Issuu on Google+

üúûýŋĊŋüúûþ


Desde 1973


LEGENDAS 1Novos! Vinhos que entram na lista pela primeira vez.

2 Best buys! Vinhos de relação custo-benefício particularmente boa.

3 Mr.Al indica! Sugestões pessoais do Mr.Al.

NOTAS Algumas notas e autores citados nesta lista: RP

Robert Parker, máx. 100

WS

Wine Spectator, máx. 100

RV

Revue du Vin de France, máx. 10*

W&Sp Wine&Spirits, máx 100 WE

Wine Enthusiast, máx. 100

GR

Gambero Rosso, máx. 3

VE

Veronelli, máx. 100

DEC

Decanter, máx 5*

JR

Jancis Robinson, máx. 20

BH

Burghound, máx. 100

Uma “stella” é o reconhecimento do Guia Gambero Rosso para as melhores vinícolas italianas, que tenham recebido pelo menos dez vezes os cobiçados “tre bicchieri”. “tre bicchieri”, máx. pontuação concedida pelo Gambero Rosso. “due bicchieri”, são dados aos vinhos de ótima qualidade, quase ao nível dos grandes.

© Mistral Importadora Ltda. 2001-2013 Todos os textos, mapas e outros conteúdos deste catálogo são de titularidade da Mistral Importadora Ltda., sendo proibida sua reprodução total ou parcial, sob pena de sanções legais.

Tendo em vista que este catálogo permanece em circulação durante vários meses, e que os produtos com os quais trabalhamos são todos importados, os preços deste catálogo são meramente referenciais. Para os preços atuais e efetivos de venda de nossos produtos, que são cotados em reais, consulte nossos vendedores pelo telefone 11 3372 3400, nossos representantes, nossa loja ou nosso site www.mistral.com.br


04

PROMOÇÃO

190

ÁUSTRIA

28

KITS

194

HUNGRIA

32

MAGNUMS

196

LÍBANO

44

ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDE

197

ISRAEL

198

NOVA ZELÂNDIA

ENTREVISTA COM JOSÉ BENTO DOS SANTOS

202

AUSTRÁLIA

206

ÁFRICA DO SUL

ENTREVISTA COM SANDRO BOSCAINI

210

ESTADOS UNIDOS

216

VINHOS 96 A 100 PONTOS

218

ARGENTINA

224

CHILE

230

URUGUAI

232

BRASIL

233

PORTO

234

MADEIRA

234

DESTILADOS E OUTRAS BEBIDAS

58

66

76

86

GRANDES LANÇAMENTOS ESPUMANTES JEREZ ROSADOS

96

FRANÇA

126

VINHOS 90 A 95 PONTOS

130

ITÁLIA

160

PORTUGAL

168

ESPANHA

182

GRÉCIA

186

ALEMANHA

Mr. Al é o mascote da Mistral Ele é um conhecedor, mas, acima de tudo, um grande apaixonado. Seu fanatismo pelo vinho não conhece limites. Ele esclarece aquelas dúvidas que só a experiência consegue elucidar. Mr. Al leu muito e acima de tudo provou e degustou muito, e justamente por isto, é capaz de ensinar aquelas coisas que só se aprende na prática. E, sobretudo, Mr. Al adora descomplicar o vinho. Mande suas perguntas para o Mr. Al por email: mral@mistral.com.br


PROMOÇÃO

promoção especial de final de ano*

VINHOS GRÁTIS, OFERTAS ESPECIAIS E PARCELAMENTO! GANHE VINHOS DE PRESENTE PARA EXPERIMENTAR! Até o final do ano, dependendo do valor de seu pedido, você escolhe vinhos consagrados para ganhar de presente e experimentar! Por exemplo, efetuando um pedido de R$500, você pode escolher uma garrafa de qualquer um dos vinhos relacionados na tabela A. E se fizer um pedido de R$1000, pode escolher uma garrafa de qualquer vinho da tabela B, ou duas garrafas da tabela A. Se fizer um pedido de R$2000, pode escolher uma garrafa de qualquer vinho da tabela C, ou duas garrafas da tabela B, ou quatro garrafas da tabela A. E assim por diante. Como você vai ver, é uma grande variedade de vinhos maravilhosos e premiados à sua escolha. Relacionamos algumas notas e comentários ao lado de cada um para facilitar sua seleção. Aproveite e escolha seus presentes!

* esta promoção é válida para todos os vinhos de nosso catálogo, exceto crus classés de Bordeaux (Médoc, St Émilion, Graves, Pomerol e Sauternes), cru bourgeois de Bordeaux, acessórios, copos ou outros produtos. Não é cumulativa com outras promoções ou descontos, exceto com

4

as promoções “Compre 5 e Leve 6” e “Compre 11 e Leve 12”, e com as condições especiais de parcelamento para pessoa física, até o final do ano. NÃO É VÁLIDA PARA COMPRAS ATRAVÉS DO SITE. Promoção válida até 31/12/2013 ou o final dos estoques e apenas para pedidos de pessoa física.


PROMOÇÃO: LISTA A

LISTA A PEDIDOS A PARTIR DE R$500 Nos pedidos acima de R$500, escolha de presente uma garrafa de algum dos deliciosos e premiados vinhos da lista A, abaixo. E aproveite também nossas condições especiais de parcelamento!

ESPUMANTES 19446 VALLONTANO ESPUMANTE BRUT (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil) Com as uvas Pinot Noir e Chardonnay, as mesmas utilizadas em Champagne, Vallontano elabora este espumante de bastante classe — seco, cheio de fruta e com grande apelo. Uma deliciosa pedida como aperitivo ou mesmo para acompanhar entradas e carnes brancas. Uma ótima descoberta!

21884 LUIS PATO MARIA GOMES 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal) Um vinho leve, fresco e aromático, perfeito para ser bebido como aperitivo ou na companhia de peixes e mariscos, com a assinatura do genial Luis Pato.

23364 MASI PASSO BLANCO PINOT GRIGIO/TORRONTÉS 2011 (Masi Tupungato - Agricola Masi / Mendoza / Argentina) Combinando mais uma vez castas emblemáticas da Argentina com uvas típicas italianas, Masi Tupungato elaborou este branco saboroso e original. Fresco, aromático e cheio de personalidade, é perfeito para acompanhar pratos com acento oriental ou mesmo como um delicioso aperitivo. Mais uma bela surpresa de Masi Tupungato, diferente de tudo que você já provou na Argentina.

24507 PAÇO DE TEIXEIRÓ BRANCO 2011 (Quinta do Côtto / Vinho Verde / Portugal)

19445 VALLONTANO ESPUMANTE MOSCATEL (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil) Delicado e muito aromático, este é um espumante de muito apelo e grande tipicidade. Ele é elaborado com a uva Moscatel e é delicadamente adocicado, sendo perfeito para acompanhar bolos e sobremesas leves, ou para aperitivos.

Um branco delicioso, aromático e excelente, elaborado pela prestigiosa Quinta do Côtto, na divisa entre as regiões do Douro e do Vinho Verde. De boa complexidade, é um vinho de excepcional relação qualidade/ preço e muito apelo, sendo perfeito como aperitivo. É uma verdadeira pechincha!

25670 THE WOLFTRAP WHITE 2012 19444 VALLONTANO ESPUMANTE ROSÉ BRUT (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil) Elaborado com base na casta Pinot Noir, mostra um cativante bouquet de frutas vermelhas.

BRANCOS SECOS 25022 ALAMOS TORRONTÉS 2012 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Ótima novidade, com a mesma extraordinária relação qualidade/preço da linha Alamos. A Torrontés é a uva branca mais emblemática da Argentina, originando vinhos muito aromáticos. O Alamos combina um sedutor e complexo bouquet com ótima acidez, em um conjunto bastante equilibrado, sem a graduação alcoólica elevada de outros exemplares produzidos com esta casta. Uma ótima descoberta!

(Boekenhoutskloof / África do Sul) Deliciosa criação de Mark Kent , o Wolftrap White é um blend refrescante e cheio de notas de frutas e flores. Na boca é super agradável, persistente, com acidez equilibrada e sutil presença da madeira que confere ao vinho complexidade e elegância.

21708 VILLA MONTES SAUVIGNON BLANC 2010 (Viña Montes / Chile) Ótimo e fresco Sauvignon Blanc elaborado por Viña Montes, um dos maiores nomes do Chile. Mostra um apetitoso bouquet de notas cítricas. No palato é fresco e envolvente.

ROSADOS 22514 CLASSIC SYRAH/CABERNET SAUVIGNON ROSÉ 2011 (Viña Carmen / Chile) Um verdadeiro achado, este delicioso rosado chileno é produzido com uvas Syrah e Cabernet Sauvignon por Viña Carmen, um dos maiores nomes do Chile. Como todos os vinhos da linha Classic, é uma escolha de espetacular relação qualidade/preço!

23896 CONDE DE VALDEMAR ROSADO 2011 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha) Recém lançado pelas tradicionais Bodegas Valdemar, este é o melhor rosado da vinícola, elaborado com as castas Garnacha e Tempranillo. Logo na primeira safra já arrematou a Medalha de Ouro no concurso “Le Mondial du Rosé”, na França, e foi apontado como um “Best Buy” pela Wine Enthusiast.

24323 COPA REAL ROSADO 2011 (Cosecheros y Criadores - Martinez Bujanda / Espanha) Leve e fresco, com bom corpo e boa acidez, este saboroso rosado apresenta uma excelente relação qualidade/preço.

25391 MARIUS ROSÉ 2012 (M. Chapoutier / Rhône / França) Uma grata surpresa é a versão rosé da fabulosa linha Marius, que o consagrado enólogo Michel Chapoutier produz na emergente região de Languedoc-Roussillon. Assim como o Marius tinto e o Marius branco, o rosé é impregnado do charme do sul da França, caprichosamente talhado para combinar com a gastronomia dos despojados bistros e brasseries. Com uma cor atraente, de pétalas de rosas, é um vinho delicado, mostrando notas florais no aroma e um palato agradável, rico em frutas brancas e com impecável acidez. Simplesmente delicioso, com uma qualidade muito superior a que seu preço pode indicar. O corte de Grenache e Syrah é perfeito para combinar com saladas, grelhados e pratos leves, mas também é ótimo como aperitivo.

5


PROMOÇÃO: LISTA A

22082 CABERNET D’ANJOU 2008

22652 CIRANDA TINTO 2010

25657 DANIE DE WET PINOTAGE BIO 2013

(Domaine des Baumard / Loire / França)

(Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal)

(De Wetshof / África do Sul)

Um rosado delicado, típico do Loire, com a prestigiosa assinatura de Florent Baumard.

(Domaine Guy Saget / Loire / França)

O saboroso Ciranda já nasce como um dos vinhos de melhor relação qualidade/preço do Alentejo. Cheio de fruta e sabor, mas sem o caráter enjoativo de alguns tintos da região, é um vinho perfeito para ter sempre na adega.

Famoso e típico rosado do Loire, fácil de beber, com um agradável sabor levemente adocicado.

24090 CISPLATINO TANNAT/MERLOT 2010

Pouco tempo após seu lançamento, o Pinotage Bio já é apontado como o Pinotage de melhor relação qualidade/preço do mercado. Elaborado com uvas de cultivo biológico, é macio e sedoso, mostra o caráter varietal da emblemática casta sul-africana sem os aromas desagradáveis encontrados nos exemplos mais comerciais. Uma ótima introdução à esta casta

24115 ROSÉ D’ANJOU 2011

TINTOS 22459 ALAMOS SYRAH 2010 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Ótimo Syrah produzido por Catena Zapata, que matura por 9 meses em barricas de carvalho francês e americano. No nariz aparecem aromas de frutas maduras e especiarias. Incrível relação qualidade/preço.

(Pisano / Uruguai) Este saboroso tinto uruguaio possui excelente relação qualidade/preço. Ele é elaborado com Tannat e um pouco de Merlot, que amacia a firme estrutura tânica da emblemática uva uruguaia, possuindo um toque apenas tostado, que lhe transmite um caráter especial e saboroso. A fruta está muito presente, sendo um vinho potente na boca, com amplos aromas.

24176 CLASSIC CARMÉNÈRE 2011 (Viña Carmen / Chile)

23709 ALAMOS TEMPRANILLO 2011 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Elaborado com uvas selecionadas de um excelente vinhedo da região de Rivadavia, o Alamos Tempranillo mostra que a emblemática casta espanhola se adaptou muito bem a este micro-clima argentino. Rico, cheio de fruta madura e muito saboroso, mostrando elegantes notas de carvalho, é um tinto cativante, de excepcional relação qualidade/ preço, como toda a linha Alamos.

24504 ALTANO 2010 (Altano / Symington / Douro / Portugal) Fantástico achado, o delicioso Altano foi indicado simplesmente como uma das “Melhores Relações Qualidade/Preço em todo o mundo” pela Wine Spectator! A revista também o classifica como um dos maiores “Top Value” de Portugal. É um corte rico e saboroso de Tinta Roriz, Touriga Franca e Tinta Barroca, elaborado na Quinta do Sol, propriedade da famosa família Symington no Douro..

6

Saboroso tinto elaborado com a mais emblemática casta chilena, a Carménère, originária de Bordeaux. É parcialmente barricado, para manter toda a exuberância da fruta. O bouquet é bastante complexo e cativante. Na boca mostra taninos suaves e macios, com sabor de gelaia de frutas vermelhas, notas de menta e especiarias.

24321 COPA REAL ORO TEMPRANILLO 2009 (Cosecheros y Criadores Martinez Bujanda / Espanha) Saboroso “vino de la tierra” de Castilla, elaborado de 100 % Tempranillo. Após passar 6 meses em barricas de carvalho americano fica com aroma de fruta madura com toques de baunilha e especiarias. Na boca é equilibrado e redondo.

24521 INFINITUS CABERNET SAUVIGNON/TEMPRANILLO 2010 (Cosecheros y Criadores Martinez Bujanda / Espanha) Saboroso tinto produzido por Cosecheros y Criadores, bodega dos mesmos proprietários das Bodegas Martinez Bujanda. O Infinitus é afinado em barricas de carvalho americano, resultando em um vinho macio e envolvente, de ótima relação qualidade/preço, perfeito para o dia a dia.

25589 MASI TUPUNGATO MALBEC 2012 (Masi Tupungato - Agricola Masi / Mendoza / Argentina) Atendendo a pedidos, a Masi Tupungato elaborou um novo e saboroso vinho exclusivamente com a uva Malbec. Trata-se de um tinto denso, cheio de fruta e especiarias e com um cativante toque de chocolate no final de boca — além de todo apelo gastronômico dos vinhos de Masi. As uvas são cultivadas no Vale do Uco, em vinhedos entre 950 e 1050 metros de altitude. É um excelente achado da Argentina, com a assinatura de um dos grandes nomes do mundo do vinho.

25026 MONTEPULCIANO D’ABRUZZO VASARI 2011 (Barba / Abruzzo / Portugal)

23029 DANIE DE WET CABERNET/ MERLOT BIO 2011 (De Wetshof / África do Sul) Elaborado com um corte de 85% Cabernet Sauvignon e 15% Merlot cultivadas de maneira sustentável, este novo tinto de De Wetshof é macio e cheio de notas de fruta no palato. Um belo achado.

Premiado com os “due bicchieri” do Gambero Rosso, além da estrela por sua excepcional relação qualidade/preço, o Vasari é uma das maiores pechinchas do vinho italiano. Combina um frutado saboroso com um toque terroso, que deixa o vinho perfeito para acompanhar diversos pratos.


PROMOÇÃO: LISTA A

23419 MONTES MALBEC RESERVA 2011

23474 THE WOLFTRAP BLEND 2011

(Viña Montes / Chile)

(Boekenhoutskloof / África do Sul)

Ótimo Malbec produzido no Chile por Viña Montes. Mostra um perfil bem distinto dos produzidos na Argentina com estilo próprio, que vale a pena ser descoberto.

Boekenhoutskloof é uma das mais premiadas e competentes vinícolas da África do Sul. Elaborado com um blend de muitas uvas tintas diferentes, o Wolftrap é bastante saboroso e fácil de agradar, tendo sido indicado pela Wine Spectator como uma das melhores relações qualidade/preço no mundo todo.

24126 MOULIN DE GASSAC SYRAH 2011 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França) Tinto de ótima relação qualidade/preço produzido por Mas de Daumas Gassac. Mostra toda a exuberância de fruta da Syrah em um tinto macio e muito prazeroso.

23293 NATIVA TERRA RESERVA CARMÉNÈRE 2009 (Nativa / Chile) Este ótimo Carménère elaborado por Nativa é produzido de maneira totalmente orgânica. Mostra ótima presença no palato e tipicidade, com uma bela profundidade de fruta. Um ótimo exemplo desta que é a casta mais emblemáticas do Chile e que foi descoberta 19 anos atrás justamente nos vinhedos da Viña Carmen, fundadora da vinícola Nativa.

24880 RIO DE LOS PÁJAROS PINOT NOIR RESERVA 2010 (Pisano / Uruguai) Este novo Pinot Noir de Pisano mostra bastante caráter varietal, com notas terrosas e um frutado maduro que lembra cerejas. Maturado em barricas de carvalho francês, mostra boa concentração e um leve toque tostado.

25396 VALLONTANO RESERVA TANNAT 2009 (Vallontano/ Vale dos Vinhedos / Brasil) Vallontano é provavelmente o melhor produtor de Tannat do Brasil. Seu Tannat de base foi considerado um dos 5 melhores vinhos do país por Ed Motta e esta versão Reserva, de minúscula produção é ainda melhor. Bastante expressivo, com muita personalidade, é um vinho cheio e estruturado, com um belo bouquet e um estilo que não faz concessões a modismos. Um vinho que merece ser decantado, de excelente relação qualidade/preço.

24325 VIÑA BUJANDA TINTO 2011 (Viña Bujanda / Rioja / Espanha) Elaborado com uvas de vinhedos localizados em Rioja Alavesa e Rioja Alta, incluindo uma parcela excepcional – “El Seminário” próxima a Logroño. O Viña Bujanda é produzido exclusivamente com a casta Tempranillo de vinhedos antigos e vinificados com uma aboradagem moderna. O Viña Bujanda tinto não passa por barricas, sendo uma ótima companhia para massas e carnes mais leves.

25145 ROSSO PICENO 2011 (Saladini Pilastri / Marche / Itália) Saboroso tinto italiano, elaborado com uvas de videiras antigas, cultivadas organicamente, mostra grande equilíbrio. Marcante e envolvente, é um belo achado em nosso catálogo, em um estilo fácil de beber, que combina muito bem com comida.

7


PROMOÇÃO: LISTA B

LISTA B PEDIDOS A PARTIR DE R$1000 Em pedidos de valor acima de R$1000, escolha de presente uma garrafa de algum dos fantásticos vinhos da lista B abaixo, ou 2 garrafas da lista A. São tantas boas opções que talvez seja difícil escolher‥Aproveite!

ESPUMANTES 24155 CREDE PROSECCO DI VALDOBBIADENE BRUT 2011 (Bisol / Veneto / Itália) O nome “ Crede” se refere ao subsolo da região onde as uvas deste prosecco são cultivadas. É um solo composto por arenito e argila de origem marinha e tem o nome de “Crede” nessa região de Vêneto. Este terreno beneficia a uva de diversas formas: protege da seca em periodos críticos, propicia uma riqueza incomum de ácidos nobres (característica importantíssima nos vinhos espumantes) e aromas varietais nas uvas.

22794 ESPUMANTE BAGA ROSADO BRUTO 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal) Uma escolha diferente e cheia de charme, este belo espumante rosado é elaborado com a uva Baga pelo famoso Luís Pato. Com um aroma intenso e uma bela coloração salmonada, ele é delicioso na boca, bem seco e refrescante, com boa concentração e grande estrutura. Encorpado e complexo, com excelente relação qualidade/preço!

21641 PROSECCO DI VALDOBBIADENE BOSCO DI GICA BRUT (Adriano Adami / Veneto / Itália) “O espumante mais seco de Adami, Bosco di Gica é elaborado com uvas Glera e até 5% de Chardonnay de ótimos vinhedos nas comunas de Valdobbiadene e Vidor, os primeiros da família Adami. O aroma é delicado e perfumado, de boa intensidade. Na boca é frutado, de boa estrutura, refrescante e com uma ótima acidez. Ele já foi eleito o melhor Prosecco entre todos os avaliados pela revista inglesa Wine, com 93 pontos! Segundo a revista, “Isto é Prosecco em seu melhor. O nariz é fantasticamente aromático, a mousse é fina e elegante e ele é perfeitamente equilibrado na boca. Elegante e delicioso de beber”.

Os espumantes Jeio são talhados com uvas selecionadas das melhores videiras das colinas de Prosecco, que se expressam em vinhos delicados, com um bouquet que combina notas frutadas, florais, e um palato aveludado e cheio de frescor. Nas palavras de Robert Parker, o Jeio Spumante Brut é “repleto de caráter varietal” e “saboroso e acessível”. Para a Wine Spectator é “um atraente aperitivo”. Fácil de gostar, ele combina as uvas Glera, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

8

(Viña Garcés Silva - Amayna / Chile) Um grande Chardonnay produzido na fria região de San Antonio, talvez a mais entusiasmante descoberta no Chile para brancos de grande finesse. Muito sofisticado e elegante, mostra muita classe e ótima presença de boca. Para Parker “é uma revelação para os Chardonnay chilenos”.

20398 ARTADI VIURA 2008 (Artadi / Rioja / Espanha)

JEREZ

Este raríssimo branco é elaborado por Artadi com uvas da variedade tipicamente riojana Viúra, de vinhas muito antigas, plantadas no mesmo vinhedo do famoso Pagos Viejos há mais de 80 anos. Maturado com as borras por 24 meses, é um vinho bastante profundo e denso, com ótima presença no palato.

2244 FINO HIDALGO

24369 AUSSIÈRES BLANC 2010

(Hidalgo / Jerez / Espanha) Vinho generoso do tipo Jerez, da categoria Fino. É leve, seco e com um retrogosto refrescante e longuíssimo. Os xerezes Fino e Manzanilla são os únicos vinhos de aperitivo a rivalizarem com os Champagnes.

BRANCOS SECOS 23850 ALMA NEGRA MISTÉRIO BLANCO 2011 (Tikal - Ernesto Catena / Mendoza / Argentina) Mais uma excelente criação de Ernesto Catena. Este branco tem um nariz muito convidativo, cheio de frutas bem integradas com a madeira. Na boca se mostra untuoso, com ótima acidez e longo final.

25544 JEIO SPUMANTE (Jeio / Veneto / Itália)

23937 AMAYNA CHARDONNAY 2009

23795 ALVARINHO SOALHEIRO 2011 (Soalheiro / Vinho Verde / Portugal) Sempre nas listas dos melhores Alvarinhos de Portugal da imprensa especializada, é proveniente da sub-região de Monção, que produz os melhores vinhos verdes. Delicioso, cheio de charme e frescor, mais encorpado e complexo do que os outros vinhos verdes

(Domaine D’Aussières / Languedoc-Roussillon / França) Estudando as uvas Chardonnay plantadas em uma pequena parcela dos vinhedos do Domaine d’Aussiéres na região de Corbières, a equipe técnica do Château Lafite Rothschild – proprietários da vinícola – decidiu elaborar um branco limpo e puro – delicado e sem contato com barricas de carvalho. O Aussières é um branco despretensioso, em um estilo que agrada todos.

24073 BALUARTE VERDEJO 2011 (Julián Chivite / Rueda / Espanha) Fresco e aromático, o Baluarte é elaborado com uvas 100% Verdejo de vinhedos antigos e de baixos rendimentos plantados na região de Rueda. Com uma refrescante acidez e apetitosas notas florais e de frutas maduras, é um delicioso vinho de aperitivo.

25380 CELEBRATION VIOGNIER 2012 (Château de la Tuilerie / Rhône / França) O Celebration Viognier é um branco sedutor, com notas de damasco, mel e jasmim, perfeito para as refeições leves do dia a dia, ou acompanhando aperitivos.


PROMOÇÃO: LISTA B

22111 CONDE DE VALDEMAR FERMENTADO EN BARRICAS 2010 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha) “Este ótimo branco barricado tem muita personalidade e é bastante típico dos melhores vinhos brancos tradicionais da Rioja. Elaborado apenas com a casta Viura de um vinhedo singular na subregião de Rioja Alta – o Alto Cantabria – , é seco e volumoso, com notas de maçã cozida e cítricas combinadas às da madeira e com uma textura bastante sedosa. Ideal para acompanhar pratos de bacalhau e carnes brancas em geral.”

24271 GRECO DI TUFO DOCG 2011 (Mastroberardino / Campania / Itália) Ótimo branco do Sul da Itália, talvez o mais histórico do país. A uva Greco foi introduzida na região antes da fundação de Roma. Para a Wine Spectator, é “sempre um vinho de muita, muita qualidade”, concedendo sempre excelentes notas. Mostra um bouquet cheio de fruta, bem típico da casta. Na boca é delicado, com ótima acidez.

24591 ISABEL ESTATE SAUVIGNON BLANC 2011 (Isabel Estate / Nova Zelândia)

22202 CÔTES-DU-RHÔNE PARALLÈLE 45 BLANC 2010 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França) Muito bom branco jovem, frutado e fresco de várias uvas. Tem aroma rico e intenso de frutas frescas. Na boca é redondo, harmônico e com um leve toque de acidez. Ótima relação qualidade/preço.

23170 EL ENEMIGO CHARDONNAY 2009 (El Enemigo / Mendoza / Argentina) “Assinado por Alejandro Vigil, um dos mais talentosos enólogos argentinos da atualidade, este vinho confere uma nova dimensão aos brancos de Mendoza. Uvas de Tupungato, cultivadas a 1500 metros de altitude, são fermentadas em barricas de carvalho francês, originando um branco intenso e cheio de caráter. No nariz, impõem-se notas de frutas cítricas e aromas minerais. No palato, é untuoso, com fruta madura e grande frescor. O El Enemigo Chardonnay é um branco sério e persistente, que já nasce como um dos grandes destaques da Argentina.”

24324 FINCA MONTEPEDROSO VERDEJO 2011 (Finca Montepedroso / Rueda / Espanha) “Este delicioso Verdejo é um branco refinado, repleto de fruta e mineralidade, com uma perfeita acidez, no mais típico estilo dos bons Rueda. É um vinho cativante e autêntico, que combina as melhores características da região com um estilo moderno conferido pelo enólogo Lauren Rosillo, que tem larga experiência na vinificação de brancos na África do Sul e Nova Zelândia.”

“Na opinião da revista Wine Enthusiast, “acerta na mosca o estilo do país. Tão aromático quanto é possível ser, com toques de abacaxi, maracujá, grama e ervilhas. Como se não bastasse, o palato é redondo e impecável, com camadas de frutas tropicais e sabores doces e cítricos. Termina longo e preciso, com um frescor radiante”. Ele ficou em primeiro lugar entre todos os Sauvignon Blanc da Nova Zelândia avaliados pela revista, com 91 pontos e o “Editor’s Choice”. Finíssimo e excelente!”

22692 PEPESTRINO 2009 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália) Elaborado com uma saborosa combinação das castas Trebbiano, Chardonnay e Sauvignon Blanc, o Pepestrino foi criado para ser uma ótima escolha para iniciar uma refeição. Fresco e bastante aromático, pode acompanhar peixes ou mesmo ser bebericado sozinho.

24316 PICPOUL DE PINET 2011

24435 SHÀRIS CHARDONNAY/ RIBOLLA GIALLA 2011 (Livio Felluga / Friuli / Itália) Delicioso branco friulano elaborado com as castas Chardonnay e Ribolla Gialla.

25013 SEMILLON COLUMBIA VALLEY 2011 (L’Ecole N° 41 / Washington / Estados Unidos) Rico e potente, com agradáveis notas cítricas, o Semillón de L’Ecole N° 41 foi classificado com 90 pontos por Robert Parker na safra 2011, sendo apontado como uma “fantástica pechincha”.

23158 TOKAJI FURMINT MANDOLÁS 2009 (Tokaji Oremus - Vega Sicilia / Tokaji / Hungria) Grande descoberta, o Mandolás é o delicioso branco seco elaborado por Oremus (Vega Sicília) na Hungria, com uvas Furmint. O aroma é intenso e complexo, com toques cítricos. Na boca é muito saboroso e rico, pleno e encorpado, com grande finesse e um toque amanteigado. Muito aromático e com perfeita acidez, é um vinho apaixonante, de excelente relação qualidade/preço. Muito recomendado!

24873 TRÊS BAGOS BRANCO 2011 (Lavradores de Feitoria / Douro / Portuga) Ótimo branco do Douro, elaborado com as castas autóctones Viosinho, Gouveio e Mavasia Fina. Delicado, com notas florais e de fruta branca e um toque de madeira bem integrado. Fresco, equilibrado e amplo, com boa complexidade.

(Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França)

ROSADOS

“É uma releitura desse branco tradicional talhado com a uva Picpoul. Extremamente fresco e com um cativante toque floral, é um vinho aconselhado para acompanhar saladas, peixes e frutos do mar, deixando a refeição mais sofisticada. Uma verdadeira descoberta para os apreciadores de brancos delicados.”

22757 CÔTES DU RHÔNE BELLERUCHE ROSÉ 2010

24516 SCHIEFERKOPF SYLVANER 2010 (M. Chapoutier / Alsace / França) O Sylvaner é deliciosamente cítrico e floral, como os melhores exemplares elaborados com a casta Riesling.

(M. Chapoutier / Rhône / França) Delicioso rosado assinado por Michel Chapoutier, um dos maiores enólogos da França, reverenciado pelos mais importantes jornalistas da imprensa especializada. O corte com Grenache, em maior proporção, além de Cinsault e Syrah, resulta em um vinho cativante, que combina notas de frutas vermelhas, ervas e flor de laranjeira. De corpo leve e muito agradável, “tem um final de boca elegante”, segundo a Wine Spectator. Ótima pedida para acompanhar refeições leves ou como aperitivo.

9


PROMOÇÃO: LISTA B

23970 MAS AMOR 2011 (Huellas / Priorato / Espanha) O Mas Amor é um delicioso rosado de Garnacha da DO Cataluña. Seco e refrescante, é uma companhia perfeita para diversos tipos de tapas.

24255 MISTRAL VANNIÈRES ROSÉ 2011 (Château Vannières / Provence / França) É o vinho emblemático da Provence, evocando imediatamente o clima, os temperos e os perfumes desta bela região francesa. É um sério rosé, de muito charme, bom corpo e grande finesse. Elaborado com Grenache e Cinsault. Altamente recomendado.

21027 ROSAS VINITO D’HAUTE SERRE 2009 (Château de Haute Serre / Sud-Ouest / França) Com uvas Malbec plantadas no histórico Château Haute Serre em Cahors, a família Vigoroux elabora este cativante rosado. É um rosé talhado para mostrar como a Malbec, na sua região de origem, pode também originar as saborosas notas de fruta que tornaram a casta famosa na Argentina. Um rosado que oferece grande prazer como aperitivo, é também uma boa pedida para acompanhar entradas.

25228 ROSATO 2012 (Castello di Ama / Toscana / Itália) Um dos rosados preferidos de Jancis Robinson, o delicioso Rosato do Castello di Ama é fresco, seco e muito saboroso, acompanhando uma grande variedade de pratos. Uma excelente pedida para substituir um vinho tinto em dias mais quentes.

TINTOS 23070 AGIORGITIKO BY GAÍA 2009 (Gaía / Grécia) Após mostrar ao mundo o enorme potencial da casta Agiorgítiko para produzir vinhos de classe mundial, com o celebrado Gaía Estate, Gaía elaborou este fantástico tinto, para ser apreciado enquanto o suntuoso Gaia Estate ainda não está pronto. Uma das revelações do Decanter Fine Wine Encounter, foi considerado como um dos 5 melhores vinhos de castas autóctones, classificado como “Altamente Recomendado” pela revista.

10

25157 ANGELICA ZAPATA CABERNET FRANC 2009 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Atendendo a pedidos, trouxemos uma pequena partida do raro Angelica Zapata Cabernet Franc, antes destinado exclusivamente ao mercado argentino. Elaborado com uvas dos vinhedos Altamira e La Pirámide, de baixíssimos rendimentos, mostra um estilo que lembra alguns dos famosos vinhos de St Emilion em Bordeaux, com uma pronunciada elegância. Um vinho de longa guarda, que deve ficar ainda mais fino após alguns anos em garrafa.

25159 ANGELICA ZAPATA MERLOT 2009 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Complexo e sofisticado, o cativante Angelica Zapata Merlot é um pouco mais macio e sedoso que cultuado Angelica Malbec, sendo uma companhia perfeita para massas, pizzas e até hamburgeres. Um vinho de pequena produção, antes vendido somente na Argentina, é uma verdadeira revelação para quem ainda não provou um grande Merlot deste país.

20397 ARTADI TEMPRANILLO 2008 (Artadi / Rioja / Espanha) Uma deliciosa novidade de Artadi, o Tempranillo é elaborado com uvas de vinhedos plantados em altitudes elevadas. Para preservar os exuberantes aromas do vinho, apenas 50% do tinto passa por barricas de carvalho. Rico e cheio de fruta, com ótimo volume de boca, é um dos grandes achados da Rioja.

24718 ATTECA OLD VINES 2010 (Bodegas Ateca / Aragón / Espanha) Elaborado com uvas Garnacha de vinhedos muito antigos – alguns com mais de 120 anos de idade – o impressionante Atteca é maturado 10 meses em barricas de carvalho. Para Robert Parker, ele mostra “impressionantes aromas minerais, de cerejas pretas e ameixa”. Já a Wine Spectator destacou a ótima estrutura e as notas de chocolate do tinto.

19706 ATTITUDE PINOT NOIR 2008 (Pascal Jolivet / Loire / França) Pascal Jolivet elaborou com maestria este Pinot Noir delicado e cheio de nuances. Mostra um agradável frutado e um toque macio e sedoso no palato. É um vinho que combina muito bem com carnes leves ou até mesmo peixes.

23083 BARBERA D’ASTI L’AVVOCATA 2010 (Luigi Coppo / Piemonte / Itália) “Uma fantástica escolha” na opinião de Robert Parker, o Barbera d’Asti L’Avvocatta é elaborado sem passar por barricas novas. Trata-se de um tinto muito aromático, mostrando uma ótima profundidade de fruta e um estilo inegavelmente italiano. A excelente acidez, característica da Barbera, e a exuberância da fruta, tornam este vinho muito fácil de ser combinado com uma vasta gama de pratos. Na boca é fresco, elegante, aveludado e muito saboroso.”

23249 BARCO REALE DI CARMIGNANO 2009 (Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália) O Barco Reale di Carmignano é uma versão um pouco mais leve do reputado Carmignano de Capezzana. Robert Parker classificou o Barco Reale como um vinho de “fantástica relação qualidade/preço”, atribuindo ao tinto 88 pontos na última safra avaliada. Maturado em tanques de aço para valorizar as notas de fruta, é um vinho de ótimo apelo gastronômico.

22411 BARDOLINO CLASSICO FRESCARIPA 2010 (Agricola Masi / Veneto / Itália) Tinto do Veneto que usa as mesmas castas e possui as mesmas características de seu primo mais famoso, o Valpolicella, porém sendo mais delicado. Também para ser bebido jovem e levemente resfriado. Perfeito para os dias mais quentes.


PROMOÇÃO: LISTA B

24959 BARISTA PINOTAGE 2011 (Barista / África do Sul) Delicioso e suculento, o exuberante Barista é um tinto carismático, que encanta fácil. Este excelente lançamento da África do Sul tem um caráter hedonista, repleto de frutas maduras e um notável toque de café, chocolate e ameixas. Ele é elaborado com a casta tipicamente sul-africana Pinotage, vinificada com perfeição e parcialmente fermentada em barricas de carvalho tostadas. O enólogo é o talentoso Bertus Fourie, um dos mais reputados da África do Sul. Um grande achado!

22410 CAMPOFIORIN ROSSO DEL VERONESE 2008

23050 CAPANNINO SANGIOVESE IGT 2008

(Agricola Masi / Veneto / Itália)

Castello del Terricio produz alguns dos mais disputados Supertoscanos, sempre classudos e cheios de personalidade. Capannino é um delicioso Sangiovese feito em um estilo que agrada a todos, sendo também perfeito para acompanhar comida.

Verdadeiro clássico italiano, o Campofiorin é produzido pela técnica de “dupla fermentação”, que consiste em passificar uma parte das uvas e adicionar estas uvas passificadas ao vinho elaborado com uvas “frescas”. Este processo desencadeia uma segunda fermentação, extraindo mais cor, aromas e complexidade. Muito elogiado pela Wine Spectator, este delicioso tinto apresenta uma ótima relação qualidade/preço.

23392 BEAUJOLAIS-VILLAGES 2010

24062 CANTO DE APALTA 2010

(Joseph Drouhin / Bourgogne / França)

(Lapostolle / Chile)

Drouhin produz alguns dos melhores Beaujolais, frescos e marcantes, bem diferentes dos exemplos mais comerciais.

“O tão aguardado Canto de Apalta é uma fantástica novidade para os admiradores do grandioso Clos Apalta, que já foi eleito o melhor vinho do mundo pela Wine Spectator. O tinto é elaborado com um corte semelhante ao Clos Apalta e preenche uma lacuna entre a linha Casa e os sofisticados Cuvée Alexandre. Trata-se de um saboroso corte de Carmenère, Merlot, Cabernet Sauvignon e Syrah com uma suntuosa combinação de aromas – frutas vermelhas e negras, especiarias, tabaco, chocolate e notas mentoladas – e um paladar maduro e redondo. Tem uma finesse que lembra os tintos europeus aliada à concentração de frutas típica dos exemplares do Novo Mundo. As uvas do Canto de Apalta são cultivadas no Vale de Rapel, sendo uma parte dos vinhedos da mesma zona que dá origem ao ícone da bodega: o Clos Apalta. Sua vinificação também segue uma filosofia de intervenção mínima – com uso de leveduras indígenas, ausência de clarificação e uma suave filtragem, que aliada ao semelhante corte de uvas rendeu ao vinho o apelido de “Clos Apalta dos dias de semana”.

24564 BRACCALE 2010 (Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália) Com a assinatura do cultuado enólogo Jacopo Biondi Santi, o Braccale é um cativante corte de Sangiovese e Merlot. Musculoso, repleto de notas de especiarias, frutas vermelhas, tabaco, couro e menta e com uma profundidade sedutora, é um tinto de surpreendente qualidade para a sua faixa de preço. Bastante gastronômico, combina com carnes, massas e queijos.

24246 BROUILLY DOMAINE DES BALLOQUETS 2010 (Louis Jadot / Bourgogne / França) Brouilly é um dos melhores Crus de Beaujolais, originando tintos complexos e de ótimo corpo, bem diferentes dos exemplos mais genéricos e comerciais da região. Louis Jadot elabora este ótimo vinho da mesma maneira que os seus disputados Grands Crus.

25016 CABERNET SAUVIGNON PARDUCCI 2009 (Mendocino / California / Estados Unidos) Delicioso Cabernet Sauvignon elaborado por Mendocino na Califórnia.

(Castello del Terriccio / Toscana / Itália)

23555 CARMÉNÈRE PIÙ 2009 (Inama / Veneto / Itália) Um surpreendente Carménère do Vêneto, o Carménère Più é elaborado com a casta Carménère cortada com pequenas parcelas de Merlot e Raboso Veronese. Logo em sua primeira safra foi descrito como “fantástico” por Robert Parker, que classificou o 2007 com 90 pontos. Trata-se de um vinho rico e saboroso, repleto de notas de frutas maduras e um interessante toque herbáceo no palato.

22995 CELLAR SELECTION PINOT NOIR HAWKE’S BAY 2011 (Sileni Estates / Nova Zelândia) Elegante Pinot Noir da Nova Zelândia elaborado por Sileni, de excelente relação qualidade/ preço. Mostra exuberante bouquet de frutas maduras e um delicioso toque sedoso no palato.

22972 CH. LA BUTTE VIEILLES VIGNES 2007 (Château La Gatte / Bordeaux / França) Este saboroso tinto do Château La Gatte é elaborado com uvas Merlot de videiras muito antigas, de 50 anos de idade, plantadas de modo a obterem um rendimento minúsculo. O resultado é um vinho concentrado, cheio de nuances, mantendo o típico estilo bordelais. Mesmo sendo produzido em quantidades muito limitadas, apresenta ótima relação qualidade/preço.

21154 CANTOS DE VALPIEDRA 2007 (Finca Valpiedra / Rioja / Espanha)

23597 CH. LE MONT D’OR 2006

Talhado como os grandes châteaux de Bordeaux, o consagrado Finca Valpiedra é um dos únicos Rioja de vinhedo único, sendo um dos maiores vinhos desta região. Nos mesmos moldes dos châteaux, a prestigiosa propriedade produz seu excelente “segundo vinho”, o Cantos de Valpiedra, cheio de finesse e elegância, com um inconfundível acento espanhol. Excelente relação qualidade/preço.

(Petits Châteaux / Bordeaux / França) Este saboroso Bordeaux da AOC Montagne Saint Emilion mostra ótima pegada e é uma seleção especial de Jean Pierre Moueix, do Chateaux Petrus. Macio e cativante, mas com distinto toque clássico no palato, é um vinho de excelente relação qualidade/ preço, perfeito para acompanhar comida.

11


PROMOÇÃO: LISTA B

22583 CHIANTI CETAMURA 2010 (Badia a Coltibuono / Toscana / Itália) Delicioso Chianti, no melhor estilo tradicional, o Cetamura é elaborado pela milenar Badia a Coltibuono. Saboroso, com ótimas notas frutadas, com um perfil fácil de gostar, é ideal para acompanhar comida, principalmente massas e risotos. Excelente relação qualidade/preço.

19655 CHIVITE BIOLÓGICO MERLOT 2007 (Julián Chivite / Navarra / Espanha) Totalmente orgânico, o Chivite Biológico Merlot é elaborado de maneira rigorosamente biológica, usando rolhas, garrafas e embalagens recicladas. Além de trazer o menor impacto possível para o meio ambiente, é um tinto delicioso: macio e sedoso no palato, com muita fruta madura e sofisticadas notas de carvalho francês.

21401 CIRÒ RISERVA DUCA SANFELICE 2008 (Librandi / Calabria / Itália) Com as máximas 3 estrelas azuis do Guia Veronelli, o rico Riserva Duca Sanfelice é uma das maiores expressões de Cirò, o mais emblemático vinho da Calábria. Maturado 3 anos em tanque de aço inox, este belo tinto combina ótima complexidade com grande exuberância e frescor. Excelente relação qualidade/preço.

24407 CLOUDLINE PINOT NOIR 2009 (Domaine Drouhin Oregon / Oregon / Estados Unidos) Após colocar o estado do Oregon no mundo do vinho, Véronique Drouhin-Boss criou um novo projeto com um objetivo claro: elaborar o Pinot Noir de melhor relação qualidade/preço dos Estados Unidos. Em pouquíssimos anos, a linha Cloudline já é umas das marcas de maior sucesso de Oregon, produzindo vinhos leves mas carnudos, cheios de personalidade e de grande apelo varietal. O Pinot Noir é um verdadeiro achado – fino e sedoso, com um delicioso toque francês.

12

23893 CONDE DE VALDEMAR CRIANZA 2007

24396 DOMAINE TOURNON MATHILDA SHIRAZ 2010

(Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha)

(M. Chapoutier / Austrália)

Tinto da denominação Rioja - a mais famosa da Espanha - da categoria de “Crianza”, isto é “criado” em madeira. É um vinho de guarda, recomendado para aqueles que apreciam vinhos com um bouquet complexo, onde o carvalho está bem equilibrado com fruta madura. Ele emprega 85% de Tempranillo e 15% de Mazuelo, de vinhedos em Rioja Alta e Rioja Alavesa, as duas melhores sub-regiões.

Na contramão dos Shiraz cheios de notas de madeira, o Mathilda Shiraz é maturado em tanques de concreto, combinando a fruta intensa e macia da casta com um admirável frescor, que lhe renderam nada menos que 91 pontos de Robert Parker na safra 2010!

25401 CONVERSA 2010 (Niepoort / Douro / Portugal) Elaborado com diversas castas portuguesas, incluindo Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz, o Conversa é uma das recentes criações do genial Dirk Niepoort, feito em um estilo saboroso e convidativo, com ótima complexidade. O rótulo é uma atração à parte, com uma simpática história em quadrinhos. Fresco, equilibrado e incrivelmente saboroso, é um dos vinhos de melhor relação qualidade/preço do Douro na atualidade.

23599 CÔTES DU RHÔNE BELLERUCHE ROUGE 2010 (M. Chapoutier / Rhône / França) Uma das melhores relações qualidade/preço da França, este saboroso Côtes-du-Rhône é um dos mais reverenciados de sua denominação. Rico, macio e muito saboroso, é um corte de Grenache e Syrah, com rendimentos muito baixos para um Côte-du-Rhône, o que lhe confere maior elegância, concentração e qualidade. Impossível não gostar!

24820 DOLCETTO D’ALBA TREVIGNE 2011 (Vietti / Piemonte / Itália) Este delicioso Dolcetto elaborado por Vietti, um dos grandes nomes do Piemonte, é um vinho perfeito para acompanhar massas, risotto e outros pratos da cozinha italiana. Macio, cheio de fruta e com uma ótima acidez, é um vinho em um estilo bastante único, fácil de gostar.

22372 DUKESFIELD PINOT NOIR 2010 (De Wetshof/ África do Sul) Dukesfield é o Pinot Noir de melhor relação qualidade/preço de De Wetshof. Equilibrado e repleto de notas de frutas maduras, é uma bela e saborosa opção para carnes mais leves ou até mesmo peixes.

25162 DV CATENA CABERNET MALBEC 2010 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) DV Catena é uma empolgante linha de vinhos premium de Catena Zapata, com uvas de dois vinhedos excepcionais, plantados em altitudes distintas. O excelente DV Catena Cabernet Malbec é elaborado com o emblemático corte argentino, combinando a exuberância de fruta da Malbec com a estrutura e elegância da Cabernet Sauvignon. Produzido para o mercado interno argentino, este vinho de pequena produção é exportado somente para o Brasil.

23166 EL ENEMIGO MALBEC 2009 (El Enemigo / Mendoza / Argentina) Mais novo “cult wine” da família Catena Zapata, na Argentina, El Enemigo é talhado para ser um dos mais ricos e cativantes vinhos em seu estilo. Ele é elaborado com uvas especialmente selecionadas da casta Malbec, cortadas com um sofisticado “perfume” e nervo da variedade Petit Verdot. “Profundo, saboroso e repleto de camadas” na opinião de Robert Parker, é um vinho de grande personalidade, que já nasce como um dos mais disputados de Mendoza.


PROMOÇÃO: LISTA B

19654 EXPRESIÓN VARIETAL TEMPRANILLO 2007

22980 LA PETITE PERRIÈRE PINOT NOIR 2009

(Julián Chivite / Navarra / Espanha)

(Domaine Guy Saget / Loire / França)

O Expresión Varietal Tempranillo é elaborado para mostrar a mais pura expressão da casta, em um conjunto harmonioso e cheio de fruta. Macio e repleto de notas de frutas vermelhas, é produzido com uvas colhidas no ponto máximo de maturidade para conferir ao vinho um saboroso toque frutado.

Jean-Louis Saget produz belos vinhos em todas as denominações do Vale do Loire — inclusive na prestigiosa denominação de Sancerre. É justamente de lá que chega uma linha de vinhos de excelente relação qualidade/preço: La Petite Perrière, da qual faz parte este Pinot Noir delicado, elaborado no Domaine de la Perrière, uma propriedade histórica com caves subterrâneas naturais, cavadas há 200 milhões de anos, e que desde 1996 pertence à família Saget. É um vinho que alia classe e tipicidade a um preço difícil de resistir.

24084 GABA DO XIL MENCIA 2010 (Telmo Rodriguez / Valdeorras / Espanha) Este tinto é elaborado com a casta Mencia, famosa pelos fantásticos vinhos de Bierzo. Esta versão é exuberante e cheia de fruta, com um delicioso toque sedoso no palato. Um vinho de grande frescor e fácil de gostar, perfeito para ser servido à mesa.

25139 GRAN RESERVA CABERNET SAUVIGNON 2010 (Viña Carmen / Chile) “Delicioso vinho elaborado com a variedade Cabernet Sauvignon (94%) combinada a uma pequena quantidade de Carménère (3%) e Petite Verdot (3%). São todas uvas originárias do emblemático Alto Maipo, de vinhedos antigos, de rendimentos minúsculos. Com maturação de 10 meses em barricas francesas, trata-se de um tinto muito rico, com aromas de cassis e frutas vermelhas combinados a notas de cedro e menta. Possui elegante estrutura e acidez vibrante, revelando o ótimo caráter de seu terroir.”

25154 HIP/ THE HOUSE OF INDEPENDENT MERLOT 2010 (Hedges / Washington / Estados Unidos) Este Merlot da região de Washington, nos Estados Unidos, é uma grata surpresa. Hedges elabora vinhos elegantes e saborosos, com grande apelo gastronômico.

22754 LA CIBOISE LUBERON 2009 (M. Chapoutier / Rhône / França) Saboroso tinto elaborado pelo genial Michel Chapoutier, de excelente relação qualidade/ preço. Mostra um bouquet repleto de frutas maduras. No palato é macio e convidativo.

20391 LADERAS DE EL SEQUÉ 2009 (El Sequé / Alicante / Espanha) Uma parceria entre a reputada bodega riojana Artadi e a líder da DO de Jumilla, Agapito Rico, El Sequé é a pioneira em vinhos de alta qualidade na emergente região de Alicante, no Sul da Espanha. É produzido com uvas de videiras muito antigas de Monastrell (Mourvèdre), principalmente, plantadas em altitudes elevadas, o que dá origem a um vinho complexo, macio e cheio de personalidade.

25451 LAS PIZARRAS 2009 (Bodegas e Viñedos Jalón / Aragón / Espanha) O Las Pizarras Garnacha Viejas Viñas é elaborado a partir de videiras centenárias de Garnacha, plantadas em altitude, onde o solo é rico em quartzo, o que confere ótima estrutura e uma mineralidade pronunciada ao vinho. Sem passagem por madeira, é a pura expressão de seu território, com aromas de violeta e flor de laranjeira combinados a notas especiadas. No palato mostra taninos refinados. É um vinho de “impressionante profundidade e concentração”, na opinião de Robert Parker, que conferiu 91 pontos à safra 2009, a última avaliada.

24059 LUIS PATO BAGA + TOURIGA 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal)

21669 LYBRA 2006 (Quinta do Monte d’Oiro / Lisboa / Portugal) Uma saborosa criação da cultuada Quinta do Monte d’Oiro, Lybra é um belíssimo Syrah de grande complexidade e concentração, rivalizando com os vinhos produzidos no Norte do Rhône. Fácil de gostar, mas repleto de finesse, é um verdadeiro achado!

24918 MONTEPULCIANO D’ABRUZZO 2010 (Masciarelli / Abruzzo / Itália) Delicioso Montepulciano d’Abruzzo, cheio de fruta, aveludado e equilibrado. Um dos melhores exemplares desta denominação de origem!

23421 MONTES ALPHA CARMÉNÈRE 2010 (Viña Montes / Chile) “O Montes Alpha Carménère desponta como uma das melhores opções desta que é a casta mais emblemática do Chile. Para Parker, trata-se de “uma soberba interpretação desta fantástica uva”. Concentrado e exuberante, como os demais vinhos da linha Montes Alpha, mostra camadas de frutas maduras e especiarias, sem o caráter excessivamente vegetal de alguns Carmenère.”

24457 MONTES ALPHA MALBEC 2010 (Viña Montes / Chile) “Este Malbec de evidente caráter chileno segue o conceito inovador e pioneiro da reputada linha Montes Alpha. Com ele, Aurelio Montes demonstra que seu país também é capaz de talhar varietais sedutores e cheios de tipicidade com esta variedade que se deu tão bem na Argentina. O enólogo foi em busca de clones franceses, que foram plantados no Vale de Colchagua – boa parte no cultuado terroir de Apalta – e submeteu o vinho a 12 meses de estágio em barricas. Macio, com boa estrutura, repleto de fruta e com um toque de violeta e especiarias, o Montes Alpha Malbec é um tinto ao estilo do Novo Mundo, mas com uma finesse singular, que é a marca registrada de Montes.”

O tinto Luis Pato é o tradicional “Bairrada” da casa, proveniente da cepa Baga, de vinhas próprias. É envelhecido em pipas de 650 litros de carvalho francês, o que lhe confere maior equilíbrio e maciez. Trata-se de um vinho de excelente relação qualidade/preço, muito aromático, saboroso e com taninos marcantes, mas redondos.

13


PROMOÇÃO: LISTA B

23160 MUAC 2010

22378 PORCUPINE RIDGE SYRAH 2010

24877 RPF TANNAT 2009

(Ànima Negra / Mallorca / Espanha)

(Boekenhoutskloof / África do Sul)

(Pisano / Uruguai)

Tipicamente mediterrâneo, possui uma cor rica e brilhante. No nariz mostra muitos aromas de frutas com toques de sotobosque e especiarias. Na boca é elegante, redondo e com os taninos bem integrados.

Fantástico “Best Buy”, o imbatível Porcupine Rigde Syrah é elaborado por Boekenhoutskloof, o maior especialista sul-africano nesta variedade. É um dos vinhos favoritos de Jancis Robinson, para quem “é a resposta sul-africana para os Syrah do norte do Rhône”. Rico e intenso, estiloso, um vinho na medida certa.

Ótimo tinto da casta Tannat, a melhor e mais plantada do Uruguai, onde ela se mostra menos dura e tânica que na sua região de origem, Madiran, mas continua cheia de corpo e cor. O bouquet é concentrado e o palato macio, rico e bastante saboroso. O RPF foi recomendado pela revista do Guia Peñin, o mais respeitado guia espanhol de vinhos.

19804 NEGRE SELECCIÓ 2007 (Jané Ventura / Penedés / Espanha) Produzido com uma combinação das castas Tempranillo, Cabernet Sauvignon, Merlot, Sumoll e Syrah, este tinto combina o estilo exuberante dos tintos da Catalunha com uma destacada elegância.

23161 PLIC PLIC PLIC 2009 (Ànima Negra / Montsant / Espanha) Excelente e alegre tinto elaborado por Anima Negra em Montsant. Aromas de frutas negras, chocolate, baunilha e um agradável toque mineral. Na boca é desprentensioso, saboroso, fresco e com amplo final. Ótima relação qualidade-preço!

25560 PODERI DE BELLO OVILE 2010 (Serègo Alighieri / Toscana / Itália) Pietro Alighieri, filho de Dante, se instalou em uma bela propriedade próxima a Verona, que até hoje produz Valpolicellas de charme e grandes Amarone. Hoje, seis séculos depois, a família retorna à Toscana para produzir um belo tinto. Segundo Robert Parker, “o clã é mais conhecido por seus vinhos do Vêneto, mas este novo exemplar da propriedade da Toscana é impressionante”. O Poderi del Bello Ovile foi descrito como “redondo” e “tremendamente harmonioso” pelo crítico. É um tinto intenso, complexo e elegante, produzido com Sangiovese, Canaiolo e Ciliegiolo.

21654 POSSESSIONI ROSSO SERÈGO ALIGHIERI 2008

22898 RUBESCO 2008

(Serègo Alighieri / Veneto / Itália)

(Lungarotti / Umbria / Itália)

Um tinto de grande charme, um “super Valpolicella”, de bastante intensidade, frescor e boa concentração. Encantador e delicioso, é uma excelente combinação para massas e risotto.

Uma das eternas descobertas da região da Úmbria, o cativante Rubesco, elaborado com as castas Sangiovese e Canaiolo, é o mais emblemático vinho de Lungarotti. Apontado como a companhia perfeita para lasanha pela associação italiana de sommeliers, combina ótima fruta com um notável frescor no palato. Um grande achado!

23682 PRAZO DE RORIZ 2009 (Quinta de Roriz / Douro / Portugal) Prazo de Roriz é o segundo vinho da Quinta de Roriz, propriedade pertencente à família Symington, e considerado por muitos críticos como superior à grande maioria dos melhores vinhos de outras Quintas. É maturado por um ano em barricas francesas de segundo uso, que deixam o vinho macio e sedoso sem prejudicar a exuberância da fruta. A Wine Spectator já o descreveu como “puro, refinado, e de estrutura impressionante”.

O Pont de Gassac é o cativante segundo vinho de Mas de Daumas Gassac, oferecendo o caráter e o estilo do famoso e único “Grand Cru do Midi” por um preço incrivelmente atrativo.

14

(Quinta da Pellada / Dão / Portugal) Mais um excelente vinho produzido por Alvaro Castro, que foi escolhido por Jancis Robinson como “de longe o best buy”. O Quinta de Saes é extraordinariamente rico e macio, com ótima acidez.

25298 SCRUBBY RISE 2012 23408 QUINTA DO CÔTTO TINTO 2010 (Quinta do Côtto / Veneto / Itália) Um dos mais aclamados e tradicionais vinhos de Portugal, o consagrado Quinta do Côtto foi o primeiro “Vinho de Quinta” do país. Saboroso, rico e intenso, com ótima estrutura e concentração, sempre recebe excelentes notas da imprensa especializada. É um clássico de Portugal..

24685 PONT DE GASSAC ROUGE 2011 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França)

24044 SAES TINTO 2010

21654 POSSESSIONI ROSSO SERÈGO ALIGHIERI 2008 (Serègo Alighieri / Douro / Portugal) Um tinto de grande charme, um “super Valpolicella”, de bastante intensidade, frescor e boa concentração. Encantador e delicioso, é uma excelente combinação para massas e risotto.

(Wirra Wirra / Austrália) Delicioso corte de Shiraz e Cabernet Sauvignon com uma pequena quantidade de Petit Verdot, o que reforça a ótima estrutura e riqueza deste vinho cheio de camadas de fruta como ameixa, framboesa e groselha e notas de eucalipto. No palato é macio e fresco, mostrando um toque atrativo de carvalho.


PROMOÇÃO: LISTA B

23253 SEIANO ROSSO IGT 2010

25447 VIÑA BUJANDA CRIANZA 2010

(D´Amico / Lazio / Itália)

(Viña Bujanda / Rioja / Espanha)

Saboroso e típico tinto italiano elaborado com a uva Sangiovese com um pouco de Merlot. Elaborado com maestria pelo famoso enólogo Carlo Corino, mostra ótimo frutado, com textura sedosa.

Elaborado com uvas de vinhedos localizados em Rioja Alavesa e Rioja Alta, incluindo uma parcela excepcional – “El Seminário” próxima a Logroño -, o Viña Bujanda Crianza é produzido exclusivamente com a casta Tempranillo de vinhedos antigos e vinificados com uma abordagem moderna. O Crianza é maturado 12 meses em barricas de carvalho americano e francês, mostrando um frutado convidativo e um sofisticado toque cremoso no palato.

23849 SIESTA EN EL TAHUANTINSUYU CABERNET SAUVIGNON 2009 (Tikal - Ernesto Catena / Mendoza/ Argentina) Elegante e concentrado, este excelente Cabernet Sauvignon de Tikal é uma das melhores surpresas de Ernesto Catena. Mostra bouquet cativante de frutas maduras e um sofisticado toque de madeira. No palato é cheio e intenso, com ótimo retrogosto.

23060 VENTOUX LES TRAVERSES 2009 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França) O Les Traverses é um delicioso vinho do sul do Rhône, frequentemente classificado como “Best Buy” pela imprensa especializada. Segundo Robert Parker, trata-se de um legítimo “vinho de bistrô”, que “oferece muito mais que a maioria dos vinhos desta denominação”. Bastante frutado e saboroso, possui mais corpo e estrutura que a grande maioria dos vinhos dessa denominação, sem perder o ótimo apelo regional.

24719 VILOSELL 2009 (Tomàs Cusiné / Costers del Segre / Espanha) Uma “fabulosa pechincha” na opinião de Robert Parker que sempre classifica o tinto entre as melhores compras de toda a Espanha, o Vilosell é macio e exuberante, repleto de camadas de fruta madura. Maturado 9 meses em barricas de carvalho francês, conta com um toque sedoso no palato e um destacado apelo gastronômico. Um belíssimo achado!

22160 VIÑAS DEL VERO CABERNET SAUVIGNON COLECCIÓN 2006 (Viñas del Vero / Somontano/ Espanha) Este ótimo vinho de Viñas del Vero, bodega famosa por elaborar um dos mais famosos Cabernet Sauvignon da Espanha, é elaborado com uvas do excelente vinhedo “Los Sasos” e maturado por 10 meses em barricas de carvalho francês. Mostra um grande apelo varietal, com ótima pegada e belas notas de fruta madura. Um excelente achado de Somontano.

PORTO 1391 GRAHAM’S FINE TAWNY (Graham’s / Porto / Portugal) O Fine Tawny é um pouco mais claro e seco que o Ruby devido ao maior tempo de envelhecimento. O ótimo bouquet lembra nozes e frutas secas. Apresenta grande persistência na boca.

21660 NIEPOORT RUBY (Niepoort / Porto / Portugal) Niepoort elabora um dos melhores exemplos de Porto Ruby, vivo, com um exuberante frutado e muito equilíbrio. Como passa menos tempo em madeira que um Tawny, possui uma cor mais profunda e notas de frutas maduras, perfeitamente equilibradas com a aguardente vínica de excelente qualidade.

24036 VINHA DA TAPADA 2010 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo/ Portugal) O Vinha da Tapada é produzido pela famosa Herdade dos Coelheiros, um dos maiores nomes do Alentejo. Muito saboroso e cativante, é generoso, rico e macio na boca. Foi classificado entre os melhores tintos de preço médio no Alentejo pela Revista de Vinhos.

25017 ZINFANDEL PARDUCCI 2010 (Mendocino / California / Estados Unidos) Responsável por vinhos potentes e concentrados - repletos de notas de frutas maduras, a Zinfandel é uma das mais típicas castas da Califórnia.

15


PROMOÇÃO: LISTA C

LISTA C PEDIDOS A PARTIR DE R$2000

FRISANTE

Para pedidos acima de R$2000, escolha de presente uma garrafa de algum dos vinhos muito especiais da lista C abaixo, ou 2 garrafas da lista B, ou 4 garrafas da lista A. Caprichamos ainda mais nesta seleção. Aproveite!

Este delicioso frisante de Daumas Gassac é apenas um pouco menos gasoso que um espumante, mostrando grande leveza e saborosas notas de frutas vermelhas. Delicado e muito fresco, é uma boa alternativa aos Champagnes rosados – um saboroso e sofisticado modo de começar uma refeição.

ESPUMANTES

22029 FRIZANT ROSÉ 2010 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França)

18665 CROSSBARN CHARDONNAY SONOMA MOUNTAIN 2008 (Paul Hobbs Winery / California / Estados Unidos) A linha Cross Barn de Paul Hobbs é uma excelente alternativa aos raros e disputados vinhos de vinhedo único do produtor, combinando um estilo de apelo imediato com grande profundidade de fruta. Este cativante Chardonnay é maturado apenas 5 meses em barricas de carvalho francês, mostrando notas de frutas maduras e um sofisticado toque mineral.

24707 FLORS DI UIS 2010 20630 CARTIZZE PROSECCO DI VALDOBBIADENE SUPERIORE DI CARTIZZE 2009 (Bisol / Veneto / itália) Classificado como “Outstanding” por Robert Parker que apontou este espumante como “sensacional”, Cartizze é o mais cultuado Prosecco de Bisol e uma das grandes estrelas da denominação. Cartizze é a mais famosa zona da região de Prosecco e este vinho é “ensolarado, de encher a boca” nas palavras do Gambero Rosso. Com um cativante toque doce no palato, equilibrado por um ótimo frescor, é uma das mais sofisticas escolhas em Prosecco, com a prestigiosa assinatura de Bisol.

20896 ESPUMANTE CAMPOLARGO ROSÉ BRUTO 2008 (Campolargo / Bairrada / Portugal) Espumante elaborado principalmente com Pinot Noir, por Carlos Campolargo na região da Bairrada. Apresenta aromas exuberantes que recordam morangos e framboesas misturados a notas florais. Na boca se mostra estruturado, persistente e com ótima acidez.

20284 VALLONTANO ESPUMANTE EXTRA BRUT LUIS H. ZANINI 2008 (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil) Grande lançamento de Vallontano, este novo espumante Extra Brut é elaborado a partir de um corte clássico de uvas Chardonnay e Pinot Noir da safra 2008, com dois anos de autólise. É o primeiro espumante artesanal brasileiro de autor. Elaborado pelo tradicional méthode champenoise, este vinho-ícone da Vallontano é assinado pelo poeta vinhateiro Luís Henrique Zanini em uma quantidade limitadíssima de 2.500 garrafas.

16

BRANCOS SECOS 21314 ATARAXIA CHARDONNAY 2009 (Ataraxia / África do Sul) O famoso enólogo Kevin Grant foi o primeiro a apostar em um terroir de clima frio na África do Sul para a casta Chardonnay. John Platter, o mais renomado crítico sul-africano, concede as máximas 5 estrelas a Ataraxia, descrevendo seu Chardonnay como “brilhante, elegante e intenso”.

22912 BOURGOGNE BLANC CLOS DU CHÂTEAU 2008 (Château de Puligny-Montrachet / Bourgogne / Itália) O Clos du Chateau é um excelente borgonha branco, com muito caráter e personalidade. O estilo é amplo e cheio, típico do Château de Puligny-Montrachet, com deliciosas notas minerais e um leve tostado das barricas de carvalho.

24525 CHABLIS 2011 (Joseph Drouhin / Bourgogne / França) Joseph Drouhin elabora este ótimo Borgonha branco, marcante e mineral. No melhor estilo de Chablis, o vinho não passa por carvalho, ficando mais limpo e fresco, com ótima persistência e tipicidade.

(Vie di Romans / Friuli / Itália) “Um corte esplêndido de Malvasia Istriana, Riesling e Friulano”, para o Gambero Rosso. É um branco distinto, avaliado como “outstanding” nas últimas safras pelas maiores autoridades no assunto. Robert Parker ressaltou sua “marcante finesse”, e afirmou: “Flors di Uis é um dos grandes brancos da Itália”. Revela um bouquet sedutor com notas de frutas tropicais e florais e uma persistência impressionante.

22281 MÂCON CHARDONNAY CLOS DE LA CROCHETTE 2009 (Domaine des Comtes Lafon / Bourgogne / França) Branco produzido com uvas de um vinhedo murado, um dos primeiros a serem plantados pelos monges de Cluny, há mais de 1.000 anos. Recebeu o disputado “coup de coeur” da revista Burghound.

18691 SAINT AUBIN PREMIER CRU “SUR GAMAY” 2006 (Deux Montille / Bourgogne / França) Alix De Montille elabora este excelente branco com uvas selecionadas na região de Saint Aubin, considerado “outstanding” para a Burghound. Rico, floral, com ótima acidez e estrutura, é um vinho surpreendente, cheio de sutilezas. Um belo Borgonha.


PROMOÇÃO: LISTA C

19473 TREBBIANO VDT 2005 (Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália) Elaborado com uvas de vinhedos de mais de 60 anos de idade, o Trebbiano da Tenunta di Capezzana é bastante distinto dos vinhos mais comerciais elaborados com esta casta. Fermentado e maturado em barricas de carvalho, mostra uma impressioante densidade e riqueza, com um notável acento mineral.

24245 VISTAMARE 2010 (Ca’ Marcanda / Gaja / Toscana / Itália) Angelo Gaja talhou um branco incrivelmente mineral com as castas Chardonnay, Sauvignon Blanc, Vermentino e Viognier em sua propriedade Ca’Marcanda, em Bolgheri, próximo ao litoral da Toscana. É um vinho que evoca os aromas e sabores do mar, tipicamente minerais, com um delicioso toque aromático e a inconfundível assinatura de finesse de Angelo Gaja. Original e muito cativante, promete ser um dos mais disputados brancos da Toscana.

22500 WINE MAKER’S RESERVE CHARDONNAY 2007 (Viña Carmen / Chile) Um dos mais celebrados brancos do Chile, o Wine Maker’s Reserve já foi o vencedor do “Trofeu” da “International Wine Challenge” como o melhor branco chileno em sua faixa de preço. Ao mesmo tempo, rico e fresco, mostra ótimas notas cítricas e carvalho da mais alta qualidade. Um belo achado da fria região de Casablanca, respnsável por alguns dos melhores brancos do país.

ROSADO 22014 SANCERRE ROSÉ 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França) Pascal Jolivet criou este cativante rosado com uma seleção especial de uvas Pinot Noir. Leve, fresco e incrivelmente aromático, é uma das mais saborosas opções entre os rosados franceses.

TINTOS

23972 CAMINS DEL PRIORAT 2010

24231 ALTANO RESERVA QUINTA DO ATAÍDE 2008

Esta nova e deliciosa criação de Alvaro Palacios já está sendo apontado como um dos maiores achados da região do Priorato. Rico, cheio de fruta, com um toque mineral e a inigualável assinatura de Alvaro Palacios, é perfeito para acompanhar comida.

(Altano / Symington / Douro / Argentina) “A mais nova criação do “Homem do Ano 2012” da revista Decanter, Altano Quinta do Ataíde Reserva é um Touriga Nacional de vinhedo único, plantado pela família Symington no final dos anos 1970 e começo de 1980. Um vinho denso e exuberante, que mereceu, na safra 2008, nada menos do que 92 pontos da Wine Spectator, que ressaltou seu estilo puro com “notas de alcaçuz e de azeitonas e um evidente toque de groselha, ameixa seca e mineral”. “É um belo tinto para beber novo e que apresenta duas vantagens: boa consistência de qualidade ano após ano e um preço muito convidativo ”, nas palavras de João Paulo Martins, um dos mais experientes críticos portugueses.”

25446 ÀN/2 2010 (Ànima Negra / Mallorca / Espanha) O melhor tinto barricado e um dos 11 vinhos “Magnificos” da Espanha para o guia Vivir il Vino 2007, o exuberante An/2 é produzido com várias castas locais, tendo como base a antiga Callet, famosa por sua cor profunda. Um vinho saboroso e diferente, com grande classe.

(Alvaro Palacios / Priorato / Espanha)

23668 CARO 2009 (Bodegas Caro - Catena & Ch. LafiteRothschild / Mendoza / Argentina) Caro é talvez o mais elegante vinho produzido na Argentina, um delicioso e fino corte de Cabernet Sauvignon e Malbec, com estilo bem francês. Parte das barricas de carvalho utilizadas são produzidas no próprio Château Lafite, o que confere ao vinho um acento do famoso Bordeaux. Para Jancis Robinson, o Caro “tem algo vivo de uma boa safra de Lafite que o eleva e distingue de outros Malbec de Mendoza”. Para Robert Parker, ele “oferece uma adorável profundidade de fruta e é altamente focado, detalhista e elegante”.

23562 CH. DE CAYX 2009 (Château de Cayx / Cahors / França) O Château de Cayx revela uma complexidade singular, com aromas delicados de frutas vermelhas e notas especiadas no paladar.

23544 BARON D’A 2007 (Aristos / Chile)

23865 CHOCOLATE BLOCK 2010

Este delicioso tinto repleto de camadas de frutas vermelhas, com boa acidez e ótima estrutura é um blend de quatro castas: Cabernet Sauvignon, Syrah, Petite Sirah e Merlot, selecionadas nos melhores vinhedos do Chile. Com muita elegância e finesse merece ser provado pelo seu caráter distinto que se confunde com alguns grandes exemplares europeus.

(Boekenhoutskloof / África do Sul) Produzido a partir de um fantástico blend de Grenache, Syrah, Cabernet, Cinsault e a branca Viognier, é um tinto cativante que lembra um bom Châteauneuf-du-Pape, já tendo sido escolhido como o “Vinho da Semana” de Jancis Robinson. O intenso bouquet de frutas maduras e flores é inebriante. Na boca, é tão equilibrado e prazeroso que é quase impossível resistir a um segundo copo.

17429 BRANCA DE ALMEIDA 2004 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal) Branca de Almeida é um sofisticado tinto da Herdade dos Coelheiros, elaborado com as castas Merlot, Trincadeira e Alicante, maturado 12 meses em barricas novas de carvalho francês. Rico e exuberante, com muita fruta madura e um delicioso toque sedoso no palato, já nasce como um dos melhores tintos do Alentejo.

17


PROMOÇÃO: LISTA C

25299 CHURCH BLOCK CABERNET SAUVIGNON MERLOT 2011

22752 CROZES-HERMITAGE LES MEYSONNIERS 2009

(Wirra Wirra / Austrália)

(M. Chapoutier / Rhône / França)

Um dos tintos favoritos dos australianos, Church Block é um vinho fácil de gostar, com palato macio e cheio de frutas. O corte de Cabernet Sauvignon (47%), Shiraz (44%) e Merlot (9%) combina notas de cassis, ameixa e framboesa com matizes de ervas e especiarias e um agradável toque de carvalho. Um verdadeiro achado, perfeito para combinar com assados.

Grande nome do Rhône, Chapoutier é o maior especialista em Hermitages. Seus deliciosos Crozes-Hermitage também são ótimos, verdadeiros achados. Este belo tinto mostra a Syrah em sua região de origem, com um estilo elegante, mas encorpado, rico e sedoso. Perfeito para acompanhar comida.

O Chianti Classico Fèlsina é um dos mais belos exemplares desta denominação — “lindo e profundo, repleto de notas de fruta madura” segundo Robert Parker. Uma das mais saborosas e encantadoras expressões da casta Sangiovese, combina um frutado cativante com um belíssimo frescor – perfeito para acompanhar comida. Um grande Sangiovese!

20602 CURTEFRANCA ROSSO 2006

22117 FINCA VALPIEDRA RESERVA 2006

(Cà del Bosco / Franciacorta / Itália)

(Finca Valpiedra / Rioja / Espanha)

Excelente tinto elaborado por Ca del Bosco com 5 variedades de uvas de 19 vinhedos diferentes. Cada uva é vinificada por separado e o corte só é efetuado após a fermentação malolática. Feito o coupage o vinho repousa 22 meses em aço e em barricas e 9 meses em garrafa antes de sair ao mercado. O resultado é um vinho marcante, diferente, com excelente pós gosto e poder de envelhecimento.

Um dos poucos “Rioja de vinhedo”, elaborado apenas com vinhas de mais de 25 anos da prestigiosa Finca Valpiedra. Concentrado, profundo e elegante, de muita personalidade, é um dos melhores e mais finos achados da Espanha. Recentemente foi eleito o melhor Rioja Reserva para a conceituada revista alemã Wein Gourmet.

23917 CONDADO DE HAZA CRIANZA 2008 (Pesquera / Ribera del Duero / Espanha) O excelente Condado de Haza é uma das escolhas certas da Espanha.

21436 CONDE DE SAN CRISTOBAL 2007 (Marqués de Vargas / Ribera del Duero / Espanha) Premiado com 90+ pontos por Robert Parker na safra 2006, a última avaliada pelo crítico, mostra camadas de fruta, textura sedosa e excelente sabor. O Conde de San Cristobal é elaborado pela bodega Marqués de Vargas, extraordinário produtor da Rioja, capaz de originar vinhos que combinam elegância e profundidade, em um estilo ao mesmo tempo intenso e tradicional.

18664 CROSSBARN CABERNET SAUVIGNON NAPA VALLEY 2005 (Paul Hobbs Winery / California / Estados Unidos) A linha Cross Barn é elaborada com um corte de diversos vinhos de vinhedo único, desclassificados pelo rigorosíssimo processo de produção de Paul Hobbs. São melhores que a maioria dos vinhos principais de outras vinícolas, oferecendo ótima estrutura e complexidade, combinando as qualidades de diversos vinhedos excepcionais. O Cross Barn Cabernet Sauvignon é maturado 18 meses em barricas de carvalho e mostra classe e complexidade por um preço bastante atrativo.

18

22689 FÈLSINA CHIANTI CLASSICO 2008 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália)

23377 FONT DE LA FIGUERA PRIORAT 2008 (Clos Figueras / Priorato / Espanha)

17893 DOMINIO DE ATAUTA 2005 (Dominio de Atauta / Ribera del Duero / Espanha) O sofisticado Dominio de Atauta é mais fresco que a maioria dos vinhos de Ribera del Duero, com uma destacada profundidade de fruta. A maioria do vinho é maturada em barricas de um ano de idade onde estagiou o famoso Château L’Angelus de Bordeaux. A safra de 2005 recebeu nada menos que 92 pontos de Robert Parker, que o descreveu como “um verdadeiro vinho de guarda”. O exigente Guía Peñin também classificou o tinto com 92 pontos, uma excelente nota.

