Page 1

octubre 17

Fevereiro 2018 no 86 P

O

R

T

U

G

A

L

Ciência e atualidade do setor dentário - ano XII Falamos com...

outros perfis

Vanessa Martins, cantora e médica dentista

Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas

relatos

Luís Pedro Ferreira, presidente da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria

Wagner Jossia Gimo e Winnie Wilson,voluntários da Mundo A Sorrir em Moçambique

Maxillaris 205

publicidade

Portada.indd 1

5/2/18 15:12


Maquetas publis copia.indd 1

12/1/18 13:29


Sumario feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 12:21 Página 3

fevereiro 2018 n o 86

destaques Crónica Nova direção da SPO tomou posse no início do ano e definiu várias linhas mestras até ao final de 2019.

SPEMD prepara próximo biénio sob o lema da continuidade mas também da modernização e da inovação.

João Caramês é o novo presidente do Conselho Científico da FMDUL.

outros perfis Falamos com...

Vanessa Martins, cantora e médica dentista.

Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas.

Relatos Luís Pedro Ferreira, presidente da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria.

Wagner Jossia Gimo e Winnie Wilson, voluntários da Mundo A Sorrir através do projeto “Saúde a sorrir” em Moçambique.

FEVEREIRO 2018

3


Sumario feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 13:02 Página 4

48

sumário o

12

14 22 o

26 34 o

38 o

40

o

54 Crónica Nova direção da sPO tomou posse no início do ano e definiu várias linhas mestras até ao final de 2019. Médicos dentistas contestam proposta de nova tabela da ADsE. João Caramês é o novo presidente do Conselho Científico da FMDUl.

o

56 o

62

Falamos com… Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas: “Podemos todos orgulhar-nos de fazer parte de uma das profissões que mais longe leva o nome de Portugal”. Luís Pedro Ferreira, presidente da sociedade Portuguesa de Odontopediatria: “Os congressistas terão oportunidade de descobrir as últimas tendências na área da odontopediatria”.

o

66 o

68 o

outros perfis Vanessa Martins, cantora e médica dentista: “O que é um médico dentista senão um verdadeiro artista”. Relatos Wagner Jossia Gimo e Winnie Wilson, médicos dentistas e voluntários da Mundo A sorrir através do projeto “saúde a sorrir”. Universidade de lúrio (Moçambique). A indústria a fundo Rui Fernandes, diretor comercial da sinusmax. Calendário Agenda de cursos para os profissionais.

78 80

Indústria Notícias de empresas.

o

Ciência e prática Nuno Menezes Gonçalves: “Facetas cerâmicas em pacientes com erosão dentária: relato de um caso clínico”.

Quiz de Medicina oral Demonstre os seus conhecimentos no teste elaborado para a MAxillAris por Germán Esparza Gómez.

Reuniões Calendário de congressos, simpósios, jornadas, encontros e exposições industriais nacionais e estrangeiras. Novidades Produtos e equipamentos.

72

Ponto de vista Sónia Alves e Maria Moreira: “Coimbra acolhe em março um evento de elevada relevância científica”.

Sara Paixão: “Tratamento do dente endodôntico 2.1 com a remoção de um instrumento fraturado. Caso clínico”.

o

A MAxillAris é uma marca registada a nível europeu pelo Departamento de Harmonização do Mercado interior Europeu de Marcas e Desenhos com o Nº 003098449. Proprietário: Cyan Editores. Coordenador Edição Portuguesa: João Drago. portugal@maxillaris.com Publicidade: Maria João Miranda. comercialportugal@maxillaris.com Colaboradores: Gilberto Ferreira. João dos santos. Maria inês de Matos. Nuria Mauleón. Valéria Baptista Ferreira.

Comissão Científica: Jaime Guimarães (diretor científico). Ana Cristina Mano Azul. Francisco Brandão de Brito. Francisco Teixeira Barbosa. Gil Alcoforado. isabel Poiares Baptista. José Bilhoto. José Pedro Figueiredo. Paulo ribeiro de Melo. rui Figueiredo. susana Noronha. Consultor para a América latina: Pérsio Mariani. rEDAÇÃO: rua Francisco sanches, 122, 2º 1170-144 lisboa • Tel./Fax: 218 874 085.

FEVEREIRO 2018

4

Edição online: www.maxillaris.com.pt Depósito legal: M-44.552-2005. Assinatura anual: Portugal 35 € , resto 80 € . isENTO DE rEGisTO AO ABriGO DO DECrETO rEGUlAMENTAr 8/99 de 9/6 art 12º nº 1ª

Tiragem: 6.500 exemplares • Periodicidade mensal.

• MAxillAris não se responsabiliza pelas opiniões manifestadas pelos seus colaboradores. • Proibida a sua reprodução total ou parcial em outras publicações sem a autorização expressa e por escrito de CyAN EDiTOrEs.


Maquetas publis copia.indd 1

27/10/17 10:07


Editorial feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 12:36 Página 6

Editorial Fevereiro é o mês em que se assinala o Dia Mundial da Luta concra o Cancro. Trata-se de um combate que, cada vez mais, não deixa margem para tréguas aos agentes da saúde em geral, designadamente os profissionais da área da saúde oral, que desempenham um papel determinante na prevenção e deteção do cancro oral, com uma das taxas de mortalidade mais elevadas. Desde que foi criado em 2014, o Programa de Intervenção Precoce do Cancro Oral (PIPCO) já permitiu a deteção de 129 casos de lesões malignas e de 168 lesões potencialmente malignas. No total, já beneficiaram do programa mais de 5.000 utentes, um número digno de registo. De resto, a taxa de utilização dos cheques-biópsia tem vindo a subir desde o primeiro ano do programa e atingiu os 93,3%. No ano passado, e até ao final de dezembro, tinham sido utilizados 920 dos 986 cheques-biópsia emitidos. O PIPCO veio, sem dúvida, preencher uma grave lacuna no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e tem permitido salvar vidas, tendo em consideração o elevado índice de mortalidade que está associado ao cancro oral. Esta patologia é tratável se for detetada precocemente, o que não acontecia até aqui, sobretudo em grupos de risco. Os fumadores do sexo masculino, com idade igual ou superior a 40 anos, são o principal grupo de risco, mas qualquer lesão na boca que dure mais de 15 dias deve ser vista com urgência pelo médico dentista e o médico de família pode emitir um cheque-diagnóstico para esse efeito. O número de cheques-diagnóstico tem vindo a aumentar todos os anos, tendo passado de 2.402 em 2014 para 4.175 no ano passado. Mas apesar dos auspiciosos resultados, é essencial continuar a incrementar a sua taxa de utilização. Impõe-se a necessidade de explicar aos doentes a importância de usarem os seus cheques-diagnóstico e despistarem lesões que possam ter na cavidade oral. Neste contexto, a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) defende que os médicos de família devem redobrar as atenções para esta patologia e receber mais informação sobre a melhor forma de atribuir os cheques aos doentes. Também as consultas semestrais assumem, para os dirigentes da classe, um papel essencial na deteção de lesões (malignas ou benignas) quer nas consultas de Medicina Dentária que têm vindo a aumentar nos cuidados de saúde primários, quer nos médicos dentistas convencionados através do cheque-diagnóstico emitido pelos médicos de família. No que respeita ao combate ao cancro, nos dias de hoje todos os esforços são poucos. O assunto exige, realmente, uma atenção redobrada e permanente por parte dos profissionais de saúde, mas também dos próprios pacientes.

FEVEREIRO 2018

6

A luta continua


Maquetas publis copia.indd 1

2/2/18 9:57


Índice feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:31 Página 8

Administradores: - Marisol Martín. marisol.martin@maxillaris.com - José Antonio Moyano. moyano@maxillaris.com Diretor: Miguel Ángel Cañizares. canizares@maxillaris.com Subdiretor: Julián Delgado. julian.delgado@maxillaris.com Diretora Comercial: Verónica Chichón. publicidad@maxillaris.com Chefe Divisão Multimédia: Roberto San Miguel. webmaster@maxillaris.com Chefe Departamento Gráfico: M. Ángeles Barrero. maquetacion@maxillaris.com Coordenadora de projetos: Marta Esquinas marta.esquinas@maxillaris.com Redatores: María Santos e Diego Ibáñez. redaccion@maxillaris.com Serviços Administrativos: Inmaculada Barrio. administracion@maxillaris.com

índice Bien-Air . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 e 79 BTI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 Colgate. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 Douromed . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Expodental 2018 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84 GMI. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Gnathos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 Henry Schein. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83

REDAÇÃO ESPANHA: C/ Clara del Rey, 30, bajo. E-28002 Madrid Tel.: (0034) 917 25 52 45

Instituto Casan . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

Edição online espanhola: www.maxillaris.com Comissão Científica (edição espanhola): Javier García Fernández (diretor científico). Armando Badet de Mena. Baoluo Gao. Beatriz Giménez González. Blas Noguerol Rodríguez. Carlos Fernándes Villares. Emilio Serena Rincón. Esther Nevado Rodríguez. Francisco Teixeira Barbosa. Germán Esparza Gómez. Héctor Tafalla Pastor. Jaime Jiménez García. Jaume Janer Suñé. Juan López Palafox. Luis Calatrava Larragán. Manuel Cueto Suárez. Marcela Bisheimer Chemez. María Rosa Mourelle Martínez. Rafael Flores Ruiz. Rafael Martín-Granizo López. Rui Figueiredo.

Klockner . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 Ledosa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1 Oral-B . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 Ortoarea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61 Ravagnani Dental . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Roland DG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 Serviço Público de Medicina Dentária (Dalarna). . . . . . . . 51 Sineldent . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 Sinusmax. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65 SPEMD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77

FEVEREIRO 2018

8


Maquetas publis copia.indd 1

12/1/18 13:27


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:26 Página 10

crónica Cronica SPEMD prepara próximo biénio sob o lema da continuidade mas também da modernização e da inovação Decorreu no passado dia 16 de dezembro, em Lisboa, a eleição dos órgãos sociais da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD) para o biénio 2018/2019. A única lista (A) que se apresentou a sufrágio, encabeçada por João Carlos Sampaio Fernandes, foi eleita com 125 votos a favor, cinco votos em branco e um voto nulo. Os novos corpos sociais tomarão posse no próximo dia 11 de março, num ato a realizar em Aveiro. Em resultado do ato eleitoral, a nova Assembleia Geral passa a ser constituída por Helena Figueiral (presidente) e Luís Pires Lopes e Pedro Pestana (secretários), ao passo que a direção da SPEMD é assumida por João Carlos Sampaio Fernandes (presidente), Ana Luisa Costa, Duarte Marques e Pedro Mesquita (vice-presidentes), e tem como vogais os seguintes sócios: Bruno Seabra, Helena Salgado, Jaime Portugal, João Bravo e Pedro Nicolau. O conselho fiscal é composto por Mário Bernardo (presidente), Ana Mano Azul (vice-presidente) e Germano Rocha (vogal). Resta acrescentar que os conselhos regionais da SPEMD passam a ser presididos por Pedro Mesquita (norte), Ana Luísa Costa (centro) e Duarte Marques (sul). SPEMD centenária A SPEMD é uma das mais antigas sociedades científicas médicas em atividade, que cumpre 100 anos no próximo ano. “Assumir responsabilidades ao mais alto nível tem, também por isso, um peso assinalável”, constata à MAxiLLARiS o

presidente eleito da sociedade científica. “Sendo uma sociedade com um passado tão grandioso, é necessário que seja dirigida de forma sensata e conservadora, numa linha de continuidade, mas, ao mesmo tempo, de forma moderna e inovadora em termos científicos e tecnológicos”, sustenta João Carlos Sampaio Fernandes, reconhecendo que esse trabalho tem sido feito ao longo dos últimos anos, nomeadamente sob as presidências dos professores Jaime Portugal e Pedro Mesquita. Neste mandato que se iniciará brevemente, “cumpre-me coordenar uma equipa que congrega uma percentagem muito significativa de novos e jovens elementos, quer na direção nacional quer nos três conselhos regionais e, sem desvalorizar novos desafios nem as diferentes formas de os abordar, que promoveremos ativamente, pretendemos continuar e aprofundar muito do que já vem sendo feito”. Entre os objetivos do novo mandato, impõe-se fornecer aos sócios e aos não sócios uma formação científica, teórica e prática, de cada vez mais elevado nível, e assegurar, e melhorar sempre que possível, a publicação da revista científica da SPEMD, que é um marco de enorme prestígio nas publicações científicas portuguesas da área, entre muitos outros. “São vários os desafios que se nos apresentam e que procuraremos enfrentar de forma empenhada em prol da consolidação de uma sociedade científica centenária que tem ao longo da sua existência desempenhado um papel fundamental na formação pós-graduada dos colegas, na investigação e na defesa do prestígio da arte dentária”, conclui.

FEVEREIRO 2018

10

João Carlos Sampaio Fernandes assume a presidência da SPEMD no próximo dia 11 de março.


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:26 Página 11

MAXILLARIS

crónica

MAXILLARIS reforça comissão científica com mais dois profissionais de renome: Rui Figueiredo e Francisco Teixeira Barbosa O início do novo ano trouxe consigo um reforço da comissão científica da MAxiLLARiS Portugal. Com o objetivo de providenciar aos profissionais do setor todas as novidades clínicas e profissionais, decidimos aumentar a nossa equipa de assessoria com duas novas incorporações, que sem dúvida virão reforçar o contributo da equipa que até agora tem vindo a trabalhar ao nosso lado, sob a liderança de Jaime Guimarães. Os novos membros da comissão científica da MAxiLLARiS têm diferentes perfis. Assim, no âmbito da cirurgia oral temos o prazer de contar com um apaixonado por esta matéria: Rui Figueiredo – atual tesoureiro da Sociedade Espanhola de Cirurgia Oral (SECiB) – cujo percurso profissional se tem desenvolvido em grande medida na Universidade de Barcelona (Espanha).

O outro reforço da equipa que certifica o conteúdo científico da MAxiLLARiS Portugal é Francisco Teixeira Barbosa, renomado especialista em implantologia que também exerce a sua atividade em Barcelona. O médico dentista português contribuirá também com a sua visão inovadora sobre tudo o que se relaciona com o universo da gestão. O mérito dos dois profissionais portugueses tem merecido, de resto, amplo reconhecimento a nível nacional e no estrangeiro, motivo pelo qual ambos passam a integrar também a comissão científica da edição espanhola desta revista.

Rui Figueiredo • • • • • • • • •

Doutorado em Medicina Dentária (Prémio extraordinário) pela Universidade de Barcelona (UB). Mestrado de Cirurgia e implantologia Oral pela UB. Professor associado de Cirurgia Oral na Faculdade de Odontologia da UB. Coordenador do Mestrado de Cirurgia Oral e implantologia Bucofacial da Faculdade de Odontologia da UB. Membro do grupo de investigação biomédica iDiBELL. Autor de 40 publicações em revistas indexadas com fator de impacto e de quatro capítulos em livros da especialidade. Editor associado da revista Medicina Oral Patología Oral y Cirugía Bucal. Tesoureiro da Sociedade Espanhola de Cirurgia Oral. Autor o coautor de mais de 100 conferências, comunicações livres, pósteres científicos em congressos nacionais e internacionais.

Francisco Teixeira Barbosa • • • • • •

Licenciado em Medicina Dentária. MBA ESADE Barcelona. Mestrado de implantologia pela Escola Superior de implantologia, de Barcelona. Pós-graduação em implantologia pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Pós-graduação em Estética Dentária pela Universidade de Barcelona. Fundador de Periospot.

FEVEREIRO 2018

11


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:26 Página 12

Nova direção da SPO tomou posse no início do ano e definiu várias linhas mestras até ao final de 2019 A nova direção da Sociedade Portuguesa de Ortodontia (SPO), liderada pelo médico dentista Armando Dias da Silva, iniciou no passado mês de janeiro um mandato que se prolongará até dezembro de 2019. Para além deste especialista em Ortodontia pela Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) e docente da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, a nova equipa diretiva da SPO é composta por Jorge João (ex-presidente da sociedade científica que assume agora o cargo de vice-presidente), Rui Pinto, Francisco Freitas e Ana Paula Amorim. Armando Dias da Silva adiantou à MAxiLLARiS as linhas mestras da nova direção da SPO, designadamente o propósito de “estimular a entrada de novos sócios, melhorando a comunicação com os todos os associados e fomentar a participação dos mesmos nas atividades formativas da sociedade científica”. Outro objetivo passa por “criar eventos científicos de periodicidade anual, além do congresso da SPO”, bem como “concretizar novas parcerias com outras sociedades científicas”. O presidente recém empossado manifestou também a esta revista o seu desejo de “internacionalizar as atividades da SPO e estabelecer parcerias comerciais com patrocinadores”. Nos planos da nova direção está também a “consolidação do congresso anual da SPO como o evento de maior participação por ortodontistas em Portugal”. De resto, a 25a cimeira da SPO, cuja organização está a cargo de Ana Paula Amorim Peres, já tem data marcada: realizar-se-á de 20 a 22 de setembro deste ano, no Porto.

OMD, Orlando Monteiro da Silva. A reunião, que decorreu na sede da Ordem, no Porto, serviu para a apresentação de cumprimentos institucionais, bem como a divulgação das linhas mestras do mandato e a abordagem de temas de interesse relacionados com a especialidade de Ortodontia. O bastonário fez-se acompanhar pelo presidente do Colégio de Ortodontia da OMD, Luís Jardim, e pela diretora do Departamento Jurídico, Filipa Carvalho Marques. Por seu lado, o presidente da SPO compareceu ao encontro ladeado pelos membros da direção Jorge João e Francisco Freitas.

Armando Dias da Silva é o novo presidente da Sociedade Portuguesa de Ortodontia (SPO).

O programa do congresso conta já com as presenças confirmadas de Tomás Castellanos (pré-curso) e Andrés Giraldo, Álvaro Larriú, Beatriz Solano, Enrique Solano, isabel Flores, itamar Friedlander, Júlio Fonseca, Júlio Cifuentes, Juan Carlos Rivero Lesmes, Nuno Gil e Roberto Fernandes. A direção da SPO foi, entretanto, recebida no passado dia 5 de janeiro pelo bastonário da FEVEREIRO 2018

12

Uma das prioridades da nova direção é consolidar o congresso anual da SPO como o evento de maior participação por ortodontistas em Portugal.


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 12:04


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:26 Página 14

M AXILLARIS

crónica

Líder do CDS/PP reuniu-se com o bastonário da OMD Assunção Cristas, líder do CDS/PP defendeu, durante um encontro com o bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), Orlando Monteiro da Silva, que o Estado deve aproveitar a rede de clínicas e consultórios privados de Medicina Dentária para garantir o acesso de toda a população a cuidados de saúde oral.

Orlando Monteiro da Silva recebeu Assunção Cristas na delegação da OMD, em Lisboa.

No final do encontro, que decorreu nas instalações da OMD em Lisboa, Assunção Cristas observou que “a nossa preocupação é que o Estado não faça alterações em áreas onde há muita Medicina Dentária privada a funcionar, e a funcionar bem, nomeadamente podendo ser contratualizada através do cheque-dentista ou de outros modelos, não se vá estar a criar um modelo que depois inibe as pessoas de fazerem as suas escolhas e de poderem ter a prestação de cuidados de saúde oral com mais liberdade e muitas vezes, se calhar, com menos custos para o próprio Estado”. Sobre o Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral, a presidente do CDS/PP salientou os “bons resultados, numa população, nomeadamente ao nível das crianças e das grávidas, servida como não tinha acontecido antes, preocupa-nos que haja, pelo menos, uma inação para não falar de uma intenção velada de não dar seguimento e não alargar o programa, o que é mau, porque sendo o programa bom deveríamos estar a falar do seu alargamento”.

Assunção Cristas lamentou ainda os atrasos recorrentes de pagamento do cheque-dentista e defendeu a criação da carreira de médicos dentistas no Serviço Nacional de Saúde. Por seu lado, Orlando Monteiro da Silva lembrou que a criação da carreira de médicos dentistas já foi aprovada pelo Ministério da Saúde no ano passado e aguarda aprovação final do Ministério das Finanças.

Médicos dentistas contestam proposta de nova tabela da ADSE A Ordem dos Médicos Dentistas pede aos profissionais que ponderem acabar com o acordo com a ADSE (Assistência na Doença aos Servidores do Estado) caso se mantenha a proposta das novas tabelas de preços, que o bastonário Orlando Monteiro da Silva considera "absolutamente incompatíveis com tratamentos de qualidade".

