Page 1

maio 2019

04. Análise de Mercado

Distribuição de Medicamentos vale 0,11% do PIB 08. Especial Saúde

Tabagismo 12. Niquitin

Fuma? Isto é para si 14. Indústria Farmacêutica

Autoridade do Medicamento precisa de mais meios 18. Cooprofar

44º Aniversário Packs Formação 19. Breves

Vacina BCG de regresso às maternidades


Point of Care de rastreio de infeções por VIH, VHC e VHB nas Farmácias Comunitárias e Laboratórios de Patologia Clínica e Análises Clínicas

Oradora: Prof.ª Doutora Fátima Cerqueira

07 e 14/junho Hotel Meliã Ria, Aveiro

das 14h30 às 17h30 Propina 50€

Inscrições: www.cooprofar.pt

cooprofar.19


Prof. Doutor Delfim Santos Presidente da Direção

EDITORIAL

44 anos de Estabilidade e Sustentabilidade O Grupo Cooprofar-Medlog celebra o seu quadragésimo quarto aniversário no dia 23 de maio. Tal marco impõe uma reflexão sobre o caminho percorrido até agora. Como e porque é que se alcançou uma posição relevante num mercado tão exigente como a distribuição farmacêutica e de produtos de saúde. Com trabalho e dedicação, o Grupo tem sido capaz de obter resultados muito positivos. Mas o verdadeiro sucesso esteve e está, em manter e estender este desempenho positivo, de forma estável e sustentável, durante um período de tempo prolongado. Com efeito, a Cooprofar tem navegado no topo de um mercado extremamente competitivo há mais de uma década. Tal só tem sido possível graças a um planeamento minucioso, aliado a uma capacidade de agir e executar de forma rigorosa e regular, assente na qualidade e aptidão dos seus profissionais. A chave para a sustentabilidade deste processo centra-se no ambiente em que decorre. A Cooprofar, desde as suas origens, tem promovido relações de confiança e proximidade, capazes de proporcionar uma envolvência estável e segura. Esta estabilidade tem-se materializado na idealização e concretização de ações, campanhas, formações e parcerias, de forma regular, ao longo dos anos. O objetivo final envolve sempre o cliente: acrescentar valor à Farmácia, munindo os seus profissionais de competências capazes de dar respostas aos desafios do presente e do futuro. Para assinalar a data do aniversário, realizaremos um seminário subordinado ao tema “Empreendedorismo e Inovação em Ciências Farmacêuticas: de onde e para onde?” no qual, em linha com a longa tradição de partilha de conhecimentos e colaboração, apoiada nos pilares estratégicos – proximidade, experiência e inovação – abordaremos de forma pragmática a necessidade de inovar para garantir a sustentabilidade do negócio. Neste evento será lançado também o portal do formando, uma ferramenta desenvolvida especificamente a pensar nas necessidades daqueles que elegem a Cooprofar como seu parceiro para a Formação. Finalmente, à semelhança do que temos vindo a fazer nos últimos anos, entregaremos os Prémios Forma+ relativos a 2018, que encerram as ações de mais um ano pleno de sucesso da Formação Cooprofar. O Grupo vai continuar assim a desempenhar o seu papel, com estabilidade e sustentabilidade, em estreita proximidade com os seus fiéis clientes, que têm elegido a Cooprofar como o seu parceiro e fornecedor preferencial. Para que o futuro da Farmácia seja melhor do que o presente!


Análise de Mercado CRESCIMENTO FACE AO PERÍODO HOMÓLOGO Crescimento Mercado março 2019 vs. mês homólogo

14 12 10

10%

6

O setor da distribuição farmacêutica representou 0,11% do PIB e empregou 1.800 pessoas em 2017, de acordo com um estudo da Deloitte sobre a "Caracterização e Avaliação do Impacto da Distribuição Farmacêutica em Portugal", encomendado pela Associação de Distribuidores Farmacêuticos (ADIFA). O setor contribuiu com mais de 218 milhões de euros para a economia em 2017, mais 11,2% do que em 2014. Deste total, 144 milhões resultaram de um impacto direto. O estudo revelou ainda que o resultado líquido do setor atingiu os 27,8 milhões em 2017, o melhor resultado desde 2010, o que representa um aumento significativo face aos 3 milhões registados em 2016.

A Ordem dos Nutricionistas (ON) publicou a “Norma de orientação profissional de atuação do nutricionista na farmácia comunitária”, cujo objetivo se centra em “estabelecer as condições necessárias à realização de consultas de nutrição” nas farmácias e regular a atuação do nutricionista. Gabinetes com sete metros quadrados, preços dos serviços de nutrição expostos de forma visível e equipamentos adequados à prática profissional são algumas das regras que os nutricionistas que exercem nas farmácias devem cumprir. No fundo, a norma “vem demonstrar ao espaço farmácia como deve ser feita uma consulta de nutrição, dizer aos nutricionistas quais são as regras que devem observar e demonstrar à população em geral que os nutricionistas são profissionais que se pautam pelo respeito das normas éticas, das normas deontológicas e das normas do rigor científico para a sua atuação profissional”, afirmou Alexandra Bento, bastonária da ON. 4

