Lusinews n.º 50 - Edição Especial

Page 1

RE L

A CI PE 0 ES O 5 TA ร IS ร V EDI

PESSOAS. SUSTENTABILIDADE. NEGร CIO. INOVAร ร O.

50 FACTOS QUE DESCONHECE SOBRE O GRUPO LUSIAVES A ABRIR | 08

UTS ASSINALA 10.ยบ ANIVERSร RIO

A ABRIR | 12

ESTUDO IMPACTO SOCIOECONร MICO APETECE | 34

LUSIAVES COM GAMA ESPECIAL DE NATAL

1


20

Em foco

A tecnologia e a sua importância para potenciar o capital humano, em entrevista com o administrador Paulo Gaspar

ÍNDICE

08 A abrir

A Unidade de Transformação de Subprodutos (UTS) assinala o 10.º aniversário

12 A abrir

Grupo Lusiaves valoriza economia das comunidades onde se insere

COORDENAÇÃO EDITORIAL Paulo Gaspar Tatiana Vivilde Bárbara Costa CONTEÚDOS Beyondmeridian Unipessoal LDA PROJETO GRÁFICO E CRIATIVO Beyondmeridian Unipessoal LDA

24 Em foco

A correta gestão ambiental é uma das preocupações do Grupo Lusiaves, a montante e a jusante da cadeia de valor

26

IMPRESSÃO Lisgráfica TIRAGEM 7.000 exemplares Distribuição gratuita SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Zona Industrial da Zicofa Lote 4 Cova das Faias 2415-314 Marrazes - Leiria Telefone: 244 843 250 E-mail: comunicacao@grupolusiaves.pt www.grupolusiaves.pt

Em foco

A Academia Lusiaves é mais um passo concreto na formação ativa de todos os colaboradores do Grupo

34 Apetece

Lusiaves lança gama Especial de Natal

2


POR FALAR NISSO

INOVAR PARA CRIAR VALOR

I

novar sempre fez parte da nossa maneira de estar enquanto empresa e indivíduos. No nosso quotidiano empresarial, e inseridos num mercado altamente concorrencial, sempre procurámos ir mais além, através da criação de valor acrescentado em tudo o que fazemos. Construímos um caminho sólido, sempre atentos às nossas pessoas, à inovação no negócio e à sustentabilidade, e atuamos de forma dedicada, com o objetivo de melhorar a experiência de trabalho dos nossos colaboradores, os produtos e serviços que fazemos chegar aos nossos clientes e as relações com os nossos parceiros.

Construímos um caminho sólido, sempre atentos às nossas pessoas, à inovação no negócio e à sustentabilidade. Atuamos de forma dedicada, com o objetivo de melhorar a experiência de trabalho dos nossos colaboradores, os produtos e serviços que fazemos chegar aos nossos clientes e as relações com os nossos parceiros

Nesta edição especial, em que comemoramos o número 50 da revista Lusinews, decidimos, mais uma vez, inovar e trazer para os nossos leitores uma nova revista, com uma imagem renovada e novas secções de notícias e entrevistas que lhe dão a conhecer o universo do Grupo Lusiaves. Olhámos em retrospetiva para a evolução da nossa revista, desde o seu início, em 2006, e divulgamos aqui os 50 factos sobre o Grupo que acreditamos não serem do conhecimento de todos, e que tanto nos orgulham, por serem o resultado do trabalho diário de todos os que fazem parte da família Grupo Lusiaves. A saúde e bem-estar, assim como a formação e o acolhimento aos nossos colaboradores, foram preocupações que, em 2019, nos levaram a criar diversas iniciativas, nas quais continuaremos a atuar em 2020, e que damos nota nesta edição. Recentemente, o Grupo esteve presente na Feira de Atividades Económicas, em Aguiar da Beira, e realizou mais uma edição do Dia de Campo da Lusiterra. Estes são exemplos onde pudemos, uma vez mais, estar perto de agricultores, avicultores e parceiros de negócio, formando e escutando as suas necessidades, de modo a contribuirmos, de forma efetiva, para uma cadeia de valor ainda mais eficiente. Um recente estudo realizado pela Universidade Nova de Lisboa aborda o impacto da presença do nosso grupo empresarial no concelho de Soure, revelando que, na sua atividade anual, o Grupo acrescenta àquela economia local 2,2 milhões de euros. Esta valorização dos profissionais e das economias locais está presente em tudo o que fazemos, aportando valor ao setor e à economia nacional. O ano de 2020 continuará a ser marcado pela nossa aposta permanente no nosso capital humano, no investimento na inovação e sustentabilidade ambiental.

Avelino Gaspar Presidente do Conselho de Administração

3


PANORAMA

UMA VISÃO GLOBAL Grupo Lusiaves arremata lote em leilão solar

Avelino Gaspar reabilita Edifício do Grémio Literário de Leiria

O Grupo Lusiaves foi uma das três empresas portuguesas que arrecadaram um lote nos leilões de energia solar. A licitação foi feita através da Made Better, empresa criada, em 2012, pelo grupo do setor avícola para produzir energia para autoconsumo, que arrematou um lote com uma capacidade de 13 megawatts (MW). Atualmente, a Made Better gere mais de 50 minigerações fotovoltaicas que, em conjunto com outras ações, tal como a utilização de uma caldeira a biomassa para a produção de vapor e energia, permitem a diminuição do consumo de energias não renováveis e da dependência do Grupo da evolução dos preços dos combustíveis fósseis. Com mais de 20 mil painéis fotovoltaicos instalados, o Grupo revela que gerar a própria energia através de fontes limpas permite evitar, anualmente, a emissão de seis mil toneladas de CO2, o equivalente a cerca de 53 milhões de quilómetros percorridos de automóvel ou a fornecer energia elétrica a 6.125 habitações.

O Edifício Comendador foi alvo de uma profunda obra de reabilitação. Desenhado por Camilo Korrodi, por volta de 1940, este edifício foi a casa do Grémio Literário e Recreativo de Leiria. Situado na zona nobre da cidade, a recuperação quis respeitar a unicidade da edificação, as suas origens e inegável valor histórico, num investimento superior a 10 milhões de euros. Sob o mote “A arte de bem viver – o condomínio de excelência na cidade de Leiria”, no total, o Edifício Comendador acolhe 22 apartamentos, de tipologias T1 a T4, e duas lojas. A preocupação com a sustentabilidade ambiental esteve presente em toda a obra, nomeadamente, na escolha dos materiais que, para além da qualidade, garantissem os melhores resultados em termos ambientais e energéticos.

Lusiaves patrocina Roast a José Castelo Branco A Lusiaves patrocinou o Roast a José Castelo Branco, espetáculo que se realizou no dia 19 de julho de 2019, no Campo Pequeno, em Lisboa. A marca foi responsável por parte do catering do backstage e realizou um conjunto de pequenas ativações que assinalaram o início de uma parceria com a Meio Termo, produtora responsável por estes espetáculos.

4

Grupo Lusiaves na liderança das maiores e melhores empresas do distrito de Leiria O Grupo Lusiaves destacou-se na nova edição do ranking das “100 Maiores e Melhores Empresas do distrito de Leiria e concelho de Ourém”, do jornal Região de Leiria, por incluir cinco empresas no top 60 das maiores e no top 40 das melhores, considerando o volume de negócios e a performance geral das mesmas em 2018. Acumula, ainda, duas empresas no top 15 das maiores empregadoras de Leiria e Ourém. As cinco empresas destacadas nos diversos rankings são a Lusiaves, a Perugal, a Lusicresce, a Racentro e a Lusifrota Transportes. O concelho de Leiria é liderado pela Lusiaves, que ocupa o primeiro lugar do ranking das 100 maiores empresas, e pela Perugal,

que ocupa o primeiro lugar das 100 melhores. Esta empresa especialista na produção avícola apresenta, ainda, a melhor performance nos indicadores de Rentabilidade dos Capitais Próprios e Rentabilidade do Ativo e o segundo lugar na Rentabilidade do Capital Empregue. Destaca-se, também, a Lusicresce, que lidera o ranking nos indicadores da Autonomia Financeira e Liquidez Geral.


PANORAMA

Conheça o website com benefícios para os colaboradores Todos os benefícios que o Grupo Lusiaves disponibiliza aos seus colaboradores estão, agora, reunidos numa única plataforma online. No site Benefícios Ser+, os colaboradores podem consultar todos os protocolos celebrados pelo Grupo nas áreas da saúde, desporto e bem-estar, educação e formação, alimentação, lazer e banca. Os benefícios e descontos podem ser consultados a partir do grupo dos Benefícios Ser+ no Workplace.

Grupo marca presença na Fatacis – Soure O Grupo Lusiaves marcou presença na Fatacis – Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio, Indústria de Soure, integrada nas Festas de S. Mateus. Durante a abertura do certame, a empresa do setor avícola prestou reconhecimento ao apoio da Associação Empresarial de Soure, que caracterizou como um “parceiro de valor” na maior proximidade do Grupo à vivência local.

Projeto “Escola com Livros” apoiado

Grupo Lusiaves apoia Programa de Aceleração da Startup Leiria O Grupo Lusiaves voltou a apoiar o Programa de Aceleração Startup Leiria que, na sua segunda edição, teve como primeiro prémio um total de 5 mil euros disponibilizado pelo Grupo. A Startup Leiria, com o 2.º Programa de Aceleração, pretendeu voltar a pôr em prática mais uma iniciativa para “dinamizar e rejuvesnecer o tecido empresarial da região, através da promoção do empreendedorismo e disrupção tecnológica com projetos afetos à indústria 4.0”. Nesta edição, houve ainda prémios para as três melhores startups em aceleração. O demo day realizou-se no dia 19 de dezembro de 2019.

Margrill sensibiliza para o consumo de peixe congelado É mais económico, é prático e saudável. Estes são os principais atributos comunicados na campanha de sensibilização para o consumo de peixe congelado lançada pela Margrill, marca do Grupo Lusiaves para os produtos do mar ultracongelados. Nesta campanha, a Margrill evidencia os principais benefícios do consumo de peixe congelado. A começar pelo sempre valorizado argumento da poupança, pela ausência de desperdício, já que se consome apenas o que se necessita. Mas a poupança estende-se também ao tempo, uma vez que o peixe congelado já se apresenta como um produto limpo, embala-

O Grupo Lusiaves esteve entre as 210 empresas que participaram no projeto “Escola com Livros”, uma iniciativa da Página Editora, em colaboração com as autarquias e comunidade empresarial, com o objetivo de equipar as bibliotecas das escolas. O Jardim de Infância e a Escola Básica de Cavalinhos, o Centro Escolar dos Parceiros e a Escola Básica e Secundária Henrique Sommer foram os estabelecimentos de ensino a quem foram oferecidos livros e brinquedos didáticos. No âmbito desta iniciativa, as empresas são desafiadas a atuar como mecenas da comunidade educativa, assumindo um papel de parceiros ativos neste projeto social.

do e pronto a confecionar. Além disso, o peixe congelado mantém-se fresco por mais tempo. A congelação no local de captura permite que o pescado mantenha as suas características e sabor por muito mais tempo, sendo, por isso, um produto saudável.

5


A ABRIR

Revista Edição Especial 50

Lusinews celebra 50.ª edição com rebranding Na edição em que celebra o número 50 da Lusinews, o Grupo Lusiaves convida-o a recuar no tempo e a recordar algumas das maiores mudanças da sua revista, que existe no Grupo desde 2006.

