Page 1

Ano 7 | n° 37 | Abril/Maio 2016

O CAFÉ NOSSO DE CADA DIA

CADERNO ESPECIAL SOBRE CAFÉS

CASA E DECORAÇÃO

somos tão jovens

ÁGUA: REAPROVEITAR É IMPORTANTE

O QUE ESSA GERAÇÃO ESPERA DE JOINVILLE


CALÇADOS, ROUPAS E ACESSÓRIOS GARTEN SHOPPING | JOINVILLE - SC AIX-EN-PROVENCE BUENOS AIRES CANNES JOHANNESBURGO HOLLYWOOD LAS VEGAS NICE ORLANDO PUNTA DEL ESTE RIO DE JANEIRO SÃO PAULO 550 lojas - 18 países


@carmensteffens CarmenSteffensOnline


EDITORIAL

S

DUO

empre que mencionamos algo veloz, quase instantâneo, vem à nossa mente o termo “piscar de olhos”. Num piscar de olhos, um dia gostoso ao lado de pessoas queridas passa. Num piscar de olhos, o ano, o mês, o dia chega ao fim. E quando falamos de oportunidades, com um piscar de olhos surgem e, num piscar de olhos passam. O detalhe é que todas as suas escolhas têm sempre metade de chances de dar certo. É assim sempre com todo mundo, então, nada de desespero, mantenha os olhos abertos e aproveite cada segundo de qualquer situação. Num piscar de olhos, já estamos há mais de sete anos no mercado e como os olhos de uma criança, com brilho, curiosidade, sonhos, sorrisos e vontade de crescer, lançamos mais uma edição voltada 100% pra nossa cidade com vários assuntos relevantes e, que com certeza, você não piscará os olhos e irá folhear com vontade de saber o que acontece em Joinville. A Duo de abril traz como matéria principal a juventude joinvilense. Como estão os jovens na nossa cidade? Abordamos temas como intercâmbio, educação, moda e principalmente

um caderno de saúde recheado de informações para cuidados com pele, dentes, coluna, alimentação e vários outros assuntos interessantes. No caderno de gastronomia, mergulhamos no mundo do café e tudo sobre essa bebida que faz parte de todos os dias, com acompanhamentos, tendências e o que Joinville oferece nesse mercado. Para a moda trazemos tendências de Outono/Inverno com dicas e propostas que cabem para a estação que nos permite usufruir do famoso termo “meia estação”. Ainda não chegamos no inverno, mas o outono vem repleto de novidades e você já pode tirar as blusas de frio para uso. Também trouxemos novidades no caderno de cultura com detalhes sobre os produtores de teatro da cidade. Aproveitamos o gancho do Dia Mundial da Meteorologia e salientamos a peça de teatro super comentada com produção local, chamada “Será que vai chover?”. Sim, aqui em Joinville vai sim, (risos). Ótima leitura e fique à vontade para elogiar, criticar e deixar sua opinião sobre a nossa Duo. Nos vemos por Joinville e um excelente mês de abril.

DIAGRAMAÇÃO

EXPEDIENTE 47 3043 2150 monograma@monogramadesign.com EDITORA DE CONTEÚDO Tabata Kadur jornalismo@revistaduo.com.br JORNALISTAS Márcia Campos Jair Alberto Morello Jefferson Luchtenberg Windson Prado

CAPA Fotografia: Vand Rodriguez Tratamento: Vand Rodriguez Modelos:Jadi Wegener, Carina Bergmann, Julia Azevedo (DF Model) Produção e Styling:Tabata Kadur Beleza: Studio Katiane Marta Vestem: Loja Mince

COLABORADORES Ana Cláudia Antunes Drag Conchita Carla Adriana Carolina Wanzuita Cláudia de Moura de Mattos Cláudia Petry Evelize Olimpo Fabíola Bernardes

Foto: Vand Rodriguez

OLHOS ATENTOS NA

Toni Furtado

Jean Canci Katiane Marta Márcia Tasca Mario Kutianski Matilde Mello Mosara Vendramini Osny Martins Rodrigo Domingos Yasmim Fassbinder REVISÃO Ana Paula Padilha DIREÇÃO GERAL Toni Furtado toni@revistaduo.com.br 8423-3934 | 3025-4711

ANUNCIE EM NOSSA REVISTA! DEPARTAMENTO COMERCIAL comercial@revistaduo.com.br comercial2@revistaduo.com.br comercialjlle@revistaduo.com.br contato@revistaduo.com.br


ÍNDICE

Ano 7 | n° 37 | Abril/Maio 2016

10 20 31 38 48

76

48

CASA E DECORAÇÃO Água: reaproveitar é preciso.

DUO CULTURA Será que vai chover?

PRINCIPAL Ainda somos os mesmos?

DUO MODA Somos tão jovens.

VIAGENS Intercâmbio: trabalhe e estude.

31

76

DUO SABORES

90

80

GASTRONOMIA

90 96

Café: entre aromas e sabores.

Café: seus mistérios e sabores.

EXTRA Livros: consuma sem moderação.

DUO CABELOS O cabelo do momento... para eles e para elas!

100 SOCIAL


CASA &

DECORAÇÃO

ÁGUA:

REAPROVEITAR É IMPORTANTE Por: Ana Cláudia Antunes Fotos: Banco de imagem

A

tualmente grande parte da população mundial vive em grandes centros urbanos, seja à trabalho, divertindo-se ou descansando em suas residências. O avanço da engenharia criou novas tecnologias que possibilitaram alternativas para tornar os ambientes de vivência satisfatórios para a maioria das pessoas. A disponibilidade em abundância e barata dos recursos naturais no século passado não instigava a criação de maneiras diferenciadas de construir e viver. Mas esse panorama mudou no início da década de 1990 com diversas crises hídricas e energéticas, inclusive foi quando a Organização das Nações Unidas, em 1993, através de uma resolução, declarou o Dia Mundial da Água como o dia 22 de março.

E com a proximidade da sua vigésima quarta edição nesse ano de 2016, dessa vez com o tema “Água e Emprego: Investir em Água é Investir em Emprego”, fica cada vez mais evidenciado que a sustentabilidade, o aproveitamento e a conscientização são papéis fundamentais para a continuidade do abastecimento para a população. A partir das pequenas ações do dia a dia podemos economizar uma grande quantidade de água, basta tomarmos consciência de que modificando ou adaptando nosso cotidiano essas atitudes tornam-se cada vez mais simples, seja com um consumo consciente, seja com a utilização de novas tecnologias que possibilitam a economia, o reuso e aproveitamento desse recurso tão precioso para nossas vidas.


COMO REAPROVEITAR A ÁGUA DA CHUVA O mercado da construção civil já conta há algum tempo com metais e louças que possibilitam e facilitam essa tão importante economia hídrica. Como a utilização de torneiras e chuveiros com bico arejador na ponta, cuja principal função é a mistura de água com bolhas de ar para ter a sensação de um fluxo maior sem realmente usar tanto volume de líquido. Ou então a utilização de bacias sanitárias dotadas do sistema dual flux, o qual possui um acionamento com escolha da quantidade de água a ser utilizada para a descarga, esse sistema já é presente tanto nas bacias com caixa acoplada como nas bacias acionadas por registro de pressão. Para este último, as melhores marcas do mercado investem, cada vez mais, na estética dos acabamentos, que trazem um charme muito especial para nossos banheiros, e uma novidade é a bacia com caixa acoplada escondida dentro da parede, um toque primordial para a estética daqueles que preferem tudo embutido. Na maioria das casas, indústrias, edifícios comerciais e residenciais as águas de chuvas que caem nos telhados são direcionadas para as calhas, para então serem encaminhadas por tubulações ligadas diretamente na rede pública pluvial. Porém, hoje esse processo é visto como um desperdício exorbitante, pois além de jogar fora um recurso tão escasso, sobrecarregamos as redes da cidade. Que tal aproveitar essa água que literalmente cai do céu? A resposta para essa preocupação ambiental pode ser a motivação final que você estava procurando para reformar ou construir a sua casa de uma maneira muito mais sustentável sem abrir mão da beleza e da estética. Os projetos arquitetônicos com soluções para o aproveitamento da água pluvial são divididos em três partes: Captação, Filtragem e Armazenamento. O processo inicia ainda no telhado, as calhas são responsáveis por direcionar a água para o receptáculo, porém antes

ela precisa ser filtrada para retirar as impurezas, e somente então ser armazenada. Lembrando que isso deve ser feito em um reservatório separado do que contém água potável, pois não pode ser utilizada para consumo, mas é de grande utilidade para limpar pisos e calçadas, regar canteiros e jardins e descarga de banheiro, e somente se tratada, até mesmo para lavar roupas, louças e tomar banho. Uma das poucas desvantagens da implantação de um sistema de aproveitamento das águas da chuva é que necessita encontrar o ponto de

equilíbrio entre a captação, consumo e armazenamento, além de gastos adicionais com todo o sistema paralelo ao de água potável, tanto com tubulações e conexões, como com reservatórios e cisternas. Porém já está disponível em plataformas online, como é o caso do RainMap, que com a simples inserção de dados da localização da residência e da fatura de água, você recebe um relatório de quanto será a economia, o custo para a implantação do sistema e onde encontrar as soluções mais próximas, tudo isso feito gratuitamente.

11


CASA &

DECORAÇÃO

A NOVA ROUPAGEM DE SISTEMAS DE CISTERNA Porém, se a ideia não é ter uma nova obra na sua casa, ou então efetuar um investimento tão expressivo, existem possibilidades mais simples para o aproveitamento da água de chuva, que mesmo em menor quantidade já faz a diferença em certas ocasiões. Pode-se citar o uso de vasos de cerâmica que servem como cisterna com efeito decorativo e para regar plantas, jardins e molhar a grama. Para o abastecimento do mesmo pode ser acoplado um filtro que retém os resíduos sólidos provenientes das precipitações e telhados. Em variados tamanhos e capacidade de retenção o reservatório possui uma torneira que facilita a retirada de água e, assim, ao invés de esconder o sistema de captação pluvial e armazenamento, você o mostra de uma forma criativa, pois na parte superior dos barris é possível plantar flores. Sendo assim, com a utilização de vasos combinados e coordenados você pode decorar e perfumar a área externa e aumentar a eficiência do propósito. Considerando que, com um simples banho de 20 minutos, se gasta em torno de 160 litros de água, que um ciclo de lavadora de roupa utiliza 130 litros e que uma simples lavagem de rosto pode consumir 2,5 litros de água, é muito importante o reuso desse recurso. Conhecidas também como águas cinza, dependendo qual seja o uso final, algumas vezes nem é necessário o intenso tratamento das mesmas. Esse reuso pode ser feito através da coleta da água da pia pela tubulação embutida na parede, apenas mudando o percurso feito pelo encanamento ou com uma pequena adaptação no sifão. Já estão disponíveis no mercado modelos de louças sanitárias com design diferenciado e apropriado para coletar a água da pia e destiná-la para

12

o vaso sanitário. Utilizando modelos de louças distintas e que instiguem a curiosidade você aproveita para informar e conscientizar os amigos e familiares que visitarem a sua casa. Construções arquitetônicas com soluções para economia, aproveitamento e reuso da água, colaboram sustentavelmente de duas maneiras explícitas, uma delas é obviamente na economia dos recursos

hídricos e consequentemente nos gastos, já que a utilização das águas pluviais ou de reuso será usada em situações em que a potabilidade não se faz necessária. A outra é que uma vez o sistema amplamente aderido pela população diminui o volume de água que vai para as ruas, reduzindo assim a probabilidade de inundações. Com essas medidas quem ganha é a população e principalmente a natureza.


PUBLIEDITORIAL

ÁGUA DA

CHUVA: eu uso Por Tabata Kadur Foto: Camila Raiser e divulgação

Q

ue a água vai acabar todos nós sabemos e estamos sendo alertados sobre. Mas e o que tem sido feito para que possamos reaproveitar ou utilizar de forma consciente esse bem vital em nosso dia a dia? Em Joinville algumas iniciativas estão surgindo e merecem atenção especial. Num futuro mais próximo do que imaginávamos, precisaremos de recursos para que a água nossa de cada dia continue abastecendo nossas necessidades e famílias. A Casa da Cisterna, fundada por Luiz Augusto em dezembro de 2015, veio com a missão de conscientizar a população de Joinville e região a reutilizar – e melhor usar – a água da chuva, que é companheira quase que diária, da rotina dos joinvilenses. Depois de 30 anos trabalhando em uma das maiores indústrias de Joinville, na área de controladoria, Luiz Augusto que já era interessado em assuntos do meio ambiente, decidiu ir mais a fundo com suas pesquisas. “Eu já não me sentia bem em usar água potável para fazer limpeza externa na minha casa. Parecia que estávamos fazendo algo errado. Quando saí da indústria, tinha pensado em tirar um período sabático. Mas com o estresse hídrico de SP antecipou meu interesse no assunto de economia de água, comecei a fazer contato com fornecedores a respeito de produtos para captar água de chuva”, conta o empresário. Na medida em que sua pesquisa foi se aprofundando, oportunidades surgiram, e a ideia de renovar o pensamento da população quanto ao sistema de cisternas apareceu. “É preciso desmistificar o conceito da

14

palavra cisterna. No passado quando Luiz Augusto confirma que, “é um se falava em cisterna, pensava-se em projeto motivador. Vai fazer um bem obras, enterrar, instalar bombas, com para a natureza muito grande e para muita manutenção. Hoje o produto o bolso das pessoas também. Usar mudou e no modelo de cisterna slim, água de chuva para fins não potáveis utilizamos a água no dia a dia, não para é estar com a consciência tranquila”. Para aqueles que têm interesse simplesmente armazená-la. Todas as residências hoje que possuem calhas, em entender melhor o processo de implantação da cisterna, a poderiam adaptar uma Casa da Cisterna realiza cisterna. Não é necessá“Na minha uma visita nas residênrio obras, é só instalar”, concepção toda a cias ou empresas e é explica Luiz Augusto. Os produtos dispo- casa deveria ter uma sugerido um modelo acordo com o tamaníveis na Casa da Ciscisterna. A Casa de nho do telhado e com terna, são específicos para captação de água. da Cisterna nasce a finalidade da água a Recebem um trata- com o objetivo de ser usada. Se o produto estiver em mento antimicrobiano ajudar as pessoas escolhido estoque, a instalação e proteção contra raios ultravioleta, assim a a economizar água é feita pela equipe em aproximadamente um água tem uma durabipotável” dia, junto com um treilidade maior, evitando a criação de algas e fungos. A linha namento a respeito do produto. Além de produtos nacionais oferecida pela disso, a empresa é especializada para empresa é fabricada no Rio Grande dar todo o suporte necessário ao londo Sul, em São Paulo e Araquari. Tam- go do processo de implantação do bém são ofertadas opções de impor- serviço. Garantindo a qualidade do tados para atender demandas espe- produto, manutenção e expansão dos cíficas, ou modelos mais sofisticados. sistemas quando necessário.

LUIZ AUGUSTO Fone: (47) 3278 8665 www.casadacisterna.com.br contato@casadacisterna.com.br


ETIQUETA DO LAR Evelize Olimpo Fotos: Divulgação

LIMPE, ORGANIZE,

ECONOMIZE

N

ão basta falar de organização do lar sem aliar a limpeza, certo? Para ajudar você a economizar água dentro de casa enquanto limpa seu lar e seus armários, nesta edição, deixarei dicas de como executar os afazeres domésticos gastando pouca água ou mesmo reaproveitando-a.

Para bancadas, azulejos, vidros e demais superfícies que devam ser higienizadas com uso de água: utilize um borrifador com uma mistura de água e o produto de limpeza adequado. Bicarbonato de sódio e vinagre branco são excelentes ferramentas de limpeza. Desta forma, você despende a solução em pequenas doses.

Antes de lavar a louça, retire bem os restos de comida contidos em pratos e panelas, jogando-os no lixo. Coloque os itens de molho por cinco a dez minutos, em uma solução de água quente e detergente, principalmente aqueles engordurados ou com alimentos grudados. Em seguida, após o período de “molho”, com a torneira fechada, ensaboe as louças, molhando a esponja, sempre que necessário, em um recipiente com água morna e detergente. Troque essa água quando ela estiver muito suja. Enxágue normalmente, fechando a torneira entre uma peça e outra. Lavar a louça, por 15 minutos, com a torneira meio aberta, consome, em média, 120 litros de água.

Ao limpá-la, sem desperdício, o consumo pode chegar a apenas 20 litros de água.

Deixe a roupa suja acumular e lave tudo de uma só vez. Uma máquina de lavar roupas de cinco quilos gasta cerca de 135 litros de água a cada uso. Por isso, utilize a lavadora apenas quando a capacidade total for atingida e, no máximo, três vezes por semana No tanque, feche a torneira enquanto ensaboa e esfrega as roupas. Ainda durante a lavagem manual, a água de enxágue das peças brancas pode ser aproveitada para a primeira lavagem das roupas escuras ou coloridas. Se possível, tente armazenar em baldes a água que sai da máquina de lavar roupas e reaproveite-a na faxina da casa. Por exemplo, use a água do último enxágue da lavadora de roupas para limpar o piso do banheiro ou de outro ambiente da casa que deva ser lavado. Vamos preservar o meio ambiente e usar água com consciência.

17


CULTURA


será que vai

CHO VER?

Por Rodrigo Domingos Fotos: André Kopsch e Felix Tuma

Q

uando o calendário marca 23 de março, comemora-se o dia da meteorologia. Como todos sabemos, Joinville é uma cidade bem peculiar quando falamos em clima. Cidade quente, úmida e conhecida pelo famoso slogan “a primeira chuva à esquerda”. Essa chuva toda que caracteriza nossos dias, nossa rotina, e já enraizou alguns hábitos bem joinvilenses, virou tema de um espetáculo que homenageia nossa bela “Chuville”. A revista Duo conversou com Albertina Tuma, produtora cultural e idealizadora do espetáculo “Será que vai chover” - que homenageia uma das principais particularidades de Joinville - e traz algumas curiosidades sobre sua história e caminhada. Acompanhe também detalhes sobre o musical que estreou em 2015 e que volta aos palcos de Joinville em abril.

21


CULTURA Revista Duo - Como é produzir grandes espetáculos em Joinville e quais os mais relevantes que você poderia citar? Albertina: É trabalhoso e arriscado, mas faz parte. É o risco que todos nós produtores estamos expostos. A produção de um espetáculo é quem cuida de todos os detalhes: desde traslado, hospedagem, alimentação, estrutura do teatro, ingressos, pontos de venda , divulgação, as parcerias, os patrocínios, e por aí vai. Até bem pouco tempo, tínhamos uma infraestrutura precária para espetáculos. Não havia espaços compatíveis e nos que tínhamos, faltava o básico. Hoje estamos melhores nisso. O Teatro Juarez Machado e a chegada do Teatro da CNEC são, sem dúvida, animadores para produtores, artistas e plateia.

TRABALHO HÁ 40 ANOS COMO PRODUTORA CULTURAL TRAZENDO ESPETÁCULOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS PARA NOSSA CIDADE E REGIÃO. O Festival de Dança de Joinville, que criei com Carlos Tafur e, produzi até a 12º edição, sem dúvida é minha marca, meu evento âncora. Mas, é do tempo em que eu dirigia a Casa da Cultura de Joinville. Após me afastar dela, passei a produzir meus próprios eventos, de forma

independente. Deles, posso citar, com destaque: “Meninos Cantores de Viena”, “Lês Balles de Montreal”, Canadá, “Viena Art Orchestra”, os italianíssimos do “I Briconcelo”, ou os espanhóis do “Soledad Barrio” e “Noche Flamenca”, “O Tango a Tierra” e o argentino “Esquina Carlos Gardel”. E, de Portugal, vieram os fadistas do “Fado ao Centro”. Bons espetáculos nacionais também brilharam como o “Callas”, “A Noviça Mais Rebelde”, o “Aquarelas”, de Carlinhos de Jesus, Família Lima, Só Pra Contrariar, Fat Family e tantos outros. Num outro seguimento, finalmente, conseguimos montar nosso próprio musical, o “Será Que Vai Chover” - um tributo a uma das mais fortes características da cidade, a chuva. Um espetáculo de quase uma hora com músicas que cantam a chuva e um elenco cem por cento nosso. São os trinta cantores do Coral Ciser, mais os cantores convidados, Felícia Oliveira e Vagner Magalhães; roteiro de Tusi Helena, direção artística de Eliane Ramin, direção musical de Jacson Araújo, com uma banda de músicos profissionais, a coordenação geral de Emerson Branco, e executiva de Ilírio Deretti, com a participação especial de bailarinos da Escola Municipal de Ballet da Casa da Cultura. Produzir um espetáculo como este, é também um grande desafio, que não se realizaria se não tivesse a assinatura da Cia. Industrial H. Carlos Schneider - CISER, onde o coral, que recebeu o nome da empresa, nasceu há 19 anos.

