Page 1


EXPEDIENTE Editora / Jornalista Responsável MÁRCIA CRUZ DRT 1621 / BA

Foto Capa ROBERTO TRINDADE

(79) 9994-5022 / 9962-0012

Fotos CARLOVANCY ROBERTO TRINDADE WESLEY ARANTES

Jornalista PATRÍCIA MASCARENHAS

ANÚNCIOS

Diretor Comercial e Marketing CARLOS ALBERTO MENESES

Colaborou nesta Edição HUGO SOUZA SÔNIA PEDROSA Projeto Gráfico ID ARTES E EVENTOS

Executivo de Contas ANTÔNIO MARIANO Diagramação de Anúncios ORLANDO GOMES

Direção de Arte HELMA KÁTIA

Distribuição gratuita Publicação Bimestral

Diagramação JADSON ALVES PABLO VALENÇA

Participe! Envie sua mensagem para: cidademagazine@hotmail.com Tel.: (79) 3042-1100


editorial mudar é preciso

A

lteração, metamorfose, modificação, mutação e transformação são alguns sinônimos costumeiramente utilizados para descrever a palavra ‘mudança’. Aliás, esta é, sem dúvida, a grande expressão do momento. Você sabia que o que diferencia você do ontem para o hoje são, principalmente, as mudanças que aconteceram em sua vida? Afinal, como diz a canção de Lulu Santos, “nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará”. De menino, você mudou para adolescente. Depois, tornou-se jovem. Hoje, talvez já seja adulto e um dia alcançará o ápice da sabedoria, adentrando à terceira idade. A vida humana é dependente desse ciclo inevitável da mudança. Seja física, ou por idade, controlada ou insaciável, a mudança acontece de qualquer jeito. Há quem mude cultural e progressivamente, lenta e sistematicamente. Há quem mude na busca pelo saber. Vivemos no mundo das mudanças. Vale destacar que o mundo inteiro passa por profundas transformações que vão desde as ambientais ou ecológicas, às demográficas, que englobam também a perspectiva de vida de cada um. A Europa temia uma crise e não apenas faliu, financeiramente falando, como também perdeu parte de sua autoestima. O oriente foi sendo ocultado pelo ocidente. E o que dizer a respeito da globalização da informação? O que só seria possível sabermos daqui a alguns séculos, é possível chegar até nós em apenas meros segundos. Enquanto uma emissora de TV retransmitia SBT, agora é Record. Fátima Bernardes não é mais Jornal Nacional. Bial passou a ser Na Moral. Mas antes disso, Faustão resolveu emagrecer. Tudo está mudando o tempo inteiro. E essa também é a proposta que a Revista Cidade Magazine traz para você, porque chega de coisas iguais! Com designer arrojado, este novo impresso, que agora chega às suas mãos, será publicado bimestralmente, e já vem com um diferencial: é a única revista do mercado sergipano que apresenta ao leitor um guia completo com sugestões de serviços e produtos para facilitar seu dia a dia. É isso aí, leitor. Não tenha medo de mudar. Mude, mas sempre para melhor. Boa leitura! Carlos Alberto Meneses


8


SUMÁRIO Cidade 8 Turismo 10 Decoração 14 Direito do consumidor ROtary 17 meu estilo 18 entrevista 20

16

aborto 24

Direito público 28 perfil 30 conexão cidade 32 bem estar 36 gastronomia 38 esporte 40 beleza 42 moda 44 guia de compras 46

9


CIDADE

A MOBILIDADE URBANA NA CAPITAL SERGIPANA Por Patrícia Mascarenhas

Q

uem vem a Aracaju pela primeira vez fica admirado, especialmente, com a limpeza , a tranquilidade e a organização da cidade. Designada para ser a capital da província (em substituição ao município de São Cristóvão), Aracaju se desenvolveu, passou por várias transformações urbanísticas, adquiriu novos contornos e terminou tornando-se a “capital brasileira da qualidade de vida” (título baseado em um ranking realizado pelo Ministério da Saúde, devido à adoção de hábitos mais saudáveis da população, aos incentivos à prática de esportes, à alimentação sadia e à adoção da bicicleta como meio de transporte). No entanto há um aspecto na bela Aracaju que vem exprimindo uma particular contradição... Trata-se do dilema da mobilidade urbana. Embora tenha sido uma cidade planejada, Aracaju adquiriu, em seu projeto urbanístico, ruas muito estreitas para o intenso fluxo de veículos nos horários de pico. Certas vias de circulação (em horários como estes) encontram-se hoje saturadas. Aracaju está tomada por automóveis, e o sistema viário urbano já não está mais suportando tamanho fluxo. A cidade ficou refém do aumento de sua frota e com isso o trânsito foi gravemente comprometido. Muitas pessoas, desde então, passaram a

10 CIDADE


reclamar da falta de fluidez, dos congestionamentos, da deficiência de locais para estacionar, etc. Para alguns o desenvolvimento urbano parece ter sido planejado de forma a atender os interesses de apenas uma pequena parcela da população: os que têm carro e moto. Contudo, é importante salientar que o pedestre também faz parte do trânsito, e dele, quase ninguém lembra, bem como o ciclista, que continua encontrando dificuldades na locomoção. Por mais ciclovias que Aracaju possua algumas rotas importantes ainda precisam ser interligadas. Além disso, para maioria dos ciclistas, a estrutura de educação no trânsito não está totalmente adequada (muitos ativistas reforçam a necessidade de melhorias e prosseguem reivindicando melhor estrutura física e educacional para o uso da bicicleta).

Torna-se evidente que diante dos problemas que a população de Aracaju vem vivenciando, muito se tem discutido acerca da mobilidade urbana. E, a fim de encontrar alternativas para solucionar os problemas que são localizados diariamente no trânsito (decorrente da expansão da sociedade aracajuana) foi elaborado o Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Aracaju - PDMU, que é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município. Sua elaboração é a consequência de todo um processo, contendo diretrizes, instrumentos, ações e projetos que visam proporcionar o acesso amplo e democrático às oportunidades que a cidade oferece. Esse Plano (muito contestável ultimamente) também busca encontrar soluções para o transporte coletivo, além de elaborar o edital para licitação do transporte público na capital, dentre outras medidas.

O fato é que hoje a mobilidade tem sido um grande desafio ao poder público no país. Em quase todo o Brasil tem-se trabalhado em conjuntos de obras que incluem a criação de novos acessos, a construção de pontes, viadutos e rotas, a implantação de retornos, a melhoria de trevos, a inclusão de faixas adicionais, a liberação de novas pistas marginais, a instalação de passarelas, etc., além das várias soluções modernas que estão sendo empregadas no sistema viário urbano - por conta do país estar se preparando para promover, nos próximos quatro anos, dois dos maiores eventos esportivos do mundo: a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. O sistema viário do Rio de Janeiro, por exemplo, vem passando por uma intensa transformação: a cidade ganhará quatro corredores de transporte de alta capacidade, com faixa segregada para Bus Rapid Transit (BRT), integrada com os demais modais como ônibus, metrô e ciclovias. Outro exemplo é a cidade de Macaé, cujas etapas de médio e longo prazo (de projetos para o trânsito) contemplam a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), metrô de superfície e revitalização de avenidas, entre outros. Afinal, que soluções poderíamos ter em relação ao tráfego desta pequena cidade, com estrutura pensada e de belas paisagens? Há quem aposte que a solução para o trânsito de Aracaju é bem mais simples do que os projetos adotados no Rio de Janeiro e consiste apenas em construir mais viadutos, novas grandes avenidas, duplicação de trechos, implantação de rodízio de veículos, etc. Já outros avalizam que para garantir mais fluidez ao trânsito, reduzir os congestionamentos e, em consequência, os atrasos das viagens, a solução está em os ônibus obterem vias exclusivas. São inúmeras, as possíveis soluções apontadas. Mas o que a população quer mesmo é que todas essas medidas, discutidas constantemente nos debates acerca do Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Aracaju PDMU (principalmente em época de campanha eleitoral) saiam do papel, pois Aracaju, como a capital brasileira da qualidade de vida, merece ter também uma melhor qualidade no trânsito, com perfeitas condições para receber o tráfego intenso dos veículos de condutores que aqui residem, dos que vêm a passeio, dos que terminam voltando para ficar... Enfim, dos veículos que passam pela malha viária dessa cidade tranquila, aconchegante e acolhedora, diariamente. Patrícia Mascarenhas, é sergipana, escritora, jornalista, corretora ortográfica e historiadora. Atualmente trabalha na empresa Id Artes e Eventos.

CIDADE

11


Turismo Barcelona reinventada

Por Sônia Pedrosa

À

beira do Mediterrâneo e capital da Catalunha, Barcelona é o que podemos chamar de cidade arrebatadora. Além de uma herança histórica de mais de 2 mil anos, a cidade tem, na sua arte e arquitetura moderna e contemporânea, o seu infalível poder de sedução. A noite de Barcelona é uma das melhores da Europa e é preciso ter um certo preparo físico e fôlego para aproveitar os bares, restaurantes, boates e casas de espetáculos que garantem o movimento noturno, no porto da cidade. Durante o dia, programação é o que não falta: uma seqüência de museus, galerias, parques, ruas e bairros inteiros que não podem ficar de fora de um roteiro turístico, têm o poder de deflagrar uma ansiedade sem tamanho se não dispomos de tempo suficiente para tudo. Mas nem sempre foi assim. Antes das Olimpíadas de 1992, não havia Barceloneta, não havia porto, não havia praia. Não como hoje se encontram. Uma linha de trem e um bairro formado por fábricas feias e velhas separavam as praias do resto da cidade. Consequentemente, não havia gente que quisesse transitar por ali, muito menos turista. Instigado pelo evento olímpico, o governo decidiu transformar aquela área desviando a tal linha de trem e demolindo as fábricas do bairro. No lugar, construiu uma avenida à beira-mar, incentivou a construção de bares, casas noturnas, restaurantes, enfim, trocou o ambiente de cais do porto, geralmente suspeito, por um festivo, atraente e, o que é melhor, gerando emprego e lucro para a cidade. Para abrigar o Fórum Mundial das Culturas, em 2004, a cidade passou pelo maior processo de reurbanização realizado na Europa nos últimos tempos, que custou 3 bilhões de euros. Com o final do Fórum, a área se transformou num grande complexo de cultura de lazer, tornando-se mais um atrativo para a cidade.

12

TURISMO


IDENTIDADE E PERSONALIDADE Rival indisfarçada de Madri, capital do país, Barcelona é a cidade mais rica da Espanha, com o maior porto do mediterrâneo, um dos mais importantes da Europa, e um orgulho nas mesmas proporções. Bairrista ao extremo, um catalão não se diz espanhol e faz questão absoluta de continuar usando o catalão, uma mistura de espanhol e francês, como primeira língua. Depois, vem o espanhol. Fomentando esse orgulho todo, a arquitetura da cidade consiste no melhor combustível para essa justa fogueira das vaidades. Antônio Gaudi, um dos maiores representantes do movimento da arquitetura modernista do século XVIII, fundado em Barcelona, tem obras espalhadas por toda a cidade. A Catedral Sagrada Família é a mais impressionante. Parece feita de areia molhada, como os castelos de areia feitos na praia, e nunca foi terminada. Para isso, serão necessários mais 70 ou 100 anos, não se sabe, ao certo. Sua construção começou em 1882, mas Gaudi só assumiu em 1883. Em 1926, o arquiteto morreu atropelado por um bonde, quando se afastou da construção para melhor observar a sua obra, mas suas instruções foram suficientes para a continuação do trabalho. Por enquanto, ela está oca e a sua beleza consiste nas fantásticas fachadas. Para observar toda a beleza e detalhes da construção, haja pescoço. Suas torres altas e finas, que lembram estalactites, parecem querer alcançar o céu; a fachada do Nascimento é, simplesmente, sublime; e a da Paixão, seria tão sublime quanto, se não fosse o arquiteto que o substituiu, fazer questão de deixar a sua marca impregnada na obra.

