Issuu on Google+

KANÁ MANHÃES

CIDADE

Barreto ganhará escola no próximo ano Previsão é de que a obra esteja concluída para receber turmas do Ensino Fundamental pág. 8 WWW.ODEBATEON.COM.BR • MACAÉ (RJ), DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013 • ANO XXXVIII • Nº 8739 • FUNDADOR/DIRETOR: OSCAR PIRES • O JORNAL DE MAIOR CIRCULAÇÃO DO MUNICÍPIO • R$ 1,50

Novo porto de R$ 1,5 bilhão pode operar a partir de agosto de 2016 KANÁ MANHÃES

Previsão foi apresentada nesta semana pela Queiroz Galvão que prevê liberação de licenças para obras em janeiro de 2014

Ú

nico projeto voltado exclusivamente para atender ao segmento offshore, em meio a 17 propostas de empreendimentos marítimos previstos para atender às demandas da região Sudeste do país, elaborado com o que há de mais avançado na tecnologia de operações marítimas, seguindo normas técnicas nacionais e

internacionais, o Terminal Portuário (Terpor), que engloba a construção do Terminal Logístico de Macé (Terlom) e toda a parte de infraestrutura administrativa da base operacional, pode iniciar, de forma parcial, as suas operações a partir de agosto de 2016. A meta atende à demanda apresentada por petrolíferas em atuação na região. pág. 3

Pesca predatória ameaça espécies Pescadores e frequentadores do Arquipélago de Santana denunciaram prática que tem provocado a morte de espécies importantes para a fauna da região. Situação está sendo apurada pela secretaria do Ambiente pág. 5 Terlom é único projeto em implementação capaz de atender à demanda da exploração de petróleo na Bacia de Campos

BAIRROS EM DEBATE

KANÁ MANHÃES

PROJETOS Ruas do bairro apresentam problemas gerados pela formação de alagamentos durante o período das chuvas. Segurança no trânsito e reforma total do Parque da Cidade ainda fazem parte da lista de solicitações das famílias do local

OP promove reunião com novos delegados na terça-feira (12), o Orçamento Participativo fará sua primeira reunião com os delegados eleitos para a gestão de 2013-2015. O objetivo desse primeiro contato é apre-

Comércio já vive clima de Natal Um dos períodos mais aguardados para o setor varejista, em função do volume de vendas, o Natal já está presente nas vitrines das lojas do Calçadão da Avenida Rui Barbosa.

Praia Campista busca obras para melhorar infraestrutura Área nobre concentra problemas comuns à realidade de outros bairros da cidade. Prefeitura garante realização de projeto de revitalização do local pág. 11

Empreendedor em destaque Base da economia macaense, o empreendedorismo vem sendo estimulado na cidade através de uma série de ações promovidas pelo Fumdec desde o início do ano. Com uma interface direta à gestão municipal, a nova equipe garante avanços que ampliarão ainda mais o alcance através da inauguração da Casa do Empreendedor, evento que marcará a programação em celebração à Semana Global do Empreendedorismo. pág. 6

KANÁ MANHÃES

Candidatos realizam vestibular na Salesiana candidatos à Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora - FSMA participam neste domingo do processo seletivo visando o ingresso na instituição no próximo ano letivo. Os candidatos vão disputar as vagas oferecidas para os diversos cursos que estão condicionados ao mínimo de 25 alunos para a abertura de turma. pág. 8

sentar o regimento interno, informes gerais, além de, junto com os 56 eleitos, elaborar um calendário de ações até o final do ano e o envolvimento no O.P. Itinerante. pág. 13

Para marcar o momento, eventos estão sendo programados pelo setor, como a tradicional "Casa do Papai Noel", que será inaugurada pela Acim no próximo dia 2 de dezembro. pág. 13 KANÁ MANHÃES


2

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Cidade

NOTA

Obras da prefeitura transformam o Lagomar, bairro que mais cresce no município

O DEBATE EM MEMÓRIA

SEMANA EM DEBATE BOPE invade Malvinas e Tropa de Choque fiscaliza acessos a Macaé SYLVIO SAVINO

KANÁ MANHÃES

A seguir, as principais notícias veiculadas na edição de número 196 do jornal O DEBATE, que circulou 29 de outubro de 1980

Falta de recursos deixa Barra sem esgoto O prefeito Carlos Mussi esteve em reunião com moradores da rua Vanilde Natalino Mattos, no Centro Comunitário da Barra de Macaé, acompanhado de fotógrafo e assistente social da prefeitura. A representante e moradora da referida rua, dona Iracema, expôs a situação crítica em que se encontra aquela via, solicitando ao chefe do Executivo a construção de rede de esgoto, já que as fossas existentes estão transbordando. Foi ela quem fez a proposta ao prefeito para todos colaborarem na aquisição de manilhas, afirmando que todos se comprometeram a ajudar, porque se trata de benfeitoria coletiva.

*** operação que reuniu mais de 60 agentes de segurança resultou

na prisão e apreensão de membros de facções criminosas que dispu-

tam o tráfico de drogas em comunidades carentes do município.

Licenciamento de obras do porto de R$ 1,5 bilhão em discussão na Firjan Conselho empresarial recebe representantes da empresa responsável pela implementação do projeto do Terminal Logístico de Macaé. Reunião pode garantir agilidade na tramitação que antecipa obras

Encontro Recadastro garante aprimora acesso a Passe Escolar serviço de oncologia passo fundamental para garantir o atendimento adequado aos pacientes com câncer de Macaé, desenvolvido através da parceria entre a prefeitura e o Instituto do Câncer, criando na cidade uma estrutura de serviço que servirá de modelo para outras cidades do país, profissionais da Saúde participaram ontem da I Oficina do Plano de Assistência Oncológica de Macaé, promovido no auditório do Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho.

Devido a informações relativas a dificuldades enfrentadas por estudantes para ter acesso ao Passe Escolar, a Central da Gratuidade segue com atendimento aos alunos que foram remanejados de escola e fizeram o recadastro do passe escolar nos anos letivos anteriores. O processo é necessário para que os cartões sejam ativados.

População dos bairros reclama da Rede Ferroviária que impede passagens com manobras Moradores dos bairros Visconde de Araújo e Miramar estão reclamando da Rede Ferroviária Federal e pretendem iniciar movimento colhendo assinaturas em memorial que será enviado ao diretor presidente da empresa e ministro dos Transportes, solicitando aos representantes novo critério de manobras que são feitas na estação de Macaé, nos horários mais críticos, sempre no período da manhã, horário de almoço e às 18h.

***

Coordenadoria de Saúde inaugurou consultório odontológico na Aroeira Foi inaugurado no dia 27 de outubro consultório odontológico numa das salas de Escola Estadual Dr. Télio Barreto, localizado na Aroeira. Na solenidade inaugural, falaram: o Coordenador de Saúde das Baixadas Litorâneas, Dr. César Augusto Sabino de Azevedo; o diretor do Centro de Saúde, Dr. Carlos Alberto Moreira Pinto; o vereador Malvino Orbílio de Lima (autor da reivindicação), Waltair Fernandes Pinto e a diretora da instituição, a professora Cirlei Felix Monteiro. O coordenador de Saúde, em sua fala, declarou que estava cumprindo mais uma etapa de seu trabalho em disponibilizar consultório odontológico em todos os bairros, assim como nos distritos de Macaé.


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Política

NOTA

Prefeito Dr. Aluízio (PV) afirmou que obras de novo porto é prioridade para setor de infraestrutura

PROJETO

Novo porto pode operar a partir de agosto de 2016 Obras de construção de terminal portuário offshore devem começar a partir de setembro do próximo ano, após liberação de licenças prévia e de instalação

KANÁ MANHÃES

nico projeto voltado esclusivamente para atender ao segmento offshore, em meio a 17 propostas de empreendimentos marítimos previstos para atender as demandas da região Sudeste do país, elaborado com o que há de mais avançado na tecnologia de operações marítimas, seguindo normas técnicas nacionais e internacionais, o Terminal Portuário (Terpor), que engloba a construção do Terminal Logístico de Macé (Terlom) e toda a parte de infraestrutura administrativa da base operacional, pode iniciar, de forma parcial, as suas operações a partir de agosto de 2016. A meta atende a demanda apresentada por petrolíferas em atuação na região da Bacia de Campos, em especial, a Petrobras. A previsão otimista foi estipulada pela equipe técnica que pertence ao braço empresarial da Queiroz Galvão responsável pela consolidação das obras do novo porto de Macaé, um investimento inicial de R$ 1,5 bilhão, que deve aumentar consideravelmente a medida que o projeto ganhe força e estrutura. Porém, para que a previsão

seja alcanlçada, a equipe da empresa precisa passar pelo processo que demanda maior tempo para o início das obras: a fase de licenciamento. Preocupação apresentada pelos empresários que compõem a Comissão Municipal da Firjan, que cedeu parte da reunião do conselho deste mês, para que a Queiroz Galvão pudesse esclarecer pontos sobre o processo, a tramitação de autorizações e análises fundamentais para que o projeto possa avançar para a parte de licenciamento já chegou a órgãos importantes para a consolidação do porto. Segundo a empresa, o projeto básico de construção do porto já foi elaborado e passou pelos tramites iniciais junto a Delegacia da Capitania dos Portos de Macaé. O protocolo para análise foi registrado no último dia 30 de agosto. O projeto, segundo a Queiroz Galvão, já foi protocolado também junto a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), no dia oito de março deste ano. O projeto foi protocolado no dia 11 do mês passado junto a Secretaria de Patrimônio da União (SPU), na sede do Rio de Janeiro. O procedimento é fundamental para a questão alfandegária do porto.

Operações portuárias elevam potencial de Macaé

passada a fase inicial de tramitação do projeto básico do Terminal Portuário, outros dois procedimentos fundamentais a consolidação das obras já foi cumprido, de acordo com as informações repassadas pela Queiroz Galvão no novo encontro com a Comissão Municipal da Firjan. Segundo a empresa, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) já foram entregues e analisados pelo Instituto Estual do Ambiente (Inea). Os documentos estão disponíveis no site do órgão. Esse procedimento abre previsão para a realização de outro

passo fundamental a consolidação das obras do porto: a realização da Audiência Pública junto a população macaense. De acordo com a expectativa da Queiroz Galvão, o encontro, com local e data a ser definido, deve acontecer até o primeiro semestre do próximo mês. Esses serão os processos essenciais para a consolidação do projeto executivo do Terminal Portuário, que deve ficar pronto até o fim deste ano. A partir daí, a empresa buscará a consolidação de dois estágios que antecedem a realização das obras: a liberação da Licença Prévia (LP) e sequencialmen-

te a Licença de Instalação (LI). Dentro do cronograma apresentado pela equipe da empresa a Comissão da Firjan, a expectativa é que a LP seja liberada pelo Inea até março de 2014, com uma projeção antecipada para janeiro do próximo mês. Já a LI, que permitirá a realização das obras efetivas de infraestrutura do porto, deve ser liberada em setembro de 2014. De acordo com os representantes da Queiroz Galvão, o projeto do porto de Macaé foi cadastrado junto ao sistema da Petrobras em fevereiro deste ano. O projeto também foi apresentado a presidente da estatal,

a disponibilização da área de 400 mil metros quadrados situada na região do São José do Barreto, a localização privilegiada de Macaé, atendendo demandas da Bacia de Campos e do norte da Bacia de Santos, e a expertise já concentrada na Capital Nacional do Petróleo, necessária aos avanços da indústria offshore, contam como os principais pontos favoráveis para que o projeto do porto da cidade seja encarado como prioridade para a exploração e a produção do petróleo no país. Na questão de infraestrutura, o projeto atende ao Plano Diretor do Município, além de contar com as expectativas de investimentos do governo mu-

nicipal em questões relativas a mobilidade que será exigida pelas operações portuárias. A região para construção do porto oferece também uma retroária de mais de 200 mil metros quadrados, que será interligada ao terminal marítimo através da construção de um viaduto sobre a rodovia Amaral Peixoto (RJ 106). Na questão da localização, enfatizada pela equipe da Queiroz Galvão, está a proximidade com a BR 101 (10 quilômetro do trevo Norte), com o Aeroporto de Macaé (5 quilômetros), do Porto de Imbetiba (8 quilômetros), do Terminal Cabiúnas (4 quilômetros) e do Parque de Tubos (21 quilômetros)

Porto atenderá demandas das Bacias de Campos e de Santos

ao defender a utilização da mão de obra local na construção do Terminal Logístico de Macaé, a Comissão Municipal da Firjan reiterou a proposta apresentada pela equipe da Queiroz Galvão de criação de um Grupo de Trabalho que terá como objetivo estudar as demandas que serão geradas na fase de consolidação do projeto e preparar profissionais de Macaé para que possam preencher as vagas que serão geradas pelo terminal.

