Page 1

162 Out/Nov/Dez 2010

reviproject electricidade mecatrónica instrumentação medida automação

6.57 €

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

1


2

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


índice notícias................................................... 5 automação............................................. 8 detecção e medida................................ 12 instalações eléctricas.............................. 16 iluminação.............................................. 20 energia.................................................. 21 electrónica.............................................. 22 informática............................................. 25 ligação................................................... 27 accionamentos....................................... 32 válvulas.................................................. 36 pneumática............................................ 38 materiais................................................ 41 segurança industrial............................... 44 feiras...................................................... 46 mercado................................................. 47

reviproject electricidade mecatrónica instrumentação medida automação

Direcção e Edição: Carlos da Silva Campos. Publicidade: Ilda Ribeiro, Cristina Devesa, Luisa Santos. Propriedade: ODITÉCNICA-Centro de Promoção e Divulgação Técnico-Industrial Lda.. Endereço Postal: APARTADO 30 2676-901 ODIVELAS PORTUGAL. Redacção: R. de Entrecampos, 48, R/C Esq. 1700-159 LISBOA. Impressão: Peres-SocTip, SA. Registo de Imprensa: 113 325. Depósito Legal: 13 783/88. ISSN 1647-8134. Publicação Trimestral. Preço de Capa: 6.57 €. Assinatura (6 edições): Edição impressa - 28.65 €; Edição electrónica - 17.35 € © Oditécnica Todos os direitos reservados. Telefone: 217 921 110. Fax: 217 921 113. E-mail: reviproject@revipack.com

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

3


4

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


editorial

Mais Indústria! Basta abrir um jornal para se ler ou ouvir alguma notícia ou comentário sobre a "crise". Na realidade, a palavra "crise" surge ao fim de poucos minutos em qualquer conversa. Quase sempre se está a falar da crise no sector financeiro, do endividamento público e das consequentes medidas de "austeridade" que vão marcar o ano de 2011. E no entanto, existe uma outra crise muito mais grave e da qual pouco se fala: a perda de importância da actividade industrial na Europa em geral e em Portugal, muito em especial. Nas últimas décadas, o País deu-se ao luxo de pura e simplesmente não ter uma política industrial. Alguns governantes assumiram publicamente essa "doutrina". Vieram apenas alguns paliativos, chamados "incentivos", à mistura com o entusiasmo mediático em torno de alguns casos de pioneirismo e sucesso. Mas a realidade é que o peso da indústria no PIB é perigosamente reduzido! Portugal fabrica pouco e importa muito. É um País estranho que se auto-desvaloriza, que prefere importar e que - encaremos a verdade - tem vergonha ou medo de defender e preferir a produção e a engenharia própria. Quando a crise financeira passar, a nossa economia continuará débil e dependente. A falta de produção própria, de indústria, é a principal razão dessa debilidade. Diz-se que os compromissos internacionais nos impedem de defender a nossa indústria. Diz-se que as indústrias nacionais não são competitivas. São desculpas preguiçosas. Se as importações fossem submetidas às mesmas exigências normativas, burocráticas, sociais e ambientais a que a indústria portuguesa está sujeita, outra competitividade cantaria. O Editor

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

5


6

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


notícias Beijer alarga gama de produtos A Beijer Electronics adquiriu a QSI Corporation (Salt Lake City, Utah, EUA), um dos principais fornecedores de painéis e terminais de dados no mercado norte-americano, com um volume de negócios de 20 milhões de USD e 70 colaboradores. Com esta aquisição, a Beijer visa aumentar as vendas no mercado norte-americano, ao mesmo tempo que alarga o portefólio de produtos HMI. Entretanto, a compra de uma participação de 37% na Korenix Technology (Taiwan) visa reforçar a presença nos mercados asiáticos e no segmento da comunicação de dados industriais (IDC), apostando na cooperação entre a Korenix e a Westermo, subsidiária da Beijer.

Normalização ISO para fuel cell À medida que a tecnologia da pilha de hidrogénio (fuel cell) se aproxima da “fase comercial” (prevista para 2015), prosseguem os trabalhos de normalização a nível internacional. O comité técnico ISO/TC 197 está a trabalhar quer na adaptação de normas existentes, quer em novas normas para este sector. As especificações de qualidade do combustível de hidrogénio estão abrangidas pela norma ISO/TS 14687:2008. Os trabalhos prosseguem para definir contaminantes e os métodos de medida dos mesmos. A norma ISO17268:2006 define os conectores de 25 MPa e 35 MPa para reabastecimento e está a ser revista para passar a incluir os conectores de 70 MPa. Os depósitos de hidrogénio são tratados pelas normas ISO/TS 15869:2009 (hidrogénio gasoso), ISO/TS 13985:2006 (hidrogénio líquido) e ISO 15399 (depósitos estacionários). São ainda de referir as normas ISO 16142:2010 sobre sensores de hidrogénio, ISO 22734:2008 (geradores de hidrogénio por electrólise da água) e ISO 16110:2010 (geradores de hidrogénio por processamento de combustível). Está em preparação uma norma sobre estações de reabastecimento de hidrogénio gasoso, que será essencial para a futura infra-estrutura HRS (hydrogen refuelling stations). Entretanto o grupo de trabalho WG11 está a trabalhar em normas sobre protecção e segurança.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

Sistran distribui Emerson

Endress+Hauser cria rede em Portugal

A Sistran - Engenharia e Sistemas Industriais, Lda. foi designada pela Emerson Process Management para distribuir em Portugal as soluções de manutenção industrial baseadas na condição (manutenção condicionada). O acordo de distribuição abrange a gama completa de produtos para a manutenção de máquinas baseada na condição, incluindo soluções on line, sem fios, soluções baseadas na análise de vibrações, óleos, termografia e software AMS. Entre os vários equipamentos Emerson abrangidos por este acordo estão o Monitor de Condição CSI 6500, o Colector e Analisador de Condição CSI 2130, o Analisador de Óleos CSI 5200, a Câmara Termográfica CSI 9830 e o Transmissor Wireless de Vibrações CSI 9420. A Sistran tem duas décadas de experiência na área da manutenção condicionada. Está integrada no grupo ibérico DA, de que também fazem parte as empresas DatAnálise Portugal e DatAnálise España.

A Endress+Hauser Portugal realizou em Dezembro a 1ª Reunião de Integradores Oficiais, considerada “o primeiro passo para a oficialização de uma rede de distribuição da marca no nosso país”. Durante as reunião, foram apresentados os indicadores e perspectivas de acvtividade da empresa em Portugal e na Europa. Presente no mercado português há dez anos, a Endress+Hauser registou em 2009 o maior crescimento entre todas as empresas europeias do grupo. A marca Endress+Hauser é uma das mais importantes na área dos instrumentos de medida e soluções de automação para indústrias de processo.

Concurso de aplicações com casquilhos igus A igus lançou a 5ª edição do concurso “manus” destinado a premiar aplicações com casquilhos deslizantes em polímero iglidur. Estes casquilhos são conhecidos pelo seu funcionamento sem lubrificante e sem manutenção. Os concorrentes devem apresentar novas ideias de aplicação que se destaquem pela eficiência técnica e económica A candidatura é muito simples: Para a sua avaliação, o júri precisa de uma breve descrição da aplicação e do problema antecedente, respectivamente, incluindo fotografias ou esboços com a descrição da solução, assim como indicação do tipo de casquilho utilizado. As candidaturas devem ser entregues até ao próximo dia 28 de Fevereiro de 2011. A entrega dos prémios terá lugar na Feira de Hannover de 2011 (de 4 a 8 de Abril). O vencedor ganha 5.000 EUR de prémio (2° e 3° lugar 2.500 e 1.000 EUR, respectivamente). A documentação de candidatura está disponível em www.igus.pt/ manus. Para mais informações: escritório de coordenação manus, André Kluth, tel. +492203/9649-611, E-mail manus@igus.com.

reviproject

CeBIT 2011 destaca “nuvem” Com o moto “Work and Life with the Cloud”, a feira de Hannover destaca a “computação na nuvem” como tema focal da feira CeBIT 2011, marcada para os dias 1 a 5 de Março de 2011. Os analistas do mercado das tecnologias da informação dão conta da dimensão do mercado “cloud”: 68,3 mil milhões de USDF em 2010 e um crescimento médio anual de 16,6% até 2014, ano em que o negócio dos “cloud services” chegará aos 148,8 mil milhões de USD a nível global. Em vez de hardware (memória, capacidade de processamento, etc.), software e aplicações instaladas localmente, os utilizadores de computadores vão passar a usar recursos partilhados e acessíveis através da internet, o que pressupõe não só a permanência e estabilidade do acesso à rede como o aumento da velocidade de comunicação e, sobretudo, a segurança. O feira CeBIT é uma das oportunidades para observar a oferta de “modelos de negócio” e soluções de “cloud computing”.

Forte presença portuguesa Na CeBIT 2011 participam algumas dezenas de empresas portuguesas com grande variedade de produtos, tais como aplicações de software, sistemas de gestão de energia, sistemas de sinalização digital, mobiliário informático para escolas, etc.

7


automação

Painel de 3'’ O novo painel de 3'’ Simatic KP300 Basic mono PN tem um display monocromático com resolução de 240 x 80 pixels com retro-iluminação LED regulável para branco, vermelho, verde ou amarelo. A mudança de côr pode ser aplicada a cada uma das imagens, associando a côr ao estado de máquinas ou componentes ou a alarmes. Deste modo, o painel permite evitar a instalação de dispositivos adicionais para sinalização óptica. As teclas de função e o layout com o estilo de telemóvel torna a

8

programação fácil de entender e concretizar. O novo painel foi projectado para integração em redes Profinet e para o autómato Simatic S7-1200 controller. Tal como os demais painéis da série Simatic HMI Basic Panels com displays de 4" a 15", os novos painéis de 3'’ também podem ser configurados com o software Simatic WinCC V11.

Painéis de teclas Os novos painéis Simatic HMI KP8 e KP8F têm oito teclas programáveis e retroiluminação com brilho e côr individualmente

reviproject

ajustáveis. Têm grau de protecção IP65 frontal (teclas tácteis), interface Profinet de duas portas, e são fornecidos prontos a funcionar. O Simatic HMI KP8F é indicado para aplicações de segurança e tem duas entradas de segurança específicas. Atingem o nível SIL 2 com um canal e SIL 3 com dois canais. Em função do nível de segurança, podem ser ligados um ou dois interruptores de segurança. Com o suporte Profinet Shared Device, é possível a ligação simultânea a dois autómatos. Os painéis de teclas são especialmente indicados para instalação como complemento dos dispositivos HMI com IP65. A aplicação típica é a transmissão directa e determinística de comandos de operação. A possibidade de definir o brilho e côr da iluminação de cada tecla em separado é uma vantagem para sinalização e alarme.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


automação

Painéis IP69K A B&R apresentou recentemente uma nova gama de painéis de operador higiénicos, destinados a ambientes industriais exigentes. Têm grau de protecção IP69K (DIN40050), o que significa que suportam lavagens com jactos de água. Podem ser usados como terminais de visualização ou como painéis inteligentes com autómato e controlador de eixos integrados. Estão disponíveis vários modelos com écrans de 5,7 a 15 polegadas.

A integração da rádio-frequência (RFID) permite associar os terminais de operador aos sistemas informáticos da empresa (logística, gestão da produção). Compatíveis

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

com as normas ISO 14443 e ISO 15693, as novas unidades RFID 13,56 MHz da B&R integram-se facilmente na porta do armário eléctrico ou no painel de operador com protecção IP69K.

Novo CPU O novo CPU com microprocessador Intel® Core2 Duo P8400 proporciona mais potência aos dispositivos Automation PC 810 e Panel PC 800 da B&R. A combinação do processador Core2 Duo a 2,26 GHz e do chipset GM45 garante a performance necessária para aplicações exigentes, incluindo os sistemas de visão. A cache de 3 MB de nível dois, partilhada pelos dois cores do processador permite a operação multi-tarefa eficiente. O bus frontal de 1.066 MHz está também combinado com módulos de RAM DDR3. As diversas variantes permitem escalar os dispositivos de acordo com os

reviproject

requisitos da aplicação, desde as variantes mais simples do APC810 com um ou dois slots, até às variantes com três slots e ao PC com cinco slots. A configuração permite economizar espaço no armário. Os Panel PCs 800 com écran 15" XGA ou 19" SXGA e com um ou dois slots são igualmente a base para qualquer sistema. O utilizador pode agora optar entre a performance normal dos processadores Intel® AtomTM N270 e a potência dos processadores Core2 Duo e seleccionar a combinação adequada da unidade de sistema e CPU. Os construtores de máquinas têm assim uma arquitectura PC escalável. Como se podem usar os mesmos dispositivos quer para uma máquina pequena quer para um sistema complexo, a estrutura modular permite que o produto final seja configurado por medida, sem engenharia adicional.

9


automação

Tendências na área das interfaces homem-máquina A evolução dos dispositivos de interface homem-máquina, abrangidos pela sigla HMI (human-machine interface) permite apontar algumas tendências tecnológicas. São indicativas das preferências dos utilizadores finais e, nessa medida, são de considerar pelos construtores de máquinas.

Ícones e gráficos avançados Os dispositivos HMI industriais tendem a replicar os gráficos avançados e os ícones que abundam na electrónica de consumo, designadamente nos telemóveis, PDAs, etc.. Os exemplos “icónicos” dos lançamentos da Apple (iPhone, iPon, iPad) vão chegar às aplicações industrias. Os utilizadores finais querem interfaces mais fáceis, intuitivas e que melhorem a “experiência” dos utilizadores finais. Objectos WPF, escaláveis para qualquer tamanho sem perda da qualidade de imagem, e objectos .Net encontrados ou adquiridos na internet, e outros objectos funcionais fazem parte desta tendência. As interfaces gráficas de usuário não têm necessariamente de incluir a utilização de soluções gráficas avançadas. Simplicidade e consistência muitas vezes batem a complexidade e as soluções excessivamente artísticas. No entanto, os projectos só têm a beneficiar da combinação entre engenharia de aplicação e design gráfico.

