Issuu on Google+

DIVULGAÇÃO PM

WANDERLEY GIL

POLÍCIA ELEVA VOLUME DE DROGAS APREENDIDAS

FUNCIONÁRIOS DO DETRAN PENALIZADOS POR CRISE

VEREADORES 'NOVATOS' MARCAM POSIÇÕES

POLÍCIA, PÁG.6

ECONOMIA, PÁG.5

POLÍTICA, PÁG.3

R$ 1,00 Macaé (RJ), quinta-feira 16 de fevereiro de 2017 Ano XLI, Nº 9248 Fundador/Diretor: Oscar Pires

O DEBATE

facebook/odebate twiter/odebate issuu/odebateon

www.odebateon.com.br

DIÁRIO DE MACAÉ

Ciclofaixa causa impacto nas vendas do comércio no Centro Trajeto escolhido pela prefeitura para criar acesso exclusivo de bicicletas acabou com vagas de estacionamento para carros. Medida prejudica também a descarga de materiais que abastecem lojas na Rua Teixeira de Gouveia PÁG. 5 POLÍTICA

GERAL

Impasse de servidores leva Câmara a Sindservi expor caos administrativo em Macaé marca data WANDERLEY GIL

de assembleia extraordinária

Reunião definirá mobilização da categoria do município contra as dívidas do governo O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Macaé (Sindservi) agendou para a próxima terça-feira (21) a assembleia geral extraordinária, que pretende definir a mobilização que promete ser a maior reação da categoria contra a rotina perversa imposta pelo governo 'da mudança'. De acordo com a convocação publicada na edição desta quinta-feira (16) no jornal O DEBATE, a assembleia acontecerá a partir das 17h, horário de encerramento das repartições públicas do município. No entanto, a plenária só irá começar às 17h30, com o início da segunda chamada e avaliação do quórum geral. A reunião acontecerá no auditório da sede do Sindservi, situada na Rua da Igualdada, nº 38, no Centro. Esse será o momento principal para que os servidores do município possam definir o modelo de mobilização contra as dívidas do governo. PÁG. 3 WANDERLEY GIL

Posição do governo sobre funcionalismo público de Macaé e do Estado inaugura debate político no parlamento municipal

D

as dívidas acumuladas junto aos 14 mil servidores efetivos da prefeitura ao compromisso de pagar a dívida do governo do Estado junto aos agentes da segurança pública, o 'caos administrativo' instalado no governo repercutiu ontem na abertura dos trabalhos legislativos em plenário, na Câmara de Vereadores.

O caráter efêmero do pronunciamento do prefeito Dr. Aluízio Júnior (PMDB), que voltou a repetir o discurso pelo fim do clima bélico entre a classe política local, foi substituido pela avaliação, nua e crua, da atual realidade do município, levantada por parlamentares que rejeitaram o rótulo de oposição, ao assumir a postura de independência que

ainda falta ao poder Legislativo da cidade. E, diante da urgência que o tema merecia, vereadores substituiram os discursos de 'boas-vindas' na primeira sessão ordinária do ano, para levantar as dúvidas que pairam sobre a população, até mesmo entre aqueles que defendem as atitudes do governo. Afinal, onde está a crise diante de uma arrecadação de R$ 2,08 bilhões, com quase R$ 70 milhões de excessos de receitas? A incoerência entre o discurso do governo, utilizado para

CIDADE

WANDERLEY GIL

tentar justificar a política de desvalorização dos servidores públicos municipais, e a decisão do prefeito de "emprestar" cerca de R$ 3 milhões para o governo do Estado cobrir dívidas com os agentes de segurança, foi exposta a partir do momento que os vereadores analisaram as condições reais de Macaé ao assumir compromissos que vão além das obrigações relacionadas ao dia a dia dos 240 mil habitantes, deixando de lado responsabilidades constitucionais previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal. PÁG. 3

Câmara abre sessões ordinárias com discursos de oposição e 'fogo amigo' entre governistas

Rose afirmou que reunião definirá mobilização

REGIÃO

ADILSON SANTOS/SECOM

Prefeitura fecha posto e deixa foco de dengue

Quissamã não recebe R$ 800 mil por causa de dívida

Após o Centro de Testagem ser remanejado, imóvel ficou abandonado PÁG. 2

Rombo deixado por governo anterior afeta desempenho fiscal da nova administração PÁG. 7

POLÍCIA

Lagomar e Aeroporto na mira do tráfico Ação da PM desarticula rota de venda de drogas PÁG. 6

Imagens mostram piscina com água suja e parada no Centro GERAL

Comissão da Firjan visita Porto do Açu Conselho empresarial acompanha expansão de operações PÁG. 7

ECONOMIA

"Caixa" registra movimento tranquilo Agências passam a funcionar em novo horário PÁG. 5

CADERNO DOIS

"Concentra mas Não Sai" agita o Carnaval Bloco vai desfilar na cidade neste final de semana PÁG. 11

Prefeitura pode ficar sem receber mais R$ 400 mil

TEMPO

ÍNDICE

Máxima 34º C Mínima 22º C

EDITORIAL

4 CRUZADINHA

C2

PAINEL

4 HORÓSCOPO

C2

GUIA DO LEITOR

4 CINEMA

C2

ESPAÇO ABERTO

4 AGENDA

C2

COTAÇÃO DO DÓLAR

Compra R$ 3,0650 Venda R$ 3,0670

Anuncie: (22) 2106-6060 (215)


2

O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Cidade

NOTA

Reunião decidirá forma do prefeito assumir dívida do Estado

AEDES AEGYPTI

Prédio alugado pela prefeitura vira possível foco de mosquitos Após o Centro de Testagem e Acompanhamento ser remanejado, imóvel desativado ficou abandonado Marianna Fontes

WANDERLEY GIL

marifontes@odebateon.com.br

O

s focos do Aedes aegypti podem estar nos lugares mais inesperados. Qualquer ambiente com o mínimo de água parada pode se transformar em um criadouro para o mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus. Diante disso, o jornal O DEBATE está percorrendo toda a cidade em busca desses possíveis focos. O objetivo é alertar a população sobre o risco de uma epidemia das três doenças, além de cobrar do poder público uma ação maior no combate ao vetor. Apesar de cerca de 80% dos focos estarem dentro dos imóveis, a nossa equipe de reportagem já fez vários flagrantes em espaços externos, inclusive em áreas públicas, onde a prefeitura deveria ser mais atuante. Uma moradora da Rua Velho Campos procurou a nossa equipe de reportagem, nesta semana, para denunciar um possível criadouro no imóvel situado ao lado de sua casa que, antes, era alugado pela prefeitura. Até meados de 2016, funcionava ali o antigo Centro de Testagem e Acompanhamento (DST/ Aids), que foi remanejado para o Jorge Caldas. Desde que foi desativado, os moradores contam que a limpeza do imóvel não foi feita. “Desde agosto, o local está assim. A prefeitura saiu e não limpou, deixando para trás muita sujeira. Isso está se tornando um problema para nós, moradores e comerciantes, porque a piscina, que é o que mais preocupa, está imunda e com água parada há meses. Coincidência ou não, tem dado muito mosquito aqui em casa. Eu fico com medo porque moro com a minha sogra, uma idosa de 80 anos, e que já teve dengue. Fico preocupada também com minhas funcionárias que são gestantes. O poder público fala tanto para os

Imagens feitas na tarde de terça-feira (14) mostram a situação do local seis meses após a desativação

cidadãos tomarem cuidado, mas ele mesmo não está fazendo sua parte”, diz a moradora Evaldileia. Ela conta que, desde novembro, vem procurando a prefeitura em busca de uma solução para o caso. “Já procurei a responsável pelo DST/Aids no Jorge Caldas, a secretaria de Saúde, o próprio Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), e nada. Na semana passada, após eu insistir, veio uma equipe averiguar as denúncias e o próprio funcioná-

rio disse que a situação no local é caso de calamidade pública. Se é algo tão sério, por que até agora não voltou ninguém para limpar? No meu entender, isso já deveria ser feito, no máximo, até o dia seguinte”, relata ela ressaltando que abriu um processo no Ministério Público. “Fui lá essa semana e espero que tomem providências porque não podem permitir que um imóvel, de responsabilidade do município, chegue a esse ponto, colocando

em risco a segurança e a saúde da população”, completou. Esse caso chegou a ser denunciado por um leitor em dezembro. Na época, ele também havia alegado que já tinha feito vários contatos no CCZ, que não tomou nenhuma providência. “Resolvemos procurar o jornal com o intuito de divulgar essa situação lamentável em pleno Centro da cidade. Esperamos que, dessa forma, a gente consiga uma solução para o problema", disse ele na época.

