Page 1

ANO XIi | Nº 30 | MAIO 2013

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

O PILAR JORNAL DO NÚCLEO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL DA AAC

engenharia civil da uc entre as melhores do mundo QS WORLD UNIVERSITY RANKINGS 2013 DESTINGUE O MIEC PÁG. 9

ESPECIAL QUEIMA DAS FITAS PÁG. 6 e 7

Novos fitados de engenharia civil

CONHECE UM POUCO DOS CARROS QUE PARTCIPARAM NO CORTEJO PÁG. 12 e 13

EXPOSIÇÃO COMEMORATIVA DOS 20 ANOS DO PRÉMIO SECIL PÁG. 8

ENTREVISTA A RUI PEDRO GAIO

PÁG. 4 e 5

AEROGEL DE GRAFENO - O MATERIAL MAIS LEVE DO MUNDO s PÁG. 16

COM O APOIO:

ACIV - ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ENGENHARIA CIVIL


2

EDITORIAL O PILAR

maio 2013

Até que enfim… PELOURO DA INFORMAÇÃO DO NEEC/AAC

FICHA TÉCNICA: Direção: Joana Fernandes Edição & Revisão: Carolina Silva Joana Fernandes Melissa Pereira Design & Grafismo: Joana Fernandes Redação: André Santos Carolina Silva Joana Fernandes João Santos João Gonçalves Melissa Pereira Agradecimentos: Prof. Doutor Adelino Ferreira D. Maria José Ana Gaio Filipe Machado João Alvarinhas Jorge Graça Ricardo J. Rodrigues Rui Pedro Gaio Telmo Paula Vasco Silva Tiragem: 250 exemplares Impressão: ACIV - Associação para o Desenvolvimento da Engenharia Civil Este jornal foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. NEEC/AAC Departamento de Eng. Civil Rua Luís Reis Santos Pólo II da Universidade 3030-788 Coimbra PORTUGAL E-mail: neecivil@gmail.com URL: http://neecaac.com/

Não me entendam mal mas finalmente chegou a última edição d’O PILAR que vos apresento enquanto coordenadora do Pelouro da Informação. Quando aceitei o cargo não fazia ideia do que me esperava, tinha apenas muitas ideias, vontade de trabalhar e uma equipa de confiança. Chegou então a hora de fazer o balanço de um ano de trabalho, e nem preciso pensar muito para saber que deixo o Núcleo muito mais enriquecida do que no momento em que a ele me juntei. Foram noites perdidas, cafés com amigos que ficaram por tomar, saídas que acabaram cedo demais, tudo para tentar dar ao Departamento de Eng. Civil um jornal que o honrasse, que fosse um registo dos acontecimentos notáveis ao longo do ano letivo, tanto para informar como para mais tarde recordar. Pessoalmente penso que será daqui a uns anos que O PILAR fará ainda mais sentido, ao reler os seus textos e ser transportada pela saudade a estes tempos. Deixo o Pelouro com sentimento de missão cumprida, e desejo a quem se segue muita coragem e sucesso. Resta-me agradecer, da forma mais sincera e profunda que me é possível, a todos os que trabalharam comigo de perto neste projecto, nomeadamente a Ana Carolina, a Melissa, o João Miguel, o Pipa, o André e o Ricardo;

ao pessoal do Núcleo que esteve sempre disponível para me ajudar, principalmente o Tekken, o Coimbra e o Diogo, a todos os meus amigos e família e claro, ao Tó-Zé por toda a força, apoio e carinho incondicional. Muito Obrigada, foi um verdadeiro prazer! Desejo a todos muito boa sorte para os exames, e claro, já que se trata de uma despedida, boa sorte para a vida!

Joana Fernandes Coordenadora-Geral do Pelouro da Informação do NEEC/AAC


opinião O PILAR

3 MAIO 2013

PALAVRAS DO PRESIDENTE E assim chegamos a mais uma edição d’O PILAR, esta por sinal a última. Num pós-queima que para muitos estou certo que se tenha revelado complicado de ultrapassar não só pelo cansaço físico (e mental), vislumbram-se já os exames, as horas de sono em défice e os nervos à flor da pele causados pela falta de tempo para estudar convenientemente para cada exame. Porém, nem tudo são coisas más. A todos aqueles que têm insónias por causa do período de transição para o novo regime de prescrições muito me alegra em dar a notícia de que o nosso Magnífico Reitor acedeu aos pedidos de todos os estudantes que requereram mais um ano transitório para este novo regime tendo, após parecer favorável tanto do Conselho Geral da UC como do Senado, colocado em discussão pública a proposta de atribuição de mais um ano ao regime transitório para o novo regime de prescrição a qual, ao que tudo indica, será mesmo aprovada permitindo assim mais um ano para todos os estudantes com mais de 5 matrículas darem por concluída a sua licenciatura. Note-se no entanto que as restantes condições de prescrição que se encontravam em vigor antes deste novo regime continuarão sempre a existir. Resta-me assim agradecer a todos os estudantes envolvidos nesta luta que veio permitir a muitos outros continuarem no Ensino Superior, nomeadamente aos restantes Núcleos de Estudantes,

Estudantes Conselheiros Gerais e Estudantes Senadores e a todos aqueles que permitiram que este ano extra fosse atribuído. E se neste campo a comunidade estudantil da Universidade de Coimbra se pode gabar de ter obtido uma importante vitória, já noutro o mesmo não poderá ser dito. Após uma reunião que durou sensivelmente 6 horas os elementos do Conselho Geral da UC decidiram no passado dia 27 de Maio aprovar o aumento da propina para o ano letivo de 2013/2014 atingindo esta o valor de cerca de 1066 €. O resultado final da votação foram 11 votos contra, 12 a favor e 2 abstenções. Sendo que a decisão deveria ser tomada por maioria absoluta e tal não era possível devido a alguns elementos do Conselho Geral terem faltado à reunião. A propina segue automaticamente o aumento da inflação. Apesar de toda a campanha feita numa tentativa de sensibilização dos estudantes e da comunidade universitária no geral, tal não parece ter surtido qualquer efeito como aliás a votação o reflete. Numa conjetura económica tão difícil para o país este aumento da propina vem agravar ainda mais as condições de acesso ao Ensino Superior por parte de muitos estudantes sem capacidade económica de o fazer. Certos de que este não é o caminho a seguir, tanto Direção Geral da AAC como os seus Núcleos de Estudantes irão sempre defender que enquanto a situação económica do país não melhorar