Os recursos do framework .Net são abundantes, o que será reflectido no contínuo desenvolvimento de novas funcionalidades no software HMI. A dependência de tecnologias proprietárias tende a confinar-se a casos especiais e é cada vez mais uma estratégia arriscada. As soluções HMI baseadas no framework .Net da Microsoft ou tecnologias semelhantes são igualmente capazes de garantir uma ferramenta inovadora à prova do futuro, com actualizações contínuas e de suporte de serviço altamente apreciado pelos OEM com estratégias de longo prazo para os próprios produtos e fornecedores externos.

Arquitectura para soluções integradas Integração é uma palavra-chave nas instalações industriais. Para além da qualidade da interface gráfica, a facilidade de uso também depende do grau de abertura da solução HMI. As interfaces têm que tornar fácil a troca de informações entre diferentes

sistemas ou controladores. A diversidade de plataformas de hardware não deve afectar os tempos de execução. As soluções HMI serão menos proprietárias e oferecerão maior liberdade na escolha da plataforma em tempo de execução, a partir de painéis compactos de operador para PCs industriais de diferentes fabricantes. Será possível criar um projecto mestre escalável, que pode ser aplicado a diferentes tipos de controlador e resoluções do painel, com a vantagem de só ter que manter um projecto. Os engenheiros procuram por oportunidades de usar ferramentas de scripting, por exemplo, C# Script, para personalizar a aparência ou a funcionalidade dos objectos. A ferramenta de projecto oferecerá a possibilidade de importar objectos de outros fabricantes e controles .Net. A liberdade em conectividade e em comunicação é a marca de uma solução HMI verdadeiramente aberta e incluirá uma variedade de opções que vão desde a troca simples em tempo real de dados entre os controladores até comunicação SQL e OPC com outros equipamentos e sistemas de TI.

Software A plataforma de software é decisiva na área da HMI. Tendo como pressuposto hardware com elevada capacidade de processamento, de memória e de comunicação, o software deve permitir aos OEM e aos utilizadores finais desenvolver e implementar as suas aplicações, com o máximo de funcionalidade e liberdade de design. O desenvolvimento de software HMI é um assunto caro e complexo e os fabricantes inovadores de HMI terão de basear as suas plataformas de software em tecnologias modernas e amplas como a .NET, para serem capazes de aceder a uma variedade suficientemente ampla de ferramentas e funcionalidades. O mesmo argumento pode ser aplicado para a manutenção futura e desenvolvimento das plataformas de tecnologia das soluções HMI. 10

Energia sob vigilância Conforme com a norma PLCopen, a função lógica Power Meter desenvolvida pela B&R simplifica a gestão de dados de consumo fornecidas pelo sistema de accionamento ACOPOSmulti. Integrada no programa do autómato, a função indica ao operador o consumo dos eixos, seja qual for o estado e funcionamento da máquina. A energia reinjectada na rede (energia de travagem, por exemplo) e o factor de potência também fazem parte dos valores fornecidos por esta função. Para além dos valores médios, o Power Meter também pode reportar valores relativos a um intervalo de tempo pré-definido (ciclo do produto, por exemplo). Todos os dados são transferidos ao autómato através da rede POWERLINK.

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

11


detecção e medida

Novos Osciloscópios Portáteis para ambientes exigentes Os novos osciloscópios portáteis ScopeMeter® 190 Série II, de quatro canais, são os primeiros com classificação de segurança para ambientes CAT III 1000 V / CAT IV 600 V. Os quarto canais de entrada estão completamente isolados entre si para efectuar medições flutuantes diferenciais, uma condição crítica para a detecção de avarias em dispositivos electrónicos trifásicos de instalação fixa, como, por exemplo, variadores de velocidade. A caixa do ScopeMeter® é selada e não tem quaisquer aberturas de refrigeração ou ventiladores que possam expor o equipamento. Tem protecção IP-51 contra salpicos e poeiras. Os ScopeMeter® Fluke 190 Série II vão ao encontro da necessidade crescente de osciloscópios portáteis de quatro canais em ambientes industriais. A electrónica de potência é utilizada de forma crescente na

produção de energia solar e eólica, bem como para maximizar a eficiência ou reduzir o consumo de energia, especialmente em aplicações electromecânicas. Com os novos ScopeMeter® Fluke 190 Série II, os utilizadores podem ver mais e reparar mais, utilizando todos os quatro canais. A sua rápida taxa de amostragem, até 2,5 GS/s e resolução de 400 ps, ajuda os utilizadores a capturar ruído eléctrico e outras perturbações para diagnosticar exactamente o que se passa. Com modelos de 100 MHz e de 200 MHz, têm toda a largura de banda necessária para cobrir todas as necessidades actuais e futuras. Com quatro canais, podem ser inspeccionados sinais de entrada, sinais de saída, loops de feedback, ou interlocks de segurança em simultâneo para resolver problemas como: - Amplitude de sinal ou variações de forma, ruído induzido ou perturbações em nós de

Gestor de Energia para processos industriais O RH33 - EngyCal® é um contador de BTU para medição de calor e frio em processos com transferência de líquidos aquecidos. De fácil instalação e leitura, permite detectar desvios de energia e consequentemente, corrigir e melhorar a eficiência em circuitos de aquecimento e/ou arrefecimento. Este papel de “consciência do processo” é facilitado com a possibilidade de leitura remota via Ethernet e fieldbuses. Pode ser montado em parede, tubo, painel, painel ou calha DIN. BTU é a sigla de British thermal unit e corresponde à quantidade de energia necessária para elevar a temperatura de 0,454 kg de água (1 libra) até 0,556 °C (1 °F). Equivale a 1 055.05585 joules (unidade de energia do SI). 12

reviproject

circuitos críticos; - Medições de timing de sinal e problemas de sincronização; - Atenuação, flutuação ou deriva como resultado de problemas de impedância ou impactos ambientais. Os quatro canais são indispensáveis para fazer testes em variadores de velocidade e em tecnologia electrónica de inversão de potência utilizada na produção de energia verde e em aplicações de transporte. Os utilizadores podem: - Ver e medir harmónicos, transientes e cargas em sistemas de potência trifásicos; - Detectar avarias em conversores DC-AC relativas a transístores bipolares (IGBT’s) defeituosos e a circuitos de controlo; - Ver e medir as formas de onda de largura de impulso modulada (PWM) procurando reflexões e transientes. Estas novas ferramentas de teste são simples e de utilização fácil. A nova tecnologia de baterias de iões de lítio de alta performance mantém os ScopeMeter® a trabalhar até sete horas. Um carregador externo e a porta de bateria de fácil acesso tornam mais simples a troca de baterias e a extensão da autonomia. Duas portas USB, isoladas electricamente dos circuitos de entrada de medida, facilitam a captura e partilha de formas de onda. Os utilizadores podem facilmente guardar dados numa memória USB ou ligar a um PC através da porta USB e transferir formas de onda ou imagens do ecrã para análise ou arquivo.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Sensores inox Os sensores da série 700 da Contrinex, com corpo em peça única em aço inoxidável suportam ambientes industriais adversos, incluindo detergentes agressivos, agentes corrosivos, humidade, água salgada, etc.. A série 700 detecta todos os metais (ferromagnéticos e não-ferromagnéticos) praticamente à mesma distância, e caracteriza-se por permitir grandes distâncias de operação (3*Sn) a altas frequências, o que é excepcional para sensores totalmente metálicos. Além disso, não existem falsas comutações devido a pós metálicos ou aparas. A tecnologia patenteada Condet é integrada dentro de um corpo maquinado a partir de uma peça sólida de aço inoxidável. Como resultado, estes sensores são extremamente robustos mecânica e quimicamente. Estas vantagens podem ser utilizadas em instalações de processamento de alimentos, aplicações marítimas, indústria metalomecânica e sistemas de limpeza industriais entre outras. Além do mais, a série 700 está também disponível na versão M18 imune à soldadura, sendo, portanto, a escolha óbvia para ambientes severos na indústria automóvel. A Contrinex oferece uma gama completa de sensores metálicos monobloco, começando do M8 até ao M30 em aço inoxidável AISI 303, ou em aço inoxidável AISI 316L próprio para alimentos e resistente à corrosão para aplicações alimentares e em água salgada.

Sensores de imagem para temperaturas extremas Investigadores do Instituto Fraunhofer de Circuitos e Sistemas Microelectrónicos (IMS, Duisburg, Alemanha) produziram um sensor CMOS (complementary metal oxide semiconductor) capaz de funcionar a temperaturas entre -40 a 115 °C. As aplicações para este novo sensor de imagem vão desde os dispositivos de controlo de qualidade em processos industriais até aos sensores de ajuda ao estacionamento. Os sensores de imagem CCD (charged coupled device) actualmente utilizados falham quando a temperatura ultrapassa os 60 °C. Os investigadores conseguiram desenvolver pixeis que exibem corrente residual extremamente baixa. Esta redução da corrente residual (que flui em escuridão completa) torna possível captar imagens de alta qualidade mesmo a temperaturas extremas. Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

13


14

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


detecção e medida

Novas câmaras termográficas A Testo alargou a sua gama de câmaras termográficas com o lançamento dos modelos testo 876 (formato videocâmara, com resolução de 160 x 120 píxeis) e testo 882 (formato “pistola”, com resolução de 320 x 240 pixéis). A videocâmara testo 876, tem visor rotativo (até 180 graus), tornando a termografia possível mesmo em locais de difícil acesso, especialmente em termografia industrial. A câmara pode ser colocada acima do nível da cabeça e captar imagens térmicas em ângulos diferentes e difíceis.

A câmara testo 882 destina-se a aplicações que requerem imagens com mais definição e detalhes. Com resolução de 320 x 240 pixéis e equipada com uma lente de 32º, esta câmara permite leituras mais rápidas e precisas.

Multímetro e teste eléctrico no mesmo equipamento Com a série QUANTI, a Finero Oy (Finlândia) combina no mesmo equipamento as funções de teste eléctrico e multímetro digital (DMM) ou LCR (indutância, capacitância e resistência), evitando a instalação de vários equipamentos na mesa de testes. A série QUANTI desdobra-se em 13 modelos, que podem integrar as funções de DMM, Hipot, Ground bond, etc.. A combinação de medida e teste eléctrico numa só unidade reduz custos de cablagem e facilita a programação. Os novos instrumentos podem ser montados em bancada ou em rack standard de 19". A programação é feita com quatro botões e flywheel e os dados são visíveis e LCD a cores. O utilizador pode escolher entre quatro idiomas (inglês, alemão, francês e espanhol).

Sistema combinado para vigilância marítima Investigadores da Universidade Carlos III de Madrid desenvolveram um sistema de vigilância marítima que integra e unifica a informação captada por vários tipos de sensores, designadamente radar e AIS (Automatic Identification System). O primeiro protótipo vai ser utilizado em Cabo Verde e é

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

capaz de controlar até 2000 objectivos identificáveis (pequenos e grandes barcos), fundindo dados provenientes de 10 sensores e actualizando a informação segundo a segundo, mantendo-se em funcionamento ininterrupto. O sistema foi desenvolvido para a empresa Núcleo CC.

reviproject

Os programas de teste podem ser criados com software específico e carregados através da porta USB frontal. Todos os testadores Finero são compatívels com o software LabVIEW da National Instruments. Os dados podem ser mostrados em folha de cálculo, gráfico ou noutro formato. Diversamente do que sucede com outros testadores no mercado, os QUANTI usam a a interface RS-485 para comunicar entre si, o que dispensa as interfaces GPIB. A ligação a PC pode ser feita por USB, Ethernet, RS-232 e GPIB. Os testadores QUANTI são fornecidos com correcção do factor de potência na entrada, para reduzir os harmónicos, em conformidade com a norma EN 61000. A comercialização em Portugal é assegurada pela Dec.Medida Lda.

15


instalações eléctricas

Protecção eléctrica com condicionadores activos de tensão A instalação de condicionadores activos de tensão (AVC2) permite proteger equipamentos e dados contra os danos causados por quedas e picos de tensão. O AVC2 é um sistema baseado num inversor que protege as cargas especialmente sensíveis das perturbações na tensão de alimentação. Para além de regular a tensão de forma rápida e contínua, compensando as variações de carga, esta tecnologia é mais eficiente do ponto de vista energético, ocupa menos espaço e tem menos exigências de manutenção. Como exemplo de instalação de AVC2, pode referir-se o centro de dados da Weta Digital, a empresa neozelandesa responsável pelos efeitos especiais do filme Avatar. O centro de dados da Weta Digital, inaugurado em 2008, é um dos maiores do mundo e ganhou recentemente um prémio internacional de engenharia. A protecção eléctrica foi assegurada com dois condicionadores activos AVC2 da ABB. Cerca de 60% do filme Avatar foi elaborado em computador, exigindo uma enorme capacidade de processamento e grandes recursos de armazenamento, que por sua vez necessitaram de grandes quantidades de electricidade para alimentar os servidores e os sistemas de refrigeração, que evitam que fiquem em sobrecarga os 4.000 servidores e os 40.000 processadores. A Weta Digital seleccionou a solução da ABB a conselho de Richard Snow da Intellex, o seu principal consultor de engenharia. Ao comparar os condicionadores activos de tensão AVC2 com a alternativa de um grande número de fontes de alimentação ininterruptas

16

(UPS), a Intellex constatou que os sistemas AVC2 têm uma eficiência energética próxima dos 99% contra 95% da melhor alternativa baseada em UPS. A tecnologia de condicionadores activos de tensão da ABB permite optimizar as soluções de protecção eléctrica e continuidade. Para

reviproject

além de proteger os equipamentos essenciais contra quedas e picos de tensão, os AVC também permitem optimizar a instalação e utilização de UPS. Estas são instaladas apenas para equipamentos críticos (controlo, SCADA, autómatos, etc.). As unidades AVC protegem a própria UPS e aumentam o tempo de vida útil das baterias.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


instalações eléctricas

REN adquire sistemas IEC 61850 da ABB A ABB forneceu o primeiro sistema IEC61850 à REN, para a subestação 400/220kV de Lagoaça, instalação que é responsável por alguns dos pontos de interligação mais importantes com a rede eléctrica espanhola, ao nível dos 400kV. Com esta instalação, a REN prossegue o objectivo de normalizar a arquitectura dos sistemas, usando a mesma topologia da rede de comunicações e de design independentemente do fabricante a que recorresse. A Subestação de Lagoaça utiliza uma rede de comunicações baseada em Anel Descentralizado, concebida com equipamento de diversos fabricantes. Entre os equipamentos principais de fabrico ABB contam-se: - MicroSCADA Pro para o Posto de Comando Central e Sequências Automáticas de Operação, - COM500i para gateway de comunicações com o Centro de Controlo Remoto, - IEDs670 para as Unidades de Gestão de Painel de Protecção e Comando, - REB500 para o Sistema de Protecção de Barras.

