Jornal Notícias Matosinhos #69 - Março 2023

Page 1

FUTEBOL CLUBE INFESTA

DESPORTO – P.3

NORTESHOPPING DISTINGUIDO

SOCIEDADE – P.4

PALESTRAS DE ACESSO GRATUITO

MATOSINHOS SPORT – P.12

Estou aberto a toda a população”

ENTREVISTA A LEONARDO FERNANDES

1 GRATUITO — MARÇO 2023 — EDIÇÃO 69
Diretor: Francisco Samuel Brandão
CULTURA – P.9 SOCIEDADE – P.5 ENSINO – P.8 SAÚDE – P.10
CORTEJOS DE CARNAVAL NOVAS LINHAS DE METRO BULLYING NAS ESCOLAS SERVIÇO DE OFTALMOLOGIA

Parece que ninguém encontra consenso nesta amálgama de manifestações grevistas que legitimamente existem como forma de reclamar direitos consagrados na Carta Constitucional, e que a maioria das vezes é olhada de lado e raramente respeitada em questões essenciais da vida dos portugueses. Todos se queixam de atropelos àquilo que deveria ser o seu bem-estar como cidadão de país europeu, sempre em busca de equilíbrios para estabilizar a sua comunidade, mas que dificilmente encontra forma de satisfazer - porque não é possível - todos da mesma maneira. Daí que vejamos com alguma regularidade manifestações de rua chamando a atenção das autoridades governativas para o descalabro que se passa por alguns setores profissionais de diversos estratos sociais, onde pontuam os funcionários ligados ao Estado como médicos, enfermeiros, professores, funcionários camarários (estes sem voto porque sujeitos à ditadura dos maiores

FICHA TÉCNICA

DIRETOR: Francisco Samuel Brandão

DIRETOR ADJUNTO: Mário Costa

EDITOR: Emídio Brandão

COORDENAÇÃO: Diogo Barbosa

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Miguel

Vaz Pinto

DESIGN: Joana Santos

CORPO REDATORIAL: Bernardino

Costa; Carlos Marinho; Emídio Brandão;

PROPRIEDADE: Emibra - Publicidade e Consultadoria de Gestão, Lda EMAIL: revista-nm@emibra.com

empregadores em várias geografias do país), enfim, toda uma aparente elite aos olhos do povo, não esquecendo ainda os ligados ao privado, estes mais longe dos protecionismos do funcionalismo público e, portanto, sem as regalias que aquele estatuto lhe confere, e, rematando, com os sem voz porque ninguém os quer ouvir.

Isto retrata a grande insatisfação das pessoas face ao evoluir da conjuntura económica que, para os mais afortunados e conhecedores destes meandros é considerada favorável - não sentem tanto o peso no custo quando vão às compras essenciais e indispensáveis em casa de uma família – mas que a enormíssima maioria da população sente duramente as agruras do fim do mês a ter de pagar tudo cada vez mais caro e sem alternativa.

Para estas situações muito tem contribuído a leveza e egoísmo com que maioria dos nossos governantes tem distinguido aqueles que neles votaram

na esperança de um mundo melhor. A democracia é ótima, mas dá margem a muitas sombras e manobras de bastidores permitindo que os mais habilidosos tirem partido de posições e benefícios cujas consequências vai sempre sobrar para os mais distantes dos poderes político e económico, isto é: para os desfavorecidos.

É tempo de se começar a pôr ordem nas condutas - nunca é tarde – dos que nos governam e apaniguados, de forma exemplar, para que não haja desvios dos caminhos que nos levem a patamares de bem-estar, evitando o ensurdecedor roído das manifestações de rua, legítimas, que retratam mesmo as dificuldades das pessoas.

O Presidente da República está atento e sabe como lidar com situações menos apropriadas de figuras que deviam ser exemplares. Faz avisos, insinuações e, já “despachou” alguns.

Mas devem estar, proximamente, mais alguns na calha.

SEDE E REDAÇÃO/ EDIÇÃO: Av. D. Afonso Henriques, 1122, 1o Andar, Sala A, 4450-011 Matosinhos DIREÇÃO POSTAL: Apartado 2153, 4451-901 Matosinhos

TLF. GERAL: 229 999 310

TLF. REDAÇÃO: 229 999 315

REGISTO: ERC 127008

DEPÓSITO LEGAL: 428306/17

NIPC: 502 505 117

PERIODICIDADE: Mensal

NOTA:

O Estatuto Editorial encontra-se publicado na página de Internet: www.nmmatosinhos.com/estatuto-editorial

2
Rua Alfredo Cunha, 546 Matosinhos 229 381 940 229 384 766 (fax)
O MÊS EM REVISTA Rua Pinto de Araújo, 249 Leça da Palmeira 229 997 170 – 220 997 179
Francisco Fernandes Brandão; José Henrique Correia; Paulo Gaspar; Prof. Dr. Júlio Pinto da Costa; Paulo Mengo de Abreu; João Almeida.
EDITORIAL — MARÇO 2023
229 384 145 Rua Álvaro Castelões, 558, Matosinhos 229 384 383 / 229 380 946 936 629 050 / 51 / 52
Rua Mouzinho de Albuquerque 69 Matosinhos

Centenas de participantes no Carnaval das

Piscinas e Ginásios

A folia do Carnaval chegou por estes dias às 7 piscinas municipais e aos 4 pólos do ginásio MS Fit com centenas de participantes e muita animação à mistura.

O desafio lançado pela Empresa Municipal de Desporto, que abriu portas à população e apelou à participação da comunidade de forma gratuita, não poderia ter sido melhor correspondido.

Com o intuito de alegrar os munícipes, e a pensar em todas as faixas etárias, a Matosinhos Sport disponibilizou um total 7 aulas de hidroginástica e 6 aulas de fitness das mais variadas modalidades, entre outras o gym 4 kids e a habitual aula de zumba tão a propósito do Carnaval. As super aulas temáticas são de resto promovidas com bastante regularidade uma vez que se apresentam como um dos momentos mais aguardados e divertidos, quer para o staff técnico, que se desdobra em esforços para surpreender sempre todos os clientes, bem como para todos os restantes envolvidos.

Municipais

Futebol Clube de Infesta

Visita do executivo às instalações do clube

Na perspetiva de contactar e estreitar laços com a realidade desportiva local, nomeadamente com entidades e espaços desportivos emblemáticos do concelho, a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, foi recebida nas instalações do Futebol Clube de Infesta para uma visita.

Luís Ferreira, presidente do Futebol Clube de Infesta, acompanhou a presidente da Câmara Municipal que chegou ao clube com outros membros do executivo municipal, designadamente, o vice-Presidente, Carlos Mouta, o vereador do Desporto, Vasco Pinho, e o Administrador da Matosinhos Sport, Henrique Calisto.

O presidente do Futebol Clube de Infesta aproveitou o momento para agradecer a cooperação com a Câmara de Matosinhos ao longo dos anos, enaltecendo os últimos investimentos no desenvolvimento da estrutura nomeadamente o mais recente centro de performance desportiva e a nova iluminação eficiente led, esta última com o apoio da autarquia.

Concurso de saltos

Competição no Centro Hípico do Porto e Matosinhos

O Centro Hípico do Porto e Matosinhos recebeu, entre 10 e 12 de fevereiro, o Concurso de Saltos Nacional-B que contou também com Provas de Escolas, o segundo CSI que decorre este ano neste Centro Hípico.

A entrega de prémios, no final de um fim de semana de provas, contou com a presença de Vasco Pinho, Vereador do Desporto da autarquia matosinhense.

A organização esteve a cabo do Centro Hípico do Porto e Matosinhos com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos e Matosinhos Sport.

O excesso de peso e obesidade e as doenças crónicas associadas como diabetes tipo têm aumentado significativamente nas últimas décadas, afigurando-se um problema de saúde pública muito complexo, associado também à sustentabilidade da alimentação. Mas porquê pensar que o problema está apenas nos consumidores e não no ambiente que nos rodeia? Será o ambiente alimentar a base do problema? Será que também é o ambiente alimentar que nos leva a fazer más escolhas alimentares e pouco sustentáveis?

Os ambientes alimentares definem-se como influências subconscientes das nossas escolhas alimentares diárias que moldam o que comemos que incluem a publicidade, a disponibilidade de alimentos nos espaços comerciais perto de casa, as cantinas, bem como os rótulos dos alimentos. Existe evidência de que os ambientes alimentares podem levar a consumo de alimentos não saudáveis que contribuem para prolongar o problema do excesso de peso. São necessárias políticas que ajustem os ambientes alimentares às pessoas para enfrentar os problemas de saúde e, sobretudo, preveni-los nas próximas gerações. Por exemplo, Portugal a partir de 2017 taxou bebidas açucaradas sem álcool com o objetivo de diminuir o seu consumo e reduzir a obesidade e a diabetes tipo 2, medida já aplicada em muitos outros países. Existem várias entidades como a Organização Mundial de Saúde que referem, por exemplo, que as taxas sobre os refrigerantes juntamente com redução dos preços das frutas e dos legumes são medidas eficazes na promoção de uma alimentação saudável, assim como, podem sugerir positivamente às indústrias alimentares a reformulação dos produtos alimentares nutricionalmente desadequados. Porém, provavelmente não chega dificultar o acesso a alimentos sem interesse nutricional, fazendo sentido fazê-lo simultaneamente com medidas de educação da população para escolhas mais saudáveis e acessíveis, como acesso a consultas de nutrição, palestras, workshops sobre alimentação saudável e sustentável. Estas medidas de sensibilização visam a melhoria do estado nutricional da população através de um padrão alimentar saudável, criando condições para todos serem capazes de o valorizar e consumir como rotina. No entanto, a taxação de produtos alimentares não saudáveis é uma das várias possibilidades de mudar os ambientes alimentares. É atribuída muita responsabilidade à população sobre as suas escolhas alimentares, mas esta não é sua exclusivamente, pois existe uma gama de influências físicas, políticas, económicas e culturais que são exteriores às escolhas individuais.

3
MARÇO 2023 — DESPORTO
Av. Serpa Pinto, 756 - R/C D Matosinhos 220 930 126 - 914 937 255
Foto: MatosinhosSport

SAIBA

PORTUGAL VOLTA A ESTAR NA “BOCA DO MUNDO”

A lista, composta por doces e salgados feitos com massa folhada, classifica 100 produtos tradicionais, originários de vários países, e o pastel de Belém conquistou o primeiro lugar. No segundo lugar encontra-se o pastel de nata. Já a bola de Berlim conseguiu a 26ª posição no ranking.

POPULAÇÃO DE PORTUGAL É A QUE MAIS ESTÁ A ENVELHECER NA UNIÃO EUROPEIA

A idade média da população em Portugal é a segunda mais elevada entre os 27 Estados-membros da União Europeia (UE), tendo sido a que mais aumentou nos últimos 10 anos.

Paralisação no Porto de Leixões termina após acordo com a APDL

Acabou a paralisação dos camiões junto aos acessos do Porto de Leixões depois das transportadoras rodoviárias terem reunido, no dia 23 de fevereiro, com a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) e chegarem a um acordo

MEIO DE TRANSPORTE MAIS USADO EM PORTUGAL É O CARRO

De acordo com o inquérito encomendado pela seguradora Europ Assistance, durante a semana o carro próprio é o meio de transporte mais utilizado em Portugal (37% usam-no mais de uma hora por dia), o que aumenta no fim de semana (40%), enquanto a média dos seis países é de 29 e 31%, respetivamente.