A

o longo de 13 anos, a revista Lusinews

Nas suas primeiras ediçþes, a Lusinews era

nĂşmero de pĂĄginas e rubricas e partilhando

contou as histĂłrias do Grupo Lusiaves

composta por oito pĂĄginas de pequenas notĂ­-

conteĂşdo mais aprofundado e de maior qua-

e mudou a sua identidade visual em

cias, que davam a conhecer o panorama geral

lidade. Esta nova identidade manteve-se

vårios momentos. Mudanças estas que visa-

da empresa. Tinha como artigo principal o

durante sete anos, desde a 23.ª edição à edi-

vam acompanhar os desenvolvimentos do

editorial do presidente do Conselho de Admi-

ção 49, publicada ainda em 2019.

Grupo e informar melhor os seus colaborado-

nistração do Grupo Lusiaves, Avelino Gaspar,

res sobre a atualidade da empresa. A Lusinews

peça que se mantÊm atÊ aos dias de hoje e

A Lusinews tem acompanhado o desenvolvi-

celebra, agora, uma nova edição com um

que marca os temas da ordem do dia.

mento do Grupo Lusiaves, principalmente, no

novo conceito de imagem, para continuar a contar o futuro do Grupo Lusiaves.

que diz respeito à sua inovação e modernizaNa sua edição número 16, a Lusinews adotou

ção. Este ano, com a celebração de 50 ediçþes

um novo design associado ao 25.Âş aniversĂĄrio

da revista, o Grupo Lusiaves tem o prazer de

A Lusinews tem origem num contexto de

do Grupo e à consequente modernização da

apresentar aos seus leitores uma edição

grande crescimento e desenvolvimento do

sua identidade visual. A revista manteve uma

especial da Lusinews. O design mudou, mas

Grupo, que adquiriu e criou, ao longo dos

estrutura idêntica às ediçþes anteriores, mas

a sua essĂŞncia mantĂŠm-se: celebrar todos os

anos, empresas distribuĂ­das de norte a sul

apresentava um design com mais cor e com

marcos e histĂłrias do Grupo Lusiaves, unindo

do paĂ­s. A grande dimensĂŁo do Grupo origi-

fotografias de melhor qualidade.

e aproximando todas as suas pessoas da

nou a necessidade de comunicar as novida-

marca Grupo Lusiaves.

des, a cultura e os valores comuns, de forma

No final do ano de 2012, ocorreu a mudança

a aumentar a proximidade entre todas as

mais marcante na Lusinews, com uma nova

empresas e os colaboradores.

identidade visual e editorial, aumentando o

L

A CI PE 0 ES O 5 TA Ăƒ IS Ç V EDI

RE

PESSOAS. SUSTENTABILIDADE. NEGĂ“CIO. INOVAĂ‡ĂƒO.

50 FACTOS QUE DESCONHECE SOBRE O GRUPO LUSIAVES

2006

A ABRIR | 08

UTS ASSINALA 10.Âş ANIVERSĂ RIO

A ABRIR | 12

ESTUDO IMPACTO SOCIOECONĂ“MICO APETECE | 34

LUSIAVES COM GAMA ESPECIAL DE NATAL

6

2020


Evolução da Lusinews ao longo dos anos

7


A ABRIR

UTS do Grupo Lusiaves celebra 10.º aniversário

“Nada se perde, tudo se transforma” O ano de 2009 ficou registado na história do Grupo Lusiaves pela inauguração da Unidade de Transformação de Subprodutos (UTS), na Zona Industrial da Figueira da Foz, que incorporou, à data, a tecnologia de transformação mais moderna da Europa. Dez anos volvidos, a equipa da UTS e a presidência do Grupo Lusiaves reuniram-se para assinalar a primeira década deste projeto inovador, que continua a dar um novo destino ao que anteriormente era considerado desperdício.

A

Seguindo sempre as mais rigorosas regras ambientais, a criação da UTS permitiu dar continuidade ao forte compromisso do Grupo com a responsabilidade ambiental

8

Unidade de Transformação de Subprodutos

toda a equipa, que tem conseguido ultrapassar to-

(UTS), inserida na empresa Campoaves,

das as dificuldades que foram surgindo”, afirma

veio suprir, em 2009, uma lacuna existente

Ruben Fonseca, administrador do Grupo Lusiaves,

no ciclo produtivo do Grupo Lusiaves, que depen-

responsável pelo projeto da UTS. “Ao longo destes

dia de terceiros para fazer o aproveitamento e tra-

dez anos, gerámos imenso conhecimento acerca

tamento de subprodutos gerados nas unidades de

desta atividade, que nos permitirá preparar esta

abate. Com a criação da UTS, foi possível diversifi-

unidade para enfrentar os próximos dez anos num

car as atividades e produtos do Grupo Lusiaves, con-

setor que está em constante desenvolvimento tecno-

tribuindo, assim, para o aumento do valor acres-

lógico”.

centado gerado pela sua cadeia produtiva. Atualmente, a unidade apresenta duas linhas de Ao colocar em prática o princípio base de que “nada

transformação de carne, duas linhas de transfor-

se perde, tudo se transforma”, a UTS incorpora as

mação de penas e uma linha de transformação de

melhores tecnologias existentes no mercado,

sangue e garante que todas as farinhas resultantes

contribuindo, do ponto de vista ambiental, para

do processo cumprem os parâmetros de qualidade

eliminar um resíduo, ao mesmo tempo que o va-

exigidos pelo mercado para a sua melhor valoriza-

loriza no seu expoente máximo. Seguindo sempre

ção, contribuindo, assim, para a economia circular.

as mais rigorosas regras ambientais, a criação da UTS permitiu dar continuidade ao forte compro-

Desde 2009, a UTS duplicou a sua capacidade, transfor-

misso do Grupo com a responsabilidade ambien-

mando cerca de 40 toneladas de subproduto por hora.

tal, assim como baixar os custos de tratamento dos

Os produtos obtidos pela transformação consistem em

subprodutos aos clientes exteriores.

farinhas (de sangue, carne e penas de aves) e em gordura animal, que são utilizadas como matérias-primas

“O facto de celebrarmos o 10.º aniversário da UTS é

para rações animais, pet food e aquacultura, 60% das

um momento de grande satisfação para mim e para

quais destinadas para a comercialização internacional.


A ABRIR

Semanas da Saúde decorrem em diversas unidades do Grupo

A saúde em primeiro lugar

Promover a saúde e um estilo de vida saudável é o grande objetivo das Semanas da Saúde, que decorrem, anualmente, em diversas unidades do Grupo Lusiaves. Uma forma prática de demonstrar a preocupação com o bem-estar dos seus colaboradores, através de diversas ações de rastreio e de medicina preventiva.

A

s Semanas da Saúde e do Desporto

saúde, o desporto e o bem-estar, a educa-

do Grupo Lusiaves, em 2019, de-

ção e a formação, a restauração e a banca.

correram na Racentro e na Sede

do Grupo Lusiaves. No âmbito de um

Viver sem fumo

apoio dado à Associação Portuguesa de

Dos mais de 30 protocolos estabelecidos,

AVC, organização composta por um grupo

18 são na área da saúde, de entre os quais

de profissionais de saúde que trabalham

se pode destacar o protocolo com o pro-

voluntariamente por todo o país, foram

grama “Colaborador Saudável, Empresa

realizados rastreios a acidentes vascula-

Saudável” da empresa Viver sem Fumo,

res cerebrais, no dia 2 de julho, na Racen-

que contempla o reembolso integral,

tro, e no dia 16, na Zicofa, iniciativas que

por parte do Grupo Lusiaves, de um tra-

contaram com a participação de mais de

tamento de abstinência tabágica aos co-

100 colaboradores.

laboradores fumadores interessados em deixar de fumar. O tratamento é realizado

Para além das ações de rastreio, as Se-

através de métodos de Eletroterapia, onde

manas da Saúde contaram, ainda, com

são dados pequenos estímulos quase im-

aulas de Ginástica Laboral e de Body

percetíveis em pontos específicos, de for-

Combat, no exterior das empresas, nas

ma a transmitir a mensagem ao cérebro,

quais os colaboradores puderam receber

através da ínsula (parte do cérebro res-

conselhos úteis para manter uma corre-

ponsável pelos vícios), para que deixe de

ta postura corporal no desenrolar da sua

sentir vontade de fumar.

atividade laboral. Com este protocolo, e muitos outros, o A iniciativa Benefícios Ser+

Grupo Lusiaves reforça a sua preocupação

Porém, a preocupação do Grupo com o

pelo bem-estar dos seus colaboradores

bem-estar dos seus colaboradores, e da

e fomenta estilos de vida mais saudáveis

população das comunidades onde está

juntos dos mesmos. Para ter acesso aos di-

inserido, não fica por aqui. Ao seu dispor,

versos protocolos disponíveis, todos os in-

os colaboradores do Grupo Lusiaves têm,

teressados podem consultar as equipas de

ainda, um conjunto de protocolos celebra-

recursos humanos ou as plataformas digi-

dos com diversas empresas e entidades

tais ao seu dispor na empresa, nomeada-

que preveem a atribuição de descontos e

mente, o grupo dedicado no Workplace ou

benefícios, em áreas tão distintas como a

ainda o novo website dos Benefícios Ser+.

9


A ABRIR

O grande evento da fileira do milho em Portugal

Dia de Campo: Lusiterra apoia produção de milho nacional No dia 12 de setembro, realizou-se o Dia de Campo da Lusiterra, na Quinta da Cruz, em Soure. Mais de 120 produtores de milho estiveram presentes. Um dia de formação das melhores práticas, de apresentação das últimas novidades dos parceiros do Grupo para a produção de milho e de muita partilha e espírito de união do setor.

O

Dia de Campo da Lusiterra vol-

O modelo de negócio da empresa é unani-

tou a reforçar a sua pertinência

memente reconhecido como uma mais-va-

perante todos os envolvidos, ao

lia para todos os agricultores envolvidos,

registar uma nova edição de sucesso. Esta

que veem com muitos bons olhos a presen-

reunião anual, dedicada a esta fileira agrí-

ça no Dia de Campo. Não só por tudo o que

cola, apresenta-se como um dia de conví-

oferece aos agricultores que operam sob a

vio, mas que potencia também diversas

esfera da Lusiterra, como pelo que propor-

atividades de interesse para o setor. Cons-

ciona aos parceiros de negócio presentes,

titui uma importante mais-valia para os

que podem, assim, de forma eficaz, chegar

agricultores nacionais, assim como para

junto de uma significativa amostra de clien-

todos os parceiros envolvidos, que pude-

tes e, com eles, desenhar procedimentos

ram, por sua vez, dar a conhecer as mais

que visam potenciar culturas mais profí-

recentes novidades dentro da sua área de

cuas e sustentáveis.

negócio e respetivas tendências de mercado, no que diz respeito à inovação e intro-

O trabalho de parceria da Lusiterra junto

dução de novos produtos.

dos agricultores foi, assim, destacado mais uma vez no Dia de Campo pelos diversos

Apresentação de soluções, ações de forma-

parceiros presentes no evento, que enal-

ção em melhores práticas, divulgação do

teceram, ainda, o molde desta iniciativa,

que de mais pioneiro e vanguardista existe

ao permitir uma relação estreita entre os

em termos de produção de milho foram,

diversos agentes económicos e onde o foco

somente, alguns dos aspetos abordados na

é estabelecer e reforçar as relações entre

edição de 2019 do Dia de Campo. A Lusiterra

fornecedores e agricultores. Em suma, o re-

é uma empresa do Grupo Lusiaves que se

sultado concreto do Dia de Campo Lusiterra

dedica à produção agrícola e florestal, po-

é a troca de aprendizagem constante entre

sicionando-se no início da cadeia de valor

todos os presentes, de modo a que cadeia

do Grupo Lusiaves, nomeadamente, no for-

produtiva tenha os melhores resultados

necimento de matéria-prima, uma vez que

possíveis, assente numa plataforma de diá-

oferece um serviço de aconselhamento,

logo e cooperação.

fornecimento e apoio aos produtores integrados de milho nacionais.

