Page 1


Mensagem do Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo Depois dos excelentes resultados da primeira edição, surge mais um Festafife – Festival Internacional de Marionetas e Cinema de Animação. A decorrer numa das mais belas freguesias do concelho e tendo como principal pano de fundo uma das maiores relíquias concelhias – o Casino Afifense - este festival cria raízes e alarga-se mediante o esforço notável de duas das mais dinâmicas entidades culturais de Viana do Castelo: o Grupo de Teatro Marionetas, Actores & Objectos e a Ao Norte – Associação de Produção e Animação Audiovisual. Juntando a experiência e a vontade de fazer sempre mais destas duas associações vianenses à necessidade de promover o trabalho desenvolvido, e eis que surge uma fundamentada internacionalização do festival, agora com trabalhos de países como Espanha, Brasil, Estados Unidos da América, entre outros. Por isso, quando me pedem que me associe a esta iniciativa com uma pequena mensagem, aproveito a oportunidade para saudar os organizadores deste evento, quer pela sua capacidade organizativa quer pela dinâmica e originalidade com que nos apresentam este festival. Aproveito ainda para deixar aqui uma palavra aos mais novos, público sempre atento a marionetas e ao seu mundo, e aos múltiplos participantes para que aproveitem esta oportunidade para conhecer Viana do Castelo cultural, este ano mais engalanada e diversificada com as Comemorações dos 750 Anos do Foral Afonsino, que a Câmara Municipal a que tenho a honra de presidir tem organizado com um programa onde o Festafife ocupa lugar de destaque, assim como as iniciativas levadas a cabo durante todo o ano pelas duas associações que promovem este evento. A todos, um excelente Festafife!

O Presidente da Câmara

Defensor Moura


Mensagem do Festafife

É a segunda edição do FESTAFIFE - Festival Internacional de Marionetas e Cinema de Animação. É resultante da vontade conjunta do Grupo de Teatro – Marionetas, Actores & Objectos e da AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, de continuar a trabalhar para a divulgação das áreas do teatro de marionetas e cinema de animação. A programação deste FESTAFIFE irá trazer a magia a novos espaços de Viana do Castelo que se associam e reconhecem este desafio: Teatro Municipal Sá de Miranda, Auditório da Associação Cultural e de Educação Popular (Meadela), Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Auditório do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. E claro, estaremos também presentes no Casino Afifense, em Afife. A diversificação também se aplica às actividades. Esta edição conta pela primeira vez com uma exposição de marionetas de Jorge Cerqueira, patente nos antigos Paços do Concelho (Praça da República), com dois workshops, um de introdução à animação digital (stop-motion) e outro de teatro de objectos orientado pelo mestre russo Nicolai Shishkin, e uma performance do artista brasileiro Alexandre Pring. As propostas internacionais de teatro de marionetas passam pela Bulgária com a companhia Denny & Dessi, que nos vai apresentar o espectáculo premiado A Princesa de uma Gota de Água, da Rússia a fantástica peça Circo por um Fio da companhia Kukelni Format, e dos amigos galegos Titeres Cachirulo uma peça musical Dó, Ré, Mi…Mozart Joga Aqui. As companhias nacionais presentes Teatro de Marionetas do Porto, Art'Imagem (Porto), S.A. Marionetas (Alcobaça), Teatro e Marionetas Mandrágora (Gondomar) e Teatro de Formas Animadas (Vila do Conde), irão representar o que de melhor se produz no panorama do teatro de marionetas em Portugal. A programação do cinema de animação aposta no público mais novo com dois ciclos para diferentes graus de ensino (Préescolar e Infantil) com um conjunto de curtas-metragens que apelam à criatividade e à acção. Para todos os públicos três ciclos de curtas-metragens, de três países: Clássicos Ingleses, Animação Galega e o cinema de animação produzido em Portugal nos últimos 4 anos. Para um público mais adulto uma proposta diferente: uma retrospectiva internacional, sobre a sexualidade e o desejo no cinema de animação. Nos vários palcos e ecrãs poderão assistir à criatividade e emoção, oriundas de paisagens distantes e com olhares diferentes que se combinam para este momento especial que é o FESTAFIFE. Esperamos que possam comparecer a este desafio. A Direcção Artística


Grupo: DENNY & DESSI Origem: Haskovo, BULGÁRIA

Espectáculo: A PRINCESA DE UMA GOTA DE ÁGUA Encenação e Interpretação: Tana Evtimova Tania Evtimova nasceu no ano 1959, em Haskovo, uma cidade de 79 mil habitantes a meia distância entre Sófia e Istambul. Estudou Arte de Marionetas na Academia Nacional de Teatro e Cinema Krastio Sarafov, em Sófia. Durante dez anos trabalhou no Teatro Nacional de Marionetas de Haskovo antes de fundar o Teatro Denny & Dessi com o seu marido Atanas Evtimov. Os seus filhos Denny e Dessi também fizeram parte dos muitos espectáculos. Os treze espectáculos já produzidos pelo grupo foram gravados pela Televisão Nacional da Bulgária e já participaram em mais de 40 festivais nos quatro cantos do mundo: na Bélgica, França, Áustria, Hungria, Espanha, Turquia, Roménia ou México. São detentores de cinco prémios internacionais de Teatro de Marionetas. Sobre o espectáculo: "Era uma vez, há muito, mas mesmo muito tempo, um reino aquático, no meio do mar..." assim começa a história. Um mundo encantador subaquático é criado com tules de todos os géneros. Ouvem-se gritos de gaivotas e pode ver-se os peixes a irem a escola. O conto de fadas "A Princesa de uma Gota de Água" é sobre amizade e coragem. Com marionetas flexíveis e muito originais, com poucas palavras e muita música conta a história da Princesa que tem de casar mas não quer saber dos seus pretendentes. O seu coração bate ainda pelo Principe Marmore que veio um dia desde um reino vizinho, mas desapareceu sem deixar rasto.... Público: Maiores de 4 anos Duração: 60 minutos


