Issuu on Google+

ANUNCIE AQUI:

ESPECIAL

Suplemento Especial: Caderno Educação

(22) 2106-6060

MACAÉ (RJ), DOMINGO, 21 DE JULHO DE 2013 • EDUCAÇÃO É PARTE INTEGRANTE DA EDIÇÃO 8143

DE O DEBATE - DIÁRIO DE MACAÉ

Sesi garante a diversão da garotada nas férias

Tradicional Colônia de Férias leva a diversão e aprendizado às crianças com idade entre 4 e 13 anos pág. 6

Iniciativa deve condicionar os alunos às habilidades cobradas no exame

Caderno reúne informações sobre instituições de ensino de Macaé e da região caderno WWW.ODEBATEON.COM.BR • MACAÉ (RJ), DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013 • ANO XXXVIII • Nº 8143 • FUNDADOR/DIRETOR: OSCAR PIRES • O JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO DO MUNICÍPIO • R$ 1,50 CBO oferece vagas para o Projeto Enem

Arrecadação de Macaé chega a R$ 1.201 bilhão

Iniciativa deve ajudar os alunos no desempanho no exame pág. 3

UFRJ oferece vagas para mestrado IInscrições podem ser feitas até o dia 30 de julho pág. 2

Enfermeiros recebem capacitação KANÁ MANHÃES O curso é parte de parceria promovida pela ufrj pág 4

Município supera receitas geradas por municípios do Norte Fluminense e amplia em R$ 171 milhões a receita geral

F

oco dos interesses de empresas nacionais e internacionais que almejam participar da cadeia produtiva do petróleo, Macaé segue superando todas as suas marcas alcançadas nos últimos anos, em relação ao seu potencial de arrecadação. Em meio ao registro de uma oscilação na balança comercial brasileira, em que um

dos pesos está relacionado a queda de produção e de exportação do petróleo, o que acaba gerando impactos na contabilização das receitas proporcionadas pela exploração e produção do óleo bruto e do gás natural na Bacia de Campos, Macaé segue na liderança, entre os municípios que vivem a dinâmica econômica do "ouro negro brasileiro". pág. 3

Foz faz mapeamento de rede de esgoto Trabalho realizado no período da noite recolhe dados sobre rede na área central da cidade pág. 5

Macaé supera volume de arrecadação gerada por cidades como Niterói, que possui o dobro do número de habitantes

BAIRROS EM DEBATE

KANÁ MANHÃES

SOCIAL Do total de seis mil habitantes que vivem na comunidade, 25% são idosos. Moradores aguardam melhorias em serviços públicos, como iluminação e reformas em praça

AMADA garante a inclusão de deficientes uma sociedade civil filantrópica, pioneira na região de caráter bilíngue, cultural, assistencial, educacional, de estudo e pesquisa de pessoas Surdas / Deficientes Auditivas, crianças, jovens e

Construção de trevos vai reduzir acidentes A BR 101 poderá perder a alcunha de "Rodovia da Morte", caso a construção de oito trevos, que serão implantados em acessos da rodovia, seja consolidada, através das obras de duplicação

Morro de São Jorge registra problemas em infraestrutura Um dos locais mais tradicionais da cidade, comunidade vive na espera por melhorias em serviços como a reforma estrutural da unidade do PSF pág. 13

Matsuda é reconhecido pela FJERJ Talento, dedicação e amor ao esporte que não passam despercebidos. Assim pode ser descrita a vitoriosa trajetória do maior mestre judoca de Macaé, Kodansha Shiro Matsuda. O responsável por formar campeões macaenses das artes marciais será merecidamente homenageado pela Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (FJERJ), no Torneio Inter Regional. O evento teve início ontem (20) e termina hoje (21). pág. 14

DIVULGAÇÃO

Atendimento em bancos de Macaé gera críticas além das altas taxas, longas filas de espera, poucos caixas eletrônicos em funcionamento e da falta de segurança e de infraestrutura, os consumidores encontram dificuldade para pagar uma conta nas agências bancárias. O número de reclamações cresce, o que demanda das instituições bancárias melhorias no serviço. pág. 6

adultos de ambos os sexos, sem restrição de nível econômicosocial advindos da comunidade de Macaé e vários municípios vizinhos. Assim é a AMADA, fundada em 2001 . pág. 11

da estrada. Cortada pelo trecho considerado como o mais perigoso da rodovia, o Norte Fluminense aguarda com expectativa a consolidação das obras previstas pela Autopista. pág. 5 WANDERLEY GIL


2

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Cidade

NOTA

Esquema especial de trânsito será montado para I Caminhada Histórica de Macaé 200 Anos

SEMANA EM DEBATE

O DEBATE EM MEMÓRIA

A seguir, as principais notícias veiculadas na edição extra de número 181 do jornal O DEBATE, que circulou entre os dias 06 a 10 de setembro de 1980.

Prorrogação de mandatos leva vereador a renunciar cargos

POLÍCIA

ESPORTE

Teve início ontem (15), a operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que visa fiscalizar o tráfego de ônibus piratas nas estradas que cortam o estado do Rio de Janeiro, durante a Jornada Mundial da Juventude. A segurança do passageiro é a prioridade. Para isso, policiais ficarão atentos a itens como o cinto de segurança, que serão testados, bem como o estado dos pneus.

Foi realizado no último fim de semana, o evento não competitivo “De Macaé para os Braços de Dercy”. A grande aventura radical sobre duas rodas contou com um percurso de 212 km de belezas naturais que ligam o município a Santa Maria Madalena. A prova faz parte do projeto Stages Brasil, organizado pela BikeRO.

PRF inicia fiscalização em pontos da BR 101

Ciclistas superam desafio em evento

POLÍTICA

Governo inaugura primeira escola Depois de seis meses de acompanhamento diário, e da organização planejada pela equipe do Orçamento Participativo (OP), integrado ao gabinete do vice-prefeito, Danilo Funke (PT), o governo inaugurou ontem a primeira escola pública construída através da decisão da própria população. A unidade que atenderá a centenas de alunos está situada na Vila Badejo e faz parte da lista de seus projetos, não finalizados na administração municipal passada, que devem ser concluídos nos próximos meses.

Demonstrando contrariedade pelo fato de ter o Congresso Nacional aprovado a emenda constitucional do Deputado Anísio de Souza, prorrogando por mais dois anos de mandatos de Prefeitos, Vice-prefeitos e Vereadores, o Vereador Rui Gonzaga de Almeida, disse que irá renunciar ao cargo no dia 31 de janeiro.

*** Atlético vence o Barra na primeira decisão

Jogando no Estádio Expedicionário no último domingo, a Atlético venceu a equipe do Barra pela contagem de 1 x 0, na primeira partida da série melhor de três pontos.

*** Desfile de 7 de setembro será realizado à tarde

Pela primeira vez, o desfile cívico-militar do dia 7 de setembro, comemorando a Independência, será realizado na parte da tarde, na Avenida Rui Barbosa, onde desde as 19h de hoje será confeccionado o “Tapete da Independência”.

*** Recenseadores na plataforma

Na última quinta-feira, oito recenseadores transportados por um helicóptero da Votec, foram realizar o trabalho nas 16 plataformas da Petrobras, onde permanecerão por cinco dias.

*** Juiz interroga acusados e os mantém na prisão

Durou apenas duas horas e dez minutos o interrogatório dos 23 acusados de terem chacinado na Praia de São José do Barreto, o pedreiro Jorge das Dores, tendo os soldados da Polícia Militar adotado forte esquema de segurança nas imediações do Fórum.


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Política

NOTA

Welberth Rezende (PPS) mantém agenda de visitas a secretarias do Governo para acompanhar serviços

RECURSOS

Arrecadação de Macaé bate R$ 1.201 bilhão

Valor foi contabilizado de janeiro até a primeira quinzena de julho. Supera em R$ 171 milhões, o valor obtido pela cidade no mesmo período em 2012 Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

F

oco dos interesses de empresas nacionais e internacionais que almejam participar da cadeia produtiva do petróleo, Macaé segue superando todas as suas marcas alcançadas nos últimos anos, em relação ao seu potencial de arrecadação. Em meio ao registro de uma oscilação na balança comercial brasileira, cujo um dos pesos está relacionado a queda de produção e de exportação do petróleo, o que acaba gerando impactos na contabilização das receitas proporcionadas pela exploração e produção do óleo bruto e do gás natural na Bacia de Campos, Macaé segue na liderança, entre os municípios que vivem a dinâmica econômica do "ouro negro brasileiro", ao contabilizar em julho uma arrecadação de R$ 1.201.717.579,80. Números que devem ser consolidados até o fim do mês, os valores representam também o potencial da Capital do Petróleo em gerar receitas que passam a ser superiores até mesmo entre cidades como Niterói, cujo número populacional é expressivamente maior que o de Macaé. No comparativo as receitas geradas neste ano entre as duas cidades, Macaé sai na frente

com mais de R$ 450 milhões em receitas geradas a mais que a cidade vizinha a Capital do Estado. Enquanto Macaé chegou a R$ 1.201 bilhão, Niterói registra uma receita de R$ 797.261.509.71, contabilizada de janeiro a julho deste ano. Os superlativos encontrados no potencial de Macaé em gerar receitas são ainda mais expressivos quando a arrecadação da cidade é comparada aos outros dois municípios que vivem, em seu dia a dia, as movimentações referentes a indústria do petróleo. Rio das Ostras, que vive uma guerra tributária junto a Macaé, na tentativa de ampliar o seu parque industrial, de olho no volume de Imposto Sobre Serviços (ISS) recebidos pela Capital do Petróleo, contabilizou até julho uma receita de R$ 434.684.330,72. Macaé supera em R$ 800 milhões os recursos gerados pelo município vizinho. Quissamã, que vive a estagnação das obras do porto de Barra do Furado, registrou neste ano R$ 121.483.134,44. Macaé supera em R$ 1.1 bilhão. Os recursos gerados por Campos dos Goytacazes não forma contabilizados pelo Impostômetro, fonte dos dados utilizados na comparação feita nesta matéria.

KANÁ MANHÃES

Recursos superam marcas registradas em grandes cidades

ORÇAMENTO

Município registra um aumento de R$ 171 milhões em receitas No comparativo entre o volume de receitas geradas em 2012 e 2013, cidade ultrapassa marcas por mês, macaé registra uma elevação significativa entre os volumes de receitas geradas em 2012 e neste ano. De janeiro ao dia 20 de julho deste ano, o município arrecadou R$ 1.201.717.579,80. No mesmo período em 2012, a receita foi de R$ 1.029.793.145,90. Comparados, os valores demonstram uma elevação de R$ 171.924.433,9, no volume de

receita gerada em 2013. Por mês, Macaé é capaz de arrecadar R$ 181.974.386,90. Em 2012, o valor registrado foi de R$ 155.124.436,10, uma diferença de R$ 26.849.950,80 registrada neste ano. Por dia, o município registra a arrecadação de R$ 6.008.588,25. Em 2012, o volume de receita gerado foi de R$ 5.097.986,16, calculando assim uma diferença de R$ 910.602.09, a mais neste ano. Por cada um dos 210 mil habitantes, Macaé gera R$ 4.973,99 em recursos. Em 2012 foram R$ 4.481,29.

WANDERLEY GIL

Município cresce quase R$ 1 milhão por dia em receita

APOIO

Vereador elogia investimentos em infraestrutura e educação Paulo Antunes garantiu apoio às propostas defendidas pelo Orçamento Participativo o vereador paulo Antunes (PMDB) realizou nesta semana uma visita a áreas da cidade que estão recebendo investimentos em infraestrutura. O parlamentar acompanhou também o andamento das obras realizadas através do Orçamento Participativo (OP) e fez um elogio especial ao projeto conduzido pelo gabinete do vice-prefeito Danilo Funke (PT). Para Paulo Antunes, a meta do governo em garantir melhorias em bairros e comunidades é fundamental para proporcionar a população melhor qualidade de vida.

