Page 1

e h n a g e

iP o 2 0 ds

g

in

a

3

e

s:

p

io

m

ic i

P

Nr. 182 • 35° Ano

Pa

rt

Setembro 2010

O novo teleférico em Dubrovnik liga o centro da cidade com o „Hausberg“ Srd e com o seu novo restaurante e anfiteatro. Pág.10

Teleférico Funifor de uma só via em Bezau (Áustria) Valorização de toda a região para o turismo de Verão e Inverno. Pág. 2

Funicular nas montanhas Dolomitas no norte da Itália Um confortável meio de transporte até ao Parque Natural Puetz Odle. Pág. 6

2 teleféricos de recorde mundial nos alpes suíços Transporte de carga até 40 toneladas. Pág. 10

O teleférico de Singapura brilha como as estrelas „Jewel Ride“ com High-Tech-Touch e muitas novidades a nível mundial. Pág.13

Aldeia alpina na Coreia Apta a concorrer aos Jogos Olímpicos de Inverno em 2018. Pág. 16

Pouco espaço para as estações? Existe uma solução: cabines soerguidas por vários pisos. Pág.18

Revista para clientes e colaboradores

O teleférico BUGA em Koblenz, realizou em Julho de 2010 o seu primeiro transporte de passageiros. Ele liga a margem direita e a margem esquerda do rio Reno na - „Deutschen Eck“- confluência do rio Reno com o rio Mosel. Pág.4


Grupo Doppelmayr/Garaventa

2

Sensivelmente integrado na paisagem A Doppelmayr construiu o primeiro Funifor austríaco que vai de Bezau, em Bregenzerwald (Áustria), pelo flanco do imponente Winterstaude (1.800 m).

O

Funifor veio substituir o velho teleférico de 55 anos cuja capacidade de transporte já não era suficiente. Além disso, a concessão desta ligação teleférica terminava em 2014. Os representantes da Câmara Municipal de Bezau quiseram aproveitar ao máximo a oportunidade que este projeto apresentava. Assim, além da substituíção do teleférico foi também construído um novo e exclusivo restaurante panorâmico para 400 pessoas que inclui salas de conferência e que deverá trazer novos

visitantes a esta região. Era necessário apoiar este projeto com um confortável e seguro meio de transporte. É fato de que o vento sopra constantemente em Kammnähe. O coração dos adeptos de Parapente e Asa Delta bate a grande velocidade. Especialmente quando podem transportar os seus equipamentos de vôo no teleférico. Quando o teleférico de cima tem de parar devido aos ventos fortes, eles fazem o resto do percurso carregando com muito esforço o equipamento até à estação intermedi-

Não só o teleférico é notável. Também a arquitetura das estações e do restaurante é altamente moderna e está ao mesmo tempo bem integrada na paisagem. Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

3

Necessidade de inovações „efetivas“

ária. „Isto já não se espera das pessoas que apenas pretendem ir ao restaurante ou simplesmente passear lá em cima,“ afirma o administrador Fidel Meusburger dos teleféricos de Bezauer. Após muitas reflexões acabou por ser escolhido o Funitel de uma só via, pois além da sua especial estabilidade com o vento ele duplica a capacidade de transporte. Este projeto teve grande apoio e foi muito bem aceite por toda a população desta região. Fidel Meusburger afirma:

„Ele não é apenas importante para Bezau. Trás mais animação à estação de ski Andelsbuch/Niedere que fica na outra encosta desta montanha.“ – Em função da construção do Funifor em Bezau conseguimos criar uma confortável ligação com as pistas de ski do outro lado da montanha. Agora temos também uma ótima pista de trenós que foi facilmente criada através da reconstrução das estradas anteriormente utilizadas na construção.

A administração dos teleféricos em Bezau pela empresa familiar Meusburger tem muita tradição. O pai foi o primeiro administrador dos dois primeiros e antigos teleféricos. O filho Fidel (foto) foi durante muitos anos representante da Câmara de Bezau no conselho de administração e está desde 1997 na administração.

As vantagens mais importantes do Funifor Bezau são:

• A larga faixa entre os cabos • Extrema estabilidade em relação ao vento • Laço do cabo de tração entrançado, e de fácil manutenção

60-FUF Bezau

Os dois arquitectos Bernd Frick e Markus Innauer atingiram um lanço muito especial. Nr. 182 • Setembro 2010

Capacidade de transp.