22151 EL VINCULO CRIANZA 2006 (El Vinculo / La Mancha/ Espanha) Bodega do genial Alejandro Fernandez, criador do Pesquera, na promissora região de La Mancha. O poderoso e rico El Vínculo é elaborado com velhas vinhas de Tempranillo. Amadurece por 18 meses em barricas e mais 6 meses em garrafa. Excelente, saboroso e com uma personalidade bem espanhola.

Super-segundo vinho de Clos Figueras, o importante projeto de René Barbier e Christopher Cannan no Priorato. Complexo, exuberante, com um bouquet cativante e sedutor, é um verdadeiro achado desta cultuada região da Espanha, sempre muito elogiado por Parker.

17246 GAIA ESTATE 2005 PRIORAT 2008 (Gaía / Grécia) Maravilhoso tinto elaborado com a ótima uva grega Agiorgítiko, é considerado o melhor vinho da Grécia pela revista Decanter. Seu aroma amplo e generoso é impressionante, marcado por frutas vermelhas e negras, e muita complexidade. Na boca mostra ser um grande vinho, com muita classe e elegância, taninos finos e perfeito equilíbrio. Perfeito para combinar com comida.

22136 HUMILITAT 2009 (Huellas / Priorato / Espanha) O Humilitat é apenas parcialmente maturado em barricas de carvalho, para preservar suas exuberantes notas de fruta. As uvas são colhidas em pequenas caixas de somente 10kg — metade do utilizado pela grande maioria das melhores vinícolas — e os enólogos realizam uma vinificação não intervencionista.


PROMOÇÃO: LISTA C

22812 LAURONA 2005 (Laurona / Montsant / Espanha) Um grande achado na nova denominação de Montsant, vizinha ao Priorato. Logo em suas primeiras safras, já foi indicado como um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” pela Wine Spectator. Intenso e cheio de fruta, com uma profundidade e complexidade incomuns nesta faixa de preço. Bastante estiloso e muito recomendado.

21970 MOULIN À VENT CH. DES JACQUES 2009 (Louis Jadot / Bourgogne / França) Uma das maiores expressões de Beaujolais, produzido no reputado Château des Jacques, este Moulin a Vent é rico e concentrado, com incrível profundidade de fruta e surpreendente estrutura. O bouquet é exuberante e complexo e o palato é macio e potente. Uma referência para a denominação

24549 LE CUPOLE 2009 (Tenuta di Trinoro / Toscana / Itália) O Le Cupole é “um vinho estonteante, que pode ser bebido ainda jovem ou envelhecido por 10 ou 15 anos”, nas palavras de Robert Parker. Elaborado com castas típicas de Bordeaux e um inegável acento italiano, é um tinto de muito estilo — muito elegante e bem talhado, com boa profundidade de fruta e um longo final de boca. Um dos grandes vinhos da Toscana.

18379 MAPEMA PRIMERA ZONA 2007 (Mapema / Mendoza / Argentina) O sofisticado Primera Zona é um grande tinto argentino, concebido para ser um dos melhores vinhos da América do Sul. Elaborado com a melhor seleção de uvas Malbec de Tupungato, recebeu 92 pontos da Wine Spectator na safra 2007. Mostra grande classe, complexidade e potencial de guarda.

22890 MERLOT COLLI APRUTINI MARINA CVETIC 2008 (Masciarelli / Abruzzo / Itália) Delicioso Merlot elaborado por Masciarelli, mostra um nariz intenso, complexo e amplo. Na boca é frutado e floral com sabores que lembram cacau e baunilha.

24637 MONTHELIE 2009 (Château de Puligny-Montrachet/ Bourgogne / França) Um dos bons achados da Borgonha, este saboroso tinto mostra cativantes aromas de frutas silvestres e sofisticadas notas de violeta. Muito equilibrado e elegante, é uma bela opção para acompanhar carnes mais leves.

19785 NAPA ANGEL CABERNET SAUVIGNON 2006 (Napa Angel / California / Estados Unidos) Aurélio Montes conseguiu produzir vinhos com o mesmo espírito pioneiro da Viña Montes, combinando a opulência e potência dos grandes tintos californianos com uma impressionante finesse e toda a personalidade e caráter que são a marca registrada dos vinhos Montes. O sofisticado Napa Angel é um grandioso Cabernet Sauvignon que foi classificado com 92 pontos pela Wine Enthusiast logo em sua primeira safra. Rico e encorpado, mostra uma bela complexidade e grande apelo varietal.

23574 PERAJ PETITA 2009 (Celler de Capçanes / Montsant / Espanha) Produtor que, por seus excepcionais tintos, fez a fama da denominação Montsant, vizinha ao Priorato, a vinícola Celler Capçanes também é conhecida por seus excelentes vinhos kosher. O delicioso Peraj Petita é o segundo vinho do consagrado Flor de Primavera. Esse blend Garnacha del Pais (um clone catalão), Tempranillo e Samsó (Cariñena) é encorpado sem ser exageradamente concentrado, mostrando uma mineralidade singular, com taninos muito macios.

21377 PINOT NERO NOTTURNO DEI CALANCHI 2008 (D´Amico / Umbria/ Itália) Este saboroso Pinot Noir é elaborado por D’Amico com uvas especialmente selecionadas na Umbria, de vinhedos mais protegidos do calor. Cativante e repleto de notas de frutas silvestres, mostra uma boa acidez e um distinto acento regional. Uma das boa opções da casta Pinot Noir na Itália, com a assinatura de prestígio de Paolo e Noémia d’Amico.

21274 PÓ DE POEIRA TINTO 2008 (Poeira / Douro / Portugal)

23215 NEBBIOLO D’ALBA VALMAGGIORE 2008 (Luciano Sandrone / Piemonte / Itália) Apontado por Robert Parker como “outstanding” e uma das melhores opções em Nebbiolo d’Alba, este ótimo tinto de Sandrone é um Barolo em miniatura, mostrando o todo o caráter da casta Nebbiolo em uma versão mais macia e acessível que os grandiosos Barolo, que demoram anos para atingir o apogeu.

19599 NERO DI NUBI 2005 (Castello di Farnetella - Fèlsina / Toscana / Itália) Profundo e cheio de personalidade, o Nero di Nubi é um sofisticado Pinot Nero elaborado por Fèlsina em sua propriedade Castello di Farnetella.

Um ”super segundo vinho”, o ótimo Pó de Poeira tinto é elaborado com uma parte de uvas de vinhas mais jovens, que conferem ao tinto um caráter encorpado mas macio, mostrando todas suas virtudes logo nos primeiros anos. Um excelente Douro, com a grande classe de Poeira e um preço muito convidativo para suas qualidades.

22355 POMBAL DO VESÚVIO 2008 (Quinta do Vesúvio / Douro / Portugal) “Um dos celebrados tintos da Quinta do Vesúvio, o Pombal do Vesúvio é talhado com maior proporção de Touriga Franca (60%), sendo amigável desde jovem, e mantendo o toque aristocrático dos vinhos da Quinta. Aqui, a casta Touriga Nacional (30%) contribui com sedutoras notas florais e deixa o conjunto com uma impressionante estrutura. A pequena parcela de Tinta Amarela traz equilíbrio e harmonia. Este estiloso vinho, de clara aptidão gastronômica, é tão macio e cheio de fruta que oferece grande prazer até mesmo sem acompanhar comida. Uma verdadeira descoberta, é um dos melhores do Douro!”

19


PROMOÇÃO: LISTA C

21905 QUINTA DE SAES RESERVA ESTÁGIO PROLONGADO 2008

22088 ROSSO TOSCANO IGT SAN JACOPO 2009

(Quinta da Pellada / Dão / Portugal)

(Fuligni / Toscana / Itália)

Quinta da Pellada é um dos grandes nomes do Dão, propriedade regida com maestria pela batuta de Alvaro Castro, produzindo alguns dos melhores vinhos do país. O Quinta de Saes Estágio prolongado, como indica o nome, estagia em barricas de carvalho por um longo período mas, devido à ótima qualidade do fruto e da madeira, o carvalho fica muito bem integrado, não superando a deliciosa e abundante fruta. Oferece uma excepcional relação qualidade/preço.

“Repleto de fruta negra, o San Jacopo é um tinto cheio de caráter, assinado por um dos mais respeitados produtores da Toscana. “Incrivelmente macio, profundo e com muita personalidade”, segundo Robert Parker, que classificou a safra 2009 com 90 pontos!”

20019 QUINTA DO CONVENTO 2007 (Quinta do Convento / Douro / Portugal) Com vinhedos das castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz cultivados manualmente em terraços de ótima localização, a propriedade elabora um tinto surpreendente, de grande classe e elegância. Para garantir que as uvas sejam colhidas perfeitamente maduras, a colheita se estende por várias semanas, com diversas “passagens” entre os vinhedos. A vinificação é tradicional, mas com cuidados e técnicas dos dias de hoje.

22468 SASSOALLORO IGT 2008 (Castello di Montepò /Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália) “Sassoalloro é um ambicioso projeto da reputada vinícola Biondi Santi para produzir um vinho exuberante, aliando potência e concentração com muita fruta e elegância. Delicioso, rico e profundo, trata-se de um tinto em estilo moderno elaborado com a uva Sangiovese. Sua ótima acidez, seu toque macio e o excelente equilíbrio entre fruta e estrutura fizeram do Sassoaloro um enorme sucesso, sinônimo de vinho de alta qualidade na Toscana.”

20844 SERRAS DEL PRIORAT 2009 (Clos Figueras / Priorato / Espanha)

17147 QUINTA DO PERDIGÃO RESERVA 2005 (Quinta do Perdigão / Dão / Portugal) Notável vinícola de boutique do Dão, a Quinta do Perdigão produz vinhos muito disputados em Portugal. Este ótimo reserva é um delicioso corte de 50% Touriga Nacional, 20% Tinta Roriz, 20% Jaen e 10% Alfrocheiro. Possui ótimo corpo e um delicioso aroma medicinal, combinado com o toque floral da Touriga Nacional.

Elaborado com uvas de vinhedos mais jovens, o Serras del Priorat tem o mesmo estilo do consagrado Font de la Figuera, com um distinto e aristocrático toque mineral, mas elaborado em uma versão mas acessível, para ser bebido mais cedo. O vinho é maturado em barricas de carvalho francês de dois anos de idade para manter as delicadas e intensas notas de fruta madura. Embora delicioso desde já, pode ser guardado em adega por 10 anos. Uma das melhroes relações qualidade/preço desta disputada região.

20355 RIDGE ZINFANDEL LYTTON SPRINGS 2007

24404 SONOMA COUNTY ZINFANDEL 2010

(Ridge Vineyards / California / Estados Unidos)

(Seghesio / California / Estados Unidos)

Um dos vinhos mais famosos dos Estados Unidos baseados na casta Zinfandel, o Lytton Springs é elaborado com pequenas parcelas das castas Petite Sirah e Carignan, sendo incrivelmente longevo. Opulento e exuberante, mas dotado de uma refrescante acidez, é um vinho bem mais elegante que a grande maioria dos Zinfandel californianos. A versão 2007 foi classificada com 92 pontos por Parker que se surpreendeu com a “impressionante gama de aromas” do vinho. Robusto e concentrado, é um vinho que envelhece muito bem, ficando cada vez mais elegante.

“Seghesio é um dos maiores especialistas em Zinfandel dos Estados Unidos, e este excelente tinto já foi indicado por várias safras seguidas para a lista dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” da Wine Spectator — feito único entre todos os Zinfandel californianos. Este ano, mereceu nada menos que 90 pontos da Wine Spectator e 93 pontos da Wine Enthusiast! Encorpado e rico, com um toque italiano e muita personalidade!”

20

22207 STAR ANGEL SYRAH 2007 (Napa Angel / California / Estados Unidos) O Star Angel, maturado por 12 meses em barricas de carvalho francês, é longo e elegante, com perfil bem diferente de alguns Syrah superconcentrados elaborados na Califórnia.

21328 TËMPERA TINTA RORIZ 2006 (Quinta do Monte d’Oiro / Lisboa / Portugal) Consagrada com a produção de alguns dos melhores e mais disputados vinhos de Portugal, a Quinta do Monte d’Oiro é, sem dúvida, uma das maiores estrelas ibéricas. O Têmpera é o primeiro vinho da casa feito com uma casta local, a Tinta Roriz (a mesma que a espanhola Tempranillo) e foi o vencedor do “Duelo Ibérico” organizado na Espanha. Resultado: os espanhóis “arrematam” 2/3 da minúscula produção, o que torna o vinho ainda mais raro e procurado na Europa.

22503 TIKAL JÚBILO 2008 (Tikal - Ernesto Catena / Mendoza / Argentina) Tikal pertencente à Ernesto Catena, inovador filho de Nicolás Catena Zapata. Elaborado com um corte bordalês de Cabernet Sauvignon (90%) e Merlot (10%), de altos vinhedos. Mostra bouquet cativante e muita presença de boca, com grande capacidade de envelhecimento. Um dos grandes tintos da Argentina.

17616 VILLA GRESTI 2004 (Tenuta San Leonardo / Trentino / Itália) O fantástico Villa Gresti é um dos grandes tintos do Trentino, lembrando um bom vinho de Pomerol, em Bordeaux. Incrivelmente elegante, com boa fruta e excelente comlplexidade, é uma das boas descobertas de nosso catálogo.

24200 VIÑAS DE GAIN 2009 (Artadi / Rioja / Espanha) Segundo Robert Parker, “ninguém produz Riojas mais complexos, concentrados e dignos de envelhecimento do que Artadi”. Este ótimo Viñas de Gaín é um dos preferidos de Parker, que o comparou nada menos do que a um Musigny, um dos mais finos tintos da Borgonha! Excelente relação qualidade/preço, com um bouquet amplo e complexo, e uma ótima presença de boca.


PROMOÇÃO: LISTA C

21382 VINO NOBILE DI MONTEPULCIANO 2008 (Avignonesi / Toscana / Itália) O Vino Nobile de Montepulciano de Avignonesi é uma verdadeira referência do vinho toscano, com grande capacidade de envelhecimento. Segundo o Gambero Rosso, trata-se de “um Nobile muito bom, de excelente equilíbrio”, que merece os “due bicchieri” do guia.

21459 WINE MAKER’S RESERVE RED 2007 (Viña Carmen / Chile) Um dos melhores tintos do Chile, o Winemaker’s Reserve é profundo e concentrado, tendo sido indicado como “Editor’s Choice” pela Wine Enthusiast, com 91 pontos! Segundo a revista, “é um excelente vinho no estilo de Bordeaux. O aroma é profundo e defumado. Rico, limpo e bem integrado no palato, com camadas de fruta e bastante estilo. Claro, é um vinho poderoso e cheio de fruta, mas nele há também uma sutileza de maturidade. Realmente acerta bem no alvo”.

PORTO 1393 GRAHAM’S 10 YEARS OLD TAWNY (Graham’s / Porto / Portugal) Simplesmente o melhor Porto 10 anos para a revista Decanter, o Graham’s 10 years Old é um Tawny elaborado com uma impressionante seleção de vinhos reserva, envelhecidos 10 anos em média. O enólogo de Graham’s combina vinhos bastante antigos com outros mais jovens, originando um Tawny complexo e elegante, com o exuberante frutado que é a marca registrada de Graham’s. Extremamente macio na boca, possui um ótimo bouquet e um longo final.

21


PROMOÇÃO: COMPRE 5 LEVE 6

COMPRE 5 GARRAFAS E LEVE 6

23802 CUVÉE ALEXANDRE CHARDONNAY 2011

22488 BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2006

(Lapostolle / Chile)

(Villa Poggio Salvi / Toscana / Itália)

90 pontos da Wine Spectator - “Smart Buy”.

93 pontos da Wine Spectator.

US$ 57.90

US$ 159.50

Como promoção especial de final de ano, selecionamos alguns vinhos deliciosos e consagrados, dos quais vale a pena comprar por caixa e ter sempre em casa!

23170 EL ENEMIGO CHARDONNAY 2009

23972 CAMINS DEL PRIORAT 2010

(El Enemigo / Mendoza / Argentina)

(Alvaro Palacios / Priorato / Espanha)

Escolha seu preferido e, comprando 5 garrafas, você leva a 6ª grátis!

Um Chardonnay potente e profundo.

A mais nova criação de Alvaro Palacios.

US$ 47.90

US$ 65.50

22963 MACON VILLAGES 2010

22410 CAMPOFIORIN ROSSO DEL VERONESE 2008

Confira abaixo a lista completa destas promoções e aproveite para completar uma caixa de seis garrafas de seus vinhos preferidos! Esta promoção só é válida até 31/12/2013 ou enquanto durarem os estoques. Esta promoção é cumulativa com nossas condições especiais de parcelamento e com a promoção “ganhe vinhos para experimentar”, então aproveite e ganhe duplamente!

(Les Héritiers du Comte Lafon / Bourgogne / França)

(Agricola Masi / Veneto / Itália)

Uma das maiores pechinchas entre os Borgonhas brancos.

Um verdadeiro clássico italiano, produzido pela técnica de “dupla fermentação” de Masi.

US$ 79.90

US$ 52.90

ESPUMANTE

23245 OUTER LIMITS SAUVIGNON BLANC 2011

23050 CAPANNINO SANGIOVESE IGT 2008

21902 ESPUMANTE CAMPOLARGO BRUTO 2009

(Viña Montes / Chile)

(Campolargo / Bairrada / Portugal)

US$ 53.50

Ótimo espumante de Campolargo, este “blanc des blancs” é elaborado pelo método tradicional, o mesmo dos grandes vinhos de Champagne. US$ 41.90

Surpreende pela elegância e riqueza de sabores.

22500 WINE MAKER’S RESERVE CHARDONNAY 2007 (Viña Carmen / Chile) Um dos mais celebrados brancos do Chile.

BRANCO SECO 20398 ARTADI VIURA 2008 (Artadi / Rioja / Espanha) Um Viura de vinhas quase centenárias, maturado 24 meses com as borras. US$ 46.25

21314 ATARAXIA CHARDONNAY 2009 (Ataraxia / África do Sul)

US$ 79.50

ROSADO 22757 CÔTES DU RHÔNE BELLERUCHE ROSÉ 2010 (M. Chapoutier / Rhône / França)

(Château de Cayx / Cahors / França) Um Malbec produzido na França pelo Príncipe da Dinamarca. US$ 79.90

21401 CIRÒ RISERVA DUCA SANFELICE 2008 (Librandi / Calabria / Itália) 3 Bicchieri do Gambero Rosso. US$ 42.90

“Outstanding” - Robert Parker.

22870 CHABLIS 2010

23083 BARBERA D’ASTI L’AVVOCATA 2010

22

23562 CH. DE CAYX 2009

US$ 42.90

TINTO

US$ 76.50

US$ 49.90

23917 CONDADO DE HAZA CRIANZA 2008

US$ 86.25

Um dos mais tradicionais brancos da França - seco e mineral.

O vinho 100% Sangiovese do Castello del Terriccio.

Delicioso rosado assinado por Michel Chapoutier, um dos maiores enólogos da França.

93 pontos de Robert Parker.

(Louis Jadot / Bourgogne / França)

(Castello del Terriccio / Toscana / Itália)

(Luigi Coppo / Piemonte / Itália)

(Pesquera / Ribera del Duero / Espanha) US$ 64.90

23893 CONDE DE VALDEMAR CRIANZA 2007 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha)

“Uma fantástica escolha” - Robert Parker.

88 pontos de Robert Parker.

US$ 44.50

US$ 41.50


PROMOÇÃO: COMPRE 5 LEVE 6

23168 EL ENEMIGO BONARDA 2009

23954 LANGHE NEBBIOLO PERBACCO 2009

(El Enemigo / Mendoza / Argentina)

(Vietti / Piemonte / Itália)

“Mostra uma complexidade incomum para um Bonarda”, 90 pontos - Robert Parker.

Para Robert Parker, é “um Barolo miniatura”, merecendo pelo menos 90 pontos em todas as safras já avaliadas.

US$ 57.90

19785 NAPA ANGEL CABERNET SAUVIGNON 2006 (Napa Angel / California / Estados Unidos) O Cabernet Sauvignon californiano de Aurelio Montes.

US$ 57.25

US$ 109.90

21669 LYBRA 2006

23069 NÓTIOS RED 2010

(Quinta do Monte d’Oiro / Lisboa / Portugal)

(Gaía / Grécia)

Uma saborosa criação da cultuada Quinta do Monte d’Oiro, especialista na casta Syrah.

Elaborado com a elogiada uva grega Agiorgitiko.

23166 EL ENEMIGO MALBEC 2009 (El Enemigo / Mendoza / Argentina) Elaborado com um toque de Petit Verdot, é “profundo, saboroso e repleto de camadas” na opinião de Robert Parker. US$ 52.50

US$ 48.50

22689 FÈLSINA CHIANTI CLASSICO 2008

18379 MAPEMA PRIMERA ZONA 2007

(Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália)

(Mapema / Mendoza / Argentina)

“Lindo e profundo, repleto de notas de fruta madura” segundo Robert Parker.

92 pontos da Wine Spectator.

US$ 42.50

23678 PATO REBEL 2010

US$ 79.90

US$ 99.50

(Luis Pato / Bairrada / Portugal) O moderno Rebel é a interpretação de Luis Pato para o que deveria ser um vinho oposto ao padrão para a casta Baga. US$ 55.90

23575 MAS DONIS 2010 23377 FONT DE LA FIGUERA PRIORAT 2008 (Clos Figueras / Priorato / Espanha) Super-segundo vinho de Clos Figueras, o importante projeto de René Barbier e Christopher Cannan no Priorato. US$ 117.90

(Celler de Capçanes / Montsant / Espanha) Um grande sucesso da Catalunha — bastante elogiado por Parker. US$ 47.90

(Huellas / Priorato / Espanha)

Desponta como uma das melhores opções desta que é a casta mais emblemática do Chile.

Uma deliciosa surpresa do Priorato.

US$ 48.90

US$ 76.50

22311 IL CHIUSO 2009 (Castello di Ama / Toscana / Itália) Um surpreendente corte de Pinot Noir e Sangiovese elaborado pelo Castello di Ama. US$ 76.50

23009 KUMEU RIVER VILLAGE PINOT NOIR 2009 (Kumeu River / Nova Zelândia) Um ótimo Pinot Noir neozelandês, elaborado em um estilo diferente e mais tânico do que os exemplares do Sul do país. US$ 57.90

(Celler de Capçanes / Montsant / Espanha) O segundo vinho do consagrado Flor de Primavera, um dos melhores vinhos Kosher do mercado. US$ 65.90

23421 MONTES ALPHA CARMÉNÈRE 2010 (Viña Montes / Chile)

22136 HUMILITAT 2009

23574 PERAJ PETITA 2009

21535 MORELLINO DI SCANSANO CASTELLO DI MONTEPÒ 2008 (Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália) Ótimo Morellino di Scansano produzido por Castello de Montepó, responsável pelo grande Sassoalloro. US$ 59.90

23160 MUAC 2010 (Ànima Negra / Mallorca / Espanha)

23915 PESQUERA CRIANZA 2009 (Pesquera / Ribera del Duero / Espanha) Um dos grandes nomes do vinho espanhol, reverenciado com as máximas 5 estrelas de Parker. US$ 76.50

22902 PETIT CASTEL 2009 (Domaine du Castel / Vale da Judéia / Israel) “Impecavelmente equilibrado e cheio de sabor” para Robert Parker, que lhe concedeu 89 ponto na safra 2009. US$ 129.50

22355 POMBAL DO VESÚVIO 2008 (Quinta do Vesúvio / Douro / Portugal)

Elegante, redondo e com os taninos bem integrados.

“Este estiloso vinho, de clara aptidão gastronômica, é tão macio e cheio de fruta que oferece grande prazer até mesmo sem acompanhar comida“.

US$ 41.50

US$ 69.50

23


PROMOÇÃO: COMPRE 5 LEVE 6

21905 QUINTA DE SAES RESERVA ESTÁGIO PROLONGADO 2008

23554 TERRE DI SAN LEONARDO 2008

24814 ALBARIÑO 2011

(Tenuta San Leonardo / Trentino / Itália)

(Pazo de Señorans/ Rías Baixas/ Espanha)

Uma deliciosa criação de Alvaro Castro, da Quinta da Pellada.

Elaborado com um corte de diversas castas da propriedade, incluindo Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Carmenère,

US$ 63.90

US$ 46.90

Um dos grandes brancos espanhóis, de muita personalidade. Fino e aromático, de viva acidez, ele já foi eleito o melhor branco da Espanha por Robert Parker, sempre recebendo ótimas notas.

22354 QUINTA DO VESÚVIO 2008

21545 VILLA DI CAPEZZANA CARMIGNANO 2006

(Quinta da Pellada / Dão / Portugal)

(Quinta do Vesúvio / Douro / Portugal) Um dos melhores tintos de Portugal. US$ 199.50

20355 RIDGE ZINFANDEL LYTTON SPRINGS 2007 (Ridge Vineyards / California / Estados Unidos) Um dos vinhos mais famosos dos Estados Unidos baseados na casta Zinfandel. US$ 119.90

(Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália) Uma grande descoberta para quem aprecia o estilo dos tradicionais Brunello di Montalcino. US$ 79.90

22161 VIÑAS DEL VERO SYRAH COLECCIÓN 2007 (Viñas del Vero / Somontano / Espanha) 93 pontos do prestigiado guia CAMPSA. US$ 49.90

22300 ROSSO DI MONTEPULCIANO 2009 (Avignonesi / Toscana / Itália) Mostra todo o sabor e tipicidade da zona de Montepulciano com um estilo rico e muito italiano, perfeito para combinar com a comida. US$ 59.90

22898 RUBESCO 2008

21382 VINO NOBILE DI MONTEPULCIANO 2008 (Avignonesi / Toscana / Itália) Segundo o Gambero Rosso, trata-se de “um Nobile muito bom, de excelente equilíbrio”, que merece os “due bicchieri” do guia. US$ 99.00

(Lungarotti / Umbria / Itália) Uma das eternas descobertas da região da Úmbria. US$ 49.90

22207 STAR ANGEL SYRAH 2007 (Napa Angel / California / Estados Unidos) Elegante, com perfil bem diferente de alguns Syrah superconcentrados elaborados na Califórnia. US$ 79.90

23012 TE TERA PINOT NOIR 2010 (Martinborough Vineyard / Nova Zelândia) Mostra grande classe e elegância, como só os melhores Pinots da Nova Zelândia conseguem mostrar. US$ 96.90

24

24241 PROMIS DOC TOSCANA 2009 (Ca’ Marcanda / Gaja / Toscana / Itália) delicioso tinto é produzido por Angelo Gaja em Bolgheri, na Toscana, com a inconfundível assinatura de elegância do produtor. US$ 92,90

23356 CHIANTI CLASSICO 2009 (Isole e Olena/ Toscana/ Itália) Um dos melhores e mais tradicionais produtores de Chianti Classico, Isole e Olena elabora vinhos muito típicos e marcantes, de grande elegância. Para Parker, “entra ano e sai ano, é um dos melhores vinhos de toda a região.” US$ 85.90

US$ 59.90


PROMOÇÃO: COMPRE 11 LEVE 12

COMPRE 11 GARRAFAS E LEVE 12 Selecionamos alguns vinhos consagrados, dos quais vale a pena ter sempre muitas caixas em casa para abrir sem medo, ou comprar em quantidade para presentear clientes, parentes e amigos! Escolha seu preferido e, comprando 11 garrafas, você leva a 12ª grátis! Confira abaixo a lista completa destas promoções e aproveite para completar uma caixa de doze garrafas de seus vinhos preferidos! Esta promoção só é válida até 31/12/2013 ou enquanto durarem os estoques. Esta promoção é cumulativa com nossas condições especiais de parcelamento e com a promoção “ganhe vinhos para experimentar”, então aproveite!

22883 SPUMANTE CORTESIO BRUT

23897 VALDEMAR ROSADO 2011

(Cortesio / Piemonte / Itália)

(Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha)

Elaborado no Piemonte com base na uva Chardonnay, 10% do vinho é fermentado em barricas de carvalho para conferir maior complexidade ao espumante.

Com a chancela de Martinez Bujanda, o Essencia Valdemar rosado é fresco, cheio de fruta madura e deliciosamente leve.

US$ 29.90

BRANCO SECO

US$ 23.50

TINTO 22510 ALAMOS TEMPRANILLO 2010

22994 CISPLATINO TORRONTÉS 2011 (Pisano / Uruguai) Elaborado com a interessante uva Torrontés, muito encontrada no Uruguai e na Argentina. US$ 18.90

(Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Elaborado com uvas selecionadas de um excelente vinhedo da região de Rivadavia. US$ 18.90

21884 LUIS PATO MARIA GOMES 2010

23249 BARCO REALE DI CARMIGNANO 2009

(Luis Pato / Bairrada / Portugal)

(Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália)

ESPUMANTE

Um vinho leve, fresco e aromático, com a assinatura do genial Luis Pato.

23716 ALAMOS EXTRA BRUT

US$ 24.50

Robert Parker classificou o Barco Reale como um vinho de “fantástica relação qualidade/ preço”, atribuindo ao tinto 88 pontos.

(Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Bastante seco e refrescante, mostra uma excepcional relação qualidade/preço, como todos os demais vinhos da consagrada linha Alamos. US$ 27.90

22041 AYALA BRUT MAJEUR NM (Aÿala / Champagne / França) Com a chancela da Maison Bollinger, este Champagne recebeu 92 pontos da Wine Spectator. US$ 132.50

US$ 38.90

23364 MASI PASSO BLANCO PINOT GRIGIO/TORRONTÉS 2011

22187 BLASON D’AUSSIÈRES 2008

(Masi Tupungato - Agricola Masi / Mendoza / Argentina)

(Domaine D’Aussières / Languedoc-Roussillon / França)

Combinando castas emblemáticas da Argentina com uvas típicas italianas, Masi Tupungato elaborou este branco saboroso e original.

Produzido pelo Château Lafite Rothschild na região do Roussillon, aos pés dos Pirineus.

US$ 25.90

US$ 41.50

23275 CELEBRATION MERLOT 2010 23519 VINHA DO PUTTO BRANCO 2010 (Campolargo / Bairrada / Portugal)

(Château de la Tuilerie / Rhône / França)

Uma ótima surpresa do excelente Campolargo.

O Celebration Merlot é mais uma ótima novidade do renomado Château de la Tuilerie.

US$ 29.90

US$ 29.90

Uma escolha diferente e cheia de charme, este belo espumante rosado é elaborado com a uva Baga pelo famoso Luís Pato.

ROSADO

22583 CHIANTI CETAMURA 2010 Elaborado pela milenar Badia a Coltibuono.

US$ 39.90

23475 THE WOLFTRAP ROSÉ 2011 (Boekenhoutskloof / África do Sul)

US$ 38.50

22794 ESPUMANTE BAGA ROSADO BRUTO 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal)

(Badia a Coltibuono / Toscana / Itália)

Elaborado por Boekenhoutskloof, é uma excelente companhia para os mais diversos pratos.

22652 CIRANDA TINTO 2010

US$ 23.50

(Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal) Um dos vinhos de melhor relação qualidade/preço do Alentejo. US$ 23.90

25


PROMOÇÃO: COMPRE 11 LEVE 12

22752 CROZES-HERMITAGE LES MEYSONNIERS 2009

22468 SASSOALLORO IGT 2008

(M. Chapoutier / Rhône / França)

(Castello di Montepò /Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália)

90 pontos de Robert Parker.

90 pontos da Wine Spectator.

US$ 66.50

US$ 82.90

20860 CUVÉE ALEXANDRE CABERNET SAUVIGNON 2009

23253 SEIANO ROSSO IGT 2010

(Lapostolle / Chile) Altamente premiados, os Cuvée Alexandre já são verdadeiros clássicos da América do Sul. US$ 57.90

(D´Amico / Lazio / Itália) Saboroso e típico tinto italiano elaborado com a uva Sangiovese com um pouco de Merlot US$ 32.50

17933 GRAHAM’S EXTRA DRY WHITE 23167 EL ENEMIGO SYRAH/VIOGNIER 2009 (El Enemigo / Mendoza / Argentina)

(Graham’s / Porto / Portugal

Elaborado em Mendoza nos moldes dos Côte Rotie.

Fresco e seco, com um delicioso toque frutado, o Graham’s Extra Dry é um celebrado aperitivo.

US$ 52.50

US$ 34.90

20391 LADERAS DE EL SEQUÉ 2009 (El Sequé / Alicante / Espanha) Uma parceria entre Artadi e a líder da DO de Jumilla, Agapito Rico, El Sequé é a pioneira em vinhos de alta qualidade na emergente região de Alicante, no Sul da Espanha). US$ 32.50

21584 MONTES SELECCIÓN LIMITADA CARMÉNÈRE 2009 (Viña Montes / Chile) Na opinião de Robert Parker, a linha Selección Limitada de Vinã Montes “entrega muito mais que o preço sugere”, representando algumas das melhores relações qualidade/ preço do mundo do vinho. US$ 29.90

23293 NATIVA TERRA RESERVA CARMÉNÈRE 2009 (Nativa / Chile) Produzido de maneira totalmente orgânica. US$ 24.90

26


PROMOÇÃO

PARCELAMENTO ESPECIAL DE FINAL DE ANO

HORÁRIO ESPECIAL DE FUNCIONAMENTO

Aproveite nossas condições especiais de pagamento!

ATÉ 23 DE DEZEMBRO DE 2013

PEDIDOS A PARTIR DE R$250 parcelamento em até 2 vezes

PEDIDOS A PARTIR DE R$500 parcelamento em até 3 vezes

PEDIDOS A PARTIR DE R$1200 parcelamento em até 4 vezes

PEDIDOS A PARTIR DE R$2500

Mistral Rua Rocha De segunda a sexta, das 9h às 20h Sábado, das 9h às 18h Mistral JK (até 06/12) De segunda a sábado, das 10h às 22h Domingos e feriados, das 14h às 20h Mistral JK (a partir de 07/12) De segunda a sábado, das 10h às 23h Domingo, 8 de dezembro, das 14h às 22h Domingo, 15 de dezembro, das 10h às 22h Sábado, 21 de dezembro, das 10h às 00h Domingo, 22 de dezembro, das 10h às 22h

parcelamento em até 5 vezes

Mistral JK Wine & Champagne Bar (até 06/12) De segunda a sábado, das 12 às 23h Domingos e feriados, das 12h às 22h

* O parcelamento pode ser feito no cartão de crédito e é válido para pedidos de pessoa física, feitos na loja, por telefone ou através do site, até o final de 2013. Aproveite!

Mistral JK Wine & Champagne Bar (a partir de 07/12) De segunda a domingo, das 12h às 23h Sábado, 21 de dezembro, das 12h às 00h

TERÇA, 24 DE DEZEMBRO DE 2013 Mistral Rua Rocha Das 9h às 15h30 Mistral JK Das 10h às 18h Mistral JK Wine & Champagne Bar Das 12h às 18h

DE 26 A 29 DE DEZEMBRO DE 2013 Mistral Rua Rocha Quinta e sexta, das 9h às 18h Sábado, das 9h às 15h Domingo, não estaremos abertos Mistral JK De quinta a sábado, das 10h às 22h Domingo, das 14h às 20h Mistral JK Wine & Champagne Bar De quinta a sábado, das 12h às 23h Domingo, das 12h às 22h

SEGUNDA, 30 DE DEZEMBRO DE 2013 Mistral Rua Rocha Das 9h às 18h Mistral JK Das 10h às 22h Mistral JK Wine & Champagne Bar Das 12h às 23h

TERÇA, 31 DE DEZEMBRO DE 2013 Mistral Rua Rocha Não estaremos abertos Mistral JK Das 10h às 16h Mistral JK Wine & Champagne Bar Das 12h às 16h

QUARTA, 1 DE JANEIRO DE 2014 Não estaremos abertos

QUARTA, 25 DE DEZEMBRO DE 2013 Não estaremos abertos

COMPRE PELO TELEFONE 11 3372 3400 27


t,*54

KITS CHARMOSOS

para presentear

VINHOS DOS MELHORES E MAIS CONSAGRADOS PRODUTORES DO MUNDO PARA VOCÊ ACERTAR EM CHEIO EM SEU PRESENTE A Mistral trabalha apenas com os maiores nomes e as grifes mais reconhecidas do mundo do vinho, e essa é a melhor garantia para que você acerte sempre em sua escolha. Além de ótimos, são vinhos consagrados — quem receber uma garrafa de presente terá a certeza de que ela foi escolhida com cuidado e bom gosto.

KIT PANETTONE

KIT CHAMPAGNE

Os bons espumantes são perfeitos para brindar o final de ano acompanhando um saboroso panettone artesanal. O Blanc de Blancs Comte d’Ormont Brut [cód. 22420], do Vale do Loire, é muito aromático e fresco, realçando os sabores de um rico panettone de frutas cristalizadas da Ofner [cód. 10032].

Pol Roger Brut [cód 22031] é um Champagne elegante e exclusivo, uma escolha maravilhosa para festas e brindes especiais. Foi o Champagne escolhido para o casamento do Príncipe William, da Inglaterra, e de Kate Middleton. Acompanham este kit 2 taças Riedel Champagne Ouverture [cód 19150].

US$ 60.66

US$ 193.02

KIT GOURMET QUINTA DA LAGOALVA DE CIMA

KIT PORTO

Consulte-nos para uma sugestão personalizada de presente de final de ano e confira a seguir alguns kits especiais que preparamos para 2013! Você também pode montar seus próprios kits com vinhos, acessórios e embalagens especiais. Consulte nossos vendedores.

KIT INICIANTES NO MUNDO DO VINHO É um presente perfeito para quem está começando a se interessar por vinhos. Traz dois rótulos argentinos saborosos, redondos e muito cativantes: o tinto Alamos Cabernet Sauvignon 2011 [cód. 23711] e o branco Alamos Chardonnay 2011 [cód. 23718]; o livro Introdução ao Mundo do Vinho [cód. 9294], de autoria de Ciro Lilla; 2 taças de cristal Riedel Ouverture [cód. 20253]; um abridor 2 estágios Pulltap’s [cód. 13152]; um corta-gotas [cód. 21721] e um conjunto Vacuvin [cód. 9814], que ajuda a conservar o vinho por mais tempo depois de aberto.

US$161.57

Um conjunto para presentear seus amigos gourmets, composto de um tinto, um branco e um saboroso azeite elaborados por um dos mais reputados produtores da emergente região portuguesa do Tejo, e mais três acessórios bastante úteis. Quinta da Lagoalva Talhão 1 branco 2012 [cód. 25086] Quinta da Lagoalva Castelão/Touriga Nacional 2011 [cód.25083] Azeite extravirgem [cód. 24230] Abridor 2 estágios Pulltap’s [cód. 13152] Bico servidor de vinho cristal (conjunto com duas unidades) [cód. 18540] Champagne Cooler [38853]

US$ 155.80 28 28

Verdadeiro clássico, o Porto tem um caráter único e uma história secular, sendo considerado um excelente vinho de meditação. Neste kit, o Graham’s Fine Ruby [cód. 22357], um Porto muito expressivo e cheio de fruta, assinado pela família Symington, é acompanhado de duas taças da grife Riedel [cód. 20253] e 6 minitabletes de chocolate gourmet AMMA [cód 25037], em diferentes graduações de cacau (desde “ao leite” até o amargo). É uma das melhores harmonizações para este fortificado.

US$98.25


KITSt

KIT ESPUMANTE BRASILEIRO ARTESANAL O Vallontano Brut [cód. 19446] é elaborado com as uvas Pinot Noir e Chardonnay, as mesmas utilizadas em Champagne. Seco, cheio de fruta e com grande apelo, é um espumante delicioso de um dos mais talentosos produtores brasileiros. Acompanham este kit 2 taças Riedel Champagne Ouverture [cód 19150].

US$65.30

KIT VINHO E DECANTER RIEDEL Um belo e exclusivo decanter [cód. 20249] produzido pela grife austríaca Riedel para valorizar ainda mais os grandes tintos, como o Château Pérenne 2006 [cód. 24123], um Bordeaux com assinatura de Bernard Magrez, repleto de saborosas notas de frutas negras e silvestres, e o Meandro do Vale Meão 2010 [cód. 24867], segundo vinho da cultuada Quinta do Vale Meão, do Douro, em um estilo complexo, rico e sedutor.

TAÇAS RIEDEL PARA TINTOS DE DIFERENTES ESTILOS

TAÇAS RIEDEL PARA BRANCOS E TINTOS

3 sofisticadas taças de cristal Riedel para vinho tinto – Cabernet Sauvignon, Pinot Noir e Syrah [cód. 24423]. 

4 taças Vinum XL, da Riedel, criadas especialmente para vinhos Cabernet Sauvignon, Riesling, Bourgogne Grand Cru e Pinot Noir [cód 19410].

US$199.50

US$ 185.80

US$195.11

KIT DECANTER E 6 TAÇAS RIEDEL

SERVIÇO DO VINHO

FRA GRAN VIN

Neste charmoso kit, o decanter Riedel [cód 19448] é acompanhado de 6 taças de cristal [cód 19543] desenvolvidas para servir tintos Cabernet Sauvignon, Merlot e Sangiovese.

Neste kit reunimos 3 acessórios indispensáveis para os enófilos:

Um presente original para quem gosta de desvendar os aromas e sabores do vinho. Fra Gran Vin [cód 21091] traz 35 frascos com as principais fragrâncias presentes nos tinto e brancos. Interessante para treinar a memória olfativa.

US$349.30

Conservador de vinho a vácuo Vacuvin [cód 9814] Bico servidor de vinho [cód 18540] Abridor 2 estágios Pulltap’s [cód 13152]

US$57.96

US$120.09

KIT VINHO E TAÇAS CERTAS PARA BRINDAR É impressionante a diferença que as taças certas, como as desenvolvidas especialmente por Riedel para cada tipo de uva, valorizam um vinho. É o melhor investimento que você pode fazer para aumentar muito a qualidade de apreciação de seus vinhos! Nesta sugestão o Viña Carmen Reserva Cabernet Sauvignon 2012 [cód 25346] acompanha 2 taças Riedel Cabernet Sauvignon XL [cód 19144]

US$ 86.15

29 29


t,*54

KITS COM 1 GARRAFA

KITS 2 GARRAFAS

KITS 3 GARRAFAS

Kit 6 grandes vinhos

Rosado estiloso. O Montes Cherub Syrah Rosé [cód. 24066] é um dos melhores e mais bem sucedidos rosados do Hemisfério Sul. Elegante e classudo, com bastante frescor e um longo e complexo retrogosto. Seu rótulo é especialmente charmoso. Monte seu próprio kit de 1 garrafa com qualquer vinho de nosso catálogo ou peça a sugestão de nossos vendedores!

Duo 95 pontos Parker. O Brunello di Montalcino [cód. 24463] assinado por Fuligni é um dos mais premiados desta cultuada denominação. A safra 2007, com 95 pontos de Robert Parker, foi descrita como “generosa” e “incrível” pelo crítico. É um vinho que combina potência e elegância. Já o Hamilton Russell Pinot Noir [cód. 24957], classificado também com fantásticos 95 pontos por Parker na safra 2010, é “sublime”, “com palato maravilhoso”, “um audacioso Pinot Noir da África do Sul”, nas palavras do jornalista. Monte seu próprio kit de 2 garrafas com qualquer vinho de nosso catálogo ou peça a sugestão de nossos vendedores!

Grandes estrelas da América do Sul. O famoso Angelica Zapata Malbec [cód. 23699] é produzido por Catena Zapata, maior nome do vinho argentino, o produtor que reinventou a Malbec, colocando os tintos de seu país no mapa dos melhores do mundo. Outro produtor de enorme prestígio é a chilena Viña Montes, que assina o delicioso Montes Twins [cód. 24759], um macio corte de Cabernet Sauvignon e Malbec. Entre os brancos, o Amayna Chardonnay [cód. 23937]é uma das grandes referências do Chile, um vinho sofisticado e cheio de finesse. Monte seu próprio kit de 3 garrafas com qualquer vinho de nosso catálogo ou peça a sugestão de nossos vendedores!

Uma seleção de vinhos clássicos em uma bela caixa, que valoriza as garrafas e compõe um presente muito especial. Monte seu próprio kit de 6 garrafas com qualquer vinho de nosso catálogo ou peça a sugestão de nossos vendedores!

US$ 38.50 [para esta opção]

US$294.15 [para esta opção]

KIT QUARTINHOS Seis deliciosas e charmosas garrafinhas de 187ml para experimentar vinhos diferentes Monte seu próprio kit de vinhos em garrafinhas de 187ml com qualquer das opções de nosso catálogo ou peça a sugestão de nossos vendedores! Ch. Bel Air 2010 [cód 23889] Classic Cabernet Sauvignon 2011 [cód 24177] Classic Sauvignon Blanc 2011 [cód 22520] Alamos Malbec 2011 [cód 23727] Alamos Chardonnay 2012 [cód 20286] Graham’s 10 years Old Tawany [cód 17845] Caixa especial de presente [cód 21068]

US$78.38 [para esta opção]

ESPECIAL MONTES ALPHA CABERNET SAUVIGNON Um kit com duas garrafas do maravilhoso Montes Alpha Cabernet Sauvignon [cód 24594], considerado o primeiro grande tinto chileno, inspirado nos melhores vinhos de Bordeaux, em uma embalagem sofisticada da marca [cód 25831].

US$ 99.70

Bollinger Special Cuvée [cód 22036] Chablis 2011 [cód 19727] Côtes de Provence Rosé 2006 [cód 15613] Beaune 1er Cru Cent Vignes 2009 [cód 23091] Château Brown rouge 2006 [cód 18988] Sauternes 2007 [cód 19061] Caixa especial de presente [cód 21071]

US$595.47 [para esta opção]

US$153.85 [para esta opção]

ESPECIAL QUINTA DO CÔTTO

KIT “VINHO ARGENTINO”

Duas garrafas do Quinta do Côtto [cód. 23408], um dos mais clássicos tintos da região do Douro (Portugal), o primeiro “Vinho de Quinta” do país, em uma embalagem especial criada pelo produtor [cód 19500].

Escrito por Laura Catena, filha e braçodireito do renomado produtor Nicolás Catena, o recém-lançado livro “Vinho Argentino” [cód 24467] é uma saborosa viagem pela evolução vitivinícola, a cultura e o estilo de vida argentino. Segundo a Wine Spectator, a obra “fará com que você queira comprar uma passagem de avião para visitar a Argentina, ou pelo menos, abrir uma garrafa de Malbec”. Para acompanhar a leitura, nada melhor do que dois rótulos da família Catena: o DV Catena MalbecMalbec 2009 [cód. 24472], de grande complexidade, com notas cativantes de fruta e ótima profundidade, e o Tahuan Chardonnay 2010 [23852], um branco rico e sedutor, assinado pelo talentoso Ernesto Catena, irmão de Laura.

US$76.65

US$ 125.00 30 30


MA GN U MS As magnums são excelentes escolhas para impressionar As imponentes garrafas de 1,5 e 3 litros são perfeitas para os grandes jantares e festas de fim de ano. As Magnums servem 12 taças, em média, e as Double Magnum o dobro disso. Em geral, elas contêm tintos e brancos de qualidade superior. Além disso, nas garrafas maiores o vinho tem um contato mais controlado com o oxigênio do ar externo, envelhecendo lentamente e melhor. É por isso que tantos colecionadores e grandes conhecedores preferem as garrafas de tamanhos generosos. Elas também são um presente fantástico, que impressiona e chama a atenção por sua raridade e presença.


MAGNUMS

MAGNUM

21255 CÔTES-DU-RHÔNE BELLERUCHE 2009 (M. Chapoutier / Rhône / França)

21176 CROZES-HERMITAGE LES JALETS 2007 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França) Uma alternativa aos mais caros e encorpados Hermitage, este ótimo Croze-Hermitage, elaborado apenas com a uva Syrah, tem bom corpo e ótima fruta. Muito saboroso, é uma ótima companhia para comida.

US$119.50

19746 VEGA SICILIA ÚNICO GRAN RESERVA 1995 (Vega Sicilia / Ribera del Duero / Espanha) Certamente o mais consagrado e lendário vinho espanhol. Um vinho realmente único em todos os sentidos, sempre entre os melhores do mundo. Com um estilo e personalidade incomparáveis, ele é extremamente elegante, complexo e longevo, um dos vinhos mais disputados e colecionados que existem. Produzido apenas nos melhores anos. O Guía Peñin é categórico: “Vega Sicília produz os melhores vinhos da Espanha”. A safra 1995 foi classificada com fantásticos 97 pontos de Robert Parker.

US$2145.00

21228 TOKAJI FURMINT MANDOLÁS 2007 (Oremus-Vega Sicilia / Tokaj / Hungria) Este maravilhoso branco seco, com a prestigiosa assinatura de Vega Sicilia, é um dos melhores achados em nosso catálogo. Extremamente rico e aromático, com bom corpo e vívida acidez, no estilo barricado, possui uma deliciosa e discreta cremosidade no palato. Altamente recomendado!

Uma das melhores relações qualidade/preço da França, este saboroso Côtes-du-Rhône é um dos mais reverenciados de sua denominação. Rico, macio e muito saboroso, é um corte de Grenache e Syrah, com rendimentos muito baixos para um Côtes-du-Rhône, o que lhe confere maior elegância, concentração e qualidade. Impossível não gostar!

US$76.50

20068 CHOCOLATE BLOCK 2008 (Boekenhoutskloof / Franschhoek / África do Sul) Produzido a partir de um fantástico blend de Grenache, Syrah, Cabernet, Cinsault e a branca Viognier, é um tinto cativante que lembra um bom Châteauneuf-du-Pape, já tendo sido escolhido como “Vinho da Semana” por Jancis Robinson. O intenso bouquet de frutas maduras e flores é inebriante. Na boca, é tão equilibrado e prazeroso que é quase impossível resistir a um segundo copo.

US$174.50

21534 SASSOALLORO ORO 2005 (Castello di Montepò-Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália) Esta edição especial e limitada do consagrado supertoscano Sassoalloro foi engarrafada apenas em garrafas de grande formato e repousou por mais tempo nas frias caves do Castello de Montepò. Elaborado com uma seleção das melhores parcelas, é ainda mais complexo e refinado que o delicioso Sassoalloro. Um verdadeiro vinho para colecionadores.

US$298.50

US$111.00

21234 CAMINS DEL PRIORAT 2008 (Alvaro Palacios / Priorato / Espanha) Esta deliciosa criação de Alvaro Palacios, um corte de Carignan, Garnacha, Cabernet Sauvignon e Syrah, é um dos maiores achados da região do Priorato. Rico, cheio de fruta, com um toque mineral e a inigualável assinatura de Alvaro Palacios, é perfeito para acompanhar comida. A safra 2008 mereceu 91 pontos de Robert Parker.

US$127.00

33


MAGNUMS

14779 MAGNA BAGA 2004 (Campolargo / Bairrada / Portugal) Robusto e concentrado, este excelente Baga só é disponível em garrafas magnum. Elaborado por Campolargo, grande nome da Bairrada, mostra grande profundidade de fruta e complexidade, sendo capaz de evoluir em garrafa por muitos e muitos anos.

US$99.50

13635 ROSSO DI MONTALCINO 2002 (Villa Poggio Salvi / Tocana / Itália)

(Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França) Ao lado dos potentes Hermitage, os elegantes e aromáticos Côte Rotie são os melhores vinhos do norte do Rhône. O Les Jumelles é famoso por seu cativante bouquet, com notas florais e de frutas maduras, e uma excelente acidez, que permite que o vinho seja guardado por muitos e muitos anos. Perfeito com aves de carne mais escura, como codornas, ou com coelho.

US$288.00

Potente e parrudo, é um vinho de muita classe, em um estilo mais moderno e acessível, mostrando toda a força e intensidade da Sangiovese.

17941 CROZES-HERMITAGE THALABERT 2005

US$127.50

(Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França)

17892 VIÑA PEDROSA RESERVA 2004 (Perez Páscuas / Ribera del Duero / Espanha) Com 91 pontos de Robert Parker na safra 2004, o suntuoso Viña Pedrosa Reserva é potente e concentrado, com muita classe e profundidade de fruta. O exigente El Mundo, de Victor de la Serna, considera este belo tinto como um dos maiores vinhos da Ribera del Duero, ao lado de ícones como Vega Sicilia.

US$249.00

17894 DOMINIO DE ATAUTA 2005 (Dominio de Atauta / Ribera del Duero / Espanha) O sofisticado Dominio de Atauta é mais fresco que a maioria dos vinhos de Ribera del Duero, com uma destacada profundidade de fruta. A maioria do vinho é maturada em barricas de um ano de idade onde estagiou o famoso Château Angelus de Bordeaux. A safra de 2005 recebeu nada menos que 92 pontos de Robert Parker, que o descreveu como “um verdadeiro vinho de guarda”. O exigente Guía Peñin também classificou o tinto com 92 pontos, uma excelente nota.

US$277.90

17937 HERMITAGE LA CHAPELLE 2005 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França) Vinho lendário, sem dúvida um dos maiores tintos da França. Extremamente complexo, concentrado e elegante, representando o ápice de sua prestigiosa denominação. Um dos “12 Vinhos do Século XX” para a Wine Spectator, em sua safra de 1961.

US$999.00

34

17940 CÔTE RÔTIE LES JUMELLES 2005

Paul Jaboulet Âiné é um dos monstros sagrados do Rhône, responsável por alguns dos mais aclamados vinhos da França. Este CrozesHermitage mostra toda opulência e exuberância do norte do Rhône, em uma versão que pode ser bebida antes dos majestosos Hermitage.

US$179.00

17229 NEBBIOLO D’ALBA VALMAGGIORE 2005 (Luciano Sandrone / Piemonte / Itália) Apontado por Robert Parker como “outstanding” e uma das melhores opções em Nebbiolo d’Alba, este ótimo tinto de Sandrone é um Barolo em miniatura, mostrando o todo o caráter da casta Nebbiolo em uma versão mais macia e acessível que os grandiosos Barolo.

US$158.00


MAGNUMS

14223 COSTERS DEL GRAVET 2001 (Celler de Capçanes / Montsant / Espanha)

15069 ALTEREGO MONFERRATO 2003

A Celler de Capçanes possui vinhas muito antigas plantadas em altitude, de baixíssimo rendimento, resultando em vinhos potentes e concentrados. São vinhos muito apreciados pela nova comunidade gourmet de Barcelona. O Costers del Gravet é um dos grandes vinhos da casa, um corte de 50% Cabernet Sauvignon, 40% Grenache (de vinhas de 70 anos) e 10% Carignan.

(Coppo / Piemonte / Itália)

US$145.25

15215 SCHIDIONE 2000

14369 LEDA VIÑAS VIEJAS 2002 (Bodegas Leda / Ribera del Duero / Espanha) Sempre um dos maiores vinhos espanhóis, é um tinto concentrado e extremamente elegante, denso e com uma textura aveludada, elaborado apenas com vinhas velhas de Tempranillo, com mais de 50 anos de idade. Foi considerado o melhor tinto da Espanha pelo Guia Gourmets 2002.

US$276.50

14291 RADICI TAURASI 2001 (Mastroberardino / Campania / Itália) Mastroberardino é o maior nome do sul da Itália e seus Taurasi representam o máximo em finesse, potência e elegância que a casta Aglianico pode alcançar. Sempre classificado com excelentes notas pelos jornalistas especializados, o Radici Taurasi mereceu 91 pontos da Wine Spectator na safra 2001.

US$185.00

14777 TERMEÃO 2000

Um tinto muito rico, intenso e concentrado, bastante profundo e fino, é um corte de Cabernet Sauvignon, Barbera e Freisa elaborado por Coppo, um dos grandes nomes do Piemonte.

US$195.00

(Castello di Montepò-Jacopo Biondi Sati / Toscana / Itália) Schidione é um grande supertoscano, produzido no mesmo estilo moderno do Sassoalloro, mas utilizando as uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, além da tradicional Sangiovese. O Vinho é maturado em barricas de carvalho por 24 meses, mostrando muito corpo e potência, aliada a uma grande elegância.

US$653.00

15789 HERMITAGE M. DE LA SIZERANNE 2004 (M. Chapoutier / Rhône / França) Este excelente Hermitage La Sizeranne mostra bem porque Chapoutier é o maior colecionador de prêmios e notas altas do Rhône nas últimas décadas. Ostenta um bouquet marcante e opulento, com grande complexidade. Apontado como “magnífico” por Robert Parker, é uma das melhores expressões da casta Syrah. Sua incrível estrutura faz com que possa evoluir em garrafa por mais de 15 anos.

US$329.00

(Campolargo / Bairrada / Portugal)

16411 RESERVA MERLOT 2005

Este brilhante produtor da Bairrada está em uma fantástica fase, tendo já sido eleito o “Produtor do Ano” pela prestigiada Revista de Vinhos. Termeão foi indicado entre os melhores vinhos da Bairrada.

(Viña Carmen / Chile)

US$157.50

15034 POMOROSSO BARBERA D’ASTI 2003 (Coppo / Piemonte / Itália)

De muita reputação, é um dos melhores Merlots do Chile, grande especialidade da Viña Carmen. O bouquet é intenso e complexo, cheio de frutas vermelhas, especiarias e tostado. Na boca é encorpado e rico, bastante concentrado, com taninos finos e macios. Combina muito bem com pizzas, massas e carnes, sendo também ótimo para ser bebido sozinho.

US$84.50

Certamente um dos melhores e mais reputados tintos do Piemonte, o Pomorosso representa o ponto máximo de qualidade da casta Barbera. É um vinho extremamente complexo e elegante, com uma ótima acidez, o que o torna uma perfeita companhia para carnes mais gordurosas. Um tinto com lugar cativo na cobiçada lista dos “tre bicchieri” do Gambero Rosso.

US$289.00

35


MAGNUMS

23084 BARBERA D’ASTI CAMP DU ROUSS 2008

23062 VENTOUX LES TRAVERSES 2009

(Coppo / Piemonte / Itália)

(Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França)

Um dos grandes achados da Itália, o delicioso Camp du Rouss foi chamado de “delicioso” e “com considerável personalidade e classe” por Robert Parker, recebendo 90+ pontos do crítico norte-americano na safra 2008. Cheio de fruta, com ótima acidez e um sofisticado toque de carvalho, também é apontado pelo Gambero Rosso como um vinho de excelente relação qualidade/preço.

Delicioso vinho do sul do Rhône, frequentemente classificado como “Best Buy” por Robert Parker. Bastante frutado e saboroso, possui mais corpo e estrutura que a grande maioria dos vinhos dessa denominação, sem perder o ótimo apelo regional. O paladar é potente, fresco com taninos firmes, bem presentes e equilibrados com uma ótima acidez.

US$109.90

US$72.50

23187CORTONA SYRAH 2009

23103 BOURGOGNE COUVENT DES JACOBINS ROUGE 2009

(D’Alessandro / Toscana / Itália) O saboroso e cativante Cortona Syrah já foi escolhido por Jancis Robinson como “Vinho da Semana”. Este fantástico segundo vinho da vinícola é elaborado com uvas de vinhedos que ainda não são velhos o suficiente para o cultuado Il Bosco, mas de um nível de qualidade altíssimo, originando um tinto macio, rico e convidativo, com ótima estrutura e personalidade própria. Uma ótima descoberta!

US$108.00

23190 MIGLIARA 2008 (D’Alessandro / Toscana / Itália) Este fantástico Syrah é considerado um dos melhores vinhos da Itália elaborado com a casta. Logo na primeira safra produzida, 2006, arrematou nada menos que 98 pontos da Wine Spectator (isto mesmo: 98 pontos!), que apontou o vinho como “impressionante”. Produzido em minúsculas quantidades, já se tornou rapidamente um dos maiores “cult wines” da Toscana. A safra 2008 também é excelente, com 94 pontos de Robert Parker.

US$386.50

(Louis Jadot / Bourgogne / França) Este ótimo Borgonha é produzido por Loius Jadot, um dos mais respeitados e premiados nomes da França. Muito saboroso e com bouquet cativante é uma excelente introdução à região. Ótima relação qualidade/preço.

US$118.00

22889 MONTEPULCIANO D’ABRUZZO MARINA CVETIC 2007 (Masciarelli / Abruzzo / Itália) Excelente Montepulciano d’Abruzzo elaborado pela vinícola Masciarelli.Mais encorpado, untuoso e elegante que a maioria dos vinhos elaborados nesta denominação, é sem dúvida, um excelente achado! Robert Parker classificou o vinho com nada menos que 92 pontos.

US$149.90

22960 CH. FAYAU 2009 (Bordeaux / França) Saboroso Bordeaux Supérieur elaborado com as uvas Cabernet Franc, Merlot e Cabernet Sauvignon. Mostra boa fruta e corpo, em um conjunto bastante agradável.

US$69.90

22970 CH. LA GATTE TRADITION 2008 (Bordeaux / França) O Chatêau La Gatte é um excelente petit château do casal Affatato, com longa experiência adquirida na Maison Chapoutier do Rhône e no Château Latour em Bordeaux. Este tinto 2005 mostra ótima complexidade, em um conjunto saboroso e harmônico, bastante típico dos bons tintos de Bordeaux.

US$63.50

36


MAGNUMS

22973 CH. LA BUTTE VIELLES VIGNES 2007

20650 CH. L’HOSPITALET DE GAZIN 2007

(Bordeaux / França)

(Bordeaux / França)

Este saboroso tinto do Château La Gatte é elaborado com uvas Merlot de videiras muito antigas, de 50 anos de idade, plantadas de modo a obterem um rendimento minúsculo. O resultado é um vinho concentrado, cheio de nuances, mantendo o típico estilo bordelais. Mesmo sendo produzido em quantidades muito limitadas, apresenta ótima relação qualidade/preço.

O Château L’Hospitalet de Gazin é elaborado pelo Château Gazin, uma das estrelas de Pomerol, a partir de cuvées que não entram no corte do seu Grand Vin. Em um estilo elegante, com palato sedoso e rico, pode ser apreciado mais cedo, sendo uma excelente escolha dessa pequena subregião de Bordeaux.

US$99.90

19743 VALBUEÑA 5º AÑO 2004 (Vega Sicilia / Ribera del Duero / Espanha)

US$231.90

23423 CAMPOFIORIN ROSSO DEL VERONESE 2008 (Masi Agricola / Veneto / Itália)

Um dos grandes ícones do vinho espanhol, o reputado Valbuena 5º Año é o segundo vinho das Bodegas Vega Sicilia, um tinto superlativo, de grande classe, e elegância. Ele envelhece menos tempo em carvalho do que o Vega Sicilia Unico, sendo lançado cinco anos após a colheita, e estando pronto para ser bebido mais cedo. Trata-se de um vinho extraordinário, extremamente bem talhado, com potência e concentração bem moldadas por finesse e grande complexidade, além de um adorável frescor e um longo final de boca. Altamente recomendado.

Verdadeiro clássico italiano, o Campofiorin é produzido pela técnica de “dupla fermentação”, que consiste em passificar uma parte das uvas e adicionar estas uvas passificadas ao vinho elaborado com uvas “frescas”. Esse processo desencadeia uma segunda fermentação, extraindo mais cor, aromas e complexidade. Muito elogiado pela Wine Spectator, o delicioso tinto apresenta uma ótima relação qualidade/preço.

US$829.00

22789 LUIS PATO BAGA 2007

US$99.50

(Luis Pato / Bairrada / Portugal)

20356 RIDGE ZINFANDEL LYTTON SPRINGS 2007 (Ridge Vineyard / Califórnia / Estados Unidos) Um dos vinhos mais famosos dos Estados Unidos baseados na casta Zinfandel, o Lytton Springs é elaborado com pequenas parcelas das castas Petite Sirah e Carignan, sendo incrivelmente longevo. Opulento e exuberante, mas dotado de uma refrescante acidez, é um vinho bem mais elegante que a grande maioria dos Zinfandel californianos. A versão 2007 foi classificada com 92 pontos por Parker que se surpreendeu com a “impressionante gama de aromas” do vinho. Robusto e concentrado, é um vinho que envelhece muito bem, ficando cada vez mais elegante.

O tinto Luis Pato é o tradicional “Bairrada” da casa, proveniente da cepa Baga, de vinhas próprias. É envelhecido em pipas de 650 litros de carvalho francês, o que lhe confere maior equilíbrio e maciez. Trata-se de um vinho de excelente relação qualidade/preço, muito aromático, saboroso e com taninos marcantes, mas redondos.

US$59.50

US$259.90

23591 CH. PUY BLANQUET 2009 (Bordeaux / França) Eis um belo Saint Emilion elaborado sob a batuta de Jean Pierre Moueix, do Château Petrus! O Château Puy Blanquet é mais concentrado que a maioria dos vinhos da região, mas apresenta também um sofisticado toque de austeridade e bastante complexidade. É um tinto perfeito para acompanhar comida e apresenta excelente relação qualidade-preço.

US$137.50

37


MAGNUMS

23796 CHIANTI GENTILESCO 2010

22176 CH. BEL AIR 2009

(Bonacchi / Toscana / Itália)

(Bordeaux / França)

Elaborado a partir de uma seleção rigorosa das melhores uvas de Sangiovese, que compõem 85% do corte, sendo o restante uma combinação de outras castas toscanas, como Canaiolo e Malvasia del Chianti. O resultado é um Chianti frutado e com boa acidez, perfeito para combinar com comida.

Ótimo vinho deste charmoso “petit château” de Bordeaux, com excepcional relação qualidade/ preço. A safra de 2009 foi ótima, resultando em vinhos maduros e cheios de fruta.

US$42.50

22407 CABERLOT 2007 (Il Carnasciale / Toscana / Itália) Lenda entre os grandes conhecedores de vinhos toscanos, Podere Il Carnasciale produz um vinho único no mundo — elaborado com a casta Caberlot, um provável cruzamento entre a Cabernet Sauvignon e a Merlot que surgiu espontaneamente em um vinhedo perto de Verona, há mais de 50 anos, e nunca mais pôde ser reproduzido, apesar das tentativas. Os vinhos do Podere Il Carnasciale são os únicos autorizados a serem produzidos com uvas desta preciosa linhagem da casta Caberlot, talvez a mais rara do mundo. Disponível apenas em garrafas magnum, o vinho é tão raro que, por muitos anos, mesmo merecendo o prêmio, o Gambero Rosso não pode conferir ao tinto os “tre bicchieri”, pois a produção era pequena demais para entrar na listagem! “Fabuloso aroma” e “palato irreal”, para a Wine Spectator, que classificou a safra 2007 com 97 pontos!

US$799.50

23843 BAROLO DAGROMIS 2007 (Angelo Gaja / Piemonte / Itália) Angelo Gaja, o melhor produtor da Itália, produz este soberbo e sofisticado Barolo. Tânico, potente e concentrado, apresenta toda a elegância e finesse que são as marcas registradas deste genial produtor.

US$438.50

24332 FINCA ANTIGUA CRIANZA 2008 (Finca Antigua / La Mancha / Espanha) Finca Antigua é uma ótima propriedade de Martinez Bujanda. O saboroso Crianza 2008 é marcante e macio, com boa persistência e um elegante toque de carvalho.

US$ 66.90

38

US$54.90

20035 CONDE DE VALDEMAR CRIANZA 2005 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha) Tinto da denominação Rioja – a mais famosa da Espanha – da categoria “Crianza”, isto é, “criado” em madeira. É um vinho de guarda, recomendado para aqueles que apreciam vinhos com um bouquet complexo, onde o carvalho está bem equilibrado com fruta madura. Emprega 85% de Tempranillo e 15% de Mazuelo, de vinhedos em Rioja Alta e Rioja Alavesa, as duas melhores subregiões.

US$67.90

23955 LANGHE NEBBIOLO PERBACCO 2009 (Vietti / Piemonte / Itália) Ótimo tinto elaborado com a mesma casta do Barolo, em uma versão mais macia e cheia de fruta. Para Robert Parker, é “um Barolo miniatura”, merecendo pelo menos 90 pontos em todas as safras já avaliadas. As uvas vêm dos excelentes crus Scarrone e Ravera. Segundo o Gambero Rosso, esse ótimo vinho tem ficado ainda melhor a cada ano. Encorpado e complexo, excelente parceiro de comida, é um dos melhores achados do Piemonte.

US$115.00


MAGNUMS

23956 BAROLO CASTIGLIONE 2008

23975 PÉTALOS DEL BIERZO 2009

(Vietti / Piemonte / Itália)

(Descendientes de J. Palacios / Bierzo / Espanha)

Um Barolo “impecável”, para a Robert Parker, que o classificou com 92 pontos. Elaborado por Vietti, um dos nomes fortes do Piemonte, mostra um rico e poderoso aroma de frutas maduras e notas florais. No palato é encorpado, com ótima acidez.

Excelente vinho produzido pelo genial Alvaro Palacios na fria região de Bierzo com a uva Mencia, uma rara casta local que lembra a Cabernet Franc. De excelente relação qualidade/preço, recebeu na safra 2009 nada menos que 90 pontos de Robert Parker, para quem é “um atestado do potencial desta uva”. Potente, concentrado e muito elegante, promete ser uma das grandes sensações deste ano.

US$324.50

21195 CH. MUSAR ROUGE 2003 (Château Musar / Vale de Bekaa / Líbano) O Líbano produz um vinho de grande tradição e estilo, o famoso Château Musar – de bouquet marcante, encorpado e muito equilibrado na boca. O Vale de Bekaa é uma das mais antigas regiões vinícolas do mundo, citada na própria Bíblia. O célebre tinto é um corte de Cabernet Sauvignon e Cinsault.

US$199.50

23964 CATENA MALBEC 2010 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Um grande Malbec argentino, o Catena Malbec já se tornou um verdadeiro clássico, com uma elegância e um senso de proporção raramente encontrado em outros tintos de seu país. Já foi indicado como um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” pela Wine Spectator — um feito surpreendente para um vinho deste preço! Trata-se de um tinto encantador, com concentração e intensidade, mas também charme e muito caráter. Segundo Jancis Robinson, ele “tem a estrutura de um Bordeaux, oferece mais do que o esperado, e é tão bom!” Robert Parker classificou a safra 2010 com ótimos 91 pontos.

US$65.90

US$137.50

22072 BRUNELLO DI MONTALCINO 2005 (Andrea Costanti / Toscana / Itália) Sempre um dos melhores vinhos da Toscana, os excelentes Brunello di Montalcino de Costanti combinam elegância e opulência de maneira magistral. Para Robert Parker, o Brunello do Montalcino de Costanti é “maravilhoso ”, merecendo 93 pontos na safra 2005

US$346.50

24093 CHÂTEAUNEUF-DUPAPE LA BERNARDINE 2010 (M. Chapoutier / Rhône / França) Esta ótima interpretação de Chapoutier para um vinho histórico — o mais emblemático do sul do Rhône — mereceu 91 pontos e muitos elogios da Wine Spectator na safra 2010. Um dos poucos Châteauneuf-du-Pape produzidos com apenas duas castas, o La Bernardine é elaborado com a elegante Grenache, em maioria, e a emblemática Syrah. A bela cor, característica de um Grenache de baixos rendimentos, e o complexo bouquet oferecem uma prévia da deliciosa sensação de boca que esse vinho proporciona.

US$259.50

24054 QUINTA DO MONTE D’OIRO RESERVA 2007 (Quinta do Monte d’Oiro / Lisboa / Portugal) O maravilhoso Quinta do Monte d’Oiro Reserva é um elegante, complexo e muito bem proporcionado corte de Syrah com uma pequena parcela da uva branca Viognier, a mesma mescla dos famosos Côte Rotie do Rhône. Com 91 pontos de Robert Parker na safra 2007, este tinto faz frente aos melhores Syrah do mundo, com grande classe e personalidade.

US$255.50

39


MAGNUMS

24263 IL BOSCO SYRAH 2009 (D’Alessandro / Toscana / Itália) Sempre classificado com altas notas pela crítica especializada, o Il Bosco já foi comparado a “um grande Hermitage” pela Wine Spectator. Segundo Robert Parker, é “um dos poucos exemplos de Syrah de alto nível produzidos na Itália”. Para Jancis Robinson, Il Bosco é há muito tempo o melhor Syrah da Itália, mostrando uma qualidade que a maioria dos vinhos do norte do Rhône não tem — “um toque de fruta doce combinado com uma grande estrutura”. Um dos melhores Syrahs de clima quente de todo o mundo!

US$279.00

24314 DAUMAS DE GASSAC ROUGE 2010

23841 BRUNELLO DI MONTALCINO 2007

24577 CATENA ALTA MALBEC 2009

(Pieve Santa Restituta-Gaja / Toscana / Itália)

Um tinto extraordinário, este é o vinho que mostrou ao mundo o potencial da casta Malbec para originar vinhos de classe mundial. Ele é intenso e concentrado como os grandes tintos argentinos, mas também muito elegante e bem talhado, com uma complexidade impressionante, raramente encontrada no continente. Um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” por três anos consecutivos para a Wine Spectator, mereceu 94 pontos de Robert Parker na safra 2009. Uma referência absoluta.

Após não engarrafar seus disputados Brunello di Montalcino nas safras de 2002 e 2003, Angelo Gaja julgou que a safra de 2005 em Pieve Santa Restituta não estava à altura de seus cultuados Rennina e Sugarille, e desclassificou os dois crus de Brunello, colocando as melhores parcelas que iriam para o Sugarille e Rennina em um novo vinho, elaborado com as melhores uvas dos quatro vinhedos da propriedade. Rico, complexo e dotado da grande finesse presente em todos os vinhos de Gaja, é uma verdadeira pechincha por sua altíssima qualidade.

US$399.50

(Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França)

24464 BRUNELLO DI MONTALCINO 2007

Vinho de enorme prestígio e longevidade, é um dos mais emblemáticos tintos da França. Encorpado, potente e muito fino, com ótima presença de boca. Criado pelo genial Emile Peynaud no final da década de 1970, foi chamado de “excepcional” por Robert Parker. É considererado o melhor vinho do sul da França e um dos grandes tintos do país.

(Fuligni / Toscana / Itália)

US$255.50

24328 VIÑA BUJANDA CRIANZA 2009 (Viña Bujanda / Rioja / Espanha) Elaborado com uvas de vinhedos localizados em Rioja Alavesa e Rioja Alta, incluindo uma parcela excepcional – “El Seminário”, próxima a Logroño –, o Viña Bujanda Crianza é produzido exclusivamente com a casta Tempranillo de vinhedos antigos e vinificado com uma aboradagem moderna. O Crianza é maturado 12 meses em barricas de carvalho americano e francês, mostrando um frutado convidativo e um sofisticado toque cremoso no palato. Recebeu nada menos que 90 pontos de Robert Parker na safra 2009!

US$69.50

40

Com menos de 2.000 caixas produzidas, o Brunello di Montalcino de Fuligni é um dos maiores segredos entre os produtores de Brunello. Além de conceder nada menos que 95 pontos para a safra 2007, Robert Parker usou adjetivos como “maravilhoso” e “fantástico” para descrever o tinto. Exuberante e complexo, é um vinho que combina de maneira magistral potência e elegância. Uma verdadeira descoberta, com um perfil moderno e cativante, mas com um inconfundível acento regional.

US$425.50

(Catena Zapata / Mendoza / Argentina)

US$139.50

24579 CATENA ALTA CABERNET SAUVIGNON 2009 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Provavelmente o melhor Cabernet Sauvignon da Argentina, com 92 de Robert Parker na safra 2009, o Catena Alta combina potência e elegância em um conjunto equilibrado e harmonioso. Catena Zapata é o maior nome da Argentina e talvez da América do Sul. Elaborado com uvas de parcelas selecionadas de vinhedos situados a 940 metros de altura, de baixíssimos rendimentos, este vinho, só produzido em anos excepcionais, impressiona por seu equilíbrio entre fruta e carvalho, concentração, fineza e complexidade. Recebe sempre altas notas de Parker e da Wine Spectator.

US$125.00

24618 CH. VILLA BEL AIR 2010 24561 BOLGHERI ROSSO 2010

(JM Cazes / Bordeaux / França)

(Le Macchiole / Toscana / Itália)

Um vinho “realmente apetitoso” na opinião de Jancis Robinson e um “livro texto da região de Graves”, nas palavras de Robert Parker, o Château Villa Bel-Air é um Bordeaux cheio de personalidade, combinando as castas Cabernet Sauvignon (40%), Merlot (50%) e Cabernet Franc (10%) de vinhedos plantados nos famosos solos da região, repletos de pedregulhos. Elaborado com maestria pela família Cazes, do famoso Château Lynch Bages, é um grande achado de Bordeaux.

