Page 1

Decoração

Lifestyle

Gourmet

Viagem

Moda

Personalidade

Tecnologia

Consumo

U m a r e v i s ta d o s e u m o d o

LifI

Nº6 MAIO R$13,90

Gente ANA LEDA LOPES DADO JACINTHO FERNANDO SOARES MÁRCIO DE CAMILLO NELSON GUIMARÃES SIMONE TEBET

ESTREIAS

Equilíbrio Novas seções estreiam para cuidar do seu bem-estar. Saiba nelas o que fazer para ter mais qualidade de vida

Viagem

in the mood

Viaje ao seu modo. A cada edição, roteiros para o seu prazer, descanso e aventura

for winter

O conforto e o aconchego que o inverno pede estão aqui. Conheça algumas dicas para aquecer a casa e o corpo

Kátia eJardIs Eles são unanimidade quando o assunto é pele saudável e bonita


nome da seção

2


34 LIFESTYLE O dia a dia de Ana Leda Lopes, uma

in the mood for winter

mulher dedicada ao bem-estar e a sua família

MEU CANTO Entre um cafezinho e outro, o arquiteto Nelson Guimarães fala de sua carreira e de seus lugares preferidos para curtir a noite 40 LOUNGE Os encantos de Dado Jacintho, jovem pecuarista e produtor das festas mais badaladas do estado 42 PORTRAIT Márcio de Camillo comenta suas inspirações e andanças pelo mundo divulgando a música sul-matogrossense 44 VOX A mulher que revolucionou a administração pública de Três Lagoas fala sobre seus novos desafios 46

O clima da estação pede

EU SOU Um perfil de Fernando Soares, o colunista que gosta de correr atrás da informação 48

aconchego e conforto. Conheça dicas para aquecer

52

a casa E O CORPO

52 MODA A consultora de imagem Adriana Estivalet ensina quais peças você deve investir neste inverno

Novas Seções

28

88 EQUILÍBRIO O bem-estar ganha mais espaço em nossas edições. Conheça a cada mês o que você pode fazer para ter mais qualidade de vida 76

102 TURISMO Viaje ao seu

modo. Selecionamos opções de roteiros para o seu prazer, descanso e aventura

72

62 CASA E ESTILO Conheça os materiais que

aquecem e dão conforto a casa neste inverno. Projeto de decoração de Maria do Carmo Rondon e Maria Inês Barcelos mostra elegância sem excessos e o designer André Cruz mostra de onde vem sua inspiração para criar móveis esculturais

84 GASTRONOMIA O paladar ganha nossa

atenção fixa. Todo mês ótimas e deliciosas opções para um degustar mais prazeroso

Decoração

Lifestyle

Gourmet

Viagem

Moda

Personalidade

Tecnologia

Consumo

www.moodlife.com.br

N º 6 MAIO 2010


editorial

mood ao nosso

modo

C

onforto, aconchego e sensibilidade. A temperatura cai e a vontade de nos aconchegar entre tecidos e cobertores mais grossos sobe. Da mesma forma

que nosso guarda-roupa se arruma para ventos mais gelados, nossa casa também se prepara para ficar mais gostosa, quentinha e agradável ao nosso conforto. Pensando nisso, preparamos uma edição com temáticas bem sensoriais e com novas propostas. E se certas mudanças vêm para o bem, algumas delas foram pautadas para trazerem soluções mais acessíveis a você, nosso leitor. Com divisões mais claras, a sexta edição da revista MOOD Life se diferenciou para propor mais bem-estar e estilo de vida. Ana

C

Leda Lopes estreia a sessão LifeStyle, onde a cada mês

M

mostraremos pessoas que priorizam estilos de vida dife-

Y

rentes. A Gastronomia, que já vinha ganhando nossa aten-

CM

ção, agora está mais abrangente para agradar ainda mais

MY

o paladar e os outros sentidos. E se nossos olhos gostam de se envolver em belas imagens, levamos eles a viagens e roteiros inesquecíveis. O turismo ganha também destino fixo nas nossas páginas. E por falar em poesia imagética, o fotógrafo Marcelo Buianain vem enriquecer ainda mais nossa revista com fotografias que prendem a atenção e tiram o nosso fôlego. E se é bem-estar que sempre almejamos, fomos atrás de matérias que suprissem isso. A seção Equilíbrio também está mais ampla para cuidar de sua qualidade de vida. Outra novidade fica por conta do clima da mais fria estação. Em “In the mood for winter” convidamos a decoradora Ana Muzzi para vestir a casa para o inverno,

capa

com propostas que aquecem o mais frio dos ambientes. E se o inverno pede mais elegância e conforto, a consultora Katia Karine Volpe e Jardis Volpe FOTO Alexis Prappas PRODUÇÃO EXECUTIVA André Furquim PRODUÇÃO DE MODA Adriana Estivalet CABELO E MAQUIAGEM Claudir Fernandes Ela veste camisa Saad, cinto Nana Kokaev, scarpin Corso Como para Ivaniza Boutique e vestido Pedro Motta para Alameda Ele veste Estivanelli

12

de imagem Adriana Estivalet ensina quais peças da estação merecem um investimento extra no seu armário. Descubra essas e outras novidades no ponderar de nossas páginas. Clara, abrangente e pontual, nossa sexta edição está ao seu e ao nosso modo.

CY

CMY

K


expediente

Diretores Responsáveis André Furquim andre@moodlife.com.br Luis Pedro Scalise luis.pedro@moodlife.com.br Conselho Editorial Alexis Prappas, André Furquim, Carla Matsu, Diego Ouro Preto, Eduardo Zeilmann, Lú Bigattão, Luis Pedro Scalise e Melissa Tamaciro Redação redacao@moodlife.com.br Carla Matsu e Lú Bigattão Jornalista Responsável Lú Bigattão (DRT 20/02/10V/MS) reportagem@moodlife.com.br Revisão Lu Tanno Arte arte@moodlife.com.br Eduardo Zeilmann Editor de Imagem alexis@prappas.com.br Alexis Prappas Fotógrafos Alexis Prappas, Jean Vollkopf e Marcos Vollkopf Colaboraram Foto Eurides Aoki e Marcelo Buainain Texto Renato Lima Diretor Comercial luis.pedro@moodlife.com.br Luis Pedro Scalise Atendimento Comercial atendimento@moodlife.com.br Alba Dalpasquale, Luciano Araújo e Rejane Moreira Impressão e Acabamento Idealiza Gráfica e Editora

LifI REVIStA MENSAL Data de circulação desta edição: Maio 2010

Para anunciar ligue (67) 3028-4377

Revista MOOD Life é uma publicação mensal da Furquim e Scalise Serviços Ltda-ME. Rua Bahia, 10- Centro. Campo Grande/MS CEP 79003-032. A Revista MOOD Life não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados. As pessoas que não constam no expediente não tem autorização para falar em nome da Revista MOOD Life ou a retirar qualquer tipo de material se não tiverem em seu poder uma carta em papel timbrado assinada por qualquer pessoa que conste no Conselho Editorial.

www.moodlife.com.br


15


convidados e colaboradores

mood AO MODO DELES ANA MUZZI Sorridente e de bem com a vida, Ana deixa transparecer a paixão que sente pelo seu trabalho. Depois de atuar como professora na rede pública de ensino, ela decidiu fazer o que mais gosta- decoração de interiores. Nos seus mais de 20 anos de carreira, já realizou o sonho de centenas de clientes, deixando suas casas mais bonitas e aconchegantes. Ela atendeu prontamente o pedido da redação, vestindo a casa para a nova estação que se aproxima.

adriana estivalet Para ela, moda não pode ser considerada efêmera nem superficial, pois a imagem é capaz de abrir e fechar portas. Sempre atualizada, fez os melhores cursos na área: Etiqueta Social e Profissional, Personal Shopping, Análise de Cores para Moda, entre outros. Colabora com os principais sites e revistas de moda como Manequim, Criativa, Uma e Bons Fluídos. É membro da AICIAssociation of Image Consultants International. Adriana passa a colaborar mensalmente com a revista, assumindo a Editoria de Estilo.

marcelo buainain Documentarista, assim se define Marcelo. Empresta seu olhar sensível para registrar os fatos, seja em foto ou vídeo. No portfólio imagens emocionantes do Brasil, Índia, Marrocos, Egito, Portugal. Tem três livros publicados e durante os dez anos que morou em Paris e Lisboa, colaborou com revistas e jornais. O Projeto Índia lhe rendeu o Prêmio Máximo de Fotografia da 2ª Bienal Internacional de Curitiba e a Medalha de Ouro- Society for News Design- USA. Suas fotos integram museus do Brasil e do exterior. A partir desta edição, Marcelo Buainain abre seus arquivos para os leitores da Mood.

ALBA DALPASQUALE Comunicativa e extrovertida, assim definimos nossa executiva de negócios. Não há quem não reconheça a sua alegria contagiante. Quando ela entra num ambiente, minutos depois estão todos envolvidos pela sua energia. Um furacão, que entre um cafezinho e muitos business, fez seu nome e uma cartela invejável de clientes. Seu estilo simples de ser é uma de suas marcas registradas.


17


Cassio Vasconcelos

Marcos Vollkopf

comentários e sugestões

Acima, Alex Atala em seu restaurante Dalva e Dito, mostrado da seção Gastronomia. Ao lado, o estilista André Lima em noite de autógrafos. Abaixo, o poeta Manoel de Barros em entrevista para a MOOD

Queria não só agradecer a gentileza e oportunidade, mas principalmente parabenizar a ótima matéria sobre o movimento Slow Food: clara, objetiva e abrangente. Tomara que ajude a conquistarmos novos sócios e adeptos. E parabéns também pela linda foto do "caracol de alecrim", que ilustra a matéria. Lindo! Margarida Nogueira Representante do Slow Food Brasil

A Mood Life está simplesmente encantadora. A capa da 5ª edição não deve nada a nenhuma grande publicação nacional. Vocês são altamente corajosos e arrojados e enchem de orgulho nossa cidade. Emoldurem a capa dessa edição com o olhar meigo e doce do nosso Manoel, um homem iluminado. A revista é para ler, homenagear e guardar. João Carlos da Silva

mood ao seu modo Alexis Prappas

Agradeço o convite e parabenizo o excelente "produto final" Revista Mood Life. Sucesso sempre! Jary Castro Presidente do Crea/MS Parabenizo a equipe pelo excelente trabalho que estão desenvolvendo. Podemos compará-lo com nível São Paulo. Sempre deixo a revista para as clientes lerem e não há quem não elogie, ora pelas matérias, ora pela diagramação e ora pela qualidade de impressão. Nossa cidade precisa e merece pessoas comprometidas em desenvolver um bom trabalho. Camila Coelho

CORREÇÃO Na Edição Nº 5 de Abril, os textos das páginas 44 e 48 foram trocados. Na matéria Espaço para Conviver, uma cozinha Florense foi descrita como Formaplas. Na página 48, no texto Os Clássicos do Futuro, um projeto da Formaplas foi descrito como sendo da Florense.

contato Quer deixar a MOOD do seu MODO? Faça comentários e sugestões. Tel: (67) 3028-4377, de 2ª a 6ª feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

editor@moodlife.com.br

Siga no Twitter

w w w . t w i t t e r. c o m / r e v i s t a m o o d l i f e 18


19


misturafina consumo / estilo / tendências / cultura Por CARLA MATSU

Alice

em nova edição

Um dos grandes clássicos da literatura mundial ganha nova e bem pensada edição pela Editora Cosac Naify. O estilo nonsense que tornou a obra única é traduzido por meio de ilustrações fantásticas de Luiz Zerbini. É ele o responsável por criar cenários feitos de cartas de baralho das quais saltam os personagens, por meio de recortes. A edição é complementada por indicações de ensaios sobre Alice, biografia do autor e uma relação de artistas que já se aventuraram pelo País das Maravilhas, além de uma pequena filmografia baseada na obra original. Por R$ 45,00 em www.cosacnaify.com.br

Alice

nos dedos

A releitura de Tim Burton de Alice no País das Maravilhas inspirou outras criações igualmente interessantes aos nossos olhos. Um dos casos é a coleção da H. Stern de anéis-escultura que retratam criaturas fantásticas do filme. Fugindo do óbvio, a coleção, que conta com cinco anéis, foi esculpida artisticamente em ouro esmaltado e diamantes. O resultado são obras de arte em miniatura. Aliás, nem tão miniaturas, já que alguns anéis chegam a medir mais de 10 cm de altura. Em um deles, cogumelos de ouro esmaltado representam as formas naturais da floresta pela qual Alice passeia no filme. Encontre em www.hstern.com.br ou SAC 0800.0227.442

Inspiração

geométrica

Acesse a loja virtual em www.adoatelier.com

20

Inauguração

O

espaço Livia Diniz Moda Feminina e Acessórios inaugurou no dia 23 de abril trazendo muitas novidades da Coleção Outono/ Inverno 2010. Com roupas modernas e sofisticadas, o espaço visa a atender mulheres antenadas de todas as idades. O diferencial fica por conta da proprietária Livia Diniz, personal stylist que atende suas clientes também em domicílio. Onde: Rua São Paulo, 1078 Tel. 3351-7054

Preços pesquisados em abril de 2010

As designers mineiras Tati Azzi e Fe Dubal sabem traduzir com delicadeza e ousadia o desejo de muitas mulheres: ter acessórios que agreguem personalidade e estilo ao visual. Criadoras da marca Adô Atelier, elas se dedicam à criação de bolsas e acessórios, além de projetos em parcerias com outros designers e artistas gráficos. Inspirada nas estruturas de fractais– belíssimas formas de geometria complexa, a nova coleção de inverno tem referências punks e oitentistas, exploradas nos detalhes de metal, spikes e correntes. Além disso, a Adô desenvolve modelos com números de peças reduzidos, o que garante a quase exclusividade dos produtos.


21


misturafina

consumo / estilo / tendências / cultura

Requinte

para o pulso Elegância e sofisticação traduzem a linha de relógios Prima Luna, da marca suíça Longines. Com linhas delicadas e formas arredondadas, as peças são iluminadas por pontos de diamantes e compostas pela harmonia e combinação de materiais como aço, ouro rosa, ouro amarelo e couro, fazendo dos relógios uma coleção de jóias. A linha Longines Prima Luna by Vana pode ser encontrada no Brasil pela Vana importadora.

Por CARLA MATSU

Moda online

A marca americana American Apparel, hit entre as garotas descoladas, traz uma boa notícia às consumidoras brasileiras: a loja online passa a fazer entregas em todo o país. Entre as opções online, há camisas de alfaiataria, camisetas, vestidos, leggings metalizadas, rendas e acessórios. Há ainda alternativas para vestir os rapazes e até versões para bebês e cachorros. Vale lembrar que a loja física também tem seu espaço em São Paulo, na Rua Oscar Freire, 433 Acesse www.store.americanapparel.com.br

Relógio Prima Luna com caixa em aço/ouro rose, com visor em cristal de safira anti-reflexo e mostrador em madrepérola. Sugestão de preço R$ 5.047,00 Relógio Prima Luna com caixa em aço e pulseira em aço inoxidável, com visor em cristal de safira antirreflexo. Sugestão de preço R$ 3.412,00 Tel. (11) 3035-1010

Santa Rita Decor

C

om atendimento personalizado, a sempre atual Santa Rita Decor oferece muitas novidades em cama, mesa e banho. Ampla e agradável, a loja disponibiliza ajuda de um profissional para auxiliar seus clientes na escolha dos tecidos para suas cortinas e estofados. A outra recente novidade fica por conta da lista de casamento que a Santa Rita Decor organiza para quem vai realizar esse grande sonho.

