, de 10 de Novembro de 2009, da Senhora Presidente da Câmara,

Muro reúne assinaturas para reivindicar o Metro Isabel Moreira Pereira isabel@onoticiasdatrofa.pt

Plano Plurianual de Investimentos e Orçamento para 2011 no Muro foram aprovados por unanimidade, mas murenses continuam à espera que o Metro seja uma realidade. Foi criada uma comissão para intensificar a reivindicação.

Publicado pelo edital nº.117/09, de 13 de Novembro de 2009.

(José Magalhães Moreira, Dr.)

A freguesia do Muro não desiste de lutar para que o Metro chegue à Trofa. A 29 de Dezembro, os murenses reuniram em Assembleia de Freguesia e Carlos Martins, presidente da Junta, anunciou os avanços que têm sido feitos no sentido de pôr nos carris aquele meio de transporte. “Foi criada uma comissão apartidária que tem dado frutos”, informou. De acordo com o autarca, a comissão reuniu para definir as linhas estratégicas para esta luta, adiantando que existe uma petição onde já constam “cerca de duas mil assinaturas”. “Quando chegar ao mínimo de assinaturas pedidas por lei, este assunto vai a plenário na Assembleia da República”, explicou. Outro dos objectivos desta organização passa por “sensibilizar a população” não só do Muro, mas “pressionar a nível regional”, pois, de acordo com Carlos Martins, “não há muita força reivindicativa”, nem “emoção do povo”. Mas o autarca acredita:

“Nós somos poucos, no entanto se fizermos barulho, alguma coisa há-de vir”, frisou. Quanto ao boicote nas eleições presidenciais, Carlos Martins deixou claro que “nada está definido”. António Correia, membro do CDS, não põe “de parte” que “no dia das eleições não se vote”. “Era notícia nacional e dava a conhecer a nossa luta pelo metro”, acrescentou. Quem também está “de corpo e alma” nesta luta é Vítor Maia, membro social-democrata, que até sugeriu que pessoas conhecidas pudessem “apadrinhar a causa”. Quanto ao boicote eleitoral, Vítor Maia demonstrou algumas dúvidas. A comissão vai reunir esta quinta-feiras, às 21 horas, na sede da Junta de Freguesia do Muro. Na Assembleia foi, ainda, discutido e aprovado o Plano Plurianual de Investimentos (PPI) para 2011 na freguesia e Carlos Martins começou por dizer que foram “cortadas muitas obras”: “São poucas, mas exequíveis”. Entre as empreitadas constam a pavimentação da EN 318 e construção de passeios na mesma, que, de acordo com o edil, estão “orçamentados pela Câmara” no valor de “200 mil euros”, a colocação de passeios na EN 14 “desde o lugar da Serra até à PetroGomes” e terminar a requalificação do recinto junto à Capela de S. Pantaleão. O Orçamento para este

ano será de 151 mil euros, mas de acordo com Carlos Martins, o “investimento real é de 120 mil euros” e o restante valor “são subsídios da Câmara”, completou. José Fernando, membro do PSD, comentou este plano e aconselhou o edil murense a “olhar mais para dentro da freguesia”. “As obras a propor à Câmara são as mesmas que no ano passado”, afirmou, acrescentando que “12 delas transpuseram-se para este ano”. Considerando que “houve pouca evolução na freguesia”, José Fernando mostrou-se disponível para “contribuir” para que algumas obras avancem e alertar “para aquelas que não são feitas”. O Orçamento e PPI para 2011 foram aprovados por unanimidade. Foi também aprovado por todos os membros a delegação de competências no executivo para aceitar o protocolo estabelecido com a Câmara Municipal da Trofa. Na sessão, Vítor Maia chamou ainda à atenção para “o número de faltas” do membro do PS Inês Neves, frisando que sendo ela “representante do partido que governa a Câmara”, é “lamentável” não estar presente nas Assembleias de Freguesia. Baldomero Talaia, presidente daquele órgão, informou apenas que naquela reunião Inês Neves tinha “atingido o limite de faltas”.


10 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Fim-de-semana gastronómico decorre a 12 e 13 de Março

A Trofa à mesa Isabel Moreira Pereira isabel@onoticiasdatrofa.pt

Foi com o aroma dos melhores pratos da região Norte no ar que foi apresentada a iniciativa dos “Fins-de-semana Gastronómicos 2011”. A Trofa apresenta as suas iguarias a 12 e 13 de Março. Os primeiros seis meses do ano na região Norte de Portugal vão estar repletos de uma autêntica festa dos sentidos. As cores, os sons, os aromas e os paladares das iguarias gastronómicas de cada um dos 72 municípios, que aderiram à iniciativa “Fins-de-semana Gastronómicos 2011”, levada a cabo pela Turismo Porto e Norte de Portugal, vão estar em destaque. Esta iniciativa, que se realiza pelo segundo ano conse-

cutivo, promete abrir o apetite para visitar cada um dos 72 municípios aderentes, numa exaltação dos sabores em autênticos saberes. A degustação das melhores iguarias da região começa já este fimde-semana em Guimarães e Montalegre, onde poderão ser provados o Bacalhau com broa e as rabanadas ou o Cozido à Barrosã e o doce de abóbora e o queijo, respectivamente. No mês de Março, nos dias 12 e 13, é a vez da Trofa divulgar as suas iguarias. O Arroz Pica no Chão e a maçã assada foram os eleitos. Mas estes não são os únicos pratos a provar. Cabrito assado, Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, Lampreia, Cozido à Terras de Bouro, Bacalhau à Braga, Bulho com Castanhas ou Alheira de Mirandela são algumas das es-

Iguarias de algumas regiões do Norte foram dadas a provar

Melchior Moreira apresentou a iniciativa

pecialidades que constam da ementa. E para os mais gulosos não poderão faltar o pudim Abade Priscos, o Pão-deló, as Rabanadas, o Leite Creme ou as Barrigas de Freira. “Estamos perante o exemplo de uma peculiar iniciativa que só é possível acontecer porque trabalhamos em equipa e edificamos um projecto que se distingue pelo facto de ser o evento gastronómico nacional que conjuga um maior número de municípios (72), um maior número de restaurantes (mais de 1000) e um maior número de especialidades

gastronómicas (144)”, anunciou Melchior Moreira, presidente da Turismo Porto e Norte de Portugal, que apresentou o projecto esta terça-feira, no Paço dos Duques, em Guimarães. Melchior Moreira deixou ainda uma palavra particular para os restaurantes que se regem por “concepções de qualidade e de exigência”: “Envolvidos num espírito de autenticidade e de busca constante de fazer cada vez melhor, os restaurantes evidenciam um serviço de elevada qualidade e personaliza-

ção assente na exigência e rigor alicerçada num compromisso de afectos com os clientes”. Fazendo um balanço do trabalho realizado em prol do desenvolvimento da região Melchior Moreira frisou que esta foi “a única região de sucesso em Portugal”. “Somos a única que em termos de proveitos no Turismo crescemos acima da média nacional há três meses consecutivos”, justificou, aproveitando para destacar “os significativos fluxos turísticos, concretamente nas épocas consideradas baixas”.

