__MAIN_TEXT__

Page 1

WORLD MUSIC FESTIVAL

#16


Publicação #16 Agosto-Outubro 2018

Associação MiratecArts tem por finalidade realçar o indivíduo, a equipa e a produtividade organizacional no mundo da cultura artística. Entre os vários projetos, MiratecArts lidera seis festivais abertos ao público e a propostas de artistas: Montanha Pico Festival, Visitarte - o festival de artes em casas rurais, Azores Fringe Festival, Festival Cordas, Azores Birdwatching Arts Festival e o AnimaPIX.

MiratecArts is an association created to enhance individual, team and organizational productivity in the artistic cultural world. Among the many projects, MiratecArts manages six festivals open to public and artists proposals: Montanha Pico Festival, Visitarte - the arts festival in rural homes, Azores Fringe Festival, Cordas World Music Festival, Azores Birdwatching Arts Festival and AnimaPIX.

@miratecarts #miratecarts

www.mirateca.com info@mirateca.com (+351) 963 639 996


MiratecArts está a trabalhar com os seus parceiros para melhorar a pegada ambiental. As nossas revistas têm um papel diferente, sabem porquê? Porque é papel reciclado. MiratecArts is working with partners to improve its environmental footprint. Our magazines have a different feel, do you know why? Because it's recycled paper.

Mudanças ajudam no raciocino cognitivo do ser humano. Na MiratecArts estamos constantemente em mudança. Aqui aprende-se. Bem vind@s à terceira edição do Festival Cordas. Um programa mais compacto, mais abrangente e que chega a mais cantinhos da nossa ilha. Fazemos isto para vocês, nossos/as acompanhantes que acreditam que a arte vale a pena. Desfrutem, digam a amigos, a vizinhos e ao resto do mundo.

Canecas MiratecArts são de bambu. Os eventos MiratecArts estão a ficar cada vez mais amigos da Mãe Terra. Faz o mesmo em tua casa, ou ainda melhor que nós. MiratecArts mugs are made from bamboo. MiratecArts events are becoming more and more friendly with Mother Earth. Do the same at home, or even go one step further.

Welcome to the third edition of Cordas World Music Festival. A more compact, comprehensive program that reaches more corners of our island. We do this for you, our companions, who believe that art is worth it. Enjoy, tell your friends, neighbours, and the rest of the world. diretor artístico Terry Costa artistic director MiratecArts / Cordas World Music Festival

Terry Costa por Davide Sousa Photography

Change helps nurture cognitive reasoning in human beings. At MiratecArts we are constantly changing. Here you learn.


PRÉMIOS/AWARDS

TOP 10 Best New Festival 2017

Nomeação 2018: Best Small Festival, Best Line-Up, Best Tourist Promotion

ORGANIZAÇÃO

WORLD MUSIC FESTIVAL MIRATECARTS PARCEIROS FINANCEIROS

PARCEIROS PUBLICITÁRIOS

PARCEIRO DE APRESENTAÇÃO

PARCEIROS PROMOCIONAIS

PARCEIROS CORDAS

CAPA

DESIGN

José Feliciano Photography

JOSÉ MIGUEL SILVA

Os projetos da MiratecArts são possíveis com o apoio, parcerias e ofertas dos nossos amigos... MiratecArts projects are possible with the support, partnerships and gifts from our friends...


Efetivamente, por vida da cultura e da arte, os Açores podem e devem ser promovidos a uma escala internacional, evidenciando as particularidades do arquipélago, caracterizado pela sua identidade baseada no seu património natural, mas como um lugar de criação e de inspiração para novos objetos artísticos. É através dessa mesma inspiração que o Governo dos Açores quer chegar a todos: aos açorianos e aos seus visitantes. Desde 2012 que os Açores, através da ilha do Pico, se tornaram num espaço aberto para a criatividade, dando lugar a uma série de eventos artísticos e criando pontes com a população e o exterior. Isto porque, durante estes seis anos, foi possível divulgar o trabalho de mais de 1600 artistas, não só dos Açores, como de 59 outros países. Não se trata apenas de receber o mundo, mas de fazer dos Açores o centro do mundo, neste caso particular, a partir da ilha montanha e através da MiratecArts. Marta Guerreiro Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo Governo dos Açores

MARTA GUERREIRO

Effectively, for the life of cuture and art, the Azores can and should be promoted on an international scale, highlighting the particularities of the archipelago, characterized by its identity based on natural heritage, and as a place of creation and inspiration for new artistic projects. It's through this same inspiration that the Government of the Azores wants to reach out to everyone: Azoreans and visitors alike. WORLD MUSIC FESTIVAL

Since 2012, the Azores, through the island of Pico, have become an open space for creativity, giving rise to a series of artistic events and creating bridges with the population and visitors. This is because, during the past six years, the work of more than 1,600 artists, not only from the Azores but from 59 other countries as well, has been disseminated. It's not just about receiving the world, but also about making the Azores the center of the world, in this case, from the mountain island and through MiratecArts. Marta Guerreiro Regional Secretary for Energy, Environment and Tourism Government of Azores


INTERNACIONAL

Exposição de fotografia no Queen Elizabeth Park Cultural Centre, Oakville-Ontário, Canadá, acolheu mais de 150 mil visitantes de Setembro a Dezembro de 2017. Fotógrafos Davide Sousa, Jaime deBrum e Pedro Silva presentes na abertura.