Nome do Grupo: KUKELNI FORMAT Origem: São Petersburgo / RÚSSIA Espectáculo: CIRCO POR UM FIO Marionetas, Encenação e Interpretação: Viktor Antonov Viktor Antonov começou trabalhar no teatro de marionetas na cidade russa de Tambóv há 25 anos. Depois de terminar os seus estudos na Academia de Arte do Teatro de São Petersburgo, colaborou na criação de diferentes espectáculos em teatros russos e no estrangeiro. Também foi professor na Academia de Arte do Teatro do São Petersburgo. Em 2002 entrou para o grupo Kukelni Format, onde encenou um conto de Rudyard Kipling sobre um gato. Neste espectáculo, criou um cenário experimental, no qual o público tinha lugar dentro de um iglo em que as paredes eram ecrãs de teatro de sombras. Em 2005 trabalhou como desenhador convidado e criador de marionetas num espectáculo do Teatro Nacional de Ancara, na Turquia. Actor, encenador, pintor, escultor e cenógrafo, Victor Antonov conseguiu resolver um problema muitíssimo complicado ao atingir a essência mágica de marioneta. Sobre o espectáculo: "O Circo Por um Fio" é um trabalho a solo de Victor Antonov produzido em 1993. Nele, o actor-manipulador surpreende o público com marionetas muito diferentes do habitual num espectáculo sobre os diferentes temas da arte circense. Uma arte que tem uma ligação umbilical com a arte da marioneta. O espectáculo foi apresentado e recebido com grande entusiasmo nos países como a Alemanha, Suiça, República Checa, Finlândia, Coreia do Sul, Turquia e Espanha. Público: Maiores de 4 anos Duração: 60 minutos


Grupo: TITERES CACHIRULO Origem: Santiago de Compostela, GALIZA / ESPANHA

Espectáculo: DO, RE, MI... MOZART JOGA AQUI Encenação, Interpretação e Manipulação: Jorge Rey Rivas Marionetas, Interpretação e Manipulação: Carmen Domech A Compañia Títeres Cachirulo nasceu no ano 1986 em Santiago de Compostela, tendo apresentado o seu primeiro espectáculo no decorrer da I Mostra da Literatura Infantil e Xuvenil, em Pazo de Bendaña, logo em Janeiro de 1986. Desde o seu início, os Títeres Cachirulo produziu obras de carácter infantil, orientadas para uma comunicação directa de rapazes e raparigas com os títeres. Estas montagens tiveram um cálido acolhimento por parte dos cativos, o que logo converteu os Cachirulo num grupo emblemático da cidade de Santiago de Compostela. Espectáculos como “Falabarato”, “Don Gaiferos”, “A Bela e a Besta” ou “Xoguetes” ainda hoje são lembrados como referência duma época. A partir de 1990, a companhia iniciou uma linha de investigação teatral e na construção de marionetas e objectos cénicos, assim como na incorporação de obras para adultos no seu repertório. “Noite de Verán”, “Marcado polo Tipex” ou “Hamlet” são algumas das produções desses anos. Mais recentemente, Cachirulo tem dado a conhecer o seu trabalho além das fronteiras galegas, levando o seu teatro de títeres a diferentes mostras e festivais internacionais, fundamentalmente da Europa e da América Latina. Na actualidade, os Títeres Cachirulo mantêm um variado repertório de espectáculos em carteira, onde se misturam produções para crianças, adultos e todos os públicos. Sobre o espectáculo: Numa tarde de Outono, Amadeus e Náneri refugiam-se no salão da sua casa depois de colher um cesto de verduras para pregar uma partida à cozinheira. Brincando com as verduras, começam a criar uma história, e, a partir daí, vão-se sucedendo diferentes cenas em que instrumentos musicais vão criando aventuras e quadros cómicos que eles próprios imaginam e a que dão vida. O mesmo que fazem as crianças enquanto brincam. Público: Maiores de 4 anos Duração: 50 minutos


Grupo: ART´IMAGEM Origem: Porto, PORTUGAL

Espectáculo: HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR Texto: Luís Sepúlveda Tradução: Pedro Tamen Dramaturgia e Encenação: Pedro Carvalho e Valdemar Santos Interpretação e Manipulação: Anabela Nóbrega, Flávio Hamilton, Pedro Carvalho e Valdemar Santos. Companhia de teatro fundada a 20 de Agosto de 1981, estreia anualmente três a quatro espectáculos. Destes, um novo autor contemporâneo, a revisitação de um clássico e a adaptação de uma grande obra ou autor da literatura universal para os jovens públicos constituem os vértices do programa e labor artísticos. O teatro de rua, de que a companhia é pioneira no Norte de Portugal, os espectáculos efémeros a partir das tradições populares, a utilização de diversas disciplinas e géneros teatrais e o diálogo com as novas linguagens são também novos caminhos para a conquista e diversificação de outros e novos públicos. Esta é a sua 90ª criação. Sobre o espectáculo: Uma gaivota, vítima da poluição de uma maré negra, confia o seu pequeno ovo a um gato chamado Zorbas, pedindo-lhe para cumprir três promessas: não comer o ovo, cuidar dele até nascer a gaivotinha e, por fim, ensiná-la a voar. Zorbas pede então ajuda a três amigos (Colonello, Sabetudo e Barlavento) para tentar levar a cabo a estranha missão de cuidar da gaivotinha. Depois de passarem por muitos perigos para cumprirem as duas primeiras promessas, eles têm que recorrer a alguém muito especial para os ajudar a cumprir a terceira (ensiná-la a voar!) mas, para isso, têm que quebrar o tabu dos gatos... Público: Maiores de 6 anos Duração: 60 minutos


Grupo: TEATRO E MARIONETAS MANDRÁGORA Origem: Gondomar, PORTUGAL

Espectáculo: O JARDIM - TOMO I, A PRIMAVERA Manipulação e Interpretação: Filipa Alexandre Marionetas: Filipa Mesquita, José Carlos Machado e Orlando Trindade A companhia surgiu a 2 de Abril de 2002 reunindo actores, artistas plásticos e marionetistas, orientando a sua produção para o aprofundar das potencialidades plásticas, artísticas e cénicas que a marioneta possui. Desde então tem vindo a desenvolver espectáculos para a infância e juventude apresentados a nível nacional; em festivais, teatros, auditórios, bibliotecas e escolas, no continente e arquipélagos. A companhia tem como objectivo a produção de espectáculos e, ainda, tem desenvolvido acções de formação no âmbito de temáticas relacionadas com teatro de marionetas, articulando as várias expressões artísticas tanto para crianças como para adultos. A companhia colabora regularmente com museus, instituições de solidariedade ou galerias de arte assim como com outras companhias de teatro. Consolidando esforços no sentido de garantir uma maior e mais qualificada oferta aos seus diferentes públicos, a companhia tem investido na formação dos seus elementos através de áreas distintas: serviços educativos, formação, história da arte e na área informática, como o web design. O principal objectivo da companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora centra-se no explorar das potencialidades cénicas e dramáticas da marioneta enquanto objecto plástico e artístico, bem como enquanto potencial dramático de cena. A companhia procura explorar estéticas, linguagens e conceitos distintos que envolvam a cena, o actor e a marioneta. Quer optando pela pesquisa de conceitos e técnicas tradicionais, quer criando novas linguagens, o projecto cénico da companhia procura a contemporaneidade da cena, do objecto plástico. Sobre o espectáculo: Esta história começa com a chegada da Primavera. Neste ano está atrasada e, no jardim, ainda dorme o Inverno. Todos os anos ela visita o jardim, esse é o lugar onde mora o Picapico. O Inverno não se queria ir embora. A culpa era do Gigante. A Nina e o Nino são meninos e gostam de estar no jardim. Mas o Gigante é egoísta: "é só para mim". Ninguém pode lá ficar. O Inverno é o único que lhe faz companhia mas está sempre mal disposto. tic tac tic tac batem já os ponteirinhos, tic tac tic tac, vamos jogar ao adivinho... Público: Maiores de 4 anos Duração: 50 minutos