"Macaé realmente precisava da realização de todas essas obras que hoje já melhoram o deslocamento de carros em Imboassica, no Parque Aeroporto e agora no Horto. O prefeito Dr. Aluízio está de parabéns", afirmou o parlamentar. Paulo Antunes destacou também a inauguração da primeira escola construída através do Orçamento Participativo, que vai atender a 160 crianças da Vila Badejo. O vereador afirmou que pretende acompanhar o projeto e buscará a ampliação do volume de recursos destinados a decisão dos moradores. "Ouvir a população é fundamental. Sempre defendi isso no legislativo e por isso apoio o Orçamento Participativo", declarou.

3

WANDERLEY GIL

PONTO DE VISTA Olho vivo... No meio do turbilhão de manifestantes que tomaram as ruas para reivindicações mais do que justas, ou até mesmo usando o bordão, Padrão Fifa (custo alto), para melhorar a saúde, a educação, a mobilidade urbana, o meio ambiente, a habitação, a segurança, ampliando as reivindicações para acabar com o elevado grau de corrupção existente em praticamente todos os órgãos públicos de governos federal, estadual e municipal, exigindo ainda uma reforma política capaz de acabar com o voto secreto em todos os níveis do Poder Legislativo, além de extinguir o voto proporcional (aquele que elege quem o eleitor não votou), a eleição de suplentes para cargos de Senador, dentre um rosário listado nas cartolinas empunhadas pelos participantes que espontaneamente aderiram ao Movimento Passe Livre - diminuição do preço das tarifas do transporte coletivo hoje entregue a grandes grupos empresariais que descobriram neste setor uma galinha de ovos de ouro - parece que tem políticos e pessoas desinteressadas que essas lutas sejam vitoriosas, contribuindo para manchar um ato que foi considerado e é um dos mais puros e com respeito ao estado de direito da democracia. Parece que somente os que estão encastelados no poder federal, estadual e municipal, ungidos pelo atual sistema reinante que encerra um ciclo suportável até agora pelo alto custo e altos salários, mordomias infinitas - vejam o uso de aviões da FAB des-

filando no céu para viagens até internacionais ou até um jantar de reunião do PMDB ao custo de R$ 28 mil aos cofres públicos imunidade parlamentar, dentre muitos outros, não condiz com a nossa realidade em que o governo federal paga o Bolsa Família para uma população que vive na faixa da pobreza, mas que no cadastro tem como endereço um telefone celular, não estão sentindo o drama vivido pelo povo brasileiro que está cansado de ver e ouvir discursos que chegam a afrontar o mais humilde dos brasileiros. Os episódios recentes de atos de vandalismo condenados pela população ordeira que não apoia este tipo de ação que causa prejuízos enormes com a depredação do patrimônio público e privado, também têm demonstrado que deve haver por trás interesses políticos ou de grupos desordeiros que gostam de viver à sombra da lei, como ficou constatado quartafeira passada no Rio de Janeiro com troca de acusações pelo faceboock entre pelo menos três possíveis postulantes ao governo estadual, Luiz Fernando Pezão vice-governador, Marcelo Freixo e Anthony Garotinho que negam suas ações. Agora, o que faltou e está faltando realmente, é a autoridade do governo e a ação eficaz da polícia que deve combater os atos de vandalismo prendendo na linha de frente os líderes do vandalismo, identificando-os e processando cada um para servir de lição. É, pelo menos, o mínimo que a população ordeira espera. Olho vivo...

*** O que fazer com a telefonia móvel? Esta semana o nosso município, ou melhor, a Capital Nacional do Petróleo, onde estão sediadas todas as unidades da Petrobras que explora petróleo na plataforma continental do litoral fluminense, além de centenas de empresas nacionais e internacionais de apoio a este trabalho que continuar crescendo com a exploração de óleo e gás na camada de pré-sal, viveu praticamente um dia de cão. Nada de ficção sobre o filme e sim uma dura realidade para a qual a nossa representação política e autoridades simplesmente olvidam, salvo a decisão do vereador Maxwell Vaz que teve o apoio dos vereadores e do presidente da Câmara Municipal Eduardo Cardoso para realizar uma audiência pública para discutir a questão da telefonia móvel, ou seja, o sinal das operadoras Vivo, Claro, Tim e Oi, que simplesmente deixa a desejar. Impossível nos dias de hoje, viver sem um aparelho por mais simples que seja para a comunicação rápida para o lazer e, principalmente para o trabalho. Pois é. A prefeitura deveria ser a primeira a exigir das empresas a melhoria dos sinais considerando que no Procon, órgão de Defesa do Consumidor do município, devem estar registradas centenas de reclamações dos usuários por vários motivos. Nenhuma das operadores, apesar da importância logística do município, possui um representante com instalações

físicas para atender a população, dependendo sempre dos sistemas de call centers terceirizados funcionando em Goiás, Mato Grosso, São Paulo e outros locais distantes, incapazes de os atendentes sentirem o drama que afligem a população macaense. A audiência pública, necessária para discutir o problema politicamente, está marcada para o mês de setembro e a Anatel já confirmou a participação com um representante. Mas, até agora, as operadoras Oi, Vivo, Tim e Claro, ainda não o fizeram. As torres instaladas na cidade desde há muito tempo quando foi iniciado o processo de implantação de telefonia móvel, não atendem mais as necessidades dos usuários que se dizem cansados e reféns, mesmo utilizando aparelhos caros e potentes. Mas, se prometeram que Búzios seria uma “cidade inteligente” e estariam seus moradores e habituais turistas navegando em banda larga, quem foi lá comprovar, viu que tudo é propaganda enganosa e bem que a Anatel poderia “ferrar” os responsáveis. Como a nossa Macaé caminha para no próximo dia 29 de julho comemorar o bi centenário de emancipação política e administrativa, se houvesse a ação dos atores políticos junto ao Ministério das Comunicações, seria este um belo presente para a população. Mas... falta ação e iniciativa para que isso aconteça.

PONTADA A situação está preta para a presidente Dilma Rousseff, que tenta encontrar com ajuda de marqueteiros, o ponto de reencontro com a população. OIbope registrou mais uma queda na sua avaliação positiva, antes dos protestos. Depois dos manifestantes nas ruas, a situação piorou e a desaprovação subiu de 20,4% para 47,3%. No próximo dia 25 de julho a Fundação Educacional Luiz Reid, mantenedora da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Macaé, realiza assembleia geral para o exame e aprovação das contas do exercício financeiro de 2012 e assuntos gerais. A convocação está sendo feita pelo presidente Antonio Carlos Pinto de Carvalho. Para inglês ler. O ex-presidente Lula escreveu artigo no New York Times, afirmando que os protestos que ocorreram pelo país são reflexos dos sucessos de seu governo nos campos econômico, político e social. O presidente do PT, Rui Falcão, declarou que não havia militantes petistas nas manifestações porque todos estão empregados.

Paulo Antunes realizou nesta semana visita a obras

Até domingo.


4

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Opinião EDITORIAL

NOTA

Macaenses continuam enfrentando dificuldades para agendar vistoria

FOTO LEGENDA

Engenharia das ruas

KANÁ MANHÃES

Sem sombra de dúvidas, a mobilidade urbana foi um dos setores que mais sofreu impactos com o início do processo de produção e exploração de petróleo na Bacia de Campos. Porém, não é apenas o inchaço de veículos que circulam pelas ruas da cidade que causa o verdadeiro caos no tráfego.

N

os últimos 30 anos, Macaé viu dobrar a cada ano o número de carros em circulação nas suas principais ruas e avenidas. Números expressivos apontam que diariamente 70 mil veículos trafegam pela principal via pública da cidade, a rodovia Amaral Peixoto. Entre carros de passeios e motos, somam-se também caminhões e ônibus, sejam os utilizados pelo funcionalismo público, sejam os fretados pelas empresas ligadas a indústria do petróleo, serviço logístico que causa verdadeiros impactos ao trânsito da cidade. Depois de mais de 30 anos, o número de carros aumentou, na mesma proporção que o número de habitantes, que passaram a circular pelas mesmas ruas e avenidas existentes na época em que a glória de Macaé era ser reconhecida como a Princesinha do Atlântico. A extensão de ruas como a Teixeira de Gouveia, e avenidas, como Rui Barbosa, é a mesma, do período em que o comércio era apenas o principal atrativo da região central do município. Na ânsia de superar todas as dificuldades, impostas também pela inércia do poder público ao criar rotas alternativas, destacando apenas as Linhas Verde e Azul, motoristas cometem uma série de

imprudências no trânsito, que, ao longo dos anos, tornaram-se atitudes normais, para quem deseja diminuir o tempo perdido no caótico trânsito de Macaé. Ao representar o motivo do maior número de mortes e de violência no trânsito, a disputa desenfreada por espaços, na passagem de sinais, em cruzamentos ou no acesso às ruas hoje é motivo banal, até mesmo para as autoridades responsáveis por administrar o tráfego de veículos. A partir de denúncias como a existência da “indústria das multas” e a existência questionável de sistemas como o radar eletrônico implantado na subida da rua principal do Riviera, reduz ainda mais a credibilidade e a crença na atuação do poder público para amenizar os transtornos no trânsito de Macaé. Além do papel do poder público, a educação no trânsito e a consciência de cada motorista que trafega pela cidade é essencial para que os transtornos, vivenciados por todos, possam ser amenizados. Se cada pessoa que circular pela cidade respeitar o espaço de todos, será possível ter um trânsito com maior fluidez, além de evidenciar os atrasos na mobilidade registrados em Macaé que hoje já ultrapassam o limite do suportável.

ESPAÇO ABERTO Drogas: hora de abrir olhos, ouvidos e cabeça Satisfação plena! Com este sentimento cumprimos mais uma importante ação da Coordenadoria Municipal de Políticas sobre Drogas, que realizou nos dias 16 e 17 de julho, na Cidade Universitária, o 1º Congresso sobre Drogas, com adesão surpreendente.

M

uitos temas abordados, palestrantes excepcionais, público atento e participativo, organização primorosa. Só tenho a agradecer! Obrigado equipe! Ficou evidente para todos que o tema drogas é complexo, amplo, interessante e, sobretudo, de que há necessidade de se enviar a mensagem certa, de que drogas são perigosas. Temos, a todo custo, que impedir os outros de transmitirem a “mensagem errada”, que pode deixar crianças com vontade de experimentar, ampliando o problema. Algumas dificuldades e grandes tragédias podem acontecer quando se insiste em passar a “mensagem errada”. A criação de barreiras para acessar mais facilmente agulhas descartáveis ou preservativos pode gerar o crescimento exponencial de doenças sexualmente transmissíveis, AIDS e hepatites. Avançar na oferta de bebidas não alcoólicas em bares e restaurantes pode reduzir os danos promovidos pelo álcool quando ingeridos por períodos mais longos sem a hidratação adequada. Temos que pensar diferente, quebrar paradigmas, avançar tecnicamente e ouvir as pessoas que conhecem e vivem o assunto. Romper essa dinâmica política do que pode inicialmente desagradar o eleitor é, muitas vezes, o que deve ser feito. As mudanças e o chamado avanço são sempre para reprimir mais duramente, aumentar os castigos, reduzir a maioridade penal, armar melhor as polícias e valorizar o sistema repressor. E isso favorece o ciclo que gera mais violência e morte, assusta mais a sociedade que exige maior rigor e que, por sua vez, vai causar mais violência e morte, com mais gastos e menos aproximação com a verdadeira razão do uso indevido de drogas. Nosso atual sistema incentiva a violência, acentua desigualdades, enriquece alguns e extermina idealistas, coloca crianças no tráfico, desvia dinheiro da educação para construir prisões. Gera inquietude e frustração, corrói direitos, potencializa o crime, aumenta o uso de

drogas e até favorece o desenvolvimento de dependência. Custa caro! Drogas não são sempre más ou sempre boas. São substâncias químicas que mudam temporariamente a composição do nosso sistema nervoso central. Mas o cérebro continua sendo o nosso. Droga não chega passivamente para um individuo suscetível e toma conta e as rédeas do controle da sua vida. A intromissão das drogas é permitida, autorizada, na sua imensa maioria da forma mais “legal” possível com permissão para o primeiro uso. O impulso destrutivo das drogas, na maioria das vezes, não está na substância, mas sim dentro de quem autoriza a sua invasão, a sua entrada. A nossa sociedade, quando culpabiliza todo o mal às substâncias químicas, de certa maneira retira e alivia dos indivíduos a responsabilidade por suas escolhas. Retira de si próprio a autoridade responsável por cuidar daqueles mais vulneráveis. Existem várias possibilidades de pensar e de fazer política no cotidiano. Política se faz no exercício diário de nossas ações. Na interiorização dos conceitos morais e no desejo irremediável de ajudar, de viabilizar os anseios dos outros. É exatamente esta nova ética do cuidado que precisa ser muito discutida. Precisamos falar mais sobre o uso de drogas, sem medo. Em casa, na escola e na rua, valorizando o protagonismo do adolescente e do jovem. Orientando e criando opções de escolhas. Capacitando e sensibilizando todos que desejarem fazer parte do processo, trazendo o problema para si. O assunto droga precisa entrar nas casas pela boca dos próprios pais, avós, tios, professores, líderes religiosos, vizinhos, colegas e dos amigos. O momento é esse! A hora é agora! Cabe a cada um de nós mudar o olhar e promover a mudança que fará com que o próximo seja visto como pessoa e que, como tal, precisa e merece ter seus diretos de cidadão respeitados. Dr. Gleison Guimarães é Coordenador de Políticas sobre Drogas da Prefeitura de Macaé

Nesta semana, a equipe da secretaria de Obras e Urbanismo investiu na implantação do projeto de padronização das calçadas situadas à margem da avenida Evaldo Costa que corta o Visconde, Campo D'Oeste e Riviera. O trabalho, realizado juntamente com o acabamento do calçadão criado a partir da macrodrenagem, visa garantir melhorias no deslocamento dos moradores do bairro, pensando também na acessibilidade de portadores de necessidades especiais.