o aumento da propina deverá ser congelado a fim de não colocar em risco a continuação no Ensino Superior de ainda mais estudantes. Um dia este aumento vai acabar por afetar todos os estudantes, não apenas aqueles com mais dificuldades; assim por ti e pelo teu futuro nunca deixes de fazer ouvir a tua voz porque ela tem mais peso do que pensas e a derrota de hoje pode vir a ser uma vitória amanhã! Para finalizar e já em jeito de despedida resta-me deixar um enorme OBRIGADO a toda a equipa d’O PILAR que ao longo deste ano trabalhou arduamente e que muitas noites perdeu a fim de poderem editar O PILAR com a qualidade que se viu este ano. Estou certo de que se no mandato anterior este jornal era um dos pontos fracos do NEEC/AAC este ano foi precisamente o oposto, foi um jornal bem conseguido e espetacularmente bem construído que conseguiu agradar a rigorosa e crítica audiência que é o nosso Departamento de Engenharia Civil. À Joana Fernandes e a toda a sua equipa os meus sinceros parabéns! Finalmente resta-me igualmente agradecer o espaço que me foi cedido nesta rubrica onde pude ir partilhando algumas das novidades a nível da Universidade de Coimbra e do ensino da Engenharia Civil ao longo do ano. Muito obrigado, foi um prazer!

Jorge Graça Presidente do NEEC/AAC


4

ENTREVISTA O PILAR

maio 2013

ENTREVISTA A RUI PEDRO GAIO, EX-ALUNO DO DEC Por Carolina Silva Cada vez mais, nós estudantes do Ensino Superior ouvimos o nosso destino ser ditado pela família, amigos, conhecidos, governo e comunicação social quando estes dizem que o futuro das jovens mentes portuguesas se encontra no estrangeiro. Verdade ou não, a equipa d’O PILAR procurou uma história diferente, de sucesso dentro das nossas fronteiras, de um recém-licenciado colega nosso.

Rui Pedro Gaio Pereira tem 24 anos e ingressou em Engenharia Civil na FCTUC, em Setembro de 2007. Concluiu o MIEC na área de Mecânica Estrutural com média de 14 valores em Setembro de 2012 e passado 3 meses foi contratado pela Martifer, uma empresa de estruturas metálicas. A empresa, vocacionada para projetos de elevada complexidade e dimensão, tem atualmente vários projetos de estruturas metálicas em curso um pouco por todo o mundo, entre os quais o King Abdullah Sports City (Arábia Saudita) e a Arena da Amazónia (Brasil).

O PILAR: Quando acabaste o curso, como previas que fosse a tua carreira daí para a frente?

O PILAR: Quais as valências que achas que as empresas mais procuraram nos recém-licenciados?

R.G.: Bem… penso que tal como os meus colegas de curso, ao fim de todo o esforço e dedicação ao longo do nosso percurso académico, ao terminar o curso chega o momento mais esperado mas também um pouco temido, que é conseguir um emprego onde possamos demostrar as nossas capacidades e conhecimentos adquiridos ao longo dos últimos anos. Posso dizer, sinceramente, que quando acabei o curso não fazia ideia do que me podia esperar... O meu único pensamento foi começar a procurar um emprego... Felizmente tive sorte e estou a gostar bastante do trabalho que estou a desenvolver na empresa, tenho tido oportunidade de trabalhar para grandes projetos o que é bastante aliciante e motivador.

R.G.: As empresas tentam encontrar recém-licenciados que consigam da melhor forma aplicar os conhecimentos adquiridos ao longo do curso a casos reais, penso que procuram também uma pessoa com elevado sentido de responsabilidade, rigor e capacidade de aprendizagem. Como surgiu esta oportunidade de emprego? R.G.: A certa altura encontrei no site da empresa um anúncio para engenheiro projetista de estruturas metálicas, enviei o meu Curriculum Vitae e passados uns dias fui contatado para uma entrevista. O PILAR: De momento quais as tuas funções na empresa? Estás

a desenvolver algum projeto atualmente? R.G.: Sou projetista de estruturas metálicas, ou seja, faço análise e dimensionamento deste tipo de estruturas. Desde que entrei na empresa estive a desenvolver partes da estrutura provisória para montagem da fachada e cobertura do estádio Arena da Amazónia, que fica na cidade de Manaus, no Brasil. Tive também


ENTREVISTA O PILAR

5 maio 2013

oportunidade de participar no controlo dimensional e topográfico das vigas de fachada e cobertura deste estádio. Atualmente estou a desenvolver o dimensionamento de umas torres de escoramento para o lançamento do tabuleiro das pontes Transcarioca, também para o Brasil. O PILAR: Quais são os conhecimentos e competências adquiridos no MIEC que fazem a diferença no teu dia-a-dia? R.G.: No meu caso, estando a trabalhar sobretudo em estruturas metálicas, destaco os conhecimentos adquiridos nas cadeiras de Resistência dos Materiais, Teoria de Estruturas, Estruturas Metálicas, assim como as restantes cadeiras do perfil de Mecânica Estrutural. O PILAR: Relativamente à tua formação, quais as semelhanças e diferenças que encontras em relação aos teus colegas de outras faculdades? R.G.: Quanto a isso é-me um pouco difícil responder, pois a maioria dos meus colegas de trabalho também estudaram na Universidade de Coimbra, mais propriamente no DEC. Apenas nos últimos dias tive oportunidade de trabalhar com colegas da FEUP e posso salientar desde já, que pelas partilhas de conhecimentos que tivemos, foi possível verificar que os programas das duas faculdades aparentam ser bastante equivalentes. No entan-

to na FEUP não existe o perfil de Mecânica Estrutural, pelo que no domínio das estruturas metálicas penso que ficamos com uma ligeira vantagem. O PILAR: Sabemos que já fizeste parte da equipa dinamizadora d’O PILAR. Consideras que a participação em projetos extracurriculares contribuiu de alguma forma para a tua formação pessoal e/ou profissional? R.G.: Sim, sem dúvida. Tendo em conta que a maior parte dos estudantes quando acabam o curso, apresentam experiência profissional nula, neste caso as atividades extracurriculares, como por exemplo: participação em associações académicas, conferências, visitas de estudo ou até mesmo a prática de algum desporto podem mesmo ser decisivas aquando do recrutamento para um possível emprego. O PILAR: Qual o tempo de estudante universitário que guardas com maior saudade?

