Issuu on Google+

Análise sobre o sistema de mobilidade urbana de Bogotá. PROJETO URBANÍSTICO 1- 2013.1 - AMANDO COSTA UNIFOR - CCT - ARQUITETURA E URBANISMO

BOGOTÁ BEATRIZ ALCÂNTARA - CIRO FARIAS - MORGANNA BATISTA


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

APRESENTAÇÃO INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE desempenha papel fundamental na ESTRUTURAÇÃO URBANA das cidades. CRESCIMENTO URBANO DESORDENADO e o avanço do uso de TRANSPORTE INDIVIDUAL

INVESTIMENTO E PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO

OBJETO DE ESTUDO: BOGOTÁ

TRANSMILÊNIO

INVESTIMENTOS E INFRAESTRUTURA

MUDANÇA SOCIAL 01


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DE SUA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

BOGOTÁ é a cidade mais populosa da Colômbia;

}

Crescimento territorial e demográfico ocorreu durante o século XX por meio de processos de modernização de sua infraestrutura física, aumento da intervenção estatal na gestão;

Na década de 50 ocorreu a aceleração da industrialização e do processo de urbanização formal e informal.

CRESCIMENTO DA ESTRUTURA URBANA ORIGINAL

Ano de 1900 100.000 habitantes

Ano de 2005 6.734.041 habitantes

02


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Avanço econômico atraiu imigrantes de toda a Colômbia, resultando em um crescimento explosivo da ESTRUTURA URBANA.

1884 : 1ª LINHA DO BONDE MUNICIPAL

1920 : LINHAS DE ÔNIBUS por iniciativa de empresas privadas. 1952 : Sistema de bondes desaparece. Pressão política de proprietários e importadores de ônibus; ‘’El bogotazo’’. EMPRESA DISTRITAL DE TRANSPORTE URBANO (EDTU)

TRÓLEBUS

1957 transportava 38% da demanda ÔNIBUS 03


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Em1990 a EDTU é liquidada devido a dificuldade em concorrer com cooperativas e empresas privadas de ônibus. Entre 1998 e 1999, 67 cooperativas e associações informais transportavam

20 mil ônibus precários, enquanto os outros 19% frota de 670.000 carros privados. em

Década de 1990

81% da população,

utilizavam automóveis, compondo uma

CAOS URBANO

}

Falta de infraestrutura viária e em transporte público

Viagens diárias

2 horas e 30 minutos

Trechos muito longos (em média 30 km) Ônibus muito antigos (14 anos em média) Ocupação do transporte público era baixa : 55% de lugares disponíveis Automóveis particulares ocupavam 95% da rede viária Falta de fiscalização e investimentos

Acidentes e mortes

04


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

Crise no sistema de transporte público coletivo:

}

Instabilidade dos serviços de transporte público formais e legalizados, baixa produtividade, perda da demanda, aumento de custos e tarifas, congestionamento e abundância de automóveis privados e formas precárias e inseguras de transporte coletivo.

‘’Tornou-se comum o descarte de lixo nas vias públicas, motoristas de carros e ônibus desrespeitavam as leis de trânsito e agrediam os pedestres, evasão dos impostos e alto índice de violência e criminalidade’’ (ARDILA-GÓMEZ, 2003).

BRT (Bus Rapid Transit)

Priorizar o transporte público coletivo e melhorar a qualidade de vida dos usuários

05


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

TRANSMILÊNIO A partir da década de 1990 começam as INICIATIVAS POLÍTICAS para tentar mudar a situação de Bogotá. Entre 1992 e 1994: NOVO ESTATUTO ORGÂNICO DE BOGOTÁ. (Prefeito Jaime Castro)

Aumento de verbas possibilitou o investimento em diversas áreas, inclusive nos transportes Entre 1995 e 1997: o prefeito Antanas Mockus empenhou-se em tentar mudar a imagem negativa da cidade através de CAMPANHAS CIDADÃS, além de implementar políticas públicas de RECUPERAÇÃO DE ESPAÇOS PÚBLICOS, removendo camelôs e estacionamentos ilegais, além de ALARGAR CALÇADAS e construir os primeiros trechos de CICLOVIA. Primeiros estudos para a implantação do BRT, após descartar o metrô (alto custo e demora). Entre 1998 e 2000: o prefeito Enrique Peñalosa priorizou os investimentos em infraestrutura como forma de incentivar a transformação social e econômica. ‘’seu plano de desenvolvimento econômico, social e de obras públicas Por La Bogotá que queremos buscava melhorar a qualidade de vida da população mediante a construção de ciclovias, a ampliação, adaptação e melhoramento da malha viária, fortalecimento e melhoramento técnico da administração, manejo do tráfego urbano, constituição de um sistema de transporte público único e integrado e o desestímulo ao uso do automóvel privado.’’ (TRANSMILENIO S.A., 2005, p. 18)

06


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

EMPRESA DE TRANSPORTE DEL TERCER MILÊNIO, a TRANSMILÊNIO S.A., foi constituída em 1993. Infraestrutura e manutenção das vias

Governo Municipal

Fornecimento de ônibus, prestação de serviços e bilhetagem

Setor Privado

ESTIMULAR O USO DO TRANSPORTE PÚBLICO Criação de sobretaxa sobre o preço da gasolina

Liberou cobranças em estacionamentos públicos e privados Aumentou o preço das Zonas Azuis

Fase I (2002): 46,6 km de vias troncais exclusivas, 61 estações, 470 ônibus articulados, 241 ônibus alimentadores. Transportava

771.000 passageiros por dia.

