Issuu on Google+

12 de julho de 2012 N.º 381 ano 10 | 0,50 euros | Semanário

Diretor Hermano Martins

PUB

Desporto pág. 26

24 horas de slotcar em Santiago Atualidade pág. 8

ExpoTrofa Localização é a grande novidade Atualidade pág. 12

Câmara reuniu em Alvarelhos

Polícia pág. 4

Máquinas de brinde apreendidas


2 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Universidade Sénior encerra ano letivo

Agenda Dia 12 ExpoTrofa

Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Dia13 ExpoTrofa

Foi com duas atividades distintas que a comunidade escolar da Universidade Sénior Rotary da Trofa comemorou o fim do ano letivo. Com o intuito de festejar o fim do primeiro ano letivo, a Universidade Sénior Rotary da Trofa (USR-Trofa) promoveu duas atividades distintas. A primeira iniciativa foi uma festa de final de ano, que decorreu, no dia 6 de junho, no salão polivalente dos Bombeiros Voluntários da Trofa (BVT), onde cada professor fez-se representar com os seus alunos, que apresentaram “um número alusivo à respetiva disciplina”. Depois, foi organizado, no dia

20.30 horas: Assembleia Eleitoral do Clube Desportivo Trofense, na sede de Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado Dia 14 ExpoTrofa Comunidade educativa realizou passeio de final de ano à Pateira de Fermentelos

14 de junho, um passeio de final de ano, com destino à Pateira de Fermentelos. O programa da manhã foi constituído por um passeio no comboio a carvão, ‘O Vouguinha’, onde não faltou a música regional, tocada a bordo ao vivo,

Canil aberto para “adotar um Amigo” O Centro de Recolha Oficial da Trofa (Canil Municipal) abre as suas portas a todos os interessados em adotar um novo amigo, cão ou gato, durante o sábado, dia 14 de julho. Uma campanha promovida pela Câmara Municipal da Trofa que convida as pessoas a passarem pelas instalações do Canil para adotar um novo “amigo”. Ao longo do dia, e à medida que as adoções sejam feitas, os animais saem com a colocação gratuita do microchip, um fator importante nos animais de estimação e obrigatória desde 2008,

com o intuito de diminuir a perda ou roubo de cães e gatos. Os animais domésticos disponíveis para adoção, podem ser visualizados através do site da Câmara Municipal da Trofa, www.mun-trofa.pt, em serviço médico – veterinário. Recorde-se que o Centro de Recolha Oficial da Trofa (Canil Municipal) está localizado na Rua da Ribeira, Santiago de Bougado, sendo que todos os interessados podem contactar o responsável, através do número 916 236 740. T.S.

e por visitas ao Museu Ferroviário de Macinhata do Vouga, ao Panteão dos Lemos, Pontes da Rata e à Margem Norte da Pateira. O resto do dia foi passado na Estalagem da Pateira de Fermentelos, onde não faltou “mui-

ta diversão”. Caso esteja interessado em inscrever-se no próximo ano letivo da USR-Trofa, basta dirigirse aos BVT ou então passar pelo stand do Rotary Club da Trofa, presente na ExpoTrofa, onde pode recolher mais informações.

7º Festival Etno-Folclórico em Santiago de Bougado O adro da Capela de Nossa Senhora da Livração, em Lantemil, acolhe, uma vez mais, o sétimo Festival Etno-Folclórico, que se realiza no dia 21 de julho. Uma iniciativa a cargo do Rancho Etnográfico de Santiago de Bougado, que conta com o apoio da Fundação Inatel. O programa começa, pelas 21.30 horas, com a entrada dos grupos participantes e a entrega das respetivas lembranças.

De seguida, tem início o festival que, além do grupo da casa, conta com a atuação do Rancho Folclórico de S. Pedro de Rates, da Póvoa de Varzim, Grupo Folclórico da Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo, de Matosinhos, Grupo Regional Folclórico e Agrícola de Pevidém, de Guimarães, e o Rancho Folclórico e Etnográfico de Ponte da Barca. P.P.

Nota de Retificação Na edição número 280 d’O Notícias da Trofa, no texto intitulado “Padre Armindo Gomes celebrou aniversário”, onde se lê “Entrei em Santiago de Bougado numa quinta-feira à noite com uma camisa…”, deve ler-se “Entrei em Santiago de Bougado numa quinta-feira à noite com uma família da Agrela”. Já na notícia com o título “Habitação Vandalizada”, erradamente referimos que a casa vandalizada pertence a um familiar de Rui Silva.

Ficha Técnica Fundadora: Magda Araújo Diretor: Hermano Martins (T.E.774) Sub-diretora: Cátia Veloso (T.P. 1639) Editor: O Notícias da Trofa, Publicações Periódicas Lda. Publicidade: Maria dos Anjos Azevedo Redação: Patrícia Pereira (T.P. 1637), Cátia Veloso Setor desportivo: Diana Azevedo, Marco Monteiro (C.O. 744), Miguel Mascarenhas (C.O. 741) Colaboradores: Atanagildo Lobo, Jaime Toga, José Moreira da Silva (C.O. 864),

Tiago Vasconcelos, Valdemar Silva Fotografia: A.Costa, Miguel Trofa Pereira (C.O. 865) Composição: Magda Araújo, Cátia Veloso, Ana Assunção (T.P.E 155) Impressão: Gráfica do Diário do Minho, Lda, Assinatura anual: Continente: 20 euros; Extra europa: 59,30 euros; Europa: 42,40 euros; Assinatura em formato digital PDF: 15 euros NIB: 0007 0605 0039952000684 Avulso: 0,50 Euros

E-mail: jornal@onoticiasdatrofa.pt Sede e Redação: Rua das Aldeias de Cima, 280 r/c - 4785 - 699 Trofa Telf. e Fax: 252 414 714 Propriedade: O Notícias da Trofa Publicações Periódicas, Lda. NIF.: 506 529 002 Registo ICS: 124105 Nº Exemplares: 5000 Depósito legal: 324719/11 Detentores de 50 % do capital ou mais: Magda Araújo

Nota de redação Os artigos publicados nesta edição do jornal “O Notícias da Trofa” são da inteira responsabilidade dos seus subscritores e não veiculam obrigatoriamente a opinião da direção. O Notícias da Trofa respeita a opinião dos seus leitores e não pretende de modo algum ferir suscetibilidades. Todos os textos e anúncios publicados neste jornal estão escritos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

12 horas: Início das 24 horas de Slotcar 19 horas: Demonstração de Karaté Do Shotokai , na ExpoTrofa 20 horas: Missa pelo padre Serra, cantada pelo Orfeão Santhyago Dia 15 Encerramento da ExpoTrofa 12 horas: Encerramento das 24 horas de Slotcar 16 horas: Missa Nova de Pedro Rodrigues e José Ricardo Dias, na Igreja Nova Farmácias de Serviço Dia 12 Farmácia Sanches Dia 13 Farmácia Trofense Dia 14 Farmácia Barreto Dia 15 Farmácia Nova Dia 16 Farmácia Moreira Padrão Dia 17 Farmácia Sanches Dia 18 Farmácia Trofense Dia 19 Farmácia Barreto Telefones úteis Bombeiros Voluntários da Trofa 252 400 700 GNR da Trofa 252 499 180 Polícia Municipal da Trofa 252 428 109/10


12 de julho de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 3


4 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Apreensão máquinas de fortuna e azar

Máquinas apreendidas não estavam licenciadas

Os militares do Posto da Trofa da Guarda Nacional Republicana apreenderam na segunda-

feira, cerca das 18.30 horas, máquinas de jogo de fortuna e azar, num café situado na Rua Infante

12 de julho de 2012

Roubo por esticão D. Henrique, em S. Martinho de Bougado. A máquina foi apreendida por não estar licenciada pelo Ministério da Administração Interna e, de acordo com fonte policial, “por ser fraudulenta já que as bolas que continham os maiores prémios não estavam junto com as outras, mas sim no compartimento das moedas. No mesmo local, a GNR apreendeu ainda mais 16 maquinas ao fornecedor, que na altura chegou ao estabelecimento que estava a ser fiscalizado. Foram ainda apreendidos cerca de 900 euros em dinheiro, dois expositores e uma viatura. O processo foi entregue em tribunal para posteriormente ser aberto um inquérito.

Uma mulher de 67 anos de idade foi roubada por esticão, cerca das 12 horas de sexta-feira, dia 6 de julho, na Rua das Indústrias em Santiago de Bougado. Um indivíduo com cerca de 30 anos de idade, residente em Valadares foi o autor do roubo, mas acabou por ser detido por populares e entregue à Guarda Nacional Republicana da Trofa.

O homem furtou uma carteira avaliada em cerca de 100 euros, dois pares de óculos e 20 euros em dinheiro. O suspeito acabou por ser presente ao Ministério Público para primeiro interrogatório e, como medida de coação, terá de se apresentar duas vezes por semana no posto da autoridade da sua área de residência.

Outdoors furtados Dois outdoors da Juventude Social Democrata da Trofa terão sido furtados, durante a madrugada de sábado. As duas estruturas publicitárias foram coloca-

das na tarde de sexta-feira, junto ao Parque Nossa Senhora das Dores e junto à estação, e foram furtadas, desconhecendo-se os autores.

A JSD adiantou em comunicado que foi apresentada “ queixa crime junto das autoridades competentes”. Indivíduo empurrou vítima, que caiu na faixa de rodagem


12 de julho de 2012

A Escola e a Família em debate Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Autarquia trofense promove, no âmbito do Projeto Educativo Municipal, um ciclo de debates. O primeiro é dedicado à escola e à família, no dia 18 de julho. A Câmara Municipal da Trofa está a desenvolver, ao longo do ano de 2012, um ciclo de conferências sobre a Educação Municipal. Com o intuito de “procurar integrar a família na escola, bem como procurar definir o papel dos pais e da família junto das escolas”, a autarquia promove, na próxima quarta-feira, uma conferência dedicada ao tema “A Escola e Família – o papel dos Pais/ Família na escola atual”, que se realiza no auditório da Escola Secundária da Trofa, pelas 21 horas. Para a conferência, foram convidados Ana Maria de Tomás Almeida, do Instituto de Educação da Universidade do Minho, Albino Almeida, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais, e António Manuel Costa, da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária da Trofa. A moderação deste debate estará a cargo de Teresa Fernandes, vereadora do pelouro da Educação da Câmara Municipal. A sessão encerra com um momento de poesia interpretado por António Sousa. Ainda no decorrer do ano de 2012, a Câmara Municipal, através da divisão de Educação, vai promover novos debates, no âmbito do Projeto Educativo Municipal, abordando temas como: “O professor e os novos desafios educativos”, a “Alimentação do cérebro na aprendizagem”, durante o mês de outubro, e o “Planeamento e educação”, no mês de novembro.

Atualidade 5

www.onoticiasdatrofa.pt

Assembleia da República recomenda análise do Metro da Trofa Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Assembleia da República recomenda ao Governo que retome a análise do projeto do Metro da Trofa. Foi publicado no Diário da República, no dia 6 de julho, sexta-feira, a resolução número 88/ 2012 da Assembleia da República (AR), que recomenda ao Governo que retome o projeto de ligação do Metro do Porto entre o ISMAI/Maia e o concelho da Trofa, que fora “cancelado pelo anterior Governo do Partido Socialista”. Como se pode ler no documento, aprovado no dia 8 de junho, o Governo deve proceder à “reavaliação do projeto em questão, nomeadamente verificando as condições para potenciar os rácios de custo-benefício deste investimento”, onde ainda deve ser analisada a disponibilidade do “co-financiamento comunitário”. Este documento do PSD anula o projeto de resolução aprovado, em abril, com votos favoráveis do PCP, BE e PS e abstenções do PSD e CDS, do Partido

Documento do PSD anula projeto de resolução do PCP

Comunista Português (PCP), que recomendava o prolongamento da linha do metro até à Trofa e a sua integração na 2ª fase da rede do Metro da Área Metropolitana do Porto. Neste projeto, a ligação do Metro até à Trofa, adiado há quase uma década, recuperava a prioridade, garantindo a sua construção e dando uma resposta a uma necessidade da região e à reivindicação dos mais de oito mil populares que subscreveram a petição. Recorde-se que a Petição Metro para a Trofa, que reivindica o meio de transporte prometido aquando da desativação do

comboio, em 2002, que ligava o Porto a Guimarães e servia, essencialmente, a comunidade do Muro e Santiago de Bougado, foi entregue na AR em novembro de 2011. Os utentes dispõem de um serviço alternativo, entre o centro da Trofa e o ISMAI, que, segundo informações avançadas pela Lusa, tem os custos anuais de cerca de 170 mil euros, suportados pela Metro do Porto. Fonte da empresa avançou à Lusa que, em 2011, este serviço registou “126 mil validações”, sendo que, em média, viajam diariamente uma média 550 pessoas por dia útil.


