Magazine by MR Terapias

Page 1

Uma Equipa Que Cuida de Si

MAGAZINE

by MRterapias

DEZEMBRO 2021

EDIÇÃO 01


Ficha Técnica Diretora da Newsletter: Margarida Riscado Edição, Redação e Design: Equipa MR Terapias (Andreia Agostinho, Ana Coutinho, Carolina Marques, Inês Santos, Kateryna Vasylenko, Lia Barros, Maria Pardal, Márcia Correia, Márcia Pereira, Raquel Paulino, Sílvia Sousa e Paula Gouveia). Convidado Especial: Prof. Nuno Santos Reis Morada: Rua Álvaro Pedro Gomes, 17, Lote 2, Urbanização Real Forte


ÍNDICE 4

5

EDITORIAL

Nota de abertura - Diretora Clínica

MR TERAPIAS Quem somos? Os nossos espaços Corpo Clínico

9 SERVIÇOS Área Clínica Especialidades

11 12 14 17 24

TERAPIA EM TEMPOS DE COVID PROJETO EM DESTAQUE

“Estimulação de competências comunicativas e linguísticas”

ACADEMIA BY MR TERAPIAS Estágios Formação Investigação

PROJETOS FUTUROS

ProBrain Processamento Auditivo Central Plano Formativo 2022

CUIDAR

Artigo de opinião - Drª Maria Fátima Pardal

26

ENTREVISTA

30

NOTA FINAL

31

Diretor do Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide

Campanha MR Solidária

ATIVIDADE

Jogo de Natal

OS NOSSOS CONTACTOS


EDITORIAL

Neste Editorial da 1ªedição da Magazine by MR Terapias, não poderia deixar de aqui expressar o meu orgulho em fazer parte, enquanto Diretora Clínica, deste projeto diferenciador e promotor de um sentido de autenticidade e excelência perante o cliente. Ao assumirmos a ambição de fazer da MR Terapias, Formação e Consultoria uma referência na prestação de cuidados de saúde de excelência, acreditamos que é também nosso dever promovermos um serviço digno, de rigor na forma como comunicamos com os nossos vários públicos, os clientes, parceiros, fornecedores e os nossos colaboradores, sem os quais nunca seria possível ultrapassarmos, com sucesso, os desafios que enfrentamos. Esta magazine da MR - Terapias, Formação e Consultoria é, por isso, um veículo muito importante de comunicação online para fortalecer vínculos, assim como para

divulgar a excelência da nossa oferta de cuidados de saúde aliada à procura constante e inovadora das melhores soluções para cada cliente quer ao nível clínico, quer ao nível da Formação, através da Academia by MR Terapias. Na MR - Terapias, Formação e Consultoria queremos assumir um estatuto de liderança na nossa área de atuação, aliando essa ambição a uma cultura e identidade marcadas pela nossa Visão e Missão, contribuindo para o desenvolvimento do potencial, qualidade de vida e bem-estar da pessoa integrada em sociedade, através de um conjunto de ações e serviços personalizados. Acreditamos que esta nova magazine terá todas as condições para ganhar vida própria e conquistar o seu espaço, tornando-se assim em mais um meio de comunicação estreita consigo.

01| EDIÇÃO DE DEZEMBRO 2021 MAGAZINE BY MRTERAPIAS

4


MR TERAPIAS MR – Terapias, Formação e Consultoria, Lda.

A EMPRESA A

MR

Terapias,

Consultoria, Lda.

é

Formação uma

e

empresa

fundada em 2010 que centra a sua intervenção na saúde, na educação, na formação e investigação, numa perspetiva holística da pessoa e da sua situação. A orgânica institucional da MR Terapias integra três áreas de atuação: Intervenção Clínica/Apoios Técnicos; Academia by MRT e Áreas de suporte.