A estimativa apresentada pela empresa responsável pela consolidação do projeto prevê que mais de 300 postos de trabalho serão gerados a partir da operações do Terminal. Porém, para evitar que essas vagas sejam ocupadas por profissionais que cheguem de outras cidades, reduzindo também os impactos sociais previstos para Macaé, o grupo se unirá a outras instituições importantes da cidade, como o Sistema Firjan, a Associação Comercial

e Industrial de Macaé (Acim), o Sebrae, entre outros, para proporcionar a qualificação de profissionais do município. A Queiroz Galvão garantiu que a prioridade para a contração da mão de obra que será utilizada nas obras do porto será para trabalhadores de Macaé, uma exigência solicitada também pelo governo municipal, principal parceiro e incentivar da consolidação do projeto de R$ 1,5 bilhão do novo porto para Macaé.

Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Ú

3

Estudos concluídos garantem audiência Graça Foster, que reconheceu o gargalo registrado atualmente nas operações do Porto de Imbetiba, utilizado com exclusividade pela empresa. Através da tecnologia empregada na elaboração do projeto, a equipe da Queiroz Galvão apontou que o porto terá condições de operar, de forma inicial, em agosto de 2016, através da utilização de três dos 14 berços para atracagem de embarcações de grande porte. A previsão total de conclusão das obras segue para 2017, com estimativa de operação total do Terminal Portuário em julho do mesmo ano.

Potencial atende demandas offshore

WANDERLEY GIL

PONTO DE VISTA Desafio regional Há pelo menos dois anos, a Federação da Indústria do Estado do Rio de Janeiro - FIRJAN, apresentou aos empresários e à classe política o projeto Decisão Rio, em que aponta os investimentos de grande porte em todo o território fluminense. Os investimentos planejados que saltam aos olhos de quem acompanha o processo de desenvolvimento previsto que vão desde a indústria de petróleo - incluindo aí a Unidade de Negócios da Bacia de Campos da Petrobras que reviu a estimativa para US$ 236 bilhões de dólares e, ainda, a construção do Polo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro - Comperj, em Itaboraí - demonstra que em todos os pontos, de norte a sul e de leste a oeste, o estado virou um grande canteiro de obras e as oportunidades são muitas. Excetuado agora o Super Porto do Açu, da LLX, do empresário Eike Batista, cujas empresas Xis estão fazendo água, a região norte fluminense tendo como centro das atenções o município de Macaé que sedia as unidades da Petrobras, embora a falta de planejamento regional demonstre a falta de visão política, com o anúncio da exploração da camada de pré-sal, os investimentos continuam sendo anunciados e demonstrando claramente que, em poucos anos, a população poderá atingir mais de 1,5 milhão de habitantes, exigindo mais das administrações municipais e dos órgãos públicos em geral. A mobilidade urbana, hoje sem alternativa por falta de política pública capaz de atender às necessidades dos trabalhadores que passam a maior parte do tempo em deslocamento não só para os bairros distantes como também para os municípios vizinhos, está longe de ser alcançada. Antes conhecidos como “cidades-dormitórios”, acordaram e começaram a planejar zonas especiais de negócios com isenção de taxas e impostos, atraindo para elas grandes empresas prestadoras de serviços e, consequentemente, abrindo o mercado de trabalho nos mais diferentes setores da diversificada economia. No Sul do Estado, as montadoras impulsionam o crescimento. No Norte, Macaé incluída, passando por Rio

das Ostras, Carapebus, Quissamã e Campos. Na região metropolitana do Rio de Janeiro, além das obras exigidas para a realização da Copa do Mundo, aliadas às das Olimpíadas de 2016, alavancam celeremente os investimentos, considerando ainda que o Comperj, em Itaboraí, está levando o município de Maricá a implantar um porto estimado em R$ 5 bilhões e, fazendo o dever de casa de como deve ser bem administrado, já planejou a estratégia de mobilidade urbana com VLT e criação de uma Companhia Municipal de Transportes. Há cerca de oito anos, o sonho de duplicação da Rodovia Amaral Peixoto entre Rio das Ostras e Macaé, promessa dos governos do Estado, das prefeituras de Macaé e também do município vizinho de Rio das Ostras que se tornou preferencial para residir e trabalhar por oferecer melhor qualidade de vida, não saiu do papel, mesmo a Petrobras coordenando o PRODESMAR, criado com esse objetivo. Enquanto em Macaé teremos a edificação de vários grandes hotéis e prédios residenciais, está sendo anunciado o lançamento do Alphamondo, a ser construído na área comercial no Alphaville. As incorporadoras InterRio e Morocó, junto com a construtora Sinco Engenharia de São Paulo, desenvolveram o complexo empresarial de hotel e salas comerciais, localizado em um terreno de 23.192 m2 dentro do Alphaville Rio Costa do Sol em Mar do Norte e que será administrado pela Rede Transamérica. O Alpha Mondo, será um mix de Business / Commerce e Hotel com 380 unidades hoteleiras de 22 a 30 m2 sob a administração da Transamerica Executive, 389 unidades comerciais de 24 a 31 m2, 8 lojas de 32/33 m2, e capacidade de estacionamento para cerca de 700 veículos. Agora, imaginem, tudo isso, sem a duplicação da rodovia, o impacto que vai causar. A Firjan sugeriu um convênio intermunicipal para tratar de toda a interligação e ocupação do solo em todas as regiões, mas a classe política, simplesmente, fez ouvido de mercador e, cada vez mais, estaremos longe da tão sonhada mobilidade e qualidade de vida.

***

Jornais do interior Com a massificação da informação através da internet, a chamada grande imprensa - jornais editados e impressos nas capitais dos estados - começaram a passar por uma série de mudanças e, acompanhando as transformações ocorridas em todo o mundo, plantaram a plataforma digital, proporcionando aos leitores de jornais e revistas importantes, o acesso ao conteúdo, também, através de tablets e smartphones, quase em tempo real. Não só os grandes jornais como a televisão e o rádio, continuam o trabalho de manter fiéis os leitores, ouvintes e telespectadores, utilizando o canal das redes sociais. Nasceu daí, a importância da mídia regional. Os jornais do interior, aqueles que circulam em seu território, começaram a ser vistos como alternativas para atingir os objetivos dos anun-

ciantes e, principalmente, da classe política, econômica, social e principal porta-voz dos anseios da comunidade. O DEBATE fez a sua parte e em 2008 concluiu o projeto de modernização de toda sua estrutura, proporcionando a Macaé e aos municípios vizinhos, o que há de melhor em informação. Hoje (10), estará sendo encerrado em Armação dos Búzios, o XIVCongresso da Adjori-RJ e III Encontro Nacional da Adjori/Brasil, que desde sexta-feira é realizado para discutir o futuro da imprensa no interior. Além de figuras políticas importantes, Miguel Angelo Gobbi, presidente da ADJORI-Brasil, aborda o tema: “O Futuro dos Jornais do Interior dos Estados”, com a presença de Fabrício Gonçalves Alves, Secretário de Comunicação Integrada da Secom da Presidência da República.

PONTADA

Geração de empregos na cidade

A reunião que marcou a apresentação do processo de tramitação do porto foi presidida pelo vice-presidente da Comissão Municipal da Firjan, Marcel Reid, com a presença do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, Fernando César Barbosa e do subsecretário municipal de Indústria e Comércio, Rodrigo Romero. Representantes de outras instituições empresariais da cidade também estiveram presentes.

Que um grupo do ex-prefeito Riverton Mussi (PMDB) embarcou na nave de Garotinho (PR), e ele (Riverton), já anuncia sua pré-candidatura a deputado estadual, todos sabem e ele não nega. Que o irmão Adrian Mussi (PMDB), também será candidato à reeleição para deputado federal, também todos sabem. O que muitos não sabem, é o que conversaram o ex-prefeito Riverton Mussi e Dr. Aluízio (PV) num encontro a portas fechadas que durou mais de três horas. Está mal explicada a história dos seguranças que encontraram na bancada da assistência da Câmara Municipal, uma bolsa contendo R$ 70 mil e mais US$ 30 mil, devolvidos com os documentos ao empresário ligado à área de turismo e que trabalha com câmbio. Ele (empresário) participou de uma audiência pública, mas não teve o nome revelado. As informações correm de boca a boca de formas distorcidas. Seria bom o esclarecimento público. Precisa ser esclarecida, afinal, o que é dever da Esane e o dever da Foz do Brasil que são responsáveis pelo sistema de esgotamento sanitário que se implanta na cidade após Parceria-Pública-Privada, conveniado com a prefeitura. Um cidadão chamou a Esane para resolver um problema do esgoto que retorna quando chove e os bueiros entopem. A Esane diz que é com a Foz, que informa, onde há ligação na rede pluvial, é com a Esane. Briga o mar com o rochedo... Já que a preocupação é o transporte de massa, políticos e autoridades devem anotar na agenda. A Confederação Nacional da Indústria - CNI, promove, no dia 13 de novembro, no Windsor Atlântica Hotel, o seminário: “Desafios da Mobilidade Urbana no Brasil”. O debate é de grande importância para o país com o desafio de encontrar soluções. O que estão pensando os especialistas? Como enfrentar os problemas? Mobilidade, gestão, transportes, habitação e qualidade de vida estão na pauta. Até domingo.


4

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Opinião EDITORIAL

FOTO LEGENDA

Futuro ameaçado

KANÁ MANHÃES

Um dos principais alvos do conceito de compensação, defendido pela Constituição Federal, utilizado nas definições políticas para a distribuição das riquezas que ainda são alvo de disputa política entre as regiões mais importantes do país, o meio ambiente está longe de ser beneficiado pelos recursos gerados pela exploração e produção de petróleo na Bacia de Campos.

A

pesar de há muito tempo não sofrer impactos devastadores de erros de cálculos e previsões relativas à perfuração e extração de petróleo em águas cada vez mais profundas, o meio ambiente é sim o mais prejudicado pela voracidade econômica gerada pela principal atividade financeira do país e do mundo, situação que pode estar ligada a ignorância política e social. Fonte da sobrevivência humana, os recursos naturais, principalmente os hídricos, sofrem com o atraso nos serviços que deveriam ser primordiais na utilização dos royalties do petróleo: o saneamento básico. Diante do jargão político que afirma que “obras sob a terra não rendem votos”, o meio ambiente tenta sobreviver e se recuperar mesmo diante do processo intenso de despejo de lixos, entulhos e esgoto em rios, lagoas, canais, mar e cachoeira, recursos que garantiram à cidade o reconhecimento como Princesinha do Atlântico, apelido não reconhecido pela maior parte das pessoas que foram recebidas de braços abertos por Macaé. Resultado da ganância política pelo poder e por dinheiro, o meio ambiente sofre também com a expansão imobiliária e o

crescimento populacional desenfreado, que avança sobre áreas de preservação ambiental, como o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Espécies da fauna e da flora que pertencem ao ecossistema local por muito tempo foram ignorados, sem contar com qualquer tipo de projeto ou programa de recuperação real, desenvolvido pela iniciativa pública. A ganância pelo poder retirou da população o direito de desfrutar um dos mais belos e importantes recursos hídricos da região, a Lagoa de Imboassica, que ainda recebe diariamente toneladas de esgoto e outros materiais orgânicos produzidos por estabelecimentos comerciais, empresas e residências situados em vários bairros.Que essas ações, assim como os conceitos da sustentabilidade sirvam como um marco de renovação dos conceitos e do posicionamento de todas as pessoas que possam lutar pela preservação das espécies do ecossistema local. Mais que uma questão de herança familiar, a proteção de árvores, animais, da água e da terra é uma responsabilidade que, no futuro não tão distante, pode pesar na sobrevivência da população da região.

ESPAÇO ABERTO Biogás? Em Ribeirão Preto está acontecendo uma experiência muito importante e que as autoridades ligadas aos governos federal e estaduais deveriam prestar bastante atenção.

