MAGAZINE BY MR TERAPIAS

Page 1

M MAAGGAAZZIINNE E

by MRterapias by MRterapias
NOVEMBRO 2022 EDIÇÃO 02 Uma Equipa Que Cuida de Si
ÍNDICE 3 4 8 12 16 19 26 28 30 31 MR TERAPIAS Quem somos? | Os nossos espaços | Corpo Clínico | Serviços TERAPIA OCUPACIONAL E PSICOMOTRICIDADE XII CONGRESSO INTERNACIONAL DE PSICOLOGIA ACADEMIA BY MR TERAPIAS Estágios | Formação | Investigação ARTIGO SOBRE A MULTIDISCIPLINARIDADE ESTUDO DE CASO MULTIDISCIPLINAR NOTA FINAL EDITORIAL Nota de abertura ATIVIDADE OS NOSSOS CONTACTOS PROJETO DE INVESTIGAÇÃO

N O T A B E R T U R A

A Multidisciplinariedade é o tema central desta edição da Revista e um dos pilares fundamentais da atuação dos técnicos da MR Terapias

A promoção de uma articulação consistente e direta entre técnicos de diferentes valências, isto é, o trabalho multidisciplinar, permite uma prática clínica global e holística que visa a excelência

As equipas de intervenção clínica da MR Terapias, cujo modelo de trabalho implica a complementaridade, discussão clínica de casos, a articulação direta entre os diversos técnicos que dão apoio ao mesmo indivíduo, ou a reflexão conjunta para a definição de objetivos, permite garantir uma resposta mais estruturada, eficaz e ajustada à problemática de cada paciente, traduzindo se numa melhor prestação de cuidados de saúde

Assim, podemos encontrar nesta edição da Revista, um artigo redigido pelos especialistas que constituem uma das equipas multidisciplinares da MR Terapias, assim como é ilustrada a sua intervenção clínica, ao apresentar um estudo de caso de enorme sucesso, cujo título é “uma andorinha não faz a primavera”

Outra referência importante a realçar no âmbito da intervenção conjunta e partilhada, verifica se na complementaridade que ocorre nas áreas da Terapia Ocupacional e da Psicomotricidade, com benefícios no desenvolvimento da criança

Sabemos que só suportados em equipas de grande competência podemos prestar um bom trabalho no presente, garantindo a sustentabilidade do nosso futuro enquanto referência na prestação de cuidados de saúde

Por último, salientar a Academia by MR Terapias, entidade formadora certificada pela Dgert, onde procuramos aliar à Formação Contínua dos profissionais as melhores e mais inovadoras soluções tecnológicas suportadas cientificamente para a prática clínica dos Terapeutas da Fala

Assim, a MR Terapias parceira e única representante em Portugal da ProBrain, apresentam soluções para rastrear e estimular as competências do processamento auditivo central, através das plataformas online, Audbitity e Afinando o Cérebro

FICHA TÉCNICA

São inúmeros os motivos pelos quais vos convido a ler esta edição.
DrªMargaridaRiscado

A EMPRESA

A MR Terapias, Formação e Consultoria, Lda é uma empresa fundada em 2010 que centra a sua intervenção na saúde, na educação, na formação e investigação, numa perspetiva holística da pessoa e da sua situação A orgânica institucional da MR Terapias integra três áreas de atuação: Intervenção Clínica/Apoios Técnicos; Academia by MRT e Áreas de suporte

TERAPIA DA FALA PSICOLOGIA TERAPIA OCUPACIONAL PSICOMOTRICIDADE OUTRAS ESPECIALIDADES
AS NOSSAS ESPECILIDADES VISITE
NOSSO SITE 4
O
APRESENTAÇÃO DOS NOSSOS ESPAÇOS SEDE SACAVÉM T 211 622 802 // 911 738 111 REALFORTE SACAVÉM T 219 411 949 // 932 291 270 PARQUE DAS NAÇÕES T 211 936 612 // 910 531 123 ALCÂNTARA T 218 231 459 // 932 291 270 Morada: Rua Jau, 42 b 1300 456 Lisboa Morada:RuaÁlvaroPedroGomes, 17,Lote2,UrbanizaçãoRealForte Morada:PraçaManuelJoaquim Afonso,nº4 loja2 BAIRRO DE SANTIAGO T 211 622 802 // 911 738 111 Morada: Rua 25 de abril 17A 2680 070 Camarate FETAIS T 211 622 802 // 911 738 111 Morada:Rua Arpalas (dentro do Centro Comercial) 2680 134 Camarate Morada:AlamedadosOceanos,100A 1990 238ParquedasNações Sede: PaulaGouveia Academia: AngelinaFerreira CoordenaçãoDSAF: LuísGraça DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS (DSAF) DEPARTAMENTO DE MARKETING Sede: CláudiaDuarte Expo: Orquídia Sobral RealForte: MartaCipriano Diretora de Marketing Inês Santos Especialista em Mkt Digital Kateryna Vasylenko Alcântara: Inês Rodrigues 5
TERAPIA DA
CONHEÇA O NOSSO CORPO CLÍNICO
FALA
tinho Carolina Marques Lia Barros Ana Campos An stinho Carolina Camara Cáti
nê rreira
ntos Lúci
Márian Marta Nogueira
Cláudia Amaro Daniela Espadinha
Joana Lamancha Juzidmar
Márc
Sílvia
Sousa
Teresa Rolho Tiago Gomes
Catarina Doro Eneida Ramos Sara Simões Inês Nobre
E Q U I P A D E C O O R D E N A Ç Ã O 6
Margarida Cunha Maria Caetano