Micaela Oliveira veste família Coentrão Depois de terem casado pelo Registo Civil, Fábio Coentrão e Andreia Santos oficializaram o enlace na Igreja dos Navegantes, nas Caxinas, Vila do Conde, terra de onde é natural o craque do Benfica. A cerimónia, que decorreu

no dia 22 de Dezembro, ficou ainda marcada pelo baptismo da filha do casal, Vitória que nasceu em Julho do ano passado. Fábio Coentrão, Andreia Santos e Vitória vestiram criações de Micaela Oliveira,

estilista trofense. O cinzento e os brilhos foram dominantes nos três modelos pensados a preceito para este dia especial. Ninguém quis perder esta festa marcada pela presença de Hélder Postiga (Sporting), Quim (Sporting de Braga), Nuno PUB Gomes, Ruben Amorim, Luís Filipe, Carlos Martins e César Peixoto (Benfica), Bruno Alves (Zenit), Hugo Almeida (Werder Bremen), do treinador do Benfi-ca, Jorge Jesus e até o presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde, Mário Almeida.

Estilista esteve no casamento de Fábio Coentrão e Andreia Santos


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

Actualidade 11

www.onoticiasdatrofa.pt

Empresas associadas da AEBA distinguidas como PME Excelência 2010 Mais de mil pequenas e médias empresas foram distinguidas com o estatuto PME Excelência 2010, no mês de Dezembro, numa iniciativa do IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, em parceria com as principais instituições bancárias portuguesas. A AEBA – Associação Empresarial do Baixo Ave, representada pelo presidente da direcção, Manuel Pontes, e pela directora-geral, Mafalda Cunha, marcou presença na cerimónia, realizada no Europarque, em Santa Maria da Feira, e presidida pelo Ministro da Economia, José António Vieira da Silva. As empresas associadas da AEBA, a A.F. Azevedos – Ferramentas, Lda., sediada em Ribeirão – V.N. Famalicão, a Decotirso – Decorações, Lda., de Santo Tirso, a Torneiras OFA, Lda. e a Troficolor – Têxteis, S.A., ambas localizadas na Trofa, foram distinguidas por terem evidenciado os melhores desempenhos económico-financeiros e in-

AEBA viu quatro empresas associadas distinguidas

PUB

dicadores de gestão do ano, no contexto da estrutura empresarial nacional. Para serem merecedoras deste estatuto de PME Excelência, as empresas tiveram de se evidenciar pela qualidade dos seus resultados e elevados padrões competitivos, com rácios de solidez financeira e de rendibilidade acima da média nacional, contribuindo activamente para o desenvolvimento e melhoria do emprego na região. Segundo dados do IAPMEI, no total foram distinguidas 1100 empresas com o estatuto de PME Excelência 2010, sendo responsáveis por gerar mais de 37 mil postos de trabalho directos e por um volume de negócios superior a 4,5 mil milhões de euros no último ano, a que correspondeu uma taxa média de crescimento de 11 por cento. Com um activo líquido global de 3,6 mil milhões de euros, as PME Excelência apresentam uma autonomia financeira média de 52 por cento e níveis de rendibilidade dos capitais próprios, do investimento e das vendas superiores à média, ao mesmo tempo que apresentam crescimento nos resultados líquidos, activo e exportações. O estatuto PME Excelência foi criado pelo IAPMEI, com o objectivo de sinalizar o mérito das empresas com desempenhos superiores, utilizando um instrumento de reputação. Esta iniciativa conta com a parceria do Turismo de Portugal, I.P. e dos principais bancos a operar no mercado, nomeadamente o Banco BPI, o Banco Espírito Santo, o Barclays, a Caixa Geral de Depósitos, o Millennium BCP e o Santander Totta. C.V.

“Alto-marLouco” emAlvarelhos “Alto-mar Louco” é a comédia musical que o Grupo de Jovens de Santa Maria de Alvarelhos terá em cena no dia 8 de Janeiro. Esta não é a primeira vez que este grupo se reúne para fazer rir quem se dirige a Alvarelhos. Os realizadores da peça de teatro “O Bar da Borboleta Louca” que “contagiou centenas de pessoas”, voltaram a escrever uma nova peça, com a qual pretendem cativar toda a comunidade. O objectivo é angariar fundos para o projecto da sede que está já em construção. As sessões desta comédia musical estão marcadas para o dia 8 e 29 de Janeiro, pelas 21 horas, no Salão Paroquial de Alvarelhos. I.M.P.


12 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

“10 Semanas, 10 Competências” Rita Maia Cátia Veloso

Formandos do Centro Novas Oportunidades da Forave organizam workshops sobre vários temas. Iniciativa tem sido um “sucesso”. O desafio lançado aos adultos inscritos no Centro Novas Oportunidades (CNO) da Forave era arrojado: demonstrar as suas competências à comunidade através do desenvolvimento de dez workshops temáticos. Os formandos responderam com empenho e desde 26 de Novembro que têm levado a cabo a primeira edição da iniciativa “10 Semanas, 10 Competências”, que inclui temas variados como “a leitura, a bijuteria, o artesanato com materiais reutilizados, a arte floral, o cinema e a música, passando pelas danças de salão, pesca à pluma, fotografia, ponto de cruz e pintura”. Até ao final de 2010, decorreram quatro formações. A primeira, subordinada à leitura, contou com a participação de crianças e adultos, que puderam desfrutar de momentos de leitura e reflexão em torno da literatura infantil. O segundo workshop teve como tema a bijuteria e foi uma oportunidade de partilha e divulgação dos trabalhos das formandas da Forave Cláudia Costa e

Adélia Sá. Paulina Almeida foi a responsável pela acção de formação sobre artesanato com materiais reutilizados. A formanda ensinou os participantes a criar objectos natalícios, nomeadamente, estrelas e bolas para decoração, a partir de materiais não aproveitados. Por último, o workshop de arte floral foi dinamizado pelas adultas Joaquina Vilaça, Adelina Santos e Arminda Silva, que demonstraram as suas “aptidões artísticas” com a realização de arranjos florais natalícios. A “grande adesão que tem sido registada e o entusiasmo como têm sido trabalhados estes workshops ” levaram os responsáveis a converter esta iniciativa num projecto, “instituindo-a como mais uma dinâmica de desenvolvimento pessoal e formativo dos adultos que procuram o CNO da Forave com o objectivo de aumentar as suas qualificações escolares e profissionais”, declarou fonte da escola. Assim, durante o ano de 2011, será promovido mensalmente um workshop temático, cuja organização será da inteira responsabilidade dos adultos inscritos. De acordo com o coordenador do CNO, Carlos Paiva, “existem centenas de pessoas com competências em diversas áreas que se encon-