Festival Cordas destacado na Folk Alliance International (Kansas City, EUA) e Terry Costa participou na conferência mundial.

Parceria de cooperação e promoção com Israel Port assinada na Polónia (Outubro 2017).

Calendário 2018 Medicontur, na Hungria, é distribuído por centenas de gabinetes de médicos do país; as 12 imagens dos Açores (Pico, Faial, Flores e São Miguel) são do fotógrafo Gábor Takács (Residência Artística com MiratecArts em 2017).

Depois de conseguir TOP 10 na lista de Melhor Novo Festival no Iberian Awards 2017, Festival Cordas é nomeado em três categorias, anunciadas em Barcelona, Março 2018: Best Small Festival, Best Line-Up, Best Touristic Promotion.


INTERNACIONAL

Construindo mais uma ponte entre os arquipélagos de Cabo Verde e Açores (Abril 2018) com participação no Atlantic Music Week, Terry Costa encontra com maior produtor musical caboverdiano José Silva.

MiratecArts acolhe durante o Azores Fringe (Junho 2018) artista representante do Egipto, país #59 dos mais de 120 países que já propuseram trabalhar com a associação. Fotógrafo galardoado, Ahmed Mosaad, percorreu várias ilhas dos Açores.

Participação no World Bodypainting Festival, Áustria (Julho 2018), colocou Portugal em #15 de mais de 50 países participantes. Parabéns artista Vitor Oliveira.


mais de 120 países a comunicar nos primeiros 6 anos ½ÅӖߥ€¾ģĤĢŒÅä¾ßÓ¨–׌Ž½ä¾¨Œ€ß¨¾ ¨¾ߥ–đÓ×ßĨõ–€Ó×

AZORES - PORTUGAL


We are in Pico island, Azores. Between the center of Candelária and Mirateca localities, one can find MiratecArts Galeria Costa. A kilometre of art between the vinyards, bush and local forest: instalations, murals, sculpture and some points of interest with the objective to develop art in nature. It´s an experimentation field, and an experience you do not want to miss. pode visitar quando deseja - visit as you wish por favor respeite a propriedade - please respect the property visitas guiadas podem ser marcadas - 963 639 996 - to book guided tours www.mirateca.com

Projeto Saudade por Inês Ribeiro, Davide Sousa Photography

Estamos na ilha do Pico, Açores. Entre o centro da Freguesia da Candelária e o local da Mirateca, encontra-se a MiratecArts Galeria Costa. Um quilómetro de arte entre a paisagem da cultura da vinha, arbustos e floresta: instalações, pinturas, esculturas e locais de interesse com o objetivo de desenvolvimento de arte na natureza. É um campo de experimentação, e uma experiência que não queres perder.


MADALENA

PICO

Rocha Roxa A Luz da Montanha Mountain´s Light

LAJES

Vimeiro Willow Field

N

Mundo das Tillandsias Tillandsias World

Paisagem da Ilha: Pico

Clayjelly

Whales on Ladders Baleias em Escadas

MADALENA Candelária

A Quinta The Farm Vista das Janelas Windows View Caminho do Girassol Sunflower Route Cemitério de Recordações Memories Cemetery

Por favor não sentar please do not sit Gigante Adormecido Sleeping Giant & Jardim do Chá Tea Garden

Intervenção Intervention

O Altar The Altar

meninas do José Joe’s girls

A Gruta do Cagarro Cory’s Shearwater Cave Utopia Pessoal

OCEANO ATLÂNTICO ATLANTIC OCEAN

+/-500m Trilho ao Mar Trail to the Sea A Árvore Rosa Pink Tree Laje The Rocky Beach

O Pescador The Fisherman Tás có olho

Entrada | Entrance House 38°27'32.0"N 28°30'41.3"W

Roteiro de Instalações Artísticas - Artistic Instalations Route Locais de Interesse - Points of Interest

Mirateca LAJES

Floresta Musical Musical Forest Não me esqueças na Banheira Forget me not in the Tub Magia da Montanha Sentar dos sonhos Sitting Dreams

Cantinho das Suculentas Sucullents Corner

My Own Private Blue Wall Anfiteatro Lucky 7 Telhado Diversidade Diversity Roof Os Barris The Barrels

A Saia da Barrica Barrel’s Skirt Muro dos Desejos Wishing Wall


12 quarta

www.festivalcordas.com

artista em residência

Andreia Sousa é natural de São Miguel, onde desenvolve as suas criações artísticas. Auto-didata, dedica a sua vida à criação artística, procurando testar e desenvolver novas técnicas, suportes e materiais. Licenciou-se em Psicologia em 2016, tendo desde então tido como foco principal do seu trabalho o ser humano e as emoções, exprimindo-se maioritariamente através da pintura. AndreiaSousaArts

exposição pintura

18h Atlântico Teahouse 21h Auditório da Madalena

exposição pintura workshops pintura ao vivo conversa pesquisa instalação

WORLD MUSIC FESTIVAL

Andreia Sousa

12 a 16 SET 2018 festival de músicas do mundo Pico - Açores


quarta

concertos

Bandolim, Guitarra

www.festivalcordas.com

12

The opening of the third edition of the Cordas World Music Festival presents Pico island´s musical duo, Half Step Down: Ynot Silveira (vocals and guitar) and Wilson Medina (mandolin). In the Auditorium of Madalena we travel to the Canary Islands to meet the Timple, the typical instrument from the Spanish archipelago, with musicians Germán López and Beselch Rodrígues, accompanied on guitar by Marco del Castillo.