PAINEL Visita

O diretor de O DEBATE, Oscar Pires, recebeu, na tarde de sexta-feira (19) a visita do jornalista e escritor macaense Carlos Marchi, que assina a obra “Macaé Imagens do Século”, apresentada pela prefeitura em celebração aos 200 anos de Macaé. O encontro foi acompanhado pelo presidente da Fundação Municipal de Cultura, Juliano Fonseca, pela vice-presidente de Acervo e Patrimônio Histórico, Gisele Muniz e pelo coordenador da Câmara Permanente de Gestão (CPG), José Walmir.

Compromisso

Legítima

A cobrança para a realização das obras de duplicação da BR 101 é legítima para algumas lideranças políticas que tiveram participação fundamental no processo que resultou na antecipação das obras, previstas apenas para 2017. No período em que pré-candidatos tentam pegar carona nos avanços obtidos a partir da defesa do projeto, nomes como o do senador Lindberg Farias (PT), precisam ser destacados em relação a consolidação das obras.

Esgoto

Técnicos da Foz, empresa que atua em Macaé através da Parceria Público Privada (PPP) para a gestão do esgoto, trabalham no período da noite, na região central da cidade, para dar agilidade ao trabalho de levantamento das redes de captação e de escoamento do material orgânico. A ação faz parte do planejamento para melhorias no serviço, que deverá garantir a cobertura 100% da região em um prazo de três anos. A conferir!

Convidado

Nesta semana, a empresa Autopista Fluminense confirmou que os oito trevos com desníveis (viadutos), projetados a partir das demandas apresentadas por lideranças políticas de Macaé, Conceição de Macabu, Carapebus e Quissamã, aprovados pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), serão executados dentro do projeto de duplicação da rodovia. Porém, o ritmo para a consolidação das obras ainda não atende a demanda esperada pela população das cidades.

Celebração

A semana começa com a contagem regressiva para a celebração dos 200 anos de criação da Vila de Macaé. Como ponto alto da festa, a programação da Exposição Agropecuária da cidade já mobiliza moradores de várias cidades da região, que se preparam para curtir shows ainda não anunciados oficialmente, mas divulgados através da rede social. Na agenda, a cantora baiana Ivete Sangalo já garantiu data para se apresentar em Macaé, no dia 27.

Nesta quarta-feira (24), o prefeito Dr. Aluízio Júnior (PV) será o grande convidado da reunião extraordinária agendada pela Comissão Municipal da Firjan. O objetivo é apresentar ao conselho empresarial dados relativos ao planejamento do governo para o setor do Desenvolvimento Econômico e Social. Fernando César Barbosa, indicado para assumir a respectiva pasta, também estará presente. Seu nome é chancelado pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP).

Trevo

Sistema

Ompetro

Enquanto aguarda a tramitação dos processos que garantirão a licença ambiental necessária a realização da terceira fase de obras da duplicação da BR 101, Macaé pode comemorar por ser o primeiro município do Norte Fluminense a contar com a realização de obras de construção do viaduto, que garantirá segurança aos motoristas que cruzam a rodovia em direção aos distritos da região serrana. O projeto será concluído ainda neste ano.

Depois da pane que deixou todos os usuários da Vivo sem sinal na última segunda-feira (14), clientes da operadora de telefonia ainda reclamam da cobertura do sistema. Falta de rede, ligações interrompidas e cobranças indevidas, reclamadas por clientes no Procon, fazem parte da lista de insatisfação com o serviço que vem aumentando consideravelmente. Para discutir o tema, a Câmara de Vereadores realizará em setembro uma audiência pública.

EXPEDIENTE EJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agências de Notícias. cnpj: 29699.626/0001-10 - Registrado na forma de lei. diretor responsável: Oscar Pires. sede própria: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Macaé - RJ. Confeccionado pelo Sistema de Editoração AICS e CTP (Computer to Plate). Impresso pelo Sistema Offset. circulação: Macaé, Quissamã, Conceição de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu. A direção do O DEBATE não se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em ações ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor. Filiado à ADJORI-RJ - Associação dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e à ABRAJORI - Associação Brasileira de Jornais do Interior. ANJ - Agência Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associação dos Jornais Diários do Interior. Representante: ESSIÊ PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO S/C LTDA. são paulo: R. Abílio Soares, 227/8º andar - Conjunto 81 - CEP: 04005-000 Telefone: (11) 3057-2547 e Fax: (11) 3887-0071 • rio de janeiro: Av. Princesa Isabel, 323 - sala 608 - CEP: 22011-901 - Telefone: (21) 2275-4141 • brasília: SCS Ed. Maristela, sala 610 / DF - CEP: 70308-900 - Telefone: (61) 3034-1745 (61) 3036-8293.

E por falar em petróleo, transcorrido seis meses dos novos governos em todas as cidades do país, não há notícia sobre um tema deliberado a partir de reunião realizada pela Organização dos Municípios Produtores de Petróleo (Ompetro). Liderada por Campos dos Goytacazes, a instituição segue esquecida e acaba sendo utilizada como peça de manobra apenas em casos relativos a partilha dos recursos derivados pela exploração do ouro negro brasileiro.

GUIA DO LEITOR JORNAL O DEBATE tel/fax: (22) 2106-6060 acesse: http://www.odebateon.com.br/ e-mail: odebate@odebateon.com.br comercial: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215 e-mail: comercial@odebateon.com.br classificados: E-mail: classificados@odebateon.com.br

TELEFONES ÚTEIS: POLÍCIA MILITAR: POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL: SAMU - SERV. AS. MED. URGÊNCIA: CORPO DE BOMBEIROS: DEFESA CIVIL: POLÍCIA CIVIL - 123ª DP: DISQUE-DENÚNCIA (POLÍCIA MILITAR): DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL (24 HORAS): DEL. DE POL. FEDERAL (DISQUE DENÚNCIA): DEL. DE POL. FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO): DISQUE-DENÚNCIA (CÂMARA DE MACAÉ): HOSPITAL PÚBLICO MUNICIPAL: AMPLA: CEDAE: PREFEITURA MUNICIPAL: DELEGACIA DA MULHER: GUARDA MUNICIPAL: ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AEROPORTO DE MACAÉ: CARTÓRIO ELEITORAL 109ª ZONA: CARTÓRIO ELEITORAL 254ª ZONA: CORREIOS - SEDE: AG CORREIOS CENTRO: TELEGRAMA FONADO: SEDEX: CEG RIO: RADIO TAXI MACAÉ

190 191 192 193 199 2791-4019 2791-5379 2762-0820 2759-1312 2759-0698 2772-7262 2773-0061 0800-28-00-120 2772-5090 2791-9008 2772-0620 2773-0440 0800-72-77-173 2772-0950 2772-9214 2772-2256 2759-2405 2762-7527 0800-5700100 2762-6438 0800-28-20-205 27726058


5

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Polícia

NOTA

Solados da Polícia Militar permanecerão da Malvinas até a próxima sexta-feira (26), segundo o 32ª BPM

RODOVIA

CRÉDITO

Construção de trevos reduzirá índices de acidentes Obras estão programadas pela Autopista Fluminense, atendendo a pedidos de representantes de municípios Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

A

BR 101 poderá perder a alcunha de "Rodovia da Morte", caso a construção de oito trevos, que serão implantados em acessos da rodovia, seja consolidada, através das obras de duplicação da estrada. Cortada pelo trecho considerado como o mais perigoso da rodovia, o Norte Fluminense aguarda com expectativa a consolidação das obras iniciadas através da união política formada por representantes dos municípios de Macaé, Campos dos Goytacazes, Quissamã, Carapebus e Conceição de Macabu. E foi exatamente pela pressão exercida por este movimento que a rodovia deverá ganhar os

trevos em desnível, através da implantação de viadutos que irão separar o fluxo de veículos que trafegam por estradas estaduais, que dão acesso a BR 101, do tráfego pesado registrado na maior rodovia federal. Nesta semana, a Autopista Fluminense esclareceu que a obra de duplicação da BR-101 RJ/Norte não vai alterar a distância que os usuários terão que percorrer para ir de um município ao outro. Segundo a concessionária, o projeto da obra, no trecho entre Campos dos Goytacazes (km 84,6) e o acesso a Macaé (km 144,4), prevê a execução de oito trevos em desnível (viadutos), que possibilitarão todos os deslocamentos para acessar e sair da BR-101 e, nos dois sentidos da rodovia, substituindo as

interseções existentes, além de permitir manobras de retorno com mais segurança e conforto aos usuários. Os viadutos serão implantados nos seguintes pontos da rodovia: km 92,8 (dispositivo de retorno), km 101,1 (dispositivo de retorno), km 113,3 (dispositivo de retorno), km 122,1 (dispositivo de retorno), km 125,0 (viaduto no entroncamento da rodovia com a RJ-196, no acesso à cidade de Quissamã), km 132,2 (dispositivo de retorno) e no km 138,5 (viaduto no entroncamento da rodovia com a RJ-182, no acesso às cidades de Carapebus e Conceição de Macabu). A concessionária garantiu também obras no km 144,4, que prevê a construção do viaduto no entroncamento da rodovia com a RJ-106 - Rodovia Amaral

Macaé já conta com a realização das obras de construção do Trevo dos 17, um custe de R$ 12 milhões Peixoto, no acesso à cidade de Macaé (Trevo dos 40). Os projetos dos oito trevos em desnível já foram aprovados pela Agência Nacional de Transportes terrestres (ANTT) e o processo de liberação das áreas necessárias para as obras está em andamento, de acordo com os trâmites previstos pela legislação.

Segundo a concessionária, Tão logo essas áreas sejam disponibilizadas de acordo com a liberação da documentação, as obras serão iniciadas. A concessionária informou também que está à disposição dos representantes dos municípios cortados pela BR-101/RJ Norte, para prestar quaisquer esclarecimentos que se façam

necessários. Além da implantação dos trevos, os representantes dos municípios cortados pela BR 101 aguardam a execução do projeto total das obras de duplicação da rodovia. Atualmente frentes de trabalho são executadas no trecho entre Macaé e Campos, e no trecho de Casimiro de Abreu.