Crianças participaram no workshop de leitura infantil

Alunos aprenderam como é feita a segurança da superfície comercial

tram no anonimato e que devem ser trazidas a público”. “São competências que foram desenvolvidas com a experiência de vida, assentes em processos autónomos de aprendizagem e de pesquisa de materiais e técnicas necessárias para a realização de verdadeiras obras de arte”, acrescentou. O próximo workshop, subordinado ao tema “cinema e música”, vai decorrer no dia 13 de Janeiro, às 19 horas, nas instalações do CNO da Forave, no Parque Comercial Lago Discount, em Ribeirão. Forave visitou Estação Viana Shopping O Estação Viana Shopping, em Viana do Castelo, recebeu a visita dos alunos da escola profissional Forave, no âmbito das disciplinas de Gestão, Português e Inglês, relativamente aos módulos sobre publicidade e marketing . O objectivo era “mostrar aos alunos o funcionamento de um shopping e as estratégias de marketing utilizadas para o aumento do tráfego de clientes”, conforme explicou fonte da escola. Durante a visita de estudo, foram “abordados vários aspectos relacionados com a segurança e algumas

preocupações ambientais e relativas à saúde dos visitantes”. “Nesse sentido, foram referidas as últimas campanhas de marketing promovidas junto das lojas, para que estas desenvolvam actividades que incentivem hábitos saudáveis junto dos seus clientes e a utilização de materiais sustentáveis nos seus produtos e serviços. O Estação Viana Shopping desenvolve também várias campanhas que promovem o artesanato da região”, acrescentou a mesma fonte. Esta visita possibilitou ainda aos alunos conhecer e compreender como é feita a segurança do local, nomeadamente, o “sistema automático de detecção de incêndio, intrusão e roubo”. No final, “os alunos assistiram a uma simulação de alarme nos reservatórios de água, no piso inferior”, destinado a aparcamento. De acordo com fonte da escola, “os alunos gostaram da visita e aprofundaram os conhecimentos nas áreas de marketing e publicidade”. Vereador da Cultura de Famalicão aborda a “Construção da Democracia” Paulo Cunha, vereador da

Actualize a sua assinatura anual Telf. 252 414 714 Rua Aldeias de Cima, 280 Trofa-Velha (Junto ao Modelo e ao Pingo Doce)

Cultura de Vila Nova de Famalicão, liderou uma palestra na Escola Profissional Forave, sobre a “Construção da Democracia”. A iniciativa, inserida no âmbito da disciplina de Área Integração, foi dirigida aos alunos do 3º ano dos cursos Técnico de Gestão, Técnico de Manutenção Industrial e Técnico de Electrónica, Automação e Comando. O vereador abordou temas como a política e a importância da participação na vida pública a nível autárquico, a relevância de vivermos numa democracia e a importância do voto. O autarca enumerou ainda vários exemplos sobre formas de participar na vida pública no concelho de Famalicão, desde o contacto com os serviços municipais à participação em sessões de debate sobre situações da sua vida prática. Paulo Cunha teve ainda a oportunidade de dar o seu testemunho enquanto político, demonstrando que “a dedicação ao trabalho e o empenho numa participação social activa são bastante compensadores”. “No entanto, existem algumas desvantagens, sobretudo a nível pessoal, mas não deixam de ser questões contornáveis com uma boa gestão do tempo e bastante compreensão familiar”, afirmou. Em termos conclusivos, Paulo Cunha deixou bem presente a ideia que o importante é agir, tomar decisões, evitando a simples crítica.


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

www.onoticiasdatrofa.pt

Actualidade 13

Três anos de música ligeira Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

Orquestra Ritmos Ligeiros espalha música além fronteiras há três anos.

Flautas, clarinetes, saxofones, trompetes, trombones, baixo e guitarra são alguns dos instrumentos tocados pelos cerca de 30 elementos da Orquestra Ritmos Ligeiros. O projecto nasceu há três anos e conta com músicos da Trofa, de Vila Nova de Famalicão, da Maia e até do Porto, mas o ponto

Orquestra Ritmos Ligeiros tem três anos e conta com cerca de 30 músicos

de encontro é no concelho trofense, onde ensaiam e aperfeiçoam as músicas apresentadas nos espectáculos. E porquê “Ritmos Ligeiros”? “Porque devemos optar por aquilo que é nosso e já que fazemos música ligeira com vários ritmos, este era o nome mais adequado”, explicou Vítor Sousa, maestro da orquestra. O responsável garante que, ao longo de três anos, houve “coisas boas e coisas más”. O facto de já terem actuado um pouco por todo o país e ter levado o nome da Trofa por duas vezes à vizinha Espanha, vai compensando a falta de apoios: “Não ganhámos nada com a orquestra, os músicos pagam todas as despesas com deslocações e actuações e gostávamos de ter algum apoio, mesmo sendo pouco, já ficávamos contentes”. “Acho que merecemos outra atenção da parte de muita gente e das entidades”, acrescentou. Vítor Sousa fez questão de agradecer o apoio de três pessoas em especial “o comendador J. Serra, que ajudou imenso e cedeu as instalações a custo zero para os ensaios, o senhor António Carriço que também nos ajudou e o senhor Rocha, uma pessoa que continua a ajudar”. O maestro é o responsável pelos arranjos musicais nas obras interpretadas pela orquestra e procura “ir ao encontro do público”, apostando em “temas conhecidos”, até porque o objectivo é “agradar a quem está do outro lado”. Vítor Dias é o presidente da orquestra e, apesar de reiterar a inexistência de apoios, acredita que a evolução tem sido “favorável”. O responsável gostaria de “actuar em todas as freguesias do concelho”, mas lamenta que “nem todas tenham um espaço adequado para os concertos”. Para o futuro, Vítor Dias garante que “há muitos projectos”, mas “poucos” em fase de concretização. O mais ambicioso seria a abertura de uma escola, “com alunos do concelho da Trofa”, onde se pudesse divulgar e ensinar música ligeira.

PUB


14 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Concurso Lusófono já arrancou A edição deste ano do Concurso Lusófono da Trofa já está a ser preparada pela Câmara Municipal. Participantes podem entregar contos até 25 de Março.

Centro Comunitário comemora Natal em família Isabel Moreira Pereira isabel@onoticiasdatrofa.pt

Centro Comunitário da ASAS na Trofa comemorou o Natal, com utentes e crianças a assumir o papel principal na festa que juntou cerca de 140 pessoas. A noite do dia 20 de Dezembro no Centro Comunitário foi de “boa disposição” e todos estiveram entusiasmados a assistir às apresentações musicais e teatrais preparadas pelos utentes do espaço. O Grupo de Concertinas da Escola Danúbio Azul foi convidado a trazer à festa de Natal os sons tradicionais. Em seguida foi a vez de subir ao

palco o “jovem” senhor Peixoto, “autodidacta com 90 anos, recentemente comemorados”, que tocou duas músicas com o seu violino, acompanhado à viola pelo professor Alfredo Fernandes, responsável pelo Ateliê de Música e pelo Grupo de Cantares “Saberes Com Sentidos”. A peça de teatro “O Príncipe Feliz”, representado por um grupo de crianças acompanhadas ao nível do apoio ao estudo escolar, o programa “Ídolos”, representado pelas crianças que frequentam o programa de férias de Natal no Centro, e o “Tonecas”, que arrancou muitas gargalhadas junto da assistência, foram algumas das actuações que

animaram a noite. “A poesia também marcou presença com um poema concebido pelos participantes do Projecto “(Re)Inserir na Trofa”. Estes utentes frequentam actividades ocupacionais e formativas e o Grupo de Auto-ajuda para ex-alcoólicos e ex-toxicodependentes”, frisaram os responsáveis pela iniciativa. No final, a festa terminou ao som dos cantares de Natal do Grupo “Saberes com Sentidos”, a que se juntaram mais 45 crianças. Ao som dos apelos dos mais novos, o Pai Natal também chegou ao Centro Comunitário e ofereceu presentes a todas as crianças.

