Issuu on Google+


2


Melissa

Lyvia Gamerco 2008 3


Concepção, texto e direção de arte Lyvia Gamerco Projeto Experimental desenvolvido como Trabalho de Conclusão do Curso de Comunicação Social da Universidade Católica de Brasília sob orientação da professora Ana Beatriz Barroso

2008


Agradeço à minha orientadora Ana Beatriz, à propria Melissa, família, amigos e às fãs que acreditaram na realização deste trabalho.

Para você menina, garota, moça, mulher, “Melisseira”.


A Melissa conseguiu atravessar décadas e encantar cada vez mais sofisticado, novo, alegre, colorido, lúdico, inovador, versátil, pra O único acessório que, ouso dizer, nunca vai sair da moda! Mais que um livro, esta é uma carinhosa homenagem em palavras, artigo de moda que acompanhou e cresceu com diversas mocinhas


meninas de todo o mundo com seu jeito ousado, moderno, frente, alto astral, chic, fashion e sobretudo encantador. imagens e papĂŠis sobre um produto, nĂŁo sĂł um sapato, mas um e continua colorindo os pĂŠs de ontem e de hoje.


12


13


14


15


16


17 17


Bem antes de muita coisa que conhecemos ter surgido, objetos simples do cotidiano, como botões, pentes e fivelas, foram durante muito tempo fabricados com cascos e cornos de gado, que são puramente constituídos por queratina e por isso, bastante resistentes. Somente nas últimas décadas do século XIX a procura por esses artigos não era mais tão forte, começava a moda do marfim – aquelas enormes e belas presas do elefante. Nessa época o marfim criou uma verdadeira revolução, todos queriam fabricar o que quer que fosse com o precioso material, desde esculturas a anéis e botões, até as bolas de bilhar. Milhões de pessoas investiram nesse ramo e as companhias de viagem faturaram absurdos com as diversas expedições para a África, principalmente para a região do Sul onde se concentrava o maior número de elefantes selvagens. 20

Infelizmente essa busca desenfreada ocasionou um processo de extinção desses mamíferos. Devido à escassez do material, a empresa norteamericana Phelan and Collander, que na época era uma das grandes fabricantes de bolas de bilhar, tentou solucionar o problema criando um concurso, onde oferecia um prêmio de 10 mil dólares a quem apresentasse um material substituto para a preciosidade. Mesmo não tendo ganhado, foi um inventor chamado John Wesley Hyatt quem descobriu um ótimo sucessor para o marfim. Hyatt já havia tenta-


do fabricar as bolas de bilhar diver- proporcionando a fabricação de diversos objetos, como essas vezes com milhões de materiais covas de dente, janelas transparentes para automóveis e ese misturas. Em uma de suas tenta- partilhos. Logo o plástico evoluiu e surgiram variações tivas cortou o dedo e precisou ir ao como os plásticos sintéticos, fabricados artificialmente. armário pegar um pouco de cólodio para pôr na ferida. Ao abrir o armário, A febre do náilon Hyatt viu que o frasco de cólodio havia caído e seu conteúdo derramado. Com a evaporação do álcool e do éter, havia res- Durante a década de 20, as meias de seda faziam tado apenas uma crosta endurecida sob a parte e eram quase obrigatórias no vestuário feminiprateleira, era um depósito de nitrato de ce- no, mesmo sendo muito caras e quase inacessíveis à lulose. Conclui-se que o nitrato de celulose maioria da população, diversas misturado com álcool e cânfora em proporções moças faziam sacrifícios adequadas, quando aquecido e submetido a alta enormes para obtê-las. pressão, poderia ser moldado no formato deseja- Na época a indúsdo. A solução encontrada não se parecia muito com tria DuPont, o plástico que conhecemos hoje, mas já era o início famosa pela do material. Infelizmente, os júris do concurso não f a b r i deram o prêmio a Hyatt porque acharam que o mate- c a rial era perigoso, devido ao fato de o nitrato de celulose ser altamente inflamável. Contudo, Hyatt patenteou o primeiro plástico em 1870 com o nome de Celulóide. Por não haver concorrentes, por muito tempo, o celulóide foi considerado o Rei do Plástico, 21


ção de produtos têxteis, era uma das maiores fabricantes de meias de O sucesso do náilon ia de seda e, visando atender a todas as classes, começou a busca por uma vento em polpa. No mesmo ano substância nova que se assemelhasse em beleza e resistência à seda de seu lançamento, surgiam tamnatural, para isso contratou um prestigiado químico norte-ameribém as primeiras peças de lingerie cano, Wallace Hume Carothes, que depois de quase uma déde náilon, mas logo veio a necescada de estudos, anunciou a invenção do náilon. sidade do uso de sua versatilidade O náilon foi o primeiro e verdadeiro durante a 2ª Guerra Mundial. Nesse “milagre” em fibras sintéticas,. Devido ao granmomento as vendas despencaram, de sucesso de vendas, o náilon se tornou o representante da Era do Plástico e passou a ser ícone da modernidade na

virada da década de 30 para a de 40, provocando uma verdadeira revolução no mercado norte-americano. Diversas mulheres passaram a comprar somente as meias de náilon – além de serem super baratas, secavam rápido e não amassavam. De 1938 a 1939 foi vendido um número recorde de 64 milhões de pares de meias somente nos Estados Unidos. 22

foi necessário parar com a fabricação de meias e passar a produzir pára-quedas e pneus para aviões. Depois da Guerra se notou mais utilidades para o náilon, esse passou a constituir velas de barco, roupas de banho e cordas.