CENTRO

Foz inicia mapeamento do sistema de esgoto Dados servirão de base para a separação das redes de água pluvial e esgoto o mau cheiro sempre foi motivo de reclamação nas ruas do centro de Macaé. A principal causa deste problema é esgoto e água da chuva passando em uma mesma tubulação. A solução também é conhecida: separar a rede de esgoto da rede de águas pluviais. Assim, o cheiro não sai pelos bueiros e não incomoda a população. A separação absoluta da rede de esgoto em 20 bairros é um dos objetivos da Foz, empresa responsável pelos serviços de coleta e tratamento de esgoto em Macaé,

que estáfazendo um levantamento detalhado das redes existentes. Vinícius Soares, gerente operacional da Foz, explica que o cadastramento começou em março deste ano nos bairros Mirante da Lagoa, São Marcos, Guanabara, Morada das Garças, e Lagomar, incluindo Engenho da Praia, onde já foram concluídos. No início desta semana o trabalho começou na parte central da cidade. “A previsão é de que nos próximos três meses, as equipes saiam em campoverificando o traçado e a profundidade da rede,o tipo de tubulação, o fluxo de esgoto,se tem contribuição de água pluvial, entre outros aspectos.Esses dados serão lançados em um programa que vai gerar o mapa

ASSESSORIA

do sistema de esgotamento sanitáriode Macaé, fundamental para planejar as obras de implantação das novas redes". Segundo o gerente da Foz, o levantamento está sendo feito no período das 22h às 6hpara diminuir os transtornos à população. As equipes são formadaspor engenheiros, topógrafos, técnicos de segurança e auxiliares, num total de 20 pessoas, que vão percorrer uma área de aproximadamente 370 km, equivalente a distância de ida e volta de Macaé ao Rio de Janeiro. O município passa a ter um cadastro preciso da rede de esgotamento sanitário para auxiliar a operação, manutenção e implantaçãodas redes e agilizar o atendimento para futuras ligações de esgoto.

Trabalho da equipe é realizado no período da noite para não atrapalhar o fluxo do trânsito

EVENTO

Esquema especial de trânsito no Centro CRÉDITO

Motoristas devem ficar atentos as alterações no trânsito devido a evento a secretaria de Mobilidade Urbana preparou um esquema especial para a realização da I Caminhada Histórica e Turística de Macaé 200 Anos, que acontece neste domingo (21), das 8h30 às 10h30. O objetivo é oferecer toda segurança aos participantes, que durante o percurso poderão prestigiar os diversos patrimônios históricos e turísticos da cidade, em comemoração aos 200 anos da cidade. A largada e a chegada serão em frente à Câmara Municipal, tendo como área de concentração dos atletas a Rua Conde de Araruama, que fica ao lado do Palácio do Legislativo. No sábado (20), a equipe do plantão noturno da Mobilidade atuará em apoio na montagem dos equipamentos necessários para a realização do evento e a cerimônia de premiação. Já no dia da corrida, a Rua Conde de Araruama será fechada a partir das 7h. O bloqueio dos dois locais permanecerá até a desmontagem dos equipamentos,

com previsão de reabertura ao meio-dia de domingo. O trajeto da corrida “Macaé 200 Anos” inclui a Ave-

nida Rui Barbosa (trecho em frente à Câmara Municipal), as ruas Dr. Télio Barreto, Alcides Mourão (trecho após

a passagem pela ferrovia e a subida do Morro de Santana), Waldemiro Bittencourt, a Avenida Amaral Peixoto, as ruas

A largada e a chegada serão em frente à Câmara Municipal tendo como área de concentração dos atletas a Rua Conde de Araruama

Marechal Rondon, Jacy M. Azevedo, Santos Moreira, Vila Muriá, Prefeito Milme Ribeiro, Duque de Caxias, a Aveni-

da Fábio Franco, as ruas Silva Jardim, Jandira Perlingeiro, Teixeira de Gouveia, Tiradentes, novamente a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente ao Posto Tic Tac até a Praça Luiz Reid), Praça João A. Barcelos, a Avenida Elias Agostinho, as ruas da Igualdade, Augusto de Carvalho, Capitão Benedito Lacerda, Dr. Júlio Olivier, Albino Soares, Dr. João Cupertino, mais uma vez a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente à Praça Veríssimo de Mello), a Rua São João, a Avenida Presidente Sodré, a Rua Conde de Araruama (ao lado do Palácio do Legislativo) e a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente à Câmara Municipal). Com exceção dos locais de largada e chegada e da concentração, nas demais avenidas e ruas que compõem o percurso da corrida serão realizadas interdições parciais, das 8h30 às 10h30, e a liberação acontecerá após a passagem de todos os atletas. Agentes de trânsito motorizados e não motorizados controlarão o fluxo de veículos em vários pontos, com auxílio de equipamentos de sinalização de trânsito, além de fazer escolta dos atletas durante o percurso.


6

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Economia

NOTA

Entre os dias 22 e 24, a Subsecretaria da Mulher promove a Feira Expo Mulher, na Praça Veríssimo de Melo, das 10h às 19h

TURISMO

Dicas na hora de fazer um seguro de viagem Especialista recomenda atenção ao local do destino e suas exigências

WANDERLEY GIL

Patricia Lucena patricia@odebateon.com.br

O

recente acidente de balão na Turquia envolvendo turistas brasileiros chamou a atenção para a importância dos seguros de viagem, um produto ainda menos conhecido do que em outras modalidades, como o de automóvel, mas tão fundamental quanto. Na euforia de viajar, seja a passeio ou a negócios, a última coisa que passa pela cabeça da maioria das pessoas é a possibilidade de ficar doente ou sofrer algum acidente durante a viagem. Mas, infelizmente, imprevistos acontecem e é preciso estar preparado. Se a viagem for pelo Brasil, a pessoa estará assegurada se o seu plano de saúde tiver cobertura nacional. E ainda assim, sempre existe a opção do atendimento público. Mas se for viajar para o exterior, a preocupação deve ser redobrada, já que em alguns países você terá que desembolsar um bom dinheiro, caso precise de atendimento médico. Para a Europa, por exemplo, Luiz Eduardo, agente de viagens da Map Viagens, destacou que os países estabelecem a obrigatoriedade de que os turistas tenham uma assistência a viagens no valor mínimo de 30 mil euros para garantir qualquer acidente. Já para lugares dentro do Brasil, a importância em se fazer um seguro é bem menor. Portanto, Luiz Eduardo aconselha que a pessoa verifique o local para onde está indo e se há alguma exigência do próprio país nesse sentido. “Alguns lugares exigem que você

Para viagens ao exterior, a atenção em relação ao seguro viagem deve ser redobrada tenha uma cobertura mínima. Além disso, o valor do seguro depende muito do país para o qual a pessoa está indo. Por isso, o mais importante é avaliar o local e a idade de quem está viajando. Crianças, adolescentes e idosos geralmente precisam de mais atenção.” Segundo ele, viagens para a Disney, por exemplo, exigem uma cobertura maior, já que os acidentes são mais possíveis de acontecer. “Tive um caso de um adolescente que fechou um pacote para a Disney que já vinha com seguro. Mas a sua mãe, como precaução, aumentou a cobertura. Durante a viagem ele teve catapora e teve que ficar de quarentena. O seguro pagou as despesas para que a mãe fosse para lá ficar com ele, assim como todos os custos durante o período de tratamento. Mas

ainda bem que ela aumentou a cobertura, porque ele poderia não ter direito a tudo isso.” Assim, antes de embarcar para qualquer viagem internacional, é fundamental que se contrate um seguro para garantir a segurança e a tranquilidade do passeio. Para evitar problemas, a primeira dica é conferir se o seu plano de saúde garante alguma assistência no exterior. Caso não tenha, a alternativa é fazer o seguro de viagem em agências de turismo ou diretamente com seguradoras especializadas. Vale lembrar que algumas bandeiras de cartão de crédito oferecem gratuitamente o seguro para o cliente que comprar as passagens de ida e volta no cartão. Porém, é fundamental ler os direitos que você terá caso precise do benefício. Além

disso, é importante verificar se o seguro pelo cartão é extensivo aos acompanhantes ou é válido apenas para o titular. Outra dica é analisar bem o contrato do seguro para saber exatamente quais os benefícios que ele oferece. Além de ser uma precaução, muitos seguros oferecem outras coberturas, além de acidentes. “Alguns deles também cobrem, por exemplo, se a sua mala for extraviada, se você for roubado, ou se precisar cancelar a viagem por algum motivo”, esclareceu Luiz Eduardo. Quando planejamos uma viagem, o que mais queremos é que tudo dê certo. Infelizmente, algumas coisas nem sempre acontecem como gostaríamos e, por isso, é preciso se precaver e evitar grandes transtornos durante o seu descanso, ou até mesmo durante uma viagem de negócios.

KANÁ MANHÃES

De acordo com resolução, bancos devem ter convênio com órgão para receber pagamentos de contas

Consumidores enfrentam problemas para pagar contas além das altas taxas, longas filas de espera, poucos caixas eletrônicos em funcionamento e da falta de segurança e de infraestrutura, os consumidores encontram dificuldade para pagar uma conta nas agências bancárias. Muitas vezes, após enfrentar uma longa fila para pagar uma simples conta de telefone, água e luz, o banco se recusa a receber o pagamento por não

colunaquestaodejustica@gmail.com

Andrea Meirelles

A judicialização como opção lucrativa

Q

uando se fala em Judiciário e processos, a primeira ideia que a maioria das pessoas tem é a da morosidade. Segundo dados do Conselho Nacional da Justiça, em 2011 o número de processos judiciais no Brasil chegava a mais 90 milhões. Em 2013 espera-se que este número

ultrapasse 100 milhões de processos. Há em nossa sociedade uma judicialização dos conflitos, e isso tem uma explicação. Uma matemática simples! É mais barato pagar indenizações na Justiça do que efetivamente corrigir o problema que causou o dano.

Os maiores litigantes do Brasil

BANCOS

Segundo o Sindicato dos Bancários, bancos devem receber o pagamento ou explicar as restrições

QUESTÃO DE JUSTIÇA

estar conveniado e orienta que a pessoa efetue a transação no caixa eletrônico, em um correspondente bancário, em uma casa lotérica ou em uma agência dos Correios. Segundo Wagner Figueiredo, presidente do Sindicato dos Bancários de Macaé e Região, não existe qualquer portaria ou resolução do Banco Central que autorize os bancos a evitarem o recebimento de contas. O que existe, explica ele, é a Resolução nº 2878, de 26/07/2001, que define critérios para o atendimento aos clientes. Nessa resolução, há um artigo (Art. 13º) que estabelece que

esse tipo de serviço deve ser feito através de convênios. Isso significa que se o banco quiser receber o pagamento do IPTU, por exemplo, terá que fazer uma parceria com a prefeitura. Isso vale também para os tributos estaduais e federais. Se o convênio não for feito, os bancos não são obrigados a receber essas contas. Porém, segundo o sindicato, existe também a situação que, mesmo com convênio, alguns bancos restringem o pagamento desses tributos aos terminais eletrônicos. Apesar de corriqueira, essa ação dos bancos é ilegal, conforme determina o artigo 15º da mesma Resolução

do Banco Central mencionada. De acordo com a resolução, os bancos ainda devem informar ao cliente sobre as situações que possam implicar recusa na recepção de documentos ou realização de pagamentos. Nesse sentido, o Sindicato dos Bancários de Macaé aconselha ao consumidor que enfrentar esse tipo de problema a solicitar a presença do gerente da agência e relatar o ocorrido e sua ilegalidade. Se o problema não for solucionado, o cliente deve reclamar na Ouvidoria ou Onbudsman do banco, ou ainda direto na Ouvidoria do Banco Central, pelo telefone 0800-979-2345.