Considerado “uma iniciativa de extrema importância para a cultura local e, fundamentalmente, para a Língua Portuguesa”, o Concurso Lusófono da Trofa - Conto Infantil Prémio Matilde Rosa Araújo já está a ser planeado pela Câmara Municipal, em parceria com o Instituto Camões. Os interessados em participar na edição de 2011 devem entregar os seus trabalhos, em mão, na Casa da Cultura da Trofa, ou via correio, dirigidos ao vereador do Pelouro da Cultura, Assis Serra Neves, até ao dia de 25 de Março. A divulgação dos ven-

cedores e a cerimónia de entrega dos prémios vão ser feitas em Novembro, durante as “Comemorações do Concelho”. À semelhança da edição de 2010, o Concurso Lusófono abrange todos os países de língua oficial portuguesa, como é o caso de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, S. Tomé e Príncipe e Timor. A Câmara Municipal da Trofa pretende “estimular nos participantes a criatividade e fomentar o gosto pela escrita expressiva”, refere documento enviado pela autarquia. A edição de 2010 contou com 400 participantes e o objectivo da autarquia é “superar todas as expectativas e tornar a iniciativa num fenómeno cultural de interesse internacional já em 2011”. R.M.

Grávidas esclareceram dúvidas e acabaram com mitos Uma equipa multidisciplinar, composta por vários médicos e enfermeiros, esclareceu todas as questões, dúvidas e mitos das grávidas durante um workshop realizado no Hospital Privado da Trofa, no dia 18 de Dezembro. A organização da iniciativa esteve a cargo da enfermeira Adelaide Matos. Temas como “a sexualidade na gravidez”,

“a presença do pai no momento do parto” e “alerta para evitar acidentes com boas práticas de posicionamento” foram completados por uma “passagem de modelos de bebé em cadeiras e carrinhos”. E como o Natal estava à porta, o hospital ofereceu, ainda, um cabaz de produtos para a mãe e para o bebé. R.M.

Aprender a gerir o orçamento familiar “Gestão do Orçamento Familiar: Estratégias de Intervenção Social” é o tema do work shop promovido pela ASAS (Associação Solidariedade e Acção Social), destinado a técnicos de intervenção social (Área de Serviço Social, Psi-

cologia, Educação, Sociologia e Saúde). A actividade vai decorrer no dia 10 de Janeiro, entre as 9.30 e as 12.30 horas e as 14 e as 17 horas, no Hotel Cidnay, em Santo Tirso. A formadora, Ana Luísa Martinho, é

associada-fundadora da A3S – Associação para o Empreendedorismo Social e a Sustentabilidade do Terceiro Sector. Para mais informações, pode consultar o site www.asa ssts.com. R.M. No workshop houve uma passagem de modelos para bebé

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Director: Hermano Martins (T.E.774) Sub-directora: Cátia Veloso (C.O. 742) Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redacção: Cátia Veloso (C.O. 742), Isabel Moreira Pereira (T.P. 1311), Rita Maia Sector desportivo: Cátia Veloso (C.O. 742), Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741)

Colaboradores: Afonso Paixão, Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864), Teresa Fernandes, Tiago Vasconcelos Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 18,20 Euros; Extra europa: 57,50 Euros; Europa: 40,60 Euros; Avulso: 0,50 Euros E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt

Sede e Redacção: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa - Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

Nota de redacção Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direcção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir susceptibilidades.


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

Actualidade 15

www.onoticiasdatrofa.pt

Laguna com argumentos renovados Com preços que variam entre os 30.800 e os 48.650 euros, o novo Renault Laguna apresenta um leque de novos argumentos para aquele que é um dos mais competitivos segmentos do mercado. O sistema 4Control de quatro rodas direccionais da Renault é uma das grandes novidades do novo Laguna, mas não é a única. Para além do novo design da dianteira, destaque também para as melhorias introduzidas ao nível da insonorização, equipamentos e para a redução dos custos de utilização. Estes “melhoramentos reforçam as conclusões de estudos independentes, que confirmam o posicionamento do Laguna no Top 3 de qualidade do seu segmento. A partir dos 30.800 euros, o novo Laguna já pode ser adquirido na rede de concessionários Renault”, anunciou o gabinete de comunicação da marca. O sistema 4Control de qua-

tro rodas direccionais é exclusivo da Renault e apresentase como “uma solução que traz benefícios óbvios em domínios absolutamente essenciais num automóvel: a dinâmica e a segurança”. “As quatro rodas direccionais passam agora a ser transversais a quase todas as versões e a um nível de preço francamente competitivo”, garantiu a mesma fonte. No total, serão nove as versões do novo Laguna, em duas carroçarias distintas, que serão comercializadas em Portugal e que incluem carros económicos e seguros, completados por sistemas de navegação e quatro serviços “inovadores e essenciais para circular de forma ainda mais inteligente: HD Traffic (informação de trânsito em tempo real), alerta radares móveis, Google Search (11 milhões de pontos de interesse documentados) e previsões meteorológicas”. Ainda no que toca a equipamento, uma referência para

Novo Laguna já está disponível nos stands

a existência de diversos sistemas de ajuda à condução, como o “limitador-regulador de velocidade, o travão de parqueamento automático, o sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro, o accionamento automático dos faróis e do limpa pára-bri-

sas, os faróis bi-xénon direccionais, o sistema de controlo da pressão dos pneus, o ASR (sistema de patinagem activo), o ESP (controlo electrónico de estabilidade), entre outros requisitos”. O novo ar condicionado automático “bi-zona”, com re-

ciclagem automática por sensor de toxicidade, complementa uma extensa lista de “atributos que conferem ao novo Laguna o estatuto de referência do segmento em conforto”.

Atletas trofenses na S. Silvestre de Santo Tirso Mais de cem equipas e 1500 atletas participaram na S. Silvestre de Santo Tirso, a 2 de Janeiro. AR Vigorosa e Ginásio da Trofa também competiram em diversos escalões. Na primeira prova de atletismo de 2011, a AR Vigorosa alcançou o 2º lugar do pódio em benjamins B femininos, com Alice Oliveira. Já em infantis femininos, Fátima Maia alcançou a 34ª posição. No mesmo escalão, mas em masculinos, a melhor clas-

sificação foi conseguida por Vítor Martins, que ficou em 9º lugar, seguido de Alexandre Sá (12º) e Tiago Sá (23º). Estes atletas alcançaram o 3º lugar por equipas. Em juniores femininos, Ana Rita Martins alcançou o 5º posto. No escalão de veteranos com mais de 45 anos, o 101º lugar foi para José Rodrigues. Abílio Marques ficou em 19º no escalão de veteranos com mais de 50 anos, enquanto Arnaldo Santos al-

cançou o 16º posto em veteranos com mais de 60 anos. O Ginásio da Trofa subiu ao 1º lugar do pódio com Elsa Maia a vencer no escalão de iniciados femininos, seguida por Ana Rodrigues, em 11º lugar. Em iniciados masculinos, João Rocha ficou com a 18ª posição, Fábio Rodrigues alcançou o 20º posto e Tiago Moreira terminou em 26º lugar. Rui Rocha terminou a corrida de infantis masculinos em 6º lugar e Paulo Neto ficou em

Elsa Maia, do Ginásio da Trofa, venceu em iniciados femininos

Alice Oliveira conseguiu o 2º lugar do pódio em benjamins femininos

10º. No mesmo escalão, mas na prova feminina, Ana Silva ficou em 5º lugar e Daniela

Ponte em 16º. No escalão de juvenis masculinos, o 12º lugar coube a João Ferreira. R.M.