Terceira dimensão em casa A tecnologia 3D também pode ser vista do sofá da sala com a nova linha de televisores da LG, que reproduz conteúdos em terceira dimensão. São nove modelos com o sistema de transmissão “ativo”, em que um emissor de raios infravermelhos, conectado a uma porta especial do televisor, envia o sinal para os óculos 3D com tecnologia ativa. Ideal para canais 3D, jogos e conteúdo em blu-ray. Onde: www.fnac.com.br

22

Preços pesquisados em abril de 2010

Onde: Av. Mato Grosso, 986 Tel. (67) 3318-9400 e www.santaritadecor.com.br


23


misturafina

consumo / estilo / tendências / cultura Por CARLA MATSU e LÚ BIGATTÃO

Velozes

Prático

Potência

Os applemaníacos agora também contam com mais rapidez no desempenho de um notebook Apple. A nova versão do MacBook Pro vem com a família de processadores Intel Core i5 e i7, que melhoram o desempenho em até 50%, comparado à geração anterior. E os modelos de 15 e 17 polegadas recebem o novo processador gráfico dedicado NVIDIA GeForce GT 330M, o mais rápido já presente em um notebook Mac.

Com exclusivo design de flip inverso, mousepad na parte traseira e tela de 3,1 polegadas full touch, o Motorola Flip Inverso permite que seu usuário fique conectado a hora que quiser. O smartphone atualiza todos os seus sites de relacionamento, ou apenas os que você escolher, de uma única vez, incluindo aí o Orkut, Twitter, Facebook, MySpace, entre outros. Há ainda uma câmera integrada de 5 MP com auto-focus e flash e sistema de operação Android 1.5.

Com design elegante, o novo Micro System da LG Electronics reúne estilo e reprodução de áudio de qualidade surpreendente. Com acabamento Black Piano, o aparelho oferece botões Touch Sensor e iluminação Aqua Lighting. Além disso, é sinônimo de conectividade, já que possibilita reproduzir e recarregar o iPod simultaneamente, apenas ligando-o diretamente ao micro system sem a necessidade de acessórios à parte. O recurso garante o acesso simples à biblioteca de músicas e ao menu de configurações do player utilizando o seu controle remoto.

e dedicados

A partir de R$6.499,00 na loja online da Apple http://store.apple.com/br

e conectado

À venda por R$ 1.699,00 em www.fnac.com.br

e estilo

playlist “Complete” Atuando no mercado de arte digital desde 1998, Denis C. Feliz dá vida a muitos monstrinhos carismáticos. Com olhos que saltam na tela e cores que vibram, os personagens ganham identidade própria e podem ser vistos em www.denisfeliz.blogspot.com e www.denisfeliz.com.br. É Denis que fala sobre o que andou cativando seus ouvidos e indica por que a banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju merece também a sua atenção. “O Móveis é uma banda que me chamou a atenção pela levada das letras e pela presença do nipe de metais. Quando conheci a banda, logo gostei do pique que ela tem e o ritmo com uma pegada bem pra frente. 'Complete' é o recente disco deles e minha faixa predileta é 'O tempo', que tem uma letra com boa sacada. Sem dúvida é uma banda que tem um diferencial que merece ser ouvido e divulgado, pois ela tem algo que eu valorizo: resistir ao habitual”. Encontre em www.moveiscoloniaisdeacaju.com.br

24

Preços pesquisados em abril de 2010

Por R$ 899,00 no www.submarino.com.br


Vídeo Índio Brasil 2010 As inscrições para a terceira edição do Vídeo Índio Brasil estão abertas até dia 31 de maio de 2010. O evento acontecerá entre os dias 31 de julho e 7 de agosto de 2010, na cidade sede, Campo Grande- MS, e em mais 100 municípios. Para saber mais acesse o site: www.videoindiobrasil.org.br

oRQUESTRA BARROCA

O

VIII Festival Internacional de Música Renascentista que aconteceu na Bolívia teve a participação da Orquestra Barroca de Mato Grosso do Sul. O encontro, que é um dos mais importantes do gênero em todo o mundo, tem como principal objetivo resgatar a cultura de um dos períodos mais ricos da história da música. Se apresentaram grupos e orquestras de inúmeros países, como França, Inglaterra, Alemanha, Polônia, Áustria, Noruega, Bélgica, Itália, Estados Unidos, Chile, Argentina e Uruguai. O local do festival- San José de Chiquitos, antigas missões jesuíticas do Bolívia- é uma atração à parte, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade. Durante a restauração dos templos foram encontradas mais de 9.000 partituras de músicas sacras escritas entre os séculos XVII e XVIII por músicos europeus e nativos da região. Algumas delas foram enviadas aos participantes do festival. Segundo o maestro e violonista Eduardo Martinelli, as peças enriqueceram a participação da Orquestra Barroca. “O repertório permitiu uma viagem pela história da música erudita na América Latina”, destacou o maestro. A participação no Festival marcou os cinco anos de formação do grupo.

25


Kátia e Jardis Volpe se preparam para inaugurar nova clínica de estética em Campo Grande Por CARLA MATSU Fotos ALEXIS PRAPPAS

28


29


cAPA

Quando o assunto é pele saudável e bonita há dois nomes que se pronunciam como unanimidade. Atendem, inclusive, pelo mesmo sobrenome. Os irmãos Kátia e Jardis Volpe representam não só Campo Grande, mas também o Brasil, quando o contexto é a dermatologia estética. Frente desde 2005 à Clínica Volpe, que conta com sede em São Paulo e Campo Grande, os dois se preparam para inaugurar uma nova clínica, prevista para o mês de junho, nos Jardins dos Estados. Com equipamentos modernos de alta tecnologia voltados para o tratamento da pele do rosto e do corpo e com um espaço maior que a clínica já existente- são 300 m² bem pensados para oferecer mais conforto aos seus pacientes - a nova clínica não perderá em nenhum momento para a de São Paulo, que também passou por reformas e foi reinaugurada em setembro de 2009.

"Com o advento dos tratamentos não invasivos mais potentes, a cirurgia plástica é cada vez mais postergada para aqueles que desejam melhorar sua imagem" jardis Volpe

Além da técnica

A trajetória profissional de Kátia e Jardis se encontrou numa parceria que deu certo. Fruto do estudo e desempenho em conjunto dos irmãos, o sucesso da clínica é resultado do atendimento personalizado, alta tecnologia em tratamentos e a segurança que os pacientes têm em receber um tratamento não invasivo que apresente resultados naturais. Há também uma equipe multidisciplinar bem treinada, que conta com médicos assistentes, fisioterapeutas, dermato-funcionais, nutricionistas funcionais e enfermeiras. E o fato de trabalharem em família agrega um valor especial. “Nós somos bem criteriosos. Antes de tomar uma decisão sobre qual tratamento é o mais adequado, discutimos juntos muito bem cada caso. Acredito que duas cabeças pensam melhor que uma. Acho que nosso diferencial é esse, poder trabalhar junto e oferecer ao paciente dois cérebros pensantes”, explica Jardis. Entre os pacientes da Clínica Volpe há nomes bem famosos. Sheila Carvalho, Cláudia Raia, Daniele Winitis e Fernanda Vasconcellos são alguns deles. E assim como as celebridades, pessoas comuns, que não vivem necessariamente sob os holofotes da mídia, preferem recorrer aos tratamentos não invasivos, cada vez mais em alta já que não são agressivos ao corpo como os métodos tradicionais de cirurgia plástica. Com equipamentos aprovados pela ANVISA e com dados científicos publicados em revistas médicas, há na Clínica Volpe meios para rejuvenescimento, lipoaspiração a laser, manchas na pele, flacidez, celulite, estrias e outras soluções que vêm para dar alívio à preocupação de muitas mulheres e homens. Eles, aliás, representam 40% dos pacientes da clínica, evidenciando, sem preconceitos que eles também recorrem a soluções externas para retardar o envelhecimento, assim como obter outras melhorias na aparência.

Preocupados em preservar a naturalidade do efeito de qualquer tratamento, Kátia e Jardis também ressaltam a importância da relação médico/ paciente, já que é preciso haver sinceridade de ambas as partes. Se por um lado tratamentos estéticos podem causar melhorias na autoestima de homens e mulheres, de outro a preocupação excessiva pode levar à banalização desnecessária. “Muitos procuram o tratamento por problemas de autoestima. Eu não vejo problema nisso. Porque quando você começa a se cuidar, isso gera um ciclo vicioso do bem, mesmo buscando uma ajuda externa, você começa a melhorar internamente. Eu acredito que as pessoas que se cuidam se amam mais, são mais felizes e isso contagia o universo. É interessante ver isso”, detalha Jardis que ressalta a importância de orientar os pacientes para não caírem no exagero. “Mesmo que gere um ciclo vicioso do bem, às vezes pode virar um vício, o que é ruim. Temos como filosofia dizer não também. Orientar e ressaltar quando é preciso parar um tratamento”.

30


31


cAPA

O curioso é que nem sempre os tratamentos não invasivos eram vistos com os bons olhos de hoje. Já houve dias em que pacientes chegavam com um pé atrás no consultório: “humm... será que isso realmente dá resultado? Parece algo tão milagroso”. A dúvida acabou cedendo espaço para a certeza. Hoje, grande parte dos pacientes vão à clínica porque viram os bons efeitos já confirmados na pele de algum amigo ou amiga. E há ainda mais boas notícias. Com o advento dos tratamentos não invasivos mais potentes, a cirurgia plástica é cada vez mais postergada para aqueles que desejam melhorar sua imagem. No entanto, Kátia e Jardis lembram que o segredo para manter uma boa aparência envolve mais cuidados, e esses devem ser diários. “A rotina de cuidados diários com a pele faz com que você fique bem. Mas de tempos em tempos, dependendo da idade de cada um, você precisa dar um up e lançar mão de tratamentos para potencializar o efeito de rejuvenescimento. O nosso foco é estético, mas nossa atenção primordial é a saúde da pele. Porque não existe uma pele bela sem ser saudável”, ensinam.

32


Profissionalismo e parceria “Um é Ying, o outro é Yang”.

É assim que Kátia define a relação entre ela e o irmão numa parceria profissional que tem dado certo. Se ela é ‘barulhenta’, como ela mesma diz, “falam que sou o ‘furacão Katrina’, converso bastante, mas sem perder o foco”. Jardis já é o oposto, mais quieto e reservado. “Mas nossas diferenças se completam. Para se ter uma ideia, trabalhamos lado a lado e moramos no mesmo prédio”, conta ela. Mesmo reservado, Jardis é quem faz a ponte entre a clínica e a mídia. Comunicativo, articulado e do olhar atento, é ele quem, na maioria das vezes, responde as dúvidas de muitos jornalistas. O que, talvez, muita gente não saiba é que no começo da carreira, ele até chegou a cursar um ano de Relações Internacionais. A intenção era fazer Diplomacia: “era muita burocracia, e isso me desmotivou”, conta. Os amigos o definem como perspicaz e inteligente. Uma das paixões que mais o motivam é viajar e conhecer o mundo: “Já conheci perto de 40 países e estive em todos os continentes”. A vida cultural e gastronômica de São Paulo, onde ele vive, é um banquete aos olhos e à curiosidade todos os dias. “É a melhor coisa de São Paulo, o teatro, cinema, exposições”. Kátia, que também mora em São Paulo com o marido Marco Antonio e os filhos, Victor e Sophia, é mãe carinhosa e orgulhosa– ao falar deles, ela se adianta para mostrar as fotos dos filhos que ela sempre carrega no celular. “São minhas paixões”, conta. Ela, que vem com frequência a Campo Grande para atender seus pacientes, diz estar acostumada com a correria que a profissão exige. Otimista declarada, ela procura sempre ver o lado bom das coisas e das pessoas. E é com bom humor que assume ter seu lado “mandona, exigente e perfeccionista”. Já os momentos de descontração encontram até o videogame que joga com os filhos e as brincadeiras de Barbie com a caçula.

E se a beleza alheia pauta a agenda de Kátia e Jardis Volpe, os dois também têm os devidos cuidados com a sua. Kátia se propõe a fazer tudo o que ela indica, incluindo os tratamentos que a Clínica Volpe oferece: “Eu sou a primeira a experimentar. Uso produtos específicos, filtro solar sempre, me alimento bem e não durmo com maquiagem. Mas sem neuroses, afinal todos envelhecemos. E se puder ser com uma aparência melhor, por que não?”, ensina. O irmão prima pela qualidade vida, pelo bem-estar e por ser manter sempre saudável. “Gosto de me divertir junto das pessoas queridas, isso é importante para nosso espírito”. Da mesma forma, que Kátia e Jardis pregam a naturalidade de seus tratamentos, equilíbrio soa também como a palavra-chave para eles. “Temos que envelhecer com dignidade- a ideia não é parecer 20 anos mais jovem, e sim parecer bem cuidado para a idade que temos. Isso demonstra amor próprio”, ressalta Jardis.

33


lifestyle

Conforto e simplicidade O lado mais famĂ­lia e caseiro de Ana Leda Barbosa Lopes Por CARLA MATSU Fotos ALEXIS PRAPPAS


35


p LIFESTYLE

Por trás das paredes da grande casa de tijolinho à vista há um lar convidativo e bem arrumado. Tudo impecável e como se cada coisa pertencesse realmente a seu lugar. Mas a impecabilidade não oprime o conforto. Há ali aquele convite implícito de que os convidados podem se sentir à vontade para colocarem os pés no sofá. Os pequenos objetos afetivos que dão personalidade à casa estão por todos os lados e se eles guardam bons momentos, eles só perdem como coadjuvantes quando a curiosidade se fixa em grandes taças de chão que transbordam rolhas. Há muitas delas espalhadas pela casa, rolhas de garrafas de vinho, que completam grandes taças ou transparentes vasos. Elas levam histórias, guardam noites bem vividas e remetem o sabor de boas companhias e, claro, a degustação de ótimos vinhos. Esses brancos, tintos, de nacionalidades e de adegas diferentes. Todas catalogadas com dias de afeto, dias em família, dias com amigos. Datas, nomes de restaurante e nomes próprios são escritos nas lembranças de cortiça. “Toda vez que vamos a algum restaurante e pedimos uma garrafa de vinho, trazemos a rolha para nossa casa”, explica Ana Leda Lopes, do sorriso largo e dos longos cabelos loiros. É ela quem cuida da família, do lar bem organizado e das orquídeas, sobre os quais ela se enche de orgulho para falar. 36


"

Eu sou uma pessoa alegre, que raramente fica triste. Acho que precisamos desse otimismo, pois faz toda diferença para a vida. Acredito que precisamos enxergar as possibilidades em

tudo"

Com 50 anos recentemente completados, Ana Leda transpira confiança e a maturidade de anos bem vividos e sem arrependimentos, como ela mesma gosta de ressaltar. “Não vivo de passado. Tudo que eu tive que fazer , fiz em certa época e não me arrependo de ter feito”, fala ela com tranquilidade. A rotina é das mais simples e sem afetações. Todos os dias são próximos da família, dos momentos que as filhas a requisitam, dos almoços bem servidos e da gastronomia de bons restaurantes. Ana Leda é, sobretudo, caseira, e diz aproveitar muito bem isso. “Acredito ser um privilégio poder ficar em casa hoje e poder cuidar da minha família”. E é na simplicidade das coisas que ela contempla o bom humor, a alegria e o que a vida lhe proporcionou. Mãe de três meninas, Gabrielle, Caroline e Juliane, sendo as duas últimas já casadas, Ana Leda diz que está curtindo uma fase boa na vida das filhas, um momento que ela é solicitada, especialmente, como amiga e conselheira. Ela, que se interessa por decoração, sempre é consultada quando as filhas lhe pedem para ajudar nas escolhas de decoração de suas novas casas.