Direção

Serviços administrativos e financeiros

Intervenção clínica/apoios técnicos

Contabilidade

Formação

Academia

Marketing e Comunicação

Investigação e Consultoria

5


APRESENTAÇÃO DOS NOSSOS ESPAÇOS

SEDE - SACAVÉM

REAL FORTE - SACAVÉM

PARQUE DAS NAÇÕES

T. 211 622 802 // 911 738 111 Morada: Rua Álvaro Pedro Gomes, 17, Lote 2, Urbanização Real Forte

T. 219 411 949 // 932 291 270 Morada: Praça Manuel Joaquim Afonso, nº4 – loja 2

T. 211 936 612 // 910 531 123 Morada: Alameda dos Oceanos, 100A 1990-238 Parque das Nações

ALCÂNTARA

BAIRRO DE SANTIAGO

FETAIS

T. 218 231 459 // 932 291 270 Morada: Rua Jau, 42-b 1300-456 Lisboa

T. 211 622 802 // 911 738 111 Morada: Rua 25 de abril, 17A 2680070 Camarate

T. 211 622 802 // 911 738 111 Morada:Rua Arpalas (dentro do Centro Comercial) 2680-134 Camarate

DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

Coordenador do DSAF: Luís Graça

DSAF - Real Forte: Marta Cipriano

DSAF - Expo: Orquídia Sobral

DSAF - Sede: Paula Gouveia

DSAF - Sede: Cláudia Duarte

DSAF - Academia: Angelina Ferreira

DSAF - Alcântara: Inês Rodrigues

DEPARTAMENTO DE MARKETING

Diretora de Marketing Inês Santos

Especialista em Mkt Digital Kateryna Vasylenko

6


CONHEÇA O NOSSO CORPO CLÍNICO TERAPIA DA FALA

Coordenação Academia Ana Coutinho

Ana Campos

Carolina Francisco

Joana Carpelho

Leonor Santos

Márta Nogueira

Coordenação Academia Carolina Marques

Ana Anastácio

Cátia Mansilha

Joana Carreira

Coordenação Corpo Clínico Maria Pardal

André Gonçalves

Cláudia Amaro

Joana Lamancha

Coordenação Corpo Clínico Lia Barros

Andreia Agostinho

Daniela Espadinha

Juzidmara Pontes

Lúcia Chemegas

Márcia Correia

Márcia Pereira

Raquel Paulino

Sílvia Sousa

Teresa Rolho

Catarina Doro

Inês Viegas

Leila Charrua

Máriana Vasconcelos

Tiago Gomes

7


PSICOLOGIA

Afonso Martins

Ana Rocha

Inês Fernandes Costa

Mara Candeias

Rita Guerreiro

Ana Veríssimo

Diana Bandeira

Maria Margarida Furtado

Pedro Fernandes

Sara Moniz

Tiago Silva

TERAPIA OCUPACIONAL

Maria Assis

Rita Cardoso

PSICOMOTRICIDADE

Ana Calado

André Silva

8


OS NOSSOS SERVIÇOS Área Clínica

SERVIÇOS Os nossos serviços estão também

acessíveis

a

pessoas com dificuldades económicas

através

da

nossa vertente social onde comparticipamos o custo dos

cuidados

clínicos

e

terapêuticos.

AS NOSSAS ESPECIALIDADES Terapia da Fala Esta especialidade dirige-se a toda a população, em qualquer fase do ciclo de vida. Área científica que se dedica às funções estomatognáticas e à comunicação humana. (Tal como respiração, fonação, sucção, mastigação e deglutição, linguagem oral e escrita, processamento auditivo central, fala, fluência, voz e comunicação).

Terapia Ocupacional Visa promover a participação e envolvimento em ocupações significativas - lazer, trabalho, brincar, e atividades da vida diária como vestir ou comer - de forma autónoma e satisfatória, promovendo a saúde e o bem-estar do cliente. Para além da intervenção convencional, temos avaliação e intervenção em Integração Sensorial (ASI®️) e Terapia da Mão e Reabilitação do Membro Superior.

Psicologia Área que se dedica ao comportamento e processos mentais relativos a indivíduos e a grupos humanos. (Psicologia Clínica, Psicologia Educacional, Orientação Vocacional, Neuropsicologia, Grupos Terapêuticos, Aconselhamento parental e familiar, Avaliação Psicológica, Terapia Familiar Sistémica).

Psicomotricidade Especialidade que estuda o ser humano através do seu corpo em movimento, na relação entre as funções psíquicas e a motricidade.

Outras Especialidades Educação Especial, Musicoterapia, Neurologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pedopsiquiatria, Psicoterapia Breve, Processamento Auditivo Central, Serviços Complementares.

9


Área Clínica “Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo” (Fernando Pessoa) A articulação entre técnicos que dão apoio ao mesmo indivíduo, a reflexão conjunta através de intervisões e supervisões clínicas, bem como as reuniões multidisciplinares, são momentos de verdadeira aprendizagem e crescimento para todos os profissionais, não só reforçando o seu crescimento individual e atualização científica, mas também a cultura do trabalho em equipa. Assim, a equipa estimula a procura de possibilidades diagnósticas, o conhecimento sobre as áreas técnicas de cada um, potenciando melhores encaminhamentos, o sentido crítico em relação à intervenção clínica e a criatividade na procura de soluções, que potenciem a maior funcionalidade dos nossos utentes.

A equipa da MR Terapias reúne-se semanalmente para a discussão de casos clínicos e articula diariamente, porque acredita que uma equipa que se procura e se ouve, que questiona e se inquieta, constrói em conjunto por saber que só assim se constrói melhor. Na MR Terapias, as pedras são as oportunidades, a comunidade escolar, a família, os técnicos que constituem a equipa, e que todos juntos, contribuem para a construção de um castelo harmonioso, que é a pessoa que acompanhamos.

ONDE ESTAMOS?

+

+90

CLÍNICA

INSTITUIÇÕES

ONLINE DOMICÍLIO

CURIOSIDADE: 7% DOS NOSSOS APOIOS SÃO ONLINE E SURGIRAM DEVIDO À PANDEMIA

+30 AGRUPAMENTOS

10


VIDEOCONSULTAS

T E R A P I A T E M P O S

E M D E

P A N D E M I A

No contexto da pandemia de COVID-19, a MR Terapias passa a disponibilizar o serviço de videoconsultas, contribuindo desta forma para a redução de deslocações evitáveis por parte dos nossos utentes. - O que dizem as crianças sobre isso? Ver video

DIA DO AMIGO Para celebrar o Dia Internacional do Amigo, apresentámos alguns dos testemunhos reais das nossas crianças sobre o que é o amigo para si, através de um desenho.

...PODER CONFIAR

AFINAL QUAL É O SIGNIFICADO DO BRINCAR? Na MR Terapias o brincar é uma ferramenta fundamental. Junto dos nossos colaboradores e clientes, tentamos perceber qual o seu significado!

EM ALGUÉM.

...BRINCAREM CONNOSCO.

...É COMO SE FOSSE UM IRMÃO.

...É UMA FAMÍLIA!

11


Projeto em DESTAQUE “Estimulação de competências comunicativas e linguísticas”

Considerando a prevalência e o impacto das alterações de fala e linguagem na aprendizagem das competências de leitura e escrita é fundamental sensibilizar a comunidade educativa e os cuidadores primários das crianças para a identificação de eventuais dificuldades. Por este motivo, entre abril e julho do presente ano, a MR Terapias desenvolveu este projeto com a Junta de Freguesia de Arroios, em dois jardins-de-infância (JI do Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves), (JI da Pena e EB/JI Sampaio Garrido).