Classificado como “outstanding”, com 91 pontos na safra 2010, e descrito com “fruta rica e expansiva e uma estrutura refinada” pela Wine Spectator, o Bolgheri Rosso mostra o estilo concentrado e exuberante dos vinhos de Le Macchiole em uma versão irresistível para ser bebida desde já. Um belo expoente da região de Bolgheri, com invejável assinatura de Le Macchiole.

US$149.90

US$139.50


MAGNUMS

24752 SASSOALLORO 2009

24982 ALIÓN 2009

(Castello di Montepò-Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália)

(Alión-Vega Sicilia / Ribera del Duero / Espanha)

Sassoalloro é um ambicioso projeto da reputada vinícola Biondi Santi para produzir um vinho moderno e exuberante, aliando potência e concentração com muita fruta e elegância. Delicioso, rico e profundo, trata-se de um tinto em estilo moderno, exuberante e cheio de fruta, elaborado com a uva Sangiovese, merecendo 91 pontos de Robert Parker na safra 2009. Sua ótima acidez, seu toque macio e o excelente equilíbrio entre fruta e estrutura fizeram do Sassoaloro um enorme sucesso, sinônimo de vinho moderno de alta qualidade na Toscana. Seu bouquet é amplo e complexo, enquanto na boca se mostra saboroso e fresco, com um longo final.

US$165.00

24806 REMELLURI RESERVA 2005 (Granja Remelluri / Rioja / Espanha) Remelluri é um dos Rioja favoritos de Robert Parker, merecendo nada menos que 92 pontos na safra 2005. Mais concentrado e potente do que o habitual dos Riojas, na boca é macio e amplo, com grande complexidade.

US$168.50

24920 MONTEPULCIANO D’ABRUZZO 2010 (Masciarelli / Abruzzo / Itália) Delicioso Montepulciano d’Abruzzo, cheio de fruta, aveludado e equilibrado. Um dos melhores exemplares desta denominação de origem.

Sempre um dos melhores e mais premiados vinhos da Espanha, o Alión é um verdadeiro clássico — uma combinação entre o melhor da Espanha e o melhor do Novo Mundo, com a prestigiosa assinatura das Bodegas Vega Sicilia. Trata-se de um vinho fantástico, rico, intenso e moderno, no melhor estilo da Ribera del Duero. Altamente recomendado!

US$475.00

25111 CIRÒ ROSSO 2010 (Librandi / Calabria / tália) Este saboroso tinto da Calabria é elaborado com a uva Gaglioppo, de vinhedos próprios. Mostra grande tipicidade, em um estilo fácil de agradar, que combina muito bem com comida.

US$41.99

25220 CASTELLO DI AMA 2008 (Castello di Ama / Toscana / Itália) Um dos melhores Chianti Classico, merecedor dos “tre bicchieri” do Gambero Rosso. É elaborado pelo lendário Castello di Ama, provavelmente o mais conceituado produtor desta denominação. Apresenta uma classe e elegância incomuns para um Chianti Classico normal.

US$219.50

US$62.25

24952 MONTES ALPHA CABERNET SAUVIGNON 2010 (Viña Montes / Chile) Verdadeiro clássico da América do Sul, o Montes Alpha foi o primeiro grande tinto chileno, inspirado nos melhores vinhos de Bordeaux. Foi eleito o “melhor Bordeaux chileno” pela revista Decanter, e equivale em qualidade a um “cru bourgeois” de preço três ou quatro vezes maior! Concentrado e refinado, com muita estrutura, camadas e mais camadas de fruta madura e um elegante final de boca. Um vinho excelente, com 91 pontos de Robert Parker na safra 2010.

US$96.90

41


MAGNUMS

25257 LUIS PATO BAGA + TOURIGA 2011

25697 CH. FOURCAS HOSTEN 2010

(Luis Pato / Bairrada / Portugal)

Um Cru Bourgeois de excelente relação qualidade /preço, o Château Fourcas Hosten, elaborado em Listrac, Médoc, mostra o estilo clássico de Bordeaux, esbanjando finesse e elegância. Fino e equilibrado, mostra um bouquet cheio de sutilezas, no estilo ideal para acompanhar as refeições.

O tinto Luis Pato é o tradicional “Bairrada” da casa, proveniente da cepa Baga, de vinhas próprias. É envelhecido em pipas de 650 litros de carvalho francês, o que lhe confere maior equilíbrio e maciez. Trata-se de um vinho de excelente relação qualidade/preço, muito aromático, saboroso e com taninos marcantes, mas redondos.

US$59.50

25280 PINTIA 2008 (Bodegas Pintia / Toro / Espanha) O fantástico Pintia é o grande tinto elaborado por Vega Sicilia na emergente região do Toro. Logo em sua primeira safra (2004), recebeu nota 95+ de Robert Parker e muitos elogios de Jancis Robinson, que o indicou como o melhor vinho do Toro que já provou. Foi também indicado pelo respeitado “El Mundo” como o melhor vinho de Toro. Poderoso e encorpado, mas com classe e elegância, “um punho de aço em luvas de seda”, nas palavras de Steven Spurrier. A safra 2005 também está excelente, com 95 pontos de Robert Parker.

US$345.00

25425 TAPADA DE COELHEIROS GARRAFEIRA 2004 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal) Uma grande referência em Portugal, este vinho de minúscula produção já foi eleito o melhor vinho do Alentejo para Jancis Robinson. Os mais respeitados críticos de Portugal sempre o consideram entre os melhores tintos do país. Bastante rico na cor, nos aromas e sabores, revela enorme potência mas também elegância e caráter. Os taninos e a fruta de excelente qualidade se sobrepõem à madeira de muita classe.

US$339.50

25427 TAPADA DE COELHEIROS TINTO 2009 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal) O grande Tapada de Coelheiros é um dos mais aclamados vinhos de Portugal, sempre na relação dos melhores vinhos do país da Revista de Vinhos e João Paulo Martins. Trata-se de um tinto de muita estirpe, rico na cor, nos aromas e nos sabores, revelendo enorme potência, mas também uma elegância e caráter incomuns no Alentejo.

US$199.50

42

(Bordeaux / França)

US$147.00

25743 ROSSO DI MONTEPULCIANO 2011 (Poliziano / Toscana / Itália) Ótimo e saboroso tinto da Toscana elaborado por Poliziano, uma das grandes estrelas de Montepulciano. Mostra frutas maduras e boa complexidade, com um elegante toque de madeira

US$86.50

25820 CH. PERENNE 2009 (Bernard Magrez / Bordeaux / França) O Château Perenne é um dos grandes achados de Bordeaux com a chancela de Bernard Magrez. Um tinto sedoso e elegante, com saborosas notas de frutas negras e silvestres. Um verdadeiro Best Buy!

US$119.00


MAGNUMS

DOUBLE MAGNUM 14227 DAUMAS DE GASSAC ROUGE 2004 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França) Vinho de enorme prestígio e longevidade, é um dos mais emblemáticos tintos da França. Encorpado, potente e muito fino, com ótima presença de boca. Criado pelo genial Emile Peynaud no final da década de 1970, foi chamado de “excepcional” por Robert Parker. É considererado o melhor vinho do sul da França e um dos grandes tintos do país.

US$419.90

17377 GOLD RESERVE CABERNET SAUVIGNON 2003 (Viña Carmen / Chile) Um dos melhores e mais reputados Cabernet Sauvignon do Chile, o Gold Reserve é muito concentrado, potente e complexo. Uma verdadeira referência.

US$599.90

19389 TIKAL LOCURA 2006 (Tikal / Mendoza / Argentina) De minúscula produção, é uma criação do talentoso Ernesto Catena, elaborado com um inusitado corte de Malbec, Bonarda e 5% de Torrontés, fermentada junto com a Malbec. O resultado é um tinto robusto e complexo, concentrado mas cheio de nuances, merecedor de altas notas da crítica especializada.

US$509.00

23157 ALIÓN 2007 (Alión-Vega Sicilia / Ribera del Duero / Espanha) Sempre um dos melhores e mais premiados vinhos da Espanha, o Alión é um verdadeiro clássico — uma combinação entre o melhor da Espanha e o melhor do Novo Mundo, com a prestigiosa assinatura das Bodegas Vega Sicilia. Trata-se de um vinho fantástico, rico, intenso e moderno, no melhor estilo da Ribera del Duero. Altamente recomendado, com 93 pontos de Robert Parker na safra 2007!

24578 CATENA ALTA MALBEC 2009 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Com 94 pontos de Robert Parker na safra 2009, é um vinho extraordinário, o melhor Malbec de Catena Zapata, a mais reputada bodega argentina. Ele é intenso e concentrado como os grandes tintos argentinos, mas também muito elegante e bem talhado, com uma complexidade impressionante, raramente encontrada no continente. Um de seus segredos é ser elaborado com um blend de cinco dos mais altos vinhedos de Mendoza, arte dominada apenas por Nicolás Catena, e que lhe traz muito mais elegância, finesse e complexidade. Um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” para a Wine Spectator por dois anos consecutivos, é uma referência absoluta. Altamente recomendado.

US$282.00

24580 CATENA ALTA CABERNET SAUVIGNON 2009 (Catena Zapata / Mendoza / Argentina) Provavelmente o melhor Cabernet Sauvignon da Argentina, o Catena Alta combina potência e elegância em um conjunto equilibrado e harmonioso.Catena Zapata é o maior nome da Argentina e talvez da América do Sul. Elaborado com uvas de parcelas selecionadas de vinhedos situados a 940 metros de altura, de baixíssimos rendimentos, este vinho, só produzido em anos excepcionais, impressiona por seu equilíbrio entre fruta e carvalho, concentração, fineza e complexidade. A safra 2009 mereceu 92 pontos de Robert Parker.

US$250.00

24753 SASSOALLORO 2008 (Castello di Montepò-Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália) Delicioso, rico e profundo, trata-se de um tinto em estilo moderno, exuberante e cheio de fruta, elaborado com a uva Sangiovese, merecendo 90 pontos da Wine Spectator na safra 2008. Sua ótima acidez, seu toque macio e o excelente equilíbrio entre fruta e estrutura fizeram do Sassoaloro um enorme sucesso, sinônimo de vinho moderno de alta qualidade na Toscana. Seu bouquet é amplo e complexo, enquanto na boca se mostra saboroso e fresco, com um longo final.

US$375.00

US$1077.00

43


especial

vinhedos de

ALTITUDE


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

Os antigos já diziam que “Bacchus amat colles” (“Baco ama as colinas”). Hoje, regiões como Mendoza, o Priorato e as encostas do Etna, na Sicília, têm demonstrado que a altitude desempenha um papel muito importante na qualidade dos vinhos.

Tradicionalmente os vinhedos de colinas e de maior altitude muitas vezes foram considerados os melhores, trazendo efeitos importantes para a qualidade do vinho —mesmo dentro de uma mesma região. Os vinhedos mais altos e escarpados são mais difíceis de plantar e têm menor produtividade, mas no geral produzem vinhos muito melhores do que os vinhedos de zonas baixas ou planícies. Nos vinhedos mais altos, a exposição ao sol muitas vezes é melhor, o que favorece o processo de amadurecimento das uvas. Além disso, as diferenças de temperatura nos vinhedos de altitude são consideráveis, colaborando para a qualidade e a elegância dos vinhos. Especialmente em climas mais quentes, como os de Chile e Argentina, a altitude dos vinhedos tem um papel muito importante na produção de vinhos de maior elegância, classe e complexidade. Nos vinhedos mais altos, não apenas a temperatura média é menor, como também há maior diferença de temperatura entre o dia e a noite, o que é excelente para os vinhos, prolongando o período de amadurecimento e fazendo com que se produza exemplares de maior qualidade. Muitos dos melhores vinhos

46

do Priorato, da Argentina e do Chile, para citar apenas alguns exemplos, são produzidos de vinhedos plantados em maior altitude. De fato, algumas colinas como a de Hermitage, no Vale do Rhône, e de Schoenenbourg, na Alsácia, se tornaram célebres no mundo do vinho por seus exemplares de altíssima qualidade e personalidade única. É fácil também lembrar das muitas colinas do Piemonte e da Toscana, como as de Montalcino e Chianti Classico, ou dos vinhedos escarpados do Vale do Douro e da altitude da Ribera del Duero. No entanto, se antes os vinhedos mais altos já eram valorizados dentro de uma mesma região vinícola, nas últimas décadas o cultivo das vinhas chegou a altitudes nunca antes exploradas, particularmente em zonas montanhosas, como Mendoza. O cultivo em altitudes cada vez mais elevadas tem sido estudado, com resultados excelentes. Após décadas de experimentações inovadoras, Catena Zapata, o grande produtor da Argentina, é hoje o maior especialista no mundo no plantio em altitude, tendo desbravado novas fronteiras para o cultivo da vinha. E segundo o produtor, este é um dos maiores segredos de seu sucesso.


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

As principais mudanças decorrentes da altitude elevada Qual é o efeito das altitudes elevadas nos vinhedos? John Gladstones realizou um amplo estudo em seu livro “Viticulture and Environment” sobre os impactos da altitude na qualidade das uvas produzidas pelos vinhedos. Um dos fatores mais fáceis de serem percebidos com o incremento da altitude é a queda na temperatura: a cada 100m acima do nível do mar, a temperatura cai quase 1oC — se considerarmos que todos os outros fatores como topografia, correntes de ar, etc permanecem constantes. Pode parecer pouco, mas uma variação de 300m em algumas regiões mais frias pode resultar na diferença entre as uvas conseguirem ficar completamente maduras ou não — e particularmente nos tempos de maturação, que é importante para a elegância do vinho. O impacto da altitude elevada não se restringe à variação de temperatura. A incidência de radiação ultravioleta, luz solar e a amplitude

térmica (diferença entre a temperatura mais alta e a mais baixa) também são acentuadas conforme a altitude aumenta. Todos estes fatores contribuem para um amadurecimento melhor e mais gradual das uvas em microclimas notadamente quentes. A radiação ultravioleta e a amplitude térmica garantem um melhor desenvolvimento fenólico da uva, permitindo que ela seja colhida mais complexa, com maior concentração de taninos, e com todos os componentes maduros. Deste modo a uva fica realmente madura e não apenas acumula açúcar, como acontece com vinhas plantadas em regiões extremamente quentes. Os taninos, embora abundantes, ficam mais sedosos e macios. As uvas de regiões muito quentes geralmente acumulam bastante açúcar, mas trazem taninos ásperos e rústicos, já que a maturação ocorreu muito rapidamente devido ao calor. É o que acontece também em uma safra extremamente quente — é como se uma

parte da uva ficasse madura mas outras (como as sementes e o engaço) ainda estivessem verdes. A maior quantidade de fotossíntese no ciclo vegetativo das vinhas por conta do incremento da altitude resulta em cascas mais espessas e maior concentração de fruta – além de rendimentos menores. Em algumas regiões da Europa, o ciclo vegetativo pode ficar mais longo, com colheitas próximas a Novembro. Um bom exemplo do resultado da altitude pode ser visto na região do Etna, na Sicília, Itália. As uvas da casta Nerello Mascalese colhidas nas planícies dão origem a vinhos rústicos, aguados e desequilibrados — frutos de uvas pouco maduras e de grande produção. Já os vinhos elaborados com a mesma casta nas encostas do vulcão Etna — com vinhedos com altitudes próximas a 1.000 metros – são incrivelmente perfumados e elegantes, lembrando mais os tintos da Borgonha que os vinhos de uma região quente como a Sicília.

47


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

48


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

Altitude faz bem à saúde Estudos recentes elaborados pelo Prof. Roger Corder, da Universidade de Londres, mostram indícios que vinhos elaborados com uvas de vinhedos plantados em altitudes elevadas são mais benéficos para prevenção de doenças cardiovasculares que vinhos elaborados com as mesmas castas em altitudes mais baixas. Segundo o Prof. Corder, que analisou vinhos de vinhedos de altitudes elevadas em Mendoza e na Sardenha, provavelmente a grande incidência de raios ultravioleta contribui para uma concentração maior que o comum de resveratrol, a substância conhecida por suas propriedades antioxidantes. Os vinhos de altitude da Sardenha mostraram as mais altas concentrações entre todas as amostras analisadas.

Dificuldades do cultivo em altitudes elevadas Plantar vinhedos em altitude oferece alguns riscos. O principal deles é a ameaça de geadas. Como as temperaturas são mais baixas, os vinhedos ficam mais suscetíveis a congelarem por conta das geadas. Experiências realizadas pela vinícola Catena Zapata mostram que o risco passa a ser muito grande em altitudes acima de 1.500m na região de Mendoza, principalmente para castas como a Chardonnay, que tem um ciclo vegetativo curto e cuja planta geralmente brota na época mais propensa às geadas. Outra dificuldade para o cultivo é a topografia geralmente íngreme. Como a vantagem da altitude é quase sempre dada por uma variação brusca de altitude em relação ao terreno plano, os vinhedos de altitude elevada muitas vezes estão localizados em encostas de montanhas. Algumas destas montanhas são tão inclinadas que as vinhas precisam ser plantadas em terraços, como é o caso dos vinhedos do monte Etna e alguns do Priorato, por exemplo. O manejo e o cultivo destes vinhedos é muito

mais difícil e custoso, muitas vezes impossível de ser mecanizado. Os rendimentos também são menores, mas a qualidade é inigualável. Nas altitudes mais elevadas é também mais comum que os ventos sejam fortes, que o solo esteja mais propenso à erosões, além do risco de chuvas fortes e granizo – todos potenciais problemas para o vinhedo. São problemas que comprometem a quantidade de uva produzida, mas não sua qualidade.

Altitude e terroir Uma das razões para os produtores terem procurados vinhedos em altitude elevada é que os solos das encostas são geralmente menos profundos e muito menos férteis que os solos das planícies. Assim, os rendimentos das áreas mais montanhosas são geralmente menores, originando uvas de qualidade superior. Por outro lado, em algumas regiões naturalmente mais frias, a altitude elevada pode significar em um microclima frio demais para que as uvas consigam ficar maduras todos os anos. É por isso que na Borgonha, por exemplo, os melhores vinhedos — os Grands Crus — estão sempre localizados em altitudes intermediárias, as melhores naquela região para que as uvas obtenham o melhor grau de qualidade. Outro fator que não deve ser esquecido é a diferença de altitude em relação à altitude da região. Um vinhedo de Chianti Classico que esteja a 500m de altitude — como é o caso do Castello di Ama — é considerado alto e de clima frio, enquanto um vinhedo em Mendoza plantado a 500m é um vinhedo baixo.

49


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

Vinhedos de altitude colocaram a Argentina no topo da vitivinicultura mundial Em quase todas as entrevistas com Nicolás Catena Zapata, ou mesmo em conversas informais, quase sempre surge uma variante da inevitável pergunta: “Qual é o segredo?”, que mágica está por detrás de seus vinhos? E “segredos” — ou cuidados especiais, resultado de décadas de experimentação constante — a bodega realmente tem muitos. No entanto, o próprio Nicolás costuma ser rápido em atribuir a parcela maior de seu sucesso ao terroir de Mendoza, e particularmente a seus especiais vinhedos de grande altitude. A busca de Nicolás Catena pelos melhores terroirs de Mendoza foi se aproximando cada vez mais da cordilheira dos Andes — um território desprezado pelos viticultores por inúmeros motivos, como a dificuldade de cultivo, os solos pobres e a minúscula produtividade. Até então, os produtores argentinos sempre haviam privilegiado as zonas férteis para obter grandes volumes de produção. “Percebi que a única maneira de conseguirmos um salto de qualidade seria alargando nossos limites de cultivo da videira, assumindo riscos”, disse Catena. Nicolás Catena conhece como ninguém a influência da altitude dos vinhedos no estilo do vinho. “Minha conclusão é que, graças à altitude, nosso Malbec, em comparação com os tintos em geral, tem um aroma floral mais intenso [de violeta] que outros varietais. Por outro lado, é também aquele que apresenta o menor amargor. Estes dois fatores tornam nosso vinhos bastante atraentes”, explicou. De fato, nos tintos Malbec originados no vinhedo Adrianna (em Gualtallary, Vale do Uco), a 1450 metros de altitude, as notas florais e os taninos bem estruturados são os mais elogiados atributos. Por sua vez, seu vinhedo Angélica (em Lunlunta, Maipu), a 920 metros de altitude, produz tintos marcados por fruta vermelha no nariz e um corpo volumoso e macio. Já o Malbec do vinhedo Nicasia (em Altamira, La Consulta, San Carlos), a 1095 metros de altitude, mostra especialmente frutas pretas e notas de especiarias.

50


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

Laura Catena é co-autora desses importantes achados. Formada em biologia e medicina nas universidades de Harvard e Stanford, nos Estados Unidos, Laura assumiu o posto de diretora de pesquisas da bodega familiar em 2001. De lá pra cá, o mapa vitivinícola do país sofreu uma notável revolução. “A descoberta de que a zona de San Carlos, no sul do vale do Uco, era a nossa terra prometida para o Malbec baseou-se na afirmação de meu avô Domingo, de que as uvas de San Carlos produziam os vinhos mais escuros de Mendoza, e na degustação de uvas provenientes de vinhedos centenários da região, que haviam sido abandonados”, contou ela no livro Vinho Argentino. San Carlos abriga o vinhedo Nicasia. Mas neste no momento, a grande jóia da família é o vinhedo Adrianna, no distrito de Gualtallary, região de Tupungato, também no Vale do Uco — tido como o mais alto vinhedo de Malbec em Mendoza. Além de originar o melhor tinto argentino, é também considerado um oásis para a Chardonnay, produzindo uvas cheias de pureza e mineralidade. É esse vinhedo que fornece a matéria-prima para compor o excelente Catena Alta Chardonnay e dois novos e já premiados brancos lançados pela Bodega Catena Zapata: White Bones 2009 e White Stones 2009, classificados com 96 e 95 pontos de Robert Parker, respectivamente. O White Bones 2010 foi ainda eleito o “Melhor Chardonnay” pelo Guía Descorchados. Nicolás Catena, no entanto, não duvida que possa haver outros Adriannas ainda não descobertos. E se ele resolver plantar uvas em regiões hoje inimagináveis, pouca gente terá coragem de tentar mudar sua opinião. “Nunca se deve pensar que já se conseguiu tudo na vida”, disse ele em uma entrevista publicada na Wine Spectator. “Sempre há algo novo que se pode fazer para melhorar o que alguém já realizou em outro momento”.

51


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

Conheça alguns vinhedos de altitude Priorato Espanha Os vinhedos em altitudes de até 700 metros em cadeias montanhosas com o famoso solo Licorella dão origem a vinhos de uma impressionante profundidade e concentração de fruta.

Sardenha

Mendoza

Itália

Argentina

As altitudes de até pouco mais de 300 metros dos vinhedos parecem modestas, mas como os vinhedos estão muito próximos do mar, a diferença abrupta de altitude confere aos vinhedos um frescor bastante importante.

Com vinhedos que chegam a 1.500 metros de altitude na Cordilheira dos Andes, os vinhedos de Mendoza formam o terroir ideal para o desenvolvimento da uva Malbec.

Etna

Apalta Chile

Itália Os vinhedos de mais de 1.000 metros de altitude plantados em terraços nas encostas do vulcão Etna estão entre as maiores surpresas do mundo do vinho. A altitude e o solo negro de lava são responsáveis por vinhos incrivelmente elegantes, completamente diferentes dos demais vinhos produzidos na Sicília.

Santa Cruz Mountains Estados Unidos Os vinhedos de Santa Cruz Mountains na Califórnia estão a 700 metros de altitude, mas a diferença de altura em relação à planície é suficiente para que ele fique acima das nuvens. Os vinhos são notadamente elegantes, bastante distintos dos de Napa Valley.

52

Considerada por muitos a melhor região do Chile para vinhos de guarda, os melhores vinhedos de Apalta estão localizados em colinas de até 45° de inclinação. Os vinhedos mais altos estão localizados a quase 1000 metros de altitude e são perfeitos para a casta Syrah, Carignan, Grenache e Mourvèdre. Um pouco mais abaixo, a altitude e inclinação garantem a profundidade das castas Carmenère e Merlot.


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

Montes Folly O primeiro Syrah de classe mundial produzido no Chile, o Montes Folly recentemente desbancou alguns dos melhores Syrah do mundo em uma degustação às cegas. O enólogo Aurelio Montes foi chamado de maluco quando decidiu plantar a casta Syrah em uma encosta de 45° de inclinação nos morros de Apalta, com altitudes de até 1.000m. Ao contrário das planícies onde a colheita pode até ser mecanizada, no vinhedo de Folly, em Apalta, as uvas são colhidas manualmente por verdadeiros “alpinistas”. A extravagância de Aurelio Montes valeu a pena – hoje, devido à qualidade do Montes Folly, diversos outros produtores se aventuraram na altitude de Apalta – com resultados surpreendentes

53


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

A Cordilheira dos Andes: o bem-vindo paradoxo argentino A Cordilheira dos Andes é a mais extensa cadeia montanhosa continental do planeta. Com mais de 7 mil quilômetros de extensão, escolta quase totalmente a costa oeste da América do Sul. Tem 4 mil metros de altitude média, sendo o pico do Aconcágua o seu ponto mais alto, perto dos 7 mil metros de altitude. Monumental e inóspita, a Cordilheira dos Andes faz toda a diferença para os vinhos argentinos. Funciona como uma barreira contra as chuvas do Pacífico e proporciona um microclima semi-desértico, de noites bastante frias — a amplitude térmica pode atingir 20 graus de diferença entre dia e noite! A intensa luz solar (são 330 dias de sol por ano) estimula a fotossíntese das videiras e o surgimento de uvas de casca mais grossa, com alto teor de taninos e polifenóis, substâncias que conferem complexidade ao vinho. E se antes seus solos pobres, compostos de areia, cal e argila e cheios de rochas e pedregulhos, formados graças à ação de rios e geleiras, eram rejeitados pelas primeiras gerações de vinhateiros argentinos, hoje eles são valorizados, revelando ótima drenagem. As regiões de altitude, próximas à cordilheira, promovem a lenta maturação das uvas, que retêm maior acidez, além de aromas e sabores mais intensos, ricos e complexos

Descubra a elegância e complexidade dos vinhos de altitude Mendoza 25049 WHITE STONES 2009 (Catena Zapata) Com fantásticos 95 pontos de Robert Parker e 94+ pontos de Stephen Tanzer, o White Stones 2009 já nasce como um dos grandes brancos do mundo. Para Tanzer, é “o mais promissor Chardonnay da Argentina que eu experimentei até agora, no mesmo estilo de um Chablis Grand Cru”. Elaborado com uvas de uma pequena parcela do cultuado vinhedo Adrianna, plantado a 1450 metros de altitude, e com fermentação em carvalho francês, é um branco muito complexo, concentrado e aveludado, combinando notas de mel, minerais e de frutos secos.

O Adrianna é um fantástico Malbec de vinhedo único, elaborado com uvas dos lotes 3 e 9 do vinhedo Adrianna, localizados a 1450 metros de altitude. A The Wine Advocate de Robert Parker concedeu nada menos que 97 pontos ao vinho na safra 2008, descrita com “grande profundidade de sabores, complexidade e impecável equilíbrio”

US$199.50 24582 DV CATENA MALBEC ADRIANNA 2007 (Catena Zapata) Elegante e complexo, este Malbec se apresenta intenso e concentrado no nariz, combinando aromas varietais da Malbec cultivada no vinhedo Adrianna e as notas aportadas pelo envelhecimento em carvalho francês. Na boca é amplo, com taninos redondos e suaves e um final longo e persistente.

US$119.50

US$149.50

23706 CATENA ALTA CHARDONNAY 2010 (Catena Zapata)

25158 ANGÉLICA ZAPATA CABERNET SAUVIGNON 2009

Classificado com 93 pontos de Robert Parker, Catena Alta Chardonnay 2010 oferece classe e complexidade comparáveis aos grandes brancos da Borgonha. Encorpado, profundo e muito complexo, mostra camadas e mais camadas de aromas e sabores. As uvas são colhidas no vinhedo Adrianna, em uma das altitudes mais elevadas do mundo e com grande amplitude térmica, gerando uvas com maturação perfeita. É um grande vinho, muito equilibrado e capaz de evoluir em garrafa por muitos anos.

US$56.90

54

23697 CATENA ZAPATA ADRIANNA MALBEC 2008 (Catena Zapata)

(Catena Zapata) Verdadeiro clássico, este Cabernet Sauvignon é o melhor produzido por Catena Zapata para o mercado interno argentino. Elegante, potente e muito concentrado. As videiras estão localizadas em altitudes elevadas, com baixo rendimento, garantindo um perfeito amadurecimento das uvas.

US$45.90


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

23668 CARO 2009 (Bodegas Caro)

23169 EL GRAN ENEMIGO 2008 (El Enemigo)

25589 MASI TUPUNGATO MALBEC 2012 (Masi Tupungato)

Caro é um dos mais elegantes vinhos produzidos na Argentina, um delicioso e fino corte de Cabernet Sauvignon e Malbec em um estilo bem francês. Parte das barricas de carvalho utilizadas são produzidas no próprio Château Lafite, o que confere ao vinho um acento do famoso Bordeaux. Para Jancis Robinson, o Caro “tem algo vivo de uma boa safra de Lafite que o eleva e distingue de outros Malbec de Mendoza”. Para Robert Parker, que classificou a safra 2009 com 92 pontos,“é um vinho sério com uma personalidade que lembra Bordeaux”.

Muito complexo e cheio de camadas, o El Gran Enemigo combina notas de frutas pretas maduras, especiarias, sândalo, chocolate e balsâmicas. O corte de Malbec com pequena quantidade de Cabernet Franc e Petit Verdot é mais uma fantástica criação do talentoso Alejandro Vigil, merecendo na safra 2008 nada menos que 94 pontos de Robert Parker, para quem é um tinto “com nariz sedutor” e “sofisticado”.

É um novo e saboroso tinto elaborado por Masi Tupungato exclusivamente com a uva Malbec. Trata-se de um vinho denso, cheio de fruta e especiarias e com um cativante toque de chocolate no final de boca — além de todo apelo gastronômico dos vinhos de Masi. As uvas são cultivadas no Vale do Uco, em vinhedos entre 950 e 1050 metros de altitude. É um excelente achado da Argentina, com a assinatura de um dos grandes nomes do mundo do vinho.

US$159.50

US$19.90

23170 EL ENEMIGO CHARDONNAY 2009 (El Enemigo)

24509 CORBEC 2009 (Masi Tupungato)

O El Enemigo Chardonnay confere uma nova dimensão aos brancos de Mendoza. Uvas de Tupungato, cultivadas a 1450 metros de altitude, são fermentadas em barricas de carvalho francês, originando um branco intenso e cheio de caráter. No nariz, impõem-se notas de frutas cítricas e aromas minerais. O palato é untuoso, com fruta madura e grande frescor. O El Enemigo Chardonnay é um branco sério e persistente, que já nasce como um dos grandes destaques da Argentina.

O Corbec é um tinto rico que mostra ao mesmo tempo uma espantosa elegância. Mescla as uvas Corvina, variedade nativa do Vêneto, e Malbec, sendo que a primeira domina 70% do corte e segue o peculiar processo de passificação – marca registrada do Amarone e na qual a Masi é perita –, que consiste em deixar as uvas em esteiras de bambu após a colheita para perderem água e concentrarem açúcar, aromas e sabores, dando origem a vinhos intensos. “Encorpado, aveludado e cheio de camadas”, segundo a avaliação de Robert Parker para a safra 2007, a única provada pelo norteamericano, que concedeu 92 pontos ao vinho.

US$84.90

25098 TIKAL PATRIOTA 2011 (Tikal / Ernesto Catena) Delicioso corte de Malbec (60%) e Bonarda (40%) elaborado pela dinâmica vinícola Tikal, de Ernesto Catena. As uvas vêm de vinhedos localizados em Vista Flores, no Vale do Uco, resultando em um vinho concentrado e complexo, exuberante e fino. Na safra 2011, mereceu 92 pontos de Robert Parker, que o considerou como “maravilhoso”.

US$47.90

US$84.50

US$39.90

55


t&41&$*"-7*/)&%04%&"-5*56%&

Apalta

Santa Cruz Mountains

Etna – Sicília

24171 MONTES FOLLY SYRAH 2008 (Viña Montes)

20349 RIDGE SANTA CRUZ ESTATE 2006 (Ridge Vineyards)

24551 PASSOPISCIARO IGT 2010 (Passopisciaro)

É o melhor Syrah da casa e o primeiro ultrapremium Syrah do país. Ele se posiciona ligeiramente abaixo do grande Montes Alpha “M”. A sua safra de lançamento foi a 2000, mantendo sempre uma performance impressionante. O nome é uma brincadeira com o fato de os tradicionais vinhateiros chilenos terem considerado a plantação de Syrah, uma cepa não testada na região, uma “loucura”. E uma “dupla loucura”, já que as vinhas foram plantadas nas mais altas encostas do vinhedo, o que é bastante trabalhoso e caro.

O grande perfeccionismo de Ridge na seleção das uvas que são destinadas ao cultuado Monte Bello faz com que menos de 40% dos bagos sejam selecionados para o “grand vin”, originando um espetacular segundo vinho, o Santa Cruz Mountains Estate, chamado por Jancis Robinson de “uma verdadeira pechincha”, por sua alta qualidade. Trata-se de um grandioso corte bordalês, descrito como “longo, rico e encorpado” por Robert Parker que classificou a safra de 2006 do tinto com 91 pontos.

O tinto Passopisciaro é uma das grandes expressões da uva Nerello Mascalese. Para Jancis Robinson, trata-se de um dos vinhos mais distintos de todo o mundo, tendo sido selecionado como um dos 9 vinhos apontados como “Clássicos para o futuro” pela jornalista. A safra de 2010 foi classificada com 94 pontos pela The Wine Advocate de Robert Parker.

US$179,50

US$125,50

US$138,00 23537 RIDGE MONTE BELLO CHARDONNAY 2008 (Ridge Vineyards)

24766 CLOS APALTA 2010 (Lapostolle) O cultuado Clos Apalta é um verdadeiro mito, sem dúvida um dos melhores e mais premiados vinhos da América do Sul. Produzido apenas nos grandes anos, é poderoso e encorpado, combinando o fabuloso terroir de Apalta com rendimentos muito baixos e um sofisticado toque francês. Sua minúscula produção é disputada no mundo todo. Um ícone.

US$199,50

56

Elaborado apenas em safras excepcionais, o raríssimo Monte Bello Chardonnay foi apontado pela Wine Spectator como um dos 100 melhores vinhos de todo o mundo. “Maravilhosamente perfumado” e dotado de “uma cativante complexidade”, recebeu nada menos que 95 pontos de Robert Parker na safra 2008. Um dos grandes tesouros entre os brancos do Novo Mundo.

US$163.50

25031 ETNA ROSSO CALDERARA SOTTANA 2010 (Tenuta delle Terre Nere) Este maravilhoso tinto siciliano é simplesmente surpreendente, com uma personalidade diferente de tudo o que você já provou. Ele é elaborado com antigos vinhedos da variedade Nerello Mascalese, plantada nas encostas do vulcão Etna, em altitudes elevadas. Ao mesmo tempo potente e elegante, concentrado e gracioso, é um tinto que chega a lembrar um bom Borgonha.

US$99.90


ESPECIAL VINHEDOS DE ALTITUDEt

Sardegna

Priorato

23248 TERRE BRUNE CARIGNANO DEL SULCIS SUPERIORE 2007 (Santadi)

24973 CLOS MOGADOR 2010 (Clos Mogador)

21419 SALANQUES 2008 (Mas Doix)

Obra-prima do genial René Barbier, o Clos Mogador é um dos grandes vinhos do Priorato e da Espanha, colecionador de prêmios e eleogios da imprensa especializada. Foi chamado de “sensacional” por Robert Paker – com 94-96 pontos – e considerado uma das grandes estrelas da safra por Victor de la Serna. Um grande Vinho!

O ótimo Salanques é o delicioso segundo vinho de Mas Doix. A safra de 2008 recebeu 91 pontos de Robert Parker, para quem trata-se de um vinho que “oferece muito prazer”. Rico e intenso, no melhor estilo do Priorato, combinando frescor e concentração, elegância e potência. Possui muita complexidade e um longo e saboroso final de boca.

Apontado por Jancis Robinson como um dos melhores exemplos de todo o mundo da uva Carignan, o Terre Brune é um vinho encorpado e complexo, de grande concentração. Um tinto com grande potencial de guarda, que recebeu 94 pontos de Robert Parker e frequentemente merece os “Tre Bicchieri” do Gambero Rosso.

US$129.90

US$199.50

US$139.90

23971 LES TERRASSES 2010 (Alvaro Palacios) Alvaro Palacios é um dos “monstros sagrados” da Espanha, criador do mítico L’Ermita e alguns dos melhores vinhos do Priorato. O Les Terrasses é um grande sucesso, mostrando o que o talento de Palacios é capaz de criar em termos de uma ótima relação qualidade/preço. Trata-se de um vinho extremamente saboroso, com muita fruta madura e muito potente na boca. Fica ainda melhor se combinado com comida.

US$99.50 23377 FONT DE LA FIGUERA PRIORAT 2008 (Clos Figueras) Super-segundo vinho de Clos Figueras, o importante projeto de René Barbier e Christopher Cannan no Priorato. Complexo, exuberante, com um bouquet cativante e sedutor, é um verdadeiro achado desta cultuada região da Espanha, sempre muito elogiado por Parker.

US$117.19

57


Uma entrevista com

JOSÉ Bento dos S


Santos


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

José Bento dos Santos é uma das maiores celebridades do vinho ibérico. E isso não é um acaso. Engenheiro químico industrial, com uma bem-sucedida carreira executiva, tornou-se produtor de vinhos no final do século xx — foi a realização bem arquitetada de um sonho. Em uma ascensão meteórica, os tintos e brancos de sua Quinta do Monte d’Oiro, lançados a partir da safra 1997, saltaram rapidamente para pódio da vitivinicultura lusa, figurando entre as grandes estrelas do país.

Vanguardista e caprichoso, José Bento dos Santos instalou-se na região de Lisboa (ex-Estremadura), de clima mediterrânico com influência atlântica, o que se traduz em noites frias e uma brisa frequente. Naquela época a região era um território coadjuvante no cenário vitivinícola português, com rótulos sobretudo de boa relação qualidade/preço. Impôs um novo ímpeto, acreditando no potencial de Lisboa para gerar vinhos capazes de rivalizar com os nomes mais sonantes e tradicionais de Portugal. Uma de suas ousadias foi replantar os vinhedos com castas francesas, como Syrah e Viognier, depois de estudar as condições de solo e clima do terroir. E passou a produzir organicamente e com minúsculos rendimentos. Seu Quinta do Monte d’Oiro Reserva (94% Syrah e 6% Viognier – um corte que remete aos grandes Côte Rotie) e o Madrigal (100% Viognier – que não deixa nada a dever aos excelentes Condrieu) são a prova mais contundente de que as nobres castas do norte do Rhône podem alcançar uma qualidade antes inimaginável nas suaves colinas de Lisboa. O Madrigal foi repetidas vezes

60

selecionado entre os “Melhores do Ano” pela prestigiada Revista de Vinhos. Já sobre o Quinta do Monte d’Oiro Reserva, o jornalista Luís Ramos Lopes, diretor da publicação, comentou: “Um perfeito exemplo de Syrah... à moda do Velho Mundo”. Para Robert Parker, José Bento dos Santos “se tornou um dos mais premiados produtores de Syrah de Portugal – mesmo estando situado em uma região menos famosa”. O Lybra, um Syrah mais acessível assinado por Bento dos Santos, é “muito mais ligado a uma certa tradição estilística das Côtes-du-Rhône do que do modelo Novo Mundo”, nas palavras de João Paulo Martins, renomado crítico português. Dois outros singulares tintos da Quinta do Monte d’Oiro são o Aurius — um surpreendente corte de Touriga Nacional, Syrah e Petit Verdot, descrito como “muito, muito bom” por Luís Ramos Lopes — e o Têmpera (100% Tinta Roriz), “um tinto saboroso”, para a Wine Spectator. Considerado um dos “produtores boutique mais interessantes de Portugal” por Robert Parker, José Bento dos Santos nos concedeu uma interessante entrevista, que você confere a seguir.


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

O senhor adquiriu em 1986 a Quinta do Monte d’Oiro, uma propriedade histórica do século XVII. O que o levou a eleger o Alenquer, na região de Lisboa (ex-Estremadura), para produzir seus vinhos, em vez de optar por zonas mais tradicionais, como o Douro, Bairrada e Dão, ou ainda a região do Alentejo, que estava renascendo com força naquela época?

A marca registrada da Quinta do Monte d’Oiro são vinhos em estilo Velho Mundo, com apelo gastronômico. Foi esse conceito que o estimulou a plantar uvas francesas, como a Syrah, Petit Verdot e a Viognier, obtidas diretamente de suas regiões de origem, ao lado das inconfundíveis castas portuguesas Touriga Nacional e Tinta Roriz?

A Quinta do Monte d’Oiro é, antes de tudo, um investimento na terra onde a minha família teve suas raízes. Só depois foi desenvolvido o projeto vitivinícola da propriedade, que é um projeto pensado, racional, com objetivos definidos face ao estudo das potencialidades deste terroir privilegiado, conhecido desde o séc. XVII. Quisemos saber em detalhe até onde poderíamos chegar. O projeto baseou-se sempre na ideia de produzir grandes vinhos e não em uma produção industrial, sem alma. Por isso, nunca foi sequer considerada a hipótese de poder executar o projeto noutro local ou noutra região.

Como já referi, a nossa ideia passou sempre por conseguir explorar todo o potencial existente no terroir da Quinta do Monte d’Oiro, e não produzir mais uma marca de vinhos. Os estudos feitos — por especialistas da Universidade de Jerusalém, entre outros — apontaram para uma conjugação muito interessante de condições de solo e clima altamente favoráveis às uvas das Côtes du Rhône, na França. Até o vento Mistral, que fustiga as vinhas do vale do Rhône (e que numa associação premonitória é o nome da nossa importadora no Brasil!), tem uma equivalência com o vale onde se situa a Quinta do Monte d’Oiro (cuja

Depois de trilhar uma bem-sucedida carreira executiva, passando por importantes empresas portuguesas, o senhor decidiu apostar na produção de vinhos. Foi uma decisão movida pela paixão? Depois de 16 anos desde a primeira colheita da Quinta do Monte d’Oiro, como avalia o projeto? A decisão foi tomada e também movida naturalmente pela minha conhecida paixão pelo vinho, mas a base do projeto é essencialmente racional. Investigamos primeiramente o potencial do nosso terroir por meio de estudos longos e profundos, nos quais se avaliaram todos os detalhes dos solos e do clima. Começamos apenas com 2,5 hectares, consolidamos o nosso conhecimento e capacidades, e só depois avançamos para uma produção de 15 hectares, chegando hoje a 20 hectares produtivos dos 42 hectares da propriedade. E ter os nossos vinhos reconhecidos pelos mais exigentes críticos internacionais já é suficiente para dizermos a nós mesmos que valeu a pena.

decidida. Com esses parâmetros favoráveis, é possível produzir na Quinta do Monte d’Oiro uvas de qualidade absolutamente excepcional, para posteriormente vinificar com grande rigor e cuidado. É este o “segredo” para se produzir vinhos gastronômicos — isto é, vinhos que além de acompanharem bem uma refeição, ainda lhe acrescentam um valor gustativo.

Até o vento Mistral, que fustiga as vinhas do vale do Rhône tem uma equivalência com o vale onde se situa a Quinta do Monte d’Oiro, cuja freguesia tem o explícito nome de Ventosa

freguesia onde se localiza tem o explícito nome de Ventosa). Daí termos escolhido a Syrah e a Viognier, que provaram ser capazes de produzir, no nosso terroir, vinhos de gabarito elevadíssimo. A Petit Verdot ocupa uma pequena parcela, que amadurece mais precocemente e nos permite, tal como em Bordeaux, fazer pequeníssimos ajustes à estrutura dos nossos vinhos (funciona como uma uva de “tempero”). Mas também temos uvas portuguesas de eleição, como a Touriga Nacional, Tinta Roriz e Arinto (essa última uma uva branca), que já mostraram que a sua criteriosa escolha foi em boa hora

61


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

A uva Syrah se adaptou tão bem ao terroir de Lisboa que seus vinhos, especialmente o Quinta do Monte d’Oiro Reserva (um corte Syrah e Viognier) e o Syrah 24, chegam a lembrar os melhores exemplares do norte do Rhône. O que as região de Lisboa e Rhône têm em comum? E o que as diferencia na sua opinião? Não será possível fazer uma comparação entre a região de Lisboa e as Côtes du Rhône, duas realidades distintas. Mas, dentro das Côtes du Rhône, a Syrah tem uma expressão favorável, tal como acontece nos vinhedos desta casta na Quinta do Monte d’Oiro. Só que é preciso ter em conta que apenas 2,5% de todos os vinhos produzidos nas Côtes du Rhône têm características excepcionais (tipo Grand Cru, classificação essa que em Portugal não existe). Também em Lisboa não será fácil reunir condições para produzir um grande Syrah e muito menos um Viognier. Só em locais privilegiados — os tais que numa região não vão além de 2% a 3% do total da sua área — na região de Lisboa (como em Hermitage ou Côte Rôtie, nas Côtes du Rhône) é possível almejar produzir vinhos com essa qualidade mítica.

A partir de 2006, as vinhas da Quinta do Monte d’Oiro foram convertidas à agricultura orgânica. O que o fez tomar essa atitude? Para produzir um grande vinho é vital recorrer a esse tipo de agricultura. Se tal não for feito, os terrenos “cansam”, não se consegue a oxigenação necessária da terra nem a biodiversidade tão essencial à produção de ótimas uvas. Por isso, quem quer elaborar vinhos de grande qualidade tem de recorrer à agricultura orgânica – ou à biodinâmica. Não é que esse recurso seja panaceia universal. Um terreno menos adequado para produzir um grande vinho melhorará com a adoção da agricultura orgânica, mas não conseguirá chegar àquele desiderato. Por outro lado, um vinhedo com todo o potencial de um grande “terroir”, se não for cuidadosamente conduzido, não atingirá a qualidade desejável. A nossa experiência com a adoção da agricultura orgânica é extremamente positiva, refletindo-se cada vez mais na capacidade de ir aos limites da qualidade nos vinhos.

62

Quem quer elaborar vinhos de grande qualidade tem de recorrer à agricultura orgânica – ou à biodinâmica -, se tal não for feito, os terrenos “cansam”, não se consegue a oxigenação necessária da terra nem a biodiversidade tão essencial à produção de ótimas uvas


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

Uma das grandes parcerias no mundo do vinho foi a do senhor com o produtor francês Michel Chapoutier, uma das estrelas do norte do Rhône. O que o senhor aprendeu com Chapoutier e vice-versa? Michel Chapoutier é um entusiasta, um apaixonado, mas sobretudo um grande e profundo conhecedor do vinho e de sua produção. Produz alguns dos vinhos mais memoráveis que já bebi, e esta minha admiração pelo seu trabalho me levou a visitá-lo na altura da decisão de enveredar pela produção de um grande vinho. Não só me acarinhou, como me entusiasmou, motivou e me deu sábios conselhos, que pus em prática com o maior sucesso. Tentamos fazer ambos um vinhedo de Touriga Nacional na França, que a burocracia impediu. Mesmo assim, fiz uma proposta ao nosso Embaixador em Paris, que permitiu que o governo português lhe concedesse a condecoração de Comendador da Ordem de Mérito Agrícola. Curiosamente, dois anos depois, o ministro francês Michel Barnier conferia-me também o grau de Comendador da Ordem de Mérito Agrícola.

No Guia Vinhos de Portugal 2013, do respeitado crítico João Paulo Martins, o Quinta do Monte d’Oiro Madrigal 2011 foi selecionado entre os “melhores brancos do ano”. Este é, de fato, um dos grandes brancos lusos, sempre com muitos elogios da imprensa especializada. Não é comum um branco 100% Viognier português. Produzi-lo foi o seu maior desafio no mundo dos vinhos? Não sei se foi o maior desafio, mas que foi um desafio muito grande, foi. A Viognier nos países mais a sul tem maturações muito rápidas e precoces. Na França, em Condrieu, diz-se que a Viognier tem de ter 14 graus alcoólicos para se exprimir; mas se tiver mais de 14 graus já é uma “marmelada” de frutas. Como se sabe, não é fácil encontrar um Viognier do sul (mesmo no sul da própria França) com a finesse e o conteúdo dos Viognier de Condrieu. Além de uma agricultura cuidadosíssima, a determinação da maturação destas uvas é de um rigor extraordinário, fazendo-se uma vindima seletiva, cacho a cacho, com diferentes vinificações diárias, que são depois selecionadas para fermentação em inox e barricas de 400 litros (carvalho francês novo de tanoaria da Borgonha). Na assemblage final, antes do engarrafamento, temos vários tipos de “Viogniers”, o que permite a seleção ideal. É bom lembrar que, já por três vezes, o nosso Madrigal (100% Viognier) ganhou um concurso na França que elege os melhores vinhos estrangeiros de castas francesas.

O senhor é reconhecido como um dos maiores gastrônomos do seu país – é vice presidente da Academia Internacional de Gastronomia, membro de outras respeitadas instituições do gênero, autor de livros sobre o assunto e da coluna A Palavra do Gourmet publicada mensalmente na respeitada Revista de Vinhos. Por isso, é uma tentação lhe perguntar qual foi a mais fantástica e emocionante harmonização que já experimentou? E quais pratos indicaria para combinar com seus vinhos? Arriscaria um prato da cozinha brasileira? O aniversário da Academia Internacional de Gastronomia (onde estava presente uma grande representação da ABG – Academia Brasileira de Gastronomia) foi celebrado com um jantar no Plaza Athénée (do Chef Alain Ducasse), em Paris. Para esse jantar, tive a honra de propor e discutir o menu e os vinhos com o chef Santaigne e o sommelier Laurent Roucayrol. Foi servido um lavagante cozinhado no forno com um vinho tinto Châteauneauf du Pape. A ligação é ao mesmo tempo espantosa e sublime, sensual e carnuda (“o lavagante é carne”, no dizer de Laurent Roucayrol). Sobre a cozinha brasileira, ela é muito rica e diversificada, e tive oportunidade de apreciá-la na visita organizada no ano passado pela ABG. Pensando nos meus próprios vinhos, o Lybra branco fará as delícias do palato ao acompanhar os vossos maravilhosos pastéis; o Lybra tinto, ideal para servir com aquela divinal carne de porco do Mocotó. Já com

Nossa experiência com a adoção da agricultura orgânica é extremamente positiva, mas este recurso não é uma panaceia universal. Um terreno menos adequado para produzir grandes vinhos melhorará com a adoção da agricultura orgânica, mas nunca conseguirá chegar a ser grandioso. Por outro lado, um vinhedo com todo o potencial de um grande “terroir”, se não for cuidadosamente conduzido, não atingirá toda sua qualidade

63


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

a tradicional feijoada (comi uma excepcional em Petrópolis), o Têmpera — raçudo, encorpado e cheio de nuances robustas mas delicadas — seria, com certeza, a melhor companhia. Casava, sem olhar para trás, a força e o sabor da carne brasileira (picanha, maminha, cupim…) com o nosso Aurius, elegante e desafiador, para despertar os aromas da reação de Maillard, o gosto profundo e telúrico a criar uma ligação poderosa e bem carnívora. Deixaria o Quinta do Monte d’Oiro Reserva (ou o Syrah 24) para os pratos de maior complexidade de sabores, como um feijão tropeiro ou uma vaca atolada mineira, numa fusão enogastronômica perfeita. Por fim, sugiro o Madrigal com um vatapá ou moqueca de marisco, onde seguramente se poderá constatar o teor mágico de uma cumplicidade inesquecível.

Em um artigo publicado na Revista de Vinhos o senhor sugere que Portugal deveria seguir o exemplo da Espanha e organizar uma visita memorável de Robert Parker ao país — no qual, aliás, ele passou sua lua-de-mel. O senhor acha que os vinhos portugueses são subestimados pela imprensa internacional? São, como se diz, “o segredo mais bem guardado do mundo do vinho”? Portugal tem, na minha opinião, muito melhores vinhos do que capacidade de marketing. No capítulo dos vinhos, mesmo tendo à partida vantagens comparativas com outros países (Chile, Austrália, Argentina, África do Sul, USA, newcomers), pois já possui o vinho do Porto e o vinho da Madeira, inimitáveis e reconhecidos como dos melhores do mundo — não foi ainda possível afirmar-se internacionalmente como seria merecido e justo. Infelizmente, o dinheiro para a promoção dos nossos vinhos não abunda, mas se unirmos esforços em torno de um projeto comum, tenho a cert eza que o “segredo” dos nossos (bons) vinhos será desvendado!

Deixaria o Quinta do Monte d’Oiro Reserva (ou o Syrah 24) para os pratos de maior complexidade de sabores, como um feijão tropeiro ou uma vaca atolada mineira, numa fusão enogastronômica perfeita

64

Por que o senhor indica o Lybra para quem quer começar a entender seus vinhos? O Lybra, sendo um vinho de grande dignidade, é um vinho do cotidiano, mais fácil de apreciar para alguém que se inicia no mundo do vinho. Tal como na música, não aconselharia ninguém a iniciar-se por Mahler ou Shostakovich (no caso da música clássica) ou Miles Davis e Coltrane (no jazz), também nos vinhos há que começar por alguns menos complexos, para depois poder apreciar em toda a extensão a enorme complexidade de um Quinta do Monte d’Oiro Reserva, um Aurius ou um Syrah 24.


JOSÉ BENTO DOS SANTOS

65


Uma entrevista com

Boscaini o “Rei do Amarone”


SANDRO BOSCAINI

Produtores de imensa tradição no Vêneto, os Boscaini fundaram a Agricola Masi no final do século XVIII, e há décadas são reconhecidos como os “Reis do Amarone”. Utilizando o appassimento, Masi assina vinhos complexos e modernos, mas que preservam o autêntico acento local. Segundo o Gambero Rosso, “Masi é umas das grifes italianas mais conhecidas e admiradas em todo o mundo.” Uma das referências do vinho italiano, Masi é também responsável pela criação do Grupo Técnico Masi — um centro de estudos e aprimoramento das técnicas de produção, cultivo e da cultura do Vêneto. A contribuição de Sandro Boscaini para o mundo do vinho inclui o resgate de castas autóctones praticamente extintas e o uso das técnicas de produção locais em outras regiões do mundo. Representante da sexta geração da família no comando de Masi, Sandro Boscaini nos concedeu esta interessante entrevista, que você confere a seguir.

68


SANDRO BOSCAINI

Masi adquiriu seus primeiros vinhedos em 1772 na região de ‘Vaio dei Masi’. Hoje, além de serem os pioneiros da região na propagação do conceito de “crus”, vocês têm uma coleção de vinhedos ao norte de Verona e ao sul dos Alpes em diferentes terroirs de grande prestígio: Valpolicella Classico, Bardolino Classico e Soave Classico. Como vocês escolheram os vinhedos? No final dos séc. XVIII a expansão e a aquisição de novos vinhedos aconteceu como uma resposta ao crescimento do consumo nacional e internacional. Na hora de escolher, felizmente nossos antepassados selecionaram vinhedos nas melhores áreas, na zona “Classica” de Bardolino, Valpolicella e Soave — as colinas históricas reconhecidas desde sempre pela qualidade dos vinhos que originam. Para a produção de Amarone, sempre adotamos o critério de escolher as colinas de orientação oeste em Valpolicella Classica. Esta orientação permite originar Amarones fortes e elegantes, no estilo bem característico de nossos Amarone Costasera e Riserva di Costasera. Além destas boas escolhas feitas em séculos passados, os Amarone de vinhedo único vêm de um profundo e histórico estudo microclimático iniciado por Guido Boscaini nos anos 1940. Nossos crus de Amarone, lançados nos anos 1950/1960, foram os primeiros vinhos de vinhedo único de toda a Itália.

A sétima geração da família Boscaini já está envolvida na produção de vinhos. Como é possível manter esta combinação de pioneirismo e tradição após tantos anos — ou diríamos séculos — sem perder o posto de líder da produção de vinhos no Veneto? Temos muito orgulho de que a tradição da família possa ter continuado, e que esteja em mãos capazes, de pessoas dedicadas, entusiasmadas e de grande profissionalismo. Na verdade, são estas as características necessárias para melhorar ainda mais a qualidade de nossos produtos e a força do nome Masi, para que possa continuar a ser uma verdadeira referência no Veneto.

Masi tem um vinhedo experimental plantado com 48 castas diferentes, todas de clones autóctones. Em sua opinião, quais uvas são capazes de melhor refletir a identidade do Veneto? O vinhedo experimental é fundamental para nosso grupo técnico! Ele é importante por diversas razões: em primeiro lugar, para selecionar os melhores clones das castas mais emblemáticas e importantes, como a Corvina, a Rondinella, a Garganega, Pinot Grigio, Refosco, etc. Depois, para comprovar a qualidade e o estilo atual de variedades antigas do Veneto — algumas das quais praticamente extintas. O resultado que obtivemos com a recuperação da uva Oseleta, por exemplo, assim como a utilização do clone de Molinara chamado ‘Serego Alighieri’ mostram as importantes descobertas que é possível fazer graças a nosso vinhedo experimental.

Nossos crus de Amarone, lançados nos anos 1950/1960, foram os primeiros vinhos de vinhedo único de toda a Itália

69


SANDRO BOSCAINI

Falando em castas secundárias, Masi também é pioneira no cultivo de uvas como a Oseleta, Dindarella, Croatina, Negrara, Forselina, Durella etc. O que levou vocês a apostarem na Oseleta, que estava praticamente extinta, e nestas outras castas menos conhecidas?

O Gruppo Tecnico Masi completa 25 anos em 2013. É um grupo composto por experts em diversas áreas como enologia, agronomia, marketing, análise química. Quais foram os resultados mais importantes que o grupo alcançou desde que foi formado?

Hoje em dia, no mundo todo se busca produzir apenas as castas mais comuns, porque é muito mais simples do ponto de vista da produção. Mas não devemos nos esquecer de que a biodiversidade tem um grande valor, e que ao preservarmos as antigas castas locais, estamos preservando não apenas um patrimônio cultural e de conhecimento, mas também ferramentas essenciais para caracterizar melhor a identidade original de cada vinho. Esta é a razão principal pela qual temos um grande interesse nas castas originais do Veneto: elas ajudam a expressar melhor nossos terroirs.

É verdade: em 2013 completam-se 25 anos desde que, todos os anos, sem interrupção, o Gruppo Tecnico Masi tem sempre apresentado seminários técnicos importantes durante a Vinitaly. Mas na verdade as atividades do Gruppo Tecnico começaram muito antes, em 1978.

70

Acredito que a contribuição mais significativa destes anos todos de trabalho tenha sido o estilo contemporâneo do Amarone, que surgiu desde 1983. Este novo estilo foi fundamental para o sucesso atual do Costasera no mundo inteiro. Outra inovação importante diz respeito à técnica de passificação — até chegar na “doppia fermentazione”, utilizada nas safras mais recentes do Campofiorin, e que permitiu que este vinho se tornasse a referência para os

O resultado que obtivemos com a recuperação da uva Oseleta, por exemplo, assim como a utilização do clone de Molinara chamado ‘Serego Alighieri’ mostram as importantes descobertas que foi possível fazer graças a nosso vinhedo experimental

vinhos “supervenezianos”. As uvas passificadas costumavam ser sempre usadas em vinhos como o Amarone ou o Recioto, mas ao passarmos a utilizar esta técnica também nos vinhos convencionais, conseguimos obter uma expertise única, que agora é identificada em nossos rótulos como APPAXXIMENTO. O aprimoramento e maior conhecimento deste processo possibilitou a criação de vinhos originais, como o Grandarella, o Passo Doble, Passo Blanco, Corbec e Masianco.


SANDRO BOSCAINI

Outro marco importante do Gruppo Tecnico Masi foi a recuperação da uva Oseleta, que hoje é reconhecida como uma casta que pode melhorar os cortes de vinhos DOC e DOCG da região de Verona. Na Masi utilizamos a Oseleta em vinhos como o Osar, Toar, Brolo di Campofiorin e Riserva di Costasera. Em relação à maturação dos vinhos, uma conclusão importante do Gruppo Tecnico foi a de reintroduzir as tradicionais barricas do tipo “Fusto Veronese”, de 650/700 litros. Este recipiente histórico, tradicionalmente utilizado para o envelhecimento do Amarone e de outros grandes tintos, tem um papel importante em manter a delicadeza e a finesse dos vinhos. Entre muitos outros resultados de nossos estudos técnicos, podemos também citar a retomada das barricas de cerejeira para maturar os vinhos de Serego Alighieri.

O Campofiorin — vinificado de uma maneira bastante particular — é um grande sucesso. Como surgiu a ideia de criar um vinho que combinasse características do Amarone e do Valpolicella? O Campofiorin foi criado por meu pai Guido em 1958, sendo comercializado a partir de 1964. A ideia dele — apontada como “genial” por Hugh Johnson — foi usar a técnica de passificação para melhorar a qualidade e dar um caráter mais internacional aos vinhos elaborados com as uvas de Valpolicella. A ideia de meu pai era criar um

vinho entre a simplicidade do Valpolicella e a originalidade de um vinho especial como o Amarone, mas que fosse capaz de competir com grandes vinhos reconhecidos no mundo todo, como o Chianti Riserva, o Bordeaux Supérieur, o Cabernet de Napa Valley, etc. O Campofiorin de fato conseguiu obter um sucesso internacional nesta categoria de vinhos.

Masi é conhecido como o “Rei do Amarone”, por ter aperfeiçoado a técnica de passificação, que data do tempo dos romanos, e por ter desenvolvido a técnica NASA (Natural Appassimento Super Assisted, ou passificação natural super controlada) para secar as uvas nas melhores condições possíveis. Até que ponto o método utilizado pela Masi é diferente daquele que outros produtores de Amarone utilizam? Em primeiro lugar, manter as tradicionais camas de bambu — muito mais custosas, inclusive para a manutenção — e adotar caixas muito menores do que aquelas que a maior parte dos produtores utilizam para a colheita oferecem resultados qualitativos indiscutíveis. Em segundo lugar, o sistema NASA evita que as uvas mofem — e não apenas no final da passificação, pois garantem em todas as etapas um processo homogêneo, principalmente em certos anos cujas condições climáticas não são ideais. O método é único porque não se trata de uma passificação artificial ou acelerada, mas sobretudo de uma intervenção apenas nas condições circundantes, de forma a garantir que sejam sempre as mais favoráveis para que o processo natural ocorra da melhor maneira possível.

71


SANDRO BOSCAINI

Segundo Jancis Robinson, o vinhedo Mazzano é “talvez o mais autêntico e certamente o mais prestigiado dos vinhedos da região de Valpolicella que produzem uma especialidade chamada Amarone”. O que é tão especial no vinhedo Mazzano? É uma colina muito inclinada, com terrenos calcáreos e complexos. A exposição é totalmente a oeste, com uma excelente ventilação, constante e fresca, além de uma grande amplitude térmica. Estas características proporcionam um amadurecimento mais lento e longo das uvas, que conseguem ter uma concentração de taninos um pouco mais elevada nas uvas passificadas. Este vinhedo dá origem a um vinho austero, um Amarone de grande classe.

Vocês também produzem vinhos que são frutos de uma joint venture com os Conti Serego Alighieri, descendentes do famoso poeta Dante Alighieri. A propriedade Serego Alighieri é a mais antiga e tradicional da região. Os vinhos produzidos lá são diferentes dos vinhos da Agricola Masi? Os vinhos de Serego Alighieri são produzidos na histórica propriedade adquirida pela família em 1353. Procuramos manter todas as características ambientais intactas, além de produzir vinhos que expressem a tradição e regionalidade desta área. Por exemplo, o envelhecimento dos vinhos é todo feito em grandes barricas de cerejeira. Além disso, usamos um clone específico de Molinara, chamado ‘Serego Alighieri’, e também o tradicional corte de Garganega e Sauvignon. Isso tudo confere aos vinhos uma identidade única e muito especial.

Os vinhos rosados estão cada vez melhores e mais complexos. Masi recentemente lançou o Rosa Dei Masi, um rosado elaborado com uvas Refosco passificadas. Qual foi a ideia por trás de produzir um rosado de alta gama? O Rosa Dei Masi foi criado como sucessor do antigo Chiaretto di Bardolino, que há alguns anos paramos de produzir, pois achamos que esta não era a proposta ideal para o nosso melhor rosé. Para elaborar este vinho, tomamos um caminho totalmente inexplorado, passificando a uva Refosco e vinificando-a como um rosado. O resultado foi um grande sucesso, e o vinho já está sendo comparado aos grandes rosés do mundo, especialmente os franceses.

Hoje em dia, em todo o mundo se procura produzir apenas as castas mais comuns porque é muito mais simples do ponto de vista da produção. Mas não devemos nos esquecer de que a biodiversidade tem um grande valor, e que ao preservarmos as antigas castas locais, estamos preservando não apenas um patrimônio cultural e de conhecimento, mas também ferramentas essenciais para caracterizar melhor a identidade original de cada vinho

72


SANDRO BOSCAINI

Nos anos 1990 vocês também iniciaram um projeto na Argentina que, ao final, mostra todas as peculiaridades de Masi e sua herança no Veneto. Por exemplo, introduziram as técnicas de passificação de uvas na América do Sul, e levaram castas italianas como a Corvina e a Pinot Grigio. Como começou este projeto? A escolha da Argentina não foi acidental. Este foi o estágio final de um projeto que começou com experiências em várias partes do mundo, como a Nova Zelândia, Austrália, Hungria e Oregon, nos Estados Unidos. Em Mendoza encontramos não somente as condições climáticas ideais, mas também uma grande colônia de imigrantes do Veneto, que demonstraram uma grande empatia por nossos métodos de produção. Foi por isso que decidimos fazer em Masi Tupungato a primeira experiência com nossas técnicas de produção fora do Veneto. Mesmo que em proporções limitadas, a vinícola representou uma nova escola de enologia naquele país, introduzindo um modelo bastante distinto da escola francesa.

Em 2007, Masi começou a parceria com o Conti Bossi Fedrigotti no Trentino, e também adquiriu a Stra’del Milione na região do Friuli. O que levou vocês a explorarem áreas fora da região do Veneto? Veneza sempre convida a uma história centenária; nos lembra da República de Veneza, que deixou a todas estas regiões a herança de uma linguagem comum — um modo próprio de interpretar a vida, o trabalho e muitas tradições que compartilhamos na gastronomia e na vitivinicultura, com o uvas autóctones servindo para diferenciar cada zona específica. É esta a base filosófica de produção que é compartilhada com todo o nordeste da Itália, e um exemplo disso são as técnicas de

passificação das uvas. Esta herança comum foi a ideia por trás de incluirmos as regiões do Trentino e do Friuli em nossa busca de resgatar toda a herança e as tradições desta ampla zona histórica, que forma uma civilização particular.

O Passo Doble é um tinto elaborado com um corte da casta Malbec com Corvina levemente passificada. É um vinho completamente diferente da maioria dos vinhos argentinos, mas é frequentemente apontado como um “Best Buy” pela imprensa especializada. É um vinho bem peculiar, mas que consegue manter um ótimo preço. O segredo do Passo Doble não está apenas na generosidade do terroir de Mendoza para originar uvas de qualidade. Está na combinação deste terroir com um feliz corte da uva Malbec com a casta Corvina passificada. É esta combinação que dá ao vinho um toque de elegância que o torna muito convidativo e diferente dos demais.

73


SANDRO BOSCAINI

O mais recente lançamento de Masi Tupungato, por outro lado, é um vinho elaborado apenas com a casta Malbec. Você poderia nos contar um pouco sobre este novo vinho? Este novo vinho é claramente nossa homenagem a uma terra generosa e de grande qualidade, que é o vale do Uco. É uma interpretação nossa para uma variedade local excepcional: a Malbec. As características do vinhedo La Arboleda, a escolha precisa da data de colheita, uma maturação que não deixa o vinho mascarado pela madeira, e a sensibilidade de nosso enólogo resultam em um Malbec repleto de tipicidade, sem ser exagerado — elegante e com um traço de personalidade bastante europeia.

Nossos estudos técnicos permitiram conquistas importantes, como a recuperação da uva Oseleta, um novo estilo de Amarone, um conhecimento muito maior do processo de passificação e de dupla fermentação, a volta do uso das barricas tradicionais chamadas de “Fusto Veronese” e tantas outras inovações essenciais

Você poderia nos contar um pouco no novo projeto de Masi com o enólogo Luis Henrique Zanini, da vinícola Vallontano? No Brasil encontramos características climáticas e sociais que favorecem as técnicas e o expertise da Masi. Boa parte da viticultura brasileira foi desenvolvida por imigrantes do Veneto, e por isso a maior parte de nossas uvas já estava plantadas no sul do Brasil. A ideia é demonstrar que estas castas não ficam devendo nada às internacionais, como a Cabernet Sauvignon, a Merlot, etc. Procuramos criar um vinho original — um vinho brasileiro que combina a vocação da terra expressa pela uva Tannat, combinada à elegância e originalidade das castas do Veneto. Todo o projeto foi desenvolvido em conjunto, com a experiência técnica de Masi e a sensibilidade de um “oriundo” como Luiz Zanini.

74


SANDRO BOSCAINI

Boa parte da viticultura brasileira foi desenvolvida por imigrantes do Veneto, e por isso a maior parte de nossas uvas jรก estava plantada no sul do Brasil

75


Neste final de ano, a Mistral traz para você alguns fantásticos lançamentos, como os lendários vinhos australianos de Henschke, de imensa elegância, como o ícone Hill of Grace, um dos melhores vinhos do mundo. Também da Austrália chegam os tipicamente exuberantes Wirra Wirra, de McLaren Vale. Descubra a uva borgonhesa Aligoté nas criações do Domaine A&P de Villaine, do mesmo proprietário do Domaine de la Romanée Conti, em Bouzeron; ou o raro Crozes Hermitage branco de Alain Graillot, ou o novo Gewurztraminer de Michel Chapoutier na Alsácia, e também o elegante Pauillac do Château Lynch Bages. Chegam também diversos novos vinhos, como a reedição do famoso Grifo, de Avignonesi, ou o novo Cantaloro, do mesmo produtor, assim como um novo maravilhoso Syrah de D’Alessandro. A Tenuta San Leonardo comemora 25 safras de seu fantástico tinto ícone, um dos melhores da Itália, com uma edição especial limitada, além de lançar um novo Carmenère e o primeiro branco da vinícola, um Sauvignon Blanc refinado. Masi lança um “mini Amarone”, um novo Reciotto della Valpolicella (tinto doce) e um novo Malbec de sua propriedade na Argentina. Vêm também inúmeras outras novidades, como “As Caborcas”, grande tinto da Galícia, produzido por Telmo Rodriguez; o Pinot Gris neozelandês de Kumeu River; o melhor Syrah do Alentejo, da Tapada de Coelheiros; o novo Vallontano Rosé, de Tempranillo; e um Pisco com a assinatura da Lapostolle.


GRANDES LANÇAMENTOSt

NOVOS PRODUTORES HENSCHKE, “A MELHOR VINÍCOLA FAMILIAR DA AUSTRÁLIA” SEGUNDO JAMES HALLIDAY E “UMA LENDA DO VINHO AUSTRALIANO” SEGUNDO ROBERT PARKER (Eden Valley/Austrália) www.henschke.com.au “não me lembro de nenhum produtor australiano que seja melhor em expressar, em um leque de 20 rótulos produzidos, as mudanças climáticas de cada safra, a casta com a qual o vinho é produzido e o lugar de onde estas uvas vêm”. — Andrew Jefford, revista Decanter O respeitado crítico australiano James Halliday é categórico em afirmar que Henschke é “a melhor vinícola familiar da Austrália”. Seus vinhos representam o máximo em elegância na Austrália, e sua capacidade de envelhecimento é lendária — alguns evoluem por mais de 5 décadas. O produtor possui maravilhosos vinhedos no Eden Valley, que estão entre os mais admirados do país, incluindo vinhas entre as mais antigas do planeta — plantadas pela família em 1860! Henschke produz apenas vinhos de alta gama, com uma produção total de menos de 30 mil caixas por ano — muito menos do que a produção de apenas um único rótulo das grandes vinícolas australianas. Verdadeira unanimidade para a imprensa especializada, Henschke conta com uma coleção de prêmios que inclui nada menos que 20 notas de Robert Parker entre 95-98+ pontos, 39 notas de Jancis Robinson entre 18/20 e 19/20 pontos e 11 notas entre 95 e 99 pontos da Wine Spectator! Andrew Jefford, da revista Decanter, atesta a habilidade de Henschke em transmitir a personalidade do terroir de Eden Valley e seus vinhos: “não me lembro de nenhum produtor australiano que seja melhor em expressar, em um leque de 20 rótulos produzidos, as mudanças climáticas de cada safra, a casta com a qual o vinho é produzido e o lugar de onde estas uvas vêm”.

O Mount Edelstone é também fantástico, “soberbo”, na opinião de Robert Parker, e “impressionante e apetitoso” para Jancis Robinson. Segundo a crítica especializada, nas melhores safras o tinto mostra uma qualidade muito próxima do Hill of Grace. Todos os vinhos da vinícola, incluindo os brancos, estão sem dúvida entre o melhor que a Austrália e o mundo podem produzir.

vinhos tintos 25292 Hill of Grace Shiraz 06 RP=97, WS=98

US$ 1.795.00

25293 Mt. Edelstone Shiraz 09 RP=97+, WS=94(08)

355.00

25294 Lenswood Giles Pinot Noir 10 WS=90(06)

179.50

25295 Keyneton Estate Euphonium Shiraz 09 RP=92, WS=92(08)

179.50

25296 Henry’s Seven Shiraz/Grenache/Viognier 10 RP=91, WS=91(09)

119.00

adquirida por Greg Trott em 1969. Seus tintos e brancos são exemplares quase perfeitos dos mais típicos vinhos australianos de alta qualidade: exuberantes, modernos, cheios de camadas de fruta madura e muito bem feitos, sendo classificados frequentemente com belas notas de toda a imprensa especializada. A safra 2010 do Dead Ringer Cabernet Sauvignon mereceu 93+ pontos de Robert Parker e 96 pontos de James Halliday! O grandioso RSW Shiraz, maturado por 16 meses em barricas de carvalho francês, também foi apontado com 96 pontos por James Halliday na mesma safra e ainda recebeu 92+ pontos de Parker. Os brancos são surpreendentes — dotados de uma bela elegância — sempre classificados entre os melhores exemplares de McLaren Vale para cada variedade. São todos vinhos fáceis de gostar, saborosos e cativantes — ótimas compras em suas respectivas faixas de preço.

vinhos tintos vinho branco 25297 Julius Riesling 12 RP=91+, WS=90

US$ 119.00

WIRRA WIRRA, UMA REFERÊNCIA EM MCLAREN VALE

25298 Scrubby Rise Cabernet Sauvignon/Petit Verdot 12

46.90

25299 Church Block Cabernet Sauvignon/Merlot 11 RP=90(10), WS=90(10)

66.50

25300 Catapult Shiraz 11 RP=90(09), WS=90(10)

66.50

25301 Woodhenge Shiraz 11 RP=90(10), WS=90(10)

99.90

25302 RSW Shiraz 10 RP=92+(09), WS=92

199.50

25303 Dead Ringer Cabernet Sauvignon 10 RP=93+, WS=90(05) 199.50

(McLaren Vale / Austrália) www.wirrawirra.com Uma vinícola de “formidável reputação”, com “uma longa consistência de qualidade”, Wirra Wirra merece as máximas 5 estrelas vermelhas de James Halliday, respeitado crítico de vinhos da Austrália, que aponta o produtor como uma das maiores referências da região de McLaren Vale. Wirra Wirra foi fundada em 1894, mas alcançou grande notoriedade após ter sido

vinhos brancos 25304 Scrubby Rise Unoaked Chardonnay 12

46.90

25305 Scrubby Rise Sauvignon Blanc/Sémillon/Viognier 12

46.90

25306 The Lost Watch Riesling 12 RP=88

59.90

25307 The 12th Man Chardonnay 12 RP=90+(11)

83.50

vinho rosé seco 25309 Mrs. Wigley Grenache 12

53.50

vinho rosé frisante doce 25308 Mrs Wigley Moscato 12 RP=88, WS=89(08)

53.50

Os vinhos são todos elaborados a partir de videiras de cultivo biodinâmico e com baixos rendimentos. O lendário Hill of Grace — o mais célebre e conceituado vinho de vinhedo único da Austrália — é considerado um dos maiores tintos do mundo. “Uma lenda do vinho australiano”, com um final de boca que “excede um minuto”, nas palavras de Robert Parker, o tinto é “bem mais elegante e refinado que a maioria dos vinhos australianos elaborados com a casta Shiraz”, merecendo sempre notas estratosféricas, como os 97+ pontos concedidos à safra 2006 ou os 98 pontos pontos arrematados pelo 1965, com quase 50 anos de idade!