Não por acaso, dentre as maiores litigantes do Brasil figuram as empresas e concessionárias de serviços públicos. Segundo o Conselheiro do CNJ, José Guilherme Vasi Werner, estes processos são em torno de 26 milhões, ou seja, quase um terço do total, dos quais 90% pertencem a cerca de 15 entidades. O mesmo ainda aponta que “a primeira edição de ‘Os 100 maiores litigantes’, mostrou que dos quase 100 milhões de processos que temos em tramitação, 38% são do Governo, 38% dos bancos, e o resto é de empresas de telefonia e concessionárias de serviços públicos”. A morosidade do processo, e o baixo valor das indenizações praticadas, são fatores que desestimulam os consumidores a procurar seus direitos na Justiça tanto quanto, na outra face da mesma moeda, servem como estímulo para que as empresas continuem desrespeitando direitos. Podemos exemplificar da seguinte forma: uma empresa lesa cem cidadãos, dos quais apenas vinte procuram a Justiça. Por sua vez, desses vinte, três desistem, cinco

perdem o processo por falta de provas, dez ganham indenizações mínimas, e apenas dois recebem indenizações compatíveis com o dano, em valores que efetivamente sirvam como medida sócioeducativa, ante o poder econômico da empresa. O resultado desse cálculo demonstrativo é a empresa ter economizado em noventa e oito casos. Um verdadeiro prêmio do Judiciário a quem viola direitos. Aqui mesmo, em Macaé, temos uma empresa que cobra uma multa de R$ 300,00 (trezentos reais) se o cliente requerer o desligamento do serviço durante o período de “fidelidade”, mesmo por impossibilidade técnica por mudança de endereço, ou porque o serviço não é prestado a contento. Nesses casos existe um justo motivo para a rescisão contratual, mas ainda assim, a empresa quer penalizar o cliente. Como o valor da multa é “baixo”, muitos preferem pagar a se “aborrecer com um processo”. E assim a empresa segue o caminho do lucro, à custa de um rastro de cidadãos lesados em seus direitos.

Uma possível solução: agências reguladoras atuantes Isso certamente poderia ser diferente se tivéssemos agências reguladoras mais atuantes, com a aplicação de multas sistemáticas, ou decisões judiciais que efetivamente punissem a empresa pelo mau serviço, até que chegasse o momento que a melhora da qualidade do serviço prestado fosse mais barata do que enfrentar as multas e indenizações judiciais. Um caso raro, e que pode servir de exemplo, foi a recente condenação de uma empresa de plano de saúde a um dano moral coletivo de um milhão de reais, pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A condenação se deu em razão da recusa da operadora em prestar o serviço de internação e tratamento de um cliente ainda em carência, numa situação de emergência. Segundo o relator do processo, Desembargador Teixeira Leite, nenhum plano de saúde pode recusar atendimento de urgência, pois o mesmo é previsto na Lei 9.656/1998: "em se tratando

de atendimento em caráter de urgência, não poderá o plano de saúde alegar o não cumprimento do período de carência para recusar atendimento ao segurado, registre-se, completo e suficientemente apto a afastar o risco à saúde, afirmandose, pois, ser abusiva essa restrição contratual", diz a decisão. O relator em seu voto justificou a imposição do valor elevado em razão das diversas reclamações contra a operadora de plano de saúde com o mesmo teor. “A indenização punitiva é uma ideia que nasceu e cresceu pela obrigatoriedade de fazer com que a responsabilidade civil chegue ao objetivo da pacificação e, no caso da seguradora, está provado que o método tradicional é falível e foi vulnerado pelas práticas seguintes e iguais”. O valor da condenação em um milhão de reais por dano moral coletivo será revertido ao Hospital das Clínicas de São Paulo, beneficiando assim um conjunto de pessoas.

O dano moral coletivo A previsão para o pagamento de indenizações por dano moral se funda no artigo 5º, inciso V da Constituição Federal. Não há restrição no texto para que a indenização seja exclusividade da esfera individual. E cada vez mais, a doutrina e a jurisprudência, acompanhando as mudanças históricas e legislativas, vêm entendendo que, se os valores e interesses atingidos

pertencem a um grupo, é possível que a indenização se estenda a todos. É possível, assim, fazer com que um único processo judicial solucione o problema de centenas, quiçá milhares, de pessoas, sepultando de vez a perversa matemática que permite a judicialização dos p ro b l e m a s c o m o m a i s uma opção lucrativa, e não como real solução de conflitos.


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Esporte

PRÓXIMO JOGO

Campeonato Carioca

VASCO X MACAENSE › DIA: 20/07/2011 › HORA: 16h20 › ESTÁDIO: Maracanã

7


8 Economia

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

COMEMORAÇÃO

Produtos celebram visita do Papa Francisco ao Brasil Selos comemorativos e medalhas com o rosto do Papa estão sendo confeccionados Patricia Lucena patricia@odebateon.com.br

N

a próxima terçafeira (23), o Papa Francisco chega ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude Rio 2013 (JMJ Rio2013). A visita está movimentando todas as regiões do país. Para celebrar a vinda do religioso, diversos produtos estão sendo confeccionados. Os Correios, por exemplo, irão colocar em circulação um selo de celebração. O lançamento será realizado na praia de Copacabana, após a missa de abertura, que será celebrada às 19h30 pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. O selo traz, em primeiro plano, a imagem do Papa no gesto de emissão de benção. Ao fundo, a representação da vista da Baía de Guanabara e, à esquerda, o monumento do Cristo Redentor, símbolo escolhido para a 28ª Edição da Jornada Mundial da Juventude. As cores verde, azul e amarela, usadas para compor a marca do evento, estão presentes na natureza da cidade e na bandeira brasileira. Acima da bandeira, está a logomarca oficial da JMJ Rio2013. A arte do selo é de Fernando Lopes, que utilizou a técnica de aquarela sobre papel na confecção da ilustração. De acordo com os Correios, serão emitidos 1,2 milhão de selos, comercializados a R$

1,80 cada. As peças poderão ser adquiridas pela loja virtual do órgão (www.correios.com.br/ correiosonline), pela agência de vendas à distância (centralvendas@correios.com.br) ou nas agências dos Correios. Já a Casa da Moeda do Brasil também lançará no dia 23 de julho uma medalha comemorativa em homenagem à visita do Papa Francisco ao país. A medalha é produzida em bronze, prata e ouro, e tem 50 milímetros de diâmetro. O lançamento acontecerá no Cristo Redentor. Ao todo serão confeccionadas 10 mil medalhas, sendo 7 mil em bronze, 2.950 em prata e 50 em ouro. Por conta da alta tiragem, os preços que já

haviam sido divulgados foram reduzidos. A medalha de bronze custará R$ 45 e a de prata, R$ 230, sem o frete. Já a de ouro só será produzida sob encomenda. A medalha traz no anverso a imagem do Papa Francisco em destaque, com a legenda “Visita do Papa ao Brasil”. No fundo, a era 2013 e o padrão formado pelos tijolos vazados, vistos do interior da Basílica de Nossa Senhora de Aparecida. No reverso, há uma composição com os nomes das cidades onde o Papa passará: Rio de Janeiro e Aparecida. E também os locais onde ele celebrará missa: Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro e Basílica Nossa Senhora de Aparecida. DIVULGAÇÃO

Selo traz a imagem do Papa no gesto de emissão de benção


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Esporte

PRÓXIMO JOGO

Campeonato Carioca

VASCO X MACAENSE › DIA: 20/07/2011 › HORA: 16h20 › ESTÁDIO: Maracanã

9


10

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Esporte

PRÓXIMO JOGO

Campeonato Carioca

VASCO X MACAENSE › DIA: 20/07/2011 › HORA: 16h20 › ESTÁDIO: Maracanã


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Geral

11

NOTA

Dr. Aluízio vistoria construção de escolas municipais, cerca de 900 novas vagas serão criadas na rede de ensino municipal

CONQUISTA

Nupem/UFRJ serão contemplados com equipamento único na região Trata-se de um equipamento pouco disponível em institutos de pesquisa do Brasil e o único exemplar da UFRJ e de institutos e Universidades do Norte-Fluminense DIVULGAÇÃO

Juliane Reis / Assessoria Juliane@odebateon.com.br

“M

icroscópio eletrônico EVO 10” - esse é o mais novo equipamento a ser recebido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) campus Macaé Professor Aloísio Teixeira. O material - pouco disponível em institutos de pesquisa do Brasil é apontado como o único exemplar da UFRJ e de institutos e Universidades do Norte-Fluminense. A conquista se deu por meio do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais e Conservação (PPG-CiAC) do campus Macaé, selecionado pelo Edital PróEquipamentos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A professora Cíntia Monteiro de Barros (UFRJ-Macaé) ressalta que o material é o único da região norte fluminense e que nem a UFRJ do Rio tem o equipamento e cita algumas de suas vantagens. “Por meio dele é possível ver os mínimos detalhes de amostras utilizadas na pesquisa, pois ele aumenta a imagem em cerca de 50 mil milímetros. É um equipamento bem moderno e que vai auxiliar na implantação de cursos de doutorado e pós-graduação no campus. Assim como contribuir com as dissertações de mestrados que estão em andamento e estabelecer o Nupem como um

outros equipamentos, pois segundo dados da unidade, esse modelo é de fácil operação e apresenta as funções integradas de microscopia eletrônica de transmissão e de varredura em um único equipamento, além de outras ferramentas adicionais. Possui alta definição de imagem com uma performance cerca de 50 vezes melhor do que de outros equipamentos da mesma li-

nha e além disso, realiza a análise das amostras sem necessidade de processamento prévio, o que de fato é uma inovação, pois preserva a integridade da amostra. O equipamento também realiza a reconstrução 3D de amostras diversas e é econômico, uma vez que não necessita da compra de outros equipamentos que realizem o preparo prévio das mesmas.

O equipamento

Material vai contribuir com as dissertações de mestrados que estão em andamento na UFRJ e estabelecer o Nupem como um centro de Pesquisa centro de Pesquisa”, destacou a docente. Segundo ela, o material deve chegar nos próximos seis meses. Profissionais responsáveis pelo projeto contemplado com o material, explicam que em especial no programa de pós-graduação em Ciências Ambientais e Conservação (PPG-CiAC), o aparelho será utilizado em pesquisas relacionadas à morfologia de animais e plantas, descrição da diversidade, reconstrução evolutiva, e identificação de variações

morfológicas entre populações de uma mesma espécie, além da utilização em experimentos de embriologia e biologia celular para observação e definição de estágios embrionários e de alterações morfológicas em células sanguíneas e culturas de células de vertebrados e invertebrados. Estas pesquisas estão diretamente relacionadas às duas linhas de pesquisa do Programa e são fundamentais para a promoção dos temas como biodiversidade e sistemas naturais.

Informações divulgadas pelo Nupem apontam ainda que esse equipamento é pouco disponível em institutos de pesquisa do Brasil e o único exemplar da Universidade Federal do Rio de Janeiro e de institutos e Universidades do Norte Fluminense e que através dele será possível a análise de amostras biológicas e de materiais (incluindo animais, vegetais, micro-organismos e rochas), com a manutenção da integridade física dos mesmos. O que não seria possível com

Microscópio eletrônico modelo EVO MA 10 Carl Zeiss. De acordo com profissionais do Nupem, as análises realizadas pelo EVO 10 permeiam diversas áreas: nas geociências, através da observação de materiais, possibilitando identificar a morfologia de cristaloides e visualizar a microestrutura de rochas. Já na área forense, permite a identificação de estruturas minúsculas encontradas em cenas de crime, como por exemplo, identificação de um fio de cabelo, comparação entre fios de cabelo, análise de batom ou outras amostras que possibilitem a identificação da origem ou do fabricante, essenciais para a perícia criminal. O produto atua nas áreas de zoologia, microbiologia e vegetal, por meio do estudo da fauna, flora e microbiota na escala de nanômetros, como por exemplo, identificação e análise da cápsula de vírus, identi-

ficação da anatomia de plantas com potencial farmacológico. Reconstrução 3D de insetos, crustáceos e parte de cascos de tartarugas, bem como de superfícies intestinais através da visualização da borda em escova. Além disso, permite a análise de organelas celulares como o núcleo, mitocôndria em alta definição de até 3 nanômetros.

