Page 1

ESPECIAL

ACAPS PANSHOW 2018 R$ 306 MILHÕES EM NEGÓCIOS

D AONDE IR

Nº 157 • Setembro de 2018 • R$ 10,50 • esbrasil.com.br

A HOSPITALEIRA ITARANA

IMÓVEIS

VENDAS E CONFIANÇA CRESCEM. NOVA REALIDADE PARA O SETOR EDUCAÇÃO

COMO PREPARAR OS ALUNOS PARA UM NOVO FUTURO

POLÍTICA

RUMO AO ANCHIETA CANDIDATOS APONTAM URGÊNCIAS PARA O ES


SUMÁRIO

CAPA

6

Mercado imobiliário Depois de quase cinco anos de crise enfrentada pelo país, o setor imobiliário apresenta sinais de recuperação. As projeções mostram que a procura muitas vezes supera a oferta, e as construtoras correm para preparar mais lançamentos. Nesta edição, ES Brasil mostra um paralelo entre os mercados nacional e capixaba, e as instituições competentes apontam quais os melhores investimentos e o momento para comprar o “imóvel dos seus sonhos”.

14

ECONOMIA

Educação do futuro Especialistas garantem que 80% das profissões que serão demandadas pelo mercado em 2030 nem existem ainda. Então, como preparar crianças e jovens para um futuro tão incerto? Veja o que as escolas inovadoras têm feito para que seus alunos sejam capazes de acompanhar mudanças tão intensas e garantir um “lugar ao sol”. Os diferenciais tornam algumas instituições de ensino referências na arte de educar.

POLÍTICA

Rumo ao Palácio Anchieta

38

As urnas no Espírito Santo mostraram que o capixaba apostou mesmo na renovação. ES Brasil traz um panorama com os resultados na Assembleia Legislativa, na Câmara Federal e a surpreendente mudança no Senado, com a eleição de dois novatos na política. Você confere ainda uma análise de como o mercado internacional tem entendido e reagido ao processo eleitoral brasileiro.

44

EVENTO

Acaps Panshow 2018 Mais uma vez a Super Feira apresentou o melhor do segmento de supermercadistas e panificadores. O evento reuniu 23 mil pessoas, entre expositores e visitantes, e resultou no fechamento de R$ 306 milhões em negócios futuros fechados.

AONDE IR

Hospitaleira Itarana A 120 km da capital, Vitória, está Itarana, uma pequena cidade formada por vales e montanha e cercada de belezas naturais exuberantes. Situada na Região dos Imigrantes, é também um ponto de encontro dos amantes de esportes de aventuras. Confira o que há de mais bonito no município, que tem como pontos fortes o turismo religioso e a agroindústria familiar.

58

12

Agenda

18

Periscópio

22

Informe Totvs

26

Família S/A

28

Corecon

34

Mindset

48

Vitória Vista do Alto

52

Estilo

54

Motores

62

Essas Mulheres

64

Modus Vivendi

ARTIGOS 20

J ane Meri Santos

Associação entre a ocorrência dos sintomas da asma e a poluição do ar

24

 ustáquio Palhares E Mais que candidatos, a revelação do eleitor

60

A  rilda Teixeira Conjecturas enquanto outubro não chega…

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br

3


EDITORIAL

N

os últimos quatro anos, o mercado imobiliário precisou se desdobrar para sobreviver à crise. Mas em 2018, os sinais de recuperação das vendas já desenham uma nova realidade em que, em alguns casos, a procura tem se mostrado superior à oferta, o que incentiva as construtoras a apresentarem lançamentos. Além disso, há uma mudança no perfil de consumo. Saiba quais são os melhores investimentos e o momento ideal de adquirir um imóvel.

A crescente velocidade de mudança no mundo tem lançado um desafio enorme sobre as instituições de ensino: como preparar crianças e jovens para essa necessária disrupção? O que fazer diante de uma realidade em que 80% das profissões de 2030 ainda nem sequer existem? Confira os diferenciais que têm sido adotados por escolas capixabas para que se tornem verdadeiramente inovadoras. As eleições no Espirito Santo foram marcadas pela renovação. O eleitor capixaba modificou metade dos nomes para Assembleia Legislativa e também para Câmara dos Deputados. Mas a surpresa maior ficou mesmo por conta do Senado, com dois novatos na política. Preparamos uma matéria especial, com os resultados locais e também disputas nacionais. Agora é aguardar o segundo turno para ver quem ficará no comando da Nação.

ES Brasil é uma publicação mensal da Next Editorial. Seu objetivo é apoiar o desenvolvimento do Estado do Espírito Santo, apresentando conteúdos informativos e segmentados nas diversas vertentes empresariais.

www.nexteditorial.com.br

Diretor-executivo Mário Fernando Souza Diretora de Operações Julicéia Dornelas

EDITORIAL Editor Executivo: Mário Fernando Souza Coordenadora de conteúdo: Luciene Araújo Apoio de Redação: Mara Cimero Apoio de Produção: Bruna Schnerock Textos: Aline Pagotto, Fabricia Kirmse, Fernanda Neves, Luciene Araújo e Rodrigo Martins Edição de Arte: Fábio Barbosa, Hobberson Miranda e Michel Sabarense Fotografia: Renato Cabrini, fotos cedidas e arquivos Next Editorial Colaboraram nesta edição: Arilda Teixeira, Eustáquio Palhares e Jane Meri Santos

PUBLICIDADE

Este mês, a hospitaleira Itarana é nossa sugestão de “Aonde Ir”. Cercado por belezas naturais, o pequeno município na Região dos Imigrantes, a 120 km de Vitória, é também um ponto de encontro dos amantes de esportes de aventuras. Confira o que há de mais bonito no município, que tem como pontos fortes o turismo religioso e a agroindústria familiar.

Executiva de Contas Sandra Costa Apoio comercial Letícia Oliveira

Também trouxemos uma matéria sobre a Super Feira Acaps Panshow, que pela 32ª vez consecutiva apresentou o que de mais moderno e de melhor qualidade têm movimentado o setor de supermercadistas e panificadores. O sucesso do evento pode ser traduzido em único número: R$ 306 milhões de negócios futuros fechados.

MERCADO LEITOR

E você confere ainda nesta edição artigos de Arilda Teixeira, Eustáquio Palhares e Jane Meri Santos, além de agenda de eventos, dicas de livros, filmes e música. Boa leitura! Mário Fernando Souza, diretor-executivo da Next Editorial e editor executivo da ES Brasil

(27) 2123-6506 – publicidade@nxte.com.br Apoio Logístico: Alessandra Salles Assinatura: (27) 2123-6525 Serviço de Atendimento ao Assinante: Segunda a sexta-feira: das 9h às 18h loja.esbrasil.com.br | Chat

REDAÇÃO Endereço: Avenida Paulino Müller, 795, Jucutuquara, Vitória/ES – CEP 29040-715 Informações e sugestões: (27) 2123-6500 98121-4321 (27) 98147-5951 E-mail: redacao@nxte.com.br

OPINIÃO DO LEITOR

4

“A revista ES Brasil consegue reunir muita informação de qualidade com excelente texto e moderno visual. As matérias especiais me permitem entender melhor a realidade política e econômica do Espírito Santo. Ah, e tem artigos que também são muito bons. Ler a ES Brasil é uma hora de entretenimento e informação. Vale a pena.”

“A matéria ‘Meu amigo pet’, da edição 155, ficou muito boa. Temos três cães e dois gatos em casa e sabemos bem que os animais passam mesmo a fazer parte de nossa família. A matéria ilustrou bem o significado dos bichos em nossa vida e apresentou produtos e serviços que a gente nem sabia que já estavam no mercado. Parabéns, ES Brasil.”

Francisco Carlos de Lima, bancário aposentado

Keven Sonhegheti, estudante universitário

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

esbrasil.com.br

esbrasil.com.br/digital

radio.esbrasil.com.br

LOJA.

.COM.BR


MERCADO

RODRIGO MARTINS

MERCADO IMOBILIÁRIO VOLTA A INSPIRAR CONFIANÇA PROCURA POR EMPREENDIMENTOS NA REGIÃO METROPOLITANA DO ESTADO SE DESTACA APRESENTANDO EXPECTATIVA DE CRESCIMENTO CONTEÚDO DISPONÍVEL EM VÍDEO

M

uito avesso à crise, o mercado imobiliário vem demonstrando um otimismo sem paralelo. Principalmente no ano de 2018, as projeções mostram que a queda na demanda não existe mais. O que vemos hoje é justamente o contrário; a procura muitas vezes supera a oferta, e as construtoras correm para apresentar mais lançamentos ao público. “De 2012 para cá, as empresas fizeram um reajuste de tamanho devido ao retrocesso. Antes possuíamos um volume de 32 mil unidades em construção, hoje caiu para 12 mil unidades. Chegamos a ter 64 mil empregos em 2012 e em 2018 esse número atingiu os 34 mil. Entretanto, o que se espera para 2019 é que esses números aumentem, o que representa um bom nível de confiança que está sendo retomado pelo mercado imobiliário”, explica Paulo Baraona, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Espírito Santo (Sinduscon-ES). Uma das variáveis que podem afetar esse crescimento são as eleições deste ano, de acordo com o dirigente. Uma vez que o presidente da República escolhido pelas urnas continue com as propostas de reforma que estão em pauta atualmente, no Congresso, esse panorama de avanço tende a continuar. 6

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

“O Brasil precisa que as reformas continuem. O país começa todo ano com um déficit de mais de R$ 200 bilhões por causa da Previdência. É a mesma coisa que uma empresa começar o ano devendo. Nós temos esse problema, então todos nós sabemos que é imprescindível que as reformas continuem. Se elas continuarem, independentemente de quem seja o presidente, evidentemente que o mercado vai sentir segurança para seguir investindo. O que não pode é o governo gastar mais do que arrecada”, ressaltou o presidente do Sinduscon. Segundo Baraona, “com os juros relativamente baixos, em relação aos patamares anteriores, consequentemente o imóvel se torna um investimento seguro e acessível. Desde as construções do Minha Casa Minha Vida, que representam hoje cerca de 65% dos lançamentos, até os apartamentos de dois quartos, hoje em dia os mais procurados, principalmente, pela classe B, de jovens por volta dos 35 anos profissionais liberais e que estão começando a constituir seus núcleos familiares”.


TENDÊNCIAS Quanto às novas tendências do mercado que estão surgindo, Paulo ressalta que “uma das grandes mudanças é que os apartamentos estão se tornando cada vez mais compactos, o condomínio passará a ter restaurante e áreas comuns, o apartamento servirá apenas como quarto. Essas tendências vêm se firmando através das mídias sociais, e o empresário precisa prestar atenção, elas chegam com muita velocidade, e isso modifica um pouco a configuração da residência”. Em contrapartida, existe aquela parcela conservadora, que ainda busca imóveis mais tradicionais. “Nós precisamos ficar atentos a essas tendências, como essas mudanças vão repercutir no mercado. Isso somente as pesquisas poderão dizer e, a partir daí, encaminhar as decisões das empresas, que são absolutamente particulares.” Um bom exemplo das novidades que começam a chegar ao mercado imobiliário é o WL Prime, próximo lançamento da WL

“É um momento bom para quem está querendo comprar e financiar, um momento bom para negociar com os bancos, pois eles estão disponíveis para trazer taxas melhores e estão com recurso para isso” Sandro Carlesso, presidente da Ademi-ES

Empreendimentos. Carlos Eduardo Calmon, arquiteto re sp on s áve l p e l a moderna e luxuosa construção, situada na Praia do Canto, em Vitória, explica o conceito adotado em torno dessas novas tendências para a elaboração do projeto. “S e r ã o a p a r t a mentos de dois quartos, grandes ou compactos, dentro de uma mesma torre. O conceito desse empreendimento é fazer um residencial butique, com um design moderno, uma linha arquitetônica diferenciada, não encontrada nos outros empreendimentos da Praia do Canto, uma espécie de produto exclusivo, agregando valor, utilizando tecnologia e design”, explica o arquiteto. De acordo com Carlos Eduardo, “este será um dos primeiros empreendimentos a ser entregues na região da Grande Vitória com sistema automatizado e tecnologia de ponta. Permitirá que o proprietário, através de um tablet, automatize a televisão, o ar-condicionado, a cortina etc. Terá, também, um sistema de aspiração central na torre, que dispensará o aspirador de pó em casa; é só varrer para o rodapé, perto da parede, que o sistema central consegue aspirar o apartamento todo”.

“O imóvel é um investimento seguro. Toda construtora, hoje, está lançando com responsabilidade, isso provoca um mercado equilibrado, que favorece a todos” José Luís Galvêas, presidente da Galwan

Outra grande novidade, e que segundo especialistas será a partir da agora mais comum nos lançamentos, são as vagas de garagem adaptadas para tomadas de carro elétrico. “No WL Prime, cada unidade terá duas vagas, sendo que uma delas com disponibilidade de estação de recarga para carros elétricos, bastando instalar o bocal”, informa Carlos. Tendência também marcante e que estará presente nesse lançamento é o business lounge no acesso principal. Segundo os construtores, o lobby. No caso, a recepção do prédio, que em grande parte é um espaço pouco utilizado nas construções contemporâneas, vai se transformar num ambiente comum, um espaço gourmet bem versátil, onde o proprietário do imóvel poderá atender tanto o visitante quanto um cliente,

IMÓVEIS COMPACTOS EM ALTA A análise do Índice Ademi-ES/ VivaReal do mês de julho de 2018 apresentou crescimento do interesse do público capixaba por imóveis compactos. No comparativo com o mês anterior, a busca cresceu 35,29% em Vitória e 72% em Vila Velha.

VITÓRIA

VILA VELHA

jun/2018

jun/2018

Demanda: 3,4%

Demanda: 2,5%

Oferta: 3,7%

Oferta: 1,4%

jul/2018

jul/2018

Demanda: 4,6%

Demanda: 4,3%

Oferta: 3,8%

Oferta: 1,4% Crescimento

Crescimento

35,29%

72%

Fonte: Ademi-ES/VivaReal

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br

7


MERCADO DEMANDA E OFERTA PARA VENDA NO ES / Nº DE DORMITÓRIOS Residenciais verticais – Julho/2018 ESPÍRITO SANTO Tipos Demanda (%) 1 dormitório 5,2 2 dormitórios 38,1 3 dormitórios 43,7 4 dormitórios ou + 13

Oferta (%) 2,7 37,3 39,7 20,3

VITÓRIA Tipos Demanda (%) 1 dormitório 4,6 2 dormitórios 26,6 3 dormitórios 52,9 4 dormitórios ou + 15,9

Oferta (%) 3,8 32,2 46,7 17,2

VILA VELHA Tipos Demanda (%) Oferta (%) 1 dormitório 4,3 1,4 2 dormitórios 44,1 37 3 dormitórios 39 38 4 dormitórios ou + 12,6 23,5

O empreendimento WL Prime é o primeiro no Estado totalmente automatizado e está localizado na Praia do Canto

Fonte: Ademi ES/Viva Real

um fornecedor ou, até mesmo, sócios para diferentes tipos de reunião, seja formal, seja informal. Esse ambiente pode ser utilizado de três maneiras, como churrasqueira, como salão gourmet ou como sala de jogos, onde a mesa de sinuca vira também uma mesa de jantar”, detalha Luiz Eugênio Pacheco, gerente comercial da WL Empreendimentos. Nesse caso, o espaço gourmet se transforma numa extensão do apartamento. “É uma tendência que, cada vez mais,

vem sendo um diferencial na hora da compra do imóvel próprio. Os consumidores, em sua maioria adultos jovens, na faixa dos 30 anos, iniciando uma vida independente, das classes A e B, profissionais liberais, estão à procura de prédios onde a recepção de visitantes possa ocorrer em áreas comuns, e o apartamento seja utilizado apenas como sua residência, para dormir e interagir com o núcleo familiar”, completa Luiz Eugênio.

“O conceito desse empreendimento é fazer um residencial butique, com um design moderno, uma linha arquitetônica diferenciada” Carlos Eduardo Calmon, arquiteto responsável pelo WL Prime

8

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

AQUECIMENTO Em relação à demanda, é senso comum que ela vem aumentando de modo gradativo, sobretudo neste ano de 2018, diferentemente dos estoques de imóveis, cada vez mais baixos. Samir Ginaid, diretor comercial da Lorenge, atribui esse crescimento da procura a uma mudança no cenário econômico

nacional, que vem favorecendo o consumo desse tipo de bem. “Essa é uma demanda orgânica. Com crise ou sem crise, as pessoas continuam casando, os filhos saindo de casa... O cenário de juros vem melhorando muito e a inflação também, a estabilidade da inflação já é uma realidade. Nós vivemos um ou dois anos atrás, num cenário de inflação alta; hoje em dia, não tem expectativa disso, e sim de uma inflação dentro da meta ou abaixo dela”, explica. Em contrapartida, com essa queda dos juros que rentabilizam o dinheiro do investidor, o mercado não é mais propício para quem quer deixar o dinheiro parado no banco rendendo. “A possibilidade de pegar um empréstimo com melhor taxa, tendo mais crédito, mais banco emprestando, estimula o apetite das pessoas que estão nessa esperança. É um momento que ajuda o crédito positivo. No auge da crise o banco retraiu e só estava procurando o cliente corporativo, reservando dinheiro para grandes negócios. Com a tendência dos juros baixos, os bancos voltaram a procurar o cliente final, voltando para o varejo, o que torna otimista o cenário atual”, pondera o diretor.