345 p/h

Tempo do percurso

5,2 min

Velocidade

12,0 m/s

Cabines

1

Declive

2.170 m

Diferença de altitude

930 m

Pilares

2

Força motriz

na base

Tensão do cabo

na base

As inovações têm de ser efetivas. Efetivas no sentido de estarem orientadas para o mercado e satisfazer as necessidades deste. É necessário ter boas ideias, coragem e energia. – Estas são características que os operadores de sistemas teleféricos devem possuir em abundância, para ter capacidade de se adaptar rapidamente às tendências do mercado ou mesmo de se impor como “Trendsetter” introduzindo no mercado a sua própria tecnologia de ponta. Os engenheiros da Doppelmayr/ Garaventa refletem também muito sobre a falada „Tellerrand“, e estão na posição de reagir flexível e rapidamente às novas exigências. Os clientes formulam o objetivo pretendido, e eles assumem posteriormente a missão de desenvolver o caminho certo para alcançá-lo. Para ser mais exato, cada unidade da Doppelmayr/Garaventa é por si mesma uma peça única, voltada para as necessidades específicas dos clientes. Elas fascinam o público tanto pela sua grandeza, pelo seu design ou pela sua capacidade original de solucionar uma determinada tarefa. Alguns dos exemplos mais recentes são o maior teleférico de carga do mundo nos Alpes Suíços, o teleférico de três cabos que ajuda o trânsito no centro da cidade de Koblenz (na Alemanha) e o teleférico com cabines gôndola sobre o porto de Singapura. A lista de inovações nos teleféricos do grupo Doppelmayr/ Garaventa é bastante grande. As inovações de alto valor são uma das nossas tarefas principais. Sobre o sucesso ou não destas, decidem os nossos clientes. A sua prontidão em cooperar conosco é muito valiosa para nós.

Michael Doppelmayr


Grupo Doppelmayr/Garaventa

4

Koblenz: Eficiente teleférico urbano A cidade alemã Koblenz, com 106.000 habitantes, tem um novo e eficiente meio de transporte: o teleférico BUGA sobre o rio Reno.

E

ste teleférico destina-se à „Bundesgartenschau 2011”, em Koblenz, na região da Renânia-Palatinado (de 15 de Abril a 16 de Outubro). Esta exposição de jardinagem (BUGA) espalhase por três áreas principais: o palácio no centro da cidade de Koblenz à margem do rio Reno, o pátio das flores na confluência do rio Reno com o rio Mosel – “Deutschen Eck” – e a fortaleza Ehrenbreitstein na outra margem do rio Reno. A construção teve início em Abril de 2009. As estações e as torres ficaram prontas em Dezembro de 2009; no fim de Janeiro de 2010 deuse início ao tensionamento do cabo: um primeiro cabo de nylon foi levado por helicópetero da estação de montanha até à margem direita do rio Reno. Os dois cabos de transporte seguintes, em aço, foram conduzidos por um pontão através do Reno. O tráfego de barcos teve de ser paralizado durante 4 horas. Também foi necessário parar o trânsito dos comboios de mercadorias fortemente frequentado (entre as 22 horas e as 4 horas da manhã) e da estrada nacional (por pouco tempo) durante a construção dos andaimes de segurança.

Os especialistas elogiam este teleférico tanto no aspecto ecológico como no aspecto econômico e afirmam que é o meio de transporte mais adequado. Este teleférico foi aberto ao público no dia 4 de Julho de 2010 por ocasião da 3° festa de inauguração BUGA. Este será explorado pela Doppelmayr pelo menos até 4 de Outubro, depois seguese uma interrupção até à inauguração da BUGA a 15 de Abril de 2011. A desmontagem está planejada para Novembro de 2013, para que a região não coloque em risco o seu status de Patrimônio Mundial da UNESCO da „ Paisagem cultural do Vale Superior do Reno médio“. Estreia mundial: Um novo conceito de evacuação Devido ao longo trajeto sobre a água foi desenvolvido um sistema de evacuação que torna desnecessária a existência de uma cabine de socorro. Este sistema assegura em qualquer situação a condução das cabines de volta à estação.

A estação na períferia da cidade velha integra-se harmoniosamente no ambiente histórico. A BUGA dura meio ano. Espera-se a visita de cerca de 2 milhões de pessoas. Nr. 182 • Setembro 2010


„Estou completamente entusiasmado – qualquer pessoa deveria experimentar!“, afirma o presidente do conselho da Renânia-Palatinado Kurt Beck (à direita) após a sua primeira viagem com o novo teleférico BUGA em Koblenz. À esquerda o presidente da Câmara Municipal - Prof. Dr. Joachim Hofmann-Göttig, e atrás o administrador da BUGA Hanspeter Faas.

3S-BUGA Koblenz Capacidade de transp. Tempo do percurso Velocidade Cabines de 35 pessoas Intervalo Declive Diferença de altitude Pilares Força motriz Tensão do cabo Nr. 182 • Setembro 2010

7.600 p/h 4,0 min 4,5 m/s 18 33,3 s 890 m 112 m 2 na montanha na base


Grupo Doppelmayr/Garaventa

6

Moderno funicular na reserva natural de Puez Odle A Doppelmayr/Garaventa substituiu em Raschötz nas Dolomitas no Tirol do Sul o teleférico de 1952 por um moderno funicular.