Recorda que há dois anos que a OMD está a tratar deste assunto num grupo de trabalho conjunto com a ADSE, tendo chegado até a um acordo, sendo que a sua implementação foi sucessivamente adiada. A proposta que agora surge “vai ao arrepio do que tinha sido firmado e faz tábua rasa do que tinha sido decidido".

Orlando Monteiro da Silva sustenta que as regras e preços da ADSE para a Medicina Dentária devem fazer com que os profissionais do setor deixem de ter acordo com o subsistema dos funcionários públicos.

Para o bastonário, os preços praticados são incompatíveis com tratamentos de qualidade e dá exemplos: a ADSE paga por uma extração dentária cerca de 11 euros, pelo tratamento de um dente paga 17 e por uma consulta paga pouco mais de sete euros.

FEVEREIRO 2018

14


Maquetas publis copia.indd 1

31/10/17 17:10


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 13:45 Página 16

M AXILLARIS

crónica

Estão abertas as inscrições para o terceiro simpósio CEMAS Acabam de ser lançadas as inscrições para o III Simpósio CEMAS, organizado pelo Centro de Estudos da Mundo A Sorrir. As inscrições são online e os interessados podem inscrever-se através do link: goo.gl/uWW8tP. Sob o mote "Saúde oral e as doenças não transmissíveis", o simpósio decorre no dia 17 de março, no Auditório D. Pedro IV da Santa Casa da Misericórdia do Porto. O certame tem como objetivo proporcionar uma reflexão, debate e apresentação de soluções em torno de temáticas relacionadas com a saúde oral.

O evento conta com a presença de oradores de renome a nível nacional e internacional das áreas da saúde e promoção de estilos de vida saudáveis, entre eles: Wagner Marcenes, Ricardo Fontes de Carvalho, Agostinho Marques, Alexandra Bento, Mário Simões e Alcindo Maciel Barbosa. O programa da terceira edição do simpósio explora temáticas tão variadas como "A Saúde Oral e as Doenças Cardiovasculares e Respiratórias", "A Carga da Doença Oral na Saúde em Geral", "A Reforma dos Cuidados de Saúde e Programas Nacionais", bem como a realização de uma mesa redonda subordinada ao mote "As desigualdades em saúde: o papel da alimentação saudável e da atividade física", entre outras iniciativas.

Êxito em Gestão Quinta-feira 15 de março 18 h.

Damos-lhe as pautas Fórum de atualização e debate com especialistas do âmbito da gestão no setor dentário FEVEREIRO 2018

16


Maquetas publis copia.indd 1

2/2/18 9:56


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:27 Página 18

M AXILLARIS

crónica

Madrid acolhe em março a 15a edição do salão Expodental numa superfície de mais de 19.000 metros quadrados De 15 a 17 do próximo mês de março terá lugar, em Madrid (Espanha), a décima quinta edição do salão Expodental. Tal como em 2016, o certame vai decorrer nos pavilhões 3, 5 e 7 do recinto de feiras madrileno (Ifema), ocupando uma superfície de mais de 19.000 metros quadrados. A feira voltará a contar com um dinâmico “Espaço de Formação”, no qual se integrarão todos os modelos formativos para qualquer dos profissionais de saúde oral, abordando deste modo tanto a oferta no contexto da licenciatura como da pós-graduação e da formação continuada. A próxima edição da Expodental, agendada para os dias 15 a 17 de março, em Madrid (Espanha), vai assumir um esquema de organização sem grandes alterações, “já que se trata de um formato que funciona e que está muito bem valorizado pelas empresas e os profissionais”. Quem o afirma é María José Sánchez, diretora do certame espanhol, que ainda assim destaca à MAxiLLARiS alguns ajustes associados à edição deste ano. “Estamos a reforçar as campanhas de promoção em todos os âmbitos, com especial atenção para as ilhas Canárias que, como novidade, será a comunidade autónoma espanhola convidada desta edição”. Por outro lado, a força da Expodental reside fundamentalmente na sua oferta e no carácter inovador de uma indústria que, de dois em dois anos, converte a feira numa montra internacional de primeiro nível e numa oportunidade única de aproximar-se às tendências de vanguarda, assim como de obter uma ampla informação sobre as múltiplas novidades que resultam do avanço tecnológico em matéria de equipamento, instrumental, implantologia, ortodontia, etc. Precisamente, o lema deste ano (“inovação, Tecnologia e Futuro Digital”) “reflete claramente esta característica que, sem dúvida, é o melhor atrativo para a visita profissional”, sublinha María José Sánchez. A diretora da Expodental esclarece, por outro lado, que a distribuição em três pavilhões ajusta-se perfeitamente à dimensão adquiri-

María José Sánchez, diretora da Expodental.

da pelo certame. “Funcionou muito bem na passada edição, já que nos permitiu, por um lado, melhorias na estética da feira, com um desenho muito mais atrativo e cómodo para a visita profissional, assim como dispor de maiores espaços adequados ao importante investimento que fazem as empresas participantes ao longo de mais de 19.000 metros quadrados de exposição. Além disso, a sua estratégica situação na área central do recinto de feiras da capital espanhola e a sua perfeita conexão facilitam em grande medida a circulação dos numerosos profissionais que recebe a feira”.

FEVEREIRO 2018

18


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:27 Página 19

MAXILLARIS

Além do Dia do Estudante (quinta-feira, 15), a organização volta a levar a cabo o “Espaço de Formação”, mobilizando universidades, centros formativos e sociedades científicas. Trata-se de uma área que despertou grande interesse, uma vez que se enquadra num cenário estratégico, que recebeu na sua passada edição 30.000 visitantes profissionais e estudantes. A dirigente espanhola recorda que “é a feira do setor mais importante em Espanha e representa uma indústria inovadora, na qual o crescente progresso tecnológico e de produtos de aplicação ao âmbito da saúde oral torna cada vez mais necessária a formação contínua dos profissionais; portanto, contamos com argumentos de força”. Relativamente aos conteúdos, este espaço abordará uma ampla oferta formativa de todos os agentes da saúde oral, não só médicos dentistas como também higienistas ou protésicos. Também se aborda a formação contínua. “Universidades, centros de formação, sociedades científicas, colégios profissionais e empresas apresentarão a sua proposta académica no que se refere às etapas de licenciatura, pós-graduação, mestrados, MBA’s, gestão de clínicas e especialidades do setor dentário”. Novo código ético A Fenin, que organiza o salão de Madrid, introduziu em 2018 um novo Código Ético do Setor de Tecnologia Sanitária. Esta medida deverá ter repercussões práticas na próxima edição da Expodental. Neste contexto, María José Sánchez observa, em primeiro lugar, que é justo “reconhecer o salto qualitativo que houve na anterior edição de 2016, com uma feira muito mais profissional, onde as companhias puderam apresentar as últimas inovações tecnológicas disponíveis no mercado. Estamos convencidos de que o setor seguirá nesta dinâmica de melhorar a sua relação com os profissionais de Medicina Dentária cuidando a imagem e a reputação do setor”. O novo Código Ético do Setor de Tecnologia Sanitária introduz novas garantias de independência e transparência nas relações das empresas com os profissionais de saúde. O objetivo é garantir que estes não se veem influen-

crónica

ciados nas suas decisões clínicas e que as tomem pensando apenas no benefício do paciente. Neste sentido, como já sucedeu na passada edição, as empresas só poderão entregar materiais formativos e/ou prendas de valor inferior a dez euros aos profissionais que assistam ao certame e poderão dar uma hospitalidade razoável e conforme a um evento desta natureza. Não obstante, a Fenin está disponível para clarificar qualquer dúvida que se possa apresentar relativamente ao cumprimentos desta normas. A organização sempre defendeu que a Expodental nunca será um congresso com conferências científicas, mas acolhe o formato Speakers’ Corner, onde se oferecem conferências sobre questões ligadas à ciência. Apesar disso, María José Sánchez assegura que o futuro continuará a ser essencialmente do foro comercial. “Uma das razões do sucesso de Expodental é precisamente o seu modelo exclusivamente comercial. Neste sentido, vamos seguir o caminho estabelecido que se centra na exposição de produtos, serviços e novidades, acompanhada do programa de apresentações do Speakers´Corner, que igualmente é de carácter comercial. A diretora do certame conclui que os conteúdos científicos “não são objetivo da Expodental e têm o seu tratamento específico noutros eventos e congressos que se celebram à margem da feira”.

Uma das razões do sucesso do certame de Madrid é o seu modelo exclusivamente comercial.

FEVEREIRO 2018

19


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 13:46 Página 20

M AXILLARIS

crónica

Federação Europeia de Periodontologia lança nova campanha de prevenção da cárie e da periodontite

Com o objetivo de alertar para o aumento da cárie e da periodontite severa, e ao mesmo tempo promover as intervenções preventivas simples que estão disponíveis para evitar estas doenças, a Federação Europeia de Periodontologia (EFP, na sigla em inglês) lançou no início deste ano a campanha de prevenção “Perio & Caries”. A cárie dentária e a periodontite são as doenças não comunicáveis mais comuns, ainda que ambas sejam amplamente evitáveis. Não só provocam a perda de dentes, prejudicando gravemente a qualidade de vida, como também, segundo estudos recentes, estão associadas (no caso da doença das gengivas) a problemas graves de saúde como a diabetes, as doenças cardiovasculares e até alguns tipos de cancro. A iniciativa “Perio & Caries”, que conta com a colaboração da Colgate, destina-se a médicos dentistas e outros profissionais da área da saúde, à comunidade científica, ao público e aos decisores políticos. As 30 sociedades científicas nacionais que integram a EFP vão promover a campanha nos seus países, com ações cen-

tradas nas comunidades e autoridades locais. As recomendações baseiam-se nas diretrizes consensuais alcançadas por mais de 75 especialistas em periodontologia e cariologia. A EFP lançou um site (perioandcaries.efp.org) dedicado a esta campanha, que oferece aos utilizadores informação atualizada e recomendações, incluindo infografias. “Manter os dentes sãos é uma questão vital”, explica Nicola West, professora de Periodontologia na Universidade de Bristol (Reino Unido) e autora das recomendações. “A nossa mensagem principal é no sentido de alertar que a perda de dentes, a cárie e a doença periodontal é evitável na maioria dos casos. Há uma necessidade urgente de reforçar a educação pública neste campo. Cumprir recomendações tão simples como escovar os dentes com pasta dentífrica com flúor duas vezes por dia, reduzir o consumo de açucar, ter uma dieta saudável, não fumar e visitar o consultório dentário duas vezes por ano, tudo isto pode melhorar a saúde oral e global, e ao mesmo tempo diminuir a carga financeira que está associada à periodontite e à cárie.

Visite-nos na Expodental

3 0 A 5 D N A T S FEVE -


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:29


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:57 Página 22

M AXILLARIS

crónica

João Caramês é o novo presidente do Conselho Científico da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa O médico dentista João Caramês foi eleito, no passado dia 24 de janeiro, como presidente do Conselho Científico da Faculdade de Mecidina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL), tendo obtido a unanimidade dos votos do colégio eleitoral. Substitui neste cargo o professor catedrático Mário Bernardo, que concluiu no passado mês de dezembro dois mandatos consecutivos como presidente deste órgão científico. João Caramês é professor catedrático da FMDUL, regente das disciplinas de Cirurgia Oral e coordenador dos cursos pós-graduados de especialização em Cirurgia Oral e em Implantologia. É doutorado em Cirurgia Oral pela Universidade de Lisboa e pós-graduado em Reabilitação Oral e Implantologia pela Universidade de Nova Iorque (EUA).

Atualmente é investigador integrado na Unidade de Investigação em Ciências Orais e Biomédicas do LIBPhys (Laboratório de Instrumentação, Engenharia Biomédica e Física das Radiações) e lidera vários projetos de investigação na área da implantologia e dos biomateriais. A eleição de João Caramês, como presidente do Conselho Científico da FMDUL, é a confirmação de que a Universidade de Lisboa está fortemente comprometida e empenhada em ser uma instituição de referência no ensino pós-graduado e na investigação na área das ciências da saúde oral.

João Caramês é professor catedrático da FMDUL.

Infarmed soma 25 anos a regular medicamentos e produtos de saúde O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. assinalou no passado dia 15 de janeiro os "25 anos a regular e supervisionar o setor dos medicamentos e produtos de saúde (dispositivos médicos e produtos cosméticos e de higiene corporal) em Portugal, segundo os mais elevados padrões de proteção da saúde pública assegurando a sua qualidade, eficácia e segurança e garantindo o seu acesso aos cidadãos e profissionais da saúde". A entidade sintetizou assim a sua missão, sublinhando que o Infarmed é um claro exemplo de uma organização da dimensão das pessoas que o ajudam ou ajudaram a crescer", referiu Maria do Céu Machado, presidente do Conselho Diretivo do Infarmed.

FEVEREIRO 2018

22

A cerimónia dos 25 anos decorreu no Parque da Saúde em Lisboa, na presença, entre outros, da secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos, e do diretor Executivo da Agência Europeia de Medicamentos, Guido Rasi. A Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) esteve representada pelo bastonário Orlando Monteiro da Silva. Num depoimento vídeo que juntou diversos parceiros do Infarmed, Orlando Monteiro da Silva lembrou que a OMD tem, desde sempre, vindo a colaborar de perto com o Infarmed, quer ao nível do seu Conselho Consultivo, onde tem um representante, quer ao nível das comissões técnicas especializadas e da celebração de protocolos. "São 25 anos de estreita colaboração, a trabalhar em conjunto, em parceria, para uma regulação mais eficaz quer da parte da OMD, quer da parte do Infarmed", salientou o bastonário.


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:27 Página 23

MAXILLARIS

crónica

EuroPerio9 recebeu um número recorde de comunicações A Federação Europeia de Periodontologia (EFP) informa que 1.746 resumos de comunicações foram submetidos ao seu próximo congresso, EuroPerio9, que terá lugar entre os dias 20 e 23 de junho deste ano em Amesterdão (Holanda). Este número, que representa um crescimento de 10% em relação ao congresso anterior e bate todos os recordes na história deste encontro, superou todas as expectativas da organização. Os resumos dos dois tipos de apresentações contempladas no programa científico (investigação e relatório clínico) chegaram de 87 países, o que indica, segundo a organização, a importância mundial deste congresso trienal da EFP, centrado na peridontologia e na terapia de implantes, cuja última edição realizou-se em Londres (Reino Unido) e reuniu um total de 10.000 participantes. A comissão organizadora do EuroPerio9 estudará agora as propostas para avaliar o seu mérito científico e clínico e decidir quais serão selecionadas para que se apresentem oralmente e quais serão exibidas como pósteres. A comissão já atribuiu, de resto, muito mais espaço para estas apresentações do que em edições anteriores. O congresso realizado pela EFP permitirá uma atualização sobre os temas mais recentes acerca da periodontologia. Espera-se uma forte presença nacional no encontro de Amesterdão. A delegação será encabeçada pela médica dentista inês Faria, embaixadora portuguesa do congresso EuroPerio9.

FEVEREIRO 2018

23


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:27 Página 24

M AXILLARIS

crónica

Governo vai proibir venda de doces e salgados no Serviço Nacional de Saúde

Medida governamental visa limitar produtos prejudiciais à saúde nos espaços destinados à exploração de bares, cafetarias e bufetes.

O Governo vai proibir os salgados, produtos de charcutaria, bolos, refrigerantes e sandes com molhos nas cafetarias das unidades de saúde públicas, de acordo com um despacho publicado a 28 de dezembro de 2017 em Diário da República. As várias instituições abrangidas pelo despacho têm até dia 30 do próximo mês de junho para procederem às alterações. O despacho nº 11391/2017, assinado pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, além de limitar produtos prejudiciais à saúde nos espaços destinados à exploração de bares, cafetarias e bufetes, pelas instituições do Ministério da Saúde, pretende implementar um conjunto de medidas para a promoção da saúde em geral, e em particular para a adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Os contratos a celebrar para a concessão de espaços destinados à exploração de bares, cafetarias e bufetes também não poderão contemplar a publicidade ou venda de refrigerantes nem de refeições rápidas, designadamente hambúrgueres, cachorros-quentes, pizzas, lasanhas ou produtos similares. É igualmente definida uma lista de alimentos a disponibilizar preferencialmente nos bares, cafetarias e bufetes dos hospitais e outras unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Nessa lista serão incluídos os seguintes produtos de consumo: leite simples meio-gordo ou magro, iogurte meio-gordo ou magro, queijos curados ou frescos e requeijão, sumos de fruta e/ou vegetais naturais, bebidas que contenham pelo menos 50% de fruta e/ou hortícolas e monodoses de fruta.

Estudo americano associa periodontite a um maior risco de cancro A periodontite é uma una patologia de origem bacteriana e fundamentalmente caracterizada pela inflamação e sangramento das gengivas. Trata-se de uma doença que, no caso de não ser tratada, para além de provocar a destruição da massa óssea que sustenta as peças dentárias – o que implica a perda irreversível dos dentes –, associa-se a distintas patologias muito graves e potencialmente mortais. É o caso, entre outras, das doenças cardiovasculares e da diabetes, e tudo indica que também é causa de vários tipos de cancro. De resto, um estudo dirigido por investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade Tufts, em Boston (EUA), alerta que as pessoas que padecem de periodontite apresentam um risco muito maior de contrair um tumor, muito especialmente do pulmão ou colorretal.

Como explica Dominique Michaud, diretora desta investigação publicada recentemente na revista Journal of the National Cancer Institute, “o nosso trabalho é o maior realizado até à data para avaliar a associação entre a periodontite e o risco de cancro utilizando os historiais dentários para quantificar a doença das gengivas previamente ao diagnóstico de cancro”. O estudo é de tipo observacional, pelo que só se pode estabelecer a existência de uma associação, e não uma relação do tipo causa e efeito. Como conclui Dominique Michaud, “é necessário levar a cabo mais estudos para avaliar se a prevenção da periodontite e o seu tratamento podem ajudar a diminuir a incidência de cancro e reduzir o número de mortes associadas a certos tumores específicos”.

FEVEREIRO 2018

24


crónica-feb PT versión amplia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 10:27 Página 25

MAXILLARIS

crónica

Investigadores chineses desenvolvem um robot que coloca implantes de forma autónoma Uma equipa médica pertencente à Universidade de Beihang, em Pequim (China), e ao Hospital de Estomatologia da Quarta Universidade Médica Militar, com sede na cidade chinesa de xian, levaram a cabo a primeira operação de colocação de implantes com um robot completamente autónomo e sem assistência humana. A intervenção, que se levou a cabo em xian, serviu para colocar com sucesso dois implantes dentários a uma mulher (com apenas uma margem de erro de 0,2-0,3 mm). Segundo informaram os meios de comunicação locais, embora a equipa médica estivesse presente e supervisionasse a operação, não interviu em nenhum momento enquanto o robot atuava. Este foi devidamente preparado antes de anestesiar a paciente, orientando-o para ela, e a unidade foi programada para realizar os movimentos com a direção, a angulação e a profundidade adequadas nos leitos dos implantes. Durante o procedimento, o robot atuou livremente para adaptar-se aos movimentos da paciente. A China está a realizar grandes investimentos em inovação e tecnologia. No caso da Medicina Dentária, já se desenvolveram assistentes robotizados para diversos procedimentos em endodontia e ortodontia, mas estas unidades autónomas poderão ajudar a compensar a falta de médicos dentistas no país para levar a cabo determinadas tarefas. Estas tecnologias, combinadas com a experiência dos profissionais, também ajudam a solucionar outros problemas com os quais os clínicos se deparam, tais como as dificuldades de acesso e visibilidade em algumas estruturas anatómicas.

A operação foi levada a cabo com um robot completamente autónomo e sem assistência humana.

CE lança portal sobre doenças não transmissíveis As doenças não transmissíveis representam a maior ameaça à saúde no espaço da União Europeia. Muitas destas doenças podem ser prevenidas através de alimentação saudável e exercício físico. Por isso, a Comissão Europeia (CE) lançou o portal Health Promotion and Disease Prevention Knowledge Gateway, com informação de saúde atualizada, que pretende servir como ponto de referência para profissionais e para os decisores políticos. No novo site encontram-se informações confiáveis, independentes e atualizadas “sobre temas relacionados com a promoção da saúde e do bem-estar, em particular a prevenção de doenças não transmissíveis como doenças cardiovasculares, diabetes e cancro", indica o portal da CE. FEVEREIRO 2018

25

Os conteúdos estão disponíveis em inglês. Atualmente o site contém seis temas, em que dois referem a saúde oral (frutas e vegetais; fibras). Está prevista a publicação de novos temas relacionados com adoçantes de açúcar e outro sobre bebidas açucaradas.