Armários compactos com montagem optimizada Bem conhecidos pelos profissionais, os armários AE da Rittal foram recentemente melhorados com a introdução dos novos trilhos de instalação interior. Para além da compatibilidade TS/8, estes trilhos permitem uma montagem mais rápida, mais económica e com um grau de liberdade mais elevado. Os novos trilhos podem ser instalados em pouco tempo e sem necessidade de utilizar ferramentas. Podem ser fixados nas laterais, junto à base do armário no tecto do armário. Dispositivos como termóstatos, higróstatos, interruptores de porta, luminárias, etc. podem ser instalados sem necessidade de perfurar a caixa, o que significa que esta técnica de montagem não afecta o grau de protecção do armário. A Rittal garante o grau de protecção desde IP 55 até 66 através da junta com espuma de poliuretano, ou IP 69 K, com uma borracha interna de silicone, à prova de água, e um revestimento de alumínio-zinco especial, conferindo-lhe características de utilização em ambientes de grande agressividade. Conhecidos pela sua robustez e versatilidade, os armários AE tem aprovações e

A adopção da norma IEC61850 por parte da REN permite um nível elevado de liberdade para aplicação das funcionalidades e especificações, de independência de fabricantes únicos assim como a diminuição dos custos com engenharia e manutenção.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

certificações UL, DNV, TÜV, VDE e CSA. As superfícies destes armários são submetidas a um triplo tratamento de protecção que lhes confere especial resistência à corrosão: pré-tratamento nanocerâmico, pintura electroforética por imersão e acabamento a pintura electrostática a pó.

Hygienic Design e ATEX A Rittal também desenvolveu uma linha especial de armários compactos Hygienic Design, destinados especificamente para a indústria alimentar, e cuja base são os armários AE. Além disso, estes armários compactos estão disponíveis em aço inoxidável bem como com protecção electromagnética EMC, ou nas versões com protecção a explosão EX.

17


instalações eléctricas

Economia de energia com produtos mais eficientes Com a loja on line (rsportugal.com/energia), a RS proporciona aos projectistas e engenheiros a oportunidade para procurar, seleccionar e usar as soluções tecnológicas que permitem o uso mais inteligente da energia. A procura de soluções sustentáveis tem um triplo retorno: economiza energia, valoriza os equipamentos ou aplicações e preserva recursos valiosos. Não passou muito tempo desde que a RS iniciou a sua primeira aproximação a nível europeu sobre esta matéria, mas o tempo passa muito depressa no que se refere à tecnologia e os tempos de lançamento de novos produtos no mercado encurtam-se cada vez mais. A RS actualizou a sua gama com os produtos mais recentes para soluções de poupança de energia. Todos os campos de aplicação estão cobertos, desde iluminação até microcontroladores para soluções portáteis, produção e gestão de energia a controlo de processos, assim como água e climatização. Em cada área são possíveis poupanças significantes através da implementação da última tecnologia. Um olhar na área de iluminação mostra que uma fábrica típica pode poupar até 75% substituindo as lâmpadas de halogeneto metálico de 250 W por um controlo inteligente integrado nas lâmpadas, tal como a Solow XL da Thorlux ou utilizando lâmpadas metálicas eficientes de 200 W como a Venture Light nas luminárias existentes. O uso das lâmpadas fluorescentes compactas como a Megaman Clusterlites pode ser outra solução, assim como a substituição de lâmpadas de halogéneo por lâmpadas LED nas áreas de difícil acesso. Um edifício de escritórios que utiliza lâmpadas fluorescentes T8 e balastros convencionais pode poupar também até 60% instalando balastros electrónicos com menores perdas ou controladores de regulação e balastros reguláveis em zonas com luz natural. O uso de detectores de presença nas salas de reuniões para apagar as luzes pode poupar até 40% também. A RS conta com todos os produtos necessários para transformar todas estas ideias em realidade. Estão disponíveis as marcas líderes como OSRAM, Thorlux Lighting, Knights Bridge, Philips, Venture, Megaman, Wolf e Tridonic. As possibilidades através do uso dos microcontroladores para soluções portáteis não são menos surpreendentes. Os principais fabricantes desenvolveram MCUs, que permanecem inactivos até que um evento os active, permitindo a extensão da duração da bateria em mais de 20 anos. Outro exemplo são os microcontroladores de 18

baixa potência combinados com os mais recentes reguladores de elevada eficiência e baixa potência de arranque, que permitem o início da captação de energia em baixas tensões, para que os sistemas possam funcionar com energia solar, energia vibratória ou a energia da temperatura corporal. As aplicações actuais vão desde a activação dos sensores de uma ponte através das vibrações de um automóvel ao uso da energia solar para activar os sensores do sistema de monitorização de uma adega. A RS oferece uma gama líder de componentes e ferramentas para realizar testes e desenvolver conceitos que garantam um consumo de energia baixo ou nulo. A gama contém produtos das marcas líderes como NXP, Texas Instruments, Atmel, Microchip e Freescale. No capítulo da geração de energia, a série de reguladores de comutação Recom R-78, com uma elevada eficiência de até 97%, estabeleceu um novo ponto de referência. Acompanham também outros produtos de última geração de marcas como TDKLambda, PHIHONG, MEAN WELL, Ansmann Energy Seasonic, etc. Estes mesmos fabricantes também oferecem outras soluções em controlo de processos, como por exemplo contadores de energia, temporizadores, medidores de painel assim como a gama de PLCs LOGO da Siemens. Outros fabricantes relevantes como ABB, Schneider Electric, OMRON ou Mitsubishi Electric não ficam atrás. Seja qual for a necessidade: água, aquecimento, ventilação ou ar condicionado, o que predomina são os dispositivos de

medição. Os registradores de energia e as câmaras termográficas abrem as portas para novas formas de controlar os gastos desnecessários de energia, onde a Fluke é, sem dúvida, o principal fornecedor. Em rsportugal.com/energia é possível encontrar não só uma ampla gama de produtos, mas também abundante informação adicional sobre as possibilidades de poupança energética em diversas áreas de aplicação, datasheets, artigos técnicos, vídeos, etc.. “Os produtos energicamente eficientes formam uma parte muito importante da nossa gama. Por um lado ajudamos os nossos clientes no desenvolvimento de soluções sustentáveis e por outro, contribuímos com a diminuição de emissões de carbono nesses tempos onde a mudança climática ameaça a sobrevivência do planeta. Além disso, com esta iniciativa continuamos com o nosso foco europeu, o que demonstra uma vez mais o avanço na nossa estratégia de regionalização”, comenta Klaus Göldenbot, director geral da RS para a região EMEA.

Interruptores automáticos com diagnóstico incluído Os interruptores automáticos NZM incluem todas as funções de diagnóstico necessárias para restabelecer a ligação: sobrecarga, curto-circuito, fases afectadas, eventos causa do disparo, etc. Todos os estados e informação sobre a carga podem ser integrados no conceito de automatização via PROFIBUS DP, CANopen ou DeviceNet. O navegador FDT facilita a configuração de uma estação de controlo total para a conexão e monitorização remota de todos os aparelhos ligados à rede, assim como para a configuração e programação de todos os aparelhos e funções de protecção.

reviproject

A instalação não requer conhecimentos especializados de automatização. O software NZM-XPC-SOFT proporciona uma visão geral rápida da situação e está disponível em 9 idiomas.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

19


iluminação

E se todo o tecto fosse uma lâmpada? Os OLEDs (diodos orgânicos emissores de luz) podem ser a base para uma nova geração de lâmpadas. Por enquanto, o vidro iluminado ainda é demasiado caro, mas os investigadores continuam à procura de soluções mais acessíveis. É o caso dos investigadores do Instituto de Tecnologia Laser de Aachen (parte do Instituto Franhofer) que, em colaboração com a Philips, procuram forma de fazer lâmpadas maiores e mais baratas. As lâmpadas de OLED são caras devido à complexidade do processo de fabrico. Um OLED é uma estrutura multi-camadas: eléctrodo plano, várias camadas intermédias, uma camada portadora das moléculas luminescentes e um segundo eléctrodo plano de ITO (óxido de índio-estanho). Cabe a esta última camada conduzir a corrente que activa as moléculas emissoras. Porém, o eléctrodo de ITO não tem condutividade suficiente para distribuir uniformemente a corrente por

Caixas estanques A JSL lançou a nova gama de caixas estanques BOXLINE para instalações eléctricas, com diversidade de modelos, designadamente com boquilhas (219B, J80B, J100B, J160B, J200B), com paredes lisas (J80L, J100L, J160L, J200L) e com entradas roscadas (J100S). São fabricadas em material resistente à radiação UV mas isento de halogenados, têm isolamento de Classe II e grau de protecção IP 66 (com boquilhas). O design é mais atraente e funcional e os bornes são também inovadores. As caixas BOXLINE são seláveis (excepto

superfícies muito grandes. Para compensar esse problema, usam-se condutores adicionais para conseguir que a lâmpada plana tenha luminosidade uniforme. A aplicação desses condutores faz-se por processos de evaporação com consumo elevado de energia e também com baixo rendimento do material, já que a maior parte tem que ser removida e reciclada. Como alternativa, os investigadores do ILT desenvolveram um processo em que o metal condutor é aplicado através de uma máscara por um processo de fusão/transferência/ evaporação por laser. As linhas condutoras são mais finas (cerca de 40 micrometros, em vez dos 100 micrometros do processo tradicional). O processo deu resultado em laboratório e já se está a preparar a

LEDs de alto brilho A luz LED de alto brilho (HBLED) alarga os campos de aplicação, desde os écrans LCD, a iluminação de teclados e painéis de instrumentos até às aplicações de sinalização em edifícios. Neste último sector, as virtualidades decorativas da tecnologia LED são potenciadas não só pelo design, mas também pela engenharia capaz de criar dispositivos LED extra-finos. É o caso dos dispositivos de 219B e J80), têm parafusos em poliamida (anticorrosão), permitem a fixação em parede, cadeia porta-cabos ou calha, têm tampas imperdíveis, permitem furos para escoamento de condensados e são compatíveis com todos os tipos de platines de fixação. Destaca-se ainda: o volume interior e a capacidade aumentada para cabos eléctricos ou telecomunicações, a possibilidade de receber instalações de aparelhos directamente em calha DIN ou OMEGA, a tensão nominal - 500 V, os furos para fixação usando perno M6 metálico, a possibilidade de instalação de quaisquer bornes, ligador ou conector, de escrever identificação da caixa ou do circuito, na tampa, e a conformidade com o regulamento REACH e ROSH. Existe uma versão

20

evolução para a etapa industrial. Se se conseguir uma forma mais económica de aplicar os condutores de corrente, as lâmpadas OLED de grande formato poderão chegar finalmente ao mercado. Dentro de alguns anos, em vez de uma lâmpada ou foco de luz, será todo o tecto a iluminar-se.

reviproject

iluminação desenvolvidos pela GLT - Global Lightning Technologies. Com sede em Brecksville (Ohio, EUA) e várias fábricas na China, a GLT especializou-se na tecnologia dos HBLEDs ultra-finos. especial do modelo 100x100 com entradas roscadas para o bucin métrico M20

Tubo rígido A JSL lançou entretanto o novo tubo rígido VD ECO Código 2321, produzido segundo a Norma EN 61386-21, para instalações eléctricas. O lançamento foi acompanhado com uma campanha de descontos na aquisição em acessórios de instalação como abraçadeiras, uniões, curvas, boquilhas roscadas e caixas.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


energia

Evolução no fabrico de Turbinas Eólicas O mercado da energia eólica continua com previsões de crescimento e com investimento continuado em novas áreas, incluindo off shore. A indústria eólica regista mudanças frequentes, com novos investidores, fusões e aquisições. Por exemplo, em 2009, a STC Corp. (Coreia) juntou-se à Harakosan (Holanda) para formar a STX Europe. A fabricação de turbinas eólicas é um negócio global e a produção é geralmente localizada perto dos locais de instalação finais, o que envolve novas fábricas em função do desenvolvimento do mercado. A Vestas (Dinamarca) é actualmente o maior fabricante mundial de turbinas de grande dimensão. Outros players neste mercado são: Goldwind e Sinovel (China); Enercon, REPower, Nordex e Siemens (Alemanha); Suzlon (Índia); Gamesa e Acciona (Espanha); GE Energy e Clipper Windpower (EUA). As torres eólicas estão a crescer em dimensão, com as empresas a anunciar que têm pás de turbina cada vez maiores. A Gamesa tem em desenvolvimento uma turbina de 4,5 MW com 135 m de diâmetro. Existe um grande potencial para turbinas muito grandes em instalações off shore. O projecto Upwind da União Europeia antevê turbinas de 20 MW com pás de 125 m fabricadas em fibra de carbono de grau aerospacial, refere a Povl Brondsted of Riso-DTU, que lidera o projecto. Esta tendência leva à investigação contínua sobre os materiais, a aerodinâmica e estrutura das pás. A fabricação destas estruturas compósitas de grande dimensão é intensiva em mão-de-obra e em tempo.

