__MAIN_TEXT__

Page 1


Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto Prefeito Municipal de Salvador Célia Oliveira de Jesus Sacramento Vice-prefeita Municipal de Salvador Luiz Antônio Vasconcellos Carreira Chefe da Casa Civil Tatiane Almeida Matos Gerência de projetos Estratégicos Reinaldo Braga Diretor geral das Prefeituras Bairros

Rodrigo Alves Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Salvador

Helena Oliveira Coordenadora do Escritório do UNICEF em Salvador

Maria Thereza Oliva Marcilio de Souza Gestora Institucional da AVANTE - Educação e Mobilização Social


FICHA TÉCNICA CADERNO VOZES DOS ADOLESCENTES: O QUE ELES PENSAM E QUEREM PARA A CIDADE DE SALVADOR (PCU Salvador - VOZES DA CIDADE – CRIANÇAS E ADOLESCENTES PARTICIPANDO DA CONSTRUÇÃO DE SALVADOR) – junho/2016

Coordenação Geral - AVANTE educação e mobilização social Jose Humberto da Silva Consultoria Técnica Judite Amélia Lago Dultra Maria Thereza Oliva Marcilio de Souza Coordenação da consulta das Crianças Ana Oliva Marcilio Ivanna Paula Castro Oliveira Formação e Escuta dos adolescentes Adailton Borges dos Santos Ailton da Anunciação Teixeira Anderson Eslie Leite de Oliveira Claudenice Maria de Oliveira Elder Costa Santos Frank da Silva Ribeiro Marília Novais Rios Santana Patricia Barbosa Sanches Coordenação de Pesquisa com Agentes Públicos do SGD Ângela Maria Gordilho Barbosa Sonia Margarida Bandeira Cerqueira Apoio Técnico Noemi Souza Lima Marques

Adolescentes Mobilizadores Aíla Oliveira Santana Alan Henrique de Paula Ana Carolina de Queiroz dos Santos Andresa Fonseca Ferreira Bruna Suelen Gonçalves da Silva Fabrício Silva dos Santos Hauan Novaes Santos Joice Dantas França da Silva Laiane da Silva Anunciação Lucas Pires Schramm Luciana dos Santos Luís Henrique Bastos de Jesus Marcos Patrick Barbosa Paraguassu Maxsuel Oliveira dos Santos Natália de Souza Santos Tales Vinicius Falcão Brandão da Fonseca Thierry Robert Silva Sena Vagner Santos de Jesus Vitória Maria Gomes Oliveira


FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA – UNICEF Coordenadora do UNICEF Salvador para Bahia e Sergipe – Helena Oliveira Gerente da Área de Comunicação para o Semiárido - Bruno Viecili Assistente de Programas e Coordenação – Ana Carla Carlos COORDENAÇÃO DAS PREFEITURAS BAIRROS Prefeitura-Bairro BARRA /PITUBA VALÉRIA LIBERDADE / SÃO CAETANO PAU DA LIMA CABULA / TANCREDO NEVES CAJAZEIRAS ITAPUÃ CIDADE BAIXA SUBÚRBIO /ILHA CENTRO / BROTAS

Subprefeito Raimundo Pereira Edson Pinto Enilza Rocha Jeancleydson Sacramento José Menezes Bastos Alan Muniz Alessandro Castro Cláudio Conduru Sósthenes Macêdo Ian Mariani

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: Sidney Silva REVISÃO: Clarice do Prado Valladares Silva FICHA CATALOGRÁFICA

FOTOGRAFIA E DESENHOS: Banco de Dados da Avante

Bibliotecária: Maria das Mercês Valverde – CRB 5/1109 FICHA CATALOGRÁFICA

Bibliotecária: Maria odas Valverde – CRBpara 5/1109 Caderno vozes dos adolescentes: queMercês eles pensam e querem a cidade do Salvador / José Humberto da Silva (org.) 1. Ed.- Salvador: Avante, 2016. 100 p. il. Caderno vozes dos adolescentes: o que eles pensam e querem para a cidade do Salvador / 978-85-60828-07-4 JoséISBN Humberto da Silva (org.) 1. Ed.- Salvador: Avante, 2016. 100 p. il. ISBN 978-85-60828-07-4 1.Adolescentes - Condições sociais - Salvador (BA). 2. Assistência a menores - Salvador (BA). 3. Adolescentes - Política governamental - Participação do cidadão - Salvador (BA). I. Silva, José Humberto. II. Avante - Educação e Mobilização Social. III. Projeto Plataforma dos Centros Urbanos -- PCU. 1.Adolescentes Condições sociais - Salvador (BA). 2. Assistência a menores - Salvador (BA). 3. Adolescentes - Política governamental - Participação do cidadão - Salvador (BA). I. CDD: III. 362.7098142 Silva, José Humberto. II. Avante - Educação e Mobilização Social. Projeto Plataforma dos Centros Urbanos - PCU. CDD: 362.7098142


Apresentação 9 Prefeitura-Bairro I – Centro / Brotas

11

Prefeitura-Bairro II – Subúrbio / Ilhas

23

Prefeitura-Bairro III - Cajazeiras

29

Prefeitura-Bairro IV – Itapuã / Ipitanga

35

Prefeitura-Bairro V – Cidade Baixa

45

Prefeitura-Bairro VI – Barra / Pituba

55

Prefeitura-Bairro VII – Liberdade / São Caetano

65

Prefeitura-Bairro VIII – Cabula / Tancredo Neves

73

Prefeitura-Bairro IX – Pau da Lima

83

Prefeitura-Bairro X – Valéria

93


Apresentação A luta pela equidade de direitos no Brasil se apresenta como um desafio para todos os cidadãos e cidadãs. Os impactos dessas desigualdades sobre nossas adolescentes são visíveis a cada dia nos grandes centros urbanos.Neste caderno você vai encontrar as Vozes dos Adolescentes da cidade de Salvador que, em suas idades de 12 a 18 anos, falam e analisam, por bairros, seus principais problemas, suas causas e propostas apontadas por eles mesmos. Resultado de um amplo trabalho de mapeamento, escuta qualificada e de formação sobre cidadania e competências para a vida realizado coma dolescentes residentes dos 10 territórios de Salvador, este caderno consolida o trabalho de mobilização, consulta e análise sistematizada no âmbito da Plataforma dos Centros Urbanos – programa em que se inscreve o Projeto Vozes da Cidade: Crianças Adolescentes participando da Construção de Salvador. Neste período, a AVANTE – Educação e Mobilização Social, parceira técnica do projeto, mapeou 197 coletivos e redes de adolescentes em toda a cidade; analisou o perfil desses coletivos, conduzindo uma escuta qualificada de 99 deles. Além desse processo, foram realizadas formação e escuta de 645 adolescentes em toda cidade do Salvador. As propostas e percepções dos adolescentes sobre sua cidade, constantes neste Caderno, refletem as diferenças de acesso a serviços públicos e de informação desses adolescentes e suas famílias entre os diferentes e distantes bairros da cidade. Assim, evidencia como as desigualdades territoriais impactam suas vidas, demandando necessidades específicas e a necessária priorização das políticas e serviços diferenciados para uma mesma cidade. O projeto PCU Vozes da Cidade: crianças e adolescentes participando da construção de Salvador tem como premissa central a participação deles e delas no planejamento municipal das políticas para infância e adolescência. E nesse compromisso reside a parceria entre CMDCA, Prefeitura, UNICEF e AVANTE. A partir das propostas desse Caderno e do Plano Municipal de Redução das Desigualdades Intramunicipais – ambos lançados no Fórum Municipal –, a Prefeitura, o CMDCA e os adolescentes, organizados em um GT de trabalho, conduzirão a realização descentralizada de 10 fóruns territoriais na cidade que consistirão em espaços de discussão mais aprofundadas 9


com a comunidade local, sobre as propostas desse Caderno de Adolescentes; as propostas da IX Conferência Municipal; juntamente com a linha de base dos indicadores sociais e as ações e programas de governo voltados à infância e adolescência que foram implementados em cada uma das 10 prefeituras-bairro. O resultado final de todas essas consultas na cidade será a verificação das ações realizadas por território e a consolidação do Plano Decenal Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Um plano que refletirá o esforço por uma política efetivamente integrada e menos desigual para infância e adolescência em Salvador. Boa leitura e participe dos Fóruns Territoriais!!

10


PREFEITURA-BAIRRO I

Centro / Brotas

Área Nº

Bairros

1 2

Acupe Barbalho

3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21

Barris Boa Vista de Brotas Brotas Candeal Centro Centro Histórico Comércio Cosme de Farias Engenho Velho de Brotas Garcia Luiz Anselmo Macaúbas Matatu Nazaré Santo Agostinho Santo Antônio Saúde Tororó Vila Laura

11.213 9.227

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos 1.087 895

4.845 2.964 70.158 13.553 15.695 2.253 1.345 38.341 25.703 14.180 11.503 8.556 10.542 12.571 4.796 4.170 6.232 4.717 14.524 287.088

452 256 6.824 1.244 1.408 226 164 4.570 2.697 1.443 1.285 960 1.000 1.183 424 401 552 482 1.350 28.903

Habitantes

11

km²

Hectares

0,51 0,52

51,25 52,35

0,45 0,21 5,04 0,66 0,85 0,39 1,39 0,96 0,94 0,79 0,96 0,30 0,66 1,11 0,22 0,33 0,28 0,44 0,84 17,86

44,56 21,16 503,84 66,43 85,39 38,89 139,10 96,31 93,97 79,27 95,89 29,68 65,68 111,39 21,61 32,99 28,41 43,94 83,72 1.785,83


12


Prefeitura-Bairro I – Centro / Brotas O território de Centro/Brotas possui 21 bairros integrantes, distribuídos numa área de 17,26 km², com 287.088 habitantes, ou seja, 16 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 26 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 11 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos - a saber: • Grupo de Escoteiros Marcílio Dias – Tropa Escoteira • Grupo de Escoteiros Marcílio Dias – Tropa Sênior • Capítulo André Rebouças da Ordem Demolay • Grupo Escoteiro João das Botas – Tropa Escoteira • Grupo Escoteiro João das Botas – Tropa Sênior • Grêmio Estudantil do Colégio Central • Grêmio É Preciso Ousar... Colégio Estadual Teixeira de Freitas • Grêmio Estudantil União Estudantil Revolucionária Severino Vieira • Grupo de Escoteiros Antônio Vieira 15BA – Tropa Escoteira • Grupo de Escoteiros Antônio Vieira 15BA – Tropa Sênior • Grupo de Escoteiros do Mar Almirante Tamandaré- Tropa Escoteira Além dos resultados das escutas dos coletivos supracitados, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 49 adolescentes do território de Centro/ Brotas. Os grupos ouvidos foram:

13


• Grupos de Artes do Barracão das Artes • Centro de Estudos e Assessoria Pedagógica - CEAP • Grupo da Oficina de Esportes da Fundação Pierre Verger. • Adolescentes em situação de rua – Casa Abrigo A seguir, um quadro sistematizado a partir das escutas dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro. Saneamento Básico/Lixo.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade. Falta de educação da comunidade no manuseio com o lixo. Rede de esgoto insuficiente para atender o volume de água, principalmente em tempos de chuvas. Entupimentos constantes e vazamentos dos bueiros. Coleta de lixo insuficiente. Falta de cuidado com os locais de coleta por parte dos moradores. Esgoto a céu aberto. Falta de saneamento básico. Falta de projetos de reciclagem. Lixo jogado fora da lixeira.

14

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados. Aumentar o número de coletores (contêiner) de lixo na comunidade. Realização de campanhas de conscientização da população para descarte adequado do lixo desde a residência. Colocar o lixo no horário em que a coleta passa. Realização de programas de reciclagem. Tratamento do esgoto. Mais lixeiras na cidade. Mais educação para o povo que joga o lixo no lugar errado.