37


LIFESTYLE

38


Prioridades O dia começa cedo para Ana Leda. É nas corridas e caminhadas matinais que ela encontra o equilíbrio para começar o dia e ressalta a importância de cuidar do seu lado espiritual. No ano retrasado, Ana passou 20 dias entre Jerusalém, Egito e Israel. “Acredito que toda viagem soma um aprendizado. Mas essa em particular foi especial, pois eu fui preparada com outros olhos. Foi uma viagem espiritual, diferente de quando você vai a outro país e tem olhos de um turista comum”, lembra. Das muitas viagens em família, Ana Leda tem boas lembranças para contar. Uma das mais recentes foi a Londres, a Grécia e a Itália, onde ela esteve acompanhada do marido José Carlos e a filha Gabrielle. Viajar com a família é, segundo ela, uma oportunidade de um cuidar do outro. “Quando se está em um país diferente, você está geralmente longe dos compromissos, longe da rotina, então você está ali para curtir o lugar e sua companhia e acho que isso reúne ainda mais”.

Receber bem em sua casa é também outro prazer semanal. Todo final de semana um churrasco é preparado para receber os amigos e as filhas. É no quintal que se encontra o ponto mais afetivo da casa, lá estão suas orquídeas bem cuidadas e cultivadas por ela. E se o vinho protagoniza bem alguns cômodos, sair para jantar e degustar boas gastronomias sempre está na rotina. Foi com o marido que Ana Leda diz ter aprendido o valor de ser otimista. “Eu sou uma pessoa alegre, que raramente fica triste. Acho que precisamos desse otimismo, pois faz toda diferença para a vida. Acredito que precisamos enxergar as possibilidades em tudo”, ensina ela que fala com orgulho sobre sua vida e principalmente sobre a família. “Tenho orgulho da família que eu constituí, da vida que tive e tenho. Acho que isso traz qualidade de vida”.

39


portrait

ASAS E RAÍZES

Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

O músico Márcio de Camillo quer cantar o seu jardim em todos os cantos do planeta, PARA QUE TODOS SINTAM A SUA MÚSICA, MESMO QUE NÃO ENTENDAM A SUA LÍNGUA

Idade 40 anos. Formação Publicidade e Propaganda. Paixão Música. Signo Gêmeos. Obra em construção Quatro CDs, um DVD e inúmeros projetos, entre eles Violas do Brasil e Gerações. Compromisso Com a música e

minhas composições. Inspiração Relatos do dia a dia e,

como para todo bom artista, o amor. Influências A poesia de Paulo Leminsk, Manoel de Barros, Torquato Neto e Jorge Drexler. Maior riqueza de MS Sem dúvida,

a diversidade- somos um pedaço do mundo e abraçamos todas as influências. andanças Espanha, Portugal, França e Itália. Aprendizado Existe um mercado forte fora do Brasil para a divulgação da nossa música. Eles querem o diferente e não o massificado. Coletividades Participação em

conferências, associações e fóruns, ajudando a construir as leis para democratizar a cultura. Futuro Estou me preparando para alguma coisa que eu ainda não sei o que é. Função social A cultura tem que

estar associada à educação. O artista é também um professor e ajuda na construção do indivíduo. Em três minutos de uma canção, pode-se fazer uma revolução. A melhor letra Da música Santifi-

cado: " Santificada seja vossa pele, que nos revele tudo o que é suposto, no rosto de quem esconde a febre, de um amor que virou desgosto..." Lema Junto é difícil, sozinho é impossível! Tem que atuar em cardume. Próxima parada Buenos Aires com

o show Cantautor, em outubro.

40


41


LOUNGE Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

Dado Jacintho

Um jovem feliz, que adora seu trabalho e está sempre de bem com a vida. Assim é Dado Jacintho. Formado em Zootecnia há cinco anos, trabalha com o pai, cuidando do melhoramento genético do gado. Se orgulha de dar continuidade aos negócios da família, que há mais de 70 anos atua no ramo da pecuária. Outro negócio que Dado adora são as festas que produz, entre as mais badaladas do estado. Que ele considera um hobby e não trabalho. Se diverte promovendo a diversão dos outros, diz todo sorridente. A Única, balada que acontece durante a exposição agropecuária de Campo Grande, já está na quinta edição e atrai pessoas de todo Brasil. A feijoada que ocorre durante o festival de Inverno de Bonito faz sucesso há quatro anos. “O evento é realizado na praia da Figueira, um lugar lindo. O pessoal vem de várias regiões e depois aproveita para conhecer o Pantanal. Este ano o evento acontecerá no dia 31 de julho, e com certeza irá superar todas as outras edições”, informa. Outra promoção que assina é a festa Noite Branca, num resort na beira do rio na cidade de Araçatuba, interior de São Paulo. Todo ano, antes do Natal, ele faz uma festa beneficente em Presidente Prudente, onde mora seus pais, com 100% da renda revertida em prol de entidades e projetos sociais da região O diferencial que garante o sucesso dos eventos é a qualidade dos serviços e a boa música, acredita Dado. Ele e os parceiros sempre trazem os melhores DJs nacionais e internacionais. A parte do trabalho que mais gosta é convidar o público. A viagem tem que valer a pena, adianta ele, explicando que a divulgação é feita entre os amigos que estão sempre em busca de uma boa festa. Nas horas vagas, o jovem pecuarista adora viajar. Rio de Janeiro, São Paulo ou passar frio em algum país distante. Mais isso é quando arruma tempo no seu agitado dia a dia. No mais, não dispensa um bom tereré na companhia dos amigos.

42


43


meu canto

O gosto pela vida

Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

O lema de Nelson Guimarães é aproveitar o tempo livre, cultivar as amizades e dizer não para as coisas chatas da vida

O

arquiteto Nelson Guimarães é paulista e veio pela primeira vez para Campo Gran-

de em 1989 para fazer um projeto. Gostou tanto que acabou se mudando no ano seguinte. “Aqui é um paraíso”, diz declarando seu amor pela cidade. Acredita que hoje tem mais qualidade de vida no trabalho e nas relações pessoais e pode circular mais livremente pelos espaços. Adora curtir a vida e sai todas as noites, de domingo a domingo. Motivos é que não faltam- encontrar os amigos, conversar, jantar, ler jornal, tomar um drink e também para trabalhar, diz ele, confessando que 70% dos seus projetos, fecha enquanto se diverte. O aprendizado adquirido há alguns anos na pós-graduação em arquitetura hospitalar, está sendo colocado em prática agora, com o projeto do Pronto Socorro da Santa Casa, com 1.580 m2. Não se prende a nenhum estilo e faz questão de agradar o cliente. “Gosto de estudar para entender as necessidades pelas quais eu fui contratado”, afirma o arquiteto que atua em todas as áreas de sua profissão– projetos, obras, decoração e paisagismo. Gosta tanto do que faz, que trabalho para ele é lazer. Pode ficar anos sem tirar férias e não sente cansaço. “Adoro projetar, atender e saber que está tudo funcionado bem. É um prazer”, diz enquanto saboreia seu expresso.

44

Agradecimento Firula´s (67) 3326-8691

os clientes, acompanhar a obra e vê-la pronta


45


VOX

D

epois de 28 anos, o governo de Mato Grosso do Sul poderá ter novamente no governo do estado um representante da região do Bolsão. Simone Tebet aceitou o convite para ser candidata à vice-governadora ao lado do atual governador André Puccinelli e, coincidentemente, poderá ocupar o lugar que foi do seu próprio pai, Ramez Tebet, em 1982. A advogada quebrou uma hegemonia de 40 prefeitos homens, sendo a primeira mulher a assumir o executivo de Três Lagoas. Ousada, protagonizou um fato histórico para o município, mudando o perfil da cidade de rural para industrial, com a instalação de 30 indústrias, atraindo mais de 10 mil migrantes em busca de novas oportunidades. A Mood Life conversou com a ex-prefeita, que se revelou uma típica pisciana de delicada sensibilidade, profunda em suas reflexões, dedicada à família. Ela falou sobre política, família, mídias sociais, meio ambiente e outros assuntos.

Simone Tebet A ex-prefeita de Três Lagoas mostra os seus próprios méritos na administração pública Por RENATO LIMA Foto ALEXIS PRAPPAS

Hoje você já possui uma personalidade política consolidada e independente. No início de sua trajetória você enfrentou maior resistência pelo sobrenome ou pelo fato de ser mulher? Simone Não diria resistência, mas claro que o fato de ser mulher num mundo ainda predominantemente machista faz com que nós, mulheres na vida pública, tenhamos que trabalhar dobrado, provar mais capacidade, mais comprometimento, para sermos consideradas tão boas quanto os homens na política. No meu caso, o sobrenome Tebet não foi um obstáculo. Ao contrário, eu fui eleita deputada estadual graças ao sobrenome do meu pai, sua atuação, trabalho, ética e comprometimento com a vida pública. Depois tive a capacidade de mostrar os meus próprios méritos. Você é advogada e já deu aula em várias universidades do estado. O que a levou a entrar para a vida pública e de que forma o legado do seu pai, Ramez Tebet, lhe influenciou? A influência do meu pai foi decisiva e total. Eu jamais havia pensado em assumir algum cargo público. A minha vocação e a vida inteira eu

46

quis estar em uma sala de aula e advogando. Quando eu tinha cinco anos de idade meu pai foi prefeito de Três Lagoas, aos nove ele era deputado estadual, com 12 anos vi meu pai ser eleito vice-governador, quando eu tinha 16 anos ele assumiu o governo do estado e depois foi senador. Claro que isso foi decisivo e não sei em que momento isso aconteceu. Quando vi, eu já estava eleita como deputada estadual. Depois abri mão do mandato e vim para Três Lagoas, atendendo ao desejo do meu pai para que eu cuidasse da cidade. Essa mudança foi um processo lento, meu pai sempre foi um grande incentivador. Nos últimos anos Três Lagoas ganhou destaque na imprensa nacional aparecendo entre os 25 municípios mais dinâmicos do país. Foi citado pela revista Exame como um dos mais promissores pólos de desenvolvimento do Brasil e você entrou para a lista dos 100 melhores prefeitos da nação. Você acha que a cidade tem condições de manter esse padrão pelos próximos anos? Três Lagoas não vai apenas manter, e sim melhorar esses índices. Para dar apenas um exemplo, em 2010 e 2011 a cidade terá os três


maiores investimentos privados de Mato Grosso do Sul e um dos maiores investimentos privados e públicos do Brasil. Estou falando de uma metalurgia, juntamente com uma siderurgia, de R$ 300 milhões do Grupo Grendene com a Votorantim, que vai gerar no pico três mil empregos diretos e depois mais de mil empregos no período da construção. Estamos falando também de mais uma fábrica de celulose, que vai ser a maior do mundo novamente, com investimento de R$ 2 bilhões. Somente este empreendimento irá gerar na fase de construção 10 mil empregos diretos para todo o Brasil porque não temos esta mão de obra para oferecer. Já o maior investimento público do governo federal que começará a partir de janeiro de 2011, será a construção de uma fábrica de fertilizantes. Com essas projeções tenho certeza que Três Lagoas irá melhorar não só na economia, mas também no setor social. É notório que a vida pública ocupa grande parte do seu tempo. O que você faz para administrar a casa, cuidar do esposo e das duas filhas? Eu abro mão da vida social para dedicar o pouco tempo que me sobra exclusivamente à minha família. Meu esposo Eduardo, que é um grande companheiro, faz política 24 horas por dia ao meu lado, me acompanha nas viagens. A gente tem propriedade rural, então ele cuida por ter essa facilidade de agenda. Eu acordo cedo com as minhas

˝Abro mão da vida social para dedicar o pouco tempo que me sobra exclusivamente à minha família˝ filhas, tomamos café juntas, antes delas irem para a escola. Na hora do almoço faço questão de estar com elas, saio da Prefeitura por volta das seis da tarde e volto às minhas atividades depois que elas vão dormir, para aproveitar tempo de qualidade com a família, por isso vou pra cama depois da meia noite quase todos os dias. Muitos políticos têm aderido às mídias sociais como estratégia de manter contato com eleitores e mostrar um lado mais humano. Você tem perfil no twitter, Orkut ou facebook? Tenho um blog (www.simonetebet.com.br) que veio para somar como um importante canal de comunicação com a população sul-matogrossense. Além disso, participo das comunidades do Orkut criadas pelas pessoas que apóiam o meu trabalho. Três Lagoas foi a única cidade do Brasil a assumir o piso salarial nacional dos professores, inclusive pagando retroativo a janeiro de 2008, uma ação ousada e de impacto para o caixa da prefeitura. O que a levou a tomar essa decisão? Sou professora, então não poderia ser diferente. Nós tivemos grandes

avanços em diversos setores, mas falando em Educação tem alguns méritos que guardo com muito carinho. Primeiro: as nossas crianças estudam com o método de ensino Positivo, um dos melhores métodos privados de ensino. Nossa merenda é reforçada: arroz, feijão, legumes e carne. Somos a primeira administração a construir escola municipal na zona rural. Construímos duas escolas de educação no campo. Inovamos também porque retroagimos o nosso piso salarial a 2008, e incluímos no plano de cargos e salários a hora atividade, que é a possibilidade do professor ganhar 40 horas, sendo 30% deste tempo fora de sala de aula para preparar as aulas, corrigir trabalho, etc. É o único município do Brasil a incluir essa hora atividade. Outra informação importante é que enquanto em média 20% das crianças de 0 a 3 anos no Brasil estão nas creches, em Três Lagoas esta realidade é para 92% das crianças nessa faixa etária. Você possui mestrado em direito ambiental e fez questão de construir um aterro sanitário mostrando a preocupação com a sustentabilidade. Como preservar matas, rios e solo da cidade ao passo que Três Lagoas recebeu cerca de 30 novas empresas, incluindo duas gigantes de papel e celulose? Quando nem se falava em questão ambiental, já há algum tempo eu estava fazendo mestrado em direito ambiental. Portanto, eu tenho preocupação e conhecimento nesta área. Nós não trazemos indústrias altamente poluentes, elas não nos interessam. Quando elas vêm, ficam afastadas da cidade. Por exemplo, a siderurgia que vai ser construída, vai ficar a 20 quilômetros da cidade. Nós não temos chaminés, não temos poluição na cidade. Temos implantado uma cultura ambiental em Três Lagoas como o plantio de milhares de mudas de árvores na área urbana, espaços para coleta de lixo como o Ecoponto, para coletar pneus que antes eram jogados em terrenos baldios. Sem dúvida a questão ambiental é prioridade, pois o aterro sanitário é uma das maiores obras do município com investimentos de R$ 5 milhões, com áreas separadas para lixo domiciliar, lixo hospitalar e da construção civil. Nos seus mandatos como deputada estadual e como prefeita você sempre foi muito atuante e protagonista. O cargo de vicegovernadora não seria um fator limitante para a sua atuação política nos próximos quatro anos? Não vejo desta forma. Eu vejo o convite do governador não para uma amiga, mas sim um convite feito a toda uma região, a do Bolsão, que teve privilégio de ter um vice-governador em 1982, que no caso foi o meu pai, e que assumiu por um ano o governo e depois foi senador da República. O vice-governador tem sim uma função limitada, que é a de exercer o cargo em determinados momentos de ausência temporária do seu titular que é governador, mas isso não impede o político de trabalhar e atuar. Dá pra ser tão dinâmico quanto se tivesse a frente de outro cargo qualquer. O fato de ser convidada e aceitando a pré-candidatura a vicegovernadora vai dobrar a minha responsabilidade, porque eu não teria apenas que fazer mais e melhor do que fiz como prefeita, mas, além disso, fazer mais e melhor para todo o interior de Mato Grosso do Sul.