“Arte é minha vida. É impulso, inspiração, comunicação, criação. Arte é o belo e o feio. Arte é retrato do tempo e das coisas que nos cercam. Ela muda, nós mudamos.”

22

Duo - Você é uma grande fomentadora da cultura e do entretenimento na cidade, quais são os passos para seguir a profissão de produtora cultural e quais os maiores desafios? Albertina: O primeiro passo é amar produzir. Produzir com qualidade. Só o amor é capaz de nos tornar fortes para vencer tantos desafios. O maior desafio é arcar com o risco de ter que pagar por todas as despesas, caso o espetáculo não tenha um bom retorno de público, ou conseguirmos as parcerias necessárias, para diluir o alto custo das produções. Se não fossem as parcerias que vamos construindo ao longo do tempo, não conseguiríamos trabalhar, e toda essa gama de espetáculos e artistas, não pisariam em nossos palcos. E as plateias que vamos formando, não teriam oportunidades de se emocionar com grandes e belas produções.


Há casos em que começamos a trabalhar de quatro a seis meses antes do dia da apresentação. Na maioria das vezes, sem conseguir reaver o investimento prévio que é feito. Os gastos ficam pra nós, e é mais difícil ainda recuperar depois do espetáculo. São impostos e mais impostos, taxas para tudo. No fim das contas, o que importa é a credibilidade, é a frequência, é a dedicação, a qualidade e a persistência. E o show simplesmente acontece. Duo - Como surgiu a ideia de produzir o musical “Será que vai chover”? Conte um pouco do processo criativo. Albertina: Eu sempre quis produzir algo que homenageasse Joinville. Queria algo que fosse a cara da cidade. Pensei na chuva. Nossa, como chove! Achei a ideia boa, mas nem todos para quem contei inicialmente, acharam o mesmo. Teve gente que relutou. Aos poucos fui convencendo

minha equipe, patrocinadores e já na nossa primeira reunião de préroteiro, com toda equipe artística reunida, saí convencida de que teríamos um lindo espetáculo! Assim nasceu o “Será Que Vai Chover?”, que além de ser uma pergunta que fazemos todos os dias, é título da música dos Paralamas do Sucesso, que está logo no início do espetáculo. Estreamos em 2015 com enorme sucesso, dois dias lotados. Teatros lotados também nas cidades por onde passamos e muitos pedidos para voltarmos. Duo - O espetáculo entrará em cartaz novamente, quais as datas e as cidades que o musical vai percorrer? Albertina: A Ciser, empresa mãe do Coral Ciser, nos pediu um espetáculo extra que estamos chamando Gala – “Será que Vai Chover?”. Será em abril no Teatro Juarez Machado. Uma noite beneficente.

Os ingressos serão retirados na livraria A Página, e na noite do espetáculo validados com a doação de alimentos para o Instituto Priscila Zanette. Já temos um projeto em andamento, que contempla 10 apresentações, trata-se do circuito 2016, que incluirá: Blumenau, Florianópolis, Brusque, Porto Alegre, Serra Gaúcha, e novamente em Joinville. Já estamos a mil por hora nos ensaios. É a arte de Joinville brilhando em outros palcos. Duo - Para finalizar o que é arte para você? Albertina: Arte é minha vida. É impulso, inspiração, comunicação, criação. Arte é o belo e o feio. Arte é retrato do tempo e das coisas que nos cercam. Ela muda, nós mudamos. É só viajar no tempo e olhar a arte ontem, hoje e imaginar arte amanhã. Arte é dom precioso do Criador. Arte é vida! “Ela consiste em fazer da vida uma obra de arte”.

23


DUO HUMOR

UM DIA COM O BOY, OFFICE BOY! Tá querida, eles são abusados, rústicos e rudimentares. Com seu jeito selvagem, arrebatam o coração das secretárias e das drag queens, aloka! Os office boys magia estão espalhados pela cidade, e no mês destinados a eles, aproveito para contar minhas aventuras com estes homens babadeiros... Por Drag Conchita* Fotos: Divulgação e Banco de imagens

E

les vivem correndo de um lado para outro sempre com uma pastinha nas mãos. Muitas vezes, apressados buscam fazer tudo o mais rápido possível. Alguns usam moto, outros, bicicletas,

24

mas a correria pelo Centro sempre acaba a pé, em meio a um esbarro daqui e um “desculpa senhora” dali. Seus corpos são atléticos e evidenciados por roupas coladas, suadas... E como diz Angélica se usam com um apertado “blue jeans,

tênis velho no pé e boné”. Em resumo, são verdadeiros cafuçus magia, daqueles de deixar qualquer mulher nervoooosa, se é que você me entende. Assim são nossos office boys, que têm todo o dia 13 de abril


destinados a eles. Toda cidade tem os seus, em Joinville, são centenas, um mais diferenciado do que outro chamando a atenção da meninada. Muito Franca! Quem é que nunca olhou com outros olhos para office boys, os contínuos da empresa, que atire a primeira pedra, meu amor. Blupt! Eu já fiz muitos, fiz muitas amizades, é bom deixar claro, e tenho muitas histórias para contar. Certa vez, fiquei presa com um no elevador do Hanôver, ali no Centro. O bofe era babadeiro. Moreno claro, 1,92 de altura, musculoso, pesava cerca de 95 kg. Os olhos eram verdes e os braços fortes. Acho que tinha 18, 19, talvez 20. Era grandão mesmo. Fiquei tão nervosa de ficar presa com um estranho no elevador, mas logo ele puxou conversa e ficamos mais à vontade. Foram duas horas e meia trancados dentro daquele elevador. Deu até para bater um bolo, falar das amigas e passar algumas dicas pro boy pegar a mulherada. No final ele acabou se apaixonando por mim, acredita! Mas como eu sou uma Drag Queen aprumada, logo fiz questão de dispensá-lo. Dias atrás eu reencontrei um velho amigo de quando eu trabalhava como office boyola, ops office quase girl. Sim, meu bem, euzinha, já fui contínua. Cada entrega, cada ida ao banco ou a lotérica é um flash, era um show, um escaaaaândalo. Yago era o nome dele. Gente, Yago era o rei dos offices boys. Loiro, alto, bonito, sarado e dotado, dotado de uma grande simpatia, se é que você me entende. As secretárias chegavam a brigar para ficar perto dele. Mas o moço era muito tímido e não sabia como reagir a todo aquele assédio. Por isso, ele sempre me ligava pedindo conselhos para moa, euzinha, né! Ficamos alguns anos sem nos falar, mas perto do Carnaval encontrei com ele no mercado. Quando o vi fiquei cho-cho-cada.... O bofe estava casado com uma vendedora de hot-dog e já tinha oito cafuçuzinhos. Tadinho, ele estava com uma cara de acabado. Não era mais o mesmo. Fiquei triste em saber que terminou deste jeito, mas eu avisei que ele

deveria sair daquela pregação que foi aliciado. Enfim, são coisas da vida né, gente! E por falar em coisa da vida, vocês não imaginam o que aconteceu comigo dias desse. Tive que recorrer ao tempo em que era office girl. Fui fazer um evento no shopping, coisa chique, alta sociedade. Era noite de glamour, lançamento da Revista Duo. Estava pronta para sair de casa e meu carro deu problema. Olhei para a moto do vizinho e não tive dúvidas. Coloquei o capacete e fui, montada na coragem, em cima da moto até o evento. Foi tenso, cheguei à festa toda cagada, mas feliz, principalmente depois que consegui colar meus cílios postiços com laquê. Coisas da vida! Por sorte, no meio do caminho um office boy me encontrou e ajudou a aquendar a neca e arrumar o cabelo. É como eu digo, um office boy pode fazer milagres em sua vida. Basta você se jogar e acreditar. Adoro!!!! Um beijo, e me liga!

Por Drag Conchita Drag Conchita é jornalista, animadora, produtora cultural e maquiadora. Atriz performática que há 12 anos trabalha com telegramas animados em casamentos, chás, despedidas de solteiros, festas, formaturas, eventos corporativos e caracterizações, além de shows em boates de todo o Sul e Sudeste do Brasil. 1*

Contatos: E-mail: dragconchita@gmail.com Skype: DragConchita Twitter: @dragconchita Facebook: Drag Conchita Pradinha e Drag Conchita Eventos Youtube: youtube.com/dragconchita Concha’s fone: 47/8873-9960 e 47/9615-1260 “Porque se a vida é uma festa, com a Drag Conchita ela se torna inesquecível!”

25


EXTRA

Dia do Jornalista

Várias datas são usadas em comemoração ao Dia do Jornalista. Independente da polêmica, o mais importante é o reconhecimento a esse profissional fundamental para a formação da cidadania. Por: Jair Alberto Morello Fotos: Dvulgação

UM POUCO DE HISTÓRIA

A

data mais utilizada para homenagear o jornalista é 7 de abril, instituída por decisão da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), em 1931. Foi o reconhecimento ao médico e jornalista Giovanni Battista Líbero Badaró, morto em 1830. Libero Badaró foi assassinado por aliados políticos do imperador Dom Pedro I por causa de sua oposição e ideologia contrária ao poder domi-

26

nante da época. No jornal independente Observatório Constitucional, Líbero Badaró denunciava o abuso do poder do monarca e abordava temas censurados. Grande defensor da liberdade de imprensa, o jornalista contribuiu para acentuar a revolta da população e de políticos contra Dom Pedro I, favorecendo a renúncia do imperador em abril de 1831. Mesmo que 7 de abril seja a principal data em comemoração ao Dia do

Jornalista, ainda há o dia 29 de janeiro (homenagem ao jornalista e abolicionista José do Patrocínio), 16 de fevereiro (considerado o Dia do Repórter), 3 de maio (Dia da Liberdade de Imprensa, instituído pela ONU) e 1o de junho (Dia da Imprensa, reconhecimento ao primeiro jornal brasileiro, o Correio Braziliense, editado por Hipólito José da Costa Pereira Furtado de Mendonça, a partir de Londres).


PAIXÃO POR TRANSFORMAR Em 1994, em Santa Rosa/RS, Rejane Gambin estreava no jornalismo, na RBS TV Santa Rosa, como estagiária. Depois seguiu sua carreira em diversas emissoras do grupo no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Atuou também no Rio de Janeiro e foi professora e coordenadora de TV da Universidade Estácio de Sá. Voltou para Joinville para viver sua experiência em rádio e atualmente é apresentadora e editora do Jornal do Almoço, da RBS, ao lado de Rafael Custódio. Entre os desafios da profissão, destaca a necessidade de estar sempre bem informada e ter energia para lidar com uma rotina árdua e assuntos que muitas vezes fazem o jornalista sofrer – “afinal, também somos seres humanos”. Uma dessas histórias, inclusive, marcou sua vida. Foi a cobertura do desaparecimento de um menino na cidade gaúcha de Antônio Prado. Ela acompanhou o sofrimento da família do menino, que foi encontrado morto pouco tempo depois. “Na época eu tinha um filho da mesma idade dele e me coloquei no lugar daquela mãe”. Mesmo com os momentos difíceis e a dura rotina, Rejane é apaixonada pela profissão e acredita que o jornalismo consegue melhorar o mundo e combater injustiças: “Aliás, é isso que nos move. A paixão por transformar!”.

NA CADEIRA DO PRESIDENTE

1O DE ABRIL NÃO É O DIA DA MENTIRA, É O DIA DA ESTREIA NO JORNALISMO.

Para Antônio Roberto Szabunia, 1o de abril não é o Dia da Mentira, é o Dia da Estreia no Jornalismo. Em 1979, época do chumbo das linotipos e uma impressora plana de humor instável - como ele mesmo conta, Roberto Szabunia começou a trabalhar na revisão do jornal A Notícia. E com um fato marcante. “O então diretor de Redação, Jorge Silva, me passou um ‘teste de admissão’: redigir uma carta explicando o motivo de eu ter escolhido aquela profissão. Detalhe: na falta de um local e uma máquina de escrever disponíveis, redigi a tal carta na sala do diretor-presidente do jornal,

ausente na ocasião. Ou seja, comecei a carreira na cadeira do presidente.” Depois do AN, atuou na RBS TV, na Comunicação da WEG, na rádio Floresta Negra, na Matriz (primeira agência de comunicação corporativa de Joinville), na EDM Logos, como freelancer e atualmente é cronista do jornal Notícias do Dia. Com uma vida ligada à comunicação, Szabunia não consegue se enxergar fazendo outra coisa. “Ao passar para a redação do AN, no tradicional batismo de fogo da reportagem policial, descobri minha vocação”, declara. Para Roberto, o maior desafio da profissão é manter uma conduta ética, seja a serviço da comunidade num veículo, seja em um cliente de comunicação corporativa ou em instituições públicas.

27


EXTRA JORNALISTA NÃO SE APOSENTA Uma vez jornalista, jornalista sempre. Essa poderia ser a frase de João Francisco da Silva, que atualmente atua na TV e no Jornal da Cidade e na Rádio Clube. Começou a carreira em 1968, no Diário da Noite (Diários Associados), mas logo veio para Joinville trabalhar no AN. Passou por diversos veículos de comunicação do Brasil e foi correspondente internacional. Para ele, que já poderia estar aposentado, jornalismo é tudo. “Quero continuar trabalhando até sempre”. Entre os desafios do jornalista está o de sobreviver sem se corromper, uma referência aos baixos salários. Também alerta para um perigo escondido nas sombras da profissão.

“O JORNALISTA PRECISA SABER CONSTRUIR UMA VIDA SOCIAL, PESSOAL, FAMILIAR SÓLIDA, LEAL”, ACONSELHA.

COM BRILHO NOS OLHOS “Para mim, jornalismo é melhorar a vida das pessoas. Acredito em jornalismo de serviço, que educa, transforma, incentiva e que traz o lado bom dos fatos e das pessoas”, diz Adriana Freitas, atualmente na Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville. Ela começou como repórter no Diário do Grande ABS, em 1996, passando por veículos da Editora Abril, Grupo Folha, TV Centro América (afiliada da Rede Globo) e RBS TV. “Viver de tudo, em tantos lugares, com tantas pessoas. Sou grata ao jornalismo por tudo o que vivi e

28

vivo exatamente por ser jornalista. Nenhuma outra profissão seria capaz disso”, explica Adriana, que ainda se lembra de histórias maravilhosas como o seu primeiro “ao vivo”, sua estreia nos estúdios, de respeitar cada entrevistado. Para Adriana o maior desafio do jornalismo de hoje é permanecer em uma profissão que vem mudando: “É continuar acreditando em jornalismo de verdade e que a gente ainda possa ser ouvido e valorizado. É ter de volta o brilho nos olhos! Mas – Adriana aproveita para deixar um alerta - não gosto de muita coisa que vejo, ouço e leio na mídia. O desafio também é exercer a profissão com mais cuidado, mais amor, mais responsabilidade”.

Explica que é muito comum jornalistas viverem a profissão e se esquecerem de que existe vida além das redações. Em sua extensa carreira, João Francisco não consegue esquecer alguns fatos trágicos. Em 1974, ao cobrir o incêndio do edifício Joelma, em São Paulo, uma pessoa se jogou e morreu em sua frente. Outra imagem que está em sua memória de um fato que ocorreu em Curitiba. O carro da reportagem em que ele estava foi ultrapassado por um fusca, com jovens e belas mulheres. Logo à frente, um caminhou atravessou a estrada e o fusca bateu, pegou fogo e todas morreram. “Até hoje tenho sonhos e vejo as pessoas do Joelma e as moças do fusca”, lamenta. Entretanto, o jornalismo também traz excelentes recordações. “Se tiver que nascer de novo e escolher minha profissão, novamente serei jornalista”, conclui.


MATÉRIA PRINCIPAL

AINDA SOMOS OS MESMOS? A música de Belchior “Como Nossos Pais” ganhou as ruas na brilhante interpretação de Elis Regina em 1976. Um dos versos marcantes “ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais” nos faz refletir se hoje os jovens ainda são os mesmos e vivem como seus pais? Por: Jair Alberto Morello Fotos: Camila Raiser

31


MATÉRIA PRINCIPAL

A CONEXÃO COM O MUNDO VIRTUAL É VITAL PARA OS JOVENS. SEM INTERNET, A MAIORIA SE SENTE PERDIDA. A intensidade da juventude de Sofia, 17 anos, e Santiago, 15, é equilibrada pela experiência com os pais, Tânia e Therence Mir. O cotidiano de Sofia é uma corrida, literalmente. Estuda no terceiro ano do Ensino Médio pela manhã e à tarde treina patinação artística, de segunda à quinta. Nos finais de semana atua como monitora de patinação em Joinville e Rio do Sul. Logo estará em uma faculdade de Educação Física, mas antes ficará um ano no exterior em um programa de intercâmbio. O irmão Santiago mantém uma rotina semelhante. Além da escola regular, treina futebol três vezes por semana, faz natação, inglês e outras atividades. Quanto ao futuro, o garoto sonha em ser jogador profissional e tem no pai um incentivador e um moderador. “Eu apoio os dois em tudo o que eles sonham, mas alerto sobre as dificuldades”, diz Therence. Ele lembra que os seus pais e os da maioria de sua geração tinham a liberdade como um valor acima de tudo. Eles saíam sozinhos, sem os filhos, e não participavam da vida das crianças como hoje. Tânia completa: “Nós, por exemplo, acompanhamos de perto a vida da Sofia e do San. Temos a liberdade de conversar sobre tudo: profissão, vida escolar, sexo, drogas...” Diversos estudos realizados nos últimos anos com adolescentes e jovens, especialmente a chamada geração Z (até 19 anos), mostra que, de uma forma geral, eles buscam um futuro equilibrado

32

Família Mir: Diálogo e cumplicidade são fundamentais para o desenvolvimento dos jovens.

entre a profissão e a vida pessoal. Pesquisa da Robert Half em parceria com a Enactus revela que a geração Z acredita que precisa se esforçar muito mais para conquistar seu espaço no mercado de trabalho e deseja atuar em empresas que oportunizem o crescimento. Já pesquisa realizada pelo Ibope Mídia aponta que essa geração busca diversão saudável e a maioria tem alta afinidade com algum

esporte, mesmo sem abrir mão de jogar games (mais da metade possui pelo menos um vídeo game) e ouvir música. E esse é o perfil de Sofia e Santiago. Para os dois, o esporte sempre foi a principal diversão. “Gosto de sair, ir às festas com as amigas e amigos, mas a patinação é minha maior diversão”, confirma Sofia, enquanto que o irmão é mais ‘caseiro’ e o futebol uma de suas maiores paixões.


AFINAL, QUEM SÃO OS JOVENS? Em 13 de abril é comemorado o Dia dos Jovens. A definição de jovem em termos cronológicos passa por algumas divergências, mas, de uma forma geral, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera jovem o indivíduo de 15 a 24 anos. No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) coloca o adolescente na faixa de 12 a 18 anos. De acordo com a hebiatra e endocrinologista pediátrica Zuleica Zarabia Morales, a puberdade é o processo fisiológico de maturação hormonal e crescimento somático que torna o organismo apto a se reproduzir. Esse período normalmente ocorre entre 10 e 12 anos nas meninas e 11 e 13 nos meninos. Nessa fase, quando as crianças passam por transformações gigantescas, o estrogênio e a testosterona estimulam a produção do hormônio de crescimento. A médica explica que, além de favorecer o estirão do crescimento, os hormônios atuam diretamente nas cartilagens de crescimento e favorecem o desenvolvimento dos ossos. Ela aproveita para fazer um alerta aos pais: “crianças que crescem rapidamente antes dos colegas, podem estar evoluindo em puberdade precoce resultando em uma baixa estatura final. A obesidade causada por erro alimentar e sedentarismo também desenvolve a puberdade adiantada.” Já crianças que estão abaixo da estatura podem apresentar a puberdade atrasada gerando angústia na criança e bullying dos colegas. Em ambos

MESMO CONECTADOS VIRTUALMENTE, OS JOVENS DESEJAM A COMUNICAÇÃO FACE A FACE.

os casos os pais devem procurar ajuda médica o quanto antes para o tratamento adequado. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, em 2013, que 29% dos brasileiros têm até 18 anos. Para essas quase 60 milhões de pessoas, a web é parte de sua existência; a conexão está no smartphone, na televisão, no game... As redes sociais são diversão, consultório, relacionamento, comércio, profissão...

