Page 1

Série Editorial III, Ano IX JANEIRO_ 2020 Cotia/SP - Brasil

Manuel Reis a arte de filosofar

A POLÍTICA EA DIGNIDADE DA PESSOA

Alexandre

FROTA O deputado federal teve em 2019 atuação de impacto político no Congresso

COTIA

W. Formiga fecha acordo com

Márcio França

Voto Obrigatório & Emancipação Municipal A Ditadura Política No Brasil

Prêmio Literário & FLAUS

CULTURA SOROCABANA a importância da nova Sociedade Cultural no afazer artístico e intelectual. Em destaque, o escritor e historiador e docente CARLOS CAVALHEIRO, que acaba de ser premiado.

Uma análise que urge quando as instituições do Poder batalham entre si sob a bandeira da hipocrisia corporativa...

Uma História Luso-Brasileira & Ybiraçoiabana

Nª Sª da Ponte


FROTA

jCORPUS ESPECIAL Janeiro 2020

O deputado federal Alexandre Frota quis e escutou Caucaia do Alto O carioca Alexandre Frota [14.10.1963] é um artista e empresário brasileiro que hoje representa o Povo paulista no Congresso Nacional e reside com a família em Cotia, cidade do eixo metropolitano de São Paulo Tomou posse como Deputado Federal em fevereiro de 2019, como eleito sob a bandeira do PSL, mas em poucos meses mudou-se para o PSDB; e, em 1 ano de atividade, esteve em 56 votações plenárias. Nas atividades partidárias agiu como Vice-Líder, Bloco PP, MDB, PTB, 26/02/2019 - 25/03/2019; Vice-Líder, Bloco PP, MDB, PTB, 26/03/2019 - 26/03/2019; Vice-Líder, Bloco PP, MDB, PTB, 26/03/2019 - 26/03/2019; Vice-Líder, PSL, 27/03/2019 - 06/08/2019; Vice-Líder, PSDB, 27/08/2019 - 28/08/2019; Vice-Líder, PSDB, 03/09/2019 05/09/2019; Vice-Líder, PSDB, 10/09/2019, além de participar da Comissão de Direitos Humanos e Minorias - CDHM: Suplente, 12/03/2019 - 24/04/2019, Comissão de Turismo CTUR: Suplente, 24/04/2019 - 06/08/2019, Comissão de Cultura - CCULT: Titular, 12/03/2019 - 24/04/2019, Comissão de Legislação Participativa - CLP: Titular, 06/08/2019 12/09/2019, Comissão de Cultura - CCULT: Titular, 03/09/2019 - 05/11/2019, da Comissão Especial para PEC PEC 006/19 – Previdência Social: Titular, 24/04/2019 - 08/08/2019, PL 1645/19 – Proteção Social dos Militares: Titular, 22/08/2019 09/10/2019, 10/10/2019, etc., demonstrando que não era apenas um neófito nas paradas político-partidárias. Em relação às cidades cujas populações lhe concederam a honra do voto popular, Alexandre Frota já destinou verbas de apoio a Saneamento Básico, Educação, Saúde, o que aconteceu também com a municipalidade de Cotia, para onde, via prefeitura, destinou mais de R$30 milhões. E em relação a Cotia, o deputado acaba de se inteirar melhor acerca do distrito Caucaia do Alto, uma região com 117 Km2 e mais de 70.000 habitantes, entre eles 36.000 eleitores... No aniversário de 75 Anos do distrito, na manhã de 30 de novembro de 2019, Alexandre Frota e o assessor Claudio Gonçalves (Claudinho) foram escutar o que é e como resiste Caucaia do Alto. “Eu vivo com a minha família em Cotia, eu quero e já ajudo o município com verbas federais, mas quero agora, também, dar o meu apoio a esta gente de Caucaia do Alto, porque isto aqui é uma cidade, embora no papel seja distrito!” Foi a primeira vez que uma autoridade federal quis escutar a Gente Caucaiana e levar para Brasília os anseios de uma emancipação que urge. O diálogo está aberto...