Grupo: TEATRO DE FORMAS ANIMADAS Origem: Vila do Conde, PORTUGAL

Espectáculo: MAMULENGO DO JOÃO REDONDO Marionetas, Encenação, Interpretação e Manipulação: Marcelo Lafontana O TFA - Teatro de Formas Animadas foi criado em 1998. Na fase inicial do projecto, funcionou como o primeiro curso profissional para a formação de marionetistas. O curso foi organizado pela autarquia de Vila do Conde e obteve a creditação de nível IV do Instituto do Emprego e Formação Profissional. Após três anos de formação, o grupo de trabalho do projecto definiu-se como companhia teatral estável, contando actualmente com artistas profissionais e jovens recem-formados. Sobre o espectáculo: Trata-se de uma forma teatral popular, cuja estrutura assenta nos bonecos tradicionais conhecidos como Robertos em Portugal, e Mamulengos no Brasil. Estas figuras animavam outrora as festas e feiras, e tanto agradavam a adultos como crianças. Como espectáculo, possibilita um contacto imediato e espontâneo com o seu público, sendo capaz de comunicar de forma ideal junto das diferentes faixas etárias e dos diferentes grupos sociais. Pode ser apresentado nas mais diversas condições: em feiras, escolas, jardins, salas de aula, etc. Contém personagens de identificação popular, oriundas do imaginário social, como o malandro João Redondo, o herói Benedito, o Diabo, a Cobra, a Morte, o Polícia e mais um leque de outras simpáticas (e não tão simpáticas) criaturas. É apresentado numa barraquinha colorida, e as suas histórias são baseadas no quotidiano envolvente, caricaturando tipos e situações do dia-a-dia. Em Portugal, este teatro fez a sua estreia no III Festival Internacional de Marionetas do Porto, em 1992, e apresentado desde então, com sucessivas adaptações e remontagens. Público: Maiores de 4 anos Duração: 50 minutos


Grupo: TEATRO DE MARIONETAS DO PORTO Origem: Porto, PORTUGAL

Espectáculo: MISÉRIA Encenação e Interpretação: João Paulo Seara Cardoso Cenografia e Marionetas: Rosa Ramos Música: João Lóio Dramaturgia: Álvaro Magalhães e João Paulo Seara Cardoso Iluminação: João Lorga Desde 1988, data da sua formação, o Teatro de Marionetas do Porto produziu e apresentou 23 espectáculos: “Teatro Dom Roberto”, “Contos D’Aldeia”, “Entre a Vida e a Morte”, “Vida de Esopo”, “Miséria”, “Vai no Batalha”, “3ª Estação” e “Máquina-Hamlet” (coproduções com o Balleteatro Companhia), “O Soldadinho”, “Joanica-Puff”, “IP5”, “Alice no País das Maravilhas”, “Exit”, “Máquina-Homem (Clone-Fighters) - Peregrinação EXPO 98”, “O Aprendiz de Feiticeiro”, “Nada ou o Silêncio de Beckett”, “Óscar”, “Os 3 Porquinhos”, “Macbeth”, “Paisagem Azul Com Automóveis”, “Polegarzinho”, “O Princípio do Prazer”, “História da Praia Grande”, “O Mundo de Alex” e “A Côr do Céu”, “Os Encantos de Medeia”, “Como um Carrossel &agrave”; “Volta do Sol”, “O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim” e “Cabaret Molotov”. Todas estas produções representam experiências extremamente diversas ao nível da contemporaneidade do teatro de marionetas, procurando encontrar novas formas de concepção e manipulação de marionetas e novos caminhos no que diz respeito à interpretação e ao relacionamento com outras áreas de criação, como a dança, as artes plásticas e a música. Noutra vertente do seu trabalho, a companhia tem-se dedicado ao estudo e recuperação de antigas formas de teatro tradicional, das quais se destaca “Teatro Dom Roberto”, que efectuou já mais de mil representações. Para a Radiotelevisão Portuguesa, os elementos da companhia criaram e dirigiram 4 séries de programas para a infância. Presentemente, o grupo divide a sua actividade entre a programação do Teatro de Belomonte, espaço fixo da companhia situado no centro histórico do Porto, e uma intensa actividade de itinerância em Portugal e no estrangeiro (Espanha, França, Irlanda, Bélgica, Suíça, Itália, Israel, Brasil, Polónia, Cabo Verde, Inglaterra, República Checa, Alemanha, Áustria e Marrocos). Sobre o espectáculo: Espectáculo baseado num conto popular. Miséria, um pobre ferreiro, engana a Morte e é assim condenado à eternidade. “Falou então a Morte do alto da nogueira e fez com o velhinho um contrato: poupar-lhe a vida enquanto o mundo fosse mundo. O velhinho consentiu e a Morte desceu. Por isso, enquanto o mundo for mundo a Miséria existirá sobre a Terra.” (conto popular) Público: Maiores de 12 anos Duração: 50 minutos


Grupo: S.A. MARIONETAS – TEATRO & BONECOS Origem: Alcobaça, PORTUGAL

Espectáculo: TEATRO DE D.ROBERTO Marionetas, Encenação, Interpretação e Manipulação: José Gil S.A. Marionetas – Teatro & Bonecos tem como objectivo promover e divulgar o teatro de marionetas em particular, e o teatro em geral. Nessa perspectiva, o seu trabalho pode dividir-se em duas vertentes principais: a investigação e a procura de novas soluções estéticas para o teatro de marionetas por um lado, e por outro, a criação de espectáculos para a infância. Em ambos os casos, privilegia-se a itinerância dos espectáculos como melhor forma de divulgar a arte da marioneta. Desde a sua criação até ao presente momento, o grupo desenvolve actividades de animação cultural, nomeadamente animação de leitura, e realiza ainda acções de formação na área do teatro e do teatro de marionetas Sobre o espectáculo: Originário da tradição europeia de marionetas de luva, que julga-se ter tido génese no Polichinelo da commedia dell’arte italiana do séc. XVI, o teatro de robertos português mantém as características próprias desta forma de teatro tradicional. Tendo aparecido em Portugal no séc. XVIII, manteve-se quase inalterado até meados do séc. XX, altura em que entrou em decadência, muito por força da concorrência com formas mais contemporâneas de entretenimento popular. A S.A. Marionetas, tendo tido o privilégio do contacto directo com o mestre António Dias, um dos últimos fantocheiros populares portugueses, e recriou, a partir do seu testemunho, duas peças ("O Barbeiro" e "A Tourada") que compõem o repertório deste espectáculo de rua. Pretende-se não deixar desaparecer o teatro de Robertos, enquanto herança cultural portuguesa. Público: Maiores de 4 anos Duração: 15 minutos + 15 minutos