11.487

12.500

dez/16

jun/17

16.493 jun/16

19.723 nov/15

27.077 out/14

25.700

28.733 mai/14

abr/15

29.688 nov/13

jan/15 25.272

30.695 mai/13

35.234 mai/12

nov/12 33.632

33.191 nov/11

mai/11 33.374

32.336 nov/10

28.219 nov/09

26.614

26.174 jun/09

mai/10

26.757 nov/08

19.225 nov/07

mai/08 23.081

17.207 mai/07

nov/06 15.209

mai/06 14.581

SÉRIE HISTÓRICA - UNIDADES EM PRODUÇÃO

Fonte: 32º Censo Imobiliário/Julho 2017 – Sinduscon-ES

A grande retomada do consumo se deu, majoritariamente, no residencial e, dentro do residencial, em algumas regiões mais caras, de crescimento mais consolidado, onde existe maior procura. “No Espírito Santo, a gente está há um bom tempo sem novos negócios, nosso ciclo é de 24, 36 meses. O estoque já é bem baixo, a vacância aqui no Estado é bem pequena. Entenda-se vacância os imóveis vazios, disponíveis, principalmente, em Vitória e nas regiões mais nobres de Vila Velha”, analisa Ginaid. Entretanto, os números começam a ficar mais otimistas. De acordo com o levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), elaborado pela Brain – Bureau de Inteligência Corporativa, em parceria com as entidades locais Ademi-ES e o Sinduscon-ES, no período de janeiro a

Solar Mata da Praia, empreendimento que a Galwan está lançando na Mata da Praia. A velocidade das adesões mostrou que o mercado está em processo de retomada

“Se elas (as reformas) continuarem, independentemente de quem seja o presidente, evidentemente que o mercado vai sentir segurança para continuar investindo” Paulo Baraona, presidente do Sinduscon-ES junho deste ano, nota-se uma curva de crescimento consistente das vendas. O primeiro trimestre encerrou com 838 unidades comercializadas na Grande Vitória, enquanto que no segundo foram 1.142, um incremento de 36%. No âmbito nacional, a expansão das vendas entre o primeiro trimestre e o segundo ficou

em 15%, incluindo os dados locais. Foram comercializadas 25.394 unidades de janeiro a março e 29.951 de abril a junho, em todo o Brasil. Procurar um imóvel, hoje, na Praia do Canto, Jardim Camburi e Enseada do Suá não é tão fácil quanto já foi no passado. “Especialmente quando o comprador acaba sendo o usuário final. O investidor se retraiu muito nos últimos tempos devido aos juros altos. Quem passou a comprar do último ano para cá foi o usuário final, a família querendo morar. Sendo assim, normalmente, quando um prédio é entregue, em pouco tempo já está todo ocupado”, conta o diretor comercial. “Somente a Lorenge, em 2018, já entregou quatro empreendimentos consecutivos, mais de 600 unidades em pouquíssimo tempo, unidades residenciais de alto padrão. Ainda neste ano, entregaremos um grande edifício residencial em Guarapari praticamente todo ocupado, que deve ser preenchido até o próximo verão, e outro em Cariacica, fechando o ano com seis entregas”, conclui Samir. ANÁLISE Para José Luís Galvêas, presidente da Galwan, as vendas, claro que numa proporção bem menor do que em 2012, estão crescendo, influenciadas por três pontos. O primeiro é que os estoques, gerados daquele excesso de construção que aconteceu lá atrás, foram sendo consumidos e, recentemente, já observamos o equilíbrio que sempre existiu no mercado capixaba. O mercado do Espírito Santo foi inflado por empresas de fora do Estado que vieram e produziram muito mais do que a demanda comportava.

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br

9


MERCADO

“Os consumidores, em sua maioria adultos jovens, na faixa dos 30 anos, iniciando uma vida independente, das classes A e B, profissionais liberais, estão à procura de prédios, onde a recepção de visitantes possa ocorrer em áreas comuns e o apartamento seja utilizado apenas como sua residência” Luiz Eugênio Pacheco, gerente comercial da WL Empreendimentos

Seguindo a linha de raciocínio, Galvêas argumenta que o segundo ponto é que o imóvel apresenta-se como um bom investimento, mas, independentemente disso, é um produto de necessidade. “Uma pessoa que comece sua vida possui dois grandes sonhos. O primeiro é comprar um carro e o segundo, um apartamento. Então o mercado imobiliário sempre vai existir para atender à necessidade.”

10

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Por fim, ele conclui que o terceiro e último ponto se deve ao fato de estarmos passando por um momento de muita incerteza. “Apesar de os juros terem baixado, existe uma incerteza muito grande no mercado que é refletida na bolsa de valores e na cotação do dólar. A crise política, nas devidas proporções, lembra 2002, quando o dólar chegou a valores estratosféricos. O mercado vai ficar flutuando em função das especulações até as eleições deste ano.” De acordo com o presidente da Galwan, o imóvel é um investimento seguro, por isso é possível ter uma expectativa muito boa do mercado imobiliário. “As construtoras estão cuidadosas em relação a lançamentos. Toda construtora, hoje, está lançando com responsabilidade, isso provoca um mercado equilibrado, que favorece a todos.” Analisando o cenário atual, Sandro Carlesso, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Espírito Santo (Ademi-ES), ratifica: “O mercado vem retomando as vendas de modo devagar. Os lançamentos cresceram do início do ano para cá, mas num ritmo muito lento, porque dependem muito da confiança do comprador. Todos os bancos, hoje, estão querendo fazer financiamento, praticando políticas de taxas baixas, até mesmo competindo entre si. É um momento bom para quem está querendo comprar e financiar, um momento bom para negociar com os bancos, pois eles estão disponíveis para trazer taxas melhores e estão com recurso para isso”.


AGENDA

18 A 21 DE OUTUBRO 11 DE NOVEMBRO

5ª EDIÇÃO DA TRAVESSIA JOÃO MORENO Realizada desde 2014, a 5ª edição da Travessia João Moreno acontece no dia 11 de novembro, na Praia da Sereia, em Vila Velha. A prova, parte do calendário oficial da cidade em homenagem a João Moreno, que desembarcou em 1535 no município e vigiava a movimentação das capitanias de Vasco Fernandes Coutinho, tem o objetivo de promover interação entre nadadores experientes ou amadores e de todas as faixas etárias, valorizando as práticas esportivas e o bem-estar. Serão disputadas quatro provas em águas abertas. As tradicionais distâncias são 1 km, 2,5 km e 5 km e uma voltada para crianças, com 150 metros. Ainda há provas de duatlo (natação e corrida), stand up paddle e canoa havaiana, entre outras. As inscrições podem ser feitas pelo site www.rrbeventos.com.br. Além disso, o interessado deverá doar 1 kg de alimento não perecível, que será encaminhado a instituições filantrópicas. 1º DE NOVEMBRO

ELBA, ALCEU E GERALDO JUNTOS NOVAMENTE Há duas décadas um encontro pra lá de especial entre Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo bateu a marca de um milhão de discos vendidos e colocou seus intérpretes no topo das paradas do país. Os três se reúnem desta vez no projeto “O Grande Encontro – 20 Anos”, para interpretar 29 canções em solos, duos e trios, incluindo clássicos da MPB, música nordestina e faixas inéditas. A única e imperdível apresentação, no dia 1º de novembro, às 22 horas, no Espaço Patrick Ribeiro, na área de eventos do Shopping Vila Velha, comemora a vitoriosa primeira edição desse encontro em 1996. Os ingressos podem ser adquiridos nas lojas Metal Nobre (Grande Vitória), no site www.tudus.com.br ou na bilheteria do local. 12 E 13 DE NOVEMBRO

18º SALÃO SABORES NO CENTRO DE CONVENÇÕES DE VITÓRIA O Sabores 2018, Salão Técnico e de Negócios em Gastronomia e Hotelaria do Espírito Santo, será realizado nos dias 12 e 13 de novembro, no Centro de Convenções de Vitória, em Santa Lúcia. O evento tem como objetivo estimular o crescimento profissional e econômico dos setores de bares, restaurantes e hotelaria e traz este ano a combinação entre capacitação profissional e geração de negócios, atendendo aos mais exigentes empresários e profissionais dos segmentos. O Salão Sabores é uma realização do Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares), em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Estado (Abrasel-ES), Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) e Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Espírito Santo (ABIH-ES). 12

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

25ª EDIÇÃO DO SALÃO DO IMÓVEL ADEMI-ES A Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Espírito Santo (Ademi-ES) promoverá o tradicional Salão do Imóvel, que acontece há 25 anos consecutivos na Grande Vitória. O evento será realizado no estacionamento do Shopping Vitória e colocará à venda, entre os dias 18 e 21 de outubro, diversas opções de casas, apartamentos, lotes e salas comerciais. Serão 2.300 m² de área expositiva, acompanhando os novos padrões de consumo do momento atual. O local incluirá ainda espaço kids e área gastronômica para maior conforto e comodidade dos visitantes. O evento será realizado de quinta a sábado, das 10h às 22h, e no domingo, das 10h às 20h. A entrada é gratuita.

19 A 21 DE OUTUBRO

I OKTOBERFEST MOVIMENTA O PARQUE DA PRAINHA Criada pelo rei bávaro Ludwig I para celebrar seu casamento, em 1814, o tradicional festival de cervejas, celebrado em Munique, na Alemanha, acontece no parque da Prainha, em Vila Velha, dos dias 19 a 21 de outubro. Haverá apresentações e intervenções culturais típicas alemãs. A expectativa é que a I Oktoberfest atraia cerca de 20 mil visitantes e mostre um pouco sobre a cultura, já que Espírito Santo é uma das maiores colônias alemãs no Brasil. O evento é promovido pela Prefeitura de Vila Velha, em parceria com a Sold Out Produções. Entrada gratuita.

31 DE OUTUBRO

PRÊMIO FAROL DO BEM SINDIFER-ES Voltado para projetos que contribuam de maneira positiva para o meio ambiente, economia e qualidade de vida nas categorias “Organizações”, “Voluntariado” e “Talento Capixaba”, o Prêmio Farol do Bem, uma iniciativa do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer-ES), surgiu para valorizar projetos nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, ação social, inovação, esporte, cultura, política, educação e ciência. As inscrições vão até 10 de outubro, e pessoas físicas e jurídicas podem participar. Os interessados deverão entrar no site www.sindiferes.com.br para retirar a ficha de inscrição; os vencedores serão conhecidos no dia 31 do mesmo mês.


EDUCAÇÃO

FABRÍCIA KIRMSE E LUCIENE ARAÚJO

Estudantes do Sesi-ES vencedores do desafio de robótica na indústria, na Olimpíada do Conhecimento, representam o Estado na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR)

DIFERENCIAIS QUE INOVAM DE VERDADE NO DESAFIO DE PREPARAR OS ALUNOS PARA UM FUTURO AINDA DESCONHECIDO, ESCOLAS PRECISAM MUDAR A CULTURA DE ENSINO

A

crise econômica vivenciada no Brasil nos últimos três anos tem impacto, claro, na educação. Considerando que as famílias precisam reorganizar seu orçamento doméstico, diminuindo os gastos mensais, faz-se ainda mais necessário que as escolas desenvolvam um trabalho diferenciado que justifique o investimento em uma unidade de ensino particular. “Em meio à crise, a escola particular concorre necessariamente com a pública e com unidades que tenha mensalidades mais baratas. Vale lembrar que, com os problemas econômicos do país, muitas crianças acabaram indo para as redes municipal e estadual. Por isso, mais do que nunca, as instituições privadas precisam repensar seu modo de atuação e criar diferenciais”, analisa o psicopedagogo, neuroeducador e diretor da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Colorir, José Eugênio Castro Fernandes. No atual contexto, a escola deve rever sua parte financeira buscando não comprometer a qualidade dos serviços oferecidos. “Essa situação econômica impacta a vida da própria instituição de ensino, que deve buscar ajustar os custos da empresa sem comprometer a qualidade do trabalho pedagógico desenvolvido. É necessário também manter uma relação estreita com as famílias a fim de conhecer suas realidades e, dentro do possível, propor atendê-las em suas necessidades”, pontua a psicóloga e diretora da Grão de Areia Educação Infantil, em Vila Velha, Waleska Brunelli.

14 14

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

“É necessário também manter uma relação estreita com as famílias a fim de conhecer suas realidades e, dentro do possível, propor atendê-las em suas necessidades” - Waleska Brunelli, psicóloga e diretora da Grão de Areia Educação Infantil

Um importante desafio, segundo a diretora, é manter as famílias dos alunos sempre próximas das escolas e informadas em relação às atividades desenvolvidas no dia a dia em sala de aula. “Assim, possibilitamos que os familiares do aluno reconheçam os diferenciais da instituição”, explica.


O psicopedagogo José Eugênio Castro Fernandes concorda. “Ampliar a participação dos pais é uma das premissas nestes tempos em que a maioria dos pais e mães trabalham fora. A criança passa mais tempo no espaço escolar. Ainda assim, os pais devem estar presentes por meio de momentos prazerosos na escola, favorecendo sua participação na formação dos filhos”, diz o especialista E, para que a qualidade do serviço oferecido seja mantida, ainda que em meio à crise econômica, a gestão escolar deve estar atenta aos âmbitos administrativo, financeiro e, claro, pedagógico. “Todos os funcionários devem participar desse processo, independentemente dos setores em que trabalham. Por exemplo, o porteiro, no atendimento e recepção dos alunos e suas famílias, a coordenação pedagógica, na implementação dos projetos pedagógicos com os funcionários, o professor e os auxiliares de turma na atuação educativa com os alunos, entre outros”, assinala Waleska. Eugênio enfatiza que não se pode abrir mão da preparação do professor para a nova realidade. “Temos de ter um professor mais flexível, que agregue valores à instituição, que esteja aberto a aceitar as diferenças, as mudanças sociais, e até agregar novos valores à sua própria vida por meio do local de trabalho”, pondera. REFERÊNCIA O percurso até se tornar uma instituição que é referência em educação é longo e árduo. A Grão de Areia, por exemplo, tem 24 anos no mercado, e a diretora diz que, em sua trajetória, foi e é essencial aprimorar sempre o trabalho, estando atento à avaliação feita pelas famílias dos alunos, levando em consideração suas sugestões e críticas. “O espaço educacional é um ambiente eminentemente coletivo, mas que não pode perder o olhar para a individualidade dos alunos e também de suas famílias”, analisa Waleska Brunelli.

“Estudos apontam que jovens que se destacaram como excelentes alunos e tinham alto potencial de empregabilidade acabaram não conseguindo o mesmo destaque na carreira, pois tinham dificuldade de relacionamento” Adriana Selga Borges, diretora escolar do Centro Educacional Primeiro Mundo

QUALIDADE DO ENSINO PARTICULAR DO ESPÍRITO SANTO 2º lugar no ranking nacional, atrás somente de Minas Gerais

Empregabilidade na 4ª revolução industrial até 2022

Alunos do 3º ano

58 milhões - novos postos de trabalho

Português 28,57% dos alunos não atingem o nível básico de conhecimento. Apenas 7,94% conquistaram notas adequadas

Matemática 30,95%

têm nível adequado

50,4%

75 milhões - postos de trabalho em risco 133 milhões - postos para especialistas em inteligência artificial, big data e novas tecnologias

básico

Apenas 18% não aprenderam o suficiente

Fonte: MEC / Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), edição 2017, divulgado em agosto desse ano.

Ela ressalta que o lado humano é essencial na condução de uma gestão escolar. “Um constante desafio é aliar a ação profissional a uma ação educativa humana e afetiva. É fundamental ter atenção às características e necessidades individuais dos alunos, adequando o trabalho quando necessário, mas sem perder de vista a visão de trabalho com o grupo (turma).” Lembra ainda que é muito importante também investir na educação continuada da equipe, estar atento às mudanças de normas e exigências legais, como a Base Nacional Comum Curricular, lançada no fim de 2017, que deve nortear o trabalho das escolas. José Eugênio Fernandes acrescenta o diferencial que uma escola referência não pode abrir mão. “A instituição precisa produzir na criança a felicidade de estar na escola, promover nos alunos um processo de instrumentalização da esperança, da crença na conquista dos objetivos mesmo na realidade difícil que vivemos no país. Precisa ser uma escola humanista, em que o ser humano seja a referência. Que a criança seja efetivamente socializada, ensinada no dia a dia a conviver com as diferenças, preparada para ser cidadã do mundo.” INOVAÇÃO Outro aspecto relevante para que a escola ofereça atendimento e ensino de qualidade é pensar a educação considerando os temas inovação e sustentabilidade. “No nosso caso, isso é bastante desafiador, visto que nosso atendimento é na educação infantil. Em contrapartida, promover uma educação integral que envolva ações de educação ambiental e sustentabilidade com crianças tão novas é de suma

importância para a formação delas como sujeitos éticos e comprometidos com o bem-estar da coletividade”, analisa a diretora da Grão de Areia. Eugênio Fernandes reforça que garantir a acessibilidade à tecnologia e tornar os temas mais atuais, como sustentabilidade e inovação, parte do cotidiano, são medidas essenciais à toda instituição de ensino. “As questões socioambientais devem permear a proposta pedagógica. Assim, o aluno vai ter um preparo real para a vida.” Um dos caminhos inovadores encontrados pela escola dirigida por Waleska Brunelli foi desenvolver um projeto de educação financeira com uma empresa parceira. “Inicialmente, uma questão que emergiu em nossa equipe foi ‘como falar de educação financeira para crianças tão novas, sem necessariamente falar em dinheiro?’”, recorda. A resposta que a equipe encontrou foi trabalhar os temas solidariedade e sustentabilidade, que estão ligadas a questões de natureza econômica. “O projeto que estamos desenvolvendo já há três anos envolve formação da equipe, mobilização das famílias e, de forma especial, a participação de nossos alunos em ações solidárias e sustentáveis”, conta. Um exemplo foi a apresentação de uma peça teatral de alunos dos Grupos 3 sobre a temática ambiental para as famílias da escola, sendo que o ingresso era leite em pó, posteriormente doado a uma instituição de atendimento a crianças carentes. “Os alunos puderam ver que o resultado do trabalho deles possibilitou desenvolver uma ação solidária. Aliamos, radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 15