Entretanto, a mesma pesquisa da Robert Half, aponta um dado surpreendente: 74% dos entrevistados preferem a conversa face a face. Uma geração que tem a tecnologia no bolso, com acesso à informação como nunca houve, ainda precisa da ajuda, mesmo que não admita. A orientação social, sexual, profissional -principalmente pelos pais - é fundamental para uma maturidade saudável.

A hebiatra Zuleica alerta os pais sobre as mudanças genéticas nos filhos.

33


MATÉRIA PRINCIPAL

Professora Raquel: As juventudes exercem a cidadania desde cedo.

NO BRASIL, QUASE 50% DOS JOVENS AINDA NÃO TÊM ACESSO À INTERNET. ALÉM DA MEDICINA Este período de transição da infância para a idade adulta vai além da explosão hormonal. É quando o desenvolvimento físico, mental, emocional, sexual e social passa pelas maiores transformações. Nessa fase, adolescentes e jovens passam a sonhar com um futuro profissional, com o amor da sua vida, se preocupar mais com as questões sociais e políticas. Começam a trabalhar, conquistar independência financeira. O mundo passa a ter outras cores. Nos últimos anos, os termos geração X, Y, Z tem dominado as pesquisas e discussões. Raquel Venera, doutora em Educação, professora e pesquisadora do Mestrado em Educação e Mestrado em Patrimônio Cultural e Sociedade

34

da Univille, não concorda com essa homogeneização. “Não acredito que o que chamamos de geração t, geração x, ou alpha realmente nomeia o fenômeno das múltiplas juventudes do nosso século”, explica. Limitá-los a um único comportamento é negar suas múltiplas estéticas de existência. Sua avaliação está baseada em pesquisas que desenvolve com diferentes grupos de jovens nos últimos 10 anos. Ao falar sobre a juventude cronológica, que é o período entre a infância/adolescência e a vida adulta, ainda há uma multiplicidade de juventudes. De acordo com a pesquisadora “algo os diferenciam muito das juventudes de 20 a 30 anos atrás: o consumo de mídias”.

As pesquisas com os grupos de jovens que acessam a Internet mostram que existem subjetividades juvenis diferenciadas daqueles que experimentaram o consumo de mídias apenas com TV, rádio, cinema. Esse processo interfere diretamente na formação, pois sempre existe algo na cultura que é reproduzida e algo novo, que é criado. A professora também cita outra diferença entre as gerações: “Os jovens atuais nasceram cidadãos. Quem tem hoje 40, 50 anos, aprendeu que cidadania é coisa de adulto. O fato é que parte dessa multiplicidade de jovens entende que tem voz e vez e quer falar e participar. Talvez a Internet tenha se transformado em espaço para isso. Talvez!”


O NOVO, DE NOVO A pesquisadora da Univille, Raquel Venera, afirma que em todas as culturas existe algo que dura no tempo. Os adultos ensinam às crianças as suas regras, como tudo funciona, para que os jovens não se precipitem e destruam o que foi construído pelos adultos. Preservar é cultural. Mas alguma coisa escapa, sempre. “Temos muita sorte por isso. Existe algo na cultura que é refeita, transformada, apropriada de outro jeito. E devemos muito disso aos jovens! Nós fizemos assim com o que recebemos de nossos pais e eles fizeram com nossos avós”, argumenta Raquel. Entretanto, continua a professora, seria um erro confundir isso com evolução ou como algo natural para o ‘bem’. Por vezes, o mundo fica pior com o novo e somente será verificado o erro na próxima geração quando os autores forem adultos e seus netos estiverem colhendo as consequências. Cabe aos adultos oferecer a memória de como nos tornamos o que somos, para que os jovens nem repliquem exatamente o que foi feito, como velhos conservadores, e nem destruam tudo, acreditando poder fazer totalmente novo.

O PAPEL DOS JOVENS É RECEBER O MUNDO AOS POUCOS E IR ASSUMINDO-O COMO SEU. ELES QUEREM PARTICIPAR Os jovens nos ensinam muito. “Nós fizemos passeatas, saímos nas ruas nas décadas de 1960 a 1980. Hoje, eles ocupam escolas como direito, se organizam em redes sociais, ganham visibilidade, escancaram um Estado que não está preparado para lidar com isso. E eles enfrentam”, explica Raquel. Por outro lado jovens autores são recordes de vendas, eventos de autógrafos nos

shopping são organizados em filas que viram no quarteirão. Eles não são uma geração hegemônica, são múltiplos, e estão nos dizendo que querem participar do nosso mundo. Um aspecto importante, explica a professora, é que os adultos entendem a juventude como um período de transição. Não são crianças, não são adultos. Estão em uma fase que vai passar. Na verdade, todos nós estamos em uma fase da vida, em uma transição, o que não desmerece ninguém socialmente. Assim, argumenta a pesquisadora, criamos barreiras. “Facilitaríamos muito se entendêssemos os jovens como um presente e não comparássemos com o nosso passado. Penso que a maior herança que podemos dar aos jovens é construir com eles uma consciência histórica. Ou seja, eles entenderem como chegamos até aqui e sentirem-se parte disso. Esse passado traz potência, segurança e repertório para criar um futuro com responsabilidade”, conclui.

35


DUO MODA

OUTONO

e suas misturas Por: Yasmim Fassbinder Fotos: Banco de Imagens

O

Outono chegou, e com ele uma das coisas mais legais na moda: o look em camadas. O friozinho que privilegia a nossa região nos permite brincar com volumes, comprimentos e estampas diferentes em um mesmo look, nos deixando bem vestidas para um dia inteiro. Seja de manhã, quando saímos naquele ar fresco e quase cortante, no começo da tarde, onde o sol costuma aparecer e dar aquela esquentadinha, ou à noite, quando o frio volta com tudo.

O FRIOZINHO QUE PRIVILEGIA A NOSSA REGIÃO NOS PERMITE BRINCAR COM VOLUMES, COMPRIMENTOS E ESTAMPAS DIFERENTES EM UM MESMO LOOK.

Para compor tais looks, essa estação nos traz uma repaginada dos anos 70 e 80, com peças lembrando o estilo hippie, como as calças boca de sino, coletes longos e aplicações em franjas. Mas é claro que a volta dos anos 90 não seria tão rápida assim e não acabaria logo no verão, então as peças oversized (em tamanhos maiores), com gola rolê e até no velho veludo molhado estão aí para nos ajudar nessas composições.

38


Queridinha das fashionistas, as calças pantacourt estão dando o que falar. Tem quem ame, tem quem odeie, mas é impossível não notar que as calças pantalonas curtas estejam aparecendo com tudo nos looks mais ousados. Junto delas, podemos citar os ponchos e capas, que também são febre nas composições das semanas de moda, mas que são um pouquinho mais fáceis para nós, mulheres comuns, adaptarmos ao nosso dia a dia. Outra tendência pra ficar de olho é o tricô! Depois de aparecer em tops e parte de cima de biquínis, ele volta ao seu propósito inicial: nos deixar quentinhas e aconchegantes, seja em peças inteiras ou em apenas alguns detalhes. Os blusões de tricô combinados com saias longas, jeans ou apenas com meias grossas e botas são uma das grandes apostas dessa estação.

APROVEITE A ESTAÇÃO PARA TESTAR NOVAS MISTURAS E DESCOBRIR O QUE CAI MELHOR EM VOCÊ. As botas, em todos os comprimentos, já são um ícone do Outono/Inverno. Este ano aposte em modelos com cadarços ou detalhes em franja e trançados. As sapatilhas e sandálias com amarrações e muitas tiras também são ótimas opções para variar o visual. As bolsas seguem o mesmo estilo, com muitos detalhes em franja e tranças e tamanhos médio e pequeno. E, para finalizar, não devemos esquecer que o mais importante é se sentir bem e confortável. Um look bonito fica mil vezes melhor em alguém que tem confiança para usá-lo. Aproveite a estação para testar novas misturas e descobrir o que cai melhor em você.

39


DUO MODA


DUO MODA


DUO MODA


PUBLIEDITORIAL

MODA: uma relação de

amizade e confiança Por Tabata Kadur Fotos: Valéria Grams

A

história de vida de Tatiane Stueber, muito se assemelha a de tantas outras mulheres empreendedoras e apaixonadas por moda. Mas com um grande diferencial: além do intuito de vender moda feminina, oferecer conselhos e auxiliar as clientes a melhor vestir-se é seu objetivo. “Eu sempre gostei muito de moda. Sempre trabalhei com vendas e com pessoas, mas descobri em mim uma consultora, para ajudar as pessoas a se vestirem”, conta a empresária. Inicialmente no ramo de informática, Tati descobriu que estava indo para o caminho errado. “Quando encerrei um contrato com a empresa que trabalhava, acabei trancando a faculdade de Tecnologia da Informação e fui procurar fazer algo de que realmente gostasse”, conta. Decidiu

46

que era a hora de investir no ramo mar. “Notei que crescia essa relação em que falava mais alto seu coração. de confiança que tinha com minhas “Já naquela época as pessoas elo- clientes. A experiência me deu base para ter a loja. Fiz giavam a forma como eu me ves“A FORMA COMO NOS muitos relacionatia, por causa do mentos de amizaVESTIMOS REFLETE meu estilo próprio, de, por visitar os MUITAS DE NOSSAS clientes em casa”, e pensei em arrisconta Tatiane. car e trazer roupas AÇÕES. POR ISSO, A oportunipara vender na HÁ UM DIFERENCIAL cidade”, relembra. dade de adquirir NO ATENDIMENTO As amigas fiuma loja física e E NA CONSULTORIA colocar seus dois caram sabendo talentos – vendas de sua nova emQUE PRESTAMOS AO preitada e a ideia e consultoria – em CLIENTE” deu certo. “Miprática, surgiu em nhas amigas gostavam das peças 2014, e o sonho do negócio próprio que eu trazia e começaram a indicar se concretizou. “A loja é um amumas para as outras, e tudo foi acon- biente diferente, mas busquei trazer tecendo. Isso já faz 11 anos”. O cres- aquela minha relação mais pessoal cimento como vendedora externa com a cliente pra cá. Ao entrar na foi crescendo de forma que o sonho loja as pessoas estão procurando em abrir uma loja começou a se for- alguma coisa, seja para um evento,


ou para sentirem-se melhor. Elas entram na loja com uma expectativa”, explica. Com a estrutura da loja pronta, a empresária trabalhou com afinco para renovar o estoque e aumentar o mix de produtos vendidos. Possibilitando assim, a diversificação de clientes e também proporcionando maior conforto e comodidade para todas, sem perder a identidade do atendimento. A empresária conta que além de todo cuidado em cada detalhe da estrutura da loja, também teve a preocupação com a contratação de sua equipe de vendas, “capacitei todas elas pessoalmente, e mostrei a verdadeira missão da empresa, que não se limita em uma venda, mas sim em gerar satisfação para as clientes”. O público-alvo da loja Mince é sobretudo mulheres com em média 30 anos, que tem uma vida profissional e social agitadas, e buscam soluções para se vestir em momentos casuais e no dia a dia. Uma das marcas que é carro-chefe

da loja, a Petit Rosè, atende vários estilos e idades, inclusive o público adolescente que vem se destacando por ter estilo próprio desde cedo e ser consumidor de moda. Para mulheres que procuram peças no estilo casual chic e despojado, a Mince oferece diversas opções em tudo aquilo é tendência. A loja conta com looks para o dia a dia, e também para a noite, com um mix de produtos que compreende: moda feminina, moda praia, acessórios e demais complementos, como os aromatizantes para ambiente.

DIFERENCIAL MINCE A atenção e orientação em relação a moda e ao estilo, para deixar a cliente mais confortável, é o principal diferencial da loja. A Mince proporciona bem-estar, atendimento diferenciado e preocupação com as necessidades reais da cliente. Além de toda a comodidade da localização privilegiada e estacionamento (a

loja compartilha 10 vagas para carros atrás do prédio comercial). A loja Mince utiliza a tecnologia a seu favor, através de sites de relacionamento para divulgar sua loja e disponibilizando vendas online para todo o Brasil. “Uma das coisas que mais sinto orgulho desde que comecei neste segmento é ver a evolução das pessoas ao longo do tempo”, orgulha-se Tatiane. “Elas me falam: você melhorou minha autoestima, hoje sou outra pessoa! Isso muda a forma como as pessoas se veem, e não acontece de um dia para o outro, é aos poucos. É um processo de conquista da confiança de nossas clientes, que acabam virando nossas amigas. Nosso maior diferencial é mesmo o atendimento”, conclui.

LOJA MINCE Funcionamento da loja: Das 9h às 19h, Sábados das 9h às 13h. Rua Lages, 748, sala 03 Centro | Joinville - SC Telefone: (47)3023-5944 | (47) 92618646 Face: /lojamince Instagram: LOJAMINCE

47


VIAGENS

INTER CÂMBIO: Trabalhe e estude


Osny Martins

N

ão se iluda. Apesar da crise, o Brasil continua no 10o lugar entre os países que mais enviam estudantes para fazer algum tipo de curso educacional no exterior. E, cada vez mais, se une o estudo ao trabalho, para bancar os custos. Mas, nestes tempos bicudos, algumas coisas estão mudando. Muitas pessoas hoje em dia estão procurando países como África do Sul e Malta para aprender inglês, por exemplo, porque o custo de vida lá é mais barato. Um curso na África do Sul pode ser até 40% mais barato que um curso nos Estados Unidos. Além de países que têm o inglês como idioma oficial, as pessoas que procuram sair do país para aprender espanhol, antigamente pensavam em ir a Madri, Barcelona, na Espanha. Hoje em dia, têm outros destinos aqui mais perto do Brasil, como Argentina, Chile, Colômbia e Peru. Aprender espanhol na Argentina é uma opção atrativa, uma vez que o peso argentino custa R$ 0,25. Assim, um período de quatro semanas de curso de espanhol, com acomodação, chega a custar R$ 4.500. O curso mais procurado ainda é o curso de idioma (inglês em primeiro lugar, mas o espanhol aumentou a procura em 11%), mas a procura por cursos de ensino médio, cursos técnicos, graduação e cursos de especialização aumentou. Os destinos mais procurados ainda são: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Inglaterra, Irlanda, Alemanha, França, Espanha e Portugal. Existem alguns países – principalmente países da Ásia ou os destinos mais exóticos como a Tailândia, Turquia, Vietnã. Eram países que não eram procurados e, que agora, tem cada vez mais gente interessada em conhecer. A Índia, por exemplo, é um país que está virando um destino mais comum pra pessoas que querem aprender inglês. Antigamente, a gente percebia que muita gente queria fazer um curso de idioma, como inglês, francês, italiano ou espanhol. Hoje em dia, a gente vê que muita gente

já tem esse tipo de experiência, já é fluente no idioma e está procurando se especializar lá fora e fazer uma graduação ou uma pósgraduação ou MBA. Ou seja: agora, o estudante está procurando adquirir conhecimento técnico na área de atuação dele. Além do destino, também o tempo de permanência menor e o pagamento em número maior de parcelas também se alteraram com a crise. Entre 2012 e 2013, o tempo médio que o brasileiro passava estudando fora era de seis meses. Com a desvalorização da moeda, o tempo médio que o brasileiro passa estudando fora caiu para três meses em 2014 e, em 2015, passou a ser de dois meses. Muitas operadoras que trabalham com intercâmbio têm parcerias com bancos e conseguem dividir em 24 parcelas. Algumas têm esquema de estudo e trabalho — em que o estudante pode trabalhar lá e arcar com os custos de alimentação, moradia e transportes. Algumas, também, reduzem a carga horária e vendem períodos menores para que o brasileiro possa continuar viajando. Existem países em que é mais fácil transformar o período de estudo em visto de trabalho e o visto de trabalho em cidadania definitiva, mas é preciso saber pesquisar. Existem países como o Canadá, por exemplo, onde existem programas do governo em que eles incentivam o estudante que já tem uma qualificação profissional, que fala inglês ou francês fluente. Eles precisam de mão de obra jovem no país e, por isso, eles estão de portas abertas para esse tipo de pessoa, caso ela queira ir para o Canadá. Outra opção a se considerar é a do “voluntarismo”, que é voltado para trabalhos voluntários no exterior. É um programa diversificado, em que o voluntário escolhe a área que deseja atuar de acordo com as suas habilidades e afinidades. É possível cuidar de crianças órfãs ou doentes, ajudar na preservação de diferentes espécies de animais — como macacos, aves e elefantes, contribuir para a educação de monges tailandeses.

49


VIAGENS

CANADÁ UNINDO O ÚTIL AO AGRADÁVEL Por que não aproveitar o período de intercâmbio para também dar um pitaco num rápido e inesquecível momento turístico internacional. Neste tópico, o Canadá é um destino campeão. Trata-se de um dos países mais bonitos do mundo, onde, além da beleza, a qualidade de vida é outro ponto a se considerar. Claro que se você pode viajar para o exterior, estudar e trabalhar, sobreviver na boa, com padrão de vida legal e ainda fazer turismo, melhor. Então, se puder optar, escolha um país que seja bonito, interessante e que esteja dentro do seu universo de sonho de consumo de uma viagem marcante. Dentre os países campeões em procura de jovens estudantes, vale ressaltar o Canadá. De longe, um dos países mais bonitos do mundo (principalmente se a cidade onde for ficar sediado ficar no Oeste do país, Vancouver, por exemplo). Mas cuidado, se não gostar de frio, desista. O Canadá é um país muito frio, com invernos rigorosos, ainda mais para os padrões tropicais dos brasileiros. Se resolver enfrentar esta dificuldade, prepare-se para uma experiência que é um autêntico colírio. As Montanhas Rochosas, onde estão cidades como Jasper, Banff, Lake Louise e outras, são de

50

uma beleza única, descomunal, quase paisagem de ficção. Impossível não se deslumbrar. Igualmente Vancouver, no extremo Oeste do país, é uma das cidades mais bonitas do mundo, próxima à ilha de Vitória, que merece sua visita também. Além disso, estando em solo canadense, dá pra arriscar uma viagem mais longa, cruzando o país de dimensões continentais e conhecer o lado Leste, onde cidades como Montreal, Toronto (a maior do

Canadá), a linda Quebec e a capital Ottawa, merecem ser conhecidas e desfrutadas. Prepare-se, você estará num país extremamente interessante, saudável, de gente linda e colonização inglesa e francesa, onde tudo parece funcionar bem a ponto de convidá-lo a ficar por mais uma temporada. Vida selvagem, mas também cosmopolita em suas grandes cidades, paisagens deslumbrantes e um todo diversificado e marcante. Ah! Não se esqueça de que você foi até ali para estudar...


UM TURISMO PARA VOCÊ NUNCA MAIS ESQUECER As Montanhas Rochosas no centro-oeste do Canadá, um dos lugares mais bonitos do planeta. A porção canadense das Montanhas Rochosas abrange uma área de aproximadamente 805 km de largura nas províncias de Columbia Britânica e Alberta. O Banff National Park (Lago Peyto, Icefields Parkway, Johston Canyon, Lake Louise, Yoho National Park, Lake O’Hara) e o Jasper National Park (Maligne Canyon, Medicine Lake, Athabasca Falls) estão repletos de pontos a serem visitados. Se delicie com cada um deles, afinal, dificilmente encontrará outro lugar no planeta com tantas e tão belas paisagens reunidas em um roteiro de tirar o fôlego do turista mais experiente. Se puder evitar os meses do inverno (de dezembro a março), melhor. Evite também os meses de julho, agosto, até o início de setembro, onde o verão e o período de férias escolares combinam-se perfeitamente bem para levar hordas de turistas de

todas as partes do mundo a estes locais, prejudicando sobremaneira o seu passeio. Além dos preços encarecerem substancialmente. Abril, maio, outubro e novembro são as melhores épocas.

Impossível falar do Canadá sem citar também dois pontos obrigatórios de visitação, mesmo se o seu objetivo for o intercâmbio. Há de se conseguir no período de estudo ou trabalho, seja por dois, três ou seis meses, pelo menos dois dias para dois passeios obrigatórios: Capilano Suspension Bridge, em Vancouver e a cidade de Vitoria, na Ilha de Vancouver. A ponte atual, a quarta a ser erguida no local fica a 70 metros acima do desfiladeiro e atrai milhares de turistas todos os anos. Personagem de Spielberg, Indiana Jones, se inspirou no local para suas aventuras em seu primeiro filme. Já Vitória é um local agradabilíssimo, típico de cidade litorânea. No verão, as flores transbordam em todas as esquinas, ruas e parques. O Butchart Gardens é parada obrigatória, não deixe de ir. No centro de Vitória, Bastion Square é, igualmente, um passeio que deslumbra o visitante. O Parliament Bruildings e o Empress Hotel ao lado, rendem belas fotos. Se quiser desfrutar de um autêntico chá inglês das cinco, melhor reservar pela internet, pois as filas impedem improvisos de última hora.

