Page 1

Análise sobre o sistema de mobilidade urbana de Bogotá. PROJETO URBANÍSTICO 1- 2013.1 - AMANDO COSTA UNIFOR - CCT - ARQUITETURA E URBANISMO

BOGOTÁ BEATRIZ ALCÂNTARA - CIRO FARIAS - MORGANNA BATISTA


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

APRESENTAÇÃO INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE desempenha papel fundamental na ESTRUTURAÇÃO URBANA das cidades. CRESCIMENTO URBANO DESORDENADO e o avanço do uso de TRANSPORTE INDIVIDUAL

INVESTIMENTO E PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO

OBJETO DE ESTUDO: BOGOTÁ

TRANSMILÊNIO

INVESTIMENTOS E INFRAESTRUTURA

MUDANÇA SOCIAL 01


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DE SUA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

BOGOTÁ é a cidade mais populosa da Colômbia;

}

Crescimento territorial e demográfico ocorreu durante o século XX por meio de processos de modernização de sua infraestrutura física, aumento da intervenção estatal na gestão;

Na década de 50 ocorreu a aceleração da industrialização e do processo de urbanização formal e informal.

CRESCIMENTO DA ESTRUTURA URBANA ORIGINAL

Ano de 1900 100.000 habitantes

Ano de 2005 6.734.041 habitantes

02


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Avanço econômico atraiu imigrantes de toda a Colômbia, resultando em um crescimento explosivo da ESTRUTURA URBANA.

1884 : 1ª LINHA DO BONDE MUNICIPAL

1920 : LINHAS DE ÔNIBUS por iniciativa de empresas privadas. 1952 : Sistema de bondes desaparece. Pressão política de proprietários e importadores de ônibus; ‘’El bogotazo’’. EMPRESA DISTRITAL DE TRANSPORTE URBANO (EDTU)

TRÓLEBUS

1957 transportava 38% da demanda ÔNIBUS 03


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Em1990 a EDTU é liquidada devido a dificuldade em concorrer com cooperativas e empresas privadas de ônibus. Entre 1998 e 1999, 67 cooperativas e associações informais transportavam

20 mil ônibus precários, enquanto os outros 19% frota de 670.000 carros privados. em

Década de 1990

81% da população,

utilizavam automóveis, compondo uma

CAOS URBANO

}

Falta de infraestrutura viária e em transporte público

Viagens diárias

2 horas e 30 minutos

Trechos muito longos (em média 30 km) Ônibus muito antigos (14 anos em média) Ocupação do transporte público era baixa : 55% de lugares disponíveis Automóveis particulares ocupavam 95% da rede viária Falta de fiscalização e investimentos

Acidentes e mortes

04


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Crise no sistema de transporte público coletivo:

}

Instabilidade dos serviços de transporte público formais e legalizados, baixa produtividade, perda da demanda, aumento de custos e tarifas, congestionamento e abundância de automóveis privados e formas precárias e inseguras de transporte coletivo.

‘’Tornou-se comum o descarte de lixo nas vias públicas, motoristas de carros e ônibus desrespeitavam as leis de trânsito e agrediam os pedestres, evasão dos impostos e alto índice de violência e criminalidade’’ (ARDILA-GÓMEZ, 2003).

BRT (Bus Rapid Transit)

Priorizar o transporte público coletivo e melhorar a qualidade de vida dos usuários

05


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

TRANSMILÊNIO A partir da década de 1990 começam as INICIATIVAS POLÍTICAS para tentar mudar a situação de Bogotá. Entre 1992 e 1994: NOVO ESTATUTO ORGÂNICO DE BOGOTÁ. (Prefeito Jaime Castro)

Aumento de verbas possibilitou o investimento em diversas áreas, inclusive nos transportes Entre 1995 e 1997: o prefeito Antanas Mockus empenhou-se em tentar mudar a imagem negativa da cidade através de CAMPANHAS CIDADÃS, além de implementar políticas públicas de RECUPERAÇÃO DE ESPAÇOS PÚBLICOS, removendo camelôs e estacionamentos ilegais, além de ALARGAR CALÇADAS e construir os primeiros trechos de CICLOVIA. Primeiros estudos para a implantação do BRT, após descartar o metrô (alto custo e demora). Entre 1998 e 2000: o prefeito Enrique Peñalosa priorizou os investimentos em infraestrutura como forma de incentivar a transformação social e econômica. ‘’seu plano de desenvolvimento econômico, social e de obras públicas Por La Bogotá que queremos buscava melhorar a qualidade de vida da população mediante a construção de ciclovias, a ampliação, adaptação e melhoramento da malha viária, fortalecimento e melhoramento técnico da administração, manejo do tráfego urbano, constituição de um sistema de transporte público único e integrado e o desestímulo ao uso do automóvel privado.’’ (TRANSMILENIO S.A., 2005, p. 18)

06


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

EMPRESA DE TRANSPORTE DEL TERCER MILÊNIO, a TRANSMILÊNIO S.A., foi constituída em 1993. Infraestrutura e manutenção das vias

Governo Municipal

Fornecimento de ônibus, prestação de serviços e bilhetagem

Setor Privado

ESTIMULAR O USO DO TRANSPORTE PÚBLICO Criação de sobretaxa sobre o preço da gasolina

Liberou cobranças em estacionamentos públicos e privados Aumentou o preço das Zonas Azuis

Fase I (2002): 46,6 km de vias troncais exclusivas, 61 estações, 470 ônibus articulados, 241 ônibus alimentadores. Transportava

771.000 passageiros por dia.