A prefeitura foi procurada pela nossa equipe, no entanto, a secretaria de Comunicação se recusou a falar com o jornal O DEBATE para esclarecer o caso denunciado pela população. AJUDE A DENUNCIAR OS CASOS

No entanto, independente do poder público fazer ou não a sua parte cabe à população ajudar não deixando água parada. Além de toda prevenção dentro e fora

de casa, se você conhece algum local que possa estar servindo de criadouro para o mosquito, entre em contato com o jornal O DEBATE. As denúncias podem ser feitas pelo WhatsApp. Para participar, basta entrar em contato pelo telefone (22) 99731-1955 e enviar uma mensagem com nome completo, lugar onde mora e data de nascimento, além da reclamação, fotos e/ou vídeos. Caso deseje, a sua identidade não será divulgada na reportagem.

EDUCAÇÃO

TCC de estudante da FSMA vira livro DIVULGAÇÃO/ FSMA

Trabalho de Melania Barbosa foi publicado na obra “Networking & Empreendedorismo” O que seria apenas um trabalho de conclusão de curso (TCC) ganhou novos desfechos para Melania Barbosa. Recémformada no curso de Administração da Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora (FSMA), ela recebeu o convite para publicar o trabalho em um livro. O texto, que aborda uma nova perspectiva sobre a aposentado-

Trabalho traz como tema a aposentadoria de idosos no país

ria dos idosos brasileiros, foi publicado, em forma de capítulo, na obra “Networking & Empreendedorismo” da Editora Leader, de São Paulo. O conteúdo traz também uma reflexão sobre a qualidade de vida dessas pessoas. “É uma recompensa depois de dois anos investindo nesse tema. No começo, não levei muita fé, mas depois achei gratificante poder contribuir com um assunto que gosto e que já vivencio no dia a dia no meu trabalho”, declarou. Para elaborar o projeto, Melania contou com a orientação da professora e Coordenadora do Curso

de Administração da FSMA, Msc. Silvia Cecília Campos Lourenço, uma das coautoras do livro. “Quando fui convidada para escrever o capítulo do livro eu me identifiquei com o assunto proposto pela Melania. Cheguei à conclusão que o aposentado acaba não se planejando para a aposentadoria. E quando o tema chegou até a mim no início da orientação, veio de encontro ao que eu gostaria de abordar”, destacou a docente. A publicação de 115 páginas e 16 capítulos teve a colaboração de outros 15 profissionais da Administração de todo Brasil, que

abordam diferentes temas da área, como empreendedorismo, marketing, empresa familiar, dicas de relacionamento, além de ser uma ferramenta para quem deseja ampliar seus negócios. Para o mês de março há previsão de lançamento do livro no Rio de Janeiro. E nos dias 5 e 6 de junho na 4ª edição do Seminário de Gestão Sustentável da Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora. Na ocasião, serão doados 10 exemplares que farão parte do acervo da biblioteca da instituição e que vão ser usados como bibliografia básica da disciplina de Empreendedorismo.

ESPORTE

Atleta macaense é destaque em corrida Antônio Marcos participou do Desafio G2esportes Train Run Não importa quantas vitórias, cada competição tem uma importância na vida de um atleta. Superar os seus limites é sempre a maior conquista para quem dedica parte do seu tempo ao esporte. E assim tem sido para o macaense Antônio Marcos, que disputou no

último dia 11 o Desafio G2esportes Train Run na Região dos Lagos. Ao todo foram 21 quilômetros. O percurso, com nível alto de dificuldade, começou bem cedo, às 8h, com a largada na Praia do Foguete, em Cabo Frio, seguindo para a Praia Grande, em Arraial do Cabo. “Fui para lá representar Macaé na competição. Foi um percurso desafiador para mim. Com o tempo de 2h05, conquistei o 32º lugar no Geral e 2º lugar na minha categoria

45/49 anos”, diz ele lembrando que o próximo desafio será em Niterói. Por ser mais intenso do que a corrida de rua comum, onde se exige muito mais do corpo e da mente, os atletas precisam de treinamento específico. Antônio relata que toda competição exige o máximo de dedicação. Ele divide o tempo entre o seu trabalho de servidor público na Prefeitura de Macaé com os treinos. “Além das pistas, agora estou fazendo yoga, que tem sido bom

para o fortalecimento e concentração, o que é fundamental para a corrida, pois ela exige muita atenção. Também faço musculação para complementar”, explica Antônio que aproveita para agradecer seus apoiadores. “Quero agradecer à Infinith Academia e à equipe de corrida pela força que têm me dado”, finalizou. O atleta começou a correr em 2006 e, desde então, não parou mais. “Passei a competir e venho me

superando. Tenho obtido bons resultados. Já fiz três ultramaratonas, quatro maratonas e 10 meia-maratonas. Tenho certeza que virão mais desafios pela frente”, destaca ele. O Trail Run, ou Trail Running, é uma modalidade de corrida muito popular nos Estados Unidos e na Europa, que vem ganhando muitos adeptos no Brasil. As competições são realizadas em áreas rurais ou litorâneas, próximas ou não de grandes centros urbanos.

DIVULGAÇÃO

Ele conquistou o 2º lugar na sua categoria


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Política

3

NOTA

Prefeito fez pronunciamento oficial durante a abertura dos trabalhos legislativos da Câmara na manhã de ontem

DISCUSSÕES

Impasse de servidores leva Câmara a expor caos administrativo em Macaé Posição do governo sobre funcionalismo público inaugura debate político no parlamento municipal Márcio Siqueira

WANDERLEY GIL

marcio@odebateon.com.br

D

as dívidas acumuladas junto aos 14 mil servidores efetivos da prefeitura ao compromisso de pagar a dívida do governo do Estado junto aos agentes da segurança pública, o 'caos administrativo' instalado no governo repercutiu ontem na abertura dos trabalhos legislativos em plenário, na Câmara de Vereadores. O caráter efêmero do pronunciamento do prefeito Dr. Aluízio Júnior (PMDB), que voltou a repetir o discurso pelo fim do clima bélico entre a classe política local, foi substituido pela avaliação, nua e crua, da atual realidade do município, levantada por parlamentares que rejeitaram o rótulo de oposição, ao assumir a postura de independência que ainda falta ao poder Legislativo da cidade. E, diante da urgência que o tema merecia, vereadores substituiram os discursos de 'boas-vindas' na primeira sessão ordinária do ano, para levantar as dúvidas que pairam sobre a população, até mesmo entre aqueles que defendem as atitudes do governo: onde está a crise diante de uma arrecadação de R$ 2,08 bilhões, com quase R$ 70 milhões de excessos de receitas? A incoerência entre o discurso do governo, utilizado para tentar justificar a política de desvalorização dos servidores públicos municipais, e a decisão do prefeito

Câmara abre sessões ordinárias com discursos de oposição e 'fogo amigo' entre governistas

de "emprestar" cerca de R$ 3 milhões para o governo do Estado cobrir dívidas com os agentes de segurança, foi exposta a partir do momento que os vereadores analisaram as condições reais de Macaé ao assumir compromissos que vão além das obrigações relacionadas ao dia a dia dos 240

mil habitantes, deixando de lado responsabilidades constitucionais previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal. E esse contexto foi utilizado como o real pano de fundo para encontrar quais são os verdadeiros riscos à segurança pública de Macaé: o abandono dos projetos sociais e a

não realização de obras de infraestrutura dentro de bairros e comunidades afastados das áreas nobres mais valorizadas pela prefeitura, criando assim privilégios sociais que criminalizam as principais vítimas desse debate social distorcido, ou seja, a população de áreas carentes.