SUBIRAM 5% QUEIXAS DIRIGIDAS ÀS AUTARQUIAS

As reclamações dos munícipes dirigidas às autarquias ultrapassaram as duas mil no ano passado, mais 5% do que no ano anterior, sendo os principais motivos licenciamentos, ambiente e infraestruturas, refere o Portal da Queixa, plataforma dirigida aos consumidores. As câmaras municipais de Lisboa, Almada, Vila Nova de Gaia, Loures e Oeiras são as que motivaram maior número de reclamações.

SUBIDA DA TAXA DOS OSSÁRIOS DEIXA MATOSINHENSES REVOLTADOS

Vários matosinhenses compareceram na reunião pública do executivo municipal, que teve lugar em Guifões, para contestar o aumento da taxa de utilização dos ossários nos cemitérios municipais, que subiu para o triplo. Queixam-se do desrespeito por parte da Autarquia e dão conta das dificuldades em pagar o valor

Foto: Amin Chaar / Global Imagens

Paulo Paiva, porta-voz e assessor jurídico do grupo, confirmou ao JN que “a paralisação foi desconvocada depois das 20 horas após reunião com a APDL, que se manteve colaborativa nas negociações com a plataforma que exigia operacionalidade ao Porto de Leixões”.

As empresas de transporte de mercadorias conseguiram que fosse aprovada uma compensação monetária com efeitos retroativos a 16 de janeiro. “Ficaram acordados dois valores de ressarcimento.

Todos os períodos de espera além de duas

horas e até três horas recebem um valor que, por sua vez, aumenta depois das três horas”, afirmou Paulo Paiva.

As quantias foram definidas no encontro, ainda assim não foram avançados publicamente, acrescentou Paulo Paiva, que garantiu que os trabalhadores se sentiram ressarcidos.

Cerca de 100 camiões estiveram parados junto aos acessos da Via Interna de Ligação ao Porto de Leixões (VILPL) nos últimos dois dias, em protesto contra o que consideravam ser a inoperacionalidade do porto

que os obrigava, até aqui, a “esperar cinco a seis horas para levantar ou descarregar mercadorias, quando o tempo referencial é de 55 minutos”.

Atendendo ao desejo de quem faz as operações, a APDL assumiu o compromisso de garantir a laboração contínua, sem pausas para almoço e jantar.

“A mesma reunião vai voltar a repetir-se no dia 20 de março para se fazer um balanço do que foi decidido ontem e definir a implementação da laboração contínua”, adiantou Paulo Paiva.

NorteShopping é a marca de centros comerciais com melhor reputação no país

O NorteShopping, em Matosinhos, foi eleito a marca de centros comerciais com melhor reputação no país, na categoria de “Retail Shopping Malls”. A distinção surge do RepScore, realizado anualmente pela consultora OnStrategy, que divulgou agora os resultados do estudo de Relevância e de Reputação Emocional das marcas com os cidadãos portugueses, face ao ano de 2022.

“Este reconhecimento mostra-nos que o caminho que temos vindo a percorrer, no qual temos investido em inovadoras formas de melhorar a experiência de visita, como a criação de espaços de excelência e novos serviços, é a direção certa. Vamos continuar a trabalhar para que os nossos visitantes, lojistas, marcas e parceiros tenham no NorteShopping um espaço

único com a melhor oferta”, refere Paulo Valentim, diretor do NorteShopping.

Em 2022, o NorteShopping abriu lojas exclusivas, como a Victoria’s Secret, e lançou novos serviços omnicanal, como o [MY PLACE] to Park, que permite a reserva de lugares de estacionamento com antecedência, ou o Gift Finder no Natal,

4 SOCIEDADE — MARÇO 2023
O centro comercial gerido pela Sonae Sierra alcançou o topo do ranking RepScore na categoria de “Retail Shopping Malls”
O gabinete oficial de estatísticas da UE refere que a idade média dos residentes na UE atingiu a 1 de janeiro de 2022 os 44,4 anos (contra 44,1 em 2021), tendo aumentado 2,5 anos face a 2012, quando era de 41,9 anos. Em Portugal, a média subiu quase cinco anos. +
cujo objetivo era ajudar na procura pelos presentes de Natal. Além disso, o NorteShopping manteve a sua aposta na cultura, fazendo do Centro palco para concertos, através da iniciativa “Cultura no Centro”, o projeto dos centros comerciais geridos pela Sonae Sierra que pretende democratizar a arte e torná-la acessível a todos.

Metro para Gondomar e Trofa não impede linha para Matosinhos

As linhas de metro para Gondomar e Trofa serão as primeiras a avançar no próximo pacote de expansão da rede. Mas o presidente do Conselho Metropolitano do Porto, Eduardo Vítor Rodrigues, afirma que os traçados para Matosinhos e para a Maia são para executar. Os concursos deverão ser lançados até ao verão

O presidente do Conselho Metropolitano do Porto, Eduardo Vítor Rodrigues, recorda que há quatro projetos para a expansão de metro em cima da mesa e que os mesmos “foram definidos num protocolo assinado em Gondomar”: os traçados para a Trofa, Gondomar, Matosinhos e Maia. Depois da fase de construção da linha Rosa, no Porto, o prolongamento da linha Amarela até Vila d’Este, em Gaia, e da linha Rubi, entre o Campo Alegre e o Arrábida Shopping, avançarão “os projetos de execução relativamente às demais linhas”. Esses concursos deverão avançar até ao verão.

“A informação que o ministro [do Ambiente, Duarte Cordeiro] tornou pública é que até ao verão os projetos são lançados a concurso”, salientou.

O também autarca de Gaia recorda “a polémica” criada em torno da assinatura do protocolo para o estudo dos traçados de expansão da rede do metro, assinado em fevereiro de 2020 na Câmara de Gondomar, observando que confirma-se, hoje, “a boa-fé” da Área Metropolitana do Porto (AMP) e do Governo.

A solução encontrada para a Trofa foi a de construir parte da linha em metro e a restante em metrobus. “Foi essa a solução de viabilidade. Foi aceite por toda a gente que só faria sentido investir se a linha, no mínimo, fosse equilibrada e não tivesse nenhum tipo de défice”, nota Eduardo Vítor Rodrigues.

“O que na altura era evidente, face ao dinheiro disponível, era que Gondomar e a Trofa correspondiam a prioridades do ponto de vista da sustentabilidade e da viabilidade de construção. O projeto

de Matosinhos era superior ao valor disponível pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para o financiamento, o que significava que ou ia ficar excluído ou então, como aconteceu, o Município fez uma revisão do projeto articuladamente com a Metro do Porto. O mesmo aconteceu com a Maia”, explica o também presidente da Câmara de Gaia, reforçando que “as prioridades foram definidas em função de critérios de sustentabilidade financeira da rede”.

O que foi negociado com o Governo, clarifica o autarca, “foi o arranque dos projetos de execução das quatro linhas, sabendo-se que no financiamento imediatamente disponível, muito provavelmente só encaixa Gondomar e a Trofa”, que terá verbas do Portugal 2030 e do

PRR. Enquanto esses projetos de execução estão a ser tratados, avança a preparação do modelo de financiamento “que estará definido até junho deste ano”. Eduardo Vítor Rodrigues nota que existe “um pacote financeiro dedicado à mobilidade no âmbito do Portugal 2030”, acreditanto existir verba suficiente para avançar com os traçados de Matosinhos e da Maia, com um “desfasamento de pouco tempo” em relação às linhas de Gondomar e da Trofa. “O grande objetivo da mobilidade e do projeto de descarbonização com que Portugal se comprometeu é 2034. Portanto, o que nós temos que fazer é garantir que as quatro linhas são mesmo para fazer, sabendo que provavelmente o Gondomar e a Trofa avançam já”, conclui.

Metrobus espera 5 milhões de passageiros no primeiro ano

O Metrobus, veículo movido a hidrogénio que irá fazer a ligação entre a Rotunda da Boavista e a Praça do Império, na Foz, espera 5 milhões de passageiros durante um ano, segundo os estudos de procura realizados

A viagem terá uma duração prevista de 12 minutos, sendo que decorrerá numa via dedicada.

Este é um “um novo modo de transporte rodoviário que, à semelhança da Metro do Porto, vai trazer eficiência, frequência e modernidade”, afirma Joana Barros, uma das responsáveis deste projeto, segundo a notícia avançada pela CNN Portugal. “Vai ter sinalização automática, ser autogerido e conviver pacificamente com o trânsito rodoviário”, acrescenta.

A conclusão da obra está prevista para o primeiro semestre de 2024. Até lá, e de forma a facilitar o trânsito, serão mantidas quatro vias de circulação disponíveis,

duas em cada sentido, na Avenida da Boavista. As intervenções resultam de um investimento de 66 milhões de euros, provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), programa que visa “implementar um conjunto de reformas e investimentos destinados a repor o crescimento económico sustentado”, conforme indicado no website Recuperar Portugal. As medidas pretendem promover “o objetivo de convergência com a Europa”, em vários fatores como coesão social e territorial, transição verde e transformação digital, durante a próxima década.

RESPEITO PELOS PROFESSORES

Na sociedade de hoje, onde fenómenos “anti-humanos” cada vez mais proliferam, importa, cada vez mais, valorizar a ESCOLA. Com efeito, é imperioso investir na escola se, efetivamente, queremos inverter o caminho que a humanidade tem prosseguido. Ousamos afirmar que a ESCOLA constitui o último “reduto de combate” a todos os “movimentos destruidores” do nosso mundo. Nesse sentido importa, mais do que nunca, tranquilizar todos os agentes educativos para assim se focalizarem em todo o processo de mudança exigível nos tempos de hoje. Assim sendo, todo o “ruido” que no mundo educacional se tem vindo a vivenciar e a alastrar não beneficia ninguém. Obviamente que, enquanto professor, considero totalmente legítimas as pretensões da classe profissional em defesa não só da sua carreira mas também na defesa da ESCOLA PÚBLICA. A educação, infelizmente, é sempre equacionada segundo parâmetros de “despesa” e nunca sob o prisma de investimento. Investimento que tem de ser, obrigatoriamente, na construção de um “outro ser humano”. Os professores, ao longo dos tempos da nossa democracia, se é verdade que já passaram por outros momentos mais serenos e até se sentiram valorizados, não é menos verdade que também já passaram por outros momentos surreais de desvalorização por quem tinha a obrigação ética de os defender. Analisando todo o caminho de opções políticas relativas à educação surge-nos uma questão que nos causa alguma inquietude… não existe nenhum professor do ensino básico / secundário do nosso país que tenha “competência” para ser Ministro da Educação? Ou será que a “competência” é só exclusiva a “qualquer” professor do Ensino Superior? Efetivamente, temos de ter consciência que, TAMBÉM, existem professores do ensino básico e secundário com habilitações académicas / competências idênticas às dos professores universitários. Face ao exposto, é de todo pertinente a nossa questão, como também é pertinente termos a certeza que, quem “vive na escola” tem um maior conhecimento do “mundo das escolas” do que alguém que viva afastado desse mundo. Tenhamos a esperança de, algum dia, um decisor político ouse experimentar essa fórmula para a opção de escolha de um ministro da educação. Efetivamente, se o critério “habilitação académica / competência” não exclui professores do ensino básico e secundário, é caso para questionar… mas afinal porque se escolhe sempre um professor universitário para Ministro da Educação… sempre a “viver” tão longe da ESCOLA? Escola que se pretende protegida e acarinhada para construirmos outro caminho para o nosso mundo… e quem melhor do que um seu “habitante” para imprimir um outro rumo à Escola Pública? Ousem mudar…

5
Rua Óscar da Silva, 56 Matosinhos 229 991 400
MARÇO 2023 — SOCIEDADE

NM - Começamos por fazer uma retrospetiva do ano 2022... Como correu? Os objetivos foram cumpridos? O que aconteceu, estava planeado?