Claudinho um assessor de grande vivência empresarial e com trânsito livre em diversas áreas municipais e estaduais


jCORPUS PAG 03

MANSUR

EDITORIAL

Um Cotiano Autêntico “Ei, meu amigo, não esqueça de mim nos seus ft web escritos...!”, era o que escutava de Antônio Mansur sempre que o encontrava nas ruas de Cotia, uma cidade que ele ensinou algumas gerações a respeitar e defender. Ele foi vereador (ao tempo em que vereança não tinha salário nem mordomias) e foi vice-prefeito [com Mário Ribeiro e com Ailton Ferreira] e, nos encontros comigo e o W. Paioli, nas redações do Treze Listras e do Gazeta de Cotia, ele dizia: “Esta cidade ainda vai ser modelo para o Estado paulista, mas precisamos olhar com carinho para Caucaia do Alto, um distrito que mais parece uma cidade...!”, o que registrei em uma das edições do jornal Treze Listras, no final de 1991, e o que ele repetiu no início de 1993 quando o acompanhei em um encontro estadual no Palácio dos Bandeirantes. Mansur – o Toninho, para os mais chegados – foi um cidadão que nunca deixou de ver o Brasil a partir do tímido e precário progresso que a indústria e os serviços carreavam para Cotia: “[...] Somos uma cidade com empresariado forte, mas falta vontade política para unir esforços e abrir espaços para educação e lazer...”, resmungava, às vezes, e até no último encontro comigo e o Décio Lemos Leite, com certa desilusão.

ÍNDICE Giro Municipalista

04

- Nova Geração Em Cotia - Cultura Sorocabana | Carlos Cavalheiro em destaque

Tema do Mês 05 - Saneamento Básico | Brasil de mudança... -

Renovar Cotia 05

- Aprígio e Alexandre Frota | Opinião de MAyP

Em Reflexão 06 - Manuel Reis | a arte de filosofar _ Tereza Nuñez - W. Formiga fecha acordo com Márcio França

Anotação 07 - Cotia, 2020. O que vem por aí.../

Capa 08 - A POLÍTICA E A DIGNIDADE DA PESSOA - Livros de João Barcellos

Especial 09 - Gastronomia & Cultura _ Johanne Liffey

Cultura 10 - Nª Sª da Ponte | uma história luso-brasileira & Ybiraçoiabana

Mensagens 11 - Voto Obrigatório & Emancipação Municipal

Aprendi a admirar Toninho Mansur no trabalho que ele fazia, insistente, de celebrar a história e as raízes das comunidades de Cotia. Ele foi-se da presença física aos 89 anos, em 16 de dezembro de 2019, mas deixa um legado sociopolítico para a história cotiana. _ joão barcellos

Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de

www.jcorpus.com.br Edição: João Barcellos / Cristiane Ramos [MTb 39615]

EXPEDIENTE

Cotia // Série III, Ano VIX, nº20 _ Janeiro, 2020 Título Editorial de Terranova Comunicação e Eventos Culturais Ltda

/ 02.206.278/0001-45 _ I.M. 01542B

Rua Katia 91 _ Casa 1, Pq São George / 06708-130

Do Título _ Corpus vem do grego Korpus e diz-nos de

Cotia-SP

um conjunto de trabalhos ou agrupamento de ideias,

Web _ Georg Hans

etc., para acabar no conhecido espírito de corpo.


GIRO

jCORPUS PAG 04

MUNICIPALISTA

Jan. 2020

CULTURA SOROCABANA Nova Geração Em Cotia Em meio a processos tumultuados na Justiça e à celebração dos 75 Anos da elevação do povoado guarani Coacaya (Caucaia) a Distrito cotiano, sob a designação Caucaia do Alto, parte da diretoria da Associação Pró Emancipação do distrito reuniu-se com executivos do Poder Municipal. O encontro foi proporcionado com intermediação do deputado federal Alexandre Frota, que prestigiou a sessão de celebração do Distrito com a diretoria autonomista. Embora haja a perspectiva de um encontro com o Prefeito, percebeu-se a importância de uma conversa com Raphael G. de Camargo, secretário de Gestão Estratégica e Inovação, até pela importância da pasta.

Entre a ideia de “um Centro Comunitário para a juventude caucaiana” e “as falhas de diálogo sociopolítico acerca do Distrito”, emergiu no encontro um jovem executivo de lastro acadêmico e de boa convivência no âmbito de políticas públicas e que, aliás, vem fazendo a ´ponte´ institucional com o deputado federal que a Cotia já destinou mais de 10 milhões de reais para investimento na Saúde e na Infraestrutura. O que se percebeu no encontro foi, em Raphael G. de Camargo, um jovem executivo político empenhado por Cotia.