EDUCAÇÃO assim, sustentabilidade e solidariedade num único projeto. Isso entendemos por inovação pedagógica”, afirma. VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL Não dá dúvida para especialistas da educação de que uma equipe atualizada e que se sente valorizada desenvolve com muito mais qualidade o seu trabalho. “Entendemos que uma forma de valorizar o profissional é assegurar que ele seja ouvido e que suas opiniões e sugestões sejam consideradas para aprimoramento do trabalho da escola”, destaca Waleska Brunelli. Ela ressalta ainda os professores e auxiliares têm sempre a oportunidade de participar de encontros formativos e que há um constante diálogo com a equipe técnica da escola (que inclui psicólogo, pediatra, nutricionista e pedagoga), discutindo temas pertinentes ao trabalho desenvolvido com os alunos. “É preciso comunicação entre os membros da equipe, uma sinergia. Tem que haver uma gestão descentralizada, com participação de todos os envolvidos no processo, valorizando a importância de cada profissional que faz parte da escola”, assinala o psicopedagogo Eugênio Fernandes. CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO Se já temos alguns prognósticos e suposições sobre que mudanças podemos esperar de um futuro não muito distante, ainda há também muita dúvida em relação a quais serão, de fato, as novas demandas do mercado. Alguns especialistas garantem que 80% dos empregos que existirão em 2030 ainda não são nem conhecidos. Diretora escolar do Centro Educacional Primeiro Mundo, Adriana Selga Borges enfatiza que as escolas enfrentam o desafio de se adequar a um futuro ainda cheio de incertezas. “Como capacitar crianças e jovens diante de uma velocidade tão intensa de mudanças? De verdade, ainda não sabemos o que eles irão fazer, que profissionais serão e em que áreas de atuação estarão alocados nos próximos anos. Então, precisamos trabalhar numa perspectiva de competência”, analisa. A ideia agora é formar pessoas não apenas com a capacidade de dominar técnicas de trabalho, mas também com habilidades mais abrangentes, incluindo competência para se relacionar com os outros e com as dificuldades do dia a dia. “Temos estudado pesquisas que

“A criança passa mais tempo no espaço escolar. Ainda assim, os pais devem estar presentes por meio de momentos prazerosos na escola, favorecendo sua participação na formação dos filhos” – José Eugênio Castro Fernandes, psicopedagogo e diretor da Oscip Colorir 16

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

acompanharam jovens desde o início da escolaridade até os primeiros anos de atividade profissional, e muitos deles, que se destacaram como excelentes alunos e tinham alto potencial de empregabilidade, acabaram não conseguindo o mesmo destaque na carreira, pois tinham dificuldade de relacionamento”, pontua a diretora. Segundo Adriana Borges, muitos que dominavam a técnica não eram capazes de construir soluções rápidas para problemas que não estavam previstos. “Hoje, ser competente é ter capacidade de mobilizar o conhecimento pessoal, as habilidades que você possui para resolver as demandas de uma vida que não é mais simples, uma vida que tem uma complexidade grande e que depende de outros saberes que não apenas os ligados ao tecnicismo”, assinala. Quanto à incapacidade de flexibilizar as relações, de ser mais maleável na busca por soluções, Adriana avalia que é também consequência do próprio modo de vida de crianças e adolescentes da atualidade. “Nas gerações mais antigas, havia uma televisão para toda a família. Na hora do almoço e jantar, as pessoas, via de regra, estavam juntas ou ao menos no fim de semana. Havia um banheiro na casa e a necessidade de negociar, inclusive, quem tomaria banho primeiro. Até o canal de televisão que seria assistido era negociado. Era preciso fazer acordos dentro de casa, que nem sempre eram consensuais. Mas fomos aprendendo a lidar com o confronto e com as frustrações”, explica Adriana. Hoje, nas classes mais altas, cada criança tem seu quarto, sua TV, seu celular, seu computador, seu banheiro, seu espaço e sua individualidade totalmente preservada desde bem nova. “Muitos jovens não estão acostumados à negociação. Não são ‘treinados’ para ceder, para lidar com situações que não queiram lidar. Isso pode levar a um egocentrismo que gera dificuldades na hora de se adaptar a um emprego”, conclui a diretora. CONEXÃO COM O FUTURO Na busca por preparar crianças e adolescentes para essa desrupção, para estarem aptos a tantas e constantes mudanças, a aposta da Rede Sesi de Educação é agregar diferenciais à grade curricular, desde o infantil até as turmas de ensino médio. A rede, que já oferece as disciplinas de Empreendedorismo e Robótica, desenvolveu três novos projetos para 2019: o Programa de Orientação Profissional (POP), a Educação Maker e o Ensino Bilíngue. “O Sesi já realiza um trabalho ao longo dos anos em relação à competência de empreendedorismo como componente curricular, que ajuda as crianças a desenvolverem suas habilidades. Com esses novos projetos, que possuem características específicas, mas que se unem, a ideia é potencializar essas métricas da escola”, destaca a diretora de Educação do Sesi-ES, Priscilla Marques. O Fórum Econômico Mundial publicou, no dia 17 de setembro, o relatório “Future of Jobs 2018”, mostrando que, entre a extinção e a criação de novos empregos na era da 4ª revolução industrial, o saldo é positivo. Segundo o documento, serão 58 milhões de novos postos de trabalho ao longo dos próximos quatro anos. Até 2022, a automação vai colocar em risco 75 milhões ocupações associadas a tarefas como contabilidade, secretariado, serviço a clientes, entre outros, mas a integração tecnológica exigida pela chamada manufatura avançada criará novos papéis: num primeiro momento, serão necessários mais cientistas e analistas de dados; depois haverá necessidade de mais especialistas em inteligência artificial, big data e novas tecnologias, abrindo 133 milhões de postos de trabalho.


“São exigidas cada vez mais pelo mercado novas habilidades e conhecimento dos profissionais muito além do porte de um diploma. O Sesi busca mostrar para seus estudantes que a escolha de sua profissão deve ser baseada em suas afinidades, em seus interesses reais e no que deseja para a sua vida”, afirma Priscilla. O Sesi também passa a adotar em 2019 novas estratégias didáticas para desenvolver as habilidades exigidas pela indústria. Um diretriz que faz parte do que está sendo chamado de Educação 4.0 ou Educação Maker: uma nova forma de trabalhar conteúdos, introduzindo dinâmicas de trabalho mais ativas, mais colaborativas e mais desafiantes. Quanto ao Programa Bilíngue, ele se torna mola propulsora para grande melhora do rendimento escolar do aluno, analisa Priscilla. “E estabelece uma série de benefícios para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, da resolução de problemas à empatia, capacidades tão exigidas em um mundo cada vez mais conectado”, finaliza a diretora.

QUADRO DE PROGRAMAS DO SESI PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL - O POP está sendo aplicado como piloto no Sesi Jardim da Penha, mas se estenderá às outras 11 unidades existentes no Estado em 2019. Trata de mercado de trabalho, faixa salarial e trilhas de progressão. Uma espécie de coaching de carreira. EDUCAÇÃO MAKER – O Sesi irá levar o movimento maker para dentro da sala de aula: das aulas de Matemática e Ciências às de Artes e Educação Física, possibilitando uma tecnologia mais acessível. Aulas teóricas estão sendo trocadas por atividades e projetos em laboratórios, que proporcionam uma experiência transdisciplinar e engajadora. Tornam o aprendizado do aluno mais significativo e desenvolvem competências como criatividade, empatia e autonomia. PROGRAMA BILÍNGUE – O mercado de trabalho aponta o segundo idioma com item obrigatório, em especial na Indústria 4.0, que traz outros níveis de exigências do perfil profissional desde sua formação básica. O programa bilíngue vai da 1ª série do ensino fundamental até o 9º ano. E ele segue nos anos seguintes do ensino médio, com uma formação certificada e três aulas por semana.

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 17


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A harmonia e o respeito mútuo entre o Poderes da República são mandamentos constitucionais. Não somos mais nem menos que os outros Poderes. Com eles e ao lado deles, harmonicamente, servimos à nação brasileira. Por isso, nós, juízes, precisamos ter prudência.” Ministro Dias Toffoli, em discurso de posse da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF)

VITÓRIA DO BEM

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO É LANÇADO NA CAPITAL

CARNAVAL

INCÊNDIO EM BARRACÃO DA BOA VISTA

esbrasil •

ZONA FRANCA NO ES COMEÇA A OPERAR O entreposto da Zona Franca de Manaus no Espírito Santo, localizado no bairro Padre Mathias, em Cariacica, começou a operar. Com uma área disponível de 31 mil metros quadrados, o armazém conta com estrutura verticalizada, docas elevadas e Sistema de Gerenciamento de Estoque (WMS) integrado ao cliente – que proporciona o controle em tempo real do material e movimentação. Os processos documentados são certificados pela norma ISO 9001/2015. Um dos atrativos do polo de distribuição é a suspensão dos impostos na saída dos produtos da cidade amazona por até 180 dias que permanecerem armazenados em solo capixaba, sendo pagos apenas quando os produtos deixarem o entreposto.

FORMATURA DE NOVOS EMPREENDEDORES Há 17 anos atuando no Espírito Santo, a Junior Achievement (JA) forma a 20ª turma do programa Miniempresa, concluindo mais um ciclo de estudos, conhecimento e profissionalismo de estudantes que se dedicaram durante os seis meses de aprendizagem. Os jovens saem dessa atividade mais bem preparados e motivados para um futuro empreendedor de sucesso. Com mais de 100 anos de existência, a organização da sociedade civil promove experiências práticas em educação f i n a n c e i r a , p re p a ração para o trabalho e empreendedorismo.

revistaesbrasil

Foto: Divulgação

@esbrasil •

LOGÍSTICA

PREPARO

Um incêndio no barracão da escola de samba Independente de Boa Vista, de Cariacica, causou um enorme prejuízo. De acordo com o presidente da agremiação, Emerson Xumbrega, três carros alegóricos ficaram destruídos, e o prejuízo chega a R$ 80 mil. O Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou rapidamente ao local. As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas, e um boletim de ocorrência foi aberto no mesmo dia. Os trabalhos no barracão começaram no dia 15 de setembro, e algumas estruturas seriam aproveitadas de outros desfiles. A águia, por exemplo, que é o símbolo da escola, ficou totalmente destruída.

18

Foto: Divulgação

Com base na Lei do Voluntariado, a nº 9.228/2018, a prefeitura da capital lançou o programa “Vitória do Bem”. Fruto da contribuição de moradores e de organizações de toda a cidade, as sugestões foram anotadas, com mapeamento de oportunidades em diferentes áreas do conhecimento, como saúde, educação, meio ambiente e assistência social. A nova legislação permitiu que o cidadão comum possa ser um voluntário. Antes, apenas pessoas jurídicas, como ONGs, podiam prestar serviço voluntário para a Prefeitura de Vitória.


Foto: Divulgação

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 19


JANE MERI SANTOS

MEIO AMBIENTE

é professora, doutora do Departamento de Engenharia Ambiental é coordenadora do projeto Asmavix

ASSOCIAÇÃO ENTRE A OCORRÊNCIA DOS SINTOMAS DA ASMA E POLUIÇÃO DO AR O INEDITISMO DESSA PESQUISA ESTÁ RELACIONADO A COLETA DE DADOS DIRETOS DE SAÚDE E AO MONITORAMENTO DOS POLUENTES ATMOSFÉRICOS NAS RESIDÊNCIAS E NO AMBIENTE EXTERNO

O

projeto Asmavix tem o objetivo de investigar um problema de saúde específico, “função respiratória em portadores de asma leve a moderada”, a fim de determinar se, e em que extensão, a poluição do ar afeta os sintomas da asma em crianças e adolescentes moradores de Vitória. Esse projeto está sendo desenvolvido por uma equipe multidisciplinar composta por cerca de 20 pesquisadores médicos, engenheiros e estatísticos envolvidos nos programas de pós-graduação em ciências Fisiológicas e Engenharia Ambiental na Universidade Federal do Espírito Santo. A duração é de 36 meses com investimento, de R$ 3,9 milhões. A equipe de engenharia realiza o monitoramento da qualidade do ar, que consiste em mensurar a concentração de compostos orgânicos voláteis, SO2, NOx, CO, O3, material particulado (MP10 e MP2.5), e fungos nos ambientes externo e interno das residências durante dois anos em períodos de inverno e verão em três localidades diferentes da cidade de Vitória. O material particulado será também analisado quanto à sua característica química a fim de investigar a presença de metais que

20

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

possam ser diretamente relacionados ao impacto à saúde. E, para verificar a exposição à poluição do ar considerando a mobilidade do indivíduo, serão utilizados monitores pessoais para medição de SO2. A equipe de saúde realizará o acompanhamento de 200 crianças e adolescentes portadores de asma atendidos em clínicas ou

Esse projeto Asmavix está sendo desenvolvido por uma equipe multidisciplinar composta por cerca de 20 pesquisadores médicos, engenheiros e estatísticos” unidades de saúde em Vitória. Durante 10 a 15 dias, cada participante será monitorado, em domicílio, por meio do preenchimento de um diário e de medidas de espirometria (exame de pulmão) nos períodos tanto de inverno quanto de verão. Tendo em vista o

número expressivo de variáveis que podem influenciar o desencadeamento de crise asmática, haverá também a análise de genes que, em outras populações, mostraram associação com o aparecimento ou gravidade da doença. Estudos que investigam a associação entre poluição do ar e asma já foram feitos em outros locais do Brasil, incluindo Vitória. Todos, entretanto, trabalharam com dados secundários (atendimentos ambulatoriais, internações hospitalares, etc). A inovação do estudo reside na obtenção direta de dados de saúde. Além disso, o monitoramento será feito com unidade móvel de medida de poluentes a ser deslocada para o bairro de residência dos participantes da pesquisa, permitindo melhor avaliação da exposição aos poluentes. A produção e divulgação dos dados permitirão melhor compreensão da dinâmica da doença asma em Vitória, ou seja, o real impacto da poluição na exacerbação de sintomas. Esses dados são importantes para definir estratégias de melhoria da qualidade do ar e para o estabelecimento de medidas para enfrentamento desse problema de saúde pública.


INFORME PUBLICITÁRIO

CONHEÇA ATOTVS A TOTVS é o provedor global de software de gestão, plataforma e consultoria para empresas de todos os portes, com mais de 50% de market share no Brasil. É uma das maiores provedoras de ERP Suite do mundo. Conheça as soluções TOTVS para sua empresa em www.totvs.com.

LATICÍNIOS FIORE: TECNOLOGIA DE PONTA DO REBANHO AO SISTEMA DE GESTÃO

N

ascido no Espírito Santo, o Laticínios Fiore diferencia-se no mercado e ganha o coração dos clientes por conta de sua matéria-prima de extrema qualidade: o leite. Em pouco mais de três décadas de atuação e com a certeza de que a excelência no que faz é a força motriz de seu crescimento, o Fiore investe em tecnologia, desde a composição de seu rebanho até o sistema de gestão empresarial. A parceria com a TOTVS já dura dois anos e só trouxe frutos positivos. O diretor do Fiore, Marcos Corteletti, explica por que a empresa não parou no tempo. De conquista em conquista, foi se modernizando para crescer e, consequentemente, escolher um sistema como o da TOTVS que está alinhado aos interesses de mercado. “A gente produz laticínios com o maior cuidado e carinho, mas o que diferencia o Fiore dos outros laticínios é a forma com que a gente produz. Todo o leite que chega ao laticínio é oriundo de nossas próprias fazendas. Controlamos

22

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

o nascimento das bezerras, a criação desses animais, a alimentação das vacas, a higiene da ordenha até esse produto chegar ao beneficiamento. No laticínio, o leite é tratado, e toda a distribuição ainda é feita por nós, até os pontos de consumo”, contou Corteletti. O empresário relata que, antes da instalação do Protheus, sistema de gestão (ERP) da TOTVS, a empresa tinha uma gestão da informação deficiente. “Nós tínhamos várias informações desconexas. Agora não. Está tudo integrado, desde a ordem de produção do laticínio até a equipe de faturamento, financeiro e contabilidade. Isso nos permite ter uma visão de tudo. Até mapa de produção, qual cidade a gente está vendendo mais um determinado produto, qual cidade a gente tem que explorar mais. Ter acesso às informações que nos permitem uma gestão mais moderna que podem levar a empresa do futuro é fundamental, e a parceria com a TOTVS permitiu isso”, explicou.

A história de sucesso da empresa começou em 1972, quando Florentino Nicolau Corteletti, conhecido como Seu Florentino, iniciou a seleção do rebanho leiteiro de raça holandesa e, no ano de 1982, passou a investir em estábulos tipo free stall (circulação livre de animais), ordenha mecânica, resfriamento e armazenamento de leite. Tudo isso para garantir o beneficiamento e envase de um leite que fosse realmente de qualidade. Em 1985, o Laticínios Fiore cresceu, saindo de uma pequena empresa de produtos lácteos artesanais para uma indústria de leite com uma grande variedade de itens, entre eles os queijos frescais e coalhadas. A fazenda Estância Paraíso, sede da empresa, está situada a 20 quilômetros de Santa Teresa, conhecida por ser o primeiro município de colonização italiana no país. Toda a cultura e a história da cidade estão presentes também na trajetória da Fiore, já que foi ali que tudo começou.