51


PUBLIEDITORIAL

Conectar, interagir,

EDUCAR! Por Tabata Kadur Fotos: Camila Raiser

I

nteratividade e conexão são palavras-chave para o atual ensino de idiomas. Para acompanhar o ritmo acelerado de informações e conteúdo que os alunos absorvem, é preciso estar conectado com o mundo virtual e investir em recursos tecnológicos para auxiliar o ensino. Com 15 anos de história, o Planeta Idiomas é referência no ensino de línguas estrangeiras em Joinville. Quando conheceu o idioma e a cultura mexicana, Valéria Machado deu início ao que se tornaria um sonho e um negócio. “Morei três anos no México, comecei a dar aulas de espanhol e em um ano meus horários se preencheram totalmente. Gostei muito do que estava fazendo e um tempo depois surgiu a vontade de ter a minha própria escola”, conta a empresária. Em 2001 Valéria fundava sua escola, inicialmente com cursos da língua espanhola. Não demorou para que a demanda pelo inglês aparecesse e um ano depois o Planeta Idiomas já contava com cursos de inglês e alemão. Valéria

52

relembra que quando surgiu em 2001, o grande foco da escola era as empresas. “Temos muitos convênios com empresas de Joinville. Quando abrimos a escola, focamos no espanhol em função do perfil executivo destas empresas”, explica. Hoje a escola atende todas as faixas etárias, oferecendo cursos de inglês, espanhol, alemão – e português para estrangeiros – para crianças a partir dos seis anos, adolescentes e adultos.

DIFERENCIAL DE MERCADO A escola é reconhecida pelo sistema de preparação para certificação e classificação internacional de idiomas. De modo geral, todos os alunos recebem o certificado a partir do Marco Comum Europeu de línguas, “trabalhamos com os níveis de A1 ao C2, para certificar os alunos. Em qualquer lugar do mundo que forem com essa classificação, seu nível de idioma será reconhecido. É muito interessante ter essa certificação no currículo, por

exemplo”, afirma Valéria. Além disso, desde 2013 o Planeta Idiomas é a única escola em Joinville autorizada pelo Instituto Cervantes (Espanha) a aplicar as provas e certificar alunos de espanhol, de acordo com suas normatizações. “Já mandávamos nossos alunos para realizar os exames em Curitiba ou Florianópolis, e em 2013 eles nos procuraram para que fôssemos um dos parceiros no mundo a aplicar as provas do Cervantes. E esse é um dos grandes diferenciais da escola. Os alunos, desde o básico até o avançado, são preparados para os exames”, conta. Para complementar o ensino, a escola oferece parcerias com empresas de intercâmbio cultural, de acordo com o idioma desejado. Para o espanhol, o Planeta Idiomas oferece bolsas de estudo – em média 10 bolsas por ano – em Valladolid, Espanha. “Aproximadamente 20 alunos já fizeram intercâmbio de uma ou duas semanas de curso de espanhol”, relata Franciéle Becker, gerente da escola.


DEPOIMENTO DOS ALUNOS

TECNOLOGIA A DISPOSIÇÃO DO ENSINO Para que as aulas apresentassem mais dinâmica e conteúdo atualizado, o centro de línguas investiu em tecnologia. O recurso escolhido foi a inserção da lousa digital no ensino de todos os idiomas. “Todo material didático está inserido na lousa. Os alunos têm acesso ao software do material e quando o professor começa a aula, a lousa já está conectada com o mesmo material impresso do aluno”, diz Valéria. O sistema também permite acesso à internet – como youtube, sites, e redes – que proporciona ferramentas para uma aula ainda mais conectada com a atualidade. “A lousa digital é um material totalmente interativo que unifica o conteúdo digital com o impresso.

Além de tornar a aula mais dinâmica, com vídeos, música, sons, imagens e texto, aproxima a experiência com os conteúdos e a realidade digital dos alunos”, afirma a empresária. Com toda a interatividade e conexão proposta pela escola, os alunos que procuraram o Planeta Idiomas encontraram o conforto de um segundo lar. Com aulas preparadas para atender a todo o tipo de demanda, os alunos são acolhidos por uma equipe de mais de 20 professores treinados e qualificados, além de toda a flexibilidade de horários e propostas que se adéquam às necessidades de aprendizado de forma individual.

“Nossos filhos, Beatriz (16 anos) e Henrique (12 anos) estudam inglês e espanhol no Planeta Idiomas, e estamos bastante satisfeitos com a evolução de aprendizado nos dois idiomas cursados. Vemos nossos filhos empolgados e motivados a aprender os idiomas, que são repassados por professores competentes que ensinam de uma forma descontraída, com auxílio de equipamentos modernos e interativos. O ambiente acolhedor e a equipe de profissionais qualificados nos transmite segurança e a certeza de que fizemos a escolha certa para nossos filhos” Simone Finder e Fábio Finder ESPANHOL PARA OUVIR E APRENDER O Planeta Idiomas apresenta um programa na rádio UDESC (FM 91,9 MHz) todas as quintas-feiras, às 9 horas, chamado “Se Habla Español”, liderado por Valéria Machado. O programa oferece dicas de viagem, gramática, músicas, para atualizar as pessoas quanto ao conteúdo em espanhol.

PLANETA IDIOMAS Rua Saguaçu, 80, Saguaçu - Joinville/SC Tel.: (47) 3422-0271 / (47) 9968-5528 / (47) 9971-5210 www.planetaidiomas.com.br planeta@planetaidiomas.com.br facebook.com/planetaidiomas instagram.com/planetaidiomas

53


SAÚDE

TRANSFORMAÇÕES

da adolescência Período marcado por mudanças rápidas, tanto no aspecto físico como emocional, requer cuidados tanto por parte de pais, como familiares e professores. Por: Márcia Campos Fotos: Dvulgação


N

enhuma outra etapa da vida é tão transformadora como a adolescência. São mudanças físicas e emocionais em que o jovem também transforma sua maneira de pensar e precisa de acompanhamento médico adequado para passar por esta fase da melhor maneira possível. O especialista em medicina do adolescente chamase hebiatra e ele vai acompanhar o paciente até os 20 anos de idade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerado adolescente todo indivíduo entre 10 e 20 anos incompletos. A Duo conversou com a hebiatra Suely da Nobrega Janini que explica sobre essa especialidade. O hebiatra possui uma visão global do indivíduo desta faixa etária. Como o pediatra, faz acompanhamento do crescimento e desenvolvimento físico, atua em casos de doenças, mas também tem conhecimento das alterações hormonais, urológicas, ginecológicas, dermatológicas, ortopédicas, psicológicas e outras que podem ocorrer na adolescência. “O corpo passa da fase infantil para a adulta, o que envolve consolidação

da musculatura, nascimento de pelos e desenvolvimento dos caracteres sexuais, então precisa do acompanhamento de um profissional”, explica. O hebiatra precisa ganhar a confiança do adolescente para se tornar um aliado neste processo. De acordo com Janini, dependendo da faixa etária, ela aborda questões referentes a drogas, à sexualidade, primeira relação sexual, preocupações com o corpo, alimentação, exercícios físicos exagerados, etc. Outro cuidado que deve ser observado é a continuação do programa de vacinação entre os jovens. Os adolescentes também precisam estar adequadamente imunizados. Com os problemas inerentes a uma sociedade moderna, os adolescentes também sofrem alterações no seu comportamento e a hebiatra percebeu, ao longo dos anos, que os jovens estão amadurecendo mais tarde. “Eles estão demorando mais para sair da casa dos pais definitivamente e, isso contribuiu para a desaceleração do processo”, comenta. Outra percepção da hebiatra é que os jovens estão mais ansiosos que

nos últimos anos. Muitos deles desenvolvem várias fobias, talvez pela falta de comunicação com os pais, que acabam trabalhando demais e não têm muito tempo para acompanhar o desenvolvimento do adolescente. Para a médica, uma adolescência tranquila é fruto do relacionamento diário que se estabelece entre os pais. “Se houver confiança, paciência e algumas regras, o período será tranquilo para ambos. Um conselho que dou aos pais é que só entre em atrito com os adolescentes na questão de segurança, saúde e cumprimento das tarefas”, alerta. Sendo um período de experimentação, existem conselhos básicos e simples, que devem ser observados. Um deles é fundamental para a saúde: a quantidade de sono do adolescente. Segundo a hebiatra o adolescente deve dormir por volta de 8 a 10 horas e cultivar uma higiene do sono, não usando computador e desligando o celular após as 22h. “Se ele dormir pouco ficará mais irritado, até agressivo, com maior dificuldade na escola para assimilar e reter na memória novos conhecimentos”, conclui.

EXERCÍCIOS NA ADOLESCÊNCIA A prática de atividade física é fundamental em qualquer idade, e principalmente na adolescência. Momento em que os adolescentes estão em desenvolvimento, e buscam a atividade por diversos motivos: pelo prazer, sair do sedentarismo, para ganhar corpo, e em muitos casos para diminuir o peso. Para saber mais sobre o assunto a Duo conversou com o professor e coordenador técnico da academia The Best, Lucas Charão, especialista em treinamento desportivo e treinamento funcional, que esclarece algumas dúvidas. Todo esporte com movimento é atividade física, mas nem toda atividade física é esporte. Esportes são atividades comprometidas com alto rendimento, performance física e técnica, busca por resultados com metas predefinidas. Já nas atividades físicas, buscamos a melhora e manutenção da saúde física e mental, melhorando a estética corporal.

55


SAÚDE

BENEFÍCIOS DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA OS ADOLESCENTES - Melhora das capacidades físicas como força, velocidade, agilidades e flexibilidade. - Melhora das capacidades motoras como equilíbrio, lateralidade, percepção espaçotemporal, coordenação e controle. - Melhora da autoestima, confiança, socialização, comportamento e disciplina.

COMO ESCOLHER A ATIVIDADE FÍSICA Em primeiro lugar, antes da escolha devemos associar os objetivos e necessidades da prática com o bem-estar, “gostar do que faz”. Será determinante para a continuidade e alcance das metas, objetivos e resultados esperados. É preciso ter uma avaliação médica determinando possíveis limitações físicas. Cuidados que o profissional de educação física deverá ter com seu aluno. Como por exemplo: restrições motoras, articulares, cognitivas, etc. Assim, o profissional conseguirá programar a periodização dos treinos e atividades específicas para o aluno com excelência.

MUSCULAÇÃO Deve ter acompanhamento de um profissional de educação física que desenvolverá um plano de treino de acordo com os objetivos e necessidades do aluno como emagrecimento, estabilização das funções articulares, melhora do condicionamento físico, força, flexibilidade, coordenação, etc. Sempre respeitando as limitações do aluno. Exemplo: não trabalhar com sobrecarga se o aluno não desenvolveu coordenação motora dos exercícios e movimentos solicitados no treino. O importante é movimentar-se, sair do sedentarismo, buscar bons hábitos e boa alimentação.

56

ESPORTE COLETIVO A prática está muito ligada no contexto social, na disciplina ou na importância do cooperativismo dos esportes coletivos, na integração, na inclusão social, para conhecer regras e estratégias, desenvolver metas e a própria ludicidade, o brincar, divertir-se e ter prazer em praticar atividades físicas. Para o professor, a importância da prática de esportes ou atividades

físicas, além dos benefícios, está ligada a uma mudança cultural. “Devemos evoluir tecnologicamente, mas em contraponto, essa evolução tecnológica nos facilita tanto, que nos movimentamos cada vez menos. Antigamente precisávamos levantar para trocar o canal da TV, por exemplo, hoje fazemos tudo sentados. As brincadeiras viraram jogos tecnológicos. Então devemos criar o hábito de nos movimentar, sair da inércia, do comodismo, cultivar os hábitos saudáveis das atividades físicas e esportivas”, conclui.


Celulite?

Não te pertence

Responsável Técnico: Fisioterapeuta Janaina Fantoni Bencke | Crefito: 47557-F

www.janafantoni.com.br

power shape A revolução chegou! Sucesso na Europa, o 1º equipamento estético a laser do mundo que alia o sistema inovador 6x1 no combate simultâneo da celulite, flacidez e gordura localizada, chegou na Clínica Jana Fantoni. Trata tudo mesmo!

3422.1793 | EXPEDICIONÁRIO HOLZ, 133


PUBLIEDITORIAL

SORRIR: UM SONHO REALIZADO Por Tabata Kadur Fotos: Camila Raiser

U

m simples sorriso pode dizer muita coisa sobre você. Mas nem sempre imaginamos tudo aquilo que pode estar por trás dele. A relação do dentista com o cuidado e estética dos dentes é conhecida e faz parte de nossa rotina com a saúde. E quando essa relação se estende para a realização de um sonho? A Revista Duo conversou com o Dr. Pedro Jaime Rosa, especialista em implantes na clínica Allegro, e sua paciente Conceição para contar a história de um sonho que hoje rende inúmeros sorrisos.

58

Revista Duo - Conte um pouco quem você é e o que faz. Conceição: Meu nome é Conceição, sou dona de casa e também costureira. Sou casada, mãe de três filhos, um neto de sete anos e outro a caminho. DUO - Como você procurou o Dr. Pedro? Conceição: Foi a indicação de uma amiga que estava sendo atendida por ele. Eu comecei o tratamento em outra clínica, e pela terceira consulta perdi a confiança neles. Essa minha amiga que estava

tratando com o Dr. Pedro me falou que tinha gostado muito. Eu estava receosa por causa da outra clínica, como um gato escaldado, e cheguei aqui. Fui muito bem recebida pelo doutor, e no primeiro dia conversamos e ele me explicou como seria todo o tratamento em detalhes. Eu gostei porque ele fez questão de esclarecer tudo o que iria usar, materiais, tudo. E que seria ele mesmo que faria todos os procedimentos. Me fez sentir bem confiante e segura. Em todo o processo de tratamento, o Dr. Pedro foi muito cuidadoso e zeloso. Eu nunca precisei ligar na


clínica para nada, sempre foram eles que me ligavam e cuidavam de tudo. Eu super recomendo ele, é uma pessoa incrível e ama o que faz. DUO - Qual tratamento a senhora veio buscar na Clínica Allegro? Conceição: Vim para fazer implantes. Aos 12 anos eu comecei a perder dentes devido ao tratamento odontológico da época, necessitando de trabalhos protéticos. Ao final da adolescência, outra vez, tive a necessidade de tratamento odontológico e aumentou o uso de próteses. Sendo assim, vim buscar tratamento com próteses fixas sobre implantes onde haveria necessidade. Na experiência com a outra clinica, com outros profissionais, o implante deixou sequelas num nervo, o que causou paralisia no lado direito do rosto. Eu via meu sonho se transformar num pesadelo. Eu vim busquei a clínica Allegro sem muita confiança que terminaria meu tratamento. Foi muito difícil, mas graças a Deus e também ao Dr. Pedro deu tudo certo. Com o Dr. Pedro foi feito um trabalho reabilitador na maxila e na mandíbula. Dr. Pedro: A Paciente Conceição, chegou ao consultório bem abalada e confusa com o que lhe foi proposto. Na primeira consulta, passei alguns planos de tratamento para o caso dela, e em comum acordo, fechamos o que seria melhor naquele momento. Com o uso da fotografia e planejamento bem criterioso, iniciamos o tratamento. Apenas salientava a ela, que os traumas de atendimentos odontológicos passados, deveriam ficar no passado, agora era outro tempo, e precisava que confiasse no meu trabalho. DUO - Quanto tempo já está em tratamento? Conceição: Quase um ano. Existe as fases em que é preciso esperar para o osso calcificar. Eu achei que levaria mais tempo, mas foi rápido. Estou muito satisfeita. Dr. Pedro: Usamos dois tipos de implantes no caso em questão. Primeiro, o implante convencional com osseointegração em seis meses, e no segundo momento, implantes suíços,

com período de osseointegração reduzido para 21-28 dias. Essa mistura de materias, foi devido a quantidade e qualidade óssea na maxila, evitando enxertos ossos. DUO - Como você sente antes e depois do tratamento? Conceição: Tem a Conceição de antes e depois do tratamento. Sentia falta dos meus dentes. Mas não sabia a diferença que iria fazer, me surpreendeu. Na minha autoestima, na qualidade de vida – como na mastigação, que era precária. Eu já havia passado muitas situações constrangedoras com a prótese, só quem usa sabe. Não tenho palavras para descrever minha satisfação. Estou muito feliz mesmo. As pessoas me perguntam às vezes quanto aos valores, e eu digo que não foi um dinheiro gasto, foi investido. Estou tendo retorno em toda a minha vida. Hoje tudo mudou. Dr. Pedro: Sem dúvidas, o paciente que utiliza próteses removíveis sabe o transtorno e constrangimento que elas lhe causam, os trabalhos com implantes, na sua maioria, superaram valores de tratamento mais simples, mas a qualidade de vida também se mede na mesma propoção. A vaidade está em todas idades e sexos, conheço histórias muito bacanas de mudança de vida após procedimentos como esse. Seja profissionalmente, quanto na vida pessoal, a pessoa fica mais confiante e feliz. DUO - Deixe um recado para as pessoas que ainda não conhecem a clínica Allegro. Conceição: Recomendo e já recomendei o Dr. Pedro a muitas pessoas. Ele é caprichoso, muito

zeloso, se preocupa com os mínimos detalhes. Eu tinha ideia de como meu tratamento iria ficar, mas quando finalizou, foi impressionante. Ele me passou todos os detalhes, riscos, e informações sobre materiais. Muitas coisas me fizeram confiar nele para terminar meu tratamento. Hoje estou vendo meu sonho se tornar realidade. DUO - O que seu sorriso hoje significa para você? Conceição: Não tenho palavras. Desde o primeiro dia que provei a prótese, amei. Eu costumo lembrar da música “eu tô rindo a toa, não que a vida esteja assim tão boa, mas um sorriso ajuda a melhorar”, e ajuda mesmo! Poder sorrir sem medo, não tem preço. Me sinto realizada.

DR. PEDRO JAIME ROSA JR. CROSC 10771 Especialista em Implantodontia R. Inácio Bastos, 726 - Bucarein Fone: (47) 3026-1560 Celular: (47) 8832-3611 www.alegro.odo.br drpedrojoinville@hotmail.com

59


PUBLIEDITORIAL

PLÁSTICA NA ADOLESCÊNCIA, UM MAR DE OPÇÕES Por Dr. Vinícius Spiandorella Fotos: Bando de imagens

A

dolescência é a fase que marca a transição entre a infância e a idade adulta. O que será que está acontecendo com você?! Seu corpo está mudando, você está gostando de coisas diferentes, você tem mais vontade de ficar com os amigos, ouvindo música e conversando, do que brincando ou passeando com seus pais.

Todas essas mudanças indicam que você está crescendo. E crescer pode assustar. Afinal seu corpo vai ficando diferente (por vezes você gosta dele, por vezes ele desagrada você e o faz se sentir desajeitado), seu interesse pelo visual vai se modificando (às vezes você fica horas se arrumando, outras vezes nem se cuida). É uma fase repleta de particularidades, de grandes transformações

corporais e de muitas insatisfações com a aparência, que impactam diretamente sobre a autoestima e convívio social dos pacientes. Discutir o tema se torna ainda mais importante com a crescente procura dos adolescentes pela cirurgia plástica. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o número de cirurgias em adolescentes entre 14 e 18 anos mais do que dobrou em quatro


anos – saltou de 37.740 procedimentos em 2008 para 91.100 em 2012 (141% a mais). Um comportamento muito comum nos consultórios é o desejo dos jovens de copiar seus ídolos. Seja a boca da Angelina Jolie ou o nariz da Jennifer Aniston. O aconselhamento nessas situações é fundamental, pois a pessoa deve buscar o melhor para ela, no contexto de sua aparência. Os ídolos podem até ser uma referência, mas não devem ser copiados, pois o resultado pode não ser adequado para você. O suporte psicológico é recomendado para que a complexidade das emoções envolvidas seja bem trabalhada. As inseguranças típicas da pouca idade, somadas às mudanças rápidas que o corpo sofre nessa época sempre foram variáveis importantes e que pesam para formar os desejos dos adolescentes. Atualmente existe a influência das redes sociais e de toda a exposição de imagem que elas proporcionam. Os selfies estão por toda parte e podem despertar o desejo de mudar algum traço no rosto ou no corpo, sem que haja real necessidade. Cerca de 60% das cirurgias plástica na adolescência são estéticas. Entre as meninas a prótese de mama e a lipoaspiração são os dois procedimentos mais realizados. Em meninos, é comum a lipoaspiração estar associada à ginecomastia (presença de mama no homem). O procedimento reduz mamas que cresceram demasiadamente, seja por alguma disfunção metabólica e hormonal, seja por influência do excesso de células de gordura em jovens acima do peso.