1,1

1,8

2,1 0,7

Viseu

Setúbal

Açores

Santarém

Madeira

0,5

Mercado Total

2,4

Vila Real

3,7 2,1

1,5

Porto

Lisboa

1,9

Portalegre

Évora

Distribuição de medicamentos vale 0,11% do PIB

Leiria

Coimbra

-8

Novas regras para nutricionistas a exercer nas farmácias

3,0 1,5

Faro

0,1

Guarda

0,7

3,0

Viana do Castelo

-6

1,3

Bragança

-4

1,2

1,7

Castelo Branco

-2

0,0

Beja

DEZ

NOV

SET

OUT

JUL

AGO

JUN

ABR MAI

MAR

JAN FEV

-10%

% 0

2,0

Braga

2

0,7

-5%

3,9

4

5,5

Aveiro

5%

8

9,4


ADIFA defende definição de preços para garantir sustentabilidade do setor De acordo com uma análise efetuada a pedido da Associação de Distribuidores Farmacêuticos (ADIFA), a redução dos preços por via administrativa levou a uma forte contração do mercado de ambulatório de medicamentos, entre 2008 e 2014. Segundo Diogo Gouveia, presidente da ADIFA, a queda das margens de comercialização da distribuição farmacêutica em 22,8% faz com que a rentabilidade líquida média anual seja de 0,4%, tendo havido anos em que as empresas tiveram prejuízo. “A ADIFA tem vindo a manifestar a sua preocupação com a sustentabilidade da cadeia de valor do medicamento”. A definição dos preços deve contribuir para a sustentabilidade de todos os agentes, “essencial para continuar a garantir a acessibilidade dos cidadãos aos medicamentos, dispositivos médicos e produtos de saúde”.

Farmácias devem mais de 80 milhões de euros O mesmo estudo da ADIFA revelou que as farmácias deviam, em 2017, mais de 80 milhões de euros aos distribuidores farmacêuticos, apenas em dívidas acumuladas e dificilmente recuperáveis. Estas dívidas atingiram um pico de 107,9 milhões de euros em 2014. Na origem do aumento das dívidas esteve a crise vida nas farmácias a partir de 2008 que culminou com uma redução de 640 milhões de euros numa década.

Associação defende maior colaboração entre médicos e farmacêuticos

PNV: Novas vacinas vão custar 15 milhões

A Associação de Farmácias de Portugal (AFP) defende uma "maior interligação entre os diversos profissionais" da saúde e entende que os médicos do Serviço Nacional de Saúde deviam poder prescrever aos seus doentes o recurso a serviços farmacêuticos, que seriam depois comparticipados pelo Estado.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, estima que a introdução no Plano Nacional de Vacinação das três vacinas aprovadas no Orçamento do Estado 2019 terá um custo direto de 15 milhões de euros por ano. Os relatórios técnicos dos peritos da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre as vantagens e custos de vacinar todas as crianças contra a meningite B e rotavírus, bem como de alargar a vacinação do vírus do papiloma humano vão ser entregues ao Governo, a que cabe a decisão política.

A presidente da AFP, Manuela Pacheco, dá como exemplo a preparação de medicamentos para doentes que tomam muitos fármacos e que por vezes são vulneráveis e se confundem ou enganam nas tomas. As farmácias têm competência e capacidade para separar, preparar e organizar esta medicação para os doentes ou para os seus cuidadores, refere.

O parecer vai dar à tutela quatro opções: a aposta na proteção indireta dos homens com a vacinação das raparigas, o alargamento da vacinação aos rapazes com a vacina bivalente, o alargamento aos rapazes com a vacina tetravalente e quadrivalente, e, por último, a opção de alargar a vacinação aos rapazes com a vacina nonovalente. 5


Análise de Mercado

ALERGIAS

Portugueses gastam mais com medicação A primavera está aí e as alergias parecem não parar de aumentar, bem como o número de medicamentos vendidos, com e sem receita médica. No ano passado, os portugueses gastaram 32,19 milhões de euros com anti-histamínicos, que corresponderam à dispensa de 5,92 milhões de embalagens. Desde 2014 que o consumo é crescente, tendo subido 10,2%.

Pedro Carreiro-Martins, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, confirma que, "ao longo dos anos, o número de pessoas com alergias tem vindo a aumentar". Mas, por outro lado, as alergias também "têm apresentado maior gravidade". Há ainda outros fatores que, de acordo com o médico, podem contribuir para o crescimento do consumo destes medicamentos: a população está mais consciente dos problemas alérgicos e também de que existem fármacos" capazes de prevenir e aliviar os sintomas".

Hemofilia: Concurso para compra centralizada de fármacos há mais de um ano à espera O concurso para a compra centralizada de um tipo de medicamentos para a hemofilia terminou há mais de um ano e desde janeiro de 2018 que os hospitais usam critérios diferentes para adquirir estes fármacos. Em causa está o processo de compra dos fatores recombinantes da coagulação, fármacos usados por cerca de 60% a 65% dos doentes com hemofilia, segundo estima a Associação Portuguesa de Hemofilia.

Consumo de medicamentos antitabágicos aumentou 17% em 2018 De acordo com os últimos dados revelados pelo Infarmed, o consumo do medicamento antitabágico aumentou 17 % em 2018, num total de encargos para o Serviço Nacional de Saúde de 1,2 milhões de euros.

“Há hospitais que estão a comprar apenas pelo preço mais baixo e há outros que usam critérios de qualidade técnica. Isto provoca uma grande disparidade entre os vários hospitais públicos em Portugal”, afirmou Miguel Crato, presidente da Associação de Hemofilia.

Para o Infarmed, isto significa “um investimento da prevenção antitabágica, a par de diversas outras medidas e que tem um impacto direto e indireto na saúde pública de largos milhões de euros, sobretudo em tratamento e internamento de patologias associadas, como o cancro do pulmão ou a doença pulmonar obstrutiva crónica”. De 2016 para 2017, a comparticipação já tinha feito quase duplicar as vendas, de 33.231 embalagens para 64.286.