GRUPOS DE ESTIMULAÇÃO Crianças falantes do português europeu ou outra língua materna, por exemplo, nepalês e paquistanês. OBJETIVO: Identificar precocemente crianças em risco de terem alterações de linguagem e fala, a fim de reduzir ou eliminar estas dificuldades através de uma resposta terapêutica adequada às necessidades de cada criança/família. LOCAL Agrupamento de Escolas Gonçalves

Nuno

POPULAÇÃO-ALVO 25 crianças, dos 4 aos 6 anos.

12


AVALIAÇÃO 17 crianças - acompanhamento individual por dificuldades linguísticas. 8 crianças programa de estimulação da língua portuguesa como língua não materna.

MÉTODO 5 grupos de estimulação dinamizados por duas terapeutas da fala, através de 4 sessões com a duração de 60 minutos cada;

PROCEDIMENTOS Recolha de dados da história clínica e do desenvolvimento através de entrevistas (anamnese) com os pais e educadoras; Aplicação de instrumentos formais, com o objetivo de avaliar as competências ao nível da fala, linguagem e comunicação das crianças; Elaboração e entrega de relatórios técnicos, onde constavam os dados recolhidos, a respetiva análise, uma hipótese diagnóstica, encaminhamentos clínicos relevantes para cada criança e uma sugestão face à melhor abordagem terapêutica. RESULTADOS Os pais e os docentes foram sensibilizados para as problemáticas da fala e linguagem das crianças, abrindo a possibilidade de dar uma resposta cada vez mais atempada e ajustada às suas necessidades, o que irá certamente ter um impacto no seu bem-estar emocional, e nas suas competências, tanto sociais como académicas, a longo prazo.

13


ACADEMIA BY MRT E. formacao@mrterapias.pt A Academia by MRT é uma entidade certificada para as áreas de educação e formação: 143 – Educação de Infância; 146 – Professores e Formadores; 311 – Psicologia; 726 – Terapias e Reabilitação.

Ao longo dos anos e com a certificação da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT), a Academia by MRT solidificou a sua experiência nas áreas da formação e consultoria, aperfeiçoando a sua eficácia e ampliando a sua capacidade de ação de forma sustentada e reconhecida pelos seus clientes e parceiros. Com

formação

adaptada

à

realidade,

necessidades e objetivos de cada cliente, através do ajuste de cursos já existentes ou da criação de novos cursos. Os conteúdos e

Tem como propósito capacitar profissionais de saúde, da educação e da área social, nomeadamente, educadores de infância, professores dos vários níveis de ensino, assistentes e educadores sociais, prestadores de cuidados informais e ainda outros profissionais que, de uma forma direta ou indireta, necessitem de desenvolver competências relacionadas com a gestão das perturbações do desenvolvimento, emocionais e/ou perturbações de crianças, jovens e adultos e a sua integração na sociedade.

metodologias são definidos com enfoque na prática profissional e no crescimento do capital

individual

e

coletivo

da

instituição/empresa. Os

nossos

cursos

contam

com

metodologias ativas e dinâmicas, com uma bolsa

de

formadores

altamente

qualificados, com experiência profissional e formativa nas áreas de certificação.

Morada: Praça Manuel Joaquim Afonso nº9, loja 9, 2685-245 Sacavém, Portugal T. 211 974 002

14


DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E INVESTIGAÇÃO O acesso a diferentes populações e problemáticas e a sua compreensão numa visão interdisciplinar exige uma reflexão sistemática, baseada no método científico, que nos permitirá transformar e dar um novo significado ao conhecimento.

79339 20

VOLUME DE FORMAÇÃO

110H 30MIN

Nº DE AÇÕES Nº DE HORAS

FORMAÇÃO 2021

RECEBEMOS

ESTÁGIOS 2021

+30

ESTAGIÁRIOS

INVESTIGAÇÃO 2021

Conscientes da importância da investigação para a construção, desenvolvimento, solidificação e inovação deste conhecimento, a MR Terapias encontra-se a desenvolver projetos de investigação com várias entidades parceiras.

15


ESTÁGIOS

2020/21 Terapia da Fala

A par da sua atividade clínica, a MR Terapias colabora com diversas Instituições de Ensino Superior, de forma a contribuir para o crescimento pessoal e profissional dos estudantes de licenciatura e mestrado nas áreas da Terapia da Fala, Psicologia e Psicomotricidade, através de estágios curriculares e profissionais.

Escola Superior Alcoitão - 9 alunos

de

Saúde

do

Instituto Politécnico de Leiria - 3 alunos Instituto Politécnico de Setúbal - 4 alunos

2021/22

Escola Superior Alcoitão - 4 alunos

2020/21

de

Saúde

do

Instituto Politécnico de Leiria - 4 alunos

Psicologia e Psicomotricidade Universidade Católica Portuguesa - 1 aluna

ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida - 2 alunas

2021/22 Psicologia

Parceria ISPA + Universidade Católica

- 2 alunos

UAL – Universidade Autónoma de Lisboa - 1 aluno

ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida -1 aluno Universidade Católica Portuguesa - 1 aluno Estágio Profissional 2021

Faculdade de Motricidade Humana - 1 aluno

Ordem dos Psicólogos Portugueses: 2 estagiários

16


INVESTIGAÇÃO SEMPRA

BIOVISUALSPEECH

Entidade Promotora:

Entidade Promotora:

Escola Superior de Saúde do Alcoitão Finalidade: Contribuir para a existência de um instrumento de avaliação da linguagem em crianças de idade escolar, validado para o Português Europeu. Objetivo: Validar as provas SEMPRA – provas de avaliação da semântica e da pragmática dirigidas a crianças entre os 7 e os 13 anos de idade.

