Page 1

Junho/2014   -  Revista Babys  

1

Ano 2 - nº 8 - Agosto - Setembro 2015


2

Revista Babys   -   facebook.com/revistababies


Junho/2014   -  Revista Babys  

3


Editorial

O amor a gente constrói

Dá para acreditar que já passamos da metade do ano?! Ao preparar a edição de agosto/setembro, eu me dei conta de quanto o tempo parece passar mais rápido quando a gente faz o que gosta. Aqui na redação, somos pura empolgação, e é por isso que nos dedicamos nesses dois meses para fazer o melhor para você e sua família, buscando sempre que o nosso encontro seja divertido, interessante e surpreendente. E com a perspectiva de que o relógio gira rápido demais e que nossos pequenos crescem mais rápido ainda, no mês dos pais, preparamos uma matéria especial para aumentar o vínculo entre pais e filhos, transformando assim experiências em memórias duradouras. Falando nisso, quer outra relação mais cheia de histórias que a entre irmãos? Pois é, é exatamente sobre esse convívio entre tapas e beijos que abordamos na nossa matéria de capa. Falando em tempo ainda, o verão já está quase ai novamente, inspire-se nas nossas leitoras e exercite-se. Deixe as desculpas de lado e comece a cuidar da sua saúde, mas lógico sempre levando em consideração sua condição física. O que importa é não ficar parada. Na editoria de Decoração um quarto Montessoriano, entenda esse conceito que leva em consideração as necessidades da criança. E para finalizar, uma festa digna de uma princesa. Enfim, com tudo isso, queremos apenas destacar a importância do tempo, de cada momento passado com seu filho e de como cada hora gasta na construção desse vínculo vai contribuir para a relação de vocês no futuro e contribuir para o adulto que ele vai ser. Conte conosco nessa jornada. Forte abraço e até a próxima edição em outubro, Mariana Woj Diretora de Redação

EXPEDIENTE

CAPA Davi Luiz e Theo Luiz, filhos de Rosana Rosa Vieira e Anderson Luiz Vieira Fotografia e tratamento de imagem Andrieli Mariano Fotografia www.andrielimariano.com.br

TIRAGEM 3.000 exemplares Gráfica Impressul

JORNALISTA RESPONSÁVEL Mariana Woj (Mtb 3580) (marianawoj@gmail.com)

FOTOGRAFIA Andrieli Mariano (contato@andrielimariano.com.br)

DIAGRAMAÇÃO Bianca Tontini biancadg.daportfolio.com (btontini@gmail.com)

REVISÃO DE TEXTO Claudinei Ferreira (claudineiflavio@gmail.com)

COLABORADORES Bianca Monte Maria Luiza S. Hilbrecht Shirley Hilgert

ANUNCIE EM NOSSA REVISTA Departamento Comercial Leandro Maciel (47) 9955-6917 comercial@revistababies.com.br facebook.com/revistababies

A Revista Babies não se responsabiliza pelas fotos enviadas pelos fotógrafos e pelos materiais publicados nos anúncios.

4

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Junho/2014   -  Revista Babys  

5


Índice

Decoração

08

MÍNIMO NECESSÁRIO

Entrevista

20

MELANCOLIA DIANTE DO BERÇO

Macetes de Mãe

28

COLUNA SHIRLEY HILGERT

6

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies

Matéria de Capa

12

ENTRE TAPAS E BEIJOS

Moda

24

MODA GESTANTE TEMPOS DE FRIO

Festa Babies

30

DIGNO DE UMA PRINCESA

16

Família da Edição

ASAS AO VENTO

Beleza

26

O CORPO PÓS-GESTAÇÃO

Comportamento

33

20 MANEIRAS DE DIVERTIR-SE COM SEU FILHO


.


Decoração

Mínimo necessário Quarto Montessoriano, uma proposta ousada, porém um ambiente muito rico e estimulante para o bebê Por: Mariana Woj Fotos: Andrieli Mariano Fotografia

Pouco conhecido ainda no Brasil, o método Montessori foi criado pela médica e educadora italiana Maria Montessori, em 1907, e privilegia a busca direta e pessoal do aprendizado de forma criativa. Para ela, o quarto dos pequenos deve ser estruturado de acordo com a ótica da criança e não do adulto, de forma que ela circule livremente no seu ambiente, explorando as coisas que estão ao seu alcance. Além disso, também tem uma perspectiva que vai além da aparência puramente decorativa. A prioridade é a liberdade que a criança deve ter. Tudo isso trabalha a autonomia e a confiança do bebê, além de estimular suas capacidades tanto motores como psíquicas. Após ler muito sobre o assunto, o casal Fernando Marcelino e Fernanda Hernandes Vargas optaram por desenvolver um espaço com essas características para sua filha Rafaela. “Um dia pesquisando em blogs me deparei com o método, fiquei apaixonada e não tive dúvidas de que aquele seria o caminho a seguir, pois meu foco principal sempre foi priorizar a educação e o desenvolvimento social e humano dos meus filhos”, explica a mãe.

8

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Decoração Quarto sem berço

Para que a Rafaela possa deitar e levantar livremente, Fernanda optou por substituir o berço por uma cama sem pés, com estrado e protetores laterais. Além disso, como moram em uma cidade úmida e fria, o piso foi todo coberto com um tatame de E.V.A e tapete. No início, para evitar que a criança role e caia, ela ficará protegida com travesseiros e almofadas. Depois que ela crescer um pouco, conseguirá ultrapassar facilmente, não precisando de um adulto para subir ou descer da cama. O casal acredita que o espaço não precisará de grandes modificações até os cinco ou seis anos da Rafaela. “Quando a cama ficar pequena, basta apenas substituí-la por outra maior”, destaca.

