Page 1

A Matilha de Brac 05

Os O l hos de S t o rmy Quando Stormy Wishfall é enviado em uma missão pelo seu alfa, ele não esperava descobrir dois jovens asiáticos escondidos em um barco com medo pelas suas vidas. Ele definitivamente não estava esperando por um deles ser seu Companheiro. Depois de encontrar os raptores dos rapazes, o alfa elabora um plano para resgatar os outros três homens que foram sequestrados junto com seu companheiro Kyoshi e seu primo Keata, então a matilha tem de se unir para conter uma quadrilha de tráfico humano antes de mais vidas inocentes se destruírem. Entretanto, Kyoshi deve chegar a termos com sua nova vida. Stormy procura uma maneira de convencer o cínico humano que estão destinados a amar um ao outro, mas algo escondido lá no fundo de Kyoshi está forçando sua saída. São estes dois homens tão diferentes como acreditam, ou eles podem encontrar uma maneira de partilhar as suas vidas? Nota da Revisora : Os diálogos de Keata que estão em negrito são para salientar sua má pronuncia do idioma – Quando não estão em negrito, Keata está


A Matilha de Brac 05 falando em japonês. Nota da Revisora

: Tigres Xiamem . Espécie de tigres que estão quase

extintos, são originários do sul da china. Nota da Revisora

: Shifter: Espécie de transmorfo ( homem que se

transforma em um animal)

Prólogo

Kyoshi se amontoou perto de seu primo quando a porta da caixa de carga oscilou abrindo-se, a luz cegando-o depois de dias de escuridão. Juntamente com o seu primo, havia três outros homens com ele. Eles choramingaram enquanto foram levantados e retirados para fora. Kyoshi pisou na frente de Keata. Ele não permitiria que qualquer um desses homens prejudicasse seu primo. — Leve-os para a van. — Um americano de aparência rude arrancou a outros três homens fora da caixa. Kyoshi foi tomado de medo se perguntando por que ele e Keata foram separados dos demais.


A Matilha de Brac 05 Keata segurou as costas da sua camisa, tremendo incontrolavelmente. Um gemido escapou dos lábios de seu primo, seu aperto crescendo mais forte. Kyoshi alcançou em suas costas, apertando a mão de Keata, tentando dar-lhe algum tipo pequeno de conforto. Ser sequestrado nas ruas do Japão foi terrível. Os sequestradores não tinham ideia que Kyoshi falava fluentemente o idioma deles. Falaram como se os cinco homens não entenderiam sequer uma palavra. Eles falaram sobre como o cinco eram para ser vendidos, e como os compradores já estavam escolhidos. Kyoshi sabia que a cada ano, milhões de pessoas foram traficadas e vendidas para o lucro de pessoas gananciosas que cuidavam de nada além de dinheiro e poder, mas ele nunca pensou que ele ou seu primo seria uma parte disso. O pensamento de que seu mundo que já não existia, que ele e seu primo estavam para se tornarem escravos de sexo por algum pervertido cerrou os músculos de seu estômago. Ele tinha que manter a cabeça fria para tentar manter seu primo seguro. — Quero esses dois para meu uso pessoal. — O feio americano apontou para um barco grande e mandou o cara gordo colocar Kyoshi e Keata em seus aposentos. Kyoshi lutou contra o homem gordo, que tentava desesperadamente salvá-lo e a seu primo. Ele tinha apenas 1.58 m, e nem um músculo nele, mas o medo tremendo o fez lutar por suas vidas. O homem gordo bateu em Kyoshi e ameaçou matar Keata se ele não se comportasse. O homem feio que deveria ser o chefe riu, puxando o queixo de Kyoshi para analisar seu rosto. Sob os dedos de salsicha, a pele de Kyoshi queimou com o desgosto. Sabendo que ele não tinha escolha, Kyoshi cedeu. Quando se aproximaram do barco grande, Kyoshi mordeu o homem, arrancando a carne de seu braço, e lutou como um homem enlouquecido. O americano uivou dor e liberou Kyoshi. Agarrando Keata, ele fugiu. Ele não tinha ideia onde eles estavam. Este era um


A Matilha de Brac 05 país estrangeiro, um lugar que nunca tinha estado antes, mas mesmo saltar para a água e risco de afogamento era melhor do que o que os esperava se eles fossem capturados. Keata gritou enquanto corria atrás de Kyoshi, pelo que sabia, seu primo não tinha ideia do que estava acontecendo. Kyoshi apertou mais a mão de Keata enquanto ele tecia sua fuga ao longo do cais. Devia haver algum lugar onde eles pudessem se esconder. Receoso de ser apanhado, e de que os americanos começarem a se aproximar deles, Kyoshi puxou Keata quando ele pulou para o barco mais próximo deles. Ele pegou a lona no chão, empurrando o seu primo para o chão enquanto engatinhava próximo a ele, cobrindo seus corpos e rezando não ter saltado de uma bagunça para outra. Ele rezou para que, a quem pertencesse este pequeno barco não tivessem nada com os americanos ruins. — Descanse um pouco. — Kyoshi puxou o pequeno primo em seus braços enquanto esperavam por um milagre.

Capítulo Um


A Matilha de Brac 05

— Eu preciso que você vá até a marina. Há um pescador lá que tem algumas informações que eu preciso. — O Alfa Maverick falou com ele, jogando um envelope em cima da mesa, esperando Stormy agarrá-lo. — O que há no envelope? Eu sinto como se estivesse na máfia. — Stormy pegou e começou a abrir o envelope. — Não. Não é para você abrir. Dá isso à Paul. Ele saberá o que fazer. Espere primeiro ele lhe dar a informação. Stormy encolheu os ombros quando se dirigia para fora para sua picape. Ele precisava de um maldito anel decodificador para entender o seu Alfa às vezes. Stormy se aproximou de sua picape, abriu a porta e subiu dentro, ele sentouse por um instante, lembrando-se da última vez que o seu Alfa agiu esquisitamente. O Alfa Maverick tinha enviado seu Beta Kota fora em uma missão. O lobo tinha viajado quatro estados longe para procurar alguém, só para descobrir depois que Maverick tinha enviado em uma missão simulada. Mas no fim, o resultado foi que Kota encontrou seu Companheiro. Alfa Maverick tinha dito a um seleto pequeno grupo que, depois de que ele reivindicou seu Companheiro Cecil, ele estava tendo sonhos. Esse sonho fez Maverick enviar Kota em seu caminho. Stormy queria saber se este foi outro dos sonhos de Maverick. O Alfa não tinha contado sobre o sonho de Kota até depois de o Beta ter retornado para casa. Maverick disse que o sonho o balançou e não mencionou nada para mandar Kota ir para onde ele precisava estar sob um disfarce de busca por alguém. Era esta a mesma coisa? Por mais tentador que era abrir o envelope, Stormy sabia que ele não iria contra a ordem do Alfa. Ele teria apenas que ir até a marina e descobrir o que se tratava. O pensamento de achar seu companheiro fez seu coração disparar. Ele ligou o motor, e puxou a picape para fora do estacionamento de cascalho e para a estrada pavimentada.


A Matilha de Brac 05 Não demorou muito tempo, somente quinze minutos. Os lobos não viviam longe da cidade. A propriedade em que a Matilha residia era abrigado no fundo da floresta fora da estrada principal do condado, mas bem escondido da vista. Eles precisavam de terra com espaço para correr livre e permitir que seus lobos patrulhassem o terreno. Sua Matilha era reduzida em comparação com as outras. Eram apenas quinze ao todo. Doze Sentinelas, um comandante, um Beta, e o Alfa. Eles tinham uma Matilha de somente lobos gays, um que Maverick formou séculos atrás quando os Alfas caçavam a cabeça de um lobo por ser gay. Graças a Deus eles viviam em um mundo mais civilizado agora. Stormy estacionou, fechando a picape. Ele desceu ao cais para o barco seis de Paul. Chamou o pescador, e esperou. Ele não seria rude em entrar quando havia uma placa de propriedade particular no barco. Ele mesmo iria ficar chateado se alguém chegasse a bordo de seu barco sem ser convidado. Se ele tivesse um. Paul veio por uma porta abaixo, pisando no píer e agitando mão de Stormy. — Fico feliz em vê-lo, Stormy . O cara era de meia-idade, cerca de quarenta e cinco com uma barba crescida, o homem parecia amigável. — Maverick me enviou. Ele me pediu para lhe dar isso. — Stormy puxou o envelope e entregou-o para o cara. Seus olhos dispararam em toda a marina, à procura de outra alma, mas eles estavam a sós. Ele cheirou o ar, mas não sentiu nada puxando-o para seu companheiro. Stormy foi discreto ao fazer isso. Paul ajudou-os de vez em quando, mas não tinha ideia que eram lobos, um segredo da Matilha que Maverick guardava perto de seu peito. Nenhum ser humano, além dos amigos, sabia que eles existiam, e eles planejaram manter dessa maneira. Menos complicado. Paul pegou o envelope oferecido, abrindo o fecho, e olhou para dentro. O


A Matilha de Brac 05 homem fechou às pressas e olhou em volta. O que? Talvez Maverick tivesse perdido a cabeça e decidiu que agora eram Mafiosos mesmo. O merdinha conseguiu fundir seu cérebro. — Siga-me. —

Paul olhou em volta mais uma vez antes de levar Stormy,

descendo a escada para sua cozinha. Stormy encostou-se à pequena mesa da cozinha enquanto Paul foi para seu quarto de dormir. Ele podia ouvir Paul falando em voz baixa e duas vozes asiáticas responderem. Sendo um lobo Madeira, ele tinha a audição excepcional, e Stormy ouviu atentamente. Paul falou:

— Eu prometo que ele não vai machucá-lo. Eu não prejudicaria

você, e não lhe deixaria mais ninguém o fazer. Uma voz com forte sotaque respondeu: — Mas ele é estranho. Eu não vou o deixar vir a prejudicar Keata . Paul de novo. — Nenhum mal virá para Keata ou você. Vá com ele. Ele é um bravo guerreiro que irá protegê-lo. A voz com sotaque respondeu. — Promete? — Eu prometo, jovem amigo. Stormy endireitou quando os ouviu se aproximando. Paul emergiu com dois jovens japoneses atrás dele. Eles pareciam assustados e... e, merda. Stormy se inclinou em um dos homens, e o cheirou intimamente, sentindo mil trovoadas batendo em cima dele. Meu. O rapaz se inclinou para trás, olhando de Paul à Stormy. Maverick o tinha enviado em uma das missões de seus sonhos. Por que o inferno não poderia seu Alfa simplesmente dizer para sair e ir buscar o seu companheiro? O que era toda essa porcaria de história de capa e espada? — Quem são eles, Paul? — Stormy tinha que saber se esse era Keata, se não, ele precisava saber qual era o nome de seu companheiro.


A Matilha de Brac 05 — Este é Keata. —

A mão de Paul tocou suavemente no ombro de um

homem. Não seu companheiro. — E este é Kyoshi . Kyoshi. O nome deu um arrepio na espinha de Stormy. Stormy sentiu-se nervoso, sabendo o quanto ele estava se contendo. Os músculos estavam travados no lugar, impedindo-o de ir para frente e dar o bote arrebatando seu companheiro em seus braços. Ele engoliu em seco, tentando adicionar umidade para sua garganta. — Quantos anos eles têm? — Stormy precisava saber com o que ele estava lidando. Será que ele teria que esperar por seu companheiro até seu jovem chegar à idade para reclamá-lo? O pensamento machucou seu cérebro, suas células rejeitando a ideia de não reivindicar o pequeno homem lhe era doloroso. — Keata tem 18 anos de idade e Kyoshi tem 19. Stormy suspirou. Ele não teria que esperar. Tudo o que tinha a fazer, era fazer Kyoshi concordar com o sexo suado e a mordida. Sim, como se não houvesse problema de humanos aceitarem um shifter. Kyoshi adiantou-se, esticando o pescoço para trás para olhar para olhos de Stormy. Stormy queria agarrá-lo e puxá-lo para cima e para reivindicá-lo ali mesmo no local. Deus, ele era tão tentador. Seu coração disparou, e seu sangue pulsou por todo seu corpo. Finalmente, depois de 170 anos, ele havia encontrado seu companheiro. A pressa era

inebriante enquanto ele olhava para os

olhos de seu

companheiro. O guerreiro lutou contra a atração. Ele iria apenas assustar o seu companheiro se deixasse seus caninos estenderem enquanto seus olhos se mudavam para vermelho.


A Matilha de Brac 05 Que diabos estava acontecendo com ele? Este sentimento emocionalmente fora de controle indo e voltando era de enlouquecer. Ele queria reivindicar seu companheiro e lhe dar espaço ao mesmo tempo. Alguém podia matá-lo agora e colocá-lo fora de sua confusão? — Seus olhos. Eles ... mudam — Kyoshi olhou para ele com uma mistura de admiração e medo. Stormy teve de fechar os olhos momentaneamente. Bastava estar com Kyoshi perto e ouvir a sua voz era arriscar a sua sanidade. Ele sabia que tinha olhos anormais, eles constantemente se agitavam e mudava de cor. Era assustador para o seu companheiro? Stormy também notou que o destino tinha um pequeno senso de humor desagradável e com ênfase na palavra pequeno. Kyoshi era menor do que o companheiro de seu comandante, Johnny. Johnny tinha 1.64 m. E Stormy tinha 2.04 m. O que merda que ele deveria fazer com esse cara? Ele tinha um desejo de colocar Kyoshi em seu colo e abraçá-lo. — Genética . — Eu não entendo essa palavra. — Kyoshi deu um passo para trás, enquanto entrelaçava sua mão com Keata, puxando-o mais perto. — Uh, Paul. São parentes, namorados ou algo assim?

— Stormy não iria

compartilhar seu companheiro. Eles pareciam confortáveis um com o outro, como outros dois lobos Sentinelas em sua matilha, Cody e Jasper. Eles não eram companheiros, mas eles com certeza agiam assim. — Primos . Graças a Deus. — Nós... vamos com você? — Kyoshi perguntou. — Sim. Vamos, rapazes. — Stormy virou a cabeça para cima, em seguida, se lembrou do pedido de Maverick. — Você tem informações para mim, Paul? — Encontrei-os se escondendo em meu barco sob uma lona. Parece os grandes e feios americanos roubaram-nos de sua casa e os trouxeram através do mar em um caixa de carga grande. Havia três outros homens com eles, mas eles foram levados em uma van branca. O americano feio queria manter esses dois para si


A Matilha de Brac 05 mesmo. Stormy rosnou. — Mercado negro? Escravos do sexo? O quê? — Não sei. Eles não sabem. Inferno, eu estou apenas feliz que eu os encontrei. Boa sorte,

Stormy.

— Paul acenou com a mão enquanto Stormy

acompanhava seu companheiro e o primo pelo convés. Ele olhou em volta dele enquanto conduzia os homens sua picape. — Eu preciso que vocês se deitem no banco. —

Stormy indicou a Keata e

Kyoshi. Stormy agachou-se. — Na traseira da minha picape. Bateu o banco de trás enquanto ele enfiava a mão na cabine. Keata adiantou-se, inclinando a cabeça todo o caminho de volta. Ele parecia irritado. — Mal Inglês. Não retardado. Stormy sorriu ao colocar os dois atrás.

— Desculpe, não quis ofendê-lo. Eu

preciso que você fique para baixo até estarmos longe do cais. Eu não quero que os americanos feios detecte qualquer um de vocês. — Entendido — Keata sorriu enquanto ele se mexia para ficar confortável. Stormy estava realmente gostando do rapaz. Seu companheiro, porém, estava muito quieto. Numa expressão que parecia cínica. O rapaz observava Stormy cautelosamente. Depois de dirigir para fora da marina de forma segura e em direção da pequena cidade em que morava, Stormy parou no estacionamento de cascalho, abrindo a porta de trás de sua picape estendida, ele gentilmente levantou Kyoshi pela cintura e o colocou no chão. Keata saltou do banco de trás, aterrissando em seus pés. — Olá, América — Keata abriu os braços e girou-se em um círculo. Kyoshi falou com ele em sua língua nativa. Ele parecia zangado. Keata baixou a cabeça e apertou os dedos em frente a ele. Stormy gostou da atitude alegre de Keata. Ele não queria que Kyoshi o repreendesse. — Ele está bem, Kyoshi. Ele está autorizado a agir dessa maneira, meu amor. Os olhos de Kyoshi se arregalaram quando ele deu um passo para trás, agarrando Keata pela mão. Stormy não conseguiu descobrir qual parte do que ele


A Matilha de Brac 05 disse incomodou seu Companheiro. Ele os levou para dentro, onde o ruído na sala era ensurdecedor. A toca, o lugar onde todo mundo estava quando não estava em patrulha. Havia um dúzia de guerreiros lobos que patrulhavam os limites da propriedade, mantendo o companheiros dos lobos seguros de danos. A Toca era o lugar para se estar. Uma grande televisão de tela plana, vídeo jogos, mesa de bilhar, bar e sofás por toda a sala. Maverick tinha decidido que já que ele não poderia se livrar de hóspedes de sua casa e ele tinha um zilhão de quartos, todos deveriam viver sob o mesmo teto. Tudo bem por Stormy. Ele cansou de correr entre seu apartamento e a toca. Keata correu atrás Kyoshi quando ouviu os gritos e o som alto. Ele olhou para Stormy. — Guerra? Stormy riu. — Não, homens grandes em jogos de crianças. — Ah. Como ... os jogos de crianças?

— Keata aproximou-se e colocou

uma pequena mão na de Stormy. Esse rapaz era definitivamente um encanto. Ele iria entrar em seu coração juntinho de seu Companheiro, Kyoshi, que olhou Keata, mas não disse nada. Stormy gentilmente pegou e apertou a mão de Kyoshi e levou-os para o caos. — Ei, Stormy. Trouxe crianças do centro de recreação? Stormy rosnou. Tudo ficou quieto. — Uh, tudo bem. Crianças do bairro? — Cale a boca, Remi. —

Porra, o cara era um falastrão às vezes. Stormy

exalou profundamente enquanto ele voltava sua atenção para o guerreiros na sala. Havia cinco companheiros ali, que pertenciam aos cinco guerreiros que tiveram a sorte de encontrá-los.

— Todo mundo, este é o meu companheiro, Kyoshi, e seu

primo Keata . — Remi, você é um idiota. — O guerreiro ruivo Jasper riu. — Foda-se, Jazz — Remi revidou. — Stormy, desculpe. Posso amaldiçoar em torno deles? — Foda-se, Remi. — Stormy rosnou. Johnny, o companheiro do comandante Hawk, correu para os dois, seus cachos


A Matilha de Brac 05 loiros saltando sobre seus ombros. Keata estendeu a mão e enfiou em uma onda. — Você tem sol na cabeça. — Ele sorriu. — Stormy, eu gosto dele. Posso ficar com ele? — Johnny saltou para cima e baixo, grandes olhos de cachorrinho implorando a Stormy. — Eles são seres humanos, Bonito. Você não pode mantê-los. — Hawk disse e levantou seu bonito bebê em seus braços. — Posso brincar com eles, então? — Johnny olhou para Stormy, esperançoso. Hawk sorriu, beijou seu companheiro, e depois colocou Johnny no chão.