A Fiore começou em uma fazenda na Estância Paraíso em 1972, onde montou o primeiro rebanho de vacas holandesas

“Ter acesso às informações que nos permitem uma gestão mais moderna que podem levar a empresa do futuro é fundamental, e a parceria com a TOTVS permitiu isso” Marcos Corteletti, diretor

Desde seu início, o Laticínios Fiore trabalha com produtos de fabricação própria, e sua matéria-prima (o leite) é proveniente de suas próprias fazendas. Toda a operação de manejo com os animais é feito a com padrões internacionais de qualidade, garantindo a rastreabilidade da produção. Atualmente a Fiore possui um grande portfólio de produtos, como queijos frescais, queijos curados, coalhadas, bebidas lácteas e iogurtes, podendo também ser encontrados nas versões light e zero lactose. Um dos diferenciais é a utilização de tecnologia de ponta em todas as etapas da produção. Por exemplo, preocupada com a qualidade do rebanho, a empresa realiza um processo de transferência de embriões para acelerar o melhoramento genético do rebanho e multiplicar os melhores animais. Naturalmente essa atenção à tecnologia chegaria à parte administrativa. O responsável pelo Departamento de Tecnologia da Informação, Danillo Batista, explica que, antes da implantação de um ERP robusto como o Protheus, não havia uma integração entre os setores, causando uma dificuldade na troca de informações e posterior análise dos

dados. Existiam muitos processos manuais que impactavam diretamente a produtividade dos colaboradores, que se viam presos em longas atividades, sendo necessário muitas vezes o retrabalho, por não haver o cruzamento dos dados. Após a migração para o sistema TOTVS, obteve-se um ganho significativo de produtividade com a melhoria dos processos, automatização de atividades e integração dos dados. Com o ERP, foi possível assegurar maior controle da empresa, decorrente da integração dos processos, estando sempre pronta para atender às demandas dos clientes de forma mais rápida e eficaz. “Hoje a informação é o novo petróleo, e a implantação do software nos proporcionou acesso a esse novo mundo, possibilitando converter os dados gerados por nossos colaboradores com as suas atividades diárias em informações que são tratadas e analisadas em ferramentas de BI – business intelligence –, direcionando-nos e apoiando-nos em todas as tomadas de decisão com gráficos e indicadores”, avaliou Batista. Conheça mais o Laticínios Fiore: www.laticiniosfiore.com.br.

www.totvs.com | 27 3038-6300 radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 23


EUSTÁQUIO PALHARES

POLÍTICA

é jornalista, especialista em Comunicação Empresarial

MAIS QUE CANDIDATOS, A REVELAÇÃO DO ELEITOR COMO O PÚBLICO DO BIG BROTHER, OS CANDIDATOS SE TORNAM PROJEÇÕES DA SOCIEDADE

E

stamos em temporada eleitoral, os ritos se repetem, em alguns casos as personagens também, registrando-se a “normose”, esse distúrbio mental identificado pelo comportamento coletivo que desconsidera o ato em si, ontologicamente, guiando-se pelo acatamento ao padrão predominante, ao “todo mundo faz assim” ou “isso é normal”. Algo parecido com o espírito de manada, outro mindset que, se ainda não foi adotado pelo estudo da psicologia social, não tardará em sê-lo. Essa atenção com as birutas da sociedade oferece percepções interessantes, estimulantes e até inspiradoras. Como o público do “Big Brother”, um desperdício de tempo intolerável, mas que não só engaja a população na eleição dos queridinhos e dos vilões – além de render um astronômico faturamento à Globo com a receita compartilhada da telefonia – como também proporciona uma identificação dos valores do público a partir de suas empatias. Os tipos e seus fãs oferecem um claro retrato do que esse público preza e valoriza no seu exercício televisivo de voyeurismo. Pelos confinados no programa consegue-se apurar o que o país pensa e sente, majoritariamente. Na cena eleitoral há situações análogas. As correntes dos públicos e seus respectivos preferidos permitem clara identificação de perfis. Há personas que se destacam por

24

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

suas características até de autenticidade, mas não só por isso. Se ocorre a prevalência das figurinhas do establishment, vilões ou virtuosos, há personalidades que oferecem uma possibilidade de leitura mais singular. O candidato Jair Bolsonaro destaca-se aí. Se ele provoca arrepios às pessoas mais suscetíveis principalmente

Na cena eleitoral há situações análogas. As correntes dos públicos e seus respectivos preferidos permitem clara identificação de perfis” ao politicamente correto, de outro lado encanta os que identificam na falta de autoridade, na predominância de uma desordem interminável e uma corrupção classicamente impune, problemas muito maiores que os arreganhos de Bolsonaro chutando o pau da barraca da etiqueta político-social. Não que vá fazê-lo, é obvio, embora os simpatizantes não percebam, mas por se reproduzir a situação do salvador da pátria bem capitalizada pela impostura de Fernando Collor e depois de Lula, o operário que chegou ao poder por fadiga de

material da representação burguesa. Parece replicado em Ciro Gomes, um Lula letrado, com recursos intelectuais para assentar premissas sobre as quais ergue teses discutíveis, mas que parece ter se rendido ao pragmatismo, à aberta barganha fisiológica quando promete, mais que propor, anistiar todos os cadastros negativos do SPC. Mais ostensivamente fisiológico impossível. E quando invectiva os ganhos da banca internacional, reais, extorsivos, sim, mas certamente imunes às bravatas eleitorais. Bolsonaro é o case a ser estudado. Empresários e mesmo formuladores pejam-se de assumir a simpatia constrangidos pela sua truculência, mas assumem veladamente a empatia que lhes causa o candidato que diz, desbragadamente, o que eles, afinal gostariam de dizer. E o aceno se torna mais ainda irresistível quando promete confiar a formulação da política econômica ao economista Paulo Guedes, “Chicago Boy”, monetarista de cepa, que já antecipa um leque de ações que soam como música aos ouvidos dos empreendedores brasileiros. Não se sabe se, como farsa, a história se repetirá como no caso Collor. Porque resta saber se Bolsonaro banca de fato a agenda de Guedes e se o Parlamento rende-se à evidência das necessidades das medidas listadas pelo economista. Se não combinar com os parceiros, o jogo não rola.


Conteúdo Especial - Parceria do Editor

INVESTIDORES NA EMPRESA FAMILIAR Assim como qualquer negócio, as empresas familiares dependem de capital para impulsionar o seu crescimento. Afinal, crescer é um imperativo para a manutenção do bem-estar da família. À medida que uma empresa cresce, é preciso que ela disponha de fontes sólidas de financiamento, seja através de reinvestimento de lucros, de financiamento de bancos ou mercado de capitais ou, em caso de negócios maiores, através da captação de recursos via abertura de capital ou de private equity. Essas duas últimas alternativas trazem implicações sensíveis para a empresa familiar, que passa a caminhar sobre uma linha tênue entre atrair o financiamento necessário e preservar o controle do negócio no poder da família. A abertura de capital requer um grau de aderência muito forte a regras de governança corporativa impostas pelo mercado, que dificultam sua adoção, sem um anterior e complexo trabalho de adaptação. A entrada de um fundo de private equity (FIP) no capital da empresa, por outro lado, pode ser um caminho mais curto e, ainda assim, trazer grandes benefícios, uma vez que junto com o dinheiro de um investidor profissional vem também governança, profissionalismo, organização e conhecimento de negócios paralelos e sinérgicos.

Adriano Salvi Conselheiro de administração certificado pelo IBGC, professor convidado da Fundação Dom Cabral e sócio da Vix Partners Consultoria e Participações

26

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Todavia, serão necessárias mudanças culturais e de procedimentos internos muitas vezes enraizados há anos ou décadas na empresa familiar e na vida de seus sócios. Será imposto aos gestores familiares que passem a pensar diferente, absorvam um comportamento corporativo profissional e, entre outras coisas, observem regras de compliance. Também é preciso estar preparado para possíveis choques de visão. Um FIP é um sócio que tem um horizonte de investimento diferente d o d a f am í l i a . E n q u a nt o e s t a preocupa-se com a longevidade da empresa e a manutenção do bem-estar dos familiares, o FIP está focado no retorno e no crescimento do negócio, que lhe permitam valorizar o ativo investido e vender sua participação mais adiante. Nesse sentido, os FIPs costumam controlar mais de perto a área financeira da empresa, não raro indicando até um CFO. No entanto, uma vez que a família controladora tenha a maturidade suficiente para conviver com um sócio de private equity, os benefícios para o negócio podem ser muito grandes, até mesmo pavimentando a estrada para um futuro IPO e a transformação da empresa numa verdadeira corporação.

Danielle Quintanilha Merhi Psicanalista, especialista em empresas familiares, professora convidada da Fundação Dom Cabral e sócia da Vix Partners Consultoria e Participações

Visite o blog Família S/A em www.esbrasil.com.br Lá você encontra as mais importantes questões que envolvem a gestão de empresas familiares. familiasa@nxte.com.br

DESINVESTIMENTO

ATENÇÃO ÀS REGRASDE SAÍDA Fundos de Private Equity têm um prazo de vida “curto” nas empresas investidas, geralmente de 5 anos a 10 anos. Nesse período, o capital deverá ser desinvestido, a partir da venda a outro fundo, a algum concorrente, a algum player de mercado ou mediante a abertura de capital. A família empresária deve estar atenta às regras de saída quando da negociação do investimento pelo fundo.

GOVERNANÇA CORPORATIVA

PREPARANDO-SE PARA RECEBER INVESTIDORES Investidores profissionais veem na governança corporativa um sinal de que a empresa tem os controles necessários para assegurar a performance prometida em seu valuation. Saiba que, em negociações para aquisição de participação societária, fundos costumam aplicar descontos pesados sobre o valor da empresa em função da falta de governança.

DIVERGÊNCIA DE VISÕES

ADMINISTRANDO CONFLITOS ENTRE EMPRESA E INVESTIDORES A família empresária que deseja ter um fundo de private equity deve estar preparada para discordâncias e conflitos com o sócio. Divergências de pensamentos, no entanto, se enfrentadas com franqueza e transparência, podem resultar no amadurecimento da empresa e na melhoria da tomada de decisões.


PANORÂMICAS

HOMENAGEM

ECONOMISTA DESTAQUE 2018

O economista Luiz Eduardo de Souza Dalfior representou o Corecon-ES na solenidade da XVI Edição do Prêmio de Excelência Acadêmica da Fucape, que premia as melhores monografias ou trabalhos de conclusão de curso na área de Negócios. O evento aconteceu no dia 15 de agosto, em Vitória. A premiação é considerada uma das maiores do Brasil na área de negócios e oferece aos três primeiros colocados bolsas de estudo integral para os cursos de Mestrado da Fucape, bolsas de iniciação científica e experiência de imersão na área de controladoria da ArcelorMittal Brasil. Foto: Divulgação

A secretária de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento S ocial do Estado, Andrezza Rosalém, recebeu a homenagem Economista Destaque 2018. Concedida pelo Corecon-ES, a condecoração acontece todos os anos e busca reconhecer os economistas que se destacam pelo trabalho realizado, seja na esfera pública ou privada. A secretária recebeu a homenagem durante o evento em comemoração ao Dia do Economista, no dia 13 de agosto, em Vitória. “Andrezza é uma brilhante profissional, cuja trajetória fala por si só”, afirmou o presidente do Corecon-ES, Ricardo Paixão.

PRÊMIO DE EXCELÊNCIA ACADÊMICA

Foto: Divulgação

Foto: Vitor Bermudes/Mosaico Imagem

No dia 13 de agosto, data em que se comemora o Dia do Economista, o Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES) realizou um evento para celebrar a o casião. Economistas, estudantes e diversas autoridades do Estado se reuniram no encontro, realizado no cerimonial Prime Hall, em Vitória. A programação incluiu homenagem, palestra, entrega de prêmios, dentre outras atrações. O economista Luiz Alberto Machado, de São Paulo, foi convidado pelo Corecon-ES para ministrar a palestra “Cenários para a Economia Brasileira”.

Parceria do Editor

Foto: Divulgação

DIA DO ECONOMISTA

Foto: Vitor Bermudes/Mosaico Imagem

EVENTO

DÍVIDAS DE EMPRÉSTIMOS

PALESTRA PARA ESTUDANTES O projeto Corecon-ES nas Escolas levou um palestrante convidado para a Escola de Ensino Médio Renato Pacheco, em Jardim Camburi, Vitória. No dia 14 de agosto, o professor e economista Luiz Alberto Machado, que é ex-presidente do Corecon-SP, falou sobre o panorama econômico do País. O economista aproveitou para apresentar o livro “Das Quadras para a Vida”, de autoria dele e do seu filho, o músico Guga Machado. A obra destaca a importância do esporte, não só para a saúde física, mas para a vida profissional e as relações interpessoais.

28

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

O atraso no pagamento de empréstimos deixou 35% dos consumidores brasileiros com nome sujo, segundo uma pesquisa do CNDL e SPC Brasil. Na avaliação do conselheiro do Corecon-ES Juliano César Gomes, o persistente nível de desemprego e a redução da renda domiciliar tem gerado diversos problemas de desequilíbrios financeiros. “Muitos recorrem aos empréstimos para o pagamento de dívidas. Entretanto, como a conjuntura econômica tem se mantido estável, sem muitas alterações de melhora, grande parte não consegue honrar seus compromissos, caindo numa espiral de endividamento”.


BRUNO FUNCHAL

ECONOMIA

é doutor em Economia e secretário de Estado da Fazenda

A SOLUÇÃO DO ÚLTIMO GRANDE PASSIVO UMA CONQUISTA QUE ABRE CAMINHO PARA UM FUTURO MELHOR AOS CAPIXABAS

O

equilíbrio das contas públicas vem apresentando resultados importantes para a sociedade capixaba e servindo de exemplo para os estados vizinhos. A conclusão é inequívoca, o equilíbrio fiscal é um ativo importante para continuarmos avançando na prestação dos serviços para a população, além de trazer um ambiente seguro para empresas se instalarem em nosso Estado, criando mais oportunidades de emprego e de renda. Mas, apesar de termos atingido o objetivo de colocar as despesas estaduais – que vinham em trajetória explosiva – dentro da nossa capacidade de pagamento, fantasmas passados traziam preocupações para a manutenção da boa gestão fiscal. O passivo de maior relevância era a dívida da Companhia de Habitação do Espírito Santo (Cohab-ES), um montante de quase R$ 1 bilhão, a ser pago em apenas cinco anos. Por mais de quatro décadas a Cohab-ES atuou na construção de empreendimentos habitacionais no Estado, atendendo a cerca de 40 mil famílias de baixa renda. Porém, os problemas começaram a surgir na década de 80, com a hiperinflação, quando um decreto-lei determinou que as prestações pagas pelos mutuários à Cohab-ES fossem corrigidas de acordo com a variação salarial, ao passo que o reajuste do pagamento da Companhia de Habitação à fonte financiadora (Sistema Financeiro da

30

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Habitação) era feito com base na TR, índice com maior taxa de crescimento, formando assim um passivo na Cohab-ES. Esse passivo foi assumido pelo governo do Estado, em 2003, com compromisso de pagamento de juros até 2017 e quitação da dívida entre 2018 e 2023. Com isso, o Tesouro Estadual, que vinha realizando pagamentos próximos a R$ 21 milhões por ano, entre 2004 e 2017, saltaria

A cada ano, entre 2018 e 2023, serão economizados, aproximadamente, R$ 200 milhões que podem e devem ser revertidos para investimentos com foco no futuro dos capixabas” para uma média anual de pagamentos de quase R$ 200 milhões no período de 2018 a 2023. Uma mudança que traria impactos negativos para a gestão financeira do Estado. Assim, em 2015, logo no início da atual gestão, o governo do Estado tomou uma série de medidas para reestruturar a dívida. O objetivo era o seu alongamento, de forma

a suavizar o pagamento das amortizações, aumentando a capacidade de gestão do Estado. Em 2016, com a aprovação da Lei Complementar Federal N° 156, que autorizou a repactuação de dívidas assumidas pelos estados, entre elas a da Cohab-ES, as tratativas com a Caixa Econômica foram retomadas e resultaram na repactuação que trouxe condições de pagamento mais sustentáveis, estendendo o prazo de pagamento para 15 anos e com redução de juros 6,0% ao ano para 3,08% ao ano para os primeiros oito anos. Essa repactuação é uma grande vitória para o nosso Estado. A mudança no fluxo de pagamento da dívida nos permite um aumento de capacidade de gestão e de investimento com recursos próprios para os próximos seis anos, preserva o ajuste fiscal implementado nos últimos três anos e resolve o último grande passivo do Estado. Para que fique ainda mais claro o benefício dessa ação, a cada ano, entre 2018 e 2023, serão economizados, aproximadamente, R$ 200 milhões que podem e devem ser revertidos para investimentos com foco no futuro dos capixabas. Assim, por ano, abrimos espaço para mais 20 Escolas Vivas, ou 40 unidades da Rede Cuidar, ou mais 200 pré-escolas e creches. Essa conquista resolve o passado e abre caminho para um futuro melhor para os capixabas.


COTIDIANO

CONVENTO DA PENHA COM ILUMINAÇÃO MAIS BONITA E ECONÔMICA

O

ponto turístico mais visitado do Espírito Santo recebeu uma iluminação monumental, inaugurada no dia 27 de setembro. A partir de agora, o Convento da Penha passa a contar com, aproximadamente, cem novos pontos de luz na estrada principal de acesso, no campinho e no exterior do santuário, além de wi-fi gratuito. A tecnologia adotada foi a de LED que será bem mais eficiente que a anterior e favorecerá a visitação noturna. Foram 244 lâmpadas, sendo 154 no santuário e na mata, e 90 entre a subida e o estacionamento. São refletores potentes, que colocam o município de Vila Velha no cenário mundial do lighting design. O investimento de R$ 2,4 milhões foi concluído com recursos da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico/Turismo (Semdec). O prefeito Max Filho falou sobre a importância e os benefícios da nova iluminação. “O município está assumindo integralmente a conta de energia que vai ser muito mais barata com a tecnologia empregada, aliviando os cofres do governo do Estado”, disse. “Nosso mais procurado atrativo turístico, expressão da fé católica em terras capixabas recebe sua nova iluminação com uma tecnologia que deixa ainda mais belo o patrimônio”, destacou a subsecretária de Turismo, Neymara Carvalho. Guardião do Convento, frei Paulo Roberto acrescenta que a nova iluminação vai ajudar muito aos membros da paróquia e aos fieis que por lá estiverem. “Um santuário de fé e esperança agora está ainda

CONVENTO DA PENHA O Santuário de Nossa Senhora da Penha foi fundado por Frei Pedro Palácios, que chegou em 1558, na Prainha. O monumento foi construído a 154 metros de altitude em um monte coberto pela Mata Atlântica, sendo tombado como patrimônio histórico pelo Iphan em 1943. Anualmente, o convento recebe três milhões de visitantes e abrange uma área de mais de 632 mil m². É considerado o maior atrativo turístico e religioso do Estado do Espírito Santo e o mais antigo convento mariano do Brasil.

