Page 1


Eu já vivi sem telemóvel quase dois anos, tal como o Ed Sheeran, sabia? Cada vez mais é implícito conviver com o mundo digital. Vivemos filtros, ilusões e personagens, ao mesmo tempo que conseguimos levar os nossos sonhos mais longe e a mais pessoas. Nesta edição procuramos essencialmente partilhar consigo como a tecnologia pode funcionar a seu favor mas, também, de que modo pode prejudicar a sua qualidade de vida quando não usada com a devida consciência. Falamos sobretudo de equilíbrio, partilhando a influência da era digital em si mesmo e nos que o rodeiam, bem como sugestões e dicas para uma melhor utilização dos meios de comunicação modernos. Nesta edição trazemos ainda um pouquinho de música através da dupla portuguesa Anjos que completa 20 anos de carreira e que considera a componente digital uma fascinante ferramenta de trabalho. Com carinho, desejo que esta revista digital lhe traga um sopro de entusiasmo e inspiração para ter uma vida mais consciente e feliz, através de um primoroso convívio com o mundo digital. Boas leituras!

Fátima Teixeira

Master of Simplicity Magazine

3


Índice 10 Os filtros da vida por Fátima Teixeira 14 O antídoto para a desintoxicação digital por Joana Clara 20 Como eu vivo sem telemóvel por Fátima Teixeira 26 O minimalismo e a tecnologia por Fátima Teixeira 28 A obsolescência por Fátima Teixeira 30 Entrevista com os Anjos 36 À distância de um clique por Susana Machado 40 A linguagem de hoje por Patrícia Romão 42 Trabalhe online, rentabilize o tempo de forma remota por Krystel Leal 44 De que modo o minimalismo influencia positivamente um site pessoal? por Daniel Sousa 46 Questionário: Quão prático é o seu site por Daniel Sousa 47 7 Passos para organizar o seu espaço de trabalho por Rafaela Garcez 50 Minimalismo nos estudos, sobre a aprendizagem online por Juliana Prata 54 Sessões Cortesia de Coaching por Vânia Costa 55 Crianças & Tecnologia, como encontrar o equilíbrio por Raquel Ferreira Santos 58 Bébéu por Raquel Pacheco Neves 61 Uma vida com menos lixo - Mind the Trash por Catarina Matos 64 Detalhes para cerimónia por Diana Martins 68 Wolistic por Natália Geraldo 71 Agenda Wolistic 74 QI - Ideias para Mães 76 Retiro de Yoga para mulheres por Marta Fernandes 78 Dicas snacks nutritivos e fáceis! por Jacqueline Miranda


a revist : a c i m â in d l a t i dig ícones s o n u hado o n i l b u s no onado i c e r i Clique d amente t e r i d r nas! i g á para se p s spetiva e r s a a par

Junte-se à nossa comunidade de Minimalismo e Vida Simples em Português no Facebook! clique no ícone para ser direcionado

Também pode visualizar vídeos! Vamos cantar a nossa canção sobre minimalismo? :-)


Direcção e Edição: Fátima Teixeira Supervisão: Giovani Goulart Marketing: GGO Master of Simplicity Tradução para inglês: Roisin Abbott Nota do Editor: Os textos são escritos em português lusobrasileiro, dando liberdade para cada autor se expressar de acordo com a formação gramatical e regionalismo. Contacto: Para questões ou sugestões por favor contacte: masterofsimplicity@gmail.com

Fátima Teixeira Fátima Teixeira, diretora da MOS Magazine, pianista, regente e professora de música, sempre em busca da simplicidade com resultados práticos aplicáveis à vida quotidiana.

Giovani Goulart Compositor, instrumentista, produtor e arranjador musical. Simpatizante do minimalismo e de formas de vida organizadas e conscientes. Disponibiliza os seus serviços musicais online.


Contribuidores nesta edição Catarina Matos Arquiteta, Blogger, Estudante de Cosmética Orgânica, Cofundadora da Mind The Trash juntamente com namorado Christian. A tentar levar uma vida mais simples e com menos lixo.

Daniel Sousa Consultor e Formador na área de Marketing Digital e Gestor de Projectos na digiUP. Empreendedor e criativo na procura de novos projectos e desafios

Diana Martins Designer criativa cria detalhes para casamentos, aliando estética botânica e minimal, utilizando técnicas artesanais e de design para a criação de peças elegantes e delicadas para o serviço online.

Jacqueline Miranda Mãe, estudante de nutrição e minimalista. Criadora do blog Cozinha minimalista, discute práticas que facilitam o dia a dia na cozinha e alimentação consciente.

Joana Clara Contempla o mundo pela primeira vez, todos os dias. Acredita convictamente que é multitasking e que foi mordida, sem antídoto, pelo bichinho das artes e por todas as suas formas de expressão.

Juliana Prata Professora na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil), coach de escrita e autora do blog Sua Vida Acadêmica. Ama o conhecimento. E por falar em amor, é mãe do Davi.

Krystel Leal Freelancer em marketing digital e fundadora do Nomadismo Digital Portugal, apaixonada por palavras e escrita e com uma veia demasiado ativa para o empreendedorismo.

Marta Fernandes Terapeuta e Professora de Yoga & Meditação. Com especial dedicação ao feminino. Fundadora do "Be The Change Be Yoga"! Menos é mais! Do It! Believe It!

8

Master of Simplicity magazine


Natália Geraldo Fundadora da Wolistic. É uma Lightworker dedicada que quer fazer parte do processo de despertar consciências e acredita que a sua missão é a comunicação.

Patrícia Romão Professora, formadora, master coach de PNL. Criadora e facilitadora do programa de inteligência emocional - Dono do Meu Cão. Acredito que a nossa mente realiza aquilo em que se foca.

Rafaela Garcez Personal Organizer, fundadora do projecto RG Organização Profissional, designer e apaixonada pelo minimalismo, explora e aplica a simplificação da vida através da optimização do espaço físico e visual.

Raquel Ferreira Santos Psicóloga clínica, consultora em desenvolvimento pessoal, palestrante e autora do blog Oh! Foi sem querer

Raquel Pacheco Neves Farmacêutica empreendedora e muito dinâmica. Criou a Bébéu com base na sua paixão pela parentalidade e saúde. Workshops, mentoring e positivismo onde quer que vá!

Susana Machado Geógrafa, professora, especialista em sustentabilidade, escreve para crianças e adultos com o propósito de educar para a sustentabilidade e solidariedade.

Vânia Costa Coach e Empreendedora, inspirada pelo amor e criatividade; movida pelo poder da transformação pessoal para significativas realizações humanas. Tranforme-se, Liberte-se e Realize-se!

Caros Leitores A Equipe Master of Simplicity Magazine, por diversas vezes, recebe pedidos de leitores que querem ver gratuitamente artigos de colegas ou conhecidos que estão publicados em nossas edições. Por um lado achamos excelente o interesse e o apoio que querem dar aos vossos colegas, mas por outro lastimamos a falta de reconhecimento para com os profissionais que arduamente trabalham para cada edição. Esta revista tem um custo fixo e uma equipe que se esforça por trazer ao leitor excelentes informações, dicas, cursos, workshops, projetos e tantas outras informações que beneficiam de forma significativa a vida de quem lê. Por este motivo, vimos solicitar respeitosamente que, se for o seu interesse, ao invés de pedir gratuitamente artigos ou edições, faça como outros tantos que pagam, demonstrando o seu respeito pelo nosso trabalho. Muito obrigado a todos.


Os filtros da vida Os dias são muito maiores quando vivemos sem telemóvel. Eu acrescentaria ainda mais felizes e com mais gratidão. Não existe espaço para FOMO (Fear of Missing Out - Medo de Perder), o termo que já faz parte do Dicionário Oxford e que se traduz pela “ansiedade de que um evento emocionante ou interessante possa estar acontecendo em outros lugares, muitas vezes despertado por posts vistos nas mídias sociais.” Também não existe espaço para sentir frustração. Afinal, ver um amigo na Disney Land ou passando férias em Miami pode fazer com que nos sintamos péssimos. E, como referiu Shauna

Niequist, “a minha vida parece melhor na internet do que na vida real. A vida de todos parece melhor na internet do que na vida real". Realmente, não há espaço para deixar um momento pendente enquanto vamos a correr abrir um aplicativo para postar a comida que está esfriando ou o concerto que deveríamos estar assistindo. Eu adoro como a internet e as redes sociais nos ajudam a inspirar as pessoas mas… o que eu estou fazendo efetivamente? Postando porque estou demasiado só e procuro atenção? Postando porque procuro ostentar coisas para compensar a tristeza que sinto?

"A minha vida parece melhor na internet do que na vida real. A vida de todos parece melhor na internet do que na vida real" Shauna Niequist

Master of Simplicity Magazine

11


Tens noção do tempo que passas no telemóvel?

Quanto tempo passas no telemóvel por dia?