RENOVAÇÃO

"O prefeito erra ao assumir o discurso de apocalipse" Coube ao vereador Marcel Silvano (PT) dar ênfase às interrogações que surgem em qualquer debate sobre a decisão unilateral assumida pelo prefeito em garantir, ao governo do Estado, receitas próprias do município para cobrir dívidas geradas pela mesma crise econômica nacional, e que afeta os cofres públicos de Macaé. "Não existem recursos para os problemas da cidade, mas há dinheiro para pagar um acordo político e partidário entre cavalheiros? Macaé vive hoje uma grave distorção sobre a responsabilidade do poder público, que só aumenta no momento em que a Câmara assume a posição de subserviência à vontade do governo", disparou Marcel. Escolhido pelo próprio prefeito Dr. Aluízio Júnior (PMDB) como líder da oposição na Câmara, Marcel afirmou que o "fingimento" dos problemas da cidade não dão ao governo as garantias necessárias para decidir questões importantes da administração pública, com peças de marketing. "Não se pode fingir que não temos problemas aqui e resolver a dívida dos outros. Não se pode fazer peça de marketing em um momento onde a sociedade perdeu a essência da cidadania. O prefeito erra ao assumir o discurso do caos", disse Marcel. O debate levantado pelo parlamentar foi continuado por

outros vereadores que discursaram na primeira sessão ordinária da Câmara do ano. "Os servidores públicos de Macaé também são vítimas de uma gestão desequilibrada que leva os servidores do Estado, não apenas os policiais, a uma situação lamentável. E isso está representado nas dívidas acumuladas pela prefeitura com a categoria, como o triênio, o auxílio-alimentação e os R$ 30 milhões de encargos patronais não repassados à Macaeprev", avaliou Maxwell Vaz (SD). Ju l i n h o d o A e r o p o r t o (PMDB), ex-líder do governo na Câmara, também participou do debate. "A sociedade realmente precisa discutir isso. Hoje há uma inversão de valores, pois o que é publico está sucateado, e isso favorece o privado. Nessa história, quem é a maior vítima é o morador da comunidade que fica sem o apoio do poder público e ainda é visto como criminoso", afirmou Julinho. O vereador Luiz Fernando (PT do B) apontou que Macaé precisa ser vista e conhecida por sua realidade. "Eu vou mostrar aqui, neste mandato, como é a Macaé de verdade, bem diferente da cidade que o governo acredita conhecer. E esse debate sobre a segurança é o início de um novo momento político na cidade", disse.

DEBATE

Vereadores 'novatos' assumem Sindservi agenda posições políticas em plenário assembleia geral Ao iniciar mandatos em meio a um período turbulento na política da cidade, os vereadores novatos marcaram posição política logo na primeira sessão ordinária da Câmara, na atual legislatura. Dentre os mais empolgados com a abertura dos trabalhos estava o vereador Luiz Fernando (PT do B), que assumiu o desafio de expor a verdadeira realidade de Macaé. "Eu tenho dificuldade de entender algumas coisas. Por exemplo, como pintar uma faixa na rua é construir a maior ciclovia da região? Hoje, eu vejo um comércio irritado por perder vagas de estacionamento. Vejo a Serra abandonada, os mora-

dores da Malvinas e das Águas Maravilhosas sem esperança. Vejo a cidade abandonada. Só o governo não vê isso", disse Luiz Fernando. O vereador aproveitou o momento político para expor problemas registrados na Serra. "Trinta dias antes das eleições, uma ambulância foi colocada no Frade. Um mês depois, a prefeitura retirou o veículo de lá. O que aconteceu? Uma moradora morreu por falta de atendimento. Dá para entender como o governo funciona?", contou o vereador. Marvel Maillet (REDE) defendeu a redução do período de recesso parlamentar, visando ampliar o número de sessões ordinárias na Casa. "Nós já estávamos na expectativa de abrir as discussões em plenário, e apresentar para o governo as demandas da cidade que são urgentes", disse o

vereador. O vereador Neto Macaé (PTC) afirmou que o mandato na Câmara será a oportunidade de contribuir com a transformação de bairros e comunidades da parte Norte da cidade. "Desde o dia da posse, nós já estamos nas ruas, ouvindo as pessoas, conhecendo as necessidades da cidade, e que são muitas. Agora é a hora de buscar as soluções", disse. Alan Mansur (PRB) afirmou que sua história de vida irá contribuir com o papel que exercerá na Casa. "Sou neto de pescador e filho de merendeira. Sei como é a rotina das pessoas mais humildes e sei como o poder público é fundamental para oferecer mais qualidade de vida a quem precisa. Esse será o foco do meu mandato", afirmou o parlamentar. Val Barbeiro (PHS), primeiro a discursar em plenário,

WANDERLEY GL

WANDERLEY GL

WANDERLEY GL

Bancada da renovação marca espaço em meio aos parlamentares veteranos

para terça-feira

afirmou que as discussões em plenário são fundamentais para a construção de uma "Macaé melhor". Reunião definirá "O compromisso é respeitar mobilização da categoria a decisão dos eleitores e ajudar Macaé a se tornar uma cidade contra as dívidas do melhor, enfrentando os desa- governo fios sempre ao lado do povo", O Sindicato dos Servidores apontou Val Barbeiro. Públicos Municipais de Macaé (Sindservi) agendou para a próxima terça-feira (21) a assembleia geral extraordinária, que pretende definir a mobilização que promete ser a maior reação da categoria contra a rotina perversa imposta pelo governo 'da mudança'. De acordo com a convocação publicada na edição desta quinta-feira (16) no jornal O DEBATE, a assembleia acontecerá a partir das 17h, horário de encerramento das repartições públicas do município. Luiz Fernando (PT do B) No entanto, a plenária só terá início às 17h30, quando ocorreWANDERLEY GL

WANDERLEY GL

rá a segunda chamada e avaliação do quórum geral. A reunião acontecerá no auditório da sede do Sindservi, situada na Rua da Igualdada, nº 38, no Centro. Esse será o momento principal para que os servidores do município possam definir o modelo de mobilização contra as dívidas do governo. "Embora a pauta da reunião seja o atraso do auxílio-alimentação de dezembro do ano passado, nós vamos discutir também todas as dívidas que vêm sendo acumuladas pelo governo ao longo dos últimos anos. Esse será o primeiro passo para a realização do maior ato contra a política de arrocho imposta pelo prefeito que não dialoga com a categoria", disse Rose Mary Gomes, presidente do Sindservi. WANDERLEY GIL

Neto Macaé (PTC)

Marvel Maillet (REDE)

Alan Mansur (PRB)

Val Barbeiro (PHS)

Rose afirmou que a assembleia definirá a mobilização geral dos servidores municipais


4

O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Opinião FOTO LEGENDA

WANDERLEY GIL

EDITORIAL

NOTA

Agências da Caixa abrirão em 5 sábados e 2 horas antes nesta semana

Retrocessos No momento em que o diálogo e a liberdade são fundamentais para construir novos momentos de prosperidade social e econômica, mais se vê o distanciamento do interesse coletivo em propor soluções para o fim da crise ética e moral, nunca vista antes na história da nação no campo político. E a cada passo dado para trás, pelos cidadãos de bem que desejam constituir um novo conceito democrático para a sociedade, mais vencem aqueles que se utilizam do poder para construir muros que visam esconder o que, de fato, é capaz de ser gerado pela máquina administrativa, cada vez mais sufocada por acordos e esquemas que não estão longe do dia a dia de qualquer cidadão, especialmente o de Macaé. Na Capital Nacional do Petróleo, onde o lixo custa mais de R$ 70 milhões por ano, onde o transporte público é pago pela prefeitura ao custo de R$ 60 milhões, onde uma rua custa mais de R$ 10 milhões para ser pavimentada, as sensações do aparelhamento da máquina administrativa tornam-se à flor da pele para qualquer pessoa que ousa promover o chamado 'controle social'. E nas análises sobre os números referentes ao desempenho tributário de Macaé que, certa-

mente, alcançará os R$ 2 bilhões neste ano, mais se entende o porquê da Câmara de Vereadores ser subserviente ao poder do Executivo que exerce, com rédeas curtas, a vontade de manter os mesmos esquemas que quase afundaram a cidade em administrações passadas. E a cada sopro de revolta da sociedade, e a cada vontade de quebrar os mesmos grilhões do poder, mais se inventam peças de marketing tão primitivas que chegam a testar a inteligência de quem exerce o poder da resistência, não contra pessoas, mas sim contra a lama da corrupção que avança ao passo que a população deixa de se fazer presente nas discussões políticas e administrativas da cidade. E quando não há mais esperança, mais se acredita que a cidade referência mundial do mercado do petróleo precisa se contentar com o pouco que resta após os descaminhos da administração pública.