47


EU SOU Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

Fernando Soares ˝Minha coluna vicia. Quem a lê três vezes, vai ler sempre˝

C

olunista Social há 25 anos, Fernando Soares mantém uma coluna diária na Folha do Povo e no site Midiamax. Já foi vereador e recentemente se formou em Direito, mas é escrevendo que se realiza. Para estar sempre bem informado lê diariamente todos os jornais locais e alguns nacionais. Geralmente trabalha até tarde, envolvido nas coberturas dos eventos, que recheiam a sua coluna. “Vou pessoalmente às festas, para escolher os personagens, orientar o fotógrafo e levantar as informações. Seria mais fácil fazer os textos acessando a Internet. Mas isso não me atrai, gosto das notícias de primeira mão, de correr atrás da informação”, declara. Fernando acredita que o reconhecimento do público veio pela responsabilidade que sempre dispensou ao seu ofício. “Minha coluna vicia. Quem a lê três vezes, vai ler sempre. O número de leitores só aumenta. São 12 mil exemplares da Folha do Povo e os acessos no site chegam

48

a 50 mil”, contabiliza. Satisfeito com a profissão, considerase um colunista bem sucedido. Conta que a maturidade lhe trouxe mais serenidade e isso refletiu no trabalho: “Estou menos áspero. Já passei tanta coisa na minha profissão e hoje me sinto mais preparado para enfrentar a vida”. Mas nem só de notícias vive Fernando Soares. Ele arruma tempo para se dedicar à fazenda e à criação de gado. Pausa mesmo só aos domingos, nos almoços em família regados a banhos de piscina. Diz que não sente necessidade de lazer, porque sua profissão também é uma forma de descontração. Conhece tanta gente que sempre encontra os amigos nos eventos, entra no clima da festa e acaba se divertindo também.


49


eTIQUETA cONTEMPORÂNEA

Dicas para não fazer feio na hora de usar a tecnologia Por lú bigattão Foto ALEXIS PRAPPAS

Conecte-se com bom senso C

elular, internet, Twitter, iPod, iPhone, a cada dia surgem novos aparelhos e programas que rapidamente são integrados ao cotidiano de milhares de pessoas. No Brasil, já são cerca de 170 milhões de usuários de celular, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações e mais de 63 milhões de internautas, de acordo com pesquisa da Teleco. Os números aumentam a cada mês e a tendência é a tecnologia tornar-se cada vez mais presente na vida de todos. Mas como usá-la sem cometer gafes? Julian Medina, pedagogo e coordenador do SENAC Beleza e Moda, lembra que já somos dependentes e não conseguimos mais viver sem esses aparelhos, mas devemos usá-los sem exageros, para não interferir na vida dos outros. Bom senso é a palavra-chave para lidar com essas mídias sem perder a compostura. As regras são básicas, todos conhecem, mas muitos insistem em desrespeitá-las. A primeira recomendação é que a pessoa que está próxima tenha prioridade nas atenções. “É no mínimo muito chato ficarmos esperando, enquanto o outro fala ao telefone ou escreve no MSN. Se for urgente e não tiver como deixar para depois, ao menos peça licença”, ensina Julian. Num lugar público como uma fila ou sala de espera, o ideal é a pessoa se retirar para conversar ao telefone. “Ou pelo menos falar baixinho e ser discreto”, sugere, lembrando que ninguém é obrigado a compartilhar dos problemas dos outros. No cinema, teatro, palestra, igreja, consultório médico, a regra é desligar o aparelho. Durante as refeições é outro momento inadequado para atender o celular, ainda mais quando se está acompanhado. Quando a conversa se prolonga, pior ainda. Julian avisa que é de bom grado atender e dizer que depois retorna a ligação. Na sala de aula ou em reuniões, se for de acordo entre os participantes que é permitido receber as chamadas mais urgentes, coloque no vibracall, atenda e, se possível, saia da sala para conversar. Outro requisito que merece atenção, segundo Julian, são os tipos de toques usados nos celulares. Músicas maliciosas e berros irritantes são coisas de mau gosto, um toque convencional é mais elegante.

50

Outro detalhe é onde se guarda o aparelho. Deixá-lo jogado dentro da bolsa não é o ideal, pois na hora que começa a tocar, o dono entra em desespero para encontrá-lo, se tornando o foco das atenções. No trabalho, leve-o ao sair da sala, para não incomodar os que estão ao redor. Outra regrinha básica é em relação ao horário das chamadas. Antes das 9h e depois das 22h, só ligue se tiver combinado antes. Com relação aos e-mails, não é elegante ficar entupindo a caixa de entrada dos amigos com mensagens de autoajuda, orações e correntes. Na hora de escrever mensagens, atenção na forma e linguagem. As abreviações usadas no MSN não são bem-vindas, principalmente no mundo corporativo. Julian lembra que o vocabulário tem que ser escrito corretamente: “mensagem tem que ser clara, objetiva e eficiente”. E nada de enfeitar a mensagem: “deixe isso para o e-mail particular, mas com parcimônia”, acrescenta Julian. O uso do i-Pod também segue algumas normas. Ele é, sem dúvida um excelente recurso para isolar os sons externos e curtir uma música, mas em alguns ambientes não é recomendável. “A pessoa fica isolada, longe de tudo e de todos, se desliga no mundo real”, adverte Julian. Cuidados também com o volume, porque mesmo com fone de ouvido, mas com o volume lá em cima, as pessoas ao redor também ouvem sua música. E a longo prazo pode causar problemas de ouvido. A cada dia surgem novidades tecnológicas e situações inesperadas se apresentam. Julian acredita que para tomar as atitudes corretas, é preciso analisar o ambiente ao redor e respeitar o direito dos outros, pois cada caso é um caso e só o bom senso pode definir o comportamento a ser seguido para não se tornar inconveniente e deselegante.


52


in the mood for winter

Acalentar o paladar com caldos quentes, vestir os pés com meias mais grossas, curtir o conforto da casa e manter-se simplesmente debaixo dos cobertores são prazeres simples que se tornam mais especiais no inverno. Mesmo que dure pouco por aqui, a estação gelada traz mudanças gostosas e bem-vindas e é ela quem dá o tom e inspira nossas próximas páginas. Foto ALEXIS PRAPPAS

53


MODA

Inverno atual Saiba quais sรฃo as peรงas que merecem investimento neste inverno Por ADRIANA STIVALET Fotos ALEXIS PRAPPAS

54


TRENCH COAT Peça clássica que não pode faltar no guarda-roupa de inverno. Criado em 1895 pela prestigiada grife britânica Burberry para vestir os soldados britânicos, a peça ficou tão famosa que foi incorporada rapidamente ao guardaroupa de inverno e se tornou um dos casacos mais desejados do mundo. COMO USAR Se o seu estilo é clássico, use-o sozinho como vestido ou com saia-lápis e blusa leve, meia-calça opaca- que combina com os dias mais frios– e scarpin. Mas, se você é mais moderna, aposte em jeans, suéter e ankle boots ou, ainda, um vestido curto e cinto, compondo com o trench coat. EVITE Usar a peça abotoada com calças amplas. Procure usá-la aberta para não fazer muito volume. O trench coat também não cai bem com vestidos e saias longas.

JAQUETA CURTA Ela já vem forte há algumas estações e conquistou lugar cativo no guardaroupa. Os modelos mais prestigiados são a Perfecto e a Biker, inspiradas nas jaquetas dos motociclistas. COMO USAR Pode ser usada, tanto de dia como à noite, por ambos os sexos. Como é uma peça mais pesada, misture-a com uma peça mais leve como vestido ou saia. Se você gosta de um visual moderno e despojado, use-a com calça justa tipo Skinny, camiseta, corrente, bota ou sandália de salto grosso e pesado. EVITE Se você está acima do peso ou possui busto grande, fuja da peça, pois vai parecer maior. Nesse caso, é preferível um modelo mais comprido (que afina as proporções).

55


MODA

RENDA A renda andava meio esquecida, mas voltou com força total. Seu uso pode dar enfoques completamente opostos a um visual. Branca, a renda passa uma mensagem de pureza e inocência. Já a preta– ao lado de outros tecidos assume um caráter sensual. COMO USAR Se você quer ficar clássica, as pérolas combinam muito. Para um ar mais moderno, use com tachas, correntes e sandálias pesadas; para um visual mais retro, colares com pingente de camafeu e laços. Para ficar sexy e elegante, use a renda em alguns pontos do corpo sem forro: como braços, colo e um pedaço das pernas. E, neste inverno, abuse das meias-calças rendadas. EVITE Peças em renda sem forro e curtíssimas ao mesmo tempo podem passar uma mensagem equivocada.

56


TACHAS Tendência forte da estação, as tachas fazem parte do universo rock e dão um tom de rebeldia ao visual. COMO USAR Combinações com jeans ou couro não têm erro. Mas, se quiser fugir do visual roqueiro, misture-as com peças sofisticadas. Se não quiser investir em roupas com tachas, use acessórios com este elemento (já tornarão o seu look cheio de atitude). EVITE É necessário tomar cuidado para o visual não ficar muito poluído; o ideal é escolher um ou dois itens tachados– no máximo e o resto mais básico e discreto.

57


MODA

SAIA TULIPA A saia tulipa tem forma abaulada, agrega glamour e tem um ar vintage. Os modelos com pregas e drapeados também estão em alta. COMO USAR Fica bem com blusas sequinhas e acinturadas. Nos pés sapatilhas, peep toes e sapatos pesados. EVITE Para quem tem quadris largos e barriguinha saliente é contraindicado.

58


calça de alfaiataria Neste inverno ela está com modelagem mais afunilada na barra, porém as de corte reto também são atuais. COMO USAR Como a origem da peça vem do guarda-roupa masculino, é interessante fazer um contraponto feminino no look. Use-a com blusas de seda, transparências, babadinhos, gola laço e cores suaves. Acrescente acessórios como pérolas, broches de camélia e sapatos de salto. EVITE Se você tem quadris largos evite o modelo afunilado, pois ele potencializa mais a região. Para quem tem pouca estatura é imprescindível o uso de salto alto para não achatar a silhueta.

59


MODA

cOURO Momento ótimo para investir em uma peça de couro, e quem pensa que ele só pode ser usado em casacos e calças superjustas, precisa rever seus conceitos. O couro, mais do que nunca, está reinventado em diversas outras opções como vestidos, camisas e detalhes em babados e plissados. COMO USAR Mescle com peças mais leves para suavizar o visual, tais como seda, renda ou malha fria e meia-calça com textura. EVITE Usar couro da cabeça aos pés.

60


BRILHO Paetês, tecidos metalizados, lurex e plumas como detalhe prometem muito luxo e glamour ao inverno. O brilho não está restrito à noite, ele também ganhou espaço no período diurno em pequenos, mas estratégicos, detalhes. As plumas estão sendo usadas até em camisetas, dando um toque todo especial ao look com jeans. COMO USAR Para a noite, use e abuse do brilho sempre coordenando com sapatos e bolsas opacos e acessórios leves, pequenos e mais discretos. Para o dia, prefira peças mais simples, contendo alguns detalhes com brilho. Deixe o lurex para a noite. O bom dessa tendência é que fica bem para todas, portanto, invista em uma peça com brilho. EVITE Usar roupa, sapato, bolsa e acessórios com brilho no mesmo look.

Lojas MARIA PITANGA IVANIZA BOUTIQUE VIA RAVINI Modelo THAÍS MORAES FERREIRA Arena Models Cabelo e Maquiagem CLAUDIR FERNANDES

61


CASA E ESTILO

A casa se veste para o inverno Pequenos detalhes aquecem o ambiente para receber a próxima estação Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

62


Um

home theater ideal para quem gosta de ficar em casa. A decoradora Ana Muzzi projetou esse ambiente prático para o dia a dia de um casal. Com a aproximação do inverno, ela atendeu a proposta de deixar o local mais acolhedor. “O nosso inverno não é muito rigoroso, são poucos dias de clima mais ameno, mas mesmo assim vale a pena vestir a casa para receber a nova estação”, afirma Ana Muzzi. A sala ganhou novos ares com alguns pequenos detalhes. O tapete com pelagem mais alta, feito de lã antialérgica, traz conforto térmico. “Uma delícia poder chegar em casa, tirar os sapatos e caminhar sobre um tapete macio”, declara a decoradora, informando que o modelo pode ser usado também no verão, ou basta dobrá-lo e guardar para o próximo ano. Os quadros feitos de fotos tiradas durante o outono em regiões de baixas temperaturas deram um toque especial à decoração. A manta tecida no tear, além de enfeitar o sofá, pode ser usada para se cobrir. As almofadas, revestidas com tecido imitando pele de animais, ganham texturas macias e convidativas. Poucas mudanças capazes de tornar as noites mais quentes e aconchegantes.

63


CASA E ESTILO

FIOS que aquecem Cores e padrões que combinam com o frio Por LÚ BIGATTÃO FotoS ALEXIS PRAPPAS

A

estação mais fria do ano se aproxima. Embora o inverno não seja tão rigoroso na região CentroOeste, os termômetros sempre baixam e o clima fica mais ameno. Trocar os tecidos dos estofados, poltronas e cortinas pode deixar a casa mais quente e aconchegante para receber a nova estação. O ideal são os tecidos mais encorpados, como os clássicos e atemporais chenille e os veludos bordados em fios de seda. As cores sóbrias são as mais indicadas, como marrom, cinza escuro, preto, além de tons em vermelho e laranja. Os tapetes são todos bem-vindos. As casas e apartamentos costumam ter pisos de cerâmica, que ficam frios durante o inverno. Os tapetes que-

64

bram a friagem. Para as áreas externas, os confeccionados com fios de sisal, que são mais rústicos e resistentes. Os de fios de algodão ficam melhor nas áreas internas. Mantas feitas em teares manuais são indicadas para compor um ambiente no inverno, confeccionadas com fios de algodão e seda ficam super charmosas quando jogadas sobre o sofá. O chalé de pé de cama é outro acessório para aquecer o quarto. As almofadas deixam a sala quente e aconchegante. Podem ser jogadas sobre o sofá, dando mais vida ao ambiente. Deitar-se sobre elas, pode ser tão reconfortante, que vai ser preciso arrumar um bom motivo para sair de casa.

ONDE ENCONTRAR West Cor Rua Dom Aquino, 561 Tel. (67) 3029-2870 Arte no Tear Rua Rio Grande do Sul, 1201 Tel. (67) 3028-4208


65


casa e estilo

Feirahype Para vestir e inovar a sua casa Por CARLA MATSU

Móveis com assinatura

I

nspirada nas linhas orgânicas da madeira, a nova coleção 2010 de Sergio Fahrer para Meccane, marca criada por ele, traz a participação do irmão e também designer Jack Fahrer. Composta por 21 peças concebidas a quatro mãos, a coleção apresenta poltronas, mesas de jantar, estantes, carrinho de chá, sofás entre outras que fogem do convencional e aliam praticidade e versatilidade. A marca Meccane também dá nome ao showroom na Barra Funda que comercializa peças do designer em São Pauo, onde podem ser encontrados os móveis assinados por Sergio, além de peças exclusivas lançadas recentemente. Encontre em: www.brentwood.com.br e www.meccane.com.br

Conforto com design Com criação dos designers Flavio Borsato e Maurício Lamosa, fundadores do minimalista Estúdio Bola, a poltrona Shell leva design diferenciado e conforto a simples espaços. Mais informações em www.estudiobola.com

66


67


casa e estilo

Feirahype Por CARLA MATSU

Árvore de design

O

cabideiro de inspiração lúdica do designer Pedro Useche é uma das novas peças que ilustram a descolada Marché Art de Vie, loja-conceito, que tem como proposta não só apresentar produtos mas também propor um estilo de vida aos seus clientes antenados. Inspirada no livro Árvore Generosa, do escritor norteamericano Shel Silverstein, o cabideiro dá funcionalidade e organização aos cantos de qualquer quarto.

