Page 1

ANO 19 / Número 311 / Edição de Maio de 2017 / New York - USA ANO 20 / Número 323 / Edição de Maio de 2018 / New York - USA


7

2

ONDE ESTIVER UM BRASILEIRO, ALI ESTARĂ O MENSAGEIRO!

Expediente:

Helio dos Santos Filho

Autor & Editor: Helio Dos Santos Filho Design GrĂĄfico: Carlos Fernandes RevisĂŁo de Textos: Dora Garcia

EDITORIAL

CONTATOS COM NOSSA REDAĂ‡ĂƒO: Cartas ao Editor Helio dos Santos Filho 21-34 29TH Ave. Astoria New York – 11102 Tel: (347) 600-5347 (347) 985-9251 e-mails: omensageiro7usa@aol.com o mensageiro7@aol.com Website: www.omensageiro7.com Š2017 by Santos Production All Rights Reserved O Mensageiro7 newspaper is a monthly publication in Portuguese. Reproduction in whole or in part without permission is strictly prohibited. The Publisher makes HYHU\ HႇRUW WR HQVXUH WKH DFFXUDF\ of the information given in the editorial and advertising pages of O Mensageiro7 newspaper; but accepts no responsibility for erros or omissions for claims made in any section of this newspaper. Printed in the United States of America. O Jormal O Mensageiro7 ĂŠ uma publicação mensal em PortuguĂŞs. Reprodução parcial ou total do contexto da publicação sem a devida permissĂŁo ĂŠ expressamente proibida. O Jornal O Mensageiro7 nĂŁo se responsabiliza por inserção de fotos, logos, slogans, erros ou omissĂľes por parte dos anunciantes ou informaçþes fornecidas por terceiros, editadas em qualquer parte desta publicação. Impresso nos Estados Unidos da AmĂŠrica do Norte. Os artigos, mensagens e estudos publicados neste Jornal, por cada DXWRUQmRUHĂ€HWHPDLGpLDGDGLUHomR deste Jornal. Cada escritor ĂŠ responsĂĄvel por seus assuntos e idĂŠias. Assim sendo, cada autor(a) estĂĄ jGLVSRVLomRSDUDUHVSRQGHUDV dĂşvidas do amigo leitor.

O

sente desde o inĂ­cio da vida do honra e uma grande responsabiÂżOKR (OD FXLGD GR ÂżOKR FRP VHX lidade. corpo no inĂ­cio de sua vida e ĂŠ a 2V ÂżOKRV VmR XPD ErQomR GH primeira pessoa que conhece. O que Deus diz sobre as mĂŁes? Deus e mudam para sempre a Deus diz que as mĂŁes sĂŁo pesso- A mĂŁe e o pai sĂŁo as pessoas as muito importantes na vida dos mais importantes na educação vida da mĂŁe. A mĂŁe merece o resGRV ÂżOKRV HQVLQDQGROKHV VREUH SHLWR GH VHXV ÂżOKRV SRUTXH VHX VHXVÂżOKRV como agir e sobre Deus (ProvĂŠrtrabalho nĂŁo ĂŠ fĂĄcil e ĂŠ muito imA mĂŁe, junto com o pai, cuida e bios 1:8-9). SURWHJH VHXV ÂżOKRV H FDGD ÂżOKR portante (EfĂŠsios 6:1-3). Ĺž deve respeitar sua mĂŁe e seu pai. A mĂŁe dĂĄ carinho e se preocupa A BĂ­blia nos dĂĄ vĂĄrios bons exem- FRPREHPHVWDUGHVHXVÂżOKRV Fonte: P.I plos de mĂŁes tementes a Deus. O amor de Deus ĂŠ comparaFELIZ DIA DAS MĂƒES! Qual ĂŠ a função da mĂŁe na BĂ­- do com o amor de mĂŁe (IsaĂ­as Helio Dos Santos Filho blia? 49:15). lĂĄ amiga leitora , essa edição ĂŠ toda especial para vocĂŞ mĂŁe.