Ensino de má qualidade nas Escolas Públicas.

Falta de Políticas Públicas direcionadas para a melhoria do ensino. Professores não preparados para ensinar outros conteúdos nas aulas. Falta de contribuição do Poder Público Municipal. Abandono da escola por muitas crianças e adolescentes. Pais ausentes. Professores mal remunerados e, por isso, não têm interesse de ensinar.

Melhoria na formação do professor. Maior acessibilidade à educação. Aulas mais dinâmicas e práticas. Construção de mais Escolas Públicas. Professores com mais competência e qualidade. Educação familiar. Visita de profissionais bem sucedidos à escola para oportunizar aos alunos, com esse contato, o exemplo de pessoas que conseguiram, estudando, melhorar de vida. Aumentar o salário dos professores.

Falta de infraestrutura nas escolas (escolas que não funcionam).

Salas pequenas e sem ventilação. Salas alagadas por causa das chuvas. Falta de sala de informática e laboratórios. Falta de recursos para investimentos na escola. Falta de manutenção nas escolas.

Reformas nas escolas que estão sem funcionar por causa das chuvas. Construção de escolas com salas maiores e com ventilação. Construção de salas de informática e de laboratórios. Estruturação das escolas por parte da Prefeitura. Maiores investimentos financeiros nas escolas. Manutenção constante nas escolas.

Muitas crianças/adolescentes fora da escola.

Baixa frequência nas aulas pela não atratividade na escola com estrutura defasada e ensino de má qualidade. Deslocamento de alunos para escolas no centro, em busca de ensino de melhor qualidade, vem ocasionando a desistência de alguns deles. Escolas de bairro situadas em locais de acesso complicado por conta dos conflitos entre facções do tráfico de drogas.

Escolas com aulas mais atrativas e dinâmicas. Promoção de iniciativas de cultura e arte nas escolas. Melhoria do conteúdo das disciplinas. Escolas localizadas em áreas seguras e adequadas. Oferta de maior número de vagas nas escolas públicas. Mais segurança na porta das escolas. As pessoas têm que ter mais educação e compreensão com o outro.

15


16


17


Número alto de adolescentes grávidas na comunidade.

A abordagem sobre a temática, pela escola e pela família, não acontece de forma dinâmica. Temática vista como tabu e tratada com espanto nos ambientes familiares, na escola e nos círculos de amigos.

Postos de Saúde que respeitem os direitos das adolescentes e ofereçam suporte às gestantes.

Violência e aumento da criminalidade.

Falta de policiamento em horário integral. Envolvimento de adolescentes em assaltos, tanto como sujeito quanto vítima, na comunidade. Falta de Projetos Sociais que ocupem os adolescentes. Violência entre usuários de drogas. Falta de oportunidade de acesso a cursos de capacitação. Brigas. Falta de estudo. Falta de atividades. Consumo de bebidas alcoólicas. Falta de compreensão familiar. O uso de drogas. Falta de segurança nas ruas. Tráfico de Drogas. Assaltos - pessoas negligentes que andam com celulares na mão. Falta de iluminação nas ruas. Assaltos praticados por motoqueiros.

Formar jovens para ajudar a sociedade no combate à violência. Criação de Políticas Públicas voltadas para a o combate à violência na comunidade. Acesso a cursos de capacitação. Construção de Centros de Reabilitação para Drogados. Ter mais rondas policiais nas ruas. Colocar policiais mais preparados nas ruas. Mais viaturas / Mais policiais nas ruas. Oferta de mais oportunidades de emprego pela Prefeitura. Atenção com a formação dos policiais- formação mais rigorosa. Maior monitoramento da polícia em horário integral e com maior área de cobertura.

18


Falta de Policiamento.

Número insuficiente de policiais. Falta de rondas. Concentração de policiamento em bairros nobres, esquecendo-se dos bairros de classe baixa - só se vê policiamento nos sábados e domingos, por causa de festas. Medo dos policiais de adentrar nos bairros perigosos.

Ter mais Policiais e Rondas nas Ruas;

Aumento do Tráfico de Drogas.

Acesso fácil de crianças, adolescentes e jovens ao uso de drogas. Falta de oportunidade de estudo. Má influência dos amigos. Problemas familiares. Corrupção da Polícia.

Promover o acesso a cursos públicos e técnicos na comunidade para adolescentes usuários de drogas. Promover ações de arte e cultura na comunidade. Punição rigorosa aos policias envolvidos no tráfico. Proibir a venda de crack e cocaína. Legalizar a maconha. Mais policiamento.

Falta de Segurança Pública.

Falta de Políticas Públicas voltadas para a segurança. Ausência de policiamento e Base Comunitária. Corrupção. Falta de rondas policiais. Falta de policiais. Ganância. Falta de atenção do Poder Público com relação aos bairros periféricos.

Construção de Bases Comunitárias. Estímulo a realização de Políticas Públicas de Segurança. Mais Policiamento. Mais câmaras de monitoramento na cidade. Mais iluminação. Mais rondas policiais. Mais policiais/ patrulhamento em locais abandonados. Empreender esforços para dar visibilidade aos problemas citados, pressionando o Governo para a realização de Políticas Públicas direcionadas para as peculiaridades citadas.

19


Drogas/consumo.

Ausência de estrutura familiar. Problemas familiares. Problemas financeiros. Amizades / más companhias. Convivência com más influências. Jovens utilizando drogas. Falta de atividades para preencher o tempo dos jovens.

Mais diálogo e apoio dos pais. Palestras nas escolas. Monitoramento nas ruas. Mais policiais nas ruas. Aumento do número de Casas de Apoio. Legalização. Fiscalização rígida. Mais espaços de acolhimento para tratamento.

Precariedade de atendimento nos Postos de Saúde.

Falta de políticas públicas de Saúde. Falta de UPAS. Falta de Hospitais. Falta de investimentos em recursos humanos e medicamentos por parte da Prefeitura. Mau Funcionamento dos postos de saúde. Falta de equipamentos. Desvio de verbas que poderiam ser usadas para a compra de medicamentos. Falta de contribuição por parte do poder Público Municipal. Escassez de médicos qualificados.

Disponibilizar mais verbas para a construção de UPAS. Contratação de novos médicos e funcionários. Investir na compra de medicamentos e aparelhos para melhorar o trabalho dos profissionais. Mais investimentos em remédios e envio desses para os Postos de Saúde. Prefeitura estruturar os Postos de Saúde já existentes. Construção de mais hospitais. Médicos capacitados. Aquisição de mais ambulâncias. Atendimentos de qualidade. Profissionais competentes. Melhorar o atendimento nos postos. Melhorar a saúde pública para a população do bairro.

Falta de acesso à Cultura.

Falta de Políticas Públicas direcionadas à Cultura. Falta de Espaços Culturais nas comunidades.

Maior acesso à cultura nas comunidades. Maior investimento do Governo na área da cultura. Promoção de Projetos Culturais. Construção de Espaços Culturais para a realização de Oficinas.

Discriminação com pessoas da periferia, por conta da orientação sexual , intolerância religiosa e racismo.

Não aceitação das diferenças. Preconceito. Intolerância religiosa.

Formulação de leis mais rigorosas de combate ao racismo, intolerância religiosa e orientação sexual. Promover palestras informativas para combater a discriminação. Amor ao próximo e respeito.

20


Falta de iluminação e manutenção.

Postes danificados (lâmpadas queimadas). Postes insuficientes. Descaso do Governo.

Promover Banho de Luz (Projetos da Prefeitura). Manutenção dos postes de iluminação. Identificar os locais que estão sem iluminação para fazer a devida manutenção.

Desigualdade Social.

Má distribuição de renda. Falta de estudos. Falta de oportunidades.

Oportunidades iguais para todos. Mais oportunidades de emprego.

Maus tratos de crianças e adolescentes por parte dos familiares.

Uso de drogas e bebidas pelos pais.

Visitas domiciliares de assistentes sociais. Necessidade de mais Instituições de apoio a crianças e adolescentes para que a violência não aconteça.

Ausência de atividades extraescolares para crianças e adolescentes.

Ausência de políticas públicas - o desvio de dinheiro contribui para essa ausência.

Realização de políticas públicas para crianças e adolescentes. Combate à corrupção.

Estrutura das ruas esburacadas.

Ausência de cidadania - má preservação. Falta de recapeamento. Escoamento das águas das chuvas que acabam provocando rachaduras no asfalto e, consequentemente, buracos. Falta de manutenção das ruas. Trânsito de veículos pesados.

Mais educação. Manutenção. Fiscalização. Criação de um órgão específico do Governo, com grupo de funcionários designados para tapar buracos. Asfaltar as ruas.

Desrespeito ao próximo.

Convivência com pessoas inadequadas. Falta de amor ao próximo.

Mais suporte para a educação familiar. Mais apoio psicológico.

Ruas pichadas.

Falta de lazer. Vandalismo.

Pintar os locais pichados.

Moradores de rua.

Pobreza. Baixos salários. Poucas moradias. Dependência de drogas. Desemprego.

Criação de mais Casas de Abrigo. Inclusão no Programa Minha Casa, Minha Vida. Apoio psiquiátrico.

21


Trabalho infantil.

Para ajudar a família. Para manter o uso de drogas. Falta de estrutura familiar.

Assistência Social. Punição/ prender os pais. Não colocar crianças para trabalhar.

Som alto.

Falta de respeito. Falta de punição.

Aplicação de multas. Policiamento. Punição rigorosa.

Falta de água.

Muito desperdício e gasto de água.

População precisa economizar água.

Falta de área de lazer.

Falta vontade do Governo de identificar espaços possíveis para a construção de áreas de lazer. Falta de verba. Construção de prédios nos poucos espaços livres da cidade.

Disponibilizar mais verbas para a construção de áreas de lazer. Construção de mais quadras e campos de futebol.

Ausência de Escola Estadual.

Espaço para construção de uma Escola Estadual.

Mobilização comunitária para pressionar o Governo.

Desemprego.

Falta de oportunidades.

Mais vagas de emprego.

Desemprego para adolescentes.

Falta de cursos de capacitação. Falta de emprego para adolescentes da Casa Amarela. Adolescentes que não estão na escola não podem trabalhar.

Ter mais cursos profissionalizantes e de capacitação.

Passagem de ônibus muito cara.

Os empresários não pensam na população.

Baixar o valor da passagem dos ônibus. Ter ônibus articulados que liguem diversos pontos da cidade.

Falta de ônibus.

Empresas não aumentam a frota

Aumento da frota e fiscalização.

Falta de emprego para os jovens

Falta de qualificação.

Cursos profissionalizantes.

22


PREFEITURA-BAIRRO II Subúrbio / Ilhas

Área Nº

Bairros

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

1

Alto da Terezinha

14.010

1.788

0,94

94,30

2

Coutos

26.005

3.157

1,78

178,44

3

Fazenda Coutos

24.255

3.438

0,85

85,46

4

Ilha de Bom Jesus dos Passos

1.465

180

0,47

46,74

5

Ilha de Maré

4.236

601

11,01

1.100,82

6

Ilha dos Frades

733

77

13,61

1.360,99

7

ltacaranha

16.088

1.813

1,02

101,80

8

Nova Constituinte

9.410

1.429

0,97

97,48

9

Paripe

55.039

7.049

4,86

486,41

10

Periperi

49.879

5.671

3,38

338,13

11

Plataforma

34.034

3.949

2,34

233,57

12

Praia Grande

6.091

676

0,39

39,49

13

Rio Sena

16.379

2.155

1,05

104,54

14

São João do Cabrito

21.284

2.840

0,92

91,99

15

São Tomé

7.207

871

9,24

924,02

286.115

35.694

52,84

5.284,18

23


Prefeitura-Bairro II – Subúrbio / Ilhas A subprefeitura do Subúrbio/Ilhas reúne 15 bairros com uma população de 286.115 habitantes, numa área de 52,84 km², com baixa densidade (5,4) de habitantes por km². As ilhas possuem pequenas localidades próximas ao mar; a densidade é maior no subúrbio ferroviário. A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 20 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 10 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Los Insanos. • Rede Adolescente de Escada. • GRÊMIO Colégio Maria Odete Pithon Raidal. • Escoteira Santa Cruz / Sênior. • Grupo Interact – São Bartolomeu. • Afirma 23. • Grupo de Jovens Liberdade Já. • Power Dance Crew. • Escoteira Santa Cruz /Tropa escoteira. • Grupo NOVAMENTE. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 70 adolescentes do território de Subúrbio/Ilhas. Os grupos ouvidos foram:

25


• Igreja Adventista – Paripe. • Colégio Estadual Professora Maria Odette Pithon Raynal – Paripe. • Escola Municipal Eng. Gilberto Pires. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado.

Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/ comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Ausência de saneamento básico.

Ocupação de áreas indevidas por parte população. Pouco investimento do poder público.

Orientar a população para não ocupar áreas impróprias. Investimento na área.

Falta de moradia para população ou estrutura precária das casas.

Pouco investimento do governo na construção de casas. Moradores sem condições de reformarem suas casas.

Construção de casas. Adequar locais habitados.

Buracos nas ruas.

Má qualidade do asfalto. Empresas que quebram as ruas e não dão a devida manutenção.

Asfalto de qualidade. Manutenção constante por parte do poder público. Exigir das empresas que danificam as ruas a sua manutenção.

Falta de segurança / mau atendimento dos agentes de segurança.

Falta de policiamento nas ruas. Qualificação insuficiente para atender a população, especialmente dos guardas municipais e da vigilância terceirizada nos trens.

Mais capacitação dos profissionais de vigilância para atender melhor a população. Melhor distribuição dos policiais nos bairros. Punição para os guardas municipais e seguranças que cometerem mau. atendimento à população.

Falta de empregos para jovens.

Falta de qualificação. Falta de vagas.

Mais cursos de capacitação para os jovens. Estimular as empresas a contratarem jovens. Criar um centro de capacitação profissionalizante no local.

26


Falta de motivação dos professores em dar aulas.

Salário baixo. Estrutura precária nas escolas - faltam quadra esportiva, sala de informática e de aula - dificultando o trabalho dos professores.

Capacitação constante dos professores. Estimular e cobrar do professor uma boa aula. Aumentar o salário do professor. Melhorar a estrutura das escolas.

Escolas com estrutura limitada.

Pouco investimento do governo; Alunos danificam a escola.

Mais investimento nas escolas. Criar campanha de conscientização dos alunos para preservar as escolas.

Transportes públicos precários / insuficientes (ônibus, trens e barcos).

Transportes sem manutenção. Atendimento em horário limitados (barcos e trens).

Investir na manutenção dos transportes. Aumentar o horário de funcionamento dos barcos e trens. Aumentar a quantidade dos transportes circulando no bairro.

Jovens usando drogas e/ ou traficando.

Falta de apoio e controle da família com os jovens. Falta de outras oportunidades: lazer, esporte, cursos... Falta de policiamento.

Uma família mais rígida. Mais oportunidades para os jovens. Investir mais nas escolas. Maior número de policiais nas ruas.

Acesso limitado a eventos culturais.

Eventos realizados longe do bairro. Poucos meios de transporte para ir ao local do evento.

Realizar mais atividades no subúrbio. Maior quantidade de transporte na cidade.

Falta de cuidado da comunidade com o local em que vive.

Falta de informação, por parte dos moradores, em relação à preservação do meio ambiente. Falta de punição quando se danifica o patrimônio público.

Campanhas de conscientização para cuidar do bairro. Punição para quem suja as ruas. Família estimular as crianças a cuidarem do bairro.

Poucas bibliotecas no território.

Moradores que não cobram a construção de novas bibliotecas.

Mobilização dos moradores para reivindicar à Prefeitura mais bibliotecas.

Falta de mercado e padaria em alguns bairros.

Acesso difícil ao bairro. Empresários locais não têm estímulo.

Melhorar acesso ao bairro. Estimular a abertura de novos comércios por parte da Prefeitura.

Alta taxa de homicídios entre os jovens.

Envolvimento de jovens no tráfico de drogas. Violência policial e abuso de autoridade policiais que matam jovens.

Estimular jovens a participarem de projetos e não se envolverem em drogas. Preparar polícias para atender melhor a população.

27


28


PREFEITURA-BAIRRO III Cajazeiras

Área Nº

Bairros

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

1

Águas Claras

37.029

4.853

3,55

354,85

2

Boca da Mata

8.068

896

1,43

143,37

3

Cajazeiras II

1.137

109

0,51

51,21

4

Cajazeiras IV

3.364

398

0,37

37,35

5

Cajazeiras V

5.422

599

0,65

64,93

6

Cajazeiras VI

7.341

902

0,42

41,96

7

Cajazeiras VII

4.524

549

0,41

40,86

8

Cajazeiras VIII

13.013

1.521

1,27

127,15

9

Cajazeiras X

8.513

932

0,67

67,46

10

Cajazeiras XI

16.899

2.127

3,15

315,11

11

Castelo Branco

33.510

4.089

2,28

228,40

12

Dom Avelar

11.842

1.293

0,77

76,62

13

Fazenda Grande I

11.459

1.398

1,23

123,14

14

Fazenda Grande II

18.159

2.134

2,12

211,80

15

Fazenda Grande III

7.464

810

0,83

82,81

16

Fazenda Grande IV

4.774

583

1,11

110,52

17

Jaguaripe I

5.487

723

1,38

138,01

198.005

23.916

22,16

2.215,54

29


Prefeitura-Bairro III - Cajazeiras A subprefeitura de Cajazeiras compreende 17 bairros distribuídos numa área de 22,18 km², com um a população total de 152.653 habitantes, que corresponde a 8,9 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 18 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 10 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Black House. • Mundial dance. • Balé da comunidade. • Grupo Clips. • Grêmio do Colégio Raymundo de Almeida Gouveia. • Leões de Judah. • Grêmio do Colégio Ana Bernardes. • J.D.C- Jovens Desenvolvendo a Comunidade. • Grupo Salvação. • K Off Dance. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 61 adolescentes do território de Cajazeiras. Os grupos ouvidos foram:

31


• Centro Cultural Edson Souto – Fazenda Grande II – segmento Arte e Cultura. • Centro Comunitário Castelo Branco. • Centro Cultural Edson Souto – Fazenda Grande II – Segmento Religioso. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/ comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Falta de emprego no bairro.

Falta de preparo de quem busca emprego. Falta de vagas. Jovens sem experiência.

Capacitação para moradores. Estimular mais vagas locais. Estimular empresas a se instalarem no local. Empresas contratarem mais jovens.

Falta de segurança nas ruas e na escola.

Ruas mal iluminadas. Pouco policiamento. Falta de ronda escolar.

Manutenção da iluminação nos postes. Ronda escolar. Mais policiais nas ruas. Monitoramento pelos moradores do trabalho dos policiais para garantir qualidade do serviço.

Poucos espaços de lazer.

Pouca mobilização comunitária na cobrança pela construção de espaços de lazer, a exemplo de praças, centros culturais, quadras esportivas e Centro Social Urbano.

Mobilização comunitária exigindo a construção dos espaços de lazer.

Ausência de manutenção dos espaços de lazer existentes.

Falta de investimento público na manutenção dos espaços. Pouca conservação dos equipamentos existentes por parte da comunidade.

Manutenção dos espaços de lazer, por parte do poder público. População ser estimulada à conservação do espaço .

32


Falta de acessibilidade para deficientes.

Bairro não planejado. Falta de investimento na área.

Organizar o bairro pensado na inclusão das pessoas com deficiência física. Mais ônibus adaptados com elevadores.

Estrutura precária em alguns Postos de Saúde.

Pouco investimento público na manutenção física dos Postos de Saúde.

Mais investimentos na manutenção física dos Postos.

Poucos Postos de Saúde.

Pouco investimento público na construção de Postos de Saúde.

Mais Postos de Saúde.

Falta de manutenção de algumas escolas públicas.

Pouco recurso para manutenção das escolas.

Investimento na manutenção das escolas.

Escolas com recursos humanos limitados.

Falta de concursos.

Mais concursos públicos.

Professores despreparados para lidar com situações de violências.

Falta de competência dos professores para lidar com situações de violências. Atitudes agressivas dos alunos.

Capacitação continuada para os professores, incluindo preparação psicológica para situações de violências.

Evasão Escolar.

Escola sem atrativo para os alunos Necessidade os alunos trabalharem.

Estimular aulas práticas. Ofertar bolsa para os alunos continuarem os estudos.

Recursos humanos. insuficientes nos Postos de Saúde.

Falta de concursos públicos.

Contratação de mais profissionais.

Mau atendimento nos Postos de Saúde.

Falta de preparo dos profissionais. Superlotação. Recursos humanos insuficientes nos Postos de Saúde.

(Re)qualificação dos profissionais. Construção de mais Postos de Saúde.

Falta de medicamentos nos Postos de Saúde.

Burocracia na distribuição dos medicamentos.

Tornar o processo de distribuição de medicamentos, nos Postos de Saúde, mais ágil.

33


PREFEITURA-BAIRRO IV Itapuã / Ipitanga

Área Nº

Bairros

1

Aeroporto

2

Alto do Coqueirinho

3

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

_

km²

Hectares

10,12

1.011,62

11.145

1.398

0,47

46,56

Areia Branca

2.594

392

2,96

296,00

4

Bairro da Paz

19.407

2.938

1,40

140,04

5

Boca do Rio

48.032

5.253

2,69

268,79

6

Cassange

4.633

591

15,11

1.511,24

7

Imbuí

26.540

2.316

2,50

250,09

8

Itapuã

66.961

7.100

9,88

987,93

9

Itinga

11.951

1.474

3,38

337,61

10

Jardim das Margaridas

4.592

521

2,32

232,44

11

Mussurunga

30.838

3.442

4,90

489,73

12

Nova Esperança

6.732

977

11,70

1.169,80

13

Patamares

6.156

511

4,62

462,08

14

Piatã

11.441

1.028

6,18

618,06

15

Pituaçu

14.881

1.561

5,89

589,35

16

São Cristóvão

53.906

6.698

4,23

423,39

17

Stella Maris

20.641

1.809

5,47

546,60

198.005

38.009

22,16

2.215,54

35


Prefeitura-Bairro IV – Itapuã / Ipitanga A subprefeitura bairro de Itapuã/ Ipitanga reúne 17 bairros. É a maior em extensão – 93, 81 km², e uma das mais populosas também - 340.450 habitantes. A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 91 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 10 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • • • • • • • • • •

City Black. Coral da Paz. Guarda Mirim. GMAS. Grupo Escoteiro do Mar- Luís Tarquínio, Quarto-BA. Grêmio Estudantil Rotary. Adolescente Multiplicador do Protagonismo Juvenil na Baixa da Soronha. INTERACT Clube Colégio. Cia Mirim – Circo Picolino. Grupo Etnia.

Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 70 adolescentes do território de Itapuã / Ipitanga. Os grupos ouvidos foram: • AESOS – Imbuí. • Casa da Música. • Colégio Estadual Rotary. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. 37


Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Poluição (lixo).

Falta de postos de coleta seletiva. Falta de consciência da população para solucionar as questões relacionadas ao lixo. Queima de lixo. Falta de saneamento básico.

As autoridades precisam dar mais atenção para a poluição do lixo urbano. Falta de orientação para descarte do lixo. Melhorar os horários da coleta de lixo e conscientizar a população sobre a coleta seletiva.

Lixo (doenças causadas pelo lixo).

Descarte do lixo em áreas impróprias.