Grupo: MAO - MARIONETAS, ACTORES E OBJECTOS Origem: Viana do Castelo, PORTUGAL

Espectáculo: MESTRE GEPETO Texto: António Torrado Encenação: Carla Magalhães Interpretação: Alexandre Vorontsov e António Neiva Manipulação: Alexandre Vorontsov Marionetas: Pedro Esperança O Grupo de Teatro – Marionetas, Actores e Objectos efectuou a sua estreia pública em Maio de 1999 e desde essa data já produziu 19 espectáculos, que realizaram 583 representações para um total de 56 869 espectadores. Possui uma exposição de marionetas que esteve presente nas várias salas de exposições no país. Regularmente realiza ateliers de construção de marionetas e acções de formação para público infanto-juvenil na área de teatro de marionetas. Foi co-organizador do I FestaFife - Festival Internacional de Teatro de Marionetas e Cinema de Animação que entre 1 e 8 de Dezembro de 2007 surgiu como sendo o primeiro e único festival de marionetas da região Alto Minho com 21 espectáculos/exibições para um total de 2789 espectadores. Sobre o espectáculo: A mais perfeita criação de Gepeto, Pinóquio, encontra na barriga da baleia, o pai desaparecido. No interior deste útero, espaço de gestação/criação, o homem/marioneta questiona a razão da existência humana e o seu lugar no mundo. “Mestre Gepeto” reflecte sobre várias questões: o conflito geracional, a procura da individualidade e da afirmação pessoal, a busca do afecto e a projecção do amor, as questões da vida e da morte, a ousadia da criatura que se pretende criador… O espaço cénico colocanos num universo uterino, escuro, frágil, aquático, suspenso no tempo. Gepeto surge como um pai, um criador, um deus… Público: Maiores de 12 anos Duração: 60 minutos


Local: ACEP Meadela Data: 26 Novembro de 2008

Artista: NIKOLAI SHISHKIN Origem: Nova Iorque, ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Workshop de Teatro de Objectos Nascido na Rússia, Nikolai Shishkin, tem mais de 35 anos de experiência como actor, encenador e director artístico em vários grupos internacionais de teatro. Encenou mais de trinta produções profissionais. Participou em vários festivais de arte e dirigiu numerosos workshops na área de arte teatral. Foi membro de Comité Central da União de Teatro da Federação Russa, de 1987 a 91, e do Comité da Revisão da Qualificação do Departamento da Cultura Regional do Moscovo, entre 1986 e 88. É licenciado pela Academia Estatal de Artes do Teatro de São Petersburgo com a Especialização em Arte de Marionetas e Encenação. Frequentou no Curso de Desenvolvimento Profissional para Directores Artísticos do Ministério da Cultura da Federação Russa, em 1985, e especializou-se em Drama, Representação e Encenação na Universidade Estatal de Cultura e Artes do Moscovo. Trabalhou como actor e encenador no Teatro Estatal de Marionetas do Distrito do Moscovo entre 1977 e 1986. Foi director Artístico do Teatro Regional de Marionetas de Oriol entre 1986 e 1987, do Teatro de Marionetas Vorkutta e, no ano 1988, assumiu a direcção artística do Teatro Regional de Marionetas da Crimeia. Fora do seu país natal foi director artístico do Teatro PTL Fraszca, em Varsóvia, Polónia (1990 e 1991), e do Bond Street Theater e do BMCC Performing Arts Center em Nova Iorque, EUA. Entre 1992 e 1995 dirigiu o grupo de teatro Catskill Puppet Theater, também em Nova Iorque. E trabalhou como encenador e conselheiro artístico da Glimmerglass Opera, na mesma cidade, em 1996. Participou em inúmeros festivais de diversos países do mundo, como Tunísia, Finlândia, EUA, Egipto ou Polónia e é detentor de prémios com a importância dos seguintes: melhor encenação no Festival Internacional de Tolosa, Espanha (1989); melhor espectáculo no Festival Internacional De Nigniy Novograd, Rússia (1998), com o espectáculo "Singing Piglet"; melhor encenador do Festival Internacional do Moscovo (1986), com o espectáculo "And Half-a-Kingdom To Go"; melhor actor de 1980, atribuído pela União do Teatro da Rússia, pelo desempenho no espectáculo "Cinderela". Actualmente é director artístico da Companhia Arts for Kids - Marquis Studios, em Nova Iorque.


Neste workshop os formandos tomarão contacto com os conceitos básicos de animação digital utilizando a ferramenta de software livre MonkeyJam e aprenderão os métodos básicos e essenciais de animação por stop-motion, quer utilizando fotografias ou suporte de desenho, sempre com recurso a técnicas básicas de fotografia. Ganharão assim as bases para poderem criar animações digitais. Conteúdos Programáticos: . Noções de fotografia tendo por base o conceito de animação; . Luz, Forma e Espaço de continuidade; . Monkeyjam: desvendar da interface do programa; . Criação do Storyboard; . Captura e Pós-produção dos trabalhos; . Visionamento e discussão das animações criadas ao longo do workshop.

JORGE CERQUEIRA Exposição marionetas

Jorge Cerqueira dedica desde 1993 uma atenção especial ao mundo das marionetas. As raízes do seu trabalho remontam certamente à infância passada no Minho, terra de contrastes, onde a tradição e a modernidade, o sagrado e o profano, o erudito e o popular se combinam de forma única. Conservando a capacidade de se maravilhar com o lado oculto da vida, descobre nas coisas que o rodeiam os fios e os materiais para a criação e caracterização das personagens que compõem o seu imaginário. O seu trabalho evolui numa procura de diferentes formas e técnicas, que o levam à descoberta de novos e estranhos universos onde sempre viveram as marionetas.