A cirurgia plástica não está contraindicada para adolescentes e a idade mínima para realizar cada procedimento é relativa e deve ser analisada em cada caso, visto que a maturidade do desenvolvimento corporal muda de pessoa para pessoa. Em geral, recomenda-se após os 15 anos, porém em algumas situações pode ser realizada precocemente. Não existe fórmula mágica para a resposta. Cada caso precisa ser avaliado individualmente pelo médico em conjunto com você e sua família. Se estiver à procura de uma resposta: sim, adolescentes podem fazer cirurgia plástica, mas todos os fatores que giram em torno da segurança do procedimento, da maturidade do organismo e do consentimento dos pais ou responsáveis vão determinar se a cirurgia plástica pode ou não ser realizada.

DR.VINÍCIUS SPIANDORELLO Cirurgião Plástico CRM/SC – 19275 – RQE: 10954 Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Clínica Idealle – Rua Plácido Gomes 572 Tel.: (47) 3804-9461 www.vsplastica.com.br www.facebook.com/viniciussplastica

61


SAÚDE Dr. Nildo Manoel Duarte

Perda auditiva nos jovens Fotos: Banco de Imagens

Q

uando se fala em perda auditiva é natural que se pense que o problema está relacionado com pessoas de mais idade. Porém, no mundo moderno, onde o uso de fones de ouvido e a exposição a uma série de ruídos faz parte do dia a dia das pessoas, é cada vez maior o número de jovens com problemas de audição. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) 360 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com a perda auditiva. Ainda segundo a agência, a perda de audição relacionada ao ruído musical é a segunda maior causa de surdez no mundo. A febre do uso de fones de ouvido é responsável pelo aumento da perda auditiva entre adolescentes e jovens. Um estudo realizado pela OMS com jovens de 12 a 35 anos revelou que aproximadamente metade deles é exposta a volumes prejudiciais à saúde auditiva por meio de aparelhos

de áudio. Além do uso de fones de maneira exagerada, a exposição contínua a sons muito altos ou lugares barulhentos pode contribuir para a perda auditiva. O nível máximo de decibéis permitido em um local de trabalho, por oito horas, por exemplo, é de 85 decibéis, mas em muitos lugares o nível passa dos 100. Em boates e baladas, esse nível, muitas vezes, é facilmente ultrapassado. Mas, como identificar a perda auditiva? O processo é lento e, geralmente, a pessoa demora para perceber que já não está ouvindo tão bem. Fique alerta se você apresenta algum desses sinais: • Coloca a TV ou o rádio em volume mais alto do que as outras pessoas de seu círculo familiar; • Tem dificuldade em entender conversas com ruídos ao fundo; • Tem dificuldades em acompanhar conversas em grupo;

• Sempre pede aos outros para repetirem o que estão falando; • Tem amigos ou familiares que dizem que você não está ouvindo bem. A prevenção é a melhor arma para lutar contra a perda auditiva. A OMS propõe algumas medidas para que o problema seja evitado: manter o volume dos aparelhos baixo; usar fones de ouvidos apropriados (dando preferência para o tipo concha); restringir o uso de dispositivo de áudio a uma hora diária. Em casos de perda auditiva, a boa notícia é que os aparelhos estão cada vez mais modernos, discretos e alguns modelos são praticamente invisíveis. Além dos aparelhos também há a opção do implante coclear, um dispositivo eletrônico que tem o objetivo de substituir as funções das células do ouvido interno de pessoas com surdez profunda que não são beneficiadas pelo uso de aparelhos auditivos.


PUBLIEDITORIAL

SAÚDE e qualidade de vida para os jovens Por Johny Jablonski Fotos: Divulgação

S

abe-se que a probabilidade de um adulto se tornar fisicamente ativo vem de hábitos adotados durante o desenvolvimento na infância e adolescência. Importantes estudos revelam que uma vida ativa na adolescência diminui a predisposição deste adolescente se tornar um adulto sedentário. Porém, autores afirmam que o nível de atividade física diminui com a idade, principalmente em fases de transição no desenvolvimento. Por esse motivo o estilo de vida do adolescente vem ganhando repercussão. Há um notável interesse em pesquisar e conhecer como o adolescente está “levando a vida”, principalmente numa sociedade moderna que empurra os jovens para um lazer sedentário e cercado de fatores de risco. Assim como adultos jovens prejudicando seu corpo em nome de um padrão estético estereotipado, do culto ao corpo, sem se importar com as consequências. Pessoas que praticam exercícios físicos de forma bem orientada possuem mais disposição para a vida, consequentemente

64

melhoram sua aptidão física e mental, beneficiam o organismo aumentando a eficiência dos pulmões e coração, fortalecendo os músculos, melhoram a aparência física e aumentam a sensação de bem-estar. Além de todos esses benefícios do exercício físico, outro componente essencial à qualidade de vida é o controle do estresse. O exercício ajuda a controlá-lo e reduz a tendência à depressão, dá uma sensação de mais energia não só para o trabalho, mas também para aproveitar o tempo livre. Auxilia na realização das atividades diárias, elimina o cansaço, ajuda a dormir melhor, torna o sono mais agradável e reparador e melhora a autoimagem. Porém muitas doenças estão se antecipando, pois a geração MILENUIM, ou seja, dos 36 anos para baixo tende a ter uma imunidade naturalmente mais baixa. O motivo disso é o avanço da tecnologia que nos trouxe uma vida muito mais online e pouco movimentada offline. A alimentação mais industrializada e química, o desapego às formas culturais, emocionais e


comportamentais que as gerações mais velhas viveram, dentre outras coisas, somadas trazem o modelo que apresentamos nos dias de hoje. Então doenças como Escolioses, Hérnias de Disco, Artroses, Listeses, Estenoses entre tantas outras. Isso sem contar que se, as crianças fossem submetidas a uma avaliação fisioterapêutica especializada na primeira infância antes dos seis aninhos, muitas alterações e disfunções seriam evitadas. Muitas colunas, joelhos e quadris não ficariam doentes e muito dinheiro seria economizado na adolescência e na fase adulta. Quando se busca solução de verdade com a intenção de resolver, de fato, um problema, entenda que nem tudo diz respeito

à medicina e que não é só o médico com a capacidade de informar, prescrever e tratar. Fisioterapia vai além da reabilitação e todas as doenças podem ser tratadas cabe à especialidade e as técnicas envolvidas. A FISIOTHERA/ITC VERTEBRAL está preparada para mostrar as pessoas um modelo de fisioterapia que os planos de saúde não cobrem e que tem cada vez mais respeito, aceitabilidade e encaminhamento por todos os profissionais de saúde que visam o melhor aos seus pacientes. Então você que é MILENIUM e quer ser competitivo, estar na frente, realizar seus sonhos e desfrutar deles, contem conosco. Estamos preparados e antenados para melhor atendê-los.

DR. JOHNY WILLIAM JABLONSKI

Técnico Responsável Diretor Regional da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna Fisiothera/ITC Vertebral Joinville e Balneário Camboriú. JOINVILLE Caçador,111a, Anita Garibaldi 47 3029-3037 / 9668-4881 joinville@clinicafisiothera.com.br www.herniadedisco.com.br BALNEÁRIO CAMBORIÚ Andorinha, 76F, Aririba 47 3081-3037 / 9765-4090 balneariocamboriu@clinicafisiothera.com.br www.itcvertebral.com.br

65


PUBLIEDITORIAL

DETALHES QUE FAZEM DIFERENÇA Para manter o sorriso perfeito é preciso levar em consideração os cuidados após o uso de aparelhos ortodônticos. Por Redação Duo Fotos: Divulgação

66


A

Revista Duo conversou com a Drª. Larissa Ruas, sobre finalização do tratamento ortodôntico e sobre o uso das contenções. Ela esclarece algumas dúvidas sobre um assunto que é polêmico para os pacientes de ortodontia. Revista Duo - Por quanto tempo os pacientes que finalizaram o tratamento ortodôntico devem usar a contenção? Drª. Larissa: Vou usar um texto do Professor Carlos Alexandre Camara, que é bem interessante sobre o uso das contenções e por quanto tempo os pacientes de ortodontia devem usar sua contenção. Segundo o Professor Carlos Alexandre Camara, se o paciente não for o “ungido”, o “escolhido” ou o “eleito”, provavelmente os seus dentes irão sofrer as consequências naturais do tempo, como todos os outros seres humanos. Em outras palavras, os dentes não ficarão alinhados para SEMPRE e, sendo assim, é melhor usar a contenção por tempo indeterminado. Ou melhor, se o paciente quer o sorriso sem grandes alterações, que são inerentes da idade, deve-se manter o uso da contenção por toda a vida. DUO - Quais são as ações do envelhecimento em tratamento ortodôntico? Drª. Larissa: Durante o envelhecimento, ocorre o processo natural de avanço da idade que é a perda de massa óssea e massa

muscular, assim os dentes tendem a movimentar devido a essa modificação da estrutura, sofrendo giroversão e alteração na posição dos dentes. Nada é para sempre. DUO - Então os pacientes que finalizam o tratamento devem usar a contenção pelo resto da vida? Drª. Larissa: Segundo o texto do Professor Carlos Alexandre Camara, os pacientes não devem se preocupar em ter que usar a contenção pela VIDA INTEIRA, mas devem usar apenas enquanto quiserem manter os seus dentes alinhados. Isto é, quanto mais tempo usarem a contenção, mais tempo manterão seu sorriso alinhado. Acredito que isto diz tudo, e segundo o professor Carlos, existem também “super profissionais” com “super poderes” e que garantem um resultado estável do tratamento ortodôntico e perpétuo. Mas, o paciente não deveria confiar tanto em fazer parte do grupo de 0,000001% dos seres humanos, que conseguem manter o tratamento estável e sem recidiva. DUO - O que é um tratamento ortodôntico bem finalizado? Drª. Larissa: Um tratamento ortodôntico bem executado e bem finalizado, é um fator que garante uma maior estabilidade do tratamento. A finalização de um tratamento ortodôntico ideal, deve ser aquele que favorece uma qualidade funcional equilibrada, buscando as chaves da oclusão e queixas funcionais adequadas, além de estabelecer a estéti-

ca que tanto o paciente requer. Também é importante ressaltar que caso haja necessidade de envolvimento de outras áreas odontológicas como a periodontia, implantodontia ou restaurações cosméticas e reabilitações, além de outras áreas da saúde como fonoaudiologia e até o otorrino, essas devem ser integradas quando necessárias para garantir dessa maneira mais estabilidade e boa finalização do tratamento ortodôntico. O Professor Carlos Alexandre Camara, escreveu que quanto maior a estabilidade do tratamento, melhor é para a manutenção dos resultados finais, porém nenhum tratamento ortodôntico tem uma garantia eterna, nem na ortodontia e nem em outra especialidade.

DRA. LARISSA RUAS Orto&Odonto Rua Alexandre Dohler, 66 – Centro – Joinville Fones: (47) 3026-1500 / 9653-6418 www.ortoeodonto.com.br

67


MAKE

Katiane Marta

MAKE PARA AS INICIANTES Foto: Banco de Imagem

Para manter a pele jovem e bonita consulte um especialista. Você pode é necessário tomar alguns cuidados aprender como aplicar a maquiagem, no dia a dia. Em primeiro lugar descobrir quais as cores funcionam conheça qual o seu tipo de pele, você melhor para você, além de outras orientações. possui pele oleosa ou seca? Para o dia a dia, o ideal é que Isso determinará os produtos para limpeza que deverá comprar. Caso a make seja leve, podendo usar tenha pele seca, os higienizadores protetor solar com base, pó facial para controlar a oleosidade, em creme são ótimas escolhas. No caso Os três passos rímel (de preferência de fácil remoção), blush de pele oleosa, principais para suave, batom ou gloss experimente os com em nuances neutras ácido salicílico ou uma pele ou rosadas, sombras livres de óleos. saudável são: Os três passos marrons para contornar principais para uma limpar, tonificar as sobrancelhas. Para noites de festa, pele saudável são: e hidratar makes mais ousadas, limpar, tonificar e hidratar. O sol é um mas sem exageros, são dos piores inimigos da pele, podendo indicadas. Afinal uma pele jovem causar rugas e manchas, portanto não precisa de muita coisa para ficar linda. Olhos esfumados com aplique protetor solar diariamente. Descobrir a maquiagem perfeita lápis preto, cílios poderosos e blush para o seu rosto, olhos e tom de pele acentuado fazem toda a diferença, pode ser algo confuso. Portanto antes que abrem espaço para combinar de montar o seu kit de maquiagem, um batom em nuance mais forte.

TENDÊNCIA! Pele em evidência, maquiagem natural e iluminada com a sensação de “quase nada” é a maior aposta da estação, para este efeito não dispense o uso de primer antes da base, pois ele dará o efeito de poros bem fechados. O corretivo e o iluminador também são essenciais. Batons em tons clarinhos rosados ganham força e são o hit da estação. O delineador gatinho continua em alta, aparecendo em várias versões, com traços finos, mais longos ou um pouco grossos e com a ponta mais discreta.

69


LIDERANÇA Matilde Melo

7 SINAIS DE LIDERANÇA NA ADOLESCÊNCIA

S

abemos que muitas das competências comportamentais e de liderança podem ser aprendidas e desenvolvidas durante o processo de gestão, porém é possível observar sinais inatos de potenciais líderes desde a mais tenra idade e principalmente na adolescência. Será que você identifica algumas destas características nos adolescentes de seu convívio? 1. Capacidade de influência - A capacidade de influenciar pessoas é fazer com que elas se empenhem voluntariamente em objetivos com e através de pessoas. Na vida escolar isso é possível observar nas discussões de temas para trabalhos, nos grupos de brincadeiras ou jogos, na capacidade de convencer os outros a expressar o que deseja de forma contundente e clara. 2. Sem medo de se expor - Para alguns adolescentes, só o fato de ser observado já é suficiente para que fiquem acanhados ou paralisem diante de uma apresentação ou conversa em grupo, já para outros, a atenção alheia

70

é o melhor dos mundos. Adolescentes que se encaixam neste segundo grupo já trazem consigo um sinal claro de liderança. 3. Iniciativa - Líderes natos são pessoas com alto grau de iniciativa, e desde cedo podemos perceber a naturalidade de adolescentes se colocarem à disposição para coordenar projetos sociais, grupos de tarefas, representação de classe tendo uma visão do todo e não ficando focados apenas em sua tarefa. 4. Excelente capacidade de comunicação - Eloquência na fala e capacidade de síntese são alguns sinais que aparecem em adolescentes que conseguem clarificar o que alguns colegas não estão conseguindo expressar. Geralmente são apresentadores oficiais de trabalhos na escola ou são convidados como oradores de turma. 5. Disposição para ajudar e ouvir - Estar pronto a ajudar quando algum colega precisar ou mesmo ter a disposição para ouvir o que os outros têm a dizer. Estes aspectos são naturais em adolescentes

com características de liderança e totalmente invisíveis em outros. 6. Assumir a responsabilidade pelos atos - Todo mundo erra, mas nem todos assumem seus erros. A transparência e a capacidade de assumir a responsabilidade pelos seus atos é outro aspecto de quem já carrega habilidades de liderança mesmo nunca tendo gerido uma equipe. 7. Senso de justiça - A busca por critérios justos de decisão também é um sinal que aparece em quem tem vocação para liderar. Alguns apresentam este senso de justiça ainda na infância. Questionam os pais e professores sobre muitas situações do dia a dia e colocam em xeque o discurso e a atitude apresentada por eles. Nem todos os aspectos da liderança podem ser observados na adolescência, porém, todos eles podem ser construídos e incentivados por atitudes e olhares atentos e dispostos de educadores, pais e responsáveis. Afinal, este adolescente será o nosso líder do futuro. Você tem prestado a atenção nestes sinais?


PUBLIEDITORIAL

TRANSTORNOS ALIMENTARES EM ADOLESCENTES, cada vez mais comuns e preocupantes Por: Dra. Vivian Campos Fotos: Banco de imagens

D

e acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA (NIMH) aproximadamente 5% a 10% da população americana tem algum tipo de distúrbio alimentar. Eles são a terceira causa de doenças crônicas que mais afetam adolescentes do sexo feminino. Dentre os grandes problemas dos distúrbios alimentares destaca-se seu início e progresso lento e de difícil diagnóstico e a possibilidade de levar a morte. Hoje existem diversos tipos de transtornos alimentares, os mais conhecidos e prevalentes ainda são a anorexia nervosa e a bulimia nervosa. A anorexia é caracterizada pela restrição alimentar extrema e a bulimia pelo comportamento alimentar compulsivo (binge eating) e recursos purgativos (uso de laxantes,

72

diuréticos ou provocando vômitos). Em comum, todos eles começam com outro transtorno chamado Dismorfia Corporal - uma preocupação com algum aspecto na aparência, sendo este aspecto obsessivamente imaginado ou, se realmente houver algo presente, a preocupação sobre isso é acentuadamente excessiva e desproporcional. E geralmente estão associados à baixa autoestima, depressão e ansiedade. Na busca por estereótipos das capas de revista e telas de cinema, os adolescentes, principalmente as meninas, buscam a perda de peso por métodos inadequados, como jejum, vômito e exercício físico intenso, e o ganho de massa muscular é estimulado por exercícios físicos excessivos, alimentação inadequada e uso de anabolizantes. Os principais fatores de risco

incluem o ambiente familiar e a mídia. Vivemos em uma sociedade contraditória onde o padrão de beleza é a magreza, o estilo de vida pregado e cultuado é o estilo de vida saudável, porém por outro lado existe a mesma força, ou ainda maior da mídia em vender alimentos e bebidas que geram obesidade. No ambiente familiar observa-se hoje que as famílias não fazem mais suas refeições juntas e, muitas vezes, quando fazem tornam esse momento conflituoso e cheio de cobranças. Alguns estudos revelam fortes evidências quanto à predisposição familiar. Indivíduos que tem mãe ou irmã com anorexia nervosa tem aproximadamente 12 vezes mais risco de desenvolver um quadro de anorexia e quatro vezes mais de desenvolver bulimia, do que em famílias que não apresentam histórico dessas doenças.


PARA O DIAGNÓSTICO DE ANOREXIA NERVOSA, EXISTEM QUATRO CRITÉRIOS MAIORES: 1. Recusa de manter o peso corporal pelo menos no mínimo aceitável para altura e idade; 2. Medo intenso de ganhar peso ou tornar-se gordo, mesmo estando abaixo do peso mínimo; 3. Falta de consciência da gravidade de seu baixo peso, que reflete dificuldade de autoavaliação e da própria imagem corporal; 4. No sexo feminino, ausência de, pelo menos, três ciclos menstruais consecutivos (caso já tenham tido menarca e não estejam grávidas).

OUTROS FATORES QUE DEVEM SER OBSERVADOS INCLUEM: 1. Comportamento reservado 2. Pular refeições porque “esquecem”, “estão ocupadas” ou “pegam no sono” na hora das refeições - desculpas frequentes para não comer em publico ou em família. 3. Usar roupas largas para esconder seus corpos magros. 4. Usar laxantes, diuréticos, medicamentos para emagrecer e fazer exercícios exageradamente de forma secreta, às vezes, mais de uma vez por dia.

NO CASO DE BULIMIA NERVOSA (BN) OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS, SEGUNDO O DSM, SÃO: 1. Episódios recorrentes de comer compulsivamente, com sensação de perda de controle, pelo menos duas vezes por semana por pelo menos três meses; 2. Comportamento compensatório inapropriado, como provocar vômitos, com o objetivo de perda de peso; 3. Autoavaliação indevidamente influenciada pela forma corporal e o peso. Sendo que em sua maioria os pacientes bulímicos têm peso próximo ao normal ou até sobrepeso. As consequências mais comuns incluem desidratação, hipocalemia, trauma esofágico e cáries, mas consequências graves como arritmias cardíacas e até morte podem ocorrer.

A melhor maneira de lidar com os transtornos alimentares é identificar essas alterações de comportamento o mais cedo possível. Converse com as crianças e adolescentes sobre diferentes biótipos, evitar comentários negativos sobre obesidade e explicar que se trata de uma doença. Procurar fazer o maior número de refeições em família, criando um ambiente agradável e saudável com oferta alimentar variada evitando sempre alimentos industrializados e refrigerantes. Estar atendo ao conteúdo pesquisado em sites e redes sociais - existem diversos sites que ensinam como se tornar anoréxica ou bulímica. Deve-se ter atenção também aos meninos, mesmo tendo poucos dados sobre os distúrbios no sexo masculino sabe-se que na verdade eles são subdiagnosticados. Explicar e mostrar que a perfeição não existe e a beleza está nas diferenças, que nos tornam únicos, que a adolescência é um período de grandes mudanças e em cada um ocorre em tempo e de formas diferentes. O que é mostrado na mídia geralmente é fruto de manipulações de imagem, portanto irreal. Os transtornos alimentares estão crescendo exponencialmente e podem levar a morte. Estar atento é fundamental. Caso tenha dúvida converse com o médico do seu filho.