A mĂŁe ĂŠ a pessoa que estĂĄ pre-

Na BĂ­blia, ser mĂŁe ĂŠ uma grande

Editor


DEVOCIONAL

N

ós, evangÊlicos, quase não fazemos alusão à Maria, mas que nome digno de ser mencionado. Que mulher extraordinåria! A qual outra mulher a Bíblia se refere assim? Deus olhou Maria e encontrou graça naquela mulher. Deus conhecia Maria; conhecia seus pensamentos, seus sentimentos, suas emoçþes, suas açþes e sua fÊ. Certamente, depois de analiså-la bastante, ele concluiu que aquela seria a mulher ideal para ser a mãe de seu Filho – o Salvador do mundo! Deus conhece a você e a mim, mulher. Ele conhece nossos coraçþes, sabe das nossas intençþes, vê nossas atitudes. Fico pensando: serå que ele escolheria uma de nós para missão tão sublime quanto a de Maria? Maria mulher, Maria esposa, Maria mãe. Certamente ela não era perfeita em nenhum de seus papÊis, como nós tambÊm não somos. No entanto, havia algo de especial, de grandioso em Maria – havia graça. Dentre milhares de mulheres Deus escolheu Maria. Observando sua atitude diante de notícia tão maravilhosa quanto estranha, que o anjo lhe trazia, não Ê difícil

Elizabete Bifano

Uma MĂŁe chamada Maria

7

3

o anjo sobre os transtornos de uma gravidez naquelas circunsWkQFLDVDÂżQDORTXHRVYL]LQKRV iriam pensar? Que simples e humilde obediĂŞncia! Em Maria tambĂŠm contemplamos alegria e humildade em servir a Deus (Lc 46-55). Analisando friamente a situação, dirĂ­amos que Maria estava entrando numa “friaâ€?. No entanto, o que ela faz? Maria canta um cântico de louvor ao Senhor! Como agimos nĂłs diante de circunstâncias inacreditĂĄveis, diItFHLV H FRQĂ€LWXRVDV" &RPR VH comporta nosso coração?

concluir porque ela foi escolhida.

ter uma relação sexual e, ainda Em Maria podemos perceber pu- mais, que o bebĂŞ seria Filho de Deus e ela acreditou, sem titubereza e ingenuidade (Lc 1.34), ar, sem nenhuma sombra de dĂşYLUWXGHV TXH HVWmR ÂżFDQGR FDGD vida! Que fĂŠ linda e pura! E diante vez mais escassas nas moças de incumbĂŞncia tĂŁo singular, qual dos dias atuais, pois o erotismo foi a resposta de Maria? do mundo moderno tem matado essa pureza que deveria existir “Eis aqui a serva do Senhor; em cada uma delas. cumpra-se em mim segundo Em Maria podemos encontrar fĂŠ a tua palavra.â€? e obediĂŞncia (Lc 1.38). O anjo Ela nĂŁo questionou, nem reclaOKHGL]TXHHODÂżFDULDJUiYLGDVHP mou; sequer argumentou com

Comumente reagimos com incredulidade, falta-nos a fÊ. ReclamaPRV¿FDPRVGHSULPLGDVHTXHVtionamos a Deus. Que falta de fÊ, obediência, humildade e alegria! Ao pensar em todos estes exemplos de Maria podemos entender o porque de Deus tê-la escolhido como mãe para Jesus – era alguÊm precioso demais para ser criado por uma outra mulher; tinha de ser Maria. Ş ELIZABETE BIFANO: Bacharel em Educação Religiosa e Psicóloga


4

V

7

RFr SRGH ¿FDU PXLWR PDLV a pele do joelho, cotovelo, ERQLWDFRPVLPSOHVFXLGDGRV axila e virilha FDVHLURV &RORTXH XPD FROKHU GH VREUH3DUDWHDMXGDUD¿FDUPDLVOLQGD PHVD GH PDQWHLJD GH NDULWp HP HVSHFLDOLVWDV GRV PDLV GLVSXWD- XP SRWLQKR DGLFLRQH XPD FROKHU GRVFHQWURVGHHVWpWLFDHVSDVGR GHVRSDGHVHPHQWHGHJHUJHOLP %UDVLO GmR DV PHOKRUHV UHFHLWDV RXVHPHQWHGHOLQKDoDHPLVWXUH FDVHLUDVSDUDYRFrFXLGDUGRFRU- EHP SRURVWRHFDEHOR )ULFFLRQHFRPDVPmRVQDVUHJL-

BELEZA

2. Hidratação para cabelos WLQJLGRVFRPUHÁH[R ou luzes

RXVHPSUHTXHVHQWLUQHFHVVLGDGH

0iVFDUDSDUDPmRV $SOLTXH XPD PiVFDUD FDSLODU GH PDLVPDFLDV PDQWHLJDGHNDULWpHPWRGDDH[- 'HUUHWDHPEDQKRPDULDXPSRXWHQVmRGRV¿RVHYLWDQGRFRQWDWR FRGHSDUD¿QDVyOLGDHVSHUHHVFRPDUDL] IULDUVHPTXHHQGXUHoDHPHUJX-