16 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Trofense vence em Matosinhos O Trofense conseguiu a segunda vitória fora de casa, em Matosinhos, diante o Leixões. O triunfo permite à equipa de Porfírio Amorim começar o ano em 2º lugar, em igualdade pontual com a Oliveirense. Com algumas novidades no onze inicial, até pareceu coincidência o facto de dois jogadores, que ficaram celebrizados no Leixões, merecerem a titularidade na equipa trofense: Zé Manel e Filipe Gonçalves. No entanto, as mexidas deram resultado, não fosse o Trofense ganhar vantagem logo nos primeiros suspiros da partida. No primeiro canto, aos dois minutos, Pedro Ribeiro aproveitou um ressalto e atirou para dentro da baliza, fazendo o seu primeiro golo esta temporada. Com um jogo mais fluído, o Trofense poderia ter dilatado a vantagem pelos dois exleixonenses, mas primeiro foi o poste a negar o golo a Filipe Gonçalves e depois foi a barra a substituir o guardião Ricardo, num lance de canto directo de Zé Manel. Augusto Inácio mexeu na equipa aos 31 minutos e o Lei-

Resultados 12ª jornada Arouca 1-3 Desp. Aves Sta Clara 0-0 Fátima Feirense 2-1 Penafiel Covilhã 1-3 Oliveirense Gil Vicente 2-2 Varzim Moreirense 2-1Belenenses Freamunde 2-2 Estoril Leixões 1-2 Trofense Próxima jornada (09-01-2011) Varzim-Moreirense Penafiel-Gil Vicente Fátima-Covilhã Estoril-Feirense Desp. Aves-Sta. Clara Trofense-Arouca Freamunde-Leixões Belenenses-Oliveirense

Leixões Trofense

1 2

Local: Estádio do Mar Árbitro: Rui Costa (AF Porto) T. Augusto Inácio T. Porfírio Amorim

Ricardo Jean Sony Nuno Silva Danilo Laranjeiro Tininho 75' Cauê Seabra Feliciano 31' Fábio Espinho Félix 61' Oliveira Rui Pedro Tiago Cintra

Marco Igor Varela Pedro Ribeiro João Dias Tiago Filipe Gonçalves Nildo Serginho Licá 84' Bahin Luíz Eduardo 73' Zé Manel Moustapha 81'

Cartões amarelos: : Seabra (16'), Varela (22'), Cauê (32'), Zé Manel (34'), Jean Sony (76'), Nuno Silva (87') e Marco (90'+4') Marcadores: Pedro Ribeiro (2'), Rui Pedro (38') e Zé Manel (53') Resultado ao intervalo: 1-1

xões acabou por equilibrar o jogo. O empate acabou por surgir sete minutos volvidos, com a assinatura de outro Pedro... Rui Pedro aproveitou a defesa incompleta de Marco e fez o 1-1, naquele que também foi o tento de estreia na época 2010/2011. A segunda parte arrancou com um lance polémico. Serginho foi travado em falta na grande área, mas o árbitro Rui Silva nada assinalou. No entanto, aos 53 minutos, Zé Manel, numa excelente jogada, marcou golo à sua ex-equipa,

Classificação 1. Feirense – 21 2. Trofense – 20 3. Oliveirense – 20 4. Gil Vicente – 17 5. Arouca – 17 6. Leixões – 17 7. Santa Clara – 16 8. Estoril – 16 9. Penafiel – 16 10. Varzim – 16 11. Moreirense – 15 12. Covilhã – 14 13. Freamunde – 13 14. Belenenses – 13 15. Desp. Aves – 13 16. Fátima – 9

Os dois números 30 disputam a bola, quando já tinham marcado para ambas as equipas

mas não festejou, merecendo o aplauso da bancada leixonense. Ao contrário da primeira parte, na qual não teve muito trabalho, calhou a Marco a tarefa de segurar o triunfo dos trofenses com boas intervenções, primeiro a remate de Rui Pedro e depois a iniciativa de Tiago Cintra. Até ao final do encontro, o Leixões tentou o golo da igualdade, mas o único momento digno de registo antes do apito final de Rui Costa foi a ovação a Zé Manel, brindado com palmas dos adeptos que durante duas épocas o apoiaram.

Para Porfírio Amorim, quando o Trofense “está inteiro nas coisas”, consegue fazer excelentes prestações. “Uma exibição deste nível, com o número de oportunidades que criámos num campo como este é claro que nos deixa muito satisfeitos e constatámos que quando estamos verdadeiramente inteiros, conseguimos fazer aquilo que fizemos”, frisou. Para o Trofense o mercado parece manter-se fechado e só Ito, vencedor da Academia Betclic, será reforço para o novo ano. Com o início de 2011, Porfírio Amorim não quis deixar de enviar uma mensa-

gem “de optimismo e de responsabilidade” aos adeptos “sem promessas vãs”. “Se esperam que eu diga coisas que sinto que não posso cumprir, eu nunca direi. As coisas vão acontecendo com alguns avanços e recuos, mas tenho a certeza que já fizemos exibições este ano, que nos últimos dois anos, tirando o jogo com o Benfica, não tivemos”, asseverou. O NT/TrofaTv não obteve declarações do treinador do Leixões, já que quase 45 minutos depois de o jogo terminar, Augusto Inácio ainda não tinha chegado à sala de imprensa.

Armindo Araújo eleito personalidade do ano no WRC Armindo Araújo, o piloto tirsense que se sagrou bicampeão do Mundo de ralis na categoria de produção, foi o vencedor da votação para a personalidade do ano 2010, no site oficial do Campeonato do Mundo de Ralis, com cerca de 35 mil votos, o que equivale a 47 por cento das preferências. Em 2º lugar ficou o norteamericano Ken Block, que reuniu 28 por cento dos votos.

Fonte: saxopower.blogspot.com

Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Araújo é bicampeão do Mundo de ralis na categoria de produção

Pub


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

Desporto 17

www.onoticiasdatrofa.pt

S. Romão começou o ano GD Covelas tem novo reforço para 2011 a perder

Arquivo

Jogo no Bessa ficará marcado na memória dos romanenses

Era o último jogo da primeira volta e o primeiro jogo do novo ano, no Estádio do Bessa. Eis as razões que tornavam a 19ª jornada da série 1 da 2ª Divisão da Associação de Futebol do Porto num um jogo especial, tanto para os jogadores que queriam fazer deste desta uma partida memorável, como para a massa associativa, que rumou em

peso à casa do visitante. A equipa de José Mamede adoptou uma postura muito confiante e desde o início ofereceu resistência à equipa comandada por Mário João. O jogo tornou-se dinâmico e essencialmente desenvolvido no meio campo. À meia-hora de jogo o Boavista teve a possibilidade de inaugurar o marcador, pela decisão de uma grande penalidade. O guardião André não hesitou e defendeu-o, para grande motivação da restante equipa. A segunda parte foi o espelho do equilíbrio que se viu no primeiro tempo, contudo denotou-se sempre uma tentativa do visitado em dominar o jogo.