ESPAÇO ABERTO Reforma moral e ética também depende de nós A política é indispensável à governança, principalmente em democracias. Um bom e útil exercício da política é essencial, desde que desempenhado com honestidade, interesse social e patriótico pelos seus atores.No Brasil, para a maioria dos cidadãos a política é vista com qualificativos desabonadores. Porém, não é a política que não presta, são os políticos que por sua postura e por seu caráter pessoal a degradam cada vez mais. Manobras e negociatas estranhas à prática política sempre existiram e, certamente, continuarão a existir, mas em nosso país a deturpação vem crescendo de forma preocupante até chegar aos episódios mais recentes, que produziram os maiores escândalos de corrupção jamais vistos. A Operação Lava Jato, que investiga os atuais esquemas de corrupção, acabou por revelar casos estarrecedores envolvendo parlamentares, gestores públicos e integrantes da cúpula federal mancomunados com empreiteiras de obras e empresas que mantinham contratos com o governo e com estatais. Em resumo, são esses os políticos que desvirtuam a essência da política e se valem dos cargos públicos para proveito próprio. São esses que reforçam o argumento de que o país está precisando de importantes reformas, porém, a mais urgente e necessária é a reforma moral e ética. Não será fácil promovê-la porque depende do caráter dos políticos, e os que aí estão já provaram que dificilmente

se emendarão. Acredito que somente se chegará à depuração política com a renovação, com novas ideias, novos atores não contaminados. A busca desses envolve trazê-los à participação no cenário político. Todavia, sabese que a maioria dos cidadãos, especialmente a juventude, não participa porque tem essa visão negativa da política disseminada por todos esses escândalos e pelos maus políticos que precisam ser banidos através das urnas, a via democrática. Com tudo isso exposto, concluo que: essa reforma moral e ética, tão necessária e urgente, depende também de quem vota. Luiz Carlos Borges da Silveira é empresário, médico e professor. Foi Ministro da Saúde e Deputado Federal.

A sinalização de trânsito precisa ser respeitada também por ciclistas e pedestres, personagens importantes para a segurança da mobilidade urbana da Capital Nacional do Petróleo, cada vez mais caótica.

PAINEL Dívida

Posição

Lixo

Contas

Lei

Preços

Pedalada

Presidência

Segurança

Os mais de 1,6 mil exonerados pela prefeitura, após a reforma administrativa, ficaram a ver navios no que se refere ao pagamento do 13º salário de 2016. O benefício também não foi pago aos demais assessores nomeados pelo prefeito até dezembro do ano passado e que tiveram a oportunidade de continuar na gestão municipal. Mas, ao temer retaliações, ninguém ousa questionar o corte ou cobrar do chefe o dinheiro não pago.

E o não pagamento do auxílio-alimentação dos servidores efetivos, relativo a dezembro do ano passado, precisa ser objeto de amplo estudo por parte dos vereadores que terão a oportunidade de votar as contas do prefeito Dr. Aluízio Júnior (PMDB) relativas a 2016. E, por conta disso, essa também será uma prova de fogo para o trabalho do Tribunal de Contas, responsável por atestar correções e distorções na gestão pública.

A dívida de R$ 30 milhões, acumulada pelo governo com a Macaeprev nos últimos meses, enfatiza as desconfianças sobre a 'pedalada fiscal' registrada na administração de Macaé, no ano passado. Resta saber como esse buraco nas despesas com a folha de pagamento vai ser justificado pelo governo junto ao Tribunal de Contas, um 'déficit' que não poderá ser considerado como uma simples ressalva nas contas da cidade.

Muitos vereadores, que se declaram da base aliada do governo, ainda estão aguardando a consolidação de apoios e suportes garantidos por secretários que atuam na linha de frente política do prefeito Dr. Aluízio Júnior (PMDB). Por enquanto, o discurso vai ser de 'paz e amor' no plenário, na esperança de ter espaço. Mas, como paciência tem limites, muitos já ensaiam diálogos para a formação de um novo bloco de oposição. A conferir!

E, por conta dessas trocas de favores entre o Executivo e o Legilativo, há quem acredite que a lei que promove a alteração do Código de Urbanismo, que expande as Zonas Industriais 3 e 4 beneficiando as operações do Terminal Portuário de Macaé (Tepor), será engavetada até que um “fator novo” seja colocado à mesa. No entanto, a legalidade exige que a proposta seja promulgada o quanto antes, sob o risco de a Câmara cometer o crime de prevaricação. E agora?

Dr. Márcio Bittencourt (PMDB) tem sido a aposta de muitos para concorrer, de igual para igual, com Dr. Eduardo Cardoso (PPS), ao posto de presidente da Câmara de Vereadores para o biênio 20192020. Com a possibilidade do prefeito Dr. Aluízio (PMDB) estar em Brasília, a próxima eleição do Legislativo será bastante dura e mais independente, embora a influência do atual chefe do Executivo ainda seja forte sobre a Casa.

EXPEDIENTE EJORAN - Editora de Jornais, Revistas e agências de Notícias 29699.626/0001-10 - Registrado na forma de lei. DIRETOR RESPONSÁVEL: Oscar Pires. SEDE PRÓPRIA: Rua Benedito Peixoto, 90 - Centro - Macaé - RJ. Confeccionado pelo Sistema de Editoração AICS e CTP (Computer to Plate).Impresso pelo Sistema Offset. CNPJ:

CIRCULAÇÃO: Macaé, Quissamã, Conceição de Macabu, Carapebus, Rio das Ostras,

Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu.

A direção do O DEBATE não se responsabiliza e nem endossa os conceitos emitidos por seus colaboradores em ações ou artigos assinados, sendo de total responsabilidade do autor. Filiado à ADJORI-RJ - Associação dos Diretores de Jornais do Estado do Rio de Janeiro e à ADJORI-Brasil - Associação Brasileira de Jornais do Interior. ANJ Associação Nacional de Jornais. ADI Brasil - Associação dos Jornais Diários do Interior. ABI - Associação Brasileira de Imprensa. REPRESENTANTE:

Tráfego Publicidade e Marketing

Rio de Janeiro: Av. Rio Branco, 185 - Sala 1813 - Centro. Tel: (21) 2532-1329 Macaé - Tel/fax: (22) 2106-6060, acesse: http://www.odebateon.com.br, E-MAIL: odebate@odebateon.com.br, COMERCIAL: Ligue (22) 2106-6060 - Ramal: 215, E-MAIL: comercial@odebateon.com.br, classificados: E-mail: classificados@ odebateon.com.br

Há quem acredite que, de forma efetiva, o governo vai realizar neste ano a nova licitação para a contratação de empresa que assumirá o lucrativo serviço de limpeza pública de Macaé. E, pelo que se ouve nos corredores da prefeitura, o jogo terá novos atores na disputa pela conta de mais de R$ 80 milhões por ano. Por enquanto, a concorrência pública segue vetada pelo Tribunal de Contas, algo que pode mudar de forma bem rápida.

Supermercados da cidade estão organizando promoções especiais para atrair os consumidores, com produtos típicos do Carnaval. A concorrência é grande e tem favorecido ao macaense que pode encontrar preços mais baixos. Assim, muita gente da cidade está se preparando para fazer as compras, antes de pegar a estrada e curtir os dias de folia em outras cidades da Região dos Lagos. Por aqui, a festa do Momo será de muita paz e tranquilidade.

Falando nisso, Macaé segue como a melhor opção para quem teme enfrentar problemas de segurança pública em outras cidades da região. Com a articulação do comando do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), o policiamento está garantido na Capital Nacional do Petróleo, mesmo sem os eventos oficiais da folia. Para quem não quer arriscar, o jeito vai ser aproveitar as águas claras das praias do litoral Sul da Princesinha do Atlântico.

GUIA DO LEITOR

Telefones úteis

POLÍCIA MILITAR 190 POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL 191 SAMU 192 CORPO DE BOMBEIROS 193 DEFESA CIVIL 199 POLÍCIA CIVIL 123º DP 2791-4019 DISQUE-DENÚNCIA (POLÍCIA MILITAR) 2791-5379 DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL (24 HORAS) 2796-8330 DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL (OPERAÇÕES) 2796-8320 DELEGACIA DE POLÍCIA FEDERAL (PASSAPORTE/VISTO) 2796-8320 CÂMARA DE MACAÉ 2772-2288 HPM 2773-0061 CEDAE: 2772-5090 AMPLA 0800-28-00-120 PREFEITURA MUNICIPAL 2791-9008 DELEGACIA DA MULHER 2772-0620 GUARDA MUNICIPAL 2773-0440 AEROPORTO DE MACAÉ 2763-5700 CARTÓRIO ELEITORAL 109º ZONA 2772-3520 CARTÓRIO ELEITORAL 254º ZONA 2772-2256 CORREIOS (SEDE) 2759-3390 CORREIOS CENTRO 2762-7527 CEG RIO 0800-28-20-205 RÁDIO TAXI MACAÉ 2772-6058 CONSELHO TUTELAR I 2762-0405/ 2796-1108 PLANTÃO: 8837-4314 CONSELHO TUTELAR II 2762-9971/ 2762-9179 PLANTÃO: 8837-3294 CONSELHO TUTELAR III (SERRA) 2793-4050/2793-4044 PLANTÃO: 8837-4441


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

5

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Economia

NOTA

Funcionários do Detran reclamam de atrasos em benefícios. Impasse que dura há dois meses, tem refletido no atendimento à população e atraso de entrega de Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