77


t(3"/%&4-"/§".&/504

DOMAINE A&P DE VILLAINE UM SENSACIONAL ALIGOTÉ COM ASSINATURA DE AUBERT DE VILLAINE, DO DOMAINE DE LA ROMANÉE-CONTI

SANTA BARBARA PRODUZ ALGUNS BONS ACHADOS DO SUL DA ITÁLIA (Puglia/Itália) www.cantinesantabarbara.it

(Borgonha/França) www.de-villaine.com Quando se fala em brancos da Borgonha, é natural associá-los à onipresente uva Chardonnay — mas uma pequena porção desse nobre território se especializou também na produção da coadjuvante Aligoté. Bouzeron, uma vila na Côte Chalonnaise, é tida como “o paraíso da Aligoté” e acabou atraindo uma das figuras mais célebres do mundo do vinho: Aubert de Villaine, co-proprietário do Domaine de la Romanée-Conti. Neste recanto da Borgonha, ele e a mulher Pamela fundaram o Domaine A&P Villaine, um projeto ousado, dedicado a recuperar o prestígio desta casta tipicamente borgonhesa. O produtor cultiva videiras de Aligoté nas encostas privilegiadas das colinas, talhando um branco singular, que dá prazer logo nos primeiros anos mas também pode ser guardado por mais de uma década. O Bouzeron Aligoté é um branco perfumado, delicado, cheio de fruta e com mineralidade vibrante, notas discretas de baunilha no nariz e uma textura aveludada no palato. É uma grata surpresa, que demonstra a habilidade dessa uva ainda pouco conhecida em transmitir a essência de seu território. Para quem quer conhecer esta outra face da Borgonha, os vinhos do Domaine A&P Villaine — apontado por Clive Coates como o único produtor notável da região — são o melhor cartão de visitas.

vinho branco 25127 Bouzeron Aligoté 11 (A&P Villaine)

US$ 97.50

Uma das regiões que despontam no mundo do vinho, a ensolarada região da Puglia, no sul da Itália, vem brindando os enófilos com tintos concentrados, cheios de sabor e personalidade, talhados com as cativantes e muito interessantes uvas locais, especialmente a Primitivo (conhecida como Zinfandel nos Estados Unidos). Localizada na porção do “salto da bota”, a Puglia é banhada de um lado pelo mar Adriático, e de outro pelo Jônico, que trazem bem-vindos ventos frios. A plana Península de Salento é uma das melhores zonas para o cultivo da Primitivo. Nesta região, a Cantina Santa Barbara — que está sob a batuta do talentoso enólogo Pietro Giorgiani — detém 50 hectares de vinhedos, alguns recheados com vinhas velhas, entre 40 e 50 anos, e que dão origem a um delicioso tinto. Trata-se de uma versão da Primitivo sem passagem por madeira, repleta de tipicidade, mostrando notas de frutas silvestres, cereja e ameixa seca, com um palato rico e taninos macios. Um dos bons achados do sul da Itália, é um vinho gastronômico, que se harmoniza muito bem com carnes assadas e diversos outros pratos.

Como entram outras uvas no corte além da Glera, estes espumantes não podem ser chamados de Prosecco, mesmo sendo produzidos apenas com as valorizadas uvas de Valdobbiadene. O nome do projeto presta homenagem a Desiderio Bisol, pai dos atuais proprietários, e se refere ao apelido pelo qual era carinhosamente chamado pela mulher. Após a Primeira Guerra Mundial, Jeio investiu em novas técnicas de cultivo e passou a adquirir vinhedos em colinas íngremes — os mais caros e também os mais difíceis de serem cultivados — para dar origem a espumantes realmente distintos.

vinhos espumantes vinho tinto 25980 Santa Barbara Salento Primitivo IGT 11

US$

US$

25544 Jeio Spumante

35.90

29.50

25545 Jeio Spumante rosato

35.90

JEIO: OS SABOROSOS ESPUMANTES COM A CHANCELA DE BISOL E ÓTIMA RELAÇÃO QUALIDADE/PREÇO (Prosecco/Itália) www.jeio.it Jeio é um elogiado projeto da família Bisol, produtores de enorme prestígio, instalados há quase 5 séculos — e 21 gerações! — na região demarcada de Prosecco, e proprietários de alguns dos mais privilegiados vinhedos desta zona vêneta conhecida pelos espumantes. A família tem à sua disposição nada menos que 35 parcelas (em média, de 1 hectare cada) distribuídas pelas íngremes colinas entre Valdobbiadene e Conegliano, a mais nobre área da denominação — incluindo a colina de Cartizze, uma das mais prestigiosas de todo o mundo vinícola. Esse acervo impressionante permite obter uma matéria-prima exemplar, que dá origem a espumantes maravilhosos. São todos “vinhos de alto nível”, segundo o Gambero Rosso, uma das mais respeitadas referências da imprensa especializada italiana. Os espumantes Jeio são talhados com uvas selecionadas das melhores videiras das colinas de Prosecco, que se expressam em vinhos delicados, com um bouquet que combina notas frutadas, florais, e um palato aveludado

78

e cheio de frescor. Nas palavras de Robert Parker, o Jeio Spumante Brut é “repleto de caráter varietal” e “saboroso e acessível”. Para a Wine Spectator é “um atraente aperitivo”. Fácil de gostar, ele combina as uvas Glera, Sauvignon Blanc e Chardonnay. Por sua vez, o Jeio Spumante Rosé arrematou medalha de ouro na 9ª. edição do Mondial du Rosé, concurso realizado na França, do qual participaram 900 vinhos de todo o mundo. “É um dos poucos exemplares [de Prosecco rosé] que merecem atenção”, segundo Robert Parker. Cheio de caráter, o corte de partes iguais de Merlot e Pinot Noir combina aromas de rosas, frutas cítricas e lichia, sendo bastante elegante. “Excelente equilíbrio, com uma refinada mousse”, nas palavras de Parker.


GRANDES LANÇAMENTOSt

BODEGAS SANTO CRISTO E SEUS DELICIOSOS TINTOS PARA O DIA A DIA, ELABORADOS COM A SUCULENTA UVA GARNACHA

BODEGAS Y VIÑEDOS DEL JALÓN: TINTOS DELICIOSOS PRODUZIDOS COM GARNACHA DE VINHAS VELHAS QUE SÃO VERDADEIRAS PECHINCHAS

(Campo de Borja/Espanha) www.bodegas-santo-cristo.com A subregião de Campo de Borja, em Aragón — de clima continental e baixa incidência de chuva — é repleta de vinhas velhas de Garnacha, uva que recobre nada menos que 5 mil hectares e 68% do território vitivinícola da zona. Alguns vinhedos de Campo de Borja remontam ao século XII! A Garnacha é levada tão a sério nessa região da Espanha que os produtores locais costumam reconhecer a região como “Império da Garnacha”. Até a década de 1970, a maior parte dos vinhos produzidos em Campo de Borja entrava no corte de exemplares elaborados em outras fronteiras espanholas, servindo para melhorar sua estrutura e sabor. Recentemente Campo de Borja ganhou fama, passando a ostentar a classificação de D.O (Denominación de Origen) em 1980, graças a produtores caprichosos, que se dedicaram a elevar a qualidade dos tintos e brancos. Um dos pioneiros nessa missão foram as Bodegas Santo Cristo, reconhecidas por talhar vinhos cheios de fruta, frescos, muito perfumados. São ótimas pechinchas — tintos consistentes, de ótima relação qualidade-preço. Produzido com uma seleção de uvas dos melhores vinhedos, com idade média de 40 anos, o Selección Garnacha é delicioso e mineral, fácil de gostar, com cereja, toques de alcaçuz, chocolate e um final de boca vibrante. Stephen Tanzer concedeu 88 pontos à safra 2011 – uma nota muito boa para esta faixa de preço. O Amphora Garnacha também é muito saboroso: um tinto puro, sem passagem por madeira, repleto de fruta madura, com notas florais e minerais. São duas ótimas novidades da Espanha, excelentes escolhas para o dia a dia.

vinhos tintos

US$

25891 Santo Cristo Selección Garnacha 11

25.50

25892 Santo Cristo Amphora Garnacha 12

17.90

(Calatayud / Espanha) www.castillodemaluenda.com A denominação de Calatayud, na região de Aragón, pode ser considerada uma das novas descobertas da vitivinicultura espanhola. Montanhosa, repleta de vales, com acentuada oscilação térmica entre dia e noite, clima seco e um patrimônio impressionante de vinhedos antigos — com mais de 50 anos — é um paraíso para os enólogos que buscam vinhos cheios de caráter. Durante muito tempo Calatayud viveu à sombra das regiões mais famosas do país, produzindo vinhos um tanto rústicos, até que uma nova geração de vinhateiros mudou o foco e passou a chamar a atenção do país com seus tintos perfumados, equilibrados e elegantes, muito diferentes dos exemplares alcoólicos e potentes elaborados há 15 anos. Bodegas y Viñedos del Jalón conta com uma coleção de vinhedos em altitudes de 600 a 1000 metros, representando nada menos que 70% de toda a produção de vinhos de qualidade de Calatayud. Este é o grande nome da denominação — conhecido por seus tintos saborosos, com foco especial na uva Garnacha de vinhas velhas e rendimentos minúsculos. O Teorema combina notas de fruta madura, com um frescor bastante convidativo. Macio no palato, é um vinho com sabores que remetem à sua variedade, a Garnacha Tinta, e a seu terroir agreste. Mereceu 90 pontos do Guía Peñín na safra 2009, e a 2010 conquistou a medalha de ouro no Berliner Wein Trophy. É um tinto intenso e cativante, surpreendentemente bom para a sua faixa de preço. Por sua vez, o Las Pizarras Garnacha Viejas Viñas é elaborado a partir de videiras centenárias de Garnacha, plantadas em altitude, onde o solo é rico em quartzo, o que confere ótima estrutura e uma mineralidade pronunciada ao vinho. Sem passagem por madeira, é a pura expressão de seu território, com aromas de violeta e flor de laranjeira combinados a notas especiadas. No palato mostra taninos refinados. É um vinho de “impressionante profundidade e concentração”, na opinião de Robert Parker, que conferiu 91 pontos à safra 2009, a última avaliada. São ambos belas pechinchas!

vinhos tintos 25452 Teorema Garnacha Viejas Viñas 10 Guía Peñín=90 (09), RP=88(08)

US$ 28.90

25451 Las Pizarras Garnacha Viejas Viñas 10 RP=91(09), WS=89(06), IWC=91(07)

39.90

79


t(3"/%&4-"/§".&/504

NOVOS VINHOS

UM SOFISTICADO GEWÜRZTRAMINER ALSACIANO COM A GRIFE CHAPOUTIER

UM BORDEAUX ACESSÍVEL, PRODUZIDO PELO CHÂTEAU LYNCH-BAGES NOS MOLDES DE SEU GRAND CRU CLASSÉ Novos tintos e brancos talhados por grandes nomes do mundo do vinho despertam a atenção dos enófilos, e com razão. Não seria diferente com o recém-lançado Pauillac do Château Lynch-Bages, o aclamado Cru Classé do Médoc. Elaborado a partir de videiras jovens cultivadas na vila de Pauillac, com o mesmo capricho minucioso com que o produtor esculpe seu Grand Vin, este tinto segue o estilo da casa, sendo rico, denso e profundo. Seu corte de Cabernet Sauvignon (72%), Merlot (23%) e Cabernet Franc (5%) obedece a proporção do vinhedo, mostrando na safra 2010 (a segunda elaborada até agora) aromas de frutas vermelhas e especiarias combinados a um gostoso toque de madeira muito bem integrado. Fresco e elegante, possui taninos bastante refinados. Ótima novidade para os apreciadores dos Bordeaux de estilo mais elegante!

vinho tinto 25938 JM Cazes Pauillac 10

72.50

US$ 89.50

Um dos maiores nomes do sul da Itália, Mastroberardino elabora verdadeiras maravilhas com as uvas autóctones da região da Campania — especialmente a tinta Aglianico, que dá origem a preciosidades como os Radici Taurasi e Irpinia Redimore, e as brancas Greco di Tufo e Fiano di Avellino. Proprietário de vinhedos privilegiados em zonas históricas, garante matériaprima impecável para produzir também vinhos fáceis de gostar, puros e aromáticos, sem passagem por madeira, e com um distinto caráter do território. O branco Mastro Greco é elaborado com uvas de diferentes zonas de Irpinia, mostrando aromas ricos de frutas tropicais e um palato fresco e macio. O tinto Mastro Aglianico segue o mesmo estilo repleto de fruta, com aromas de morango, cereja e amora. De corpo médio, é uma ótima opção para combinar com carnes grelhadas e massas.

vinho tinto 25956 Mastro Aglianico Campania IGT 12 (Mastroberardino)

vinho branco 25963 Mastro Greco Campania IGT 12 (Mastroberardino)

MARIUS ROSÉ: UM ROSADO COM ALMA DO SUL DA FRANÇA E A IMPECÁVEL ASSINATURA DE MICHEL CHAPOUTIER

25482 Crozes-Hermitage blanc 12 (Alain Graillot)

80

25392 Schieferkopf Gewürztraminer 11 (M. Chapoutier) WS=90

US$

US$

Elaborados em minúsculas quantidades, os fantásticos vinhos de Alain Graillot são resultado de um cultivo minimalista e práticas orgânicas, colheita manual e de uma vinificação não intervencionista. Sem fazer concessões e procurando extrair o melhor de seu terroir, ele logo se tornou uma das estrelas do norte do Rhône. Os Crozes-Hermitage e Saint Joseph de Graillot são comparados aos Hermitage da maioria dos produtores, sendo disputados pelos melhores restaurantes e conhecedores da França. O Crozes-Hermitage branco, com uma produção de apenas 1.200 caixas para o mundo inteiro, foi descrito como “delicioso” por Robert Parker. O vinho é elaborado com uvas Marsanne (80%) e Roussanne (20%) selecionadas em uma pequena parcela de vinhedo. A fermentação e maturação em barrica resultam em um conjunto muito bem sucedido, com aromas florais e cítricos combinados a notas de mel e um evidente toque mineral. Gordo no palato, pode ser apreciado desde jovem ou ser guardado por vários anos.

RP=89(11), WS=90(05)

vinho tinto

109.00

O RARO CROZES HERMITAGE BLANC DE GRAILLOT — ÓTIMA ALTERNATIVA AOS GRANDIOSOS HERMITAGE BRANCOS

vinho branco

A conhecida obsessão de Michel Chapoutier por solos de xisto azul o levou até a Alsácia. Na propriedade Schieferkopf, localizada entre as comunas de Barr e Riquewihr, ele talha vinhos profundos e de incrível mineralidade com as típicas uvas da região. Seu Gewürztraminer é um branco “fresco e vibrante” repleto de “aromas expressivos” para a Wine Spectator, que o classificou com ótimos 90 pontos na safra 2011. É uma sofisticada versão dessa casta, mais uma notável criação de Michel Chapoutier, produtor do ano para o guia Bettane et Desseauve.

ASSINADOS POR MASTROBERARDINO, MASTRO AGLIANICO E MASTRO GRECO SÃO ÓTIMAS INTRODUÇÕES AOS AUTÊNTICOS VINHOS DA CAMPANIA

Mais um belo lançamento vem completar a seleção de vinhos Marius, que o consagrado enólogo Michel Chapoutier produz no Languedoc-Roussillon. É o Marius rosé, impregnado do charme do sul da França e caprichosamente talhado para combinar com a gastronomia dos despojados bistrôs e brasseries. Com uma cor atraente de pétalas de rosas, é um vinho delicado, mostrando notas florais no aroma e um palato agradável, rico em frutas brancas e com impecável acidez. Simplesmente delicioso, com uma qualidade muito superior à que seu preço pode indicar, este corte de Grenache e Syrah é perfeito para combinar com saladas, grelhados e pratos leves, mas também ótimo como aperitivo.

vinho rosado

US$

25391 Marius 2012 (Chapoutier)

25.90

US$ 36.50

US$ 36.50


GRANDES LANÇAMENTOSt

e 2002 com clones franceses, mostra um estilo entre o agradável Borgo Syrah, o tinto de entrada da casa, e os maravilhosos Il Bosco e Migliara. É mais uma bela criação de D’Alessandro, revelando notas selvagens de frutas negras, especiarias e florais e um palato envolvente.

GRIFI E CANTALORO SÃO DOIS TOSCANOS RICOS E CHEIOS DE CARÁTER, TALHADOS COM O REFINAMENTO E O CAPRICHO DE AVIGNONESI Consagrada por seus vinhos de “excelência absoluta”, segundo o respeitado guia Gambero Rosso, Avignonesi é mestre no corte da uva autóctone Sangiovese com as famosas castas francesas. Depois de muitos anos sem produzi-lo, Avignonesi lançou novamente o maravilhoso tinto Grifi. O supertoscano combina 60% de Sangiovese com 40% de Cabernet Sauvignon. Trata-se de um vinho musculoso e sedutor, cheio de camadas de aromas e sabores, e com taninos macios. Mostra “fruta preta exuberante, notas de chocolate e de especiarias”, segundo a Wine Spectator, que considerou esse vinho como “altamente recomendado”, com ótimos 90 pontos na safra 2010. A Sangiovese é colhida na propriedade mais antiga de Avignonesi — I Poggetti — onde o cultivo é orgânico, de acordo com a legislação italiana. Este é o vinhedo que fornece a matéria-prima para os vinhos mais prestigiosos da casa. O Grifi é vinificado de maneira não intervencionista, assim como o novo Cantaloro, outro interessante corte assinado por Avignonesi. Neste caso, prevalece a Cabernet Sauvignon (75%) com 20% de Merlot e 5% de Sangiovese. Trata-se de um vinho versátil à mesa, com evidente alma mediterrânica — redondo, cheio de fruta e notas de ervas e especiarias. O tinto também foi classificado com 90 pontos pela Wine Spectator na safra 2010. São duas ótimas escolhas para quem gosta de autênticos vinhos italianos com um instigante toque moderno!

vinhos tintos 25641 Grifi IGT Toscana 10 (Avignonese) WS=90

US$ 155.00

25637 Cantaloro IGT Toscana 11 (Avignonese) WS=90 (10)

48.50

BORGO SYRAH VECCHIE VIGNE É MAIS UMA BELA CRIAÇÃO DE UM DOS MAIORES ESPECIALISTAS NESTA UVA NA TOSCANA Descobridores da vocação da árida zona de Cortona para gerar excelentes Syrah na Toscana, de acordo com o prestigiado guia Gambero Rosso, a família D’Alessandro elabora alguns dos mais elogiados tintos de toda a Itália produzidos com essa uva. A Wine Spectator já comparou o Il Bosco a um grande Hermitage, e James Suckling apontou o Migliara entre os vinhos toscanos de colecionador. Produzidos em um clima quente e seco e um solo arenoso, os Syrah de D’Alessandro são ricos, repletos de camadas de aromas e sabores.

vinho tinto 25973 Borgo Syrah Vecchie Vigne 10 (D’Alessandro)

US$ 79.90

PRECIOSIDADES DA TENUTA SAN LEONARDO Na excelente colheita 2007, o tinto San Leonardo — “um mito da vitivinicultura”, nas palavras do Gambero Rosso — completou nada menos que 25 safras desde 1982. Para comemorar o aniversário e a qualidade excepcional deste ano, a vinícola engarrafou uma edição de colecionador. O San Leonardo 25ª Vendemmie 2007 nasce em edição limitada de garrafas Magnum devidamente numeradas. É um tinto intenso e complexo, com frutas de bosque bem integradas às notas amadeiradas. Redondo, refinado e bastante persistente no palato, promete evoluir bem por mais de duas décadas. Combina Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Carménère e Merlot de vinhedos com idade entre 20 e 50 anos, e é uma verdadeira obra-prima da Tenuta San Leonardo. O produtor apresenta também mais duas excelentes novidades. A primeira delas é um vinho 100% Carménère, elaborado com uvas do vinhedo mais antigo da propriedade e engarrafado apenas em garrafas Magnum. Rico e distinto, com notas especiadas e de fruta selvagem, o San Leonardo Carménère é um surpreendente exemplar desta uva originária de Bordeaux que ganhou fama no Chile. É “um livrotexto da Carménère”, segundo Jancis Robinson, que concedeu 17/20 pontos ao tinto. A especialista britânica provou também o Vette di San Leonardo Sauvignon Blanc, o primeiro branco com a assinatura prestigiosa da vinícola. Ele foi elogiado como “muito fresco e com boa profundidade” pela jornalista, que avaliou a safra de estreia, 2011. Classudo e com cativante mineralidade, é um branco delicioso para combinar com peixes, carnes brancas, queijo de cabra e charcutaria, além de servir como ótimo aperitivo.

vinhos tintos

O “IRMÃO MENOR” DO CONSAGRADO “GIGANTE ELEGANTE” DE MASI E UM RECIOTTO DELLA VALPOLICELLA DE MINÚSCULA PRODUÇÃO O Brolo di Campofiorin ORO é uma versão especial do ótimo Brolo di Campofiorin, em um estilo exuberante, aveludado e extremamente refinado. Trata-se de um vinho que lembra muito o estilo do consagrado Amarone de Masi, por um preço realmente muito convidativo. Na edição ORO foi adicionada a casta Oseleta, uva autóctone de Verona, resgatada pela Masi. Ela compõe 10% do corte, reforçando a cor e a concentração do vinho. Corvina (80%) e Rondinella (10%) completam o tinto, elaborado de acordo com a técnica da dupla fermentação reinventada por Masi. Ao vinho jovem, são acrescentadas uvas passificadas — secas ao sol, que perdem água e concentram açúcar. Isto promove uma segunda fermentação, dando origem a um tinto complexo e com muita personalidade, capaz de evoluir na garrafa por mais de 20 anos. Colhidas em vinhedos murados — ou “brolo” na língua vêneta, como são os “clos” da França — as uvas do Brolo di Campofiorin ORO pertencem à nobre zona de Valpolicella Classico. Já o Angelorum é um delicioso Reciotto della Valpolicella Classico, um tinto doce muito aromático e atraente, que remete aos Reciotto do tempo dos romanos. Combina as clássicas uvas Corvina, Rondinella e Molinara desidratadas pelo processo de appassimento (ou passificação), no qual Masi é perito. Uma delícia para acompanhar sobremesas de frutas, bolos, panettone e queijos azuis.

vinho tinto 25557 Brolo di Campofiorin ORO 2009 (Masi)

vinho tinto doce 25567 Angelorum Recioto dela Valpolicella Classico 09 (Masi)

US$ 65.50

US$ 84.50

US$

25655 magnum San Leonardo 25ª Vendemmie 07 (San Leonardo) 499.00 25653 magnum San Leonardo Carménère 07 (San Leonardo) JR=17

vinho branco

279.00

US$

25654 Vette di San Leonardo Sauvignon Blanc 12 (San Leonardo) 49.90

O Borgo Syrah Vecchie Vigne, produzido a partir de uma seleção das melhores vinhas plantadas entre 1997

81


t(3"/%&4-"/§".&/504

AS CABORCAS, DO GENIAL TELMO RODRÍGUEZ, É UMA DAS MELHORES NOVIDADES DA ESPANHA, ELEITO “VINHO REVELAÇÃO” PELO RESPEITADO GUÍA PEÑIN Com o lançamento de As Caborcas, os enólogos Telmo Rodríguez e Pablo Eguzkiza, parceiros no projeto Compañia de Vinos Telmo Rodríguez, conseguiram uma verdadeira proeza: receber logo na safra de estréia (2010) o título “Vino Revelación” do Guía Peñin, a maior referência para a avaliação de vinhos espanhóis. “Somente dois grandes guerreiros conseguiriam apresentar um vinho que logo na sua primeira colheita obtém um resultado tão brilhante quanto o conquistado por As Caborcas 2010”, escreveu a publicação. Trata-se de um corte de diferentes uvas: Mencía, Merenzao, Sausón, Garnacha e Godello, com fermentação em madeira e em inox seguida de 12 meses de estágio em cascos de carvalho de 2 mil litros. O tinto mostra uma expressão autêntica de frutas vermelhas combinadas a matizes de ervas e um toque balsâmico, sendo amplo e saboroso no palato, com fruta madura e especiarias. O nome As Caborcas, que significa “orientado a noroeste”, refere-se às parcelas de vinhedos de onde provêm as uvas: são videiras entre 50 e 70 anos de idade, instaladas nas encostas escarpadas do rio Bibei, a 550-600 metros de altitude, em solo granítico. Telmo Rodríguez e Pablo Eguzkiza levaram dez anos para talhar este vinho — um período longo, preenchido de estudos e experimentações na região de Valdeorras, na Galícia. Essa foi uma das primeiras zonas que a dupla de enólogos visitou, no início da década de 1990, quando inaugurou o seu projeto de produzir vinhos cheios de personalidade com uvas autóctones nas mais diversas zonas da Espanha. Os dois ficaram bastante impressionados com as vinhas velhas cultivadas pelos pequenos agricultores locais a partir de técnicas tradicionais, algumas das quais remontando à Idade Média! Encararam Valdeorras como a grande descoberta do passado e iniciaram ali um ambicioso plano de recuperação das castas ancestrais. As Caborcas é, sem dúvida, um vinho especial, que já nasceu como um dos grandes tintos de toda a Espanha. Recentemente, Robert Parker classificou o tinto com fantásticos 94 pontos e o seguinte comentário: “um impressionante vinho. Bravo!”.

vinho tinto 25902 As Caborcas 10, DO Valdeorras (Telmo Rodríguez) RP=94

US$ 99.90

CAMINO DEL PELEGRINO: UM ALBARIÑO TALHADO POR PAZO DE SEÑORANS, UM DOS MAIORES MESTRES NESSA CASTA Um dos mais reputados produtores da Galícia, grande mestre na elegante casta Albariño, Pazo de Señorans elabora brancos puros, capazes de expressar a influência marítima que invade seus vinhedos, localizados a cerca de 10 quilômetros do Atlântico, na privilegiada denominação de Rías Baixas. Robert Parker lhe confere sempre altas notas, chamandoo de “a resposta espanhola para Condrieu”. Mais recente criação de Pazo de Señorans, Camino del Pelegrino Albariño é elaborado segundo a mesma filosofia minimalista que o produtor emprega em seus elogiados Albariño e Albariño Selección de Añada. É um vinho para ser consumido jovem, mostrando muita tipicidade nos aromas de melão, pera e pêssego, além de um palato vivo, cheio frescor. É uma ótima escolha para acompanhar os pratos leves do verão.

vinho branco 25910 Camino del Pelegrino Albariño 12 (Pazo de Señorans)

US$ 49.90

VIÑA BUJANDA GRAN RESERVA É UMA ÓTIMA INTERPRETAÇÃO DA TEMPRANILLO EM UM ESTILO MUITO FIEL À RIOJA Este Gran Reserva é uma excelente criação de Viña Bujanda, que na opinião de Robert Parker elabora “vinhos que fazem você querer encher a taça novamente”. Complexo e elegante, mostra camadas e camadas de aromas, combinando frutas pretas, como amora e ameixa, com notas de baunilha, caixa de cigarro e especiarias, valorizadas pelo estágio de 26 meses em carvalho americano e francês. Intenso e volumoso no palato, tem ótimo frescor e finesse. Trata-se de uma bela interpretação da casta Tempranillo em um estilo muito fiel à Rioja. Moldado com precisão pelos irmãos Carlos e Pilar Martínez Bujanda, este tinto é originado a partir de vinhedos próprios localizados na Rioja Alavesa e na Rioja Alta, com videiras entre 20 e 60 anos de idade. É uma bela novidade para os apreciadores de vinhos espanhóis no estilo mais tradicional!

vinho tinto 25896 Viña Bujanda Gran Reserva 07

US$ 72.50

CONVERSA BRANCO: “UMA BELA BARGANHA”, NAS PALAVRAS DE ROBERT PAKER Chega uma esperada novidade: o Conversa branco, simpática criação de Dirk Niepoort. Seu Conversa Tinto

82

já é um conhecido “Best Buy” de Portugal, e o branco segue pelo mesmo caminho. Foi destacado como “uma bela barganha” por Robert Parker na safra 2011, a única avaliada pelo crítico norte-americano até agora. Resulta da combinação de várias uvas locais, como é comum na região do Douro — Rabigato, Códega do Larinho, Gouveio, Dona Branca, Viosinho, Bical, entre outras — de vinhedos entre 20 e 50 anos plantados em altitude, a aproximadamente 600 metros. Parte fermentou em cubas de inox e parte em carvalho, sendo que 25% do vinho ainda estagiou em barricas francesas. O resultado é um branco saboroso, com aromas minerais e de frutas brancas e um palato vibrante, no qual se nota um toque de defumado e um leve salgado que remete ao terroir rochoso. O rótulo é uma atração à parte: uma divertida história em quadrinhos, pensado para tornar a apreciação deste vinho um momento descontraído.

vinho branco

US$

25870 Conversa branco 12 (Niepoort)

33.50

TAPADA DOS COELHEIROS SYRAH: “UM TINTO DE EXCEÇÃO” Indicado como um “tinto de exceção” por José António Salvador, respeitado jornalista de Portugal, o Tapada de Coelheiros Syrah é um vinho impressionantemente elegante, mostrando uma finesse incomum para esta quente região. O tinto já nasce como candidato ao posto de melhor Syrah do Alentejo. Quem já passou pela região sabe que a temperatura no verão, durante o período de maturação das uvas, chega perto dos 40 graus! Explica-se assim a concentração e riqueza de aromas e sabores dos tintos do interior de Portugal. No caso do Tapada de Coelheiros Syrah, esta exuberância vem acompanhada de uma impressionante finesse. O palato é untuoso, revelando boa estrutura, taninos redondos e um final de boca frutado e persistente. Para José António Salvador, trata-se de um vinho que “vem confirmar que esta casta francesa emblemática se dá bem em Portugal”. É um ótimo exemplar da Herdade dos Coelheiros, propriedade familiar que há 20 anos vem elaborado alguns dos mais elogiados tintos e brancos lusos.

vinho tinto 25428 Tapada dos Coelheiros Syrah 07

US$ US$129.50


GRANDES LANÇAMENTOSt

NOVOS VINHOS DE KRACHER — INCLUINDO DUAS NOVIDADES SECAS E UMA DOCE

Uco, em vinhedos entre 950 e 1050 metros de altitude. É um excelente achado da Argentina, com a assinatura de um dos grandes nomes do mundo do vinho.

Kracher é mais conhecido por seus maravilhosos vinhos de sobremesa. No entanto, também tem elaborado vinhos secos bastante interessantes. O Red Blend “2” é um corte da uva austríaca Zweigelt com as francesas Merlot e Cabernet Sauvignon, fermentado e maturado em carvalho novo. Delicado, de taninos redondos, complexo e cheio de nuances, com notas de frutas pretas, especiarias e alcaçuz, é um tinto gastronômico, que enriquece pratos de carne vermelha grelhada, massas, queijos maduros e presuntos. Por sua vez, o branco Muskat Ottonel — uva de origem francesa, resultante do cruzamento da Chasselas com a Muskat de Saumur — é um vinho fresco e intensamente perfumado. No palato é vibrante, com notas cítricas, de maçãs e de ervas, mostrando uma deliciosa mineralidade no final de boca. É um belo vinho para conhecer esta casta tão rara e diferente! Para incrementar a conceituada linha de vinhos doces de Kracher, que sempre desponta no topo das avaliações especializadas, a Mistral apresenta o Cuvée Spätlese, um corte das uvas Pinot Gris, Welschriesling e Muskat Ottonel de colheita tardia. É o estilo menos doce entre os vinhos de sobremesa, possuindo 1/3 do açúcar residual do elogiado Beerenauslesen de Kracher. Os Spätlese estiveram muito em voga até a década de 1990. Depois de 15 anos sem produzi-los, o produtor relançou a categoria na safra 2008. Trata-se de um branco de sobremesa delicioso e convidativo, rico em notas frutadas e mel, com um toque de noz moscada. Na boca, mostra um toque sedutor de mineralidade.

vinho tinto

55.90

vinho branco

US$

vinho branco doce 25849 meia Cuvée Spätlese 12 (Kracher)

25589 Malbec 12 (Masi Tupungato)

US$ 19,90

KUMEU RIVER PINOT GRIS É UM BRANCO AROMÁTICO E PURO, UMA BELA SURPRESA DA NOVA ZELÂNDIA Quando assumiu o posto de enólogo da vinícola familiar, o Master of Wine Michael Brajkovich colocou suas fichas na elaboração de Chardonnays inspirados nos grandes Borgonhas, e veio a se tornar mundialmente reconhecido pelos cativantes e sofisticados brancos que elabora. Este Pinot Gris — lançamento que gerou muito interesse no país — leva sua assinatura de precisão, sendo talhado em um estilo rico, a partir de colheita manual, leveduras naturais e um método não intervencionista de produção. Repleto de notas de fruta doce e florais, com uma sedutora textura amanteigada no palato, combina incrivelmente bem com pratos condimentados, comida asiática e frutos do mar. O vinhedo de Pinot Gris no norte da Nova Zelândia recebe influência tanto do Pacífico como do mar da Tasmânia, permitindo uma maturação lenta e plena das uvas.

vinho tinto 25537 Kumeu River Pinot Gris 11 RP=90(07), WS=88(10)

US$ 84.50

US$

25850 Red Blend “2” 10 (Kracher)

25852 Muskat Ottonel 12 (Kracher)

vinho tinto

55.00

US$ 29.90

O ESPERADO MALBEC 100% DE MASI TUPUNGATO Há 15 anos a Agricola Masi, um dos mais tradicionais e reverenciados produtores da Itália, elabora vinhos incrivelmente originais na Argentina — combinando o terroir de Tupungato com as técnicas do Veneto. Atendendo a pedidos, a Masi Tupungato elaborou um novo e saboroso vinho exclusivamente com a uva Malbec. Trata-se de um tinto denso, cheio de fruta e especiarias e com um cativante toque de chocolate no final de boca — além de todo apelo gastronômico dos vinhos de Masi. As uvas são cultivadas no Vale do

VALLONTANO TEMPRANILLO ROSÉ É UM ROSADO CHARMOSO E MUITO GASTRONÔMICO

franceses. De produção artesanal e limitada a apenas 1.400 garrafas, é uma saborosa novidade deste que é um dos mais caprichosos produtores brasileiros.

vinho rosado

R$/gf

25727 Vallontano Tempranillo Rosé 2013

59.50

ALVADA: UM MADEIRA DOS TEMPOS MODERNOS, A MELHOR INTRODUÇÃO PARA QUEM AINDA NÃO EXPERIMENTOU ESSE TIPO DE VINHO Cultuados no passado, os vinhos Madeira vêm vislumbrando um merecido renascimento na atualidade. Os grandes Madeiras podem durar décadas ou mesmo um século, mas muitas vezes o consumidor se sente perdido em meio aos diferentes estilos. Para aqueles que desejam experimentar um bom Madeira, ou que querem encontrar um Madeira perfeito para o dia a dia, o Alvada é uma das melhores introduções — com o aval de Jancis Robinson e de Neal Martin, colaborador de Robert Parker na revista The Wine Advocate Elaborado com as uvas Malmsey e Bual, em partes iguais, o Alvada é um Madeira doce com 5 anos de envelhecimento em carvalho americano no tradicional sistema de “canteiro”— as barricas ficam em ambiente sem temperatura controlada, submetidos ao aquecimento natural do sol. Esse é um dos fatores responsáveis por tornarem os vinhos Madeira tão distintos. Por causa do calor durante o estágio em carvalho, o vinho evolui mais rapidamente, mostrando aromas e sabores complexos. O Alvada “revela um bouquet preciso de melaço, nozes e tostado que se desenvolve deliciosamente na taça” na opinião de Neal Martin, que conferiu 88 pontos ao vinho e o indicou como um “Madeira do século XXI”. Jancis Robinson descreveu-o como “muito vibrante e vigoroso, e definitivamente, muito, muito Madeira. Viçoso. Também acompanha bem algumas comidas”. É de fato uma ótima sugestão para acompanhar sobremesas de frutas, bolos, chocolate e queijos fortes.

Madeira 25888 Alvada 5 Years Old Malmsey-Bual (Blandy’s)

US$ 54.75

O Tempranillo Rosé é uma ótima novidade de Vallontano. Este charmoso rosado vem embalado em uma bela garrafa feita sob encomenda na França. Diferentemente dos rosés mais simples, é um vinho de bastante personalidade, ótimo para acompanhar pratos à base de frutos do mar, massas e risotos com molhos leves. Seu estilo único se deve em parte ao uso da uva Tempranillo, raramente encontrada na Serra Gaúcha. É um rosé deliciosamente fresco, com um final de boca seco, remetendo aos bons exemplares

83


t(3"/%&4-"/§".&/504

KAPPA, A CRIAÇÃO DE LAPOSTOLLE QUE COLOCOU O PISCO ENTRE OS GRANDES DESTILADOS DO MUNDO Depois de se firmar como um dos mais notáveis produtores de vinhos do Chile — com seus lendários Cuvée Alexandre e Clos Apalta — a família Marnier Lapostolle, de origem francesa, levou para o Hemisfério Sul toda sua expertise também na produção de destilados, já que o clássico licor de Cognac Grand Marnier é invenção desse clã. O Kappa é um Pisco sofisticado, talhado nos moldes dos bons Cognacs, com dupla destilação em alambique de cobre legítimo francês, o que proporciona uma deliciosa concentração de aromas e sabores. Com produção limitada a apenas 5 mil caixas, já nasce como um dos mais refinados Piscos do mercado, sendo elaborado com uvas Muscat cultivadas no tradicional Vale de Elqui, a 1300 metros de altitude. O Pisco Kappa é um ingrediente de luxo para a criação de drinques variados, além do ótimo Pisco Sour. É também um dos raríssimos Piscos que oferecem grande prazer quando tomados sozinhos. A garrafa é uma verdadeira obra de arte, e o nome é inspirado pelo aglomerado de estrelas Kappa Crucis, pertencente à constelação do Cruzeiro do Sul.

Pisco 25780 Pisco Kappa

US$ 99.50

CRIE COQUETÉIS DELICIOSOS COM O SOFISTICADO PISCO KAPPA, DE LAPOSTOLLE KAPPA SOUR 60ml de Kappa 30ml de suco de limão fresco 30ml de melado de cana 1 ovo (apenas a clara) Junte todos os ingredientes em uma coqueteleira, adicione gelo (a gosto) e agite com força. Sirva a bebida na taça Riedel Vinum Grappa [cód. 24771]. Para finalizar, derrame três gotinhas de Angostura.

KAPPA RICO 45ml de Kappa 30ml de licor Grand Marnier 22,5ml de suco de limão fresco 7,5ml de melado de cana  Junte todos os ingredientes em uma coqueteleira, adicione gelo (a gosto) e agite com força. Sirva on the rocks. Se preferir, decore a borda do copo com uma rodela de limão.

KAPPARINHA 1 limão taiti com casca, lavado e sem as extremidades 2 colheres (sopa) de açúcar 5 cubos de gelo 50ml de Kappa Corte o limão ao meio no sentido do comprimento. Retire o miolo branco - ele deixa a bebida amarga. Corte cada metade ao meio e em fatias. Junte as fatias de limão em um copo baixo, acrescente o açúcar e macere com um socador próprio para caipirinha, de madeira ou plástico. Não exagere para não deixar a bebida amarga. Adicione o gelo e o pisco Kappa por cima. Com uma colher ou bailarina, misture. Agora, é só brindar.

84


GRANDES LANÇAMENTOSt

85


01 00

E S P UMA N T E S J E R E Z E RO S ADO S Os Champagne são os melhores e mais reputados espumantes do mundo. Elaborados na fria região de Champagne, no Norte da França, a partir de três uvas principais - duas tintas, a Pinot Noir e a Pinot Meunier, e a branca Chardonnay -, são os únicos que podem ostentar este nome. Os melhores Champagne são vinhos gloriosos, com perfeito equilíbrio, elegância, finesse, frescor e complexidade. Seguindo a mesma cartilha de produção de Champagne, os Crémant são outras sofisticadas opções de espumantes franceses. Na Borgonha, Parigot é um dos produtores mais caprichosos, com deliciosos Crémant de Bourgogne blanc de blancs e rosé. Na Itália, os Franciacorta despontam como os mais cultuados espumantes. Já os Prosecco, mais leves e frescos, são escolhas seguras, fáceis de gostar. Produzidos no Piemonte, os perfumados Moscato d’Asti transformaram-se na grande sensação do último verão europeu. E na Emilia Romagna, a qualidade dos Lambrusco vem sofrendo uma verdadeira revolução, com produtores talentosos, como Pederzana, liderando o impressionante aumento de qualidade. Vale a pena experimentar! Elaborados na Andalucía, sudoeste da Espanha, os vinhos Jerez são fortificados em estilos únicos no mundo. Resultam em maravilhosos aperitivos que vêm sendo redescobertos pelos grandes conhecedores. Assim como os rosados do Novo e do Velho Mundo. Aromáticos, frescos e com muita presença de fruta, são alternativas versáteis que prometem fazer grande sucesso nas festas de fim de ano e durante todo o verão brasileiro.


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

CHAMPAGNE

POL ROGER

Os Champagne são os melhores e mais reputados espumantes do mundo. Eles são elaborados na fria região de Champagne, ao Norte da França, seguindo regras estritas e são os únicos espumantes no mundo que podem ostentar este nome. Os melhores Champagnes são vinhos gloriosos, com perfeito equilíbrio, elegância, finesse, frescor e complexidade. Eles são elaborados com três uvas principais, duas tintas — a Pinot Noir e a Pinot Meunier — e a branca Chardonnay (os Blanc des Blancs são 100% Chardonnay). Nas melhores safras, são elaborados os Champagnes millesimés, como a grandiosa Grande Année de Bollinger. Ao contrário do que alguns imaginam, os melhores Champagnes podem durar muito tempo, se tornando ainda mais complexos e refinados.

Extraordinário produtor de Champagne, do maior nível e prestígio, um dos pouquíssimos a receber cotação máxima, cinco estrelas, de Robert Parker. Conhecido como “o champagne dos especialistas”, já que os jornalistas de vinho ingleses –os mais conceituados e isentos do mundo – são praticamente unânimes em proclamá-lo seu Champagne preferido. Só para que se tenha uma idéia, a revista inglesa Decanter trouxe uma matéria entitulada “The Gurus tell all” em que os ‘gurus’ do vinho falaram de seu Champagne predileto. Seis entre sete citaram Pol Roger. Sir Winston Churchill era admirador incondicional deste champagne, ao ponto de dar o nome de Pol Roger a seu melhor cavalo de corrida. Foi eleito várias vezes “o melhor Brut” pela Wine Spectator. O estilo da maison é gerar vinhos de médio corpo e muita elegância. É líder no mercado inglês, o mais exigente do planeta. Comprando 6 garrafas de Pol Roger, você ganha um balde de gelo ou um cooler.

www.polroger.com

BOLLINGER www.champagne-bollinger.fr Verdadeira lenda no mundo do vinho, Bollinger é um dos maiores nomes de Champagne, dispensando apresentações. Fundada em 1829, é uma das poucas a receber as máximas cinco estrelas de Robert Parker, que indica a Maison entre os melhores produtores do mundo todo, em seu livro “The World’s Greatest Wine Estates”. É também um dos únicos dois produtores a merecer as máximas e raras três estrelas do guia Bettane&Desseauve. Produz apenas duas assemblages: a Special Cuvée e a Grande Année. A famosa Spécial Cuvée Brut é talvez a melhor dentre todas as cuvées não-safradas de Champagne, merecendo nada menos do que 93 pontos da Wine Spectator (único Champagne indicado entre os “100 Melhores Vinhos do Mundo” pela revista no ano passado). Por sua vez, a reputadíssima Grande Année, de minúscula produção, é incrivelmente complexa e refinada, elaborada apenas nos grandes anos. O cultuado e poderoso R.D. (Récemment Dégorgé) é um vinho à parte, realmente raríssimo — um Grande Année que matura muitos anos com as borras, antes de ser degolado, combinando a complexidade de um Champagne maduro com o frescor da juventude. Indicada como “número 1 em Champagne” pela conceituada revista Revue du Vin de France, Bollinger é o Champagne preferido de James Bond, aparecendo em diversos de seus filmes.

vinhos espumantes brancos 22036 Spécial Cuvée Brut RP=91, WS=93, RV=5*, WE=94 3 6756

meia Spécial Cuvée Brut (375 ml)

20021 Grande Année Vintage 00 RP=93, WS=92 3

vinhos espumantes rosés

US$/gf 175.50 94.75 289.90

US$/gf

22037 Rosé Brut WS=93 3

219.90

22039 Grande Année Rosé Brut 02 RP=94, WS=94 3

385.50

vinhos espumantes brancos 22031 Pol Roger Réserve Brut RP=90, WS=92 3 22032 meia Pol Roger Réserve Brut (375 ml) RP=90, WS=92

US$/gf 149.50 99.50

22033 Pol Roger Brut Vintage 00 RP=91, WS=91, Dec=4*(99), WE=94(98) 3

199.90

22035 Pol Roger Blanc de Blancs Brut 00 RP=90, WS=94, WE=94 3

244.50

20132 Pol Roger Sir Winston Churchill Brut 99 RP=94(98), WS=90(98), WE=97(98), JR=18,5(98) 3

399.50

vinho espumante rosé 22034 Pol Roger Rosé Brut 02 RP=93+, WS=92, WE=94 3

US$/gf

QUAL A DIFERENÇA ENTRE ENÓLOGO E ENÓFILO? No sentido mais estrito da palavra, conforme indicam os dicionários, enólogo é simplesmente aquele que entende de vinhos. Isto pois “logos” significa “conhecimento”, enquanto “eno” está relacionado ao vinho. No entanto, na prática enólogo é aquela pessoa que é formada em enologia, que é um curso superior, e que está habilitada a produzir o vinho na adega, controlando todos os processos de fermentação, filtração, maturação em carvalho, engarrafamento, etc. No mundo do vinho, costuma-se chamar de “enólogo” apenas aqueles que têm formação superior em enologia. Já enófilo é todo aquele que gosta de vinhos, pois “filos” em grego indica “amizade”. Quer dizer: somos todos nós, que adoramos vinhos. Muitas vezes o termo francês “connaisseur” também é usado para indicar aquelas pessoas que realmente entendem bastante de vinhos. Em português, também usamos a palavra “apreciador”, mas de uma maneira mais livre. Por fim, “sommelier” é o profissional que cuida do serviço do vinho em hotéis e restaurantes. O termo correspondente em português seria o pouco usado “escanção”.

228.50

AYALA www.champagne-ayala.fr Fundado em 1860, o conceituado Champagne Ayala pertence a Bollinger e elabora pequenas quantidades de Champagnes do mais alto nível, utilizando apenas vinhedos classificados como Grand Cru e Premier Cru, localizados ao redor da cidade de Aÿ. Sua gama de vinhos é de altíssimo nível, com muita finesse e elegância. Seu Perle d’Ayala, uma das mais renomadas “cuvées de prestige”, é o único fechado com rolha de cortiça — ao invés da tampinha metálica — enquanto está em contato com as borras, sendo a degola totalmente manual. Mereceu nada menos que 18/20 pontos de Jancis Robinson, que ressaltou sua ótima relação qualidade/ preço. O excelente Zéro Dosage é uma das estrelas de Ayala: um Brut sem nenhum “licor de dosagem” — algo raríssimo em Champagne — de forma que toda a fruta, frescor e diversidade de aromas são apresentados em seu estado puro, não mascarados pela adição de açúcar. O Brut Majeur é a conceituada cuvée brut da casa,

87


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

FRANCIACORTA & OUTROS ITALIANOS

que também apresenta um elegante Blanc de Blancs e, nas melhores safras, seus Champagne Millesimés, elaborados principalmente com Pinot Noir.

vinhos espumantes brancos 22041 Brut Majeur WS=92, WE=91 2 16890 meia Brut Majeur (375 ml) WS=92, WE=91 2

US$/gf 132.50 65.90

Os grandes espumantes de Franciacorta, como os elaborados por Ca’ del Bosco, estão no nível dos melhores Champagnes, com enorme finesse, elegância, complexidade e longevidade. Também é o caso do excelente espumante piemontês de Bruno Giacosa, uma raridade.

24370 Brut Nature WE=91 2

123.00

22042 Millésimé Brut 99 WS=93 3

179.90

16893 Blanc de Blancs Brut 00 ST=90, WS=90(99) 3

153.50

vinhos espumantes secos

16894 Perle d’Ayala Brut 00 WE=92(02)3

265.25

21888 Espumante Informal rosado bruto (Baga) 10 (Luis Pato) 2

54.90 53.50

US$/gf

vinhos espumantes rosés

US$/gf

22043 Rosé Majeur Brut WS=89, WE=91 2

149.90

21889 Espumante Duet (Baga/Maria Gomes) bruto 10 (Luis Pato) 2

16896 Cuvée Rosé Nature 3

219.50

21890 Espumante Vinha Formal bruto 08 (Luis Pato) 3

79.90

21902 Espumante Campolargo bruto 09 (Campolargo) 3

41.90

20896 Espumante Rosé bruto 08 (Campolargo)

63.90

OUTROS ESPUMANTES PROSECCO

21944 Prosecco Brut (Sacchetto) 2

US$/gf 25.90

21945 Prosecco Extra Dry 07 (Sacchetto) 2

38.50

21942 Prosecco 13 Garbèl (Adriano Adami) RP=87 2

46.50

21643 Prosecco di Valdobbiadene Extra Dry (Adriano Adami) RP=90, WE=88 2

48.90

21641 Prosecco di Valdobbiadene Brut Adriano Adami) RP=89, WE=87 2

49.90

21642 meia Prosecco di Valdobbiadene Brut (375 ml) (A. Adami) 2

30.90

21943 Prosecco Vigneto Giardino 10 (Adriano Adami) RP=89 3

57.50

21367 Crede Prosecco di Valdobbiadene Brut 10 (Bisol) 3

20630 Cartizze Prosecco di Valdobbiadene Superiore 09 (Bisol) WS=86, RP=90(09) 3

53.50

21744 Krone Rosé Cuvée Brut 05 3

77.00

19786 Alamos Extra Brut (Alamos) 2

27.90

21438 Ánimal Nature Brut (Alma Negra) 2

35.90 39.90

20284 Espumante LHZanini Extra Brut 08 (Vallontano) 3

R$ 77,50

19446 Espumante brut (Vallontano) 2

R$ 47,90

21087 meia Espumante brut (Vallontano) (375 ml) 2

R$ 29,50

19444 Espumante rosé brut (Vallontano) 2

R$ 51,50

garrafa magnum vinho espumante seco US$/gf 14416 magnum Cava Jané Ventura Brut Nature (1.500 ml)

79.90

vinho espumante doce

US$/gf

19445 Espumante Moscatel (Vallontano)

R$ 47,50

US$/gf

20542 Lambrusco Puntamora Amabile 07 (Pederzana)

vinho branco frisante doce

47.50

US$/gf

23163 Infinitus Moscatel 10 (Cosecheros y Criadores)

MOSCATO D’ASTI E LAMBRUSCO Uma especialidade piemontesa, os Moscato d’Asti são vinhos frisantes (não espumantes) — leves, delicados e perfumados, de baixo teor alcóolico, perfeitos para combinar com panettone, bolinhos e até mesmo algumas frutas. Os ótimos Lambrusco de Pederzana são muito diferentes dos lambruscos mais comerciais, sendo concentrados, intensos e equilibrados.

vinhos brancos frisantes doces

US$/gf

45.90

22325 Moscato d’Asti Moncalvina DOCG 10 (Coppo) RP=91(99)

47.50

29.90

22326 meia Moscato d’Asti Moncalvina DOCG 10 (Coppo) (375 ml)

26.90

19673 Moscato d’Asti DOCG 09 (Vietti) 2

44.50

83.50

vinhos tintos levemente frisante semi-seco US$/gf 25153 Lambrusco Grasparossa di Castelvetro 11 (Pederzana) 2

88

vinhos tintos levemente frisante doce

37.90

23047 meia Prosecco Brut (375 ml) (Sacchetto) 2

21368 meia Crede Prosecco di Valdobbiadene Brut 09 (375 ml) (Bisol) 3

45.90

24499 Alma Negra Malbec rosado Brut 2

Mais leves e descompromissados que os Champagne, os Prosecco são produzidos na região italiana do Vêneto. Em seu melhor, quando elaborados por um bom produtor, os Prosecco podem ser espumantes deliciosos e muito agradáveis, refrescantes e aromáticos. Adriano Adami é um verdadeiro artista, elaborando espumantes artesanais, excelentes e premiados. Os Prosecco de Sacchetto também são muito bons e equilibrados, de excelente relação qualidade/preço.

vinhos espumantes secos

22999 Sparkling Chardonnay Brut (Sileni) 2 21743 Krone Borealis Cuvée Brut 07 3

38.90

22031 POL ROGER BRUT NM (Bollinger / Champagne)

O sofisticado Pol Roger Brut foi o Champagne escolhido para o casamento real do Príncipe William e Kate Middleton. Eleito várias vezes “o melhor Brut” pela revista Wine Spectator, é um Champagne de muita classe, que prima pela elegância. É um assemblage de diversas colheitas, de forma a manter o estilo da casa a cada ano. Recentemente foi considerado o segundo melhor Champagne não safrado por Jancis Robinson, que o classificou como “um grande vinho indiscutivelmente”.

US$149.50

17.90


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

JEREZ

JEREZ HIDALGO

Ao lado dos Champagnes, os Jerez Fino e Manzanilla são tradicionalmente considerados os melhores aperitivos que existem. Os maravilhosos vinhos de Jerez são únicos no mundo, elaborados na bela Andalucia em uma ampla gama de estilos, através de um complexo e fascinante sistema de produção. Os denominados Fino e Manzanilla são leves e secos, deliciosos. O Amontillado tem um estilo mais envelhecido, escuro e aromático, assim como a Manzanilla Pasada. O Palo Cortado é extremamente aromático, bastante envelhecido, seco, algumas vezes muito complexo.

Fundado em 1792, Hidalgo é um dos melhores e mais conceituados produtores de Jerez. Todos seus vinhos são provenientes de vinhedos próprios. Produzem maravilhosos Jerez Fino e Manzanilla (o Jerez mais leve e seco de todos). Segundo os entendidos, estes são os únicos aperitivos a rivalizar com o champagne —Jancis Robinson chama o consagrado Manzanilla La Gitana de “a quintessência dos aperitivos”! Os Manzanilla Pasada e Amontillado Viejo do vinhedo Pastrana são ótimos. Os Amontillado Viejo, Oloroso Viejo e Palo Cortado Viejo, excepcionais, são o orgulho da casa.

25544 JEIO SPUMANTE CUVÉE BRUT

www.lagitana.es

(Jeio - Bisol / Veneto)

Os espumantes Jeio são talhados com uvas selecionadas das melhores videiras das colinas de Prosecco, que se expressam em vinhos delicados, com um bouquet que combina notas frutadas, florais, e um palato aveludado e cheio de frescor. Nas palavras de Robert Parker, o Jeio Spumante Brut é “repleto de caráter varietal” e “saboroso e acessível”. Para a Wine Spectator é “um atraente aperitivo”. Fácil de gostar, ele combina as uvas Glera, Sauvignon Blanc e Chardonnay.

US$35.90

vinhos generosos secos (aperitivos) US$/gf 13551 Manzanilla Clásica Hidalgo 2

39.50

23976 Manzanilla La Gitana WS=90, WE=89, RV=4*, DEC=4* 2

39.90

Este Champagne expressa toda a personalidade da Maison Bollinger. Encorpado, equilibrado e muito fino, é um corte de 60% de Pinot Noir, 25% de Chardonnay e 15% de Pinot Meunier, provenientes, em no mínimo 80%, de vinhedos classificados como Grands e Premiers Crus. Obteve nada menos que 94 pontos da Wine Spectator. Referência absoluta.

23977 meia Manzanilla La Gitana (375 ml) 2

25.90

23979 Manzanilla Pasada Pastrana WS=91, RP=903

46.90

2244

Fino Clásica Hidalgo 2

35.90

2239

Oloroso Faraón WS=88, RP=91

48.90

US$175.50

23980 Amontillado Napoléon WS=90 3

22036 BOLLINGER SPECIAL CUVÉE NM (Bollinger / Champagne)

52.00

21887 ESPUMANTE MARIA GOMES 2010 (Luis Pato / Bairrada)

A casta Maria Gomes, com seu frutado intenso e excelente acidez, é naturalmente apta a originar belos espumantes, frescos e extremamente agradáveis. Elaborado pelo método tradiconal – o mesmo de Champagne – mostra deliciosos aromas florais e sofisticadas notas de fermentação.

US$39.50

vinhos generosos doces (sobremesa) US$/gf 2245

Cream Clássica Hidalgo WS=88

23981 Pedro Ximenez Viejo Triana WS 893

22298 FRANCIACORTA CUVÉE PRESTIGE BRANCO

22420 BLANC DE BLANCS COMTE D´ORMONT BRUT

O Cuvée Prestige de Ca’ del Bosco é um espumante espetacular, comparável aos melhores vinhos de Champagne. Feito com uma grande proporção de Chardonnay e maturado 28 meses com as borras, é delicado e complexo, com grande presença no palato. O uso de vinhos reserva no assemblage ajuda este Franciacorta a ficar ainda mais complexo e interessante.

Espumante de ótima relação qualidade/preço, assinado por Guy Saget, um dos grandes nomes do Loire. Bastante seco e fresco, com ótima acidez, é muito agradável.

(Ca’del Boco / Lombardia)

32.90 59.90

(Domaine Guy Saget / Loire)

US$29.90

22979 CUVÉE L’OR DE PARIGOT BRUT (Parigot / Bourgogne)

O vinho mais disputado de Parigot é o Cuvée L’Or, um magnífico rosé com flocos de ouro de 24 quilates! Além do charme e do belo efeito nas taças, na medicina oriental e entre muitos povos asiáticos o ouro tem a fama de trazer diversos benefícios à saúde e à longevidade. Maturado por 48 meses com as borras, o vinho é complexo, profundo e macio.

US$179.90

US$99.90

21641 PROSECCO DI VALDOBBIADENE BOSCO DI GICA BRUT

20628 CREDE PROSECCO DI VALDOBBIADENE BRUT 2009

O Bosco de Gica, o espumante mais seco de Adami, é elaborado com uvas Glera e até 5% de Chardonnay, cultivadas em ótimos vinhedos nas comunas de Valdobbiadene e Vidor, os primeiros da família Adami. O aroma é delicado e perfumado, de boa intensidade. Na boca é frutado, de boa estrutura, refrescante e com uma ótima acidez. Ele já foi eleito o melhor Prosecco dentre todos os avaliados pela revista inglesa Wine, com 93 pontos! Segundo a revista, “este é um Prosecco em seu melhor. O nariz é fantasticamente aromático, a mousse é fina e elegante e ele é perfeitamente equilibrado na boca. Elegante e delicioso de beber”.

Entre os raros Prosecco safrados, o consagrado Crede é um dos melhores exemplos de Prosecco Brut – a versão mais seca deste delicioso espumante italiano elaborada por Bisol. Segundo Robert Parker, o Crede “é maravilhosamente vibrante, com uma fantástica energia”, notas de frutas e um sofisticado toque defumado. Um belíssimo Prosecco, bastante superior à grande maioria dos representantes encontrados no mercado.

(Adami / Veneto)

(Bisol / Veneto)

22883 SPUMANTE CORTESIO BRUT (Cortesio / Piemonte)

Ótimo espumante elaborado no Piemonte A base é a uva Chardonnay, e 10% do vinho é fermentado em barricas de carvalho para conferir maior complexidade ao espumante. Rico e delicado, combina uma boa cremosidade com agradáveis notas de fruta.

US$29.90

US$45.90

US$49.90

89


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

VINHOS ROSADOS

vinhos rosados - Itália

Os vinhos rosados estão mesmo com tudo. Sucesso absoluto nos últimos verões europeus, eles também têm caído nas graças dos enófilos brasileiros. Saborosos, charmosos e refrescantes, os bons rosés são muito apreciados pelos conhecedores bem informados, tanto na Europa quanto no Brasil, e combinam muito bem com peixes, carnes leves, aves, grelhados, frutos do mar, paella, quiches, tortas, massas de molho vermelho e uma infinidade de pratos. Eles também são deliciosos como vinhos de aperitivo, ou acompanhando petiscos. Mas atenção: eles devem ser servidos à temperatura dos brancos mais encorpados, entre 11º e 13ºC, e nunca gelados demais!

vinhos rosados - França

US$/gf

21980 Marsannay rosé 09* (Louis Jadot - Bourgogne)

45.50

24641 Bourgogne rosé 11 (Ch. Puligny-Montrachet - Bourgogne)

53.50

22974 Château La Gatte rosé 10 (AOC Bordeaux)

30.90

24098 Tavel Beaurevoir 10 (Chapoutier - Rhône)

47.50

22757 Côtes du Rhône Belleruche rosé 10 (Chapoutier - Rhône)

42.90 32.50

25813 Côtes-du-Rhône Parallèle “45” rosé 12 (Jaboulet - Rhône) WS=88(05) 2

38.90

17752 Château de la Tuilerie Carte Blanche rosé 07 (Rhône)

29.90

17522 Chinon rosé 06 (Charles Joguet - Loire) 3

49.90

24622 Rosé de Loire 11 (Domaine Baumard - Loire)

29.90

22082 Cabernet d’Anjou 08 (Domaine Baumard - Loire)

29.90

23994 Attitude rosé (Pascal Jolivet - Loire)

42.90

22014 Aquarelle Sancerre rosé 10 (Pascal Jolivet - Loire)

69.90

24115 Rosé d’Anjou 11 (Guy Saget - Loire)

25.50

24114 Domaine d’Artois Rosé de Loire 11 (Guy Saget - Loire)

25.50

25136 La Petite Perrière Pinot Noir rosé 11 (Guy Saget - Loire)

29.90

22337 Chinon rosé 07 (Marc Brédif - Loire) 3

vinho rosado - Grécia

US$/gf

24215 Cianton rosé 06 (Vie di Romans - Friuli)

92.90

25228 Rosato 12 (Castello di Ama - Toscana) 3

42.50

24755 Braccale rosado 11 Castello di Montepò - Toscana)

39.90

23051 Sassi Rosa IGT 10 (Castello del Terricio - Toscana)

75.90

22845 Gròttolo Rosato Toscano IGT 10 (Colle Massari - Toscana)

36.90

vinhos rosados - Austria

23259 Modello delle Venzie Rosé 10 (Masi-Veneto)

27.90

18243 Langeloiser Zweigelt rosé 07 (Bründlmayer)

39.90

23813 Ilmitz Zweigelt rosé 10 (Kracher) 3

31.90

24922 Masciarelli Rosato delle Colline Teatine 11 (Masciarelli - Abruzzo)

29.50

20436 Regaleali Le Rose 09 (Tasca d’Almerita - Sicilia)

37.90

19307 Etna Rosato 08 (Terre Nere - Sicília) 3

47.50

25196 14-18h Agiorgítiko Rosé 12 (Gaía)

vinho rosado - Alemanha

42.50

US$/gf

18263 Villa Bürklin Rose QbA trocken 07

39.00

US$/gf

vinhos rosados - Líbano

US$/gf

25186 Château Musar rosé 08 (Ch. Musar)

79.90

21197 Musar Jeune rosé 08 (Ch. Musar)

46.50

22305 Le Torri Carignano del Sulcis 10 (Santadi - Sardegna)

26.50

25147 Lacrimarosa rosato IGT 12 (Mastroberardino - Campania) 1

44.50

23475 The Wolftrap Pink 11

23.50

17703 Mastro rosato IGT 07 (Mastroberardino - Campania)

29.90

20701 Kadette Pinotage Rosé 10 (Kanonkop)

26.90

21404 Cirò rosato 10 (Librandi - Calabria)

28.50

22373 Danie de Wet Rosé Bio 11 (De Wetshof )

21.90

25747 Scaloti Salento Rosato 12 (Taurino - Puglia)

38.50

vinhos rosados - Portugal 24037 Ciranda Rosado 11

21258 Ch. des Estubiers Coteaux du Tricastin rosé 09 (Chapoutier - Rhône)

US$/gf

18518 Dom Martinho rosado 07 (Quinta do Carmo - Alentejo)

US$/gf 22.90

vinhos rosados - África do Sul

vinho rosado - Argentina

US$/gf

US$/gf

21216 Alamos Malbec rosé 10 (Catena ) 2

vinhos rosados - Chile

18.90

US$/gf

28.90

22514 Classic Syrah/Cabernet rosé 11 (Viña Carmen)

20.90

24505 Paço de Teixeiró rosado 11 (Douro) 2

23.90

24066 Montes Cherub Syrah rosé 11 (Viña Montes) 3

30.90

25089 meia Paço de Teixeiró rosado 12 (Douro)

15.90

24025 Redoma rosado 10 (Niepoort - Douro) 3

38.50

16760 Quinta de Saes rosado 06 (Dão) 2

28.90

16278 Quinta do Perdigão rosado 06 (Dão)

39.90

16753 Campolargo Pinot Noir Rosé 06 (Bairrada)

29.90

24187 Entre II Santos rosé 10 (Campolargo - Bairrada)

29.90

20061 Vinha do Putto rosado 08 (Campolargo - Bairrada)

27.50

17313 Clarete 06 (Quinta do Monte d’Oiro - Alenquer) 3

37.75

24228 Quinta da Lagoalva rosado 11 2

29.90

20692 meia Quinta da Lagoalva rosado 09 (375 ml)

19.25

vinhos rosados - Espanha

vinhos rosados - Uruguai

US$/gf

22990 Cisplatino Cabernet Franc rosado 11 (Pisano) 2

18.90

22991 Río de los Pájaros Cabernet Franc/ Syrah rosado 11 (Pisano)

23.90

vinho rosado - Brasil 25727 Vallontano Tempranillo rosé 13 1

R$/gf R$ 59,50

US$/gf

59.90

24254 Château Vannières Bandol rosé 11 (Ch. Vannières - Provence) 3

22109 Valdemar Garnacha rosado 10 (Bodegas Valdemar - Rioja) 3

24.50

85.50

24255 Mistral Vannières rosé 11 (Ch. Vannières - Provence) 2

23896 Conde de Valdemar rosado 11 (Bodegas Valdemar - Rioja) 3

25.50

39.90

24329 Viña Bujanda rosado 11 (Rioja)

23.90

24074 Gran Feudo rosado 11 W&Sp=90 (05) (Chivite - Navarra) 3

23.50

24199 Artazuri rosado 11 (Artazu - Navarra) 2

28.90

23970 Mas Amor 11 (Huellas - Priorato) 2

35.90

21413 Rosat Selecció 09 (Jané Ventura - Penedès) 2

27.90

23577 Mas Donis rosado 11 (Celler de Capçanes - Monsant)

44.00

22157 Viñas del Vero rosado 10 (Viñas del Vero - Somontano) 2

27.50

Com as uvas Pinot Noir e Chardonnay, as mesmas utilizadas em Champagne, Vallontano elabora este espumante de bastante classe – seco, cheio de fruta e com grande apelo. Uma deliciosa pedida como aperitivo ou mesmo para acompanhar entradas e carnes brancas. Uma ótima descoberta!