LF - No ano 2022, como sabem, tivemos a questão da pandemia. Os anos 2020 e 2021 foram anos em que apoiamos a população, quer em termos de alimentação, quer em termos de ajudas técnicas, ou até mesmo em situações relacionadas com o próprio Covid. Em 2022, houve um retomar. Acredito que todos devem ter passado por isso, o retomar foi lento. Fomos fazendo as nossas atividades, mas não na sua plenitude. Por exemplo, não tivemos a possibilidade de fazer o Carnaval, que já conta com uma tradição de 27 anos, ou o Passeio do Idoso, que também já se prolonga há mais de 20 anos. Fomos fazendo outras coisas, dentro das possibilidades, porque se tratavam de situações ao ar livre e que não implicavam muito contacto físico. Obviamente, em espaços fechados, evitámos fazer muitos dos nossos eventos. No entanto, retomámos as obras das quais somos responsáveis, nomeadamente nas escolas e na via pública, os eventos da União (de Freguesias).

Agora no ano 2023, acredito que conseguiremos retomar à normalidade por completo. Somos uma União muito movimentada, com muitos eventos culturais, solidários, entre outros. Nas competências que nos dizem respeito, estamos já a trabalhar a 100%, este ano, felizmente, não vamos cancelar nada, numa altura em que já todos “convivemos” com o vírus.

ENTREVISTA A LEONARDO FERNANDES

NM - Quais são os problemas e necessidades que a União de Freguesias encontra?

LF - Encontramos muitos. Já tive a oportunidade de comunicar essas situações à Sra. Presidente da Câmara. Estamos ambos ao lado da população. Nós temos problemas aqui na nossa União: as podas, os buracos existentes na via pública, os passeios, passagens para peões, mobilidade e a limpeza urbana. Ainda que a última tenha vindo a melhorar muito ao longo dos anos, o que referi anteriormente, bem como as passadeiras e a mobilidade, são problemas que preocupam muito a população e este Executivo. E isso, para nós, é mais importante do que tudo o resto. Também a habitação é um problema que nos preocupa imenso. Recebemos muitas pessoas aqui (na Junta) com condições menos dignas para a sobrevivência humana, e a Câmara também tem consciência disso. A Câmara está a par dos problemas e, neste momento, já foram aprovados pelo PRR (Plano de Recuperação e Resiliência) valores que permitirão construir mais habitações em Matosinhos. Estamos a falar de cerca de 40M (€) e 261 casas.

NM - Serão, portanto, habitações sociais?

LF - Serão habitações de renda acessível. Também existirão habitações sociais. Este flagelo não é exclusivo ao concelho de Matosinhos, mas a nível nacional, sendo que cada um tem que tratar da sua população. Em Matosinhos, estamos

sempre atentos e iremos fazê-lo. Evidentemente não iremos ter infraestruturas aptas para habitação no dia de amanhã, os valores foram recentemente aprovados pelo PRR e, de seguida, é necessário abrir os concursos públicos para a sua construção e reabilitação, como é o caso das habitações de São Mamede. São situações que ainda demoram algum tempo, mas estamos num bom caminho para as resolver. Esperemos que no mais curto espaço de tempo consigamos alojar senão a totalidade, uma grande maioria da população que necessita de uma habitação digna.

NM - Estas habitações estarão sujeitas a um concurso ou inscrição?

LF - Irá ser apresentado um sistema por concurso ou inscrições, que serão respondidas por ordem de prioridade da necessidade. Depois, existe ainda a habitação social que também irá ser construída. Esses valores ainda não consigo confirmar.

NM - As habitações sociais serão construídas ou serão, à semelhança das de renda acessível, reabilitadas também?

LF - Eu penso que a habitação social vai ser construída. A de renda acessível, pelo menos em São Mamede de Infesta, vai ser recuperada. Trata-se de dois prédios devolutos há mais de 20 anos.

A Câmara adquiriu os edifícios, concorreu ao PRR e irá, agora, transformá-los em habitações de renda acessível.

NM - Este projeto de requalificação está apenas previsto para São Mamede, ou será também implementado na Senhora da Hora?

LF - Não. Felizmente, a Senhora da Hora já se encontra bastante urbanizada, não existindo uma grande margem de território para crescimento e construção. São Mamede, por outro lado, possui ainda uma parte rural com devolutos e territórios disponíveis para construção.

NM - Como perspetiva o futuro desta União de Freguesias?

LF - Apenas poderei perspetivar até ao final deste mandato, uma vez que, como devem saber, foi apresentada e aprovada por unanimidade na Assembleia de Freguesias e na Assembleia Municipal uma proposta de desagregação das freguesias, que seguiu depois para a Assembleia da República. Ou seja, aquilo que está previsto é que, em 2025, exista a separação das freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, passando a existir, tal como antigamente, a Junta de Freguesia de São Mamede de Infesta e a Junta de Freguesia da Senhora da Hora. Prevejo um futuro risonho como tem sido até aqui. Apesar das pessoas dizerem que não funciona, tem vindo a funcionar até aqui. Estou habituado a que as pessoas de cada freguesia pensem que eu favoreço mais uma do que a outra, o que não é verdade. Eu olho para as duas freguesias de igual modo e, quem me conhece e quem vem cá falar comigo, sabe que eu estou aberto a toda a população e perceberá

6
CAPA — MARÇO 2023
Estamos a trabalhar a 100%” Presidente da União das Freguesias de São Mamede Infesta e Senhora da Hora

que eu trabalho para ambos os lados, de igual forma. Portanto, prevejo o mesmo futuro risonho, com as suas vicissitudes, com os seus problemas de passadeiras, podas, passeios, buracos, porém isso são situações que vamos melhorando com o tempo. Vejo, acima de tudo, as duas cidades a evoluírem, com uma crescente procura de habitação e emprego, vejo cada vez mais esta União a crescer. Separadamente, é igual. Não posso esconder que, em caso de separação, a Senhora da Hora é uma cidade mais rica, digamos assim, porque tem a Feira da Senhora da Hora como grande fonte de receita, que permitirá a quem ficar à frente da freguesia da Senhora da Hora tomar decisões que em São Mamede não serão possíveis, uma vez que não tem uma fonte de receita que lhe permita fazer algo para além daquilo que recebe, e muito bem, dos 3 F’s e da Câmara Municipal de Matosinhos. É claro que quem ficar á frente da freguesia de São Mamede irá ter algumas dificuldades para fazer aquilo que gostaria, terá de fazer de acordo com o seu orçamento. Podemos dizer que, com esta desagregação, Senhora da Hora continua com grandes possibilidades para crescer, enquanto São Mamede também irá crescer, mas a pessoa que ficar à sua frente terá uma tarefa muito árdua e terá que encontrar outras formas de gerar receita para poder levar a cabo aquilo que pretende fazer. No geral, penso que o futuro será risonho, e o Governo também estará sempre cá para nos apoiar.

NM - O que são os 3 F’s?

LF - Fundo de Financiamento das Freguesias – é o valor que o Governo fornece em função do número de habitantes e do território.

NM - Qual a razão para pedir esta desagregação das freguesias?

LF - Esta desagregação deve-se ao facto de as pessoas acharem que não existe uma proximidade do Presidente de Junta com a população, porque uma coisa é um Presidente ter 25.000 habitantes, outra coisa é ter 52.000. Eles sentem que o Presidente não está próximo deles, acham que perderam a sua identidade, a sua cultura. A Senhora da Hora deixou de ser Senhora da Hora e passou a ser a União das Freguesias e, portanto, penso que a população também tem o direito a reivindicar aquilo que acha correto. Se a situação cumpriu todos os trâmites legais, se a Lei permite solicitar esta desagregação, acho que estão no direito de o fazer. Agora, convém dizer que, quando houve esta União, não se perdeu nada. Não se perderam postos de trabalho nem edifícios, porque os dois edifícios ficaram a funcionar, quer a Junta de São Mamede, quer a Junta da Senhora da Hora. Aliás, até houve a necessidade de contratar mais pessoas, ou seja, mantivemos as de São Mamede, mantivemos as da Senhora da Hora, e ainda contratamos pessoas para a União, porque a exigência passou a ser muito maior. Mas compreendo perfeitamente o que a população diz,

se eu tiver só São Mamede, se calhar consigo atender quase a população toda, no tempo e na rapidez que eles querem. Se eu tiver São Mamede e Senhora da Hora, eu vou ter que dividir os meus atendimentos por duas freguesias, ou seja, eu não vou responder tão eficazmente como eles gostariam, porque tenho que estar dividido em dois sítios, e isso é uma verdade.

NM - A Senhora da Hora é uma freguesia que evoluiu visivelmente nos últimos anos…

LF - Sim e também não nos podemos esquecer que a nossa União é a maior do concelho e a sexta maior do país. Existem 308 concelhos no país, e nós somos maiores do que cerca de 280 concelhos (números redondos). Existem poucas Câmaras Municipais maiores do que a nossa União no país. Tirando Matosinhos, a sede do concelho é Senhora da Hora, sem dúvida. Por exemplo, há muitos anos atrás, antes do Metro (o Metro está cá há sensivelmente 20 anos, creio…), a segunda maior freguesia, em termos de população, era São Mamede de Infesta, logo a seguir a Matosinhos. Neste momento já não, temos Matosinhos, Senhora da Hora e só depois São Mamede. Quando vier o Metro, com as novas habitações para São Mamede e com a forte possibilidade para crescimento, provavelmente São Mamede vai aproximar-se muito da Senhora da Hora. Mas, sem dúvida que a segunda maior cidade do concelho é, neste momento, a Senhora da Hora.

NM - O maior projeto desta União de Freguesias ainda está por concretizar ou já foi concretizado?

Não foi concretizado. O maior projeto seria o Metro. Se eu tivesse que escolher qual o projeto a concretizar e só pudesse escolher um, escolhia o Metro.

NM - Sente que o Metro faz muita falta em São Mamede?

LF - Faz, claro. São Mamede é um pólo, onde passa tudo o que vai para o Porto, tudo o que vai para a Maia, tudo o que vai para Valongo e, quiçá, para Gaia. Tudo passa por ali e, nós não temos um meio de transporte que consiga fazer a ligação direta, a não ser o autocarro, por isso acho que o Metro faz muita falta.

NM - Dos projetos para esta União de Freguesias, algum teve que ficar pelo caminho?

LF - Não, pois também não tivemos projetos grandes. No entanto, há um, que não posso divulgar já, para a Senhora da Hora, que não é bem um projeto, não é algo para satisfazer a necessidade da população, mas é algo que a população da Senhora da Hora merece e vai ter, e vai ficar orgulhosa quando vir. Vai de encontro à identidade que eles querem. Esse eu vou conseguir, penso que até já está no nosso Plano Anual de Atividades,

caso não, estará para breve.

NM - Quais os planos para este ano de 2023?