Eles não são bonecos, também. Mostre-lhes a casa. Apresente-os à todos. Johnny agarrou a mão de Keata e estendeu a mão para Kyoshi, mas Kyoshi se afastou. Johnny deu de ombros e puxou Keata em direção aos outros companheiros. Kyoshi adiantou-se, levantando a mão ligeiramente, em seguida abaixou, recuando. Ele observou seu primo, com olhos de águia, cada movimento dele. Stormy observou tudo isso, então ele se ajoelhou e disse: — Você pode ir lá. Ninguém vai prejudicar Keata ou você. Kyoshi olhou para ele por um momento e depois acenou com a cabeça e se juntou a seu primo. — Você tem um companheiro cauteloso, Stormy. — Comandante Hawk disse ao lado dele. — Sim, ele e seu primo foram contrabandeadas para a América. Ainda não sei se foi para o tráfico humano ou escravos sexuais. — Parece o mesmo para mim. Que bom que você o conseguiu em tempo hábil. — Hawk deu tapinhas no ombro de Stormy. — Eu também. Eu só não sei o que está acontecendo com Kyoshi. Ele é muito tranquilo e muito protetor com Keata. Como faço para abordá-lo? — Com muito cuidado — alertou Hawk. Stormy soltou uma respiração enquanto Hawk voltava para o seu jogo de bilhar. Keata estava em todo o lugar, conversando com todos, com Kyoshi vigiandolhe. O guerreiro Gunnar entrou na sala, olhando ao redor.

— Estamos sendo


A Matilha de Brac 05 superado por baixinhos. Eu sinto que nós devemos abrir uma creche. — Espero que o seu companheiro seja de 1 metro e meio de altura. — Stormy disse enquanto se aproximava mais de Kyoshi. — Você está bem? —

Stormy sentou ao lado de seu companheiro,

observando sua beleza impressionante. Seu cabelo preto era liso e reto caindo sobre os ombros, e seus olhos eram da cor da meia-noite. Ele era magro e delicado. Stormy estava com medo de quebrar o cara. Seus olhos, porém, os olhos dele lhe disse que ele não era tão ingênuo quanto ele levava as pessoas a acreditar. Eles eram afiados, intensos. — Sim. Apenas estranho país. Quero casa. Kyoshi assustado por Keata — disse soltando um suspiro. — Eu garanto a você que vocês dois estão no lugar mais seguro possível. Qualquer um desses homens nesta sala vai protegê-los com suas vidas. — Stormy queria se aproximar e correr os dedos através da seda de seus cabelos caídos sobre o ombro de seu companheiro. Parecia uma cachoeira escorrendo de seu couro cabeludo. — Por quê? Você não conhece nós . Nós estranhos ... Stormy assistiu Kyoshi saltar. Keata tinha caído de traseiro no chão. Seu companheiro ficou enfurecido. — Keata, vem! Keata parecia arrasado quando ele se aproximou de seu primo e sentou-se ao lado dele. Ele lembrou a Stormy de uma criança que teve seu brinquedo preferido tomado. O lábio inferior de Keata se projetava num bico, enquanto observava os homens jogarem bilhar. Não era de seu direito dizer a Kyoshi como lidar com seu primo, mas Kyoshi precisava entender. — Nós protegemos aqueles que não podem se proteger. — Stormy olhou para Keata e sorriu. — Como super-heróis? — Os olhos de Keata se iluminaram. — Você voa? A cabeça de Stormy caiu para trás enquanto ele ria tão duro até as lágrimas escorrerem

pelo

seu

rosto.

Keata

estava

entrando

em

seu

coração

muito

rapidamente. — Não, Keata. Eu não posso voar. Kyoshi gritou com Keata novamente em sua língua nativa, e os olhos de Keata


A Matilha de Brac 05 se encheram de lágrimas. Stormy estava ficando irritado. Por que Kyoshi repreendia Keata assim? O cara era sincero, e Stormy adorou. Ele era engraçado, empolgado, e francamente bonito como um filhote de cachorro. — Eu... Stormy, desculpe, por perguntar ... como você diz ... pergunta boba. É isso aí. Stormy não iria sentar aqui e assistir a alegria deixar os olhos de Keata. — Companheiros, por favor, venham aqui. Cecil, Johnny, Blair, Drew e Oliver aproximaram-se de Stormy. — O que quer, Stormy? — Johnny deu uma risadinha. Stormy sorriu para o seu amigo.

— Podem os senhores, por favor entreter

Keata enquanto eu tenho uma conversa com Kyoshi? — Claro. Vamos lá, Keata. — Cecil ergueu a sua mão enquanto Keata tomoua, olhando para trás para Kyoshi como se estivesse pedindo permissão. Kyoshi assentiu, e Keata correu com eles, não dando a seu primo uma chance de mudar de ideia. — Por aqui. — Stormy levou Kyoshi para o escritório de Maverick.


A Matilha de Brac 05

Capítulo Dois

— Eu entendo que este é um país estrangeiro. Eu entendo que você dois estão com medo. Eu até entendo o amor que você tem para seu primo. O que eu não entendo é por que você está tentando prender sua inocência, seu entusiasmo e a sua felicidade. É tão assustador para ele como é para você, mas ele escolheu lidar com isso de uma maneira diferente, como uma nova experiência. E não me venha com essa droga, porque o meu instinto me diz que seu Inglês é ruim, pois sou demasiado inteligente para isso. Kyoshi ficou de pé em seus 1.58 de altura, não deixando Stormy intimidá-lo. — Ótimo! Fomos pegos na rua, enfiados em uma van, atirados em um caixa de carga, e transportado através do oceano sem ter sequer um banheiro. Fezes e urina estavam em um canto maldito. As portas se abrem, e não só não estamos no nosso próprio país, mas temos um monte de pervertidos tentando ferrar a gente! Pego meu primo e fujo, o bom homem Paul encontrou a gente, apenas para nos entregar aos montanhas que querem dar um tapinha no traseiro de Keata. Porra


A Matilha de Brac 05 nenhuma. Não vai acontecer! Suficientemente bom Inglês para você?

— Kyoshi

gritou. — Uau. Você é uma pistola de verdade, não é? Quem bateu no traseiro dele? — O inferno se eu sei seu nome. Todos os americanos que são parecidos — Kyoshi sorriu para ele. — Espertinho você, não? — Mais esperto do que você. — Kyoshi devolveu. — Eu não iria tão longe, atrevido. — Pelo menos meu cérebro não tem falta de oxigênio por causa da altitude flutuando dentro da cabeça . — Pelo menos eu posso alcançar o assento do vaso sanitário — Kyoshi foi pego de surpresa com aquela. Sua mente ficou em branco. Ele não podia pensar em uma retórica mal-humorado para salvar sua vida. Stormy estava afetando-o de maneira que nenhum outro homem tinha antes. Ele se encostou-se à poltrona de couro no escritório, tentar o seu melhor para pensar em algo rápido. — Estupido— Esse foi o melhor que podia fazer? Kyoshi mentalmente bateu na testa, sentindo como ele devesse rastejar sob uma rocha. — Merdinha . Kyoshi uma gargalhada e Stormy se juntou a ele. Ele pode ter tido uma morte cerebral por um momento, mas Stormy parecia estar se divertindo também. Ele tinha um brilho em seus olhos agora. Kyoshi poderia sentir um rubor subindo pelo pescoço. Envergonhado, ele baixou a cabeça, dobrando e desdobrando ligeiramente a ponta da camisa e esfregando a perna da calça. — Sério, quem bateu no traseiro dele? — Cara grande. — Kyoshi ... — Stormy chamou o seu nome em alerta. — Tudo bem. Cabelos pretos, cavanhaque, olhos negros, um pouco menor do que você, e músculos saindo até para fora de suas orelhas. Stormy caminhou até a porta. — LUDO!


A Matilha de Brac 05

Oliver ficou na cozinha observando enquanto todos riam. Ele estava trabalhando lentamente através de sua raiva e estava grato aos companheiros por não guardar rancor. Era bom ser incluído, se sentir desejado e ser aceito por eles. Ele ainda tinha um monte de problemas para trabalhar, inclusive chegando a um acordo com ser gay. Depois de muitas conversas com Micah, ele estava envergonhado da forma viscosa como agiu. Foi tudo uma parte de sua revolta, sua dor. Mas esses homens não mereciam. Johnny estava rindo enquanto Cecil balançava a cabeça.

— Não, Keata. Os

americanos não dinheiro crescendo nas árvores. Isso é apenas uma figura de linguagem. — Mas desejam ... — resmungou Blair. Keata estava olhando para o piercing no lábio inferior de Oliver. — Por que você morde poste? Johnny estava rindo tanto que chegou a chorar. Drew segurava a barriga em seu ataque de riso. — Eu não mordi um poste. É um piercing, alguém colocou isso lá. — Porquê? — Porque eu achei que seria muito legal. — Oliver tentou não sorrir, mas o pequeno homem era cômico. — É frio? — Keata puxou junto. — Não, somente a parte de fora, mas o outro abaixo da cintura é totalmente quente .


A Matilha de Brac 05 — Você tem pedaço de poste no quadril? — Jesus, alguém me ajude aqui. Cecil teve que soltar o riso que estava segurando. Ele estava tentando ajudar Oliver, mas ele não estava fazendo o possível para formular duas palavras juntas, antes de começar a rir novamente. Kyoshi entrou na cozinha, e Oliver pediu imediatamente sua ajuda. Kyoshi falou para Keata em sua língua nativa enquanto a compreensão iluminava os olhos de Keata. — Oh, é um estilo jovem. Eu vejo. Mas ainda não deveria morder poste.

Kyoshi sorriu para o seu primo ingênuo. Ele tinha lembrado a Keata que eles se comportassem como convidados. Seu primo nunca o ouviu. Tudo era excitante para ele. Ele jurou que o cara tinha ADD 1, mas ele o amava mais do que a própria vida. Eles foram criados juntos, como irmãos, mas Keata era muito ingênuo para seu próprio bem. Kyoshi tinha que tirá-lo da bagunça que ele tinha muito confiantemente entrava. Ele amava a sua inocência. Ao crescerem, Kyoshi tinha tentado muito duro fazer Keata conservar essa inocência. Ele olhava para o mundo através dos olhos de uma criança. Muito poucos eram puros como Keata. A maioria das pessoas cresceu muito rapidamente e tornavam-se cansados. Não Keata. 1 ADD ou ADHD – Transtorno e défice de atenção e hiperatividade ...


A Matilha de Brac 05 — Ei, Keata. — Stormy acariciou seu cabelo. — Ei, olhos de Stormy — Keata piscou para Johnny. — Eu quero mostrar a você e a Kyoshi, onde vocês irão dormir — Stormy disse enquanto puxava Kyoshi em seus braços. Kyoshi não lutou contra isso, ele se sentia bem, muito bem. — Ah, ótimo. Recebo próprio quarto. — Keata bateu palmas. — Você quer ter seu próprio quarto? —

Stormy perguntou. Kyoshi queria

saber quando a Stormy estava indo para informá-lo que seu quarto estava. — Não. Gosto de dizer ótimo. Engraçado palavra — Keata vibrou. — O que acha de um quarto adjacente? — Stormy deveria ter sabido, assim que ele disse, que Keata não entenderia. Kyoshi ia ter que traduzir tudo, ou Keata ia ter que aprender muito rápido. Kyoshi balançou a cabeça. Se Keata pudesse prestar atenção nas aulas. — Hã? — O rosto de Keata se apagou. Kyoshi sorriu. O rosto de seu primo muitas vezes fazia isso quando ele entrava em sobrecarga de incompreensão. Era muito engraçado. Stormy olhou para Kyoshi pedindo ajuda. Novamente, Kyoshi traduziu. — Ah, ótimo. Ainda próprio quarto. — Onde diabos ele aprendeu a falar Inglês? — Blair perguntou. — Televisão americana. Eu tentei sentar com ele e ensiná-lo. Mas eu acho que o meu primo tem ADD . Os cinco companheiros encararam Kyoshi com a boca aberta. — O quê? — Você fala bem o Inglês — Oliver censurou. — Não falar Inglês bom. Pronuncia imperfeita. Então desculpinha . — Espertinho — Stormy sorriu. — Estupido . — Merdinha .


A Matilha de Brac 05

Kyoshi olhou ao redor do quarto, espantado com o quanto luxuoso era, e grande. Stormy tinha dito a Keata que ele iria receber o seu próprio quarto ao lado, mas ele não tinha mencionado onde Kyoshi iria dormir. Ele tinha a sensação de que ele sabia. — Keata, este será o lugar onde você vai dormir. —

Stormy abriu a porta

para um pequeno quarto anexo ao maior. Era tão luxuoso. Kyoshi sentiu como se estivesse em um hotel de cinco estrelas, se ele já tivesse visto um. Ele e Keata foram pobres desde pequenos, mas eles tinham sido felizes. A mãe de Keata morreu ao dar à luz a ele, assim a mãe de Kyoshi assumiu a responsabilidade. Ela faleceu no ano passado, e a responsabilidade tinha caído para Kyoshi. Responsabilidade que Kyoshi amava e levava muito a sério. Keata caminhou ao redor do quarto menos. Rolou na cama e apertou os botões do controle remoto da televisão. Ele mesmo saltou sobre o assento almofadado da janela. — Ele está a salvo de cair fora dessa janela, né? — Kyoshi não poderia deixar de preocupar. — Ele está bem. A janela é de vidro duplo.

— Stormy fechou a porta de

Keata, levando Kyoshi para o quarto — Eu sou um topo — Kyoshi deixou escapar. Stormy levantou uma sobrancelha para ele. — Me desculpe? — Eu sou um topo todo o caminho. Espero que goste de ser o submisso. — Na verdade, Kyoshi não tinha motivo do porque ele estava dizendo isso. Ele não tinha sequer tido sexo ainda. Ele estava muito ocupado cuidando e mantendo Keata a salvo do que a angústia de ter um relacionamento com alguém. Parte dele se entusiasmou com a discussão que teve com Stormy, ele não tinha se divertido assim antes. Mas parte dele estava assustado. — Eu não penso assim. Não há nenhuma maneira que você estar me


A Matilha de Brac 05 superando. — Stormy cruzou os braços sobre o peito enorme. Kyoshi olhou para os músculos se mexendo apenas por esse simples ato. O homem era uma montanha. Kyoshi sentia como um gatinho próximo a um leão. Porém, ele era extremamente bonito. E esse pensamento o assustava mais. Kyoshi caminhou até o assento da janela, subindo e se sentou. — Bem, eu acho que isso resolve tudo. Onde posso dormir? Humm? Com Keata? — Por favor, diga não. Por favor, diga que você me quer. — Na minha cama. E nada está resolvido, merdinha. — Stormy puxou Kyoshi em seus braços, carregando-o para a cama e depositando-o no colchão. — Tudo bem. Eu espero que você não monopolize as cobertas ou capote em cima de mim. — Era os nervos de Kyoshi falando por ele. Será que Stormy queria fazer sexo? Hoje à noite? O que ele deveria fazer? Agir como ele fosse experiente ou dizer ao cara a verdade? Ele estava atraído por ele. Quem não ficaria? Especialmente com todo aquele cabelo loiro escorrendo pelas costas. Kyoshi esperava que ele fosse autorizado a tocar nele e escová-lo. Talvez Stormy iria deixá-lo trança-lo. Kyoshi queria senti-lo contra a sua pele nua. Ele apostava que pareceria com fios de ouro. Stormy tirou a cueca e subiu na cama, ficando sob o cobertor. Kyoshi estava duro e completamente vestido em cima das cobertas. Ele não sabia o que fazer. — Eu não vou morder ... duro. Durma um pouco, merdinha. — Stormy virouse e Kyoshi relaxou. Ele ergueu seus quadris e puxou suas calças. Sentando, ele puxou sua camisa, dobrou sua roupa e colocou sobre o criado mudo. Rezando para Keata estar bem sozinho.


A Matilha de Brac 05

Kyoshi acordou com um forno envolto em torno dele. Mechas loiras cobriam o seu rosto. Ele levou um momento para recordar onde estava. Keata. Kyoshi mexeu-se para se livrar e correu para o quarto do primo, abrindo sua porta. Keata estava dormindo. Kyoshi assistiu-o por um instante antes de ele voltar à cama. — Ele está bem? — Stormy se aproximou e puxou Kyoshi de volta para seus braços. — Sim. Ele está dormindo — Kyoshi deitou, sentindo o sono voltar. — Eu realmente sinto muito que a sua primeira experiência com o nosso país foi uma merda. — Stormy estava esfregando a mão nos cabelos de Kyoshi. — Não é culpa sua. Estou feliz por ter fugido e Paul ser bom o suficiente para nos ajudar. Eu tremo ao pensar que poderia ter acontecido com Keata. Ele é virgem, você sabe. Sua primeira vez não deveria ser traumática

— Kyoshi esperava que a

dele não seria tanto. Por alguma razão porém, ele se sentia seguro com Stormy. Seu instinto lhe dizia que Stormy seria gentil e cuidadoso com ele. Ele sentiu uma conexão que não podia explicar, e que o assustava. Tudo o que ele teve de afeto foi por Keata e sua mãe. Ele nunca teve um relacionamento. Como você deveria agir? Ele já começou a se sentir ligado ao guerreiro. — Ele está seguro, Kyoshi. Ninguém vai machucá-lo. Vou ter uma conversa cara a cara com Ludo hoje. Vou dizer que a ele que se aproximar de Keata novamente vou destruir seus membros um por um. Prometo. Kyoshi virou-se para Stormy. Ele correu as mãos sobre as mechas loiras compridas que ele estava morrendo para tocar. Elas realmente eram suaves como fios de ouro. — Posso escová-lo? — Claro. — Stormy sentou-se, saiu da cama e pegou a escova do banheiro. Ele se sentou na beirada da cama com as costas para Kyoshi. Kyoshi escovou os longos fios, puxando-os para trás em sua mão para trançar. A quantidade de cabelo que esse homem tinha era ridículo. Seu próprio cabelo era sedoso, mas fino. Stormy era tão grosso que ele não tinha certeza se poderia fazer


A Matilha de Brac 05 isso. Sua mãe pediu muitas vezes para Kyoshi arrumar seu cabelo. Os dela era muito mais finos, mas como o seu. Kyoshi separou-os em três partes, então perguntou o que estava incomodando a ele. — O que você é, Stormy? — Seus dedos continuaram na sua tarefa. — O que quer dizer, Kyoshi? — Eu vejo em seus olhos, algo ... diferente. Não é a mudança de cores, mas uma alma velha. Minha mãe acreditava que a alma de todos pertencia a uma criatura da natureza. Ela acreditava que a minha era uma libélula. Qual é a sua? — O gentil trançar continuou, só mais para baixo neste tempo. Era mais difícil, mas ele estava conseguindo. — Lobo . — Eu acredito nisso. Você é mais ostentoso. Mas ... ainda. Será que o seu lobo verdadeiramente existe? Realmente vive dentro de você? percebido algo diferente com Stormy, e não

— Kyoshi tinha

só com ele, mas os outros homens

grandes também. Estava nos seus olhos. — Sim — respondeu Stormy. — Eu pensei assim. E os homens lá embaixo? — Lobos também. — Keata e eu estamos em algum perigo? — Nunca . — Isso é bom. Keata tinha ouvido falar de transformadores em contos antigos. Só que, no Japão, era um conto de tigres Xiamem, shifter felinos que viviam na parte meridional do Japão e china. Ele nunca acreditou neles, mas com a revelação de Stormy, ele estava começando a se perguntar se eram. — Não se mexa, eu estou acabado. Pronto! Você tem o cabelo bonito. Stormy puxou a trança sobre seu ombro, ele parecia impressionado. Kyoshi tinha trançado seus cabelos, e ele era muito bom nisso. Estava apertado e perfeito, sem pequenos cabelos espetando para fora dos lados. Stormy alcançou Kyoshi e o puxou para o seu colo, segurando-o em seus braços fortes.