“As atividades extracurriculares (...) podem mesmo ser decisivas aquando do recrutamento para um possível emprego.”

R.G.: É verdade que ainda não passou assim tanto tempo desde que abandonei o DEC, mas confesso que já sinto imensas saudades desses tempos. Não tanto das noitadas e diretas a estudar, ou da “tortura” de algumas aulas, mas sim saudades do espírito académico, dos grupos de trabalho, do convívio com os colegas de turma e amigos. Sinto saudade de vestir a capa e batina, das Queimas e Latadas. Tudo isto são coisas que ficam e que o tempo nunca irá apagar! Quando tenho algum tempo livre e sempre que possível, tento ir a Coimbra, matando assim algumas saudades das noites académicas e também dos meus amigos de faculdade. Quero agradecer especialmente à Carolina Silva e à Joana Fernandes esta minha participação no jornal O PILAR, como ex-estudante do DEC e também já tendo sido responsável por este jornal é um orgulho saber que este projeto continua a sofrer contínuos melhoramentos. Aproveito esta oportunidade para deixar os meus melhores cumprimentos tanto a colegas como professores.


6

ESPECIAL O PILAR

maio 2013

BALANÇO DA QUEIMA DAS FITAS 2013 Por Carolina Silva, Joana Fernandes, João Gonçalves e Melissa Pereira O início do mês de Maio trouxe com ele a tão aguardada Queima das Fitas. Sendo esta a mais antiga semana académica, a Universidade de Coimbra fez uma pausa letiva para que a tradição Coimbrã pudesse ser celebrada pelos estudantes. A Queima das Fitas constituiu, para muitos o ponto de passagem para o derradeiro trajeto da vivência estudantil Coimbrã, para os caloiros a emancipação e para os Finalistas o fim da caminhada nesta cidade: “Tempo de partida, sorte em ter-te p’rá vida”. Este ano as noites de parque decorreram entre os dias 3 e 10 de Maio e a Queima das Fitas contou com o tradicional programa: a Serenata Monumental, o Baile de Gala das Faculdades e o Chá Dançante e ainda a Garraiada. No Domingo, cerca de 100 mil pessoas assistiram ao famoso Cortejo dos Fitados, onde participaram dois carros representantes do nosso curso. Para que fique eternizada esta Queima, neste Especial iremos fazer um pequeno apanhado do que aconteceu nesta louca semana!

JANTAR E SERENATA MONUMENTAL A noite de 2 de Maio foi noite de Serenata Monumental. Começou pelas 20h com um jantar organizado pelos carros Eng. Ulisses e T.O.P., na Escola Secundária José Falcão, onde estiveram presentes 260 pessoas num ambiente bastante animado.

Findo o jantar os estudantes dirigiram-se até a Sé Velha para assistirem a Serenata Monumental, onde ao som da Balada da Despedida os caloiros traçaram a capa pela primeira vez e os finalistas sentiram já um pouco da Saudade que Coimbra lhes trará.

BAILE DE GALA E CHÁ DANÇANTE O Baile de Gala das Faculdades foi inicialmente criado com o objetivo de apresentar os fitados à sociedade, como um modo de lhes abrir portas para o mundo do trabalho. Decorreu a 4 de Maio, no Convento de Santa Clara, e contou com as atuações da Mónica Ferraz e dos The Caddilacs. Este ano, o tema adotado foi o Carnaval de Veneza, mantendo a tradição de elegância

e fantasia, que viria a ser destruído no Chá Dançante do dia 8 de Maio.

petivos cursos. Das centenas de carros que participaram empunhando as mais variadas e criativas críticas o nosso curso marcou presença junto dos carros nº

16 (T.O.P.) e nº 31 (Eng.Ulisses). O desfile, que se iniciou por volta das 15h30 na Alta Universitária, passou pelos Arcos do Jardim, a Praça da República, a Avenida

Num ambiente de muita alegre, depois da atuação dos Hi-Fi, do Fernando Alvim, da FAN-Farra Académica de Coimbra e outros artistas, cumpriu-se a tradição de destruição do cenário permitindo, que os estudantes levassem uma recordação para casa.

CORTEJO Realizou-se no dia 5 de Maio o Cortejo da Queima das Fitas, onde os fitados desfilaram em carros alegóricos, fazendo-se acompanhar a pé, pelos colegas dos res-


especial O PILAR Sá da Bandeira e Praça de 8 de Maio, terminando, no Largo da Portagem, na Baixa da cidade. Milhares de pessoas de todo o

7 maio 2013

país, entre os quais familiares e amigos, deixaram-se contagiar pela boa disposição e espírito académico do evento, que encheu

as ruas de cor e vida e que ajuda a colocar a Queima de Coimbra no top mundial dos eventos onde se consome mais cerveja.

BÊNÇÃO DAS PASTAS Mais de 2000 finalistas da UC encheram, no passado Domingo, dia 26 de Maio, a Sé Nova. A Bênção das Pastas tem como objetivo assinalar o final do curso e abençoar as pastas académicas para garantir um bom futuro pro-

GARRAIDA

Na quinta-feira, dia 9 de Maio, realizou-se a já centenária Garraiada da Queima das Fitas, no Coliseu da Figueira da Foz. Na

fissional e foi presidida pelo Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes. No largo da Sé Nova, a Missa foi transmitida num pequeno painel de vídeo, para cerca dos três mil presentes que não tiveram lugar na Igreja.

manhã desse dia, apesar do tempo chuvoso, centenas de estudantes universitários apanharam o comboio e rumaram à Figueira da Foz, onde, por volta das 16h, com o sol já descoberto, teve início a Garraiada. Este evento foi constituído, como dita a tradição, por 3 partes distintas: iniciou-se com a parada (apresentação dos fitados de cada faculdade pela arena,

a abanarem as fitas), seguiu-se depois uma tourada com as cavaleiras Andreia Oliveira e Marta Valente e o rejoneador espanhol Álvaro Sameterio e pegas feitas pelos jovens grupos de forcados Tremores Açoreanos, E.S.E. Coimbra e Académicos da Cidade de Coimbra, e terminou com a tão desejada garraiada académica, onde os estudantes mais corajosos tentaram a sua sorte!

a presença de Mastiksoul. Dia 7 – O reggae veio até ao recinto com Richie Campbell. Dia 8 – Nem a chuva moveu a multidão de pessoas que veio de todo o país para ver Hardwell.