LF - Tenho algumas coisas pensadas. Estava envolvido em tudo o que era projetos de eventos que a União tinha, o que também me ocupava muito tempo. Juntamente com o Executivo, com quem gosto de trabalhar, criámos uma Comissão de Trabalho para a realização desses eventos, o que me permite estar mais livre para fazer aquilo que eu acho que é a função de um Presidente: trazer projetos que vão ao encontro das necessidades da população. Tenho três projetos, dois através do concurso do PRR, direcionados para os idosos, e um terceiro, em parceria com o Colégio EFANOR, que é o meu projeto de Presidente. Ou seja, eu quero deixar uma marca que as pessoas associem, “foi o Leonardo que criou este projeto”, para que depois, também possa servir de modelo a outros Presidentes, porque eu acho que nós devemos copiar o que há de bom. Por exemplo, nós copiámos a ideia do projeto do PRR, já existe noutro lado e nós fomos lá buscá-la e queremos desenvolve-la. Neste ano 2023, vou debruçar-me sobre os três projetos referidos e, como é algo que depende de nós, iremos concretizá-lo. Os dois projetos do PRR só não os concretizaremos se não forem aprovados. Se forem, será concretizado. O outro, quer seja com a parceria da EFANOR, quer não, nós vamos fazê-lo, porque é algo que eu quero muito fazer, e espero implementar já em 2023. Existem ainda coisas mais pequenas, como o que vamos implementar daqui a 2 ou 3 meses, um sistema de teleassistência, mas que não é fixo em casa. Iremos fazer um teste piloto com cerca de 20 idosos, vamos dar às pessoas um aparelho móvel e, por exemplo, se elas caírem dentro de casa ou na rua, o aparelho tem um sensor de alerta que, efetua automaticamente a chamada para alguém que os está a supervisionar, chamando automaticamente a ambulância para o local com auxílio do sistema GPS. Se a pessoa estiver no chão, pode acionar um dos botões e fala diretamente para a central, ou pode selecionar até 3 números de familiares próximos, funcionando como um telemóvel. Iremos apostar na segurança para os idosos. Foi por isso que criámos esta Comissão com o Executivo. O tempo que eu estaria dedicado a organizar os eventos culturais, desportivos, recreativos, sociais, prefiro pensar em algo diferente e que vá ao encontro das necessidades da população, e deixo essa parte para a Comissão, que são os meus colegas, e que também têm uma voz ativa dentro do Executivo. Estamos todos a adorar a ideia. Ser Presidente de Junta além de organizar eventos, é acima de tudo, inovar, arranjar projetos, arranjar ideias que vão ao encontro das necessidades da população. É isso que eu quero e vou fazer.

7 MARÇO 2023 — CAPA
Se eu tivesse que escolher qual o projeto a concretizar e só pudesse escolher um, escolhia o Metro”

Ser professor é a profissão mais complexa, difícil e desafiante nos tempos que correm. É, também a mais bela, útil e basilar da sociedade. Sem professores não existe escola. Sem escola a sociedade fica desprovida da mais elementar base que sustenta um país. Mia Couto refere com toda a beleza que “quem constrói a casa não é quem a ergueu, mas quem mora nela”. Na verdade, os professores constroem a escola e moram nela.

Vivemos tempos intrincados na educação em Portugal. Mas afinal onde está o nó górdio que tem de ser desatado? Os professores desde 2008 perderam 3 escalões na sua carreira. Por um ato de magia, os que estavam no 5º passaram para o 2º, do 6º para o 3º, do 7º para o 4º e assim sucessivamente. Mas nem é isto, que os professores pedem que lhe seja reposto no tempo atual. O que pedem então? Uma avaliação justa e digna. Pretendem que os docentes prescindam da sua carreira, de 6 anos, 6 meses e 23 dias que trabalharam arduamente, o que é inaceitável. As justificações para a não reposição deste tempo são duas: 100 mil professores, é muita gente, muito dinheiro, fica caro e, por outro, as outras áreas da função pública também não recuperaram esse tempo. Ambas, as justificações não são corretas. Existem mais 100 mil professores porque está construído um palco do tamanho de Portugal, onde todos os dias, 2 milhões de alunos aprendem, estão, vivem, evoluem, crescem às mãos dos professores. Um quinto da população, mais importante está dependente dos professores. São 2 milhões! Por outro, todas as carreiras da função pública recuperaram, e bem, o tempo que trabalharam. Basta que uma carreira tenha recuperado este tempo, então todos devem ter direito a recuperá-lo. Este é o tempo, de recuperar o que é ainda recuperável. Os professores estão desgastados e cansados. Este é o tempo de recuperar estes profissionais dignos e necessários. Este é o tempo de emergir novos momentos, de repor a justiça a uma classe injustiçada, por que doutra forma não teremos nunca a paz social que a escola precisa.

Sophia de Mello Breyner Andresen foi uma

das mais importantes poetisas portuguesas do século XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999. Escreveu o poema

“Este é o tempo” que refere:

“Este é o tempo

Da selva mais obscura

Até o ar azul se tornou grades

E a luz do sol se tornou impura

Esta é a noite

Densa de chacais

Pesada de amargura

Este é o tempo em que os homens renunciam.”

Prevenção do bullying nas escolas

Projeto da Polícia Municipal de Matosinhos

“Bater”, “Gritar”, “Gozar com os outros”, “Violência”, foram algumas das expressões que alguns alunos da Escola Básica de Matosinhos usaram para explicar o que é o bullying, numa palestra promovida pela Polícia Municipal de Matosinhos.

À semelhança do resto do país, também nas escolas do concelho de Matosinhos existem casos identificados de bullying que, obviamente, preocupam a comunidade educativa.

O objetivo da ação é, em contexto escolar, consciencializar para prevenir. A sessão dura cerca de 40 minutos e desafia os alunos a participarem em vários exercícios.

O bullying é um comportamento intensionalmente agressivo, violento e humilhante, repetido ao longo do tempo. Pode ser perpetrado por um ou vários indivíduos e tem várias formas: verbal, físico, psicológico, material e ciberbullying.

Teresa Alves, agente da Polícia Municipal de Matosinhos, apelou aos alunos presentes para que, caso presenciem alguma situação de bullying, procurem a ajuda de um adulto.

Na palestra, foram abordadas as emoções, quer as que estão na origem dos comportamentos violentos, como a raiva e a tristeza, quer as que as vítimas sentem, como o medo, a tristeza, a desmotivação ou a vergonha.

A ação de sensibilização identificou os sinais de alerta deste fenómeno: isolamento, falta de apetite, quebra no rendimento escolar (notas), dificuldade em dormir, chorar facilmente, não levantar os olhos do chão, não sair da sala de aula para o recreio, não querer ir à escola, deixar de fazer as atividades que anteriormente gostava ou vestir-se de uma forma a passar despercebido dos outros. Em alguns casos, os comportamentos agressivos são influenciados pelo ambiente familiar, “descarregando a raiva nos outros”, e pelo medo do que é

diferente.

A Polícia Municipal de Matosinhos aponta, por isso, algumas soluções de gestão emocional para agressores e vítimas.

No caso dos agressores, quando sentirem raiva, aconselha-se a respirar fundo, a correr à volta da escola, conversar com alguém de confiança, pensar em coisas diferentes. Um amigo pode ajudar com uma palavra amiga, um abraço ou um convite para participar numa brincadeira ou um jogo com outros colegas, de forma a sentir-se integrado num grupo. No que respeita às vítimas, incentivou a partilha, pedir ajuda a um adulto, juntar-se a um ou vários grupos, e andar sempre acompanhado.

Questionados sobre o que fazer para terem relações interpessoais saudáveis, os alunos referiram a importância de conversar, de saber perdoar, de ajudar e de respeitar os outros, mas também a capacidade de se

colocarem no lugar do outro e saberem o que estão a sentir.

O bullying é apenas uma das ações de sensibilização que uma equipa de quatro agentes da Polícia Municipal de Matosinhos realiza, ao longo do ano, em todas as escolas do município, do ensino pré-escolar ao 2º Ciclo do Ensino. Além do bullying, são abordadas temáticas como segurança na internet, violência no namoro, prevenção rodoviária, reciclagem ou animais de companhia.

No ano passado, foram realizadas, no total, 159 ações de sensibilização que abrangeram um total de 3249 participantes.

Também nas férias escolares, a Polícia Municipal de Matosinhos desloca-se às escolas e aos espaços ATL- Atividades de Tempos Livres, que funcionam como apoio às famílias nos períodos de prolongamento.

Palestra “Matemática Tem Magia!”

O Dia dos Namorados foi comemorado da melhor forma na Escola

Secundária da Boa Nova, em Leça da Palmeira

Nesta palestra, as ferramentas foram bolas de malabarismo, cadeados, cliques, notas, cartas, bolas de ping-pong, secadores, folhas de papel, copos… tudo serviu para explicar o maior instrumento da história da ciência.

Carlos Marinho é neste momento um dos grandes embaixadores em Portugal pela promoção de qualidade desta ciência, tendo vindo à Secundária da Boa Nova a convite da Professora Lígia Carvalho do grupo disciplinar de matemática da escola.

Tem percorrido o país e já se apresentou perante milhares de alunos e professores.

Neste ano letivo, cerca de 5000 alunos e 300 professores já presenciaram a sua palestra mágica, que eleva a matemática a outro nível de conhecimento, não esquecendo a dose de diversão pontuada de sentido de humor.

8
ESTE É O TEMPO
ENSINO — MARÇO 2023
Foto: CMM/Francisco Teixeira Foto: CMM
229 541 718 – 914 924 060
Rua António Ramalho, 600 Senhora da Hora

XXVII Cortejo de Carnaval de São Mamede de Infesta

A animação voltou a tomar conta de São Mamede de Infesta, com o seu já tradicional Cortejo Carnavalesco, em que vários grupos e foliões desfilaram no corso das festividades, entre música, bombos, cabeçudos, máscaras e serpentinas.

Recorde-se que, as festas de Carnaval estiveram interrompidas nos últimos dois anos por causa da pandemia de covid-19, mas o regresso das festas voltou a levar milhares de pessoas ao centro de São Mamede de Infesta.

Ao longo da tarde, o cortejo percorreu várias artérias da Cidade, num chão coberto de serpentinas coloridas, enquanto no ar voavam coquetes, que são pequenos embrulhos de borracha triturada atirados entre os foliões espalhados pelas ruas e os que se encontravam nos carros alegóricos. No total, participaram 21 Associações, Coletividades e Instituições que desfilaram, carregados de sátira, desde o desporto ao ambiente, passando pela política local, nacional e internacional.

O Presidente Leonardo Fernandes , orgulha-se do empenho de todos, bem como, a dinâmica criada hoje por Mamedendes, Senhorenses e visitantes dando um colorido à cidade e já ao tradicional Cortejo de Carnaval.

Leonardo Fernandes, não deixa de agradecer à Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Dra. Luisa Salgueiro, na pessoa do Sr. Vice Presidente, Carlos Mouta, pelo apoio prestado, nomeadamente pelos seus técnicos, polícia municipal e EcoRede (Rede Ambiente) que de pronto fizeram a limpeza das ruas por onde o cortejo passou.

A acompanhar o desfile para além do Sr. Vice-Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos e do Presidente da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, esteve também o executivo, que receberam e cumprimentaram os foliões.

O Carnaval na Senhora da Hora

A folia voltou às ruas da freguesia

O tradicional cortejo de Carnaval na Senhora da Hora regressou ontem, dia 19 de fevereiro, para a sua terceira edição, depois de dois anos de interregno devido à pandemia por COVID-19.

Organizado pela união das freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora, o desfile contou com a participação das escolas, coletividades, instituições e associações da freguesia. Crianças e adultos fantasiaram-se dos seus heróis e personagens de animação favoritos, mas também de profissões tradicionais. Entre os participantes do cortejo, destaque para a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Carlos Mouta, e do presidente da união das freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes.

OS FUNGOS PODEM “ZUMBIFICAR” OS SERES HUMANOS, COMO EM “THE LAST OF US”?