Fase II (2006): 44 km de vias troncais exclusivas. Fase III (em andamento): 36,6 km de vias troncais exclusivas. Espera-se que em 2015 uma construção total de 388 km, significando uma cobertura de 85% da cidade e cerca de 5 milhões de passageiros por dia. 07


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

COMO FUNCIONA?

SENCILLAS: Entre 500 e 700 metros aproximadamente. Integração troncaltroncal: Conectam vias troncais por meio de túneis ou pontes para pedestres.

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

A partir de um esquema tronco alimentado. Foram construídas CORREDORES PRINCIPAIS, exclusivos para o TRANSPORTE DE MASSA DE ALTA CAPACIDADE. Esta rede é complementada por rotas alimentadoras operadas com ônibus de menor capacidade. Os pontos de paradas podem ser de 3 tipos: estações SENCILLAS(simples), de INTEGRAÇÃO INTERMEDIÁRIA e de INTEGRAÇÃO DE CABECEIRA.

INTEGRAÇÃO INTERMEDIÁRIA: localizadas nos pontos extremos dos corredores, dando acesso as linhas alimentadoras e troncais. Permitem a transferência dos passageiros das rotas alimentadoras para as troncais de forma ágil e eficiente.

Estações simples Estação de integração troncal-troncal Estação de integração intermediária Estação de ‘cabecera’

ESTAÇÃO DE CABECEIRA: também localizadas nos pontos extremos dos corredores, dando acesso as linhas alimentadoras, troncais, intermunicipais e bicicletas.

Ruras Alimentadoras

08


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

160 - 250 passageiros

Rotas troncais (Alta demanda, largas distâncias)

19 - 80 Rotas auxiliares passageiros (Alta as rotas troncais, demanda média)

Rotas complementares e alimentadoras

(Alimentam os troncais)

50 - 80 passageiros

Rotas especiais (Difícil acesso ou baixa demanda)

09


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

10


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

PORTAL DEL NORTE

PASSARELA QUE DÁ ACESSO AS ESTAÇÕES

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

(estação de cabeceira)

A BICICLETA EM BOGOTÁ

PLATAFORMA E ÔNIBUS NO MESMO NÍVEL

ÔNIBUS TRONCAL E ALIMENTADOR 11


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

PONTOS POSITIVOS Redução de acidentes de trânsito, tornando a cidade MAIS SEGURA; Aumentou a qualidade ambiental, resultando MELHORIAS VISUAIS, SONORAS E NA QUALIDADE DO AR; REVITALIZAÇÃO de áreas próximas as linhas do sistema, com construção de praças e calçadões;

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

O Transmilênio foi INTEGRADO ao sistema de ciclovias, calçadões e alamedas, de forma que conectou a infraestrutura de transporte ao PLANEJAMENTO URBANO de Bogotá.

O transporte individual baseado nos automóveis deve deixar de ser privilegiado perante o transporte público coletivo, como forma de defender maior inclusão social, maior racionalidade nos investimentos públicos e a diminuição dos congestionamentos, acidentes e poluição ambiental (BUSTAMANTE, 2007,p. 22).

12


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

OUTRAS CARACTERÍSTICAS Valorização imobiliária das áreas residenciais e comerciais, expulsando a população local, ocorrendo a GENTRIFICAÇÃO. Transformação incompleta, muitas vias ainda não foram executadas, assim como muitas das linhas programadas ainda não foram construídas; O DESEMPREGO e a POBREZA continuam crescendo em Bogotá Falta obter recursos para a financiar o resto do projeto.

Congestionamentos em Bogotá.

Estação lotada 13


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

A BICICLETA EM BOGOTÁ 340 km de ciclovias, as chamadas ‘CICLORUTAS’ É a maior rede de ciclovias da América Latina. Menos de 2% utiliza a bicicleta diariamente, é mais comum utilizarem nos fins de semana, principalmente como forma de lazer e atividade esportiva. Motivos pelos quais os moradores não utilizam a bicicleta diariamente:

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

14


BICICLETÁRIO NA ESTACÃO PORTAL AMÉRICAS


FIM.

Análise da mobilidade urbana em Bogotá  

Projeto de referência para Projeto urbanístico 1, Prof. Amando Costa. UNIFOR, 2013.1

Advertisement