10

O Dia de Campo dá a conhecer as mais recentes novidades e tendências da área de produção florestal e de milho


A ABRIR

Grupo Lusiaves esteve presente na Feira de Atividades Económicas

Avicultores reunidos em Aguiar da Beira O Grupo Lusiaves reuniu os avicultores de Aguiar da Beira, no decorrer da Feira das Atividades Económicas, que anualmente se realiza nesta vila do distrito da Guarda. Ao todo, o Grupo trabalha com 40 avicultores locais, que são responsáveis por um total anual aproximado de sete milhões de frangos produzidos, somente neste concelho, divididos entre frango e frango do campo.

A

avicultura é uma das maiores atividades económicas do município de Aguiar da Beira. Ao todo, existem 59 avicultores registados e o número de frangos produzidos anualmente ronda as 11 milhões de unidades, o que faz com que tenha, habitualmente, um lugar de destaque na Feira das Atividades Económicas, que todos os anos se realiza nesta vila do distrito da Guarda. Ao longo de quatro dias, esta feira apresenta-se como uma verdadeira montra para as empresas do concelho, com o Grupo Lusiaves a promover um encontro entre produtores locais, proporcionado pela empresa referência do setor avícola e agroalimentar nacional. O evento, realizado a 27 de julho de 2019, juntou cerca de meia centena de avicultores, que assistiram a uma apresentação que

abordava as boas práticas do setor, protagonizada por Pedro Ferreira, administrador do Grupo Lusiaves. A empresa líder nacional, que hoje exporta para quatro continentes e mais de 20 países, só no concelho de Aguiar da Beira trabalha com 40 produtores integrados, responsáveis por um total de sete milhões de frangos produzidos por ano, divididos entre frango do campo e industrial. A produção decorre através do cumprimento estrito dos padrões de qualidade, sustentabilidade e inovação da empresa. Pedro Ferreira relembrou a todos os presentes a importância de investir no setor, “uma vez que continua a existir grande procura de carne de frango”. Simultaneamente, apresentou o programa de apoio

ao empreendedorismo avícola “Dá asas ao teu negócio”, uma parceria estabelecida entre o Grupo Lusiaves e o Banco BPI, que oferece as ferramentas necessárias a empreendedores para iniciarem o seu negócio avícola. Presente no evento, Joaquim Bonifácio, presidente da Câmara Municipal de Aguiar da Beira, agradeceu ao Grupo Lusiaves a iniciativa desenvolvida no âmbito da feira e transmitiu o apoio da autarquia aos avicultores, através do Apoio Municipal de Desenvolvimento Económico e do Gabinete Municipal de Apoio ao Agricultor, com objetivo de proporcionar investimento e o desenvolvimento da atividade económica no concelho, num setor de atividade que tem atraído produtores de diferentes idades.

11


A ABRIR

Estudo demonstra a importância da presença do Grupo Lusiaves em Soure

Grupo Lusiaves valoriza economias locais Um estudo da Universidade Nova de Lisboa, e da investigadora Mínimos Quadrados, revelou o impacto socioeconómico positivo decorrente da atividade do Grupo Lusiaves em Soure, avaliando a sua presença no concelho em termos económicos e sociais.

É

uma consequência natural da presença do Grupo

Em termos práticos, por cada 1 euro gerado pelas unidades

Lusiaves em determinadas zonas do país: atra-

do Grupo Lusiaves, são gerados 8 cêntimos para a economia

vés das 41 unidades espalhadas a nível nacional,

local, através dos rendimentos anuais do Grupo em Soure,

o Grupo tem vindo a aportar valor socioeconómico nas

dos gastos locais do mesmo (através de 16 fornecedores

comunidades locais onde realiza a sua atividade. Não só

locais) e dos gastos locais dos colaboradores e fornecedores

com a criação de postos de trabalho, como ao dinamizar e

em Soure. Isto resulta num total de 2,2 milhões de euros de

desenvolver as economias locais, por exemplo, na criação

acréscimo anual para a economia local do concelho.

de novas infraestruturas e na formação técnica dos seus habitantes. O Grupo é também um agente económico que

Nos últimos três anos, o Grupo Lusiaves garantiu, de forma

compra local e que disponibiliza um conjunto de incenti-

responsável, o pagamento dos seus impostos locais e ativou

vos para a criação do próprio emprego, como é exemplo

iniciativas de responsabilidade social, atribuindo a associa-

o programa “Dá asas ao teu negócio”, que visa potenciar o

ções locais de cariz social mais de 16 mil euros, em 2018.

empreendedorismo avícola. O estudo apresenta, ainda, que 86% dos stakeholders inquiriA sua atuação económica socialmente responsável, e que

dos concorda, ou concorda totalmente, que “o Grupo Lusiaves

promove o desenvolvimento das economias locais, foi

contribui positivamente para o desenvolvimento socioeconó-

recentemente estudada pela Universidade Nova de Lisboa,

mico do concelho de Soure” e que 82% dos inquiridos con-

com apoio da Mínimos Quadrados – Investigação e Desen-

corda, ou concorda totalmente, que o Grupo Lusiaves tem

volvimento, que avaliaram o impacto socioeconómico

investimentos relevantes no concelho de Soure. Em suma,

decorrente da atividade do Grupo Lusiaves no concelho de

o estudo comprovou uma realidade que se estende a outras

Soure, em termos económicos, sociais e fiscais.

regiões do país, documentando o dinamismo que a presença do Grupo acarreta às comunidades locais, aportando valor

A análise conclui que, com as três explorações avícolas

socioeconómico nas diversas localidades, a nível nacional,

detidas (Quinta da Cruz, Quinta de São Tomé e Quinta de

onde se faz representar.

Guerres), que empregam 36 pessoas cada, num total de 156 postos de trabalho criados, o peso relativo dos empregos gerados pelo Grupo, em termos de população ativa do concelho de Soure, é de 2,2%, contribuindo ativamente para a fixação da população. Na média dos últimos três anos, o Valor Acrescentado Bruto (VAB) gerado pelo Grupo Lusiaves no concelho é superior a 11,5 milhões de euros, o que corresponde a 25% do VAB produzido pelas 1.600 empresas com sede em Soure, demonstrando o impacto do Grupo no concelho.

12

Por cada 1 euro gerado pelas unidades do Grupo, são gerados 8 cêntimos para a economia local. Isto resulta num total de 2,2 milhões de euros de acréscimo anual para a economia local do concelho


A ABRIR

Resultados do Estudo do Impacto Socioeconómico do Grupo Lusiaves em Soure

+16.000 €

Atuamos com responsabilidade

em apoios e donativos a projetos locais

Optamos por fornecedores locais

Investimos na sustentabilidade ambiental Produzimos energia limpa

Potenciamos a economia local

+2 milhões € de acréscimo anual à economia de Soure

+11,5 milhões €

+1,5 milhões €

Remunerações a colaboradores e aquisições a fornecedores locais (média dos últimos 3 anos)

Valor Acrescentado Bruto gerado pelo grupo em Soure (média dos últimos 3 anos)

113.000 €/ano

em impostos, taxas e licenças municipais

Fixamos a população em Soure

+15 fornecedores locais

Melhoramos a qualidade de vida em Soure

Incentivos à produção agrícola (milho)

Geramos trabalho certificado

+2%

da população ativa de Soure trabalha no Grupo Lusiaves

Aumentamos o rendimento das famílias do concelho

13


A ABRIR

Um certame vocacionado para o mar e para a sustentabilidade

Grupo Lusiaves apoia FigueiraSea – Sustainable Expo Alliance Consciente da necessidade de adoção de uma atitude de mudança, o Grupo Lusiaves procura apoiar e investir em iniciativas que promovem medidas sustentáveis e ecoeficientes. Entre os dias 25 e 28 de setembro, o Grupo marcou presença na FigueiraSea – Feira do Mar e da Sustentabilidade, um evento organizado pela ACIFF – Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz, em parceria com a autarquia local.

D

urante os três dias da feira, a Praça

ambiente. A utilização de energia renová-

cia da preservação do meio marítimo. Os pré-

do Forte, na Figueira da Foz, foi um

vel, a preocupação por uma distribuição

mios dos atletas vencedores foram entregues

palco privilegiado para mais de 70

eficiente e inteligente e uma frota comercial

pelo representante do Grupo Lusiaves, Nuno

expositores, entre os quais a Margrill, marca

98% elétrica foram algumas medidas apre-

Maurício, pelo presidente da ACIFF, Joaquim

de produtos do mar do Grupo Lusiaves, que

sentadas neste certame, que tinha como

Soares, e pela vice-presidente da Câmara

esteve a apresentar a sua mais recente cam-

objetivo dar a conhecer as opções susten-

Municipal da Figueira da Foz, Ana Maria Car-

panha que esclarece os benefícios que o

táveis que as empresas, progressivamente,

valho.

consumo de peixe congelado pode ter numa

têm implementado nos seus negócios.

dieta equilibrada.

14

Com uma vertente profundamente econóO último dia da Feira do Mar e da Sustentabili-

mica, aberto à comunidade e vocacionado

No seu stand, a Margrill deu, ainda, a conhe-

dade ficou, ainda, marcado pela 1.ª Regata de

para o mar e para a sustentabilidade, o evento

cer à comunidade local as medidas ado-

Remo e Vela FigueiraSea by Grupo Lusiaves, que

FigueiraSea deu a conhecer o desenvolvi-

tadas para fazer chegar o peixe à mesa do

premiou jovens atletas de clubes regionais,

mento sustentável e como este está presente

consumidor, preservando sempre o meio

promovendo, simultaneamente, a importân-

no quotidiano de várias empresas da região.


15


PESSOAS. SUSTENTABILIDADE. NEGÓCIO. INOVAÇÃO.

50 FACTOS QUE DESCONHECE SOBRE O GRUPO LUSIAVES Distribuídos nas quatro áreas estruturantes e pilares da sua atividade, como são o Negócio, as Pessoas, a Inovação e a Sustentabilidade, a edição 50 da Lusinews revela 50 factos sobre o Grupo Lusiaves, para que fique a conhecer o grupo empresarial com um pouco mais de detalhe. Fiel aos princípios que estiveram na sua origem, o Grupo Lusiaves atua de forma sustentável e tem como objetivo criar um amanhã melhor em todas as comunidades onde está envolvido.

16


EM FOCO

#NEGÓCIO

01 02 Alimenta o povo Detém 31

06 Líder ibérico no setor avícola

A excelência do seu desempenho é fruto de vários fatores, como a produção de produtos de qualidade a preços competitivos, a inovação permanente, a formação contínua e os investimentos sucessivos.

português com a melhor proteína do mundo

O Grupo Lusiaves tem como principal missão fornecer a carne mais saudável e de maior qualidade ao povo português.

empresas e 6 marcas O grande crescimento do Grupo deve-se a inúmeros fatores, nomeadamente, as aquisições sucessivas e investimentos constantes.