UMA FESTA PARA OS OLHOS Gaudi também “inventou” o Parque Guell, uma verdadeira alucinação do arquiteto, cujas criações não têm antecedentes. Arcos, bancos sinuosos como serpentes em movimento, alamedas feitas de pedras, que mais parecem cavernas; animais cobertos com ladrilhos; passagens, curvas arqueadas, edifícios, esculturas – tudo muito colorido - fazem desse parque público, de entrada gratuita, um dos lugares mais interessantes da cidade. O projeto foi financiado por Eusebi Guell, principal mecenas do arquiteto. Na verdade, o parque deveria ser uma área residencial, com casas, mercados, escolas. Até chegaram a construir duas casas – hoje, uma delas é a Casa-Museu Gaudi. Depois de um tempo abandonado, o projeto foi retomado e, hoje, é visita obrigatória de quem vai à cidade.

Também projetada pelo arquiteto, a Casa Milá ou La Pedrera foi uma de suas últimas obras. Original, extravagante, inusitada são alguns dos predicados ditos por quem vê, pela primeira vez, essa residência particular onde funciona um museu, com maquetes, projetos e as principais obras do arquiteto, inclusive como ele transformou uma casa quadrada e sem graça, na festejada Casa Battló, uma alegoria à batalha de São Jorge contra o dragão, feita de cimento, tijolos, ferro e os mais diversos materiais. Sua fachada fantástica, que exclui linhas retas, e o teto que mais parece com um cenário de ficção científica, é a metáfora perfeita de uma cidade arrojada, nos moldes de Barcelona.

PASSADO: PARTE IMPORTANTE DESSA CIDADE FUTURISTA O Bairro gótico é outra das relíquias da cidade, erguido no final da idade média. Suas ruas estreitas, algumas com apenas 2 metros de largura, levam o turista por caminhos inesperados. O ideal é esquecer o mapa e usar, apenas, a intuição. Com ela, podemos chegar a incríveis lojas de antiguidades, sebos, cafés, restaurantes, inclusive ao preferido de Picasso e seus amigos, o Quatre Cats, que significa “gatos pingados” ou algo parecido. A capa do cardápio foi feita pelo pintor e o seu original está no seu museu, que fica por perto. O Museu Picasso é pequeno, mas bastante significativo. É emocionante ver os rascunhos e croquis do pintor desde o início da sua carreira: a fase azul, algumas obras clássicas e rascunhos das figuras que estão em Guernica, sua obra maior e mais popular.

TURISMO

13


Em duas horas de caminhada pelo bairro, dá para ver a Casa de l’Ardiaca, com seu portal do século XVIII, que se abre para um lindo parque com construções românicas na parte de baixo, e góticas em cima. Em frente, a Capilla de Santa Lúcia, por onde se pode chegar ao claustro da catedral de Barcelona. Aliás, a catedral de Barcelona é lindíssima, no seu estilo gótico e neogótico, construída sobre os alicerces de um templo romano e uma mesquita mourisca, com suas 28 capelas com pinturas dos séculos XV e XVIII e uma sala de coros de embobecer qualquer um. Mas deve ser visitada antes da Sagrada Família – é que depois de vê-la, todas as igrejas se tornam muito comuns. Todos os finais de tarde de sábado e manhãs de domingos, a população se reúne em frente à catedral para a Sardana, uma dança de roda típica, catalã. Os turistas são bem-vindos, mas a dança não é para atraílos. Trata-se de uma manifestação de orgulho catalão, onde pessoas interessadas em perpetuar a tradição se reúnem ali e celebram o fato de terem nascido ali, na Catalunya, de acordo com a escrita catalã. No Centro Excursionista de Catalunya, que também fica no bairro, pode-se ver várias colunas romanas no pátio, restos do maior templo romano da cidade. Mais adiante, o Palau da la Generalitat, sede do governo catalão, com sua fachada renascentista do século XVI. A Casa de la Ciutat, prefeitura da cidade, fica a poucos metros dali. Depois de passar pela Placa Del Rey, chegase ao Palau Reial Mayor, antiga residência dos condes de Barcelona e reis de Aragão. No Saló Del Tinell, a Rainha Isabela e o Rei Ferdinand receberam Colombo de sua viagem de volta do Mundo Novo. A Fundação Juan Miro é um tributo ao pintor catalão surrealista, um museu contemporâneo, com suas obras de 1914 a 1978, que exibe uma coleção de pinturas, esculturas e tapeçarias multimídia, aberto, também, para outros artistas. Todo o museu deve ser observado, inclusive o teto, onde também é espaço para esculturas e instalações vanguardistas.

Sônia Pedrosa, é jornalista, carioca, atualmente morando em São Paulo. Veio para Aracaju em 1985, tornando-se uma das responsáveis pela estruturação das TVs Aperipê e Caju. É apaixonada por turismo e colaboradora da Cidade Magazine.

14

TURISMO

RESTAURANTE SECRETO EM BARCELONA Não deixe de conferir o novo point da cidade, o Tintorería Dontell, um dos restaurantes mais exclusivos e badalados do momento em Barcelona. Mas não se espante com a fachada... Em clima de espionagem, ela é uma lavanderia e o restaurante fica no subsolo, escondido e totalmente invisível para quem está do lado de fora. Para programar uma visita no Tintorería Dontell, primeiramente você deve se cadastrar no Urban Secrests (site de restaurantes secretos). Em seguida receberá uma senha como aprovação. Quando chegar, sussurre para a atendente liberar sua entrada, e bom apetite! A gastronomia mediterrânea do restaurante tem sido aprovada e pode ser observada enquanto você se delicia, visto que a cozinha é totalmente de vidro, como um aquário. Secreto, por aqui, só mesmo a entrada do restaurante! O Tintorería Dontell fica na Carrer d’Aribau, 55.


CURIOSIDADES DE BARCELONA • Barcelona é a única cidade do mundo com nove edifícios que são Patrimônio da Humanidade: La Pedrera, Park Güell, Palau Güell, Palau de la Música Catalana, Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, Sagrada Família, Casa Batlló, Casa Vicens e Cripta de la Colònia Güell. • É a terceira cidade do mundo com mais congressos internacionais, segundo a International Congress & Convention Association (ICCA), e a sexta urbe mundial em turismo de reuniões, segundo a União de Associações Internacionais (UIA). • Com 2 milhões de cruzeiristas, é o principal porto de cruzeiros da Europa e 4º do mundo, segundo a revista Dream World Cruise Destination. • Eleita cidade Gourmande do ano 2002, é a única cidade não francesa que goza deste reconhecimento gastronômico. • Desde 2004, acolhe a mais importante feira mundial do mercado de reuniões, a EIBTM, com data fechada até 2013. • É o destino preferido pelos britânicos para realizar city breaks ou estadias curtas, segundo a British Airways. • É a cidade da Espanha onde o turismo internacional realiza o maior número de despesas com cartão de crédito (22% do total).

TURISMO

15


Decoração Solte a imaginação... nas paredes!

16

DECORAÇÃO

Por Márcia Cruz


P

ersonalizar paredes virou coqueluche e o mercado oferece diversas formas para que soltemos à imaginação, como azulejos decorados formando patchworks, papéis de parede importados e nacionais - laváveis ou não, papeis de parede 3D com volumes diversos que projetam com uma boa luz sombras com desenhos fantásticos, painéis amadeirados que dão muito aconchego aos interiores, espelhos com cores e tamanhos diversos, texturas que imitam cimento queimado, mármores, dentre outros. A dica vem do arquiteto Décio Vianna, que nos mostra dois de seus projetos realizados em Salvador. “Esta é uma tendência que tem crescido e aposto nela. No apartamento em Patamares, de frente para o mar, de um jovem casal, apliquei textura de cimento queimado em todas as paredes, além de azulejos decorados na cozinha, com inspiração regional, e papel de parede 3D em alto relevo, imitando ondas do mar. Já no apartamento em Imbuí, o papel de parede cria fundo com desenho geométrico para sala de tv. Na sala de jantar, painel de madeira chocolate envelhecido esconde a porta de correr que dá para a cozinha, e painel de espelho amplia a sala de jantar”, diz o arquiteto. Aproveite as dicas e dê um up grade em sua casa ou escritório. Vai arrasar!

DECORAÇÃO

17


DIREITO DO CONSUMIDOR Por Edimar Cruz

O MERCADO DA SAÚDE

D

esde o dia 13 de julho deste ano passou a vigorar uma medida da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) que aborreceu 37 operadoras de Plano de Saúde, ao suspender o direito de comercializar 268 planos por estas oferecidos. Segundo o Ministro da Saúde Alexandre Padilha, essa medida tem um caráter “pedagógico” na medida em que as empresas afetadas tiveram o prazo de seis meses para se adaptar às novas regras de respeito ao consumidor - entre elas as que estipulam prazos mínimos para atendimento ao paciente - mas foram alvos de reiteradas reclamações por parte dos mesmos, o que motivou a intervenção da Agência. Um dia após o anúncio da medida algumas operadoras já ameaçavam retaliar na Justiça. Para a Unimed Guararapes, por exemplo, “o mecanismo criado pela ANS não permite uma situação fidedigna do atendimento aos beneficiários, por ignorar as deficiências existentes na localidade de atuação das operadoras”. Pois bem. Agora, aos fatos: o Brasil tem algo em torno de 50 milhões de usuários de planos de saúde suplementar. Isso num país onde o atendimento público é de acesso universal e gratuito - mas de péssima qualidade. A baixa qualidade do atendimento realizado pelo SUS é a principal causa do aumento da demanda pela saúde suplementar, pois leva o cidadão a pagar - caro por um serviço de saúde que se supõe de qualidade, o que enche de júbilo os donos das empresas operadoras, e também seus bolsos (http://www.iplanosdesaude. com.br/tag/lucro-2008/). Por outro lado, muitos profissionais da saúde acusam a baixa remuneração oferecida por estes planos, que os obriga a cobrar diretamente ao paciente. Isso implica

18

DIREITO DO CONSUMIDOR

numa redução da quantidade de médicos conveniados e explica o caos também no sistema privado. Aqui mesmo em Aracaju recentemente tivemos um caso emblemático dessa situação, quando no começo do ano faltaram pediatras nas urgências dos hospitais privados, causando uma sobrecarga no sistema público, já deficiente. Em que pese a discordância dos Planos de Saúde quanto à forma de avaliação criada pela ANS, no próprio Poder Judiciário - a quem estes anunciam buscar proteção - estas empresas vem sofrendo fragorosas derrotas por inúmeros consumidores, que infelizmente são obrigados a socorrer-se junto à Justiça para verem seus direitos garantidos. A estas Operadoras, melhor seria que buscassem aumentar a oferta de médicos conveniados, pagandolhes preços justos, a fim de evitar novos atrasos e reclamações dos seus beneficiários prestando-lhes um serviço de qualidade, ao invés de somente buscar aumentar sua margem de lucro. Ninguém é ingênuo para crer que as operadoras de plano de saúde fariam essas melhorias voluntariamente, pensando na qualidade do serviço oferecido aos seus usuários. Para estas empresas, isso é apenas aumento de despesa. Concorrência e devida regulação são as chaves para melhorar a qualidade dos serviços de saúde privada. Quem sabe as outras Agências (ANATEL, ANEEL, etc...) não seguem o mesmo rumo? Tomara. Edimar Cruz, é Advogado militante em Direito do Consumidor e Contratos, poeta, cantor e músico.