Quanto maiores as pás, maior o tempo de cura dos materiais, o que pode aumentar os problemas de qualidade. A Indústria procura processos automatizados que assegurem repetibilidade, reduzam os custos e aumentem a produção, garantindo uma qualidade consistente. De acordo com as conclusões de um seminário técnico organizado em 2009 pelo Departamento de Energia dos EUA, a chave poderá ser “a robótica e o controlo de processo para laminação, acabamento de pás, corte, trituração, pintura, movimentação de materiais, pultrusão e inspecção”. Um dos exemplos de trabalho neste sentido é o da GE Global Research que está a examinar a fabricação automatizada de compósitos de carbono e a inspecção em linha. As pás também requerem uma grande quantidade de material, o que coloca pressões pelo lado da procura no mercado mundial das resinas e fibras. Algumas das empresas de turbinas fabricam as pás enquanto outras adquirem a outros fabricantes. Um dos fabricantes independentes, a LM Glasfiber (Dinamarca), mudou o seu nome para LM Wind Power (comunicado de imprensa de 20 de Abril de 2010) e abriu a sua quarta fábrica na China. Existe uma série de outros fabricantes independentes de pás em materiais compósitos. Empresas como a Gamesa apostam em fabricar pás unicamente com fibra de vidro. Noutros casos, a fibra de carbono é usada nos pontos mais críticos e estruturais das pás, embora os custos sejam elevados. A Tecsis Tecnologis e Sistemas Avançados (Brasil) estuda os efeitos da variação de performance das fibras,

comparando laminados de resina epoxi com fibra de vidro e de carbono. Há questões relacionadas com o envelhecimento das pás das turbinas, relacionado com a exposição à radiação UV e ao ambiente marinho, e com a redução de peso, aspectos chave para a produção de electricidade. Outro aspecto relevante é o dos tratamentos de superfície destinados a evitar a formação de camadas de gelo. Podem ser instalados sensores para monitorização remota da condição. A LM Wind Power está a trabalhar num novo projecto de pesquisa, que inclui os sensores ópticos LIDAR (Light Detection and Ranging). Instalados nas pás, estes sensores fornecem informação em tempo real sobre as condições do vento, permitindo a adaptação das pás e da turbina. A carga de fadiga é um factor chave no projecto e daí os debates que decorrem nos Sandia National Laboratories (EUA) sobre o uso de estruturas inteligentes. Ensaios e certificação são realizados por organizações como a Germanischer Lloyd.

Seccionadores Central FV de 13 MW em La Robla A Gestamp Solar inaugurou a nova central fotovoltaica em La Robla (Espanha), com potência instalada de 13,3 MW e tecnologia ABB. Mais de 60 mil módulos solares foram instalados numa área de 45 hectares, a 1000 m de altitude. A tecnologia da ABB inclui um PLC para controlo dos seguidores solares e um sistema de comutação que optimiza o número de painéis ligados a cada inversor, permitindo à central captar mais energia em cada momento, inclusivamente nos períodos de menor intensidade de luz, como a madrugada, o crepúsculo e o tempo encoberto. Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

Os seccionadores P-SOL são parte da “gama solar” da EATON e foram lançados em dois tamanhos, com intensidades nominais de 20 a 30 A e o segundo até 63 A e 1000 VDC. Graças ao sistema de abertura rápida e manobra de forma independente é garantida a extinção rápida do arco de ruptura para tensões nominais até 1000 VDC. A cablagem é independente da polaridade e o seccionamento é bipolar. A utilização também é adequada para redes isoladas de terra (IT). Não são necessários acessórios para cablagem e as dimensões são compactas, com parte frontal com largura de 45mm. São fáceis de instalar em calha DIN. A EATON disponibiliza ainda acessórios funcionais como contacto auxiliar para indicação de estado, bobinas de disparo para desconexão remota, ou comando bloqueável. Toda a gama de seccionadores P-SOL está disponível e cablada no interior de

reviproject

caixas com IP65, compatível com a instalação em exteriores, tornando possível o seccionamento local de painéis solares, designadamente para intervenções de manutenção. As caixas estão equipadas com conectores especiais para aplicações fotovoltaicas, tais como MultiContact MC3 / MC4 e métrica. As entradas múltiplas permitem conexões em paralelo, desde 2 a 8 strings.

21


electrónica

Circuitos flexíveis O recurso à tecnologia de plasma pode contribuir para a redução dos custos de produção de circuitos flexíveis, antenas RFID e biosensores. Esta é uma linha de investigação que prossegue no Instituto Fraunhofer para a Engenharia de Superfícies (Braunschweig, Alemanha). As aplicações dos circuitos flexíveis (condutores impressos sobre filmes plásticos) são inúmeras, desde as impressoras aos equipamentos multimédia portáteis. O novo processo “P3T” (abreviatura de Plasma Printing and Packaging Technology) é mais simples e gasta menos materiais. Em vez dos filmes metalizados (dos quais é necessário remover entre 50 e 80% do metal), do vácuo e do laser, o novo processo usa plasma à temperatura atmosférica, galvanização e um processo de impressão similar ao da rotogravura.

Würth Elektronik

Indutores WE-PMI A Farnell assumiu a distribuição da nova gama de indutores de potência multi-camadas WE-PMI da Würth Elektronik. Os novos indutores destinam-se a montagem em superfície, são fornecidos em caixa de tamanho 1008 e têm capacidade de corrente até 1A. Os valores de corrente CC estão abaixo de 0,3 ohms. Podem ser usados em desenhos de conversores CC/CC e especialmente em conversores com altas frequências de comutação. As agendas electrónicas e as câmaras digitais são algumas das aplicações finais típicas.

VTI Technologies

Micro-sensor angular A VTI Technologies apresentou o CMR300, um micro-sensor angular de 3 eixos destinado a aplicações de controlo do movimento em aparelhos de “electrónica de consumo” (telemóveis, consolas de jogos, etc.). É o mais pequeno sensor da sua classe e também o de consumo mais baixo (5 mA), graças a uma estrutura inovadora e simplificada. 22

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

23


24

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


informática Silentium

Mais segurança em Datacenters

Eliminação activa de ruído A Silentium (Rehovot, Israel) usa a tecnologia ANC (Active Noise Control) para reduzir os níveis de ruído em servidores, aparelhos AVAC, equipamento automóvel, médico, etc.. Esta tecnologia elimina o ruído através da produção de um sinal “anti-ruído”. Deste modo, pode ser optimizada a velocidade de ventoinhas e outros equipamentos e reduzidos os custos de arrefecimento. Mais informação em www.silentium.com.

Cloud Computing e segurança O Instituto Fraunhofer para a Segurança das Tecnologias de Informação concluiu um estudo sobre as questões de segurança da informática baseada na internet (“cloud computing”). A possibilidade de as empresas utilizarem vários servidores e plataformas informáticas sem terem que investir em hardware e software específico foi prevista ainda nos anos 60. A disponibilidade de plataformas de hardware e software através da internet coloca a informática como uma “utility”, tal como a electricidade. Para além das questões económicas, os utilizadores estão preocupados com os aspectos de segurança. O que acontece se o sistema falha? Como garantir a continuidade, a preservação e o acesso aos dados? Que defesas há contra ataques de “hackers”? Apesar de todas estas preocupações, o estudo conclui que a “cloud computing” permite aumentar a segurança informática das PMEs. Para empresas e organizações de maior dimensão, os serviços actualmente disponíveis ainda não respondem a todas as necessidades de segurança. O estudo pode ser solicitado no endereço www.sit.fraunhofer.de/cloud-security.

Alternativa ao GPS Os sistemas de geolocalização baseados em satélites já têm alternativa. A tecnologia awiloc™ usa o sinal das redes sem fios - WLAN para determinar a localização. Ao contrário dos dispositivos GPS, que perdem o sinal no interior de edifícios, os dispositivos awiloc™ funcionam quer no exterior, quer no interior de edifícios. Os objectos e pessoas podem ser localizados ou localizar-se no interior de armazéns, centros comerciais, aeroportos, etc.. A localização usa a força do sinal das redes WLAN, mas não depende dos protocolos de comunicação, nem requer que os dispositivos se liguem entre si. Basicamente, o awiloc™ é um software para telemóveis e outros dispositivos móveis/ portáteis. A possibilidade de localização no interior de edifícios tem potencial de aplicação inesgotável: ajuda de localização para crianças, localização de vítimas em operações de emergência/ socorro no interior de edifícios, localização de objectos em armazéns, localização de stands em feiras, etc., etc. Entre as várias empresas alemãs envolvidas no desenvolvimento da tecnologia awiloc™, estão a IT2media (soluções de indexação), a Init (telemática, bilhética), a Map and Route (mapas) e a Art2Guide (comandos audio-visuais). Mais informação em www.awiloc.com. Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

Os novos armários Micro e Mini Datacenters da Rittal protegem os centros de dados contra fogo, água, gases de combustão, poeiras e acesso não autorizado. Graças a estes novos tamanhos, as PMEs podem ter o mesmo grau de segurança das grandes empresas sem terem que instalar armários de grande dimensão. Os Micro e Mini Datacenters economizam espaço e garantem a segurança necessária para os “sistemas críticos” que não ocupam mais do que 3 ou 4 bastidores de 19” com 2 m de altura. Os novos armários constituem um sistema escalável de 1 até 4 bastidores, o que permite dimensionar a instalação de acordo com as necessidades do utilizador, reduzindo o investimento e o espaço ao estritamente necessário. Os Mini Datacenters são fáceis de montar e desmontar, tornando possível a mudança de local. O Micro Datacenter (para rack com 15U’s de altura) é fornecido pronto a funcionar, pelo que a sua colocação em plena produção só depende da configuração do sistema na rede do cliente (em média 6 a 8 horas). Um Mini Datacenter (para racks de 42U’s de altura), modular, estará em pleno funcionamento em apenas 3 dias após o início da instalação. A Rittal fornece os Micro e Mini Datacenters chave-na-mão, isto é, com a instalação incluída.

Elektron Ventures

Espuma de cobre dissipa calor A Elektron Ventures (Reino Unido) lançou um novo material com capacidade para dissipar a temperatura dos microprocessadores. Patenteado, o novo material é uma espuma de cobre designada AdvarienCu. A sua utilização pode permitir maiores velocidades de processamento. A estrutura celular aumenta a superfície de contacto com o líquido de arrefecimento, conseguindo-se uma transferência de calor superior à dos dispositivos de arrefecimento líquido actualmente usados. Os dissipadores AdvarienCu dispensam os circuitos de arrefecimento a água e as ventoinhas.

25


26

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010


ligação

Soluções Wireless

Novos rádios industriais

Correspondendo à procura e à tendência do mercado, a Banner Engineering desenvolveu o sistema SureCross™ para comunicação Ethernet sem fios. Os rádios DXER9 de 900 MHz destinam-se a aplicações industriais que requerem longo alcance (distância), e capacidade para superar barreiras físicas (paredes). A Banner indica que estes sistemas asseguram uma comunicação de dados eficaz mesmo nos caso em que as redes WiFi tradicionais falham. Os novos rádios incluem encriptação AES de 128 bit, capacidade para detectar erros de transmissão e retransmissão e selecção manual ou automática do melhor de 12 canais (indicados por LEDs). Podem ser configuradas instalações ponto-a-multiponto até um total de 16 unidades. Com 12 pontos de acesso por local, a configuração pode ir até ao total de 192 pontos. A configuração é feita em página web. A operação nos 900 MHz não interfere com as redes WiFi 2.4 GHz.

A ProSoft Technology (representada pela Nessie) desenvolveu dois novos rádios industriais Hotspots™ classe 802.11n, com uma única ligação Ethernet, mas com dois canais que podem ser usados simultaneamente para finalidades distintas (automação e manutenção, por exemplo). Um dos modelos tem grau de protecção IP67. Os rádios de dois canais também podem ser utilizados como repetidores para prolongar o alcance da rede de comunicação sem fios.

Alimentação ininterrupta com sistema fotovoltaico Os dispositivos de comunicação sem fios do sistema SureCross™ podem ser alimentados por baterias carregadas por energia solar. A Banner Engineering disponibiliza o sistema de pilhas recarregáveis e carregador FlexPower™ Solar Supply que é indicado para os casos em que é mais difícil a alimentação por cabo ou para os casos em que a simples bateria DX81 não é suficiente. Como exemplo típico de aplicação, podem referir-se todos os casos em que é necessário monitorizar em contínuo um determinado caudal. O sistema FlexPower Solar Supply é capaz de alimentar em modo contínuo um transmissor de 4-20 mA. Basta-lhe um mínimo de 80 minutos de luz solar por dia e a carga é suficiente para 10 dias sem luz solar. Se a aplicação requer redundância e total segurança, o sistema solar pode ser combinado com baterias de reserva. Em caso de danificação do painel fotovoltaico, a bateria de reserva pode manter a alimentação de energia durante algumas Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

A configuração e monitorização destes rádios é feita com o software “RadioLinx WirelessN Discovery” que permite a visualização da topologia da rede, atribuir endereços IP, efectuar diagnóstico da rede, actualizar o firmware do rádio e detectar a presença de qualquer rádio 802.11 na rede.

Gateway compacta A NETLink® PRO Compact é uma gateway Ethernet compacta e económica, mas com mais funcionalidade que o modelo precedente. Liga-se ao bus por encaixe no dispositivo Profibus. O cabo Ethernet incluído de 3 m pode ser ligado directamente na tomada RJ45. A ligação de rede pode ainda ser utilizada individualmente com qualquer cabo Car-5. Deste modo, são possíveis ligações até 10 m sem usar componentes adicionais. A tomada PG integrada permite a ligção de mais dispositivos. A alimentação vem da CPU do autómato ou de fonte externa a 24 V DC. O controlador de origem faz com que esta gateway seja automaticamente reconhecida pelas S7 Engineering Tools. O protocolo RFC 1006 (ISO on TCP) pode ser utilizado por simples configuração por interface web. As aplicações são semanas, dando tempo para a reparação do painel. Os sistemas de comunicação industrial sem fios SureCross™ Industrial Wireless I/O estão descritos numa publicação recentemente disponibilizada pela Banner Engineering (Bannerengineering.com/SureCrossBrochure). Nesta publicação, que pode ser solicitada via internet, são especificados todos os dispositivos e componentes do sistema. Os sistemas de sensores e de comunicação wireless da Banner Engineering são comercializados em Portugal pela Bresimar.

reviproject

múltiplas: comunicação com sistemas SCADA, aquisição e registo de dados, programação, telegestão, comunicação CPU s CPU, etc.. A comercialização em Portugal é assegurada pela MVA Electrotecnia.

Interligação Profibus-ModbusTCP A X-gatewayTM Anybus® é uma gateway stand-alone configurável para a comunicação bi-direccional entre dispositivos de campo de redes Profibus e Modbus-TCP. Permite a transferência de dados de E/S entre dois sistemas de PLC diferentes (ABB, Siemens, Schneider Electric ou GE). Monta-se em calha DIN e requer alimentação a 24 V. Funciona como servidor (escravo) na rede de Modbus-TCP e como mestre no lado Profibus. A funcionalidade de mestre Profibus é configurada com o software Anybus NetTool para Profibus da HMS.