A

Estação de Tratamento de Esgoto daquela cidade trata de 110 mil m³ de esgoto por dia, removendo 50 toneladas de carga orgânica. Essa carga é utilizada para gerar biogás, mais de 8 mil m³ de gás por dia. O biogás aciona geradores que produzem 1,5 MW de potência através de dois motogeradores, que têm capacidade 752 KW cada. Isso tudo a um custo de apenas R$ 5 milhões. E funciona desde 2011, acumulando um bom tempo de experiência. Considerando que Ribeirão Preto tem uma população de 650 mil pessoas, qualquer um pode ver o enorme potencial energético que tem o que hoje é um grande problema das cidades, o esgoto. Ademais, o despejo orgânico dos esgotos gera o metano de qualquer forma, um gás nocivo ao ambiente, vinte vezes pior que o gás carbônico no que concerne ao aquecimento global. Melhor gerá-lo sob controle e lucrar com isso. No Brasil, há 90 cidades com mais de 300 mil habitantes. Considerando que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) financia tantos empreendimentos arriscados, poderia investir alguns bilhões de reais em projetos similares. Aliás, os próprios estados poderiam organizar e incentivar iniciativas do tipo. No estado de São Paulo há 25 cidades com mais de 300 mil habitantes, totalizando 24 milhões de pessoas. No Rio de Janeiro, são nove cidades, totalizando 11 milhões de habitantes. Já em Minas Gerais, são oito cidades com quase seis milhões de pessoas. São 41 milhões de pessoas, com potencial para gerar, mantendo as proporções com o projeto existente, quase 100 MW.

E o pior disso tudo é que não há novidade nenhuma. Quando eu era criança, há quase quarenta anos atrás, eu já sabia que chineses e indianos geravam biogás do esgoto em suas casas. E por que isso não acontece no país até hoje, tirando algumas iniciativas muito particulares? Não está na hora de senadores, deputados, políticos de um modo geral fazer algo mais contundente? E ainda há mais, agora em novembro, próximo a Ribeirão Preto, em Guatapará, começa a funcionar a primeira usina de biogás de lixo doméstico do interior do Estado. Na cidade é depositado o lixo gerado em 19 cidades da região, em média, 2,5 mil toneladas de lixo doméstico por dia. O gás metano liberado na decomposição do lixo gerará, através de três motogeradores, mais de 4 MW. Para 2016, poderá chegar a 10 MW. O investimento foi de R$ 40 milhões. Assim como as cisternas para o Nordeste brasileiro, deveria haver uma política nacional para esse tipo de iniciativa e por setor. Veja-se o setor agroindustrial, quanto dejeto orgânico não gera às indústrias de laticínios, óleo vegetal, restaurantes, matadouros e abatedouros? Muito biogás que poderia ser produzido localmente para geração própria e da região de energia elétrica ou térmica, e os últimos citados ainda geram sebo, gordura e óleo usado que poderiam tornar-se biodiesel... Mas nada acontece porque as “otoridades” preferem soja de agricultura familiar... Até quando? Mario Eugenio Saturno É Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

Máquinas, pedras, armações de cimento e peças de aço ainda se misturam ao belo cenário de um dos cartões postais de Macaé, a Praia dos Cavaleiros. O andamento das obras de reforma do calçadão da orla, um investimento de mais de R$ 12 milhões, ainda muda a rotina dos moradores e frequentadores de um dos principais points de Macaé. A movimentação do local deve aumentar em função do verão e das festas de fim de ano.

PAINEL Lançamento

Social

Escola

A bancada governista na Câmara de Vereadores tem qualificado parlamentares que se posicionam contra propostas do Executivo como “candidatos a deputado estadual”. Nas últimas semanas, o grupo já “lançou” duas pré-candidaturas, a de Igor Sardinha (PT), assumidamente vereador de oposição, e Amaro Luiz (PSB), que declarou “não ter coleiras”, fazendo referência à sua atuação política em Macaé. Os nomes são ventilados a concorrer a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Desfecho de um caso registrado nesta semana, onde um jovem foi vítima do tráfico de drogas, representa uma parte evidente dos problemas sociais enfrentados por Macaé, ao longo da sua transformação em Capital Nacional do Petróleo. Mais que as ações das autoridades de segurança pública, o caso específico alerta sobre a vulnerabilidade dos jovens perante um jogo onde os entorpecentes acabam sendo a sentença de mortes prematuras. O governo, através da Assistência Social, também tem a sua parcela nesse trabalho.

É destaque no cenário nacional o projeto desenvolvido pelo Sistema Firjan para a implantação, junto a Petrobras e a prefeitura, da Escola Sonda em Macaé. A unidade, que promoverá a formação de profissionais voltados a atividades necessárias a um dos principais procedimentos técnicos para a exploração e produção de petróleo na Bacia de Campos, aguarda apenas a liberação do alvará para a realização das obras, em área situada no Condomínio Industrial Cabiúnas.

Audiência

Solução

Trevo

Na próxima quarta-feira (13), às 19h, a Câmara de Vereadores reunirá no plenário do Palácio Cláudio Moacyr de Azevedo nomes importantes relacionados a elaboração do projeto “Metrô-Macaé”, que resultou na aquisição das duas composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Entre os escalados a participar da Audiência Pública, que será presidida por Maxwell Vaz (PT), estão o ex-prefeito Riverton Mussi (PMDB) e o secretário estadual de Transporte, Júlio Lopes.

Ganha força em Macaé, e apoio político, a criação de um sistema alternativo de transporte público através da operação de vans. Apesar de ser readequado, utilizando termos como “sustentabilidade”, o projeto apresentado à população representa mais um modelo para a Mobilidade Urbana, que precisa ser licitado, seguindo todos os trâmites legais. Porém, ampliar o número de carros, mesmo sendo menores que os ônibus, pode interferir ainda mais no trânsito.

Seguindo o exemplo registrado na BR 101, políticos de Macaé poderiam defender junto ao governo do Estado a elaboração e consolidação de um projeto que garanta a construção de um trevo no acesso entre a Rodovia Amaral Peixoto e a RJ 178, via que liga a Capital do Petróleo aos municípios de Quissamã e Carapebus. Devido a circulação intensa de veículos entre essas cidades, a realização das obras garantiria maior segurança aos motoristas.

Parceria

Empreendedor

Gestão

O governo, em parceria com o Instituto do Câncer, tem trabalhado para desenvolver em Macaé um projeto modelo de atendimento a pacientes oncológicos do município. A parceria consiste em preparar profissionais da saúde para se dedicarem a promover o acompanhamento humanizado de pessoas que precisam de total apoio para combater a enfermidade. O acolhimento da rede municipal também está sendo trabalhada por representantes das duas partes.

O Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico (Fumdec) promove, a partir do dia 25, a Semana do Empreendedor. Para celebrar a data, o órgão promoverá uma série de atividades, entre elas, a divulgação, orientação e incentivo da ampliação do banco de fornecedores da prefeitura, que conta hoje com cerca de 150 cadastrados. O procedimento permitirá às empresas a participação na rodada de negócios, e pregões presenciais, que acontecerão ao decorrer da semana.

A falta de gestão na administração da Rodoviária de Macaé tem gerado uma série de transtornos à população. O descarte de lixo, produzido pelos estabelecimentos comerciais situados no local, ainda é feito sobre a calçada utilizada como ponto de ônibus para moradores da região serrana de Macaé. Devido a falta de espaço dentro do pátio de manobra, ônibus param em ruas paralelas ao terminal, a Vereador Abreu Lima e a Vereador Manoel Braga, o que acaba travando o fluxo de carros em um dos pontos de maior circulação do trânsito da cidade.

EXPEDIENTE

GUIA DO LEITOR

EJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agências de Notícias.

TELEFONES ÚTEIS:

cnpj: 29699.626/0001-10 - Registrado na forma de lei. diretor responsável: Oscar Pires. sede própria: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Macaé - RJ. Confeccionado pelo Sistema de Editoração AICS e CTP (Computer to Plate). Impresso pelo Sistema Offset. circulação: Macaé, Quissamã, Conceição de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu. A direção do O DEBATE não se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em ações ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor. Filiado à ADJORI-RJ - Associação dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e à ABRAJORI - Associação Brasileira de Jornais do Interior. ANJ - Agência Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associação dos Jornais Diários do Interior. Representante: ESSIÊ PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO S/C LTDA. são paulo: R. Abílio Soares, 227/8º andar - Conjunto 81 - CEP: 04005-000 Telefone: (11) 3057-2547 e Fax: (11) 3887-0071 • rio de janeiro: Av. Princesa Isabel, 323 - sala 608 - CEP: 22011-901 - Telefone: (21) 2275-4141 • brasília: SCS Ed. Maristela, sala 610 / DF - CEP: 70308-900 - Telefone: (61) 3034-1745 (61) 3036-8293. tel/fax: (22) 2106-6060, acesse: http://www.odebateon.com.br/, e-mail: odebate@odebateon. com.br, comercial: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215, e-mail: comercial@odebateon.com. br, classificados: E-mail: classificados@odebateon.com.br

POLÍCIA MILITAR: 190 POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL: 191 SAMU - SERV. AS. MED. URGÊNCIA: 192 CORPO DE BOMBEIROS: 193 DEFESA CIVIL: 199 POLÍCIA CIVIL - 123ª DP: 2791-4019 DISQUE-DENÚNCIA (POLÍCIA MILITAR): 2791-5379 DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL (24 HORAS): 2796-8330 DEL. DE POL. FEDERAL (DISQUE DENÚNCIA): 2796-8326 DEL. DE POL. FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO): 2796-8320 DISQUE-DENÚNCIA (CÂMARA DE MACAÉ): 2772-7262 HOSPITAL PÚBLICO MUNICIPAL: 2773-0061 AMPLA: 0800-28-00-120 CEDAE: 2772-5090 PREFEITURA MUNICIPAL: 2791-9008 DELEGACIA DA MULHER: 2772-0620 GUARDA MUNICIPAL: 2773-0440 ILUMINAÇÃO PÚBLICA: 0800-72-77-173 AEROPORTO DE MACAÉ: 2772-0950 CARTÓRIO ELEITORAL 109ª ZONA: 2772-9214 CARTÓRIO ELEITORAL 254ª ZONA: 2772-2256 CORREIOS - SEDE: 2759-2405 AG CORREIOS CENTRO: 2762-7527 TELEGRAMA FONADO: 0800-5700100 SEDEX: 2762-6438 CEG RIO: 0800-28-20-205 RADIO TAXI MACAÉ 27726058 CONSELHO TUTELAR I 2762-0405 / 2796-1108 plantão: 8837-4314 CONSELHO TUTELAR II 2762-9971 / 2762-9179 plantão: 8837-3294 CONSELHO TUTELAR III 2793-4050 / 2793-4044 plantão: 8837-4441


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

5

Polícia Pesca predatória é flagrada no Arquipélago de Santana CRIME AMBIENTAL

Após denúncias, governo através da secretaria de Meio Ambiente, encaminhou ofício à Coordenadoria de Biodiversidade da Marinha do Brasil KANÁ MANHÃES

Bertha Muniz berthamuniz@odebateon.com.br

C

atorze anos após a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) do Arquipélago de Santana, a pesca predatória ainda pode ser observada no local. Na última semana, flagrante de redes de pesca irregularmente instaladas próximo a refúgios e áreas onde tartarugas marinhas e espécies em temporada de defeso, como a sardinha, por exemplo, se alimentam e reproduzem, foram registrados. A secretaria de Meio Ambiente de Macaé também afirmou ter recebido denúncias apontando a pesca irregular. O turismo está sendo prejudicado com a prática criminosa bem como a beleza cênica do local. O Parque Municipal do Arquipélago de Santana (PMAS), distante cerca de 5 km do município de Macaé é composto pelas ilhas: Santana, Francês, Ilhote do Sul e Ponta das Cavalas. Em 1989 foi criada a APA do Arquipélago de Santana, com o objetivo de resguardar o PMAS de impactos potenciais de atividades humanas e a proteção do meio ambiente. O arquipélago é tido por pesquisadores ambientais como local bastante rico em espécies bentônicas, que estão entre os ambientes marinhos

O Arquipélago de Sant'Anna é o único da costa fluminense que possui vestígio de civilização pré-histórica brasileira em ilha mais produtivos do planeta. De acordo com moradores que praticam turismo e a pesca de mergulho no local, vários barcos fazem a pesca irregular da sardinha atualmente, utilizando redes de arrasto de fundo. De acordo com as denúncias, o pescado é vendido em al-

to mar para ser utilizado como isca em plataformas de grande porte. Nem mesmo a unidade da Marinha do Brasil situada na Ilha de Santana, onde oficiais estão de prontidão durante 24 horas, inibe a ação irregular dos pescadores. Após quase sofrer um acidente por conta de uma

SOLUÇÕES

das redes que estão cercando o arquipélago, o macaense Márcio Costa procurou a Capitania dos Portos para relatar a prática irregular que vem ocorrendo no local. “Estava na minha lancha quando, de repente, minha mulher avistou a rede e consegui manobrar. Por pouco