PREJUÍZO

Ciclofaixa prejudica vendas nos comércios de Macaé

Lojistas da área central reprovam instalação de faixas para ciclistas na Rua Teixeira de Gouveia e alegam transtornos aos comerciantes

Q

uase dois quilômetros de ciclofaixa implantados na Rua Teixeira de Gouveia, no Centro de Macaé, têm causado transtornos e prejuízos aos comerciantes e empresários ali instalados. A equipe de reportagem do jornal O DEBATE fez todo o trajeto e verificou que em vários locais onde passa a ciclofaixa consta a placa ‘Proibido Estacionar’, como é o caso da Rua da Igualdade, entre Centro e o bairro Imbetiba, com intensa movimentação de bicicletas. Com a implantação da ciclofaixa no último dia 10, lojistas da área central temem pelo prejuízo nas vendas dos comércios e pedem que o governo municipal remova o clicloviário para outro lugar. Nilton Campos de Oliveira é proprietário de uma loja de roupas, que fica em frente à Escola Estadual Luiz Reid, local onde se encontra a ciclovia. Ele afirma que, com a implantação da ciclofaixa em quase toda a extensão da via, onde se concentram centenas de lojas comerciais varejistas, as vendas serão prejudicadas no setor. “Eu não sou contra a ciclofaixa, só acho que deveria passar

KANÁ MANHÃES

Comerciantes locais afirmam que projeto não foi desenvolvido corretamente e temem mais prejuízo devido à crise econômica instalada na cidade

em um lugar que não afetasse os lojistas. Com a ciclovia, clientes não podem mais estacionar para fazer as compras. Pagamos impostos caríssimos. O cicloviário tinha que ser estudado corretamente e ser instalado num lugar apropriado, não aqui no ‘miolo’ dos comércios”, explicou Nilton. Segundo ele, comerciantes não foram consultados pela

prefeitura. “A cidade carece de vagas de estacionamento para veículos, e agora com a instalação de ciclofaixa na área central vai ficar ruim para os empresários, que precisam vender, e vai piorar ainda mais para a população que sofre para encontrar vagas”, queixa-se o comerciante, que teme pela queda nas vendas devido à crise econômica atual, o

que poderá se intensificar com esse projeto mal planejado. No início da Rua Teixeira de Gouveia estão situadas lanchonetes, hortifrutti, lojas de móveis e de roupas, hospital, galerias e papelarias. Joilson Batista Araújo é proprietário de uma lanchonete, e diz ser contra a instalação da ciclofaixa. A sua reclamação é a mesma de Nilton: os clien-

tes não podem mais estacionar na frente dos estabelecimentos comerciais. Joilson acha que o lugar apropriado para as ciclofaixas seria em um bairro menos movimentado e próximo do Centro. “Fazer aqui no meio do comércio é pedir para que os empresários fechem as portas. Além disso, há risco evidente de atropelamen-

to”, disse ele, enfatizando que os pedestres terão que disputar a travessia com bicicletas e automóveis. O movimento também caiu em um pequeno hortifrutti depois que foi pintada a ciclovia, de acordo com Elisabeth Gomes. Ela lembra que o estacionamento antes era permitido no local. “Só entram no meu comércio os pedestres que, de vez em quando, passam no local. A via está morta. Não sei o que faço”, asseverou na esperança da prefeitura reestudar essa implantação em local mais adequado, pois está causando prejuízos e multas para quem estacionar na ciclovia. E não é são apenas os lojistas que reclamam da instalação da ciclofaixa na porta dos estabelecimentos comerciais. Pacientes e idosos que precisam de atendimento na Clínica São Lucas também questionam a falta de planejamento por parte do governo. Em frente à clínica existiam vagas de estacionamento para ambulâncias, motos, deficientes físicos e idosos. Mas, com a implantação do trecho cicloviário, tudo foi obstruído e ocupado pelos ciclistas.

MACAÉ

Funcionários do Detran reclamam de atrasos em benefícios Impasse que dura há dois meses, tem refletido no atendimento à população e atraso de entrega de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) A equipe de reportagem do jornal O DEBATE recebeu denúncias de funcionários do Departamento de Trânsito (Detran) de Macaé sobre atrasos no pagamento de benefícios trabalhistas. De acordo com os denunciantes, há atrasos relativamente ao vale-alimentação e transporte. Sem o repasse desses recursos, o atendimento no pos-

to do Detran do município tem gerado dor de cabeça para muita gente, principalmente no setor da entrega de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e carteira de identidade. Uma funcionária, que não quis se identificar temendo represálias, declarou que a cada dois meses recebe o vale-alimentação atrasado. “Neste mês de fevereiro deveríamos ter recebido este benefício no dia primeiro, mas até hoje nada. O valor relativo a transporte também está com o mesmo problema. Do jeito que está fica muito difícil o funcionário trabalhar”, disparou. Ainda de acordo com a funcionária, os colaboradores que saí-

ram de férias no ano passado receberam os direitos trabalhistas com atraso, depois que voltaram do período de descanso. “Funcionários que entraram de férias no mês passado só receberam o pagamento no início de fevereiro. Tudo indica que enfrentaremos um novo impasse”, desabafou. Outro funcionário, que também preferiu não se identificar, afirmou que alguns trabalhadores residem em outros municípios e acabam assumindo os custos das passagens com seus próprios recursos. “Fora que foi descontado dinheiro indevidamente e ainda não fizeram o ressarcimento” frisou, acrescentando que, por dia, são aten-

didas quase 100 pessoas no posto da Imbetiba. “O fluxo de trabalho está muito intenso e ninguém presta esclarecimentos aos funcionários”, alertou. Em nota, a assessoria de comunicação do Detran do Rio de Janeiro informou que, não existe nenhum problema no posto do município, e que os serviços continuam sendo prestados normalmente. Sobre a falta de repasse dos benefícios, a assessoria informou que o atraso é de responsabilidade da empresa terceirizada "Prol", e que até o momento os funcionários não aderiram à paralisação como em outras unidades de municípios adjacentes.

FGTS

Expediente antecipado da Caixa tem movimento tranquilo Em Macaé, as agências da CEF abriram duas horas mais cedo para esclarecer dúvidas dos trabalhadores sobre o Fundo de Garantia Em uma das agências da Caixa Econômica Federal (CEF) de Macaé que costuma receber grande fluxo de pessoas, a movimentação foi muito tranquila na manhã de ontem (15), quando o banco abriu às 9h, para atender as pessoas que precisavam de orientação sobre saldos e a forma como poderiam sacar os recursos das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Segundo a agência do Centro, até às 11h - quando foi encerrado o atendimento sobre o saque do benefício - aproximadamente 40 pessoas haviam sido atendidas na agência da Avenida Rui Barbosa.

Em Macaé, as três agências da Caixa Econômica (Centro, Parque Valentina Miranda e Cavaleiros) trabalharam sob esquema especial para esclarecer dúvidas dos beneficiários, sendo que a extensão de horário vale até esta sexta-feira (17). Neste sábado (18), as agências de Macaé estarão em funcionamento das 9h às 15h. O escrivão do Cartório 1º Ofício de Macaé, Robson Bianor, foi até a agência para verificar se tinha direito ao recebimento de algum valor. Ele conta que não lembra se pediu demissão de determinada empresa há 12 anos. Segundo ele, no sistema da Caixa consta que essa conta ainda está ativa. Ele tem saldo de R$ 520. “Fui informado que terei de apresentar o contrato de rescisão na Caixa”, diz. A gerente da agência do Centro calcula que a demanda se torne mais intensa, a partir da divul-

KANÁ MANHÃES

Agências da Caixa acreditam que movimento deve aumentar nos próximos dias

gação do calendário de saques. Até o dia 10 de março, quando começam as retiradas, os bancos esperam que a maior parte dos atendimentos englobe regularização de cadastro do PIS e da senha que será necessária para sacar o dinheiro. A gerência alerta ainda que

não é possível consultar o saldo da conta inativa no caixa automático, só com o atendente ou pelo site: www.caixa.gov.br/ contasinativas Em caso de perda ou bloqueio da senha do Cartão Cidadão, o beneficiário terá de ir até a agência para regularizar a situação.