(QYROYD RV FDEHORV FRP SDSHODOXPtQLR FRP D SDUWH OXPLQRVD $QWHVGHLQLFLDUTXDOTXHUXPGHV- }HV H GHL[H DJLU SRU FLQFR PLQX- HP FRQWDWR FRP RV ¿RV 'HL[H WHVSURFHGLPHQWRVSUHSDUHRDP- WRV/DYHVXDYHPHQWHFRPVDER- DJLUSRUDPLQXWRV/DYHH ELHQWH &RORTXH SDUD WRFDU XPD QHWHOtTXLGRVHTXHHKLGUDWHFRP HQ[iJH FRP [DPSX H FRQGLFLRERD P~VLFD H GHL[H D OX] GR VRO FUHPHGHPDQWHLJDGHNDULWp QDGRU LQGLFDGRV SDUD R VHX WLSR LOXPLQDURORFDO )UHTrQFLD XPD YH] SRU VHPD- GHFDEHOR )UHTrQFLDXPDYH]SRUVHPDQD +LGUDWDUFODUHDUHDÀQDU QD

OKHDVPmRV $VVLPTXHDGHULUDSHOHHQYROYDDV FRP ¿OPH SOiVWLFR 5HWLUH D SDUD¿QDGHSRLVGHDJLUSRUPLQXWRV )UHTXrQFLD XPD YH] SRU VHPDQD Continua na página 5


BELEZA

7

5

tamento pode ser feito até três vezes por semana.

Continuação da página 4 4. Lifting facial caseiro Lave o rosto com sabonete neutro e em seguida aplique uma compressa de gaze umedecida em chá de camomila gelado. Deixe agir por cinco minutos.

Para reforçar este cuidado, aplique sobre as estrias uma máscara de algas em pó diluída em água morna até virar uma pasta. Deixe agir por 25 a 30 minutos. Lave com água morna e seque.

Depois aplique uma máscara feita com clara de ovo levemente batida.

Freqüência: a máscara pode ser aplicada uma vez por semana. 8. Massagem para amenizar as rugas

Retire com água gelada após 15 minutos. Esse tipo de lifting facial é bastante indicado para preparação da pele antes da maquiagem, pois tem um efeito extremamente rápido.

De frente para um espelho, massageie o rosto todo com movimentos circulares, de baixo para cima e de dentro para fora. Após a massagem, aplique um creme antiidade.

Freqüência: uma vez por semana ou sempre que sentir necessidade.

Freqüência: dias alternados. 9. Descoloração de peos corporais

5. Banho relaxante para os pés Prepare uma bacia com água morna. Coloque no fundo dela bolinhas de gude, uma colher de sopa de sal grosso, camomila a gosto e uma pedrinha de cânfora.

Uma alternativa caseira é utilizar água morna, alternada com água bem gelada ao lavar o rosto.

Freqüência: pode ser feito diariamente.

A água quente é vasodilatadora, e a água gelada é vasoconstritora, o que provoca um choque térmico, ativando a circulação e acalmando assim a região dos olhos.

6. Compressa contra olheiras

Freqüência: pode ser feito diariamente.

Massageie os pés com as bolinhas de gude por 30 minutos.

7. Suavização e prevenção de estrias Lave a área das estrias com um sabonete que contenha elastina. Com uma bucha vegetal, massageie suavemente com movimentos circulares. Enxágüe bem e, em seguida, passe óleo de amêndoa doce ou óleo de rosa mosqueta. Este tra-

Primeiro proteja a pele com óleo de amêndoas ou vaselina sólida e só depois aplique a mistura de pó descolorante com água oxigenada 30 volumes. Deixe agir até que os pêlos clareiem. Retire com água em abundância. Em seguida, aplique um creme hidratante. Evite esse tratamento se a pele estiver irritada. Freqüência: a cada 15 dias. ž