12

Master of Simplicity magazine


A linha entre um uso significativo ou superficial de internet é muito ténue. Numa sondagem que fiz no grupo de Facebook Minimalismo e Vida Simples em português perguntei quem tinha noção do tempo que passava no telemóvel/celular. Mais de 50% dos membros que responderam votaram em “não pois é demasiado tempo” ou “sim apesar de ser pelo menos algumas horas”. Em outra questão procurei saber o número de horas e a resposta mais assinalada com 48% dos votos foi “pelo menos cinco horas no mínimo”. Através dos comentários percebemos que a justificação através da vertente profissional impõe uma conexão constante às redes sociais para angariar clientes, vendas, fãs, etc. Porém, perdese a noção muitas vezes se estamos no Facebook trabalhando ou coscuvilhando as postagens dos amigos.

garantir que não se perde nenhuma notificação… acredite que, como diz Loryn Thompson, “o problema não é o próprio comportamento circular”. Ela acrescenta “o problema é como isso me faz sentir. Em algumas noites, carregar gifs de animais fofos é exatamente o que eu quero fazer. Mas em outros dias, parece mais uma armadilha. Quanto mais eu navego, pior eu sinto. Quanto pior eu sinto, mais eu navego”. Como consequência você perde o entusiasmo, a produtividade e o foco. Você simplesmente perde-se. Pois, como escreveu Annie Dillard, “o modo como passamos os nossos dias é, obviamente, o modo como passamos as novas vidas." Escolha viver, conectar, amar e brincar, ao vivo e a cores, sem filtros. Escolha respirar e ser presente. Escolha ser você mesmo, autêntico, no lugar onde está ou na internet.

"Quanto mais eu navego, pior eu sinto. Quanto pior eu sinto, mais eu navego." Loryn Thompson

Analise. Se hoje você pegar no seu telemóvel e começar a fazer a ronda de cinco minutos no Facebook, mais cinco no Instagram, depois “só” checar o Pinterest e voltar ao Facebook para

E, trazendo novamente as palavras de Shauna, “vamos escolher a comunidade. Vamos parar de comparar. Vamos começar a se conectar.” Vamos a isso?


O antídoto para a desintoxicação digital 14

Master of Simplicity magazine


Sente m sobre -se ansio so c inform arregados s e c a as vie ção que s om o exce las e canai e demora sso de "Obri s do v em to gado o das s s o s " a es perm c é r e bro? ta an todas entemen rem te a - no s s vossas r online em e martp e no hone des sociais comp , no t ablet u t a dor? Não d e Este a sesperem ! r ajuda tigo prom et r equili a desacele e b r estad rando os n ar, os em ossos o c i onais Como . ? Pro pomo retiro s d com u igital em um cinco m pro fases nada p ósito , quim s i mple érico temp se :o o o pre verbal do de viver n o sente agora . ,


1. Ampulhetas, para que vos quero? "Não podemos escapar ao tempo", já dizia Lewis Carroll em "Alice Do Outro Lado do Espelho". Todavia podemos organizá-lo e geri-lo de forma eficiente a cada nova semana. Porque não anotar o tempo que despendemos em tarefas mundanas e avaliar a nossa postura perante as mesmas? Estaremos a desperdiçar energia ou a ser verdadeiramente produtivos? Procrastinamos ou fazemos acontecer? As respostas a todas estas questões? Não sei se as encontrarão nos livros de filosofia ou de fantasia - e, ah, como eu gosto de me refugiar neles. No entanto podemos sempre optar por não estagnar em distrações triviais e preferir ocupar a cabeça com necessidades imediatas. Desconectarem-se da caixa de correio eletrónico do vosso emprego durante o fim de semana pode ser um ponto de partida. O sábado e o domingo são vossos, da vossa família, dos vossos amigos de quatro patas e dos vossos demais amigos. "Olhas-te ao espelho como se à espera de alguém, mas o tempo, esse, não espera por ti. E, "lá fora a vida vai correndo a bom correr". Atentem na letra da música "Se As Ondas Voam Com o Vento", da banda Quadrilha; depois disso vão querer acenar placas de "Não incomodar" e dizer mais vezes que "NÃO". Façam com que este seja o vosso "Grito do Ipiranga".

2. Saboreiem as refeições em quietude "Come e cala-te"? Aqui, a popular expressão portuguesa tem tudo menos um sentido pejorativo - antes pelo contrário! Uma experiência gastronómica serena e vagarosa permite-nos relaxar e desfrutar em toda a plenitude do suculento prato que jaz à nossa frente. Quando direcionamos o nosso foco para o sabor, a textura e a intensidade dos ingredientes da nossa ementa diária, potenciamos o prazer que retiramos do momento de pausa; porque, na verdade, neste hiato temporal acabamos por ser um só: nós e os alimentos. A Lisa Dickman, responsável pelo café do bem Foodprintz: food, yoga & education, no Rato (em Lisboa), explica que podemos meditar à mesa, pelo simples facto de fecharmos os olhos durante alguns segundos e concentrarmos toda a nossa atenção no sentido da degustação: o paladar.


3. Boa noite e até amanhã, Vitinho "Quando a lua acordar, tu vais adormecer". Esta regra é para cumprir à risca, sim? Diminuam a luminosidade do ecrã do vosso smartphone por volta das vinte e uma horas, parem de comunicar por mensagens, emails, fotografias, hashtags, likes e emojis, e, por favor, desliguem o telemóvel antes de irem para o quarto. Não o usem como despertador, porque acordarão ansiosos, tateando desesperadamente com as mãos a almofada, o edredão e a mesa de cabeceira até fazerem "mute" ou cessarem a catastrófica vibração. Preferem abrir os olhos e serem recebidos pela luz do ecrã LED de um gadget, ou enamorarem-se pela luz natural do sol, que entra de mansinho pela janela? Aprendam a viver offline mesmo que seja até ao pequenoalmoço do dia seguinte.

4. Viajem no tempo e regressem à infância Rabisquem e desenhem cornucópias em papel reciclado, pintem mandalas, criem peças únicas em macramé. Observem os movimentos dos braços, das mãos e dos músculos do vosso cérebro à medida que a arte floresce dentro do corpo e se espraia para o mundo. Haverá melhor detox digital?


5. Limpar energias ao sabor do vento Estar em profunda conexão com a natureza apazigua-nos. Criamos raízes na Mãe-Terra e crescemos, qual árvoresanciãs de troncos robustos e copas majestosas, em direção ao céu. Experimentem trocar o peso de um computador por o de uma mochila, às vossas costas. Respirem a frescura do ar. Sentem-no nas vossas narinas? Deixemse envolver pela fauna e flora, escutem os sons e encontrem sossego para o bulício ensurdecedor da cidade. A acalmia mental pode demorar-se numa atividade ao ar livre ou simplesmente neste comprazimento com a essência da vida.

"Devemos permitir-nos sair das nossas rotinas diárias e da nossa roda mental. Isso dá-nos espaço para pensarmos mais além e, talvez, sermos um pouco mais corajosos. Tudo gira à volta desses curtos períodos de tempo onde lhe é permitido respirar um pouco, curar-sem recarregar e relaxar. Esses períodos não têm de ser preenchidos por nada de extraordinário. Só tem de se permitir ser e não fazer. Afinal de contas, "todos somos seres humanos e não fazeres humanos". (Fearne Cotton em "Happy: Finding joy in every day and letting go of perfect").

Fotografias gentilmente cedidas pela autora


Olá Fátima, tudo bem? Aqui em casa o minimalismo veio pra ficar. Cada vez estou mais seletiva, até mesmo quanto a alimentação. O minimalismo ajudou a me compreender, a me descobrir e a me conhecer mais. Nunca fui anfitriã, gosto de sair, não gosto de um monte de gente em casa. Amo quando estou sozinha em casa, descobri q isto não é defeito, eu sou assim. Fiquei minimalista até mesmo quanto a selecionar amizades, tem muita gente q não acrescenta nada em nossa vida, né?! Eu não tenho celular. Eu e meu marido optamos por ter somente um que atende a necessidade dos dois, até porque o celular toma muito tempo da gente. Também acho difícil os grupos de Whatsapp, pois a maioria só traz coisas desnecessárias. Eu só tenho Facebook. Não tenho Instagram, nem Twitter. Tenho o Pinterest, porque gosto de decoração Lembra certa vez que te contei que tinha um monte de utensílios de cozinha? Nossa, hoje tenho pavor de um monte de tralhas, coisas q não uso! Hoje tenho um balde só pra roupa, um pra limpar a casa e outro pra colocar só produtos da minha piscina. É o q funciona para mim. Cobertor e colchas doei metade do q eu tinha. Aprendi muito com você, com sua página. Sou muito grata por isso.