CRÉDITO

Demora na entrega de CNH e carteira de identidade tem sido alvo de reclamação por parte da população


6

O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Polícia

NOTA

Mulher furta peças de lingerie em loja no Centro e é liberada após autuação

CAFÉ COMUNITÁRIO

Reunião mensal da Polícia Militar recebe demandas e discute Segurança Pública Encontro aconteceu no IFF e contou com a participação do subcomandante do 32o BPM Ludmila Fernandes

LUDMILA FERNANDES

ludmila@odebateon.com.br

A

edição de fevereiro do Café Comunitário aconteceu no Instituto Federal Fluminense (IFF), na quarta-feira (15), e contou com a presença da sociedade civil, autoridades de segurança e membros do Conselho de Segurança Pública de Rio das Ostras, área abrangente do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM). A mesa foi composta pelo subcomandante do 32º BPM, major Palote; o presidente do CCSP de RO e seus membros; integrantes da direção do IFF e um representante da 9º Grupamento de Bombeiro Militar. Além disso, representantes do Grupo de Apoio Operacional (GAOP), da Guarda Municipal, também estiveram na reunião. O major Palote deu início à reunião falando sobre o tema mais aguardado pelos presentes: as manifestações de familiares de policiais militares na porta da unidade, na última sexta-feira (10). Na oportunidade, ele explicou que, devido a uma reunião do comandante do 32º BPM, coronel Marco Aurélio Vollmer, no Rio de Janeiro, na tarde de ontem (15), ele não pôde estar presente no Café Comunitário. “Como foi amplamente noticiado no decorrer da semana passada, familiares de policiais militares iniciaram atos de manifestação na porta do batalhão em protesto contra a falta de pagamento do 13º salário. Esta ação já era esperada e, por isso, o comando da unidade conseguiu preparar estratégias e evitar que o município e as cidades abran-

Polícia Militar discute segurança pública em reunião realizada no IFF

gentes ficassem sem o patrulhamento da Polícia Militar. Como todos sabem, o policiamento se manteve normal durante o ato. Por este motivo, o comandante Vollmer, junto do comandante regional, coronel Baracho e o Prefeito de Macaé estão em reunião no Rio de Janeiro com o comando geral da Polícia Militar, discutindo este pagamento”, frisou o major. Em seguida, o subcomandante voltou a frisar a importância da população em participar ativamente dos debates sobre segurança pública e ser parceira das instituições de segurança, seja colaborando com informações ou apenas exercendo os seus deveres de cidadãos. A direção do IFF se manifestou agradecendo à Polícia Militar

com a parceria que a instituição vem mantendo junto à escola, principalmente por meio da Ronda Escolar que tem sido realizada rotineiramente. Outros participantes apresentaram as suas demandas, entre elas a falta de segurança no bairro Imbetiba, ressaltando usuários de drogas que estariam coagindo pessoas idosas, na Praça do L. Também entrou na discussão as invasões escolares que estão acontecendo em unidades do bairro Ajuda. Em uma dessas ações, os vândalos colocaram fogo na unidade escolar. Os representantes da secretaria de Educação pediram por mais patrulhamento nesses bairros, em seu entorno. Um aluno do IFF, representante do grêmio estudantil, pediu mais policiamento nos horários de

saída dos alunos, explicando que os assaltos são frequentes e que, apesar do policiamento no local, a medida ainda não é eficiente. Todas as demandas foram anotadas e a promessa de melhorias foi feita pelo subcomandante. Os integrantes do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) também frisaram sobre o trabalho que é realizado pelo programa, afirmando que permanecem à disposição para apresentações de um grupo cênico nas escolas. O grupo apresenta três temáticas diferentes: Bullying, Drogas e Rede de Conversa. Para receber as apresentações, a direção da escola deve entrar em contato com o 32º BPM e protocolar um pedido de apresentação do Proerd na instituição de ensino desejada.

OPERAÇÕES

Lagomar e Parque Aeroporto registram ocorrências de tráfico de drogas Polícia Militar apreende mais de mil pinos de cocaína, após denúncia, no Jardim Carioca A Polícia Militar realizou operações de combate ao tráfico de drogas, em três bairros de Macaé, sendo eles: Lagomar, Parque Aeroporto e Jardim Carioca. Denúncias ajudaram a polícia a localizar suspeitos e apreender o material. Na W5, no Lagomar, um relato de venda de entorpecentes levou uma guarnição ao local e, após patrulhamento, a equipe encontrou três suspeitos. Os elementos tentaram fugir, tão logo avistaram a viatura, buscando abrigo em uma casa, na Travessa 12. Em seguida, os policiais entraram na residência e conseguiram encontrar uma mochila com 93 buchas de maconha de tamanhos e valores diferentes e 274 papelotes de cocaína. Do lado de fora da casa foi encontrado um rádio de comunicação. Os três suspeitos, todos menores de idade, foram encontrados e encaminhados à delegacia e ficaram apreendidos. Também através de uma denúncia, a Polícia Militar (PM) foi até o Parque Aeroporto verificar informações sobre

tráfico. Na Rua L, a equipe do Serviço Reservado (P2) ficou por algum tempo observando de longe a movimentação em uma residência. Em seguida, após a permissão de um dos suspeitos, os policiais entraram na casa. Após buscas foram encontradas três trouxinhas de maconha, 17 caixas de seda e R$ 65 em espécie. Na casa estavam dois elementos, sendo eles identificados pela PM como A.S.F.B., de 24 anos, “vapor” da facção criminosa “Amigos dos Amigos” (A.D.A.) e N.R.V.C., 23 anos, também “vapor” da mesma facção criminosa. Os envolvidos foram encaminhados à 123ª DP, onde permaneceram presos. A PM ressaltou que o primeiro elemento possui duas anotações criminais nos Artigos 157 (Roubo) e no Artigo 33 (Tráfico de Drogas). Por fim, a PM realizou uma operação no Jardim Carioca, após uma denúncia sobre elementos que teriam recebido entorpecentes de traficantes do bairro Lagomar e escondido o material em um terreno baldio de uma firma desativada. No endereço comunicado, a guarnição conseguiu encontrar uma mochila com 1.920 pinos de cocaína. A droga foi apreendida e encaminhada à 123ª DP, onde foi feita a ocorrência. DIVULGAÇÃO PM

DIVULGAÇÃO PM

SERVIÇO

Obituário Santos da Sylva, 21 anos, moradora do Lagomar, solteira, estudante. O sepultamento aconteceu

● DAIANE

ontem (15), às 10h, no Cemitério Memorial Mirante da Igualdade. ● ROBERTO Ramos Latorré, 76 anos, morador do Cavaleiros, viúvo, empresário. O sepultamento aconteceu ontem (15), às 14h30, no

Cemitério Memorial Mirante da Igualdade. ● MARLEI Gonçalves Ismael, 39 anos, morador do Trapiche, casado, autônomo. O sepultamento aconteceu ontem (15), às 16h, no Cemitério Memorial Mirante da

Todo o material encontrado durante as operações da Polícia Militar foi apreendido na delegacia

Igualdade. Soares Gomes, 58 anos, morador do Parque Aeroporto, separado, cabeleireiro. O sepultamento aconteceu ontem (15), às 17h, no Cemitério Memorial Mirante da Igualdade.

● ALESKSON

MACAÉ

Mulher furta peças de lingerie em loja no Centro e é liberada após autuação Veículo roubado é recuperado na Imbetiba após denúncia Uma guarnição da Polícia Militar (PM) foi acionada para verificar um caso de furto nas Lojas Americanas, no Centro de Macaé. A mulher suspeita foi encontrada e encaminhada à delegacia, sendo autuada e liberada.

Ao chegar no local, os policiais fizeram contato com uma testemunha que informou que a suspeita estava detida no interior da loja por ter furtado peças de lingerie. Em seguida, a equipe encaminhou a mulher, 63 anos, para a 123ª DP, onde foi atuada e liberada. Em outra ocorrência, no bairro Imbetiba, uma denúncia informou a PM sobre um veículo Chevrolet/Spin, placa LUL 5514, abandonado em um

terreno baldio. Após consulta, os policiais verificaram que se tratava de produto de roubo, com registro na 130ª DP, em Quissamã. O registro de recuperação do carro foi realizado na 123ª DP. COLABORAÇÃO

Para ajudar a Polícia Militar no combate à criminalidade e violência em toda a área do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), qualquer cidadão pode

denunciar pessoas e situações suspeitas. Basta entrar em contato com o Disque-Denúncia da Polícia Militar através do número 2765-7296. O telefone está à disposição da população 24 horas por dia para atender todos os chamados, e não é preciso se identificar. Além das ligações, os cidadãos também podem passar informações pelo WhatsApp, através do número 98168-2344. Ou por e-mail para: denuncie@32bpmrj.org .