Fotos: Wácton Silva

Rotary

um princípio que não tem fim

M

uitos já ouviram falar no Rotary, mas não sabe exatamente o que significa e qual seu objetivo. O Rotary é uma organização de líderes de negócios e profissionais unidos no mundo inteiro, que prestam serviços Comunitários, fomentam um elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo. Sua maior obra foi a Erradicação da Paralisia Infantil no Mundo. Aqui no Brasil, o último caso registrado de Pólio aconteceu em 1989 na cidade de Souza na Paraíba. Além da Erradicação da Pólio os Rotarianos desenvolvem ações humanitárias em favor dos mais necessitados como: cirurgias, cadeiras de rodas, bolsas educacionais e tantas outras ações que beneficiam e melhoram a vida de muitas pessoas no Mundo. Todo ano é escolhido um lema para o Ano Rotário. O deste ano é “Paz através do servir”.

ROTARY NO BRASIL E EM SERGIPE O Rotary no Brasil é composto por 38 Distritos. O Distrito 4390 congrega o Estado de Sergipe, Alagoas e o Norte do Estado da Bahia e é dirigida por um governador. Para o ano Rotário 2012-2013, o governador desta região é Messias Peixoto filho de Itabaiana-SE. Messias vem se destacando ao longo dos anos, participando das entidades de classe e contribuindo para a melhoria do mundo. Portador de uma esperança imorredoura, está sempre sorridente. A sinceridade, no entanto é sua arma forte e o faz vencer todos os obstáculos, com a ajuda da Fé. ROTARY

19


Meu Estilo Fotos: Wesley Arantes

O procurador Marcos P贸voas revela seu estilo de ser

20

MEU ESTILO


B

aiano de Ilhéus, o advogado Marcos Póvoas foi morar em Salvador com cinco anos e, desde 2001, mora em Aracaju, quando assumiu a função de procurador do Estado em Sergipe, na PGE. Especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela UFBA, e Mestre em Direito do Estado pela Universidade Gama Filho - UGF/RJ, atualmente também é Professor da UNIT e do Curso CICLO. Para ele, estar na moda é passageiro, o importante é ter um estilo de vestir e de viver. “O vestir é bastante simples. Difícil é errar. Procuro sempre as mesmas marcas e lojas que melhor se adequem ao meu estilo. Gosto de roupas confortáveis. O importante é sentir-se bem com o que está usando”, diz Póvoas.

Como trabalha na área jurídica, usa quase sempre ternos. Prefere os de cortes italianos - sempre! -, acinturados e de lapelas estreitas. “De três botões para ocasiões mais formais e de dois botões para mais informais. Prefiro costumes escuros em tom preto e azul-marinho. Para os dias mais quentes, cinza, lisos ou com riscas-de-giz. Prefiro as marcas Crawford e VR”, diz ele. Torcedor do Vitória-BA e do River Plate de Carmópolis, nos trajes esportivos prefere camisas pólos em ocasiões mais comportadas, ou com motivos esportivos em ocasiões mais despojadas. Se alguém o inspira no jeito de se vestir? “Duas. O personagem Thomas Crown e o ícone da elegância masculina: James Bond” brinca ele, com seu jeito baiano de ser. Uma frase que o defina? Também duas. “Tem dois versos que se complementam e me traduzem: ‘Deixe eu brincar de ser feliz. Deixe eu pintar o meu nariz’, de Los Hermanos, e ‘A vitória de um homem às vezes se esconde em um gesto forte que só ele pode ter’, de Orappa”, diz ele, com o sorrisão de quem ama a esposa, o trabalho e a vida. Confira alguns dos seus looks preferidos, pelas lentes de Wesley Arantes.

Locações: Radisson Hotel | Celi Decorações

MEU ESTILO

21


ENTREVISTA

Economia Verde - Realidade possĂ­vel ou mais um termo da moda?

22

ENTREVISTA


D

e 13 a 22 de junho, aconteceu a Rio+20 - Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, reunindo chefes de Estado de diversos países no Rio de Janeiro, capital carioca, para se discutir formas de crescimento sustentável. Entre as discussões, o presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou a declarar que o capitalismo ”usa o meio ambiente para seus próprios fins” e que o conceito de ambientalismo nada mais é do que “a nova forma de colonização do capitalismo.” Já o representante de Cuba, Anayansi Rodríguez, mencionou a “dívida ecológica” que os países ricos devem por conta dos abusos praticados contra o meio ambiente, motivo pelo qual deveriam arcar com os custos operacionais necessários para um real crescimento sustentável. O evento não trouxe um consenso sobre quem, afinal, deve pagar a conta da degradação no planeta - nem a antiga, nem a atual, nem a futura -, mas deixou como herança um novo termo, Economia Verde, que propõe o crescimento econômico com menos consumo dos recursos naturais da Terra. Um dos assuntos mais polêmicos, o tema tornou-se o grande chavão do evento, assim como foi o termo “desenvolvimento sustentável” há vinte anos, na Eco 92. E para que possamos entender melhor do que se trata, entrevistamos o pesquisador de agrobiologia da EMBRAPA, Eduardo F. Carneiro Campello, que foi um dos palestrantes dos “Seminários Brasileiros Rio +20:Verdes e Desenvolvidos”, que reuniu destacados acadêmicos, empresários e autoridades do governo, dia 11 de junho, no Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Além de esclarecer melhor sobre a terminologia, Campello nos traz informações sobre a importância deste tipo de evento para uma consciência cidadã ecológica mundial, e também para a fundamental preservação de países como o Brasil e a África, que possuem, por exemplo, maior disponibilidade de área agrícola para atender a demanda futura na área de alimentação. Pesquisador renomado em todo o mundo, Campello também avisa: quem não entrar para valer na Economia Verde vai perder credibilidade e mercado. Confira nosso bate-papo.. Por Márcia Cruz

ENTREVISTA

23


aconteceram dia 11 de junho, no Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Qual foi o teor da sua palestra?

Cidade Magazine - Um dos pontos mais polêmicos da Rio +20, sem dúvida, foi o termo Economia Verde, que propõe sustentar o crescimento econômico com menos consumo de recursos naturais. Mas, na prática, como vai funcionar a Economia Verde? Vai sair do papel ou vai ser apenas um chavão bonito, como foi “desenvolvimento sustentável” há 20 anos, na Eco 92? Eduardo Campello - Quanto ao termo não sei se será substituído nos próximos anos, mas o que vimos aqui no Rio durante estas duas semanas da Rio +20, eu tenho certeza que veio para ficar e não falo isso por conta do documento oficial da Conferencia da ONU, que de uma maneira geral ficou dentro dos padrões pré-acordados. Mas o que veio para ficar foi a discussão com a sociedade civil, via participação popular, não só de brasileiros , mas de gente de todo mundo. Normalmente vemos este tipo de mobilização no Rio por ocasião do carnaval e nas finais de grandes campeonatos de futebol, mas dessa vez não era festa, as pessoas estavam engajadas na busca de soluções para manter a qualidade de vida do planeta e preocupadas com a oferta de alimentos para populações mais carentes. Este será o grande legado da Rio +20, a partir de agora teremos consumidores mais conscientes, empresas preocupadas em fazer inventários de emissão de gases de efeito estufa, mostrando como estão mitigando suas emissões (GEE) e uma maior cobrança sobre o poder publico. CM - Você foi um dos palestrantes dos “Seminários Brasileiros Rio +20: Verdes e Desenvolvidos”, que 24

ENTREVISTA

EC - Procurei mostrar a importância do investimento em pesquisa para soluções inovadoras. No caso do Brasil, em cerca de 20 anos saímos de uma situação de desabastecimento de alimentos, por volta da década de 70, para nos tornamos um dos maiores players mundiais na produção de alimentos. O centro oeste brasileiro foi viabilizado como uma região capaz de produzir grãos, fibra, pecuária e agroenergia. Os sistemas de produção também foram evoluindo e no inicio tínhamos impactos ambientais negativos sobre o meio ambiente; hoje os sistemas integrados Lavoura, Pecuária, Floresta e o plantio direto são formas muito mais conservacionistas, que protegem os solos e mantém a cobertura vegetal, reduzem a erosão, sequestram carbono, enfim em tempos de mudanças climáticas globais, geram serviços ambientais que não podem ser desprezados. Procurei também indicar quais são os próximos desafios da pesquisa agropecuária brasileira para manter os níveis de produtividade em tempos de economia verde, a busca por insumos biológicos, como no caso da fixação de nitrogênio, que pode substituir parte dos fertilizantes nitrogenados e é um dos exemplos mais significativos. Já dispensamos o uso desse fertilizante em toda soja plantada no Brasil, e também em parte do feijão, milho, feijão caupi, adubos verdes e em breve na cana de açúcar. O Brasil já tem mostrado para demais nações que a agricultura brasileira é uma das grandes parceiras na busca da sustentabilidade. CM - Os debates no evento envolveram destacados acadêmicos, empresários e autoridades do governo. Foram encontradas soluções reais para casar as agendas ambiental, econômica e social que formam o tripé do desenvolvimento sustentável? Ou este tripé foi modificado com a Rio +20? EC - Acho que sociedade civil organizada também passou a ser um componente importante, o que aconteceu na Cúpula dos Povos, onde o nível dos debates e soluções ali apresentadas teve um peso muito grande. Creio que só irá aumentar cada vez mais a participação civil na busca da sustentabilidade. CM - O Brasil e a China, fortalecidos economicamente nos últimos 20 anos, iniciaram uma queda de braço com as nações mais ricas, pedindo para que elas financiem projetos de energia limpa aos países pobres. Apesar das polêmicas e das críticas, na sua opinião, como foi o desempenho da presidente Dilma Rousseff nestas negociações?