PSICOLOGIA

TERAPIA OCUPACIONAL

PSICOMOTRICIDADE

i i d d Costa Mar des Maria Margarida Fu Rita Gu ra Moni Maria Assis Rita Cardoso Ana Calado André Silva Avelar Alice Santos atrícia Marujo Marta leitão Rita Costa
7
Vasco Sassetti

DESTAQUES - TERAPIA OCUPACIONAL

O QUE É

A TERAPIA OCUPACIONAL?

A Terapia Ocupacional é uma profissão da área da saúde centrada no cliente e preocupada em promover a saúde e o bem estar por meio da ocupação. Tem como objetivo principal permitir que as pessoas participem nas suas ocupações significativas lazer, trabalho, brincar e atividades da vida diária como vestir ou comer de forma autónoma, adequada e satisfatória.

O Terapeuta Ocupacional intervém diretamente no desenvolvimento de competências do cliente (sensoriais, motoras, cognitivas ou sociais), e também na modificação e adaptação do ambiente (casa, escola, trabalho) ou da atividade, cujo desempenho autónomo está comprometido. Para adaptação do meio e da atividade o Terapeuta Ocupacional poderá também avaliar a necessidade de introduzir tecnologias e produtos de apoio para que a pessoa consiga participar de forma autónoma nas ocupações significativas

A criança não come sozinha? A criança procura de forma intensa atividades agitadas como andar de baloiço, rodar, saltar? A criança não tolera atividades com muito movimento? A criança tem dificuldade em sentar se corretamente, parecendo que vai escorregando pela cadeira? A criança tem dificuldade em realizar atividades usando as duas mãos (ex recortar, abrir frasco, apertar os sapatos)? A criança parece ter dificuldade em medir a sua força? A criança tem um medo exagerado de alturas? A criança tem dificuldade em vestir/ despir a sua roupa? A criança tem dificuldade em ter novas ideias para a sua brincadeira? A criança tem dificuldade em transitar entre atividades? A criança não gosta de sujar as mãos? A criança não gosta de cortar as unhas ou o cabelo? A criança tem dificuldade em explorar o meio que a rodeia?
criança tem dificuldade em separar se dos pais/avós? 8
Sinais de alerta
A

PSICOMOTRICIDADE

O QUE É

A PSICOMOTRICIDADE?

É uma especialidade terapêutica que apresenta uma visão holística do indivíduo, na correlação entre a cognição e a motricidade, e como estas se relacionam com o envolvimento, intervindo através da mediação corporal e expressiva. Desta forma, é através do movimento que o Psicomotricista observa a criança, no que diz respeito às suas características e particularidades, dado que reflete a interação desta consigo e com o mundo que a rodeia.

A Psicomotricidade poderá abranger dois tipos de intervenção, dependendo das necessidades da criança: a Instrumental e a Relacional

A Psicomotricidade Instrumental apresenta uma estrutura mais organizada, com objetivos específicos, procurando a maior funcionalidade, sempre com a relação terapêutica como base

A Psicomotricidade Relacional procura a maior espontaneidade da criança, através de atividades lúdicas não estruturadas, com a finalidade de incidir na gestão de comportamento e regulação emocional

Sinais de alerta

É desajeitado?

É descoordenado?

Tem dificuldade na noção de ritmo?

Tropeça constantemente e/ou cai com frequência?

Apresenta alterações de tónus: excessivamente relaxado ou muito tenso?

Utiliza os objetos do quotidiano de forma pouco funcional, eg, talheres, material de escrita/pintura?

Tem dificuldades na resolução de problemas no seu dia a dia?

Expressa as suas emoções de forma disruptiva: inibição, agressividade?

Tem dificuldades em localizar ações no tempo, é desorganizado?

9

...na MR Terapia

PSICOMOTRICIDADE

Na MR Terapias, a Psicomotricidade abrange a faixa etária infanto juvenil nas mais diversas problemáticas:

Dificuldades nas competências psicomotoras (pe, descoordenação motora, dificuldades grafomotoras); Perturbações do Neurodesenvolvimento (pe, Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção, Perturbação do Espetro do Autismo, Atraso Global do Desenvolvimento Psicomotor); Questões de incidência de Saúde Mental (pe, inibição, agitação psicomotora, agressividade, entre outras).

Outro aspeto a salientar é a importância na articulação com a família/responsáveis legais e outras entidades envolvidas no caso em acompanhamento, p.e., equipa escolar, Pediatras do Neurodesenvolvimento, Pedopsiquiatras, outros Técnicos.