Em resposta, os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde afirmam que estão “a trabalhar com as diversas instituições de saúde que têm centros de hemofilia” para construir “um novo acordo quadro”, que é um instrumento de contratualização pública para selecionar fornecedores habilitados a fornecer medicamentos para o SNS. 6


mycooprofar

Disfunção erétil: Infarmed alerta para produtos ilegais A Autoridade do Medicamento alertou os consumidores que os produtos Gold Max Blue e Gold Max Pink, para tratamento de disfunção erétil, são ilegais por não estar garantida a segurança e eficácia. O Infarmed reporta que os produtos foram detetados na alfândega e terão origem em vendas através da internet, não tendo sido detetados no circuito legal de venda de medicamentos. “Após análise no laboratório do Infarmed, verificou-se que estes produtos contêm a substância ativa sildenafil, que se destina à melhoria do desempenho sexual”, explica o Infarmed, acrescentando que não está garantida a sua qualidade, segurança e eficácia e, por isso, a utilização é proibida em Portugal. “Os utentes que disponham destes produtos não os devem utilizar, devendo entregar as embalagens em causa na farmácia para posterior destruição, através da Valormed”, refere a nota.

GENÉRICOS

Vendas caem pela primeira vez desde 2017 A quota média de venda de medicamentos genéricos caiu pela primeira vez desde Janeiro de 2017. A quebra foi de três décimas, entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, de acordo com os dados do Centro de Estudos e Avaliação em Saúde. Segundo especialistas do setor, estes dados são reveladores de que o regime de incentivos está esgotado e deve ser revisto por outro que tenha como objetivo o crescimento da quota . Em Janeiro de 2019, a poupança do Estado na venda de genéricos foi de 400 mil euros. O Estado paga às farmácias 35 cêntimos por cada embalagem dispensada.

7


Especial Saúde

TABAGISMo Um cigarro contém cerca de 4.000 substâncias com efeitos tóxicos e irritantes, 70 das quais mencionadas como cancerígenos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS),

o consumo de tabaco, na Europa, é responsável por um milhão e 200 mil mortes anuais, número que tende a ascender aos dois milhões.

Entre as principais, destacam-se:

Nicotina

Em Portugal, o consumo de

Responsável pela redução da irrigação sanguínea nos tecidos e no sistema nervoso central;

tabaco atinge cerca de 20 a 26% da população, com predomínio de três homens e meio para cada mulher.

Substancias radioativas

O tabagismo causa um grande prejuízo à saúde pública, já que é responsável pela diminuição da qualidade e duração de vida. Tem ainda a agravante de ser um fator de risco não apenas para o fumador, mas para todos aqueles que se encontram frequentemente expostos ao fumo passivo.

como Polónio 210 e Carbono 14;

metais pesados como o chumbo e o cádmio, que se concentram no fígado, rins e pulmões;

monoxido carbono que assume o lugar do oxigénio conduzindo à intoxicação do organismo;

alcatrao altamente cancerígeno; 8


mycooprofar

Consequências do tabagismo

Dependência do tabaco

Os fumadores têm, em média, menos dez anos de vida do que os não fumadores, pois as substâncias do fumo do tabaco afetam alguns órgãos importantes, ao mesmo tempo que tornam o organismo mais frágil em relação a uma série de doenças. O tabaco é responsável por:

A nicotina é um químico natural existente na planta do tabaco que tem um efeito viciante quando fumada. Quando se fuma um cigarro, a nicotina é levada para os pulmões, chegando ao cérebro em segundos – criando um pico de nicotina. Este tem um efeito potente no cérebro, originando sensações de prazer e reduzindo o stress e a ansiedade. Quanto mais fumar, mais o cérebro fica viciado em nicotina. Isto significa que tem que fumar cada vez mais para obter o mesmo efeito.

. 25 a 30% da totalidade dos cancros; . 80% dos casos de DPOC; . 75 a 80% dos casos de bronquite crónica; . 90% dos casos de cancro do pulmão; . 20% da mortalidade por doença coronária.

Sabia que… 40% dos adultos em todo o Mundo são fumadores; Há mais de 2 mil milhões de homens fumadores; Estima-se que haja 250 milhões de mulheres fumadoras em todo o Mundo; A maioria dos fumadores inicia-se na adolescência; Cerca de 5 milhões de mortes anuais são atribuídas ao tabagismo; Estima-se que em 2025 haverá 10 milhões de mortes devidas ao consumo de tabaco.

9


Especial Saúde

Beneficios de parar de fumar

Após 6-9 meses

Sente um aumento gradual do bem-estar geral, acompanhado de mais vitalidade

Após 8 horas

Os níveis de nicotina e monóxido de carbono no sangue diminuem em 50% e o oxigénio sobe para valores normais

Após 72 horas

Os brônquios descontraem-se, a respiração solta-se e a pele torna-se mais luminosa

Após 5 anos

O risco de cancro da boca e do esófago reduz-se para metade

Após 48 horas Após 20 minutos

A pressão arterial e o ritmo da pulsação voltam ao normal

A tensão arterial é estabilizada e o paladar melhora

Após 15 anos

O risco de doença cardiovascular é semelhante ao de uma pessoa não fumadora, do seu sexo e idade

Após 10 anos Após 2-12 semanas A circulação melhora significativamente e caminhar torna-se menos cansativo