RECADASTRAMENTO WANDERLEY GIL

Estudantes da Escola Sesi-Rio/Macaé foram selecionados entre escolas de todo o Brasil e agora partem para a segunda fase do Desafio na Real

Taxistas e auxiliares devem se apresentar nesta segunda (14) Para isso, profissionais que atuam nesta modalidade precisam se encaminhar à Secretaria de Mobilidade Urbana para apresentar os documentos necessários

Alunos de Macaé criaram aplicativo de celular para ajudar a Polícia e o trânsito Estudantes do Sesi tiveram que identificar problemas sociais e planejar atividades para intervir na realidade a fim de transformá-la Uma solução simples e moderna que promete ajudar a polícia e o trânsito: um aplicativo de celular para possibilitar que população use uma linha direta para fazer denúncias anônimas à Polícia. Esta é a idéia de um grupo de alunos da Escola Sesi Rio/Macaé participantes do projeto Desafio na Real, que tem como objetivo estimular a prática empreendedora entre os alunos do Ensino Médio das Escolas SESI Rio, através da criação de ações concretas que venham a impactar posi-

não fui lançado em uma pedra. A prática além de ilegal põe em risco não só as espécies marítimas, como também a vida dos turistas. Ao retornar para o Iate Clube, encontrei alguns agentes da Capitania dos Portos e informei o ocorrido, mas para minha surpresa, eles disseram

que não poderiam autuar nem multar os pescadores pela pesca predatória e que somente dão conta dos embarques de forma irregular”, disse. Outro turista informou ter procurado os oficiais da Marinha na Ilha de Santana para alertar sobre as redes, mas nenhuma providência foi tomada. “Eles me disseram que estão cansados de ver a prática, mas que não podem fazer nada porque é uma responsabilidade da prefeitura”, relatou o turista que não quis se identificar. O Arquipélago de Sant'Anna é o único da costa fluminense que possui vestígio de civilização pré-histórica brasileira em ilha. A estimativa é que o arquipélago tenha 1.200 anos. As ilhas formam uma área de preservação ambiental e um parque municipal incluídos na Lei Orgânica do município. Por meio de nota, a Prefeitura de Macaé informou que a secretaria de Meio Ambiente já encaminhou ofício à Coordenadoria de Biodiversidade da Marinha do Brasil, órgão competente para atuar nessa área. De acordo com a assessoria do governo, a secretaria de Ambiente aguarda o parecer da Marinha para que possam atuar em conjunto visando coibir a degradação ambiental e proteger os frequentadores das ilhas.

tivamente a escola, o bairro e a cidade onde moram. Para participar do projeto, os alunos tiveram que identificar problemas sociais e planejar atividades para intervir na realidade a fim de transformá-la. O problema encontrado na cidade de Macaé pelo grupo de alunos, Larissa Barcelos, Lidia Alves, Joyce Lima, Gabriel Almeida e Gianlúca Dal Zuffo, foi a dificuldade encontrada pela população em se expor ou se dirigir ao batalhão para efetuar uma denúncia de trânsito junto a Polícia. O aplicativo de celular criado pelos alunos possui um GPS. Para usá-lo basta digitar o número da polícia ¨190¨, acrescentando o número do batalhão mais próximo, como por exemplo, se fosse uma denuncia para o 32°BPM,o número digitado seria ¨19032¨ e assim fazer a

sua denuncia de uma maneira simples e ágil. Os alunos da Escola Sesi-Rio/ Macaé foram selecionados entre escolas de todo o Brasil e agora partem para a segunda fase do Desafio na Real, que acontece na sede do Sistema FIRJAN, no dia 11 de novembro. Caso eles vençam, visitarão várias empresas tecnológicas para aprender mais sobre empreendedorismo.

Os profissionais permissionários do serviço de táxi de Macaé têm até segunda-feira (14) para realizar o recadastramento, que começou a ser feito no dia 14 de outubro. Para isso, motoristas e auxiliares que atuam nesta modalidade de transporte no município precisam se encaminhar à Secretaria de Mobilidade Urbana para apresentar os documentos necessários. Esta é a primeira vez que este levantamento é feito em Macaé e o objetivo deste registro é organizar, coordenar e fiscalizar o serviço de transporte por táxi, ampliando os mecanismos de controle de qualidade do serviço. Para o recadastramento, os taxistas terão que apresen-

tar uma série de documentos. São eles: Carteira de Identidade (cópia autenticada); cartão de inscrição do contribuinte do Ministério da Fazenda CIC (cópia autenticada); Carteira Nacional de Habilitação - categoria B, C OU D (cópia autenticada); quitação com o serviço Militar e Eleitoral (cópia e original); comprovante de inscrição e recolhimentos do INSS (cópia e original); duas fotos tamanho 3 x 4 (atualizadas e coloridas); declaração de domicílio com comprovante (cópia); comprovante de inscrição no cadastro de ISS ou certidão negativa de Débitos Fiscais, ambas do Município de Macaé (original) e declaração formal de que não exerce

atividade incompatível a de condutor do serviço de táxi. Somente o titular poderá realizar o recadastramento. O atendimento é feito no setor de Cadastro e Vistoria que funciona no prédio da Secretaria de Mobilidade Urbana, localizado no Km 4 da Rodovia RJ-168, no bairro Virgem Santa. Não há previsão de prorrogação do prazo para o recadastramento. Os taxistas e auxiliares que não comparecerem à Mobilidade Urbana para fazê-lo, o status das suas permissões será atualizado como “não utilizadas”. Desta forma, as mesmas serão disponibilizadas em futuro lote de novas licitações para a prestação de serviços de táxi do município.


6

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Economia EVENTO

Fumdec organiza eventos para estimular empreendedorismo Fundo Municipal promoverá incentivos para a formação de cadastro de fornecedores da prefeitura e rodada de negócios

KANÁ MANHÃES

Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

B

ase da economia macaense, o empreendedorismo vem sendo estimulado na cidade através de uma série de ações promovidas pelo Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Fumdec) desde o início do ano. Com uma interface direta à gestão municipal, a nova equipe garante avanços que ampliarão ainda mais o alcance através da inauguração da Casa do Empreendedor, instituição que concentrará representantes de vários setores da administração municipal, os quais juntos fomentarão a chegada de novos investimentos no município. Volta a prestação de incentivos ao micro e pequeno empreendedor, ao empreendedor individual e com capacidade de atender também à demanda oriunda do ambiente gerado pela evolução da indústria do petróleo em Macaé, a inauguração da Casa do Empreendedor acontece no próximo dia 26, dentro da programação da Semana Global do Empreendedorismo, promovida pelo Fumdec. “Esse, sem dúvidas, é um dos principais trabalhos desenvolvidos pela nossa equipe neste ano" declarou o presidente do Fumdec. Além do Fumdec, participam também da criação da Casa do Empreendedor as secretarias

› 25/11 - Abertura Oficial da

Semana do Empreendedorismo Macaé › HORÁRIO: 09h |Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 25/11 - Café da Manhã com Empresários › HORÁRIO: 09h30min|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 25/11 - Ação Integrada de Atendimento aos Empreendedores Individuais Formalizados em Macaé › HORÁRIO: 10h30min às 17h|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 Imbetiba - Macaé/RJ › 25/11 - Abertura do Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae Capacitação ao Empresário (1ª Turma) - 1º Dia › HORÁRIO: 18h15min às 22h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - CEP| 27910-362

Terça-feira › 26/11 - Abertura do Programa

“Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae - Capacitação ao Servidor (1ª Turma) - 1º Dia › HORÁRIO: 08h às 18h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - CEP| 27910-362 › 26/11 - Inauguração da Casa do Empreendedor › HORÁRIO:10H |Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor

colunaquestaodejustica@gmail.com

Andrea Meirelles

Mitos e verdades sobre a pensão alimentícia Quando se fala em pensão alimentícia, logo se pensa nos alimentos que o pai pode prestar aos filhos, mas a jurisprudência e a imaginação dos postulantes, já trouxeram para apreciação do judiciário, casos dos mais esdrúxulos, desde a pensão pedida pela amante do falecido marido à viúva, até mesmo a pensão para o cachorro que ficou sob a guarda da ex-mulher. O caso inusitado da pensão para o cachorro aconteceu no Rio Grande do Sul, onde a exmulher permaneceu com a guarda dos cães do casal, já que o ex-marido não tinha local para mantê-los. A mulher ingressou

com uma ação judicial para pedir uma pensão para si e que para o ex-marido retirasse os cães da casa, ou então que fosse autorizada a doá-los. Embora a decisão do juiz tenha indeferido a pensão alimentícia à mulher, deferiu aos cães, o direito de receber 30 kg de ração por mês. No caso da amante que pediu pensão a viúva, a alegação era que se o marido a mantinha em vida, os seus herdeiros ou sucessores deveriam continuar com esta obrigação após a sua morte. Casos bizarros a parte, não existe na lei nenhuma fórmula matemática e absoluta.

O que diz a lei 5.478/1968? Equipe do Fumdec promove eventos para celebrar a Semana do Empreendedor municipais de Fazenda, Meio Ambiente, Obras e Mobilidade Urbana, além da Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e da Junta Comercial. Através da atuação de representantes de setores como a secretaria de Fazenda, do Ambiente, da Câmara Permanente de Gestão (CPG), da Procuradoria Geral do Município, e da sensibilidade do prefeito Dr. Aluízio Júnior (PV), conseguimos desenvolver em Macaé um modelo que garantirá incentivos reais ao empreendedorismo local”, apontou o presidente do Fumdec, Vandré Guimarães. Dentro da programação da Semana do Empreendedor, que será

iniciada no dia 25, o Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico promoverá também o incentivo à ampliação do cadastro dos potenciais fornecedores da prefeitura. “Atualmente possuímos 150 fornecedores cadastrados aptos a participar de processos realizados pela prefeitura”, completou Vandré. Além do cadastro, o Fumdec promoverá também uma Rodada de Negócios, onde os empreendedores e fornecedores cadastrados na prefeitura poderão participar de processos elaborados de acordo com as diretrizes da Lei Geral 123, aprovada pelo Legislativo municipal no ano passado, e regulamentada pelo novo governo,

através da atuação do Fumdec. A normativa estabelece um processo mais simplificado e prioritário a empreendedores enquadrados do sistema de micro, pequeno e individual, em processos realizados pela prefeitura com empenhos até R$ 80 mil. “Estamos trabalhando para garantir aos empreendedores do município incentivos para que possam se fortalecer, gerar empregos e contribuir com o desenvolvimento econômico e social do município. Essas e outras ações serão realizadas pela nossa equipe, dentro de um entendimento firmado junto ao governo que busca ampliar a qualidade de vida da população”, afirmou Vandré.