Esse equipamento vai atender toda demanda de docentes e alunos do Mestrado e da Iniciação Científica, e das universidades da Região

CÍNTIA MONTEIRO DE BARROS, Professora

CONQUISTA

Amada capacita surdos e deficientes para o mercado de trabalho Por meio do Projeto Criando Asas - cuja formatura da primeira turma foi realizada ontem, a instituição mudou a realidade dos assistidos Uma sociedade civil filantrópica, pioneira na região de caráter bilíngue, cultural, assistencial, educacional, de estudo e pesquisa de pessoas Surdas / Deficientes Auditivas, crianças, jovens e adultos de ambos os sexos, sem restrição de nível econômico-social advindos da comunidade de Macaé e vários municípios vizinhos. Assim é a Associação Macaense do Deficiente Auditivo (AMADA) fundada em assembleia realizada no dia 17 de outubro de 2001, em Macaé. Com foco no aprendizado e inserção de seus assistidos no mercado de trabalho, a instituição, por meio do Projeto Criando Asas, qualificou 23 surdos e deficientes auditivos. A solenidade de formatura dos formandos dos cursos de Assistente Administrativo e Operador de Movimentação e Armazenagem de Materiais

foi realizada na noite de ontem, 20 no auditório da Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Com essa iniciativa, a instituição que tem como principal objetivo desenvolver ações que assegurem atendimento individual e coletivo às crianças, adolescentes e adultos Surdos / Deficientes Auditivos, propiciando uma especial condição de desenvolvimento e tratamento, de forma a possibilitar sua efetiva integração social e familiar, alcançou mais um degrau. Se despedindo do Projeto, a coordenadora do Projeto, Gláucia Correa Barbosa, destaca que o objetivo do “Criando Asas” foi alcançado com sucesso. “Iniciamos o projeto com jovens e adultos que se transformaram em profissionais qualificados, inseridos no mercado de trabalho. Mudamos o futuro desses alunos. Hoje eles podem ter uma perspectiva melhor de vida familiar, social, profissional e cultural”, ressaltou. Emocionada, ela pontua ainda que para um projeto “criar asas” é fundamental manter parcerias, sem ela não há otimização do trabalho e resultados positivos. “No

DIVULGAÇÃO

projeto Criando Asas tivemos e temos parcerias inesquecíveis, pessoas e empresas que se comprometeram tanto, que por vezes deixaram de lado os protocolos e as suas necessidades pessoais para atender esta diversificada clientela, que são os alunos surdos e Deficientes Auditivos, que por sua vez, ultrapassaram as nossas expectativas em assiduidade, comprometimento e interesse pelos conteúdos apresentados”, disse. Para finalizar, ela se despede

com um até breve. “Eu me despeço do projeto com um até breve, porque as experiências comuns, aquelas que valem a pena viver, devem ser partilhadas, repartidas e sentidas em comum. Um até breve cheio de saudades e lembranças de vários momentos vividos e partilhados. Meus parabéns a todos os alunos que se empenharam, e o meu muito obrigada a todos que ajudaram a este sonho se tornar realidade”, enfatizou Glaucia.

Para a equipe que se dedicou ao Projeto, os objetivos foram alcançados

O projeto Criando Asas é considerado pioneiro na região e recebeu boa aceitação por parte dos associados. Ele foi um, entre os três selecionados no concurso promovido pela Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais (Cooperforte). As atividades foram realizadas por meio de uma parceria com a Brasil Cap - que é uma parceira da Cooperforte. Foi a Brasil Cap quem custeou todas

as despesas, desde o material didático, uniformes, professores. A iniciativa da AMADA teve como objetivo promover a qualificação profissional de qualidade do surdo/deficiente auditivo, tornando-o competitivo na sua busca pela inserção no mercado de trabalho do município e da região, tendo em vista que aqui poucas instituições de ensino disponibilizam oportunidades para deficientes. E de acordo com a AMADA, nenhum órgão de qualificação / capacitação público ou privado conta com profissionais (intérpretes) para atender aos surdos e deficientes auditivos.

Mudamos o futuro desses alunos. Hoje eles podem ter uma perspectiva melhor de vida familiar, social, profissional e cultural

GLAUCIA PROENÇA, coordenadora do Projeto

EVENTO

Devotos de São Cristóvão participam hoje de carreata Programação vai começar às 9h com missa, seguida de carreata, bênção dos carros e almoço Acontece neste domingo, 21 de julho a II carreata de São Cristóvão em Macaé. O evento é uma iniciativa do padre Gleison Lima da Silva, da paróquia Santo Antônio. As atividades serão marcadas pela já tradicional missa a ser celebrada às 9h

na paróquia e em seguida a carreata saindo da Rua Duque de Caxias e que vai percorrer as principais ruas dos bairros Visconde, Sol e Mar, Riviera Fluminense, Novo Horizonte e encerrando no Campo D´Oeste, onde haverá a bênção dos veículos (Praça). Em seguida haverá o almoço, uma deliciosa feijoada que será servida no Ciep Maringá. O prato, feijoada, custará R$ 10,00. Assim como na primeira edição, a progra-

mação vai contar com o apoio da Secretaria de Mobilidade Urbana e do Corpo de Bombeiros. Entre os objetivos do evento estão: o resgate a tradição que vem sendo esquecida ao longo do tempo, além ainda de ser um momento de manifestação de fé e o incentivo à paz no trânsito por meio da participação consciente dos motoristas. “Esse vai ser um momento no qual muitos fiéis irão se reunir com o único objetivo, que é elevar o santo

e fazer um movimento em dedicação a ele. Vamos reunir fiéis de várias comunidades, vária paróquias”, disse a devota, Cátia Pires Rocha. São Cristóvão é considerado o protetor dos motoristas e dos viajantes. No município, o padre Gleison sonha com a construção de uma igreja no bairro Campo D`Oeste que tenha como padroeiro o santo. Para isso ele conta com o apoio da população. “Estamos desenvolvendo um projeto nesse bairro e São

DIVULGAÇÃO

Cristóvão será o padroeiro da comunidade. No entanto, precisamos de um espaço para a construção da

Evento vai percorrer as principais ruas dos bairros Visconde, Sol e Mar, Riviera Fluminense, Novo Horizonte e encerrando no Campo D´Oeste

Igreja e para que possamos desenvolver trabalhos sociais no bairro”, disse o pároco.


12

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Reciclagem ainda é o gargalo da política de resíduos sólidos O Ministério do Meio Ambiente acredita que essa política ajude o Brasil a alcançar índice de reciclagem Martinho Santafé

À

s vésperas das conferências de meio ambiente dos municípios da região que terão como tema a Política Nacional de Resíduos sólidos, muita coisa ainda falta para o cumprimento parcial da Lei 12.305/10. Atualmente, 98% das latinhas de alumínio usadas no Brasil são recicladas, mas no total, apenas 3% do lixo produzido no país é reciclado, segundo dados do Cempre - Compromisso Empresarial para a Reciclagem. O Ministério do Meio Ambiente acredita que essa política ajude o Brasil a alcançar índice de reciclagem de resíduos de 20% em 2015, mas são muitos os problemas a serem resolvidos. De acordo com cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a falta de gerenciamento correto dos resíduos sólidos representa desper-

DIVULGAÇÃO

dício anual de cerca de R$ 8 bilhões. Isto significa que não cuidar do lixo significa jogar dinheiro fora, além dos problemas sociais e ambientais. Mas se ele for reciclado, pode se transformar em emprego e renda. Para o presidente da Associação Nacional de Órgãos Municipais do Meio Ambiente, o ex-deputado Pedro Wilson, hoje 1 milhão de brasileiros estão catando lixo. “Esse pessoal se organizou e hoje nós temos um movimento nacional de catadores de materiais de reciclagem que está ajudando a mobilizar a cidade para uma coleta seletiva, que é um desafio grande.” A Política Nacional de Resíduos Sólidos reconheceu o papel dos catadores de material reciclável. A política prevê que o governo crie programas para melhorar as condições de trabalho e as oportunidades de inclusão social dos catadores.

Catadores já estão sendo valorizados o presidente da Central de Cooperativas de materiais recicláveis do DF, Roney Alves, avalia que o governo federal já está valorizando os catadores. “O governo federal, aqui no Distrito Federal, cedeu, pela Secretaria de Patrimônio da União, áreas para implementação de centros de triagem, existem linhas de financiamento do BNDES, do Ministério das Cidades, inclusive da própria Fundação Banco do Brasil e outras instituições, para fomentar e apoiar cooperativas e associações de catadores no Brasil inteiro.” A Política Nacional de Resíduos Sólidos também prevê que os planos municipais de gestão dos resíduos sólidos incluam as cooperativas e associações de catadores, que podem auxiliar no sistema de coleta seletiva. O problema é que apenas 10% dos 5.600 municípios brasileiros elaboraram esse plano, cumprindo o prazo estabelecido pela lei, que era agosto do ano passado. Roney Alves acredita que, ao contrário do governo federal, as prefeituras não vêm facilitando a vida dos catadores.

“O grande problema é quando chega nos municípios, principalmente pelo preconceito dos prefeitos dos municípios e dos governantes. A gente tem observado no Brasil inteiro que são poucos os municípios que estão contratando cooperativas e associações, mesmo na lei anterior, que é a Lei de Saneamento Básico (11.445), que prevê a contratação de cooperativa e associação para prestar esse serviço para a sociedade. Mesmo com todo esse arcabouço legal, as prefeituras não estão contratando as cooperativas e associações de catadores.” A cidade de Sertãozinho, na Paraíba, é um dos municípios brasileiros que estão promovendo programa de coleta seletiva e de reciclagem, em conjunto com a associação local de catadores. A prefeita Márcia Mousinho conta a experiência. “Esse material reciclável, o que é lixo, na verdade, ele é dinheiro. A gente está fazendo agora uma parceria para fazermos uma oficina para aproveitamento desse material para

DIVULGAÇÃO

a confecção de brinquedos e outros diversos materiais que a gente pode aproveitar do material reciclado. Nós estamos efetivamente querendo gerar renda.” A prefeita Márcia Mousinho explica ainda a impor-

tância de se conscientizar a população para o sucesso da experiência. “Nós tivemos também a questão de educação ambiental da população, onde nós estamos fazendo trabalho,

Abismo entre gestão e execução de acordo com o engenheiro ambiental e consultor Rodrigo Formage, que em maio participou da VI Feira de Responsabilidade Social Empresarial Bacia de Campos, na Cidade Universitária de Macaé, é enorme o abismo entre a gestão, implantação e execução dos resíduos sólidos por parte da comunidade e das cidades brasileiras. Ele acredita que essa distância será reduzida com muita educação ambiental, fiscalização rígida e pesadas multas. Formage defendeu a necessidade de as prefeituras se adequarem à realidade da implantação da lei sob o risco de ver sucumbir o sistema de resíduo sólido em meio ao caos completo. Ele lamentou que apenas 700 das quase cinco mil cidades brasileiras estão com o plano de resíduo sólido elaborado. Mas nem todos os que apresentam esse projeto já o colocaram em prática. O engenheiro defende a inclusão da educação ambiental na grade escolar brasileira como ferramenta de mobilização e conscientização. E dentro dessa grade curricular a gestão de tratamento do resíduo sólido deve ser um tema a ser constantemente ensinado. No seu entendimento, isso iria servir tanto para ajudar os órgãos governamentais a gerir o problema, como também ter na comunidade, uma parceira e talvez a fiscalizadora dos

DIVULGAÇÃO

serviços públicos que oferece à população. Para o consultor ambiental essa é a base para que a lei que entra em vigor a partir de agosto de 2014 em todo o país tenha sucesso. Ele observou que o governo federal está fazendo um inventário nacional de resíduo e fez uma explanação da situação de Macaé. “Com isso, toda cidade, seja de qualquer porte, terá que ter em seu território um aterro sanitário corre-

to ou pagar para outra para destinar o material coletado, que é economicamente inviável para muitas”. Rodrigo Formage acredita que a fiscalização rigorosa sobre prefeituras, empresas e a própria população e emissão de multas pesadas serão fundamentais. “O brasileiro só aprende algo, mesmo que seja algo bom para ele, quando mexem com o seu bolso. Antes ninguém usava cinto de segurança nos

veículos. Quando passou a ser obrigatório, a se receber multa por não utiliza-lo a situação mudou. Hoje dificilmente se vê pessoas transitando nos carros sem usar o cinto. O mesmo tem que ser feito com o lixo. Multe e todos irão destinar o seu lixo domiciliar no local certo, as empresas e prefeituras destinarão os resíduos coletados, nas áreas especificas e criadas para isso. Mas também não adianta multar se não oferecer condições”.

distribuindo folders, fazendo trabalho de conscientização da população, nas comunidades, para que separassem o lixo reciclado do lixo molhado, trazendo com isso a limpeza da cidade, do meio ambiente.”