E

ste é um ambicioso projeto que a „Sessellift Raschötz GmbH“ tornou realidade; agora, em vez do teleférico de um lugar temos um funicular que efetua, desde o Verão de 2010 a ligação com a elevada pastagem alpina Raschötzer a 2.281 m nas montanhas Dolomitas, no Tirol do Sul. Seguro e quente na montanha Segundo Peter Comploj, PresidenteGmbH e principal acionista, foram várias as razões que levaram a optar pelo funicular: a concessão do teleférico antigo já tinha terminado, e, além disso, as autoridades não concordavam com a remodelação deste devido ao seu longo percurso de 25 minutos: no Inverno por causa do frio e no Verão devido à possibilidade de se ser surpreendido por uma trovoada. – Efetivamente era necessário um teleférico mais rápido e confortável. As opções de escolha incluíam um teleférico com cabines tipo gôndolas acopladas, um teleférico vai-e-vem e um funicular. Rapidamente a variante funicular mostrou-se como sendo a melhor solução: • O perfil da seção é ideal; o espaço limitado do terminal inferior consegue ser facilmente superado; • Poupam-se as discussões sobre a altura e o número de suportes de apoio; • Os custos a longo prazo são mais baixos do que num teleférico acoplado; • O seu tempo de vida útil é mais longo; • O funicular tem custos mais baixos sobretudo quando é necessário uma estação intermediária. „É necessária uma estação intermediária para que as pessoas possam andar de trenó quando a parte de baixo do trajeto tem pouca neve!“, afirma Peter Comploj. Em Outono de 2009 foi desmontado o velho teleférico e iniciou-se a constru-

ção do novo. O traçado do antigo teleférico foi aproveitado; a estação de baixo encontra-se no centro de St. Ulrich, e a estação de montanha perto do Chalet Restaurant Resciesa. Tendo em consideração a preservação da paisagem, a ponte neste terreno foi encurtada o máximo possível. Foi construído um túnel com 90 m de comprimento diretamente acima da estação de baixo o que melhora a qualidade de vida dos moradores. A estação intermediária encontra-se num desvio. Lucrativo para toda a região Este funicular é um importante elemento chave nesta infraestrutura. Além da sua função de transporte para o Raschötzer Alm e para o restaurante „Resciesa“ na estação de montanha, ele encurta e facilita o acesso às casas de montanha, uma das quais, a „Schutzhaus Resciesa“, com 50 camas, reconstruída pelo Município de St. Ulrich.

O novo funicular é muito mais atraente do que o velho teleférico de um lugar. O administrador Peter Comploj prevê um aumento significativo do número de passageiros: „No teleférico anterior vendíamos por ano cerca de 110.000 bilhetes. Calculamos que o novo sistema irá aumentar a demanda em pelo menos 70%“. 90-FUL Raschötz Capacidade de transp. Tempo do percurso Velocidade Declive Diferença de altitude Força motriz

828 p/h 4,5 min 10,0 m/s 2.388 m 822 m na montanha

Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

Este funicular que vai de St. Ulrich, em Grödental, até ao Raschötzer Alm é um transporte altamente atraente. Durante a elaboração do projeto foi cuidadosamente considerada a preservação da paisagem, sobretudo porque o sistema circula ao lado da „Reserva Natural Nr. 182 • Setembro 2010

7

de Puez Odle“, classificada na Rede Natura 2000. O equipamento de controle do funicular provém da Doppelmayr-Italia, e o „Hardware“ técnico da Garaventa. Para a construção das estações e trabalhos subterrâneos o cliente contratou empresas industriais locais.


Grupo Doppelmayr/Garaventa

8

Metro Bilbao: Ritmo de marcha consoante a necessidade Em Santurtzi, 17 Km a norte de Bilbao, entrou em funcionamento um novo funicular. Este efectua a ligação entre o metro e o bairro Marmariga.

B

ilbao é uma das grandes cidades no Norte de Espanha. Esta cidade tem 350.000 habitantes, e os arredores têm quase um milhão de pessoas. Marmariga é a estação final do metrô; esta irá ser prolongada nos próximos anos. O objetivo é ligar a rede de metrô com os arredores da cidade situados em pontos mais elevados.