EC - O Brasil, de forma mais contundente que a China, tem dado exemplos de sustentabilidade na agricultura e possui uma matriz energética limpa com base em mais de 50% de recursos renováveis. Acho que o papel da presidente brasileira foi este, de mostrar ao mundo o que Brasil tem feito e de mediar um documento complexo que deixasse estabelecidos os próximos passos desta discussão que ainda precisa avançar muito, mas que os pilares já foram construídos. CM - A energia eólica vem crescendo em todo o mundo e, no Nordeste do Brasil, há um potencial maravilhoso. É uma das saídas para um desenvolvimento menos poluente? EC - Acredito que sim, temos uma grande região costeira que é influenciada por ventos constantes e que pode permitir que esta forma de energia possa elevar a sua contribuição na nossa matriz energética. CM - Dentro desse contexto de Economia Verde, como fica a questão da exploração de petróleo e todo o oba-oba criado em cima das expectativas de lucros com o pré-sal? Continuar explorando petróleo como combustível encaixa-se dentro da proposta da economia verde, ou seria mais viável a pesquisa de aplicação de biocombustíveis menos poluentes? EC - A busca e os investimentos em fontes renováveis de energia devem mobilizar cada vez mais recursos; estamos na corrida do etanol de segunda geração a partir da celulose que constitui a biomassa das plantas. O petróleo continuará a ser explorado, pois ele está nas nossas vidas muito mais do que nos combustíveis. Encontramos subprodutos da indústria do petróleo nas construções, nas roupas, nos computadores, em produtos químicos, enfim, são várias as cadeias produtivas que usam o petróleo além do contexto energético. Por isso, a importância estratégica do pré-sal. CM - ‘Crescer primeiro, limpar depois’. Esse conceito é o que vem funcionando, na prática, para os países ricos. Eventos como a Eco92 e o Rio +20 têm a proposta de mudar esse conceito, mas, na sua opinião, que alternativas práticas o Rio +20 trouxe para que os países, principalmente os emergentes, possam crescer de forma mais responsável e menos poluente? EC - Considero que existem soluções tecnológicas, contudo estas dependem de decisões políticas e de mudanças de padrão de consumo no planeta. Além disso, não podemos esquecer que já estão contratadas 9 bilhões de pessoas para 2050 e que será preciso aumentar a produção de alimentos. Brasil e África são

onde ainda há disponibilidade de área agrícola para atender esta demanda. Os caminhos estão apontados, é preciso proteger as reservas de água doce, e nesse particular o Brasil precisa tratar melhor os seus rios, reduzir as emissões de GEE, conservar a biodiversidade. As populações precisam cobrar cada vez mais isto dos gestores públicos e privados. CM - Que ações a EMBRAPA pretende desenvolver para que a Economia Verde possa funcionar, de fato, em nosso país? Ações como implantação de tecnologias para aproveitamento de água salobra no Semiárido brasileiro e o Programa Pasto Verde de Recuperação de Pastagens Degradadas e Manutenção da Produtividade do Centro-Oeste, são algumas destas alternativas? EC - A Embrapa tem trabalho arduamente para buscar soluções tecnológicas para agricultura brasileira e mundial apoiada em conceitos de sustentabilidade e de certa forma tem mostrado que a agricultura não é um problema, mas parte das soluções para alcançar um futuro sustentável. Os sistemas integrados de produção, a aplicação de conceitos de agricultura de base mais ecológica, o uso de insumos biológicos, a inserção de árvores nos sistemas produtivos, os programas de melhoramento vegetal e animal, a conservação de recursos genéticos e ganhos da produtividade são algumas destas respostas. CM - E que alternativas a EMBRAPA tem para o Nordeste? EC - Como sou Chefe de uma das Unidades do Sudeste, acho que os Chefes das Unidades do NE é que devem se pronunciar sobre o assunto. CM - Nesta transição para a Economia Verde, você acha que haverá colaboração efetiva por parte do setor privado? EC - Acho que quem não entrar para valer na Economia Verde vai perder credibilidade e perder mercado. CM - E nós, enquanto cidadãos, o que podemos fazer? EC - Acho que o nível de consciência dos cidadãos aumentou muito da Eco 92 para Rio +20, isto foi possível de se notar claramente e este é um caminho que cada um precisa fazer a sua parte, procurando consumir conscientemente, buscando produtos com origem conhecida e certificada, oriundos de empresas que tenham responsabilidade social. Ações simples como a separação do lixo reciclável, uso de transporte solidário, reduzir desperdícios de água, energia e comida, podem gerar resultados concretos para todos nós. ENTREVISTA

25


Aborto: Poderá o ventre materno ser transformado numa “câmara” de horror e morte para o feto? Por Márcia Cruz

D

ia 10 de julho comemora-se o Dia Mundial da Lei, e um dos textos mais perfeitos que existe nas leis mundiais é a Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada em 10 de dezembro de 1948, na Assembleia Geral das Nações Unidas. Em seu Artigo III, a referida Lei declara que “toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal”. É em cima deste direito que iremos tratar um dos assuntos mais polêmicos que permeiam a humanidade: o direito de vida do nascituro e a questão do aborto. Afinal, quais os preceitos legais para a aprovação do aborto em nosso país? O que, de fato, esta aprovação trará de positivo para a nossa nação e seus cidadãos? Quem ganha e quem perde com a legalização do aborto? E como tudo começa no zigoto, réu indefeso desta aprovação, vamos procurar entender como a vida começa e a partir de quando passamos a ser pessoas, e ganhamos o direito ao uso do Artigo III da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

26

PRINCIPAL


DE ABORTISTA A DEFENSOR DA VIDA Bernard Nathanson nasceu em Nova Iorque, em 31 de julho de 1926, filho de um bem-sucedido ginecologista. Estudou medicina na Universidade de McGill, em Montreal. Fez residência em um hospital judeu. A seguir, trabalhou no Hospital de Mulheres de Nova York, onde conheceu a realidade das mulheres que cometiam abortos clandestinos. Em 1969, fundou “Liga de Ação Nacional pelo Direito ao Aborto”, sendo um militante na luta pela ampliação do direito ao aborto em seu país. Em 1971 assumiu a direção do Centro de Saúde Reprodutiva e Sexual em Nova York, uma clínica obstétrica onde se realizava o maior número de abortos em Nova York. Ao final de 1972, demitiu-se da clínica e foi nomeado Diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de São Lucas de Nova York, onde criou o serviço de Fetologia. Nesta função, a par das novas tecnologias de ultrassonografia, com as quais era possível acompanhar o desenvolvimento do feto, reviu suas convicções sobre o aborto. Assumiu publicamente uma nova posição contra o aborto em um artigo na revista médica The New England Journal of Medicine, na qual reconhecia que há vida humana no feto. A partir de então, tornou-se ativista do movimento pró-vida, até seu falecimento, em 21 de fevereiro de 2011, aos 84 anos, vítima de câncer, em Nova York. “Eu sou pessoalmente responsável por 75.000 abortos. Isto legitima as minhas credenciais para falar com alguma autoridade sobre este assunto”, afirmava o ginecologista norte-americano.

ESTRATÉGIAS PRÓ-ABORTO Nathanson fez seu último aborto em 1979 e relatou, no livro “The hand of God”, como passou de diretor da maior clínica de aborto de Nova York a militante pró-vida. Em outro livro, “Aborting America”, Nathanson revelou

estratégias do movimento pela legalização do aborto, como a falsificação de estatísticas relativas a mortes de mulheres para conseguir maior simpatia da opinião pública. Foram essas estratégias que, de acordo com o médico, fizeram o Tribunal Supremo dos EUA promulgar a decisão que legalizou o aborto em terras americanas. “É importante entender as táticas utilizadas porque as mesmas têm sido usadas em todo o Ocidente com algumas pequenas mudanças, sempre com o intuito de mudar as leis do aborto”, diz ele. A primeira estratégia é ganhar a simpatia da mídia, já que ela é formadora de opinião das grandes massas. “Nós persuadimos os meios de comunicação que a causa de permitir o aborto era uma causa liberal, esclarecida, sofisticada. Sabendo que se uma pesquisa fosse feita seríamos derrotados, nós simplesmente fabricamos resultados de pesquisas fictícias. Anunciamos aos meios de comunicação que tínhamos feito pesquisas e que 60% dos americanos eram favoráveis à liberalização do aborto. Esta é a táctica da mentira auto-satisfatória. Poucas pessoas gostam de fazer parte da minoria”, declarou Nathanson. A verdade é que a repetição de uma grande mentira várias vezes convence o público. O número de mulheres que morriam em consequência de abortos ilegais era em torno de 250, anualmente, mas eles divulgavam na imprensa que era mais de 10.000. E o número de abortos ilegais realizados era de aproximadamente 100 mil, mas eles diziam que era mais de 1 milhão. “Estes números falsos criaram raízes nas consciências dos americanos, convencendo muitos da necessidade de revogação da lei contra o aborto”, diz Nathanson.

TÁTICAS QUE SE REPETEM A mesma tática vem sendo usada pelo movimento pró-aborto no Brasil! A mídia vem mostrando números que estão convencendo as pessoas da necessidade da aprovação do aborto, ao invés de discutirmos formas de educar os nossos jovens para evitar gravidez, e de ensinarmos as pessoas a terem mais responsabilidade com a vida do outro - pois o feto é uma vida, e precisa ser respeitada! Outra estratégia do movimento pró-aborto é convencer as pessoas que a aprovação do aborto vai salvar as mulheres dos riscos de abortos clandestinos. “Este foi outro mito que demos ao público através da mídia. Mas a verdade é que o aborto passou a ser utilizado como principal método de controle de natalidade nos EUA, e o número de abortos feitos anualmente cresceu em 1500% desde a legalização”, diz Nathanson.

PRINCIPAL

27


ATACAR A IGREJA Atacar a Igreja, principalmente as cristãs, que são próvida, e confundir a opinião pública foi uma estratégia que deu certo nos EUA e que continua sendo utilizada pela indústria do aborto. “Nós sistematicamente difamamos a Igreja e suas ‘ideias socialmente retrógradas’ e colocamos a religião como o vilão que se opunha ao aborto. Esta música foi tocada incessantemente. Nós divulgávamos à imprensa mentiras tais como: ‘todos sabemos que a oposição ao aborto vem da hierarquia das igrejas e não dos cristãos’ e ‘pesquisas comprovam que a maioria dos cristãos quer uma reforma na lei contra o aborto’. A imprensa massificava tudo isto sobre os americanos, persuadindo-os que alguém que se opusesse ao aborto permissivo devia estar sob a influência retrógada da hierarquia religiosa, e que cristãos favoráveis ao aborto eram esclarecidos e progressistas. As opiniões contra o aborto, quer de religiões cristãs ou não-cristãs, e até mesmo de ateístas pró-vida, eram simplesmente suprimidas”, explicou Nathanson.

“A fetologia tornou inegável a evidência de que a vida se inicia na concepção e requer toda proteção e o cuidado de que qualquer um de nós necessita”

GRITO SILENCIOSO É de Nathanson um dos vídeos mais vistos no mundo sobre a questão do aborto: “Grito Silencioso (“The silente scream”), que mostra uma criança sendo abortada e lutando para sobreviver. Foi por causa deste vídeo, produzido após iniciarem uma unidade de pesquisa pré-natal, quando ele tornou-se Diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de São Lucas de Nova York, onde criou o serviço de Fetologia, que Nathanson passou de abortista para um dos maiores defensores da vida. “Uma tática pró-aborto favorita é insistir em que a definição de quando a vida inicia é impossível; que esta questão é uma questão teológica, moral ou filosófica, nada científica. Só que a fetologia tornou inegável a

28

PRINCIPAL

evidência de que a vida se inicia na concepção e requer toda proteção e o cuidado de que qualquer um de nós necessita”, disse ele, explicitamente, em artigos, livros, vídeos e palestras em defesa da vida. Porque então, mesmo diante das descobertas da fetologia, as pessoas continuam lutando pela legalização do aborto? Bem, como a Bíblia diz que o dinheiro é a raiz de todos os males, e há um dito popular que diz que a parte mais fraca do ser humano é o bolso, Nathanson corrobora com estes pensamentos. “Simples aritmética: a US$ 300 dolares cada, 1,55 milhões de abortos significam uma indústria de US$ 500.000.000 dolares anuais, dos quais a maior parte vai para o bolso do médico que faz o aborto”. No fim, é o dinheiro e a avareza pelo poder que impulsiona a indústria do aborto, manipulando as massas para conseguir a liberação do aborto. Afinal, para estas pessoas, não importa que o aborto seja a destruição do que é, inegavelmente, uma vida humana. Para eles, o que importa é ganhar dinheiro e continuar no poder. “Embora eu não seja formalmente religioso, acredito de todo o meu coração que há uma Divindade que nos impele a declarar o fim e a paragem definitiva deste infinitamente triste e vergonhoso crime contra a humanidade”, disse Bernard Nathanson, reconhecido no meio científico primeiro como ateu, depois como agnóstico, o que mostra que a mudança de 180 graus de sua posição a respeito do aborto não foi devida a nenhuma influência religiosa, mas apenas à sua comprovação científica. De origem judaica, depois o médico converteu-se ao catolicismo, tendo, em 1997, participado de um congresso no Brasil, no qual contou sua história e defendeu a vida. O congresso foi encerrado pelo Papa João Paulo II, no Rio de Janeiro.