24323 Copa Real rosado 11 (Cosecheros y Criadores)

16.90

R$47.90

22115 Infinitus Tempranillo/Cabernet Franc rosado 10 (Cosecheros y Criadores)

20.90

24128 Figaro rosé 11 (Daumas Gassac)

23.90

25391 Marius rosé 12 (Chapoutier - Languedoc) 1

25.90

24135 Altera Syrah Rosé Vin de Pays d’Oc 11 2

23.50

24124 Canon du Maréchal rosé 11 (Cazes)

35.50

21027 Rosas Vinito d’Haute Serre Malbec rosé 09 (Vigouroux)

43.90

23564 Le Rosé du Prince de Danemark 10 (Ch. de Cayx)

43.90

90

19446 VALLONTANO ESPUMANTE BRUT (Valontano / Brasil)


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

DELICIOSOS APERITIVOS 23716 Alamos Extra Brut (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina / Espumante) US$ 27.90

19446 Vallontano Espumante Brut (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil / Espumante) US$ 47.90

22420 Blanc de Blancs Comte d’Ormont Brut Domaine (Guy SagetLoire / França / Espumante) US$ 29.90

21643 Prosecco di Valdobbiadene Dei Casel Extra Dry (Adriano Adami / Veneto / Itália / Espumante) US$ 48.90

22883 Spumante Cortesio Brut (Cortesio / Piemonte / Itália / Espumante) US$ 29.90 25544 Jeio Spumante (JeioVeneto / Itália / Espumante) US$ 35.90 25545 Jeio Spumante rosato (JeioVeneto / Itália / Espumante) US$ 35.90 21944 Prosecco Brut (SacchettoVeneto / Itália / Espumante) US$ 37.90 21945 Prosecco Extra (DrySacchetto / Veneto / Itália / Espumante) US$ 38.50 23048 Espumante Brut Rosado (Sacchetto / Veneto / Itália / Espumante) US$ 39.00 21887 Espumante Maria Gomes 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 39.50 24499 Alma Negra Malbec Rosado Brut (Tikal - Ernesto Catena / Mendoza / Argentina / Espumante) US$ 39.90 22794 Espumante Baga rosado bruto 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 39.90

24203 Cava Reserva de la Musica Brut Nature 2008 (Jané Ventura / Penedés / Espanha / Espumante) US$ 49.90 22083 Crémant de Loire Carte Turquoise Brut (Domaine Baumard / Loire / França / Espumante) US$ 49.90 21641 Prosecco di Valdobbiadene Bosco di Gica Brut (Adriano Adami / Veneto / Itália / Espumante) US$ 49.90 19444 Vallontano Espumante Rosé Brut (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil / Espumante) US$ 51.50 20187 Vouvray Pétillant Domaine des Chataigneraies (Domaine Guy Saget / Loire / França / Espumante) US$ 52.25 21512 Espumante Touriga Nacional Brut 2007 (Luis Pato / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 52.90 21743 Twee Jonge Gezellen Krone Borealis Cuvée Brut 2007 (Krone / África do Sul / Espumante) US$ 53.50

22976 Crémant de Bourgogne Tradition Brut (Parigot / Bourgogne / França / Espumante) US$ 64.90 22978 Crémant de Bourgogne rosé Brut (Parigot / Bourgogne / França / Espumante) US$ 66.90 22181 Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 2008 (Dopff au Moulin / Alsace / França / Espumante) US$ 68.50 23869 Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 2009 (Dopff au Moulin / Alsace / França / Espumante) US$ 68.50 22341 Vouvray Brut (Marc Brédif / Loire / França / Espumante) US$ 68.50 20284 Vallontano Espumante Extra Brut Luis H. Zanini 2008 (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil / Espumante) 77.50 20630 Cartizze Prosecco di Valdobbiadene Superiore di Cartizze 2009 (Bisol / Veneto / Itália / Espumante) US$ 83.50 22298 Franciacorta Cuvée Prestige branco (Cà del Bosco / Franciacorta / Itália / Espumante) US$ 99.90 22041 Ayala Brut Majeur NM (Aÿala / Champagne / França / Espumante) US$ 132.50 22031 Pol Roger Brut (Pol Roger / Champagne / França / Espumante) US$ 149.50

21888 Espumante rosado Bruto Informal 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 54.90

22043 Ayala Rosé Majeur Brut NM (Aÿala / Champagne / França / Espumante) US$ 149.90

22999 Sparkling Brut NV (Sileni Estates / Nova Zelândia / Espumante) US$ 45.90

21943 Prosecco Vigneto Giardino 2010 (Adriano Adami / Veneto / Itália / Espumante) US$ 57.50

22036 Bollinger Special Cuvée NM (Bollinger / Champagne / França / Espumante) US$ 175.50

21942 Prosecco 13 Garbèl (Adriano Adami / Veneto / Itália / Espumante) US$ 46.50

4467 Crémant d’Alsace Brut (P.E. Dopff & Fils / Alsace / França / Espumante) US$ 57.90

22979 Cuvée L’Or de Parigot Brut (Parigot / Bourgogne / França / Espumante) US$ 179.90

19445 Vallontano Espumante Moscatel (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil / Espumante) US$ 47.50

20133 Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 2007 (Dopff au Moulin / Alsace / França / Espumante) US$ 59.90

24250 Pol Roger Brut Vintage 2002 (Pol Roger / Champagne / França / Espumantez) US$ 198.50

24155 Crede Prosecco di Valdobbiadene Brut 2011 (Bisol / Veneto / Itália / Espumante) US$ 47.50

20896 Espumante Campolargo Rosé bruto 2008 (Campolargo / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 63.90

16896 Ayala Cuvée Rosé Nature (Aÿala / Champagne / França / Espumante) US$ 219.50

21902 Espumante Campolargo bruto 2009 (Campolargo / Bairrada / Portugal / Espumante) US$ 41.90

91


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

22037 Bollinger Rosé NM (Bollinger / Champagne / França / Espumante) US$ 219.90

21884 Luis Pato Maria Gomes 2010 (Luis Pato / Bairrada / Portugal / Branco Seco) US$ 24.50

24175 Montes Selección Limitada Sauvignon Blanc 2011 (Viña Montes / Chile / Branco Seco) US$ 28.90

22038 Bollinger Grande Année Vintage 2002 (Bollinger / Champagne / França / Espumante) US$ 299.50

23294 Nativa Terra Reserva Sauvignon Blanc 2010 (Nativa / Chile / Branco Seco) 24.90

24441 Villa Solais IGT 2011 (Santadi / Sardegna / Itália / Branco Seco) US$ 29.50

22417 Muscadet de Sèvre et Maine 2010 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Branco Seco) US$ 24.90

23833 Riff Pinot Grigio delle Venezie IGT 2011 (Alois Lageder / Alto Adige / Itália / Branco Seco) US$ 29.90

23486 Frascati Superiore Selciatella 2010 (Piero Costantini / Lazio / Itália / Branco Seco) US$ 25.50

23518 Entre II Santos branco 2010 (Campolargo / Bairrada / Portugal / Branco Seco) US$ 29.90

22650 Altano branco 2010 (Altano-Symington / Douro / Portugal / Branco Seco) US$ 25.50

23519 Vinha do Putto branco 2010 (Campolargo / Bairrada / Portugal / Branco Seco) US$ 29.90

23364 Masi Passo Blanco Pinot Grigio/Torrontés 2011 (Masi Tupungato - Agricola Masi / Mendoza / Argentina / Branco Seco) US$ 25.90

25086 Quinta da Lagoalva Talhão 1 branco 2012 (Quinta da Lagoalva de Cima / Tejo / Portugal / Branco Seco) US$ 29.90

23233 Reserva Gewurztraminer 2011 (Viña Carmen / Chile / Branco Seco) US$ 25.90

25380 Celebration Viognier 2012 (Château de la Tuilerie / Rhône / França / Branco Seco) US$ 30.90

24252 Pol Roger Cuvée Winston Churchill 1999 (Pol Roger / Champagne / França / Espumante) US$ 363.18 22029 Frizant Rosé 2010 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França / Frisante) US$ 66.50 24461 Santa Alvara Sauvignon Blanc 2011 (Lapostolle - Santa Alvara / Chile / Branco Seco) US$ 15.90 23145 Alamos Torrontés 2011 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina / Branco Seco) US$ 18.90 23147 Alamos Viognier 2011 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina / Branco Seco) US$ 18.90 22994 Cisplatino Torrontés 2011 (Pisano / Uruguai / Branco Seco) US$ 18.90

25393 Marius blanc 2012 (M. Chapoutier / Languedoc-Roussillon / França / Branco Seco) US$ 25.90

21708 Villa Montes Sauvignon Blanc 2010 (Viña Montes / Chile / Branco Seco) US$ 19.50

21357 Altera Chardonnay 2010 (Schröder & SchÿlerLanguedoc- / Roussillon / França / Branco Seco) US$ 25.90

23960 Mapema Sauvignon Blanc 2011 (Mapema / Mendoza / Argentina / Branco Seco) US$ 19.90

25419 Esencia Valdemar Viura 2012 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha / Branco Seco) US$ 26.50

24522 Infinitus Chardonnay/Viura 2011 (Cosecheros y Criadores - Martinez Bujanda / Espanha / Branco Seco) US$ 19.90

23037 Porcupine Ridge Sauvignon Blanc 2011 (Boekenhoutskloof / África do Sul / Branco Seco) US$ 26.90

23234 Classic Sauvignon Blanc 2011 (Viña Carmen / Chile / Branco Seco) US$ 20.90

24049 Douro branco 2011 (Lavradores de Feitoria / Douro / Portugal / Branco Seco) US$ 26.90

25431 Ciranda branco 2011 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal / Branco Seco) US$ 22.90

24335 Viñas del Vero Macabeo-Chardonnay 2011 (Viñas del Vero / Somontano / Espanha / Branco Seco) US$ 27.50

22025 Figaro blanc 2010 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França / Branco Seco) US$ 23.50

23232 Casa Lapostolle Sauvignon Blanc 2011 (Lapostolle / Chile / Branco Seco) US$ 28.90

24884 Rio de los Pájaros Torrontés Reserva 2012 (Pisano / Uruguai / Branco Seco) US$ 23.90

23801 Casa Lapostolle Chardonnay 2011 (Lapostolle / Chile / Branco Seco) US$ 28.90

22110 Valdemar blanco 2010 (Bodegas ValdemarRioja / Espanha / Branco Seco) US$ 24.50

24767 Lapostolle Sauvignon Blanc 2012 (Lapostolle / Chile / Branco Seco) US$ 28.90

92

24369 Aussières blanc 2010 (Domaine D’Aussières / Languedoc-Roussillon / França / Branco Seco) US$ 31.50 22477 Monna Bianca 2010 (Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 31.50 24345 Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie Pélerins 2010 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Branco Seco) US$ 31.90 24153 Seiano bianco IGT 2011 (D´Amico / Lazio / Itália / Branco Seco) US$ 32.50 24073 Baluarte Verdejo 2011 (Julián Chivite / Navarra / Espanha / Branco Seco) US$ 32.90 23908 Sallier de la Tour Inzolia 2011 (Tasca d’Almerita / Sicília / Itália / Branco Seco) US$ 32.90 23909 Sallier de la Tour Grillo 2011 (Tasca d’Almerita / Sicília / Itália / Branco Seco) US$ 32.90 25080 Pinot Blanc 2012 (P.E. Dopff & Fils / Alsace / França / Branco Seco) US$ 33.90


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

22593 Pecorino 2010 (Saladini Pilastri / Marche / Itália / Branco Seco) US$ 33.90 21259 Vin du pays de la Drôme Vignes de Pilate 2009 (M. Chapoutier / Rhône / França / Branco Seco) US$ 34.75 24086 Basa Rueda 2011 (Telmo Rodriguez / Rueda / Espanha / Branco Seco) US$ 34.90 22975Ch. La Gatte blanc 2010 (Château La Gatte / Bordeaux / França / Branco Seco) US$ 35.50 22419 Vouvray 2010 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Branco Seco) US$ 35.50

20597 Torre di Giano 2009 (Lungarotti / Umbria / Itália / Branco Seco) US$ 38.50 23816 Villa Bürklin Cuvée Weiss 2011 (Dr. Bürklin-WolfPfalz / Alemanha / Branco Seco) US$ 39.90

23867 Riesling Cuvée Europe Reserve 2011 (Dopff au Moulin / Alsace / França / Branco Seco) US$ 44.90

23850 Alma Negra Mistério blanco 2011 (Tikal - Ernesto Catena / Mendoza / Argentina / Branco Seco) US$ 39.90

25104 Masianco Pinot Grigio/Verduzzo 2012 (Agricola MasiVeneto / Itália / Branco Seco) US$ 45.90

22135 Gaba do Xil Godello 2010 (Telmo Rodriguez / Valdeorras / Espanha / Branco Seco) US$ 39.90

24516 Schieferkopf Sylvaner 2010 (M. Chapoutier / Alsace / França / Branco Seco) US$ 46.00

22212 Cloudline Pinot Gris 2008 (Domaine Drouhin Oregon / Oregon / Estados Unidos / Branco Seco) US$ 39.90

20398 Artadi Viura 2008 (Artadi / Rioja / Espanha / Branco Seco) US$ 46.25

24154 Noe Orvieto secco 2011 (D´Amico / Lazio / Itália / Branco Seco) US$ 35.50

22202 Côtes-du-Rhône Parallèle 45 blanc 2010 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône / França / Branco Seco) US$ 39.90

23859 Gran Reserva Sauvignon Blanc 2011 (Viña Carmen / Chile / Branco Seco) US$ 36.90

25198 Nótios White 2012 (Gaía / Grécia / Branco Seco) US$ 39.90

22257 Sauvignon Blanc Parducci 2009 (Mendocino / California / Estados Unidos / Branco Seco) US$ 36.90

22692 Pepestrino 2009 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 39.90

24221 Bordeaux Réserve Speciale blanc 2011 (Domaines Barons de Rothschild / Bordeaux / França / Branco Seco) US$ 36.90

24695 Pinot Grigio 2011 (Lungarotti / Umbria / Itália / Branco Seco) US$ 39.90

24163 Vernaccia di San Gimignano 2011 (Fontaleoni / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 36.90

25213 Regaleali bianco 2012 (Tasca d’Almerita / Sicília / Itália / Branco Seco) US$ 39.90

22998 Sileni Cellar Selection Sauvignon Blanc 2011 (Sileni Estates / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 36.90

24272 Falanghina Sannio 2011 (Mastroberardino / Campania / Itália / Branco Seco) US$ 41.50

23814I llmitz Pinot Gris 2010 (Alois Kracher / Burgenland / Áustria / Branco Seco) US$ 37.50

24589 Estate Selection Sauvignon Blanc The Straits 2011 (Sileni Estates / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 41.90

22412 Levarie Soave Classico 2010 (Agricola Masi / Veneto / Itália / Branco Seco) US$ 37.90

24720 Auzells 2011 (Tomàs Cusiné / Costers del Segre / Espanha / Branco Seco) US$ 44.90

24324 Finca Montepedroso Verdejo 2011 (Finca Montepedroso / Rueda / Espanha / Branco Seco) US$ 42.50

24274 Levarie Soave Classico 2011 (Agricola Masi / Veneto / Itália / Branco Seco) US$ 37.90

24161 Erbaluce di Caluso Bianco 2010 (Antoniolo / Piemonte / Itália / Branco Seco) US$ 42.90

24032 Quinta do Carmo branco 2011 (Quinta do Carmo / Alentejo / Portugal / Branco Seco) US$ 37.90

23938 Amayna Sauvignon Blanc 2011 (Viña Garcés Silva - Amayna / Chile / Branco Seco) US$ 43.90

24565 Braccale bianco 2011 (Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 38.50

22015 Attitude Sauvignon Blanc 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França / Branco Seco ) US$ 44.50

25397 Vallontano Chardonnay 2013 (Vallontano / Vale dos Vinhedos / Brasil / Branco Seco) US$ 46.50 25304 Scrubby Rise Unoaked Chardonnay 2012 (Wirra Wirra / Austrália / Branco Seco) US$ 46.90 24342 Quibia 2011 (Ànima Negra / Mallorca / Espanha / Branco Seco) US$ 47.50 24591 Isabel Estate Sauvignon Blanc 2011 (Isabel Estate / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 47.50 23557 Soave Classico 2010 (Inama / Veneto / Itália / Branco Seco) US$ 48.50 24271 Greco di Tufo DOCG 2011 (Mastroberardino / Campania / Itália / Branco Seco) US$ 48.50 25013 Semillon Columbia Valley 2011 (L’Ecole N° 41 / Washington / Estados Unidos / Branco Seco) US$ 48.80 23268 Dr. Bürklin-Wolf Riesling QbA trocken 2009 (Dr. Bürklin-Wolf / Pfalz / Alemanha / Branco Seco) US$ 48.90 24741 Gavi La Rocca 2011 (Luigi Coppo / Piemonte / Itália / Branco Seco) US$ 48.90 24081 Albariño Pazo San Mauro 2011 (Pazo San Mauro / Rías Baixas / Espanha / Branco Seco) US$ 49.00 19622 Isabel Estate Dry Riesling 2008 (Isabel Estate / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 49.50

93


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

25532 Isabel Estate Pinot Gris 2012 (Isabel Estate / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 49.50

18268 Hochheim Riesling Classic 2007 (Domdechant Werner / Rheingau / Alemanha / Branco Seco) US$ 56.00

23996 Sancerre blanc Aquarelle 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França / Branco Seco) US$ 69.90

23821 Iphöfer Kronsberg Silvaner Kabinett Trocken 2011 (Hans Wirsching / Franken / Alemanha / Branco Seco) US$ 49.90

24626 Saint Véran 2010 (Joseph Drouhin / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 57.50

24433 Tocai Friulano Colli Orientali 2011 (Livio Felluga / Friuli / Itália / Branco Seco) US$ 69.90

25305 Scrubby Rise Sauvignon Blanc Semillon Viognier 2012 (Wirra Wirra / Austrália / Branco Seco) US$ 49.90 23885 Deiss Alsace 2010 (Domaine Marcel Deiss / Alsace / França / Branco Seco) US$ 49.90 23868 Pinot Gris Reserve 2011 (Dopff au Moulin /Alsace / França / Branco Seco) US$ 49.90 21915 Quinta de Saes Reserva Encruzado 2010 (Quinta da Pellada / Dão / Portugal / Branco Seco) US$ 49.90 25090 Teixeiró Grande Escolha branco 2010 (Quinta do Côtto / Vinho Verde / Portugal / Branco Seco) US$ 49.90 22589 Cyane IGT 2009 (Pupillo / Sicília / Itália / Branco Seco) US$ 51.90

23008 Woodthorpe Sauvignon Blanc 2011 (Te Mata / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 58.90

25392 Schieferkopf Gewurztraminer 2011 (M. Chapoutier / Alsace / França / Branco Seco) US$ 72.50

24814 Albariño 2011 (Pazo de Señorans / Rías Baixas / Espanha / Branco / Seco) 59.90

20799 Riesling Steinriegl Federspiel 2009 (Franz Prager / Áustria / Áustria / Branco Seco) US$ 78.50

25199 Assyrtico by Gaía Wild Ferment 2012 (Gaía / Grécia / Branco Seco) US$ 59.90

22963 Macon Villages 2010 (Les Héritiers du Comte Lafon / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 79.90

24450 Gewurztraminer Trentino 2011 (Agricola Masi / Trentino / Itália / Branco Seco) US$ 59.90 24451 Pinot Grigio Valdadige 2011 (Agricola Masi / Trentino / Itália / Branco Seco) US$ 59.90 22722 Pinot Grigio Alto Adige 2010 (Alois Lageder / Alto Adige / Itália / Branco Seco) US$ 59.90

25537 Kumeu River Estate Pinot Gris 2011 (Kumeu River / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 84.50 25127 Bouzeron Aligoté 2011 (Domaine Aubert & Paméla de Villaine / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 97.50 24245 Vistamare 2010 (Ca’ Marcanda / Gaja / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 109.00

24413 Conundrum 2010 (Caymus Vineyards / California / Estados Unidos / Branco Seco) US$ 63.50

25297 Julius Riesling 2012 (Henschke / Austrália / Branco Seco) US$ 119.00

23019 Redoma branco 2010 (Redoma - Niepoort / Douro / Portugal / Branco Seco) US$ 64.50

24323 Copa Real rosado 2011 (Cosecheros y Criadores - Martinez Bujanda / Espanha / Rosado) US$ 16.90

24211 Roero Arneis 2011 (Bruno Giacosa / Piemonte / Itália / Branco Seco) US$ 67.90

23362 Alamos Malbec rosé 2011 (Alamos - Catena Zapata / Mendoza / Argentina / Rosado) US$ 18.90

24435 Shàris Chardonnay/Ribolla Gialla 2011 (Livio Felluga / Friuli / Itália / Branco Seco) US$ 53.90

23831 Rheingau Riesling Qba Charta 2010 (Robert Weil / Rheingau / Alemanha / Branco Seco) US$ 69.50

24883 Cisplatino Cabernet Franc rosado 2012 (Pisano / Uruguai / Rosado) US$ 18.90

23795 Alvarinho Soalheiro 2011 (Soalheiro / Vinho Verde / Portugal / Branco Seco) US$ 54.50

21278 Tiara branco 2009 (Redoma - Niepoort / Douro / Portugal / Branco Seco) US$ 69.50

23824 Hochheimer Riesling QbA trocken 2011 (Domdechant Werner / Rheingau / Alemanha / Branco Seco) US$ 54.90

20457 Rheingau Riesling Kabinett Halbtrocken 2009 (Robert Weil / Rheingau / Alemanha / Branco Seco) US$ 69.90

23256 Terre di Ala Sauvignon Blanc 2010 (D´Amico / Lazio / Itália / Branco Seco) US$ 55.90

22018 Pouilly-Fumé Aquarelle 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França / Branco Seco) US$ 69.90

23245 Outer Limits Sauvignon Blanc 2011 (Viña Montes / Chile / Branco Seco) US$ 53.50 23988 Savennières Clos Saint Yves 2010 (Domaine Baumard / Loire / França / Branco Seco) US$ 53.50 24802 Mountain Blanco 2010 (Telmo Rodriguez / Malaga / Espanha / Branco Seco) US$ 53.90

25539 Te Tera Sauvignon Blanc 2012 (Martinborough Vineyard / Nova Zelândia / Branco Seco) US$ 55.90

94

22514 Classic Syrah/Cabernet Sauvignon Rosé 2011 (Viña Carmen / Chile / Rosado) US$ 20.90 22373 Danie de Wet Rosé Bio 2011 (De Wetshof / África do Sul / Rosado) US$ 21.90 24037 Ciranda rosado 2011 (Herdade dos Coelheiros / Alentejo / Portugal / Rosado) US$ 22.90 23475 The Wolftrap Rosé 2011 (Boekenhoutskloof / África do Sul / Rosado) US$ 23.50


ESPUMANTES, JEREZ E ROSADOS

24135 Altera Syrah rosé 2011 (Schröder & Schÿler / Bordeaux / França / Rosado) US$ 23.50

22082 Cabernet d’Anjou 2008 (Domaine Baumard / Loire / França / Rosado) US$ 29.90

24128 Fígaro Rosé 2011 (Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon / França / Rosado) US$ 23.90

25136 La Petite Perriéres Pinot Noir rosé 2011 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Rosado) US$ 29.90

24505 Paço de Teixeiró rosado 2011 (Quinta do Côtto / Douro / Portugal / Rosado) US$ 23.90

24187 Entre II Santos Rosé 2010 (Campolargo / Bairrada / Portugal / Rosado) US$ 29.90

24074 Gran Feudo Rosado 2011 (Julián Chivite / Navarra / Espanha / Rosado) US$ 24.50

24228 Quinta da Lagoalva rosado 2011 (Quinta da Lagoalva de Cima / Ribatejo / Portugal / Rosado) US$ 29.90

23896 Conde de Valdemar rosado 2011 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha / Rosado) US$ 25.50

24045 Quinta de Saes rosé 2011 (Quinta da Pellada / Dão / Portugal / Rosado) US$ 29.90

24114 Rosé de Loire 2011 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Rosado) US$ 25.50

24066 Montes Cherub Syrah Rosé 2011 (Viña Montes / Chile / Rosado) US$ 30.90

25196 14-18h Agiorgitiko Rosé 2012 (Gaía / Grécia / Rosado) US$ 42.50 25228 Rosato 2012 (Castello di Ama / Toscana / Itália / Rosado) US$ 42.50 22757Côtes du Rhône Belleruche rosé 2010 (M. Chapoutier / Rhône / França / Rosado) US$ 42.90 23994 Attitude Rosé 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França / Rosado) US$ 42.90 21027 Rosas Vinito d’Haute Serre 2009 (Château de Haute Serre/ Sud-Ouest / França / Rosado) US$ 43.90 25147 Lacrimarosa 2012 (Mastroberardino / Campania / Itália / Rosado) US$ 44.50 24247 Marsannay Rosé 2010 (Louis Jadot / Bourgogne / França / Rosado) US$ 45.50

25391 Marius rosé 2012 (M. Chapoutier / Rhône / França / Rosado ) US$ 25.90

22974 Ch. La Gatte rosé 2010 (Château La Gatte / Bordeaux / França / Rosado) US$ 30.90

25416 Esencia Valdemar Garnacha rosado 2012 (Bodegas Valdemar / Rioja / Espanha / Rosado) US$ 26.50

21258 Côteaux du Tricastin Château des Estubiers rosé 2009 (M. Chapoutier / Rhône / França / Rosado) US$ 32.50

20701 Kadette Pinotage rosé 2010 (Kanonkop / África do Sul / Rosado) US$ 26.90

21413 Rosat Selecció 2009 (Jané Ventura / Penedés / Espanha / Rosado) US$ 32.90

25309 Mrs. Wigley Grenache 2012 (Wirra Wirra / Austrália / Rosado) US$ 53.50

24124 Canon du Maréchal rosé 2011 (Domaine Cazes / Languedoc-Roussillon / França / Rosado) US$ 35.50

24641 Bourgogne rosé 2010 (Château de Puligny-Montrachet / Bourgogne / França / Rosado) US$ 53.50

24337 Viñas del Vero rosado 2011 (Viñas del Vero / Somontano / Espanha / Rosado) US$ 27.50

23970 Mas Amor 2011 (Huellas / Priorato / Espanha / Rosado) US$ 35.90

23051 Sassi Rosa 2010 (Castello del Terriccio / Toscana / Itália / Rosado) US$ 75.90

23259 Modello Venezie rosé 2010 (Agricola Masi / Veneto / Itália / Rosado) US$ 27.90

24256 Gròttolo Rosato Toscano 2011 (Colle MassariToscana / Itália / Rosado) US$ 36.90

25112 Cirò rosato 2012 (Librandi / Calabria / Itália / Rosado) US$ 28.50

25211 Regaleali Le Rose 2012 (Tasca d’Almerita / Sicília / Itália / Rosado) US$ 38.50

24199 Artazuri rosado 2011 (Artazur / Navarra / Espanha / Rosado) US$ 28.90

24025 Redoma rosado 2010 (Redoma - Niepoort / Douro / Portugal / Rosado) US$ 38.50

22157 Viñas del Vero rosado 2010 (Viñas del Vero / Somontano / Espanha / Rosado) US$ 27.50

24439 Tre Torri Carignano del Sulcis rosato 2011 (Santadi / Sardegna / Itália / Rosado) US$ 28.90 24922 Rosato Colline Teatine 2011 (Masciarelli / Abruzzo / Itália / Rosado) US$ 29.50 15870 Ch. Rauzan-Despagne Réserve rosé 2006 (Château Tour de Mirambeau / Bordeaux / França / Rosado) US$ 29.90

23946 Musar Jeune rosé 2009 (Château Musar / Vale de Bekaa / Líbano / Rosado) US$ 46.90 23820 Villa Burklin rosé 2011 (Dr. Bürklin-Wolf / Pfalz / Alemanha / Rosado) US$ 48.90

24254 Ch. Vannières Bandol rosé 2011 (Château Vannières / Provence / França / Rosado) US$ 85.50

24255 Mistral Vannières rosé 2011 (Château Vannières / Provence / França / Rosado) US$ 39.90 24755 Braccale rosado 2011 (Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália / Rosado) US$ 39.90

95


FRANÇA

02

F R AN Ç A Que dizer da enorme variedade de grandes vinhos que a França produz? Com seus vinhos grandiosos, sua longa tradição vinícola e sua impressionante variedade de denominações e ícones, a França sempre foi motivo de inspiração — e padrão de comparação — para as outras regiões produtoras do mundo. Inúmeros dos melhores e mais célebres vinhos do mundo são produzidos neste maravilhoso Hexágono, que possui uma diversidade invejável de excelentes terroirs, microclimas e estilos de vinho. As uvas francesas — Cabernet Sauvignon, Merlot, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir, Syrah, e tantas outras — giraram o mundo, e hoje fazem ótimos vinhos nas mais variadas regiões. Muitos dos melhores vinhos franceses primam pela elegância, finesse e complexidade, e são melhor apreciados depois de alguns anos de envelhecimento em garrafa. Além de grandes ícones, a França também abriga diversas ótimas descobertas — mesmo os franceses mais baratos, quando elaborados por bons produtores, costumam oferecer um charme e uma personalidade únicos, em um estilo diferente e delicioso.

96


FRANÇA

BOURGOGNE Região lendária, de enorme prestígio, que produz alguns dos melhores e mais reputados tintos e brancos do mundo. São vinhos sem igual, que podem ser muito elegantes e complexos, exprimindo talvez como nenhum outro o conceito de “terroir”. A Bourgogne é a terra natal da Pinot Noir e da Chardonnay — e onde estas castas atingem o ápice de sua expressão. É muito importante prestar atenção ao nome do produtor, que é quem garante a qualidade e a tipicidade. A marca registrada dos melhores Borgonhas tintos é sua incomparável classe, elegância e complexidade. São vinhos de conhecedores, cheios de sutilezas e sempre com grande finesse. Eles são elaborados com a Pinot Noir e expressam maravilhosamente o privilegiado terroir da Borgonha — região onde vinhos de vinhedos a poucos metros de distância podem mostrar personalidades muito diferentes. Em geral, os bons Borgonhas apresentam uma riqueza e uma complexidade impressionantes no aroma, que evolui bastante com o tempo. Na boca, são finos, macios e elegantes, muito bem proporcionados, mais delicados do que os tintos de Bordeaux ou do Novo Mundo. São vinhos únicos e insubstituíveis, sem paralelos ao redor do mundo, e que realmente vale a pena conhecer. Ao prová-los, busque mais por elegância, sutileza e complexidade do que por potência e concentração. Os Borgonhas brancos, por sua vez, são simplesmente fantásticos. Para muitos, são os melhores vinhos brancos do mundo. A Chardonnay atinge aqui seu ponto máximo em elegância, complexidade e longevidade. Mesmo os Borgonhas mais simples, tanto tintos quanto brancos, podem ser muito charmosos e interessantes, de bastante personalidade.

21958 Puligny-Montrachet Les Folatières 08 (Premier Cru) BH=90 3

239.90

24362 Puligny-Montrachet 10 3

155.00

24363 meia Puligny-Montrachet 10 (375 ml) 3

22632 Grands Échézeaux 09* (Grand Cru) RP=92, BH=95 3

823.00

22624 Échézeaux 09* (Grand Cru) 3

475.00

22626 Charmes-Chambertin 09* (Grand Cru) RP=91, WS=92 BH=93 3

438.00

21290 Beaune Clos des Mouches 08** (Premier Cru ) RP=90, WE=94 3

229.50

21950 Vosne-Romanée 08 3

179.90

24353 Chambolle-Musigny Premier Cru 10 WS=92 3

223.00

22629 Chambolle-Musigny 09 3

178.50

22631 Gevrey-Chambertin 09 BH=90 3

189.00

24624 meia Gevrey-Chambertin 10 (375 ml) 3 17399 Pommard 06

79.90 147.00

* vinhos de “domaine”, produzidos com uvas de vinhedo pertencente ao produtor

22628 Volnay Clos des Chênes 09 (Premier Cru) RP=90 3

234.50

** “monopole”, vinho produzido exclusivamente por este produtor

22627 Volnay 09

133.00

89.50

24361 Chassagne-Montrachet Marquis de Laguiche 10 RP=94 3

269.50

22618 Chassagne-Montrachet 09 RP=88 3

157.50

22637 Meursault-Perrières 09 (Premier Cru) BH=92, RP=94 3

283.50

22638 Meursault-Charmes 09 (Premier Cru) WE=92 3

258.90

22619 Meursault 09 BH=89

154.50

24358 Chablis Vaudésir 10* (Grand Cru) 3

169.50

22617 Chablis Montmains 10* (Premier Cru) RP=90(07) 3

111.00

24524 Chablis Domaine de Vaudon 10* RP=88(08) 3

75.50

25605 Chablis 12 2

62.50

25606 meia Chablis 12 (375 ml) 2

34.50

23721 Pouilly-Fuissé 10

82.50

24626 Saint Véran 10

57.50

24208 Mâcon Villages 11 2

43.90

22622 Bourgogne blanc 10

42.50

25608 meia Bourgogne blanc 12 (375 ml)

25.50

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf

17389 magnum Clos de Vougeot 06* (Grand Cru) (1.500 ml) RP=90+

859.50

22625 magnum Échézeaux 09* (Grand Cru) (1.500 ml)

947.00

17394 magnum Chambolle-Musigny 06* (1.500 ml) RP=89

331.00

15723 magnum Gevrey-Chambertin 05 (1.500 ml) RP=88

235.00

21297 magnum Bourgogne rouge 08 (1.500 ml)

garrafa magnum vinho branco 24625 magnum Puligny-Montrachet 10 (1.500 ml)

96.25

US$/gf 299.50

22635 Côte de Beaune 09 BH=89, RP=88 2

99.50

LOUIS JADOT

JOSEPH DROUHIN

22636 meia Côte de Beaune 09 (375 ml) BH=89, RP=88 2

54.90

www.louisjadot.com

www.drouhin.com

24623 Bourgogne rouge 10

49.90

Joseph Drouhin é um dos mais antigos e reputados produtores da Borgonha. Fundada em 1756, a Maison pertence à família Drouhin desde 1880 e possui uma longa e consistente tradição de vinhos que estão sempre entre os melhores de cada denominação. Negociante de prestígio, Joseph Drouhin também é um grande proprietário de vinhedos finos, com mais de 65 hectares de terras na Borgonha, tratando-se em grande parte de vinhedos classificados como Grand Cru e Premier Cru. Seus vinhos são muito finos, elegantes e complexos, e expressam plenamente o terroir de cada denominação, recebendo altas notas da imprensa especializada. Possuem um charme e uma graça característicos, e são ótimos desde jovens.

23719 meia Bourgogne rouge 10 (375 ml)

29.50

Fundada em 1859, a Maison Louis Jadot é um dos mais respeitados produtores da França. Para Robert Parker, que sempre concede altas notas tanto para seus tintos quanto para os brancos, “Louis Jadot é provavelmente a casa mais bem conduzida da Borgonha”. Jadot é a única Maison da Borgonha indicada por Parker entre os “Melhores Produtores do Mundo” em seu mais recente livro — ao lado de nomes como De Vogué e Romanée Conti. Sua prestigiosa gama de vinhos inclui inúmeros conceituados Grands Crus e Premiers Crus, incluindo o famoso Beaune Clos des Ursules Les Vignes Franches, incrivelmente complexo para um Premier Cru e um dos vinhos mais emblemáticos da casa. Seu Bourgogne Couvent des Jacobins também é muito reputado. São todos vinhos de grande finesse, complexidade e elegância, entre os melhores da Borgonha e de toda a França.

vinhos tintos 22633 Clos de Vougeot 09* (Grand Cru) RP=91, BH=93, WS=93 3

US$/gf

Beaujolais

US$/gf

23392 Beaujolais-Villages 10 2

37.50

25602 meia Beaujolais-Villages 10 (375 ml) 2

22.90

23720 Moulin a Vent 10 WS=90(05) 3

61.90

19554 Fleurie 07 3

57.90

vinhos brancos 21300 Montrachet Marquis de Laguiche 08* (Grand Cru) BH=(93-96) 3

US$/gf 1.489.50

22644 Bâtard-Montrachet 09* (Grand Cru) 3

799.50

21299 Corton-Charlemagne 08* (Grand Cru) BH=91-94, RP=93(07), WS=93(07) 3

334.00

21298 Beaune Clos des Mouches blanc 08** (Premier Cru) BH=90 3

257.50

499.50

97


FRANÇA

21977 Pommard 07

147.50

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf

25057 Beaune Clos des Ursules Les Vignes Franches 10* (Premier Cru) RP=90-91(06), WS=93(05) 3

179.50

15654 magnum Clos de la Roche 04* (Grand Cru) (1.500 ml) BH=(90-93) 3

596.00

21959 Beaune Les Grèves 08* (Premier Cru) RP=(89-90)

119.90

23091 Beaune Cent Vignes 09* (Premier Cru)

119.90

15641 magnum Pommard Les Rugiens 04* (Premier Cru) (1.500 ml)

359.00

18947 magnum Beaune Clos des Ursules Les Vignes Franches 07*(Premier Cru) (1.500 ml)

343.00

23103 magnum Bourgogne Couvent des Jacobins rouge 09 (1.500 ml)

118.00

21973 magnum Moulin à Vent La Roche 09* (1.500 ml) RP=(92-93), WS=92

214.50

21969 magnum Morgon Des Jacques 09* (1.500 ml) RP=(89-90), WS=90

111.00

19841 Marsannay rouge 07

68.50

25051 Bourgogne Couvent des Jacobins rouge 10

56.90

25052 meia Bourgogne Couvent des Jacobins rouge 10 (375 ml)

31.90

Beaujolais

US$/gf

18954 Moulin à Vent La Roche 07* RP=88 3

99.00

21968 Moulin à Vent Clos de Rochegrès 08* RP=93-94(09)

105.50

21970 Moulin à Vent Des Jacques 09* RP=(91-92)

69.50

17458 Fleurie Poncereau 06 3

66.50

21967 Morgon Des Jacques 09* WS=90, RP=(89-90)

59.90

19837 Brouilly 08

59.90

24246 Brouilly Domaine Balloquet 10

53.50

18187 Beaujolais Villages 07 2

37.90

18188 meia Beaujolais Villages 07 (375 ml) 2

22.50

vinho rosado

US$/gf

21980 Marsannay rosé 09* 2

45.50

vinhos brancos

US$/gf

21983 Chevalier-Montrachet Demoiselles 08* (Grand Cru) WS=98, RP=94 3

vinhos tintos

US$/gf

23099 Échézeaux 09* (Grand Cru) RP=94+ 3

487.00

18184 Clos de la Roche 06* (Grand Cru) BH=(89-92)

847.00 419.00

17478 Clos de Vougeot 06* (Grand Cru) BH=(92-95) 3

373.50

23105 Puligny-Montrachet La Garenne 09* (Premier Cru) RP=90-92(02), WS=93(08) 3

209.50

17477 Corton Clos des Cortons Faiveley 06* (Grand Cru), BH= (91-93) 3

365.50

24248 Puligny-Montrachet 10*

185.90

23106 Chassagne-Montrachet Morgeot Clos de la Chapelle “Duc de Magenta” 09** (Premier Cru) WS=91, RP-92 3

19165 Latricières-Chambertin 07* (Grand Cru) WS=94, BH=92 3

316.50

214.90

19164 Mazis-Chambertin 07* (Grand Cru) BH=(92-94) 3

349.50

22869 Chassagne-Montrachet 07* RP=90

169.90

24377 Charmes-Chambertin 10* (Grand Cru)

399.50

199.00

19166 Échézeaux 07* (Grand Cru) BH=(91-94) 3

319.50

231.50

20751 Nuits-Saint Georges Les Saint Georges 08 (Premier Cru) WS=92(06), BH=(91-93) 3

234.25

132.50

19171 Nuits-Saint Georges Les Damodes 07 (Premier Cru) 3

165.00

25363 Nuits-Saint Georges 09 WS=89

139.50

352.50 399.50

25065 Charmes-Chambertin 10* (Grand Cru) 1

399.50

15667 Corton-Charlemagne 04* (Grand Cru) WS=94, BH= 93 3

18951 Corton Grèves 07* (Grand Cru) WS=94(05) 3

236.00

25064 Corton Clos du Roi 10* (Grand Cru) 1

237.50

18949 Vosne-Romanée Les Beaux Monts 07* (Premier Cru) WS=92, PR=91, BH= 90 3

288.00

23094 Vosne-Romanée 09*

149.50

23096 Chambolle-Musigny 09* WS=90

149.50

18950 Gevrey-Chambertin Les Cazetiers 07* (Premier Cru) BH=(89-92)

217.00

25054 Gevrey-Chambertin 08*

148.90

18177 Nuits-St. Georges Aux Boudots 06* (Pr. Cru) RP=92, WS=91 3

244.00

Produtor de incrível prestígio na França, a Maison Faiveley é o maior proprietário de vinhedos finos da Borgonha. Faiveley também possui o maior número de vinhedos Grand Cru e Premier Cru de toda a região. Trata-se de um domaine modelo, um dos melhores de toda a Borgonha, e que também é um négociant de prestígio. Sua sede é em Nuits-Saint-Georges, no coração da Côtes de Nuits. O estilo de seus vinhos é marcante e raramente igualado: opulentos, ricos, de grande concentração e estrutura e muita classe, muitas vezes engarrafados sem filtração. Sua grande concentração e profundidade lhe confere uma enorme longevidade, especialmente nas melhores safras. Além de grandes e aristocráticos vinhos da Côte d’Or, seus saborosos Mercurey são reputados por sua excelente relação qualidade/preço.

847.00

18953 Clos de Vougeot 07* (Grand Cru) WS=94(05), BH= 92 3

257.50

www.bourgognes-faiveley.com

23107 Bâtard-Montrachet 09* (Grand Cru) RP=95, WS=94 (07) 3 23108 Bienvenues-Bâtard-Montrachet 09* (Grand Cru) RP=94 3

16838 Chambolle-Musigny Les Baudes 05* (Premier Cru) RP=(89-91), BH=(89-92) 3

1.165.00

DOMAINE FAIVELEY

16847 Meursault Blagny 05* (Premier Cru) BH=91(04) 3 18955 Meursault Les Charmes 07* (Premier Cru) WS=92, BH= 91, PR=90+ 3 16846 Meursault 06* WS=90 21990 Pouilly-Fuissé 09 17463 Chablis Les Grenouilles 03* (Grand Cru) BH=92(02) 3

99.90

vinhos tintos

22440 meia Nuits-Saint Georges 09 (375 ml) 259.90

US$/gf

58.25

17473 Vosne-Romanée 06

184.90

22870 Chablis 10 2

76.50

179.50

22430 Chambolle-Musigny La Combe d’Orveau 09 (Premier Cru) WS=94

299.90

25058 Chassagne-Montrachet Morgeot “Duc de Magenta” 10* (Premier Cru) 1

22871 Bourgogne Couvent Jacobins blanc 10 Dec=best value(01e02) 2

55.90

24391 Chambolle-Musigny 09

164.50

136.50

15640 Pommard Les Rugiens 04* (Premier Cru) RP=91-92(03) 3

20175 meia Bourgogne Couvent des Jacobins blanc 08 (375 ml) 2

28.90

17476 Gevrey-Chambertin Les Cazetiers 06 (Premier Cru), BH= (91-93) 3

199.90

177.00

22441 Gevrey-Chambertin Les Marchais 09 WS=92(90) 3

145.90

20749 Pommard Les Rugiens 08 (Premier Cru) BH=(90-92) 3

198.50

23093 Volnay Clos des Chênes 09* (Premier Cru) BH=(90-92) 3

98


FRANÇA

22427 Monthélie Les Duresses 09 (Premier Cru)

89.90

22448 Mercurey Clos du Roy 09* (Premier Cru) BH=(89-92) 2

89.90

22442 Mercurey Domaine Faiveley rouge 09* WS=89 2

55.50

22443 meia Mercurey Domaine Faiveley rouge 09*(375 ml) WS=89 2

34.50

22447 meia Bourgogne Joseph Faiveley 09 (375 ml)

38.50

25364 Bourgogne Joseph Faiveley 10

54.50

Beaujolais

US$/gf

24394 Moulin à Vent 10

vinhos brancos

59.90

US$/gf

22432 Bâtard-Montrachet 09* (Grand Cru) WS=95(08), BH=(91-93) 3

“Le Musigny” — um dos melhores Grands Crus da Côte d’Or — seus vinhos expressam maravilhosamente o terroir e estão entre o que de mais sublime existe na Borgonha. Hugh Johnson considera seu mítico Musigny Vielles Vignes em muitas safras como o melhor Borgonha tinto, e o descreve como “a quintessência da elegância”. Na safra de 1990, ele recebeu nada menos do que 100 pontos da Wine Spectator! Seus outros vinhos também são extraordinários, de uma classe incomparável, e com pontuações altíssimas.

vinhos tintos 19573 Musigny Vieilles Vignes 07* (Grand Cru) RP=95, BH= 95 3

US$/gf 1.128.00

659.00

18131 Bonnes Mares 06* (Grand Cru) RP=94, BH=94 3

24385 Bienvenues-Bâtard-Montrachet 10* (Grand Cru) BH=90-93(09) 3

599.50

19575 Chambolle Musigny Les Amoureuses 07* (Premier Cru) RP=94-95(05), BH=(91-94)3

931.90

735.00

20757 Corton-Charlemagne 08* (Grand Cru) BH= (93-96) 3

499.50

19576 Chambolle-Musigny Premier Cru 07* RP=92 3

433.50

24387 Puligny-Montrachet Les Folatières 10* (Premier Cru) 3

209.00

21023 Chambolle-Musigny 08 RP=92 3

239.90

17484 Puligny-Montrachet Champigains 06* (Premier Cru) 3

237.50

22435 Puligny-Montrachet Les Referts 09* (Premier Cru) BH=(89-92)3

199.90

19183 Chassagne-Montrachet Morgeot 07* (Premier Cru) BH= (88-90), ST=91 3

198.50

18624 Chassagne-Montrachet 07

142.50

19181 Meursault-Blagny 07* (Premier Cru) WS=91 3

179.90

18625 Meursault 06

129.90

22450 Pouilly-Fuissé 09 25375 Chablis Les Clos 11* (Grand Cru) ST=95(09) 3

79.90 177.50

24395 Chablis 11

57.50

19178 Mercurey Domaine Faiveley blanc 07* 2

51.00

20122 Mâcon Villages blanc 08 2

39.90

20121 Bourgogne Georges Faiveley 08 WS=86

43.50

19177 meia Bourgogne Georges Faiveley 07 (375 ml)

23.80

garrafas magnum vinho tinto 16347 magnum Mercurey Croix Jacquelet rouge 05 (1.500 ml) WS=89

US$/gf 95.75

(Volnay/Pommard) Hubert de Montille é um dos verdadeiros “heróis do terroir” retratados no documentário “Mondovino”. De enorme prestígio, Montille é adepto de técnicas tradicionais e do “não-intervencionismo”, buscando elaborar pequenas quantidades de vinhos extremamente finos e elegantes, de grande tipicidade, que expressem plenamente o ótimo terroir em que são produzidos. o produtor dispõe de uma conceituada gama de Premiers Crus nas denominações de Pommard e Volnay, além de um ótimo branco “Premier Cru” em Puligny-Montrachet e um excelente Bourgogne rouge. Suas fantásticas e cultuadas criações estão sem dúvida nenhuma entre os melhores, mais elegantes e mais autênticos vinhos da Borgonha e, mesmo na França, são por vezes difíceis de encontrar, devido à pequena produção e à grande procura.

22932 Clos de Vougeot 08* (Grand Cru) RP=90-91 3

315.50

22446 magnum Bourgogne Joseph Faiveley 09 (1.500 ml)

18705 Corton Pougets 06* (Grand Cru) BH= (89-91) 3

226.00

20941 Corton Clos du Roi 07* (Grand Cru) BH= (91-93) 3

279.50

18708 Vosne-Romanée Les Malconsorts “Christianne” 06* (Premier Cru) RP=93-94, BH= (91-94) 3

436.50

20943 Vosne-Romanée Les Malconsorts 07* (Premier Cru) BH= (91-94) 3

399.90

16319 Pommard Les Rugiens 04* (Premier Cru) WS=93(02), BH= (90-92) 3

259.50

22928 Pommard Les Pezerolles 08* (Premier Cru) RP=(89-90), WS=91(03), BH=(89-92) 3

229.50

16318 Pommard Les Grands Epenots 04* (Premier Cru) BH=(89-91) 3

199.50

22927 Volnay Les Taillepieds 08* (Premier Cru) RP=90-91, BH=(89-91) 3

249.50

DOMAINE COMTE GEORGES DE VOGÜÉ (Chambolle-Musigny) Um dos dois mais prestigiados domaines da Borgonha, o Domaine Comte Georges de Vogüé representa para Chambolle-Musigny o mesmo que o Domaine de la Romanée Conti representa para Vosne Romanée. Trata-se de um dos domaines de maior fama, prestígio e reputação em toda França, elaborando vinhos soberbos, de muita elegância e longa guarda. Proprietário de vinhedos espetaculares, como o lendário

159.90

18699 Beaune Les Grèves 06* (Premier Cru) WS=90 3

142.50

16313 Beaune Les Perrières 04* (Premier Cru) WS=89 3

125.00

24660 Nuits-St. Georges Les Thoreys 09* (Premier Cru) RP=90(06) 3

227.00

20939 Nuits-St. Georges Les Saint-Juliens 07* BH= (88-90) 3

139.50

22922 Bourgogne 09 RP=87

vinhos brancos

86.50

US$/gf

20947 Corton-Charlemagne 07* (Grand Cru) RP=92, BH= 93 3

348.50

14582 Puligny-Montrachet Les Caillerets 03* (Premier Cru) RP=94(02), WS=90 (02) 3

249.00

20946 Beaune Les Aigrots 07* (Premier Cru) BH=89

135.25

garrafas magnum vinho tinto 16324 magnum Corton Pougets 04* (Grand Cru) (1.500 ml) BH=(90-93)

US$/gf 539.50

18713 magnum Vosne-Romanée Les Malconsorts 06* (Premier Cru) (1.500 ml) RP=92-93

842.00

16323 magnum Pommard Les Pezerolles 04* (Premier Cru) (1.500 ml) BH=(88-91)

419.00

16322 magnum Volnay Les Taillepieds 04* (Pr. Cru) (1.500 ml) BH=(88-90)

449.00

20935 magnum Volnay Les Champans 07* (Pr. Cru) (1.500 ml) BH=(90-92)

489.00

garrafas magnum vinho branco

US$/gf

24666 magnum Corton Charlemagne 09* (Grand Cru) (1.500 ml)

798.00

24668 magnum Puligny-Montrachet Les Caillerets 09* (Premier Cru) (1.500 ml)

897.00

US$/gf

17482 magnum Mercurey Domaine Faiveley rouge 06* (1.500 ml) 107.90 111.00

199.50

18700 Volnay Les Brouillards 06* (Premier Cru) 3

18714 magnum Vosne-Romanée Les Malconsorts “Christianne” 06* (Premier Cru) (1.500 ml) RP=93-94 996.90

DOMAINE DE MONTILLE

vinhos tintos

14573 Volnay Les Champans 03* (Premier Cru) 3

25360 BOURGOGNE ROUGE 2010 (Joseph Drouhin / Bourgogne)

Este Borgonha delicado e cheio de fruta é produzido por Joseph Drouhin, um dos mais antigos e respeitados produtores da Borgonha. Concentrado, fino, com saborosas notas de frutas maduras, ele é sedoso e elegante na boca, com bastante tipicidade borgonhesa.

US$49,90

99


FRANÇA

DEUX MONTILLE

vinhos tintos 24669 Bourgogne rouge 09

(Puligny/ Chassagne) Deux Montille Soeur et Frère é uma pequena e fantástica “maison” borgonhesa, formada pelos irmãos Alix e Étienne de Montille, filhos do famoso Hubert de Montille. A talentosa Alix é considerada uma das melhores enólogas da Borgonha na atualidade, e elabora os brancos da Maison Deux Montille usando apenas uvas selecionadas, e não mostos comprados de terceiros, como a maioria dos negociantes da Borgonha. O imenso prestígio da família de Montille na região permite parcerias de longo prazo com pequenos produtores, donos de vinhedos da mais alta qualidade. O resultados são vinhos magníficos, de grande complexidade, entre os melhores produzidos hoje na Borgonha. Esta verdadeira coleção de especialidades foi classificada como de “excepcional qualidade” pela Burghound, a mais importante revista sobre vinhos da Borgonha na atualidade.

vinhos brancos

US$/gf

22947 Rully 08 RP=89(07) 2

75.50

22948 Pouilly-Fuissé En Vergisson 08 2

89.50

17783 Auxey-Duresses 05 2

99.90

17781 Saint Aubin sur Gamay 05 (Premier Cru) BH= 90 2

110.00

17782 Pernand-Vergelesses sous Fretille 05 (Premier Cru) BH= 89

117.50

17780 Meursault Les Grands Charrons 05 BH=(89-91)3

139.90

20956 Meursault Les Tessons 07

139.50

22943 Meursault Les Vireuils 08 BH=89

152.50

17777 Meursault Les Bouchères 05 (Premier Cru) BH= 92 3

209.00

20953 Meursault Les Poruzots 07 (Premier Cru) RP=92, BH= (90-92) 3

225.00

17778 Meursault Les Charmes 05 (Premier Cru), BH= (90-93) 3 16336 Chassagne-Montrachet Les Chaumées 04 (Premier Cru) 3

16310 Corton Renardes 04 (Grand Cru) WS=92 3

221.00

DOMAINE MÉO-CAMUZET (Vosne Romanée & etc) www.meo-camuzet.com O reputado Domaine Méo-Camuzet é uma das maiores estrelas da Borgonha — e um dos domaines mais bem situados da região — elaborando tintos sedutores, longos e refinados, conhecidos por sua concentração e riqueza. Depois de alguns anos em garrafa, explodem em uma incrível complexidade. Seu estilo generoso é obtido, também, graças aos minúsculos rendimentos nos vinhedos, nas melhores localizações de VosneRomanée, Nuits St Georges e Chambolle-Musigny, principalmente. Do mais alto prestígio, recebe notas por vezes estratosféricas da Wine Spectator (próximas a 100), Parker e de toda a imprensa especializada. Os extraordinários Grands Crus de Richebourg, Clos de Vougeot e Échezeaux são especialmente reputados. A propriedade também conta com uma belíssima gama de Premiers Crus, muito refinados, incluindo o excelente Vosne-Romanée Au Cros Parantoux. O General de Gaulle era um grande admirador dos vinhos da propriedade, na época pertencente a um de seus principais conselheiros, Jean Méo.

vinhos tintos

173.90 255.50

223.50

23120 Fixin Clos du Chapitre 09 (Premier Cru) BH=(88-91) 3

172.90

187.90

23117 Vosne-Romanée Les Chaumes 09* (Premier Cru) WS=92 3

454.50

20971 Clos de Vougeot 08* (Grand Cru) RP=92 3

549.00

20955 Puligny-Montrachet Champ Gain 07 (Premier Cru) RP=93 3

218.00

vinho branco

US$/gf

20977 Clos Saint-Philibert Bourgogne Hautes-Côtes de Nuits 08*

22798 CHAMBOLLE MUSIGNY 1ER CRU LES LAVROTTES 2009 (Olivier Bernstein / Bourgogne)

“Rico, concentrado e delicioso” na opinião da Burghound, esta bela criação de Olivier Bernstein é elaborada com uvas de um pequeno Premier Cru situado logo abaixo de Bonnes Mares. O vinho exibe a pureza de fruta, marca registrada de Chambolle Musigny, com um palato excepcionalmente agradável, com a madeira perfeitamente integrada.

US$424.90

100

US$/gf

24609 Vosne-Romanée 10* WS=90(09) 3

187.90

“Sweet Spot Outstanding” para a Burghound e um Gevrey-Chambertin “repleto de personalidade” na opinião de Stephen Tanzer, este excelente villages é fino e elegante, com taninos sedosos e fruta exuberante. Sempre um dos melhores e mais típicos Gervrey-Chambertin!

169.90

20976 Gevrey-Chambertin 08*

16341 Puligny-Montrachet La Garenne 04 (Premier Cru) BH=92 3

22631 GEVREY-CHAMBERTIN 2009

17775 Chambolle-Musigny Les Babillères 05

164.50

234.50

(Joseph Drouhin / Bourgogne)

69.90

23119 Morey-St. Denis 09*

22941 Chassagne-Montrachet Les Embazées 08 (Premier Cru) 3

US$189,00

US$/gf

84.50

DOMAINE BONNEAU DU MARTRAY (Corton-Charlemagne) www.bonneaudumartray.fr Um das maiores ícones do mundo do vinho, o lendário Domaine Bonneau du Martray é o único produtor da Borgonha que produz apenas Grands Crus. Seu magnífico Corton-Charlemagne é simplesmente “um dos mais grandiosos vinhos de toda a Borgonha” segundo Clive Coates — que classifica o Domaine como um dos únicos com as máximas 3 estrelas em sua rigorosa avaliação. Este famoso branco é muito rico, complexo, encorpado e capaz de evoluir por longos anos em garrafa. O vinhedo do Domaine está situado na histórica parcela selecionada pelo imperador Carlos Magno, que pertence ao Domaine Bonneau du Martray desde o ano 775! Elaborado com rendimentos minúsculos para a região — que chegam a ser menos da metade da média utilizada neste famoso Grand Cru — é um vinho “rico, denso e impressionante” para Jancis Robinson, que já apontou o branco como uma das melhores escolhas para celebrações realmente especiais. Segundo o guia Bettane&Desseauve, o Domaine Bonneau du Martray elabora um CortonCharlemagne “indestrutível e puro como cristal”, enquanto Andrew Jefford afirma que o vinho “é tão intenso e dramático que enche os olhos de lágrimas”.

vinhos brancos

US$/gf

20563 Corton-Charlemagne 06* (Grand Cru) 3 RP=93-94, WS=94, BH=94 3

473.50

24892 Corton-Charlemagne 10* (Grand Cru) RP=96 3

586.00

DOMAINE DU COMTE LIGER-BELAIR (Vosne-Romanée/Nuits-St. Georges) www.liger-belair.fr Este é um espetacular lançamento, como raramente podemos fazer — de uma das mais raras jóias do mundo do vinho. O Domaine du Comte Liger-Belair é o único produtor da Borgonha a elaborar o Grand Cru La Romanée, a menor denominação de toda a França e berço de um dos mais grandiosos e disputados vinhos de todo o mundo — uma parcela localizada literalmente ao lado do famoso Domaine de la Romanée-Conti. A família Liger-Belair por muitas gerações foi proprietária de diversos dos mais aclamados vinhedos da Borgonha, incluindo os monopólios La Romanée, La Tache e La Grande Rue. Com a morte da condessa Liger-Belair em 1931, em razão de uma legislação da época os herdeiros foram obrigados a vender completamente a propriedade. No entanto, dois irmãos juntaram esforços para recomprar a jóia da coroa do espólio: o vinhedo La Romanée, além das parcelas em Vosne Romanée Reignots e em Vosne Romanée les Chaumes. Somente no ano 2000 Louis-Michel LigerBelair conseguiu recuperar vinhedos adicionais e fundou o Domaine du Comte Liger-Belair, que graças a seu extraordinário terroir já nasceu como uma das melhores


FRANÇA

e mais prestigiadas propriedades de toda a Borgonha. Louis-Michel adota uma abordagem não-intervencionista, procurando cuidar dos vinhedos para que eles possam produzir uvas de excepcional qualidade, capazes de originar grandes vinhos, naturalmente. A grande maioria dos vinhedos são de cultivo biodinâmico e o cavalo da família é usado no lugar de tratores para trabalhar a terra. O produtor matura seus vinhos em barricas de carvalho novo, mas os rendimentos dos vinhedos são tão baixos que a madeira se mostra completamente integrada ao vinho.

vinhos tintos

US$/gf

verdadeira unanimidade na região, recebendo sempre notas altíssimas de toda imprensa especializada, mesmo nas safras mais difíceis. O vinho da safra de 2009 foi descrito como “espetacular” por Robert Parker, que ficou impressionado por sua “incrível combinação de estrutura e fruta”. O crítico lhe concedeu 95+ pontos, enquanto a Wine Spectator classificou o tinto com 95 pontos.

vinhos tintos 24011 Clos de Tart Grand Cru 09** RP=95+, WS=95 3 24013 Morey-St-Denis La Forge de Tart 08* (Premier Cru) WS=90 3

20718 Vosne Romanée 07 3

225.50

20720 Vosne Romanée Clos du Château 07* BH=(88-91) 3

256.90

DOMAINE PONSOT

20722 Nuits Saint Georges Aux Cras 07* (Premier Cru) RP=90, BH=93 3

425.00

(Morey-St-Denis) www.domaine-ponsot.com

20724 Vosne Romanée Aux Reignots 07* (Premier Cru) RP=92, BH=93 3

528.00

23114 Échézeaux 09* (Grand Cru) RP=95, BH=94 3 20728 La Romanée 07** (Grand Cru) BH=95 3

773.00 2.235.00

CLOS DE TART (Bourgogne/ França) www.clos-de-tart.com Um dos maiores ícones entre os Grands Crus da Borgonha, o célebre Clos de Tart é um dos seis únicos Grands Crus monopole — denominação que pertence inteiramente a um único produtor, que detém exclusividade sobre este terroir particular. A fama deste lendário vinhedo remonta ao século XII e a propriedade mudou de mãos apenas três vezes desde a Idade Média, passando pela família MareyMonge — que era proprietária de todos os vinhedos de Romanée St Vivant — antes de ser adquirida pela família Mommessin, atual proprietária. Cultivados de acordo com princípios biodinâmicos, os vinhedos do Clos de Tart estão localizados em uma colina e são plantados com uma orientação muito particular: nortesul, ao invés da tradicional leste-oeste. As vinhas possuem em média 60 anos de idade, com parcelas de mais de 100 anos. As parreiras de menos de 25 anos dão origem a um fantástico segundo vinho, o La Forge de Tart. Para a produção do Grand Vin, a combinação de um excelente terroir com vinhas antigas resulta em rendimentos realmente microscópicos, chegando perto de 20Hl/Ha em alguns anos! O solo deste Grand Cru também apresenta os mesmos fósseis de ostras encontrados no Domaine de la Romanée Conti, uma característica muito rara, que confere ao vinho um sofisticado caráter mineral. A vinificação separada de sete micro lotes mostra o perfeccionismo empregado na elaboração deste Grand Cru. O resultado é um vinho que “há longos anos é um dos melhores dentre os melhores Grands Crus da Borgonha”, nas palavras do Master of Wine Clive Coates. Grande clássico, o Clos de Tart é uma

US$/gf 1.075.00 432.90

Um dos nomes de maior prestígio na Borgonha, este centenário domaine familiar possui alguns dos melhores vinhedos da Côte de Nuits, em especial em Morey-StDenis e Gevrey Chambertin. Merece cotação máxima, cinco estrelas, de Parker. Graças à pequenos rendimentos e colheitas tardias, para obter melhor maturação, produzem vinhos de grande concentração e riqueza. Soberbos desde jovens, são famosos pela maciez e intensidade de sabor. O branco, um dos poucos crus brancos da Côte de Nuits, é ao mesmo tempo uma raridade e uma especialidade dos Ponsot. O Grand Cru Clos de la Roche é um dos grandes vinhos da Borgonha. São todos muito longevos.

vinhos tintos

159.50

23128 Gevrey-Chambertin Cuvée l’Abeille 08 RP=(89-90), WS=90(07) 3

159.50

20980 Morey-St. Denis Cuvée des Alouettes 07 (Premier Cru) RP=92, BH=90 3

299.50

20982 Chapelle-Chambertin 07 (Grand Cru) RP=93, BH=92 3

699.50

20983 Griotte-Chambertin 07 (Grand Cru) BH=93, RP=94 3

699.50

20984 Clos de la Roche Vieilles Vignes 07 (Grand Cru) RP=95, BH=94 3

839.50

23133 Caixa mista especial, composta de Grands Crus 2008: 1 Chambertin, 2 Clos de Vougeot, 2 Griotte-Chambertin, 2 Chapelle-Chambertin, 2 Charmes-Chambertin, 2 Clos de la Roche Vieilles Vignes, 1 Clos Saint Denis Très Vieilles Vignes 3 12.970.00

20987 Morey-St. Denis Clos des Monts Luisants 07* Vieilles Vignes (Premier Cru) BH=(89-91) 3

US$/gf

20981 magnum Morey-St. Denis Cuvée des Alouettes 07 (Premier Cru) (1.500 ml) WS=90

599.50

15623 magnum Chapelle-Chambertin 04 (1.500 ml) (Grand Cru) BH=92 3

998.50

20985 magnum Clos de la Roche Vieilles Vignes 07 (Grand Cru) (1.500 ml) WS=93, BH=94 3

1.699.00

DOMAINE JEAN GRIVOT (Vosne-Romanée/Nuits-St. Georges) www.domainegrivot.fr Extraordinário e talentoso produtor, especialista nas reputadas denominações de Vosne Romanée, Nuits St Georges e Clos Vougeot (Grand Cru). Seus tintos estão entre os melhores da Borgonha, combinando magistralmente riqueza e concentração com elegância e finesse. Seu maravilhoso Clos Vougeot está na relação dos grandes tintos da Borgonha.

vinhos tintos

US$/gf

16827 Clos de Vougeot 04* (Grand Cru) WS=90 3

365.50

18100 Nuits St. Georges Les Boudots 06* (Premier Cru) RP=93, WS=92(05), BH=91 3

325.00

16825 Vosne Romanée Aux Chaumes 04* (Premier Cru) 3

251.90

18099 Vosne Romanée Les Rouges 05* (Premier Cru) DEC=4*(02) 3

351.50

18096 Vosne Romanée Les Bossières 06* RP=91(03), BH=88 3

199.50

US$/gf

23127 Chambolle-Musigny Cuvée des Cigales 08 RP=(89-90)

vinho branco

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf 299.50

21967 MORGON CHÂTEAU DES JACQUES 2009 (Louis Jadot / Bourgogne)

Morgon é um dos 10 Crus de Beaujolais. Este vinhedo, localizado perto da cidadezinha de Ville Morgon, foi comprada pela Maison Louis Jadot em 2001. É um vinho fresco, aveludado, versátil com muita presença de fruta. Excelente para ser bebido jovem, mas com poder de envelhecimento de 10 anos. Quando mais velho, as notas de frutas dão lugar às especiarias.

US$59,90

15667 CORTON-CHARLEMAGNE GRAND CRU 2004 (Louis Jadot / Bourgogne)

Corton Charlemagne é um dos melhores e mais longevos brancos do mundo. Louis Jadot elabora magnífico exemplo com uvas de vinhedos próprios, de excelente localização. Rico, concentrado e muito complexo, é um branco soberbo e uma das maiores expressões da uva Chardonnay.

US$419,00

101


FRANÇA

OLIVIER BERNSTEIN (Borgonha/França) www.byolivierbernstein.com Olivier Bernstein é uma das melhores novidades da nova geração de vinhos da Borgonha. Um discípulo do lendário Henry Jayer, elabora vinhos realmente artesanais, apenas com uvas de vinhedos muito antigos, maturados em barricas de carvalho customizadas. A Master of Wine inglesa Jancis Robinson apresentou Olivier Bernstein como “um novo nome que deve permanecer sob os holofotes durante bastante tempo”. Allen Meadows, da Burghound, afirmou categoricamente: “se a qualidade continuar alta como tem sido, esta é certamente uma das propriedades a serem acompanhadas de perto e com grande entusiasmo no futuro”. Em todas as safras produzidas, os disputados Grands Crus têm arrematado notas altíssimas, sempre entre os melhores vinhos da Borgonha. Até o vinho de entrada de Bernstein, o Gevrey Chambertin, revela uma qualidade muito maior do que a denominação sugere, sendo comparável aos Premiers Crus de outros produtores. Seus brancos também são muito classudos e complexos.

vinhos tintos

US$/gf

22797 Gevrey Chambertin 09 ST=92-95 3

199.90

22798 Chambolle Musigny Les Lavrottes 09 (Premier Cru) 3

424.90

22799 Gevrey Chambertin Les Cazetiers 09 (Premier Cru) BH = “outstanding” 3

424.90

22800 Gevrey Chambertin Les Champeaux 09 (Premier Cru) 3

424.90

22801 Charmes Chambertin 09 (Grand Cru) BH =(90-93), ST=92-95 3

679.90

22802 Clos Vougeot 09 (Grand Cru) ST=(92-94) 3

679.90

22803 Clos de la Roche 09 (Grand Cru) BH=(92-94), ST=(93-96)3

798.50

22804 Bonnes Mares 09 (Grand Cru) BH=(92-94),ST=94-97 3

798.50

22805 Mazis Chambertin 09 (Grand Cru) BH = 93-95 3

899.50

22806 Chambertin Clos de Bèze 09 (Grand Cru) BH = 93-96, ST=95-98 3

999.90

vinhos brancos 22809 Meursault Les Charmes 09 (Premier Cru) RP=91(07) 3

US$/gf 378.50

22808 Puligny Montrachet Les Champ Gain 09 Premier Cru) RP=89+(07) 3

378.50

22807 Corton Charlemagne 09 (Grand Cru) 3

499.90

DOMAINE SIMON BIZE (Savigny-les-Beaunes) www.domainebise.fr Um domaine de bastante prestígio, cujos vinhos delicados e elegantes são elaborados no mais clássico estilo bourguignon. Seus vinhedos estão situados principalmente em Savigny-les-Beaunes, na Côte de Beaune, e incluem diversos Premiers Crus, como Aux Vergelesses, Les Talmettes, Aux Guettes e Aux Fournaux. São vinhos deliciosos e cheios de charme, leves e perfumados.

vinhos tintos

CHÂTEAU DE PULIGNYMONTRACHET (Puligny-Montrachet) Desde 2001 o Château de Puligny-Montrachet está nas mãos do talentoso Étienne de Montille, o filho de Hubert de Montille que, como o pai, é uma das estrelas do filme Mondovino. Com a chegada de Montille, os já excelentes vinhos desta famosa propriedade se tornaram ainda mais elegantes e complexos, com toda a finesse e autenticidade que também são a marca registrada dos vinhos do Domaine que leva o nome da família. São todos vinhos altamente expressivos, entre os melhores brancos da França. O maior destaque fica por conta do inebriante Puligny-Montrachet Premier Cru Les Folatières, um grande vinho. O Monthélie é um tinto de muito charme, personalidade e delicadeza.

vinhos tintos

US$/gf

24637 Monthélie 09 2

US$/gf

22044 Bourgogne Les Perrières rouge 09 BH=88 2

79.90

20105 Savigny-les-Beaune Les Bourgeots 08 BH=88 2

99.90

75.50

19558 Saint-Aubin Remilly rouge 06 (Premier Cru) 2

109.00

24638 Pommard 09

129.50

24638 Nuits-St. Georges 1er Cru 09

145.90

21006 Nuits-St. Georges Clos Grandes Vignes 07 (Premier Cru) 3

159.90

vinho rosado

US$/gf

24641 Bourgogne rosé 10 2

53.50

20106 Savigny-les-Beaune Les Fournaux 08* (Premier Cru) BH=(90-92) 3

148.50

20107 Savigny-les-Beaune Aux Vergelesses 08* (Premier Cru) BH=90, RP=90 3

156.50

22912 Bourgogne blanc Clos du Château 08 RP=88(07) 2

14985 Latricières-Chambertin 03* (Grand Cru) 3

469.50

22913 Saint-Aubin Remilly blanc 08 (Premier Cru) BH=90 2

109.90

22914 Meursault 08 BH=89

139.50

vinhos brancos 22048 Bourgogne Les Champlains blanc 09 17198 Savigny-les-Beaune blanc 05 20110 Corton-Charlemagne 08* (Grand Cru) BH=(91-93)3

VINHOS TRADICIONAIS EUROPEUS: CHARME E TIPICIDADE

vinhos brancos

US$/gf 63.90 109.50

US$/gf

22916 Meursault Les Poruzots 08 (Premier Cru) RP=92(07), BH=92 3

166.50

22915 Chassagne-Montrachet 08 RP=90(07) 3

145.50

399.50

25055 BOURGOGNE COUVENT DES JACOBINS BLANC 2011 (Louis Jadot / Bourgogne)

Hoje em dia, muitos enófilos brasileiros apreciam apenas vinhos no “estilo Novo Mundo”, ou “estilo Parker” — muito concentrados e encorpados, de alto teor alcoólico, muito redondos, quase “doces” no paladar. Há muitos vinhos excelentes neste estilo, mas este não é o único estilo que existe. Vale a pena experimentar os excelentes vinhos tradicionais

102

europeus, com todo seu charme e tipicidade. São vinhos muitas vezes de maior elegância, sutileza e complexidade, e que por sua boa acidez e secura, combinam muito melhor com a comida. Você vai descobrir, ou redescobrir, um mundo novo!

69.90

Excelente borgonha branco, com qualidade muito superior à média da denominação. Este Couvent des Jacobins é amplo e macio, com madeira perfeitamente integrada à fruta e ótima acidez. Certamente é um dos bons Borgonhas brancos mais acessíveis de nosso catálogo!

US$56,90


FRANÇA

22917 Puligny-Montrachet Le Château Puligny-Montrachet 08 3

148.90

22918 Puligny-Montrachet Les Chalumeaux 08 (Premier Cru) 3

199.90

24649 Puligny-Montrachet Les Folatières 09 (Premier Cru) 3

299.50

19572 Chevalier-Montrachet 06 (Grand Cru) BH= (92-94) 3

758.50

garrafa magnum vinho tinto 22909 magnum Nuits-St. Georges Clos Grandes Vignes 08 (Premier Cru) (1.500 ml) BH=(88-91)

garrafa magnum vinho branco 22920 magnum Chevalier-Montrachet 08 (Grand Cru) (1.500 ml) BH=94 3

US$/gf 359.50

US$/gf 1.438.50

DOMAINE PIERRE GELIN (Gevrey-Chambertin, fixin) www.domaine-pierregelin.fr Simplesmente o melhor domaine de Fixin na opinião de Clive Coates, Pierre Gelin é o grande nome desta região vizinha a Gevrey-Chambertin que costuma oferecer uma ótima relação qualidade/preço. O mais emblemático vinho da propriedade é o “monopole” (vinhedo inteiramente pertencente ao produtor) Clos Napoleón, elaborado com uvas de um único vinhedo plantado na década de 50. Carnudo e terroso, o vinho é classificado como “outstanding” pela Burghound, que o indica como um dos vinhos da Borgonha que “merecem ser procurados”. O grandioso ChambertinClos de Bèze é elaborado com uvas de duas minúsculas parcelas que totalizam 0,65ha, incluindo um lote de vinhedos centenários — uma verdadeira raridade. O Fixin de base foi apontado com “surpreendentemente bom” e “delicioso” pela Burghound. Entre os robustos Gevrey-Chambertin, o Clos Prieur de Pierre Gelin é produzido com a porção “Premier Cru” deste vinhedo, enquanto o Clos Meixvelle é um outro “monopole” de Pierre Gelin, de qualidade que rivaliza com muitos 1er Crus. O Aligoté, por sua vez, é fresco e aromático – uma das melhores escolhas para acompanhar escargot.

vinhos tintos 23285 Fixin 08 2 23287 Gevrey-Chambertin Clos de Meixvelle 08 WS=91(05), BH=89 3

135.00

23288 Gevrey-Chambertin Clos Prieur 08 (Premier Cru) WS=90, BH=90 3

vinho branco

(Pouilly Fuissé)

Um dos grandes especialistas da prestigiosa denominação de Puligny-Montrachet, na Côte de Beaune, Louis Carillon é um dos melhores produtores de vinhos brancos da Bourgogne. Sua família está presente em Puligny-Montrachet desde 1632. Seus vinhos são intensos, concentrados e complexos, de grande riqueza, aptos a envelhecer muitos anos.

www.domaine-ferret.com

vinhos brancos

US$/gf

23123 Puligny-Montrachet 09* BH=(87-90) 3

189.00

19857 Chassagne-Montrachet 07* BH= 88

173.00

23124 Puligny-Montrachet Macherelles 09* (Premier Cru) WS=91 3

257.00

23125 Puligny-Montrachet Les Champs Gains 09* (Pr. Cru) 3

292.00

20991 Puligny-Montrachet Les Perrières 08* (Premier Cru) BH= 93 3

266.50

DOMAINE GUY ROULOT

vinhos brancos

Excelente produtor, com quatro estrelas de Parker, especializado nos brancos de Meursault, na Côte de Beaune. Seu melhor vinhedo é o Cru Les Tessons, que ostenta no rótulo as palavras “Clos de Mon Plaisir” (Canto do Meu Prazer). São brancos ricos, complexos e intensos, bastante opulentos e cheios de classe, merecendo altas notas da imprensa especializada. Segundo o guia Bettane&Dessauve, que lhe concede as dificilmente obtidas duas estrelas, “eis um domaine que sabe seduzir os puristas, criando vinhos brilhantes por sua expressão refinada do terroir”.

vinhos brancos

US$/gf

19860 Pouilly-Fuissé 08 WS=88 2

(Meursault)

18107 Bourgogne Blanc 05* RP=88(03) 2

O mais famoso crítico francês, Michel Bettane, da Revue du Vin de France, diz textualmente: “Não há nenhuma dúvida a respeito: o Domaine Ferret continua a gerar os mais estupendos vinhos de Pouilly-Fuissé”. A Master of Wine Jancis Robinson completa: “Ferret tem feito vinhos melhores e melhores a cada ano”, apontando a vinícola como um dos Domaines de Pouilly-Fuissé em que se pode confiar. Para o “Classement des Meilleurs Vins de France”, o segredo de brancos tão bons são as “vinhas antigas e os rendimentos minúsculos”, que explicam “a excepcional qualidade dos vinhos”. Seus melhores brancos estão classificados em dois níveis de qualidade: Tête de Cru e, para os melhores, Hors Classe. São vinhos encorpados e opulentos, de grande concentração e retrogosto amendoado, que costumam receber a classificação “outstanding” da Burghound, revista especializada em vinhos da Borgonha.

US$/gf 75.50

23136 Meursault Les Meix Chavaux 09* RP-92 3

259.50

23137 Meursault Les Luchets 09* RP=92 3

259.50

84.50

14557 Pouilly-Fuissé Cuvée Entre Nous 05 3

89.75

23999 Pouilly-Fuissé Sous Vergisson 10 3

85.50

14558 Pouilly-Fuissé Tête de Cru Les Perrières 04* RP=91(93) 3 19698 Pouilly-Fuissé Hors Classe Tournant de Pouilly 06* 3

99.90 147.25

24006 MUSIGNY VIEILLES VIGNES 2009

(Domaine Comte Georges de Vogüé / Bourgogne) Sempre apontado como um dos maiores vinhos da Borgonha e do mundo, o monumental Musigny de De Vogüé é uma das mais impressionates expressões da casta Pinot Noir. Profundo mas delicado, é um vinho capaz de evoluir em garrafa por muitas décadas. O 2009 foi descrito como “fantasticamente complexo” pela Burghound. O vinho mereceu nada menos que 97 pontos de Robert Parker e da Wine Spectator.

US$1299,50

98.50 135.00

23290 Bourgogne Aligoté 10

DOMAINE FERRET

(Puligny-Montrachet)

US$/gf

23286 Fixin Clos Napoléon 08 (Premier Cru) WS=90(05) 3

20570 Chambertin Clos de Bèze 06 (Grand Cru) WS=90, BH=90-92 3

DOMAINE LOUIS CARILLON

22442 MERCUREY DOMAINE FAIVELEY ROUGE 2009

219.00

(Faiveley / Bourgogne)

18701 VOLNAY 1ER CRU “LES CHAMPANS” 2006

474.50

Uma das melhores relações qualidade/ preço da Borgonha, elaborado por Faiveley, um dos grandes especialistas em Mercurey. Saboroso e de boa concentração, com uma discreta elegância e muito equilíbrio.

Nas competentes mãos de Etianne de Montille, o Premier Cru “Les Champans” dá origem a um vinho cheio de sutilezas, com aromas terrosos e de frutasa negras. Um vinho “realmente adorável” na opinião de Burghound, é um dos mais emblemáticos vinhos do Domaine, com um destacado acento mineral.

US$/gf 46.90

US$55,50

(Domaine de Montille / Bourgogne)

US$185.90

103


FRANÇA

DOMAINE DES COMTES LAFON

LES HÉRITIERS DU COMTE LAFON

(Bourgogne / França) www.comtes-lafon.fr

www.comtes-lafon.fr

Segundo atesta o Master of Wine Clive Coates em seu antológico livro “The Wines of Burgundy”, o Domaine des Comtes Lafon é “simplesmente o melhor produtor de brancos da Borgonha, e também um produtor de tintos realmente excelentes”. Para Clive Coates, trata-se de um dos pouquíssimos produtores em toda a Borgonha a merecerem as máximas 3 estrelas. Responsável por brancos profundos, de imensa longevidade, o Domaine também é apontado por Robert Parker como um dos melhores produtores de todo o mundo e como “uma verdadeira referência para Borgonhas brancos” – “compras obrigatórias” para os colecionadores de vinhos. Dominique Lafon, que assumiu a propriedade na década de 80, é, nas palavras de Parker, “um sofisticado embaixador da Borgonha e um brilhante enólogo e viticultor”. Dominique converteu os vinhedos para cultivo biodinâmico e recuperou parcelas da família que estavam arrendadas, aumentando um pouco a minúscula produção da vinícola. Segundo Dominique Lafon, o maior ensinamento que recebeu como enólogo veio de seu pai: “if faut avoir le courage de ne rien faire”, ou seja, ter a coragem de não fazer nada — uma máxima que exemplifica o estilo não-intervencionista adotado pelo produtor.Segundo a The Wine Advocate de Robert Parker, “Lafon é famoso por seus primorosos brancos, mas os enófilos também deveriam prestar atenção a seus soberbos tintos”. A ampla coleção de notas altas de seus tintos e brancos inclui nada menos que 14 pontuações iguais ou superiores a 95 pontos da Burghound e 18 de Robert Parker! A dedicação meticulosa à qualidade de Lafon é tão radical que, na safra de 2008, os vinhos foram elaborados com um rendimento de apenas 15 Hl/Ha — menos da metade da grande maioria dos vinhos dos melhores produtores! Lafon é realmente uma referência absoluta para a Borgonha, com preços bastante atrativos se comparados a outros vinhos da mesma categoria. Seus vinhos são puros e profundos, gordos e longos, mas com uma elegância que só pode ser encontrada nos melhores vinhos da Côte d’Or.

vinhos tintos

US$/gf

25126 Monthélie 1er Cru Les Duresses 10*

168.90

23874 Volnay 1er Cru Santenots-du-Millieu 09* RP=91(07) 3

326.50

vinhos brancos 22279 Meursault 07* RP=89-90 (06) BH=(89-91) 3

US$/gf 242.00

22277 Meursault Clos de la Barre 07* RP=90-91(06), BH=91 3

284.00

23879 Meursault 1er Cru Charmes 09* RP=92-93(06) 3

456.50

104

A família Lafon, de Meursault — produtores dos “melhores brancos de toda Borgonha” segundo Clive Coates — adquiriu em 1999 uma das melhores parcelas da região de Mâcon. Os vinhedos foram convertidos para agricultura biodinâmica e em poucos anos já davam origem brancos apontados como algumas das maiores pechinchas da Borgonha. Na opinião de Jancis Robinson, quando elaborados por produtores como Lafon, os vinhos de Mâcon estão “entre as melhores relações qualidade/preço de todo o mundo”. Para colocar os vinhos em um patamar superior, Lafon usa rendimentos muito mais baixos que a grande maioria dos vinhos do Mâconnais, produzindo brancos complexos, repletos de mineralidade e com um toque “gordo” que só os famosos Meursault de Lafon possuem. Trouxemos os vinhos de vinhedo único da propriedade, todos de minúscula produção. O vinhedo Les Maranches dá um vinho “adorável” na opinião da Burghound, que classificou a safra 2008 como “Outstanding”. O Clos de la Crochette é produzido com uvas de um vinhedo murado, um dos primeiros a serem plantados pelos monges de Cluny, há mais de 1000 anos. A safra 2008 recebeu o disputado “coup de coeur” da Burghound que destacou seu final “impressionantemente longo”. Já o Clos du Four — o mais famoso “Cru” da vinícola — foi selecionado pela Burghound como uma das melhores compras entre todos os brancos da Borgonha na safra 2008.

vinhos brancos

US$/gf

22963 Mâcon-Villages 10 BH=87 2

79.90

21238 Mâcon-Chardonnay Clos de la Crochette 08 BH=(89-92) 3

99.50

21237 Mâcon-Milly-Lamartine Clos du Four 08 BH=(90-92) 3

99.50

21239 Mâcon-Uchizy Les Maranches 08 BH=(88-91) 3

99.50

DOMAINE DE VILLAINE (Côte Chalonnaise) www.de-villaine.com Quando se fala em brancos da Borgonha, é natural associá-los à onipresente uva Chardonnay — mas uma pequena porção desse nobre território se especializou também na produção da coadjuvante Aligoté. Bouzeron, uma vila na Côte Chalonnaise, é tida como “o paraíso da Aligoté” e acabou atraindo uma das figuras mais célebres do mundo do vinho: Aubert de Villaine, co-proprietário do Domaine de la Romanée-Conti. Neste recanto da Borgonha, ele e a mulher Pamela fundaram o Domaine A&P Villaine, um projeto ousado, dedicado a recuperar o prestígio desta casta tipicamente borgonhesa. O produtor cultiva videiras de Aligoté nas encostas privilegiadas das colinas, talhando um branco singular, que dá prazer logo nos primeiros anos mas também pode ser guardado por mais de uma década. O Bouzeron Aligoté é um branco perfumado, delicado, cheio de fruta e com mineralidade vibrante, notas discretas de baunilha no nariz e uma textura aveludada no palato. É uma grata surpresa, que demonstra a habilidade dessa uva ainda pouco conhecida em transmitir a essência de seu território. Para quem quer conhecer esta outra face da Borgonha, os vinhos do Domaine A&P Villaine — apontado por Clive Coates como o único produtor notável da região — são o melhor cartão de visitas.

vinho branco 25127 Bouzeron Aligoté 11* 3

US$/gf 97.50


FRANÇA

BORDEAUX

18967 Ch. d’Armailhac 06 (5ème Pauillac) RP=91

Bordeaux talvez seja a mais celebrada e conhecida região vinícola do mundo — a terra dos grandes châteaux que, em geral, fazem juz à fama de produzirem vinhos muito elegantes, longevos, encorpados e classudos. Os melhores podem ser realmente excepcionais, enquanto os mais acessíveis apresentam boa relação qualidade/preço e são um pouco menos encorpados. Os grandes tintos do Médoc estão entre os mais aristocráticos — e os melhores foram elencados na famosa Classificação de 1855 como “crus classés”. Alguns châteaux não classificados como “crus classés” podem ser tão bons quanto muitos dos classificados, e alguns dos melhores são elencados como “crus bourgeois”. Bordeaux também está repleta de deliciosos petits châteaux — elaborados em zonas menos nobres, mas que, bem escolhidos, podem ser maravilhosamente saborosos, com charme e uma das melhores relações qualidade/ preço do Velho Mundo. Bordeaux também produz maravilhosos vinhos brancos secos — de incrível riqueza e complexidade — e os insubstituíveis Sauternes, os melhores

18997 Ch. d’Issan 06 (3ème Margaux) RP=94

239.40

22763 Ch. Ducru-Beaucaillou 08 (2ème St. Julien) RP=95+, WS=92

657.00

18415 Ch. Duhart-Milon-Rothschild 06 (4ème Pauillac) RP=92

227.40

19485 Ch. Duhart-Milon-Rothschild 07 (4ème Pauillac)

238.20

18743 Ch. du Tertre 06 (5ème Margaux)

172.20

19925 Ch. du Tertre 07 (5ème Margaux)

167.70

17504 Ch. Giscours 05 (3ème Margaux) RP=91, WS=93

359.40

20142 Ch. Grand Puy Ducasse 07 (5ème Pauillac)

162.00

17514 Ch. Grand Puy Lacoste 05 (5ème Pauillac) RP=95, WS=93

477.60

18736 Ch. Gruaud Larose 06 (2ème Saint Julien) WS=90

261.00

20668 Ch. Haut Bages Averous 07 (5ème Pauillac)

146.40

18734 Ch. Haut Bages Libéral 06 (5ème Pauillac) WS=92

167.40

18969 meia Ch. d’Armailhac 06 (5ème Pauillac) (375 ml)

e mais nobres vinhos de sobremesa do mundo.