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:07 Página 26

M AXILLARIS

Falamos com...

Orlando Monteiro da Silva Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas

FEVEREIRO 2018

26


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:07 Página 27

Falamos com...

Podemos todos orgulhar-nos de fazer parte de uma das profissões que mais longe leva o nome de Portugal

No ano em que se assinala o vigésimo aniversário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), antecipa-se uma comemoração – que terá o seu auge no congresso anual de novembro – de acordo com a dignidade desta dinâmica classe profissional e baseada na sua relação de proximidade com as populações. Quem o adianta é o próprio bastonário, Orlando Monteiro da Silva, para quem Portugal está hoje no grupo dos países mais avançados no panorama da Medicina Dentária. Quando se cumprem dois anos da tomada de posse da atual equipa diretiva da OMD, Orlando Monteiro da Silva faz à MAXILLARIS o balanço das conquistas dos médicos dentistas, designadamente no seio do Serviço Nacional de Saúde, e assinala o que está por fazer, reiterando as metas que traçou para este mandato: melhorar o acesso à saúde oral, fortalecer a regulação da profissão, promover a valorização da classe e reforçar a organização da Ordem.

FEVEREIRO 2018

27


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:07 Página 28

M AXILLARIS

Este ano celebra-se o vigésimo aniversário da OMD. De que forma será assinalada esta efeméride ao longo do ano e também no âmbito do congresso anual, em novembro, na Exponor? É de facto uma data marcante para nós, médicos dentistas, mas sobretudo para a saúde dos portugueses. Vamos, com toda a certeza, marcar este aniversário de acordo com a dignidade da nossa classe profissional. Somos uma classe maioritariamente jovem, mas com uma maturidade de que o país tem recebido provas. Sem entrar, por agora, em detalhes, vamos realçar a proximidade que os médicos dentistas têm hoje com a sua Ordem e vamos acrescentar ainda mais proximidade à nossa relação com as populações. O congresso, para além do seu conteúdo técnico e científico, é para nós sempre um momento de celebração. Sobretudo de celebração da evolução que temos sabido promover ao longo destas décadas. E iremos ter momentos especiais de comemoração do vigésimo aniversário da nossa OMD, sobretudo porque o congresso é um evento realizado pela OMD e da OMD para todos os profissionais. Não poderia, portanto, haver momento de maior importância para assinalar o aniversário da instituição. A criação da carreira de médico dentista na Administração Pública é uma aspiração com trinta e cinco anos. Como encara o recente anúncio do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, no sentido de concretizar esse “velho” desejo dos profissionais da classe? Encaro com muita esperança e simultaneamente com precaução. A precaução que é própria da experiência. Vinte anos de institucionalização da Medicina Dentária são adequados para que a profissão saiba como desenhar corretamente os seus anseios. Conheço-os bem e entendo que na vida não existem atalhos para alcançar grandes feitos. Há um caminho que vem sendo prosseguido com coerência, estamos a trilhá-lo com persistência e tenacidade. A carreira está aprovada pelo Ministério da Saúde e terá agora que ser analisada obrigatoriamente, nos termos da lei, pelo Ministério das Finanças. Aguardamos com serenidade, na certeza que este passo histórico está anunciado, o que por si só moveu muito trabalho e empenho, mas que precisa, na segunda fase, de ser implementado por um conjunto complexo de vontades políticas. Deixe-me aproveitar para agradecer o empenho do Grupo de Trabalho que foi criado no âmbito do Ministério da Saúde. As conclusões a que chegou, com um relatório e propostas concretas dentro do prazo estipulado, são de grande pertinência e vão de encontro aos interesses da Medicina Dentária portuguesa, do Serviço Nacional de Saúde e dos utentes. Em particular o

Falamos com...

representante da OMD, o colega Artur Lima, membro do Conselho Diretivo por mim indicado e o apoio jurídico da diretora do Departamento Jurídico, Filipa Carvalho Marques, foram uma enorme mais-valia para o decurso dos trabalhos. O excessivo número de licenciados arrasta-se há vários anos. Como e quando se poderá inverter este cenário e impor um numerus clausus? As posições da Ordem sobre a matéria têm sido muito claras, concretas e públicas. Não poderia ser de outra forma. No entanto, preocupa-nos que seja um problema que perdura e que durante muito tempo se perspetiva continuar a preocupar. Se há adjetivo para ele é justamente o de um problema “velho”, e é um problema idêntico ao de muitas outras profissões reguladas. Mas devemos colocá-lo com frontalidade onde ele pertence e pode ser resolvido, ou seja, nas políticas de ensino superior e nas de empregabilidade. As nossas várias tomadas de posição não são de agora e foram e são amplamente difundidas. Mas, a resolução do problema não depende de uma Ordem. Infelizmente não há uma estratégia nacional clara, que envolva todos os agentes e que permita, com coragem, chegar a resultados concretos. Se dependesse de uma ordem profissional, já teriam acolhido a nossa proposta de, pelo menos, sentar todos os tais agentes – as várias tutelas, as várias universidades, os vários reguladores e outros interessados – à volta da mesa para encarar de vez o problema. Em nós, OMD, têm certamente o parceiro empenhado. FEVEREIRO 2018

28

De acordo com o bastonário, os médicos dentistas são uma classe maioritariamente jovem, mas com uma maturidade de que o país tem recebido provas.


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:43


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:26 Página 30

M AXILLARIS

Falamos com...

Somos contra o lucro selvagem, o lucro que não vê o doente, apenas o “cliente”, o lucro que não é justamente compartido com um elemento-chave do processo: o médico dentista Quantos médicos dentistas surgiram em 2017? Para que todos tenham noção, repare: 660 novos médicos dentistas entraram no mercado de trabalho no ano passado. O número de médicos dentistas continua a aumentar acima das necessidades do país. Para que seja mostrado publicamente a OMD produz “Os Números da Ordem”. Este documento é elaborado anualmente pela OMD e funciona como observatório. Reúne os principais indicadores sobre os profissionais da área, revela que, no ano passado, o número de inscritos na OMD aumentou para 10.688, mais 660 que em 2015. A média de idades dos médicos dentistas a exercer em Portugal é de 38 anos, havendo 4.206 médicos dentistas com menos de 35 anos e apenas 253 médicos dentistas com mais de 60. Das universidades continuam a sair anualmente centenas de profissionais, sem qualquer perspetiva de trabalho estável e sem ter em conta as necessidades do país. Os abusos na formação dos recém-graduados e os profissionais em situação de subemprego são outras questões dignas de debate... e de combate. Que soluções preconiza a OMD para resolver a precaridade neste domínio? Temos vindo a fazer sentir a necessidade de levar em conta a especificidade de uma profissão como a Medicina Dentária. A Ordem está proibida, como todas as ordens, de ter atividade sindical. É uma atividade que nos está vedada. Ponto. Mas temos uma voz credível que se levanta na defesa da profissão e dos médicos dentistas. Uma voz de influência junto da opinião pública, do poder político e junto dos médicos dentistas. A nossa credibilidade é a nossa arma mais poderosa. Por isso, somos escutados, somos chamados a intervir em grupos de trabalho, a dar pareceres e produzir as bases de importantes projetos. Esta forma de atuar permite-nos contribuir para as diversas vitórias que a Medicina Dentária e os médicos dentistas têm vindo a conquistar. Sabemos que este é um processo complexo, porque todo o intento reformista o é. Contamos muito com os alertas daqueles que são diretamente tocados por estes flagelos, pois, é pelo reforço da regulação que o

mercado pode criar defesas. Não tem de ser muita, basta ser de qualidade, é assim que entendo o reforço. Neste campo, muitos dos interlocutores são “pesados”: o Estado, o setor segurador, grupos económicos e financeiros com interesses no setor… e aqui a OMD e as suas congéneres europeias são cruciais.

O bastonário considera que a credibilidade é, hoje em dia, a arma mais poderosa da classe dos médicos dentistas.

FEVEREIRO 2018

30


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:27 Página 31

A profissão de médico dentista exige um reinvestimento contínuo na formação e na atualização.

Em que medida? Compete-nos demonstrar, ou melhor, ir provando aos decisores e aos legisladores que a bola de neve dos baixos salários se pode transformar numa avalanche onde a falta de qualidade impere. O mercado da saúde deve assumir-se sem receios convenientemente regulado. Uma boa regulação. Não somos contra o lucro. Somos contra o lucro selvagem, o lucro que não vê o doente, apenas o “cliente”, o lucro que não é justamente compartido com um elemento-chave do processo: o médico dentista. E quando digo justamente, não o digo apenas porque todos gostaríamos de ser melhor remunerados. Digo-o também porque esta profissão exige um reinvestimento contínuo na nossa formação, na nossa atualização: temos que “injetar” continuamente conhecimento em nós mesmos, de forma a devolvermos qualidade e excelência ao mercado. Deixo aqui uma mensagem à classe: a OMD está atenta e atuante. Por exemplo, o valor da remuneração dos colegas que integram agora o SNS é substancialmente superior às outras profissões na área da saúde. É um exemplo de um processo onde tivemos uma intervenção importante. Agora não andamos nunca, nem andaremos, no meio da rua a esbracejar ou apenas à procura de likes nas redes sociais. O sucesso nestes processos não é imediatista; constrói-se. É de toda a conveniência que todos os médicos dentistas estejam bem cientes da realidade que vivemos, porque nestes processos os contributos são essenciais e uma classe unida é importante. Convido a lerem com atenção a nova edição do estudo “Diagnóstico à Empregabilidade” que iremos publicar em breve.

Os resultados do Barómetro de Saúde Oral de 2017 revelam alguma evolução positiva, mas também deixam transparecer que cerca de 42% dos portugueses não visitam o médico dentista há mais de um ano, entre outros indicadores preocupantes. Que leitura global faz das estatísticas que constam neste estudo independente? Apesar de não continuarmos satisfeitos, as evoluções sentem-se. E as condições para que estes números que nos chocam venham a esbater-se têm vindo a ser criadas. Em traços gerais, existem dois problemas centrais que em muitos pontos se confundem – a acessibilidade e a falta de educação para a saúde de uma grande fatia dos portugueses –, que são “contaminados” por outros, até de caráter ideológico. Gosto de dar exemplos para que as pessoas sintam as evoluções. A crescente resposta no SNS na área da medicina oral, a rede de consultórios e clínicas privadas cada vez mais modernas e atrativas que cobrem o território nacional, as ações – muitas por nós patrocinadas – de divulgação, uma nova atitude de muitos dos nossos colegas que não se fecham nos consultórios e atuam para lá das suas paredes, a comunicação pelo exemplo, permitirão, com toda a certeza, baixar a breve/médio prazo para números abaixo dos 40 por cento. Pela frente, relembro, temos por exemplo uma fatia considerável de população muito envelhecida, com hábitos e com um histórico de saúde oral de todos conhecidos, temos uma fatia da população, também considerável, que não dispõe de rendimentos suficientes para procurar cuidados de saúde plenos. Combater por causas desta natureza é um trabalho a tempo inteiro.

O reforço da organização da OMD passa sobretudo por adaptá-la à nova realidade estatutária, dotando-a de melhor capacidade de resposta aos seus associados e torná-la mais atuante face à sociedade FEVEREIRO 2018

31


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 16:02 Página 32

M AXILLARIS

À margem dos temas que já foram focados nesta entrevista, que outros assuntos/objetivos dominam presentemente a agenda da OMD? Quando a lista que reuni foi a votos para liderar a nossa Ordem, apresentou metas eleitorais em quatro áreas: melhorar o acesso à saúde oral, fortalecer a regulação da profissão, promover a valorização do médico dentista e reforçar a organização da OMD. São objetivos que envolvem um trabalho continuado de uma vasta equipa que se vão cumprindo com o somatório das vitórias que se vão alcançando. Relembre-nos alguns desses objetivos... No campo do acesso à saúde oral, a prazo, queremos estabelecer uma convenção entre o SNS e a rede de consultórios para comparticipação de tratamentos; inserir médicos dentistas nos centros de saúde no âmbito dos cuidados de saúde primários e integrar médicos dentistas nos hospitais do SNS para assegurar o tratamento da população hospitalizada, vítimas de acidentes e pacientes especiais. Quanto à regulação, a maior preocupação é transportar sem sobressaltos a OMD para a nova realidade regulatória que o novo estatuto impõe. Do ponto de vista legal e administrativo é uma revolução que se pretende tranquila. Mas outros aspetos também nos ocuparão. Por exemplo, no âmbito da qualidade em Medicina Dentária, concluiremos o “Manual de Boas Práticas em Medicina Dentária”, que constituirá, estamos certos, um guião de referência.

Falamos com...

A valorização da classe passa por... Passará muito pela aposta numa formação mais holística, que não se feche apenas na prática clínica, e na criação de um grupo de acompanhamento que nos permita conhecermo-nos ainda melhor através de estudos aplicados e da sua análise, que nos permita saltar algumas barreiras divulgando novas possibilidades da profissão, projetos de saúde pública, investigação, ligação a PME e apoios de fundos comunitários no âmbito do Portugal 2020. O reforço da organização da OMD passa sobretudo por adaptá-la à nova realidade estatutária, dotando-a de melhor capacidade de resposta aos associados e torná-la mais atuante face à sociedade. Dê-nos um exemplo da eficácia que resultou da aplicação dos novos estatutos? Não posso deixar de frisar que tem sido muito estimulante trabalhar com o Conselho Geral, que trouxe uma maior pluralidade e maior abrangência. Permite uma maior e mais fácil ligação ao terreno. Valoriza claramente o trabalho que já era desenvolvido pelo bastonário e pelo Conselho Diretivo. Podemos dizer que exerce uma pressão muito saudável sobre estes órgãos. Exige-lhes uma grande capacidade de escuta e unidade na ação. Não dá para perder tempo com especulações ou mesmo bisbilhotices porque estamos muito mais próximos dos colegas e das suas realidades. E quem isso não perceber, sente-se deslocado, estranho a uma dinâmica natural que se criou.

FEVEREIRO 2018

32

Tomada de posse da atual direção da OMD: a partir da esquerda, Luís Filipe Correia, presidente do Conselho Deontológico e de Disciplina; Ana Mano Azul, presidente do Conselho Fiscal; Orlando Monteiro da Silva, bastonário da OMD; Fernando Araújo, secretário de Estado Adjunto e da Saúde; João Caramês, presidente da Mesa da Assembleia Geral, e Paulo Ribeiro de Melo, presidente do Conselho Geral.


falamos monteiro copia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:08 Página 33

M AXILLARIS

Que balanço faz da introdução, em 2016, das especialidades em Periodontologia, Cirurgia Oral e Odontopediatria? Muito positivo. A experiência de outras realidades do mundo, onde existem especialidades credivelmente implementadas, é de melhoria da qualidade de prestação de serviços, da formação contínua, da qualificação dos profissionais, do aumento generalizado da procura de cuidados de Medicina Dentária e da literacia da população, que a todos, profissionais e público em geral beneficia. E Portugal fará jus a essa tendência. Digamos que será o reconhecimento da nossa maturidade. Mais do que o fechar de um círculo é o abrir a Medicina Dentária portuguesa a uma nova fase da sua evolução. De um modo geral, acha que o panorama da Medicina Dentária em Portugal é comparável ao dos países mais avançados nesta área da saúde? Apetece-me dizer: deixem-nos trabalhar. Claro que sim. Digo, sem correr o risco da soberba, que estamos no grupo dos países mais avançados no panorama da Medicina Dentária. A nossa formação de base é, na generalidade, sólida e com uma visão moderna da prática clínica. O número de estudantes estrangeiros que escolhem Portugal para fazerem a sua formação graduada e pós-graduada aumenta de ano para ano. Temos produzido investigação com impacto fora de portas. Arrisco mesmo a dizer que, para além do bom nome que os nossos colegas que trabalham no estrangeiro deixam pelos locais onde passam, somos exportadores de conhecimento. Acha que esse prestígio se perceciona a partir do exterior? A imagem positiva da Medicina Dentária portuguesa é muito superior à dimensão do próprio país. O nosso congresso, pela sua excelência, é elogiado internacionalmente pelas mais altas personalidades do setor. A indústria olha para nós não apenas pela nossa dimensão enquanto mercado, mas como contribuintes efetivos para o desenvolvimento de novas tecnologias ou produtos. Sem baias, podemos todos orgulhar-nos de fazer parte de uma das profissões que mais longe leva o nome de Portugal

Falamos com...

A indústria olha para nós não apenas pela nossa dimensão enquanto mercado, mas como contribuintes efetivos para o desenvolvimento de novas tecnologias ou produtos isso o Estado delega-lhes poderes. Esta salvaguarda não é, nem pode ser, a defesa de um jardim de torres de marfim ou de uma corte corporativa. É algo de bastante dinâmico, que incorpora as novas dinâmicas sociais e económicas, as evoluções tecnológicas, o ambiente político-legislativo, a tecnicidade regulamentar, as visões éticas e bioéticas e as próprias visões de todos esses 320 mil profissionais. Pretende-se que exista uma estabilidade suficiente para que estas profissões exerçam da forma que melhor sirva a sociedade nacional e europeia, sem descurar o fator competitividade. Qual é a melhor forma de atingir esse fim? Este equilíbrio faz-se pela regulação. Uma regulação que é cada vez mais técnica, que envolve cada vez mais interlocutores, que convive com um Estado que revela a este nível cada vez mais dificuldades em exercer as suas funções. Portanto, as prioridades do CNOP passam por criar todas as condições para se afirmar junto dos decisores políticos e executivos ao nível nacional e europeu como o interlocutor por excelência nas matérias que envolvem e afetam as áreas regulamentadas. Também por esta razão o CNOP tem sabido fornecer ao país um conjunto pertinente de contributos operacionais e encontrar consensos e denominadores comuns a dezasseis profissões. É um exercício aliciante e altamente desafiador.

Na sua qualidade de presidente do Conselho Nacional das Ordens Profissionais (CNOP), quais são as prioridades deste órgão que representa 320.000 profissionais regulados? O grande desafio do CNOP é, e continuará a ser, o da regulação de profissões altamente qualificadas. As profissões autorreguladas são-no porque se entende que têm um peso e responsabilidades específicas que a sociedade deve salvaguardar, por FEVEREIRO 2018

33


Falamos SPOP.qxp_Maquetación 1 2/2/18 13:34 Página 34

M AXILLARIS

Falamos com...

Luís Pedro Ferreira presidente da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria

FEVEREIRO 2018

34


Falamos SPOP.qxp_Maquetación 1 2/2/18 13:34 Página 35

Falamos com...

Os congressistas terão oportunidade de descobrir as últimas tendências na área da odontopediatria

A Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP) vai associar-se pela terceira vez, desde 2010, à sua congénere espanhola em mais uma reunião ibérica dedicada à especialidade, que terá lugar no próximo mês de maio, em Palma de Maiorca (Espanha). Esta iniciativa permitirá uma atualização e troca de experiências entre países vizinhos, mas nem só a área da odontopediatria estará em foco no encontro. De acordo com o médico dentista Luís Pedro Ferreira, presidente da SPOP, a reunião juntará uma pequena amostra de organizações que trabalham na área da Medicina Dentária solidária, dando a conhecer os seus projetos e o seu trabalho social. O também membro da Comissão Científica da Ordem dos Médicos Dentistas e de organizações internacionais como a European Academy of Paediatric Dentistry e a American Academy of Pediatric Dentistry adianta à MAXILLARIS os contornos desta cimeira ibérica.

FEVEREIRO 2018

35


Falamos SPOP.qxp_Maquetación 1 2/2/18 13:34 Página 36

M AXILLARIS

Falamos com...

A Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP) associou-se à sua congénere espanhola SEOP numa cimeira ibérica, que engloba a reunião anual da SPOP, agendada para o próximo mês de maio. Como surgiu este projeto? As reuniões ibéricas de odontopediatria SEOP/SPOP iniciaram-se em 2010, na cidade do Porto, e tiveram continuidade em 2014, em Barcelona, estando a terceira reunião agendada em Palma de Maiorca, de 17 a 19 de maio deste ano. A previsão é de que se realizem a cada quatro anos e possibilitem a atualização e troca de experiências na área de odontopeditaria, entre países vizinhos. Quais são as principais linhas traçadas para o encontro ibérico que vai ter lugar em Palma de Maiorca? No recentemente inaugurado Palácio de Congressos de Palma de Maiorca terá lugar a quadragésima reunião da Sociedade Espanhola de Odontopediatria (SEOP) e a oitava reunião da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP). Este prestigiado encontro científico, presidido pela doutora Isabel Maura Solivellas, em conjunto com o doutor Abel Cahuana Cárdenas, como presidente do comité científico, reunirá entre os participantes um considerável número de médicos dentistas, higienistas, pediatras e membros da indústria do setor. Irão coincidir neste recinto e sob o mesmo programa a oitava cimeira da SPOP e a terceira reunião ibérica de odontopediatria. O encontro realizar-se-á durante três dias; nos primeiros dois em sessões de manhã e tarde e na última jornada apenas durante o período matinal. Que temáticas em particular vão constar do programa científico da reunião? O programa científico, para além das numerosas palestras destinadas a odontopediatras, das quais saliento os temas “Hipomineralização incisivo-molar” e “Trauma, transplantes e ortodontia”, pelo professor Monty Duggal, contará também com a apresentação de numerosos pósteres e comunicações orais.

Luís Pedro Ferreira durante a visita que efetuou ao stand da MAXILLARIS no último congresso da Ordem dos Médicos Dentistas, em Lisboa.

Adicionalmente, os profissionais de higiene oral e os assistentes clínicos disporão de um programa científico paralelo dentro do próprio congresso. Também serão organizados vários cursos práticos sobre distintas matérias.

É de notar que, pela primeira vez num congresso da SEOP e da SPOP, inclui-se dentro do programa científico uma mesa-redonda de projetos solidários FEVEREIRO 2018

36


Falamos SPOP.qxp_Maquetación 1 2/2/18 13:34 Página 37

M AXILLARIS

Quem são os conferencistas que já confirmaram a sua presença? É de notar que, pela primeira vez num congresso da SEOP e da SPOP, inclui-se dentro do programa científico uma mesa-redonda de projetos solidários. A reunião juntará uma pequena amostra de organizações que trabalham na área da Medicina Dentária solidária, dando a conhecer os seus projetos e o seu trabalho social, fomentando o compromisso solidário dos profissionais que trabalham na área da saúde infantil. Entre os projetos escolhidos nesta ocasião constam: ”Dentistas sobre ruedas”, com Alfons Jaume; a Obra Social da Fundació Hospital de Nens de Barcelona, representada por Javier Massaguer; o “Proyecto Noma” da Fundació Campaner, com a presença de Carles Marti; a Fundación Vicente Ferrer, a cargo de Vicente Lozano de Luaces, e a organização não governamental Mundo A Sorrir, representada por Miguel Pavão. A moderação desta mesa-redonda será assegurada por Elvira Ferrés.

Falamos com...

O êxito do tratamento odontopediátrico não é apenas a realização do mesmo, mas também lograr uma atitude positiva da criança e dos seus encarregados de educação para com a prevenção e a manutenção da saúde oral

Quais são as expectativas quanto ao número de participantes e à adesão das casas comerciais? Prevemos ultrapassar os 400 participantes. Por outro lado, cerca de 25 casas comerciais marcarão presença nesta reunião. Que objetivos globais espera ter alcançado no final deste encontro ibérico? Os congressistas terão oportunidade de vir a conhecer os temas e produtos mais inovadores para os seus pacientes, desde a infância até a adolescência, receber orientações e conselhos dos mais experientes e descobrir as últimas tendências na área da odontopediatria.

Na sua perspetiva, que grandes desafios enfrentam os profissionais que centram a sua prática clínica na odontopediatria? A odontopediatria é a área da Medicina Dentária dedicada à saúde oral das crianças e adolescentes, com o objetivo de que os pacientes atinjam a idade adulta com uma boca sã, estética e funcional, e a possam conservar assim durante toda a vida. O paciente infantil pode sofrer cáries, traumatismos, alterações da erupção dentária e outros problemas que podem afetar negativamente a saúde oral presente e futura. A criança está em constante evolução e crescimento, e isto converte-a num paciente odontológico diferente do adulto, com necessidades de tratamento pessoal e dentário específicos em cada momento. O objetivo de um tratamento precoce deve ser o restabelecimento das condições normais para um ótimo crescimento, desenvolvimento e funcionamento. O êxito do tratamento odontopediátrico não é apenas a realização do mesmo, mas também lograr uma atitude positiva da criança e dos seus encarregados de educação para com a prevenção e a manutenção da saúde oral. Este é o principal objetivo da odontopediatria.

À margem da reunião anual em Espanha, quais são as atuais prioridades da direção da SPOP? São fins ou atribuições da SPOP o desenvolvimento, a investigação, o estudo e a promoção da odontopediatria como área/especialidade da Medicina Dentária, bem como zelar pela evolução e o aperfeiçoamento profissional dos seus associados. É também objeto da mesma entidade a divulgação dos conhecimentos em matéria de prevenção e de tratamento médico-dentário apropriado da população compreendida entre o nascimento e os 18 anos de idade, assim como os pacientes com necessidades especiais.

FEVEREIRO 2018

37


Ponto de vista copia.qxp_Maquetación 1 2/2/18 12:23 Página 38

ponto de vista Coimbra acolhe em março um evento de elevada relevância científica

Sónia Alves

Médica dentista. Presidente da comissão organizadora da XXVII Reunião Anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra.

Maria Moreira Presidente do Núcleo de Estudantes de Medicina Dentária da Universidade de Coimbra. Secretária geral da comissão organizadora da XXVII Reunião Anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra.

É já nos próximos dias 16 e 17 de março que se realizará a XXVII Reunião Anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra. Este ano, a reunião terá lugar na Fundação Bissaya Barreto, em Coimbra, e promete ser um evento de elevada relevância científica e clínica. A comissão organizadora tem como objetivo fundamental proporcionar a todos os participantes um programa de grande diversidade temática e de elevado rigor científico. Para além dos dez conferencistas convidados que irão apresentar as suas comunicações ao longo dos dois dias, serão ainda ministrados 12 cursos pré-congresso a pensar em todos os estudantes e recém-licenciados. O objetivo é proporcionar e levar até aos interessados ferramentas e práticas com vista a uma melhor preparação para o dia a dia clínico, esperando-se que possam constituir elementos diferenciadores no mercado de trabalho. O primeiro dia da reunião inicia-se com a intervenção da doutora Daniela Pereira, docente da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Coimbra, que nos apresentará o tema ‘’Extração de terceiros molares assintomáticos. Quando e porquê?’’. Este trabalho pretende esclarecer e fornecer pistas orientativas aos clí-

nicos no momento de decisão terapêutica. Dando continuidade a este propósito, prosseguimos este primeiro dia da reunião com a doutora Elsa Domingues, especialista em Periodontologia pela Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), que nos irá falar sobre ‘’Cirurgia plástica periodontal’’, recorrendo à apresentação de casos clínicos. Seguir-se-á a doutora Inês Cardoso Martins, doutoranda em Odontopediatria pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, que abordará uma temática tão importante na prática clínica: ‘’Hipomineralização incisivo-molar em odontopediatria’’. O período da manhã terminará com a intervenção do doutor Jorge André Cardoso, membro fundador da Sociedade Portuguesa de Estética Dentária (SPED), que trará até nós o tema ‘’Reabilitações extensas – fatores determinantes para o sucesso’’. Uma conferência que, através de conceitos claros e facilmente aplicáveis, nos munirá de ferramentas para reabilitação oral, dos casos mais simples aos mais extensos. O programa científico prosseguirá na parte da tarde com uma convidada internacional, a Professora Doutora Daniela Garib, doutorada em Ortodontia e Ortopedia Facial pela

Para além dos dez conferencistas convidados que irão apresentar as suas comunicações ao longo dos dois dias, serão ainda ministrados 12 cursos pré-congresso a pensar em todos os estudantes e recém-licenciados FEVEREIRO 2018

38


Ponto de vista copia.qxp_Maquetación 1 2/2/18 12:23 Página 39

Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo (Brasil), onde leciona atualmente, e que nos dotará de uma maior capacidade de análise do tratamento ortodôntico, ampliando a nossa visão em ortodontia através da tomografia computorizada de feixe cónico. Segue-se a Professora Doutora Henriqueta Silva que conjuntamente com a doutora Leonor Barroso, doutorada e doutoranda, respetivamente, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, irão enfatizar a necessidade do diagnóstico interdisciplinar em Medicina Dentária, apresentando-nos assim o tema ‘’Doenças hereditárias sistémicas – quando o médico dentista faz o diagnóstico’’. A penúltima comunicação da tarde, estará a cargo do Professor Doutor André Correia, coordenador do Mestrado Integrado em Medicina Dentária, do Instituto de Ciências da Saúde de Viseu da Universidade Católica Portuguesa. Apresentará o tema ‘’CAD-CAM: restaurações monolíticas nos setores posteriores’’, um processo cada vez mais robusto e de crescente importância em reabilitação oral, sobretudo na área da prótese fixa. Para encerrar o ciclo de conferências do primeiro dia da XXVII RAMDEC, o Professor Doutor Alexandre Cavalheiro, professor da Faculdade de Medicina Dentaria da Universidade de Lisboa, apresentará uma perspetiva atualizada da “Adesão dentária em 2018“, um tema essencial e comum a várias disciplinas da Medicina Dentária.

abordar, ao longo do restante dia de sábado, ‘’As cinco chaves da preparação dentária em reabilitação estética’’, uma temática a não perder onde vários fatores que influenciam a preparação e a longevidade de facetas ou coroas serão detalhadamente apresentados e discutidos. Consubstanciando a preocupação de proporcionar também o saber de índole prática, a comissão organizadora preparou ainda 12 cursos hands-on pré-congresso nos dois dias que antecedem as jornadas, com inscrições abertas a todos os estudantes de Medicina Dentária, médicos dentistas e estomatologistas e outros profissionais de saúde que revejam nos temas selecionados uma oportunidade de incrementar as suas competências clínicas. Para informações mais pormenorizadas sobre o programa da XXVII RAMDEC, recomendamos que aceda ao site oficial da reunião: www.uc.pt/fmuc/ramdec ou ainda à seguinte página: www.facebook.com/ramdec2018. Este é certamente um evento científico que não vai querer perder. Estamos convictos que poderá reconhecer em alguns dos diversos temas propostos a mais-valia do conhecimento a ser aí partilhado. Contamos consigo e é com todo o gosto que esperamos recebê-lo em Coimbra.

O programa do segundo dia deste encontro será da responsabilidade de dois conferencistas internacionais de renome, provenientes do país vizinho, mais especificamente de Bilbau. Ao início da manhã teremos o Professor Doutor Borja Zabalegui, especialista em endodontia e membro do International College of Dentists, que nos explicará “O uso do microscópio e imagens 3D na endodontia atual “. Para encerrar a reunião, o doutor Jon Gurrea, palestrante em diversas universidades internacionais e licenciado pela Universidade Alfonso X El Sabio, com sede em Madrid (Espanha), irá

FEVEREIRO 2018

39


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:37 Página 40

Facetas cerâmicas em pacientes com erosão dentária: relato de um caso clínico

Nuno Menezes Gonçalves Médico dentista. Mestrado Integrado em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto. Diploma Universitário em Periodontologia pela Universidade Complutense de Madrid (Espanha). Formação Avançada em Implantologia pelo Instituto Sorriso Natural. Membro da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes. Membro da Sociedade Portuguesa de Implantologia e Osteointegração. Autor de várias publicações científicas. Participação em vários cursos de formação e congressos.

Paulo Fernandes Retto Médico dentista. Mestre em Medicina Dentária pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. Pós-graduado em Ortodontia pelo International Straight Wire and Orthopedic Seminars. Doutorado Sobressaliente “cum laude” pela Universidade de Barcelona (Espanha), sob o tema "Morfologia da base do crânio e seus efeitos em pacientes com maloclusões". Chefe de equipa da Consulta Assistencial de Ortodontia do Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. Post-Graduate in Orthodontics in Craniofacial Disfunctions. Mestre em Advanced Interdisciplinary Dentistry - Orthodontic Field, Universidade de Danube (Krems, Aústria). Acreditação Eclips Lingual, ClearAligner e Invisalign. International Master Damon com os doutores Ramón Perera e Rafael García Espejo. Palestrante em vários congressos nacionais e internacionais. Vencedor do Prémio Professor Doutor Bação Leal atribuído à melhor comunicação livre em 2016 pela SPDOF (Sociedade Portuguesa de Ortopedia Dentofacial). Lisboa.

FEVEREIRO 2018

40


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:37 Página 41

Ciência e prática

A posição final desejada, a cor e a forma da restauração devem ser os principais determinantes do nível de redução dentária. Existem muitas vantagens significativas da conservação da estrutura dentária, incluindo não haver necessidade de anestesia, ausência de sensibilidade pós-operatória, ligação química da peça ao esmalte, stress de flexão mínimo, restaurações mais duradouras, potencial de reversão e níveis mais altos de aceitação do tratamento entre os pacientes2,5.

Introdução

À medida que as facetas cerâmicas continuaram a evoluir, utilizou-se uma abordagem minimamente invasiva para proporcionar uma restauração mais estética e biologicamente compatível. Edelhoff e Sorensen (2002) relataram que as preparações dentárias para facetas cerâmicas requeririam de 3% a 30% da estrutura dentária e 25% da redução dentária das coroas convencionais. Gurel e col. (2013) reportaram uma taxa de sobrevivência de 99% em laminados cerâmicos com preparações confinadas ao esmalte e 94% para aqueles com esmalte apenas nas margens, concluindo que os laminados cerâmicos têm altas taxas de sobrevivência quando ligados ao esmalte e fornecem uma opção de tratamento segura e previsível que preserva a estrutura dentária2,3,6.

Um princípio fundamental na substituição de estrutura dentária perdida ou de dentes ausentes é restaurar a função e a estética com o menor custo biológico possível. Dada a sua fiabilidade e durabilidade, as restaurações convencionais com um design de preparação de coroa completa geralmente são o tratamento de escolha para restaurações anteriores de dente único e próteses parciais fixas. No entanto, esta técnica requer uma redução considerável da estrutura dentária. A introdução de novos materiais cerâmicos, bem como os avanços no campo das técnicas de cimentação adesiva, aumentaram o uso de coroas totalmente cerâmicas e facilitaram desenhos de preparação inovadores e conservadores. O vínculo confiável na adesão ao esmalte com materiais quimicamente adesivos tem tido grande impacto no desenho da preparação, resultando numa preservação significativa da estrutura dentária3.

Os procedimentos de preparação, cimentação e acabamento adotados consideram-se fatores fundamentais para o sucesso a longo prazo e o resultado estético dos laminados cerâmicos4,5,7.

As facetas cerâmicas consideram-se uma solução conservadora para pacientes que necessitem de melhorias na forma, cor ou posição dos dentes anteriores. Os laminados cerâmicos utilizaram-se amplamente com sucesso para mascarar colorações intrínsecas e corrigir pequenas deformações de dentes anteriores sem o desgaste substancial de estrutura dentária1,2.

Este artigo pretende relatar um caso clínico onde se aplicaram facetas dentárias de primeiro pré-molar a primeiro pré-molar superior, à exceção do incisivo central superior direito que recebeu uma coroa totalmente cerâmica.

FEVEREIRO 2018

41


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:37 Página 42

MAXILLARIS

ciência e prática

Materiais e métodos R.V., paciente do sexo masculino, de 34 anos, compareceu a consulta de Medicina Dentária com queixas maioritariamente estéticas no setor anterior. Ao exame clínico, detetou-se uma acentuada erosão dos dentes anteriores por vestibular e palatino e abrasão por bruxismo dos pré-molares superiores, bem como uma coroa metalocerâmica com espigão falso coto fundido no incisivo central superior direito, visivelmente desadaptada. Tendo em conta a quantidade muito limitada de esmalte presente, de forma a preservar a pouca estrutura dentária existente, optou-se por realizar uma abordagem conservadora através da colocação de facetas cerâmicas com mínima preparação dentária. Relativamente à coroa metalocerâmica, outra das queixas do paciente, propôs-se a sua remoção, novo preparo dentário para nivelar a margem gengival e colocação de coroa em cerâmica pura. A cerâmica escolhida foi o dissilicato de lítio: as suas propriedades óticas, longevidade e durabilidade, translucidez semelhante à do dente natural e biocompatibilidade tornam-na num material excelente em relação qualidade-preço.

Fig. 1. Fotografia inicial de sorriso. É de notar a discrepância estética da coroa do dente 1.1 com os restantes dentes anteriores e as marcas de erosão do esmalte em todos os dentes anteriores.

Considerando que o paciente apresentava sinais visíveis de bruxismo nos dentes, para proteger a oclusão com as novas peças cerâmicas, recomendou-se como imprescindível para o sucesso do caso a confeção de uma goteira de miorrelaxamento. Discussão A fase inicial do tratamento consistiu no planeamento da restauração dos dentes anteriores e primeiros pré-molares superiores através da confeção de um enceramento de diagnóstico, tendo-se para este efeito recolhido moldes em alginato, registo de mordida em silicone e registo fotográfico do paciente. O técnico de prótese dentária propôs que, além do pedido, se realizasse o recobrimento das superfícies palatinas dos dentes 1.4, 1.2, 2.2 e 2.4. Rejeitou-se essa proposta adicional para não comprometer a integridade das peças cerâmicas, devido ao diagnóstico de bruxismo, e porque isso obrigaria a um preparo dentário acrescido, quando a abordagem planeada seria, através da colocação de facetas cerâmicas, conservar a maior quantidade possível de estrutura dentária. Então, aconselhou-se o paciente a realizar facetas cerâmicas em dissilicato de lítio de primeiro pré-molar a primeiro pré-molar, à exceção do dente 1.1 que teria de se submeter à remoção da coroa existente e colocar uma nova coroa, também esta em dissilicato de lítio. Na posse do enceramento de diagnóstico, realizou-se um mock-up em resina bisacrílica (Protemp 4, 3M) para análise da relação oclusal e da estética obtidas. O paciente validou o enceramento de diagnóstico. O passo seguinte foi a remoção da coroa metalocerâmica do dente 1.1 e preparação dos restantes dentes englobados. A remoção da coroa efetuou-se através do seu seccionamento com broca de tungsténio, de vestibular para lingual, e luxação dos seus fragmentos com alavanca de ponta fina.

Figs. 2 a 4. Enceramento de diagnóstico. Rejeitou-se a possibilidade de recobrir totalmente os dentes 1.4 e 2.4 com cerâmica devido ao diagnóstico de bruxismo. Os dentes 1.2 e 2.2 também não necessitariam de recobrimento palatino.

FEVEREIRO 2018

42


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:31


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:37 Página 44

MAXILLARIS

ciência e prática

Figs. 5 e 6. Mock-up com resina bisacrílica através de guia de silicone confecionada com o enceramento de diagnóstico.

A decisão de manter ou não o falso coto fundido ficou pendente até se verificar se com a coroa provisória teria ou não impacto estético. Como a margem da coroa criou uma desarmonia gengival, redefiniu-se coronalmente a linha de acabamento. O preparo dos dentes para facetas fez-se sem recurso a guia de silicone. O desgaste consistiu em remover esmalte desapoiado, alisar a superfície dentária, definir uma linha de acabamento, criar um eixo de inserção favorável para as peças e remover as arestas proeminentes. Ao reduzir ao máximo a preparação dentária, também se tentou prevenir a eventual necessidade de tratamento endodôntico de algum dos dentes afetados. A linha de acabamento nos preparos foi justagengival, de forma a respeitar o espaço biológico. Terminada a preparação dentária, fez-se o selamento dentinário imediato (IDS – immediate dentin sealing) com adesivo Optibond FL. Procedeu-se então à confeção de uma ponte provisória com muralha de silicone obtida do enceramento de diagnóstico e resina bisacrílica A2 VITA (Protemp A4, 3M). Previamente à aplicação da resina, efetuou-se um ataque ácido na superfície vestibular dos dentes sob a forma de pequenos pontos de ácido ortofosfórico a 37%. Fez-se a remoção dos excessos com cureta periodontal e o polimento com broca de fissura fina de turbina.

Fig. 7. Remoção da coroa do dente 1.1 através de seccionamento com broca de tungsténio e novo preparo do dente, onde se verifica a nova linha de acabamento para a futura coroa, comparativamente à linha de acabamento infragengival, mais invasiva, da coroa antiga; preparo dos restantes dentes para facetas cerâmicas, preservando a maior quantidade possível de esmalte.