6

mulher

7

Nativa Bezerra

Perguntas e Respostas

FAZENDO SUA MULHER MĂƒE FELIZ E SATISFEITA

U

ma pesquisa realizada pela Universidade de Hamburg-Eppendorf, na Alemanha, revela que a maioria das mulheres enfrenta queda no desejo sexual quando estå em uma relação eståvel. Depois de quatro anos em um relacionamento, menos da metade das mulheres de 30 anos ainda sente vontade de ter sexo regularmente, segundo o estudo, publicado na revista especializada Human Nature. Entre os homens, no entanto, os pesquisadores descobriram que a libido permanece inalterada, não importa quanto tempo estejam em um relacionamento. Foram entrevistados 530 homens e mulheres para a pesquisa. Segundo os pesquisadores, as diferenças seriam explicadas pela evolução humana. Entre as mulheres de 30 anos entrevistadas, 60% queriam sexo frequentemente no início do relacionamento. No entanto, depois de quatro anos de união, esse índice caiu para menos de 50% e, depois de 20 anos, para apenas 20%. Em relação aos homens, os cientistas descobriram que a vontade de ter sexo regularmente se manteve eståvel, entre 60% e 80%, em qualquer estågio do relacionamento. Carinho Estudo releva ainda que o carinho Ê importante para as mulheres em um relacionamento. Aproximadamente 90% das entrevistadas disseram que queriam carinho, não importa quanto tempo estivessem com seus parceiros. Entre os homens envolvidos em uma relação eståvel de dez anos, apenas 25% disseram que ainda esperavam

carinho de suas parceiras. "Uma boa razão para que a motivação sexual dos homens permaneça inalterada seria o temor de serem traídos por suas parceiras com outro homem", diz o psicólogo Dietrich Klusmann, principal autor da pesquisa, que relaciona as diferenças entre os sexos à evolução humana. As mulheres, segundo o pesquisador, evoluíram para ter uma alta dose de desejo sexual no início de um relacionamento, de modo a formar um vínculo com o parceiro. Uma vez consolidado esse vínculo, seu apetite sexual GHFDLD¿UPD.OXVPDQQ O psicólogo cita estudos do comportamento animal para explicar essas diferenças. Uma possibilidade seria a de que as fêmeas podem estar desviando seu interesse sexual para outros homens, com o objetivo de assegurar a melhor combinação de material genÊtico para sua prole. Outra explicação, de acordo com Klusmann, seria a de que, ao limitar o sexo, estariam aumentando o interesse de seu parceiro. "Essas descobertas parecem se encaixar com os estudos e suas explicaçþes parecem plausíveis", diz o psicólogo evolucionista George Fieldman, professor da Universidade de Buckinghamshire Chilterns. "O motivo do declínio do desejo sexual das mulheres pode ser explicado por oferta e demanda. Se DOJRWHPRIHUWDLQ¿QLWDVHXYDORU WHQGHDFDLUD¿UPDŞ Fonte Terra

Pergunta: Bom, vou direto ao assunto quando estou fazendo amor com minha esposa, as vezes começo a pensar em outras coisas e me desconcentro, o que devo fazer?

PsicolĂłgicos;

Resposta: O começo da cura Ê expor o problema para Deus SULPHLURSURFXUDUXPERPSUR¿Vsional da årea, conversar com a esposa e confrontar o medo.

Cabeça dissociada do corpo: pensamentos compulsivos, diålogos internos consomem muita energia e o corpo não acompanha a mente, corpo disconectado da mente.

VocĂŞ ĂŠ um homem corajoso em expor o seu caso, para se informar sobre o assunto da disfunção erĂŠtil ou como vocĂŞ falou “ descontração no ato sexualâ€? . SĂŁo vĂĄrios fatores ou causas: orgânicos ou psicolĂłgicos.

Stress – tensão muscular; Medo de engravidar a mulher; Debilitação – cansaço, hipocondria;

Culpa – remorso, raiva, ressentimentos; Medo de falhar, fracassar, sentimentos de inadequação;

Continua na pĂĄgina 7


mulher Continuação da página 6

 ,QFRQVFLHQWH PHGR GH FDVWUDomRSXQLomRVHWHYHPmHFRQWURODGRUDHDEXVLYDHSDLSDVVLYR

0DVWXUEDomRSRUQRJUD¿DLQDELOLGDGH GH WHU HUHomR SHOR FDULQKR H DWUDomR QRUPDLV 1HFHVVLWD GH &DXVDV2UJkQLFDV HVWLPXORVPHQWDLV 3UREOHPDVKRUPRQDLV±WHVWRWH'L¿FXOGDGHGHWHULQWLPLGDGHFRP URQDJODQGXODU DSDUFHLUDTXHDPD