Premier cru classé

US$/gf

22545 Ch. Lafite-Rothschild 08 (Pauillac) RP=98, WS=92

2.150.00

19980 Ch. Margaux 07 (Margaux) RP=92

3.190.00

20152 Ch. Mouton Rothschild 07 (Pauillac) RP=92, WS=92

3.190.00

19971 Ch. Haut-Brion 07 (Pessac-Léognan, Graves) RP=92, WS=91

2.150.00

20658 Ch. Pétrus 99 (Pomerol) RP=94, WS=90

3.990.00

Cru classé (Médoc/Graves)

US$/gf

23616 Ch. Beychevelle 09 (4ème Saint Julien) RP=93, WS=92

18960 meia Ch. Haut Bages Libéral 06 (5ème Pauillac) (375 ml)

189.00 92.00

83.40

18075 Ch. Haut Bailly 05 (Pessac-Léognan, Graves) RP=95, WS=95

409.80

18742 Ch. Haut Batailley 06 (5ème Pauillac)

179.40

23470 Ch. Kirwan 00 (3ème Margaux) WS=92

419.50

18408 meia Ch. Kirwan 06 (3ème Margaux) (375 ml) RP=90

117.50

18579 Ch. La Lagune 06 (3ème Haut-Médoc) RP=91

239.40

18581 meia Ch. La Lagune 06 (3ème Haut-Médoc) (375 ml)

119.40

18746 Ch. Lagrange 06 (3ème St Julien) RP=91

238.20

21133 Ch. Langoa-Barton 97 (3ème St. Julien)

298.20

16071 Ch. La Mission Haut-Brion 04 (Pessac-Léognan, Graves) RP=90, WS=91

999.00

17986 Ch. La Tour Carnet 05 (4ème Haut-Médoc) RP=91

159.00

342.50

18994 Ch. Lafon-Rochet 06 (4ème St. Estéphe)

189.00

17519 Ch. Boyd Cantenac 05 (3ème Margaux) RP=92, WS=92

239.40

22776 Ch. Larrivet Haut-Brion 08 (Pessac-Léognan, Graves) RP=90

161.40

23463 Ch. Branaire-Ducru 00 (4ème St Julien)

526.90

19003 Ch. Lascombes 06 (2ème Margaux) RP=90

359.40

20159 meia Ch. Branaire-Ducru 07 (4ème St Julien) (375 ml) RP=90

23464 Ch. Léoville-Barton 88 (2èmeSaint Julien) WS=93

626.50

119.00

5477

23469 Ch. Brane Cantenac 05 (2ème Margaux) RP=94, WS=92

476.90

18735 Ch. Léoville-Poyferré 06 (2ème St Julien) RP=91

375.00

17999 Ch. Calon-Ségur 05 (3ème Saint Estèphe) RP=92+, WS=93

423.60

23607 Ch. Léoville-Poyferré 09 (2ème St Julien) RP=100

690.00

25674 Ch. Camensac 10 (5ème Haut-Médoc) 1

135.00

18417 Ch. Les Carmes Haut Brion 06 (Pessac-Léognan,Graves) RP=90, WS=90

264.00

25675 meia Ch. Camensac 10 (5ème Haut-Médoc) (375 ml) 1

67.00

Ch. Léoville Las Cases 96 (2ème Saint Julien) RP=98, WS=92, RV=5*

1.199.40

22192 Ch. Lynch Bages 04 (5ème Pauillac)

499.00

19051 Ch. Cantemerle 06 (5ème Haut-Médoc) RP=90

143.40

19946 Ch. Lynch Moussas 06 (5ème Pauillac) RP=89

150.00

24299 Ch. Cantenac Brown 09 (3ème Margaux)

275.00

25687 Ch. Carbonnieux 10 (Pessac-Léognan, Graves) 1

158.00

16975 Ch. Malartic-Lagravière rouge 04 (Pessac-Léognan, Graves) RP=89

179.10

19996 Ch. Clerc-Milon-Rothschild 07 (5ème Pauillac)

226.20

19926 Ch. Montrose 07 (2ème Saint Estèphe) RP=91

385.00

23623 Ch. Montrose 09 (2ème Saint Estèphe) RP=100

972.00

13034 Ch. Cos d’Estournel 02 (2ème St Estèphe) RP=93, WS=93 24319 Ch. Cos d’Estournel 09 (2ème St Estèphe) RP=100 18021 Ch. Cos Labory 05 (5ème St Estèphe) RP=89+

599.00 1.535.00 177.00

23465 Ch. Pape Clément 07 (Pessac-Léognan, Graves) RP=92 23468 Ch. Pichon Lalande 03 (2ème Pauillac) RP=95 18970 Ch. Pichon Lalande 06 (2ème Pauillac) RP=95, WS=92

657.50

ÓTIMOS ACHADOS DE BORDEAUX 19702 Clos Puy Arnaud 2007 (Petits Châteaux / Bordeaux / França / Tinto) US$ 96.00 20143 Ch. Belle-Vue 2007 (Petits Châteaux / Bordeaux / França / Tinto) US$ 66.50 20677 Ch. Tour de Mirambeau Grand Vin rouge 2007 (Château Tour de Mirambeau / Bordeaux / França / Tinto) US$ 66.90 22195 Médoc Réserve Spéciale 2008 (Domaines Barons de Rothschild / Bordeaux / França / Tinto) US$ 57.50 22563 Ch. de Sainte Gemme 2000 (Cru bourgeois / Bordeaux / França / Tinto) US$ 69.90 22768 Ch. Fourcas Hosten 2008 (Cru bourgeois / Bordeaux / França / Tinto) US$ 72.60 22972 Ch. La Butte Vieilles Vignes 2007 (Château La Gatte / Bordeaux / França / Tinto) US$ 45.50 23597 Ch. Le Mont d’Or 2006 (Petits Châteaux / Bordeaux / França / Tinto) US$ 53.90 24121 Ch. Villa Bel Air blanc 2010 (JM Cazes / Bordeaux / França / Branco Seco) US$ 55.90 24106 Ch. La Grace Dieu Prieurs Grand Cru 2008 (Cru classé (Pomerol/St. Emilion) / Bordeaux / França / Tinto) US$ 78.50 24118 Ch. Villa Bel Air 2007 (JM Cazes / Bordeaux / França / Tinto) US$ 67.50 24123 Ch. Perenne 2006 (Bernard Magrez / Bordeaux / França / Tinto) US$ 63.25 24222 Ch. La Croix de Cabut 2009 (Petits Châteaux / Bordeaux / França / Tinto) US$ 31.90

1.065.00 699.00

105


FRANÇA

ÓTIMOS ACHADOS DE BORDEAUX 24998 Margaux Private Reserve 2010 (Schröder & Schÿler / Bordeaux / França / Tinto) US$ 89.90 24999 Ch. Haut Badon 2009 (Cru classé - Pomerol/St. Emilion / Bordeaux / França / Tinto) US$ 68.90 25237 Pauillac Réserve Spéciale 2010 (Domaines Barons de Rothschild / Bordeaux / França / Tinto) US$ 99.90 25694 Ch. Rollan de By 2010 (Cru bourgeois / Bordeaux / França / Tinto) US$ 89.90

22736 Ch. Pichon Longueville Baron 08 (2ème Pauillac) RP=95

385.00

16090 magnum Ch. Pape Clément 04 (Pessac-Léognan, Graves) (1.500 ml) RP=91

796.20

18984 Ch. Pontet Canet 06 (5ème Pauillac) RP=95+, WS=93

415.00

16978 magnum Ch. Pichon-Longueville-Baron 04 (2ème Pauillac) (1.500 ml) RP=93

716.40

18982 Ch. Prieuré-Lichine 06 (4ème Margaux) RP=90

212.40

18073 Ch. Rauzan-Gassies 05 (2ème Margaux) RP=92

220.20

18983 magnum Ch. Prieuré-Lichine 06 (4ème Margaux) (1.500 ml)

421.20

199.90

18077 magnum Ch. Saint Pierre Sevaistre 03 (4ème Saint Julien) (1.500 ml)

592.20 476.40 346.80

3357

Ch. Rauzan-Ségla 94 (2ème Margaux)

18076 Ch. Saint Pierre Sevaistre 05 (4ème St Julien) RP=93

296.30

18980 Ch. Smith-Haut Lafitte 06 (Pessac-Léognan, Graves) RP=93, WS=92

15835 magnum Ch. Smith-Haut Lafitte 04 (Pessac-Léognan, Graves) (1.500 ml) RP=93

316.70

23630 Ch. Smith-Haut Lafitte 09 (Pessac-Léognan, Graves) RP=100

16088 magnum Domaine de Chevalier rouge 04 (Pessac-Léognan, Graves) (1.500 ml)

550.00

18748 Ch. Talbot 06 (4ème Saint Julien) WS=91

227.40

18069 Domaine de Chevalier rouge 05 (Pessac-Léog., Graves) RP=92, WS=93

287.40

garrafas magnum cru classé (Médoc/Graves)

357.00

18986 magnum Ch. Branaire-Ducru 06 (4ème St Julien) (1.500ml) RP=90+

575.40

18962 magnum Ch. Camensac 06 (5ème Haut-Médoc) (1.500 ml)

218.40

16102 magnum Ch. Clerc-Milon-Rothschild 04 (5ème Pauillac) (1.500 ml) RP=90 19053 magnum Ch. Cos Labory 06 (5ème St Estèphe) (1.500 ml)

21238 MÂCON CHARDONNAY CLOS DE LA CROCHETTE 2008

(Les Héritiers du Comte Lafon / Bourgogne) Lafon mostrou ao mundo o imenso potencial de Mâcon para produzir brancos incrivelmente profundos e minerais, bastante distintos dos brancos mais simples elaborados na região. O Clos de la Crochette é produzido com uvas de um vinhedo murado – um dos primeiros a serem plantados pelos monges de Cluny, há mais de 1.000 anos. Rico e cheio de camadas, recebeu o disputado “coup de coeur” da revista Burghound.

US$99,50

106

US$/gf

19091 magnum Ch. Boyd Cantenac 06 (3ème Margaux) (1.500 ml) WS=90

381.60 311.40

19967 magnum Ch. d’Armailhac 07 (5ème Pauillac) (1.500 ml)

386.30

18998 magnum Ch. d’Issan 06 (3ème Margaux) (1.500 ml) RP=94

Cru classé (Pomerol/St.Emilion)

US$/gf

20161 Ch. Barde Haut 07 (grand cru Saint Emilion) RP=90-92

162.90

25705 Ch. Beauregard 10 (Pomerol)

199.50

22569 Ch. Belregard-Figeac 08 (grand cru Saint Emilion)

126.90

20153 Ch. Cadet Bon 07 (grand cru classé Saint Emilion)

133.80

22547 meia Ch. Cadet Bon 08 (grand cru classé Saint Emilion) (375 ml)

75.60

20653 Ch. Certan de May 07 (Pomerol)

465.60

17992 Ch. Fombrauge 05 (grand cru Saint Emilion) RP=90, WS=91

179.90

20005 Ch. Fonroque 07 (grand cru classé Saint Emilion)

124.20

20651 Ch. Gazin 07 (Pomerol)

276.60

24999 Ch. Haut Badon 09 (grand cru Saint Emilion) 24106 Ch. La Grace Dieu des Prieurs 08 (grand cru Saint Emilion)

68.90 78.50

21153 Ch. L’Évangile 08 (Pomerol) RP=94, WS=93

594.00

24311 Ch. La Croix de Gay 09 (Pomerol)

149.50

479.40

18028 Ch. La Croix Ducasse 05 (Pomerol)

154.20

18416 magnum Ch. Duhart-Milon-Rothschild 06 (4ème Pauillac) (1.500 ml) RP=92

454.80

23641 Ch. La Dominique 09 (grand cru Saint Emilion) RP=93

216.50

18740 magnum Ch. Giscours 06 (3ème Margaux) (1.500 ml)

479.40

20683 Ch. Lagrange Pomerol 07 (Pomerol) RP=90

119.90

23606 magnum Ch. Kirwan 09 (3ème Margaux) (1.500 ml)

539.50

22749 Ch. Providence 08 (Pomerol) RP=93

389.00

20647 Ch. Puy Blanquet 07 (grand cru Saint Emilion)

71.90 85.90

16491 magnum Ch. La Lagune 04 (3ème Haut-Médoc) (1.500 ml)

567.00

22983 Ch. Puy Mouton 08 (grand cru Saint Emilion)

24904 magnum Moulin La Lagune 10 (2ème Ch. La Lagune) (1.500 ml)

626.00

20662 Ch. Quinault L’Enclos 04 (“vin de garage” de St Emilion) RP=91

137.40

17987 magnum Ch. La Tour Carnet 05 (4ème Haut-Médoc) (1.500 ml) RP=91

355.80

16990 Ch. Troplong-Mondot 04 (grand cru classé St Emilion)

239.40

20657 Ch. Trotanoy 01 (Pomerol) RP=90, WS=91

445.00

15843 Clos Fourtet 04 (Pr. gr. cru classé St. Emilion) RP=90

287.40

16097 magnum Ch. Lafon-Rochet 04 (4ème St. Estéphe) (1.500 ml) RP=90

299.00

16105 magnum Ch. Lascombes 04 (2ème Margaux) (1.500 ml)

454.80

18965 magnum Ch. Léoville-Barton 06 (2èmeSaint Julien) (1.500ml) WS=94

718.80

18966 magnum Ch. Léoville-Poyferré 06 (2ème St Julien) (1.500ml)

718.80

16976 magnum Ch. Malartic-Lagravière rouge 04 (Pessac-Léognan, Graves) (1.500 ml)

347.40

15828 magnum Ch. Montrose 04 (2ème Saint Estèphe) (1.500 ml) RP=91

599.40

garrafas magnum cru classé (Pomerol/St.Emilion)

US$/gf

16988 double magnum Ch. Beauregard 04 (Pomerol) (3.000 ml)

669.60

16987 magnum Ch. Beauregard 04 (Pomerol) (1.500 ml)

334.80

18405 double magnum Ch. Bellevue 04 (grand cru Saint Emilion) (3.000 ml)

629.90


FRANÇA

garrafas magnum deuxième vin

18404 magnum Ch. Bellevue 04 (grand cru Saint Emilion) (1.500 ml)

315.00

15005 magnum Ch. Les Ormes de Pez 03 (Médoc) (1.500 ml)

211.40

21118 magnum Ch. Fombrauge 08 (grand cru Saint Emilion) (1.500 ml)

285.00

16080 double magnum Ch. Les Ormes de Pez 04 (Saint-Estèphe) (3.000 ml)

16075 double magnum Bahans Haut Brion 04 (2ème Ch. Haut Brion) (3.000 ml)

438.60

20652 magnum Ch. Gazin 07 (Pomerol) (1.500 ml)

551.40

18068 magnum Ch. Phélan-Ségur 05 (Saint-Estèphe) (1.500 ml)

16074 magnum Bahans Haut Brion 04 (2ème Ch. Haut Brion) (1.500 ml)

366.80

US$/gf 1.999.00 999.00

24108 magnum Ch. La Grace Dieu des Prieurs 10 (grand cru Saint Emilion) (1.500 ml)

165.00

18425 magnum Ch. Potensac 06 (Médoc) (1.500 ml)

201.90

18805 magnum Carruades de Lafite 05 (2ème Ch. Lafite Rothschild) (1.500 ml)

20648 magnum Ch. Puy Blanquet 07 (grand cru Saint Emilion) (1.500 ml)

143.70

17512 magnum Ch. Rollan de By 05 (Médoc) (1.500 ml) RP=90

189.70

20650 magnum L’Hospitalet de Gazin 07 (2ème vin Ch. Gazin) (1.500 ml)

231.90

295.00

15852 magnum Ch. Sociando-Mallet 04 (Haut-Médoc) “nível de cru bourgeois” (1.500 ml)

403.90

21187 magnum Moulin la Lagune 07 (2ème Ch. La Lagune)(1.500 ml)

217.90

19922 magnum Sarget de Gruaud Larose 07 (2ème Ch. Gruaud Larose) (1.500 ml)

162.00

20663 magnum Ch. Quinault L’Enclos 04 (“vin de garage” de St Emilion) (1.500 ml) RP=91 16991 magnum Ch. Troplong-Mondot 04 (grand cru classé St Emilion) (1.500 ml) 15844 magnum Clos Fourtet 04 (Pr. gr. cru classé St. Emilion) (1.500 ml)

Cru bourgeois 18022 Ch. d’Agassac 05 (Haut-Médoc) WS=90 22566 Ch. Barateau 08 (Haut-Médoc)

478.80 521.90

US$/gf 85.90 71.90

Deuxième vin

US$/gf

18972 Bahans Haut Brion 06 (2ème Ch. Haut Brion)

499.00

19488 Carruades de Lafite 07 (2ème Ch. Lafite Rothschild) RP=90

999.00

18999 Clos du Marquis 06 (2ème Ch. Léoville- Las Cases) WS=92

235.00

18749 Connetable du Ch. Talbot 06 (2ème Ch. Talbot) 20669 Duluc de Branaire-Ducru 04 (2ème Ch. Branaire-Ducru)

89.00 178.70

19054 Ch. Bernadotte 06 (Haut-Médoc, dono Ch. Pichon Lalande)

83.30

20635 Frank Phélan 06 (2ème Ch. Phélan-Ségur)

18420 Ch. Charmail 06 (Haut-Médoc)

85.50

18421 meia Ch. Charmail 06 (Haut-Médoc) (375 ml)

42.50

20140 La Croix de Beaucaillou 07 (2ème Ch. Ducru-Beaucaillou)

152.60

22734 La Dame de Montrose 08 (2ème Ch. Montrose)

147.30

21138 La Réserve de Léoville-Barton 04 (2ème Ch. Léoville-Barton)

155.80

24305 Le Petit Mouton Rothschild 09 (2ème Ch. Mouton Rothschild)

469.50

18413 Ch. Chasse-Spleen 06 (Moulis-Médoc)

130.50

22563 Ch. de Sainte Gemme 00 (Haut-Médoc)

69.90

22768 Ch. Fourcas Hosten 08 (Listrac, Haut Médoc)

72.60

22769 meia Ch. Fourcas Hosten 08 (Listrac, Haut Médoc) (375 ml)

35.90

20145 Ch. Gloria 07 (St. Julien) 20146 meia Ch. Gloria 07 (St. Julien) (375 ml) 22777 Ch. Lanessan 08 (Haut-Médoc) 22778 meia Ch. Lanessan 08 (Haut-Médoc) (375 ml)

151.90 75.90 76.90 38.20

21141 meia Les Charmes Kirwan 08 (2ème Ch. Kirwan) (375 ml)

92.90

68.30

25720 Les Charmes Kirwan 09 (2ème Ch. Kirwan)

144.00

16078 Ch. Les Ormes de Pez 04 (Saint-Estèphe) WS=89

109.90

22574 Les Douves de La Tour Carnet 05 (2ème Ch. La Tour Carnet)

135.90

17508 Ch. Maucaillou 05 (Moulis) WS=90

115.60

20667 Les Fiefs de Lagrange 06 (2ème Ch. Lagrange)

131.20

24249 Ch. Meyney 09 (Saint-Estèphe)

139.90

20148 Les Forts de Latour 07 (2ème Ch. Latour) RP=90

525.00

23461 Ch. Phélan-Ségur 05 (Saint-Estèphe) RP=89, WS=89

319.50

20649 L’Hospitalet de Gazin 07 (2ème vin Ch. Gazin)

124.60

21125 Ch. Potensac 08 (Médoc)

114.90

19985 Ch. Poujeaux 07 (Moulis)

120.40

13184 Les Pagodes de Cos 02 (2ème Ch. Cos d’Estournel) WS=92(00)

292.20

16391 Goulée rouge 04 (pertence ao Ch. Cos d’Estournel) 3 25672 Marquis de Calon 10 (2ème Ch. Calon Ségur) 1

134.90 113.00

21186 Moulin la Lagune 07 (2ème Ch. La Lagune)

114.50

19700 Ch. Rollan de By 07 (Médoc)

87.70

19701 meia Ch. Rollan de By 07 (Médoc) (375 ml)

42.90

24223 Ch. Sigognac 09 (Médoc)

49.90

17521 Ch. Sociando-Mallet 05 (Haut-Médoc) “nível de cru bourgeois” RP=91+

garrafas magnum cru bourgeois

246.90

US$/gf

21188 meia Moulin la Lagune 07 (2ème Ch. La Lagune) (375 ml)

61.20

VINHOS BRANCOS vinhos brancos secos 20638 Cos d’Estournel Blanc 07 (A.C. Bordeaux) RP=90, WS=90 23466 Ch. Pape Clément blanc 05 (A.C. Pessac-Léognan) RP=96

US$/gf 782.50 1.386.50

14919 Ch. Smith-Haut Lafitte blanc 03 (A.C. Pessac-Léognan) RP=93, WS=93

162.90

19093 Ch. Carbonnieux blanc 06 (A.C. Pessac-Léognan) RP=91

139.50

16996 Ch. Malartic-Lagravière blanc 04 (A.C. Pessac-Léognan)

169.50

21030 Goulée blanc 09 (pertence ao Ch. Cos d’Estournel) WS=90 3

114.50

20009 Ch. Brown blanc 07 (A.C. Pessac-Léognan, Graves) 3

133.90

20970 Ch. Villa Bel-Air Blanc 09 (A.C. Graves) 3 19092 Ch. Haut Bergey blanc 06 (A.C. Pessac-Léognan)

54.00 113.00

17580 Ch. Tour de Mirambeau Grand Vin blanc 05 (A.C. Bordeaux) RP=90 3

54.30

17842 “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau blanc 07 WE=88(08)

35.50

24533 meia “La Réserve” du Ch. Tour Mirambeau blanc 11 (375 ml)

23.90

24534 quarto “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau blanc 11 (187 ml)

10.50

15031 Ch. Thieuley Cuvée FC blanc 03 (A.C. Bordeaux)

44.00

24011 CLOS DE TART 2009 (Clos de Tart / Bourgogne)

18971 Pavillon Rouge du Ch. Margaux 06 (2ème Ch. Margaux)

289.50

16994 magnum Ch. d’Agassac 04 (Haut-Médoc) (1.500 ml)

170.90

16969 magnum Ch. Chasse-Spleen 04 (Moulis-Médoc) (1.500 ml)

22544 Petit Mouton-Rothschild 08 (2ème Ch. Mouton-Rothschild) JR=17,5

362.20

268.90

16980 magnum Ch. Fourcas Hosten 04 (Listrac, Haut Médoc) (1.500 ml)

22573 Prélat de Pape Clément 07 (2ème Ch. Pape Clément)

190.20

116.10

21139 Réserve de la Comtesse 08 (2ème Ch. Pichon-Lalande)

192.90

358.90

19921 Sarget de Gruaud Larose 07 (2ème Ch. Gruaud Larose)

89.20

18057 magnum Ch. Gloria 05 (St. Julien) (1.500 ml) WS=92

2.550.00

Com grande pureza de fruta, vivacidade, profundidade e uma textura aveludada, o Clos de Tart é “há longos anos um dos melhores entre os melhores grands crus da Borgonha”, nas palavras do Master of Wine Clive Coates. Verdadeira unanimidade na região, este vinho sempre recebe notas altíssimas de toda imprensa especializada, mesmo nas safras mais difíceis. O vinho da safra de 2009 foi descrito como “espetacular” por Robert Parker, que ficou impressionado com a sua “incrível combinação de estrutura e fruta” e concedeu ao vinho 95+ pontos, enquanto a Wine Spectator classificou o tinto com nada menos que 95 pontos.

US$1075.00

107


FRANÇA

13262 Ch. Reynon Vieilles Vignes 01 (A.C. Bordeaux) RP=88

32.90

23460 Ch. Tarreyrots blanc 10 (A.C. Bordeaux)

29.90

25726 La Croix-Barton blanc 12 (A.C. Bordeaux Supérieur) 1

29.90

22975 Ch. La Gatte blanc 10 (AC Bordeaux) RP=86

35.50

22197 Bordeaux Réserve Spéciale blanc 10 (Barons Rothschild) 2

36.90

21358 Bordeaux Signatures blanc 09 (A.C. Bordeaux)

35.00

22190 Chartron La Fleur blanc 10 (A.C. Bordeaux) RP=87(01) 2

27.90

vinhos brancos doces 14201 Ch. d’Yquem 96 (Premier Cru Sauternes) RP=95

US$/gf 1.990.00

19058 meia Ch. d’Yquem 98 (Premier Cru Sauternes) (375 ml) RP=91

999.00

19491 meia Ch. Rieussec 06 (Premier Cru Sauternes) (375 ml) WS=93

185.00

21148 Ch. Rieussec 07 (Premier Cru Sauternes) RP=93

397.50

23584 Carmes de Rieussec 09 (2ème Ch. Rieussec) WS=89 23585 meia Carmes de Rieussec 09 (2ème Ch. Rieussec) (375 ml) WS=89

128.50 64.50

18727 meia Ch. Guiraud 06 (Premier Cru Sauternes) (375 ml) RP=92, WS=93

96.80

24290 Ch. Guiraud 09 (Premier Cru Sauternes) WS=96

249.90

20735 Ch. Suduiraut 07 (Premier Cru Sauternes) RP=93, WS-95

332.80

20736 meia Ch. Suduiraut 07 (Premier Cru Sauternes) (375 ml) RP=93, WS-95

166.30

15856 Ch. Coutet 04 (Premier Cru Barsac)

155.00

15857 meia Ch. Coutet 04 (Premier Cru Barsac) (375 ml) 18031 Ch. Rayne-Vigneau 05 (Premier Cru Sauternes) WS=92 18032 meia Ch. Rayne-Vigneau 05 (Pr. Cru Sauternes) (375 ml) WS=92 19059 Ch. de Malle 06 (Deuxième Cru Sauternes) RP=91 19060 meia Ch. de Malle 06 (Deuxième Cru Sauternes) (375 ml) RP=91

79.90 174.90 87.50 159.50

19705 Ch. Filhot 07 (Deuxième Cru Sauternes)

124.30

24289 Ch. Raymond-Lafon 09 (A.C. Sauternes) RP=93, WS=93

179.50

14694 meia Ch. Tour de Mirambeau Sémillon Noble 03 (A.C. Bordeaux) (375 ml)

96.50

22191 Sauternes 09 (Schröder & Schÿler) (500 ml) 2

58.90

garrafa magnum vinho branco doces US$/gf 18034 magnum Ch. de Malle 05 (Deux. Cru Sauternes) (1.500 ml) WS=92

352.90

OUTROS CHÂTEAUX RECOMENDADOS CHÂTEAU BROWN

vinhos tintos

22773 meia Ch. Brown rouge 08 (A.C. Pessac-Léognan) (375 ml) WS=91 3

garrafa magnum 22774 magnum Ch. Brown rouge 08 (A.C. Pessac-Léognan) (1.500 ml) WS=91

www.cordeillanbages.com Elaborado pelo famoso Château Lynch-Bages, o Cordeillan-Bages é um vinho-boutique de Bordeaux, produzido com uvas de um minúsculo vinhedo de apenas 2 hectares localizado no platô de Bages, na região de Pauillac. O vinho é uma especialidade do relais Cordeillan-Bages, um belíssimo hotel e restaurante da rede Relais&Châteaux em Pauillac. A safra de 2000 foi apontada como “outstanding” por Robert Parker que, admirado com a qualidade do vinho e seu estilo cativante, exclamou: “como pode este vinho ser tão sensacional?” A safra de 2005 também deu origem a um belíssimo Cordeillan-Bages, muito elogiado pela Wine Spectator. A revista destacou o carater “suculento” do tinto e seus taninos “sedosos e delicados”.

vinhos tintos 20966 Ch. Cordeillan-Bages 00 (A.C. Pauillac) RP=90 3

Esta é uma bela descoberta em Pessac-Léognan, uma propriedade que, segundo Robert Parker, “tem feito vinhos cada vez melhores, mas continua a ter preços realistas”. Seus vinhos são saborosos e concentrados, definidos por Parker como “elegantes, puros, bem delineados, um clássico Pessac-Léognan”. O vinho branco da propriedade também é excelente e muito recomendado (veja em “vinhos brancos secos de Bordeaux”).

19989 Ch. Brown rouge 07 (A.C. Pessac-Léognan,Graves) 3

CHÂTEAU CORDEILLAN-BAGES

20968 meia Ch. Cordeillan-Bages 05 (A.C. Pauillac) (375 ml) WS=90 3 25938 JM Cazes Pauillac 10 1

99.90 109.00

www.villabelair.com

US$/gf 103.60 51.00

US$/gf 205.00

Um vinho “realmente apetitoso”, na opinião de Jancis Robinson, e um “livro-texto da região de Graves”, nas palavras de Robert Parker, o Château Villa Bel-Air é um vinho cheio de personalidade, combinando as castas Cabernet Sauvignon (40%), Merlot (50%) e Cabernet Franc (10%) de vinhedos plantados nos renomados solos da região, repletos de pedregulhos. O Villa BelAir blanc é o arquétipo dos bons brancos de Bordeaux, com as castas Sauvignon Blanc e Semillon fermentadas e maturadas em barricas de carvalho. Fresco e repleto de saborosas notas cítricas, é “delicioso” para a Wine Spectator e “uma beleza” na opinião de Robert Parker,

O PRAZER DOS GRANDES VINHOS ENVELHECIDOS

108

218.00

CHÂTEAU VILLA BEL-AIR

79.90

Quem nunca ouviu que “vinho quanto mais velho melhor”? Apesar da afirmação não ser completamente verdadeira, o ditado de qualquer forma parece estar sendo substituído hoje em dia por “vinho quanto mais jovem melhor”. O que também está muito longe da verdade. Os bons vinhos envelhecidos são um dos maiores prazeres disponíveis ao enófilo.

US$/gf

Os grandes vinhos, embora bons desde jovens, ganham muita complexidade, riqueza, elegância e equilíbrio com o amadurecimento em garrafa. Estes vinhos mais maduros sempre foram os mais valorizados, e com razão. Querer provar apenas vinhos jovens demais é um absurdo comparável ao de achar que os conhecedores não bebem vinho branco! Se você

é um apaixonado por vinhos, procure descobrir o maravihoso mundo dos vinhos envelhecidos!


FRANÇA

que classificou a última safra avaliada com 90 pontos. O Tonnelle de Bel-Air é o segundo tinto da casa, elaborado com uma proporção um pouco maior de Merlot. Macio e fácil de gostar, combina um estilo moderno e cheio de fruta com ótima aptidão gastronômica. Os três são descobertas de excelente relação qualidade/preço.

vinhos tintos

US$/gf

20964 meia Ch. Villa Bel-Air 06 (A.C. Graves) (375 ml) 2

36.90

24118 Ch. Villa Bel-Air 07 (A.C. Graves) 2

67.50

24119 La Tonnelle de Bel-Air 08 (A.C. Graves)

37.90

vinho branco seco 20970 Ch. Villa Bel-Air Blanc 09 (A.C. Graves) RP=90(01) 2

garrafa magnum vinho tinto 24618 magnum Ch. Villa Bel-Air 10 (A.C. Graves) (1.750 ml)

US$/gf 54.00

US$/gf 139.50

CHÂTEAU LA GRÂCE DIEU DES PRIEURS Classudo e denso, com uma presença marcante no palato e um delicioso bouquet de notas florais, minerais e tostadas, o Château La Grâce Dieu des Prieurs é um Grand Cru de Saint Émilion muito recomendado pelo guia Hachette, com um estilo cativante, de grande finesse. Alain Laubie, que gere a propriedade familiar de 7,5 hectares instalada em um antigo convento de mesmo nome — Grâce Dieu des Prieurs — faz questão de seguir o estilo clássico. As uvas desta cuvée com 90% de Merlot e 10% de Cabernet Franc são originárias de vinhas com mais de 40 anos de idade cultivadas com um cuidado artesanal, sem o uso de produtos químicos. O tinto é maturado por dois anos em barricas de carvalho francês. Repleto de caráter, é capaz de durar longos anos em garrafa — um achado especialmente recomendado como boa compra pela Revue du Vin de France. Alain Laubie também é autor do Château Larroque Versaines, um gastronômico Bordeaux Supérieur com 90% de Merlot, 5% de Cabernet Franc e 5% de Cabernet Sauvignon, de um vinhedo tratado com o mesmo capricho dos grands crus: plantado com uma densidade de mais de 6 mil plantas por hectare, algumas com mais de 100 anos

CLOS LES LUNELLES

de idade. Isso confere uma marcante complexidade a esse tinto de ótima relação qualidade/preço.

vinhos tintos

US$/gf

24106 Ch. La Grace Dieu des Prieurs 08 (grand cru Saint Emilion) 3

78.50

24109 Ch. Larroque-Versaines 08 (A.C. Bordeaux Supérieur)

49.90

garrafa magnum vinho tinto

US$/gf

24108 magnum Ch. La Grace Dieu des Prieurs 10 (grand cru Saint Emilion) (1.500 ml) 3

165.00

CHÂTEAU MEYNEY O Château Meyney, um Cru Bourgeois Supérieur de Saint Estèphe, é o vinho preferido de Woody Allen, que fez questão de incluir o tinto em seu filme “Tudo Pode Dar Certo”. Com várias camadas de fruta negra combinadas a notas de alcaçuz e terrosas, é “profundo e opulento, um vinho fabuloso” segundo Robert Parker, que concedeu 92 pontos à safra 2009 (55% de Cabernet Sauvignon, 30% de Merlot e 15% e Petit Verdot) e ainda a aplaudiu com um sonoro “Bravo!”. Essa maison é um charmoso petit château vizinho ao estuário do Gironde, em St. Estèphe. No século 17, a propriedade foi ocupada por monges, que trataram de plantar os vinhedos com capricho admirável. Os cerca de 50 hectares que abraçam o tradicional casarão foram recuperados a partir de 2004 sob a supervisão de um dos mais consagrados enólogos franceses, Denis Dubourdieu, que conseguiu colocar o vinho em um outro patamar de qualidade. A colheita é manual e as uvas passam por uma dupla seleção antes de serem fermentadas, parte em barricas novas. Trata-se de uma escolha de charme entre os bons vinhos de Bordeaux.

vinho tinto

US$/gf

24249 Ch. Meyney 09 (Cru Bourgeois A.C. St. Estèphe)

Esta excelente propriedade pertence hoje ao dono do Château Pavie, e é qualificada por Parker de “Château Pavie dos pobres”. Segundo Parker, “há muitos maravilhosos vinhos surgindo em Côtes de Castillon, mas esta é a propriedade-referência na denominação (...) denso, opulento, voluptuoso, maravilhosamente rico e concentrado, estabelecendo um novo patamar de qualidade para a região”.

vinhos tintos

US$/gf

13246 meia Clos Les Lunelles 01 (A.C. Côtes de Castillon) (375 ml) RP=92

69.50

16077 Clos Les Lunelles 04 (A.C. Côtes de Castillon) RP=92

163.70

CLOS L’EGLISE Promissora propriedade pertencente ao dono do Château Pavie. Para Parker, ele é “estiloso, concentrado e rico, uma bela realização”. Este é um dos melhores achados de Côtes de Castillon, a vibrante denominação vizinha a St Emilion. É um corte de Merlot (70%), Cabernet Franc (15%) e Cabernet Sauvignon (15%).

vinho tinto

US$/gf

20156 Clos L’Église 07 (A.C. Côtes Castillon)

114.50

CHÂTEAU HAUT BERGEY Esta é uma excelente propriedade em PessacLéognan, e vem elaborando vinhos cada vez melhores, safra após safra. Para Parker, “em menos de cinco anos, Haut-Bergey se tornou uma das estrelas de Pessac Leognan”. Seus vinhos são altamente elogiados pelo jornalista, para quem “satisfazem tanto os prazeres hedonistas quanto intelectuais”.

139.90

20562 CORTON CHARLEMAGNE 2007 (Domaine Bonneau du Martray / Bourgogne)

23999 POUILLY-FUISSÉ SOUS VERGISSON 2010

(Domaine Ferret / Bourgogne)

É uma maravilhosa cuvée, uma seleção dos melhores vinhedos de Vergisson. Com fermentação em tanques de concreto (75%) e em barricas de carvalho francês (25%), transborda mineralidade no nariz e exibe um palato deliciosamente delicado com notas de amêndoas e pêssego branco e um final persistente.

US$85,50

Um dos maiores ícones do mundo do vinho, o lendário Domaine Bonneau du Martray é o único produtor da Borgonha que produz apenas Grands Crus. Seu magnífico Corton Charlemagne é simplesmente “um dos mais grandiosos vinhos de toda a Borgonha”, segundo Clive Coates, que classifica o Domaine como um dos únicos a merecerem as máximas 3 estrelas em seu antológico livro “The Wines of Burgundy”. Com uma verdadeira coleção de notas altas de toda a imprensa especializada e um lugar cativo na lista dos 100 melhores vinhos do mundo da Wine Spectator, este famoso vinho é um branco rico, complexo, encorpado e capaz de evoluir por muitos e muitos anos em garrafa.

24633 VOSNE-ROMANÉE 1ER CRU AUX REIGNOTS 2010

US$473,50

US$599,90

(Domaine du Comte Liger-Belair / Bourgogne) Uma das jóias da coroa do Domaine du Comte Liger Belair, o Vosne Romanée 1er Cru Aux Reignots é realmente especial, superior a muitos Grands Crus. O vinhedo fica logo acima do mitológico La Romanée e as vinhas são muito antigas, o que confere ainda mais profundidade ao tinto. Um vinho fantasticamente complexo e muito elegante, é “o ponto de referência” desta pequena denominação segundo a exigente revista Burghound. É um dos grandes vinhos da Borgonha, com a assinatura de elegância deste reputadíssimo Domaine.

109


FRANÇA

vinhos tintos 9192

US$/gf

meia Ch. Haut Bergey 01 (A.C. Pessac-Léognan) (375 ml) RP=90

48.50

19082 Ch. Haut Bergey 06 (A.C. Pessac-Léognan, Graves RP=91

vinho branco

113.00

US$/gf

19092 Ch. Haut Bergey blanc 06 (A.C. Pessac-Léognan, Graves) RP=(90-92)

garrafa magnum

113.00

US$/gf

19083 magnum Ch. Haut Bergey 06 (A.C. Pessac-Léognan,Graves) (1.500 ml) RP=91

VIEUX CHÂTEAU SAINT ANDRÉ

com 90% de Merlot, 5% de Cabernet Sauvignon e 5% de Cabernet Franc. São vinhos fáceis de gostar, com um destacado acento gastronômico.

Uma das propriedades líderes da AOC Montagne St. Emilion, pertencente a Jean Claude Berrouet, o mestre enólogo de Petrus e Trotanoy. Seu excelente tinto é vinificado com 80% de Merlot.

vinhos tintos

vinhos tintos US$/gf

19949 Vieux Château St. André 07 (A.C. Montagne St. Emilion) 3

63.00

16107 meia Vieux Château St. André 02 (A.C. Montagne St. Emilion) (375 ml) 3

29.80

226.00

CHÂTEAU LE MONT D’OR CLOS MARSALETTE

Este saboroso Bordeaux da AOC St. Emilion mostra ótima pegada e é uma seleção especial de Jean Pierre Moueix, do Château Pétrus. Macio e cativante, mas com distinto toque “clássico” no palato, é um vinho de excelente relação qualidade/ preço, perfeito para acompanhar comida.

Propriedade em Pessac-Léognan, com vinhedos localizados no pico de duas colinas, beneficiando-se de uma soberba posição. Elaborado com um corte de Cabernet Sauvignon (70%) e Merlot (30%).

vinho tinto

US$/gf

17111 Clos Marsalette 03 (A.C. Pessac-Léognan, Graves)

79.50

CHÂTEAU DE MUSSET

19947 Ch. de Musset 04 (A.C. Lalande de Pomerol)

US$/gf 58.50

18751 Ch. Moulin Haut Laroque 06 (A.C. Fronsac) RP=90

Produzido pelo talentoso Denis Durantou, proprietário do excelente Château l’Église-Clinet, de Pomerol. É majoritariamente de uvas Merlot e matura em barricas de carvalho novo.

19703 Ch. La Chenade 07 (A.C. Lalande de Pomerol)

garrafa magnum 19704 magnum Ch. La Chenade 07 (A.C. Lalande de Pomerol) (1.500 ml)

110

53.90

Um dos melhores vinhos da denominação Fronsac, conhecida por sua ótima relação qualidade/preço. Para Parker, que confere 90 pontos às safras 2000 e 2003, é um “vinho excelente, bem acima de sua denominação”. Trata-se de um corte de 60% de Merlot, 20% de Cabernet Franc, 10% de Cabernet Sauvignon e 5% de Malbec.

vinho tinto

CHÂTEAU LA CHENADE

vinho tinto

US$/gf

CHÂTEAU MOULIN HAUT LAROQUE

Produz tintos com baixos rendimentos por hectare a partir de Merlot (70%), Cabernet Sauvignon (15%), Cabernet Franc (10%) e Malbec (5%). Merece 3 estrelas no Guide Dussert-Gerber.

vinho tinto

vinhos tintos 23597 Ch. Le Mont d’Or 06 (A.C. St. Emilion)

garrafa magnum vinho tinto 19932 magnum Ch. Moulin Haut Laroque 07 (A.C. Fronsac) (1.500 ml) RP=(89-91)

US$/gf 67.00

US$/gf 134.00

24104 Ch. Clos du Roy 09 (A.C. Fronsac) 3

69.90

24105 Ch. Roc-Meynard 10 (A.C. Bordeaux Supérieur)

39.90

BERNARD MAGREZ www.bernard-magrez.com É com muita honra que a Mistral se torna a representante oficial dos vinhos de Bernard Magrez no Brasil. Segundo Robert Parker, “é inquetionável o fato de que Bernard Magrez tem produzido vinhos simplesmente brilhantes nos últimos anos”. Dono de alguns dos mais prestigiosos châteaux de Bordeaux _ como o Château Pape Clément e o Château Tour Carnet _ Bernard Magrez é um perfeccionista que tem causado uma verdadeira revolução nos vinhos de suas propriedades. Em poucos anos Magrez tem conseguido arrematar cada vez mais aplausos da crítica especializada por seus tintos impecavelmente bem feitos e algumas vezes polêmicos _ com cuvées de pequena produção, produzidas sem fazer concessão e sempre com o objetivo de atingir o mais alto nível de qualidade possível. São vinhos concentrados, macios e exuberantes _ elaborados sob a batuta do enólogo Michel Rolland. Muitos de seus vinhos de regiões bordalesas menos conhecidas são excelentes achados - vinhos deliciosos e carnudos, com fantástica relação qualidade/preço e ótimas notas.

vinhos tintos

US$/gf 125.00

US$/gf 335.00

CLOS DU ROY E CHÂTEAU ROC-MEYNARD Bela descoberta de Fronsac, o Clos du Roy é um corte 85% de Merlot, 10% de Cabernet Sauvignon e 5% de Cabernet Franc — variedades fermentadas e maturadas separadamente em carvalho francês sob a mira atenta do proprietário e enólogo Philippe Hermouet. A safra de 2009 recebeu muitos elogios dos especialistas em Bordeaux e mereceu 89 pontos da Wine Enthusiast. O estilo do vinho é moderno, com boa densidade de boca, profundidade de fruta e complexidade. O outro tinto do mesmo produtor, o Château Roc-Meynard, é um Bordeaux Supérieur robusto, com frutas negras e especiarias, elaborado

US$/gf

US$/gf

24122 Ch. Saint-Genès 10 (Premières Côtes de Blaye)

39.50

24123 Ch. Pérenne 06 (Premières Côtes de Blaye) RP=89-90(05) 2

63.25

22572 Croix de Pérenne 07 (Premières Côtes de Blaye) 3

119.90

CHÂTEAU CROIX DE CABUT Eis um Bordeaux macio e repleto de fruta madura, intenso e com muita personalidade, um belo exemplo de “petit château”. O Château Croix de Cabut é elaborado na denominação Premières Côtes de Blaye, que abriga um solo rico em argila e calcário, perfeito para o cultivo da Merlot, e origina vinhos mais leves e macios que os clássicos tintos do Médoc. Elaborado com 75% de Merlot, 20% de Cabernet Sauvignon e 5% de Malbec, sem estágio em madeira, trata-se de um tinto pronto para ser bebido, com toda a profundidade de fruta desta safra fantástica. É um ótimo Bordeaux para o dia a dia!

vinho tinto 24222 Ch. Croix de Cabut 09 (A.C. Côtes de Blaye) 2

US$/gf 31.90


FRANÇA

PEZAT

CHÂTEAU LACROIX

Este Bordeaux Supérieur é um belo achado. “Sofisticado”, “exuberante” e “extremamente agradável”, nas palavras de Robert Parker, o Pezat é um suculento corte com 85% de Merlot e 15% de Cabernet Franc, em um estilo clássico, combinando frutas como cassis, ameixa e cereja, especiarias e um delicioso toque de ervas. A safra 2009 recebeu 89 pontos do crítico norteamericano, que concluiu: “É um projeto impressionante de Jonathan Maltus”. Maltus é proprietário do Château Teyssier e produtor do cultuado Le Dome de St. Emilion, que arrematou 99 pontos de Parker na safra de 2009. Para talhar um Bordeaux Supérieur do qual pudesse se orgulhar, ele tratou o tinto como um verdadeiro vinho de garagem. O resultado é um vinho de bastante classe e complexidade, com ótimo preço — entre os melhores achados de Bordeaux.

O Château Lacroix é um surpreendente Bordeaux de Côtes de Castillon. Elaborado com base na casta Merlot, a mesma uva utilizada no cultuado Château Pétrus, é também uma seleção da família Moueix, proprietária da mítica propriedade de Pomerol. Este tinto é franco, saboroso, com um ótimo toque fresco no palato, em um estilo fácil de agradar, excelente para o dia a dia.

vinhos tintos

US$/gf

24300 Pézat 09 (A.C. Bordeaux Supérieur) 2

46.90

24302 meia Pézat 09 (A.C. Bordeaux Supérieur) (375 ml) 2

23.50

CHÂTEAU TURON LA CROIX O vinhedo situado na região de Entre-Deux-Mers é cultivado há três gerações. O saboroso “assemblage” é de Merlot (90%) e Cabernet Sauvignon (10%).

vinho tinto 22565 Ch. Turon La Croix 09 (A.C. Bordeaux Supérieur)

US$/gf 37.50

CHÂTEAU FAYAU Petit château que produz tintos saborosos e agradáveis nas AOCs Bordeaux Supérieur e Premières Côtes de Bordeaux, com um corte de Cabernet Franc, Merlot e Cabernet Sauvignon. Boa relação qualidade/preço.

vinhos tintos

US$/gf

22959 Ch. Fayau 09 (AOC Bordeaux Supérieur)

33.50

22961 meia Ch. Fayau 09 (AOC Bordeaux Supérieur) (375 ml)

24.50

garrafa magnum vinho tinto US$/gf 22960 magnum Ch. Fayau 09 (AOC Bordeaux Supérieur) (1.500 ml)

vinho tinto 20655 Ch. Lacroix 05 (AOC Bordeaux Supérieur)

US$/gf 33.30

CHÂTEAU TARREYROTS Este é um saboroso petit château — pequeno e promissor produtor da comuna de Salignac. Seus vinhos são gostosos, acessíveis e com charme, de ótima relação qualidade/preço. Emprega um corte de Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc.

vinhos tintos

US$/gf

24224 meia Ch. Tarreyrots 07 (A.C. Bordeaux) (375 ml) 2

21.90

23053 Ch. Tarreyrots 08 (A.C. Bordeaux) 2

34.90

vinho branco 23460 Ch. Tarreyrots blanc 10 (A.C. Bordeaux)

US$/gf 29.90

CHÂTEAU SAINT FLORIN Um gostoso petit château da comuna bordalesa de Soussac, elaborado no típico estilo bordelais, com charme e boa acidez.

vinho tinto 24514 Ch. Saint Florin 10 (AOC Bordeaux) 2

VINHOS CONTRA DOENÇAS CORONÁRIAS, ENFARTE E DERRAME

US$/gf 28.90

CHÂTEAU BEAUREGARD-DUCOURT

Anos atrás, médicos e cientistas ficaram intrigados ao constatar que os franceses — apesar de sua dieta de risco, com muitas gorduras — tinham uma pequena incidência de enfarte, derrames e doenças coronárias. Isto foi chamado de “paradoxo francês” e se descobriu que o grande responsável era o vinho. Doses moderadas de vinho tinto ajudam a reduzir o LDL (o colesterol ruim) e aumentar o HDL (colesterol bom), além de proteger contra ataques cardíacos e derrames. Desde então, inúmeros estudos têm sido feitos e a lista de benefícios associados ao consumo moderado de vinho não para de aumentar. Pessoas que tomam duas taças de vinho por dia têm 79% menos chance de ter um enfarte do que os abstêmios, segundo a Sociedade Americana de Cardiologia. Além disto, o vinho pode ajudar a prevenir novos enfartes em pacientes que já tiveram o primeiro, reduzindo o risco em 50%. Os polifenóis presentes no vinho também ajudam a impedir a formação de placas de gordura e relaxa as paredes de veias e artérias, prevenindo derrames e colaborando para controlar a pressão arterial. Além da prevenção de enfarte, derrames e doenças coronárias, inúmeros outros benefícios têm sido associados ao consumo moderado de vinhos, como você pode conferir em outros quadrinhos nesta mesma edição.

Pequena e promissora propriedade de Entre-Deux-Mers, produzindo tintos saborosos, de boa relação qualidade/ preço, sendo 60% Merlot e 40% Cabernet Sauvignon.

vinho tinto 25113 Ch. Beauregard-Ducourt 10 (AOC Bordeaux) 2

US$/gf 29.90

69.90

111


FRANÇA

COMO ESCOLHER O VINHO NO RESTAURANTE O verdadeiro lugar do vinho é à mesa, e não é difícil combinar vinhos e pratos, usando apenas um pouco de bom senso e algumas orientações básicas, que você encontra em outras dicas deste catálogo. No restaurante, às vezes é um pouco mais difícil escolher um único vinho que combine perfeitamente com todos os pratos que cada pessoa pediu. Se alguém pediu um peixe muito leve e outro pediu uma forte carne assada, por exemplo, não é tão fácil conciliar. Neste caso, opte por um meio termo, como um rosé ou um tinto mais leve. Por sorte, quase nunca a situação é tão dramática ou extrema assim. Apenas escolha o vinho que você tem vontade de beber, ou peça a orientação do sommelier, cujo papel é exatamente este. Além da combinação com os pratos, ao escolher um vinho no restaurante é muito importante prestar atenção ao nome do produtor. Como você já sabe, a denominação em si não diz muito sobre a qualidade do vinho. Existem Chianti ótimos e Chianti péssimos, bons e maus chilenos, e assim por diante. É como nome e sobrenome. Para não se decepcionar, escolha sempre vinhos de bons produtores, que são os únicos que realmente têm tipicidade.

112

CHÂTEAU BEL AIR

CHÂTEAU DE FAISE

Este petit château produz vinhos gostosos, de ótimo preço, com boa qualidade e equilíbrio, típicos de Bordeaux. Um bom achado!

Um saboroso achado da região de Libournais, o Château de Faise é elaborado com uvas de vinhedos antigos, de 35 anos de idade costuma ser sempre recomendado pelo guia Hachette. Expressivo e macio, este corte de Merlot e Cabernet Franc é uma versão fácil de gostar dos famosos Crus Classés da margem direita de Bordeaux.

vinhos tintos

US$/gf

23458 Ch. Bel Air 10 (A.C. Bordeaux) RP=87(09) 2

27.50

23052 meia Ch. Bel Air 10 (A.C. Bordeaux) (375 ml) 2

17.90

23889 quarto Ch. Bel Air 10 (A.C. Bordeaux) (187 ml) 2

garrafa magnum 22176 magnum Ch. Bel Air 09 (A.C. Bordeaux) (1.500 ml) RP=87

9.50

vinho tinto 22982 Ch. de Faise 09 (A.C. Bordeaux Supérieur)

US$/gf 29.90

US$/gf 54.90

CLOS PUY ARNAUD Localizado nas Côtes de Castillon, logo a leste de Saint Émilion, o Clos Puy Arnaud pertence à família Valette, proprietária do famoso Château Troplong Mondot. O vinho foi concebido por ninguém menos que Stéphane Dereroncourt do cultuado Château La Mondotte. Para Parker trata-se de “um vinho fantástico, com uma bela presença no palato”. Elaborado com um corte de 60% Merlot, 25% Cabernet Franc, e o restante Cabernet Sauvignon, Malbec, and Carmènere, é um grande achado, que não deixa nada a dever aos famosos vinhos de Saint Émilion.

vinho tinto 18387 Clos Puy Arnaud 05 (A.C. Côtes de Castillon)

garrafa magnum 24288 magnum Clos Puy Arnaud 09 A.C. Côtes de Castillon) (1.500 ml)

US$/gf 113.90

US$/gf 239.90


FRANÇA

CHÂTEAU BELLE-VUE

garrafas magnum vinho tinto

Localizado ao lodo do Château Giscours, os ótimos vinhos do Château Belle-Vue são apontados como algumas das melhores compras de Haut-Médoc pela imprensa especializada. Segundo Robert Parker, é “uma vinícola impecavelmente conduzida, que deve ser levada a sério” – “um dos mais consistentes Cru Borgeois há muitos anos”. O vinho é elaborado com uma proporção incrivelmente alta de Petit Verdot - 20%! - que confere ao tinto um caráter único. Sedoso e cativante, é uma das mais saborosas escolhas de Bordeaux.

vinhos tintos

US$/gf

20143 Ch. Belle-Vue 07 (A.C. Haut-Médoc) RP=88

66.50

20144 meia Ch. Belle-Vue 07 (A.C. Haut-Médoc) (375 ml) RP=88

33.00

DOMAINES BARONS DE ROTHSCHILD (Lafite) www.lafite.com Os Domaines Barons de Rothschild (Lafite) realmente dispensam apresentações. Poucos nomes no mundo do vinho evocam tanto respeito e reverência. Proprietária do lendário Château Lafite-Rothschild desde 1868, a família Rothschild foi gradualmente adquirindo diversas propriedades de prestígio em Bordeaux e, nas últimas décadas, também em outras regiões do mundo. Seus “Réserve Speciale” são realmente muito bons, de excepcional relação qualidade/ preço, trazendo toda a qualidade e tipicidade das denominações de Bordeaux, Médoc e Pauillac.

vinhos tintos 22545 Ch. Lafite-Rothschild 08 (Pauillac) RP=98, WS=92 19488 Carruades de Lafite 07 (2ème Ch. Lafite Rothschild)

US$/gf 2.150.00 999.00

18415 Ch. Duhart-Milon-Rothschild 06 RP=92(4ème Pauillac)

227.40

21153 Ch. L’Évangile 08 (Pomerol) RP=94

594.00

25237 Pauillac Réserve Spéciale 10

99.90

16927 Médoc Réserve Spéciale 04

51.50

23675 Bordeaux Réserve Spéciale rouge 10

36.90

vinho branco seco 22197 Bordeaux Réserve Spéciale blanc 10 RP=88(00) 2

vinhos brancos doces

US$/gf

www.chateau-lalagune.com 2.550.00

18416 magnum Ch. Duhart-Milon-Rothschild 06 (4è Pauillac) (1.500 ml) RP=92

454.80

19486 magnum Ch. Duhart-Milon-Rothschild 07 (4è Pauillac) (1.500 ml)

475.80

CHÂTEAUX COS D’ESTOURNEL www.cosestournel.com O renomado Château Cos d’Estournel foi considerado o melhor château de St Estèphe, no Médoc, pela famosa Classificação de 1885. Os aristocráticos vinhos do château vêm sendo apreciados desde o século passado por personalidades como a Rainha Vitória, Napoleão III e pelos Maharajas da Índia, que inspiraram sua celebrada arquitetura. O estilo da propriedade é conhecido por combinar potência com elegância, complexidade e muita classe. A Mistral foi escolhida pelo Château Cos d’Estournel para ser a representante exclusiva de seus novos e maravilhosos vinhos Goulée, elaborados com uvas de um terroir muito especial. Elaborados com baixos rendimentos e todo o ‘savoir faire’ do château, são vinhos cheios de caráter e personalidade, com uma relação qualidade/preço excepcional para um vinho de alta qualidade do Médoc. Um achado!

vinhos tintos 13034 Ch. Cos d’Estournel 02 (2ème St Estèphe) RP=93, WS=93 24319 Ch. Cos d’Estournel 09 (2ème St Estèphe) RP=100

US$/gf 599.00 1.535.00

13184 Les Pagodes de Cos 02 (2ème Ch. Cos d’Estournel)

292.20

16391 Goulée rouge 04 (pertence ao Ch. Cos d’Estournel) 3

134.90

vinhos brancos secos

CHÂTEAU LA LAGUNE Com uma história que data desde o séc. XV, o Château La Lagune começou a vinificar grandes vinhos em 1730, sendo apontado com um Troisième Cru Classé na famosa classificação de 1855. Sempre um rótulo de grande prestígio, teve seus vinhedos destruídos no final da Segunda Guerra. A família Frey, também proprietária da vinícola Paul Jaboulet Âiné no Rhône, trouxe o Château de volta a sua melhor forma, contando com o expertise de Denis Dubordieu e o talento da enóloga Caroline Frey. Os vinhos atingiram um patamar invejável, merecendo altíssimas notas da imprensa especializada. Robert Parker, que descreve o vinho como “profundo, maravilhoso”, um “hipotético cruzamento entre um Grand Cru de Côte de Nuits na Borgonha com um dos melhores Bordeaux”, concedeu 95 pontos ao 2005 e (92-94) ao 2008. Os segundos vinhos da propriedade mostram o caráter refinado do “Grand Vin” em um estilo mais acessível, para ser bebido mais cedo.

vinhos tintos 18579 Ch. La Lagune 06 (3ème Haut-Médoc) RP=91 3

US$/gf 239.40

18581 meia Ch. La Lagune 06 (3ème Haut-Médoc) (375 ml)

119.40

21186 Moulin la Lagune 07 (2ème Ch. La Lagune)

114.50

21188 meia Moulin la Lagune 07 (2ème Ch. La Lagune) (375 ml)

61.20

19650 Mademoiselle L 06 2

63.90

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf

16491 magnum Ch. La Lagune 04 (3ème Haut-Médoc) (1.500 ml)

567.00

24904 magnum Moulin La Lagune 10 (2ème Ch. La Lagune) (1.500 ml)

626.00

US$/gf

20638 Cos d’Estournel Blanc 07 (A.C. Bordeaux) WS=90

782.50

21030 Goulée blanc 09 (pertence ao Ch. Cos d’Estournel) WS=90 3

114.50

US$/gf 36.90

US$/gf

19491 meia Ch. Rieussec 06 (Premier Cru Sauternes) (375 ml) WS=93

185.00

21148 Ch. Rieussec 07 (Premier Cru Sauternes) RP=93

397.50

23584 Carmes de Rieussec 09 (2ème Ch. Rieussec)

128.50

23585 meia Carmes de Rieussec 09 (2ème Ch. Rieussec) (375 ml)

18805 magnum Carruades de Lafite 05 (2ème Ch. Lafite Rothschild) (1.500 ml)

64.50

24101 MAS KAROLINA COTÊS CATALANES 2010 (Mas Karolina / Languedoc-Roussillon)

Com muita tipicidade, este delicioso tinto esbanja frutas negras e revela um paladar denso e bastante sedoso. Elaborado com Carignan, Cinsault e Grenache com mais de 40 anos de idade pela talentosa enóloga Caroline Bonville, é um vin de pays atraente, fácil de gostar, sem estágio em madeira e que oferece “prazer imediato”, segundo o Guide Bettane Et Desseauve.

US$53.50

113


FRANÇA

SCHRÖDER & SCHŸLER

21141 meia Les Charmes Kirwan 08 (2ème Ch. Kirwan) (375 ml) WS=89

www.schroder-schyler.com A reputada Maison Schröeder&Schÿler é o mais antigo e tradicional negociante de Bordeaux, estabelecido em 1739. A família também é proprietária de alguns excelentes châteaux em Bordeaux, notadamente o famoso Château Kirwan, de Margaux. Seus “Private Reserve” trazem toda a tipicidade e qualidade de Médoc, Margaux, St Julien e St Emilion. Os Bordeaux Signatures são saborosos e consagrados, enquanto os Chartron La Fleur oferecem uma excelente relação qualidade/preço. O Chartron La Fleur branco é especialmente elogiado por Parker, que o indicou como um dos melhores “wine values” do mundo, dizendo: “não consigo pensar em nenhum outro branco de Bordeaux que seja tão bom por um preço tão baixo”.

vinhos tintos

US$/gf

23470 Ch. Kirwan 00 (3ème Margaux) WS=92

419.50

18408 meia Ch. Kirwan 06 (3ème Margaux) (375 ml) WS=90

117.50

25719 Ch. St. Jacques 10 (A.C. Bordeaux Supérieur) 1

41.90

25718 La Croix-Barton rouge 10 (A.C. Bordeaux Supérieur) 1

29.90

vinho branco

US$/gf

25726 La Croix-Barton blanc 12 (A.C. Bordeaux Supérieur) 1

29.90

68.30

25720 Les Charmes Kirwan 09 (2ème Ch. Kirwan) 1

144.00

21482 meia Margaux Private Reserve 06 (375 ml)

42.80

21481 Margaux Private Reserve 08

83.90

19301 Saint Estèphe Private Reserve 07

49.90

24996 Médoc Private Reserve 11 2

32.50

24997 Saint Emilion Private Reserve 11 2

52.50

25570 Bordeaux Signatures rouge 10 (A.C. Bordeaux)

34.90

21356 Chartron La Fleur rouge 08 (A.C. Bordeaux) 2

27.90

24994 Chartron La Fleur rouge 10 (A.C. Bordeaux)

29.50

24995 meia Chartron La Fleur rouge 11 (A.C. Bordeaux) (375 ml)

18.50

vinhos brancos secos

27.90

21358 Bordeaux Signatures blanc 09 (A.C. Bordeaux)

35.00

US$/gf

22191 Sauternes 09 (Schröder & Schÿler) (500 ml) 2

garrafa magnum vinho tinto

58.90

US$/gf

23606 magnum Ch. Kirwan 09 (3ème Margaux) (1.500 ml)

539.50

CHÂTEAU TOUR DE MIRAMBEAU www.vignobles-despagne.com

18579 CH. LA LAGUNE 2006

(Cru Classé - Médoc/Graves / Bordeaux) Descrito por Jancis Robinson como "um vinho com começo, meio e fim”, o Château La Lagune é uma das 5 propriedades fora de Médoc classificadas como Cru Classé em 1855. É o Château mais ao Sul desta classificação, produzindo um vinho encorpado e concentrado, tânico e potente, com muita complexidade e elegância.

US$239,40

24518 CH. LA GATTE TRADITION 2009 (Château La Gatte / Bordeaux)

O Château La Gatte é um saboroso petit château do casal Affatato, com longa experiência adquirida na Maison Chapoutier do Rhône e no Château Latour em Bordeaux. Este tinto mostra ótima complexidade, em um conjunto saboroso e harmônico, bastante típico dos bons tintos de Bordeaux.

US$28,90

114

Segundo Robert Parker, “um dos empreendimentos mais admiráveis de Bordeaux é o da família Despagne, que produz vinhos extraordinários de apelações menos ambiciosas, como Bordeaux Supérieur (...) Eles são visionários, revolucionários fazendo vinhos que podem competir com algumas das propriedades mais renomadas de Bordeaux”. O consagrado “La Reserve” du Château Tour de Mirambeau — novo nome a partir da safra 2005 — é com certeza um dos melhores achados da região, tendo sido eleito “o melhor Bordeaux para o dia a dia” pela Decanter, entre outros prêmios. O antigo Cuvée Passion, que agora se chama simplesmente “Château Tour de Mirambeau”, é cheio de charme, o melhor vinho da propriedade. O novo projeto especial da família é o Girolate, um tinto raro, fantástico e muito concentrado, que bateu recentemente mais de 130 dos melhores vinhos de Pomerol e St Emilion, em uma degustação organizada pelo prestigioso Grand Jury Européen!

vinhos tintos 17578 Girolate 05 (A.C. Bordeaux) RP=90-92 3

vinhos brancos secos

11.50

US$/gf

17580 Ch. Tour de Mirambeau Grand Vin blanc 05 (A.C. Bordeaux) RP=90 3

54.30

17842 “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau blanc 07 WE=88(08)

35.50

24533 meia “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau blanc 11 (375 ml)

23.90

24534 quarto “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau blanc 11 (187 ml)

10.50

vinho branco doce 14694 Ch. Tour de Mirambeau Sémillon Noble 03 (A.C. Bordeaux) (1/2 gf ) 3

US$/gf 96.50

US$/gf

22190 Chartron La Fleur blanc 10 (A.C. Bordeaux) RP=87(01) 2

vinho branco doce

25377 quarto “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau rouge 11 (187 ml)

US$/gf 349.00

18930 Ch. Tour de Mirambeau Grand Vin rouge 06 (A.C. Bordeaux) 3

69.50

24529 “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau rouge 10

45.50

24530 meia “La Réserve” du Ch. Tour de Mirambeau rouge 10 (375 ml)

26.50

CHÂTEAU LA GATTE www.chateaulagatte.com O americano de coração francês Michael Affatato trabalhou durante muitos anos em alguns dos melhores domaines da França, antes de se apaixonar por este belo château do século XVII, em Bordeaux, onde hoje produz alguns vinhos simplesmente deliciosos, cheios de charme e personalidade, e com fantástica relação qualidade/preço. São todos maravilhosos achados de personalidade bem francesa, melhores a cada safra. O Château La Gatte — tinto, branco e rosé — é sem dúvida um dos melhores petits châteaux em nosso catálogo, enquanto o charmoso Cuvée La Butte, melhor vinho da casa, é uma ótima descoberta — um vinho encantador, elaborado com vinhas velhas, do qual infelizmente não é produzida uma grande quantidade.

vinhos tintos

US$/gf

22968 Ch. La Gatte Tradition 08 (AC Bordeaux) 2

28.90

22969 meia Ch. La Gatte Tradition 08 (AC Bordeaux) (375 ml) 2

15.90

22972 Ch. La Butte Vieilles Vignes 07 (AC Bordeaux Supérieur)

45.50

22971 Domaine de Montalon 07 (AC Bordeaux Supérieur)

45.50

vinho rosado seco 22974 Ch. La Gatte rosé 010 (AC Bordeaux)

vinho branco seco 22975 Ch. La Gatte blanc 10 (AC Bordeaux)

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf 30.90

US$/gf 35.50

US$/gf

22970 magnum Ch. La Gatte Tradition 08 (AC Bordeaux) (1.500 ml)

63.50

22973 magnum Ch. La Butte Vieilles Vignes 07 (AC Bordeaux Supérieur) (1.500 ml)

99.90


FRANÇA

impecáveis e elegantes — Hermitage, Côte Rotie, St Joseph, Cornas, Châteauneuf, etc — são referências para a região. Suas raríssimas “seléction parcellaire” são verdadeiros monumentos, entre os melhores e mais reverenciados vinhos do mundo. Chapoutier costuma receber notas estratosféricas da imprensa especializada, muitas vezes quase 100 pontos de Parker e da Wine Spectator. Entre muitos outros destaques, seu Côtes du Rhône Belleruche é considerado um dos melhores da denominação, com fantástica relação qualidade/preço. Chapoutier também produz ótimos vinhos no Sul da França e na Austrália.

vinhos tintos US$/gf

RHÔNE O Rhône é uma das grandes regiões francesas, que se destaca por produzir tintos e brancos de altíssima qualidade e muita personalidade. Os melhores tintos estão entre os grandes do mundo, e são encorpados, potentes e complexos. Os do Norte — Côte Rotie, Hermitage, St Joseph, Crozes-Hermitage, Cornas, etc — são belíssimas expressões da uva Syrah, enquanto os do Sul — Châteauneuf-du-Pape, Gigondas, Côtes-du-Rhône — são elaborados com uma variedade de castas, entre as quais a Grenache tem um papel importante. Hermitage e Côte Rotie são vinhos grandiosos, que rivalizam com os grandes Bordeaux e Borgonhas, enquanto o histórico Châteuneuf-du-Pape tem uma incrível tradição. Os brancos do Rhône são maravilhosos e cheios de personalidade — dos aromáticos Condrieu, de uva Viognier, aos poderosos Hermitage blanc, produzidos com as uvas Marsanne e Roussanne. Os vinhos mais simples, como os Côtes-du-Rhône, são muito saborosos, com bom corpo e ótima fruta — por vezes entre as melhores relações qualidade/preço de toda a França.

M. CHAPOUTIER www.chapoutier.com Chapoutier é o maior nome do Rhône. O genial Michel Chapoutier — um dos maiores enólogos da França — deu uma nova dimensão aos vinhos da região, atingindo a perfeição nas diversas denominações do Norte e do Sul. De opiniões controversas e virtuosismo técnico, Michel é adepto da viticultura biodinâmica e da agricultura orgânica. Seus vinhos

20173 Côtes du Rhône Belleruche blanc 09 RP=87 2

39.90

21259 Les Vignes de Pilate VdP Viognier 09 RP=89

34.75

vinho branco doce 21260 Muscat de Beumes de Venise 09 RP=91(05) 3

garrafas magnum vinho tinto 14665 magnum Hermitage M. de la Sizeranne 03 (1.500ml) RP=90 3 9916

magnum Côte Rôtie Les Bécasses 01 (1.500ml) RP=87-89 3

US$/gf 49.90

US$/gf 332.00 245.00

24093 magnum Châteauneuf du Pape La Bernardine 10 (1.500 ml) RP= (89-91)

259.50

22001 magnum Crozes-Hermitage Les Meysonniers 08 (1.500 ml)

137.50

20028 Ermitage Pavillon 07 RP=92-94, WS=94 3

527.50

23398 Ermitage Pavillon 09 RP=100 3

899.50

24893 Ermitage Pavillon 10 RP=100 3

899.00

21997 Hermitage M. de la Sizeranne 07 RP=90-93, WS=94(05) 3

259.50

PAUL JABOULET AÎNÉ

17294 Hermitage Mure de Larnage 05

159.00

www.jaboulet.com Produtor de enorme prestígio e reputação, Paul Jaboulet Ainé elabora alguns dos melhores tintos e brancos da França. Fundado há mais de 150 anos, Jaboulet forma com Chapoutier a dupla dos mais tradicionais e respeitados produtores do Vale do Rhône. Jaboulet é proprietário de excelentes vinhedos das melhores denominações do Norte do Rhône, inclusive o mítico Hermitage La Chapelle, um tinto espetacular que em sua safra de 1961 foi eleito um dos “12 Vinhos do Século” pela Wine Spectator. Em 1990, ele mereceu nada menos do que 100 pontos de Parker. Todos seus outros tintos e brancos estão entre os melhores de suas denominações. Entre outras estrelas, destacam-se os ótimos Crozes-Hermitage, Thalabert e Les Jalets. Jaboulet também produz um dos melhores e mais reputados Côtes-du-Rhône, o já clássico “Parallèle 45”, de relação qualidade/preço incomparável.