Ter ações da Prefeitura para resolver os problemas do lixo. As pessoas devem jogar o lixo nas áreas apropriadas. Conscientizar as pessoas a manterem a cidade limpa.

Problemas na saúde pública.

Falta de médicos. Falta de atendimento médico, devido ao número insuficiente de médicos para a população. Falta de mobilização social para reivindicar seus direitos. Falta de ações governamentais para resolver os problemas da saúde pública. Falta de investimentos dos governantes. Falta de especialidades médicas nos postos do bairro. Há poucos hospitais. Atendimento ruim nos Postos de Saúde e morosidade no atendimento (filas). Falta de materiais, medicamentos e infraestrutura para realizar os atendimentos. Algumas pessoas que precisam de remédios não têm acesso a estes, pois o governo não fornece a quantidade necessária sendo assim, as pessoas que precisam de medicamentos e não têm acesso a estes, têm uma baixa qualidade de vida devido aos problemas de saúde.

Denúncia dos problemas pela população. Marcar com antecedência o atendimento médico para garantir as consultas. Ter uma equipe na saúde, para orientar o planejamento familiar. Ter consciência ao escolher os governantes. Construir mais hospitais. Ter mais médicos nos hospitais. Ter mais investimento para saúde pública. Ter mais médicos nos postos de saúde. Ter mais medicamentos que são essenciais para pessoas com doenças crônicas (hipertensão, reposição hormonal, diabetes). Melhorar a estrutura, infraestrutura e atendimento dos postos de saúde e hospitais públicos. Ter as principais especialidades nos postos de saúde.

38


Falta de água.

Desperdício de água.

Economizar água.

Criminalidade alta no bairro (roubo, assaltos e tráfico de drogas).

Falta de emprego. Falta de áreas de lazer e projetos sociais.

Abrir mais vagas de emprego. Ter mais projetos sociais.

Buracos nas pistas.

Os governantes usam borra de asfalto nas pistas.

Reparar as ruas com asfalto de qualidade.

Falta de iluminação.

Falta de manutenção na iluminação pública. Falta de interesse da Prefeitura para resolver os problemas dos bairros periféricos.

Cobrar ações da Coelba, e realizar o monitoramento.

Desmoronamento de casas.

Falta de contensão de encostas.

Construção de contenções de encostas pelo poder público.

Falta de quadras esportivas.

Falta de ações da Prefeitura na área de lazer e esporte.

Mais investimentos do poder público em quadras e áreas de esporte.

Lixo jogado em áreas improprias: ruas e praias.

Falta de ações da Prefeitura para a coleta de lixo nas ruas e nas praias. Desleixo da população que descarta lixo nas praias e nas ruas. Alguns bairros da comunidade não têm coleta de lixo.

Leis mais rígidas para punir quem descarta lixo nas ruas e nas praias. Campanhas de conscientização voltadas para o descarte indevido do lixo nas ruas e nas praias.

Falta de água.

Desperdício de água.

Economizar água.

Falta de saneamento básico e problemas nas redes de esgoto.

Falta de reparo nas ruas onde ocorrem obras para consertos nas redes de esgoto. Falta de mobilização social para resolver os problemas referentes à rede de esgoto. Entupimento da rede de esgoto na época de chuva. Falta de redes para águas da chuva (redes pluviais). Bueiros costumam estar entupidos (devido ao lixo), fazendo com que ocorram alagamentos. Falta de ações governamentais para solucionar os problemas do esgoto.

Mobilizar os adolescentes e a comunidade como um todo, para que se comuniquem e se articulem a fim de resolver os problemas das comunidades. Cobrar, do poder público, ações para resolver os problemas do esgoto. Conscientizar a população para não jogar lixo nos locais indevidos. A população deve denunciar os problemas da rede de esgoto. Reparar as redes de esgoto.

39


40


41


Falta de segurança pública - violência, delitos.

Crescimento da marginalidade (violência e delitos). Falta de policiamento. O governo não desenvolve ações para resolver os problemas referentes ao crime. Dificuldades dos adolescentes em denunciar os delitos, devido ao fato de serem menores de idade. Violência. Falta de ronda escolar. A população não se mobiliza para solucionar os problemas de segurança. Tráfico de drogas. Falta de iluminação pública em pontos importantes para o cidadão como, por exemplo, em pontos de ônibus. Falta de delegacias em alguns bairros. Falta de educação doméstica e estrutura familiar.

Mobilizar os adolescentes e a comunidade para que se comuniquem e se articulem a fim de resolver os problemas das comunidades. Cobrar do, poder público, ações de combate à violência. Denúncia dos problemas pela população. Aumentar o policiamento nos bairros. Aumentar a segurança nas escolas públicas. Ter mais palestras voltadas para a educação doméstica. Criar mais bases comunitárias nos bairros. Realizar ações e projetos que repercutam na redução da violência como, por exemplo, projetos socioeducativos.

Drogas e tráfico de drogas.

Falta de mobilização social para resolver o problema das drogas. Falta de ações governamentais para resolver os problemas das drogas. Falta de oportunidades. Falta de atividades e cursos esportivos e culturais. Déficit na educação. Falta de cursos para adolescentes. Falta de projetos sociais.

Ter mais clínicas de tratamento. Ter mais cursos para jovens. Criar mais projetos sociais para os adolescentes.

Violência.

Violência verbal. Falta de educação das pessoas que não respeitam o outro.

Ter mais projetos sociais. A sociedade precisa respeitar as diferenças. As pessoas precisam ser mais amigas, ajudar o outro.

42


Problemas de mobilidade urbana Transporte público.

Falta de ações da Prefeitura para resolver o problema do transporte público. Desconforto nos coletivos. O motorista não respeita os passageiros e não param nos pontos de ônibus. Os pontos de ônibus são desertos. Há muitos assaltos nos coletivos. Os ônibus ‘’novos’’ são ruins. Os ônibus são muito sujos, pois as pessoas não descartam o lixo nos locais apropriados. Há poucos ônibus. Os empresários não pensam na população.

Impor limite máximo de passageiros nos coletivos. Aumentar a fiscalização no trânsito. Aumentar a frota de ônibus. Ter leis de trânsito mais severas. Ter campanhas de conscientização do trânsito. Aumentar a fiscalização.

Fata de oportunidade para ter acesso a uma educação de qualidade.

Falta de ações governamentais para oferecer uma educação de qualidade. Falta de programas voltados para os jovens.

Ter mais estágios que capacitem o adolescente para a vida profissional. Oferecer oficinas culturais.

Falta de possibilidades de lazer (áreas de lazer e ações culturais).

Não existem investimentos para essa área. A população não se mobiliza para solucionar o problema da falta de áreas de lazer. Há apropriação indevida das áreas de lazer dentro das escolas (quadras). Os alunos têm dificuldade de acessar as quadras dentro das escolas. A Prefeitura não atende as demandas das associações para construção de áreas de lazer. A polícia impede a comunidade de fazer qualquer ação na comunidade, sem que antes haja uma autorização. Falta de investimento em grupos culturais e formação cidadã.

Ter mais investimentos e possibilidades de lazer. Mobilizar os adolescentes e a comunidade para que se comuniquem e se articulem a fim de resolver os problemas das comunidades. Cobrar do, poder público, ações no bairro. A comunidade não preserva as poucas ações que o governo faz por exemplo, quando o governo realiza a requalificação de uma praça, a população não tem cuidado. Os governantes precisam desenvolver ações conjuntas com os moradores dos bairros. Ter mais investimentos para grupos culturais e cidadãos.

Falta de emprego.

Falta de oportunidades (vagas) de emprego. Falta de programas voltados para os jovens. Falta de qualificação profissional.

Ter mais oportunidade emprego (vagas).

Falta de creche pública nos arredores da escola.

A população não se mobiliza para solucionar o problema. O governo não desenvolve ações para construção de creches.

Cobrar, do poder público, ações para o bairro.

43

de


Violência policial (abuso de poder).

A violência policial na comunidade é muito séria. Abuso de poder.

Realizar manifestações para denunciar os problemas de violência policial. Divulgar as violências cometidas pelos policiais nas redes sociais e imprensa. Os governantes precisam desenvolver ações conjuntas com o bairro para evitar esse tipo de violência.

Problemas na educação pública.

Os alunos não têm todas as aulas durante o dia. Falta de mobilização social para resolver os problemas relacionados à educação. Falta de ações governamentais para resolver os problemas da educação. Falta de professores. Falta de estrutura física nos colégios. Falta de assistência da Secretaria de Educação. O colégio não oferece assistência para os alunos. Lanche ruim oferecido pelas escolas. Falta uma educação pública de qualidade.

Escolher melhor os governantes. Denúncia dos problemas pela população. Fazer denúncias nas escolas alguns alunos, apesar de não terem o rendimento necessário para passar de ano, são aprovados. Ter mais investimentos na educação. Ter mais professores nas escolas públicas. Ter mais palestras nas escolas voltadas para a educação. Investir em movimentos socioeducativos. Falta de soluções da Secretaria de Educação para os problemas das escolas.

44


PREFEITURA-BAIRRO V Cidade Baixa

Área Nº

Bairros

Total de Adolescentes Habitantes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

1

Boa Viagem

2.322

210

0,24

23,99

2

Bonfim

9.446

900

0,90

90,06

3

Calçada

5.024

574

0,73

73,50

4

Caminho de Areia

12.318

1.179

0,37

37,14

5

Lobato

29.169

3.653

1,51

150,82

6

Mangueira

12.310

1.442

0,28

28,24

7

Mares

2.359

248

0,26

26,49

8

Massaranduba

20.160

2.265

0,53

53,02

9

Monte Serrat

6.590

685

0,42

41,89

10

Ribeira

19.578

2.104

0,86

85,68

11

Roma

3.636

321

0,27

26,99

12

Santa Luzia

7.702

1.025

0,40

39,57

13

Uruguai

30.370

3.401

0,91

90,92

14

Vila Ruy Barbosa/Jardim Cruzeiro

19.448

2.112

0,42

42,04

180.432

20.119

8,10

810,35

45


Prefeitura-Bairro V – Cidade Baixa A subprefeitura da Cidade Baixa engloba 14 bairros com 180.432 habitantes numa área pequena, de apenas 8,10 km², no entanto, densamente povoada - 22,3 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 19 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 08 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Conspiração. • Força na Sapatilha. • Os Novatos. • Danc’art. • Renascer. • Grêmio Colégio Costa e Silva. • Corpo de Baile Raízes Black. • Grupo Omo Ayê de Capoeira. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 60 adolescentes do território de Cidade Baixa. Os grupos ouvidos foram: • Espaço Cultural Alagados – Uruguai. • Colégio da Polícia Militar – CPM – Boa Viagem. • Escola Primeiro de Maio – Massaranduba.

47


A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado.

Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Violência e aumento da criminalidade.

Falta de investimento do Governo. Incentivo à violência nos Programas de TV. Falta de policiamento. Falta de preparo dos policiais. Falta de oportunidade de emprego e renda para as pessoas. Falta de perspectivas de futuro. Falta de união da comunidade para denunciar os fatos ocorridos. Falta de amor pelo próximo.

Efetivação das rondas escolares. Maior mobilização da comunidade para solucionar seus problemas. Mais policiamento nas ruas. Melhor formação dos policiais para lidar com a sociedade. Maior punição para os bandidos. Mais educação.

Homicídios.

Falta de segurança.

Mais policiamento nas ruas.

Abuso de poder dos policiais

Abordagem equivocada dos policiais. Falta de punição devida para os policiais. Policiais mal preparados;

Punição para diminuir as abordagens incorretas dos policiais militares. Educação, treinamento para policiais militares. Movimentos sociais promoverem diálogo entre a comunidade e a polícia.

Ausência de espaços públicos para o lazer das crianças.

Espaços voltados para as crianças sendo usados para outros fins e públicos.