Esta é a pergunta que incomoda muitos espectadores: poderia o cordyceps, um fungo real, assumir o controlo dos cérebros humanos, como acontece em “The Last of Us”? artilO principal suspeito é chamado “cordyceps”, o fungo parasita que fascina os cientistas há vários anos, aliás o inspirador dos criadores do videogame The Last of Us, bem como os argumentistas da sua adaptação para a televisão. Transmitida em França, a série americana retrata um mundo pós-apocalíptico onde se revela uma infeção causada pelo cordyceps capaz de transformar seres humanos em zumbis. Uma vez instalado no corpo, o fungo assume o controlo do cérebro do seu hospedeiro, estimulando-o a infetar o maior número possível de pessoas antes de o terminar. Se tal cenário pode parecer fantasioso, é diretamente inspirado por um fenómeno observado na natureza: os fungos cordyceps são, por exemplo, capazes de “zumbificar” formigas e crescer dentro dos seus corpos. Não impossível, mas “implausível”. Assustados com a informação, vários meios de comunicação entrevistaram diferentes cientistas, desde imunologistas a micologistas e zoólogos, com o intuito de verificar se a hipótese inicial da série se sustenta. Em The Last of Us, o aquecimento global fez com que os fungos cordyceps evoluíssem, permitindo que infestassem humanos. No entanto, Casadevall, especialista em doenças infeciosas citado pelo Washington Post, foi claro: sim, “os fungos adaptam-se ao aquecimento global tornando-se mais resilientes (…) alguns deles conseguirão empurrar para a temperatura do corpo humano e causar novas doenças fúngicas nunca antes vistas.” O diário americano, no entanto, questiona: uma mutação que permite que os fungos assumam o controlo do cérebro humano continua “implausível”, de acordo com o entomologista David Hughes. O simples facto de tal hipótese não ser implausível é suficientemente perturbadora para ancorar o universo da série na realidade, um feito inédito para uma obra com fantasmas. Contudo, para aqueles que ainda não estão convencidos, lembre-se que o etanol, uma substância que causa embriaguez, vem de uma levedura que é um fungo unicelular. Para não mencionar cogumelos alucinógenos ou LSD, feitos a partir de um cogumelo que cresce no centeio e outros grãos.

9
MARÇO 2023 — CULTURA
Av. Dr. Fernando Aroso,
1037
Leça da Palmeira 229 996 368 – www.honrainformatica.pt

A CHINA

Perfaz amanhã um ano sobre o início do conflito armado, iniciado pela invasão da Ucrânia por tropas russas, a mando do ex agente do KGB, Vladimir Putin, tendo por pano de fundo a ideia do ressuscitar da grande Rússia. Centenas de milhares de mortos e feridos de ambos os lados, destruição em massa, desorganização da ordem internacional, crescente incerteza face ao futuro, crise económica com fortes ligações a uma inflação galopante, perda do poder de compra, culminando tudo isto com o agitar, frequente, da ameaça nuclear protagonizada pela liderança russa. De facto, e após 78 anos sobre o fim do 2º conflito mundial, vê-se a Europa a braços com algo que seria de todo impensável, diria que só ao alcance de Nostradamus nas suas profecias mais perturbantes, sem um fim temporalmente previsível e de consequências que poderão vir a ser dantescas. Dito isto importa, em minha opinião, dar particular atenção à China que, “com pezinhos de lã”, vai levando a água ao seu moinho, de tal forma que a cada dia que passa se mostra mais e mais fortalecida no panorama internacional. Vejamos: tem assistido, “de cadeirinha”, ao conflito e ao enfraquecimento do seu grande rival asiático; usufrui de petróleo oriundo da Rússia a preço de saldo dado que este país se vê na necessidade de tornear os sucessivos pacotes de sanções; mantém o seu crescimento económico em alta graças à manutenção de largas áreas comerciais; faz-se percecionar como um verdadeiro jóquer no panorama internacional, insinuando-se como equidistante, capaz de fazer valer um credível plano de paz; fortalece a sua posição de maior potência planetária, a par dos EUA, com influência crescente nos continentes africano e asiático. A tudo isto há que juntar a dependência da Rússia face ao vizinho asiático, que se foi acentuando com o desenrolar de um conflito moroso, desgastante e verdadeiramente revelador de um gigante com pés de barro, incapaz de obter uma vitória que, a todos, parecia fácil. Na realidade o exército russo mostrou-se desorganizado, mal comandado, falho de estratégias vencedoras, dependente de grupos privados e completamente desorientado no campo de batalha, ou seja, um verdadeiro tigre de papel. Também aqui a China granjeou respeito, credibilidade e, pior que tudo, temor. Cuidado com o gigante asiático.

Primeiro exame de Ecoendoscopia Endobronquica

O Serviço de Pneumologia realizou o primeiro exame de Ecoendoscopia

Endobronquica (EBUS), em colaboração com o Serviço de Anestesiologia

“Trata-se de uma técnica endoscópica, amplamente estabelecida, que permite a punção aspirativa de lesões mediastínicas e pulmonares. É usada no diagnóstico de lesões benignas, como as infeciosas, ou doenças do interstício pulmonar como a sarcoidose”, explicou a pneumologista, Ana Paula Vaz, no final do primeiro exame.

Esta técnica “permite também o diagnóstico de lesões malignas sendo um exame obrigatório no estadiamento da maioria dos doentes com cancro do pulmão”, explica.

Com a “implementação desta técnica no Hospital Pedro Hispano iremos melhorar a acessibilidade dos nossos doentes a um exame fundamental de diagnóstico e estadiamento do cancro do pulmão”.

Paula Simão, a diretora do Serviço de Pneumologia reforça que esta prática “permite uma melhor decisão sobre os tratamentos individualizados que hoje existem para esta doença sendo, portanto, um passo importante para o Serviço e para os utentes.

Importa agradecer a “colaboração do

enfermeiros”, possibilitando assim que, a partir de agora, o EBUS faça parte da prática do serviço.

de Oftalmologia terminou o ano de 2022 a conquistar prémios

Serviço

“Apresentei o caso clínico sobre um glaucoma maligno recorrente, de um doente proveniente do Algarve, que constituiu para a equipa um complexo desafio de diagnóstico e depois terapêutico”, refere o médico.

“O doente tinha um glaucoma de ângulo fechado num olho, foi operado e desenvolveu uma condição rara de glaucoma maligno. Curá-lo e salvar o olho foi um desafio enorme. Pela raridade do caso foi levado a esta reunião e ficamos muito felizes pelo reconhecimento”, congratula-se Paula Tenedório, Diretora do Serviço de Oftalmologia, do Hospital Pedro Hispano.

Mas, já em setembro, o mesmo médico, Renato Barbosa, tinha sido alvo de um prémio na ESCRS Summer 2022 no 40º Congresso anual da European Society of Cataract & Refractive Surgeons.

“Apresentamos um trabalho sobre a análise de uma série de cirurgias de implante de lentes de suspensão escleral realizadas no Hospital Pedro Hispano. Trata-se de uma cirurgia complexa que envolve a colocação de uma lente intraocular que é suturada à esclera, realizada em casos selecionados”.

No final do ano, a médica interna de 3º ano, Ana Rita Viana, também foi contemplada com o prémio de melhor comunicação oral com o trabalho “Long-term results of sulcus implantation of a single-piece acrylic intraocular lens following posterior capsule rupture during phacoemulsification”, no Congresso Internacional 26th ESCRS Winter Meeting 2022. O trabalho versou sobre “uma revisão dos resultados

funcionais e de segurança a longo prazo após cirurgia de catarata complicada com rutura da cápsula posterior e colocação de lente intraocular no sulco”, acrescentou Ana Rita Viana.

Na área da Pediatria, também foi reconhecido o seu trabalho com dois pósteres apresentados no congresso internacional, o “47th Annual Meeting of the European Paediatric Ophthalmological Society” que decorreu em Munique.

Um dos pósteres apresentava um “um caso clínico raro de uma criança com neovascularização coroideia idiopática do nosso serviço, tratada com sucesso com injeções intravítreas de aflibercept (antiVEGF)”.

O segundo trabalho apresentado mostrou “uma revisão dos casos de conjuntivites neonatais do nosso hospital ao longo dos últimos 10 anos. Este foi um póster

feito em conjunto com a especialidade de Pediatria e Neonatologia” – disse Ana Rita Viana.

E 2022 terminaria com mais um prémio também da sua autoria, ao apresentar uma comunicação oral no 65° Congresso Português de Oftalmologia - Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, que decorreu em Coimbra. Foi vencedor do Prémio SPO/ DAVI “Melhor apresentação na área de Glaucoma”.

Na sua apresentação demonstrou que “o bom controlo da pressão intraocular precocemente após cirurgias de glaucoma realizadas no nosso serviço (trabeculectomia e esclerectomia profunda não penetrante) resulta numa maior probabilidade de sucesso cirúrgico e controlo eficaz da pressão intraocular a longo prazo”.

10 SAÚDE — MARÇO 2023
229 613 310
Rua Óscar da Silva, 107 Leça da Palmeira
– www.fabiaco.pt
Foto: ULSM Foto: UFSMISH Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar e Universitário do Porto na formação dos profissionais médicos e

Matosinhos está no top 10 dos concelhos onde se desperdiça menos água em Portugal

Portugal continua a desperdiçar, com avarias, roturas e desvios, 28,8% da água que entra nas redes de abastecimento. Segundo os dados divulgados Matosinhos repete o sétimo valor mais baixo, a nível nacional, de água não faturada: 12,8%

de orgulho para a equipa da INDAQUA Matosinhos, que tem procurado garantir uma evolução contínua na gestão eficiente do abastecimento, assim como nos confirmam que todo o investimento que temos realizado na operação, manutenção e reabilitação das redes de abastecimento de água se tem mostrado acertado”, explica Tiago Fragata, Diretor Geral da INDAQUA Matosinhos.

COMPROMETIMENTO VS ENVOLVIMENTO

Seja bem-vindo(a) caro(a) Leitor(a)! Espero que se encontre bem e claro, que usufrua tanto desta leitura, como do contacto com todo o conteúdo que preparamos para si nesta edição.

Na nossa “última conversa”, deixei em aberto o que considero que é o terceiro passo, que não é bem um passo mas sim uma etapa, para que consigamos atingir o sucesso.

Os dados dizem respeito a 2021, foram agora divulgados pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) e mostram como a INDAQUA Matosinhos se mantém na liderança da gestão eficiente do abastecimento de água.

A gestão assegurada pela concessionária valeu a Matosinhos um volume de perdas de água nas redes de abastecimento de apenas 12,8%, o sétimo melhor resultado em Portugal e o quarto melhor da Área Metropolitana do Porto.

Já em 2022, os dados da INDAQUA Matosinhos mostram que houve uma melhoria significativa na percentagem de

perdas deste concelho, que desceu para os 10,8%.

Estes valores contrastam com os resultados nacionais do indicador “Água Não Faturada”, que avalia estas perdas. Em 2021, a média do país situou-se nos 28,8%, correspondente a 237 mil milhões de litros de água por ano, num valor que se mantém relativamente constante há mais de uma década.

“A gestão de perdas nas redes é, acima de tudo, uma responsabilidade para com o meio ambiente, pois garante que estamos a contribuir de forma real para combater os desperdícios de água. É nesse sentido que estes resultados se tornam um motivo

O indicador “Água Não Faturada” engloba, essencialmente, as perdas geradas por fugas, roturas, derrames em reservatórios ou outras ineficiências que fazem com que a água que entra nas condutas nunca chegue a ser consumida e que representam cerca de 74% do total. Somam-se ainda as perdas comerciais que acontecem junto do consumidor e envolvem consumos ilícitos (roubos ou desvios de água) ou mesmo de deficiente contabilização dos consumos devido a contadores obsoletos.