Quanto à sua presença internacional, o Grupo Lusiaves tem como principais mercados Espanha, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Luxemburgo e Guiné Bissau, entre outros.

distribuição com 12 entrepostos

700 produtos de peixe, carne, vegetais e ovos

O Grupo Lusiaves comercializa e distribui mais de 700 produtos, maioritariamente, das marcas próprias do Grupo, como Lusiaves, Campoaves, Campogrill, Margrill e Quinta dos Olivais.

05 Dois Centros de

Aposta, desde o início, numa estratégia de verticalização do negócio, atuando em todas as áreas do mesmo, conferindolhe um elevado grau de independência e sustentabilidade.

O Grupo Lusiaves detém um dos maiores e mais evoluídos centros de incubação da Europa, com um elevado nível de tecnologia e automação.

de negócio

07 Exporta para mais 08 de 20 países em 4 Tem uma empresa 09 Possui 86 quintas continentes dedicada à exploração agrícola e florestal

de produção avícola

A empresa Lusiterra contém mais de 2.000 hectares de área de produção e posiciona-se no início da cadeia de valor do Grupo Lusiaves, nomeadamente, no fornecimento de matéria-prima.

O Grupo Lusiaves detém 6 empresas dedicadas à produção avícola de frango, frango do campo e peru, com um total de 86 quintas distribuídas de norte a sul do país.

13 Duas empresas de 12 Distribui mais de

03 04 Atua em 10 áreas Duas Unidades

Detém duas empresas de distribuição especializadas nas marcas do Grupo, com 11 entrepostos em Portugal e 1 em Paris, que distribuem para mais de 12.000 clientes ativos no mercado ibérico e francês.

14 Comercializa frango Halal

Em 2016, o Grupo Lusiaves certificou produtos com abate Halal, o que lhe permite fornecer a comunidade muçulmana em Portugal. Estas normas garantem não só a qualidade dos produtos, como também a forma como se realiza a produção e abate.

de Tratamento de Subprodutos (UTS) Estas unidades permitem ao Grupo valorizar os resíduos que produz ao máximo, contribuindo para um modelo de economia circular, aliado a um forte compromisso de responsabilidade ambiental.

11 Possui uma marca 10 Tem uma

marca de comercialização de peixe ultracongelado A marca Margrill comercializa 65 referências de peixe ultracongelado, das quais se destacam o pescado, o bacalhau, os moluscos e os crustáceos.

15 5 Lojas

que comercializa preparados e legumes congelados

A marca Campogrill comercializa mais de 70 referências de vegetais, salgados, charcutaria e preparados de carne, frescos e congelados, fáceis de cozinhar.

17 “Dá Asas ao teu

Mais Sabor O Grupo possui 5 lojas Mais Sabor (Marinha das Ondas, Oliveira de Frades, Azambuja, Leiria e Grijó), caracterizadas pela qualidade e frescura dos produtos provenientes diretamente do produtor.

Incubação

16 Promove o

crescimento dos produtores nacionais Através da integração e apoio a produtores avícolas ou agrícolas, disponibilizando conhecimentos e serviços, como, por exemplo, o transporte e secagem do milho.

Negócio” promove empreendedorismo avícola Uma parceria com o Banco BPI, que oferece as ferramentas necessárias a proprietários de terrenos com capacidade construtiva, para iniciarem o seu negócio avícola.

17


18 19 20 Medalha de Honra Marca Lusiaves Contribui para Avelino Gaspar, presidente do Grupo Lusiaves, recebeu em 2017 a Medalha de Honra da Agricultura, o mais alto galardão do Ministério para reconhecer personalidades que desempenham um papel relevante na agricultura do país.

23 Produz software próprio

Não encontrando softwares no mercado que vão ao encontro dos seus desafios, o Grupo aposta no desenvolvimento do seu próprio software, resultante da investigação que tem vindo a realizar nos últimos anos.

29 Apoia startups

e jovens empreendedores Por exemplo, apoiando projetos como o Programa de Aceleração da Startup Leiria, com um prémio de 5.000€, e levando estudantes universitários de áreas de engenharia e inovação ao Web Summit.

18

com mais de 400 produtos frescos e congelados

Com centenas de referências de frango, peru e preparados, a Lusiaves aposta cada vez mais na inovação e conveniência dos seus produtos.

24 Fábrica de

rações 100% automatizada A Racentro, empresa de rações do Grupo Lusiaves, tem uma sala de controlo 100% automatizada, que permite um maior controlo da produção e da qualidade dos produtos.

#PESSOAS

do Ministério da Agricultura

a produção de milho nacional A Racentro, empresa do Grupo Lusiaves, instalou um dos maiores secadores de milho do país, apoiando os produtores de milho nacionais na resolução do problema da secagem do produto.

#INOVAÇÃO

EM FOCO

21 22 Grupo altamente Implementação tecnológico

O Grupo Lusiaves aposta diariamente na inovação tecnológica e transformação digital, como forma de uniformizar processos, melhorar os procedimentos e aumentar a qualidade e segurança dos produtos.

26 Uma das 27 25 Digitalização e Lançou o primeiro empresas mais hambúrguer de frango do campo em Portugal

Trata-se de um hambúrguer da marca Campoaves, composto por mais de 99% de carne de peito e coxa de frango do campo, de crescimento lento e criado ao ar livre, na região de Lafões.

30 Grupo com 3.700 colaboradores diretos

Os colaboradores das mais de 30 empresas estão distribuídos pelas 41 unidades do Grupo Lusiaves, presentes em 24 concelhos de norte a sul de Portugal.

inspiradoras da Europa

A Lusiaves foi considerada, em 2017, uma das 1.000 empresas mais inspiradoras da Europa, pela London Stock Exchange, pela sua aposta num crescimento e inovação contínuos.

31 Empresa

multicultural O Grupo Lusiaves tem cerca de 450 colaboradores estrangeiros, oriundos de países como Roménia, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Marrocos, Nepal, Índia, Bangladesh, Paquistão, Brasil, Uzbequistão e México.

automação de sistemas em contexto fabril

O bem-estar dos colaboradores é o centro das decisões de investimento tecnológico do Grupo Lusiaves. Todos estes investimentos estão a ser acompanhados de muitas horas de formação.

de uma plataforma de Business Intelligence Em 2019, a empresa implementou uma plataforma que vai buscar a informação às diferentes bases de dados, canalizando-a numa base única para a construção de visualizações, dahsboards, KPIs, etc.

28 Prémio Ouro

nos SAP Quality Awards O Grupo Lusiaves foi distinguido na categoria de Transformação (Digital) de Negócio, tratando-se da primeira empresa portuguesa a ser distinguida nesta categoria com o galardão de Ouro.

33 Financia aulas de 32 Empresa inclusiva Acolhe e integra colaboradores imigrantes e colaboradores com necessidades especiais. A Zoopan, empresa do Grupo Lusiaves do mercado veterinário, foi distinguida com o prémio “Entidade Inclusiva do Concelho de Leiria”.

Português para trabalhadores imigrantes

As aulas decorrem no Centro Escolar da Marinha das Ondas desde 2015. O projeto dá oportunidade aos colaboradores de requerer a cidadania portuguesa, contribuindo para uma melhor integração dos mesmos na comunidade local e em Portugal.


34 35 Criou, em média, Possui uma 243 postos de trabalho nos últimos 4 anos

Empregando, atualmente, cerca de 3.700 colaboradores, o Grupo Lusiaves é considerado um agente empregador muito importante nas diversas comunidades onde atua.

Academia de Formação interna A Academia Grupo Lusiaves garante a formação e o desenvolvimento do talento interno, pretende alargar competências, impulsionar a gestão do talento e a retenção dos colaboradores, promovendo o sentimento de pertença e a cultura organizacional.

39 Frota comercial elétrica

O Grupo Lusiaves tem vindo a renovar a sua frota automóvel, assumindo o compromisso de não adquirir mais viaturas a gasóleo e de apostar, ainda mais, em energias de tração alternativas e ambientalmente mais favoráveis.

45 Até 2022, estará

40 Disponibiliza um sistema de car sharing

Na sua plataforma de comunicação interna (Workplace), o Grupo Lusiaves apresenta um grupo de car sharing, que visa diminuir o número de emissões nas viagens em trabalho.

a reutilizar toda a água das suas ETARs

46 Iniciativas de

O objetivo é melhorar o processo de tratamento da água, garantir um tratamento terciário e transformar o efluente em água limpa que possa ser reutilizada na produção própria do Grupo.

O Grupo Lusiaves patrocina iniciativas de reflorestação, incentivando os seus colaboradores a participar nas mesmas, de forma a contribuir para a diminuição da sua pegada carbónica.

reflorestação

36 Celebra os

20 anos de carreira dos colaboradores O Grupo Lusiaves oferece uma experiência cultural única aos seus colaboradores que celebram os 20 anos de carreira, de forma a agradecer o seu empenho e dedicação profissional.

41 Contribui para

os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU O Grupo Lusiaves defende a sustentabilidade dos recursos e a economia circular e está alinhado, sempre que possível, com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela Organização das Nações Unidas até 2030.

47 Gestão

responsável e eficiente da frota O Grupo procedeu à aquisição de um software de gestão de frota, que permite monitorizar o perfil de condução dos motoristas e direcionálos para formações de condução segura, económica e ecológica.

37 Disponibiliza

protocolos e benefícios para os colaboradores Os colaboradores têm ao seu dispor mais de 30 protocolos com diversas entidades da área da saúde, desporto e bem-estar, educação e formação, restauração e banca.

42 Mais de

20.000 painéis fotovoltaicos distribuídos pelas suas unidades Cada vez que constrói novas instalações, o Grupo Lusiaves tem a preocupação de as dotar de painéis fotovoltaicos. Em 2019, o Grupo já produziu sete mil megawatts de energia limpa.

48 Pioneiro na

certificação do sistema de segurança alimentar e em licenciamento ambiental Como é o caso da empresa Racentro, a primeira do setor a certificar o sistema de segurança, em 2000, e a obter o licenciamento ambiental, em 2003.

38 Forte ligação às comunidades

A presença do Grupo Lusiaves acarreta dinamismo às comunidades locais onde opera, aportando valor socioeconómico, não só com a criação de postos de trabalho, como com os apoios a iniciativas culturais e económicas.

43 Produz energia

sustentável capaz de abastecer 6.125 habitações A energia produzida pelos painéis fotovoltaicos permite evitar a emissão de 6.000 toneladas de CO2, equivalente a cerca de 53.000.000 km percorridos de automóvel.

49 Monitorização

e redução do consumo de água O Grupo instalou sistemas de controlo e monitorização do consumo de água potável em todos os setores de atividade, permitindo uma gestão de combate ao desperdício mais criteriosa e racionalizada.

#SUSTENTABILIDADE

EM FOCO

44 Garante os

requisitos internacionais de bem-estar animal Da quinta à sua mesa, as práticas do Grupo Lusiaves abrangem a criação, transporte e abate de animais, cumprindo sempre os requisitos internacionais de bem-estar animal.

50 Reutiliza estrume avícola para criação de energia

Utilização do estrume avícola (subproduto do processo de produção) como combustível na produção de vapor de água necessário ao processo de tratamento dos subprodutos de origem animal.

19


EM FOCO

#inovação

“Para conseguirmos fazer um bom trabalho e entregar os melhores produtos e serviços aos nossos clientes, temos de ter colaboradores felizes, munidos das melhores ferramentas” A aposta na digitalização e automação de sistemas, os principais desafios e oportunidades, os planos presentes e a ambição futura foram alguns dos temas abordados por Paulo Gaspar, administrador do Grupo Lusiaves, que, em entrevista à Lusinews, traça a atualidade da empresa no que diz respeito à inovação. Uma aposta que visa potenciar o que de melhor o capital humano pode aportar às empresas no competitivo mundo moderno dos negócios.