Construção de espaços voltados para as crianças. Mobilização da comunidade para o uso devido dos espaços.

Educação precária.

Falta de atenção do Governo com as escolas; Falta de verbas para manutenção das escolas;

Mais professores qualificados para atuar com os alunos; mais/melhores estruturas nas escolas.

Bulling nas escolas.

Falta de educação em casa. Falta de respeito com o outro.

Acionar a direção da escola para chamar a família e orientá-la.

48


Falta de espaços culturais.

Porque a comunidade ainda não solicitou. Falta de interesse do Governo em construí-los.

A comunidade e as ONGs solicitarem do Governo a construção de Espaços Culturais.

Criança fora da escola.

Falta de atrativos na escola. Crianças trabalhando para ajudar a família.

Tornar a escola mais atrativa, inserindo dinâmicas e filmes educativos em sala de aula. Professores mais informados para trazerem conteúdos atrativos.

Crianças envolvidas no tráfico.

Falta de estrutura familiar. Faltas de esporte, cultura e lazer para as crianças.

Realização de mais oficinas voltadas para crianças, adolescentes e jovens. Incentivar iniciativas de esporte, cultura e lazer para as crianças.

Aborto entre adolescentes.

Falta de informação. Falta de apoio da família.

Usar camisinha. Promover ações de palestras informativas. Disseminar informação para os pais. Estimular o diálogo entre pais e filhos sobre sexo.

Exploração sexual de adolescentes.

Vulnerabilidade da família dos adolescentes e jovens. Falta de perspectiva de vida por parte de adolescentes e jovens.

Maior acesso dos jovens e adolescentes à informação, educação e cultura. Mais projetos sociais envolvendo adolescentes e jovens.

Aumento da marginalidade.

Falta de oportunidade de acesso à cultura e lazer para ocupação do tempo ocioso dos adolescentes.

Projetos que fomentem o acesso à cultura e à educação.

Consumo de drogas.

Falta de amor, família, educação, comunicação. Falta de oportunidades na vida.

Mais oportunidades de acesso a cursos profissionalizantes. Criação de mais empregos.

Tráfico de drogas.

Muitos jovens acham que é o melhor caminho para ganhar dinheiro fácil. Falta de oportunidades - o jovem acaba entrando nesse caminho por causa do dinheiro fácil. Falta de policiamento nas ruas.

Mais oportunidades de emprego. Punição/ cadeia. Mais Centros Culturais - para ocupar o tempo das pessoas. Mais espaços de lazer - para ocupar o tempo das pessoas.

49


50


51


Ensino de má qualidade.

Falta de professores qualificados para ministrar aulas. Falta de interesse por parte do estudante.

Mais investimentos em educação e cultura. Maior acesso dos adolescentes à cultura, especialmente a shows. Qualificação dos professores.

Carros estacionados em cima de passeios.

Falta de estacionamentos

Construção de mais estacionamentos;

Ruas esburacadas

Chuvas. Carros pesados. Falta de saneamento básico .

Ter asfaltos de qualidade. Fazer reposição do asfalto.

Preconceito contra homossexuais.

Nem todo mundo aceita, sobretudo as pessoas que têm Religião.

Pessoas aprenderem a conviver e respeitar as diferenças.

Racismo.

Preconceito com a cor das pessoas. Discriminação - alguns acham que quem tem a pele clara é superior a quem tem a pele negra. Segregação social – a sociedade separa o branco do negro.

Organizar campanhas de conscientização. Mais projetos voltados para a questão do racismo, sobretudo nas escolas. Mais respeito entre as pessoas. Punições mais severas.

Violência sexual (Estupros)..

As pessoas violentam e não têm punição. Pessoas descontroladas.

Punição severa. Prisão perpétua.

Abuso sexual contra crianças e adolescentes.

Falta de atenção das famílias.

Mais atenção das famílias.

Conflito entre vizinhos.

Falta de respeito entre as pessoas.

Trabalhos grupais para realização de atividades de conscientização.

Falta de moradia.

Falta de investimento do Governo

Maior investimento em Programas habitacionais.

Falta de saneamento básico.

Falta de investimento do Governo em saneamento básico. Falta de rede de esgotos. Ausência de infraestrutura. Muito lixo acumulado.

Trabalhos grupais para realização de atividades de conscientização. Maior eficácia da EMBASA. Mais comunicação na comunidade. Fazer mutirões de limpeza bimestral.

Poluição (lixo).

Falta de educação das famílias.

Maior conscientização quanto ao descarte e coleta de lixo.

Poluição sonora.

Alto volume dos carros de som.

Maior controle na fabricação e uso do som.

52


Iluminação.

Poucos postes.

Acrescentar mais lâmpadas e postes de iluminação. .

Falta de iluminação nos equipamentos de lazer (Praça do Leblon).

A obra [da praça] foi mal feita.

Mais iluminação. Mais recursos para a construtora terminar a obra.

Atendimento precário na área de saúde.

Falta de investimento do Governo. Falta de médicos. Falta de medicamentos. Falta de capacitação dos médicos. Falta de UPAS e de hospitais.

Mais ambulâncias. Contratar mais médicos. Governo fornecer medicamentos para UPAS e hospitais. Melhor capacitação e remuneração dos médicos. Construção de mais UPAS e hospitais.

Trabalho infantil em lava jato clandestino.

Necessidade financeira da família.

Embargar o lava jato clandestino.

Acidentes de trânsito.

Ruas esburacadas.

Recapeamento das ruas.

Relação entre as próprias crianças e adolescentes.

Falta de respeito. Falta de educação. Falta de união.

Realização de palestras. Mais amor.

Falta de reconhecimento dos adolescentes por seus talentos.

Governo não oferece oportunidades.

Mais projetos de estímulo, incentivo aos adolescentes.

Bulling.

Falta de compreensão dos colegas para conviver com as diferenças.

Falar sobre o assunto nas escolas, tento com os alunos, como com pais e professores.

Casas desabando.

Chuvas.

Mais reformas.

53


PREFEITURA-BAIRRO VI Barra / Pituba

Área Nº

Bairros

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

1

Alto das Pombas

3.823

403

0,13

13,40

2

Amaralina

4.125

306

0,48

47,62

3

Barra

17.298

1.080

1,35

135,08

4

Calabar

6.484

755

0,14

14,13

5

Caminho das Árvores

12.323

946

2,05

204,52

6

Canela

5.339

391

0,37

36,55

7

Chapada do Rio Vermelho

21.955

2.636

0,61

61,16

8

Costa Azul

20.204

1.861

1,05

104,58

9

Engenho Velho da Federação

24.555

2.693

0,60

60,08

10

Federação

36.362

3.541

2,15

215,06

11

Graça

18.454

1.311

0,86

86,03

12

Itaigara

10.874

912

1,25

124,90

13 '

Jardim Armação

3.025

235

1,03

102,90

14

Nordeste de Amaralina

21.887

2.327

0,64

64,27

15

Ondina

20.298

1.699

2,07

207,11

16

Pituba

65.160

5.525

4,43

442,73

17

Rio Vermelho

18.334

1.490

1,70

169,86

18

Santa Cruz

27.083

3.226

0,60

60,10

19

STIEP

13.646

1.148

1,25

124,53

20

Vale das Pedrinhas

5.162

589

0,16

15,59

21

Vitória

5.225

364

0,31

31,24

361.616

33.438

23,21

2.321,44

55


Prefeitura-Bairro VI – Barra / Pituba Essa subprefeitura congrega 21 bairros entre os mais nobres da cidade e, portanto, a população com maior poder aquisitivo. Dotado de infraestrutura e de serviços básicos, possui uma população de 361.616 habitantes distribuídos numa área de 23,21 km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 29 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 11 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • REJUPE. • Grêmio Cultura – Colégio Oficina. • Ballet Absolut do Calabar. • Grêmio Estudantil Revolucionário do Odorico Tavares – GEROT. • GCBCAP- Grupo Comunitário de Basquete Calabar e Alto das Pombas. • Aliança Thales ( Grêmio Estudantil). • Grêmio República dos Estudantes. • Grupo de Escoteiros – Cardeal da Silva. • Quabales- Grupo de percussão. • UCSAL- GRUPO RELIGIOSO. • Associação Cultural Ginga N-Ativa Capoeira. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta

57


na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 57 adolescentes do território de Barra / Pituba. Os grupos ouvidos foram: • Colégio Eurícles de Matos – Rio Vermelho. • CAES – Centro de Aprimoramento para Surdos. • Grupo de Esporte – Basquete – Garcia. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/ comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Há poucos cursos de libras.

Faltam cursos de libras.

A libra deveria ser obrigatória para todos os profissionais. Deveria ter intérpretes em todos os espaços da cidade.

Problemas de mobilidade urbana – Trânsito e congestionamentos.

Excesso de veículos.

Ter um transporte público de qualidade.

Problemas de mobilidade urbana- mau atendimento do transporte público.

Falta de fiscalização. Poucas pessoas denunciam os problemas no transporte público. Tem poucos ônibus. Os motoristas dos ônibus se recusam a pegar passageiros, principalmente idosos. Os motoristas dos ônibus se recusam a parar nos pontos. Faltam investimentos nos transportes públicos.

Conscientizar as pessoas a realizarem denúncias. Conscientizar os empresários a oferecer um transporte público de qualidade. Ter um diálogo entre a esfera pública e privada para pensar soluções para o problema de mobilidade urbana.

Deslizamentos de terra.

Falta de estrutura (encostas).

Construção encostas.

Falta emprego para os jovens.

A situação econômica do país afetou o mercado de trabalho.

58

nos

bairros

de

contenções

de

Ter um diálogo entre as esferas pública e privada para pensar soluções para o problema de falta de emprego para os jovens.


Inflação.

Situação econômica do país.

Ter um diálogo entre as esferas pública e privada para pensar soluções de como reduzir a inflação no país. O governo deve desenvolver ações conjuntas com a comunidade.

Violência (briga e tiroteio).

Falta de respeito e amor entre as pessoas. Falta de segurança. Falta de educação. As pessoas discutem e não respeitam as diferenças. Consumo de drogas lícitas e ilícitas. Tráfico de drogas. Os policiais são muito violentos.

Melhorar a estrutura da escola. Melhorar a remuneração dos professores, Estabelecer um novo plano de ensino com métodos dinâmicos. Criar e melhorar o planejamento e educação familiares. Ter mais policiamento. Criar mais projetos voltados para arte e esporte na comunidade. Ter mais paz e amor.

Falta de segurança pública.

Falta de comprometimento policiais com a população. Falta de educação.

Ter mais ações governamentais de investimento e capacitação para os profissionais da área. Realizar denúncias. O governo precisa reformar as ações politicas. Aumentar o policiamento. Investir em tecnologias de seguranças (câmeras). Ter um diálogo entre as esferas pública e privada para pensar soluções para os problemas. O governo deve desenvolver ações conjuntas com a comunidade.

Falta de fiscalização. Falta de policiamento. Abuso de poder pelos policiais.

Falta de policiamento.

Falta de atenção dos órgãos competentes. Falta de atenção da mídia. Falta de investimentos das instituições para os bairros periféricos. Os problemas ficam na invisibilidade.

59

dos

É necessário que sejam criados mecanismos para conscientizar a população e as entidades responsáveis para resolver os problemas.


60


61


Tráfico de drogas.

Desemprego e falta de oportunidades. Tiroteios. Rixa entre traficantes. Demarcação de território. A educação nas escolas não é atrativa, fazendo com que os adolescentes abandonem os estudos e fiquem à mercê do tráfico.

Ter mais ronda policial, trailer móvel e ronda a pé. Criar mais cursos profissionalizantes para a população em geral. Dar mais oportunidades de emprego. Ter mais áreas de lazer e atividades para os jovens saírem das ruas. A comunidade deveria cobrar, do governo, mais incentivos para criar projetos sociais para adolescentes. Criar incentivos para os adolescentes estudarem.