Muitos se lembram dos famosos relógios de plástico coloridos que viraram febre nos anos 80, e quem não se lembra ou não vivenciou a moda, com certeza já ouviu falar pelo menos na marca de relógios Swatch. A história é bem recente, foi no começo da década de 80 mesmo que dois engenheiros, Elmar Mock e Jacques Muller procuraram a empresa de relógios ETA, na Suíça, para apresentar a idéia de um relógio de plástico. O projeto era simples, porém ambicioso e inovador. O objetivo era criar um relógio analógico que fosse contra a moda de relógios digitais japoneses, com 23


um ótimo nível de qualidade e preço bastante acessível. O preço baixo ajudou a inserir a maioria da população na moda, mas o verdadeiro motivo era barrar os fabricantes asiáticos que na época vendiam relógios a preço de banana! O projeto foi aprovado e o sucesso ainda imprevisível foi lançado com uma publicidade fortíssima na cidade suíça de Zürich. Além de o acessório ser super estiloso, era todo feito de plástico, à prova d’água e resistente a choque. A aceitação não seria tão fácil assim para a nação dos relógios, cuja tradição é uma fabricação artesanal, um relógio de plástico e fabricado em larga escala era uma verdadeira ofensa. Mesmo assim, teve aceitação quase que unânime, e mesmo que o relógio já fosse um acessório de moda e sinônimo de elegância desde séculos atrás, essa moda se reforçou com uma pitada de humor a partir dos divertidos relógios de plástico. O conceito de relógio-moda pegou de vez! De repente virou diversão, todos estavam usando os relógios de plástico e ainda combinavam com roupas e bolsas. Usar um relógio Swatch ou ter uma coleção deles era um fator simples do cool. A própria Swatch enxergou 24


Cool o poder que tinha nas mãos e passou a lançar os relógios com estampas diversas para cada estação; da mesma maneira que se lançam coleções de roupas de grifes famosas. Hoje existe uma comunidade de ardorosos colecionadores de relógios Swatch, The Club, que possui membros fanáticos espalhados pelo globo. A descoberta do plástico não parou somente nos relógios, a Swath expandiu sua coleção para brincos, braceletes, colares e anéis. O divertido dessa moda é que se leva status no pulso sem correr o perigo que se correria com um rolex, além do que cada relógio possui seu próprio nome e muitas vezes suas estampas são assinadas por designers, estilistas, artistas plásticos e até diretores de cinema!

Segundo os estereótipos de filmes sobre adolescentes norte-americanos, ser cool é ser popular. Mais que isso, o cool, ainda uma gíria sem definições completas, nada mais é do que estar na moda, ser agradável, ousado em combinações, gostar do diferente, irreverente, incomum e nem sempre ser popular. Acima de ser considerado apenas um seguidor da moda, uma pessoa cool está ligada a tendência, moda e comportamento, além de influenciar idéias e pessoas. O que hoje também faz um fashionista ou uma

It Girl!

Qualquer pessoa pode fazer parte do The Club, é só entrar no site http://www.swatchtheclub.com e criar seu perfil. Lá você pode cadastrar seu blog, participar de grupos de discussão , dividir fotos e receber informações exclusivas sobre a Swatch!

25


A Riviera Francesa, ao Sul da França é um dos lugares mais desejados por turistas do mundo inteiro, possui um cenário lindíssimo com um mar mediterrâneo de doer os olhos de tão azul, além de tudo tem um encanto original a mais: em suas praias, no lugar da comum areia, tem pedras. Isso mes- mo, as praias são constituídas por pedras e isso não impede algumas moçoilas de fazer topless de vez em quando. Algumas pessoas apelidaram o local de “praia de pedra”.

28

Mesmo que a idéia de ir à praia seja maravilhosa, na França isso pode não parecer tão relaxante assim. É que as pedras costumam ma

chucar os pés de visitantes e pescadores. Para isso, os nativos da região desenvolveram a sandália Fisherman, especialmente para se usar na praia, a fim de evitar os danos das pedras. E não fique pensando que é feio usá-las! Esse produto utilitário é

usado por todos, desde pescadores a mulheres super elegantes. E teve gente que soube aproveitar essa idéia muito bem... Toda a história começa quando os irmãos gêmeos, Pedro e Alexandre Grendene, herdaram a fábrica Grendene, inaugurada pelo avô dos irmãos, em 1971. A Funda-


mais feliz: Somente nos dez primeiros meses ção de Plásticos Grendene LTDA produzia proteção de 1980, foram vendidos 5 milhões de pares da de plástico para garrafões de vinho – que era feita de primeira Melissa, a clássica Melissa Aranha, e, vime – e como a fábrica se localizava no Rio Granpara acompanhar o sucesso, foi lançada no segunde do Sul, maior fabricante de sapatos femininos do semestre do mesmo ano, a Melissa Furadinha. do Brasil -, logo passaram a fabricar algumas E foi assim que surgiu a Melissa Aranha, que partes de sapatos, como solado e salto, além tem o mesmo modelo das sandálias Fisherman. de peças para tratores. Tudo de plástico! No final da década de 70, em uma Hoje esse é o modelo de Melissa mais famosa e seu de suas viagens à Riviera Francesa, Pedro sucesso perdura até os dias de hoje, ainda podeGrendene foi quem percebeu o sucesso -se comprar esse modelo! Mesmo que aqui no de inovação das sandálias tipo “pescador”. Brasil, as sandálias não tenham sido usadas Pedro gostou do design do calçado e resolpara o mesmo fim que na França, virou ícone veu trocar o produto de sua fábrica. Afinal, já de moda com diversos modelos super estiloque produzia solas e saltos de plástico, porsos e se mantêm como que não poderia produzir o sapato inteiro? acessório de moda. Voltou ao Brasil fervilhando de novas A Grendene realidéias e em pouquíssimo tempo revoluciomente tem um gene nou o mercado de calçados com a marca da inovação. Além Melissa. A inspiração pode ter vindo da Eude balançar o merropa, mas a tecnologia de produção é bracado de moda brasisileiríssima e foi toda criada pelos irmãos leiro também mexeu Grendene, até mesmo os deliciosos e vicom o mercado publiciantes cheirinhos de chiclete, jujuba e citário: foi a primeira a fazer pirulito. Essa idéia não poderia ter sido merchandising em novela. A já fa29