O quadro de horários adapta-se a demanda A rede do metrô é extensa e eficiente. O metrô é um meio de transporte muito apreciado; transporta diariamente 275.000 pessoas. A razão desta preferência tem também origem na configuração do horário do funicular; ou seja, os comboios circulam segundo um horário fixo. A ocupação é contada automaticamente. Assim que os trens ficam 80% ocupados, o funicular parte, e um segundo trem é preparado o mais rápido possível. Subterrâneo e absolutamente silencioso

faixas paralelas e independentes. A propulsão dos dois trens é independente uma da outra. A lubrificação automática dos carris ou trilhos amortiza os barulhos e o desgaste. Graças à suspensão de roda única poupamos peso e energia de acionamento. Em caso de corte de energia funciona a bateria Se houver um corte de energia o veículo pode continuar a subida com baterias. A cidade de Bilbao é o nosso cliente e a entidade exploradora é a Metro (Consorcio de Tranporte de Bizkaia). A Doppelmayr-Spanien é a contratada e o teleférico é da Garaventa.

Funiculares Os funiculares são independentes do clima e estáveis em relação ao vento. Os trens com capacidade para algumas centenas de pessoas e uma velocidade de 14 m/s comprovam uma elevada capacidade de transporte.

O funicular é subterrâneo. Para assegurar tanto quanto possível uma elevada disponibilidade, existem duas Golfo de Biscaia Metro Santurtzi Bilbao

Ría de Bilbao

Nr. 182 • Setembro 2010


Os comboios circulam segundo um horário fixo, mas assim que ficam cheios é preparado de imediato um outro comboio

45-FUL Bilbao Capacidade de transp.

550 p/h

Tempo do percurso

2,0 min

Velocidade

6,0 m/s

Declive

353 m

Diferença de altitude

44 m

Força motriz

na montanha

Peso tensor

na base

Os habitantes de Bilbao batizaram as estações do metrô, construídas em vidro e metal e com forma de tubo de „Fosterinos“. O nome provém do seu criador, o arquiteto internacionalmente conhecido Sir Norman Foster (responsável também pela criação do novo “Reichstages” em Berlim.) Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

Dubrovnik: Cidade velha – Teleférico novo A cidade litorânea Dubrovnik na Croácia tem novamente um dos seus símbolos: o teleférico na montanha Srd. O primeiro, instalado em 1969, foi desmontado e susbtituído pela Garaventa. No dia 10 de Julho de 2010 os primeiros turistas puderam subir a este histórico cume.

E

ste teleférico conduz-nos às ruínas da fortaleza „Imperial“ do século XVIII, que se situa na montanha Brdo Srd erguida na costa. As cabines anteriores transportavam cerca de 15 passageiros por viagem. As cabines atuais transportam 30 pessoas. Esta viagem é uma das grandes atrações de Dubrovnik devido à sua inesquecível paisagem sobre a cidade velha e a ilha circundante. Ela deve ser, tanto quanto possível, apreciada até ao fim. Por esta razão o teleférico move-se quase sempre no cômodo ECO-Modus em vez de utilizar a velocidade normal. Conservação sob o apecto histórico Durante a reconstrução do teleférico foi considerada a preservação da paisagem como um todo, pois a estação do vale fica ao lado da histórica cidade velha, um Património Mundial da UNES1

Um presente de Napoleão Bonaparte.

30-ATW Dubrovnik Capacidade de transp.

470 p/h

Tempo do percurso Funcionamento normal

3,0 min

Eco-Mode

3,5 min

Velocidade Funcionamento normal Percurso

6,5 m/s

Suporte

5,5 m/s

Eco-Mode Percurso

6,0 m/s

Suporte

5,0 m/s

Entrada moderada

na estação

Declive

778 m

Diferença de altitude

367 m

Pilares

1

Força motriz

na base

Tensão do cabo

na base

CO. Foi inevitável a renovação completa com exceção da fachada da estação e dos tubos de apoio. A estação do vale foi completada com uma construção em forma de sela para o equipamento de acionamento das cabines. O motor pôde ser montado e colocado na existente casa de máquinas. A entrada foi alargada e o existente peso tensor foi substituído. Em contrapartida a estação de montanha estava tão danificada que foi impossível aproveitá-la de novo. Nr. 182 • Setembro 2010


As cabines receberam uma pintura especial, cor-de-laranja luzidío. Elas combinam muito bem com a paisagem desta histórica cidade. Café e anfiteatro na montanha A nova estação de montanha integra dois terraços panorâmicos, uma loja de lembranças e um café com Snackbar. Juntamente a esta foi construído um anfiteatro para 250 pessoas. A inauguração do teleférico coincidiu com a do anfiteatro por ocasião do 61° Festival Nr. 182 • Setembro 2010

de Dubrovnik (10 de Julho a 25 de Agosto). Este festival é bastante popular pelo seu abundante programa de teatro e de música, tanto clássica como moderna. A tensão do cabo não foi uma tarefa fácil, pois o traçado da linha atravessa exatamente a estrada principal de entrada na cidade; foi necessário efetuar tudo num curto espaço de tempo. É possível

avistar-se bem a torre a partir da cidade e por isso era conveniente não alterar muito. Ela situa-se num terreno rochoso alcançável apenas por um pequeno caminho íngreme. Para efetuar a montagem da nova sela do cabo a equipe de montagem da Garaventa teve de construir um pequeno teleférico de transporte de material.