Dia 9 – Uma vez mais uma noite nacional. Capitão Fausto e Amor Electro subiram ao palco. Dia 10 – A última noite foi de Gogol Bordello cuja energia contagiou e deixou toda a gente a saltar.

NOITES DE PARQUE Queima não é Queima sem as habituais noites na Praça da Canção. Este ano Coimbra contou uma vez mais com grandes artistas nacionais e internacionais. Dia 3 – A semana iniciou-se na presença de Expensive Soul e Dj Ride que levaram o recinto ao rubro. Dia 4 – Noite dedicada à música nacional onde Xutos e Pontapés arrastaram miúdos e graúdos até ao recinto. Dia 5 – Domingo, dia de Cortejo, contou com a presença assídua de Quim Barreiros. A boa disposição do acordeonista contagiou quem o ouvia, havendo lugar para o “bailarico”. Dia 6 - Noite Mega Hits, com


8

atualidade O PILAR

maio 2013

AAC MEDALHADA NOS CAMPEONATOS NACIONAIS UNIVERSITÁRIOS Por João Santos

Entre os dias 15 e 25 de Abril, em três cidades do distrito de Castelo Branco, das quais Covilhã, Fundão e Belmonte, realizaram-se as fases finais dos Campeonatos Nacionais Universitários (CNU’s) de 2013. Os CNU’s, considerados a prova mais importante do desporto universitário, contaram com mais de 2000 atletas das mais variadas modalidades, cerca de 210 jogos, 11 finais e a disputa de 13 títulos. Estes campeonatos tiveram a presença da Associação Académica de Coimbra (AAC) que participou nas modalidades de Basquetebol, Voleibol, Hóquei em Patins, Rugby 7, Futsal e Andebol com equipas

masculinas e femininas, e em Futebol 11 com a equipa masculina. A AAC conseguiu arrecadar várias medalhas, destacando-se o 1º Lugar no Basquetebol Masculino e ainda medalhas de ouro nas modalidades de Hóquei em Patins e Rugby de 7 tanto na equipa feminina como na masculina. As equipas

de voleibol masculino e feminina obtiveram ambas o 2º lugar, sendo o resultado semelhante na modalidade de futsal, onde tanto a formação masculina como a feminina também se classificarem em 2º lugar. Já na modalidade de futebol 11, a AAC arrecadou o 3º lugar depois de ter perdido o jogo da meia-final em grandes penalidades.

ALUNO DO MIEC VENCE PRÉMIO MELHOR TESE 2012 Por André Santos

No passado dia 8 de Maio foi entregue a João Guilherme Carreira Vaz Correia o Prémio “Melhor Tese 2012”, atribuído pelas Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro, no valor de 750€, pelo trabalho de-

senvolvido na sua dissertação de mestrado. A tese do nosso colega, orientada pelos professores José Paulo Lopes de Almeida e José Alfeu Sá Marques, focou-se no âmbito da eficiência energética de sistemas de abastecimento de água, e propõe a utilização de bombas que trabalham como turbinas nos sistemas de abastecimento para resolver situações em que estes, quando submetidos a pressões excessivas, utilizam válvulas redutoras de pressão para dispersar essa ener-

gia, o que provoca um grande desgaste e um desperdício de energia. O Professor José Alfeu, assegura que o sistema alvo de investigação “além de ter um tempo de vida muito maior, é um sistema que transforma o prejuízo em lucro, ou seja, aproveita a energia em excesso, a qual pode ser usada localmente ou ser vendida à rede elétrica nacional”. Se este tipo de sistema for implementado em todo o país, em locais onde se verifiquem condições adequadas, os ganhos poderão ser significativos.

EXPOSIÇÃO COMEMORATIVA DOS 20 ANOS DO PRÉMIO SECIL Por Melissa Pereira

O Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Ciências e Tecnologias (FCTUC) da Universidade de Coimbra inaugurou na passada 3ª feira, dia 28 de Maio, pelas 17h, a exposição “Prémio SECIL – 20 anos“. Esta exposição poderá ser visitada

até dia 20 de Junho e pretende dar a conhecer os prémios SECIL, atribuídos a Arquitetos e Engenheiros Civis ao longo dos últimos 20 anos, evidenciando as obras distinguidas e homenageando também os autores que venceram os prémios.


atualidade O PILAR

9 maio 2013

AAC RECUSA O AUMENTO DA PROPINA

Por João Gonçalves

A 17 de Maio, em conferência de imprensa, o presidente da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra, Ricardo Morgado, leu um comunicado que contesta o aumento da propina que se antevê e assumiu que “ceder não é opção” e garante que “AAC dirá Não”, sendo esta a posição tomada por parte da AAC sobre o possível aumento da propina, que será discutido durante as próximas semanas no Conselho Geral da UC.

Ricardo Morgado explicou, apresentando o valor da propina de 2010/2011 (986,88 €), que “se a propina subir no próximo ano letivo, será para 1066 €, o que representa um acréscimo, em 3 anos, de quase 100 €”. O Presidente da DG/AAC também adiantou que serão efetuadas em breve campanhas de divulgação para que todos os estudantes tenham conhecimento do que irá acontecer e ainda, que lutaram

por uma ação política de sensibilização junto dos elementos do Conselho Geral da UC.

ENGENHARIA CIVIL DA UC ENTRE AS MELHORES DO MUNDO Por Carolina Silva

Pelo terceiro ano consecutivo, a Universidade de Coimbra volta a ser considerada umas das 200 melhores Universidades do Mundo na área de Engenharia Civil, de acor-

do com os resultados do QS World University Rankings. Segundo este prestigiado ranking, a UC é uma das três melhores instituições de ensino português na área da Engenharia Civil, partilhando a posição com a Universidade Técnica de Lisboa e Universidade do Porto. A UC é ainda reconhecida como a melhor Universidade portuguesa na área de Direito. O QS World University Rankings classifica as universidades tendo por base uma avaliação feita

através de questionários a peritos académicos e empregadores e de acordo com a prestação ao nível das publicações e citações. Os resultados agora divulgados vêm reforçar o bom desempenho da UC nos diferentes rankings universitários internacionais, tal como já havia acontecido em 2012, ano em que a Universidade de Coimbra foi considerada como a melhor instituição de Ensino Superior em Portugal.