20

O Grupo Lusiaves tem-se destacado, nos últimos anos, pela

que estão todos juntos, através de um tecido de integração único,

aposta na digitalização e automação de sistemas. Quais os

para que tudo possa facilmente fluir entre eles, permitindo que a

principais projetos que têm vindo a ser desenvolvidos e com

informação esteja permanentemente atualizada.

que objetivo?

Ao longo dos anos, temos vindo a desenvolver vários projetos

O objetivo global da estratégia de IT do Grupo Lusiaves tem

neste sentido. O primeiro foi a implementação de uma plataforma

estado assente na uniformização de sistemas, para conseguir-

de Business Intelligence, que fosse buscar a informação às dife-

mos trazer a melhor experiência de trabalho aos nossos cola-

rentes bases de dados para poder ser canalizada numa base única

boradores. De tal forma, que a missão da equipa de inovação

e se poder construir visualizações, dashboards e KPIs.

e tecnologia é “to make our people better with technology”.

O segundo projeto procurou olhar para o que são os sistemas core

Quando falamos de “our people”, em primeiro lugar, vêm os nos-

de qualquer empresa. Apurámos que, nas 30 empresas do Grupo,

sos colaboradores e, depois, os clientes. Para conseguirmos fazer

tínhamos 30 ERPs diferentes, o que fazia com que não houvesse

um bom trabalho e entregar os melhores produtos e serviços aos

processos unificados. O desafio foi migrar os 30 softwares diferen-

nossos clientes, temos de ter colaboradores felizes, munidos das

tes para um único, que conseguisse unificar os processos finan-

melhores ferramentas.

ceiros, contabilísticos, de compras, de vendas, etc., para termos

Para concretizarmos essa missão, entendemos que era essencial

uma visão global de como funcionamos. Esse processo culminou

termos uma experiência de trabalho unificada, ou seja, diferentes

na escolha de um software da SAP. Uma de cada vez, esse software

sistemas para cada uma das áreas de negócio e departamentos,

está a ser implementado em todas as empresas do Grupo.

que seguem, todos eles, a mesma forma de trabalhar. Temos apos-

Em paralelo com este grande projeto, verdadeiramente trans-

tado muito na implementação de diferentes sistemas, cada um

formacional para o Grupo, decidimos apostar numa plataforma

muito focado em ser o melhor do mundo em determinada tarefa,

de integração universal para o Grupo Lusiaves, fundamental


EM FOCO

para a implementação do ERP comum e para a automatização

complexa. É uma complexidade que vem das diferentes áreas de

de todos os processos.

negócio, começando na produção de milho, que é completamente diferente da produção de ração, da incubação, do abate, da distri-

Quais os principais desafios enfrentados, ao nível do desenvol-

buição, da logística, etc. São operações completamente distintas,

vimento tecnológico, considerando que o Grupo está em toda a

que em quase nada se colam umas às outras. Um software que

fileira avícola, da plantação de milho ao consumidor final?

consiga ser bom para todas estas áreas de negócio não existe. A

Desde o início, quando estávamos a formular a estratégia para

existir, é de tal maneira genérico que não será bom para nenhuma

alcançar o objetivo de proporcionar uma melhor experiência de

e a experiência de trabalho não seria boa.

trabalho para os colaboradores, havia dois grandes caminhos que podíamos seguir. O mais fácil, e talvez aquele que é seguido pela

Qual foi a estratégia seguida?

maioria das empresas, seria encontrar um software que fizesse

A estratégia foi encontrar um software para todos os processos core,

tudo e permitisse configurar e ajustar alguns aspetos específicos

que são essencialmente iguais em todas as empresas (como, por

do negócio. Ou, o segundo caminho, e o que optámos por percor-

exemplo, a parte financeira, a contabilidade e as compras), escolher

rer, que é escolher o melhor software para cada uma das áreas, com um âmbito mais focado, e depois integrar tudo. Foi por isso que foi tão importante a implementação de uma plataforma de integração, para pôr todos os sistemas a falar uns com os outros. Uma das razões pelas quais a maioria das empresas opta pelo primeiro caminho é a dificuldade da integração. Os fornecedores de software usam o argumento de que os módulos comunicam todos uns com os outros, mas a realidade do Grupo Lusiaves é muito

A missão da equipa de Inovação e Tecnologia é "to make our people better with technology"

21


EM FOCO

Se um colaborador é mais produtivo, se aquele trabalho repetitivo deixa de ter de ser feito por si, porque o software automatiza essas tarefas, passa a estar disponível para trabalhos de valor acrescentado

o melhor para cada uma das áreas operacio-

E há, até, casos em que as coisas, em vez

nais e integrá-los.

de melhorarem, pioram, porque estão

Nesta viagem, há muitos desafios: conseguir

dependentes de outros processos que,

encontrar as melhores soluções, contratá-las

ainda, não foram automatizados. Estamos

e adjudicá-las. Quando vamos à procura do

também nesta fase, em que temos alguns

melhor do mundo, muitas vezes, não existe

investimentos já feitos, algumas empresas

em Portugal. Temos que ser inovadores a

já estão apoiadas por sistemas de infor-

implementar alguns desses softwares que

mação estruturados, mas as pessoas, no

não têm representação no país e não existe,

dia-a-dia, em vez de notarem melhorias,

ainda, qualquer implementação onde nos

encontram dificuldades. É normal. Há uma

possamos inspirar. Temos de ser os primei-

fase de adaptação da organização a todos

ros e arriscar. Fizemos isso em alguns casos.

os novos processos, de aprendizagem com

Outro dos desafios, que tivemos de ultra-

os novos softwares, para poderem vir a ser

passar caso a caso, é que, quando se muda

eficientes a trabalhar com os mesmos.

o software, os processos de trabalho tam-

Ao mesmo tempo, sempre que implemen-

bém mudam. Sejam muitas ou poucas pes-

tamos um novo software, pode não conse-

soas, é sempre difícil de se fazer. Ainda mais

guir cobrir 100% dos processos de forma

quando, no Grupo, temos pessoas que traba-

mais automatizada. Às vezes, aqueles

lham connosco há 30 anos.

10% que ficam para uma segunda fase de

Esta é uma das razões pelas quais a for-

implementação criam uma entropia até aí

mação tem sido uma das grandes apostas

inexistente, apesar de passarmos a ter um

e porque optámos pelo desenvolvimento

nível de rigor que não possuíamos.

do nosso próprio software. O que acarretou novos desafios: como desenvolver esse

O conforto dos vossos colaboradores

software de qualidade, intuitivo, escalável

é uma matéria para a qual estão parti-

para as diferentes operações, que seja fácil

cularmente sensíveis. Que ganhos veio

de manter para o futuro, sem uma equipa

a tecnologia também permitir a este

gigante dedicada à sua manutenção? É aqui

nível?

que entra a investigação que temos feito nos

Acima de tudo, veio evitar trabalhos

últimos anos, para garantir que apostamos

redundantes. Se um colaborador é mais

nas tecnologias certas, que contratamos as

produtivo, se aquele trabalho repetitivo

pessoas certas. Com um mercado tão pres-

deixa de ter de ser feito por si, porque o

sionado, como o das tecnologias da infor-

software automatiza essas tarefas, passa

mação, pela falta de talento, a atração desse

a estar disponível para trabalhos de valor

mesmo talento para Leiria é também um

acrescentado.

desafio.

Outro ganho relevante é a consistência dos dados. Numa era em que a informa-

22

As empresas do grupo são hoje, clara-

ção tem uma importância tão grande, a

mente, mais eficientes graças à aposta na

sua coerência é cada vez mais relevante.

tecnologia?

Com estes sistemas, conseguimos garan-

Claramente que são. Mas há que ter cons-

tir isso. Conseguimos saber a viagem

ciência que raramente se obtém o benefício

completa de um determinado produto,

deste tipo de investimentos no imediato. O

de uma fatura, de uma venda.

retorno vem aos poucos e poucos. Aqui, não

Por outro lado, do ponto de vista da

foi muito diferente. Quando implementamos

segurança alimentar, temos um ainda

software, automatizamos processos e muda-

maior controlo e rastreabilidade. Facil-

mos a forma como as pessoas fazem as coi-

mente, acedemos a todo o histórico da

sas, muitos dos benefícios não veem logo.

cadeia de valor. Sabemos, relativamente


EM FOCO

ao frango que temos à nossa frente, “o milho consumido pelo seu avô”. A digitalização traduziu-se também em ganhos ao nível das vendas? De que modo a incorporação de cada vez mais informação e inteligência veio facilitar o trabalho da área comercial? Veio facilitar muito. Por exemplo, no projeto que já referi da plataforma de Business Intelligence, um dos primeiros subprojetos do mesmo foi a criação de dashboards individuais para cada vendedor. Cada comercial pôde começar a acompanhar, em tempo real, o seu desempenho e saber em que lugar está no ranking, como está em termos de vendas face ao mesmo período do ano anterior e ao objetivo do ano, os KPIs principais, entre outros. É um conjunto de informação que lhes permite uma maior organização e estarem mais focados no dia-a-dia. Para além de que há um conjunto de tarefas que conseguem desempenhar remotamente de um modo muito fácil. Não obstante, ainda há um caminho a percorrer. Temos um roadmap de novas funcionalidades para facilitar a vida dos nossos comerciais que, acredito, irão traduzir-se em novos aumentos de vendas. Que novos modelos de negócio podem ser, ou estão a ser, desenvolvidos graças à tecnologia? À medida que continuamos a investir em nova tecnologia e no desenvolvimento da mesma internamente, há-de chegar o ponto em que entendemos que o que serve para nós também serve para um conjunto de outras empresas. Porque não fazer spin-offs dos nossos desenvolvimentos, vendê-los a outros e criar uma nova área de negócio? Temos, também, toda a parte de e-commerce, onde começamos a dar os primeiros passos. Estamos a explorar o chamado direct to consumer em várias áreas de negócio. Por tudo isto, pode-se dizer que a Lusiaves é, no fundo, uma empresa de tecnologia que, por acaso, também vende frangos? Ainda não. Maioritariamente, ainda somos uma empresa da agroindústria, focada na produção de alimentos de maior qualidade para os seus consumidores. Mas poderá chegar a altura em que a tecnologia que temos vindo a desenvolver para melhorar os nossos processos, para a qualidade dos nossos produtos ser a melhor e a rastreabilidade não falhar um milímetro, ser de tal maneira valiosa para outras empresas que faça sentido ser uma outra área de negócio.

23


EM FOCO

#sustentabilidade

Pensar verde em todas as etapas O Grupo Lusiaves promove uma política ambiental que defende a sustentabilidade dos recursos e a economia circular, procurando estar alinhado, sempre que possível, com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU até 2030. De modo a ir de encontro a esses objetivos, têm sido tomadas diversas medidas em todas as empresas do Grupo.