Grupo Doppelmayr/Garaventa

12

Teleférico para construção de central hidroeléctrica Em Maio, quase seis meses após o primeiro, entrou em funcionamente

A

gigantesca interligação de centrais hidroeléctricas com 1.480 MW irá produzir a partir de 2015 três vezes mais elétrica do que a atual.

o segundo teleférico de cargas pesadas para a

Cem mil toneladas de material

construção da central hidroeléctrica reversível

A zona desta enorme construção inclui mais de 10 locais de construção e instalações. A partir da base de instalação Tierfehd (a 800 m de altitude) os locais de construção situados na parte de cima só podem ser alcançados por teleférico. Para isso foram construídos os teleféricos „teleférico de construção 1“ e „ teleférico de construção 2“. Um é próprio para o transporte de cargas de até 40 toneladas (teleférico de construção 1) e o outro para cargas de até 30 toneladas (teleférico de construção 2). Os trabalhadores têm à disposição em cada teleférico uma cabine com capacidade para 40 pessoas. Em Chalchtrittli, na estação de montanha do teleférico de construção 1, o material é carregado em caminhões especiais. Estes seguem por um túnel subterrâneo de três quilômetros até à estação de base do teleférico de construção 2. Este segundo teleférico faz

1000 MW Limmern nas altas montanhas Glarner (Suiça). Estes dois teleféricos são o a parte principal do projeto „Linthal 2015“.

Muttsee

Teleférico de construção 2 Estação intermediária Central hidroeléctrica

lar

u nic

em

c

Fu

Teleférico de construção 1 Tierfehd

ão

ruç

st on

el

Tún

o

çã

Limmernsee

a ligação da sua estação de base („Ochsenstäfeli“) desde o muro da reserva Limmernboden (1.711 m) com o Muttenalp a 2.500 m de altitude. Existe ainda uma estação intermediária que alcança o túnel de ligação. Para além das máquinas e materiais de construção foi necessário transportar enormes quantidades de material de escavação. Só na construção da caga

li de

verna central foram retiradas 500.000 toneladas de rochas. Este material foi conduzido por um tapete rolante de carga para a estação de base do teleférico de construção 2, transportada até Muttenalp e utilizada na construção da represa. Pretensiosa construção do teleférico Para a tensão do cabo do „teleférico de construção 1“ foram necessários veículos especiais para transportar as 8 bobinas do cabo portador (cada uma com 114 toneladas) para Tierfehd. O primeiro cabo foi transportado por helicóptero para Chalchtrittli. O cabo portador do „teleférico de construção 2“ foi puxado pelas bobinas desde Tierfehd pelo „teleférico de construção 1„ para Chalchtrittli e depois através dos túneis até Ochsenstäfeli. Este cabo foi novamente enrolado e fica aqui armazenado. A tensão do cabo para o segundo teleférico foi efetuada do mesmo modo. Para os trabalhos de concretagem, montagem de aço das estações e suportes para o teleférico de construção 2 foram utilizados helicópteros; para a edificação dos primeiros suportes foi instalada uma grua em Ochsenstäfeli com 72 m de altura. Após a conclusão dos trabalhos de construção os teleféricos serão desmontados. Funicular para o transporte do motor elétrico Para transportar os quatro enormes transformadores para o centro de controle subterrâneo – cada um com um peso superior a 200 toneladas – a Garaventa vai montar até 2012 um funicular que sai de Tierfehd. Entre 2009/10 foi escavado o túnel de 200 m de comprimento para a estação de base. Após a finalização dos trabalhos de construção este funicular continuará a funcionar como serviço à assistência técnica da central elétrica. Nr. 182 • Setembro 2010


Para Rolf Baumann, chefe da empresa de transporte, a confiabilidade é muito importante. Os teleféricos funcionam sem interrupção no Verão e no Inverno em três turnos (de oito horas cada). Teleférico de construção 1 Tierfehd – Chalchtrittli Capacidade de transp.

100 t/h

Carga útil

25 bis 40 t

Cabine para 40-pessoas 1 4 cabos portadores ø

90 mm

Tensão do cabo ø

topo

58 mm

base

30 mm

Tempo do percurso

7,1 min

Velocidade

5,0 m/s

Declive

1.922 m

Diferença de altitude

1.051 m

Pilares

2

Força motriz

montanha

Desempenho nominal

1.150 kW

Tensão do cabo

Vale + montanha

Teleférico de construção 2 Ochsenstäfeli – Muttsee Capacidade de transp.