20029 Côte Rôtie Mordorée 07 RP=90-93, WS=92 3

384.50

21998 Côte Rôtie Les Bécasses 07 RP=90-92, WS=91 3

224.50

23401 Crozes-Hermitage Varonniers 09 RP=92+ 3

145.50

21252 meia Crozes-Hermitage Meysonniers 08 (375 ml) WS=86 2

34.90

22752 Crozes-Hermitage Les Meysonniers 09 WS=92 2

66.50

22002 Saint Joseph Deschants rouge 09 RP=90, WS=90(05) 2

77.50

18217 Cornas Les Arènes 06 RP=88 3

99.50

24894 Châteauneuf-du-Pape Barbe Rac 10 RP=96 3

296.00

22009 Châteauneuf-du-Pape Croix de Bois 08 WS=93 3

199.50

24091 Châteauneuf du Pape La Bernardine 10 RP=(89-91) 3

132.90

24092 meia Châteauneuf du Pape La Bernardine 10 (375 ml) RP=(89-91) 3

69.90

22003 Gigondas 09 RP=87, WS=90(04), W&Sp=92(01)

89.90

22754 La Ciboise Lubéron 09 WS=87 2

3150

24095 Côtes du Rhône Villages Rasteau 09 RP=(88-90) 2

49.90

23599 Côtes du Rhône Belleruche rouge 10 RP=88 2 23600 meia Côtes du Rhône Belleruche rouge 10 (375 ml) RP=88 2

vinhos rosados

39.90 24.50

US$/gf

24098 Tavel Beaurevoir 10 3

47.50

22757 Côtes du Rhône Belleruche rosé 10 2

42.90

21258 Ch. des Estubiers Coteaux du Tricastin rosé 09 2

32.50

vinhos brancos secos

US$/gf

21255 magnum Côtes du Rhône Belleruche rouge 09 (1.500 ml) RP=89

vinhos tintos

76.50

US$/gf

17936 Hermitage La Chapelle 05 WS=93 3

499.00

17938 Hermitage La Petite Chapelle 05 WS=91 2

219.00

23065 Côte Rôtie Domaine des Pierrelles 09 RP=91+ 3

273.90

17939 Côte Rôtie Les Jumelles 05 IWC=91-93(07) 3

139.00

17942 Crozes-Hermitage Domaine de Roure 05 ST=91 3

119.00

17059 Crozes-Hermitage Thalabert 05 RP=88-90, ST=89

89.00

22200 Crozes-Hermitage Les Jalets 08 WS=87(06) 2

62.90

21175

31.90

meia Crozes-Hermitage Les Jalets 07 (375 ml) 2

22012 Ermitage Le Méal blanc 08 RP=92, WS=94 3

417.50

17853 St. Joseph Le Grand Pompée 06

25394 Hermitage Chante-Alouette 11 3

175.90

21173 Cornas Saint Pierre 06 RP=92(03) 3

199.90

22762 Condrieu Invitare 09 RP=92 3

179.00

25395 Châteauneuf-du-Pape La Bernardine blanc 12 RP=90(07), WS=90(08) 3

23064 Châteauneuf-du-Pape Domaine de Terre Ferme 09 RP=93 3

187.50

119.50

21494 Châteauneuf-du-Pape Les Cèdres 07

135.90

22005 Coteaux de l’Ardèche Viognier 10 RP=89(07) 2

54.50

22201 meia Châteauneuf-du-Pape Les Cèdres 07 (375 ml)

68.50

68.90

115


FRANÇA

vinhos tintos

18841 Gigondas Pierre Aiguille 07 RP=87-89(06), IWC=89(06)

69.90

22198 Côtes-du-Rhône Parallèle 45 rouge 09 ST=87 2

39.90

23059 meia Côtes-du-Rhône Parallèle 45 rouge 09 (375 ml) 2

24.50

23060 Ventoux Les Traverses 09

33.50

25812 meia Ventoux Les Traverses 11 (375 ml)

19.90

25115 Crozes-Hermitage La Guiraude 11 WS=94(09), RP=93(09) 3

25813 Côtes-du-Rhône Paralèlle 45 rosé 12 WS=87(05) 1

vinhos brancos secos

89.90

217494 Saint-Joseph 06 WS=91 3

98.50

vinho rosado

38.90

US$/gf 158.50

23947 Condrieu Les Cassines 10 WS=92(07) 3

149.50

17945 Crozes-Hermitage Mule Blanche 06 WS=90 3

69.90

21182 Viognier Sécret de Famille 09 ST=87

39.50

20163 Côtes-du-Rhône Paralèlle 45 blanc 09 WS=87

33.90

21181 Le Petit Jaboulet Viognier 09

33.90

vinhos brancos doces

US$/gf

17946 Muscat de Beaumes de Venise Le Chant des Griolles 07

96.50

17758 meia Muscat de Beaumes de Venise Le Chant des Griolles 06 (375 ml) WS=89

49.90

US$/gf

17937 magnum Hermitage La Chapelle 05 (1.500 ml) WS=933

999.00

17940 magnum Côte Rôtie Les Jumelles 05 (1.500 ml) RP=(87-89), WS=88

288.00

17941 magnum Crozes-Hermitage Thalabert 05 (1.500 ml) RP=(88-90), WS=89

179.00

21176 magnum Crozes-Hermitage Les Jalets 07 (1.500 ml)

119.50

22199 magnum Côtes-du-Rhône Parallèle 45 rouge 09 (1.500 ml) ST=87

89.50

23062 magnum Ventoux Les Traverses 09 (1.500 ml)

72.50

ALAIN GRAILLOT (Crozes-Hermitage) O talentoso Alain Graillot produz sem dúvida os melhores Crozes-Hermitage da atualidade. Seus vinhos fantásticos e disputados conferiram um novo status a esta denominação, e chegam a competir com muitos Hermitage. Um colecionador de prêmios, seus tintos são frequentemente indicados para a relação dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” da revista Wine Spectator e merecem altas notas da imprensa especializada. Uma verdadeira especialidade, de pequena produção, são vinhos difíceis de encontrar até mesmo na França.

116

US$/gf 89.50

US$/gf

17944 Hermitage Chevalier de Stérimberg 05 WS=92 3

garrafas magnum vinho tinto

156.90

23875 Crozes-Hermitage 10 WS=91(07) 3

25482 Crozes-Hermitage blanc 12 1

vinho rosado

US$/gf

(Equis, Domaine des Lises) Equis e Domaine des Lises são os projetos pessoais de Max Graillot, filho do genial Alain Graillot. A propriedade Domaine des Lises está localizada na comuna de Beaumont-Monteux, no extremo sul de Crozes-Hermitage, com vinhedos em um microclima mais frio que o restante da região. Este terroir privilegiado — repleto de pedregulhos e com ótima drenagem — dá origem a minúsculas quantidades de vinhos muito aromáticos e refinados, com uma profunda mineralidade. O estilo — mais delicado e de prazer mais imediato que os Syrah de Alain Graillot — é bastante convidativo, com um inegável apelo regional. Os tintos são vinificados totalmente sem engaços e maturados em barricas de segundo uso de grandes vinhos da Borgonha, incluindo preciosos lotes de barricas do Domaine de la Romanée-Conti. O talentoso Max Graillot vem reduzindo gradativamente os rendimentos dos vinhedos e os resultados recentes mostram vinhos de imensa profundidade, com a finesse dos grandes Syrah de antigamente. Sob a marca Equis, o produtor elabora vinhos com uvas de amigos proprietários, com invejáveis parcelas em Cornas e Saint Joseph. O Cornas 2006 de Equis foi apontado como “delicioso” pela revista Decanter. Trata-se de um vinho elegante e cheio de estrutura, capaz de fazer frente aos grandes vinhos do Rhône. O Saint Joseph é repleto de finesse e camadas de fruta, oferecendo mais complexidade que a maioria dos Hermitage de outros produtores, por uma fração do preço. Aproveite enquanto o mundo ainda não descobriu estas verdadeiras jóias e deguste o talento da família Graillot.

18938 Cornas 06 ST=913

vinhos tintos

US$/gf 184.50

279.00

20992 Cornas Rennaissance 08 WS=92 3

169.50

Côtes-du-Rhône 02 RP=88-90(01), WS=88(01)

(Hermitage) Estes vinhos extraordinários, raríssimos e muito disputados estão entre os as maiores estrelas do vinho francês . Jean Louis Chave é o maior artista de Hermitage, merecendo notas estratosféricas nas últimas safras - incluindo duas notas 100 de Robert Parker. São vinhos difpiceis de encontrar até mesmo na França, com uma grandiosidade, uma finesse e uma complexidade inigualáveis. São capazes de evoluir em garrafa por muitos e muitos anos, e representam o ponto máximo de qualidade da uva Syrah no Norte do Rhône . Segundo Robert Parker, ´´não pode haver nenhuma dúvida de que Jean Louis Chaves e seu pai, Gérard Chave – membros de uma família que tem produzido Hermitage por seis séculos – estão entre os maiores enólogos deste planeta. Nos melhores anos, o Hermitage rouge de Chave é um vinho imortal´´. Verdadeiros tesouros!

vinho branco 20560 Hermitage blanc 07 RP=95, WS=95 3

539.00 647.50

23570 Sélection Hermitage Blanche 07 3

189.50

vinhos tintos

US$/gf

23565 Hermitage rouge 08 WS=94 3

557.00

25124 Hermitage rouge 10 RP=100(09) 1

669.50

24130 Saint-Joseph 09 RP=93 3

169.50

23567 Sélection Hermitage Farconnet 07 3

189.50

20557 Sélection Saint-Joseph Offerus 07 WS=91(06) 3

88.50

23569 Sélection Côtes-du-Rhône Mon Coeur 09 WS=88 2

59.90

75.50

CHÂTEAU RAYAS

79.90

(Châteauneuf-du-Pape) www.chateaurayas.fr

Clape é o grande ícone da escola tradicional de Cornas, esta reputada comuna do Norte do Rhône. São tintos encorpados, potentes e carnudos, mas no caso de Clape, com classe e personalidade, bem mais finos do que os outros de sua denominação. De minúscula produção,

US$/gf

24210 Hermitage blanc 09 RP=99 3

18939 Saint-Joseph 07 WS=90 2

(Cornas)

83.90

J. L. CHAVE

18937 Crozes-Hermitage 07 WS=90 2

DOMAINE CLAPE

US$/gf

19483 Cornas 07 RP=90-92, WS=93 3 9182

MAX GRAILLOT

vinhos tintos

são verdadeiras raridades, disputadas até mesmo na França. Merece altas notas da imprensa especializada. De fato, o domaine possui muitos dos melhores vinhedos de Cornas, plantados com vinhas velhas de Syrah. Seu Côtes-du-Rhône tinto também é muito bom.

Verdadeiro mito, o cultuado Château Rayas é o Châteauneuf-du-Pape mais polêmico, produzido apenas com a uva Grenache de velhíssimas vinhas e mostrando incrível concentração. Robert Parker, que o classifica com as máximas cinco estrelas, lhe conferiu 100 pontos na safra 1990, e dele afirma: “é um dos triunfos de minha adega, um verdadeiro monumento


FRANÇA

do Rhône”. São vinhos disputados, de minúscula produção, grandes raridades. O Pignan é seu também excelente segundo vinho.

vinhos tintos

US$/gf

25117 Châteauneuf-du-Pape Ch. Rayas 08 3

439.50

21242 Châteauneuf-du-Pape Pignan 07 RP=93 3

256.50

19318 Ch. de Fonsalette Côtes-du-Rhône rouge 06 RP=90

172.50

21244 Côtes-du-Rhône La Pialade 07 WS=88

vinho branco

79.90

US$/gf

19320 Ch. de Fonsalette Côtes-du-Rhône blanc 06 WS=91

149.50

CHÂTEAU DES TOURS (CHÂTEAU RAYAS) (Vaqueyras) www.chateaurayas.fr/vinsdestours.htm Château des Tours é a residência pessoal de Emmanuel Reynaud, proprietário do mítico Château Rayas, um dos mais disputados e lendários Châteauneuf-du-Pape. Nesta propriedade, Reynaud produz um profundo Vacqueyras, elaborado nos mesmos moldes de Rayas, mas um pouco mais tânico, com um interessante toque de rusticidade. O Vacqueyras do Château de Tours é incrivelmente longevo e foi apontado por Jancis Robinson como um dos melhores vinhos da denominação. Segundo Robert Parker, os tintos do Château des Tours “podem ser realmente fantásticos”, representando “algumas das melhores relações qualidade/preço entre os vinhos do Rhône”. Todos os vinhos têm como base a uva Grenache, que é a grande

especialidade do Château Rayas. O Côtes-du-Rhône da propriedade também é denso e concentrado, completamente diferente dos exemplares mais comuns desta denominação. Segundo Parker, é um tinto bastante longevo, podendo manter-se no auge da forma por mais de 10 anos! São ambos vinhos clássicos, que sem dúvida agradarão muito os grandes conhecedores.

vinhos tintos

US$/gf

25123 Vin de Pays de Vaucluse 09 1

57.50

22579 Côtes-du-Rhône Réserve 07 RP=90, WS=88 3

79.90

22580 Vaqueyras Réserve 04 RP=94, WS=90 3

139.90

CHÂTEAU DE LA TUILERIE (Costières de Nîmes) www.chateautuilerie.com Um dos melhores e mais reputados châteaux do Sul da França, produzindo tintos e brancos cheios de charme, sabor e personalidade. O Château de la Tuilerie Carte Blanche é um clássico, de excepcional relação qualidade/preço. Recentemente, mereceu nada menos do que 89 pontos de Parker, que o classificou como “superb value”! O Vieilles Vignes é ainda melhor, mais fino, elegante e concentrado, enquanto o Cuvée Éole é um dos grandes tintos do Sul da França. O Cuvée des Amours e o Sarments de la Tuilerie são tintos saborosos, de ótima relação qualidade/preço. O branco é delicado, refrescante, charmoso e floral. A caixa “Accolades” traz seis vinhos de seis castas diferentes — ótimo para descobrir as características de cada variedade!

vinhos tintos

US$/gf

23275 Célébration Merlot 10 2

29.90

17120 Château de la Tuilerie Syrah/Grenache 06 WS=88 2

29.90

23274 meia Château de la Tuilerie Syrah/Grenache 06 (375 ml) WS=88

18.90

18796 Château de la Tuilerie Cuvée Vieilles Vignes 07 3

47.50

17751 Château de la Tuilerie Cuvée Eole 04 RP=89(00) 3

89.90

13724 Caixa Mista com 6 gfas de Accolades 04,nos tipos: Carignan, Grenache, Alicante, Syrah, Merlot e Cabernet Sauvignon

vinho rosado 17752 Château de la Tuilerie Carte Blanche rosé 07

vinhos brancos

127.50

US$/gf 29.90

US$/gf

20487 Château de la Tuilerie Carte Blanche blanc 09 RP=87(08) 2

29.50

25380 Célébration Viognier 12 2

30.90

24091 CHÂTEAUNEUF-DUPAPE LA BERNARDINE 2010 (M. Chapoutier / Rhône)

Esta ótima interpretação de Chapoutier para um vinho histórico – o mais emblemático do Sul do Rhône – sempre recebe notas superiores a 90 pontos e muitos elogios da Wine Spectator. Um dos poucos Châteauneuf-du-Pape produzidos com apenas duas castas, o La Bernardine é elaborado com a elegante Grenache, em maioria, e a emblemática Syrah. A bela cor, característica de uma Grenache de baixos rendimentos, e o complexo bouquet oferecem uma prévia da deliciosa sensação de boca que esse vinho proporciona.

US$125,50 23060 CÔTES DU VENTOUX LES TRAVERSES 2009 (Paul Jaboulet Aîné / Rhône)

O Les Traverses é um delicioso vinho do sul do Rhône, frequentemente classificado como “Best Buy” pela imprensa especializada. Segundo Robert Parker, trata-se de um legítimo “vinho de bistrô”, que “oferece muito mais que a maioria dos vinhos desta denominação”. Bastante frutado e saboroso, possui mais corpo e estrutura que a grande maioria dos vinhos dessa denominação, sem perder o ótimo apelo regional.

ACERTE A TEMPERATURA É impressionante a diferença que faz servir os vinhos à temperatura correta. Vinhos frios demais se tornam muito fechados e não mostram seus aromas e qualidades — apenas seus defeitos. Quentes demais, eles parecem ser alcoólicos, pesados e desequilibrados. Servidos à temperatura correta, eles ficam muito melhores! Em geral, quando se está falando de temperatura correta, o verdadeiro problema não está na diferença de um grau apenas, mas de muitos graus. Muitos brancos, por exemplo, chegam a ser servidos 10º C abaixo da temperatura correta! Nesta temperatura baixíssima, é claro que não mostrarão seus aromas e qualidades.

Sirva na temperatura correta: Tintos encorpados: 19º-20ºC Tintos mais leves: 16-18º C Rosados e Brancos secos encorpados: 11-13ºC Brancos leves e aromáticos, Jerez: 9º - 11ºC Champagne e espumantes encorpados, 7º-9ºC Brancos doces e espumantes mais leves e descompromissados: 7ºC-8ºC

US$33.50

117


FRANÇA

DOPFF AU MOULIN

e Grands Crus, e recentemente passou a vinificá-los com mesclas das várias uvas presentes nos vinhedos, e não com uma única variedade, como é tradição na Alsácia. Os resultados são surpreendentes, com vinhos únicos e sublimes de uma inacreditável finesse e complexidade, mostrando bem as diferenças entre cada vinhedo e cada terroir.

vinhos tintos

US$/gf

23884 Rouge de Saint Hippolyte 09

75.90

14927 Burlenberg “nível” Premier Cru 01 RP=89-90(00)

79.90

vinhos brancos

US$/gf

21991 Deiss Alsace 09 2

49.90

23888 Pinot d’Alsace 10

49.90

21992 Riesling 09 WS=89 2

69.50

21993 Gewürztraminer Bergheim 07 2

69.50

18619 Pinot Gris Bergheim 02 WE=90 3

53.00

21994 Pinot Gris Beblenheim 05 RP=90, WS=89 3

83.50

Com seu clima frio e seu privilegiado terroir, a Alsácia produz alguns dos melhores e mais elegantes vinhos brancos da França. Eles são elaborados com uvas como a Riesling — que se encontra maravilhosamente bem na região, dando origem a vinhos elegantes, de grande complexidade, em estilo diferente dos alemães — além da Pinot Gris, Pinot Blanc, Gewürztraminer, Sylvaner e Muscat. Os vinhos em sua maioria são varietais, com exceção das criações do polêmico e genial Jean-Michel Deiss que, produzidas com uma mescla de uvas de um determinado vinhedo, privilegiam o terroir. O encorpado Pinot Gris (algumas vezes chamado de “Tokay”) é outra grande especialidade da Alsácia — um branco rico, seco e aromático, que preenche a boca e envelhece muito bem. Os tradicionais espumantes Crémant d’Alsace são ótimos, os melhores da França fora de Champagne.

DOMAINE MARCEL DEISS www.marceldeiss.com O artista Jean-Michel Deiss é um dos mais polêmicos e inspirados apologistas do terroir e da agricultura biodinâmica na atualidade. Em sua excelente propriedade na Alsácia, este genial enólogo — que muitos classificam como um ‘terroirista’ do vinho — tem produzido alguns dos mais finos, complexos e autênticos brancos do mundo. O guia Bettane & Desseauve o classifica com suas máximas três estrelas e afirma que Deiss é, “incontestavelmente, uma grande estrela da Alsácia”. Seus “varietais alsacianos” são todos excelentes. No entanto, Deiss é ainda mais famoso por seus Premiers Crus

118

A família Dopff se dedica ao vinho desde o século XVII na bela cidade medieval de Riquewihr, onde um decreto de 1574 já proibia a produção de qualquer vinho que não fosse de alta qualidade. Trata-se de um dos maiores, mais reputados e mais tradicionais nomes da Alsácia. Seus vinhos são de grande tradição, elegância e tipicidade e os crus estão sempre entre os melhores da região. A família Dopff foi a inventora do famoso “Crémant d’Alsace”, o tradicional espumante alsaciano, elaborado pelo método champenoise, além de ter criado também as típicas e alongadas garrafas em que os vinhos da região são hoje vendidos. Seus brancos têm grande finesse e complexidade, demonstrando plenamente as virtudes do terroir privilegiado onde são produzidos.

vinhos brancos

US$/gf

23867 Riesling Cuvée Europe Réserve 11 3

44.90

23868 Pinot Gris Réserve 11 3

49.90

126.50

23936 Gewürztraminer Réserve 11 RV=4*(98)

56.50

13525 Mambourg Grand Cru 02 WS=90 3

184.90

21996 Altenberg de Bergheim Grand Cru 06 RP=95(05) 3

234.00

25077 Gewürztraminer Brand de Turckheim Grand Cru 10 3

85.90

28891 Schoenenbourg Grand Cru 08 RP=94 3

229.50

25076 Riesling Schoenenbourg de Riquewihr Grand Cru 09 JR=16(08), WS=90(05) 3

93.50

21995 Burg “nível” Premier Cru 07 RP=92 3

ALSACE

www.dopff-au-moulin.fr

vinho espumante

SCHIEFERKOPF (M. CHAPOUTIER)

20133 Crémant d’Alsace Chardonnay Brut 07

US$/gf 59.90

www.chapoutier.com/alsace-domaine-schieferkopf Schieferkopf é o comentado novo projeto de Michel Chapoutier na Alsácia. Chapoutier encontrou um terroir excepcional entre as comunas de Barr e Riquewihr — vinhedos com uma rara e excepcional cobertura da rocha xisto azul, que foram meticulosamente plantados de acordo com os princípios biodinâmicos. Estes solos especiais e todo o trabalho de Chapoutier no terroir dão origem a vinhos robustos e profundos, cheios de mineralidade — bastante originais e em um estilo bem distinto do tradicional alsaciano. Jancis Robinson comparou um dos novos Rieslings produzidos, o Lieu-Dit Fels, a um Grosses Gewächs — o Grand Cru da Alemanha. Para dar expressão àquele que considera ser o verdadeiro caráter da Riesling, Chapoutier leva até 12 horas para finalizar a prensagem de suas uvas, utilizando um processo lento e delicado. Por sua vez, o Sylvaner é deliciosamente cítrico e floral, como os melhores exemplares desta casta, enquanto o Pinot Gris mostra sofisticadas notas defumadas e um notável sabor amendoado. São todos brancos cheios de personalidade, que prometem se tornar grandes referências para o vinho francês.

vinhos brancos

US$/gf

22758 Schieferkopf Sylvaner 09 2

48.50

22759 Schieferkopf Pinot Gris 09

67.90

22760 Schieferkopf Riesling 09 WS=90(10) 3

67.90

25392 Schieferkopf Gewürztraminer 11 “meio-seco” 1

72.50

DOPFF & FILS www.dopff-au-moulin.fr Pertencente aos mesmos proprietários da reputada Dopff au Moulin, Dopff & Fils se especializou na produção de vinhos de ótima relação qualidade/preço, com personalidade tipicamente alsaciana. Como a ‘maison mère’, produzem vinhos deliciosamente refrescantes e cheios de personalidade, como os aromáticos e marcantes Gewürztraminer, belos Rieslings e o ótimo espumente Crémant d’Alsace, inventado pela família.

vinhos brancos

US$/gf

25080 Pinot Blanc 12

34.50

25078 Riesling 12 2

39.90

23871 Gewürztraminer 11 2

47.50

23872 meia Gewürztraminer 11 (375 ml) 2

28.90

vinho espumante seco 4467

Crémant d’Alsace Brut

US$/gf 57.90


FRANÇA

LOIRE O Loire produz alguns dos brancos mais aromáticos, charmosos e refrescantes do mundo. O clima frio é ideal para a Sauvignon Blanc, que para muitos alcança seu ponto máximo em denominações como Sancerre e Pouilly-Fumé. São brancos deliciosos, bem secos e refrescantes, de ótima acidez e com um caráter puro, bastante elegantes e um pouco austeros. A outra grande uva branca da região é a Chenin Blanc, que faz vinhos únicos como o Vouvray e especialmente o Savennières. Alguns Vouvrays são saborosos e refrescantes, com um agradável adocicado, perfeitamente equilibrado pela acidez. Os Savennières são mais austeros e muito complexos, realmente excelentes. Baumard é o grande nome da denominação, considerado “o rei da Chenin Blanc” e um dos produtores de maior prestígio em toda a França. Há também o Muscadet-de-Sèvre-et-Maine, cheio de frescor e alegria. O Loire também produz tintos muito saborosos e macios, principalmente com a casta Cabernet Franc. É o caso do Chinon, rico e alegre, o mais famoso tinto da região.

vinhos tintos

DOMAINE GUY SAGET www.guy-saget.com Produtor de grande renome no Loire, sendo um grande proprietário de vinhedos de alta qualidade na região. Seus vinhos têm todos um frescor, um charme e uma tipicidade que os tornam irresistíveis. O Sancerre Les Monts Damnés e o Pouilly-Fumé Les Roches são vinhos ricos, de grande classe. Saget também é proprietário do Domaine de la Perrière, especialista em Sancerre e um dos mais tradicionais da denominação, além do Domaine Chupin, da histórica região de Anjou, que elabora saborosos tintos e rosés com a Cabernet Franc.

US$/gf

24113 Bourgueil L’Échellerie 10 2

34.90

24905 Chinon Les Tennanceaux 11 2

34.90

19496 Saumur-Champigny Les Treilles 08 2

36.50

25483 Saumur-Champigny 09 1

39.90

22980 La Petite Perrière Pinot Noir 09 2

34.90

vinhos rosés

mundo” em seu mais recente livro. A Wine Spectator lhe confere sempre notas altíssimas. Seus Savennières – secos, elegantes, refinados e estruturados – são maravilhosos, incrivelmente minerais, sem dúvida entre os grandes brancos da França. Seus reputadíssimos vinhos doces – Quarts de Chaume e Côteaux du Layon – são sublimes, “talvez os mais ‘undervalued’ dentre os grandes doces do mundo”, segundo Parker.

US$/gf vinhos tintos

US$/gf

24115 Rosé d’Anjou 11 “meio-seco”

25.50

24114 Domaine d’Artois Rosé de Loire 11

25.50

19099 Anjou Logis de la Giraudière 05 WS=872

33.90

25136 La Petite Perrière Pinot Noir rosé 11 2

29.90

23991 Anjou Clos de la Folie 09 2

49.90

vinhos brancos secos

US$/gf

vinhos rosados

US$/gf

24347 Sancerre Séléction Première 11 ST=88(08) 2

59.90

24622 Rosé de Loire 11

29.90

(Domaine Clape / Rhône)

24117 Pouilly-Fumé Les Logères 11 2

59.90

22082 Cabernet d’Anjou 08

29.90

“Uma das referências incontestáveis de Cornas” para o guia Bettane & Desseauve, a mais respeitada publicação sobre vinhos franceses, Clape elabora minúsculas quantidades de tintos soberbos, entre os maiores e mais aclamados de todo o Rhône. Segundo o guia do La Revue du Vin de France, Auguste Clape é o melhor representante da escola tradicional de Cornas, talhando vinhos complexos e elegantes, capazes de envelhecer por décadas. Elaborado sem desengaçamento e com uso de barricas de carvalho de segundo uso, é sem duvida uma das grandes expressões da uva Syrah.

22419 Vouvray 10 2

35.50

24117 Muscadet de Sèvre et Maine 10

24.90

24345 Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie 10

31.90

22418 meia Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie 09 (375 ml)

19.90

22985 La Petite Perrière Sauvignon Blanc 10 2

29.00

19483 CORNAS 2007

US$279.00 18796 CH. DE LA TUILERIE SYRAH VIEILLES VIGNES 2007 (Château de la Tuilerie / Rhône)

Um tinto “sólido e carnudo”, segundo a Wine Spectator, o Château de la Tuilerie Vielles Vignes é uma verdadeira referência para vinhos do Sul da França. Tem a concentração e elegância que só as vinhas antigas conseguem proporcionar, com deliciosas notas de fruta madura, em um estilo impossível de não gostar.

US$39,90

vinho espumante seco

US$/gf

20187 Vouvray Domaine des Châtaigneraies Brut 3

52.25

22420 Blanc de Blancs Comte d’Ormont Brut 2

29.90

DOMAINE BAUMARD www.baumard.fr Este extraordinário produtor, considerado o “rei da casta Chenin Blanc”, é um dos maiores nomes do vinho na França, merecendo incríveis elogios e altas notas de todas as principais referências. Ele é classificado por Robert Parker, que lhe concede suas máximas cinco estrelas, como um dos “melhores Domaines do

vinho espumante seco 22083 Crémant de Loire Carte Turquoise Brut 3

US$/gf 49.90

vinhos brancos secos

US$/gf

16025 Savennières Clos Saint Yves 05

49.50

22080 Savennières Clos du Papillon 04 RP=91, WS=92, W&SP=93 3

72.90

vinhos brancos doces

US$/gf

18633 meia Coteaux du Layon Carte d’Or 06 (375 ml) 2

26.90

20130 Coteaux du Layon Carte d’Or 07 WS=92(05) 2

48.50

17467 Quarts de Chaume 06 WS=92 3 17468 meia Quarts de Chaume 06 (375 ml) WS=92 3

159.50 85.90

119


FRANÇA

PASCAL JOLIVET

22016 Les Griottes Pouilly-Fumé 10 WS=90(05) 3

(Pouilly-Fumé e Sancerre) www.pascal-jolivet.com Pascal Jolivet é uma das maiores estrelas do Loire na atualidade, elaborando pequenas quantidades de vinhos muito elegantes, cheios de finesse e equilíbrio. Utilizando práticas não intervencionistas e alguns dos mais privilegiados terroirs da região, elabora excelentes Sancerre e Pouilly-Fumé — unanimidades entre os restaurantes estrelados do guia Michelin na França. A linha “Attitude” é composta por vinhos modernos e exuberantes, enquanto os excelentes “Aquarelle” são elaborados com uvas de diversos tipos de solo, vinificadas separadamente, no emblemático estilo Jolivet. Entre as grandes estrelas do produtor estão os reputados Château du Nozay, o Pouilly-Fumé Les Grillotes, o Sancerre blanc Sauvage, o Pouilly-Fumé Indigene e o extraordinário Exception — todos vinhos maravilhosos, entre os melhores que o Loire e toda a França podem produzir.

vinhos tintos

US$/gf

19706 Attitude Pinot Noir 08 2

42.90

22013 Aquarelle Sancerre rouge 08

69.90

vinhos rosados

US$/gf

23994 Attitude rosé 2

42.90

22014 Aquarelle Sancerre rosé 10

69.90

85.90

vinho rosado

US$/gf

22017 Indigene Pouilly-Fumé 08 3

124.90

22337 Chinon rosé 07 3

59.90

16950 Exception Sancerre blanc 04 WS=903

153.50

MARC BRÉDIF Especialista em deliciosos Vouvray (incluindo espumantes), Marc Brédif é uma impecável vinícola do Loire, de propriedade do Baron de Ladoucette, um dos mais reverenciados nomes de toda a França. São vinhos de grande caráter e profundidade, com muita elegância e frescor, na contramão dos vinhos pesados e superconcentrados. O ótimo Vouvray — uma clássica interpretação da uva Chenin Blanc — é um branco “de dar água na boca” para a Wine Spectator, que o classificou com a ótima nota 88 na safra de 2006. Os espumantes Vouvray mostram a vocação da casta Chenin Blanc para originar também grandes espumantes pelo método tradicional, o mesmo usado em Champagne: são frescos, com um toque cremoso e cheios de nuances. Para lhes conferir ainda mais complexidade, Marc Brédif acrescenta uma parte de vinhos reserva, maturados por longos anos nas frias caves do imponente Château de Nozet – uma prática que é rara até mesmo em Champagne. O Vouvray Réserve Privé Brut Extrême é elaborado sem adição de licor de expedição, sendo bastante seco e mineral. O Chinon, por sua vez, é leve e cheio de fruta, com um delicioso toque herbáceo e taninos suficientes para deixarem o vinho fresco e equilibrado. É um belo exemplar deste famoso tinto do Loire elaborado com a casta Cabernet Franc.

vinhos brancos secos

US$/gf

22015 Attitude Sauvignon Blanc 10 2

44.50

22018 Aquarelle Pouilly-Fumé 10

69.90

23996 Aquarelle Sancerre blanc 10

69.90

22335 Chinon 06 3

59.90

18085 Château du Nozay Sancerre blanc 07 WS=88(06) 3

67.90

22336 meia Chinon 06 (375 ml) 3

34.25

vinhos tintos

vinhos brancos secos

US$/gf

22340 Vouvray 09 WS=89 (08) 3

59.90

22339 Muscadet de Sèvre et Maine sur lie Royal Oyster 06 2

49.90

22338 Muscadet sur lie 06 2

43.25

vinhos espumantes secos

US$/gf

22343 Vouvray Réserve Privé Brut Extrême 3

69.90

22341 Vouvray Brut 2

68.50

22342 meia Vouvray Brut (375 ml) 2

36.50

DOMAINE CHARLES JOGUET www.charlesjoguet.com Ninguém discute que Joguet é o melhor produtor de Chinon. O proprietário, Charles Joguet, além de um vigneron apaixonado, é também um talentoso escultor e poeta. Seus vinhos, típicos exemplares da casta Cabernet Franc, tem uma dimensão, uma personalidade e uma complexidade difíceis de encontrar em qualquer outro Chinon.

vinhos tintos

US$/gf

20994 Chinon Les Petites Roches 08

59.90

20995 Chinon Varennes du Grand Clos 08 WS=92(03) 3

93.90

vinho rosado

US$/gf

17522 Chinon rosé 06 3

49.90

US$/gf

24517 SCHIEFERKOPF RIESLING 2010 (M. Chapoutier / Alsace)

Meticulosamente vinificado por Chapoutier, o Schieferkopf Riesling leva até 12 horas para ser prensado para evitar os aromas de petróleo – um defeito de muitos Rieslings na opinião do polêmico e genial Michel Chapoutier. Rico, denso e mineral, é um vinho puro e cativante, com a prestigiosa assinatura de Chapoutier.

US$64,90

O QUE SIGNIFICA DIZER QUE UM VINHO É “ELEGANTE”? É difícil definir em palavras exatamente o que é a elegância, mas todo mundo tem este conceito na cabeça. Um vinho elegante é como uma pessoa elegante, por exemplo, em que nada se sobressai demais, nada é exagerado. Há uma certa sutileza, algo que não é óbvio, mas que merece ser descoberto. Um vinho elegante não é encorpado demais, nem exuberante demais, nem tânico demais. Não mostra amargor, nem tem acidez nem a mais nem a menos.

120

Especialmente sua textura e seu final de boca transmitem uma inconfundível sensação de elegância. Embora seja difícil de definir, mesmo que você não seja um especialista, quando estiver diante de um vinho elegante vai entender o que isto significa. Esta é uma grande qualidade para um vinho, mas há muitas outras valiosas qualidades e estilos também, assim como há ocasiões diferentes para se tomar vinhos.

23989 SAVENNIÈRES CLOS DU PAPILLON 2009 (Domaine Baumard / Loire)

Aromático, mineral e de muita personalidade, este grande branco é elaborado com a casta Chenin Blanc pelo maior especialista na variedade, o Baumard. Mostra muita estrutura e elegância, com ótima acidez e boa complexidade. A safra de 2009 recebeu 93 pontos da Wine Spectator.

US$72,90


FRANÇA

SUL DA FRANÇA Uma das mais belas regiões da França, a Provence abriga alguns produtores de muito prestígio, verdadeiros “Grands Crus do Midi”, entre os quais o Domaine de Trevallon e o Château Vannières são dois dos maiores representantes. São vinhos refinados, de conhecedores, com muita classe e estilo, merecendo impressionantes elogios da imprensa especializada. O mesmo acontece com o prestigioso Mas de Daumas Gassac, do Languedoc-Roussillon, propriedade que produz um dos melhores tintos de toda a França. A Provence também é conhecida por seus belos rosés, alguns dos quais podem ser deliciosos e excelentes. Bandol, na Provence, é muito reputada por seus tintos ricos e profundos, que chegam a lembrar Pauillacs. O Roussillon, aos pés dos Pirineus, produz tintos densos e dois ótimos vinhos de sobremesa: o perfumado Muscat de Rivesaltes e o tinto doce Banyuls, perfeito para combinar com chocolate. O Sul da França também dá origem a inúmeros vinhos de excelente relação qualidade/preço, mas fique atento ao nome do produtor, que faz toda a diferença!

PROVENCE CHÂTEAU VANNIÈRES (Bandol) www.chateauvannieres.com Esta histórica propriedade é uma das mais belas e reputadas da Provence. Seu Bandol é um dos melhores da denominação, bastante encorpado, fino, requintado e de longa guarda. Os Côtes de Provence são igualmente excelentes, um pouco menos estruturados, podendo ser bebidos mais cedo. Seu emblemático rosé é um verdadeiro achado, de muito charme e intensidade, seco, concentrado e elegante, combinando maravilhosamente bem com diversos pratos, como peixes, carnes grelhadas e aves. Hugh Johnson, Robert Parker e diversos outros jornalistas elogiam muito os refinados vinhos da propriedade. Para Parker, “o Bandol produzido pelo magnífico Château Vannières é um dos mais finos da apelação. Os tintos do Château têm uma aptidão excepcional para o envelhecimento, e exalam um bouquet impressionante, que lembra os vinhos de Pauillac [em Bordeaux]”. 22018 POUILLY-FUMÉ AQUARELLE 2010 (Pascal Jolivet / Loire)

O excelente Aquarelle Pouilly-Fumé é elaborado com uvas de diversos tipos de solo, vinificadas separadamente para representarem ao máximo o estilo não intervencionista de Pascal-Jolivet. O contato com as borras durante a fermentação deixa o vinho com grande complexidade e equilíbrio.

US$69,90

vinhos tintos

US$/gf

21306 Château Vannières Bandol rouge 07 3

99.50

15612 Héritage Vannières rouge 05 2

32.90

24253 Mistral Vannières rouge 10 2

39.90

vinhos rosados

85.50

24255 Mistral Vannières rosé 11 2

39.90

vinho branco

US$/gf 99.50

DOMAINE DE TREVALLON

US$/gf 354.00

LANGUEDOCROUSSILLON/ SUDOUEST www.daumas-gassac.com

Esta extraordinária propriedade da Provence é considerada por muitos como a melhor de toda a região. O reputado Master of Wine Clive Coates afirma: “Trevallon não é apenas o maior vinho da Provence, mas o mais fino exemplo de um corte de Syrah e Cabernet Sauvignon. Como descrever este vinho? A coloração é esplêndida. Impressionantemente concentrado. Estruturado, sem ser brutalmente sólido. Equilibrado e complexo. É um vinho das ‘garrigues’, com personalidade irredutível, e como suas origens, um vinho sem meias-medidas, excitante, apaixonante”. Verdadeiro “Grand Cru” do Sul da França, ele é concentrado e profundo, de grande classe, apto a durar muitos anos.

19578 Domaine de Trevallon rouge 06 3

252.50

MAS DE DAUMAS GASSAC

www.domainedetrevallon.com

vinho tinto

garrafa magnum vinho tinto 19579 magnum Domaine de Trevallon rouge 06 (1.500 ml) 3

US$/gf

US$/gf

24254 Château Vannières Bandol rosé 11 3

21307 Château Vannières Bandol blanc 09 3

vinho branco 19580 Domaine de Trevallon blanc 07 3

US$/gf 169.50

O lendário Daumas Gassac foi considerado “o único Grand Cru do Midi” por Hugh Johnson. Para o jornalista, ele é “maravilhoso”. Para Serena Sutcliffe, “estupendo”. Para Clive Coates ele é “imensamente rico, muito sofisticado, um grande vinho, um dos melhores de toda a França”. Para a Revue du Vin de France, ele é “original, incomparável – e que prazer é degustá-lo!”. O branco também é excelente, enquanto o Terrasses de Guilhem e o Figaro têm boa relação qualidade/preço.

vinhos tintos 22026 Daumas de Gassac rouge 09 3

US$/gf 138.50

22022 Pont de Gassac rouge 10 3

51.25

24126 Moulin de Gassac Syrah 11 2

25.90

24127 Guilhem 11 2

25.90

24686 Figaro rouge 11 2

23.50

121


FRANÇA

DESCUBRA OS DELICIOSOS VINHOS BRANCOS DA FRANÇA 25380 Celebration Viognier 2012 (Château de la Tuilerie / Rhône / França / Branco Seco) US$ 30.90

24517 Schieferkopf Riesling 2010 (M. Chapoutier / Alsace / França / Branco Seco) US$ 64.90

22912 Bourgogne blanc Clos du Château 2008 (Château de Puligny-Montrachet / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 69.90

24316 PicPoul de Pinet 2011 (Mas de Daumas Gassac / LanguedocRoussillon / França / Branco Seco) US$ 49.50

22975 Ch. La Gatte blanc 2010 (Château La Gatte / Bordeaux / França / Branco Seco) US$ 35.50 24532 Ch. Tour de Mirambeau La Réserve blanc 2011 (Château Tour de Mirambeau / Bordeaux / França / Branco Seco) US$ 39.90

23996 Sancerre blanc Aquarelle 2010 (Pascal Jolivet / Loire / França / Branco Seco) US$ 69.90

vinhos rosados 24128 Figaro rosé 11 2

vinhos brancos 17569 Daumas de Gassac blanc 07 3 19712 Réserve de Gassac blanc 08

US$/gf 23.90

US$/gf 115.75 47.50

22024 Pont de Gassac blanc 10 3

51.25

24316 Moulin de Gassac Picpoul de Pinet 11 3

49.50

22025 Figaro blanc 10 2

23.50

vinho espumante rosado 22029 Frizant rosé Brut 10 3

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf 66.50

US$/gf

14227 double magnum Daumas de Gassac rouge 04 (3.000 ml) WS=90(00), Dec=4*(01)

419.90

16016 magnum Daumas de Gassac rouge 05 (1.500 ml) WS=90(00), Dec=4*(01)

195.00

18691 Saint Aubin Premier Cru “Sur Gamay” 2006 (Deux Montille / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 91.50

DOMAINE D’AUSSIÈRES

25127 Bouzeron Aligoté 2011 (Domaine Aubert & Paméla de Villaine / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 97.50

Novo e prestigioso projeto dos Domaines Rothschild (Lafite) na região do Roussillon, aos pés dos Pirineus, no Sudoeste da França. São todos vinhos de classe e profundidade, uma mescla entre a raça e a estrutura dos tintos do Roussillon e a elegância que é a marca registrada de Rothschild. O grande vinho da casa é o Château d’Aussières 2003, um Corbières elaborado com 80% de Syrah e 20% de Grenache, ambas de minúsculos rendimentos. É um vinho classudo e profundo, que mereceu nada menos do que 92 pontos da Wine&Spirits. Um verdadeiro achado é o “A” d’Aussières 2003, também um AOC Corbières, com excelente relação qualidade/preço, e que foi indicado como “Vinho do Mês” pela Decanter, para quem “tem muito sabor no palato e é um vinho elegante”. O Aussières rouge 2003 é um saboroso Vin du Pays d’Oc, 80% Cabernet Sauvignon e 15% Syrah, sem contato com a madeira.

23989 Savennières Clos du Papillon 2009 (Domaine Baumard / Loire / França / Branco Seco) US$ 72.90 24369 Aussières blanc 2010 (Domaine D’Aussières / Languedoc-Roussillon / França / Branco Seco) US$ 31.50 22281 Mâcon Chardonnay Clos de la Crochette 2009 (Domaine des Comtes Lafon / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 99.50 24345 Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie Pélerins 2010 (Domaine Guy Saget / Loire / França / Branco Seco) US$ 31.90 23886 Riesling 2010 (Domaine Marcel Deiss / Alsace / França / Branco Seco) US$ 69.50 23868 Pinot Gris Reserve 2011 (Dopff au Moulin / Alsace / França / Branco Seco) US$ 49.90 22871 Bourgogne Couvent des Jacobins blanc 2010 (Louis Jadot / Bourgogne / França / Branco Seco) US$ 55.90

122

(Rothschild-Laf ite / Corbières) www.aussieres.com

vinhos tintos

US$/gf

22186 Château d’Aussières 08 W&Sp=92(03) 3

69.50

22187 Blason d’Aussières 08 WS=87 2

41.50

24368 Aussières rouge 10 2

34.50

vinho branco

US$/gf

24369 Aussières blanc 10

31.50


FRANÇA

DOMAINE L’OSTAL CAZES

vinhos tintos

(Minervois) www.lostalcazes.com

25386 Côtes du Roussillon Villages Bila-Haut 12 WS=90(10) 2

A família Cazes, proprietária do Château Lynch Bages de Bordeaux, adquiriu uma propriedade com 50 hectares de vinhedos na melhor localização de Minervois, no coração do Languedoc. O terroir aos pés da Montanha Negra é lendário, conhecido no Império Romano como “cella vinaria” — ‘adega de vinhos’ em latim, por dar origem a alguns dos mais renomados vinhos da Antiguidade. O terroir de La Livinière em particular é ainda mais especial, tendo sido descrito pelo próprio Cícero como uma denominação de origem da mais alta qualidade, que produzia vinhos que eram transportados e vendidos em Roma já naquela época. Jean-Michel e Jean-Charles Cazes contaram com a experiência da equipe técnica do Château Lynch Bages para conceber os vinhos de L’Ostal Cazes e recuperar os vinhedos. O resultado deste impressionante trabalho pode ser comprovado em vinhos potentes e exuberantes, de grande apelo gastronômico. O Estibals foi apontado como uma “fantástica compra” por Robert Parker, merecendo 90 pontos na safra 2007. O aristocrático La Livinière, elaborado com uma grande proporção de Syrah, é ainda mais robusto e encorpado, demandando alguns anos para mostrar todas suas virtudes. É um belíssimo vinho de guarda!

24097 Côtes du Roussillon Villages Occultum Lapidem 11 RP=91-92(09) 3

vinhos tintos

US$/gf

24672 Estibals Minervois 09 RP=90(07) 2

48.50

22568 La Livinière Minervois 07 RP=(88-89) 3

86.90

22011 Côtes du Roussillon Villages V.I.T. 08 RP=94 3

vinho tinto doce

US$/gf 30.90 54.50 137.50

US$/gf

21491 Banyuls rouge 08 (500 ml) RP=93(07) 2

vinho branco doce

57.90

US$/gf

18221 Muscat de Rivesaltes 03 RP=91(00)

59.50

(Côteaux d’Aix en Provence, Banyuls, Rivesaltes) www.chapoutier.com Além de seus grandiosos vinhos do Rhône, Chapoutier também produz alguns ótimos vinhos no Sul da França. Seus vinhos de Côteaux d’Aix en Provence merecem incríveis elogios de Parker e de toda a imprensa especializada. O Terra d’Or, para Parker, “possui riqueza e complexidade dignas de um Domaine de Trevallon, (...) com incrível concentração e corpo, grande precisão e um longo final de boca; um vinho maravilhoso”. Os Béatines, tinto e rosado, também são deliciosos, com ótima relação qualidade/preço, enquanto o Domaine des Béates é mais sério, um “mini Terra d’Or”. No Roussillon, ao pé dos Pirineus, Chapoutier produz o tradicional tinto doce Banyuls, perfeito para combinar com chocolate, e também o perfumado Muscat de Rivesaltes, um ótimo e delicado vinho de sobremesa. Outro destaque de excepcional relação qualidade/ preço é o tinto Côtes du Roussillon Bila-Haut, denso e concentrado, com bastante personalidade.

US$/gf 59.90

19715 Ego de Cazes 07 WS=89

48.90

23272 Marie Gabrielle 09 WS=87(08) 2

42.90

23271 Canon du Maréchal rouge 10 2

36.90

vinho rosado 24124 Canon du Maréchal rosé 11 2

vinho branco seco 20739 Canon du Maréchal blanc 09 2

vinhos brancos doces

US$/gf 35.50

US$/gf 35.50

US$/gf

MARIUS (M. CHAPOUTIER)

19719 meia Muscat de Rivesaltes 06 (375 ml) 2

36.90

(Languedoc)

19720 meia Rivesaltes Ambré 96 (375 ml) 3

55.90

Pesquisando os vinhedos e diferentes terroirs do sul da França, Michel Chapoutier encontrou algumas parcelas capazes de dar origem a vinhos saborosos e cativantes, perfeitos para serem bebidos no dia a dia. Elaborados com uvas de vinhedos do Languedoc, Marius traz vinhos alegres e cheios de fruta - perfeitos para acompanhar comida ou serem servidos como deliciosos aperitivos. Robert Parker apontou a “excepcional relação qualidade/preço” do tinto e do branco, descrevendo-os como perfeitos “vinhos de bistrô”. O saboroso tinto é elaborado com Grenache e Syrah, enquanto o branco é feito com uma mescla das castas Terret e Vermentino.

vinho tinto

US$/gf

24515 Marius Grenache / Syrah 11 2

M. CHAPOUTIER

vinhos tintos 19714 Alter de Cazes 07 3

vinho branco seco

26.50

US$/gf

25391 Marius rosé 12 1

vinho branco seco

25.90

US$/gf

22761 Marius blanc 10 2

DOMAINE CAZES (Roussillon / França) www.cazes-rivesaltes.com “Uma verdadeira instituição do Roussillon” para o “Classement des Meilleurs Vins de France”, Domaine Cazes foi fundado no inicio do século e é considerado o maior especialista nos típicos vinhos doces de Muscat de Rivesaltes. Para o guia Bettane & Desseauve, o domaine “elabora vinhos antológicos”. Além dos aclamados vinhos de sobremesa, o Domaine Cazes também produz vinhos secos na denominação Côtes du Roussillon, que têm recebido muitos elogios da imprensa francesa. Simplesmente todos os vinhos avaliados por Michel Bettane em seu guia de 2010 — os tintos Alter de Cazes, Ego de Cazes e o branco Canon du Maréchal — receberam o selo de excepcional relação qualidade/preço!

26.50

MAS KAROLINA (Roussillon / França) www.mas-karolina.com Ricos, cheios de personalidade e com grande pureza de fruta, os vinhos artesanais de Mas Karolina são saborosas novidades do Roussillon. Este território singular, encostado nos Pirineus, possui clima mediterrâneo, com 325 dias de sol por ano em média, solos recheados de xisto e granito, e um rico patrimônio de videiras centenárias. Todas estas virtudes seduziram a jovem enóloga Caroline Bonville, formada em Bordeaux e com experiência nos Estados Unidos e na África do Sul. Fascinada pela qualidade das vinhas velhas de Grenache, Carignan, Syrah, Mourvèdre e outras, plantadas na nobre zona de Maury, em 2003 ela fundou Mas Karolina — cujos tintos, brancos e vinhos doces caíram no gosto das publicações francesas. “Impossível ficar indiferente”, comentou o respeitado Guide Hachette sobre o Côtes du Roussillon Villages tinto. “Seus vins de pays são tão bons quanto os de denominação e todos valem a pena”, disse o Guide Bettane et Desseauve, que definiu o Côtes de Catalanes rouge como “uma bela expressão de frutas negras com uma textura sedosa e refinada” e exclamou “Bravo!” diante do adocicado Maury Blanc, um vinho “incrivelmente tentador”. Já o Muscat de Rivesaltes, tido como “elegante” e “complexo”, é uma ótima escolha para acompanhar uma mousse de limão ou um sorbet. Com um estilo original, repleto de notas cítricas, o Côte de Catalanes Blanc foi apontado como uma grande descoberta pela reputada La Revue du Vin de France. Outro destaque é o tinto L’Enverre, elogiado por sua concentração — é “rico sem ser enjoativo”, classificado como uma “boa compra” pela publicação francesa.

vinhos tintos 24101 Côtes Catalanes rouge 10 2

US$/gf 53.50

24102 Côtes-du-Roussillon Villages 08

64.50

24103 L’Enverre 08 3

99.90

123


FRANÇA

POR QUE ALGUNS VINHOS TÊM DEPÓSITO? Alguns vinhos tintos bastante estruturados formam uma espécie de depósito ou “borra” com o envelhecimento. Este depósito é perfeitamente natural, e é formado pelos próprios taninos do vinho, que com o passar dos anos se aglomeram e se precipitam no fundo da garrafa. Você percebe o depósito como uma espécie de pó escuro, da cor do próprio vinho. É bastante comum vinhos encorpados formarem depósito após alguns anos. Para retirar estes depósitos, que podem ser um pouco amargos, basta tratar a garrafa com cuidado, sem agitá-la. Decante o vinho, passando o conteúdo da garrafa para um decantador ou jarra. Deixe aproximadamente um dedo de vinho no fundo da garrafa, que é onde normalmente se concentram os depósitos. Se verificar que algum depósito passou para o decantador, pare de verter o vinho, pois isto significa que a decantação já está concluida. Sirva e aproveite!

vinho branco seco 24112 Côtes Catalanes blanc 10 2

vinhos brancos doces

US$/gf 49.90

US$/gf

24111 Muscat de Rivesaltes 09 (500 ml)

47.50

24110 Maury blanc 09 (500 ml)

56.50

SCHRÖDER & SCHŸLER

US$/gf 23.50

US$/gf 23.50

US$/gf 25.90

GEORGES VIGOUROUX (Cahors) www.hauteserre.fr

24515 MARIUS ROUGE 2011

(M. Chapoutier / Languedoc-Roussillon) Com uvas de vinhedos do Languedoc, Chapoutier criou Marius, uma vinícola com uma cativante linha de vinhos alegres e cheios de fruta – perfeitos para acompanhar comida ou serem servidos como deliciosos aperitivos. Robert Parker apontou a “excepcional relação qualidade/preço” desse tinto, um verdadeiro “vinho de bistrô”. Elaborado com as castas Grenache e Syrah, é um ótimo achado.

US$26,50

24255 MISTRAL VANNIÈRES ROSÉ 2011 (Château Vannières / Provence)

Grande novidade do cultuado Château Vanniéres, responsável por um dos melhores rosés da França, o delicioso Mistral é um rosado seco e marcante, de ótima relação qualidade/preço.

US$39,90

124

Verdadeira descoberta para quem só conhece a uva Malbec em sua versão argentina, os vinhos do Château de Haute Serre mostram a casta em um estilo mais mineral e elegante, sem a rusticidade de alguns vinhos de Cahors. Esta histórica propriedade, antes de ter os vinhedos devastados pela filoxera no final do séc. XIX, era responsável por um dos mais reverenciados vinhos da França–comparados na época ao Château Margaux e aos melhores Grands Crus da Borgonha. A propriedade foi resgatada com grande perfeccionismo por Georges Vigouroux no final dos anos 1970 e hoje produz alguns dos melhores achados do sul da França. O sedoso e elegante Château de Haute Serre foi apontado como um “Smart Buy”pela Wine Spectator na safra de 2004, sendo descrito como “rico, elegante e concentrado”. A Cuvée Géron Dadine é um tinto de minúscula produção – um dos raros vinhos totalmente vinificados nas próprias barricas de carvalho em que o tinto depois matura. Trata-se de um tinto luxuoso, de grande apelo e complexidade. O Le Gouleyant, por sua vez, é saboroso e macio, com excelente relação qualidade/preço.

vinhos tintos 24528 Le Gouleyant Malbec 11 2

99.75

22951 Cuvée Icône WOW Ch. de Haute-Serre Malbec 09 3

garrafa magnum vinho tinto

24227 Altera Grenache Vin de Pays d’Oc 10 2

21357 Altera Chardonnay Vin de Pays d’Oc 10 2

59.90

19327 Ch. de Haute-Serre Cuvée Géron Dadine Malbec 05 WS=89, WE=90 3

vinho branco

23.50

vinho branco

20501 Ch. de Haute-Serre Malbec 06 WS=89 3

299.50

US$/gf 43.90

US$/gf

22955 Albesco de Haute-Serre 09

23056 Altera Merlot Vin de Pays d’Oc 10 2

24135 Altera Syrah Ros�� Vin de Pays d’Oc 11 2

32.50

21027 Rosas Vinito d’Haute Serre Malbec rosé 09

Tintos e brancos de ótima relação qualidade/ preço, elaborados no Sul da França pela famosa maison Schröder & Schÿler, proprietários do reputado Château Kirwan.

vinho rosado

38.50

19325 meia Ch. de Haute-Serre Malbec 05 (375 ml) WS=88

vinho rosado

(Languedoc, Périgord) www.schroder-schyler.com

vinhos tintos

21026 Lafleur Haute-Serre Malbec 08 2

US$/gf 29.90

56.90

US$/gf

19326 magnum Ch. de Haute-Serre Malbec 05 (1.500 ml) WE=89

121.00

CHÂTEAU DE CAYX (Cahors/França) www.chateau-de-cayx.com Château de Cayx é o projeto pessoal do Príncipe da Dinamarca, um célebre amante de vinhos e da boa mesa. Localizado no coração de Cahors, berço da uva Malbec, o Château Cayx conta com apenas 21 hectares de vinhedos históricos e impecavelmente cuidados. A produção não passa de 12 mil caixas por ano, e até dois anos atrás destinava-se apenas ao consumo da família real e seus convidados. Desde que uma pequena quantidade está agora disponível aos amantes do Malbec francês, as novas safras se esgotam assim que são lançadas. O requintado Cuvée Majesté é uma verdadeira raridade, disponível para pouquíssimos países. O Château de Cayx é um Malbec complexo, com notas de frutas vermelhas e especiarias. Já o Le Malbec de Cayx é produzido a partir de um vinhedo único de solo calcário, esbanjando notas de frutas silvestres.

vinhos tintos

US$/gf

23561 Le Malbec de Cayx 09 2

43.50

23562 Château de Cayx 09 3

79.90

23563 Cuvée Majesté 09 3

vinho rosado

144.50

US$/gf

23564 Le Rosé du Prince de Danemark 10 2

43.90

CHÂTEAU TIRECUL LA GRAVIÈRE (Monbazillac/Périgord) Este é um domaine simplesmente extraordinário que, na AOC Monbazillac, vizinha a Bordeaux, produz vinhos de sobremesa para competir com os melhores do mundo, inclusive com ícones como o Château d’Yquem e os melhores Sauternes. Segundo Robert Parker, “estes são os mais maravilhosos vinhos doces que já provei”. Parker conta que o fantástico Cuvée Madame 1995 do produtor


FRANÇA

(100 pontos do jornalista nas safras 94 e 95) bateu um Château d’Yquem 1989 em uma importante degustação às cegas com a presença do jornalista. O Château Tirecul La Gravière normal também é excelente, “altamente profundo, incrivelmente rico, puro, encorpado, untuoso, um vinho inacreditável que pode evoluir por 15 ou 20 anos”. Eles são elaborados com o mesmo corte dos Sauternes: Muscadelle, Sémillon e Sauvignon Blanc. Eles produzem também um ótimo branco barricado seco, no estilo e com as mesmas uvas graves.

vinhos brancos doces

(Domaine D’Aussières / Languedoc-Roussillon) Antigamente chamado de “’A’ d’Aussières”, este excelente tinto é produzido pelo Château Lafite Rothschild em Corbières, aos pés dos Pirineus. É concentrado e exuberante, mostrando grande personalidade e profundidade de fruta, com a assinatura de elegância do Château. Altamente recomendado!

US$41.50

US$/gf

18730 Château Tirecul La Gravière Monbazillac 05 (500 ml) RP=95(03) 3

139.50

18729 Les Pins Monbazillac 05 (500 ml) RP=90 2

59.90

vinho branco seco

22187 BLASON D’AUSSIÈRES 2008

US$/gf

18731 Château Tirecul La Gravière Mademoiselle 07

69.50

22951 CH. DE HAUTE SERRE ICÔNE WOW 2009 (Château de Haute Serre / Sud-Ouest)

Elaborado para ser o melhor Malbec da França, o impressionante WOW surgiu de uma parceria entre o histórico Château de Haute-Serre e o enólogo norte-americano Paul Hobbs, um expert em Malbec argentino. Quando visitou a propriedade francesa e se deparou com vinhedos plantados na década de 1970 — em solo pedregoso e que privilegiam rendimentos baixíssimos — Hobbs se convenceu de que poderia criar a partir deles um dos grandes Malbecs do mundo. A impecável colheita de 2009 ofereceu as condições ideais para isso. É um grande tinto que vai surpreender tanto aqueles que são fãs da uva Malbec quanto os apreciadores dos vinhos tradicionais franceses!

US$299,50

19578 DOMAINE DE TREVALLON 2006

24672 MINERVOIS ESTIBALS 2009

Segundo o conceituado Master of Wine Clive Coates, “Trevallon não é apenas o maior vinho da Provence, como também é o mais fino exemplo de um corte de Syrah e Cabernet Sauvignon. Um vinho sem meias medidas, excitante e apaixonante!”. O Guia Bettane & Desseauve, o mais respeitado da França na atualidade, confere altas notas aos vinhos da propriedade, apontando a excelente fase do Domaine

O Estibals foi apontado como uma “fantástica compra” por Robert Parker. É um vinho que reflete perfeitamente essa região com influência mediterrânea: cor intensa, muita fruta e taninos elegantes e redondos.

(Domaine de Trevallon / Provence)

(Domaine L’Ostal Cazes / Languedoc-Roussillon)

US$48.50

US$169,50

24316 PICPOUL DE PINET 2011

24135 ALTERA SYRAH ROSÉ 2011

É uma releitura desse branco tradicional talhado com a uva Picpoul. Extremamente fresco e com um cativante toque floral, é um vinho aconselhado para acompanhar saladas, peixes e frutos do mar, deixando a refeição mais sofisticada. Uma verdadeira descoberta para os apreciadores de brancos delicados.

Perfeito para os dias mais quentes, este rosado do Sul da França é elaborado em um estilo um pouco mais concentrado que os famosos rosés da Provence, mostrando apetitosas notas de frutas silvestres. É ótimo como aperitivo ou mesmo acompanhando entradas.

(Mas de Daumas Gassac / Languedoc-Roussillon)

US$49.50

PARA APRECIAR UM VINHO É PRECISO IDENTIFICAR MUITOS AROMAS? Certamente não. Ficar buscando identificar e relacionar infinitos aromas diferentes e inusitados em um copo de vinho é um jogo um tanto sem sentido, que nada tem a ver com o verdadeiro conhecimento e apreciação do mundo do vinho. Infelizmente, esta prática é comum entre alguns apreciadores que querem demonstrar conhecimento e impressionar seus amigos. No entanto, ela apenas inibe muitas pessoas que gostariam de se aproximar do mundo do vinho, mas que não se julgam capazes de reconhecer tais aromas esotéricos. Na verdade, todas as pessoas têm plena e total capacidade para apreciar vinhos, e isto não tem nada ver que o aroma de um vinho em si é muito importante, e é um dos aspectos mais interessantes e agradáveis da degustação. Mas o que importa é o conjunto, se é agradável ou não, se é intenso, elegante e complexo ou não, e assim por diante. E, para quem simplesmente quer apreciar uma boa garrafa, o mais importante é a própria opinião pessoal, se você gosta ou não do vinho, seja do aroma, do paladar, da cor, ou do conjunto. Quem realmente entende de vinhos não fica buscando identificar aromas, mas avalia o vinho como um todo, usando termos bem mais

nenhum em mencioná-lo. Faz parte de suas impressões pessoais. O que não é necessário é tentar dissecar o aroma em todos seus mínimos componentes — impressões que, no fundo, são bastante pessoais. E termos como “cassis pisado” ou “aromas de terra do bosque” não fazem parte do cotidiano da vida da maioria de nós como brasileiros urbanos. Ainda sem reconhecer o tal cassis pisado, todo mundo tem plena capacidade de avaliar e apreciar um vinho, assim como todos são capazes de apreciar um prato e decidir se ele é bom ou não.

(Schröder & Schÿler / Sul da França)

US$23.50

125


t10/504

VINHOS

90 a 95

Entre as centenas de rótulos com notas altas em nosso catålogo, confira alguns vinhos maravilhosos, todos com 90 pontos ou mais e muitos elogios de Robert Parker, Wine Spectator, Decanter, Wine Enthusiast, Stephen Tanzer e Descorchados (os comentårios estão referenciados entre aspas). Observação: Como Ê de conhecimento público, a revista The Wine Advocate conta com a colaboração de diversos especialistas escolhidos e avaliados por Robert Parker, alÊm do próprio jornalista, para a classificação de vinhos de diferentes regiþes.

21641

21047

24011

21906

PROSECCO DI VALDOBBIADENE BOSCO DI GICA BRUT (Adriano Adami / ItĂĄlia)

TOKAJI ASZĂš 6 PUTTONYOS 2002 (Tokaji Oremus / Hungria)

CLOS DE TART 2009 (Clos de Tart / França)

QUINTA DA PELLADA TINTO 2008 (Quinta da Pellada / Portugal)

Wine Spectator: 93 pontos!

Robert Parker: 95+ pontos!

Robert Parker: 95 pontos!

Robert Parker: 91 pontos!

“Tem finesse e precisĂŁoâ€?

“Profundidade e pureza mais do que suficiente�

“Pureza impressionante�

“Um estilo intenso e sĂŠrio de Proseccoâ€? US$49.90

US$199.50 (500ml)

US$1075.00

US$ 136.50

22036

23958

22142

25217

BOLLINGER SPECIAL CUVÉE NM (Bollinger / França)

BAROLO CASTIGLIONE 2008 (Vietti / ItĂĄlia)

ERRE PUNTO BLANCO 2009 (Remirez de Ganuza / Espanha)

GHIAIA NERA 2010 (Tasca d’Almerita/Itålia)

Wine Spectator: 94 pontos!

Robert Parker: 92 pontos!

Robert Parker: 92 pontos

Robert Parker: 90 pontos!

“Camadas de sabores e textura refinada�

“Impressionanteâ€?, “impecĂĄvelâ€?, â€œĂŠ um Castiglione feminino, de rara classeâ€?

“Profundidade, complexidade e concentraçãoâ€?

“Delicado e refinado�

US$149.50

US$71.90

24508

21888

24931

21703

MASI PASSO DOBLE 2010 (Masi Tupungato/Argentina)

ESPUMANTE ROSADO BRUTO INFORMAL 2010 (Luis Pato / Portugal)

AMANCAYA 2011 (Bodegas Caro/Argentina)

MONTES ALPHA SYRAH 2009 (ViĂąa Montes/Chile)

Descorchados: 92 pontos!

Robert Parker: 91 pontos!

Jancis Robinson: 17/20 pontos!

“Nervo e fruta vermelha�

“Suculento e refinado no palato�

US$33.90

US$48.90

US$175.50

Descorchados: 91 pontos!

“Austero e firme� US$ 27.90

126

“Longo e profundo� US$54.90

US$57.50


90-95 PONTOS

24957

23992

24457

23511

HRV PINOT NOIR 2010 (Hamilton Russell / África do Sul)

COTEAUX DU LAYON CARTE D’OR 2010 (Domaine Baumard/França)

MONTES ALPHA MALBEC 2010 (Viña Montes / Chile)

10 YEAR OLD MALMSAY RICH (Blandy’s / Portugal)

Robert Parker: 92 pontos!

Robert Parker: 90 pontos!

Robert Parker: 95 pontos!

“Um Pinot Noir audacioso de um dos produtores top da África do Sul”

Wine Spectator: 93 pontos!

“Intenso, estiloso e puro”

“Há um toque de Velho Mundo neste Malbec”

“Palato muito equilibrado, com ataque viscoso que envolve a boca”

US$95.50

US$59.90

US$ 48.90

US$107.90

20806

24713

23169

21114

WACHENHEIMER BÖHLIG PREMIER CRU RIESLING BEERENAUSLESE 2007 (Dr. Bürklin-Wolf / Alemanha)

ÀN/2 2010 (Ànima Negra / Espanha)

EL GRAN ENEMIGO 2008 (El Enemigo/Argentina)

CHÂTEAU KIRWAN 2008 (Château Kirwan/França)

Robert Parker: 92 pontos!

Robert Parker: 94 pontos!

Robert Parker: 90 pontos!

“Equilibrado, com boa estrutura e tensão”

“Um Cabernet Franc ‘Top’ feito para os amantes da casta como eu”

“Musculoso, concentrado e denso”, “boca cheia de camadas”, “tem potencial para durar duas décadas”

Robert Parker: 94 pontos!

“Extraordinário toque delicado para um vinho com esta densidade”

US$69.90

US$159.50

US$284.00 (375ml)

US$215.90

22894

24396

24803

21273

TREBBIANO D’ABRUZZO MARINA CVETIC 2008 (Masciarelli/Itália)

DOMAINE TOURNON MATHILDA SHIRAZ 2010 (M. Chapoutier / Austrália)

MOLINO REAL 2007 (Telmo Rodríguez/Espanha)

POEIRA 2008 (Poeira/Portugal)

Robert Parker: 92 pontos

Wine Spectator: 91 pontos!

Robert Parker: 90 pontos!

Robert Parker: 91 pontos!

“É impossível não admirar o equilíbrio deste vinho. Cremoso, generoso e cheio de estilo”

“Altíssima qualidade”

“Impecavelmente equilibrado, redondo e especiado com um final longo e puro”

US$ 39.90

US$117.50

“Muito preciso, puro e mineral”, “final de boca persistente, com notas de especiarias e chocolate preto”

US$113.90

US$129.50

8935

23070

23937

QUINTA DO VESÚVIO VINTAGE PORT 2007 (Quinta do Vesúvio-Symington/Portugal)

GRÜNER VELTLINER RIED LOISER BERG TBA 2000 (Wilhelm Bründlmayer / Áustria)

AGIORGITIKO BY GAÍA 2009 (Gaía / Grécia)

AMAYNA CHARDONNAY 2009 (Viña Garcés Silva/Chile)

Robert Parker: 90 pontos!

Robert Parker: 91 pontos!

Stephen Tanzer: 94 pontos!

Wine Spectator: 93 pontos!

“Maravilhosamente elegante”

“Deslumbrante. Muito saboroso”

“Tremendamente interessante”, “elegantemente talhado e muito suave”

“Excelente Chardonnay chileno”

US$246.00

US$ 136.25 (meia gfa)

US$ 52.90

19681

US$ 43.90

127


t10/504

24867

23668

23000

17580

MEANDRO DO VALE MEĂƒO 2010 (Quinta do Vale MeĂŁo/Portugal)

CARO 2009 (Bodegas Caro/Argentina)

Robert Parker: 90 pontos!

Robert Parker: 92 pontos!

COLERAINE CABERNET/ MERLOT 2009 (Te Mata/Nova Zelândia)

CH. TOUR DE MIRAMBEAU GRAND VIN BLANC 2005 (Château Tour de Mirambeau/França)

“Impressionantemente bom�

“Um vinho sĂŠrio com personalidade bordalesaâ€?

Robert Parker: 93+pontos!

Robert Parker: 90 pontos!

“De corpo mĂŠdio a cheio com taninos finos e firmes, carnudo com acidez vibrante e um final longo e repleto de camadasâ€?

“Corpo mĂŠdio, vigoroso, seco e refrescanteâ€?

US$ 58.90

US$ 84.90

US$ 54.30

US$ 177.00

23221

23358

22586

22901

MONTES ALPHA “Mâ€? 2009 (ViĂąa Montes/Chile)

CEPPARELLO IGT 2008 (Isole e Olena/ItĂĄlia)

CHIANTI CLASSICO RISERVA 2007 (Badia a Coltibuono / ItĂĄlia)

CASTEL GRAND VIN 2009 (Domaine du Castel / Israel)

Wine Spectator: 94 pontos!

Robert Parker: 92+ pontos!

Robert Parker: 91 pontos!

Robert Parker: 92 pontos!

“Maduro�, “taninos finos�, “final persistente�

“Salta da taça, com notas de ervas, flores e alcaçuzâ€?

“Imensamente apelativo, sedutor e agradĂĄvel, com muito charmeâ€?

US$199.50

US$199.50

“FantĂĄstico equilĂ­brio em uma delicada e perfumada expressĂŁo de fruta vermelha maduraâ€?

21057

23307

23227

23717

PAGOS VIEJOS 2008 (Artadi/Espanha)

QUINTA DO PERDIGĂƒO ALFROCHEIRO 2008 (Quinta do PerdigĂŁo/Portugal)

CUVÉE ALEXANDRE CABERNET SAUVIGNON 2010 (Lapostolle/Chile)

CATENA CABERNET SAUVIGNON 2010 (Catena Zapata/Argentina)

Robert Parker: 90 pontos!

Wine Spectator: 92 pontos!

Robert Parker: 92 pontos!

US$ 215.25

“Lindamente estruturado, dĂĄ prazer ao beberâ€?

“Aveludado com um longo final de boca� US$57.90

“Bem definido e clĂĄssicoâ€?, “cheio de personalidadeâ€?

23387

25641

22497

23032

ALMA NEGRA M BLEND 2009 (Alma Negra – Ernesto Catena/Argentina)

GRIFI 2010 (Avignonesi/ItĂĄlia)

MONTEVETRANO 2008 (Montevetrano/ItĂĄlia)

Robert Parker: 90 pontos!

Wine Spectator: 90 pontos!

Robert Parker: 94+ pontos!

BOEKENHOUTSKLOOF CABERNET SAUVIGNON 2009 (Boekenhoutskloof/Ă frica do Sul)

“Fruta generosa e saborosa, textura macia�

“Jovem, com exuberantes notas de fruta, chocolate e especiarias�

“Fabuloso�

Robert Parker: 95 pontos!

“Rico, cheio de camadas e muito bem equilibrado�

US$ 34.50

128

US$79.90

US$155.00

US$97.50

US$ 229.90

US$239.50

US$32.90

Robert Parker: 92 pontos!

“Maravilhosa composição e finesseâ€? US$ 99.90


90-95 PONTOS

21662

23795

24404

23974

NIEPOORT 10 YEARS OLD TAWNY (Niepoort / Portugal)

ALVARINHO SOALHEIRO 2011 (Quinta de Soalheiro/Portugal)

PÉTALOS DEL BIERZO 2009 (Descendientes de J. Palacios / Espanha)

Wine Spectator: 95 pontos

Robert Parker: 90 pontos!

SONOMA COUNTY ZINFANDEL 2010 (Seghesio/Estados Unidos) Wine Enthusiast: 93 pontos!

“Personalidade elegante”

“A referência para Portos 10 anos”

“Notavelmente elegante e cheio de graça”

US$99.90

US$ 54.50

“Absolutamente delicioso”, “inacreditável relação qualidade-preço���

Robert Parker: 90 pontos!

US$ 55.90

US$69.90

22287

22500

24231

22637

VINO NOBILE DI MONTEPULCIANO ASINONE 2007 (Poliziano/Itália)

WINE MAKER’S RESERVE CHARDONNAY 2007 (Viña Carmen / Chile)

ALTANO RESERVA QUINTA DO ATAÍDE 2008 (Altano-Symington/Portugal)

MEURSAULT-PERRIÈRES 2009 (Joseph Drouhin / França)

Robert Parker: 94 pontos!

Robert Parker: 90 pontos!

Wine Spectator: 92 pontos!

“Explosivo, maduro e completamente sedutor”

“Deliciosamente equilibrado, este Chardonnay concentrado proporcionará prazer por muitos anos”

“Notas de chocolate preto enriquecem o sedutor final de boca”

“Energia e harmonia totalmente sedutoras”

US$ 142.90

US$ 79.50

US$283.50

US$67.00

21970

18659

25302

MOULIN À VENT CH. DES JACQUES 2009 (Louis Jadot / França)

PAUL HOBBS CABERNET SAUVIGNON NAPA VALLEY 2005 (Paul Hobbs / Estados Unidos)

RSW SHIRAZ 2010 (Wirra Wirra/Austrália)

Robert Parker: (91-92) pontos!

Robert Parker: 92 pontos!

“Incrível e surpreendentemente macio, tem um palato cheio de fruta exuberante e doce”

“Encorpado, opulento e carnudo”

“Vibrante, focado e puro”

US$199.50

Robert Parker: 94 pontos!

Wine Spectator: 92 pontos!

US$199.50

US$69.50

23933

14003

25392

FELTON ROAD PINOT NOIR CALVERT 2010 (Felton Road/Nova Zelândia)

GRAHAM’S VINTAGE PORT 2003 (Symington / Portugal)

SCHIEFERKOPF GEWURZTRAMINER 2011 (M. Chapoutier/França)

Robert Parker: 91+ pontos!

“Grande, encorpado e expansivo”

“Com fruta musculosa no palato, boa estrutura e acidez vibrante” US$133.50

Robert Parker: 95 pontos!

US$385.00

Wine Spectator: 90 pontos!

“Fresco e vivo, com acidez refinada” US$72.50 129


03

I T Á L I A A Itália rivaliza com a França em sua maravilhosa diversidade de grandes vinhos, famosas denominações, excelentes terroirs e conceituadas castas autóctones, elaborando alguns dos maiores ícones do mundo do vinho. A marca registrada de muitos dos melhores vinhos italianos é uma grande elegância e classe, combinadas com tipicidade e muito charme. São vinhos que se mantiveram fiéis ao estilo clássico, maravilhoso e consagrado que encanta tantos enófilos pelo mundo afora. Com sua secura característica e sua ótima acidez, são tintos e brancos talhados mais para a mesa do que para ganhar degustações. É impressionante como um bom vinho italiano melhora com a comida. E o oposto também é verdade: poucos vinhos no mundo valorizam tanto um bom prato quanto os da Itália. A Itália conta também com uma grande diversidade de castas autóctones de excelente qualidade — como Nebbiolo, Sangiovese, Barbera, Aglianico e tantas outras. A diversidade de excelentes terroirs também é impressionante. Não é a toa que, em tempos antigos, o país era conhecido como Enotria — a terra do vinho. Pouquíssimos países no mundo são por natureza tão privilegiados para a viticultura.


ITÁLIA

PIEMONTE potentes e muito encorpados, sua marca registrada é um bouquet rico e muito complexo. Por sua ótima acidez e grande tanicidade, podem envelhecer muitos anos, melhorando muito na garrafa, e se beneficiam de decantação quando ainda jovens. São vinhos maravilhosos com a comida, em especial assados, carnes fortes, risotto forte e queijos finos. O Gattinara também é elaborado com a Nebbiolo e é perfeito com pratos gordurosos.