PROGRAMAÇÃO DA “SEMANA GLOBAL DE EMPREENDEDORISMO”

Segunda-feira

QUESTÃO DE JUSTIÇA

Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 26/11 - Início dos Atendimentos da Casa do Empreendedor › HORÁRIO: 13h |Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 26/11 - Ação Integrada de Atendimento aos Empreendedores Individuais Formalizados em Macaé › HORÁRIO: 09h às 17h |Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 26/11 - Oficinas SEI do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (SEI: Empreender; SEI: Planejar; SEI: Comprar; SEI: Vender; SEI: Controlar Meu Dinheiro; SEI: Unir Forças para Melhorar. › HORÁRIO:15H às 17h|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 26/11 - Palestra “Formalização de Empresas” - Palestrante Dr. Luiz Carlos Duarte - Delegado da 12ª Delegacia da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA › HORÁRIO: 17h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de Treinamento › ENDEREÇO:AVENIDA Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro Macaé/RJ - |CEP 27910-362

› 26/11 - Capacitação ao Empre-

sário Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (1ª Turma) - 2º Dia › HORÁRIO: 18h15min às 22h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - |CEP 27910-362

Quarta-feira

› 27/11 - Capacitação ao Servidor

- Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae (1ª Turma) - 2º Dia › HORÁRIO: 08h às 18h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - CEP| 27910-362 › 27/11 - Oficinas SEI do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (SEI: Empreender; SEI: Planejar; SEI: Comprar; SEI: Vender; SEI: Controlar Meu Dinheiro; SEI: Unir Forças para Melhorar. › HORÁRIO:15H às 17h|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 27/11 - Ação Integrada de Atendimento aos Empreendedores Individuais Formalizados em Macaé › HORÁRIO: 09h às 17h |Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 27/11 - Capacitação ao Empresário - Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (1ª Turma) - 3º Dia › HORÁRIO: 18h15min às 22h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - |CEP 27910-362

Quinta-feira › 28/11 - Capacitação ao Servidor - Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae (1ª Turma) - 3º Dia › HORÁRIO: 08h às 18h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Ja-

neiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - CEP| 27910-362 › 28/11 - Oficinas SEI do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (SEI: Empreender; SEI: Planejar; SEI: Comprar; SEI: Vender; SEI: Controlar Meu Dinheiro; SEI: Unir Forças para Melhorar. › HORÁRIO:15H às 17h|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 28/11 - Capacitação ao Empresário Programa “Compra Mais” do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (1ª Turma) - 4º Dia › HORÁRIO: 18h15min às 22h |Local:Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro - JUCERJA |Sala de TreinamentoEndereço:Avenida Rui Barbosa nº 270 - 4º Andar - Centro - Macaé/RJ - |CEP 27910-362

Sexta-feira › 29/11 - Oficinas SEI do Serviço

Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae (SEI: Empreender; SEI: Planejar; SEI: Comprar; SEI: Vender; SEI: Controlar Meu Dinheiro; SEI: Unir Forças para Melhorar. › HORÁRIO:15H às 17h|Local: FUMDEC | Endereço: Avenida Agenor Caldas nº 261 - Imbetiba - Macaé/RJ › 29/11 -Palestra “Ferramentas para Resolução de Problemas para as Micro e Pequenas Empresas” - Palestrante Sr. Cyro Barretto - Consultor Corporativo › HORÁRIO: 18h |Local: Auditório do SENAI › 29/11 - Coquetel de Encerramento da Semana do Empreendedorismo › HORÁRIO:19H |Local:Auditório do SENAI

O artigo 2º da Lei 5.478/1968 prevê que “o credor, pessoalmente, ou por intermédio de advogado, dirigir-se-á ao juiz competente, qualificando-se, e exporá suas necessidades, provando, apenas o parentesco ou a obrigação de alimentar do devedor, indicando seu nome e sobrenome, residência ou local de trabalho, profissão e naturalidade, quanto ganha aproximadamente ou os recursos de que dispõe.” A simples leitura do artigo citado já demonstra que não há necessidade específica de uma

relação de parentesco, basta que se comprove a obrigação legal de alimentar. Havendo a necessidade do credor, e comprovada à obrigação do devedor, o juiz fixará, inicialmente de forma provisória, e depois de forma definitiva, a pensão alimentícia. Portanto, é um mito imaginar que a pensão alimentícia só pode ser paga pelo pai. Aquele que possuir a guarda da criança, por exemplo, terá o direito de acionar na justiça, tanto o pai, quanto a mãe, os irmãos e até mesmo os avós.

O valor da pensão é sempre igual e em moeda corrente? O valor da pensão levará em conta o padrão de vida dos envolvidos, a necessidade do devedor e a possibilidade do credor. As necessidades do alimentado devem ser supridas, mas nunca de forma a inviabilizar a subsistência do alimentante. Um caso nunca será igual a outro. Normalmente a pensão alimentícia é paga em mo-

eda corrente. Fixado o valor mensal, este deve ser pago pessoalmente, ou através de um depósito em conta ou ainda pelo desconto em folha de pagamento. Contudo, nada impede que o valor da pensão seja fixado em obrigações, como por exemplo, através do pagamento integral da mensalidade escolar, das despesas médicas, etc.

Prisão civil do devedor A lei ainda prevê a possibilidade de prisão civil do devedor, que poderá permanecer preso por até sessenta dias, sendo que a prisão, não o eximirá do pagamento das parcelas que venceram e nem daquelas que ainda irão vencer da pensão alimentícia fixada por sentença. Pode inclusive responder penalmente, já que é considerado crime “deixar, sem justa causa, de prover a subsistência do cônjuge, ou de filho menor de 18 anos ou inapto para o trabalho ou de ascendente inválido ou valetudinário, não lhes proporcionando os recursos necessários ou faltando ao pagamento de pensão alimentícia judicialmente acordada, fixada ou majorada; deixar,

sem justa causa, de socorrer descendente ou ascendente gravemente enfermo”. Podendo acarretar na detenção de um a quatro anos, e a fixação de multa de até dez salários mínimos (artigo 244 do Código Penal). Também incidirá na mesma pena, “quem, sendo solvente, frustra ou ilide, de qualquer modo, inclusive por abandono injustificado de emprego ou função, o pagamento de pensão alimentícia judicialmente acordada, fixada ou majorada” (artigo 244, parágrafo único do Código Penal). Como se vê, não é uma boa ideia optar voluntariamente por ficar desempregado para evitar o pagamento da pensão.

Da possibilidade de modificação do valor da pensão a qualquer tempo A decisão sobre a pensão alimentícia nunca será definitiva, pois nunca transita em julgado por expressa disposição legal (artigo 15 da lei

5478/1968). Pode a qualquer tempo ser revista, bastando para isso, que aconteça uma modificação na situação financeira dos interessados.

Quando cessa o direito a pensão? É um erro pensar que a pensão cessa automaticamente quando o filho completa 18 anos. Comprovada a necessidade, a pensão poderá continuar, por exemplo, até o término de sua faculdade. Ou pode continuar de forma vitalícia, no caso deste possuir necessidades especiais.

O que se deve sempre levar em conta é o bom senso, de forma a nunca se permitir, o desamparo de uma pessoa necessitada. Ou então, que uma pessoa venha a se beneficiar ilicitamente de outra. Nesta disputa, não deve haver vencedores, pois o melhor resultado é sempre o empate.


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Esporte

7


8

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

Geral

NOTA

Brasil sobe em ranking de inglês, mas proficiência no país ainda é baixa

KANÁ MANHÃES

CURSO SUPERIOR

Candidatos à Faculdade Salesiana fazem prova neste domingo A avaliação será composta de 30 questões objetivas - 20 de conhecimentos gerais e 10 de matemática e uma redação

C Previsão é de que a obra seja concluída em 22 de janeiro de 2014

EXPECTATIVA

No próximo ano Macaé passará a contar com mais uma escola De acordo com a Prefeitura, a previsão é de que a obra esteja concluída para receber turmas do Ensino Fundamental no ano de 2014 Juliane Reis juliane@odebateon.com.br

A

o que tudo indica, a partir do próximo ano Macaé passará a contar com mais uma unidade de ensino. A previsão, segundo a Prefeitura, é de que a obra de adequação do prédio que fica próximo ao Rodando Legal, no São José do Barreto seja concluída em 22 de janeiro de 2014 para receber turmas do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) no início do próximo ano letivo. Orçada em R$ 2.344,347,83, a obra teve início em 22 de julho de 2012. Segundo a Prefeitura, a ação vem ao encontro do compromisso

do governo municipal em ampliar o número de escolas no município, diminuindo o deslocamento dos alunos de casa até a escola. Com o funcionamento desta unidade serão beneficiados alunos moradores do Barreto, Lagomar, Engenho da Praia e Cabiúnas. A Prefeitura lembra ainda que somente este ano foram somadas ao quadro da Educação cinco novas escolas. Só em julho, em meio ao aniversário de 200 anos da cidade foram entregues quatro obras deixadas inacabadas pelo governo anterior. As unidades contemplaram os moradores dos bairros Cajueiros, São José do Barreto, Vila Badejo e Horto.

Com essas inaugurações o município que contava com 105 escolas passou a contar com 109. Na época dessas inaugurações a Prefeitura disse também que o foco da gestão é trabalhar para que Macaé seja uma cidade melhor e somente se avança verdadeiramente por meio da Educação, por isso a prioridade é fazer com que os estudantes recebam uma Educação que ofereça cada vez mais qualidade e uma formação que os prepare para a busca de oportunidades e para o exercício da cidadania. Ao todo são, aproximadamente, 35 mil alunos da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio matriculados na rede.

andidatos à Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora FSMA participam neste domingo do processo seletivo visando o ingresso na instituição no próximo ano letivo. Os candidatos vão disputar as vagas oferecidas para os cursos de Administração, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Psicologia, Engenharia da Computação, Engenharia Ambiental, Engenharia Química e Engenharia de Produção com ênfase em Engenharia de Instalações no Mar. A avaliação será composta de 30 questões objetivas

- 20 de conhecimentos gerais e 10 de matemática - e uma redação. O resultado será divulgado no dia 14 de novembro. No ato da prova, é necessário apresentar um documento de identificação oficial com foto, o comprovante de pagamento da taxa de inscrição e o cartão de confirmação, que poderá ser impresso no site. Todos os cursos estão condicionados ao mínimo de 25 alunos para a abertura de turma e as aulas são realizadas em período noturno, no horário das 18h20 às 22h30. Ainda segundo o órgão, os alunos transferidos ou que já possuem curso superior (reingresso) têm 20%

de desconto sobre o valor da mensalidade e não precisam fazer vestibular, uma vez que já o fizeram anteriormente. Recentemente o curso de Jornalismo oferecido pela instituição recebeu nota 4 no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - Enade. Com essa nota a graduação ficou entre as melhores do país, inclusive, de acordo com o setor de imprensa da instituição com nota superior a muitas universidades públicas e particulares de renome. Já o curso de Publicidade e Propaganda (PP) recebeu nota 3, ou seja, atende o referencial de qualidade requerido pelo órgão. KANÁ MANHÃES

Prova será aplicada às 9h e o resultado está previsto para o dia 14 de novembro


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

9


10

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

PROCESSO SELETIVO

Faculdade Salesiana oferece vagas para professores Inscrições começam nesta segunda-feira e podem ser feitas até o próximo dia 25 WANDERLEY GIL

Juliane Reis / Assessoria juliane@odebateon.com.br

I

nteressados em lecionar na Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora de Macaé - FSMA devem ficar atentos. A instituição de ensino superior está com inscrições abertas para processo seletivo de professores. As inscrições começam nesta segunda-feira (11) e podem ser feitas até o próximo dia 25 deste mês. Para se inscrever, o interessado deve enviar um e-mail com o Currículo Lattes atualizado para engcomp@salesianamacae.edu.br. É necessário informar, no corpo do e-mail, quais as disciplinas pretendidas, telefone e e-mail de contato. O edital completo está disponível em www.fsma.edu.br As vagas oferecidas são para as disciplinas de Programação de Microcontroladores e Microprocessadores, Auditoria e Segurança de redes, Inteligência Artificial, Física, Jogos de Negócios, Fundamentos de Economia, Gestão de Pessoas, Marketing Avançado, Pesquisa Instrumental, Administração Financeira e Orçamentária, Cálculo Vetorial e Geometria Analítica Plana e Resistência dos Materiais. O processo seletivo será realizado por meio de entrevista e a prova de aula que serão marcadas a partir do dia 27 de novembro. Para concorrer às vagas, o candidato deve ter qualificação compatível com a disciplina pleiteada - preferencialmente mestrado ou doutorado - e disponibilidade para o horário das aulas já definido pela instituição. Os cursos são noturnos e as aulas ministradas

OPORTUNIDADE

Cederj vai abrir inscrição para seleção de tutores Edital estará disponível a partir desta segundafeira em http://cederj. edu.br/fundacao A Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro / Fundação Cecierj, Consórcio Cederj vai abrir inscrição para concurso visando à seleção de tutores presenciais e a distância. A iniciativa visa suprir as demandas dos cursos de graduação do Consórcio Cederj no ano de 2014. De acordo com o órgão, serão disponibilizadas vagas para preenchimento imediato e para cadastro de reserva. E

as vagas para cadastro de reserva poderão ser convocadas em tempo breve, considerando a mobilidade de tutores no mês de janeiro. O edital completo referente ao processo seletivo estará disponível a partir desta segunda-feira (11) em http:// cederj.edu.br/fundacao. O Consórcio Cederj tem como objetivo oferecer educação superior a distância (EAD), gratuita e de qualidade, assim como promover a divulgação científica; proporcionar a formação continuada de professores do ensino fundamental, médio e superior; e promover a expansão e interiorização do ensino gratuito e de qualidade no Estado. WANDERLEY GIL

A seleção visa preencher as vagas em aberto e formar um cadastro reserva e os aprovados vão lecionar na instituição no turno da noite no horário das 18h20 às 22h30. A seleção visa preencher as vagas em aberto e formar um cadastro reserva. A seleção será conduzida por uma banca examinadora, que utilizará quatro instrumentos de avaliação: análise de currículo, entrevista individual, análise do plano de aula e prova didática. Os candidatos poderão se inscrever em mais de uma disciplina, desde que apresentem qualificação para tal. A preferência é para aqueles que dominem maior número de assuntos e residam

em Macaé. De acordo com o setor de imprensa da instituição, o plano de aula deverá ser elaborado baseado na ementa da disciplina desejada, que será enviada por e-mail no ato do agendamento da prova didática. A aula teste terá duração de 20 minutos e o tema será informado juntamente com o envio da ementa solicitada. Já o resultado final será obtido pela média das quatro avaliações. A entrevista, a análise do plano de aula e a prova didática serão realizadas si-

multaneamente. Já a análise de currículo obedecerá aos seguintes critérios: titulação, publicações científicas em revistas indexadas ou apresentação de trabalhos em congressos de caráter acadêmico/científico nos três últimos anos, experiência docente e experiência profissional. E os aprovados deverão apresentar toda a documentação comprobatória das informações mencionadas no currículo. Na impossibilidade de comprovação, a contratação não será realizada.