DRA VIVIAN CAMPOS Tel: (47) 3433-9920 (19) 3213-3863 verdadeirasaude.com.br

73


ESTÉTICA Mosara Vendramini

A acne e a juventude Foto: Banco de imagem

Acne é uma patologia que atinge 90% dos adolescentes e 50% dos adultos. A adolescência é um período de muitas mudanças no organismo, tanto do ponto de vista físico como psíquico. O comprometimento estético determinado por alterações da pele pode tornar o adolescente inseguro, tímido, deprimido, infeliz, com baixa da autoestima e com consequências sérias que podem persistir pelo resto da vida. As principais modificações que ocorrem na pele e nos cabelos estão relacionadas à atividade hormonal que se inicia nessa fase. A acne deve ser tratada o mais precocemente possível. O controle dessa doença é recomendável não só por razões estéticas (melhora da aparência geral), como também para preservar a saúde da pele e a saúde psíquica, além de prevenir cicatrizes (marcas da acne) tão difíceis de corrigir na idade adulta.

AS PRINCIPAIS MODIFICAÇÕES QUE OCORREM NA PELE E NOS CABELOS ESTÃO RELACIONADAS À ATIVIDADE HORMONAL.

74

NOÇÕES E RECOMENDAÇÕES ESSENCIAIS PARA O CONTROLE DA ACNE: • Piora em algumas situações de estresse, período menstrual, exposição exagerada ao sol. • O bom cuidado começa com higiene adequada da pele com um sabonete ou produto de limpeza indicado. • A acne não se relaciona diretamente com a alimentação e, apesar de vários tabus, não é necessária nenhuma dieta ou restrição alimentar para seu tratamento. • A acne é uma doença que tem tratamento e que pode ser curada ou controlada. O tratamento vai variar de acordo com a sua gravidade e localização, além de levar em conta as características individuais do jovem. • Há opções tanto de tratamento local, quanto por via oral ou combinação de ambos. • Uma limpeza de pele, quando executada por esteticista treinada, pode ser um ótimo complemento do tratamento. Da mesma forma, “peelings” ou esfoliações químicas podem ser úteis como coadjuvantes. • O portador de acne não deve em nenhuma hipótese manipular (cutucar, espremer) as lesões,

pois isso pode levar à infecção, inflamação e cicatrizes. • Vale lembrar que a melhor forma de se evitar as cicatrizes da acne é o seu tratamento adequado e o mais precoce possível. Para o tratamento da acne é necessário verificar se a doença apresenta lesões não inflamatórias (cravos) e/ou inflamatórias (espinhas, nódulos, cistos) e/ou cicatrizes. Em formas leves, o tratamento pode ser apenas local, com inúmeros produtos existentes no mercado: ácido salicílico, peróxido de benzoíla, retinoides, antibióticos e ácido azeláico. Quando o quadro não evolui bem, associa-se o tratamento por via oral, sempre em conjunto com o tratamento local. Quando não há uma boa resposta aos tratamentos anteriores e se percebe uma tendência para cicatrizes deve ser indicada, o mais precocemente possível e desde que não existam contraindicações, a isotretinoína oral. Os procedimentos complementares que ajudam no controle da acne e a orientação para não manipular as lesões e proteção solar, são ações coadjuvantes de muita importância durante todo o tratamento.


SABORES

CAFÉ: ENTRE AROMAS E SABORES Por Tabata Kadur Fotos: Divulgação e banco de imagens

E

le pode vir de diferentes formas: em grãos, moído, instantâneo, líquido, em calda, com doces e chocolates, e tantas outras preparações. Uma das bebidas mais populares do mundo tem seu dia certo de comemoração, e não poderia passar batido. O café é homenageado mundialmente todo o dia 14 de abril, e junto com ele várias histórias e tradições.

HISTÓRIA DO CAFÉ Não há provas reais sobre a descoberta do café, mas existem muitas lendas que retratam sua possível origem. Sabe-se que uma das histórias conta que um pastor que viveu na atual Etiópia, há cerca de mil anos, notou que suas cabras ao ingerirem um certo tipo de fruto avermelhado de arbustos do campo, ficavam mais agitadas e alegres. O pastor passou essa informação a um monge que começou a utilizar os frutos em forma de infusão, e constatou que a bebida o auxiliava a resistir por mais horas acordado. Esta descoberta se espalhou rapidamente entre os monastérios, criando uma demanda pela bebida.

76

As evidências mostram que o café cial. Devido às nossas condições foi cultivado pela primeira vez em climáticas, o cultivo de café se esmonastérios islâmicos no Iêmen. palhou rapidamente, com produção A planta do café originária da Eti- voltada para o mercado interno. Em ópia – onde ainda hoje faz parte da sua trajetória pelo Brasil o café pasvegetação natural – foi se espalhando sou pelo Maranhão, Bahia, Rio de pelos continentes, Janeiro, São Pauinicialmente pela O CAFÉ É A SEGUNDA lo, Paraná e Minas Arábia, responsáGerais. Num curto BEBIDA MAIS vel pela propagaespaço de tempo, ção da cultura do CONSUMIDA NO MUNDO, o café subiu de café. Segundo a FICA ATRÁS SOMENTE uma posição seABIC (Associação cundária para a DA ÁGUA MINERAL. Brasileira da Inde produto-base dústria do Café) o nome café não é da economia brasileira. originário de Kaffa, local de origem da Segundo o administrador de planta, e sim da palavra árabe qahwa, empresas, economista e barista que significa vinho. Por esse motivo, Saulo Calliari, o Brasil produz hoje o café era conhecido como “vinho muito café. “Basicamente do tipo de da Arábia” quando chegou à Europa grão Arábica com genética superior no século XIV. Dali se espalhou rapi- e outros de demandas climáticas damente por países como Holanda, específicas em menor quantidade. Itália, Inglaterra e França e posterior- Também é produzido muito café tipo mente junto com a colonização euro- Robusta, resistente a qualquer clima peia, ao novo mundo. praticamente. É muito utilizado em pequeno percentual para dar mais O CAFÉ BRASILEIRO crema - aquele colarinho que se forma no seu expresso - em blends O café chegou ao norte do Bra- clássicos como o da Illy italiana”, sil, em 1727, trazido da Guiana Fran- explica o especialista. cesa pelo Sargento-Mor Francisco A ABIC aponta que atualmente de Mello Palheta. Já naquela época o Brasil é o maior produtor o café possuía grande valor comer- mundial de café, responsável


por aproximadamente 30% do mercado internacional. É também o segundo mercado consumidor, atrás somente dos Estados Unidos. As regiões cafeeiras estão concentradas no centro-sul do país, onde se destacam quatro estados produtores: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Paraná. A região Nordeste também tem plantações na Bahia, e da região Norte pode-se destacar Rondônia.

A BEBIDA Ao bebermos café, estamos ingerindo além de uma bebida aromática e saborosa, parte de uma enorme cadeia de produção, romantismo e cultura, iniciada há mais de mil anos. O hábito de tomar café foi desenvolvido na cultura árabe e somente no século XIV, o processo de torrefação foi desenvolvido, e finalmente a bebida adquiriu um aspecto mais parecido com o dos dias de hoje. Os tipos de preparação e extração da bebida são diversos, além de inúmeras receitas exploradas por todo o mundo e pela gastronomia.

BEBER DE 3 A 5 XÍCARAS DE CAFÉ POR DIA PODE AJUDAR A PREVENIR ALGUMAS DOENÇAS COMO: DIABETES (TIPO 2), ALZHEIMER, PARKINSON, ENTRE OUTRAS.

TIPOS DE PREPARO De acordo com a ABIC, a adição de água quente ao café torrado e moído, produzindo então a bebida café, é um processo chamado de infusão, e pode ocorrer por filtragem, percolação, prensagem ou pressão, sendo que cada um destes produz tipos de bebidas distintas. Filtragem: O pó é acondicionado em um filtro, de papel ou de pano, com adição de água quente não fervente por cima. Este método é muito utilizado na cultura brasileira de preparo, através de coadores caseiros e cafeteiras elétricas, dando origem ao tradicional cafezinho. Percolação: Método onde se coloca o pó de café no centro de um equipamento moka, que posicionado em um fogão faz a água entrar em ebulição e pressionar café líquido para um recipiente. É a forma mais utilizada para consumo de café na Europa. Prensagem: em um recipiente de vidro se coloca o pó de café misturado com água quente não fervente e em seguida introduz-se um filtro que é pressionado por um êmbolo que separa o pó do café já pronto para consumo. O método, que virou moda entre os norte-americanos, é conhecido como Prensa Francesa. Pressão: conhecido como café espresso, neste preparo o café é moído na hora e acondicionado em um filtro que sofre uma pressão de água a 90ºC e 9Kg de pressão durante 30 segundos em média, gerando uma bebida cremosa e aromática. Criado pelos franceses, o café espresso é considerado o método mais apropriado para apreciação de todas as nuances desta bebida. Além destas formas de preparo, hoje é muito comum encontrarmos adeptos ao consumo de cafés de capsulas. “As capsulas são uma febre devido à praticidade. Porém, geram mais lixo e é preciso ficar atento à qualidade do café em relação ao preço cobrado”, alerta o especialista Saulo Calliari.

COMO MELHOR USUFRUIR DO CAFÉ? Dicas do especialista Saulo Calliari

• Nunca ferva a água para prepar o café! • Não se deve torrar o café e utilizá-lo antes de em média duas semanas de oxidação, para que não se forme tantas bolhas no espresso. • Não compre marcas, procure a nota dada ao lote na qualificação para exportação. Nem sempre uma marca consegue manter padrão e qualidade perante os anos. • Cafés “digeridos” por animais não são boas pedidas! Em testes cegos nunca são bem classificados. E custam fortunas. • Procure tomar somente o café sem açúcar, adoçantes ou qualquer outra mistura. Experimente o doce do café puro, curta o amargor, entenda a acidez e procure compreender a complexidade desta bebida. • Tente comprar cafés de origem. Os cafés que compramos tradicionalmente tendem a ter mais defeitos.

77


GASTRONOMIA Chef Jean Canci

CAFÉ:

Seus mistérios e sabores Fotos: Banco de Imagem

Dia 12 de março é o dia mundial do café. Existem muitas lendas e versões em torno do café, ora proibido, ora liberado e até chamado de vinho. Surgiu na Etiópia, quando um pastor percebeu que suas cabras ficavam mais alegres quando comiam as folhas ou frutos do café. No Brasil, o café apareceu em 1727, quando um general – a pedido de um governador – trouxe clandestinamente uma muda da Guiana Francesa. Já nessa época o café tinha um alto valor comercial. Na Europa quando surgiram, as então cafeterias, vários pensadores reuniam-se para tomar café e discutir suas ideias e jogar conversa fora. E assim o café se tornou a bebida mais popular do mundo. Na Indonésia é vendido o café mais caro que já se ouviu falar – U$ 600 o kg. É feito de grãos parcialmente mastigados, digeridos e excretados por um animal que se parece com uma doninha. São os grãos de café mais claros que contêm mais cafeína. Na saúde o café também oferece benefícios, pois possui antioxidante, além de ser antidepressivo. Por esse grão ser tão eclético, também deixou sua marca na gastronomia. Além de uma deliciosa bebida quente, é usado também em drinks, sobremesas, bolos, pães, molhos para massas, carnes e o que mais a mente de um chef criar.

80

TIRAMISU ITALIANO INGREDIENTES: 6 gemas de ovo 250 g de açúcar 500 g de mascarpone 250 ml de café coado amargo forte 30 biscoitos champanhe Cacau em pó para polvilhar MODO DE PREPARAR: Prepare o café, deixe esfriar e reserve. Bata as gemas na batedeira, e vá acrescentando o açúcar até obter uma espuma densa. Desligue a batedeira e, com uma espátula, acrescente o mascarpone delicadamente. Mexa até obter um creme macio e uniforme. Molhe um a um os biscoitos no café em temperatura ambiente, sem encharcá-los. Coloque uma camada de 15 biscoitos em uma travessa redonda e cubra com o creme. Disponha o restante dos biscoitos e o creme. Coloque na geladeira por uma hora. Quando servir, polvilhe com o chocolate amargo.

ESCALOPES AO MOLHO DE CAFÉ INGREDIENTES: Escalopes de mignon Sal, pimenta e manteiga MOLHO CREMOSO DE CAFÉ: 1/2 cebola média bem picadinha 1 colher (sopa) de manteiga 1 a 2 colheres (sopa) de azeite extravirgem 100 ml de café preparado bem forte 200 ml de creme de leite 50 ml de leite Sal, pimenta-do-reino e noz-moscada MODO DE PREPARO: Derreta a manteiga numa frigideira e grelhe os escalopes, salpicando sal e pimenta. Prepare o molho dourando a cebola no azeite e na manteiga. Acrescente o café e deixe o molho reduzir até 1/4. Acrescente o creme de leite, o sal, a pimenta-do-reino e a noz-moscada. Se precisar, acrescente mais leite e um pouquinho de açúcar só para acertar o sabor. Disponha o molho sobre a carne e sirva a seguir.


DUO HOMEM

ELES CAFÉ NO COMANDO DO

Por Tabata Kadur Fotos: Camila Raiser e Divulgação

A

relação homem x café não é novidade. Exite todo um universo místico de aromas, cores, terroir e teorias que nos apropriamos quando queremos falar do assunto. Além do café espresso assumir muitas vezes, uma$ posição masculina, por ter imergido no mundo business, é cada vez mais comum homens interessados mundo gastronômico e cultural desta bebida tão popular. Mas engana-se quem pensa que para conhecer café, basta apenas apreciar a bebida. Tem muita coisa por trás de uma boa cafeteria e sua administração. A revista Duo conversou com homens amantes de café, que fizeram dele sua fonte de renda e inspiração. Cadu Diazzi e Eduardo Baschung, proprietários do novo Secretto Café, e Rafael Lameira, dono da franquia Café Caramello de Joinville, contam como é empreender em nossa cidade no

82

universo de um dos produtos de alimentação mais consumidos no mundo todo.

SECRETTO CAFÉ Formado em Arquitetura pela SOCIESC em Joinville, Carlos Eduardo Dias, o Cadu, sempre teve aptidão para trabalhos manuais. “Quando eu era pequeno, adorava ganhar lápis de cor de presente. Se ganhasse outra coisa eu perguntava se não tinha papel e caneta pra comprar e me dar de presente (risos)”, conta. Mas a família com tradição profissional na Odontologia, fez com que Cadu aos 14 anos já tivesse interesse no consultório de sua avó. “Ali comecei a pensar em fazer odontologia. Comecei a trabalhar com meu tio que era ortodontista, ajudava a fazer os moldes dos aparelhos. Fiz vestibular para Odontologia e passei para a Univille. Mas o

curso estava muito caro e decidi fazer vestibular novamente para Arquitetura”, lembra. Já formado, depois de estagiar e trabalhar na área, Cadu montou um escritório de arquitetura e posteriormente seguiu sozinho, trabalhando em home office e atendendo seus projetos. “No último ano comecei a encerrar os últimos projetos para poder começar o café”, explica. De lá pra cá o Secretto virou seu foco e sua “nova” profissão. DUO - Como se deu a ideia de abrir um café? Cadu: O escritório do Eduardo (sócio) funcionava numa sala comercial no Aventureiro, numa sala pequena. A sala do lado vagou e foi alugada para ampliar o consultório. O espaço ficou maior que o necessário e pensamos em empreender para utilizar as salas. Surgiram várias ideias, salão de beleza, bistrô, e no final de


2014 pensamos em um café. Com um ano de obra, abrimos o café no dia 8 de dezembro de 2015. Em um ano o projeto foi concebido e realizado.

tortinhas e doces para o Secretto, além de uma fornecedora de bolos.

Duo - O que te incentivou a abir especialmente uma cafeteria? Cadu: A carência de espaços como este na cidade, e principalmente no bairro. Como já tínhamos o espaço, e já conhecíamos a região sabíamos que não existia opções de cafés, além de padarias.

Duo - Como é o retorno dos clientes quanto a proposta do café? Cadu: Se me perguntassem hoje se eu preferia ficar com a arquitetura ou o café, eu responderia o café. É muita responsabilidade e em alguns momentos, estresse. Mas o retorno é muito bom. Hoje Carro-chefe de vendas é o café gelado Secretto, o brownie com sorvete e torta banoffi.

Duo - Qual sua relação com o café? Cadu: Meu gosto é meio peculiar. Gosto de café frio, não bebo nada muito quente. Aprendi muita coisa sobre café depois da concepção do Secretto. Nosso fornecedor de café é daqui de Joinville mesmo, alugamos as máquinas e servimos um café mineiro 100% arábica, bem especial. Fomos treinados por um barista para executar todos os preparos de nossos cafés com excelência.

Duo - Como surgiu o nome Secretto? Cadu: Queríamos um nome super conceito. Chegamos a algumas sugestões, mas nada com cara de café. Numa conversa entre amigos, falamos muito sobre segredos. Aquilo ficou na minha cabeça e num momento particular, comecei a escrever nomes, e cheguei em segredo, depois Secretto. Abrimos para amigos e familiares e todos gostaram.

Duo - Qual funcionamento do Secretto Café? Cadu: Abrimos das 14hs às 21hs, de terça a domingo. Contamos com uma equipe de dois atendentes, mais nós dois, que somos os sócios. A casa conta com o fornecimento externo dos produtos da cozinha, dois para os salgados e uma fornecedora exclusiva dos doces, que criou receitas inéditas de

Cadu deixou os projetos de arquitetura para hoje, ao lado do sócio Eduardo que é dentista atuante, cuidar integralmente do café. A intenção dos sócios é fazer o café andar e expandir o projeto Secretto, montando outros empreendimentos, como o projeto de um lounge. “A ideia é montar um clube de esquenta, para abranger o happy hour até o início da balada. Com uma pegada intimista, espelhos d’água e som lounge”, revela. Os doces do Secretto chegam frescos diariamente para o café e a cozinha está preparada para a finalização das preparações e montagem. Todos os pratos servidos foram tpensados e criados com muita delicadeza e carinho. O diferencial de cada opção é percebido logo ao adentrar no café. Nas estufas, fazendo vitirine aos produtos, é oferecido quitutes como cheesecake com sagu molecular de morango, verrine de mousse de três limões servido com chantilly de vodka, entre outras opções. Um verdadeiro segredo a compartilhar!


CAFÉ CARAMELLO Rafael Lameira, natural de São Paulo, chegou em Joinville há pouco mais de três anos, mas veio para ficar. Formado em administração, me mudou-se para a cidade transferido pela empresa que hoje ainda atua como gerente. “Com o passar do tempo conheci minha esposa Fernanda e tivemos o nosso primeiro filho Guilherme. Desde quando cheguei a Joinville percebi que a cidade é uma cidade empreendedora e que aqui seria o lugar onde realizaria um sonho: o de ter meu próprio negócio”, conta o empresário. “Sempre gostei muito de uma mesa recheada de coisas para o café e foi numa durante uma pesquisa pela internet que conhecemos o Café Caramello e começamos a estudar a oportunidade” relembra. Descobrindo que o café me questão era produzido no Espirito Santo, Rafael se animou. “O produto era da terra do café. Pensamos: deve ser uma delicia!”. Rafael decidiu arriscar e trouxe para Joinville a franquia do café em creme, que já virou sucesso. “Minha vivência com o café era ainda um pouco distante, hoje já entendo um pouco

84

mais sobre os grãos e cada dia procuro aprender mais”, afirma. Duo - Porque decidiu trabalhar com café, como tudo começou? Rafael: Conhecemos o Cafe Caramello através de uma publicação no Facebook. Amantes de um bom café e com o sonho de ter um negócio próprio procuramos saber mais sobre o produto e sua história. Ao visitar o site nos apaixonamos pela história e trouxemos a franquia para Joinville. Duo - Quais são as características do seu negócio, como funciona o produto? Rafael: O Café Caramello é um creme de café produzido artesanalmente. Seu sabor lembra o de um cappuccino, porém é mais cremoso, menos doce e menos calórico, contendo apenas 18kcal por colher de sopa. Não contém lactose, glúten, sódio, gorduras, estabilizantes ou emulsificantes: toda sua cremosidade é fruto do processo artesanal de produção. Tradicionalmente é consumido quente, dissolvendo-se uma colher de sopa cheia em uma xícara

com 200ml de leite, mas pode ser apreciado também batido com leite gelado, ou adicionado a sorvetes, iogurtes, salada de frutas ou açaí. É utilizado ainda em receitas de doces e sobremesas diversas, como pudim de leite condensado e brigadeiro. Duo - Como seu negócio vem sendo recebido pelo público de Joinville? Rafael: Chegamos em Joinville em Dezembro de 2015 e começamos o trabalho de divulgação e cadastro de pontos de vendas. No atual momento, estamos cadastrando PDV e revendedores que se encaixem no perfil da empresa. Nossos principais consumidores são: cafeterias, padarias, escolas, escritórios, empresas, restaurantes, entre outros. Todo publico que experimenta esta amando a novidade! Duo - Em sua opinião, quais são as melhores preparações (bebidas e comidas) feitas com café? Rafael: Originalmente o café Caramello é consumido quente e para mim esse é o melhor preparo, com acompanhamento de pão de queijo, bolachas, ou um pãozinho quentinho.