Local: Praça da Républica (Paços do Concelho) Data: de 14 a 29 Novembro de 2008


ALEXANDRE PRING Animação / perfomer Origem: Rio de Janeiro, BRASIL

O performer e encenador Alexandre Pring vem explorando nas suas novas criações a simplicidade, o improviso e o contacto directo com o público. espectáculos e eventos, mostrando sua habilidade na arte de animar e fazer rir. Utiliza em suas performances, além da música e do humor como fios condutores da mistura de variadas técnicas e linguagens como o teatro negro, teatro de sombras, ilusionismo, circo, artes plásticas, manipulação de objectos, dança e movimento. Fazendo uso, portanto, de uma linguagem predominantemente gestual e visual. Alexandre Pring é brasileiro e se criou no Rio de Janeiro, onde viveu e adquiriu experiências como actor, marionetista, cenógrafo e figurinista. Actualmente vive em Lisboa, e vem participando de eventos e festivais por vários países, tais como; Brasil, Portugal, Espanha, Inglaterra, País de Gales ou Holanda.

http://alexandrepring.blogspot.com


(dos 3 aos 6 anos) duração total do programa: 38min. O Pequeno Aviador e a Bailarina Sinopse: Um pequeno aviador de trapos tenta seduzir a bela bailarina de porcelana. Mas a bailarina tem uma personalidade muito especial. Terá esta história um final feliz? Ficha Técnica: Realização: J. Joets; Assistentes Realização: Saint Martin, É. Pilla, D. Delcloque. (França, 2004, 7’11’’, Computador 3D) Temas: Amizade, amor, relação entre pessoas, comunicação

Tom o Varredor Sinopse: Um pequeno varredor de rua tenta desesperadamente manter as ruas limpas. Mas as pessoas continuam a deitar lixo no chão, o que o deixa muito frustrado. Ficha Técnica: Realização: Michael Dudok de Wit (França, 1992, 2’ 30’’, Desenho) Temas: Civismo, poluição, reciclagem

Até o Igloo da Avózinha Sinopse: Uma menina esquimó, de casaco vermelho, vai visitar a sua avó. Quem será esta menina? Ficha Técnica: Realização: Sandra Ramos (Portugal / França, 2004, 2’ 20’’, Pintura a óleo sobre vidro) Temas: Diversidade cultural; diferentes formas de contar uma história

O Professor Baltasar Sinopse: O Professor Baltasar, simpático inventor, ajuda os seus amigos a resolver um problema. Ficha Técnica: Realização: Zlatko Grgic. (Croácia, 1967-74, 7’ 13’’, Desenho) Temas: A ciência com humor, as soluções sem armas, guerras

As coisas lá de casa Sinopse: Quando não estamos a olhar, as coisas lá de casa ganham vida e divertem-se a brincar e a cantar. Ficha Técnica: Realização: José Miguel Ribeiro (Portugal, 2005, 2 episódios de 2’ 30’’, Plasticina) Te m a s : A o u t r a v i d a d o s o b j e c t o s d o m é s t i c o s

A princesa na parede Sinopse: Uma princesa desenhada na parede ganha vida e explora o ambiente e as formas que a rodeiam. Ficha Técnica: Realização: Iva Ciric (Sérvia / Montenegro, 2005, 8’10’’, Imagem real, Animação de Objectos, Desenho) Temas: Pintura, a cor como elemento narrativo, as formas geométricas


(dos 7 aos 12 anos) duração total do programa: 38min. Uma Casa Sinopse: Dois pássaros vão construir uma casa na árvore para passarem o Inverno. Ficha Técnica: Realização: Koji Yamamura (Japão, 1993, 7’ 20’’, Plasticina, Marionetas, Recortes, Desenho) Te m a s : A m i z a d e , i n t e r - a j u d a , e m p r e e n d o r i s m o

A grande migração Sinopse: As aventuras tragicómicas de uma qualquer ave migratória que acidentalmente se separa do seu bando durante um voo longo e nebuloso. Ficha Técnica: Realização: Iouri Tcherenkov (França, 1995, 7’ 49’’, Desenho) Te m a s : E s ta ç õ e s , m i g r a ç ã o , v i a g e m , o r i e n ta ç ã o

O monge e o peixe Sinopse: Um monge persegue obcecadamente um peixe, que perturba a serenidade do mosteiro. Mas uma certa cumplicidade vai nascer entre eles. Ficha Técnica: Realização: Michael Dudok de Wit (França, 1994, 6’ 30’’, Desenho e Aguarela) Temas: Ritmo, som, cumplicidade

Jolly Roger Sinopse: Um capitão, o seu imediato e o papagaio vêem-se em apuros. Primeiro, os piratas. E depois uma donzela, que não estava realmente em apuros! Ficha Técnica: Realização: Mark Baker (Inglaterra, 1999, 12’, Desenho) Temas: Aventuras, coragem, piratas

O Micro-Ondas Sinopse: No quarto de um estudante, durante a sua ausência, os seus desenhos começam a agitar-se. Uma única ideia passa na cabeça destes personagens – comer o outro! É então que começa uma louca e divertida perseguição, com um fim que nenhum deles esperava! Ficha Técnica: Realização: Pierre Lopes, Jérémie Passerin, François Xavier, Nhieu & Benoit Houtin (França, 4’05’’, 2004, 3D digital) Temas: Aventura, micro ondas, impressora, imagem a imagem


Duração aproximada do ciclo: 68 min.Versões originais sem legendagem local de exibição: AUDITÓRIO DO GRUPO DESPORTVIVO E CULTURAL DOS ENVC (Largo das Almas) datas e horários de exibição: DIA 21 DE NOVEMBRO ÀS 15:00 DIA 27 DE NOVEMBRO ÀS 19:00 DIA 28 DE NOVEMBRO ÀS 21:45 A Inglaterra foi o berço das primeiras experiências de imagem em movimento ainda no précinema, com Eduard Muybridge, e foi também na Inglaterra que Arthur Melbourne realizou os primeiros filmes de animação do mundo em suporte película, usando fósforos e bonecos de peluche. Este pioneirismo marcou de tal forma a tradição inglesa no munda da animação, que figuras incontornáveis da animação mundial ou são inglesas ou deram ali os primeiros passos. Com uma história tão rica como variada, que engloba uma multiplicidade infinita de sensibilidades e tendências, a animação inglesa ainda continua a ser uma das grandes forças vivas do cinema, e a marcar presença nos ecrãs de televisão e de cinema, com obras de qualidade e individualidade, que marcam o imaginário colectivo. CITY PARADISE, de Gaële Denis (Inglaterra, 2004, 5’50’’)

THE WOODEN LEG, de Darren Doherty e Nick Smith (Inglaterra, 1994, 7’15’’) FATHER AND DAUGHTER, de Michael Dudok de Wit (Inglaterra, Holanda, 2000, 8’10’’)