JORNADAS MUNICIPAIS DA SEGURANÇA RODOVIÁRIA Por Joana Fernandes

No dia 22 de Maio decorreu no Anfiteatro Laginha Serafim as Jornadas Municipais de Segurança Rodoviária em Meio Urbano, dinamizadas pela Fórum de Auditores de Segurança Rodoviária. Com o anfiteatro quase cheio, uma mesa de oradores, entre os quais figuraram a Prof. Ana Bastos e o Prof. Álvaro Seco, partilhou os seus pontos de vista e ideias sobre medidas de segurança no espaço rodoviário urbano, onde se deu des-

taque à importância da segurança em espaços partilhados por peões e veículos. Entre os participantes estiveram presentes alunos do MIEC, vereadores, presidentes de Junta de Freguesia, a Guarda Nacional Republicana e representantes de entidades interessadas como a Estradas de Portugal e ANSR (Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária). Novas soluções já em prática nou-

tros países foram apresentadas como o futuro em Portugal, e marcou-se a importância desta abertura e consciencialização em nós, futuros engenheiros.


10

cantinho do laboratório O PILAR

MAIO 2013

HIDRÁULICA, RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTE Nesta edição d’O PILAR o “Cantinho do Laboratório” apresenta o Laboratório de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente, com o intuito de divulgar o trabalho desenvolvido pelos alunos do MIEC durante a tese. Apresentamos duas dissertações de mestrado que estão a ser desenvolvidas no âmbito da área científica em questão. O Laboratório de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente está devidamente equipado de modo a servir de apoio a trabalhos de investigação com componente experimental, de aulas laboratoriais e de prestação de serviço ao exterior. Dispõe de grupos elevatórios, de um espaço para controlo da poluição, de uma sala de apoio a projetos assistidos por computador, assim como de uma sala de comando e aquisição de dados

provenientes dos diversos equipamentos de controlo e medição. Este espaço é ainda detentor de um canal de ondas e corrente com 27 m de comprimento, um circuito pressurizado de 350 mm de diâmetro, simuladores de chuva, assim como de diversos tipos de equipamentos de medição e registo de precipitação: udómetros, udógrafos e distómetros. A área científica de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente tem-se destacado nos domínios

“Zonas inundáveis e quantificação do risco de inundação em meios urbanos”, de Telmo Paula O período de retorno de uma chuvada, também denominado por período de recorrência, é o intervalo médio de ocorrência, em anos, de um determinado evento. Dado que para um maior período de retorno de uma chuvada está associada uma maior área afetada, surge, neste contexto, a dissertação aqui apresentada. Tendo como objeto de estudo a Bacia Central de Coimbra, elaborar-se-ão mapas de zonas inundáveis correspondentes a diferentes períodos de retorno de uma chuvada no referido local. Posteriormente, e através da elaboração de mapas de risco de inundação, irá proceder-se a uma análise qualitativa (associando a consequência à probabilidade e classificando assim cada zona com baixo, médio ou alto nível de risco), assim como de uma análise quantitativa (avaliando os danos em termos monetários e classificando com base nisso a zona com os referidos níveis de risco).

da Hidrologia, Hidráulica Urbana, Hidráulica Fluvial, Costeira e Marítima, Hidráulica das Estruturas, Qualidade da água/Controlo da poluição e Planeamento e Gestão de Recursos Hídricos. Coordenador do Laboratório: Prof. Doutor Alfeu Sá Marques Coordenador da Área Científica: Prof. Doutor João Pedroso de Lima


cantinho do laboratório O PILAR

11 MAIO 2013

Com recurso ao programa SWMM, irão simular-se chuvadas com diferentes períodos de retorno, obtendo-se a altura de água correspondente nos locais distintos da rede. Com base na altura de água obtida, analisando também a localização dos edifícios existentes na rede, o objetivo final será avaliar o impacto da inundação em cada infraestrutura e classificá-la com o grau de risco correspondente, quer através da metodologia qualitativa quer da quantitativa.

“Modelação Hidráulica de Sistemas Urbanos de Drenagem Sustentável (SUDS)”, de Filipe Machado No mesmo contexto da dissertação anteriormente citada e, tendo como objeto de estudo a Bacia Central de Coimbra, pretende-se agora modelar sistemas urbanos de drenagem sustentável de forma a diminuir e prevenir o risco de inundações. Irá testar-se a aplicação de bacias de retenção de água pluvial em vários locais da rede e analisar as melhorias introduzidas no seu comportamento. Recorrendo, também, ao programa SWMM, simular-se-ão chuvadas com diferentes períodos de retorno de modo a analisar quais as zonas que necessitam de intervenção, implementando vários cenários com diferentes hipóteses de número e local de bacias de retenção. Como objetivo final, pretende-se avaliar as melhorias que cada cenário testado provocou na rede, tendo em consideração parâmetros como o comportamento hidráulico da mesma, locais utilizados para construção das bacias e os custos inerentes a cada uma das soluções.

Zona Crítica da Bacia e Bacia Central de Coimbra


12

destaque

MAIO 2013

O PILAR

NOVOS FITADOS DE ENGENHARIA CIVIL 2013 Este ano o curso de Engenharia Civil da FCTUC esteve representado no Cortejo da Queima das Fitas por dois carros alegóricos, o nº 16 T.O.P e o nº 31 Eng.Ulisses. Para marcar o culminar de todo o projeto que um carro envolve, esta edição do PILAR pretende dar destaque aos Fitados e ao trabalho e empenho destes na concretização do mesmo, havendo ainda espaço para umas palavras dos respetivos presidentes. Para quem já vivenciou esta experiencia é sem dúvida um recordar destes tempos, e para os futuros Fitados um aguçar de expectativas!

