Issuu on Google+

_natália de oliveira penna

abril 2013

universo projetual

tgi i.

_Experiência vivida: Parque do Túria, Valencia, Espanha

_LYNCH, Kevin; in: ‘’A imagem da cidade’’

_JACOBS, Jane; in: ‘’Morte e vida de grandes cidades’’

A cidade como nada mais que o resultado de um processo acumulativo: as imagens que cada um, individualmente, faz da cidade sobrepõem-se, amontoando uma infinidade de interpretações, com um fim tão indefinido quanto é o da própria cidade. Dessa aglomeração configura-se sua imagem global.

que depende, para ser de qualidade

sujeito

2011 2012

identificação

<< é a diversidade de funções que configura a VIVECIDADE da cidade; é neste momento que ela apresenta vida >>

autogestão democrática

objeto

estruturação significação

uso do espaço livre do Túria engloba desde lagos artificiais, áreas de contemplação, bosques fechados, áreas abertas, circuitos de ciclovias, pistas de atletismo, parques infantis, quadras poliesportivas dos mais variados tipos, pistas para skate, à equipamentos de cultura, música, arte, lanchonetes, e ainda outros.

‘’mais importante que a polícia para garantir a segurança da rua é o trânsito ininterrupto de usuários, além da existência dos ‘proprietários da rua’; os ‘’olhos atentos’’, que são mais eficazes que a iluminação pública’’

MAIOR VITALIDADE

MAIOR SEGURANÇA

imagem legibilidade

espaço público

familiaridade

orientação

estação de metro dentro do parque auxilia a questão da segurança durante a noite, por criar movimento

segurança

imaginabilidade

RUAS CALÇADAS

comunicável

espaço fundamental onde a diversidade e instensidade de usos acontece

cidade = objeto resultante da PERCEPÇÃO de seus habitantes

A referência do cinema, em especial os enredos e montagens de Amoldóvar, surge devido à força da IMAGEM; a mesma força que também está presente nas próprias histórias, de tramas apelativas, que normalmente abordam o que há de mais polêmico na sociedade. A VIVACIDADE e a FOTOGRAFIA presentes em seus filmes são inspiradoras: alteram o olhar; o modo de pensar; a percepção; a natureza do mundo ao redor.

por cruzar toda a cidade no sentido transversal, o parque coloca-se no meio da cidade como atalho; como percurso alternativo, como caminho. a linha desenha a costura da parte mais nova da cidade, com o casco histórico; além de reaproximar bairros que se limitavam pela fronteira do rio.

Na ARTE, o Impressionismo é referência pelo apelo ao SENSÍVEL, pela

EXPRESSIVIDADE, percepção, e materialidade -

a legibilidade vêm do afastamento em

relação ao objeto, enquanto que a aproximação cria abstrações.

_Experiência vivida: Fotografia de vida e uso de um espaço público

Primeira proposta de ocupação do canal do rio

‘’o leito do Turia é nosso, e o queremos verde’’

Por reivindicação do povo, a proposta tornou-se de um PARQUE VERDE LINEAR de 9 km de extensão

_interação _caminhos alternativos com atividades alternativas av. diagonal-praia

_EMBT arquitectes associats; Parque Diagonal Mar, Barcelona, Espanha

_materialidades/texturas _cria percepções, diferentes sensações naquele que percorre

1997 2002

_RCR arquitectes; Parque de la Piedra Tosca, Les Preses, Girona, Espanha

2003 2005

‘’under the seeming disorder of the old city, wherever the old city is working successufully, is a marvelous order for maintaining the safety of the streets and the freedom of the city. It is a complex order. It’s essence is intricacy of sidewalk use, bringing with it a constant succession of eyes.’’

_soterramento de larga avenida marginal _jogos de relevo: as massas arbóreas mais altas nas cotas mais baixas evitam a interferência no visual _levar o espaço livre às marginalizadas faixas de veículos. as aberturas trazem ventilação e luz natural para o que está negado sob a terra.

_BURGOS & GARRIDO Arquitectos; Parque Lineal del Manzanares, Madrid, Espanha

2012


_natália de oliveira penna

abril 2013

universo projetual

tgi i.