TERAPIA OCUPACIONAL

A Terapia Ocupacional foca a sua prática na área da pediatria, sendo a sua atuação ao nível das dificuldades de desempenho ocupacional, em crianças com desordem do processamento sensorial, perturbações do neurodesenvolvimento (Perturbação do Espetro do Autismo, Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção…), deficiência intelectual ou motora, dificuldades de aprendizagem. Integrado na intervenção é realizado um trabalho de aconselhamento e acompanhamento, tanto aos pais, como aos educadores/auxiliares .

Na área de pediatria, uma das metodologias de avaliação e intervenção dos terapeutas ocupacionais é a teoria de Integração Sensorial (ASI®), segundo Jean Ayres A ASI® define que a integração sensorial é um processo em que o cérebro organiza a sensação do nosso próprio corpo e do ambiente e torna possível usar o corpo de forma eficaz no ambiente A avaliação e intervenção deverá ser realizada por um terapeuta ocupacional certificado, centrada nos objetivos da criança e família e desenvolvida num ambiente de brincadeira, onde são proporcionadas e organizadas todas as sensações que a criança precisa para que dê uma resposta adequada às situações do seu dia a dia

10

Complementaridade entre a Terapia Ocupacional e a Psicomotricidade

Quando intervimos, tendo em conta o bem estar da criança, os olhares complementares das várias especialidades podem ser bastante benéficos para a intervenção no desenvolvimento da criança

A Terapia Ocupacional e a Psicomotricidade, embora possam incidir em áreas de intervenção comuns (pe, Tónus, Equilíbrio, Praxia Fina, Coordenação), os objetivos terapêuticos nas duas especialidades são bastante distintos e complementares De um modo geral, o principal objetivo da Terapia Ocupacional prende se com a participação e autonomia nas ocupações significativas, pe, se a criança

brinca, se se veste sozinho, se consegue brincar com os amigos

A Psicomotricidade procura observar como o indivíduo realiza a tarefa, ie, que movimento faz, que partes do corpo participam ativamente, com que intencionalidade, quantas vezes repete, com que persistência perante a dificuldade, entre outros aspetos determinantes para o sucesso

A visão centrada na criança das duas especialidades e a sua intervenção conjunta e partilhada, quando necessário, promovem a partilha de estratégias diversificadas com a família e comunidade escolar

11

INTERVENÇÃO EM EQUIPA MULTIDISCIPLINAR

BENEFÍCIOS

Se um grupo não é apenas a soma dos seus elementos, arriscamos dizer que um conjunto de pessoas que trabalham no mesmo local não corresponde necessariamente a uma equipa

De outro modo: o conjunto de profissionais que trabalham com o mesmo caso clínico será sempre, por definição, uma equipa multidisciplinar?

Para a Organização diversidade de serviços; equipas mais capacitadas e diferenciadas e com maior capacidade de crítica; maior conhecimento sobre as perturbações/patologias; desenvolvimento de competências profissionais e comunicacionais; melhoria dos processos, em termos de rapidez e qualidade

Para o profissional profissional mais competente, técnica e relacionalmente; maior possibilidade de partilha recíproca de conhecimento; possibilidade de esclarecer questões internamente.

Na verdade, a Organização Mundial de Saúde (OMS, 2010) defende que uma equipa multidisciplinar se desenvolve quando um grupo de profissionais diferentes se junta para atingir em conjunto os objetivos dos clientes, famílias e cuidadores, de forma a oferecer uma qualidade superior de cuidados Neste sentido, a constituição de uma equipa multidisciplinar compreende a existência de cinco princípios:

todos os elementos querem trabalhar para um objetivo comum; todos os elementos são valorizados pelos seus contributos;

todos os elementos estão disponíveis para aceitar as perspetivas dos restantes; a existência da equipa baseia se num forte sentido de propósito;

verifica se confiança entre os elementos e sentido de responsabilidade partilhada

COMO IMPLEMENTAR?

Para o paciente/cliente garantia de uma prestação de cuidados mais eficaz, mais abrangente e mais completa face às necessidades apresentadas; maior rapidez de resposta; planos de intervenção mais adequados e ajustados flexibilidade; investimento nas relações; inovação nas disciplinas; interação das especialidades; compreensão e clareza dos papéis; supervisão; suporte institucional da liderança; capacitação e investimento regulares na equipa, pe, formações e dinâmicas de grupo; acompanhamento terapêutico individual dos profissionais; delimitação eficaz da vida pessoal e profissional; perceber as motivações profissionais e pessoais para este trabalho.