A Matilha de Brac 05 — Oh-oh. Olhos de Stormy tentar beijar Kyoshi. Impertinente, malcriado. Kyoshi virou-se para ver Keata em pé na porta. — Já não tenho falado com você sobre bater na porta? —

Kyoshi

delicadamente castigou Keata em sua língua nativa. — Você não está gritando com ele, não é? — Stormy olhou de Keata para Kyoshi. — Não, só lembrando-lhe de bater — Kyoshi sentou-se reto no colo de Stormy. — Kyoshi, desculpe. Eu só fiquei com medo quando eu acordei sozinho. — Keata ficou à porta, esperando por Kyoshi perdoá-lo. — Vem, Keata —

Kyoshi abriu os braços esperando Keata chegar para

abraça-lo. — Não há necessidade de se assustar, tudo bem? Keata assentiu. — Entendido . Stormy riu quando ele bagunçou o cabelo de Keata. Precisamos comprar umas roupas novas.

— Venha, atrevidos.


A Matilha de Brac 05

Capítulo Três

— Preciso ter uma conversa com você, Ludo. —

Stormy entrou no salão,

encurralando Ludo entre o bar e um Sentinelas do outro. Se Ludo fez realmente tirar proveito de Keata, ele estava indo quebrar a merda de seu braço. — Sim, Stormy? — Ludo virou-se para acolher o seu amigo, até que ele viu o olhar em seu rosto. — Você esfregou as patas no traseiro de Keata ontem? — Stormy atirou a pergunta direito no rosto de Ludo. — Nunca! — Do que Stormy estava falando? — Eu segurei ele quando ele caiu. É isso. — Bem, eu tenho um companheiro que tem medo de seu primo ficar aqui porque ele acha que sua mão demorou um pouco demais sobre o traseiro de Keata . Blair e Oliver atiravam olhares acusadores em Ludo. Os irmãos haviam sido molestados por seu próprio pai, e eles não gostaram de ouvir falar de alguém ser aproveitado, especialmente alguém tão doce quanto Keata. Alguns dos Sentinelas em volta se endireitaram. Stormy pode ouvir pequenos rosnados baixos. — Eu nunca faria uma coisa dessas! Eu nunca tocaria em outro companheiro de lobo! — Ludo gritou. — O que você acabou de dizer? Ludo fechou a boca, sacudindo a cabeça. — Quem? —

Stormy olhou em volta da toca para ver quais Sentinelas

estavam ali. Quem era o companheiro de Keata? Quem era o babaca que teria que responder a ele se queria estar perto do primo de seu companheiro?


A Matilha de Brac 05 — Eu nunca diria isso, mas eu quero agradecê-lo por lidar com uma situação delicada ... com delicadeza. Levou um momento para palavras de Ludo registrar. Stormy empalideceu quando ele olhou em volta para ver cinco Sentinelas irritados, prontos para rasgar Ludo e cinco companheiros olhando Ludo como um agressor sexual registrado. — Merda, Ludo. Sinto muito. Tudo o que eu pensava era Keata e ter certeza de que ele estava seguro aqui. Eu realmente sinto muito. — Sente, Stormy ? Eu acho que é um pouco tarde demais para fechar a porta. O maldito cavalo já se foi. — Ludo deixou a Toca com raiva.

Stormy tinha que encontrar uma maneira de se aproximar de Ludo. Ele não podia acreditar que ele saiu disparando acusações assim, sem ouvir a explicação do lobo. Agora ele tinha aniquilado o bom nome do cara. Tudo o que ele estava tentando fazer era proteger Keata. Não só o seu companheiro o amava muito, Stormy estava gostando muito dele também. — O que significa não tem taxa de anal? Stormy estava tentando descobrir o que Keata acabou de dizer. Taxa Anal? — Kyoshi, preciso de sua ajuda. Kyoshi se afastou dos companheiros, enquanto falava com Keata. Eles estavam no shopping, tentando comprar para Kyoshi e Keata tinha tudo o que precisavam para tornar a sua estadia aqui o mais confortável possível. Os outros companheiros quiseram ajudar, exceto Drew. O shopping era o gatilho para ele, assim Remi o levou para jantar fora em vez disso. O shopping foi onde Drew usou para comprar a sua droga de um traficante que


A Matilha de Brac 05 ficava na praça de alimentação. Stormy e Tank cuidaram deste problema. — Ele está falando de alguma taxa anual. Alguém deve ter oferecido a ele um cartão de crédito. — Poderia dizer-lhe para não falar com estranhos, para ficar com vocês, por favor? Nós odiaríamos ter que rasgar este shopping atrás de alguém ... de novo. — Eles vasculharam quando o companheiro do comandante, Johnny, tinha sido sequestrado por seu próprio irmão. Stormy não queria ninguém perto de Keata, apenas aqueles que vieram com eles. — Tudo bem. Eu vou segurar sua mão para me certificar de que o pequeno artista de fugas, não escape — Kyoshi piscou para Stormy antes de pegar a mão de Keata e levando-o de volta para os companheiros. — Tem as mãos ocupadas, não é? —

Maverick sorriu enquanto batia nas

costas de Stormy. — É. Um cara que confia em todos e outro que tem a língua mais rápida e certeira do oeste. — Stormy balançou a cabeça enquanto observava seu companheiro levar Keata de loja para loja. Maverick, Hawk, Kota, Mica e Stormy todos mantendo um olho afiado sobre os pequenos. Ninguém seria sequestrado hoje.

— Mas eu quero. Ele pisca. Johnny olhou de Keata para Kyoshi. — O que ele quer dizer com pisca? — Brilha . — Oh, eu gosto de brilhos também, Keata. — Johnny agarrou Keata enquanto eles percorriam a loja de artesanato.


A Matilha de Brac 05 — Vocês estão se sentindo diabólicos? — Cecil lhes deu um olhar estranho. Blair se inclinou e sussurrou: — Não estamos roubando outro carro, não é? — Vocês roubam carros? — Oliver e Kyoshi olharam para os dois em choque. O que ele meteu? Kyoshi pensou. — É uma longa história — disse Blair e Cecil em uníssono. — Não. Eu estava pensando que seus companheiros devem receber carteiras iguais as que o meu e o de Johnny têm. — Ah, sim, Cecil estava sentindo realmente diabólico. — Uh, tudo bem. — Kyoshi não tinha ideia do que os pequenos americanos estavam falando, mas Stormy tinha dado a ele e Keata o dinheiro. Não deveria custar muito. Era apenas uma carteira.

— Uh, obrigado ? — Stormy olhou uma carteira muito rosa que Kyoshi tinha lhe entregado. Que diabos? — Sim, uh, obrigado. —

Micah não tinha ideia que ele ia fazer com uma

carteira rosa com a sininho na frente. — Hum, isso é uma piada, Raio de sol? — Kota abriu a carteira, saltou para trás como ele esperava serpentes de papel ou algo pulassem para fora. Maverick e Hawk estavam rindo no chão. Pois se lembravam de quando Cecil


A Matilha de Brac 05 entregou-lhe um com um unicórnio nele. Ele disse: Foi ideia de Johnny. Sim, certo. — Não, querido. Johnny pensou que eram grandes ideias de presente.

Blair sorriu para Dakota, tentando não rir, falhando miseravelmente. Ele mordeu o interior de sua mandíbula tentando manter a histeria presa. — Ah ... Johnny. — Stormy olhou para Hawk. — Você não gosta da ideia de meu companheiro? — Hawk caiu na gargalhada novamente. Ele caiu contra o Maverick de tanto rir. — O que é tão engraçado? — Johnny perguntou quando ele e Keata correram até o caras. — Nada — os oito homens disseram ao mesmo tempo. Hawk puxou Johnny em seus braços para um beijo antes de o por de volta no chão. — Vamos, rapazes, nós estamos supostamente aqui para fazer comprar roupas. — Kyoshi, pegue Keata para que possamos acertar a conta na loja de departamentos. — Cecil voltou para liderar o caminho, quando ouviu uma maldição. — Onde está Keata? — Kyoshi girava. O pânico estava se pondo dentro dele, seu primo era muito confiante e podia ter ido embora com alguém. — KEATA! — Stormy berrou enquanto todo mundo virou-se e Keata apareceu correndo. — Que mal, olhos de Stormy? — Keata disse ofegante. — Kyoshi, diga-lhe que por favor, fique conosco. Não vagando por aí.

Stormy implorou a seu companheiro. — Eu sei o que olhos de Stormy dizer. Não vagando.

— Ele deu um

grande sorriso de pateta enquanto agarrava a mão de Kyoshi e levantava os dedos entrelaçados para a aprovação de Stormy. — Eu não quero te perder, Keata. — Stormy esfregou a mão para baixo o lado do rosto do Keata. — Não perder — Keata virou-se para fugir com os companheiros. — Ele vai tirar 300 anos de nós, não é? — Kota resmungou. — Você tem razão. —

Stormy balançou a cabeça enquanto eles seguiram

atrás seus companheiros e Keata.


A Matilha de Brac 05

Johnny e Keata correu para cima com os seus tesouros, balbuciando animadamente um com o outro enquanto Kyoshi e os outros companheiros descansavam nos sofás da sala, falando do seu dia no shopping. Os guerreiros foram direto para o bar, todos tomando um drinque depois de passar a tarde com Keata. Esse carinha estava indo torná-los em todos uns alcoólatras. Eles tiveram de procurá-lo três vezes mais naquela tarde, quando algo atraente chamava sua atenção. Stormy ficou tentado a comprar uma dessas coleiras com uma corrente.


A Matilha de Brac 05

— Então, Kyoshi, você está animado com Stormy reivindicando você? — Reivindicando-me? — Ah, merda. — Blair fechou a boca, olhando para Cecil e Oliver por ajuda. Era estritamente proibido alguém mencionar perto da Oliver sobre o processo de reivindicação. Ele era muito jovem para se tornar companheiro de Micah. Micah não queria que Oliver inadvertidamente ou propositadamente iniciasse o processo, portanto, Oliver não tinha ideia do que Blair estava falando também. — Conte, mano. — Oliver pegou Blair. Blair sacudiu a cabeça, pulando para fora do sofá enquanto ele corria para Dakota e se escondia atrás dele. — O que há de errado Raio de Sol? — Kota pegou seu companheiro em seus braços, beijando seu pescoço. Ele podia sentir a ansiedade vindo de Blair. — Eu tenho uma boca grande, isso sim. Os guerreiros de todos os olhou de Blair para Kota. — O que você fez? — Kota se inclinou para trás, procurando os olhos de seu companheiro. — Bem, Micah. Desculpe, mas Oliver vai te perseguir para saber o que é um reivindicar . Micah amaldiçoou. — Oliver vai me amolar até arrancar minha pele. — Desculpe — Blair abaixou a cabeça e enfiou o cabelo atrás da orelha.


A Matilha de Brac 05 Kota

amaldiçoou.

Seu

Companheiro

fez

isso

quando

ele

estava

extremamente nervoso ou extremamente constrangido. Ele não gostava de Blair sendo qualquer um. Seu companheiro tinha tido o bastante. Micah suspirou.

— Estava prestes a acontecer, Blair. Não se preocupe com

isso. — Kota envolveu Blair em seus braços enquanto esfregava as costas de seu companheiro, falando baixinho para ele.

— Tudo bem? — Kyoshi aproximou-se de Stormy, nervosamente. — Sim, eu vou explicar mais tarde. —

Stormy agarrou a mão de Kyoshi,

segurando ele. Kyoshi sentia-se seguro quando ele estava perto de Stormy. Como se aquele pequeno ato tivesse um efeito sobre ele. Sentia-se mais calmo, em paz. Ele rezou que Stormy não pudesse sentir o suor de nervosismo nas palmas . Kyoshi estudou as mãos entrelaçadas, observando o tamanho e a diferença. Qual seria a sensação de ter as mãos grandes deslizando pelo seu corpo? — Stormy? O lobo colocou o braço na cintura de Kyoshi. Kyoshi sussurrou em seu ouvido. — O que é esse reivindicar que Blair estava falando? Uau. Kyoshi nunca tinha visto um homem grande como aquele corar tão profundamente antes. Queria rir, mas sentiu que seria um momento inadequado para fazê-lo. — Posso explicar mais tarde também?


A Matilha de Brac 05 Por que Kyoshi começou a sentir que o sexo estaria envolvido?

— Eu me diverti muito hoje. Obrigado por ter nos levando. Meu primo teve um momento maravilhoso. — Kyoshi sabia que ele estava balbuciando enquanto ele subia na cama, o

nervosismo agarrando-o novamente. Ele se questionou iria ser

assim todas as noites. Ele quase desejava que Stormy fosse adiante e fizesse amor com ele assim seu estômago iria parar de esvoaçar. Parecia que umas mil libélulas estavam batendo as asas dentro dele. — Obrigado pelas coisas boas que você me comprou e para Keata. — Por que ele não poderia simplesmente calar a boca? Stormy se arrastou para a cama e puxou Kyoshi em seus braços. Kyoshi podia sentir a ereção de Stormy pressionando contra sua bunda. Como seria? Como se sentia? Sua mãe havia dito a Kyoshi e Keata que tocar-se era um ato vergonhoso, e desde que respeitava sua mãe muito, ele nunca fez. Isso não significava que ele não tinha ouvido os outros caras conversarem na escola sobre isso. Ele se perguntou como seria um orgasmo. Kyoshi empurrou seu traseiro levemente para trás para tentar sentir quão grande Stormy era. Pelo que ele sentiu, ele realmente começou a se preocupar. Stormy pegou Kyoshi, empurrando sua ereção mais contra ele. Kyoshi parou. Ele não tinha certeza do que ele deveria fazer. Se ele empurrasse de novo? — Eu quero você, Kyoshi. —

Stormy deslizou sua mão corpo abaixo de

Kyoshi, beijando-o atrás do pescoço. Kyoshi inclinou a cabeça, querendo sentir mais


A Matilha de Brac 05 os lábios de Stormy em sua pele. Quando a Stormy pegou sua ereção, Kyoshi entrou em pânico. Ele empurrou a mão de Stormy a distância e se mexeu até que ele estar livre.

Capítulo Quatro


A Matilha de Brac 05 — O que está errado, Kyoshi? Eu fiz alguma coisa que o ofendeu? — Stormy estava confuso como o inferno. Ele pensou Kyoshi o queria. Ele tinha dado todos os sinais corretos. — Eu, uh, preciso verificar Keata. Stormy ficou olhando enquanto Kyoshi corria para o quarto de Keata. Ele virou de costas olhando para o teto, um pau duro como rocha sobressaindo contra o seu boxer. Depois de uma meia hora ter se passado e nenhuma Kyoshi, Stormy resolveu conferir onde ele estava. Ele abriu a porta do quarto de Keata para encontrar Kyoshi no chão de costas para a cama de Keata, os joelhos puxados para cima e os braços envoltos em torno deles. Ele calmamente se aproximou e pegou Kyoshi em seus braços, fechando a porta de Keata e levando seu companheiro de volta para a cama. — Fale comigo, Kyoshi. — Stormy se sentou na beirada da cama, com Kyoshi em seus braços. — Eu ... eu nunca fiz isso antes — Kyoshi olhou para suas mãos, torcendo-as em seu colo. — Feito o que, Kyoshi? — Stormy perguntou em um tom baixinho. — Sexo. Eu nem sequer experimentei a sensação que o corpo produz quando feito por si mesmo — Kyoshi se virou para Stormy, escondendo seu rosto no peito maciço. — Você quer que eu não toque em você? —

Muitas emoções estavam

correndo por Stormy. Amor, carinho, confusão, cobiça e proteção. Ele precisava que Kyoshi respondesse, assim ele saberia melhor como lidar com isso. Kyoshi sacudiu a cabeça, e Stormy deu um suspirou de alívio. — Apenas relaxe. Prometo ir devagar. Ok? Kyoshi assentiu. Stormy sorriu e colocou o seu companheiro suavemente na cama. Puxando Kyoshi da bola que ele estava, o esticou e começou pelos seus pés, lambendo um caminho entre cada dedo do pé e circulando em torno de seu tornozelo. A língua de Stormy lambeu a parte de trás do tornozelo de Kyoshi e em torno de sua canela.


A Matilha de Brac 05 Ele beliscou atrás de seu joelho, tirando um gemido de Kyoshi. Stormy puxou para trás e começou a outro lado. Quando ele chegou às coxas de Kyoshi, seu companheiro começou a espalhar as pernas um pouco mais aberto. Stormy beijou ambas as coxas enquanto ele puxava lentamente os boxer de Kyoshi para fora. Kyoshi tencionou por um momento, mas Stormy continuava a lamber seu caminho em torno das pernas de seu companheiro. Kyoshi relaxou novamente. Stormy passou a língua nos testículos de Kyoshi, e quadris seu companheiro arquearam. Sua língua explorou as pequenas bolas, o períneo, e seu pênis ereto. Kyoshi estava gemendo baixinho, as mãos apertando os lençóis. Quando Stormy beijou a cabeça do pênis de Kyoshi, seu companheiro gritou e sêmen salpicou seu corpo. — Porra, você é tão sensível. — Stormy lambeu o orgasmo de Kyoshi de sua barriga e peito. Ele saboreava melhor do que o melhor vinho. — Foi um orgasmo, não foi? — Kyoshi ofegante. Stormy sorriu para seu companheiro. — Sim, Kyoshi. Você quer sentir mais um? — Por favor Stormy abocanhou o pau, engolindo até a raiz enquanto Kyoshi arqueava e puxava sua trança. Ele fodeu a boca de Stormy em um apaixonado frenesi. Kyoshi voltou a gozar, gritando o nome de Stormy. — Eu quero dar-lhe mais, companheiro. — Stormy se inclinou e agarrou o lubrificante da gaveta do lado. Ele se levantou e puxou seu boxer enquanto ele lubrificava o ânus de Kyoshi, tentando decidir qual seria a posição mais delicada para a reivindicação. Ele decidiu fixar Kyoshi de lado. Embora quisesse olhar seu Companheiro em seus olhos quando ele o aceitasse, ele tinha que colocar as necessidades de Kyoshi primeiro. — Empurre de volta quando eu empurrar o dedo, libélula — Kyoshi assentiu e Stormy lentamente violou ele. Ele sabia que a única maneira de ter Kyoshi nesta primeira vez era de uma maneira mais simples possível e para encontrar sua próstata rapidamente. Descobriu a glândula e acariciou-a. Kyoshi empurrou seus quadris para cima enquanto sêmen disparavam novamente.


A Matilha de Brac 05 — Você é o homem mais sexy que eu já vi. — Stormy estirou um pouco mais antes de adicionar um segundo dedo. — Stormy — Kyoshi chamou o seu nome quase sem fôlego. — Sim, libélula? — Mais. Stormy concordou, acrescentando um terceiro dedo com muito cuidado. Ele torceu seu pulso e moveu os dedos em um movimento de tesoura. No momento que ele se sentiu que esticou ao máximo seu Companheiro, ele tirou a mão e lubrificou seu pênis. — Eu vou fazer amor com você agora, Kyoshi . Kyoshi assentiu. — Fique de lado, bebê — Kyoshi rolou para o lado dele e esperou. Stormy arrastou-se atrás dele e puxou a perna direita de Kyoshi para cima, colocando-a sobre sua coxa. — Pronto? Kyoshi sacudiu a cabeça, em seguida, assentiu com a cabeça dele. — Isso é um sim ou não? — Stormy provocou. — Sim. — Mais uma vez, empurre para fora enquanto eu empurro dentro — Stormy empurrou a cabeça de seu pênis passado o anel de músculos e parou, esperando por Kyoshi se ajustar. — É uma sensação ... diferente. — Boa? — Diferente . — Eu posso mover? — Stormy estava morrendo, mas ele trancou todos os seus músculos no lugar. Ele não estava se movendo uma polegada até Kyoshi estar pronto. Quando Kyoshi assentiu com a cabeça, Stormy empurrou mais longe dentro dele. — Tão cheio. — É muito melhor, libélula. — Stormy puxado para trás até que somente o cabeça de seu pênis ficar dentro, então ele começou um lento balanço em seu Companheiro, para dentro e fora.


