Issuu on Google+

PORTADA FINAL.qxp

25/10/10

16:15

Página 1

MAXILLARIS edição portuguesa

Actualidade do sector dentário • ano VI • no 31 • Novembro-Dezembro 2010

MAXILLARIS 2 . 0 • Estreamos este mês uma nova web interactiva

Editorial • M AXILLARIS a p o s t a na renovação de acordo com os novos tempos

Congresso da OMD • Informações gerais • Lista de expositores • Mapa da Expo-Dentária

Falamos com... • J o ã o C a r l o s R o q u e, presidente d a Associação Portuguesa de Técnicos de Prótese Dentária • F á t i m a D u a r t e, presidente d a Associação Portuguesa de Higienistas Orais

Novembro-Dezembro10


publi

15/12/09

16:12

Pรกgina 1


Indice novo.qxp

25/10/10

16:37

Página 3

MAXILLARIS Actualidade profissional e industrial do sector dentário. Ano VI, nº 31, Novembro-Dezembro 10

Índice de anunciantes Bambach . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72

Klockner . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 e 35

Bien-Air . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 e 68

Lab. Europeo de Ortodoncia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

Bredent. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57

Laboratorios Inibsa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71

BTI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18 e 19

Migros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2

Colgate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45

Neodent . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

Defcon Tissue Care . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

Nobel Biocare . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43

Dentina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84

OMD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73 e 75

Dentsply Friadent. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61

Oral B. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59

Directa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 e 39

PDS/POS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67

Dürr Dental . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

Ravagnani Dental . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 e 13

Eckermann . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83

Simesp . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49

Fedesa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17

Sinusmax. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24 e 27

Hu-Friedy . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

Sorriso Natural. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70

Implant Microdent System. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

Straumann . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51

Implant Brazil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69

Voco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28, 29, 52 e 53

Instituto Casan. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66 Instituto Neofacial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65

Encartes: • Clínica Aparicio

King Dental. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79

Proprietário: Cyan Editores, S.L. Editores: - Marisol Martín. marisol.martin@maxillaris.com - José Antonio Moyano. moyano@maxillaris.com Director: Miguel Ángel Cañizares. canizares@maxillaris.com Subdirector: Julián Delgado. julian.delgado@maxillaris.com Chefe Divisão Multimédia Roberto San Miguel. webmaster@maxillaris.com

Responsável Portugal: João de Matos Drago. portugal@maxillaris.com Publicidade Portugal: comercialportugal@maxillaris.com Responsável Publicidade: Verónica Chichón. publicidad@maxillaris.com Chefe Departamento Gráfico: M. Ángeles Barrero. maquetacion@maxillaris.com Serviços Administrativos: María Santos. administracion@maxillaris.com

Colaboradores: João dos Santos Gilberto Ferreira Valéria Baptista Ferreira Nuria Mauleón

Impressão: GRÁFICAS JOMAGAR, S.L. C/ Moraleja de Enmedio, 16 Polígono 1 - 28938 Móstoles Madrid - Espanha

REDACÇÃO: P o r t u g a l : Largo Alberto Sampaio, 3 A. 2795-007 Linda-A-Velha (Lisboa). Tel.: 707 503 328 Fax: 214 146 219 E s p a n h a : Clara del Rey, 30 bajo. E-28002 Madrid Tel.: 917 255 245

Assinatura anual: Portugal 35 €, resto 80 €.

Depósito Legal: M-44.552-2005

Tiragem: 6.100 exemplares • Periodicidade bimestral. • MAXILLARIS não se responsabiliza pelas opiniões manifestadas pelos seus colaboradores. • Proibida a sua reprodução total ou parcial em outras publicações sem a autorização expressa e por escrito de CYAN EDITORES, S.L.

MAXILLARIS, Novembro 2010

3


SumarioNew.qxp

25/10/10

13:07

Página 8

Sumário

Novembro-Dezembro 2010

Maxillaris 2.0 5

MAXILLARIS estreia a sua nova web 2.0.

Editorial 6

MAXILLARIS aposta na renovação de acordo com os novos tempos.

Congresso da OMD 8

Informações gerais, lista de expositores e mapa da Expo-Dentária.

Prémio Maxillaris 14

Cerimónia em Gaia formalizou entrega dos prémios ao Melhor Artigo Científico.

Crónica de Novembro 20

Futura presidência portuguesa da FDI atribui à comunicação um papel estratégico.

22

EAO estreou nova “cara” no congresso de Glasgow.

Falamos com... 30

João Carlos Roque, presidente da Associação Portuguesa de Técnicos de Prótese Dentária: “O avanço tecnológico na área da prótese dentária exige de nós uma actualização constante”.

36

Fátima Duarte, presidente da Associação Portuguesa de Higienistas Orais: “O nosso maior desafio é conquistar o reconhecimento dos outros profissionais de saúde oral”.

Ciência e prática 40

Luís Loureiro: “Casos complexos de atrofias ósseas: propostas actuais para a sua resolução a propósito de um caso clínico”.

Dossier 54

Avi Reyhanian: “O uso de Érbio Ítrio Granada Alumínio (2.940 nm) em cirurgias periodontais com laser”.

Calendário de cursos 64

Agenda de cursos para os profissionais.

Congressos e reuniões 70

Calendário de congressos, simpósios, reuniões, encontros e exposições industriais nacionais e estrangeiras.

Novidades da indústria 72

Produtos e equipamentos.

Página empresarial 79

Notícias de empresas.

Breves 82

Oferta e pedidos de emprego, produtos e imóveis.

Comissão Científica Director científico: Javier García Fernández PORTUGAL: Ana Cristina Mano Azul, Carlos Falcão, Gil Alcoforado, Jaime Guimarães, José Pedro Figueiredo, Manuel Neves, Ricardo Faria e Almeida, Susana Noronha. ESPANHA: Blas Noguerol Rodríguez, Germán Esparza Gómez, Javier Sanz Serrulla, Jaume Janer Suñé, Juan López Palafox, Manuel Cueto Suárez, Ramón Palomero Rodríguez.

4

MAXILLARIS, Novembro 2010


nuevaweb copia.qxp

25/10/10

13:02

Página 2

2.0 Inclui informação multimédia, fóruns, bem como mini-webs para os profissionais do sector

MAXILLARIS

estreia a sua nova web 2.0

MAXILLARIS converte-se num meio de comunicação global com o lançamento da nova web MAXILLARIS 2.0. Esta iniciativa surge em paralelo com outras inovações já existentes, tais como a loja virtual, o canal MAXILLARIS TV, os bolhetins comerciais ou a adesão às redes sociales. A web MAXILLARIS 2.0 engloba todos estes projectos e, além disso, integra a nova ferramienta MAXIFACE, com a qual cada profissional poderá ter a sua própria mini-web, com o seu perfil aberto ao resto do sector ou ao público em geral.

A este projecto dedicámos um grande esforço, muito entusiasmo e um forte investimento. O resultado é uma web moderna, interactiva e com ferramentas novas, que certamente serão do interesse de todos os profissionais. Para tornar realidade este projecto, contámos com a colaboração de uma das empresas mais potentes e experientes em desenvolvimento web 2.0. Um dos principais trunfos da nova web da MAXILLARIS é arrancar com uma base de mais de 2.500 endereços electrónicos. O correio electrónico de cada um dos nossos assinantes será a chave que abrirá todas as portas a esta web. Integrámos a última tecnologia para fazer do nosso espaço na internet o complemento ideal à revista impressa. A web será actualizada regularmente com notícias do sector e videos de interesse e permitirá o acesso a todos os artigos científicos publicados na versão em papel. A claridade e a concretização são duas qualidades básicas da internet, daí que a nossa web gire en torno de três grandes blocos: N O T Í C I A S : espaço em que se incluem as informações das nossas secções de Crónica, Calendário de cursos, Congressos y reuniões, Novidades da indústria e Página empresarial. F Ó R U M C I E N T Í F I C O : secção que incorpora todos os artigos científicos publicados em Ciência e prática e no resto das secções dedicadas aos aspectos clínicos. M A X I L L A R I S T V : este é o verdadeiro YouTube Dental. Através deste canal, todos os profissionais poderão partilhar os seus videos de casos clínicos. Além destes blocos, na web também se poderão encontrar entrevistas, reportagens e fóruns de participação, canalizados através da rede social Facebook. Como web 2.0, todo o conteúdo da mesma está aberto aos comentários dos internautas. Somos um meio de comunicação global, vivemos da e para a informação, mas se algo diferencia a MAXILLARIS é a sua vocação de apoio ao profissional.

Assim, para os utilizadores registados, lançamos uma iniciativa inédita que permite a criação de uma mini-web a modo de perfil, pessoal ou profissional, dentro de Maxillaris.com. Através de MAXIFACE, todos os profissionais poderão estar en contacto e localizar-se segundo diferentes critérios de pesquisa, tais como localidade ou especialidade. Sempre com o consentimento do profissional, tornaremos visíveis os diferentes perfis ao público em geral. Deste modo, através da ferramenta Google Maps, conseguiremos que qualquier potencial paciente localize os profissionais que mais lhe interessem com um simples click.

MAXILLARIS, Novembro 2010

5


Editorial.qxp

22/10/10

12:51

Página 6

Editorial

MAXILLARIS aposta na renovação de acordo com os A nossa editora, sem estridências, colocou-se no topo da comunicação dentária em Espanha e Portugal

Os tempos mudam e os media transformam-se, pelo que decidimos converter-nos em um veículo de comunicação global

6

MAXILLARIS, Novembro 2010

novos tempos Desde o início da publicação da MAXILLARIS – cuja edição portuguesa cumpre este mês o seu 5 º a n i v e r s á r i o –, quisemos pôr à disposição da classe e da indústria dentária um meio ágil e moderno, realizado por profissionais experientes. Hoje, podemos dizer que estamos muito satisfeitos com o resultado obtido ao longo de todos estes anos. É evidente que a nossa busca permanente pela inovação marcou tendências e criou um estilo próprio; algo facilmente comprovável observando o caminho por outros escolhido. A nossa editora, sem estridências, colocou-se no topo da comunicação dentária em Espanha e Portugal. Criámos e lançámos diferentes e bem sucedidos produtos: uma edição integralmente p o r t u g u e s a, que chega hoje (cada dois meses) a mais de 6.000 médicos dentistas; a única ferramenta de consulta sobre implantes (“Anuario Español de Implantes Dentales” da MAXILLARIS), que já vai na quarta edição; também apostámos, desde há dois anos, na edição de conteúdos multimédia, que resultou no sucesso de vendas sem precedentes dos três D V D ’ s que temos editados sobre Periodontia, Implantologia (de Javier García Fernández) e Cirurgia Oral (de Jaime Baladrón Romero). Tudo isto nos motiva a prosseguir o caminho que traçámos desde o início. Nesta edição, damos mais um passo oferecendo um meio com renovado e moderno grafismo, pautado pela simplicidade e comodidade para o leitor. Os tempos mudam e os meios transformam-se, pelo que decidimos converter-nos em um

veículo de comunicação global. Daí todas as inovações que temos vindo a promover, nos últimos meses, no domínio da internet e que pretendemos ampliar proximamente. Como exemplo destes avanços, destacamos a nossa adaptação a uma web 2.0, a l o j a v i r t u a l, as nossas publicações online, o canal M A X I L L A R I S T V no youtube e a nossa forte integração nas redes sociais. Por outro lado, oferecemos aos nossos leitores boletins informativos digitais e à industria as últimas técnicas de e-marketing através das nossas n e w s l e t t e r s. Estas ferramentas são um complemento idóneo da origem de tudo: a nossa versão impressa. E terão resultados benéficos tanto para os profissionais como para a indústria. Equipa de profissionais Estes processos são acompanhados por mudanças na nossa equipa que, sem dúvida, representam un passo em frente na nossa motivação para continuar a desenvolver o que foi sempre o nosso propósito: um grande fórum de comunicação, a todos os níveis, nos dois países em que estamos presentes. Marisol Martín e José Antonio Moyano, actuais directores das publicações e proprietários e únicos accionistas da editora, passam a ser editores e administradores das mesmas. Miguel Ángel Cañizares, o nosso mais antigo companheiro nesta aventura, que vinha a desempenhar os cargos de director gerente da editora e director comercial da MAXILLARIS,


Editorial.qxp

22/10/10

Julián Delgado

12:51

Verónica Chichón

Página 7

Roberto San Miguel

passa a ser o novo director das nossas publicações. A grande experiência que acumula, aliada ao seu carácter e à sua cumplicidade com este projecto, constituem a melhor razão para que ocupe este cargo. Julián Delgado, actual chefe de redacção das publicações, que soma já vários anos de exercício de jornalismo dentário dentro da MAXILLARIS, de forma exemplar, passará a ser subdirector das mesmas. O actual responsável da edição portuguesa, João Drago, reforça o seu envolvimento em todos os nossos produtos e passa a ser o novo redactor-chefe de ambas as revistas. Por último, Roberto San Miguel, profissional inovador e especialista em Internet – por sinal, a nossa mais recente incorporação –, assume o cargo de chefe da Divisão Multimédia. Naturalmente que o resto do nosso pessoal – Verónica Chichón (responsável de Publici-

M. Ángeles Barrero

Miguel Ángel Cañizares

María Santos

dade), María Ángeles Barrero (chefe do Departamento Gráfico) e María Santos (Serviços Administrativos) –, bem como os nossos colaboradores e correspondentes em Portugal, continuam implicados, com a sua atitude positiva, no novo e ambicioso projecto editorial. Resta-nos manifestar o nosso reconhecimento e agradecimento ao doctor Javier García Fernández, director científico da MAXILLARIS, pelo seu excelente trabalho e a todos os membros da nossa Comissão Científica, tanto da publicação portuguesa como da espanhola. Estamos seguros do bom acolhimento que terão estes novos desafios. Sempre contámos com a fidelidade dos nossos leitores e com a confiança da indústria dentária, cujo esforço por estar ao nosso lado temos constatado inclusive nos actuais tempos de crise económica. Por tudo isto, aqui fica o nosso mais sincero agradecimento.

João Drago

Marisol Martín

José Antonio Moyano

Sempre contámos com a fidelidade dos nossos leitores e com a confiança da indústria dentária

Editores: Marisol Martín

José Antonio Moyano

Director: Miguel Ángel Cañizares Subdirector: Julián Delgado

Chefe de Divisão Multimédia: Roberto San Miguel

Redactor-Chefe (Responsável Portugal): João Drago

Responsável de Publicidade: Verónica Chichón

Chefe do Depto. Gráfico: M. Ángeles Barrero

Serviços Administrativos: María Santos

MAXILLARIS, Novembro 2010

7


Planta OMD10.qxp

22/10/10

13:16

Página 8

Congresso da OMD XIX Congresso da Ordem dos Médicos Dentistas

Fórum inédito reforça laços com Espanha O encontro anual dos profissionais de medicina dentária está de regresso ao norte do país. A XIX edição do congresso da Ordem dos Médicos Dentistas tem encontro marcado no Europarque, em Santa Maria da Feira, entre os dias 11 e 13 deste mês. O programa deste ano traz novidades no plano científico, nomeadamente a realização do primeiro Fórum Ibérico, e prevê um reforço da participação internacional na Expo-Dentária, cuja área de exposição, de resto, já se encontra completamente preenchida por um total de 92 empresas.

8

MAXILLARIS, Novembro 2010

Expo-Dentária passa a contar com espaço destinado a apresentações comerciais.


Planta OMD10.qxp

22/10/10

13:16

Página 9

Congresso da OMD O congresso anual da classe dos médicos dentistas regressa ao Europarque, em Santa Maria da Feira, entre os dias 11 e 13 de Novembro, com novidades no programa científico e reforçadas expectativas quanto ao habitual certame da indústria – Expo-Dentária – abrangido pelo evento organizado pela Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) . Durante a XIX edição do congresso, os profissionais portugueses e espanhóis vão reforçar laços ao abrigo do inédito Fórum Ibérico incluído no programa científico deste ano – dedicado ao tema “Tratamento de casos interdisciplinares” – em que participarão oito conferencistas nacionais e outros oito em representação de cuatro sociedades científicas do país vizinho: Periodontia e Osteointegração (SEPA), Ortodontia (SEDO), Cirurgia Oral (SECIB) e Prótese Estomatológica (SEPES). A iniciativa luso-espanhola vem ao encontro da estratégia da OMD no sentido de aumentar cada vez mais a presença de profissionais espanhóis no congresso e incrementar a participação dos portugueses nos eventos organizados pelas sociedades científicas de Espanha. À margem do Fórum Ibérico (agendado para o segundo dia do congresso), o programa científico da OMD conta ainda com a participação de outros dois especialistas espanhóis, bem como de conferencistas provenientes de países como o Brasil, Itália, Israel,Venezuela, Dinamarca, Noruega e Suíça. As sessões científicas também contam com um significativo leque de oradores nacionais – em número superior às três dezenas – especializados em temas como a prótese fixa, a endodontia, a odontopediatria, a dentisteria, a medicina e patologia oral ou a prótese total. De resto, tal como nas anteriores edições do evento, o programa de 2010 engloba praticamente todas as valências da Medicina Dentária. Além das especialidades já referidas, estão previstas conferências sobre cirurgia, periodontologia, reabilitação oral, implantologia, biomateriais, medicina dentária preventiva, ortodontia, oclusão e prótese removível. Ainda no plano científico, vale a pena realçar – por tratar-se de uma iniciativa pouco habitual – a realização de um curso

teórico-prático de fotografia e video digital para médicos dentistas generalistas, ministrado pelo arquitecto brasileiro Livio Yoshinaga, que há muito se dedica a esta área e tem trabalhado com nomes de referência na medicina dentária a nível mundial, designadamente Galip Gurel, Mauro Fradeani, David Garbero ou os irmãos Salama. A participação neste curso está limitada a 250 participantes e a inscrição é paga à parte da inscrição habitual no congresso. O programa científico prevê ainda a realização de um curso (de dia inteiro) para assistentes dentárias e o debate de temas socioprofissionais, entre outras iniciativas.