Espaço para explorar

Para Maria Montessori, o caminho do intelecto passa pelas mãos, porque é por meio do movimento e do toque que os pequenos exploram e decodificam o mundo ao seu redor. Por isso, na decoração do quarto da Rafaela abusouse de estantes proporcionais ao seu tamanho, além de espelhos e livros, tudo sendo de fácil acesso para a criança. Todos os móveis foram desenhados e planejados sob medida e alguns têm até mais de uma utilidade. “O guardaroupa foi especialmente desenvolvido para que ela possa abrir e fechar as portas sempre que quiser escolher suas roupas. As gavetas estão por ordem de uso, as mais baixas serão de uso dela e as mais altas da mamãe. Além disso, utilizarei ainda a parte de cima como trocador”, destaca a Fernanda.

Outras Características

No método Montessori, os brinquedos são ofertados em sistema de rodízio, por isso é possível sempre oferecer novidades. A ideia é repensar sempre se a criança precisa realmente de algo. Outro destaque fica por conta da barra e dos espelhos. “A barra serve de apoio quando chegar a fase de ficar em pé e dar os primeiros passos. Já o espelho serve para o seu autoconhecimento e identificação”, comenta Fernanda.

FORNECEDORES: Móveis: Marcenaria Renascer Espelho: Vidraçaria XV Enxoval: Club Art Adesivo de parede: Site Elo 7


Publieditorial

Móveis Planejados:

Quando o sonho pode virar pesadelo Por Suelen Spindola de Moraes (OAB/SC 33.364)

O sonho de ter sua casa planejada é comum devido à organização e beleza dos móveis, no entanto a decisão de optar pelos mesmos não é uma decisão fácil. A maioria dos móveis planejados custam valores altos, onde os consumidores fazem um esforço imenso para adquiri-los. Desta forma devemos tomar cuidado na contratação, tendo em vista que algumas empresas prometem uma entrega rápida e depois não cumprem o prazo prometido. Se você comprou móveis planejados e está tendo problemas na entrega / montagem dos móveis, saiba que o consumidor tem direitos e as empresas têm obrigações com a venda. Existem situações em que a venda de produtos também implica na prestação de serviços. No caso de armários, estantes, mesas etc, muitas vezes a entrega e montagem do produto depende exclusivamente da fábrica ou loja que comercializa os móveis. Trata-se de uma hipótese em que o fornecedor responde tanto por vícios e defeitos do produto (art. 12 do Código de Defesa do Consumidor – CDC) quanto do serviço (art. 14 do CDC). Assim, após a venda da mercadoria, o fornecedor está obrigado a entregála no prazo e condições contratadas, em perfeitas condições de uso e, também, montá-la para deixá-la à disposição do cliente dentro do prazo estabelecido ou, se não houver prazo estipulado, dentro de um período de tempo razoável.

Contudo, as reclamações sobre atrasos na entrega e montagem de móveis são cada vez mais frequentes, o que obviamente provoca muitos transtornos para os consumidores. Tome-se como exemplo a situação de um casal prestes a se casar. Ambos compram toda a mobília da residência e tem data marcada para o casamento. Por isso eles precisam que os móveis (especialmente os da cozinha) sejam entregues e montados, já que, sem eles, não haverá lugar para os mantimentos e alguns eletrodomésticos. E essa situação de precariedade pelo atraso na montagem de móveis gera diversos transtornos e aborrecimentos que a Justiça vem reconhecendo como dano moral. Cumpre salientar que, em vista da necessidade para utilização de determinados móveis, o § 1º do art. 20 do CDC permite ao consumidor que solicite a terceiros a montagem dos móveis e posteriormente requeira em juízo o ressarcimento dos gastos com esse serviço perante a empresa que lhe vendeu. Assim sendo, o consumidor que eventualmente sofrer problemas semelhantes pode propor ação contra a empresa (fábrica ou loja) que descumprir o prazo de entrega e exigir dela o cumprimento da obrigação (entrega e montagem), além de, eventualmente, indenização por danos morais e materiais.

Suelen Spindola de Moraes é advogada, formada em direito pela Universidade do Vale do Itajaí e pós-graduanda em Direito Civil e Processo Civil pela Católica SC. Rua Dona Francisca, 260 – Sala 808 Ed Deville - Centro - Joinville Tel.: (47) 3028 3939 Cel.: (47) 9962-8295 E-mail: suelenmoraes.adv@gmail.com

Junho - Julho/2015  -  Revista Babies

11


Matéria de Capa

ENTRE TAPAS E BEIJOS Faz parte da natureza dos irmãos: eles brigam, competem e se amam, porém é obrigação dos pais cuidar e incentivar essa relação

Por Mariana Woj Consultora: Maria Luiza S. Hilbrecht – Psicóloga/Psicanalista CRP 12/04391 Fotos: Jiza Castro - fotocastrogaruva@ig.com.br

É

um tal de puxar cabelo daqui, dividir brinquedos na marra, disputar o lugar no sofá, unirse para proteger o outro. Quem tem mais de um filho em casa sabe exatamente de tudo isso. Porém mesmo o amor entre eles sendo inquestionável, a convivência precisa ser cuidada e incentivada pelos pais. Veja algumas sugestões para melhorar o relacionamento entre os irmãos:

12

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies

Felippa e Afonso, filhos de Vanessa e Afonso Neto


Matéria de Capa

Incentive o vínculo A relação entre os irmãos se fortalece quando os pais estimulam a cooperação em vez da competição. Você pode propor atividades em conjunto, como brincadeiras, jogos, passeios (com os pais ou só entre irmãos) e até incentivar que um ajude o outro nas tarefas e lições de casa, respeitando, é claro, suas limitações. Através de pequenas tarefas eles passam a sentirem-se importantes. Victor Hugo e Enzo, filhos de Pamela Casagrande e Felipe Sasse

Todos da família são fundamentais Quando for sair só com um filho, inclua os irmãos de alguma forma, nem que seja em uma conversa. Se forem a uma loja, você pode trazer uma lembrança para os que ficaram em casa. Assim todos estarão presentes, mesmo que não seja fisicamente. Quanto maior a diferença de idade, mais importante é esse estímulo por parte dos pais.