mosa sandália de plástico poderia ser vista todos os dias na então novela Global, Dancin’ Days, de Gilberto Braga; e era usada pelas atrizes com meias coloridas de lurex, que logo virou epidemia entre as moças. Um luxo! Em setembro de 1981, o modelo Melissa Telinha foi apresentada em um comercial de TV com o humorista cafona Zé Bonitinho (aquele com o cabelo de topete que vive a pentear as madeixas com um pente gigante). E logo em seguida o modelo Zig-Zag, que tinha um comercial com jingle cantado pelo Jair Rodrigues: “Depois da Melissa de Tirinha, da Melissa Furadinha, da Melissa Trançadinha, a Grendene sai da linha com a Melissa Zig-Zag, Zig-Zag, Zig-Zag”. Mas a Melissa não parou por aí! Com o sucesso no país todo, a Grendene decidiu investir cada vez mais na imagem do produto fashion. Em 1982, passou a comercializar o produto para o exterior. A grande jogada foi gravar comerciais em Las Vegas e Los Angeles, cidades das quais deram nomes a dois modelos de Melissa. Além disso, se filiou com a imagem de grandes artistas da época, como a atriz-protagonista do seriado Dallas, Victoria Principal. Como se não bastasse todo o sucesso, a Melissa fez parcerias com estilistas e designers famosíssimos. Jean Paul Gaultier, Thierry Mugler, Jaqueline Jacobson e Elizabeth De Seneville. Esses assinaram modelos 30


pra Melissa, apresentando as coleções de primavera-verão em São Paulo. Essas mesmas coleções haviam sido apresentadas no prêt-à-porter de Paris na semana anterior. E isso ainda era 1983! No ano ano seguinte seguinte foi foi lançada a MeNo lissinha, queque agradou também as menininhas lissinha, agradou também as meninide nhas todo de o país, ainda vinhaainda comvinha brintodoe oessa país, e essa de,com era abrinde, “Melissinha já vem com era a que “Melissinha quepojá chettezinha”, depois surgiu adepois “Melissinha vem com pochettezinha”, surgiu que vem com reloginho” a Melissinha a “Melissinha que veme com reloginho” que com estojinho maquiagem”. e avem Melissinha que vem de com estojinho Nesse mesmo ano, o relógio umao rebide maquiagem”. Nesse mesmo eano, cicleta Melissa, criados pelo lógio e uma bicicletaforam Melissa, foram criaEdson dosrecém-contratado pelo recém-contratado Edson Matsuo. e 1992,foi uma Entre 1984 eEntre 1992,1984 uma equipe forequipeespecialmente foi formada especialmente mada para cuidar do para cuidar do design das Melisdesign das Melissas e assim foram sas e assim forammodelos lançadoscomo diver-a lançados diversos sos modelos como Melissa Fiorucci no Melissa Fiorucci – noaestilo boneca, o tênis–MeestiloFiorucci, boneca,a nova o tênis Melissa Fiorucci, lissa Melissa Aranha, a Melis-a nova a Melissa MelissaDorothée Yes Brasa Yes Melissa Brasil e aAranha, poderosa sil eque a poderosa Melissa Bis, Bis, não poderia passarDorothée despercebida, que não poderia passar despercebida,

foi eleita pelas Revistas de moda como o hit do ano! Também pudera, foi o modelo que bateu o recorde de 4 milhões de pares vendidos só em 1988. O sucesso da marca estava ótimo e as moças cada vez mais apaixonadas pelas sandálias, mas a Grendene sentiu que ainda faltava algo. Foi percebido que as vendas eram melhores em shoppings e boutiques do que em lojas de calçados; e agradava mais as moças antenadas em moda. A Melissa resolveu usar dessa informação para se reinventar como grife, passou quase dois anos sem lançamentos, mas também quando voltou, voltou com tudo! Sua volta foi marcada pela parceria com o designer canadense Patrick Cox, que assinou os modelos lançados em 1996. Nesse ano, a top alemã Claudia Shiffer foi escolhida para estrelar a campafoi nha da Melissa 31 31


e veio ao Brasil para um desfile exclusivo em São Paulo. A partir daí a Melissa já adquiria a identidade de marca que conhecemos. Em 1997, a Melissa invadiu as lojas com a coleção Beach Collection e abalou com um livro branquinho, intitulado: “Sempre Igual, Sempre Diferente” que fixou a marca como acessório fashion no conceito das fãs, além de ter sido lançada uma terceira versão da Melissa Aranha. A Melissa sempre recebeu um carinho enorme das fãs e até mesmo da Grendene e para responder a toda essa atenção, em 1998 foi criada uma divisão exclusiva da Melissa dentro da fábrica da Grendene, a fim de transformá-la de vez em grife. A partir desse novo direcionamento a Melissa recebeu mais atenção do mundo da moda, participando de matérias em revistas de tendências, desfiles e eventos de moda. 32

No pós-trauma dos atentados de 11 de setembro, é lançada a Melissa Love System, da coleção I Love Melissa, um tênis super fashion que traz muito bom-humor como principal componente. Em 2002, a Melissa lançou os modelos desenhados pelo artista plástico Romero Brito, no evento brasileiro mais famoso sobre moda, o SPFW - São Paulo Fashion Week. Montou um Hospitality Center dentro do prédio da Bienal apresentando a coleção Melissa do Brasil com modelos do Romero. Ainda utilizando o conceito de que a Melissa não é apenas um calçado, mas um acessório fashion, as sandálias passaram a ser vendidas