Gisele Master of Simplicity Magazine

19


Como eu vivo

sem telemรณvel


Há pouco mais de uma semana mandei cancelar o meu número de telefone. Achei que ainda utilizaria as funcionalidades do smart phone, mas nem isso se verificou. Partilho convosco como o processo foi tão natural para mim. Sempre fui muito desenrascada. Gosto de tecnologia e de tudo que torna a vida mais prática. O iphone foi para mim um presente bendito! Esse telemóvel fez-me muito feliz, utilizavao para quase tudo! Porém o meu estilo de vida mudou. Antes era capaz de ter todos os contactos de colegas da escola, de trabalho, de instituições e de tudo, mas agora tenho muito bem definido o que quero para mim. Minha análise dos últimos meses Desde o ano passado que praticamente não uso o telemóvel. Apercebi-me que ele não saía da gaveta. Quando me lembrava, porque alguém referia entrar em contacto, havia passado mais de uma semana e a sua bateria já havia descarregado. No mês de Fevereiro devo tê-lo posto a carregar umas duas vezes… no máximo. Os contactos têm sido sempre feitos pelo facebook, skype, email ou telefone do marido, dependendo da situação. Antes usava com frequência várias aplicações excelentes do iphone, mas incomodava-me a percepção de estar perdendo tanta coisa enquanto tinha a cabeça enfiada naquele écran. Por inúmeras vezes, vivenciei situações nos outros que me incomodavam e faziam desejar não ser essa personagem principal: aquela pessoa que durante uma conversa ou refeição fica insistentemente controlando as notificações do telemóvel, haja ou não alguma notificação; a dona daquele telefone que toca no meio de um concerto, de uma reunião importante ou num local sagrado, mesmo sabendo que às vezes isso acontece por pura distração ou esquecimento… a verdade é que esse tipo de coisas acontece todos os dias e o tempo que o telemóvel nos suga é bem maior do que parece!

Master of Simplicity Magazine

21


Sem telemóvel oficialmente Entre não utilizar o telemóvel e mandar cancelar o número vai um passo consideravelmente grande. Do mesmo modo como consideramos não deitar algo fora pois “podemos precisar no futuro”, manter o número parecia uma segurança necessária nesta geração. Afinal, cada vez que usamos um serviço é-nos pedido o número de telefone como algo mais importante do que o próprio número de identificação fiscal (correspondente ao CPF para os brasileiros). Já me aconteceu necessitar obrigatoriamente do número de telemóvel para validar um cadastro online! Bem como rirem-se de mim quando digo que não uso telemóvel… A minha reflexão estava clara e, pelo sim pelo não, decidi experimentar não ter o número, nem que fosse por uns meses. Foi uma decisão pensada, pessoal e sem foro financeiro. Não houve mudança de rotina, uma vez que já há vários meses não utilizava o telefone por minha iniciativa, e qualquer contacto mais importante sabia que seria mais fácil “apanharme” pelo número do marido. Análise do momento pós Sinceramente, não pensei no assunto depois que cancelei o número. O telemóvel tem estado sempre desligado desde que ficou sem bateria, facto que não me apercebi também! E a hipótese de, mesmo sem número, utilizá-lo para tirar fotografias ou para usar aplicações através da internet wireless em casa, já morreu. Sei como muita gente afirma que “não vive sem o telemóvel”. Eu considerei isso um dia também, mas a minha vida mudou. Todos estes anos direcionados para uma vida mais simples mudaram as minhas necessidades e a consciência daquilo sem o qual “eu não vivo mesmo”! Tudo tem alternativa, no meu caso. Ou antes, a alternativa passou a ser o próprio telemóvel, o qual eu lembro apenas quando alguém refere! Ainda falo com todos que falava antes. Ainda me atualizo das novidades pelo facebook (no momento certo pelo computador). Vivo mais cada momento em que saio de casa. A simples saída ao supermercado ou a um jardim ganha muito mais significado, pois estamos mais conscientes do presente naquele local. Suas tarefas não são mais interrompidas por telefonemas sem importância. E você se mantém contactavel por outros meios, mesmo quando está fisicamente distante de pessoas queridas.


Uma ilustração breve que vejo muitas vezes: hoje na visita a uma amiga você fica mandando mensagem para outra. No dia a seguir você está com a outra amiga mandando mensagem para a primeira. Onde você aproveitou realmente? Enquanto você fica duas horas trocando mensagens com alguém, você poderia estar presencialmente dando risada e aproveitando profundamente o seu tempo com aqueles que tem por perto…

Se você quer dar mais significado à sua vida, desprenda-se do telemóvel. Não precisa de cancelar como eu fiz, mas pode simplesmente começar por passar menos tempo nele… ou ser mais consciente sobre a sua utilização. Quantas vezes deixou de prestar atenção a alguém ou a um momento devido a algo sem significado no telemóvel? Viva intensamente o momento! (escrito originalmente em Fevereiro de 2016)


Assine a Master of Simplicity Magazine por apenas €14,99

e receba gratuitamente: o curso online Introdução ao Minimalismo por Fátima Teixeira


Nossas Sugestões The Year of Less (ENG) Cait Flanders Cait partilha a sua história pessoal, explicando como se desafiou a não fazer compras durante um ano, após ter passado por um momento de forte consumismo. Pode comprar em: www.amazon.com

Como construir um site de forma descomplicada (PT) Ilidia Serra Um curso para iniciantes que ensina da teoria à prática, abrangendo as regras básicas do bom uso da tipografia, da cor, da imagem, do desenho vectorial, do ícone, da infografia e do vídeo. São abordados o Pixlr Express, Worpdress(com), Canva, Facebook, Twitter e Instagram.

Página 74


O minimalismo e a tecnologia Confesso que adoro tecnologias. Entusiasma-me a ideia de ter os meus ebooks e as minhas músicas favoritas à distância de um clique ao invés de estantes cheias a abarrotar de livros e caixas de dvds. É maravilhoso poder ler citações e passagens que me inspiram continuamente ou mesmo ouvir as minhas canções favoritas sem precisar procurar no livro completo ou colocar o CD inteiro a tocar. Guardo os meus documentos, contas, projetos, receitas e mesmo fotografias num sistema digital que me permite viajar sem peso para qualquer país, trazendo comigo tudo o que mais gosto e me faz sonhar. A tecnologia veio favorecer em muito o minimalismo ao tornarmos os objetos de certo modo invisíveis. Oficialmente não precisamos limpar o pó, nem arrastar, transportar ou dar manutenção. Os CDs estragam-se com o tempo e as cassetes (ainda se lembra delas?) já não se usam. O livrinho da agenda telefónica, que era algo espectacular e essencial há uns anos, deixou de se utilizar hoje em dia pois passamos a ter tudo digital. É bem mais prático, permite mais informação e a coleção de milhares de contactos. Apelativo, certo? Porém, quando eu falo em invisibilidade, faço referência à tralha digital. Os “objetos” continuam lá e se não 26

Master of Simplicity magazine

tivermos cuidado, rapidamente deixamos o nosso ambiente de trabalho bagunçado. Os nossos ficheiros ficam espalhados e os documentos “desaparecem”. Do mesmo modo que você precisava fazer manutenção dos seus livros, vai precisar agora guardar os seus ebooks todos em uma pasta. Eu guardo no Google Drive, pois permite acessar de qualquer dispositivo sem perder a informação, mas pode usar Dropbox ou iCloud, por exemplo. A ideia de guardar “milhares” de contactos parece sensacional, mas se não mantiver organizada a sua lista, pode demorar muito tempo a achar um simples contacto. Para quê guardar milhares? Guarde apenas os contatos que realmente necessita com um nome fácil de encontrar. Para quê ter todos os trabalhos da faculdade se você já não usa mais? E fotografias que nunca vê? E projetos que já não vão ao encontro do seu momento atual? E, se hoje, o seu computador “der o berro”, o que você perde realmente? Consegue viver sem ele? A tecnologia veio ajudar a simplificar a nossa vida, todavia é indispensável fazer um uso consciente da mesma para que o proveito seja bastante positivo. Aproveite e usufrua das demais regalias que o mundo digital pode nos proporcionar.


A obsolescência * Já lhe aconteceu comprar um telemóvel novo só porque é mais moderno, mesmo sem o seu ter estragado? Recentemente o nosso computador do estúdio deixou de funcionar. Levamo-lo a vários centros autorizados da Apple e todos nos responderam que não tinha reparação pois as peças tinham deixado de ser fabricadas. Eu não me conformei. Este era um computador muito potente e sempre trabalhou muito bem! Liguei novamente para a Apple e frisei “temos um computador do ano de 2000 que deixou de funcionar e nenhuma loja consegue reparar… como fiéis clientes vossos, têm alguma solução para nós?” Escusado será dizer que o agente riu-se quando eu referi o ano do computador e obviamente tentou consolar-me lembrando que estava na hora de comprar um computador novo, mais recente e moderno.