$OFRROLVPRGURJDVIXPR

(VSLULWXDOLGDGHYHUVXVLGDGHYHUVXV FRUDomR YHUVXV JHQLWDLV YHUVXVPHQWHVSOLWW±VHSDUDGRVGLVVRFLDGRV

0HGLFDomRSDUDGHSUHVVmRGLDEHWHV DOWHUDPHWDEROLVPR 

5HOLJLRVLGDGH 0HGRGHDEDQGRQDUWUDLomRGHVFRQ¿DQoDFL~PHV 'HVFRQFHQWUDomRYHPTXDQGRVH HVWi HP PiVFDUD SHUIRUPDQFH SDUDLPSUHVVLRQDUDFRPSDQKHLUD HQmRHVWDUSUHVHQWHSDUWLFLSDQGR QRDWRSRUpPFRPRH[SHFWDGRU GRTXHDPXOKHUHVWiVHQWLQGR± IDOWD GH LQWHUDomR GH LQWLPLGDGH FRPHOD 0HGRGHHQWUHJDUVHSRUFRPSOHWRQDUHODomR 0HGRGHSHGHUDOLEHUGDGHVHU FRQWURODGR 1mRVHQVRGRHXWDEXVSUHFRQFHLWRVFRPYLULOLGDGH  5HMHLomR GR HX YHUVXV UHMHLomR GDPXOKHUVHWHPFKHLURIRUWHOLJDGRDLQGDQRSDVVDGRRXQRIXWXURPHGRGRDTXLHDJRUD

7 WLPLGDGHGHVOLJDUDWHOHYLVmRWRFDU PDLV QmR IDODU HP DVVXQWRV GHVDJUDGiYHLV QR TXDUWR TXH p XP OXJDU SDUD UHOD[DU GRUPLU H FULDULQWLPLGDGHHQWUHJDWRWDOXP DRRXWUR (YLWDUWHOHIRQHPDVjQRLWH - Contas para pagar, tudo gera PDLVHQHUJLDPHQWDO

$QGDUUHVSLUDUPDVVDJHPHVD $OLPHQWDomR FROHVWHURO DOWR EHUTXHDVXDYLULOLGDGHFRQWLQXD JRUGXUDVFRPHUPXLWRjQRLWH DPHVPDiVYH]HVpERPSURFX &RUDomR KLSHUWHQVmR RX SUHV- UDUDMXGDSUR¿VVLRQDOFRPRWHUDSHXWDVH[XDODMXGDUiRVGRLV³R VmREDL[D FDVDO´ 0XLWRV IDWRUHV ELROyJLFRV FRQWULEXLP SDUD REVWUXLU R LUULJDPHQWR 2ULHQWDUDHVSRVDFRPRDJLUQXP GRSrQLVTXHpIXQGDPHQWDOSDUD PRPHQWR TXH IDOKDU D HUHomR QmR VHQWLU UHMHLomR SRUpP HVWLRHQULMHFLPHQWR PXODURFRPSDQKHLURFRPQDWXUD2FRUDomRpRRUJmRUHVSRQViOLGDGH VLPSOLFLGDGH QmR GUDPDYHO SDUD ERPEHDU VDQJXH SDUD WL]DU RX FXOSi OR ,VWR Vy DJUDYD RV JHQLWDLV LUULJDQGR YDVRV H DV PDLVRPHGRGRKRPHPHPIDOKDU YHLDVSDUDDHUHomR QRDWR 'LDIUDJPDpWHQVRHUtJLGRSRU2 SUREOHPD SRGH VHU GR FDVDO TXH QmR Ki XPD UHVSLUDomR SURD PXOKHU SRGH VHU FRQWURODGRUD IXQGDHVWHID]VHSDUDomRHQWUHR GRPLQDQWHHH[LJHQWHRXHODSRGH FRUDomRHRVJHQLWDLV JXDUGDUUHVVHQWLPHQWRVHPHGRV )DODUSHGLUDMXGDHVXSRUWHSDUD R TXH LQWHUIHUH QR GHVHMR GH VH OLGDUFRPRSUREOHPDRPDLVLP- FRPSOHWDUXPDRRXWUR2KRPHP SRUWDQWHpFRQYHUVDUFRPDFRP- pVHQVtYHOQHVWDiUHD1mRFULWLFDU SDQKHLUD SDUD HOD QmR JXDUGDU RXMXOJDUSRUpPGHPRQWUDUDPRU UDQFRURXJHUDUXPDVHQVDomRGH (VWHpXPDVVXQWRPXLWRYDVWRH UHMHLomRFRPHOD UHTXHU PXLWD FRUDJHP SDUD H[-