27


ligação Conectores para circuitos impressos O sistema de conectores Omnimate Power é indicado para aplicações de electrónica de potência e arrancadores de motores. Cumprem os requisitos da norma UL1059 600 V Classe C, bem como os requisitos ampliados a 5,5 mm para a protecção contra contacto dos dedos conforme a norma IEC 61800-5-1 para 400 V contra terra. A braçadeira central auto-encaixável, também disponível em versão aparafusável, reduz o espaço necessário comparativamente às soluções convencionais. Sob pedido, também podem ser fornecidos conectores sem bloqueio da braçadeira central.

Monitorização por RF de instalações fotovoltaicas O sistema CLINICS da Weidmüller não só monitoriza o rendimento de cada cadeia ou string, como também permite saber como se comporta cada painel dentro da sua cadeia. Esta é a única forma de poder medir e evitar as elevadas perdas que se produzem por fenómenos de missmatch e comutação, que fazem com que painéis aparentemente correctos possam comportar-se como cargas na instalação. Para facilitar a instalação, os dispositivos de medida CLINICS podem auto-alimentar-se e comunicam por rádio-frequência. A extrema facilidade de instalação faz destes dispositivos uma solução ideal para a monitorização de todo o tipo de instalações fotovoltaicas.

Conectores 500A O sistema modular de conectores RockStar® HighPower foi projectado para aplicações de controlo de tráfego, mas também satisfaz as exigências do sector eólico. É composto por contactos prensados de uma peça, manguitos isolantes, bastidores de fixação de conectores assim como caixa em alumínio. A estrutura modular facilita a cablagem segura de condutores de grande secção.

Caixa de ligação A caixa CONEX simplifica a montagem manual das ligações. As duas metades da caixa unem-se com uma simples operação “plug and play”. A caixa tem as dimensões compactas de 162 x 77 x 29 mm (CxLxA) e os cabos pré-montados PV vêm equipados com conectores standard. A caixa inclui um sistema de fixação contra tracção excessiva do cabo. Equipada com diodos bypass, a caixa reduz as perdas de potência e a acumulação de calor. A nova caixa tem certificação alemã TÜV e cumpre os requisitos da normativa DIN V VDE 0126 5 05.08.

Ponta de prova com mãos livres A ponta de prova PS ZQV permite testar a instalação com as mãos livres, usando o adaptador que é inserido nos bornes W, Z, I e P da Weidmüller, assim como nos módulos electrónicos das séries Plug, Wave e Micro. A ponta permanece inserida até ao fundo do borne, eliminando o risco de contacto com os dedos (IEC 1010). A ponta de prova PS ZQV pode ser conectada com os típicos cabos de medida da maior parte dos instrumentos de medição.

Micro-conectores Caixas para módulos As caixas CH20M da Weidmüller permitem personalizar aplicações eléctrónicas, combinando liberdade de desenho com a facilidade, baixo custo e segurança de um sistema normalizado de instalação.

28

A Souriau, especialista em conectores circulares para ambientes operacionais adversos, lançou no mercado a nova linha de conectores micro38999, duas vezes mais leve e duas vezes menor que os conectores MIL-DTL3899 Série III. Aplicações de aviação, defesa e industriais justificam a aposta em conectores mais leves e compactos. A Souriau conseguiu o máximo de miniaturização sem comprometer o desempenho eléctrico e mecânico. A distância entre contactos foi reduzida a 1,7 mm! Apesar da sua dimensão, os sensores micro38999 superaram testes de vibração de 44 Grms a 125°C durante 8 horas. Além das galvanizações tradicionais disponíveis no mercado, todos os conectores micro38999

reviproject

podem ser fornecidos com proteção zinconíquel preta não-reflexiva, para atender às últimas normas RoHS. A linha micro38999 está disponível com três sistemas de acoplamento diferentes: 8DA roscado, 8LTA do tipo baioneta acoplada e 8BA simétrico.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


ligação

Novos cabos bus A igus, especialista em cabos flexíveis em aplicações dinâmicas de calhas articuladas, aumentou a sua ampla gama de cabos com mais níveis de qualidade. Os novos cabos bus Chainflex CAT5e/GigE, CFBUS.PVC.045 para ambientes secos e CFBUS.PUR.045 para ambientes com óleos, estão agora disponíveis em stock e podem ser utilizados em qualquer aplicação em que seja necessário garantir mecanicamente as características de transmissão do respectivo protocolo bus , mesmo após vários milhões de ciclos de movimento. A igus disponibiliza soluções de cabos para os principais protocolos de bus, tais como Profibus, DeviceNet, CC-Link, CAN-Bus, USB e todas as variantes Ethernet incluindo GigE, quer para níveis de exigência normais quer para

aplicações extremas, inclusiva com torção. Onde o cobre não é a primeira opção (elevadas taxas de dados, cursos longos), a igus recomenda a utilização de cabos LWL tanto em fibra óptica de vidro como de plástico. No programa agora ampliado o material de revestimento exterior tem um papel importante. O novo cabo CAT5e/GigE CFBUS.PVC. 045 tem um revestimento de PVC optimizado para a abrasão e adequado à utilização em calhas articuladas com movimentos permanentes. O cabo é resistente à chama e destinado para o uso em temperaturas de - 5 °C a + 70 °C dispondo do certificado UL. Com a mistura PVC testada, é possível atingir muitos ciclos em aplicações sem óleos a custos moderados, indica a igus.

Calha porta-cabos estanque Lançada há cerca de um ano, a calha portacabos RX da igus foi escolhida para o prémio “IF product design award” 2010 (entre 2486 produtos apreciados pelo júri). A RX é uma calha fechada que assegura a protecção dos cabos contra a projecção de limalhas e conta já com numerosos utilizadores, segundo a informação prestada pela igus, que entretanto, lançou dois novos tamanhos com altura interior de 48 e 56 mm (que se vieram juntar às alturas de 52 e 72 mm). Para além da estrutura fechada, esta calha tem design propositadamente arredondado, para evitar a acumulação e “infiltração” de limalhas. A estanquecidade foi largamente testada com testes de imersão. Apesar da

estanquecidade típica de um tubo, a calha RX é fácil de abrir e permite a subdivisão interna, para melhor protecção dos cabos. É especialmente indicada para máquinas-ferramentas (movimentos curtos sem surte), aplicações com raio de curvatura inverso. Está disponível em versões fabricadas em material igumid HT resistente a altas temperaturas: mesmo as limalhas incandescentes são afastadas e não derretem as paredes da calha. A igus também disponibiliza estas calhas em modo “Ready-Chain”, isto é, calha pré-dimensionada e já com os cabos, pronta a montar na máquina.

Os cabos de bus industrial para o sistema de fieldubus CC-Link Chainflex CFBUS.035 foram verificados no Japão pela CLPA (CCLink Partners Association) e estão disponíveis para todos os sistemas normalizados de fielbus (Profibus, Interbus, CAB-bus, Device Net, Profinet, Ethernet, etc.). São plenamente compatíveis com as calhas articuladas, graças aos revestimentos exterior e interior. Com diâmetro exterior de 8,5 mm e revestimento conforme com a norma DESINA, o cabo pode ser fornecido a metro ou pré-confeccionado com conector industrial.

A igus desenvolveu as abraçadeiras Chainfix para a fixação segura dos cabos nas calhas porta-cabos articuladas. As novas abraçadeiras superam as limitações de espaço no terminal de fixação, suportam as vibrações e variações de temperatura e são também imunes aos óleos e lubrificantes. De acordo com os ensaios realizados pela igus, a resistência à tracção destas abraçadeiras é de 3500 N contra aos 1000 N das abraçadeiras precedentes. O desenho compacto e a pequena altura de

As calhas articuladas porta-cabos E2/000 podem ser abertas facilmente com uma chave de fendas. A operação requer cerca de 33 segundos por cada metro de calha. Com a ferramenta lançada pela igus, a mesma calha pode ser aberta em cerca de 2 segundos por metro. 2010

Cabo CC-link compatível com calhas

Chainfix

Ferramenta para abrir calhas

Nº 162 Out/Nov/Dez

Por seu turno, o cabo PUR-GigE- CFBUS. PUR.045 tem revestimento de poliuretano e é indicado para aplicações em calhas articuladas com óleo mecânico, agentes de refrigeração e lubrificantes. Este cabo altamente resistente a óleos combina a resistência à chama com a ausência de halogéneos, podendo ser utilizado em temperaturas de - 35 °C a + 70 °C e dispõem igualmente do certificado UL. Também neste caso o material do revestimento exterior está optimizado para a abrasão com o material das calhas.

reviproject

29


ligação

instalação possibilitam um óptimo aproveitamento do espaço e uma fixação directa no terminal em polímero/metal (KMA), ou por meio de um perfil C montado antes do elemento de fixação. Os elementos das abraçadeiras de suporte em polímero com arestas, garantem uma forte fixação e tracção nos cabos obtendo-se assim uma fixação segura. Foram entretanto disponibilizados novos acessórios para configurações diferentes e mais rápidas das abraçadeiras. Na parte superior das abraçadeiras “Chainfix” pode ler-se o respectivo número de artigo e também a direcção correcta de montagem. Lateralmente também constam estas duas indicações para se garantir uma montagem sem qualquer problema e uma encomenda fácil de peças sobresselentes. Para além disso foram também optimizados os suportes duplos por meio de novas saliências de engate, que facilitam a montagem através do

aperto dos suportes duplos. Isto leva a uma considerável redução no tempo de montagem. Os suportes são feitos em polímero igumid G2. Visto serem resistentes ao atrito e protegerem os cabos, combinam muito bem com os mais diversos materiais de revestimento (PVC, PUR, TPE e outros). As abraçadeiras podem ser fornecidas em aço lacado a preto ou em aço inoxidável, com um, dois ou três andares. Vários diâmetros com multi-abraçadeira Podem ser executadas as mais diversas fixações com as novas multi-abraçadeiras Chainfix. Actualmente existem quatro geometrias diferentes de suportes duplos que possibilitam montar, de uma maneira rápida e em pouco espaço, diversos cabos de vários diâmetros com apenas uma abraçadeira modular compacta. Graças a estas multi-abraçadeiras de várias filas também é possível

fixar cabos com pequenos diâmetros exteriores de uma maneira segura. Os suportes duplos, disponíveis em stock, podem ser encomendados, tanto individualmente, para se poder combinar sistemas existentes, como em conjunto completo conforme a opção do utilizador. As abraçadeiras Chainfix representam hoje em dia os elementos de fixação standard para qualquer calha articulada com terminal de fixação polímero-metal. A igus dispõe de numerosas soluções especiais, tais como, por exemplo, as “Chainfix Nuggets” destinadas a fixar cabos e tubos com diâmetros até 20 mm. Estes elementos de fixação podem aparafusar-se de maneira fácil e rápida no perfil C, sem que para tal seja necessária qualquer ferramenta. Outra solução especial são os separadores com fixação integrada. Estes combinam a componente de divisão interior, com os elementos de fixação, sendo apropriados por ex. nos tubos articulados.

Conector analógico IO-Link Os novos conectores analógicos IO-Link da Balluff, com resolução de 14 bits, possibilitam a ligação de sinais de entrada/saída analógicos de forma mais fácil e económica. Tem estrutura compacta, grau de protecção IP 67, são conectados directamente ao sensor e convertem os sinais analógicos em sinais IO-Link antes da transmissão. Deste modo, elas permitem um significativo potencial de poupança. Em vez de cabos blindados dispendiosos, são utilizados cabos não blindados simples

30

com 3 condutores. A neutralidade do sinal das portas IO-Link no módulo principal IO-Link, em combinação com os conectores IO-Link, garante uma variância de sinais máxima. A mistura de diferentes sinais de entrada, saída, corrente e tensão pode ser misturada num módulo. Estão disponíveis versões com uma entrada de corrente de 4-20 mA, tensão a partir de 0-10 V ou PT 100, uma saída de corrente de 4-20 mA e uma saída de tensão de 0-10 V. A comercialização em Portugal é assegurada pela LA2*P.

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

31


accionamentos

Accionamentos Nord no maior centro da Chronopost Mais de 1.000 moto-redutores Nord com inversores descentralizados foram instalados no principal centro europeu da Chronopost, que movimenta uma média de 170 mil pacotes por dia. Cada pacote tem que ser identificado, triado e enviado para a respectiva plataforma de carga em menos de 3 minutos. Especializada na entrega de pacotes, a Chronopost emprega mais de 3.500 pessoas em todo o mundo. O centro de Chilly-Mazarin, ao sul de Paris, é o coração da rede Chronopost. É um dos maiores centros do género na Europa, tem capacidade para processar 30 mil pacotes/hora e é responsável por cerca de 60% do tráfego francês de pacotes da Chronopost. Todos os dias, 500 caixas contendo pacotes de todos os tipos são entregues por camião nas plataformas de descarga, totalizando uma média de 170 mil pacotes/dia. O pico anual ocorre durante o período de Natal, com cerca de 3000 mil pacotes/dia. Cada pacote tem um peso máximo de 30 kg, com tamanhos que variam entre 10x100x40 mm e 1200x800x1000 mm. No edifício de 13.000 m², estão instaladas 34 plataformas de descarga, 83 plataformas de carga e um sistema de triagem automática de dois níveis, cada um dos quais equipado com

Mais de 170.000 pacotes/dia

Cada transportador tem um moto-redutor Nord, com controle de velocidade descentralizado.

dois classificadores. Numa extensão de 650 m, a identificação dos pacotes é feita por leitura automática dos códigos de barras por câmaras digitais. O movimento dos pacotes é executado por mais de 1100 transportadores da marca Budde, accionados por moto-redutores Nord, de engrenagens cónicas ou sem-fim, equipados com inversores descentralizados do tipo “SK” montados directamente nos moto-redutores. A opção por um sistema descentralizado proporciona uma significativa economia de espaço, na medida em que se evitam os armários eléctricos de grande dimensão e as respectivas cablagens. Os inversores SK comunicam via Profibus com um autómato que envia as informações para o centro de controle. O controle e sincronização do sistema de acionamento Nord é um requisito fundamental, dadas as exigências de processamento (identificação e endereçamento) rápido dos pacotes. Cada pacote é registado no início da linha e rastreado por ordem ao longo da cadeia de

triagem. Cada linha de transportador tem até três pontos de alimentação e cada classificador pode ter até quatro pontos de alimentação. Se uma plataforma de carga não consegue despachar todos os pacotes, o sistema actua de forma a evitar sobre-carga, utilizando a linha como acumulador. A nova linha de inversores SK200E do sistema de accionamento Nord foi projectada para montagem directamente na caixa de terminais do motor, produzindo unidades de accionamento totalmente integradas. Essa linha conta com uma série de funções básicas, como controlo vectorial em malha aberta, um pulsador de frenagem integrado e um controle de freio electromagnético. Essas unidades também incorporam o processamento dos sinais de um encoder incremental ou absoluto, e uma função de posicionamento de eixo POSICON. A Chronopost tem objectivos ambiciosos para 2011, que incluem aumentar o movimento para uma média de 200 mil pacotes por dia, o que envolve a ampliação do edifício.