*

Obsolescência significa o processo ou o estado daquilo que se torna obsoleto, ultrapassado ou que perde a utilidade. Fonte aqui


Eu sei que quase 20 anos é bastante tempo de vida para um computador, mas ele tinha levado peças novas aqui e ali ao longo do tempo. Continuava impecável se não fosse a falta de substituição para a pecinha que queimou! Afinal de contas, se eu estimo o meu produto e se comprei algo de qualidade, não devia ser motivo de gozo ele durar tanto, pelo contrário. O mercado atual adora jogos infinitos com o consumidor. Necessitam forçosamente que consumamos mais. O marketing chega a atacar em força tentando convencer-nos de que ter mais é melhor e que o ato de comprar faz-nos mais felizes. Mas, é importante questionarmo-nos: Preciso? Tenho algum parecido ou com a mesma função? É essencial para mim?

Não adquira nada por impulso. Questione-se sempre, opte por artigos de qualidade e use-o na sua totalidade. Considere possíveis alternativas que possam solucionar o seu problema. Só para esclarecimento, em alternativa a adquirir um novo computador, tivemos conhecimento da possibilidade de utilizar os mesmos discos internos do computador antigo em uma dock station, que ser ligada a qualquer outro computador. Este facto, permite-nos utilizar na totalidade a informação que tínhamos no computador antigo. Se decidir comprar algo novo, pense no destino que vai dar ao seu produto anterior. O agente da Apple informou-me que têm um sistema de reciclagem para eletrónicos. É uma solução quando não há mais alternativa de conserto!

A título de informação, partilho os tipos de obsolescência: Obsolescência programada ou planejada Quando há uma ação deliberada da empresa fabricante para forçar o cliente a adquirir um novo modelo do produto. Vejamos que vários produtos são fabricados com a intenção de terem um tempo de vida limitado, com o intuito de se tornarem rapidamente obsoletos. Por exemplo, o agente com quem falei ao telefone confirmoume que os produtos Apple têm o tempo de vida útil estimado em sete anos. Este tipo de obsolescência não só é agressiva para o meio ambiente devido ao aumento do consumo de recursos naturais como contribui para o crescimento da produção de lixo.

Obsolescência perceptiva ou psicológica Quando o consumidor é induzido a comprar a nova versão de um produto aparentemente mais atraente, mesmo quando o modelo antigo continua operacional.

Obsolescência funcional ou técnica Quando a nova versão do produto é mais prática e substitui o anterior que perdeu a sua utilidade ou deixou de ter fabricação. Também se aplica quando é mais barato adquirir o produto novo do que consertar o antigo. Por exemplo, se os produtos Apple com mais de sete anos passam a ser descontinuados, não há mais peças de substituição, obrigando-nos, se quisermos manter essa marca, a comprar um novo produto. Master of Simplicity Magazine

29


Entrevista com os

Anjos


Fotografias gentilmente cedidas pela Timi Montalvão, manager do grupo

Os Anjos são um projeto musical português liderado pelos irmãos Nelson e Sérgio Rosado. O nome nasceu da alcunha que a avó carinhosamente lhes atribuiu chamando-os de “meus anjinhos”. O primeiro álbum “Ficarei” desde logo se traduziu em mais de 200.000 cópias. O projecto Anjos tem contribuído para diversas causas solidárias, através de concertos ou de canções usadas em campanhas sociais, como foi o caso da campanha com a renomada marca Swatch, da qual resultou a construção de mais do que uma escola em Timor. Em Portugal, merecidamente tiveram o privilégio de ter a trilha musical completa da novela Vingança, emitida em horário nobre. Todas as músicas do respetivo CD são interpretadas pelos irmãos Rosado. Os Anjos comemoraram os 10 anos de carreira em 2008, lançando o segundo DVD e o livro “Na alma dos Anjos”. Em 2015, o single “É o amor” chegou ao primeiro lugar no top de vendas do Itunes em menos de 24h. O mais recente lançamento musical deste projeto chama-se “Longe” (2017). Este álbum conta com o single “Para longe” que faz parte da trilha na novela Jogo Duplo, em exibição atualmente na TVI.

Master of Simplicity Magazine

31


Nelson Rosado Domingo perfeito: A passear com a familia, gostamos muito de fazer caminhadas ou então ir a um parque fantástico que temos perto de casa Café ou Chá? Chá O que sempre tens no frigorífico: Iogurtes naturais sem açúcar, fruta e gelo :) Música favorita que te faz sentir alegre: Gosto de todo o tipo de música, desde que seja boa (e dentro deste parâmetro para mim "boa música" é aquela que tem uma melodia forte/agradável, bons arranjos musicais, bom ritmo e uma excelente letra), daí ser muito difícil escolher ou identificar uma música, pois num dia posso estar com a disposição de ouvir "isto" e noutro dia ouvir "aquilo" ..... O livro favorito: "A voz dos Deuses" de João Aguiar Cinema ou Teatro? Cinema Drama ou Romance? Romance O que te inspira? A vida inspira-me O que te faz feliz? Estar junto dos que amo e ver que todos estão felizes tal como eu O lugar que te traz paz: O campo, a Serra e o mar ..... O que te faz "ficar"? O amor Simplicidade é... Sermos nós próprios e saber valorizar tudo e todos os que nos rodeiam Durante a vossa carreira, em que medida a componente digital tem ajudado no vosso sucesso? Quando o nosso projecto musical "nasceu" na altura não se falava em Digital, ou seja tivemos nos últimos tempos de fazer um enquadramento daquilo que somos enquanto banda neste sector, foi mais ou menos como começar do zero :), portanto ainda poderemos considerar como algo novo para nós, no entanto no que temos vindo a fazer nos últimos 2 ou 3 anos dá para sentir, que é uma importante ferramenta de trabalho, e que nos dias de hoje a presença de todo e qualquer "produto" ou entidade deverá ser obrigatória, naturalmente que depois existem muitas e variadas opções estratégicas de posicionamento que deverão ser tomadas em conta. Em suma julgo que temos vindo a crescer "a olhos vistos" :) no digital, temos sentido essa força, mas no entanto ainda existe imenso para fazer! Master of Simplicity Magazine

33


Sérgio Rosado Domingo perfeito: No sofa a ver filmes com a familia. Café ou Chá? Bebo as 2 bebidas diariamente, por isso respondo, as duas bebidas. O que sempre tens no frigorífico: Ovos, fiambre, manteiga, leite, etc. Música favorita que te faz sentir alegre: São várias e diferentes estilos, como por ex : Superstition (Stevie Wonder) , Summer of 69 (Bryan Adams) , It's My Life (Bon Jovi)... O livro favorito: "As Palavras Que Nunca Te Direi" de Nicholas Sparks. Cinema ou Teatro? Cinema Drama ou Romance? Depende do estado de espírito, mas gosto de um bom romance. O que te inspira? A vida, tudo o que me rodeia é a minha fonte de inspiração. O que te faz feliz? Ter o privilégio de poder fazer da música a minha profissão, é algo que não se explica. O lugar que te traz paz: Santuário de Fátima O que te faz "ficar"? A música, os amigos, mas sobretudo a família. Simplicidade é... o bem mais precioso que toda a humanidade deveria ter. Durante a vossa carreira, em que medida a componente digital tem ajudado no vosso sucesso? A componente digital fez com que a relação artista / fans , se tornasse ainda ainda mais forte, nem tudo são rosas para a industria discográfica quando se fala em mundo digital, mas na minha opinião se colocarmos tudo numa balança os aspectos positivos são muito maiores, já para não falar que neste momento este é o melhor canal de comunicação que existe para se promover o nosso trabalho e num futuro próximo será ainda mais importante esta componente.

34 60

Master of Simplicity magazine


À distância de um clique

um conto por

Susana Machado


Maria clicou no botão de actualizar pela milésima vez, num curto espaço de tempo, na esperança que, numa daquelas vezes, o resultado fosse diferente. Mas não era. Respirou fundo, tentando colocar de lado os pensamentos e a emoções… não era fácil. Há várias semanas que quase não saía da frente do computador. A mãe, geralmente do outro lado da porta, gritava que aquilo não era normal, que estava a ficar viciada, que precisava sair e de ver gente real… Às vezes,o eco da sua voz ressoava na sua mente e,perguntavase se ela teria alguma razão. Dava por si, constantemente fixada naquele mundo virtual. O seu corpo e, quiçá, o seu coração vibravam a cada vez que via uma notificação vermelha no ecrã, como se a mesma fosse mudar a sua vida, fosse retirá-la daquele estado de apatia vivencial, como se aquele símbolo vermelho fosse a própria notificação do início da sua vida… ou,pelo menos, de uma vida diferente, mais cheia de alguma coisa… soubesse ela o quê… Do outro lado da porta, as vozes continuavam a assombrá-la: “Tu já não sabes falar com as pessoas. Estás sempre aí fechada, a dar cabo da vista, a gastar energia. Logo tu, que sempre te disseste tão amiga do ambiente…”. Às vezes apetecia-lhe gritar de volta. Conseguia pensar numa boa meia dúzia formas de poupar o ambiente ali dentro: não gastava combustível a sair, não gastava papel a imprimir, gastava muito menos energia do que a ver televisão, poupava tempo em deslocações que podia usar para fazer coisas muito mais úteis… enfim.