6 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Discórdia entre executivo e oposição marca Assembleia de S. Mamede Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

O presidente da Junta, José Ferreira e Modesto Torres, da oposição, protagonizaram vários momentos de discórdia na última sessão da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado. A convocatória da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado de 28 de junho até podia dar a entender que a sessão seria pacífica e sem grande história. No entanto, à medida que a discussão se prolongava, o tom das intervenções ia aumentando até chegar ao ponto de o presidente da Assembleia, Arnaldo Sá, intervir para serenar os ânimos. Dos muitos assuntos abordados na sessão, o que fez “estalar o verniz” entre oposição e executivo da Junta de Freguesia foi a limpeza efetuada no Largo da Urbanização do Casal, tema introduzido pelo social-democrata Modesto Torres, que afirmou que “parece que não vai ser contemplado com arranjos, talvez só para o ano”. José Ferreira, presidente da Junta, explicou que o local, apesar de não estar sob a esfera do executivo mamedense, “tem sido limpo”. “As árvores que foram colocadas eram mais um incómodo do que um benefício. Mudamos caldeiras e foram colocadas novas espécies, que à partida não causarão tantos danos”, explicou. Foi a questão “o que foi feito ao dinheiro das outras árvores”, colocada por Modesto Torres, que fez levantar o tom da discus-

são, com José Ferreira a acusar o social-democrata de proferir “uma afirmação muito grave”. “O senhor devia informar-se muito bem do que está a perguntar, pois está a ser muito indelicado e quer fazer passar a imagem de que as árvores foram vendidas. Pergunte aos moradores. Peçolhe que retire o que disse, porque não admito esse tipo de afirmações, que não o enobrecem em nada e mostram a sua baixeza e o seu caráter de achincalhar as pessoas que aqui estão. Tenha vergonha e retrate-se, pois como ex-presidente fica-lhe muito mal. Se o senhor é muito informado, devia saber o que foi feito à madeira”, respondeu, exaltado. Arnaldo Sá teve que colocar ordem na sessão, sem antes Modesto Torres afirmar que “como elemento eleito da Assembleia” tem “o direito de perguntar” sobre tudo ao executivo. Outro dos assuntos que “aqueceu” a Assembleia de Freguesia também foi levantado por Modesto Torres. O elemento do PSD referiu que “foi com alguma surpresa” que verificou, na parte antiga do cemitério, “a indignidade” conferida ao ossário, que serve “de arrecadação a céu aberto, de substâncias utilizadas, mas desatualizadas”. José Ferreira contrapôs: “Tem lá uns tubos para não estarem expostos, porque não há nenhuma arrecadação digna para o efeito nem a Junta tem instalações para colocar materiais e ferramentas, tendo que se servir do espaço que tem. O material não lhe confere falta de dignidade”. O autarca respondeu ainda que “se o senhor estava tão preocu-

Modesto Torres criticou a forma como são dirigidos os trabalhos na Assembleia

pado que o ossário ficasse naquele local, primeiro devia tê-lo colocado noutro quando elaborou aquele projeto”, informando que quando o executivo tomou posse substituiu “a tampa” que estava “podre”. Mais tarde, nos assuntos de interesse para a freguesia, Modesto Torres voltou ao tema, questionando “se houve interesse” em mudar a tampa por “algum empresário que possa fazer serviços para a Junta de Freguesia”. Na resposta, José Ferreira afirmou que Modesto Torres, expresidente da Junta, “devia ser mais cuidadoso nas suposições que faz”. “A tampa foi feita pelo mesmo serralheiro que já trabalhava para a Junta no seu tempo”, acrescentou. Depois de dar “graças a Deus” por ver que “os saldos de contas” foram fechados no final do mês ao contrário do que se verificou nos meses anteriores, Modesto Torres também quis saber se a Junta de Freguesia possui

créditos do município da Trofa. O presidente do executivo mamedense explicou que “o facto de o saldo fechar a 31 de maio foi coincidência”. José Ferreira deu a conhecer, mais tarde, que a Junta não recebe verbas do protocolo de delegação de competências, celebrado com a autarquia trofense, “desde 31 de dezembro”, para explicar também a impossibilidade de efetuar um arranjo na Rua Vale do Coronado que sofreu abatimento do solo, em resposta a um pedido de esclarecimento de Modesto Torres. “Embora o protocolo de delegação de competências nos atribua essa competência, este é limitado e as verbas também”, sublinhou o autarca mamedense. O elemento da oposição também levou o assunto das novas pontes sobre a autoestrada, na “Rua Vilar de Lila” e na “Rua do Gondão”, criticando o facto de não haver “nenhum tipo de sensibilidade, quer a nível local, concelhio e nacional, para com uma situação tão evidente que é passagem de pessoas deficientes”. Para além de aconselhar Modesto Torres a pedir esclarecimentos à autarquia, justificando que o projeto está fora do âmbito da Junta de Freguesia, José Ferreira afirmou ainda: “O projeto esteve em discussão pública em 2008 e se realmente o senhor fosse uma pessoa interessada no pormenor teve aí uma oportunidade”. O elemento do PSD questionou o executivo se defende que, assim como a ExpoTrofa, “todas as atividades passem para a no-

va centralidade, que é a estação da CP” e se Júnior Jackson, que vai atuar no certame no dia de S. Mamede, 13 de julho, foi “uma aquisição da Junta ou da Câmara”. Em resposta, José Ferreira afirmou que nunca disse que defendia a realização da ExpoTrofa na nova localização e que o músico “é de S. Mamede do Coronado” e “foi uma escolha da Junta”. Críticas ao presidente da Assembleia Modesto Torres também criticou a forma como os trabalhos foram iniciados sem que Arnaldo Sá tivesse prestado “esclarecimento” relativamente “à falta de documentação”, referindo-se à ata da sessão anterior. O presidente da Assembleia explicou que o documento “será posto a aprovação na próxima reunião”. O social-democrata condenou ainda o facto de a Assembleia de Freguesia não ter feito chegar, por escrito, à Assembleia Municipal o parecer dos elementos mamedenses acerca da reforma administrativa, tomado em sessão extraordinária realizada em janeiro. E mais: “O senhor presidente (da Assembleia) disse que a ata dessa mesma assembleia não estava completa e que a devido tempo a traria com a respetiva adenda. Vamos em junho e a ata continua incompleta, pois faltam documentos. Desde janeiro que ainda ninguém encontrou os documentos? Isto demonstra um completo desleixo”, asseverou.


12 de julho de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 7


8 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

ExpoTrofa/Feira dos Povos 2012

Nova localização é uma das novidades entrada da tenda convidam a visitar os diferentes espaços reservados para os expositores que dão a conhecer várias culturas do mundo. Este ano, os presidentes das juntas de Santiago de Bougado, Alvarelhos e Covelas não aceitaram o convite da Câmara Municipal de assegurarem a animação de um dia durante o certame. Joana Lima espera que o sucesso da ExpoTrofa faça com que os autarcas “reconsiderem”. “As freguesias, cujos presidentes de Junta não quiseram estar representados, ficam a perder, porque não as divulgam. Eu acho que as pessoas quando estão à frente das instituições têm que dar o máximo pelos lugares que ocupam, como eu o faço, pois estou aqui a defender todas as juntas de freguesia da mesma forma. Deixemos as politiquices de lado, porque o que está em causa são as oito freguesias, foi por isso que se fez a ExpoTrofa. Espero que para o ano estejam cá, pois tenho a certeza que vão ver que foi uma aposta ganha e que as pessoas dessas freguesias é que ficaram a perder”, asseverou.

Cátia Veloso Patrícia Pereira

ExpoTrofa foi inaugurada e tem como principal novidade a localização. Apesar de muitas críticas, a zona envolvente à estação encheu-se de público, no sábado, para ver a animação preparada pela freguesia de S. Martinho de Bougado. Foi ao som da Fanfarra do Agrupamento de escuteiros de S. Martinho de Bougado que a ExpoTrofa abriu as portas ao público, no sábado, 7 de julho. A edição 2012 deste certame, cujo principal objetivo pretende ser uma montra do tecido empresarial, movimento associativo e artesanato do concelho, tem como grande novidade a localização na zona envolvente à estação da CP, em S. Martinho de Bougado. O executivo da Câmara Municipal e os elementos da comissão de festas de Nossa Senhora das Dores fizeram as honras de abertura do evento e, na visita da praxe aos vários stands, receberam “felicitações” pelo espaço escolhido. Joana Lima, presidente da autarquia, repetiu que esta localização “foi a alternativa” encontrada pelo executivo “no momento de decidir”, uma vez que “era muito provável que nesta altura o Parque Nossa Senhora das Dores estivesse em obras”. “Todos nos deram os parabéns pelo novo local, pela sua amplitude, dignidade, limpeza e até pelo piso, pois o do Parque era muito irregular. As senhoras tinham muita dificuldade em caminhar e era quase impossível para as pessoas com

S. Martinho animou primeira noite Executivo da Câmara e elementos da Comissão de Festas visitaram osstands

mobilidade reduzida. Acho que este espaço vai de encontro às necessidades de um evento como este”, afirmou. A nova localização também parece ter agradado a quem está incumbido de preparar as tasquinhas. Ana Tato, coordenadora da Unidade de Saúde Pública de Santo Tirso/Trofa, explicou que “em termos de espaço, até para a montagem das tasquinhas, este é muito melhor”. “É muito

mais amplo, as tasquinhas até têm mais espaço do que nunca, e é mais seguro. É evidente que aquela zona da Trofa (Parque) é fantástica, mas aqui temos outro tipo de condições”, acrescentou. Pelo facto de as tasquinhas serem exploradas pelas associações, as pessoas que estão nas cozinhas tiveram uma pequena formação com a chancela da Unidade de Saúde Pública de Santo Tirso/ Trofa. O objetivo é ter as condições de higiene ideais para oferecer aos visitantes da ExpoTrofa a melhor gastronomia regional. Este é um dos trunfos deste evento que faz dele um ex-libris do concelho do ponto de vista turístico. Joana Garrido, da Entidade Regional do Turismo do Porto e Norte de Portugal, afirmou que a Trofa “está de parabéns” por promover um certame que “tem uma enorme importância na divulgação de toda a mais-valia que um concelho pode ter” e que “é transversal” a “diversas áreas” como “as associações e o tecido empresarial”. Para além do objetivo central, a ExpoTrofa adotou uma nova designação com a Feira dos Povos. As “letras garrafais” à

O primeiro dia do certame foi dedicado a S. Martinho de Bougado, que preparou um programa cultural diversificado, que começou com a atuação da escola de dança da Junta de Freguesia e estendeu-se com a passagem de modelos de várias empresas da Trofa, como Zita Maio for Men, Noivíssima, Pé Descalço e Vitral. A noite terminou com uma demonstração de danças de salão, com música ao vivo da Orquestra Ritmos Ligeiros. O presidente da Junta de Freguesia, José Sá, explicou que foram agendadas “várias atividades” para que “este primeiro dia de Expotrofa 2012 não saísse defraudado”. “Delineamos um programa muito interessante, porque as pessoas já estão habituadas a uma animação de relevo. A passagem de modelos atrai o público, porque para além da beleza das roupas, tem a beleza das modelos”, explicou. Até ao dia 15 de julho, a ExpoTrofa promete animar a zona envolvente da estação da CP e se a afluência do primeiro dia se repetir nos restantes, o balanço final do evento em nada ficará a dever às edições anteriores.


Atualidade 9

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Feira dos Povos divulga culturas A Feira dos Povos é uma das novidades da edição 2012 da ExpoTrofa. Por essa razão, a TrofaTv e o NT foram descobrir as culturas que pode encontrar neste espaço. Quem entra na tenda destinada à Feira dos Povos, é como se transportasse para uma dimensão multicultural, onde se pode conhecer os usos e costumes dos vários países representados por associações instaladas no país. Num dos extremos, podemos encontrar a cultura dos países de leste, através da Associação dos Imigrantes do Leste do concelho do Porto. Alina Dudcó, presidente da associação, contou que no expositor tem várias representações em termos de gastronomia, artesanato e vestuário, que, mesmo sendo em poucas variedades, por ser “difícil trazer a grande maioria”, demonstra bem a cultura dos 12 países que re-

presenta. Ao longo da mesa é possível visualizar-se várias bolachas, conservas, artigos de decoração e livros. Avodka, o traje típico e as matrioskas, bonecas típicas russas, também não podiam faltar. “As pessoas, maioritariamente, já conhecem a tradição dos países de leste e reconhecem de imediato as bonecas típicas da Rússia, que são constituídas por várias bonecas e em diferentes tamanhos, que depois se encaixam dentro uma das outras”, afirmou, alertando as pessoas que as matrioskas tradicionais são “sempre confecionadas em número ímpar”. E do leste rapidamente se passa para Marrocos, onde estão expostos vários artigos, desde bijuteria, cachimbos, produtos de cosmética, cremes e óleos, os tradicionais copos de chá, quadros representativos do país e artigos de cozinha. Além dis-

so, tem uma representação de uma sala típica marroquina, decorada com puffs, mesa e tapete, onde as pessoas se podem deliciar com um chá de menta. A gastronomia não foi esquecida e, por essa razão, tem à disposição dos visitantes o tradicional pão marroquino e biscoitos de tâmara. A completar existe uma banca, onde uma jovem faz tatuagens henna, que duram três semanas, e traduz nomes para marroquino. Para Ali Mezhour, representante da Associação Essalam, destinada aos imigrantes marroquinos, esta é uma dinâmica “muito interessante”, onde as “pessoas se podem integrar e conhecer as tradições e costumes” de vários países. O representante contou que o evento está a “correr bem” e que tem recebido um bom feedback por parte das pessoas, que o tem questionado acerca da funcionalidade dos artigos e ainda provado o chá de menta e o pão marroquino. De Marrocos “viaje” para outros pontos de África, como Mali e Cabo Verde, através de peças de artesanato importado e “artesanato fabricado pelos sócios”, da qual só “fazem parte peças únicas”. Compotas de papaia e manga, frascos de piri piri e, curiosamente, especialidades brasileiras, desde docinho de leite, biscoitos, pães a bolinhos de coco, são algumas das iguarias

O consulado da Região Norte de S. Tomé e Principe está representado

presentes na exposição da Associação Luso Africana Ponto No Is, fundada em 1996, no bairro S. João de Deus, no Porto, por cabo verdianos e outros africanos. Maria Cláudia Henriques, presidente da associação, conta que a mesma tem tentado, nos últimos anos, criar “os seus próprios meios de subsistência”. Por essa razão, tem à disposição dos associados, aulas de música e de português, para estrangeiros, e acompanhamento escolar, sem esquecer o “muitíssimo apoio social” que faz, pois, quando o desemprego bate à porta, é muito complicado para um imigrante, que tem “uma guerra cerrada com o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras)”, para conseguir renovar a autorização de residência. “Em Cabo Verde”, Martim

Ramos, presidente da Associação Cabo Verdiana do Norte, faz uma visita guiada pelo país, onde através de fotografias, peças artesanais, gastronomia e vestuário, ficamos a conhecer mais uma cultura. No expositor, não podia faltar o “famoso pano de terra” e o vinho do fogo e, claro, o grogue, bebida típica cabo verdiana a base de rum. O presidente asseverou que “Portugal já é um país multicultural”, sendo que, prova disso é a sua presença na Feira dos Povos, onde estão “a representar a cultura e a passar a mensagem”, que está a ser “bem aceite” pelos visitantes, dando desde já os parabéns à organização. Por isso já sabe, até domingo, dia 15, passe pela ExpoTrofa e não perca esta oportunidade única de visitar, num só local, vários países e várias culturas. P.P.