O documento de inauguração da iluminação do santuário foi assinado pelo governador Paulo Hartung.

mais belo e seguro para acolher devotos e visitantes. Com a nova iluminação, poderemos estender o horário de visitação e ter missa à noite”, acrescentou. Também participaram do evento o governador do Estado, Paulo Hartung, o ex-governador Max Mauro, secretários municipais, autoridades religiosas, a diretoria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Espírito Santo (Iphan-ES), do Instituto Modus Vivendi, vereadores e membros da sociedade. ECONOMIA O novo sistema visa a proporcionar uma economia de aproximadamente 50% no consumo de energia elétrica, passando de R$ 6 mil para R$ 3 mil, trazendo mais modernidade e beleza ao principal monumento histórico, religioso e turístico do Espírito Santo e um dos mais importantes do Brasil. Contratado por meio de licitação, o Instituto Modus Vivendi criou o projeto da nova iluminação. A representante do Iphan-ES, Eliza Tavieira, afirmou que “no projeto, foram priorizadas iniciativas que conferem qualidade, beleza, sustentabilidade, segurança e conforto para todos que visitam esse importante ponto turístico nacional”. radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 31


mindset@esbrasil.com.br

#ESCOLHA O que você prefere: um bilhão faturamento numa conta bancária ou um bilhão de pessoas impactadas positivamente? Nossas escolhas estarão cada vez mais nesse sentido.

#FUTURO

Leonardo Carrareto

Foto: Mathias Marx

“Qualquer um que não tenha vergonha de quem eles eram no ano passado provavelmente não está aprendendo o suficiente.” Alain de Botton

Especialista em Inovação e Futurismo e fundador da WIS Educação, escola de inovação. Busca acelerar o desenvolvimento dos mercados no mindset exponencial e da inovação disruptiva.

#PIB Precisaremos mudar os nossos indicadores. Num mundo de compartilhamento (uso em vez de posse), automação (menos esforço, mais produtividade) e inteligência, não será o crescimento da economia que nos dirá se estamos no caminho certo ou não.

Se você não visitar o futuro com frequência, fica muito difícil existir neste novo mundo. Quando foi a última vez que você tirou tempo para pensar no futuro? E isso não pode ser um exercício feito a cada planejamento estratégico. Precisa ser constante.

#INOVAÇÃO A palavra da moda realmente é “inovação”. Mas aproveite a repetição para transformá-la numa realidade. O natural é que, com o passar do tempo, cada vez menos você precise se referir à inovação, porque se ela não estiver fazendo parte do seu dia a dia, algo de errado está acontecendo. Precisamos de mais de pessoas com o mindset correto do que com as técnicas corretas.

34

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

#GOVERNANÇA

Negócios eram criados para ser perpétuos. Como admirávamos as empresas centenárias! Como queríamos ver a 10ª geração assumindo o controle! Hoje eles são criados para transformar uma realidade, para resolver um problema. Com os ciclos cada vez mais acelerados, faz todo sentido nascerem, crescerem e findarem em menos de 10 anos.


INFORME PUBLICITÁRIO

GALWAN PREPARA SEU PRIMEIRO LANÇAMENTO EM SANTA LÚCIA CONSTRUTORA ABRIU CADASTRO DE INTERESSADOS EM INVESTIR NO EMPREENDIMENTO, QUE JÁ TEM MAIS DE 100 INSCRITOS 36

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

A

Galwan está preparando o seu primeiro lançamento no bairro Santa Lúcia, em Vitória, e já abriu o cadastro de reserva para os interessados em participar da construção do empreendimento. Até agora, já são mais de 100 inscrições de pessoas investindo na administração a preço de custo, modalidade que a construtora trouxe para o Espírito Santo há mais de 30 anos. O diretor-presidente da Galwan S/A, José Luís Galvêas Loureiro, explica que a empresa se aprimorou na construção de condomínios fechados e não vende apartamentos. “Nosso negócio é juntar pessoas e construir para elas. Somos contratados pelos condôminos para executar a obra e administrar tudo que envolve o condomínio”, pontuou. Galvêas ressalta ainda que as pessoas que estão fazendo o cadastro de reserva serão chamadas e terão prioridade na hora de escolher a unidade assim que o empreendimento for lançado oficialmente, o que deve acontecer até o fim do ano.


Para sua estreia em Santa Lúcia – um dos bairros mais tradicionais e antigos da capital, Vitória –, a construtora prepara um projeto exclusivo: o Solar Eugênio Netto contará com apartamentos espaçosos de 100 metros quadrados, com três quartos, sendo uma suíte. Além disso, terá opções de coberturas de 200 metros quadrados, três suítes e lazer privativo com piscina, deque e churrasqueira descoberta. Além de espaço de sobra nos apartamentos, a localização é um grande diferencial do empreendimento, que será construído em uma região tranquila, mas ao mesmo tempo perto de tudo. Centros comerciais, lojas, restaurantes, escolas, padarias, supermercados, farmácias e lanchonetes estarão a poucos passos dos futuros moradores. Marca registrada da Galwan em seus empreendimentos, a área comum será entregue totalmente equipada e decorada. No Solar Eugênio Netto, os itens de lazer para a diversão e integração dos futuros moradores incluem salão multiúso, brinquedoteca, espaço fitness, sala de repouso, quadra recreativa descoberta, piscina e playground. O empreendimento contará ainda com infraestrutura para instalação de aquecedor de passagem a gás para os chuveiros, monitoramento de área comum com controle de iluminação, bombas, alarmes e qualidade de energia, infraestrutura para instalação de ar-condicionado Split nos quartos e na sala, centro de conectividade e escadas pressurizadas para garantir a segurança dos moradores. ENERGIA FOTOVOLTAICA VIRA ITEM PERMANENTE NOS EMPREENDIMENTOS GALWAN Após o investimento inédito no Edifício Juan Fernandes, que foi entregue pela Galwan em maio no Barro Vermelho, o sistema de geração

de energia solar fotovoltaico se tornou item permanente nos empreendimentos da construtora. Daqui para a frente, a área comum de todos os projetos será abastecida pela energia do sol. “Além de contribuir para a sustentabilidade, a iniciativa repercute diretamente na queda do valor da taxa de condomínio, o que é um privilégio ainda maior para os futuros moradores dos empreendimentos da Galwan”, ressalta o diretor-presidente José Luís Galvêas Loureiro. O Solar Eugênio Netto, próximo lançamento da construtora, contará com o sistema. Além disso, terá bacias sanitárias de duplo fluxo para os banheiros, sensores de presença nas garagens para economia de energia elétrica e reúso da água dos condensadores de Split para molhar o jardim.

SOLAR EUGÊNIO NETTO Apartamentos de 100 metros quadrados, com três quartos e suíte. Coberturas de 200 metros quadrados, com três suítes e lazer privativo. Localização: Santa Lúcia, Vitória. Lazer: completo e equipado com itens como salão multiúso, brinquedoteca, espaço fitness, sala de repouso, quadra recreativa descoberta, piscina e playground. Realização e construção: Galwan Construtora e Incorporadora S/A. Informações e cadastro: 3200-4004.

www.galwan.com.br | 27 3200-4004 radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 37


POLÍTICA

ALINE PAGOTTO, FERNANDA NEVES, PRISCILLA CERQUEIRA E LUCIENE ARAÚJO

POLÍTICA DO ESTADO DE CARA NOVA RENOVAÇÃO NA ASSEMBLEIA E ENTRE REPRESENTANTES DO ESTADO NA CÂMARA FEDERAL FOI DE 50%. PARA O SENADO, DOIS NOVATOS VENCERAM NOMES TRADICIONAIS

A

corrida eleitoral chegou ao fim para a maioria dos candidatos. No Espírito Santo, os eleitos ao Senado foram a grande surpresa deste primeiro turno, realizado no dia 07 de outubro. Fabiano Contarato (Rede) conquistou 31,15% dos votos válidos, o que corresponde a 1.117.036 eleitores, número superior ao registrado pelo governador eleito Renato Casagrande (PSB). A segunda vaga foi garantida por Marcos Do Val ao obter 863.359 votos (24,08%). Os dois novatos na política venceram Magno Malta (PR) e Ricardo Ferraço (PSDB), nomes com grande peso em Brasília e no Estado.

“O resultado demonstra que o sentimento de mudança que o brasileiro estava antes do processo eleitoral, pelo menos para o Senado no Espírito Santo, se converteu na eleição de dois candidatos diferentes que nunca tinham disputado eleição” Darlan Campos, cientista político da República Marketing Político 38

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

O governador Renato Casagrande (PSB), que já esteve à frente do Executivo Estadual entre 2011 e 2014, foi eleito com 1.072.224 votos, o que representa 55,49%. Metade da bancada na Câmara Federal também foi renovada. A proposta é que ela venha com um posicionamento de centro-direita, com a eleição de Amaro Neto (PRB), o mais votado, juntamente com Lauriete (PR), Norma Ayub (DEM), entre outros parlamentares eleitos. E a bancada na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) também registrou 50% de renovação, tendo 15 dos atuais deputados estaduais reeleitos. CÂMARA FEDERAL As 10 cadeiras que o Espírito Santo tem direito na Câmara Federal foram disputadas, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), por 170 candidatos nesta eleição. E as urnas trouxeram 50% de renovação, com cinco novos candidatos. Amaro Neto (PRB) recebeu 181.813 votos, mais que o dobro que o segundo mais votado, Felipe Rigoni (PSB), que garantiu o apoio de 84.405 eleitores, e será o primeiro e único deficiente visual a compor a Câmara dos Deputados a partir de janeiro de 2019. Foram reeleitos para mais quatro anos de mandato: Evair de Melo


(PP), Helder Salomão (PT), Paulo Foletto (PSB), Norma Ayub (DEM) e Sergio Vidigal (PDT). Perderam a vaga: Givaldo Vieira (PT) Dr. Jorge Silva (Pros), Lelo Coimbra (PDT), Marcos Vicente (PP) e Manato (SD) que concorreu ao cargo de governador, ficando em segundo lugar na apuração dos votos. Entre os novatos, para representar os interesses do Espírito Santo e do Brasil foram eleitos: Da Vitória (PPS), que era deputado estadual, Soraya Manato (PSL) – esposa de Carlos Manato – e Lauriete (PR) – esposa do Senador Magno Malta, que perdeu a vaga no Senado, mas poderá integrar o time de ministros, em caso de Vitória do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro no segundo turno. ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Da mesma forma que ocorreu na Câmara Federal em relação à bancada capixaba, a renovação na Assembleia Legislativa (Ales) foi de 50%. De acordo com o TRE-ES, 614 candidatos disputaram uma cadeira na Casa. Dos 30 parlamentares, 15 foram reeleitos. Outros cinco não disputaram a manutenção do cargo ou concorreram a vagas na Câmara Federal. E 14 nunca exerceram mandatos na Assembleia. Vandinho Leite (PSDB) foi o único que já havia sido deputado estadual e Iriny Lopes (PT) já exerceu a função de deputada federal, mas nunca estadual. Sergio Majeski foi o mais votado, com a aprovação de 47.015 eleitores, o que representou 2,41% dos votos válidos. Concorrendo à reeleição, o candidato do PSB obteve 3.722 votos a mais que o segundo colocado, Delegado Lorenzo Pazolini (PP), escolhido por 43.293 eleitores capixabas. Além de Majeski, dos eleitos em 2014, mais 14 permanecem na Assembleia

“Temos que ter sustentabilidade fiscal nos próximos anos, o governo precisa estar equilibrado suficientemente para prestar os serviços básicos à população com excelência” Renato Casagrande, governador eleito

AS ELEIÇÕES CONTINUAM EM OUTROS ESTADOS No total, 13 Estados elegeram os governadores no primeiro turno das eleições, realizado no domingo (07). Destes, sete foram reeleitos. Seis candidatos representam a renovação do governo. Entretanto, o número ainda é considerado baixo. Agora, 14 Estados seguem para a disputa no segundo turno, que ocorrerá no dia 28 de outubro. Até o momento, os candidatos eleitos são dos partidos PP (1), PT (5), PSB (3), MDB (2), DEM (1), PC do B (1) e do PHS (1). ELEITOS 1º TURNO Acre Gladson Cameli (PP) eleito com 53,71% Alagoas Renan Filho (MDB) reeleito com 77,33% Bahia Rui Costa (PT) reeleito com 75,50% Ceará Camilo Santana (PT) reeleito com 79,96% Espírito Santo Renato Casagrande (PSB) eleito com 55,49% Goiás Ronaldo Caiado (DEM) eleito com 59,73% Maranhão Flávio Dino (PC do B) reeleito com 59,29% Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) foi eleito com 58,69% Paraíba João Azevêdo (PSB) eleito com 58,18% Paraná Ratinho Junior (PSD) eleito com 59,99% Pernambuco Paulo Câmara (PSB) reeleito com 50,70% Piauí Wellington Dias (PT) reeleito com 55,65% Tocantins Mauro Carlesse (PHS) reeleito com 57,39% DISPUTAM 2º TURNO Amapá Waldez Góes (PDT) – 31,55% Capi (PSB) – 30,10%

Amazonas Wilson Lima (PSC) - 33,73% Amazonino Mendes (PDT) - 32,74% Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) – 41,97% Rodrigo Rollemberg (PSB) – 13,94% Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB) - 44,61% Juiz Odilon (PDT) - 31,62% Minas Gerais Romeu Zema (NOVO) - 31,77% Antonio Anastasia (PSDB) – 29,06% Pará Helder Barbalho (MDB) - 47,69% Marcio Miranda (DEM) - 30,21% Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) - 41,28% Eduardo Paes (DEM) - 19,56% Rio Grande do Norte Fatima Bezerra (PT) - 46,17% Carlos Eduardo Alves (PDT) - 32,45% Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) - 35,90% José Ivo Sartori (MDB) - 31,11% Rondônia Expedito Junior (PSDB) - 31,59% Coronel Marcos Rocha (PSL) -23,99% Roraima Antonio Denarium (PSL) - 42,27% José de Anchieta Junior (PSDB) - 38,78% Santa Catarina Gelson Merísio (PSD) - 31,12% Comandante Moisés (PSL)- 29,72% São Paulo João Doria (PSDB) - 31,77% Marcio França (PSB) - 21,53% Sergipe Belivaldo Chagas (PSD) - 40,84% Valadares Filho (PSB) - 21,49%

Fonte: TSE

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 39


POLÍTICA

DEPUTADOS FEDERAIS DO ESPÍRITO SANTO (2019 A 2022)

Legislativa: Bruno Lamas (PSB), Dary Pagung (PRP), Doutor Hércules (MDB), Hudson Leal (PRB), Theodorico Ferraço (DEM), Enivaldo dos Anjos (PSD), Euclerio Sampaio (DC), Erick Musso (PRB), Janete de Sá (PMN), José Esmeraldo (MDB), Marcelo Santos (PDT), Raquel Lessa (PROS), Dr. Rafael Favato (Patriota) e Marcos Mansur (PSDB). Saíram: Amaro Neto (eleito deputado federal), Cláudia Lemos (PRB), Da Vitória (eleito deputado federal), Eliana Dadalto (PTC), Esmael Almeida (PSD), Freitas (PSB), Gildevan Fernandes (PTB), Gilsinho Lopes (PR), Jamir Malini (PP), José Carlos Nunes (PT), Luiz Durão (PDT), Luzia Toledo (MDB), Marcos Bruno (Rede), Padre Honório (PT), e Sandro Locutor (Pros). Desta forma, foram eleitos mais candidatos emedebistas e tucanos, mas ao que tudo indica a Assembleia Legislativa terá uma diversidade de ideologias e novas propostas para o crescimento estadual. GOVERNO Renato Casagrande (PSB) elegeu-se governador com 1.072.224 de votos, o que corresponde a 55,49% dos votos. O segundo mais votado foi Carlos Manato com 525.973 votos, totalizando 27,22%. Em entrevista logo após a divulgação do resultado, Casagrande afirmou que as prioridades de seu governo foram definidas durante a campanha. Destacou que, inicialmente, investirá em serviços básicos como Saúde, Educação e Segurança Pública, além de dar sequência a obras não concluídas. “Temos que ter sustentabilidade fiscal nos próximos anos, o governo precisa estar equilibrado suficientemente para prestar os serviços básicos à população com excelência”, pontuou. Quanto às obras paradas, destacou a necessidade de avaliação dos contratos. “Temos interesse em levar adiante as obras que foram iniciadas ou que estão paradas, mas para isso precisaremos analisar contrato a contrato, editais que foram lançados neste ano, para saber se o governo suportará a quantidade de obras e compromissos para os próximos anos”. O governador confirmou que dará sequência aos projetos do Aquaviário e do BRT. “Vamos fazer parcerias com o setor privado. A Prefeitura de Vitória também já deu um passo adiante nesse assunto para 40

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Amaro Neto (PRB) 181.813 votos

Felipe Rigoni (PSB) 84.405 votos

Da Vitória (PPS) 74.787 votos

Sergio Vidigal (PDT): 73.030 votos

Soraya Manato (PSL): 57.741 votos

Norma Ayub (DEM): 57.156 votos

Lauriete (PR): 51.983 votos

Helder Salomão (PT): 73.384 votos

Foletto (PSB): 55.957 votos

Evair de Melo (PP): 48.412 votos

Fonte: TSE

integrarmos o Aquaviário ao sistema Transcol. Não posso garantir que será no primeiro ano de governo, pois precisamos atualizar um projeto que fizemos em 2014. Não quero dar certeza, mas queremos implantá-lo nos próximos quatro anos. Já o BRT, é um investimento que nós daremos início, mas não concluiremos em quatro anos de governo, pois são obras que dependem de ampliação de vias, viadutos, ampliação da capacidade de mobilidade do transporte coletivo e dos automóveis”, esclareceu Casagrande. O cientista político Darlan Campos, da República Marketing Político, enfatizou que o dado interessante no pleito foi o crescimento de

“Entendemos que o capixaba estava querendo uma visão nova e diferente. Para gente, esse resultado está muito coerente que com o que nós vimos nas ruas, um pedido de renovação”, Marcos Do Val, senador eleito