Prêmio Sorocaba de Literatura Poder Municipal Prestigia Intelectualidade Local

Desde o ano 1980 existe o Prêmio Sorocaba de Literatura, uma ideia de Basílio da Costa Daemon. Após interrupções nada saudáveis para a Cultura Sorocabana, o Poder Municipal, em 2015, reformulou o evento através da Lei nº 11.182, de 24 de setembro, no âmbito da Lei Federal nº 10.753, de 30 de Outubro de 2003, que instituiu a Política Nacional do Livro. O prêmio da Edição 2019 foi entregue a Carlos Cavalheiro, autor de “Entre o sereno e os teares” (romance); Luciano Leite, autor de “Contos de uma cidade morta” (ficção/contos); Fábio Duran dos Santos, autor de “Reféns: quando o preconceito vence a medicina” (não-ficção) e Celso Ribeiro, autor de “Sorocoisas - manual de Sorocaba para principiantes” (não-ficção).

FLAUS Outro Acontecimento Ft: jornal Cruzeiro do Sul

É a Feira do Livro e Autores Sorocabanos, que aconteceu nos dias 20 a 22 de dezembro, nas instalações do Sorocaba Clube. Intelectuais vêm se mobilizando em torno deste evento que complementa, pode-se dizer assim, o Prêmio Sorocaba de Literatura. Os dois eventos são o exemplo de políticas públicas republicanas em prol da Cultura Regional e do incentivo municipal a escritoras e escritores que marcam historicamente a cultura de cada cidade. Lamentavelmente estes exemplos são raríssimos no Brasil.

CARLOS CAVALHEIRO O intelectual sorocabano, autor de “Notas para a história da Capoeira em Sorocaba (1850-1930)”, elogiado por João Barcellos em palestras acerca da afrobrasilidade, vem mostrando à Gente Sorocabana (e, enfim, ao Brasil), a importância da História regional que alicerça a Nação. «[...] Carlos Cavalheiro é o escritor que pinça da realidade a história para exibir o quanto do hoje é feito do ontem, e de como o amanhã tem do ontem pontos de partida para consolidar projetos e ideais». Este escritor, que também é docente, integra a nova Sociedade Cultural sorocabana e da sua pujança intelectual espera-se mais...


jCORPUS PAG 05

TEMA DO MÊS

Jan. 2020

SANEAMENTO BÁSICO As contas são simples e terríveis: o Brasil abriga mais de 30 milhões de pessoas sem água corrente e mais de 70 milhões sem tratamento de esgoto. Em relatório bem cuidado, o deputado Geninho Zuliani fez aprovar no Congresso o Projeto de Lei (3621-2019) do senador Tasso Jereissati, que trata do Marco Regulatório do Saneamento Básico. São padrões e normas para operacionalizar a prestação de serviços públicos em meio ao interesse do Estado e da Iniciativa Privada. Não se pode ignorar que o Saneamento Básico é de muita importância para combater doenças originadas por falta de água tratada e de esgoto a céu aberto. Por outro lado, cresce no Brasil a consciência cidadã por parte de uma fatia significativa do empresariado quanto ao tratamento de resíduos líquidos e sólidos. É a Nação a se integrar na realidade social globalizada e que exige consciência republicana.

Espaço Renovar Cotia

Marco Regulatório

OPINIÃO

políticos devem ser ferramentas sociais

Entre retóricas nem sempre republicanas e nem sempre ideológicas, os nossos representantes no Congresso e na ALESP são, apesar disso..., os nossos representantes! Em nossa região temos o deputado estadual Aprígio e o deputado federal Alexandre Frota. Enquanto Frota inicia um movimento próprio no ´xadrez´ partidário, Aprígio é o empresário de sucesso no cooperativismo habitacional já ´afeiçoado´ a tratativas institucionais. Entretanto, ambos podem ajudar, e muito, a região de Cotia e, ambos, já se disseram ´disponíveis´ para diálogos que levem a soluções para investimentos. Existem possibilidades em demanda de recursos para Educação e Saneamento Básico e espera-se que os nossos representantes possam ajudar a região de Cotia com ´emendas´ adequadas à realidade geossocial cotiana.