Até três pontos de entrada estão disponíveis numa única linha de transportador

Mais de 1.100 moto-redutores Nord instalados

32

Os pacotes são direccionados automaticamente para a respectiva plataforma de carga.

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


accionamentos

Conectividade EtherCAT para inversores distribuídos Com a nova caixa EtherCAT, vários inversores SK 200E montados em motor podem ser integrados em redes EtherCAT, de forma eficaz e económica. Todos os inversores podem ser ligados a uma única linha de bus, dispensando a utilização de repetidores ou interfaces adicionais.

O módulo de bus pode ser montado directamente na unidade de interface do SK 200E, ou separadamente do inversor através de um kit opcional de montagem de parede. A linha de bus EtherCAT é ligada à caixa através de um conector M12. Adicionalmente, a caixa conta com oito entradas de 24V e duas saídas de 24V. Uma única caixa pode ligar até quatro inversores através da EtherCAT. Uma interface RS232/RS485 integrada permite o acesso no local aos parâmetros do módulo de bus e aos inversores ligados, através de uma unidade de controlo manual SK PAR ou através do software NORDCON PC. A caixa EtherCAT tem grau de protecção IP55 de série e IP66 mediante pedido. Todos os modelos de inversores SK 200E fornecem um controlo de potência de corrente sem sensor, um brakechopper e um módulo de controlo para um freio electromagnético. Também o modelo básico permite o controlo de velocidade (sinal de entrada HTL do codificador incremental) e o controlo de posicionamento, por meio da função POSICON integrada. Esta vasta gama de características inclui a função de segurança integrada “Safe Stop” e uma interface para o sistema de bus AS-Interface. Mais informação pode ser acedida em www.sk200e.de.

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

33


accionamentos

Movimentação tridimensional de câmara HD-TV O sistema de movimentação tridimensional de câmara HD-TV por 4 eixos – OmniCam4sky – foi a grande atracção do stand da SEW-EURODRIVE PORTUGAL na EMAF 2010. A OmniCam4sky, Advanced Image Systems, Lda. tem mais de 20 anos de experiência na área da gravação e edição vídeo e, desde 1995, desenvolve sistemas móveis de captação de imagem com controlo remoto. As câmaras instaladas sobre mono-carril e as câmaras suspensas são utilizadas em eventos desportivos, espectáculos, televisão e produção cinematográfica. A aplicação apresentada pela SEW-EURODRIVE PORTUGAL na EMAF 2010 consiste num sistema de movimentação tridimensional da câmara HD-TV suspensa por 4 eixos. Quatro enroladores de cabo motorizados, posicionados em cada canto da área estão ligados ao suporte giro-estabilizado da câmara. Controlando o enrolamento e desenrolamento dos cabos, o sistema permite que a câmara (ou qualquer equipamento que se fixe no ponto comum) alcance qualquer posição dentro do espaço tridimensional. O controlo é feito através de 2 joysticks e processado por software SEW MOVI-PLC® Advanced, enviando de seguida os comandos para os controladores vectoriais MOVIDRIVE® via fibra óptica. Dois dos cabos que suportam a câmara possuem fibra óptica

no interior para transmissão dos dados de controlo para a câmara e trazer a imagem em alta definição. O sistema caracteriza-se pelo elevado dinamismo, pelo controlo em tempo real e pela complexidade das funções matemáticas na interpolação de 4 eixos. A elevada distância entre os enroladores onde estão instalados os accionamentos e o Motion Controller MOVI-PLC® é outra das características a apontar. Na EMAF, a distância limitou-se à área do stand, mas as aplicações reais podem assumir a distância de recintos desportivos. A demonstração do sistema de movimentação tridimensional de uma câmara suspensa exigiu a configuração de todo o sistema e respectivo software à dimensão do stand. Ao superar o desafio, a SEW-EURODRIVE demonstrou não só as capacidades dos accionamentos e do MOVIDRIVE® e do Motion Controller MOVI-PLC® mas também a capacidade para configurar a aplicação num tempo limitado.

Accionamentos em destaque na EMAF 2010 No stand da SEW-EURODRIVE PORTUGAL evidenciaram-se ainda, pela sua inovação e sucesso: - A série de Variadores Tecnológicos MOVIDRIVE® que passou a incluir o tamanho 7 para a gama de potência até aos 315 kW. Os novos MOVIDRIVE® SZ7 têm a mesma unidade de controlo dos

variadores mais pequenos da mesma série e beneficiam de todas as características que fizeram o êxito desta linha e a sua aceitação generalizada na indústria, designadamente a sua flexibilidade, a facilidade de instalação e o potencial de economia de energia. O MOVIDRIVE® SZ7 permite a utilização de todas as cartas opcionais da família MOVIDRIVE®, bem como todos os programas de controlo pré-configurados, testados e experimentados. - O Accionamento Mecatrónico MOVIGEAR®, uma solução inovadora que integra o redutor, o motor e a

electrónica de potência numa só unidade compacta. É um accionamento de elevada eficiência, resultado da sua concepção e características dos seus componentes. As unidades de accionamento MOVIGEAR® - SNI “Single Line Network Installation” (instalação em rede de linha única) permitem ser controladas através de uma das fases do sistema de alimentação trifásico. - O novo conceito de Economia de Energia effiDrive® da SEW-EURODRIVE, visando identificar e libertar o potencial de poupança de energia da empresa, é composto pelos seguintes módulos: Sistema Modular de Poupança de Energia; Análise Energética e Aplicação Eficiente. O conceito de Eficiência Energética effiDrive® é a chave para analisar e potenciar possibilidades de economia de energia, actuais ou futuras. - Os pacotes de aplicação VARIOLUTION®, a resposta da SEW-EURODRIVE à necessidade dos construtores de

34

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


accionamentos máquinas de encurtar os tempos e os custos de engenharia, são soluções completas que incluem accionamentos, controlo, software e restantes componentes, tais como cabos e sensores. O módulo de software VARIOLUTION® tem reconhecimento automático de carga, o que permite sequências de movimento específicas da aplicação, com economia de energia e ciclos mais rápidos. As funcionalidades de cada aplicação individual não estão limitadas à solução básica: os módulos de aplicação desenvolvidos para cada pacote de aplicação são integrados a nível local, o que reduz os tempos de reacção e permite que os módulos operem independentemente do PLC central. Com os pacotes VARIOLUTION® os problemas de interface e as intervenções dispendiosas são, cada vez mais, coisa do passado. - Os novos tamanhos dos já conhecidos Redutores Industriais Série X. Com este lançamento, a Série X passa a ter disponível, em redutores helicoidais ou cónicos, uma gama de binários de 58.000 Nm a 475.000 Nm.

SEW-EURODRIVE e é produzida na nova fábrica de redutores industriais da SEW, na Alemanha. A Série X está agora disponível desde o tamanho 180 ao tamanho 320. Estas unidades possuem capacidade de suportar elevadas cargas radiais e axiais, baixo nível de emissão de ruído e possuem uma impressionante relação peso/potência transmitida. Podem ainda incluir bombas de lubrificação, filtros, sistemas de arrefecimento e unidades de monitorização da condição. No decorrer da feira, a SEW-EURODRIVE PORTUGAL participou, ainda, em vários eventos como o 5.º Concurso de Inovação, com o Servo-Fuso; no seminário da revista Robótica sobre “Industrial Automation – New trends and perspectives”, onde o Eng. Luís Reis Neves (Director Técnico da SEW-EURODRIVE Portugal) apresentou o tema Motion Control na Automação; e nas “Jornadas da Manutenção” (APMI), com o Eng. David Braga (Departamento de Serviços) a desenvolver o tema “Manutenção Condicionada – Software para Gestão da Manutenção de Accionamentos”. A experiência da SEW, com milhões de instalações bem sucedidas e com os mais recentes desenvolvimentos de conceitos modulares e de alto rendimento, continua

assim a fornecer ao mercado novas potencialidades, destacando-se a área da economia de energia.

A Série X foi totalmente desenvolvida pela

Amortecimento activo de vibrações para guindastes de contentores A Siemens desenvolveu um sistema de amortecimento activo de vibrações em guindastes de carga/descarga de contentores, baseado num motor linear com controlo inteligente do movimento. O sistema é montado na viga do guindaste e é muito mais leve que os amortecedores passivos convencionais. A medida da vibração detectada por sensor é utilizada para calcular, com algoritmos específicos, o movimento do motor necessário para neutralizar a oscilação da viga. A aceleração/desaceleração inteligente do motor linear permite uma redução mais rápida das vibrações.

-existentes. Os amortecedores passivos convencionais implicam a suspensão de um

peso de cerca de 60 toneladas num dispositivo pendular.

A redução das vibrações/oscilações permite uma manobra mais rápida de carga/descarga. O operador já não tem que esperar pela estabilização para poder posicionar o contentor com precisão. O ganho de produtividade pode ser decisivo para a operação portuária. Por outro lado, o novo sistema é mais leve e fácil de instalar nos guindastes portuários préNº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

35


válvulas

Válvulas assépticas O modo de funcionamento das válvulas de membrana coloca questões e exigências especiais nas indústrias alimentares e farmacêuticas. No interior destas válvulas, as "zonas de retenção" permitem a acumulação de partículas que se tornam contaminantes - o "inimigo principal" destas indústrias. As zonas de retenção podem ser mais evidentes, como é o caso das junções, ou mais ocultas, como é o caso das micro-fissuras nas superfícies interiores. Por outro lado, e devido à sua construção interior, nem sempre estas válvulas esvaziam completamente e o líquido residual que fica no interior da válvula é normalmente indesejável para o processo. Para evitar contaminações, as válvulas convencionais exigem procedimentos de limpeza periódicos, relativamente frequentes e com todas as implicações inerentes em termos de tempos e custos de paragem do processo, mão-de-obra, substituição, etc.. Para várias indústrias, a instalação de válvulas sem requisitos de assépsia é simplesmente impensável, não só nos equipamentos de processamento de produtos, mas também nas máquinas de dosagem e enchimento. Os construtores de máquinas para as indústrias alimentares, farmacêuticas e também para biotecnologia, necessitam de válvulas assépticas capazes de responder a todas as exigências.

A ASCO desenvolveu três gamas de válvulas de membrana que apresentam características construtivas capazes de responder aos requisitos mais exigentes de assépsia. Entre essas características destaca-se o design interior sem zonas de retenção e o electro-polimento das superfícies interiores, que reduz drasticamente as microzonas de retenção. A sede perfilada circunferencial e a suspensão flexível da membrana contribuem para a ausência de zonas de risco de acumulação de partículas ou contaminantes. Estes aspectos não se encontram noutras válvulas disponíveis no mercado. Perfil circunferencial elimina zona de retenção e o inerente risco de contaminação

Esvaziamento total evita líquidos residuais no interior da válvula

Estrutura de uma válvula STERIPUR

O enchimento de líquidos é uma das aplicações típicas das válvulas assépticas. Em cima: enchimento de bolsas. Em baixo: enchimento de garrafas.

36

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


válvulas

Imagem microscópica da superfície interior da válvula: à esquerda, uma superfície com polimento mecânico convencional, à direita, uma superfície interior de uma válvula asséptica, com electro-polimento.

As três gamas estão disponíveis nos tamanhos DN 4 a 100, têm corpo em aço inox e diferem pelo material dos restantes componentes: suporte e actuador em termoplástico na gama KMD, actuador em termoplástico com suporte inox na gama KMA, corpo, suporte e actuador em inox na gama STERIPUR. As membranas são fabricadas em materiais de alta resistência térmica: EPDM (-40 a 150 °C) ou EPDM/ PTFE (-20 a 160 °C, menor porosidade e maior resistência à corrosão). Todas as válvulas assépticas ASCO têm todas as certificações para as aplicações com maior exigência de assépsia (norma sanitária 3A, secção 54-02; doc. N°8 EHEDG; certificados FDA, USP classe VI e 3A para as membranas) e passaram por ensaios técnicos exaustivos. O controlo de segurança

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

Vantagens técnicas

segundo a norma DIN EN 12266-1 é efectuado a 100%. As soldaduras são inspeccionadas a 100% (procedimentos de soldadura segundo as normas HPO/TRD201 /TRR100/DIN EN729-3; qualificação dos soldadores segundo a norma DIN EN 287). As superfícies interiores são igualmente inspeccionadas.

reviproject

A instalação de válvulas assépticas ASCO não só responde às exigências de assépsia nos processos como acarreta vantagens especiais para os utilizadores. Desde logo, são intermutáveis com outras válvulas existentes no mercado, o que evita custos de alteração dos equipamentos. Por outro lado, estas válvulas reduzem significativamente os custos de limpeza. Os procedimentos de limpeza são mais rápidos e mais fáceis, graças às característricas construtivas e à disponibilidade de kits de substituição. As soluções assépticas incluem também válvulas multivias, que podem ser fabricadas segundo as necessidades e especificações do cliente.

37


pneumática

Placas de sucção para vidro As novas placas de sucção SGF da Schmalz são indicadas para a manipulação segura de peças planas, tais como placas de vidro ou plástico, módulos e colectores solares, etc.. Estão disponíveis em quatro tamanhos, com diâmetros de 125 a 400 mm, e podem ser instaladas quer em sistemas automáticos, quer em sistemas manuais. O anel vedante pode ser substituído sem qualquer ferramenta. As placas SGF 125 e SGF200 têm volume interior diminuto, tornando possível ciclos mais rápidos. Durante o pick-up, são evitados movimentos relativos, garantindo a segurança da deslocação. As placas de sucção com diâmetros de 200 mm e 40 mm são utilizadas com dispositivos de elevação a vácuo. São indicadas para manipulação de janelas e outros elementos de construção com vidro, com pesos que podem ir até várias centenas de kg. O anel vedante tem perfil especialmente estudado para proporcionar uma resposta rápida na preensão e no desprendimento. A superfície de sucção tem uma textura especial para garantir a preensão segura mesmo em condições ambientais adversas (operação em exteriores, humidade, temperatura). Os quatro tamanhos são fabricados em EPDM e têm insertos de alumnínio. Com estes materiais, as placas são leves e suportam a exposição ao ozono e à radiação UV. É possível optar entre conexão de vácuo central com filtro de encaixe como filtro prévio, e conexão de vácuo descentrada, fechada de série, para válvula sensora ou filtro de encaixe.