DIVULGAÇÃO PM

Os produtos furtados foram encontrados em posse da suspeita que estava detida na loja do Centro


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Geral

7

NOTA

Comissão da Firjan participa de visita ao Porto do Açu

MOBILIDADE

Passageiros reclamam do transporte no Lagomar Segundo eles, atrasos e ônibus superlotados estão entre os problemas

A

pesar de ser uma das localidades mais distantes da região Central, o sofrimento de quem vive ou trabalha no Lagomar muitas vezes é relacionado aos atrasos dos ônibus. Quem depende do transporte público no bairro conta que chega a esperar por mais de uma hora pelo coletivo. “Dependendo do horário e do dia você fica um tempão esperando. Isso prejudica a população. Muita gente acaba tendo que sair muito mais cedo do que o habitual para não perder seus compromissos. Não é de hoje que o problema vem sendo relatado. Falta total de respeito e comprometimento da empresa SIT e do poder público, que não toma uma medida para melhorar o serviço”, diz o morador Diego. Outra situação que é constantemente alvo de reclamações é a superlotação dos coletivos. Considerado um dos mais populosos bairros de Macaé, com cerca de 35 mil habitantes, o Lagomar conta com a maior frota de ônibus circulando pela cidade. No entanto, a oferta de coletivos nem sempre supre a demanda, que é alta. Segundo a SIT, o bairro é contemplado com sete linhas, distribuídas em vários itinerários, entre eles, os terminais Parque de

DIVULGAÇÃO

Bairro conta com sete linhas para atender cerca de 35 mil habitantes

Tubos e Central. “A quantidade de coletivos é pequena se levarmos em consideração a quantidade de pessoas. Eles ficam, conse-

quentemente, cheios e a gente sofre com o calor, fora o cansaço. Andamos pendurados, como se estivéssemos dentro de uma lata de sardinha. So-

SUPORTE

Trinta e oito empresários de diversos setores de Campos e Macaé visitaram, na terça-feira (14), o Complexo Industrial do Porto do Açu, que fica no município de São João da Barra. Além de conhecer o empreendimento, a comitiva, organizada pelo Sistema FIRJAN, esteve visitando também as instalações da empresa Edson Chouest, no Porto. O objetivo da visita foi promover novas oportunidades de negócio para os empresários da região Norte do estado O grupo foi recebido pelo coordenador de Relações Institucionais do Porto do Açu, Caio Cunha. "Todo ano o Porto do Açu recebe os empresários da região e, a cada visita, temos novas instalações e projetos a apresentar. Considero estes encontros altamente produtivos. É uma forma que temos de mostrar aos visitantes as nossas demandas e avanços e, ao mesmo tempo, tê-los como disseminadores do desenvolvimento do Complexo Portuário", disse ele. O grupo esteve no Terminal de Minério de Ferro (Ferroport) e no Terminal Multicargas (T-MULT). A comitiva também pôde conhecer as formas de contratação e como fazer parte do catálogo de fornecedores do empreendimento. Na Edson Chouest, os visitantes puderam saber mais sobre o funcionamento da empresa americana e visitar a área de operação. Dois dos

viássemos a demanda para a secretaria de Mobilidade Urbana. Já a prefeitura não se pronunciou sobre o caso após contato.

Dívida de gestão anterior faz Receita Federal reter R$ 800 mil em recursos ASSESSORIA FIRJAN

O grupo de empresários esteve no Terminal de Minério de Ferro (Ferroport) e no Terminal Multicargas (T-MULT)

16 berços da base de apoio offshore já estão funcionando. "Ver essa mudança do Porto do Açu é muito interessante. Já vim cinco vezes ao empreendimento e gosto de acompanhar essa evolução. Me importo em saber o que vem crescendo na nossa região, e vejo a possibilidade de nós, empresários, nos adaptarmos às demandas do complexo.", disse o coordenador do Núcleo de Jovens Empresários da Representação Regional da FIRJAN no Norte Fluminense, Frederico Vieira de Freitas. Para o empresário do ramo offshore e membro da comissão de empresários da FIRJAN em Macaé, Evandro Esteves, a visita dá acesso à informações importantes que ajudam na tomada de decisões dos empresários. “Vimos a dimensão deste empreendimento e já saímos daqui estudando possibilidades de, no futuro, implantar uma unidade de nossa empresa aqui”. O Porto do Açu iniciou 2017 com

moradora Elísia Andrade dos Santos. Procurada pela nossa equipe, a assessoria de comunicação da SIT pediu que en-

QUISSAMÃ

Comissão da Firjan participa de visita ao Porto do Açu Empresários da região acompanharam a expansão de um dos principais terminais marítimos do país

mos humanos e pagamos os nossos impostos. O que está acontecendo, já que a população passa horas esperando um ônibus passar?”, lamenta a

um número recorde de movimentações de embarcações. No mês de janeiro foram registradas 129 embarcações nos dois terminais do empreendimento (T1- offshore e T2 - onshore). O montante é o maior já registrado no Porto do Açu, e representa 12 embarcações a mais do que o registrado no último recorde, em outubro do ano passado. Entre as embarcações que passaram pelos terminais estão navios tipo Capesize, SuezMax, PSV e plataformas, além de comboios formados por rebocadores e barcaças, entre outros. O ano de 2016 também foi expressivo em relação ao número de embarcações movimentadas. Ao longo de todo o ano passado, o Porto do Açu recebeu um total de 966 embarcações comerciais. O número é mais de quatro vezes maior do que o registrado no ano anterior (209). O acompanhamento da movimentação é realizado desde o final de 2014, quando o empreendimento começou a operar.

Receitas do FPM não foram repassados à prefeitura por conta de dívidas com o INSS A Prefeitura de Quissamã que, assim como as demais de outros municípios da região, enfrenta uma grande crise orçamentária, foi surpreendida, na última sexta-feira (10), com a retenção de R$ 800 mil do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Esse recurso é usado para o pagamento de servidores, repasse para Câmara Municipal e quitação das obrigações patronais. Essa retenção, segundo a Receita Federal, é em função

do não pagamento das obrigações patronais, mais especificamente do INSS relativo ao 13º salário de 2016. Ou seja, é mais uma dívida herdada do governo anterior. A situação fragiliza ainda mais a condição fiscal do Município e, em função disso, algumas medidas de contenção de gastos terão de ser mais austeras, impactando a programação de pagamento prevista para o mês de fevereiro. E cria a necessidade de que algumas decisões sejam tomadas, a fim de trazer os gastos para uma realidade compatível com a arrecadação. "Essa retenção, por parte da Receita Federal, nos causa surpresa e preocupação, por-

que acontece em um momento financeiro delicado para o município. A situação, que já se apresentava complicada, se agrava ainda mais. Agora, é refazer os cálculos e reorganizar nossas finanças. Essa dívida não fomos nós que criamos, mas somos nós que vamos arcar - disse a prefeita Fátima Pacheco. O débito total é de R$ 1.206.135,30 e a Receita fez a retenção do que estava disponível no dia 10. O restante, cerca de R$ 400 mil, deverá ser retido no próximo dia 20, quando novamente entram recursos. Isso traz dificuldades adicionais a um quadro de situação fiscal precária vivido por Quissamã. ADILSON DOS SANTOS/SECOM

Gestão anterior deixou de pagar R$ 1,2 milhão em encargos patronais para o INSS


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Política

Macaé, Terça-Feira, 12 de Julho de 2011

1


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Política

Macaé, Terça-Feira, 12 de Julho de 2011

1


O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Política

Macaé, Terça-Feira, 12 de Julho de 2011

1


www.odebateon.com.br

Macaé (RJ), quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017, Ano XLI, Nº 9248

Fundador/Diretor: Oscar Pires

11

CADERNO DOIS O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Bloco "Concentra mas Não Sai" incrementa folia macaense O Bloco promete muita animação no pré-carnaval macaense, neste sábado (18) Isis Maria Borges Gomes isismaria@odebateon.com.br

A

animaçao vai tomar conta da cidade neste sábado. Tudo vai rolar em torno do Bloco "Concentra mas Não Sai", que promete muito agito no pré-carnaval macaense, comemorando desta vez 10 anos de muita animação. Como o próprio nome diz, o grupo incrementa o carnaval de rua em Macaé, mas sem sair do lugar. Ou seja, os foliões brincam a valer mas no mesmo endereço: no ‘Buteco do Ivair’, no Visconde de Araújo, sob a direçao de Verônica Amado e Arildo. Assim, como acontece tradicionalmente, a concentração está marcada para ter início às 16h, em frente ao bar, repleta de atrativos, inclusive churrasco e muitos quitutes de botequim. A animação ficará por conta da Banda Zé Carioca, sob o comando do regente Alessandro Adolfo, executando as mais incrementadas marchinhas de carnaval e as divertidas composições do ‘Buteco do Ivair’. Os 12 componentes da banda vão tocar as composições peculiares dos anos anteriores e as belas marchinhas de sucesso nacional, como ‘Máscara Negra’, ‘Cabeleira do Zezé’, ‘Está Chegando a Hora’, ‘Cidade Maravilhosa’, ‘Pierrô Apaixonado’, entre outras.