Estudo sobre imigração apresentado na Expo “Diagnóstico da população imigrante da Trofa – desafios e potencialidades para o desenvolvimento local” é o nome do estudo desenvolvido pela Câmara Municipal, através da divisão de Ação Social, com o intuito de conhecer a realidade dos imigrantes do concelho da Trofa. O estudo, onde é caracterizada a população imigrante e identificados os seus problemas e contributos, para a dinâmica de desenvolvimento do município vai ser apresentado no domingo, pelas 15.30 horas, no recinto da ExpoTrofa/Feira dos Povos. O documento surgiu no âmbito do Protocolo de Cooperação estabelecido entre a Câmara Municipal da Trofa e o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I. P (ACIDI, I.P), no âmbito do Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros (FEINPT). A apresentação contará com a presença do executivo da autarquia trofense, elementos do ACIDI, I.P, enquanto promotores do estudo, e os membros da equipa de investigação e coordenação do estudo, de forma a ser possível explanarem os objetivos e conclusões deste estudo. P.P.


10 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Vox Pop

“Todos os anos visito a ExpoTrofa”

Organização passeou pelo recinto na abertura

Muito público nos primeiros dias de certame

“Eu estou a chegar, mas para já estou a gostar de tudo o que estou a ver. Todos os anos visito a ExpoTrofa. Este novo espaço está bom e é bonito. Já vim cá almoçar e espero voltar durante a semana” Inês Ferreira

“Este espaço é melhor que o outro” “Eu acho que este espaço é melhor que o outro, que só tem de bom o facto de ser mais fresco. De contrário, aqui está melhor”. Abílio Santos

Tasquinhas oferecem gastronomia tradicional

Feira dos Povos é uma das novidades da ExpoTrofa

“O Parque está triste” “Está bem organizado, mas a Senhora das Dores é a Senhora das Dores. A gente passa lá e ela está morta. Ainda ontem à noite lá passei e achei uma tristeza naquele Parque, que era tão lindo e agora está triste”. Ambrosina Torres

Espetáculos chamam o público

Jardim embeleza o recinto

“É pena fugir um pouco do centro” “Eu acho que está bem, esperava que isto fosse pior do que acho agora. As condições são boas, é pena fugir um pouco do centro para aqui. Eu preferia o outro local, porque tinha mais arvoredo e sombra. Estou a gostar, está bem organizado”. Teotónio Vilas Boas

“É a primeira vez que visito a ExpoTrofa” “Eu achei a ExpoTrofa uma iniciativa muito boa, é a primeira vez que aqui estou e gostei muito. Nunca tinha visitado o certame nas outras edições”. Laura Martins

“É mais fácil circular” “Está bom, o espaço está diferente, está mais fácil para circular. No Parque temos o jardim como elemento diferenciador, aqui é mais arejado e os stands estão muito bem colocados”. Anabela Mendonça


Atualidade 11

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Alvadance e fado de Susana Rodrigues animam ExpoTrofa O grupo de dança Alvadance foi a sensação na noite de segunda-feira, na ExpoTrofa. Centenas de pessoas encheram o recinto à volta do palco para ver os bailarinos a apresentar as coreografias de um espetáculo de som e luz, que durou cerca de uma hora. Depois, já a noite se tinha instalado definitivamente, foi a vez de Susana Rodrigues subir ao palco para cantar o fado. Mesmo com um “friozinho”, o recinto do certame esteve sempre cheio de curiosos que vinham para passear, jantar nas tasqui-

nhas ou até incluíram aquele local no trajeto das habituais caminhadas. Os jovens aproveitam o evento para se juntarem e conviverem, enquanto comem um gelado. Famílias inteiras com carrinhos de bebés passeavam pelo espaço e apreciavam o jardim artificial numa das entradas. Se uns aproveitam in loco a festa, outros, nos comboios que ligam o Porto a Braga e Guimarães, espreitam curiosos para a montra do tecido empresarial, movimento associativo e artesanato do concelho da Trofa. C.V.

Alvadance atuou durante cerca de uma hora

Danças folclóricas e urbanas animam 4º dia O quarto dia da ExpoTrofa foi dedicado à freguesia de S. Romão do Coronado, onde foi notada a ausência dos autarcas da Junta de Freguesia, que organizaram uma noite dedicada às danças folclóricas e urbanas. A animação teve início com o

Rancho Folclórico de S. Romão do Coronado, que animou a noite com os seus usos e costumes. Também o Grupo Lol Dance marcou presença, onde os mais jovens dançaram ao som das músicas mais conhecidas do público jovem. P.P.

Animação de rua marcou segundo dia de certame Foi ao som da música tradicional portuguesa, que as atuações do segundo dia da ExpoTrofa iniciaram-se, com a atuação do Grupo de Danças Folclóricas da APPACDM da Trofa e das Vozes do Centro Comunitário da Trofa. O grupo de percussão Crassh surpreendeu os visitantes com a sua performance, pois construía, através de botas, baldes, capacetes, lava loiças e campainhas, um espetáculo ca-

tivante e cheio de ritmos e sons. Durante a tarde, o grupo promoveu várias animações de rua, culminando o seu espetácu-lo com uma atuação em palco, que serviu para encerrar a animação do segundo o dia. Já ao final da tarde, alunos e professores do Aquaplace apresentaram uma demonstração das várias modalidades que a academia tem à disposição, tais como danças, jump e karaté. P.P.

ADAPTA recolhe tampas e rolhas A ADAPTA - Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa promove, durante a ExpoTrofa, uma recolha de “tampinhas de plástico e rolhas de cortiça”, que serão oferecidas a uma instituição trofense, que faz recolha de resíduos para reciclagem. Com esta ação a instituição conseguirá “angariar fundos para a sua

subsistência”. Pedro Daniel Costa, presidente da ADAPTA, deixou um apelo à comunidade: “Todas as pessoas interessadas, e que tenham essas rolhas de cortiça bem como as tampas de plástico, podem deixar aqui no nosso stand, que nos encaminhamos para essa instituição”. P.P.

Grupo LOL Dance interpretou vários temas conhecidos

Porquinho solidário para ajudar Danças e Cantares Porquinho Solidário é o nome da iniciativa promovida pelo Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado, com o intuito de angariar fundos. Para Manuela Moreira, presidente do grupo, este é um “acontecimento importante”, porque, devido à situação económica, é preciso “mesmo trabalhar”. Desta forma, a sede do grupo, situada na Rua Parque Desportivo número 78, junto ao campo do Atlético Clube Bougadense, acolhe esta atividade, que vai decorrer no sábado, dia 21 de julho, a partir

das 20 horas. A iniciativa é aberta a toda a comunidade, estando desde já convidado a “desfrutar do maravilhoso porco no espeto”, com diversos acompanhamentos, bebidas, sobremesa e café, onde a animação não vai faltar, com um “espetáculo de karaoke”. O grupo terá ainda à disposição dois menus, com o preço de cinco e sete euros e meio, onde o café e a sobremesa não estão incluídos. Para marcações e reservas pode contactar a organização, através dos números 919 394 208 e 915 029 373. P.P.


12 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Câmara reuniu em Alvarelhos Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Castro e Centro de Dia foram os temas que se destacaram na reunião da Câmara Municipal da Trofa, em Alvarelhos. Nove meses depois da última reunião descentralizada, realizada no dia 29 de outubro de 2011 no Muro, o executivo camarário e vereadores do Partido Socialdemocrata (PSD) trocaram o edifício da autarquia pela sede da Junta de Freguesia, onde os alvarelhenses puderam assistir à tomada de decisões de interesse para o concelho e, ainda, questionar o executivo. A reunião ordinária pública começou pela assinatura do protocolo de delegação de competências entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal, para a execução de trabalhos de recuperação dos danos provocados aquando as intempéries de outubro de 2011. Aproveitando o facto de estar na freguesia onde o Castro se encontra, António Pontes, vereador do PSD, questionou, no período antes da ordem do dia, se a Câmara Municipal “tem algum objetivo um bocadinho mais concreto e conciso”, no sentido de dotar o Castro de Alvarelhos com “mais condições”, para que possa ser “usado como um espaço de visita, que tenhamos no concelho para promoção de carácter turístico-cultural”. Em resposta, Joana Lima, presidente da autarquia trofense, aproveitou para informar que no stand que tem na ExpoTrofa, vai estar um painel referente a esse local, demonstrando “a importância” que dão “ao património que temos”. Também Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura, explanou que houve “investimento este ano” com a inauguração do percurso interpretativo, que se realizou em abril deste ano. O que está previsto, neste momento, é a continuação da limpeza e preservação do Castro de Alvarelhos. “Da exploração do espaço não está previsto e, se calhar, é preferível estar assim do que pôr a descoberto algumas situações. É um espaço que não está esquecido e que está a ser vigiado”, completou. António Pontes ainda perguntou se não é possível fazer “algum aproveitamento do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), para conseguir no

espaço envolvente criar condições para que aquilo assuma um outro tipo de protagonismo”. O vereador da cultura asseverou que os “técnicos estão atentos e sabem que têm que aproveitar tudo o que houver de candidaturas”. A presidente da autarquia acrescentou que “não há nenhuma candidatura”, relembrando que o “Governo chamou as candidaturas todas, fez a reformulação e afetou todos os disponíveis, para lançar a criação de emprego”. O vereador do PSD questionou ainda se não seria possível através do “potencial via turística”, afirmando ter conhecimento de uma “linha específica para fazer o aproveitamento do património para fins turísticos”. Joana Lima reafirmou que não tem conhecimento de nenhum, pedindo a António Pontes que “se tiver conhecimento de algum programa” que alerte, para tomar as “devidas providências”. Também Joaquim Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Alvarelhos, interveio, relembrando que: “A zona territorial de que é conhecida a civilização mais antiga é Alvarelhos, que remonta aos tempos castrenses, só depois é que vieram os romanos”. Além disso a freguesia tem a “Igreja mais antiga do concelho”, datada do século XII. Por essa razão, pensa que, em termos turísticos, isto poderia “ser uma janela”, para a divulgação e também “uma fonte de receita não só da visita em si, mas também de toda a envolvência”, pois os visitantes “vêm para comprar e alojar-se”. O que poderá levar a uma dinamização, em termos turísticos, não só da freguesia, como também do concelho da Trofa. Em jeito de remate, José Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal, falou da importância de “estabelecer um roteiro turístico”, que incluísse o Castro e o Miradouro da Santa Eufémia. Já no período de intervenção do público, Adelino Maia e Sérgio Quelhas questionaram a autarquia sobre a situação do Centro de Dia de Alvarelhos, que é “importante” e “faz muita falta” na freguesia. Joana Lima aproveitou para esclarecer que a obra não é da responsabilidade nem da Câmara, nem da Junta, mas sim da responsabilidade de uma instituição privada. Sendo esta uma mais-valia para a freguesia, José Magalhães Moreira informou que a Câmara Municipal tudo fez para desbloquear esta

Reunião começou com aprovação do protocolo de delegação de competências com a Junta de Alvarelhos

situação, acrescentando que, como não estavam em condições para fazer o pagamento do donativo mensal que estava previsto “num total de 600 mil euros”, foi assinado, em 2010, um empréstimo no valor de “um milhão e 375 mil euros”, em parceria com o banco Millennium BCP, tendo ficado acordado que a instituição Mundos de Vida avançaria com a obra. Já no período da ordem do dia, foi ainda aprovado, com abstenção dos três vereadores do PSD, a 10ª alteração ao Orçamento da Despesa, a 6ª alteração ao Plano Plurianual de Investimentos e a 9ª alteração ao Plano de Atividades Municipais. Também foi aprovada por unanimidade a adenda ao ContratoPrograma celebrado entre a Direção Regional de Educação do Norte e o Município da Trofa, no âmbito do Programa de Generalização de Fornecimento de refeições escolares aos alunos do 1ºciclo do ensino básico para o ano letivo 2010/11. Processo dos mega-agrupamentos causa descontentamento A presidente da Câmara Municipal falou sobre a formação de dois mega-agrupamentos no concelho da Trofa, o Agrupamento da Trofa e o Agrupamento de Escolas Coronado e Covelas, onde explicou todo o processo. Depois de uma reunião com todos os diretores, onde pediu para colaborarem com a DRENDireção Regional de Educação do Norte, a presidente da Câmara e a vereadora da educação reuniram-se com o diretor regional de educação e com a sua

adjunta, onde pediram o ensino secundário para S. Romão e para Alvarelhos e, mesmo sendo uma competência da DREN, sugeriram dois nomes para a direção dos agrupamentos formados, onde os responsáveis ficaram de “ter uma conversa” com a presidente e a vereadora antes de os nomear. A verdade é que, até sexta-feira, a única “informação oficial” que a autarquia recebeu foi um email do diretor regional com o nome dos agrupamentos. Um processo, na sua opi-

nião, “distorcido”, pois, além de não incluir Castro na designação do mega-agrupamento, não tem ninguém do Castro na CAP (Comissão Administrativa Provisória)”, notando-se “uma divisão em termos de direção”. Mas o que causa maior descontentamento é o facto do Agrupamento de Castro não estar designado no nome do mega agrupamento, estando já a tratar de um email, na esperança que, pelo menos, corrijam a designação.