Corre 50 % menos risco de ter um cancro do pulmão do que um fumador

Consumo de tabaco em Portugal De acordo com os dados da OMS, a taxa de fumadores anos (cerca de 30 % dos óbitos), enquanto nas mulheres o entre adultos – população acima dos 15 anos – é de 20% grupo etário com maior mortalidade foi o dos 45 aos 49 em Portugal, situando-se abaixo da média europeia, anos (14,5 % do total de óbitos). que atinge os 28%. No mesmo ano, o tabaco foi responsável por 46,4 % das O último relatório sobre tabagismo divulgado pela mortes por doença pulmonar obstrutiva crónica, 19,5 % Direção-Geral da Saúde (DGS), intitulado “Portugal – das mortes por cancro, 12 % das mortes por infeções Prevenção e Controlo do Tabagismo 2017”, revela que respiratórias do trato inferior, 5,7 % das mortes por doenças morreu uma pessoa a cada 50 minutos, em Portugal, no cerebrocardiovasculares e 2,4 % das mortes por diabetes. ano de 2016, por doenças atribuíveis ao tabaco. Isto traduz-se num total de 11.843 mortes, sendo 9.263 Em relação ao tabagismo nos jovens, os dados do IV Inquérito homens e 2.581 mulheres. Nacional ao Consumo de Substâncias Psicoativas (2016/2017), referido no relatório, apontam que a idade Nos homens, a maior percentagem de óbitos atribuíveis média de início de consumo reportada pela população ao tabaco registou-se no grupo etário dos 50 aos 59 entre os 15 e os 24 anos passou dos 15 para os 16 anos.

10


"*.)*,).řŖ)

&KRODJXWW $ 'HVLQWR[LFDomR GRItJDGR

&ROLQD

0HWDEROLVPR GDVJRUGXUDV

ÉFLGRDOIDOLSyLFR 3URWHFomRGRItJDGR

4  I

72;,1$6 ( /Ë3,'26

&iSVXODDRDOPRoR &iSVXODDRMDQWDU

&Ð',*2

.RUDQJL3URGXWRV)DUPDFrXWLFRV/GD 5XDGD9LQKD1ž‡(VWRULO 1,)‡7HO‡HPDLOJHUDO#NRUDQJLSW

4  I

DJRWDV ;GLD

&Ð',*2

ZZZNRUDQJLSW 11

$OtYLR 'RV 6LQWRPDV 'LJHVWLYRV

(-41&,2*)

6LOLPDULQD

2VVXSOHPHQWRVDOLPHQWDUHVQmRGHYHPVHUXWLOL]DGRVHP VXEVWLWXLomRGHXPDDOLPHQWDomRHTXLOLEUDGDHYDULDGD


FUMA? ISTO É PARA SI! Em Portugal, 1 em cada 5 portugueses fuma.1 Fumar prejudica gravemente a sua saúde, bem como das pessoas a rodeiam. Muitos portugueses querem ou já tentaram deixar de fumar, mas sabem que parar de fumar não é uma tarefa fácil para a maioria, porque o hábito e a existência de sintomas físicos associados à privação de nicotina podem ser um obstáculo. NiQuitin oferece uma gama completa e tecnologicamente avançada, com diversas soluções para quem quer deixar de fumar. É eficaz, e com uma solução para cada tipo de fumador, duplica as hipóteses de conseguir deixar de fumar com sucesso.2

SE PRETENDE DEIXAR DE FUMAR IMEDIATAMENTE: CLEAR Sistemas transdérmicos • Único com Smart Control Technology, alivia a vontade de fumar durante 24h, combatendo os deus desejos matinais. 3 • 3 fases, ajustáveis ao nível de dependência de cada fumador: consulte niquitin.pt, ou consulte o seu farmacêutico para saber qual a dose indicada para si. • Pensos discretos, flexíveis e transparentes.

SE PRETENDE DEIXAR DE FUMAR UM CIGARRO DE CADA VEZ: MENTA Comprimidos para chupar

MENTA FRESCA Gomas para mascar

4

• Alivia a vontade de fumar em apenas 3 minutos. 4 • Comprimidos discretos com sabor a menta. • Embalagens pequenas e fáceis de transportar para qualquer lugar.

• Alivia eficazmente a vontade de fumar, com um sabor refrescante e duradouro a menta fresca. • Flexibilidade para usar durante todo o dia. • Sabor refrescante e duradouro, para substituição do prazer de fumar um cigarro. 5

NiQuitin Clear, 7mg/24h, 14 mg/24g, 21 mg/24h, sistemas transdérmicos – Nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica. Indicações: Alívio dos sintomas de privação de nicotina associados à NiQuitin Clear, nicotina. de Medicamento sujeito a receita médica, indicado no alívio dos sintomas de privação de nicotina associados à supressão do hábito de fumar. Oetratamento de doentes hospitalizados com enfarte do O miocárdio, disritmiade grave ou AVC hemodinamicamente supressão do hábito fumar. não Contraindicações: Hipersensibilidade aos componentes, crianças até 12 anos, não fumadores fumadores ocasionais. Advertências: tratamento doentes hospitalizados com instáveis deve ocorrer sob vigilância médica. Precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas, dermatite atópica ou eczematosa e sensibilização de contacto. O risco-benefício deve ser avaliado em casos de compromisso renal e hepático, feocromocitoma e hipertiroidismo enfarte do miocárdio, disritmia grave ou AVC hemodinamicamente instáveis deve ocorrer sob vigilância médica. Recomenda-se precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas, dermatite atópica ou não controlado. A nicotina pode ser tóxica para crianças pequenas. Ler cuidadosamente a informação constante na embalagem e no folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou o farmacêutico. eczematosa e sensibilização de contacto e ainda uma avaliação do risco-benefício em casos de compromisso renal ou hepático, feocromocitoma, hipertiroidismo não controlado. A nicotina pode ser tóxica para NiQuitin Menta, comprimidos chupar, nicotina. não sujeitoincluem a receita médica indicado no do tratamento dependência do tabaco. Doentes com história recente de enfarte do miocárdio, anginadispneia, instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não crianças pequenas. Efeitospara indesejáveis: osMedicamento mais frequentes perturbações sono,dainsónias, nervosismo, cefaleias, tonturas, tremores, palpitações, faringite, tosse, náusea, vómitos, dispepsia, controlada ou AVC recente devem fazer o tratamento sob vigilância médica. Precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas. O risco-benefício deve ser avaliado em casos de disfunção renal e hepática, feocromocitoma e hipertiroidismo não controlado e problemas dor abdominal superior, diarreia, xerostomia, obstipação, aumento da sudação, artralgia, mialgia, reações no local de aplicação, dor torácica, dores nos membros, dor, astenia e fadiga ou mal-estar. Para mais gastrointestinais. A nicotina pode ser tóxica para crianças pequenas. Leia cuidadosamente a informação da embalagem e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou o farmacêutico. informações deverá contactar o titular da autorização no mercado. NiQuitin Menta, película orodispersível, nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica indicado no tratamento da dependência do tabaco. Doentes com história recente de enfarte do miocárdio, angina instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não controlada