Ao lado da Toscana, o Piemonte é a mais reverenciada região italiana. É a terra dos grandes e célebres Barolo e Barbaresco, e também dos deliciosos Barbera e Dolcetto, além de tantos outros ótimos vinhos. Além do privilegiado terroir e da longa tradição, um dos segredos do Piemonte são as ótimas uvas locais, que se adaptam perfeitamente ao solo piemontês. A Nebbiolo é a uva dos grandes Barolo, Barbaresco e Gattinara, de enorme força e complexidade. A Dolcetto produz tintos simplesmente deliciosos, enquanto a Barbera tem sido cada vez melhor trabalhada, produzindo tintos modernos, ricos e impressionantes. Barolo e Barbaresco são verdadeiros ícones italianos e estão entre os melhores e mais consagrados vinhos do mundo. Eles são elaborados com a uva Nebbiolo e são vinhos realmente únicos, sem iguais em nenhuma outra localidade. Austeros,

22837 BARBARESCO 2008 (Angelo Gaja / Piemonte)

Verdadeiro ícone do Piemonte, o Barbaresco de Angelo Gaja é o máximo em elegância e sofisticação que esta comuna pode produzir. O bouquet é incrivelmente complexo e rico, devendo se desenvolver ainda mais no decorrer dos anos. Potente e elegante na boca, mostra a casta Nebbiolo em seu esplendor. A safra de 2008 originou um vinho “estonteante”na opinião da The Wine Advocate de Robert Parker, que o descreveu como “um tinto de tirar o fôlego”.

US$479,00

20762 DOLCETTO D’ALBA SORANO 2009 (Bruno Giacosa / Piemonte)

Elaborado com uvas do vinhedo Sorano, um dos mais aclamados pelos produtores de Alba, este tinto de Giacosa é uma das melhores expressões da casta Dolcetto da escola clássica. Rico, concentrado e muito elegante e equilibrado.

US$57,25

ANGELO GAJA Gaja é simplesmente o maior nome da Itália, um gênio responsável por revolucionar completamente o panorama do vinho italiano nos últimos 30 anos. Eleito várias vezes “Homem do Ano” por revistas como a Decanter e a Wine Spectator, Gaja é o maior colecionador de “tre bicchieri” do Gambero Rosso (45 até 2010), além de ser o único a merecer as “tre stelle” do guia, que o classifica em primeiro lugar na Itália. Seu emblemático Barbaresco é sublime, um grande ícone. Os grandes Sperss e Conteisa são da região de Barolo, com muita classe e complexidade. O Darmagi é um super-Cabernet Sauvignon, muito fino e elegante, de personalidade bem italiana. O Sito Moresco é um delicioso e classudo corte de Nebbiolo, Merlot e Cabernet. Os brancos também são excelentes, de muita elegância e finesse, em especial o grande Gaja&Rey. O poderoso e encorpado Barolo Gromis é elaborado na propriedade de mesmo nome, em La Morra. Todos são vinhos de uma estirpe inigualável e personalidade única.

23837 Sito Moresco Langhe 10 2 23838 meia Sito Moresco Langhe 10 (375 ml) 2

24537 DOLCETTO DI DOGLIANI SUPERIORE PAPÀ CELSO 2010 (Marziano Abbona / Piemonte)

Com uma verdadeira coleção de “Tre Bicchieri” do Gambero Rosso, Papá Celso é provavelmente o melhor vinho elaborado com a uva Dolcetto, combinando um exuberante bouquet, repleto de frutas maduras, com um delicioso toque sedoso no palato.

US$54,90

vinhos brancos

(Barbaresco, Barolo, etc)

vinhos tintos

Os Barbera também podem ser excelentes, menos austeros que os Barolo, e hoje costumam ser envelhecidos em barricas de carvalho. São tintos incrivelmente saborosos e intensos, em um estilo moderno e encantador — sem dúvida entre os vinhos de maior apelo na Itália. Os alegres Dolcetto d’Alba, são muito agradáveis, cheios de fruta e com um caráter macio — excelentes com massas de molho vermelho e outros pratos da culinária italiana.

US$/gf 138.50 69.90

22837 Barbaresco 08 RP=93, WS=93(07) 3

479.00

23836 meia Barbaresco 08 (375 ml) 3

232.50

23842 Barolo Dagromis 07 RP=92(06) 3

183.50

13385 Conteisa Langhe Nebbiolo 01 RP=92, WS=93, WE=94 3

467.50

22839 Sperss Langhe Nebbiolo 07 RP=97, WS=95(05) 3

599.50

18531 Darmagi Langhe Cabernet Sauvignon 04 RP=90 3

489.00

22838 Sorì Tildin Langhe Nebbiolo 08 RP=96 3

989.00

21928 Sorì San Lorenzo Langhe Nebbiolo 06 RP= 94 3

999.50

US$/gf

20217 Rossj-Bass Langhe Chardonnay/Sauvignon Blanc 08 WS=92 3

159.50

24699 meia Rossj-Bass Langhe Chardonnay/ Sauvignon Blanc 11 (375 ml) WS=92 (08) 3

86.90

20218 Alteni di Brassica Langhe Sauvignon Blanc 07 WS=93(06) 3

199.90

22843 Gaia & Rey Langhe Chardonnay 09 RP=92(08) 3

360.45

24701 meia Gaia & Rey Langhe Chardonnay 10 (375 ml) 3

195.90

garrafas magnum vinho tinto 21937 magnum Barolo Dagromis 03 (1.500 ml)

US$/gf 438.50

13371 double magnum Barbaresco 00 (3.000 ml) RP=92, WS=95 3

1999.50

21927 magnum Barbaresco 06 (1.500 ml) RP=93 3

1095.00

13388 magnum Darmagi Langhe Cabernet Sauvignon 00 (1.500 ml) 3

813.50

BRUNO GIACOSA (Barolo, Barbaresco, etc) www.brunogiacosa.it Bruno Giacosa é um dos maiores nomes do vinho italiano, um artista incrivelmente talentoso, produtor de fantásticos Barolo e Barbaresco. Trata-se do maior representante da escola tradicional piemontesa. Seus vinhos são incrivelmente complexos e longevos, sempre entre os melhores do país. Mesmo antes da chegada das inúmeras inovações técnicas que transformaram os vinhos da região, ele já produzia fantásticos Baroli e Barbareschi, de uma classe, elegância e complexidade incomparáveis. A técnica: usar apenas uvas de vinhedos de excepcional qualidade, além de seu mítico talento como enólogo. Literalmente venerados

131


ITÁLIA

O MELHOR DA ITÁLIA

pela crítica especializada, recentemente seus tintos ocuparam os primeiros lugares do painel de piemonteses da Wine Spectator, incluindo a primeira colocação.

22837 Barbaresco 2008 (Angelo Gaja / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 479.00 23085 Pomorosso 2008 (Luigi Coppo / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 189.50 25763 Barolo Terlo Ravera 2008 (Marziano Abbona / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 139.90 23552 San Leonardo 2006 (Tenuta San Leonardo / Trentino / Itália / Tinto) US$ 144.50 23428 Vaio Armaron Amarone della Valpolicella 2005 (Serègo Alighieri / Veneto/ Itália/ Tinto) US$ 199.00 23844 Brunello di Montalcino DOCG 2006 (Biondi Santi / Toscana / Itália / Tinto) 439.00 22663 Rubesco Riserva Vigna Monticchio 2005 (Lungarotti / Umbria / Itália / Tinto) US$ 139.50 22887 Villa Gemma Montepulciano d’Abruzzo 2005 (Masciarelli / Abruzzo / Itália / Tinto) US$ 179.50 22497 Montevetrano 2008 (Montevetrano / Campania / Itália / Tinto) US$ 229.90 24746 Radici Taurasi DOCG 2007 (Mastroberardino / Campania / Itália / Tinto) US$ 99.90 24843 Cepparello IGT 2009 (Isole e Olena / Toscana / Itália) US$ 235.50

US$/gf

23984 Dolcetto d’Alba 11 2

57.90

23204 Dolcetto d’Alba Falletto di Serralunga d’Alba 10 RP=88+(08) 3

61.50

20762 Dolcetto d’Alba Falletto Sorano 09 RP=89 3

57.25

23205 Barbera d’Alba Falletto di Serralunga d’Alba 09

115.90

23986 Barbera d’Alba 10

115.90

23209 Nebbiolo d’Alba 09

72.90

23210 Nebbiolo d’Alba Valmaggiore di Vezza 09 2

96.50

23211 Barbaresco San Stefano di Neive 08 RP=95(07) 3

378.50

23206 Barbaresco Asili 08 RP=94(07) 3

399.50

23207 Barolo Falletto di Serralunga d’Alba 07 RP=94+, WS=96 3

548.90

vinho branco

US$/gf

24211 Roero Arneis 11 RP=90(09), Dec=5*(05) 3

vinho espumante branco

67.90

US$/gf

15087 Spumante Pinot Nero Extra Brut 03 RP=90(00) 3

vinhos tintos

48.90

24821 meia Dolcetto d’Alba Trevigne 11 (375 ml) 2

28.90

20881 Barbera d’Asti La Crena 06 RP=93 3

113.00

23078 Barbera d’Alba Scarrone 08 RP=93(07) 3

117.50

24819 Barbera d’Alba Scarrone Vigna Vecchia 10 RP=94(07), WS=92(06) 3 23954 Langhe Nebbiolo Perbacco 09 WS=89(08) 2

139.50 57.25

24817 Barbaresco Masseria 09 RP=93(06) 3

207.90

23958 Barolo Castiglione 08 RP=92 2

149.50

23957 meia Barolo Castiglione 08 (375 ml) RP=92 2

vinho branco 22291 Roero Arneis 10 2

324.50

COPPO (Barbera d’Asti, Gavi, etc) www.coppo.it Coppo é o rei do Barbera, tendo levado esta casta a seu ponto máximo com seus fantásticos tintos. O Pomorosso é um dos maiores tintos da Itália, tendo recebido diversos “tre bicchieri”. O Camp du Rouss é concentrado e saboroso, enquanto o Freisa resgata o prestígio desta variedade. Seu fantástico Monteriolo é um dos maiores brancos da Itália, incrivelmente fino e complexo. O Alterego é um saboroso corte de 65% Cabernet Sauvignon, 30% Barbera e 5% Freisa. Os fabulosos “Riserva della Famiglia”, Barbera e Chardonnay, são vinhos extraordinários, produzidos em minúsculas quantidades apenas em anos muito especiais. vinhos tintos

84.50 599.50

US$/gf 57.90

US$/gf 99.50 169.00

23083 Barbera d’Asti L’Avvocata 10 RP=88 2

44.90

23258 meia Barbera d’Asti L’Avvocata 10 (375 ml) RP=88 2

24.50

22323 Barbera d’Asti Camp du Rouss 08 RP=90+ 2

49.90

22324 meia Barbera d’Asti Camp du Rouss 08 (375 ml) RP=90+ 2

29.90

19512 Pomorosso Barbera d’Asti 06 RP=90 3

178.00

23087 Barolo 07 RP=94 3

199.90

18344 Riserva di Famiglia Barbera d’Asti 03 RP=90, WS=91 3

299.50

vinho espumante

US$/gf

24820 Dolcetto d’Alba Trevigne 11 2

US$/gf

23956 magnum Barolo Castiglione 08 (1.500 ml) RP=92

15070 Mondaccione VdT Freisa 02 RP=90(01) 3

Monstro sagrado do Piemonte, com cotação máxima de Parker. Seus Baroli e Barbareschi são fantásticos, enquanto os Barbera Scarrone e Scarrone Vigna Vecchia são outros grandes destaques. Produzem também pequenas quantidades de ótimos Nebbiolo, Barbera e Dolcetto, sempre entre os melhores da região. Completam a linha um delicioso Roero Arneis e o delicado Moscato d´Asti.

44.50

115.00

16856 Alterego Monferrato 04 3

(Barolo, Barbaresco, etc) www.vietti.com

US$/gf

23955 magnum Langhe Nebbiolo Perbacco 09 (1.500 ml)

84.25

VIETTI

18346 Barolo Villero Riserva 01 RP=95 3

132

19673 Moscato d’Asti DOCG 09 RP=88 2

garrafas magnum vinho tinto vinhos tintos

Descubra algumas destas jóias que foram premiadas com os disputados e raros “tre bicchieri” do Gambero Rosso — prêmio máximo do guia, conferido apenas aos melhores vinhos italianos.

vinho branco frisante doce

15079 Piero Coppo Spumante Brut 96 3

vinhos brancos secos

US$/gf 269.00

US$/gf

24741 Gavi La Rocca DOCG 11 WS=87(05)

48.90

20872 Costebianche Chardonnay 08 WS=88(05) 2

49.90

9370

meia Monteriolo Chardonnay 02 (375 ml) RP=87(01), WS=90(04)

19519 Monteriolo Chardonnay 06 WS=91 3

vinhos brancos frisantes doces

54.50 134.00

US$/gf

22325 Moscato d’Asti Moncalvina DOCG 10 RP=88 2

47.50

22326 meia Moscato d’Asti Moncalvina DOCG 10 (375 ml) 2

26.90


ITÁLIA

garrafas magnum vinho tinto

US$/gf

15069 magnum Alterego Monferrato 03 (1.500 ml) RP=88

195.00

13427 magnum Mondaccione VdT Freisa 00 (1.500 ml) RP=90(01)

178.50

23084 magnum Barbera d’Asti Camp du Rouss 08 (1.500 ml) RP=90+

109.90

15034 magnum Pomorosso Barbera d’Asti 03 (1.500 ml) RP=89

289.00

garrafa magnum vinho branco

US$/gf

20871 magnum Monteriolo Chardonnay 06 (1.500 ml) WS=91

279.00

LUCIANO SANDRONE Luciano Sandrone é um fenômeno que, em poucos anos, se transformou em um dos nomes mais respeitados do Piemonte. Seus Baroli de grande elegância são reverenciados pela imprensa especializada, merecendo frequentemente os “tre bicchieri” do Gambero Rosso e altas notas de todos autores. Robert Parker, admirador declarado de seus vinhos, se refere a ele como “super Sandrone”. Produz também outros tintos tipicamente piemonteses e extremamente saborosos, como ótimos Dolcetto, Barbera e Nebbiolo, além do rico e intenso Pe Mol.

(Barolo, Barbaresco, etc) www.abbona.com

Pequena e centenária “azienda” familiar de PasqueroElia, de grande destaque. Seu Langhe Paitin, de 70% Nebbiolo, 25% Barbera e 5% Cabernet Sauvignon e Syrah, maturado em barricas novas, é uma jóia dentre os novos tintos piemonteses. O excelente Barbaresco Sorì Paitin é envelhecido parte em barricas e parte em tonéis. Dentre os brancos sobressai o ótimo Campolive Bianco, com um incomum corte de Sauvignon Blanc (65%), vinificado em aço inox e Chardonnay (35%), fermentado em barricas de carvalho.

Marziano Abbona é uma dos novos grandes destaques do Piemonte. O Gambero Rosso cita textualmente: “Está nascendo uma nova estrela no firmamento do vinho doglianese”. Abbona é um especialista em Dolcetto di Dogliani, sendo que o seu estupendo Papà Celso é elaborado de velhas videiras com até 50 anos de idade. Além de já ter recebido diversos ‘tre bicchieri’, em 2006 ele foi eleito pelo Gambero Rosso como “o vinho mais conveniente do ano”! Também são ótimos os seus Barolo, Barbaresco, Langhe, Barbera e também os brancos, inclusive com um raríssimo Viognier italiano.

US$/gf

199.00

24852 Barolo Cannubi Boschis 08 RP=95, WS=94(07) 3

225.00

23215 Nebbiolo d’Alba Valmaggiore 08 RP=90(06e07) 3

79.00

23217 Barbera d’Alba 09 RP=90 2

69.00

23219 Dolcetto d’Alba 10 RP=90 2

42.00

US$/gf

15206 magnum Nebbiolo d’Alba Valmaggiore 04 (1.500 ml) RP=91

158.00

117231 magnum Barbera d’Alba 05 (1.500 ml) WS=90

138.00

vinhos tintos

61.50

25763 Barolo Terlo Ravera 08 RP=90(05), WS=90(05) 2

139.90

20528 Barbera d’Alba Serra Boella 08 2

48.90

22481 Barbaresco Faset 07 RP=93, WS=91 2

122.50

24539 Barbaresco 08 RP=91, WS=92(06) 2

119.50

vinho branco

US$/gf

20532 Langhe Arneis Vigna Elisa 09 WS=88

48.90

24538 Nebbiolo d`Alba Bricco Barone 10 RP=91(09) 2

62.90

24537 Dogliani Superiore Papà Celso DOCG 10 RP=90(08) 3

54.90

22479 Dolcetto di Dogliani San Luigi DOC 10 RP=89 2

39.90

23550 Barbera d’Alba Rinaldi 09 RP=88, WS=89 2

54.90

ANTONIOLO (Gattinara, etc)

22410 CAMPOFIORIN ROSSO DEL VERONESE 2008 (Agricola Masi / Veneto)

Verdadeiro clássico italiano, o Campofiorin é produzido pela técnica de “dupla fermentação”, que consiste em passificar uma parte das uvas e adicionar estas uvas passificadas ao vinho elaborado com uvas “frescas”. Este processo desencadeia uma segunda fermentação, extraindo mais cor, aromas e complexidade. Muito elogiado pela Wine Spectator, este delicioso tinto apresenta uma ótima relação qualidade/preço.

US$52,90

Antoniolo é hoje o melhor produtor de Gattinara, com particular destaque para seus crus como o Osso San Grato, bastante complexo e quase “borgonhês”. São vinhos de longuíssima guarda que, por sua boa tanicidade, acompanham à perfeição pratos como cabrito, cordeiro, rabada e ossobuco. Eles também são elaborados com a uva Nebbiolo, a mesma dos Barolo e Barbaresco, e são uma alternativa mais acessível e de bastante personalidade a estes dois grandes vinhos. vinhos tintos 17416 Gattinara San Francesco 03 RP=90,

24157 GATTINARA 2007

Uma das maiores descobertas entre os tintos do Piemonte, o Uvaggio é uma criação de Paolo De Marchi, da Isole e Olena. Este excelente corte elaborado com Nebbiolo, Vespolina e Croatina com longo envelhecimento em carvalho, mereceu 92 pontos de Robert Parker na safra 2008. Um vinho diferente , complexo e elegante!

Uma verdadeira especialidade, os ótimos Gattinara estão entre os vinhos que mais combinam com leitão e outras carnes gordurosas. Eles mostram boa parte da classe e complexidade dos Barolo e Barbaresco, por um preço muito atrativo para a grande qualidade dos vinhos. Antoniolo é simplesmente o melhor produtor de Gattinara, elaborando verdadeiras maravilhas com a uva Nebbiolo.

US$89,50

3

139.50 99.90

24158 meia Gattinara 07 (375 ml) 3

59.90

24160 Nebbiolo Coste della Sesia 09 RP=88(07) 2

55.50

24161 Erbaluce di Caluso 10

24845 UVAGGIO 2008

US$/gf

20516 Gattinara 05 RP=91 (06) 3

vinho branco

(Sperino / Piemonte)

US$/gf

20529 Nebbiolo d’Alba Cà Veja 08 2 RP=88

US$/gf

24851 Barolo Le Vigne 08 RP=97 3

garrafas magnum vinho tinto

MARZIANO ABBONA

(Barbaresco, etc) www.paitin.it

vinhos tintos

(Barolo, etc) www.sandroneluciano.com

vinhos tintos

PAITIN

US$/gf 42.90

(Antoniolo / Piemonte)

US$99,50

133


ITÁLIA

PROPRIETÀ SPERINO (Piemonte, Itália) www.proprietasperino.it Proprietà Sperino é a realização de um velho sonho de Paolo De Marchi — o famoso proprietário e enólogo de Isole e Olena — em sua região natal do Piemonte. A histórica propriedade em Lessona, no norte do Piemonte, aos pés dos Alpes, pertence à família De Marchi há muitos anos, mas havia encerrado a produção de vinhos após a Segunda Guerra Mundial. O clima frio e o lento amadurecimento da Nebbilo fazem com que a casta aqui se mostre mais delicada e floral, lembrando para alguns especialistas a casta Pinot Noir. O Uvaggio Coste della Sesia arrematou 91 pontos de Robert Parker logo em sua primeira safra avaliada. Repleto de finesse, é elaborado com um interessante corte de 70% Nebbiolo, 15% Vespolina e 15% Croatina, vinificado com técnicas tradicionais, mostrando “um fantástico senso de equilíbrio”, nas palavras de Parker. O Lessona é produzido com apenas com a casta Nebbiolo e maturado 30 meses em grandes botti, no melhor estilo da escola “tradicional” do Piemonte. “Gracioso e com notável pureza”, foi classificado como “outstanding” por Parker na safra 2006, recebendo 90 pontos. Já o Terroir del Nord Gattinara mostra a casta Nebbiolo em uma versão madura e elegante, repleta de nuances e notas florais. Um vinho com um estilo difícil de ser encontrado hoje em dia, que nos remete aos grandes tesouros produzidos antigamente no Piemonte com a casta Nebbiolo. vinhos tintos 24845 Uvaggio Coste della Sesia 08 2

US$/gf 89.50

21400 Terroir del Nord Gattinara DOCG 01 3

136.90

21399 Lessona DOC 06 RP=90 3

186.90

VENETO

21360 Grandarella 07 (no estilo de Amarone) 2

O Veneto é a terra dos famosos Valpolicella, Bardolino e Amarone. Este último é um dos grandes vinhos italianos, um tinto poderoso e muito encorpado, de alto teor alcoólico. Quando de bons produtores, os Valpolicella e Bardolino também podem ser muito saborosos e são perfeitos com a comida, não lembrando em nada os exemplares mais comerciais destas denominações. São vinhos cheios de fruta e sabor, com uma ótima acidez e certo charme veronês.

21359 Brolo di Campofiorin Ripasso 07 RP=88+

65.90

25557 Brolo di Campofiorin Oro 09 1

65.50

24444 Campofiorin Ripasso 97 3

97.90

22410 Campofiorin Ripasso 08 2

52.90

O mesmo vale para os famosos brancos de Soave, que também podem ser muito agradáveis. Os vinhos de “dupla fermentação”, como o célebre Campofiorin, são outra especialidade, entre a fruta dos Valpolicella e a concentração e corpo dos Amarone. Os Prosecco são famosíssimos espumantes que, quando produzidos por um bom produtor, podem ser deliciosamente refrescantes e aromáticos, muito agradáveis de se beber. No Vêneto, o nome do produtor faz toda a diferença entre vinhos excessivamente comerciais e vinhos realmente bons, com tipicidade, que fazem juz à fama de suas denominações.

29.90 45.50

23429 meia Valpolicella Classico Bonacosta 10 (375 ml) 2

27.50

22411 Bardolino Classico Frescaripa 10 2

39.90

23671 Modello Rosso delle Venezie 10 2

31.90

vinho rosado

US$/gf

23259 Modello delle Venezie rosato 10 2

vinhos brancos

27.90

US$/gf

22412 Levarie Soave Classico Superiore 10 2

37.90

25104 Masianco Pinot Grigio/Verduzzo 12 2

45.90

25103 meia Masianco Pinot Grigio/Verduzzo 12 (375 ml) 2

27.90

garrafas magnum vinho tinto

Masi é um dos nomes de maior prestígio na Itália, elaborando vinhos que estão sempre entre os mais destacados do país. A história da vinícola começa no século XVIII, quando a família Boscaini adquire seu primeiro vinhedo na região de Valpolicella Classico. Desde então, a azienda se dedica não apenas a produzir vinhos que representam o máximo de cada denominação do Vêneto, como também a criar estilos que posteriormente se tornariam verdadeiros clássicos. Sandro Boscaini é conhecido como o “rei do Amarone”. Seus fantásticos Amarones costumam receber os “tre bicchieri” do Gambero Rosso e estão entre os maiores vinhos italianos. Os Valpolicella e Bardolino da vinícola também são muito superiores à média destas denominações. Masi foi o inventor da técnica da dupla fermentação, através da qual são produzidos seus ótimos Campofiorin e Brolo di Campofiorin. O produtor se dedica a incansáveis pesquisas, que têm colaborado muito para o conhecimento dos terroirs e das variedades típicas do Vêneto.

US$/gf 84.50

US$/gf

23423 magnum Campofiorin Ripasso 08 (1.750 ml) 17321 magnum Costasera Amarone della Valpolicella Classico 04 (1.500 ml)

99.50 336.00

20417 VALPOLICELLA SUPERIORE 2004 (Dal Forno Romano / Veneto)

Elaborado com maestria por Dal Forno Romano – “inquestionavelmente o maior líder em Valpolicella e Amarone”, segundo Robert Parker, este impressionante Valpolicella é uma verdadeira revelação para quem provou apenas os exemplares mais leves desse clássico tinto do Veneto. Produzido com uvas 100% passificadas, é realmente melhor que a grande maioria dos Amarone das outras vinícolas, sendo capaz de evoluir por mais de 15 anos em garrafa. A safra de 2004 recebeu nada menos que os “Tre Bicchieri”do guia Gambero Rosso e 93 pontos de Robert Parker. Um vinho excepcional sob todos os aspectos!

US$289,90

US$/gf 384.00

23427 Mazzano Amarone della Valpolicella 04 WS=94 3

349.50

23426 Campolongo di Torbe Amarone Valpolicella 03 3

297.50

25559 Riserva Costasera Amarone della Valpolicella Classico 07 3

209.50

24446 Costasera Amarone della Valpolicella Classico 90 3

355.00

24445 Costasera Amarone della Valpolicella Classico 97 3

245.00

23670 meia Costasera Amarone Valpolicella Classico 07 (1/2 gf ) RP=91, WS=92 3

23488 meia Campofiorin Ripasso 08 (375 ml) 2

25567 Angelorum Recioto della Valpolicella Classico 09 1

(Amarone, Valpolicella, Soave, etc) www.masi.it

19452 Amarone Cantina Privada Boscaini 1990 3

94.90 138.00

23489 Valpolicella Classico Bonacosta 10 2

vinho tinto doce

MASI

vinhos tintos

134

15155 Osar 00 WS=87(99) 3

99.90

20787 VALPOLICELLA CLASSICO SUPERIORE DOC 2001 (Giuseppe Quintarelli / Veneto)

O Valpollicella de Quintarelli é completamente diferente dos outros vinhos dessa denominação – “simplesmente único e inimitável”, para o guia de vinhos da Gambero Rosso, que concedeu ao tinto os máximos “Tre Bicchieri” na última safra avaliada. Segundo Robert Parker, é um Valpolicella “com mais qualidade que a maioria dos Amarones”. Trata-se de um vinho de colecionadores – muito difícil de encontrar, de minúscula produção, um dos maiores clássicos da Itália.

US$229,90


ITÁLIA

135


ITÁLIA

SERÈGO ALIGHIERI

vinhos tintos

(Amarone, Valpolicella, Soave) www.seregoalighieri.it Uma das mais antigas e tradicionais propriedades do Veneto, que pertence desde 1353 aos descendentes de Dante Alighieri, o famoso poeta. Produz um delicioso Valpolicella, um tinto intenso, charmoso e cheio de fruta, que nada tem a ver com os piores exemplares desta denominação. Agora ele leva o nome de “Possessione Rosso”, o tinto da propriedade. Seu Vaio Armaron também é fantástico, considerado um dos melhores Amarone. vinhos tintos 23428 Vaio Armaron Amarone della Valpolicella 05 WS=93 3

20416 Amarone della Valpolicella 03 RP=95, WS=95 3

899.50

20417 Valpolicella Superiore 04 RP=93, WS=91 3

289.90

vinho tinto doce 20418 meia Vigna Seré PassittoIGT 03 (375 ml) RP=92, WS=94 3

US$/gf 473.50

GIUSEPPE QUINTARELLI (Amarone, Valpolicella)

US$/gf 199.00

21654 Possessioni Rosso Serègo Alighieri 08 RP=88(98) 3

47.50

24449 Podere del Bello Ovile IGT 09 3

47.50

DAL FORNO, ROMANO (Amarone, Valpolicella) www.dalfornoromano.it “Inquestionavelmente o maior líder em Valpolicella e Amarone” para Robert Parker, Dal Forno Romano é um dos nomes lendários do vinho italiano. Seus vinhos maravilhosos são objetos de colecionador, verdadeiras raridades produzidas com rendimentos minúsculos: nada menos do que 12 videiras são necessárias para produzir uma única garrafa de seu premiado Amarone. Eleito um dos melhores produtores de todo o mundo por Robert Parker, Dal Forno costuma receber notas estratosféricas da imprensa especializada. Entre os Amarone della Valpolicella avaliados por Parker até hoje, só o da difícil safra de 2002 – classificada “apenas” com 94 pontos – não recebeu uma nota superior a 95 pontos. A Wine Spectator classifica a última safra com 96 pontos — a mais alta nota já concedida pela revista a um Amarone. Já o Gambero Rosso é categórico em afirmar que o Amarone de Dal Forno é “simplesmente maravilhoso”, concedendo sempre os cobiçados “tre bicchieri” ao vinho. O impressionante Valpolicella é uma verdadeira revelação para quem só provou os exemplares mais leves deste clássico tinto do Veneto. Elaborado com uvas 100% passificadas, é realmente melhor que a grande maioria dos Amarones das outras vinícolas, sendo capaz de evoluir por mais de 15 anos em garrafa. A safra de 2004 recebeu nada menos que os “tre bicchieri”do Gambero Rosso e 93 pontos de Robert Parker, que afirma que os enófilos “precisam redefinir o conceito que têm de Valpolicella para compreenderem a grandiosidade deste vinho”. O fantástico e raríssimo Vigna Seré é um Recioto della Valpolicella que não é chamado oficialmente de Recioto por ser elaborado com 10% da casta Oseletta. Rico, denso e bastante complexo, é uma sofisticada companhia para sobremesas com chocolate.

136

US$/gf

O lendário Giuseppe Quintarelli é simplesmente o melhor produtor de Amarone della Valpolicella e um dos maiores nomes do mundo do vinho. Seus vinhos grandiosos são elaborados no estilo clássico e maturados por vários anos em grandes cascos de carvalho esloveno, ostentando uma elegância impressionante. Totalmente avesso a modismos, Quintarelli elabora vinhos totalmente tradicionais e cheios de personalidade, difíceis de encontrar até mesmo na Itália. O famoso Valpollicella Quintarelli é completamente diferente dos outros vinhos desta denominação – “simplesmente único e inimitável” para o Gambero Rosso, que lhe concedeu os máximos trebicchieri na última safra avaliada. Segundo Robert Parker, o tinto “tem mais qualidade que a maioria dos Amarones”. O Rosso del Bepi é o inigualável Amarone de Quintarelli quando desclassificado nas safras em que o perfeccionismo do produtor não permitiu que ele fosse chamado de Amarone. Com uma “gloriosa explosão de futa e um final soberbo” para Robert Parker, é um dos grandes tintos da itália. O Amarone della Valpolicella Ca’Paletta é um dos maiores ícones do mundo do vinho, merecendo os “Tre Bicchieri” do Gambero Rosso, que classifica o tinto como “uma lição de estilo, que tanto produtores quanto consumidores deveriam provar”. O Alzero, por sua vez, é para muitos o melhor varietal de Cabernet Franc de todo o mundo, chamado de “obra-prima” por Robert Parker, que classificou a última safra avaliada com nada menos que 97 pontos. Todos são vinhos fora de série, em estilo único. vinhos tintos

149.90

20787 Valpolicella Classico Superiore 01 RP=91 3

229.90

17962 Rosso del Bepi IGT 99 RP=92 3

497.50

20788 Amarone della Valpolicella Classico 00 RP=96+ 3

935.50

vinho branco seco 24850 Quintarelli bianco secco 11

(Inama / Veneto)

O delicioso Soave Classico de Inama é bem mais intenso e profundo que a grande maioria dos vinhos dessa denominação. Maturado em tanques de aço inoxidável, é “uma escolha perfeita para o dia a dia” segundo o guia Duemilavini e merece a estrela de excepcional relação qualidade/preço do Gambero Rosso. Um belíssimo Soave.

US$48,50

US$/gf

23263 Primofiore IGT 07 3

17964 Alzero Cabernet IGT 98 RP=92 3

23557 SOAVE CLASSICO 2010

1.189.00

US$/gf 94.50

24141 PROSECCO VIGNETO GIARDINO 2011 (Adriano Adami / Veneto)

Elaborado por um dos melhores nomes de Prosecco, este espumante é muito especial – fino, delicado e perfumado, de boa intensidade. Frutado e refrescante, com ótima acidez, ele é muito superior à maioria dos vinhos dessa denominação, elaborado apenas com uvas do ótimo vinhedo Giardino da safra de 2011.

US$55,50


ITÁLIA

BARGANHAS DA ITÁLIA Vale a pena descobrir estes vinhos deliciosos, de personalidade bem italiana — perfeitos para combinar com comida e de excelente relação qualidade/preço! 23259 Modello Venezie rosé 2010 (Agricola Masi / Veneto / Itália / Rosado ) US$ 27.90 22410 Campofiorin Rosso del Veronese 2008 (Agricola Masi / Veneto / Itália / Tinto ) US$ 52.90 23833 Riff Pinot Grigio delle Venezie IGT 2011 (Alois Lageder / Alto Adige / Itália / Branco Seco) US$ 29.90 22300 Rosso di Montepulciano 2009 (Avignonesi / Toscana / Itália / Tinto) US$ 59.90 23198 Sangiovese Cancelli 2010 (Badia a Coltibuono / Toscana / Itália / Tinto) US$ 32.90 25026 Montepulciano d’Abruzzo Vasari 2011 (Barba / Abruzzo / Itália / Tinto) US$ 21.50 24838 Chianti Colli Senesi 2010 (Castello di Farnetella (Fèlsina / Toscana / Itália / Tinto) US$ 46.50 24564 Braccale 2010 (Castello di Montepò/Jacopo Biondi Santi / Toscana / Itália / Tinto) US$ 42.50

24260 Rigoleto Montecucco Rosso 2010 (Colle Massari / Toscana / Itália / Tinto) US$ 39.90

24536 Dolcetto di Dogliani San Luigi 2011 (Marziano Abbona / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 39.90

24154 Noe Orvieto secco 2011 (D´Amico / Lazio / Itália / Branco Seco) US$ 35.50

24918 Montepulciano d’Abruzzo 2010 (Masciarelli / Abruzzo / Itália / Tinto) US$ 38.50

24264 Cortona Syrah 2010 (D’Alessandro / Toscana / Itália / Tinto) US$ 47.90

13114 Copertino 2001 (Masseria Calieri / Puglia/ Itália / Tinto) US$ 22.50

22692 Pepestrino 2009 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 39.90

25146 Mastro rosso IGT 2012 (Mastroberardino / Campania / Itália / Tinto) US$ 29.90

24163 Vernaccia di San Gimignano 2011 (Fontaleoni / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 36.90

23486 Frascati Superiore Selciatella 2010 (Piero Costantini / Lazio / Italia / Branco Seco) US$ 25.50

25544 Jeio Spumante Jeio (Veneto / Itália / Espumante) US$ 35.90

25145 Rosso Piceno 2011 (Saladini Pilastri / Marche / Itália / Tinto) US$ 22.90

25110 Cirò rosso 2011 (Librandi / Calabria / Itália / Tinto) US$ 28.50

23906 Sallier de la Tour Nero d’Avola 2010 (Tasca d’Almerita / Sicília / Itália / Tinto) US$ 32.90

23083 Barbera d’Asti L’Avvocata 2010 (Luigi Coppo / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 44.50

23196 Etna Rosso 2010 (Tenuta delle Terre Nere / Sicília / Itália / Tinto) US$ 49.90

22898 Rubesco 2008 (Lungarotti / Umbria / Itália / Tinto) US$ 49.90

22477 Monna Bianca 2010 (Tenuta di Capezzana / Toscana / Itália / Branco Seco) US$ 31.50

137


ITÁLIA

INAMA

ADRIANO ADAMI

SACCHETTO

(Soave) www.inamaaziendaagricola.it

(Prosecco) www.adamispumanti.it

(Prosecco)

Os exuberantes e polêmicos vinhos de Giuseppe e Stefano Inama revolucionaram a denominação Soave com seu caráter bem mais robusto e encorpado e com sua característica maturação da casta Garganega em barricas de carvalho — hoje uma “marca registrada” do produtor. Segundo o Gambero Rosso, “Inama representou um marco divisório na região de Soave e, mais de 10 anos depois, continua a ser ao mesmo tempo referência e contradição para toda a denominação”. Segundo Robert Parker, “Inama oferece alguns dos brancos mais ricos de todo o Veneto”. O Soave Clássico, que não passa por madeira, é “uma escolha perfeita para o dia a dia” segundo o guia Duemilavini e merece a estrela de excepcional relação qualidade preço do Gambero Rosso. O Vigneti di Foscarino, por sua vez, é parcialmente maturado em carvalho, sendo mais potente e encorpado, com um distinto acento mineral. Merece 90 pontos de Parker. O Vulcaia é um dos vinhos mais particulares elaborados com a casta Sauvignon Blanc, lembrando alguns vinhos do Loire, enquanto o Chardonnay é gordo e cheio de notas de frutas maduras. Os tintos também são excelentes, “talvez ainda mais interessantes que os brancos” na opinião de Parker. O belo Carmenère Più... é elaborado com a uva Carmènere e pequenas parcelas de Merlot e Raboso Veronese — e é “fantástico” na opinião de Robert Parker. O Bradissimo é um corte de Cabernet Sauvignon com 30% de Carmenère, “refinado e elegante” para Parker, e com os máximos “5 grappoli” do Duemilavini. O Oratorio di San Lorenzo, “com notável riqueza e densidade”, nas palavras de Parker, é sem dúvida um dos maiores tintos do mundo elaborados exclusivamente com a casta Carmenère. Inama também elabora um ótimo vinho doce com a casta Sauvignon Blanc, o exuberante Vulcaia Après “delicioso” segundo a revista Wine Spectator.

Extraordinário produtor de Prosecco, de altíssima qualidade, premiado pela quinta vez consecutiva com o Oscar qualidade/preço do Gambero Rosso, que confere “due bicchieri” a todos seus vinhos. A revista Decanter o considera um dos maiores nomes em Prosecco e confere as máximas cinco estrelas a diversos de seus espumantes. Seus Proseccos são frescos, finos e deliciosamente aromáticos. Nada têm a ver com os piores exemplares desta denominação. O melhor de todos é o fino e elegante Vigneto Giardino, elaborado com uvas do reputado vinhedo de mesmo nome.

vinhos tintos

US$/gf

23555 Carmenère Più... IGT 09 3

53.90

20420 Bradisismo IGT 06 RP=89 3

99.50

20421 Oratorio di San Lorenzo IGT 06 3 RP=91, WS=90

vinhos brancos secos

159.00

US$/gf

20423 Soave Classico Vigneti di Foscarino 08 RP=90(07), WS=90(04) 3

68.50

23557 Soave Classico 10 RP=89(08) 2

48.50

20424 Chardonnay del Veneto IGT 09 3

43.50

20425 Vulcaia Sauvignon del Veneto IGT 08 RP=90, WS=93(06) 3

49.90

vinho branco doce 20426 meia Vulcaia Après IGT 07 (375 ml)

138

US$/gf 66.50

vinhos espumantes

US$/gf

21942 Prosecco 13 Garbèl RP=87 2

46.50

21643 Prosecco di Valdobbiadene Extra Dry RP=90, WE=88, 2

48.90

21641 Prosecco di Valdobbiadene Brut RP=89, WE=87, 2

49.90

21642 meia Prosecco di Valdobbiadene Brut (375 ml) 2

30.90

21943 Prosecco Vigneto Giardino 10 RP=89,

57.50

3

BISOL (Prosecco) www.bisol.it “Consistentemente uma das melhores escolhas para espumantes frescos, aromáticos, refrescantes e puros” segundo Robert Parker, Bisol é sinônimo de Prosecco da mais alta qualidade, bastante distinto da maioria dos vinhos desta denominação hoje disponíveis no mercado. A propriedade, que conta com alguns dos melhores vinhedos da região produtora de Prosecco, pertence à família Bisol desde 1542. Os vinhedos de excepcional localização, com ótima exposição solar e cultivados de maneira orgânica, dão origem a uvas de excelente qualidade, que permitem elaborar espumantes incrivelmente delicados e cheios de nuances, dotados de um maravilhoso frescor. Todos são safrados — uma raridade na denominação — e recebem os “due bicchieri” do Gambero Rosso, além de belíssimas notas de Robert Parker — como 90 pontos para o “sensacional” Cartizze e 89 pontos para o Crede na última safra avaliada. Simplesmente o ponto máximo em qualidade e prestígio que os deliciosos Prosecco podem alcançar. vinhos espumantes

US$/gf

21367 Crede Prosecco di Valdobbiadene Brut 10 RP=89(08) 3

45.90

21368 meia Crede Prosecco di Valdobbiadene Brut 09 (375 ml) RP=89(08) 3

29.90

20629 Salis Prosecco di Valdobbiadene Dry 09 3

45.90

20630 Cartizze Prosecco di Valdobbiadene Superiore 09 RP=90(09) 3

83.50

Moderníssima vinícola que produz alguns ótimos Proseccos, bastante superiores à maioria dos vinhos desta denominação. Seus espumantes são muito bem feitos, frescos e bem aromáticos, de ótima relação qualidade/preço. vinhos espumantes 21944 Prosecco Brut 2

US$/gf 37.90

23047 meia Prosecco Brut (375 ml) 2

25.90

21945 Prosecco Extra Dry 07 2

38.50

23048 Spumante Rosé Brut 2

39.00

JEIO (Spumante) Jeio é um elogiado projeto da família Bisol, produtores de enorme prestígio, instalados há quase 5 séculos — e 21 gerações! — na região demarcada de Prosecco, e proprietários de alguns dos mais privilegiados vinhedos desta zona vêneta conhecida pelos espumantes. A família tem à disposição nada menos que 35 parcelas (em média, de 1 hectare cada) distribuídas pelas íngremes colinas entre Valdobbiadene e Conegliano, a mais nobre área da denominação — incluindo a colina de Cartizze, uma das mais prestigiosas de todo o mundo vinícola. Esse acervo impressionante permite obter uma matéria-prima exemplar, que dá origem a espumantes maravilhosos. São todos “vinhos de alto nível”, segundo o Gambero Rosso, uma das mais respeitadas referências da imprensa especializada italiana. Como entram outras uvas no corte além da Glera, estes espumantes não podem ser chamados de Prosecco, mesmo sendo produzidos apenas com as valorizadas uvas de Valdobbiadene. O nome do projeto presta homenagem a Desiderio Bisol, pai dos atuais proprietários, e se refere ao apelido pelo qual era carinhosamente chamado pela mulher. Após a Primeira Guerra Mundial, Jeio investiu em novas técnicas de cultivo e passou a adquirir vinhedos em colinas íngremes — os mais caros e também os mais difíceis de serem cultivados — para dar origem a espumantes realmente distintos. vinhos espumantes

US$/gf

25544 Jeio Spumante Brut 1

35.90

25545 Jeio Spumante Rosato Brut 1

35.90


ITÁLIA

24156 CARTIZZE PROSECCO DI VALDOBBIADENE SUPERIORE DI CARTIZZE 2009 (Bisol / Veneto)

Classificado como “Outstanding” por Robert Parker, que apontou esse espumante como “sensacional”, Cartizze é o mais cultuado Prosecco de Bisol e uma das grandes estrelas da denominação. Produzido na mais famosa zona da região de Prosecco, é um vinho “ensolarado, de encher a boca”, nas palavras da Gambero Rosso. Com um cativante toque doce no palato, equilibrado por um ótimo frescor, é uma das mais sofisticadas escolhas em Prosecco, com a prestigiosa assinatura de Bisol.

US$85,50

19604 CURTEFRANCA TERRE DI FRANCIACORTA 2005 (Ca’del Bosco / Franciacorta)

O produtor Maurizio Zanella é um perfecionista. Este excelente tinto é elaborado com 5 variedades de uvas de 19 vinhedos diferentes. Cada uva é vinificada em separado e o corte só é efetuado após a fermentação malolática. Feito o coupage o vinho repousa 22 meses em aço e em barricas e 9 meses em garrafa antes de sair ao mercado. O resultado é um vinho marcante, diferente, com excelente capacidade de envelhecimento.

US$74,50

24434 PINOT GRIGIO COLLI ORIENTALI 2011 (Livio Felluga / Friuli)

Seco, fresco, rico e muito saboroso, este Pinot Grigio de Livio Felluga é muito superior à grande maioria dos vinhos dessa casta encontrados no mercado, tendo merecido 90 pontos de Robert Parker na safra 2010, a última avaliada pelo crítico. Ideal para acompanhar frutos do mar ou para ser bebido como aperitivo, antes das refeições.

US$69,90

23552 SAN LEONARDO 2006 (Tenuta San Leonardo / Trentino)

Descrito por Jancis Robinson como um “verdadeiro 1er Grand Cru Classé” elaborado no Trentino, o San Leonardo sempre recebe os “Tre Bicchieri” do Gambero Rosso, que o considera um dos maiores tintos da Itália. Um sofisticado e aristocrático corte no estilo dos vinhos da margem esquerda de Bordeaux, é muito refinado e elegante. Altamente recomendado!

US$144,50

CORTESIO

CA’DEL BOSCO

(Spumante)

(Franciacorta, Lombardia) www.cadelbosco.it

A família Bera, conhecida por elaborar alguns dos vinhos de melhor relação qualidade/preço do Piemonte, acaba de fundar a Cortesio, uma vinícola criada com o objetivo de elaborar um dos melhores achados de bom preço entre os espumantes italianos. A base é a uva Chardonnay, e 10% do vinho é fermentado em barricas de carvalho para trazer maior complexidade. Rico e delicado, combina boa cremosidade com notas agradáveis de fruta. vinho espumante 22883 Spumante Cortesio Brut 2

US$/gf 29.90

Ca` del Bosco é um dos maiores nomes da Itália, eleito “Vinícola do Ano” pelo Gambero Rosso em 2003. Trata-se do terceiro maior colecionador de “tre bicchieri” no país (36 até 2012), merecedor das três “stelle”. Seu fantástico Chardonnay equivale a um grande Borgonha, enquanto seus Franciacorta são os melhores espumantes da Itália, ao nível dos bons Champagne. O Maurizio Zanella é um tinto espetacular, que rivaliza com os grandes Médoc, enquanto o Pinerò é um excelente Pinot Noir. Todos recebem notas altíssimas de todos os autores. vinhos tintos

OUTRAS REGIÕES DO NORTE Com brancos irresistíveis, cheios de sabor, frescor e charme, o Friuli e o Alto Adige são dois dos grandes destaques do Norte da Itália. Seus tintos também podem ser muito finos, elegantes e saborosos. A uva tinta Lagrein é a mais típica do Alto Adige, que também produz ótimos Pinot Nero, enquanto a Merlot se adaptou muito bem no Friuli. Os brancos destas duas regiões são talvez os melhores e mais deliciosos de toda a Itália — achados que você precisa descobrir. Na Lombardia e no Trentino encontram-se também verdadeiras joias — produtores excelentes, alguns dos quais fazem vinhos ao nível dos melhores do mundo. Ca’ del Bosco, em especial, é um grande destaque — o terceiro melhor produtor da Itália segundo o Gambero Rosso. Os grandes espumantes de Franciacorta, em particular, são reputados como os melhores do país, ao nível de ótimos Champagne.

US$/gf

19604 Cà del Bosco Curtefranca rosso 05

74.50

24541 meia Cà del Bosco Curtefranca rosso 07 (375 ml)

42.00

24543 Carmenero Carmenère 04 3

149.00

20603 Maurizio Zanella 03 RP=92 3

189.00

vinhos brancos

US$/gf

24544 Cà del Bosco Curtefranca bianco 10 WS=91(01) 3 24545 Chardonnay Curtefranca 08 RP=92

3

vinhos espumantes

US$/gf

22298 Franciacorta DOCG Cuvée Prestige Brut ST=90, RP=88, 3 24546 Franciacorta DOCG Cuvée Rosé Brut

72.50 195.50

99.90 3

135.00

17657 Franciacorta DOCG Brut 03 3

139.50

17656 Franciacorta DOCG Cuvée Annamaria Clementi Brut 01 RP=93, WS=91 3

279.50

139


ITÁLIA

LIVIO FELLUGA

vinho tinto 24214 Maurus Merlot 04 RP=89(04) 3

(COLLI ORIENTALI / Friuli) www.liviofelluga.it Livio Felluga é o “patriarca do vinho friulano”, um dos maiores nomes desta região. Produz alguns dos brancos mais finos e dos tintos mais saborosos da Itália. Os brancos são irresistíveis, frescos e delicados, com destaque para o maravilhoso “Terre Alte”, que recebe sempre os “tre bicchieri” do Gambero Rosso, e para o delicioso Sharjs. O melhor tinto é o reputado Sossò, um grande tinto de Refosco (60%), Merlot (35%) e Pignolo (5%), fino e clássico. O Vertigo é intenso e saboroso, enquanto o Esperto Merlot é cheio de fruta e charme. vinhos tintos

US$/gf

20611 Sossò Riserva 06 WS=91 3 17083 Refosco Colli Orientali 05

169.50 (06)

24430 Vertigo Merlot/Cabernet 10 2

vinhos brancos secos

72.50 49.90

US$/gf

22485 Shàrjs Chardonnay/Ribolla Gialla 10 2

57.50

20607 Pinot Grigio Colli Orientali 09 WS=88 3

63.90

20608 Sauvignon Blanc Colli Orientali 09 RP=89 3

68.90

20606 Friulano Colli Orientali 09 RP=89(06), WS=90(07) 3

68.90

17081 Illivio Pinot Bianco 05

84.00

22486 Terre Alte 09

3

RP=91, ST=91 WS=91 3

22487 Abbazia di Rosazzo 09 RP=93 3

garrafa magnum vinho tinto 18545 magnum Vertigo Merlot/Cabernet 06 (1.500 ml)

169.90 169.90

US$/gf 99.90

VIE DI ROMANS (ISONZO / FRIULI) www.viediromans.it Com as prestigiosas “Due Stelle” — concedida somente aos melhores produtores da Itália — e nada menos do que 21 “tre bicchieri” acumulados, Vie di Romans é considerada uma das mais importantes vinícolas italianas pelo guia Gambero Rosso. É um nome de enorme reputação no Friuli, produzindo tintos e brancos muito longevos, de incrível elegância e cultivo orgânico. Seu Chardonnay é lendário, um dos maiores exemplares italianos desta casta, merecendo 93 pontos de Parker. Seu mítico Flor de Uis é o melhor vinho do Friuli para Robert Parker, merecendo 94 pontos. O Vieris é um suntuoso Sauvignon Blanc barricado, enquanto o Dolée é um Tocai Friulano também maturado em barricas. O Pinot Grigio Dessimis é incrivelmente elegante. O produtor também elabora um excepcional Merlot, o Maurus, de grande finesse, e um saboroso rosado, o Cianton. São todos vinhos excepcionais, entre os melhores de toda a Itália.

140

vinho rosado 24215 Cianton rosé 06 RP=91 3

vinhos brancos secos

US$/gf 75.50

US$/gf 92.90

US$/gf

24216 Vieris Sauvignon 07 RP=93(06), WS=92(05) 3

99.90

24218 Chardonnay Vie di Romans 07 RP=93(06) 3

95.90

24217 Dessimis Pinot Grigio 06 RP=91 3

92.50

24220 Flor di Uis 07 RP=91 3

89.50

24219 Dolée Tocai Friulano 06 RP=92 3

88.50

TENUTA SAN LEONARDO

vinhos brancos

(Trentino) www.sanleonardo.it Com tintos que estão entre os mais finos e prestigiosos da Itália, a Tenuta San Leonardo é um verdadeiro château, cuja inspiração são as melhores propriedades de Bordeaux, utilizando inclusive variedades bordalesas, como Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. Os vinhos são incrivelmente finos, classudos e elegantes, com uma grande profundidade de fruta. O estupendo San Leonardo é “um dos melhores tintos da Itália”, segundo o Gambero Rosso, que lhe conferiu os “tre bicchieri” em simplesmente todas as últimas safras. No mesmo estilo cheio de classe é elaborado o Villa Gresti, com 90% Merlot e 10% Carmenère, merecendo “due bicchieri”, assim como o Merlot, que também é bastante saboroso, rico e elegante. vinhos tintos

US$/gf

21391 Terre di San Leonardo 07 RP=88 2

46.90

17616 Villa Gresti 04 3

89.00

23553 meia San Leonardo 05 (375 ml) 3 23552 San Leonardo 06 RP=94 3

vinho branco 25654 Vette di San Leonardo Sauvignon Blanc 12 1

garrafa magnum vinho tinto 25653 magnum Carmenère 07 (1.500 ml) 1

de experientes produtores e “um dos protagonistas do Renascimento do vinho [italiano], não apenas do Trentino”, segundo o respeitado guia Gambero Rosso. Desde 2007, os vinhos contam também com o know-how de um dos maiores nomes do vinho italiano: Masi, grande estrela do Veneto. Agora elaborados a “quatro mãos”, são todos vinhos muito fiéis ao território. O Pinot Grigio Valdadige é um branco refinado, que esbanja frescor e mineralidade. O Gewürztraminer surpreende pela presença aromática e grande estrutura. Com a uva Teroldego, a famosa casta autóctone do Trentino, os Bossi Fedrigotti produzem um tinto cheio de caráter, com aroma intenso, deliciosas notas de fruta de bosque, equilibrado e elegante.

69.90 144.50

US$/gf 49.90

US$/gf 279.00

BOSSI FEDRIGOTTI (Trentino) www.masi.it/eng/terre_vocate/tenute/ tenute_bossi_fedrigotti Há mais de três séculos a família Bossi Fedrigotti tem elaborado tintos e brancos de muita tipicidade em seus vinhedos, que contam com um dos mais privilegiados terroirs do Trentino. Pioneiros, já em 1961 lançaram o primeiro tinto de estilo bordalês da Itália, o Fojaneghe. Esta foi uma das muitas inovações do Conti Federico Bossi Fedrigotti, membro de uma linhagem

US$/gf

24450 Gewürztraminer Trentino DOC 11 3

59.90

24451 Pinot Grigio Valdadige DOC 11 3

59.90

vinho tinto 24448 Teroldego Vigneti delle Dolomiti IGT 09 3

US$/gf 65.00

ALOIS LAGEDER (Alto Adige) www.lageder.com Alois Lageder é um dos maiores nomes da região do Alto Adige, onde elabora tintos e brancos de grande pureza, elegância e personalidade. Seus vinhos varietais de vinhedo são há muito tempo grandes referências. Os destaques são o Chardonnay de Löwengang, o Pinot Grigio de Benefizium Porer e o finíssimo e macio Cabernet Sauvignon de Cor Römigberg. O tinto Lagrein, elaborado com a uva de mesmo nome, típica da região, é muito interessante. O produtor anda em altíssima conta na Wine Spectator, que indicou diversos de seus vinhos como estando entre os melhores degustados no último ano. Lageder também é proprietário do prestigioso Casòn Hirschprunn, que elabora alguns tintos de muita classe e finesse, como os excelentes Casòn. Os brancos também são ótimos, muito elegantes, em especial classudo Etelle. vinhos tintos (Alois Lageder) 23832 RIFF Rosso Dolomiti Merlot/Cabernet IGT 09

US$/gf 29.90

22721 Lagrein Alto Adige 09 2

56.50

22720 Pinot Nero Alto Adige 08 2

56.50


ITÁLIA

20891 Cabernet Riserva Alto Adige 06

49.90

8343

91.50

Cor Römigberg Cabernet Sauvignon 99 wRP=91 3

24236 Krafuss Pinot Noir 08 RP=90 3

vinho tinto (Casòn Hirschprunn) 16674 Casòn 03 RP=87(00), WS=87(98) 3

vinhos brancos (Alois Lageder) 23833 RIFF Pinot Grigio delle Venezie IGT 11 2

115.00

US$/gf 89.90

US$/gf 46.50

18908 Pinot Grigio Benefizium Porer 07 RP=87 3

49.90 109.00

(Alto Adige) www.cantina-terlano.com Um dos maiores nomes do Alto Adige, que costuma receber os “tre bicchieri” por seus tintos e brancos de muita classe, finesse e longevidade. A Wine Spectator degustou recentemente onze de seus brancos, conferindo a todos notas acima de 90 pontos. Para a revista, Terlano “produz alguns dos melhores brancos de sua região, senão de todo o país”. Segundo o Gambero Rosso, “seus vinhos unicamente complexos são inconfundíveis mesmo em uma degustação às cegas”. São todos tintos e brancos de grande longevidade, podendo durar décadas. A linha Clássica traz tintos e brancos frutados, deliciosos e com muita tipicidade: Pinot Nero, Lagrein, Pinot Bianco e Terlaner Classico (Pinot Bianco, Chardonnay e Sauvignon Blanc). Os vinhos “de vinhedo” são ainda melhores, mostrando toda a classe e profundidade características do produtor, enquanto a linha Selection abriga maravilhosos ícones, como o Quartz Sauvignon e o Porphyr Lagrein, ambos entre os maiores vinhos da Itália.

14245 Merlot Siebeneich Riserva 02 9397

Porphyr Lagrein Riserva 01 ST=91, WS=90 3

Um branco elaborado com a chancela da família Masi que seduz pela sua incrível tipicidade. Encorpado, com boa estrutura e cativantes notas florais, além de uma fruta bem madura. É muito saboroso, persistente e fresco.

US$59,90

Descubra estes grandiosos tintos italianos, verdadeiras jóias do Piemonte. 23842 Barolo Dagromis 2007 (Angelo Gaja / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 183.50

23844 BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2006

22837 Barbaresco 2008 (Angelo Gaja / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 479.00

(Biondi Santi / Toscana)

CANTINA TERLANO

vinhos tintos

(Bossi Fedrigotti / Trentino)

29.90

18909 Pinot Grigio Alto Adige 08 WS=88(03) 3 24238 Löwengang Chardonnay 08 RP=92 3

GRANDES BAROLO E BARBARESCO

24450 GEWURZTRAMINER TRENTINO 2011

US$/gf 43.50 76.75

PEDERZANA (Lambrusco, Emilia Romagna) www.tenutapederzana.it Pederzana produz um Lambrusco surpreendente, de alta qualidade e minúscula produção, que nada tem a ver com os vinhos mais comerciais desta denominação encontrados em nosso mercado. São muito mais concentrados, saborosos e equilibrados, elaborados apenas com a casta Grasparossa, sem cortes com outras uvas mais produtivas. O enólogo-consultor é Franco Adami, especialista em vinhos frizantes e espumantes de Prosecco. Vale a pena experimentar!

De incrível reputação e prestígio, Biondi Santi é o mais tradicional e aristocrático nome de Montalcino, o criador dos famosos Brunello di Montalcino, há mais de um século. Este belo exemplar mereceu os cobiçados “Tre Bicchieri” do Gambero Rosso, 94 pontos de Robert Parker e 94 pontos da Wine Spectator. Mostra o bouquet clássico do Brunello Biondi Santi, com frutas escuras e especiarias. Na boca é amplo e potente, austero, no estilo mais tradicional possível. Um verdadeiro monumento ao vinho da Toscana.

23206 Barbaresco Asili 2008 (Bruno Giacosa / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 399.50 23087 Barolo 2007 (Luigi Coppo / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 199.90

US$439,00

tinto levemente frisante semi-seco 21407 Lambrusco Grasparossa di Castelvetro 07 RP=90 2

vinho tinto levemente frisante doce 20542 Lambrusco Puntamora Amabile 07

US$/gf

24539 Barbaresco 2008 (Marziano Abbona / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 119.50

38.90

US$/gf

23958 Barolo Castiglione 2008 (Vietti / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 149.50

47.50

24817 Barbaresco Masseria 2009 (Vietti / Piemonte / Itália / Tinto) US$ 207.90

TOSCANA É difícil em algumas poucas linhas fazer justiça à enorme riqueza de vinhos da Toscana. Aqui são produzidos alguns dos melhores e mais prestigiosos vinhos italianos, como Chianti Classico, Brunello di Montalcino, Vino Nobile di Montepulciano, sem contar os famosos supertoscanos, os vinhos da região de Bolgheri, os doces Vinsanto e tantas outras especialidades. Entre as uvas italianas plantadas na região, a mais destacada sem dúvida é a grande Sangiovese, principal responsável por Chianti, Brunello e Vino Nobile. Os melhores Chianti Classico são finos, complexos e charmosos, com um adorável frescor e muita elegância. Os Riserva são mais concentrados e potentes, com mais envelhecimento em carvalho. Os Chianti de fora da zona demarcada como Classico também podem ser bem saborosos e de boa relação qualidade/preço, desde que elaborados por bons produtores.

141


ITÁLIA

Os Brunello di Montalcino, por sua vez, são um dos maiores e mais célebres vinhos italianos, de grande potência, riqueza e intensidade, podendo durar muitos anos. Os melhores combinam toda esta estrutura com muita classe e complexidade. Os Rosso di Montalcino (de bons produtores) estão melhores do que nunca e são outra ótima alternativa. O Vino Nobile di Montepulciano segue um estilo semelhante, combinando intensidade e concentração com um caráter aristocrático. Os celebrados supertoscanos — que, nas mãos de grandes estrelas, surgem em todas as regiões da Toscana — estão entre os maiores vinhos italianos, sendo elaborados com uvas nativas e internacionais. Bolgheri é uma região de prestígio, com seus tintos excelentes, no estilo bordalês.

MONTALCINO

21378 meia Brunello di Montalcino 04 (375 ml) 3 22488 Brunello di Montalcino 06 RP=91(05), WS=93 3

1.859.00 439.00

244.90 86.50 159.50 79.90

21379 meia Rosso di Montalcino 09 (375 ml) 2

41.90

21380 Lavischio IGT 08

52.90

22490 Chianti Colli Senesi Caspagnolo 10 2

39.90

23920 meia Chianti Colli Senesi Caspagnolo 10 (375 ml) 2

27.90

vinho branco doce

US$/gf

US$/gf

22489 Rosso di Montalcino 09 2

13646 meia Aurico Moscadello di Montalcino Vend. Tardiva 00 (375 ml)

Biondi Santi é simplesmente o criador e consagrador do grande Brunello di Montalcino — e um dos maiores nomes da Itália e de todo o mundo. Seus veneráveis Riserva são quase imortais — sem dúvida um dos grandes ícones do mundo do vinho. Recentemente, o respeitado Master of Wine Nicholas Belfrage conferiu sua nota máxima para a safra de 1891, com mais de 100 anos de idade! O celebrado Brunello di Montalcino Biondi Santi Riserva 1955, por sua vez, foi eleito como um dos “12 Melhores Vinhos do Século” pela Wine Spectator (e como “o melhor italiano do século”). São vinhos revenciados, de longuíssima guarda e de enorme estrutura, que podem durar um século (como comprovam as referências acima) e que demandam tempo para amadurecer e mostrar todas suas qualidades únicas. Um dos maiores nomes da Itália e de todo o mundo do vinho, Biondi Santi está no topo do estilo tradicional e aristocrático de Brunello di Montalcino. Grandes ícones, colecionáveis.

23844 Brunello di Montalcino 06 RP=94 3

24427 Brunello di Montalcino Riserva 06 WS=92 3

vinho branco seco

(Montalcino) www.biondisanti.it

vinhos tintos

vinhos tintos

21542 Vermentino IGT 09

BIONDI-SANTI – “IL GREPPO”

23846 Brunello di Montalcino Riserva 06 RP=95 3

Seus Rosso di Montalcino são ricos e muito saborosos, enquanto o Chianti Colli Senesi é simplesmente uma delícia, de excelente relação qualidade/preço.

garrafa magnum vinho tinto 13635 magnum Rosso di Montalcino 02 (1.500 ml)

US$/gf 56.90

US$/gf 99.75

US$/gf 127.50

(Pieve Santa Restituta / Gaja/ Toscana)

Um dos mais elegantes e sofisticados Brunello di Montaltico, o Sugarille 2000 já está pronto para ser bebido e mereceu 94 pontos de Robert Parker. Tem enorme profundidade, complexidade e finesse, com estrutura para evoluir por mais muitos anos. Um belíssimo Brunello, com a assinatura de Angelo Gaja.

US$329,50

25441 BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2008 (Fuligni / Toscana)

Com menos de 2.000 caixas produzidas, o Brunello di Montalcino de Fuligni é um dos maiores segredos entre os produtores de Brunello. Além de conceder 92 pontos para a safra 2008, Robert Parker usou adjetivos como “refinado”, “suculento” e “um dos pontos altos da safra” para descrever o tinto. Exuberante e complexo, é um vinho que combina de maneira magistral potência e elegância. Uma verdadeira descoberta, com um perfil moderno e cativante, mas com um inconfundível acento regional.

US$187,50

PIEVE SANTA RESTITUTA (Gaja) www.gajawines.com Pieve S Restituta foi a primeira propriedade toscana adquirida por Angelo Gaja, em 1993, bem no coração de Montalcino, onde produz dois excelentes Brunello com a mesma filosofia de altíssima qualidade de seus vinhos no Piemonte. O poderoso, rico e opulento Rennina é produzido com uvas de três vinhedos diferentes, o que traz grande complexidade. O Sugarille é elaborado apenas com uvas do extraordinário vinhedo Sugarille, um terroir único, conhecido por produzir vinhos de enorme estrutura e muita longevidade. É ainda mais poderoso, denso e profundo. Ambos trazem a classe, a elegância e o toque aveludado que são a assinatura de Gaja. vinhos tintos 23839 Brunello di Montalcino 07 3 25630 meia Brunello di Montalcino 08 (375 ml) 3

155.50 86.90

19780 meia Brunello di Montalcino Rennina 04 (375 ml) 3

179.50

(Montalcino)

21933 Brunello di Montalcino Rennina 06 RP=94, WS=92 3

369.50

www.villapoggiosalvi.it

16873 Brunello di Montalcino Sugarille 00 RP=92, WS=91(99) 3

329.50

garrafa magnum vinho tinto 23841 magnum Brunello di Montalcino 07 (1.500 ml)

22074 ROSSO DI MONTALCINO 2009 (Andrea Costanti / Toscana)

Delicioso Rosso di Montalcino, cheio de sabor e personalidade, com ótima concentração e bastante frescor. É um dos melhores Rosso di Montalcino e também uma das boas relações qualidade/preço da Toscana.

US$76,50

US$/gf

VILLA POGGIO SALVI

Chegam também os ótimos vinhos da reputada propriedade Villa Poggio Salvi, em Montalcino. Seus concentrados e profundos Brunello di Montalcino gozam de grande reputação, e são elaborados em um estilo mais moderno, estando prontos para serem bebidos mais cedo e possuindo preços mais acessíveis.

16873 BRUNELLO DI MONTALCINO SUGARILLE 2000

US$/gf 399.50

24442 HAIKU 2009

(Castello di Ama/ Toscana) Do mesmo modo que os poemas japoneses Haiku procuram passar uma mensagem muito profunda de uma forma simples e objetiva, de apenas 3 linhas, Marco Pallanti do Castello di Ama criou um vinho com 3 castas – Sangiovese, Cabernet Franc e Merlot – mas capaz de transmitir sensações e emoções profundas, de maneira análoga aos Haiku – sensações particulares que só o terroir de Chianti Classico consegue expressar. Logo na primeira safra, Robert Parker notou que a identidade regional realmente se sobressai, concedendo 92 pontos ao vinho que se mostrou “promissor” nas palavras do crítico. O belo rótulo metalizado é uma atração à parte deste vinho de grande elegância, que já nasce como uma das estrelas de Chianti Classico.

US$129,50

142


ITÁLIA

ANDREA COSTANTI

21395 COLLEZIONE DE MARCHI CABERNET SAUVIGNON 2004

www.costanti.it A perfeição em Brunello di Montalcino, também com cotação máxima de Robert Parker. Seu Brunello é extremamente fino e elegante, muito classudo, enquanto o Rosso é deliciosamente fresco, saboroso e concentrado, uma delícia. O Vermiglio fica em um meio termo entre os dois. O ótimo Ardingo Calbello é um corte de 75% Merlot e 25% Cabernet Sauvignon, também muito rico, intenso e concentrado. vinhos tintos 16542 Ardingo Calbello IGT 04 RP=89(00), WS=90(97) 3 22074 Rosso di Montalcino 09 RP=89 3

76.50

24015 meia Brunello di Montalcino 07 (375 ml) 3

115.00

24017 Brunello di Montalcino Riserva 06 RP=94+ 3

249.50

22689 FÈLSINA CHIANTI CLASSICO 2008 (Fattoria Fèlsina / Toscana)

Um dos melhores segredos de Brunello di Montalcino, Fuligni elabora minúsculas quantidades de vinhos no melhor estilo clássico, com vinhedos localizados na porção oriental da colina de Montalcino — considerada a faixa mais aristocrática desta comuna. Os vinhos são maturados em grandes barricas de 500 e 2.000 litros, originando tintos que, na opinião de Jancis Robinson, são “certamente dotados de uma grande finesse, ao contrário alguns Brunellos mais opulentos e menos tradicionais”. Segundo Parker, que sempre concede notas muitos altas aos tintos, os vinhos de Fuligni são “excepcionais, realmente maravilhosos, de cair o queixo”. Para o crítico, embora os vinhos sejam incrivelmente elegantes, também mostram bastante fruta, sendo “sempre bastante convidativos”. Estes vinhos especiais são maravilhosas descobertas — daquelas garrafas que um conhecedor se alegra em conhecer e só apresenta a seus melhores amigos. US$/gf

22088 Rosso Toscano San Jacopo 09 RP=90 2

69.90

24465 Rosso di Montalcino Ginestreto 10 RP=89 2

76.90

24463 Brunello di Montalcino 07 RP=95, WS=93 3

189.90

24466 Brunello di Montalcino Riserva 06 RP=94 3

228.90

garrafa magnum vinho tinto

16873 Brunello di Montalcino Sugarille 2000 (Pieve Santa Restituta / Toscana / Itália / Gaja Tinto) US$ 329.50

399.50

(TOSCANA / Itália) www.fuligni.it

24464 magnum Brunello di Montalcino 07 (1.750 ml) 3

As colinas ao redor da vila medieval de Montalcino produzem um dos maiores e mais célebres vinhos italianos, o Brunello di Montalcino, de enorme classe, potência e estrutura. São grandes tintos de Sangiovese envelhecidos em madeira, bem mais concentrados e densos que os Chianti, aptos a durar longos anos. Atualmente estão ainda melhores. Os mais reputados combinam potência, elegância e complexidade. São vinhos que se beneficiam de decantação enquanto ainda jovens, e participam da tríade “Barolo-BrunelloAmarone” dos grandes e famosos tintos da Itália.

US$/gf

FULIGNI

vinhos tintos

US$229,50

79.90 179.50

22502 magnum Brunello di Montalcino 06 (1.500 ml)

Além de seus magníficos Chianti Classico e supertoscanos que são a mais pura expressão da casta Sangiovese, o talentoso Paolo de Marchi também produz alguns vinhos excepcionais, em quantidades artesanais, com uvas estrangeiras, sob o rótulo “Collezione de Marchi”. Este supertoscano é extremamente elegante e aristocrático, sem dúvida um dos melhores e mais refinados Cabernet Sauvignon da Itália.

US$/gf

24014 Brunello di Montalcino 07 RP=95, WS=91 3

garrafa magnum vinho tinto

(Isole e Olena / Toscana)

O ARISTOCRÁTICO BRUNELLO DI MONTALCINO

O Chianti Classico Fèlsina é um dos mais belos exemplares dessa denominação – “lindo e profundo, repleto de notas de fruta madura”, segundo Robert Parker. Uma das mais saborosas e encantadoras expressões da casta Sangiovese, combina um frutado cativante com um belíssimo frescor – perfeito para acompanhar comida. Um grande Sangiovese!

US$79,90

21933 Brunello di Montalcino Rennina 2006 (Pieve Santa Restituta / Toscana / Itália / Gaja Tinto) US$ 369.50 23844 Brunello di Montalcino DOCG 2006 (Biondi Santi / Toscana / Itália / Tinto) US$ 439.00 23846 Brunello di Montalcino DOCG Riserva 2006 (Biondi Santi / Toscana / Itália / Tinto) US$1859.00 24014 Brunello di Montalcino 2007 (Andrea Costanti / Toscana / Itália / Tinto) US$ 179.50 24017 Brunello di Montalcino Riserva 2006 (Andrea Costanti / Toscana / Itália / Tinto) US$ 249.50

23198 SANGIOVESE CANCELLI 2010 (Badia a Coltibuono / Toscana)

Descrito por Robert Parker como "suculento, com um atraente perfume, perfeito para ser bebido casualmente", esta deliciosa combinação de Sangiovese e Syrah é um verdadeiro achado, de excelente relação qualidade/preço.

24427 Brunello di Montalcino Villa Poggio Salvi Riserva 2006 ( Villa Poggio Salvi / Toscana / Itália / Tinto) US$ 244.90

US$32,90

US$/gf 425.50

143


ITÁLIA

O MELHOR DE CHIANTI CLASSICO Toda a tipicidade e elegância das belas colinas toscana 24822 Chianti Classico 2009 (Badia a Coltibuono / Toscana / Itália / Tinto) US$ 49.50 25225 Ama Chianti Classico 2010 (Castello di Ama / Toscana / Itália / Tinto) US$ 76.90 23356 Chianti Classico 2009 (Isole e Olena / Toscana / Itália / Tinto) US$ 85.90 25548 Chianti Classico Riserva 2008 (Badia a Coltibuono / Toscana / Itália / Tinto) US$ 93.50

CHIANTI

ISOLE E OLENA

CASTELLO DI AMA

Um dos maiores produtores da Toscana e um dos produtores de maior prestígio em todo o mundo. Ele recebe as quatro estrelas de Hugh Johnson e a “stella” do Gambero Rosso. Seu Cepparello é um dos mais famosos supertoscanos, relacionado entre os melhores vinhos da Itália pela Wine Spectator. Seus Collezione de Marchi, que exploram o potencial máximo de cada casta, são raros e disputados. O Cabernet, por exemplo, ficou em primeiro lugar entre os 78 melhores supertoscanos, no painel da Decanter, sendo o único a receber as máximas 5 estrelas. Seu Chianti Classico também é ótimo e muito elegante.

(Chianti Classico)

(Chianti Classico) www.castellodiama.com Um dos maiores clássicos da Toscana, com seus vinhos elegantes, finos e complexos. Merece a cotação máxima de Parker e “due stelle” do Gambero Rosso, por seus 21 “tre bicchieri”, uma das melhores qualificações em toda a Itália. O Vigna L´Apparita é um dos maiores tintos italianos, um Merlot que rivaliza com os melhores Pomerol. Seus “crus” de Chianti Classico, o Bellavista e o Cassuccia, são realmente fantásticos e são produzidos apenas nos grandes anos. Seu Chianti Classico mais simples também é um grande vinho, de muito charme e tipicidade, merecedor dos “tre bicchieri” na safra 2003. Castello di Ama foi eleito o “Produtor do Ano” pelo Gambero Rosso em 2005, e o produtor acumulou nada menos do que 9 “tre bicchieri” em 4 edições. Marco Pallanti, o talentoso enólogo, foi eleito “Enólogo do Ano” pelo guia em 2003. vinhos tintos

US$/gf

22586 Chianti Classico Riserva 2007 (Badia a Coltibuono / Toscana / Itália / Tinto) US$ 97.50

25225 Ama Chianti Classico 10 1

76.90

22307 Castello di Ama 07 3

99.90

22308 meia Castello di Ama 07 (375 ml) RP=93, WS=90 3

53.50

22307 Castello di Ama 2007 (Castello di Ama / Toscana / Itália / Tinto) US$ 99.90

25221 Castello di Ama Riserva 09 1

99.90

25222 meia Castello di Ama Riserva 09 (375 ml) 1

54.90

22311 Il Chiuso 09

76.50

22312 meia Il Chiuso 09 (375 ml)

39.90

22690 Chianti Classico Riserva 2007 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália / Tinto) US$ 99.90 22691 Chianti Classico Rancia Riserva 2007 (Fattoria Fèlsina / Toscana / Itália / Tinto) US$ 149.90 22315 Vigneto La Casuccia 2007 (Castello di Ama / Toscana / Itália / Tinto) US$ 361.50

24442 Haiku 09 RP=92 3

129.50

22315 Vigneto La Casuccia 07 RP=96 3

361.50

23910 Vigna L’Apparita Merlot 08 RP=93+ 3

389.50

vinho rosado 25228 Rosato 12 “ótima relação qualidade/preço” GR 2

vinhos brancos secos

42.50

US$/gf

20783 Vigna Al Poggio Chardonnay 09 WS=87(00), RP=87(98) 3

73.90

20784 meia Vigna Al Poggio Chardonnay 09 (375 ml) 3

37.00

vinho branco doce 23549 meia Vin Santo 06 (375 ml) RP=90(04) 3

garrafas magnum vinho tinto

144

US$/gf

US$/gf 75.90

US$/gf

19664 magnum Castello di Ama 06 (1.500 ml) RP=92

193.