7

QyVWLFR VHJXUR H XP WUDWDPHQWR H¿FD] 7HQKR WUDWDGR PXLWRV SDFLHQWHV FRP GLVIXQo}HV VH[XDLV HMDFXODomRSUHFRFHHLPSRWrQFLD $PDLRULDpFDXVDSVLFROyJLFD/LGDU FRP R PHGR H RV IDWRUHV LQFRQVFLHQWHV VmR LPSUHVFLQGtYHLV SDUD D FXUD WRWDO H GHVHQYROYLPHQWRGHXPDDXWRHVWLPD 7HQKD FRQ¿DQoD HP VL PHVPR VHPIRUoDURXPDVFDUDURSUREOHPD SHOD YHUJRQKD GH DERUGDU R FDVRRXLUSDUDDGHSUHVVmRRQGH RFRUSR¿FDLQDWLYRHDPHQWHDWLYDGLYLGLGD9RFrFRQWLQXDYLULOH FDSD]RPHGRGHIDOKDUDOWHUDR GHVHMRHDXPHQWDDGLVIXQomR 7UDEDOKDU FRP D UHVSLUDomR H[SUHVVDUVHQWLPHQWRVPRYLPHQWRV DHUyELFRVOLGDUFRPRVWUHVVUHOD[DU $ 3DODYUD GH 'HXV WUD] FXUD LQWHULRU H Gi IRUoD FRQWUD RV SHQVDPHQWRV QHJDWLYRV 5HQRYDU D PHQWH

“ E não sedes conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Ro&ULDUDWPRVIHUDGHFDULQKRHLQ- SRURSUREOHPDHREWHUXPGLDJ- manos 12:2 ž


8

ARTIGO

7

“Tendo por certo isto mesmo, que Aquele que em vĂłs começou a boa obra a aperfeiçoarĂĄ atĂŠ o dia de Cristo Jesusâ€? Filipenses 1:6

esteta, idealista, leal, dedicado.

temperamento Ê o conjunto båsico de nosso ser; Ê a combinação de diferentes características, transmitidas geneticamente, as quais inconscientemente, controlam nosso procedimento.

Qualidades – EnÊrgico, resoluto, independente, otimista, pråtico, H¿FLHQWHGHFLGLGROtGHUDXGDFLRso.

O

Devido Ă diferença dos temperamentos, as pessoas poderĂŁo ter reaçþes ou comportamentos diferentes perante a mesma situação. Certa vez ouvi, sabiamente, alguĂŠm dizer: “nas melhores pessoas encontramos os maiores defeitos e nas piores pessoas, as maiores virtudesâ€?. Conhecer nosso prĂłprio temperamento ĂŠ fundamental para que possamos buscar uma canalização positiva de nossas atitudes advindas do temperamento e o fortalecimento das nossas qualidades. $VSHVVRDVSRGHPVHUFODVVLÂżFDdas em cinco grupos de temperamentos: SANGUĂ?NEO, MELANCĂ“LICO, COLÉRICO, FLEUMĂ TICO e SUPINO (trataremos em outra edição). SANGUĂ?NEO Qualidades – Comunicativo, destacado, entusiasta, afĂĄvel, simpĂĄtico, bom companheiro, compreensivo, crĂŠdulo. Defeitos – Fraco de ânimo, volĂşvel, indisciplinado, impulsivo, inseguro, egocĂŞntrico, barulhento, exagerado, medroso. MELANCĂ“LICO Qualidades – Habilidoso, minucioso, sensĂ­vel, perfeccionista,

Defeitos – Egoísta, amuado, pessimista, teórico, confuso, anti-soFLDOFUtWLFRYLQJDWLYRLQÀH[tYHO COLÉRICO

Demonstrava publicamente as suas emoçþes para com o Senhor, Lc.5:1-11; Jo.6:69. Era desinibido e sincero, Lc.5:8. Comunicativo, sempre respondia com entusiasmo às emoçþes do seu coração, Mt.14:28-29; Jo.18:10; Submetendo suas fraquezas ao Senhor e cheio do Espírito Santo, Deus o fortaleceu, 1Pe.5:10.