ou AVC recente devem fazer o tratamento sob comprimidos vigilância médica. Precaução em doentes-com diabetes eMedicamento reações alérgicas. Onão risco-benefício ser avaliado em casos de disfunção renal e hepática, hipertiroidismo nãoContraindicações: controlado e problemasHipersensibilidade gastrointestinais. NiQuitin Menta, 1.5 mg e 4 mg, para chupar Nicotina. sujeito adeve receita médica. Indicações: Tratamento dafeocromocitoma, dependência do tabaco.

A nicotina pode ser tóxica para crianças pequenas. Contém etanol. Leia cuidadosamente a informação da embalagem e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou o farmacêutico. aos componentes, crianças até 12 anos e não fumadores. Advertências: Fumadores com história recente de enfarte do miocárdio, angina instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não controlada Niquitin Mentafazer Fresca 2o mg e 4 mg gomasob para vigilância mascar medicamentosa, Medicamento nãode sujeito a receitaou médica indicadoalérgicas. no tratamento da dependência do tabaco. Doentes com história recente de enfarteem do miocárdio, instável renal ou agravada, arritmias cardíacas ou AVC devem tratamento médica. nicotina. Precaução em caso diabetes reações O risco-benefício do tratamento deve ser avaliado casos deangina disfunção e hepática, feocromocihipertensão não controlada ou AVC recente devem fazer gastrointestinais. o tratamento sob vigilância médica. Precaução emtóxica doentespara com diabetes e reações alérgicas. O risco-benefício deve serOs avaliado em casos disfunção renal e hepática, feocromocitomaansiedade, e hipertiroidismo não tomagraves, e hipertiroidismo não controlado e problemas A nicotina pode ser crianças pequenas. Efeitos indesejáveis: efeitos maisdefrequentes incluem irritabilidade, distúrbios controlado e problemas gastrointestinais. nicotinagarganta pode ser tóxica para crianças pequenas. Leia cuidadosamente a informação da embalagem e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte oeseu médico ou o farmacêutico. do sono, cefaleias, tonturas, tosse, Aboca, e língua irritadas, náusea, vómitos, diarreia, desconforto gastrointestinal, flatulência, soluços, azia, dispepsia, artralgia mialgia. Para mais informações deverá 1. Inquérito Nacionalda deautorização Saúde 2014; 2. Nicotine replacement therapy for smoking cessation (Review). The Cochrane Collaboration, 2008.); 3. Fant et al. 2000. 4. Lozenge Craving Relief Study (S7121359, Project Mosquito 2012). Apenas 4 mg; 5. Xing et al. Sensory Claim Study for contactar o titular no mercado. the Coated Nicotine Extra Fresh Mint 4 mg Gum (S RH02395, 2014). Apenas 4 mg.

Niquitin Menta Fresca, 2 mg e 4 mg, goma para mascar medicamentosa - Nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica. Indicações: Tratamento da dependência do tabaco. Posologia e modo de

administração: Niquitin Menta Fresca 2mg indicado para fumadores que fumam menos de 20 cigarros por dia. Niquitin Menta Fresca 4mg indicado para fumadores que fumam 20 ou mais cigarros por dia. Máximo de 15 gomas por dia. Contraindicações: Hipersensibilidade aos componentes, crianças até 12 anos. Advertências: Fumadores com história recente de enfarte do miocárdio, angina instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não controlada ou AVC devem fazer o tratamento sob vigilância médica. Precaução em caso de diabetes ou reações alérgicas. O risco-benefício do tratamento deve ser avaliado em casos de disfunção renal e hepática, feocromocitoma e hipertiroidismo não controlado e problemas gastrointestinais. A nicotina pode ser tóxica para crianças pequenas. Efeitos indesejáveis: Os efeitos mais frequentes incluem irritabilidade, insónia, tonturas, cefaleias, soluços, garganta dorida, faringite, tosse, dor faringolaríngea, náusea, vómitos, desconforto oral e gastrointestinal, boca dorida e irritada, indigestão, ulceração da boca, dispepsia, dor abdominal, diarreia, boca seca, obstipação, flatulência. Para mais informações deverá contactar o titular da autorização no mercado.