Indivíduos diferentes Respeite o jeito de cada um e valorize as diferenças sem fazer comparações entre eles. Se for elogiar ou criticar, tente não usar o outro filho como parâmetro. Valorizar os atributos positivos de cada um faz com que entendam que são seres especiais e únicos, inclusive nos defeitos e qualidades. Além disso, atendam às necessidades de cada um, sem tentar fazer tudo igual para todos. Pergunte “Você quer algum biscoito?” em vez de “Aqui estão três biscoitos, a mesma quantidade que dei à sua irmã”. Ou “Seu irmão precisa de ajuda na lição. Assim que terminar eu ajudo você” e não “Eu fiquei 20 minutos com seu irmão e agora vou ficar o mesmo tempo com você”.

Cuide com suas atitudes Os pais sempre são os principais modelos das crianças, e na relação com os irmãos não é diferente. Portanto eles vão se basear na sua relação com o parceiro ou parceira e também na forma de interação de vocês com cada filho. Demonstre amor e carinho para estimular a cumplicidade e criar um ambiente seguro para a interação.

Helena e Laura, filhas de Leila Regina e Paulo R. de Souza

Agosto - Setembro/2015 -  Revista Babies  

13


Matéria de Capa Fiquem sempre atentos Por mais cansativo que seja ter que se dividir entre os cuidados com o mais novo, procure fazer um esforço para que o filho mais velho não seja tão deixado em segundo plano. Elogie os bons comportamentos. Acolha a criança e expresse sua satisfação quando ela demonstrar carinho pelo irmãozinho. Diante de um comportamento inadequado, não se exalte. Converse carinhosamente a respeito da situação, reafirmando o fato de que em você existe espaço para todos dentro do coração. Outro problema é que alguns pais só notam que a situação entre irmãos precisa ser controlada quando os conflitos tornam-se frequentes, porém isso deve ser trabalhado antes mesmo do segundo filho nascer, estimulando o contato da criança com outras crianças, ensinando assim que eles não são únicos. .

Afonso e Julia, filhos de Karina e Johnny Taques

Crie situação que eles possam vivenciar juntos Os menores sempre necessitam de muito trabalho e atenção, e há várias formas em que os mais velhos podem auxiliar. Seu primogênito pode falar ou cantar para o bebê, ajudar com a mamadeira, na hora de trocar a fralda e assim por diante. Quando você encontra maneiras de deixar ser ajudada pelo primogênito, você está enviando-lhe várias mensagens importantes: a de que você confia nele, que ele tem um papel ativo, que ele é um grande irmão que protege e cuida etc. Além disso, como bônus adicional, depois que ele pegar o jeito a vida dos papais fica um pouco mais fácil também.

Atenção Todas essas técnicas podem ser eficazes, mas, obviamente, vocês conhecem seus filhos melhores do que ninguém. Com isto, queremos dizer que com algum pensamento (e um pouco de tentativa e erro), vocês vão encontrar as estratégias que funcionam melhor para sua família. Além disso, é preciso ficar ciente de que conflitos irão acontecer, pois famílias perfeitas existem apenas em comerciais de margarina. E para os pais, saber lidar com essa diferença do real e do ideal é muito importante para a busca do equilíbrio e da união.

14

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies

Emily e Eloá, filhas de Michele F. Kruger e Gilcemar J. Brigido


Família da Edição

Asas ao vento Com uma história emocionante Paula Miranda hoje sonha em ajudar cada vez mais mulheres e aproveitar o tempo com sua família Por: Mariana Woj Fotos: Arquivo Pessoal

A

blogueira Paula Miranda é um exemplo de superação e resiliência tanto fisicamente como psicologicamente. Casada com o lutador joinvilense Vitor Miranda há 12 anos, Paula vivenciou duas gestações, passou pela perda de um filho e teve uma forte depressão pós-parto. Depois disso, aos 35 anos, tomou coragem, levantou a cabeça, aprendeu a ter uma vida com equilíbrio e saudável, tem uma barriga que deixa todo mundo ba-ban-do e dedica-se, através de suas páginas da internet (Planeta Paula) e palestras, a ajudar outras mulheres dando dicas de saúde, beleza e bem-estar. E foi durante uma dessas palestras, em Joinville, produzida pelo Spaço Mãe e Bebês, que ela conversou com a Babies e dividiu sua história.

16

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Família da Edição Revista Babies: O que te inspirou a criar o Projeto Corpo de volta? Paula Miranda: Uma motivação pessoal, mas principalmente motivar mulheres a se amarem mais! Revista Babies: Os primeiros passos da sua mudança foram difíceis? Paula Miranda: Muito! Precisei de muito foco é disciplina, além de paciência para ver as mudanças que começaram a aparecer em três meses. Revista Babies: Como e quando você recomenda que as mamães comecem a pensar nisso? Paula Miranda: Após os três primeiros meses, esses são de conhecimento entre mãe e filho e o melhor é curtir ao máximo! Revista Babies: Como conseguir organizar a dieta e os treinos dentro da rotina da casa? Paula Miranda: Mesmo sendo casada com um atleta, nunca fui uma frequentadora de academia, porém quando tive minha segunda filha Nina aos 35 anos senti necessidade de cuidar de tudo para ter um futuro saudável. Comecei com a ajuda do marido, que ficava com a Nina durante 1 hora para o treino, e a alimentação eu organizava durante as sonecas da Nina! Revista Babies: Acredita que foi mais fácil por ser casada com um atleta ou qualquer mulher pode conseguir? Paula Miranda: Qualquer mulher pode, o ideal é que o parceiro incentive ou entre junto, o que no meu caso facilitou um pouco, mas todas podem! O importante é mudar a mente e pensar positivo. A mudança deve começar dentro de cada um.