Defeitos – Iracundo, sarcĂĄstico, impaciente, prepotente, intole- AtravĂŠs do livro de Atos podeUDQWH YDLGRVR DXWRVXÂżFLHQWH mos ver que seus defeitos foram insensĂ­vel, astucioso. sobrepujados pelas qualidades, FLEUMĂ TICO que se realçam em poder nas Qualidades – Calmo, tranqĂźilo, palavras, 1Pe.2:14-40 ; consFXPSULGRU GH GHYHUHV HÂżFLHQWH t â n c i a , 1 P e . 3 : 1 ; c o r a g e m , conservador, pratico, lĂ­der, diplo- 1Pe.4:13; sabedoria, 1Pe.4:1920; alegria, 1Pe.5:41; humildamata, bem-humorado. Defeitos – Calculista, temeroso, de, 1Pe.10:25-26; amor, 1Pe. indeciso, contemplativo, descon- 1 0 : 2 1 - 2 8 , a m a b i l i d a d e , ÂżDGR SUHWHQVLRVR LQWURYHUWLGR 1Pe.11:4; fĂŠ, 1Pe.12:6; paciĂŞncia. 1Pe.12:16 e liderança desmotivado. Por que dissemos: buscar uma 1Pe.15:7. canalização positiva de nossas atitudes advindas do temperamento? Porque na verdade nĂŁo temos e nem podemos mudar nosso temperamento. Ele faz parte de nosso ser. Mas podemos usĂĄ-lo sabiamente e com o controle do EspĂ­rito Santo, de maneira tal que atĂŠ o que parece defeito passa a ser virtude. Deus nos usa como somos. Por exemplo: O apĂłstolo Pedro era sangßíneo. O sangßíneo tem o “sangue quenteâ€?. “As falhas de Pedro estavam justamente no calor do seu coraçãoâ€?. Ele exibia calor, intensivamente em suas emoçþes e ação dinâmica. NinguĂŠm foi tĂŁo falante, tĂŁo vibrante e tĂŁo decisivo como Pedro. Amava ao Senhor intensamente e era o seu companheiro de todas a horas, Mt.17:1, Jo.21:17.

MoisĂŠs era melancĂłlico. Muitos personagens da BĂ­blia demonstraram possuĂ­-lo, mas o mais destacado foi MoisĂŠs. MoisĂŠs era talentoso At.7:22; abnegado, Hb.11:23-27; perfeccionista (Deus usou essa qualidade para lhe dar os detalhes da Lei, da justiça divina e do TabernĂĄculo); leal (os livros da Lei, revelam isso) e extremamente dedicado, Ex.32:31-32. Mas sofria de um complexo de inferioridade que trazia Ă tona todas as fraquezas do melancĂłlico, Ex. 3:11-13; Ex. 4:1,3,10,13. Muitas vezes se deixava dominar pela ira, Nm.20:9-12 e pela depressĂŁo, Nm.11:11-15. O seu encontro com o Senhor no Monte Horebe e a freqĂźente busFDGDVXDIDFHFRQWXGRÂż]HUDP dele um homem cheio do EspĂ­rito Santo, um lĂ­der destemido, e tornou-se “o homem mais man-

so da Terra�, Nm.12:3. Suas qualidades se destacaram e foi o grande legislador de Israel. Paulo era colÊrico. A principal qualidade do colÊrico Ê a força de vontade, que faz dele uma pessoDO HQpUJLFD H¿FLHQWH UHVROXWD H um líder cheio de audåcia e otimismo. Paulo foi um portador desse temperamento notåvel, o livro de Atos e suas cartas no-lo revelam. Exemplos: Gl.1:10; Fp.3:10-14; Gl.1:15-18; At.14:19-24. Apesar deste caråter ativo, pråtico, dinâmico e corajoso, Paulo antes de conhecer a Jesus e receber o Espírito Santo, demonstrou-se um homem cruel, zangado, hostil e amargurado, At.9:1; insensível, At.7:58-59; astucioso e prepotente, At.9:2 (OH WHVWL¿cou de si mesmo, o que vemos em 1Tm.1:12-16. PorÊm, o enchimento diårio do Espírito Santo, a entrega de suas falhas a Deus, 2Co.12:7-10¿]Hram dele um líder apto a escrever Gl.5:16-22. Olhando para suas IUDTXH]DV HOH D¿UPRX �Posso

todas as coisas naquele que me fortalece�, Fp.4:13. Continua na pågina 9


ARTIGO

(OHHUDSDFt¿FRSUiWLFRHEHPKXPRUDGRGn.13:8-9OHDOFDOPRH H¿FLHQWH Gn.14:14-16 FXPSULGRUGHVHXVGHYHUHV Gn.14:20; FRQVHUYDGRU HP VHXV SULQFtSLRV Gn.14:22-24

'HXVTXHUXViORFRPRYRFrp 6H YRFr p  VDQJtQHR XVH VXD KDELOLGDGH GH FRPXQLFDomR SDUD IDODUGRUHLQRGH'HXV 6HYRFrpPHODQFyOLFRXVHWRGD VXD VHQVLELOLGDGH KDELOLGDGH H GHGLFDomRDR5HLQRGH'HXV