A Matilha de Brac 05 — Eu posso ter mais Stormy. Stormy apressou o passo, ainda delicadamente. Ele puxou para fora e virou Kyoshi de costas. — Enrole suas pernas em volta da minha cintura . Kyoshi fez e Stormy caiu para trás enquanto ele puxava os quadris Kyoshi em cima de suas coxas. Ele puxou seu companheiro em seus braços enquanto ele agarrou seus quadris e empalou Kyoshi para cima e para baixo em seu pênis. Seus caninos caíram, e seus olhos mudaram. — Meu lobo — Kyoshi recostou-se, descobrindo o pescoço para Stormy. — Você me aceita como seu companheiro, Kyoshi? — Sim, Stormy, sempre. Stormy cravou os dentes no pescoço de Kyoshi enquanto seu Companheiro gritava mais uma vez, pintando com seu sêmen quente o estômago de Stormy. Ele bombeou mais rápido do que ele bebia de seu companheiro, degustando um pedaço do céu. Sentiu os fios de sua força vital desenrolar e se entrelaçarem entre si, com os seus corações sincronizados para vinculá-las. — Eu posso sentir sua alma se fundindo com a minha, Stormy — Kyoshi inclinou o pescoço, que permitiu Stormy tomar o que agora era seu completamente. A cabeça de Stormy caiu para trás enquanto ele gritava o nome de Kyoshi, seu esperma inundando o apertado canal de Kyoshi. Ele caiu para frente, selando o ferimento de seu companheiro e balançando-o suavemente. Stormy não queria nunca mais deixar o seu corpo. Ele estava em casa. Kyoshi envolveu seus braços em volta do pescoço de Stormy enquanto tentava recuperar sua respiração. — Eu sou agora seu companheiro? — Sim, libélula. Só meu. — Stormy beijou Kyoshi em um profundo, duelando numa batalha de línguas. — Uh-oh . A cabeça de Stormy estalou em volta para ver Keata em pé no porta, e rapidamente os cobriu, escondendo Kyoshi atrás de sua moldura maciça.


A Matilha de Brac 05 — Kyoshi não mais virgem? — Vá para a cama, Keata. —

Stormy lhe ordenou com uma voz suave,

tentando não rir. — Ok, olhos de Stormy — Keata virou e fechou a porta. — Oh, não — Kyoshi gemeu. — Eu nunca vou ser capaz de olhar para ele outra vez. — Stormy riu quando ele beijou seu Companheiro reivindicado.

— Então, um lobo você? Maverick estava andando pelo corredor com as mãos atrás das costas. Ele parou e olhou para o pequeno humano. Stormy deve ter explicado aos dois sobre os guerreiros sendo shifters de lobos. Bem, pelo menos, explicou a Kyoshi que depois traduziu para Keata. — Sim, Keata. Eu sou um lobo. — Você tem os dentes muito grande? — Sim . — Eu vejo? Maverick alongou seus caninos, sorrindo para Keata. — Eba . Maverick riu quando seus caninos recuaram. — Lobo olhos de Stormy?. Ele estava deitado nu em Kyoshi. Ele gritou Kyoshi realmente alto. Maverick olhou para Keata, tentando descobrir o que diabos o cara estava


A Matilha de Brac 05 falando. Ah, merda! Keata deve ter pegado Stormy reivindicando Kyoshi. Oh homem, ele estava indo se divertir com este pequeno petisco de informação. Ele viu quando Keata desviou-se e caminhou em direção à toca. Pobre Stormy.

— Eu acho que nós deveríamos ter um dos homens para ficar com Keata e cuidar dele ao redor. — Stormy abraçou Kyoshi apertado contra o peito. Ele ainda estava admirado que esse homem era seu companheiro, para sempre. — Quer dizer, como uma babá? — Não, eu quero dizer como um... patrocinador. — Porquê? — Bem, porque quando precisamos de nosso tempo um com o outro ou para fazer amor, eu me sentiria melhor sabendo que alguém estar o vigiando. — Stormy esperava que Kyoshi não levasse sua sugestão como uma ofensa. Keata realmente precisa de um patrocinador em tempo integral. — Será que ele vai passar a mão no traseiro dele? — Eu o mataria. — Stormy respirou fundo. Ele ainda não tinha convencido Kyoshi que Ludo não estava fazendo uma caricia em Keata.

— Eu tem a pessoa


A Matilha de Brac 05 perfeita em mente. Ele é mau como o inferno, mas tem o mais suave dos corações para os pequenos companheiros. Você vai ver. — Eu confio em você para saber o que é melhor para mim e para Keata. Eu só me preocupo para com o meu primo. — Não se preocupe. — Stormy puxou Kyoshi contra ele.

Keata estava encostado na mesa de sinuca, assistindo a dois lobos bater as bolas com o taco. Era um jogo engraçado, e ele realmente gostaria de aprender. — Vocês dois... lobos? Caden e Murdock olharam para o homem depois um ao outro. Caden encolheu os ombros e deu outra tacada. — Sim, Keata. Caden e eu somos lobos. — Murdock não viu qualquer mal em lhe dizer. Alguém deve ter lhe contado para ele perguntado isso. — Você tem dentes grandes como o olhos de Stormy? Ele estava deitado nu em Kyoshi e gritou Kyoshi muito alto — Keata piscou para eles. Murdock inclinou a cabeça, subindo o seu cérebro tentando descobrir o cara estava dizendo. Caden caiu contra ele, rindo, quando uma luz se acendeu na cabeça de Murdock. Ele se inclinou sobre a mesa, bolas de bilhar rolando enquanto ele chorava de ria. Keata encolheu os ombros e caminhou até o bar. Porque gritar o nome de


A Matilha de Brac 05 Kyoshi era tão engraçado? Ele se arrastou em um banquinho e bateu o balcão como tinha visto Johnny fazer. O homem com o cabelo vermelho caminhou atrás dela. — O que eu posso te pegar, Keata? — Jasper perguntou. Keata bateu o queixo pensando como ele tinha visto Johnny fazer também. — Laranja — Isso é o que disse Johnny. Jasper pegou uma lata de refrigerante de laranja e tirou o lacre do topo e despejou-adentro de um copo para Keata. Ele acrescentou alguns cubos de gelo e deslizou transversalmente pelo balcão ao rapaz. — Você lobo? Jasper olhou para Caden e Murdock. Eles estavam assistindo ele com sorrisos largos em suas faces. Mas o quê? Jasper inclinou a cabeça, procurando entre os dois antes de dar sua atenção de volta para Keata. — Ah, por que você pergunta, Keata? — Ele não era o voluntariado se Keata estava perdido. — Olhos de Stormy lobo. Ele tem dentes longos. Ele estava deitado nu em Kyoshi e gritou Kyoshi muito alto. — Ele piscou para Jasper. Os olhos de Jasper se arregalaram enquanto ele olhava para Keata então para Caden e Murdock. Eles estavam rindo histericamente, apoiando um no outro. — Eu não acho que você deveria dizer às pessoas isso, Keata. É privado. — Jasper soube imediatamente Keata tinha acidentalmente visto Stormy reivindicando Kyoshi. Stormy vai cagar tijolos sobre isso. — Que é privado? — Pergunte a Kyoshi. — Ele não ia ter Stormy puxando seus intestinos para fora através de sua boca por dizer mais alguma coisa. — Tudo bem. Entendido. Cody entrou no salão, ficou lá por um momento à procura em direção ao bar, em seguida, baixou a cabeça e saiu. Será que Cody o culpava por encontrar seu companheiro? Ele o odiava agora? Não havia forma de Jasper poder ter evitado isso. De jeito nenhum.


A Matilha de Brac 05 Com o coração pesado, Jasper deu de ombros enquanto ele conversava com o pequeno humano bizarro.

— Loco, posso falar com você um minuto? —

Stormy entrou na cozinha,

achando o lobo brincando com os botões do micro-ondas. — Acho que quebrou. — Loco bateu a palma da mão na prancheta digital.— A coisa nem sequer mostrar os números. — Bem, se não estava antes, está agora. —

Stormy pegou um suco na

geladeira e bebeu metade da garrafa em um gole. — O que seja . — Loco finalmente tirou marmita para fora e jogou a comida em uma panela no fogão para aquecer. — Vou ter que fazê-lo à moda antiga. — Você pode levar Keata debaixo da sua asa? Mostre-lhe os arredores e ter certeza que ele fique fora de problemas? — Depende. Você vai me acusar de tocá-lo? Eu ouvi falar sobre Ludo. Ele é tratado como um leproso agora. Eu não dou a mínima para o que as pessoas pensam dele, contanto que seja verdade. — Eu continuo tentando me desculpar. Ludo nem sequer me ouve. — Deus, Stormy desejava que ele pudesse voltar e fazer tudo de novo. Ele jogou a garrafa no lixo e cruzou os braços sobre o peito. Ele não só tinha alienado Ludo, mas todos estavam com medo de estar na mesma vizinhança de Keata com medo de ser chamado de pervertido. Ele ferrou Ludo e Keata com o seu temperamento. — Algumas coisas você não pode desculpar. Dê tempo ao tempo. Eu vou vigiar o cara. Eu não quero qualquer merda deste tipo. Eu não sou tão passivo quanto


A Matilha de Brac 05 Ludo. Loco olhou para Stormy, com um olhar de advertência antes de despejar mais uma marmita dentro da panela. — Alguém precisa comprar um novo forno de microondas. Aquecimento sobras em uma panela leva muito tempo. — Sim, eu vou verificar isso. — Stormy revirou os olhos. — Obrigado, Loco. Eu vou pegar Keata e apresentar os dois. Rapaz, Loco foi uma surpresa. Ele só esperava que Keata não fizesse o homem querer puxar todos os cabelos de sua cabeleira prateada. Voluntários eram escassos por aqui, no que dizia respeito a Keata. Ele realmente estragou as coisas desde aquele momento.

Capítulo Cinco

Kyoshi estava sentado nos degraus da frente aproveitando o clima quente. A américa era diferente. Ele descobriu que havia coisas aqui que ele realmente apreciava. As pessoas na casa que ele morava agora eram de uma outra espécie. Ele estremeceu ao pensar do que ele e seu primo escaparam. O que tinha começado como um pesadelo, estava tomando um caminho diferente para a família Kia. Quando ele e Keata foram arrancados do mercado, Kyoshi pensou que a vida


A Matilha de Brac 05 deles estaria acabada. Com o que ele tinha ouvido os bandidos dizendo, o sexo se tornaria a única coisa que eles saberiam para o resto de suas vidas. Graças a Deus por esses estranhos lobos. Keata chorara para ir para casa quando os lobos começaram a evitá-lo por causa dele. Keata pedira para voltar para a caixa, dizendo a Kyoshi que eles iriam devolvê-los. Se as coisas fossem assim tão fáceis. Seu companheiro estava aqui agora. A sua casa era aqui e agora. A vida que eles estavam morando de volta ao Japão era difícil, lutando apenas para sobreviver após a morte de sua mãe. Apesar de seu primo estar tendo um tempo difícil de adaptação, Kyoshi sabia que a vida que tinha agora era benéfica para Keata e a si mesmo. — Está tudo bem, libélula? —

Kyoshi se virou para ver seu companheiro

posicionado na soleira da porta, os olhos tristes. Ele tinha orgulho de chamar o lobo dele. Stormy era bonito e delicada. Ele tinha feito a primeira experiência de Kyoshi com o sexo incrível. Sentia-se tolo agora temendo que isso fosse muito, mas ele estava feliz que ele tinha esperado por seu lobo. — Eu simplesmente odeio ver Keata tão desolado. Eu gostaria de poder leválo para casa, mas este é meu lar agora. Ele vai se ajustar com o tempo. — Kyoshi queria Stormy, queria que ele fizesse amor com ele novamente. Ele ainda era muito tímido para se definir ou perguntar para ele como ser sedutor com seu companheiro. Então como é que ele o deixava saber que ele queria foder até seu cérebro derreter? Ele devia bater os cílios? Jogar seu cabelo para trás? Rebolar para ele? Não, isso era o que ele tinha visto o sexo feminino fazer. Ele era um homem. Então o que faziam os homens? Ele seguiu Stormy ao quarto, fechando a porta atrás deles enquanto ele se sentava no assento almofadado da janela. Basta dizer isso. Por que era tão difícil? Ele tinha estado nervoso quando ele falou que era um topo, por que ele não tinha mordido a língua antes de dizer aquelas bobagens? — Hum, Stormy ... Que horas são? — Ugh. Isso não deve ser tão difícil. Respirando fundo, Kyoshi deixou escapar: — Euqueroquevocêmefoda. — Ok,


A Matilha de Brac 05 isso foi brilhante. — O que foi isso, Kyoshi? Ótimo, agora ele teria que repeti-lo mais lentamente. Talvez ele deveria começar apenas ficando nu. Isso tinha que funcionar. Kyoshi virou as costas para Stormy. Com

dedos

trêmulos,

ele

tirou

a

camisa

de

botões,

dobrando-a

cuidadosamente e colocando-a sobre a cômoda, batendo-a para se certificar de que ficou. Pare de demorar. Suas mãos alcançaram o botão em sua calça, mas estavam tremendo muito para abrir. Relaxe. Você já fez isso antes, uma vez. Não foi nada. Ele é seu companheiro, então basta ir para ele. Ele tirou os sapatos, colocando-os em juntos e tendo certeza que eles estavam cuidadosamente emparelhados e em linha reta. Kyoshi tentou mais uma vez desabotoar suas calças, e finalmente, conseguiu. Ele deslizou o zíper para baixo e hesitou. Ar frio roçou seu traseiro quando sua calça se amontoou nos tornozelos. Saia delas com elegância. Respirando fundo, Kyoshi puxou os pés para fora e se inclinou para pegá-las. Dobrou-as e afagou-as também. Ok, meias e cuecas foram as últimas coisas restantes. Ele tirou as meias, juntando as duas partes, e colocou-as em cima dos sapatos. Não, elas não deveriam ir para lá. Talvez ele devesse colocar elas no cesto de roupa suja? Talvez mais tarde. Ok, só cueca agora. Kyoshi respirou fundo, segurando um tempo antes de expirar. Ele encaixou os dedos no cós e ... eu não posso fazê-lo. Sim, você pode. Ok, aqui vai ... de novo. Kyoshi puxou-os e dobrou-os bem, batendo-os para ficar no lugar. Vire-se.


A Matilha de Brac 05 Basta girar o inferno ao redor. Kyoshi começou a andar de volta para a cama, cobrindo seu pênis. Ele sentou na cama e pegou um fiapo ao acaso, espiando Stormy. Stormy estava lá sorrindo. Ok, minha nudez não está dizendo-lhe que quero fazer sexo? Por que ele está ali parado? — Poderia repetir o que você disse? Merda. Stormy estava indo fazer-lhe responder. Oh, homem. Os lábios de Kyoshi moveram-se, mas nada saiu. Talvez Stormy iria ler em seus lábios seu desejo. Seu companheiro de apenas ficou lá esperando. — Eu.. uh... quero que você ... bem, isso quer dizer ... você pode? — Sim, o inglês errado voltou. — Posso o quê? — Hum, fazer amor comigo? Sim ! Eu fiz isso, urra para mim! — Tudo o que tinha que fazer era pedir. — Stormy sorriu para ele. — Vem cá, libélula. Dispa o seu companheiro. Kyoshi deslizou para fora da cama, até alcançar com às mãos instáveis o jeans e abria, lentamente puxou o zíper, enfiou a mão na cintura e puxou as calças até os tornozelos. Ele ficou de joelhos, enquanto ele removia as botas, liberando o jeans pelos seus tornozelos e tirando as meias. Stormy estava nu da cintura para baixo. Kyoshi estava morrendo para dar uma boa olhada no pênis do seu companheiro. Parecia enorme, mas como se parecia? Com as pernas trêmulas, ele se levantou. Seus olhos se abaixaram para o membro saliente que cumprimentava-o. Macacos me mordam! Isto estava dentro dele? Como? — Ensina-me a te agradar, companheiro. —

Uau. Kyoshi afagou-se no


A Matilha de Brac 05 traseiro. Ele estava ficando mais ousado. — Fique de joelhos, e tome meu pau em sua boca. —

Seu lobo puxou a

camisa sobre a cabeça, jogando-a de lado. Kyoshi fez como lhe foi dito, abriu a boca e cobriu a cabeça em forma de ameixa. Ele nunca tinha feito isso antes e esperava que Stormy ficasse satisfeito. Sua língua lambeu ao redor da cabeça, saboreando seu companheiro, pela primeira vez. Ele era delicioso, picante e doce ao mesmo tempo. — Chupe a cabeça, Kyoshi. — Stormy instruiu entre os cerrados dentes. Kyoshi envolveu sua mão ao redor da base e chupou a coroa, lavando com sua língua o líquido claro que estava fugindo da fenda, Stormy gemeu alto, e os quadris subiram um pouco. Encorajado, Kyoshi engoliu mais um centímetro. — Eu não lhe disse para ter mais. — Stormy gemeu. Kyoshi puxou para trás. O almiscarado e viril cheiro inundou seu nariz. O pênis de Stormy estremeceu, e Kyoshi sugou mais duro impedindo-o de sair. — É isso aí, libélula. Suga-o. Segure minhas bolas em sua mão.