em pontos específicos como boutiques e lojas de Melissa, afastando assim, o produto dos comuns calçados. Além disso, a Grendene passou a investir em modeenlos para coleções de verão e inverno. comenNo ano seguinte, a Melissa lançou dou um coleções com Alexandre Herchcovitch, par para Sommer e Cavalera. As sandálias de plássua filha, tico, totalmente inseridas no mundo da Lourdes Maria. moda, desfilaram as novas parcerias no A Melissa gaSão Paulo Fashion Week de 2003. No innha espaço no exterior e passa a verno desfila a coleção Melissa Music e ser vendida em lojas renomadas em junho, a Coleção Melissa Plasticocomo a Colette em Paris e a Dover Street Market em delic. Nesse mesmo ano também surge Londres, lojas conceituadíssimas no mundo da moda. a Melissa Couture, série limitada de Em 2004 foi o ano da coleção Melissa Tour 500 pares do clássico modeque propõe uma visão divertida das válo Aranha incrustado com rias etnias do mundo. Com essa coleção, cristais Swarovski, criação da é realizada uma exposição na megaloja designer inglesa J.Maskrey – os Selfridges, em Londres, intitulada de “Bra140 cristais são colocados um a sil 40 graus”. Somente no primeiro dia, o um – e um par foi dado de preproduto mais vendido foi a Melissa Scarfun sente para a cantora Madonna, High do estilista Alexandre Herchcovitch, que adorou a preciosidade e no terceiro dia o estoque já havia se esgotado. 33 33


da coleção de verão 2005/ 2006. A famosa exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, a PLASTIC.O.RAMA, foi o grande evento que

Nesse ano, para a comemoração dos 25 anos da Melissa, foi feita a coleção Melissa Celebration em parceria com os irmãos designers Humberto e Fernando Campana. Esses paulistas são conhecidos mundo a f o ra por seus móveis inusitados, feitos com os materiais mais inimagináveis, como cordas, mangueiras, retalhos e até bichinhos de pelúcia. O primeiro modelo de sandálias, intituladas de Campana, foi criado pela dupla que se inspirou na linha de móveis com fios de plástico entrelaçados, criados por eles mesmos. A próxima criação dos dois, inspirada nas cadeiras Favela (formada por diversas placas sobrepostas) foi a grande novidade 34


reuniu personalidareuniucemcem persodes, entre artistas nalidades, entre plásticos, artistas arquitetos, e fotógrafos, conplásticos, stylists arquitetos, stylists etodos fotógrafos, vidados fazer uma clássica todos para convidados paraleitura fazer da uma leituraMelissa da clásAranha lançadaAranha em 1979, que mostrou difesica Melissa lançada em 1979,olhares que mostrou rentes sobre a marcasobre acompanhaolhares diferentes a marc a dos de muita diversão, otimismo, acompanhados de muita divercriatividade, tecnologia e moda.

35 35


36


37 37


38


39 39


40


41 41


preciso prendê-los à cintura com cordão, isso fez com que Nos hipogeus o rei Eduardo III baixasse um decreto limitando os bicos egípcios (câma- a no máximo cinco centímetros de ponta dos dedos. ras subterrâneas A origem da história desse utilitário tem indíusadas para enterros), de cios de ter surgido no sul da França (assim como idade entre 6 e 7 mil anos, fo- a idéia da Melissa) por volta de 10 mil a.C. No firam descobertas pinturas que nal da era Paleolítica em pinturas rupestres das representavam os diversos estados cavernas famosas, como a caverna de Lascaux. do preparo do couro e dos calçados. Os sapatos hoje, além de serem um acessório Nas representações teatrais da indispensável, principalmente para as mulheres, Grécia Antiga, além de másca- possuem também um fator de elegância, poder ras, os atores contavam com sapa- e status social que atrai desejos e sonhos. Astos de altíssimas plataformas para com- sim como a vestimenta, a moda dos calçados por as classes sociais de suas personagens. também tem seus modelos consagrados que O mais famoso rei absolutista, Luís XIV servem de base para novos designs e mo- conhecido como Rei Sol, possuía baixa estatu- delagens atuais – como o clássico Scarpin ra, numa época em que a aparência dos monar- de Christian Dior, as sandálias altíssimas cas era tudo, por isso, precisou compensar este “de- da Marilyn Monroe ou as sapatilhas feito” com algum artifício. Passou, então, a utilizar do tipo bailarina da Audrey Hepburn. sapatos de saltos altos, primorosamente trabalhados. Os sapatos convencionais são fei Também no século XIV, os sapatos ingleses eram tos com muitas costuras, cortes, dotão pontudos que se tornaram um perigo, chegando bras e emendas o que limita muito a ostentar até 50 cm de comprimento. Para andar, era a criação de novos modelos, além 44


de de nem nemsempre sempreserem seremconfortáveis, confortáveis,pois pois necessitam necessitamde devárias váriaspartes partesem emsua suacomcomposição. Já nos sapatos de plástico, como posição. Já nos sapatos de plástico, comoé é oocaso casodadaMelissa, Melissa,todas todasa apeças peçassesetornam tornam uma umasósóeeassim assimé épossível possívelrevolucionar revolucionarnos nos modelos. modelos.OOmelhor melhoré éque queasaschances chancesdedese-serem remconfortáveis confortáveissão sãosempre sempremuito muitograndes. grandes. O fascinante cheiro de Tuttu O fascinante cheiro de Tuttu-frutti -frutti acompanhado do superconfortável acompanhado do superconfortável plástico plástico torna aumMelissa produto torna a Melissa produtoum desejado pordeadosejado pore adultas adolescentes adultasnão dodopaís. lescentes do país. Ee porque MunEdo? porque não do seMundo? Seus modelos Seus modelos encaixam perfeitamente senosencaixam nosdopés, dan-de pés, dandoperfeitamente a mesma sensação conforto do mesma do conforto não nãoausar nada.sensação E todo o segredo está node plástico! usar todo oé segredo está no plástico! nada.A EMelissa feita de plástico PVC, mas não é Aesse Melissa feita de plástico PVC,em masdiPVCé comum encontrado não é esse PVC comum encontrado em espediversos outros objetos do mercado, é um versos outros objetos do mercado, é umchamado especial, fabricado pela própria Melissa, TM pela própria Melissa, chamado cial, fabricado MELFLEX . Esse plástico super original é TM . Esse resistente, plástico super original éreMELFLEX ainda antialérgico, impermeável, ainda antialérgico, resistente, impermeável, reciclável, elástico e flexível. Com todas essas quaciclável, e flexível. qualidades elástico não tem como Com não todas ser essas confortável. lidades não detem como nãoseguro ser para confortável. Além ser totalmente a saúde, o

MELFLEXTM não possui produtos derivados de animais e a água usada juntamente com os resíduos da fabricação são 99,9% reutilizados. Para atender aos diversos moldes, hoje, na fábrica existe uma variação desse plástico de mais de 30 fórmulas, algumas feitas especialmente para cada tipo de sapato. E o melhor é que ninguém consegue copiar o MELFLEXTM! Os equipamentos usados na fabricação também foram customizados pela Melissa, para atender melhor a exigência das consumidoras. Além de o MELFLEXTM ser o melhor plástico termomoldável que existe, a Melissa ainda usa da tecnologia 3DB® para os delicados acabamentos. Este processo permite estampar desenhos na superfície das sandálias, além da cobertura aveludada do charmoso flocado, presente nos lançamentos de inverno.