T.O.P - TREPA-ME O PILAR O PILAR: O que mais te marcou nesta experiência? Vasco Silva: O que mais me marcou nesta experiência de liderar um carro com 33 elementos foi poder chegar ao grande dia e ver toda a gente com um sorriso de satisfação na cara. Quando se está à frente deste tipo de projetos em que estão pessoas com personalidades muito diferentes envolvidas não há melhor recompensa que essa. Desde já, um obrigado a todos eles.

O PILAR: Que conselhos gostarias de deixar aos carros dos próximos anos? Vasco Silva: Um dos vários conselhos que posso dar a quem estiver envolvido em projetos idênticos nos próximos anos é de que nunca achem que o que fazem é suficiente, pois em cada projeto que nos envolvamos, esse mesmo vai requerer sempre um bocado de nós, e esse bocado será melhor quanto maior for, portanto, e referindo-me já ao que fazer parte de um carro diz respeito, façam prevalecer sempre o espírito da entreajuda.


DESTAQUE O PILAR

13 MAIO 2013

ENG.ULISSES O PILAR: O que mais te marcou nesta experiência? João Alvarinhas: Apesar de, nos dias que correm, o objetivo final não ser o mais glorificante para alguns pais, o cortejo na Ter… no Domingo onde os supostos novos Fitados assim como os novos formados e

trabalhadores da cidade e do país se apresentam a Coimbra, que hoje em dia se tem vindo a tornar um pouco mais num dia de excessos ao invés de uma celebração, penso que o percurso até atingir este fim é certamente dignificante. Todo este processo que surge de forma espontânea exige a colaboração e coordenação de todo um grupo. Enquanto representante de carro essa foi a experiência mais marcante, a gestão de um grupo de 32 elementos e sua coordenação perante todas as atividades ao longo do ano. A angariação de fundos, a capacidade de gestão monetária, a correta atribuição de tarefas, as tomadas de decisão, os contratempos e os contra relógios, e ainda os trabalhos de vias para entregar ao mesmo tempo não são coisas fáceis de manejar. O tempo tem de ser corretamente distribuído para que tudo esteja concluído a horas. Talvez tenham aqui sido cozinhadas algumas soft skills, como lhe chamam! Muito obrigado uma vez mais a todos vocês, caros colegas de Carro!

O PILAR: Que conselhos gostarias de deixar aos carros dos próximos anos? João Alvarinhas: Não deixem que se perca a tradição e façam as coisas por vós. Para além de pouparem dinheiro, tirarão maior proveito desta experiência. Há demasiada gente a ganhar dinheiro em Coimbra à conta dos Carros de Fitados. Qualquer coisa disponham!


14

NEEC/AAC O PILAR

MAIO 2013

ATIVIDADES DO NÚCLEO VISITA AO LNEC No dia 17 de Abril, cerca de quarenta alunos do MIEC deslocaram-se a Lisboa com o intuito de conhecer o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), onde são feitas várias investigações de desenvolvimento científico e tecnológico na área da Construção Civil. Os visitantes tiveram oportunidade de presenciar ensaios em barragens reais, a escalas reduzidas, e conhecer o funcionamento dos núcleos de atividade sísmica e aerodinâmica, onde são efetuados testes de resistência de edifícios e elementos estruturais a vibrações provocadas por sismos, no primeiro, e a resposta de coberturas e edifícios à ação do vento, no segundo.

BEEROLYMPICS PÓLO II O BeerOlympics, já na segunda edição, é considerado por muitos como o maior e melhor evento desportivo e cultural que se realiza no Pólo II da Universidade de Coimbra, que junta em competição todos os Núcleos de Estudantes do Pólo. A eliminatória do NEEC/AAC decorreu no dia 24 de Abril e teve como vencedores, do primeiro ao quarto lugar respetivamente, as seguintes equipas: “Não Sei Pah! 2013” com 53 pontos; “Mini-alcoólicos” com 42 pontos; “Cachaça F. C.” com 40 pontos e “2Kas”, com 33 pontos.

As equipas que ocuparam os 2 primeiros lugares do pódio concorreram, no dia 30, na grande final do Pólo II, bebendo e jogando para ganhar bilhetes para a Queima das Fitas. A final foi disputada no Departamento de Eng. Mecânica e os três primeiros qualificados forma “Team Bubadeira” (NEEMAAC) com 42 pontos, “Picadaço” (NEEEC/AAC) com 41 e “Beerólogos” (NEEMAAC) com 40. A melhor classificação de Civil foi o 4º lugar pelos “Mini-alcoólicos” com 40 pontos.


15

NEEC/AAC O PILAR

MAIO 2013

Em tom de despedida o NEEC/AAC relembra a equipa de trabalho deste ano letivo 2013/2014:

Rita Rêgo

João Costa

Presidente Vice-Presidente

Daniel Santos

António Nôro

Custódio Miguens

Secretário

Joana Fernandes

Melissa Pereira

Cultura

Secretária

Tesoureiro

Informação

Vice-Presidente

Catarina Agreira

Carlos Neto

Saídas Profissionais

Marta Alves

Pedagogia

Diogo Santo

Luís Coimbra

Mesa do Plenário

Área Lúdica

Desporto

Administração

Jorge Graça

Rel. Externas

Presidente

Direcção

Maria Leonor

Jorge Silva

Muito Obrigado a todos!

Para mais informações ou esclarecimento de dúvidas dirige-te ao NEEC/AAC ou contacta-nos através do e-mail neecivil@gmail.com Acompanha as novidades em facebook.com/neecaac ou no site do NEEC (www.neecaac.com)


16

NOVIDADES DA ENGENHARIA O PILAR

MAIO 2013

INTEGRAÇÃO DE TURBINAS EÓLICAS EM FACHADAS DE EDIFÍCIOS Por João Gonçalves Um dos principais objetivos da Engenharia Civil moderna é a integração de sistemas de geração de energia em edifícios, tornando-os auto-suficientes e sustentáveis. Neste sentido, o Instituto ICT da Universidade de Wollongong criou um novo tipo de turbina eólica dimensionada para ser instalada em paredes exteriores,

na cobertura de edifícios e em elementos da fachada existentes, tais como janelas ou varandas. Trata-se de um sistema PowerWINDows desenvolvido durante anos de investigação do ICT que tinha por objetivo criar uma turbina com custo de fabrico reduzido, fácil instalação, operação silenciosa e de forte vertente

de escalabilidade. Este sistema utilizará painéis dotados de lâminas, visualmente semelhantes a estores metálicos, que se movem verticalmente por ação do vento. A sua conceção modular permite que as turbinas sejam montadas e funcionem individualmente ou em paralelo, podendo ser instaladas em grande número, independentemente da geometria exterior dos edifícios. Embora o PowerWINDows esteja ainda em fase experimental, é tido como uma potencial solução de integração de turbinas eólicas em ambientes urbanos de forma discreta.