Revista Babies: Como e quando chegou no diagnóstico da depressão? Paula Miranda: Assim que percebi que não tinha mais vontade de viver; logo após 1 ano da morte do meu primeiro filho, Igor, que tinha quatro anos. Revista Babies: Vocês passaram por um trauma muito grande como casal e pais, como conseguiram superar a perda de um filho juntos? Paula Miranda: Não posso dizer que superamos, nunca se supera uma dor dessa dimensão, aprendemos juntos a carregála com dias bons e dias ruins, o apoio mútuo foi essencial! Revista Babies: O que aprenderam com esse acontecimento? Paula Miranda: Que cada minuto da vida é valioso, que nada daqui levamos, que nossos filhos merecem amor e o melhor de nós sempre! Revista Babies: Você está escrevendo um livro? Sobre o que ele fala e qual a data para lançamento? Paula Miranda: Conta minha história sobre o acidente e passagem do Igor, o primeiro ano pós-luto e como fiz para sobreviver, não tenho data para finalizar já que escrever sobre isso com detalhes machuca muito ainda... Agosto - Setembro/2015   -  Revista Babies  

17


Publieditorial

Bê-á-bá do cidadão A Passos Inocentes estimula a cidadania, civismo e respeito ao próximo

cidadania pode ser entendida como o conjunto de direitos e deveres ao qual o indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive. Em um primeiro momento, parece um tema demasiado complexo para se falar com crianças. E é mesmo! Sobretudo quando não se recorre a uma linguagem apropriada. Porém, no Passos Inocentes os atos cívicos não abordam apenas o amor à pátria, mas ensinam também o respeito pelo próximo, pelo trânsito, pela natureza, pelas leis e a importância de viver em grupo. “Na instituição apresentamos e proporcionamos experiências culturais relacionadas aos costumes típicos de nossa região. Buscamos aproximar cada criança do seu histórico familiar, heróis, personagens famosos, de tal forma que ela se sinta parte de um trajeto histórico comum”, explica Rose.

Faça a experiência Bons hábitos

Poderemos formar bons cidadãos, ensinando desde muito cedo. É fundamental que a escola e a família estejam alinhados e ajudem a criança a desenvolver hábitos de solidariedade, partilha, justiça, verdade, respeito pelos outros e por si própria, tolerância, de expor as suas ideias e de saber escutar. Uma excelente forma de ensinar é recorrer a jogos em grupos, através de livros e principalmente sendo o exemplo para as crianças.

Se a escola e os pais ensinam os pequenos a escutar o hino nacional com atenção, se falam de sua história com esperança, se informam sobre os distintos aspectos do país, se colocam em contato com o patrimônio comum, as crianças poderão reconhecer o que a pátria lhes deu. Desta forma, respeitarão e poderão tentar lutar pessoalmente para que essa pátria seja a melhor possível.

Matrículas 2016 Marque na agenda, no mês de novembro serão abertas as matrículas para o próximo ano. Agende uma visita e venha conhecer o nosso espaço! O Passos Inocentes homenageia todos os pais que conseguem ser sinônimo de amor, proteção, força e orientação para seus filhos. Recebam nosso reconhecimento pela nobre missão que lhes foi confiada.

Feliz Mês dos Pais!

PASSOS INOCENTES EDUCAÇÃO INFANTIL

Rua Vidal Ramos 487, Guanabara – Joinville Fone: (47) 3436-2910 - 3454-6399 Email:contato@passosinocentes.com.br www.passosinocentes.com.br Junho - Julho/2015 -  Revista Babies  

19


Entrevista

Melancolia diante do berço Normalmente confundido com a depressão pós-parto, estimase que cerca de 70% das mulheres que dão à luz sofram do chamado baby blues. O apoio familiar é fundamental para superar essa fase difícil

Por Mariana Woj Fotos: Divulgação

Fala-se muito do lado positivo de ser mãe, porém existem sentimentos diferentes da felicidade que rondam esses primeiros dias. Para falar sobre isso, conversamos com a psicanalista e autora do livro Da gravidez aos cuidados com o bebê, Anna Mehoudar. Revista Babies: O que é e normalmente qual o período que o baby blues acontece? Anna Mehoudar: A tristeza materna ou “baby blues” costuma acontecer na primeira semana pós-parto e ter uma duração de 15 a 20 dias. É um choro fácil que acontece com 8 entre 10 mulheres. As mães adotivas também vivem o “baby blues”, o que nos mostra que não é apenas o banho hormonal, mas a própria presença do bebê que provoca alterações.

Revista Babies: O que acontece com a mãe no baby blues? Anna Mehoudar: Há um sentimento de incapacidade para cuidar do filho, embora cuide com responsabilidade; crises de choro, sem motivo aparente, ou choro quando o bebê chora; mudanças repentinas e frequentes de humor; a tristeza, o cansaço e a irritação convivem com a alegria e mesmo a euforia; sente-se presa e teme ter perdido a liberdade para sempre; teme que o corpo não volte à forma anterior.

Revista Babies: Existem maneiras de evitar ou amenizar esses pensamentos? Anna Mehoudar: O baby blues é um ajuste necessário do psiquismo, um processo de adaptação ao novo papel. Muitas vezes as mães ficam hiperexcitadas e mesmo exaustas, e não conseguem se desligar do bebê. O parceiro, a família e a própria mulher chega a duvidar que consiga dar conta da maternidade. Mas é assim mesmo. No mesmo dia, ou em alguns dias tudo muda.

20

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Entrevista

Revista Babies: Como o companheiro pode ajudar? Anna Mehoudar: O primeiro passo, para as pessoas que cercam essa mulher, é entender que esta reação está longe de ser uma frescura ou fraqueza. É um comportamento involuntário. Da mesma maneira inesperada que vem, o baby blues também se dissipa sozinho, em geral depois de 15 ou 20 dias. Ajude coordenando as tarefas da casa e fique com o bebê para que a mulher possa descansar.