A

correta gestão ambiental é uma das

Monitorização do consumo de água

cola para a produção de vapor e energia

preocupações do Grupo Lusiaves,

Um exemplo concreto da visão sustentável

térmica. É um sistema duplamente eficaz,

cuja monitorização e acompanha-

do negócio passa pela implementação de

não só ao permitir a redução da emissão de

mento do impacto ambiental da sua ativi-

medidas de redução do consumo de água e

CO2, como ao garantir, simultaneamente, o

dade tem lugar a montante e a jusante da

de tratamento dos efluentes. O Grupo detém

escoamento do estrume avícola. A criação

cadeia de valor. Com uma equipa totalmente

ETARs em seis unidades, onde se procede

desta caldeira é vista como um investimento

dedicada, e com muito trabalho desen-

ao tratamento dos efluentes líquidos. Este

estruturante para o Grupo, ao valorizar um

volvido no terreno, a gestão ambiental do

processo é acompanhado em contínuo por

resíduo que, até então, representava um

Grupo passa por acompanhar todas as eta-

técnicos especializados, quer no local quer

custo e ao conceder maior independência

pas da atividade industrial.

através de um sistema de monitorização

da utilização de combustíveis fósseis.

online, de modo a garantir a melhor eficiênA monitorização inicia-se previamente à fase

cia do tratamento e descarga sem impactos

É importante referir que todas as instala-

de construção, onde é realizada uma avalia-

ambientais. O grande objetivo do Grupo é

ções industriais têm, também, um plano

ção de impacto ambiental estimado relati-

reduzir o consumo de água e, consequen-

de racionalização energética, com medi-

vamente ao que uma determinada unidade,

temente, ter uma menor pegada ecoló-

das específicas que permitem reduzir o

e respetivo processo produtivo, vão gerar,

gica.

consumo de energia e tornar as unidades mais eficientes a nível energético. Para

quais os impactos ambientais daí decorrentes e como minimizá-los. A avaliação é reali-

Energias Renováveis e Sustentáveis

além disso, grande parte das instalações

zada a todos os níveis: emissões, produção

A biomassa é uma das fontes principais

do Grupo Lusiaves estão equipadas com

de efluentes, consumo de água e energia,

de energia renovável utilizada pelo Grupo

painéis fotovoltaicos que produzem ener-

impacto na paisagem, fauna e flora, entre

Lusiaves, essencial na produção de vapor de

gia limpa. “Em 2019, já produzimos sete mil

outros. Esta monitorização global do pro-

água e água quente necessários para a ativi-

megawatts de energia elétrica a partir de

cesso arranca, assim, na fase prévia à cons-

dade. A energia resultante deste processo é

energia solar, os quais foram descarregados

trução das unidades, estende-se ao longo da

praticamente neutra em termos da emissão

na rede pública. Cada vez que construímos

fase de construção e mantém-se enquanto

de CO2. “Temos caldeiras a gás nas unidades

novas instalações, vamos dotando-as de

se verificar atividade das unidades, de modo

industriais, simplesmente, para utilizar em

painéis fotovoltaicos”, afirma a responsável

a tentar, de forma permanente, minimizar o

caso de falha das caldeiras de biomassa. Ao

de Ambiente do Grupo. Um dos objetivos

impacto da atividade em causa.

longo do ano, conseguimos ter caldeiras a

futuros passa por colocar painéis solares

gás que apenas entram em funcionamento

também para produção de água quente,

“O nosso acompanhamento é ao longo de

para a manutenção das caldeiras de bio-

ativo que já existe numa unidade industrial

toda a vida. Um projeto inicia com a admi-

massa. Todo o calor necessário à produção

do Grupo.

nistração a informar a pretensão de construir

avícola é gerado através de biomassa”, deta-

uma determinada instalação e existe logo um

lha a responsável.

estudo prévio, que nos vai permitir saber as

24

Estas são apenas algumas das muitas tarefas desenvolvidas pela equipa de

medidas a implementar durante a fase de

Na empresa Campoaves, o Grupo Lusiaves,

Helena Coelho, verdadeiras “guerreiras do

construção e ao longo da fase de explora-

em colaboração com a Universidade de

ambiente”, e uma das muitas peças chave

ção”, aponta Helena Coelho, responsável de

Aveiro, criou uma caldeira a biomassa que

na orgânica de funcionamento de uma das

Ambiente do Grupo Lusiaves.

utiliza, como matéria-prima, o estrume aví-

maiores empresas portuguesas.


EM FOCO

O Grupo Lusiaves, em colaboração com a Universidade de Aveiro, criou uma caldeira a biomassa que utiliza, como matéria-prima, o estrume avícola para a produção de vapor e energia térmica. É um sistema duplamente eficaz, não só ao permitir a redução da emissão de CO2, como ao garantir, simultaneamente, o escoamento do estrume avícola

25


EM FOCO

#pessoas

Academia Grupo Lusiaves: aposta contínua na formação O Grupo Lusiaves apresenta aos seus colaboradores a Academia Grupo Lusiaves. Resultante da evolução do modelo de formação anterior, a academia de formação apresenta-se, agora, de forma organizada sob uma marca que agrega objetivos mais ambiciosos e que respondem às necessidades do Grupo e dos seus diversos segmentos de negócio.

A

Academia Grupo Lusiaves garante a formação e desenvolvimento do talento interno, pretende alargar

competências, impulsionar a gestão do talento e a retenção dos colaboradores, promovendo o sentimento de pertença e a cultura organizacional. No entanto, a implementação de uma academia de formação apresenta-se como um grande desafio, em função da dimensão do Grupo Lusiaves, assim como em virtude do número de unidades e de colaboradores (que já supera os 3.600). Este desafio é, atualmente, ultrapassado através da segmentação por etapas de implementação da Academia, devidamente estabelecidas no tempo e no espaço. “Neste momento, optou-se por iniciar a formação em áreas específicas dentro da Academia, nomeadamente, nos centros de distribuição e nas respetivas operações, para, depois, alargar a algumas unidades fabris. Começámos pela base, a formar as nossas operações sobre como devem acolher os trabalhadores quando iniciam a suas funções na empresa”, introduz Sónia Matias, diretora de Recursos Humanos do Grupo Lusiaves. Com a Academia, o Grupo Lusiaves encara a formação de modo mais formal e organizado, uma vez que a formação contínua sempre fez parte do seu ADN. Com a criação desta entidade, os procedimentos internos no que diz respeito à formação encontram-se definidos e estabelecidos de uma forma mais organizada e dirigida, sempre com o objetivo de fazer mais e melhor.

26


EM FOCO

“O fator humano é importantíssimo, pelo que temos que formar bem as pessoas. E fazer com que se sintam bem no Grupo, para que estejam motivadas”, reforça. Progressão de Carreira no Grupo Lusiaves A Academia Lusiaves nasce com o grande objetivo de proporcionar bases a todos os colaboradores para que possa haver mobilidade interna, de modo a que possa haver progressão e ter um plano de carreira dentro do Grupo, que disponibiliza essa possibilidade e apresenta massa crítica para tal, ao operar a nível nacional e em todas as etapas da cadeia de valor. O Grupo Lusiaves sempre olhou para dentro da sua estrutura, de forma a perceber se existe alguém que possa ser promovido e, consequentemente, a ser formado para desempe-

Com a criação da Academia Lusiaves, os procedimentos internos no que diz respeito à formação encontram-se definidos e estabelecidos de uma forma mais organizada e dirigida

nhar a função a que se candidata. “Se essa pessoa se candidatar e se se considerar que reúne os requisitos para aquela função, vamos formá-la

Até ao momento, a Academia conta com um volume de horas de forma-

para que possa ter este plano de carreiras interno. O Grupo permite que

ção interna certificada de 1.355. Porém, é um projeto em construção, ao

haja mobilidade, mas, para que possa haver mobilidade, temos que

conciliar os conteúdos formativos definidos, mas onde há espaço para

proporcionar as bases”, comenta Sónia Matias.

acolher sugestões, até porque os colaboradores percebem a aposta do Grupo neles. A ambição do Grupo é levar a Academia a todas as suas

Acolhimento e Integração de Novos Colaboradores

unidades, num eixo temporal de dois anos.

Foram implementadas metodologias de acolhimento, para que qualquer colaborador conheça tudo sobre a sua função e os procedimen-

A Academia Grupo Lusiaves transmite, assim, uma mensagem de con-

tos associados, sem esquecer o conhecimento do que é a empresa e

fiança e entusiasmo a todos os seus colaboradores. “Especialmente,

o grupo a que pertence. Os novos colaboradores são, assim, durante

na parte mais operacional, com todas as tecnologias e novidades que

um período de quatro semanas, acompanhados por um formador

vão surgindo, sempre investimos em atualização de conhecimento e na

que fará um acompanhamento on job. “Ao longo de quatro semanas,

formação dos colaboradores. Mas acredito que, agora, com a formaliza-

além do acompanhamento no local de trabalho, irá também ministrar,

ção da Academia, acabam por valorizar mais, por sentirem que há um

remotamente, alguns conteúdos formativos dirigidos através de uma

maior envolvimento da empresa em dar-lhes mais formação. E sentem

plataforma de e-learning detida pelo Grupo. O acompanhamento a ser

que o trabalho que fazem é valorizado, ao explicar o quão importante é o

feito por este formador tem como objetivo proporcionar a melhor orien-

papel deles, ao abrigo das metodologias de integração, no acolhimento

tação possível para que as pessoas se sintam confortáveis no seu local

de novos talentos/colaboradores. Nota-se que se sentem importantes,

de trabalho”, reforça Sónia Matias.

pois são, de facto, importantes para nós”, afirma Sónia Matias.

O acolhimento de novos colaboradores no Grupo passa, também, pela capacitação de trabalhadores com mais experiência para poderem desempenhar essa formação contínua durante um período de quatro semanas. Este é o patamar inicial da Academia que, posterior-

Para além da formação externa, a Academia Grupo Lusiaves conta com 77 cursos de formação interna certificada, em seis áreas de formação distintas:

mente, irá trabalhar estas operações que vão formar novos colaboradores com formações LEAN, Kaizen, de liderança, entre outras. Sendo demasiado precoce fazer balanços, há um ponto ou outro que se destaca até ao momento, nomeadamente, nas pequenas formações de metodologias de acolhimento, em que se verifica que os colaboradores não tinham perceção do quanto eram importantes no processo de acolhimento e integração, tendo-se já registado sugestões de melhorias sobre estes procedimentos. “É muito gratificante ver os colaboradores envolverem-se no processo. Mesmo estando ainda na fase de implementação de procedimentos, já estão a sugerir melhorias. Há muito trabalho pela frente e há muitas arestas para limar, mas todos os 'inputs' que possamos receber são bem-vindos”, acrescenta a diretora de Recursos Humanos do Grupo Lusiaves.

27


28

e o Natal r b

m co

Cel e

Estes Reis nĂŁo trazem ouro, incenso ou mirra, mas sĂŁo a garantia de um Natal delicioso.