Drogas.

Falta de estrutura familiar.

Aumentar a orientação sobre as questões relacionadas às drogas. Aumentar o policiamento. Ter escolas mais atrativas para os jovens. Ter mais opções de lazer para os jovens. Ter mais segurança e policiamento nas escolas. Ter mais ações nas escolas voltadas para o esporte.

Falta de saneamento básico - problemas relacionados ao esgoto.

Esgoto a céu aberto. Falta de manutenção das redes de saneamento (esgotos entupidos). Falta de educação. Falta de conscientização das pessoas para solucionar o problema. Falta de planejamento urbano. Crescimento urbano desordenado. Falta de coleta seletiva e esgotos entupidos por causa do lixo. Falta de atenção dos órgãos competentes para as questões relacionadas ao saneamento básico. Falta de visibilidade do problema pela mídia. Falta de investimentos das instituições para os bairros periféricos. Falta de fiscalização.

Estabelecer planos de infraestrutura, melhorias na qualidade de vida. Coleta seletiva (Reciclagem). É necessário que sejam criados mecanismos para conscientizar a população e as entidades responsáveis para resolver os problemas. Os problemas ficam na invisibilidade.. Desenvolver políticas de bairro. Realizar denúncias. É necessário que haja prioridade nas ações. Ter mais saneamento básico.

Crescimento desordenado.

Falta de conhecimento sobre sexo.

Realizar palestras sobre o assunto. Trabalhar nas escolas o tema de prevenção e DSTs.

demográfico

62


Corrupção.

Os governantes não realizam construções nos bairros. Falta de fiscalização. Os governantes não pensam na comunidade.

Escolher melhor os políticos.

Falta de incentivo e recursos para os profissionais do bairro desenvolverem ações sociais na comunidade, principalmente na área de educação e esportiva.

O governo não dá importância necessária à educação esportiva. O governo não investe em esporte.

Ter mais investimento financeiro na área.

Problemas relacionados ao lixo urbano (poluição).

Falta de atenção dos órgãos competentes para as questões do lixo. Falta de investimentos das instituições para os bairros periféricos. Falta de visibilidade do problema pela mídia. Falta de fiscalização. Falta de consciência das pessoas. Falta de educação das pessoas. Os problemas ficam na invisibilidade.

Realizar denúncias. Ter ações governamentais para resolver a questão do lixo. Ter pessoas responsáveis por fiscalizar o descarte em áreas indevidas. Conscientizar as pessoas nas questões relacionadas ao lixo. Ter mais investimento na educação. Coleta de lixo. Ter mais lixeiras nas ruas. Ter projetos de conscientização sobre a poluição do lixo na comunidade.

Discriminação.

Os jovens são desrespeitados pelas autoridades - abuso de poder policial. Os problemas ficam na invisibilidade.

É necessário que sejam criados mecanismos para conscientizar a população e as entidades responsáveis para resolver os problemas. Todos deveriam respeitar um ao outro, se isso acontecesse não teríamos tantos problemas, nem de racismo.

Poluição ‘’sonora’.’

Falta de fiscalização.

Realizar denúncias.

Falta de conscientização das pessoas. Homofobia.

Violência verbal, bullying. Falta de educação das pessoas que não respeitam os outros. Falta de estrutura familiar.

63

Realizar palestras de conscientização.


Problemas na saúde.

Falta de postos de saúde. Falta de atendimento, remédios e equipamentos hospitalares.

Melhorar o atendimento médico. Ter hospitais de qualidade. Ter médicos de qualidade. Aumentar o número de postos de saúde.

Falta de estrutura familiar.

Falta de união e compreensão da família. Os jovens não gostam de escutar a família. Falta de educação familiar.

Ter mais palestras sobre estrutura familiar. Realizar mais palestras sobre educação sexual. Ter mais palestras sobre drogas lícitas e ilícitas. Ter uma educação pública de qualidade, Ter incentivos para os professores.

Falta de áreas de lazer.

Não há investimentos para lazer nas comunidades. A população não cuida dos espaços de lazer.. As áreas de lazer estão poluídas ( com muito lixo). Falta consciência das pessoas para cuidar das áreas de lazer.. Faltas de áreas de lazer: parques e quadras.

Melhorar a estrutura das escolas, cobrir as quadras esportivas. Ter mais investimento em eventos culturais. Vale/cultura para que as pessoas possam ter acesso ao teatro. Ter mais áreas de lazer- praças, parques e quadras poliesportivas.

Problemas na educação pública.

Número insuficiente de escolas. Alunos desinteressados. Falta de interesse dos professores. Falta de quadras esportivas. Falta de estrutura familiar.

Ter mais escolas. Professores de qualidade - dar incentivo aos professores. Melhorar a infraestrutura das escolas. Ter professores de qualidade e mais capacitados. Ter mais projetos socioculturais nas escolas - por exemplo, surf e dança. Aumentar os investimentos para a educação.

64


PREFEITURA-BAIRRO VII Liberdade / São Caetano

Área Nº

Bairros

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

1

Alto do Cabrito

17.051

2.287

1,11

111,29

2

Baixa de Quintas

2.135

222

0,25

24,67

3

Boa Vista de São Caetano

17.688

2.210

0,59

58,96

4

Bom Juá

15.528

1.857

0,42

42,15

5

Caixa D'água

22.446

2.366

0,80

80,30

6

Campinas de Pirajá

11.673

1.460

0,96

95,71

7

Capelinha

16.033

1.933

0,42

42,01

8

Cidade Nova

18.722

2.059

0,59

59,37

9

Curuzu

16.681

1.878

0,39

38,55

10

Fazenda Grande do Retiro

53.806

6.248

1,48

148,29

11

IAPI

24.452

2.829

0,98

98,32

12

Lapinha

5.004

450

0,33

32,80

13

Liberdade

41.802

4.365

1,21

121,24

14

Marechal Rondon

19.470

2.295

0,65

64,84

15

Pau Miúdo

20.740

2.252

0,70

70,44

16

Pero Vaz

22.054

2.546

0,46

45,68

17

Retiro

262

23

1,10

110,22

18

Santa Mônica

7.389

774

0,32

31,92

19

São Caetano

51.159

5.853

1,69

169,33

384.095

43.907

14,46

1.445,92

65


Prefeitura-Bairro VII – Liberdade / São Caetano A subprefeitura Liberdade/São Caetano está constituída de 19 bairros e com uma população de 384.095 habitantes. É seguramente a mais densamente povoada com 26,6 habitantes por km², distribuídos em 14, 46 km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 25 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 06 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Grêmio Estudantil Colégio Estadual Celina Pinho. • Escola de Bíblica Jovem. • Unidade All Star Crew. • Grupo JTC- Juventude Transformando a Comunidade. • Grupo de Valsa Em Busca do Amor. • Grupo de Valsa Novos Sons. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 65 adolescentes do território de Liberdade / São Caetano. Os grupos ouvidos foram: • Ilê Aiyê – Liberdade. • Escola Celina Pinho. • Proj’Ecos – Caixa D’agua.

67


68


69


A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Pessoas em situação de rua.

Falta de oportunidade de emprego. Falta de apoio e investimentos do governo.

Construir centros de ajuda, onde se cuide da saúde das pessoas em situação de rua e ofereça a elas chances de emprego digno.

Violência policial.

Abuso de poder. Despreparo.

Formar os policiais nas academias. Fazer palestras. Investigar os policiais violentos. Orientá-los a ter mais respeito pela comunidade.

Ausência de projetos culturais, sociais e falta de estrutura nos poucos já existentes.

O governo não distribui o dinheiro dos impostos em projetos culturais e sociais.

Aumentar o número de projetos sociais, para as comunidades mais carentes, usando o dinheiro dos impostos de acordo com o tamanho da população, e fazer a fiscalização.

Falta de associações e lideranças nas comunidades.

Ausência de iniciativas da comunidade. Falta de estruturas e apoios para as associações.

Apoiar os jovens que são lideranças nas comunidades. Exemplo: grupos de dança, grupos de hip hop, grupos de poesia fazem eventos sem recursos e levam muita gente - precisam de apoios para desenvolver as ações, e de espaços para que esses eventos não sejam feitos nas ruas.

Racismo.

Preconceito com a comunidade carente. Situação de classes.

Respeitar as leis contra o racismo. Incentivar a comunidade e as escolas sobre seus direitos numa campanha contra o racismo.

Poluição sonora.

Falta de respeito ao cidadão na comunidade, nas escolas e em diversos órgãos.

Fazer palestras sobre cidadania, respeito e organização nas comunidades e escolas.

Saúde pública precária.

Falta de hospitais. Falta de equipamentos. Ausência de humanismo por parte de atendentes e médicos.

Investimentos diversos em estrutura humana e materiais nos postos, formação dos funcionários e contratação de médicos, observando o número da população.

70


Falta de apoio e respeito com a juventude.

Falta de oportunidades e investimentos para que a juventude mostre a sua capacidade de criar, de crescer e construir coisas positivas.

Promover programas para os jovens e adolescentes. Exemplos: cursos, oficinas e projetos - os projetos são poucos e nem tod@s têm conhecimento.

Falta de saneamento básico (esgoto, lixo e enchentes).

Falta de investimentos para o tratamento de esgotos, drenagens de córregos e águas de chuva. Falta de organização da comunidade para garantir a manutenção da limpeza.

Investir recurso na comunidade. Exemplo: tirar os lixos das ruas, esgotos abertos, ruas cheias de buracos.

71


PREFEITURA-BAIRRO VIII

Cabula / Tancredo Neves

Área

Total de AdolesHabitantes centes de 12 a 18 anos

Bairros

1

Arenoso

2

Arraial do Retiro

3

km²

Hectares

16.604

2.218

0,55

55,00

8.938

1.025

0,58

57,68

Barreiras

17.960

1.883

0,91

91,14

4

Beiru/Tancredo Neves

50.416

5.768

1,60

160,21

5

Cabula

23.869

2.237

3,44

343,88

6

Cabula VI

9.364

920

0,66

65,63

7

Calabetão

7.298

1.032

0,59

58,79

8

Centro Administrativo da Bahia

2,13

212,91

9

Doron

10

Engomadeira

11

8.742

640

0,34

34,21

12.550

1.411

0,35

35,40

Granjas Rurais Presidente Vargas

1.998

261

1,55

154,55

12

Jardim Santo Inácio

8.670

1.055

0,37

37,29

13

Mata Escura

32.349

3.702

2,78

277,64

14

Narandiba

14.368

1.856

1,12

112,37

15

Nova Sussuarana

12.206

1.758

49

48,90

16

Novo Horizonte

12.952

1.542

1,01

100,88

17

Pernarnbués

64.983

7.168

3,17

317,

18

Resgate

6.708

579

0,44

44,30

19

Saboeiro

6.682

647

1,02

101,82

20

São Gonçalo

17.275

2.028

0,75

75,41

21

Saramandaia

11.272

1.432

0,33

32,77

22

Sussuarana

28.809

3.544

1,55

154,64

374.013

42.706

25,73

2.572,73

73


Prefeitura-Bairro VIII – Cabula / Tancredo Neves A subprefeitura Cabula/Tancredo Neves é composta por 22 bairros, numa área geográfica de 26,73 km² e 374. 013 habitantes, com uma densidade populacional de 14,5 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 25 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 10 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Grupo Orôdance. • Mini Banda. • Instituto Comunitário de Iniciação Musical. • Novo Visual Dance • Grêmio do Colégio Daniel Comboni. • Banda Urbanidade Nagô. • Nova Semente / Grupo Articulador Conexão Vida. • Ágape. • Teatro Realidade. • Grupo de Poesia Impacto. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 68 adolescentes do território de Cabula / Tancredo Neves. Os grupos ouvidos foram:

75


• ACOPAMEC – Mata Escura. • CASE – Salvador. • CAPDEVER. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Tráfico e consumo de drogas.