Alcançando a mão, sentiu o peso dos testículos de Stormy, enquanto o acariciava. Ele rolou-os, gentilmente soltando-os em seguida, os deixando pesarem para baixo. Os quadris de Stormy começaram a se mover, o seu pau afundando mais para dentro, ele deveria ter mais? Stormy estava empurrando, assim ele devia estar aprovado. Kyoshi abriu mais, permitindo que o eixo fosse mais fundo. — Chupa meu pau, bebê. — Seu companheiro passou as mãos pelo meio do cabelo de Kyoshi, e tiro de eletricidade o cortou com o toque suave. Kyoshi começou a balançar a cabeça, tomando-o na medida em que ele podia. A saliva escorria pelo seu queixo. Ele tornou-se mais ousado, apertando seu testículos e relaxando os músculos de sua garganta. Stormy deslizou mais para trás, Kyoshi chupou duro e bombeou mais rápido. — Vou gozar. — A cabeça de Stormy caiu para trás, agarrando seus quadris com seus punhos cerrados. Seu companheiro de rugiu enquanto jatos e jatos de sêmen dispararam para fora e para o fundo da garganta de Kyoshi. Ele estava desesperadamente tentando engolir tudo. Stormy puxou Kyoshi para cima, beijando-o profundamente como um homem


A Matilha de Brac 05 desesperado. — Watashi wa ni ni Ookami no Toriko seru sa — Kyoshi gemeu. — Isso soa bonito. O que você disse? — Faça amor comigo meu lobo. Seu companheiro grunhiu enquanto ele deitava Kyoshi na cama. Kyoshi deslizou para o centro para acomodar o grande lobo enquanto este subia atrás dele. — Fique em suas mãos e joelhos. — Stormy instruiu. Kyoshi rolou, o cabelo caindo no rosto enquanto ele ligeiramente tremia de emoção e nervosismo. Eles haviam feito isso antes, mas ainda era tão novo para ele. Esta posição era, pelo menos. Seu ânus estremeceram quando um dedo roçou contra ele. Ele sentiu suas nádegas serem separadas, em seguida, um dedo empurrado dentro, sua cabeça abaixou, as sensações o inundando. Ele ficou tenso quando o segundo dedo o quebrou. — Relaxe, libélula. Apenas relaxe. Eu estou aqui com você. — A voz forte de Stormy tornou-se um feitiço hipnótico na mente de Kyoshi. Seu corpo relaxou, e suas mãos se abriram. Ele soltou o medo e permitiu que as sensações fluíssem livremente através dele. — É isso aí, bebê. Os ombros de Kyoshi tocaram o colchão, permitindo que sua parte traseira subisse mais alto. Ele queria isso, queria que essa sensação se expandisse, englobando outro dedo. — Mais. — soltou em necessidade. O colchão se mexeu com Stormy se movimentando por trás dele. Uma mão tocou no interior de sua coxa, encorajando-o a abrir mais. Os olhos de Kyoshi se arregalaram quando ele foi empalado pela segunda vez em sua vida. — Meu — Stormy lambeu no ombro de Kyoshi. Kyoshi se fragmentou, seu sêmen em erupção enquanto Stormy empurrava mais profundamente. — Stormy, por favor. — Kyoshi gritou. As sensações saíram do controle. Ele sentia como se estivesse caindo com os braços estendidos e nada para agarrar. — Muito meu . Stormy envolveu Kyoshi em seus braços poderosos enquanto Kyoshi gritava. Stormy afundou os dentes em seu ombro, prendendo-o no lugar enquanto saia


A Matilha de Brac 05 e entrava de Kyoshi. — Eu preciso ... — Kyoshi implorou. Ele não tinha certeza do que era o que precisava, mas seu corpo estava em chamas. Um turbilhão de sensações e emoções o golpeava, travando sua mente e corpo. Seu Companheiro passou o braço envolta dele, agarrando seu pênis duro, bombeou-o mais rapidamente até Kyoshi gritar seu nome. Stormy imobilizava Kyoshi, mantendo os pés no chão o melhor que pôde, mas ainda não era suficiente. Kyoshi arqueava enquanto seu orgasmo rompia em uma explosão de calor. Stormy resmungou no ombro de Kyoshi, sua pélvis batendo rapidamente contra ele. Kyoshi sabia que o clímax de seu companheiro estava perto. Stormy gemeu em sua carne, ainda com os caninos cravados nela. Kyoshi agarrou o antebraço que estava em torno de seu peito, segurando enquanto ele arfava e voltava para a terra. Ele teve que piscar algumas vezes para recuperar o foco. — Meu —Stormy rosnou desta vez, lambendo seu pescoço. Kyoshi fechou os olhos. A única coisa que ele queria agora era se aconchegar contra o seu lobo e dormir.


A Matilha de Brac 05 Kyoshi e Stormy estavam na cozinha com Kyoshi sentado no colo de seu companheiro enquanto Stormy lhe dava colheradas de sorvete, lambendo o lado da sua boca quando pincelava um pouco do sorvete em sua boca ou queixo. — Agora é assim que você come sorvete? — Cody riu enquanto pegava uma garrafa de água da geladeira e saia. — Por que ele está tão triste, Stormy? —

Kyoshi abriu a boca para outra

colherada. Stormy assistiu a pequena língua cor-de-rosa

de seu companheiro limpar o

lábio inferior. Queria ele de novo. — É complicado. Ele e Jasper foram amantes de longa data, mas não companheiros. Jasper recentemente descobriu seu companheiro, e Cody está tendo um tempo duro para aceitar. Stormy sentia pelo guerreiro, mas não havia nada que podia fazer nada sobre isso. Uma vez que um companheiro é encontrado, ninguém podia interferir. Cody teria que se afastar e permitir que Jasper ficasse com seu companheiro. Se o ruiva deixasse. Seu companheiro era o Alfa da Matilha Leste, um guerreiro alto, de pele escura chamado Zeus. Ele era o maior homem que Stormy já tinha posto os olhos. — É uma pena perder um amor. Espero que as coisas se resolvam bem para Cody — Kyoshi envolveu o braço por cima do ombro de Stormy, a mão acariciando sua trança. Stormy levantou e colocou Kyoshi de pé enquanto ele colocava a taça na pia. — Eu estava pensando em ter um dia com os guerreiros e os companheiros, talvez ir para a cidade para visitar Chinatown. Ajudaria Keata. Ele seria capaz de conversar com as pessoas de lá, e talvez fosse de ajuda com a sua saudade. — Essa é uma excelente ideia — Kyoshi abraçou Stormy pela cintura. Stormy puxou seu companheiro mais perto. Ele faria qualquer coisa para manter esse sorriso no rosto de Kyoshi. Ele o amou no instante em que havia posto os olhos no pequeno homem, e quanto mais ele o conhecia, o mais profundo o amor crescia. Parecia irreal, por vezes, que seu Companheiro estava finalmente em sua vida.


A Matilha de Brac 05 Durante muitos anos, ele se perguntou quem era ele, onde estaria, ou se já havia nascido. Stormy procurou por seu companheiro, tal como qualquer outro shifter, ele foi um dos afortunados por ter encontrado o seu. Bastava olhar nos olhos bonitos de Kyoshi e lembrou-se desse fato todos os dias. Ele queria matar os homens que o haviam sequestrado com a intenção de prejudicar seu pequeno companheiro, mas feliz ao mesmo tempo porque os eventos horríveis trouxeram seu companheiro para ele. Stormy se inclinou e beijou o topo da cabeça de Kyoshi, inalando seu cheiro, agradecido que havia escapado do que teria sido um infernos em vida.

— Isso é incrível — Kyoshi sussurrou enquanto os companheiros saíram dos SUVs. Ele quase se sentiu como se ele estivesse em casa no Japão. A visões e os cheiros eram familiares, fazendo seu coração apertar pela terra que ele nunca veria novamente. Keata estava ao seu lado transbordando de alegria. Ele corria de uma loja para o outra, conversando com quem podia falar sua língua nativa. Stormy teve de puxá-lo para trás algumas vezes quando ele vagou muito à frente. Kyoshi ria da emoção de


A Matilha de Brac 05 seu primo. — Onde diabos eles vendem aquelas coleiras por aqui? — Stormy resmungou. — Isso é legal. —

Drew sorriu quando ele e Blair mostravam bolinhos e

frango em um dos balcões. Keata pediu a Stormy para lhe comprar lanternas chinesas e calendários e até mesmo uma panela japonesa. Kyoshi observou que Stormy pagava tudo o que Keata agarrava. Kyoshi ficou surpreendido antes, quando seu companheiro gritou com outros guerreiros que estavam rindo de seu primo, dizendo-lhe como eles tinham machucado os sentimentos de Keata. Claro, todos pediram desculpas por isso. Eles disseram também que parariam de se evitar Keata se Kyoshi e Stormy prometessem não rotulá-los como pervertidos. Kyoshi ficou feliz por seu primo ser aceito novamente, mas ainda manteria um olho nos guerreiros. Família era para cuidar um do outro. E Keata precisava de muito cuidado. Loco finalmente chegou e tomou conta de um Keata hiperativo. Kyoshi riu enquanto seu primo arrastava o grande guerreiro ao redor. Os companheiros conversaram sobre os pontos turísticos, e Kyoshi foi convocado com guia

honorário, explicando-lhes sobre os alimentos e costumes

diferentes. Eles compraram lembranças e comeram num restaurante pequeno, onde Johnny e Cecil pediu metade do cardápio. Os proprietários tiveram que juntar três mesas para acomodar o grande contingente de guerreiros enormes. Kyoshi viu quando Johnny deu uma risadinha no prato chamado família feliz. Ele pediu ele, só assim ele poderia dizer o nome. Ele ficou preso na palavra moo goo2, pensando que era o nome mais engraçado. Johnny manteve-se inclinado sobre Hawk e estendendo os lábios para fora para dizer a frase. Hawk inclinou-se para ele, permitindo que seu companheiro se divertisse com ele. — E o meu pupu está pronto? — Cecil perguntou à garçonete cada vez que ela passava. Após a segunda vez de lhe dizer não, ela apenas revirou olhos. Kyoshi sabia como ela se sentia. Maverick puxada na manga de Cecil para 2 Moo goo – Prato com pedaços de frango frito e cogumelos.


A Matilha de Brac 05 tentar conter ele, mas Cecil estava se divertindo. Ele puxou Stormy para ele, olhando nos olhos dele, pois nunca tinha sido mais feliz. — Watashi wa anata o aishite3 . — Ele beijou Stormy nos lábios. — Eu também te amo, libélula — Stormy sussurrou contra seus lábios. Kyoshi ficou chocado por Stormy entendê-lo. Ele adivinhou as palavras, não importava o idioma, eram reconhecidos quando se falava com o coração. — Eu conheço os homens. Eles nos pegaram.

— Keata apontou outro

lado da sala. — Sente-se —

Maverick ordenou enquanto os seis guerreiros viraram-se e

rosnaram. — Não os alerte que nós sabemos quem eles são. Eu quero eles seguidos para que possamos encontrar os três outros homens. — Eu vou — Evan despediu-se e saiu. Stormy conduziu Kyoshi e Keata para a cozinha, não querendo que o Americanos feios os visse. Eles deixaram o restaurante pela porta traseira com Micah e Oliver esperando por eles no SUV. — Os outros vão nos encontrar em casa. — Micah informou-os enquanto ele fugia. Kyoshi puxou seu primo em seus braços, ele lhe acarinhou e sussurrava assegurando-lhe que eles estavam a salvo. Foi uma longa viagem desde a cidade, mas quando chegara a casa os guerreiros Gunnar e Murdock os esperava do lado de fora, fazendo uma varredura na área antes de conduzir Kyoshi e Keata para dentro. Eles resto do grupo chegou 20 minutos mais tarde, não querendo apressar-se e levantar suspeitas. Maverick chamou os guerreiros para o seu escritório. — Ele está bem? — Johnny perguntou enquanto ele se sentava ao lado de Keata e entrelaçava seus dedos nos de Keata. — Eu ótimo, cabelo do sol. — Keata lhe deu um sorriso fraco. Seu primo virou-se para ele.

— Tudo que eu podia ver era a caixa que veio aqui e os

Americanos feios tentando nos forçar para o barco. Eu não quero lembrar disso. Eu estava tendo dia maravilhoso até então. Eu perdi os presentes que olhos de Stormy comprou para mim? — Não, Blair pegou nossas sacolas. — Kyoshi sorriu. 3

Watashi wa anata o aishite – Eu te amo em Japonês


A Matilha de Brac 05 — Eu sei qual é a cura para suas preocupações. — Cecil jogou um controlador nas mãos de Kyoshi e começou o jogo. A música bombardeou o lugar, todos gritaram e riram quando Kyoshi se atrapalhou e passou Cecil na linha de chegada. Kyoshi fez uma dança feliz quando seu carro de corrida terminou em primeiro lugar. — Nós deveríamos ter uma festa — Cecil sugeriu. — Só nos companheiros. — Soa bem, mas não é isso que estamos fazendo agora? — Drew perguntou enquanto ele pegava uma garrafa de água atrás do bar. — Não, coloque a água de volta. Estou pensando em algo mais forte. — Cecil pegou e colocou sete copos de dose através do balcão e derramou rum escuro em todos eles. — Muito bem, estava indo para um jogo. O jogador do carro que perder, toma duas doses. — Será que isso vai nos levar a ser punidos novamente? — Blair estreitou os olhos para Cecil e em seguida, deu-lhe um sorriso do mal. concordo. — Ele riu quando ele pegou o controlador.

— Porque se for, eu


A Matilha de Brac 05

Capítulo Seis

— Eu acho que vocês precisam ir para a toca. —

Gunnar informou

os

guerreiros quando ele entrou no escritório. — Porquê? — Maverick recostou-se e pôs a mão no coração. — Apenas vá — Gunnar sacudiu a cabeça e saiu.

— Ei, Kyosham. Eu estou soprando bolha

— Johnny se arrastava enquanto

ele tentava colocar o canudo em seus lábios. Ele riu, em seguida, gritou com o canudo para parar de se mover. Kyoshi tentou levantar as pálpebras superiores para ver Johnny, mas as baterias deveriam ter acabado. — Você está acabado, Dew? — Johnny lambeu os lábios, o canudo colado ao lábio inferior. Ele deu um tapa na ameaça de plástico apenas para enviar seu


A Matilha de Brac 05 refrigerante de laranja por toda a sala. Oliver e Blair se apoiaram um no outro, rindo, quando perderam o equilíbrio caíram na mesa de sinuca e derramaram-se sobre as bolas. — Ei, John John, suas bolas estão pegajosas agora. — Oliver caiu para trás numa gargalhada. Keata rastejou pelo chão, dizendo que era uma formiguinha indo para casa antes que ele fosse esmagado. Pelo menos é o que Cecil pensou que ele disse, ou isso, ou ia aprimorar e lavar um carro. — Porra, eu acho que estou bêbado, também. —

Drew pestanejou. Ele

colocou suas mãos em suas calças para coçar suas bolas, mas perdeu a luta, quando caiu do sofá. — Dormitório, dormitório, dormitório. Eu lubrifico você, dormitório — Kyoshi cantava enquanto tomava mais uma dose. Ele deu uma gargalhada, mas não conseguiu lembrar o que era tão engraçado. Ele tropeçou para o sofá, tropeçando em Drew e caindo com o rosto na virilha de Oliver. — Que diabos está acontecendo? Kyoshi riu, mas não conseguia virar o rosto. Oliver estava dando tapinhas na cabeça dele dizendo-lhe para não chorar porque os pássaros voariam de volta em breve. Stormy puxou seu companheiro de Oliver agarrou Keata ao redor da cintura e arrastou-os para cima. — Dormitório, dormitório meu lobinho. As bolas de Johnny são pegajosas — Kyoshi soltou uma gargalhada enquanto Stormy levava os dois para o andar de cima. Sentou Kyoshi em uma das cadeiras almofadadas enquanto levava Keata para seu quarto. Stormy não sabia o que fazer com a situação. Os companheiros estavam bêbados. Ele enfiou Keata na cama, empurrando sua testa para baixo quando o pequeno furacão tentou voltar para cima. — Fica aí . — Dudo bem, Dormy olhos. — Ele riu, em seguida, estava roncando em cinco segundos. Que bom, um peso leve.


A Matilha de Brac 05 Stormy agarrou Kyoshi quando o pegou correndo em um círculo. — O que você está fazendo? — O meu zíper não fica parado. —

Kyoshi lamentou. Ele deu um tapa na

virilha gritando para ele se comportar. — Você está indo para a cama. Nós vamos lidar com a sua embriaguez pela manhã.

— Stormy o despiu e o deitou na cama, sacudindo a cabeça. Os

companheiros estavam indo corromper a inocência de seu homem. Não, Cecil estava indo. Stormy tinha a sensação de que o bandido estava no comando novamente. Ele esperava que Maverick o esteja castigado. Um sorriso insinuou no rosto de Stormy. Pensando bem, Cecil não merecia tal prazer. Stormy rastejou na cama e puxou o edredom em cima deles. — Agora que você está fazendo? — Stormy jogou o cobertor para trás para ver Kyoshi chupando seu umbigo, a sobrancelha dele curvou-se. — Eu quero te chupar — Kyoshi chupava duro enquanto gemia. — Uh, libélula, você teria que abaixar um pouco mais para isso. — Stormy acariciou a nuca de seu companheiro. — O pau tem um gosto bom. —

Ele mergulhou sua língua no umbigo de

Stormy. Stormy puxou Kyoshi para cima em seus braços e esfregou as costas. Kyoshi dormiu segundos depois. — Merda — Ele riu enquanto puxava o cobertor por cima deles.

Stormy correu entre seu companheiro e o quarto de Keata. Ambos estavam esvaziando seus estômagos e chorando para o quarto para parar de girar. Loco bateu na porta e entrou, indo direto para o quarto de Keata. Ele podia


A Matilha de Brac 05 ouvir o rapaz gritando que bateu a cabeça. — Eu não acho que tenho que puni-lo, Kyoshi. Você está fazendo um grande trabalho sozinho.

— Stormy limpou a boca, então, colocou seu companheiro de

costas. Deu-lhe duas aspirinas e disse-lhe para descansar. Ele se deitou ao lado de seu companheiro, colocou alguns fios do cabelo para trás de seu rosto enquanto os lábios de Kyoshi se separaram no sono. O que ele tinha pensado em ouvir Cecil? Stormy teria de avisar o seu companheiro para não escutar os planos do homem de muito cabelo e pouco cérebro. Stormy observou a beleza de Kyoshi. Ele correu um dedo sobre o nariz, e até seus lábios. — Eu te amo, libélula. — Beijou seu companheiro na testa antes de desligar a lâmpada na mesa de cabeceira.

Kyoshi sentou na mesa da cozinha com a cabeça entre as mãos, desejando que a maldita dor de cabeça fosse embora. Nunca na vida dele que ele iria beber novamente. — Oi . Kyoshi olhou para cima para ver um zumbi Drew caminhando até a geladeira, Remi logo atrás. Remi guiou seu companheiro até a mesa e sentou-se, pegando dois copos de suco de laranja. Serviu-os depois colocou um na frente de Drew e um na frente de Kyoshi. Remi sorriu-lhe calorosamente. Sua beijou o topo da cabeça de Drew, antes de sair.


A Matilha de Brac 05 — Nunca mais. — Drew gemeu. — Nem eu — Kyoshi arrotou e rezou para ele não ficar doente de novo. Era como se cada lado da cabeça estavam sendo atingido com um martelo. Blair se sentou em uma das cadeiras e colocou a cabeça na mesa, gemendo alto quando Drew raspou a cadeira para trás. — Drew, muito alto. — Blair se queixou enquanto agarrava a cabeça. Hawk invadiu a cozinha, olhou para eles, então pegou uma garrafa de Gatorade na geladeira, bateu-a para fechar e, em seguida saiu correndo. — Não foi nossa ideia. — Blair assistiu Hawk pausar antes de sair. — Eu acho que um dia destes ele vai brigar com Cecil para parar com suas travessuras. — Drew riu e encolheu-se, em seguida, esfregando as têmporas. — Mas o cara é divertido. — Blair sorriu. — Me perguntei onde tinha ido. —

Stormy puxou Kyoshi no braços e

embalou-o enquanto o levava de volta para seu quarto. — Estou enjoado — Kyoshi gemeu. — É por isso que é chamado de ressaca. — Stormy riu enquanto ele colocava seu companheiro de volta em sua cama. Stormy foi dar uma olhada em Keata. Loco o tinha em seu colo enquanto ele embalava um Keata adormecido em seus braços. Ele estava sentado no assento da janela olhando para fora da janela. O guerreiro virou-se e acenou para Stormy. Stormy sorriu e fechou a porta, se perguntando se Loco era o companheiro que Ludo tinha mencionado. Kyoshi estava enrolada no centro da cama, dormindo.