POR ACREDITAR NISTO

COMO FAZER INTRAEMPREENDEDORISMO? E ACELERAR FORA DOS GRANDES CENTROS URBANOS? João Mendes Borga Diretor da Startup Portugal e Coordenador da Rede Nacional de Incubadoras Entrevista realizada no evento de apresentação do 2.º Programa de Aceleração da Startup Leiria

Três conselhos para acelerar e fazer empreendedorismo dentro de uma empresa industrial? Primeiro, encontrem um problema que a empresa viva todos os dias e tentem resolvê-lo, procurando uma solução que não exista. Tentem encontrar uma solução para o problema que consiga ser transversal. Se conseguirem que essa solução funcione, registem-na. Segundo, se têm uma ideia, encontrem aliados. Vendam-na aos vossos colegas, às pessoas dos outros departamentos, aprendam a vender a vossa ideia. Vocês só vão ter uma hipótese de a vender ao vosso chefe. Com a experiência e prática, vão tornar-se melhores a vender a vossa ideia e vão ouvir o feedback das outras pessoas sobre o que podem melhorar. Quando chegar a altura certa, vão conseguir vendê-la ao vosso superior e conseguir que seja adotada. Terceiro conselho: se virem que não há mesmo outra solução para o problema que identificaram, peçam para patentear. Não imaginam a quantidade de empresas que nasceram à volta de uma solução para um problema que todas as indústrias têm, mas que ninguém se tinha lembrado de patentear. A isto se chama uma spin-off e existem muitas spin-offs industriais que nasceram de um problema que um colaborador tinha e que mais ninguém se tinha lembrado de criar uma empresa à volta disso. Acelerar empresas fora dos grandes centros urbanos, é possível? Esse é um problema clássico. Mas nós não nos podemos esquecer que Silicon Valley, quando começou, era fora de um grande centro urbano, ficava “entalada” entre uma universidade e um centro financeiro, mas, na verdade, era no campo. Era o local onde se juntavam os empreendedores que tinham saído da universidade e estavam relativamente perto de uma grande cidade, mas fora dela. Acelerar empresas fora dos grandes centros urbanos é possível e tem vantagens, na realidade, tem bastantes vantagens. A qualidade de vida é muito superior, consigo utilizar o meu tempo de uma forma mais eficiente. Qualquer coisa que se faça em Lisboa, por exemplo, uma reunião, rouba-nos sempre duas horas, e no Porto igual. Em Leiria, em Castelo Branco e Évora é muito fácil tratar dos meus assuntos burocráticos da semana, que demorariam imenso em Lisboa, e nestas localidades consigo fazer tudo numa manhã. Vou às finanças, ao contabilista, volto para a empresa e ainda atendo alguns clientes. O que é que se torna difícil fazer fora dos grandes centros urbanos? Quando, por exemplo, procuramos financiamento ou tentamos encontrar especialistas de áreas de nicho – pessoas que sabem muito de alguma coisa. O que aprendi com os anos, sendo eu alguém que cresceu em Castelo Branco e fora de um grande centro urbano, é que, quem é de fora, aprende a gerir as suas deslocações à grande cidade de forma ultra eficiente. Eu vou a Lisboa e tenho logo cinco reuniões. Quem está na grande cidade, normalmente, não o faz, ou por desleixo ou acaba por não marcar agendas tão intensas. O que é que nós temos de compensar em relação às grandes cidades? Essencialmente, o facto de haver muito networking. Ou seja, quando estou mais perto dos meus colegas na cidade, acabo por os conhecer de uma forma mais informal, ao jantar, à noite ou em reuniões e apresentações, o que, muitas das vezes, não é possível em cidades como Leiria. Portanto, torna-se importante fazer deslocações regulares para compensar essa falta de comunidade. De resto, penso que as oportunidades são iguais. O necessário é procurar o financiamento, o networking e a informação. E não ficar para trás.

29


UM DIA COM...

Equipa de IT: foco no bem-estar das pessoas através da tecnologia O departamento de Inovação e Tecnologia do Grupo Lusiaves está a navegar num momento de reestruturação, onde sistemas mais antigos estão a ser, sucessivamente, substituídos por tecnologia de ponta. Hoje, as equipas são mais numerosas e mais jovens e contam com constante evolução, não apenas devido à natureza deste universo tecnológico, mas pelo contacto com um negócio sempre em expansão. Com um grande crescimento, nos últimos três anos, atualmente, o departamento de IT é constituído por mais de 30 colaboradores, distribuídos entre cinco equipas especializadas.

Business Intelligence e Master Data Business Intelligence é uma área específica para gerar factos e dados históricos para se tomar decisões cada vez mais inteligentes, com base no que já aconteceu, e prever o futuro, utilizando dashboards de fácil usabilidade. Quanto à Master Data, é uma área recente, responsável por toda a parte de dados mestres do sistema integrado de gestão empresarial (ERP) principal que o departamento agora tem (SAP). É uma área centralizada e que é responsável pela criação de todos os dados mestres para materiais, clientes e fornecedores.

Estamos sempre a lidar com tecnologia de ponta. O nosso CIO tem esse ADN, que passa para esta equipa, e conversa com a equipa de IT, tecnicamente, de igual para igual César Silva, Business Intelligence Manager

30


UM DIA COM...

IT Support A equipa de IT Support mantém a infraestrutura tecnológica do Grupo Lusiaves. Diariamente, dá assistência a mais de dois mil utilizadores diretos e ainda mais utilizadores indiretos. Desde a projeção, instalação e manutenção de servidores e computadores, gestão de todas as plataformas, serviços e sistemas informáticos dentro do Grupo, com o mínimo da entropia. Esta equipa é, nas palavras do team leader, “a primeira linha de defesa” entre o utilizador e os sistemas de gestão.

É uma empresa agroalimentar com uma vertente tecnológica acima de 80% das empresas nacionais Hernâni Pereira, IT Support Manager

Equipa SAP Com o rápido crescimento do Grupo, foi preciso encontrar uma plataforma que conseguisse responder às novas necessidades. Foi, então, necessário apostar num sistema integrado de gestão empresarial (ERP) que unificasse todos os processos de todas as empresas do Grupo. A equipa SAP dá, assim, suporte à implementação do ERP SAP S/4HANA nas empresas do Grupo Lusiaves. Esta implementação permitirá uma maior consistência e uniformização dos processos entre todos os departamentos das empresas do Grupo Lusiaves e a consequente melhor rastreabilidade da atividade.

Estou cá há 30 anos e trabalhar aqui é sempre um desafio. As necessidades são muitas e a empresa cresceu substancialmente, mas somos quase autossuficientes Francisco Quinta, Developer Equipa SAP

31


UM DIA COM...

Core Tech Team A equipa de Core Tech apresenta competências de arquitetura empresarial e de integração de sistemas. A equipa é, assim, composta pela área de Enterprise Architecture, que tenta definir as melhores práticas a nível dos sistemas que atuam na empresa, assim como assegurar que cada sistema está a realizar a sua função e que as responsabilidades corretas estão nos sítios certos. É uma componente estratégica da parte tecnológica. Por outro lado, a equipa assegura também a área de integração, enquadrando todos os sistemas, misturando e sincronizando a informação, evitando trabalho manual e uniformizando as comunicações entre os sistemas do Grupo.

Tentamos sempre inovar a nível tecnológico e estar sempre ‘na crista da onda’, com as novas e mais corretas abordagens, o que nos motiva bastante Daniel Santana, Enterprise Architect

Equipa MES A equipa MES (Manufacturing Execution System) é responsável por desenvolver o sistema que gere os matadouros do Grupo Lusiaves. A equipa é dividida em diversas partes: uma equipa responsável pelo back-end, uma outra que se dedica ao front-end (a parte do software que comunica com o utilizador) e, ainda, um designer, que desenha a parte que vai interagir com o utilizador. Trata-se de um sistema que permite uma melhoria de processos e uma melhor obtenção de informação, trazendo uma maior visibilidade àquilo que os colaboradores fazem e a como é feito.

Trabalhar com a Lusiaves trouxe-me o contacto com as tecnologias mais recentes e com pessoas muito inteligentes na área. Temos uma equipa muito boa Ricardo Granada, arquiteto e programador back-end

32


UM DIA COM...

33


APETECE

Sabor e conveniência à mesa de Natal A marca Lusiaves criou uma Edição Especial de Natal, que vem dar continuidade ao foco na inovação e conveniência que a marca líder tem vindo a trazer ao mercado. Roti, Rolo e Rolinhos de Carne de Frango e Peru são propostas de valor acrescentado para refeições fáceis e simples, onde imperam o sabor e a praticidade.

N

o seguimento daquilo que tem

amigos e familiares. “A nossa inovação

nibilizar-lhes produtos que sejam uma

sido a sua aposta contínua na ino-

está totalmente focada na conveniência

efetiva mais-valia no seu dia-a-dia. Atra-

vação e criação de valor acrescen-

que pretendemos oferecer aos nossos

vés do lançamento de novos produtos de

tado em diferentes ocasiões de consumo,

consumidores”, explica Bruna Henriques,

valor acrescentado, a Lusiaves continua

apresentando-se como uma referência

Brand Manager da Lusiaves.

a aportar valor à categoria, ao mesmo

quando se trata de facilitar o dia-a-dia Sob a umbrela da marca líder de mer-

sua alimentação, a Lusiaves lançou, em

cado, esta é mais uma aposta na inova-

2019, uma Edição Especial de Natal.

ção por parte do grupo português que

Dando uma nova cor aos lineares da

dá, assim, continuidade à visão de ser

moderna distribuição e com o objetivo de

próximo dos consumidores, ao dispo-

reforçar as vendas da categoria, a Lusiaves

Esta novidade apresenta-se como uma solução prática e conveniente, que reúne todo o sabor e garantia de qualidade da marca líder nacional para assinalar, com o devido requinte, os diversos jantares e refeições entre amigos e familiares na época festiva. Num período do ano em que qualquer motivo se apresenta como ideal para promover refeições no conforto do lar, a Lusiaves disponibiliza um conjunto diversificado de soluções para que não falte comida caseira nesta época tão especial, proporcionando-lhe, assim, o tempo necessário para conviver com os

34

tempo que reforça a penetração nos lares

dos portugueses no que diz respeito à

dos portugueses nesta época festiva.


APETECE

Sabor, praticidade e diversidade são os principais fatores de atração destas novas propostas da marca Lusiaves que vem, uma vez mais, demonstrar que até as épocas festivas podem ser brindadas com refeições fáceis e saborosas

disponibiliza um sortido alargado de produ-

Sabor, praticidade e diversidade são os prin-

uma saborosa solução para toda a família,

tos, composto por Roti de Peru com Pimen-

cipais fatores de atração destas novas pro-

mantendo toda a qualidade do produto.

tão, Roti de Peru com Alho e Rolo de Mistura

postas da marca Lusiaves que vem, uma vez

De origem 100% portuguesa, conciliando

de Carne de Frango e Peru (todos eles com

mais, demonstrar que até as épocas festivas

a qualidade com o conforto de uma

aproximadamente 650 gramas), Rolinhos de

podem ser brindadas com refeições fáceis

receita caseira, estas foram as propostas

Coxa de Frango com Farinheira e Rolinhos

e saborosas, que não ficam aquém de um

da marca líder de mercado para a quadra

de Coxa de Frango com Bacon (com aproxi-

prato típico tradicional.

natalícia de 2019.

madamente 450 gramas), que poderão ser adquiridos até 7 de janeiro de 2020.

Fáceis de preparar, estes produtos são

35


APETECE

Margrill e os três Reis do Mar Bacalhau, Polvo, Camarão

A Margrill, marca de produtos do mar ultracongelados do Grupo Lusiaves, destacou neste Natal o consumo do clássico bacalhau, do polvo e do camarão, alternativas para refeições festivas inesquecíveis. A marca apresenta os benefícios nutricionais e algumas dicas e curiosidades sobre os seus três produtos de eleição para épocas festivas.

36


Polvo, proteína magra e nutritiva Rico em vitaminas do complexo B, o polvo é um alimento baixo em calorias, tornando-se na opção indicada para consumir proteína magra e nutritiva. Rico em aminoácidos, que ajudam a regenerar as células e os músculos, e com baixo teor de gordura, o polvo é, ainda, uma boa fonte de ómega 3, que contribui para diminuir a inflamação e as doenças cardiovasculares. A tradição do polvo na ceia tem cada vez mais adeptos. Seja em Trás-os-Montes, no Minho ou nos Açores, o polvo é uma presença habitual à mesa na noite de 24 de dezembro. Mesmo que continue a ser uma tradição, principalmente, nortenha, está presente em inúmeras casas de Lisboa a Faro. Apresenta-se com arroz, guisado, cozido, grelhado ou frito. Muitos e bons motivos para o ter na sua mesa e a imaginação fica ao seu cuidado.