Encontre em: www.artdevie.com.br Tel. (11) 3660-2888 e (11) 3853-9765

Moderno barroco ‘n’ roll

A

linha de móveis criada pelo duo Jimmy Martin leva a irreverência de seus criadores para dentro de muitas casas na Europa. Ares clássicos se encontram com o contemporâneo e o inusitado em suas cadeiras, camas, sofás, armários, entre outras peças de Jimmy Martin. O trabalho deles, inclusive, recebeu um nome especial na imprensa internacional: o barroco ‘n’ roll, já que as peças levam a sisudez das formas clássicas, mas se sobressaem com o rock ‘n’ roll na customização que cada uma recebe. Eles que são suecos, mas moram em Londres desde 1998, encontraram o design de móveis quase como ao acaso. “Nós começamos a empresa por acidente já que originalmente era só um hobby, onde fazíamos as peças para nós mesmos. Mas alguém as viu quando nós nos mudávamos de casa e de alguma forma elas acabaram em uma vitrine de Londres”, conta Jimmy. Dali pra o reconhecimento foram só mais alguns passos. Era 2005 quando eles eram abordados pela U.K Design & Decora-

tion Awards, importante premiação de design no Reino Unido e no mesmo ano eles já eram finalistas em Design de Móveis e ganhavam o prêmio de Melhor Designer Revelação. Outro fato interessante da dupla é que grande parte das peças vêm de antiquários e feiras. E é tendo elas como base que Jimmy e Martin dão sua finalização artística, onde cada móvel é pintado à mão. As inspirações para o trabalho vêm da própria atmosfera londrina, que é vista nas ruas, moda, arte e no estilo das pessoas. E se o resultado final é sempre diferente, é a imperfeição que leva os dois a chamarem atenção no design de mobiliário. “Nós não gostamos quando as coisas estão perfeitas. Imperfeição é uma palavra que nos define bem. Nós temos somente uma regra que é nos divertir fazendo isso”, define Jimmy. As peças são entregues em vários pontos do mundo. Há clientes nos Estados Unidos e até no Oriente Médio. As taxas de importação e custos com transporte não estão inclusos nos preços que constam no site. Encontre em www.jimmiemartin.co.uk

68


69


casa e estilo

Feirahype Por CARLA MATSU

Onírico e pessoal

A

doçura, o surrealismo e a poesia se transferem para objetos do cotidiano, roupas e paredes estilizadas pela designer Catarina Gushiken. Ela, que foi estilista da Cavalera por sete anos, encontrou na moda o primeiro passo para a criação, que hoje vai muito além dos croquis. A moda, aliás, é só uma parcela do seu trabalho que flui a partir do seu estúdio conceitual, em São Paulo. A mais recente novidade é a criação de objetos que vestem e compõem o ambiente da casa. Linhas orgânicas, fantasia e estampas exclusivas são vistas em jogos americanos, espelhos para interruptor, porta-copos e nas próprias ilustrações de Catarina, que produz peças exclusivas e feitas à mão. Encontre em: www.catarinagushiken.com

Urbana e inspirada

C

riada para divulgação e comercialização de trabalhos desenvolvidos por artistas e designers, a Urban Arts - Digital Art & Design é um espaço virtual que concentra mais de 50 profissionais inspirados pela música, pop art, moda, cinema, grafite, entre outros temas. São inúmeros quadros e pôsteres que cativam nossos olhos, cores que vibram e linhas que ilustram com humor a mais sem-graça das paredes. O conceito todo por trás da galeria virtual é acessível para quem compra e para quem quer mostrar seu trabalho. Os pôsteres começam na marca dos R$ 50 e o acervo não cansa, já que ele é atualizado mensalmente com a entrada de novos artistas e designers. Vale lembrar que na galeria há também coleções de outras marcas descoladas, repletas de inspiração pop. O mix de produtos inclui adesivos de parede, toyart, art-shirt e acessórios. Encontre em: www.urbanarts.com.br

Leve e divertido

A

Vazu™, marca que confecciona vasos diferenciados, oferece uma forma inusitada de acomodar suas rosas e flores. Feitos de polietileno e poliéster, não há perigo de nenhuma visita desastrada quebrá-los. Seu formato é fino como uma folha de papel e o vaso se molda com a adição de água. A coleção possui mais que 20 modelos em três formatos e tamanhos diferentes, que combinam o moderno e o clássico. Onde: Loja Paralela – Av. Capital, 282 Tel. (67) 3027-1020 e www.vazu.com.br

Maçanetas de estilo Com design inspirado nas obras de grandes nomes da arte abstrata como Mondrian, Kandinsky e Pollock, a Coleção Moma and Brera é a mais nova coleção da Linea Calì, empresa italiana de vanguarda. A responsável por trazê-la ao Brasil é a HS Store, empresa que oferece maçanetas e puxadores assinados por renomados designers internacionais. Conheça mais em www.hstore.com.br

70


71


casa e estilo

Móveis-arte

Peças esculturais de André Cruz vão além de suas funções e encantam com elegância e leveza Por CARLA MATSU

A

aptidão para a criação de móveis encontrou André Cruz no meio do caminho da publicidade. Publicitário, com especialização em cinema, ele já flertava com o design, quando muitas vezes precisou projetar objetos para compor o cenário de filmes comerciais. A transição de uma profissão para a outra teve o incentivo de amigas que viam em André o grande potencial para a criação de algo que hoje o destacou no cenário do mobiliário. “Foi muito natural. Somente quando tudo tomou corpo é que me dei conta dessa transição. Mas em momento algum hesitei. Era o que queria, o que sentia ser certo”, lembra André que já participou da importante mostra de decoração na Itália, o Salão Internacional de Milão. A coragem também se mostra na destreza em criar quase que instintivamente móveis urbanos, que vão desde estofados a luminárias. Autodidata, o designer imprime traços limpos e curvas esculturais a peças que vão além de suas funções, preenchendo e dando sofisticação a ambientes como móveis-esculturas. Frente ao André Cruz Design & Ideias, seu escritório de design trabalha desde a concepção da identidade visual da marca ao desenvolvimento do produto e seu respectivo lançamento, compreendendo assim um trabalho completo de consultoria criativa. “Nosso foco é ter boas ideias e implementá-las nas empresas gerando aumento de lucratividade através da gestão estratégica de design”, afirma. Na entrevista a seguir, André fala sobre suas criações, conta sobre a vida que lhe inspira e ainda dá conselhos para aqueles que querem seguir o mesmo caminho que o seu.

72


As peças do AC Design seguem uma linha mais sóbria e você as define como móveis-esculturas. Como você define esse móvel-escultura? Eu gosto da limpeza, do desafio. Não diria que tenho um estilo, ou se tenho, gostaria que me dissessem qual é. (Risos) Procuro não dar tantos nomes às coisas, não ter tanta nomenclatura. Busco o que acredito, o que vejo e busco cada vez mais o que sinto. Eu sigo a minha forma de trabalho e procuro cada vez mais ser coerente com o que acredito, crer para ver. Eu possuo um trabalho paralelo ao escritório, onde desenvolvo peças autorais que ultrapassam o limite tênue entre peças de design e obras de arte, posicionando-as para além do design funcional e utilitário, inovando a percepção sensorial para referências esculturais. Quais materiais são frequentemente usados? Tenho produtos em aço cortado a laser baseados em uma renda do Piauí. Madeira também cortada a laser, mármore, vidro, metal tanto chapa como tubo curvado, madeira laminada prensada e curvada, madeira maciça, entre outros. Mas prefiro falar que sinto falta e me fascina o injetado, que é o meu grande sonho de consumo para criação de tapetes, cerâmicas, jóias e tudo que remeta à criação. Como é sua vida em um dia comum? É de muito trabalho, a cabeça não para um segundo sequer, é como se tivesse um turbilhão na cabeça 24h por dia, mas eu adoro. Eu acho ótimo trabalhar com criação.

O que mais te atrai na concepção e confecção do design de móveis e outros produtos? Falo que tudo é parte do processo criativo. Criar é algo fantástico, seja projeto de mobiliário, estofados, iluminação, objetos, projetos de interior, móveis urbanos, mídias que faço internamente, filminhos que adoro fazer. Tudo faz parte do processo e em todos eles eu me divirto. A minha grande paixão e inspiração é a vida, tudo o que nos rodeia. E de onde partem as ideias para as criações? Tudo me inspira. Muitas vezes estamos no escritório pensando em determinado cliente e elegemos uma palavra que resume o conceito da indústria. Daí trabalhamos em cima disso, ou em uma sensação como conforto, que já nos inspirou muito na criação do conceito e criação dos produtos de uma empresa. Gosto muito de trabalhar o conceito primeiro, o produto vem depois. Já são quantos anos trabalhando com o design de móveis e objetos? Estou na área faz 12 anos e me considero uma criança, o que particularmente é muito bom. Pois assim como toda criança não perde a capacidade de imaginação e da brincadeira, eu também procuro fazer, brincar, inovar e ver as mesmas coisas que todos veem mas à minha forma e, principalmente, saber concretizar essas ideias. Você também participa do grupo Design OK. Fomentar o

73


casa e estilo

"Sempre dá para propor algo novo. E destaca-se no mercado com trabalho, trabalho, trabalho" 74

design e viver dele encontra muitas dificuldades no Brasil? Sim, mas todas superáveis. O compartilhar com o grupo é uma experiência única, cada vez mais enriquecedora. Com tanta coisa bacana acontecendo no mercado de design de móveis, como se destacar nele? Sempre dá para propor algo novo. E destaca-se no mercado com trabalho, trabalho, trabalho. Fazer, seguir sua intuição, estudar muito, produzir muito, procurar qualidade sempre. E que conselho você daria àqueles que estão querendo seguir o seu caminho? Trabalhem, estudem, deem o máximo em tudo o que fizerem. E digam não as cópias, tracem sua própria trajetória. Projetos para o futuro? Eu acalento vários, desde ter uma linha que estou criando para apresentar em galerias fora do país, como desenvolver projetos para a Casas Bahia. Antagônico? De forma alguma, na minha cabeça.

Onde encontrar As peças de André Cruz estão espalhadas por várias lojas do Brasil, incluindo a Tok & Stok, Brentwood, Breton, Artefacto e Americanflex. Acesse www.andrecruzdesign.com.br


75


casa e estilo

Elegância sem excessos No mais puro estilo bon chic bon genre, as designers de interiores Maria Inês Barcelos e Maria do Carmo Rondon, sócias há 18 anos, mostram seu mais recente projeto Por LÚ BIGATTÃO Fotos ALEXIS PRAPPAS

C

riar um ambiente atemporal e moderno num edifício antigo e charmoso com apenas dez apartamentos, um por andar, num lugar privilegiado, com muito espaço e poucos vizinhos, foi o desafio proposto às decoradoras pelos proprietários. Concebido para um jovem casal sem filhos, o projeto resultou num espaço onde o contemporâneo e o clássico se completam, num mix de sofisticação e descontração. Grandes aberturas, tons neutros, móveis de linhas retas, objetos e livros de arte traduzem a alma cosmopolita dos proprietários e imprimem personalidade e requinte ao projeto.

Vista geral do ambiente com destaque para iluminação da Light Design e persianas da Vector Persianas 76


Acima, mesa-bar domina a cena. Ao fundo, um enorme espelho da Vidrex sobre o sofá dá profundidade ao living, além de iluminar e ampliar o ambiente No detalhe do living, mesa de centro e objetos da Morada Móveis e ao fundo mesa lateral e abajur da Passado e Presente

77


CASA E ESTILO O hall interno recebe móvel francês do século passado. Objetos e espelho côncavo da Casa Design e tapete da Armazém Fornari

No home theater, móveis, tapete e objetos da Casa Design e da Morada Móveis. Destaque para as gravuras de Miró da Quadro a Quadro

78


Mesa de jantar em vidro da Morada Móveis e ao fundo armário chinês da Passado e Presende. Piso em porcelanato claro da Armazém Fornari

contato Maria do Carmo Rondon (67) 9981-7146 Maria Inês Barcelos (67) 3324-8078 (67) 9981-6703

79


CASA E ESTILO

Rústico contemporâneo Sala integra três ambientes e explora o melhor de cada espaço Por CARLA MATSU Foto ALEXIS PRAPPAS

O

contemporâneo encontra o rústico em uma sala que integra diferentes vontades e lazeres no projeto de interiores que leva o nome da arquiteta Alessandra Gibran. A sala de jantar, o home theater e a sala de estar estão todas juntas para oferecer mais amplitude e acessibilidade ao entretenimento, ao descanso e a uma boa refeição em família. Espelhos e tons neutros imprimem ainda mais a sensação de que a sala é maior do que se apresenta. O conforto, sentimento mais querido a um lar, se traduz no aconchego dos sofás e na madeira de demolição, encontrada na mesa de centro e no aparador-bar. A madeira é ainda pontuada nas paredes para dar um ar determinante de rusticidade, porém sem exageros. Um tom particular é dado à sala quando cada espaço recebe escolhas certas na decoração. Ao lado do relógio pedestal, que envolve certa nostalgia ao ambiente, há o aparador-bar bem organizado e convidativo para receber os amigos em um happy hour mais íntimo. Com uma iluminação bem distribuída para cada ambiente, as luzes em tons mais quentes dão ainda mais conforto a quem se convidar e faz qualquer um se sentir bem acolhido em qualquer canto da sala.

82


83


GOURMET

Texto FOLHAPRESS / Imagens Monica Mortara / FOLHAPRESS

Deliciosas opções para um degustar mais prazeroso

Carpione U

ma das técnicas mais interessantes para o preparo de pratos que são conservados na geladeira por vários dias é a que na Itália se chama de carpione. Originalmente utilizada para a conservação de peixes, hoje, além de ter ocupado o lugar de antepasto na refeição, é aplicada também a outras carnes e verduras. A indústria italiana oferece várias versões de produtos in carpione, mas, em geral, falta delicadeza de sabor e há uso excessivo de sal. Em casa é possível suavizar os temperos e adequar as receitas ao gosto da família. Vale a pena experimentar e adotar o recurso, tradicional na Europa, e pouco usado por aqui. A ideia do carpione é manter os ingredientes básicos sob uma espécie de marinada preparada à base de vinagre (melhor os de sabor suave), vinho (seco), legumes, ervas e especiarias. O preparo se inicia empanando delicadamente a carne, o peixe ou a verdura com farinha de trigo e fritando esses ingredientes em bom óleo de milho ou em azeite. Feito isso, a fritura deverá ser passada em papel absorvente para a retirada do excesso de gordura.

84

Separadamente, é feita a marinada e há uma grande variedade de sabores. Basicamente, a marinada começa com ingredientes como cebola, cenoura ou salsão sendo refogados em azeite de oliva e aromatizados com ervas, como a sálvia ou o louro. Depois, é adicionado bom vinagre branco, e grande parte das receitas pede também vinho branco seco e água. A mistura é fervida para apurar. A marinada ainda bem quente é despejada sobre a fritura que fica embebida no líquido. A durabilidade dos pratos, mantidos na geladeira, pode ser de até uma semana, dependendo da forma de preparo e dos ingredientes utilizados. É bem verdade que a melhor maneira de degustar uma preparação in carpione é numa boa cantina de uma bela cidadezinha do Piemonte, na Itália, mas, se for bem feita, a receita vai encantar o paladar também por aqui.


Mignon in carpione Ingredientes Para a carne 400 g de escalopes de filé mignon 3 colheres (sopa) de farinha de trigo 1 colher (sopa) de manteiga 1 colher (sopa) de azeite Sal a gosto Para a marinada 2 colheres (sopa) de azeite 3 folhas de sálvia 3 cravos 1 cebola 1 xícara (chá) de vinagre branco 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco 1/4 xícara (chá) de água Sal a gosto

Modo de preparo Carne: prepare os escalopes (bifinhos de cerca de cem gramas) bem finos e livres de gordura, nervos ou cartilagens. Passe os escalopes na farinha e bata delicadamente na palma das mãos para que os bifinhos fiquem envoltos apenas em um fino 'véu' de farinha. Em uma frigideira, aqueça a manteiga e o azeite. Frite os bifinhos dos dois lados, salgue-os, retire da frigideira e coloque-os, lado a lado, em um recipiente de vidro ou louça.