Timples 21h00 Auditório da Madalena Half Step Down: Wilson Medina, Tony Silveira

A abertura da terceira edição do Festival Cordas apresenta o duo musical da ilha do Pico, Half Step Down: Ynot Silveira (voz e violão) e Wilson Medina (bandolim). No Auditório da Madalena viajamos até às Canárias para conhecer o Timple, o instrumento típico originário do arquipélago espanhol, pelas mãos dos músicos Germán López e Beselch Rodrígues, acompanhados na guitarra por Marco del Castillo.

21h30 Auditório da Madalena Marco del Castillo | Beselch Rodríguez | Germán López

WORLD MUSIC FESTIVAL


concertos Na hora do almoço convidamos a se juntarem para um recital especial; depois, ao final da tarde vamos ao centro da terra e à noite a vila baleeira recebe mais uma estreia para as nossas audiências.

13 quinta

At lunchtime we invite you to join us for a special recital; then, at the end of the afternoon we go to the center of the earth and at night the whaling village receives another debut for our audiences.

www.festivalcordas.com

12h30 Museu do Vinho Carolina Umbelino

Com um repertório brasileiro e as suas interseções com a música herdada da península ibérica, Carolina Umbelino apresenta a Rabeca, um instrumento árabe e que em Portugal e no Brasil é o nome aplicado aos instrumentos de corda friccionada com arco.

Guitarra Clássica

Resonator Guitar

Rabeca

18h Gruta das Torres Pieter Adriaans

A guitarra ressonante do holandês Pieter Adriaans, produz som através da condução de vibrações de cordas da ponte para um ou mais cones de metal fiado.

21h30 Museu dos Baleeiros Rogério Cardoso Pires

O músico português Rogério Cardoso Pires, apresenta o seu novo CD, Bagatelas, em guitarra clássica, e promete ser um concerto intimista recheado de surpresas.


sexta

concertos Na hora do almoço convidamos a se juntarem para um recital especial; depois, ao final da tarde vamos ao centro da terra. A noite é reservada para conferência com conversa entre artistas no emblemático Cella Bar.

At lunchtime we invite you to join us for a special recital; then, at the end of the afternoon we go to the center of the earth. The night is reserved for conference and talk time with artists at the emblematic Cella Bar.

Guitarras

12h30 Museu do Vinho João da Ilha

Firmando a língua portuguesa e integrando diversas influências que culminam numa sonoridade acústica, calma e sobretudo viajante, a "música do Atlântico" de João da Ilha é apresentada com várias guitarras.

Gretsch Electromatic

www.festivalcordas.com

14

18h Gruta das Torres Bruno da Rosa

O músico picuense Bruno da Rosa apresenta-se como cantautor com uma guitarra Gretsch eletromatic no maior tubo lávico de Portugal.


www.festivalcordas.com

Viola da Terra

concertos

Kantele

18h Galeria A Brasa Rafael Carvalho - 9 Ilhas 2 Corações CD, exposição, conversa

Depois de um dia de improvisação e conferência, convidamos o público a se juntar a um recital diferente na Galeria A Brasa. Apresentando o trabalho de escrita do professor e músico Rafael Carvalho, assim como fotografia de José Feliciano, enquanto o artista apresenta-nos seu novo CD de músicas na Viola da Terra. After a long day of improvisation and conference, we invite the public to join for a different type o recital at Galeria A Brasa. Here we will discover the writings of professor and musician Rafael Carvalho, as well as photography by José Feliciano, while the artist presents his new CD, all about the traditional azorean Viola da Terra.

21h30 Auditório da Madalena

No Auditório da Madalena encerramos a noite de sábado apresentando a estreia de Maija Kauhanen em terras portuguesas e o instrumento tradicional finlandês, o Kantele. We end the saturday night at the Madalena Auditorium with the Portugal debut of Maija Kauhanen and the presentation of Finland traditional instrument, Kantele.

15 sábado


16 domingo

concertos A tarde na MiratecArts Galeria Costa começa pelas 14h com provas de vinho do nosso parceiro Picowines. A música inicia pelas 15h com uma viagem pela propriedade. Sugerimos calçado de caminhada, confortável, pois estamos ao ar-livre e entre vinhas e floresta - um aventura musical a não perder.

