Page 1

dossiê de apresentação


Oficina de Artes Manuel Cargaleiro


Arte, arquitetura e património Ao passar os portões da Quinta da Fidalga, em Arrentela, no concelho do Seixal, entrará num espaço onde a história e a modernidade se encontram. Caminhando pelo jardim centenário, revive-se o passado num local único, que conjuga natureza e arte. Mas ao chegar ao seu interior, é possível observar uma obra de futuro, projetada por Álvaro Siza Vieira, um dos mais conceituados arquitetos portugueses. Trata-se da Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, um espaço de promoção da arte contemporânea, associado ao trabalho de ateliê e à mais recente pesquisa e produção do mestre Manuel Cargaleiro. A sua abertura está marcada para 17 de junho de 2016, às 15 horas, com uma exposição de Manuel Cargaleiro, composta por reproduções de painéis de azulejo de oito obras emblemáticas do artista, como a fachada do Instituto Franco-Português de Lisboa (1983) ou a estação do metro de Champs Elysées-Clémenceau, de Paris (1995). A mostra reúne ainda trabalhos em azulejo de Siza Vieira, dando a conhecer um lado menos conhecido do arquiteto, e que terão neste espaço um lugar de destaque. A inauguração da exposição e a abertura ao público da Oficina de Artes representam um momento cultural único, não só ao nível local, mas nacional, pois trata-se de celebrar a união entre o trabalho de Manuel Cargaleiro e Álvaro Siza Vieira, dois nomes incontornáveis da arte e arquitetura portuguesas, com reconhecimento internacional. Promover a arte contemporânea Projetar uma arquitetura inovadora Viver o património


Manuel Cargaleiro Artista plรกstico


Oficina de Artes Manuel Cargaleiro

Projeto arquitetónico de Siza Vieira

A Oficina de Artes Manuel Cargaleiro tem por objetivo promover a arte contemporânea, em particular a obra do mestre Manuel Cargaleiro, através da realização de exposições temporárias, do desenvolvimento de atividades educativas no âmbito da sua programação e da promoção de parcerias com organismos congéneres.

Situada na Quinta da Fidalga, a Oficina de Artes Manuel Cargaleiro é um projeto arquitetónico da autoria de Álvaro Siza Vieira que se caracteriza por uma articulação harmoniosa entre os diferentes elementos arquitetónicos e os espaços envolventes.

Numa ótica de serviço público, o Serviço Educativo da Oficina de Artes Manuel Cargaleiro deverá desenvolver a sua atividade tendo em vista uma grande variedade de públicos, aos quais deve procurar responder com atividades e programas adequados às suas necessidades e expectativas. Exposições temporárias Eventos culturais Ensino experimental Ateliês Oficinas

Desenvolvendo-se numa única planta, a volumetria quebrada do edifício pretende criar uma sequência de espaços interiores e exteriores que caracterizam a Oficina de Artes. O átrio dá acesso ao balcão de receção e à sala de exposições. A articulação dos espaços expositivos em «S» permite a eventual subdivisão por painéis desmontáveis. A iluminação natural e controlável destes espaços é garantida por envidraçados sobre o jardim. A iluminação artificial é feita por sancas ou tetos luminosos, de modo a permitir as condições ideais para cada tipo de utilização.


Siza Vieira Projeto arquitetรณnico da Oficina de Artes Manuel Cargaleiro


Quinta da Fidalga

O concelho do Seixal e a cultura

A Quinta da Fidalga, situada junto à Baía do Seixal, na zona ribeirinha de Arrentela, foi adquirida pela Câmara Municipal do Seixal em maio de 2000. Com origem no século XVI, integra uma área arborizada e uma área residencial, num total de 5,5 hectares.

Inserido na Área Metropolitana de Lisboa, a cerca de 20 minutos da capital, com uma vasta frente ribeirinha, o concelho do Seixal assume-se hoje como um espaço de centralidades cuja posição geográfica lhe tem conferido um papel atrativo na fixação da população, tendo atualmente cerca de 160 mil habitantes.