Marinada: corte a cebola em gomos e refogue no azeite em fogo médio até que fique transparente, mas sem amolecer nem dourar. Junte a sálvia picada e o cravo. Adicione o vinagre, aumente o fogo e deixe reduzir à metade de seu volume. Junte o vinho e a água e deixe ferver durante cinco minutos. Quando a marinada estiver pronta e ainda quente, regue a carne previamente preparada. Cubra a travessa e deixe em repouso, na geladeira, por pelo menos 12 horas. Sirva em temperatura ambiente

Dica Se quiser servir com acompanhamento, como um prato principal, faça-o com uma salada ou com uma porção de espinafres passados no azeite com um dente de alho inteiro, servidos mornos.

85


GOURMET Deliciosas opções para um degustar mais prazeroso

Abobrinhas picantes in carpione Ingredientes 1 kg de abobrinhas Farinha de trigo (quanto baste) Óleo para fritar 2 cebolas 1 talo de salsão Azeite a gosto 1 pimenta dedo de moça Pimenta-do-reino em grãos a gosto 1 xícara (chá) de vinagre de vinho branco 1/2 xícara (chá) de vinho branco

Modo de preparo Corte as abobrinhas em pedaços médios e passe-as pela farinha fazendo que fiquem envoltas em um 'véu' esbranquiçado. Frite em abundante óleo quente, retire e coloque sobre papel absorvente. Salgue e reserve. Fatie a cebola e o salsão bem finos. Coloque o azeite em uma panela, aqueça e refogue a cebola e o salsão rapidamente, sem deixar dourar nem amolecer. Junte os grãos de pimenta e a dedo de moça (sem as sementes), se desejar. Misture o vinagre e o vinho (experimente para acertar o sabor, pois cada tipo de vinagre tem uma intensidade) e despeje sobre as cebolas. Acerte o sal. Cozinhe até aquecer e derrame sobre as abobrinhas. Tampe e deixe na geladeira por 12 horas antes de servir, em temperatura ambiente .

86

Linguado In carpione Ingredientes 450 g de filés de linguado Sal a gosto 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo Óleo de milho Sal a gosto Pimenta-do-reino branca moída na hora 8 colheres (sopa) de azeite 1 cebola 1/2 xícara (chá) de vinagre de vinho 4 folhas de louro Modo de preparo Corte os filés em três pedaços. Lave bem em água corrente e seque em papel absorvente. Tempere com sal. Passe os filés na farinha para que fiquem envoltos em um 'véu' branco. Em uma frigideira, coloque óleo suficiente para fritar o peixe (cerca de 2,5 cm de altura) dos dois lados. Frite aos poucos para que dourem sem soltar água. Seque a fritura em papel absorvente e coloque o peixe frito em um recipiente de vidro ou louça. Salpique com sal e pimenta. Em uma panela, aqueça o azeite de oliva e refogue a cebola (fatiada em gomos) em fogo baixo até ficar macia e ainda clara. Adicione o vinagre, aumente o fogo e deixe borbulhar por meio minuto. Junte as folhas de louro, desligue o fogo e derrame o líquido (sem coar) sobre o peixe. Tampe o recipiente e mantenha na geladeira


87


equilíbrio

Nutrição Castanha-do-pará ajuda a prevenir doenças cardíacas

castanha-do-pará, como todo alimento oleaginoso, contém gorduras monoinsaturadas que diminuem o risco de doenças cardiovasculares. "Estudos comprovam que pessoas que consomem frutas desse tipo, que inclui ainda castanha de caju, nozes, macadâmia e amêndoa, entre outros, têm um menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares", afirma Daniela Silveira, coordenadora-adjunta do curso de nutrição da Uninove. A polpa amarela da castanha possui um extraordinário valor nutritivo. "São cerca de 10% de carboidrato, 15% de proteína e 67% de gorduras, dessas 13% são constituídas por ácidos graxos saturados [que faz bem ao coração]", explica a nutricionista Joyce Garcia Gusmão, da Nutri Vitta Assessoria Nutricional. "São riquíssimas em selênio, fósforo, cálcio e magnésio, contêm boa quantidade de ferro e elevado teor de vitaminas, em particular B1, niacina e vitamina E." Fruto da castanheira-do-pará, uma árvore que pode atingir 50 metros de altura e com um tronco de até dois metros de diâmetro na base, a castanha-do-pará pode ser encontrada no Maranhão, em Mato Grosso e na Amazônia.

Graças ao alto teor de fósforo, o alimento é indicado aos estudantes por fornecer energia ao organismo. Também estimula a secreção láctea, sendo indicado às mulheres que estão amamentando. Ainda chamada de carne vegetal por conta do seu valor nutricional, nenhuma de suas companheiras competem com a castanha-do-pará quando o assunto é a quantidade de selênio. A substância estimula o sistema imunológico, e estudos preliminares mostraram que ela pode ajudar a prevenir alguns tipos de câncer, como de ovário, reto, bexiga, esôfago, pâncreas e fígado. Essa castanha ainda tem a vantagem de reduz o colesterol ruim (LDL) e aumentar o colesterol bom (HDL). "É uma grande aliada contra o envelhecimento celular e é utilizada em tratamentos de desnutridos, anêmicos e desmineralizados", afirma Joyce. Apesar dos benefícios, nada de exagerar. Em excesso, além de provocar aumento de peso– a castanha-do-pará é bem calóricas, possui cerca de 636 kcal em cada 100 g, elas podem fazer mal à saúde por causa do selênio. Nesse caso, os efeitos são transtornos musculares, neurológicos, unhas frágeis e

quebradiças, amolecimento dos dentes gosto metálico na boca, dor de cabeça e esfacelamento do cabelo. Como tem muita gordura, também pode desencadear o aparecimento de acnes e espinhas. Portanto, consuma sim, mas com moderação.

SAIBA MAIS Quais os principais nutrientes encontrados na castanha-do-pará? Tem vários nutrientes, entre eles fósforo, selênio, potássio, vitamina E, ácidos graxos monoinsaturados (gordura que faz bem para o coração). Qual o seu valor calórico? A castanha-do-pará é muito calórica. São 643 kcal para cada 100 g. Por isso, o consumo deve ser moderado. Quais os benefícios para o corpo? Diminui a incidência de câncer e cardiomiopatias, melhora o sistema imunológico, reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o colesterol bom (HDL) e diminui processos inflamatórios, além de deixar a pele bonita por mais tempo. Pode causar problemas nos organismo? Em excesso, pode ser tóxico por causa da presença do mineral selênio. Pode provocar a queda de cabelo, deixar unhas frágeis e quebradiças, dentes amolecidos, gosto metálico na boca, pigmentação vermelha nos dentes e dor de cabeça. Também pode ser a causa do aparecimento de acnes e espinhas.

88

Texto FOLHAPRESS / Foto Genildo Marcelo SXC

A


89


equilíbrio

90


Equoterapia Os benefícios dessa terapia que proporciona bem-estar e equilíbrio Por LÚ BIGATTÃO Foto ALEXIS PRAPPAS

E

legância, docilidade e sentidos aguçados. Quem convive com cavalos conhece de perto essas características tão notáveis e particulares. O que talvez muitos não saibam é que a prática da equitação é terapêutica e proporciona bem-estar àqueles que a praticam. A psicóloga Heloisa Bruna Grubits Freire lida com cavalos desde criança e garante que montar, seja por lazer, esporte ou saúde, ajuda a manter a forma e o equilíbrio. Os benefícios são muitos. A atividade melhora a postura, o relaxamento, estimula sensibilidade, aumenta a autoconfiança e autoestima, além de proporcionar uma enorme sensação de bem-estar pelo contato com a natureza e a convivência com o animal. O balanceio do cavalo reproduz em 90% o caminhar humano, promovendo assim o conhecimento do corpo, suas possibilidades e movimentos. É Heloisa Bruna que esclarece que, para montar, a pessoa não pode ser bruta ou violenta, pois o animal vai responder à altura. Por isso a relação tem de ser harmônica. “Na convivência com o cavalo aprendemos a lidar com os nossos sentimentos. Cada animal é único, tem seu temperamento, sua maneira de agir, seus medos e manias. Se for bem tratado, o animal se torna fiel ao seu dono”, diz a psicóloga. A paixão pela equitação é tamanha que determinou toda a trajetória profissional de Heloisa Bruna. Ela fez mestrado em Psicologia na UCDB voltado para a psicomotricidade e equitação e doutorado em Ciências Biomédicas na Unicamp. Montou um centro de equoterapia para ajudar na recuperação de portadores de necessidades especiais. Deu tão certo, que implantou o PROEQUO-UCDB Programa de Equoterapia- dentro da Univer-

91


equilíbrio

sidade Católica Dom Bosco, que atualmente atende 60 crianças e adolescentes, tornandose referência no assunto. A equitação tem mostrado excelentes resultados na reabilitação de portadores de necessidades especiais, paralisia cerebral, síndrome de down, autismo e deficiência mental. “A modalidade, além de trabalhar a reabilitação, prepara a pessoa para a vida. O esporte é democrático e ajuda no combate ao preconceito”, defende a psicóloga, explicando que na equitação não existe diferença de sexohomens e mulheres competem nas mesmas categorias e modalidades.

No Brasil a Equitação Paradesportiva ainda está no início e Heloisa acredita que a tendência desta modalidade é não discriminar pessoas portadoras de necessidades especiais e argumenta: “Eles têm uma habilidade incrível no trato com o cavalo, pois não trabalham com a força, mas com a sensibilidade. A superação de limites alcança resultados surpreendentes”. O trabalho de equoterapia para ela é lazer e relaxamento, pois não vê a deficiência da pessoa, mas os seus ganhos e a alegria de ver as crianças montando e descobrindo novas possibilidades em cima do cavalo repõe as suas energias.

equilíbrio / Dicas Pílulas de informação para o bem-estar

Por CARLA MATSU

Sustentável e inovadora

N

ascida no sul de Minas Gerais, a Kapeh, marca inovadora de cosméticos, traz uma linha bem pensada que propõe o bem-estar de quem a usa e daqueles que a fazem. Com produtos diferenciados, que incluem sabonetes, hidratantes, shampoo e condicionador, feitos à base do extrato de café e com o aroma de sua flor, a Kapeh tem como princípio a responsabilidade social, ao utilizar café certificado em todas as suas formulações. Obtido através de produção rastreada e sustentável, o certificado assegura também que todos os trabalhadores e suas famílias vivam em habitações adequadas e tenham acesso à assistência médica, escolas, treinamento, além de terem seus direitos trabalhistas respeitados. Assim, a proposta é que o consumidor saiba que, ao adquirir um produto Kapeh, ele terá a certeza de que estará contribuindo para a preservação do meio ambiente e valorização do ser humano. Encontre em www.kapeh.com.br

SERVIÇO Para quem pretende buscar a equitação como lazer e esporte, existem diversas escolas em Campo Grande. Para quem busca a equitação como terapia, pode procurar o PROEQUO-UCDB Programa de Equoterapia para população carente de recursos financeiros e portadores de necessidades especiais, da Universidade Católica Dom Bosco. Informações- (67) 3365-5000

alimentação preventiva

A

relação entre doenças e a má alimentação que afeta o Ocidente desde o início da história da alimentação é explicada de forma simples e acessível em “A Saúde pelo prazer de comer bem- a medicina preventiva no dia a dia”. Os autores Richard Béliveau e Denis Gingras mostram a descoberta dos alimentos mais adequados à saúde e dos mecanismos de controle do apetite e levam o leitor a compreender os porquês da epidemia da obesidade. Por R$ 88,00 em

www.livrariacultura.com.br

92


informe publicitário

SORRISO DE PORCELANA Estevom Molica Neto

CRO MS/2010 Atua na área de Reabilitação Oral e Estética. Especialista em Prótese Dentária Membro da Soc. Brasileira de Odontologia Estética e da Federação Internacional de Odontologia Estética estevom@studiooral.com.br (67) 3382-7373 Rua das Garças, 943 Centro Campo Grande- MS

Foto Alexis Prappas

"As facetas adesivas de porcelana recuperam a harmonia do sorriso, recriando uma aparência mais atraente e jovial."

O sorriso é fonte de inspiração para os mais importantes sentimentos, como felicidade, satisfação, alegria, prazer e autoestima. Faça uma pesquisa hoje e você verá que a grande maioria das pessoas não está satisfeita com o seu sorriso. A causa pode ser a cor dos dentes, o formato, o processo de envelhecimento das restaurações, o tamanho da gengiva, a falta de alinhamento dos dentes ou também devido a tratamentos dentários insatisfatórios. As facetas adesivas de porcelana recuperam a harmonia do sorriso, recriando uma aparência mais atraente e jovial. Isso tudo através de uma simples e eficaz técnica, que na maioria das vezes, se resume a duas sessões no consultório odontológico. Tal técnica consiste em facetas de porcelana usualmente colocadas na parte frontal dos dentes. Na primeira sessão, quando necessário, são feitos os desgastes dos dentes (em média 0,07mm), a moldagem e a colocação de facetas provisórias. Após uma semana, as facetas são coladas aos dentes, todas na mesma sessão. Os processos atuais e os materiais empregados hoje em dia, bem como a evolução das técnicas de colagem, tornaram as facetas de porcelana um tratamento super confiável. No entanto, a escolha do profissional experiente com a melhor técnica de adesão é um fator primordial para o sucesso deste procedimento.