Na média de concessões operadas, em 2021, pela INDAQUA (Santo Tirso/Trofa, Vila do Conde, Santa Maria da Feira, Matosinhos e Oliveira de Azeméis), as perdas de água ficaram pelos 14,3%. De acordo com os dados da empresa, em 2022, esta percentagem foi reduzida para os 12,4%, contando com uma melhoria generalizada do desempenho e já com as mais recentes concessões do grupo: Barcelos, Marco de Canaveses e Paços de Ferreira.

Câmara Municipal efetua poda árvores

Intervenção em mais de três mil árvores no ano passado

No ano passado, o município de Matosinhos procedeu à poda de 3021 árvores em todo o concelho. Esta prática consiste no corte seletivo de ramos, raízes ou rebentos necessários ao desenvolvimento pretendido de cada árvore. A arborização urbana é cada vez mais reconhecida e assumida como um bem essencial à qualidade de vida e saúde das cidades, com benefícios ambientais. As árvores absorvem o dióxido de carbono, captam poeiras e ruído, contribuem para a amenização de temperatura e de vento, além de valorizar a paisagem onde se inserem. Como tal, a poda de árvores é aplicada apenas quando é necessária, preservando a sua função ambiental. Risco de quebra e queda de árvores e o conflito com outras estruturas como edifícios ou iluminação são algumas das situações que justificam a intervenção no terreno por parte da Unidade de Parques e Jardins da autarquia.

Só para relembrar, o sucesso é algo que se constrói diariamente por fazermos o que tem que ser feito com comprometimento. O comprometimento, é aquela etapa onde, como se diz na gíria, “ou vai ou racha”. É quando optamos por tornar algo tão importante para nós que decidimos tornar-nos algo que ainda não somos para conseguirmos obter, ou atingir, esse algo. É o chamado “queimar o navio”. Reza a lenda que um conquistador navegou até uma ilha. Quando lá chegou, ordenou que toda a tripulação saísse do navio e, enquanto eles exploravam a ilha, o conquistador pegou fogo ao navio que havia ficado a repousar na baía. A tripulação, quando viu fumo, correu para o local e, depois de muitos gritos e insultos, o conquistador apareceu vindo detrás de uma árvore e disse: “Meus senhores, nós somos 100 homens. Temos pela nossa frente um exército de 3000 homens selvagens que vão fazer de tudo para nos matar e capturar. Se o navio existisse, muito provavelmente, a tendência seria fugir quando as coisas ficassem complicadas por isso, queimei o navio e nós só temos uma hipótese, ganhar a guerra! Caso isto não aconteça podemos dizer adeus ao mundo. O que é que vocês escolhem fazer?”

Esta ação do conquistador levou a que existisse um comprometimento de todos, entre todos, para que a vitória fosse algo que se torna-se real.

Se o navio se mantivesse intacto, existiria um envolvimento de alguns, que iriam juntamente com os comprometidos conquistar o território contudo, os envolvidos, muito possivelmente, não iriam fazer de tudo para que a conquista fosse possível, porque sabiam que poderiam fugir caso as coisas azedassem. Pegando neste exemplo, neste momento, tendo em conta aquilo que se comprometeu consigo fazer, considera que está diariamente a agir com comprometimento?

A linha entre o comprometimento e o envolvimento é ténue e, aquilo que nos permite saber qual é a “linha que separa”, é a quarta etapa para o sucesso, a tomada de consciência.

Um até já.

Cordialmente

João de Almeida

11
João de Almeida
MARÇO 2023 — AMBIENTE

Autarquia apoia com 2,8 milhões de euros clubes desportivos e instituições sociais

A Câmara Municipal de Matosinhos protocolou, durante a manhã do dia 4 de fevereiro, os acordos de utilização gratuita das instalações desportivas municipais, geridas pela Empresa Municipal de Desporto, com o intuito de apoiar 53 instituições locais (42 de cariz desportivo e 11 de índole social).

Os encargos financeiros de 2,8 milhões de euros – valores superiores se em comparação com os 2,7M atribuídos na época transata – serão assegurados através do Contrato Programa celebrado para o ano vigente de 2023, entre a autarquia e a Matosinhos Sport, e possibilitarão que cerca de metade dos 10.000 atletas federados apoiados anualmente pela autarquia utilizem 32 equipamentos desportivos municipais, entre eles 6 piscinas, 14 pavilhões, 6 campos de futebol, 1 pista de atletismo e 5 salas de desporto; espaços dedicados que suportam diariamente a prática de dezenas de modalidades diferentes, entre as mais de

40 apoiadas anualmente pelo município, sendo abrangidas nestes protocolos o andebol, atletismo, basquetebol, bilhar, boxe, capoeira, desporto adaptado, futebol, ginástica, hidroginástica, hóquei em patins, karaté, kickboxing, mergulho, natação, patinagem, pentatlo, polo aquático, triatlo e voleibol. Com esta medida será possível reforçar o apoio à prática federada e informal, inclusive no âmbito do desporto adaptado e de outras realidades sociais mais desfavorecidas, lembrando que o acesso democratizado para a atividade física é uma das mais altas bandeiras do município.

A cerimónia decorreu no pavilhão municipal de Guifões e, além da maioria dos representantes das instituições, contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, que teve a oportunidade de reforçar a importância daqueles acordos e de enaltecer o trabalho que

as associações desenvolvem junto das populações jovens e com necessidades especiais, do Vice-Presidente, Carlos Mouta, do Vereador do Desporto, Vasco

Pinho, do Administrador da Matosinhos Sport, Henrique Calisto, e do Presidente da União de Freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões, Pedro Gonçalves.

Matosinhos vence Prémio “Programa Municipal de Desporto para Todos 2023”

Matosinhos foi reconhecido, durante o mês fevereiro, enquanto vencedor do melhor “Programa Municipal de Desporto para Todos 2023” na classe dos municípios com população acima de 100.000 habitantes, seguido das autarquias da Maia e de Loures. O galardão, atribuído no âmbito do “Município Amigo do Desporto” (MAD) - rede de partilha de boas práticas para o desenvolvimento desportivo que é constituída por mais de metade dos municípios portugueses -, distinguiu a nível nacional as dinâmicas desportivas implementadas pela autarquia.

O Concelho de Matosinhos tem-se

pautado pela democratização da prática de atividade física, formal e informal, disponibilizando cada vez mais apoio específico às diversas instituições, criando instalações desportivas acessíveis e de qualidade, com o intuito de chegar ao maior número de munícipes e, em consequência, aumentar o bem-estar da sua comunidade. E a postura da Autarquia, no caso do Desporto para Todos - aquele de âmbito informal, recreativo ou competitivo (não federado), como fator de formação e desenvolvimento integral dos cidadãos e da promoção da inclusão – tem sido exemplar, sendo agora reconhecida a mais-valia dos diversos

programas municipais, como o “Põe-te a Mexer”, o “Aprende”, o “Matosinhos Ativo” e os Gabinetes de Avaliação Física e Nutrição, entre vários outros. Recorde-se, de resto, que este não foi um feito inédito tendo as autarquias congéneres, dentro da rede MAD e num passado recente, conferido diversos dísticos a Matosinhos nomeadamente o de “Complexo Desportivo do ano 2022”, “Oportunidades de Prática Outdoor”, “Plano de Comunicação no Desporto e Atividade Física”, “Programação Desportiva do Ano 2019” e “Campos de Férias do Ano 2019”.

Matosinhos Sport promove ciclo de Palestras de acesso gratuito

A Matosinhos Sport tem promovido desde o final do ano passado, no âmbito dos Gabinetes de Avaliação Física e Nutrição, vários ciclos de palestras direcionados para a população em geral e de acesso gratuito.

Já contabilizadas 10 ações têm os técnicos do exercício físico e as nutricionistas da Matosinhos Sport, segundo um périplo pelas 7 piscinas municipais, partilhado vários conceitos e dicas acerca daqueles temas que tão bem dominam, assim como respondido a todas as questões que as várias, ecléticas (tal a diversidade e disparidade de idades) e animadas plateias lhes têm apresentado.

O objetivo primordial é informar e deixar

cair por terra a contrainformação que prolifera aos dias hoje e, mais do que tudo, lembrar da importância de rotinas saudáveis e alimentares sob orientação de quem mais sabe.

A primeira ronda versou sobre os assuntos da diabetes e da alimentação e as últimas sessões abordaram a importância do exercício físico e a prevenção da obesidade infantil.

No ano em que comemora o seu 20º aniversário a Empresa Municipal de Desporto promete apresentar mais iniciativas do género junto da comunidade local bem como várias surpresas na senda da inovação e do interesse público.

12
MATOSINHOS SPORT – MARÇO 2023

MARÇO

Parque Desportivo Municipal ampliado e modernizado

Matosinhos apresenta hoje um parque desportivo municipal mais vasto e moderno depois das piscinas municipais e os vários pólos do ginásio “MS Fit” terem sido, no início do ano, alvo de obras de beneficiação, com as instalações a serem reformuladas e ampliadas para um maior conforto dos seus utilizadores.

Para além da aquisição de novos e múltiplos equipamentos, que possibilitam presentemente outras opções de treino, as intervenções ocorreram ao nível da requalificação do cais das 7 piscinas (as novas “Zonas de Treino”), dos estúdios das piscinas municipais de Perafita e Custóias, na melhoria da sala de musculação e na criação de um novo espaço no Centro de Desportos e Congressos, a “Casa das

Seleções”, que se encontra agora mais apetrechado e apto para dar resposta aos múltiplos eventos de índole nacional e internacional que ali decorrem ao longo do ano. A acompanhar estes avanços as novas modalidades de fitness, classes e horários que a Matosinhos Sport, Empresa Municipal de Desporto que gere aquelas instalações e serviços, apresenta atualmente.

Na abertura daqueles espaços e nas visitas técnicas estiveram Luísa Salgueiro, Presidente da Autarquia e do Conselho de Administração da Matosinhos Sport, Vasco Pinho, Vereador do Desporto, e Henrique Calisto, Administrador da Matosinhos Sport.

Gala Rolar de Matosinhos celebra a conquista de títulos nacionais e internacionais

Depois de três anos de ausência forçada, devido à pandemia da Covid-19, decorreu no dia 4 de fevereiro a Gala do Rolar Matosinhos momento que serviu para celebrar as conquistas e os títulos nacionais e internacionais dos atletas e treinadores, nas últimas épocas, e que marcou o arranque do programa comemorativo do 30º aniversário do clube que se irá assinalar no final deste ano.

A cerimónia contou com a presença da Presidente do clube, Luísa Lopes, de Vasco Pinho, Vereador do Desporto da Autarquia a quem foi atribuído o “Prémio Mérito Desportivo, Alto Prestígio”, Hugo Chapouto, Ex-Campeão, Treinador e figura indissociável do clube, e Ana e Pedro Walgode, atuais Campeões Mundiais, entre outras várias individualidades dos cerca de 200 participantes.

Basquetebol:

Finais ABP em Matosinhos com o público ao rubro nas bancadas

Os títulos distritais da 1ª divisão da Associação de Basquetebol do Porto, nos escalões sub16 (m/f), disputaram-se entre os dias 26 e 29 de janeiro em Matosinhos, com cerca de 150 atletas e muito público nas bancadas do Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos.

A equipa do SC Vasco da Gama sagrou-se, ao vencer a congénere do FC Porto por 62-55, campeã distrital em masculinos. Já no escalão feminino o título foi conquistado pelo CPN, ao selar a vitória diante o CLIP por 60-52. Destaque para a excelente participação dos clubes locais, as equipas femininas do Guifões Sport

Clube e do Grupo Desportivo de Basquete de Leça, com a última a garantir o 3º lugar que lhe conferiu ainda o acesso ao Campeonato Nacional.