Mariana d´Almeida y Piñon (Profª de Artes Visuais)

Segundo os congressistas, “os contratos de saneamento deverão definir metas de universalização que garantam o atendimento de 99% da população com água potável e de 90% da população com coleta e tratamento de esgotos até 31 de dezembro de 2033, assim como metas quantitativas de não-intermitência do abastecimento”. A lei prevê novas atribuições entre as normas de referência a serem estabelecidas pela Agência Nacional de Águas (ANA), como conteúdo mínimo para a prestação universalizada e a sustentabilidade dos serviços.


jCORPUS PAG 06

EM REFLEXÃO

Jan. 2020

Manuel Reis

a arte de filosofar

O que leio de Manuel Reis? Tudo o que o Grupo de Debates Noética repassa ou faz com que outros grupos tenham acesso. O idealizador do Centro de Estudos do Humanismo Crítico (CEHC, em Guimarães-Portugal) tem no escritor e historiador João Barcellos, também português, a mão que expande conhecimentos, em geral, e os de Reis, em particular. Tenho uma certa dificuldade para entender pormenores do cotidiano português e europeu, porque a informação que temos na América Latina é escassa em relação a filósofos de fora da cartilha das editoras ´best seller´... Mas, os livros e teses que li de Manuel Reis levaram-me a tê-lo como referência no que toca ao Saber universal que promove a arte de filosofar com e pela Humanidade. E, também, porque sem Filosofia não enxergamos o humanismo crítico necessário aos atos civilizatórios. Ler o filósofo Manuel Reis é uma aventura consciente a favor da Humanidade. Tereza Nuñez _ Buenos Aires | Argentina

W. Formiga fecha acordo com

Márcio França

Embora não se declare “à boca cheia”, o recente acordo entre W. Formiga e Márcio França abalou a estrutura político-partidária em Cotia no que aos currais eleitorais diz respeito, porque “o garoto do morro cotiano é agora um político respeitado no Estado paulista”. Ele teve milhares de votos na sua candidatura à Alesp e, agora, poderá surpreender os ´coronéis´ de Cotia.


ANOTAÇÃO

jCORPUS PAG 07

Cotia, 2020.

Jan. 2020

O que vem por aí... R. Franco

Nomes surge e não ao acaso no espaço eleitoral de Cotia... Nomes como Adilson Lima, Silvana Bezerra, Welington Formiga, Rogério Franco, Claudio Gonçalves, etc. e etc., circulam nas comunidades que formam o município de Cotia, no boca-a-boca e na imprensa regional. De concreto, sabe-se que: 1- Rogério Franco, atual prefeito, quer a reeleição, mas tem um lastro de pendências criminais (processos em andamento) contra ele que podem atrapalhar; 2- Adilson Lima, empresário importante e respeitado, declarou publicamente a sua intenção de se candidatar novamente a prefeito municipal, embora não tenha ainda definido o partido político que lhe servirá de base operacional. As últimas votações alcançadas (municipal e estadual) sugerem uma candidatura forte; 3Silvana Bezerra, é uma professora guerreira que está a marcar forte posição política na região e, sabese, poderá surpreender em candidatura ao legislativo municipal; 4- o mesmo se passa com Cláudio Gonçalves (o Claudinho, assessor em Cotia e no Estado paulista do deputado federal Alexandre Frota), que vem apresentando importante trabalho junto de algumas comunidades; 5- já W. Formiga não surpreende: é o candidato natural na oposição direta ao prefeito Franco, e isso quase lhe basta para ter meia Cotia a seu favor, o que não significa vencer...; e, 6- Linguiça, sim, é uma candidatura caucaiana de extrema importância comunitária para a vereança, e é bom não esquecer a boa votação obtida na última eleição! Esta reflexão é um alinhavo precário do que se escuta, logo, o que vem por aí em 2020 deixa-nos uma certeza: vamos ter campanha eleitoral quente em Cotia.