Em Macaé, as atividades referentes ao Cederj são realizadas no IFF


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

11

BAIRROS EM DEBATE Praia Campista

Parte baixa da Praia Campista ainda sofre com problemas de infraestrutura Entre as reclamações estão os alagamentos, falta de sinalização e o Parque da Cidade FOTOS KANÁ MANHÃES

Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

“A

s diferenças não precisam significar divergências”. A Praia Campista é um bairro que se divide em duas partes: a beneficiada pelas obras de infraestrutura (alta) e a que acumula todos os problemas possíveis (baixa). Por ser cortada pela Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), a sensação que dá é de que são dois lugares diferentes, mas na verdade são a mesma coisa. Considerado um dos maiores bairros de Macaé, a Praia Campista é conhecida por sua característica residencial e de paisagens urbanas como o Terminal da Petrobras e o Farol Velho. Localizado entre a Ponta de Imbetiba e a Praia dos Cavaleiros, possui cerca de três mil metros de extensão de mar propício ao banho e tem esse nome devido à forte presen-

Entre as melhorias mais aguardadas está a recuperação do Parque da Cidade ça dos veranistas oriundos da cidade de Campos. Mas a Praia Campista está

longe de ser somente isto. Assim como todo grande bairro, passa por problemas que vêm

desagradando em geral seus moradores. Passa o tempo e as reclamações são as mesmas.

No topo da lista de reclamações os constantes alagamentos, o abandono do Parque da Cida-

de, assaltos e terrenos baldios, que acabam virando verdadeiros lixões a céu aberto.

Parque da Cidade lidera lista de reclamações inaugurado em 2005, o Parque da Cidade tinha tudo para ser uma ótima opção de lazer para os moradores da Praia Campista e do entorno, mas, infelizmente, hoje ele é sinônimo de abandono, consequência de anos de descaso do poder público. Esse ano, a prefeitura chegou a realizar alguns eventos no local, visando devolver a área para a população, porém muita coisa ainda precisa ser feita para que esse espaço seja de fato revitalizado. Algumas áreas já recuperadas voltaram a ser alvo de vândalos. “Dizem que esse ano o encontro de motociclistas será realizado aqui, só não sei como isso será feito. Está tudo abandonado, quebrado, sujo e pichado. Eu teria vergonha de receber pessoas do país inteiro em um espaço desses”, relata Roberta Lima. Ao todo, são 75 mil metros quadrados adquiridos pela adminis-

tração municipal e, na ocasião, foi reestruturado para receber a população macaense em busca de diversão e da prática de esportes. No parque, há uma grande variedade de opções para o lazer que, em sua maioria, estão depredados ou em péssimo estado de conservação. Ao visitar o local, foi possível encontrar um lago, que hoje é um grande foco de contaminação de dengue. Durante a visita da equipe de Bairros em Debate ao local, foi encontrada uma grande quantidade de água parada, o que pode vir a se tornar um criadouro do mosquito Aedes Aegypti. Além disso, uma concha acústica para eventos, mesas para jogos, brinquedos, ciclovia, quadra de vôlei e praça de ginástica encontram-se totalmente abandonados. Oito anos após a inauguração do parque, o cenário que deveria conter melhorias e aumento da deman-

da de frequentadores é outro: poucas pessoas utilizam a área por falta de segurança ou por problemas na manutenção dos brinquedos. A população se encontra frustrada, já que o espaço, além de totalmente inabitável, agora conta com a presença de vândalos e usuários de drogas que se instalaram no local. Segundo a prefeitura, o projeto de revitalização do Parque da Cidade está em estudos e iniciativas como o Festival de Rock, Festival de Cultura Urbana, Plantio de Mudas, Apresentação de Orquestras, entre outros eventos realizados no parque, contribuem para o bom funcionamento do local. Além das diversas programações culturais, a Guarda Municipal instalou uma base operacional piloto no local, uma antiga reivindicação da associação de moradores. 90% do número de ocorrências diminuíram após a adoção dessa medida.

Outra praça do bairro também sofre com abandono

Brinquedo foi retirado há dois anos e até hoje não foi recolocado

a poucas quadras do Parque da Cidade, outra área de lazer também aguarda melhorias. Apesar de estar em situação menos crítica, a praça localizada na rua Otávio Laurindo de Azevedo tem deixado os moradores insatisfeitos. Segundo eles, o parquinho

Moradores sofrem com alagamentos outro fato recorrente no bairro são os alagamentos que enchem as casas toda vez que chove na cidade. Os moradores relatam que a água fica na altura da cintura e invade as moradias, trazendo prejuízos e transtornos. Uma das ruas mais críticas é a Otávio Laurindo de Azevedo, que apresenta mais de quatro pontos de alagamentos. “Tem alguns pontos que são certos alagar toda vez que chove. A rua tem subidas e descidas, o que forma uns vales, acumulando água. Aqui precisa ter um sistema de macrodrenagem. A água invade algumas casas, gerando prejuízos para os moradores. Sair de casas nesses dias só de barco, porque o acesso fica muito limitado”, lamenta Gabriel Prado. A prefeitura explica que este assunto tem sido alvo da ação de uma força tarefa que vem atuando em toda a cidade, inclusive na Praia Campista. A coordenação é da Empresa Pública de Saneamento (Esane), que vem realizando a limpeza das galerias de águas pluviais.

Entre os problemas estão placas de mármore roubadas e brinquedos quebrados

Alagamentos ainda geram transtornos para os moradores em dias de chuva Além da Esane, esse trabalho envolve ainda as secretarias de Limpeza Urbana, Obras e Mobilidade Urbana e atua de maneira contínua, para manter as galerias de águas pluviais, seus ramais, bueiros, canais e córregos, sempre limpos para minimizar o impacto das chuvas. Essas ações foram planejadas a partir de um mapeamento dis-

ponibilizado pela Defesa Civil dos locais de alagamento e enchentes que sempre ocorrem no município em ocasião de chuvas mais fortes. Essas informações possibilitam que a força tarefa priorize os pontos onde os alagamentos são constantes, visando à limpeza e à desobstrução das galerias desses locais antes do período das chuvas.

que existia no local foi retirado há mais de dois anos. “Tiraram o brinquedo, que estava em péssimas condições, porém não colocaram de volta. Ficou um espaço vazio, e as crianças sem opção para brincar. A quadra também precisa trocar os alambrados, que es-

tão arrebentados. São pequenas coisas, que quando juntas viram um problema grande”, explica Luciane Reis. De acordo com o governo municipal, essa área será contemplada dentro do projeto de revitalização do Parque da Cidade.

População pede redutor de velocidade próximo à escola apesar de ter ruas tranquilas, alguns motoristas abusam do limite de velocidade, colocando em risco a vida das outras pessoas. Um desses exemplos fica na esquina da rua Professor Gusmão, onde está localizado o Colégio Estadual Municipalizado Coquinho. De acordo com os moradores, os motoristas correm pela via, que registra grande movimentação de estudantes, que correm o risco de serem atropelados por conta da imprudência de algumas pessoas. Outro ponto crítico é a esquina das ruas Vereador Cenízio Vieira com a Professor Gusmão, onde há uma semana um caminhão colidiu com um motoqueiro. Segundo relato do motorista, ele estava trafegando pela preferencial, quando foi surpreendido pela moto em alta velocidade no cruzamento. A prefeitura esclarece que, por meio de um estudo, foi diagnosticado que diversos bairros

necessitam dos redutores, incluindo a Praia Campita, que receberá o equipamento após a realização dos processos legais já em andamento. De acordo com o Art. 220 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), “deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma

compatível com a segurança do trânsito nas proximidades de escolas, hospitais, estações de embarque e desembarque de passageiros ou onde haja intensa movimentação de pedestres” é considerado uma infração gravíssima. O infrator pode sofrer a penalidade de multa.

Sem sinalização, acidentes são frequentes nas ruas do bairro


12

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

MEIO AMBIENTE

Ainda há tempo para ser sustentável?

DIVULGAÇÃO

Novo relatório do Worldwatch Institute reúne as opiniões e os caminhos apontados por alguns dos maiores pensadores mundiais sobre sustentabilidade Martinho Santafé

A

sustentabilidade ainda é possível? Existe alguma forma de ampliar a discussão sobre essa palavra tão distorcida atualmente, usada muitas vezes para adjetivar práticas que não têm nada (ou bem pouco) de sustentáveis? Esses são alguns dos principais questionamentos do relatório Estado do Mundo 2013 - a sustentabilidade ainda é possível? que foi lançado em São Paulo semana passada pelo Worldwatch Institute Brasil (WWI). O documento, que é publicado pelo WWI anualmente desde 1984, reúne uma coletânea de artigos de renomados pesquisadores e líderes do campo da sustentabilidade, como Pavan Sukhdev, Annie Leonard e Robert Engelman. “Vivemos

hoje na era do blablablá da sustentabilidade, uma profusão cacofônica de usos da palavra sustentável para se referir a qualquer coisa entre ‘melhor para o meio ambiente’ e ‘descolado’. Hoje, o termo sustentável é com frequência adotado por empresas em um comportamento frequentemente denominado greenwashing”, critica Engelman no artigo “Além do blablablá da sustentabilidade”. “Também precisamos preparar a esfera social para um futuro que pode oferecer dificuldades e desafios além dos que quaisquer seres humanos já experimentaram anteriormente”, acrescenta Robert Engelman, presidente do WWI. Para ele, o uso excessivo das palavras sustentável e sustentabilidade perde sentido e impacto. “Nos leva à crença

sonhadora de que todos nós e tudo o que fazemos, compramos e usamos - somos capazes de durar para sempre, mundo sem fim, amém. Dificilmente esta é a realidade”, ressalta. Para Engelman, precisamos “desesperadamente” - e já “estamos ficando sem tempo” - aprender a mudar nossa direção rumo à segurança para nós, nossos descendentes e para as outras espécies que são nossas únicas companheiras conhecidas no universo. “E, enquanto enfrentamos essas difíceis tarefas, também precisamos preparar a esfera social para um futuro que pode oferecer dificuldades e desafios além dos que quaisquer seres humanos já experimentaram anteriormente. Podemos ter nisto, pelo menos, alguma esperança”, projeta o presidente do WWI.

Limites já ultrapassados Já a professora do Instituto de Mudanças Climáticas da Universidade de Oxford, Kate Raworth, destaca no documento que o bem-estar humano depende de mantermos o uso total de recursos abaixo das fronteiras críticas. “Mas ele depende igualmente do direito de cada pessoa aos recursos de que necessita para levar uma vida digna e com oportunidades”, pondera a também pesquisadora-sênior na Oxfam. Ela lembra que a maior fonte de

pressão sobre os limites planetários são os níveis excessivos de consumo dos 10% mais ricos da população mundial, que controlam 57% da renda do planeta. “Somente 11% da população global geram aproximadamente metade das emissões de CO2“, acrescenta. O economista Pavan Sukhdev, por sua vez, defende que as corporações possam de fato competir à base de inovação, conservação de recursos e satisfação das demandas de múl-

tiplos públicos de interesse - em vez de na base de quem melhor consegue influenciar a regulação governamental, evitar impostos e obter subsídios para atividades nocivas, otimizando o retorno aos acionistas. “Este novo modelo pode ser chamado Corporação 2020, porque o ritmo em que nos aproximamos dos limites planetários sugere que 2020 é a data na qual este modelo precisará estar funcionando, para que não ultrapassemos os limites”, alerta.