Durabilidade: Sua durabilidade está associada ao sucesso da colagem, tanto na superfície da faceta quanto no dente. A porcelana, uma vez bem aderida, torna-se extremamente durável. Um estudo de Frieman (1998) constatou que de 3500 laminados de porcelana instalados há 15 anos, 93 % estavam em ótimo estado de conservação. Cor: Quanto à cor, pode-se executar na cor desejada. Por ser de porcelana, a cor se mantém inalterada com o passar dos anos. Benefícios: a odontologia estética não atua só na beleza de seus dentes, mas também na saúde bucal. Os dentes alinhados corretamente facilitam a correta higienização e o prazer em cuidar do seu sorriso. Controle: da mesma forma que precisamos procurar nossos dentistas de seis em seis meses para controle periódico, com as facetas não é diferente. Neste mesmo tempo é feita a higienização das superfícies, em especial, da união dente-facetas. As facetas de porcelana ainda são uma novidade no Brasil, são poucos os profissionais que dominam a técnica perfeitamente. O seu dentista poderá lhe dar mais informações em como proceder caso você queira mudar o seu sorriso


EQUILÍBRIO / fitness

Moda para exercitar Conforto e qualidade nas peças diferenciadas da Capim Limão Sport Fitness Foto ALEXIS PRAPPAS

94


E

specializada em vestuário fitness, a Capim Limão- Sport Fitness oferece peças arrojadas e de qualidade, que aliam design, conforto e sofisticação. Com preços acessíveis, a loja se atualiza com grandes marcas como Adidas, C.C.M Sport, Loira e Morena, Be Yoga, Alto Giro, Rola Moça e Makefit. Nascida em 2007, em um complexo da Academia Qualidade Física, a Capim Limão cresceu em um meio voltado a atender o público preocupado com o bem-estar físico e mental, dedicado à pratica de caminhada, ciclismo, yoga, musculação, pilates e outras modalidades que satisfazem a necessidade de práticas relaxantes. Com a experiência de três anos, as peças da Capim Limão traduzem os anseios e as necessidades de seus clientes na hora de se exercitarem em roupas confortáveis e ao mesmo tempo atuais com a moda fitness. A mais recente novidade da loja fica por conta das peças em tamanho G e GG, visando a atender os padrões do corpo da brasileira, bem como, mulheres ousadas e dinâmicas que não abrem mão de seu conforto. Onde: Pátio Avenida, loja 29 Tel. (67) 3028-3968

95


EQUILÍBRIO / SERVIÇO seção

Lounge Hair Salão de beleza Uma forma acolhedora de cuidar de toda a beleza Por CARLA MATSU FotoS ALEXIS PRAPPAS

96


C

om um novo conceito a propor aos clientes mais exigentes, o Lounge Hair Salão de Beleza oferece muito além de tratamentos para o cabelo. Há nele a preocupação constante em proporcionar momentos de tranquilidade aliados a exigências estéticas. Com elegante e agradável decoração, a parte sensorial também é priorizada, uma vez que o conforto, iluminação e até as fragrâncias que por ali circulam contribuem para o bem-estar. “O espaço visa a atender o cliente de forma que ele se sinta acolhido e confortável”, explica a proprietária Valéria Viana Diniz. Não há barulhos excessivos e nem o estresse visual e auditivo que existem em muitos salões. Além de ter uma equipe afinada que cuida das mãos e pés, o Lounge Hair conta com quatro profissionais antenados quando o assunto é cabelo, incluindo aí Oscar Fiori, cabeleireiro argentino especializado em cortes com a navalha. Outro grande diferencial é a área dedicada ao relaxamento e à estética da pele do corpo e do rosto. Situado no andar de cima, há um agradável mini-spa onde são feitas terapias de manutenção, que englobam uma série de massagens e tratamentos, entre eles a corrente russa, manta térmica, gomagens, endermologia, massagens redutoras, drenagem linfática, limpeza de pele, entre outras, assim como a depilação com cera natural e a egípcia, feita com linha. Onde: Pátio Avenida– Av. Afonso Pena, 5420 Tel. (67) 3043-5353

97


COMPORTAMENTO

uma luz no fim do túnel. Ou pelo menos dizem que ela sempre está e estará lá. Se você não a viu, provavelmente você faz parte de um grupo crescente: o de pessoas pessimistas ou céticas demais em relação ao lado bom- de tudo que é ruim- que os otimistas dizem haver na vida. É claro, tudo é uma questão de como querer enxergar as coisas. Se o bonde dos otimistas consegue ver primavera nos invernos mais rigorosos, a ala pessimista pode prever o final dos tempos na primeira nevasca. Mas uma boa notícia traz suavidade aos dois lados extremos da questão: cada um pode aprender com o outro, é claro, só se estiver disposto a isso. Se o pão caiu no chão com o lado da manteiga para baixo, isso não é necessariamente a prenúncia de um péssimo dia. E se a Lei de Murphy parece dizer mais sobre sua história de vida que qualquer outra leitura positiva e cheia de confetes, saiba que especialistas podem ajudar você a olhar com crítica, leia-se um pouco mais de humor, os infortúnios que constroem a rotina do dia a dia.

Otimismo pé no chão Acessível e sem autoajuda Por CARLA MATSU Foto ALEXIS PRAPPAS

98


O lado bom (ou não) de tudo Pollyana Whitier era uma jovenzinha disposta a sorrir a tudo e a todos que passavam em sua frente. Aprendeu desde cedo, com seu pai, a enxergar o lado bom das mais tempestuosas adversidades através de um jogo otimista: o jogo do contente. Dos cachorros aos parentes mais ranzinzas, seu bom humor e a disposição para felicidade eram de contaminar a tudo que lhe envolvia. Porém nem tudo era de se exaltar o polegar para cima: tragédias aconteciam colocando à prova o otimismo “pollyanês” da menina. Mas se o ditado diz “se lhe derem um limão, faça uma limonada”, Pollyana, com certeza faria o limão render e muito. A personagem fictícia do clássico da literatura infanto-juvenil dá nome, corpo e alma ao otimismo de muita gente. É a incorporação da ideia de que, se você quiser, você poderá ver o lado bom de toda desgraça na vida. Mas até o otimismo e o tal do pensamento positivo precisa de mediações e cautela. Inclusive, se você levantar demais a bandeira Pollyana da vida, não só pessimistas, mas pessoas normalmente desconfiadas poderão olhar você com ares de interrogação. Pois se de um lado o pessimismo excessivo pode se tornar inconveniente demais, o otimismo escancarado pode irritar, e não de menos.

99


COMPORTAMENTO

Sem varinha de condão ois bem, no final das contas é preciso separar o joio do trigo. Se os otimistas defendem que manter o pensamento positivo atrai tudo de satisfatório para a vida, há ressalvas que precisam ser ilustradas. Segundo a médica psiquiatra Silmara Ferreira Gonçalves, o problema começa quando se acredita em uma fórmula mágica que vá colocar a vida nos eixos. Aí, se a vida não vai bem, se coloca a culpa em energias negativas, em superstições, em falta de pensamento positivo ou em excesso de pessimismo. A verdade é que nem o pensamento positivo mais crente do mundo poderá fazer você ganhar dinheiro ou a promoção no emprego tão almejada, se você não der o primeiro passo, o segundo, o terceiro e assim, sucessivamente. “Pensar é uma forma de lidarmos com o mundo; o pensamento positivo ou o negativo são expressões da tentativa de avaliação da realidade e da busca de solução para os

P

O autoajuda que atrapalha

A

psicóloga de adolescentes e adultos Ediane Palhano não vê com bons olhos os autores que dizem conhecer a resposta para todos os seus problemas. Para ela, o segredo para as dívidas, para a baixa autoestima e até para a separação do recente casamento não é encontrado assim tão facilmente nas páginas dos livros da seção de autoajuda. Muitos deles se lançam no mercado editorial promovendo uma suposta lei da atração, onde pensamentos positivos atraíram coisas positivas. Pense e atraia. Simples assim. E, claro, o contrário também seria verdadeiro. Seria como nos desenhos: pessoas negativas e mal-humoradas viveriam com uma nuvem escura sobre suas cabeças.

Pensamentos positivos problemas. Uma das soluções é atribuir ao sobrenatural a responsabilidade ou a culpa pelo que não deu certo”, salienta Silmara. No entanto, há certas patologias que precisam ser compreendidas para não serem confundias com a falta de humor na vida. “Pessoas que são depressivas ou ansiosas tendem a pensar negativamente. Mas, na verdade é a própria doença alterando o pensamento. A ansiedade, o desânimo e o isolamento tornam mais difíceis alcançar objetivos. É difícil ter pensamentos positivos se ela não está bem”, explica a psiquiatra Silmara que acredita que o otimismo pode ser benéfico. Para ela, salvo as questões psicopatológicas, de modo geral, a disponibilidade interna em buscar soluções para os problemas, influi decisivamente no resultado positivo.

100

A autora Rhonda Byrne, mais conhecida pelo seu livro “O Segredo”– que tomou proporções grandiosas no mundo inteiro– defendia o tripé responsável pelo sucesso: “peça, acredite e receba”. No livro e no filme que leva o mesmo nome, os relatos de pessoas que seguiram essa fórmula e se deram bem eram tantos quanto as várias tiragens do livro. Ok, talvez nem tantos. E se a corrente do pensamento positivo é tão mundial e tão pra cima, por que não fazer parte dela também? “Aos meus olhos e de quase a totalidade dos cientistas, essas teorias não fazem sentido algum. O simples fato de pensar positivamente e com força, porque de acordo com os autores de autoajuda 'sem força não funciona', jamais fará com que realizemos nossos desejos. Pensamentos positivos, frases feitas, receitas


mágicas e experiências pessoais poderão no máximo camuflar sentimentos e adiar o processo de maturidade psicológica”, declara a psicóloga Ediane Palhano. Segundo Ediane, o problema da doutrina do pensamento positivo é que ela age sobre os efeitos e não sobre as causas. Pessoas com baixa autoestima e sentimentos de inadequação produzem menos do que são capazes, e estímulos positivos melhoram suas condições, mas estão longe de conseguirem solucionar realmente o problema, que é muito mais complexo do que simplesmente falta de pensamento positivo e palavras de otimismo. “Se essa pessoa não consegue sentir essas palavras dentro de si, limitando-se

a repeti-las ou forçar sua crença nelas, não conseguirá mudar seus reais sentimentos. O maior 'SEGREDO' da vida só poderá ser descoberto num processo de autoconhecimento, que é o que propõe a psicoterapia, por exemplo”, ressalta. Para a médica psiquiatra Silmara, os livros de autoajuda podem, inclusive, frustrar algum leitor. Se ele acreditar no que lê e fizer tudo de acordo com a bula do pensamento positivo e nada mudar... Bem, aí pode sobrar um espaço para a frustração e até dar início a pensamentos mais pessimistas.

A saúde dos otimistas m estudo recente sugere que a resposta para as constantes gripes pode estar relacionada ao pessimismo também recorrente. Segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos, expectativas positivas em relação ao futuro podem fortalecer o sistema imunológico. Nos momentos de mais otimismo, os estudantes analisados no estudo apresentavam respostas mais fortes. Em épocas mais pessimistas, a resposta imunológica era mais fraca. Segundo a neurocientista Silvia Helena Cardoso, nossa saúde mental também teria relação com nossa capacidade de sermos otimistas. Nessa teoria, quando alimentamos bem nossa saúde mental com emoções positivas, bons pensamentos e pouco estresse, melhor será nossa saúde física. “Pensamentos positivos ajudam a ter uma conduta positiva em relação à vida. Quando coisas boas estão no pensamento, você passa a expressar isso, consequentemente você fica bem consigo mesmo”, ensina Silvia. Ou seja, os pensamentos de bom astral reagem de forma positiva em nosso cérebro. Quando temos um pensamento bom, o sistema dopaminérgico, responsável pela química do cérebro que proporciona prazer, ativa substâncias fundamentais para nossa sensação de bem-estar. Mas mesmo depois de tudo isso, fica uma dúvida: como exercer o pensamento positivo quando tudo parece repeli-lo? Silvia Helena Cardoso ensina que é preciso enganar o nosso cérebro, transferindo o pensamento negativo para outro positivo e não martelar muito nisso. Ou seja, tentar entender a real razão de um infortúnio e seguir adiante. Para a psiquiatra Silmara Ferreira Gonçalves, a grande resposta é querer melhorar. Pessoas pessimistas, que gostariam de atenuar o negativismo imperativo, devem querer ver as coisas boas também. “É querer começar viver melhor. Tem que ser uma mudança interior”, pontua Silmara. No final das contas, é quase que consenso geral de que o otimismo e o pessimismo estão relacionados intimamente com a capacidade de sermos felizes. Para a psicóloga Ediane Palhano, ter uma visão otimista da vida ajuda na busca da felicidade. Já o negativismo, tristeza e mal-humor constantes são sintomas preocupantes que impossibilitam viver a tão sonhada qualidade de vida. E ensina: “tanto o positivismo quanto o negativismo, vividos em excesso ou por imposição da lista dos best-sellers, são prejudiciais, pois ninguém pode decidir por nós quando e quanto devemos nos sentir tristes ou alegres. Essa condição é particular de cada ser humano e todos devem se dar ao direito de vivenciá-las, no momento e na intensidade que cada situação reclama e de acordo com as necessidades e capacidades de cada um”.

U

101


O LHAR PEREGRIN O

MA R CELO BUAINAIN

A ÁGUA e o SAGRADO

102


A

água, como símbolo de limpeza e remoção de impurezas físicas e espirituais, ocupa um lugar central na prática e crença de inúmeras religiões. Em cada doutrina uma variedade de lendas, tradições e significados são atribuídos ao elemento àgua. No que concerne ao Hinduísmo, basta um breve contato com a cultura para observamos o quanto os rios estão intimamente ligados aos hábitos e práticas religiosas de milhares de pessoas. Ganga River, conhecido, por nós ocidentais como o Rio Ganges, se destaca por ser o mais importante e o mais sagrado da Índia. Da mesma forma respeitado e venerado, o rio Yamuna é também auspicioso para a crença de muitos que em suas águas se banham em busca de limpeza e conforto espiritual. Como fotógrafo inquieto e interessado em temas místicos, tive o privilégio de conhecer, banharme e documentar algumas das principais manifestações religiosas que acontecem às margens desses dois rios. A exemplo da página da esquerda, uma cena comum captada na ocasião da Kumbha Mela, considerada a maior congregação religiosa do planeta. Na cidade de Allahabad, Estado de Uttar Pradesh, confluência dos Rios Ganges e Yamuna, sob atmosfera da neblina que caiu na madrugada, este ancião se banha antes de o sol nascer. Acima, à margem direita do Rio Ganges, um grupo de mulheres em peregrinação à sagrada cidade de Varanasi seca os seus coloridos e longos saris.

103


turismo

Arembepe Destino certo para descanso Local remete à aldeia hippie surgida nos anos 1960 que atraiu nomes como Janis Joplin e Mick Jagger

m fim de semana em Arembepe não é exatamente um fim de semana agitado. Pelo contrário, mesmo nos feriados e dias festivos a impressão é a de que o tempo parou, e o lugar se tornou um pedaço escondido das grandes especulações imobiliárias que tomaram conta do litoral norte da Bahia. Saindo do aeroporto pela estrada do Coco, Arembepe fica a cerca de 25 km. Quem deseja mais conforto e opções de hospedagem segue em direção ao norte, rumo à vizinha praia do Forte. Ou ainda para a mais longínqua Costa do Sauipe, já na linha Verde, continuação da estrada do Coco. Quem quer um programa além das águas transparentes e da brisa constante do litoral norte pode buscar o sossego de Arembepe e sentir-se um pouco como os nativos, que vivem com calma e bastante simplicidade. Ao chegar, a primeira impressão é de que se trata de uma vila bucólica. No glossário do mundo do turismo, quando se pensa em Arembepe logo vem à cabeça uma aldeia hippie, surgida nos anos 1960 e que atraiu gente famosa nos anos 1970, no auge do movimento. Ali estiveram Mick Jagger e Janis Joplin, além dos Novos Baianos. A aldeia tem uma população flutuante. Poucos ficam ali por muito tempo. Hoje, moram no local cerca de 40 pessoas. Como não é mais possível construir casas, é preciso ocupar as que já existem no local. Muitos estão ali de passagem, como Rodrigo Lima, de Ribeirão Preto (SP). Recém-chegado, não demorou para começar a expor seus trabalhos (brincos, colares e pequenas pedras) no quiosque central da aldeia. A estrutura para os visitantes é muito simples. Não há energia elétrica, e existe apenas um lugar para refeições e campings que abrigam quem quer ficar por ali. Quem programa a viagem para a primeira lua cheia do ano confere o Festival Alternativo da Aldeia Hippie. É quando grupos musicais fazem shows nas noites iluminadas.

Saturado, Arembepe investe em infra turística Aproximadamente R$ 15 milhões estão sendo investidos em mudanças de infraestrutura e paisagismo

I

nicialmente habitada por índios e padres, e mais tarde por pescadores e hippies, Arembepe ainda sofre com a falta de infraestrutura. A construção da estrada do Coco (BA-099), na década de 90, que liga a região a Salvador, fez com que o número de turistas aumentasse, mas a cidade não acompanhou o crescimento. Por enquanto, há apenas um hotel e nove pousadas em Arembepe, de acordo com a Prefeitura de Camaçari. Banco, só há uma agência do Bradesco e um terminal 24 horas. Ou seja, o turista acostumado com conforto de hotéis e barracas cinco estrelas pode estranhar um pouco o local. Mas isso deve mudar. Foi anunciada no ano passado uma verba de cerca de R$ 15 milhões, a serem investidos em obras de infraestrutura e paisagismo _o dinheiro vem da Prefeitura de Camaçari e do governo federal e o projeto de revitalização urbanística é da Secretaria do Desenvolvimento Urbano da cidade. 'Arembepe é o destino-âncora do nosso município', afirma o turismólogo Paulo Azevedo, da Secretaria de Turismo. De acordo com a secretaria, os projetos de mudança foram apresentados em audi-

104

ências públicas, para que os moradores participassem dando sugestões e apontando problemas. Passeio Uma das obras previstas é a ampliação do calçadão e a construção de um ponto de informações turísticas na entrada principal do distrito. Além disso, será construído um terminal de passageiros e a praça será iluminada. A aldeia hippie também ganhará nova cara. Serão implantados quiosques e deques em alguns pontos da aldeia e será feito um trabalho de paisagismo no local. Pimenta Como a gastronomia é um dos atrativos de Arembepe, as verbas serão investidas também em aulas de capacitação para as baianas que vendem acarajé. Nas praias, as barracas serão modernizadas. Pessoas ligadas ao movimento cultural da região, como grupos de capoeira e de samba, também estão na lista dos que devem se beneficiar com o investimento.