Fase II (2006): 44 km de vias troncais exclusivas. Fase III (em andamento): 36,6 km de vias troncais exclusivas. Espera-se que em 2015 uma construção total de 388 km, significando uma cobertura de 85% da cidade e cerca de 5 milhões de passageiros por dia. 07


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

COMO FUNCIONA?

SENCILLAS: Entre 500 e 700 metros aproximadamente. Integração troncaltroncal: Conectam vias troncais por meio de túneis ou pontes para pedestres.

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

A partir de um esquema tronco alimentado. Foram construídas CORREDORES PRINCIPAIS, exclusivos para o TRANSPORTE DE MASSA DE ALTA CAPACIDADE. Esta rede é complementada por rotas alimentadoras operadas com ônibus de menor capacidade. Os pontos de paradas podem ser de 3 tipos: estações SENCILLAS(simples), de INTEGRAÇÃO INTERMEDIÁRIA e de INTEGRAÇÃO DE CABECEIRA.

INTEGRAÇÃO INTERMEDIÁRIA: localizadas nos pontos extremos dos corredores, dando acesso as linhas alimentadoras e troncais. Permitem a transferência dos passageiros das rotas alimentadoras para as troncais de forma ágil e eficiente.

Estações simples Estação de integração troncal-troncal Estação de integração intermediária Estação de ‘cabecera’

ESTAÇÃO DE CABECEIRA: também localizadas nos pontos extremos dos corredores, dando acesso as linhas alimentadoras, troncais, intermunicipais e bicicletas.

Ruras Alimentadoras

08


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

160 - 250 passageiros

Rotas troncais (Alta demanda, largas distâncias)

19 - 80 Rotas auxiliares passageiros (Alta as rotas troncais, demanda média)

Rotas complementares e alimentadoras

(Alimentam os troncais)

50 - 80 passageiros

Rotas especiais (Difícil acesso ou baixa demanda)

09


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

10


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

PORTAL DEL NORTE

PASSARELA QUE DÁ ACESSO AS ESTAÇÕES

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

FONTE: EMBARQ BRASIL, 2012.

(estação de cabeceira)

A BICICLETA EM BOGOTÁ

PLATAFORMA E ÔNIBUS NO MESMO NÍVEL

ÔNIBUS TRONCAL E ALIMENTADOR 11


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

PONTOS POSITIVOS Redução de acidentes de trânsito, tornando a cidade MAIS SEGURA; Aumentou a qualidade ambiental, resultando MELHORIAS VISUAIS, SONORAS E NA QUALIDADE DO AR; REVITALIZAÇÃO de áreas próximas as linhas do sistema, com construção de praças e calçadões;

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

O Transmilênio foi INTEGRADO ao sistema de ciclovias, calçadões e alamedas, de forma que conectou a infraestrutura de transporte ao PLANEJAMENTO URBANO de Bogotá.

O transporte individual baseado nos automóveis deve deixar de ser privilegiado perante o transporte público coletivo, como forma de defender maior inclusão social, maior racionalidade nos investimentos públicos e a diminuição dos congestionamentos, acidentes e poluição ambiental (BUSTAMANTE, 2007,p. 22).

12


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

OUTRAS CARACTERÍSTICAS Valorização imobiliária das áreas residenciais e comerciais, expulsando a população local, ocorrendo a GENTRIFICAÇÃO. Transformação incompleta, muitas vias ainda não foram executadas, assim como muitas das linhas programadas ainda não foram construídas; O DESEMPREGO e a POBREZA continuam crescendo em Bogotá Falta obter recursos para a financiar o resto do projeto.

Congestionamentos em Bogotá.

Estação lotada 13


APRESENTAÇÃO

BREVE HISTÓRICO DE BOGOTÁ E DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES TRANSMILÊNIO

A BICICLETA EM BOGOTÁ

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

A BICICLETA EM BOGOTÁ 340 km de ciclovias, as chamadas ‘CICLORUTAS’ É a maior rede de ciclovias da América Latina. Menos de 2% utiliza a bicicleta diariamente, é mais comum utilizarem nos fins de semana, principalmente como forma de lazer e atividade esportiva. Motivos pelos quais os moradores não utilizam a bicicleta diariamente:

FONTE:CAMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ, 2009.

14


BICICLETÁRIO NA ESTACÃO PORTAL AMÉRICAS


FIM.


Análise da mobilidade urbana em Bogotá