NGNiquitin2.indd 49

17-12-2018 15:30:23

1. Inquérito Nacional de Saúde 2014; 2. Nicotine replacement therapy for smoking cessation (Review). The Cochrane Collaboration, 2008.); 3. Fant et al. 2000. 4. Lozenge Craving Relief Study (S7121359, Project Mosquito 2012). Apenas 4 mg; 5. Xing et al. Sensory Claim Study for the Coated Nicotine Extra Fresh Mint 4 mg Gum (S RH02395, 2014). Apenas 4 mg.


AF_ Folha Imprensa NiQuitin4.pdf 1 10/01/2019 16:13:11

AJUDA A

DEIXAR DE FUMAR

AO

RITMO DE CADA FUMADOR!

C

M

Y

CM

MY

CY

LO

3

sabor

3

24h

1

DURAÇ GA N

ÃO

efeito

o rápid ã ç apenas

a

ÇÃO CON T TA

UA ÍN

LIB ER

K

a

CMY

menta 2

minutos

fresca

NIQUITIN® DUPLICA AS HIPÓTESES 4 DE DEIXAR DE FUMAR COM SUCESSO. NiQuitin Clear, nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica, indicado no alívio dos sintomas de privação de nicotina associados à supressão do hábito de fumar. O tratamento de doentes hospitalizados com enfarte do miocárdio, disritmia grave ou AVC hemodinamicamente instáveis deve ocorrer sob vigilância médica. Precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas, dermatite atópica ou eczematosa e sensibilização de contacto. O risco-benefício deve ser avaliado em casos de compromisso renal e hepático, feocromocitoma e hipertiroidismo não controlado. NiQuitin Menta, comprimidos para chupar, nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica indicado no tratamento da dependência do tabaco. Doentes com história recente de enfarte do miocárdio, angina instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não controlada ou AVC recente devem fazer o tratamento sob vigilância médica. Precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas. O risco-benefício deve ser avaliado em casos de disfunção renal e hepática, feocromocitoma e hipertiroidismo não controlado e problemas gastrointestinais. Niquitin Menta Fresca 2 mg e 4 mg goma para mascar medicamentosa, nicotina. Medicamento não sujeito a receita médica indicado no tratamento da dependência do tabaco. Doentes com história recente de enfarte do miocárdio, angina instável ou agravada, arritmias cardíacas graves, hipertensão não controlada ou AVC recente devem fazer o tratamento sob vigilância médica. Precaução em doentes com diabetes e reações alérgicas. O risco-benefício deve ser avaliado em casos de disfunção renal e hepática, feocromocitoma e hipertiroidismo não controlado e problemas gastrointestinais. A nicotina pode ser tóxica para crianças pequenas. Leia cuidadosamente a informação da embalagem e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou o farmacêutico. 1 Fant et al. 2000. 2 Lozenge Craving Relief Study (S7121359, Project Mosquito 2012). Apenas 4 mg. 3 Xing et al. Sensory Claim Study for the Coated Nicotine Extra Fresh Mint 4 mg Gum (S RH02395, 2014). Apenas 4 mg. 4 vs Placebo. Nicotine replacement therapy for smoking cessation (Review). The Cochrane Collaboration, 2008.

13


Indústria Farmacêutica

ENSAIOS CLÍNICOS

Aprovado diploma que adequa regime a regulamento europeu O Conselho de Ministros aprovou a proposta de lei que garante o cumprimento em Portugal do regulamento europeu que visa agilizar a avaliação dos ensaios clínicos de medicamentos para uso humanos por todos os Estados-membros. O regulamento pretende ainda reduzir a burocracia e melhorar a transparência no recrutamento de participantes e dos resultados dos referidos ensaios clínicos, harmonizando assim os termos e as condições da sua realização a nível europeu. "O sistema de informação único europeu, introduzido pelo Regulamento, favorece a produção de dados fiáveis e a realização de ensaios, cumprindo elevados padrões de proteção dos direitos, segurança e bem-estar do cidadão", sublinha.

14


mycooprofar

Parkinson: Novo medicamento disponível em Portugal

Autoridade do Medicamento precisa de mais meios A presidente da Autoridade do Medicamento alertou que o organismo precisa “com urgência” de mais recursos humanos, particularmente porque é necessário reforçar a sua atividade inspetiva. Segundo Maria do Céu Machado, já estão em curso pedidos de contratação de colaboradores. De acordo com a presidente do Infarmed, não se trata apenas de "falta de recursos humanos", mas também de muitos técnicos superiores terem um "trabalho muito mal pago para a responsabilidade que têm”. Há técnicos diferenciados a fazer avaliações fármaco-económicas, que trabalham há sete ou há 10 anos no Infarmed, e que levam para casa vencimentos de 900 euros.

A farmacêutica portuguesa Bial anunciou a disponibilidade no mercado português de um novo medicamento para doentes com Parkinson. Este fármaco atrasa os sintomas da progressão da patologia neurodegenerativa mais prevalente, a seguir à de Alzheimer, que afeta quase 20 mil portugueses e tem tendência a aumentar com o envelhecimento da população. O medicamento será também comercializado em Itália, existindo já acordos com empresas do setor para a sua comercialização nos Estados Unidos da América, Japão, China e Coreia do sul. O presidente da Bial, “António Portela”, afirmou que “ainda não submetemos o dossier regulamentar em nenhum destes países, mas conto que, nos próximos seis a nove meses, os nossos parceiros, quer no Japão quer nos Estados Unidos, possam estar a submeter o dossier nesses países”.