A Matilha de Brac 05

— Eu os segui a um barracão na cidade. Eu não vi nenhum dos homens estrangeiros, mas parece haver uma grande quantidade de homens entrando e saindo do lugar. — Evan relatou para Maverick por telefone. — Vou enviar um par de guerreiros para você, a operação vai começar. Entre, pegue os homens, se você encontrá-los, em seguida, saia. Se eles não estiverem lá, mantenha a sua posição até poder os seguir para um local diferente.

— Maverick

falou baixinho ao telefone. — Sim, Alfa. — Evan desligou o telefone. Se ele não o conhecesse, ele poderia pensar Maverick estava agindo como um agente secreto. Merda, era chato não estar em casa.

Kyoshi entrou na Toca e socou Cecil em seu braço. — Ow, o que foi isso? — Ele esfregou a área machucada. — Isso é por me envergonhar. Meu companheiro não me olha mais do mesmo jeito. — Kyoshi silvou para ele. Ele socou Cecil em seu braço novamente. — Você vai parar com isso? — Cecil bateu no peito de Kyoshi. Kyoshi empurrou Cecil para trás, fazendo-o tropeçar na mesa de sinuca. Cecil se endireitou e empurrou Kyoshi pelos ombros.


A Matilha de Brac 05 Eles começaram a bater um no outro, batendo e se empurrando quando Blair e Oliver os agarrou em torno da cintura e os puxou um do outro. — Eu não fiz você beber — Cecil reclamou. — Não, mas você me pressionou — Kyoshi retrucou. — Não, mentiroso gordo — Cecil amuou. — Você é, também. — Não . — Chega. Vocês soam como dois meninos de cinco anos de idade. Quer um copo de canudinho? Prometo acrescentar rum. — Jasper riu. — Agora, se beijem e façam as pazes. Companheiros não lutam. Isso é o que os guerreiros fazem. — Ele começou. — Cecil cruzou os braços sobre o peito e enfiou o nariz no ar. — Não . — É mentiroso, também. — Vou colocá-los de castigo no canto, se vocês não fizerem as pazes. — Jasper advertiu. — Tudo bem, desculpa por não fazer você beber. — Cecil colocou as mãos nos quadris e encarou Kyoshi. — Isso não é uma desculpa, idiota. — Não sou.... — E também mentiroso. Jasper revirou os olhos e colocou os dois um em cada canto da toca. — Você não pode me fazer ficar aqui — reclamou Cecil. — Sim, ele pode. Cecil e Kyoshi viraram ao redor para ver Maverick em pé no arco da porta com os braços sobre o peito. — Porquê? — Cecil lamentou. — Agora faça . — Ótimo — Cecil virou e enfiou o nariz na parede. Kyoshi fez o mesmo, humilhado inacreditavelmente enquanto ele ouvia os outros companheiros cochichar . Maldição.


A Matilha de Brac 05

Keata desceu a escada em caracol e entrou na toca, olhando de Cecil para Kyoshi. Ooh, eles estavam em apuros. Ele sentou ao lado de Drew e se inclinou.

— O que eles fazem? — Ele

sussurrou. Drew sussurrou de volta: — Eles estavam lutando. — Kyoshi Kia, errado — advertiu Keata seu primo.

— Menino mau —

acrescentou. Drew sorriu quando viu Kyoshi ficar vermelho enquanto enfiava o nariz ainda mais para o canto. — O que? — Stormy olhou de Keata para Kyoshi, perguntando por que diabos seu companheiro estava de pé no canto. — Menino mau Kyoshi. Ele luta. — Keata sorriu para Stormy. — Venha me ver quando o seu castigo acabar, Kyoshi. — Stormy deixou seu companheiro enquanto ele escondia o sorriso. — Não foi minha culpa — Kyoshi resmungou.


A Matilha de Brac 05

Evan vigiou o prédio do outro lado da rua. Ele não gostou do que viu. Havia muitos homens nas ultimas 24 horas indo e vindo. Ele tinha um mau pressentimento de que sabia o que estava acontecendo. Evan olhou por cima do ombro quando seis outros Sentinelas da Matilha atravessou o apartamento alugado. — Eu pensei Maverick disse um par. — Acredito seriamente que o cara precisa sair de seu escritório com mais frequência. — Gunnar sorriu, apertou a mão de Evan. Murdock, Cody, Tank e Ludo passaram por trás dele. Evan balançou a cabeça em todos os músculos do coletivo que tinha vindo para salvar três jovens. Sim, o seu Alfa estava perdendo a cabeça. Os guerreiros observaram o prédio por algum tempo, tentando identificar áreas mais fracas e observar a estrutura do prédio. — Você sabe, se eu não soubesse melhor, diria que são clientes entrando e saindo. Por favor me diga que eles não estão alugando os homens para sexo. — Tank rosnou enquanto ele passava a mão sobre seu cabelo cortado rente à cabeça. Ele não quis esperar. Aqueles homens poderia estar passando por terríveis merdas agora. Seu estômago apertou só de pensar. — Nós vamos tirá-los, Tank. Acalme-se. — Murdock apertou seu ombro. Tank balançou a cabeça e caminhou de volta até a janela.

Stormy olhou quando Kyoshi entrou no quarto na ponta dos pés.

— Não


A Matilha de Brac 05 acontecendo, libélula . Seu companheiro voltou com um grande sorriso estampado em seu rosto. — Stormy, oi. Como vai? — Não, nem pense. — Stormy levantou-se da cadeira que estava sentado, atravessando o quarto e ficando de pé em frente a Kyoshi. Kyoshi sorriu para ele nervosamente. — Brigando? Meu companheiro estava brigando dentro de casa? Você pode me dizer a razão? — Stormy olhou para baixo em Kyoshi. Kyoshi apontou para ele. — Seus olhos estão fazendo essa coisa engraçada de mudar de cor. Eles estão um âmbar profundo, bonito. Stormy encarou fixamente seu Companheiro. — Nem tente mudar o assunto ou me lisonjear. Explique. — Uh, sim, sobre isso. — Kyoshi enfiou as mãos nos bolsos de trás, torcendo os lábios e parecendo como se estivesse tentando pensar em uma boa desculpa. — Não, sem Inglês quebrado. Explique — advertiu a Stormy. Kyoshi soltou um suspiro. — Tudo bem. Cecil envergonhou-me ante seus olhos, e eu estava furioso. Stormy

não

tinha

ideia

do

que

seu

companheiro

estava

falando.

Envergonhado? — Ninguém poderá jamais te envergonhar aos meus olhos, libélula. Você é perfeito. Um pouco estranho, mas perfeito. Lágrimas

deslizaram

dos

olhos

escuros

de

Kyoshi

Eu

me

senti

envergonhado. Eu não quero que você me veja em toda a luz que não seja a mais brilhante. Stormy puxou Kyoshi em seus braços, beijando cada lágrima fugitiva. — Não chore, companheiro. Rasga o meu coração ver você triste. — Ele caiu de joelhos e mordiscava Kyoshi no queixo, lambendo a mordida. Kyoshi gemeu e inclinou-se para ele. — Faça amor comigo, meu lobo — Kyoshi sussurrou. — Sempre. — Stormy removido as roupas de Kyoshi e recostou-se, bebendo a bela vista diante dele. — Meu — Ele rosnou e se abaixou enquanto ele chupava num mamilo.


A Matilha de Brac 05 — Seu — Kyoshi empurrou o peito dele contra os lábios da Stormy. Stormy segurou os pequenos globos arredondados de Kyoshi enquanto ele chupava os discos marrom e os lambeu, até ficarem duros. Ele beijou um caminho para baixo da barriga Kyoshi em direção ao seu umbigo, em seguida, riu ao lembrar da noite anterior. — O que há de tão engraçado? — Kyoshi disse ofegante. — Não é nada, bebê. — Stormy beijou a cabeça do pênis de Kyoshi e teve de engolir mais rapidamente quando Kyoshi gritou em seu orgasmo. — Porra, você me faz o lobo mais feliz sobre o planeta. — Stormy admitiu contra a cabeça do pênis de Kyoshi. Ele lambeu o restante do sêmen e levou o seu companheiro para a cama. Ele o deitou de bruços enquanto o beijava do pescoço ao tornozelo, sua língua lambendo levemente o vinco do traseiro. — Stormy — Kyoshi gemeu quando ele lambeu fundo. Stormy lambeu os testículos de Kyoshi, então separou seu globos, fodendo com a língua seu ânus enrugado. Seu polegar deslizou dentro no momento em que ele voltou a chupar os testículos. Ele mexeu o polegar dentro, protelando sua necessidade de tomá-lo rapidamente. — Por favor. Eu preciso ... — , Kyoshi lamentou. — E você deve ter — prometeu Assaltados em uma nota baixa e rouca. Ele puxou o polegar para fora para ser substituído por dois dedos enquanto ele rolava Kyoshi em suas costas. — Brinque com você — pediu, enquanto o observava com olhos semicerrados. Kyoshi corou e se atrapalhou com seu pênis por um momento antes de masturbar sem jeito. Stormy estendeu o braço e pegou o lubrificante, derramando uma pequena quantia para ajudar Kyoshi. Ele espetou um terceiro dedo quando seu companheiro começou timidamente um ritmo constante, seus quadris balançando quando corria o polegar sobre a cabeça, gemendo. — É isso aí, libélula. Divirta-se. — Stormy assistiu em fascinação absoluta. Ele não poderia ter puxado os olhos imediatamente mesmo se a casa pegasse fogo. Kyoshi choramingou enquanto seus quadris arquearam, e gritou o nome de Stormy, o


A Matilha de Brac 05 esperma caindo sobre seu abdômen. Stormy se inclinou e passou os dedos com a confusão em seu abdômen, e escreveu seu nome na barriga de Kyoshi. Ele levantou o dedo e lambeu o creme dele. — Isso é quente, lobo — Kyoshi o olhou com os lábios entreabertos, lambendo-os como se estivesse degustando do líquido. Stormy passou o dedo em Kyoshi mais uma vez, em seguida, mergulhou o dedo nos lábios de Kyoshi, seu corpo estremeceu quando Kyoshi fechou os lábios em torno do dígito, chupando seu próprio sêmen. Seu pênis pulsava por trás do jeans. Saindo da cama, ele quase caiu ao tirar suas roupas e pular de volta. Kyoshi riu. — Impaciente? — Você é um maldito saltador por acaso? —

Stormy respondeu enquanto

capotava Kyoshi de joelhos. Ele caiu de volta para uma rápida lambida em seu ânus antes de derramar lubrificante na fenda e em seu pênis. Ele jogou a garrafa para o lado e correu os dedos para cima e para baixo na fenda, mergulhando o dedo dentro Kyoshi. — Estúpido — Kyoshi gemeu e riu. Ele riu profundamente enquanto fazia pequenas sondagens dentro, tentando alcançar aquele doce local. — Stormy! —

Seu ânus segurou o dedo de Stormy enquanto as costas se

curvaram. Stormy observou-o estremecer enquanto ele esfregava a mão seca nas costas de Kyoshi. Quando a pressão aliviou, arrancou os dedos e substituiu com seu pênis, puxando os quadris de Kyoshi de volta e empalando seu companheiro em seu pau latejante. — Você é tão apertado. —

Stormy gemeu enquanto ele empurrava para a

frente, em seguida, puxava Kyoshi de volta. — Oh foda — Stormy removeu as mãos e viu seu pênis desaparecer mais uma vez enquanto Kyoshi balançou para trás e para frente, tendo o seu prazer. Os testículos de Stormy ficaram mais duros, e ele sabia que estava perto. Ele passou o braço sobre seu companheiro e pegou seu eixo, bombeando-o para os impulsos que Kyoshi tinha fixado. — Oh Stormy, Stormy. Tão perto

— Kyoshi cantarolava enquanto ele


A Matilha de Brac 05 empalou-se uma e outra vez. — Goze para mim, libélula. — Stormy apertou o pau de Kyoshi, e sua mão ficou banhada em calor quando Kyoshi gritou. Stormy agarrou os quadris de Kyoshi e assumiu o controle, batendo profundo e duramente. Ele grunhiu quando sentiu a disparar o primeiro jorro de seu pênis depois rugiu quando a onda se intensificou e explodiu, pisoteando mais rápido em seu corpo, em seguida, disparando para fora. Stormy caiu de lado. Sua pele tinha um brilho de suor, e seu coração batia fora de controle. Kyoshi caiu no colchão, ofegante. — Eu briguei por causa disso — resmungou Kyoshi enquanto ele adormecia. — Eu sei, libélula — Stormy sussurrou.

Capítulo Sete


A Matilha de Brac 05

Tank sinalizou para Murdock, Murdock acenou com a cabeça, em seguida, se moveu. Agachou-se e engatinhou para trás, ele se esgueirou até a porta dos fundos. Evan escalou as varandas, até que caiu sobre o telhado. Gunnar se moveu enquanto ele engatinhava para baixo através da janela do porão. Ludo tomou o lado leste da casa, escorregando por uma janela do primeiro andar, e Cody ficou na rua como um vigia. Ele estava em sua forma de lobo, para um apoio rápido caso tivesse um sinal de problemas. As luzes piscaram, gritos rasgaram a noite tranquila, tiros estouraram e depois houve silêncio.

Cecil entrou na cozinha quando Kyoshi foi pegar uma garrafa de suco na geladeira, e eles ficaram em silêncio. Cecil correu os dedos na parte de cima do balcão enquanto ele olhava para Kyoshi pelo canto dos seus olhos. Kyoshi mexeu o peso do corpo de pé para pé. Nenhum dos dois disse uma palavra. Cecil pigarreou. — Então, foi realmente tão ruim assim? — Ele olhou para a mesa, torcendo os lábios para o lado quando ele procurava traçar um padrão circular com o dedo. — Sim. Depois — Kyoshi encarou a tampa do suco. — Você, uh, quer jogar videogame comigo? — Cecil bateu a unha no balcão.


A Matilha de Brac 05 — Claro — Kyoshi sorriu.

Hawk desceu as escadas quando os guerreiros irromperam pela porta da frente, Tank sendo carregado por três dos Sentinelas. — O que aconteceu? — Maverick exigiu enquanto se apressou para ajudar a carregar Tank para o quarto mais próximo. — Ele foi atingido quando o mundo desabou. Ele tem uma bala alojada na coluna. Tivemos medo de removê-la. Não tivemos escolha a não ser matar os traficantes, e eu não posso dizer que sinto muito sobre isso também.

— Cody

ofegava quando eles chegaram ao quarto e deitavam Tank sobre seu estômago. Ele estava inconsciente e pálido. — Ele não vai se transformar. Ele acha que vai matá-lo se ele tentar. — Chame o médico lobo. Diga a ele para trazer sua bunda aqui o mais rápido que puder. — maverick gritou enquanto Cody pegava seu telefone celular. — Que diabos você quer dizer com ele não está disponível? — Cody gritou em seu telefone. Ele deu um soco na parede, enquanto jogava o telefone d outro lado do quarto. — Vá para o hospital mais próximo e procure um médico que possa ser comprado. Encontre-o rapidamente, Cody. — Maverick voltou para Tank, seus olhos e sua determinado apertando sua mandíbula. Tank tinha estado sob seu comando durante um século e meio. Ele não ia perdê-lo. — Vocês tiveram sucesso? — Maverick perguntou a ninguém em particular.


A Matilha de Brac 05 — Sim, eles estão lá fora no SUV, com muito medo de entrar —

Murdock

declarou. — Vá buscar Kyoshi. O companheiro de Stormy pode trazê-los para dentro. Eu quero eles em casa e seguros.

— Murdock assentiu enquanto deixava seus

companheiros de Matilha.

Kyoshi sorriu enquanto Stormy lavava suas costas. Ele sempre usou as mãos para que ele pudesse explorar mais limpamente. Kyoshi tirava a espuma de sabão flutuando em torno da banheira enquanto seu Companheiro gemia. Kyoshi olhou por cima do ombro para ver seu lobo descontraído com os olhos semicerrados, tocando seu pau e sorrindo. — Outra vez? — Kyoshi perguntou com um choque fingido. — Você me conhece. —

Stormy se inclinou para frente e agarrou Kyoshi

quando bateram na porta do banheiro. — Shh, talvez eles vão embora — sussurrou Stormy. A batida soou mais alto. — Maldição — resmungou Stormy. — Quem diabos está aí? — Ele retrucou. — Murdock. Desculpe, Stormy, Kyoshi é necessário no andar de baixo. Ordens do Alfa — ele disse através da porta. — Estaremos lá em cinco minutos — Stormy gritou de volta.


A Matilha de Brac 05 Stormy puxou a tampa da banheira e esvaziou-a, xingando o tempo todo. — Um destes dias vou começar a passar mais tempo com você sozinho, sem interrupções. Kyoshi e Stormy desceram as escadas para o caos. Seu companheiro o puxou mais perto, enquanto ele olhava ao redor procurando Keata. Ele tinha um mau pressentimento sobre isso. Alguma coisa estava definitivamente errado. — Eu preciso que você leve seu companheiro lá fora. Encontramos os três homens que foram trazidos com ele e Keata, mas eles estão assustados demais para sair do SUV.

— Maverick disse para Stormy enquanto Kyoshi corria para fora da

porta. Stormy perseguiu-o quando Kyoshi achou Keata pendurado na janela da frente, falando mais que mil palavras por minuto, Loco de pé ao lado dele. Kyoshi abriu a porta traseira e soltou um grito. Havia três homens nus e sentados no banco de trás. — Loco, você pode obter algo para eles vestirem por favor? —

Stormy

perguntou. — Estava apenas à espera de alguém sair para que eu pudesse fazer isso. — Loco piscou enquanto ele andava de volta para casa. Kyoshi falou em um tom baixo, tentando tranquilizar e confortar. Ele percebeu pelo canto do olho que os outros companheiros se reuniram na porta da frente e estavam olhando-os com curiosidade. Loco suavemente empurrou os companheiros e saiu com três conjuntos de calças de moletom e camisetas. Os guerreiros viraram as costas enquanto Kyoshi entregou-lhes a roupa, em seguida, virou as costas também. Keata continuou a conversar até que, aparentemente alheios a qualquer modéstia os três começaram a se vestir. — O que ele está dizendo? —

Stormy perguntou enquanto esperavam os

homens se vestir. — Ele está falando sobre seus olhos Stormy — Kyoshi sorriu.

— Também

sobre a seu novo melhor amigo, Loco. Ele está dizendo que eles não têm nada que se preocupar e que esta casa tem boa comida. — Kyoshi riu. — Ele apenas disse a eles


A Matilha de Brac 05 sobre o quarto grande do jogo no interior da casa onde você pode jogar os seus jogos ou ficar bêbado . Stormy riu quando Kyoshi virou. Ele falou para três saírem, então, para dentro da cova onde ficaram amontoados, um olhar de terror gravado em cada face. Kyoshi se lembrou desse sentimento. Ele desejou que eles não tivessem ficado afastados quando ele e Keata escaparam. Eles não tiveram a mesma sorte. Seu estômago deu um nó pelo que eles deviam ter sofrido na mão dos contrabandistas. Kyoshi ouviu quando Stormy foi informado sobre Tank. Stormy, lançou uma maldição. Kyoshi seguiu seu companheiro enquanto ele se encaminhava para o quarto que parecia ter todos os guerreiros dentro. Colocaram Tank de bruços e ele não se movia. Kyoshi poderia dizer que ele estava respirando, mas sua palidez o preocupava. Maverick saiu de seu escritório e informou que Zeus tinha concordado em levar os três jovens para sua matilha. Ele iria enviar mais de um de seus guerreiros para apresentar a eles e ter Kyoshi explicando para eles o que estava acontecendo. — Porque eles não podem ficar aqui? —

Kyoshi não gostou da ideia dos

homens indo para algum lugar que não teriam um intérprete. — Não é o seu destino. — Era tudo o que Maverick revelou a todos antes de sair. — Maldição dos seus sonhos. Estou começando a me perguntar se Maverick não está cultivando maconha nos fundos. Ele com certeza como o inferno age como se às vezes, tivesse essa porcaria nas entranhas — Stormy disse.