'HXVRSURYRXHPWRGDVDVVXDV SURPHVVDV PDV HOH SHUPDQHFHX¿UPHQDIp'HOHGLVVH'HXV

6H YRFr p FROpULFR XVH WRGD VXD DXGiFLD FRUDJHP H H¿FLrQFLD FRPR 3DXOR SDUD IDODU HP TXDOTXHUWHPSRHHPTXDOTXHUOXJDU VREUH R -HVXV FUXFL¿FDGR PDV UHVVXUUHWR

“Eu o tenho conhecido”, Gn.18:19

$SHVDU GH VHX WHPSHUDPHQWR R VHXGLUHFLRQDPHQWRj'HXVRIH] XP GRV PDLRUHV KRPHQV TXH Mi YLYHX 2KRPHPFDUQDOHRFULVWmRLPDWXURVHGHL[DPGRPLQDURXLQÀXHQFLDUSHORVDVSHFWRVQHJDWLYRVGRV VHXVWHPSHUDPHQWRV

9

PXGRX R WHPSHUDPHQWR GHOHV PDVFDQDOL]RXRVFRQWURODQGRRV FRP6HX(VStULWRIH]GHOHVErQomRV e LVVR TXH (OH TXHU ID]HU FRPYRFr

Continuação da página 8 $EUDmRHUDÀHXPiWLFR7RGDVDV TXDOLGDGHVGRÀHXPiWLFRHVWDYDP SUHVHQWHVQDYLGDGR¿HO$EUDmR

7RGDYLDHOHDSUHVHQWDYDWDPEpP RVGHIHLWRVGHVVHWLSRGHWHPSHUDPHQWR &RP R FUHVFLPHQWR GD VXD YLGD HVSLULWXDO H VXEPLVVmR D 'HXV DVVXPLX VXDV SRVLo}HV H IRL OLEHUWR GD LQFUHGXOLGDGH Hb.11:8-9 GR PHGR Hb.11:17 HIRUWDOHFLGRQDIpGn.22:8

7

PHQWR VHUmR DQXODGRV H VXDV 6H YRFr p )OHXPiWLFR XVH VHX TXDOLGDGHVDSHUIHLoRDGDV DPRU VXD PDQHLUD FDULQKRVD GH 'HXV SUHFLVDYD WDQWR GH 3DXOR VHU SDUD PRVWUDU DR PXQGR TXH FROpULFR TXH WHYH FRUDJHP GH YLYH QR yGLR H QR GHVDPRU R 7RGRV GHYHPRV VDEHU TXH QmR FKHJDU GLDQWH GDV DXWRULGDGHV H DPRU'DTXHOHTXHGHXR6HX~QLVRPRV SHUIHLWRV &RQWXGR QmR GL]HU“estou falando Daquele FR)LOKRSRUQyVHTXHQRVDPRX QRVGHVDQLPHPRV7HPRVDSHQDV -HVXV TXH YRFrV FUXFL¿FD- SULPHLUR TXHFUHVFHUQRDPDGXUHFLPHQWR UDP H TXH QmR ¿FRX QR W~- 'HXV QRV IH] FRPR VRPRV 6HMD HP&ULVWRRm.12:1-2; Fp.4:13; mulo, mas ressuscitou dos RTXHYRFrpHDSHQDVFDQDOL]H mortos” FRPR SUHFLVDYD GR SDUD'HXVRVHXWHPSHUDPHQWR Rm.6:11-13 7RGDVDVSHVVRDVVHHQTXDGUDP DPRUHFDULQKRGH-RmRRÀHXPi- 'HXVTXHUWmRVRPHQWHFRQWUROiHP XP RX PDLV WHPSHUDPHQWRV WLFRTXHWUDWDYDDWRGRVFRPSD- ORFRP6HX(VStULWRGHPDQHLUD ¬ SURSRUomR TXH IRUHP VHQGR ODYUDVGRFHVFRPR³¿OKLQKRV WDO TXH WXGR HP YRFr VHMD SDUD JOyULD'HOHž WUDQVIRUPDGRVSHOR(VStULWR6DQ- amados” FULDGDV SRU GHVFRQKHFLPHQWR GH QRVVDV IUDTXH]DV H IDOWD GH XP FULWpULRHVSLULWXDOSDUDWRPDUQRYD GLUHomR

0XLWDVVLWXDo}HVGLItFHLVQD,JUHMD QR ODU H QD YLGD VHFXODU VmR WR RV GHIHLWRV GR VHX WHPSHUD-

eLPSRUWDQWHQRWDUTXH'HXVQmR Fonte:T.C.P.E.S


10

7

ONDE ESTIVER UM BRASILEIRO, ALI ESTARÁ O MENSAGEIRO!

Edição 323  

mAIO 2018

Edição 323  

mAIO 2018

Advertisement