Placas para esquinas A manipulação de peças metálicas com esquinas ou cantos arredondados, ou pequenos raios, é facilitada com as novas ferramentas desenvolvidas pela Schmalz. As novas ferramentas vêm facilitar a configuração dos sistemas de manipulação de perfis quinados, peças estruturais ou mesmo tubos. A geometria e a capacidade de sucção asseguram a segurança e rapidez da manipulação. As ferramentas da série SAOK estão dispo-níveis em duas versões, fabricadas em materiais diferentes. A versão Perbunan (NBR) assegura a máxima força de absorção, especialmente para chapas metálicas lisas ou com óleo. As versão em HT2 destina-se a aplicações em que é necessário que a ferramenta suporte altas temperaturas (até 250 °C). As novas ferramentas de sucção são isentas de silicone, pelo que não afectam os acabamentos de pintura ou verniz das peças. As ferramentas de sucção SAOK são fornecidas montadas e estão disponíveis em várias versões com diversas conexões (rosca fémea, rosca macho, ligação rápida). 38

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


pneumática

Vácuo eficiente Os ejectores pneumáticos são uma solução fiável para gerar vácuo, designadamente para aplicações de manipulação automatizada em que são necessários ciclos curtos e movimentos seguros. A tecnologia dos ejectores permite gerar o mesmo poder de vácuo com menos caudal de ar comprimido, comparativamente às bombas de vácuo, por exemplo. Além disso, os ejectores são mais compactos e fáceis de integrar nos equipamentos e instalações. Não requerem partes mecânicas nem manutenção. A Schmalz tem uma gama de ejectores que inclui modelos básicos, inline, multi-stage e compactos. Os ejectores básicos das séries SEG, SPB (sem tecnologia de válvulas) e SPB-C (com tecnologia de válvulas) têm um vácuo máximo de 85%. São unidades compactas e duráveis que requerem pouca manutenção e estão disponíveis com bocais de 0,5 a 3,0 mm de diâmetro, com capacidade de sucção até 370 l/min. São especialmente indicados para movimentação dinâmica de materiais não porosos ou ligeiramente porosos. Por exemplo, em máquinas de embalagem. Os injectores inline podem ser instalados em espaços muito limitados. Os ejectores da série SLP, estreitos e em plástico, podem ser directamente integrados no tubo (com conectores apropriados). Os ejectores da série VR, com corpo em alumínio anodizado, podem ser atarrachados directamente na placa de sucção ou no raio distribuidor, sem afectar a instalação de tubos. Com bocais de diâmetros de 0,5 a 0,9 mm e capacidade de sucção até 21 l/min., são usados para manipulação de peças não porosas (ex: componentes electrónicos) ou para separar camadas no processamento de plásticos ou chapas metálicas. Os ejectores multi-stage são formados por várias câmaras alinhadas e caracterizam-se pela elevada capacidade de sucção. São especialmente indicados para movimentação rápida e segura de peças porosas, tais como caixas de cartão, aglomerados de madeira e painéis OSB/MDF. A série SEM tem corpo de alumínio robusto e capacidade de sucção até 2 320 l/min (com vácuo até 85%). A Série SEM-C tem capacidade de sucção até 673 l/min e está equipada com funções adicionais, tais como válvula de controlo, interruptor para monitorização do sistema, função “blow-off” e ainda regulação da economia de ar.

Os ejectores compactos são indicados para sistemas de manipulação totalmente automatizados, designadamente no processamento de chapa metálica, na indústria automóvel, nas máquinas de embalagem e em várias aplicações robóticas. Todas as séries estão equipadas com válvulas de sucção e “blow-off”, monitorização de sistema, e Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

39


pneumática filtros. Os ejectores compactos da série X-Pump (SXP/SXMP) são indicados para aplicações mais exigentes em termos de tempo de ciclo e segurança, designadamente na indústria automóvel. O módulo Power assegura elevada capacidade de blow-off e reduz o tempo de desprendimento em cerca de 50%. A função de monitorização integrada acompanha a condição do sistema de forma constante e contribui para prevenir as paragens. A nova geração de ejectores compactos da Schmalz estabelece novos standards no mercado mundial. Os ejectores SCPi/SMPi têm uma função integrada IP-Link que permite a parametrização remota, tornando mais fácil a configuração dos parâmetros de operação a partir de um PC. Também permite a monitorização do processo e a detecção antecipada de falhas. A função integrada de economia de ar previne o consumo de ar comprimido durante as paragens de máquina, o que só por si pode representar uma economia de 65% por ano.

Placas electro-hidráulicas

Graças à extensa gama de acessórios, tais como placas de interligação de ejectores compactos, silenciadores, filtros, linhas de conexão e outras conexões (cabos, conectores plug, conectores de válvulas), é possível configurar o sistema de acordo com as necessidades específicas da aplicação. Existem ainda ejectores com design específico, como é o caso dos ejectores feed da série SEC que podem elevar objectos muito porosos (espumas, tecidos, materiais reciclados) e transportar materiais pesados, com uma capacidade de sucção até 8 640 l/min, com bocal de diâmetros entre 10 e 75 mm.

As novas placas electro-hidráulicas de controlo remoto da Bosch Rexroth, aumentam o grau de liberdade na configuração de sistemas e reduzem os custos de instalação. Permitem a separação física entre o controlo eléctrico e o circuito hidráulico e podem ser aplicadas para o controlo de ligações, bombas e válvulas direccionais, bem como em controlos de comando proporcional, designadamente em aplicações móveis (equipamentos para minas, movimentação de terras, etc.). Estão disponíveis com até seis válvulas proporcionais redutoras do tipo MDHRE nos tamanhos 01, 04 e 06. Deste modo, é possível reduzir a pressão do sistema de forma incremental com o valor de comando proveniente de um transdutor eléctrico (um joystick por exemplo), o que por sua vez permite o controlo de pilotagem proporcional de componentes hidráulicos a jusante. O caudal máximo é de 2,5 a 30 l/min, consoante o tamanho.

40

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


materiais

Soldadura FSW vai ter norma A ISO, organização internacional de normalização, deverá publicar até ao final de 2011 a norma ISO 25239 sobre o processo de soldadura por fricção linear (FSW, friction stir welding). O processo FSW surgiu em 1991 no Instituto da Soldadura (ITW) de Cambridge, Reino Unido, e consiste na acção de uma ferramenta rotativa ao longo de uma junta provocando a deformação plástica e a união dos metais a temperaturas abaixo do ponto de fusão (daí a expressão “soldadura em estado sólido”). Devido a vantagens como a qualidade das juntas e a ausência de consumíveis e de fumos, o processo tem vindo a ser adoptado por diversas empresas e nas mais diversas aplicações de soldadura de alumínio, incluindo a construção aeronáutica.

Metalurgia em Dusseldorf Nos dias 28 de Junho a 2 de Julho, as feiras GIFA (fundição), THERMPROCESS (processamentos térmicos), METEC (metalurgia) e NEWCAST (fundição de precisão), voltam a reunir em Dusseldorf, Alemanha, o “mundo da indústria dos metais”. O conjunto dos certames tem periodicidade trienal e a Feira de Dusseldorf espera manter o número de expositores de 2007. Entre os expositores, está uma empresa portuguesa: a Lismontagens. O tema da eficiência energética e de recursos será sublinhado pela campanha “ecoMetals”. Os equipamentos e produtos com especial desempenho e potencial em termos de eficiência e sustentabilidade serão assinalados pelo logotipo da campanha. Em paralelo com as quatro feiras, está previsto um extenso programa de congressos e conferências. Mais informação em www.gtmn.de ou através das representação da Feira de Dusseldorf em Portugal (Walter & Cia. Lda.; geral@walter.pt). Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

41


materiais

Easy Roller” até 100 toneladas Um pequeno equipamento leve e fácil de transportar pode mover bobinas de papel ou cabos, vagões, carruagens ou mesmo aviões. O Easy Roller é composto por dois rodízios de borracha e um rodízio accionado por um motor pneumático, pelo que não há emissões nem riscos de explosão. O princípio de funcionamento é simples. O Easy Roller é posicionado em frente à bobina ou roda que se pretende mover. O rodízio frontal é pressionado contra o rodízio accionado através de molas. Quando o operador liga a válvula, o rodízio accionado inicia o movimento para trás, transmitindo movimento para

a frente no rodízio frontal. Simultaneamente, e com o contacto com a bobina ou roda a deslocar, o dispositivo é pressionado para baixo, iniciando o contacto entre o rodízio accionado e o rodízio traseiro do Easy Roller, induzindo neste a força rotacional para a frente. Logo que a força de contacto entre o rodízio de borracha e o objecto a deslocar atinge determinado nível, a força rotacional transfere-se para esse objecto (bobina ou roda), fazendo com que se mova! O Easy Roller baseia-se num motor pneumático fabricado pela DEPRAG SCHULZ (Alemanha) com 218 mm de comprimento e 100 mm de diâmetro, que pesa apenas 9,1 kg, mas tem capacidade de 1,2 kW, velocidade de 100 rpm e binário nominal de 500 Nm. O dispositivo é um desenvolvimento da Easy Roller GmbH (Feucht, Alemanha). A empresa tem vários modelos disponíveis para várias aplicações, alguns com possibilidade de movimento nas duas direcções.

42

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

reviproject

43


segurança industrial

A Lição do golfo do México Depois das catástrofe da plataforma “Deepwater Horizon” no Golfo do México, as petrolíferas têm outra atitude em relação aos equipamentos que instalam nas suas plataformas: talvez tenha chegado ao fim a era em que o preço era o factor de escolha de uma válvula BOP (blowout preventer, o equipamento cuja falha esteve na origem do desastre). A dimensão dos danos é a evidência explosiva de que a fiabilidade e a segurança estão acima de considerações de preço e de “strictly business” na prospecção e extracção de petróleo. Os peritos avaliam que a quantidade de ‘crude’ libertado no Golfo do México durante os três meses necessários para selar o furo chegou aos 780 milhões de litros. Os danos ambientais são catastróficos: milhares de animais mortos, pesca encerrada por ordem governamental, actividade turística gravemente afectada são apenas alguns dos reflexos do “pior desastre ambiental que a America sofreu” segundo o presidente Obama. Entretanto, a natureza começou a fazer o seu trabalho. Metade do petróleo libertado evaporou ou foi dissolvido em gotas microscópicas à mercê das bactérias de água salgada. Já só resta um quarto do crude à superfície do oceano ou na costa. Mas os efeitos do desastre na indústria vão perdurar mesmo quando o derrame do Golfo do México já não tiver sequelas visíveis. Tony Hayward viu-se obrigado a deixar o seu lugar de CEO, mas os danos de imagem afectaram toda a indústria petrolífera. O regresso aos projectos de exploração offshore requer a recuperação da confiança e vai beneficiar os fabricantes de válvulas.

Os “custos da segurança” Os custos da segurança são insignificantes agora que existe um termo de comparação com os custos da “não segurança”. A BP teve que assumir os danos na ordem dos 32 mil milhões de USD. Registou perdas de 17 milhões de dólares no segundo trimestre de 2010, pôs 20 mil milhões num fundo de compensação e suportou 3 mil milhões em custos imediatos. O desastre afectou todas as empresas do sector,

na medida em que foram reforçados os requisitos e barreiras à exploração. Os governos passaram a estar mais atentos e as exigências de segurança para a exploração no alto mar são agora mais apertadas não só nos EUA, mas também na União Europeia. Numa primeira etapa, o regresso aos projectos offshore foi protelado por novos procedimentos administrativos, ou protelado até à definição de novos regulamentos. A indústria petrolífera tem que contar com mais regulação, custos de produção mais elevados e também com prémios de seguro mais caros. Estes desenvolvimentos também vão ter impacto nas indústrias de válvulas e acessórios. Em paralelo, surgiram as manifestações contra a prospecção e exploração offshore. O Greenpeace interrompeu a prospecção no Ártico, a cargo da escocesa Cairn. Um derrame nessa região teria consequências bem mais graves, atendendo às condições climáticas extremas. Com a espessa camada de gelo que separa o furo da plataforma, selar o furo não seria apenas difícil como no Golfo do México. Seria impossível. O Governo Norueguês também suspendeu a prospecção junto às ilhas Lofoten. Nesta primeira fase, a indústria de válvulas e toda as indústrias que fornecem tecnologia para a prospecção e exploração petrolífera sofreram a quebra de vendas. Todas esperam um “regresso ao negócio”, mas o regresso depende dos factores segurança e confiança. “Muitos projectos foram adiados” - disse Hauke Schlegel, director do grupo de trabalho para os sectores da construção naval e exploração offshore da associação alemã VDMA. E para que os projectos sejam retomados, “temos necessidade de tecnologia mais avançada para esta indústria”. Isto pode ser um incentivo para a generalidade dos fornecedores, incluindo as indústrias de válvulas.

O que falhou? Os dispositivos de prevenção contra “blowouts” os chamados BOP - são o foco das atenções por causa do que aconteceu no golfo do México.

Como tudo dependia de um BOP, uma falha crítica foi suficiente para dar origem ao desastre. Nem fechou automáticamente o furo quando ocorreu o “blowout” nem poude ser actividado depois. O BOP instalado no furo Deepwater Horizon era suposto fechar hidraulicamente o tubo de 48 cm de espessura. Segundo os fabricantes, a nova geração de BOPs suporta pressões de 3500 atmosferas a 4600 m de profundidade e temperaturas de 260 °C. O furo de Deepwater Horizon estava equipado com o BOP mais recente, não com um, mas com três dispositivos hidráulicos que deviam ter selado o furo de forma redundante. Mas nenhum deles funcionou e depois do acidente multiplicaram-se as dúvidas sobre as causas do acidente - e os relatórios sobre outras falhas similares mas sem efeitos tão drásticos. A senadora Maria Cantwell reportou 117 casos de falha de funcionamen to dos BOP nos anos 90. A gravidade do acidente e necessidade de recuperar a confiança desafiam a indústria de válvulas a melhorar a concepção dos BOP e garantir que os furos submarimos são selados eficazmente e sem falhas em caso de blowout.