Revista Babies: O que acontece para a mulher se sentir tão assustada diante desta nova realidade? Anna Mehoudar: No início tudo é muito estranho e a mulher precisa de tempo para acomodar essa nova realidade. A mulher, e também o homem, vivem uma crise psicológica. Uma crise de identidade. Em 9 meses a mulher confirma a gestação e um bebê se aconchega no seu colo, para sempre. Nesse cenário, cursos na gestação podem ser fundamentais. Revista Babies: O pai também pode se deprimir? São os mesmos sintomas femininos? Anna Mehoudar: Quando nasce um bebê tudo muda e alguns homens sofrem com os novos tempos. Eles temem perder a liberdade, a mulher, amante, parceira, companheira. Temem responsabilidades sem fim. Pouco divulgada, a depressão após o nascimento do filho acontece com 10 a 15 % dos pais. Alguns não conseguem encontrar o seu lugar junto à mulher e o bebê, o que não é lá muito fácil. Outros não tiveram boas experiências com o próprio pai e não sabem o que fazer. Mergulhar no trabalho ou sair para se divertir, como adolescente, não deixa de ser um sinal de que o pai precisa de ajuda para encontrar o seu lugar. Veja o que muitas vezes pode acontecer: indiferença e/ou desinteresse pelo bebê; o homem cobra maior atenção da mulher; mostra indiferença e/ou desinteresse sexual súbito; tem crises agudas de ciúmes; irritabilidade e/ou dores no corpo; sonolência intensa; há um “faz de conta” de que nada mudou e, no extremo, o homem nega a paternidade. Como ajudar? Os homens precisam de atenção, assim como as mulheres e os bebês. É importante que o casal abra espaços no dia a dia para conversar e alimentar sua intimidade afetiva. Revista Babies: Existe a necessidade de procurar ajuda de um profissional? Anna Mehoudar: Quando o homem ou a mulher entram em sofrimento, com pensamentos repetitivos ou uma dificuldade de lidar com o bebê ou com o dia a dia, é o caso de marcar uma consulta com um psicólogo. A chegada de um filho(a) pode ser acompanhada de grande ansiedade, sofrimento psíquico, perturbações psicossomáticas, desacertos conjugais e familiares. O atendimento psicológico ajuda a identificar os distúrbios que podem afetar a construção da maternidade e paternidade, e a capacidade da mãe de cuidar de si mesma e de oferecer os cuidados básicos à criança. O atendimento psicológico também é indicado para pais com filhos com doenças congênitas ou adquiridas, e para os pais em luto perinatal e puerperal. Dar conta do dia a dia implica em preciosa oportunidade de crescimento.

Revista Babies: Logo que a criança nasce muitas pessoas dão palpite de como cuidar dela. Precisa ser feito um filtro? Como os pais podem acreditar que estão seguindo o caminho correto? Anna Mehoudar: O bebê é o grande termômetro. No início o mais indicado é que apenas uma pessoa cuide do bebê e estabeleça a sua rotina. Assim ele começa a desenvolver um sentimento de confiança. No primeiro e segundo ano de vida, assim que uma rotina se estabelece, o bebê já exige sua reformulação. Ele cresce muito depressa e novas soluções precisam ser encontradas. Em relação aos avós cabe uma boa conversa, mesmo porque eles podem ajudar muito e os pais precisam de ajuda.

Agosto - Setembro/2015 -  Revista Babies 

21


Saúde

Vacina contra Meningite B Medicamento é recomendado principalmente a crianças com até um ano Por Mariana Woj Fotos: Banco de Imagem

O que é? Desde o mês de maio, as clínicas particulares de todo o Brasil receberam a vacina que protege contra a meningite do tipo B. Até o momento não existia nenhum tipo de imunização contra a doença, considerada de extrema gravidade, com grande número de óbitos e sequelas permanentes por conta da rápida evolução do quadro clínico após a infecção. Segundo o médico, Dr Edmundo Weber Filho, Pediatra e Neonatologista da Clinica Curumim de Joinville, bebês com idade entre 2 a 5 meses precisam tomar três doses, entre 6 e 11 meses, a recomendação é de duas doses. Ambas as faixas etárias são classificadas como grupo prioritário e necessitam 1 dose de reforço. Para quem tem mais de 1 e até 50 anos, são necessárias 2 doses.

22

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies

“Meningite é uma infecção que se instala quando uma bactéria ou vírus, por alguma razão, consegue vencer as defesas do organismo e ataca as meninges, três membranas que envolvem e protegem o cérebro e a medula espinhal”, explica o Dr. Edmundo. As bactérias mais comuns são os meningococos tipo A, B, C, Y e W; sendo que apenas a vacina para o grupo C está disponível nos postos de saúde e a imunização deve ser realizada aos 3 meses, aos 5 meses e um reforço aos 15 meses de idade. Os meningococos A C W Y também já podem ser prevenidos por vacina que também só existe nas clínicas particulares, até o momento liberadas a partir de 1 ano de idade.

Sintomas

Os sintomas mais comuns da meningite são febre, dor de cabeça severa, náuseas, vômitos, confusão mental, convulsões, rigidez de nuca em pacientes mais comprometidos. Um sintoma especialmente importante é o aparecimento de manchas vermelhas no corpo e que indica gravidade “Em crianças menores de um ano, os sintomas são menos evidentes: febre, recusa alimentar, irritabilidade ou sonolência e prostração e, em alguns casos, abaulamento da moleira”, destaca o médico. O indicado é que as pessoas com sintomas de meningite procurem, imediatamente, atendimento médico.

Transmissão

O contagio é principalmente por via respiratória e através de fômites (brinquedos, objetos de uso comum como talheres, copos...). Escolas, creches e outros locais com grande concentração de pessoas são ambientes favoráveis à contaminação. O médico finaliza fazendo um alerta. “Os adolescentes que frequentam as baladas constituem um grupo de elevado risco para essa doença, quando não imunizados. Além disso, uma pessoa infectada pode não desenvolve- lá, mas mesmo assim é capaz de transmiti-la.”


Moda

Moda Gestante – tempos de frio Fotos: Banco de Imagem Há mulheres que prefiram passar a gravidez em estações mais quentes, eu particularmente não acho uma boa ideia, tive minhas duas gestações no verão e sofri muito por conta do calor, uma combinação agoniante de inchaço e falta de ar de quase não conseguir respirar. Senti na pele aqueles dias de “sofrencia” rs rs.