Aterro da Gabriela de novo em cima da mesa A pedido do presidente da Junta de Freguesia de Covelas, Fernando Moreira, Jaime Moreira (PSD) questionou como se encontrava o processo. Joana Lima respondeu que o presidente da Junta de Freguesia tem todas as respostas relativamente a este assunto, uma vez que tomou todas as diligências. Teresa Fernandes, vereadora, informou que recebeu uma carta da Direção Regional da Agricultura do Norte, depois da visita da Comissão da Reserva Agrícola ao aterro, onde se podia ler que o este “cumpre todas as circunstâncias legais e que está de acordo com a autorização prevista na altura”. António Pontes quis saber se a Câmara Municipal já tinha efetuado uma “ação de fiscalização, no sentido de saber se, efetivamente, cumpre a área que estava inicialmente prevista”. A vereadora afirmou que os serviços “já têm a informação para fazer o levantamento topográfico”, que ainda demorará alguns dias a estar completo. No entanto alertou para o facto de “a competência de fiscalização do aterro ser da Direção Regional de Agricultura mas que mesmo assim a autarquia vai estar atenta.”

Câmara prepara ação por causa de panfletos anónimos Joana Lima aproveitou a reunião para informar que a Câmara Municipal vai “entrar com uma ação” contra os autores e distribuidores de um “panfleto anónimo contra o executivo”. A queixa só ainda não avançou, porque foi aconselhada a juntar “todas as eventuais provas e indícios”, que diariamente chegam.


Atualidade 13

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Escuteiros de Santiago estão de parabéns Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

O Agrupamento de Escuteiros 447 de Santiago de Bougado comemora na sexta-feira, dia 13 de julho, 37 anos de vida escutista. Da “vontade de criar um agrupamento em Santiago de Bougado”, o “falecido chefe Carlos Campos e outras pessoas”, resolveram, num convívio, formar um grupo escutista. A vontade passou a realidade, no dia 13 de julho de 1975, com a fundação do Agrupamento 447 de Santiago de Bougado. A partir daí tem “vindo a crescer”, contando, nos últimos anos, com cerca de cem elementos. “O efetivo tem-se mantido nos últimos anos. Uns vão saindo quando terminam a sua caminhada escutista, com 22 e 23 anos, e vão entrando outros novos”, avançou Luís Neves, chefe do Agrupamento. No próximo fim de semana, o grupo escutista comemora 37

Agrupamento de Escuteiros 447 de Santiago de Bougado comemora 37 anos de vida escutista

anos, com o habitual acampamento, com os elementos do agrupamento e antigos escuteiros, contando com o apoio e participação da Fraternidade Nuno Álvares. O lugar da Talha, entre Maganha e Cidai, em Santiago de Bougado foi o local escolhido para esta iniciativa. A abertura do acampamento decorre no sábado, pelas 14.30 horas, seguindo-se o Conselho de Guias. Uma hora depois, começam as atividades, que esta-

rão relacionadas com a temática da sustentabilidade, aproveitando sempre estes eventos, para “dar alguma formação aos miúdos”. Depois do jantar, realizase o “Arrear da bandeira” e o Fogo do Conselho. Já no domingo, depois do hastear das bandeiras, os escuteiros seguem para a Capela Nossa Senhora do Desterro, onde haverá, pelas 9 horas, uma eucaristia. Depois das atividades matinais, segue-se o almoço

convívio, com todos os escuteiros e respetivos familiares e amigos, e uma festa de campo. 24 horas em comunidade Vinte e quatro horas em comunidade é o nome da iniciativa que vai ser promovida pelo agrupamento, no dia 28 de julho, sábado, com o apoio da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado. Desta forma, o Souto da Lagoa, em Santiago de Bougado,

vai acolher várias atividades, desde palestras, exposições, pedi paper, torneios, música ao vivo e jantar convívio. A primeira atividade tem início às 15 horas, com uma Exposição de artes do concelho. Também à mesma hora, até às 16 horas, decorre um Pedi Paper, concurso de fotografia, em que é necessário levar uma máquina fotográfica por equipa. Uma hora mais tarde, realizam-se torneios de malha e sueca. Depois de um jantar convívio, pelas 20 horas, onde não vão faltar as fêveras, as barriguinhas e o caldo verde, as atividades retomam, uma hora depois, com uma palestra sobre a história do concelho. A iniciativa termina com a atuação de A Rapaziada e Lírio Roxo e com a entrega de prémios aos três primeiros classificados. Para mais informações ou inscrições pode contactar Rui Ferreira, através do número 916 604 277, ou de Ricardo Gil, com o email ricardogil@ua.pt. A inscrição tem um custo de 2.50 euros por pessoa e por atividade.

Multinacional alemã abre delegação na Trofa A multinacional alemã Schnellecke abriu um escritório na Trofa para estar mais próxima dos clientes da região Norte. A Trofa foi a cidade escolhida pela Schnellecke Portugal para abrir a delegação norte no País. O gabinete técnico, que visa aproximar geograficamente a empresa do tecido industrial da região, foi inaugurado oficialmente por alguns representantes do grupo alemão. A operar há dez anos em Portugal, a Schnellecke viu a intenção de criar uma delegação no Norte consertada com a recente parceria com a empresa Conti-

nental. “Foi um compromisso que assumimos com o nosso principal cliente na Região Norte, para estarmos mais próximos e podermos dar mais respostas. Para além disso, entendemos que a Trofa, pela localização geográfica, corresponde àquilo que gostaríamos de ter neste raio de ação, pois a partir daqui podemos contactar com a região”, explicou Fernando Oliva, diretor-geral da Schnellecke, acrescentando: “A delegação norte permite-nos dar uma resposta muito mais rápida aos clientes. Podemos estudar, propor e desenvolver um projeto logístico complexo diretamente no nosso gabinete técni-

co na Trofa ou nas instalações do cliente. Acreditamos que estamos no caminho certo para aumentar o valor acrescentado dos nossos clientes na região”. A já “estreita” ligação entre o grupo alemão e a Continental obrigou à aquisição de um armazém de “dez mil metros quadrados” em Esmeriz, Vila Nova de Famalicão, numa “operação” que demorou “menos de uma semana”. A chegada de uma nova empresa no concelho é vista com bons olhos, pela dinâmica que

pode trazer ao setor industrial como pela criação de emprego. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal, afirmou que “é muito importante ter uma empresa com esta dimensão, pois demonstra que a Trofa é um sítio estratégico do ponto de vista logístico”. O escritório da Schnellecke tem “três pessoas em permanência”, o responsável da delegação, o engenheiro de processo e a assistente administrativa. “Até 30 de junho, foram criados 63 postos de trabalho e mesmo

Schnellecke escolheu a Trofa para instalar delegação Norte

com a retração económica a previsão é de ter mais dez por cento que o ano passado”, afirmou Fernando Oliva. A Schnellecke, operadora logística de serviços integrados da indústria automóvel, que conta com 700 colaboradores, prevê criar 300 postos de trabalho em Portugal até 2014. O grupo conta com 45 empresas distribuídas pelo mundo e mais de 14 colaboradores. Com uma faturação de 632 milhões de euros, pretende tornar-se líder mundial na área de atuação.


14 Publicidade Institucional

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012


Atualidade 15

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Fada dos Dentes está na Casa da Cultura Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Alunos do 1º ano da Escola Básica do Paranho entregaram, na terça-feira, dia 10, o livro da Fada dos Dentes na Casa da Cultura, onde ficará exposto. A magia da Fada dos Dentes inspirou o projeto Histórias de Encantar, desenvolvido, ao longo do ano, pela professora, encarregados de educação e alunos do 1º ano da turma 30 da Escola Básica do Paranho. O trabalho, inserido na disciplina Área de Projeto, tinha o objetivo de “desenvolver várias competências pedagógicas nos alunos”, como, por exemplo, para a leitura e escrita criativa. No final, o projeto resultou num livro de um 1.30 metros, onde consta

23 histórias realizadas pelos alunos e encarregados de educação, numa peça de teatro e numa música. Como o projeto foi vivido de uma forma “tão intensa pelas crianças”, a professora Leonídia Sousa, não quer que o projeto encerre por aqui. Por essa razão, entregou, conjuntamente com alguns pais e alunos da turma, o livro na Casa da Cultura da Trofa, para que seja possível “partilhar ideias”, deixando uma mensagem aos presentes: “A contracapa do livro está em branco, para que os visitantes possam participar, deixando uma dedicatória ou uma reflexão daquilo que viram”. Para receber esta oferta, bem como para agradecer a lembrança e a sensibilidade dos pequenos criadores, Joana Lima, presidente de Câmara Municipal da

Joana Lima felicitou a comunidade escolar pelo “magnífico trabalho”

Trofa, Teresa Fernandes, vereadora do pelouro da Educação, e Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura, marcaram presença na Casa da Cultura, aproveitando o momento para elogiar o trabalho efetuado por toda a comunidade escolar, em particular os alunos envolvidos. Em declarações ao NT, a presidente felicitou, uma vez mais,

a “comunidade escolar da EB1 do Paranho, pelo magnífico trabalho”, desenvolvido ao longo do ano. Um trabalho não só pedagógico, mas também “de hábitos de saúde e de higiene”. “É a primeira vez que vejo um trabalho daquela natureza. A Fada dos Dentes acaba por trazer a este projeto uma criação muito importante. Primeiro para a

imaginação das crianças e segundo na higiene oral das próprias. Está ali um trabalho magnifico”, reafirmou, frisando que, com estes trabalhos, “as crianças estão aptas para encarar a vida no futuro”, visto este ser um “trabalho de responsabilidade, de imaginação e, sobretudo, de vocação à escola”.

Grande Prémio do Fado

Joana Oliveira está na final Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Joana Oliveira, residente do Muro, venceu a semifinal do concurso Grande Prémio do Fado da RTP1, estando apurada para a grande final. Grande Prémio do Fado é um concurso musical desenvolvido, nos últimos meses, pelo programa Portugal no Coração, da RTP1, com o intuito de “encontrar novos talentos e descobrir novas vozes, sendo que o prémio é a gravação de um CD de fado”. Joana Oliveira, residente na freguesia do Muro, conseguiu inscrever-se neste concurso, tendo conseguido vencer a semifinal, que lhe deu passe para a grande final, que vai decorrer no dia 6 de outubro, no Casino Estoril.

O gosto pela música está presente na vida de Joana Oliveira, de 15 anos, desde muito cedo. Uma paixão que foi desenvolvendo com o seu pai, que também canta e sempre opinou sobre a sua prestação, ajudando-a a melhorar. “O meu gosto pelo fado surgiu através do meu pai, mas também o meu avô paterno cantava bem. Penso que seja hereditário. Comecei por ouvir e cantar outros géneros musicais, mas sempre gostei mais do fado. É onde me sinto mais segura a cantar com sentimento”, asseverou. Quando frequentava o 8º ano, na EB 2/3 de Alvarelhos, participou no festival de música, onde arrecadou o primeiro lugar, tendo também participado nas duas primeiras edições do Festival da Canção da Trofa, inserido nas

Festas em honra de Nossa Senhora das Dores. A partir desse dia começou a “fazer espetáculos”. “A minha família apoia-me desde o princípio. Eles sempre me incentivam a continuar e a nunca desistir, mesmo que às vezes seja difícil”, contou, frisando que os pais acreditam que “consiga vencer no canto”, ajudando-a que o “sonho e a paixão pela música continue”. Já há “algum tempo” que ambicionava participar no concurso televisivo, mas sempre foi “difícil”, pois há sempre “muitas pessoas a concorrer”. Agora que conseguiu esta oportunidade, agarrou-a como se fosse a “única”, pois é “bastante importante” para si viver este sonho. Como cada eliminatória “podia ser a última”, arriscou “sempre com grandes temas”, dando sempre o seu melhor. Além disso, pediu “conselhos a pessoas que estão ligadas ao fado”, desde músicos a cantores, ensaiava várias vezes e, ainda, percorria, aos fins de semana, as casas de fado, onde foi “ajudada e onde tirava conclusões sobre os temas”. Foi desta forma que conseguiu vencer a semifinal, garantindo assim o seu lugar na final. “Acreditava que podia chegar à final, mas sabia que havia sem-

Joana (segunda à dir.) está na final, que se realiza a 6 de outubro

pre grandes potenciais a concorrer comigo. E ter conseguido passar as três fases deste concurso até à final já é o meu grande prémio, apesar de ter sempre em mente conseguir ser a vencedora.”, afirmou. Apesar de ainda faltar “alguns meses para a grande final”, a Joana já se encontra a preparar com “um bom fado”, para que no dia 6 de outubro, corra “como o esperado”. Joana frequenta, neste momento, o curso de Auxiliar de Saúde, na Escola Secundária do Castêlo da Maia, tendo concluído o 10º ano, com a ambição de terminar o ensino secundário, “entrar no INEM e continuar com

a carreira artística”. Mesmo sabendo que o “mundo da música” é “difícil”, Joana quer “acreditar que é possível”, persistindo para vencer o seu sonho. Durante o verão, vai continuar a fazer espetáculos, estando “quase sempre com a agenda completa”. “Este ano está a correr ainda melhor do que o ano passado. A participação na RTP foi uma mais valia, pois ajudou a divulgar o meu nome”, denotou. Neste momento, Joana encontra-se a gravar o seu primeiro Cd, na editora Conquista, no Porto, com “fados e música originais”, escritos pelo poeta Carlos Bessa.