100 t/h

Carga útil

25 bis 30 t

Cabine para 40-pessoas 1 4 cabos portadores ø

90 mm

Tensão do cabo ø

topo

58 mm

base

35 mm

Tempo do percurso

6,4 min

Velocidade

5,0 m/s

Declive

1.771 m

Diferença de altitude

596 m

Pilares

5

Força motriz

montanha

Desempenho nominal

1.160 kW

Tensão do cabo portador na base Nr. 182 • Setembro 2010


A entidade que opera e explora o teleférico está confiante de que a frequência aumentará rapidamente para 1,7 milhões de passageiros por ano.

Símbolo nacional de Singapura Em Singapura, o teleférico de 35 anos que fazia a ligação entre o continente e a ilha de diversão Sentosa foi substituído pela Doppelmayr por um 8-MGD sensacionalmente equipado. Desde a inauguração em Julho deste ano que se tornou numa atração para os turistas.

O

teleférico de dois lugares instalado pela Von Roll em 1974 e mais tarde várias vezes renovado, foi substituído por uma nova unidade tanto no que diz respeito à parte elétrica como à parte mecânica. Ms Susan Teh, CEO da Mount Faber Leisure Group, explicou na conferência de imprensa da inauguração: “Para a nossa empresa e para o turismo de Singapura este representa mais do que um marco. Ele é o nosso símbolo nacional.” O teleférico tem três estações. A estação motriz encontra-se no Mount Faber, uma colina verde no continente. Escala no 15°andar A estação intermediária fica no 15° andar do edifício Harbour Front. Aí encontra-se o centro comercial “Vivo-city” que tem ligação com o metro, numerosas para-

gens de autocarros e o ponto de partida do Monorail “Sentosa-Express”. As estações do teleférico anterior foram demolidas. Sobre os dois sólidos pilares de betão do teleférico anterior foram colocadas estruturas de aço. A “Pulau Selegu Tower” na costa de Sentosa aumentou de 85 m para 115 m de altura devido à nova armação de apoio com três braços. O pilar “Seah Im Tower” com apoio duplo, situado entre Jewel Box e Harbour Front tem agora 85 m de altura. As garagens para as cabines encontram-se nas estações finais. Nr. 182 • Setembro 2010


De noite a iluminação LED das cabines brilha como jóias – daí a origem do nome “Jewel Ride”. Área urbana Mount Faber As cabines têm grandes janelas panorâmicas e assentos de abater. Estão bem arejadas. Para um jantar nocturno “Sky Dining TM” existem mesas previstas que sem grande esforço podem ser fixadas nas cabines e fácilmente retiradas. A cabine VIP de 7 estrelas tem tanto na decoração interior como exterior cristais da Swarovski. Tem também o chão em vidro, assentos de cabedal, um Mini-Bar e um I-Pod/I-Phone Docking Station com sistema sonoro. A estação no continente está integrada no “Jewel Box”, um luminoso complexo com restaurante e centro comercial. A estação da ilha tem um loja de lembranças e Snackbars. Fechamento do porto durante o tensionamento do cabo Para a tensão do cabo foi necessário paralisar as atividades do porto. Sobre o cabo de extração foram colocados dois cabos de pára-raios. Num deles foi Nr. 182 • Setembro 2010

colocada iluminação de aviso para voos e o outro serviu para a transmissão de dados (entre outros para os PCs e para os intercomunicadores das cabines).

HarbourFront station

Sistema de socorro que poupa nervos Não é possível efetuar sobre a água uma ação de socorro tradicional. Foram para isso consideradas várias medidas (sistema de Back-up) para evitar a necessidade de uma cabine de socorro no percurso. Assim, em casos de emergência, foi desenvolvido juntamente com o exército de Singapura um cesto de socorro que pode ser levado até às cabines por helicóptero. A Doppelmayr estabeleceu também na base aérea uma unidade de exercício com dois apoios, “cabos originais” e “cabines originais”, para a equipe de socorro treinar regularmente.

Sentosa Island

8-MGD Jewel Cable Car Ride Capacidade de transp.

2.800 p/h

Tempo do percurso

8,1 min

Velocidade

5 m/s

Cabines

93+1

Intervalo

10,3 s

Declive

1.727 m

Diferença de altitude

46 m

Pilares

9

Força Motriz

Continente

Tensão do cabo

Sentosa


Grupo Doppelmayr/Garaventa

Aldeia alpina na Korea No novo resort turístico „Alpensia“, a duas horas de carro a leste de Seoul, capital da Coreia do Sul, a Doppelmayr instalou três teleféricos. Esta região vai concorrer aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.