Bia Monte é mãe do Arthur e do Miguel, Consultora de Moda Gestante e autora do Blog www.maededoiseagora.com.br

Mas uma coisa é certa, o verão te liberta mais no quesito conforto. Já o inverno nos castiga com dias intensamente gelados. E o que usar nesse período se estiver gravida? Não precisa colocar camadas e mais camadas de roupas e sim usar a roupa certa. Vou destacar alguns pontos para você não se perder na hora das compras.

24

CALÇA FLARE: uma ótima opção para usar com ou sem salto alto. Superversátil e elegante fica bem para trabalhar e até mesmo para um evento mais especial. Tanto modelos em jeans ou tecidos, vale lembrar que dependendo da sua silhueta é melhor escolher cores e tons escuros.

CALÇA MONTARIA: conforto é a palavra, adoro a combinação de calça montaria com tricot mais soltinho. Aposte nas botas e arrase.

CASACOS: peça chave da estação, é preciso ter cuidado nessa escolha. Casacos com abertura frontal além de facilitar na hora de vestir alongam a silhueta. Se a compra for de um casaco fechado, procure opções próprias para gestantes, com ajustes e modelagem especiais.

LENÇOS E CACHECÓIS: pode usar e abusar, ajudam também no look final pois alongam e dão charme à produção.

VESTIDOS: sem dúvida tem a minha aprovação. O vestido longo fica ideal com um blazer por cima. Já a opção na altura do joelho combina com um trench coat de lã batida ou napa.

MOLETON: cuidado com essa peça, nessa hora é bom avaliar o modelo. A melhor opção seria com abertura frontal.

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Beleza

O corpo pós-gestação

Para muitas mulheres, encarar o espelho após o parto pode ser uma experiência chocante, mas sabendo o que acontece com o corpo, fica mais fácil entender que tudo é uma questão de tempo Por Mariana Woj Fotos: Banco de Imagem

Depois do parto, é claro que as atenções estão todas voltadas para o bebê. No entanto, não adianta negar que o corpo, com os quilinhos a mais e a flacidez, também preocupam as mamães. E é importante saber que isso não é pecado, afinal, o peso certo é fundamental para a saúde e o bem-estar. Segundo Bruno Alexandre de Souza, instrutor e personal trainer da Academia Fórmula, não existe milagre, da mesma maneira que o corpo precisou de nove meses para se transformar, vai precisar de tempo e também de muita disciplina para voltar a ter a mesma elasticidade e contornos de antes.

26

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies

Exame de rotina

Mais ou menos seis semanas depois do nascimento do bebê, você passará por uma consulta com o obstetra. Ele irá examiná-la com atenção para verificar como o seu organismo está se recuperando. Caso sinta algum incômodo como dor nos pontos, seios doloridos demais, desconforto durante as relações sexuais, não sofra calada, fale com seu médico. Se estiver tudo bem, estará liberada para começar a se exercitar sem se precipitar.

Órgãos Internos

Durante o primeiro mês, após o parto, o útero, colo do útero, vagina e abdômen começam a encolher para o tamanho que tinham antes da gravidez. À medida que o útero se contrai, será possível observar um corrimento vaginal, conhecido por lóquios. A duração do lóquios varia, sendo a média 21 dias. Ele começa bem vermelho e vai perdendo a cor aos poucos. Enquanto isso, o intestino costuma ficar mais lento e acumular gases.


Beleza Depoimento de quem já passou por isso

Seios

Outro detalhe é que talvez seus pés fiquem ligeiramente maiores - cerca de meio número. Pode ser que um sapato que era folgado fique agora justo.

Cabelo

Durante a gravidez, o aumento dos hormônios faz com que os cabelos de algumas mulheres fiquem mais grossos e caiam menos, porém após o parto, o cabelo volta ao ciclo normal de crescimento e queda. Portanto, não se assuste.

Pele

Depois do parto as manchas que apareceram durante a gestação tendem a diminuir, porém elas não somem totalmente, caso sinta necessidade, um dermatologista pode ajudar com essa questão. As estrias também diminuem e clareiam com a perda de peso, mas elas são definitivas, então o melhor é prevenir durante a gravidez usando bastante óleo, controlando o ganho de peso e fazendo massagens.

Barriga

Mesmo após o parto, a barriga parece maior do que o normal e aos poucos vai desinchando, mas leva algum tempo para voltar ao que era antes. Já a flacidez, Bruno explica que ocorre devido à hiperdistensão da parede abdominal e que exercícios físicos podem atenuar e, em muitos casos, acabar com o problema.

Quadris

Dificilmente os quadris voltam ao tamanho anterior. Essa mudança pode ser muito sutil, mas no geral, o corpo das mulheres ganha uma nova forma.

Peso

Logo após o nascimento da criança, a mulher perde em média seis quilos, que correspondem ao peso do bebê, da placenta, do líquido amniótico e dos sangramentos. Daí em diante a melhor aliada é a amamentação. O corpo queima gordura para produzir leite, sendo assim quanto mais o bebê mamar, maior será a perda de peso. Nessa fase nada de dietas, caso seja o caso procure um nutricionista. Não deixe também de ingerir muita água.