16 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Trofenses produziram menos lixo em 2011

Trofenses produziram menos lixo

Em 2011, os trofenses produziram menos resíduos indiferenciados do que no ano anterior. Crise e consciência ambiental podem justificar resultados. A Trofa produziu menos resíduos indiferenciados em 2011. Esta foi a conclusão da empresa municipal Trofáguas, que contabilizou uma redução de, aproxidamente, 2,25 por cento face ao período homólogo de 2010. No ano passado, produziram-se 15.847 toneladas de lixo indife-

renciado (que não pode ser reciclado), enquanto no ano anterior tinham sido produzidos 16.211 toneladas. Diariamente, foram produzidos cerca de 43.416 quilogramas de resíduos, uma média de 1,1 quilograma por habitante no concelho. Segundo fonte da Trofáguas, “o ano de 2012 tem registado a mesma tendência do ano passado”, pois até agora “foram produzidas 7707 toneladas de resíduos indiferenciados, o que significa que nos primeiros 6 meses deste ano, cada munícipe produziu 1.07 quilogramas por dia”. “Apesar de estes resultados serem comuns a nível nacional, uma vez que com a crise económica há uma redução do consumo por parte das famílias portuguesas, significam também que os habitantes do concelho da Trofa estão conscientes de que a redução na produção de resíduos é essencial para a construção de um ambiente sustentável para todos. Mas ainda há muito trabalho pela frente, e é necessário mudar e repensar as atitudes”, acrescentou. A mesma fonte apelou a “uma atitude de prevenção para a produção de resíduos e que, essencialmente, se recorra ao reaproveitamento e reutilização de resíduos”. C.V.

12 de julho de 2012


12 de julho de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 17


18 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

11 anos a “ajudar o próximo” Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

A Delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa comemorou o seu 11º aniversário. A Delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) celebrou no dia 3 de julho, 11 anos de existência. Integrada na estrutura há 20 anos, Odete Pedroso, presidente da Delegação, foi a “grande responsável” pela implantação da CVP no concelho. Começou por ser uma extensão, mas rapidamente transitou para núcleo e, atualmente, é delegação. “Ajudar o próximo” foi sempre o seu lema, sendo que, após 11 anos de funcionamento, a presidente considera que a “instituição cresceu e consegue dar novas respostas adequadas às necessidades da população trofense”, tentando todos os dias “fazer o melhor”. Atualmente, a instituição apoia, mensalmente, cerca de 800 pessoas com alimentação, e, no mês de junho, deu resposta a 18 pedidos de emergência alimentar, encaminhados pela Loja Social. Durante os dias da semana, fornece refeições quentes a 50 pessoas, através da Porta de Sabores, tendo de 13 de maio a 13 de junho, servido 905 refei-

ções. Além disso, acompanha cerca de 46 agregados ao nível do RSI (Rendimento Social de Inserção), cerca de 180 ao nível de ação social, têm em termos de gestão 15 processos CPCJ (Comissão de Protecção a Crianças e Jovens), presta acompanhamento psicológico a cerca de 15 pessoas, aposta na formação dos públicos mais vulneráveis, estando a terminar a 2ª ação da formação “Novo Sentido” no âmbito do eixo 6.1 do POPH, tendo formado 24 pessoas no último ano. Em curso têm também o projecto TER Prevenção (http://terprevencao.com e http:// www.facebook.com/terprevencao.trofa), no âmbito do Programa de Respostas Integradas do IDT, que, entre março de 2011 e maio de 2012, abrangeu, com atividades no âmbito da Prevenção das Toxicodependências, cerca de 3460 crianças, jovens, professores, educadores e pais. A delegação da Trofa deseja “manter esta diversidade de apoios” e continuar a “apostar na qualificação e nas respostas de proximidade e adequadas às necessidades locais”. Aproveitando a comemoração do aniversário, a delegação aproveitou para agradecer a “todos os parceiros, sócios, beneméritos, funcionários, pessoas anó-

Cruz Vermelha quer continuar a dar resposta às necessidades locais

nimas e voluntários”, que, continuando a ços a todos quantos precisam e a tentar fazer chegar sorrisos a todos os que nos contar com a “ajuda de todos para que possam continuar a prestar estes servi- procuram”.

Exposição Homeless na Casa da Cultura Homeless é o nome da nova exposição, da autoria de Georgina Efigénio, que está patente na Casa da Cultura, onde pode visitar, até ao dia 28 de julho, de segunda-feira a sábado, entre as 10 e as 18 horas. Esta é a primeira vez que a Trofa acolhe uma mostra deste género, onde as matérias primas utilizadas são a tinta da china e a corticite. Uma inauguração que ficou marcada não só pela novidade dos materiais utilizados, mas também pelo momento musical interpretado por Ivo Machado. A autora escolheu como suporte a corticite, não só pela sua ligação à terra natal, mas também pela sua fragilidade, levando os visitantes a experimentar “sensações de desconforto, em similitude com

Exposição está patente até 28 de julho

as imagens criadas, também elas frágeis, desprotegidas, cobertas com um manto de solidão e de dor, representando vidas vividas nas margens e à margem, onde a vida e a morte se passeiam de mãos dadas”, pode ler-se na apresentação da obra. Desta forma, a autora questiona o lugar do homem na sociedade, numa perspetiva de “equilíbrio e dignidade”. Para receber a autora marcaram presença na Casa da Cultura da Trofa, Joana Lima, presidente de Câmara Municipal, José Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal, Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura, e João Fernandes, presidente da Assembleia Municipal. P.P.


12 de julho de 2012

Atualidade 19

www.onoticiasdatrofa.pt

Guidões recebeu declamações de poesia A freguesia de Guidões recebeu, na sexta-feira, dia 29, uma nova edição da iniciativa “Hoje vou ao café… ouvir poesia”, no café Coffee Class, em Guidões. Fernando Pessoa e Luís Vaz de Camões foram os poetas realçados numa noite dedicada à poesia, no Coffee Class, em Guidões, que “encantaram e deliciaram todos os presentes com poemas como “Infante” e “Mar Salgado”, de Fernando Pessoa, ou “Cantiga”, “Dinamene” e “Ao desconcerto do mundo”, além dos “Lusíadas” de Luís Vaz de Camões. Foram três horas de poemas e literatura portuguesa em destaque, que encantaram as dezenas e dezenas de guidoenses presentes, que puderam ainda ouvir muitos poemas cantados por Ivo Macha-

do e declamados por António Sousa. Uma sessão “muito concorrida” dada a vontade dos presentes em serem também protagonistas na declamação de poemas. A noite foi ainda aproveitada para conhecer melhor a biografia dos dois autores em destaque, cujo percurso de vida foi revisitado a cada poema e a cada evocação. No final, ficou o convite por parte da Câmara Municipal da Trofa, para a próxima sessão de poesia, que irá levar a efeito muito em breve, com novos poemas a outra freguesia do concelho. Mais uma iniciativa incluída no programa anual de descentralização de atividades culturais, levadas a cabo pela Câmara Municipal da Trofa, com a intenção de aliar uma ida ao café com a declamação de poesia. P.P.


20 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Dois novos padres na Trofa Pedro Rodrigues, natural de S. Martinho de Bougado, e José Ricardo Machado, que estagiou na mesma paróquia, foram ordenados presbíteros, no domingo. A Sé do Porto foi palco de oito ordenações de presbíteros, no dia 8 de julho. Uma delas foi para Pedro Miguel Amorim Rodrigues, natural de S. Martinho de Bougado, que realizou estágio pastoral em Gondomar. Já José Ricardo Cardoso Machado, natural de Vandoma, Paredes, fez o estágio na paróquia de S. Martinho de Bougado durante três anos, onde deu catequese e celebrou batizados, já durante o período do diaconado, para além de ter lido o evangelho nas missas solenes. A missa nova concelebrada pelos novos presbíteros realiza-se este domingo, 15 de julho, pelas 16 horas, na Igreja Nova, em S. Martinho de Bougado.

A cerimónia, na Sé do Porto, foi marcada por vários ritos litúrgicos como o pedido a Deus através dos santos para que os ordinandos sejam abençoados. Durante todo o cântico da Ladainha de Todos os Santos, os futuros padres prostraram-se em frente do Altar e do Bispo Ordenante, como sinal de humildade e de súplica. O momento mais emocionante e principal da ordenação é aquele em que o bispo ordenante, D. Manuel Clemente, faz a “imposição das mãos” sobre a cabeça dos ordinandos, gesto repetido de seguida por todos os bispos e sacerdotes presentes. Os ordenados recebem também o “paramento de casula” e o cálice para a consagração do vinho. Na homilia das ordenações, D. Manuel Clemente, pediu aos novos presbíteros e diáconos que “com Cristo vos consagrais a Deus, para a consagração do mun-

Pedro Rodrigues e José Ricardo Machado (2º e 3º à dir.) foram ordenados pelo Bispo

do, única missão da Igreja enquanto tal”. “Sereis sacramentos vivos, para um mundo de Deus, onde caibam todos: um mundo que nunca acontecerá enquanto permanecer cativo de si, nos particularismos em que gostosamente se acomoda; mesmo ficando-se cada um pela sua terra, o seu sangue e os seus mortos, motivos

consideráveis mas pesados duma “religiosidade” que tarda em sair de si mesma. Do que menos precisamos é de um sacerdócio chão e de cristãos indefinidos. Definamo-nos então, para interpelar o ‘mundo’ - o que está fora e o que demora em nós – e o podermos fermentar com o Evangelho autêntico”, frisou. C.V.

Testemunhas de Jeová promovem congresso Patrícia Pereira patricia@onoticiasdatrofa.pt

Clube Desportivo Trofense Convocatória Assembleia-geral Extraordinária Dando continuidade à última Assembleia Geral Extraordinária, e de acordo com a deliberação da mesma, convoco os senhores associados do Clube Desportivo Trofense para uma Reunião Geral de Sócios, a realizar no próximo dia 13 de Julho de 2012, pelas 20.30, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de São Martinho de Bougado, com a seguinte ordem de trabalhos: . Assuntos de interesse para o clube; . Eleições de corpos gerentes para o biénio 2012/14. Nos termos do Parágrafo Único do Art. 52º dos Estatutos, se à hora marcada não estiver presente a maioria dos sócios no pleno gozo dos seus direitos, a Reunião Geral de Sócios funcionará uma hora depois com qualquer número de sócios presentes. Os senhores associados só poderão participar na Reunião com a quota 6 (Junho) de 2012 Trofa, 2 de Julho de 2012 O Presidente da Mesa, Luís Cameirão

O Pavilhão Multiusos de Guimarães acolhe, durante os dias 13, 14 e 15 de julho, mais um Congresso de Distrito. “Projeta o seu coração” é o tema de um congresso de três dias, que as testemunhas de Jeová do distrito vão realizar, a partir de sexta-feira, no Pavilhão Multiusos de Guimarães. A escolha recaiu sobre este tema, porque as testemunhas de Jeová acreditam que é “muito importante entender o que o coração representa, porque a Bíblia, em Provérbios 4:23, diz que precisamos protegê-lo”. “O congresso destacará declarações bíblicas que mostram de que modo proteger o coração figurativo melhorará a qualidade da nossa vida hoje e nos ajudará a não perder a perspectiva de vida no futuro”, mencionou Vítor Delgado, um dos membros da organização. O discurso chave da manhã de sextafeira é “Permita que a Palavra de Deus revele as intenções do seu coração”, que dará uma ideia do que será considerado no congresso. O primeiro dia termina com o tema “Você tem um Coração para Trabalhar?”, com o propósito de “incentivar as Testemunhas de Jeová a empenharse de coração e a ensinar outros a co-

nhecer a Bíblia”. O programa de sábado, mostrará como o “coração figurativo influência a adoração e o comportamento da pessoa”. Além de uma série de palestras, haverá a ordenação de novos membros como ministros. “Sirva a Jeová de pleno coração” é a base do tema bíblico do último dia, onde haverá uma “dinâmica série de discursos”, que analisará “oito personagens bíblicos que demonstraram que tinham devoção de coração a Deus durante toda a vida”. A sessão da manhã termina com o discurso público “As coisas anteriores não subirão ao coração”, onde se explicará as maravilhosas condições que existirão na terra, quando o “Reino de Deus” por Jesus Cristo governar toda a terra. A encenação de um drama, em que quatro jovens se verão diante da questão “Como saber se é amor verdadeiro?”, e o “emocionante o discurso Nunca deixe o seu coração ficar aterrorizado!”, vão marcar o encerramento deste congresso. Para assistir ao congresso não precisa de ser Testemunha de Jeová, na verdade, todas as “pessoas da região estão convidadas”, não havendo coletas. As sessões têm início às 9.20 horas terminando, na sexta-feira e sábado, às 16.55 horas e, no domingo, às 15.40 horas.