A

lpensia candidatou-se para os Jogos Olímpicos de Inverno 2014, mas perdeu a favor de Sotchi e ambiciona agora ganhar a candidatura para os Jogos Olímpicos de 2018. Se na segunda tentativa tiver essa sorte, o nome será alterado para „PeyongChang’s Winter Olympic Park“. Ambiente alpino para atrair hóspedes A construção do projeto Alpensia de um bilhão de euros teve início em 2006. Os trabalhos foram finalizados no Verão de 2010. Este projeto posiciona-se como um centro turístico de esporte e repouso aberto o ano todo, e que oferece em 5,5 km2 a prática de ski alpino e nórdico no Inverno e no Verão o golfe (local com 47 buracos), descidas de trenó, passeios nas montanhas Taebaek e muitas instalações de Wellness. (PeyongChang significa „Paz e Prosperidade“.) Estamos especialmente orgulhosos com a arquitetura do novo hotel da aldeia com 238 quartos acabado de construir. Foi inspirado no típico aglomerado de casas alpinas austríacas e suíças – daqui deriva também o nome Alpensia, constituído a partir das palavras „Alps“ (alpes) e „ Ásia“. Padrão Internacional O Governador da província Gangwon elogiou Alpensia por ocasião da candidatura às Olimpíadas de 2014 como „completamente adequada aos padrões internacionais para competições alpinas, saltos de ski, biatlo e cross-country“. Afinal as pistas têm ao todo 5,5 km de comprimento e uma área de 20 ha. Os três teleféricos da Doppelmayr – dois 6-CLDs e um 4-CLD – têm capacidade para transportar cerca de 8.570 pessoas por hora. Para as descidas de trenó no Verão, estes são pendurados e enganchados manualmente na cadeira

do teleférico 6-CLD Nr° 2. Estes teleféricos foram equipados com garagens para as cabines (no vale) – o que ainda não é usual na Coreia. A Doppelmayr foi o sub-fornecedor do empreiteiro geral, o consórcio de construção „Taeyoung Industry“. A movimentação é grande. Esquiadores e hóspedes de Wellness viajam não só da Coreia do Sul, mas também do Japão e da China. Existem ao todo 14 teleféricos, seis da Doppelmayr e seis da Nippon Cable, concessionário japonês da Doppelmayr.

1

Nr. 182 • Setembro 2010


„Alpensia“ vai concorrer para os Jogos Olímpicos de Inverno 2018. 6-CLD Lift 1

6-CLD Lift 2

4-CLD Lift 3

Capacidade de transp.

3.085 p/h

Capacidade de transp.

3.085 p/h

Capacidade de transp.

2.400 p/h

Tempo do percurso

2,6 min

Tempo do percurso

2,6 min

Tempo do percurso

2,3 min

Velocidade

5,0 m/s

Velocidade

5,0 m/s

Velocidade

5,0 m/s

Cadeiras

44

Cadeiras

43

Cadeiras

45

Intervalo

7,0 s

Intervalo

7,0 s

Intervalo

6,0 s

Declive

687 m

Declive

679 m

Declive

583 m

Diferença de altitude

194 m

Diferença de altitude

194 m

Diferença de altitude

78 m

Pilares

6

Pilares

6

Pilares

5

Força motriz

na base

Força motriz

na base

Força motriz

na base

Tensão do cabo

na base

Tensão do cabo

na base

Tensão do cabo

na base

Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

18

Subir escadas está fora de moda Os esquiadores não gostam muito de subir escadas. Com botas de ski isto é bastante desconfortável e de certo modo perigoso. – Mas o que fazer quando o local da estação do teleférico é estreito? – A Doppelmayr conhece a resposta: A palavra mágica é „rampa de transporte“.

O

modo de funcionamento da „rampa de transporte“ foi facilmente concebido: as pessoas entram nas cabines-gôndola. Estas, no rigor da palavra, são soerguidas no início da rampa e se necessário realizam até curvas. Esta solução já foi comprovada. Ainda temos presente na memória a „roda gigante“ para o Funitel em St. Anton, em Arlberg (Áustria). Em 1992 foi construído pela primeira vez um sistema idêntico no teleférico Tracouet com cabines gôndola 12-MGD em Nendaz (Suiça). Este sistema foi ajustado aos atuais padrões técnicos. O uso de „rampas de transporte“ em teleféricos com cabines-

-gôndola é ideal quando existe falta de espaço. 8 m x 4 m são suficientes para entrar e sair da cabine. A cabine movimenta-se sobre uma construção amortecedora e autoportante fixada apenas em dois pontos e direcionada à estação do teleférico. Quando lá chega é fixada no sistema de transporte Doppelmayr e pronto! Nesta „rampa de transporte“ a altura de elevação pode chegar a 12 m, e a inclinação máxima é de 45° graus! Através da disposição de mais „rampas de transporte“ em série é possível uma maior altura de elevação – por exemplo 36 m em 3 m x 12 m!