Na cerimónia de entrega dos troféus estiveram entre outras individualidades, Vasco Pinho, Vereador do Desporto da Autarquia, e Henrique Calisto, Administrador da Empresa Municipal de Matosinhos.

A organização ficou a cargo da Associação de Basquetebol do Porto, com o apoio da Matosinhos Sport e da Câmara Municipal de Matosinhos.

13
2023 – MATOSINHOS SPORT

Empresa municipal MatosinhosHabit realojou

220 pessoas em 2022

Desenvolvida pela MatosinhosHabit e pela Câmara Municipal, a política de habitação em Matosinhos está preparada para colmatar as necessidades habitacionais detetadas dentro do concelho

Feito o balanço de 2022, foram atribuídas ao longo do ano 94 habitações sociais em Matosinhos, o que se traduziu num total de 220 pessoas realojadas. Quase metade das atribuições resultou de pedidos de habitação social por parte de munícipes com carência habitacional.

Foi através da gestão do património feita pela empresa municipal que se tornou possível disponibilizar para reabilitação as 94 habitações, atribuídas em resultado de pedidos de habitação, de casos de vulnerabilidade social, emergência social, operações urbanísticas, risco de ruína ou perigo iminente, e também através de processos de transferências e desdobramentos.

A Câmara Municipal de Matosinhos e a MatosinhosHabit estão a trabalhar num plano de investimentos que prevê cerca

de 85 milhões de euros na construção e requalificação de habitação social, no arrendamento apoiado e no programa municipal de apoio ao arrendamento, dos quais 22,8 milhões de euros estão destinados a apoiar soluções habitacionais de promoção privada. Só nos últimos 4 anos, foram realojadas 341 famílias em Matosinhos.

Para ajudar a potenciar a comunicação dos programas da MatosinhosHabit, estão também previstas várias ações de reforço informativo sobre a intervenção do município na promoção do acesso à habitação, tendo como objetivo promover a coesão social, atrair e fixar residentes, qualificar o parque habitacional municipal, promover a qualificação e a coesão territorial e consolidar o modelo territorial municipal.

ATRIBUIÇÃO DE HABITAÇÃO SOCIAL – COMO FUNCIONA?

A atribuição de uma habitação social depende de vários fatores, como a existência de habitações disponíveis e a posição alcançada pelo candidato na Lista Pública de Acesso à Habitação Social Municipal. Para se candidatar, o munícipe preenche um formulário disponibilizado no site da MatosinhosHabit e submete a documentação solicitada, que será integralmente analisada para efeitos de elegibilidade.

O relatório final atribui uma classifi-

À

distância de um clique:

cação ao candidato, posicionando-o na Lista Pública de Acesso à Habitação Social Municipal, tendo em consideração fatores como a salubridade habitacional, a situação financeira e social e limitações por incapacidade / doença.

De notar que a posição alcançada pelo candidato na Lista pode sofrer alterações em função do agravamento / melhoria das condições habitacionais do seu agregado familiar e da inclusão de outros candidatos em situação prioritária.

MatosinhosHabit simplifica procedimentos

Empresa municipal de Matosinhos torna possível a marcação de atendimento presencial através do website, com o objetivo de simplificar a vida às pessoas

O balcão de atendimento e o balcão de candidaturas da MatosinhosHabit estão agora “à distância de um clique”.

A MatosinhosHabit procedeu à renovação total do seu website que, para além de notícias, informações e avisos, dispõe agora de novas interfaces, já em funcionamento, que permitem os agendamentos online.

“O objetivo é estarmos mais próximos de todos os munícipes que necessitam da nossa ajuda, de uma forma clara, simples e descomplicada, através de vários meios, incluindo os digitais” afirma Manuela Álvares, Presidente do Conselho de Administração da MatosinhosHabit, acres-

centando que “agilizar o atendimento ao balcão permite que os cidadãos percam menos tempo em deslocações e filas, e tenham menos uma etapa no processo de candidatura aos vários programas de habitação da MatosinhosHabit, ou na consulta de informações”.

A beneficiação das ferramentas disponibilizadas aos munícipes surge no âmbito do projeto “MatosinhosHabit Simplifica 2023”, uma iniciativa que visa simplificar toda a comunicação da MatosinhosHabit para potenciar e consolidar o diálogo, a proximidade e a relação de confiança entre a empresa municipal e os seus utentes.

14
MATOSINHOS HABIT – MARÇO 2023
C M Y CM MY CY CMY K ai167751662518_AF_APDL_anuncio_terminal_ Noticias_Matosinhos_260X350.pdf 1 27/02/2023 16:50

105º Aniversário A.H.B.V. de São Mamede de Infesta

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de S. Mamede de Infesta assinalou no passado dia 18 de fevereiro de 2023 o seu 105º aniversário com uma cerimónia que decorreu domingo, 19 de fevereiro, no quartel em S. Mamede de Infesta

A Cerimónia, contou com a presença do Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto, Comandante José Morais, do Presidente da Assembleia Geral da Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto, Oliveira e Silva, do Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Antonio Nunes, da Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de São Mamede de Infesta, Leonida Morais, da Presidente da Assembleia Municipal da Câmara Municipal de Matosinhos, Palmira Macedo, do Vice Presidente da Câmara, Carlos Mouta, da Vereadora da Proteção Civil, Marta Laranja Pontes, do Vereador José Pedro Rodrigues, da Vogal Executiva da ULS Matosinhos, Ângela Miranda, dos Comandantes das Corporações de Gondomar, Felgueiras, Coimbrões, Póvoa do Varzim, Matosinhos – Leça da Palmeira, dos Presidentes das Corporações de Amarante, Santa Marinha do Zêzere, Matosinhos – Leça da Palmeira e Leixões, e do Capelão da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de São Mamede de Infesta, Pe. Ricardo Silva.

E o dia de festa começou cedo, pelas 09h00, com uma formatura geral do corpo ativo, seguindo-se, logo pelas 10h00, uma missa solene, na Igreja Matriz, presidida pelo Pe. Ricardo Silva.

Pelas 11h30, deu-se início à sessão solene que contou com várias intervenções, cabendo à presidente da Associação humanitária dos Bombeiros Voluntários de S. Mamede de Infesta, Leonida Augusta Morais, dar as boas-vindas às centenas de pessoas que fizeram questão de participar

nestas comemorações, seguindo-se o Comandante Gilberto Gonçalves. Na celebração do seu 105º aniversário, os Bombeiros de S. Mamede de Infesta presentearam e homenagearam ainda o excelente empenho operacional do seu corpo ativo com condecorações, atribuição de medalhas e entrega dos capacetes aos bombeiros que terminaram o seu período de formação.

A manhã encerrou com a atribuição à Presidente Dra. Leonida Morais, a medalha de mérito distrital por parte da Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto, bem como, a atribuição da medalha de ouro de reconhecimento dos serviços prestados, pelo Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. Foi também atribuído à Câmara Municipal de Matosinhos, na pessoa do

Sr. Vice Presidente, Carlos Mouta e à União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, na pessoa do seu Presidente, Leonardo Fernandes, a medalha de reconhecimento pelo trabalho prestado em colaboração com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de São Mamede de Infesta, durante o período da pandemia (COVID-19).

3ª Edição do Cortejo de Carnaval da Senhora da Hora

Em articulação com as Escolas, Coletividades, Instituições e Associações da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, realizou-se na tarde do dia 19 de fevereiro de 2023 pela terceira vez na Freguesia da Senhora da Hora, o Cortejo de Carnaval organizado pela União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora.

Crianças e adultos vestiram-se a rigor, fantasiando-se dos seus heróis e personagens de animação favoritos e contagiaram quem passou com a sua alegria.

Não faltou a boa disposição nem a animação a fechar uma tarde bem passada. Esta é mais uma atividade que visa preservar uma tradição proporcionando momentos divertidos e de convívio. O Presidente Leonardo Fernandes e seu Executivo, reconhecem publicamente o envolvimento e empenho de todos, para que tivesse sido possível a realização do mesmo.

Acompanhar o Cortejo, esteve o Sr. Vice-Presidente da Câmara Municipal de

Matosinhos, Carlos Mouta, que verificou a adesão em grande número quer de participantes quer de espectadores. Assim, se continua a construir “O Carnaval” que levou às ruas da cidade mais um momento de dinamismo e animação.

16
UFSMISH – MARÇO 2023

Rastreios Visuais - Agrupamento de Escolas da União das

Freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora

Arrancou este mês, na Escola Básica da Barranha o rastreio de patologias oculares no Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora e contou com a presença do Vice Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Carlos Mouta e do Presidente da União, Leonardo Fernandes. A Escola Superior de Saúde / Politécnico do Porto, através da sua Área Técnico Científica de Ortóptica, em parceria com o Hospital Trofa Saúde de Matosinhos, a União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Câmara Municipal de Matosinhos e o Lions Clube Senhora da Hora, estão a realizar um rastreio de patologias oculares que provocam diminuição na visão (ambliopia) no Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora e São Mamede de Infesta.

Este rastreio é realizado através de fotografias aos olhos dos educandos, que detectam essas alterações. O resultado será comunicado (entregue) aos pais e, caso existam fatores de risco para a visão, recomenda-se a ida logo que possível ao médico de família, pediatra, oftalmologista, ou, a um hospital de referência.

A atividade irá abranger 408 crianças do pré-escolar da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora e realizar-se-á todas as terças-feiras até ao dia 6 de junho de 2023. Estes rastreios revestem-se de enorme importância para a população estudantil, uma vez que permitem a identificação precoce de problemas visuais que, não sendo corrigidos, podem ser comprometedores do sucesso escolar dos alunos.

Gala da ACDR – Jogo de Negro

O Presidente da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes, esteve presente na Gala comemorativa dos 8 anos de existência da Associação Cultural Desportiva e Recreativa – Grupo Capoeira Jogo de Negro.

Igualmente marcaram presença no jantar comemorativo: o Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Matosinhos – Vasco Pinho, Joaquim Ventura - Presidente da Associação das Coletividades de Matosinhos, e o vogal do executivo da

União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Álvaro Guimarães, entre muitos associados, atletas das várias modalidades e de todos os escalões etários, os pais dos atletas e familiares, ex-atletas, diretores, técnicos, sócios e simpatizantes da Associação.

A ocasião serviu para homenagear todos os medalhados em competições anteriores como forma de reconhecimento e agradecimento pelo trabalho, esforço e dedicação à Associação.

Ministro da Saúde inaugurou nova unidade em S. Mamede de Infesta

Presente esteve o presidente da união das freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes. A funcionar desde 1 de fevereiro, a nova unidade foi pioneira a nível nacional, transitando diretamente de Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) para USF modelo B, um percurso inovador ao nível dos cuidados de saúde primários.

“A remuneração dos profissionais de saúde passa a estar associada ao desempenho. Este modelo vem acelerar a reforma dos cuidados primários.

A USF Godinho Faria garante a prestação

de cuidados assistenciais a cerca de 17 mil utentes, das freguesias de S. Mamede de Infesta e Leça do Balio, através de oito equipas de saúde familiar, cada uma constituída por um médico, enfermeiro e secretário clínico.

Já Luísa Salgueiro anunciou que está a ser preparada uma solução para um novo centro de saúde no centro de Matosinhos, uma vez que as atuais instalações não são suficientes para as necessidades da população.

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos conta atualmente com 12 Unidades de Saúde Familiares.