Ausência de segurança pública. Ausência de policiamento e iluminação pública. Jovens nas ruas devido à ausência de oportunidades. Descaso do poder público. Ausência de lazer e educação precária dos adolescentes. Desestruturação familiar.

Maior atenção do poder público para a questão da segurança pública. Construção de mais postos policiais. Ampliação da iluminação pública. Criação de projetos sociais que auxiliem esses jovens. Construção de campos esportivos, parques, praças e escolas de ensino médio. Ampliação e melhoria dos centros de recuperação.

Violência.

Questões familiare.s Falta de amor ao próximo. Rixas entre os bairros causadas pelo tráfico de drogas. Ausência de oportunidades para os adolescentes. Falta de segurança pública.

Desenvolver políticas públicas de proteção e segurança. Ampliação do policiamento nas comunidades. Geração de emprego e renda. Organização e mobilização dos moradores das comunidades para reivindicar mais segurança pública.

Aumento da Criminalidade.

Existência de tráfico e consumo de drogas.

Ampliação de segurança pública e projetos de inclusão social nas comunidades.

Segurança pública precária.

Descaso dos poderes públicos. Má qualificação dos policiais. Ausência de iluminação. Ausência de policiamento. Pouco policiamento nas escolas.

Maior atenção do poder público para a questão da segurança pública. Implantação de mais postos policiais. Mais guardas municipais. Mais iluminação nas comunidades. Policiamento escolar constante.

76


As Unidades Socioeducativas são verdadeiras cadeias para menores.

O espaço físico é inadequado, faltam camas disponíveis e falta higiene nos quartos e nos alimentos oferecidos.

Respeitar o limite de adolescentes por quarto. Combater ratos e baratas. Mais atenção na higiene dos alimentos.

Cursos profissionalizantes fornecidos que não possibilitam o acesso de todos.

Exigência de escolaridade mínima, o que gera a exclusão da maioria.

Criação de cursos profissionalizantes que contemplem a todos(as) os(as) socioeducandos(as).

Lentidão para elaboração do Plano Individual de Atendimento – PIA, o que gera a demora para avaliação semestral da medida socioeducativa pelo Judiciário.

Insuficiência de profissionais para acompanhamento individual dos socioeducandos.

Ampliação de profissionais para acompanhamento individual dos socioeducandos.

Inexistência de ações de inclusão social após o cumprimento da medida socioeducativa.

Preconceito da sociedade e omissão do poder público.

Desconstrução do preconceito presente na sociedade e construção de ação de inclusão sociofamiliar por parte do poder público.

Violência física e verbal no interior da Unidade CASE.

Desrespeito aos direitos humanos.

Monitoramento das ações dos profissionais e divisão dos adolescentes por faixa etária e por tipo de ato infracional, a fim de prevenir a ocorrência de agressões. Conquista de direitos e respeito à Constituição e demais leis.

Desigualdades social, econômica e racial. Redução da maioridade penal.

A população atribui equivocadamente aos adolescentes e jovens a maioria dos crimes que ocorrem no país.

Investimento em mais educação para adolescentes e jovens.

Atendimento precário na área de saúde pública.

Falta de estrutura nas unidades de saúde e hospitais. Má alimentação da população. Falta de médicos nos postos de saúde e hospitais. Falta de técnico de enfermagem. Falta de medicamentos. Descaso do poder público.

Ampliação de hospitais públicos e postos de saúde. Desenvolver ações que estimulem a alimentação saudável da população. Contratação de médicos especializados. Maior qualificação dos médicos. Maior distribuição de medicamentos. Realizar manifestações reivindicando o atendimento das demandas da comunidade na área de saúde. Contratação de profissionais para o parto. Contratação de mais técnicos de enfermagem.

77


78


79


Ensino público precário.

Escolas sem estrutura. Falta de professores qualificados. Falta de investimento em educação por parte dos poderes públicos. Falta de escolas de ensino médio em Sussuarana. Ausência de organização e mobilização por parte dos moradores da comunidade para reivindicar melhorias na educação pública. Escolas públicas em imóveis alugados, a exemplo do Colégio Estadual Daniel Comboni.

Maior investimento do poder público nas escolas e em projetos sociais. Mais qualificação dos professores. Mais verbas para as escolas. Construção de uma escola de ensino médio em Sussuarana. Organização e mobilização dos moradores da comunidade para reivindicar melhorias na educação pública. Construção de escolas públicas em terrenos de propriedade do poder público.

Precariedade do transporte público.

Número reduzido dos ônibus. Superlotação dos ônibus. Ônibus mal conservados. Poluição sonora nos ônibus. Pontos de ônibus lotados. Ausência de organização e mobilização por parte dos moradores da comunidade para reivindicar ampliação da frota de ônibus. Ônibus não param nos pontos.

Ampliação da frota de ônibus. Mais qualidade no transporte público.

Trânsito precário no bairro

Engarrafamento constante. Ruas apertadas e esburacadas. Horário de carga e descarga do comércio desorganizado.

Fiscalização das leis de trânsito. Mais guardas de trânsito, sinalização, faixas e sinaleiras. Tapar buracos e ampliar as ruas. Desenvolver ações que estimulem o respeito ao próximo e o combate ao estacionamento nas calçadas.

Falta de lazer.

Descaso do poder público. Falta de praças públicas na comunidade. Falta de área de lazer.

Criação de novos projetos culturais. Construção de mais áreas de lazer.

Má distribuição do “bolsa família”.

Mau uso do dinheiro público.

Uso da verba do “bolsa família” apenas em estabelecimentos do governo, como a Cesta do Povo.

Corrupção.

Falta de ética dos políticos.

Punir os políticos corruptos.

80


Falta de oportunidade de trabalho.

Descaso do poder público.

Investimentos em ampliação de empregos.

Políticos que são eleitos e se ausentam da comunidade.

Falta de compromisso dos políticos com as demandas da comunidade.

Políticos comprometidos com as demandas da comunidade.

Falta de infraestrutura na comunidade.

Descaso do poder público.

Projetos urbanos de infraestrutura para as comunidades.

Coleta de lixo irregular.

Demora na coleta. Falta de educação dos moradores que colocam o lixo na hora errada. Ausência de organização e mobilização por parte dos moradores da comunidade para reivindicar a realização da coleta de lixo.

Botar mais caixas de lixo. Promover curso de reciclagem no bairro. Organização e mobilização dos moradores das comunidades para reivindicar a realização de coleta de lixo.

Racismo.

Preconceito. Inexistência de organização e mobilização por parte dos moradores da comunidade para combater o racismo.

Organização e mobilização dos moradores das comunidades para reivindicar o combate ao racismo.

81


PREFEITURA-BAIRRO IX

Pau da Lima

Área Nº

Bairros

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

13.664

1.575

2,44

244,02

7.572

1.006

0,69

69,05

km²

Hectares

1

Canabrava

2

Jardim Cajazeiras

3

Jardim Nova Esperança

14.008

1.656

1,25

125,19

4

Nova Brasília

16.716

2.032

2,94

294,25

5

Novo Marotinho

4.238

449

0,24

23,96

6

Pau da Lima

24.693

2.966

1,15

114,51

7

Porto Seco Pirajá

72

13

1,11

111,42

8

São Marcos

28.591

3.667

1,06

105,90

9

São Rafael

25.790

2.792

1,90

190,42

10

Sete de Abril

18.215

2.307

1,57

156,54

11

Trobogy

7.158

747

3,61

361,43

12

Vale dos Lagos

12.860

1.299

1,04

104,16

13

Vila Canária

11.218

1.262

0,90

89,71

184.795

21.771

19,91

1.990,57

83


Prefeitura-Bairro IX – Pau da Lima A subprefeitura de Pau da Lima tem apena 13 bairros com muitos conjuntos habitacionais - 184.795 habitantes distribuídos em 19,91 km², com uma densidade de 9,3 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 21 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 10 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • Grêmio do Colégio Estadual David Mendes. • Grêmio do Colégio Estadual de Pau da Lima. • Grêmio do Colégio Maria Amélia. • Grupo Força Jovem da Igreja Universal de Pau da Lima. • Grupo Evolução Real. • Grupo de Karatê de Jardim Cajazeiras. • Grupo de adolescentes de Igreja Batista de Pau da Lima. • Grupo de Capoeira Pé pro ar. • Grupo Dedo Verde / Articulador do Conexão Vida. • Grupo Evolução Real. • Grêmio do Colégio Estadual David Mendes. Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 65 adolescentes do território de Pau da Lima. Os grupos ouvidos foram: 85


• Terreiro – Sete de Abril. • Colégio Estadual Maria Amélia – Pau da Lima. • Colégio Estadual Rogério Rêgo. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Violência.

A comunidade não sabe como lidar com as situações de violência policial. Falta de oportunidade de empregos e de qualificação profissional, estimulando a violência. Falta de educação escolar e familiar a favor da paz. Falta de estrutura familiar. Agressão aos morados de rua.

Promover palestra nas escolas e comunidade, falando sobre a violência policial. Mais policiamento e realização de rondas. Desenvolvimento de projetos sociais. Qualificação dos policiais que atuam nas comunidades periféricas. Promover palestra nas associações de moradores, instruindo sobre como agir em situações de violência. Mudar a visão da comunidade em relação à polícia, de modo que haja mais confiança e segurança da população. Preparar os policiais, para que a violência venha diminuir. Preparar e educar a população para que ela venha contribuir com os policias. Mais policiamento.

Uso de drogas.

Drogas são encontradas facilmente nas comunidades. Falta de oportunidade de trabalho e outras opções de vida. Falta de educação escolar e familiar. Falta de comprometimento do governo com as crianças e adolescentes. Falta de estrutura familiar.

Acolher os usuários para educar e orientar sobre as consequências das drogas. Promover acompanhamento familiar para que os jovens possam sair do caminho das drogas. Mais projetos sociais para crianças e adolescentes, visando a prevenção e resgate do mundo das drogas.

86


Criminalidade.

Tráfico de drogas. Falta de policiamento na comunidade.

Conscientização da população para que não venha multiplicar o uso de drogas na comunidade. Participação da população no processo de reivindicações por ações sociais e na luta pelos direitos à uma vida segura. Mais policiamentos.

Boca de fumo na frente das escolas.

Falta policiamento na frente das escolas. Falta de atenção do poder público com as escolas públicas da comunidade.

Fazer manifestações para chamar a atenção das autoridades para que venha colocar mais rondas na frente das escolas.

Troca de tiros nas comunidades.

Disputa por pontos de vendas de drogas. Falta de policiamento. Despreparo da polícia para ação preventiva, controle da violência e preservação da vida.

Fazer manifestações para chamar atenção das autoridades para a fragilidade da segurança pública nas comunidades.

Ensino público precário.

Falta de professores. Falta de limpeza das escolas. Falta de lanches para os alunos. Falta de infraestrutura (equipamentos, quadras, laboratórios, bibliotecas). Falta de qualificação dos professores. Falta de comprometimento dos professores. Falta de interesse dos alunos. Falta de materiais escolares (livros, material didático). Currículo confuso (muitos assuntos ao mesmo tempo). Improviso de professores para as disciplinas.

Realização de reformas nos prédios das escolas públicas. Contratação de mais professores com qualificação. Mais respeito dos alunos para com os professores. Qualificação e valorização dos profissionais que atuam nas escolas. Acabar com a política de aprovação do aluno sem qualificação. Maior interesse e cuidado dos alunos com a escola. Boa remuneração dos professores. Projetos que estimulem os alunos a estudarem. Melhorar a qualidade dos lanches. Mais distribuição de materiais escolares. Adequação do currículo escolar aos dias atuais.

Saneamento básico/ esgoto.