Brasileiro

Finalidade: BioVisualSpeech é um projeto de investigação que pretende pesquisar mecanismos de interação natural e multimodal com o objetivo de fornecer biofeedback em Terapia da Fala através de jogos de computador. Objetivos:

PROGRAMA TERAPIA NA ESCOLA - A INTERVENÇÃO DO TERAPEUTA DA FALA NO CONTEXTO ESCOLAR EM PORTUGAL Entidade Promotora: XXVIII Congresso Fonoaudiologia

Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa | Escola Superior de Saúde do Alcoitão

de

Finalidade: Atualmente, estima-se que cerca de 48% das crianças em Portugal, apresentam dificuldades de aprendizagem, associadas ao grupo das Necessidades Educativas Especiais, das quais diversos estudos apontam para uma prevalência de 5% a 15% de dificuldades específicas da aprendizagem (Loureiro, 2014; Gonçalves, 2015). O programa “Terapia na Escola” tem como objetivo dar uma resposta terapêutica eficaz, promovendo o desenvolvimento das competências linguísticas, comunicativas, vocais, alimentares, entre outras, de crianças de idade pré-escolar e escolar no seu contexto educativo.

Manter as crianças empenhadas na realização dos exercícios, permitindo um melhor resultado terapêutico. Para isso, a plataforma inclui um ambiente interativo com estímulos visuais, vários jogos e um sistema de recompensas que motiva a criança a querer continuar o jogo, através de bio-feedback instantâneo; Fornecer um conjunto de ferramentas que permitam ao Terapeuta da Fala monitorizar e planear de forma mais facilitada a terapia em curso. Neste sentido, a plataforma inclui um aplicativo para análise pós sessão, onde as gravações audiovisuais da criança podem ser examinadas.

17


XI CONGRESSO INTERNACIONAL DE PSICOLOGIA DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Entidade Promotora: Universidade Lusíada Finalidade: Programa de intervenção preventiva e terapêutica em grupo para crianças entre os 08 e os 10 anos, em contexto escolar, destinado a população não clínica e clínica que apresente dificuldades de relacionamento e de comportamento. Objetivos: Promover a partilha de experiências; Sensibilizar as famílias para a importância das relações e das emoções; Capacitar as famílias para a importância de conter/regular/oferecer limites/dizer não; Promover identificações, explorar projeções; Sensibilizar para a importância dos lugares e papéis, da hierarquia do sistema, das ordens e desordens e do seu impacto nas crianças. Saiba mais sobre - Grupos Terapêuticos

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DA MÁSCARA NA RELAÇÃO TERAPÊUTICA Entidade Promotora: Faculdade de Motricidade Humana Finalidade: No âmbito das atividades de estágio do Mestrado em Reabilitação Psicomotora, da Faculdade de Motricidade Humana, a estagiária em Psicomotricidade Carolina Ventura desenvolveu um projeto de investigação na MR Terapias, com o objetivo de identificar e analisar os efeitos decorrentes da utilização da máscara ao nível da comunicação e da relação entre terapeuta e cliente, na área da Psicomotricidade, Terapia da Fala e Psicologia, procurando pistas de sucesso para as práticas futuras, seja em situação, ou não, de pandemia. Principais conclusões: A utilização de máscara acarreta dificuldades a nível comunicativo e respiratório; Os terapeutas sentem que a comunicação com os clientes se alterou devido ao uso de máscara; Os terapeutas das várias áreas adotaram estratégias diferentes para colmatar o uso de máscara; O facto dos clientes não sentirem que a sua relação com o terapeuta está afetada pelo uso de máscara, demonstra que as estratégias adotadas por parte dos terapeutas estão a resultar. 18



AFINANDO O CÉRBERO

NOVAS PARCERIAS A pensar em si, a equipa MR Terapias procura trazer as melhores ferramentas de trabalho para os Terapeutas da Fala. Assim uniu-se com a ProBrain para lhe trazer diversas soluções para avaliar e estimular as habilidades auditivas. Onde poderá escolher as atividades de acordo com as necessidades do seu utente, garantir um atendimento personalizado e ainda acompanhar a sua evolução, em qualquer lugar. Direcionado para pais e profissionais, brevemente disponível em português europeu na sua casa !

20


Ferramentas que permitem trabalhar de uma forma divertida e desafiadora

AFINANDO O CÉREBRO O Afinando o Cérebro é uma plataforma que estimula as competências comunicativas, de memória e de atenção, com jogos interativos e educativos. Possui diversas atividades que potenciam diferentes aspetos da comunicação e do processamento auditivo, de forma lúdica e divertida, podendo ser utilizado por terapeutas, pais de crianças em idade escolar, idosos, professores e pessoas que queiram desenvolver uma escuta mais ativa.

AUDBILITY O AudBility é uma plataforma online que permite a realização de um rastreio do Processamento Auditivo Central em cerca de 20 minutos, sem que seja necessária a sua realização em cabine, podendo ser utilizada em qualquer computador, tablet ou telemóvel com acesso à internet. O seu uso é exclusivo para profissionais de Terapia da Fala.

21


O QUE É? O desenvolvimento das competências auditivas acontece desde a infância, uma vez que o nosso ouvido está preparado para captar os sons do ambiente desde o nascimento. Ao longo do tempo, o cérebro desenvolve-se, amadurece e aprende a escutar todos os sons, reconhecê-los, diferenciá-los de outros, memorizá-los e dar-lhes significado. O Processamento Auditivo é, assim, o conjunto das habilidades específicas que uma pessoa precisa para interpretar o que ouve. Hoje em dia sabe-se que existe uma correlação efetiva entre o desenvolvimento das competências comunicativas e linguísticas e a integridade das suas competências auditivas atendendo a que a linguagem depende da integridade dos processos biológicos, cognitivos e auditivos, bem como da interação do meio.