Fig. 8. Provisórios em resina Protemp A4 após acabamento e polimento.

Fig. 9. Impressão definitiva através da técnica de dupla mistura.

FEVEREIRO 2018

44


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:37 Página 45

MAXILLARIS

ciência e prática

De forma a obter uma maior harmonização das margens gengivais, recomendou-se ao paciente que mantivesse a ponte provisória durante 30 a 45 dias. Passado esse tempo, fez-se uma reavaliação do caso, verificando-se que a gengiva estava apta para se fazer a moldagem dos dentes para o trabalho definitivo. Questionou-se o paciente sobre sintomatologia dolorosa por sensibilidade dentária e irritação gengival, sendo a resposta negativa para ambos os sinais. A técnica de impressão utilizada foi a impressão de dupla mistura. Para este efeito, foi necessário remover a ponte provisória e, no final, confecionar uma nova ponte provisória. Após a receção do trabalho laboratorial, removeu-se a ponte provisória e fez-se o try-in das peças cerâmicas com gel de glicerina. Verificando o correto assentamento de todas as peças e tendo o paciente validado o trabalho, lavaram-se todas as peças com água e álcool a 95% e procedeu-se à cimentação das mesmas através de um protocolo adesivo: • Colocar fio de retração e isolamento absoluto com dique de borracha. • Aplicar ácido fluorídrico a 5% na face interna da peça durante 20 segundos e lavar com água, abundantemente, durante 20 segundos. • Aplicar ácido ortofosfórico a 37% durante 60 segundos e lavar abundantemente durante 20 segundos. • Secar e aplicar álcool etílico a 95%. • Secar e colocar facetas em banho de ultrassons com água destilada durante dois minutos. • Secar e verificar se fica com um aspeto baço mas sem ser esbranquiçado/flocular. • Aplicar silano com um pincel por toda a superfície da peça durante 20 segundos (uma camada). • Colocar uma compressa no interior de um recipiente para aplicar fonte de calor e colocar as facetas no interior com a face interna voltada para a fonte de calor durante dois minutos. • Aplicar jato de óxido de alumínio na superfície dentária. • Colocar ácido ortofosfórico a 37% no dente que se vai cimentar a faceta, durante 30 segundos, lavar abundantemente durante 20 segundos e secar. • Aplicar adesivo (Optibond FL, Kerr) na face interna da faceta e no dente, sem fotopolimerizar. • Misturar o cimento e aplicar na face interna da faceta. Neste caso, usou-se o compósito microhíbrido A2 aquecido através de fonte de ar quente. • Colocar cada faceta e pressionar, muito ligeiramente, de forma a saírem os excessos de cimento. • Remover todo o material excedente com um pincel seco e fio interdentário. • Fotopolimerizar durante 60 segundos todas as faces, exceto a face palatina que deverá ser 90 segundos. • Colocar glicerina nas zonas de transição dente/peça e fotopolimerizar 60 segundos cada face (para polimerizar a camada mais superficial da resina que habitualmente é inibida na presença de oxigénio). • Remover excessos com lâmina de bisturi nº 12. Após a cimentação de todas as peças cerâmicas, verificou-se a oclusão com papel articular e fez-se o polimento com taças de borracha.

FEVEREIRO 2018

45

Figs. 10 a 13. Trabalho laboratorial. Facetas e coroas confecionadas em dissilicato de lítio.


CC Menezes_Maquetación 1 2/2/18 10:38 Página 46

MAXILLARIS

ciência e prática

Figs. 14 a 16. Resultado final imediatamente após a cimentação das peças cerâmicas.

Figs. 17 e 18. Comparação entre o sorriso inicial e o sorriso final.

Conclusão As facetas são uma boa alternativa na correção de ligeiras imperfeições dentárias, malposicionamento dentário, encerramento de diastemas e mascaramento de colorações inestéticas. Neste caso, confecionaram-se facetas de dissilicato de lítio, tendo sido possível obter um excelente resultado estético com uma abordagem minimamente invasiva. Conseguiu-se a satisfação do paciente e a da equipa, demonstrando que, conhecendo os materiais e as suas individualidades é possível obter resultados estéticos e funcionais, e com boa longevidade. Para o sucesso do tratamento, é fundamental o planeamento do caso com um enceramento de diagnóstico quanto à forma, espessura e dimensões das futuras peças, para permitir ao paciente visualizar e tornar reais as suas expetativas, guiar o preparo e criar facetas provisórias.

Bibliografia 1. Silva L e col. Dental ceramics: a review of new materials and processing methods. Braz. oral res. vol. 31 supl. 1. São Paulo Aug. 2017. 2. Vanlıoğlu B e col. Minimally invasive veneers: current state of the art. Clin Cosmet Investig Dent. 2014; 6: 101-107. 3. Edelhoff D, Sorensen JA. Tooth structure removal associated with various preparation designs for anterior teeth. J Prosthet Dent. 2002; 87(5): 503-509. 4. D’Arcangelo C e col. Clinical evaluation on porcelain laminate veneers bonded with light-cured composite: results up to 7 years. Clin Oral Invest (2012) 16: 1071-1079.

5. Magne P, Belser UC. Bonded porcelain restorations in the anterior dentition - a biomimetic approach. Chicago: Quintessence Publishing Co; 2002. 6. Javaheri D. Considerations for planning esthetic treatment with veneers involving no or minimal preparation. J Am Dent Assoc. 2007; 138(3): 331-337. 7. Pini NP e col. Advances in dental veneers: materials, applications, and techniques. Clin Cosmet Investig Dent. 2012; 4: 9-16.

FEVEREIRO 2018

46


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:41


Tratamento endodôntico do dente 2.1 com a remoção de um instrumento fraturado. Caso clínico

Sara Paixão Médica dentista. Licenciada em Medicina Dentária pela Universidade Católica Portuguesa (Viseu). Mestre em Endodontia pela Universidade Internacional da Catalunha, Barcelona (Espanha). Prática privada exclusiva em endodontia, em Marselha (França). asrpaixao@gmail.com

48

fevereiro 2018

CC Sara Paixao OK.indd 48

2/2/18 11:48


Ciência e prática

Contudo, hoje em dia com o uso do microscópio cirúrgico surgiram melhores resultados, com a probabilidade de retirar instrumentos fraturados dos canais radiculares.

Resumo O propósito deste artigo é apresentar a possibilidade de retirar um instrumento que ficou isolado no interior de um canal radicular. Este procedimento realiza-se com a ajuda de um equipamento ultrassónico e um microscópio cirúrgico. Apresentamos o caso de uma mulher de 58 anos, em cujo incisivo central se fraturou um instrumento de rotação. Depois de o retirar, na peça realizou-se o tratamento odontológico previsto.

Os microscópios podem proporcionar ampliações na faixa entre x3 e x30. As ampliações baixas são boas para o trabalho geral e têm um campo de visão mais amplo e uma boa profundidade de enfoque. Por outro lado, os aumentos mais altos utilizam-se para tarefas específicas, tais como a procura de condutos e a recuperação de instrumentos fraturados. O campo de visão e a profundidade de enfoque reduzir-se-á com estes aumentos.

Introdução A fratura de instrumentos é um problema que se pode produzir durante o procedimento endodôntico. Pode dever-se à fadiga cíclica ou ao esforço torsional. A fadiga cíclica dá-se quando o instrumento gira livremente no canal e se flexiona até ao ponto em que se produz a fratura. Por seu lado, o esforço de torsão tem lugar quando a ponta ou qualquer outra parte do instrumento se bloqueia dentro de um canal enquanto o eixo continua a girar.

Pautas para evitar a fratura de instrumentos

Geralmente, os profissionais tratam de eliminar o instrumento fraturado do canal. No entanto, este procedimento pode ser longo e por vezes não é bem sucedido. Um instrumento fraturado impossível de retirar pode impedir uma limpeza eficiente, o que contribui para um possível fracasso do tratamento endodôntico. É habitual que um instrumento fraturado fique aparafusado no canal, tornando a sua eliminação mais complicada. Alguns autores demonstraram que a remoção de um instrumento no canal reduz significativamente a taxa de sucesso.

• Exame dos novos instrumentos, já que alguns defeitos podem produzir-se durante a sua fabricação.

• Treino adequado antes de utilizar os instrumentos de novo desenho. • A compreensão da anatomia do canal radicular e o estabelecimento da trajetória antes de limpar e dar forma.

• Exame dos instrumentos durante o tratamento, inclusive se são de uso único. • Emprego da ampliação para o exame do instrumento, porque alguns defeitos não podem ver-se à primeira vista. • Cumprimento das instruções do fabricante.

49

fevereiro 2018

CC Sara Paixao OK.indd 49

2/2/18 11:48


Maxillaris Ciência e prática

Caso clínico Anestesiou-se a paciente com articaína e o dente isolou-se com dique de borracha. Abriu-se a câmara pulpar e localizou-se o instrumento. O fragmento estava na parte coronal do canal e tinha um acesso em linha reta ao mesmo, como se vê na figura 3, o que facilitava a sua eliminação.

Uma paciente de 58 anos aparece na nossa clínica associada a um caso de endodontia, após a sua médica dentista ter rompido um instrumento no dente 2.1. A paciente não tem antecedentes médicos significativos. Realizaram-se os exames clínicos e radiológicos, diagnosticando-se periodontite apical assintomática na peça. Observou-se um instrumento fraturado na parte coronal do canal.

O uso do microscópio nesta situação permite ver com detalhe, boa iluminação e alta precisão, evitando assim o desgaste excessivo da estrutura dentária.

De acordo com a classificação da Associação Americana de Endodontia, considera-se um caso de alta dificuldade já que se trata de um abcesso com complicações (instrumento fraturado).

Fig.1. Radiografia periapical inicial.

Fig. 2. Vista intraoral do dente 2.1.

Fig. 3. Cavidade de acesso, com o instrumento fraturado na zona coronal.

Fig. 4. Remoção do instrumento.

50

fevereiro 2018

CC Sara Paixao OK.indd 50

2/2/18 11:48


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:58


Maxillaris Ciência e prática

O instrumento retirou-se com uma ponta ultrassónica Start-X número 3, da Dentsply®, mediante movimentos anti-horários e sob a ampliação de um microscópio cirúrgico. Com as pontas ultrassónicas, escavou-se a dentina ao redor do instrumento até que se expôs a parte coronal do mesmo. Esta ação manteve-se até alcançar o ponto de união, que se consegue quando as vibrações têm efeito ao longo do eixo comprido do instrumento. Com esta manobra, o fragmento geralmente liberta-se e salta. O objetivo é aplicar a energía ultrassónica na superfície lateral do instrumento fraturado, porque se se aplica no extremo coronal, isto pode fazer o instrumento deslocar-se mais abaixo no sistema de canais. Este processo realizou-se num ambiente seco, com o fim de melhorar a visibilidade.

A longitude do trabalho determinou-se com o localizador Propex Pixi, da Dentsply®, e confirmou-se radiograficamente. A trajetória de acesso fez-se com as limas #10k-file y #15 k-file e a conformação realizou-se com o instrumento R25, da Reciproc®, incluindo também as limas 30/06, 35/04 e 40/04 da Profile®. A irrigação levou-se a cabo com hipoclorito de sódio a 3% com irrigação ultrassónica passiva. Utilizou-se EDTA 17% para eliminar o barro dentinário e efetuou-se uma irrigação final com hipoclorito de sódio e álcool. Depois disso, os canais secaram-se com pontas de papel e procedeu-se à obturação. O canal obturou-se com um cone de gutta percha 40/04 e um selante AH Plus. Utilizámos a técnica de condensação de onda quente com Calamus Dual, da Dentsply®. Realizou-se um downpack, seguido pelo enchimento até ao nível coronal do canal, com o emprego dos condensadores Machtou.

Fig. 6. Start-X número 3, da Dentsply®.

Fig. 5. Instrumento fraturado.

Fig. 7. Canal livre do instrumento fraturado.

Fig. 8. Determinação da longitude do trabalho.

Fig.9. Conometria.

52

fevereiro 2018

CC Sara Paixao OK.indd 52

2/2/18 11:48


Maxillaris Ciência e prática

Fig. 10. Cavidade de acesso.

Fig. 11. Cavidade de acesso depois da obturação.

Fig. 12. Radiografia periapical final.

Fig. 13. Radiografia periapical final e angulação distal.

Conclusões Embora devemos ser cuidadosos, as fraturas de instrumentos produzem-se, geralmente, devido ao esforço torsional ou à fadiga cíclica. Para evitar acidentes, devemos ter um acesso em linha reta aos canais, criar uma trajetória com limas manuais e ampliar a parte coronal dos canais. Com a ajuda da ampliação, durante a eliminação do instrumento podemos prevenir contratempos, como perfurações da raiz. Em resumo, com a intervenção do microscópio cirúrgico os instrumentos fraturados como este podem retirar-se facilmente mediante o uso de pontas ultrassónicas, com o fim de desenroscar o instrumento no canal e conseguir assim um bom prognóstico para o dente. Bibliografia 1. Bahcall JK. Remedying and Preventing Endodontic Rotary Nickel-Titanium (NiTi) File Breakage. Compendium of Continuing Education in Dentistry (15488578). 2013, May. Vol. 34 Issue 5: 324-328.

4. Madarati AA, Watts DC, Qualtrough AJE. Factors contributing to the separation of endodontics files. British Dental Journal. 2008, Vol. 204 Issue 5: 241-245.

2. Jamdade SD. Separated File removal with a Ultrasonic file removal kits aided by operating microscope literature review and a study of 2 cases. Dental-follicle – The E Journal of Dentistry 2012 July; Vol. 7 Issue 7 : 3-10.

5. Solomonov M, Ben-Itzhak J, Kfi R A, Von Stetten O, Lipatova E, Farmakis ET. Self-adjusting fi le(SAF) separation in clinical use: A preliminary survey among experienced SAF users regarding prevalence and retrieval methods. J Conserv Dent. 2015; 18: 200-4.

3. Kahler B. Microsurgical endodontic retreatment of a maxillary molar with a separated file: case report. Australian Dental Journal. 2011; 56: 76-81.

53

fevereiro 2018

CC Sara Paixao OK.indd 53

2/2/18 11:48


Quiz de Medicina Oral Demonstre os seus conhecimentos no teste da MAXILLARIS Durante mais de treze anos a edição espanhola da MAXILLARIS (e mais recentemente a portuguesa) publicou a secção “Imagens da Medicina Oral”, do médico dentista e professor catedrático espanhol Germán Esparza Gómez. Nela se descreveram uma série de casos clínicos, dando conta assim, de uma maneira simples e prática, das principais patologias desta área. Convencidos de que a prevenção é a principal ferramenta terapêutica e que a Medicina Oral deve continuar a ter o seu peso na MAXILLARIS, criámos uma nova secção que sobressai pela sua grande utilidade. Germán Esparza Gómez proporcionará todos os meses um Quiz (teste) no qual se inclui uma breve descrição de um caso e uma ou duas imagens do mesmo. Com estes dados, se lançará uma pergunta sobre um possível diagnóstico. O resultado desta pergunta publicar-se-á no mês seguinte, explicando tanto a argumentação da opção correta como a das respostas invalidadas. Para responder a esta pergunta e obter a solução correta de forma imediata, basta aceder à seguinte página eletrónica: www.maxillaris.com/quiz–pt. É um processo simples que não leva mais de um minuto. Aos participantes que obtenham os melhores resultados, a MAXILLARIS oferecerá um prémio muito especial.

54

FEVEREIRO 2018

Quiz 1.indd 54

5/2/18 9:57


uiz

de Medicina Oral

Germán Esparza Gómez Médico estomatologista. Doutorado em Medicina e Cirurgia. Professor titular de Medicina Oral no Departamento de Medicina e Cirurgia Bucofacial da Faculdade de Odontologia da Universidade Complutense de Madrid (Espanha). medoral@infomed.es

1 Uma mulher de 54 anos visita o consultório dentário para uma revisão de rotina. Durante a exploração, o médico dentista observa as lesões que se exibem nas imagens. A paciente não estava consciente delas nem tinha sentido qualquer desconforto em nenhum momento. Não fuma e carece de outros antecedentes relevantes.

Qual é o seu provável diagnóstico? A. Candidíase pseudomembranosa B. Leucoplasia C. Liquen plano reticular D. Leucoedema Responda a esta pergunta em: www.maxillaris.com/quiz–pt

A solução publicar-se-á no próximo número e de maneira imediata no site.

55

FEVEREIRO 2018

Quiz 1.indd 55

5/2/18 9:58


Outros Perfis feb 18.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:13 Página 56

outros perfis

Vanessa Martins cantora e médica dentista

“O que é um médico dentista senão um verdadeiro artista?”

FEVEREIRO 2018

56


Outros Perfis feb 18.qxp_Maquetaciรณn 1 2/2/18 11:13 Pรกgina 57

FEVEREIRO 2018

57


Outros Perfis feb 18.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:13 Página 58

MAXILLARIS

Outros perfis

Vanessa Martins enfrentou o público, pela primeira vez, aos oito anos. Desde então, a música tem sido uma constante na sua vida, atividade que partilha com a rotina diária num consultório dentário do Porto. A jovem médica dentista destacou-se (como semi-finalista) em dois dos formatos musicais mais conhecidos da televisão: “Ídolos” (2012) e “The Voice Portugal” (2014). Mais recentemente juntou ao estilo pop a paixão pelo fado, que lhe valeu mais um palmarés no currículo artístico: o primeiro prémio da Grande Gala de Fados do Porto. A Medicina Dentária foi outra opção por vocação, já que diz ser uma confessa apaixonada pela ciência, pela saúde, pelo corpo humano e os seus mecanismos. Quando é que se iniciou no universo da música? É uma vocação recente ou remonta aos tempos da sua infância? Não me conheço sem música, cantei pela primeira vez em público com oito anos e, desde aí, nunca mais parei, sendo vocalista de várias bandas e participando em festivais e concursos televisivos. Efetivamente, participou em vários formatos televisivos: Ídolos, The Voice Portugal, Grande Gala de Fados. Fale-nos dessas experiências mais mediáticas... Participei no Ídolos em 2012 e no The Voice Portugal em 2014. De ambos os formatos saí semi-finalista, foram experiências ótimas que aconselho, sem dúvida, sabendo sempre de antemão que não é um passaporte para nada, mas sim uma excelente montra de lançamento que temos de saber aproveitar. Por brincadeira inscreveram-me, no ano passado, na Grande Gala de Fados do Porto, no Teatro Sá da Bandeira, da qual acabei por sair vencedora.

Que lugar ocupa a música ligeira/pop na sua carreira artística? Ao longo do meu percurso passei por vários géneros musicais, do pop ao fado.

A médica dentista compõe os seus próprios temas e prevê lançar um trabalho discográfico no primeiro trimestre deste ano.

Que tipo de reportório costuma interpretar nos seus concertos (temas conhecidos do grande público e/ou originais escritos por ou para si)? Neste momento, tenho temas originais escritos e compostos por mim, que são sempre incluídos nos concertos, mas os grandes clássicos também marcam presença nas minhas atuações.

FEVEREIRO 2018

58


Outros Perfis feb 18.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:13 Página 59

MAXILLARIS

Qual é a sua relação com o fado? Quem são os seus mentores ou “padrinhos” e, já agora, quais são as suas referências: intérpretes, guitarristas, compositores, etcétera? O fado é relativamente recente na minha vida. Sempre foi incluído nos meus espetáculos, no entanto, só desde o triunfo na Gala de Fados é que comecei a fazer concertos exclusivamente de fado. As minhas principais referências no fado são a eterna Amália Rodrigues, a Carminho e a Mariza. Como compositor aprecio muito o Jorge Fernando, que foi também um dos jurados da Gala de Fados em que participei. Como encara a evolução do fado nos últimos anos, nomeadamente após o reconhecimento como património imaterial da UNESCO? O fado é, sem dúvida, a expressão máxima da alma portuguesa, é uma das nossas heranças mais valiosas, como o próprio nome indica é o nosso destino. Portanto, já estava na hora de ser reconhecido como tal. Há episódios contados pelas nossas mais conhecidas fadistas nos seus concertos no estrangeiro, em países como a China, em que o público estava visivelmente emocionado no final do concerto, porque o fado é isso mesmo: emoção! Não é preciso compreender as letras, o fado sente-se. Há algum facto particularmente memorável que a tenha marcado, até à data, no seu percurso artístico? Penso que, para um artista, pisar um grande palco nacional é sempre um marco importante. O meu primeiro palco foi o Teatro Sá da Bandeira, na Grande Gala de Fados, seguiu-se o Coliseu do Porto e, há bem pouco tempo – e

Outros perfis

Vanessa Martins foi semi-finalista da edição de 2014 do popular formato televisivo “The Voice Portugal”. Dois anos antes também se destacou noutro programa bem conhecido do público: “Ídolos”.

talvez seja o momento que mais me marcou –, o Coliseu dos Recreios, em Lisboa. Tem algum trabalho discográfico no mercado ou em vias de ser lançado? Neste momento, tenho dois singles no mercado que saíram no início de 2017 e um álbum que está na fase final de gravação, com saída prevista para o primeiro trimestre deste ano.