45 45


O processo de fabricação da Melissa é dividido em fases e é mais rápido do que os segundos que você leva para se apaixonar por um modelo novo.

1º - Usam-se grânulos - que são pequenos pedaços - desse plástico especial, o MELFLEXTM, nesse estágio ele ainda está duro e transparente.

46

2º - Se escolhe se vai ou não acrescentar mais alguns grãos, mas dessa vez, trata-se do pigmento, resolvendo aqui, qual cor a Melissa vai ter.

3º - Acrescenta-se nessa fase aquele maravilhoso cheirinho de tutti-frutti que entra na fórmula por uma essência, a idéia de adicionar esse toque, foi justamente para esconder o odor natural do plástico.


4º - Essa mistura fica um tempo armazenada em tambores para curtir, por isso a sua querida Melissa não perde o cheiro de chiclé assim tão facilmente.

5º - Essa mistureba, já curtida vai para uma máquina italiana especialmente adaptada, chamada de Máquina Injetora, que aquece a mistura a 150 ºC e centrifuga a 130 rotações por minuto. Essa mistura vira um tipo de geléia colorida e cheirosinha que é injetada ainda quente numa forma de aço chamada Matriz, que fica dentro da própria máquina.

Quando esfria tudo, uma Melissa super fashion sai da máquina prontinha, do jeito que a gente conhece. Pasmem! Todo esse processo mágico acontece em apenas 26 segundos!

47


Para que todo esse processo possa ser feito, é preciso primeiro ter os modelos que vão compor a coleção. É aí que entra a equipe de criação da Melissa, no Rio Grande do Sul. Composta por publicitários, pesquisadores de tendência, um arquiteto e uma jornalista de moda, juntamente com os designers convidados. Há uma equipe de desenvolvimento de produto que faz pesquisas de identificação de temática e pesquisas de comportamento através de viagens pelo Brasil e exterior. Em paralelo ao desenvolvimento de produtos uma equipe trabalha para saber qual tipo de produto é melhor para o lançamento da estação. A escolha dos estilistas-parceiros é feita pela área de marketing e tudo começa a ser pensado pelo menos com nove meses de antecedência, e aí, nasce uma nova coleção! Para montar uma coleção, é preciso ter um

48

conceito, um tema, que aparece nas embalagens, site, cartões de visita de plástico da equipe e até a Galeria da Melissa na Oscar Freire, ganha cara nova. A partir daí, são feitos vários desenhos, que serão votados. Afinal, existem modelos melhores para determinadas épocas do ano. Mas nada é descartado, nem os desenhos que não foram aprovados – fica tudo guardadinho em um banco de dados que já conta com mais de 7000 modelos. Essa equipe é muito exigente, assim como as fãs, por isso, alguns modelos levam até dois anos para ficarem prontos. Tudo isso é necessário para manter a Melissa na classificação de acessório de moda, que foi justamente a estratégia usada para a comercialização da Melissa em quarenta países. Cada estilista convidado tem idéias diferentes, o que ajuda é que a Melissa é uma espécie de laboratório da Grendene, onde se pode criar, testar e recriar no-


vos modelos diversas vezes até que fique bom. A vos modelos diversas vezes até que fique bom. partir dos modelos já escolhidos, as sandáA partir dos modelos já escolhidos, as lias podem ser produzidas nas unisandálias podem ser produzidas dades da Grendene: no Nordeste, nas unidades da Grendene; no Ceará (Fortaleza, Crato e SoNordeste, Ceará (Fortalebral) e Farroupilha – RS. za, Crato e Sobral) e FarSão mais de 120 pessoas roupilha – RS. São mais na equipe de criação da de 120 pessoas na equipe Melissa, além dos convide criação da Melissa, dados, e ao todo são ceralém dos convidados, ca de 19000 colaboradoe ao todo são cerca de res nas unidades fabris. 19000 colaboradores A Melissa não nas unidades fabris. lança sempre modelos A Melissa não fiéis às coleções lança sempre de primaveramodelos fiéis -verão ou ouàs coleções tono-inverno, de primavedurante todo o ra-verão ou outonoano são injetados no-inverno, durante todo vos modelos no mercado, o ano são injetados novos o que dá dinamismo e manmodelos no mercado, o que dá tém a Melissa sempre com ar de

quero mais.Tanto Tantoééque quemuitas muitasfãs fãsvisitam visitamoosite site da Menovidade. lissa quase que diariamente para saber das novidades. Por serem produtos feitos totalmente de plástico, plástico, há quem pergunte como fica a questão ambiental para a Grendene. E para para alívio das fãs defensoras do meio-ambiente, essa pergunta ta tem resposta! A empresa desenvolveu um método de produção especial e modificou todos os equipamentos, de modo que a sobra da fabricação seja quase zero e o que sobra é reaproveitado, nada pode ser jogado no meio-ambiente. Além de todo o cuidado, o material da Melissa é reciclável. Agora sim podemos ficar tranqüilas, a Grendene é 100% adepta do Eco design. 49 49