Sinais de Alerta

? Pouca capacidade de organização

Dificuldade em tirar notas

Dificuldade em manter o foco numa atividade se outros sons estiverem presentes

Dificuldade em ouvir em ambientes ruidosos

Diz várias vezes "ham?" e "o quê?"

Dificuldade na leitura, compreensão, escrita, soletrar palavras

Dificuldade em seguir longas conversas

Dificuldade em entender questões/instruções orais

Dificuldade na discriminação e produção de sons

Precisa frequentemente de informação repetida

22


OFERTA FORMATIVA 2022 No ano 2022, a Academia by MR Terapias propõe-se a realizar ações de formação externa e de formação à medida, como a seguir se apresenta. DESTINATÁRIOS Terapeutas da Fala Psicólogos Educadores de Infância

Psicomotricistas Terapeutas Ocupacionais Professores

Profissionais na área da Saúde Público Geral Pais Assistentes Sociais

Profissionais da Saúde, da Educação e Social

Audiologistas Mediadores Sociais

Formadores

SOLUÇÕES PARA A SUA INSTITUIÇÃO Outra vertente da atividade da Academia by MRT é a realização de formação adaptada à realidade, necessidades e objetivos de cada cliente, através do ajuste de cursos já existentes ou da criação de novos. Para mais informações fale connosco: formacao@mrterapias.pt

Acompanhe as atualizações no nosso site

23


CUIDAR: A primeira arte da vida!

Cuidar, esta arte que precede todas as outras, sem a qual não seria possível existir, está na origem de todos os conhecimentos e na matriz de todas as culturas. Cuidar da vida, da saúde, de si, da família. Como falar dos cuidados em saúde? Mais difícil ainda, como escrever sobre eles? Até a comunicação exige aprendizagem! Apesar da mesma língua, todos temos formas de comunicar diferentes. Quantas vezes fazemos interpretações erróneas de comportamentos e atitudes que observamos? Como abordar o que se tece na encruzilhada destas situações na sua infinita diversidade, na sua movimentação e flutuação, à mercê do impacto do tempo, da qualidade e dos custos.

A harmonia entre a intervenção clínica, social e económica, com a expetativa de destruição dos muros existentes entre os clínicos e os pacientes e as suas famílias é difícil de atingir, mas não impossível. Esta polaridade, não isenta de dificuldades e desafios, destaca a necessidade de uma postura colaborativa, onde todos os elementos desempenham papéis com igual valor. Os profissionais de saúde têm um sentimento de missão, e cuidar dos outros é encarado como um desígnio de missão, estando expostos a uma pressão e exigência acentuadas. Devolver ao outro, sobretudo de forma positiva, o que é depositado em nós, é de uma seriedade e exigência enorme. Requer uma capacidade de escuta, empatia, mas também de conhecimento, análise e elaboração máximas.

24


Mas o sucesso terapêutico não depende só de nós. Ao longo da minha prática clínica, tornou-se claro que a família (e, quando aplicável, o estabelecimento de ensino) é um elemento principal nesta equação, sobretudo nas faixas etárias mais jovens, dependendo desta relação simbiótica o sucesso da intervenção e dos cuidados prestados. É necessário acomodar as famílias (e a escola) e confrontar os sintomas.

Depois, mas não menos importante, importa referir o fator tempo, presente em qualquer processo de transformação, e cada vez mais fugidio na sociedade atual, onde queremos resultados céleres, com o menor envolvimento possível. Nunca o respeito e valorização do tempo foram tão importantes, onde teremos que aprender a aguardar, com serenidade, não esquecendo a diferença entre perder tempo e ter pressa.

Esta abordagem faz-me todo o sentido, na medida em que a família (e a escola) é envolvida na reflexão e resolução de determinado problema, enaltecendo a sua competência.

Não nos devemos demitir da nossa responsabilidade no processo de transformação e mudança (nosso e do outro): já que não podemos mudar o vento, mudemos a direção das nossas velas.

É indiscutível: a potencialidade interna que cada indivíduo dispõe, independentemente do seu estatuto físico, intelectual e social e como a nossa individualidade é influenciada pelo meio em que estamos inseridos, não só em termos económicos, mas também ideológicos e relacionais. Contudo, ainda que o contexto e as nossas singularidades tenham uma influência manifesta nas nossas escolhas e ações, há sempre uma possibilidade de opção individual, capacidade intrínseca do ser humano, a qual é potencializada negativa ou positivamente e de forma indubitável, por uma rede de segurança, a nossa aldeia.

O porquê assume pouca relevância no processo, não acrescentando valor. Direcionemos a intervenção, a narrativa, a família, os docentes e o sistema para o onde, o como, o quando e o para quê, procurando o caminho da homeostase. Para aquelas e aqueles que, pelos cuidados, fizeram não só nascer para a vida, mas também contribuíram para a inserção no tecido clínico, académico, social e cultural poder existir para a vida, não se esqueçam do seu superpoder.