17
MARÇO 2023 – UFSMISH

QUINTA DOS CARVALHAIS

COLHEITA BRANCO 2021

Caros leitores do NM e enófilos. Dias mais solarengos e quentes, estão a chegar. Logo a tendência e quase de uma forma “inconsciente” ou por reflexo, é procurarmos vinhos mais frescos e aromáticos. Pois bem, este mês a nossa sugestão de baco é isso tudo. Um vinho fresco, aromático sem ser enjoativo e de qualidade ímpar. Bem como a sua relação qualidade preço: o Quinta dos Carvalhais Colheita Branco 2021. Produzido pela Sogrape Vinhos, que dispensa apresentações. A quinta que dá nome a este belíssimo vinho, localiza-se no concelho de Mangualde, junto a Nelas e Alcafache. Juntando a experiência e mestria de quem o produz, ás características da região, sejam elas o solo ou o clima, o Dão é uma região de vinhos verdadeiramente excepcionais e especiais, acreditem. Produzido a partir das castas, Encruzado (uma da minhas duas castas brancas preferidas) e Gouveio, sendo que no processo de vinificação deste QC, as uvas foram descarregadas de caixas de 20 Kg no desengaçador-esmagador. Após a prensagem, o mosto foi sujeito a decantação estática. Foi depois colocado em cubas inox, onde foram adicionadas leveduras autóctones. 30% do Encruzado fermentou em barricas de carvalho francês novas e usadas de 225, 500, 1000 e 2000L, e o restante permaneceu na cuba de inox. O Gouveio fermentou em cuba de inox. A fermentação durou 20 dias a 18ºC. Estamos na presença de um vinho que é puro deleite degustar. Acreditem.

QUINTA DOS CARVALHAIS

COLHEITA BRANCO 2021

REGIÃO: DÃO

CASTAS: ENCRUZADO E GOUVEIO

TEOR ALCOÓLICO: 13,00%

P.V.P: 7,90€

ENÓLOGA: BEATRIZ CABRAL DE ALMEIDA

PRODUTOR: QUINTA DOS CARVALHAIS

HTTPS://QUINTADOSCARVALHAIS.COM

Notas de prova: De cor amarelo citrino com laivos esverdeados. Apresenta-se jovem no aroma, potenciado pela sua frescura, notas cítricas (limão e lima), maçã verde e ligeiros apontamentos vegetais. Boca com volume, frescura e estrutura. Madeira muitíssimo bem casada, e um final longo e guloso, muito versátil e gastronómico, pese embora eu o prefira como aperitivo. Resumindo estamos na presença de um vinho muito elegante, fresco, um deleite para os sentidos.

Até breve com outro vinho.

Bernardino Costa

bernascosta@hotmail.com – 966929982

Ser sustentável é bom para o negócio?

A DECO lançou uma campanha sobre o greenwashing e a existência de alegações ambientais que

Ecológico, Biodegradável, Amigo do Ambiente, ... O que têm de comum estas expressões? Talvez muito pouco! Na verdade, são argumentos publicitários que procuram a atrair a atenção do consumidor, sobretudo daquele que tem maiores preocupações ambientais. Numa altura em que 57% dos consumidores da União Europeia estão recetivos a alegações ambientais no momento de escolher e comprar, para algumas empresas mostrar-se verde, tornou-se bom para o negócio.

O aumento da consciência ecológica dos consumidores trouxe, então, consigo uma técnica de marketing conhecida como “greenwashing”, à luz da qual uma empresa consegue afirmar que cumpre “determinadas” metas de proteção do ambiente ou que tem um “determinado” desempenho ambiental, não o fazendo na verdade.

Assim, a DECO quer informar e despertar todos os consumidores para o que é greenwashing, também conhecido como Ecobranqueamento, como funciona e

PONTO DE ENCONTRO

como deve ser combatido. A campanha faz também o aviso às empresas “Não se pintem de verde! Contem as coisas como elas são” procurando evitar que os consumidores gastem o seu dinheiro em escolhas branqueadas de falsas alegações, potenciando o seu conhecimento sobre as escolhas verdadeiramente sustentáveis. Esteja atento às nossas redes sociais e aos episódios no DECOPODe sobre o “greenwashing”. Queremos ajudá-lo a separar o trigo do joio!

Os antigos jogadores de Voleibol do Leixões reuniram-se no restaurante Food and Drinks, para relembrar os velhos momentos.

18
LAZER — MARÇO 2023
Aristídes; Adolfo; Quim Pacheco; Humberto; Rui Moreira; Paulo Ferreira; José Rodrigues; Pedro Cardoso; Carlão; Quicas; Nono;Nelson; Rui Faria
podem ser enganosas
229 960 529 – 220 998 485
Av. Dr. Fernando Aroso, 169
Leça
da Palmeira

CORREIO DO LEITOR ILUSTRES DE PERAFITA

E os parque infantis públicos? Parque 25 de abril e parque Basílio Teles? Há planos para compor ou teremos de ir ao MarShopping para que as crianças se possam divertir?

António Pinheiro

Arranjar as estradas do conselho que estão todas partidas; Melhorar a limpeza que é muito deficitária; Melhorar o calçadão de Leça.

AGENDA

Terreno da Rua Manuel Seabra a ser de novo transformado numa lixeira a céu aberto. Este terreno é da Santa Casa da Misericórdia de Matosinhos.

José Pereira

Acabar com a circulação sem regras na rua Brito Capelo. Ocupação dos passeios com estacionamento sem ninguém multar e os peões vão para a rua.

Os Ilustres de Perafita reúnem-se novamente no próximo dia 24 de março.

TEATRO DESPORTO VISITAS EXPOSIÇÃO

DATA: 08 de março 2023

LOCAL: Teatro Constantino Nery

ALIMENTAÇÃO:

Ingredientes (6p):

400gr de cogumelos frescos

300gr de arroz para risotto

200gr de bacon

2 dentes de alho picados

1 cubo de caldo de carne

1 cebola picada

Água e manteiga, q.b.

Sal, pimenta e cebolinho, a gosto

DATA: março 2023

LOCAL: Piscinas Municipais & Ginásios MS Fit

DATA: sábados de março (4, 11, 18 e25) 2023

LOCAL: Piscina Municipal Sra. da Hora

RISOTTO DE COGUMELOS E BACON

Levar ao lume um tacho grande cheio de água e deixar ferver.

DATA: 11 fevereiro 2023 até 27 agosto 2023

LOCAL: Casa do Design

Acrescentar o cubo de caldo de carne, temperar com sal e pimenta e colocar os cogumelos frescos cortados em quatro a cozinhar, durante cerca de 15 minutos.

Retirar os cogumelos do tacho e reservar, enquanto deixa o caldo dos cogumelos apurar.

Noutro tacho ao lume, colocar um pouco de manteiga, a cebola e os alhos picados e deixar refogar.

Juntar o bacon e deixar fritar, sem queimar.

Adicionar o arroz para risotto, sem lavar, e vá mexendo para apurar, durante cerca de 2 minutos.

Adicionar aos poucos o caldo de carne, mexendo sempre até o arroz absorver todo o caldo.

Quando o risotto estiver al dente, juntar os cogumelos e umas colheres de caldo.

Tapar o tacho e deixar cozinhar até o arroz cozer.

Servir de imediato.

19
1.
MARÇO 2023 — LAZER
2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10.
COLOCAMOS A SUA EMPRESA NOUTRO PATAMAR! (+351) 229 999 310 (chamada fixa nacional) | (+351) 919 474 281 (chamada rede móvel nacional) press@jump-press.com Gestão de redes sociais Design e preparação de conteúdos Criação de newsletter Gestão de sites C M Y CM MY CY CMY K Pub_NM_Jumppress-23-Final.pdf 11 28/02/2023 16:57:38

Articles inside

Ser sustentável é bom para o negócio? article cover image

Ser sustentável é bom para o negócio?

2min
pages 18-19
Ministro da Saúde inaugurou nova unidade em S. Mamede de Infesta article cover image

Ministro da Saúde inaugurou nova unidade em S. Mamede de Infesta

2min
pages 17-18
Gala da ACDR – Jogo de Negro article cover image

Gala da ACDR – Jogo de Negro

1min
page 17
Rastreios Visuais - Agrupamento de Escolas da União das article cover image

Rastreios Visuais - Agrupamento de Escolas da União das

1min
page 17
105º Aniversário A.H.B.V. de São Mamede de Infesta article cover image

105º Aniversário A.H.B.V. de São Mamede de Infesta

2min
page 16
distância de um clique: article cover image

distância de um clique:

1min
pages 14-15
Empresa municipal MatosinhosHabit realojou article cover image

Empresa municipal MatosinhosHabit realojou

1min
page 14
Finais ABP em Matosinhos com o público ao rubro nas bancadas article cover image

Finais ABP em Matosinhos com o público ao rubro nas bancadas

1min
page 13
Gala Rolar de Matosinhos celebra a conquista de títulos nacionais e internacionais article cover image

Gala Rolar de Matosinhos celebra a conquista de títulos nacionais e internacionais

1min
page 13
Parque Desportivo Municipal ampliado e modernizado article cover image

Parque Desportivo Municipal ampliado e modernizado

1min
page 13
Matosinhos Sport promove ciclo de Palestras de acesso gratuito article cover image

Matosinhos Sport promove ciclo de Palestras de acesso gratuito

1min
pages 12-13
Matosinhos vence Prémio “Programa Municipal de Desporto para Todos 2023” article cover image

Matosinhos vence Prémio “Programa Municipal de Desporto para Todos 2023”

1min
page 12
Autarquia apoia com 2,8 milhões de euros clubes desportivos e instituições sociais article cover image

Autarquia apoia com 2,8 milhões de euros clubes desportivos e instituições sociais

1min
page 12
Câmara Municipal efetua poda árvores article cover image

Câmara Municipal efetua poda árvores

2min
page 11
Matosinhos está no top 10 dos concelhos onde se desperdiça menos água em Portugal article cover image

Matosinhos está no top 10 dos concelhos onde se desperdiça menos água em Portugal

2min
page 11
de Oftalmologia terminou o ano de 2022 a conquistar prémios article cover image

de Oftalmologia terminou o ano de 2022 a conquistar prémios

1min
page 10
Primeiro exame de Ecoendoscopia Endobronquica article cover image

Primeiro exame de Ecoendoscopia Endobronquica

1min
page 10
O Carnaval na Senhora da Hora article cover image

O Carnaval na Senhora da Hora

3min
pages 9-10
XXVII Cortejo de Carnaval de São Mamede de Infesta article cover image

XXVII Cortejo de Carnaval de São Mamede de Infesta

1min
page 9
Palestra “Matemática Tem Magia!” article cover image

Palestra “Matemática Tem Magia!”

1min
page 8
Prevenção do bullying nas escolas article cover image

Prevenção do bullying nas escolas

2min
page 8
ENTREVISTA A LEONARDO FERNANDES article cover image

ENTREVISTA A LEONARDO FERNANDES

10min
pages 6-8
Metrobus espera 5 milhões de passageiros no primeiro ano article cover image

Metrobus espera 5 milhões de passageiros no primeiro ano

3min
pages 5-6
Metro para Gondomar e Trofa não impede linha para Matosinhos article cover image

Metro para Gondomar e Trofa não impede linha para Matosinhos

2min
page 5
Paralisação no Porto de Leixões termina após acordo com a APDL article cover image

Paralisação no Porto de Leixões termina após acordo com a APDL

2min
page 4
Municipais article cover image

Municipais

3min
pages 3-4
Centenas de participantes no Carnaval das article cover image

Centenas de participantes no Carnaval das

1min
page 3
Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.