Manato. “Jair Bolsonaro teve mais do que 50% dos votos no Espírito Santo e Manato conseguiu transferir para sua campanha quase metade desses votos. Sua estratégia foi completamente casada com a do candidato à presidente”, analisou. DESAFIOS Advogado por formação, Renato Casagrande tem 57 anos. Natural de Castelo, exerceu o cargo de governador de 2011 a 2014. Também foi senador, de 2007 a 2010; deputado federal, de 2003 a 2007; e deputado estadual, de 1991 a 1994. Confira o que destacou em entrevista exclusiva concedida à ES BRASIL na semana das eleições, quando questionado sobre quais seriam os principais desafios nos próximos quatro anos e que medidas adotar: EDUCAÇÃO – A expressiva diminuição dos investimentos em Educação causou aumento absurdo do índice de evasão escolar. Fortalecer e ampliar a escola em tempo


OS MAIS VOTADOS PARA CÂMARA DOS DEPUTADOS DO BRASIL

integral, a Educação de Jovens e Adultos e os programas Nossa Bolsa e Bolsa Sedu; melhorar a infraestrutura da rede escolar, e capacitar permanentemente os profissionais da área. SAÚDE – Aumentar a oferta, garantir qualidade nos serviços prestados à população é nosso principal objetivo. Redes de atenção regionalizadas para que os capixabas recebem atendimento em suas regiões. Fortalecer os serviços de urgência e emergência; ampliar o número de leitos hospitalares em todo o Estado; e adequar as estruturas físicas da rede. SEGURANÇA – Política permanente e continua de Segurança Pública. Retomar o programa Estado Presente e assumir pessoalmente a gestão da Segurança; fortalecer a rede de proteção social; voltar com a Patrulha da Comunidade e implantar a Patrulha Rural; recriar as unidades especializadas BME e Rotam; fortalecer as delegacias regionais e as de atendimento às mulheres, com plantões 24 horas; expandir os serviços da Polícia Técnico Científica; e valorizar nossos policiais. SENADO No mesmo sentido, o Espírito Santo ganhou dois novos senadores e a expectativa dos capixabas para esses cargos é bem alta. Aos 52 anos, Fabiano Contarato (Rede) conquistou 1.117.036 de votos, superando até mesmo o número de eleitores que apoiaram o governador eleito Renato Casagrande (PSB). Natural de Nova Venécia, Contarato ocupava o cargo de corregedor-geral da Polícia Civil quando entrou na disputa. Ficou conhecido por sua atuação na delegacia de Delitos de Trânsito de Vitória e atuou também como diretor geral do Detran-ES. Uma das bandeiras que defende é as reformas do Código Penal e do Código de Trânsito que acabam permitindo muitas impunidades. Segundo ele, também buscará a reformulação do Pacto Federativo, que informam como os tributos recolhidos serão gastos pelos entes federados. Mas a surpresa maior ficou mesmo por conta da segunda vaga que a partir de janeiro de 2019 passa a ser ocupada por Marcos Do Val (PPS), especialista em segurança, que se tornou muito conhecido no Espírito Santo após atuar como instrutor da Swat (Dallas-EUA). Do Val é natural de Vitória, tem 47 anos, e fundou uma empresa de treinamento policial multinacional e foi militar do Exército Brasileiro no 38º Batalhão de Infantaria. Também foi instrutor-chefe e fundador do

UF

DEPUTADO

VOTOS

% DE VOTOS VÁLIDOS

SP

Eduardo Bolsonaro (PSL)

1.843.735

8,74%

PE

João Campos (PSB)

460.387

10,63%

RS

Marcel van Hattem (Novo)

349.855

5,99%

RJ

Helio Negão (PSL)

345.234

4,47%

BA

Pastor Sargento Isidório (Avante)

323.264

4,71%

PR

Sargento Fahur (PSD)

314.963

5,49%

CE

Capitão Wagner (PROS)

303.593

6,61%

GO

Delegado Waldir (PSL)

274.406

9,05%

MG

Marcelo Alvaro Antonio (PSL)

230.008

2,28%

AM

José Ricardo (PT)

197.270

11,19%

MA

Josimar Maranhãozinho (PR)

195.768

5,99%

PA

Edmilson Rodrigues (PSOL)

184.042

4,65%

ES

Amaro Neto (PRB)

181.813

9,41%

SC

Hélio Costa (PRB)

179.307

5,05%

AL

JHC (PSB)

178.645

12,25%

PB

Gervásio Maia (PSB)

146.860

7,38%

PI

Rejane Dias (PT)

138.800

7,76%

MT

Nelson Barbudo (PSL)

126.249

8,52%

RN

Benes Leocardio (PTC)

125.841

7,82%

DF

Flávia Arruda (PR)

121.340

8,43%

MS

Rose Modesto (PSDB)

120.901

9,75%

SE

Fábio Mitidieri (PSD)

102.899

10,30%

TO

Tiago Dimas (SD)

71.842

10,03%

RO

Léo Moraes (PODE)

69.565

8,88%

AC

Mara Rocha (PSDB)

40.047

9,42%

AP

Camilo Capiberibe (PSB)

24.987

6,85%

RR

Haroldo Cathedral (PSD)

14.751

5,45%

Fonte: TSE

CATI – Treinamento Policial, instituição de treinamento policial com atuação internacional, com unidades na Europa e nos Estados Unidos. Relata, também, ser criador de táticas policiais especiais, hoje difundidas em várias unidades policiais ao redor do mundo. É doutor Honoris Causa pela faculdade da Florida, nos Estados Unidos. “Entendemos que o capixaba estava querendo uma visão nova e diferente. Para gente, esse resultado está muito coerente que com o que nós vimos nas ruas, um pedido de renovação”, destacou Do Val em entrevista coletiva logo após definição do cenário. Sobre a campanha, o senador eleito contou que não houve muitos gastos. “Nós fizemos uma campanha totalmente diferente para mostrarmos que é possível ser diferente. Mostramos que é possível fazer tudo diferente,

sem campanhas milionárias, usando a conversa e com pouca verba”, explicou. Eles venceram os senadores Magno Malta (PR) – que chegou a ser convidado por Jair Bolsonaro (PSL) a compor a chapa como vice-presidente – e Ricardo Ferraço (PSDB). Contarato tem como tem como suplentes Ana Paula Tongo (MDB) e Bento (Rede); Já na eleição de Marcos Do Val, Rosana Foerst e Ronaldo Libardi são suplentes. “Os dois têm a pauta de segurança no seu DNA. O resultado demonstra que o sentimento de mudança que o brasileiro estava antes do processo eleitoral, pelo menos para o Senado no Espírito Santo, se converteu na eleição de dois candidatos diferentes que nunca tinham disputado eleição”, avaliou o cientista político Darlan Campos, da República Marketing Político. radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 41


POLÍTICA

DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESPÍRITO SANTO

RENOVAÇÃO DA CÂMARA E DO SENADO FEDERAL A Câmara dos Deputados e o Senado Federal devem apresentar, em 2019, as maiores taxas de renovação das últimas décadas. É que a maioria dos deputados federais e dos senadores sem mandato conquistaram uma cadeira no Congresso. No Senado, a renovação política chegou a 85%, a maior de toda a história da Casa. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de cada quatro senadores que tentaram a reeleição neste ano, três não conseguiram. Essa estatística transforma as eleições de 2018 nas mais surpreendentes de toda a história recente do País. Das 54 vagas em disputa neste ano, 46 COMO O MERCADO INTERNACIONAL REAGIU AO RESULTADO DAS ELEIÇÕES? Se analisarmos o impacto do resultado do primeiro turno no Dólar e no índice Ibovespa a reação foi muito positiva. O dólar iniciou o dia 08 de outubro, um dia após as eleições no primeiro turno, sendo negociado na faixa de R$ 3,71, uma queda de cerca de 3,38% em relação ao fechamento da sexta anterior. E a Bolsa iniciou o dia em alta de cerca de 5,72%, na faixa dos 87.425 pontos. Importante ressaltar que este são indicadores de curto prazo, o mercado costuma precificar antes. Apesar da euforia com os resultados das eleições do primeiro turno, os investidores estrangeiros sempre analisam o risco. Eles consideram o Brasil um país arriscado e volátil. Desta forma, tomam decisões cautelosas e o fluxo monetário pode se alterar de forma muito rápida, afetando os preços dos ativos. Como tem repercutido a pesada onda de fake news de ambas as partes? Fake News hoje é um problema planetário. É muito difícil controlar as informações que são repassadas em grupos de WhatsApp e pelas redes sociais. Aqui nos Estados Unidos este assunto tem sido exaustivamente discutido. A tendência é de se buscar um equilíbrio entre a liberdade de expressão e a responsabilidade na divulgação de informações e notícias. Nestas horas, cabe a prudência de cada avaliar. Mas realmente as fakes News tem sido um tormento em época de eleições em vários países do mundo. A falta de credibilidade no sistema de urnas eletrônicas aumenta ao redor do mundo com tantas denúncias de problemas nesta eleição? O TSE assegura a segurança do sistema de urnas eletrônicas, mas é estranho quando comparamos com os países desenvolvidos. Poucos são os países que adotam este sistema. As várias denúncias de erros e fraudes, além de relatos de pessoas que não conseguiram votar no seu candidato colocam este sistema ainda mais sob suspeita. A vantagem maior deste sistema é a rápida apuração dos votos e divulgação dos resultados. Mas tudo isso é irrelevante quando se tem suspeitas de fraudes e manipulação de resultados. Uma sugestão seria implantar uma impressão do voto, sem caracterizar o eleitor, para ser conferido com o Boletim emitido pela urna eletrônica. Acredito que daria maior credibilidade na auditoria dos dados.

42

@esbrasil •

esbrasil •

Economista e articulista revistaesbrasil internacional Abel Fiorot

Sergio Majeski (PSB): 47.015

José Esmeraldo (MDB): 19.835

Delegado Lorenzo Pazolini (PRP): 43.293

Vandinho Leite (PSDB): 19.799

Renzo Vasconcelos (PP): 42.907

Marcelo Santos (PDT): 19.595

Delegado Danilo Bahiense (PSL): 36.064

Iriny Lopes (PT): 18.349

Doutor Hércules (MDB): 30.718

Raquel Lessa (PROS): 18.053

Hudson Leal (PRB): 30.632

Dr. Rafael Favatto (Patriota): 17.624

Theodorico Ferraço (DEM): 30.576

Bruno Lamas (PSB): 17.624

Capitão Assumção (PSL): 27.744

Luciano Machado (PV): 15.222

Enivaldo dos Anjos (PSD): 24.202

Carlos Von (Avante): 14.699

Coronel Alexandre Quintino (PSL): 23.330

Dary Pagung (PRP): 14.463

Torino Marques (PSL): 22.085

Pr. Marcos Mansur (PSDB): 13.736

Euclério Sampaio (DC): 21.662

Marcos Garcia (PV): 13.442

Erick Musso (PRB): 21.188

Alexandre Xambinho (Rede): 12.095

Janete (PMN): 20.488

Adilson Espindula (PTB): 11.635

Fabrício Gandini (PPS): 20.170

Dr. Emilio Mameri (PSDB): 11.489

Fonte: TSE

serão ocupadas por novos políticos. No Senado, apenas oito das 54 vagas em disputa serão ocupadas por candidatos que disputaram reeleição na votação no dia 07 de outubro. Além disso, com a renovação política apresentada nas eleições, a bancada feminina na Casa deverá diminuir a partir de 2019. Atualmente são 13 senadoras, mas apenas quatro ainda terão mandato a partir do ano que vem. Sete foram eleitas e, caso Fátima Bezerra (PTRN) não se eleja governadora do Rio Grande do Norte, serão 11 o total de senadoras no próximo ano. CÂMARA DOS DEPUTADOS Na Câmara, a renovação deve ficar acima de 50% das cadeiras. O número é o maior que o das últimas eleições, quando a taxa ficou em 47%. A última vez em que a Câmara teve uma renovação tão grande foi em 1994, quando 54,2% dos deputados eleitos eram novos. As 513 vagas da Câmara dos Deputados serão ocupadas por 30 partidos diferentes, considerado um recorde. PT e PSL elegeram o maior número de representantes, sendo a bancada do PT com 56 deputados e a do PSL, 52. Em seguida, com mais cadeiras na Casa, aparecem PP (37), MDB (34) e PSD (34). E o PMDB foi o que mais perdeu cadeiras, caiu de 66 eleitos em 2014 para 34 em 2018. No Distrito Federal, por exemplo, apenas uma de oito cadeiras ficará com uma deputada federal reeleita: Erika Kokay (PT) conquistou seu terceiro mandato na Câmara. Todos os outros sete eleitos pelo DF são novos.


NEGÓCIOS

MAIS DE R$ 300 MILHÕES EM NEGÓCIOS FECHADOS

A convenção recebeu mais de 23 mil visitantes nos três dias

FEIRA DO SETOR SUPERMERCADISTA E PANIFICADOR GERA RESULTADOS PROMISSORES PARA O VAREJO

C

onvenção e feira de negócios de supermercados e padarias do Espírito Santo, a Super Feira Acaps Panshow superou as expectativas. Passaram pelo Carapina Centro de Eventos, entre os dias 18 e 20 de setembro, cerca de 23 mil pessoas. No total, foram fechados R$ 306 milhões em negócios futuros pelos mais de 200 expositores. O evento é uma realização da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps) em parceria com o Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Estado do Espírito Santo (Sindipães). Nesta 32ª edição, o homenageado foi o diretor do Grupo Buaiz, Américo Buaiz Filho. A empresa completa 77 anos em 2018 ampliando totalmente seu desempenho de mercado com a recente inauguração da fábrica de mistura para bolos e farinha doméstica, construída em São Torquato, Vila Velha. Na mesma área está o novo centro de distribuição, que foi ampliado e adquiriu investimentos em tecnologia para atuar de forma integrada à nova unidade, além de receber produtos da linha industrial fabricados no centro de Vitória. O total de investimentos chegou a R$ 60 milhões. O governador Paulo Hartung celebrou a realização do ambiente integrado de negócios. “O setor de pães e supermercados é maravilhoso e gera mais de 75 mil empregos diretos. E esse número vai melhorar. Se o Brasil não atrapalhar, o Espírito Santo vai bombar”, frisou o chefe do Poder Executivo estadual na solenidade de abertura.

44

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

A feira evidenciou o otimismo que o setor está passando e levantou a confiança dos empresários, segundo a análise do superintendente da Acaps, Hélio Schneider. “A Super Feira Acaps cumpriu sua função ao apresentar novidades em produtos e serviços, iniciar e gerar negócios, ampliar os contatos entre as partes e promover conhecimento para todos os setores envolvidos”, comemorou. Com o intuito de ampliar ainda mais as oportunidades, também foram promovidas na Super Feira Acaps as “Rodadas de Negócios” para os supermercadistas. Quarenta fornecedores – entre pequenas, médias e grandes empresas – tiveram a chance de estabelecer o networking e apresentar seus produtos e serviços para cinco centrais de negócios, que somam cerca de 250 lojas supermercadistas do Espírito Santo. Os encontros resultaram em um montante de aproximadamente R$ 12 milhões. “As rodadas vêm para somar ao principal objetivo da feira, que é fechar negócios e ampliar a oportunidade de contatos com novos parceiros e fortalecimento com os atuais”, pontuou o presidente da Acaps, João Tarcício Falqueto. Para estimular as transações comerciais no salão de negócios, o evento investiu em mais uma edição da promoção “Acelerando Negócios”, que sorteou um carro novo entre as empresas que efetivaram compras com os expositores aderentes. O vencedor do prêmio foi o supermercado Grasse, do município de Guarapari.


As rodadas de negócios geraram cerca de R$ 12 milhões em novas parcerias

ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL Com uma programação completa, a Super Feira contou com palestras que abordaram diversos temas, desde política, passando pelas empresas familiares até chegar a estratégia para uma nova liderança. No primeiro dia (18/09) a jornalista e apresentadora Giuliana Morrone debateu sobre o atual cenário político, mostrando que são feitas muitas promessas, mas com pouca capacidade para exercê-las. Já na data seguinte (19/09) foi a vez de debater sobre a empresa familiar, com a psicanalista Danielle Quintanilha. O tema abordado trouxe reflexão de vários fatores, com foco principal no diálogo, respeito e habilidade na hora de discutir a sucessão. A escritora Nelma Penteado levantou a autoestima e arrancou boas risadas de 230 mulheres no Evento Feminino ao dar dicas

“A Super Feira Acaps cumpriu sua função ao apresentar novidades em produtos e serviços, iniciar e gerar negócios, ampliar os contatos entre as partes e promover conhecimento para todos os setores envolvidos” Hélio Schneider, superintendente da Acaps

Na Arena Panshow, foi realizado o “concurso de receitas pães e doces sabores capixabas”

A Super Feira também tem preocupação social com o início da campanha feita “Outubro Rosa”, feito em parceria com a Afecc, do Hospital Santa Rita

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 45


NEGÓCIOS

valiosas de como encarar os obstáculos pessoais e profissionais do cotidiano. O encerramento ficou por conta de Leandro Karnal, que falou sobre a constante atualização no mercado, principalmente no setor de supermercados e de padarias. Por isso a requalificação se faz necessária para o crescimento próprio e da empresa. O “Ciclo do Conhecimento” também trouxe workshops de qualificação em diversas áreas que envolvem o negócio como inteligência comercial, comportamento do consumidor, potencialização da equipe de trabalho, melhoria do ambiente profissional, qualidade no atendimento, resolução de conflitos, produção de checklist de boas práticas, impacto de tributos, transposição de conhecimento intelectual em realizações, retenção de talentos, implantação de sistemas de gestão e de informações trabalhistas – eSocial –, técnicas de como tornar a empresa mais lucrativa e de como empreender no setor, e métodos para ampliar as vendas no varejo, entre outros temas.