Autora: Maria Pardal Coordenadora do Departamento Clínico da MR Terapias 25


Nuno Santos Reis Diretor do Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide

1.Sabemos que tem uma vastíssima experiência ligada à educação, pode descrevernos o seu percurso profissional? Tive um percurso profissional um pouco diferente do convencional. Venho de uma família de 7 irmãos (cinco raparigas e dois rapazes), o meu pai era oficial do exército e então levamos a nossa infância toda atrás dele, pelo mundo inteiro. Tenho uma irmã que nasceu em Moçambique, outra que nasceu em Angola e eu nasci em Timor. Os meus pais eram pessoas que gostavam muito de nos ter próximos e juntar pessoas lá em casa, era normal cada um trazer os seus amigos para passar o dia, chegávamos a estar 20, 30 pessoas lá em casa. Tive uma infância muito feliz. A minha mãe sempre teve o sonho de ter um filho engenheiro, como o meu irmão mais velho acabou por se dedicar à música, então a esperança de ter um filho engenheiro recaiu sobre mim. Fiz todo o meu percurso até ao 12º ano voltado para ser engenheiro e na véspera de me candidatar ao Instituto Superior Técnico decidi que queria ir para Educação Física. Tive que voltar ao 10º ano, entrei na faculdade e comecei imediatamente a dar aulas com 22 anos. Dou aulas há 37 anos e fui treinador de voleibol quase 20 anos.

Licenciei-me na Faculdade de Motricidade Humana e a primeira escola onde comecei a dar aulas foi na Escola Básica 2,3 Pintor Almada Negreiros. Adorei essa escola, ficoume sempre no coração, foi sem dúvida uma grande experiência, aprendi muito. Era um defensor que cada professor de educação física não devia permanecer numa escola mais do que 3 ou 4 anos, devido às condições da nossa disciplina (escolas com pavilhão, outras sem, com ou sem ginásio, com ou sem campos exteriores, etc). Já há 27 anos que estou na EB Gaspar Correia. 2.Qual a motivação para ser diretor deste agrupamento? Nunca tive ambições de ser diretor, sou professor de Educação Física, e durante muitos anos fui treinador de Voleibol, isso absorvia-me muito tempo. A EB2/3 Gaspar Correia e depois o Agrupamento teve uma diretora durante muitos anos e quando se pôs a hipótese de a diretora sair, houve um grupo de pessoal docente e não docente que me desafiou a concorrer, só nessa altura pensei no assunto. No princípio achei a ideia muito estranha e inclusivamente achei que era melhor que fossem outras pessoas, pessoas com mais conhecimentos, ou, algum elemento da própria equipa da direção, eram pessoas muito rotinadas nas tarefas, eu numa tinha estado numa direção. São pessoas com grande conhecimento do agrupamento e com capacidades fantásticas, teriam feito um trabalho de excelência.

26


Acreditamos na orientação através da cultura e, com todos os nossos projetos, esta é a nossa visão da escola: ajudá-los a crescer como pessoas.

Mas nenhuma delas aceitou, não consegui convencê-las, e acabei por ser sensível aos seus fundamentos e, começou a agradar-me a ideia. Comecei a pensar que talvez pudesse ajudar… Penso que seria incapaz de ser diretor de outro agrupamento, esta é a “minha” escola, é o “meu” agrupamento e por isso faz todo o sentido que eu esteja aqui. Sempre estive, em tudo na vida por paixão, sem paixão as coisas não fazem muito sentido, tornam-se pesadas, penosas. A Educação e este agrupamento são uma das minhas paixões. Só assim faz sentido. 3. Ser Diretor de um agrupamento não é tarefa fácil, mas se juntarmos uma pandemia, o desafio torna-se muito maior. Quais são os maiores desafios que enfrenta atualmente? Eu não tenho muito o hábito de pensar como é que teria sido se fosse de outra maneira, e essa é uma das regras da minha vida. Tenho uma grande vantagem, que é a minha equipa, as pessoas que estão comigo na direção. Têm muito mais experiência que eu e por isso dão-me uma grande garantia de eficácia. Como costumo dizer, eu sou o mais inexperiente de todos. Por vezes, deixo-lhes a cabeça em água porque tenho muitas ideias, tenho vontades, quero fazer isto e aquilo e, por mais que elas me digam que é impossível, temos que tentar e ir em frente. Mas este sentimento, de ter uma ideia e avançar, esta forma de estar, são extensíveis a todos os docentes e não docentes do agrupamento, tenho encontrado em todos eles a vontade de ajudar, de participar, de fazer parte. Isso é fantástico!

Tenho a noção que quando surgiu a pandemia pedi a todos, muito mais do que seria razoável, mas a resposta foi muito boa, todos, mas mesmo todos, responderam “presente”! Penso, sinceramente, que a nossa resposta, no primeiro momento da pandemia, foi incrível, montámos, em pouco mais de uma semana, todo um sistema que permitiu passar para o ensino à distância sem sobressaltos, como se se tratasse de algo que estivéssemos habituados a fazer! Ninguém tinha formação para dar aulas online! as, o maior desafio ligado à pandemia foi o de criar condições para darmos a maior equidade possível a todos os nossos alunos, ir ao encontro daqueles que são mais desfavorecidos e tivessem mais dificuldades no acesso às aulas à distância. O apoio por parte das associações de pais foi fantástico, perguntaram-me do que precisávamos, eu disse que tínhamos 180 alunos sem meios para aceder às aulas online. Numa semana, lançaram uma petição online e fizeram uma campanha de entrega de PC/Tablet, e conseguiram os 180 equipamentos! Recordo um jovem de 20 e poucos anos que ligou para a escola a dizer que tinha lido uma notícia a dizer que precisávamos de PC/Tablets e que queria oferecer 10, foi a uma loja e comprou, fiz questão de falar com ele quando os veio trazer, nem conhecia o agrupamento, teve de chegar cá com o GPS, quando perguntei porque o fazia, disse que tinha lido uma notícia e que queria ajudar!