Master of Simplicity Magazine

37


Mas, em vez de gritar, procurou calar a mente. Não valia a pena gastar energia com discussões infundadas. Em vez disso, continuou a sua pesquisa. Em pouco tempo, os amigos juntaram-se à mãe nas suas preocupações. Raras vezes saíam, propriamente dito e, na maior parte delas apenas estavam presentes no mesmo espaço, dividindo a atenção nos ecrãs dos seus telemóveis, ditos inteligentes. Mas nesta altura, já nem isso. Falavam-se, quase exclusivamente, nas redes sociais. Na verdade, dessa forma conseguiam “falar-se” mais vezes, partilhavam mais coisas, estavam mais “presentes” do que, das poucas vezes em que a presença era real. Mas, Maria cansara-se também de ali “estar”. Cada vez mais as conversas seguiam o esquema: “Olá. Como estás? Tudo bem e contigo?...” e por ali terminavam. Não havia seguimento, não havia continuidade,não havia conteúdo… Porque os conteúdos, esses, eram cada vez mais partilhados nas páginas pessoais, nas timelines de cada um e, como tal, não se justificava a trabalheira de estar constantemente a repetir a conversa às centenas de amigos que todos tinham, por aqueles dias. Maria, cada vez mais alheada e distante da vida real e virtual, um certo dia, começou a livrar-se de coisas. Coisas de que já não precisava, que lhe ocupavam espaço no quarto onde passava cada vez mais tempo. Primeiro foram as roupas. Para que precisava de tanta roupa se já quase não saía?! Depois os CD´s, que, para falar a verdade, já ninguém ouvia naqueles tempos. E os velhos apontamentos da faculdade foram logo a seguir… porque de facto, estava tudo disponível na internet.


Cada vez que olhava à sua voltava percebia a presença de mais coisas que deixaram de lhe fazer sentido. Para quê mantêlas, então?! A televisão que já não via,o telefone que já não usava,móveis para poder ter mais espaço…a pouco e pouco, muitas coisas foram desaparecendo daquele quarto. Algumas foram doadas, outras recicladas e outras simples e inevitavelmente seguiram o caminho do lixo. A última coisa de que se livrou foi do computador. À noite, na penumbra do seu quarto,apenas cortada pelo brilho do ecrã, sentou-se,respirou fundo e refletiu uma vez mais naquela ideia que havia semanas, meses… ecoava na sua mente. Ali, naquela página da internet, apenas à distância de um clique estava a sua oportunidade. E ela clicou. Respirou fundo mais uma vez,como que a recuperar o fôlego, de um esforço intenso. Fechou lentamente o portátil e colocouo dentro de uma das poucas gavetas que lhe restavam e deitouse. Dormiu um sono longo, mas agitado pela perspetiva de uma nova vida. No dia seguinte levantou-se, vestiu-se. Colocou a escova de dentes e o telemóvel dentro da mochila que preparara de véspera, com as poucas coisas que, naquele momento, eram essenciais para si e partiu. Partiu, numa viagem pelo mundo, à descoberta de novos lugares, novas pessoas e novas emoções, mas sobretudo à descoberta de uma nova história para si própria… de si própria, das suas raízes, da sua essência, do seu significado e do seu propósito de vida. Um resultado que jamais poderia encontrar em nenhum motor de busca da internet.

Master of Simplicity Magazine

29


A linguagem de hoje A linguagem é a nossa forma mais primordial de expressão. Desde que nascemos que conseguimos o que queremos e precisamos através da linguagem. Começa pelo choro, seguido do riso, do palrar e mais tarde através das palavras, gestos e expressões universais, onde manifestamos o nosso estado de espírito e nos ajudam – ou dificultam – na gestão das nossas relações interpessoais, independentemente da nossa língua materna.

40

Master of Simplicity magazine


Oiço bastantes vezes a pergunta “linguagem é apenas o que dizemos, certo?” Errado! Muito além da fala, a linguagem inclui na sua grande maioria, a comunicação não verbal ou corporal, como preferirem, através da qual transmitimos intenções e mensagens. Certamente já lhe aconteceu várias vezes saber que a outra pessoa está chateada ou aborrecida, mesmo sem terem iniciado uma conversa, pois percebe a sua cara de “poucos amigos” e o inverso, achar alguém extremamente simpático apenas porque a tratou cordialmente e com um sorriso nos lábios. Um dos princípios da Inteligência Emocional é conseguirmos intuir o estado emocional do outro através da sua linguagem verbal, vocal e acima de tudo não verbal, para mais facilmente podermos antecipar a forma mais correta para agir, evitando conflitos e renovando sinergias e relações. Eu, por exemplo, consigo identificar se o “correu bem” do dia dos meus filhos é mesmo um correu bem, ou se afinal quer dizer o oposto, olhando para a postura contraída ou descontraída do corpo deles. O maior desafio reside no facto de nos

dias que correm, a maioria de nós – e mais marcadamente a camada jovem – escolhermos a linguagem verbal sob a forma escrita para comunicar. Optamos pelos emojis para exprimir sentimentos e sensações e em vez do telefonema e das conversas presenciais, damos primazia às redes sociais e sms. A escrita representa , apenas e só 7% do total da nossa linguagem e como é óbvio muito fica por dizer. E, o que acontece na realidade? Quem recebe a mensagem escrita, GIF’s ou imagens diversas, preenche a seu belo prazer uma ideia do que o outro quis dizer com aquilo, como que adivinhando a entoação com que seria dita. Em suma, a linguagem virtual facilita a rapidez na comunicação, minimiza distâncias físicas mas abre brechas a entendimentos de terceiros, por falta da linguagem corporal e da tonalidade da fala, podendo aumentar os conflitos e arrefecendo relações. Aproveite esta dica e ligue àquela pessoa com quem apenas tem trocado mensagens e combine um encontro, afinal nós não fomos feitos para estar sozinhos.


"é possível, para qualquer pessoa, trabalhar online... seja qual for a sua área." área."


Trabalhe Online rentabilize o tempo de forma remota Quando em 2015 decidi tornar-me freelancer digital, lembro-me de muitas reações e perplexidade: Como assim trabalhar online? Andaste a estudar para trabalhar agora remotamente? Isso não dá dinheiro! Hoje, quase três anos depois, trabalho de forma cem por cento remota e online. O meu trabalho enquanto freelancer é já ele muito adaptado ao digital (trabalho com Marketing Digital), mas acredito que é possível, para qualquer pessoa trabalhar online... seja qual for a sua área. Sempre que digo isto, sou confrontada com interrogações e dúvidas como: “Dizes isso, mas um médico não pode trabalhar online. Nem um bombeiro. Nem um polícia”. E é aqui que começa uma das maiores aprendizagens do trabalho remoto: o saber diferenciar o trabalho da profissão. Eu não acho que todas as profissões sejam adaptadas ao mundo online, sendo que muitas obrigam ao contacto presencial e físico. Contudo, volto a repetir: qualquer área pode ser adaptada ao online.

Um médico não poderá certamente auscultar ou operar de forma online. Contudo, pode prestar serviços de acompanhamento médico virtualmente e criar conteúdos médico-especializados para a Internet… até porque, sejamos honestos, quem nunca pesquisou por sintomas médicos no Google? O quão bom seria encontrar uma página ou conteúdo onde um médico credenciado responde a algumas dúvidas gerais? A maior aprendizagem para trabalhar remotamente é o pensar fora da caixa. Através do projeto do Nomadismo Digital Portugal, faço processos de consultoria nos quais ajudo precisamente as pessoas a afastarem-se da ideia que ouvimos durante a vida toda que é o “trabalho normal”. Que é preciso sofrer para trabalhar. Que custa trabalhar. Que é um sacrifício acordar para trabalhar. Cada vez mais acredito que o trabalhar remotamente permite afastar todas estas ideias e ser, finalmente, feliz a trabalhar.

Master of Simplicity Magazine

43


De que modo o minimalismo influencia positivamente um site pessoal? Com o desenvolvimento do mercado de trabalho e da veia empreendedora, ter um site pessoal ou blog torna-se obrigatório, como forma de promover o nosso trabalho e o nosso conceito. Se o minimalismo é um estilo de vida, o marketing digital enfrenta o desafio de oferecer valor às pessoas, como experiências e sentimentos, em prol do antigo consumismo e materialismo.

Aplicar o minimalismo no nosso site é responder a dois desafios: a um modo de vida e a uma tendência de marketing digital/web. Cada vez mais se aposta em estratégias user-friendly, com um layout simples, intuitivo, prático e que se adapte a qualquer dispositivo. A simplicidade de navegação e o conteúdo prático são reais valias, que enaltecem não só o site como o seu autor.