The afternoon at MiratecArts Galeria Costa begins at 2pm with wine tastings from our partner Picowines. Music starts at 3pm with a trip around the estate. We suggest comfortable walking shoes, as we are outdoors and among vineyards and forest - a musical adventure not to be missed.

www.festivalcordas.com Bandolim, Viola, Violão

cordas da terra

15h Galeria Costa Casa da Música da Candelária

15h Galeria Costa Trio da Associação dos Músicos da Ilha Branca

violas da terra

15h Galeria Costa Grupo de Tocadores de Viola da Terra de São Jorge


concertos

A Associação de Juventude Violas da Terra foi fundada a 20 de Dezembro de 2010, com o intuito de se criar uma entidade para promover, valorizar e inovar dentro da prática da Viola da Terra. A Associação é responsável por eventos como a “Orquestra de Violas da Terra”, “Conversas à Viola”, “Violas do Atlântico”, “A Viola que nos Toca” e“Encontro de Violas Açorianas”, evento anual que junta tocadores de cinco ilhas dos Açores, e que a sua apresentação oficial de 2018 acontece esta noite como encerramento da terceira edição do Festival Cordas.

www.festivalcordas.com

Violas dos Açores

21h30 Auditório da Madalena Bruno Bettencourt | José João Mendonça José "Canarinho" | Rafael Carvalho | Renato Bettencourt

16 domingo

The Violas da Terra Youth Association was founded on December 20, 2010, with the purpose of creating an entity to promote, value and innovate within the practice of Viola da Terra. The Association is responsible for events such as the "Violas da Terra Orchestra", "Conversas à Viola", "Violas do Atlântico", "A Viola que nos Toca" and "Encontro de Violas Açorianas", annual event that brings together players from five islands of the Azores, and that its official 2018 presentation takes place tonight, as the closing of the third edition of the Cordas World Music Festival.

Bruno Bettencourt (Terceira) José João Mendonça (Graciosa) Manuel "Canarinho" (Pico) Rafael Carvalho (São Miguel) Renato Bettencourt(São Jorge)


ROTEIRO DOS SORRISOS DE PEDRA SMILING STONES ROUTE Pico, Açores

"É no rosto, no olhar, no sorriso de cada um de nós que as emoções explodem, desenham e gravam as rugas das alegrias e tristezas da vida. Sorrir é comunicar sentimentos íntimos e privados, é partilhar silêncios e olhares que só o rosto pode divulgar. SORRISOS DE PEDRA pretende oferecer o enorme potencial que é o sorriso nos rostos das crianças, dos adultos e dos mais velhos..."

"It is in the face, in the eyes, in each of our smiles that emotions explode, draw and record the wrinkles of the joys and sorrows of life. Smiling is a way to communicate intimate and private feelings, a way to share silence and expressions that only the face can disclose. SMILING STONES hopes to convey the enormous potential that is the smile on the faces of children, adults and seniors..."

Helena Amaral, artista Helena Amaral, artist www.mirateca.com


35

2

33 32 31

36 3

34

ROTEIRO DOS SORRISOS DE PEDRA SMILING STONES ROUTE Pico, Açores www.mirateca.com

37

29

4-10 11

30 28

27

26

12

25 24

1

23

13 14

15

22

18 16

19

20

21

1 Casa da Montanha & Piquinho 2 Quinta das Rosas 3 Bombeiros Voluntários da Madalena 4 Alma do Pico 5 Museu do Vinho 6 MiratecArts Estádio Municipal da Madalena 7 Câmara Municipal da Madalena 8 Jardim dos Maroiços 9 Quatro Patas 10 Centro de Saúde da Madalena 11 Escola Cardeal Costa Nunes 12 Gruta das Torres 13 Casa do Missionário

14 MiratecArts Galeria Costa 15 Parque Padre Joaquim Vieira da Rosa 16 Picoartes Artesanato 17 Café Galeão 18 Parque Florestal de São João 19 Aldeia da Fonte 20 Espaço Talassa 21 Vigia da Queimada 22 Miradouro das Ribeiras 23 Matos Souto 24 Cavalariça 25 Barro & Barro 26 Miradouro da Terra Alta

27 Escola Regional de Artesanato 28 Parque Florestal da Prainha 29 Rotunda de SRP 30 Corre Água 31 Casa Preta de Fátima Madruga 32 Paim Bookhouse Gallery 33 Alto da Bonança 34 Sede do Parque Natural do Pico 35 Cachorro 36 Aeroporto do Pico 37 Oficina D´artes Manoel Costa

Atelier Helena Amaral (+351) 918 320 036

Governo dos Açores

17


quinta

Workshops

www.festivalcordas.com

13

14 sexta

School activities take place during the Cordas World Music Festival, thus taking the opportunity to present new instruments and remember the traditional strings of the island in a school setting. Schools may register to participate year after year, being reserved the ProSucesso day for the local highschool in Madalena. www.festivalcordas.com

workshops

quinta 13 set 2018 10h &10h30 CACCO

Vรกrios artistas

Actividades nas escolas acontecem durante o Festival Cordas, assim levando a oportunidade de apresentar novos instrumentos e recordar as cordas tradicionais da ilha no meio escolar. Escolas registam-se para participar ano apรณs ano, sendo reservado para a Escola Cardeal Costa Nunes o dia do ProSucesso.

sexta 14 set 2018

10h Escola Cardeal Costa Nunes Vรกrios artistas

WORLD MUSIC FESTIVAL


14

15

sexta

16

sábado

domingo

conferência Sexta à noite a conversa com artistas acontece no Cella Bar; sábado à tarde no Caffé 5 Cinq; domingo ao jantar na Atlântico Teahouse. Marque sua mesa nestes locais emblemáticos na vila da Madalena, e garanta a oportunidade de conhecer artistas participantes no festival. Participe na conversa que nos faz crescer e desenvolver este projeto para todos nós.