27


A Câmara Municipal de Loures forneceu os hotspots e em pouco mais de uma semana, todos os alunos estavam em condições de aceder às aulas online. Fomos também escola de acolhimento para alunos que são filhos de trabalhadores da linha da frente e recebemos também crianças que mesmo tendo o equipamento não acediam às aulas, disponibilizando professores e assistentes operacionais para ajudá-los. A equipa de Educação Especial, coordenada pela Educadora Conceição Domingues, também foi incansável, realizando um trabalho incrível ao nível da operacionalização de todo o processo para acolher crianças com necessidades educativas especiais. Outro desafio foi o de não nos afastarmos das famílias e dos nossos alunos, mesmo com a barreira da distância. Para isso criámos, todas as semanas, uma informação que era enviada por e-mail para todos os pais e encarregados de educação para que tivessem acesso àquilo que estava a acontecer no agrupamento, o que tranquilizou muito as pessoas. Este ano, mesmo presencialmente, continuamos a enviar essa informação, apesar de nos ocupar tempo pessoal. As pessoas são críticas e isso não é obrigatoriamente mau, saber analisar estas questões e transformar em algo produtivo para o agrupamento, é isso que nos move. Formamos uma grande equipa, pessoal docente, não docente, pais e encarregados de educação e alunos, todos juntos vamos ultrapassando todos os desafios. 4. A pandemia Covid-19 modificou ou não em definitivo o ambiente escolar? Sem dúvida que se, por um lado, a pandemia teve aspetos positivos relativamente à literacia informática nos docentes, alunos e pais, todos aprendemos a trabalhar com uma série de ferramentas novas e que agora fazem parte do dia a dia de todos nós. Por outro lado, algo que se tornou visível e é muito complicado, é o medo e o stress das pessoas, muitas pessoas ganharam medo de sair de casa.

Temos casos de alunos que ainda permanecem em casa, e que nós prestamos o apoio que nos é possível. Estamos a falar de uma pandemia que dura há um ano e meio, o impacto que isto vai ter no futuro e nas relações que estes alunos vão estabelecer com os outros é difícil de calcular. O processo de regresso destes alunos à escola, por cada dia que passa, torna-se mais complicado, penso que durante muitos anos vamos ter uma série de questões relacionadas com a socialização das pessoas. Muitos professores sentiram medo no confinamento e também no regresso. Temos tido muitas “discussões” entre professores, porque alguns preferem aulas e reuniões à distância. Mas por mais voltas que a gente dê, nunca a escola virtual irá substituir a escola presencial. A essência de uma escola são as relações, o brincar no recreio, os afetos... São esses os fundamentos da escola: aprender a estar em sociedade, a viver e a estar com os outros para além das aprendizagens formais. 5. Neste momento assistimos não só a redução dos professores jovens nas escolas bem como a quantidade de docentes disponíveis no mercado de trabalho. Qual é a sua visão sobre o assunto? Temos um colega que dizia, “eu há dez anos entrei para o agrupamento e era dos professores mais novos. Dez anos depois continuo a ser dos professores mais novos”. E isto é dramático. Não temos professores jovens a entrar e os mais velhos vão saindo, e isto são os resultados das políticas erradas que tivemos durante, pelo menos, a última década. Nunca houve um governo que apostasse seriamente na formação e nas condições dos professores. Este ano ainda estamos com graves problemas na colocação de professores, temos feito tudo para dividir horários, distribuir turmas, mas mesmo assim estamos a acabar o primeiro período com turmas por atribuir e isto é dramático e penso que, se nada for feito, ano após ano, a situação irá piorar.

28


6. O que pensa da intervenção clínica que os técnicos de saúde efetuam às crianças e jovens com dificuldades em contexto escolar, numa atuação sinérgica e multidisciplinar com os docentes? Sem dúvida que para nós, é fundamental. Nem podemos imaginar de outra forma. Se deixássemos de ter a presença destes técnicos seria um processo muito complicado porque nós não sabemos como lidar com determinadas situações. São esses técnicos, mesmo não estando sistematicamente com o aluno, que nos dão as orientações para gerir os percursos com maior sucesso. Vejo muitas vezes, quando surge um aluno novo, um caso novo, os professores sem saber como atuar perante as situações, e são precisamente esses técnicos, nomeadamente, o corpo clínico da MR Terapias, que nos orienta na forma de como abordar a problemática dos alunos. 7. Apesar dos desafios e exigências inerentes às funções que desempenha como Diretor, como se sente nesta função? Que balanço faz destes anos de liderança? Sinceramente, nunca pensei que viesse a gostar tanto da função em si. Eu falo muito, sou um comunicador, gosto de falar com as pessoas e de me relacionar com os docentes, não docentes e com os pais.

PROJETOS DO AGRUPAMENTO "Os alunos de 2º ciclo estão a ter aulas de língua gestual, mais uma língua que aprendem e relevância desta, que tem a ver com a integração de outros alunos e é importante que eles se sintam confortáveis em receber alunos surdos e mudos".

"Centro Náutico, no âmbito do desporto escolar para aprendizagem de canoagem e vela. Escola de Piratas - Junto com a Câmara Municipal para aprendizagem de canoagem."

"Devido ao elevado número de alunos de origem estrangeira, que ainda não falam português, neste momento temos um projeto com a Câmara Municipal de Loures e com a Junta de Freguesia, específico para a EB Dr.Catela Gomes, na qual damos apoio com a língua portuguesa aos alunos e às suas famílias"

"..Ainda na EB Dr. Catela Gomes, temos uma assistente social e uma mediadora social que trabalham diretamente com estas famílias, sendo fundamentais na integração destas famílias na comunidade quer na resolução de situações que surgem no seu quotidiano."