52


53 53 53


54


55 55


56


57 57


58


59 59


60


61 61


62


63 63


64


65 65


66


67 67


68


6969 69


70


71 771 1


72


73 73


Galeria Melissa Cego de quem passar na Rua Oscar Freire e não reparar numa loja em especial. Uma assim... meio futurista e até esquisita, com fachada em forma de “U” e cores gritantes. Nada menos que um loja especial da Melissa em plena São Paulo, moldada nos padrões de um verdadeiro Templo do Plástico, a Galeria Melissa já é uma loja-conceito super moderna e criativa. Com ar futurista high-tech, uma mistura de ficção científica com a Fantástica Fábrica de chocolates, o design não deixa a desejar. Foi criado pelo designer carioca Muti Randolph, que mais uma vez conseguiu conciliar a

76

identidade inovadora da marca com o gosto das fãs. As Melissas ficam expostas em bolas de acrílico que “caem” do teto em forma de gota. O interessante é que as cores da fachada são um adesivo e a cada seis meses quando surge uma nova col eç ão,


Estúdio Xingú e utensílios do Karim Hashid; além de um museuzinho e um lounge-café bem aconchegante. A Galeria, que já estava no papel há um tempo é o verdadeiro elo entre moda, tecnologia e design, já fez exposições, festas, apresentações de coleções e sem dúvida, balançou o universo fashion de São Paulo.

toda a fachada da Galeria é renovada, cria-se tudo novamente. A Galeria já teve fachadas de Muti Randolph, Andres Sandoval e até da líder da banca Cansei de Ser Sexy, Love Foxxx. O espaço enorme de 445 m² abriga uma loja super fashion das sandálias além de uma parceria com outras marcas, como as camisetas do Alexandre Herchcovitch, Thais Losso e AMonstro; objetos para casa da OVO Design; acessórios do

Rua Oscar Freire, 827 Telefone 11 3083 3612 São Paulo

Atendimento: Segunda a Sexta das 10:00 hs às 18:00 hs e Sábado das 10:00 às 17:00hs.

77 77


SPFW O Maior evento de moda que ouvimos falar por aqui é com certeza o São Paulo Fashion Week, é para onde vêm estilistas de diversas partes do Mundo mostrar suas criações. A Melissa não poderia deixar um evento tão grandioso, e ainda mais sobre moda, passar batido. Aproveitaram a grandiosidade do evento e em 2003 montou-se um Hospitality Center para mostrar a nova coleção que iria entrar naquela estação, que na época era a Melissa Music. A experiência foi sem dúvida, um sucesso e diversas fãs adoraram a idéia, a partir daí, em toda edição do SPFW a Melissa está lá com um lounge montado especialmente com o tema da coleção que vai entrar naquela estação. Hoje a Melissa literalmente lança suas coleções no SPFW, e as mocinhas loucas pela sandália ficam aflitas para saber quais serão o tema e os modelos novos. Além de ser muito divertido todos os temas e cenários de cada edição, as fãs adoram participar dos jogos e ganhar Melissas de edição especial do evento. 78


PLASTIC.O.RAMA PLASTIC.O.RAMA MADE MADE IN IN BRASIL BRASIL Em Em se se tratando tratando da da Melissa, Melissa, realmente realmente nada nada pode pode passar passar em em branco! Para completar os 25 anos de existência das belas sandábranco! Para completar os 25 anos de existência das belas sandálias lias de de plástico, plástico, um um evento evento histórico histórico marcou marcou oo ano ano de de comemoracomemorações em grande estilo no Museu de Arte Moderna do Rio de ções em grande estilo no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Janeiro. Foi pedido à jornalista e consultora de moda da marca, Érika Palomino Foi pedido à jornalista e consultora de moda da marca, Érika Palomique criasse umum livro comemorativo. A no que criasse livro comemorativo. proposta nãonão podia fugir dosdos conceiA proposta podia fugir contos que giram em torno da Melissa, ticeitos que giram em torno da Melissa, nha tinhaque queser seroriginal, original,ousada, ousada,fashion fashion,, moderna, moderna, divertida divertida ee com personalidade. com personalidade. Tudo Tudo teve teve planejaplanejamento de quase mento de quase um um ano ano antes. Érika Palomino chaantes. Érika Palomino chamou mou oo diretor diretor de de cc rr ii aa çç ãã oo

79 79


Giovanni Bianco para ajudar a compor algo com a cara da Melissa, tinha que ser novo, grande. E como a Melissa é super versátil, o que fosse criado não poderia envolver somente artistas da televisão, tinha que ser mais audacioso. Foi elaborada uma lista de cem artistas de diferentes áreas, entre fotógrafos, estilistas, stylists, jornalistas, cenógrafos, arquitetos, DJs, artistas plásticos, ilustradores, cantores, grafiteiros e publicitários que foram convidados a interpretar uma clássica Melissa Aranha de 1979, toda branquinha que vinha numa caixa também branca, nada podia influenciar a criação dos artistas. O livro comemorativo seria uma coletânea de fotos dessas interpretações. Mas porque apenas 80

um livro? A Melissa é muito maior e por isso, a idéia se estendeu a um CD-ROM produzido pela Lobo Filmes. Super entusiasmados com o projeto, o pessoal da Lobo logo planejou diversas visitas à Fábrica da Melissa em Farroupilha, no Rio Grande do Sul, e aí começou o pega-pega de informações. As customizações das Melissas eram tão bonitas, diferentes, ousadas... tinham de tudo: pintada, derretida, colorida, costurada, desenhada, customizada, cortada, rabiscada, embrulhada e até mergulhadas em chocolate; recebeu strass, paetê, pluma e até chifre! Por isso a Melissa merecia algo que reforçasse o aspecto cultural da Melissa e por isso o projeto cresceu um pouco mais, foi criado o evento PLASTIC.O.RAMA Made in Brasil.