Friday night the conversation with artists happens at Cella Bar; Saturday afternoon at Caffé 5 Cinq; Sunday dinner at the Atlantic Teahouse. Book your table in these emblematic places in the town of Madalena, and guarantee the opportunity to meet festival participating artists. Participate in the conversation that makes us grow and develop this project for us all.

www.festivalcordas.com www.festivalcordas.com

conversa de artistas

www.festivalcordas.com

Talk Xperiencia

Diálogo Dia da Viola

WORLD MUSIC FESTIVAL

sexta 14 set 2018 19h30 Cella Bar

Vários artistas

domingo 16 set 2018

sábado 15 set 2018

19h Atlântico Teahouse

14h Caffé 5 Cinq

Vários artistas

Vários artistas


www.festivalcordas.com

Improv Cordas

sábado 15 set 2018 11h30 Lagoa do Capitão

Vários músicos

É uma nova experiência para todos nós: organizadores, artistas participantes e audiência. Não se sabe o que vai acontecer. Um final de manhã com improvisação ao ar-livre num cenário inconfundível, a paisagem da Lagoa do Capitão (Azores TOP10), um dos locais mais visitados pelos turistas à nossa ilha montanha. Sendo assim, convidamos toda a população para aventurar connosco e fazer parte de algo único - só se pode sentir quando se faz parte do momento. It is a new experience for all of us: organizers, participating artists and audience. No one knows what will happen. An end of morning with improvisation in open-air on an unmistakable setting, the scenery of Captain's Lagoon (Azores TOP10), one of the most visited places by tourists to our mountain island. Therefore, we invite you all to venture with us and be part of something unique you can only feel it, when you are a part of the moment.

ival

ww

st w.fe

.com

as cord


>>> OPORTUNIDADES DE PARTICIPAÇÃO www.mirateca.com

o festival de artes em casas rurais

Montanha Pico Festival O mês de janeiro acolhe o festival de artes de inverno a celebrar a temática de montanha. Por toda a ilha, haverá mostra de arte, de cinema, encontros de artistas e o Chá na Casa da Montanha do Pico onde se acolhe o público de todas as idades. Propostas de arte e aventura na temática de cultura montanhosa são bem vindas. The festival welcomes proposals for art and adventure in the mountain culture theme.

Azores Fringe Festival O festival internacional de artes acontece durante o mês de junho por todo o arquipélago. Artistas fazem proposta de desenvolvimento, pesquisa, apresentação ou criação. Tudo relacionado com a cultura artística é bem vindo. Esta é uma grande oportunidade para experimentar algo novo ou mesmo arriscar mais com a sua arte. Vamos ao Fringe! All artistic proposals welcome through the application available online.

Cordas World Music Festival Cordas é uma semana de eventos com e sobre instrumentos de corda na vila da Madalena. O festival acontece no início do ano escolar, setembro, com vindimas e folgueios. Artistas a solo, duetos, trios e bandas, compostas 100% de instrumentos de corda, são bem vindos a participar. String music proposals welcome from solo, duos, trios and bands that are 100% string instruments.

AnimaPIX O festival de animação do Pico aceita propostas de filmes de animação para todas as idades. AnimaPIX acontece em dezembro nas escolas da ilha e em salas para público em geral. Animation festival welcomes proposals for programing that caters to school children and general audiences.

ROTEIRO DE ARTE PÚBLICA PUBLIC ART ROUTE

Casa da Música da Candelária Saudade Jardim Saudade pretende inspirar a criatividade através da planta florífera scabiosa. Este espaço, na freguesia da Candelária, Pico, abre as portas a quem quer aprender e a quem quer partilhar os seus Saudade Garden wishes to inspire creative projects about the scabiosa family of flowering plants. conhecimentos musicais, em especial instrumentos de corda. Grupo de Cordas Ilha Negra, Fado Ilhéu, Grupo de Violas e o Grupo de Chamarrita são alguns dos projetos aqui iniciados que já tem tido saída para outros públicos.

Projeto Tricô: A criação de trabalhos artísticos através da arte do tricô acolhe pessoas de todas as idades interessadas em ensinar, aprender, partilhar e conviver. The creation of artistic projects through the art of knitting.

Plataforma de promoção de artistas açorianos. Se és artista açoriano, ou a viver nas ilhas dos Açores, és bem vindo a te inscrever no www.discoverazores.eu Promotional platform for Azorean artists.

Proud to be Portuguese Canadian & Clube de Amizade Oakville-Madalena Friendship Club Estes projetos incentivam o intercâmbio entre o Canadá e os Açores e vice-versa. These projects incentivate exchanges Canada-Azores and Azores-Canada.

Artistas Lusos Plataforma de promoção de artistas portugueses e luso-descendentes pelo mundo. www.artistaslusos.net Promotional platform for Portuguese and Luso-descendant artists around the world.