CHINESES CRIAM MATERIAL “MAIS LEVE DO MUNDO” Por João Gonçalves Foi desenvolvido pela Universidade de Zhejiang, na China, aquele que poderá ser o material mais leve de toda a história, com enorme potencial de aplicação na construção civil, tanto em isolamento acústico como térmico. Com uma densidade de apenas 0,16 miligramas por centímetro cúbico, o Aerogel ultraleve é baseado em grafeno, material que está a dar os primeiros passos na Engenharia Civil, nomeadamente no reforço de estruturas de betão e revestimento anti-corrosão de estruturas metálicas. O Aerogel de Grafeno é produzido através de um processo de crio dessecação de soluções de

nanotubos de carbono e grafeno, que permite obter, sem limitações volumétricas, um material mais uniforme e com maior estabilidade que a conseguida através das técnicas tradicionalmente usadas para a produção de Aerogel. Além da elevada resistência mecânica, o

Aerogel de Grafeno possui uma capacidade de recuperação elástica sem precedentes. O anterior recorde de material mais leve do mundo pertencia ao Aerogel de Níquel, com 0,9 miligramas por centímetro cúbico, sintetizado na Califórnia.


novidades da engenharia O PILAR

17 MAIO 2013

DEC E WAYDIP EM COLABORAÇÃO NO PROJETO WAYNERGY VEHICLES Por Professor Doutor Adelino Ferreira O Laboratório de Mecânica de Pavimentos (LPAV) do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Coimbra, coordenado pelo Professor Doutor Adelino Ferreira, está a colaborar com a empresa WAYDIP - Energia e Ambiente, Lda. no projeto WAYNERGY VEHICLES – Electric Energy Generation System Using the Movement of Vehicles. O projeto teve início em 1 de Setembro de 2012 e terá a duração de 16 meses. Portugal tem como objetivo estar em 2020 entre os cinco líderes europeus em termos de produção de energias renováveis. A visão nacional para este sector passa pela diversificação da carteira de energias renováveis apostando, não apenas em tecnologias já comprovadas que possam dar um contributo imediato para o sistema electroprodutor, mas também na investigação e desenvolvimento de novas tecnologias em fase de teste/

Sistema Waynergy (Waydip, 2013)

demonstração que apresentem potencial de criação de valor na economia nacional. Este projeto foi aprovado justamente como tendo potencial para incrementar a produção de energias renováveis em Portugal. O sistema Waynergy Vehicles permite gerar energia elétrica pela passagem de veículos e é especialmente adequado para inserção em lombas de estradas urbanas, praças de portagens de estradas interurbanas, etc. Existe, ainda, um outro sistema, designado por sistema Wanergy People, que permite gerar energia elétrica

Sistema Waynergy (Waydip, 2013)

pela passagem de peões, sendo este adequado para colocação em locais de grande movimento de pessoas, como passagens para peões, ruas urbanas, corredores de centros comerciais, corredores de Universidades, etc. Um sistema de produção de energia elétrica através do movimento do enorme número de veículos ou pessoas que circula sobre os pavimentos permitirá produzir grande quantidade de energia, reduzir o consumo de combustíveis fósseis e, assim, melhorar a qualidade ambiental das nossas cidades.


18

AGENDA CULTURAL O PILAR

MAIO 2013 Por Joana Fernandes

MÚSICA

XIº Jazz ao Centro

O Jazz ao Centro – Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra está de volta para animar a cidade com a sua 11ª edição e uma série de concertos dedicados ao jazz. Irão estar presentes nomes como Evan Parker, os muito especiais Zanussi 5, Banjazz e um valor português emergente de José Valente. O evento organizado pelo Jazz

ao Centro Clube (JACC) pretende tornar-se numa referência a nível nacional, numa perspetiva de profunda renovação. A não perder, de 31 de Maio a 1 de Junho, o Jazz ao Centro irá decorrer em vários locais nomeadamente o TAGV, o Centro Cultural D. Dinis, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, o Largo do Poço e, neste, no remodelado Salão Brasil.

TEATRO Hygiene

Esta peça baseia-se numa pesquisa sobre o processo de higienização urbana no Brasil no fim do século XIX, onde várias culturas e ideias partilhavam o cortiço. É neste contexto que surgem importantes manifestações de identidade e desigualdades sociais que ainda permanecem atualmente. Ao contar a história de operários, imigrantes, lavadeiras, meretrizes, ex-escravos,

CINEMA Esta Televisão é Sua Moderado mas certeiro, este documentário promete revelar as estruturas e mecanismos por detrás da televisão, assim como as ideologias e preceitos que são a base do seu poder nestes tempos de sobre-informação que vivemos. Esta obra incide sobretudo sobre os conteúdos oferecidos numa

lógica cada vez mais virada para um mercado competitivo e as suas repercussões nas mentalidades sociais. É um olhar crítico que nos obriga a refletir sobre a forma como a televisão nos hipnotiza e controla e que estará em mostra no dia 29 de Maio às 22h no Ateneu.

curandeiros e comerciantes do Rio de Janeiro, Hygiene coloca estas vidas do passado em contato com os nossos dias focando os dilemas e desafios que o Brasil enfrenta no Futuro. Interpretada pelo Grupo XIX de Teatro e inserida no programa “Ano Brasil em Portugal”, estará em cena no Largo da Sé Velha dias 31/05 e 01/06 pelas 20h. Entrada Livre.


19

PASSATEMPOS O PILAR

MAIO 2013

CARTOON

Por Ricardo J. Rodrigues

SUDOKU

Q U I M B A R R E I R O S C H O U P A L 3. M O N D E G O 4. G A R R A I A D A PALAVRAS CRUZADAS 5. M à E 6. nas C noites A N deÇ parà O coincidiu este ano, com o do dia do Cor1. Artista que atua 1.