Aspiradores de petróleo A necessidade de remover o petróleo derramado coloca outros desafios à indústria. A regulamentação pode, por exemplo, exigir que as zonas costeiras potencialmente afectadas por explorações offshore estejam equipadas com aspiradores industriais prontos a serem utilizados em caso de derrame. Isto pode criar um mercado para este tipo de equipamentos. Na sequência do acidente de Abril, a BP encomendou 32 separadores centrífugos de água-petróleo à Ocean Therapy Solutions, a empresa de Kevin Costner. Cada um destes equipamentos pode limpar 800 mil litros de água por dia. A água é devolvida ao oceano e o petróleo é recuperado para outros usos.

44

reviproject

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


segurança industrial O futuro do petróleo A procura de petróleo nunca foi tão elevada. As economias ocidentais, as economias emergentes da China e da Índia dependem da energia. Os analistas prevêm que a procura aumente das actuais 107.000 TWh para 160.500 TWh por ano. No ano 2060, a procura deverá estar nos 320.000 TWh.

E no entanto, o petróleo está em declínio. Outras formas de energia, como o gás natural e as renováveis, estão a ganhar importância e os estudos mostram que ou já estamos na fase em que a curva do petróleo inverte ou vamos entrar nessa fase dentro de apenas alguns anos. Isso significa que a exploração de petróleo será cada vez mais difícil. Os especialistas dizem que um quarto das reservas conhecidas se encontra sob o

fundo do mar. A maior parte desse “tesouro” está entre o Brasil, Angola e o o Golfo do México. Mas há outros locais para explorar, designadamente no Ártico e no Antártico, onde as condições são ainda mais difíceis. Desastres como o do Golfo do México são inadmissíveis. A aposta na prospecção e exploração offshore depende, portanto, do desenvolvimento da tecnologia e da segurança.

Segurança em altura Em aplicações verticais de calhas porta-cabos articuladas, as alturas são cada vez maiores, os cursos mais longos e tudo isto com elevadas velocidades e acelerações. Podem acontecer frequentemente movimentos laterais bruscos da calha articulada, particularmente com elevadas acelerações transversais, por exemplo na direcção das estantes. No caso da calha embater devido à sua dinâmica, em suportes metálicos ou paletes, podem ocorrer rupturas. Para este fim a igus desenvolveu o sistema “Guidelok Slimline (SL)”. A calha articulada mantém-se sempre alinhada com segurança em alturas de mastros e de torres até 50 metros ou mesmo mais. O novo sistema é destinado a aplicações de calhas porta-cabos articuladas verticais com grandes alturas de elevação em armazéns automáticos, elevadores e dispositivos de transporte de materiais. Através de uma montagem compacta e fácil, mesmo à posteriori, este sistema torna o transporte de energia e dados seguro, em armazéns de mercadorias e frigoríficos, gruas ou por exemplo em instalações eólicas. Se antigamente a calha porta-cabos articulada suspensa era guiada verticalmente Nº 162 Out/Nov/Dez

2010

com um perfil fechado ou com outra solução semelhante, hoje em dia é possível prescindir de tais alojamentos dispendiosos e complicados. Já não é necessária uma guia contínua em metal, o que leva a uma redução do custo das guias até 80%, segundo a igus. A calha articulada encaixa no novo sistema “Guidelok SL” através de dispositivos em plástico basculantes. A calha funciona livremente e de forma segura entre pequenos segmentos metálicos de guia. Estas unidades de guia são aplicadas em intervalos de apenas 2 m. Dois dispositivos basculantes nos segmentos da guia, activados automaticamente, fixam a calha articulada na sua posição. Os dispositivos basculantes – peças fulcrais deste sistema – formam um mecanismo de travamento. Quando a curva da calha passa pelo segmento da guia, o dispositivo

reviproject

basculante é activado mantendo a calha articulada fixa na sua posição. Este mecanismo, além de tornar o funcionamento seguro, também permite um funcionamento suave, baixando claramente o nível sonoro. Para além disso, em caso de manutenção, a calha articulada é acessível muito mais facilmente, visto já não se encontrar num canal contínuo. O novo sistema “Guidelok SL” já é usado com êxito em vários fabricantes de armazéns automáticos. 45


feiras Início 06/Jan/11 08/Jan/11 11/Jan/11 15/Jan/11 17/Jan/11 17/Jan/11 17/Jan/11 19/Jan/11 20/Jan/11 25/Jan/11 26/Jan/11 26/Jan/11 31/Jan/11 02/Fev/11 03/Fev/11 08/Fev/11 09/Fev/11 11/Fev/11 16/Fev/11 22/Fev/11 23/Fev/11 01/Mar/11 01/Mar/11 14/Mar/11 22/Mar/11 25/Mar/11 28/Mar/11 29/Mar/11 29/Mar/11 29/Mar/11 29/Mar/11 30/Mar/11 04/Abr/11 04/Abr/11 04/Abr/11 05/Abr/11 06/Abr/11 06/Abr/11 14/Abr/11 19/Abr/11 02/Mai/11 02/Mai/11 04/Mai/11 05/Mai/11 11/Mai/11 11/Mai/11 11/Mai/11 12/Mai/11 17/Mai/11 23/Mai/11 23/Mai/11 23/Mai/11 24/Mai/11 24/Mai/11 01/Jun/11 01/Jun/11 02/Jun/11 02/Jun/11 07/Jun/11 07/Jun/11 07/Jun/11 14/Jun/11 15/Jun/11 16/Jun/11 22/Jun/11 23/Jun/11 23/Jun/11 23/Jun/11 28/Jun/11 28/Jun/11 28/Jun/11 28/Jun/11

46

Fim 09/Jan/11 11/Jan/11 14/Jan/11 18/Jan/11 19/Jan/11 22/Jan/11 20/Jan/11 21/Jan/11 26/Jan/11 27/Jan/11 27/Jan/11 28/Jan/11 02/Fev/11 03/Fev/11 06/Fev/11 11/Fev/11 10/Fev/11 14/Fev/11 18/Fev/11 24/Fev/11 26/Fev/11 05/Mar/11 04/Mar/11 17/Mar/11 24/Mar/11 30/Mar/11 01/Abr/11 31/Mar/11 31/Mar/11 31/Mar/11 01/Abr/11 02/Abr/11 07/Abr/11 07/Abr/11 08/Abr/11 08/Abr/11 08/Abr/11 08/Abr/11 16/Abr/11 21/Abr/11 06/Mai/11 05/Mai/11 08/Mai/11 08/Mai/11 13/Mai/11 14/Mai/11 13/Mai/11 18/Mai/11 21/Mai/11 28/Mai/11 26/Mai/11 26/Mar/11 26/Mai/11 26/Mai/11 03/Jun/11 03/Jun/11 05/Jun/11 05/Jun/11 10/Jun/11 09/Jun/11 09/Jun/11 16/Jun/11 17/Jun/11 19/Jun/11 24/Jun/11 26/Jun/11 26/Jun/11 26/Jun/11 02/Jul/11 02/Jul/11 02/Jul/11 02/Jul/11

Feira Tema Local País CES Electrónica Las Vegas E.U.A. TEKNO TUBE ARABIA Tubagens Dubai Emirados Arabes BUDMA Construção civil Poznan Polónia DOMOTEX HANNOVER Domótica Hannover Alemanha ENVIRONMENT&ENERGY Energia e ambiente Abu Dhabi Emirados Arabes BAU Construção, materiais Munique Alemanha STEELFAB/MIDDLE EAST Metalurgia Sharjah Emirados Árabes MATERIAL JAPAN Electrónica Tóquio Japão IMTEX Máquinas-ferramentas Bangalore Índia ENERTEC Energia Leipzig Alemanha ELEKTRONIK-AUTOMATION Electrónica-automação Winterthur Suiça SEMICON Semicondutores Seul Korea AHR EXPO Climatização Las Vegas E.U.A. ENVIRONNEMENT Ambiente Namur Bélgica WIN WORLD Metalurgia e Automação Istambul Turquia BC INDIA Máquinas para construção Mumbai India MAINTENANCE Manutenção Zurique Suiça MMMM Minas, metalurgia Nova Deli India EGÉTICA-EXPOENERGÉTICA Energias Valencia Espanha EXPO COMM Informática,telecomunicações México México INTERTOOL KIEV Ferramentas Kiev Ucrânia CEBIT Informática Hannover Alemanha CLIMATIZACIÓN Climatização Madrid Espanha EWEA Energia Bruxelas Bélgica EXPEC Electrónica Beijing China EMAQH Máquinas-ferramentas Buenos Aires Argentina FIIEE Industria eléctrica/electrónica São Paulo Brasil SITL Transportes/logistica Paris França RAIL TECH EUROPE Tecnologias Utrecht Paises Baixos MAINTEC Manutenção Birmingham Reino Unido AMPER Eng. eléctrica e electrónica Brno República Checa MOTORTEC-AUTOMECHANIKA Motores e automação Madrid Espanha CEMAT SOUTH AMERICA Logistica São Paulo Brasil SYRPOWER Energia e electricidade Damasco Siria HANNOVER MESSE Industria Hannover Alemanha MACHINE-OUTIL Máquinas-ferramentas Lyon França POWER-DAYS Electricidade e engenharia Salzburg Austria AUTOMATISA Automação Bogotá Colômbia EXPOSOLIDOS Tecn. e process. de sólidos Porto Portugal EXPO ELECTRONICA Componentes elect. Moscovo Rússia CEMAT Logistica interna Hannover Alemanha WASSER BERLIN Energia e Ambiente Berlim Alemanha SUBCON MALASIA Subcontratação K. Lumpur Malásia TECNA Máquinas industriais Batalha Portugal NEPCON CHINA Electrónica Shagai China HOFEX - FOOD & DRINK Hotelaria, alim. e bebidas Hong Kong Hong Kong FABTECH/WELDMEX Metalurgia,Corte e Soldadura Monterrey M é x i c o INTERPACK Máquinas e embalagens Dusseldorf Alemanha ALUMINUM Alumínio Bolonha Italia FEIMAFE Máq.-ferramentas, automação São Paulo Brasil METALLURGY Metalurgia Moscovo Rússia WIRE Fios e cabos Moscovo Russia NEMEX Energia Birmingham Reino Unido PULIRE Limpeza industrial Verona Itália DOMOGAR Domótica Valencia Espanha EXPOELÉCTRICA Electricidade e iluminação M é x i c o México AQUALIVE EXPO Água, resíduos e ambiente Lisboa Portugal AMBIENERGIA Ambiente e energia Porto Portugal SIL Logística e manutenção Barcelona Espanha POWER-GEN EUROPE Energia Milão Itália PUMPS, VALVES & PIPES Bombas, válvulas, tubagem Midrand Africa Do Sul NEPCON MALAYSIA Electrónica Penang Malásia ROSMOULD Moldes Moscovo Rússia IMEX Máquinas-ferramentas Chennai India M-TECH Mecânica Tóquio Japão FACTORY AUTOMATION Automação Bangecoque Tailândia ASSEMBLY TECHNOLOGY Assemblagem Bamgecoque Tailândia FLUIDPOWER Pneumática e compressores Bangecoque Tailândia THERMPROCESS Processos térmicos Dusseldorf Alemanha GIFA Fundição Dusseldorf Alemanha NEWCAST Fundição de precisão Dusseldorf Alemanha METEC Metalúrgia Dusseldorf Alemanha

reviproject

W e b Email www.cesweb.org www.alfajer.net/tekno2011 www.budma.pl www.domotex.de www.ee-uae.com www.bau-muenchen.de www.steelfabme.com www.reedexpo.com www.imtex.in www.enertec-leipzig.de www.easyfairs.com www.semiconkorea.org www.ahrexpo.com www.easyfairs.com www.win-fair.com www.bcindia.com www.easyfairs.com www.mmmm-expo.com www.egetica-expoenergetica.com www.expocomm.com.mx www.reedexpo.com www.cebit.de www.ifema.es www.ewec.info www.expec.com.cm www.emaqh.com www.fiee.com.br www.salon.sitl.com www.railtech-europe.com www.easyfairs.com www.bw.cz www.ifema.es www.cemat-southamerica.com www.alliedexpo.com www.hannovermesse.de www.industrie-expo.com www.reedexpo.com www.feria-automatisa.com www.exposolidos.com www.expoelectronica.ru www.cemat.de www.wasser-berlin.de www.mtamalaysia.com www.exposalao.pt www.nepconchina.com www.hofex.com www.awseldmex.com www.interpack.com www.aluminium.com www.feimafe.com.br www.metallurgy-tube-russia.com www.wire-russia.com www.sustainabilitylive.com www.pulire-it.com www.domogar.feriavalencia.com www.expoelectrica.com.mx www.fil.pt www.exponor.pt www.silbcn.com www.powergeneurope.com www.exhibitionsafrica.com www.nepcon.com.my www.rosmould.com www.imexonline.com www.reedexpo.com www.assemblytechexpo.com www.assemblytechexpo.com www.reedexpo.com www.gmtn.de www.gmtn.de www.gmtn.de www.gmtn.de

Nº 162 Out/Nov/Dez

2010


mercado anuncie neste espaço

dispositivos de comunicação

instrumentação e medida

reviproject cupão de subscrição EMPRESA: ACTIVIDADE: NOME: CARGO: ENDEREÇO: COD.POSTAL: E-MAIL: Nº 162 Out/Nov/Dez TELEFONE:

Assinale a sua Opção:

162

Edição impressa: 28.65 € Edição electrónica: 17.64 €

N.I.P.C.:

Subscrição válida para 6 edições

Junte: cheque à ordem de "Intelisco"

2010

reviproject FAX:

Envie para: Oditécnica Apartado 30 2676-901 ODIVELAS

47


48

reviproject

Nยบ 162 Out/Nov/Dez

2010

REVIPROJECT 162  

revista de electricidade, mecatrónica, instrumentação, medida e automação

Advertisement