Músico | Professor

Viola da Terra - Açores

962 835 431

r_c_carvalho@hotmail.com

www.violadaterra.webs.com

Livros | Books

Álbuns | Albums Rafael Carvalho


“Bons Anos e Anos Bons” História, histórias, características, contextos, intervenientes, simbologia, eventos, diferenças, semelhanças, são tudo informações que importa dar a conhecer, divulgar e debater. Quem me conhece e ao trabalho que desenvolvo sabe que o meu principal objectivo como formador, palestrante, ou em cima dos palcos que percorro é, sempre, de explicar e transmitir o que sei, o que pesquiso e o que vou aprendendo sobre a Viola, nos Açores e não só, procurando desmistificar preconceitos, aproximar diferentes realidades e contextos culturais, e realçar a riqueza da nossa diversidade quando tantos fazem disso motivo de separação. Partilhar, questionar, aprender e ensinar um instrumento que não se ensinava... aprendia-se! É difícil de aprender? Os jovens não se interessam? Antigamente é que era! Tudo comentários que ouço, ouvimos, frequentemente, frases que já se repetiam no passado e, provavelmente, se irão repercutir no tempo, mas que, em nada contribuem para a valorização do que é nosso. Pelo contrário, afastam as pessoas e destroem o entusiasmo de quem se quer aproximar da Viola bem como de quem quer fazer dela parte viva e integrante do nosso dia-a-dia. Acima de tudo o mais importante é que se fale, toque, divulgue e se aprecie a Nossa Viola.

Respeitar o passado, beber da essência deixada pelos velhos mestres e, como eles também o fizeram no seu tempo, trazer o nosso cunho pessoal para o que tocamos e garantir a continuidade para as gerações vindouras. Somos 9 Ilhas, temos 9 formas de ver e viver a Viola: De 12 cordas, de 15 cordas, com 2 ou 3 corações, abertura circular, abertura em forma de sinos, cravelhas de madeira, cravelhas metálicas, cabeça em leque, com espelho, sem espelho, toque com polegar, toque rasgado, toque com indicador, com embutidos em contorno de lira, flor-de-lis, pássaros, coroa do Espírito Santo, Açor... O limite para a nossa diversidade só existirá quando deixarmos de sonhar, quando deixarmos de criar. “9 Ilhas 2 Corações” é o nome que escolhi para esta rubrica, Não têm de ser os 2 Corações da Viola. É muito mais do que isto. Corações que nos unem há séculos, mesmo quando circular entre as Ilhas era privilégio só de alguns, mas em que o bater do pé nos temas mais picadinhos e que convidavam ao baile, ou o aperto forte no peito de quem escutava as “Saudades” era igual. Fosse na Ribeira Quente, fosse na Almagreira, fosse na Fajã Grande ou nos Biscoitos, o Tanger da Viola despertava os mesmos sentimentos... O Tanger da Viola sempre uniu os Açorianos.


“Da viola, suas cordas e seus nomes” A Viola tocada nos Açores é um instrumento com a caixa em forma de “8”, com tampo harmónico paralelo às costas, sendo constituída por 12 cordas. Estas 12 cordas são dispostas em 5 ordens (parcelas) sendo a 1a, 2a e 3a ordem dupla e a 4a e 5a ordem tripla (do som do mais agudo para o mais grave: da 1a corda de baixo para a última corda de cima). Esta pormenorização toda, que é muito usada na linguagem musical, pode ser confusa por ser pouco conhecida do público em geral. Tentando simplificar isto quer dizer o seguinte: quando em comparação, por exemplo com um “Violão”, mais conhecido de todos, este tem 6 cordas e a cada corda corresponde uma ordem simples. 6 cordas = 6 ordens de cordas uma vez que cada corda é tocada/pressionada individualmente. No caso da Viola da Terra sempre que se pressiona uma ordem de cordas estamos a pressionar, em simultâneo, 2 cordas (ordens duplas) ou a pressionar 3 cordas, (ordens triplas). Daqui que tenhamos um instrumento com 12 cordas, mas divididas em 5 ordens (fig.1)

Ilustração de Luís Cardoso in “Método para Viola da Terra - Iniciação”

No entanto, no caso da ilha Terceira, temos uma excepção a estas características uma vez que a Viola que hoje mais se toca naquela Ilha é a Viola de 15 cordas: Viola de 6 ordens. Temos, neste caso, um instrumento que tem a 1a, 2a e 3a ordem dupla e a 4a, 5a e 6a ordem tripla. Esta Viola também ocorre, pontualmente, nas Ilhas Graciosa e de São Jorge. Apesar de haver exemplares e indícios da sua existência no passado a Viola de 12 cordas na Ilha Terceira é, hoje, um instrumento que quase não se toca, exceptuando um ou outro tocador mais resiliente. Apresentadas algumas das características mais identificativas do Instrumento gostaria de abordar, numa segunda parte desta rubrica, os nomes por que é conhecido.


Nos tempos mais antigos as nossas Violas eram apenas chamadas de Violas. Sem distinções por Regiões nem pelas suas diferentes características. De Norte a Sul do País e nos seus dois Arquipélagos tocava-se a Viola. Com o passar dos tempos a nossa Viola passou a chamar-se de “Viola de Arame”. Ganhou esse nome por as suas cordas serem de Arame. A título de exemplo, nas recolhas do Professor Artur Santos nos Açores, na década de 50 e 60, vem sempre referido o executante como tocador de “Viola de Arame”. Não só ele como outros investigadores referiram-se assim à Viola tocada nos Açores e em todo o território Português.