1 2 3 4 5 12

UMA ESTRATÉGIA NECESSÁRIA

Grande parte dos problemas de saúde são complexos, multifatoriais e multicausais, pelo que é difícil, senão pouco adequado, para um único profissional dar uma resposta global e prestar um bom acompanhamento a cada caso (seja ao nível da avaliação, da intervenção ou da reabilitação), particularmente nas situações clínicas mais adversas e impactantes, considerando que, quanto mais severa for a patologia ou a condição clínica da pessoa, maior a importância de incluir a sua rede de suporte (meio envolvente e família) e maior a necessidade de uma intervenção multidisciplinar

Efetivamente, as necessidades de diagnóstico, tratamento, reabilitação e integração social exigem a articulação com outros serviços (pe, de saúde, sociais, educativos, comunitários) e a intervenção de diversos profissionais

De acordo com as necessidades de cada caso, falamos de Médicos, Professores, Assistentes Sociais, Terapeutas da Fala, Psicólogos, Terapeutas Ocupacionais, Fisioterapeutas, Psicomotricistas e outros profissionais relevantes para a intervenção, mas também do conjunto de outras pessoas, individuais ou colectivas, que compõem a rede relacional e ocupacional da pessoa

As equipas com diferentes profissionais proporcionam diversas abordagens de intervenção, a qual deve ser centrada na pessoa e nas suas necessidades

A multidisciplinaridade permite, neste sentido, uma visão global das problemáticas e das oportunidades, a partir de um conjunto de perspetivas profissionais relevantes, ainda que diferentes. A equipa deve, portanto, ser eclética, flexível nas práticas, dinâmica na modalidade e no cronograma do plano de intervenção e utilizar uma variedade de técnicas, saberes, metodologias e estratégias para aumentar as capacidades da pessoa e atingir os seus objetivos.

13

COMO IMPLEMENTAMOS A ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR NA MR TERAPIAS?

A nossa visão de Equipa Multidisciplinar abrange uma série de procedimentos internos, que pretende capacitar os profissionais de maior conhecimento através da partilha entre eles, sendo eles:

Reuniões entre os Técnicos da mesma especialidade intervisão de casos clínicos e/ou temas específicos, característicos da especialidade

Na MR Terapias, o modelo de equipa tem a visão da pessoa como um todo e é centrada no indivíduo, considerando a família e as redes de suporte como parte integrante da mesma (imagem 1)

Reuniões multidisciplinares grupo composto por Técnicos de diversas especialidades reúne com o objetivo da partilha de saberes, seja através da sua perspetiva do mesmo caso clínico, seja pela formação sobre temas pertinentes

Articulação permanente com outros profissionais externos pe, Educadores/Professores Titulares de Turma/Diretores de Turma, Professores de Educação Especial, Auxiliares de Ação Educativa, Médicos de diversas especialidades, Técnicos externos, entre outros que façam parte do processo educativo, social, ocupacional e/ou terapêutico da pessoa

Formação interna com formadores externos ou internos especializados em temáticas vistas como fundamentais na prática clínica, quer na área terapêutica, quer na médica e social, que pretende instruir a equipa para uma intervenção mais abrangente, atualizada e eficaz

IMAGEM 1

14

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR NA CRIANÇA

(questões frequentes)

1.

Será que a criança precisa deste tipo de abordagem?

Qualquer criança poderá beneficiar desta abordagem, sendo os Técnicos intervenientes definidos de acordo com cada situação. Quanto mais complexa a problemática, maior a probabilidade desta abordagem ser adequada.

2.Como funciona esta abordagem na MR Terapias?

Quando é feito um pedido de acompanhamento é realizada uma avaliação cuidadosa das necessidades que a criança apresenta e qual(quais) a(s) especialidade(s) que melhor pode(m) dar resposta e em que momento da intervenção Tendo em conta os procedimentos internos da MR Terapias, os Técnicos das várias especialidades poderão intervir diretamente ou de forma indireta, fazendo consultoria interna e dando aconselhamentos sobre os casos aos outros profissionais ou pais

3.Que profissionais integram as equipas multidisciplinares na MR Terapias?

Na MR Terapias contamos com Terapeutas da Fala, Terapeutas Ocupacionais, Psicólogos e Psicomotricistas com intervenção direta, fazendo também parte da nossa intervenção a articulação com entidades externas (p.e., escolas, hospitais, entre outros).

4.Como

saber quais os profissionais a integrar a equipa do meu filho?

Os profissionais a integrar na equipa dependerão da problemática de cada criança e das prioridades de intervenção, respeitando os objetivos da família e após uma criteriosa avaliação

5.Como saber mais sobre esta abordagem?

Qualquer Técnico da MR Terapias está capacitado para esclarecer todas as questões relacionadas com a abordagem multidisciplinar, tais como as suas vantagens e as formas de operacionalização.

15

ESTUDO DE CASO

16
“UMA ANDORINHA NÃO FAZ A PRIMAVERA”

São vários os benefícios que uma equipa bem afinada e integrada pode trazer para um acompanhamento mais eficaz do paciente Uma equipa, verdadeiramente multidisciplinar, autoconstrui se progressivamente, e cresce de forma harmoniosa e interessada na recuperação do paciente