As vantagens de aplicar o minimalismo em um site são diversas: • Facilidade no acesso e na leitura; • Foco = menos dispersão; • Informação útil, equilibrada e objetiva; • Compreensão e percepção da mensagem; • Organização dos temas e dos artigos no caso do blog;

O minimalismo não significa “simplicidade radical”. É normal que surja dificuldade na aplicação do minimalismo em temas mais complexos, especialmente em sites de estratégia de venda agressiva. Também deve haver um cuidado redobrado com a informação a ser trabalhada para preservar a pertinência da literatura.

Tenha sempre em consideração os seguintes pontos: • Identificação do autor do site/blog, tema e pertinência; • Conteúdo de qualidade, simples interpretação e fácil leitura; • Fácil navegação com a técnica dos 3 momentos: chegar à informação pretendida com um máximo de 3 cliques; • Design simples, clean e prático;

Por fim, é essencial ter em conta que “menos é mais”, no qual os utilizadores querem algo simples e rápido, pois tudo o que faça perder tempo é motivo para procurar informação em outro site. O seu site é prático? É fácil usar o seu site? Descubra através do questionário na próxima página!

Master of Simplicity Magazine

45


Questionário:

Quão prático é o seu site? Este pequeno questionário tem como objetivo determinar a percepção que tem do seu website e de que forma interage com os utilizadores online. No final, verifique os resultados. Tempo máximo: 1 minuto

O seu site é responsive? (adapta-se aos formatos mobile) Sim – 10 Pontos Não – 0 Pontos

Quantos itens tem o seu menu? Até 5 – 10 Pontos 6 ou mais – 0 Pontos

O utilizador do seu site demora mais que 5 segundos a perceber o assunto? Sim, é bastante perceptível – 10 Pontos Não, obriga a pesquisar e procurar o assunto – 0 Pontos

Quantos cliques são necessários para o utilizador chegar ao conteúdo pretendido? Até 4 cliques – 10 Pontos 5 e mais cliques – 0 Pontos

Partilha informação do seu site em outros canais online? Sim – 10 Pontos Não – 0 Pontos

O seu site aparece na primeira página dos motores de busca? Sim – 10 Pontos Não – 0 Pontos

Pontuação Final: 40 a 60 - Parabéns, o seu site é muito prático! 20 a 30 - O seu site está no bom caminho mas ainda pode melhorar! 0 a 10 - Recomendamos vivamente que recorra a um profissional da área (www.digiup.me) 46

Master of Simplicity magazine


7 passos para organizar o seu

espaรงo de trabalho

Master of Simplicity Magazine

47


Por vezes, sentimo-nos desmotivados, stressados ou pouco focados no trabalho que temos a realizar e, mesmo assim, raramente paramos para pensar e perceber que uma das principais razões é a falta de organização do espaço onde trabalhamos. Seja em casa ou no escritório, a organização e otimização do espaço onde trabalhamos é fator determinante e tem relação direta com a nossa produtividade.


1 - Limpeza Retire tudo da sua mesa de trabalho e limpe-a.

2 - Seleção Categorize e questione a funcionalidade de cada objeto.

3 - Organização Organize os papéis por guardar, resolver ou deitar fora. Guarde somente aqueles que são realmente importantes. Nota: não acumule os papéis por resolver. Se os mesmos existirem, será necessário que fiquem num lugar visível e que sejam despachados no próprio dia ou na mesma semana.

4 - Canetas Verifique todas as canetas que tem. Sempre que organizo um espaço de trabalho percebo a quantidade exagerada de canetas acumuladas. A nossa sugestão é testar cada caneta, confirmar se está em bom estado e se as vai utilizar alguma vez. Se as respostas forem negativas, deite-as fora ou opte por presenteá-las.

5 - Tudo em seu lugar Defina um local para cada objeto e sempre que o utilizar recoloque-o novamente. Se demorar mais de um minuto à procura de algo, é sinal que o seu sistema de organização não é o mais adequado ou não está funcionando.

6 - Recordações Simplifique. As recordações são especiais para todos nós, mas se tiver um espaço de trabalho repleto de souvenirs, desenhos, brindes, etc, certamente terá mais dispersões e chance de perder o foco enquanto trabalha. Tenha apenas um mínimo indispensável que o faça sentir feliz e que não o distraia.

7 - Manutenção Dedique 10 minutos, uma vez por semana, para reorganizar os papéis e objetos da sua mesa de trabalho. Esta atitude terá uma proporção bastante significativa e positiva no seu dia-a-dia pessoal e profissional.

Master of Simplicity Magazine

49


Minimalismo nos estudos Sobre a aprendizagem online Buscar o essencial em todas as áreas da vida nos alinha, dá foco e abre espaço para uma jornada mais tranquila. Ser minimalista até nos estudos é uma estratégia interessante para viver uma vida mais simples e harmoniosa. Os estudos à distância também podem ser minimalistas. Afinal, minimalismo não é um rótulo, uma fórmula pronta, mas uma relação entre coisas, pessoas, ideias e valores. Não é sobre o que sai, mas sobre o que fica. O ensino à distância não é novo. Começou no século XVIII, nos Estados Unidos e no Reino Unido, a partir de cartas, nos cursos por correspondência. Mais tarde, a rádio e depois a televisão ocuparam também esse espaço de formação, seguidos pelo advento arrebatador da internet. Quando falamos de cursos à distância, nos tempos de hoje, pensamos apenas nos estudos online, mas existem ainda hoje essas formas. Vemos atualmente cursos online com bastante popularidade no mundo. E, como tudo na vida, têm seus pontos fortes e fracos. Quando há clareza do motivo pelo qual se quer estudar um determinado assunto, o foco é ajustado, o que traz grandes benefícios aos estudantes, 50

Master of Simplicity magazine

especialmente aos mais atarefados. Porém, escolher um curso, temática e instituição, não é tarefa fácil. Mas, quando identificamos a nossa prioridade, quem somos e em qual momento da vida estamos, estruturamos o que nos é essencial e as escolhas ficam menos intimidadoras e mais alinhadas. Se você tem pensado em voltar a estudar, considere a opção à distância. Construímos uma tabela para você ponderar as fortalezas e fragilidades desse formato de estudos. Verifique na página ao lado. Focar no que faz diferença nas suas escolhas traz uma liberdade de decisão sóbria que é cada vez mais rara no mundo. Isso é sobre a vida e sobre os estudos. Analise, reflita, haja. Não é demais sugerir que pesquise o histórico da instituição e converse com pessoas que fizeram o curso que deseja fazer. Tudo isto ajuda na hora da decisão. E, lembre-se, minimalismo nos estudos e na vida não é sobre o que sai... é sempre sobre o que fica. O que importa para você. Bons estudos! Estudar é crescer.


PONTOS POSITIVOS Democratização do acesso Flexibilidade de dias e horários

PONTOS NEGATIVOS Dependência da tecnologia Ausência ou limitação nas discussões

Comodidade

Falta de interação com outros estudantes

Inclusão de pessoas que não poderiam frequentar aulas presenciais

Falta de apoio pedagógico na compreensão de conceitos e operações

Autonomia Autogestão da aprendizagem Desenvolvimento individual

Limitação da linguagem digital Desmotivação Sensação de despertencimento


Introdução ao Minimalismo Como simplificar a sua casa e a sua vida por Fátima Teixeira

52

Master of Simplicity magazine


Curso online direcionado para todas as pessoas que querem simplificar e melhorar suas vidas através do minimalismo enquanto estilo de vida.

Este curso consiste em: Introdução: na qual falo um pouquinho de mim e do que é minimalismo enquanto estilo de vida. Podem pré-visualizar gratuitamente esta secção.

Os 10 passos: muitas pessoas me perguntam "por onde começo?". Estes 10 passos são uma orientação de modo a conseguir ter uma jornada consciente e consistente.

Conclusão e Bónus: você receberá gratuitamente uma edição da Master of Simplicity Magazine em formato PDF e poderá cantar comigo a canção que compus sobre Minimalismo!

Pretende-se que o estudante seja orientado de forma prática, conseguindo resultados com mais qualidade e rapidez. Em decorrência, irá adquirir mais tempo, mais espaço, menos stress, menos ansiedade, etc… características de um estilo de vida minimalista! Nível Iniciante: curso desenhado para quem quer iniciar esta jornada. Preço Promocional nesta edição: €12 (Euros) / R$24 (Reais)

Inscreva-se aqui


Sessões Cortesia de Coaching Transforme a sua Vida em Realizações O processo de Coaching de Transformação Pessoal promove o autoconhecimento possibilitando descobrir no seu interior potenciais e competências pouco exploradas; maiores talentos, forças positivas (motivação, capacidade de superação,fé, perseverança, criatividade, amor, constância, esperança etc) que pode levar você à liberdade para viver de forma mais satisfatória. Como resultado, você sente maior satisfação em relacionamentos afetivos, sentimentais e profissionais, uma melhor saúde e bem-estar físico e/ou emocional, e ainda a possibilidade de mais sucesso, conquistas e realizações (pessoais ou profissionais).