RABBIT, de Run Wrake (Inglaterra, 2005, 8’15’’) THE MAN WITH THE BEAUTIFUL EYES de Jonathan Hodgson (Inglaterra, 1999, 5’35’’)

STANLEY, de Suzie Templeton (Inglaterra, 1999, 7’) THE VILLAGE, de Mark Baker (Inglaterra, 1993, 14’10’’)

SLEEP WITH THE FISHES, de Belle Mellor (Inglaterra, 2005, 4’25’’) ABDUCTEES, de Paul Vester (Inglaterra, 1995, 11’)

THE BING BANG THEORY, de Philip Hunt (Inglaterra,1994, 1’)


Duração aproximada do ciclo: 70 min. local de exibição: AUDITÓRIO DO GRUPO DESPORTVIVO E CULTURAL DOS ENVC (Largo das Almas) datas e horários de exibição: DIA 22 DE NOVEMBRO ÀS 19:00 DIA 24 DE NOVEMBRO ÀS 15:00 DIA 27 DE NOVEMBRO ÀS 15:00 É com agrado que o ICA se associa a mais uma actividade levada a cabo pela Associação Ao Norte em prol da divulgação do Cinema. Nesta ocasião, organiza-se um ciclo de cinema dedicado exclusivamente ao cinema de animação português produzido entre 2006 e 2008. As 16 obras de animação escolhidas para esta mostra versam sobre temas e locais tão diversos como o Alentejo dos anos 50 a Timor Loro Sae. Nota-se com apreço que estes filmes foram seleccionados para diversos festivais internacionais, onde alguns foram premiados. O ICA felicita a Associação Ao Norte por esta iniciativa! Dr. José Pedro Ribeiro Director do ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual

CÃES MARINHEIROS, de Joana Toste (Portugal, 2007, 6'35'') Sinopse: Quando um casal de cães possui um marinheiro para guardar o jardim, deve mantê-lo a todo o custo. Sendo, por isso, necessário fugir da proximidade do mar, sofrendo então as suas consequências. E a vida deve continuar. Ficha Técnica: Realização: Joana Toste | Argumento e diálogos: Herberto Hélder | Som: Paulo Curado | Música: José Peixoto | Produtor: Abi Feijó, António C. Valente | Produção: Cine Clube de Avanca, Filmógrafo

CÂNDIDO, de Zepe (José Pedro Cavalheiro) (Portugal, 2007, 11'20'') Sinopse: “Cândido nunca a amou. A manipulação é o seu jogo preferido." Ficha Técnica: Realização: Zepe (José Pedro Cavalheiro) | Argumento e diálogos: Virgilio Almeida, Zepe (José Pedro Cavalheiro) | Fotografia: Zepe (José Pedro Cavalheiro) | Som: Paulo Curado | Música: Carlos Zíngaro, João Lucas, Paulo Curado, Ulrich Mitzlaf | Montagem: Cátia Salgueiro, Nuno Beato | Produção: Insectos, Cinema e Multimédia, Lampadacesa - Cinema de Animação

HISTÓRIA DE UM CARAMELO, de Rita Serra, Pedro Teixeira (Portugal, 2006, 6') Sinopse: As personagens desta história são os produtos expostos na loja de uma bomba de gasolina no Alentejo. O Caramelo, a personagem principal, está há imenso tempo à espera de ser consumido, e agora, a dois dias do fim do seu prazo de validade ele está desesperado e meio enlouquecido. Ficha Técnica: Realização,argumento e diálogos: Rita Serra, Pedro Teixeira | Fotografia: Animação 3D/ Luís Félix | Som e música: Animago | Montagem: Luís Grifu | Produção: Cinemate

IN SILENTIU (SILÊNCIO), de Irina Calado (Portugal, 2007, 8') Sinopse: E se dentro de cada pessoa existisse uma música única, um código genético composto por notas e escalas... uma melodia que reflectisse tudo o que fossemos como Ser Humano, como pessoa... as nossas qualidades, os nossos defeitos, os nossos medos, as nossa forças... Imagine agora que tinha a capacidade de ouvir essas melodias... o dom de escutar a alma das pessoas. Esta, é a história de um homem com essa capacidade... Ficha Técnica: Realização, argumento e diálogos: Irina CaladoSom: Paulo Curado | Música: Maestro Nick Nicotine | Montagem: Rui Cardoso / Animanostra | Produtor: Humberto Santana | Produção: Animanostra


OSSUDO, de Júlio Alves (Portugal, 2007, 14') Sinopse: Uma cidade algures em África. Um ser, OSSUDO, sofre uma metamorfose: os ossos transformam-se em carne e a carne transforma-se em ossos. Ficha Técnica: Realização: Júlio Alves | Argumento e diálogos: Júlio Alves e Wilson Sequeira | Direcção de arte e criação de personagens: Celeste dos Santos, António Paisana | Som: Vítor Mingates | Música: Maria João, Mário Laginha | Montagem: Sérgio Henriques | Produtor: Sérgio Henriques | Produção: Tangerina Azul

PORCA MISÉRIA, de Joaquim Pinto e Nuno Leonel (Portugal, 2007, 4'10'') Sinopse: Era uma vez um porquinho de porcelana de origem francesa, mais concretamente da região de Sèvres, e de nobre ascendência. Tinha sido moldado à mão por um ancião de barbas brancas, não como um qualquer porco mealheiro feito sem amor numa forma mecânica. E pintado com florinhas primaveris por um jovem artista. Servira famílias abastadas. Mas o gosto dos humanos é imprevisível, e os anos 50 tinham trazido uma leva de porquinhos espaciais com motivos geométricos. Começou então a sua trajectória descendente na escala porcina. Felizmente encontrava agora sossego em mãos pobres mas amigas, e melhor que tudo, ERA AMADO! Esta história conta os seus últimos dias antes de voltar à terra. Ficha Técnica: Realização: Joaquim Pinto e Nuno Leonel | Som: Branko Neskov | Produção: Filmebase Ldª

A RELIGIOSA II, de Clídio Nóbio (Portugal, 2006, 2') Sinopse: As aventuras eróticas de uma freira Ficha Técnica: Realização: Clídio Nóbio | Argumento e diálogos: Clídio Nóbio | Música: Néu Felgar | Produtor: António C. Valente, Abi Feijó | Produção: Filmógrafo; Cine Clube de Avanca