CARTA DO RIO É PRÓ-VIDA Foi no Rio de Janeiro também que a Federação Brasileira das Academias de Medicina, esteve reunida, em seu Sétimo Conclave, de 07 à 09 de Maio de 1998, quando redigiram um documento intitulado “Carta do Rio”, no qual lê-se que a Classe Médica Brasileira afirma como Verdade Científica Irrefutável, que a Vida Humana começa com a Concepção. Então, porque continuam insistindo em aprovar o aborto no Brasil? Será que o lucro da indústria abortista vai ser maior do que o valor da vida? Será que a imprensa brasileira vai continuar fazendo parte deste jogo mortal? Será que as massas vão continuar sendo manipuladas enquanto crianças inocentes são assassinadas diariamente, seja o aborto clandestino ou legal?


Foi o Tribunal Supremo que aprovou o aborto nos EUA. Aqui no Brasil, recentemente nosso Supremo Tribunal Federal aprovou o aborto de fetos anencéfalos (malformação do tubo neural e ausência parcial do encéfalo), no último dia 14 de abril. A Comissão Especial de Juristas, designada pelo presidente do Senado, José Sarney, entregou no último dia 25 de junho, um texto com sugestões para o novo Código Penal. Entre elas, confirmam a decisão do STF, permitindo o aborto em casos de graves e irreversíveis anomalias físicas ou mentais do embrião, autorizando o aborto de fetos anencéfalos. Atualmente, a lei só permite o aborto em caso de estupro ou de risco de morte da gestante. Para melhor esclarecer o assunto, dia 14 de maio o Diário Oficial da União publicou os critérios necessários para que a mulher grávida de um feto anencéfalo possa interromper a gestação. As normas foram determinadas pelo Conselho Federal de Medicina após um mês da decisão do STF, que descriminalizou o aborto de anencéfalos. De acordo com a divulgação, a gestante só poderá ser submetida ao procedimento depois que fizer ultrassom detalhado e assinado por dois médicos. O exame, que deve ser feito a partir da 12ª semana de gestação, tem que trazer registradas três fotografias do feto: duas verticais e outra detalhando a caixa encefálica, e a cirurgia de interrupção só poderá ocorrer em hospitais com estrutura adequada.

DIREITO DE NASCER Mas a grande questão é: a partir de quando e em que condições temos o direito de nascer? Será que esta recente aprovação do STF e o novo Código Penal não estarão dando início a uma nova geração ariana, onde se busca uma pseudo perfeição e mata-se os imperfeitos? Voltaremos à eugenia nazista, onde se permitia o aborto nos casos de defeitos congênitos, quando o feto não era viável, sendo considerado biologicamente “inapto de nascer”? Teremos, afinal, o direito de escolher quem tem ou não o direito de nascer? Baseados em quê ou quem defendemos ou reprovamos o direito ao aborto? Serão os pais os detentores do direito de nascer do filho gerado? Poderá o ventre materno ser transformado numa “câmara” de horror e morte para o feto? Precisamos refletir e ter respostas para estas perguntas para que possamos opinar com conhecimento de causa e com discernimento. Vejamos o exemplo do escritor e palestrante internacional Nick Vujicic, que nasceu sem os membros (não tem braços, nem pernas), e tornou-se um exemplo de vida para milhões de pessoas ao redor do mundo. O que teria sido dele se

seus pais o tivessem considerado “inapto” para nascer por ter anomalias físicas irreversíveis? Mas que bom que ele nasceu e é essa pessoa linda que encanta a tantos e mostra que podemos ser maiores que nossos obstáculos, quaisquer que sejam. Afinal, como bem disse Nick: “A deficiência não está no exterior, mas dentro de nós”. Nick Vujicic: “A deficiência não está no exterior, mas dentro de nós”

VERDADE OU UTOPIA Pensemos nisto, afinal, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, diz que “TODA PESSOA” tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. Já que começamos, todos nós, como zigotos, terão eles acesso à estes direitos? Estas perguntas precisam de respostas claras, ou seria hipocrisia defendermos e/ou comemorarmos o Dia Mundial da Lei se sua aplicação prática não passar de “conto de carochinha” e utopia barata.

PRINCIPAL

29


CONCURSO PÚBLICO: QUERER É PODER!

H

oje, os concursos públicos atendem realmente a finalidade preconizada pelo estado democrático de direito, ele busca a seleção dos melhores, tratando de forma impessoal e igualitária os candidatos, preenchendo vagas com aferição de mérito. Isso é interessante porque aqui, nós vamos identificar como se faz o caminho para buscar o cargo público, ou seja, a investidura do cargo. Temos chamado muita atenção junto aos colegas e aos alunos, porque o interesse dos concursos públicos é uma coisa devastadora, por ano nós temos quase 12 milhões de candidatos inscritos no Brasil, atendendo - em média - a quinhentas mil vagas, ou seja, desse contexto somente 4% serão aprovados. Tudo isso funciona pela busca da estabilidade e do emprego fixo. Em verdade, o que todos nós queremos? Sem dúvida: certa tranquilidade e segurança, e isso o cargo ou emprego público nos fornece. De tudo isso podemos perceber a certeza que essa competição é uma corrida, em que você tem que estar preparado, organizado e estruturado para vencer as fases dessa batalha. Um assunto bastante indagado em sala de aula, é com relação às fases do concurso, temos notado a dificuldade que o aluno tem de perceber quais os tramites, qual o rito do concurso público, então repito, inicia-se a fase interna com a elaboração das nuances do certame, depois já começa a fase externa com a publicação do edital. Trataremos agora como seria essa fase externa. É importante que conheça esse percalço e estratégia sejam montadas dentro do conhecimento desse caminho, desse rito, contudo depois de publicado o edital faz a abertura das inscrições, onde o aluno assenta seu desejo de participar da seleção, e daí inicia-se a relação bilateral entre o candidato “concurseiro”, como assim chamamos, e a administração pública. Estabelecido a inscrição e cumprido os requisitos indicados pelo edital, vai-se para as fases seguintes: A etapa das provas, em regra, nos concursos de nível médio e os simples de nível superior atingem somente a uma prova objetiva. Entretanto, existem alguns concursos que além da exigência da prova objetiva, se aplicam as provas subjetivas, estas também, chamadas

30

DIREITO PÚBLICO

de discursivas, na maioria das vezes é o percalço de muitos candidatos, porque o detalhamento das questões é mais aprofundado. Temos, ainda, em alguns concursos, a prova de título, ou seja, nesse segmento deve-se buscar antecipadamente e maturar o seu curriculum vitae, escrevendo artigos e livros, publicando de preferência a sua monografia conclusiva do curso, procurando fazer uma especialização ou ministrar aulas em Instituições de Ensino Superior, criando, assim, um arcabouço atraente para a futura inserção ao cargo público. Existem em alguns concursos, com provas especiais, as quais o candidato se submete, por exemplo, a prova física ou a prova de digitação, ou seja, o primeiro passo é identificar o cargo que se pretende, e conseqüentemente analisar os requisitos apresentados no edital. O foco é começar a entender e se preparar para cada fase descrita nesse edital. Depois dessas etapas, vamos ao dia da prova. Esse também é um dia terrível quando não se têm estratégias, quando não se está preparado para enfrentar com tranqüilidade o dia “D”. Em seguida, vai-se para o gabarito e o resultado oficial, ou melhor, a deliberação parcial, diga-se porque ainda se podem interpor recursos, e finalmente, após a imposição de recursos, o resultado final. Do resultado final, nasce à classificação dos candidatos, com essa ordem indicativa de cada candidato, o sonho de cada um, ou seja, por exemplo, se são cinco mil candidatos para dezoito vagas, na verdade se tem que estudar para estar entre os dez primeiros para que no mínimo esteja entre os vinte ou no máximo dezoito classificados. Sabedor que todo concurso sempre chama mais do que as vagas previstas, então, a regra é estudar e se organizar para obter uma boa ou excelente classificação final. Querer é poder! Sucessos! Pedro Durão, é Mestre e Doutorando em Direito. Professor Coordenador do Curso de Direito (FANESE). Presidente da Associação dos Procuradores do Estado (APESE). Pesquisador e Autor de livros jurídicos.


perfi l Maria Franco

Fotos: Anderson Adler

Uma sergipana de bem com a Vida!

A

sergipana de 35 anos, Maria Franco de Santana Sampaio, é formada em Publicidade e Jornalismo, casada com o advogado Alexandre Sampaio, há 10 anos - que serão completados agora em outubro -, e mãe de Davi Franco Sampaio, de 4 anos, que é a razão de sua vida. Filha da jornalista baiana Luzia Santhana e do Deputado Estadual e sergipano José do Prado Franco Sobrinho, Maria herdou dos pais a habilidade em saber se comunicar e não foi à toa que se apaixonou pela profissão que escolheu. Apaixonada por sua família, pelos muitos amigos que possui e pela VIDA, Maria tem como um dos seus maiores prazeres viajar.

32

PERFIL


A jornalista Maria Franco acredita plenamente que tudo que conquistou e recebeu da vida foi resultado do que plantou. Fazer o bem sem olhar a quem é um de seus lemas e é com esse pensamento que faz o seu trabalho como colunista social do caderno dominical VIDA, encartado no jornal Correio de Sergipe, veículo que mudou a sua vida.  Sua carreira de comunicadora, no entanto, começou na TV Sergipe quando apresentou, nas manhãs de domingo, durante dois anos, o programa “Estação Agrícola” - não é à toa que tem um carinho todo especial pela afiliada da TV Globo em nosso estado! Sua paixão em fazer televisão, porém, jamais morreu e acredita que num futuro próximo voltará às telinhas para exercer aquilo que acredita ser o seu maior talento! E para manter viva essa paixão pela TV Maria é uma das mais solicitadas apresentadoras de comerciais do estado e hoje apresenta, na TV Aperipê, o “Jornal do Tribunal de Contas de Sergipe”.  Gratidão é uma palavra que faz parte do seu dia a dia, afinal, acredita plenamente que sozinhos não somos nada. E, de fato, não somos!