Publicidade 21

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

MARGARIDA MACHADO Agente de Execução

= ANÚNCIO = N.º do Processo:2807/07.9TBSTS Santo Tirso - Tribunal Judicial - 3º Juízo Cível Exequente(s): Jaime Gomes Azevedo e outros Executado: MANUEL DA SILVA PONTES Valor: 77.913,05 € Referência interna:PE/237/2007 Faz- se saber que nos autos acima identificados, encontra-se designado o dia 3 de Outubro de 2012, pelas 14,00 horas, no Tribunal Judicial de Santo de Tirso – 3º Juízo Cível, para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na secretaria do Tribunal, pelos interessados na compra dos seguintes bens, pelo valor de 70% do valor base abaixo indicado:

Lote 1 - Fracção autónoma designada pela letra AG, descrita na Conservatória do Registo Predial de Santo Tirso, sob o nº 1558 “AG” da freguesia de S. Martinho de Bougado e inscrita na matriz predial urbana com o artigo 3742 “AG” da respectiva freguesia; Valor Base: 4.410,00 Euros Lote 2 - Fracção autónoma designada pelas letras CR, descrita na Conservatória do Registo Predial de Santo Tirso, sob o nº 2142 “CR” da freguesia de S. Martinho de Bougado e inscrita na matriz predial urbana com o artigo 4161 “CR” da respectiva freguesia; Valor Base: 1.670,00 Euros

Lote 3 - Prédio urbano, composto por um edifício de cave, sobre cave, rés do chão e 1º andar, descrito na Conservatória do Registo Predial de Trofa sob o nº 33 da freguesia de São Martinho do Bougado e inscrito na matriz urbana com o artigo 1721 da respectiva freguesia. Valor Base: 1.000.000,00 Euros O bem penhorado pertence ao executado Manuel da Silva Pontes. Venda mediante proposta em carta fechada É fiel depositário, que os deve mostrar, a pedido, os lote 1 e 2, a Agente de Execução, Margarida Machado e o lote 3, o executado Manuel da Silva Pontes. Nos termos do disposto no artigo 897º nº 1 do CPC, os proponentes devem juntar às propostas, como caução, um cheque visado, à ordem da solicitadora de execução, no montante correspondente a 20% do valor base dos bens, ou garantia bancária do mesmo valor. DATA E ASSINATURA 09-07-2012 O Agente de Execução MARGARIDA MACHADO Cédula Profissional: 3088 Poderá consultar este documento ConsultarDocumento?id=30132207271

no

seguinte

endereço

web

Tel. 252 874 232 Lot Fontainhas, Edif. Torre - 4º C Apartado 95 4796-908Vila das Aves Nif: 175352097 Fax. 252 873 601 9,00 horas -19,00 horas 3088@solicitador.net Portugal

http://www.solicitador.org/gpese/


22 Região

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Potencialidades da terra na construção em discussão no CICCOPN

Seminário deu a conhecer vantagens da terra na construção Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Quais as características e vantagens da terra enquanto material de construção acessível, natural e ecológico. Este foi um dos vetores que conduziram o seminário “A Nossa Terra”, realizado no CICCOPN, no dia 5 de julho. O evento, subordinado ao tema geral da arquitetura e construção com terra, contou com a presença de formadores, formandos e parceiros europeus do centro que, em conjunto, par-

ticipam no projeto “Terres à Terres”, no âmbito do programa Grundtvig – Aprendizagem ao Longo da Vida. Várias apresentações de instituições ligadas à temática (Escola Superior Gallaecia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Universidade do Minho, Associação Centro da Terra e empresa Casa da Cor) enriqueceram o seminário que, com a presença dos parceiros europeus ganhou importância crescente por “conceder uma vertente multinacional ao evento”, possibilitando “a troca de experiências e de conhecimentos entre os

oradores e alguns dos presentes”, revelou uma fonte ligada ao centro. Seguiu-se uma tarde passada no Porto, com a realização de uma oficina prática sobre tabique, organizada nas instalações da empresa SKREI. A vinda dos parceiros europeus incluiu ainda um segundo dia de trabalho, em Guimarães, atual Capital Europeia da Cultura, onde os participantes tiveram oportunidade de conhecer as fases da reabilitação do centro histórico. Esta visita foi acompanhada por um técnico daquela autarquia e ainda à Universidade do Minho, onde ficaram a conhecer o Laboratório de Materiais, com particular incidência sobre os estudos relativos à utilização da terra como material de construção. “A construção com terra é cada vez mais encarada como uma opção válida para um futuro sustentável da construção. Ao realizar este seminário e ao participar neste projeto, o CICCOPN reforça a sua aposta em novas áreas de competências, reafirmando também o empenho na formação ligada à reabilitação urbana”, concluiu a mesma fonte.

Cior marcou presença na Exponor A Exponor recebeu, na semana passada, a “grande mostra” de projetos e prémios da Fundação Ilídio Pinho, que, entre outras individualidades, contou com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. A Escola Profissional Cior esteve representada através dos alunos do curso Técnico de Energias Renováveis. A Cior já é uma presença assídua nas distintas edições de prémios e projetos desta “prestigiada fundação”, que contou com a participação de aproximadamente 1500 estudantes de vários estabelecimentos de

ensino de todo o País. Para Manuel Vieira, diretor do curso de Energias Renováveis, esta é uma iniciativa de “extrema importância”, pois, para além de ser “um momento e espaço de troca e partilha de conhecimentos, competências e experiências de natureza científica, técnica e tecnológica”, também contribui para “suscitar nos formandos o interesse pelo empreendedorismo, criatividade e inovação”. Aspetos que, na sua opinião, devem de fazer parte da “cultura e do perfil profissional destes futuros técnicos”. P.P.

Forave venceu 3º prémio no projeto “Twist” Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

Escola profissional Forave venceu o 3º prémio no projeto “Twist” e tem 20 mil euros para se tornar mais eficiente energeticamente.

Bruna Martins, Luís Costa, Daniel Fernandes e Miguel Silva. Estes são os quatro “magníficos”, ou melhor, os quatro twisters da Forave, que obtiveram o 3º prémio do projeto “Twist – A tua energia faz a diferença”, promovido pela EDP e a Sair da

Twisters da Forave trouxeram para casa prémio no valor de 20 mil euros

Casca. Coordenados pela professora de eletricidade e eletrónica, Inês Patrocínio Silva, os também conhecidos por “eletrogénios”, que estudam no 1º ano do Curso Técnico de Eletrónica, Automação e Comando, representaram a Forave numa conferência nacional no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, e trouxeram para casa o prémio no valor de 20 mil euros

para aplicar na escola, tornandoa energeticamente mais eficiente. Os alunos também receberam um prémio de 700 euros. “Os Eletrogénios abraçaram este projeto com o objetivo de fazer o levantamento energético da escola, perceber os hábitos de consumo da comunidade escolar e alterá-los através de ações de sensibilização para poupar o meio ambiente. Estes

jovens twisters são os principais embaixadores do projeto e levaram a cabo ações e planos de atuação que permitiram uma maior racionalização do uso da energia elétrica. Algumas ações desenvolvidas envolveram a comunidade local e as empresas Continental Mabor e Indústria Têxtil do Ave. Uns verdadeiros revolucionários da energia”, afirmou fonte da escola.


12 de julho de 2012

www.onoticiasdatrofa.pt

Publicidade 23


24 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

João Pedro Costa prevê retrocesso no movimento associativo organizado

“Motivação dos dirigentes está a acabar” Hermano Martins

É com tranquilidade no presente, mas apreensão quanto a um futuro próximo, que o presidente do Clube Slotcar, João Pedro Costa, encara o movimento associativo organizado, insistindo em dotar a coletividade de modalidades alternativas. “A motivação dos dirigentes das associações legalmente constituídas está a acabar, pois os custos estruturais são incomportáveis com a atual conjuntura económica num concelho carre-

gado de carências a todos os níveis, onde a falta de vontade política, aliada à ausência de instalações desportivas municipais, antecipam o desastre”, palavras claras de quem lidera uma das mais jovens associações, nascida na Trofa, em 2004. Em contra ciclo com esta realidade, faz questão de salientar que “é particularmente nesta altura de crise que as associações deveriam ser mais apoiadas, pois contribuem para o bem-estar das pessoas, assumindo alguma contribuição na ordem social, diria até mesmo mais, são uma segunda família para muita

gente”. “A Câmara da Trofa tem contribuído quanto baste para a desativação do movimento associativo”, asseverou o dirigente. Citando o exemplo dos protocolos que afirma “serem a base séria para o relacionamento institucional entre uma Câmara Municipal e as associações”. “Na Trofa são uma vergonha. Ou não existem ou não são cumpridos. Em 2010, com o pretexto das auditorias, a Câmara não estabeleceu protocolo com nenhuma associação; em 2011 houve fotografia e cerimónia pomposa, mas a verdade é que não passou disso, temos o papel assinado, mas não está cumprido. Em 2012, já o ano vai a meio e não há protocolo para ninguém… Assistimos a uma ausência de diálogo, uma vez que já pedimos, formalmente, por três vezes para sermos recebidos e continuamos à espera de resposta”, acrescentou. “Este executivo não tem estado à altura do movimento associativo”, palavras duras de quem vê em “iniciativas com o OPJ (Orçamento Participativo Jovem), uma manobra para entreter”.

João Pedro Costa está apreensivo quanto ao futuro das associações

“Gasta-se 20 mil euros, mais o custo dos técnicos que acompanharam o projeto, e qual foi o resultado final? A construção de uma pista de skate. E quem vai zelar por ela no futuro? É mesmo disto que a Trofa precisa?

Este dinheiro aplicado em pequenas associações, com provas dadas, seria uma fortuna e ajudava à sua sobrevivência”, asseverou. João Pedro Costa vai mais longe e antevê: “Com esta atitude, prevejo a extinção a curto


12 de julho de 2012

prazo da maior parte das associações do concelho da Trofa e, um sentimento de bairrismo de que tanto nos orgulhávamos enquanto estávamos integrados em Santo Tirso, que advinha das associações, está claramente a desaparecer, pois são erros atrás de erros, de todos os que têm conduzido os mais altos interesses do concelho nos últimos 13 anos. Já se ouve falar nas conversas de café da saudade dos tempos de Santo Tirso, imagine-se ao que chegámos”. O Clube Slotcar alimenta-se das contribuições dos associados, através das quotizações e do pagamento de algumas

www.onoticiasdatrofa.pt

atividades, “pois aqui não há profissionais”. Contando ainda a associação com a ajuda de algumas empresas da Trofa que diz, “embora poucas, mas ainda há algumas que não se preocupam apenas com o lucro e assumem uma sensibilidade social”. “O Instituto Português do Desporto e Juventude vai, por diversas vezes, ajudando em algumas iniciativas, já que somos uma referência na região entre os mais novos e eles sabem reconhecer isso, pois seguem a evolução da associação através da delegação do Porto”, esta que continua a ser a única associação do conce-

lho da Trofa integrada e reconhecida pelo IPDJ. No plano desportivo, o clube mantém em bom funcionamento as três modalidades, com atividades permanentes e que preenchem as 52 semanas do ano, muitas vezes em atividades simultâneas: entre o slotcar, o bilhar e os videojogos. “Em termos de Slotcar e como organizadores, continuaremos a ser os principais impulsionadores de competições em Portugal, que tem na Trofa a sua grande referência. Estamos já a trabalhar na organização do campeonato inter-clubes da próxima época e manteremos as 24 Horas de Slotcar da Trofa no calendário internacional.” A deslocação a duas ou três provas fora de Portugal, nomeadamente as provas de Barcelona e de Milão, são também uma necessidade, sentida pelo presidente da direção, que vê nesse esforço uma forma de estar sempre no centro dos grandes desenvolvimentos da modalidade no plano mundial. Recorde-se, tem pouco mais de mil praticantes, enquanto Espanha e Itália registam mais de 30 mil, onde proliferam muitas realidades como a do Slotcar da Trofa. “No bilhar, onde somos os únicos a

Desporto 25

representar o concelho em provas federativas, queremos a curto prazo discutir os títulos nacionais. Recordo que no tradicional pool português, subimos esta época da 3ª para a 2ª divisão nacional e que no pool, bilhar de maiores dimensões com a medida de 9 pés, apurámo-nos pela zona do Porto, e estaremos ainda este mês de julho em Lisboa, entre as 24 melhores equipas de Portugal”, afirmou. Ainda no bilhar, destacou muitas outras provas na qual o Clube vai participando, quer em organizações próprias como é o caso do “Masters de Bilhares da Trofa”, quer em muitas outras competições ao nível regional. Afirmando mesmo que o bilhar é um jogo muito enraizado em termos sociais “quase todos os dias o clube tem uma ou mais equipas em competição, que se encontram na sede, para jogar em casa ou fora, já são mais de 30 atletas.” Já nos Videojogos, modalidade que o Clube abraçou mais recentemente para estar ainda mais perto dos jovens, onde destacou as constantes necessidades de adquirir as últimas versões dos jogos acompanhado com hardwares capazes de as suportar. “Organizar quatro ou cinco lan-party por ano, é para nós importante, pois consegue-se juntar meia centena de Dados do Clube Slotcar da Trofa jovens com alguma facilidade e pode servir de ponto de partida para iniciativas mai- Associação fundada em 17 de marores, visto que, pela região, já nos assuço de 2004, inicialmente sedeada em S. mimos como os principais impulsionadoMartinho Bougado (traseiras do prédio res.” em frente à Associação Humanitário dos O futuro da associação, que conta Bombeiros Voluntários da Trofa) atualmente com cerca de 250 associa- A funcionar desde 19 de fevereiro dos, “a maior parte deles praticantes das de 2011 em S. Tiago de Bougado (edifímodalidades e não meros associados de cio das antigas instalações da Associacartão”, como fez questão de salientar, ção Empresarial do Baixo Ave) “é algo que não me atormenta”. “As as- Atualmente com cerca de 250 associações devem viver enquanto a consociados. Integrada no Instituto Portujuntura permitir a sua subsistência, elas guês do Desporto e Juventude desde existirão sempre onde existirem pesso2006. Modalidade desde a fundação: as, sejam de cariz desportivas, de soliSlotcar (Corridas de carros em pistas dariedade, de moradores, de utentes, forelétricas). mais ou informais, elas representam o que - Adoção da Modalidade de Bilhar, em de mais puro tem a sociedade, a liberda2009. de de associação em prol de objetivos - Adoção da Modalidade de comuns. “, concluiu. Videojogos, em 2011.