Silvana

W. Formiga

Claudinho

João Barcellos

LINGUIÇA

Novelas Historiográficas, Filosofia & Poesia Novo livro de JOÃO BARCELLOS | terranovacomunic@uol.com.br

117 Km2 + 75.000 Habitantes uma economia própria


CAPA

A POLÍTICA E A DIGNIDADE DA PESSOA

jCORPUS PAG 08 Jan. 2020

Resumo do Debate via Web “... é preciso abrir a porteira sociopolítica para as possibilidades económicas nacionais e o progresso local, porque nenhuma nação o é (ou resiste) a ideologias de terra queimada...” MACEDO, J. C. – poeta e jornalista: in ´Além do Voto Cego´, artigo. Coimbra/Port., 1976.

Fechado para o Mundo, mas aberto para as ditaduras populistas sovietico-maoistas latino-americanas e africanas, o Brasil dos governos da seita lulista, dita Partido dos Trabalhadores (PT), era uma nação fragilizada por falta de diálogo universal, e, pior internamente, pela aparelhagem partidária das instituições de Estado, das empresas estatais às academias passando pelo judiciário. Era, porque o dia 28 de Outubro de 2018 pôs um fim no sistema ´camarada´ de Lula: um fim dado a um sistema que privilegia a demagogia, o ´eu ou eles´, o populismo do ´salvador da pátria que ajuda os pobres´, mas os deixa na mesma miséria socioeconômica de sempre para beneficiar o sistema bancário e a corrupção em prol da causa partidária. E, “[...] em 2018, o Povo elegeu Jair Bolsonaro para a Presidência, e apostou nas suas Ideias nacionalistas por uma demanda justa de segurança na Família e no Trabalho, que foi e é o foco principal da sua retórica. Desde que os movimentos do capital liberal e marxistaleninista chegaram ao Poder, com Collor de Mello, Fernando Henrique, Lula e Dilma, respectivamente, o Estado passou a ser a ´teta´ que os alimentou com corrupção quanto baste sob a bandeira de um populismo que também serve e muito bem a elite liberal no âmbito do ´toma lá, dá cá´ parlamentar-presidencialista. Jair Bolsonaro, da ala do capitalismo liberal e ligado umbilicalmente à cultura castrense, chega para dar um basta em tal situação sociopolítica e partidária. E agora, a Nação aguarda que ele, a Personalidade eleita, vá em frente...”, escreveu o escritor e conferencista João Barcellos logo após o resultado prévio das eleições via ´boca de urna´, que deu a vitória a Bolsonaro. O seu

comentário originou desde logo um debate entre os membros do ´Noética´.

“A dignidade da Pessoa está no Pensamento” Blaise Pascal [1623-1662]

É óbvio que o Povo Brasileiro não passou a Bolsonaro um ´cheque em branco do tipo faça o que quiser´, nada disso: o próprio Presidente eleito, que sofreu um atentado quase mortal durante a campanha, declarou de imediato que “sou escravo da Constituição”, o que mostra que o discurso eleitoreiro de caserna já deu lugar ao discurso político-institucional. Baseado na precariedade da Segurança, com muitas comunidades dominadas pelo narcotráfico aliado também a movimentos políticos, Bolsonaro chegou para tentar neutralizar “a nova Colômbia que os traficantes querem erguer no Brasil”, além de “impedir que o Brasil vire uma calamidade pública na área socioeconômica como acontece na Venezuela”. Existe uma apetência ao ´pensamento único´, existe, mas isso verificou-se em todo o percurso político Lula-Dilma e ninguém reclamou; entretanto, agora, e depois da Operação Lava-Jato e do juiz Sérgio Moro, as instituições estão mais atentas ao jogo político-governamental, o que nos permite dizer que Bolsonaro terá de adaptar a sua retórica de caserna ao jogo de cintura que é a política pela governabilidade e a pacificação da Sociedade brasileira. O socratismo filosófico que embasa o Humanismo Crítico, tão bem defendido por Pascal e por Manuel Reis, no ontem e no hoje, mostra-nos que o populismo de direita e de esquerda são movimentos niilistas que ferem a dignidade da Pessoa, cujo Pensamento deve ser a ´alma social e política´ da Democracia. O que se espera? Que o Brasil se reerga com base na superpotência de matérias-primas que é para o progresso humano e faça disso um investimento na Pessoa Brasileira, o que será bom para o Mundo.