Resultados 19ª jornada

Classificação 2ª Divisão AFP série 1

Torrão 2-0 At. Vilar Pasteleira 1-2 Rio Tinto Guilhabreu 1-0 Sp. Cruz Ramaldense 1-0 V. Pinheiro I. Milheirós 2-2 Vila Lusitanos 1-0 Progresso Boavista B 1-0 S. Romão Cerco Porto 1-0 Á. Santas Vitrine 1-2 Pedroso

1. Cerco Porto – 44 2. Rio Tinto – 42 3. Sp. Cruz – 42 4. Guilhabreu – 40 5. Pedroso – 38 6. Vila – 33 7. Gondim Maia – 31 8. Progresso – 26 9. Inter Milheirós – 25 10. Pasteleira – 20 11. Lusitanos – 20 12. Vilar Pinheiro – 19 13. Boavista B – 19 14. Ramaldense – 18 15. Atl. Vilar – 17 16. Vitrine – 14 17. Torrão – 13 18. Águas Santas – 9 19. S. Romão – 6

Diana Azevedo

Para muitos romanenses foi um momento único, num dos estádios mais emblemáticos do país, onde a equipa de José Mamede e massa associativa se portaram à altura, dificultando a vitória do Boavista.

Próxima jornada (09-01-2011) Vitrine-Gondim Cerco Porto-Pedroso Boavista B-Águas Santas Lusitanos-S. Romão I. Milheirós-Progresso Ramaldense-Vila Guilhabreu-Vilar Pinheiro Pasteleira-Sp.Cruz Torrão-Rio Tinto

Perto do final da partida, Osvaldo surpreendeu o S. Romão com um contra-ataque rapidíssimo no flanco, centrando depois para a finalização de Dias, estabelecendo o resultado final. Em análise ao jogo, José Mamede, treinador do S. Romão, confessou “o orgulho” que sentiu na massa associativa, que literalmente “invadiu o Bessa”. “Apesar de não termos pontuado, os adeptos viram a boa actuação destes rapazes e ficaram satisfeitos com o esforço demonstrado”, referiu. “Foi um jogo numa casa emblemática, que certamente marcará o percurso de muitos atletas. Penso que foi uma boa forma de começarmos o ano, espero que esta garra se mantenha durante a segunda volta”, acrescentou o técnico. No domingo, inicia-se a segunda volta do campeonato. O S. Romão visita o reduto dos Lusitanos e o técnico espera que seja “mais positivo”. “Contudo, é difícil atingir os bons resultados. Desde maus hábitos desportivos, a condições menos vantajosas, tudo interfere na prestação da equipa e infelizmente esta é uma época difícil para sonhar muito, espero que para o ano o S. Romão consiga ter melhores alicerces para prosseguir o trabalho, algo que acredito que seja possível dado o empenho do presidente do clube”, finalizou.

Celeste Marques é o novo reforço do Grupo Desportivo de Covelas. A ex-S. Romão é o único reforço de Inverno para ajudar o clube no objectivo da manutenção. Com 24 anos, Celeste, que joga na posição de fixo, tem outras passagens pelos Jovens Unidos e Póvoa Futsal. Miguel Reis, treinador do Covelas, afirmou que a aquisição de Celeste “é uma oportunidade de reforçar o plantel com mais uma jogadora com experiência no futsal”. “A Celeste vem colmatar uma situação que estava em falta depois da lesão da Cátia. Como também tem um pontapé forte, não fomos alheios a esse

facto. Já tínhamos a Fatinha que remata muito bem, agora temos mais uma com essas características. Pensamos que será uma mais-valia para o clube”, atestou. No entanto, segundo fonte do clube covelense, o interesse partiu da atleta: “A Celeste viu no nosso grupo de trabalho algo que não viu noutros clubes e nós aproveitámos esse interesse e fizemos tudo para a ter connosco”. O Covelas terminou 2010 em 9º lugar na 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto, com 12 pontos, depois do empate a duas bolas com o Póvoa Futsal, 2º classificado. C.V.

AC Bougadense/Geração Benfica

Iniciados começam ano a vencer O Atlético Clube Bougadense/Geração Benfica venceu o Ermesinde B, por 1-0, no domingo. No início da partida, os “encarnados” marcaram a sua posição com um golo de Nuno, assistido por Torres. Os visitantes, reforçados com jogadores da equipa A, tentaram durante todo o jogo inverter o marcador, mantendo pressão a meio campo. No

entanto, não foi suficiente para ultrapassar a “muralha vermelha”, pelo que a equipa de Santiago de Bougado somou três pontos, mantendose na 3ª posição. A próxima jornada joga-se no domingo, na qual o Bougadense defronta o S. Romão, fora de portas, pelas dez horas. C.V. com Bruna da Silva

“Encarnados” festejam único golo da partida


18 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Nova edição da revista “Protecção da Criança” já saiu A quarta edição da revista científica “Protecção da Criança”, de distribuição gratuita, está a ser distribuída este mês pela Câmara Municipal e a CPCJ. A autarquia trofense e a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens da Trofa (CPCJ) estão a distribuir a quarta edição da revista “Protecção da Criança”, que “aborda a temática da protecção dos mais novos, quer sob a perspectiva social quer sob a área legal”. Esta edição inclui “artigos jurídicos, dos quais se podem destacar o estudo exploratório sobre a autonomia de vida, que engloba o desenvolvimento de competências nos jovens em acolhimento institucional, e ainda a descrição do projecto NIAVE (Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas), uma iniciativa desenvolvida pela Guarda Nacional Republicana que se alicerça na protecção de crianças maltratadas”, explicou fonte da autarquia. Na revista encontram-se

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Diana Basto canta para ajudar a dançar Depois de alcançar excelentes resultados no festival do ano passado, a escola Passos de Dança da Junta de S. Martinho de Bougado quer levar novamente as suas coreografias e o nome da Trofa a Viana do Castelo. Para isso,a cantora Diana Basto vai actuar no Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, no dia 15 de Janeiro, às 20.30 horas, num jantar-concerto, cujo objectivo é angariar fundos para que a escola possa participar no Festival de Dança de Viana do Castelo. Os bilhetes estão à venda na Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado. R.M.

Necrologia S. Martinho de Bougado José Gabriel Monteiro de Albuquerque Alves Faleceu no dia 28 de Dezembro, com 44 anos Marido de Carminda de Jesus Barros Carneiro

Revista vai já na quarta edição

também temas como os maus-tratos infantis, a escola, as drogas, o acolhimento familiar e a importância do papel das equipas multidisciplinares na intervenção com crianças em risco. O objectivo da autarquia é “promover iniciativas de apoio e defesa dos mais novos com

a finalidade de alertar a comunidade para os problemas das crianças, no seio da sociedade”. “A revista baseia-se na necessidade de contribuir para o sucesso e bem-estar de cada criança ou jovem do concelho”, acrescentou a mesma fonte. R.M.