Canábis medicinal: Inaugurada primeira fábrica em Portugal A Tilray inaugurou oficialmente a primeira fábrica em Portugal de produção de canábis para uso medicinal, situada num complexo com 24 mil metros quadrados em Cantanhede. A maior plantação de canábis em Portugal e começou a ser cultivada no final de 2017, ano em que o Infarmed atribuiu à Tilray a licença para cultivar, importar e exportar canábis medicinal a granel. Agora, após duas colheitas bem-sucedidas, a empresa abriu a fábrica para a inauguração oficial das instalações, que incluem não apenas os locais de cultivo, mas também os laboratórios de investigação e os locais de processamento, embalamento e distribuição dos produtos. O objetivo é que a fábrica controle o processo de produção “do início ao fim” para que tudo seja feito o mais rapidamente possível, explica o responsável pelas operações em Portugal, António Vieira. A Tilray espera ainda a chegada da licença de fabrico e do certificado de Boas Práticas de Fabrico, exigido pela União Europeia para a produção de medicamentos, para poder começar a extrair os componentes das plantas e a produzir os produtos finais.

Anticoagulantes: Despesa no SNS ultrapassou os 100 milhões de euros Segundo os dados divulgados pelo Infarmed, em 2018 a despesa com a comparticipação de medicamentos anticoagulantes subiu para 100.028.611 euros, um aumento de 25% relativamente aos 80.040.138 euros de 2017. Os dados indicam um aumento da utilização dos novos medicamentos anticoagulantes, que, segundo o novo presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, Vitor Gil, trouxeram muitas vantagens para os doentes. “Estes novos medicamentos anticoagulantes trouxeram muitas vantagens, quer na comodidade para o doente, pois com a varfarina era preciso fazer análises de controlo mensais, por vezes até com frequências superiores, que nos riscos hemorrágicos, que são substancialmente inferiores à varfarina, especialmente o risco de hemorragia cerebral (metade)”, disse o responsável. 15


Indústria Farmacêutica

Gripe: OMS já definiu composição da próxima vacina A composição da vacina contra a gripe que vai ser administrada no próximo inverno, no hemisfério norte, já foi finalizada, anunciou a Organização Mundial de Saúde (OMS). Esta vacina, que é composta por quatro tipos diferentes de vírus, inclui dois que não faziam parte da vacina que foi disponibilizada neste inverno, e dois que já estavam incluídos. Os vírus gripais responsáveis pelas epidemias sazonais são de dois tipos: A (que se dividem em subgrupos, principalmente H1N1 e H3N2) e B. De acordo com as recomendações da OMS, a vacina para o inverno 2019/2020 no hemisfério norte será composta por um vírus de tipo A (H3N2) e um vírus de tipo B, ambos recolhidos nos Estados Unidos em 2017, além de um vírus de tipo B recolhido na Tailândia em 2013. Os vírus da gripe evoluem constantemente e os que circulam num ano não são forçosamente os mesmos no ano seguinte, o que justifica a necessidade de alterar a vacina todos os anos.

EUA: Medicamentos vão ser entregues em casa por drone

Roche vai deixar de produzir medicamentos no Brasil

A United Parcel Service (UPS), empresa norte-americana de entregas, celebrou uma parceria com a Matternet, que se vai materializar no serviço de transporte de medicamentos entre as infraestruturas do hospital WakeMed, na Califórnia, e a casa de alguns pacientes, através de drones autónomos. Estes drones serão capazes de carregar cerca de 2,2 quilos, ao longo de cerca de 20 quilómetros de distância.

O grupo farmacêutico suíço Roche divulgou que vai deixar de produzir medicamentos no Brasil e que as operações da fábrica que mantém na cidade do Rio de Janeiro serão encerradas no espaço de cinco anos. A farmacêutica refere que a decisão de encerrar a produção de medicamentos no Brasil é justificada por o negócio não ser financeiramente sustentável. "A Roche mantém as suas operações no Brasil, por meio de suas unidades em São Paulo e Goiás, e reitera o seu compromisso de longo prazo com o país, trazendo medicamentos inovadores em diferentes áreas terapêuticas", afirmou em comunicado.

A UPS sublinha que o sistema vai ser mais rápido e barato do que o atual sistema de entregas e que há uma vantagem difícil de bater: a inexistência de engarrafamentos. Desta forma, a empresa espera conseguir garantir uma entrega mais consistente e capaz de responder a pedidos urgentes em tempo útil. 16


Segue VULKAN no

PARA PROTEÇÃO E PREVENÇÃO DE LESÕES

A gama Vulkan TD oferece um nível de proteção e suporte para os músculos e articulações tornando-os menos susceptíveis de sofrerem lesões que possam ocorrer durante a atividade física. Vulkan TD dá liberdade de movimentos e ajuda a prevenir os problemas musculares e articulares antes de acontecerem.

Distribuído por:

www.mercafar.com

17

LÍDER NO COMBATE À DOR

Um mundo de soluções a pensar em si


Especial Cooprofar

Aniversário Cooprofar Grupo celebra 44º aniversário Para assinalar a data, realizaremos um seminário subordinado ao tema “Empreendedorismo e Inovação em Ciências Farmacêuticas: de onde e para onde?” no qual, em linha com a longa tradição de partilha de conhecimentos e colaboração, apoiada nos pilares estratégicos – proximidade, experiência e inovação – abordaremos de forma pragmática a necessidade de inovar para garantir a sustentabilidade do negócio.

nas necessidades daqueles que elegem a Cooprofar como seu parceiro para a Formação. Finalmente, à semelhança do que temos vindo a fazer nos últimos anos, entregaremos os Prémios Forma+ relativos a 2018, que encerram as ações de mais um ano pleno de sucesso da Formação Cooprofar. Estas distinções pretendem reconhecer as Farmácias e os Farmacêuticos que mais investem na sua formação, fazendo jus aos valores da Cooprofar, que procura destacar o rigor, a qualidade e a excelência em cada ação promovida.