Grupo de Debates Noética www.noetica.com.br


jCORPUS PAG 09

ESPECIAL

Jan. 2020

Gastronomia & Cultura

Os cânticos folclóricos do tipo ´panela velha é que faz comida boa´ ecoam no imaginário, mas a realidade nos faz anotar outros pormenores, como, por ex., ´comida boa é a que cai bem em qualquer lugar e nos deixa de bem com a vida´. As mãos que manuseiam temperos, peixes, carnes, legumes, grãos, etc., obedecem a memórias que guardam receitas e, sempre, na vanguarda para experimentarem uma outra receita, própria. São as memórias que nos trazem o ´gostinho da infância´ ou o ´gostinho de um restaurante singular”, assim como aquele ´cafezinho único´ que se toma uma vez na vida. Isto é gastronomia. A cultura que se constrói entre lugares e ingredientes a obedecer a cada estação do ano. Isto é a arte de ´encher a barriga com os olhos´, embora gostemos mais de encher a pança... E, claro, a escolha de uma água ou de um vinho... Ah, sim, a água como o vinho têm propriedades próprias, é preciso que no restaurante, mesmo na mais simples cantina de bairro, alguém saiba como oferecer e servir água ou vinho à clientela. Isto é gastronomia. Uma ciência de saberes feitos ao lume e no experimentalismo da cozinha. Quando você for a um restaurante, ou uma cantina, faça por conhecer o local e as pessoas que ´fazem´ essa circunstância, pois, saber receber e atender ainda é o ´ingrediente´ que abre portas... || Johanne Liffey

Um Ponto Gastronômico É Feito Com & Por Amigos João Barcellos, Décio Rô & Bola

TURISMO Histórico & Ambiental Com monitoras, seguro e alimentação, a empresa Mundo Aflora oferece roteiros de acordo com o perfil do grupo em Cotia no Estado paulista.

Fone 11 99525.0502 mundoaflora.simone@gmail.com

Logística & Armazenagem Rua Cristovam de Vita, 260 / g.20 Centro Logístico RT 16730-000 Vargem Grande Paulista – SP

11 4242 2293 | 4242 3950


jCORPUS PAG 10

CULTURA

Jan. 2020

Nª Sª da Ponte J.Araújo

lá de Barcellos para Ybiraçoiaba O primeiro condado do reino de Portugal, iniciado em Guimarães, foi fixado na Villa de Barcellos, sendo a designação “barcellos” originária do termo “barca celli”, do latim “barca pequena”, pois, na entrada da villa havia um cais para as barcas dos peregrinos que iam para Sant´Iago de Compostela. Banhada pelo Rio Cávado, a Villa de Barcellos é famosa por se ter originado ali a Lenda do Galo [um galego foi salvo da forca pelo canto de um galo já cozinhado], e o galo é hoje parte da iconografia de Portugal no mundo. O nome “barcellos” também serviu para batizar a primeira capital da Amazônia, no Rio Negro, e hoje ainda o maior município do Brasil. Consagrando a cristandade, que desde o rei primeiro Afonso Henriques é parte do ser-estar português, sobre o cais barcelense o povo montou um oráculo de oração à mãe de Jesus que ficou conhecido como capela de Nª Sª da Ponte. Hoje, a imagem está numa capela sobre o Rio Cávado, na Freguesia de Barcelinhos, defronte para Barcelos. Eis a origem da denominação do Sítio Nª Sª da Ponte, que surgiu logo após o fim da Villa de Nª Sª do Monte Serrat criada em pleno arraial mineiro do Cerro Ybiraçoiaba, ao tempo do Governador Francisco de Souza e de Affonso Sardinha (o Velho); e, por isso, é que o Sítio Nª Sª da Ponte, nas yby soroc além da mina de ferro, é parte da história ybiraçoiabana, onde nasceu Sorocaba. _ João Barcellos

KIT CASA A empresa ArtPre, que fabrica peças pre-moldadas para construção civil, sediada na Capelinha [Caucaia do Alto / Cotia], comercializa agora um Kit Casa. Saiba mais sobre este projeto: Ligue 11-94723.8838 ou envie email artpremoldado@com.br