Falta de atenção do governo com a infraestrutura do bairro. Falta de educação dos moradores. Falta de priorização das ruas nas baixadas. Coleta irregular do lixo.

Realização de mais obras de saneamento pelo governo na comunidade. Investir na educação dos moradores. Maior participação política da população e luta pelos seus direitos.

87


88


89


Atendimento precário na saúde pública.

Os médicos não se interessam para atender a população. Falta de postos. Falta de profissionais adequados e de médicos especialistas. Falta de equipamentos. Falta de remédios. Estrutura física inadequada das unidades de saúde. Falta de ações de prevenção na área de saúde. Falta de atenção do governo na formação dos profissionais na área de saúde. Epidemia do mosquito da dengue.

Contratação de profissionais mais interessados e qualificados na área de saúde.

Falta de área de lazer na comunidade.

Falta investimento do poder público em áreas de lazer. Falta de segurança pública para utilização dos espaços existentes.

Conscientização dos moradores. Participação da população na luta pelos direitos. Mais investimento do governo em área de lazer na comunidade.

Situação de pobreza das famílias.

Falta de emprego. Falta de qualificação profissional. Comodismo da população.

Realização de projetos sociais que estimulem a melhoria da renda das famílias. Promover projetos de qualificação profissionais. Estimular o interesse das pessoas para o trabalho. Fornecer informações sobre projetos e benefícios sociais para a comunidade. Retirar pessoas da rua e oferecer perspectiva de inclusão social.

90

Maior distribuição de remédios. Contratação de médicos especialistas para atendimento nas unidades de saúde. Melhoria do atendimento e realização de exames para evitar diagnósticos errados das doenças, a exemplo da virose. Melhor formação dos médicos para atenderem à população de baixa renda. Construções de mais postos de saúde na comunidade. Promover palestras para prevenir a população das doenças. Conservação do posto de saúde existente no bairro por parte do poder público e da população. Preservação do meio ambiente pela comunidade.


Racismo.

Discriminação dos(as) negros (as) no mercado de trabalho e na abordagem policial. Desrespeito e intolerância ao candomblé. Mentiras sobre religiões africanas. O racismo e a intolerância religiosa estão presentes em todos os espaços da sociedade, principalmente na escola. Os estudantes não têm uma educação contra o bullying e contra o racismo

O mercado de trabalho e a policia devem tratar as pessoas igualmente, independentemente de cor, religião ou orientação sexual. Ter mais conhecimento sobre as religiões para não discriminar. Educação contra o racismo e a intolerância religiosa. Realização de ações públicas e palestras contra o bullying, o racismo e a intolerância religiosa.

Preconceito.

Não aceitação da orientação sexual.

Realização de palestras contra o preconceito em relação à orientação sexual nas escolas e comunidades.

Poder Público.

Abusos de poder. Existência de corrupção. Falta de prioridade a obras que beneficiem a população de baixa renda.

A população deve colher propostas dos candidatos no período eleitoral, a fim de lhes cobrar depois de eleitos.. Acompanhar os mandatos eleitos. Investigações e punição aos casos de corrupção dos agentes públicos. Realização de mais construções de obras/ imóveis para a população de baixa renda.

Trânsito precário.

Grande número de automóveis e poucas vias acabam gerando o problema de congestionamento O valor da tarifa não condiz à qualidade do serviço prestado. A quantidade e qualidade da frota de ônibus. Muito engarrafamento. Falta de fiscalização por parte da Transalvador.

Mais construção de vias e faixas de pedestres. Manutenção e melhor funcionamento dos semáforos. Mais guardas de trânsito e fiscalização eletrônica. Ampliar a frota de ônibus. Acelerar as obras do metrô e do BRT. Mais segurança dentro dos ônibus. Conscientização da população para lutar pelo seu direito a um transporte público eficiente e seguro com uma alta qualidade de serviço.

Falta de oportunidade de trabalho, emprego e renda.

Poucas oportunidades de qualificação profissional gratuita para a população. Escolaridade muito baixa.

Mais oportunidade de qualificação profissional gratuita e de qualidade para a população de baixa renda. Mais oportunidade de trabalho nas comunidades, principalmente para o primeiro emprego..

91


PREFEITURA-BAIRRO X Valéria

Área Nº

Bairros

1

Moradas da Lagoa

2

Palestina

3 4

Habitantes

Total de Adolescentes de 12 a 18 anos

km²

Hectares

16.189

2.094

1,34

134,47

6.007

862

0,86

85,74

Pirajá

30.641

4.117

10,94

1.094,47

Valéria

26.210

3.405

12,17

1.216,80

79.047

10.478

25,31

2.531,48

93


94


Prefeitura-Bairro X – Valéria A subprefeitura de Valéria é a menor da cidade, tem apenas 4 bairros com 79.047 habitantes, numa área total de 25,31 km², com a menor densidade entre as prefeituras - 3,1 habitantes por km². A coleta de dados neste território iniciou-se em janeiro e terminou em novembro de 2015. Ao longo de todo processo, foram identificados um total de 22 coletivos de adolescentes e jovens, sendo que, destes, 13 são constituídos, na sua maioria, por adolescentes que apresentavam um caráter permanente de atuação e reivindicavam direta ou indiretamente seus direitos, a saber: • AMA – Agentes Modificadores do Ambiente. • Baba da Ladeira – Palestina F. C. • Hip Hop Pirajá. • Grupo Artesanal Vaso Novo. • Grupo de Dança Detona. • Escolinha de Futebol de Pirajá. • No Name Crew - Palestina. • Terra do Saber – Reciclagem. • Agência de Comunicação de Valéria. • Fanfarra Municipal da Palestina. • Arte e Capoeira. • Grupo de Teatro Resgate. • E. Clube Moradas do Campo Além dos resultados das escutas dos coletivos, foram constituídos grupos de adolescentes que participaram de um processo formativo, com vistas a discutir a contribuição dos adolescentes

95


na formação de uma agenda pública para Salvador, as dificuldades que o segmento enfrenta na cidade e, destacadamente, os problemas, suas causas e as propostas apresentadas pelos 80 adolescentes do território de Valéria. Os grupos ouvidos foram: • Escola Municipal Milton Santos – Valéria. • Colégio Estadual Noêmia Rêgo – Valéria. • Casa Verde – Pirajá. A seguir, um quadro sistematizado a partir da escuta dos coletivos e da formação dos adolescentes, organizado pela equipe de trabalho, com vistas a tornar mais objetivo todo o processo coletado. Principais problemas vivenciados pelas crianças e adolescentes em seu bairro.

Principais causas dos problemas apontados em seu bairro/comunidade.

Propostas/caminhos para resolver os problemas levantados.

Evasão escolar.

Falta de interesse e vontade por parte dos estudantes. Falta de motivação do professor pelo baixo salário.

Realizar projetos educacionais e culturais, para tornar a aula mais agradável. Contratar professores comprometidos.

Escolas sujas com cadeiras quebradas.

Falta manutenção por parte da Prefeitura. Alunos que não cuidam da escola.

A Prefeitura cuidar das escolas. Promover projetos de conscientização dos direitos e deveres dos alunos.

Falta de estrutura adequada para a realização das atividades escolares, especialmente na Palestina com salas improvisadas e quentes.

Escola Municipal da Palestina demolida - sem previsão de reconstrução.

Recolocação dos alunos em lugares mais adequados. Construção de nova escola .

Muito lixo nas ruas.

Coleta de lixo irregular. O serviço de coleta de lixo é prestado sem organização - o carro que pega o lixo não passa em todas as ruas. Falta gari para varrer as ruas. Pessoas jogam lixo na rua.

Organização da coleta pela Prefeitura. Orientar a população para amarrar o saco e jogar o lixo no lugar de coleta. Coleta de lixo regular. Projetos sociais e distribuição de panfletos para conscientizar as pessoas sobre a importância da higiene.

96


Esgotos expostos nas ruas.

Falta de atenção do governo. Políticos só aparecem no bairro em época eleitoral.

Instalação de redes de esgoto.

Fornecimento precário.

Falta de atenção do governo.

Regularização do fornecimento de água.

Muitas pessoas com dengue e outras doenças.

Bueiro entupido. Pessoas que jogam lixo nas ruas. Enchentes que alagam as casas quando chove.

Conscientização dos moradores quanto à prevenção da dengue. Coleta diária do lixo em todas as ruas.

Falta de território.

Falta de atenção à saúde. Falta hospital mais próximo. Falta de compromisso dos governantes com os eleitores.

Instalação de hospital no território.

Falta de remédios nos postos de saúde.

O governo não envia medicamentos.

A Secretaria de Saúde deve observar a necessidade de cada bairro e enviar a quantidade de remédio necessária.

Atendimento médico precário.

Falta de interesse dos governantes com a saúde pública. Falta compromisso profissional dos médicos.

Atendimento médico de qualidade para a população.

Ruas sem asfalto e com buracos.

Falta de atenção dos políticos.

O poder público cuidar melhor do bairro.

Ocorrência de acidentes envolvendo pessoas, moto e carro.

Falta de sinaleiras. Falta de guardas de trânsito.

Colocar sinaleiras nas ruas movimentadas. Contratar guardas de trânsito.

Ônibus lotados e sujos.

Poucos ônibus para atender a população. As empresas não fazem a higiene dos ônibus, todos os dias.

Aumentar o número de ônibus para atender a população. Disponibilizar ônibus de qualidade.

Faltam linhas de transporte especialmente para Palestina -só tem 01/ Palestina x Estação Pirajá.

Falta de respeito com os moradores da periferia.

Colocar linhas de ônibus para atender às necessidades dos moradores do bairro da Palestina.

Ruas escuras, postes sem lâmpadas.

Falta de manutenção por parte da Coelba.

Manutenção da iluminação pública.

de

água

hospital

no

97

mais


Assaltos.

Falta de segurança.

Disponibilizar mais policiais para o bairro.

Alcoolismo.

Desemprego, desestrutura familiar, falta de Deus no coração.

Apoio social e religioso às famílias que moram no bairro.

Tráfico de drogas.

Falta de policiamento no bairro. Alto índice de desemprego.

Rondas noturnas e diárias.

Policiamento insuficiente no bairro.

Demora para realizar concursos e contratar profissionais da área.

Realizar concurso e contratar mais pessoas para garantir a segurança.

Violência dos policiais com os adolescentes e outras pessoas.

Falta de educação dos policiais no trato com os adolescentes. Tratamento diferenciado nos bairros de rico e de pobre. Os policiais tratam os moradores com grosseria.

Ensinar aos policiais a tratarem todo mundo igual. Preparar melhor os policiais para respeitarem a todos. Eles deveriam defender a população e não agredir. .

Violência entre os moradores do bairro.

Muitos problemas em casa e na rua. Influência da televisão que só fala de violência. Racismo, falta de educação e de respeito.

Desenvolver ações que conscientizem as pessoas para tratar com respeito e educação os seus vizinhos.

Preconceitos: racismo, homofobia, intolerância religiosa.

Falta de instrução para a população. Falta de punição para quem pratica o preconceito.

Campanhas com panfletos abordando a importância e o direito da cidadania. Projetos culturais nos bairros da cidade, falando do tema através de teatro, música, dança - como forma de conscientizar as pessoas.

Jovens e adolescentes nas ruas sem ocupação ou lazer.

Falta oportunidade de emprego ou de formação profissional.

Promoção de cursos profissionalizantes e projetos culturais nos bairros.

98


Profile for Avante - Educação e Mobilização Social

Caderno Vozes dos Adolescentes  

A publicação "Caderno Vozes dos Adolescentes: o que eles pensam e querem para cidade do Salvador" é fruto do projeto Vozes da Cidade: crianç...

Caderno Vozes dos Adolescentes  

A publicação "Caderno Vozes dos Adolescentes: o que eles pensam e querem para cidade do Salvador" é fruto do projeto Vozes da Cidade: crianç...

Profile for ongavante