A Matilha de Brac 05

O médico passou metade da noite no quarto com Tank, com os guerreiros andando de um lado para o outro no saguão, esperando. Quando o médico surgiu, jogaram sobre ele, questionando o estado de Tank. O homem se apoiou na parede, os olhos pulando de um rosto para o outro, com um brilho do suor salpicado as sobrancelhas. — Afastem-se agora — Maverick ordenou em um tom baixo. Os guerreiros se afastaram enquanto seu Alfa o abordava com as mãos atrás das costas. — Ele está bem? — Maverick perguntou com um tom suave. O médico olhou Maverick, em seguida, engoliu em seco. — Ele está descansando. A bala não penetrou em sua coluna. Apenas alguns centímetros para a esquerda. Ele deve se recuperar.

— Sua voz tornou-se firme

enquanto ele entrava em seu modo profissional. — Obrigado, doutor ...? — Maverick perguntou. — Doutor Nicolas Sheehan. — Ele estendeu a mão para Maverick. O Alfa balançou então levou o Dr. Sheehan ao seu escritório.


A Matilha de Brac 05

— Você acha que os homens ficarão bem na Matilha Leste? — Stormy Kyoshi perguntou a Stormy enquanto se aconchegava ao seu lado. Ele passou as mãos pelos cabelos seda dourada de Stormy. — Eu não tenho certeza, amor. Eu não acho que Maverick iria enviá-los em algum lugar que eles seriam prejudicados. Kyoshi espalhou os cabelos de Stormy por cima do ombro, a mão de rastejando e mergulhando nas curvas de seu braço musculoso. Ele inclinou-se e beijou o topo de seu bíceps. — Kyoshi — Keata correu para o quarto só para ter Loco agarrando-o pela cintura e transportando-o de volta. Ele fechou a porta silenciosamente. — Temos de conseguir seu próprio quarto. — Kyoshi riu. — A primeira coisa amanhã. — Stormy puxou Kyoshi em seus braços. — Por que seus olhos mudam de cor? — Perguntou ele. — Meu lado paterno é descendente de Magos. Eles são uma raça que foi extinta. Não existe magos puro-sangue mais. Meu sangue é tão diluído que o poder de controlar os elementos ainda não foram repassados. — Stormy explicou a Kyoshi. — Acho que eles são muito misteriosos. Eles fazem a gente olhar novamente e prestar atenção. — Kyoshi sorriu para ele e Stormy se derreteu contra ele.


A Matilha de Brac 05

Keata espiou para dentro do quarto de dormir para ver o grande lobo. Ele arrastou-se até a forma adormecida. Keata passou a mão em cima do buraco feio e franzido nas costas, e se perguntou se o lobo ia ficar bem. — Ei. Keata olhou para cima para ver o grande lobo a sorrir-lhe por sobre o ombro. Ele soltou a mão e puxou-a para as costas. Seus olhos ficaram presos nos olhos tão castanhos eram quase preto. — Está tudo bem. Você pode tocá-lo. — Tank alcançou devagar e levou a mão Keata de volta a sua ferida. Keata alisou a mão pelas costas do lobo, os olhos dardejando para trás para se certificar de que não estava o machucando. — Você está bem? — Tank estendeu a mão e passou o dedo pelo rosto de Keata. — Eu bem. Você? — Keata pegou o toque. — Eu estou bem. Apenas um arranhão. — Ele sorriu. Keata sorriu, colocou a mão sobre o lobo.


A Matilha de Brac 05

Cecil sorriu para Kyoshi enquanto lutou com o seu controlador, louco, porque ele perdeu de novo. Ele estava feliz que eles estavam se falando novamente. Ele não gostava de animosidade entre eles. Companheiros tinham que ficar juntos. Eles eram os donos da casa, ele especialmente. — Fico feliz em ver vocês juntos de novo. — Jasper piscou quando ele pegou uma cerveja no bar. Ele torceu a tampa e tomou um longo gole. — Apenas um mal-entendido. — Cecil deu um tapinha em Kyoshi enquanto eles começaram uma nova rodada. Kyoshi bateu, até o homem de Cecil jazer ensanguentado no chão. Ele gostava muito desses jogos de videogame. Kyoshi virou-se para pegar seu suco quando viu Keata simplesmente fechando a porta do quarto em que Tank dormia. Ele viu quando o seu primo subiu as escadas e desapareceu. Sua raiva se elevou no pensamento do grande lobo se aproveitando da inocência de seu primo. Ele estava ficando cansado de ter de vigiar a esses lobos e suas mãos voadoras. — Está brincando ainda? Kyoshi voltou sua atenção para o jogo enquanto ele pensava sobre Keata e o que estava acontecendo. Talvez fosse apenas uma visita inocente, verificando o guerreiro ferido. Ele podia estar tirando conclusões precipitadas, mas não podia deixar de proteger Kyoshi. Estava impregnado nele cuidar de Keata. Ele terminou o jogo dele, em seguida, subiu a escada para descobrir o que estava acontecendo. Ele encontrou Keata sentado em seu assento na janela, olhando para fora com uma expressão vazia. — Keata, você está bem?


A Matilha de Brac 05 — Eu bem. Por quê? — Keata voltou sua atenção para Kyoshi. — Por que você estava no quarto do Tank sozinho? — Kyoshi viu o rubor leve em Keata que deu de ombros. Sua cabeça girava com as possibilidades do que poderia ter acontecido. — Ele te tocou? — Kyoshi silvou. — Eu homem crescido. Meu negócio.

— Keata voltou para sua janela

olhando como se dispensasse Kyoshi. — Você é o meu negócio, meu jovem, e eu exijo saber o que aconteceu. — Não. — Keata cruzou os braços sobre o peito e olhou para Kyoshi. Ele poderia dizer que Keata não falaria sobre este assunto. Ele saiu do quarto pisando duro para encontrar seu companheiro. Stormy estava no quintal verificando alguns tijolos que havia se soltado no caminho que leva ao jardim quando Kyoshi xingou de novo. — Eu acho que Tank fez um movimento em Keata — Kyoshi disse com raiva. — Espera aí. Diga-me o que aconteceu antes de eu acusar alguém. Eu não estou prestes a arruinar o nome de outra pessoa até que eu tenha todos os fatos. — Kyoshi retransmitiu para ele o que ele viu e a postura obstinada do Keata. — Parece-me que Keata está correto. Ele é um adulto, Kyoshi, não importa o quanto você deseje de forma diferente. — Seu companheiro se ajoelhou para encarar Kyoshi. — Você tem que cortar as cordas em algum momento. Mas vou falar com Tank em particular e perguntar a ele sobre isso. — Não. Eu não tenho nada, exceto para cortar as bolas de tank fora, se ele passar perto de Keata novamente. — Kyoshi, seja razoável. Keata não é uma criança. Ele pode fazer suas próprias escolhas, viver sua própria vida — Então você está dizendo que ele deveria ir embora? — Kyoshi fitou-o com espanto. — Isso não é o que estou dizendo. Se você se acalmar, então você entenderia … — Não, ele não tem permissão para tomar suas próprias decisões. Ele precisa de orientação, ele precisa de proteção e ele precisa de mim...

— A voz de Kyoshi


A Matilha de Brac 05 quebrou num soluço na última parte. — Vem cá, libélula. Eu vejo o que está errado. Não é porque você acha que Keata não pode cuidar de si mesmo. Você não pode é desistir dele.

— Seu

companheiro o segurou nos braços, beijando-o suavemente. — Ele é tudo que eu tenho, Stormy. Por favor, não me peça para desistir dele. — Kyoshi chorou no pescoço de seu companheiro enquanto as palavras que ele disse, entrou em sua mente. Era verdade. Ele não conseguia deixar seu primo crescer. Era uma lembrança de sua infância, sua mãe e o Japão, e ele era responsabilidade de Kyoshi. — Eu nunca iria pedir-lhe para desistir dele. Basta dar-lhe espaço para crescer, descobrir quem ele é, sem sua sombra sobre ele. Confie nele. Stormy acompanhou Kyoshi para casa, então pelas escadas ate o seu quarto. — Acho que a primeira coisa que você poderia lhe dar é o seu próprio espaço. Conversei com Maverick. Ele tem o quarto perfeito para Keata. Ele vai ficar bem. — Eu não sei. Eu não acho que posso fazê-lo. E se ele ficar assustado no meio da noite? E se ele precisar de mim? — Então, há uma casa cheia de gente para ajudá-lo, e se ele insiste em querer você, então ele sabe onde dormimos. —

Stormy enxugou as lágrimas de

Kyoshi, segurando-o próximo. — Eu vou tentar — prometeu Kyoshi. — Vamos lá. Eu quero levar vocês dois para o centro de recreação. — Stormy puxou Kyoshi da cama.


A Matilha de Brac 05

Capítulo Oito

Eles

descobriram

Keata

e

Loco

sentados

nos

degraus

da

frente,

compartilhando um sorvete. Stormy assistiu enquanto Loco ria e limpava os restos pegajosos do queixo de Keata. — Eu queria levá-los ao centro de recreação — Stormy disse depois de limpar a garganta. — Parece bom. Eu vou ver se os outros companheiros querem ir junto. Loco ficou de pá, agitou o cabelo de Keata e entrou. — Você está bem? — Stormy perguntou enquanto ele se sentava onde Loco estava antes. Ele olhou ao redor do jardim, a grama aparada diante deles. Stormy olhou além do estacionamento de cascalho na lateral da casa, multidões de picapes e SUVs forravam a unidade. Parecia uma casa normal, parecia normal e humana. Se o mundo exterior só soubesse quem a habitava. — Eu bem. — Keata bateu o joelho no de Stormy. — Centro de recreação? — Um lugar para brincar com outras pessoas. —

Stormy manteve a

explicação simples, sabendo que Keata ficava frustrado quando não entendia. — Entendido — Keata olhou para a frente novamente, como se estivesse sonhando acordado. Stormy se perguntou com o que Keata sonhava, o que ele queria da vida. Keata pôs os cotovelos sobre os joelhos, observando quando dois esquilos perseguiam um ao outro pelo amplo quintal. — Todos os companheiros querem ir — Loco informou-lhe quando saia . — Acho que precisamos de mais guerreiros. — Vou levar um dos veículos maiores. — Stormy ficou de pé, limpando seu traseiro e foi para pegar as chaves de um dos SUVs.


A Matilha de Brac 05 — Keata está lá fora? — Kyoshi perguntou quando ele entro na toca. — Sim, ele está lá fora, com Loco. —

Stormy inclinou-se, um impulso

irresistível de controlar seu companheiro em seus braços. — Eu te amo, libélula. Kyoshi corou e sorriu para ele. — Eu também te amo — Kyoshi o puxou para um beijo rápido. — Estamos prontos. — Johnny saltou para a porta com Hawk seguindo logo atrás dele. Uma vez que os companheiros na frente se juntaram, eles se amontoaram a espera de um veículos, conversando empolgados sobre sair da casa. Stormy se sentiu mal, que não podiam ir e vir como outros seres humanos poderiam, mas essa era a vida de ser acasalado com um shifter. O luxo de uma total liberdade já não seria deles. Kyoshi afivelou o cinto de segurança no banco da frente, sorrindo, antes de se virar para Stormy. — Estão prontos? — Stormy olhou pelo espelho retrovisor. Todo mundo concordou. Ele saiu do estacionamento e para a estrada pavimentada, dois outros SUVs os seguiu. Eles chegaram ao local e estacionou na entrada. — Não vi vocês já á algum tempo. —

Thomas, um dos conselheiros os

cumprimentou. — Fiquei preocupado por um momento. — Você não vai se livrar de nós tão facilmente — brincou Cecil enquanto corria com Blair para um canto para começar uma outra lição. Blair tinha chegado a eles analfabeto, e Cecil estava lhe ensinando desde o básico. Blair não tinha vergonha disso. Ele ajustou sua mente para aprender em vez disso. Ele estava fazendo um progresso real. Stormy estava orgulhoso do companheiro do Alfa por ajudá-lo. — Este é Kyoshi e Keata. — Stormy apresentou os dois. — Prazer em conhecê-los. — Thomas apertou suas mãos, e os deixou para trabalhar. Stormy viu quando Tank levantava uma das crianças menores para cima, ajudando-as a marcar uma cesta no basquete. Ele estava feliz pelo guerreiro ter se recuperado tão rapidamente. Eles eram amigos há muito tempo, e ele teria odiado se alguma coisa acontecesse com ele.


A Matilha de Brac 05 — Keata parece estar se divertindo — Stormy disse ao seu companheiro. Stormy olhou para o ginásio, Keata pulava corda com um monte de meninas. O primo de seu companheiro parecia se encaixar direito entre elas. — Ele está sorrindo — Kyoshi observou.

— Keata não parece fazer muito

nisso ultimamente. — Ele vai ficar bem. — Stormy beijou o topo da cabeça de seu companheiro antes de se juntar aos outros guerreiros. Kyoshi caminhou até a mesa em que o restante dos companheiros estavam sentados. Stormy olhou quando Kyoshi correu pelo ginásio dez minutos depois, agarrando-lhe o braço. — Onde está Keata? Stormy conseguiu a atenção imediata de todos. Os guerreiros tinham estado tão

relaxados

conversando

com

Thomas,

que

ninguém

tinha

notado

Keata

desaparecer. Ele olhou para o grupo de meninas, mas Keata não estava à vista. — Verifiquem o edifício. — Gunnar rosnou quando saiu. Stormy empurrou as portas traseiras duplas para fora, vendo um grupo de adolescentes no parque infantil. Eles estavam amontoadas, o que levantou suas suspeitas. — Basta dar uma picada. — Um dos punks estava entregando a Keata uma seringa. Keata sacudiu a cabeça, afastando-se deles.

— Não —

ele afirmou com

firmeza enquanto dava um passo para trás alcançando o gira gira atrás dele e subindo sobre ele, tentando atravessar para ficar longe deles. Um dos rapazes riu quando ele começou a girar o brinquedo com Keata nele. — Você parece uma menina. Eu devia te foder como uma. — Só se você quer ter seu pênis cortado depois. — Stormy rosnou para o cara que insultou Keata. — Quem diabos é você? — O que ofereceu seus serviços a Keata perguntou. Então, esses vagabundos não tinham medo. Bem, Stormy iria mudar isso já. Ele se endireitou, Gunnar e Tank chegando em seus flancos. O punk engoliu em seco, os olhos dardejando para todos os três homens. — Eu sou seu cunhado. Mexa com ele novamente e vou me certificar de que


A Matilha de Brac 05 os policiais o prenda por posse de drogas. E se isso não te assusta ... — os olhos de Stormy ficaram vermelhos, e uma mancha molhada apareceu na frente do jeans do punk. Eles se dispersaram ao vento, e Stormy parou gira gira de Keata. — Vamos lá, amigo. — Stormy o puxou para fora. Ele teve que levar o jovem porque Keata estava muito tonto para andar sozinho. — O que está acontecendo? — Loco perguntou enquanto ele puxava Keata dos braços de Stormy. — Alguns punks tentaram fazer Keata usar drogas. — Não! —

Drew gritou

— Não, Keata. Não faça isso. Ela vai destruir sua

vida. — Drew puxou Keata, puxando-o dos braços de Loco e abraçando o pequeno homem. — Diga Drew Eu não estúpido. Eu sei que drogas são más

— Keata

abraçou Drew contra ele. — Ele diz que ele é inteligente demais para isso. — Kyoshi sorriu para seu primo. Stormy estava orgulhoso dele por resistir à pressão dos outros. E resmungou. — Eu juro que eu vou arrumar um sino para colocar no teu pescoço... Venham, homens. Está na hora agarrar alguma coisa para comer. — Os guerreiros os conduziu para fora do centro de recreação e para os veículos, dirigindo-se pela cidade ao restaurante local.


A Matilha de Brac 05

A Stormy levou seu companheiro para uma mesa ao lado da janela. Ele jogou sua jaqueta couro na parte traseira da cadeira enquanto Kyoshi sentava-se. — Porque ele não pode sentar-se conosco? — Kyoshi lamentou. Stormy riu de seu companheiro. Keata tinha corrido para a mesa de Loco e deslizado ao lado do guerreiro. Ele sabia que estava tentando fugir de Kyoshi. — Porque ele escolheu se sentar com Loco . Kyoshi cruzou os braços sobre o peito e fez um bico. Stormy inclinou-se e beliscou-o por cima da mesa. Kyoshi batia suas unhas na mesa enquanto olhava para a outra mesa. — Deixe ele em paz. —

Stormy sorriu para seu companheiro.

— Espaço,

lembra? — Eu me lembro. — Stormy se inclinou e beijou o lábio inferior do bico. Stormy pegou um cardápio, abrindo-o e lendo as opções. Ele observou Kyoshi vigiando Keata pelo canto do olho. Seu companheiro tinha um instinto maternal muito ruim. — Você já decidiu? —

A garçonete perguntou depois de pegar seu bloco e

caneta do bolso de seu avental. — Eu quero o bife com cenouras e uma salada. — Stormy colocou o cardápio no suporte cromado. — E você? — Ela virou-se para Kyoshi. — Eu vou ter um conjunto de bolas em um prato — Kyoshi murmurou enquanto olhava para Loco. — Me desculpe? Stormy olhou para Kyoshi. Será que o seu companheiro realmente disse isso? Kyoshi piscou, como se ele só agora se lembrasse que não estava sozinho. — Eu, uh, disse que eu vou querer um hambúrguer e batatas fritas. — Seu rosto ficou num vermelho profundo enquanto ele desviava o olhar. A garçonete os deixou para receber os pedidos da outra mesa. Stormy olhou Kyoshi por um momento. — Você está bem? Kyoshi encolheu os ombros. — Tudo bem, por quê?