Nesse sentido é crucial que exista cooperação dentro da equipa, visando uma comunicação fluida, onde exista partilha de informações relevantes sobre o paciente É igualmente importante, estar disposto a aprender com os restantes colegas e profissionais, bem como encorajar e motivar os outros colegas, de forma a construir um bom espírito de equipa De

na MR abaixo encontram

se breves
caso,
problemáticas,
ESTUDO DO CASO: 11 ANOS, 4º ANO DE ESCOLARIDADE ACIDENTE DE ALTA CINÉTICA, RESULTANDO DE TCE GRAVE, COM CONSEQUENTE AFASIA E HEEMIPARÉSIA INICIA O ACOMPANHAMENTO NA MR TERAPIAS JULHO 2021 OUTUBRO 2021 JULHO 2022 EVOLUÇÕES ARTICULAÇÃO EXTERNA Funcionamentoexecutivo; Perceçãovisuoespacial; Linguagem Capacidadesmnésicas; Raciocínio N E U R O P S I C O L O G I A EnvolvimentoautónomonasAVD’scomoo vestr/despir lavarosdentes alimentação Envolvimento ativo do Membro superior direito nas atividades significativas como a escrita AVD’s Atividadesdesportivas; AdaptaçãodasAVD’s; Desenvolvimento de postura adequada no envolvimentonasatividades T E R A P I A O C U P A C I O N A L Evocaçãolexical Memóriaauditivaverbal; Memóriafonológica; Adequação pragmática do discurso nosvárioscontextosdevida 2x semana 3x semana 3x semana N E U R O P S I C O L O G I A T E R A P I A O C U P A C I O N A L Permanece mais tempo na execução de tarefas; Maiorcapacidadederesistiràfadiga; Memoriza uma quantdade crescente de informação; Armazena informação verbal com contexto Integração do Membro afetado num maior númerodeatividadesdodiaadia Melhorias significativas ao nível das competênciasneuromotoras emespecalao nível do equilíbrio dinâmico controlo postural movimento ativo do membro superior; Os movimentos do membro superior ainda não asseguram uma apreensão global consistenteefuncional Velocidadeeprecisãoleitora; Fluênciaverbal Capacidade oral e escrita de responder adequadamenteaocontexto; Capacidades de evocação semântica e fonológica Profissionaisqueacompanharampreviamente; Outros profissionais que acompanham atualmente(eg explicadores); CoordenadordoEnsinoEspecialeprodessores de forma a facilitar a reentrada no contexto escolar T E R A P I A D A F A L A T E R A P I A D A F A L A CASO 1 17
modo a ilustrar a dinâmica de acompanhamento multidisciplinar
estudos de
demonstrando
intervenções e evoluções:

quadro clínico, o que dá origem a mais discussões e, consequentemente, uma avaliação da criança mais abrangente e compreensiva. Esta variedade de olhares pode ter como resultado uma melhor abordagem terapêutica o que, por sua vez, pode originar uma

mais célere e que vá de encontro às reais necessidades da criança

Estratégias para o contexto escolar Articulação com os médicos de referência de forma a dar feedback de evoluções e necessidades da criança ESTUDO DO CASO: 03 ANOS, PRÉ-ESCOLAR AdiçãodeTOeTFde formaacolmataras necessidadessensoriais, funcionaisede comunicação. T E R A P I A O C U P A C I O N A L Disfunção de integração sensorial: alterações na perceção somatossensorial e vestibular bem comopráxicas Dificuldades no partcipação autónoma nasAVDS brincareparticipaçãosocial
mesmo
do quadro clínico
CRIANÇA COM PERTURBAÇÃO DO ESPETRO DO AUTISMO REFERENCIADO POR ALTERAÇÕES NA INTERACÇÃO E NO PROCESSAMENTO SENSORIAL INICIA O ACOMPANHAMENTO NA MR TERAPIAS P S I C O M O T R I C I D A D E AtrasoGlobaldoDesenvolvimento Psicomotor; Dificuldadesnainteraçãocomosseuspares (isolamento); Dificuldadesnocumprimentodeordens simples; Dificuldadesaoníveldatonicidade equilíbrio praxiaglobalepraxiafina T E R A P I A D A F A L A Expressava alegria tristeza e prazer atravésde expressõesfaciais rir chorar birraseafastar; O contacto ocular a interação com o outro areaçãoaointerlocutor odirigiro olhareram momentosrarosedecurta duração Faziavocalizaçõesaltas eagudas; Produziamonossílabos(pe “ca”e“gu”); Não demonstra compreender ordens e frases simples, executava as ações pela repetição e rotina das mesmas fosse usadoounãolinguagemoral Competênciasdelnguagem aquémdo expectável Comunicação: FalaeLinguagem: Semanal Clínica Semanal Clínica Semanal Escola EVOLUÇÕES ARTICULAÇÃO EXTERNA CONTINUIDADE DA INTERVENÇÃO UMA EQUIPA QUE TRABALHA EM CONJUNTO PARA SI P S I C O M O T R I C I D A D E T E R A P I A O C U P A C I O N A L T E R A P I A D A F A L A Melhorias na procura pelo técnico no aumentodocontactoocular Maior intencionalidade nas ações realizadas Adequação da postura à atividade desenvolvida Melhoria da consciência corporal e perceção vestíbulo propriocetiva melhor perceção dos objetos na mão e consequenteusodosmesmos; Perceção sensorial brincar mais significativoepartilhado; Participação mais ativa nas AVDs como pe novestir Reageàpresençadepessoasnomesmo ambiente; Procurainteraçãocomoutros; Estabelececontactoocularcomoparceiro comunicativocommaiorfrequênciaeduração Respondeàinteraçãodooutro; Direcionaoolhar/atençãoparaoparceiro comunicativocommaiorfrequênciaeduração Compreendeerespondealgunsgestos associadosapalavras(ex anda, vamos e dá) Identificaalgumaspartesdocorpo(ex pése mãos) Fazvocalizaçõesparaimitaramelodiaouvida Porvezesproduzpalavrasparaimitaraprodução doparceirocomunicativo(ex: aíquidá paradáe sauro paradinossauro) JULHO 2022 SETEMBRO 2021 CASO 2 18
Em conclusão, através do trabalho em equipa é possível ter várias pessoas a olhar para o
evolução
ÁREA 726 ÁREA 311 ÁREA 146 E formacao@mrterapiaspt BALANÇO DO ANO FORMATIV0 2021 JUNTOS CONSTRUÍMOS CONHECIMENTO A Academia by MRT é uma entidade certificada para as áreas de educação e formação: 143 Educação de Infância; 146 Professores e Formadores; 311 Psicologia; 726 Terapias e Reabilitação. WEBINARES À MEDIDA 19
20