A „rampa de transporte“ da Doppelmayr é perfeita para soerguer as cabines-gôndola já devidamente ocupadas. Este sistema é apropriado para estações construídas em terrenos estreitos ou para estações que integram lojas, escritórios, locais gastronômicos e instalações de serviço com vários pisos. Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

19

Diversão a esquiar com Skippy Olá crianças! Aqui estou eu novamente, o seu Skippy. Hoje vou mostrar como vocês devem se sentar num teleférico em completa segurança. Prestem bem atenção, porque assim aprendem sobre o que fazem bem e sobre o que é melhor não fazer.

Meu Deus! As crianças conseguem fazer isso melhor.

As mochilas devem ir no colo e os bastões de ski devem ser agarrados por uma mão e com as pontas viradas para baixo, para que possamos todos chegar bem ao topo.

Assim está perfeito. Bem, por vezes as crianças conseguem coisas que os adultos ainda não conseguem.

Eu juntei aqui algumas coisas para vocês passarem um divertido dia de Inverno. Todos os objetos estão duplicadas com exceção de um. Conseguem descobrir qual é?

Se tiverem vontade, escrevam-me sobre tudo o que lhes chama a atenção enquanto esquiam. O meu endereço é: skippy@doppelmayr.com Nr. 182 • Setembro 2010


Grupo Doppelmayr/Garaventa

20

Novo chefe do serviço a clientes O departamento „After Sales Service“ da Doppelmayr-Seilbahnen tem um novo chefe: Peter Thurner. O chefe anterior Werner „Jack“ Kohler aposentou-se. Devido à sua rápida disponibilidade, competência e vasta gama de serviços - desde a assistência técnica até à venda e distribuição de peças sobresselentes - o serviço a clientes da Doppelmayr tem um grande significado na preservação do valor das unidades da Doppelmayr.

Participe e ganhe

Esquiadores invadem o teleférico de Koblenz no calor de Julho. Quando o teleférico BUGA foi inaugurado no início de Julho, com um tempo espectacular e 32° graus à sombra, os visitantes admirados começaram a esfregar os olhos pois não acreditavam no que viam: cerca de 40 esquiadores, bem dispostos, com óculos de ski, capacetes, barretes de lã e protectores para as orelhas empurravam-se em direcção à estação de vale, para juntos subirem ao planalto da fortaleza Ehrenbreitstein. Este encontro foi combinado através do Facebook para um Flashmob teleférico. Lamentávelmente os skis, snowboards e trenós tiveram de ficar de fora. Por razões de segurança estes apetrechos alpinos não são permitidos nas cabines-gôndola do BUGA.

Novas crias no zoológico Doppelmayr No zoo Doppelmayr em Wolfurt temos novas crias, entre outros, das zebras, alpacas, burros, cangurus, guaxinim (ratão-lavadeiro), quati da América do Sul, porco vietnamita, gansos do Canadá, cabras anãs e cisnes-negros australianos. Este jardim zoológico tem 62 espécies de animais e algumas centenas de exemplares. – A Doppelmayr dirige este zoológico desde os anos 70. Está aberto Chefe do Jardim Zoológico, Dietmar Flatz com uma cabra anã bebê. Quati da América do Sul -cria.

A pergunta para o concurso de Setembro de 2010 é: “Em que cidade alemã vai ser realizada em 2011 a exibição de jardins?” Os prêmios aos ganhadores são três iPods. Não são aceites recursos jurídicos. Envie a sua resposta por e-mail até ao dia 29 de Outubro de 2010 com referência a „Gewinnspiel“ para o endereço „wir@doppelmayr.com. A resposta certa à pergunta da edição 181 é: „Skippy“. De todas as respostas certas foram sorteados os seguintes vencedores: Ivo Reichlin, Goldau (Suíça), Sebastian Fuchs, Bregenz (Áustria) família Kaufmann-Inäbnit, Grindelwald (Suíça), Walter Bucher, Klagenfurt (Áustria), Felix Inauen, Kirchberg (Suíça). Cada vencedor recebe um porta-retrato digital. Parabéns! todos os dias, a entrada é grátis e é muito apreciado pelas famílias. Estas vêm de toda a região de Bodensee: da Áustria, da Suíça, Alemanha e Liechtenstein. Proprietário e editor: Doppelmayr Seilbahnen GmbH, A 6961 Wolfurt • Redacção e produção: WIR Public Relations Wolfgang M. Wagenleitner, Weißachergasse 19, A 6850 Dornbirn • www.wirpr.at • wir@doppelmayr.com Nr. 182 • Setembro 2010

Wir 201009 por doppelmayr