Expo-Dentária com novidades O certame da indústria que se realiza (desde 1992) paralelamente às sessões científicas é considerado outra vertente importante do evento anual da OMD. De acordo com a organização da Expo-Dentária,os 332 espaços (de nove metros quadrados) disponíveis na área de exposição do Europarque já estão todos reservados por um total de 92 empresas. A comissão organizadora espera colher nesta edição os primeiros frutos do reforço da promoção da feira em países como o Brasil e a Espanha, bem como tirar dividendos de uma parceria estabelecida com a American Dental Association (ADA). Com o objectivo de diversificar e inovar a oferta de serviços aos expositores, um novo espaço denominado “Speakers Corner”passará a funcionar como um mini-auditório destinado a apresentações comerciais e aberto a todos os visitantes. Outra novidade prevista para esta edição do certame prende-se com o aumento da área destinada aos bares, com o objectivo de proporcionar todas as condições necessárias para que os expositores e visitantes possam almoçar no recinto da exposição, de modo a rentabilizar o tempo de todos os participantes. O pleno estatuto comercial que assume hoje a Expo-Dentária permite aos visitantes não apenas tomar conhecimento das novidades do sector como também concretizar negócios sem qualquer tipo de restrição.

MAXILLARIS amplia participação no encontro anual da OMD A MAXILLARIS cumpre este ano a sua quinta participação consecutiva no congresso anual da Ordem dos Médicos Dentistas, por sinal, com uma representação reforçada. Para além da habitual presença na Expo-Dentária, esta revista patrocina o Fórum Ibérico sobre “Tratamento de Casos Interdisciplinares”, uma iniciativa inédita, ao abrigo do programa científico do congresso, que contará com as intervenções de 16 profissionais de medicina dentária de renome, portugueses e espanhóis. No âmbito da Expo-Dentária, a representação da MAXILLARIS estará desta vez instalada nos stands 233/246 do recinto do Europarque, onde serão distribuídos, de forma gratuita, exemplares da revista a todos os interessados. No decorrer da feira, os visitantes poderão adquirir também – beneficiando de uma promoção especial de descontos – os três DVD’s que temos editados sobre Periodontia, Implantologia (de Javier García Fernández) e Cirurgia Oral (de Jaime Baladrón Romero).

MAXILLARIS participa no congresso pela quinta vez consecutiva. MAXILLARIS participa no congresso pela quinta vez consecutiva.

MAXILLARIS, Novembro 2010

9


Planta OMD10.qxp

22/10/10

13:16

Página 10

Congresso da OMD EXPOSITORES

STAND EXPOSITORES

3M Portugal ....................................................293, 294, 305, 306 ACEuropa ........................................................182, 183, 192, 193 Ambimed ............................................................................329 Anton Carles......................................................................40, 41 APEX - Material Equip. Médico ............253, 254, 255, 276, 277, 278 Aplipráctica Soluções Digitais ................................................112 Arlindo Carvalho Unipessoal ..........................................319, 320 Astra Tech ......................................................186, 187, 188, 189 AXA ..............................................................................155, 168 Batadec ..........46, 47, 48, 49, 50, 51, 307, 308, 309, 330, 331, 332 Bial ..............................................................................115, 116 Biofisa ..........................................................................282, 283 Bioner......................................................................................3 Biomet 3i ........................................149, 150, 151, 172, 173, 174 Biotree Medical Solutions........................................................28 Caixa Geral de Depósitos ........................................284, 285, 286 Camlogmed....................................................................130,141 Classum Dentalvision ........................................................18, 19 Cliveste ..................................................................................10 Coltène/Whaledent ........................................113, 114, 117, 118 Comercial BTI ........................................................42, 43, 44, 45 CPMPharma Trading ..........................152, 153 154, 169, 170, 171 Dental Implants & Biomaterials ............................................328 Dentalforyou ............................175, 176, 177, 178, 198, 199, 200 Dentalmaia Laboratório ....................................................67, 68 Dentalnor Sirona......................................312, 313, 314, 315, 316 ................................................................323, 324, 325, 326, 327 Dentina..............................158, 159, 160, 161, 162, 163, 164, 165 Distrifarma ......................................................................11, 12 DouroMed ..........................262, 263, 264, 265, 266, 267, 268, 269 DVD ..................................123, 124, 125, 126, 145, 146, 147, 148 Editora Códigopro ..........................................................104, 105 Editora Dental Press..............................................................287 Editorial Quintessence ..........................................................275 Eckermann........................................................................98, 99 Estética Dental López ......................................317, 318, 321, 322 Euroconexão ....................................184, 185, 190, 191, 210, 211 .........................................................216, 217, 236, 237, 242, 243 Eurofix ..........................................................................214, 215 Fadente Portugal ..............................201, 202, 203, 224, 225, 226 Gernuno - Espaços Médicos ....................................................304 Gestrato............................................................................33, 34 Glavis Representações ....................................180, 181, 194, 195 Golden Progress....................................................................119 Grunenthal....................................................................234, 235 Henry Schein ....................................279, 280, 281, 290, 291, 292 Hiperdent ........................................109, 110, 111, 120, 121, 122

Hipermed ........................................257, 258, 259, 272, 273, 274 Hispano Lusa Dental ........................................288, 289, 296, 297 IFE - Edições e Formação ................................................310, 311 ImaginaSoft ........................................5, 6, 71, 72, 73, 90, 91, 92 Impladent ......................................................298, 299, 300, 301 Implant Microdent System ......................................179, 196, 197 ISDIN - Laboratório Farmacêutico ......................................31, 32 JABA Recordati ............................................................62, 63, 64 Jornal Dentistry......................................................................37 Klockner ........................................................156, 157, 166, 167 Krug Noronha ..........................................................................4 Laboratório Kin ........................................................................1 Laboratórios Inibsa..........................................208, 209, 218, 219 Laboratórios Vitoria ................................................69, 70, 93, 94 Lusodonto ........................................227, 228, 229, 250, 251, 252 Machado, Malcher..........................................................302, 303 Maxifar ..................................................................................39 M A XILL ARIS ................................................................233, 246 Medicool................................................59, 60, 61, 244, 245, 256 Medisis - Sistemas Médicos ......................................................14 Montellano ............................74, 75, 76, 77, 78, 85, 86, 87, 88, 89 ........................................................................100, 101, 102, 103 Neodent ..........................................................................29, 30 Nike ......................................................................................36 Nobel Biocare ....................204, 205, 206, 207, 220, 221, 222, 223 NSK - Nakanish Dental Spain ..........................................212, 213 Orthosmile......................................................238, 239, 240, 241 Osteocare Portugal............................................................20, 21 Pierre Fabre......................................127, 128, 129, 142, 143, 144 Polideia - Arquitectura e Design ..............................................22 Ravagnani Dental .....................................131, 132, 133, 134, 135 .................................................................136, 137, 138, 139, 140 Same Day Solutions ..........................230, 231, 232, 247, 248, 249 Sinusmax ..........................................................................7, 8, 9 Sistema ............................................................................52, 53 Symposium Terapêutico ..........................................................13 Sysdentrix ..............................................................................35 Stahlmarc....................................................79, 80, 81, 82, 83, 84 Straumann......................................................260, 261, 270, 271 Strongwork ......................................................................15, 16 Tactis - Serviços Informáticos ........................................56, 57, 58 Utrade ....................................................................................2 Voco ......................................................95, 96, 97, 106, 107, 108 Wealclinic Medicina Estética ....................................................17 Wehadent Ibérica ..............................................................54, 55 Wire Representações ..............................................................17 Zambon - Produtos Farmacêuticos .....................................23, 24

A lista de expositores e a numeração de stands foram facilitados pela organização da Expo-Dentária em 07/10/10.

10

MAXILLARIS, Novembro 2010

STAND


Planta OMD10.qxp

22/10/10

13:16

Página 11

PLANTA EXPO-DENTÁRIA 2010

O desenho gráfico e a informação presentes nestas páginas são da responsabilidade da MAXILLARIS.

Congresso da OMD

MAXILLARIS, Novembro 2010

11


publi

22/10/10

09:03

Pรกgina 2


publi

22/10/10

09:03

Pรกgina 3


Premio Maxillaris.qxp

22/10/10

13:01

Página 14

FOTOS: RUI QUEIRÓS

Prémio Maxillaris

Da esquerda para a direita, Rosário Esteves, directora técnica dos Laboratórios Inibsa; José Antonio Moyano, administrador da MAXILLARIS; Miguel Ángel Cañizares, director da MAXILLARIS; os premiados João Branco (1º classificado) e José Ferreira (2º classificado); Marisol Martín, administradora da MAXILLARIS, e Fernando Guerra, membro do júri do concurso.

Prémio MAXILLARIS ao Melhor Artigo Científico

Cerimónia em Gaia formalizou entrega dos prémios da terceira edição Os vencedores da terceira edição do Prémio MAXILLARIS ao Melhor Artigo Científico foram os protagonistas de um jantar, realizado em Vila Nova de Gaia, no passado dia 17 de Setembro, durante o qual a direcção da MAXILLARIS e os Laboratórios Inibsa (como empresa patrocinadora exclusiva desta iniciativa) procederam à entrega dos prémios do concurso que visa distinguir os trabalhos publicados na secção de “Ciência e Prática” desta revista. Os médicos dentistas João Branco (1º classificado) e José Ferreira (2º classificado) são os autores dos artigos mais votados pelo júri desta edição, composto por três prestigiados profissionais da Medicina Dentária ligados ao ensino universitário da especialidade. Trata-se de Maria Helena Fernandes (Universidade do Porto), Fernando Guerra (Universidade de Coimbra) e Jorge Leitão (Universidade Católica Portuguesa).

14

MAXILLARIS, Novembro 2010

Miguel Ángel Cañizares, director da MAXILLARIS, entrega o prémio ao primeiro classificado, o médico dentista João Branco.


Premio Maxillaris.qxp

22/10/10

13:01

Página 15

Prémio Maxillaris Para além dos premiados, estiveram representados no evento, que decorreu no restaurante “Três Séculos” das Caves Taylor’s, o júri do concurso e a Comissão Científica da MAXILLARIS. O presidente da Comissão Organizadora do XIX congresso da Ordem dos Médicos Dentistas, Pedro Pires, e Rosário Esteves, directora técnica dos Laboratórios Inibsa, foram outros convidados que se associaram à cerimónia, que contou ainda com a presença do corpo editorial da revista. O 1º prémio, no valor de 3.000 euros, e o respectivo troféu foram entregues ao autor principal do artigo intitulado “Periimplantites: etiologia, diagnóstico e tratamento” (edição nº 29, Julho/Agosto 2010). Além de João Branco, subscrevem o trabalho vencedor José Maria Cardoso, Inês Faria, Patrícia Almeida Santos e Francisco Brandão de Brito. José Ferreira, autor do artigo “Seio maxilar: anatomo-fisiologia e alternativas para a reabilitação do maxilar superior” (edição nº 26, Janeiro/Fevereiro 2010) foi distinguido com o 2º prémio, no valor de 1.500 euros, e a correspondente placa comemorativa. O processo de avaliação da terceira edição do Prémio abrangeu os artigos publicados (em conformidade com as regras do concurso) na secção de “Ciência e Prática” desta publicação, no período comprendido entre Novembro de 2009 e Julho do corrente ano.

José Antonio Moyano e Marisol Martín, administradores desta revista, entregam o prémio e certificado ao segundo classificado, o médico dentista José Ferreira.

O jantar e cerimónia de entrega de prémios decorreu, em ambiente informal, num prestigiado restaurante de Vila Nova de Gaia.

MAXILLARIS, Novembro 2010

15


Premio Maxillaris.qxp

22/10/10

13:02

Página 16

Prémio Maxillaris

Marisol Martín entrega a Fernando Guerra, membro do júri, uma placa comemorativa do concurso, num gesto de agradecimento pela colaboração prestada.

Durante o convívio, os convidados tiveram oportunidade de percorrer, numa visita guiada, as centenárias Caves Taylor’s.

Momento do cocktail que antecedeu o jantar.

16

MAXILLARIS, Novembro 2010

Os premiados desta edição pousam com um dos membros do júri: da esquerda para a direita, João Branco, Fernando Guerra e José Ferreira.


publi

18/10/10

10:19

Pรกgina 1


BTi PT

25/10/10

15:41

Página 2

VIII Simpósio Internacional de Implantologia Oral BTI CERCA DE 1.500 ESPECIALISTAS DE TODO O MUNDO ANALISAM EM BILBAU AS MAIS IMPORTANTES DESCOBERTAS EM IMPLANTOLOGIA ORAL E TERAPIA REGENERATIVA.

Bilbau, Outubro de 2010.

Conferência do doutor Eduardo Anitua.

O VIII simpósio internacional de implantologia oral BTI congregou, nos dias 1 e 2 do passado mês de Outubro, destacados especialistas de todo o mundo que apresentaram as últimas investigações e as mais importantes descobertas nas áreas da implantologia oral e terapia regenerativa. A procura de soluções para casos complexos, uma nova técnica pioneira que permite a reversibilidade do tratamento implantológico, alternativas terapêuticas mediante a utilização de terapias minimamente invasivas apoiadas por um novo software de diagnóstico ou os últimos avanços realizados mediante a aplicação de Plasmka Ricoem Factores de Crescimento (PRGF®) são alguns dos temas que foram tratados no âmbito de um programa científico ao mais alto nível. O simpósio, que se converteu num encontro de máxima referência científica no seu campo, realizou-se no Palácio Euskalduna de Bilbao, congregando cerca de 1.500 profissionais provenientes de todo o mundo (Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, Japão, Estados Unidos, México, Brasil ou Rússia, entre outros). A BTI apresentou perante a comunidade científica os resultados obtidos do intenso trabalho de investigação que vem desenvolvendo.Assim, a empresa apresentou um novo conceito que supõe um avanço significativo no tratamento implantológico: o conceito da desosseointegração.Trata-se de uma técnica revolucionária, patenteada pela BTI, que supõe a reversibilidade do tratamento implantológico de um modo atraumático, já que permite a extracção dos implantes osseointegrados quando já não são funcionais, ou quando não são necessários, por uma nova situação protésica. A BTI apresentou novas alternativas terapêuticas mediante a última versão do seu software informático para planificação virtual e novas técnicas usando

Exposição comercial.


BTi PT

25/10/10

15:41

Página 3

implantes extra-curtos. “Com estas novas fixações é possível resolver casos clínicos com um bom prognóstico, que de outro modo requeririam cirurgias muito mais complexas. A vantagem destes implantes extra-curtos é que podem ser insertados em maxilares com reabsorção severa sem ter que invadir estruturas anatómicas não desejadas”, observou Eduardo Anitua. A série de novidades apresentadas culminou com a nova tecnologia CAD-CAM.

Apresentação de um dos casos clínicos.

Durante os dois dias de simposio, uma legião de experts expôs os seus conhecimentos mais recentes. Os doutores Fernando Fombellida, Dirk U. Duddeck, Marco Mozzati, J.A. Badás, Eduardo Crooke, Andrés Valdés, Cesar Colmenero, Rafael Plá, Teresa Martínez Iturriaga, Hosé Sánz, Luca de Stavola y Terrence Griffin preencheram a primeira jornada de conferências em que foram revistas novas estratégias cirúrgicas, superficies em implantes mediante microscopia electrónica, aplicação de PRGF® em pacientes bifosfonatados, novos enfoques no tratamento do maxilar superior posterior, complicações na cirurgia do seio maxilar, biomaterais e crescimento ósseo. Os conferencistas August Bruguera, Der. Siebers, Norbert Sörgel e Marco Brindis foram os encarregados de apresentar as últimas tendências no campo da implantologia e odontologia estética. Além disso, a equipa da BTI expôs os últimos avanços e estudos realizados durante o último ano em matéria de I+D. Destacou-se a apresentação de casos clínicos sobre maxilar superior atrófico e maxilar inferior atrófico, apresentados ambos sob uma perspectiva cirúrgica e prostodôntica, e a sua posterior discussão na qual participaram doutores de grande prestígio que enriqueceram o debate, contribuindo com os seus pontos de vista nas suas diferentes especialidades. Os participantes nestas mesas foram os doutores Bruno Ardanza, Pedro Correia, Jaime Baladrón, Juan Carlos Hernández de la Hera, J.A. Badás, Ángel Fernández Bustillo, César Colmenero, Joan Birbe, Babak Saidi, Joaquín Martíns, Konstantinos Mantalenakis, Pedro Barrio,Alejandro Martínez Garza e Eduardo Anitua. Para além do extenso programa científico para médicos dentistas, o simpósio ofereceu um programa paralelo de técnicos de laboratorio em que se mostraram as diferentes opções existentes no que respeita à eleição de materiais para a reabilitação da prótese, tais como os compósites, metal-cerâmica, titânio ou cerâmicas injectadas livres de metal, materiais sobre os quais dissertaram amplamente experts da talha de Guiseppe Daniele Rondoni, Andreas Kunz, J.A Badás e August Bruguera. O programa dirigido a pessoal auxiliar e higienistas contou, por sua vez, com conferências sobre o papel dos mesmos na prática diária e nas urgências médicas, ministradas pelos doctores José López Vicente, Sara Vicinay, Javier Carrete, Carlos Garde, Laura Piñas, pablo González Arce e Miguel Gallegos. No papel de moderadores, as diferentes sessões contaram com Bernardo de Mira Corrêa, Julio Morán, Ignacio Rodríguez Ruiz, Iván Sáez, José Manuel González e Manu Díaz de Corcuera.