Capela de Nª Sª da Ponte entre Barcelinhos e Barcelos

Barcelos, terra do galo de barro e do ´cristo´ de Rosa Ramalho


jCORPUS PAG 11

MENSAGENS

Jan. 2020

A Ditadura Política No Brasil

Voto Obrigatório & Emancipação Municipal A essência republicana tem um princípio fundamental: a democracia é um ato de consciência sociopolítica embasada na fraternidade e na escolha livre. Acerca do Voto _ Eis que as nações que forçam institucionalmente o Voto não acatam a escolha livre dos representantes do Povo. E se este é obrigado, sob penas duras, a votar, é porque o exercício da democracia é um ato inexistente. Logo, essas nações, como o Brasil, que têm no voto obrigatório o seu capital político de Poder central(izado), são simplesmente ditaduras políticas. Não se pode fazer perdurar o Voto Obrigatório e ao mesmo tempo apregoar a existência da Democracia. A ruptura com os princípios republicanos é clara: sem escolha livre não existe liberdade! Acerca do Municipalismo Republicano _ A ascensão social e econômica de um povoado, inserido em determinado município (que não seja este capital de uma região metropolitana), deve autorizar que tal povoado possa se emancipar administrativamente para conduzir o seu próprio destino social e político. Quando um povoado alcança a maturidade econômica e contribui decisivamente para o progresso e a ordem de uma região e, nesta, para a nação, isso sinaliza a emergência de um política pública emancipadora. Dois exemplos gritantes estão no Estado paulista – a saber: 1) o distrito dito Vicente de Carvalho [na verdade: Porto Itapema], no Guarujá; 2) o distrito Caucaia do Alto, em Cotia. Em ambos os casos são regiões com fronteiras institucionalmente demarcadas, populações acima de 120.000 e 65.000 habitantes, respectivamente, e economicamente autônomas, mas..., largadas

A editora Edicon é ´a tradicional casa de fazer livros´ que atende, também, Você, que quer publicar os seus escritos e prefere o selo ´Edição de Autor(a)´.

Fone 11 3255-1002 | edicon@edicon.com.br

PANFLETAGENS MARCÊNIO

Divulgue Sua Empresa & Produtos monteiromange@bol.com.br

às migalhas políticas dos municípios-sedes (Guarujá e Cotia) que, no entanto, delas arrecadam benefícios fiscais. A falta de uma macropolítica [na Federação e nos Estados] direcionada à ordenação e reordenação territorial impede que a Nação respire melhor economicamente. E esta é a principal consequência da não emancipação de regiões economicamente autônomas e socioculturalmente estabelecidas. Falta às elites políticas do Brasil, primeiro, uma visão holística quanto à necessidade da praxe republicana na sua essência democrática, segundo, vergonha na cara quanto à hipocrisia e à corrupção ideológica que praticam contra as Comunidades e a Nação! Senhoras e Senhores, estas duas questões já foram colocadas durante o assentamento das Villas e Câmaras do Século 16, na linha d´água marinha e serr´acima, e, anotem..., no nosso Século 21 estão ativas a ponto de provocarem calorosas discussões políticas nas Vereanças e no Congresso. É o Brasil que ainda está por se fazer, por se assentar... _ in Carta Aberta Às Velhas-Novas Elites Brasileiras. Palestras em Carapicuíba, São Roque, Cotia e Santana de Parnaíba, 2017 e 2018.

JOÃO BARCELLOS || Autor de “Mens@gens Políticas & Filosóficas” (2ª Ediç), “ Ordem & Sociedade” (4ª Ediç), entre outros livros.

LEMBRETE «Saiba quem Você é, conheça o Povoado onde nasceu, saiba que ele é parte da Nação que Você faz acontecer... Desconhecer a Raiz Geossocial que nos é berço é desconhecer, em geral, a Cultura que carreamos: um Ser-Estar que nos identifica, nos dá o Eu e nos deixa perceber a Sociedade. Isto é o princípio da ´res publica´, e aqui reside toda a Filosofia embasada no humanismo crítico que gera a Liberdade...» | João Barcellos [palestra p/ docentes, 2019]


Duas Décadas de Literatura, História, Filosofia, Tecnologia & Muito Debate...!

Profile for João Barcellos

Jornal Corpus  

Edição de Janeiro de 2020

Jornal Corpus  

Edição de Janeiro de 2020

Profile for noetica
Advertisement