O diretor do Grupo Buaiz, Américo Buaiz Filho, recebeu tributo pela contribuição pessoal e empresarial para o setor. Na imagem, da esquerda para direita, o superintendente da Acaps, Hélio Schneider; o homenageado; o governador Paulo Hartung; o presidente da Acaps, João Tarcício Falqueto; e o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro

NEGÓCIOS Estreando na feira com outras 44 empresas, a cervejaria Ecobier fechou boas parcerias e já antecipou seu retorno no próximo ano. “Recebemos muitos visitantes e trocamos contatos para futuras parcerias. Essa receptividade foi uma surpresa e nos surpreendeu muito”, destacou a representante comercial Kleilany Zanate. Esta é a primeira vez que a Fruitsul se apresenta na feira, e só no primeiro dia já houve novidades, segundo uma das diretoras comerciais da empresa, Kelly Luana da Rosa. “Estamos felizes em participar do evento, pois está sendo uma experiência nova. Conhecemos potenciais clientes e estamos tendo bastante retorno”, contou. Quem também comemorou foi a Colina Alimentos. Parceira da feira há 10 anos, a empresa teve as expectativas superadas. “Tivemos um ótimo retorno. Fechamos vendas e marcamos conversas. Cada ano a feira se reinventa, traz sempre novidades, e isso permite nosso crescimento e conhecimento”, explicou o supervisor Levandir Ribeiro. A Química Amparo, detentora da marca Ypê, também participou pela primeira vez da feira de negócios. O gerente nacional de vendas Hélio Martins explicou a importância de marcar presença no evento. “Nós entendemos que estar na feira seria uma boa oportunidade de aproximação com os nossos clientes do Estado. Desejamos alcançar a liderança de vendas aqui no Espírito Santo, e esse foi mais um passo em direção a esse propósito”, expôs.

Flaviano Peixoto, CEO da Padaria e Confeitaria Premium, conquistou a primeira colocação com a panhoca de milho com recheio de socol e alho-poró. O segundo lugar ficou com o padeiro prático Leônidas Rosa Silva, da padaria Tayta. O profissional apresentou aos jurados o sorrentino de banana-da-terra, bacon, queijo e alho-poró. O foco desta edição foi expor para o mercado as possibilidades de criações de pães e doces com ingredientes diferentes, além da valorização dos produtos do agronegócio capixaba. O resultado final será divulgado em 16 de outubro, na sede do Sindipães, na comemoração do Dia Mundial do Pão.

RECEITAS VENCEDORAS No último dia da feira, foi divulgado o resultado da etapa classificatória da competição “Concurso de Receitas, Pães e Doces Sabores Capixabas”, na Arena Panshow, uma iniciativa do Sindipães/Aipães, em parceria com o Sebrae-ES.

FEIRA DE 2019 A maior feira de negócios dos supermercados e padarias do Espírito Santo já tem data marcada para o ano que vem. Acontecerá de 17 a 19 de setembro, e várias empresas já confirmaram a participação na próxima edição.

46

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

A jornalista e apresentadora Giuliana Morrone fez a palestra de abertura analisando o cenário econômico mundial


ESPECIAL Foto: Bruno César

A foto de supervisor de operação Bruno César Silva Moretto Pereira foi a selecionada no concurso

VITÓRIA VISTA DO ALTO

Q

48

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Bruno recebeu o prêmio das mãos dos sócios da Vix Fly Drones, Rafael Coelho e Cleferson Comarela

Um de seus maiores prazeres é fotografar, prática que fica ainda mais empolgante com o equipamento. “Com ele, é possível ter uma amplitude bem maior do que se está vendo. Gosto de visitar locais diferentes, fotografar o nascer do sol. Com o drone, consigo ver o mundo de outra perspectiva”, destacou. ETAPAS DO CONCURSO Para inscrever a foto no concurso, o participante deveria publicar a imagem autoral com a hashtag #concursovixflydrones2018 no perfil do Instagram, que deveria estar em modo público. Uma das regras foi inserir na descrição o local de onde foi tirada e a especificação do drone utilizado, por exemplo: Curva da Jurema, drone DJI Mavic Air. Ao fim, o ganhador teria sua foto divulgada nas mídias sociais da Vix Fly Drones, do Portal Capixaba da Gema e da Next Editorial.

Foto: Divulgação

ue Vitória é linda, todos já sabem. E para expressar toda essa beleza, a Vix Fly Drones, em parceria com a Next Editorial, lançou um concurso fotográfico baseado em cliques feitos com drones, que teve como objetivo premiar a imagem que melhor transmitisse o que há de mais bonito na ilha. A ação também visou a homenagear o município, que completou 467 anos no dia 8 de setembro. Ao todo, mais de 29 fotógrafos, entre amadores e profissionais, participaram do concurso, inscrevendo apenas uma opção. Os registros visuais foram analisados pelo fotógrafo profissional Jorge Sagrilo, pelo proprietário do portal Capixaba da Gema, Hilquias Darcley, e pelo diretor executivo da Next Editorial, Mário Fernando Souza. “Essa foi uma forma de valorizar os profissionais que buscam de alguma maneira mostrar as belezas naturais da cidade. Também tentamos explorar o lado criativo dos participantes, além de homenagear o município, que é um grande centro histórico”, disse Mário Fernando. Como pré-requisito, as fotos deveriam ser tiradas abaixo de 120 metros e estar fora do raio de cinco quilômetros do Aeroporto de Vitória. Desse modo, foram avaliadas tendo como base criatividade, originalidade e enquadramento do foco da disputa: a capital capixaba. E o ganhador do desafio foi o supervisor de operação Bruno César Silva Moretto Pereira. Ele contou que ficou surpreso com a escolha de sua foto e que a iniciativa foi muito importante para divulgar o seu trabalho e o de outros competidores. “Eu não sabia que tinha tantas pessoas que trabalhavam com drones aqui em Vitória. Acredito que deveria haver mais concursos como este, pois nós, fotógrafos, temos muito o que mostrar.”


ENERGIA

PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO ES GANHARÁ APOIO DO BID

U

ma comitiva da Dinamarca, financiadora do Programa de Eficiência Energética do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), esteve no Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) para conhecer a estrutura e a forma de atuar do banco capixaba. No Brasil, além do Espírito Santo, o programa de eficiência energética atuará também em Goiás, por intermédio da Agência de Desenvolvimento de Goiás (GoiásFomento), e na Região Sul, com Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). De acordo com o diretor-presidente do Bandes, Aroldo Natal, a ideia é montar uma estratégia de financiamentos para apoiar projetos de eficiência energética. “Atualmente, reduzir as demandas de energia, diversificar as fontes de produção e aumentar a sua eficiência são desafios comuns a todos os setores. A implantação de tecnologias mais inteligentes permite aumentar a produtividade e reduzir o consumo

de energia no dia a dia da empresa em todas as suas atividades. O Bandes está atento a estas demandas do empresariado e busca soluções que possam financiar o desenvolvimento econômico capixaba”, enfatiza Natal. Os projetos aprovados poderão utilizar como garantia aos financiamentos o “Seguro de Economia de Energia”. O programa envolveu serviços da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que formatou especificações e certificações para os equipamentos que serão financiados. Esta certificação possibilitará maior eficiência dos projetos implantados. No convênio, as empresas capixabas poderão contar com um novo aliado para implantar projetos sustentáveis e reduzir o consumo de energia e as emissões de gás carbônico. Prioritariamente, os projetos contemplados serão para o segmento de rochas ornamentais e indústria alimentícia.

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 49


FATOS

RUÍNAS DE QUEIMADO VÃO SER RESTAURADAS ATÉ MAIO DE 2019 PATRIMÔNIO CULTURAL NA SERRA RECEBERÁ INVESTIMENTOS NA ORDEM DE R$ 1 MILHÃO. A OBRA VAI DURAR OITO MESES

A

restauração do sítio histórico São José do Queimado está garantida. A Prefeitura da Serra assinou, no dia 20 de setembro, um acordo de Cooperação Técnica Financeira para dar início à obra. O objetivo é transformar o local em um verdadeiro museu a céu aberto. “Para firmar esse acordo, buscamos o governador Paulo Hartung, mostrando a importância dessa obra. Ele concordou de imediato e sinalizou uma parceria com o Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo (Sindicades), que, prontamente, concordou com a proposta, e isso foi bom para nós”, contou o prefeito da Serra, Audifax Barcelos. A obra terá início em até 60 dias. O investimento será mais de R$1 milhão na restruturação, com previsão de entrega da obra até maio de 2019. Para o prefeito, este é um momento muito importante em dois aspectos. “Primeiramente, resgatará a história e a luta dos negros nesta cidade, no Estado e no Brasil, além de um aspecto cultural, porque o local vai virar um ponto de turismo”, afirmou Audifax. De acordo com o secretário de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer (Setur), Alessandre Motta, “há 40 anos a sociedade e os órgãos públicos estão tentando resgatar esse patrimônio histórico. Agora será possível também com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)”.

@esbrasil •

esbrasil •

Mais de 300 homens, mulheres e até crianças participaram dessa rebelião capitaneada por Chico Prego, João da Viúva, Elisiário e muitos outros líderes que articularam seu povo para tomar a liberdade com as próprias mãos. Os rebelados foram presos e julgados, cinco deles condenados à morte. Elisiário escapou da cadeia, refugiou-se nas matas do Morro do Mestre Álvaro e nunca mais foi recapturado. Chico Prego foi detido e enforcado em 11 de janeiro de 1850. Hoje, seu nome batiza a Lei de Incentivo Cultural do município. Além disso, o local foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em 1993. Está situado a cerca de 25 quilômetros da capital Vitória.

OBRA Visando à preservação da identidade do patrimônio histórico e cultural, nada será retirado nem construído no local. “Serão feitos ajustes na estrutura, para garantir a sustentação da igreja, permitindo que as pessoas visitem as ruínas em segurança. Queremos que as pessoas sejam orientadas por guias turísticos e conheçam a história do Queimado”, explicou Motta. O secretário destacou ainda que, antes de ser autorizado o início da restauração, foram realizadas atividades de prospecção arqueológica em um raio de 700 metros em torno do que restou do templo.

O prefeito do município, Audifax Barcelos, firmou o compromisso junto a outras instituições na Praça Chico Prego, na Serra 50

QUEIMADO Em 19 de março de 1849, escravos da localidade de São José do Queimado, hoje distrito de Queimado, se revoltaram por causa de uma promessa feita pelo frei italiano Gregório José Maria de Bene. Ele dizia que, se os escravos construíssem a Igreja de São José, teriam alforria, mas isso não aconteceu.

revistaesbrasil


ESTILO

ACESSÓRIO

ESMERALDAS E TOPÁZIOS NA COLEÇÃO “L’ACQUA” MÚSICA

HUGO BOSS RELANÇA TERNO DE MICHAEL JACKSON Em homenagem a Michael Jackson, que completaria 60 anos em 29 de agosto, a Hugo Boss, marca que assina o terno branco usado pelo cantor na capa do álbum “Thriller”, de 1982, decidiu atualizar e relançar o look. A peça usada pelo rei do pop ganhará uma versão slim, em que a silhueta é mais estreita, e terá duas pregas nas calças e três botões de madrepérola nos punhos do blazer. Serão produzidas apenas 100 unidades, cada uma delas a ser numerada

e vendida por US$ 1.195 (cerca de R$ 5 mil). Além disso, a marca alemã lançará três t-shirts exclusivas, com momentos memoráveis da carreira do cantor, criadas pelo artista britânico Graham Dolphin.

MODA

A água, em suas diversas formas de apresentação, é o fio condutor para a criação da nova coleção de joias da designer Emar Batalha chamada “L’Acqua”. Em destaque, peças em tonalidades encontradas no mar, rio, piscinas e chuvas, que são exploradas em nuances como azuis claros e escuros, verdes variados, róseos e perolados. Tons de ouro rosa e amarelo vêm acompanhados de gemas como lápis-lazúli, topázio London Blue, esmeraldas, crisoprásio, calcedônias, pérolas, opalas e madrepérolas. "L’Acqua" é um convite a navegar pela infinita força da natureza traduzida em peças cheias de personalidade e charme.

OS ANOS 80 VOLTARAM! A Technos está celebrando 60 anos no Brasil. Para comemorar a data, a marca lançou o relógio feminino Boutique, com pegada vintage inspirada nos anos 80. O modelo apresenta caixas menores, com foco minimalista, e pode ser utilizado como acessório e facilmente combinado com outras pulseiras. Os relógios têm o preço sugerido R$ 309,90. Para mais informações e aquisição do produto, basta entrar em contato pelo telefone (11) 2394-8376 ou acessar o site www.technos.com.br.

TENDÊNCIA

AMARELO É DESTAQUE NO VERÃO 2019 O universo da moda se prepara para a chegada do verão, e as araras das lojas já estão repletas de novidades. Uma tendência que aparece em alta é o tom amarelo. “Quer cor melhor, que lembra o sol e a estação mais quente do ano?”, disse animada a empresária Heglay Fonseca, da Antix do Shopping Praia da Costa. A cor do sol aparece como opção para um look descontraído, com bodies que podem ser combinados com uma calça jeans, shorts ou saias jeans. 52

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

ARTE

ANDY WARHOL E BASQUIAT PARA BILLABONG Os artistas contemporâneos Andy Warhol e Jean-Michel Basquiat são as novas apostas que a Billabong trouxe para estampar a nova coleção de praia da marca. Dessa forma, foi criada uma coleção diferenciada com camisetas, biquínis, bermudas e acessórios para homens e mulheres, tudo com estampas dos trabalhos assinados pelos mestres. Os produtos são resultado de uma parceria entre a Billabong LAB e a Andy Warhol Foundation for Visual Arts. As peças começaram a ser vendidas em agosto deste ano.


VOLVO V60

MOTORES

VERSATILIDADE E SEGURANÇA PARA TODA A FAMÍLIA

JAGUAR E-PACE SUSTENTABILIDADE, CONFORTO E POTÊNCIA EM UM ÚNICO SUV

O

E-Pace, lançamento da Jaguar, chegou para ficar. São diferentes versões, duas opções de motores, sendo a 2.0 Ingenium (com 249 cv e com 300 cv), e muita esportividade neste que é o primeiro SUV compacto da marca. O veículo está disponível na Land Vitória, única representante oficial da Jaguar no Espírito Santo. Como itens de série, o SUV conta com sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de ré, bancos e volante revestidos em couro, rodas de liga leve de 19 polegadas, painel digital, sensor de fadiga, faróis com DRL de LED, regulagens elétricas dos bancos dianteiros e central multimídia com tela de 10 polegadas. A versão R-Dynamic S apresenta, ainda, sistema de navegação por satélite (GPS), retrovisor interno fotocrômico, rodas de 20 polegadas e acabamento interno diferenciado. Já a versão R Dynamic SE do E-Pace, inclui: frenagem de emergência em alta velocidade, abertura elétrica da tampa do porta-malas, alerta de pontos cegos, sistema de vetorização de torque, saída dupla de escapamento, assistente de farol alto, sistema de som Meridian com 380 watts e teto solar panorâmico.

A Volvo acaba de lançar o modelo V60, que é uma ótima opção para passeios em família, ajudando o condutor a aproveitar todos os momentos. Com um modelo imponente e um poderoso motor, combinado com tecnologia inteligente, garante uma experiência extraordinária. A segurança é sempre uma das preocupações da Volvo. O V60 possui aço de boro de altíssima resistência (um dos mais resistentes do mundo), além de um sistema de alerta de mudança de faixa e o CitySafety, que funciona como um copiloto que detecta o perigo à frente, alertando e preparando os freios para uma resposta rápida. Luxuoso, o interior do veículo utiliza materiais genuínos por toda a cabine, esculpidos em harmonia com o design escandinavo. Navegação, conectividade e entretenimento estão a pouquíssimos toques ou mesmo no comando de voz. Dando andamento ao seu plano de lançamentos, a Volvo Cars traz para o Brasil seu mais novo veículo global. O carro já está em pré-venda por R$ 199.950 nas 32 concessionárias da marca no país.

DUCATI SUPERSPORTS Com um estilo autêntico e assinatura versátil, o modelo Supersport S é ágil em ruas, confortável em estradas e versátil, além de ser surpreendente no track day (dia de pista). A característica principal é a posição mais ergonômica e relaxada para o piloto e também para o passageiro. De visual leve e compacto, a moto é dinâmica e possui visual inspirado na linha Panigale, com o chassi Trellis, característico de alguns modelos da marca. A Ducati Supersport S vem equipada com suspensão Öhlins totalmente ajustável, sistema de aumento/redução de marchas Ducati Quick Shift (DQS) e capa para o assento traseiro. Adicionalmente, há faróis de milha diurnos (DRL) em LED altamente distintivos, a traseira aerodinâmica e o tanque esculpido desempenhando uma função essencial. A classificação Euro, possui quatro válvulas por cilindro, um sistema de ar secundário, arrefecimento a líquido, uma taxa de compressão de 12.6:1 e medições de orifício e curso de 94 e 67,5 mm, respectivamente. O rendimento do motor tem um total de impressionantes 113 hp a 9.000 rpm (o valor de potência indicado é medido utilizando um dinamômetro de chassis) e um torque máximo de 96,7 Nm a 6.500 rpm.

54

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil


radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 55


Foto: Pinterest

Apresentada durante o Salão de Milão 2017, a Vespa Elletrica apareceu como protótipo. Por isso, a marca começará a produzir o primeiro modelo elétrico na Itália, e as vendas terão início em outubro na Europa. O desempenho dos modelos pode ser comparado ao de motos “cinquentinha”, com potência máxima de 5,5 cavalos. Além disso, a autonomia é de 100 km para a versão de entrada e de 200 km para a Elletrica X, que é acompanhada de um gerador auxiliar ao motor elétrico. A bateria leva quatro horas para recarregar completamente.

Foto: Divulgação

ITÁLIA PRODUZ A PRIMEIRA VESPA ELÉTRICA

LEGO CRIA RÉPLICA DO BUGATTI CHIRON A Lego e a Bugatti firmaram parceria para construir um modelo Chiron em tamanho real. E por incrível que pareça, o veículo pode ser dirigido e ultrapassar os 20 km/h, longe dos 420 km/h que o verdadeiro alcança. A réplica foi construída com mais de 1 milhão de peças, pesa 1.500 kg e levou aproximadamente 13 mil horas para a construção. Além disso, para o propulsor foram necessários 2.304 motores elétricos, 4.032 engrenagens e 2.016 eixos. A potência máxima é de 5,4 cv e o torque, de 9,4 kgfm. O modelo conta, ainda, com traseira móvel e um velocímetro funcional. O veículo feito com as peças da marca dinamarquesa só herdou as rodas e o emblema da Bugatti.