Por outro lado, dentro do concurso de pósteres que se realizou, refira-se que os três primeiros prémios foram parar a Portugal, em concreto aos doutores Bernardo de Mira Corrêa, Filipe Lopes e Diana Ribeiro.

Os doctores J.A. Badás e Eduardo Anitua com os doutores Bernardo Mira Corrêa, Filipe Lopes e Diana Ribeiro, vencedores do concurso de pósteres.

O simpósio também teve o seu conteúdo prático com a celebração de workshops onde os assistentes puderam conhecer mais em profundidade e praticar com os equipamentos de ultrasons BTI, a nova versão do software de diagnóstico BTI Scan® II e a nova plataforma de compra online. Mas nem tudo se reduziu a trabalho. O encontro celebrado em Bilbau também reservou espaço à cultura dentro da sua intensa actividade científica. Assim, na primeira jornada do simpósio, a Orquestra Filarmonía, dirigida pela prestigiada e internacional directora de orquestra Inma Shara, realizou um percurso pela história do cinema através da interpretação das bandas sonoras más premiadas, num concerto intitulado “A música no cinema”.

A directora Inma Shara, durante o concerto “A música no cinema”.


Cronica.qxp

25/10/10

11:14

Página 20

Delegação portuguesa participou na assembleia-geral da FDI.

Crónica de Novembro Congresso mundial da organização realizou-se em Salvador da Baía

Futura presidência portuguesa da FDI atribui à comunicação um papel estratégico O congresso anual da Federação Dentária Internacional (FDI) reuniu em Salvador da Baía (Brasil) cerca de 10.000 profissionais de medicina dentária, oriundos de 115 países. O encontro, que teve lugar nos primeiros dias do passado mês de Setembro, contou também com a presença de 160 empresas na exposição da indústria que se realizou, paralelamente ao congresso, no Centro de Convenções da emblemática cidade brasileira, numa superficie total de 3.602 metros cuadrados. Sob o lema “Saúde bucodental para todos: desafios locais, soluções globais”, o programa científico incluiu 70 sessões científicas ministradas por mais de 135 profissionais. Ao longo dos quatro dias de congresso, foram ainda apresentados 423 pósteres científicos e 81 comunicações livres. Uma média de 226 delegados de todo o mundo, incluindo uma representação da Ordem dos Médicos Dentistas (chefiada pelo bastonário Orlando Monteiro da Silva) participaram nas reuniões da Assembleia Geral da FDI, que se realizam por ocasião do congresso. A Assembleia Geral aceitou cinco candidaturas a membros e elegeu quatro lugares para o Conselho da FDI e dez para os comités permanentes. Orlando Monteiro da Silva, que assumirá no final do próximo ano (e até 2013) a liderança da FDI, aproveitou a Assembleia Geral de 2010 para manifestar os seus pontos de

vista relativamente ao futuro da organização mundial, através de uma conferência subordinada ao tema “Comunicação & Gestão com reputação: um novo conceito”. O próximo presidente da FDI escolheu este tema, porque entende que a comunicação “deve recuperar o seu papel estratégico e a sua função no seio da organização no futuro”. Orlando Monteiro da Silva mostrou-se “muito entusiasmado” com os resultados da última Assembleia Geral e com os projectos que estão na agenda da FDI, apontando como exemplos a iniciativa Global Caries, que visa irradicar o problema da cárie a curto/médio prazo, e o programa Vox, uma ferramenta online para reforçar contactos e construir pontes entre os membros da FDI . Também destacou a estratégia traçada para o continente africano (FDI Africa Strategy) no sentido de reforçar as capacidades e meios das associações dentárias dos países africanos que são membros da FDI e de promover a saúde oral em África. Em Setembro de 2011, o congresso volta a realizar-se na América Latina, desta vez, na capital do México. Nessa altura, Orlando Monteiro da Silva tornar-se-á o primeiro português a ocupar as mais altas funções na hierarquia mundial da medicina dentária, substituindo o brasileiro Roberto Vianna, actual detentor do cargo.

Fundador do SNS defende reforço na saúde oral O fundador do Serviço Nacional de Saúde (SNS), António Arnaut, gostaria que a “fatia” do Orçamento de Estado para 2011 para a saúde aumentasse e incidisse nos cuidados continuados e na medicina oral. Para o histórico socialista, o aumento devia incidir no reforço da rede de cuidados continuados, que já está espalhada pelo país, e na criação de uma outra de medicina oral, que praticamente não existe. AA propósito do artigo intitulado “Influência de Já existem os cheques dentistas para grávidas, crianças e idosos, um programa escolar na educação para a saúde oral”, mas deve-se “caminhar para a criação de uma valência de saúde de Acácio Soares Couto Jorge, publicado na secção de oral, que é muito importante, não apenas para ter dentes bonitos e “Ciência e Prática” da última edição (n.º 30) desta revista, por funcionais, mas para evitar outro tipo de doenças”, defende. lapso, no segundo quadro (pág. 58) relativo ao ano lectivo Por outro lado, observou o antigo ministro dos Assuntos Sociais, 2005-2006, foi inserida a expressão “deficientes” onde “no momento de crise que vivemos, o sector social tem de ser reforçadeveria estar “6-10 anos”. Fica o esclarecimento do para compensar as desigualdades que agora se agravaram através do e o nosso pedido de desculpas aos desemprego e de outras situações de precariedade”. leitores da MAXILLARIS.

Rectificação

20

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

20/10/10

15:39

Pรกgina 1


Cronica.qxp

25/10/10

11:15

Página 22

Crónica de Novembro OMD teme economia paralela com cortes na dedução fiscal A Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) teme que os cortes na dedução fiscal na área da saúde levem a uma “economia paralela”, em que clínicas e consultórios dentários evitem a facturação daquilo que produzem. “Temo que, no caso da medicina dentária, possa vir a provocar uma espécie de economia paralela, uma não facturação. Espero que isso não aconteça. Mas quando não há estímulo para nenhuma das partes no recibo, na quitação, isso pode traduzir-se em fenómenos desse género”, alertou o bastonário da OMD. Orlando Monteiro da Silva sublinhou que a actividade privada da medicina dentária é “muito sensível a qualquer flutuação em termos económicos”. A falta de dedução fiscal “afecta bastante as clínicas de medicina dentária”, afirmou o bastonário, para quem a classe média “será a mais afectada e penalizada na procura de consultórios e clínicas de medicina dentária”. O representante da classe dos médicos dentistas lembrou que a dedução fiscal em sede de IRS é uma forma de melhorar a acessibilidade dos portugueses a uma área da medicina que praticamente não tem alternativa no Serviço Nacional de Saúde.

Orlando Monteiro da Silva considera que a actividade privada da medicina dentária é “muito sensível a qualquer flutuação em termos económicos”.

EAO estreou nova “cara” no congresso de Glasgow

Último congresso da EAO reuniu em Glasgow 3.000 profissionais.

22

MAXILLARIS, Novembro 2010

A Associação Europeia de Osseointegração (EAO na sigla original) adoptou uma nova identidade com o objectivo de reflectir o avançado conhecimento científico e a tecnologia de ponta dos seus associados e da profissão em geral. Um novo e moderno logotipo da EAO foi estreado durante o 19.º congresso internacional deste organismo, que teve lugar em Glasgow (Escócia) de 6 a 9 do passado mês de Outubro. O encontro juntou no Centro de Exibições e Conferências da referida cidade escocesa cerca de 3.000 clínicos, investigadores, médicos dentistas e estudantes do sector dentário, provenientes de vários pontos do mundo. “A associação foi fundada há praticamente 20 anos, pelo que já era tempo de dar-lhe um novo rosto, mais adequado a uma organização que é hoje uma autoridade no campo da implantologia dentária”, esclareceu o professor Christoph Hämmerle, presidente da EAO, durante o congresso que decorreu em Glasgow. “O nosso anterior logo, que incorporava as 12 estrelas da União Europeia, era muito conhecido entre os nossos associados e os milhares de congressistas que já participaram nas nossas reuniões anuais. No entanto, não nos diferenciava de muitas federações europeias que utilizam emblemas parecidos”, justificou Hämmerle. O novo logo utiliza uma tipografia e desenho modernos, que incluem agora os tons vermelho e cinzento, con vista a projectar un sentimento mais dinâmico no seio da associação. A nova identidade da EAO foi incorporada em todos os produtos e materiais da associação, incluindo os certificados dos sócios e todas as suas publicações. Além do logotipo, también a página web da organização (www.eao.org) foi actualizada de modo a facilitar o acesso à informação e reforçar a interacção dos sócios. “A nova cara da associação reflecte realmente a energia e o caminho da EAO”, observou na mesma ocasião Paul Stoner, director científico e presidente eleito da organização, sublinhando a sua confiança de que “este paso nos ajudará a projectar a nossa imagem e a atrair novos sócios”.


publi

16/8/10

10:05

Pรกgina 1


Cronica.qxp

25/10/10

14:03

Página 24

Crónica de Novembro Cáries em idade pré-escolar e excessode gordura podem estar relacionados As crianças em idade pré-escolar com cáries dentárias poderão ser mais suceptíveis de acumular excesso de gordura ou padecer de obesidade do que a generalidade da população, sugere um novo estudo, liderado por Kathleen Bethin, pediatra no Hospital de Crianças e Mulheres de Buffalo e professora assistente de Pediatria na Universidade de Buffalo, sediada em Nova Iorque (Estados Unidos). O estudo norte-americano, divulgado durante o último encontro anual da Sociedade de Endocrinia, teve por base a relação entre a precária saúde oral e o excesso de peso em 65 crianças com idades comprendidas entre dois e cinco anos. Todas as crianças envolvidas foram submetidas a tratamento dentário devido a cáries, tendo sido sujeitas a procedimentos odontológicos e testes sanguíneos com recurso a anestesia. Antes de cada intervenção, a equipa liderada por Bethin Estudo envolveu 65 crianças apurou a altura e peso das com idades entre dois e cinco anos. crianças, com o objectivo de calcular o índice de massa corporal (BMI, na sigla em inglês). No âmbito da mesma investigação, os encarregados de educação preencheram um questionário sobre a média de consumo de alimentos diários das crianças participantes. As conclusões do estudo indicam que cerca de 28% das crianças tinham excesso de peso ou padeciam de obesidade, um valor superior à percentagem da população norte-americana em geral, estimada em 21,2%. As 18 crianças que apresentavam excesso de índice de massa corporal para a sua idade (na maioria dos caso, a percentagem registada situava-se acima de 85%) registaram também um nível global de colesterol muito superior ao dos seus 47 colegas com peso saudável, isto é, cujo índice de massa corporal correspondia aos parámetros normais para a sua idade (entre 50 e 84%). No entanto, os resultados do questionário indicam que tanto as crianças com peso normal como as que registaram excesso de peso consumiam calorias acima dos valores recomendados para a sua idade (1.440 e 1.570, respectivamente). Setenta e um por cento dos inquiridos consumiam mais de 1.200 calorias por dia, quando a dose diária recomendada é de 1.000 a 1.400, dependendo da idade e do sexo da criança. A autora principal do estudo norte-americano adianta que são necessárias mais análises para apurar se o consumo de sumos e doces tem influência no excesso de calorias e justifica a relação entre níveis elevados de massa corporal e cáries dentárias.

24

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

16/8/10

15:18

Pรกgina 1


Cronica.qxp

25/10/10

11:15

Página 26

Crónica de Novembro Estudo descarta relação directa entre asma e cáries Aparentemente não existe qualquer vínculo directo entre a asma e a cárie infantis, de acordo com um estudo publicado na edição de Setembro passado do Journal of the American Dental Association. Esta investigação envolveu 27 estudos individuais que procuraram estabelecer uma ligação entre a asma e a cárie, publicados entre 1976 e Março deste ano. “A noção de que existe uma relação directa entre a asma e a cárie pode ter origem em comentários de funcionários dos serviços de urgências que lidaram com crianças asmáticas de baixas condições económicas. Essas crianças têm mais probabilidades de apresentar condições dentárias precárias, incluindo a cárie. É legítimo pensar que uma gestão precária da saúde pode estar associada a estas duas condições, mas não se pode dizer que a asma provoca cáries”, constatou Gerardo Maupomé, professor de Dentisteria Preventiva e Comunitária na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Indiana (Estados Unidos) e autor principal do estudo. “Encontrámos

escassos sinais que possam sugerir que a asma provoca cáries. De resto, os dois principais estudos que revimos sustentam mesmo que as crianças com asma aparentam ter menos cáries que as outras crianças. Isso pode justificar-se pelo facto de os pais destas crianças estarem acostumados a submeter os seus filhos aos cuidados de saúde com regularidade e por rotina também ao dentista”, acrescentou o investigador. O grande número de variáveis envolvido na investigação, incluindo sintomas graves de asma e a variedade de tratamentos desta doença, torna difícil determinar de forma inequívoca se existe uma relação causa-efeito entre a asma e a cáries. O estudo equaciona a possibilidade de as crianças que utilizam nebulizadores para controlar a asma poderem aumentar inadvertidamente a sua frequência de exposição aos açucares, uma vez que os nebulizadores usam fructose na distribuição terapêutica. A frequência e quantidade de consumo de determinados açucares são factores que podem contribuir para as cavidades dentárias.

Tratamento periodontal pode reduzir risco de partos prematuros Segundo um estudo da Penn Dental Medicine (faculdade de Medicina Dentária) da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, recentemente divulgado no Journal of Obstetrics and Gynaecology, existe uma possível relação entre o tratamento bem sucedido de uma periodontite e a diminuição do risco de parto prematuro. À lista de factores que podem contribuir para o incremento dos nascimentos prematuros, tais como o baixo índice de massa corporal, o consumo de álcool ou o tabagismo, o novo estudo acrescenta agora a infecção das gengivas. A investigação centrou-se num total de 322 mulheres em estado de gravidez, com idade média na casa dos 23 anos, todas afectadas por problemas do foro periodontal. Por outro lado, as participantes nunca tinham sido submetidas a uma limpeza dentária em sede própria (leia-se consultório). No âmbito deste estudo, metade do grupo recebeu instruções de higiene oral e submeteu-se a um plano de tratamento orientado, que consistiu essencialmente na limpeza acima e abaixo da linha

Estudo também indica que grávidas podem receber tratamento periodontal com segurança.

26

MAXILLARIS, Novembro 2010

gengival, ao passo que a restante metade das grávidas recebeu apenas instruções de higiene oral. De acordo com os resultados, a incidência de partos prematuros foi elevada em ambos os grupos: 52,4 por cento no caso das mulheres que não receberam tratamento e 45,6 por cento no caso das grávidas que foram devidamente tratadas. Os investigadores procuraram em seguida apurar se o sucesso do tratamento periodontal estava associado à taxa de partos prematuros. As participantes foram examinadas 20 semanas após o tratamento inicial, e os bons resultados caracterizaram-se nomeadamente pela redução da inflamação e a melhoria das estatísticas iniciais. Entre as 160 mulheres submetidas ao plano de tratamento, 49 foram consideradas como casos de sucesso e apenas quatro (8 por cento) destas sofreram partos prematuros. Em contrapartida, 111 mulheres foram mal sucedidas no tratamento, 69 das quais (62 por cento) deram à luz bebés prematuros. Os resultados demonstram que as grávidas que não sentiram os efeitos do plano de tratamento são bastante mais susceptíveis de parir bebés prematuros do que aquelas que tiveram sucesso no tratamento. “Este estudo prova, em primeiro lugar, que as mulheres em estado de gravidez podem receber tratamento periodontal com segurança e assim melhorar a sua saúde oral”, observa Marjorie Jeffcoat, professora de Periodontia na Penn Dental Medicine e autora principal deste estudo. Em segundo lugar, permite concluir que num grupo de grávidas de alto risco, como as que participaram neste estudo, “o tratamento periodontal com êxito, quando assumido como um complemento aos cuidados convencionais de obstetrícia, pode diminuir a incidência de partos prematuros”, conclui Marjorie Jeffcoat.


publi

25/10/10

14:01

Pรกgina 1


publi

22/10/10

09:30

Pรกgina 2


publi

22/10/10

09:30

Pรกgina 3


Joao Roque.qxp

22/10/10

13:14

Página 30

Falamos com...

João Carlos Roque, presidenteda daAssociação AssociaçãoPortuguesa Portuguesa presidente deTécnicos Técnicosde dePrótese PróteseDentária Dentária(APTPD) (APTPD) de

«

»

O avanço tecnológico na área da prótese dentária exige de nós uma actualização constante

“Quem se quiser afirmar profissionalmente terá de ser capaz de se diferenciar pela capacidade técnica”. O recado é dirigido à classe dos técnicos de prótese dentária pelo presidente da associação portuguesa da especialidade (APTPD). João Carlos Roque considera que, numa área profissional onde a evolução tecnológica é uma constante, “não está a ser assegurada uma formação que dê resposta de qualidade”às exigências do mercado de trabalho.