Andry Freitas Fotografia

Pés

“Engordei 12 quilos na primeira gestação e 15 na segunda. A Sophie tinha quatro anos e a Emily nove meses quando decidi me matricular na academia porque queria mudar. Era sedentária, a flacidez e celulite pós-gestação me incomodavam muito e, além disso, meus hábitos alimentares também não eram saudáveis. Comecei a praticar musculação e a mudar minha alimentação aos poucos. Quando os resultados começam a aparecer é um estimulo maior ainda pra você continuar. Eu tive muitas mudanças tanto físicas quanto mentais, meu desempenho no trabalho e em casa melhorou bastante e o estresse diminuiu muito. Na minha opinião treinar é uma terapia, é uma hora do dia que tiro só para mim e só me faz bem!”, Ariane Ossovski, mãe da Sophie e da Emily

“Após a gestação observei quilinhos a mais, aparecimento das indesejadas celulites e um pouco de flacidez. Quando meu filho estava com dois meses meu médico liberou e optei em fazer o treinamento funcional, pois ele me ofereceu muitos benefícios como a diminuição do meu peso, a tonificação do meu abdômen, glúteos e pernas e também me auxiliou na postura, já que durante a gestação recebi uma sobrecarga e com isso a postura sofreu mudanças. Nos dias que vou para o treino, deixo o baby com o meu marido, e ele supercurte - é o momento dos meninos.”, Grasiane Devigili, mãe do José Paulo, 4 meses

Ana Aguiar Fotografia

Quando você parar de amamentar, os seios vão voltar mais ou menos ao tamanho e ao formato que tinham antes da gravidez. É verdade, porém, que talvez eles não estejam mais tão “fartos”, principalmente no caso de seios maiores. A culpa é mais dos hormônios que da amamentação em si. “Não há muito o que fazer para evitar que isso ocorra, mas os exercícios especiais, como os para os membros superiores e até mesmo a natação, podem fortalecer os músculos da região peitoral para melhorar o formato e a aparência dos seios”, explica Bruno.

Agosto - Setembro/2015 -  Revista Babies  

27


Macetes de Mãe

que não podem ficar 8 itens de fora do enxoval do bebê

REVISTA BABIES COLUNA SHIRLEY HILGERT

Olá, mamães, como estão? No meu post de hoje falo dos 8 itens que eu considero imprescindíveis num enxoval de bebê. Alguns bastante comuns a todos enxovais, outros não tão usuais, mas muito úteis. 1. Bodies: sem dúvida, a peça de roupa mais usada por bebês. É prática e versátil, pode ser usada de dia ou de noite, por cima ou como roupa de baixo. Vale a pena investir em, pelo menos, 8 peças da estação e 4 peças da estação oposta (manga curta e longa). 2. Macacõezinhos: são ótimos pijamas e excelentes para serem usados de dia também, pois evitam que a parte de cima da roupa suba quando o bebê é colocado no colo. Gosto muito das versões cujo punho pode ser dobrado para cobrir a mãozinha (mais comum nos tamanhos para recém- nascidos) e daquelas que vêm com zíper no lugar dos botões (mais prático de fechar).

de quem está carregando o recém-nascido (para ele não ficar em contato com a roupa, nem sempre limpa) e as maiores para servirem como proteção à toalha de banho (você coloca entre o bebê e a toalha de banho, já que elas são mais delicadas para a pele sensível do bebê e também secam melhor que as próprias toalhas).

6. Babá eletrônica: apesar de ser um item caro, acho extremamente útil. Ela garante que a mãe durma tranquila, mesmo com o bebê estando no quarto ao lado. 7. Cadeirinha vibratória: muito usada para o bebê descansar e até dormir quando é bem pequeno. Bastante útil para aqueles momentos que a mãe precisa fazer alguma coisa e não pode ficar com o bebê no colo, como tomar banho.

3. Bolsa ou mochila de passeio do bebê: imprescindível, será usada muito, por pelo menos dois anos. Por isso, indico investir em um modelo leve, de cores neutras e com várias divisórias. 4. Fraldinhas de pano: sugiro comprar de dois tamanhos. As menores para serem usadas como paninho de boca ou para cobrirem o corpo

Brasil, agora estão chegando por aqui também. Eles fecham com zíper ou botões na frente e deixam os bracinhos de fora (em cima eles são como uma regata, mas cobrem todo o corpo e são fechados embaixo). Acho imprescindíveis para as regiões mais frias.

8. Babador plastificado ou de tecido impermeável com bolso coletor de comida: imprescindível para a fase de introdução alimentar. Vai salvar as roupas do seu filho. 5. Sacos de dormir: são saquinhos de tecidos macios e quentes que a criança veste para dormir nas noites mais frias. Comuns fora do

Espero que tenham curtido as dicas. Até a próxima!

SOBRE MIM: Shirley Hilgert, 36 anos, é mãe de Leonardo, 3 anos, e Caetano, 4 meses, e é a autora do blog Macetes de Mãe (www.macetesdemae.com). É formada em Publicidade e Propaganda e em Relações Públicas e possui pósgraduações em Organização de Eventos e em Marketing. Atualmente, exerce exclusivamente as funções de mãe e blogueira e encontra nessas atividades sua grande realização.

28

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Festa Babies

Digno de uma princesa A mistura de tons em rosa e dourado formou a combinação perfeita em meio às ursinhas Por Mariana Woj Fotos: Mel Maieski - melmaieskifotografia@gmail.com

O

aniversário da pequena Vitória foi um encontro descontraído e delicioso entre familiares e amigos. Num clima meigo e romântico, os papais corujas, Patrícia Carbonal Faria e Eduardo Corrêa Alves, optaram por uma decoração cheia de mimos. O trabalho rico em detalhes e feito com muita criatividade teve como tema as Princesas Ursas e as cores predominantes foram rosa, branco e dourado. “Queria algo com esse tema, pois desde a gravidez, já imaginava a minha pequena princesa”, explica a mãe.

30

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Festa Babies

De encher os olhos A festa começou a ser planejada

em janeiro e os grandes destaques foram o look tal mãe, tal filha, confeccionados em renda renascença, o bolo e a decoração primorosa e delicada. Patrícia revela que não teve dificuldades para encontrar os fornecedores na cidade e que graças a essas parcerias não se arrepende de nenhuma decisão. “Tudo foi perfeito como sonhamos desde o início”, comenta.

Detalhes Na mesa principal

maçãs de chocolate, brigadeiros, pirulitos e o bolo decorado com a temática se destacavam entre pérolas, coroas, carruagens e ursinhas. Além disso, belos arranjos de flores e um banquinho no estilo de praça com um urso de pelúcia deram um tom lúdico ao ambiente. Como recordação da comemoração, as famílias receberam uma sacolinha recheada de guloseimas e deixaram todos com vontade de quero mais. “Queria algo que os convidados gostassem e nada melhor do que guloseimas”, explica Patrícia.