Entretanto, com a necessidade de se identificar de modo mais imediato as Violas em cada Região, definiram-se nomes por que passaram a ser conhecidas as Violas: Viola Braguesa, Viola Beiroa, Viola Toeira, Viola Amarantina, Viola Campaniça, Viola de Arame Madeirense e, no caso dos Açores, Viola da Terra. Esta família de 7 Violas de Arame Portuguesas (podendo haver outros nomes utilizados em cada Região) é a que é mais conhecida e de certo modo aceite pelos que tocam, investigam e escrevem sobre a Viola em Portugal. No caso dos Açores o nome de Viola da Terra é o que prevaleceu e é o mais conhecido de todos. No entanto, há quem chame o instrumento de Viola Regional, Viola Açoriana, Viola Terceirense (no caso da Viola de 15 Cordas) e, ainda, de Viola de Dois Corações, podendo haver ainda mais designações utilizadas. “A Viola e o convívio” Fazendo uma pequena pausa sobre a explicação das características físicas da nossa Viola, acho importante contextualizar a mesma, por ser o instrumento que impulsionava o convívio entre as pessoas. Em momentos de apresentação musical gosto sempre de falar um pouco desta vertente da Viola e da forma como esta fazia as Comunidades envolverem-se. Com esta ideia em mente e, com o auxílio de 3 testemunhos que encontrei em livros, espero conseguir ajudar-vos a visualizar essa realidade. Um dos textos mais bonitos que já li sobre a Viola, é de Dias de Melo, no seu livro “Pedras Negras”. Não sendo possível transcrever todo o texto, faço uma pequena sinopse da narrativa que culmina num Capítulo intitulado: “Noite do Casamento. Folguedos, Latas, Violas e Cantigas”. A história principal é a de um jovem que abandona a Ilha do Pico dando “o salto” numa Baleeira. Seguiram-se anos de muita fome, muito esforço, sofrimentos, desgostos e trabalho duro. Um dia ele regressa a casa, já melhor da vida e para se casar. No dia em que o filho partiu o pai arrumou a Viola e a família “entrou de luto”. Nunca mais tocou Viola, nunca mais se cantou nem bailou naquela casa. No entanto, com o regresso do filho, na altura da festa do casamento e com todos querendo bailar, imediatamente, o pai decidiu encordoar a Viola, “sacudiu o pó e as teias de aranha (...) e, de olhos em brasa, rasgava estridente a chamarrita: chamarrita nova, chamarrita velha, chamarrita de cima, chamarrita de baixo e mais a do meio e a choradinha...”


Outra crónica, que faz parte do livro “Summer in the Azores with a Glimpse of Madeira”, de C.Alice Baker, de 1882, intitulada “A Ball in the Furnas”, descreve uma noite de baile nas Furnas. Os visitantes queriam experienciar um baile e acabaram por conseguir assistir a um. Descreve-se que estava a haver alguma demora e começou a circular a piada de que o tocador levava sempre 3 meses a vestir-se para um baile. Acabou por chegar o tocador, cantando, tocando, mais bem vestido do que todos os restantes. Assim que entrou em casa logo os homens se colocaram atrás dele até formarem uma roda à qual se juntaram as mulheres. Assim estiveram a cantar e dançar, ao ritmo da Viola, em quadras quase sempre improvisadas. Um outro grande apaixonado pela Viola era o Tenente Francisco José Dias. No seu livro “Cantigas do Povo dos Açores” há um trabalho único na recolha de temas com a transcrição para voz e viola. Ele dedica vários Capítulos a falar sobre a Viola referindo-a como “a mola real a incentivar à folgança; a companhia mais intima dos ranchos (...) A Viola era o chamariz”. No Capítulo “Festas do Menino Jesus” ele faz uma narrativa deliciosa sobre um momento de Serão e Convívio que seria, certamente, o espelho de muitas freguesias por todo o Arquipélago. Refere as moças sentadas no quarto e a mães nas cadeiras por detrás delas. Os jovens na rua, com os pais, por falta de espaço no quarto e, mesmo nas noites frias, com o coração quente pela expectativa de bailarem com a rapariga que tinham “em vista”. Os tocadores chegavam, “importantes, cheios de presunção, com os instrumentos levantados no ar p’ra dar nas vistas...”. Depois passavam à afinação, demorada, de modo propositado, para fazerem render a expectativa e a atenção dos presentes. Toda a gente aguarda, sem conseguir conter o entusiasmo e a ansiedade de começar o bailarico. A horas tantas, quando o tocador decidiu, finalmente, que a Viola estava afinada, começaram então a formar-se os pares, os rapazes e raparigas solteiras e formar a roda e depois os casados para completar. Depois... depois bailava-se toda a noite, cantava-se, sorria-se. Mas, sem a Viola, como fariam aqueles rapazes e aquelas raparigas para estarem juntos, para encostar uma mão, para uns sussurros malandros entre o derriço da noite?


EXPOSIÇÃO Textos por Rafael Carvalho José Feliciano Photography

Galeria A Brasa A Brasa Restaurante (adjacente Hotel Caravelas)

até 30 de setembro 2018

sculpture * installations * land-art PICO ISLAND * AZORES

proposals accepted until november 1st

www.mirateca.com


ComunicarAtitude , Lda.®

RNAVT: 4313

www.fontetravel.com +351 292 679 505 info@fontetravel.com

Destiny Management Company (DMC) specialized in the Triangle, The Azores, a cluster of three islands: Fayal, Pico and São Jorge. Agência local especializada na oferta turística do Triângulo: Faial, Pico e São Jorge.