JÁ OUVIU FALAR EM TERAPIA GAMIFICADA?

Manter os pacientes cativados durante o tratamento terapêutico nem sempre é uma tarefa simples, principalmente porque o paciente vai para a terapia estimular áreas nas quais apresenta alguma dificuldade. Se as atividades utilizadas forem repetitivas, poderão desanimar os pacientes, fazendo com que o processo terapêutico se torne mais lento do que o planeado.

TERAPIA ATRAENTE & DESAFIADORA

Na saúde, a gamificação passou a ser aplicada considerando se três vertentes: promoção do bem estar, tratamento e treinamento de profissionais As aplicações acontecem de diversas formas, que podem ir desde o uso de aplicativos para acompanhamento de atividades, como definição de um plano terapêutico considerando a arquitetura de um jogo, tornando o tratamento mais efetivo e divertido

Na plataforma Afinando o Cérebro encontrará mais de 160 atividades, entre jogos e áudios, desenvolvidas por especialistas e comprovadas cientificamente, como base na arquitetura da gamificação E mais, além de realizar tarefas no consultório, o seu paciente poderá continuar em casa

Ofereça o que há de mais inovador para o seu paciente

21
EXPERIMENTARGRATUITAMENTE

"Processamento Auditivo Central refere se à forma como percebemos o mundo Por isso é um tema que transcende as habilidades auditivas, envolvendo o desenvolvimento da fala, da linguagem, monitorização da voz, a aprendizagem e a comunicação no geral As Jornadas PAC permitiram ao Terapeuta da Fala e ao Audiologista contato com conhecimentos técnicos e ferramentas que agora serão disponibilizados em português europeu, trazendo inovação à sua atuação terapêutica Imperdível!"

"Sou fonoaudióloga e recém chegada a Lisboa Poder acompanhar as Jornadas sobre PAC é uma oportunidade ímpar de atualização A Academia MR Terapias conta com equipa capacitada para ensinar sobre um tema que acredito ser relevante no trabalho de audiologistas e terapeutas da fala na área, desde a avaliação até a terapia, associando ciência à prática Recomendo a todos os profissionais da área"

Ingrid Gielow | Fonoaudióloga Na presença de quatro oradoras, especialistas da área do Processamento Auditivo Central foram debatidos vários temas que se completaram e criaram a primeira edição das Jornadas do Processamento Auditivo Central da Academia by MR Terapias
| Fonoaudióloga 22
Camila Madruga Rimol

OFERTA FORMATIVA 2023

No ano 2023, a Academia by MR Terapias propõe se a realizar ações de formação externa e de formação à medida, como a seguir se apresenta

DESTINATÁRIOS

Terapeutas da Fala

Psicólogos

Educadores de Infância

Psicomotricistas

Terapeutas Ocupacionais Professores

Profissionais na área da Saúde

Público Geral Pais

Assistentes Sociais Audiologistas

Profissionais da Saúde, da Educação e Social

Mediadores Sociais Formadores

SOLUÇÕES PARA A SUA INSTITUIÇÃO

Outra vertente da atividade da Academia by MRT é a realização de formação adaptada à realidade, necessidades e objetivos de cada cliente, através do ajuste de cursos já existentes ou da criação de novos

Para mais informações fale connosco: formacao@mrterapias pt

Acompanhe as atualizações no nosso site 23

A par da sua atividade clínica, a MR Terapias colabora com diversas Instituições de Ensino Superior, de forma a contribuir para o crescimento pessoal e profissional dos estudantes de licenciatura e mestrado nas áreas da Terapia da Fala, Psicologia e Psicomotricidade, através de estágios curriculares e profissionais

p , g e de Psicomotricidade, o que mais me fascina, mostrar o quão a minha profissão é me querida e como é importante na vida dos pacientes Para além de demonstrar como atua o Terapeuta da Fala tentei que compreendessem como é fundamental trabalhar com uma equipa multidisciplinar e como é que as várias especialidades se complementam para que em equipa possamos ajudar os pacientes

Leonor Santos

Terapeuta da Fala na MR Terapias desde setembro 2016

A experiência de estágio na MR Terapias caracteriza se como uma das melhores. É uma empresa de sucesso bem estruturada, com trabalho multidisciplinar que prima pela excelência, incentivando e estimulando o nosso crescimento a nível profissional.