Consumo responsável faz a diferença além de ajudar a separar o lixo e fazer o descarte de cada produto no lugar correto, o brasileiro pode ajudar com o consumo responsável. O Brasil está consumindo mais, com estímulo do governo, mas também está gerando cada vez mais resíduos. Hoje cada brasileiro produz cerca de 1 quilo e meio de lixo por dia. O deputado Pena, do PV de São Paulo, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, é um dos defensores do consumo responsável. “As velhas máximas reciclar, que é o tema, reusar e principalmente reduzir. Nós precisamos reduzir o lixo. Nós precisamos que as pessoas entendam que depende muito da sociedade, da ação do indivíduo, sem dispensar naturalmente a ação governamental.” Em parceria com o setor privado, o Ministério do Meio Ambiente lançou em 2011 um plano para ampliar o consumo sustentável no país. A meta é que, até 2014, a porcentagem de consumidores conscientes dobre de 5% para 10%.

Aprender a lição de casa ele exemplifica: em sua casa, todos aprenderam e fazem a separação seletiva do lixo produzido e a cidade onde mora oferece caminhões dessa coleta, semanalmente, mas que ao mesmo tempo não tem um aterro sanitário correto. “Tanto o lixo da coleta seletiva quanto o comum é destinado ao mesmo lugar. Um processo que, além de incorreto, não traz lucro seja ambiental ou econômico para a cidade ou para a sociedade, porque o material está misturado num único processo”. Rodrigo indaga: “Que adianta ensinar se não se dá a ferramenta correta para executar. O povo deve ser ensinado, cobrado e até multado, mas também tem que ter lixeiras em cada poste da cidade ou em boa parte deles. Deve ter uma política de gestão de resíduo, mas também um aterro que cumpra as normas exigidas e sistema de fiscalização atuante e orientador, que esteja permanentemente fiscalizando e acompanhando esse trabalho. De nada valerá multar ou ensinar se não tiver fiscalização e meios de

atender a demanda” garante. O consultor ambiental acredita que as prefeituras e as empresas que lidem ou produzam o resíduo sólido deve buscar soluções entre si, pois isso barateia o custo e, ao mesmo tempo, oferece troca de experiência que por diversas vezes, economiza anos de estudo e pesquisa e também de investimento financeiro. E que esse trabalho pode ser repassado ã população ou trabalhador que o retorno, mesmo que gradativo, é compensador na questão ambiental e até financeiro. Rodrigo dá outro exemplo: em algumas cidades, tanto a dona de casa como o pequeno e médio empresário da área alimentícia, por diversas vezes, joga no esgoto, no rio ou no solo o óleo de cozinha usado. “Um litro de óleo de cozinha contamina um milhão de litros de água. Olha o desastre ecológico feito”. Para ele, é mais fácil que as prefeituras utilizem os meios de comunicação para ensinar a fazer desse material descartado outro produto que será bem aproveitado sob a forma de sabão.


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

13

BAIRROS EM DEBATE Morro de São Jorge

Morro de São Jorge aguarda serviços básicos de infraestrutura Entre as reivindicações estão melhorias na área de lazer e reforma do PSF Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

J

á dizia Tom Jobim: “O morro não tem vez, mas se derem vez ao morro, toda a cidade vai cantar”. Essa semana, o Bairros em Debate visitou o Morro de São Jorge, uma das comunidades mais antigas do município. Entre ruas íngremes e vielas, aos poucos é possível ir conhecendo um pouco da rotina desses seis mil habitantes que, apesar das dificuldades, sentem orgulho de dizer que vivem ali. Se comparado a outros bairros, que sofrem com problemas graves, no caso do Morro de São Jorge o que falta é boa vontade para tornar esse local um dos mais agradáveis para se viver em Macaé. Apesar de ser um local simples, os moradores dizem que não gostariam de trocar a tranquilidade para morar em outro ponto da cidade. Porém, alguns serviços básicos ainda precisam

FOTOS KANÁ MANHÃES

ser oferecidos para que a população tenha uma qualidade de vida melhor. Alguns problemas relatados pelos moradores já foram apresentados em outras edições do Bairros em Debate, porém, apesar das promessas, eles continuam gerando transtornos para quem vive ali. Entre as principais reivindicações está a revitalização da praça, que é a única opção de lazer da comunidade, e melhorias na estrutura física do Posto de Saúde da Família (PSF). “A comunidade tem pequenos problemas que podem ser sanados rapidamente. Sabemos que a atual gestão tem apenas sete meses de mandato, mas queremos pedir que eles olhem para o Morro de São Jorge com mais carinho. Estamos pedindo a eles e é a hora da comunidade ser olhada pelas autoridades”, relata o presidente da Associação de Moradores, Paulo de Mattos, também conhecido como Paulinho.

Área de lazer está às escuras considerada a única área de lazer do bairro, a praça situada na rua General Craveiro Lopes, clama por melhorias. Ao contrário do que muitos idealizam como praça, no local as opções oferecidas são poucas. Os moradores contam apenas com uma quadra poliesportiva e um espaço, que é utilizado para festas e convivência dos idosos. Para evitar que crianças e jovens caminhem para o lado errado da vida, os próprios moradores mantêm alguns projetos sociais no local. Uma dessas iniciativas é a escolinha de futebol, que atende meninos e meninas a partir dos 8 anos de idade. Essas aulas são oferecidas sempre em dois turnos, opostos ao horário escolar. “A Prefeitura, através da Fesportur, tem o interesse de trazer mais projetos sociais para a comunidade e, se vier, isso será muito bem-vindo, para acrescentar”, frisa Paulinho. Mas para que o acesso a esses projetos inclusivos seja possível, a estrutura do local precisa ser boa, coisa que tem deixado

a desejar. Apesar do estado de conservação estar bom, a falta de iluminação tem impedido que a população utilize a quadra no período da noite. “Em 10 anos ela nunca foi reformada. O que a população fazia, eram os reparos por conta própria. Nós pintamos o espaço, com a ajuda da comunidade, umas seis vezes nesse tempo. A troca do alambrado foi feita pela Prefeitura em 2002 e resiste até hoje, isso porque os moradores conservam o espaço. Nossa principal reivindicação é em relação à iluminação pública. A quadra está às escuras há quase cinco meses. Nós já solicitamos o reparo, mas até agora nada. A gente tirou do nosso bolso por muito tempo, mas agora não dá mais, a Prefeitura precisa vir e tomar a frente disso”, explica Paulinho. Para piorar a situação, um poste, localizado próximo aos bancos da praça, estão expostos, podendo causar um acidente. “É preciso fazer algo quanto a isso urgentemente, pois uma criança pode encostar ali ou al-

Há quase cinco meses sem iluminação, crianças e jovens têm evitado a praça à noite

“Esse manilhamento é pequeno, precisa ser ampliado. Como antes a gente tinha cinco, seis casas, ele dava conta, mas agora são muitas residências. É só chover que transborda tudo, mas até em dias de sol ele fica no meio da rua. É um cheiro insuportável, a gente fica até sem graça de convidar visitas, afinal quem quer receber alguém na sua casa nessas condições? Com ele correndo a céu aberto, acaba caíndo na rede pluvial, sendo despejado no meio ambiente”, conta o morador Júlio.

O que diz a Prefeitura de acordo com a Prefeitura, em relação a praça, a secretaria de Obras já iniciou um levantamento para realizar o trabalho de revitalização das praças da cidade e o Morro de São Jorge também será contemplado em breve. Quanto a iluminação, uma equipe irá até o local para saber quais as principais necessidades para planejar ações. Já a estrutura do PSF, a secretaria de Saúde iniciou um trabalho de reestruturação das Estratégias de Saúde da Família (ESF) desde o início deste ano. A meta é atender até o ano de 2014, 70% da população com a ESF, atendendo, dessa forma, a demanda das famílias. Essa reestruturação inclui ainda a

reforma das instalações. Quanto ao caso do transporte, o governo municipal diz que a colocação de um veículo microônibus circular no local será analisada por fiscais de transporte da secretaria de Mobilidade Urbana. Em relação ao esgoto na Abílio Correa Gomes, a Empresa Municipal de Saneamento (Esane) vem realizando um mapeamento das redes de esgotamento sanitário na cidade. No Morro do São Jorge, o levantamento começou essa semana e deve ser concluído em três meses. Logo depois será elaborado um mapa de intervenções para que as obras possam ser iniciadas.

Área de convivência da comunidade na mesma praça, ao fundo foi criada um área que conta com um salão, dois banheiros e uma cozinha industrial. Nesse espaço, a população pode fazer festas e também são oferecidas atividades para pessoas da terceira idade, entre elas, as aulas de balé. Segundo algumas senhoras

que frequentam o espaço, é preciso fazer uma reforma no espaço, dando maior conforto para os moradores. “O banheiro está ruim, com porta sem tranca. Quando chove as goteiras pingam na gente. Poderiam fazer uma boa obra aqui e tornar esse espaço mais agradável”, ressalta uma delas. Do total de seis mil habitantes que vivem na comunidade, 25% são idosos

guém passar perto e tomar um choque. Não podemos esperar que aconteça uma fatalidade para tomar atitude”, ressalta. Além da luz, eles pedem que seja colocada uma cobertura na quadra, já que quando chove fica impossível de utilizar o espaço. Atualmente o local conta com rede na parte de cima, comprada com o dinheiro da

própria comunidade. Para evitar que as crianças brinquem pelas ruas, eles também pedem a possibilidade de instalar um parquinho na praça. “Tem espaço aqui, então poderiam fazer um parquinho para as crianças ou uma academia popular para a terceira idade”, ressalta o presidente da Associação de Moradores.

PSF: Bom atendimento, estrutura precária

Esgoto corre a céu aberto quando foi implantada, a rede de esgoto da rua Abílio Correa Borges era suficiente para atender a demanda das poucas casas que existiam no local. Quase duas décadas depois, a comunidade cresceu consideravelmente e o número de casas também. Sem dar vazão, o esgoto que deveria seguir pela rede até o seu destino final acaba voltando para a superfície, gerando problemas de saúde para a população. Essa situação acontece de maneira isolada nesse trecho dessa via.

Fiação aparente coloca em risco a vida dos frequentadores da praça

Rede insuficiente faz com que esgoto transborde em via

Moradores pedem micro-ônibus na comunidade apesar de ruas estreitas, é possível transitar de ônibus pelo Morro de São Jorge. Porém o que acontece é o contrário. Como a maioria depende do transporte público, os moradores são obrigados a descer até o asfalto para pegar um ônibus. Esse trajeto é feito todos os dias, faça chuva ou faça sol. Quem mora nas áreas mais altas e/ou é pessoa de idade, reclama das dificuldades de se locomover. “Nós já tivemos ônibus aqui, mas foi suspenso. Na época de eleição chegaram a colocar um

micro-ônibus, mas durou pouco. Até a comunidade vizinha, o Morro de Santana, tem transporte público, só a gente que não. Podiam colocar um transporte, nem que seja para ligar a parte alta com a baixa do morro. Aqui tem muitas pessoas da terceira idade, precisamos muito disso”, frisa Paulinho. De acordo com dados apresentados, da população geral, cerca de 25% (1.500 pessoas) são idosos na comunidade, o que ressalta a importância do acesso a esse tipo de serviço.

recentemente a Prefeitura inaugurou novas unidades de saúde pela cidade. Ao contrário do que acontece em vários lugares, não só em Macaé, mas como em todo o país, no Morro de São Jorge o problema não está em relação ao atendimento, mas sim a questão da infraestrutura do local. De acordo com os moradores, a estrutura física precisa de melhorias para que os profissionais atuem com mais conforto. “Nosso atendimento médico é normal, ótimo, nosso médico aqui é tão adorado

pelos moradores que a gente não abre mão dele. A equipe também é sempre bem atenciosa. Precisamos apenas de um lugar adequado”, explica Paulinho. Ele ressalta também a necessidade de mais um médico, já que a demanda é grande. “Hoje contamos apenas com um, muito bom por sinal, porém a demanda hoje é muito maior e precisa de mais profissionais. Se o nosso médico falta por ficar doente ou entra de férias, a gente fica meio à mercê da sorte”, completa.