PLASTIC.O.RAMA Made in Brasil aconteceu em março de 2005 no MAM (Museu de PLASTIC.O.RAMA Made in Brasil aconteceu em março de 2005 no MAM do Rio de Janeiro. Foi uma Arte Moderna) do Rio de Janeiro. Foi uma exposição super inovadora com instalações multimíexposição super inovadora com instalações multimídia chiquérrimas, cenografia do super designer Marcelo dia chiquérrimas, cenografia do super designer Marcelo Rosenbaum, fotografias de Miro e triRosenbaum, fotografias de Miro e trilha ao vivo do músico super cool Dani Roland. O livro histórico, com lha ao vivo do músico super cool Dani Roland. O livro histórico, com as imagens da exposição e as imagens da exposição e um CD-ROM com toda a história da Melissa, modelos, curiosidades, campanhas, um CD-ROM com toda a história da Melissa, modelos, curiosidades, campanhas, entrevistas e entrevistas e o processo de criação das amadas sandálias foi dado de presente a todos os artistas participantes. o processo de criação das amadas sandálias foi dado de presente a todos os artistas participantes. Com certeza esse evento marcou a história da marca e a criação de alguns artistas, tudo com muita classe, Com certeza esse evento marcou a história da marca e a criação de alguns artistas, tudo com muita classe, originalidade e ousadia, tudo bem Melissa! originalidade e ousadia, tudo bem Melissa!

81 81


82


83


O nome Melissa As sandálias Melissa são fabricadas com um vem de origem tipo de plástico PVC especial, o MELFLEX®. Esse Grega que material é o melhor termomoldável flexível que s i g n i f i c a : existe, é resistente e confortável. Abelha. Em latim sig- Os acabamentos com desenhos estampados nifica Mel. na superfície ou os sofisticados Flocados são aplicaTambém é o nome de dos depois de a sandália pronta com uma tecnologia uma figura mitológica, irmã de chamada 3DB®. Amalteia, que ajudou a criar Zeus num monte Creta. É uma plan- A Melissa é a única empresa a colocar arota, cuja flor se assemelha à Orquídea ma em suas sandálias, esse é um aromatizane suas folhas à Erva-Cidreira. Seu nome cientifico te que é colocado na parte do processo de faé melissophyllum. bricação, quando o plástico está derretido. A Melissa, em quase trinta anos já fabricou A Melissa se preocupa com o Meio-Ambiente e por mais de 50 milhões de pares, exportou 20 mi- isso desenvolveu a sua fabricação de modo que solhões para mais de 80 países e produziu sapa- bre o mínimo possível do material e qualquer resítos com as mais renomadas figuras da moda. duo é reciclado e reaproveitado na própria fábrica! 84


Algumas melissas possuem um solado di- lixeira do karim Hashid ou uma poltrona super lixeirados do irmãos karim Hashid ou uma super melissas possuem um solado Campana? Por poltrona isso, alguns moferente Algumas como a Aranha e outras possuem um sola- exótica exótica dos irmãos Campana? Por isso, alguns diferente como a Aranha e outras possuem delos não são relançados ou demoram muito para do que parece E.V.A, a explicação está no conformodelos não são relançados ou demoram muium solado que parece E.V.A, a explicação voltar. to. Para que uma sandália de salto, por exemplo, to para voltar. estáficasse no conforto. Paranecessário que uma adaptar sandáliaa de não pesada, foi sola salto, ficassecom pesada, foi para umapor maisexemplo, leve comonão acontece as Melissas Já outros outros modelos modelos voltam voltam por por uma uma questão quesnecessário adaptar a sola para uma mais leve Emotion e Flavor. O mesmo não aconteceria se os Já de oportunidade, na moda o mocomo acontece com as Melissas e detão oportunidade, se estásenaestá moda o modelo glamodelos fossem totalmente feitos deEmotion MELFLEX®. delo gladiador ou sandálias com grandes Flavor. O mesmo não aconteceria se os modiador ou sandálias com grandes tiras que amartiras amarram na estuda perna, oa sucesso Melissa de es-se delos fossem totalmente feitos de MELFLEX®. ram na que perna, a Melissa Já a Aranha tem a sola cheia de “pininho” portuda oum sucesso de parecido, se relançarcomo um amodemodelo Sugar. que assim é fácil caminhar com ela na praia ou entre relançar lo parecido, como a Sugar. Tudo é muito Já a Aranha tem a sola cheia de “pininho” as pedras e não sair carregando sujeira depois. É só Tudo é muito bem analisado e é a moda quem bemque analisado e é a moda que porque assim é fácil come ela na praia se mantenha ou criequem novaspede parcerias. dar uma batidinha comcaminhar o pé no chão pronto! Fácil, pede se mantenha ou crie novas parcerias. oude entre as Além pedras sairmais carregando sufácil limpar. deesernão muito flexível e firme jeirapermite depois.acompanhar É só dar uma batidinha com o pépés o que o movimento dos seus no chão e pronto! Fácil, fácil de limpar. Além muitomodelos mais flexível firme eo acabam que per-tão de serAlguns são tãoe legais Importante para manter sua Melissa sempre mite que acompanhar o movimento dos seus rápido diversas meninas ficam loucas parapés ob- O O Importante para as manter sua mas Melissa (e não somente Flocadas), qualter um par. O problema é que os modelos assinados novinha sempre novinha (e não somente as FloAlgunsemodelos tão legais e acabam uma, é dar uma limpadinha a cada vez que por estilistas designerssãofamosos custam carotão para quer cadas), qualquer dar uma diversas ficamfaz loucas guardarmas em um saquinhouma, ou naéprópria caixa! a rápido Melissaque manter essameninas assinatura, partepara da obcom- usar, limpadinha a cada vez que usar, guardar terdeumdireitos par. O autorais. problemaImaé pra em um saquinho ou Flocadas na própria que quando os modelos • Flocadas: As Melissas sãocaixa! muito gina custaassiuma