A característica que se destaca é a boa comunicação entre todos os profissionais que compõem a MRT com uma equipa acolhedora e sempre disponível, que nos faz sentir mais confiantes e com espaço para evoluir.

Marta Leitão

Estagiária

de Psicologia (2021 2022)

A Formação Avançada em Pediatria para Terapeutas Ocupacionais apresenta uma lista de temas essenciais para quem está a começar na área da terapia ocupacional pediátrica

Para além de todas as temáticas abordadas, o que enriquece mais são as formadoras, terapeutas ocupacionais de excelência que nos ensinam muito mais do que teoria.

Renata Xará

Formanda da 1ª edição da Formação Avançada em Pediatria para Terapeutas Ocupacionais

24

FMH & MR Terapias uma parceria de qualidade!

A missão das instituições de ensino superior passa pela formação de profissionais qualificados, devendo a sua ação ser caracterizada pela excelência do ensino e da investigação através da criação de oportunidades de aprendizagem e objetivando o sucesso académico dos seus alunos A parceria com a comunidade destacando se particularmente as atividades de estágio, revela se como uma das etapas fundamentais e mais aguardadas pelos estudantes, que experienciam assim, pela primeira vez, o exercício daquela que será a sua futura atividade profissional Desta forma, se entende que a qualidade do desempenho seja então um dos critérios que norteia a seleção de entidades parceiras e que se alinhem com os objetivos propostos de cada ciclo (área) de estudos Este momento alto na Reabilitação Psicomotora, não desfazendo outras experiências ao longo do plano de estudos, ocorre com o estágio, seja em 1º como 2º ciclo (mestrado)

O estágio procura colocar na prática o conjunto de conhecimentos adquiridos, proporcionando aprendizagem e treino especificamente direcionados para o exercício da atividade profissional em contexto real Para tal, torna se essencial que o estagiário tenha contacto direto não só com as pessoas a quem presta apoios e respetivas famílias, bem como com as equipas de intervenção e com o funcionamento institucional real e na comunidade É neste sentido que a parceria com a MR Terapias se ergue como uma parceria valiosa para o futuro de qualquer psicomotricista, sendo um local de excelência de aprendizagem com o transfere dos conhecimentos em práticas inovadoras e de qualidade, promovendo a análise crítica, e colocando o cliente/família no centro de qualquer programa/planeamento, supervisionadas por uma colega psicomotricista sénior e qualificada, coadjuvada por uma equipa coesa, ativa, dinâmica e pedagógica. Esta supervisão atenta e permanente reforça a aplicação dos saberes próprios da especialidade (e.g., avaliação e intervenção psicomotora) considerando a diversidade contextual, identificando facilitadores ou inibidores do desenvolvimento psicomotor para a reflexão sobre as medidas mais adequadas a providenciar. A escuta ativa, a partilha de informação e a comunicação recíproca atua como uma rede contentora onde o estagiário pode explorar as suas próprias capacidades, numa perspetiva de crescimento profissional, mas também pessoal e que pretende a eficácia da intervenção dos futuros psicomotricistas, para a qualidade de vida dos clientes a quem prestam o apoio. O desenvolvimento de um espírito crítico, e da articulação entre todos os intervenientes, de acordo com os princípios éticos e deontológicos da profissão, concorre para o bem comum e é a base para projetos empreendedores e inovadores na e com a comunidade e que pretende marcar a diferença.

A MR Terapias e a Faculdade de Motricidade Humana unem se no lema a que se propõem: um percurso de excelência para um futuro de qualidade!

Sofia Santos

Professora da Faculdade de Motricidade Humana Universidade de Lisboa

25

OIMPACTODA UTILIZAÇÃODA MÁSCARANA RELAÇÃO TERAPÊUTICA

No ano de 2021 foi realizado um projeto de investigação na MR Terapias intitulado “O impacto da utilização da máscara na relação terapêutica”, com o objetivo de identificar e analisar os efeitos decorrentes de utilização da máscara ao nível da comunicação e da relação entre terapeuta e cliente, na área da Psicomotricidade, Terapia da Fala e Psicologia, procurando pistas de sucesso para as práticas futuras, seja em situação, ou

ou não, de pandemia, dada a obrigatoriedade da utilização da mesma, por motivos de prevenção e contenção da pandemia COVID 19. Este projeto, em contexto de estágio de mestrado em Reabilitação Psicomotora, foi relevante para a instituição, dado o caráter de provisão de apoios onde o corpo atua como mediador, e a comunicação verbal e não verbal assumem um papel determinante