26 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

24 Horas de Slotcar da Trofa em construção… Os associados do Clube Slotcar da Trofa estão, desde o passado fim de semana, a “dar corpo” ao que serão as pistas onde se disputará a 4ª Edição das 24 Horas de Slotcar da Trofa, com início às 12 horas de sábado. Enormes plataformas de madeira, capazes de sustentar três

pistas com 24 calhas e cerca de 40 metros de perímetro cada, ligadas por centenas de metros de fio elétrico e calhas de plásticos, onde as miniaturas de carros à escala 1/32 irão percorrer uma distância equivalente a uma viagem do Porto a Lisboa, ou seja mais de 300 quilómetros. O pavilhão do Centro Recre-

ativo de Bougado, em Santiago de Bougado, será o palco deste evento que contará com mais de cem pilotos, em representação das 22 equipas já inscritas, provenientes de Portugal (Trofa, Braga, Guimarães, Porto, Matosinhos, Aveiro e Lisboa) e de Espanha (Galiza, Astúrias e Catalunha).


Desporto 27

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Luta contra o tempo para Rui Pedro Silva nos Jogos Olímpicos inscrever equipa na Liga de Honra Hermano Martins

Atleta parte dia 3 de agosto para Londres e foi esta quarta-feira homenageado na Expotrofa pela Câmara Municipal da Trofa. O atleta trofense Rui Pedro Silva vai marcar presença nos Jogos Olímpicos de Londres tendo já viagem marcada para o dia 3 de Agosto. Para se qualificar o atleta teve de trabalhar muito: “Tive que trabalhar e treinar muito, para conseguir o objetivo. Também tive que me privar de muita coisa, tive que deixar algumas vezes a minha família para me concentrar para a competição e isso também não é fácil” adiantou.

Rui Pedro Silva vai correr a maratona e quanto às expectativas é cauteloso: “ é complicado dizer, porque a maratona é uma corrida onde tudo pode acontecer. É uma corrida onde de um momento para o outro podemos ter uma fraqueza no corpo e não conseguirmos correr mais. Mas vou tentar fazer o melhor possível, se conseguir ficar entre os 15º já considerava um bom resultado”. Antes da partida para estágio, em Mira, onde o atleta vai ficar ate dia 27 de julho, a Câmara Municipal da Trofa prestoulhe uma singela homenagem na Expotrofa, na noite dedicada a Santiago de Bougado, de onde Rui Pedro é natural.

Cátia Veloso Hermano Martins

Clube tem que saldar dívida de 63 mil euros ao fisco até esta sexta-feira, para poder ter equipa inscritas nos campeonatos profissionais. A situação do Clube Desportivo Trofense é uma autêntica bomba-relógio nas mãos da comissão gestora, formada por seis sócios (inicialmente eram sete, mas um deles abandonou o grupo) que se disponibilizaram para tentar inscrever a equipa na Liga de Honra. Esta semana, os sócios tiveram que angariar 4315 euros para pagar uma dívida relativa a multas da época desportiva anterior. Apesar de o prazo para a inscrição de 12 jogadores terminar esta quinta-feira, o clube não os deverá inscrever, esperando pela notificação da Liga para regularizar essa situação num período

Assembleia-geral extraordinária está marcada para sexta-feira

de cinco dias. Os sócios terão de encetar diligências para reunir cerca de 3500 mil euros para conseguir inscrever a equipa, no entanto, a maior preocupação é saldar, até às 17 horas desta sexta-feira, 13 de julho, a dívida de 63 mil euros ao fisco, que não pode ser negociada, uma vez que já existia um acordo que não foi cumprido por parte do Trofense. Só ultrapassado este entrave é que a comissão gestora conseguirá obter a declaração de não

dívida às finanças, essencial para que o clube possa competir nos campeonatos profissionais. Os seis sócios agendaram uma reunião para as 19 horas desta quinta-feira, para fazerem um ponto da situação. Na sexta-feira realiza-se uma assembleia-geral extraordinária, pelas 20.30 horas, no auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado para eleger os corpos gerentes do clube para o biénio 2012/2014.

Aprender kickboxing nas férias de verão Cátia Veloso catia@onoticiasdatrofa.pt

As crianças abrangidas pelo projeto TER Prevenção, da Cruz Vermelha, tiveram uma tarde diferente ao aprender kickboxing.

Rui Pedro Silva vai participar na maratona dos Jogos Olímpicos

Campanha 2012 da Sociedade Columbófila terminou em Alcoy Foi realizado o último concurso, da campanha 2012 da Sociedade Columbófila Trofense, em Alcoy, Espanha, local que se situa a 750 quilómetros da Trofa, onde VTS Padrão se sagrou campeão de fundo e Araújo & Filhos campeão da geral. Na classificação da prova geral ocuparam os lugares do pódio Araújo & Filhos, que obtiveram o 1º lugar, de seguida José M & Paulo M, ficando em terceiro lugar Camilo & Carlos. O 4º lugar foi alcançado por Carvalheira

SAC, posicionando-se, VTS Padrão, em 5º lugar, Daniel Moreira em 6º lugar, na 7ª posição Rui, em 8º Renato Couto, em 9º José Martins e por último no 10º lugar Fernando Couto. Os pombos que se destacaram foram o nº 380173 de José M & Paulo M, o nº 9171193 de Carvalheira SAC e o nº 9101162 de Rui & Paulo. Será, atempadamente, divulgada a entrega de prémios, que está a ser preparada pela direção da S.C. Trofense. T.S.

O auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado transformou-se num “tatame” por uma tarde. Os elementos da escola de kickboxing LifeCombat decidiu associar-se à Cruz Vermelha e proporcionar um momento diferente às cerca de 20 crianças, que estão a ocupar os tempos livres das férias grandes através do projeto “TER Prevenção”. Na segunda-feira, os mais pequenos aprenderam as regras básicas da modalidade, experimentaram os equipamentos necessários e, claro, depois da teoria, passaram à prática, tendo executado os movimentos que tinham aprendido. Luís Ferreira, treinador da LifeCombat, explicou que a oportunidade de dar esta aula surgiu numa conversa com uma das responsáveis pela delegação da

Trofa da Cruz Vermelha. “Sentimo-nos úteis e estamos sempre prontos para ajudar”, explicou. O treinador confirmou a satisfação das crianças, que ficaram “muito interessadas na modalidade”, um ponto positivo tendo em conta a hegemonia do futebol. “Fizemos um histórico da equipa, com as taças e o local onde damos aulas, e depois houve uma aula em conjunto”, contou. Os mais pequenos gostaram tanto que pediram para repetir a experiência. A escola e a instituição já combinaram uma data para agosto, faltando agora o

aval da Junta de Freguesia para a cedência do espaço. Joana Conde, psicóloga da Cruz Vermelha, acompanha os meninos nas férias de verão, entre julho e agosto. “Estão agendadas várias atividades. Durante estes dois meses, às segundas, quartas e sextas-feiras, eles terão ocupações desportivas como esta com a LifeCombat, que nos ajudou a promover a atividade física e os hábitos de vida saudáveis. Com isto, poderá haver alunos que queiram dar continuidade às aulas e, provavelmente, têlas de forma gratuita”, referiu.

Crianças divertiram-se a aprender kickboxing


28 Desporto

www.onoticiasdatrofa.pt

Torneio de Futsal cancelado

Atletas da Vigorosa em movimento A Associação Cultural e Recreativa Vigorosa participou nos campeonatos distritais de pista de infantis e juvenis da Associação de Atletismo do Porto. Em infantis masculinos, Tiago Sá obteve o 4º e o 10º lugares nos mil metros e 60 metros, respetivamente, enquanto Ivan Hirskyy conquistou a 9ª posição, no salto em comprimento. No feminino, na variante de salto em comprimento, participaram Maria Maia (5º lugar), Jéssica Faria (6º), Patrícia Moreira (11º), Juliana Teixeira (14º) e Ana Soares (15º). Ana Lopes conseguiu a 4ª posição em 60 metros barreiras, o mesmo obteve Alice Oliveira em mil metros, que no lançamento do peso foi 6ª classificada. Nos 60 metros, Ana Lopes, Maria Maia e Patrícia Moreira classificaram-se no 6º, 7º e 14º lugares, respetivamente, e nos 150 metros Ana Lopes foi 9ª classificada, seguida de Alice Oliveira (12ª), Maria Maia (17ª) e Patrícia Moreira (19ª). O grupo de infantis femininas obteve o 4º lu-

12 de julho de 2012

Foi cancelado o primeiro Torneio de Futsal da Cidade da Trofa, que se ia realizar neste fim de semana, 14 e 15 de julho, no Pavilhão Municipal da Trofa, em S. Romão do Coronado. A atividade teve que ser cancelada, por “não haver equipas suficientes”, para a sua realização. Tiago Pereira, um dos membros da organização, afirmou que se constatou na segunda-feira, dia 10, da impossibilidade da sua Alice Oliveira e Ana Lopes participaram no campeonato distrital

gar coletivo. Já nos campeonatos de juvenis, a coletividade trofense participou com atletas iniciados. Nos cem metros, João Gomes foi o mais bem classificado da associação, com o 6º lugar, enquanto Sérgio Silva e Alexandre Sá ocuparam os últimos lugares do “top 10”. No salto em comprimento, João Gomes conquistou a 4ª posição, Alexandre Sá a 8ª e Sérgio Silva a 10ª. Os três atletas também competiram no triplo salto, com Sérgio Gomes a conseguir o 8º lugar, Sérgio Silva o 10º e Alexan-

dre Sá o 11º. No feminino, Sara Faria (10ª) e Ana Oliveira (13ª) participaram nos cem metros, com a última a obter o 14º lugar tanto nos 200 metros como no salto em comprimento. A Vigorosa também esteve na Corrida da Amizade, em Braga, e subiu ao pódio com o júnior Joaquim Figueiredo e a veterana Deolinda Oliveira a conseguirem o 2º posto. Nos veteranos, Conceição Correia foi 7ª classificada e António Neto o 47º. O sénior Nelson Batista terminou em 130º lugar. C.V.

realização, avançando que vão tentar realizar o torneiro noutra ocasião. Recorde-se que a Conferência S. Vicente de Paulo estava a organizar este torneio, com o intuito de “angariar fundos alimentares e monetários”, sendo que cada equipa tinha que pagar uma inscrição de 250 euros, habilitando-se a ganhar entre mil euros, para o 1º lugar, 500, para o 2º, e 250, para o 3º classificado. P.P.


Abertas inscrições para a Zona de Caça Municipal

Banda de Música da Trofa em Terras Vianenses

O Clube de Caçadores da Trofa informa todos os caçadores sobre o funcionamento da caça dentro da Zona de Caça Municipal da Trofa, nesta época 2012/2013. Todos os caçadores interessados devem preencher e entregar, na sede do Clube, a candidatura. As candidaturas têm início na

segunda-feira, 16 de julho, terminando a primeira fase a 5 de agosto e, a segunda, a 14 de setembro. O Clube de Caçadores da Trofa está disponível para colaborar no seu preenchimento. Para mais informações, os caçadores devem consultar toda a documentação oficial exposta na sede do clube. P.P.

Banda de Música atuou na Santa Leocádia de Geraz do Lima

se no cimo de uma colina, de onde se podia ter uma panorâmica difícil de encontrar, avistando a majestosa serra de Arga e todo o Vale do Lima. Como nota final, foi com enorme orgulho que verificamos o cada vez maior entusiasmo por parte do público, amante da nossa Banda em todo o Minho. Como prova disso, os três contactos encetados nas mesmas

festas para futuras atuações para a próxima época musical de 2013. Para aqueles que estiverem interessados em acompanhar e ouvir a nossa banda, informamos que a próxima deslocação será no dia 17 deste mês em Forjães /Esposende, precisamente com a mesma Banda de Música de Freamunde. Valdemar Silva

arquivo

Mais uma vez a nossa Banda foi atuar na belíssima localidade de Santa Leocádia de Geraz do Lima, nas majestosas festas em honra de Nossa Senhora da Guia. A Banda de Música da Trofa foi a “Banda da festa” e, tendo tocado também a categorizada Banda de Música de Freamunde. Ao iniciar o desfile das duas Bandas, houve uma sessão de fogo de artifício de quase 20 minutos, o que significa o grande valor que estas gentes do Minho dão às bandas filarmónicas. A nossa banda atuou até às 20 horas, tendo-se seguido um intervalo de duas horas até à nova entrada em cena das bandas, que começaram o concerto que se prolongou até à 1.30 horas de domingo. Pelo meio houve um intervalo de meia hora, para que a multidão presente pudesse presenciar um portentoso e magnífico fogo de artifício. Ambas as filarmónicas terminaram as suas atuações com as tradicionais despedidas que, muito agradaram ao público presente. Estas festas realizaram-

Atualidade 29

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012

Caçadores devem inscrever-se na zona da Caça Municipal


30 Atualidade

www.onoticiasdatrofa.pt

Masterchef apresenta livro na Póvoa Lígia Santos venceu a primeira edição do programa de televisão Masterchef e desde aí tem somado sucessos dentro e fora da cozinha. No dia 19 de julho, pelas 18.30 horas, a famalicense vai apresentar o “Livro de cozinha - As melhores receitas do vencedor”, no Posto de Turismo da Póvoa de Varzim. O lançamento do livro inclui sessão de autógrafos eshowcooking de uma das receitas da publicação. "Equiparo a minha passagem pelo MasterChef ao calcorrear de um trilho na montanha com picos e vales. A passagem pelos vales encorajou-me a atingir os picos. O culmi-

nar deste trilho terminou com a conquista a que me tinha proposto: ser a 1ª MasterChef de Portugal", explicou Lígia Santos. Sobre a organização do livro, adiantou que “começa com 70 receitas principais, todas da minha autoria, subdivididas nas categorias de entradas e sopas, pratos principais e sobremesas. No final, há uma secção dedicada a receitas de alguns participantes no concurso que eu escolhi pela relevância que tiveram no decorrer do mesmo”, esclareceu. O livro foi publicado pela RTP em parceria com a EuroImpala, a Endemol e a Shine Group.