BEBIDAS Mario Kutianski Fotos: Divulgação

CAFÉ

e suas harmonizações

C

ompanheiro de todas as horas, o tradicional cafezinho é a grande paixão nacional. O que o vinho e o café têm em comum? Os dois desenvolvem características diferentes dependendo do terroir em que são cultivados – e também seguem regras de harmonização. Dependendo do que o acompanha, o café pode ter suas qualidades destacadas, assim como o vinho. Primeiramente, evite alimentos muito doces, principalmente o chocolate, pois ofuscam os sabores do café. Em vez das caldas e recheios, prefira panquecas, muffins, bolos de milho, aipim, fubá, cenoura e afins. Assim como muitos vinhos, a harmonização pode ser feita por semelhança (quando o alimento ressalta um sabor específico do

café) ou por contraste (quando ele completa algum aspecto que falta no café, como corpo, doçura, acidez, entre outras características). Os alimentos salgados como pães, tortas, biscoitos e queijos (duros ou cremosos) são boas combinações, pois o sabor salgado complementa o amargor e acidez do café. Já as carnes um pouco adocicadas e com mais gordura vão muito bem com a maciez do café. E o foie gras segue o mesmo princípio. A bebida combina em qualquer ocasião, desde uma reunião de negócios até uma breve pausa no meio do expediente. Para acompanhar as mais diversas situações, a receita original do pretinho básico já foi alterada muitas vezes. Hoje é possível tomar café gelado, com sorvete, leite condensado, chocolate, chantilly e

até mesmo com bebidas alcoólicas. Esses também são conhecidos como cafés gourmet. O conceito não é muito antigo, mas a produção de café alcoólico já vem de longa data, mais precisamente de 1940. A versão da bebida, conhecida como Irish Coffee surgiu com a intenção de aquecer os passageiros de um barco que saía da América do Norte em direção à Irlanda. A receita caiu no gosto dos amantes de café, que por sua vez buscam sempre descobrir novas maneiras de preparar a bebida. Entre as bebidas alcoólicas, os licores se destacam na harmonização com o café. É importante ressaltar que os ingredientes devem ser colocados na medida certa, sem exageros, para não comprometer o sabor. A receita contém creme de chocolate, café, licor de café e chantilly.


PUBLIEDITORIAL

A alquimia do Por Tabata Kadur Fotos: Vand Rodriguez

O

CAFÉ

café pode proporcionar o estímulo de todos os sentidos. A visão, ao conhecermos os grãos ou a própria bebida e suas cores e nuances. A audição, ao presenciar uma torra de café ou o barulho da cafeteira ao final do processo de coar o pó. O olfato, inevitável em qualquer experiência com a iguaria, e por fim, mas essencial, a explosão de sensações ao paladar provocadas pelo café. A paixão por todo esse universo, fez com que o casal Valéria e Claudimar Zomer, proprietários da Bonblend – cafés especiais, iniciassem uma história de dedicação e empreendedorismo, envolvendo um

88

dos produtos mais consumidos e democráticos do mundo. Cláudio e Valéria se conheceram antes mesmo da faculdade, em Curitiba. Ela formou-se em fonoaudiologia, ele engenharia química. “Fiz o estágio obrigatório numa indústria de açúcar e café, quando terminou o estágio fui convidado a trabalhar no projeto de expansão da produção e da melhoria da qualidade do café na empresa. Foram quase dez anos focado em trabalhar com café” relembra o engenheiro químico. “Idealizava a vontade de trabalhar com cafés especiais, queria montar um negócio de produtos mais elaborados. Desmistificar

aquela crença de que todo o bom café brasileiro vai para fora”, conta. Mas com a vida profissional de ambos seguindo caminhos paralelos – Valéria atuava como fonoaudióloga e Cláudio tocando outros negócios – o sonho teve que ficar engavetado. Quando vieram os filhos o casal decidiu que era o momento de sair da cidade grande e procurar um lugar mais tranquilo para criar as crianças. “Para ficar mais próximos dos filhos, buscamos mudar para uma cidade menor. Eu já conhecia Joinville, e sempre falei pro Cláudio sobre a cidade”, explica Valéria. Com o nascimento do segundo filho a mudança de cidade foi inevi-


tável e o casal percebeu que era hora A Café com Leite passou a ser de botar o antigo sonho em prática. mais que uma cafeteria. Uma loja de Em 2005 a família veio para Joinvil- cafés especiais onde se encontra le, mas foi em grãos Bonblend, 2009 que incia“O CAFÉ BONBLEND cafés regionais ram a criação torrados no loÉ UMA MAGIA DE e o registro da cal e moídos na SABORES. UMA marca, e os eshora, conforme o tudos dos grãos desejo e necessiVERDADEIRA para formação dade do cliente. ALQUIMIA. QUEM dos blends da O atendimento é O PROVA SE Bonblend. Dediferenciado uma pois de alguns vez que, quem SURPREENDE” experimentos vai lhe atender e com tipos de cafés, atingiram o pa- receber é um estudioso no assunto, drão do blend desejado. conhecedor e preparador de grãos “Em 2010 disponibilizamos nosso de cafés. produto para pessoa física e pequenos estabelecimentos comerciais. A DIFERENCIAL melhor reposta era quando o cliente voltava para buscar o café para con- BONBLEND sumo diário. Até hoje temos clientes que continuam conosco, desde sua Os cafés Bonblend passam primeira compra” lembra Valéria. O por um rigoroso controle de casal tem como objetivo, além de qualidade. “Há um cuidado com o desmistificar o café gourmet, inseri-lo produto. Há uma pessoa que além na cultura diária do consumidor. “Para de apreciar o café, se especializa que essa inserção seja alcançada é no assunto. É preciso conhecer o preciso apresentar a população um grão, saber diferenciá-lo, ter acesso café de qualidade, com sabores e ao cafeicultor, para atingir bons aromas que melhor se adaptem ao resultados”, argumenta Valéria. seu perfil. Tudo isso combinado a “Nossa assinatura é Bonblend – a um preço justo, uma vez que devido Combinação Perfeita. Buscamos ao nosso conhecimento, eliminamos essa interação em todos os diversos atravessadores do processo aspectos da marca”. que existem do plantio até a torra final A pretensão dos empresários do produto”, afirma o engenheiro. é atingir cada vez mais, o maior Para melhor atender seus número de apreciadores e clientes, oferecendo consultorias e consumidores, desde a pessoa assessoramento, o casal adquiriu a física até as empresas. “Quando cafeteria Café com Leite, em 2012. criamos a marca, pensamos em “Precisávamos do espaço para disponibilizar acesso a um café de apresentar o café beneficiado (grão maior qualidade e preço justo ao verde) e seu processo de torra. Além maior número de pessoas possível. de expor e vender os cafés regionais Para nós não importa se a pessoa e microlotes”, argumentam. tem preferência por um café

PRODUTOS DA BONBLEND A Bonblend oferece seus cafés em grãos, com embalagens de 500gr e 1 kg. Todos os blends da marca são selecionados, torrados e envasados com supervisão do proprietário. A produção é feita com frequência e em pequenas quantidades, para garantir o máximo de frescor ao produto. Blend Premium: grão de Minas Gerais, 100% arábica, com padrão de torra gourmet. Blend Superior: mix de grãos de MG e Paraná, 100% arábica, com padrão de torra gourmet. Blend Clássico: café torrado e moído, com grãos de MG e PR, 100% arábica (sem conilon) e com ponto de torra entre o gourmet e o dos cafés tradicionais, evidenciando o sabor e aroma. Cafés Regionais Microlotes

espresso, coado, prensa francesa, italianinha ou qualquer outra forma de extração do café, o que queremos é que ela encontre em nossos blends o desejo de degustar o sabor que mais combina com seu paladar e estilo de vida”, concluem.

BONBLEND CAFÉS Onde encontrar: Cafeteria Café com Leite – Rua Orestes Guimarães, 480 Sala 03 | América | Joinville - SC (47) 3028-9109 contato@bonblend.com.br www.bonblend.com.br

89


EXTRA

LIVROS

Consuma sem moderação

Por: Cláudia de Moura de Mattos Fotos: Banco de imagem


A

alfabetização é uma fase essencial para o amadurecimento da criança e, nesse período, a leitura costuma ser incentivada, seja ela com pequenos livros ou por outdoors e placas pelas ruas. É essa motivação que não pode ser perdida depois que a criança aprender a ler e escrever. A leitura traz muitos benefícios e precisa ser estimulada durante a infância e adolescência. Conforme explica a pedagoga Tânia Mara dos Santos, quanto mais cedo a criança criar o hábito de ler, melhor. O contato com a literatura ajuda no desenvolvimento da criatividade e estimula a imaginação, além de ajudar no processo de aprendizagem. “A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. A proximidade com o mundo da escrita, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas”, completa a Tânia. O grande desafio é fazer com que as crianças em meio à tablets, smartphones e vídeo games, ainda vejam nos livros uma forma de diversão. Para que isso aconteça,

todo estímulo é necessário, não só da família, como da escola e dos professores. Para isso, Tânia utiliza vários métodos. O primeiro passo é ajudar o aluno a encontrar o gênero literário com o qual se identifica mais, muitas vezes saindo dos formatos tradicionais. “A escola pode e deve

permitir que leiam quadrinhos, revistas, jornais, charges, poesias, acrósticos, crônicas e contos”, afirma. Atividades que aproximem as crianças dos livros são essenciais, como criar peças de teatro, debater sobre a história, aprender sobre os autores e visitar bibliotecas.

“A leitura ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita que por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas”.

Foi esse incentivo que Artur Coelho Finardi recebeu. Hoje aos 14 anos, Artur é apaixonado pelos livros e conta que estabeleceu uma meta de leitura. “Quero me esforçar para tentar ler uns cinco livros ao mês”. O hábito de ler começou aos poucos, conforme ganhava livros de presente de aniversário, incentivado pela família. O maior exemplo foi seu tio, que tinha estantes cheias de livros. “Meu tio lê muito, e eu via as estantes cheias e achava muito legal”, conta.

91


EXTRA Artur lembra até hoje o primeiro livro que leu sozinho, “Festa de Criança”, do Luís Fernando Veríssimo. Seus gêneros preferidos são Romance Policial e os livros Young Adults (Jovens Adultos), que são caracterizados por histórias com temáticas adultas, mas voltada para jovens. O livro “A culpa é das Estrelas” de John Green é um exemplo desse gênero. Na escola, ele explica que sua capacidade de interpretação de textos melhorou muito, graças aos livros, e isso o ajuda em todas as disciplinas. Uma aliada do menino é a internet. Artur usa essa ferramenta para aprender mais sobre os livros e descobrir novas literaturas. São os “Booktubers” que o ajudam a fazer isso. Talvez você não conheça esse termo ainda, mas são chamados de “Booktubers” as pessoas que fazem vídeos em um canal no Youtube com resenhas de livros, usando uma linguagem jovem e humor para isso. O diferencial é que eles falam especificamente para o público jovem, cativando muito mais do que grandes textos de críticos literários. Para o menino, os “Booktubers” podem ajudar os jovens a se interessarem mais pelos livros, já que falam de uma forma mais descontraída, trazendo uma nova visão sobre a leitura.

FEIRA DO LIVRO DE JOINVILLE Como já é tradição na cidade, esse ano a Feira do Livro comemora sua 13o edição, de 01 à 10 de abril, no Expocentro Edmundo Doubrawa. O espaço terá stands de livrarias de todo país e na programação, contações de histórias, palestras e lançamentos de livros. A feira contará com a presença de grandes nomes da literatura nacional, como Lucia Fidalgo e Luiz Pimentel. Uma das grandes novidades desse ano será o curso de capacitação oferecido aos professores. Conforme explica a Diretora do Instituto de Cultura e Educação de Joinville,

92

Sueli Brandão, a ideia surgiu por saberem do papel fundamental do professor como incentivador da leitura. O curso dará dicas de como os professores podem inserir a leitura em suas aulas e ajudar a despertar o interesse dos alunos. Outra novidade será um painel voltado para a área do direito, falando sobre a importância da leitura para ajudar na boa oralidade e conhecimento dos advogados. Sueli comenta também sobre o papel da feira em dar visibilidade às produções de escritores da região e diz que o evento terá a presença de vários deles. Além disso, será feita uma homenagem ao artista plástico Juarez Machado, que lançará um livro especial, com uma proposta diferente, contando a história apenas com imagens. Sobre a importância social da feira, Sueli diz que o objetivo do Instituto, desde a primeira edição, é a democratização da leitura.

“Joinville possui poucas livrarias, por isso, comprar livros na cidade pode não ser viável para todos. Na feira, temos muita diversidade de valores, já foram vendidos livros por dois reais. Nosso objetivo é que a leitura não seja vista como algo só para quem é rico”, conta. Por esse motivo, a entrada e o acesso a toda programação é sem custo. Para a presidente, a leitura ainda é muito pouco incentivada no país todo. “Recentemente, foi publicada uma pesquisa que aponta o baixo índice de leitura dos brasileiros”, explica. Para ela, os benefícios de crianças e jovens que leem são enormes: a facilidade de aprendizagem em sala, o melhor conhecimento da grafia correta das palavras e uma boa comunicação oral e escrita são exemplos. Ela ainda destaca que o conhecimento cultural adquirido com a leitura, pode refletir na vida adulta de forma muito positiva.


SEXO Cláudia Petry

Vamos falar sobre SEXO

Q

uando se fala em amigos, de outras pessoas ou que sexo, muitos sabem leram na internet. muito bem o que diQuando falo que desde a infânzer, já outros preferem cia devem encontrar um ambiente o silêncio, por timidez ou algo pare- propício, quer dizer exatamente que, cido. Mas é de grande importância nunca, em nenhum momento você que haja um diálogo entre pais e deve subestimar a inteligência de filhos sobre o assunto, mesmo sen- seu filho, tampouco a lógica da natudo difícil conversar abertamente reza. Às vezes àquela pergunta meio sobre o assunto com os pais. Essa boba, pense que ele já possa ter troca de experiência, escutado alguém fasem dúvida, faz muita lar sobre isso e vai até O papel dos pais é diferença para o penvocê pai ou mãe (ou conversar com os sar dos jovens. alguém que esteja nesjovens a respeito Esse “caminho” é ta posição) para simdo mundo do sexo, fundamental na relaplesmente confirmar mostrar de uma forma ção entre pais e filhos, uma informação que bem clara como principalmente quanele já possui. E, se sentir ocorre a transmissão do o assunto é a iniciae observar que os pais de doenças e a ção sexual dos filhos. mentem, começará aos gravidez indesejada, Se desde a infância poucos a não acreditar e ensinando como eles encontrarem um com isso, naturalmente, devem se prevenir ambiente propício para irá afastando esta posde tais. conversas e trocas sibilidade de diálogo na de experiências, será infância e adolescência. mais fácil não haver É comum existir embaraços na aproximação com os certo constrangimento entre pais pais na fase da adolescência. Deixar e filhos na hora de conversar sobre para falar na fase da adolescência o assunto. Em alguns casos esse é quase um erro, porque neste mo- diálogo não existe. A educação mento, o adolescente já possui con- sexual é de grande necessidade ceitos, muitas vezes errôneos, que para abordar assuntos delicados aprenderam ou escutaram de seus que envolvem mitos, tabus, e

constrangimento entre pais e professores. Infelizmente, a maioria dos jovens foge do assunto e prefere conversar com os amigos, e acabam fazendo tudo errado. O assunto aborda temas como o sexo, o aborto, métodos contraceptivos, a importância da camisinha e doenças sexualmente transmissíveis (onde já é sabido o alto índice de contaminação entre jovens, principalmente pelo HPV e AIDS). O papel dos pais é conversar com os jovens a respeito do mundo do sexo, mostrar de uma forma bem clara como ocorre a transmissão de doenças e a gravidez indesejada, ensinando como devem se prevenir de tais. Na infância não há necessidade de antecipar etapas, mas é urgente a observação da evolução de seu filho (a) no que se refere à sexualidade e sua conduta. Já na adolescência, será um prêmio ao desafio que você enfrentou na infância, ter seu filho (a) companheiro de longas conversas sobre este tema. E, neste caso, a conversa pode iniciar de observações feitas durante um filme que vocês estão assistindo, de uma matéria no jornal, na internet. Mas nunca esqueça: mentir nunca será a melhor saída.

95


CABELOS Gabi Hoss

O CABELO DO MOMENTO... PARA ELES E PARA ELAS!

O

corte de cabelo é capaz de transformar qualquer pessoa. Mas para quem pensa que é apenas ver uma revista, escolher o corte e pedir que o cabeleireiro faça igual... Engana-se! Afinal, o cabelo faz parte da sua face e expressa sua personalidade. A questão é: como você quer ser visto? Então, muito cuidado na hora desta importante escolha. Mesmo para o homem hoje há muitas opções, o que o torna mais exigente. Eles fazem a combinação de barba e cabelo, usam secador para modelar o topete e até estão fazendo progressivas para cortes como o pompadour, que vem sendo o queridinho dos homens estilosos desde 2015. Para simplificar, é um

cabelo mais comprido do que o undercut, todo escovado para trás, a franja maior que o resto do cabelo acaba formando uma onda no topo. É um corte eclético, bom para valorizar quem tem rosto fino. E homens de coque, o que acham? É isso aí... Agora eles também podem prender o cabelo. As laterais podem ser raspadas ou não, e geralmente combinam este tipo de cabelo com a barba farta, nos remetendo a imagem de lenhador. Este corte cai muito bem para quem tem rosto quadrado. Em resumo: homens, continuem apostando nas franjas maiores que as laterais e invistam em pomadas e ceras que ajudarão a modelar como desejam. Enquanto eles estão se dedicando mais aos cabelos, a moda traz praticidade para as mulheres. Afinal, a tendência é cabelo natural com cortes médios e curtos. Nada de progressiva, deu de relaxamento e tchau chapinha! Assumam seus ondulados e cacheados que estarão na moda. Mas usar o cabelo natural exige que ele esteja saudável. A hidratação semanal, leave-in e uma rotina de cuidados no salão para fazer reposição de queratina e nutrições mais profundas. E sobre cortes, o famoso long bob, cabelo na altura do ombro, não perderá sua força tão cedo. É ótimo para quem quer dar uma modernizada nas madeixas sem encurtá-los demais. A sua principal característica é a base reta, mas permite uma frente um pouco mais comprida. Para quem tem cabelo ondulado, aposte nas camadas e no loiro nas pontas para iluminar

Fotos: Banco de Imagens

o rosto e ressaltar as ondas. Se o cabelo é fino e liso, evite camadas. O bob liso cria um aspecto soft, ideal para mulheres sofisticadas. Já o bob curto na altura do queixo começa a valorizar as baixinhas, pois alongam o pescoço e ficam muito elegantes. Realmente o bob é o queridinho do momento, são práticos e fáceis de cuidar, o que vai de encontro com a rotina da mulher moderna. Enfim, a moda está aí para todos trazendo muitas opções. Não há uma regra única, afinal é necessário conhecer o seu rosto, conhecer você mesmo e a partir daí escolher a opção mais adequada.