_Experiência vivida: Parque do Túria, Valencia, Espanha

_LYNCH, Kevin; in: ‘’A imagem da cidade’’

_JACOBS, Jane; in: ‘’Morte e vida de grandes cidades’’

A cidade como nada mais que o resultado de um processo acumulativo: as imagens que cada um, individualmente, faz da cidade sobrepõem-se, amontoando uma infinidade de interpretações, com um fim tão indefinido quanto é o da própria cidade. Dessa aglomeração configura-se sua imagem global.

que depende, para ser de qualidade

sujeito

2011 2012

identificação

<< é a diversidade de funções que configura a VIVECIDADE da cidade; é neste momento que ela apresenta vida >>

autogestão democrática

objeto

estruturação significação

uso do espaço livre do Túria engloba desde lagos artificiais, áreas de contemplação, bosques fechados, áreas abertas, circuitos de ciclovias, pistas de atletismo, parques infantis, quadras poliesportivas dos mais variados tipos, pistas para skate, à equipamentos de cultura, música, arte, lanchonetes, e ainda outros.

‘’mais importante que a polícia para garantir a segurança da rua é o trânsito ininterrupto de usuários, além da existência dos ‘proprietários da rua’; os ‘’olhos atentos’’, que são mais eficazes que a iluminação pública’’

MAIOR VITALIDADE

MAIOR SEGURANÇA

imagem legibilidade

espaço público

familiaridade

orientação

estação de metro dentro do parque auxilia a questão da segurança durante a noite, por criar movimento

segurança

imaginabilidade

RUAS CALÇADAS

comunicável

espaço fundamental onde a diversidade e instensidade de usos acontece

cidade = objeto resultante da PERCEPÇÃO de seus habitantes

A referência do cinema, em especial os enredos e montagens de Amoldóvar, surge devido à força da IMAGEM; a mesma força que também está presente nas próprias histórias, de tramas apelativas, que normalmente abordam o que há de mais polêmico na sociedade. A VIVACIDADE e a FOTOGRAFIA presentes em seus filmes são inspiradoras: alteram o olhar; o modo de pensar; a percepção; a natureza do mundo ao redor.

por cruzar toda a cidade no sentido transversal, o parque coloca-se no meio da cidade como atalho; como percurso alternativo, como caminho. a linha desenha a costura da parte mais nova da cidade, com o casco histórico; além de reaproximar bairros que se limitavam pela fronteira do rio.

Na ARTE, o Impressionismo é referência pelo apelo ao SENSÍVEL, pela

EXPRESSIVIDADE, percepção, e materialidade -

a legibilidade vêm do afastamento em

relação ao objeto, enquanto que a aproximação cria abstrações.

_Experiência vivida: Fotografia de vida e uso de um espaço público

Primeira proposta de ocupação do canal do rio

‘’o leito do Turia é nosso, e o queremos verde’’

Por reivindicação do povo, a proposta tornou-se de um PARQUE VERDE LINEAR de 9 km de extensão

_interação _caminhos alternativos com atividades alternativas av. diagonal-praia

_EMBT arquitectes associats; Parque Diagonal Mar, Barcelona, Espanha

_materialidades/texturas _cria percepções, diferentes sensações naquele que percorre

1997 2002

_RCR arquitectes; Parque de la Piedra Tosca, Les Preses, Girona, Espanha

2003 2005

‘’under the seeming disorder of the old city, wherever the old city is working successufully, is a marvelous order for maintaining the safety of the streets and the freedom of the city. It is a complex order. It’s essence is intricacy of sidewalk use, bringing with it a constant succession of eyes.’’

_soterramento de larga avenida marginal _jogos de relevo: as massas arbóreas mais altas nas cotas mais baixas evitam a interferência no visual _levar o espaço livre às marginalizadas faixas de veículos. as aberturas trazem ventilação e luz natural para o que está negado sob a terra.

_BURGOS & GARRIDO Arquitectos; Parque Lineal del Manzanares, Madrid, Espanha

2012


Universo projetual tgi1