População cobra melhorias para parte estrutural de PSF


14

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Esporte

PRÓXIMO JOGO

Torneio Carioca

MACAÉ BASQUETE X PM QUEIMADOS › DATA: 21/07/2013 › LOCAL: Rio de Janeiro › HORÁRIO: 11h

ARTES MARCIAIS

Talento de Matsuda é reconhecido pela FJERJ

Mestre judoca será homenageado no Torneio Inter Regional, em Queimados Letícia Santana leticiasantana@odebateon.com.br

T

alento, dedicação e amor ao esporte que não passam despercebidos. Assim pode ser descrita a vitoriosa trajetória do maior mestre judoca de Macaé, Kodansha Shiro Matsuda. O responsável por formar campeões macaenses das artes marciais será merecidamente homenageado pela Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (FJERJ), no Torneio Inter Regional. O evento teve início ontem (20) e termina hoje (21), com disputas realizadas no Ginásio da Escola Metodista, em Queimados. Kodansha Shiro Matsuda, 72 anos, chegou ao Brasil em 1960 e há 43 anos vive em Macaé, onde desenvolve um trabalho social, ensinando crianças e adolescentes a arte e disciplina do judô, tirando-os da ociosidade e afastando-os das drogas e da violência. “Use a energia da força para o bem e progresso mútuo.” É com essa filosofia, mencionada pelo mestre Jikaro Kano, que Matsuda busca inspiração. Desde 2002, o mestre faz parte da Comissão Estadual de Graus e já atuou por diversas vezes como técnico das Equipes que participam dos Campeonatos Brasileiros. Em um espaço alugado, Matsuda vem realizando o sonho de se tornar o “formador de campeões”. E ele vem conseguin-

do. Após um período longe dos torneios estaduais, a equipe conquistou 23 medalhas no Campeonato Carioca de Judô, realizado em junho, e, consequentemente, a primeira colocação no ranking Circuito Nova Geração da FJERJ. Na academia, o mestre coleciona inúmeros troféus, medalhas, diplomas e guarda de recordação algumas fotografias de torneios e campeonatos realizados em diversas partes do mundo. Dentre as condecorações expostas na academia está o diploma de embaixador do Instituto Kodokan, primeira escola de judô, fundada em 1882, por Jigoro Kano, no Japão. Emocionado com a homenagem e reconhecimento do seu trabalho, Matsuda tem orgulho em ter escolhido o Brasil como país a qual passaria todo o seu conhecimento. O mestre apenas lamenta a falta de incentivo ao esporte amador. “Gostaria que as autoridades governamentais de Macaé e empresários pudessem compreender a importância de apoiar o judô. O judô é um esporte de quimono que ensina a verdadeira disciplina aos atletas. Esse esporte, além de formar campeões, forma homens de bem. São desses homens que o Brasil precisa para acabar com a violência”, ressalta. A equipe de Matsuda pisa hoje no tatame do Torneio Inter Regional. O grupo recebe o apoio da Fiel Transportes, do PCP Engenharia e da Unimed.

DIVULGAÇÃO

Matsuda coleciona inúmeros troféus, medalhas, diplomas e recordações de torneios e campeonatos

ALOHA

Surfistas tiram onda na Praia do Pecado WANDERLEY GIL

Termina hoje a segunda etapa do Circuito Brasileiro Profissional de Surf Quem ainda não conferiu a invasão das maiores estrelas nacionais do surf na Praia do Pecado terá a última chance para acompanhar de perto um show de adrenalina nas águas macaenses. A segunda etapa do Circuito Brasileiro de Surf Profissional termina hoje (21), com a coroação dos grandes campeões. O fim de semana foi de gala na Praia do Pecado. Grandes nomes do surf nacional como Vitor Ribas, os bicampeões brasileiros Léo Neves e Renato Galvão, o líder do ranking nacional, o baiano Franklin Serpa e seu conterrâneo Bruno Galinni, atual número um da Bahia, marcam presença na terceira participação de Macaé no Brasileiro de Surf. A etapa também conta com a apresentação das estrelas macaenses Matheus Faria e Cristiano Silva, o Mosquito. Hoje serão conhecidos os campeões da segunda etapa da competição, e de acordo com a organização do evento, o melhor colocado vai somar 3 mil pontos para o ranking nacional e 1.500 pontos no ranking profissional da Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ). Ao todo, os 90 atletas disputam R$ 60 mil em premiações. O grande campeão desta fase vai embolsar o prê-

Grandes nomes do surf nacional invadiram a Praia do Pecado durante o fim de semana mio de R$ 15 mil. Além do cronograma esportivo, a organização preparou uma série de ações que acontecem paralelamente ao evento e são abertas ao público. Entre elas, ações sócio-ambientais, como atividades de biodiversidade, coleta de lixo e replantio de mudas. O Macaé Ecosurf tem o patrocínio do Governo do

Estado do Rio de Janeiro, copatrocínio do Banco Itaú e da EDF Termoelétrica. O apoio é da Unimed Costa do Sol, Prefeitura Municipal de Macaé e da Fundação Municipal de Esporte e Turismo (Fesportur). A realização é da Associação Brasileira de Surf Profissional (ABRASP) com apoio da Adding Sports & Entertainment e da Federação de Surf

do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ). Na próxima semana, nos dias 26 e 27 (sexta-feira e sábado), a Associação de Surf de Macaé (ASM) dará sequência ao Macaé Ecosurf com a realização do circuito local, o Macaense de Surf. As disputas acontecem nas categorias Master, Open, Mirim, Junior e Iniciante.

ATLETISMO

Tudo pronto para Corrida Macaé 200 anos Prefeitura montou um esquema especial de trânsito para garantir a segurança dos participantes Será realizada hoje (21) a Corrida Macaé 200 anos, em comemoração ao aniversário do município. Cerca de mil atletas vão percorrer 10 km pelos diversos patrimônios históricos e turísticos da cidade. A largada acontece às 8h30, em frente à Câmara Municipal. O trajeto da corrida inclui a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente à Câmara Municipal), as ruas Dr. Télio Barreto, Alcides Mourão (trecho após a passagem pela ferrovia e a subida do Morro de Santana), Waldemiro Bittencourt, a Avenida Amaral Peixoto, as ruas Marechal Rondon, Jacy M. Azevedo, Santos Moreira, Vila Muriá, Prefeito Milme Ribeiro, Duque de Caxias, a Avenida Fábio Franco, as ruas Silva Jardim, Jandira Perlingeiro, Teixeira de Gouveia, Tiradentes, novamente a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente ao Posto Tic Tac até a Praça Luiz Reid), Praça João A. Barcelos, a Avenida Elias Agostinho, as ruas da Igualdade, Augusto de Carvalho, Capitão Benedito Lacerda, Dr. Júlio Olivier, Albino Soares, Dr. João Cupertino, mais uma vez a Avenida Rui

Barbosa (trecho em frente à Praça Veríssimo de Mello), a Rua São João, a Avenida Presidente Sodré, a Rua Conde de Araruama (ao lado do Palácio do Legislativo) e a Avenida Rui Barbosa (trecho em frente à Câmara Municipal). Para garantir a segurança dos atletas, a Secretaria de Mobilidade Urbana preparou um esquema especial no trânsito. No sábado (20), a equipe do plantão noturno da Mobilidade atuará em apoio à montagem dos equipamentos necessários para a realização do evento e a cerimônia de premiação. Já no dia da corrida, a Rua Conde de Araruama será fechada a partir das 7h. O bloqueio dos dois locais permanecerá até a desmontagem dos equipamentos, com previsão de reabertura ao meio-dia de domingo. Com exceção dos locais de largada e chegada e da concentração (ao lado do Palácio do Legislativo), nas demais avenidas e ruas que compõem o percurso da corrida serão realizadas interdições parciais, das 8h30 às 10h30, e a liberação acontecerá após a passagem de todos os atletas. Agentes de trânsito motorizados e não motorizados controlarão o fluxo de veículos em vários pontos, com auxílio de equipamentos de sinalização de trânsito, além de fazer escolta dos atletas durante o percurso.


MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013

Geral 15

OBRAS

Ampliação do Aeroporto de Macaé será retomada após nova licitação Vereador Igor Sardinha e Senador Lindbergh Farias seguem na defesa pela expansão da base macaense Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

A

pós um período de definições quanto o reinício das obras de ampliação do Aeroporto de Macaé, a Infraero, estatal que administra a base, publicou no Diário Oficial da última terça-feira (16) um novo edital para a contratação das obras e serviços remanescentes da construção do novo terminal de passageiros. O edital contempla ainda a construção de edificações de apoio, reforma do edifício administrativo/ operacional, execução do novo es-

tacionamento de veículos e sistema viário de acesso e a adequação do antigo estacionamento de veículos e do pátio de aeronaves. Segundo informações do edital, a abertura das propostas está agendada para o dia 6 de agosto e o cronograma prevê o encerramento das obras em 2 anos. A retomada de obras era cobrança constante do vereador Igor Sardinha (PT) e do senador Lindbergh Farias (PT). A dupla petista é a grande responsável pela garantia dos investimentos por parte da Infraero na base macaense. Ao todo, a parceria entre os dois já garantiu

para o Aeroporto de Macaé investimentos que ultrapassam a marca de R$ 70 milhões. “Procuramos o senador Lindbergh ainda em 2011 e falamos com ele da necessidade que tínhamos de ter em Macaé um aeroporto que fosse condizente com a importância da capital nacional do petróleo. Fomos juntos à Brasília e conseguimos em reunião com a presidência da Infraero garantir as verbas para a nossa cidade. Diversas obras se iniciaram e conseguimos iniciar um processo de franco desenvolvimento para Macaé”, disse Igor Sardinha. Segundo o senador Linbergh

Farias, a amplição do Aeroporto de Macaé é estratégica para o estado do Rio de Janeiro. Ele acredita que o desenvolvimento econômico e social oriundo da exploração do présal na Bacia de Campos, somente será possível se os equipamentos públicos também se desenvolvam. “O Aeroporto de Macaé já é considerado o de maior movimentação de helicópteros do Brasil, consequentemente um dos maiores de toda a América Latina. Estamos acompanhando de perto para que o projeto saia do papel e beneficie não só aos macaenses, mas que sirva como um modelo de desenvolvimento para o nosso estado nos próximos anos”, declarou Lindbergh. Desde o inicio do ano, a parceria já cobrava da Infraero resposta sobre o andamento das obras de ampliação do terminal e que hoje é retomada. Além disso, a dupla conseguiu incluir ampliação da pista de pousos e decolagens no Plano

ASSESSORIA

Igor e Lindberg defenderam obra de expansão do Aeroporto de Macaé diante da expansão econômica municípal Diretor da Infraero. A obra de ampliação da pista passou a ser uma das prioridades para Igor e Lindbergh, na busca para a realização dos processos licitató-

rios para a execução do projeto. A ampliação da extensão e o reforço asfáltico na pista permitirão que o Aeroporto de Macaé amplie suas operações offshore e o recebimento de aeronaves de porte maior, ampliando o número de destinos de voos comerciais, ligando Macaé as principais capitais do Brasil. Igor Sardinha aproveitou para informar que continua buscando junto do senador mais investimentos para a cidade. O parlamentar afirmou que está lutando pela instalação de um porto seco em Macaé. Para ele, o desenvolvimento do Aeroporto de Macaé trará para a cidade ainda mais investimentos, gerando mais empregos e fortalecendo a indústria, o turismo e o comércio local. “Macaé merece cada vez mais e lutaremos para que os investimentos cheguem em nossa cidade. Demos o primeiro passo ainda em 2011 e não pararemos de trabalhar. É preciso ficar de olho para que os projetos saiam do papel e gere desenvolvimento social, empregos e conforto aos macaenses”, encerrou o vereador.


16

MACAÉ, DOMINGO, 21 E SEGUNDA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2013


Noticiario 21 07 13