Todos são elementos muito importantes, e devemos trabalhar em conjunto. Não podemos afastar os pais da escola. Ainda agora os pais da ES Arco íris tomaram a iniciativa de pintar mais de dez salas, compraram os materiais e pediram autorização para o fazer no fim de semana. E a verdade é que a escola ficou muito mais apetecível para os nossos alunos e professores. Foi fantástico. Quando pensamos que, apesar de todas as adversidades, conseguimos motivar as pessoas para nos acompanharem e ajudarem dá-nos vontade de continuar. Para mim isso é fantástico fazer apelo a uma escola cultural. Que seja orientada por projetos, espetáculos, apresentações, muito virada para aquilo que devem ser as relações humanas. Abertura para a cultura. Infelizmente, neste momento com a pandemia estamos muito aquém daquilo que nós gostaríamos de já ter feito neste âmbito. Mas, é essa a Escola em que acreditamos. Queremos que os alunos, não só aprendam os conteúdos das salas de aula, como também a ser pessoas, num princípio muito simples: uma pessoa culta, é uma pessoa que está mais apta, não só em termos de relações sociais, mas também para entrar no mercado de trabalho. Cada vez mais quando uma pessoa chega a uma entrevista de trabalho, apresenta o seu currículo, mas as questões que lhe são postas nas entrevistas tem a ver com o seu conhecimento cultural, as suas ideias e é isso que tentamos aqui priorizar. 8. Em jeito de conclusão, qual a sua maior ambição para o Agrupamento de Escolas Portela e Moscavide? Gostaria de criar uma escola cultural e de valores, que transmita princípios e que faça com que os nossos alunos tenham sucesso lá fora: sucesso académico, profissional e, essencialmente, enquanto pessoas de princípios e valores robustos. Queremos fazer pessoas felizes e válidas para a sociedade. Acreditamos na orientação através da cultura e, com todos os nossos projetos, esta é a nossa visão da escola: ajudá-los a crescer como pessoas.

29


NOTA FINAL DE UMA EQUIPA QUE CUIDA DE SI

Chegados ao fim de mais um ano cheio de desejos, desafios e conquistas, que culmina com o lançamento do número zero da Magazine

by

MRterapias,

é

tempo de agradecer a todos os que connosco se cruzam, que connosco

caminham,

diariamente

que

constroem,

sedimentam e dão sentido ao projeto MR Terapias. Retomando a nota editorial da nossa nossos

Diretora

Clínica,

clientes,

aos

parceiros,

fornecedores e colaboradores, o nosso

OBRIGADO

e

votos

de

FESTAS FELIZES!

Rua Álvaro Pedro Gomes, 17, Lote 2, Urbanização Real Forte 211 622 802 • geral@mrterapias.pt

www.mrterapias.pt 30


O Natal está a chegar e que boa época é esta para brincarmos em família. Somos uma equipa que cuida de si e por isso criámos um conjunto de atividades tão especial, que conseguimos trabalhar todas as áreas importantes de uma forma divertida! Cada família poderá escolher a atividade de acordo com a área que faz mais sentido trabalhar. Vamos a isso:

Comunicação Opção 1

"Um gesto vale mais que mil palavras"

Linguagem Oral

Desafiamos a família a decorar esta árvore de Natal sem dizerem uma única palavra. Sejam criativos, vale gestos, sons, escrita, usem a imaginação... Exemplo (bota): Escrever a palavra ao contrário, apontarem para o pé, emitirem o som da lareira...

Opção 2

"Detetives por um dia"

Desafiamos a família a construir a árvore de Natal, descobrindo os enfeites através da palavra proibida. Neste jogo podem descrever a função e características, dando pistas, mas tenham atenção que a palavra-avo não pode ser dita. Exemplo (bota): É um objeto que se põe perto da chaminé e diz a tradição que quem se porta bem terá lá dentro uma prenda.

Linguagem Escrita Opção 3

"Caça aos enfeites"

Desafiamos a família a esconder os enfeites de Natal por toda a casa. As pessoas que ficarem responsáveis por esconder terão de escrever uma pista original, os restantes jogadores deverão ler e decifrar a pista para encontrar a decoração deste Natal. Exemplo (bota): É um objeto que está presente nesta época e se te portares bem estarei cheio de surpresas, mas neste momento estou a descansar no local onde se cozem os bolos. Onde estarei?

Voz e Motricidade Orofacial Opção 5

"Tempestade de Natal"

Desafiamos a família a realizar uma corrida de sopro. Vão precisar de uma palhinha e uma bolinha de papel para casa jogador. Preparem a pista, usando a vossa criatividade (plasticina, tecidos, legos, etc.). A missão é soprar a bolinha através da palhinha e fazê-la chegar à meta. O vencedor define quem pinta e cola o enfeite na árvore.

Fala Opção 4

"Num pulo chego ao Natal"

Desafiamos a família a realizar uma corrida de estafetas na própria casa, para isso acontecer coloquem as decorações desta árvore de Natal no ponto de partida. O objetivo deste jogo é passarem por três etapas, a saltar, de acordo com o número de sílabas ou palavras, para conseguirem colocar cada uma das decorações na árvore que está na meta. 1º: Escolham o primeiro enfeite que pretendem colar, levem-no até ao primeiro posto saltando o número de sílabas da palavra. Exemplo: bo-ta (2 saltos) 2º: No segundo posto, passem o testemunho (imagem) ao próximo jogador que terá de evocar três palavras começadas pelo mesmo som ou sílaba inicial. Exemplo: bota-biscoito, bebé, bata/bota-boné, bola, boia (3 saltos) 3º: No último posto, passem novamente o testemunho e o jogador terá de evocar duas palavras que rimam com essa imagem. Exemplo: bota - bolota, porta (2 saltos) 4º: Agora que chegaram à meta, colem e pintem o enfeite.

31


Para realizar esta atividade necessitam de: imprimir esta página, tesoura, cola e lápis de cor, se quiserem dar cor ao nosso Natal!


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.