Natural de: Aracaju –SE. Profissão: Publicitária e Jornalista. Melhor viagem: A última, afinal, todas são inesquecíveis, principalmente se estamos com quem amamos. Animal de estimação: Não tenho. Estilo musical preferido: Sou bem eclética e gosto um pouco de tudo depende da hora e lugar. Livro de cabeceira: Eles sempre mudam, o último que estou lendo é o de Boni. Filme inesquecível: O filme da minha Vida! KKkk Perfume preferido: O único que uso desde sempre: Escape, da Calvin Klein. Autor preferido: Eu mesma, que escrevo a minha história todos os dias. Programa de índio: Estar em lugares que não queria! Muitas vezes um mal necessário! Saudade: Das pessoas que amo e estão longe. Sonho de consumo: Um apartamento no Rio de Janeiro, mas tem que ser no Leblon ou Ipanema! Já que é para sonhar, sonho grande! Comida preferida: A comida da minha mãe e japonesa. O que te inspira a ser vencedora: A vontade de conquistar os meus sonhos. Família é... Minha base, meu tudo! Não consigo resistir: A uma boa companhia. O que deletaria do mundo? A inveja e as pessoas que semeiam o mal e a discórdia. Fashionista ou conservadora? Depende do momento, sou um pouco de tudo. Vestir bem é usar: O que lhe agrada e não o que agrada aos outros. O melhor de Aracaju: As pessoas!! Sempre receptivas e calorosas! Adoro nossa gente! Sou muito bem tratada em minha terra! O pior de Aracaju: A chegada rápida do progresso! Bem que podia ser um pouco mais lento esse crescimento todo! É meio egoísta esse pensamento, mas é o que sinto! Seu ponto forte é: Ser verdadeira. Seu ponto fraco é: Ser verdadeira. Rede social preferida: Hoje estou super viciada no Instagram. Site preferido: Não tenho. Uma frase que te defina: Sucesso é ser feliz!

PERFIL

33


ConexÃo Por Márcia Cruz

CIDADE

Foto: Martin Lazarev

BEM VINDOS A CIDADE MAGAZINE! É muito bom estarmos iniciando o projeto da Cidade Magazine, que vem com uma proposta editorial interessante, diversificada e com colunistas de estirpe, como o chef internacional Wanderson Medeiros (Picuí Gourmet), o procurador de Estado Pedro Durão, o jornalista esportivo Felipe Martins, o advogado Edimar Cruz Menezes, a relações públicas e jornalista Fabiana Chaves, a jornalista Patrícia Mascarenhas e como colaboradora a jornalista carioca-sergipana Sônia Pedrosa, que atualmente mora em São Paulo. Na diagramação e arte, a também carioca Helma Kátia, responsável pela competente equipe da ID Artes e Eventos, e dirigindo todo o projeto, eu, como Editora e Colunista, e Carlos Alberto, publicitário e pastor, também responsável pela Revista Chama, voltada ao mercado evangélico. Esperamos que gostem da proposta e que acompanhem a Cidade Magazine a cada nova edição. Na foto, eu, minha filha linda, a modelo Ingrid Vieira, essa soteropolitana que amaaa Aracaju, e o pai, meu amigo Ramon de Moraes, arquiteto e empresário baiano (LICC Construtora), num click de Martin Lazarev. Felizes com seu 1º lugar em Design de Interior, na Unit.

Dizem que em Aracaju quase todo mundo se conhece... Não é bem assim, mas tem locais em que as pessoas se encontram mais frequentemente, como é o caso do calçadão da 13 de Julho, onde registrei o encontro casual entre a jornalista Candisse Matos, da TV Sergipe (Rede Globo), seu namorado, Ricardo Castro, e, ao centro, o procurador Flávio Medrado, que também é cantor e tem o projeto “Sarau do Fau”, que acontece quinzenalmente no restaurante Buana, na Coroa do Meio, da também jornalista e colunista, Madalena Sá (Atalaia Agora – Rede Record). Na ocasião, estávamos fazendo uma matéria com os procuradores do Estado sobre a ação de improbidade administrativa contra Silvio Santos e Antonio Carlos Guimarães, atual e exsecretários do Estado da Saúde.

Foto: Arquivo pessoal

MIRANTE DA 13: A GENTE SE VÊ POR AQUI

Foto: Arquivo pessoal

FAMÍLIA FELIZ

34

CONEXÃO CIDADE

Quero compartilhar com vocês a alegria de ver o amigo Frank Menezes de volta à TV e com um caderno semanal, Revista da Cidade, no Jornal da Cidade, aos domingos. Na telinha, ele faz parte do cast do programa Você em Dia, de segunda a sexta, na TV Atalaia (Rede Record), comandado pela competente Jaqueline Cruz, e direção do expert Múcio Miranda. Nesta foto, com sua esposa e assessora mais que especial, Paulinha Menezes, e o filhão deles, José Raphael. Família linda, não é mesmo?


VAMOS, VAMOS, MEU TIMÃO!

Foto: Arquivo pessoal

Foi neste speed, de confiança na vitória, que o empresário e atleta Oto Carli Machado viajou pra São Paulo para conferir, in loco, a vitória do seu timão, o Corinthians. E que bom que não se decepcionou! O Coringão ganhou de 2 x 0 pro Boca Juniors, conquistando a taça da Libertadores de forma invicta, numa campanha maravilhosa comandada pelo técnico Tite. A torcida fez uma festa linda no Pacaembu, e ainda tirou onda com os argentinos. Enquanto eles recebiam o prêmio consolação, das arquibancadas o que se ouvia era: “é meia boca!”. Feliz por você, Oto Carli! Agora é correr pra recuperar posição no Brasileirão e trabalhar por mais uma conquista inédita: o Mundial Interclubes 2012, que acontece de 6 a 16 de dezembro nas cidades de Tóquio, Yokohama e Toyota, no Japão. A estreia do Coringão é dia 12 de dezembro. Desejo sorte pro Timão! Enquanto isto, meu SPFC tenta se reorganizar!... Melhor mudar de assunto, OCM, e aproveitar para parabenizá-lo pelos 20 anos da MCE Engenharia. Duas décadas de trabalho, competência e profissionalismo. Mais e mais sucesso para vocês!

Foto: Carlovancy

FESTIVAL MESA DE BUTECO O sucesso foi tão grande do I Festival Mesa de Buteco que o prazo das votações foi prorrogado para 22 de agosto.Portanto, ainda dá tempo de você dá seu voto! O festival é uma iniciativa do governo do estado de Sergipe através da Setur e Emsetur em parceria com a faculdade Serigy e a Cachaçaria Boa Luz que está fornecendo a Cachaça Boa Luz para acompanhar o prato de cada estabelecimento. A cachaça é produzida na Cachaçaria Jardim das Laranjeiras, do empresário e político Laurinho Filho. A Copa de 2014 aliás, está sendo aguardada como uma grande vitrine para que a caipirinha brasileira caia no gosto dos milhões de turistas internacionais que estarão no país. Assim como aconteceu na comemoração dos 500 anos do Brasil, os grandes produtores já se organizam para que a cachaça brasileira esteja como a bebida oficial nos grandes eventos e na Carta de Bebidas dos restaurantes e bares do país. Confira os participantes: www.facebook.com/mesadebuteco

CONEXÃO CIDADE

35


PROFISSIONALISMO E SIMPATIA

Foto: Arquivo pessoal

Aracaju está precisando de um salão na linha no Espaço Performance, na Pituba, em Salvador. Em um só lugar você encontra salão de beleza, Spa urbano, joalheria, lojas de moda e acessórios, perfumaria, restaurante e cafeteria, loja de importados e, ainda por cima, uma loja de vinhos com direito a degustação. Tudo sob o comando das competentes Ana Claudia (Cau) e Ana Lídice (Aninha), e com destaque especial do meu amigo querido Édipo Oliveira, esse paulista que já virou baiano e é hoje um dos grandes nomes do hair style baiano, e seus paquitos. Além de grande profissional, Édipo fideliza sua clientela graças a seu jeito de ser, simples, verdadeiro e alto astral. Na foto, Cau, Edipo e Aninha - é sempre muito bom estar com vocês!

E ARACAJU? NADA!

Foto: Ascom SETUR-AL

Dia 1o de agosto, o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 anunciou a primeira versão do Catálogo de Centro de Treinamento de Seleções com 54 candidatos com contratos assinados. Ao todo, 76 foram aprovados tecnicamente. Mais duas versões do catálogo, que será online, deverão ser divulgadas, no primeiro e no segundo semestre de 2013. Até o momento, o COL recebeu 279 inscrições e inspecionou 244. Os Centros de Treinamento de Seleções são locais que servirão como base para as equipes durante a Copa do Mundo da FIFA. São compostos por um local de treinamento e um hotel oficial. Para constar no Catálogo de CTS, os hotéis candidatos precisam assinar contrato com a empresa de hospitalidade da FIFA e os campos de treinamento têm de firmar acordo com o COL. No Nordeste, assinaram contratos os hotéis Resort La Torre e Tivoli Ecoresort Praia do Forte, na Bahia, e o Radisson Hotel Maceió, em Alagoas. Pois é, Sergipe perde a oportunidade de participar deste grande evento mundial. Uma coisa é sonhar, outra é concretizar, e nisto ficamos aquém, não é governador? Enquanto isto, Alagoas já começou a receber visitas de delegações internacionais. As primeiras delas foram as seleções da Noruega (10 de Junho) e do Japão (27 de junho), que conheceram os Estádios “Rei Pelé”, já aprovado, e “Nelson Peixoto”, que está sendo analisado pela Fifa como segunda opção de treinos. Acorda Sergipe! A Copa vem e ficamos a ver navios. Aliás, nem isto, pois nem cruzeiros marítimos aportam por aqui!

Já na Bahia, as coisas andam de vento em popa! Além de ser um dos locais sede da Copa, a Bahia recebe a Copa das Confederações, e também sediará o sorteio dos grupos do mundial, no final de 2013, no Complexo de Sauípe, no Litoral Norte. Depois da final e da solenidade de abertura, esta é a cerimônia mais importante da Copa 2014. Que as Seleções sigam o exemplo de atitude ecológica que aconteceu na Eurocopa. A Espanha levou a taça, mas os parabéns vão para as seleções de Portugal, Croácia, França, Holanda e Polônia. Motivo? Usaram camisas feitas com garrafas pet recicladas, dando um ótimo exemplo de que ser eco-friendly depende de cada um de nós. As camisas, produzidas pela Nike, foram confeccionadas com 96% de material reciclado, e são bem mais leves que os modelos tradicionais. Para fabricar cada camisa são necessárias em torno de 13 garrafas. Ou seja, menos lixo para a natureza e camisas lindas e mais confortáveis. Aliás, que a moda de tecido PET pegue dentro e fora dos campos! 36

CONEXÃO CIDADE

Foto: Divulgação

CAMISAS DE PET NAS SELEÇÕES


IVETE SANGALO E JENNIFER LOPEZ

Foto: Fred Pontes

O Arte Music Festival conseguiu reunir Ivete Sangalo e a norte-americana Jennifer Lopez em dois shows no Nordeste. No sábado, dia 30 de junho, no Novo Centro de Eventos de Fortaleza, e dia 1º de julho, no Centro de Convenções do Recife. Pausa para um click no camarim, por Fred Pontes. Quando Aracaju passará a receber shows internacionais também? Com a palavra, os produtores de evento!

Foto: Divulgação

MOSTRA ARACAJU 2012 Consagrada como a maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo do Estado de Sergipe, a 8ª edição da MOSTRA ARACAJU acontecerá de 17 de agosto a 30 de setembro, com quarenta ambientes e cinquenta e cinco profissionais, com horário de funcionamento de terça a domingo das 16:00 às 21:00h. Acompanhando o crescimento imobiliário da nossa capital, este ano o evento aporta na Zona de Expansão de Aracaju, em meio ao boom de condomínios horizontais de alto luxo que acontece em todo o país, no belo Condomínio Residencial Reserva Aimoré, na Rodovia dos Náufragos, no Mosqueiro. Um empreendimento que marca a concepção da Mostra deste ano: que se pode morar bem, junto à natureza, ao verde, aos ecossistemas preservados, sem perder o conforto e as comodidades da vida urbana moderna. Parabéns ao casal Mercês e Fernando Souza, responsáveis pelo evento. Profissionalismo, ética e simpatia são alguns adjetivos que cabem bem aos dois. Sucesso!