Armindo Ferreira Maia Faleceu no dia 2 de Janeiro, com 78 anos Viúvo de Maria de Lurdes da Silva Ferreira Elvira Rodrigues Oliveira Faleceu no dia 2 de Janeiro, com 90 anos Viúva de Cândido da Silva Campos Funerais realizados por Agência Funerária Trofense, Lda. Gerência de João Silva

Calendário Manuel Rodrigues de Carvalho Faleceu no dia 29 de Dezembro, com 84 anos Viúvo de Joaquina Gomes Moreira Cabeçudos Adélia Cerejeira Guedes Faleceu no dia 30 de Dezembro, com 91 anos Viúva de António Dias Moreira Lousado Maria de Lurdes Dias da Cunha Faleceu no dia 30 de Dezembro, com 78 anos Viúva de António Reis Cunha Funerais realizados por Funerária Ribeirense, Paiva & Irmão, Lda.


O Notícias da Trofa| 6 de Janeiro de 2011

www.onoticiasdatrofa.pt

Actualidade 19

Correio do Leitor Fonte: boasnoticias.pt

Olhos nos olhos

Urbanos estabelece parceria com EDP Com o objectivo de “atenuar situações de pobreza e proporcionar um Natal e Novo Ano com mais conforto a várias instituições de beneficência”, o Grupo Urbanos associou-se, pelo segundo ano consecutivo, à Campanha de Natal da EDP – Energias de Portugal, que decorre até 14 de Janeiro. Assim, a empresa, que tem uma delegação na Trofa, vai “realizar toda a operação logística da campanha que envolve a recolha de bens em 43 locais de norte a sul do país e conta com a participação de 75 colaboradores e 68 viaturas disponibilizadas pelo grupo”.

Em 2009, a parceria entre a Urbanos e a EDP “beneficiou 300 mil portugueses e permitiu a distribuição de cerca de 11 toneladas de bens a 14 instituições, entre os quais vestuário, brinquedos e livros”. De acordo com fonte da empresa, este ano o objectivo passa por “atingir um valor mínimo de 15 toneladas”. “Através desta parceria, o Grupo Urbanos comprova o seu empenho na área de responsabilidade social e, simultaneamente, reforça o espírito solidário entre os seus colaboradores”, acrescentou. R.M.

Rede de Apoio Topográfico Municipal online A Câmara Municipal da Trofa disponibiliza na sua página da internet a Rede de Apoio Topográfico Municipal. Numa “aposta na inovação dos meios tecnológicos e informáticos”, a Câmara Municipal da Trofa disponibiliza online a Rede de Apoio Topográfico Municipal. O objectivo é “facilitar o acesso rápido às documentações e informações referentes às actividades de gestão urbanística municipal”, esclarece nota enviada pela autarquia. Assim, a partir de agora, pode aceder às Normas para a Introdução e Processo de Licenciamento de Obras Particulares, à Ficha Individual dos Pontos da Rede de Apoio Topográfico Municipal, às Coordenadas dos Pontos da Rede de Apoio Topográfico Municipal, à Visualização da Rede de

Apoio Topográfico Municipal (Google Earth), e à Rede de Apoio Topográfico Municipal (dwg e shp). Tudo em www.mun-trofa.pt, no separador Serviços Municipais – Obras Particulares, onde os interessados podem consultar e descarregar a informação pretendida. “Este projecto foi criado tendo em vista os interesses e as necessidades da população trofense e é um apoio crucial na execução de levantamentos topográficos georreferenciados, já que, a partir do dia 1 de Janeiro, de acordo com o Artigo 8º-A, no âmbito de processos de licenciamento, a entrega do levantamento topográfico e a planta de implantação passou a decorrer de acordo com os novos requisitos, todos disponibilizados no Portal da Câmara”, pode ler-se no mesmo documento. R.M.

Luís Elias nos corpos sociais da Federação do Folclore Português Luís Elias, presidente do Rancho das Lavradeiras da Trofa, vai tomar posse como presidente do conselho fiscal da Federação de Folclore Português (FFP) para o triénio 2011-2013. A tomada de posse dos novos corpos sociais decorre este domingo, no Centro Cultural do Folclore Português. Foi eleito presidente da Assembleia-geral da FFP António Lopes Pires, do Rancho Folclórico de Passos de Silgueiros (Viseu). Fernando Ferreira da Silva, de Argoncilhe (Santa Maria da Feira) é o presidente da direcção. Esta é a primeira vez que um elemento de um rancho folclórico do concelho da Trofa faz parte dos órgãos sociais da federação. C.V.

Na sociedade, nas empresas, nas associações, os líderes distinguem-se pela capacidade de falar claro, de falar simples, de falar verdade àqueles que por si são liderados. Assim também é na política. Saber onde e como estamos foi um dos factos políticos trofenses mais importantes de 2010. Compreender exactamente o montante de dívida do município e como foi sendo gasto o nosso dinheiro ao longo de onze anos constituiu um retrato difícil de aceitar de um concelho que é o quinto mais endividado do país. Mas este era um passo necessário. Nenhuma boa gestão pode existir se não forem conhecidos os caminhos por onde nos movemos. Pouco importou saber se os milhões de dívida foram consequência de descuidos ou incompetência, mas é certo que houve uma gestão desastrosa dos dinheiros públicos. Perante isto foi necessário agir. E foi aprovado na última Assembleia Municipal um orçamento que pressupõe o corte nos custos da Câmara Municipal. Cortes nas horas extraordinárias, dos custos administrativos, dos combustíveis, entre outros. Algo que vem sendo vinculado ao longo do ano. Fazer mais gastando menos. Algo que parece surpreender alguns, mas que é a nossa nova realidade. Temos e continuaremos a ter um município mais rigoroso com as suas contas e, fundamentalmente, mais transparente e mais justo. É esta transparência que nos faz acreditar no real desenvolvimento do nosso concelho. Não se escondem dificuldades e desilusões, mas não se desiste de lutar por mais e por fazer cumprir compromissos. E em 2010, foram vários os compromissos cumpridos, que contribuíram para uma maior equidade social, como o corte nas taxas de saneamento, a oferta dos livros e o reforço da acção social. Vários compromissos foram cumpridos que demonstraram a presença de um rumo estratégico para a Trofa. A decisão da localização dos Paços do Concelho constituiu uma medida corajosa e de uma grande determinação. Os avanços conseguidos para concretização da ALET são a persecução de um dos mais importantes objectivos estratégicos para o nosso concelho. O apelo à participação da juventude na vida cívica através do orçamento participativo jovem e a remodelação do departamento de desporto e juventude do município da Trofa materializam a certeza de que para os jovens existe uma política responsável e empreendedora. O projecto de requalificação do Parque Nossa Senhora das Dores é o reflexo daquilo que constitui a vontade de todos nós trofenses: evoluir, progredir, mantendo a identidade que nos levou a concelho. Afasto-me, por completo, dos discursos negativistas e catastrofistas. Daqueles, apenas alguns, que dizem tudo estar mal, só porque a cor partidária é outra. Todos sabemos como fazem circular boatos, mentiras, panfletos anónimos, só porque as agruras pessoais de uns, não lhes permitem pensar conscientemente o futuro do nosso concelho. Identifico-me com a clareza, com a capacidade de, nas assembleias municipais, na comunicação social, nos eventos públicos, no contacto directo com a população, falar da realidade, não evitar nenhum assunto, desmentindo as mentiras e explanando as políticas. Mais do que um presidente de discursos, queremos uma presidente de acção e de determinação. Foi esta a mudança que os trofenses pediram, foi a mudança que se concretizou. É esta a mudança que nos deixa em boas mãos. Os grandes desafios mantêm-se. Todos nós, trofenses, lutamos pelo progresso diariamente. Mas agora sabemos que não lutamos sozinhos. E, em 2011, só podemos estar unidos, debaixo da mesma bandeira, para que se cumpra com a obrigação de construir o Metro até à Trofa. Todos os erros do passado não podem impedir que se restitua aquilo que nos pertence. O concelho da Trofa vive hoje uma dinâmica progressista que ninguém pode fazer parar. Haverá quem se dedique à politiquice e ao eterno sentimento eleitoralista, mas a política séria só pode estar centrada na resolução dos problemas dos cidadãos. Essa é a forma de estar na política em que me revejo, é essa a política que vejo a fazer-se, e só assim faz sentido estar ao serviço do povo de um concelho. Ninguém mais do que nós, trofenses, tem a força e a determinação para ultrapassar desafios. E 2011 é o ano dos maiores desafios. E sabemos hoje, que estamos mais preparados, estamos num município com rumo, com estratégia e que defende até às últimas instâncias o interesse de todos nós Trofenses. Estamos em boas mãos. Para 2011 deseja-se determinação, força, coragem, justiça e ambição. Somos o concelho que luta nunca desistindo, somos a Trofa devolvida aos trofenses e que assim alcançará os sonhos a que se propôs. Feliz 2011. 29/12/2010 Marco Ferreira marcoferreira.trofa@gmail.com