A Matilha de Brac 05 — Talvez seja porque você tentou pedir testículos para comer? Kyoshi estreitou os olhos e apontou secretamente para outra mesa. — Eu sei o que os homens querem. Se eles tentarem alguma coisa de Keata, estarei arrancando todos os seus testículos. — O que diabos está errado, Kyoshi? —

Ele nunca tinha visto seu

companheiro tão diabólico antes. Era assustador. — Eu... eu não sei. Eu me sinto engraçado. Stormy ... — uma mão trêmula subiu e limpou pontos de suor da fronte de Kyoshi. — Eu não me sinto bem. — Eu estou indo pegar nossos pedidos e já vamos embora. —

Stormy

levantou a mão para chamar a atenção da garçonete. — Stormy — Kyoshi chorou. Stormy virou-se para ver sangue na mão de Kyoshi. — Merda — Amaldiçoou enquanto pegava o copo de água em cima da mesa. Stormy derramou sobre a mão do seu companheiro, em seguida, limpou-o com um guardanapo. Não havia nada lá. — O que aconteceu? — Stormy agarrou a outra mão de Kyoshi, analisando bem. Nada. — Eu quero ir para casa — Kyoshi soluçou. — Vamos, libélula. —

Stormy deslizou para fora do banco, deixando cair

algumas notas sobre a mesa. Ele teve que pegar seu companheiro quando este entrou em colapso. Stormy começou a entrar em pânico. — O que há de errado? — Loco perguntou enquanto ele corria para eles. — Eu não tenho certeza. —

Stormy amaldiçoou quando a dor invadiu seu

bíceps. Ele olhou para baixo para ver um conjunto de garras embutidas em sua pele. Tão rapidamente, se retrataíram. — Puta merda — sussurrou Loco. — Sinto muito, Stormy — Kyoshi chorava nos braços de Stormy. — Está tudo bem, bebê. —

Loco segurou a porta aberta da lanchonete

enquanto Stormy corria para um dos SUVs. Loco ajudou novamente com a porta do passageiro. Stormy colocou seu companheiro no seu lugar e fechou o cinto de


A Matilha de Brac 05 segurança quando Kyoshi caiu para a frente, agarrando a sua cintura e gritando. — Nós vamos estar atrás de você — gritou Loco enquanto ele corria em direção à lanchonete. Stormy deu a volta no Suv e saltou para o banco do motorista. Kyoshi tinha caído contra a porta do passageiro gemendo. Stormy puxou o celular. — Maverick, eu preciso de um médico. Algo está errado com Kyoshi. — Jogou o telefone de lado e ligou o Suv, rasgando-a na contra mão ao sair do estacionamento. Seu telefone tocou, mas ele ignorou. Ele estendeu a mão e agarrou a mão suada de seu companheiro. — Está tudo bem, libélula. Eu vou te levar pra casa. — Dói — Kyoshi ofegava em seu assento. Stormy estava apavorado, algo estava matando seu Companheiro. Ele era humano, afinal, bem, talvez com exceção das garras. Que diabos estava acontecendo? Mesmo que ele não pudesse ficar doente, agora que estava acasalado a Stormy, algo o estava machucando. Mas o quê? A traseira do Suv derrapou quando ele chegou no estacionamento de cascalho. Ele jogou a frente para o outro lado e abriu a porta, sem nem sequer se preocupar em desligar o motor. Stormy correu para pegar o seu companheiro do outro lado. A respiração de Kyoshi era superficial, e ele estava tremendo. Ele gritou, com as mãos envoltas em torno do pescoço de Stormy enquanto seu corpo se enrijecia. Garras se cravaram no pescoço de Stormy, mas ele ignorou a dor, apressandose a levar seu companheiro para dentro. Maverick deixou uma porta aberta para o mesmo quarto que Tank havia sido trazido. Stormy desceu seu companheiro suavemente, xingando e ofegando sem saber o que fazer. Os outros guerreiros e seus companheiros se juntaram a ele, todos esperando pelo médico. — Keata, o que há de errado com ele? — Stormy perguntou em desespero. — Não sei — Keata sacudiu a cabeça para trás e para frente, chorando, seu primo estava lá com dor. — Olha — Blair apontou quando caninos cresceram da boca de Kyoshi depois recuaram.


A Matilha de Brac 05 — Ele é de uma matilha de lobos no Japão? — Maverick perguntou enquanto observava a luta contra as alterações vindas em Kyoshi. — Eu acho que ele teria mencionado alguma coisa. —

Stormy olhou para

Maverick. Kyoshi gritou de novo, e Stormy se arrastou para a cama, puxando o seu companheiro em seus braços. Um rugido foi arrancado do peito de Kyoshi. O peito estava se expandindo e contraindo a uma velocidade rápida. Ele puxou suas roupas, clamando mais uma vez. — O dispa, Stormy — Maverick instruiu. Todos no quarto viraram as costas enquanto Stormy se atrapalhou para conseguir tirar a roupa seu companheiro. Ele cobriu Kyoshi com um lençol, deixando todos saberem que poderiam se virar de volta. Stormy passou a mão sobre o pequeno peito de Kyoshi, onde ele sentiu minúsculos fios de cabelos na palma da mão. — Maverick, ele está crescendo cabelo — Stormy disse com espanto. O corpo de Kyoshi subiu depois bateu de volta. — Faça alguma coisa! — Stormy gritou para seu Alfa, muito perturbado para ter cuidado ao falar . Se ele perdeu o seu companheiro para o que estava acontecendo, ele não seria capaz de ir em frente. Kyoshi era a sua pulsação. — O que você quer que eu faça, vá pegar a minha bola oito mágica do meu escritório e pedir para ela me dizer o que há de errado com ele? — Maverick beliscou a ponta de seu nariz, e Cecil veio, envolvendo os braços em torno do Alfa. Maverick suspirou. — Desculpe, eu estou tão preocupado e tão perdido. — Ele parece... como se ... — Remi deu um passo adiante. — Ele estivesse passando por sua primeira transformação. — Cody acabou por ele. — Mas como? Ele tem dezenove. Se ele é um shifter, ele não deveria já ter passado por isso agora? — Eu saberia se o meu companheiro fosse um shifter ... — murmurou, então virou-se para Maverick. — Eu saberia?

Stormy


A Matilha de Brac 05

Capítulo Nove

— Depende do tipo de shifter que ele é. Não é amplamente conhecido, mas há mais do que apenas os lobos. Tudo o que podemos fazer é esperar para ver no que ele se transformará.


A Matilha de Brac 05 — E as ervas? — Gunnar perguntou. — Nós temos tudo que precisamos no jardim. Você sabe como fazer isso? — Stormy não tinha certeza se o chá especial que ajudava a aliviar a dor de um lobo experiente com a sua primeira transformação iria funcionar com Kyoshi, mas manteve para si mesmo. Gunnar assentiu com a cabeça, deixando para ir fazer o chá. — Vai demorar uma hora antes de estar pronto. Massageie seus membros, Stormy — Maverick instruiu. Remi correu de volta, com um gel de ervas em sua mão, e deu a Stormy para usar em seu Companheiro. Stormy aceitou, esguichando uma grande quantidade, em seguida, esfregando as mãos. Em seguida Cody voltou com uma loção mentol. Ele acrescentou algumas gotas nas mãos de Stormy. Stormy esfregou os pulsos de Kyoshi. Essa parecia ser parte de seu corpo que estava tentando se transformar primeiro. Ele correu a loção entre os dedos do seu companheiro, esfregando o bálsamo curador sobre as almofadas dos dedos. Mantendo o lençol sobre a virilha de seu companheiro, ele começou a massagear suas pernas, panturrilhas e tornozelos. Stormy teria preferido a privacidade, mas com a transformação de sua libélula, ele precisava do apoio de sua Matilha. Stormy virou Kyoshi mais, massageando as costas e ombros. Gunnar finalmente trouxe o chá e Stormy pegou Kyoshi apoiando suas costas, levantando-o suavemente enquanto Gunnar colocava o copo em seu lábios. Kyoshi entreabriu os lábios e tomou um gole. Sua língua veio e lambeu uma linha molhada em seu lábio inferior. — Vamos, libélula. Você tem que beber — ele incentivou. Kyoshi piscou os olhos de dor. — Dói . — Eu sei, bebê. Estamos tentando fazer as coisas o mais simples possível para você. — Stormy o fez tomar alguns goles mais antes de Gunnar puxar a caneca fora e colocá-la na mesa de cabeceira. Todos engasgaram quando os braços e pernas de Kyoshi cresceram peles cor de laranja com listras antes de voltar para trás.


A Matilha de Brac 05 — Era um gato? — Remi perguntou em estado de choque. — Eu acho que sim. — Stormy olhou com os olhos arregalados para baixo em seu Companheiro. A ideia de Kyoshi ser um gato era uma responsabilidade muito grande. Stormy começou a se preocupar. A primeira transformação poderia ser mortal. Sua garganta apertou com o pensamento de perder sua libélula. Muitas coisas podiam dar errado. Maverick abaixou para acariciar as pernas de Kyoshi para analisar a transformação, e Stormy rugiu. Maverick levantou a mão para silenciá-lo.

— Eu não estou tocando seu

companheiro de uma forma sexual. Estou tentando descobrir o que está acontecendo com ele. Relaxe, lobo. Stormy puxou Kyoshi apertado contra o peito. Ele sabia que o que seu Alfa estava fazendo era normal quando a primeira transformação estava chegando, mas ele não tinha que gostar. Eles tinha que ter muito cuidado. Stormy podia perder Kyoshi. — Ele deve se transformar totalmente em breve — Maverick informou quando ele se endireitou. Kyoshi gritou para o teto, torcendo o seu corpo quando a transformação ocorreu. Stormy pulou da cama, dando ao seu companheiro o espaço que ele precisaria. — Puta merda — gritou alguém enquanto Kyoshi olhava para o quarto. A

mandíbula

de

Stormy

bateu

no

peito

companheiro. — Bem, isso é interessante. — Maverick riu.

enquanto

olhava

para

seu


A Matilha de Brac 05

Kyoshi piscou para Stormy, tentando falar, mas só um rugido saiu. Ele balançou a cabeça para trás e para frente, tentando mais uma vez. — Você pode me entender? — Stormy perguntou enquanto ele lentamente se aproximou dele. Kyoshi acenou com a cabeça para cima e para baixo. — Você é lindo — ele sussurrou enquanto caia de joelhos, alcançando Kyoshi. — Para um gato. — Remi riu. Kyoshi olhou para Remi. Um gato? Kyoshi olhou para seus pés, que não eram pés mais. Ele tinha as patas! — Parece que você não precisa de mim. — Um estranho entrou na sala. Kyoshi rugiu, ficando na frente de Stormy. — Ele está tentando protegê-lo. Como é bonitinho. — Hawk deu uma risada. — Pessoal, por que não calam a boca? — Stormy reclamou. — Porque é que não soubemos disso, Doc? — Maverick perguntou. Então, este era o médico lobo. Kyoshi inclinou a cabeça para estudá-lo. Ele parecia humano. Mas então, todos eles não pareciam? — Com esta raça em particular, a transformação acontece depois que eles se acasalam e têm a sua experiência de primeira relação sexual, que presumo tenha acontecido? — Não mais virgem. — Keata sorriu para o médico. O homem sorriu Keata. — Ele é meu companheiro. — Stormy estava esfregando atrás da orelha de Kyoshi, ele se inclinou e ronronou alto. Kyoshi quis fazer aquelas coisas de ronronar como ele ... mais tarde. — Isso explica tudo. — O médico balançou a cabeça para si mesmo. — Então ele tinha que ser virgem?


A Matilha de Brac 05 — Não, ele teve de ser acasalado, o que envolve sexo. E o sexo trouxe a transformação para ele. — Aqui, gatinho...gatinhoo.. — Remi fazia barulhos de beijinhos. — Pare — Drew deu uma cotovelada em seu companheiro. — Como ele não sabe? — Stormy perguntou ao médico, ignorando Remi. Kyoshi lambeu as patas enquanto ouvia o médico e o tapete cor de amendoim. Ele sabia que estava indo brincar e que não era o tempo para isso, mas ele achou que era legal. Um pouco assustador, tudo bem, muito assustador, mas legal. Ele rolou para o lado, brincando com a calça de Stormy. Seu companheiro se ajoelhou, coçou atrás da sua orelha enquanto ele continuou a falar. Se sentia tão bem. — O macho é portador do gene shifter. Seu pai era, obviamente, um tigre. — O médico continuou enquanto Kyoshi mordiscava os dedos de Stormy. A Stormy parecia incerto. — Ele está bem agora? Eu não tenho certeza se sei lidar com shifters felinos. — Ele está bem, feito bem sua primeiro transformação. Deve ser uma brisa agora. Você só tem que falar com ele no próximo, mostrar-lhe como fazer. Bem, eu estou fora. Nada mais que possa fazer — O médico apertou a mão de Maverick, em seguida, virou-se para Stormy com um sorriso no rosto. — Boa sorte . — Um tigre, hein? — Stormy olhou para Kyoshi. — Você é o menor tigre que eu já vi. — Disse embalando seu Companheiro contra ele. Kyoshi batida as patas no chão. Vou dar-lhe pequeno. Mas pelos números, nem mesmo se fosse de uma forma shifter maior faria Kyoshi ser grande perto dele. Ele estava certo de que ele se parecia com uma tampinha contra uma montanha. Seu companheiro sorriu. — Isso vai ser divertido. — Leve-o para trás. Para ele esticar as pernas.

— Maverick chamou-os no

quarto. Stormy o levou até a cozinha e abriu a porta traseira. Kyoshi hesitou. — Está tudo bem. Eu vou com você, libélula. — Ainda vai chamá-lo assim? — Gunnar brincou. — Ele sempre será meu libélula. — Stormy fungou. Kyoshi enfiou a cabeça para fora, farejando o ar e olhando ao redor do quintal antes de colocar uma pata para fora da porta.


A Matilha de Brac 05 — Ele é cauteloso. Bom... — Maverick comentou. O casal se juntou a outros lobos do lado de fora, e os companheiros foram instruídos a virar as costas, enquanto os homens se despiam. Eles não ligavam em ficar nus na frente um do outro. Não era grande coisa quando você cresceu em uma Matilha, mas estes eram os seus companheiros, e eles não queriam que eles vissem os outros guerreiros e os seus presentinhos. — Homens... — Maverick avisou quando algumas cabeças ligeiramente se inclinaram para roubar um olhar. Uns poucos grunhidos eclodiram, depois desapareceu com o cochicho dos companheiros. — Virem-se — Maverick olhou quando os companheiros que ali estavam admiravam os lobos na frente deles. — Será que Keata vai ser um tigre, também? —

Drew perguntou.

— Eu

gostaria de poder me transformar. Mas eu sou apenas um meio-lobo. Só os meus caninos e os olhos se transformam. — Ele fez beicinho. Remi puxou Drew contra ele. — Você é perfeito. — disse e beijou seu companheiro. Kyoshi rolava no chão enquanto os observava. Desejou que Drew pudesse se transformar também. Seria divertido brincar com outro companheiro. Esses lobos madeira eram enormes, e parecia que iriam esmagá-lo. — Eu não sei. O pai de Kyoshi deu-lhe seus genes. Keata é apenas seu primo, — Maverick disse. Todos eles assistiram quando Kyoshi atacou, brincando com Stormy. Seu companheiro enfiou o focinho no pescoço de Kyoshi, a provocá-lo. Keata correu para frente, numa luta contra ele. Kyoshi rolou ele até ter Keata deitado no chão, em seguida, começou a lamber-lhe. Ele amava o seu primo mais que a própria vida. Ele era tão inocente que até não tinha medo de Kyoshi desta forma. Não que ele alguma vez fosse arriscar a vida de Keata. — Cócegas —

Os risos de Keata encheu o quintal. Stormy cutucou ele,

fazendo Keata levantar. O homenzinho fez beicinho até que um lobo veio para a frente, abaixando-se para que Keata pudesse subir em cima dele.


A Matilha de Brac 05 Keata sorriu para os outros companheiros enquanto ele agarrou a pele do lobo que saiu trotando ao redor do pátio, dando-lhe uma carona. Eram lobos Madeiras afinal, grandes o suficiente para levar os pequenos companheiros. Kyoshi observou enquanto Cody levava seu primo. Sentindo-se diabólico. Stormy estava muito ocupado olhando Cody e Keata, então ele foi pego de surpresa quando Kyoshi bateu a cabeça no seu flanco. Stormy rugiu, abordando Kyoshi e encurralando-o antes de fugir. Kyoshi o perseguiu. Stormy circulou por trás e beliscou-o no seu flanco. Kyoshi virou-se e decolou.

Maverick assistiu à cena rindo. Um gato e um cachorro. Vai entender. Destino certamente tinha um fodido senso de humor. Ela devia estar fumando algo. Johnny correu para frente, não tenho certeza de qual lobo era Hawk. Um lobo muito grande veio para a frente, abaixando-se. Johnny deu uma risadinha e subiu nele, seus braços agarraram o pescoço de Hawk enquanto seu companheiro o levava para um passeio. Ele gritou de prazer quando Hawk aumentou a velocidade, dando-


A Matilha de Brac 05 lhe um pequeno arrepio. — Eu ia esmagar Dakota. — Blair brincou mas um sorriso ampliou seu rosto quando seu companheiro se adiantou, abaixando-se. — Sim, certo. Eu lhe disse, não precisa se abaixar — brincou Blair quando ele subiu. Ele teve que se sentar mais para trás e levantar os pés, porque ele não era tão pequeno quanto os outras onde poderia sentar-se, mas foi divertido mesmo assim. — Micah está esperando por você. —

Maverick incentivou Oliver a dar um

passo adiante. Embora este companheiro em particular era arisco, Maverick se preocupou com ele da mesma forma quanto os outros. Ele sabia que não era culpa de Oliver pelas coisas que ele passou. Ele iria trabalhar com ele como cada um dos outros companheiros tiveram com seus demônios. — Eu não sei. — Oliver se adiantou hesitante. Ele pensou, desde que Micah ainda não o reivindicou, ele não seria capaz de se juntar ao resto. O lobo inclinou na frente dele. Oliver engoliu algumas vezes o nó na garganta enquanto ele passava a mão sobre a pele, acariciando a orelha de Micah antes de deslizar sobre ele. — Parece divertido — disse Cecil ao lado de Maverick. — Será que o meu companheiro quer cavalgar? — Mais tarde. Agora eu quero que você ande comigo em suas costas. — Cecil sorriu maldosamente para Maverick. — Horndog4. — Maverick riu quando ele despiu-se e se transformou. Os olhos de Cecil se arregalaram. — É por isso que ele é o Alfa, o lobo maior Madeira nascido. — Gunnar sorriu para companheiro de Maverick. — Ele parece um cavalo maldito. — Cecil pulou sobre ele quando Maverick inclinou para ele. — Levante-se . Maverick rosnou, mas correu por todo o quintal, sacudindo Cecil enquanto corria. Os outros lobos se transformaram, quando Maverick entrou no meio do mato, levando seu companheiro para uma corrida. — Fim do show — Gunnar riu. Ele ficou ao lado da porta da cozinha, observando os casais acasaladas brincar um com o outro. Como seria seu 4

- Horndog = Pessoa cheia de tesão/ muito excitada : Dic. Urbano


A Matilha de Brac 05 Companheiro? Será que algum dia ia encontrá-lo? Um desejo que Gunnar não sentia em muito tempo, desejando estar com seu companheiro em suas costas correndo com os outros casais agora. — Em breve, meu irmão. — Tank bateu-lhe nas costas. — Em breve .

Stormy se ajoelhou na frente de Kyoshi. Eles estavam de volta em seu quarto. — Ok agora, libélula. Basta pensar na sua forma humana. — Ele recuou, dando o seu companheiro espaço. Após um momento, Kyoshi apareceu, tropeçando para a frente. Stormy o pegou enquanto ele ria. — Leva um tempo para se acostumar. — Eu não posso acreditar que aconteceu. — Kyoshi segurou a cabeça. — Eu me sinto um pouco desorientado. — Stormy levou seu companheiro para a cama. — Minha mãe nunca mencionou o meu pai, ou falou que era um shifter. — Talvez ela não soubesse. — Stormy esfregou as mãos nos cabelos de seu Companheiro. — Um tigre. — Kyoshi riu. — Um gato e um cachorro. — Ronrone para mim. — Stormy subiu na cama, puxando seu companheiro ao lado dele. — Eu vou tentar. — A primeira tentativa de Kyoshi soou como se estivesse borbulhando água. Ele riu e tentou mais uma vez, um leve ronronar saiu. — Vou precisar de prática. — Eu espero. — Stormy puxou seu companheiro em seus braços, beijando-o


A Matilha de Brac 05 no queixo e pescoรงo. Kyoshi ronronou.

Profile for Livros & Chocolate

Lynn hagen a matilha brac 05 os olhos de storm(homo)  

Lynn hagen a matilha brac 05 os olhos de storm(homo)  

Advertisement