SISTEMA MULTIMÍDIA DO NISSAN MARCH 2019 Conhecido como um dos maiores lançamentos da Nissan, o modelo March estreia no mercado brasileiro com mudanças no sistema multimídia. O equipamento Multi-App será ofertado também na versão SV do veículo e apresenta novidades como a tela maior (de 6,75″) e a compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay. Outra novidade do equipamento é a Multi-App Store, que permite baixar, pela internet, uma série de aplicativos diretamente no equipamento. O veículo, que é fabricado em Resende, no Rio de Janeiro, chega com valores que variam entre R$ 46.490 e R$ 62.990.

Um projeto de táxi aéreo da Uber começará a ser testado a partir de 2020, nos Estados Unidos. Durante uma conferência realizada em Tóquio no dia 30 de agosto, a empresa revelou que, após os testes, o sistema chegará ao Brasil. Além disso, informou que está buscando por uma terceira cidade parceira. Até o momento, Dallas e Los Angeles já estão interessadas em lançar o programa de voos fretados. Aqui no Brasil, o Rio de Janeiro é a cidade cogitada pela empresa para receber o UberAir. A intenção é que o dispositivo transporte usuários com a mesma simplicidade que se pede um carro atualmente, e a operação comercial tenha início em 2023.

Foto: Divulgação

UBER VOANDO?!

O CARRO MAIS BONITO DO MUNDO: JAGUAR E-TYPE ZERO Fabricado entre 1961 e 1975 pela Jaguar, o E-Type se tornou um dos modelos mais conhecidos e apreciados. Dessa forma, a marca deseja que o veículo seja conhecido como o mais bonito do mundo. No ano passado, o modelo ganhou uma versão elétrica chamada E-Type Zero. Ele atraiu a atenção de todos quando foi utilizado para levar o príncipe Harry e Megan Markle à festa do casamento real. A montadora afirmou que não haverá a necessidade de modificar a suspensão e os freios, pois as dimensões e peso são semelhantes aos do motor a combustão de seis cilindros. A previsão é que o veículo comece a ser efetivamente produzido em 2020.

56

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil


radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 57


Visite o blog Aonde Ir em www.esbrasil.com.br e confira a galeria de fotos. Lá você encontra os melhores destinos para preparar a sua viagem

POR ALINE PAGOTTO

Foto: Divulgação

ITARANA: TURISMO RELIGIOSO E AGROINDÚSTRIA EM UM SÓ LUGAR A capela de Santa Luzia, localizada no cume de uma grande pedra a 935 metros de altitude, é uma das edificações mais lindas de ser visitadas.

C

onhecida pela sua hospitalidade, Itarana, localizada ao Noroeste do Espírito Santo, pode até ser uma cidade pequena, mas reserva várias riquezas. A 120 km da capital, Vitória, o município é formado por vales e montanhas, sendo cercado por belezas naturais exuberantes. Seu território está situado na Região dos Imigrantes e também é ponto de encontro dos amantes de esportes de aventuras. Muito conhecida, a rampa de voo livre atrai diversos turistas, dependendo do mês e do clima, justamente para saltar e observar o que há de mais fascinante ao redor. Com casarões que marcam a história dos imigrantes italianos, pomeranos e alemães, a agroindústria é forte. Eles faziam o que há de mais gostoso na culinária caseira: pães, biscoitos, rapaduras e queijos, entre outros produtos. Mas quem acha que o município possui apenas a religiosidade como ponte forte está muito enganado. Como destaque, a diversidade cultural de Itarana vem representada pelo bloco “Boi Juruba”, que desfila em janeiro, além do “Trio Pocotó”, que anima os foliões durante os quatro dias de carnaval. Se deseja visitar a cidade em um período mais tranquilo, uma dica é o Teatro da Semana Santa e conferi os tapetes de Corpus Christi, tradições preservadas e transmitidas de geração em geração.

58

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

HISTÓRIA Antes chamado de Figueira de Santa Joana, por ter sido fundada às margens do rio que leva o mesmo nome e que possuía uma linda figueira silvestre, o território de Itarana pertencia a Afonso Cláudio. O município recebeu boa parte das colônias italiana e alemã. Sendo assim, na segunda metade do século XIX, imigrantes vindos de Santa Teresa, entre eles Rabi Bergamaschi e Denardi Fiorotti, decidiram fundar a cidade. O povoado de Figueira de Santa Joana se tornou sede de distrito em 15 de março de 1890. Foi sede de Afonso Cláudio, mas, em 18 de abril de 1963, a área foi definitivamente desmembrada da de Itaguaçu, recebendo a nomenclatura atual.


O QUE CONHECER EM ITARANA? Igreja Nossa Senhora Auxiliadora Constituída com três naves, dois altares secundários e um altar principal e piso composto por ladrilhos hidráulicos distintos, a igreja não passa despercebida. É uma das mais antigas do município e a mais fácil de ser visualizada assim que se chega à cidade. Em estilo rococó, com seu teto ovalado e muito bem adornado, a edificação começou a ser construída em 1901. Em 1920, foi lançada a pedra fundamental da igreja, mas apenas em 15 de julho de 1951 foi realmente inaugurada pelo Bispo Dom Luis Scortegagna. Para quem gosta de curiosidades, há um pequeno museu com imagens, trajes e pertences da arquidiocese. Vale a visita! Como chegar: A 127 quilômetros da capital, Vitória. Acesso pela rodovia ES-261. Rua Projetada, nº 50. Centro – Itarana/ES

Igreja Evangélica de Confissão Luterana de Alto Jatibocas Quando chegaram à região, os imigrantes trouxeram consigo alguns costumes, entre eles a religião luterana. Assim, construíram em 1929 uma edificação em madeira no estilo enxaimel (em forma de encaixes), ou seja, sem nenhum parafuso. A estrutura arquitetônica da igreja continua a mesma desde sua inauguração, tendo sido desmontada e montada novamente, continuando em ótimo estado de conservação. Além disso, no local há um tronco de árvore, seco, no pátio. Nele, tem entalhado uma passagem bíblica. Como chegar: 127 quilômetros da capital Vitória. Acesso pela Rodovia ES-261. Avenida Jerônimo Monteiro, nº 297, Itarana/ES

Rampa de Voo Livre Quer se aventurar? Então conheça a Rampa de Voo Livre José Bridi. Com 670m de altitude, há uma subida muito íngreme, mas que, ao fim, vale a pena desfrutar toda a vista para a Pedra Alegre e parte da Pedra dos Cinco Pontões. A natureza é realmente um ponto alto nesse local. O voo livre, ao decorrer dos últimos anos, tem se intensificado, e o local tem atraído turistas de diversas regiões, levando a ocorrer vários campeonatos da modalidade no município. Não deixe de conferir! Como chegar: Est. Pedra Alegre, s/n, km 7, zona rural, Itarana/ES

Agroindústria Ao fim do passeio, é importante provar uma boa comida. E em Itarana há um circuito gastronômico que precisa ser conhecido. A agricultura familiar é muito comum na região. São bolos, doces, café e cachaça, entre outros produtos comercializados, que ajudam a formar a renda de várias famílias do município. O mais legal é que é possível acompanhar a produção e ainda consumi-la lá mesmo. Não dá para não querer visitar essas propriedades, não é?

Veja mais fotos na galeria do site: www.esbrasil.com.br

radio.esbrasil.com.br •

esbrasil.com.br 59


ARILDA TEIXEIRA

ECONOMIA

é economista e professora da Fucape

CONJECTURAS ENQUANTO OUTUBRO NÃO CHEGA… ECONOMIA BRASILEIRA ESTÁ EM COMPASSO DE ESPERA, AGUARDANDO O SINAL DAS URNAS NO FIM DE OUTUBRO

A

economia brasileira tem pouco tempo para ouvir as retóricas dos candidatos ao pleito dos poderes Legislativo e Executivo e formar sua opinião sobre o que será 2019 e os anos seguintes no próximo mandato. Contudo, como ela sabe que não existe mágica quando se trata do processo de alocação de recursos, posiciona-se cética e criticamente: coloca seus fatores de produção em modo avião (aquele que opera, mas não responde). Isso significa voltar-se para si, para encontrar a boia que lhe permitirá, pelo menos, boiar até o cenário se definir e poder enxergar qual direção tomará. Esse posicionamento já está claramente descrito nas estatísticas do IBGE (PIB do 2º trimestre de 2018 cresceu 1,1% no acumulado do ano em relação ao mesmo período de 2017) e no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), que apresentou uma queda de 1,5% relativa ao trimestre encerrado em maio/2018 em comparação ao mesmo período de 2017. Cabe lembrar que todas as regiões do país tiveram recuo em seus índices de atividade. As estimativas indicaram que a greve dos caminhoneiros foi o fator preponderante para essa desaceleração; que seu efeito já se dissipou e a atividade econômica vai reagir.

60

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Pode ser – as vendas do varejo ampliado cresceram (mesmo que em taxas baixas e menores do que as do trimestre anterior), e a taxa de desocupação caiu (mesmo que ainda esteja com dois dígitos). Mas preocupa que a produção industrial tenha caído em todas as regiões do país e, principalmente, que o volume de

Ano eleitoral, em qualquer parte do mundo democrático, suscita instabilidade devido às incertezas que o envolve. No Brasil não poderia ser diferente” investimento ainda não tenha reagido – pelo menos não o suficiente para indicar o início da retomada do crescimento. Também causa apreensão o fato de a procura por crédito por parte das empresas (pessoas jurídicas) também ter caído. Ano eleitoral, em qualquer parte do mundo democrático, suscita instabilidade

devido às incertezas que o envolve. No Brasil não poderia ser diferente. Mas o agravante que cerca o momento eleitoral brasileiro são as mudanças estruturais que precisam ser feitas. Ouso chamá-las de mudança cultural, haja vista que precisará alterar, inclusive e principalmente, as atitudes de indivíduos e instituições, públicas e privadas. Nas privadas, necessita abandonar o pacto da socialização das perdas e privatização dos lucros estabelecido desde o Brasil Império, entre o Estado e a Plutocracia. Esse comportamento viciado é pernóstico aos avanços da eficiência e da conquista da competitividade. Além disso, aborta o animal spirits que puxa a inovação e o empreendedorismo – componentes imprescindíveis para o avanço da competitividade. Nas públicas, precisa de uma ampla mudança da cultura organizacional, para que seus agentes passem a separar os interesses individuais dos corporativos, e a máquina pública deixe de ser instrumento para distribuir privilégios para os amigos do Poder. Por enquanto, não se enxergam perspectivas de mudanças nessas direções. As estatísticas econômicas são somente os sinalizadores das reações dos investidores/ empreendedores à imprevisibilidade.


essas MULHERES

FABRICIA KIRMSE

essasmulheres@nxte.com.br

E

sta é uma coluna dedicada às mulheres. Essas que são filhas, mães, esposas e ainda dão conta de suas tarefas profissionais com charme, competência e uma sensibilidade que só elas têm!

NÚMEROS DO DESCASO

O INCÊNDIO NO MUSEU NACIONAL E O VALOR QUE NÃO DAMOS À CULTURA Não é “apenas” um museu incendiado. É a morte de uma rica parte da História. É a deterioração da já desvalorizada cultura brasileira acontecendo a passos largos diante de nossos olhos e sem que nada efetivo seja feito. É o descaso com todo o estudo e pesquisa dedicados à constituição de um rico acervo científico. Não foi “apenas” um acidente. Foi crime. Crime de omissão contra a conservação do nosso patrimônio histórico e cultural. Não há restauração que ajude. Não há milhões investidos em reparos que recuperem o que se perdeu ali, naquelas chamas. Não há como mensurar a perda. Perdemos também, com a destruição do museu, mais um pouco do que ainda nos resta de dignidade. E o triste é saber que poucos de nós têm real dimensão disso, simplesmente porque somos um país que não estimula em seu povo o entendimento do valor incalculável da cultura. As pessoas lamentam, sim, a tragédia. Postam “luto” em suas redes sociais. A maioria de nós fez isso. Mas poucas têm noção da amplitude e da gravidade do estrago feito naquele museu que há 200 anos contribuía para a preservação da História. Aliás, há até quem não dê valor à História (políticos, inclusive). E isso é ainda mais triste. Na semana do incêndio no museu do Rio de Janeiro, dediquei algumas horas a explicar para meu filho de 7 anos o que aquela perda representava e por que preservar nossa História é tão essencial ao nosso desenvolvimento. Quando estudamos a História (e só é possível pelos livros e pelo que se guarda, cuidadosamente, nos acervos culturais, como os museus), nos deparamos com o que os homens foram e fizeram, e isso, obviamente, nos ajuda a compreender o que podemos ser e fazer. Nossa História é muito mais do que apenas mero conhecimento. Ela nos ajuda, imensamente, na tarefa de construir um mundo melhor e uma sociedade mais justa. Que a gente reflita mais sobre o que está sendo feito com a cultura do nosso país. Que a gente ensine nossas crianças a amarem a História e tudo o que se preserva dela. Não haverá nunca um país melhor se a gente não valorizar e recolher as informações do passado para tentar recriar o presente.

NÚMEROS DA PERDA

Os R$ 268,4 mil gastos pelo Museu em 2018 equivalem a menos de 15 minutos de gastos do Congresso Nacional em 2017. Câmara e Senado custaram R$ 1,16 milhão por hora no ano passado, segundo dados da ONG Contas Abertas, que acompanha os gastos do governo. Outro exemplo do pouco valor dado à cultura no Brasil: esses mesmos R$ 268,4 mil conseguiriam manter a máquina judiciária do país em funcionamento durante menos de 2 minutos em 2017. Pasme: no ano passado, a Justiça custou R$ 90,8 bilhões aos cofres brasileiros. O número é do relatório “Justiça em Números”, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O Museu Nacional abrigava um acervo impressionante com 20 milhões de peças (das áreas de antropologia, botânica, entomologia, geologia e paleontologia). Havia uma biblioteca com mais de 474 mil volumes, entre livros, periódicos e outras publicações sobre ciências naturais, e em torno de 2,4 mil obras raras.

62

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil


IVO NOGUEIRA DIAS

CHEGA, TEMPO! JÁ BASTA!

M

eus pais não são velhos. Quer dizer, velho é um conceito relativo. Aos olhos da minha avó, são muitos moços. Aos olhos dos amigos deles, são normais. Aos olhos das minhas sobrinhas, são muito velhos. Aos meus olhos, estão envelhecendo. Não sei se lentamente, se rápido demais ou se no tempo certo. Mas sempre me causando alguma estranheza. Lembro-me de quando minha mãe completou 60 anos. Aquele número me assustou. Os 59 não pareciam muito, mas os 60 pareciam um rolo compressor que se aproximava. Daqui a uns anos ela fará seus 70 e eu espero não tomar um susto tão grande dessa vez. Afinal, são apenas números. Parece-me que a maior dificuldade é aprendermos a conciliar nosso espírito de filho adulto com o progressivo envelhecimento deles. Estávamos habituados à falsa ideia que reina no peito de toda criança de que eles eram invencíveis. As gripes deles não eram nada, as dores deles não eram nada. As nossas é que eram graves, importantes e urgentes. E de repente o quadro se inverte. Começamos a nos preocupar – frequentemente de forma exagerada – com tudo o que diz respeito a eles. A simples tosse deles já nos parece um estranho sintoma de uma doença grave e não uma mera reação à poeira. Alguns passos mais lentos dados por eles já não nos parecem calma, mas sim uma incômoda limitação física. Uma conta não paga no dia do vencimento nos parece fruto de esquecimento e desorganização e não um simples atraso, como tantos dos nossos. Num dado momento já não sabemos se são eles que estão de fato vivendo as sequelas da velhice que se aproxima ou se somos nós que estamos excessivamente tensos, por começarmos a sentir o indescritível medo da hipótese de perdê-los- mesmo que isso ainda possa levar 30 anos. Frequentemente nos irritamos com nossos pais, como se eles não estivessem tendo o comportamento adequado ou como se não se esforçassem o bastante para manterem-se jovens, vigorosos e ativos, como gostaríamos que eles fossem eternamente. De vez em quando esbravejamos e damos broncas neles, como se estivéssemos dentro de um espelho invertido da nossa infância.

64

@esbrasil •

esbrasil •

revistaesbrasil

Na verdade, imagino eu, nossa fúria não é contra eles. É contra o tempo. O mesmo tempo que cura, ensina e resolve é o tempo que avança como ameaça implacável. A nossa vontade é gritar “Chega, tempo! Já basta! 60 já está bom! 65 no máximo! 70, não mais do que isso! Não avance, não avance mais!”. E, erroneamente, canalizamos nos nossos pais esse inconformismo. O fato é que às vezes a lentidão, o esquecimento e as limitações são, de fato, frutos da idade. Outras vezes são apenas frutos da rotina, tão naturais quanto os nossos equívocos. Seja qual for a circunstância, eles nunca merecem ter que lidar com a nossa angústia. Eles já lidaram com os nossos medos todosde monstros, de palhaços, de abelhas, de escuro, de provas de matemática- ao longo da vida. Eles nos treinaram nos fortaleceram, nos tornaram adultos. E não é justo que logo agora eles tenham que lidar com as nossas frustrações. Eles merecem que sejamos mais generosos agora. • Mais paciência e menos irritação. • Menos preocupação e mais apoio. • Mais companheirismo e menos acusações. • Menos neurose e mais realismo. • Mais afeto e menos cobranças. • Eles só estão envelhecendo. E sabe do que mais? Nós também. • E é melhor fazermos isso juntos, da melhor forma.


Revista ES Brasil 157  
Revista ES Brasil 157  
Advertisement