Neste evento será lançado também o portal do formando, uma ferramenta desenvolvida especificamente a pensar

Packs formação À medida de cada um A Formação Cooprofar assina, desde 2004, cada ação que promove com «Rigor, Qualidade e Valor». A assinatura traduz o compromisso de transmitir conteúdos de valorização para as Equipas das Farmácias que permitam suportar a mudança, reinventar processos, aumentar a rentabilidade e acrescentar dinamismo ao negócio. Em década e meia, passaram pela Formação Cooprofar mais de 12.000 formandos que, nos inquéritos de avaliação, deixaram um testemunho de elevada satisfação. Neste contexto, surgiram de forma natural os Packs de Formação, que se destinam a Farmácias ou a Formandos a título individual, que valorizem o investimento na formação contínua e que podem ser empregues em todas as ações de Formação Cooprofar.

S

115 €

7+1

PVP Pack

horas

M

225 €

14+3

PVP Pack

horas

L

10 €

bónus

26+5 horas

XL

30 €

bónus

410 €

PVP Pack

30+7 horas

50 €

bónus

450 €

PVP Pack

75 €

bónus

Condições e procedimentos: Os packs individuais são intransmissíveis. Os packs farmácia abrangem apenas os colaboradores da Farmácia. Os pacas têm validade até 31 de Dezembro de 2019. As inscrições são aceites por ordem de chegada. Todas as ações de formação realizam-se com um número mínimo de participantes. O número de inscrições será limitado às vagas existentes. Só serão consideradas válidas as inscrições que forem confirmadas por e-mail pelo departamento de Formação da Cooprofar. A desistência de participação é obrigatória e terá de ser comunicada ao Departamento de Formação da Cooprofar via E-MAIL formacao@cooprofar.pt • Até 7 dias úteis antes da realização, não implicará qualquer pagamento (desconto nos créditos adquiridos) • Após essa data e até 48 horas da data da realização da formação será cobrado 20% do valor da inscrição. • Na ausenta de comunicação de dissidência o valor da propina é descontado na totalidade. Os valores apresentados já incluiem IVA à taxa legal em vigor. Informações: www.cooprofar.pt 18


Breves

Breves Gripe Descoberto novo mecanismo

Investigadores do Instituto Gulbenkian descobriram o local onde os vírus da gripe A monta os seus genomas dentro das células infetadas, o que pode contribuir para terapêuticas que previnam ou combatam novas estirpes de vírus da gripe. O vírus da gripe A é conhecido por formar novas estirpes todos os anos e este estudo descobriu onde encaixa o genoma do vírus da dentro das células infetadas.

Saúde Digital Vacina em pastilhas

Uma equipa de investigação da Universidade de Aveiro está a desenvolver pastilhas efervescentes para combater o vírus da gripe, um método não invasivo que poderá vir a substituir a vacinação tradicional. As pastilhas efervescentes “contêm anticorpos da gema do ovo específicos para as proteínas membranares constantes do vírus, suplementadas com vitamina C para reforçarem o sistema imunitário”.

7,1 mil milhões angariados

As empresas dos EUA que estão neste setor, onde se incluem serviços dirigidos ao bem-estar conseguiram, em 2018, angariar 7,1 mil milhões de dólares junto de investidores, mais 42% face ao ano anterior. Na sua maioria, estes negócios são startups e dedicam-se a desenvolver aplicações para detetar sinais precoces de doenças, testes genéticos online, consultas médicas através de vídeo ou serviços que monitorizam, à distância, os sinais vitais dos pacientes.

Cancro Transportadores de medicamentos

SNS Investimento com retorno

O investimento no Serviço Nacional de Saúde em 2018 permitiu um retorno de 5,1 mil milhões para a economia. Segundo os dados do Índice de Saúde Sustentável, desenvolvido pela Nova Information Management School, cerca de metade do valor investido no SNS em 2018 retornou para a economia.

Atendimento Hospitalar Diferenças entre público e privado

Os hospitais públicos continuavam em 2017 a ser os que mais atendimentos, cirurgias e internamentos faziam, mas foi nos hospitais privados que a produção mais aumentou, segundo dados estatísticos divulgados pelo INE.

Cientistas portugueses criaram “transportadores" de medicamentos contra o cancro com compostos derivados de aminoácidos que foram testados com sucesso em culturas de tumores. O trabalho, cujos resultados foram já publicados, foi realizado por investigadores da Universidade do Porto e do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, em Braga.

Transplantes Alertas em tempo real

A Fundação Vodafone Portugal e o Instituto Português do Sangue e da Transplantação desenvolveram um projeto de comunicação destinado a otimizar a transmissão da informação relativa à cadeia de transplantação. A app vai permitir que as equipas médico-cirúrgicas e laboratoriais envolvidas no processo recebam, em tempo real, alertas sobre este processo.

VACINAÇÃO BCG de regresso às maternidades

As falhas no rastreio e identificação de doentes, a demora no diagnóstico e o aumento de casos nas crianças, obrigaram as autoridades de saúde a repensar a luta contra a tuberculose. Com isto, está a ser estudado o regresso da vacina BCG às maternidades, para ser administrada logo à nascença nos menores identificados como de risco.

Poderá consultar a lista de bónus em www.cooprofar.pt ou através da leitura deste código QR Code.

19


Profile for Grupo Cooprofar-Medlog

My Cooprofar Maio 2019  

My Cooprofar Maio 2019  

Advertisement