20 Actualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

6 de Janeiro de 2011

|O Notícias da Trofa

Tradição de porta em porta Rita Maia rita@onoticiasdatrofa.pt

O Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado mantém viva, ano após ano, a tradição de cantar as janeiras de porta em porta, levando o folclore da região a todas as casas. Desde pequeno que Manuel António Maia está “habituado” a ouvir “cantar as janeiras” e “adora receber o rancho”. Por isso, mais uma vez, abriu as portas de sua casa ao Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, na noite de terça-feira, para ouvir as canções interpretadas pelo grupo. A actuação foi “maravilhosa” e este bougadense espera que a actividade “se repita sempre”: “Enquanto for vivo vou continuar a acolher o rancho. Depois outros abrirão, porque os filhos já conhecem o hábito dos pais”. “É bom manter as tradições e acho muito bem que retratem o que se fazia antigamente. Deus queira que nunca mais acabe”, declarou. É precisamente isso que o grupo tenta fazer. Ano após ano, o Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado entoa as canções do folclore português, que narram o nascimento de Jesus e levam mensagens de Boas Festas a todos os bougadenses. Arminda Rodrigues faz parte do grupo “quase desde a fundação” e acha que esta é “uma tradição muitisPUB INST.

Grupo agradece apoio dos bougadenses cantando pelas ruas

símo importante”. O “sacrifício” de sair de casa todas as noites, com frio e chuva, “ultrapassa-se com gosto”, garantiu. Maria do Carmo Silva é mais nova nestas andanças, começou no ano passado, mas “gosta muito” de participar, porque “a força de vontade é muita”. Para o ano, espera voltar a participar “toda contente”. Fernando Silva percorre as ruas de Santiago de Bougado há “quatro anos” e garante que a população “gosta de ouvir os cantares das janeiras”. Sobre o motivo de continuar a actividade ano após ano, a resposta surge simples e di-

recta: “Porque gostamos. Gostamos disto e de mostrar aquilo que os nossos antepassados cantavam”. Foi Fernando Monteiro, presidente do Rancho, que explicou ao NT/ TrofaTv, na noite chuvosa de terça-feira, este costume de cantar pelas ruas. Desde os anos 50 do século XX que, em Santiago de Bougado, era costume as pessoas da classe social mais baixa pedirem junto dos mais ricos. Eralhes dado batatas, vinho e, por vezes, carne para a ceia de Natal. Depois, os grupos organizavam-se e iam agradecer as ofertas, nos primeiros dias de Janeiro. É esta tradição que o grupo de Santiago de Bougado não quer perder “de maneira nenhuma”. Fernando Monteiro assegura que “todas as pessoas recebem o Rancho “de braços abertos”, mas também reconhece que “o sacrifício é demasiado”. “Neste momento estão cerca de 25 pessoas a cantar e o resto dos elementos estão doentes. É terrível, mas o ciclo é este e se deixarmos passar, acaba-se a tradição”, afirmou.

Este ano, a iniciativa “está a correr bem”. Esta é também uma forma de “agradecer aos bougadenses o apoio que dão ao grupo”. “Santiago de Bougado recebeu muito bem o Rancho Etnográfico e temos mesmo de agradecer”, atestou. Rancho promove encontro de Cantares de Janeiras O Grupo Folclórico de Cantares e Danças “Os Camponeses de Navais” (Póvoa de Varzim), o Rancho Folclórico de S. Salvador de Monte Córdova (Santo Tirso) e o Grupo Regional de Moreira da Maia vão juntar-se ao Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado para o 4º Encontro de Cantares de Janeiras, com o intuito de divulgar esta tradição junto do público. Promovido pela colectividade bougadense, o encontro vai decorrer no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado, no dia 9 de Janeiro, domingo, a partir das 15.30 horas.

Encontros de janeiras encerram quadra natalícia Para “promover os costumes do concelho”, a Câmara Municipal da Trofa vai organizar, no dia 16 de Janeiro, o 1º Encontro de Janeiras/ Reisadas, no Salão Polivalente dos Bombeiros Voluntários, em S. Martinho de Bougado. Com início previsto para as 15 horas, este festival vai contar com a presença de grupos que “habitualmente cantam as janeiras no concelho”. “O encontro contém uma vertente pedagógica de divulgação do trabalho e competências dos participantes e representa um grande valor cultural local e municipal”, atesta fonte da autarquia. A Câmara Municipal pretende “evidenciar e conservar a tradição das janeiras e reisadas”, proporcionando “uma tarde única e inesquecível a todos e oferecendo momentos de

alegria, convívio e de troca de experiências”. Janeiras em Guidões têm objectivo “nobre” O frio e a chuva não desencorajam o grupo de pessoas que percorre as ruas de Guidões para levar as Boas Festas a todas as casas. O esforço “é grande”, mas o objectivo “é nobre”, já que pretendem angariar fundos para construir um pequeno salão ao lado da Casa Paroquial. A Comissão de Fábrica da Igreja lançou o repto e várias dezenas de pessoas responderam com a sua presença e os seus dotes para a música. Depois de terem aproveitado os dias de festa para iniciar a visita a todas as casas da freguesia, o grupo vai continuar nos próximos fins-de-semana a levar música aos guidoenses, esperando o “contributo de todos”. R.M.


Edição 303