Confira pacotes e diárias de hotéis no vilarejo Para ir até o vilarejo de Arembepe, que fica no distrito de Camaçari, é preciso pegar um avião até Salvador, e seguir de carro até lá. Os pacotes com aéreo costumam ter os traslados inclusos. Veja abaixo três opções de pacote para Arembepe. COM AÉREO PREÇO POR PESSOA (em quarto duplo) R$ 677,00 Roteiro de cinco noites de hospedagem em quarto duplo no hotel Travel Inn Arembepe Beach. O preço é por pessoa. Na MGM Operadora: (11)3266-3844 www.mgm operadora.com.br R$ 728,00 Pacote de três noites de hospedagem em quarto duplo no Travel Inn Arembepe Beach, com café da manhã e traslados. Na Turismo Vianet: (11) 3129-3052 www.turismovianet.com.br R$ 1.130,00 Pacote com três noites de hospedagem em quarto duplo no Travel Inn Arembepe Beach, com café da manhã e traslados. Na Tereza Ferrari: (11) 3021-1699 www.terezaferrariviagens.com.br

Texto FOLHAPRESS / Foto Guilherme Tosetto FOLHA IMAGEM

U


Capela de S達o Francisco de Assis, no centro da cidade, onde ficam os restaurantes

105


turismo

Campo Grande lança o seu primeiro fretamento internacional As montanhas geladas da Argentina estão mais perto dos campo-grandenses, que ganharam voo direto para Bariloche

E

squiar, andar de trenó, brincar na neve. Bariloche é, sem dúvida, um destino para curtir o inverno em grande estilo. A enorme quantidade de atrações e belezas naturais convida, para essa pequena cidade da Patagônia argentina, famílias, casais e grupos de amigos interessados em diversão. E não é à toa. Além das estações de esqui ainda é possível fazer passeios de barco pelo Lago Nahuel Huapi, praticar caminhadas ecológicas, mountain bike, wind surfe, entre outros. O clima frio, os hotéis e restaurantes aconchegantes também são muito convidativos. E mesmo no verão, Bariloche oferece diversas opções de lazer e aventura. Patagônia preservada A cidade San Carlos de Bariloche está localizada dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, na Patagônia argentina, exatamente na divisa com o Chile. O Nahuel Huapi abriga um enorme lago de mesmo nome, além de outros lagos menores e mais de 700 hectares de terra com vegetação e espécies preservadas. A existência da cidade e do parque está diretamente ligada ao trabalho do perito argentino Francisco Moreno, um dos primeiros a relatar para o mundo as belezas da Patagônia. Entre os anos 1876 e 1902, o perito andou pela região onde hoje fica Bariloche e o parque Nahuel Huapi para demarcar a fronteira entre Argentina e

106

Chile. Na época, ele descreveu que o lugar reunia as mais interessantes belezas naturais que ele observou em toda a Patagônia. Foi ele também o primeiro a sugerir que a região se tornasse um parque, para que a fauna e flora local pudessem ser preservadas. Seu encantamento pelo local era tanto que chegou a doar as terras que ganhou do governo para a formação do parque. ATRAÇÕES Paraíso de gelo Sim, a grande atração de Bariloche é a neve! Pelo menos para os brasileiros, a oportunidade de esquiar é inusitada. No entanto, as atrações da cidade não param por aí. Com

uma beleza rara, esse pedacinho da Patagônia argentina revela belas montanhas com picos nevados, bosques, parques e um imenso lago, o Nahuel Huapi. Além do esqui, a cidade proporciona diversão para toda a família em atividades como rafting, passeio de barco ou caiaque, escaladas, moutain bike e teleférico. Os casais também aproveitam muito o clima romântico com restaurantes inspirados na culinária argentina, italiana e suíça, casas de chá e hotéis charmosos e confortáveis. Natureza em todo lugar Em Bariloche, as atividades turísticas se desenvolvem em um ambiente natural de


Orlando A cidade da magia e da diversão

Os queridinhos dos turistas Mesmo com tantas atrações em Bariloche, os centros de esqui ainda continuam sendo os mais disputados. Durante todas as temporadas de inverno, milhares de turistas de todo o mundo praticam o esporte e o aprendem nas escolas situadas nestes centros. Os locais são bem diversificados com espaço para iniciantes e praticantes mais experientes. Confira os principais: Centro esportivo de Cerro Catedral É o mais tradicional de Bariloche, com 600 hectares em um total de 70 km de pistas, das quais 25% são consideradas de nível fácil, 60% são intermediárias e avançadas e o restante, reservado aos praticantes mais experientes. Por conta disso, o local sedia campeonatos nacionais e internacionais de esqui. Nos começos de temporada, para atrair cada vez mais visitantes e se renovar a cada ano, o local promove novas modalidades de recreação, como passeios em motos de neve e trenós. Cerro Otto/ Sledding São cinco pistas de esqui localizadas ao redor da Confeitaria Giratória do Cerro Otto, com diversos graus de dificuldade. A atração é recomendada para todas as idades.

Em Orlando, Flórida, onde os sonhos se tornam realidade em um piscar de olhos, os visitantes voltam a ser crianças. Lá a diversão não tem fim. As infinitas atrações, os parques mais famosos e a completa infraestrutura fazem da cidade um destino imperdível para quem não foi e inesquecível aos que já visitaram. Walt Disney World, SeaWorld, Universal Studios, Wet'n Wild são apenas algumas das opções de entretenimento e lazer que o complexo de diversões e aventuras mais famoso oferece. Nesse ano, é inaugurada uma das mais aguardadas novidades do parque- “O mundo mágico de Harry Potter”, área temática que deve abrir no dia 18 de junho no Islands of Adventure, um dos parques da Universal Studios. Os fãs da saga da escritora J.K. Rowling terão a oportunidade de conhecer o castelo de Hogwarts, que foi erguido seguindo fielmente a imagem retratada nos filmes. Vale lembrar que Orlando também traz outras atrações além dos parques de diversões. Restaurantes, bares bacanas e espetáculos como o ‘La Nouba’, do Cirque Du Soleil, cativam também o interesse de muitos adultos. Conheça Orlando, um lugar encantador! Dica CVC Antes de embarcar, confira com sua companhia aérea qual o tamanho máximo e o peso limite de sua bagagem. Em caso de transporte de objetos grandes - como bicicletas, esquis, entre outros artigos esportivos, verifique se será cobrado uma taxa extra para levar estas bagagens grandes. No mês de julho a CVC tem vários fretamentos saindo de São Paulo.

Cerro Otto/ Centro de Ski Nórdico Conta com pistas especialmente preparadas para fazer esqui nórdico. Os passeios nas motos de neve também divertem os turistas que visitam o local. CERRO BAYO Localizado a 80 km de Bariloche, na Villa La Angostura, tem pistas ideais para quem quer aprender a esquiar. Como chegar A CVC oferece passeios às estações de esqui, confira o preço e a disponibilidade com o receptivo local. Tel. (67) 3323-5100

107


turismo

beleza cênica. Vários locais como o Parque Nacional Nahuel Huapi, que abriga uma infinita diversidade de flora e fauna, permitem ao turista um maior contato com a natureza. São várias as opções: Alto-andino, a maior praça central da cidade; o Bosque Úmido, com suas enormes árvores avermelhadas; o Bosque de Transição, com centenas de espécies de animais; a Estepe, típica do território patagônico e o Valle Challhuaco, com sua riquíssima fauna.

A vista de paisagens deslumbrantes pode ser combinada com a prática de atividades ao ar livre

Gastronomia Carne e vinho para aquecer o inverno clima frio de Bariloche é mais que um convite para experimentar a gastronomia argentina. O ponto alto são as carnes, como a Parrilla (churrasco) e os defumados de cervo, truta, salmão e javali, sempre acompanhados de um bom vinho argentino, é claro. Outro prato típico da região é o curanto, baseado na cozinha indígena Mapuche, que consiste em variados tipos de carne, cozidos embaixo da terra sobre pedras quentes. A cidade também tem boas opções para os amantes da cozinha europeia, com opções de massa, pizza e fondue. Nos hotéis, cafés e confeitarias, o turista pode tomar um café da manhã com pão trançado recheado, bolinho quente com manteiga ou uma variedade de doces regionais como as deliciosas tortas. Tudo acompanhado de um bom chá, chocolate quente ou café. Se você não dispensa a sobremesa, não deixe de provar os sorvetes artesanais e os chocolates.

O

108

COMPRAS ariloche oferece opções de compra que vão desde artesanato até roupa e acessórios de couro. A maioria dos produtos fabricados na cidade é o resultado de uma rica mistura entre as técnicas indígenas e as dos imigrantes europeus que contribuíram com experiência e organização comercial. Predominam as empresas que se organizam em família e se desenvolveram em vários setores como cerâmica, metais, velas, doces, chocolates, tecidos, pintura natural e cosmética. Além disso, o artesanato local está presente nos vilarejos.

B


109


seção

110


111


eventos

Uma decoração inesquecível Fotos Eurides Aoki

112


Uma poderosa mesa de doces foi a grande sensação da festa. Atrás dela, um painel em voal preto com uma faixa dourada ao meio traduz a elegância da festa

U

ma noite como a noiva Bruna Pavoni sempre sonhou. Ela, que queria que sua festa fosse surpreendente, participou de todos os detalhes da decoração. Orquídeas, tulipas e rosas foram as flores escolhidas, todas nos tons pink, lilás e amarelo. Para dar um toque de glamour que a noite pedia, as cores preta e dourada foram também bastante utilizadas pelos decoradores André Furquim e Luis Pedro Scalise. Logo na entrada do Buffet Yotedy um arranjo de flores, ao lado de uma estrutura metálica de onde caixas de vidro com bemcasa-dos ficavam suspensas, encantava aqueles que chegavam. No salão 30 lustres de ferro que pendiam do teto e três tipos de arranjos diferentes deram um toque especial ao local que foi ampliado para receber os 600 convidados do casamento. Bares, lounges e bistrôs compunham o restante da decoração que surpreendeu a todos os convidados.

113


eventos Fotos Eurides Aoki

2 1

3

4

5

CASAMENTO 6

No dia 1° de maio aconteceu na Igreja São José o casamen7 to de Bruna e Marco. Ela é filha do casal Gelson Pavoni e Marli Silva de Campos Pavoni e ele filho de Carlos Clementino Moreira Filho e Silvia Menegazo Moreira. Os noivos receberam os convidados no Buffet Yotedy, que foi decorado por Furquim e Scalise nos tons pink, amarelo, lilás, com toques de dourado e preto. O cerimonial ficou a cargo de Patrícia Farraco.

1 Os noivos 2 Pais da Bruna, Gelson Pavoni e Marli 3 Pais do Marco, Sílvia e Carlos Clementino 4 A noiva com as irmãs Bianca e Betina 5 João Leopoldo, Tarso, José Enrique e Marília 6 Sabrina e Fernanda 7 Bibi e Thaís 114


115


2 eventos Fotos Jean Vollkopf

1

4

5

3

6

7

Lançamento Em abril o Senac/MS; integrante do Sistema Fecomércio, abriu as portas de sua unidade especializada em moda e beleza. O evento foi bastante prestigiado e contou com autoridades e personalidades de Campo Grande que ficaram encantadas com o novo local e com as possibilidades de serviços que serão prestados por profissionais capacitados e com valores competitivos. 1 Luíza e Edison Araújo 2 Simone Michel e Regina Ferro 3 Cláudio Mendonça, Simone Michel, Edil Albuquerque, Natal Barros e José Francisco Veloso Ribeiro 4 Edison Araújo 5 Regina Ferro, Cláudio Mendonça, Edil Albuquerque, José Francisco Veloso Ribeiro e Edison Araújo 6 Carmen Cestari, Julian Medina e Valéria Leite 7 Fachada do Senac 8 Regina Ferro

116

8


2 1

GIRO Uma festa que movimentou a sociedade de Campo Grande foi o casamento de Fabianna e Vicente, no Buffet Yotedy. A decoração da festa ficou a cargo de Renata Veloso que deu um toque todo especial ao local. 1 Vera e Anagildes Hota 2 O brinde junto com os pais do noivo, Hamilton e Sônia 3 Dr. Renato e Maira Resende ao lado das três filhas 4 Marisa Machado e Ricardo Koin Fotos Eurides Aoki

3

Aconteceu no Espaço Loft um evento para noivas que contou com a participação de 30 fornecedores. Os noivos puderam conferir de perto as novidades e escolher o que mais se identificaram para o grande dia. O evento teve a coordenação de Helenita Brum. 5 Apresentação de dança do ventre 6 Solange e Helenita Brum 7 Marcos Vollkopf, Patricia e Marcos Farraco 8 Maria Elizabete, Raquel e Joana

5

4

6

Fotos Marcos Vollkopf

7

8 117


eventos Fotos Rodrigo Marques

1

4 3

2

5

INAUGURAÇÃO A inauguração da loja My Shoes, no Shopping Campo Grande, reuniu clientes e formadoras de opinião, que ficaram deslumbradas com a variedade e a beleza dos sapatos dessa marca que tem pouco mais de um ano de mercado e já conquistou uma seleta e fiel clientela. A proprietária Carmem Pissini está entusiasmada com o sucesso e a receptividade que a marca teve na cidade. 1 Vanessa Auto, Carmen Pissini e Alexandre 2 Raul e Márcia Lima 3 Ana Paula e Dra. Maria José 4 Laura e Vinicius 5 Vanessa, Kinha e Viviane 6 Elaine e André 7 Marcela e Ana Rufino

7 6

118


119


MODO DE ENCONTRAR / ENDEREÇOS E TELEFONES

BELEZA À FLOR DA PELE Clínica Volpe - São Paulo Rua Bento de Andrade, 431 Jardim Paulista. Tel. (11) 3889-9582 A CASA SE VESTE PARA O INVERNO Ana Muzzi Tel. (67) 9982-9179 FIOS QUE AQUECEM Arte no Tear Rua Rio Grande do Sul, 1201 Tel. (67) 3028-4208 West Cor Rua Dom Aquino, 561 Tel. (67) 3029-2870

120

RÚSTICO CONTEMPORÂNEO Alessandra Gibran (67) 3325-6252 INVERNO ATUAL Ivaniza Boutique Rua Antonio Maria Coelho, 3647 Tel. (67) 3326-3424 Maria Pitanga Rua Euclides da Cunha, 640 Jardim dos Estados Tel. (67) 3382-5030 Via Ravini Rua Vitória Zeola, 313 Carandá Bosque Tel. (67) 3326-1603

EQUOTERAPIA Proequo- UCDB (Programa de Equoterapia para população carente) Universidade Católica Dom Bosco Tel. (67) 3365-5000


121


preview

love

the next

mood 122


Mood Life 6  

Edição número 6 da revista Mood Life. Publicada originalmente em Junho de 2010.