MÚSICA Carolina Wanzuita

A VOZ MARCANTE de Ju Pamplona

Foto: Divulgação

No Dia Mundial da Voz, nada mais banda italiana, da qual eu tinha que cantar, conveniente do que conversar com ela, tocar e dançar. Aprendi a cantar “na marra”. a voz e simpatia da rádio Atlântida em Demorei pra gostar da minha voz. Em 2006 Joinville. Ju Pamplona madruga às 5h um novo desafio apareceu: ser locutora. para chegar à rádio às 6h, horário em que Aceitei e me encontrei. Com isso a banda começa o programa Get Up. A partir daí, italiana teve que ser deixada, mas a pedidos ela anima a galera que já está de pé neste da minha mãe, nunca larguei a música. horário. E vamos combinar que não é fácil Montei a Orquestra Cantinella, da qual levantar o astral dos ouvintes a essa hora, tocamos em cerimônias de casamentos, e né? É uma grande responsabilidade. No assim consegui conciliar o rádio e a música meu bate-papo com a Ju, ela revela os até hoje. segredos para manter seu cartão de visitas sempre bem Sua voz é seu cartão cuidado, além de como se de visitas. Você cuida prepara para levar uma boa dela? Como? Aprendi mensagem às pessoas que a Ju: Como tenho técnica a cantar escutam. Confira! vocal, tenho noção de como utilizá-la. Mas naturalmente “na marra”. Quando descobriu sua acabo cuidando com Demorei pra relação com a música? Foi gelado e vento. Em 10 anos gostar da desde pequena? Alguém de rádio, perdi a voz uma te incentivou? vez somente, devido a uma minha voz. Ju: Com sete anos comecei amigdalite fortíssima. a pedir para meus pais me colocarem na aula de piano. Quem não te conhece Mas isso só foi se realizar aos e só te ouve na rádio fica 10 anos. Sempre tive o incentivo e o apoio imaginando sua aparência, já que a de toda a família. Eu vivia brincando com o Ju é a “cara da Atlântida”. O que as “meu primeiro gradiente”, e aquela fita k7 do pessoas falam quanto te encontram? lado B que era um karaokê. Entrei no curso Ju: Nossa! Achei que você fosse de teclado na Arte Maior, me formei com mais alta! 15 anos, e comecei a dar aula na própria Eu tenho apenas 1,56, sou beeeem escola. Fui estudar piano, acordeom, flauta baixinha, e como minha voz é mais grave, transversa e violão. E o canto, foi devido a parece que sou um mulherão! Risos. Isso uma necessidade. Em 1999 fui convidada é bem engraçado, nunca conseguimos a participar do Finestra del Cuore, uma imaginar exatamente como a pessoa é. E

isso é a essência do rádio, trabalhar com a imaginação, por isso é tão encantador. Mas com a ajuda das redes sociais, a galera já tá bem ligada em como é minha cara. Mas falando em cuidar da voz... antes de cuidar da voz, peço sempre que minhas palavras sejam sempre as melhores, que a minha fala seja a mais sensata. As pessoas ouvem a rádio pra se distrair, se divertir e eu tenho uma responsabilidade muito grande. Por isso, peço sempre sabedoria e agradeço todos os dias por ter a oportunidade de alegrar tantas pessoas, fazendo o que eu amo. A Ju é locutora, apresenta eventos, cantora e tem uma relação intensa com a própria voz. O que isso significa pra ti? O que sua voz pode trazer de bom pras pessoas? Ju: Fico admirada quando recebo mensagens das pessoas falando sobre como a minha voz as motiva, como faz diferença ligar o rádio e ouvir a minha voz, que sentem minha falta quando não estou. Que responsa que eu tenho, né? Bom, só posso agradecer aos professores que tive na vida e as oportunidades. Só quero levar alegria e vibe positiva para as pessoas, o mundo precisa muito disso, urgente! O que Ju Pamplona canta no chuveiro? Ju: A Ju Pamplona tem vergonha de cantar no chuveiro! Risos.

99


SOCIAL “Aconteceu em março, na Adega Rubicon Wine,o workshop A arte de receber bem, ministrado por Evelize Olímpio, consultora de Etiqueta e Julia Aiolfi, Chef de Cozinha. No curso, as participantes tiveram aula de etiqueta, puderam praticar o uso de utensilios,degustaram pratos deliciosos e aprenderam sobre vinhos e espumantes.” Fotos: Camila Raiser

Evelize Olímpio e Julia Aiolfi

Os participantes do workshop

Risos a solta no V12 Comedy Club com a humorista Silvetty Montilla com 30 anos de carreira de uma bagagem de tv, rádio e teatro. Baseados nos clubes de comédias americanos, o projeto V12 Comedy Club será mensal sempre com humoristas convidados de âmbito nacional e regional. Mais informações e agenda na página V12 Comedy Club no Facebook. Fotos: Jomas Ferreira

O produtor André Guesser , Silvetty Montilla e Lais Kuchler

André Guesser, Silvetty Montilla e Renata Baggio

Festa Symbols Lu Areias balaçou a cidade toda na volta da festa Symbols anos 80. Aconteceu no Manchester Hall e relembrou os sucessos dos melhores anos de balada.

Parabéns ao Planeta Idiomas Em março, a escola Planeta Idiomas comemorou 15 anos de sucesso e agradece todos os alunos que formou nos cursos de inglês, espanhol e alemão. Na foto a proprietária Valéria Machado realizada com o empreendimento. Foto: Camila Raiser

100


SOCIAL Jardim Amelie em novo endereço Márcia Tasca e Regis Coimbra recebem seus amigos e clientes no novo endereço do Jardim Amelie - La Délicatesse (Rua Pernambuco, 241). Fotos: Simone Zancanella

Secretto café Cadu DiAzzi e Eduardo Baschung abrem as portas do novo e conceitual Café Secretto, em Joinville. Á direita, Telma Steindorff. Fotos: Vand Rodriguez

Boas –vindas a Bentec Planejados Alex Belo e Eduardo Liz receberam amigos e clientes na inauguração da Bentec concept store. Os ambientes montados na loja, trazem a sensação de estarmos em casa e nos deixa a vontade, sem falar na alta qualidade do atendimento. VALE A PENA UMA VISITA. Fotos: Valéria Grams

101


SOCIAL KIDS

SAMANTHA TEENKIDS

Fazendo parte da evolução do seu filho Fotos: Camila Raiser Beleza: Estudio Beleville Valentina Amor im da Cruz

Pedro Filipi Furtado g Becker Oennin Maria Eduarda Laura e Helena Michinhote Zastrow

Maite Dab erkow Vie dos Santos ira

tz Negherbon Sophia Schwar

Sophia Schw artz Negherb Maria Edua on e rda Schwar tz Abrahão

Bibiana Strelo w Pedro Davi Barros Kloppel

Catarina Andruchechen

Rua Alexandre Dohler, 75, Centro - Joinville/SC - (47) 3028.3326 www.samanthateenkids.com.br


FABÍOLA BERNARDES E-mail: fabiolacolunista@terra.com.br Site: www.fabiolabernardes.com.br Siga no twitter - @FabiolaBernarde Facebook - Fabíola Bernardes

1.

1.

1.

Deise Cristina Mendes e Fátima Camilotti Schulz

Tatiana Silva, Heloisa Braga Araújo Creuz e Maria Aline Lima

1.

Ana Paula Soares e Fabiola Bernardes

Ana Paula Soares e André Agenor Mendes da Luz

1. VALLSA Moda Feminina Inaugura Loja Quanto bom gosto! Adorei conhecer a loja VALLSA que chega a Joinville com grifes mineiras que traduzem elegância e luxo! Pedrarias, rendas, aplicações em tecidos nobres e uma modelagem que deixa qualquer mulher maravilhosa! Os detalhes nas golas, decotes e até nos cortes fazem a diferença, mas o que realmente conta é a simpatia da Ana Paula, a anfitriã! Apostando numa moda diferenciada, a loja é ampla e bem aconchegante, e promete balançar as mulheres que gostam de trabalhar bem vestidas é claro, ir para um evento se sentindo poderosa! Moda clássica, nada convencional, é assim que eu entendo a proposta da VALLSA. Vale conhecer... Rua Aquidaban 490. Fotos: Max Schwoelk

1.

Isac Gonçalves, Ana Paula Soares, Nathalie Pavan Vidal e André Agenor Mendes da Luz

2.

2.

Leandro Karnal, Fabiola Bernardes e João Martinelli

Mario Boehm, João Joaquim Martinelli e Nivaldo Nass

2. 105 anos da ACIJ A ACIJ acaba de dar mais um importante passo na consolidação de sua Governança Corporativa. A implantação de um sistema de ética e a elaboração do Código de Ética ACIJ; um importante instrumento para a comunicação dos princípios, valores e missão da entidade, para seus colaboradores e demais públicos com os quais se relaciona. Organizações sustentáveis estão muito conscientes de que sua reputação corporativa é fruto da comunicação e fortalecimento público de seus valores e ideais. Para comemorar as 105 anos de sua fundação, a ACIJ trouxe para palestrar o Professor Leandro Karnal e foi um verdadeiro sucesso de publico! Fotos: Max Schwoelk

3.

Organizadores e convidados do evento

104


FABÍOLA BERNARDES 3.

3.

Renato Auriemo, Omar Amim Ghanem Filho e Guilherme Auriemo

4.

Josiane Rodrigues de Araújo, Fabiola Bernardes e Mayara Morsch

Enir Beckhauser, Caue Beckhauser Fonseca

4.

Enir Beckhauser com Professores e Formandos da Turma Melhor Mensal 21

4.

Enir Beckhauser, Caue Beckhauser Fonseca e Iara Cosmo da Rocha

4.

3. CO.W. Coworking promove mais um Whipped Cream Renato Auriemo está promovendo excelentes oportunidades nesse novo espaço para fazer negócios em Joinville. A programação de encontros para empreendedores do recéminaugurado CO.W Coworking Space, no Auri Plaza Garten, teve nesta edição a presença de Omar Ghanem Filho, do Ghanem Laboratório, que falou sobre intraempreendedorismo e hipersegmentação, conceitos que vêm sendo aplicados com sucesso na estratégia de gestão de sua empresa. Outros eventos muito interessantes vem por ai. Aguardem!! Fotos: CO.W/Auri Plaza – Divulgação 4. Formatura no Instituto de Parapsicologia e Ciências Mentais de Joinville A turma Melhor Mensal 21 recebeu o certificado de conclusão do curso que revoluciona pelo lado positivo a vida de muitas pessoas, pois o crescimento pessoal é fato e muitas missões são destinadas a eles para fazer o bem e ajudar as pessoas. Ao contrário do que muitas pessoas pensam nada tem a ver com fé ou religião, o curso pode ser uma extensão de diversos outros cursos e formações, pois é um complemento. O ápice da noite foi a homenagem ao fundador Sérgio Fonseca, que já não está mais entre nós, mas que forma juntamente com a diretora Enir Beckhauser seu filho Cauê. Fotos: Miro Fotografia Profissional 5. Sicredi recebe clientes e amigos para jantar Gente que coopera cresce e é assim que o Sicredi leva a risca como filosofia, tratando seus clientes com respeito e também com muito carinho! Chamados pelo nome, um a um, como pessoas especiais fomos recebidos para a Assembleia de Núcleos 2016, mais precisamente da Unidade Centro, que está sob a gerência geral da Andréa Rodrigues da Silva, uma querida além de competente. Adorei participar!! Fotos: Aline Eich

Formandos da Turma Melhor Mensal 21

5.

5.

Nilton Weber, Amanda dos Passos, Rafael Martgnago, Andrea Rodrigues da Silva e Kerlin Taiz Fath

106

Pedro Luiz Peixoto, Carlos Eduardo Borba, Rafael Martgnago, Sandro Bruhns, Roque Dall Pisol e Nilton Floriano


5.

6.

6.

Ana Claudia Silveira, Andrea Di Domenico, Rafaella Ronchi Zinelli, Jeanne Maciel e Ricardo Adriano da Silva

Romeu Retzlaff, Nilton Weber e Murara

6. 6. Comemoração 20 anos FGM Produtos Odontológicos Diretores, colaboradores, amigos e renomados profissionais do segmento odontológico se encantaram com a apresentação da Camerata Bachiana sob a regência do Maestro João Carlos Martins na comemoração dos 20 anos da FGM, atuante no mercado de clareadores dentais na América Latina e ocupando posições de destaque em mais de 100 países. Parabéns a todos da FGM. Orgulho joinvilense! Fotos: Rodrigo Zanin 7. Formatura do Curso Design de Interiores do Centro Europeu Joinville Tivemos a grata satisfação de prestigiar mais uma formatura do Curso de Design de Interiores do Centro Europeu Joinville. O Curso capacita os alunos para desempenharem em uma das profissões mais valorizadas pelo mercado de trabalho. Parabéns formandos e toda equipe do Centro Europeu. Fotos: Leo Waltrick e Flávio Pavlov 8. Empório da Estética faz happy hour em homenagem ao dia da Mulher O Empório da Estética abriu as portas para receber amigas e clientes num maravilhoso happy hour em comemoração ao dia Internacional da Mulher! Foi uma noite incrível com coquetel delicioso, desfile de moda da Loja Live e com a presença da artista plástica Vera Mattar que pintou um quadro durante o evento. Parabéns Deise e sua equipe pela maravilhosa homenagem as mulheres.

Maestro João Carlos Martins

7.

O casal Bianca e Fred Mittelstädt com o filho Henrique Luiz Mittelstädt

7.

Lucienne Daher Laus, Fabiola Bernardes e Suzane Raiter

8.

Sarahelen Espíndula, Suane Raiter, Lucienne Daher Laus, Amanda Schlickmann e Denise Schlickmann

8.

Fabiola Bernardes, Mirian Campos, Joci Zanetti, Deise Bust e Vera Mattar

8.

Josiane De Miranda Gauza e Vanessa De Oliveira

8.

Jack Simonéia e Lia Schuetzler

8.

Márcia Seefeldt, Cássia Cristine de Senna e Thaís Berto Hoepers

Cristiana Salai Steindorff, Sônia Watzko, Anelise Bastos e Luciane Cardoso

107


9.

10.

9.

Cesar Lima, Carolilne Machado, Ana Botofogo e Luan Carlos.

10.

10.

Convidados e Artistas na Estreia da 45ª Coletiva de Artistas Foto: Rodrigo Domingos Victória Pereira comemorou seus 15 anos Foto: Alana Schwoelk

Prêmio lberto Bornschein - Evento anual do Catarinense Pharma que premia o colaborador Destaque de Vendas da equipe - Foto: Alana e Max Schwoelk

9. Ballet Estivemos prestigiando nossa querida Caroline Machado, ex bailarina da Cia Jovem do Teatro Bolshoi em Joinville, que estreou nova temporada no Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com o espetáculo duplo Sétima Sinfonia e Age of Innocence. Parabéns Carol! Seu talento nos emociona e nos deixa cheios de orgulho. Sucesso!!

Marcos Alexandre apresentador do Quadro Conexão Energia no canal 26 da TV Joinville das Flores e a avó, escritora e poeta gaúcha Adélia Einsfeldt

Fabiola Bernardes e Caroline Machado

10.

10.

10.

10.

10.

Dra Danielle Ramos de Carvalho Moritz comemorou seus 40 anos ao lado das amigas no Santa Mistura Foto: Alana Schwoelk

10.

Rodrigo Domingos feliz com a estreia de seu Programa Cambio Cultural no canal 26 da NET TV Joinville das Flores

10.

Aila Gama Meyer e Roberto Meyer comemorando os 5 anos de Henrique Meyer Foto: Alana Schwoelk

A Fotógrafa Silvana Jensen

A fotógrafa Jessica Machado nossa parceira no Evento Estrelas com Champanhe

11.

Jossiane Walber é apresentadora do Programa O Lenho Verde no canal 26 da NET TV Joinville das Flores

Omar Amin Ghanem Filho

11.

Omar Amin Ghanem Filho com o Vereador João Carlos Gonçalves, familiares e amigos

10. Sucesso 11. Omar Amin Ghanem Filho recebe título da Câmera de Vereadores de Joinville A Câmara de Vereadores de Joinville homenageou o empresário Omar Amin Ghanem Filho com o título de Cidadão Honorário de Joinville. O plenário estava lotado de amigos e familiares para prestigiar Omar e não poderia ser diferente, pois sua forte atuação no meio empresarial através de uma gestão inovadora o torna realmente um grande orgulho para todos nós joinvilenses. Seu carisma e alegria estavam ainda mais evidentes com a comemoração dos 40 anos de vida no mesmo dia em que recebeu a homenagem. Muito bom participar de momentos mais que especiais na vida de quem conhecemos há bastante tempo e por quem torcemos e temos um imenso carinho. Parabéns querido Omar! Fotos: Alana Schwoelk

11.

Omar Amin Ghanem Filho com familiares e amigos

Fabiola Bernardes @FabiolaBernarde Fabiola Bernardes Assista no Canal 26 NET Joinville Diariamente às: 08h - 10h13h – 16h – 17h 20h - 23h e meia noite. INÉDITO: 22 h

109


CRÔNICAS DA VIDA REAL Márcia Tasca

SOBRE SOGRAS

e gatos Eu sempre fui daquelas pessoas que ama os animais, mas sempre tive minha preferência pelos cães, que eu julgava serem mais inteligentes, espertos, amorosos e dedicados. A história da minha vida sofreria alterações quando próximo a 2010 conheci o que seria minha futura sogra. Ela, amante dos felinos, me fez enxergar o outro lado da moeda. Era um dia frio em Porto Alegre, e seria minha primeira visita à sogra! Todas as instruções do que falar – e do que não falar – já haviam sido passadas e repassadas. Senti-me como uma atriz Global decorando o texto antes da estreia na novela das nove. A roupa escolhida, a maquiagem, a unha, a sobrancelha, a escova, a depilação, tudo estava em dia, e era chegada a hora. Ao adentrar no apartamento da talvez-quem-sabe-futura-sogra, antes mesmo de receber um beijo, abraço ou de dizer um simpático “boa tarde”, fui apresentada ao “Nenê”, o gato mais lindo do mundo todo (segunda a opinião da sogra, claro). O Nenê é um gato de três patas, meio cinza, meio branco, com uma cara de mau humor eterno. Sem pestanejar, mudei o rumo do meu abraço e me fui em direção ao bichano, que imediatamente soltou um rugido e mostrou seus dentes afiados. Ali estava eu, deixando minha primeira

110

impressão e aquele gato maldoso não foi capaz de me ajudar! Saltou para longe de mim e se enfiou embaixo de uma cama, de onde saiu apenas uns 10 dias depois. Na continuação da visita, ouvi vários comentários do tipo “gato sabe das coisas”, “ele nunca estranha ninguém”, “é um amor de felino”, “vive no colo das visitas”. Sabia que havia perdido minha credibilidade, minha chance, o meu momento. Tentei, por vezes, resgatar o gato lá de baixo, quem sabe faríamos as pazes e tudo seria resolvido. Deitei-me no chão, fiz o tradicional “psi psi psi”, ofereci camarões à grega, mas a única coisa que ganhei foi desprezo e pelos grudados na minha roupa nova. Para situar vocês da importância de me dar bem com o gato: minha sogra mora sozinha com o Nenê, ele dorme com ela, come suas comidas prediletas na hora que quiser, ganha massagem nas costas, conversas longas, brinquedos Fisher Price, é o plano de fundo do celular dela, e é sempre comparado aos netos quando histórias são contadas. Dito isto, eu realmente precisava me posicionar e reconquistar a sogra, caso quisesse casar com aquele homem que eu apenas namorava. De uma lucidez extrema, decidi que eu teria gatos em minha casa,

teria gatos da raça predileta da minha sogra, teria gatos espalhados por todo o canto, adotaria todo gato que visse na rua, teria praticamente um gatil, seria amiga de todos eles, e assim ganharia a confiança e admiração dela. Já no segundo gato, conquistei o coração da sogra, e então decidi parar por aí. Inclusive descobrimos algo em comum: o amor pelos bichanos – e claro, pelo filho dela também. Aqui em casa eles não possuem tantas regalias, se alimentam de ração, não estão na foto de plano de fundo do celular, pois não caberia todo mundo (tenho mais um cachorro e dois filhos), mas ganham muito carinho e atenção. E a minha relação com o Nenê? Ele continua não gostando muito de mim e nem eu dele, mas fizemos um pacto: ele não poderá fazer barulhos estranhos, nem mostrar seus dentes (só quando quiser sorrir, o que acho pouco provável que aconteça), nem correr ao me ver, muito menos se esconder. Poderá sair caminhando normalmente, devagar e me mandando beijos. De minha parte, deposito em sua conta R$100 por mês e levo mimos comestíveis em todas as visitas. Estamos bem! Entre os meses de março e abril comemora-se o dia da sogra (28/04) e do sogro (10/03). Para falar sobre o assunto, e iniciar uma coluna especial e bem peculiar, a revista Duo convidou uma amiga e parceira. Márcia Tasca, empresária, casada com o Régis, mãe de dois filhos e mais três peludos, proprietária de um dos cantinhos mais fofos da gastronomia de Joinville – o Jardim Amelie – La Delicatesse, abre seu coração e suas histórias e divide com a gente, a partir desta edição, suas Crônicas da vida real.


Revista Duo - 037  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you