FORNECEDORES: Roupa da aniversariante: Magazine Rendas – Natal (RN) Decoração: Belas Festas Elegance Local: Dio Restaurante – Bal. Barra do Sul Personalizados: Designer Criativo Flores e arranjos: Mari Guesser Bolo, salgados e doces: Tati Sabor e festas Impressos em vinil: Fusion Comunicação Visual Fotografia: Mel Maieski Fotografia Número de convidados: 50 Agosto - Setembro/2015   -  Revista Babies 

31


32

Revista Babys   -   facebook.com/revistababies


Comportamento

Andrieli Mariano Fotografia

Diogo Poltronieri com sua filha Maria Eduarda

Alexandre Gustavo Birckholz com sua filha Isadora

1

Desde os primeiros meses de vida, os filhos entendem tudo que os pais falam. Converse com o bebê, conte sobre o ambiente à sua volta, sobre o mundo etc.

A presença constante do pai na vida do filho pode contribuir muito para a evolução dessa criança. Pensando nisso, a Babies preparou 20 atividades para aumentar esse vínculo em qualquer idade Por: Mariana Woj

Leia um livro com seu filho e peça que ele leia em voz alta alguns trechos – crianças que leem mais, escrevem melhor e têm vocabulário mais amplo.

4

Chame seu filho para ajudar a lavar a louça depois das refeições. Ele pode colocar os itens menos delicados, como panelas, no escorredor.

5

Desafie os filhos a apostar pequenas corridas em ambientes amplos. Evite fazer isso na sala, por exemplo, para prevenir acidentes com os móveis.

Eduardo Ferreira com seu filho Arthur

Andrieli Mariano Fotografia

3

Camila Mendes Fotografia

2

Brinque de construir objetos com jogos de encaixe de peças. Além de pais e filhos ficarem juntos, a criança desenvolve a coordenação motora.

Camila Mendes Fotografia

s a r i e n a 20 M m o c e s r i rt e v de di seu filho

Alexandre Tabbert com seu filho Vinícius

6

Estimule os pequenos a tocar flores, folhas e árvores quando estiverem em parques ou jardins. O contato com a natureza desenvolve o respeito por ela.

7

Independentemente da idade de seu filho, sempre converse com ele olhando nos olhos. Isso mostra atenção e honestidade.

8

Sabe aquele tipo de programa que você fazia sozinho – ou com seus amigos – antes de ter filhos? Comece a levar as crianças, inclusive as meninas. Elas vão adorar! Sua companhia é fundamental para conhecerem coisas diferentes com você e se espelharem em suas atitudes. Seguem algumas atividades para vocês se divertirem e aprenderem juntos: pescarias ensinam seus filhos a manterem a calma e a concentração; exposição de objetos antigos pode estimular o interesse pela História; andar de skate ou patins incentiva a prática de esportes e prende a atenção das crianças.

Agosto - Setembro/2015   -  Revista Babies  

33


Comportamento

9

15

10

16

11

17

Reserve 15 minutos da noite para conversar sobre o dia que está acabando. Deixe a criança contar o que aconteceu na escola e conte algo seu também.

Brinque de esconde-esconde com as crianças, dentro de casa ou ao ar livre. Deixe que ela vença de vez em quando, para sentir-se confiante.

Demonstre carinho e amor pelo seu cônjuge perto dos filhos. Eles aprenderão o que é um relacionamento equilibrado e buscarão o mesmo para eles.

Vá para a cozinha em família: faça uma receita no fim de semana com a participação de todos e dê à criança tarefas seguras, longe de facas e do fogo.

Camila Mendes Fotografia

Solte bolinhas de sabão com as crianças. Elas adoram! É melhor que seja em lugares abertos, pois o sabão pode deixar o piso da casa escorregadio.

Rodrigo Paludo com seu filho Bernardo

Faça uma viagem em família. Pode ser um dia em uma cidade próxima ou um mês no exterior – o importante é estarem todos juntos longe de casa.

12

18

13

19

Assistam juntos a um filme por semana – pode ser no cinema ou na TV – e troquem ideias sobre a história logo na sequência.

Determine um período do dia para acompanhar a lição de casa e ajude apenas quando a criança pedir. Não queira fazer a lição por ela.

14

Monte um quebra-cabeça com seu filho. Escolha o jogo de acordo com a idade da criança – há opções para todas as faixas etárias.

Andrieli Mariano Fotografia

Participe de todas as reuniões de pais e mestres da escola e converse com os pais dos amigos de seus filhos sobre a relação deles.

Ricardo Farah com seu filho Enzo

Mostre álbuns de fotos e conte histórias da família para seu filho, se possível mostrando outros parentes. É importante que ele conheça suas origens.

20

Façam as refeições juntos sempre que possível.

Depoimento: “Sou o típico pai que ‘estraga’ as crianças. Sou adepto

da criação pelo amor total, faço dormir no colo, dorme conosco na cama, não gosto nem deixo chorar para ‘acostumar’ ao berço ou a qualquer coisa. Levo comigo uma frase que ouvi de uma mãe. Segundo ela, os dois segredos para educar uma boa pessoa “amar e cuidar”. Eduquei sem fazer uso de agressão física ou psicológica e acho que uma conversa sincera olho no olho resolve qualquer dilema. O pai que tem autoridade não precisa usar o poder.” Jonas Pôrto, pai da Pietra, Maria, Vinícius e Antônia

34

Revista Babies   -   facebook.com/revistababies


Junho/2014   -  Revista Babys  

35


biancadg.daportfolio.com biancadg.daportfolio.com

36

Revista Babys   -   facebook.com/revistababies

Revista Babies - #8  

A Revista Babies Reúne O Melhor do universo infantil, desde moda e decoração ATÉ Saúde e Comportamento. NÃO DEIXE de ler! Contato Comercial...

Advertisement