O abadá mantém a tradição de prestar homenagem ao criador do bar, Ivair Amado, revivendo sua memória e lembrando suas histórias interessantes. Arildo informa que o abadá do Bloco está sendo vendido no próprio bar, composto de

um kit de camisa, sete cervejas e uma caneca personalizada pelo valor de R$ 45. CONCENTRA MAS NÃO SAI

O pré-carnavalesco Bloco "Concentra mas Não Sai" surgiu em janeiro de 2007

no ‘Buteco do Ivair’, no Visconde de Araújo, com a proposta de reunir os clientes e amigos no bar, para curtir o clima carnavalesco e muita animação. Um dos destaques desde a fundação é a composição de marchinhas relatando os mais diversos

assuntos que rolavam durante o ano no bar. Os compositores são Jamil, Gerson (falecido) e Alemão. Este ano, pela primeira vez, não haverá marchinha nova. Assim, a partir das 16h em frente ao bar, vai rolar muita animação com foli-

ões de todas as idades, incluindo crianças. As especialidades gastronômicas deste dia serão Dobradinha, Língua ao Molho, churrasquinho e caldos diversos, pratos de total criatividade feitos pela mestrecuca Verônica.

Buteco do Ivair Segundo Verônica Amado, o ‘Buteco do Ivair’ foi criado pelo próprio Ivair Amado há 40 anos. O bar funciona todos esses anos no mesmo endereço, sempre de terça a sábado, a partir das 17h. Arildo Maia Jardim informa que conviveu com Ivair cerca de 20 anos, desde que conheceu a esposa Verônica. “Ele era uma pessoa carismática, muito sincero - não sabia fazer cara bonita para quem não gostava -, mas tinha um coração muito bom”, declara o genro. HISTÓRIAS DE IVAIR

Arildo conta que Ivair fundou o Peladão do Ivair, que rolava todos os sábados, quando os ‘atletas’ passavam no bar cedinho para tomar café e pão com mortadela. “Ele gostava muito de whisky, e sempre que ia degustar uma dose convidava alguém para apagar uma vela”, contou.

Arildo lembra que, no momento que ele queria fechar o bar e ninguém saía, ele dizia: “vamos pagar quem está devendo, que eu quero dar uma saidinha”. Outra particularidade de Ivair era que não servia bebida para ninguém. Os próprios clientes se serviam. E quando chegava um cliente novo pedindo uma bebida, ele logo apresentava o freezer. E nunca levou calote. Atualmente, segundo ele, de vez em quando chega um frequentador relatando histórias incríveis dele. Outros, porém param na porta, mas não conseguem entrar por causa da emoção. A CONTINUIDADE DO BUTECO DO IVAIR

Quando Ivair Amado faleceu em 2009, os filhos queriam fechar o bar. Mas a filha Verônica disse que assumiria o desafio de prosseguir

em nome da memória do pai. “Tenho orgulho de continuar a caminhada do meu pai à frente do bar, e vou procurar fazer tudo que ele fazia”, afirma Verônica, acrescentando que tem cumprido o calendário de eventos que ele fazia, como o Último Pagode do Ano, que acontece sempre no dia 31, iniciando às 15h e encerrando por volta das 22h. Todos os tradicionais pratos do ‘Buteco do Ivair’ são encontrados até hoje. Verônica mantém o cardápio do tempo do seu pai, destacando-se as paneladas - costela com aipim, feijão sujo (mini-feijoada), galinha com quiabo, mocotó, dobradinha -, sendo os mais procurados a costela com aipim e o feijão sujo. Tudo é acompanhado por “maionese” (como Ivair chamava a farinha). Outro destaque é o evento "Queijos e Cachaça", que é realizado uma vez por ano.


12

CADERNO DOIS

O DEBATE DIÁRIO DE MACAÉ

Macaé, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

VIP'S por ISIS MARIA

“JESUS RESPONDEU: "O QUE É IMPOSSÍVEL PARA OS HOMENS É POSSÍVEL PARA DEUS" (LUCAS 18:27)

isismaria@odebateon.com.br

Aniversariante linda!!! A bela Juíza de Paz Denise Ferrari Cure esteve em clima de sorrisos,

Festa e carinhos

segunda-feira (13), por conta de sua troca de idade. A aniversariante cur-

tiu abraços e carinhos dos mais chegados. Felicidades, linda!!!

A bela aniversariante Denise com o marido Mario Sérgio Cure

Rodeada do carinho de familiares e dos coleguinhas, a linda Maria Celina Britto curtiu clima festivo pelos seus

10 anos, completados quintafeira passada (9). Sua mãe, Andréia Britto, incrementou uma bela comemoração na

escola onde ela estuda, com bolo e muita alegria. Parabéns, querida!!! Deus a abençoe!!!

A linda aniversariante Maria Celina em clima de festa pelos seus 10 anos de idade

Sonho e Magia Organizado pela empresária macaense Gabriele Gravina, o Bailinho da Sonho e Magia acontece no sábado (18), em prol do Grupo Renascer Costa do Sol (pessoas que sofrem com o câncer). A folia vai rolar na Rinha das Artes, vi-

sando divertir as crianças e trazendo para elas o mundo do carnaval de forma divertida, com palhaços, animadores, contadores de histórias, músicas e brincadeiras diversas. O cantor Pepinho estará nos presenteando com participação especial.

Além dele, vários nomes apoiam a iniciativa, como Jonathan (1925), artes gráficas e cobertura fotográfica. Os ingressos são vendidos na loja Sonho e Magia e na hora da festa. O valor do ingresso é R$ 10 (adulto) e R$ 5 (criança). A empresária Gabriele Gravina e grupo de crianças e adultos em preparativos para o Bailinho da Sonho e Magia

A empresária Iracema Alves Costa em visita à Crossfit Macaé, sendo recebida pela Coach Camile Moraes e Leonardo Crucillo, empresários que apostam nos atletas macaenses. Na foto com os atletas, Vanderlucia Marcia, da equipe RFC, que está se preparando para o WRK em março; e Vitor Santana, da equipe Team Striker, que disputará o Brasil Open Muay Thai em Niterói

AGENDA CULTURAL Big Brothers Cirkus Big Brothers Cirkus acampa próximo ao estacionamento do Shopping Plaza Macaé, levando até lá as mais divertidas atrações em um sensacional espetáculo recheado de brincadeiras, aventuras e muitas risadas, além de grandes sucessos, fazendo a alegria de espectadores de todas as idades. O espetáculo é repleto de malabarismos, acrobacias e muita magia artística. O espetáculo do circo mais super show de Os Vingadores, Frozen, Peppa e Minions tem ingresso em promoção por apenas R$ 9,90 (cadeiras laterais) e R$ 14,60 (cadeiras centrais), tanto para adultos quanto para crianças. Garanta seu ingresso através do www.bbcirkus. As sessões acontecem às 20h30 (durante a semana) e às 16h, 18h e 20h30 (sábados e domingos). ● SERVIÇO: Big Brothers Cirkus ● DATA: todo o mês de fevereiro ● LOCAL: Big Brothers Cirkus ao lado do Shopping Plaza Macaé ● HORÁRIOS das sessões: às 20h30 (durante a semana) e às 16h, 18h e 20h30 (sábados e domingos) ●O

de ingressos promocionais: R$ 9,90 (cadeiras laterais) e R$ 14,60 (cadeiras centrais)

● PREÇOS

Feira de Agricultura Familiar beneficiar tanto os produtores quanto a comunidade com os produtos de qualidade, acontece a 1ª Feira de Agricultura Familiar e Economia Solidária do Município de Macaé. O evento abre uma nova oportunidade de bons negócios na cidade. A Feirinha é realizada semanalmente, toda quarta-feira das 6h às 13h na Praça do Bairro da Glória, reunindo agricultores da cidade e região,

● VISANDO

e oferecendo seus excelentes produtos do município e região, numa promoção da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Município de Macaé, Coopmac. A Diretora Financeira e de Administração, Miria Marins, esclarece que a proposta deste evento é proporcionar maior renda aos produtores, e promover o escoamento de suas mercadorias, oferecendo melhor qualidade aos consumidores. ● SERVIÇO: Feira de Agricultura Familiar ● LOCAL: Praça do Bairro da Glória ● DATA: toda quarta-feira ● HORÁRIO: das 6h às 13h

A artista plástica Jomapina, que faz aniversário esta semana, nos preparativos para mais uma exposição de suas obras


Edição 9248 16 02 2017