30

MAXILLARIS, Novembro 2010


Joao Roque.qxp

22/10/10

13:14

Página 31

Falamos com... M AXILLARIS. Quais são as prioridades da Associação Portuguesa de Técnicos de Prótese Dentária (APTPD)? João Carlos Roque. Ao longo dos últimos anos, a APTPD tem-se empenhado em encontrar uma solução para o recenseamento e requalificação dos profissionais que exercem a profissão em Portugal. A legislação que regulamenta o exercício profissional foi alterada em 1999, determinando as condições para o acesso à profissão, mas não foram definidas regras para a transição dos profissionais que se encontravam no regime anterior. Esta situação deixou sem cédulas profissionais um número muito significativo de técnicos que continuam a exercer a profissão não tendo enquadramento na actual legislação ou não estando sequer identificados. No nosso entendimento não é admissível que não se saiba quantas pessoas exercem a profissão em Portugal, dificultando a implementação de medidas concretas para a dignificação da profissão e do seu exercício. Para que os profissionais tenham consciência dos verdadeiros desafios que se lhes colocam, e à profissão em geral, e possam também evoluir técnica e cientificamente estamos empenhados em criar uma publicação que possa ser um meio de divulgação das ideias e do trabalho dos técnicos portugueses. Encontrando-nos em fim de mandato, realizámos este ano uma revisão estatutária com vista a agilizar o funcionamento da APTPD e permitir que a nova direcção possa alargar as áreas de intervenção e ser mais mobilizadora junto dos sócios e dos técnicos em geral. M Que desafios enfrentam, a curto ou médio prazo, os profissionais portugueses de Prótese Dentária? João Carlos Roque. O avanço tecnológico na área da prótese dentária exige de nós uma actualização constante e uma necessidade de evolução técnica capaz de dar resposta aos desafios da medicina dentária moderna. Para tal é necessário adaptar-se às novas tecnologias CAD-CAM, mas não apenas aprender a utilizar um equipamento; é necessário ter uma visão alargada das várias áreas da reabilitação oral e da interligação entre elas. A formação contínua deve ser encarada como essencial para desenvolver competências técni-

«

Os técnicos portugueses são hoje solicitados internacionalmente e têm voz activa junto de empresas que estão na vanguarda da tecnologia dentária

»

cas que permitam dar uma resposta à competitividade industrial que hoje é global. Quem se quiser afirmar profissionalmente terá que ser capaz de se diferenciar pela capacidade técnica.

M Que alterações do foro académico ou legislativo poderiam favorecer o exercício da profissão? João Carlos Roque. Infelizmente, as ultimas alterações, quer legislativas quer académicas, têm sido bastante penalizadoras para o exercício profissional. A existência de cursos de nível secundário de Auxiliares de Prótese Dentária, tutelados pelo Ministério da Educação, que não tem enquadramento com a actual legislação profissional que é da responsabilidade do Ministério da Saúde, são uma porta aberta para o exercício ilegal e não qualificado. Existe uma desarticulação entre Ministérios que é evidente e que tem consequências ao nível profissional. É absolutamente necessário criar um modelo de organização profissional que possa contar com profissionais de vários níveis e adequá-lo aos níveis de formação existentes. A nível legislativo, a não fiscalização do exercício profissional deixa a porta aberta para o exercício ilegal, criando situações de concorrência desleal e de atropelo das regras deontológicas. Não tendo as instituições públicas revelado, ao longo da última década, capacidade para proceder à aplicação da lei, penso ser necessário delegar essas competências nos profissionais e nas suas instituições, tal como acontece com outras profissões.

João Carlos da Silva Roque é detentor do Bacharel em Prótese Dentária pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa e licenciado em Ciências da Educação para a Área da Saúde pela Ferris State University – Michigan (Estados Unidos). O actual presidente da Associação Portuguesa de Técnicos de Prótese Dentária exerce também na Universidade de Lisboa o cargo de assistente da Faculdade de Medicina Dentária – é responsável pelas cadeiras de Prótese Fixa da Licenciatura de Prótese Dentária. Acumula ainda o título de Mestre em Pedagogia do Ensino Superior pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da mesma universidade. À margem da actividade académica, João Carlos Roque é técnico de prótese dentária no Laboratório Nuno Ferreira da Silva, Lda., onde coordena a área de prótese fixa e implantologia.

MAXILLARIS, Novembro 2010

31


Joao Roque.qxp

22/10/10

13:15

Página 32

Falamos com... M Qual é a projecção da Prótese Dentária made in Portugal? Os técnicos portugueses estão a acompanhar o “ritmo”internacional neste campo? João Carlos Roque. O facto de, há mais de duas décadas, a formação dos técnicos portugueses ser de elevado nível académico abriu horizontes para uma permanente actualização profissional. A adesão dos técnicos portugueses às novas tecnologias Cad-Cam é uma realidade que tem contribuído para o aumento da competitividade dos laboratórios portugueses. Sendo os laboratórios tendencialmente de pequena/média dimensão, não se posicionam no mercado do preço baixo, fazendo uma aposta clara na qualidade e na relação de proximidade com os clínicos, permitindo melhorar o nível da reabilitação oral no nosso país. Penso existir uma aposta clara nos técnicos de prótese portugueses por parte dos nossos dentistas pelo facto da qualidade profissional e da oferta de soluções técnicas não ser em nada inferior ao que se faz nos países mais desenvolvidos tecnologicamente. Os técnicos portugueses são hoje solicitados internacionalmente para apresentar os seus trabalhos e têm uma voz activa junto de algumas empresas que estão na vanguarda da tecnologia dentária ao nível do laboratório.

«

»

A não fiscalização do exercício profissional deixa a porta aberta para o exercício ilegal, criando situações de concorrência desleal

Ao nível académico, a implementação do Processo de Bolonha foi bastante penalizador para a componente de formação prática, tendo possibilitado a redução do número de horas, o que se traduz numa formação académica mais teórica. Numa área profissional onde a evolução tecnológica é uma constante e onde a destreza técnica é fundamental, não está a ser assegurada uma formação que dê resposta de qualidade às exigências do mercado de trabalho. Sendo a formação académica de prótese dentária de nível universitário é necessário avançar para formações pós-graduadas de especialização que possam promover uma aprendizagem mais prática capaz de alargar o conjunto de competências profissionais.

32

MAXILLARIS, Novembro 2010

M Em termos globais, como avalia o panorama do sector da Medicina Dentária em Portugal? João Carlos Roque. Ao nível profissional, os médicos dentistas estão a sofrer as consequências do excesso de cursos de medicina dentária, responsáveis pela colocação no mercado de trabalho de um número desproporcionado de profissionais, que se traduz em dificuldade em encontrar trabalho. Este panorama é ainda agravado pelo facto da formação académica ter sido reduzida de seis para cinco anos, sendo a prática clínica prejudicada por esta mudança. O alargamento dos seguros de saúde à área da medicina dentária tem proporcionado um aumento do acesso da população aos serviços médico-dentários, permitindo também o acesso a reabilitações protésicas. Contudo, as tabelas praticadas pelas companhias de seguros têm colocado uma pressão sobre os profissionais que têm dificuldade em poder prestar serviços de qualidade e disponibilizar reabilitações protésicas com materiais de melhor qualidade. Essa pressão tem-se feito sentir também ao nível dos laboratórios de prótese, uma vez que os técnicos são frequentemente confrontados pelos clínicos para disponibilizar as próteses de menor custo em detrimento das de melhor qualidade e fiabilidade. A longo prazo, parece evidente que dentro de poucos anos grande parte destas reabilitações terão que ser refeitas provavelmente com maiores custos para os pacientes. Apesar das dificuldades, nota-se uma preocupação de evoluir e de acompanhar o desenvolvimento tecnológico, frequentando cursos e conferências. Por isso, o nível das reabilitações fixas, particularmente no contexto da implantologia, tem vindo a progredir, por haver melhor planeamento e articulação entre clínicos e técnicos.


publi

22/10/10

14:34

Pรกgina 1


Falamos Duarte.qxp

22/10/10

13:11

Página 36

Falamos com...

Fátima Duarte,

«

presidente da Associação Portuguesa de Higienistas Orais (APHO)

»

O nosso maior desafio é conquistar o reconhecimento dos outros profissionais de saúde oral

A Associação Portuguesa de Higienistas Orais “é uma instituição em mudança que aposta, em primeiro lugar, na construção de alicerces com o objectivo de poder dar um apoio forte aos seus associados”. Quem o afirma é Fátima Duarte, presidente desta instituição, para quem o maior desafio da classe dos higienistas orais “é conquistar um maior respeito e reconhecimento da maioria dos outros profissionais de saúde oral”. 36

MAXILLARIS, Novembro 2010


Falamos Duarte.qxp

22/10/10

13:11

Página 37

Falamos com... Maria de Fátima Duarte é licenciada em Higiene Oral pelo Instituto Superior de Saúde do Vale do Ave e exerce, desde o início da década de 90, a actividade de higienista oral no Departamento de Periodontologia da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa. Fátima Duarte tem experiência no domínio pedagógico: colabora desde há vinte anos na disciplina de Periodontologia da Licenciatura de Medicina Dentária, como monitora dos higienistas orais, nomeadamente no estágio clínico final, e formadora dos alunos do Curso de Apoio aos Assistentes Dentários. Assumiu a direcção da Associação Portuguesa de Higienistas Orais em Outubro de 2005. Desde então, tem vindo a acumular outras funções em representação desta classe profissional, tais como as de delegada por Portugal nas federações europeia e internacional de higienistas orais. Do seu currículo sobressai ainda a faceta de oradora em várias conferências e formações contínuas nas várias áreas da Medicina Dentária e Higiene Oral. M AXILLARIS. Quais são as actuais prioridades e metas da Associação Portuguesa de Higienistas Orais (APHO)? Fátima Duarte. A APHO é uma instituição em mudança que aposta, em primeiro lugar, na construção de alicerces coesos com o objectivo de poder dar um apoio forte aos seus associados e demais higienistas orais. Actualmente, a aposta vai, sobretudo, no sentido de haver cada vez mais informação e formação dos higienistas orais para conseguirem estar ao nível dos seus pares. Outra das prioridades da nossa associação passa por divulgar a profissão, aqui e além fronteiras – por isso, a APHO faz parte activa da Federação Europeia e Internacional dos Higienistas Orais – com o objectivo de alargar horizontes e trocar saberes que tragam proveito para um melhor desempenho profissional. Outra das grandes prioridades é a contribuição para o estabelecimento do perfil profissional a nível europeu. Observa-se na Europa uma grande discrepância entre países, o que compromete a mobilidade dos profissionais. M Qual é o ponto da situação em termos de mercado de trabalho ou de acesso à profissão? Fátima Duarte. O mercado de trabalho oscila em função do mercado de trabalho global. Contudo, existe alguma saturação nos grandes centros, pelo facto da higiene oral coexistir com a medicina dentária e haver um grande número de profissionais nestas zonas, a trabalhar em simultâneo, com perfis que se entrecruzam. É também importante e preciso que cada vez mais os higienistas orais descentralizem, divulgando e defendendo a profissão. Desta forma, novas portas se abrirão no mercado de emprego. A experiência diz-nos que é possível trabalhar verdadeiramente em equipa, construindo parcerias, com o objectivo da prestação de melhores cuidados de saúde oral. Se cada dentista trabalhasse com um higienista, como é prática habitual em alguns países, seriam precisos muitos mais higienistas do que os actualmente existentes em Portugal, onde o rácio é de um higienista para 13 médicos dentistas e um rácio higienista/população de 1:20000. Visto

«

»

É importante que os higienistas orais descentralizem, divulgando e defendendo a profissão

desta forma, não seria de esperar dificuldades na inserção do mercado de trabalho.

M Que medidas considera necessárias adoptar para impulsionar a profissão de Higienista Oral? Fátima Duarte. Primeiramente, construir uma base sólida na defesa dos direitos profissionais. O trabalho multidisciplinar deve ser a premissa para qualquer profissional de saúde oral, onde se incluem os higienistas orais. A interdependência dos profissionais deve ser uma convergência de saberes. A nível académico, é necessário que não se percam os valores que se construíram no início do curso de Higienista Oral para que o aluno aprenda tudo o que lhe compete em termos de conteúdo funcional. É preciso burilar alguns conteúdos que podem ser úteis ao higienista, nomeadamente a aplicação da anestesia, mas de forma pensada. Esta situação requer, evidentemente, proposta de novas medidas legislativas, que se prendem com a reformulação das carreiras e com a regulamentação profissional. As mudanças a nível académico não foram acompanhadas pelas mudanças no plano da carreira e criou-se a necessidade de reformulação. As negociações para efectivar esta reformulação estão em curso e nas quais a APHO está envolvida. A criação de uma ordem profissional é outro grande objectivo que certamente contribuirá para melhorar e cimentar a imagem pública dos higienistas orais. M Que outros desafios se colocam, a curto ou médio prazo, aos profissionais do sector? Fátima Duarte. Penso que o maior desafio é dar a conhecer e conquistar um maior respeito e reconhecimento pela maioria dos outros profissionais de saúde oral, para que se apercebam que as capacidades académicas dos higienistas dão-nos uma importância maior no tratamento e prevenção das doenças orais, principalmente pela especificidade da profissão. M Em termos globais, como classifica o actual momento da Medicina Dentária em Portugal? Fátima Duarte. O momento é crítico. Apesar da medicina dentária ter atingido uma melhoria qualitativa no que concerne as novas tecnologias e saberes, mercê do desequilíbrio económico, a abordagem e tratamento dos utentes podem não ser os mais perfeitos. A prática correcta depende muito da seriedade de cada profissional na entrega dos serviços à população, independentemente das condições de trabalho.

MAXILLARIS, Novembro 2010

37


publi

25/10/10

15:37

Pรกgina 2


publi

25/10/10

15:37

Pรกgina 3


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:31

Página 40

Casos complexos de atrofias ósseas: propostas actuais para a sua resolução a propósito de um caso clínico

40

MAXILLARIS, Novembro 2010


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:31

Página 41

Ciência e prática Introdução Os desdentados totais, sobretudo aqueles que são edentulos há longos anos, apresentam atrofias ósseas severas quer da mandíbula quer do maxilar superior. Ao longo dos anos, e mesmo com o advento da implantologia, estes doentes têm constituído um desafio, dada a complexidade das situações e a extrema dificuldade de encontrar soluções estáveis e duradouras.

Evolução Durante as décadas de 80 e 90, várias foram as técnicas propostas para permitir reabilitações orais implanto-suportadas nestes doentes: • Osteotomias Le Fort I com enxertos ósseos inlay e onlay para correcção vertical e transversal do maxilar superior. • Reconstrução por enxertos ósseos com malhas de titânio. • Elevação dos seios maxilares.

Luís Loureiro Luís Loureiro Médico Cirurgião Maxilo-Facial. Especialista em Estomatologia. Fellow Misch Institute. Fellow Board Europeu de Cirurgia Maxilo-Facial. Prática clínica exclusiva em Cirurgia Maxilo-Facial e Implantologia. Lisboa. Jaime Capela Médico Dentista. Pós-graduado em Cirurgia Oral e Periodontologia pela Faculdade de Ciências Médicas Dr. Ernesto Guevara (Cuba). Programa Avançado de Implantologia Oral pela Universidade da Califórnia Los Angeles - School of Dentistry (Estados Unidos). Associate Fellow pelo World Clinical Laser Institute (WCLI). Membro ITI - International Team for Implantology. Lisboa.

MAXILLARIS, Novembro 2010

41


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:31

Página 42

Ciência e prática

Fig. 1. Enxerto onlay para correcção transversal.

Fig. 2. Osteotomia Le Fort I e elevação bilateral dos seios maxilares e enxerto onlay da mandíbula.

Estas técnicas foram amplamente utilizadas, embora com resultados pouco previsiveis e com largos inconvenientes para os doentes, tais como a morbilidade e morosidade do processo. As regras que devemos ter em conta na programação de qualquer tratamento são: 1. Simplicidade - o tratamento deve ser o mais simples possível, tendo em conta o resultado que pretendemos obter. 2. Previsibilidade - optar sempre pelo tratamento mais previsível, assim evitamos correr riscos e obteremos soluções mais duradouras. 3. Morbilidade - quanto menor o risco de morbilidade, menos são os riscos e melhor o resultado final. 4. Estabilidade - quanto maior for a estabilidade conseguida, melhor será o futuro da reabilitação. 5. Economia - a economia deve ser vista tendo em conta duas vertentes (custos/tempo). Procurar sempre a melhor relação preço/qualidade do trabalho proposto. Quanto mais rápido for o tratamento e menos complicações tiver, maior será a economia de tempo quer para o doente (factor a ter sempre em conta) quer para o profissional que assim rentabiliza melhor o seu tempo de cadeira.

Soluções actuais - Implantes zigomáticos Em 1998, Branemark descreve pela primeira vez a técnica para a aplicação de implantes zigomáticos, protocolo que é alterado e simplificado em 2000 pela descrição de Stella e Warner da técnica de Slot. Os implantes zigomáticos vieram tornar possível reabilitações orais com próteses fixas implanto-suportadas, mesmo nas situações mais extremas de atrofias ósseas. A possibilidade de fazer carga imediata é um benefício extraordinário e um avanço enorme para pacientes aos quais até à bem pouco tempo, não havia soluções a propor a não ser a utilização de próteses removíveis ou seguir penosamente os passos propostos pelas várias técnicas já descritas, nunca reabilitadas antes de um ano. Protocolo: • Atrofias ósseas moderadas ou severas dos sectores posteriores e ligeira a moderada do sector anterior – quatro implantes convencionais no sector anterior e dois zigomáticos nos sectores posteriores. • Atrofias ósseas severas dos sectores posteriores e moderada a severa do sector anterior – dois implantes convencionais no sector anterior e dois zigomáticos nos sectores posteriores. • Atrofias ósseas severas dos sectores posteriores e anterior - quatro implantes zigomáticos.