No século XVIII, já a Quinta da Fidalga se destacava pelos seus pomares repletos de laranjeiras e limoeiros, pelos seus jardins frondosos com mais de 50 espécies vegetais. Destaque ainda para o lago de maré, considerado um monumento raro na arquitetura hidráulica portuguesa. No século XX o palacete e os arruamentos da quinta sofreram intervenções dirigidas pelo arquiteto Raul Lino. Foram então distribuídos azulejos de várias épocas por vários pontos da propriedade, nas paredes dos edifícios e nos muros dos jardins.

O seu principal recurso natural é a Baía do Seixal. Em torno deste elemento central, e profundamente associado ao mesmo, é possível encontrar um vasto património histórico-cultural. Ao longo do ano, o concelho do Seixal oferece uma programação cultural, desportiva e de recreio de qualidade, marcada por inúmeros eventos, espetáculos, animação de espaços públicos e muitas atividades de lazer nos parques e equipamentos existentes. Projetos como o Festival Internacional SeixalJazz, o Festival de Teatro do Seixal, as Festas Populares do Concelho do Seixal, as ações de divulgação e de promoção cultural da Biblioteca Municipal e dos polos, e ainda o projeto Maio Património, do Ecomuseu Municipal do Seixal, constituem verdadeiros exemplos de projetos diferenciadores na Área Metropolitana de Lisboa.


Quinta da Fidalga


A ligação de Manuel Cargaleiro ao Seixal

A família de Manuel Cargaleiro instalou-se na Sobreda da Caparica em 1928, local onde o artista veio fazer dois anos de idade. O pai de Manuel Cargaleiro era dirigente agrícola, tendo sido presidente do Grémio da Lavoura de Almada e Seixal. Esta cooperativa, com sede em Cacilhas, passou a ter um edifício sedeado no Fogueteiro, concelho do Seixal.

Em 1999, foi-lhe atribuída pela Câmara Municipal do Seixal a Medalha de Honra e, no ano seguinte, Manuel Cargaleiro criou um grande painel de azulejos para a escola secundária com o seu nome. Foi lá que realizou ainda as exposições Obra Gravada, em 2010, no 25.º aniversário da escola, e 7 Gravuras, 7 Cidades, em 2013, integrada nas comemorações do seu 86.º aniversário.

O pai de Manuel Cargaleiro deixou-se seduzir pelo concelho, onde adquiriu alguns terrenos e se sedeou, tendo mais tarde sido o primeiro provedor da Santa Casa da Misericórdia do Seixal.

Em 2014, Manuel Cargaleiro e uma visita inaugural ao edifício Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, na Quinta da Fidalga.

Entre as memórias de infância, Manuel Cargaleiro lembra-se de ir à missa na Quinta da Fidalga. Mais tarde, recorda-se do café do Américo, no Fogueteiro, onde recebia amigos artistas e escritores, como Vieira da Silva e Arpad Szenes, tornando a localidade num centro cultural e artístico. A sua ligação ao concelho manteve-se ao longo da sua vida. Em 1994, foi atribuído à Escola Secundária do Fogueteiro o nome de Escola Secundária Manuel Cargaleiro. «Ao princípio, não queria. Mas hoje gosto, até tenho vaidade, digo que é a minha escola», afirma.


OFICINA DE ARTES MANUEL CARGALEIRO Avenida da República, Arrentela, 2571 Seixal T. 212 276 700 E. quintadafidalga@cm-seixal.pt De 3.ª feira a sábado, das 10 às 18 horas

Oficina de Artes Manuel Cargaleiro  

A Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, projeto arquitetónico da autoria do arquiteto Siza Vieira, tem por objetivo promover a arte contemporâ...

Oficina de Artes Manuel Cargaleiro  

A Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, projeto arquitetónico da autoria do arquiteto Siza Vieira, tem por objetivo promover a arte contemporâ...

Advertisement