O TRABALHO DO CORPO, de Nuno Amorim (Portugal, 2007, 7'04'') Sinopse: É possível olhar para dentro de nós e ver A VIDA TODA, TODAS AS VIDAS, num só dia? Maria só, naquela madrugada vê o sol nascer mais uma vez sobre o rio. E “vê” também o ocaso do seu corpo reflectido no espelho da sala. Vê os vários “eus”, as sete vidas, que a fazem seguir em frente (?) na noite. Ficha Técnica: Realização, argumento, fotografia, som e produção: Nuno Amorim | Produção: Animais

ZÉ PIMPÃO, O ACELERA, de André Letria (Portugal, 2007, 7') Sinopse: Zé Pimpão é um gabarolas que gosta de se afirmar perante os outros e perante si próprio através do seu carro e da forma como o conduz. Inconsciente das suas limitações, acha-se até imune ao álcool... até ao dia em que sofre na pele as consequências da sua estupidez. Ficha Técnica: Realização: André Letria | Argumento e diálogos: José Jorge Letria | Som: Paulo Curado, Animanostra | Música: Mário Delgado | Montagem: André Letria | Produtor: Humberto Santana | Produção: Animanostra


duração aproximada do ciclo: 70 min. versões originais sem legendagem local de exibição: AUDITÓRIO DO GRUPO DESPORTVIVO E CULTURAL DOS ENVC (Largo das Almas) datas e horários de exibição: DIA 25 E 28 DE NOVEMBRO ÀS 15:00 DIA 29 DE NOVEMBRO ÀS 21:45 Despois de que a parella composta por Tomás Conde e Virginia Curiá iniciaran os primeiros traballos de animación nos anos 90 co seu proxecto concibido para animar en plastilina unha serie de pezas curtas inspiradas en relatos de escritores Galegos titulado A lingua Animada, ou autores como Manuel Mayo ou Lhosca Arias, a animación na Galiza ten evolucionado dun xeito significativo. Esta curta traxectoria da animación na Galiza está marcada polos eu carácter cuantitativo e cualitativo. Así o confirman os bos resultados de producións como O bosque animado, ou El Cid, das importantes productoras Dygra e Brent, que, ademáis, veñen traballando para outras empresas na realización de efectos especiais dixitais, deseño de redes, xestión de programas, sitúan á industria da animación galega entre as máis activas cine de animación do Estado Español. Paralelamente, hai unha realidade emerxente de creadores novos, máis artística, menos industrial, menos empresarial, pero que ven marcando unha tendencia creativa e, nalgúns casos, un medio experimental para afrontar a realidade a través da animación. Así, como anteriormente fora o ben coñecido Miguelanxo Prado, creador de innovadores e exitosos espazos televisivos na arte da animación e de filmes tan interesantes como Profundis, na actualidade xurden realizadores como Pablo Millán, Juan Pablo Etcheverry, Jorge Morais, Fernando Cortizo, David Rubín, Darío Fernández, Pequen Varela e David Alejandro que fan mais que atractivo o panorama do audiovisual galego recoñecido nos numerosos certámenes nacionais e internacionais.

Anxo Santomil, Axencia Audiovisual Galega

LEO, de Fernando Cortizo Rodríguez (Galicia, 2007, 10') Sinopse: O ventríloquo Victor, o seu ajudante Raul e o boneco Leo aproximam-se do final das suas carreiras. Victor está doente e encontra-se no limite das suas forças. Para piorar a sua situação, a relação com Leo deteriorou-se graças à fama e popularidade que este boneco tem tido. Ficha Técnica: Realização, argumento e produção: Fernando Cortizo Rodríguez | Produção executiva: Dimas Iglesias | Composição musical: Carlos Fernández García | Director/a de arte: Isabel Rey Sastre, María Hernanz

1977, de Peque Varela (Galicia, 2007, 8') Sinopse: A recolha de lembranças da infância da realizadora no seu bairro natal de Caranza, na cidade de Ferrol. Ficha Técnica: Realização e argumento: Peque Varela


O ATAQUE DOS KRITERS ASASINOS, de Sam Orti Martí (Galicia, 2007, 10') Sinopse: Luísa é uma dona de casa desiludida. Em breve vai ter a visita da sua sogra, mas Luísa está indecisa entre limpar a casa ou assistir na TV a uma maratona da sua série preferida. A sua decisão levará a casa ao abandono extremo ao ser incapaz de se desligar da TV. Ficha Técnica: Realização e direcção de fotografia: Sam Orti Martí | Argumento: Sam Orti Martí, José Atienza Rodríguez | Produção: Ignacio Benedeti Corzo, José Atienza Rodríguez | Produção executiva: Xosé Zapata Pérez | Composição musical: Sam Orti Martí | Direcção de arte: José Atienza Rodríguez

CARNE DE CAÑÓN, de Darío Fernández Ignacio (Galicia, 2006, 8') Sinopse: Uma obra de animação de carácter experimental. Uma história de aventuras com início numa ilha do Caribe do séc. XVII, e que trata de escravatura, colonização e choque entre duas formas de entender o mundo. Ficha Técnica: Realização e montagem: Darío Fernández Ignacio | Argumento: Darío Fernández Ignacio, José Enrique Fernández González | Produção: Darío Fernández Ignacio | Composição musical: Manuel Riveiro | Direcção de arte: José Enrique Fernández González | Montagem: Darío Fernández Ignacio

HOMELESS, SEN TEITO, de Diego Méndez Lamas (Galicia, 2007, 13') Sinopse: Curta-metragem com uma estética similar a um documentário de investigação, que aborda a tema dos sem abrigo. A narração em off e a perspectiva da câmara à mão incute um dinamismo e realidade fora do vulgar, aos protagonistas que são bonecos feitos em plasticina. Ficha Técnica: Realização e produção: Diego Méndez Lamas | Produção executiva: Micaela Sinde Stompel, Diego Méndez Lamas | Director de desenvolvimento: Miguel Mariño Lamas | Som: André Luca de Tena.