Figs. 3 e 4. Atrofia óssea severa do maxilar e mandíbula.

42

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

22/10/10

09:00

Pรกgina 1


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:31

Página 44

Ciência e prática Caso clínico M.F.B., doente do sexo feminino, com 58 anos de idade. Antecedentes pessoais relevantes: transplante hepático há 14 anos (1996). Desdentada total desde há cerca de 28 anos. Procura-nos esta paciente por não conseguir "segurar" as suas próteses removíveis e porque o simples acto de comer era sempre um sacrifício. Após estudo radiológico (ortopantomografia) verificámos a existência de uma maxila extremamente atrófica, quer nos sectores anteriores quer nos posteriores, e uma mandíbula com uma atrofia severíssima. Para complicar mais o quadro, a paciente apresentava na mandíbula um canino incluso que pela sua posição, à primeira vista parecia inviabilizar a aplicação de implantes. Foi pedido tomografia computorizada. Após observação da boca do paciente e análise dos exames complementares de diagnóstico (ortopantomografia e TAC) foi-lhe proposto o seguinte plano de tratamento: • Maxilar - aplicação de quatro implantes convencionais de pequenas dimensões (8 e 10 mm) no sector anterior e dois implantes zigomáticos nos sectores posteriores. • Mandibula - por ser impossível remover o canino incluso, pois ficaríamos praticamente sem osso, foi proposto aplicar apenas três implantes aproveitando a quase totalidade da altura mandibular, com um implante a mesial da coroa e outro a distal do apéx do canino incluso. Propôs-se este tratamento a ser efectuado sob anestesia geral, para permitir num só acto cirúrgico a colocação de todos os implantes e reabilitação imediata. A paciente, porque era uma transplantada hepática e apesar de lhe explicarmos que não havia qualquer risco acrescido por esse facto, insistiu em fazer o tratamento sob anestesia local. Assim, num primeiro tempo, colocámos sob anestesia local um implante zigomático de 45 mm e dois implantes convencionais de 8 e 10 mm no primeiro quadrante. Fez-se correcção da sua prótese removível para permitir a sua utilização. Num segundo tempo, mês e meio depois, novamente sob anestesia local, aplicação de um implante zigomático de 45 mm e dois implantes convencionais no sector anterior de 8 e 10 mm, novamente aproveitando, tal como no lado oposto, a

fixação na cortical das fossas nasais utilizando toda a altura óssea remanescente do sector anterior. Reabilitação com prótese fixa superior com carga imediata sobre os implantes do segundo quadrante e diferida sobre os implantes do primeiro quadrante que já se encontravam osteo-integrados. Num terceiro tempo, 15 dias após, e novamente sob anestesia local, aplicação de três implantes na mandíbula segundo os princípios do "All on four", com os dois implantes distais inclinados seguido de reabilitação oral com carga imediata. Ao colocarmos as próteses fomos surpreendidos com um defeito de volume do lábio superior, que não era perceptível com as próteses removíveis, provavelmente por ausência de suporte do lábio. Com as próteses fixas implanto-suportadas tornou-se notória esta falta de volume relacionada com traumatismo antigo, que ainda se tornava mais evidente quando sorria. Foi efectuado de imediato queiloplastia. Correcção de volume com aplicação de uma matriz acelular (Alloderm®) que permitiu uma boa solução estética.

Conclusão: Implantes zigomáticos vs enxertos ósseos Recordando agora as regras que devem ser observadas em qualquer planeamento de tratamento (e não só na área da implantologia) chegamos à conclusão de que em todos os itens enunciados, os implantes zigomáticos apresentam várias vantagens em relação a todas as técnicas utilizadas para a reabilitação de maxilas atróficas: 1. Simplicidade: aplicação num só acto cirúrgico. Reabilitação igual aos implantes convencionais. 2. Previsibilidade: taxas de sucesso referidas por todos os autores de 97 a 100%. 3. Morbilidade: o facto de não utilizar enxertos ósseos e/ou membranas vêm diminuir largamente a morbilidade do processo. 4. Estabilidade: ao permitir desde o primeiro dia realizar carga imediata, leva a uma maior estabilidade quer dos implantes quer dos tecidos periimplantares. 5. Economia: aplicação num só acto cirúrgico (tornando esta solução mais económica); reabilitação igual aos implantes convencionais; carga imediata (redução do tempo para o doente e para o profissional).

Fig. 5. Ortopantomografia inicial.

44

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

30/6/10

08:32

Pรกgina 1


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:31

Página 46

Ciência e prática

Fig. 6. Primeiro tempo cirúrgico.

46

Fig. 7. Segundo tempo cirúrgico.

Fig. 8. Terceiro Orto após um ano de reabilitação.

Fig. 9. Reabilitação oral superior.

Fig. 10. Reabilitação oral inferior.

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

22/10/10

10:22

Pรกgina 1


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:32

Página 48

Ciência e prática

Fig. 11. Defeito do lábio superior.

Fig. 12. Defeito mais notório no sorriso.

Fig. 13. Visão intra-oral do defeito labial.

Fig. 14. Incisão e descolamento.

Fig. 15. Aplicação de Alloderm.

48

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

23/7/10

14:23

Pรกgina 1


Ciencia Loureiro.QXP

22/10/10

13:32

Página 50

Ciência e prática

Fig. 17. Pós-operatório um mês.

Fig. 16. Pós-operatório uma semana.

Fig. 18. Pós-operatório um ano.

Bibliografia

1. The zigomaticus fixture: Clinical Procedures. Goteborg,Sweden: Nobel Biocare,1998. 2. Stella JP, Warner M. Sinus slot technique for simplification and improved orientacion of zigomaticus dental implants. J Oral Maxillofac Impants 2000

15;889-893. 3. Bedrossian E.,Stumpel L., Bercley M, Indersano. The Zigomatic Implants; Preliminary data on treatment of severely resorbed maxilae.A clinical report.

Int J Oral Maxillofac implants 2002; 17;861-865. 4. Bothur S, Jonsson G,Sandahl L. Modiffied technique using multiple zigomatic implants in reconstruction of the atrofic maxilla: A technical note. Int J

Oral Maxillofac Implants 2003;18;902-904. 5. Branemark P,Grondal K, Ohrnell LO, et all. Zigoma fixture in the management of advanced atrophy of the maxilla: Technique and long-term results.

Scand J Plast Recontr Sutg Hand Surg 2004;38-70.

50

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

25/10/10

16:18

Pรกgina 1


publiVoco.qxp

25/10/10

16:00

Página 2

TRATAMENTO DE UMA FRACTURA

CORONO-RADICULAR UTILIZANDO UM ESPIGÃO DE COMPÓSITO

Autores: Dr. Jozef Minˇcík Licenciou-

Fig. 1. Trajectória típica de uma fractura corono-radicular (Ebelseder/Glockner, 2000)

Fig. 2. Fractura corono-radicular. A fenda coronária da fractura comunica-se directamente com a polpa.

Fig. 3. Radiografia do dente 21 com uma típica fractura corono-radicular.

Dr. Marián Tulenko

se em Medicina Dentária pela Universidade de Kosice e foi médico dentista assistente do Departamento de Dentisteria da 1a Clínica de Estomatologia do Hospital Universitário de Kosice. Desde 1990 desenvolve actividade clínica no seu consultório privado, em Kosice, e desde 2000 é coordenador da Secção de Dentisteria da Sociedade Eslovaca de Medicina Dentária. A Dentisteria Estética e Restauradora, a Endodontia e a Traumatologia são as suas principais áreas de especialização, assuntos sobre os quais publicou e apresentou numerosos trabalhos e palestras.

Kosice, Eslováquia

D

Denominam-se fracturas corono-radiculares as fracturas dentárias com uma ou mais linhas de fractura que abrangem porções da coroa e da raiz (Andreasen/Andreasen, 1994). A linha de fractura geralmente parte de um ponto corono-vestibular e segue em direcção ápico-palatina até ao terço cervical da raiz, onde assume uma inclinação quase longitudinal e termina com um pequeno trecho angulado em direcção coronária (fig. 1). Esta fractura complexa coloca o profissional diante de uma difícil tarefa, uma vez que a manutenção do dente exigirá intervenções cirúrgicas, endodônticas, restauradoras e também ortodônticas. Na maioria dos casos, procuramos evitar a extracção do fragmento coronário, uma vez que isto traria várias desvantagens. Primeira: a extracção do fragmento exigiria uma pulpectomia imediata sob condições desfavoráveis (sangramento do periodonto, acesso visual prejudicado). Segunda desvantagem: em pouco tempo, a gengiva recobriria o fragmento remanescente e teria de ser removida. Terceira: a estética do paciente seria consideravelmente prejudicada. A melhor opção terapêutica é, portanto, manter o dente inteiro com auxílio de um “splint interno” (Ebelseder et al., 1993). No nosso consultório, utilizamos espigões de compósito reforçados com fibras de vidro (Rebilda Post, VOCO).

Caso clínico

Fig. 4. Fragmento coronário ferulizado com uma tira de fibra de vidro e compósito.

Licenciou-se em Medicina Dentária pela Universidade de Kosice e desde 2008 exerce a sua actividade profissional no consultório do Dr. Minˇ cík. É membro da Secção de Jovens Profissionais da Sociedade Eslovaca de Medicina Dentária. Suas publicações e palestras são dedicadas principalmente à Dentisteria Estética e Restauradora, à Endodontia e à Traumatologia.

Descrevemos o caso de um rapaz de 20 anos de idade que se apresentou na nossa clínica após um acidente desportivo. A coroa do dente 21 encontrava-se em supra-oclusão, com um alto grau de mobilidade e sensibilidade. A região cervical da coroa apresentava uma fenda de fractura rectilínea que sangrava ligeiramente (fig. 2). O diagnóstico de fractura corono-radicular foi confirmado pela radiografia, que mostra uma elipse com limites mal definidos. A linha inferior (C-line) corresponde à porção coronária da fractura, e a linha superior (R-line), à porção radicular (fig. 3). Imediatamente após o diagnóstico, procedeu-se à reposição exacta do fragmento sob anestesia local. A linha de fractura foi selada com um cimento de ionómero de vidro e compósito (Ionoseal, VOCO). O fragmento coronário foi ferulizado por vestibular com uma tira de fibra de vidro, que foi fixada com compósito nos dentes vizinhos (fig. 4). Deste modo, a função mastigatória do paciente foi restabelecida imediatamente, com apenas um discreto comprometimento estético.


publiVoco.qxp

25/10/10

16:00

Página 3

Fig. 6. Sistema Rebilda Post (VOCO).

Fig. 5. Tratamento endodôntico definitivo do dente 21.

Fig. 7. O espigão Rebilda Post posicionado no canal (vista palatina).

Fig. 8. Dente 21 após o tratamento - a função e a estética natural foram restabelecidas.

Após a ferulização, procedeu-se à abertura coronária e pulpectomia. Não foi possível realizar um tratamento endodôntico definitivo no primeiro atendimento devido ao intenso sangramento através do canal radicular. Por esta razão, o canal foi preenchido temporariamente com hidróxido de cálcio. Na segunda sessão de atendimento, o canal radicular foi tratado definitivamente (fig. 5). Para assegurar o êxito da fixação, executou-se um “splint interno” conforme preconizado por Ebelseder (Ebelseder et al., 1993), unindo ambos os fragmentos com um espigão radicular de compósito reforçado com fibras de vidro (Rebilda Post, VOCO –fig. 6–). O canal, com excepção dos 4 mm mais apicais, foi preparado com uma broca adequada. De seguida, o espigão foi adaptado e reduzido ao comprimento necessário fora da cavidade oral. Após a aplicação de um adesivo autocondicionante de polimerização dual (Futurabond DC, VOCO), o espigão foi introduzido com movimento giratório no canal (fig. 7). Após a fixação interna a ferulização vestibular foi removida. A superfície da linha de fractura coronária, que havia sido selada com o cimento de ionómero de vidro e compósito, foi desgastada cuidadosamente e, por fim, recoberta com uma camada de compósito fotopolimerizável de alta estética (Amaris, VOCO). Deste modo, foi possível restabelecer por completo a função mastigatória do dente, assim como a sua estética natural (fig. 8).

Conclusão

Com uma abordagem médico-dentária muldisciplinar, também é possível restaurar dentes anteriores com fracturas corono-radiculares. De acordo com a nossa experiência clínica, a realização de um “splint interno” com um espigão de compósito, como o Rebilda Post, para manter o dente inteiro na cavidade oral é uma boa opção de tratamento, que conduz ao êxito permanente e a resultados biologicamente irrepreensíveis.

Bibliografia 1.) Andreasen, J. O./Andreasen, F. M.: Textbook and colur atlas of traumatic injuries of the teeth, Copenhaga, Munksgaard, 1994. 2.) Ebelseder, K./Cartellieri, B./Polanski, R./Eskici, A.: Versuch der Erhaltung von Frontzähnen durch innere Schienung bzw. Transfixation, in: Quintessenz, 44, 1993 (9), p. 1597-1610. 3.) Ebelseder,K./Glockner, K.: Zahnerhaltung nach Kronen-Wurzel-Fraktur, in: Stomatologie, 97, 2000 (6), p. 11-14.

PUBLIREPORTAGEM


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 54

Dossier O uso de Érbio Ítrio Granada Alumínio (2.940 nm) em cirurgias periodontais com laser (retalho aberto)

Avi Reyhanian Médico Dentista. Prática de dentisteria geral e cirurgia oral em Netanya (Israel). Membro do corpo docente do Institute of Advanced Dental Education de Haifa (Israel). Asesor de la empresa Syneron Dental Lasers.

54

MAXILLARIS, Novembro 2010


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 55

Dossier Introdução As doenças periodontais estão entre as mais comuns das patologias orais. A periodontite crónica, caracterizada por inflamação local devido a infecção por bactérias patogénicas, destrói as estruturas de suporte dos dentes, incluindo os ligamentos periodontais, cemento e osso alveolar. A doença periodontal não tratada leva, então, à perda do dente, pois o aparelho de fixação e as estruturas de apoio do dente são destruídos. Os objectivos da terapia periodôntica são interromper o avanço da doença periodontal e regenerar essas estruturas perdidas durante a doença. Uma vez que as doenças periodontais são consideradas crónicas e destrutivas, quanto mais cedo começarem o diagnóstico e o tratamento, melhor será o prognóstico para o paciente. A inflamação periodontal é reversível quando se limita a áreas de tecidos moles (gengivite), mas, quando o tecido ósseo de suporte também se envolve (periodontite), a situação não se inverte se não for tratada. Para atingir essas metas, é essencial eliminar factores etiológicos, tais como placa bacteriana, cálculo dentário, cemento contaminado da superfície radicular e tecido conjuntivo infectado nos defeitos intraósseos ao redor dos dentes. Recentemente, várias terapias regenerativas, em conjunto com a cirurgia de retalho, passaram a ser usadas para o tratamento da periodontite avançada. Basicamente, no entanto, o sucesso dessas terapias depende ainda do desbridamento completo da superfície radicular contaminada e da remoção do tecido de granulação infectado. O objetivo é preservar os dentes naturais. São consideradas muitas variáveis para determinar se reduzir cirurgicamente a profundidade das bolsas beneficiará a higiene oral do paciente. Cirurgia periodontal com laser Er:YAG Normalmente, a remoção do cálculo e do tecido mole doente é feita com instrumentos mecânicos. No entanto, a instrumentação mecânica convencional com curetas ainda depende da técnica, leva muito tempo e por vezes mostra-se ineficaz, e os destartarizadores energizados são uma fonte de stress desconfortável, como ruídos e vibrações para o paciente. A terapia periodontal assistida a laser vem chamando a atenção recentemente como alternativa potencial para o tratamento mecânico convencional. Vários tipos de lasers estão sendo investigados como auxiliares à terapia periodontal. O laser Er:YAG (Er:YAG: ítrio, alumínio e granada), que é emitido no comprimento de onda de 2,94 mícrons, demonstrou ser útil para o tecido mole e duro. O laser Er:YAG produziu os resultados mais promissores32 e passou a ser um dos mais promissores lasers usados em periodontia, com uma ampla gama de aplicações, tais como: • Incisão para elevação de retalho2,4,26. • Remoção de cálculo18. • Alta capacidade bactericida9. • Ablação do tecido de granulação1,27. • Efeito de desintoxicação em lipopolissacarídeos da superfície radicular doente7,30,31. • Ablação do osso: remodelagem e formação, sem maiores efeitos colaterais térmicos