Não me conheço sem música, cantei pela primeira vez em público com oito anos e, desde aí, nunca mais parei FEVEREIRO 2018

59


Outros Perfis feb 18.qxp_Maquetación 1 2/2/18 11:13 Página 60

MAXILLARIS

Outros perfis

Sempre vi a música como algo que eu sou e não como algo que eu faço, e como tal tive necessidade de ter outra profissão Estão previstos concertos (ao vivo ou na televisão) nos próximos tempos? Sim, para já estamos a programar a tour de 2018, com banda e com bailarinos. Recentemente, participei em alguns espetáculos solidários e na passagem de ano atuei em Andorra. É difícil conjugar a profissão de médica dentista com a faceta artística? Digamos que não é fácil, contudo, é muito reconfortante. Costumo dizer que tenho duas profissões, uma que me escolheu, que é a música, e uma que fui eu que escolhi, que é a Medicina Dentária. Neste momento, tenho clínica no Porto, onde exerço, e a música ocupa-me mais os fins-de-semana e algumas noites. Na verdade nunca estou de férias.

Vanessa Martins exerce a sua prática num consultório do Porto; a música ocupa-a mais os fins de semana e algumas noites. Considera que a veia criativa é comum a ambas as profissões.

Considera que existe alguma complementaridade (ou correlação) entre a sua ocupação profissional e a sua carreira musical? Sem dúvida que são complementares. O que é um médico dentista senão um verdadeiro artista? Às vezes escultor, outras vezes pintor… mas um artista! Esta veia criativa é comum a ambas as profissões. Que motivos a levaram a enveredar pelo curso de Medicina Dentária? Na realidade, sempre vi a música como algo que eu sou e não como algo que eu faço, e como tal tive necessidade de ter outra profissão. Sou uma apaixonada pela ciência, pela saúde, pelo corpo humano e os seus mecanismos. Portanto, desde cedo que a medicina em geral foi uma paixão e mais tarde a área da Medicina Dentária em particular. O que mais a fascina nesta profissão? Fascina-me o facto de termos, para além de um certo poder de curar através dos nossos conhecimentos, o poder de devolver sorrisos, e é esta a área da Medicina Dentária que mais me motiva. A forma como podemos melhorar a auto-estima das pessoas, e devolver-lhes por vezes a vontade de sorrir e de viver é extremamente gratificante. E o que mais a preocupa na atualidade? Estamos em crise económica, embora em recuperação, e inevitavelmente o nosso setor foi abalado também por esta conjuntura. As pessoas ainda recorrem muito ao dentista só quando sentem dor, e nesses momentos muitas vezes já é tarde demais. É fundamental apostar numa intervenção precoce, consciencializar o público de que alguns dos problemas graves de saúde podem advir de uma boca que não está sã. Neste momento, Portugal ocupa o último lugar no ranking europeu dos países que mais procuram o médico dentista, isto é grave e tem que se perceber o porquê. Como antevê o futuro do setor da saúde oral (em geral) em Portugal? Na minha opinião, é fundamental a intervenção governamental neste setor, algumas medidas já foram implementadas, porém, penso que se pode fazer muito mais para que possamos ser cada vez mais um país que se preocupa com a sua saúde oral.

FEVEREIRO 2018

60


Maquetas publis copia.indd 1

5/2/18 10:03


Relatos diciembre-cópia_Maquetación 1 2/2/18 11:25 Página 62

Relatos Wagner Jossia Gimo e Winnie Wilson Médicos dentistas. Voluntários da Mundo A Sorrir através do projeto “Saúde a sorrir”. Universidade de Lúrio (Moçambique).

Wagner Jossia Gimo constata que a informação ficou e alguma diferença fez no seio daquela comunidade moçambicana.

Winnie Wilson refere que houve algumas dificuldades no tratamento das crianças, porque a vila da Macia tem apenas um hospital.

FEVEREIRO 2018

62


Relatos diciembre-cópia_Maquetación 1 2/2/18 11:25 Página 63

MAXILLARIS

Relatos

O sonho de mudar o mundo com o poder da informação Entre maio e junho de 2017, os médicos dentistas moçambicanos Winnie Wilson e Wagner Jossia Gimo participaram pela primeira vez no projeto “Saúde a sorrir”, da organização não governamental Mundo A Sorrir, no distrito de Bilene-Macia, em Moçambique. Os voluntários locais realizaram ações de sensibilização e rastreios médico-dentários a mais de 4.000 crianças das escolas do primeiro ciclo básico e de instituições parceiras. Pela primeira vez, a Mundo A Sorrir contou com o apoio de médicos dentistas locais na concretização da missão. Os dois jovens moçambicanos relatam à MAXILLARIS – na primeira pessoa – a sua enriquecedora experiência de voluntariado, que ambos afirmam estar dispostos a repetir.

Relato de Wagner Jossia Gimo Sou médico dentista e formei-me há cinco anos. Durante este período académico participei de forma ativa no programa “um estudante, uma família”, criado e desenvolvido pela Faculdade de Ciências da Saúde com o objetivo de educar e promover a saúde oral, nutricional, ocular e geral nas comunidades com pouco poder financeiro da cidade de Nampula. Sempre tive uma grande afinidade com a parte clínica, mas durante este tempo pude perceber que a clínica em convivência com a parte social faria uma grande diferença na redução da prevalência de várias doenças. Foi desta forma que em mim despertou o interesse em trabalhar na área da saúde pública. Em Moçambique, a medicina dentária tem um percurso curto e é uma área com vários desafios, onde também se nota que a maioria da população, em particular nas zonas suburbanas, tem muito pouco acesso a informação sobre a saúde oral. A cárie dentária e a periodontite são as doenças de maior prevalência no nosso país. Mas estas doen-

Confesso que não foi fácil a pressão que tivemos e as dificuldades que passámos, mas, porque a causa era maior, conseguimos ultrapassar os obstáculos FEVEREIRO 2018

63

ças podem ser prevenidas e não carecem de grandes custos para qualquer sociedade. No início de 2017, tive a oportunidade de entrar para o voluntariado na organização Mundo A Sorrir e em maio do mesmo ano desloquei-me à província de Gaza no distrito de Bilene-Macia, para participar na primeira experiência nesta organização: um projeto intitulado “Saúde A Sorrir”, que durou um mês. Foram feitas palestras sobre a cárie dentária, gengivite, técnicas de escovagem e hábito nutricional saudável. O trabalho realizou-se em quatro escolas primárias, dois centros de acolhimento a crianças com necessidades especiais, um centro nutricional de mães com bebés e uma igreja, onde foram abrangidas cerca de 3.000 crianças que receberam escovas, pastas dentífricas e certificados de participação. Para além desta atividade, formaram-se cerca de 20 professores e alguns responsáveis pelas crianças nos centros de acolhimento sobre a matéria de doenças orais mais frequentes, as consequências da perda dentária e a importância de uma correta higiene oral.


Relatos diciembre-cópia_Maquetación 1 2/2/18 11:25 Página 64

MAXILLARIS

Relatos

Confesso que não foi fácil a pressão que tivemos e as dificuldades que passámos, mas porque a causa era maior, conseguimos ultrapassar os obstáculos. Tenho a certeza de que a informação ficou e alguma diferença fez no seio daquela sociedade. Testemunho de Winnie Wilson Tudo começou quando vi a página da Mundo A Sorrir no Facebook, com um projeto em Moçambique, concretamente na região da Macia. Enviei um e-mail demonstrando o meu interesse em ser voluntária e fui prontamente correspondida. A partir daí, fiz a entrevista, participei na formação e finalmente recebi a noticia de que seria voluntária da Mundo A Sorrir em Moçambique. Foi um misto de emoções, quando recebi a notícia do voluntariado, de alegria e ao mesmo tempo de medo. De alegria porque além de ensinar através das atividades programadas, ia aprender bastante e ganhar mais experiência em trabalhar com crianças e pessoas da comunidade, e de medo porque não sabia se conseguiríamos dar resposta a todas as atividades programadas para o projeto. O projeto “Saúde A Sorrir” em Moçambique, do qual fui voluntária, tinha duração de um mês. Para esse período programámos várias atividades, entre elas: rastreios a crianças de quatro escolas (Escola Primária de Muchabje, 1 de junho, 5 Bairro, 1 Bairro) e três centros de acolhimento (Pfuka u Famba, Centro das Irmãs Hospitaleiras e Centro da Igreja Baptista) palestras, formações de professores, distribuição de escovas, diplomas e encaminhamento das crianças rastreadas com problemas de saúde oral para a realização de tratamentos. Com muito empenho e força de vontade conseguimos cumprir quase todas as atividades programadas para o projeto, excluindo o tratamento a crianças rastreadas que tinham problemas de saúde oral, por motivos além da nossa vontade. Tivemos algumas dificuldades no tratamento das crianças, porque a vila da Macia tem apenas um hospital (que funciona de forma

Os voluntários locais realizaram ações de sensibilização e rastreios médico-dentários a mais de 4.000 crianças das escolas do primeiro ciclo básico e de instituições parceiras da Mundo A Sorrir.

irregular no setor de estomatologia) e um técnico de estomatologia (que além de atender a população no hospital distrital da Macia tem que fazer palestras nas escolas e bairros). Perante este cenário, notamos a grande necessidade que a vila da Macia tem de projetos como este, por forma a reduzir o índice de doenças da cavidade oral com principal enfoque para a cárie dentária. Porém, e apesar destas dificuldades, foi uma experiência muito boa e enriquecedora. Espero que a Mundo A Sorrir continue com o projeto em Moçambique e que juntos possamos construir sorrisos do tamanho do mundo! z

Notamos a grande necessidade que a vila da Macia tem de projetos como este, por forma a reduzir o índice de doenças da cavidade oral com principal enfoque para a cárie dentária FEVEREIRO 2018

64


Maquetas publis copia.indd 1

5/2/18 10:06


Industria fev PT.qxp_Maquetación 1 2/2/18 10:25 Página 66

A indústria a fundo Rui Fernandes,

diretor comercial da Sinusmax

Continuamos a pensar a empresa como parceira dos nossos clientes

Em que momento se encontra a Sinusmax e quais são as linhas que definem a atual estratégia da empresa? A Sinusmax encontra-se numa fase de consolidação e crescimento, dado que tem nova gerência e novo capital humano. Continua fiel à essência que, ao longo dos 11 anos de vida, a tem caracterizado. Continuamos assim a defender os nossos valores de sempre: a satisfação dos nossos clientes, a promoção do conhecimento e da compra informada, a ética e a qualidade. Continuamos a pensar a empresa como parceira dos nossos clientes, ajudando-os a tomar as melhores decisões e a tratar melhor e mais pacientes. Que balanço global faz da atividade desenvolvida pela empresa em 2017? Foi um ano de aposta e compromisso. Apostámos na marca italiana Leader após largos meses de procura, estudo e análise de muitas marcas de implantes. O ano foi assim marcado

pelo lançamento da Leader em Portugal que contou com a presença de largas dezenas de medicos dentistas, que assistiram, no Palácio do Freixo, no Porto, a um dia de apresentação e formação em implantologia, terminando com um jantar animado no rio Douro. Quais são as suas expectativas para 2018? Espera-se um ano particularmente marcado por algum dos seguintes fatores: renovação, crescimento, diversidade da oferta? Espera-se a consolidação do nosso trabalho. Os clínicos estão a identificar, nesta nossa aposta de diversidade, beneficios para a sua atividade. Elevamos o nível da nossa oferta aos clínicos colocando à sua disposiçao duas grandes marcas europeias: a IDI (francesa) e a Leader (italiana). Desta forma, o médico implantologista encontra na Sinusmax todo o tipo de soluções. Colocamos ao dispor dos nossos clientes a maior e mais vasta gama de implantes, indo ao encontro das necessidades e dos desafios da implantologia atual.

FEVEREIRO 2018

66

em imagens

O Curso de Excelência em Implantologia (CEI) tem por objetivo a formação do pós-graduado para o mercado de trabalho.


Industria fev PT.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:34 Página 67

Que produtos estão disponíveis no mercado português? A Leader é um sistema de implantes dentários, caracterizado pela oferta de várias opções que permitem ao clínico maior liberdade e flexilbilidade. Com todo o tipo de conexões protéticas e várias opções de desenho e arquitetura do implante, responde a qualquer necessidade clínica específica. Qualquer que seja a situação clínica, a Sinusmax tem o implante adequado. No que respeita aos equipamentos, lançámos uma nova marca de laser clínico, completando assim três opções de equipamentos de laser. O laser Solase abrange um largo leque de tratamentos, incluindo coagulação, incisão, hemostase e desinfeção de tecidos, assim como branqueamento e redução de dor. Todos estes procedimentos e tratamentos são comandados através de um dispositivo iOS, um iPhone ou iPod. O novo Periotest é um equipamento que permite obter de uma forma simples medições objetivas e reproduzíveis numa vasta gama de aplicações, desde a avaliação da osteointegração de implantes dentários ao diagnóstico e avaliação de periodontopatias, avaliação da carga oclusal e monitorização do progresso de tratamentos em dentes naturais. Quanto aos materiais de impressão, a Kettenbach, marca alemã de grande notoriedade internacional, lançou um silicone específico para implantologia: o Panasil monofásico.

Da vasta gama de produtos da Sinusmax, destaca-se a marca de implantes Leader, de origem italiana.

Direção: - Diretor comercial: Rui Fernandes. Principais gamas de produtos e serviços: - Implantes IDI. - Implantes Leader. - Material de impressão Kettenbach. - Biomateriais: Medbone, Collagene AT, Biom’up. - Laser: Litemedics (Lambda), Solase (Lazon), Wiser (Doctor Smile). - Monitorização de osteointegração Periotest. - Equipamentos W&H. Sede: - Matosinhos.

No atual catálogo de produtos/serviços da Sinusmax, existe algum que justifique particular destaque pelo seu carácter inovador ou por ser uma novidade absoluta no mercado português? Da vasta gama de produtos da Sinusmax, destacamos a marca de implantes Leader, pela sua tecnologia e inovação. O implante Tixos, da Leader, é o primeiro implante dentário do mundo fabricado pelo método de Direct Laser Metal Forming (DLMF).

O laser Solase abrange um amplo leque de tratamentos.

FEVEREIRO 2018

67

Trata-se de um processo de formação de metal em que um feixe de laser de alta potência é dirigido sobre uma cama de pó metálico e programado para fundir partículas de acordo com um ficheiro CAD, gerando assim uma camada de metal fina. A aposição das camadas subsequentes dá forma ao desenho 3D desejado. Com esta técnica, é agora possível fabricar implantes dentários com diferentes formas e texturas, diretamente a partir de modelos CAD. Que importância atribui a Sinusmax à área da formação e em que medida tem vindo a contribuir para o panorama formativo nacional do setor dentário? A Sinusmax sempre deu especial atenção à formação. Em parceria com o Instituto Friburguense de Pós-Graduação em Ciências Médicas (IFPG), a Sinusmax vai oferecer formação em implantologia cujo conteúdo aborda importantes temas da implantologia moderna, discute as novas tecnologias e o seu uso na reabilitação oral com implantes e fornece aos formandos ferramentas para o seu desenvolvimento profissional. O conteúdo programático do Curso de Excelência em Implantologia (CEI) tem por objetivo a formação do pós-graduado para o mercado de trabalho, baseado na ética, no conhecimento e na prática, além de desenvolver um espírito observador e crítico. As parcerias com universidades e centros clínicos fazem também parte da nossa política de desenvolvimento da formação especializada aos médicos dentistas. As nossas sessões formativas (Conversas Redondas) irão retomar a sua assiduidade. Por outro lado, estão a ser organizadas novas edições do tão procurado curso de gestão financeira em Medicina Dentária. Quais são os principais pontos fortes da Sinusmax para ganhar a confiança dos profissionais de Medicina Dentária? Julgamos que os valores que nos orientam e os nossos produtos e equipamentos são relevantes como contributo para a excelência na Medicina Dentária e para o crescimento dos nossos clientes. Por isso, acreditamos que cada vez mais médicos dentistas identificarão na Sinusmax um parceiro dedicado e profissional. z


NEW Cal febPT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:16 Página 68

Calendário

CIRURGIA ORAL

CIRURGIA ORAL Curso de oclusão e reabilitação

Curso clínico intensivo com pacientes

A CEOdont (Grupo Ceosa) vai realizar nos dias 19 a 21 de julho , em Madrid (Espanha), um curso de oclusão e reabilitação, orientado por Diego G. Soler. Este curso teórico-prático de três dias estará centrado principalmente no diagnóstico como ponto de partida para o correto tratamento em reabilitação oral baseado em conceitos funcionais, percorrendo o caminho até à mínima invasão mediante a utilização de procedimentos simples. Alcançar uma integração estética e funcional nas diferentes situações clínicas que se apresentam é um desafio atual cada vez mais exigente. Muitas vezes, no momento de enfrentar uma reabilitação oral, faz falta um protocolo para conseguir um tratamento bem sucedido.

A Microdent já tem confirmadas as próximas convocatórias do curso intensivo internacional "Cirurgia avançada orientada para a formação profissional”, que se celebrará, como é habitual, na clínica dentária Alveodente, em Lisboa. Trata-se das edições 25 a 28, que se realizarão nas seguintes datas: de 24 deste mês a 3 de março, de 28 de abril a 5 de maio, de 30 de junho a 6 de julho, e de 27 de outubro a 3 de novembro. O médico dentista espanhol Holmes Ortega Mejía orientará esta formação, com um enfoque metodológico diferente e cujo objetivo principal é proporcionar truques de cada técnica baseados na sua experiência cirúrgica.

(0034) 915 530 880 - cursos@ceodont.com - www.ceodont.com

(0034) 637 431 630 (Sandra Guijarro)

DENTISTERIA

CIRURGIA ORAL Curso sobre o protocolo cirúrgico All-on-4

Curso modular de dentisteria

Nos próximos dias 9 e 10 de março, realiza-se nas instalações da Malo Clinic, em Lisboa, um curso sobre o protocolo All-on-4, um procedimento cirúrgico inovador para a reabilitação de maxilas edêntulas que se concentram inteiramente no paciente. A técnica cirúrgica aplicável permite o tratamento de um número significativamente maior de pacientes, evitando a necessidade de procedimentos de enxerto ósseo complexo, demorado e muitas vezes debilitante. Durante dois dias, Paulo Maló, pioneiro do protocolo cirúrgico All-on-4, e a sua equipa clínica, mostrarão como o paciente terá função imediata e uma excelente estética com um número limitado de implantes.

A Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), no âmbito do seu programa de formação contínua para 2018, inicia em abril, num hotel de Lisboa, um curso modular de dentisteria com o seguinte calendário: • 1. Restauração de dentes anteriores (João Desport); 9 de abril. • 2. Restauração de dentes posteriores (Filipe Franco de Sousa); 16 de abril. • 3. Reabilitação adesiva de dentes anteriores e posteriores - a via digital (João Falcão); 14 de maio. O programa inclui ainda uma sessão hands-on dedicada ao tema das restaurações diretas com resinas, agendada para o dia 26 de maio, orientada por Tomás Amorim Afonso e Vasco Nunes da Silva.

217 247 080 - education@maloclinics.com

226 197 690 - www.omd.pt

FEVEREIRO 2018

68


NEW Cal febPT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:16 Página 69

MAXILLARIS

calendário

ENDODONTIA

ESTÉTICA DENTÁRIA

Título de especialista em endodontia

Personalização de próteses em cera e acrílico

A CEOdont (Grupo Ceosa) vai celebrar, em Madrid (Espanha), uma nova edição deste curso, orientado por Juan Manuel Liñares Sixto, cujo principal objetivo é proporcionar os conhecimentos teóricos e a habilidade e confiança necessárias para que o aluno possa proceder à execução do tratamento proposto de forma previsível. O programa inclui os seguintes módulos: • 1. Abertura de câmara e preparação de condutos; de 14 a 16 de junho. • 2. Instrumentação mecânica; de 12 a 14 de julho. • 3. Obturação de condutos radiculares ; de 6 a 8 de setembro. • 4. Restauração após a endodoncia; de 4 a 6 de outubro. • 5. Retratamento e endodontia cirúrgica; de 22 a 24 de novembro.