P
A Ç Ã O
R O J E T O D E I N V E S T I G
26

A identificação das mais valias e dificuldades sentidas pelos intervenientes na relação terapêutica permitiram aos clientes e técnicos adotar diferentes estratégias, como falar mais devagar e acompanhar com gestos, priorizar o contacto visual e o toque e a demonstração das atividades

MAIS VALIAS

Técnicos: Clientes:

proteção, aquecimento do rosto e esconder expressões desagradáveis

“nada”, proteção, aquecimento do rosto, esconder o acne e comer sem ser visto

DIFICULDADES Dificuldades de comunicação Dificuldades respiratórias Desconforto físico 27

INTERNACIONAL DE PSICOLOGIA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Um dos pilares de excelência da MR Terapias, Formação e Consultoria, Lda é a sua aposta na procura ativa de conhecimento, o qual acreditamos poder ser particularmente relevante quando colocado ao serviço das intervenções que realiza Neste sentido, valorizando fortemente a realização de projetos de investigação, a MR Terapias assinalou a sua presença no XII Congresso Internacional de Psicologia da Criança e do Adolescente, na Universidade Lusíada, com o poster "É preciso uma aldeia para criar uma criança fatores de risco e proteção no modelo ecológico de desenvolvimento"

OBJETIVO OBJETIVO OBJETIVO

As autoras pretenderam contribuir para o conhecimento das variáveis de suportam um crescimento e um desenvolvimento harmonioso, do ponto de vista psicológico, mas também ocupacional, relacional e académico, e quais aquelas que comportam maior vulnerabilidade, ambas perfilando se dinâmica e ativamente numa perspetiva ecológica e sistémica de influência e interação mútuas.

Destaca se que os profissionais de saúde e de educação devem estar particularmente atentos aos fatores de risco, conhecê los e perceber os seus efeitos, porém analisá los à luz da realidade de cada criança e do seu

contexto, bem como da existência de fatores de proteção que atuem sobre estes

Neste sentido, as autoras salientam que os fatores de risco por si só podem não constituir uma causa específica para um determinando efeito negativo, mas sim indicar um elemento que é parte de um processo complexo e que pode explicar a ocorrência de um determinado fenómeno.

De igual forma, e relativamente aos fatores de proteção, salientamos que, ao observar cada caso/criança/família, é imprescindível identificar as competências, os pontos fortes e as habilidades de todos os membros do sistema no sentido de fomentar contextos que promovam o bem estar geral da criança.

XII CONGRESSO
28
29

NOTA FINAL

Queridas famílias,

Sobre vós há tanto a dizer, há tanto que deve ser dito!

Temos de vos confessar que se fazemos a diferença na vossa vida, acreditem que vocês também a fazem no nosso trabalho! Nenhuma equipa estará completa sem que vocês façam parte dela

O vosso papel é fundamental no processo terapêutico, desde o primeiro momento em que procuram ajuda, até ao momento da alta Dão nos a conhecer as vossas fragilidades, preocupações e receios, abrindo a “porta de vossa casa” e recebendo os membros da equipa que escolheram para ajudar a cuidar de alguém que vos é querido

Muitas das vezes emprestamos vos os nossos óculos terapêuticos para que consigam ver aquilo que nós vemos, as vitórias dos vossos Às vezes podemos ir a correr, a caminhar, subindo um degrau de cada vez, e mesmo com obstáculos, nunca nos podemos esquecer da meta O caminho é feito em diferentes velocidades, o importante é continuar e acreditar, para que a segurança e confiança sejam transmitidas a quem é o alvo direto de intervenção É desta forma que a evolução terapêutica deve ser vista!

Todas as semanas estão presentes no nosso pensamento, desde uma chamada telefónica através do altifalante do carro, a uma escolha de materiais, imaginando como se poderão adaptar ao vosso lar e às vossas rotinas É essencial que no nosso trajeto possamos contar com o vosso reconhecimento e participação ativa, para que juntos conquistemos o expoente máximo de cada um

Reforçamos que o amor e a união que existem dentro da realidade de cada família é que dá impulso e incentiva à aprendizagem, valores fundamentais para o sucesso da nossa prática!

Resta nos agradecer a todas as famílias que passam, estão e ficam

30

Atividade

POTE DAS CONVERSAS

Materiais necessários para esta atividade: POTE PAPEL CANETA TESOURA

Instruções:

Sentem se confortavelmente em família e recortem tiras de papel Distribuam os papéis pelos familiares e escrevam perguntas ou temas que gostavam de abordar Dobrem os papeis e coloquem nos dentro do pote No sentido dos ponteiros do relógio, começando pelo elemento mais novo, retirem um papel à vez e falem ou respondam ao que está escrito Divirtam se e disfrutem deste momento em família!

Exemplos de perguntas:

Como imagino a minha vida dentro de 5 anos?

Se fosse um animal qual seria? Porquê?

Qual foi o dia mais espetacular da minha vida? Porquê?

Se encontrasse o génio da lâmpada, quais eram os 3 desejos que pediria?

31