Bacalhau, o "fiel amigo" O consumo regular de peixe é universalmente recomendado pelos especialistas em alimentação, ao ser uma fonte privilegiada de diversos nutrientes. O bacalhau é um desses ilustres exemplos. Um peixe magro, com baixo teor de gordura que, por ser um dos mais presentes nas mesas dos portugueses, é dos que mais contribui para atingir as necessidades diárias de ómega 3. Cozido, grelhado, estufado, confitado ou assado, são diversas as formas de confecionar o “fiel amigo”, no qual o azeite e as ervas aromáticas, casos do colorau e pimentão, são usualmente utilizados na sua confeção e preparação gastronómica. Sumo de lima ou limão também se afigura uma excelente opção. A Margrill leva até si o bacalhau de melhor qualidade, para que, todos os dias, não falte em todos os lares o mais típico prato da cozinha portuguesa. Há mais de mil e uma maneiras de o preparar. Como vai fazer o seu?

Camarão, o companheiro de todas as festas Desde as açordas, às moquecas, na frigideira salteado, na sua versão yakisoba ou tempura, em qualquer parte do mundo, o consumo de camarão é sempre um momento de puro prazer, existindo, naturalmente, diversos tipos de camarão consoante o tipo de prato e resultado que se pretenda obter. Os de menor tamanho têm, regra geral, sabor mais intenso face aos maiores. Em todo o tipo de situações onde seja necessário destacar mais o sabor, como em caldos, risotos ou massas, prefira os menores, enquanto os maiores são mais adequados a ser servidos ou degustados sozinhos. Grelhados ou fritos, com cerveja ou vinho, a seu gosto. Presença assídua desde as entradas até aos pratos mais elaborados, o camarão faz sempre parte das mesas festivas e é, por si só, motivo suficiente de celebração. Rico em proteínas e nutrientes essenciais, é geralmente acompanhado por vinho verde, espumante ou cerveja. O fiel companheiro de começo de refeição é uma presença assídua na mesa de Natal e na passagem de ano.

37


TOME NOTA

MARQUE PRESENÇA: OS EVENTOS MAIS IMPORTANTES DO SETOR AGROALIMENTAR

17 a 26 janeiro 2020

International Green Week

18 de janeiro 2020

20 de fevereiro 2020 Agro-Logística

Messe Berlin, Berlim, Alemanha

Colóquio Setor Agroalimentar

Fundada em Berlim, a IGW é uma exposição internacional única das indústrias de alimentos, agricultura e jardinagem. A IGW é a origem do Fórum Global de Alimentos e Agricultura (GFFA). É aqui que mais de 80 ministérios internacionais e produtores de alimentos se encontram. Recursos renováveis, agricultura orgânica, jardinagem e o futuro do desenvolvimento rural continuam a ganhar importância na IGW (International Green Week) Berlim.

O certame, que é dedicado a profissionais do setor, conta com a organização da Feijão - Seguros, Formação e Serviços; QS Consult, Qualitest e Startup Lourinhã. No evento, serão debatidas a legislação e normalização em vigor, formação e certificação.para os vários negócios do setor.

A eficiência na cadeia de abastecimento das indústrias agroalimentares é o tema desta edição, num dia dedicado à cadeia logística da indústria agroalimentar e aos seus desafios: inovação, competitividade, relação com os parceiros, internacionalização e sustentabilidade.

28 e 29 fevereiro 2020

2 a 4 março 2020

24 a 26 de março 2020

CNEMA - Santarém

Pavilhão Atlântico - Lisboa

Lusoflora

A Associação Portuguesa de Produtores de Plantas e Flores Naturais anuncia a realização da 33.ª edição da Lusoflora, que terá lugar a 28 e 29 de fevereiro de 2020, no CNEMA, em Santarém. Sob o tema “Cidades Verdes e Floridas”, o foco é destacar a importância do viveirismo e da floricultura na criação de espaços verdes, fundamentais para o bem-estar das populações, na mitigação das alterações climáticas e na melhoria do meio ambiente para as gerações presentes e futuras.

38

Auditório Dr. Afonso Rodrigues Pereira, Lourinhã

SISAB 2020

O SISAB é uma grande plataforma de negócios para o setor de alimentos e bebidas. Acontece anualmente em Portugal e reúne cerca de 400 empresas e marcas líderes nos seus segmentos, de Portugal e de outros países visitantes, que mostram a um público profissional os seus últimos lançamentos em produtos e serviços. Junto com a exposição dos melhores produtos portugueses, o evento traz degustações, espaços de networking e rondas de negócio.

Palácio Marqueses da Praia e Monforte, Loures

FHIN 2020 – Cimeira Agroalimentar Euro Mediterrânica Centro de Congressos - Lisboa A FHIN 2020 – Cimeira Agroalimentar Euro Mediterrânica é um evento internacional, que agregará uma qualificada área de exposição em conjunto com um programa de conferências e painéis integrados. A FHIN 2020 tem, ainda, como objetivo servir de plataforma de negócios globais e de promoção de novas tecnologias, com vista a incentivar a produção e o desenvolvimento sustentável de produtos do setor agroalimentar nacional.


OPORTUNIDADES

TALENTO PROCURA-SE Candidata-te: recrutamento@grupolusiaves.pt

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Project Manager HR Leiria No último ano, triplicámos o tamanho da equipa de inovação e tecnologia do Grupo Lusiaves. Com diferentes equipas de produto a trabalhar em paralelo, temos dezenas de projetos constantemente em andamento e continuamos a investir na transformação digital do Grupo, levando a que se criem cada vez mais projetos novos. Por isso, precisamos de alguém focado na gestão projetos de RH. É um desafio que requer skills avançadas de gestão de projeto, coragem e ambição. Funções: • Monitorizar e supervisionar todas as fases do projeto; • Planear e organizar as tarefas e os recursos necessários para os projetos; • Acompanhamento diário do projeto, com elaboração de report diário; • Garantir e implementar o projeto; • Valoriza-se o conhecimento de softwares de RH. Perfil pretendido: • Boa capacidade de comunicação, proativo/a, metódico/a e responsável; • Capacidade de resolução de problemas e conflitos; • Espírito de liderança e capacidade de motivação; • Domínio de ferramentas Microsoft Office (Nível de Excel intermédio/avançado); • Excelente capacidade de organização e de síntese.

MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

Técnico de Manutenção Industrial / Eletromecânica Marinha das Ondas, Azambuja e Pardilhó O Técnico de Manutenção Industrial / Eletromecânica é um profissional qualificado, apto a orientar e a desenvolver atividades na área da manutenção, relacionadas com análise e diagnóstico, controlo e monitorização das condições de funcionamento dos equipamentos eletromecânicos e instalações elétricas industriais. Se, para ti, manutenção industrial é "canja de galinha", junta-te à nossa equipa e envia o teu currículo. Funções: • Planeia, prepara e procede a intervenções no âmbito da manutenção preventiva, sistemática ou corretiva; • Executa ensaios e repõe em marcha, de acordo com as normas de segurança, saúde e ambiente e regulamentos específicos em vigor; • Controlo e monitorização das condições de funcionamento dos equipamentos eletromecânicos e instalações elétricas industriais. Perfil pretendido: • Experiência na área de manutenção industrial; • Formação como Técnico de Manutenção; • Disponibilidade para trabalhar por turnos e folgas rotativas; • Capacidade para trabalhar em equipa, espírito inovador e proativo, polivalente e responsável: • Capacidade de organização e planeamento; • Disponibilidade imediata; • Disponibilidade para trabalhar das 20h00 às 05h00.

GESTÃO DE PROCESSOS PRODUTIVOS

Designer Industrial Pombal Reconhecemos a importância e o impacto que o design tem no sucesso do negócio. Funções: • Orçamentar soluções na área da construção pré-fabricada; • Conceção de novos produtos e soluções técnicas pré-fabricadas; • Desenvolver produtos com diferentes limitações/capacidades; • Acompanhar os processos de fabricação de moldes e produção piloto; • Realizar ambientes 3D para divulgação comercial das soluções; • Realizar a interface com designers externos nos processos de criação de produto. Perfil pretendido: • Conhecimentos de Processos de Fabrico (fator eliminatório) • Conhecimento académico de Materiais Metálicos/Não Metálicos; • Sólidos conhecimentos de Software 3D - Solidworks/Inventor/ Catia (fator eliminatório); • Modelação por Superfícies; • Projeto de Moldes; • Tecnologia de Chapa; • Desenho de Estruturas; • Análise por elementos finitos; • Exportação de Desenhos Técnicos para Fabricação em 2D e 3D; • Conhecimento de Autocad 2D; • Conhecimento/Experiência comprovável de lidar com sistemas mecânicos e perceber as suas capacidades e limitações • Conhecimentos de programas para modelação 3D de ambientes arquitetura (Sketchup, REVIT, 3DS Max, Lumion, Archicad).

MANUTENÇÃO AUTOMÓVEL

Mecânico Auto Monte Redondo e Pardilhó O nosso parque automóvel é constituído, essencialmente, por veículos pesados para o transporte das nossas rações e cereais. Se adoras mecânica, esta vaga é para ti! Precisamos da tua ajuda para detetar avarias mecânicas e arranjá-las. Vem trabalhar com um grupo de profissionais experientes nas áreas de Mecânica/Oficina e vem pôr a máquina a rolar! Funções: • Gestão das avarias dos veículos pesados e ligeiros da Unidade; • Resolução de avarias. Perfil pretendido: • Experiência profissional mínima de 5 anos na área; • Carta de condução; • Disponibilidade imediata.

MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

Responsável de Manutenção Industrial Noturno Estarreja Ter a capacidade de implementar a manutenção preditiva e preventiva e coordenar uma equipa de trabalho na nossa unidade de produção exige grande responsabilidade e determinação. Se achas que consegues, então, este trabalho é para ti! Se queres fazer a diferença, junta-se à nossa equipa e envia o teu CV.

Funções: • Definir e implementar o plano anual de manutenção preventiva e corretiva; • Controlar as intervenções de manutenção a realizar; • Coordenar a equipa de manutenção; • Manter contacto com fornecedores de peças e assegurar a qualidade das compras; • Elaborar os reportings e controlar a performance dos equipamentos; • Manter e atualizar a documentação técnica e legal; • Formar as equipas para as melhores práticas. Perfil pretendido: • 12.º ano de escolaridade; • Formação Superior em Engenharia Mecânica ou Eletrotécnica; • Experiência até 5 anos em funções similares em ambiente industrial; • Conhecimentos de ferramentas de apoio à gestão de manutenção; • Domínio de ferramentas do Microsoft Office; • Bons conhecimentos de Inglês; • Capacidade de análise e planeamento; • Autonomia na tomada de decisão; • Capacidade de liderança e gestão de equipa.

39


Investir na Sustentabilidade Criamos valor respeitando a economia circular

Valorizamos, anualmente, mais de 95% dos nossos subprodutos. No Grupo Lusiaves, com o total respeito pelo meio ambiente, a estratégia assenta na economia circular. Investimos em soluções inovadoras e negócios que promovem a ecoeficiência. 40

1986-2020

www.grupolusiaves.pt