• Condicionamento radicular favorável para a aderência dos fibroblastos20,2,26,1,28,29. Um ensaio clínico controlado já foi realizado por Schwarz et al23. Eles demonstraram que a terapia da bolsa periodontal com laser de Er:YAG obteve resultados equivalentes ou melhores em comparação com a terapia mecânica convencional com curetas do tipo Gracey. Além disso, Sculean et al24 relataram que o desbridamento do tecido de granulação do laser Er:YAG no defeito intraósseo, durante a cirurgia de retalho periodontal, foi tão eficaz quanto com instrumentos mecânicos convencionais. Portanto, a segurança e a eficácia clínicas do laser Er:YAG foram demonstradas para a terapia periodontal não cirúrgica e cirúrgica, e este laser tornou-se um dos mais promissores lasers utilizados na periodontia2, 24. O objetivo deste estudo de caso é demonstrar a eficácia do uso de um laser Er:YAG para a cirurgia periodontal. A abordagem convencional é fazer uma incisão com um bisturi, usar um elevador periosteal para levantar um retalho e, em seguida, remover o tecido de granulação com ferramentas mecânicas. A reconstrução e a remodelagem ósseas são realizadas com instrumentos giratórios e cinzéis variados. O uso de um laser Er:YAG para a cirurgia periodontal é mais rápido e mais confortável para o paciente. Este estudo de caso demonstra o uso do sistema de laser Er:YAG LiteTouch para todo o procedimento, em tecidos moles e duros4,8,9. Este artigo vai demonstrar que o laser Er:YAG pode ser usado como alternativa de tratamento quando se trabalha no osso8,14. Estudo de caso cirúrgico Homem saudável, 55 anos, apresentou queixas de mau hálito e sangramento recorrente. O exame clínico demonstrou sangramento na sondagem com profundidades de sondagem de bolsa de 5-6 mm (fig. 1), dentes estáveis sem mobilidade, e exsudação. Um raio X revelou perda óssea horizontal e vertical (fig. 2). Portanto, este caso foi classificado como periodontite severa. O dentista iniciou o tratamento com remoção completa da placa e dimensionamento e alisamento radicular e, em seguida, instruiu o paciente de forma mais agressiva em relação à higiene oral. Seis semanas depois, a situação foi reavaliada: não houve melhoria clínica significativa na profundidade da bolsa e no sangramento durante a sondagem. Decidiu-se pelo procedimento cirúrgico, que envolveu o levantamento de um retalho. Aparelho de laser O aparelho de laser usado foi um laser Er:YAG (LiteTouch, Syneron Medical Ltd.) As características deste sistema são de comprimento de onda de 2,94 mícrons, uma faixa de energia de saída de 5-70 mJ/pulso, uma faixa de frequência de pulso de 11-50 pulsos por segundo (Hz) e uma duração de pulso de 200 microsegundos. O sistema não utiliza um método de fornecimento de fibras; o meio do laser está no aplicador. Também usa um sistema especial de água pulverizada para arrefecer a área irradiada. A água misturada com ar é libertada de forma coaxial

MAXILLARIS, Novembro 2010

55


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 56

Dossier até a ponta de contacto, que abrange a área do alvo durante a irradiação, garantindo um fornecimento preciso e adequado de água. Um sistema opcional de alimentação por garrafa é integrado ao sistema, para garantir um fornecimento esterilizado de água salina durante a cirurgia. Foram realizadas incisões intrasulculares vestibulares e palatinas com ponta de 600 mícrons4, com anestesia local (fig. 3). Foi usada água pulverizada para arrefecimento dos tecidos durante todo o procedimento com laser. A ponta de safira de 600 mícrons foi usada em ajustes de 200 milliJoules/35 Hz (= 7W) no modo de contacto na profundidade intrasulcular. Depois que o retalho foi levantado (fig. 4), o tecido granulado foi removido por ablação e vaporização, usando-se uma ponta de 1.300 mícrons, modo de não contacto, a uma distância de 11,5 mm do tecido-alvo (fig. 5). A energia utilizada para esse procedimento foi de 400 mJ/20 Hz (= 8W). Em frestas estreitas, nas quais a ponta era muito grande, a ponta de 1.300 mícrons foi substituída por uma ponta cónica mais estreita (800 mícrons) e a energia diminuiu. Como o laser é accionado a partir da extremidade, e não das laterais, mesmo quando o lado da ponta está “apoiado” em outro dente durante o disparo, não ocorre nenhum dano nos dentes adjacentes. Após a ablação do tecido suave2, o tecido duro é tratado: para a reconstrução óssea, a potência é de 300 mJ/20 Hz1,2,8 (= 7W). A ponta escolhida é uma ponta de safira de 1.300 mícrons aplicada em modo de não contacto8,14. Para a suavização óssea, a potência aplicada é de 150 mJ/50 Hz (= 7,5W), com ponta de safira de 1.300 mícrons em modo de não contacto. Hoje, com a ajuda da ponta do cinzel, é possível criar, moldar e tornar proeminente a fronteira entre a raiz e o osso emitindo laser nessa borda, com um ajuste baixo de potência, de 100mJ/20 Hz (fig. 12). Antes de fechar o retalho, devese aplicar a potência do laser às raízes expostas, em modo de não contacto, nos pontos vestibulares, palatinos e interproximais, com um nível de potência muito baixo de 100 mJ/35 Hz (= 3,5W), usando uma ponta de safira de 1.300 mícrons no modo de não contacto (fig. 6). Este passo é importante porque melhorou a fixação do tecido mole à raiz e reduziu muito a endotoxina bacteriana a partir da superfície da raiz5, 7,9,10,12,13,15,18,19. A incisão de descarga vertical não foi necessária porque o descolamento do retalho foi adequado. Esse procedimento especial foi realizado sem o auxílio de curetas, equipamentos giratórios ou cinzéis. Se o cálculo subgengival estivesse estado presente, no entanto, teria sido removido com um cinzel com ponta de safira (fig. 11). Estudos mostram que o cálculo subgengival pode ser removido com laser Er:YAG15, 16,17,18,19. O paciente retornou no dia seguinte e informou que já sentia menos dor; não foi observado inchaço3,9. O paciente foi agendado para terapia de manutenção em intervalos de três meses, por um período de três anos. Quinze meses após a intervenção, foram avaliados os níveis de inserção clínica, a profundidade da sondagem das bolsas, a recessão, o índice de placa em toda a boca e o índice de sangramento em toda a boca. Nenhuma profundidade da bolsa ultrapassou os 3 mm. As fotos e os raios X apresentados nas figs. 1 a 11 descrevem os vários estágios deste estudo de caso.

56

MAXILLARIS, Novembro 2010

Várias vantagens foram observadas na utilização dos lasers em cirurgia periodontal: • Menos sangramento durante o procedimento. • Descontaminação do ponto cirúrgico – o laser é bactericida18 (não foram necessários antibióticos após a cirurgia). • Resultado pós-operatório confortável – menos inchaço e menos dor. Estudos mostram que isso se deve parcialmente ao fechamento dos vasos sanguíneos menores, dos vasos linfáticos e das terminações nervosas expostas3. • Limpeza mais eficaz do osso1,2,14. • Conclusão mais rápida do procedimento cirúrgico3 e tratamento facilitado2. • Nenhuma vibração com a ferramenta giratória – conforto do paciente3. • O laser Er:YAG não produz uma camada de lama dentária, deixando uma superfície do osso que está absolutamente limpa, reduzindo a possibilidade de infecção secundária. Muitos estudos têm demonstrado que, quando o laser Er:YAG e outros lasers são aplicados ao osso, são liberados factores de crescimento que melhoram a regeneração do osso1: reparação óssea mais rápida após a irradiação do que a perfuração com broca convencional. Os implantes inseridos nos orifícios feitos com laser Er:YAG podem apresentar maior contacto com o osso do que os preparados pelos métodos convencionais14. Pontos de atenção especial Existem pontos específicos que requerem atenção quando se utilizam lasers para o tecido ósseo: • Constante movimento da mão durante a emissão laser – evite a aplicação do feixe de laser em qualquer ponto por mais tempo do que o necessário. Os lasers dentários são dispositivos térmicos por natureza; a longa interacção entre o laser e o tecido-alvo aumentam a temperatura do tecido. Estudos mostram, no entanto, que, quando usados correctamente, a temperatura gerada por um feixe de laser não é maior do que aquela gerada pelas ferramentas giratórias6,8. • O uso de solução salina em oposição à água destilada como líquido de arrefecimento, ou seja, fornecer ao tecido ósseo um ambiente isotónico. • O ajuste de potência do laser Er:YAG deve ficar abaixo de 400 mJ (8W), mantendo o aplicador em movimento constante. • A aplicação do laser ao tecido ósseo deve estar no modo de não contacto, com uma distância de 1-2 mm entre a ponta do aplicador e do tecido-alvo; quando as incisões sobrejacentes do tecido são realizadas, recomenda-se operar em modo de contacto até sentir contacto com o osso. Deve-se usar água pulverizada para resfriamento do tecido em todo o procedimento de laser Er:YAG.

Discussão A cirurgia com laser Er:YAG faz o paciente ficar menos tempo na cadeira e invariavelmente proporciona melhores resultados do que as abordagens convencionais, contribuindo para deixar o paciente mais feliz.


publi

21/5/10

11:11

Pรกgina 1


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 58

Dossier A definição de um cirurgião odontológico a laser completo é aquele que sabe como ajustar o comprimento de onda ao procedimento, mas isso não é suficiente. A potência do comprimento de onda e o movimento e a posição do feixe também devem ser adaptados ao procedimento (energia eléctrica, densidade de energia e duração de irradiação). O cirurgião deve ser bem treinado e qualificado. Foi obtido um nível de qualidade mais elevado de remoção do tecido de granulação com o laser2,4,8, o osso não tinha uma camada de lama dentária, o tecido curou-se com mais rapidez, e o paciente sentiu-se melhor após a cirurgia periodontal com laser3.

Fig. 1. Imagem de raio X na apresentação.

58

Fig. 2. A sonda peridontal indica bolsas de 5-6 mm.

Fig. 3. Incisão de laser Er:YAG; ponta de safira de 600 microns, modo de contacto, potência de 200 mJ, 35 Hz.

Fig. 4. Imediatamente após levantar o retalho.

Fig. 5. Ablação do tecido de granulação com ponta de safira de 1.300 microns, sem contacto, 400 mJ, 20 HZ.

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

22/10/10

13:41

Pรกgina 1


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 60

Dossier

60

Fig. 6. Imediatamente após a ablação.

Fig. 7. Imediatamente após a operação.

Fig. 8. Seis meses após a operação.

Fig. 9. Quinze meses após a operação.

Fig. 10. Imagem de raio X quinze meses após a operação.

Fig. 11. A ponta do cinzel para remoção do cálculo.

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

23/7/10

09:42

Pรกgina 1


Artigo Dossier.QXP

25/10/10

09:24

Página 62

Dossier Conclusão Em conclusão, o laser Er:YAG LiteTouch pode ser utilizado com segurança e eficácia para desgranulação e desbridamento radicular na cirurgia de retalho periodontal, sem causar grandes efeitos colaterais térmicos na raiz e nas superfícies ósseas e danos pulpares. O laser LiteTouch possui características especialmente adequadas para o tratamento periodontal, devido à sua dupla capacidade para realizar ablação do tecido mole e duro, com danos mínimos. O laser Er:YAG LiteTouch (Syneron Medical Ltd.) tem-se mostrado uma ferramenta eficaz e promissora para a terapia e cirurgia periodontais e exerce um efeito de esterilização nas estruturas dentárias.

Bibliografia 1. Sasaki KM, Aoki A, Ichinose S, Yoshino T, Yamada S, Ishikawa I. Scanning Electron Microscopy and Fourier Transformed Infrared Spectroscopy Analysis of Bone

Removal Using Er:YAG and CO2 Lasers. J Periodontol 2002; 73(6): 643-652. 2. Ishikawa I, Aoki A,Takasaki AA. Potential Applications of Er:YAG:YAG Laser in Periodontics. J Periodontal Res 2004; 39(4): 275-285. 3. Lioubavina-Hack N. Lasers in Dentistry.The use of Lasers in Periodontology. Ned Tijdschr Tandheelkd 2002; 109(8):286-292. Erratum in Ned Tijdschr Tandheelkd

2002; 109(10): 415. Watanabe H,Ishikawa I,Suzuki M,Hasegawa K. Clinical Assessments of the Er:YAG Laser for Soft Tissue Surgery and Scaling. J Clin Laser Med Surg 1996; 14(2): 67-75. Folwaczny M, Aggstaller H, Mehl A, Hickel R. Removal of Bacterial Endotoxin from Root Surface with Er:YAG Laser. Am J Dent 2003; 16(1): 3-5. Armengol V, Jean A, Marion D. Temperature Rise During Er:YAG and Nd:YAG Laser Ablation of Dentin. J Endod 2000; 26(3): 138-141. Yamaguchi H, Kobayashi K, Osada R, Sakuraba E, Nomura T, Arai T, Nakamura J. Effects of Irradiation of an Er:YAG Laser on Root Surfaces. J Periodontol 1997; 68(12): 1151-1155. 8. Use of the Dental Er:YAG Laser (2940nm) for Contouring and Resection of Osseous Tissue (Bone) and the Preparation of Endodontic Canals, ©2000 to 2002 Institute for Laser Dentistry, http://www.laserdentistry.ca/Er:YAG.html. Accessed October 30, 2006. 9. Ando Y, Aoki A,Watanabe H, Ishikawa I. Bactericidal Effect of Er:YAG YAG Laser on Periodontopathic Bacteria. Lasers Surg Med 1996; 19(2): 190-200. 10. Pourzarandian A, Watanabe H, Aoki A, Ichinose S, Sasaki KM, Nitta H, Ishikawa I. Histological and TEM Examination of Early Stages of Bone Healing after Er:YAG Laser Irradiation. Photomed Laser Surg 2004; 22(4): 342-350. 11. Crespi R, Romanos GE, Barone A, Sculean A, Covani U. Er:YAG Laser in Defocused Mode for Scaling Of Periodontally Involved Root Surfaces: An In-Vitro Pilot Study. J Periodontol 2005; 76(5): 686-690. 12. Theodoro LH, Haypek P, Bachmann L, Garcia VG, Sampaio JE, Zezell DM, Eduardo Cde P. Effect of Er:YAG and Diode Laser Irradiation on the Root Surface: Morphological and Thermal Analysis. J Periodontol 2003; 74(6): 838-843. 13. Pourzarandian A, Watanabe H, Ruwanpura SM, Aoki A, Ishikawa I. Effect of Low-Level Er:YAG Laser Irradiation on Cultured Human Gingival Fibroblasts. J Periodontol 2005; 76(2): 187-193. 14. Feist IS, De Micheli G, Carneiro SR, Eduardo CP, Miyagi S, Marques MM. Adhesion and Growth of Cultured Human Gingival Fibroblasts on Periodontally Involved Root Surfaces Treated by Er:YAG Laser. J Periodontol 2003; 74(9): 1368-1375. 15. Rupprecht S,Tangermann K, Kessler P, Neukam FW,Wiltfang J. Er:YAG Laser Osteotomy Directed by Sensor Controlled Systems. J Craniomaxillofac Surg 2003; 31(6): 337-342. 16. Eberhard J, Ehlers H, Falk W, Acil Y, Albers HK, Jepsen S. Efficacy of Subgingival Calculus Removal with Er:YAG Laser Compared to Mechanical Debridement: An In-Situ Study. J Clin Periodontol 2003; 30(6): 511-518. 17. Folwaczny M, Mehl A, Haffner C, Benz C, Hickel R. Root Substance Removal with Er:YAG Laser Radiation at Different Parameters Using a New Delivery System. J Periodontol 2000; 71(2): 147-155. 18. Schwarz F, Putz N, Georg T, Reich E. Effect of an Er:YAG Laser on Periodontally Involved Root Surfaces: An In-Vivo and In-Vitro SEM Comparison. Lasers Surg Med 2001; 29(4): 328-335. 19. Folwaczny M, Mehl A, Aggstaller H, Hickel R. Antimicrobial Effects of 2.94 Micron Er:YAG Laser Radiation on Root Surfaces: An In-Vitro Study. J Clin Periodontol 2002; 29(1): 73-78. 20. Crespi R, Barone A, Covani U. Er:YAG Laser Scaling of Diseased Root Surfaces: A Histologic Study. J Periodontol 2006; 77(2): 218-222. 21. Sasaki KM, Aoki A, Ichinose S, Ishikawa I. Ultrastructural Analysis of Bone Tissue Irradiated by Er:YAG Laser. Lasers Surg Med 2002; 31(5): 322-332. 22. Schwarz F, Aoki A, Sculean A, Georg T, Scherbaum W, Becker J. In-Vivo Effects of an Er:YAG Laser, an Ultrasonic System and Scaling and Root Planing on the Biocompatibility of Periodontally Diseased Root Surfaces in Cultures Of Human PDL Fibroblasts. Lasers Surg Med 2003; 33(2): 140-147. 23. Feist IS, De Micheli G, Carneiro SR, Eduardo CP, Miyagi S, Marques MM. Adhesion and Growth of Cultured Human Gingival Fibroblasts on Periodontally Involved Root Surfaces Treated by Er:YAG Laser. J Periodontol 2003; 74(9): 1368-1375. 24. Schwarz F, Sculean A, Georg T, Reich E. Periodontal Treatment with an Er:YAG Laser Compared to Scaling and Root Planing. A Controlled Clinical Study. J Periodontol 2001; 72(3): 361-367. 25. Aoki A, Sasaki KM,Watanabe H, Ishikawa I. Lasers in Nonsurgical Periodontal Therapy. J Periodontol 2000 2004; 36: 59-97. 26. Sculean A, Schwarz F, Berakdar M, Windisch P, Arweiler NB, Romanos GE. Healing of Intrabony Defects Following Surgical Treatment With or Without an Er:YAG Laser. J Clin Periodontol 2004;31(8): 604-608. 27. Shikawa I, Sasaki KM, Aoki A,Watanabe H. Effects of Er:YAG Laser on Periodontal Therapy. J Int Acad Periodontol. 2003 Jan:5(1): 23-8. 28. Nelson JS et al. Mid-Infrared Er:YAG YAG Laser Ablation of Bone: the Effect of Laser Osteotomy on Bone Healing. Lasers Surg Med. 1989; 9: 362-374. 29. Kreisler M, Kohnen W, Marinello C, Getz H, Duschner H, Jansen B, d'Hoedt B. Bactericidal Effect of the Er:YAG Laser on Dental Implant Surfaces: An In-Vitro Study. J Perio. Vol. 73, No. 11, Nov. 2002. 30. Rupprecht S, Tangermann K, Kessler P, Neukam KW, Wiltfang J. Er:YAG Laser Osteotomy Directed by Sensor Controlled Systems. Craniomaxillifac Surg. 2003 Dec; 31(6): 337-42. 31. Crespi R, Barone A, Covani U. Effect of Er:YAG Laser on Diseased Root Surfaces: An In-Vivo Study. J Periodontol 2005 August; 76(8): 1386-90. 32. Feist IS, De Micheli G, Carneiro SR, Eduardo CP, Miagi S, Marques MM. Adhesion and Growth of Cultured HumanGingival Fibroblasts On Periodontally Involved Root Surfaces Treated by Er:YAG Laser. J Periodontol 2003 Sep; 74(9): 1368-75. 33. Chanthaboury R, Irinakis T. The Use of Laser for Periodontal Debridement: Marketing Tool or Proven Therapy. J Can Dent Assoc. 2005Oct; 71(9): 653-8. 4. 5. 6. 7.