Também realizo Business Coaching, o qual dá a oportunidade das empresas superarem o desafio do mercado atual; que é desenvolver talentos e profissionais competentes e eficazes que sustentem e solidifiquem a cultura da organização, e dessa forma possibilita que a empresa atinja resultados satisfatórios e torne-se reconhecida no mercado e no mundo, sem perder de foco a valorização humana. Experimente uma sessão grátis para entender como o coaching de transformação pessoal pode ajudar você a concretizar realizações pessoais ou profissionais. Para agendar a sua sessão cortesia (grátis) clique aqui!

Transforme-se, Liberte-se e Realize-se!

54

Master of Simplicity magazine


Crianças & Tecnologia como encontrar o equilíbrio Master of Simplicity Magazine

55


A AVG Technologies realizou um estudo com várias famílias, no qual os resultados demonstraram que 66% das crianças entre 3 e 5 anos de idade conseguia usar jogos de computador, 47% sabia usar um smartphone, mas apenas 14% era capaz de dar o nó dos atacadores.


A tecnologia passou a fazer parte da nossa vida, de uma forma tão natural que muitos de nós se questionam se conseguem viver sem esta. O que gostava de vos falar hoje é sobre o impacto que as tecnologias estão a ter no desenvolvimento afectivo, cognitivo e social da criança e qual a melhor forma de as utilizarmos. Sobre o uso excessivo das tecnologias, são vários os estudos que apontam para o isolamento social que os jogos virtuais ou redes sociais podem trazer, uma vez que o uso dos mesmos “satisfaz” as necessidades de socialização das crianças. Indicam também que a capacidade

de sentir e expressar emoções fica comprometida e como o uso de tecnologias interfere de forma negativa no desenvolvimento afectivo. Do ponto de vista cognitivo, sobretudo antes dos dois anos, o uso de tecnologias compromete o processo de aprendizagem, que deve ser feito através de estímulos reais em vez de estímulos virtuais. Neste sentido, julgo que o mais importante é tomarmos consciência destas informações e fazer um uso das tecnologias de forma responsável. Espero que encontrem esse equilíbrio fundamental entre o mundo virtual e o mundo real.

- Até aos 2 anos de idade a criança não deve estar em contacto com telemóveis, tablets, computadores - Crianças com menos de 5 anos devem usar apenas 1 hora. Dos 6 aos 12 anos, durante 2 horas. A partir dos 13 anos no máximo 3 horas. - Evite ter os aparelhos tecnológicos nos quartos. - Os pais devem dar o exemplo e reduzirem o uso. - Privilegiar atividades em família, sem tecnologias. - Evitar o uso perto da hora de dormir, a luz emitida por estes aparelhos interfere com a melatonina (hormona responsável pela indução do sono) - Os pais devem garantir que as crianças usam as tecnologias e redes sociais com segurança e supervisão.

Master of Simplicity Magazine

57


A Bébéu é um "porto de abrigo" para todos os pais e mães. Transmitindo confiança e conhecimento ajuda a capacitar os pais para um dos maiores desafios que terão na sua vida.

O factor motivador para criar a Bébéu foi a imensa vontade de ajudar os outros pais oferecendo-lhes apoio profissional e de confiança. Como farmacêutica apercebi-me que as dúvidas sobre a área da parentalidade eram tantas e quase sempre as mesmas. Decidi começar a escrever um blog sobre a área da saúde ligada à parentalidade respondendo às dúvidas que me chegavam.

Raquel Neves, fundadora da Bébéu 58

Master of Simplicity magazine

Com o objectivo de simplificar a vida aos nossos seguidores criei o site www. bebeu.pt e comecei a ministrar workshops sobre as várias áreas ligadas à saúde dos bebés. Assim, no mesmo local, os pais poderiam encontrar toda a informação e formação que precisavam poupando tempo. Em Janeiro de 2017 convidei outros especialistas a juntarem-se à Bébéu para escreverem artigos no blog e ministrar workshops. Neste momento conto com 21 especialistas (Tátis). As suas áreas são abrangentes e englobam a educação, saúde, parentalidade, actividades pais e filhos entre outras áreas como a maquilhagem e a moda. Entretanto os eventos para Pais e Filhos são uma constante no mundo Bébéu e temos feito mercadinhos com expositores com marcas sustentáveis ligadas à área das crianças.


Descontos oferecidos pelas Tátis(1): Terapia da Cacau Desconto de 15% na primeira consulta presencial ou via skype

Helen Doron Gaia Desconto de 10% da primeira mensalidade

Rir Agora Voucher de 10% num workshop à escolha

* válido apenas no Helen Doron Gaia

(1)

válido até 31.05.2018

Convido-o a estar atento à página de facebook e ao blog para saber as nossas datas de eventos. Como o nosso público é maioritariamente feminino, a área do empreendedorismo materno tem vindo a crescer em Portugal. Ciente disto, a Bébéu está a criar respostas para estas mães com apoio e mentoring nos seus projectos. Se és mãe e estás a pensar criar o teu projecto ou queres entender melhor o teu caminho podes contratar este serviço que tem o nome de Wildflower.

Fotografias gentilmente cedidas pela autora


Loja online de produtos ecolรณgicos e biolรณgicos de puericultura

www.rebento.pt


Uma vida com

menos lixo Mind The Trash... um nome que nos fez tanto sentido por sintetizar na perfeição a mensagem que queremos transmitir e que surgiu numa viagem de metro em Londres, enquanto ouvia o muito conhecido aviso “Mind The Gap” (cuidar a distância entre a plataforma e o comboio). Master of Simplicity Magazine

61


A Mind The Trash surgiu em Londres inicialmente apenas como conta de Instagram onde ia publicando alternativas e dicas para uma vida mais simples e com menos plástico. Após mudar-me para Portugal com o meu namorado Christian e depararmo-nos com a falta de alternativas disponíveis, decidimos criar a Loja Online Mind The Trash, uma loja de venda de produtos orgânicos e sustentáveis, alternativos ao plástico com um blog associado onde colocamos dicas e expomos alguns problemas associados ao uso do plástico e ingredientes não naturais e tóxicos. Ao sermos loja online conseguimos chegar a mais pessoas e esse era um dos nossos maiores objetivos: fornecer alternativas a todos, onde quer que morem.

62

Master of Simplicity magazine


Na nossa loja poderás encontrar pastas de dentes vegan, orgânicas e embaladas em jarros de vidro, escovas de dentes de bambu, sacos de algodão orgânico para compras a granel, esponjas de algodão reciclado e esfregões de madeira e fibras naturais para lavar a loiça, e muito mais! Os nossos produtos são cuidadosamente seleccionados por nós e reflectem o nosso estilo de vida, o que usamos e recomendamos. Todas as encomendas são enviadas sem plástico e preparadas com muito carinho! Passo a passo, podemos simplificar as nossas vidas, desistindo de produtos descartáveis, não duráveis e tóxicos e adquirindo produtos reutilizáveis, que realmente precisamos e que não prejudicam o ambiente.

Fotografias gentilmente cedidas pela autora


Detalhes para Cerimรณnia Elementos artesanais, criados cuidadosamente para cada cliente e cerimรณnia.

64

Master of Simplicity magazine


O projecto Diana Martins começou em 2008. A missão sempre foi criar elementos, objectos e peças exclusivos e personalizados para cerimónias, onde a simplicidade, a elegância e o estilo minimalista inspirado na botânica tivessem principal destaque. Cada peça é pesada de raíz, a matéria-prima é selecionada cuidadosamente e cada detalhe é criado, montado e transformado numa peça e trabalhos únicos, resultantes de uma execução cuidada e fruto de muitos anos de experiência. Com um conceito e estética pensados e elaborados manualmente, o seu trabalho resulta em peças elegantes, com design botânico e minimal, onde a elegância, a sobriedade e a simplicidade dão o toque especial.