Nos próximos dias 23 e 24 de março, Jandro Díaz lecionará nas instalações da Dental Artistry, em Lisboa, um curso sobre personalização de próteses dentárias em cera e acrílico. Esta formação consiste na montagem de uma prótese completa superior caracterizada mediante a técnica del set-up assimétrico funcional. Durante dois dias Jandro Díaz. realizar-se-á desde a montagem no articulador até ao abrilhantado final, passando pelo retoque e personalização das peças de PMMA, bem como a potenciação de detalhes anatómicos mediante maquilhagens fotopolimerizáveis de compósito, entre outros passos.

(0034) 915 530 880 - cursos@ceodont.com - www.ceodont.com

icde.es@ivoclarvivadent.com

ESTÉTICA DENTÁRIA

ESTÉTICA DENTÁRIA

Encerado diagnóstico e técnica Ink-Glue

Maxilar atrófico sobre metal

A CEOdont (Grupo Ceosa) organiza nos dias 19 e 20 do próximo mês de outubro, em Madrid (Espanha), um curso de “Encerado diagnóstico e técnica Ink-Glue”, orientado por Iván Ronald Huanca. Esta ação formativa tem por objetivo melhorar e atualizar os participantes acerca dos novos conceitos para a morfologia dentária. O programa inclui exercícios práticos como o manejo de instrumentos e também a correta visualização de cada dente que será demonstrada em vídeo. O desempenho de cada aluno será permanentemente acompanhado pelo orientador do curso.

O Laboratório Dental López, localizado em Ourense (Espanha), será o cenário de um curso centrado na temática “Maxilar atrófico sobre metal”, agendado para os dias 8 e 9 de março, sob a orientação de August Bruguera. Neste curso serão indicadas soluções para as restauração gengivais e para tal realizar-se-á um grupo August Bruguera. anterior sobre uma estrutura metálica. Ao mesmo tempo buscar-se-á a melhor resposta a um problema que aparece ultimamente devido às exigências estéticas dos pacientes: como conseguir cores muito mais brancas que um A1 e que tenham um aspeto natural.

(0034) 915 530 880 - cursos@ceodont.com - www.ceodont.com

icde.es@ivoclarvivadent.com

IMPLANTOLOGIA Programa de formação BTI O Biotechnology Institute (BTI), fiel ao seu compromisso de oferecer formação de máxima qualidade que contribua para melhorar a prática diária dos profissionais, organiza numerosos cursos e jornadas formativas. As jornadas de formação orientadas pelo corpo docente do BTI, liderado pelo médico dentista espanhol Eduardo Anitua, permitem aprofundar os conhecimentos sobre os últimos avanços em implantologia, reabilitação oral e aplicações de terapias regenerativas. O BTI conta desde há um ano com o seu próprio centro de formação online, plataforma através da qual se realizam numerosos cursos e seminários sobre temas específicos como CAD-CAM, tratamentos da apneia e roncopatia, BTI Scan, etc. www.bti-biotechnologyinstitute.com/es/formacion

FEVEREIRO 2018

69


NEW Cal febPT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:16 Página 70

M AXILLARIS

calendário

ORTODONTIA

IMPLANTOLOGIA Curso de excelência em implantologia

Formação contínua sobre o sistema CCO

Tem início marcado para março, no Porto, mais uma edição do “Curso de excelência em implantologia”, do Instituto Friburguense de Pós-Graduação em Ciências Médicas (IFPG), com o patrocínio da Sinusmax. Este curso aborda importantes temas da implantologia moderna e discute as novas tecnologias e o seu uso na reabilitação oral com implantes. O conteúdo programático tem por objetivo a formação do pós-graduado para o mercado de trabalho, a produção científica através da pesquisa e o desenvolvimento profissional baseado na ética, fomentando o conhecimento e a prática, além de desenvolver um espírito observador e crítico.

A segunda edição do programa de formação sobre o sistema Complete Clinical Orthodontics (CCO), desenvolvido pela Dentsply Sirona, realiza-se entre os próximos meses de abril e outubro, no Porto. Constitui a evolução mais importante em técnica auto ligável contemporânea ao reunir de forma única um bracket de tipo interativo, arcos tecnológicos de última geração e a mecânica de straight-wire numa matriz conceptual que capitaliza a união da experiência e do conhecimento com que personalidades ímpares da ortodontia como Angle, Tweed, Ricketts, Andrews, Roth, Alexander, Mclaughin e Damon, entre outros, vêm marcando a atualidade do setor.

229 377 749 - formacao@sinusmax.com

cursoportugalortodontia@gmail.com

ORTODONTIA

ORTODONTIA

Pós-graduação em ortodontia

Curso de fim de dia sobre ortodontia

A Gnathos prepara um novo curso de pós-graduação em ortodontia. O programa terá início em março e setembro do próximo ano no Porto e em Lisboa, respetivamente. A procura e a necessidade de tratamento ortodôntico têm aumentado significativamente nos últimos anos, pelo que é necessário desenvolver conhecimentos, técnicas e ferramentas que permitam identificar problemas ortodônticos nos pacientes, evitar transtornos futuros, reabilitar a função oral e maximizar a estética do rosto, trabalhando de forma interdisciplinar com outras áreas da odontologia. A formação de pós-graduação constitui, por isso, uma ferramenta essencial para o médico dentista que aspira à excelência profissional.

A Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), ao abrigo do programa do Centro de Formação Contínua que delineou para este ano, organiza no dia 20 deste mês um curso de fim de dia subordinado ao tema “Extrair ou não extrair na ortodontia? Apresentação de casos clínicos”. Esta formação vai decorrer nas instalações da OMD no Funchal, em período pós-laboral, e terá como orador o médico dentista Bruno Falcão, com formação cirúrgica e protética em implantologia e pós-graduado em ortodontia e ortopedia facial. O formador exerce a sua prática clínica exclusiva em implantologia, reabilitação oral, ortodontia e ortopedia facial.

938 443 734 - vbarroso@gnathos.net - www.gnathos.net

226 197 690 - www.omd.pt

ORTODONTIA

ORTODONTIA Pós-graduação em ortodontia

Curso de mordida aberta e profunda

A Ortocervera (Grupo CEOSA) já prepara a 86a edição da pós-graduação em ortodontia funcional, aparatologia fixa e autoligado, orientada por Alberto Cervera. O curso está agendado para os dias 22 a 24 de março, em Madrid (Espanha). Esta especialização está estruturada em quatro áreas, designadamente protocolo de diagnóstico e tratamento, estudos de síndromes clínicos, práticas em tipodontos com brackets de autoligado e práticas clínicas tutorizadas.

A Gnathos, em colaboração com a Ortoquick, organizam nos próximos dias 2 e 3 de março, em Lisboa, um curso centrado nos contornos da mordida aberta e profunda. Esta formação de carácter ortodôntico terá como orientadores os médicos dentistas espanhóis Fernando Ferrero e Horacio Escobar.

(0034) 915 541 029 - cursos@ortoceosa.com - www.ortocervera.com

938 443 734 - vbarroso@gnathos.net - www.gnathos.net

FEVEREIRO 2018

70


NEW Cal febPT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:16 Página 71

MAXILLARIS

calendário

VÁRIOS

PERIODONTOLOGIA Cursos práticos de periodontia

Aulas D´Ouro 2018

O Instituto Casan tem programado um novo ciclo de cursos práticos de periodontologia, que decorre na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Ciências Médicas de Villa Clara, em Cuba, sob a orientação da médica dentista Mitdray Corrales Álvarez, chefe do Serviço de Periodontia da referida faculdade cubana. Os profissionais que aderirem a esta formação poderão realizar cirurgias periodontais ressectivas e regenerativas para o tratamento de bolsas periodontais, vestibuloplastias, usar biomateriais em periodontia e proceder a alongamentos coronários, etc.

No seguimento das últimas edições das Aulas D’ouro, realizadas no ano passado, a Douromed continua a apostar na formação dos seus clientes em 2018. Desta vez, os cursos chegarão ainda mais perto dos profissionais do setor, uma vez que estão previstas edições em três locais diferentes: Porto, Lisboa e Madeira. Serão abordados vários temas, nomeadamente as facetas, os biomateriais, a endodontia, a dentisteria estética e a sedação consciente. A primeira formação, sobre impressão, realiza-se já no dia 23 deste mês, no Porto, com o apoio da 3M.

(0034) 918 586 594 - info@institutocasan.net

224 152 279 - formacao@douromed.com - www.douromed.com

VÁRIOS

VÁRIOS

Workshop de fotografia clínica

Mestrados em ortodontia, oclusão e cirurgia ortognática

A Dentaleader organiza no dia 24 deste mês, nas suas instalações de Lisboa, um workshop de fotografia clínica, de oito horas de duração, que será ministrado pelo médico dentista Luís Valadares, especialista em fotografia e docente universitário de Estética e FotoLuís Valadares. grafia. O objetivo desta jornada é facilitar as noções básicas de fotografia (ISO, aberturas e tempos de exposição), para além de abordar temas como objetivas e flash para macro fotografia dentária e retrato, descrição e técnicas para as tomas de imagens necessárias ao registo de um caso clínico e fotografia intraoral, entre outros.

A Orthoquick, em colaboração com a Universidade à Distância de Madrid (Espanha), tem à disposição de todos os interessados na área da Medicina Dentária um mestrado especializado em ortodontia, oclusão e cirurgia ortognática. Esta formação, que se encontra agora aberta ao público português, está vocacionada para alunos recém licenciados e outros profissionais, com mais experiência, que precisem de atualizar os seus procedimentos médicos de intervenção.

800 203 976 - claudia.ferraz@dentaleader.com

919 839 595 - sferreira@orthoquick.es - www.orthoquick.es

VÁRIOS

VÁRIOS

Aplicação clínica do avanço mandibular para o tratamento do SAHS

Curso de oclusão e odontologia restauradora e estética

A Ortocervera (Grupo CEOSA) organiza este curso personalizado, ministrado por Mónica Simón Pardell em Madrid (Espanha), para o correto enfoque terapêutico dos transtornos respiratórios obstrutivos do sono. Este curso obedece ao seguinte programa: introdução ao SAHS, protocolo diagnóstico odontológico do SAHS, tratamento do SAHS, algorritmo do tratamento do SAHS, toma de registos e individualização de parâmetros para a confeção de um dispositivo de avanço mandibular (DAM), aplicação com casos práticos e curso personalizado.

A nona e décima edições do curso de oclusão e odontologia restauradora e estética do grupo Galván-Lobo Formación, com sede em Valladolid (Espanha), iniciam-se este mês e em setembro próximo, respetivamente. Este grupo promove a investigação e o ensino multidisciplinar e integrado, utilizando metodologias inovadoras de aprendizagem. Neste curso, composto por quatro módulos e que conta com a colaboração da Dentsply Sirona, ensinam-se temas como o diagnóstico e a planificação integral, a análise funcional e estética do paciente, os tratamentos restauradores diretos e indiretos e a implantologia estética guiada protesicamente. www.galvanloboformacion.com

(0034) 915 541 029 - cursos@ortoceosa.com - www.ortocervera.com FEVEREIRO 2018

71


Congresos feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:19 Página 72

reuniões

20 1 8 64o Congresso SEDO

março-abril

De 6 a 9 de junho - Tarragona (Espanha) Sociedade Espanhola de Ortodontia e Ortopedia Dentofacial

Reunião Anual da SPI

Europerio9

2 e 3 de março - Porto Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes

De 20 a 23 de junho - Amesterdão (Holanda) Federação Europeia de Periodontologia

3o Congresso da SPDOF

setembro-outubro

De 8 a 10 de março - Santo Tirso Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial

World Dental Congress 2018

Expodental

De 5 a 8 de setembro - Buenos Aires (Argentina) FDI

De 15 a 17 de março - Madrid (Espanha) Ifema - Fenin

ICOI World Congress 2018

27a Reunião Anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra

De 27 a 29 de setembro - Las Vegas (EUA) The International Congress of Oral Implantologists

16 e 17 de março - Coimbra Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

48o Congresso Anual SEPES De 11 a 13 de outubro - Valladolid (Espanha) Sociedade Espanhola de Prótese Estomatológica e Estética

III Simpósio CEMAS 17 de março - Porto Centro de Estudos da Mundo A Sorrir

EAO 2018 De 11 a 13 de outubro - Viena (Áustria) European Association of Osseointegration

Jornadas de Medicina Dentária da Universidade do Porto 13 e 14 de abril - Porto Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto

38o Congresso Anual da SPEMD 12 e 13 de outubro - Lisboa Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária

IDEM Singapura De 13 a 15 de abril - Singapura Koelnmesse

ADA - American Dental Association Annual Meeting De 18 a 20 de outubro - Honolulu (EUA) American Dental Association

Congresso Anual da SPODF

novembro-dezembro

De 19 a 21 de abril - Viseu Sociedade Portuguesa de Ortopedia Dento-Facial

maio-junho

27o Congresso Anual da OMD De 8 a 10 de novembro - Porto Ordem dos Médicos Dentistas

Reunião Ibérica de Odontopediatria De 17 a 19 de maio - Palma de Maiorca (Espanha) Sociedade Portuguesa de Odontopediatria

AAOMS 2018 Dental Implant Conference De 29 de novembro a 1 de dezembro - Chicago (EUA) American Association of Oral & Maxillofacial Surgeons

FEVEREIRO 2018

72


Congresos feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:19 Página 73

MAXILLARIS

reuniões

Reunião anual da SPPI realiza-se em março

SPEMD celebra em Lisboa o seu 38o congresso anual

27o congresso da OMD já tem data marcada

O encontro anual da Sociedade Portuguesa de Periodontologia e Implantes (SPPI) vai realizar-se nos próximos dias 2 e 3 de março, na cidade do Porto. A reunião anual SPPI 2018 vai contar com a presença de inúmeros conferencistas nacionais e estrangeiros, entre os quais se destacam Roberto Rossi e Frank Schwarz. Haverá vários cursos hands-on com inscrições limitadas. Tal como em edições anteriores, as inscrições serão realizadas online através do site da SPPI, onde estará disponível toda a informação para a submissão de resumos de pósteres.

A Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD) agendou para os dias 12 e 13 de outubro deste ano a 38a edição do seu congresso anual. O Centro de Congressos Lagoas Park, em Oeiras, voltará a ser o cenário da edição lisboeta do encontro da SPEMD, que obedece a um regime de rotatividade entre a capital e as cidades de Coimbra e Porto. O programa científico contará com dezenas de oradores nacionais e estrangeiros e deverá atrair mais de um milhar de profissionais de todos os quadrantes da saúde oral.

O 27o congresso anual da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) está agendado para os dias 8 a 10 de novembro próximo. O recinto da Exponor, em Matosinhos, voltará a acolher a edição nortenha da principal cimeira anual da classe dos médicos dentistas. Estão já confirmados os seguintes conferencistas estrangeiros: Fouad Khoury, Dudu Medeiros, Andrea Ricci, Cheen Loo, Flávio Ferrari, Fernando Goldberg, Anton Sculean, Mauricio Araujo, Juan Blanco Carrión e Víctor Clavijo.

Universidade de Coimbra organiza reunião anual de Medicina Dentária

Congresso anual da SPDOF agendado para março

FMUP celebra jornadas de Medicina Dentária

A 27a reunião anual de Medicina Dentária e Estomatologia de Coimbra decorrerá nos dias 16 e 17 de março na Fundação Bissaya Barreto, em Coimbra, sendo uma organização da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. A comissão organizadora tem como intuito proporcionar um programa de grande diversidade temática, onde diversos conferencistas irão abordar, com elevado rigor científico, os tópicos mais relevantes da atualidade da Medicina Dentária. É esperada uma forte adesão de estudantes, médicos dentistas, estomatologistas e outros profissionais de saúde, num evento que se pretende multidisciplinar e de interesse formativo.

A Sociedade Portuguesa de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial (SPDOF) vai levar a cabo de 8 a 10 de março o seu terceiro congresso, que decorrerá em Santo Tirso, na região do Porto, e que terá como tema “O estado da arte em DTM e dor orofacial”. De acordo com a organização do encontro, já estão confirmados no programa científico vários oradores internacionais de renome, como Paulo Conti e Junia Serra-Negra (Brasil), Luca Guarda-Nardini (Itália) e Monge Gil, Carmen Benito e Henrique Posuelo (Espanha).

A 29a edição das Jornadas de Medicina Dentária da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (FMDUP) estão agendadas para os dias 13 e 14 do próximo mês de abril. O programa científico foi cuidadosamente estruturado, contemplando oradores de referência e abordando temáticas que respondem às expectativas da maioria dos estudantes. Estão igualmente previstos vários cursos práticos para os participantes, na sua maioria estudantes de Medicina Dentária, mas também docentes e profissionais no ativo das diversas vertentes da saúde oral.

www.omd.pt

www.spemd.pt

www.sppi.pt

www.spdof.pt

www.facebook.com/RAMDEC2018

FEVEREIRO 2018

73

www.facebook.com/hashtag/xxixjornadasfmdup


Congresos feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:19 Página 74

MAXILLARIS

reuniões

Porto acolhe em março terceiro simpósio CEMAS

Reunião da técnica auto-ligável regressa ao Porto este mês

Evento científico da ALDATMD celebra-se em abril

Sob o tema “Saúde oral e as doenças não transmissíveis”, o Centro de Estudos da Mundo A Sorrir (CEMAS) organiza no próximo dia 17 de março o seu terceiro simpósio, no Auditório D. Pedro IV da Santa Casa da Misericórdia do Porto. Este encontro visa proporcionar momentos de reflexão, debate e apresentação de soluções em torno de temáticas relacionadas com a saúde oral, como a saúde geral e os determinantes sociais. Esta edição conta com vários oradores de renome nas áreas da saúde, saúde oral, nutrição e desporto, nomeadamente Wagner Marcenes, Ricardo Fontes de Carvalho, Agostinho Marques, Alexandra Bento, Alcindo Maciel Barbosa e Mário Simões.

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) celebra nos dias 15 a 17 deste mês a segunda reunião de técnica auto-ligável realizada em Portugal, subordinada ao tema “Ampliando os limites terapêuticos das classes II”. O programa científico, que irá decorrer no Auditório do Centro de Investigação Médica da FMUP, conta com um painel de destacados conferencistas nacionais e estrangeiros: Ágata Carvalho, Alberto Albaladejo, Álvaro Larriu, Armando Dias Silva, Carlos Cabrera, Carlos Mota, Celestino Nobrega, David Sanz, Isabel Flores, Juan Carlos Perez Varela, Nimet Guiga, Patrícia Vergara, Paolo Manzo, Peri Colino Gallardo e Teresa Alonso.

A Associação Lusófona de Assistentes e Técnicos de Medicina Dentária (ALDATMD) vai realizar no dia 28 de abril, num hotel de Vila Nova de Gaia, um evento científico dedicado aos temas que marcam a atualidade no ámbito das funções exercidas pelos assistentes e técnicos desta área. O encontro tem já como orador confirmado o médico dentista e formador Carlos Miguel Marto, que abordará o tema “Urgências na clínica médica-dentária: o papel do assistente dentário”. Esta iniciativa da ALDATMD, como única entidade que representa os assistentes e técnicos de Medicina Dentária em Portugal, visa promover a melhoria do desempenho destes profissionais.

simposio@mundoasorrir.org

congressoortodontiafmup.med.up.pt

geral@aldatmd.pt

Biblioteca Multimédia

35unid€ade

cada

Faça o seu pedido através do tel.: 218 874 085 ou no nosso site: www.maxillaris.com.pt

Em l espanho


Congresos feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:19 Página 75

MAXILLARIS

reuniões

Próxima cimeira da SPODF agendada para abril

Reunião ibérica de odontopediatria

Valladolid acolhe reunião anual da SEPES

O próximo congresso anual da Sociedade Portuguesa de Ortopedia Dento-Facial (SPODF) terá lugar em Viseu, entre os dias 19 e 21 de abril. Esta edição terá como principal orador Chris Chang, o ortodontista atualmente mais requisitado a nível mundial para lecionar palestras e cursos, sendo esta a primeira vez que visita Portugal. O seu foco mais recente tem sido o tratamento ortodôntico combinado com mini-implantes. Chris Chang orientará o curso pré-congresso (19 de abril) e proferirá uma longa palestra no dia de abertura do encontro (20 de abril). A cimeira da SPODF será uma excelente oportunidade para os profissionais do setor atualizarem os seus conhecimentos.