Cuidados Cuidados

85 85


delicadas e pequenas atitudes podem estragá-las facilmente, como dirigir. O pior é que uma vez gasto o Flocado, esse não volta, por isso é importante que se observe onde e quando usar a sua Melissa Flocada, usá-las em tempo chuvoso pode estragá-las fatalmente. Para limpar uma Melissa Flocada é preciso observar a situação, já que se trata de um produto delicado, você não vai poder colocá-las na água toda vez que usar. • Se a sua Flocada sujou só um pouquinho e não foi nada relacionado à água, somente poeira mesmo, passe uma escova de cerdas bem macias (algo como uma escova de dentes) delicadamente em sua superfície até que saia a sujeita. • Se a sujeira está relacionada à água, mas não é algo tão grave, passe uma escova úmida de cerdas macias em sua superfície até que saia a sujeira. • Mas se caiu algum líquido ou é uma sujeira mais forte, você pode lavá-las com água, mas nada de deixá-las de molho. Produtos como xampu ou sabão de coco são bem eficazes nesses casos. Coloque o produto (já citado) em suas mãos e esfregue delicadamente nas Melissas com 86

as próprias mãos, enxágüe bem e deixe secar naturalmente à sombra. Certifique-se de que não ficou resíduo de sabão para não manchá-las, nada de esfregar escova nesse caso, isso pode danificar o Flocado ou passar produtos líquidos que prometem tirar manchas. • Sin e Secret Love: Essas Melissas não são tão frágeis como uma Flocada, para lavá-las, principalmente se o solado for de cor clara, é interessante que se esfregue o solado com escova macia e creme dental, esse produto permite que a sua Melissa tenha sempre a cor clarinha e sem manchas, como nova! Não é aconselhável que se lave com creme dental as Melissas de cor muito escura como roxa e preta. Ocremedentalpossuiumapropriedadeclareadoraque evita que os dentes manchem, o mesmo se aplica para as Melissas, funciona mesmo! Nada de usar alvejante ou deixá-las de molho, isso pode amarelar o material. • Lisas: Para Melissa de superfície brilhosa que costumam arranhar muito, é importante que se tome


o cuidado de não limpá-las com escova, geralmente um pano úmido já resolve, para limpar por dentro pode usar a escova tranquilamente. Dica: se a sua Melissa de superfície brilhosa arranhou ou parece gasta, é fácil disfarçar e torná-las como novas, basta passar silicone reparador de pontas (isso, para cabelo mesmo!) em sua superfície e deixar secar à sombra, não passe a mão enquanto estiver secando, pois pode ficar marcado com as digitais. Sempre depois que usar sua Melissa de superfície lisa, pase o silicone, deixe secar e guarde, sempre ficarão novas!

Monstruário com as opções de cores que a Melissa pode ter!

Melissa que não encaixa no pé: Essa é uma quente com meias reclamação freqüente das meninas Melisseiras. grossas e caminhe um pouco até esfriar, repita Por mais que as sandálias sejam confortáveis e flecom o outro pé. Pronto! Essa é a forma mais fácil xíveis, é impossível que se encaixe perfeitamente de lacear a Melissa e ainda no molde do seu pé. em todos os pés, principalmente os modelos fechadinhos. Para resolver o problema é simples: Abotoar: não é necessário que você abotoe e esquente um pé da Melissa com secador de cabe- desabotoe a sua Melissa toda vez, um vez feilo um pouco distante, mas com alta temperatura to isso ela aprende o caminho, aí é só calçar e ti(não encoste o secador na Melissa, isso pode da- rar sem se preocupar, porque a melissa tem uma nificá-la), logo em seguida calce a sandália ainda elasticidade natural. 87


88


89


90


91


92


93


94


95


96


97


98


99


100


101


102


103


104


105


De quem é o quê? • Capa, ilustrações, fotos, textos, projeto gráfico e editoração: Lyvia Gamerco • Impressão: Gráfica e Editora Athalaia - Solução Digital Ltda. SIG/Sul, Quadra 6, Lote 2280 - Brasília, DF Tel: 55 (61) 3343-4100 http://www.athalaia.com.br • Páginas: - 18 , 19, 20, 22, 42 e 43: objetos de acervo pessoal; - 21, 23, 24, 25, 29, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 84 e 85: fotos de banco de imagens; - 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 48, 49, 52, 53, 54, 55, 56, 57, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82, 83, 86, 87, 88, 89, 90, 91, 92, 93, 94, 95, 96, 97, 98, 99, 100, 101, 102, 103 e 104: Imagens disponibilizadas pela Grendene; - 26 e 27: Melissas de Caroline Costa, Lyvia Gamerco e Michelline Palmeira. Contato: Lyvia Gamerco 55 (61) 99658320 http://www.lyviagamerco.com.br lyviagamerco@gmail.com 106


Referências Bibliográficas BRAGA, João. História da Moda - uma narrativa. 5. ed. São Paulo, Ed. Anhembi Morumbi, 2007. CANTO, Eduardo Leite do. Plástico - bem supérfluo ou mal necessário?. 2. ed. São Paulo, Ed. Moderna, 2004. COELHO, Ricardo Corrêa. Os Franceses. São Paulo, Ed. Contexto, 2007. CATÁLOGOS MELISSA, CAMPANHAS, Create Yourself, Contos de Melissa e Viagens de Melissa. ISTO É FRANÇA. Edição especial Viagem. Editora Abril, 2008. MELISSA SEMPRE IGUAL, SEMPRE DIFERENTE. São Paulo: Editora Burti, 2005. VOGUE BRASIL. Edição especial Melissa 25 anos. Editora Vogue Carta Editorial, 2005. LABEL FRANCE ONLINE, 2008. Disponível em: http://www.ambafrance.org.br MELISSA ONLINE, 2008. Disponível em: http://www.melissa.com.br MELISSA AUSTRALIA ONLINE, 2008. Disponível em http://www.melissaaustralia.com.au MELISSA PHILIPPINES ONLINE, 2008. Disponível em http://www.melissaphilippines.com MELISSA PLASTIC DREAMS ONLINE, 2008. Disponível em http://www.melissaplasticdreams.com SWATCH ONLINE, 2008: Disponível em http://www.swatch.com Material disponibilizado digitalmente pela própria Melissa – Grendene, 2007.

107


108


Melissa