62

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

22/10/10

08:57

Pรกgina 1


Calendario de Cursos Nov10.qxp

25/10/10

09:30

Página 64

Calendário de cursos IV Curso de Implantologia O IV Curso de Implantologia inicia-se na primeira semana de Novembro, no Visage, Centro de Estética e Reabilitação Dento Facial. O curso é coordenado por Miguel Moura Gonçalves que, em conjunto com outros oradores, irá abordar temas específicos para os profissionais da medicina dentária que querem incorporar os implantes como tratamento habitual na sua clínica. O curso está dividido em três vertentes: formação teórica-prática modular; acompanhamento de casos clínicos; e realização de tratamentos em doentes próprios, sob a orientação do coordenador do curso. Módulos: 5 e 6 Novembro, 10 e 11 de Dezembro, 14 e 15 de Janeiro e 12 de Fevereiro de 2011.

Nobel Biocare. 223 747 350 • www.nobelbiocare.com

Formação contínua em Implantologia A Ceodont vai organizar em 2011 novos cursos de formação contínua na área da Implantologia, ministrados por Mariano Sanz Alonso e José de Rábago Vega com a colaboração de Bertil Friberg. O objectivo destes ciclos formativos é proporcionar ao médico dentista generalista uma série de cursos estruturados em Implantologia, de modo a que o profissional possa obter uma formação teórica e clínica, que lhe permita familiarizar-se neste domínio da medicina dentária. Através da realização de um programa prático organizado, os participantes poderão adquirir uma série de conhecimentos mínimos para se introduzirem na Implantologia Clínica. O programa dos cursos – que inclui uma apresentação detalhada do sistema Branemark – divide-se nos seguintes módulos: • M��dulo 1: Diagnóstico e plano de tratamento (24 a 26 de Março). • Módulo 2: Cirurgia de implantes (28 a 30 de Abril). • Módulo 3: Prótese sobre implantes (19 a 21 de Maio). • Módulo 4: Curso sobre cadáveres e cirurgia e prótese em casos complexos (23 a 25 de Junho).

CEOdont (Grupo Ceosa). (0034) 915 542 455 • cursos@ceodont.com • www.ceodont.com

II Curso intensivo de Periodontologia Estão abertas as inscrições para a segunda edição do curso intensivo de Periodontologia organizado pela ITI (International Team for Implantology), em colaboração com a Straumann, que irá realizar-se entre o próximo mês de Dezembro e Março de 2011, no Centro de Estudos de Medicina Dentária do Amial. O curso será coordenado por Célia Coutinho Alves e contará com o apoio de Manuel Neves, Juan Blanco Carrión, Teresa Pinho e Helena Rebelo. O objectivo desta iniciativa é oferecer a oportunidade aos participantes de avançar na sua formação na área da Periodontologia, com uma vertente essencial de aplicação clínica.

Straumann. 228 347 766. anacristina@manuelneves.com

Curso modular de odontopediatria A próxima edição do curso modular de odontopediatria da Osteoplac vai ter início no dia 15 de Junho de 2011. As vagas são reduzidas e limitadas devido ao carácter prático do curso, que será ministrado por Fernando Escobar, professor catedrático da Universidade de Concepción (Chile). Dirigido a médicos dentistas especializados no paciente infantil, o curso terá lugar nas instalações da Osteoplac Congressos em São Sebastião (Espanha). Cada módulo inclui exercícios práticos com pacientes e prática clínica, com o propósito de transmitir novos conhecimentos ou reavaliar procedimentos convencionais.

Osteoplac. (0034) 902 422 420 • congresos@osteoplac.com • www.osteocongress.com

64

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

25/10/10

17:02

Pรกgina 1


Calendario de Cursos Nov10.qxp

25/10/10

09:30

Página 66

Calendário de cursos XV Curso integral de Implantes em Madrid A ITI (International Team for Implantology), em colaboração com a Straumann, inicia este mês a XV edição do curso integral de Implantes em Madrid. O objectivo do curso é proporcionar ao aluno os conhecimentos e a capacidade para tratar pacientes com implantes em situações clínicas que surgem no dia-a-dia. O conteúdo teórico-prático deste curso foi delineado para que o profissional adquira a capacidade suficiente para seleccionar o tratamento mais adequado a cada paciente e assegurar assim um resultado clínico seguro, fiável e estético. Os alunos teráo oportunidade de realizar práticas em modelos e fantomas, práticas pré-clínicas em modelos animais e colocação de implantes em paciente com supervisão do corpo docente.

Straumann. 214 212 171 • formación.pt@straumann.com • www.straumann.pt

Cursos de formação contínua em Ortodontia A Ledosa (Grupo Ceosa) prossegue com o seu leque de cursos de formação contínua em ortodontia, em Madrid (Espanha). As próximas datas são: • Curso 3: Cementação e biomecânica, de 25 a 27 de Novembro. • Curso 4: Tratamento da classe II, de 16 a 18 de Dezembro. • Curso 5: Tratamento da classe III, de 27 a 29 de Janeiro, de 2011. • Curso 6: Prática do diagnóstico e plano de tratamento: de 3 a 5 de Março de 2011. • Curso 7: Biomecânica avançada e autoligado, de 7 a 9 de Abril de 2011. • Curso 8: Ortodontia multidisciplinar, de 19 a 21 de Maio de 2011.

Ledosa (Grupo Ceosa) • cursos@ledosa.com • www.ledosa.com

Curso de tratamento do paciente dolicofacial Nos dias 20 e 21 do próximo mês de Fevereiro vai ter lugar, nas instalações de Osteoplac Congresos, em São Sebastião (Espanha), um curso de tratamento do paciente dolicofacial em dentição mista e permanente, que terá como orador o ortodoncista chileno Gonzalo Gutiérrez. O programa do curso abrange temáticas como o diagnóstico diferencial (cefalométrico, estético e funcional) e a mecânica diferencial para cada uma das fases de tratamento (alinhamento, nivelação, fecho de espaços, manejo do plano oclusal, coordinação dos arcos dentários, etc.). Também será abordada a importância da correcta localização de brackets e tubos molares, bem como a contenção no paciente dolicofacial e casos clínicos.

Osteoplac. (0034) 902 422 420 • congresos@osteoplac.com • www.osteocongress.com

66

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

18/10/10

12:04

Pรกgina 1


Calendario de Cursos Nov10.qxp

25/10/10

09:30

Página 68

Calendário de cursos Curso modular de ortodontia clínica Está previsto para o dia 15 de Fevereiro do próximo ano o início de um novo curso modular teórico-prático na área da ortodontia, organizado por Osteoplac Congressos em São Sebastião (Espanha). O curso consta de oito módulos, cada um de cinco dias de duração e com periodicidade aproximada de quatro meses. O curso dirige-se a ortodontistas em geral, com prioridade para antigos alunos Roth-Williams. No âmbito da parte prática do curso, realizar-se-ão demonstrações clínicas e de laboratório, incluindo exercícios entre as sessões para os participantes, a realizar de forma individual. Na parte clínica, cada aluno tratará pacientes em dentição permanente e dentição mista. Os principais orientadores do curso são os ortodontistas chilenos Jorge Ayala e Gonzalo Gutiérrez. Também participam como oradores convidados Domingo Martín (ortodontista espanhol) e Mariano Rocabado (kinesiólogo chileno).

Osteoplac. (0034) 902 422 420 congresos@osteoplac.com • www.osteocongress.com

Formação contínua em Estética Dentária A CEOdont tem em curso uma acção de formação em estética dental, que aborda tratamentos periodontais, protésicos e restaurativos, relacionando-os e aplicando a teoria à prática. O curso é ministrado por Mariano Sanz Alonso, Manuel Antón Radigales e José A. de Rábago Vega. Os próximos módulos são: • Restauração com compósitos: manchas e más posições dentárias: 19/20 deste mês. • Facetas de porcelana: preparação, execução e impressão: 21/22 de Janeiro. • Facetas de porcelana: cementação e coroas de recobrimento total: 18/19 de Março. • Grupos anteriores estéticos: 1/2 de Abril.

CEOdont (Grupo Ceosa). (0034) 915 542 455 • cursos@ceodont.com

Curso de Facetas (segundo módulo) A MD Clínica agendou para o último trimestre do corrente ano um curso de facetas, com forte componente prática, em pacientes. O segundo módulo deste curso, que decorrerá nos próximos dias 27 e 28 de Novembro, será dominado pela temática relativa à colagem definitiva das facetas em cerâmica. O instrutor do curso é Alessandro Nezo, de origem italiana, com prática exclusiva em prótese fixa e consultor da Ivoclar.

MD Clínica. 213 828 550 ou 933 000 204 (Marta Oliveira e Luísa Sofio).

68

MAXILLARIS, Novembro 2010


publi

28/4/10

10:17

Página 1

A Implant Brazil reúne profissionais da América Latina e Europa, com o objectivo de transmitir aos alunos dos cursos relacionados com a Implantologia o conhecimento mais actual nesta área. Os cursos são reconhecidos pelos órgãos competentes dando ao profissional segurança e confiabilidade. Dispomos e colocamos à disposição dos nossos alunos, salas, consultórios, laboratórios, assim como a mais avançada estrutura tecnológica.


Congressos Nov10.qxp

25/10/10

10:38

Página 70

Congressos e reuniões Congresso de Implantologia em Paris Realiza-se nos próximos dias 10 e 11 o 20º congresso das “10 horas de implantologia”, sob a égide da AROM (Association de Recherche Odontologique Maxilllofaciale), em Paris. Durante este evento dedicado aos novos procedimentos e actualidades em Implantologia, é possível assistir a quatro cirurgias em directo e a 26 palestras proferidas por grandes nomes da especialidade. Este evento diferencia-se por reunir num só local e num curto espaço de tempo as mais recentes inovações em implantologia, numa perspectiva muito prática e direccionada.

Sinusmax. 229 377 749 • formacao@sinusmax.com • http://www.sinusmax.com/news11/index.html

29º congresso de São Paulo agendado para o final de Janeiro A 29ª edição do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo vai decorrer entre os dias 29 de Janeiro e 2 de Fevereiro de 2011, ano em que a Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD), que organiza o evento, assinala o seu centenário. O maior encontro da América Latina na área da Medicina Dentária é reconhecido internacionalmente por ser uma referência no domínio da actualização técnica e científica do sector, para além de constituir uma concorrida montra de exibição das últimas soluções da indústria dentária. A última edição do CIOSP somou mais de 60 mil participantes, entre médicos dentistas, estudantes de Medicina Dentária, técnicos de prótese dentária e outros profissionais do sector.

www.ciosp.com.br

II congresso Expo-Orto realiza-se em Abril de 2011 A segunda edição do congresso Expo-orto/Expo-oral, que se realizará entre os dias 7 e 9 de Abril de 2011, já atingiu cerca de 90% das expectativas da organização quanto a expositores e conferencistas. A reunião terá lugar na capital espanhola e concentrará o debate na área da implantologia, entre outros temas. Entre as novidades na edição do próximo ano, sobressai o facto da maioria das sociedades científicas estarem presentes tanto na exposição comercial como no programa científico. Os participantes no encontro (com entrada livre) terão à disposição três espaços científicos diferenciados: a sala plenária, para conferências e mesas redondas; o espaço Innova, onde os expositores vão apresentar as últimas novidades da indústria, e a sala de workshops, na qual estão previstas sessões práticas com grupos reduzidos.

www.expoorto.com

70

MAXILLARIS, NOVembro 2010


publi

6/10/08

09:17

Pรกgina 1


publi

8/10/09

09:16

Pรกgina 1


Novidades Nov10.qxp

25/10/10

15:44

Página 74

Novidades da indústria OxyJet Centre com irrigador e escova Oral-B. (0034) 917 22 23 22.

A Oral-B lançou um novo OxyJet Centre que inclui dois elementos fundamentais: irrigador e escova de dentes eléctrica. O irrigador impele o jacto de água com duas variantes: jacto simples ou jacto rotativo, enriquecido com 5% de ar em forma de micro-bolhas de longa duração que actuam sobre as bactérias anaeróbias das bolsas gengivais, minimizando assim o risco de gengivite. A escova de dentes eléctrica é de última geração (Professional Care 3000), com a comprovada tecnologia oscilante-rotacional-pulsátil, que apresenta um sensor de pressão visível no cabo da escova possibilitando os níveis mais elevados de eficácia e segurança, e também um temporizador de dois minutos (4 x 30 seg.) e três modos de escovagem (8.800 rotações e 40.000 pulsações por minuto no modo de limpeza normal) com uma ampla gama de recargas.

Novas conexões Atlantis para Dentsply Friadent e Straumann Astra Tech expande as opções dos pilares individualizados Atlantis que passam a incluir implantes XiVE e Frialit da Dentsply Friadent e implantes Standard/Standard Plus (Wide Neck) da Straumann para clientes norte-americanos. Dentsply Friadent é o último fabricante a ser acrescentado à crescente gama de pilares individualizados Atlantis, numa altura em que estes já estão disponíveis para os principais sistemas de implantes como Astra Tech, Straumann, Nobel Biocare, Biomet 3i e Zimmer Dental. Os pilares Atlantis são concebidos e produzidos usando o software Atlantis VAD (Virtual Abutment Design - Desenho Virtual do Pilar), um processo patenteado que combina digitalização óptica 3-D “state-of-the-art”, software e métodos de fabrico avançados para produzir pilares individualizados que eliminam a necessidade de modificações manuais. Os pilares Atlantis ajudam a aumentar as possibilidades das restaurações cimentadas implantosuportadas e estão disponíveis para todos os principais sistemas de implantes em titânio, titânio dourado e dois tons de zircónio.

Astra Tech Dental. (0034) 902 101 558 www.astratech.pt

Novo implante BNT Defcon Portugal. 220 995 600 (Ricardo Faria) • rfaria@defcon.es

74

MAXILLARIS, Novembro 2010

A Defcon Tissue Care desenvolveu o novo implante BNT, que integra avanços inovadores, permitindo ao mesmo tempo conseguir resultados clínicos previsíveis. O desenho do colo do novo BNT inclui uma microespira que permite uma distribuição das forças na fase de inserção do implante. Por outro lado, o corpo do implante é autorroscante. Este desenho da rosca exterior oferece várias vantagens, entre as quais se destacam o ser minimamente invasivo, uma rosca direccional que facilita a inserção dos implantes e encurta os tempos cirúrgicos, a diminuição do aumento de temperatura do osso durante a inserção do implante, o estímulo biomecânico do tecido ósseo e, por último, a máxima estabilidade do implante na sua inserção. O BNT Advance inclui, no seu desenho, um perfil de emergência de 0.7 mm para a criação, o cuidado, a conformação e a manutenção dos tecidos moles. Quanto à plataforma desenhada, o implante apresenta uma anodizada que inclui codificação de cor da série correspondente ao sistema, o que permite uma identificação imediata da série do implante, inclusive nas situações mais difíceis.


publi

25/10/10

16:39

Pรกgina 1


Novidades Nov10.qxp

25/10/10

15:44

Página 76

Novidades da indústria OsseoSpeed TX com novo Apex A Astra Tech apresentou o implante OsseoSpeed TX no último congresso anual da Sociedade Espanhola de Periodontologia e Osteointegração, que decorreu em Girona (Espanha). Esta novidade da Astra Tech permitirá uma instalação mais simples do implante, bem como a possibilidade de realizar uma infra-perfuração em ossos pouco densos. O OsseoSpeed TX apresenta um Apex mais estreito, facilitando a instalação do implante em todas as indicações. Este Apex mais estreito foi introduzido pela primeira vez no implante OsseoSpeed 3,0 S para espaços estreitos, aplicando-se agora a toda a linha de implantes Astra Tech. A gama completa de implantes OsseoSpeed TX cobre todas as indicações, desde casos com osso normal até casos com altura limitada de osso, assim como a substituição de incisivos laterais superiores e incisivos inferiores com reduzido espaço horizontal e tanto em situações anteriores como posteriores.