ESTÁ ESCRITO!... “Seja vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor.” – Filipenses 4.5. Esta palavra nos fala sobre sermos sóbrios e termos cuidado com os excessos. Precisamos ser moderados no agir, no falar, no ser!... Ser cristão significa termos o fruto do Espírito Santo, e com ele vem a mansidão e o domínio próprio, que tanto falta hoje em dia num mundo acelerado, fast food e com emoções tão afloradas. Assim, que nossa moderação seja conhecida através do nosso viver, pois nossas atitudes falam mais alto que nossas palavras! Perto está o Senhor, o justo Juiz de nossas vidas.

Márcia Cruz, é jornalista com especialização em Marketing, estudante de Publicidade e Propaganda, Missionária Cristã, presidente da Organização Social A Luz da Palavra (OSALP) e Editora da Revista Cidade Magazine. cruzmarcia@gmail.com

Cheiro e até a próxima edição!

CONEXÃO CIDADE

37


BEM ESTAR A INCANSÁVEL BUSCA POR UM CORPO PERFEITO Por Patrícia Mascarenhas

P

oucas áreas do conhecimento são tão sujeitas a “intervenções populares” quanto a nutrição. São tantas pessoas que aderem às empíricas e convincentes “dietas da moda” que a cada estação surge uma novidade, afirmando que é possível ter um emagrecimento rápido, sem muito esforço. Em plena era do corpo “malhado”, “sarado” e “siliconado”, é grande o número de pessoas que passam boa parte da vida fazendo dietas. O problema é que, em geral, essas “dietas milagrosas” (que prometem emagrecer rapidamente) não são eficazes para a perda de peso saudável e duradoura. Ao abandonar a tal dieta, a maioria recupera todo o peso que perdeu... É o chamado “efeito sanfona”. Além do mais, o método radical utilizado pela maior parte delas pode resultar em deficiência de nutrientes importantes para o perfeito funcionamento do organismo.

38

BEM ESTAR


Enfim, o desejo pela beleza e incansável busca por um corpo perfeito estão cada vez mais em evidência; entretanto, “magreza” e “boa forma” nem sempre são sinônimos de saúde. Por mais que a sociedade viva em constante busca por uma melhor qualidade de vida, ela termina esquecendo que um dos primeiros passos consiste em obter uma dieta equilibrada. Sendo assim, para ajudar a colocar em prática essa tão falada “qualidade de vida” (evitando os riscos potenciais de dietas que apresentam carência de alguns nutrientes essenciais), a nutricionista Márcia Tomé recomenda a adoção de hábitos alimentares saudáveis e a prática regular de atividades físicas, a fim de manter um peso saudável por toda a vida. “Bastam mudanças simples no dia a dia que ao final de um pequeno período farão muita diferença. Por exemplo, trocar açúcar por adoçantes, trocar refrigerantes por sucos naturais, passar a fracionar as refeições, ou seja, tentar comer de três em três horas (preferindo lanchar fruta nos intervalos), trocar o arroz e o pão branco pelas versões integrais, trocar o leite integral pelo desnatado, tentar colorir a salada, comer frutas com casca (que dão mais saciedade), trocar a sobremesa por frutas secas (que tem o sabor doce bem concentrado), trocar o chocolate comum pelo amargo e comer moderadamente. Resumindo: o segredo é comer certo, na hora certa e na quantidade certa, sem exageros!”, afirma a nutricionista. “Ao invés de optar por dietas milagrosas, busque uma forma de controle de peso que possa incorporar-se ao seu estilo de vida. Invista, portanto, em alimentação saudável, em exercícios físicos regulares, evite o fumo, modere na ingestão de bebidas alcoólicas, e principalmente, ao invés de passar fome, coma pequenas porções de alimentos, várias vezes ao dia. A mudança no estilo de vida traz resultados mais eficazes e duradouros”, ressalta Márcia Tomé. Tome muito cuidado com as dietas da moda e, se tiver a intenção de perder peso, lembre-se sempre de visitar um nutricionista (o profissional adaptará a dieta à rotina de vida de cada paciente). Mas acima de tudo, não deixe que a cobrança da sociedade em relação aos “padrões de beleza”, amplamente difundidos na TV, nas revistas, no cinema, nos desfiles, nos comerciais, etc., te façam sofrer, pelo fato de, muitas vezes, não conseguir atingir este padrão. “Concentre-se em conseguir pequenas mudanças que, ao longo de um tempo, se tornarão hábitos. São esses hábitos que tornarão mais real a conquista de um corpo belo e saudável!”, conclui Márcia Tomé.

BEM ESTAR

39


GASTRONOMIA Por

Chef Wanderson Medeiros

COCO - A ÁRVORE DA VIDA

O

coqueiro é uma planta nativa de regiões tropicais com solo arenoso, clima quente, úmido e bastante ensolarado. Sua origem não é confirmada, mas acredita-se que tenha vindo da Ásia e da América do Sul. Na Índia ele é chamado de kalpa vriksh, que significa “a árvore que fornece todas as necessidades”, na Malásia, pokok seribu guna, que quer dizer “a árvore dos mil usos”. Os nomes asiáticos do coqueiro revelam sua importância para as culturas locais. É na Ásia onde estão os maiores produtores mundiais, liderados por Filipinas, Indonésia e Índia. Por ali o coqueiro e o coco são utilizados para as mais variadas produções, desde cosméticos até móveis e artesanato. Mas é na cozinha que este fruto revela seu lado mais diversificado. A água no interior é rica em sais minerais e contém baixa caloria, sendo um excelente isotônico. É possível fazer leite de coco, extraindo compostos aromáticos e óleos, inclusive o óleo de coco virgem é retirado neste mesmo processo. O que sobra das cascas utilizadas serve ainda como ração para animais. Da flor do coqueiro, com uma pequena incisão, é possível obter um néctar adocicado e de aroma agradável muito consumido no Sri lanka, Tailândia, Índia e alguns países da África. Quando fermentado, este néctar se transforma em Toddy, ou vinho da palmeira, como é chamado nos países onde é produzido.

40

GASTRONOMIA


Nas Filipinas a receita de Puso reúne folhas de coqueiro que são recheadas com arroz e especiarias e depois cozidas. Outra receita típica do arquipélago é a chamada Nata de Coco, uma mistura de água de coco e carrageenan, um composto encontrado em algas vermelhas, que juntos são fermentados, resultando em um produto gelatinoso que pode ser salgado ou adocicado. Ele é muito utilizado em sobremesas ou acompanhando aperitivos e drinks. Em Kerala, na Índia, uma das maiores regiões consumidoras de coco no mundo, quase todas as receitas levam a fruta. No preparo de vegetais sempre há um pouquinho de coco ralado durante o cozimento ou para finalizar o prato. Eles ainda utilizam a carne do coco grelhada com sal, pimenta e especiarias, acompanhando arroz. O Brasil é hoje o quarto produtor mundial de coco. Nossas receitas mais famosas vêm do litoral nordestino, onde a fruta é amplamente utilizada em pratos doces e salgados, além, é claro, de consumida in natura. A utilização do óleo virgem de coco começa a se espalhar pelas cozinhas agora, um sinal de que mais um produto do coco deve invadir as prateleiras dos supermercados. O último grande boom do coco foi com as pastilhas feitas da casca do fruto. Um produto muito utilizado em decoração e na fabricação de móveis e enfeites, além de ser mais um subproduto valoroso desta árvore, que sem dúvida traz e dá a vida a muitas pessoas.

RECEITA

Cocada mole com sorvete de tapioca Rendimento: 4 porções

INGREDIENTES 200g 150g 2 100ml 500ml

Coco fresco ralado grosso Leite condensado Nestlé Gemas de ovo sem pele Mel de engenho Sorvete de tapioca

MODO DE PREPARO Em uma panela de fundo grosso, no fogo médio, adicione o leite condensado e espere levantar fervura, em seguida coloque o coco ralado e mexa até soltar do fundo da panela e ficar com uma consistência cremosa. Desligue o fogo, acrescente as gemas e mexa vigorosamente. Espalhe a cocada em uma superfície limpa e deixe esfriar. Coloque em potes plásticos e leve a geladeira. Sirva em taças de Martini com uma bola de sorvete de rapadura e fios de mel de engenho.

GASTRONOMIA

41


ESPORTE No mundo da bola

Por Felipe Martins

Futebol que não se explica

P

ara a estreia da coluna de esportes, não há tema melhor do que o futebol. Afinal o esporte é a paixão nacional e é também o que nomeia esta coluna. O futebol é envolvente, é místico. Não tem explicação para demonstrar porque os amantes do esporte são tão atraídos pelos seus times do coração. Acho que nem um psicólogo consegue descobrir o turbilhão de sentimentos que se passa na mente de um torcedor em um dia de final de campeonato. Este fato ficou bem claro no mês de junho, quando o Corinthians conseguiu conquistar a sua primeira Taça Libertadores da América. O que é para um torcedor ver o seu time conseguir um troféu inédito que a sua falta era o principal motivo de piada dos times adversários? Não tem explicação. Jus ao nome do troféu foi mesmo uma verdadeira libertação.

42

ESPORTE


A decisão contra o Boca Juniors, um time argentino, deixou muito Brasileiro torcendo pela equipe da terra de Maradona. O Brasil virou Boca contra o Corinthians tudo por causa da rivalidade, mas mesmo assim não adiantou. O 4 de julho foi uma quarta-feira histórica para os corintianos que jamais será esquecida. Muitos marcaram na pele a conquista, outros até desistiram de casar: “Mulher tem várias, Corinthians só tem um!”, afirmou um fanático torcedor. De fato não se explica.

sabe um dia chegar lá. As duas vagas que o Estado possui na Copa do Brasil oferecem uma visibilidade nacional ao futebol local. Esta visibilidade é até maior do que a única vaga na quarta divisão do Brasileiro que o campeão sergipano tem direito. Digo isso porque na Copa do Brasil, os times sergipanos já enfrentaram grandes clubes como Flamengo, Fluminense, Botafogo, Grêmio, Santos, Cruzeiro e Corinthians e na Série D, os adversários são de menor porte. Nos dias dos jogos da Copa do Brasil, o Batistão bate seus recordes de público. Os sergipanos se unem para torcer pelos representantes do Estado. Uma vitória de um time sergipano em cima de um clube grande é como se fosse um título. Basta perguntar a um torcedor do River Plate, de Carmópolis, o que ele sentiu quando o time dele venceu o Botafogo por 1 a 0 em 2011 ou quando conseguiu abrir 2 a 0 no Grêmio em 2012 e depois sofrer a virada... A primeira vaga na Copa do Brasil 2013, assim como a da Série D (que já está acontecendo) foi conquistada pelo Itabaiana. A segunda ainda está em disputa na Copa Governador do Estado, que está sendo realizada com a participação de quatro equipes: Sergipe, Confiança, Socorrense e River Plate. Um destes quatro times se juntarão ao Itabaiana na disputa da Copa do Brasil 2013. Vale a pena conferir esta briga pela vaga restante; os clássicos entre Sergipe e Confiança no Batistão prometem movimentar o cenário local.