MINOTAUROMAQUIA , de Juan Pablo Etcheberry (Galicia, 2004, 11') Sinopse: Inspirada no labirinto do Minotauro e a partir da obra de Pablo Picasso, esta curta-metragem é uma viagem aos segredos da criação artística. Um terrível Minotauro persegue no seu labirinto um Picasso extenuado, que vai chocando com as personagens dos seus próprios quadros. Ficha Técnica: Realização e argumento: Juan Pablo Etcheberry | Produção: Xosé Zapata Pérez, Ignacio Benedeti Corzo | Direcção de fotografía: Justo Guisasola Arnaiz | Direcção de arte: Juan Pablo Etcheberry

A FLOR MAIS GRANDE DO MUNDO, de Juan Pablo Etcheberry (Galicia, 2006, 10') Sinopse: A Flor Mais Grande do Mundo é o único conto escrito para crianças por José Saramago. Ficha Técnica: Realização, argumento e montagem: Juan Pablo Etcheberry | Produção: Francisco Casal Vidal | Produção executiva: Chelo Loureiro | Composição musical: Emilio Aragón | Direcção de fotografia: Juan Pablo Etcheberry


duração aproximada do ciclo: 68 min. versões originais sem legendagem local de exibição: AUDITÓRIO DO GRUPO DESPORTVIVO E CULTURAL DOS ENVC (Largo das Almas) datas e horários de exibição: DIA 22 NOVEMBRO ÀS 21:45 DIA 25 NOVEMBRO ÀS 19:00 Retrospectiva internacional, em versão original, sobre a sexualidade e o desejo no cinema de animação. FOREVER NA EVER, de Michaely Pavlátove e Pavia Kouteckého (República Checa, 1998, 14’30’’)

A FATHER TALE, de Michèle Cournoyer (Canadá, 1992, 5’30’’)

THE STAIN, de Marjut Rimminem e Christine Roche (Inglaterra, 1991, 11’06’’) WHAT SHE WANTS, de Ruth Lingford (Inglaterra, 1994, 5’)

SECRET JOY OF FALLING ANGELS, de Simon Pummel (Inglaterra, 1991, 11’)

UN JOUR, de Marie Pacou (França, 1997, 4’20’’)

MILCH, de Igor Kovalyov (EUA, Rússia, 2005, 15’16’’)


O Filme da Minha Vida é uma colecção de livros de banda desenhada inspirados em filmes da escolha dos autores. Epifanias do Inimigo Invisível é o segundo livro da colecção. O primeiro foi O Percutor Harmónico, de André Lemos e a partir de Aconteceu no Oeste, de Sérgio Leone. O próximo número, ainda sem título, será da autoria de João Fazenda e inspirado no filme Vertigo, de Alfred Hitchcock. Ao todo, está prevista a edição de dez livros. Procurando estabelecer uma óbvia relação entre as Sétima e Nona Artes, abrangendo ambos os públicos, a iniciativa está particularmente voltada para o envolvimento de estudantes do ensino secundário e superior. Para além de outras actividades no plano lectivo, estes são convidados a participar no lançamento de cada livro; onde se projecta o filme inspirador, se inaugura uma exposição das pranchas originais do livro e se realiza uma conversa com o autor. A colecção conta a cada número com um texto de João Paulo Cotrim sobre a obra e o respectivo autor, é dirigida pelo artista plástico Tiago Manuel e tem design de Luís Mendonça. É uma edição da AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual.

(…) Aconteceu no Oeste, o filme mítico de Sergio Leone (Roma, 1929-1989), ganhou a mesmíssima forma da mosca que toca um dos três bandidos que aguardam Harmónica/Bronson e o comboio do progresso em pleno deserto. Não precisamos de a ver, basta o zumbido para pressentirmos o incómodo, para que logo comecemos o nosso próprio filme. Aproveitando o melhor das artes de síntese e com o seu talento rasgado de produtor de imagens-força, Lemos (Lisboa, 1971) optou por passar ao papel os dez minutos iniciais, apenas aqueles a que alguém chamou bailado da morte.(…) João Paulo Cotrim, In A Oeste destes Olhares

(…) Os olhos do leitor que aqui escreve e desenha foram atraídos, por acaso, sem querer, para este filme menor. Para o compreender, resolveu reescrevê-lo com estas imagens. No seu título, Epifanias do Inimigo Invisível, colocou (sem querer, por acaso?) uma palavra da esfera do sagrado: epifania. Manifestação no território humano de um deus, relâmpago que ilumina a noite, que enlouquece as bússolas, que liberta os sentidos. Este deus que se faz aguardar só será inimigo se tiver por estratégia afastarnos de nós, da vida. Chama-se, então, diabo. Depois de Aconteceu no Oeste, eis outro filme que nos empurra para a esfera da espera. Os nossos dias, mesmo depois do 11 de Setembro, serão gastos na expectativa da tragédia tendo Tom Waits por bardo? (…) João Paulo Cotrim, In Tempestade de Areia para os Olhos

Como adquirir: www.ao-norte.com


Produção: AO NORTE - Associação de Produção e Animação Audiovisual MAO - Marionetas, Actores & Objectos - Grupo de Teatro Direcção Artística: Sabahat Passos e Rui Bandeira Ramos. Design: Ricardo Ferreira. Director Técnico: Rui Gonçalves. Imprensa: Eduardo Sardinha. Revisão de cópias e Apoio à Produção / Cinema: Alexandre Martins. Apoio à Produção / Teatro: Carla Magalhães. Colaboração: Alexandre Vorontsov, André Teoman, Viviana Beenen.

FESTAS NASONI BAR OFICIAL

21 e 28 NOVEMBRO A PARTIR DAS 24H00

DJ Eduardo Sardinha


Axencia Audiovisual Galega – Anxo Santomil Bar Nasoni – Ruca Café Moderno Café Filipe Casa Mágica – Festival de Marionetas e Beto Hinça Casa do Povo de Valongo de Vouga Casino Afifense Cineclube de Avanca – António Costa Valente Clara Vasconcelos Direcção da Associação Cultural e de Educação Popular (Meadela) Direcção do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo Embaixada da Bulgária Escola Secundária de Monserrate – Barge e Maria Fernanda Neves Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo Instituto do Cinema e Audiovisual – Mariana Pimentel Marcelo Lafontana Media Design Miguel Estima Monstra / Festival de Animação de Lisboa – Fernando Galrito Pasteleria Vandôme Pensão Viana Mar Teatro Municipal Sá de Miranda


MAO - Marionetas, Actores & Objectos Grupo Teatro Edifício Palácio, 3º Sala 308 4900-495 Viana do Castelo Portugal Telm.: +351 963 676 174 E-mail: marionetas_viana@hotmail.com www.marionetasemviana.com AO NORTE - Associação de Produção e Animação Audiovisual Praça D. Maria II, n.º 113, r/c 4900-489 Viana do Castelo Portugal Tel.: +351 258 821 619 Telm.: +351 962 834 852 E-mail: ao-norte@nortenet.pt www.ao-norte.com

PREÇO TEATRO Preço de bilhete 4€ € Preço de bilhete para escolas: 2 rva. rese da acto no Pagamento 174 Teatro - Sabahat Passos – 963 676a Ramos – 962 834 852 deir Ban Rui o açã Cinema de Anim alterações. Programação provisória sujeita a alizada: www.festafife.com Para consultar programação actu


Festafife 2008  

Book presentation from the Festafife Pupet and Animation Festival

Advertisement