Astra Tech Dental. (0034) 902 101 558 www.astratech.pt

Fotopolimerizador DouroLed Douromed. 224 152 279/80 www.douromed.com

76

DouroLed é o primeiro fotopolimerizador de luz LED em Portugal de marca própria da Douromed. Sempre na procura de oferecer aos profissionais as melhores soluções aos melhores preços, a Douromed apresenta este aparelho que consiste em dois fotopolimerizadores numa mesma base, no fundo, são aparelhos em um, sem fios, com uma potência de 1.650 mw/cm2 e com uma autonomia de três dias ou 500 polimerizações.

MAXILLARIS, Novembro 2010

Biblioteca Multimédia

96.50 €

91.50 €

96.50 €

Faça o seu pedido através do tel.: 707 503 328


Novidades Nov10.qxp

25/10/10

15:45

Página 78

Novidades da indústria Straumann Cares CadCam Straumann. 214 212 170. www.straumann.com

Sob a marca Straumann Cares CadCam, a Straumann coloca à disposição dos profissionais uma nova solução tecnológica avançada e fiável para as restaurações precisas e de alta qualidade. O scanner da nova geração Straumann Cares CS2 e o inovador software Straumann Cares Visual 6.0 permitem ao técnico dentário elaborar a solução mais adequada (inlays, onlays, facetas, pilares Cad, barras e pontes aparafusadas, etc.) com a mais ampla gama de materiais (dióxido de zircónio, titânio, cromo-cobalto, vitrocerâmica IPS de Ivoclar Vivadent, etc.).

FotoSan: desinfecção activada pela luz FotoSan é um LED vermelho utilizado na desinfecção activada pela luz (LAD), oferecendo novas opções de terapia. Este LED utiliza uma tecnologia desenhada, desenvolvida, fabricada e patenteada na Hansa Dental. 282 417 894 Dinamarca. Trata-se de um novo tratamento antibacteriano que dis- comercial@hansadental.com pensa medicação. O conceito LAD (Light Activated Desinfection) tem um futuro promissor na Medicina Dentária e é particularmente útil na destruição de bactérias incluídas no biofilme e actua instantaneamente, não criando resistência antimicrobial. O tratamento é fácil, rápido de aplicar e não tem qualquer efeito secundário. Indicações de tratamento: endodontia, periodontia, perimplantologia, gengivite e cáries. O kit de introdução é constituído pelo LED FotoSan e pelos respectivos acessórios e carregador, agentes, protectores autoclaváveis e pontas para tratamentos de endodontia e periodontologia.

White Dental Beauty Dentina. 210 317 700 dentina@dentina.pt

A Dentina adquiriu recentemente a exclusividade dos sistemas de branqueamento White Dental Beauty. Estes sistemas de branqueamento permitem três possibilidades de tratamento, nomeadamente Take-Home (condicionamento em ampolas uni-dose Bubbles) em Peróxido de Hidrogénio, a 6%, e Peróxido de Carbamida, a 10% e 16%; Take-Home (condicionamento em seringa) em Peróxido de Carbamida, a 10%, 16% e 22%, e In-Office em Peróxido de Hidrogénio a 36%. O condicionamento em Bubbles proporciona vantagens para o paciente e facilidade de levar o branqueamento de forma cómoda e segura, através da sua embalagem original e elegante.

GrandioSO Heavy Flow GrandioSO Heavy Flow, o novo material restaurador nano-híbrido universal de alta viscosidade, possui um elevado conteúdo de carga (83% w/w) e tem uma consistência especialmente firme. É recomendado para os casos em que estas qualidades são prioritárias, como a restauração de cavidades de classe V e de dentes superiores, bem como a ferulização dentária na ortodontia, na periodontia e na traumatologia. O novo produto da Voco é indicado para os seguintes tratamentos: restaurações minimamente invasivas, de qualquer tipo: restaurações de pequenas cavidades de classe I e selamentos de fissuras estendidas; restaurações das classes II a V, incluindo restaurações de defeitos cuneiformes e de cáries cervicais; cimentação de próteses translúcidas (por exemplo coroas de porcelana pura); fixação e ferulização de dentes com tiras de fibra de vidro, como as tiras GrandTEC; como material de base para as tiras de fibra de vidro na confecção de coroas e pontes semipermanentes. Pode ser adquirido tanto na seringa antigotejamento NDT, disponível em dez cores, como em cápsulas de aplicação, em cinco cores diferentes.

78

MAXILLARIS, Novembro 2010

Voco. (0049) 047 21 71 91 87 www.voco.de


Pag.Empres Nov10.qxp

25/10/10

14:24

Página 79

Página empresarial Ofertas especiais na compra de produtos Osteoplac A Osteoplac dispõe de duas ofertas especiais, durante o corrente mês, em dois dos seus produtos: os motores Variosurg e Surgic XT. O motor Variosurg é um sistema cirúrgico ultrasónico com uma peça de mão óptica, ao passo que o Surgic XT Plus calibra automaticamente o micromotor e a peça de mão com a resistência de rotação para cada peça de mão individual antes da operação. Para o próximo mês de Dezembro, a Osteoplac reservou uma oferta promocional na compra do motor Primado. Trata-se de um sistema eléctrico de talhado, brocagem e serração de osso desenvolvido com o objectivo de reunir todos os requisitos num único sistema.

Osteoplac. (0034) 902 422 420 • osteoplac@osteoplac.com • www.osteoplac.com

Neodent renova instalações em Lisboa A Neodent procedeu recentemente à remodelação das suas instalações em Lisboa (Av. Defensores de Chaves, 15, 3º andar). As obras tiveram em consideração não só o crescimento da equipa da filial, mas principalmente a vontade de privilegiar o atendimento ao cliente, proporcionando-lhe uma área agradável onde é recebido com a devida atenção e dedicação. O grupo de profissionais actualmente ao serviço da Neodent em Portugal é composto por Marinez Paula, gerente da filial, Marina Gama, coordenadora comercial, Sónia Alves, responsável pelo departamento financeiro, Patrícia Oliveira, assistente, e pelos seguintes delegados de informação médica: Fernando Caldeira (Norte), Mário Coutinho (Centro), Nuno Santos (Grande Lisboa e Centro), Fernando Silva (Lisboa Cidade e Centro), Margarida Marques (Grande Lisboa e Alentejo) e Nuno Otão (Alentejo e Algarve) Aspecto das renovadas instalações.

Neodent. 210 134 400 • www.neodent.com.br

GAER disponibiliza equipamento na área da Radiologia Dentária O departamento de Radiologia Dentária da GAER, com direcção clínica de Ana Paula Reis, tem ao dispor um moderno equipamento de diagnóstico por imagem da região maxilo-facial: o tomógrafo de Feixe Cónico ou Cone-Beam CT (CBCT). Esta tecnologia permite alta precisão e pode ser aplicada nas diversas áreas da medicina dentária, como na implantologia, endodontia, cirurgia, periodontia, ortodontia e avaliação da articulação temporo-mandibulares. Com este equipamento há um acréscimo da qualidade radiográfica e uma significativa diminuição da dose de radiação e dos artefactos. Os exames são disponibilizados em CD com software versátil que permite medições reais, a simulação da colocação de implantes assim como colorir estruturas de interesse como o canal mandibular.

GAER. 222 073 010 ou 917 617 777 • anapaulareis@gaer.pt • www.gaer.pt MAXILLARIS, Novembro 2010

79


Pag.Empres Nov10.qxp

25/10/10

14:25

Página 80

Página empresarial Ravagnani Dental participa na Expo-Dentária 2010 A Ravagnani Dental, uma das empresas ibéricas do sector dental especializada em venda de equipamentos médico-dentários, volta a marcar presença na Expo-Dentária, que se celebra este mês no Europarque (Santa Maria da Feira). Com mais de 800 unidades dentárias instaladas desde de Maio de 2004, no certame de 2010 será adicionado ao portfólio de produtos da empresa, a reconhecida marca de equipamentos italianos Vitali, onde se destaca a unidade dentária V8. A Ravagnani Dental é importador exclusivo para Espanha e Portugal da Sinol (Unidades dentárias e Rotatórios), New Life Radiology (Radiologia), Dmega (Sistemas de aspiração), Visiodent (Sensores radiologia digital) e P&T (Autoclaves). Visite o stand da Ravagnani na Expo-Dentária e consulte as promoções da empresa para abertura ou remodelação de clínicas.

www.ravagnanidental-portugal.com

Defcon partilha conhecimentos em terapia laser Mais de 800 profissionais do sector da implantologia, oriundos de diversas partes do mundo, encontraram-se na 40.ª Reunião Anual da SEPES, Sociedade Espanhola de Prótese Estomatológica, celebrada no passado mês de Outubro, em Santander. No importante encontro do sector – que teve como fio condutor a inovação em próteses e implantes – a Defcon, empresa de soluções odontológicas, participou com um stand comercial e uma palestra do seu colaborador português, João Mouzinho, que fez parte do elenco de conferencistas internacionais que integraram o programa científico, com a sua palestra “Elevação sinusal com laser e implantes transzigomáticos”, na qual transmitiu as soluções protésicas diferentes do emprego da terapia laser na utilização da elevação do seio. As palestras restantes permitiram partilhar com o auditório as novidades relativas a desenhos novos em implantes, as recomendações para conseguir um êxito biológico nas restaurações, a aplicação da tecnologia CAD-CAM nas próteses e o manuseamento dos tecidos que rodeiam as restaurações, entre outras.

Defcon. (0034) 902 201 413 • info@defcon.es • www.defconimplants.com

Intra-Lock instala-se na Península Ibérica Há dez anos, un grupo internacional de dentistas, biólogos, engenheiros e especialistas em fabrico reuniram-se para analisar a evolução em tecnologia de implantes dentales. Com este enfoque multidisciplinar, realizou-se um protótipo de implante e um sistema de colocação que se denominou Intra-Lock. O êxito clínico, a aceitação por parte dos pacientes e a confiança no sistema pelos profissionais que o utilizaram levaram à criação em 2001 da Intra-Lock International, Inc. Com uma ampla gama de productos, tanto implantes dentais como material de regeneração óssea, Intra-Lock International instala-se agora em Portugal e Espanha, através de Intra-Lock Ibéria para prestar serviço aos profissionais de medicina dentária de ambos os países.

www.intra-lockiberia.com

Porto acolheu ITI Scientific Evening Realizou-se no passado dia 29 de Setembro, no Porto, mais uma iniciativa ITI Scientific Evening. O evento teve lugar no Centro de Estudos de Medicina Dentária do Amial e contou com a presença de cerca de 35 profissionais da medicina dentária. André Correia teve a seu cargo a coordenação do mesmo e contou com a participação de Manuel Neves, Célia Coutinho Alves e Pedro Couto Viana com o tema principal:“Diagnóstico e Planeamento em Implantologia – importância das tomografias computorizadas de feixe cónico”. As Scientific Evenings do ITI são organizadas em colaboração com a Straumann e destinam-se a todos os profissionais da medicina dentária, sendo a inscrição sempre gratuita.

www.straumann.pt

80

MAXILLARIS, Novembro 2010

O evento contou com a participação de 35 profissionais.


Pag.Empres Nov10.qxp

25/10/10

14:25

Página 81

Página empresarial Neodent participou no congresso anual da EAO A Neodent e o Instituto Latino Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico (ILAPEO) participaram no 19.º Congresso Científico da Associação Europeia de Osseointegração (EAO), que teve lugar entre 6 e 9 de Outubro passado em Glasgow (Escócia). Representando professores e alunos do curso de mestrado em implantodontia do ILAPEO, o consultor Sérgio Rocha Bernardes apresentou três painéis científicos. Um dos trabalhos resultou da pesquisa de mestrado de Edivaldo Coró que avalia aspectos clínicos, eficiência mastigatória e índices de satisfação relativa a um grupo de pacientes reabilitados com implantes Neodent. Foi também divulgado o estudo realizado por Yung Lee, em que foram reabilitados em carga imediata cerca de 30 pacientes edêntulos inferiores que recebiam próteses híbridas confeccionadas através da técnica do assentamento passivo ou barra distal Neodent. O terceiro painel foi preenchido com um estudo in vitro, conduzido por Mário Jaworski, em que se avalia a capacidade de selamento bacteriano relativa a interface de implantes cone Morse Neodent. Todos os estudos, clínicos e laboratoriais, contaram com total suporte do Programa de Auxílio à Pesquisa Neodent.

Neodent. 210 134 400 • www.neodent.com.br

Vital Dent espalha sorrisos no regresso às aulas As clínicas Vital Dent realizaram, em Outubro passado, por ocasião do regresso às aulas, uma campanha de promoção dos tratamentos de ortodontia, a qual assentou na oferta de três mensalidades para manutenção de ortodontia fixa. Com esta campanha, a Vital Dent pretendeu não só alertar os pais e educadores para a importância do cuidado a ter com a saúde oral de crianças e jovens, mas também informar sobre as diferentes soluções de ortodontia que existem. Apesar do alvo desta campanha serem as crianças e jovens, a ortodontia é um tratamento eficaz e aconselhável em qualquer idade, existindo diversas alternativas ortodônticas em função de cada caso.

www.clinicasvitaldent.pt

Malo Clinic vai instalar-se em Milão Malo Group e o Hospital San Raffaele estabeleceram um acordo para a abertura da Malo Clinic Milão neste importante complexo hospitalar italiano. A clínica ficará situada no campus do hospital e ocupará cerca de 7 mil metros quadrados de um dos edifícios que integram a maior rede de hospitais privados em Itália. Com abertura prevista para Maio do próximo ano, a Malo Clinic Milão faz parte da estratégia de internacionalização do grupo especializado em Implantologia e Reabilitação Oral fixa, que tem como objectivo abrir clínicas nas principais capitais do mundo.

Malo Clinic. 217 228 100 • www.maloclinics.com

Straumann patrocina congresso da OMD Tal como em edições anteriores, a Straumann estará presente como patrocinador oficial do XIX congresso anual da Ordem dos Médicos Dentistas, que se inicia no dia 10 do corrente mês no Europarque (Santa Maria da Feira). A empresa apresentará na Expo-Dentária a todos os participantes as últimas novidades em implantologia oral e regeneração tissular, com produtos como o scanner intra oral Cadent iTero, o novo Straumann Cares Scan CS2 e o material de titânio zircónio Roxolid, entre outros produtos. A Straumann convida todos os congressistas a visitar o seu stand (nº 260- 261, 270-271), onde terá pessoal especializado para atender e facilitar toda a informação necessária.

Straumann. 214 212 170 • www.straumann.com

MAXILLARIS, Novembro 2010

81


Breves Nov10.qxd

25/10/10

12:57

Página 82

Breves OFERTA DE EMPREGO Gestor comercial para sector editorial – área de Saúde Oral – Editora especializada no sector da Saúde Oral pretende admitir gestor comercial. PERFIL DO CANDIDATO: • Experiência na área da Medicina Dentária, nomeadamente em empresas relacionadas com o sector. Damos prioridade a candidatos que tenham exercido actividade em publicações da especialidade. • Motivação pela actividade comercial. • Conhecimentos mínimos de informática na óptica do utilizador. • Residência nas áreas do Porto ou Lisboa. • Conhecimentos de língua inglesa e espanhola. OFERECEMOS: • Vencimento variável (à comissão). • Subsídio mensal para gastos de gestão e deslocação (gasolina, telefone, etc.). • Contrato de prestação de serviços.

Gestores de Clientes A DENTALEADER, empresa líder no sector dentário, vai reforçar o seu departamento comercial nas áreas dos consumíveis, equipamentos e implantes dentários, pretendendo integrar nos seus quadros para diferentes zonas de Portugal. Descrição da função: • Prospecção e desenvolvimento do mercado na sua zona • Contactos (a médicos dentistas) e visita a potenciais clientes de forma a promover os produtos da empresa • Venda de consumíveis, equipamentos e implantes dentários • Manter e desenvolver uma carteira de clientes já existente. Perfil do candidato: A abordagem dinâmica e temperamento comercial, flexibilidade, tenacidade e perseverança, o sentido de organização e capacidade de comunicação e persuasão são factores preferenciais. Habituado(a) a trabalhar com autonomia e por objectivos. Exigimos experiência em vendas ou no sector dentário. Oferta:

Envie o seu Currículo Vitae para:

• Entrada imediata numa empresa em expansão • Formação inicial e contínua • Remuneração fixa + variável • Integração num projecto de continuidade com perspectivas de evolução.

revista.dentaria.comercial@gmail.com

Agradecemos envio de candidatura para: recursos.humanos@dentaleader.com

PEDIDOS DE EMPREGO ORTODONTISTA Médico dentista responsável e com 18 anos de experiência oferece-se para trabalhar em Lisboa e na zona Norte de Portugal Instrumentos e equipamento próprios. Falamos na Expo-Dentária?

O seu anúncio neste espaço por 12 euros

odontotacuru@hotmail.com

OFERTA IMOBILIÁRIA

VENDO CLÍNICA DENTÁRIA em Sintra (Portela de Sintra) com respectivo andar. Com 6.500 pacientes. Motivo: retirada.

Tel.: 965 086 124 82

MAXILLARIS, Novembro 2010

DENTISTS WANTED FOR THE UK 10 vacancies as Associated Dentist, general dentistry both NHS and private. Annual salaries between 65 - 90.000 € gross. Seven weeks holidays per annun. 18-24 months contracts. Fluent English mandatory, EU nationals, at least one year experience in general dentistry. Please, forward CV to: Email: javiermadrid@pharmarecs.com Tel.: +34 915 34 87 71 (Javier Madrid) www.pharmarecs.com


publi

22/4/10

12:46

Pรกgina 1


publi

20/10/10

12:31

Pรกgina 1


NOVEMBRO-DEZEMBRO- Revista MAXILLARIS