Felipe Martins,

EM SERGIPE O futebol sergipano ainda não possui tanta força como os clubes de São Paulo ou Rio de Janeiro, mas vem dando os seus passos em cada ano para quem

é Jornalista esportivo com diploma - formado pela Universidade Tiradentes em 2010. Foi repórter de esportes do jornal Cinform, produtor do Globo Esporte da TV Sergipe e atualmente é repórter do globoesporte.com e colunista da Revista Cidade Magazine.

ESPORTE

43


Beleza LIPOCAVITAÇÃO

Lipoescultura sem cirurgia. Isto é mesmo possível? Por Márcia Cruz

N

a estreia da nossa seção de Beleza, trouxemos um assunto que está em alta no mundo inteiro: a lipocavitação, um tratamento que vem sendo chamado de “lipoescultura sem cirurgia” ou “lipo sem corte”. Para você parece bom demais para ser verdade? Pois é mesmo! E, o que é melhor, com poucas sessões, o tratamento, indolor e ambulatorial tem o resultado semelhante a uma minilipoaspiração cirúrgica. O tratamento é, na verdade, um procedimento médico, com comprovação científica e estudos comprobatórios em faculdades médicas renomadas como a USP e também em escolas do exterior. Portanto, é um procedimento que deve ser feito somente por um médico ou profissional capacitado e dominador da técnica, pois não está livre de riscos. Há algumas contraindicações, como doença do tecido conjuntivo, Lúpus, Vitiligo, Hepatite e Dislipidemia, devendo esta ser tratada previamente ao procedimento.

NÃO COMPRE GATO POR LEBRE Cavitação, que é a quebra da molécula de gordura e morte do adipócito (molécula de gordura) só é alcançada com equipamento específico, e nunca por “terapia combinada” de outros aparelhos, como algumas clínicas oferecem, vendendo gato por lebre. “Manthus, Avatar e Lipoline não realizam a lipocavitação, nem tampouco a combinação de Manthus + Radiofrequência + Carboxiterapia, que apenas reduzem medidas, mas não destroem as células gordurosas, como acontece na cavitação, onde o resultado é definitivo”, explica o médico Diovane Ruaro, da Éden Medicina Estética, em Lajeado, Rio Grande do Sul. “Isto porque o rompimento da membrana do adipócito é feito por meio de uma onda ultrassônica específica de um aparelho chamado Ultrassom Cavitacional, responsável pelo processo de lipocavitação”, diz Ruaro. De acordo com ele existem, no Brasil, apenas quatro marcas que de fato realizam o procedimento: Ultrashape, Ultracontur, Powershape e Powercavit. Mas encontramos também o Ultra Cavity, da empresa brasileira Advice, que atua no mercado há mais de 20 anos.

COMO FUNCIONA O TRATAMENTO A primeira coisa a fazer, antes de iniciar um tratamento de lipocavitação é examinar a zona do problema. Depois, segue-se a marcação da pele, delimitando a área exata sobre a qual incidirá o tratamento de lipocavitação. Após a marcação aplica-se uma fina camada de gel e espalha-se uniformemente com a mão. Durante o tratamento feito pelo aparelho de lipocavitação, este produz ondas de ultrassons de baixa frequência que incidem sobre a camada subcutânea, visando os adipócitos ou células de gordura. 44

BELEZA


Ao ser aplicado durante vários minutos (entre 30 a 60 minutos), o aparelho faz com que se formem pequenas bolhas no interior das células de gordura que rompem a membrana externa e permitem assim que pequenas partículas de gordura sejam expulsas para a zona envolvente, sendo depois expelidas através de energia natural do corpo e dos processos de remoção de resíduos, a exemplo do sistema linfático, que absorve o excesso de líquido entre as células e o devolve à circulação. É fundamental também a prática de exercício físico para gastar esta gordura, para que o glicerol não seja transformando em triglicerídeos, caso permaneça no organismo, já que não há o processo de aspiração das células adiposas, como ocorre na lipo cirúrgica. Manter uma alta ingestão de líquidos para auxiliar a remoção de toxinas do corpo é importante, bem como sessões de drenagem linfática, que são super bem vindas para acelerar a eliminação da gordura pelo sistema linfático. No mais, o paciente deve adotar um estilo de vida saudável, com uma dieta rica em água e baixo teor de gordura e açucares, para que o resultado perdure.

LIPOCAVITAÇÃO NÃO É UM TRATAMENTO PARA EMAGRECER Tudo muito lindo e maravilhoso, mas precisamos esclarecer algo muito importante: a lipocavitação não serve para quem quer perder peso, não sendo adequada, portanto, para uma pessoa que sofra de obesidade. Os candidatos ideais para o tratamento são pessoas que apenas pretendem retirar uma camada de gordura de zonas específicas do corpo, como quadris, coxas, nádegas, barriga e braços, dando um melhor contorno às áreas tratadas e eliminando, em definitivo, aquele aspecto de “laranja” das celulites, o que já é maravilhoso, e sem cirurgia! Para quem sofre de obesidade a solução continua sendo uma mudança séria no estilo de vida, adotando hábitos saudáveis, desde alimentação à prática regular de exercícios. Depois da perda de peso, aí sim, a lipocavitação entra em cena para tratar as gorduras mais localizadas e que, realmente, não saem com dieta e atividade física. Adeus celulite e gordura sem cirurgia é a boa notícia; a ruim é que em Sergipe não há ainda nenhuma clínica que realize o procedimento. Que se habilitem, pois demanda existe e chega de termos que sair de Aracaju para fazer tratamentos, quaisquer que sejam. Merecemos!

QUEM NÃO PODE FAZER LIPOCAVITAÇÃO:

RESULTADO EFICAZ O interessante da lipocavitação é que a destruição acontece somente nas células de gordura, não interferindo com as estruturas adjacentes, tais como os vasos sanguíneos e os nervos e por isso é considerado um tratamento muito seguro. Isto acontece porque a cavitação é um efeito físico exercido pelo ultrassom em meios líquidos, tendo seu efeito direcionado para onde há maior concentração de líquidos, no caso, as células adiposas. Isto explica, também, porque ela é mais eficaz em alguns pacientes e áreas do corpo e noutros não. Para algumas pessoas, pode haver um pequeno desconforto em relação ao barulho provocado pela máquina durante o tratamento. Mas nada comparado a todo o processo da lipo cirúrgica e o tempo de repouso e recuperação pós-cirurgia. A duração do tratamento vai depender de cada paciente e do tamanho da área a ser tratada, bem como do aspecto desejado e da localização das bolsas da gordura.

- Pacientes com falhas ou danos nos rins - Diabéticos - Grávidas - Pacientes com insuficiência hepática - Pacientes com obesidade mórbida - Pacientes com doença cardíaca ou história de Acidente Vascular Cerebral. - Trombose venosa ou embolismos gordos. - Estados de hipercolesterolemia e hipertrigliceridemia. Isso não significa que o sistema não funcione, na verdade ele pode ser muito útil e ter um lugar no arsenal do médico especialista, que pode tirar partido desta solução estética. Mas não uma pessoa inexperiente, que só sabe o que o vendedor aconselhou, e que não considera o estado anterior do paciente e a sua história e riscos. Por isto, lembre-se: a lipocavitação é um procedimento médico e deve ser feito somente por um médico ou profissional capacitado e dominador da técnica.

BELEZA

45


Transparências Apesar de ser uma tendência em que se deve ter muito cuidado para não cair na vulgaridade, a transparência estará novamente presente na próxima estação.

Tamancos de madeira Eles apareceram em vários desfiles. Com fivelas, detalhes em corda ou em tecido. Se você se sente confortável com eles, basta escolher um modelo e aderir à tendência.

MODA

Closet de Inspirações

Estampas As estampas sempre estão presentes nas temporadas de verão; dessa vez, elas apareceram em duas vertentes: tropicais (com detalhes de flores, palmeiras e frutas) e geométricas.

Por Fabiana Chaves

ESPECIAL FASHION RIO E SPFW

A

moda é uma das expressões mais inspiradoras da comunicação. Ela tem o poder de revelar a personalidade de uma pessoa, mudar vidas e ser um agente de transformação. O mundo não para de girar e juntamente com ele vão nascendo novas tendências, novos projetos e talentos da moda que precisam ser mostrados ao mundo. Foi com esse pensamento e no clima da temporada de moda verão 2012/2013, recheado de novidades, que aconteceram no mês de junho, os dois maiores eventos de moda do Brasil, Fashion Rio e a 33ª edição do SPFW (São Paulo Fashion Week). Com o final da maratona dos desfiles do Fashion Rio e do SPFW, já podemos listar algumas das tendências que prometem sair das passarelas, direto para as ruas no verão, e aguardar o mês de setembro chegar, onde as araras das lojas vão estar recheadas de novidades. Com o fim do outono e o inverno se aproximando, já é hora de pensarmos o que iremos vestir na próxima temporada. O Closet de Inspirações listou algumas das tendências que prometem sair das passarelas, direto para as ruas no verão, mostradas nos dois maiores eventos de moda do país.

46

MODA

Franjas Elas voltaram! Estão presente de todas as maneiras, ganhando várias versões para serem usadas: nas roupas, nos acessórios e até em pequenos detalhes. Elas dão um up em qualquer look básico, por isso, invista!

Maxiacessórios Se a roupas são leves e vaporosas, os acessórios fazem o contraponto. Colares, pulseiras, brincos e anéis aparecem na versão máxi, dirigindo a atenção para os complementos do look.


Jeans Looks total jeans viraram febre. Por isso, aos adeptos, aqui vem uma tendência que promete não desapontar. Eles aparecem nessa temporada estampados ou muito bem lavados. Escolha seu preferido e saia da monotonia.

Conjuntinho Os conjuntinhos voltaram com tudo há algumas temporadas e nas passarelas cariocas ganham uma releitura totalmente descolada, com estampas, texturas e cortes ousados.

Dourado A ordem do verão parece ser a mesma deste inverno: brilhar! O dourado veio com força para enriquecer os looks na próxima temporada. Aparecendo tanto em roupas, quanto acessórios.

Universo marítimo A temática aquática foi a inspiração de diversos desfiles do SPFW, com peças em tons que remetiam ao mar, como tonalidades de azul e branco, além de estampas tropicais com praias, ondas, areias, pôr do sol e barcos. A tendência do universo marítimo é aposta certa para a temporada quente!

Cintura alta Shorts e saias com cintura alta é tendência! Invista!

Mullet Saias, vestidos, blusas e casacos. Tramas e redes Tricô Corte a laser e trama de tecidos marcaram presença nas passarelas. Saias e vestidos dominam a tendência, que apareceu também em blusinhas leves.

Modelagem esportiva O verão 2013 promete ter uma pegada esportiva no estilo urbano. Os shorts, calças, blusas e jaquetinhas foram adaptados apresentando uma modelagem mais ampla e sofisticada com tecidos tecnológicos.

Use qualquer peça, mas aposte na moda mullet para o verão 2013! A tendência de a roupa ser mais curta na frente e mais comprida na parte de trás deve estar presente no closet feminino. Fabiana Chaves, é jornalista graduada em Relações Públicas, vice-presidente do Conselho Deliberativo da ABIME Brasil (Associação Brasileira de Imprensa de Mídia Eletrônica), presidente da ABIME Nordeste e Sergipe e apaixonada por moda. fabi_chavves@yahoo.com.br

MODA

47


GUIA DE compras SAÚDE BELEZA SERVI Ç OS ALIMENTAÇÃO VESTUÁRIO DECORAÇÃO


Re vista Cidade Magazine - Ano 01 - Ed 01  

Primeira edição da Revista Cidade Magazine.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you