66

Master of Simplicity magazine

Fotografias gentilmente cedidas pela autora


36

Master of Simplicity magazine


Wolistic é a nova agenda holística e alternativa de Portugal. Na Wolistic encontras eventos, workshops e vagas de voluntariado inspirados numa vida mais saudável, conectada e feliz. Todos os eventos promovem a vida alternativa, a sustentabilidade, a saúde natural e bem-estar, o respeito pela natureza e todos os seres, a transformação e o crescimento espiritual. O propósito deste projecto é ajudar-te a abrandar o ritmo e a encontrar a peça que falta na descoberta de ti próprio e da tua paz interior. Master of Simplicity Magazine

69


A Wolistic foi criada de uma necessidade. Eterna curiosa, a fundadora Natália Geraldo, andava constantemente em busca de workshops e experiências novas. Queria aprender mais sobre a vida, o planeta, o universo, mas principalmente sobre si mesma. Enquanto formadora de saboaria e cosmética natural, procurava sempre a melhor forma de divulgar os seus workshops para o máximo de pessoas possíveis. Mas, muitas vezes, encontrava apenas frustração nas suas buscas. Perdeu a conta às vezes que se sentia motivada a aprender algo novo e passava horas na internet em busca de um workshop, curso ou retiro interessante. Para chegar ao fim das suas buscas sem qualquer opção. Até que se acendeu uma luzinha! Porquê esperar que alguém criasse uma forma fácil de divulgar e procurar workshops com temas alternativos? Porque não desenvolver e criar esta ideia? Depois de muita dedicação durante três longos anos, a Wolistic está finalmente online! Inserir ou procurar eventos na Wolistic é super simples e TOTALMENTE GRATUITO! Tomámos essa decisão para

Natália Geraldo, fundadora da Wolistic

que todos possam ter acesso sem restrições! Quem quiser ajudar este projecto a crescer pode sempre fazer um donativo. Todos os eventos na Wolistic são analisados humanamente antes de serem anunciados, para garantir que estão alinhados com o nosso sentir e a nossa missão. O Lema deste projecto é “PARTILHA A TUA LUZ”, porque na Wolistic acreditamos que é na partilha que existe a transformação.

Confira nas próximas páginas alguns eventos anunciados em www.wolistic.com


AGENDA

Aula e Formação

Palestra e Encontro

Master of Simplicity Magazine

71


AGENDA

Meditação

Workshop


AGENDA

Retiro

Voluntariado e Caminhada

Master of Simplicity Magazine

73


QI - Ideias para Mães Evento em Lisboa No próximo dia 25 de Março, Domingo, decorrerá o evento QI- Ideias para Mães, em Montes Claros (Monsanto) na cidade de Lisboa. Este é um evento gratuito e com a duração de um dia. Contará com workshops e palestras ministrados por diversos profissionais nas áreas da saúde e do exercício, bem como bloguers e mães empreendedoras, que darão o seu testemunho e contribuição, de como gerir o plano familiar e de parentalidade. Haverá ainda um espaço com stands das marcas participantes, relacionadas com saúde, bem-estar, exercício, alimentação saudável, nutrição, beleza, psicologia, terapias e empreendedorismo. Resumidamente, serão abordadas ideias com base numa maternidade real, sem filtros, sem fundamentalismos ou modas.

"O QI - Ideias para Mães tem o intuito de despertarmos consciências e libertarmos as Mães de exigências que a nossa sociedade impõe, falando directamente de uma Maternidade Real sem fundamentalismos." Sofia Amorim

74

Master of Simplicity magazine


Retiro de Yoga para mulheres A proposta deste retiro é dedicar e cuidar de nós mulheres! Repousar desse tempo dos papéis que assumimos, para reconhecer e atribuir valor a essa identidade de Ser Mulher! O desafio é largar esse estado de estar presente, e em esforço, para dar lugar a um estado de presença completa e total em ti mesma! Conquistar o teu tempo, reconhecendo-te nessa essência de Ser Mulher! O nosso corpo vive sempre no presente. O nosso corpo está sempre a fazer aquilo que tem de fazer para se manter vivo...e saudável! Quando iniciamos o processo de habitar o corpo, o mais provável é que a mente entre em conflito aberto com as necessidades que este nos mostra. O corpo indica-te sempre o tempo certo... O corpo pedir-nos-à que expressemos as emoções que o estão a intoxicar, seja por que via for! O corpo não é um instrumento que temos para realizar tarefas ou para nos movermos!

76

Master of Simplicity magazine

...o corpo é o templo onde a alma habita! Hoje habito-o. Moro no meu corpo, consciente de um processo de reflexão e de tantas mudanças. Este é um início… da mudança de paradigma da forma como vives. Ganharemos um nível de consciência profundo, de quem somos, das formas que temos disponíveis para sanar tudo o que não nos acrescenta vida! Mais do que a aprovação exterior, ou modelos idealizados, a busca da beleza e da saúde tem origem no respeito pleno por quem somos... Juntas, nesta imersão em Yoga, aliar sabedoria, partilhar, gerar e praticar hábitos saudáveis e regulares nos cuidados com o feminino! Se ressoou em ti, vem! Abraço-Te!


Data: 16, 17 e 18 de Março

Orientadora: Marta Fernandes

Conteúdos: A evolução histórica e social da mulher, bem como no Yoga Desvendar o papel do Yoga para mulheres, em cada etapa dos quatro saberes do ciclo vital feminino Escutar e respeitar o corpo, apaziguar a mente e acolher emoções nas oscilações! Aprofundar a prática feminina de yoga, em sintonia com essa natureza feminina, as suas diferentes características e necessidades fisiológicas/ emocionais. Descobrir a prática pessoal de acordo com as oscilações da vitalidade. Yogasanas terapêuticos em casos de: cólicas, dores de cabeça, endometriose, fluxos muito intensos, muito curtos, ou a sua ausência, ausência de menstruação… Conquista da auto-prática. Aprendizagem sobre a saúde do corpo e mente feminina!

"Uma mulher que despertou, pode despertar outra mulher. A segunda desperta a sua vizinha. A terceira pode despertar a cidade. E juntas podem virar o mundo inteiro de pernas para o ar! Elas podem formar uma cacofonia e finalmente acordar o resto de todas nós. Uma mulher com o amanhecer nos olhos multiplica-se!" Clarissa Pinkola Esté


DICAS

Snacks Nutritivos e Fáceis! Sabemos que comer em frente ao computador, não é uma opção recomendada pelos profissionais de saúde porém, em alguns casos, é inevitável. Por isso, pensar na qualidade dos alimentos que vamos consumir é uma opção para melhorar a nossa qualidade de vida. Na hora de escolher os meus snacks, eu evito alimentos ultraprocessados, que são produtos alimentícios que possuem grande quantidade de ingredientes como: corantes, aromatizantes, acidulantes, e ainda grande quantidade de sódio e açúcar em sua composição. Eles podem causar diversas doenças como, alergias, diabetes, obesidade e hipertensão, além de contribuir para a produção de lixo e comprometerem grande parte da nossa renda familiar. Minha opção é sempre a “comida de verdade” que é o alimento no seu estado mais natural possível, com ingredientes de verdade, aqueles que você pode encontrar na natureza. A comida de verdade é simples, como tudo deve ser... como o estilo de vida minimalista. Pensando nisso, elegi o top 4 das receitas que mais gosto de preparar, que são fáceis, nutritivas e saborosas.

Master of Simplicity Magazine

79


Sorbet de Banana 4 Bananas 1 colher de sopa aveia - Corte as bananas em rodelas e coloque para congelar; - Bata as bananas no processador atÊ formar uma mistura homogênea; - Coloque em taças; - Acrescente a aveia e sirva.


Creme De Manga 2 copos de iogurte natural 4 mangas tommy maduras - Corte a manga em pedaços pequenos e coloque no freezer até congelar; - Coloque o iogurte em um filtro de café e deixe escorrer sobre um recipiente; - Bata o iogurte com a manga no liquidificador até obter uma mistura cremosa; - Coloque o creme em potinhos e sirva.

Master of Simplicity Magazine

81


Cookie de Banana com Aveia • 2 bananas prata • 1 xícara de aveia • Mix de frutas secas • Canela - Coloque o forno para aquecer a 180 ; - Amasse a banana com um garfo e coloque a aveia aos poucos; - Misture o mix de frutas secas; - Reserve a massa; - Unte a forma e coloque a massa com a ajuda de uma colher; - Polvilhe a canela; - Coloque no forno de 15 a 20 minutos (deve dourar). 70

Master of Simplicity magazine


Chips de batata doce • Batata doce • Azeite - Higienize a batata doce e corte-a em formato de chips; - Coloque em um tabuleiro; - Coloque azeite; Deixe no forno por 180 durante 30 minutos. Antes de levar ao forno, eu gosto de colocar páprica doce, uma pitada de sal e orégano para dar mais sabor.

Fotografias gentilmente cedidas pela autora

Master of Simplicity Magazine

83


Obrigado por acompanhar o nosso trabalho. Tem sido um prazer partilhar nosso projeto consigo!

Se gostou da nossa edição, siga-nos em: www.facebook.com/masterofsimpliciy www.instagram.com/master_of_simplicity

e não perca a nossa próxima edição em Maio sobre Hygge!

MOS Magazine #8 PT  

Bem vindo ao Mundo Digital! Nesta edição procuramos essencialmente partilhar consigo como a tecnologia pode funcionar a seu favor mas, també...

MOS Magazine #8 PT  

Bem vindo ao Mundo Digital! Nesta edição procuramos essencialmente partilhar consigo como a tecnologia pode funcionar a seu favor mas, també...