Amazônia será maior afetada

Mais pessoas, menos recursos Nas últimas duas décadas, o planeta ganhou 1,6 bilhão de novos habitantes. Até 2030, a estimativa é que 3 bilhões de pessoas entrarão na classe média. A consequência imediata desta ascensão social é o crescimento do consumo, da produção agropecuária e um inchaço ainda maior da população das grandes cidades. E os limites planetários, que já foram ultrapassados há algum tempo, serão ainda mais pressionados. Compilados em um extenso e detalhado relatório, artigos de 17 grandes autoridades internacionais sobre o tema discorrem sobre o panorama atual da humanidade e o imediatismo necessário para reverter a situação. Estado do Mundo 2013 - A Sustentabilidade Ainda é Possível? é a 30ª edição elaborada pelo Worldwatch Institute (WWI), que ganhou versão em português, lançada esta semana, em São Paulo, graças à parceria com o Instituto Akatu.

O documento - já disponível em PDF no site da instituição tem 243 páginas e reúne textos de Carl Folke, Annie Leonard, Robert Costanza, Pavan Sukhdev e Tim Jackson, entre tantos outros nomes de peso nesse debate. Sukhdev e Jackson são autores de livros lançados pelo selo Planeta Sustentável: o primeiro escreveu Corporação 2020 e o segundo esteve pessoalmente em setembro no Brasil para lançar Prosperidade Sem Crescimento. Para responder à pergunta "a sustentabilidade ainda é possível? ", o relatório do WWI foi dividido em três seções. A primeira delas - A métrica da sustentabilidade - é dedicada ao uso abusivo dos recursos do planeta e traz como referência um conjunto de métricas já utilizadas em certos países. Na segunda seção, intitulada Chegando à Verdadeira Sustentabilidade, os autores defendem ações, políticas e mudanças comportamentais e institucionais necessárias para

a economia sustentável. Pavan Sukhdev é um dos que falam sobre o tema, no artigo Transformando a Corporação num Vetor de Sustentabilidade. O economista afirma que o fracasso dos esforços intergovernamentais aponta para a necessidade de reconhecimento do papel vital que o setor privado tem em determinar o direcionamento econômico e o uso de recursos em escala global. "O mundo corporativo precisa ser trazido à mesa de negociações como administrador do planeta", diz. Na última parte de Estado do Mundo 2013 - Abra em Caso de Emergência -, como o próprio título já revela, especialistas falam sobre como enfrentar os problemas provocados pelas mudanças climáticas, caso a transição para uma economia sustentável não seja feita a tempo. Discutemse iniciativas e estratégias para mitigar as migrações do clima e fortalecer a resiliência das populações.

Crescimento com bem estar Durante o lançamento do novo relatório do WWI, o sociólogo da Faculdade de Economia da USP, Ricardo Abramovay - primeiro autor do selo Planeta Sustentavel com o livro Muito Além da Economia Verde -, o diretor do WWI-Brasil, Eduardo Athayde, e o diretor-presidente do Instituto Akatu, Helio Mattar debateram a respeito dos principais assuntos levantados pela publicação. Para Athayde, já existe base

científica para o desenvolvimento sustentável, o que ainda falta é colocar em prática métricas. Ele também concorda que é preciso rever o papel das corporações e o Brasil tem protagonismo importantíssimo na nova realidade. "Já somos a 7ª economia do mundo e temos ativos ambientais enormes", disse o diretor do WWI-Brasil. Abramovay defendeu o crescimento econômico tendo como única finalidade o bem

estar da sociedade. O sociólogo prega a chamada economia partilhada. "O uso partilhado substitui o privado. É a supressão do indivual para que o coletivo exista", afirmou. Mattar, do Akatu, ressaltou como o indivíduo pode ter função transformadora na sociedade através do consumo consciente. "Ele não está sozinho, é exemplo para o grupo e tem o poder de mudar e estimular hábitos ao seu redor", completou.

Novo estudo publicado pela revista PNAS, da Academia Nacional de Ciências dos EUA, alerta que a vegetação do sul da Amazônia tem um risco maior de mortalidade por causa da seca do que avalia o mais recente relatório de mudanças climáticas da ONU. A s m e d i ç õ e s d e c h u va apontam que, desde 1979, a estação seca amazônica tem aumentado em uma semana por década, enquanto a temporada de queimadas também tem se estendido. O trabalho de Rong Fu, da Universidade do Texas, e sua equipe, contrasta fortemente com as previsões do painel climático da ONU, o IPCC, que considera que a estação

seca na floresta amazônica deverá estar no máximo 10 dias mais longa até o fim do século, mesmo nos cenários mais negativos. Segundo Fu, a duração da estação de seca é o mais importante fator de controle da floresta. “Se ela for muito longa, a floresta não sobrevive”, alerta o pesquisador. A estação de seca é importante porque o solo amazônico tem capacidade limitada de absorver água durante o período de chuvas, ou seja, a floresta tem um máximo de umidade de que disporá durante a estiagem. Os autores acreditam que a mudança climática causada pelo homem é a explicação

mais provável para o aumento da estação seca na Amazônia, pois bloqueia a chegada de frentes frias subtropicais, que poderiam estimular a precipitação sobre a floresta, e, além disso, dificulta que o ar quente e seco próximo ao solo se misturar com massa frias e úmidas mais altas. A Amazônia, em geral, costuma absorver carbono da atmosfera. No entanto, quando passa pro secas muito prolongadas, pode se tornar um ecossistema que libera carbono, contribuindo para o aquecimento global. Os pesquisadores alertam que, com o aumento das estações secas, esse processo pode se tornar norma, em vez de se exceção.


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

13

PREVENÇÃO

Campanha "Novembro Azul" acontece durante todo o mês de novembro Com o objetivo de alertar os homens sobre o câncer de próstata, foi lançada a campanha "Novembro Azul" KANÁ MANHÃES

Tamara Lima tamara@odebateon.com.br

O

câncer de próstata é a segunda doença que mais atinge os homens em todo o mundo, perdendo apenas para o câncer de pele. No Brasil, foi lançada a Campanha “Novembro Azul”, com o objetivo de alertar sobre a doença. Os governantes das esferas públicas estadual e federal aderiram ao movimento. Os locais escolhidos estão iluminados com a cor azul, durante todo o mês. A idealização é da senadora Ana Amélia Lemos (PP) e da deputada federal, Rose de Freitas (PMDB). Em Macaé, nossa equipe de reportagem conversou com o conceituado médico oncológico, Dr. Sávio Rangel Mussi Rocha, para esclarecer a realidade deste tipo de câncer. Dr. Sávio Mussi é coordenador da implantação da Política de Atenção Oncológica Municipal e diretor administrativo do Hospital São João Batista. Ele informou que no Brasil, no ano de 2012, foram estimados 60.180 casos novos de câncer da próstata. “Esses números correspondem a um risco estimado de 62 casos novos a cada 100 mil homens”, disse o médico.

Dr. Sávio Rangel Mussi Rocha esclarece as dúvidas sobre o câncer de próstata Ele pontuou que o único fator de risco para o desenvolvimento do câncer da próstata é a idade. “Aproximadamente 62% dos

casos de câncer da próstata diagnosticados no mundo, atacam homens com 65 anos ou acima desta idade", destacou. Além disso, também são con-

siderados os fatores de risco: a raça/etnia e a história familiar do pai e do irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos de idade, que pode aumentar

o risco de três a 10 vezes em relação à população em geral e, podendo refletir tanto características herdadas quanto estilos de vida compartilhados

entre os membros da família. Este tipo de câncer também é aproximadamente 1,6 vezes mais comum em homens negros do que em homens brancos. Dr. Sávio explicou as justificativas que norteiam a detecção precoce do câncer da próstata, assim como de qualquer outra topografia, é que quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura, porém, com o câncer de próstata, pode-se reduzir os altos custos decorrentes do tratamento do câncer nos homens com estados avançados. “Um dos maiores desafios à detecção precoce deste câncer é a falta de conhecimentos sobre a sua história natural”, destacou Dr. Sávio. A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas da doença são: dor lombar, problemas de ereção, dor na bacia ou joelhos e sangramento pela uretra podem ser suspeitos. Caso haja suspeita, os exames indicados são toque retal e dosagem de uma proteína do sangue (PSA) através de exame de sangue.

NATAL

Começa movimento na expectativa para o Natal CRÉDITO

O comércio já está oferecendo aos consumidores uma farta variedade de presentes da data natalina Além do comércio se encontrar no clima de Natal, no Calçadão da Avenida Rui Barbosa, que é o principal movimento durante este período, a presidência da Acim (Associação Comercial e Industrial de Macaé) anunciou, que no dia 02 de dezembro, vai promover a quinta edição da “Casa do Papai Noel” . No entanto, o bom velhinho chegará no dia 16 de dezembro, onde permanecerá até o dia 23 de dezembro. Enquanto ele não chega, as crianças poderão visitar o espaço e escrever suas cartinhas. O acontecimento será no Calçadão, em frente à galeria da Acim. “Neste período, a intenção é de trazer o clima de Natal para o comércio, fomentar as vendas e proporcionar momentos de alegrias para as crianças”, disse Evandro Cunha, atual presidente da Acim. Evandro ressaltou que os

pequenos poderão tirar as fotos com o Papai Noel gratuitamente. Na edição do ano passado, a Casa do Papai Noel ACIM fez uma espécie de remontagem

dos anos anteriores. O local teve também um espaço interativo, para as crianças desenharem e escrever suas cartas para o bom velhinho. Apenas na primeira semana

de visitação, a Casa atraiu a atenção de todos que transitaram pelo Calçadão e as crianças ficaram muito felizes com o evento. Denise Cunha disse que leva

As crianças poderão visitar a "Casa do Papai Noel", no dia 2 de dezembro

sua filha desde o lançamento do evento. “Ela está muito ansiosa aguardando a Casa do Papai Noel. Acho muito importante essa realização para a felicida-

de das crianças”, disse. Angélica Ramos também deu a sua opinião. “É uma época muito esperada. Minha família tem muitas crianças e sempre nos reunimos para levá-las ao local. É uma diversão muito grande”, Rômulo Diogo e Cláudia Santos são casados há 12 anos. Dessa união, eles tiveram três filhos. Eles falaram que são proporcionados para as crianças momentos de profundas alegrias, ao lado do “bom velhinho”. Já Sara Ribeiro disse que adora as datas festivas, por causa das confraternizações. “Em uma época de problemas em todo o país: sociais, políticos e econômicos, pessoas de todos os estados brasileiros sempre esperam a época do Natal, porque é um clima diferente, de amor, união e muita felicidade”, pontuou. Felipe Costa revelou que na noite de Natal ele recebeu seu maior presente. “Meu filho nasceu nesta data. Estamos preparando uma grande festa, onde será comemorado seu aniversário e a esperada confraternização deste dia”, disse.

ORÇAMENTO

OP promove reunião com novo delegados Equipe discutirá novas ações além da formação do calendário de plenárias Nesta terça-feira (12), o Orçamento Participativo fará sua primeira reunião com os delegados eleitos para a gestão de 20132015. O encontro acontecerá às 18h30, no Auditório do CEALO - antigo Hotel Ouro Negro, que fica na avenida Presidente Sodré, nº 466, 1º andar. O objetivo desse primeiro contato é apresentar o regimento interno, informes gerais, além de, junto com os 56 eleitos, elaborar um calendário de ações até o final do ano e o envolvimento no O.P. Itinerante. O Coordenador do Orçamento Participativo, Fabrício Paes, ressaltou a importância da presença de todos. “Este momento é importante para nos conhecermos melhor,

KANÁ MANHÃES

Programa é realizado através do trabalho do gabinete do vice-prefeito Danilo Funke (PT)

traçarmos os planos de execução e também entendermos o que cada setor realmente precisa”, finalizou. Com o O.P. Itinerante e a votação pela internet, que entrará no ar esta semana, a população poderá também usar mais estes canais. O vice-prefeito, Danilo Funke, explica os motivos de mais essas chances. “Sabemos que nem todos puderam comparecer às plenárias, por isso decidimos que outras chances deveriam ser dadas. Esperamos que a população colabore e participe mais ativamente das decisões”, disse. O Orçamento Participativo 2013-2015 passou por mudanças e, além das tradicionais plenárias nos setores, a chance de votação pela internet, votação através do O.P. Itinerante são novidades junto com o O.P. Jovem, que tem caráter deliberativo e visa orientar os jovens nas escolas sobre orçamento público.