Encontramos mais de 30 moinhos, re-construídos ou em ruínas, a dar a volta à ilha do Pico. Cada vez mais é necessário dar o valor e vida a estas obras de arte que deliciam o olhar de quem as encontra.

Fotografia by Pedro Silva design ciberpico

There are more than 30 windmills, reconstructed or in ruins, around the island of Pico. Nowadays, it´s important and necessary to give more value to these pieces of art that enchant anyone who sees them.

www.mirateca.com


moinho ruĂ­nas

www.mirateca.com


01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

No Mundo da Lula, 2015 Verónica Melo (S. Miguel, Açores) Nascentes de Lava, 2014 Djervy (Pico, Açores)

Música nos Corações, 2015 Ana Paxeco (Lisboa, Portugal) A cor do talento, 2013 Djervy (Pico, Açores)

The Last Atlantean, 2015 Guilherme Gamito (Alentejo, Portugal) Quem me dera, 2015 Colectivo Nora (Águeda, Portugal) Paths, 2015 Paulo Ávila Sousa (Terceira, Açores) La Muse Bleu... l’amuse bleu, 2013 Carlos Farinha (França-Portugal) Guardião da Montanha, 2015 Rocio Matosas (Uruguai) Flora Azorica, 2015 Rocio Matosas (Uruguai)

A Picarota, 2014 Carlos Farinha (França-Portugal) Sorrisos de Pedra, 2015 Helena Amaral (Pico, Açores) Waiting for Camille, 2014 Luís Brum (Terceira, Açores) Portugal 2, 2015 Duarte Neves (Pico, Açores) A Travessia do Canal, 2013 Inês Ribeiro (Leiria) e C.A.O. (Pico)

16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

“Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria”, 2013 Ruben Ferreira (Pico, Açores) Baco, 2014 Rocio Matosas (Uruguai) Titans do Mar, 2014 Luís Brum (Terceira, Açores) Ária de Fogo, 2015 Zara Diniz (Toronto, Canadá) Coletivo, 2015 Encontro de Ilustradores (vários) uma memória de som e mar, 2015 Sérgio Sequeira (Lisboa, Portugal) Choose your plate, 2015 Daniela Melo (São Miguel, Açores) Paisagem no Mar, 2015 Inês Ribeiro (Leiria-Açores) Vento Diatónico, 2015 Elena Valsecchi (Itália) e Laurent Geoffroy (França) Dea Della Montagna, 2015 Enea Mangili (Itália-Suíça) Pico Poseidonis, 2015 Mercé de Rande (Galicia) Polvo Tricrochet, 2015 50 mulheres participantes (Pico a Paris) Os Picarotos, 2015 Teresa Rego (Porto, Portugal)

29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41

Encontro, 2015 Paulo Neves (Porto, Portugal) The Farm, 2015 Sancho C (Pico, Açores) Projeto CiênciArte, 2016 Alunos da E. C. C. N. (Pico, Açores)

Nature Drops, 2016 Martim Cymbron (São Miguel, Açores) Adventure Time, 2016 NAVI (São Miguel, Açores) Pescando com Coração, 2016 Kas Art (Bélgica/Portugal) The Wave, 2016 Tse (Bulgária) Rabo de Baleia, 2016 Djervy (Pico, Açores) a long time ago..., 2017 Filipe Gomes (Pico, Açores) A Dream, 2017 Tse (Bulgária) Mãe Terra, 2017 Rocio Matosas (Uruguai) Stay Humble Human, 2017 NAVI (São Miguel, Açores) Gilberto Mariano, 2017 Rui Goulart (Pico, Açores)


mapa não à escala | map not to scale

BVM

30

Quinta das Rosas (~3km)

12 BARCA

29

www.mirateca.com

FOTO_GALERIA

12

34

5 39 40 14 6-13 33

32

28 18

12

17 minibela Av. Machado Serpa 16

galeria a brasa

27

4

38 35 41

15

31

19

2 37

20-26 CellaBar Rádio Pico

3

Museu do Vinho Adega das Artes

Miratecarts (Estádio Municipal)

Bombeiros Voluntários

Auditório e Biblioteca

Centro de Formação Artística

Câmara Municipal da Madalena Casa do Povo

Fotopico

36

AREIA LARGA

Jornal Ilha Maior Caffe Cinq

1

PIX Apartments

Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico

Jardim dos Maroiços Escola Cardeal Costa Nunes Ancoradouro

Centro de Saúde O Petisca Atlântico Teahouse


Profile for MiratecArts

Revista MiratecArts #16 Festival Cordas 2018  

Revista MiratecArts #16 Festival Cordas 2018 www.festivalcordas.com 9 ilhas 2 corações por Rafael Carvalho #europeforculture Mensagem da Se...

Revista MiratecArts #16 Festival Cordas 2018  

Revista MiratecArts #16 Festival Cordas 2018 www.festivalcordas.com 9 ilhas 2 corações por Rafael Carvalho #europeforculture Mensagem da Se...

Advertisement