A Sociedade Espanhola de Odontopediatria (SEOP) celebrará a sua 40a reunião anual no Palácio de Congressos de Palma de Maiorca (Espanha), de 17 a 19 de maio. Este encontro reunirá um importante número de médicos dentistas, higienistas, pediatras e representantes da indústria do setor. Coincidem neste mesmo recinto de congressos, e sob o mesmo programa, a reunião anual da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria (SPOP), presidida por Luís Pedro Ferreira, e a terceira reunião ibérica de odontopediatria.

A 48a reunião anual da Sociedade Espanhola de Prótese Estomatológica (SEPES) vai ter lugar entre os dias 11 e 13 do próximo mês de outubro, na cidade de Valladolid (Espanha). Para satisfazer o interesse dos profissionais do setor a organização do evento preparou um programa científico que permita aos participantes atualizar os seus conhecimentos científicos e interagir com a indústria, tendo ainda tempo para cultivar as relações pessoais com os colegas e amigos e desfrutar da oferta cultural da referida cidade. Entre os oradores da reunião contam-se Angelo Putignano, Williams Robins, José Rábago, Dean Kois e John Kois.

www.odontologiapediatrica.com

www.sepes.org

www.spodf.pt

IDEM regressa a Singapura no próximo mês de abril

Cimeira anual da EAO vai ter lugar na Áustria

EPA celebra cimeira na Universidade Complutense de Madrid

A próxima edição da exposição IDEM Singapura, que é considerada a mais importante do setor dentário da região da Ásia-Pacífico, está marcada para os próximos dias 13 a 15 de abril, no recinto de exposições (Suntec) da referida cidade-Estado. A organização do evento antecipa um aumento da área de exposição em mais de 2.000 metros quadrados. Até à data, mais de 80 por cento do espaço foi reservado por pavilhões internacionais, fabricantes e distribuidores de todo o mundo. Além dos principais representantes da indústria dentária, estarão em Singapura alguns dos conferencistas mais renomados à escala mundial.

O próximo congresso anual da European Association of Osseointegration (EAO) vai decorrer entre os dias 11 e 13 do próximo mês de outubro, em Viena (Áustria). O programa do principal encontro europeu dedicado à osteointegração contará com o contributo de especialistas dos quatro cantos do mundo, que farão uma atualização dos temas dominantes nesta área. Como é habitual, os representantes da indústria dentária aproveitarão a cimeira da EAO para exibirem as últimas novidades em matéria de produtos e serviços.

A European Prosthodontic Association (EPA) celebrará a sua reunião anual na Faculdade de Medicina da Universidade Complutense de Madrid (Espanha), sob a presidência de Guillermo Pradíes, que recentemente foi nomeado máximo responsável desta sociedade científica internacional. Este encontro organiza-se em colaboração com a SEPES, que intervirá como entidade local. Durante a cimeira de Madrid, abordar-se-ão desde uma perspetiva clínica todos os avanços relacionados com o âmbito da prótese, dedicando a organização uma especial atenção às inovações da tecnologia digital.

www.eao.org

www.epadental.org

www.idem-singapore.com

FEVEREIRO 2018

75


Congresos feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:19 Página 76

MAXILLARIS

reuniões

Expodental regressa a Madrid no próximo mês de março

Amesterdão é a cidade anfitriã da nona edição do Europerio

Oral Reconstruction Global Symposium

A feira de Madrid (Ifema) e a Federação Espanhola de Empresas de Tecnologia Sanitária (Fenin) ultimam a próxima edição da Expodental, que se celebrará de 15 a 17 de março, na capital de Espanha. Este grande encontro da indústria dentária ibérica e mundial reuniu na sua última edição, celebrada em 2016, a maior representação setorial do seu percurso graças à participação de 325 empresas e 612 marcas de 34 países. O certame de Madrid registou também um incremento de 12% no seu volume de visitantes, com a assistência de mais de 30.000 profissionais.

Amesterdão (Holanda) será a cidade antiftriã da nona edição do congresso Europerio, agendada para os dias 20 a 23 de junho, sob a égide da Federação Europeia de Periodontologia (EFP, na sigla em inglês). O principal evento internacional dedicado à área da periodontologia, que se realiza de três em três anos, reunirá na capital holandesa largas dezenas de conferencistas de vários pontos do mundo, que farão uma atualização das técnicas e dos tratamentos mais inovadores neste domínio da Medicina Dentária. Por seu lado, os representantes da indústria apresentarão, numa ampla área de exposição, as últimas novidades em matéria de produtos e serviços dentários.

A Oral Reconstruction Foundation (antiga Camlog Foundation) celebrará o seu próximo simpósio mundial de reconstrução oral de 26 a 28 de abril, em Roterdão (Holanda). Sob o lema "O futuro da arte da odontologia implantária", a reunião oferecerá aos participantes uma visão da implantologia com sessões completamente dedicadas ao fluxo de trabalho digital e aos implantes cerâmicos. Também se apresentarão inovações científicas e práticas adicionais sobre conceitos cirúrgicos e protésicos. Conferencistas de renome internacional utilizarão exercícios teóricos e práticos para ensinar temas como a planificação 3D, o fluxo de trabalho digital e conceitos para o tratamento de complicações periimplantárias, entre outros.

expodental@ifema.es

www.efp.org/europerio

https://orfoundation.org/

Décimo congresso internacional de atualização em implantología

Congresso da SECIB realiza-se em Palma de Maiorca

Croácia acolherá o próximo simpósio da BioHorizons

Nos dias 16 e 17deste mês, a Ticare celebrará o seu décimo congresso de atualização em implantologia, no Palácio Municipal de Congressos de Madrid (Espanha). Entre os oradores do encontro figuram Mariano Sanz, Carlos Navarro, Juan Blanco, Andrea Mombelli, Marco Esposito, Rui Figueiredo, Fernando Rojas Vizcaya, Florencio Monje, Jon Gurrea e Alberto Salgado, entre outros. Uma novidade relativamente a edições anteriores é o debate sobre “Marketing e Medicina Dentária”, no qual participarão Raúl Pascual Campanario e Alberto Manzano, junto com David Cuadrado, da consultora Viventia.

Nos dias 15 a 17 do próximo mês de novembro vai ter lugar no Palácio de Congressos de Palma de Maiorca (Espanha), o XVI Congresso da Sociedade Espanhola de Cirurgia Bucal (SECIB). O encontro, presidido pela médica dentista espanhola Catalina Jaume Riera, contempla uma série de conferências sobre cirurgia oral, implantologia, regeneração óssea e medicina e patologia oral. Também está programada uma sessão clínica sobre patologia oral.

A BioHorizons realizará de 17 a 19 de maio o seu próximo International Symposium Series, em Dubrovnik (Croácia). As sessões formativas realizar-se-ão apenas no período da manhã, para que os assistentes possam desfrutar desta bela cidade croata. As conferências baseiam-se em três áreas principais: cirurgia (dia 17), com as intervenções de Tiziano Testori (Itália), Francisco Marchesani (Chile) e Pynadath George (Reino Unido); odontologia regenerativa (dia 18), com Bach Le (EUA), Ramón Gómez Meda (Espanha), Alain Romanos (Líbano) e Luca Gobbato (Itália), e restauração (dia 19), com Natalie Wong (Canadá), Gaetano Calesini (Itália), Martijn Moolenaar (Holanda) e Carlos Repullo (Espanha).

www.secibonline.com

www.ticareimplants.com

www.biohorizons.com

FEVEREIRO 2018

76


Maquetas publis copia.indd 1

31/1/18 11:53


Novedades nov PT-cópia copia.qxp_Maquetación 1 5/2/18 15:21 Página 78

novidades

Laser de diodo Denlase

Programat EP 3010 e EP 5010 com nova função FPF

224 152 279 - geral@douromed.com - www.douromed.com

(0034) 913 757 820 - www.ivoclarvivadent.es

O Denlase é um laser de diodo, compacto e portátil, indicado para diversos tratamentos de endodontia, cirurgia, periodontia, branqueamento, entre outros. A sua potência de 7W torna possível lidar com praticamente todos os tratamentos nos tecidos moles. Possui um ecrã tátil colorido e intuitivo, 16 programas de tratamento pré-configurados e cinco livremente programáveis pelo utilizador, uma peça de mão ergonómica e leve, e um sistema de segurança evoluído. O Denlase é um equipamento completo, que traz ao profissional vantagens em diversos tratamentos.

A Ivoclar Vivadent levou a cabo uma atualização nos fornos Programat EP 3010 e EP 5010 com uma nova função de injeção totalmente automatizada (FPF), que permite injetar as restaurações IPS e.max Press bastando para tal acionar um botão. O utilizador só terá de colocar o cilindro de revestimento no forno de injeção e pressionar o botão de início. O forno faz o resto: seleciona o programa, aquece automaticamente a câmara de injeção à temperatura correta e injeta a cerâmica fluida no cilindro de revestimento no momento adequado. A melhoria de resultados de injeção aumenta quando a técnica de FPF se utiliza combinada com o novo material de revestimento IPS PressVest Premium. Os fornos Programat EP 3010 e EP 5010 incorporam esta função desde maio de 2017. Os utilizadores de unidades comercializadas anteriormente podem atualizar o software de forma gratuita.

FEVEREIRO 2018

78


Novedades nov PT-cópia copia.qxp_Maquetación 1 6/2/18 15:58 Página 79

M AXILLARIS

Novidades

Dentsply Sirona Hub

Transepiteliais BioBlock

www.dentsplysirona.com

bti-biotechnologyinstitute.com/pt

O futuro da consulta de Medicina Dentária é digital. Neste sentido, apresenta-se agora outro pilar importante com Dentsply Sirona Hub. Este inovador produto de hardware simplifica de forma notável a dinâmica de trabalho de CEREC: os dados CAD-CAM estão disponíveis de forma automática em todos os postos de trabalho CEREC que existem na rede. Para isso, os dados não só estão fortemente cifrados, como também protegidos por duplicado frente a uma perda, mediante uma cópia de segurança. Além disso, é possível partilhar os dados do paciente com o software radiológico Sidexis.

Mediante o uso dos transepiteliais UNIT, de BTI, podem conseguir-se as vantagens do conceito BioBlock também em restaurações unitárias, nomeadamente a criação de uma interface implante-prótese com garantia de hermetismo, evitando a invasão bacteriana, uma boa união biológica entre o tecido mole e o componente protésico através da superfície Ti Golden, bem como a diminuição da tensão no implante no momento de tomar as impressões e realizar provas de prótese. Outra vantagem deste conceito é a reversibilidade da prótese aparafusada com a possibilidade de modificar a altura do transepitelial quando seja necessário. BioBlock é a decisão clínica mais indicada para a prevenção da periimplantite e para o sucesso dos tratamentos implantológicos.

Visite-nos no recinto da

EXPODENTAL

STAND 5A03 Para mais informação: +34 934 25 30 40 comercial@bienair.com www.bienair.com

Ifema, Madrid 15-17 de março

FEVEREIRO 2018

79


Pag emp feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 9:42 Página 80

Indústria

Ivoclar Vivadent tem novos representantes de vendas

DGSHAPE apresenta soluções na Expodental

A Ivoclar Vivadent, com a intenção de oferecer um melhor serviço e uma atenção mais personalizada, ampliou a equipa da sua rede de vendas para a zona Este de Espanha (Levante), com a contratação de Sonia Ocaña e Rafael Sánchez. Sonia Ocaña passará a dar apoio à grande equipa já formada naquela região espanhola na área das clínicas dentárias e Rafael SánRafael Sánchez. chez no setor dos laboratórios. Para isso, os dois novos comerciais estão a frequentar uma completa formação tanto nas instalações da empresa em Madrid como em distintos pontos do país vizinho.

DGSHAPE By Roland, marca especializada em tecnologias de fresagem dentária, estará na Expodental (stand 7A11) que se realiza de 15 a 17 de março, em Madrid (Espanha), onde exibirá a sua tecnologia mais inovadora para a produção de próteses dentárias, nomeadamente as suas soluções para laboratórios de pequena e média dimensão que utilizam o sistema O equipamento DWX-52DC. CAD-CAM para a elaboração de próteses. A empresa apresentará no certame, entre outras novidades, o equipamento DWX-52DC, de cinco eixos com câmbio automático de discos, desenhado para a fresagem automatizada (24 horas por dia). www.rolanddgi.com

sonia.ocana@ivoclarvivadent.com - rafael.sanchez@ivoclarvivadent.com

Dentsply Sirona Implants presente na cimeira da SCOI

Malo Clinic reforça estratégia digital

A Dentsply Sirona Implants estará presente no quinto congresso internacional da Sociedade Espanhola de Odontologia Implantológica (SCOI), que se celebra em Bilbau (Espanha), de 22 a 24 deste mês. A empresa tem como orador convidado Hugo de Bruyn, que abrirá o programa científico com a conferência “Long-term success for the implant Hugo de Bruyn. patient: appropriate treatment planning, maintenance and patient compliance”. A Dentsply Sirona Implants estará instalada no stand no 8 da exposição comercial com novidades e promoções para todos os visitantes.

A Malo Clinic acaba de lançar o novo site com uma imagem mais atrativa e funcionalidades acrescidas que permitem uma navegação mais rápida e intuitiva oferecendo a todos os utilizadores uma página eletrónica mais interativa. O site inclui novos conteúdos, com um desenho atual, que possibilita o acesso através de qualquer dispositivo, e substanciais melhorias ao nível da utilização, proporcionando as todos os utilizadores uma consulta de informação mais eficaz e uma navegação imediata refletindo a inovação, o dinamismo e o compromisso da Malo Clinic com os seus pacientes, parceiros e colaboradores. O site está disponível em português e em inglês e inclui os contactos de todas as Malo Clinic no mundo, bem como os rostos das equipas nacionais e internacionais da marca. www.maloclinics.com

www.dentsplysirona.com

FEVEREIRO 2018

80


Pag emp feb PT.qxp_Maquetación 1 5/2/18 9:42 Página 81

MAXILLARIS

indústria

GMI celebra em Málaga a sexta edição do seu torneio de golfe

Sporting acolhe iniciativa em prol da higiene oral

A GMI celebrou no passado dia 25 de novembro a sexta edição do seu torneio de golfe, no Real Club de Campo de Málaga (Espanha), em que participou um grande número de médicos dentistas do país vizinho. Em cada edição deste torneio vão aderindo mais profissionais, “e o que nasceu como um sonho vai-se tornando cada vez mais real ano após ano, sendo hoje esta iniciativa um evento Participantes no torneio de golfe. obrigatório”, explica a empresa organizadora. A GMI informa que já está a preparar a próxima edição do torneio de golfe e que em breve dará a conhecer os pormenores.

A ação de sensibilização para a saúde e higiene oral que decorreu no passado dia 16 de janeiro na Academia do Sporting, em Alcochete, reuniu cerca de 50 atletas residentes e alguns elementos da equipa técnica. Orientados por Rosa Carvalho, higienista da A sessão foi orientada pela Malo Clinic Lisboa, os atletas das camadas higienista oral Rosa Carvalho. jovens, com idades entre os 12 e os 18 anos, tiveram a oportunidade de perceber a importância de uma boa higiene para a preservação da saúde oral. Foi também abordado o modo como os problemas relacionados com a dentição podem ter consequências a outros níveis, comprometendo neste caso o desempenho desportivo.

Ticare apresenta programa Training and Education 2018

Sistema BTI UnicCa distinguido com selo Clean Implant Foundation

O programa Ticare Training and Education 2018, especialmente dirigido a profissionais do setor dentário, reforça a sua oferta formativa. Especialistas de reconhecido prestígio, que exercem em diferentes universidades espanholas, assumirão as atividades docentes. Trata-se de uma oferta variada de temáticas, que abrange a principal procura formativa da atualidade. Concretamente nos meses de maio e novembro, junto com a Universidade de Sevilha, realizar-se-á o curso sobre “Tratamentos avançados em implanto-prótese”. Por outro lado, reforçam-se as estâncias clínicas de periodontia. Com o fim de difundir as novas ferramentas e estratégias do marketing atual, também estão programados, para os meses de maio a outubro, cursos de gestão e marketing dentário.

O sistema de implantes UnicCa do Biotechnology Institute (BTI) foi o primeiro a nível mundial a receber o selo Clean Implant Foundation que certifica a pureza da superfície dos implantes dentários da marca espanhola. A Clean Implant Foundation é um organismo independente que, em cooperação com a Universidade de Colónia e o Charité University Medicine de Berlim (Alemanha), analisa a qualidade dos materiais que compõem os implantes dentários, com o objetivo de detetar os implantes que apresentam uma maior pureza na sua superfície. Este selo assegura que os implantes UnicCa obedecem aos mais exigentes standards de pureza e limpeza.

www.gmi.pt

www.maloclinics.com

www.cleanimplant.com

www.ticareimplants.com

Bien-Air exibe na Expodental a nova turbina TornadoS

Ivoclar Vivadent ultima presença no certame de Madrid A Ivoclar Vivadent prepara os pormenores para o evento mais importante do setor dentário em Espanha: a Expodental, que se celebra de 15 a 17 de março, em Madrid. Com um stand (D04) de 200 m2, localizado no pavilhão 3 do recinto de feiras de Madrid (Ifema), a Ivoclar Vivadent enfrenta mais uma edição do certame com o máximo entusiasmo, já que contará com uma nova gama de materiais para clínica e laboratório. Descubra as novidades e deixe-se aconselhar pela equipa da Ivoclar Vivadent, e beneficie de ofertas e promoções especiais disponíveis no stand da empresa.

A turbina TornadoS estará em destaque no stand da Bien-Air.

www.ivoclarvivadent.com

FEVEREIRO 2018

81

Com a sua cabeça pequena e a sua excecional potência, a turbina TornadoS é a mais recente produção técnica da Bien-Air Dental. Os visitantes da Expodental, que se realiza em Madrid (Espanha) de 15 a 17 de março, poderão experimentá-la, junto a outros produtos da Bien-Air, no stand 5D02, onde estarão também à disposição uma vasta gama de promoções, descontos, programas de testes gratuitos, um serviço VIP de pós-venda e outro de reparação para os clientes que se inscreverem neste apartado, através do site da Bien-Air. www.club-bienair.com


Maxillaris Normas_Maquetación 1 06/04/16 13:32 Página 1

Publique o seu artigo na MAXILLARIS

Regras de publicação dos artigos científicos: • Os artigos não podem ter sido editados em outra publicação. • O texto deve ser enviado em formato word (CD ou correio eletrónico). • O conteúdo não deve ser publicitário (não admitimos comparações entre produtos nem trabalhos destinados a exaltar as características de marcas comerciais), ainda que possam constar nomes de produtos ou aparelhos utilizados no decorrer do trabalho. • O artigo deve estar estruturado, no mínimo, em: introdução, desenvolvimento, conclusões e bibliografia. • A bibliografia deverá ser organizada respeitando a ordem em que for apresentada no texto (quando a ela se faça referência) ou por ordem alfabética, e indicada da seguinte maneira: Silverman E, Cohen M. The Twenty minute full strip up. J Clin Orthod. 1976; 10: 764. • Fotografias em formato jpg ou tif, escaneadas a 250/300 pixéis por polegada, com dimensões mínimas de 9 cm de largura. Caso não seja possível, poderão enviar-se os originais para ser escaneados na nossa redação. • Foto do primeiro autor (meio corpo ou corpo inteiro, de modo a poder ser recortada). • Nome, apelidos e titulação de todos os autores. • Correio eletrónico do autor, ao qual enviaremos a maqueta para revisão antes da publicação.

portugal@maxillaris.com Rua Francisco Sanches, 122, 2º. 1170-144 Lisboa. Tel./Fax: 218 874 085

Nota: após receção do artigo, este será enviado à nossa Comissão Científica para aprovação.


Maquetas publis copia.indd 1

5/2/18 15:06


Maquetas publis copia.indd 1

12/1/18 13:28

Revista MAXILLARIS Portugal Fevererio  

Revista MAXILLARIS Portugal Fevererio

Revista MAXILLARIS Portugal Fevererio  

Revista MAXILLARIS Portugal Fevererio

Advertisement