2.

tejo que, em dia de Cortejos 2. és ca7. “Coimbra C H do Á _________, D Ainda A N Ç A 6.NNome T da E Praça que recebe as noites de parque da Queima das Fitas todos os pital, Do amor em8.Portugal (…)” C A R T O L anos. A 3. Maior rio de curso exclusivamente 9. S A U D A D E 7. Evento da Queima que é marcado pela português e que banha a cidade dos estudantes destruição do cenário do Baile de Gala 10. F I T A D S que Coimbra nos ensina e que 4. Atividade da Queima das Fitas reali8.OPalavra zada11. na Praça J OdeATouros N da I Figueira N A da apenas existe na língua portuguesa e gaFoz lega 12. C O R T E J O 5. Geradora da vida e patrocinadora da 9. Usada pelos cartolados, dá também 13. C A B R A vida académica, cujo dia de celebração café da Praça 14. S E R E N nome A Ta conhecido A

10. Estudantes que desfilam nos carros do Cortejo da Queima das Fitas 11. Biblioteca do século XVIII situada no Paço das Escolas da UC 12. Evento que marca o Domingo da Queima das Fitas, que começa na Alta Universitária e acaba no Largo da Portagem. 13. Nome atribuído pelos estudantes à Torre da Universidade 14. Evento onde os caloiros traçam a capa pela 1ª vez.

SOLUÇÕES

1.

SUDOKU

2. 3.

14. 13.

4.

12. 11.

5.

10.

6.

9. 8. 7. 6.

7.

5. 4. 3.

8.

2. 1.

PALAVRAS CRUZADAS 10. F I T J O A N I N A C O R T E J 13. C A B R S E R

12. 11.

O A E N A T A

10.

14.

9.

A D O S

D A N Ç A N T E C A R T O L A S A U D A D E

9. 4.

1. Q U 2. C H O U P 3. M O N D E G G A R R A I A 5. M Ã 6. C A N

I A O D E Ç

à O A M L

B A R R E

I

R O S

14.

8.

13.

C H Á

12.

7.

11.


2º Semestre - Época Normal Dia

1º ANO

2º ANO

03/6

Geologia da Engª

3º ANO 9:30

04/6

5º ANO

Dir.G.Fisc.Obras Betão Armado I

05/6

4º ANO 14:30

14:30

An. Matemática II 9:00

06/6

Sistemas de Engª 14:30

07/6

Impactes Ambient.. 9:30

Hidr.Rec. 14:30Civil (ano lectivo 2012-2013) MAPA DE EXAMES - Mestrado Integrado emHídricos Engenharia

2º Semestre - Época Normal Dia 1º ANO 11/6 Mecânica I 9:30 03/6 12/6 04/6 13/6 05/6 An. Matemática II 9:00 14/6 Mét.Estatísticos 14:30 06/6 07/6 17/6

18/6 20/612/6

Geologia da Engª

Res. Materiais I

Mecânica I

Topografia

9:30

14:30

Sistemas de Engª 14:30

Hidráulica Geral I Física Geral II

19/611/6

2º ANO

9:30

9:30

14:30

1º ANO

24/617/6 An. Matemática II

20/6

27/6 21/6 28/6

Física Geral II

Mecânica I Topografia Física Geral II

2º ANO Hidráulica Geral I

9:00 9:30 Geologia da Engª 9:30 14:30 Sistemas de Engª 9:30

Mat.Construção

Dia 1º ANO 2º ANO 01/7 Res.Materiais I 24/6 An. Matemática II 9:00 02/7 Mét.Estatísticos 14:30 25/6 Geologia da Engª 03/7 Hidráulica Geral I 26/6 Mecânica I 9:30

Topografia Física Geral II

Mét.Estatísticos

Topografia

4º ANO Dir.G.Fisc.Obras

Estrut.Metálicas

5º ANO 14:30

14:30

Impactes Ambient.. 9:30

Fundações

14:30

14:30

Projeto Urbano.

14:30

T. Estruturas I

9:30

14:30

Gest. Empreendim

Betão Armado I

9:30

9:30

4º ANO 14:30

5º ANO

Fundações 14:30 Dir.G.Fisc.Obras 9:30

Impactes Ambient. 14:30 Hidr.Rec. Hídricos 14:30 Projeto Urbano. 14:30 T. Estruturas I 9:30 9:30 Estrut. Metálicas 14:30 14:30 Gest. Empreendim 9:30 Mec. dos Solos II 14:30 9:30 9:30

9:30

Res.Materiais I

9:30

14:30

9:00

Estrut.Metálicas

9:30

9:30 14:30

03/7 05/7

Mec. dos Solos II

3º ANO 9:30

Sistemas de Engª 9:00 Mat.Construção 9:30

01/7 02/7

9:30

Hidr.Rec. Hídricos 14:30

Vias Comunic. I

2º Semestre - Época de Recurso

27/6 05/7 28/6

Vias Comunic. I

14:30

Mat.Construção Res. Materiais I 14:30 14:30

14/6 Mét.Estatísticos 14:30 2º Semestre - Época de Recurso

25/618/6 26/619/6

Betão Armado I

14:30

9:30

21/613/6 Dia

3º ANO Mec. dos Solos II

3º ANO Betão Armado I

Vias Comunic. I

9:30

Mat.Construção

14:30

9:30

Hidr.Rec. Hídricos 14:30

T. Estruturas I 9:30 Mec. dos Solos II 14:30

Vias Comunic. I Hidráulica Geral I

14:30

T. Estruturas I

4º ANO Fundações Dir.G.Fisc.Obras

14:30 9:30

5º ANO

Impactes Ambient. 14:30

Projeto Urbano

14:30

Estrut. Metálicas

14:30

Fundações

14:30

Projeto Urbano

14:30

Gest. Empreend.

14:30

Gest. Empreend.

14:30

9:30

9:30

Nota: As provas assinaladas a cinzento são realizadas nos Departamentos responsáveis pelas unidades curriculares.

O NEEC/AAC deseja-te boa sorte para os exames! Nota: As provas assinaladas a cinzento são realizadas nos Departamentos responsáveis pelas unidades curriculares.

Jornal o Pilar - Edição nº 30  

Publicação informativa do Núcleo de Estudantes de Engenharia Civil da AAC.

Advertisement