14

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

CAMPANHA

Educação lança campanha de devolução de livros Previsão é que mais de 95 mil exemplares sejam recuperados, para serem aplicados em 2014

“D

evolver é legal”. Este é o nome da campanha que está acontecendo na rede municipal de ensino com o objetivo de sensibilizar a devolução do livro didático do 2º ao 5º anos de escolaridade. O material deve estar em bom estado para que outros alunos possam utilizá-los no ano letivo de 2014. A expectativa é que de um total de 95.798 livros didáticos haja a devolução de 95% do material. A proposta é que o material didático seja entregue até o dia 18 de dezembro pelos alunos da serra e área central. O governo municipal segue os princípios legais da Fundação Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em relação à utilização adequada, conservação e devolução do livro didático. De acordo com a secretária de Educação, Lúcia Thomaz, a finalidade do ensino municipal é assegurar a prática de ações eficazes, como campanhas de devolução e conscientização da comunidade escolar, que são conduzidas pelo controle social dos programas do FNDE. A ação é coordenada pela subsecretaria de Ensino Fundamental, por meio da equipe do Livro Didático da rede municipal. Confeccionado com uma estrutura física resistente, cada exemplar tem durabilidade prevista de três anos, ou seja, deve ser utilizado por três estudantes em três anos consecutivos. Para o envolvimento da comunidade escolar, a Coordenação do Livro Didático reuniu nesta sexta-feira (8)

SECOM

A equipe pedagógica de Coordenação do Livro Didático está em fase de análise da demanda de livros didáticos os responsáveis, ou seja, os cuidadores do livro didático (que atuam nas bibliotecas e salas de leitura). Com isso, a finalidade é sensibilizar os alunos quanto à importância de preservar o livro escolar e, sobretudo, orientar aos professores e gestores com relação ao seu recolhimento no prazo adequado. Para a equipe da coordenadoria do Livro Didático, esta será uma forma de também

resgatar a cultura de devolução dos livros para que outros alunos sejam beneficiados. “Pretendemos arrecadar o maior número de obras não consumíveis, ou seja, que o aluno não pode escrever para ser reutilizado por outros estudantes em anos posteriores. A expectativa é que todos os professores, pais e alunos se envolvam nesta campanha”, disse a coordenadora, Roze Thomaz.

Com isso, os próprios professores de turmas terão que adotar estratégias pedagógicas em prol da devolução. Entre as ações que poderão ser ministradas estão eventos específicos como “Dia D” da entrega do livro, reunião de pais ou trabalhos de pesquisa. Estas ações devem ser desenvolvidas pelos professores que ficarão responsáveis por entregar o material didático ao dirigente municipal. Diante disso, o

diretor deverá guardar o livro para ser utilizado no próximo ano letivo. Segundo a secretária de Educação, o ensino municipal segue o Programa Nacional do Livro Didático que prevê fundamentos como contribuir no desenvolvimento cultural e intelectual dos alunos e reforçar a qualidade de ensino, levando coletâneas variadas e específicas a cada modalidade.

A devolução dos livros didáticos é obrigatória e está prevista na resolução 42 do FNDE. Antes da entrega, os pais ou responsáveis pelos alunos do Ensino Fundamental assinam um termo de compromisso para garantir a devolução do livro no fim do ano. Quanto aos alunos de Ensino Médio, eles mesmos assinam o termo. Cada unidade municipal deve ter a sua própria política para sensibilizar os estudantes. Novos- Já os alunos do 6º ao 9º anos ganharão novos livros didáticos para o ano letivo de 2014. O material com validade de três anos já está sendo distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) por meio do FNDE. Além disso, também para o ano de 2014, as turmas de 2º ao 5º anos e do Ensino Médio também vão ganhar uma complementação de livros didáticos. A inten��ão é atender a demanda de novos estudantes que estão ingressando na rede municipal. A expectativa é que os novos livros e a complementação cheguem até o início do ano letivo. A equipe pedagógica de Coordenação do Livro Didático está em fase de análise da demanda de livros didáticos para o ano de 2014. O levantamento é baseado no quantitativo de turmas-alunos e livros novos que serão enviados pelo FNDE, além da ação de remanejamento antecipado (ou seja, troca de livros excedentes entre os professores das escolas municipais).

UFF

Reitor anuncia ampliação da UFF em Macaé SECOM

MEC vai liberar mais 23 vagas para docentes com dedicação exclusiva A Universidade Federal Fluminense (UFF) vai expandir e fortalecer a universidade no campus Macaé, na Cidade Universitária, em parceria com a prefeitura, por meio da Fundação Educacional de Macaé (FUNEMAC). A proposta, junto ao Ministério da Educação (MEC), é criar mais dois cursos no município com interseções com Contabilidade, Administração e parte da graduação em Direito. Além disso, o MEC vai liberar mais 23 vagas para docentes com dedicação exclusiva e 28 para técnicoadministrativo da UFF-Macaé. Os anúncios foram feitos pelo reitor da UFF, Roberto de Souza Salles, durante reunião com o vice-presidente da FUNEMAC, Carlos José Mattos de Andrade, e os alunos da

universidade, na noite desta quinta-feira (7), no auditório Professor Cláudio Ulpiano. Segundo ainda o reitor, a

consolidação da UFF-Macaé será definida em reunião entre o vice-reitor, Sidney Mello, e o prefeito Dr. Aluízio, na pró-

xima segunda-feira (11). E, no dia 25, todos os pró-reitores da universidade terão encontro com os alunos e professores

Proposta é ampliar cursos no município e liberar mais 23 vagas para docentes e 28 para técnicoadministrativo

da UFF para ouvir as reivindicações e apresentar as soluções das demandas. - Queremos uma interiori-

zação enraizada da UFF em Macaé. Um dos caminhos é o concurso público que tem de ser local, para o desenvolvimento da universidade no município e região, disse o reitor. Ele informou que, atualmente, existem 29 vagas de docentes no campus, mas dessas, seis estão fora e terão de retornar à UFF-Macaé. A reunião foi aberta para alunos fazerem perguntas e a principal reivindicação deles é a construção do bandejão. O vice-presidente da FUNEMAC explicou que a UFRJ já tem projeto para construir o restaurante universitário que poderá ser compartilhado por todos no campi. O reitor, então, disse que viabilizará junto à UFRJ a contrapartida da UFF para o bandejão. Enquanto isto, será estudada a possibilidade de liberar bolsa alimentação com número limitado de alunos. Eles têm outras reivindicações que serão analisadas com os pró-reitores.

OPERAÇÃO

Fiscalização reduz número de equinos soltos em ruas Objetivos das apreensões são evitar acidentes de trânsito e também proteger a vida de animais Desde o dia 21 de janeiro, quando a Prefeitura passou a fazer rondas semanais por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e também quinzenais com o reforço da equipe do Curral Associado de Itambi, o número de equinos apreendidos por estarem soltos em vias públicas reduziu em mais de oitenta por cento. Enquanto nas primeiras investidas em torno de dez animais eram capturados em cada busca, na sexta-feira (8), o saldo foi de apenas um. Mais de

cento e setenta equinos já foram levados para a sede do Curral em Itaboraí de janeiro até este mês. “A fiscalização efetiva e o trabalho de conscientizar a população estão dando resultado. Os proprietários de animais de grande porte precisam manter seus animais presos para que sejam evitados acidentes e principalmente a perda de vidas humanas. Precisamos da colaboração de todos”, disse o coordenador do CCZ, Ramon Bouças. Na sexta-feira, as equipes do CCZ e do Curral Associado de Itambi percorreram diversas áreas da cidade como as do entorno das Linhas Azul e Verde, da Rodovia Norte e Sul, nas proximidades da Lagoa de Imboassica; do Con-

domínio Boa vista, da Rodovia Amaral Peixoto até o terminal de Cabiúnas, do Morro de São Jorge e do Jardim Vitória. Os objetivos das apreensões são evitar acidentes de trânsito e também proteger a vida de animais de grande porte. Nessa ação atuam cerca de dez homens e são utilizados dois caminhões. Além da intensificação da fiscalização, os gestores do CCZ atribuem a queda deste número ao aumento do custo para resgatar os animais apreendidos. Os animais recolhidos são levados para o Curral Associado de Itambi. Lá eles ficam abrigados por dez dias, onde fazem teste para anemia infecciosa equina (AIE). Os proprietários dos equi-

nos retirados das vias que desejarem recuperá-los devem reclamar sua posse em Itambi, custeando o frete para retornar a Macaé, pagando diária de trinta reais ao abrigo, além de multa, que este mês passou de cento e vinte reais para cento e cinquenta. O Curral tem parceria com a Polícia Militar Rodoviária do Estado do Rio de Janeiro, Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Supervia e com outros sete municípios do estado. Mais informações sobre o resgate dos animais podem ser obtidas no CCZ, localizado na Rua Velho Campos, 1.038, no Centro, ou pelo telefone (22) 2772-6461. Este número é indicado ainda para denúncias de animais soltos.

CRÉDITO

Mais de 170 equinos já foram levados para a sede do Curral em Itaboraí de janeiro até este mês


MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013

IMMT

Dr. Aluízio determina a reestruturação do IMMT Objetivo é contribuir com melhorias na qualidade de vida dos macaenses

O

Instituto Macaé de Metrologia e Tecnologia (IMMT) está passando por uma série de reformas visando recuperar o seu papel de referência na certificação de equipamentos, pesquisas e consultoria. A reestruturação é voltada à cadeia produtiva do petróleo e ações que viabilizem melhorias na qualidade de vida da população macaense. O órgão municipal foi criado em 2001 com foco principal no atendimento à demanda exponencial de calibração e ensaios de instrumentos, além ainda de prover soluções para a garantia da qualidade industrial, com o intuito de manter-se como referência no mercado da região. Macaé, com a instalação do instituto, passou a ser o único município de médio porte no país que possui quatro laboratórios acreditados junto ao Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). O IMMT conta com outros laboratórios modernos, com equipamentos de tecnologia de ponta, técnicos especializados e instalações de padrão internacional. De acordo com Eduardo Neiva, presidente do IMMT, a reestruturação do órgão foi uma solicitação do prefeito Dr. Aluízio, visando à garantia da contribuição do órgão na melhoria da qualidade de vida dos moradores de Macaé. “O prefeito Dr. Aluízio solicitou que reestruturássemos o instituto, para garantir a sua contribuição

DIVULGAÇÃO

15

ECONOMIA

Balança comercial do Rio fecha com superávit Estudo aponta que exportações fluminenses somaram o segundo maior volume do ano: US$ 2 bilhões A balança comercial fluminense fechou setembro com saldo positivo de US$ 583 milhões, segundo mês consecutivo de superávit. As exportações somaram US$ 2 bilhões, o segundo maior volume do ano, enquanto as importações registraram seu menor resultado: US$ 1,4 bilhão. Os dados são da edição de outubro do Rio Exporta, elaborado pelo Centro Internacional de Negócios, do Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). Na comparação com setembro de 2012, no entanto,

tanto as exportações quanto as importações registraram queda, respectivamente, de 6,8% e 24%. A corrente de comércio do estado do Rio (US$ 3,4 bilhões) recuou 15% no mesmo período. Nos primeiros nove meses do ano, o saldo é negativo, de US$ 1,9 bilhão, resultado do crescimento de 8,6% das importações fluminenses, especialmente pela compra de combustíveis e lubrificantes (8,6%) e de bens de capital (14%). No mesmo período, as exportações recuaram 33%, impactadas pelo fraco desempenho dos produtos básicos, especialmente petróleo, já que a indústria Extrativa mineral (US$ 7,9 bilhões) vendeu nos primeiros nove meses do ano apenas 55% do total exportado em 2012. KANÁ MANHÃES

“O prefeito Dr. Aluízio solicitou que reestruturássemos o instituto, para garantir a sua contribuição no processo de melhoria da qualidade de vida na Capital Nacional do Petróleo”, disse Eduardo Neiva no processo de melhoria da qualidade de vida na Capital Nacional do Petróleo”, disse Eduardo Neiva. Com o objetivo de estabelecer uma cooperação técnico-científica com professores pesquisadores, o IMMT formalizou uma parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro

(UFRJ) campus Macaé. A parceria viabilizou a instalação de laboratórios para o desenvolvimento de pesquisas nas áreas biomédicas, de fármacos e medicamentos, de saúde e sociedade, reunindo professores da UFRJ e alunos bolsistas dos cursos de graduação instalados em Macaé.

Ensaio de equipamentos de medição, serviços de análise de água e calibração são outros serviços oferecidos pelo IMMT, o qual foi estrategicamente instalado junto às empresas offshore, objetivando se configurar como instituição científica e tecnológica local na Bacia de Campos.

Indústria offshore se fortalece e contribui com a ampliação da economia no Estado


16

MACAÉ, DOMINGO, 10 E SEGUNDA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2013


Noticiario 10 11 13