12 de julho de 2012

Correio do Leitor TROFENSE (CDT) Se os milagres existem, vamos pedir um….. Ao ritmo a que circulam as informações e contra-informações sobre a situação do Clube Desportivo Trofense, o mínimo que se pode dizer, para quem crê, é que os milagres existem… Não tive oportunidade de participar na última assembleia do nosso clube, mas acreditando nos relatos que me foram transmitidos, não tive dificuldade em concluir que o mínimo que se pode dizer é de ter sido lamentável e pouco digna de uma instituição que ainda há muito pouco tempo era considerada no mundo desportivo português como uma referência de caráter positivo. De entre outras coisas, como insultos e a ameaças, a que aqui e agora não atribuo grande importância, destacarei porém aquilo que me parece uma prova mais do que evidente que a memória dos homens é muito curta e a ingratidão é das coisas que estão mais “à mão” para ser evidenciada. Eu, que nunca fui um dos “homens do presidente”, ao contrário de alguns que tanto o glorificaram e agora atacam, não deixei de impor a mim próprio uma reflexão sobre as transformações que se operam em muitas pessoas conforme o momento em que se está mesmo que a causa seja a mesma. Não reconhecer o papel desempenhado no passado recente pelo Dr. Rui Silva, procurando realçar algum aspeto menos positivo da sua gestão, não me parece o caminho mais correto, se não tivermos a capacidade de comparar os diferentes períodos de gestão (a todos os níveis) e suas consequências. Estamos perto de descer à terra e à realidade. Eu como a esmagadora maioria dos sócios desejo para o CDT o maior sucesso, a começar nas ações a desenvolver nesta e nas próximas semanas, mas não deixarei de referir que as tentativas tão erradamente publicitadas de resolver o problema, levam a uma certa descrença. Começou bem longe, na Arábia, passou pelo Brasil e já está na nossa vizinha Espanha e ainda mais vizinha Galiza. Estamos a chegar à terra (Trofa) e à necessidade de, de uma vez por todas, os trofenses serem conhecedores de toda a verdadeira situação do clube e não remeterem apenas e só, para o tempo glorioso da 1ª Liga as causas do que está a acontecer. Ter-se chegado ao ponto de permitir a um putativo candidato a salvador do trofense, utilizar as instalações do clube, quando o seu papel já tinha terminado, e utilizar a sede, fundamentalmente para dizer mal de quem foi o principal obreiro das infraestruturas que ele próprio ocupava e tanto tinha enaltecido é uma coisa que não lembra ao diabo Os sócios, que tanto gostam do seu clube, têm o direito a serem informados corretamente sobre a razão porque é penhorado o estádio e se relaciona isso com um jogador. Têm o direito de saber porque é que há outro atleta que reclama o direito a 100 mil euros e o clube é condenado a pagar sem se conhecer qualquer contestação. Deixar chegar as situações a esse ponto é no mínimo lamentável e mesmo partindo do pressuposto normal de que todos querem o melhor para o clube, nas diferentes ações há sempre uns mais responsáveis que outros. Os sócios têm direito a saber a verdade, sem que isso possa ser entendido como perseguição pessoal a quem quer que seja. Depois disso, muita coisa pode ainda acontecer mas como em muitos momentos da vida de qualquer um de nós, se tiverem de ser perdidos os anéis que se salvem os dedos e o património do clube é o essencial daquilo que os associados devem exigir que seja salvaguardado. Viva o TROFENSE

João Fernandes


12 de julho de 2012

Atualidade 31

www.onoticiasdatrofa.pt

Correio do Leitor Os descobrimentos Portugueses…e o futuro do Clube Desportivo Trofense! “Ocorreu na tarde de 22 de abril de 1500, quando a esquadra de dez naus, três caravelas e cerca de 1200 homens comandada pelo navegador português Pedro Álvares Cabral atinge o litoral sul da Bahia, na região da atual cidade de Porto Seguro.” 512 anos depois, e em sentido oposto, embarcou do Brasil o Sr. Lucimar Lucas dos Santos, para aterrar em aeroporto que se julga o da Portela, na cidade de Lisboa ou o de Francisco Sá Carneiro, na cidade do Porto, tendo às primeiras horas do dia 10 de janeiro do ano de 2012, preenchido a proposta de associado do Clube Desportivo Trofense, prontamente aceite pelo seu amigo, Sr. José Leitão. Acreditam uma boa parte dos historiadores que a descoberta do Brasil terá sido por influência de ventos e correntes marítimas, catalogando-a de descoberta acidental, já na viagem em sentido oposto acreditam uns quantos associados do C.D. Trofense que foi, é, e será um acidente, se não vejamos: O prezado novo associado do CDT representa a sociedade “Unipessoal”, logo não S.A. (Sociedade Anónima) como gosta de referir, e que tem um capital social de (imagine-se!) só 30.000•, para ser “Agente de contratação e venda de atletas de desporto”. Com este valor, apenas irá fazer umas tantas viagens de ida e volta ao Brasil para as suas múltiplas reuniões e só isso, “bem rapidinho, o dinheiro se esgota…!”. O prezado novo associado do CDT tem a coragem de chamar publicamente “ignorante e simples” ao seu amigo, que meses antes lhe aceitou a proposta de associado do CDT, que com ele tinha assinado um contrato por 5 anos (sem garantias), e que logo a seguir o rescindiu. Tem mesmo uma “lata”, pois ainda por cima conseguiu fazê-lo na sede do CDT em cuja data já lá ninguém tinha legitimidade para estar (recorde-se que desde as 24 horas do dia 30 de junho de 2012 as portas estão legalmente fechadas) e pior do que isso, em plena sala de imprensa com os patrocinadores oficiais do CDT estampados no placar – vergonha e falta de respeito! O prezado novo associado do CDT, com a moral assente nos 30.000• de capital da sua “LS Soccer International – Unipessoal, Lda.”, diz na mesma conferência que, “não perdoaria 5 milhões e 600 mil euros, como supostamente terá perdoado o Dr. Rui Silva”. Nós sabemos, Sr. Lucas, o Sr. ainda não pagou nada…e está “danadinho” atrás de publicidade gratuita para outros voos… Parabéns, Sr. Lucas “o Sr. não é iguiiinorante”, é grande jogador! O prezado novo associado do CDT tinha promessa de um autocarro para a claque e outro para a equipa, patrocinado pela Volkswagen Brasil (cheia de interesses em Portugal). E o que pensa a Volkswagen Autoeuropa cá em Portugal?! Anda a dar “biscoitinhos” dos novos, supostos patrocinadores aos associados? O prezado novo associado do CDT é tão amador como o Sr. José Leitão (por isso têm-se dado tão bem) e, no fundo, tão investidor como o Dr. Rui Silva que, no entanto, “deitou fora” vários milhões (ninguém duvida), coisa que não serve à Trofa e ao Trofense. Uma terra com 40.000 habitantes, com as dificuldades generalizadas nas empresas, logo com insuficiências para disponibilizar verbas para publicidade, com um histórico de “divórcio” entre o CDT e os Trofenses, atestado pela pouca afluência de adeptos aos jogos, só visiona um caminho… Iniciar um projeto de renascimento do Clube “CLUBE DESPORTIVO TROFENSE 12”, sem perda de tempo, salvando-se o complexo de Paradela, preservando a formação e jogar com gente maioritariamente da terra! Assim as famílias “vão à bola” para ver os seus! A sobrevivência do atual CDT é um erro em cima dos erros cometidos num futuro recente. Todo o dinheiro agora despendido dos verdadeiros beneméritos que amam o Clube e a Trofa (e o povo sabe quem são), mal entre nos cofres é perdido para pagamento de dívidas insustentáveis e à mercê de oportunistas, logo não se justifica! Seremos sempre falados pelas piores razões… o tempo nunca voltará atrás!

Para que serve um eleito O povo quando escolhe, em eleições livres, os seus representantes tem como objetivo principal, a escolha de personalidades habilitadas para o cargo a que se candidatam e que sabem interpretar o seu sentir e responder às suas aspirações para o representar dignamente. Ao votar, o povo está a delegar naqueles que pensa serem os mais capacitados para gerir em seu nome. É assim, numa democracia representativa. O problema não está quando o povo vota; o problema está no dia seguinte à contagem de votos. Aí, o interesse pelo bem-estar do povo e as suas aspirações já não contam para nada, ou contam muito pouco, pois o eleito já conseguiu o que queria: ser eleito e ocupar o lugar que tanto trabalho deu para o conquistar (nalguns casos) e diga-se em abono da verdade, o lugar que tanto ambicionava (em muitos casos). É como o povo diz: “quem quer a bolota trepa”… e eles treparam. Sentados na “cadeira do poder”, muitos dos eleitos começam a sofrer de doenças neurológicas, cujo primeiro sintoma é perda de memória, provavelmente provocada pelo excesso de uso de ansiolíticos, essenciais no combate ao peso na consciência. É assim, muitas vezes, o exercício de poder: muita canseira, muita asneira, muita verborreia, que originam muitos cabelos brancos (a quem ainda não os tem), e muitas rugas no rosto (mesmo que encobertas com cremes especiais). Tudo isto provocado pelas insónias. Todos sabem, que o que tira o sono não é a obra feita, mas a obra que não foi feita; não são as promessas cumpridas, mas as promessas por cumprir, que tiram o sono. Já é mais que tempo, de o povo entender, que as promessas feitas pelos políticos, em campanha eleitoral, não são para cumprir. É assim, tem sido quase sempre assim. Quem não se lembra do político criticar, em campanha eleitoral, o seu antecessor, por ter aumentado os impostos e fazer a promessa de não os aumentar, mas mal chega ao poder é a primeira medida que toma? Quem não se lembra da promessa de políticos, em campanha eleitoral, de construir uma nova via rodoviária e quando chegam ao poder, nem sequer constroem um passeio, quanto mais uma estrada, mas empregam de imediato o irmão, a irmã, o cunhado, o tio, o sobrinho, o primo, a cunhada do cunhado e também o “jota”, com a obrigação de ele arrancar com a “jota” lá do sítio? Não é nenhuma ficção; é mesmo assim a realidade. Infelizmente! É preciso votar nos candidatos mais capacitados, nos mais honestos, naqueles que oferecem mais confiança, que vão cumprir com o prometido. É preciso que os eleitos sejam excelentes gestores do bem público e que considerem o Poder como sinónimo de serviço, de missão. Um eleito serve para ajudar o povo que o elegeu a construir a sua própria felicidade. É tempo de o povo não dar o seu voto àqueles que consideram o Poder um “arranjinho” para si, para os seus familiares e amigos, para os seus apaniguados. Os políticos que trabalham em função dos seus próprios interesses, não merecem o voto do povo. Um bom político serve o povo, não se serve do Poder. Um bom político cumpre o que promete. A sociedade portuguesa precisa com urgência, de bons políticos, sérios, que prestem serviço ao povo, que sejam dignos representantes de quem os elegeu, enfim… políticos que façam boas políticas, que visem o bemestar do povo. moreira.da.silva@sapo.pt www.moreiradasilva.pt

João Sousa

Apresentação do Plano Local de Saúde Pública Santo Tirso/Trofa O Plano Local de Saúde (PLS) 20112016, elaborado pela Unidade de Saúde Pública Santo Tirso/Trofa, propõe três objetivos de saúde que passarão pela diminuição da Taxa de Mortalidade Padronizada da Diabetes Mellitus, a diminuição padronizada por Doenças Cérebro Vascular e a diminuição da Taxa de Mortalidade Padronizada por Tuberculose Pulmonar. Estes objetivos são dirigidos à

população residente do ACES Grande Porto I entre novembro de 2011 e dezembro de 2016. Esta iniciativa tem por base o compromisso de que a “saúde de toda a comunidade da Trofa depende não só do desempenho dos serviços de saúde, mas igualmente de toda a sociedade civil e suas intervenções comunitárias”. Estas duas entidades juntaram-se

para “combater as consequências que as políticas orçamentais incrementaram obrigando o consumo moderado dos recursos existentes. Estas políticas levaram as parcerias e a otimização dos serviços a alertar as entidades responsáveis pela saúde para a realização de compromissos sociais”. Para tal, o PLS, que será apresentado, no dia 20 de julho, às 21 horas, serve para determinar as priorida-

des, fornecer orientações estratégicas definidas primeiramente a nível nacional, depois regional e finalmente ajustadas ao nível local. Este plano é encarado como “um instrumento privilegiado para a promoção da saúde e a prevenção da doença, tendo como objetivo final a melhoraria da saúde da comunidade”. T.S.


32 Publicidade

www.onoticiasdatrofa.pt

12 de julho de 2012


381